<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/04341
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Thursday, November 04, 1841
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:04341

Full Text

Anno de 1841. Quinta Feia
Tuda agora depende dt ni meamos; da nona prudencia | modere.
e^o, e energa : continuemos como principiamos, e seremos apontadoi
* eoj adoiiraci* entre ai Naeeimais caltas;
ProclamaeSo da\t(emblea Geral do Brasill
M
Suhecr*ve-ie para ceta folha a 5fooo por quartel pagos adiantadot
nasu Tjpografia rnadasGruxes 0.3, e na Praca da Independen-
cia, n. 07 e 38, onde se reeebern correspondencia* tegalisadas e ti-
nundo, nsirndo-se estes gratis; icndo dos proprios assignanles,
Tin do Signado!.
PARTIDAS DOS CRREIOS TERRESTRESl
Odadc da Parahiba e Villas de sn* preteneo 3 \
Diu do Rio Grande do Norte, e VUl.s dem. J . ; Jg Sta,;{.jtaS
e Villas dem ..............i *
M
PHASES DA LOA NO MEZ DK MOV.
.i
Dita da Fortalexa
Cidade de Goianna
Ciitade de Olinda .' " . .' ; i 3 S ' 9 1
Villa deS. AntSo ..'...... 3*
Dita de Garanbuns c PoToacio do Bonito .......
Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Fortnozo, c Porto Calvo.'1, II, e 21 dito dito
Cidadc das Aiagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paja de Flores.................. . Idea lo, dito dito
Todos os Corrtiot partem ao meio dia.
TodOS OS diaS|
. Quintas feras.
lo, e 24 de cada mes
Quart.ming.a 5 -as
La INova a i3 as
Quart. cese, a i 1 as
La Ckea a 28-as
1 b. e 5i m. da tard,
3 h. e 6 na. da man;
i h. e 48 m. da ran.
4 b.e 1.) ia. daUrd.
Marc theia para o dia de 4 Novembro.
As
As
9 horas e 18 minutos da tarde,
g lloras e 4* minutos da manb.
4 DE NOVEMBRO. NM. '240.
CAMBIOS. Ncvejmhq 3.
Londres..."... tg rp d. por ifoooced.
Lisbca ...... 8o a 83 por ojo premio por metal offereeidel*1
Franca......3ao reis por franco. Comp. Venda.'
OR- Moeda da 6#*>o reis, velhai U5oo la#?oo*
Ditas ., "? Mfioo UJoo
7 D.us de l#ooo res, 8#ioo 8|3oo
PRATA Pataees Brasileiros - = - i#6io i|6*>
Peto Columnarios---------- 1^610 i#6io
Ditos Mexicanos ------- i|6oo i#6io
Miua. -......---------i# Disc. Hebilb. da Alfandega r 118 por loo o mea. 1 0|o
dem de letras de boas firmas 1 11a a l i|t>
Moeda de cobre 3 por 100 de disc,
DAS DA SEMANAS
1 Segunda >$< Festa de todos es Sautos.
vara.
S Terca Commentoraci dos Defuntos Relar'o e aud. do Jil
Direito ii 1. vara.
3 Quarta S;Mlaquias P. Aud. doJuiz da D. da 3. W*>3
K Quinta S. Carlos liorromco B. Ca 1. Audiencia do Jis
I)"eit> da 7. vaia.
5 Sexta S. Filathe ti. -Anuencia do .luis de D. da 1. v>;
6 Sabbado Severo B. M. Relalac e audiencia do Juix de Di da
vara.
7 Domingo S. Florencio B.
de
3
:
r
*
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA;
Expediente do dia 29 do passado.
Officio Ao commandante das armas, res-
ponde ndo-Ihe, qnepode faser effectivo as
dispeshes da decreto nuecero 81 de 18
de julbo prximo passado, concedendo perdo
aos desertores de primeira deserco ; de-
vendo mandar publicar em ordem do dia o
mencionado decreto o qual vai inserto no
Correio Oficial numero 24, que se lbe re--
tnelte.
Dito Ao inspector da thesouraria da fa-
senda, transmlndo-lhe para seo cenheci-
tnenlo e execusso a ordem do tribunal do
tbesouro publico nacional sob o numero 8i.
1 Dito Ao mesmo, para mandar pagar ao
major Florencio Jos Carneiro Monteiro, a
gratificarlo que se lbe estiver a dever como
ncarifgado do recrulamenlo relativa to
sorxeniu eomet de abril do corrate anno,
dem do di 3j.
Oficio Ao commandante geral do corpo
de polica significando- Ihe que tendo o se-
gundo batalbo da guarda nacional deste mu-
nicipio de dar urna guarda de honra para a
Igreja do Terco no dia 31 do corrente, e nao
podesdo faser a guarnidlo da praca no dia 1.
de novembro fucturo que por escalla Ihe
toca lbe ordena que expeca as precisas or-
dens para que o corpo do seo commando faca
a mencionada guarnicio em o referida da.
Dito Ao commandante superior da guar-
da nacional do Recite, communicando-lbe
o conteudo no precedente officio.
Portara -Ao inspector geral das obras pu-
blicas ordenando-lbe que mande collocar
os doua bancos de asiento na ponte da Boa-
vista.
COMMANDO DAS AR.Y1AS.
Quartel do commando das armas em Per-
nambuco 3o de outubro de 1841*
Ordem addicional.
Ocoromandante das armas, em execuco
nao poiiern ter teito retroactivo, e lorio a-
qui mandadas ezecuUr em 7 de maio ul-
timo.
por baver apresentado no dito ruez mais de
lorecrutae. spgundo consta des documentos.
juntes, que se lbe reaeltem, n. conlormi- officio da presidencia datado de hontem
dadedaortaria da presidencencia de 16 de fa^"" para conbec.ment, d* g"
novembro do anno prximo parisdo ; deix.n- 6" <* . **"*? ef't0 dec"5
do de ter lugar o pagamento de 6000 rei, numero 8. de 18 de julho deste, t, pelo
or cada recintt como exisge o referido ma- qual se d.goou b. M. o mperador conce-
]or fundado as iustrueces de b de abril der perdao a tolos os miliUres .cursas no
do torrente anno, porque essas iuslructoes .> de P"eira deserco.
DECRETO,
Querendo dar ao Exercito urna prova da
miuba imperial clemeuci na occjso d j act o
Dito-Ao mesmo, signiGcando-lbe, a vis- da minha sagracj e coioafao : hei por bem
ta do queinforna em seo officio de 37 do conreder perdo a todis o mililore incursos
torrente sobre a encommenda leitj casa de 0 Cl me de primeira deser:j que deutro
Me. Calmout & Comp. de varios gneros do praso de dous mese contados do da da
de ardinunlo e armamento, que pode publicaco dj presente decreto as respecti-
msndar pagar o saldo que devidariiente com- Tas provincias, se apreseutarem nos seus cor-
itttir aos ditos negociantes na forma da res- p0S( ou perante o presidentes, ou c omman-
pecliva conta. flfcptes das armas das mesmas provincias;
Do- Ao director do arsenal de guerra^^jo.gg ern [iberdade us quo se di harem
sigiiiticarido-lLie que devem mandar passar presos i sentenciado* ou por sentenciar,
aos negociantes ftlc. Celmout Si Comp. oco-' jose Llemenle Pereira j do meu conselho,
nl.etiu tuto em orrxa dos objectos deque ministro e secretario de estado dos negocios
hacia o precedente officio, a limdaseiem puerra ; o lenha assim entendido e tac*
pegos do saldo que ILes compeiir. execular com os despacios necessarios. Pa-
Ui'.o Ao inspector geral das obras pu- |JC10 j0 [\l0 de Janeiro, em desuito de Juliu
fcluas, respondendo-li:e que nao pode ter de mil oitoceotos o quarent* e huin, viges-
ligar'a autborisatp que (.eae para empregar simo j, iudepeodeucia e do imperio Com
a Pedro Jose de Axevedo Sclirambach ua qua- a rubrica de S. IU. o Imperador Jose Cle-
lidadede s'eo ajudante com os veucimeutos mente Pereira.
de segundo tenante eugengeirc, por uo ha- Antonio Pedro de S Barretn
ver a Iti doorcau euio consignado quantila-
tivo para noves eugenbeiros, e o estado ac-
tual dos cofres da rendas provincias nao1
ALFANDEQAS DAS i?AZENDAS.
neimh.r que se laca augmento de despesa Rend meatos da alfandeg. de Peruambuco
c une em tonsequencia deve empregar como I do mez prximo passado.
e que em tonsequencia eleve empreg
titnlusta com o mesmo venciaienlo que pre- Dretos de i5 por 100
Btnlemente jercebe. Di'.os de 4^ T2 Por l0 d*
Lito Ao commandante do brigue escuna bebidas esperituosas
l'idt lidde espoudendo-lhe que pode Dilos de 5o por 100 da plvora
lemelter j-ara burdo da estuoa Primeiro utos de 3o por 100 do cha
de Abiil os quatio grumetres e os tres im- jj,t9 de a 1 p por 100 de re-
j ni. es maiiulitiros que excee.u a lotaso do exportaco
aiio brigue esiuna a im de seguirem para premio de ip por ioj ao mee
a curte coi cumprioiento da ordeo que Ihe ttxpedienie de 1 \% por 100
dirigi o Lxm. Seuhor ministro da man- Armaseoagem de i|4 por 100
iba, ao mea
Portara Ao comandandante da escuna Dita addicional de 3 lp por
Pnmeiro deAbiil-para receber e conservar 100
a seu boido al que posso seguir para o Rio
de ue Janeiro, es grumelrese impeiiats ma-
riubciros de que trata o precedente officio.
Emolumentos de cerlid5es.
Rs. l63j6iaU863
Alfandega -x de novembro de 18$!.
O esetivo da alfendegt
Jacome Gerardo Mara Lumacbi de Mello.
Multas avulsas
ii9,8o468i
8ji336cio
a; JjiL;(jj
1i453D4ao
n6Uo3i
a-,4olUogi
I'ljOO.U Jll
556U45i
a6,489ao8
i(j3j545U34e
a6L)jo.'
ED1TAL.
Vicente Tbomaz Pires de Figueredo Camar-
go commendadar da ordem da Chrislo e
inspector da alfandega por S. Mi I. que
Dos guarde etc.
Faz sab?r, que 110 dia 6 do corrente se ha-
de arremata" em hasta publica porta da al-
fandega, ao meio dia as mercadorias abaixo
descriptas, as q'iaes se acho nos rmaseos
desta alfandega, alemdo praio permttido pe-
lo regulamento, nao sendj o arrenatante
sugeito ao pagamento de direitos.
S. C. sem marca. 1 'ponta de marSm com
3 libras a 1690, 1 bengalla de metal por
5Uojo, 61 P L. 1 pacota com 1 pessa de
pao de linho com 23 varas a 3io. S.C.
sem marca 1 balaios a 3 jo cada hum I em-
brulho com 3 grosas da fiveUas de {erro para
chapeos de bomdm jUooj cada huma, 1
cartas com 18 pecas de (tas degarca a iUSjo
cada huma, 6 chales de algodj de cinco
palmos duiia O'Djoj i embrulbo con 6 ba-
leiras a 200 reis cada hu na, 8 quadros, 5
inteiros e i quebrados por lUCnj, 1 clavno-
te por 5U rs. 1 embrulbo com : 1 colarihos
de cassa a 200 cada hum, 5j V n. \ 1 1 sex-
to com o seguinte : 1 orinol pintado psr 6oo
reis, 1 bicia branca por 3oo reis, 1 tijelli por
6> reis a pires pintados pjr a5 reis, 1 pra-
to b ara azul por 65 reis, 71 A S R l a 21
a com o seguinte : 2 binas brancis por 3oo
reis cada huma, 2 orinoes brancos por 3oj ca-
da hum, 1 tijella pint tos b ira asu pjr 66 reis cada hum, 3 dilos
eslampados por 1^0 reis cada hum 7 cas es
de chicaras e pires pititad.'S por 5j reis cadi
hum, 101 F W(4* eaobrulho con 10
caixis de estdnho para tabico pjr 8j rois cida
huma, 1 i3-D 11 a i5 5 caixiscom 75 garra-
fas de esienci de fttuXJ 9 libra 6Ujji res,
S.C ) sem maica e sem nu ero 1 livro e n
branco 2U000 ris 1 bibu' com un re-
de de algido icooo 3i5 1 realeijo, 2
caixas com seiioa|fos -oUjoo a58 A S 1
caixa com 3 pr.itos eslanpados por i25 reis ,
283 56 a 106 a ditas com o seuinte ; 2 ba-
l g braucos por 3oo reis c*d* hum, l dito
pintado 4oo reis, 2 bacas brancas por 3oo re-
s cada huua a pralos beira asul por 66 reis
rada hum, 2 tijellas pintadas por 66 res ca-
da huua, 5 casaca de chicaras pintadas por
5j reis cada hum, II 1 caixa con55,ooo
anJespor iU6jo reis o milbeiro, 23 I M
1 embrulho com 8 volumes de collecfes de
leis do brasil por aoojj res, S C. sem
marca 1 lata com 5,ooj libr.s de queijo a
jareis a libra.
AlUndegaada nove.mbro deiS^i.
V. T. P. de F. Cimargo. .
O Urigae Portugus JoseGna, vindo de
Liaboa entrado no correte mez, consig-
ui a Mendes & Oliveira manifestoa o se-
guiuie.
35 pipas com vinbo, 4 ditas com vinagre,
u5 birria cora viuho, i5 dilos com azeile,
io ditos com carne, 1 barrica com bacal bao.
4 barra com mauteigt, oabarris cam bala-
tas, 3 caixas com chapeos 4 ditas com vel-
ias de sebo, 4 ditas com cha, 2 5 ditas com
10 ucinhoi 3 da s com colbere de lalo f\6
5U5io gamellas de cera, 1 caixjte com rap, 2 ditoi
com conservas, a ditos com ferragem 6;6
lages de cantara, g barricas com alpista j
caixis com uvas G aneoretas com carnes,
1 caixote com ealcado 5 ditos com doce, 1
lata com rap, 4 barricas com tremocos, 1,
porco de ceblas, orna caixa coa urna po-
dra para sepultura , 16 barricas com tou.--
nho, 8 barricas com grao de bico, 1 barril
com vinbo, 4 caixas com chocolate a barra
com carnes, 3 ditos com conservas, 1 dito
com peixe, 4 barnices com batatas, a caixis
com bixas, dgaiolss com paitaros la ca-
deiras, 1 camap a camas, 1 balsa com car-
ne, 4 caixoes coa foseadas, 1 lita ignora-s j,,
1 embrulha dito.
A barca portuguesa Senhora do Rosario
- vindo de Lisboa entrada do correte mez,,
cocsignada a Manoel do Nascimeato Pereiray
manifestou o seguinta 1
3o pipas com vinbo, 2*9 barris com dito,
2o pipas de vinagre, 3 caixotes com vinbo, c
dito com agurdente 95 barris com carnea,
24 ditos com aseite, a ditos com drogas, 4
sacas com ditas, 1 lardo com ditas, 1 caixa
com ditas, 3o ditas com bacalbo 5 caixis
com rap ao ditas com toaciubo. 9 fras pai-
ras com doce 1 a cuito com dito 1 dito
com obras de prata, dito con chipaos da
frades, 3 ditos com conservas, 1 dito cjoi li->
vros, 4 fardos com osorios, 1 dito cam si-
lbos, 14 parohini, com uvas, 14 ancoretas
com ditas embraliio com fdrrsgem, 1 di5
lo com chapeos de sol, 36 barrios com ssbo-
las 2181 molhos de ditas, ir jo varas de laje-
do 84 Pedras de cantara, 57 ceiras com fi-
gos, 40 saccas com batatas, 2 gtiolas de a-
rame 1 mo'ho de louro, 3 caixas com bixas,
4 gaiolas com coxixa, 1 birrica com maces,
1 porco de citas, a ernbrulhos iguora-se -
i saco dito.
AHaTUNJlO.
O administrador da me3a das rendas geraes
internas tendo por immensas veses avisada
aos moradores do Recife e do bairro deSio-
td Antonio para vire/n pagar o imposto do
hinco, nao tem sido possivel, e por isso pai-
sa a por no diario a relacio dos que devem,
fasendo-os scienles que se no prexo praso da
oito das no pagarem passtrfo petodesgos-
to de seram executados. Recebadoria a da
novembro de 1841. Francisco Xivier Ct
raleante de Albuquerque.
Devadoresde imposto! do biu:o do burro dj
Recife^
Francisco Jose AIvss Pito nba JofJ
Narciso Jjse dos Siutot 10II
vlanoel Jo;quim Rraodo 1 U
Joaquim dnSj'i Pinto nL
Joo Aires de Csrvalho Porto aolt
Antonio Cardoso de (^ueiroz Fonseci 6D
.Vlanoel Jose Mirtins ua Costa aoD
Joaquim Gousalves Vieira Cx Comp. 1 h>U
Antonio Aunes Jacama Pires 3U.
Fraucisco Dias Ferreir a5l.
Antooio Annes Jaco oe 20U
Jose Francisco Vlarinbo 8
Franeisco Antonio Pontuil aoli,
Joo Jose Ribiiro dos Santos oU
Joo Alves Xavier ao
Jose Carlos deLemos 3oU
C, A. brandes a Brandi 3olf
Lck nmiSi Comp. t&U
Adour&Coxp, io
O mesmo -D
Aulonio P,rirada CunUa

w


ftARlo DE PERNVBiCO
Pcrcingos Gomes de AJmeida
A. V/era c'e Luit EHuy Durio
UedWgo d"Cosla Carneiro
Z.rmono MeHuriiis.
(Crntirmar-se-ba )
413 joo de musir, e de urna soeiedade t onde os
MJ400 bors msicos se rtunSo a fin de partharcm
fiU>oo citresi-us scus crnhecimrntos corihecere*
nUcoo i? o*, bema nossopezar, que grandes geni;
PfJBLICACOES A* PEDIDO.
Illm. r.r. Anda que.pelo artiga %? d
Ccdigo Criminal si ja desprnsada a comnib-
niracSo qu* pssso a fazer V. S. da ins-
lallacoda Smedede Familiar e d'AInea,
que leve lugar do dia 3 do correle mez em
tiza do Coronel Joze de Barros Faico de La -
cride perqu ella nfio exige segado dos seos
Asociados, todava a mesma Soeiedade con-
cidercu por seo prineiro dever fazer a com-
petente participarlo a V. S. como ver de
sua Acia de installacio : e para que 6que V.
S, tem inteiredo dos fins honestos da mesma
Soeiedade, que sao Fducato Civil e Mo-
ral prosperidade, eonservucao e segu-
rarla de tocs os seus Vea bros assim co-
ito das pessoa que ella pe tente m ,
e bao ce iinn.cer la.-so nacs
de V. S. o livro das Actas assim co-
nt o Estatutos por que ella se lege. Te-
dLo assim cumpriJo o deer, que ne iocpoz
a Sotitdade e fita larnbem rrauifesledo pe-
la Soeiedade o respeito quecousagra a lei ,
e as aulboridades, Aproveito a occasio para
significar V. S. es prottesics de minha esti-
ma e cDiderato.
Lees Guarde a V. S. Retife j5deOu-
tubio de 184* Ulm. Sur. IV]3noel do Nas-
cirxeuio da Costa Monleiro Prefeito u'esta
Coma arca.
Felis Pcixoto de lrito e Mello,
Illa. Sor. Fm presenca doCH o de V.
S. filmado de i5 docorrente mez em que
me ctarruiiiiu que na taide do dia i do
sesteo tiiera lugar na casa do C'o'cnel Joz-
de Barres I'alro de Larerda, ( cono eu mes-
mo teslemunliei) a nstallatao da Soeiedade
Familiar, e d'h'anca e que seos fins sao
- Kductco Civil e Moral, prospeiidade ,
ctnsciveco e seguranca de todos os seos
Medres, essire como de todas as ptssoas ,
que ella perleneem eomo se v do Livro
de su*s Acts e dos Estatutos que igual-
nente mertmetteo ; sou a signifitar V. S.
que, lo encontrado na institu, o d'essa So-
eiedade se nao vistas innocentes philan-
tiopieas e toleradas pelas Ltis do Paii, nao
posto por issodeixar de louval-a e espero
que ella nao se desusando j mais dos fins ,
a que lojudiciozamente se piopoz venba
assim prosperar e turnar-e mais urna ga-
ranta para a ccuseivaeo da oidem publica ,
e da grande Soeiedade s que todos peiten-
cemoB.
Aprcveito a appoilunidade para retribuir
V. S es tlsequicsts cxprissCes com que
me ti ca em seo o litio.
Dos Guarde a V. S. Prefeilurada Cm-
ica rea do Becife 2odOutubro de 184 i.
Illm. Sur. Douior Felis Peixolo de tirito e
o seenecntrio entre tos, que poi- fdlfa
de uin methodo peileito de ins meci ni>
Imii chrgado'ao zenith da perfeic.'o'para o
(jiiI nalurezaos tcm disposlo.
Arlifio .'een'io r:s alguna -prof ssores, pe-
ritiuoi no instrumento ou vtz, que fe
(I (! ra 5o; ir.as na reuuiio de um e,rande
inslrumcr.tol, em nu>a grande- orchestia ,
quo ser.sivel se laz a neceftdade da arte ,
ata are, que faz o encamo dos liomeiis, que
osallivia em scus trabalhos quelhis hucca-
ni.-ao CO! SC30 !
IS'a veidade, que arte, ja nao digo a
mais til pura reps-no a mais ir-
cesaiia liavc na vida liumena na vida
t!o li^niem social A msica diz Kirchrr
em Diodoio o lii.itoriador, lt:n a sua etymo-
logia de una palavra egipc'a mesmo nec-
se paz onde ella teve o su principio e oii- j I
A msica, continua elle, priucipiou't
gres nossa vida mais feliz nossos traba-
Ihos menos pezados. Brarileiro honrado, re-
cehp os votos de tua patrie* l
Senhore, necesasrio nao abusar da vassa
psciencia. tendes v9to o fim a q' me proponho.
Querer eu fazer o elogio da msica,querer en-
grandecel-tf", querer cantal.a, dizer o q' v9
sabis o q' saLem os humanos todos e oque
fentem os salvagens. senien as mearnas feraa.
Pesia eg ra que vos me queirites ajudar nes-
ta emmea t> necessaria qusnto dificulto-
sa. Uuaroo-nos,, e (acarnos reviver en> Per-
nambucoessa idede d'c-uro to decantada dos
poetas(
N OTICIAS DE S. PEDRO DO SUL,
gen
a eilrfcektfr-se depois do diluvio. Poreui ,
fe roa ccnsultarmcs a nstureza humana, co-
nbecemos, que a n usi efe a palana, diz Jco Jarques Rousseau ,
nao tem ctmerado |elo canto, ao menos
cerlo.q* se canta p r loda a paite.onde sejfalla.
Os an'.ijjcs escript(.r*s difFerem reuitu entre
si sobre a nature*a objetto extensa j e par-
teada msica, Em geral elles do a esta pa-
lavra um sentido mais exiens que ella pri-
setitenento conserva. INj s deaixo da pa-
lavra msica elles comprebendio a danca ,
o gesto a poesa mas ainda mesmo a col-
lecto de todos as srienrias, Hermes define a
msica o conhecimento da ordein de tudas ss
cousas. Era tambem esta a doutrina da es-
cola ce Pytb;goras e da de Plato que en-
sinavao que ludo no ui.iversj era msica.
Segundo Hesjobio, os Aihenieoses davo a
todos as arles o 1 -orne de msica ; e una m-
sico moderno de cujo nome agora me n >
record, Um encontrado na msica o prin-
cipio de todas as mses e o iuudamento da
todas as seieneias.
Se considerarmos a msica, como urna qua-
lidade ratural a o hornera vemos, que com
ella seja qual for a sua reliio elle diri-
ge a o niimeiro dos entes os cantes demons-
trativosde seu reconhecimento de seu a i.or
e otedieniii. Ao som de lu;uhu-s cactos
sao Uvados a descamar no silencioso tmulo
es inanimadee cadveres \ a msica faz parle
Quarlel-general n* estancia de Pedro Ser-
ra no rinro de S Vicente ai de Agosto de
i8'4i.
Odem do dia N. 86 e ultima.
O brigadeiro Jco Paulo dos Santjs Brre-
lo rommandantedoexercilo em oneraces nes-
a provincia faz publico ao mesmo exercito
que acaba ueste momento de receher as se-
gundas vas dos ofticios do Exm. Sr. mare-
ctihl conde do Rio Pardo, commsndante em
tbefe do exercito, daudosde 18 e aode julbo
pretrito e a primeira va de ouiro i lucio
datado do 1. do crreme eco os quaes lhe
be ordeuado que (ac entrega do commando
deste exercito ao Exm. S. brigadeiro Antonio
Correa Sera. Em cumprimento desla or-
dena o mesmo brigadeiro Harreta faz entrega
do referido comm^nJo ao dito Sr. brig.duiro
Sera e ao despedir-se de seus briosos e va-
lentes camaradua nao | e deixar du muito
.tgradecer aos Srs, commandantei de divisdes,
brigadas e corpos assim como a iodos os Srs
ofiiciaes e pracas do exercito o bein que de-
seoipenbarao seus respectivos deveres, eo
valor com que em t.das asoccasies se mos-
trrio dignus defensores di ihrona da caas-
uiuitaa e da integiiJdde do imperio.
Agradece o xe.-ma brigadeiro ao Sr. briga-
deiro liit.ncurl ajuJante-jeneral aa Sr.Te*
uente Coronel visconde de Ci.namti, quartel-
mestie-generai e a seus ajudantes de ordens
e de campo o bem que desempenhro seus
respectivos eoapregos.
i'ita exonerauus doi enopregos de ajudaa-
tedeordtns o Sr. teneule do 1, batalj de
caladores Jas da Cala freir da Freitas a
de ijudanle de campo os b/s. capiles de ta-
vallaria de liuba Ju-. Alexindriuo Villas Bo-
as Coulinbo do 9 corpo de capallaiii de
da nosa religio, I.' a osota haru:onioso de guardas nacian.es Juo Luiz Gomes da Silva.
una hrpa que o propheta rei centava os
louvores do Deus de Isivel em presenca di
ana da allianca : nos ceos mesmo vivom os
Anjos continuamente eantaudo os louvores da
Alussimo E canlava um cntico novo di-
luido : Digno s Senbor de lacear o livro,
e e dezaUr os seus sellos diz o Apoeiiyp-
se O cauto faz entte us mais apraziveis os
- Jau Paulo dos Santos Baneto*
Qurtel-general na estancia de Pedro Ser-
ra ai dte Agosto de 1841.
Ordera do dia.'
O brigadeiro Antonio Correa Seara re-
vestido do commando in terino das icrcas em
nossea feslins mais irisles os nossos lunera, i Peracoes nesia provincia em cumprimento
es j e ao om da msica martial que os
defensores da patria marebo intrpidas a o
Mello Pusideae da Soeiedade Familiar e embate: de modo que bem poderemos dizer ,
d'Aliania. I"?' 8e ua houvesse musita nao haveiia
Manoel do Nascimento da Costa Monteiro. : iedade-
Prefeito da Commarca.
das ordens da lim. e Ex-n. Sr. general can-
deda liia Pardo com mandante em chele do
exercito, julga do seu dever publicar a or-
dem do do dia ab.iixa transcripta*
Se considerarmos a musca redunda a ar- Quartel ceneoal em Porto Alegre, lide A-
te, que grandes homens na (.ntiguidade, que fostode,8.
I,.r_ tublin es genio no temjio de iioje se nao lem M
Discurso pronunciado pelo Profefsor Pa
ci Jote de Souza na abertuia de seu
curso de Msica.
Senhores, Descendente de um brasileo ,
que conbecendo pe latamente a arle divina
da msica sou be da 1-lhe em nosso paiz ,
o augmento, de que tila necessilava eu nao
poda, em conalernai-me ser mudo e8-j uts venco os diques, s
pectador da di cadencia que eutie nos vae que a mao do lempo tem pola eotre o pa v
fcofl'rendo essa dadiva celeste, sem que invi- se(io e o presente. Queui ouviia sem etuo-
eo sem respeito mesmo 01 uomes uuaca es-
Isito celebiei pela rxusica dando deaU arte
sua patria fama e a si honra e pioveita !
Kercuiio, Cedmo, Arr.pbiou Cliiron Ue-
aodoro Mermes f|.uea inventar da
lym Lysondro Timofheo e outios pela
Ordem do dia N. a.
ai le da msica lea h i.u
ciaste quanto est em miuhas faculdades,
paraleval-aa umauge, que a torne enie-
quecida dos dons que ella tem lecebido do
auctor da natureea.
Quasi aacabar-se de ledo o gesto que to-
queados de um fioiftiiii de um li.iU.ui ,
ce um Savi, de um lierciu de un tjubel-
lini cdeoulros sabias que se tem fcito i
gtiaeeos simidtozes eqmj tem causado ao
paz
do o ente racional deve terpela msica, de- tU st,(U, auairatau e espanto !
terminei crear urna aula particular, em que
te aprenda metliodicc.menie a arle que nos
-ziguats u Orpheo, o qual, a aciedilar-uios
a niytholegia, obrigava que as mesmas ar-
vtres o stguisstm attraludas pelo melodi-
oso e encantador accenlo de sua liia.
Aao quero com islo dizer que p eltndo
crear a msica em Pernambuco nao ; mas
desejo lazer com que renaca o gusto leviva
O marechal de campo eonde do Rio Pard
roaimendante em chefe do exertito em prega-
do em recifitsr esta provincia faz constar
1. e a. I i lia que havendo por be n S. M.
ojjpn que seus uo- 0 Imperador desonerar o Sr. general Joo
Cm asbarrtiras, Paulo dos Santos Baireto do commando em
chefe do mesmo por decreto de 24 de mar-
co e por outro de 26 do dito mez nomear
'p-ira o ubsti luir ao referido conde do Rio
i Pardo tomou esle posse de t-> honrosa com-
. mando no dia ij de abril prximo passadu
( como consta da ordem do da n. 1 ) data
-em que o grosso do exescito se achava as
I imrr.ediates de liag.
M
do, I 6
Meo esptiiavel at recebe l no arito Ja ^inguem melhor queos leaes e briosos m-
1, oode.scancao as tua. cibui sempre litare. > deque se compoem essas valerosas
tropas sabe a constante impossibilidade que
espeitadas e amadas eropre. de leus uatri-
tos eem coda a paite, ondetem chegado por huma concurrencia Ve'c^cnVta'ncraa em
d fama de ttu nome os mais Haceros votos
daqutlles que aaa a ausica 1 Tu fosles
impedido ao geueral commendante em chefe
poder encorporar-se principal forca do exer-
itiUuemia ; que ufo desaniman, por fal. siasmo ptlos ios de A^obo, e pelas amada-
la de soeiedade, de ermifco, e de exei-
ticio os beng msicos, que exis em e que
a nossa mocidade tenha urna aula, onde a-
pienda com peiftitfio a arte da msica es-
ta arle encarnadura que tem o piimeirol u'tsasua patria e aoshomens,deo encremnto
Jugar eutie as bellas aites se altender-mos Iamusita ueste paiz,deo subsuieutiasua faui-
falta que tem Pernambuco de urna aula l'i*,ca seus pul icios, ki os noasos das mais ale-
obcsso Orpheo I O nou.e de Lu.z Alvares cito, e que semelhaule impossibilidade eres-
r-iiiio Senboies tem zombado do poder ceu de du em da em vez de se aplanar.
do lempo e anda boje e ouvido con e.uuu- eoeral comroandante em cliefe anda
que poicamente nio compartilhasse as ex-
liaordmarias privaees e fadigas que durante
esle lempo lena suportado aquellas tropas ,
comtudo les assegura de huma maneira a
mais posiva que intimamente as tem ent-
do sabendo avallar a constancia e exemplar
disciplina com que lhe coasta elUs tea sido
su pperadas,
es a6 bellas ai tes. Elle loi o nossa Ampl-
ao 1 e te nao eonstiuio ao soo, da lyra os
1 uros de Thetas,iomo ungid.1 mente nos dia a
iiialoila antigd,lez tousas verdadeiras.tez cousa
O general rommandante em chefe tendi a
nois ordenado ao Snr. brigadeiro Antonia
Correia Sera que tomtsse interinim^nte o
commanda da forca que se achava debtixj .
das ordens innmediatai do Sr. brigadeiro f
Paulo dos Santos Rarreto a quem j ten
communicada as determiinves de S. M, o
Imperador a este respeito, espera qae tra-
pas taes soffro ainda com a to>'sma rasigna-
eo mais alguns dias de inevilaveis fadi-
g<*9.....;
Soldadas O general reconhece que basta-
va somente !embrar-vos que a trapv se ral
I or ainda em movimentos a fim de queos
vossos com penheiros de armas enfermos por
nao terem podido resistir ao ripor do tempo e
extraordinarias fadigas da guerra, len! a
lodos os recursos para nao vos parecer inven-
civel qualquer obstculo que por ventura se
aprsente. -- Cunde do Rio Pardo, ge-
nerdl comroandante em 1I1 f".
O mesmo brigadeiro, com mandante inte-
rino felicita as forras sob seu mndo pela a-
eeiladissima escolta da pesspa doIllm. e i'xtn.
Snr. general conde do Ko Pardo militar
distinelo espeilavel pela firmeza de seu ca-
rcter e digno dos mais subidos encomias
pela sua adl; eso augusta pessba deS.IV],
o lmpeaador para commandante en chefe
do exercito empregado na pacificafa deita*
provincia.
Passa a cortmendar interinamente a 1. di
viso do exercito o Sr. coronel Luiz da Ff*n-
ia l uto G.rctz.
Continuo nos mesrcos exercicios os Snrs.
major de legio Manotl Luiz Osorio caiiir
tees de linba Antonio JatinthD da Costa Frei-
r e do 9 corpo de cavallaria de guatda
nacional Joo Luiz Gomes da S:ka.
He decl rado ajudante de ordeos de S. Ex.
o Sr. general commandante em chele da ex-
ercito o Sor. tenente de linba Joze Mara da
fusta Araujo, que fica desligida do a. bata-
Ihode car adores a. q.ae se achrva adJidj.
i-'ica encarregado do forcecimento das Tar-
cas eai operacks o Sr. commissirio Jote dos
Sanios Vidal segundo a nomeacao que teve
do respectivo chefe da repartico, Antonia
Correia Sera brigadeiro commandante in- 1
terino das larcas em onerates. ,
Illm. e Exm. Snr. Fico de posse do oficio
n. 3 que V. Ex. me dirigi em data de x de
julho prximo pass. teudo se bem que muito me oaaravilhe,
nada mais leubo a accresceutar ao que j com-
muniquei a V. Ex. em meus officios de ib1 e
ao do mesmb mez cujas segundas vias con-
juuctamenle agora remello ; tinto portan-
lo ser do meu lijcroso dever declarar a V.
Ex em nome de S M o Imperador, que (se
por ventura ainda o nao tem praiicado^eu-
tiegue a loica sob seu commanda ao Sr. bri-
gadtiro Antonio Correia Sera a quem j te-
nho dado, como partejci,.ei a V. Ex., as
cunvenientes oidens a respeito e por qual
quer demora ou destacamento de lorias do
gtosso do exercito ficar V. Ex. responsivel
ao mesmo augusto senhor; pois que as or-
dens do governo que me tem sido commu-
nitadas, to mui tifierenles e opposiass
vistas que V. Ex. conserva, solando cada
vez mais essas di\is5es' da exercito das mais
breas imperiaes e por consequem i 1 do cen-
tro dos recursos que lauta necessitia e da
geral base de sua operaies systema este
que de maneira algumadevo adoptar debai-
xo de minha responsabelidade.
Dos guarde a V. Ex. CJuartel-general
em Porto Alegre, 1. d'agcalo deifc4"---
Coude do Kiu Pardo, -- lilm. e Exm. Snr*
biig.deiro Joo Paulo dos Sanios liarreto.
Exticcto de huma carta de bum Snr, teuente
coronel do exercito,
Acampamento no 1 inca o de S. Vicente, 2 a
'de a gosto de 1841.
Cansado de solfrer loucuras e perversidades
fui repousar sombra de huma arvore alim
de 11 xiuuar na minha triste sorie e na dos
meus companheiros que reduzidos deses-
peracao j nao saturnos das barraquiubas
para nao sermos teslemun has de tantos cla-
mores que a lodos 01 mo meatos se ouvem
dos soldados sem espera nces de curar males
incalcclaveis que tem pesado sobre este des-
dilcsa exercito: eis que vejo o...., |cpmpa-
nhado de mais oliciies que se dingioa
minha barraca para me datem os parubeas
de ter chegado naquelle momento o teoeuie
Joze Mara com ordem do Exm. general para
tirar-nos deste inferno ( alias hum p*raizo
para o Snr. Joio Paulo que bastante se tem
nutrido cam o nossa triste estado a que nos
reduzio). Que n dir que ha trila e Cantos
dias que esticos acantouados s se tem dado


n'&ti\( E PEKNAtflueS
trez vetes farinha nos soldados e esta a meia
rsrSo ? Quem dir que hoje fazem lies dias
que os soldados nao teco recebido carne por
falta de gado, e todo por nao haver provi-
dencias! Todava, foi
tal
c cebemos vbla das ordens de S Ex. que
senesse mesmo morci-nlo em que ellas che-
garo, se ordenasse levantamento de campo ,
st.-u re lo que os mesmos doentes mais peri-
gcsos rao ficario deitados as palhocas.
O Jote te aria pode informar qual o jubilo
e piazer que vio renasrer nos semblante de
tcdos, menos do Sor. Joo Paulo que se tor-
nou fui oso. por nao poder occultal-js afim
delevsr a tfltito seus pinos, isto he de
querer abiir a carapanha no prximo vero ,
e dar rom o resto em pantanas.
O estado a que ehegou esta misera ropa ,
reduiiaa a fone nudez sobrecariegdda
de doentes sem medicamentos o que se
poderia esperar eu> tal estado de cousas ?
Wada menos que alguiu resultado dessgradi-
?ele bastante funesto. Por tanto a orden
de S, Ex. itida ehegou a lempo o com
eUa es epmtus ritos se aquietro e agora
se trata de providenciar nio obstante os
torteos a que nos leduzio esse escolhido dos
Sms. A. e C.
Extracto de outra carta de hum mui digno of-
G.i,.l do exercito,
S. Vtente aa de agosto de 184
ffluitu piazr me causou o recebircento de
sua carta de 19 dejulho, redubrando-se e prazer por ir lembrzr que temos de servir
por ventura 8nda juntos ero deesa dos direi-
tos do nosso umado Imperador.
O exercit> do Sul ganhou assis co n a sua
epresenlaco s fileiras que o coitpe. Eu
tenbo pouco lempo para ser extenso, c por
isso neutra occasio, dar-lhe-bei noticias
minht,
INao ha hum t cavallo que sirva menos
beis, cu para melbor me explic*r, ha al-
fiur.s soldados us, msgros mas valentes e
constante?.
Parece qup somente de motu proprio, e
para dar cabo de buma vez de to valorosa
gente ge determinou a marcha para este lu-
gar ; basta direr a V. S que eu mesmo que
tenbo dinbtiro para comprar o que preciso
para rreu alimento, tenbo tdo falta por
dous dias da propria carne !... Muilas per-
nsdas no inferno tero de dar o Snr. Joo
Paulo. Cusa me o dizer-lhe mas coro o
digo a bum migo iniimo e fiel carnerada ,
que seno fora o... o exercito da legalidade
campo, e estando to las as mais forcas di pro-
vincia sob a direccao ecom directas corres-
pondencias com o Ex*n. genera.1, jamis o
Snr. Joi Paulo a nao ser obrigiio por ni-
o regoujo que mi orgulho ou a nao querer do proposito
savol pela administrado militar, asar con- annquilacio lenta sim mas infallivel t
venintemente de seus conhecimentos adra de
tudo dispor a beneficio e utilidade da causa.
Como porm nos he permitlido emittir a
sa opinio confessamos que nos parece a-
ar a entender que nio ee considerava demit- cenada e utilissina a orden dada por S. Et
lido do commando en chefe do exercito, po- qoanto ao ruovnoento das frcas baca o lu'r
.deria continuar a assiii denominar-se.
E tanto nosso pensar he rasoavel, que
tendo o Snr. Joo Paulo no di ai do cor-
rente (da de victoria pata a legalidad?,) en
tregado o conreando desse grosso do exercito
o Snr. brigadeiro Sera este na su or-
dena do di i de na do mesmo nao so den 1-
mina -- comnandante en chefe do exercito '
inas sino brigadeiro revestido do corarnando
interino ds torcas em operace. cujo dieer
proprio de bum militar que condece sua po-
sic*5, e nao arroga lituos albeias assaz o
dierenea do Snr J019 Paulo, por i.-;> |i-
aquee obedecendo reoonliece Sua legiti-
ma posica e este xujstra deob^deoer 4-
presen-iando-se en publico con ttulos que
vedados lhe lori.
Pela leitura da ordem do dii do S ir. bri
g.deiro Ser, pel leitura do ortuiodo
Exm. Sor. conde descobriooos ba outro
acto bastanta s.diente e indigno de nualquer
defei por isso qua elle musir pa pivel-
aiente o quanto o Sur. Joa PjuIo pro Mira va
prolongar os males ele nossos vlenles milita-
res sob seu commando fizendo destes nas-
cer outros talvet incuraveis para a lejaliJi-
de ; e ven a ser o pouro c.iso ou para me-
iborduer, a escandalosa falla ('e observan-
cia do seu daver eoi publicar a o-den do da
que pelo Sr. conde lhe fui dirigida, Como
desculpr->e o Snr. Joa Paulo dessi; seu tj
reprebensi^el silencio, que neahusa outro
fin podia ter seno occuitar a seus subordi-
n>dos as determiiMCes de S NI. M I.? Qnl
a evasiva para salvar sua ciiminosa cunda .1 ?
Co o evitar que O publico aju :e (ue S. Ex
queria ricar independeuie i:> os.eruuuj" e
conservar-se como intruso ea> uuus empiego
de taoti ponderaca ?
Huma s evasiva poderia descuidar o S ir
Joa Paulo e era o negir o tecobltanv 1 5
porem como negal-o su existe hu:nufli:io
seu de a 1 de juuuo em quo aecust o rece-
bimenlo no dio ij do mesu?o ? (Comnercio.)
Porto Alegre 10 de Setenbro.
Ha poucos das cltegou a esta cidida hum
proprio vindo do Riuco de S. Vicenta : lo-
go que 'hegou coroecaio os alvicareiros das
liul a sido parte delle, quando nao todo J Doas novas a espalhar que as cavallarias que
destrocado na passagom de S. Borja e no La- compoem nossas loress em operaies nao que*
iibsdo de S. Gabriel, on le... oi sacricado : \\0 ahnuir o raovimento d^s mesmas forjas,
com 4 h lali'ts s furias des reledos, em e que seus ebefes ne^te sentido linbo pelo di-
eeu itexicro 35oO. Cem vidas que este Joo to pr.prio dirigido re presenta ces ao Exm.
Paulo livesse devia perdel-as ......... 'general: tal noticia que se ispalhava ape-
Porto Alegre 3i de agosto.
A' vista das crder.s do dia supra nao po-
driros deixar de trazer algqmas anda que
curies, rtflexes sobre o Snr. Joo Paulo ,
zar de alguna impresso que nos cau >ju nao
foi comtudo por ni acreditada p ii nao s
nos lembramos qud con a chejada do Sr,
visconde de Camao. oulras de igual ci-
libre linho sido espalha Jas pelos mesmos
destinado, pois qae a demn en, tal lazar
nos parece assaz prejuiicial, e isto nf's
porque sendo mui superior o numero das in-
fantinas ali estacionada estas ton liados
abem. se auhocanv ias d? tolerar tanta penuria e da seren vie-
ti.-aas de tanta miseria cono porque ape
zar das esperancas de revbiment de civallu-
< m pode a rinda destas falliir e tanto niis
ditficll e ftrriseada se tornar a posifo d mei-
ma cavallirii pjr isso que faihaado ellas
muito rrais a p ficarj e para assin pen-
sartnos nos recordamos do rxemplo quj nos
subministra 0 mesmo Sr. Joao Paula que
ten lo marchado at ao fin da provincia sen
ouiro plino n3*que, comj disse Vor se
I aneava cavalhada se vio p5r fin na dura
necessiJale de confessar que nen conserviva
a que lerou nem obtiv'era a qua desejavi.
Sealnda longitudeen qU9 se acha'o as
forcas, i,aj fJSSe mais que ninianente te-
meranaa re,aessidetantas cousis indisoen-
saveis pa acudir s privaces de n3ssas for-
cas se de sua estada ali alen di continua-
cao de tao graves males que quinto antes
devern ser smados, nao se p idesse prever al-
gn outro resulla Jo de conseqiencias funes-
tas nada diriamos tendo probalidadj de
que con etleiio chegaria a desejada civaihadaj
porn a experiencia nos ten ensimdo que as
(acuidades da leg.,|djde ten por vezts cau-
sado ii.calcuhveis transtorno?, e por isso iul-
gamos que en nosso presente estado nunca se
deve deixar o cero pelo duvdoso.
Utofim, S. Ex he boje o resoonsavel nao
>o pelas torcas no rinco de S. Vicente como
por todisas que existen na provincia due
boje he o alvo das vistas de todis as mais pro
finetas do imperio ; por isso que quasi todas
lem para aqui mandad i seus oificiaes e seus
sjldidos para us auxiliaren e qanto antes
desejo a pacificaQio i e ser-ibes-ha bastante
sensivel se viren que seus sacrificios sao re-
compensados con o pouco caso as primeiras
necessidades daquelles que maadro en nos-
so auxilio.
Seos rebeldes hoje se acbo espalbados pa-
la c^mpanlia he porque so (lies conven el-
les nao dormem e iudubitavelmente tem
hum plano e quando julgaren til cjm
pre.s'.ezafara'o a reunio de todas as suis for-
cas do que j tem mostrado exenplo e pire-
ce-nos que de degosto Ibes ser a retirada de
nossas forcas para outro poato que milhor se-
ja e isto julgamos porque avancando o Sr,
Joo Paulo para o interior dacampinln, ja-
mas elles lhe pozero obstculos jnais lhe
fizerao restJtencti fjzenJo-a sin bistan'.e
rcnvid no seu regresso e isto nos da a en-
tender qual seu futuro p'ano e este a nosso ,
ver nao irrisorio pois qae elle rissemina-
dos na campanha ando pioveudo-se de cival
ios fazendo reuuies e augmentando sua
folc ao mesno tenpo que nossas f irc-is
no Rindo de S. Vicente en nada prospera.),
mas sin cada vez mus se defiuho.
( Commercio. )
no isolamenti em qu seaohivo devorados
pela fomo e minados pelas doencasehumi
quasi completa nulez,
Dizia se que o brigadeiro Sera se porii era
S archa a a5 de agosio e que se ejperava
que antes do fin de setenbro estara no passa
('e S, Loureoco ojire ho humx forte posuo no Jacuhjr cima da Cachoi-
ra ; aqui podei o exercito revitua'.har-se e
lornar-se anda respeitavel e til as oper-
ces do prximo terio. Data todava cuida-
do a fory-a do coronel Lourejro ecj numero
de 800 homens, q.ie se bavia feito avancir
para Missjes, com o Gao de comprar Cvallos;
ha porn de esperar que possi reunir-so s
outras Forcas inperiaes, e descer con ellas.'
Os farrapos na desciosJo ; onde nio ha tro-
pas legaes elles apparecem hg) e ratininda
amnistiados desertores e quinto malva lo lia ;
commetem toda a especie di fl.gicioi. As
autoriiides pir o eslo vigilantes O cor-
pos do Rodrigo, Juca Grande e Ourives per-
siguen de continuo estes pi-atas t^rras'res ,
e o eoronel Uello Albu juer.iue o taneaW-
( coronel Vidal e o prestios Padilha e.tirj
ji co n forcas issaz respeitavei ni Crac Alt ,
e em breve poderj otcapaf a posi.o do VJat-;
to Cas'.iiln.'io,
( Cart^ particular. )
( Do Jornal do Commercio. ^
LOTGRIA DO LIVRAMENTO.-!
Hoje pelas dez horas do dia ati-
dao itnpreterivel as rodas da Lote-
ra do LiSratnento : os restantes
dos biHieles acliao-se a venda nos
lugares do costume.
1
lotera da matriz da boa.vist.i.
A meza actual da IrmandaJe do SS. Sa-
cramento da freguezia da Boa-vista tendo
mircadono dia id de Dezenbro proxi no fu-
turo para correren impreterivelmente as ro-
dis da 1. parte da (j. Loterix a beneficio'
das obras t espera dos amadores deste jogo
bajo de concorrer para a compro dos bi-
lletes que se aho venia no Recite ra da
Caeia loja de S.iv. Vieira ; em S. Antonio
ra doCol'.egia loja do Snr. Menezes j ra
do Cabuj. biticadoSnr. Moreira iMirques,
e no Livranento bu ica do Snr. Cuajas z
na Boa-vista, ua botica do Sor. Joaqun Jo*
ze Moreira, defronte da Matriz,
pof isso que ejlas evidentemente nooslran ao alvicareiros, como porque qmlquer credi-
puLlico que, em nossos urtigos anteriores ,'to iria de encontr ao conceito em que tenus
a esr.eito do rcesmo Snr,, sd apparec^u a esses distinctos chefes aqun imputivio as
neis justa censura de seus actos, sen que taes representaces s apezar porn, de
relia entraste a mnima parcialidade ou pai- upssa ii.credudade a espaito procuramos
xo individual, informar-nos se alguma cuusa1 havia que, dcs-
Tendo o Sor. Joan Paulo recebido ( p que figurada ou alterada pelos alvigareiios mo-
ja ba mui o nao entra em duuda ) as- parte- livasse este quadro de tenivel colorido; e eo-
P'ii s authentieas de sua denssio e da es- to soubemos de pessoas quj nos merece con-
tad do seu antecessor na provincia, nao Canea oque ua verdade havia, -e agora
centente eru usar de extralgema9 ou trampo- declaramos tal qual sabernos, para que o pu-
liras bastantes infensas legalidade, a fim blho vista deate e de outros anteriores e-
de prolongar a entrega do commando nun- xemplos esteja prevenido contra as malig-
ca der-ois de assim intelligenciado deixou as astucias dos Glhos da verdade.
de denominar se- romn andante em ebefe do j Veraade he que veio bu n proprio de exer-
txeicito j o uso de t.l titulo alem de im- cito porm nao trouxe othcios mais sneu*
iropiio, be assaz impoltico, e talvez se- te cartas de differentes cheles de nossas caval
ja,.; pois que, acezar do conhecimeuto lorias que, bem como fiero qjosi todos os
desordena im/ eu.es, a que mais que de- ida infantaria felicitavo a S. Ex pela sua no-
preita a honra e o dever o devio faser meac,o e lhe mostravo seus grandes desejot
prestar p-rompia obediencia, conlinuou a de- de o yerem em sua trente ; eaire estes alguos
iiominar-se o mesito nodo que quando houvero que, arrebatados por seu zelo e
veidadeiro general em chefe 5 isto nao po-1 pelo desejo de por todos os modos se mostra-
denos all iLuir ignorancia, porqge bem rem prestaveis dizio que estaoto ascuval-
saLeaos que o Snr. Joo Paulo nao he dos lanas a p e elles espelucados en que po- lagi Me
destituidos de ronhecineutos, e aiuda que dio ali receber alguus cavallos e que em que uelf
grandes elits nao fo^sem jamis o contem- 'consequeocia dess circunstancias de que que sigio
pUriemos lao ignoiaiile que nao soubesse que talvez nao eslivesse ao tasto S. ttx. lembravo
t.sa lona que, at odia 11 do conente 'a estada naqueile iug-tr al o principio do fu-
por itfehcidade se conservoa sob seu com- turo mez ; porm istoco.no simales ,'embran-
ando nao tem por si so nume de exercito ca a qu< z-cis que tal neme compele reunio de ludo to os bous desejos que nutren apezar de
quinto se chama lor.a compeliudo-lbe a- que nao a julganossulbcientemeute biseada ,
lenas o neme ae "grosso do exercito ou L por isso que nos nersuauimos que ocultos es- (icios do coude do Rio Pardo. Varias carias
Jorcas em oj-emes. lo os futuros pianos do Exm. general. j hflirmo que aquello dia fui de jubilo geni
Ora iniundo'-se o commando do Snr. Ignoramos qul a resposta de S. Ex., nem] para omcues e soldados pula peisoacliva de
Jco Paulo desos da chegada do seu suc- misier se noslorna tal conbeciments por is- j sahirem de fauna posico onde en vez de
SANTA CAIliARINA.
Desterro i8de setemUro de iS^l.
A S, Salvador, que hontem chegoud
Rio Grande e qua luje para abi lejue ,
poucas noticias nos trouxe daquelle ponto.
Coniinti a falla r-se ali e a temer-se algu.n
tentativa de Netto por Santa Theresa con o
fin de apoderar-se de gados e cavalhadas
existentes por fiquslles lugares, e de poro
Ro Grande em sitio. Parece que nao pode
haver grande receiode huma senelhan'.e ten-
tativa porque nio ser leita con o grosso
das forcaa rebeldes com abandono de olros
pontos que oceupo, e enlo ha no Rio Gran-
de com que repelli-los 5 alen disto muito
poden (izer forcas de mar estacionadas na
lagi Merino pira impedir nos diterentes rios
a desagua) a passagem da tropas
aquella di.ecjo.
De rorio Alegre acabao de ebegar noticias
por tena de rcenle da 1. Por ellas sbenos
que o bigadei'O Joao Paulo eulre'gou lfi.n o
cummanuo do exercito ao brigadeiro Sera a
11 de agosto, declarando que naouel.e di
be que qua recebera as seguuJas fias dos ol-
THE^TRO.
Hoje quitro docorrente. A CjoiGco dx
Actriz Luza da Couceieo Miranda e Pe-
dro B iptista de Sinta Roza, Dapuis qua 03
Prolessores da O chesta liveren da>.enou.-ilu-
do a prineir* sinobonia dir principio %
ben i'onceiluoii peca en
5 actos intitulada- , Joo Tujuirio oa
o conviii 1j de Pelra o i(Uil soba aseen*
como manda o seu auctor, no !in desta Pelro
Baptisti contar uno jo.'oza ari qua se in-
tituli as Muloeres inconstantes Depoj
desta o actor Santa-Roza con a mesita Atris
Luiza cazilaro o muito jocozo Dueto do
Jogidor Terminar o Espectculo com o*
novo e mui jocozo En.re.nez denoninado*
-*cs Criados Sdgazes. -
Principiar as horas do costume.

SOCIEDaDE TERPSCHORE;
A Conmisso Administrativa recebar bo-
je as propostis para convididos a Partido;
do dia 1 j do co'rente.
ctssor, loffente a esse grossu do exercito em so que esiamos certos qne S, Ex, o respon -[ esperaren gloria, 50 poderio coaiir coma Collegio.
Avisos ilvefss.
---------------------------------- *1 --.\
O Snr. Miguel Joze Teixeira queira
por obzequio hir airas doTueatro ; armazen
de taboas de pitiho, a coacluir o negocia de
que ade estar ben o fasto.
GT O Bilhete 11. 4601 da 1 parte d*
6. Lotera do Livranento*, parten-e aoSr.
i. d< S. Santiago, Jj Ciar.
tsr O liac'iarel formado Joi Antonio da
Souza Beltrcr iiaiijo Per ira Pro -i.)' Al-
juocto de Rtielorica, Potica do Ly i -
visi a quen convierquu eontiuua i ensintr ,
durauta as ferias d Acidenia Rtielori-a,
Geographia Geemetcia e Francs j quen
do seo prestio se quisw utilisor dirija.se
ao prineiro andir do sobrado que tica de-
fronte do benuox Loi,;ero m rui dv


mmm
niAio de peSnambco
O Sor. Gregorio Francisco de Torres
Visconselis queira aonuociar a su* morada
para Ihe ser entregue urna carta, ou dirija-se
a rua do Queimado O. 8 no terceiro andan
tsar Alugo-se dous andares de um so-
brado em boa rua no Recife por mecos a
mil rs. mensaes do que eslo alugados, que-
rendo o pretndeme pagar 6 meres adunta-
dos ; a tratar na rua do Arago 1). i2
jar Roga-se a pessoa que achon ou por
cassoaa lirou urna bandeira de urna porta de
urna loja de a por novamenle em seu logar
fisto que de nada serve a quem a tirou.
er Joo Thomai Pereira Commssario de
Polica da rua da praia e ribeira faz t iente a
todas aquellas pessoas que estiverem debai-
jo de ua responsabelidade, que bavendo
qoalquer toque de sino a fogo oa rebate
serio reunidos ao seu quartel com a maior
destreta possivel , e para que cbegue a^ noti-
a lodos fai este annuncio cojo ficaro cer-
tos que aqoelles que faltaren sero punidos
naqoelle direito que a lei dictar.
ssr O Bilheleda primeira parle di 5 lo-
tera de N. S, do Livramento de n, 441 ,
pertence ao Sr. Pedro Heorique Holtermann,
do Maroim.
tsr I'ermuti-se urna escrava cabra cora
boas babelidades de idade de ao ennos, por
qoalquer negra que tenha habelidades j a
Iratar as 5 ponas D. i3.
ijr> Roubaro no dia i. do crtente de
urna loja um tapete grande ingles de costo de
?5,ooo i a pessoa a quem for oierecida haja
de aprehender e aonunciar
ajar Precisa-se de urna pessoa de idade la
a 16 ennos para caixeiro ; na rua dieila pa-
daria D. a. ~
ssr Da se dinheiro a 'premio sobre piado-
res de ouro ou prata o brilhaotes $ na rua
do Colegio loja de.litros D. 7.
ssr A pessoa que mandou lavar urna pou-
ca de roopa por urna parda de nome Ro-
mana laca toda deligencia por arrecadal-a,
o fim de nao recebe la ( se receber ) toda
estragada , pois a dita anda campando com a
xnesma esie aviso laz por bumanidade um
qoe be Testemunha ocular.
JST O Fabriqueiro da Calhedral de Olin-
da responde aos berdeiros do fallecido Chin-
Xra Jernimo Gonsalves dos Santos, que bre-
ve ha de intentar a accio pta cobrar o que
o acamo ficou devendo a Fabrica da dita &.
Nao seta isto dentro de 8 dias prescritos
reos mesmos berdeiros que nao tem au-
tboiidada para estabelacerem essa prescripeo
mas quanto antes se ha de tratar dei3 co-
brare judicial pelos bens do Gnedo devedor.
UT O Sr. Silvestre Joaquim do JN'asii-
mento, pode mandar buscar urna carta vin-
da do Aracaly na casa de Bernardo Fi-
nandes Vianna na rua da Cruz n. 4o.
aW O abaixo assignado tendo de retrar-
* te para Portugal a tratar de sua saude pre-
tende vender o seu bem conhecido estabele-
cimento na praca da Independencia o qual
se vende a praso com boas firmas ou em des-
cbrigal para com a praca na cettea de que
nao tem divida alguma no mallo e que nao
cede o seu fondo de a 1:000 000 desueces-
sario se fa* ver aos pretendenles a sua boa lo-
calidade pois basta dizer que be urna dis lo-
jas decalcados que mais freguezea tem, es
pretendenles podero ver o balanco a visla
des fa/enda. Jcse Antonio da brlva.
tsr Mara do Roiario viuva do fallecido
Francisco Xavier Cidade fa* scienle ao pu-
blico que se acha procedendo a inventario
no cartorio do Escrivao l'ereira sendo o Ju-
i da primeira varadoCvel e por isso to-
das as pessoas a quem seu fallecido ruando
ikea devendo se deven ali dirigir pois que a
nnoncianle as ignora.
r Perdeo-se no dia a do correte urna
> aixa de prala com ra dentro desde a rua
ova camboa do Caimo at ao fim do
Uco da mesma ; quem achou que lendo
restituir levo a rua nova loja de An-
tonio Feneira da Costa Brega, que sei gra-
tificado.
tvArrenda-se pelo tempode festa, on que
ronvencionar-ae urna casa com solo com
omsnodos par* familia poilo de embarque
bistante terreno ao lado do oiio e no lundo
io qual corre urna grande camboa, em o qual
lerreno pode-se faaet um lelbeiio a casa be
tem bons commodos dirija-se a rua da ca*
deia loja de fazendas n. 51],
PA$A TRIESTRE o muito velleiro Bri-
gue Austraco TJIadislavo forrado e encavilha-
dode cobre; quem quiter car regar dirija seaos
seus consigotarios Me. Calmoui & Compa-
nhia.
PARA BAHA seguir ate o dia i5 do
corrate su antes senda possivel o nova e
velleiro Brigue Felit Destino ; quem quiaer
carregar ou ir de passagem para o que tem
os melhorcs commodos pode entender-se
com os consignataiios Amorim lrmo na rua
da cadeia D. ai.
PARA S. MATHES com escala pela
Baha recebendo carga pira ambos os por-
tos o Balhabote Nacional QJinda Mestre Jos
Gonsalves Simas, sabe impreterivelmente
no dia 5 do crreme e recebe carga no mes-
mo dia ateas 10 horas , trata-se com Mano-
el Joaquim Pedro da Costa.
PARA MARANHAO'sabe impreterivel-
mente athe o dia 8 do correte o bem conhe-
cido Brigue Escuna Laura Capito L. F.
da Smlo para carga e passageiros trata se
cem o dito Capito ou com Firmino Jos F.
da Rosa na ma da moeda n. i4'
PARA O CEARA' pretende sabir com
a maicr brvvidade possivel por a ter parte
deseu carregamento promptJ o Patacho Na-
cional S. Jos Vencedor ; quem quiser car-
regar diiijasee Manoel Joaquim Pedro da
Costa.
PARA O ARACAlYo Palhabote Nacio-
nal Vingador forrado de cobre quem qni*
ser renegar dirija.se a Manoel Joaquim Pe-
dro da Cota.
PARA MABANHAO'sahe athe o dia 6
do corrents o Brigue Nacional Tentago, for-
rado-o encavilh do de cobre, Capito e Pra-
tico Joaquim Gonsalves Maia para carga e
passageiros trala-sacom Firmino Jos Feas
da Rota na rua da moeda n. j 4'
leilo
tsr Que farem Johnslon Pater & Com-
panhia por interverno do Correlor Olivei-
ra do grande e variado sortimento de fi-
zendasde prompta extrago sexta feira 5
de Novembro es 10 horas da mauh no seu
armazem d 111a da Madre de Dos.
tsr Que farem Jones Patn & Compa-
nhia por inteiven?o do Correlor Oliveira
e por conta de quem pretencer de cerca de
5o sacas de caf desembarcadas de bordo do
Brigue Ingle* Margares: arribado a esie
pono paia conseriar na sua actual viagem
do porto do Rio de Janeiro com deslino ao de
Venea Quinta Feira 4 do correte a 10
horas da aauh em o armaiem de Augusto
&Companhia na rua do Apolo, piosiio
a porto das cano&s.
ssr Que fu Horacio Fortunato rpia ,
quinta Itira 4 do corrente as 10 horas da ma
nh no armaiem de Fernando Jos Braguei ,
de urna porvo de charutos da Bihia.
tsr Que fas Joo Tavares Cordeiro de
urna ponaodebacalhu boje 4 do crreme
uo caes da alfandega.
Compras
tsy 3a palmes de sacada de pedra de Lis-
boa ; a fallar com Joo Anlunes Guimares.
tsr Duas arroba de capia: diariamente,
na rua do Vigario arma/em de assucar de
Fin 111 o Jos Felisda Rosa.
jar As noutes de ung mesmo uzidas j
quem liver annuncie.
no logar doa Coelbos ; a tratar no
Loa visto loja de seleiro.
lleno da
Avisos Martimos.
PARAOARACATY sabe at o dia i5
do corrente o Hiate Nacional Flor de Laran-
ceira forrado de cobre e de p-imeira roar-
(ll, ten parte da carga prometa; quem
^uiier earrfg'r ou ir de passagem par* o que
Vendas
SSS" Uma negrinba de idade de la annos,
cose fas renda e sabe lidar com enancas ;
nestaTyvogtah.
ssr Lima molata escura cose, faz renda,
e cojrti.ha o diaiiode urna casa a qual tem
m uito lom leile , na camboa do Carmo D. 8
Sa; Um preto treouio de idade de 18 an-
nos ton cffitio de baczeiro } na rua dos
Martirios D. i4
tsr Urna prela de naraj coz i n ha o dia-
rio de urna c-sa engomma e refina assucar
com toda perle^o 5 na ruado muio da p-
nba D i7. "
tsr Dous temos de txedidas de 1 ao ,
completos, 3 de folha pipas vasias um
terno de pesos de 8 libras athemeia qurta ,
urna porco de pedra pome e um brego de
balanza grande e conchas } na rua- nota ,ven-
da D. a5.
_ ssr Ua Uvros e folhetes seguintes j o qui-
xote do seculo .8 noules de young alias
o-oderno dous Robisons Voluey o soli-
laiio. Bdbaiintki aventuras ue Ltsafi-
modo ; na rua do Lobato D. ac).
11 travs de camassaiy de 3o a 36 pal-
mos de comprido e um palmo e torno de
*argo emquadro sendo tod na rua nova loja de ferragens D. 10-
ssr Urna pheta creoula de idade de a an-
nos lava cozinha o diario de urna casa e
engomma liso um preto de angola de ida-
de de a4 annos proprio para o servico de
campo e umcavallobom para viagem par
ser boro passeiro j na rua do Queimado De-
cima i4 ,,
ssr Por 6j,ooo urna cama de iacaranda
nova e muito bem feila , na rua e^treita do
Rozario D. a5.
sr Um molequecom principio de redi-
fnndos de barricas e remos de fna da su-
perior qualidade ludo por prego cam-nodj.'
ssr Cozinheirolmperi.l, ou niva arte
de cotinha da Cidade edo Campa; na praca
da Independencia loja de Livros n. 3"] e 18.
nho Camilla Macabeds os filo as de Car-
los Magno, Branca e IiabeU. Eduardo Au-
na miihologia da mocidade com estampas
coloridas jornal das familias bibh tbeca ,
universo oitoresco e o remalhetete t ;dua no -
p nreco commodo i na pracinha do BT Por premio urna boa eierava da Co -
vis e poi |ibV -r ia de bonita figura sem vicio nem ach^qaa
n Livramento D ao.
ssr Um refe com trassadoe urna barreti-
na para inferior de guarda nacional todo por
preco commodo i na rua do nogueira O a.
wtsr Urna saia de lavariiuo por preco com
algum boa vendedera de rua ? pela quan
lia de 5oo,ooo, cono acondipo de Bear ala-
gida ao mesmo vendedor pagaodo-lhe 10
mil rs. menes e dando-se o sustento e ves-
tuario pelo terapo de um aano e findanda
este praso sendo convenha ao coro^radar dir-
se-ha 53o,000 ; quem quiser annuncie
t^> Uma propriedade uo lugar dos Re-
medios defronte da '.greja coto ca3a nova
de pedra, e cal com comnodoi p ra grande
familia olaria e duas casinhas teado de
frente t5o palmos de trro propria., e alera
desles, lu^jar para um gran.le viveiro, e tem
botn embarque a tratar com Cypriaoo Luis
da Pai.
Escravo Futidos
Em Junbo de t83g fu i o desta Ci Ja -
de um preto creoulo de 11 >tne C::iio gros-
so do corpo cambio com panos no rosto ,
nha que ja da 3ao por dia ladino, muilo ntural , \racaty o qual veio do Car ni
sadioe sem vicios, na rua de agoas verdes Sumaca Emilin lemetiiio por Manoel Ce-
por cima do assou^ue D. 3. | no de Gouveia a casa da viuva Costa &. Ei-
SST Uma porco de madeira propria para |no8 j e f0[ p0r estes ,endidj em a8 de M.ij
cerca de sitio e mesmo para estiva tendo 0 80bredito anno a Jas Mariins Ferreira ,
16 palmos de comprido cada um pau ; no residente em Macau do Ass ; que a o entre-
atierro da boa vista sobrado de Jos Rodri- gr na roa da Cadeia do Recifa o. 46 rece.
gues dos Pasaos no segundo andar.
Uma canoa propria para barcada com
bei 5o,ooo de gratificacio.
No dia 18 do p. p. fugie do segundo
60 palmos de comprido e 4 de boca, uma sitio ao p d* ponte quj entra para a eslra-
dita com 3o palmos e ao libras de araan nova ja Capuoga o pelo Bmliolomeo, da
e maquinas de entrodurir ilbos em coleles ; e&talura regular, secco rosto descarnado ,
na rua da cadeie do Recife D. & j retinto da cor e feio olbos encamisados ,
ssr Uma cisa terrea sita no largo di s- parece ser velho representa ter 5o anuo* de
lidade D. 33 em choa iroprioi 5 a Irntar ua jda(je f tem tt|guos cabaloi braacoj na cabe-
rua de borlas D. 5g. t a ca e os d barba pretes, he bem fallante, e
ssr Um negro para fora da provincia g8gueija alguma couta em se Ihe exigiodo
com officio de c-maroeiro e canoero, para reSp0Sla f tam ni canela da perna direita uma
vel-o na cadeia desta Cidade e para iratar cbaga e por isio esta parle Ue mais grosia d
na praca da Independencia n. 54 que a outra ten alguus dedos da ambos os
ssr Tanas de Ierro coado e batido em bom ^i una p0UCa comidos parecenio queimados
sortimento assim como alguinas ferragens de 8orte que visivelmente se divutgi esse def-
mais para engenho j oa rua do Vigano 4nu- jel0 j quaudo anda he um tinto aprejsido^
meto 7. e estonliado lerou calcas de riscado azul e
tsr Urna porfi de cera de carnauba caalisa de algodoiinbo e outra de bseU por
de superior qualidade, e outra porco de c3,ai qUeaQ o pegar leve ao dito sitio q9
sola e rouros miudos ; na qoinu de beco da 6Br gratificado.
Congregado loja de Jos Esleves Vianna De- gsr A 8 do p. p fugio do eoganho Van-
rima ai. dinha termo di Cidade dd Goiann uaa pre-
ur 4 escravas mocas com bois habelida- to de oome Firmioo do gento de apgola .
des, duas dellas engommo bem cose m e mas lo ladino que parece creoulo de idade
cozinbo uma dita por 320,000 ptima para e j0 auaos mtvii,na Mutura secco do
todo o servico de uma casa um preto moco corpo j perQas fina8 f 8e 5arbl -% leai 0 aa,
de boa figura, um molato de idade de 16 an- dar muit0 apressado', costuma embrigir-
nos bom para pagem um moletue de ida- ge e junaa mula caximijo } quemo pear
de de 12 annos na rua de agoas verdes casa leve ao di,oengnba qu3 seii gratificado,
terrea D. 7. | ^s/- Desapaiceo no dia 8 do p. p. um
sar A posse de um terreno com 3o palmos moleta ue o:ne Antonio de meo angola,
de frente, e i2ode laudo, toreiro da Or- aadl bu?a, } le?U v.JtllJ(J d(J' algoioatalu
dem terceira do Caro-o na rua que esta de- de mil)i curUs f e Ci^a| de ^j, f de d4_
marcada no fundo da mesmi ordena ; a tal- de de Idl a|Ja0J ( tem nas j,eraa u|gUna8 f_
lar na travess de S. Jos n. 14 indo pua ridj8) e oos pellos e costas algumas marcas da
a rua de Manoel coco. elras quefn peg,r {ove a ,U1 njya n, irj
P3> Urna venda com poucos fundos pro-! aue se, jraliacad(,j
piia para vender paca ierra e para o mallo,
a dinheiro ou a praso ; na quina do lieco da
le,ha as 5 ponas D. la.
ssr Uma negra creoula de idade de aS a
3oannos ; as ponas . la.
ssr Canecos de carregar agoa de amarelo
com boas ferragens os grande. a aooo e os
pequeos a 1600 f cubos para despejo da
mesma madeira a 1000, e todas as mais obras
por preco commodo no atierro dos Higa-
dos del ion te do tiveiro do Muniz D. 11.
ssr Um nioltque de angula de idade
de 18 annes de bonila figura ptimo pes-
cador e caiador e uma negrinba de idade
de 14 annos -ozinha o diario de uma ca ;
na rua das Trintheiras D. 16.
tw Uma pal tiva muilo boa, po.' pre.'o
commodo } na rua do Raugel no ilimo so-
brado de um andjr D 6.
ssr Ricos laqueiros meios ditos, salvas,
casticaes e palileiros ludo de prata e do me-
lhorgosto, tudo chegadi) do Porto j na rua
das Flores rasa pegad* a coxeira de Tiiomac
inglez des j as 9 boras da manha e de
uma as 4 da larde.
ssp- Urna toalba feita de renda de muito
bom go>to \ no beco do peixe frito L). 4'
SST Uma nrg'a com boas babelidades ; no
forte do malos rua do Amoiim a fallar coui
Antonio Jess Francisco Veigas,
tsr Nj aimazem de Jos Antonio da Sil-
va Yiann.i'no forte do n>alos uboado de pi -
nho da buecia costado coslt ckinho } solt.o
de uma e meia polegada forro de toea po-
ie6d.e tres guanos p'o^rto para case,. e[RECIFE NA 1YP.DE M. F. DE F.-1&4*
i>ioviaitiito du
t-'tirtt*
NAVIO ENTRADO NO DIA 3t DO P,
Falmoulb pela Madeira; 5| dias Paquete
Inglez Raugel Commandante Turuez.
ENTRADOS NO Di A 1.
Rio de Janeiro} a8 dias, Cnarrua Nic. Ca-
rioca Commandante o Cipilo Te.ioate
Manoel Francisco da Coili,
SAIIDO NO MES VIO DA
Gibraltar ; Barca Suda Iuveucivel Peaom,
Cap. Carlos Bussoline cirg* a mesaos que
trouxe.
S AH DOS NO DIA 2.
Parahiba ; Brigue Brasilsiro Rosas, C Jos Gomes de Orvalho carg lastro.
Havre } Barca Fraocesa Jeune Leoa Cp.
Leiut carga algodo e &,
SAHIDO NO MESMO DIA.
Babia; 16 das, Brigue Brasileiro Dous Ir<
mos de 14> loiicl. ; Cip. Joo Francisco
dos Santos equip. 14 carga carne seccaj
a Jos Francisco Vieira.

'