<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/04335
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Tuesday, October 26, 1841
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:04335

Full Text
Anno de 1841. Tersa Fej
ISH
Tudo agora depende de nds meamos; da nossa prndsnsiaj moder*.
co, energa : continuemos como priacipiamoi, (tremol apontadol
toj admiracio entre ai Naeeimaiieultai;
Proelamaeio da\ssemblea Geral do Brasil J
e
Subecreve-ie para esta folha a 3|ooo por iraartel pagos adiantadoa
omU 'IVpografia ruadas Crusea 0.3, e na Praca da Independen-
cia, n. 07 e 38, onde se reeebem correspondencias legalisadas e an-
uuneioi, fnsirindo-ie estes gratis i sendo dos propris assignantei, e
?indo asignados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES,
Odade da Parahiba t Villas do loa pretene o 3 ."9 .' i 3 3\
Dju do RioGrande ,Jo INoria, ViUai dem, i i . =g s,a|.f,jtriM
Dita da Fortaleza e V illas dem ... . ........ i
Odade da Goianna ....;;.;;.;; i i i ." .' 3/
Cidada de CNinda .' 3 . 3 3 ." 3 3 3 .'3 5 .' a i 3 Todo* os diasf
Villa deS. Anto ..........' .' .' i V i 3 .' .' Quintas reirs;
Diu de Garanhutia e Fovoacio do Bonito ..... 3 ..lo, e i\ de cada mes
Unas do Cabo, Seritiaaem, Rio Formozo, e Porto Clao, 'i, II, e ii dito dito
Cidade das Alagoas de Maeei .. i ..;;;.. dem dem
Villa de Paja de Flores......... ii i .... i * dem 13, dito dito
Todos os Corrcio partemaomeio dimi

n
PHASES DA LOA NO MZ DEOUTUBi
Quart. ming. a 7- al 6 h. e La Nova a 14 as 1 h. e 5 mi da tard.
Quart. rese. a sa 1 as t h. e 5o na. da mau.
La Ckcia a 3o- as 3h. 3o m. da man.
Atar thcia para o dia de ili Outubro\
As a horas a o* minutos da tarde."
As a horas e 3o minutos da mana.
2 pe Ouruimo. Num. 234
CAMBIOS. OuTouno a5.
Londres....- 19 M1 a '95I* d- P01 >|oooced.
Lisboa ... T 8c a 83 por oto premio por metal otterecido
Fracca......3ao reii por franco. Comp. Venda.
OUUO- Moedade6J4oo reis, r*lh*$ 14|5oo Uftoo
Ditas H novas-i4#4oo 14700
?,, Ditas defoooreis, 8/100- 8f3oo
PRATA PaUees Brasileiros - 5 - l #610 i|t Petos Columoarios----------- 1/6.0 i#6/jo
Ditos Mexicanos ------- 1/600 i#6?o
Miu.,a. -.------ i/4ao l#44o
Disc. de bilb. da Alfandega r t 8 por- loo ao mes. 1 oi
Idera de letras de boas firmas 1 *i|l a 11)4
Hoeda de cobre 3 por too de dise4
DAS DA SEMANA J
ij Segunda S. Chrspim M. Audiencia do Jais de Direito da ai'
vara.
Sli Terca S. Evaristo B. 31; Relafo e aud. do Juiz de Dircito da
I; Vara;
i-j QuarU S. GapiUliaa M. Aud. do Juiz di D. da 3; vara 4 jj
ao* Quinta ^ 5. Simo o S. Judas Thadej Apj
19 Sexta S. FecUnno M. Anuencia do Juiz de D. da 1. v.'
30 Sabbado Scrapui B. -Rcialac. e audiencia do Juiz de Oda 5}
Tara.
31 Domingo S. Quintino M.
IfAKf
P E R N A M B C O.
aW. ..a, .,--------------.-------------------___
GOVE.RNO DA PROVINCIA."
Expediente do ai dia do corren te*
Oficio Ao Exm. presidente da provincia
de S. Paulo aecusando a recepgo do seo of-
iciode i4 do corrente acom panhado dedu-
8s collecces dos actos legislativos da assem-
blea daquella provincia promulgados no pre-
sente anno;
Dito-Ao Exm. presidente da provincia
de Goyaz aecusando a recepeo do seu offi-
co deaadejtilho ultimo, acompanhado de
dous expropiares do sexto tomo do livro de
le Goyanne, comprehendendo as leis e reso-
I lices da asserrblea legislativa daquella pro-
vincia na sesso ordinaria do anno pas-
sado;
Dito Ao Exm. Vice- presidente da pro-
vincia do Rio Grande do Norte, communi-
cendo-lbe que larga agora para o porto da-
quella cidade o cter Esperanca de bebe-
nte a fim de conduzir os recrutas para o
exercito conforme requesitou oficialmente.
Dito Ao commandante das armas, com-
trjunicsndo-lbe que tendo o alferes deca-
jadoresde linha, Jorge Rodrigues Sidreira
requerido que pela psgsdoria das tropas da
corle se abone ao seo procurador a quautia
mensal de aaooo rs, que de ver ser des-
conteda dos respectivos veccimentos na pro-
vincia de Santa Calharina determina S.
W. o Imperador em aviso de 18 de setem-
qro ultimo, que seja suspenso o pagamento
(fe jU5co, que o mesmo alteres deixju ne*-
la provincia.
Dito-Ao inrpector da tesooraria da fasenda
rommunicendo-lheo ciuteudo uo precedente
cfficio
Dito Ao mesmo para em cumprimento do
imperial aviso de 14 de seiembro ultimo re-
sxtlitr asecretatia rom a possivtl brevidsde,
a guia dos tfficiaes do letceiro balilbao de
artilberia a c,
Dito-Ao mesmo rommnnicando-lhe em
curt primelo do imperial a viso dlo de se-
lembio ultimo para sua inteligencia e para
o jeser constar so Inspector da alandega ,
e adminisliador da mesa do consulado, que o
bateo de vapor Wenezuela deve ser con-
siderado como navio ae guerra.
Dito Ao romman^aQte das armas com-
munieandc-lhe o couteudo do cilicio prece-
dente.
Igual corxmunicBgo /oi dirigida ao Ins-
pccior do arsenal de di ai aba.
Dito Ao inspector da tbesoursria das
itndas prfevimiaes, comn>unicando-lLe que
5. Al. o Imperador faoure por bem conce-
der por aviso de 9 de agosto ultimo tres
nfses de licenia com vencimenlos ao bacba-
lel juiz dedireito do crine da comarca do
csboFirmino Pereira Monteiro.
Dito- Ao presidente de relaco commu-
nicacdo-lhe aluenga deque tralr o prece-
dente umeio.
Dilo Ao tenente coronel chefe do bata
II o da gualda nacional de Cimbres appro-
vando a proposta de Alies para a primeira
ton panina do dilo batalho que remellfo cum
oseo cilicio de 7 do corrente, e ordenando
que a leca publicar em ordem do dia.
Dito Ao inspector do.arteiial de mariuha,
enviandorlhe para seo coubecimenlo e exe-
aujo urna copiado avo circular de iu
de setembro ultimo, expedido pela secretaria
da mariuha dando varias disposices acer-
ca das coutas dos commissarijs dispensei-
ros. cirurgies bolecario9 ou outras quaes
quer pessoss que reeebem gneros ou di-
nheiro daquella reparlicio.
Dito- Ao juiz de direito do civel da pri-
meira vara desta comarca urdenando-lbe
em cumprimento do imperial aviso de 10 de
setembro ultimo, que nao mante entregar
heraucas e pagar dividas em consequencia
de habelitaco pelo juiso dos aozentes sem
que os babelitado9 lenbo satisfeito os direi-
tos de chaucelaria estabelecidos no paragra-
pbo 5 da tabella a que se refere o artigo 11
da lei de 2o de oulubro de 1838 ; pois cons-
ta que semesse pagamento se tem mandado
entregar laes beranc,ase dividas.
Iguaes otli cios furo expedidos aos Juises
de direito do civel da segunda e terceira vara
desta comarca, e aos das demais comarcas da
provincia*
Dito ao administrador geral do correio,
communicando-lbe que por aviso de i de
setembro ultimo expedido pela secretaria do
imperio foi a a pprovada a nomeaco feita de
Manuel Francisco de Souta Peixe para o lu-
gar de terceiro correio para a entrega das
cartas dos assigna ules com a gratificarj au-
nual de a5oU reis, e que nao deve dar pro-
videncia alguma que traga augmento de
despesa sem previa autborisaco damencio-
bada secretaria de estado.
Dito A cmara municipal de Santo An
to, comunicandc-lhe em cumprimento do
imperial aviso dedesoito de setembro ultimo
qne S. rvl. o Imperador acolheo beoigoamen-
Dito Ao inspector da thesuraria da fa-
zentla, or.lenando-llie a vista do que informa
em seootficio de ao do corrente sobre oda
cmara municipal desta cidade que pede
para lrgradouro publico o terrena alagado
entre o forte do liom Jess e o trapiche No-
vo, em alinhamento aoraes projecudo as-
sim como o terreno e allegado que Mea en-
tre o dito trapiche e a Lingueta que man-
de passar titulo de aforamento a dita cma-
ra somente do primeiro terreno e alagado,
com a expressa condicode nao Ihes dar des-
0 que embarace a edefkaco da nova ca-
da mesa do consulado *, devenda antes pro-
ceder-se a demarcaco e medicfjo e as de-
mais formalidades da lei.
Dito A cmara municipal do fiecife ,
communicando-lhe o conleudo no preceden-
te oficio.
Dito-Ao Exm. hispo deocesano, commu-
nicaudo Ihe que o palaxo Ptrapama tem
de seguir para Fernando no dia 37 do cor-
rente e que do caso de 5. Ex. poder man-
dar nesta ocasio o capellio que Ihe foi re-
quesitado para render, o que ali su ach,
convem qne parlecipe com antecedencia a no-
ra
con
i:
tras saccadss pelo Exm. presidente do Cea-.
r na importancia de 3o:4<;oUaoo reis.
Dito-Ao prefeito da comarca doNaia-
reth, respondeodo a o seo officii de 19 da
corrente qnanto a primeira parte qne vai
ser remetido ao administrador fiscil das obras
publicas o sentenciado Jos Marques di Silva
para ser applicado aos trabalhos publicas, a
quanto a segunda que nao tem lugar o que
requesita como ja se fex ver, porque as cou-
tas das despesas com o sustento e cooducco
dos presos pobres sao pagas pontualmente
na tbesouraria d is Rendas proviciaes e nao
conven alterar a forma deste psgimento.
Oficio Ao administrador scal das obras
publicas, communicaudo.lhe q' pelo prefeito
da comarca de Nasarelh veia remeltida o sen-
tenciado Josa Marques da Silva pira ser a>-
plisado aos trabalbos pblicos e achandj-sa
o mesmo sentenciado no quutel di corpa de
polica, cumpre que Iba d o convenien-
te dea'ino.
Dilo Ao engenluiro L, L. Wtulbier ,
ordenando-lhe. que remetU a secretaria u-
ma relaco de todoj os livros e instrumeutos,
que se acho a seo carg.i.
meaco a fin de se expedirein as conveniea- Oito A com ara rauui ipil de Sinta Ao-
les ordena a thesouraria da fasendi. to approvandoa arrematacj do) contric-
Dilo Aocommandanledis armss com- tos dos sepos e repesos do assou'ue daquellu
municando-lheque o patacho Pirapama municipio por tsmpo de 3 annospeIa quantia
dever faser-se de vela pata Fern^udo uo dia | de ;o3:Uooo reis eos da9 aferiedes por
27 do corrente. j i5aooo reis, da balaoca do assucar por
Dito-Ao iuspector da theajurarh das 75Uooo reis e das medidas da feira pot-
readas provinciaes, signicando-lhe, que a 9oU5ooreis por tempo de un anno, e
coma do maniquim e caixa de instrumentos aigniiicando-lhe quanto aos contractos qa j
proprios que requesitou o professor da ca- nao foro arrematados qae pode pol-os no-
deira de obstreticia e a pouco Ihe foi re- vameuteem praca com o abalimento de 5 por
te os votos de respeito elealdade lu.milesta mettida deve ser paga na forma de sua iu- cenlo do vallor d>s suas reodas cao tenda
I _______I___a~ _____ ._ *..___ I l\Pn. ^ .1 C .l_*_ll~ _,.!!_. IlLlnn a iklla ita larnn! ...1 ,. ~ _________
larmaco de 6 de julo ultimo. lugar o abale ua terceira parte, como prop5e(
Dilo Ao Chele de polica da corle, con- porque assim ticariao muilo reduaiias asdi-
municando-lhe em respo&ta ao seo oficio tas retidas.
de a5 de setembro ultimo, que seguir oara o Dito- A cmara municipal do Bonico,
varatiho a iamilia de llaiment Gomes vin- enviando-lhe em consecuencia de sua re-
da da corle no I'alaxo Patagonia no pri- quisicao qualro laminas da pui^accioiiio.
meiro navio de guerra conforme determin 1 Portara Ao inspector do arsenal de raa-
0 imperial aviso de a a do dito mee. ; "nha orden niJo-llie que fornect diiria-
Por(aria-'Ao inspector do arsenal de ma- mente urna racao de bjrdo a cada usa disse^
rinha, ordenajtdo-lhe que faca sabir o pila- le pessoa* de quese comaSe a fimilia de Rti-
xo Pirapama pira a liba de Penando no da mundo (ornes vinda di corle no pilacho
apara remetter a .ectelaria algumas lam- 27 do corrente. Putaonia at que possa ser remattiJa pa-
nos de ftx vaiinico pera serem enva-1 Dita Reformando na coiformida da lei ra o Maranhioeai naviodd guerra oanlorma
d as ao txm. presidente da pioiiniia das A-! provincial ao .Major do terceiro batalho di as ordens imoenae,
lagoas. i guarda nacional do lUci Jos Cirneiro Roj Dita Horneando pjra o conceibo de
ilita-Aoinpector do arsenal de marinha Rodrigue Campello, I 6uerra que tem do responder o moco do
pygjornecer urna ra^o diaria a cada urna I Dita Aiandsndo passar patente de major logo da barca de esctvago Feliciano Anto-
^"raQas invalidas, constantes da relaco para o terceiro batalho da guarda nacional do n,J os seguiotes aficiaes : para prezidenle-
dos na congratulado qne a sua imperial
presenta din gio a mesma cmara, porocoa-
sjcao do acto solemne de sua coroa.o e sa-
grato.
Portara Ao inspector geral das obras
publicas ordenando-Ihe que passe a exami-
nar a obra do primeiro lonco da estrada do
Sul dando paite do resultado do extme e
declarando se a dita obra esl uo caso de
ser leetbida.
Dita Ao cirurgio encarregado dr vacci-
Ihe remette.
Lula Ao mesmo para fornecer ao biigue
escuna Pidelidade dous meses de maoli-
mentos e pagar dous meses de vencimeotos,
a cmcialiuadee Uipulaio do mesmo b:igue
escuua.
Dito Ao commandanle do cter-Espe-
ranca de beberibe para faser-se de vela no
dia aa do corrente para a provincia do Rio
Grande do Norte, ali ai de conduzir para es-
ta cidade os recrulas que ltie forera manda-
dos entregar peo Exm. presidente daquella
provincia.
dem do dia ai.
Oficio- Ao txm. presidente da provincia
das Alagoas, communicando-lbe, que em
salistaco ao que requtsitou em seo afilio;
Recife ao capillo do mesmo batalho Joo o capillo leneote Francisco Pires de Carvar;
Valentina Vllela.
Oficio- Ao commandanle superior da
guarda nacional do Recife communicando-
lbe a reforma, e nomeaco de q' que tralo s
duas precedentes portaras.
dem do dia a3.
Iho para auditor o juii de Direito inte-
rino da 1. vara do crime Jos Francisco do
Paiva e para vog*es os primeros len-
les Canduo Jos Ferreira Vicente Navarro
Cardozo os segundos lenles Nuuo Alvo
Pereira de Mello Cardoao, lutaqiij di Ro-

.lioio Ao Exm. presidente da Provin- cha Mendes e o lente da f. linb re-
cia do Rio Glande de Noite communicando- formado Jlo de Siqueira Campillo.
Ihe que pelo iuspector da arsenal de mariuha Oficio Ao capillo tenente Francisco Pi-
Ihe sera aora remeiuJj o escaler que se res de Carvalho enviando a portara da no-
maudou coustiuir para o sai vico do porto meaco suprs e o resultado do con^elho du
di quella cidade. itivestij;a a que se procedeu a fio de
Lulo Ao Exm. presidente das Alagoas que reun* o conseibo de guerra e d prin-
enviando-lhe e n conaequencia de sua reque- tipio aos seus trabalhos en um dis aillis do
ai.j seis lamn 13 de puz vaccnico. 'arsenal de mariuha.
Dito Ao osnecter da thesouraria da1 Uito- Aoiuit da Direito enteriuo di
1 ... ____ j i.-...i na-
de lado crtente se mando u fornecer dous ; fasenda commnuicando-lhe que por aviso vara do crune communicaodo-liie o coa 0115
meses de manlimenlosao brigue est una- Fi- de 14 de sete-nbio ultimo expedido pela se*- j0 na portara e oioio preceden tes*
dclidade e pgar dous meses de vencimen- creUrn de estado dos negocios da lasada foi
los a respectiva olu.aalid.ado e iripuUyo. japprovado o aceite e psgaoicuto de ?aius !-[


wmm
2
t>IA fel O b P ER N
a
MBOCO
cor.REo.
\ sumara Pflrnir.o recibe a malla para
o Aracaty ( boje *6 ) *s 4 horas da tarde.
TRIviriTRA.
Nos diai ?4 e>5 do corren!* nao occor-
Tro novidade.
OSr. PrefeitodVsfa mermares canda la-
ser publico para conbeciroento de quem
para cccuparem os primeircs e mais dis- ) Reunera-se algn? capitalistas 5 o no de-
linctos legares de um imperio onde os ir corso da cnversaclo suscita-se a pnmeira
ermprar para trez ? Quem nao conheee idea da empreza, Ioraediatimente uomea-
que P';r *FU fstsdo financero s mal po? se urna conmisso provisoria*
e abrem-se
reittiuer
xislem
re, q'e ra secretaria rtspeclwa e-classe iifima doscdados,
um garfo de prata seis pares de ts-Lmanhpcer nos logare* os
. .e tedo elle reunido saliifaaer as desperas | fubscrpges pa fazer-se as despeas dos e-
de urna corle, pois, a rerar de mas im- xames, planos e orcamentos preliminares,
mensas faculdadts, nao pode medrar par
I desees c-spiri'os ambicioso! ,"que boj
na miseria e na lama querem arnanh sei
mais ricos que Lculo, que C'.rasso ; hojen.
amanh querem
mais distiuclos da
Claudino do Reg Lima,
Official da Secrete ria.
DIARIO TE PERNAMDCO.
A' diss que corre de plano a eistencia
dos ? 'Nao queiraes ser como foi o c ; d
fbula escaruto de sua prbpria nrbico. Vi
j estaes bem aquiuhoados ; algoos d
nurra pensam mesmo que Ins cju
tanto na parlillia : e sa queris mais ,
ro percaes es esperar-; i Unto
virtudes sociaes sejD que f
A diss, que corre de piano a existencia vosshs viriuues ulm pcj h^ .Y.
de urna sociedede 'cujes trabalbos se diri-f por vos sejo que vos apresenlem acs
f.em divisao do imperio em trez iraeces. I do publico ; mas nunca a immoralidade e 01
Com qusnto elejamos convencidos de que crimes. S a virtude dui-ovel, e par ea.-
quanto entejamos
Peman.buco de 1841 nao o Pernambuco
de 182a, fm que una subalterno cem 5o ho-
meus depunba a um CcmmEndaote d'armas ;
tm que os Pernambucan s , pela maior par-
ser .s saas* da-
sequencia durareis deveai
dint. ...
Que proveito lem lirado es V ir. igras, e o
BalaioS , que gloria ae>mo lem ad jurido e-
te, exlasiados pela liberdade, que novarueo- ges nossos irmos que sustentio a guerra
te vicoreiar m sea borisonle commeltera 1 do sul contra a iniegridade do Imperio ;' Ve-
hoces iilegacs, e nocivas ai sua mesma 'rihuma. E com ludo sao au ilnoei
ielicidade, essa mesma liberdade, que Loclamao urna for.-.a de g<
juincipiava a abracar; com quanto final-1 que deseji : Ura de conlinoarwna balar se
nente tejamos persuadidos e a expenen '
cia nos tenha rocsir .do que a provincia t
quer a tranquillidrde e que j mais levan-
j^fociamao urna wtm '
.que dtsejj : ttm de c
f por um Jim mas os que querem muilos 1 o
perios, lem de bater-sa: primeiro pela divi-
lar o esfanaarle da rebelio-, p s, bero a
seu pezar, tem conberido que nuda de til
ttm ella adquerido com etsas inlur.rJad s re-
voluces, antes em pag4 de u'is loucuras
temierdido feus me.'liorts (ilhus, sua im-
poun(ia tommerciut, e sua dijniJade mes-
na, com ludo tememos e tememos muito a
realidade de lio egoureiras noli i a,
L' bem verdade que se nos tem F.trrra-
do que essa toriedade ha por fins a beoeri -
cenca. Mas como crer, que a pequea
quantia de mil reis mensacs que paga cada
um de seus sucios > como se dit, pima for-
rear um caj ilal, com que possao .-er soccor-
ridos os indigentes de urna familia, que se
tornar maior que a de Abrabo logo que
seconhecer, que dali, como de o>. foco ,
nascem raios de feliudade ? Quem uj a-
< na meios de provar, que pertence por
ronsanguiiidade (ffiuidade e al por bas-
radia a urna familis, que se torna a cornuco-
pia de Amajlhea ? A lem disto ser UKeMl-
lia urna sotiedacie de beneceucia em un
jaiz, onde trabalbo tantas Sociedades 5 em
que seus membros sao bomens, que tema
seu favor nao esta ou aquella ateunba e so- 1 oliudade
bie-nome, masque goio daquelles epte-
tos, que honro a humanidad !
as a socitd-.de publica e alguns de
seus membros sao bomens de bem. A se-
gunda rasao algum lauto nos convence mis
nao a piimeira ; porque nao b quem igno-
ic, que essa qutlidade de ser publica qual
5o e de pois pelo governo republicano que
necesariamente vir^ a ser a guarida iara os
que forM rafeliceoa divUloi
E baver ainda brasileiro, nu diremos
to malvado mas U5 desmiolado, qu
queira a ftlicidade de um me* de ummo
n.ento mesmo por cutre moatdea de cada-
ve: es pelo meio do incendio ao som de aii
e de gemidos de seus pttrickM e ami;oj e a
\ista da desorganisa$o tolai de su patria!
Haver aiuda brasileiro, por mais pobie,
ijue seja que esquecido de qua lem paui 1 ,
queira servir de degio par u.u vil nteres-
se por urna promtssa que quase nanea se
realia queira servir de degros a um pu-
nhado de espertales e ingratos qutl.-
ro de certo com elles o que lazem os j.edrei-
ros com os andaimes que os condemno ao
escuro fundo de um srmazem ou mesmo que
09 iniregj a chamas depois de tei'.a a
caza ?
JNo Pernimbucanos l sede firmes na fo-
ii carreira que a anuos com tinto proveito .
i^onra-, e bro, tendes percurrido; nao
ueira es trocar por instantes de um proveito
Nomea-se lambem um engenbeiroi um the
zoureirb e um secretario ; e da eficienciad'es-
tes empregados nai suas respectivas attrbui-
cues depende o boa xito da eoopreza, El-
les sao escolhidos pelos seus talentos e probi-
dade e sao liberalmente pagos, a fim de as-
segurar a sua maior allenco aos inleresses
da compaa c impedir amis reinla poasi-
bilidade de vonluio.
Em alguns esos em vez de escolber um
engenheiro e de lhe confiar a direceo da o-
bra a comrrisNao recorro competencia, e
offerece prereiqs pelo meliior debuxo como
receutemente se le para a reedificacio da bol-
sa de' Lond res onde ; 0 autor ('o me'.or debuxo dvia reeeber oo
Ib. o autor do segupdo aoo Ib e o autor do
Urceiro 100 Ib. esterlinas ; se o autor do me-
Ihordeuio no fosse empregidD [ara lisca-
!i-;araobra, devia receber alm do seu pre-
mio a qasnlia addiJonJlde 5 00 Ib.
O engenbero leudo extminido e obser-
vido cuidalosamente o sitio da projectada 0-
bra aprtsento o seu plauo e or.amento, e
iligoa a ix';ida somma da capital. e
1 j lejulgar conveniente proseguir eom a 0-
bra 6edesliiio as subscrip.e* prelimina-
res para remunerar o engeuiv.'iro e pigar as
oulras deapetas. S se julga convenieu e
proseguir com ella entto abre-se a caix g-
ral eos subscrj;.lores originarios sao acre-
ditados com as juanlias das suas primitivas
subscripces na coupra subqaente das ac-
(5es,
iN'este ponto nomeo-se os directores gen-
, e confirmo-se as noraoiues do enge*
;iciro e dos outros empre-; do*, tem-se en-
tfode obter a sanco do pol.r legislativo e
cifui tem um secretaiio M70 luuitas occa-
sics de distin;;uir-se.
Concluido itto comeca ento a obra com
ardor. Qeageuheiro aperfeioa os seus pla-
,. riminoso e panicillo anuos e setulos de
Correspondencia.
PONTE LO BECIFE.
Snrs. Redaclores.
Tendo frequentenente notado o mo est-
quer sociedade um me.o, de que se tem !do de reparoHem qile se ajIu ba algum tea-
umdo alguns .evolucionarlos para engaa- a ^ (Jj jf e os quixu nes uni-
rem ao governo e ao publico seus to, Bem
fublicas sao as irmandades e confrarias,
no , fiscalisi a Lclura dos desenbos do obra
pelos seus ajudantes ; devide n trabalbo se
uecessario for em tiitrentts c ntractos, e
miudamento espetilica a natureza eextenc.' de
cd um; convida com contractadores por meio
u'annuncios, e submttte as propostas coma
sua opinio aos directores para a escclba; lis-
calii a obra e vela em que os contractado-
res cumpro as clausulus dos seus contractos.
Elle lambem orea, duiante o progresso d 1
tbra oe avancos que devem de ser feilos
aosroutractadoroi de lempos a ten pos cujos
a\ancos todava misier qua o secretario ap-
prove antes que o ibezoureiro os pague.
Os deveres do theioureiro sao b.ju claros ,
e e-i do secretario muito mportanles ; sendo
da attribuico deste a gerencia do estatuto da
campanbia a ratifcdco dos contractos a
correspondencia e as oulras altribuicoes ge-
raes,
D'eJtes empregsdos pois depende todo o
manejo das funcOes execulivas da companhia.
rsns grandes emprezas com ludo se acaso al-
gi>m dos directores possue um coa!, .-cimento
(ulli.ien'e da uilur>.ia e particularidades di
empreza e o sea negocio particular lhe dei-
M 1 asante va,",ar o que todava muito ra-
ro encor.!rar-se al na Inglaterra, al^s
as vezes nomeado para director e'a livo lor-
rersaes da sua insuffijiencia e demerito em
. compararo da extensa pupulaco c couimer-
na. ellas se tem tornado em clubs, como nos c0 a'aita'cidide, lenho refluido multas ve-
ttm eusinado atranca revolucionana. E 5 Mi, que urna ponte de (erro fundida seria.
sefalguns deseas membros sao comeos de i particularmente adapUvel para substitu-la, mando como um io entre os directores eos
fcem esmo ciemos por sto mesmo que A 6ilurc5o muito apropriada para urna sens empregados.
eiles se devem segregar de taes ajuntamentos, construco d'ese genero. Tenho mo mu- '
anda que Lubhcs j pois ja devem estar 8C- Us pon,e3 e mi>i hod , Il0 ae leaoro
entes de que a proMncia se tem ajustado ; de haver obsrvalo urna situaco qae lauto
e que o plausivel motivo que se d p.ra tal 1 batmouiasse com urna elegale obra dara ,
Por bduitamento a estes correc.ivos contra
a itsefticacia dos mesmos dodever do enge-
"nbeiro suba;etter peridicamente aos direcio-
a no ser talvez a da Boa* Vista.
Com ludo, par-cj que (>s tresna, s idsft
teem joccorrido a ou ros ; por que fui ba
pouco informado de que se teuta aiiuilmeute
organizar urna conipaaliii Inglea para tm-
reuniao sendo a todas ts (uzea lrivoio ir-
risoiio, ei.ociivel, aiuda iresmo a qual
quer do povo como o ser a bomens de bem,
e literatos ?
Que o publico se tem constern-do que
boje cao se falla geno em iev0!u;ao cousa prebauder a conilruccio du oa poole de ler-
roo mesmo sino. h a esla ciicuHStauc
que se referem as poucas obscivacus se-
guintes,
iNio t.'irefa mu dit il aualpir o) mo-
livos que inUuzirao su :g itio u'esle plano.
Os piuicipaes sao urna supposta inhabilida ie
para cusirui-la n'este pea 5 e da parte dos
capitalistas d'aqui repagnaucia d'e'otprega-
rem o teu capital lA-sla empxeza.
Ora sem attender incongruencia de cor-
rer um risco to coLSJeravel por tonta d'irmo
co pi.iiiiirt lugieza p.ir* benefi o dos habi-
tantes de Pernambuco ; o qud eites reieio
fazer por si mesmos soniene expore o mo-
do por que paorederia tma cumpaniiii In-
glesa com urna empresa sejiclhaate Dala*
glaterra,
que oo oecesmla de piova; e ser justo
que os bomens de bem dessa sociedade pela
acachada e nesquinha beneficencia de dar
um calcio de gauga a um, una jaqueta a
outro um par de sapa tos quelle e aquel-
loutio urna ou duas libras de carne que
quanto 1 ode satisfazer a receila queiro r r
cm alarma a cua piovincia ? Nao de certo.
Esperamos a dissoluco dessa sociedade tun.
tonau poique anda fazemos bom conceito
de alguns de seus membros i e nao permit*
u pe linaria que nos vejamos na preciso,
corto Redactores de caniinuarmos a tratar
deste objecto.
Qutm bavei beje no Brasil 1S0 miope ,
^ue no vi ja a irx.po*ibiiidade d?sa souhada
cjivfao i O.ijraaii tao joLre de capacidades
res re a orios sobre o esiado dos trabaihos ; ao
ti eeoureiro incumbe presentar relatnos do
estado dos fondos, e ao secretario cumpre
laze-los do diado das outras allribui..oes ge-
raes da compe&hta,
Ora no caso da projectada ponte de ferro
faiilcente s 1 vci que urna cotrpanhia ex-
terna de capitalistas lnglezes nao s nao pos-
ma vstaseos lyUms sobre urna compauhia
local Braaleira ; mas realmente labora em
dilbcuidadts de grande pezo.
iiimeiramente acuita de quem se ba de
aerificar o factO se o projecto ser ou nao
lucralivo? Apenas cabe as raias da possibi-
Uuade qua una compauhia logtesa qual
Diopertenca rnlividuo algum locaimente in-
teressado queira arriscar a subscripto pre-
liminar.
Em segundo lugar roso ba dt. ella ser
i::i.emoisaua do seu des'j^bok-o ? Eu suppo-
oto que por aero de ti i bulos de porlagem
laucados sobre os passageires e grantidos pe-
lo Gorerao li.azileiro ; pois que s.m essa gr-
raotia nao j.rovavel que so possa tomar 1
rompanhia nlgurra- A'<5 mais que prova-
vel quoa companhia estipulasse qua lhe fos-
le garantida urna certa sorami de direitos de
portsgem dexnndo s auiHoridades Bfii-
leras o trabadlo e risco de collacla-los. lito
viria a ser nem mais nem menos do que un
emprestirao do governo toma lo a um paiz es-
trangeiro negociaco que certamente deve
sar evitada em lodos os casos um vez qua
baja alguma probabilidade de se poder obter
o diubeiro 00 imperio.
Em lerceiro lugar supponhanios que nao
obstante todas estas difculdades ellas se-
jo vencidas e que se construo urna ponte
custa do companhii In>'lez?. Ou ella paga-
r o trabatho ou n|o. toe pagar, ento o
lucro ser da cempahia e servir de es-
coadouro per maiiente dos recursos de paiz."
Se na p^gar verdade que a perda ser
svlfirida por estrargiros e que os habitan-
tes de Peina abuco possoir urna ponte; mas
nao ser por meios muitos honrosos e pdem
(icar cerlos de que um successo de tal natu-
reza inlalvemeu te obstara a que se levasse
a eleitodo B esmo modo qualquer outra em-
preza semeliisu te tanlo mais quanto rxui-
loi capitalistas Iogfezes anda nao esquere-
roosdestSt rosos resuljadosda grande maio-
ria dasassociacOes mineiras da America do
Sul.
Eiles tambem ficario inteiramente umita
dus aos seus proprios recursos tanto quanto
pieseolemente o esio tentando lev l' t) qu luer empieza Bsrae!har.te, setodo
o negocio livesse sida conseg uinlec ente ma-r
nejado s por Ingieres,
E' porem muito rois jrovevel que o ne-
gocio seja levidoa um complemento rpido fi
satisfactorio sendo empreitendido por urna
companbia iirazileira composta de individuos
loc-ilmeuie iuto- ressados no bem do paiz.
Em prin;ci;o lugtr no dezejo natural de
promover os inleresses da sociedade a que
pert*ncen de adornar e beneficiar a sua ci-
Uailnuit -i leis elles um esliu ulo directo e
poderoso para tiaiem a subscripcio preli-
a.inar a fim ci obterem a satislactoiia in-
form nco do rusto d'uma taleo preza do tra-
fico d'olla e dos direitos de portegeraque
seria misier impor-se a fim de tornar a es-
i'utaco remuneratoria.
Liles pos: .-m ele estimulo nimia face
d'uma cousideravel probabilidade de que
nunca se tonslta a ponte j icm o estimu-
lo para a Com panbid igleza adianlar o seu
diiihciro nao comecar seno quaudo se liver
obliio todas as iiitrmai.s indispensaveis ,
e se liver entabolado um centrado satisfacto-
rio com as amhorrdades Brazileiras. Aqu
occorre outia vez a questo custa de
quem se bao uc obter estas prili.: inires iu-
fornncues ?
Qnt satijfico poder experimentar un es-
traugeiro na pause da uui valiosa inlormaco
de qua urna pcnie sobre o Lapibaribe seria
uai mo empiego de capital P e stiella bem
equivalente despeza ieita para obl-la ?
Cortamente lora mister que elle tivesse mais
de puilaptropo cosmepotita do que mesmo
poderia jaclar-se de o ser o luglez mais noto-
riamente generoso,
Em buaoma os Brasileos devem primei-
lamente obter silisdCioria iaformaco sua
cusa e ti.lo sei baslanlemente fcil rollar
a Ba silencio para os meihoies me os de con-
seguir o capital ne essaiio para a oLra, Urna
beoj fundada esperanva de reruuueraco cer-
tamente odutifia os Capitalistas c'aqui a
eatrac na empreza \ o sem urna esperauca
bem fundada de re muneaco ceitissimamen-
te nenhum Ingles tniitiia 11 tila por roiis
especulador que Lsse.
Tendo ento adquirido como suppoxos ,
um rbsoivel prospecto de remun'eraco para
que ceder esta vanlagein a especuladores es-
irangeiros p S.iii porque elles talvez pos^o
comprar a ubta de Ierro 5 por ojo mus bara-
to do queosageules d'uuia,, Com panhia lira-
silt-ira ? Se eiles o poierem faz er nao ser
mais provavel que sa apioveiiem d'es> cir-
cunstancia em seu proprio beneficio ? Com
ludosupponhamos que elle oo o laco e
que empregueuj lodoi D* meios possiveii de
Uimiuuir o cula di joule ( o que nao teri-
aoialeresae algum de lazer urna vez que se
lhe garantiste urna certa qutulia de lucro do
sen desembolco ; ) a iiisigmiicante vautageru
a cima referida uiais qua ttuitc comp-'us.i-
da pelas ditculddes qua lerdo de encontrar
aqjil a cooairucco nos deques pillares e
caes tstim coaio na cravaflo da ubra de fer-
ro no seo higiC ; e .-ara se concluir ludo
sera preciso pelu menos odu.do da deape*
ocujtjungi.iu da,obra de ferio. Esiaso-
ariameote bao de ser dirigid s
por u a Thezoureiro e um


DllilO J PERNAlBllCt
a

Secretario fconhecidos e plenamente acredita-
dcscom aquelles que os empregurena na In-
glaterra; e esrusado leinbtar que quem dei-
aa oteupaiz socoro a mira m um salario
d'alguns annos, e encarregado do dinheiro
exigir e cbter urna remuneraco mu gene-
r *a. Especialmente o ei.genhciro e os seus
aiudantes nao poder5 ter para c vir outro
incentivo senSo es seussaUn.s temporarios ,
se previamente tiverem noticia de como t^m
sido al qui apreciados u'este paiz os indivi-
duos da sua profisso.
Quan'o rcen:r diflkuldade encontraran-
rr,a Corrparhia ttrasileira Em quinto aos
Directores, Secretario e Thezoureiro elles
rrssuem aqui infinitas vantagens sobre umi
Cumpanhia Transatlntica : o Engenheiro
auDKB pessoa de cuja capacidade se poder
corr. ruzo cenceber alguma pequea duvida;
prrm nao difo islo por suscitar o u.iuimo de.
irerito acs se-nhores (Peste profiso que j se
acl.ao r.o paiz mas tmente pela circunstan-
cia de nao terem ainda tido occasies oppor-
lur.Bg de desenvolveremos seus recursos. Com
ludo para se proceder com a devida cautela
lora nao s prudente mas allouva
(vel o ve-
Villa da Praia da Victoria roga aos Snra
Artistas que a icoitaco do que praticoa Mr,
Libulier em, favor dos infelices Paraences, se
dignen prestar-se com sua arte de canto ou
lu a para mais abrilhantar estes expectacu-
Is que par fin to justo sa dara nos das
ll do cor rente e i. de Novembro ; os
Snrs. artista? cuja Philantropia os estimule
a segnir o exemplo do Mr. Labulier, dig-
nem falar cora o Enprenrio a fi n de su or-
ganizar o CarUz pira os mencijiiados Espec-
tculos.
...... i
Avisos diversos.
r Preciz-se de um caxeiro ; e compra-
se v.ma escrava que SBba cozinhar cengi-
mar; e aluga-se um boro escravo para todo
o servico ; na ra do Torre n. 135.
ssy A pessoa que precisar de urna mulher
fjrra para ama de caza ; dirija-se a ra do
Fcgo D. 8.
O Sur. Manocl Jos Gonoalves Braga,
dirija-se ao i. anclar desta Typograpla
a negocio de seu uteies-e.
10 annos
i nos
dois
tST Depnsita do caf muido ( fabrica Jo! annos; u* mulatinho idade de i
na paderia da ra do azeitede pexe)r.a pada-' ptima p'g'sm 1; um dito com i8ani
ria de urna s porta virada ao poenta, no'pardos, idade so a a5 annos; urna escrava
largo di Santa Cruz, na Boavista aonde a- p-rfeita engoroadeira ; urna dita por 3ooU rs
lificar-se o? t lentos d um fcugeabeiro antes ssr rjezeja-sw fallar com os herdeiro? do
de se Ihe confiar urna obra de tamarilla mon- fdescido Sr. Cbrislovio d'Olanda Cavalcanti
ta ; e no caso presente o rucio mais directa ,
i> n ptj e econmico assim como o mais ju-
dicioso paro a construeco d'uma ponte de
furo o seguinle.
Ofcter em priroeiro lugar o melhor debuxo
p:.ra a localidade que o pai posa offerecer.
Enlreler urna saudavel duvida a respeilo da
sua perfe 5o e pera remover satisfactoria -
rrrnte cssa duvida submetel-a ao exame de
tlguro Engenheiro Ingles de primeira ordeno,
lujos tlenles teiilio sido ha iruitoconhecido,
e nprecades. D'este rxodo se Ihe foruecer
? tsaior quentidade { 6saTel de nformaces t
Ictaes e
rxesma raso mullo mais valiosas.
Por um procedrrer.to semelhantf lem a
IngUteira conseguido erigir os mais soherbos
edificios pblicos que ella possue os quaes
eoiiblilueto a sua g'oria e ufana; e delles de-
pende em grande parle a sua prosperidade.
Que i'ein> mbuco possue em seu seio os re-
cursos, r.tcessaiics para delinear-se ecouslru-
ir-se sobre um dos seus rios urna ponte de
do Engenha Marrecas , dirija-se a ra di
Moeda n. 15 s ou antiuncia sua morada
para seren procurados.
tS9" Precisa se de urna ama de leite ; ni
ra Nova ultima caza da equerda a quil
tem aescada defronle da e-ubirque ni se-
gundo andar.
t~T Quem prcci'ar de umi mulher capiz
para ama de caza de bomem soileiro a qual
sabe eczinhar ; cozer, e engomar tu io com
muila perfeicSo ; diiiji-sc a ra Direin, ho-
ja de couros . ao.
a^i*' Alng-o-se as Otarias de S. Anoa, de-
es suas suggesles serlo per essa frontedo Engenho da torre con barro den-
tro ; assnn como se aiug no meimo lugar ,
lidia caza com amitos coaimodos e
mflto fresca rom bastantes ps de Urangei-
ia e ps de tal ; e oulia no Cordeiro
rr.aigeio do rio defronle do silio do Snr.
Gabriel, com duas salas, dois gabinetes ,
cinco quartos cazinha e estribara.} aa ra
Nova lo;a de ferragem D. l'i.
No dia ajo do crlente appareceu um
Ierro fundido, e que lera meios facis de pa- |criulinbo por nome Domingos idade 11 a
gar toda a despesb que para isso cr mister, ,2 anuos, em ci/a do abaixo assignado ,
e ninguem puier positivamente negaro que ]Unto ao arco da Conceico l). 31 o qual diz
esie c- mmunicado leve por objeclo demons- ser forro, e nao tem pais e nem proteceo
trar. Resta pois que aquelles que ma.s in- ,je pes50a alguma pedindo que o annun-
tucamente se iuteresjo pela felicidade d'este canle ihe desse etilo em sua caza, e que
paiz dtcido, se quirero sem exame adoptar estavacom fome ; e podendo mui bem acon-
a negativa e eunquecer passivamenie a es- tecer f que o dito crioulinho seja cativo ou
UMigeiros ou empregar oseu capital e as ^^g,,, forro, eesteja sob o dominio do al-
fuis iorcas eui animar e mnter urna profisso gUern pe\0 presente aniiui.cio previae a
io porlautistma porem recentemente iotro- uea, convier que o mande qu-nlo antes
cusida aqui, cojo augmento lem sido lia mui- 'p70C1irar pois nao se responsabe'iza pela
to lempo reconhecido como um evidente indi' {-, ou oulra qualquer circuuslaucia que
etiaro a qualdale os que ainda o nao
lera visto : e no caso de nao acharen porra)
sur&.cente,3m a sua encommenda sero breve
servi(jos> pira qual quer pircan, sondo de
oito arrale'3 Para cima, pelo rnesmo prec>
que na fahrra se vende, e tamb^m excelen
te po e torrados de todas a qaalidale (sen-
do estes encoainieadados) da melhor farin'ia
que ba no arcado t fabricado por hbil p*-
deiro.
SST Vende-seuii cavado castanho-, ranito
gordo, boni'.a figura, e carrega baixo al raeio
por precocommodo j na ra d'A;ui verdes
sobrado O. io
esy Frela-se o Ilute denominado Es 19-
ranc do Maranho Tiara o Cear, esa aclis
fundeadi neste porto : quem o pretender di-
iiia-se a vend de Jos Verissimo di Rocha
naruido Trapixe 11a quina que vira pira a
ra dos Tanoeiro9, n. ia.
SS3- Nova loja franceza no pateo da Matriz
do SS. Sacramento de Santo Antonio casi
terrea D. 8 pertencente a Affonso St. Mar-
tin onde hura surtimeoto completo de fa-
seodas francesas e a ma9 barato prego do
(ue em qualquer oulra parte, como tambero
tem selins rao la, com cabecadas de lustro,
e rabixo mantas de pino estribos de lalj,
fieio de ferro polido rom parafusos e silbas
e lauros lulo por ao res, outros a ai, ai ,
c a4U reis,
sgy Um homem ofneial de canteo cliPgido
ltimamente d cidade do porto offerece seus
se:vicos a qualquer pessoa que se queira se
servir de seu presumo ; epromelle iervir ca-
pazffic; t" ' por preco coromodo quem pre-
cizar ciirija-se praca da independencia nu-
meres 28 o ig.
cy ;e?e-ss fallar coro Francisco Vi-
ricimo de Albuquerque Padillia que veioda
pavoaco de Uaona ds muja para o Recife ;
e direo mural pira o lugar di venda Grande ,
paia se enlrerjar urna carta vinda de Uuna ,
oa trayessa de S. Jos O, i5,
U5- Piecisa-se alugar urna roeia agos no
baivrodeS. Antonio em qual quer ra ;
quem a ver annun ia,
ti?- Traspaca-se i5o palmos do terreno a-
traz do convento deS. Fraucisco ; proprio
para qualquer propriedada ou diride-se em
partes ; nc patio do Hospital, I). 22 e to
bem se vende urna (rauta de 8 chaves toda a
parclhada de prata.
kj- Quem tiver achado urna canoa gran-
de aberU calafetada do novo do lote de
600 a joo lijlos de alvenarii, quetirarooa
disaTiarrou -se do sitio da mangueira, nega-
do ac caps novo do silio do tiiro na Estn-
queira ter a bondade de mandar entre-
eio do progresso da civilisaco,
X Y, Z.
LOTERA DO LIVRAMENTO.
O Thezoureiro az ver ao respeitavel Pu-
blico que a Lotera corre Bopreleiivelasente
no dia 4 de INovmbro. Troco-se por bi-
possa acontecer
Joaquim G. V. GuimarSas.
tST O Sna. Joze Gon.es de Mello quei-
ra annunc3r por esla folha sua morada ou
dirija-se a ra Direila venda D, 8 que se
Ihedezeja fallar.
%ST Quem precisar de urna pessoa capiz
para leciouar primeiras letr s e latim em
lleles premiados de qualquer Loteiia na sua Caza e am particulares par um preco
caza das exlraces. mui rszoavel ; e lambem seofferere para es-
-. cripluraco de qualquer escrita que esleja
~,. ^^. t ,. n.rt nneinin r\* 'por fiaa.isar ou mesmo pira principia* ,
LOTERA DEN. S. DO ROSARIO DA mosUaado de\udo qae ale/a vrLPL, e
BOA-VISTA.
ztlj ; quem quizer annuncie.
ca
gar no dita sitio da mangueira que ser bem
recompensado.
ST A!uga-se uroa camariuha e salla em
boa caza na ra do Nogueira D. a.
tsr Roga-se ao Sr. riscal de Antonio
do ttecife imponha a competente multa na ca-
za terrea . 10, da ra de Agoas verdes,
que de novo pregou os pustigos a abrir pira
taras a um deque nao levemos pustigalis
pela caA e taro acinlemenle se calque a
Iti.
ET Precisa-sede um rapaz porluguez de
i4 a 16 annos de idade psra caxeiro de venda,
e se for dos que chegiro prxima do Porto,
irellior ser ; m pra9a da Boa-vista venda ,
D. 4'
- I'recisa-se falar com o Sr. Francisco
A roe?a regedora da Irmandade de N. S. | cr Quem quizer comprar urna parco de
do Rozario da Boa-visla tem delermiuado, barricas que lo.o de farinba do reiuo pelo
que corra impret.rivela enle as rodas da prc,o de I, a 00 reis edauma, uo patio do'Leitede Vlello roga-se o dito que apauncie
1. paite da 1. Lotera no da 29 do pro- Hospital 11a quina por baixo do sobrado e
ximo icez de Novembro os bilheies acho- lamb-m 9 cu 10 .'^ueiresde cal, pelo pre-
se b venda nos seguintes logares ; no Kecile \0 d, i.aoo re:s o slqueire,
iua daCadea Lja de Caabio do Sur. Viei- | %srA traz da Malviz do barrio deS. A 1-
1; em S< Antonio ra do Lollegio ioja do Sr. tunio, no 2. andar do sobrado onde mora a
Meueses Jnior ; iua do Cabu- botica do pioknsora publica, fazem-se e aruio-se cha-
Snr. Jco Moreira Marquesj e ua Boa-vista pe s de seda 011 de oulra qualquer qualidade ,
loja do Snr, R a pozo ra do alterro. para Seohoia, e para menina, da ultima mo-
a e gosto que ora existe; como la na bem co
"'" ie.se,maica-ie,e engomma-se loa qualidade
TIIEATRO. de roupa tanto para Seuhora como para ho-
niera, tudoleito com inuitoaceio, prompti-
O Captivo de Fez. I do e preco comrrJodo.
f Os rrardes eloiios que nos Peridicos do ; tsr JNo armtsem de laboado de pinho por
RiodeJai.eh-0, e los Ci.lade de Lisboa dttraz do Tbealro roulinua-se a vender
tem meiecido Mt* grande Peca rezoivero o exceliente farinha de trigo para pao e bola-
Eixpifzhno desle Tbealro aprezenu-la em|xa, e pelos 11 odeos procos de 8s |o| ,
tira I 1 i e J4 ^ IS* a dinheiro ou praso ; e
lauibem se vende urna porco de supeiior ta<
-I'
siena a fru Leneteio no da Quiula
u docoirente em que elle fui a a parle do
Captivo 1 crit'ptHz D. Fernando de Castro,
E.-ptia que- o> ttus veidadmos omigos e a-
paixonados o que-uao proteger.
I- ranciare de treiles Gamboa.
O D estro tendo de dar duas bii'.baalea Re-
cital a Beneficio dus Vi'Urnas du desgiayuda
ou dinja-se a ra do Rozario D, 1 j.
- Vende-se lellias de v idros para clara-
boii na loja N. a8 ra da cadeia no
Recifo
- Vende-se urna molec.i de nar;o macam-
bique idide 16 annos; no beco do peche fri-
to 4-
- Vpnde-se sarae de farinba de mandioca
de superior qualidade t na ra do Cabug ;
loja de Antonio Rodrigues da Cruz.
- Vende-se canarios a 1000 rs. cada um;
na ru Diieita, . 8.
s*T Quena quiser comprar exceenle fa- I uiio.
rinlia de trigo da marca SSSE e S5F
idade 23 a a$ snno Uva* cosinht, e faz
toda o servico de urna casa; dirija-se a ru*
l'Agoas-verdes O. 38t
cy O Tenente Coronel. Ignacio Antonia
de Barros Falco, promane oio castigar ao
seu escraVo o cabrinha Anacleto pela au-
spicia que lem feiio de sua casa desde la da
Junho do crrante anoo ; e promelte mais
nao o vender para for desta Provincia : e as-
sim como Ibe d licenca pira procurar quem
o compre pelo preco de 45o rs. fe Ibe con-
cede para dito fin o praso de 5o das coota-
dos da publicacSo desle. Elle un bpm al-
faiate e seropie fui multo fiel e sabs 1er ,
e escrever mal ; cabrinha claro.
tsy Precisa-se alugar una casa terrea not
hairra de Santo Antonio que nao exceda o
ahif uel a 10U rs., ou mesmo metade : quena
a tiver dirija-se ao becco da Viracio caza,
immediata ao sobrada ou annuncie.
tsy Troca-se 25 milbeiroa de tyjollosde
alvenaria de bom birro por 25 barricas da
farinha de trigo sendo 10 de tres SSS 10
americana1!, e5 mais abaixo ; como tambera
troca6-se 8 milneiro por fasendas pagando
o comprador o frete dos dooos das canoas e
a fasenda pela pre?o crrante: quero quiser
o negocio annuncie, qus ser procurad a
e da-se 6 milheiras ditos por dois quartaos ,
sendo bons.
tsr Na loja de encadernador na pracn
da Independencia D. a6, compra-ae acol-
lecco dos Carapu-ieiros impresas na Ty-5
pographia Fidedigna.
sar No dia 21 do correte achau-se uti
cavallo castanho na cimpiaa da Piranga ,
Povoagidos Afogados; quem for seu do-
no danda os signaes certos Ibe ser entre-
gue dirijinda-se ao mesmo lugar da Piran-,
ga ero casa de Antonio Luizd- F.eitis.
cy Na paderia do Arco deSinto Anto-'
nia, conlinus-se a ven ler excellente pa
bolix a 100 rs. a libra e bolaxi por arro-;
ba a aStio rs.
tsr Urna Senhara casada de boi condue-
la prope-se a criar de leile estando pari-
da da poucos das : quom da sea presuma se
quiser utilisar dirija-se a ra do Rozara:
esireia D. 25.
t^- Eaz-se sciente ao respeitavel publico ,
que no Eoenho -- oavisla da Cidade da
Goiaooa existe encravado o Patrimonio da
finado Padre Amaro Felippe Cavalcante La-
cerda deixado por elle em seu Testamento
s sus duas Sobriabas Bernarda Francisca
da Coaceico Lacerda mulher da Coronel
Jo^e de barros Falcao de Lacerda e D. Au-
na Francisca da Exaltacd Albiiq. mulhec
de Joo de \loura Rolin Acciole ; e porju
se tracta agora ie revendicar o mesmo Pa-^
trimonia e seus rendimentos; e pode acon-
tecer que o Propietario do EngaoUo, Z ca-
rias de Santa habel Barros Franco de sua
mulher a Senhora D, Laanor Saares d'Albu-
querque entren en ejoilfl da vead* ; se
faz o preieote atiso para que qualquer com-
prador fique certo do encargo que tem o so-
bredio EngeuUo, com o quu passir para
o vendedor ,, como expresso en direila.
asr* Quem epiiUer comprar una preU da
idade 94 anuos, bauiu figura, emgomma
liio, eosinba o diario de un casa e av
desabo, optina quitandeira ; e una ne-
grinba con 11 aooos de dadi, e con prin-
cipa de costura ; e mais u lodo o servico,-.bom carreiro j dinja-sa a
rui da Rozario etreita D. Sil.
tsr Quem quiser comprar una preta ca
gento de angolla ; dirija-se a ra da Trap-
xe delionta do caes d* Liugueta D. 10 ,
que se dir o motivo da venda.
UV Kugomj-se. cona asseio e perfeico j
(anto roupa de homem coxo de Senhora ;
e lambe u se Uva querenda ; na ra Direi-
1,1 sobrada de un andar^P. 6 i ao p da
l;rreja do Terga dehonie de una loja da
cliapeleira.
asr* Quero quiser alugar ua preta que seja
muito toa eugomaddira -h annuncie par esla
e a-
mericina em barricas grandes e pequeoas ,
e por preco roromodo ; diriji-se a rui dos
Quar'.eis paderia D. .
Bi.<3 prxima rente cbeg*das : dirja-ie
bjauo de pinho americano ; na ra da Sen- I a ctica da roa da Cruz do Recre N. 3g,
de Vicente J. de i 83*" Quen quiser co nprar tres escravos
mocos lioniths figuras sendo un boo car-
i:;li.a
armaseai
Zalla ,
linio
t_j-Compra-se nma cabsa (biso) que sa-
ja boa de leile quen a lifw'va rundo
Queimado D. 4
reiro ; dois ditos Lons cauoeiros idade 10 a
ao annos j un dilo por Jo AJ rs ; uui dilo
boncosiohouro j iua dito embaicadi.o, aS
\ST Quero quiser vender una diiiia do
Cddeii-osue p lodo; diiaja.se a 1 ua do Queinndo loja
U al*.
car Vende-ie Caieiras con assento da
ualoiuba > ditas can assento de pao, camas
de vento de aiudiolo inulto hen fetas a 4 000,
ditas de pinho a o5oa e piaba da Suecia
con i porgadas de grossura e dito serra-
do ludo mais em con?a do que em oulra
narle ; na ra di L'loicnina en c-ea Je *
tUeraoger



AMBtCO
MarriedtodaT tt bis tendente ra i lempo poder usat-de seu direito ontra o re-
d, Hespido by,he filvd Benjamn Tucknes. ferido Borge.. E porque consta. an=-
Jobn Gat.s Esqoire lo Sophi.eidesl daoghter
fe
oWlli> Raymood Esquife Mercbanl ot
Feruimbuco, ,
^ Aluga-seumacisa terrea ni ra da
Alepria \ na roa da Aurora n. 9.
or Rogs-se a loda e qualquer pessoa ,
que Ibe for cflerecido um alfinete de peiio
,m cana de vidro tendo dentro da mesma
toa firme com as letras seguintes A. P. S. ;
assim como um btio de ouro pequeo de
unbo \ fatendo aprehendi em Ues pepas e
cuereado faxer o obsequio de entregar a seu
respectivo dono no quartel de polica que be
o furriel da terceira companhia do mesmo
Corpo ou alias annoncia sua morada.
aar Precisa-se de 3:ooo,ooo a juros com
frrpolhece em duas moradas de casas ou so-
kr'adb nesta praca$ quem quiser dar annun-
etjj
' ssr Aprebeideo-ie no da a 3 do correte
aumpreto urna chave inglesa:, quem for seu
dono dirija-ee a rui do ealabouce . ai, que
dando os sigoaes Ibe ser entregue.
tar A vista do annuocio feilo no diario
de i4 do corrente mes, pede seao Sr. Joseph
R.y, que tenha abondade de declar-r se as
nilulas vegetaes acnunciadas por sua Mer*
sio ou nao falcas visto que o referido an-
nuno declara-s ser o Sr. D. Hnotb o ni-
co depositario de ues piluUf e o nico au-
ihorisado para as vender nesta provincia is-
lo deseja saber Hum qaecomprou das pi-
ullas do Sr. J. R. o M j
tar Patricio Jos de Soma Mestre de
msica da Cmara Municipal e do theatro
publico desta Cidade, no dia a8 do corrente,
elaa JO boras da manb, pretende fazer
a abertura de um curso de Msica Vocal e
instrumantal, no segundo andar de um dos
obrados, pertencentes a o patrimonio do d*.
" .* . .lian la mPSmfl
------ -**"D I-------------
cianle queomesmo Borges pretende nego-
ciar a sua letra depoisque pessaal e Ihe reclamara amigavelmente os prejuisas ,
que por semelhante proceder lhe havia cau-
ado pelo presente declara ao publico p"
que nioguno faca nsgocio algom com dita le-
tra e o seu endurador para que a nao pague
no devido tempo protestando como pro-
testa o annunciante baver do dito Borges to-
das as perdas e damnos que houver de sofrer
por tal motivo. Francisco Sabino Gansal-
ves da Fooseca.
tar* Quem precisar de urna parda moca
para ama de casa de borneas solleiro, que sa-
be cozinbar coser e faier todo o arranjo de
urna casa dirjase a solidada indo pela
trempe do lado direito antes da chegar a I-
greja n. 17.___________________
Avisos Martimos.
PARA O ASSU' pretende sahir at o dia
28 do corrente o Patacho Nacional Fainha
dos Anjns ; quem quiser carregar dirija-se
a Manoel Joaquim Pedro da Costa.
PARA A BAHA a Sumaca Nacional Pe-
rola ; quem quizer carregar ou ir de passa-
gem diiija se a Manoel Joaquim Pedro da
Costa.
FARAOCEARA' a Sumaca Felicidade,
Mesue Jos Rodrigues Pioheiro ja ten
paite da carga piompta 5 quem quiser carre-
gar dirija-se ao dito Mestre ou ao seu dono
Antonio Joaquim de Souza Ribeiro.
JLela o
Que fax o Corrector Oliveira, de gran-
de porco de lazendas Ingleas e Fraucezas
,ob,.4M, p*,,.^... p zs^^ee rasar
Sacramento situados no pateo da mesma cassa 4 ^ d{j
tos
Matrisde S. Antonio, onde ja ""rw"' aroixoados, brinsescuros, e bran-
eessoen. a Cmara Municipal. A. =s b.anca. I* .^^ ,__ ^
que quiserem matricular-se em dito curso, ros, v de ,ha da
ueirodirigir-sea mesma cas. - ".P "'i \>arTcolletes e y.iii outras,
cerno dito irofesser sobre a* condicoens, que India J^P* ^^ fc ,ohomda
Ue tm determinado propor. I vh- n0 8tu ar_Bie_ na ra da Conceico.
T Owmlodalrm.ud.dedeN.S. d.*" f N.o.Bieber &C." por
Conceico da Igrejad. Congregac.o convida I ^r^ J |iver8> de hum
.todoso. irmaos da mesma comparecer* ^'^^^ de E,pi0g.rd.it Miu-
quintafeir.-8 do corrente pelas 9 tmida l?" de todas 88 qualidades}
i.nbp.r.socont,n.rcom. discussao do dezas, ^ do correle J, horas d
compromisso. ... j ci imanhS no seu armazem na ruada Cruz.
Jr Perdeo.se um brinco de ooro de 61a-, nha nosen ^
gri da ru. do Quemado at a .r.msa do ^/^^ VJm perU5ncer, a bordo do
Sorarioj quem o acbou qw^/J"lu Ceh^N cionaf Dous Amigos-, fun-
Jeve a pracinba do Livramento na loja de 1 ^cno "J" d T n05 dia %J do
JosDiasflaoreiraquereceberoimporte ^^ ^ST \. hora, da ma-
r Midiae Sonjean parte.ra franceza nbj. uleDcilos, e armncao
Jtnco desde os primeiros annos dos seus es- pradores-
Judos, preta-se gratuitimenle paia os po-
tra? que reclamarem o socoiro de seu mi-
nisterio*
__r Quem annaociooquerer comprar urna
escrava com ra e com muiio bom leste, di*
i-iia-se a fora de portas n. i53 rasa entre 2
obrado.
ar Quem precisar de urna ama de leste
livre, dirija-sea mada Florentina D. 7*
O absixo assigoado tendo comprado a
Compras
, Escraros ladinos de ambos os sexos ,
de idade de 12 a ao annosj na praca da lude-
pendencia n. 1.
Vendas
dechitiaiGi, diloa de cambraia fin para
mo castor fino para calcas a 80 o covad* ,
chitas de bonitas padro?na ito, i8oa, e no
rs.dito, madapoloens entre finos a 3;>o ,
ditdl marca galo a 3910 Utas puente larg>
marca galo a 43oo cambrais* da bam lom ,
e outras muitas fazeudas; na ra do Qaei-
mada na quina do beco da peine frito D. 1.
isr mi escrava de idade de a5 annos ,
coiinha e cose liso , coas o filho creoula de
idade del 4 annos, sabe tratar de cvalos e
hebompagem; na ra larga do Roitrio n>
segundo andar por cima da alfaiate Lima.
sar Un. terreno ou sitio no principio da
ra do Hospicio ,com 3ao e tantos palmos de
frente murado com alicerces e soleiras pa-
i 10 moradas de casas tendo 100 e tantas
bracas de fundo para a ra dos Pires, onde
Gnalisa com 91 palmos de frente o qual
terreno tero, proporcoes para se abrir ru3 ,
como consta da planta feia-?, a fallar com
Bento Jos Alves que est autborisado para
dita venda.
tsr Por mdico preco um terreno no beco
das barreiras todo murado cono alguns ar-
voredos de fructo e muito perto do ria, com
16) palmos e meio de frente enclusive 41 eca
que esa a propriedade dos orlaos da Senhor
Bento de Barros F.lea o qual terreno
oulro ora foi do mesmo Sor. e ltimamente
por divida adjudicado por seotenca a Petro-
nilha Florentina leudo mais de 5oo palmos
de fundo ; a tratar na ra da Gloria O. 19.
9> Vinbo de Bordeaux em qusrtoUs ,
a 110,000, charutos verdadeiros da Havana,
Manilha e da Bahia da fabrica de Groz ,
chocolate de sanl hamburgus e francs por
pie;o cemmodo em rasa de A. liosch na
ra da cadeia veha D. itt primeira andar
tar Cadinbos de boa qualidade para ou-
rves ,-chegados ltimamente de Hambul'^o ,
em porco e a retalho ; na ra da Cruz D-
cima 31.
aar Sevadina mui boa e noa chegada ul-
timamenlej no armazem do Sur. Annes dc-
fronte do caes da alfaudega(
tar Superior arroz de vapor em sacas a
2a5o a arroba e em libra a 80 rs. paios ,
ligoissas a o a libra massas de todas as
qualidades cha perola e issan ptimos
queijos passas boUxinha serveja vinho
de Lisboa e Porto engarralado eoutros inul-
tos gneros por piego co.n-jiodo j no largo do
'A-'erto . 1, e 4.
car Um negra da Costa de idade de 4
annos ; na ra de S. Tbereza D. 4*
K_T Urna grande porco de bicos largas e
estreitos por commodo preco ; na rus do
Livramento loja nova que faz frente para a
ruado Rungel U. a.
a_T Urna empeada para parta ps de
ferro em bom estado urna parcio de prata
debon loque um alnele de topau 1 dita
de ouro um crucifisode dito, uns corazes
com requihfes de bom ouro j as 5 put O. ai onde lem lampio.
i_r Lu quarto da ambas as selas por
preco commodo *, na ra da cadeia vcllia D.
do ao p do arco da Conceica.
aar Vidros para espelhos grandes e pe-
queos de muito boa qualiuale na ra
do CaUhouce L). ai.
tar Um sitio no Lugar dos Remedios com
urna olaria muito boa de pedra e cal e beaa
construida com muito bom barro de sgoa
doce Ierras proprias com um aobradiubo
junto a mesma olaria com senzala para pre-
los e da frente com urna grande casa nava,
que falta pintar junto a mesma outra ca-
sa pequea com uoia cpela seguindo no
mssmo correr, outra casa pequea, con um
viveiro com pomar de larangeiras ma-
yamente plantado varios ps de coqueiros ,
e outras arvores ou troca-se por predios
nesta praca ou na Cidade de Lisboa ; a tra-
tar no mesmo sitio com o seu praprietario
. -* O menaageiro dos amantes oa car-
Soto Borges morador no atierro da Boa vista car de flex.s amato.ias manuar epistolar ga-
em principios do corrente me. orna porco Unte anteado os exemplos prat.cos em c-r-
degenero de ana venda, na importancia de tal amatorias pelopre9o de ,00o,, Anoite, ^ ^ Fe,rtr. de Almei(la
Sao.ooodandotoavistaaquantia de i6p# do caslelo poema em 4 ^"los por Castmo, f J-n^--.U...I*. --.!,
roYemnteensCasletr.s.J saber no. "e seguido de outras obras do ttes*o autbor ,
' 1-----m. .. ,.o tina nrsma Ol
"jGo.ooo e outra de 000,000 a vencer-sa em a
Desea, endosada sta ultima por o Sr. Ma-
noel Jos de Oliveira e Mello sr. do engenho
Morojo aconteceo, que ha vendo os refe-
ridos gneros de serem pelo dito borges apar-
tados e remetidos para a Cidade de Guianna,
onde o annuuciaute he morador aquetle
abosando prfidamente da boa f e centiaoca
que esta nelle depositara, tratou lio somen-
tedaa limpar a sua taberna, raoettendo-
Ibe lodos quantos alcaides nella havia de
sjcaneira que apenas ali ebegatio os ditos
gneros lorio inmediatamente aprehen-
didos pelo respectivo FWcal por se aiharem
a maiorparte delles inteiraueale [utriheadoa
e wjea pases de s*rem consumidos, como tu
do eonsta da vesloiia e mais leaos legaesa
% u o anaunuaftle es proceder para em iodu
segu.----------------
os dous renegados, drama em 5 autes, a no-
va Castro tragedia com estampas coloridas,
historia de Roberto do Diabo com estampa
coloridas dita de Joo de Calaes com dita ,
dita da Imperalriz Porcina com ditaj na pra-
ca da Independencia loja de livros n. 3; o 38
^tar Na loja da quina da prscinhs do Li-
vTamento da viuva de Joo Carlos Peaeira de
Burgos alem de outras lazendas ja aunun-
ciadas que se tem vendido muito baratas, tem
pannos finos a 3100, 3ioo, e 35oo e muito
finos a 4ooo, 4800 5ooo at rjooo sarjas
pelas a 9)0 is. esguio de linbo fino a 900
neis de todas as cores e lamurihjs lustoeus
mu ile ludas as cores e wuwuuj i"' , .,
de ortsadao o covado, e ditos alcoxoados del.onte da Conce.yao i a trata na ra da
vic ivn # mili, ,,., turiina rt oanAr.
t^- l-ancs para cobrir mesa a 1000 leu- UT U.us predios em ora de portas na ru-
o de cambeaia fina a 3ao ditos grandes nova de 5, A uaro sendo um uireuo o se-
gando psssanda o sobrada do Barb ,sa coj
os alicerces ororoptos ea frente e os ladod
levantados com funda at a mar pequea ,
e contendo dentro urna porvao de lijlos, e
duas casinha. ja rendenia i e um sobrada ao
lado da mar grande onde tem a padaria } a
tratar no escriptoria de Janes Crablrea t*.
tar Duas negrinhas de idade de 11 annos,
comprincipios de costura } na ra da Livra-
mento . 7.
tar Um prelo para todo o aervico que
quiser annuncie.
tar Urna porco de cal branca de caiar e
tambern a retalho a aoao frascos pretos va-
cos moios de folha de louro a jo; na pon-:
te velba venda da quina n. 56.
tar Duas moradas de casas de pedra e cal
neste bairro de S. Antonio que do de alu-
guel 5o,ooo por mez 5 quem quiser annun-
cie. ..." j
tar Duas pipas vasias de Lisooa ,' e dous
barris ditos que forj de azaite doce una
relogio bom regulador e par prego carnaadaj
na ra de S. Tnereza venia D. l .
tar Dous moloques ladinos de bonitas fi-
guras de idade de na u anoos j no par
leo do Csrmo venda D. 1.
tar Antonio Vaz de O.i'eira continua a
veoder no seu eitabelecimento na ra da A-
morim n. io3 a p da alfandega bao caf
moido em porcoeus e a retalho por prego
commodo e igualmente recebe-sa caf eaa
grao para torrar e maer sevad maid a
aooa libra assim como duas radas granles
de ferrs.
tar Um moleque de idade de 11 annos ,
bam cozioheiro ; na ra da cadeia D. 11 no
primeiroandar defroute da Sur. Vieira Cam-
bisl. ^____^_________^
Escravoi Fgidos
Em Junbode 1839 fugio dests Cida-
de um prelo creoulo de nome Bjnta gros-
so do corpa zambia com panos no rosto ,
natural do \racaty o qual veio do Cear na
Sumaca Emilii remettiio par Manoel Cae-
no de Gouveia a casa da viuva Costa & Fi-
lhos e foi por estes vendida em a3 de Mtia
do sobredilo auno a Jos Vlariins Fdrreira ,
residente eaa Macau do Ass ; que a o eutre*
gar oa ra da Caduia da Recfd n. 4^ ra:e
be5a,ooo de gratificaco.
tar Fujio ou fai desencaminhada pelas 8
horas da noile do dia 24 ^J corrente un j,r 1-
to de nome Manoel de nacao congo de
idade de 3o anuos ainda bucal ,
a*
eslitui-i
tsr Sacas de alqueire de miiuo novo por
preco commodo -, no aimazem de Joaquim
Gonsalves Vieira Guimares junto ao arco da
Concei.o U. 3i.
tsr lima negrinha de nsco com prin-
cipios de costura e cozinba atraz da Ma-
tuz de S. Antonio no segundo andar do so-
brado onde mora a professura publica.
tar Para fora da provincia um escravo
creoulo de idade de 18 annos no principia
do aueiro dos allegados no sobrado do Lima,
tar Umapreude nagu ainda moca la-
va engomma conha e be quiUudei.a ,
na la do INogueira D 9.
tar O armazem de louua fina na rui nota
pia:a ua serrana de vapor.
DuuS predios em fora de portas na ru
alta corpo grosio cara comprida cabeca
um tanta chata dos lados que a faz na meio ,
testa ponluda e com bastante cbelo nella que
tem pouco espago as sabranceiltias pau:a
barba, ps pequeos traz e n un dos dedos
de urnas das mos aneia de ferro e de lata ,
com os denles da frente abarlos, levau ca-
misa de morim caigas de ciscada e jaquets
branca ; quem o pegar leve a ra das Orates
D. 9 que recebera 4o,ooa de gralilicaga.
tar Fugiono dia la do corrente um jireta
de naca mogambique de nome Sabina do
idade de 34 anuo aliura regular cor fu-
la rosto redondo com um brioso n% ore-
Iha direia levou vestida ealosj e Tamisa de
algodoaiuho, chapea de palba sem nb; quem
o pegar leve a ra da Crut n. j que sr
gratificado.
tarlJesapareceo urna negra de ame L-iin,
de idade de do annos, alia, gorda car bi>n
prela rosto bechigaso bei.os grossas e
grandes ps o mos bem feilos he creoula ,
e lem aodadaoesla praga vendeoij faieod
e miadezas he muilo regosta e enlitula-se
forra ; quem a pegar leva a casa de iViauosl
Adriano di Casia para ser rj'uelid a sus
sentiora 5arahua .\iana do Espirita Sania ma-
radora no eogeutio Pereira.
iUuviinento do Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA a4-
Havre } 58 das, Barca Franceza Cawehs
de 59 tonel. Cap. Joo Baplista G01I1
bert quip. 15, carga f'azenls i L A.
Dubourcq passageirus 9
iVlaraohio } i5 dia3 tingue Escuna ^a""
leiro Laura de 16 i tonel. Cap. L. *" "*
S. Siulos equiq. id, carga divfrgoi Se-
eros j a F. J. F. da Sva.
iaAUl NO MESMO DA
Hivre ; Barca Franceza .lia Cap G. A'a"
nioii caiga algooa.
jlontevideo t, Polaca Sarda So-nmariva, Cap>
Ja tome Bamtla carga assucar.
As, Patacho Brasileiro dainha das Aojas
Cap. L. C. l'treir, carga diversos gene"
ros. ^^____
tli NA 1P. DE M. F. DE f. ^l*\l
MI I