<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/04345
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, November 09, 1841
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:04345

Full Text

Anno de 1841. TfeajA pEJA
Todo agora deptnde da nsmesmoi; da nosia prudencia? moder*
fo, soaraaa : coatinuamoscorno principiamos, csircuoi apotliadol
O* adxiraeie entra as Aacasmais cultas;
Proclamaeo da Vssamblta Garal do Brasil
\
m
Snherave-st paracstafolba a 3?ooo por aunrtal pagos adiantadot
cesta Typografia ruadas Crines 0.5, na Praca da ]ndcpettati>-
cia, n. 37 38, onde sa recebara corraspondcncias lealisadas e c-
nuneios, insinndo-sa estes gratis sendo dos proprios assigoantta,
Tin do signados.
PARTIDAS DOS CRREIOS TERRESTRES]
Cdadada Parahiba Villas da soaprataneo i ."V V ' .\
Dita do Ptio Grande do Norte, a Villas dem. . . . (y,-- a Stilai'fciail
Dita da Fortaleza a Villas dem..............[
Cidade de Goianna....................9/
Cidade da Olinda..................S i Todos os dial]
Villa deS. Antio...................... Quintas fairas.
Dita dcGaranhuns ePovoacio do Bonito......... lo, a 74 de cada mas
DitasdoCabo, Serinhaem, Hio Fomozo, e Porto Cairo.'i, 11, a ai dito dito
Cidade das Alabeas, a de Macei............ dem dem
Villa da Pa}a de Flores.....................dem 15, dito dita
Todos os Corrcio partemaomeio dia.
PHnSES DA LOA NO MEZ DE HOV.
Quart.ming. a 5 as
La Nova a i3- as
Quart. rese, a ai 1 as
La C.-.ea a 28-as
ib.iii m. da tard;
3b. a 6m.da man;
3 h. a 48 m. da nam.
4 L. e 1 a m. da tard.
Mar*, thcia para o dia de 9 Novembro.
As 1 horas e 18 minutos da tarde.
As 1 -jras c 41 minutos da manb.
9 pe NovEMimo. NmI 2U:
CAMBIOS. Novembro 7.
Londres......ig p d. porifoooceU.
Lisik.......80 a 83 por o|o premio poi metal offerectdoj
Fiauea......3ao ra per franco. Coiop. Venaa.,
UbiiO Moeda ce 6#4o raa, ralbas latfoo 14*700
Dius iilioo Ufjoo
D,us dtkgooovtis, fifion 8;3o
PRATA l'auces Hrastlairo* ----- ifao i*6 ,, PezosColuiunanos --- liflao 1/6/10
Ditos Mexicanos ------- ifboo 1/620
Minia.---------.......#ao- tJHka:
Disc. de bilti. da Alfamlega t i|8 por loo 10 u ei. 1 ora
loeui Moeda da col)re 3 por 100 da diacj
DAS DA SEMANA:
8 Segunda S. Severianno M. A'ilieucia do Juis da Direito da
vara,
g Terca S. Theoloro M. Relaco e aud. do Juis de Direito da i;
vara.
10 Quarta S. Andr \vllino. --Aud. do Juiz de D. da 3. vare.'
(1 Quinta S. Murlinlio B. -- Audiencia do Jais de ireitj da 9.1
vara.
i2 Sexta S. Slartinb.9 P. II.- Anuencia do Juiz de D. da I. v.
5 Sabbado Enebio B. Rvlalas. o audiencia do Juiz de D. da 3j
vara.
ii Domingo Patrocinio N. S.
PERNAMBUGO.
GOVERNODA PROVINCIA.
Expediente do dia 4 do crrente,
Cfficin Ao rptntr8ndante d's armas, en-
T8ndo-lhe eni cumpri'ento do imperial n-
viso de 1 a de eutuhro ultimo a guia do Capi-
llo de pri"eira tirria Luizde QueirozCou-
tinho, a fin de que llie ce o conveniente dis-
tino.
Dito Ao mrsrao remetiendo-1 he para sua
intelligenria e execusso na parte que llie
tora urna copia da provisio do conseliio
supremo militar de 3 de Setembro ultimo so -
bre bs alribuicdes dos commandautes das ar-
mas nos pcnselhos de direceo para reconhe-
cimento dos cadetes.
Dito Ao oiesmo, signieando que tendo
presidencia nomeado o alferes reformado
H.D>un couselho de guerra a que est respondendo o
moco do figo da barca de escavaco : cumpre
que assim ib'o faca constar determinando-
Ihe que se aprsenle ao presidente da me-
roo conselho.
Dilo Ao mesmo, para mandar receber
do commandante do Cter Esperance de
liebetibe, un Cadete, um soldaJo e onie re-
crulas constante da reUco que se ihe re-
metle, viudos da provincia do Rio Grande da
ftcrie e Ibes d o compettenie deslino.
I oitaiia- Aocemmandanie do euler Es-
perance de Bebeiibe ordenando-llie que
tniregue a ili-|iusi(jj do ccmmaaaame d.s
armas, as pravas e recrutas de que irau o
precedente o(Bcio.
tLcio- AoinspectTda Ibesouraria da fa-
tiida, enviando para sua ntelligeocii e exe-
cu^aona paite que lbe toca urna copia do
imptrial aiiso de a2 de St-umbro ultimo, no
qual determina S< Ai. o lauperador que lo-
go que aju&lar &s tontas dos aullares, que
tivetcm de marchar para fura da provincia,
te ibes passe tx-iiEcio ni mesma ucca^iao a
competente guia.
tiito Ao mesmo, communicando-ihe que
lendo S. l. o I&peradu recebidj tuo a ;;a-
do e bentvolencij o mapp* que ibi oig lasa-
do pelo piiaeiro escritpurano da mes* do
conauiado ctala tiuaoe Antonio de S.uj
litis cumpre que asbim ib'o faca constar
como deteimiua u impeiial avisj du i de uu-
tubro tundo.
Jjilo Ao inspector da tbesourara das
rendas provincias, cuomuiiicando-lbe que
a pitsiceiiiia Itm conctidodciuisij ao pra-
ftisor ta cadeia de primeiras ielr<>s da villa
do Pao du Albo Jos Ctdasaiis da Silva Fra-
goso,
acrolheo benigno rs ^entimentos dresp^iti e
lealJaiie manifestad)* na cDn',rtulacaj.
que a sua uriist4 pre;ens diri;i 1 a me-na
cmara em r.msequencia dj acto da su* coro-
aco e sagraca.
Dito- Ao inspector {enl dis obras pu-
blicas, resoondeiidJ-lhe que deve mandir
fahricdo os bnco de assento da
ponte da Raa-visla, os onae* deven ser de
ferro e o assento de eDgradamenlo farte de
madeira.
Portara Ao mesmo, para examinar a
obra da quinta parte da estrada de Sinto An-
ta de que he .irretu tir.te J >S3 Cliuno
tpU da nrestaci roensal, a'ie rpjupsitou em Rufino di Costa Pinta
sen "(fien di data do dia antecdante. Captan da Silva Agredo
Dito Ao juiz ddireit> dirivel da ci- I Anarleta I>se de Vlendjaca
marca de Santo Anta) si;tiificn 1 -lhe que jlolo Uoraira di Silv*
sendo nece9sarb quena n>esnaa omarca Antmii Jo*e F-rnan Ijs da Carvalho
exis'a pessaa que f ca as veses d^ or^curador J ise Lui. da Silva
fiscal, pedia Ihe1 de cinbr nididecara o q>ie F'rancisc Sevpriauna Rebellj
disoe o artig) 91 da lei d>* 4 de outobro da
i83i, e a ordem do tribunal de 10 de mar-
c > da correute ar.n > se dignaste pronor p9sia
que se ache nos termos de exercer na mesma
comarca a dito lugar, a 6m da paisar-se-lhe
a compettenlis natneacio.
Iual olfiio Ibi dirigid) ao juizes de direi-
Leite e informar se a mesma obra est no caso, to d todas as outras i-omarras
de ser recebida. Olrio A Isaac Galsmid K.iiff e Tjmo-
ito Ao enpenheiro Aufjnsto Kprslinfj, '<>" ^ Londres rom o conliecinento de a,4g6
ordpnaodo-lhe q ie passe a eliminar a o- I qumUesd* pa Brasil que v|j a sua canug-
brado nono lanqo de estrada da Sul: deque ' Pel br'u inS^1 J*e Erkun de
be arremattanle Firmino Theitorij da Ca- qne he capila Janes Ciuk e pa ren panda-
mar Santigo e informe se ella esta no 'he. que achandj-se afretad obrigueLa-
gio lie tr r^vbidi. ; vply p.r^ lar Umlie D l;oni ita- Nomeandoo Bacharel Clemente Jo- Uu 00 dito Pao j e devenda hreemente sa-
se Ferreira da Casta para subat ituir o pro- bir desle porto bota seria, que procedes-
curador fiscal da fasenda Antonia Joaquim sem em lempo .1 co npetent- seguro,
de Mello, em quanto durar oseo imped-' Id-oa do di* 5.
ment de molestia, Dito- Ao inspector da tnesouraria da fi-
Olficio-Ao inspector da thesourarrii da B?Ida da provincia do Vlaranbo enviando-
fasendi,commuQcanda-lbe a nomeacaasu- lbe em aJditamenoao offiiode i dacarreoti
pra> huma letra da quantia de 2.5) jU res a jo
Fortaria-Nompando o primeiro tenen'e dp da saque de Vlaooel Antooij de Jetas,
Joio Baptista deOiveira Giiuares e o abanado por Antonia 5oresda Ciaba Gai-
alferes reformado Raimundo Jase de Sousa maies sobre Almos! mrte Gadiuba da
Lobo, para vagaes do coaselbo de gabera u-esiua 1 rovincii.
a que es: respjndeudo o 100:0 do fogada Dilo-Ao administrador di mesa do consu-
barca de escavaco '8dJ P*ra * tomprimento da ulicia do Exn.
Olficio Ao Capilio lente Francisco P- presidente da provincia da di* antecdate,
res de Carvalho presidente dj canse'.ho de axaedi lo em conformidade da imperial Avisa
gr.erra cima mencionado, co.umuuicmJo- da q de ouluOro prximo pissada, faser cons-
tar ao primeiro escripiurario da mesma mesa
i Aiouia de Sausa Reis que S Al. o luipe-
Antonio Maa Cartea
An'.oaio Riiriauea Vpves
Antonio laaquim Ferreira Guian-
raes
Antonia Jase Go-nes Araae;.
Jase de S lua Ribeiro
Viran* e Lima
Jase Franscrt Margues
Firmino Josa Feiis da Rosa
!){: v:o
l6{Iooa
9U300
loUaoo
9UJ1
oUmo
a U ioo
ioCJoo
5U)jo
ioUou
igljaa
gU'iao
lojaoo
loaao
aaUaao
(Continuar-se-ha, )
ihe as njrne.n;uP9 supras.
THEZ0URAR1A UE FAZENDA.
Expediente do dia 3 do correnle.
Negocios do Rio Grande do Sul*
Discurso que o bri^adeiro Joio Paulo dos
S-ntos Brrelo ex-caotmsndnta em chela
do exerciu em operapes na provincia da
S Pedro do Sul dirigi a Sua Magestada
o imperador no di* 1 a de outubro dama
de ni ver beijado a augusta mo do me Sabor.
Senhor Tenda cbegsda a esta corte de
volta da provincia de S. Pedro da Sul, de-
piisdrt haver ali entregado o commando em
chefe d 1 exercito em operaces. he da toen
religioso devar vir parante V. M. I. exoor
resumidamente os fictos caoitaes oc.orridaj
sob meo commando e ao mesmo passo ma-
niiestar a profunda toabas de que ora est
pe ii"! ra o o mea coraco.
Sen-bor, eu fui empassada no coraroindo
daqaeile eiercilo em 3o da novenoro do
anua pissada, emda 17 d da.e n'iro jan
capital de Porto Alegre e a villa de S Jase da
Narte eslava'a livres da rigoroso sitia em que
raiior re.ebeo can agrado e b.icvjle.uia o los rebeldes as coisservava havia qaasi tres
unos. Animado p >r es:e felit su -assa, al-
canjado pelas armas imaeriaes sobre o ni-
m.pp por elle or^anisaio.
Paitara Aa thesoureiro da fasenda man
Officio-Ao Exm. presidente da provin- dando entregar a Vlanoei Antonia de Jasus a miga dai-me pressa e n o faser batar sobra a
cia, tommunicaudo a p.rlecipaca feita pelo qoanlis de a,5au reis de numa lelia a mes- Sacra, mas est.a seguuda operaca na fai bam
procurador riscal da thesouraria em oficio da m p.rlaru inclusa que a Ja d|v sacau com lograd., nao deaenienio ds ro u sua e*e-
mesmadata, de que o seo m esulo desau- abouacaa de Antonia baares da Cunli* oui- cu o, como (a a V. M. I. Coi presente. Far-
de o obriga adeixar o exercicia do mesmo maraes sabr Alauael uirte oJinbo da
empre -a e rogando se digussse DOaMar profiBcU do Maranlio a favor da lliesou-
pessoa para o substituir durante o seo impe- ww de tasenda da mesma provincia ; a quem
diuienlo.
!)ito-Ao inspector da thesouraria de fi- Iribuiwldo thesauro pub'ica nacional du aa
secdada pruviuiiado MalMabo, remellen- de Jullao do carrete a;;no.
do-lbe cu aonlormidade da u'iuio de ai ~ "-*
be remetida e-n com lar anda de da orden da a aceaarem combate ou deporem as armas.
ca enlo era que o bravo e virtuoso exercito
imperial sariis>e pira a ca npan'ia a lindo
perseguir, e al* mesmo forjar os rebeldes
Lito Ao director to lyceo, coaimunican-
tlc-li.e o coiiteudo no pie.tdente otbcia.
Dito-Ao ntsmo, enaianiio-lbe ao ex-
enpLres das iusiiuc^ces itgulamtulares de
33 de oulnbio de iba7 que lequisilou em
660 Liiiu de uQo mez p. p.
iano Ao ius; ecicr uo arsenal de marinba
eiiviando-lbe para sua inteligencia 8 exteus-
ao na parle que Ihe loca una copia do ae-
Cielo un-i e. setembro uliimo faaeodo SI-
tensivasaos individuo^ dubimada e corpo de
ariilbetia, de Manuha iiicursos no carne
de pnutna diserto, asdispuaitoes da decre-
to oe ib de Ju'bo do correute anuo.
Lili caai-ra municipal de lguarassu',
cooivunicaado-lhe queS. &l o Imperador,.
de outubro Gndo duas letras, huma de
aico.joode reis a io djp do saque de No-
vaes, limaos 6 Compam.ia abanado par JNu-
do .uaria de Senas s.bre Manoel Antonia
de GarvalhoeOlifeira i^iJobrinlio, e oulra
ue 1 joooooo de reis a 4 |o da saque de
Aiguol Antonio da Losu e Silra abonada
PREFEITR\.
D'ordem do bar. preleito se fas pelo
prsenle constar a queaj perleacer qje ex-
ule aa ua lsptetiva secretaria v objec os se-
guales apiehani las pe! >s patrullas de po-
11 1.: um garla grande de prala, ua lomo das
ib s do Vultaiieem francs e sel eslitnus
ue lata ; quem aos msalas se juigir ca di-
ie.i:o ca upareca ua sabredila secretaria para
por Alauoel Joaquim Ramos ey ilva sobro
lialibasar lrmo c: Corop.
Lito Aottdauuisirnor da Mesa do con- [e^rTMireguej desos d'asjusliicaVem
sulado parlecipanda-lbe acbar-se afreudo MU 0 owsama3r. preaO.
pela Ibtsouraruo brigue Inglez Sera.y para ,-deiaiia Ua preieitura da comarcada Re-
conduiii- paobiasil para Landres a naide ^ Sdadoeeinoro de sid4i.
darsuas oidens p.ra que uel.e se enriar* QBttata doUegoLima,otficiild* SeCTOtafi.
que toda a pardo da meamo pao que lar
possivelcbervanJoaeate respeto oque es- Continuaclo dos davedores de^ impastes do
u fcmpraiica, i buca.
Idemdodia4, Joaquim Uartiui H*ru)S aoUooo
Dito Ao itspectur da tnesouraria provin- Jaaa Francisco Pontos noooo
c'ul partecipando-lliejathai-se autborisada o Tbemoteo Piulo Laal
thesoureiro aa iasenda para enuegar 00 da Francisco Alarnos Ramos
ltjaaa
mesma ihesouraria a quaulia de i5ooUooo Aolo:iio Lnii da ilra
lendaolles completamente orna id) do per-
dio que V, Al. imperial lio pateroalmente
lies Invia olarecida, Alirebau de ficto o
exercito em marco a al o fim de junb a le-
vau cois;a:iie ueute de cairila, diu.tfl de si,
as fardas iiumigas que fogia cama o (urna aa
mus Irtve sa,j(o d is vaulas O qUSitlO Oh-,
par duas veses, julgara pader-aa aproximar
das u )s-a> caro Iba cu&tau o intento.
Appaiero *. crescia os i neo m modos da
eslacao ni ver nasa e neceasaria enta era to-
m^r quaitais de invern para dar o conveni-
ente repouaa aos bravos cheles, orii'iaes a
pravas de ta virtuaso exercito, que sempra
iaii" inclume acabava de talar as visiissi-
raas campias quo a rebeldia daminava havia
quasi seis aunas, de.iois de llie la .ver arran-
cada boma grandissima exiencao de tarrit-.
rio. A fe.na.iu das cavaliarias reclatnava i
gualmeula aqiell . Oaeraoaa, Lur atado a
taes tins loi couae.lientamente escalhida e o
ezeretto iasernou deiiaiuvaraauta na rincio
de S. Vcenle. Todos estes e outro Lata*
turao por iuiu partuipdas tai tampaao ga-
1
HU0001 veruodoV. M, l,


toan
~
*

ftlRlO DE PER NMBCO

Aperus senhor recebi ordem
H meu muns Mr. Philipe propaz a repista ao dis- us riv.es da banda oriental.
w^iiTSZjJTZSS .- ** r" ^- risler?! vM A8 f0,h,s de He9p a "dl con gM
in>n>edato. assim o pr.tiquei, e retirei-me: foi .potado por Mr. Dunda,, e Ir. W.r-
n.as ao passar por Porto Alegre, Rio Gran- tley apresenlou emenda tory que fot..tan -
deeSanuCth.rina, eaocbegar a .ataca- Uda largamente por lord Bruce. O debat*
pital foi asaltado pelas horriveis falsas no- fot renhido e nelle. tomarao parle o* ratnis-
ticias de que o exercito ficra reduzido ao ter- tros, Sir Roberto Peel, o commo !oro Napier,
Mr. Labouchene e outrna. A votac deu
urna derrota decisiva aos whigs que liveram
urna maioria contraria de 91 votos.
Km seguida Lord John Kussell deu a en-
tender que o governo nao tardara em resig-
nar e islo se confirma pela noticia de ter. animado e movimento que
Lord Huwi'k uto doi rtinislos largado o se notam. As associacoes ,
co de soa forra haverdo perecido jningoa
e i penuria m.is de seiscentss pruc.s ; leud-
le extraviado vais de mil ; que eu linha nido
preso ( borroriso me senh r de profe-
rir o resto t mas forca he dize-lo ) pelo pro
prio exerrilo 1 l que eu pretenda entregar o
eirrito imperial aos chefes da rebelda ; qum
horror 111.. que o exercito nao tinha fran-
ca coannuniracio rom capital da provincia,
nlm donis que propalovo osinimigosde
y. M. I. que sem a menor duvida sio os
que assim me injuriavo com o iniquo pio-
iteto de-delrabirem aquelles que em nome e
por oidem de V. M. 1. me bavio nomeado
commandaute em chefe daqueile exercito.
A' villa Senbor de lo horrendas ca-
lumnias que at ebegrad os perversos a
conseguir que tivessem entrada no venerando
seto da representarlo nacional ; e rtfleclindo
eu sobre minba habitual conducta e sobre
as consequeocias de tantas iniquidades nao
me be possivel deixar de com a mais pro-
funda m: goa expor a V. AL 1. que leudo
cti omttado minba carreira rxilit-r sob o
gloiioso reinado de sua augusta bisav ; con-
tinuado durante es 1 ciliados de*eu iuclytoa-
x e Ka magnnimo pai, oheidosdous
Dundos e pieslado relevantes set vicos 2 ju-
ina de V. Bu, que laiclem he a minba qu-
do, pelo honrado gtneral que eulo reia
rom ouiros vaioes probos e em nouie de V.
Ai. I. os destino deste imperio acbando-se
ento V. Ai. 1. na sua infancia cenado por
deseniieaoas laat-s, que 011 sob o spelo
da lu blenla e leruz demogugia ora sub a
horrenda catadura da mais aviitanle restau-
rado preltnuio sacrilegamente arrancar
das ento debis moi de V. Al I o sceplro
brasileo, sagrado en.Lie ; a da unio e da
honra deste lmpetio ; oulra vez, dio, quau-
do uestes luctuosos dias eu frente de ge-
neris esclarecidos e de valentes otuiaes > lo-
do volado eleaav uua uutiio ue su ex-
celsa coioa me ulauava de oerecer meu
sai.gue e vida em bonioso holocausto para a
aalvaco de V. M. 1. da coustituico e da
pama, m*l, Senbor, eu poden* prever q*
hum dia viria ea que te pedesse suspeilar de
ir.inha honra a ponto de propalar-se que eu
bata sido preso pelo exercito por preteuder
hotel que tinha na cidade e despedido mul-
los dos que o servan. Lord Palmerston
lem ltimamente disputo de vario empregos
em favor das suas creeturas.
A folbas Whigs elogiaoi muito o discurso
de Lord Jobn Russe.ll dando con! da poli-
tica da adminislraco e censurando os n.eios
reprebensivei* da que os lories usam para
subir ao poder.
Lord beresford achava-se muito doente e
lemia-se suecumbisse desta nos seus acha-
ques.
O novos fundos portuguezea continuavam
a cotar-se nomina I mente a aq e 7 oita/os.
Em Franca augmentam-se as dimculd des
na execuio da medida de Air. Humano so-
bre o censo. Em Arras 6 em Tuura houve
letias derronslrates contra os encarregados
de por em pralua o procetso para o recensea
ment e as cmaras municipaes de outros
districlos continuam a proletar contra os que
repulam urna invasa as suas atlribuieoes.
IVlr. Guizot para imitar os estadista in-
olezes loi Visitar oseleilnres de Lisieux que
lite deram um eumptuoso banquete, e par
e-u ocatio pionunciou um 1 i> ur>o ; em
que juslica os seus actos e pretende mos-
trar que teguiu o camtnho mais vantijosa pa-
ra os intereases do seu paiz na contenda en-
tte asgraudes potencias eovice-iei do E-
gypto-
'Pendo varios jornaes de Pariz dado a ooti-
de aticncj.
O Kcj di Commercio orcupava-se em res-
ponder ai Morning-Herald que d a noticia
de ter Mr. Guizot eaa nome de Luiz Filiops
proposto s grandes potencias urna interven-
Co armada na lisspanh* M caso de reben-
tir oulra revolu?o nesse paiz seja deque
naiiireza fr.
As communicaces de diverso pontos de
Hespanha conGrmatn as noticias f.voraveis da
em t > 1 a parte
as emprpzas mais
arriscadas se improvisam como por encanto ,
e por toda a parte se divisa um estinulo e atn
amor uo trabalho cono anda nao se va o
que prova que os povos abriram os ollus al
aqui fechados por desgraga, e descubriram
os im mensos gneros de riqueza que posauej
para delles tirar partido.
Em Ciudad Real teve lugar um desafio en-
tre o reHactor de U. Quixote. e ujn djs func-
ctonarios do governo do qual nao resultou
desastre a'g mi para os cambtlanies.
Cjnsla que as tropas despatllalas eilacio-
nadas na fronteira de Tra os Wontes tem 0-
brigado militas cargas de conlrabandj a re-
troceder e que em Uraganca e outros pantos
nao se pJe continuar o CJitrabiiido.
As Corles d- Portugal coiiViiuioa a decre-
iar tributos e depois de lerera gravada di-
versas sor.es de pioduccj oceupam-se agora
em dar o ultimo garrote maritiha mercante
no momento em que declarou dia de grande
galla aquelle em que se deilou ao mar a au
Vasco da Gama.
Manifest do Gjverna H^ipinhil Cintra o
Protesto di Rainha i) Alaria C ristina ,
Hespanhoes : lempo ha que o Governo co"
nbecia os planos que os inimigas da Cjosi"
tui;j estavam Iraclando cotao ujtiaaa esne
ranea de urna sonhada rearco. No deliri0
Ireneiico de suas paixda buacavam um pe
cia da revogaio da meiid* de Mr. Ha- texto para excitar 5 ecegunente alucinada ,
mann eapiesentado os seus commeniartos a
esla supuesta esolucao o governo orde-
dotes jornaes o que ex-sperou ainpieus
peridica esobre ludo a Gazeitede Eran-
ce que aitnbue aos ministros as mais siois
tras aiienges
Dizem as folhas legitimlas que o duque
ju'garam achal o na queUo de tutella das au-
gutasP upih. a Ranilla . Isabel II. ea
i...-i- l>. t^..;> -! *.* J. m. i
tuedi.tta successora
Com luda esta questo nao pidia lvalos ao
termo rte seus reprevados intentos sem una
bandeira sem urna insignia. Mu diliieil ,
se nj impossirel era achala em Hdspania,
de bordeus apesar de ler solfrida muito ton e por lano presiso era busca-la fara. Para o
a sua frtclura na perua acha-se inleirameute
CDtregar vilmente os denodados deleusores j fra de perigo e lauto assim que a duqu-za
t paiiia e do Ihrono iaiperial... e a quem de Berry q*e se achava ao seu lado em K11-
chberg voltou para Goritit
da p
jenbor ? a hum punhauo de rebeldes sobre
quero j aquelles meamos bravos e neis guer-
xeitcsbob meu mando havia descarregado,
intento inconsiderados eonselheiros rodearam
a urna pessos augusta pira apoderar se de seu
animo na sua residencia em paii estran?,iro ,
e de suspeitar que outros nao menos incon-
siderados se haja'n dirigida de nosso salo a
compromelter aquella mesma pesso* seco con-
siderar as onsequencias seai preir os re-
O Imperador deAust-.ia acompanhada de
parte de sua familia re>olveu lazer urna ex-
t ciiunuava a detcarregar os lataes golpea curto pela Syria onde sera seguida pelo prio- (
une ol alugeutavao espavondos ou os cixa- cjpe je Metternich logo que este con-lua o I sullados que senpre deviam ser-ll.e funes-
ta5 vencaos. empreslirno que se loma indispeniavel em tos Sem outio objecto mus do que salisfa-
Stnhor o meu coraca5 se speila vista | pte8enca des apuros Quanceirus em que so ter suas parlicu!rres ambic;S s ciar seus
dtlaiiUs Diquidadea e uo meio dtsu o- j bCha o ln peo Austraco. detejos e realisar seu bera coubecido pensa-
putftia t a-e seive de linilivo o esiar reco- 1 Tem aaido da blgica diversas embarcac- 1 ment de arrebatar naca as liberdades e as
i,beceudo em aeu augusto semblanie huma e9 carregadas de pelrecUos, auniees e e- | instituales que para conserva-hs se havia
piova da convic^sS e que V. Al. I. repula ', quipamentos militares destina
tomo cu
ciuades
ados p,ra E- 1 constlnido no uso de seus direilos e com cu-
lumuiadores os que taes cribes e aira- ypto onde deve receber Alebemel-Ali esses jo recoubeciment as havia aceeitado a mesm*
inveniata topara acobertarem seus Oo|eclos por elle encommeudados as fabricas Augusta pessoa ; nao pjr amor a esla nao
debiuxellaa, Lie e JNamur. ; por zelo e seus periendidos direilos que a
ISa liussia houve roudanea de ministro da o mediar seus individuaes iuteresie elles
fazenda circUnst beilimj piompla loncluso de um tratado os meios que podiam condui-los aos aeus
entre a nussia e a Prussia. jfira.
Entiou no baldeo a fragata franceza Danae : impossivel parecia que taes rnaqunic5es
le cem a eapital da proviucia. Se, porem que se dmgia a S J tu-rsiaurgo. Logo qae achassem Bcoihimenio. Paiavras reaes dadas
"V. Ai. 1 anda depon deba succiula uarro-j tbta emharcaco fundeou e saivou todos os com toda a liberdade e caro ra infesta espon-
cio nao me julgar isenlo de culpa o que me 1 fortes llie correiponderam e a ocialidade laneile: direilos, sagrados inierpostos, e
injustos desiguios.
Otxerciio, enhor, ficou inclume e glo-
rioso no rinco de S. Vicente ; tu regressei a
Poito Aiegie e dali a esla corte, pela fran-
ca esiraua que rouitoj de anlemo eu havia
desimano para manler as communicacovs del-
set o maior dos males eu rogo inslanle-
jtente a V. Al. 1. a grata de mandar nomear
oconselhode guerra que me processe a face
das actus*cea que me ioiem leilas ; e se eu
Uvera Itriuna como espero de ser julga-
do livie de culpa, cooteda-me eulo V. i>l.
I. a 6uhita gr*9 de dar-me sua augusta mo
beijar.
Resposta que Dignou-se dar-me S. M. o
Imperador:
Esta bem*
Ips toda a severidade dai leis firmemente
decidido a todo o costo a aulharidde destas e
das Caries a vingar urnas e outras doa ul-
trajes om que ero vio se pertendi* destruir
ou desacredita-las. ;*
A imprudencia chegou ao sensirel extremo
de arrojar no meio da naco o protesto da
Rainha me, mas Dona Maria Christina de
bambon contra a declaracao solemne e ma-
gestosa que fizeram as Cartea de estar vaga a
tutela das excelsas Pu pilas ; contra a nomea-
co de tutor ecanlra a intervencao queThes-
tes actos allribue aquelle mal concebida papel
no regente do Reino e no seu l overno.
A situaco do p>iz, atriste situaco em
que tambaro ss acham os he$p seguinle irrilatja das paixes en'.rar^m sem
duvida nos clculos de nosiat immjr,s; 9
contando coa e?si deploraveis circunstanci-
as iulroduziramem Hespanba por meio d s
peiiodicos estrangeiros e exemplares impies-
sos um docim-uio qu9 olhtram como 01
principia incendiario que bouvesse de con-
fligar a todo o heitio Mas o Reino rujo vi-
gor se augnetila proporco que crescem o
apuros e se pertende cerca-lo de perigos,
nao teme estas maquinaces nem quant4$ (,ns-
sam forjar os iuimigos da oidem a do socego
publico e est preparado dj moda que laa
eiiminoaos aboriem e tejam tmente nac,os
aos que i:ilendem 'p-U em execuc0,
Ailfiidtda deste modo a necessidada social
da conservaco theguu o memento em que
o Governo iepul.se com eneigia os falsos tun-
dan.tutos oeste protesta vindique os ultra-
ges s leis s Lories e lSatao ioteira e
descubra tambero os males e horrores aqu se
pteleudeu vmenle tonduzi-la.
Pela Hcspanhi e Europa se ver om as-
sombro e llespouh* quaifirar como Ihe
peileuce uro udjument lo singular como
iuconsequenle laoliho de exactido como
de con.ideraco e decoro. Poiro antes de
tratar delle convem advertir que nao t-
menle se protesta contra a declaro cao das Cor-
les de estar vacante a tutella se nao que na
carta que se me icmelie se Iz urna nova o-
lensa as Corles e a Naco descoubecendo a
auluot idatle constitucional do chele superno
do Esudo, e peilendend. roiaservar Kaiub
11.ai a que eua por igual dieilo havia exerci-
do e q-ie espontneamente e tambero contra
as instancias leileradas do Anuis.eria eaa
begeucia havia reiuuuiado.
Esla carta dirigida a L). Baldomero Es-
parlero podeiia qua'iQcar-se como particu-
tar^ se nao te lesse pella um mandato exptei-
so de publicar imm ediatamente o protesto na
Gazela de AJadiid. Assim v se que a car-
ta dirigi se ao Regente do Reino que dan-
do*lhe urna diiecto piivada se des orinece
esta oignidade e que com aquelle mandato
ae inamleita a peitenco de conservar uroa
aul--.oiid.idc que a liatnlia me nao tero desde
que abitcou. .
lia nesla pretenco urna novidade contradi-
la pela mesma Uaiuha me. Todava nao se
tem padidoe^quecer a calebre acta de Valen-
cia e.u que b. Al. renuncia a gereucia ue
Hespanha amensageui que coro este ob-
jeeta dirigi as corles nemas instancias coro
que o Aliuistro creado pela mesma e a cuja
treme me achava como Presidente dq,Con^
selno de Ministros tratou de desvia-la desle
passo. Com ludo deve estar na memoria de
lodos oa hespanhoes o manifest assignado
par S. Al. em Marselba a 8 de JNoemb-o
ultimo em que conclua duendo : "'queja
nada pedia a que havia sido lUuini de Hes-
panba seuao qae amassero a suas filuas e res-
peilassero a sua memoria. '' E depois de ma-
ilem-
ha sido ooseuuiada pelo imperador e pela sua respeitos de summa importancia e de impres- | uittsia9oes lao explcitas como livres e s
cufie. jt-endivel allenco garanliaro do modo mais
Em Odessa tinbam suspendidos os seus pa- | indubiiavel que serum repellidas suggas oes
('amentos duas mu importantes caas de coro- 1 to smisiras que nao podiam ofLreeer ea
JNoticias Jstrangeira
RETROSPECTO POLTICO.
Teve logar a abertura da parlamento len-
do-se o discurso da Coroa documtuio iavu-
ri.vtl aoivrbigs. Na cmara dos loids tra-
tou-te logo oe volar a rtspo&ia ao jiscurso ,
apiateulaudo-se urna emenda no sentido dos
tenes foi 6ppiov.ua por maioria de 7a vo-
tes passando por toi-seguiute urna com-
nisto da opposijjo e pieparar a ies-
meiciu.
O ministerio Ataurocordato nao pode sus-
lenlar-se na Grecia ; as aulipalhias contra os
avaros crescem quulidianamenle nesse paiz ,
e a ccite obstiuktte em preterir os estrangei-
ros aos verdadeirns patrilas.
Ka ilha de Canda cetebraram oa insurgen
nes pJe peneud tnoridade reuunadi por equelle prioieiro
lo ecuja leuuncia i'ji coularaiaJa e Mi
cenbecida pelo secunda ?
Tad.vii, bespanbots na carta coro que
se enviou o protesto se obliga a dwer a Rai-
nn me que se ibe arrancn a Regencia e
le foi torcoio renunciar a eiia. Ta granja
se. JNo cougresaa passou a lei que cria um
banco bscal encarregado de vigiar asemisso-
es dos oulro bancos
As Hopas do piesidente Rosas de buenos-
Ayres deram urna aeco as torcas de Levai.e
uue loram iuleirameuie Uerroiid.s e disper-
sas. As caitas da Aaouievideo que cnegam
al 3a de Junbo amanean* que pelo em
ootia a falla du'tbiouo. Wa cmara doi com- [quanto oa Buenos-Ayres dictam a le aos se-
resuliado seuo erimea e horrores.
Nao pode coneeber se como hajam podido
conseguir que aquella Augusta pessoa sehou-
vesse pre>t.-do a in-Kim^ao lo siuislras co-
mo contrarias ao seu decoro ua dignidade ,
a suas paiavras e a seus mais Ciros uiteres- inconsecuencia, s pola con^epr-se na> per-
ses. O Governo soube sem embjrga qae ha- | deuda de villa os plauoi dos ini igflares 9
les um convenio de enliega coro Tahir ba- mens indignas do nome hespantiol liaviam aeu peusaroeoio de ir.iisiorno de desalagiJ,
cha o qual lu garantido pelos cnsules eu- jconseguido conpro neiie-Io nao snenieem lederuim, coro que nos estocoutiuuaroeuta
rope08. um acio improprio e opposlo a o iiros seus ameacauJo.
Keteberam-iie nolicias dos Fstados-UuiJos : uo roui distantes senaa ero offender e las-
al t de Agosto que sao destituidas de inicies- timar a magestadedas leis, a soberana da
nata aautondadedas corles e a leg.udade
do seuGaverno. _
jNesia mesan carta se diz que pira rheg*f
a uroa pre.e eii'.e conciliaca a respeiio da ioa
lella liuha eilo intruciuosarneule a tt mu*
viuva ludas os saeri.ieos compiveis can a
JNo despietou este nem um momento a I sua dignidade e caro seus deveres de roie*
couducla que exigia esta nova inslalaeo. Se- Justo e precisa j que a naco saiba quil
gurodeque similbante meio uo teria outro ha sido essa eouma^aa qua as chana p'a'
leiullado que o de coaver>er-se contra os au es
mos que aecusavam julgou que a prudencia
acouseltiava esperar que seus authores passas-
sem a excitarlo para descarregar sobre el- va dos que faliassem, e com tal coaivi*0 ol"
dente. Por ella se pralenia que lossero tu-
tores as pessoas que a mesma R.iaha m^ de-
signa va reiervano-se a nomeaco aoccessi-.


T
dau iB p e h n a ii fe! ii e a
ferecia renuncia. Isto era a mesmo que coa
servar a tulella na Rainha mi j isto era con-
) trario Constituir') porque a ningues se-
1)50 80 Rei p e s Cortes concede faculda-
djde nomear ao re tutor : isto era era fin
arrogir-se a9 facilidades que a ni cao dea os
seu representantes
O governo a que presido pelo voto nacio-
nal Bel Constiluicao e retoso de conser-
var a autboridade das Cortes, no admittio
cetn podia consentir urna conciliaco la > ant
cctjs'.itucional que por outro se difigia a
Bnsqcie ella me*cu* revela por mais que baja
querido encubrilos E analmente importa
notar que e*sa decantada conciliaco se fua-
dava sempre na astucia da Riinha me, e
quantlscombiaaces propoz, e quantas con-
dici.es exigi iam acompauhadas de perma-
nencia em pair esirangeiro. Creada esta ne-
cessid era indipensavel satisfaze-la com sua renun-
cia porque se estranha que as Cortes a te-
id am saiisleilo do nico modo que p le cum-
plir se o artigo do da Coiislituico quando
faltara o tutor teslamenleiro ou o pai ou me
viuvos?
I assHndo j a fallar do protesto se obser-
Ta desde logo que sem duvida se procuroa co-
reo uro neio de excitar discordias no reino,
! como ura grito de dissenco e de guerra e
iste grito daqueila 'excitarn sabio da mesma
augusta pessoa que no seu mam'esto de Mar-
selha dsse : pude accender a guerra civil ,
' tn.-s nao devia airen ie-li a que acaba de
* dar-vos urna piz co.'-o a ap;etecia seu co-
raco paz cimentada no esquecimento do
* passhdo : por isso se a parlaran de pensa-
* n.t n,io to horrivel neus cilios matemaes,
" duendo-me romigo mesmo que quando os
" f.lhcs sao ingratos deve urna ae padecer
* at noitt-r mas nao deve accender a
* guerra entre seus Glhos.''
fcem prescindir hespanboes de que vos
jareis haveis sido ingratos rom vossos Reis ,
possivelque em to pouro lempo se tenham
feno tsquecer rei de vossa Rainha deveres
lo explcitamente reconhecidos e voltar os
ol.os ao borrivel pensamento de procura-vus
essa nesrna guerra civil que ante reconbe-
* era jin> cieter nao accender nunca ? Com
tudo estiro prete pois que o protesto a res-
peito da tutella o ardil destinado pelos ins-
tigadores pjra accender essa guerra e tal vez
conseguissem seu prfido fita seno se lives-
seu laucado no meio de um povo to sensato
con o obespanhol.
Runca se desronhereu que o defunto re
D* temando 7. nurrecu a sua augusta espo-
sa tutora e curadora de suas duas excelsas
filas ; purera lau pouco pode desconbecer-se,
que estas ptincezas urea como rainha, e ou-
tratono inmediata successora ao tbrono,
pe tunera naiio ; e que ellas e sua exis-
tencia, etto iutimanente ligadas ao systema
.olitiro da Corstituico, porque urnas nao
podem separar da oulra. Por isso a Consii-
tuiose oceupou dessas augustas pessuas, r,-
1. b sob a ptolecco e amparo da naco e en
cantg?u s corles que a representara legiti-
d entine, a noreeacao de tutor que repre-
sentaste aquella proleco eauparo.
Assim a questao da tulella veto encerrar-se
no estreno reiiulo de se as augustas pupillas
necessitavam ou nao esse amparo ; porque no
ctso litbirraino as Cortea nao podiam deixar
de lb'o dar e por conseguinle provalas de
tutor. Lsta. questao julgcu-a a reesma rai-
nha mi j situada no paiz estrangeiro e
poi conseguinle sem arbitrio algum para al-
legar no aesao lempo violencia coato nem
tii.ta ce liLi'idae. tila mesma noseuma-
ii iltsio de A. ai seiba disse : Deixei o scep-
tio, ede:emparti reinbas filhas."
fcstavaro, | os desemparadas, e por con-
seguinle i.etessitvam de amparo ; necessita-
vam que Ib o dessem as Corles ; e para isso
quesell.es dtsse tutor. Em tal situacoo
testa nenio do i>r. l'eruaudo 7. era intil e
intlbcaz nao piebetitiba nem podia prehen-
cl.er o ctjttio de amparar as excelsas pupil-
las: para mda serve lana pouco invocar as leis
de i'uiiioa que nunta podem considerar se
com este carcter : auno aenos os do aes-
aocorpo de JLireito que tralam das tutelas
cennuns a tuja classe nunca lem perttn-
cido a dos principes.
A qtitsiau da tutela supposto o reconhe-
cittnio txaclo de estar desemparadas as ex-
ultas pupillas e pitscmdindo de oulras
aullas miisideraies esuva no tnesmo caso
que se o 5r. D. iteruando 7. cao livesse no-
ixeauo tutor no mesmo que se nao livessem
ttdoai e miviuva as augustas pupillas, no
taso de Ibes baver de dar tutor as cortes.
Por isso mesao tem preenchido estas um
dos mus mpoiUntes deteres que Ibes im-
poeo a Coo&litaico; e longe de seterso-
breposto como se di? ni protesto s leis
nem a artigo algum da le fundamental se
tena regulado exactamente ecomo deviain a
esta. A*sim se copslue tambem qae a deda-r
raco das cortes nao urna fjrQada e violenta
uiurpaco de faculdade como se declara no
protesto reas sim o exercicio legal das que
Ibes d a Constituico.
Contra o governo se fazem outros c,pg3s e
declaracas. Reduze-se o primeiro a que
tem embaracado rainba mi no exercicio da
tutela, no neando agentes que intervenriurn
ni administrar j da casa real e p itri'.nonijs.
Uez9mparadas as excelsas pupilas por sua
augusta mi seundo esta roes na o mani-
festou estavam-no tambem os bens da caza
real e patrimonio e j que as cortes que de-
vi-ira supprir este desamparo nao e^tavam
reunida dever era do governo e dever de
cujo desempenlu pode gloriar-se prestar a-
quelle amparo aos bens que nao podiam ad-
miiiijtrar-se legalmente pjr quem resida
em paiz estrangeiro, Qje se quera ues-
panboes, pelos desacertados consellieiroJ d
'rainha mi, preter.leu lo conservar e a tal
situar. a livre admiuistracio da casa o pa-
liimouio real ? Vos o julgareis....
Para o segundo cargo que se faz ao gover-
no se se qutr s;i, por que este lem usurpado
a faculdade de intervir na tulella aonde as-
j sim, se diz que nao se reconhece n uen as
leis civiz uem a poltica, Osuppo>to abso-
lutamente volunlario pois que o governo
1 nao tem inlervido nem exerciudo faculdade
al^uaa na tulella. Desde o momelo que a-
cordoU us medidas de precauco que com
tanto acert como sabedoria Ihe aconselli u o
tribunal supremo de justica uosueaudo sup-
pleuies 8os printipaes empieg^d^s di m .1-
nistraco da casa e patrimonio real uo tem
embaracado de maneira algu-.ua a marcha
administrativa nem tem removido unseu_
; pregados nem se tem oceupado se quer das
liisposices tomadas pela rainha mi ates nem
depois de sua marcha para paiz estrangeiI0,
Assim se v que nenhuma ..ihculdade ex-
erceu o governo uem aquella medida p0(]e
justeruenle qualificar-sa de outro codo que
dH nreventiva. E com etirito, to lonae
tem estado o governo de arrogar a si J'acqld
des nem iuterveuco alguma foi reclamada
por outra pesso augusta da familia real, de-
pois de ouvir o primeiro tribunal da naco
remetteu intacta a questao s corles sem oa -
nilestar opinio sobre o particular poVjul-
gal-a da exclusiva nspecco das ruesmas : e
por igual motivo qnando aquellas lomara.u
em considerac,o a dita questao lo pouco te-
1 ve urna parte tlbcaz e activa nella. Julgo
dizer com isto o bastante para desvanecer os
iulundados e inexactos cargos que se pretende
diriir-lhe.
To debis sao os fundamentos, to ma-
niiestas es contradieces e to arbitrarios os
cargos que se notam no protesto que con-
vencem desde Ingo que se tem buscado como
um pretexto para aesconhecer a suberannia
da na o e a autboridade das corles que a re-
piesenlam para provocar ominosas dis>en-
j ses, e para voltar por este meio aos aanos
que passaram.
A naco, que com tanta energa, e cons-
tancia tem defendido as insiituices que a re-
gem olbar sempre com horror aquella i-
deia. O governo que lem jurado sustentar
a todo o cusi a Cousliluitjo cumprir com
fidelidade seus juramentos repellindo toda
j a tentativa contraria de qualquer parte que
venba e qualquer que seja a apparencia
com que se aprsente. s que ouse.u atacar
a le fundamental do estado a autboridade
das cortes e suas proprias allribuices per-
turbar o socego publico, frusur os beneticios
de urna paz adquirida com immensos sacrifi-
cios e renovar as scenas anda uo esque-
cidas de dr e de prauto sero perseguidos
com incestante constancia e entregues dis-
positio dos iribunaes para que recaa sobre
tiles o rigor e a severidude das leis.
Em m, bespanhoes vivei seguros e
confiados na vigiloncia do governo. Osex-
torgos dos instigadores sero ledos impoten-
tes nao coustguiro o rielando prazer de iq-
volver-nos em novas conlendas encuendo de
lulo e dtssolavj os povos 1 grandes iuleresses
e comprometlimeulos honrosos susteniam a
Constiluicao; a minba aulhoridade sua
garautia ; e o governo cora o apoio das leis ,
do valenle exercilo milicia ocioualeao-
pinio publica nao duvida triumpbar dos
iuimigus ala tclicidade da patria Aiadrid 2
de Agosto de iti.ii..-- U Duque da Victo-
na, Antonio Gonzlez.
(Gacela de Madrid,)
TURQU \.
Horroroza incendio em SmyrnsJ
Smyrna 3o de Julho. Esta cidade a-
cha-se na maior consternSio, tendo exoe-
rmentado um horroroso incendio, cujas
conseiiuencas nao possivel actualmeate
calcular. Varoo a relatar os pormenores
que temos podido adquirir sobre a origem e
efleito dest catastrophe que deixa muitoa-
traz a quantas do seu genero temos tido
desgraca de mencionar desde a existencia de
nosso peridico.
O logo manifestou-se uri hora da ma-
nila de ty e nao t<>m cessado at s cinco d*
tarde bavendo durado por cousequeucia 16
horas e sempre com urna intentidade tsl
que tera exiguo par* limitar seus desastro-'
sos progresjs outros meios que os que tinha-
mos oossa desposio >.
A opini) m.is $er*\ que o fogo teve a
sua orij-fu n'um cala situado no centro do
bairro dosurivet pel\ purte de fra po-
rem a poma distancia d baz*r da Arasta
Oulras pessoas pieteudem ser outro o ponto
d onde einarur.nu as primeiras fataes fai*as
Ao principio nao apresentou o fogo grande
cuidado rrais ahmeat-ido em nouco tempo
com um vento leve do Sul, e depois com u-
ma lorie brisa do Oeste oui aqui se cha-
ma geralmente imbat, foi desenvolvendo-
se gradualcuente, e adquerindo prooorces
terriveis em todas as direcies que tem segui-
00, Depois de ter ameacado o basar mais
immediato ao bairro fr>ico cuja conserva-
Vo e de vida ao prometo soccorro que preslou
a marinli.i austraca e penetrado nos bairros
turcos judeo armenio e outros, eguio o
teruvel acoule a direceo que ihe mires va o
vento, eso se deteve quaudo ja nao encon-
trou que devorar.
Hez mil casas lojas ou armasens, tem
sido presa das chamas ; e vanos bazares urna
grande parle do bairro tuteo todo o judeu ,
exceptuando urnas quiuze casas, ailesta u
com suas ruinas e presenca o voraz in-
cendio.
Oa bairros grego e armerico tem offri-
do muito menos. As perdas experimentadas
sao immensas e por ora se calculara em 60
milhes de piastras do Grao Senhor.
Apear da rapiaez das rinmn, do tu-
multo e da confusso que conseguintes em
semilhantes^ cazos, muito mais quando a
conlecem n'um povo que no est dotado de
alor nem serenidade segundo temos podi-
do convencer nos pelos falsos alarmes de ou-
tem e de boje s tem perecido mu poucas
pessoas e estas leem sido mulheres velhos
e meninos a maiur parte judeos que no
tem podido slvar-8e das chammas.
Impossivel nos descrever o espantoso es-
pectculo de dessolaco que sofJfreram os que
tem perdido as suas casas, uus sahindo como
jombras d'entre as ruinas. outros errantes
pelos montes sem asylo e sem oulros recursos
que os da cardade estimulada felizmente
Soeios, que boje (9) b sesso s sete hora*
da noile.
A F0RQU1LHA.
FOLHA JOGO-SEaiA.,
O
d to dito : a Forquilha sabio como 10
prninetteo. A' ella Srs. Fieguezes.
VenJt-e avuUa nos logares seguints pe-
lo prego de roo rs, P,n?a da Independen-
cii n. 3; e 38 no 1. andar des'a Ty-
pographia, e em Oiinda pelo destribuido^
do Diario.
Avisos Diversos.
tr Perdeo>se na manhl do dia 8 .do cr-
lenle urna carteira de algibeira coulendd
entre outros papis cento esessenla e tantos
mitris e um meio bilbete da Lotera do
Livramento assignado no verso com o appel-
lido do abaixo assignado ; cujo bilbete se
liver sido premiado no sera satisfeito pelo
respectivo Thezoureiro como ha de esperar
de sua honradez e probidad fisto j s
K'iiar prevenido : a pessoa que liver achado
dita carieira quereodo restiiuilla fielmente ;
diria-se a ra Uireita segundo andar da caz*
confronte a botica que foi de Ignacio Nery ,
que ser generosa tente gratificada.
Jore Machado Freir Pereira da Silva.
C3* O dia 13 do correte designado pelas
Suciedades Terpsichore e Euierpina para
suas partidas sem duvida servir de piten-
tear de urna maneira mais clara o espirito d
sociabilidade e adbezio que cada um dos
Socios vota a aquella a que se ligou e ento
desde j extremamente se loura o proced*
ment dos Socios da Terpsichore que todos
os eslorcos tem invidado para tornar mais bri-
Ihante a sua reunij deixando at de accei-
t ir outros convites a Bm de unnimes coa-
correreai: oxal que os da Euierpina os i-
milem ou exeedo,
tsr No armasem de labosdo de pialo por
detraz do Theairo conlinua-se a vender
exceltenle larinha de trigo para pi e bo-
iaxa e pelu luudiooa procos de i<>' ,
iis, e lis rs. adinbeiro, ou praso ; e
tambem se vende urna porco de superior la-
boado de pinbo americano : na ra da Sen-
zalla velha armasem de Vicente J Ji do
lirito.
%^ Alugi-se um solo, proprio para
familia, ou hornero solleiro: uesu i'y j-
grapbia achara com quem trattr,
__ Quem precisar de roupa engommaj 1
tanto de Senbora como de homem, com mui-
to aceio e perfeico ; e bem assim ensaboalo
dirjanse a lioavista, ra do Rosario 'arga
. 17, lado do poente confronte ao so-
brado do fo.jueieiro.
t>g. Aluga-se una escrava para todo ser-
por exemplo de aluus homens que em todas vico d'uma casa : quem a pretender dir-
as occasies tem siuo os primeiros a estender jaase a ra da Gloria otaria no parti N.
um mo ao iutoriunio. (Semaphore )
(Do Mac. c'e Lisboa.)
LOTERA DO THEATR0.
Os Bilhetes da a. parle da refeiida 7. *
Lotera, cujas rodas ando impreterivelmen-
te 110 da 16 do crreme acho-se a venda no
burro do Recife as lujas dos Snrs. Alanoel
Goncalves da Silva, Vieira e Gregorio An-
tunes, Cambistas ; e no de S. Antonio em
as lojas dos Snrs. Menezes, na ruado Col-
legio ; Guerra, na ra nova j e bastos na
Pracinha do Livramento.
bmsM
THEATRO.
Amanbi lodocorrente. Beneficio de Zibe-
deo Cezar liilheteiro do Theairo. Se re-
piceniar a sublime Peca -, A Alo re da
JNap.jleu- Esta grande Peca, q'itanto agradou
o auno passado quando se reprezentou em
beneficio da primeira Dama, be que o bene-
ficiido julgou assas propria para entreler os
seus beniguos proiectores. iNo fim da Peca
canlar-sc-ba buma daa milhores cavatinas -
lindando o expectaculo com a excellente t'arca
denorvioada Minoel Alendes Os repeli-
dos ubzequios que o beneficiado ten recibi-
do dos btnemeuios babilautes desta Cidade
o tu esperar de que por mais esta vez se dig-
nar prolegel-o o que mais, e mais penlio -
rara a sua gralido e recontiecioiento.
Piiacipiar s horas do coa tu me.
SOCIEDADE NATALLEN5E.
O primeiro Secretario ayiza aos Snrs*
aS que achara com quem tratar.
ssr Aluga-se para passar a feta ou por
anno urna excelente caza de sobrado acabada
de novo, com cmodos para grande familia,
na Passege da Mag lela quazi defronte do
ex prezidente; quem a perteader drija-se a
falar com Joo lerreira dos Santos ou na
ra do Qu< i nado loje de ferrage D. 5.
tsr Precisa-se de ama ama de le te : na
ra da Floriatina D. i 1.
tr Precisa-se de um hornera braco nacio-
nal ou estnngeiro para coebeira, quem esli-
ver neslas circunstancias dirijase a ra da
Cadea do Recife, D. g.
ssr Aluga-se um armasem proprio para
negocio: na ru da Moeda casa de 4 anda-
res ; tambem se arreada o i, andar da mes-
ma casa.
ar Aluga-se urna preta propria para todo
servico de urna caza ; tanto de porta adentro ,
como para fora pois uo se olba preco j
quem a liver anauncie.
ssr Acbou-se no dia a do corrate as li
oras da noile no caminbo do hosipcio urna
espada de civalleria ; quem lor seu doao ,
dirija-se a ra do Cabug loja de miudezas
D. .
v-v- Quem precisar de uraa ama seca, pi-
ra casa de pouca fa nilia, dirja-se a roa dos
Quarleis D. ti, ou anuuncie ; adverte-se qua
a pessoa que a isto se prope, lava, angoma
e tosiuha com perfeico.
1- Precita-se de urna preta que seja forra e
ja telaa, para ama de casa de iiomam sollei-
ro, que saiba bem cosinhar ; quem se achar
as circunstancias duija-se* ru* do padre
Eloriauo, venda que tica junto ao baca upado'
a. 35.


D I A I
O 3>R PERNAMDDCO
Bernardino Freir da Figueiredo A -
Ireo e Castro prope-ie a dar das 6 as 8 ho-
ras da manh dos das uteis de Noremhro ,
Deiembro Janeiro, Fevereiro e Marco ,
Je Oli^eir' negocio da seu ioteresse; na roa
ora ioja de louca fina ou annuncie sua mo-
rada.
K> Tendo con 8 !OAor surpesa ebegado
licoens de geografa e historia universal; ao ronherimeMa do abaix o assignado que o
quem delta
se ao Coleg
ra homem botins Rispiados de lustro pira
de ferrageni D. 4* .o Snr. Moraes;ede-
fronte da Matriz da Bia-vist* bolic do Sr.
Moreira.
e- Urna wolata de idade de 3o annos .
rose cha engato Ta cono perfeicj, entendp
de fazer pndelo e algunas i|aadadw de
Boa -vista
eu cnm o _
As licoens comee* no da 9 do correnta.
rsr O (Jirurpiaj Mor Joaquina Jernimo
de Serpa encarregado da Vaccinaco no
Municipio de Oliuda em observancia do
Ariso Imperial de id de Setembro doorrea-
te anno, que Ihe foi communicado prli Exm.
Sr. Presidente desta Provincia em data de
?i de Outubro prximo passado convida a
todas as pessoas residentes no referido Mu-
nicipio que tiverem sido vaccinados a mais
de 7 annos epresentaretc-se na casa de sua
residencia no Jardim Botnico da Cidade de
Oiir.da em qualquer dos Sabbados de cada
semana das 4 horas as 6 da tarde para o fin
de seren novamente vaccinados pois que
sent declara que com elleito de 18 ia le o
presente Iheendocou o Sr. Mello Cuvalcaot
algumas letras particulares e mui'.as outras
do Thesouro ; mas que todis ellas se achio
pagas, e existem em poder do abaixo assigna-
do e porque cumpre so abaixo assignado dar
urna saiisfacoao publico convenceodo o do
contrario convida ao Sr. Mello Cavalcanti
para ajuste de contas judicial no prefixo pra-
so de 3o dinsr Francisco B.rnardo Caval-
canti.
tsr Quem aenunciou precisar de um cai-
xeiro para tomar contri de umi venda por ba-
taneo dirija-se a ra nova ioja de louca.
tsr Precisa-sede um portuguez de idade
de 16 annoa pira caixeiro de veupa 5 em lora
da Cruz.
tsr Um cavalh cistanho gordo da bo-
nita figura, ptimo carregadu- ate meio ,
por preeo milito commodo 50a ra de agoas
verdes sobrado O, 10.
SST' Vaccas prenhas e garrotas da pontis.
lmpase muito gardis creiuias ; no lugar
do jang casa ao p da Concedi.
ase* Rap de Lisboa rnuilo fresco e o
mais superior chegado ltimamente em
libras e as oitavas dito areia preta da fabri-
ca de Mourom & C. cha perola e uisson em
caixasea retalho e um prande sotimento
fie fazendas finas e ordinarias a preco barato;
no atierro da boa vista Ioja I). 5.
tsfr* U.ti escravo de idade de 19 ennos ,
da muito bonita figura, adverte se que se
GB- O abaixo assignado faz sciante aos seus vende por Dreciso ; na rui do Ranga! no
Eso.
tendo ltimamente alguns facultativos da Eu-
ropa afirmado, que esse proveitosissimo pre- de portas n. aa.
sfrvalivo contra a mortfera epidemia das be- i 535* abaixo
cbigas s produz o seu effeito por um certo devedores que poden pagar o imoort^ de suas Segundo andar do sobradojunto aa da
numero de annos, o Governo de S. M. la-1 conlas ao Sr. Joo I3aptita Magalhes da Sil-j Sr. Presidente,
peribl sobre cou cia da Corte do Rio de Janeiro ssim o de-! cas visto ter comprado o seu estibelecimen- de Lisboa na Birca S. di Rotara a aaoj a
pai
senhora ditos com poota de lustro para ho-
rnera, chicotes ingleses para cvalo, e outras
muitas fazendas do ultimo gisto.
cr Por mdico preco um terreno no bec
dasbarreiras rouita perto do rio, com i6|
palmos e roei de frente, inrduiv ( ern
me es' a propriedada dos orfi ts fil'ias di
Sr. Bent'j de Birros Falcio o ouir'ora foi do mesnio Sr. j e ulti amante
por divida ad|U li:ado pir entrica a abuza
ssignada tendo mais de 5oo palmos da fun-
do o terreno he todo mura lo e tem alguns
arvoredas da fruto ; a tratar na ra di Glo-
ria l). 19. Petronilha Florentina.
Escravos Futidos
lrminou pelo referido Imperial Aviso. Pjr to da praca da Independencia n. 7 e 8 Jos [ a libra e a Jo rs a oitava-, n Ioja de seng m
este sao tambem convidados pela mesma ra- Antonio da Silva. ro oa ra do Gabug na quina qua vulta pir
ira
zjo os chefe de familia do mesmo Municipio war Precisa-se de nm homem ja idoso pa- a ra larga do Rosario
a mandarem a dita revaccinaco as pessoas ra feitor de um sitio ; na ra do Vigirio n. 7 i IO Um molato moco e muito sidio, sem
ae sua familia que tiverem aido vaccinados a cr Precisa-se de um rapaz portugus de vicio e muito bom oficial de carpina j na
!.ais lempo que o cima declarado, idade de i2 a l4 anuos na ra direita . 8. ra da Aurora na tercena casa de 3 andares.
cr OSar. Ennemi desbabillards queira ssr Quem tiver um moleque ou um ne-j ssr Urna prela de naco inda mi^a en-
ter abondade de declarar se o s-u annunnio gro que saiba botar canoa que o qaeira gomma cotinna e he quitandeira 5 na rui
no diarion. ai 1 se entende coa Claudio Ber- alugar dirija-se ao beco d^s barreir^s eai ca- to Nogueira D. 19.
sa tie B;nto de Barros. tsr Um sitio muito grande, na estrada do
sar Precisa-se de um criado estrangeiro j Pombal, com casa granda e todo coberto
na ra do collegio casa do Dr. Beltro. j de arvoredos que do fructo ; a tratar m
ts- Traspass5-se as chaves de um gran-' praca da Boa vista D. ou na rm da roda
de armezem lodo ladrilhado de cantara^ pro- U. 8.
sr -' pessoa'que perdeo 5o 000 em se- prio para qualquer estabeleciaenio por ser ssr Para fora da provincia o-i para al-
dalas no dia 31 do mez passado na estrada dos colocado em boa ra de negocio, para ver gum engenho urna negra de nacao moca;
. Hictos dirija.se a bea vista no tanque de na ra estreita do Ro*ano . i, e para Ira- na rus do Rangel D. 17.
goadoCatio, que dando os signaes Ihe s- tar na ra da Florentina com J. Beranger. j tsr Urna casa terrea no beco do quiabo
i entregue, I CT Quem precisar de um homem pan nos afiogidos a tratar na rna do Livraoaen-
ksr AAuRa-se um. o uu possoda pa- paiUii-.H"00*1'*""1" ",",', *u 7.'!t"',r!* r'>m0 '""""" "-*" mr,r" Q Mv1" So Gomes,
nela com a frente para o no, com 3 quartos de lomo dirija-se ao beco da pol U 4-
ala a diante e atrs ecczinfaa fora quem ----------r^----; Z~Z .. __^M
j pretender nnuncie. | AVISOS MafltnnOS.
3ST Troco-se 2aaooo milheiros de lijo- ~---------" ~~ *"~"
Icsdealvenaria de barro do Monteiro por PARA O MAR \NHAO' segu viagem o
:ooo,ooo dndose por seguranza urna Bergantim Mrquez de Pombal Capitao
thelot.
%& Quem quiser psssar a festa em um
bom sobrado em Olinda na Indeira da ribeira,
ju-tjnte liesco dirija-se a ra de Matbias
b'srreira casa n. 40.
tsr Farelloo mais fresco possivel pan ci-
valiosa Jooo o saco tornando aoo reis pela
volta do saco e bm cjnhocida farinha de laio do uome Jos cbelos eres jos cara re-
trigo das marcas XXX? e XXX, a melbor doida e muito picada dis ecingas u n o liu
tsr Desapare freguesii de Jaboato U'B escrarj ere mo ,
de nome Severino offi?iil da carpioa da
mediana estatura foi escravo da Senbora
Joaquina Mara Pereira Vianna e cons
tisndarnea Cidida ; quem o pegar lava
ao dito eoganha ou em casa do Sr. Antooi
Fran-isco dis Smtis B-i^a.
ar* Fugio no dia at> da Setembro um mi-
lequa de dada de li para 14 annos, di lu-
gardoenenbo do Gumba morador ni sit<>
da camaina, hecremto, falla, coto, p;r-
uas e corpa grosso, p p^iuai is rosto cj n-
prido cabeci u o tanto pmuiii pira-traz,
testa a carnei"ada olno'. grandes ni fl>r da
rosta nariz nao muita chito, denlas mia-
dos barriga granda fugio com ctnisi e
ceroulas de a'godio'.irrho ; qaan o pegir le-
ve na Cidade de Ond 1 ao raastre da prim *i-
ras letras do colajio das orlaos, oa no dita
engenho da Cumoe.
4^r esaparacei urn preto no dia 16 da
Outubro de iioma Joio de na?o cambia Ji,
de idade de 4 annos altura regalar ps
alguma couza grossjs chaio da corpa con
algviu cbelos branco levou calcas da es-
topa camisa de Ijjdij'.i.i > cira >uci ris
caja ja uzada toi escravo da Paira Kalioa
que mora no jang be muito ladino bom
pasc-.dor dj alta e he de supor qua a titulo
de forro se tenha entroJuzida a Iribillnr e>n
jangadas de pescara ; quem o pagar lare ao
atierro das 5 ponas fabrica de tabica, que
ser gratificado
ss- ao uia ka uc Aiorii uo crreme anno ,;
fugio da lugar do pj-j di ptnea un ma-
e mais nova que ha em Peruamouco ; ira fa-
brica de 1 .riulia no atierro da boa vista.
CT Um sitio na passagem da Magdalena
I0J0 coberto da be fogo nos peitos baixa, con orli ia de carni-
ceiro representa tr de iJade de 16 a 18 au-
: ropriedade ao p da praca urna legoa, com Fernando Jos de Almeida ; quem quiser
- captivos de sevico recebendo-se conslaa- carregar cu ir de passagem dinja-se a seu com boa casa de sobrado, com grande es- nos ; quem o peg.r leva a seo, Sr. PedmPer-
..aentedoaioilberosaensaes posto na bei- Consignatario Manoel Joaquim Ramos e Silva tnbar.a coxe.ra um terreno qua va. para rerlo. *tfM sera gratificado.
PAtA O ASSU por estes das sahir o o rio e urna olaria com cem palmos de fren- g^- No dia 18 da p. p. lugio da segmda
s, chapeos decambraia proprios pa.
o^oboraa ir passar a festa e para as renias quir carregar ou ir de passagem pira o que corpadas e largas para saco de assuur ta- el,*,a e por .siesta parla De mais gra* ja
If a escola, es[oios ccatbeaatico de todos tem bonscommodos dirija-se a ra da ca. petes das melho.es qualidades e bous p.dro- que a outra leu alguna dados de ambos os
os tamanbos caivetes de mola de aparar deia Ioja de fazendas n. 67. |ens atoalh.dos de liuho soberbas loalhas pea um pouco comidos pa.ecenJo quaimadas
pennas, grande porra'o de curdas de violo a PAtiA TRIES "RE o muito velbiro Bri- de dito adamad* para mesa de vanoi ta. de so.te que visivalmeote se divulga essa dei-
sljo o oasso descordas, flautas, violoens g Austraco Uladislao forrado e encavilba-
e outras muitiS fazendas chegadas neste mez. do de cobre; quem quiser carrear dirija-se aos
CT Lo abaixo assignado e de sua f.-zen- seus conlgutaros file. Calmaul & Compa-
da da Macambra, termo da Villa da Pes- nha;
queira, Comarca do Brejo da Madre de Dos,
a. sipateceo em das de jelembro p. p o es-
cr.ivo Joaquim creoulo, filbo do mesmo sertia,
o qual o houve por beranva do seu sogro o
bnado Jos Cordjiro Muniz Falcio, os signa- pa
jL e i o
tsr Que fazem James Crablree & Com-
nbia por intervencodo Gorretor Olivei-
rabiba. Tem sido vislo na povoaco de S,' cassinetas de cores para caifas, plalilnas e
JJento e Catimbao termo de Garanbons e I algodo finas e &c. Quarla leira 10 do cor-
ultimameute que tomara para panellas de renta as 10 horas da m-nba impretenveimen-
que lomara para ,
Miranda ; quem o pegar leve ao alttrro da te 110 seu armaztm da da Cruz.
ta vista que ter a 100,uuo de gratifi-
acio. Franciseo Xavier Pereira de b:iio.
ssr Una parda de nieia idade se ofl'etece
para ama de urna casa de homem solieuo ,
quem precisar dirija-se a ra da Lapa quem
taa da Madre de Dos do lado direito por
cima de um tanoeiro,
tsr a vitanda da cass da ra direila la-
do do poente l). 05 cabio na ra urna pul-
ceira de ouro na nouie de i do p, p. ; quem
a ecbcu quereodo restituir icve-a a dita casa
Compras
^isr A obra de Theologia moral pelo Pa-
dre Mestre \U Rodrigues de Araujo j quem
liver annuncie.
Veaas
tsr Folbinbas para o anno de 184* : n8
ptaca da Independencia Ioja de livros ns
na ra do Cabug Ioja do Sor.
mauhos brius da rusa e pannos azues
ordinarios.
**r 4 escravas mocas com bois babelida-
des duas dallas cugommo bern cosen e
cozubo urna dita por o-o;ooo ptima para
todo o servido de urna casa um preto moco
de boa ligura, um molato de idada de 16 an-
nos bom para pagem um mole pa de ida-
de do 12 mos; na ra de aguas verdes casa
lerre-i D. 67.
tsr Urna moUti.'iba de idade de 10 annos
por piejo comando ; na pra;a da boa vista
D. 16.
>* tsr Urna medalba de habito de Chrhto ,
enrequecida em urna poi\a de diamantes,
um anelao graude de lupazio um dn> da
ouro esoaoludo com um boin diamanta e
3 j outras mais obras da ouro i na ra do Li-
vramento l). a.
ti* Cento e tantas arrobas ds cera da car-
nauba a troco de lazeudas ; na ra da praia
casa do Vianna.
CfJNa ra nova Ioja D 9 o 10 lado do sul,
lindos chapeos para tedbOra da sed. e de
veluuo de lodos es cores, di ios castores bran-
cas e prelos para houem lilas e llores de
todas as qualidades, sedas para cba>eos de
saubora chapeos de meniuoi, pretos e b. an-
cos luvas ue pelica paia nome-n dn-18 de
seda meis e aeda de coes exquesil.s pa/a
homem e senhora bontis do ultimo oslo
ello, quaudo anda ha um lauto apra>stdj,
e estonliado larou calcas da riscado azui e
camisa de aljodjzinuo e outra da baela por
cima quem o pegar leva ao dito sitio .jua
ser graticada.
JioViiti-att> o
^irii
que e mostrar a irm e se gratihear, , e i8 : na ra do Cabug Ioja do &ar. nomem e seuuora noueis aj .. Bw nB al,
m I**Va &U*r W Wanoei J^^Baudeirai narua da Cade do Recife.,>ja P^a hornea, mei de seda e de lan cunas RECIFE KA TYP. DE M. F. DE F. -i4
NAVIO SAHID3 NO DIA 6.
Culnguiba ; Galera Austriasa Hewey C'pi
Mateos U. Uabiuowich carg a mesma
que irouxe.
SAHIDOSNODH7.
Rio de Janeiro j Bligue trasileira Constante
Cap. Manoel Marciano Ferreira, condal
saldados.
Dito j Escuna de Guerra Nac. 1. da Abril ,
CjmmaudaniB o i. leneiita U. J. da
titva val comboianioo liiigae Gjnstantet
L'ilo j Brigja iNac. Bom Jems, Cap. Joa
R. Amaro carga varios gneros.
ERRATAS
Mais notaveis uu diario n. 24 t na cor~
respondencia do Reverendo Vigario de S.t-
ubaem p^g. a. col- i., lia. 66 loo.ooa
lea-se la j Un. .i; que.n leii-se queira