Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04317


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1841. Te cv Feira
i
Tudo agora depende de nos rnesmol ; da nona prudencia; nodere-
caa, energa : continuemos como priueipiamos, seremos apuntados
coa admiraco entre as Macoca maiseulU
Proclamaeao da ssemblee Garal do Hraiill

Suhsereve-ee para esta folha a oooo por tjuartel
ra das Gruzes D. 3. c na Praca
pagos adiantado
Indepcndcn-
nesta Tipografa ra das Gruzes L). 5 c na Praca da Independen-
cia, n. yj e 58, onde se recebem correspondencias legalisadas e n-
Buneios, nsirindo-se estas gratis; lendo dos proprios assignantti, e
avrtfCA *>r.n'lna
------------------w --------------
indo aisgnadoi
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRESi
5 DE OlU'L'liRO. Nlm. 216.

n
M
'oti.
i/.',a
Cidade da Parahiba a Villas de toa preteneo ." i .' 3\
Villas Ide.ii. ....
Seg. Sellas, faltan
Dita do Ilio Grande do Norte,
Dita da Fortaleza e Villas Ideal
Gidade de Goianna ...
Cidade de Olinda...........'...... i i Todos os das*
Villa deS. Anto ;........* .... J ... (Quintas feiras.
Oita deGaranbuns ePovoaco do lonito......... lo, c 24 de cada mes
Ditas .lo Cabo, Serinbaera, Rio Foroioxo, e Porto Calvo, i, II, e 21 dito dito
Cidade das Alas>oas, a d Macei............dem dem
Villa de Paja dt Flores.....................dem 13, dito dite
Todos os Correiot partem ao meio dia.
PHASESDA LOA NO MEZDEOUTUDj
Quart. ming. a 7-as G h. e 5> ra. da tard.
La Nova a i4 al a h. e .Vi m. da roa;!.
Quart. rese.a 37 1 as t h. e 5o ro. da miuj
La C.'-.ti a jo-as 3 b. a 3 m. da man.
Alare thtia para o dia de 5 Oulubroi
As 8 horas e 3j minutos da tarde.
As 8 huras e 54 minutos da manb.
CAMBIOS. Outubro 4
Londres.;;7:; *} >p d- Por ''ced-
Lisboa......8c a 83 por o|o preiuio |>oi metal oflerec.dt
Fianea......3ao res per frsuec. Ccrop. Vende.
CUtO Moede de 6^00 reis, velhas U5oo 1/1*700
Dius m n(* UfW ftco
Ditas de tffooo reis, HJioo btfooo
F1UTA -- Pataers Hraaileiios----------ifoio i0 >u
Pj Cliinnarios-----------i/fiao -
Ditos Mexicanos -......*ifo m
Hiu.a. ~......------ igiio -
Disc. de bilb. da Alfandega 1 i3 por loo at) mee. I u|o
dem de letras de boas firmes 1 i|2a 1 Us
Moede de cobre 3 por ico de diMU
DAS DA SEMANAi
4 Segunda S. Francisco deAssis.. Audiencia do Jai; de Un*.;
.da 1 vara.
5 Terca S. Praviana V. M. Rclecio c audiencia do Juiz do BireitD .1j
i. vm.
G Quarta X. Huma Funda lor. Aud. do Juiz d l). 7 Quinta S. .Marcos M. -- AuJieucia do Juu de Direo Ja :.
vara,
8 Sexta S. Britzid Via.-- AiKficneia -) > Juis de 1). da t.'ti
9 Sabbado Dionisio U. Re. e audiencia do Juit de D. da 3.
vara.
10 Domingo O Patrocinio de S, Jos.
-RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS SKS. DEPUTADOS.
Sesso de 18 de agosto de i84>*
residencia do Sor. Henriques de Resele
As dez Loras etoea da manh fat-se a
chamada e reunidos os Snrs. deputados em
ministerio, que at boje ainda nao for) pu-
blicadas ; e que alguns desset despachas I o-
ro concedidos a pessoas que admirou ge-
ralmeote. O nobre orador conclue o seu
discurso mandando mesa o seguate reque-
1 rubola.
Requeiro que o decreto da senhoria seja
enviadoa commisso de constituido. T. B.
Oltoni.
Entra em di'cusso e tomando parte nella
os Snrs. Carneiro de Campos Carueiro Le-
o D. Jos de Assis Mascarenbas Andrada
Machado e Ottoni ; este ullimo Snr. depu-
tado da-sepor satisfeito com o proced ment
da mesa em dar o destino que deu a copii do
numero legal abre-se a sesso, le-se e ap-
prova-se acta da antecedente.
O Snr, primeiro secretario d conta do ex-
pediente lendo um officio do Sr. ministro da
tuarinba em resposta ao recebido hontem des- I decreto, e com liceoca da cmara retira o seo
1 requer ment.
Le-se eapprova se um reqoerimento da
commisso do or5amentoda fasenda reqtn-
renJo novamente se solecite do Snr. ministro
da fasenda enve a esta cmara com urgen-
cia as informaves que pcu------a iutbo
._-:_. r-...a*.
Prtmeira parle da ordem do dia.
Entra em discussSja segoinle resolupo.
A assemblea geral legislativa rtsolre s
Artigo l, Sao revojachs por contrarias a
coustiluco as leis eeguiates da provin
cia da l'araiba pronulgadas em o auno de
1840.
i. A lei de numero 1 de i4 de outubrj
do g at i4 que cria um juiso privativo dos
feitoa da fasenda provinci.l.
< 2. A de numero iB de 11 de novembro ,
que dis re sobre o sesmo objeclo que a an-
tecedente.
3. A parte do artigo 3. da le numero 7
de 6 de novembro, que faz privativa dos
prefeitos e sub-prefeites a formaco dos cor-
pos de delicio e os considera empregadjs
de polica.
4 A lei numero 3. de a3 de outubro ,
em que se declara que as cam paes nao eslo sugeilas a suspens-'j pjr acUs
do poder execulivo.
^ O artigo 4. da 1 i uumtro 21 de ai
de noven.Lro, que coacede amnista, ou per-
di as pracas o corpo de j-xilicia da referida
provincia.
6. Aparte da lei nu tero 17 de 28 de
novembro qne revativa ajs oruiiaentos
de cmaras municipaes.
7 A lei numero 10 de ai de novembro ,
que determina que se nao vendo cerlas dro-
gas e miaeraes se nao em boticas.
8. A lei numero ao de 37 de novembro,
ne designa oocalda cira da villa de 15a-
ta cmara, em que partecipa que sent mul-
to Bao poder ter a honra de assislir a continu-
erfo da discusso do orcamento da mariuha
por ainda achar-se inedmmodado.
Fica a cmara inteirada.
Vae a terceira commisso de fasenda o re-
u/irin paisanos.
Sao lidas e approvadaa as seguales redac-
f oes :
Primeira. Da resoluco que approva a a-
pesentadoria concedida a Luiz Venancio Ot-
toni-
Segunda. Da que approva a a posentador a
concedida a Jc Jjse Pereira Soulo.
Terceira. Do projerto qna cria duis rela-
6es humana provincia de Minas e outra
na provincia de S Paulo.
L-se um ofEcio do Sur. ministro do impe-
rio a com pan Lando acopia do decreto pelo
qual S. M. o imperador houve por bem con-
ceder aos membros da cmara dos Srs. de-
putados, que comparecero na presente ses-
so legislativa, o Declmenlo de Seiihoria. Pi-
ca a cmara inteirada.
OSnr. Otioni tem a palavra pela ordem e
observa cmara que dias depois da solem-
mdfcde da coroaro se b .va mencionado na
rasa a greca que o ainisterio tinha feito a
cmara concedcnJo o Iractamento de se-
nhoria eos seus membros que tivessem com-
parecido no acto solemne da coroa'.io deS
Ai. o Imperador e que lendo nessa occasio
sido censurado o ministerio jor baver assim
considerado a cmara tos deputados o'uma
ccalla ntncr que a do senado i o ministeiij
se defttidtra cizendo que nao 9e hivia con-
cedido essa grata a cmara e lo somente
aos individes que a compe. Putende o i -
lustre crader que se isto fosse assim, ne-
dhuma neicsidade hvia de se fjstr esta
tcanunicaio a cmara dos deputados. O
iradi enttiide que essa parlecipafo com e-
ltito revtlla a cmara que o governo quiz
agraciar a can ara bbixi ; ejulga que iu-
atecoroso para a mtsma cmara um seme-
ibante decreto por isso pjia o dis.ino
que Ihe deu a mtsa diseudo Pica a came-
la inttirata isto 1 no csso de se nao ven-
cer um lequtiimeuio que bavia de lser
para que o decreto seja enviado a commisso
de cotitlituivo. Declara que tt-uilo eslima
jue i;o ttnha appa;tcido algum requeri-
r tnlo para se ncmear urna depulat* par
egrtuteer a grata que o governo conceder,
1 tsitia que ul leijet/ nt i.to uo appaiecer.
i\pprova 1 urtrnlo o ptocedimti.to da mesa a
Ul mpeilo e julga que o atto dogo\eruuc
La tilo qLe cfitimt- o nlindie e a tli.adesa
a tasa, i-ni uutids oLstnayes a es,.tito ,
Paraiba, julga-se a materia discutida.
So approvados todos os paragraplios da
resoluco excepto os 6, 7. e 8., e a re-
soluco adoptada.
Segunda parle da ordem d > dia*
Continua a discusso do orcamento do mi-
nisterio dos negocios da mariiiha,
R' apaiadaa seguate enoenl".
A o ^ 4 accrescente-se e desde ja cjm os
caes da cidade do Maranbo 4,ojoU reis
mensaes.
Pac j da eamara das depula dos 18 de a-
gost.ide i8fi. 3. Vieira da Silva e Soasa*
Tomj parle na discu3so os Sars. Coe -
Iho e Marinho.
A discusso fica adiada pela h)ra.
O Sor. presideole d a o-den di da e
levavanta a sessj dspjis das duas boras da
tarde.
P E~R SABGO.
qne esig
naneiras, ,
9. A Lei numero 18 de 26 de oulubro ,
que authorisa o presidente da provincia a
juramentar qualquerjuui de paz ou suppieu-
te e a dar-lhe exereuu, como melajt' con -
vier a causa publica.
o. A lei uumero 39 Je a Je outubro,
que marca o lempo em que ae deve brotar
culpa aos empreg i'aco da cmara dos depuladjs 17 de jul.u
de ib"4i 'Posta Silva Poutes li. Penei-
ra Penna.
O dur. Gomes Rbeiro pela orden pede a
urgencia para que se d am^nh para or-
dem do da com preferencia o piojecto viudo
do sen .do sobre os filbos ille^ilimus
O Sur. Pego Mooteiro pela ordem requer
(jue se t:acle do piojecio sjore eleicc.
jNao haveuio quem pega a palavra sobre a
c nula que ha moitas ^re^as tonctdiu's pelo]isolu9o aceica uaa leu du assemblea di
UUVP.KNU L>.\ PKUVliMUlA.
Pxpedienle do da 37 do passada;
Oficii Ajcommindiotedas armas, ptr-
tecipanda-lhe que devera' fiser embircar os
recrotas para a corte ni manh do dia ag
do correte, visto que o brigua Flor da A ?
meriea ficir prompto no referida dia.
Dito Ao mesmo, signiicanJo em res-
posta ao sea officio de i5 dj correte parte-
tipando que os navios de guerra estacionadas
no porta desla cidade salvaro no dia 7 anles
da fortalesa da Bru o contra a pratica esia-
belecida de s.lvareai ao seguodo tiro da di-
la fortalesa, que tundo sido ou /ido o Inspe-
ctor do Arsenal de Marinha sobre e3te objecto
respondeu o dito Inspector que s o brigue
escuna Gararapes salvou antes da fortalesa em
raso de se achar collocsda em frente do lar-
go de palacio para salvar na o:casio do
corttjo eque os commandinies das alec-
cionados navios estao scieotes da piatica es-
Ubelecida.
Dito Ao mesmo devolvendo Ihe o reque-
rimiento do lente reformado Zicaiias Fer-
rtira l'az, a fin deque o faca entregar a
parle declarando Ihe, que, como a sua pre-
leac o consiste em melboramento de reforma,
nao pode subir presenta de S. M. o Impe-
rador segundo determina o Imperial Aviso
de la de Junho ultimo.
Dito- Ao mesmo enviando-lbe a tabella
dos tractamentos que requesitou em seo of-
ficio de 11 do comente, organisada pi!o of-
cial n.aiur da secreta ia da presidencia
Igual remessa foi eita sto inspec-
tor geral das obras publicas, director do ar-
senul de guerra e prefeito de comarca de
Santo Anto.
ito Ao inspector d tbezouraria da
Fasenda euviindj-lue duas requsiye do
coman lante da lllu de Pernando, a Gm de
queas mande sitisaser enviando pela euj-
bareacao os mdicameu'.os con algum* demi-
nuiv'a as qoantidades, e as madeiras e o
maii i proporyo que se oti'erecer occasiode
transpone.
Dito Ao mesmo transmittinda-lhe pa-
ra seo coaliacioeiito e excasso a ordeai do
iribusiil da ttiesouvo publico nacional sob o
numero 6b.
U.to Ao inspector da thesDuraria das
rendas provinciaes, para mandar despachar
ua aliindega e entregar ao director do Ly
m> os livros e iuslrucmeutos ciiegidos de
-----------... 1.------------^r;--,
mendados para o mesmo Liceo.
Dito Ao director do ly.tej, ojm-sunican-
do-lhe o conteudo no precedente oifici 1,
Dito-Ao tenente coronel chefe do bala-
lho da guarda nacional de Ignrassu*, com-
municaitdo-lhe qua foi appnv.idi a propos-
ta que remeteu com o seo officifi de 1 i do cr-
renle para os postas vagos djmes.ua bata-
lho ; cumpcinJo que a fica pblica em or
dem do dia a Gm de que os promovidos solli-
citem su 13 patentes.
Dito Ao commandante geral polica respondendo-lhe que p>de mmdar
abrir o asseutamento de praca do corneta eu-
gajado por o pref.ito da comarca de Nasa--
relh para o respectivo destacamento visto
ter sido pira isto aulhorisada pela presi-
dencia;.
Dito -Ao engenheiro L L. Waut!ii?r, or*
denandando-lhe em respista ao seo offieia da
ab do corrate, que remella a secretaria u-
ma copia, da planta da Uairro do Rec6.
fuidlia.- Mandando passar patente de
mejor commaud ule do esquadro decavalla-
ria da guarda nacional de Nasarelu ao capi-
lo da primeira cempanhia do msala esqua-
dro Antonio Loureueo.
Dita-Ao inspector do arsenal de marinha
ordenando Ihe, que faca approu'ar o brijuu
Plor d'America, aim de que pasia recotier re-
crotas que tem de transportar, ua ma-
nh do da 29 do corrente moreteael-.
mate.
ni
GOMANDO. DAS AH.yAS.
Expediente do di aS do passado.
Officio Ao Exm Presidente, requesitan-
do-lhe a expedico de suas orden* pira quu
as oito horas da minho do dia 17 do cor-
rele estivessse postada no qusitel do Hos-
picio urna forca de 5o horneas commanda-
da por um olScial do corpo de polica con
o Gm de escollar us recrules que devio en-,
barrar no caes de palacio.
Dilo Ao tenente coronel commandante do
deposito, ordenando-Iho que es oito barae
da maub do dia ij do crtente devis ter
for.nadas todas pracas ali aiiuajleiadas,
para lies passaruua revista certa qo-e de-
pois desse acto svguir-se-iiia o do embarque
daqucllas que para isto se uchavo destiua-
das e que as guias deve io ser entregues na
secretaria militar al asais botas da* tarde
do indicado du.
Dito Ao commandante da fortalesa do
151 um ordenando-le. que livess tormaJa-j
as nove horas da manh do dia 27 do cor-
rale todas as piafas do depojito ali reclu-
sas, para Ibes passar revista linda a qual
deverio as que se desiinavoa embarcar pe-.
re a corle, segnir escollada para o trapiche do
arsenal de mariuha.
Do Ao inspector do arcenal de mai i -
alia am de mandar pelas 9 horas do da 27
do corrale para o caes de Palacio as lau.
chas que tossem necessarias eoduco do aoo
rterutas para bordo do brigue Flor d'Ameri-
ca e ter 110 trapicho as u Horas uuiras lau-
chas pare iransporlarem ao mesmo b{ig 5a
a lio reclutas queseachio na tortalu dj
it am
THEZ,OUKArUA O A FAZEiNDA.
Expediente do dia ai d: p. p.
Officio AoExm. Presidente da ptovin-
Paria u barca Zilis e que tWo eucom; \ cia pediudo esclarccimenlos sobre o d.sposio ,


DA T. lo DE PER PA M BUCO
q..e mandn pass.r titulo de aforamento i dens Regularen Mas em minha primeira

Joto Pinto de Lemos de hum terreno de M-
r 11.1 pedido i elo mesmo.
Pito- An mesmo Exm. Presidente infor-
rrnr.do sobre o ofiEoio, do orroandaiite da I
Correspondencia nem por pensamento pre
tend offander ao Snr. Manoel Lopes Macha-
do qoe sabe a terreiro e deserobucado ,
ercodindo p:r seu filho o qual agora he ,
, i que pertence veneravel Corpora-
II.a de Fernando requisitaudo dillerenies ge iijucac.
tieros para fornecvroento da mesma liria.
Dito- Aomesnobxm. Presidente mfor
irando aobre oofficiodo inspector do arsenal
uc manaba acompanbando o requeiimento
de Jacinto Antonio, praca desembarcada da
escuna Lcgalidade pedindo os sidos que
se ibedevem do i. de Mareo lo I. d'Agoslo
do frrente anno.
dem do da a;.
Pito- Ao mesmo Exm. Presidente infor-
ii..iio sobre o officio do inspector do arenal
de n.aiinha pedindo a quentia de 58Uji6
ieis para pagamento dos toldos quenoexer-
i iiiu indo veuceio o a. tenente Romo Mi-
guis embarcado na escuna Fidelidade e o
M.ldado reformado de ai til bu ia de mariiiha
Antonio da Silva e os maiiuheiros Pedro
Antonio e Atoniu Rodrigues desembar-
cado da escuna Victoria.
Lito Ao stsao Exm. Prtsidene ro-
gando-ble para te dignar de mandar lemte-
ler thtzcuiaria os lunes de demarcaco dos
le renos de marinha requetilados pela cama-
ta aui.itiialj.ara legiadoies pblicos, |ia-
ra em vista <.o ccnttudo titiles jassar-sea
>Ltso.a cmara coa ludas ej declaraces o
titulo, que S- El. lem OettrainaO.
i,ilo Ao piLCurai'or fiscal aaiij-lefmdo o
seu ctbcio devb d'Agesto p. p. com a mlor-
inaco do tuminisnador da itcebtdoria de
rtndas internas juma acs autos que bavia
lcom paulado o acamo olLcio.
Diversas lieparticoes
ludo isto de bigotistro de superstico, e
fanatismo mando, que baja boma consa
chamada licenca na manga, em virtude da
qual o Frade alugue sua casa e nella habite
com privilegios e presumo proliGco de A-
braho : que os que nao podem fazer tanto
por causa do Reieitorio em sendo de tarde
aahio do Convento, e vio se recolbendo
mansa, e pausadamente cada bum a seu
''coi'1, como magestosos novilbos procurao
c,o Franciscana,
Se o Snr. Lopes Machado em o Diario 114
confessa que j;u bem acertei no alvo da
questo Fradesca nao deve exlranbar que
me nao appresentasse ero campo, enristando eo jr do sol os respectivos curraes i e que
a lauca, armado do elroo de Marobrino efpernoilando pela Cidade naturalmente oc-
** a sancta
escs e
e cono pro formula para as a-
e tristes paredes de seuscubi-
por capacete com buma hacia de barbetro .cupados em obras de piedade toda
laia de D. Quixote e duendo cara deseo- noite pela n anb vollem mil frt
berta Aqu estou eu fulano de tal para de-
sbravar a honra do Padre Guardio, e coro-
bater a tropa de Malandrios isto be j os se-
us insubordinados Coristas Assim era eu
asno para Be exppor s rasd'uuma Phalan-
ge e que l'halange !
-, ,
de
ANKUKCIOi
D'ordem do lllm Sr. Insdector se faz pu-
blico que Eca novan-ente transferida para o
dia 6 do correte mez de Outubro, por nao
tfrem bavidoconcoi rentes suffiientes a eu-
trega dos fovnecimentos da carne verde e
aguldente, para as embarcaces da armada ,
.pelo lempo j annuntiado. As pessos a
quena cada hum desles lornecimenlos possa
eenvir sao convidadas a comparecer nesta se
ceteria 1 m dito dia pelas onze horas da ma
nb munidas de suas propostas as qn-
devem declarar o preco por que poderem la-
zer o luri.eein.eiKo. Secretaria da inspeceo
do arsu.al de marinea de 1 tnianLuco 1. de
Outubro de 1:41.
Altxsnrire Rodrigues dos Aujos,
Secretarles
rBEFEl'IUBA.
O IHro. Sr. Piefeito d'esta commarca
manda fazer publico que na uoile do dia 3o do
p. n. mez foia aprthendido por urna pa-
trnllia do destriclo do corpo Santo a um
individuo t um garfo de prata j a pesaos que
seiulgarcom direito a elle eprezente-se na
secretaria respectiva ende lem de justificar ter
de sua propnedade. Secretaria da preleilu-
ra da commarca do Recite 2 de Outubro de
184i-
Claudino do Reg Lina,
Ohcial da secretaria.
O Administrador da meza das Reo-
das geraes internas, a vita ptla stima vez
a todos os moradores da boa-vista, S. An-
tonio e Retife pare que venbo pagar o
m 1 oslo do Ldco de sejes e carrinbos, di-
sima da tbancelaria sello de berancas, ai-
ras de btm de rais -, pena de te proceder a
exe< utivo centra os mistos cujos mandados
j se ai bao tirados para se proceder pinho-
ra. rltiebcdoria 4 de Outubro de i84i.
Fiancisro Xavier Cavaicante de Albn-
tuquerijue.
A Cmara Municipal d'esta cidade faz ses-
so (xtraordinaria no dia 11 do corrente e
ntste dia ii segunda vezempraca para ser
vendida a quena mais der o edificio q' serve de
cadeia nesta cidade ; eos terrenos adjacentes*
O Secretario interino,
Manuel Ferreira Acciole.
Loiitspoiicliicia.
Snrs. Fedactores
InsensiTelmente e quate essim por modo
de quem nao quer a cooza vejo-me metlido
na questfo dos Coristas Franciscanos, ques-
tao que alias nuilo ten escandallado ao
respeilavel Publico, e magondo a todas aa
pe.'soas que ainda sjmpatbizio com aa Or-
De Coristas e Co-
ristas Franciscanos, jovens dse ir penados
e naturalmente dotados de todo 0 calor C
toda a pujanca que Ihes d o Santo burel ,
ea boa vida', que Itvo I*ao nesta nao
cahirei eu. Huna vez que diga verdades ,
e nao offenda particularmente a niiguem ,
para que be e o que faz ao caso o saher-se
do meu norte P
Iva aiiha prirreir Coirespordencia oven-
turei proposijees gtiaesj e btm sabido he ,
que estas, querco |trttrjcem ordem mo-
ral solrtm suas *xctp(es. Lisse, que
geralmente es pais nao eor.sultao a ndole ,
voca ,o dos Libes para os dedicar profis-
so Religiosa porem sim tomfio-a como
meio de uescartbr-se delles como mera ar-
ru.1 ato como modo de vida vitto ser
mui custosa a acqutsico d'empregos pbli-
cos e o Cuiso Juiidico } nao oerecer tan-
tas vantagtns como no principio ; porque a
grande abundancia de Formados lem leito
aecrescer a precura e conseguidamente ba-
rateado muito o genero acbtrel. Isto
esta de acrordo com os priucipios da Sciencia
Ecconcmica. Mas nao se segu d'aquella mi-
uli.i primeira proposi^So que o Snr. Lojjes
Machado fosse iiifdihvelmente bum dos que
prcru asse a seu Fitbo o estado regular por
dficit ni ia de cutres meios di vida : porem
contentes ,
can hadas ,
culos.
A' vista
constantes,
destes fados to pblicos, to
e notorios quem rilo reconhacera,
que a proisro claustral nao est de accordo
com as lui.es do Seculo e com a geral edu-
ce cao da noss Mocidade ? 'A vida religiosa
he toda de cons irengimento de abnegaco ,
de penitencia ; e tanta be a submisso e
obediencia que .exige do Frade que este
nao deve ter vontade propria inteirameule
sujeita do seu Prelado. Ora digi-me o
mesmo Snr. Lopes Machado : qual he ojo-
ven des nessos dias a nao ser algum eslu-
persdo que a-sito fe submetta nem a seu
proprio pai ? C^ual o joven que faca caso
de tbecliei.cia e queira estar por talcarran-
cice ? Lego ou ibduzir os claustros a meros
retiros do ariii.ii.diu.enio, e desengao do
mundo ou acabar com elUs para que nao
sejo o i2ilo da mandriiee perahilhada e
de outras cousas ejusdeai furluris. Eis fran-
camente es ideiasdo
Cordato*
Noticiis Estrangeirac.
Londres, 7 d'Agosto de 1841
Extenso da ISave^acao por Vapor na Ame-
rica do Sul.
A leilura d'uma parte do reltorio da com-
missao da raza dos representantes dos Estados
Unidos sobre o estado da sua mirinha no
nao ncar qoe em muitos nao h vocaio qual se indica ao paiz a necessidade de tur-
antes se pede direr que o que os levou aos uar asuaes^ d .uw par proleccio
Claustros loi a abocado." (, pei~i-*-uie \ ou guerra mais ajr o lera o que me paiece expressiv0 ) |Gr-bretanha j e os grandes eslorSos leitoa
Tamtem nao ousaiei afirmar que o Fi- I n'este ponto pela Rusaa e tranya, dao at-
ibo do Sur Lopes Machado seja hum dos Cu- tual mente grande importancia addicional ,
pidinbos de bu.-el, e que losse toniveato na ( alm do mero aug.-ento de facilidades com-
rnsuboidinao de seus companheiros. Uem merci.es ) a toda a nova hnba de poiero-
podeser, que elle ltenla a boa educado os vapores que levao as malai d este para
que recebia de seu honrado Pai, ainda que out.os paues distantes, e particularmente
no meio do fogo lenha de.le sabido illeso par. aquelles d le.n do Al antico cujo com-
como hum dos meuiuos da fornalha de babi- mercij principal est amia e.n nsuaa maos ,
louia. Mas nada disto destie antes con- e que por esse meio mais se podara deieavol-
firma o principio que eztabeleci, isto he ; er e melhor se oos assegurara.
que a mocidde deste Seculo de luzes e de Por esta razio merece a mais plena elte.ivao
absoluta independencia nao he ezada para a cono empreza verdadeiracnente nacional a
?ida dos claustros. A Religij exie, qAie proposla pendente ha alguns aonos pira o
o Frade ( e n ais se he Franciscano) reja hum estabelecimento d'uiua liona de vapores, que
piototyjodebumildade: asluzesehojetem iouliiiae os actu es paquetes devela, e que
ensinad aos jovtns, que a humildade he selo proprios para a America do bal pfc|a
baixeza e que nao b nada comoon,bre qual entendemos o bemispbeno meridional
orgulho, que corresponde em grande parte "America ; e n'este intuito nos reerire-
ao que os nossos neioies chamavo desalo o mos a alguns documentos q nos chegaro do
e m creaiio. A Religio quer, que o Fra- Bwiil a semana pagada osquaes provo o
de se desapegue do auudo, e de todas as dezejo que tem o govetno d'aquelle paiz de
suas vaidadis; e por isso oidena que an- estreilar as suas relaces commeiciaes e poli-
dem amerlalbados em vida ; mas as luzes ticas com este mais do que cem qualquer
querem oulra cousa : as luies mando qoe oulro.
bum blbo de S. Francisco de Assis traga em Parece que pela nterveneo dVn cavalhei
ves de bordaleugos temaucos hum par de 9a- ro favoravelmtnte conhecido e na claco ao
paliohos de couro de lustro em vez de per- melboramentos materiaes do Rrazil Mr
as nes calsadas de boa meia de teja ; em Morgan da firma de Aikramau Morgan
vez de bum grosseiro chajo de (Quaker hum e Coaip, de Uiiaol censeguio do governo
cbapeozinbo fino, de bom pello aimado de d'aquelle paiz um contracto de tal natureza
fitas, cordets, e borlas, que mais garhozo que s elle podeiia dar cabimeuto a urna tal
e amaneiado nao o teria hum gamenho Ge- linha de vapores mixta de naval e de mercan-
oeral de Liviso ec dia de grande Parada, til, que s ella possa ser ncz para toJos os
A Religio a lgreja os Caonea a Regra fins que deve de preencher ; por que os vapo-
de S. brancisco oideuo que o Frade ande res inda que contrallados por urna cooipa-
enfiado em buma mal amanhada tnica de nbia particular coa ludo bao de tratera
grosseiro burei, ungida por hum pedago de .mmuia da Rainha lauto mais quanto el-
cordat as luzes dettrmiuao, que a mesma les leen de levar a bordo a mala leal, que
tnica tenba bum corle elegante, que pare-
ce obra feita por Modistas Francezas que
em vez de corda trago os bons fradinbos um
coido ni irabalbado e uedo a mamar-
tai sempre debaixo da proteceo d'um offcial
da armada e cajonadas de calibre sufiicieiiie
para protege-los no caso d'um rot(umoi.to
repentino de guerra ; fie.nJo sujeilos n'esle
Ibes as lelas ; e pendente d'bum pequeo ultimo caso a servir co lo vapores de guerra,
bolso a urea correnlinha do relojo de ma- e receber dentro ou fora do paiz a qual juer
neira que Lum deste biei Joven parecem noticia de momento commandantes e com-
quando assim se impeitigo e paiseso por pela equ ipagem de gente e pecas da armada
ai.iaicom a estrada da liberdads bem a- de Sua Mageslade j copssoquena execu^o
Lerta convidados para algum baile de cari- do seu con ti acto eui lempo de paz a titn de
caluras. A Religio e as Leis Monsticas later-se ao com aercio o beneficio a que el-
querem que os trades morem e perma- les sao lo emiuenlemeute destiuadjs e di-
ueco o maia possivel nos seus Conventos ( minuir-se a graude despea* di su* nianu-
Irequtulandoo Coro a Oraeo taludando (lenco elles devem tambera poder carregar 1
tc. &c, as luzes do Seculo bautizando a gneros e iazendas al urna cena somma as 1
quaes se no forem d'algum modo isentas nos
por tos estrangeiros das formas dilatorias a
que esto continuamente sujeitos os c*rregi-
mentos em narios puramente particulares ,
servtriao d erobaraco quelle promoto des-
pacho nos varios nortos em que tocassem, tem
o qual seria perleramente intil urna com-
municacio por meio de vapor que abraoja ,
como a proposta nove diflerentes portos de
:eis naces diversas.
As facilidades e immnnidsdes commereiaes
concedidas pelo governo Brazileiro a esta pro*
jectada linha sao as supremas vantagens do
contracto ; por que sem ellas nem teria sido
possivel obter-se prompto despacho dos por-
tos nem rpida ; navegavao -, e se os esforcos
particulares nao podes sem conseguir taes fa-
vores d'um governo to bem disposto a favo-
recer os movimentos do rommercio e d'uma
amigavel correspondencia nacional com nos*
co taUez de balele se teria empregado a di-
plomacia para alcancar to essenciaes vanta-
gens as quaes se bem que mutuas diffi-
cilmente deixario as mos d'ella de se tor-
nar objettot de ciume esuspeita nacional.
O pleno pt01 esto que barcos de vapor
d'um graude nanlo parto em determina-
dos p eriodos d'um poi l inglez para desem-
barcar e rece br malas assim para o exterior, e
interior,as libas ds Mdcira, Cananas, Cabo
Verde, Pernambuco, B.lna, Rio de Janeiro ,
Santa Cathariua Mente- Video, e Buenos-
Ayrts. Aa malas para o Maranbo, Para, e
outros portos da Costa bao de ser levadas pe-
los vapores Brarileiros que j exislem no paiz.
As malas Peninsulares ho de ser levadas
de Gibraltar e Lisboa Maaeira, e vice ver-
sa as malas para os diversos estabelicimentos
da costa d'Alrica e para os cruzeiros de Sua
Mageslade Britannica bao de ser levadas a
S. Vicente, id Cabo Verde, e as malas de
retorno serd ali recebidat.
Que se construia smente para este firn
seis grsudes vapores, que bao de dar urna
mala por mez, como abaixo se v, reser-
vande-se um barco de ordinario para os ca-
sos urgentes : partindo d'um porto da Ingla-
terra para as libas da Madeira Canarias e
Cabo Verde ( donde se poder despachar um
ramo para a costa d'Aliira Pernambuco,
Babia ieio de Janeiro Santa Catharina ,
iVJonte Video, buenos Ayres ; e voltando pa-
ra a tnglterra por .Moalo Video dama Ja-
ihanna Rio de Janeuo Babia, Pernam-
buco Cabo Verde Canarias e Madeira.
Pelos projectos airan;ados cada navio ter um
periodo de quatro semanas em Buenos Ayres
para fazer concertos e seis semanas aa logia-;
trra para o mesmo fim.
O Governo Brazileiro, em atleuco] dos
sei vicos que devem de ser executados pela
projecida cempanhia taes como carrejar
entre os portos do imperio urna pequea sox-
ma de toneladas, e uin limitado numero de
pessoas ptra a Europa a fim dse inslruirem
as artes, Bcieuiias, ou commercio por
metade do pagamento d'uma passagem ordi-
naria j agir eompanhia durante quioze
anuos ti,000 mil res poi cadi viigem mcnsal;
e lamLem lhe tem coucedido os privilegios de
ce negar geueros e passa^eiros u'um para
oulro dos 1 orlos do lmpeno, prompto des-?
pacho para os receber e desembarcar sera
embarazo alg livre imporiai;o Je todos os
artigos necessarios para uso e navegaco dos
vapores e isenco era t^do o Imperio do pa-
gamento de todos os direitos d'ancoragem e
d'outros quaesquer eucargos
Todos os paizes do muudo excepto a costa
occidental d* frica o Laljj e a cosa da
America dtsdeo Amazouas al o Prata, es-
to actualmente ligados com nosco pela com-
mutncacjo por meio de Vapor *, e ambas a-
quellas extensas e importantes praias pdem
ser serridas pela linlia proposta porque
nada ba mais Ltlivel do que faz-la corres-
ponder com oulra do Cabo e do JNiger ou Ser-
ra L., pois o plno e que o trouco princi-
pal tuque em S. Vicente ou alumaoutra i-
lha do Cabo Verde. Se isto se eieiiuar ,
podemos diaer-nos alados a vapor por lora ,
assim como estamos lorrados de ferro por
dentro.
As vantagens que o nosso Governo tirara
d'uma lat linha sao na verdade iocalcuia-
veis, a saber ponclualidade em tojas ai
suas commnuicacoea cora o exterior an Jan-
do sempre auuud.s ; depois brevidade e li-
mitavo de lempo a .. qualquer uegomacij ex-
terna pievenvo de aeiuiiilig'iuuas mui
d'eaieuaar ou alterar medidas ou lustrugtti
com rapidez, e de conservir u.ua conrauui-
caco quasi lelegraoinca com cda um dos
iissos vazos de guerra era IoJoj os mares
Allanlicos do Sul.
Nao nos consta que o nosso Governo tenha


-
DIARIO A E lENAlinCl
f
anda mostrado algutna proxplido em at-
euder as frequentes e urgentes representa
cees e petkes repetidamente feitas pelos ne-
gociantes de Londres Liverpool, Bristol ,
Manchesler, Birmingham, e de outras mui-
as cidades interr-ssadas nocommercio coro o
Liezil, Monte Video e Buenos Ayres \
mas podemos confiar que to importante oc-
cesio corno a que agora se ofiVrece pela roais
avoravel dUposkiu cima indicada, nao per-
naneier por grus tempo ero desprezo; tanto
mais quanto enciente que os preparativos
necesarios para a promptificaco d'uma tal
linha gastaro dous annos completos pelo
Henos entretanto que oGoverno de Fran-
ca ter os seus correios de Vapor para o Bra-
lil pro raptos at J-Jho de 1841.
OtOeito d'uma tal lir.lia de communkaco
fcLrecs desorganisadug stados de Montevi-
deo e Buenos Ayres, que ora consomem a sua
substancia n urna guerra tao sanguinosa e
desfruttiva da propritdade quaoto oblite-
rativa de tcdo o vestigio de bons sedimentos
de horcena para hrreos de civilisaco e
de amen io cessar segundo a noss* 0-
p nio pelo rstaheleci-i enlo d'etta commu-
nkaco por meio de vapor que obrar so-
hre elles como precursor da paz. Segura-
menie;}.(j(ie- m sustentar que toda a despeza
d'estas guerras recabe principalmente sobre
os inteiesses commertiaes e manufactureiros
d'este |>ai* sobre os intereses commer-
cises, porque aquelles paizes devem ao nos-
sos lu-goi'iantes a semina de muitos anuos do
seu co''fumo ; e quer oa negociantes nacio-
iies arruinados por estas guerras civis e in-
ternacionaes nao posso pagar quer aquel-
es que permanecem firmes pauemsem
rxoeda papel depreciada o interts-.e rnaiiu-
iacturei'o e martimo d'este paiz perde pela
grande diminuico que produz a sua pobreza
e estado de desordem ; a certamente se pode
aflirmar que pte.-umindo-se urna perda fi-
xa e irrev, j-avei para o nosso commerciode
1,000,000 Ib. at o presente, acresce urna
Lerda addicional de quusi 100,000 Ib. por
ruino pelo menos para este paiz pela con-
tir.uacso das disseni5es fratricidas de Buenos
Ayres e Montevideo e pela diminuico de
commetcio com elles.
INo procranos nos consumidores para os
ncasos genero manufacturados ? Nao ser
inipci'l.ia >hr.> 11Q4 iwmot em pai e me-
diarem duas naces que dominio & emboca-
dura d'um dos mdiores esteiroa de riosdo
mundo cujas feriis margena sao destinadas
a icceber milhes ou antes vintenas de m-
Ihoes de habitantes da Europa ? Nao de -
leamos nos abrir directas relaces commer-
riaes com um paiz fetil e bem povoado, qual
o Paraguay ?
Todos estes deiderato em nossa opinio
se pdero obter rnente pelo estabelecimento
d'uma rpida e bem regulada linha de vapor
como a que se tem em vista e qualquer Go-
verno que bzer Com que se eflectue esta em-
preza meieier a gradee i men los das mo do
mundo mercantil, e dos qne proroovem a ci-
vilisaco.
Lm quanto a nossa atiendo se dirige assim
rara a eu preza da navegaco por vapor na
Gonsalo de Souza Campos, e Antonio Jo
Giro Jnior; queira dirijjir-se a ru da
Cadeia do Recife loja de fazen la n. 17, que
( Traduzido do Jornal do Coinroercio de i se Ihe dezeja falar
Londres. ) GT A pessoa q
vegaca a vapor e cojos objectos sa actu-
almente to inacessiveis para elles quanto
est sem valia a sua abundante produeca.
LOTERA D3 theatro.
Os Bilheles da 1. parte da 7. L do The-
atro Publico cujas rodas ten o seo inrete -
rivel andamento no dia i2 do torrente a-
cbo-se a venda no Bairro do Recife em as
lojns dos Senhores Manoel Goncalves da
Silva Vieira e Gregorio Anttines Cam-
bista na ra da Cadeia velba ; e no de
S. Antonio as dos Sur-. A Ivs Guerra,
ra Nova Alves Bastos, Pracinba do Li-
vramenio e'Menezes Jnior ra do Col-
legio.
NOVA SOCIEDADE EUPUROSI&.l.
A Commissa5 Administrativa convida aos
Snrs. Socios a virem dar os noraes de seus
convidados para amauh 6 do torrente a
Partida que a mesma pretenda dar no dia 9
do correte.
1 1 1 nai
A.visos Oiv^jsos.
ty A galinha da minha visinha sem-
pre mais gorda que a miuha diz o autigo
rifaS ; aplico el cont, Muitos sao os
panegeristas da Coropanhia do grande Thea-
tro do Rio de Janeiro : o Jornal do Commer-
cio e outros vem diariamente retheados de
elogios ( talvez encomruendados) aos actores
daquelle Theatro, e o mesmo arontice com
oa actores .Porluuezes do Theatio dos Con-
des ta5 elogiados uos peridicos da Capital
de Lisboa ; mas haver quem sem paixa e
s por espirilo de maledicencia negu o m-
rito de alguns dos nossos actores do Theatro
de Peroambuco? haver quena melhor de-
sempenbe a parte de Margarida de Bargonha,
Buridan e mes mo Gualter na Peca a Tor-
re de Nesle ? poder-se-ha representar me-
lhor do que a Senbora D Joiniia Viara de
Freitas Gamboa seu marido e San.
Gama e Cabral ? nao porcerto: os uossos
actores sao ptimos e capaie* : se nad todos,
os piiacipaes ; e s Uies l'alu amor do pu-
blico, e protecca do. governo para rivali-
sare Janeiro. Contii; o Sor. Empresario a tr
em Scena Pecas iguaes a Tone de Nesle -
e Dous Renegados appareca sobre a S-e-
d suplante com seu taleuto Uramatico o
pequeo numero de seus antagonistas anti-
pticos e o publico acordar da sua letarga,
arnera os ac;ores Irequentar o Tneatro e
talvez que o governo provincial tona; pule
na afeivo publica e frequenle o Theatro :
eiso que a meu verlaltos actores do Tuui-
irode Ternarobu-o, para dcixir cojjp'.eta .
mente satisleito o
Extasiadj.
tsr Quem precizar de um c-xeiro para
entrada da ma do Rangel loja de
America do Sul, nao podemosdeixar de coa- {** a7#^ c .
f,atularn.-nos ,,eU navegacio a vapor do P"eir> Secretai.o di Soci-dxle
Amazonas, que o Hraiil ora p .rece tambera I Apollma aviza aos Surs. Socos da mesma ,
deze.oso de p.omover como um novo triun- quea Commissoa Administradora i traba.,..
5o paia a nossa pocba de civilisaco e com- ooje 5 pelas 6 horas da lards.
_ pessoa que preritar de urna ama de
caza para t^do o servico de parts a dentro ;
dirija-se ao Mundo novo catan. 3*
tgr A meza que actualmente rege a Ir-
mandade da Matriz da Boa-vista roga a to-
dos os Snrs. que receberao cartas da meza
pnsssda para contribuirem com suas esmollas
para as obras da dita Matriz, e que aiud nio
satifizero diguem-se dirijir as respo^tas
das ditas cartas ao actual Thezoueiro Jo:e
Affonco Ferreira.
cr Qualquer Snr. SacerJote que quizar
ser Coadjuttor da Freguezia a. Nossa Sidra,
da Paz dos Aogados ; annuncie poiste.n
duns Capelanias mui boas urna nos Domin-
gos e das Santos e outra as Q untas feiras
dentro da Matriz alem disto tea o terso do
que rende a Freguezia e a meta Je da deza-
brga ; a quem convier dirija-se ao mesno
Vicario na mencionada Fre;uezii dos Alio-
gados rczidente em a ra do Motocolomb.
Bf" Preciza-ae de um feilor para um sitio;
a tratar na loja de Carioca Si Selle na ra
do Queimado.
%gr Furlara do sitio denominado Jcara ,
antes de chegtr a agua fri uma cabra bi-
xo, malhada, dos ubres gran les, quen d'el-
la der noticia leve-a ao sitio assi na ou as
5 Pontas U. 1 a que recebar o adiada.
u O Snr. Theolonia Tiburtino Coiro
Dantas queira fjzer o ^or aparecer em
Fora de portas, para se concluir certo ne-
gocio quJ ss Ihu faou a dois ou trer
mezes.
- Os Snrs, Au'or.io Fer.-unli's da Costa .
Felis dos San'.os Jo.o doi Stntos *Ma-
noel Joaquim Ramos ; queiro por obtiquio
hirem ou mandares atrs do Theatro ar-
mazetn de tabois de pinho junto aa sobra
do concluir o negouo que trataro.
- U Snr. Manoel Jos Pereira de Amo-
rim \ drija-se ao forte da Mallos na ra
do Coido ii venda n 7 para, recebar uma
carta viuda do Abrac.
CT A viuva do Cosme das Trevas Teixei-
ra avisa ao re3peilavel publica que anda
continua na prossio ( de ar.nadar ) < seu
falesciio marido; acha-se preentemeute coa,
soriiinenloa paiM urna espleudid* armario
i para roque o He rece o seu p'eslimo aos anti-
I gos freguezes e aos que bao de concorrer ,
assegurando-lhes serem bem servidos, nao
s em armaces, como ero prejo muito coro-
modo
SS5" Preciza-se de um preto velba qussai-
ba coiinbar odiarlo de um* caza, ou urna
preta velba forra que nao exceda de t a 8
mil res men^aes no bsco da Pol D. 6
Sjy M noel Antonio da ailva Molta ven-
de ou &lu,;a caza da ponts de Ux a
,jUJl est pintada de uovo, tem excelente ba-
nho ; qu'J1 a pretender quereudo exaain.-
la para -er os c0modos entenda-se coro o
memo.
, ..^.v p... ^ O abio asignado coaproa mMo
vendT, 00 para qualquer arrumaoo ; diri- bilbele.o. 0068 d* I. parle da 7 *"***
- Theatro o qual pcrlence ao ^r. l-rancisco
de Paula Bautista Carneiro aorador no
Ico.
queira fazer o obzequia de ir na loja de louc
na ru* nova pagara qnan'.iaj de quatro rcii o
quatro centos reh de cujo he deredor na
raesma loje proveniente de lou?* que comprou
ero Novemhrodi i i4> portenn de um mez;
enurma mais aparieeti ; tenia ser seu nome
publicado por eX'enco.
tST Da-se 25oU a juros de dais por sent
o mez sobre pindores da oara ou prata ; no
patio da Santa Cruz pideri 1 D. 4*
vr Aluga-se o andar do sobrada que
lem reinaco de assucar na praca da Boa-
vista pelo mdica preco de oito rail reis
mensaes : os perten-lentes dirio-se o pri-
meiro andar do mesmo sobrado ou ao c.ir-
torio do eserivo Reg, na ra das Tria-
ebeiras.
SST Aluga-se oarmazm e tolos os ands-
res da casa da ra da Paria, coi frente pa-
ra a ra do FaunJeg, grandes cammolas
ero todas os and .res quen o perten rure na ruada, Cideia Velba, 35, par
tratar.
aar A quem faltar un paoagiio dirija-to
as 5 pantas casa D. 3 q'-e dan lo os signaes
serlos ser entregue.
3^ Oerece-se para ser ama de um ho-
rnera solleiro um preta faTa capaz
de bons costuroe* quero precizar d;rija-a
ao beco qs Qca por detraz da ribeira da H01-
Vista.
-- Roga-seaos Srs. abaixo declarados 59
dignem em quanto ante* de vrem a rm do
Queimado D. 3. Antonio Bernarda de Le-
mas Anidjr d Araajo Pessoa Joo Pe-
dro Gomes Cantea, Oeraldo Antonio da
Roza, e lienriqne de Araujo Jardo.
S9* Um branleiro cazado e caro familia;
sabe bem ler escraver e contar IJereces-
se para caixeiro de qualquer caixari* me-
nos a que Ihe seja obrigado a dormir ellecti-
vo lora de sua caza : a pessoa que o preten-
der dirija-se a ra da Hartas D. 4* ladi
do paente,
tiT Aluga-se umi caza bai com jane!-
b>s de caixiihos, bons commoJas cueinlia
ora e arranjos pira escravos e pira caval-
los, quintal murado, cacimba e porta 1,
com porto d'embarqua cita a margena da
estrada e parlo p ponle do Vlangainha ;
fallar com Manoel Pereira Teixein mora-
dor em seu sitio p?.rta da dita caza.
xsr Quem precizar de um caixeiro portu-
guez idailo 10 anuos pira ra ou arraa-
zero de assucar ou mesmo tomar canta de
alguma vend por bilan;o do que di co-
nheclmento a sua conducta ; dirija-se a ra
Direita O ao lado do Livrameato.
C^ Da-se 5oU rs. a premia sobre psnfia-
res de ouro ou prata : nesta Typograpiia 19
dir quem os da.
... Joa Coello d Alroeida retlra-se
para o Aracaly.
tsff- Aluga-se para passar a (esta uuies-
ccllente caa m commodos, nalug.r do Cordeira ,. a frente
do sitia do Sr. Gabriel: a fallar na ru 1 No-
va loja de ferraba D. i3.
I3JT Na paderia do Arco de Santa Anto-
nio canlinua-se a rodar exeeente pa e
bo'.axi a 100 rs, a libra e bolaxi por ar-
roba a u56o rs.
mercio.
Parece que a Cmara dos Deputados j ha-
v > r
C9> Quem liver pira alugar uma ou
duas escravas psgando-se mensalmenle deis
l'arete quea jamara aos laepuiaaos ja a- ... \ ,. Ao -,- .
,V4\ir 1 cllTf, pm,K mil res dando-se-lbe de vistir e asseve
va ronceorio a jlt. J. Slurz em ioo, 10- i" __: ..1,
"" -i randn-se o bota tratainenta ; nnnuncie pelo
dosaquellts privilegios e impunidades que nao se "* 'iim nlipdfli
u Diario ou dirua-se a uitimo soorauo ua
eio bietisos para nduiir uma associacao a ,uano ouuuij
" r r : 1: ...: viuva do Peixota. as 5 ponas a tralar a rs-
tbr esta luvegatao, com o principal intu- v,uv', uw C,AU'U r
lo de eslaLeleier urocomisereio de pass?gem Peit0* ,4,.,Ur,
1. i- vi u .', ,i^. ss" Preciza-se de uma criada para todo o
ora a Bo ivia Moxo PeiUt e parte da ^^ B jr~.u*aA*.
SuaLia e Venezuela. Pelo ultimJ correio servico de urna^caza $ na ru. da Gamboa do
olirazil, consta-nos que o Senado tinba dis^ Carmo sobrado de a andares.
cutido tste piiuligio por Hez dias consecuti-
Freciza-se alugar um molaque ou
1

l
cutido ti e pil'ingio 101 wee mas cuusccun- j n Ut. n .<;
Z eo qualse tfnbo opposto mais por es- preu 1 na Praga da Baa-v.sta D .5.
vo u 1 r ^^ TrasDaca-se o armazem na ra da
pinto de patudo do que por ouira causa al-! ^Hlala o bem conhecida Joio
GUa9 menb.es das prounnas nertod.enaes Pr. a, aonde es
oe S. Paulo e Minas Geraes o, quaes nao JjJ^pV \ d bja.%sta n. ,0.
sendo diiecumente ate.essados no d senvol- i^9.^, se a fell. ou
vimento do norte, se tinbao proposto a ero-| ^ A^ f/com afJPreJ de frcUs', .
parpar. ins particulares odezejo do Go- J'"^ u"|0 da p ,. da Magdalena ,
,e,no de lealuar este grande plano. I oda- n"^0 quem o perteuder. fale ao
viaas^uioaslolhasque ,.- P?.-o ^ q J
lieientes queorajbztm u-. -.- -r- t d s ,, Uel albe a ra do
lLi. ifin..B. nos ^ ..moto, serlots por a ksde a ^j ^ ^
,. acb.nma.cnto de ser chamado, ao c,r- Bgo q CM. do Sor. Mi-
culodas^Ces.omme.c.antes, tendo 0.0.1- ^^L Kodr.gues Franca, ou na
jiostotipr. se esorca.em e e.os de 6 ^ LivrameSlo loja de fajeada,
eimulaiem es seus estagnados productos pe- praemna uu j
a, eHeinmisobje-tos *^"'"f0' i'J*' Seado Histo nesta Prafa os Snrj.
tea que Ibes sera teiecidoa por esta na- \ r jcuu r
Joo da funha Magslbi?!.
C^ O Sr. que tirou urnas carias por en-
gao do (orreio viudas di Lha de S. Miguel
no biigue T iumpho Ameri.ano para o Sr.
Manoel Francisco Botellio, queira fazer o
favor de as eulregar ni ra do Livrameato,
i,r.nasemdeloua D. 10, ou auuuacie a saa
morada,
tsT Precisa-sede alugar uma preta que
seja 6el sem vicio para tuda servico de uma
caza capa? de pequea familia ; qu^m a tivul
equiser allug? airija-se a ra nova n pa-
deiia ib.
t^. Quem pretender alagar uro moleque
de 6 anuos sem vicio propia pira servico de
caza dirija-se a ra de Santa Rita Nova D.
13, lado da Ijreja.
tST" No armasem n 1 ra da Senza la Velna,
N. silero para verder dezacets pipas vaziis ,
casco Portuguez proprio para aguarJeole,
Precisa-seta iug*r uma casa em Aj>ipu-
eos para passar a test* que lenha 3 quartos
quema quiser alugar annuncie.
_ Aluga-se peto lempo da 3 ou meies
dous molecoles espertos para veuderem ver-
duras com condico de se ihes dar alem do
sellarlo a roupa uecessaritse comida } quem
os tive dirjase ra da Cruz N. 140, que
acliai com quem lr W Quem qui*r comprar uma meza da
Luro bstanle grande par Jprovo cmodo ,
na ra do Nugueira D. 4.
i^5 Roga-se o Sr. M. F. de B., qui l.uste.
ssf* Receben-se alumnos para primeiras
letras e lalim por uro prepo maia como la
que em oulra qualquer parte } assim como
leciona-se em casas particulares das meamas
faculdades; advertiodo-se que lambem re-
cebem-se alguns gratis que seus Pas na>
posso recompensarem : a pessoa que a is'o
se dedica tem bastante pralica e muita ac-
tividade, e aproveitaroento mastru ; quemo
prensar annuncie.
__. Quem precisar de 5ooU rs. a juros ,
sobra penhores de oura ou hoas firmas v a
roa do Roiario larga D 9 q' se dir quero
os d.
ar Na caza de pasto junto ao Theatro ,
preciza-se de uro* pessoa quusiiba marcar
bilbar.
As velas de carnauba nnunciadas
no principia do atierro das Aflojados na
casa em freule da sobrado do filecida Baplis-
ta vendero-se a ito a libra simdo ero
porco.
ssr Uma Senbora capaz seofferece en-
sinar meninas a ler escrever, contar co-
aer e bordar todas as modas da fazer ores;
edourar tudo com pereico quem do seu
presumo se quixer ulilizar dirija-se a ru
doQaei 1 a Jo loja II.
uf Precita-Sm de um rapazvq->e lenha ca-^
iihecimc.ia de botica 0.1 mesno pira a-
irender : na ruido Razario estieita, boti-
ca de Joao Pereira da Sitveira Tratar do- s-


DIARIO BE PERNAMBDCO
m
m
Qnem annunciou querer comprar a his-
toria Ecclesiaitiea queira annunci.tr a sua
morada.
tsr A viiiva de 3oSo Carlos Pereda de
Burgos vendo o annuncb que sabio no dia-
lio de primeiro do torrente no qual se di*
que o prcto Antonio da Costa anda escon-
dido em seu silio do arraiai roandou exa-
minar todo o litio a ver fe o descobria e co-
mo o na > aehasse nem o menor indicio de ter
estado ali dito escravo. fai est declaracio
para indiligencia do publico e particular-
mente ao annunciante a quem ella faculta
para completamente varejar o litio e desen-
gaarle dessa infundada suspeita.
tsr O dono do trapiche do passo do Zan-
gue partecipa so publico e particularmen-
te aos Srs, de Engenbo que costumo man -
dar ao dito trapiche caixas ou outros quaes-
iuer objectos de engenbo, que ero. conse-
quencii dos grandes reparos que tetn feto
nesse passo armazem e trapiche nao pode
rontinuar a roceber os diversos objectos, que
j.li mandaren* pelos antigos precos e que
de ora em diante dever pagar os seguinles;
freles no Recife e direitos de trapiche por
cada caixa de assucar 3aoo direitos por ca-
da caixa aooo tambores, aguies e &c. 800;
o dono do dito trapiche espera que nao obstan-
te isto os Srs de engenbo continuar a p-
proveitarem-se de tio til passsgem poden-
do contar que se empregan todas as cautelas
e cuidados para a melhor conducho e conser-
vado dos ditos objectos ; lembra porem que
como d'anles, elle no se responsabelisa pelos
riscos de mar e do rio.
Avisos Martimos.
res, genebra barril com toucinho de Lis-
boa em salmoura carnes ensacadas, pre-
suntos do Porto e ingieres barris de man-
leign ingiera e de p rco sacas de arrot ,
frascos coro fructa condiJa pecegos ,e peras,
doces de Li'boa passas masas queijos ,
.cite de dsffereites qualidades t vellas de
spermacete e stetrinas, caitas de charutos ,
jabonetes e todos os mais precisos para du-
penca ; na ra do Vigario armaiem de Mi-
randa & Pereira n. a5.
tsr 4 libras de prata] boa e una par de
brincos de filagr : nesta Typografia.
tsr Charutos de boa qualidade e por pre-
co com modo ; ne escriptorio de E. Schacffer
na ra do Vigario n. 18,
tsr Ou troca se por um bom escravo a
essravas de naci que cozinhao, engommo,
e lavio : na ra da senzala velha U. al.
tugueies, de todos os tamanhos e chegados
ltimamente pela Barca Tentadora pois he
obra mui rica e boa as quaes tero concorri-
do muito para a sua extracio na ra nova
loja de ferragem D. l3.
tsr Para fora da provincia urna escrava
cabra engomma e coziuba ; na praca da
Independeni 1 n. 1,
XSf", Uro pardo escuro bom pescador de re-
de e tarrafa \ na ra do Vicario n. J.
OT Duas ramas de angico com os seus col-
xoeus, e travisseiros urna cadfirinha de
parafuzo com assenio decocbim propria para
costura cu pianno urna guitarra com boas
vozes urna coleco de inappas geograGcosem
muito bom estado tudo por preco commodo;
na ra de S Rila nova D* 18 lado da Igreja.
tsr Urna cabra bicho muito manga boa
de leite por ser a primeira barriga e a cria
he muito nova no pateo da S.Cruz padaria
. 4.
tsr Caixas de cha grandes e pequeas ,
PARA O ASSU com escala pelos portos
dos Toiros e Caicara o Brigue Escuna Na-
cional S. Jos de superior marcha forrado
e aparelnado [de novo 5 quem no mesmo barricas e s-cos com tutelo barricas com
quiser oarregarou ir de passagem para algum fumo para charutos, tudo muito novo e de
dos portos dirija-se ao Capillo Ricardo da boa qualidade, e preco commodo ; um car-
Silva Neves a bordo, ou a Delfino Gonsa Ivs rinho de 4 rodas para dous carillos, com
Pereira Lima na la nova D. aa no segn- j pouco uzo ou quasi nevo, a .ver o carrinho em
do andar. casa do segeiro Miguel no principio do atter-
PAR A O ACARACU ate" o da 9 do corren- ro da boa vista e a tratar dos precos de tu-
te o Patacho Brasileiro Emulaco; quem qui- do em casa de Matheus Austins & Compa-
ser carregar ou ir de passagem dirija-sts ao nhia aa ra do trapiche novo n. 12.
Coi>\io a Loio ou a Mancwl Gonwlvci da \S3T Un cs tarcos, olla ut lina vista ;
Silva na ra di cadeia do Recifei I trata-se com o EscrLvo Fereira na ra dss
PARAO ARACATViahirno dia 12 do Trio che iras L>. 18.
corrente por ter parte de sua carga prompta tsr Urna casa de pedra e bal na roa do
Lcm conhe.-ida e velleira Sumaca Nacional Amparo em Olinda L). ta, a tratar na ra da
Dfjmira Mcslre Jos Joaquira Al ves, quero Cruz do Recife venda D. I\7.
quiser carregar ou ir de passagem entenda- I tsr Urna parte de sobrado de 3 andares na
se com o dito Mestre ou com Antonio Joa- ra da cadeia do Reeife n. 41 o qual est
quim de Souza Ribeiro na ra da cadeia do avahado em 16:000,000, e rende presenle-
Recife. > mente annuil 1 750 000 ; a tratar na ra no-
PARA O ARACATY segu isopreterivel- I va U. 26 no segundo andar,
mente o Brigue JYJaihilde no dia 10 de Ou-' tsr Um cavallo costanho com bons an-
lubro por ter parle de sua carga prompta, dares ; no pateo do Hospital O la.
e estar dito navio comprometido a sabir com I tsr Duas pipas vaziis de Lisboa e um
a carga que tiver a seu bordo pouca ou mui- relogio de algibeira boro regulador na ra
la neste da pof ter trato feixado com os car- de S. Theresa venda D. i3.
regadores recebe ainda aIguroa carga-, quem tsr Um fardaniento completo para guar-
quiser carregar dirija-se a Joaquim Gousal- da naciooal de cavallara e lodos os pcitences
tsr Umi casi terrea sita na estrada do
coredor do Rispo bastante prande com
quintal murado ,com alguns arvoredos com
terreno adjicente na rente para se levantar
urna pequea casu ; a tratar na ra de !>
Francisco defroote da cadeia D. 5 no segun-
do andar.
KST Superior e nova farinha de trigo SSSr
e SSF de Trieste, e Americana Potassa
da Russid e charutos da Havana ; na ra do
Apolo armazem de Augusto & Cimpanbia
tsr Urna propriedade de casa de um an-
dar e soto com 3 meias agoas no quintal,
sita na ra de Hortas D 65 ; a tratar na ra
do Livramento D. ao lado da ra direita.
tsr Farelu de nova moagem e de supe-
rior qualidade a 3ooo o saco de 3 arrobas .
tornando-se aoo rs pela volta do saco n fa-
rinha de trigo das conhecidas- marcas XXXF
e XXX ; na fabrica de arinha do atierro da
boa vista*
tsr Urna preta moca cozinba lava e
he qnitandeira urna dita por 33o,ooo, urna
molatinha de idade de ia a i3 annos, saben-
do mui hero coser e fazer Ittvarinto um prelo
perfeito cozinheiro de forno e fogo um dito
trabalbador de sitio por estar a isto acosiu-
mado } na ra do Fogo ao p do Rozario De-
cima 25
BT A casa L). 14 de dous andares e sotao
com estribara sita na ra dasCiuzes, em
chaos proprios ; a tratar na serrara de vapor
ou com Elias Baptista da Silva,
tsr Um cavallo castanbo grande de bo-
nita figura e bastante manleudo ptimo
para tarro ; na ra do Sol D. 8.
tsr Travs de 3a 35 e 4 palmos, en-
chamis de ao, a4 ea5 palmos e de boas
qualidades por preco commodo ; na vendada
quina de palacio velho.
tsr Charutos da Babia em porco e a rela-
Ibo por preco commodo ; na ra da Cruz
D. 4.
tsr Uma escrava de naco de idade de ao
annos, engomma bem, cozinba e he lava-
cieia uma moleca de naco mossambique ,
de idade de 15 annos, cose admirarelmente
e he recolhida 3 escravas mogas cozinbo,
lavo e engommo dous escravos sendo
um bom canoeiro dous ditos por preco com-
modo e um di'o para todo o servico um
bom pagem e dous pardos sendj um hom
pedieiro ; na ra de agoas verdes U. 3.8.
tsr Oenebra em fraqueiras da melhor fa-
brica de Lebredam em Holanda por preco
muito em cunta ; na na da Cruz 4*
tsr Um forle pianno de boas vozes por
preco commodo ; na ra da Cruz O. 4*
ciaco Xavier das Chapas fuio um eiewvd
creoulo de nome Sarafirn de idija de a*
annos cor e corpo recular official de pe-
dreiro jaqueta prela de duraque e calcas
azuesdo meroo e levou alguma roupa bran-
ca ; quem o negar leve ao Snr. a cima no
atierro dos atTogados em um armazem de sal.
tsr No dia orimeiro de Oulubro de 839
ugiodacasa de Jos Alexandre Ferreira,
um escravo de nome Martinbo alto cor
bero preta canoeiro, e quando anda tea
geito nos ps por cauxa de uma trilhadura.
No dia 14 de Outubro d 1840, fugio do
mesmo uro moleque de nome Termozni,
tambera creoulo de idade de i3 annos cor
fula cabera comprida quem os pegr leve
a praca da boa vista casa D. 1 pegada a botica
do fallecido Joo Ferreira da Cunha que
rereber 5u^>oo de gratificaco por cada um.
tsr Desaparceos um mes poueo maisoa
menos do lugar da Soledade um pardo anpa-
teiro de nome Damio escravo da viuva
de Jo5o Zurrick o qual levou em sua com-
panbia duas pardas mi e filha a rni cha-
ma-se Clemencia e a Giba Anna de cuja de
um filho desconfia-se que esteja ero algum
sitio a titulo de forro ; quem o pegir leve a
ra da Florentina na ultima casa do lado do
nascenle que se recompensara.
tsr No dia a6 de Selembro deste annj
fugio do engenho cume debaixo freguezia
de Iguarassu um moleque creoulo de no-
me Braz baixo, echtiodo corpo, cabeca
grande e puchada para traz olhos grandes ,
ventas chatas representa ter de idade 11
annos 5 quem o pegar leve a Olinda na ra
do baldo na loja do sobrado do Snr. Cunha ,
que ser recompensado.
tsr Em 24 de Julho fugio um negro de
nome Miguel creoulo alto corpolento ,
cor bem preta e parecido inda rapaz e
sem barba eja foi visto com bonet qne uiao
os ganhadores ; quem o pegar leve a ra da
senzala velha casa n. a no segundo andar ,
ou na ra da cadeia loja 11. 53 que ser re-
compensado.
tsr No dia 17 do p. p. fugio um preto de
nome Virginio meio bucal alto magro ,
moco cor fula ps grandes, marcado do
becbigas denles limades, com uma argola
na orelba, camisa de algodo de meia manga.
e ceroulas da tresma qualidade ; quem o pe-
gar leve a ra Formosacasa do Capito Ma-
ximiano Francisco Duarte que gratificar.
tsr No dia 1 a de Selembro p. p* desapa-
receo um prelo de nome Antonio de naco
baca cor bem preta altura regular denles
nao unidos e encunados para fora falla al-
ves Ferreira na ra da cadeia D. a4 00 se-
gundo sudar detronle do Snr. Luiz Gomes
Fereira.
Compras
tsr Um palanquim em meio uzo, que nao
seja de forma antiga.; qutm tiver nnuurie.
t^r Uma mobilia em hom estado um
candieiro de meio de sala, e uma mesa de
iantar ; na ra do Cabug loja de fazendas de
Alanoel Uuarte Ferro.
tsr EscravOl de a 1 bos os sexos com ha-
lislidades ou sem tila? e com vicios, e sem
elles de idade de la a ao auno* e agra-
dando pago se bem ; na praca da Indepen-
dencia D. t.
tsr Um moleque que tenha 18 annos, de
idade, e s iba coznhar o diario de urxa casa}
jja ra ESlfei'.a do liozario do lado da Igreja
obrado de 2 andares que tero as lojas tend
Je a lidia te
Vendas
*. .r Urna escrava de bonila Ggura sabe
cozinhar engoicroar, e com principiu de
costura se for par o matio ou para iota da
provincia melbor ; na esquina da praciuba
do Livramento n,o sobrado por cima da luja
que foi do Snr. Herculano boje do. Sur.
JBaslos.
Um boro sorlimenlo de caixas de mas-
do cavallo ; na ra nova D 9.
tsr Uma preta do gentio de angola, moga,
cose bem engorema e cozinba na ra da
senzala nov n. /\,
tsr Aparelbos de porcelana Gna para cha,.
ditos azues de mesa duziis d: cbicans dju -
radas frascos de boca larga de diversos ta-
manhos ; na ra nova loj de louca dtron-
le da Conceico.
tsr Uma poreo de charutos superiores a
laoo a caixa e uro pap^go muito tallador,
eda-se a couteulo por b dias j no beco da
pol D. 6,
tsr Ocntulbo, que est depositado na
praca da boa vista ; a tallar com o adminis-
trador das '..brds da Matriz di boa vista.
Rozel.s de ouro esmaltadas de dile-
sas finas e sortida com 4 qualidade^ em ca-
da caixa naiticas de bolaxa dius com bo-
iaxa desoJa, diiescomdiu americana, di-
na com strvrj'. 1 viiibos engarrafados 1 i co-
ren tes goslos para senboras e meninas uma
corrtnte de ouro para senhora e um relo-
gio lambem de ouro muito chato e pequeo,
e Jmageusde diferentes vocacoeus ludo do
Porto e por reco commodo j na ra do fa-
gundes D. 4 sobrado de um andar.
tsr Uma nova e excellente casa ao poco
da panela a maigem do rio com duas boas
salas 4 quartos cozinha fora e um belo
e espacoso quintal cercado de limo, com
porlo na fenle e ootro no fundo do lado da
ra da poeira com Arvoredos de di
versas (rucias do melhor gosto e lugar no
oito da casa para um pequeo jardim; a Ira-
lar na ra da cadeia velha no primeiro andar
da casa n. 54*
tsr Sacas com superior farinha de Mag e
Sorui chegada recenlumente do Rio de Ja-
neiro ; no armazem de A. F. dos Smtos
Brega na ra da Motda n 1^2,
tsr Cadeiras americanas coro assento de 6uoia couza fauhoso, tem diverjas marcas de
palhinba ditas com assenio de pao, camas hechizas celcanhar rechado, foi vestido de
de vento de amarelo muito bem feitas a 45oo, calcas e camisa de algodozinho trancado
ditas de pinho a 35oo, e piabo da Sucia azul ja desbotado e com chapeo de couro }
com i poleadas de grossura, e dilo serra- q"*00 o Pl'Sar ,eve a sea. Snr* Miguel Jos
do tudo mais em conta do que em oulra Barbosa na ra do Colegio sobrado onde tem
(.parte; na ra da Florentina em casa de J. o Paco que faz quina para o arco de S. An-
Beranger. ln que sera gratificado.
iST Duas pretaa mocas de boa figuras, co-' tsr Fugio uo dia 37 de Selembro um
sera engommo e cozinbo, uma dita por P'elo d naci angola } de nome Fortunato,
33o,ooo cozioha lava roupa e be muito de boa eslalura de idade de ao annos sem
boa vendedeira ea iroleques de idade de barba algum com algumas varrugas 110 pel-
la a 16 annos j na ra de agoas verdes casa to do p levou vestido camisa e ceroulas de
terrea D. 37. -algodo da trra, e chapeo depalhe ja velbo,
tsr m cavallo rudado muilo bonito e quem o pegar leve a ra do caldedeiro sobra-
novo carregador baixo principiando a ero- do de a andares 5 que ser gratificado ,
purrar ; na ra das Cruzes cas* do lelojoeiro adverle-se que o escravo he oltiro e canoeiro.
francez junto a TypograGa. \ tST No dia 1 do corrente ugio um negro
tsr arinha de araruta da melhor sorle de nome Benedicto, creoulo, he canoeiro,
u'timamentechegaJa, por pre.o commodo, baix c,,eio do corP Pernas uas loaa
e cb de S. taula j na quina da ra do Roa- no meio do reg do peilo uma sicatriz grande
rj0 q, e levantada levou talcas brancas e camisa de
tsr. 14 s.ica de goaima muito alri e de riscado cor de rosa roga-se a qualquerSor.
primeira qualidade a oito mil rs. a saca; na 9" o leato eropregadoem servico de canoa ,
ra do Queimado loja de ferragens D. 5. ou ero ootro qualquer pois elle lem o cos-
tsr barris com vinbo do Porto de supe- tome de dizer que be forro o queira pegar
rior qualidade ; no armazem de Francisco e mandara sru Sr. Wanoel Jos tiuedes VJa-
Dias Ferreira no caes da alfandega e em ca- gnlhes da ra do (ueiroedo D. 4 no segundo
sa de F. Al. Rodrigues firmaos, na rm dos 8"dar ^e se pagar todo o trabalho.
tanoeiros n la.
>*, c^> Chales de^eda do ultimo gosto che-
gados ltimamente de tranca ; no atierro da
boa vista loja de fazendas L). 55.
Cf Alel de abelha urnj a 480 a garra-
fa sem o casco j no for le do mallos ra do co-
dorniz vendan 7.
tsr Uma negra creoula muito moca e de
linda Ggura cozinha eo^omma e cuse com
perieicau ua ra do Crespo loja D. 5 lado
do norte.
tsr U.r.a escrava de naco angico de ida-
de de 35 annos cozinha u diario de urna ca-
sa e he quilandeira ; ua ra do Crespo D. 3
lado do norte.
jscravos jFuridus
tr JNo dia 3 do coi tente da casa, de Fran-
cr Desapareceodo sitio de Jote Joaquim
Bezena ffa passagem de Magdalena o prnto
Manoel congo baixo, secco pouco ladino,
meio lula Klevou vestido calcas de brim bran-
co jaqueta de riscado pardo e escuro, $bas~
tante larga e chapeo de castor branco velho ;
quem pegar leve a ra direita em casa de
ljuacio irmo X-vier ou no mesmo sitio.
IST No dia 17 de Agosto do crreme anno,
fugio uma negra de nome Izabel de naco
congo levou veslido de chita azul com ljre:
amtelas e panno da costa, be baixt, (e
bem preta cara redonda, pernis finas bei
eos grossos uma licalru na testa em cim
do naiiz fazendo urna pequem meia la
quem a pe jar leve a (.idade de Olinda juuU
a l^reja do Amparo tasa n. 5

UEC1FE NA IYP. D M. I. UE
---------i i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EU54ZJQAE_9GRPRH INGEST_TIME 2013-04-12T21:43:53Z PACKAGE AA00011611_04317
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES