Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04305


This item is only available as the following downloads:


Full Text

m
Anno de 1843.
Sexta Fera 20
luJoapora ile| rndr t na mmiuus; di musa prudencia, moiteragao, r enrrfia con-
uucinoa cunio principamela, e iercoioi apouiailiia com adanrayAa rnlre IN'acoaa aiaia
uLtas. ( l'fiiciamaij.iii da Asserahleia teral do Basii.)
PAUTIDAS DOS COKRLIOS TERBESTRS
Goianiia, c Parahv/ba, s.-_;aii.1,! e senas feraa. Kio Gramle do N irla, quimas leiras.
Hnnii e r.arr.nhuns. a 1i' e '4.
abu Serinhicn Km Form.no I'irlo Cairo, Maceio, e AUsoaa no l8, || e 21.
Roa vi-tae Florea a i e 2 >. Santo Win quintas feiraa Olinda Iodos oa diaa.
DAS DA SEMANA.
46 ~e|> a. Marliniano M Aud do J dr I' da 2 t
47 IcijJ. Florexlino I! Fri Aud do J de I, da 3 T.
S Qu.rt s Tryfon.i M' i.d do J a* l>.da 1
9 t- vi. i Perlro -te alcntara B Aud du J. da D. da 2. r.
20 : ex a. Amrli'i >l Auil .lo J. de l> da (. a.
Si a, ,. Irsula V M Re. Aad do J. da D. da T.
32 "a-. Sania Mara Salome' '
de Outubro
Anno XX. N. 211.
O UlallO publicase taxVM na diaa q-ie n o forera S .nlifi>a.la: o pra>? da aaaijaalora
Oa annnnoa -loa asaienante no inaeni
de tres mil r*is por quartel pa-ua idianlailoa
Kiaiia aoa dna que n.io f>n
Ridaa a aata Tip ra da C
palia aoa d.ia que n.io fonal a raa de >0 rea p l",,M '*"a*q**l deaa "J*"'"
Votas N. 14, ou apra a da In.lepenencia loja delis-roa N.6a.
CiliciosiNu da I!) de Oulubro
Cambio obra Lomlra> }b {i |D d. OoaVO-tUadl da o.tllO V
H faria7j reupur franco* a a a N.
a Liaba tlU por lUUdapraauo a da A.UOO
j PaaTa-Pataooaa
M eda-dacobia l por canio. Fama Coiasnarta
Ida* ue lenas Oa iva, nrmaa i a 1 1(1 ;;. ditoa Mf tnaaoa
PH&SES DA LLANO HEZ DE OUTUBRO.
Laa Cbeia a 8, uSauftti l7 la maBS ll.ua ora a 3, .a 5boraaal G da
Qaart. saine., l6, 1a il ouraa 30 la m J ijuart raso. 30, oa taa da a
Preainar de hoe.
I. a 2 horas* a 6 aa. da aaanxa |"2 boraa a 3 Ira. da larda.
cosapra taada.
'.6 5 M 17 700
16 JdJ 16 500
y SI.I
i 801) : h2il
l,>lh> i 8 O
l,'.Ol) ..S.I

o.;

MBfA.il
Oa^
PBTE 0FF3CIAL
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 11 DO COMIENTE.
Officio Ao inspector da (hesouraria das
rcml.is provinciaes, ordenando, i|ue mande por
3.4 vez cin pracn a 2.a parle do 8. Lnco da es
(rada do Po-d'alho visto, segundo informa ,
nao lerem apparecido licitantes na 1.*, e 2.a
Dilo o juiz interino da 1.a vara do crime.
determinando, que pafcwe substituir aoda2.a
na vara do-t feitos da fa/.enda de <|U0 elle se a-
cha enearregado e i) quanto durur a licenca
de qum/e dias, que llie foi concedida pelo Pre
sidente interino da Relacao. Ordenou-sc ao
juiz interino da 2.a vara do civel que passasse
substituir na vara crime ao ju/. licenciado ; e
esto cominunicrao-se oslas dispoaice.
Dito ^o inspector da lliesour.iria das ren-
das provinciaes, remetiendo as condi oes espe-
ciaos para as oliras da 1.a parte do 10 laen da
estradi da Victoria, oreadas em 19:9998 a-08 rs ,
liin do que mande por cm arreinatarao as
mencionadas oliras l'artici|iou-se ao Emge-
oheiroem cliefe.
oiiini'iii(ii>das Irmas.
EXPEDIhNTE DO DI A DO CORRF.NTE.
Offi.-io Ao Kx'ii. I'resulen'e enviando-
ihe a relacao nominal do- individuos, que vo-
luntarios, e recrulados assenlarao praca no me/,
de S teinliro ultimo.
Dito Ao m-snio E\m Sr. remetiendo-
Ihe, cm cumprimento do seo officio de 3, a no-
ta das (iracas, e reerulas, que einl.uroiiro para
fofa da Provincia de Janeiro ao ultimo do Se-
temhro dcsle armo.
Dito \o eo ntna.id inte do Int.illiao d'ar-
tilliena. cmiaihlollie o roquerimenlo do ran-
cis :o (on-.ilves do K>|*0 para que mformasso
solire a sua protoiKao, ouvindo o udical agen-
to do hospital.
Portan.i Mandando demittir o soldado
d'arlillieri.i VI a noel dos Santos Leal o abrir
assento de praca ao aisano \ nlentim Ferreira
da Silva dado como suli-tituto pelo dilo Leal.
DEM DO DA 5.
Officio Ao K k 111 Presidente informando
o roquerimenlo do ponnanonto invalido Fr.m-
cisco Xavier do Freitas, qu pedia licenca para
residir no^eio do sua familia na provincia do Rio*
Grande-do-Norto, aloque obtivesse reforma,
para que ia ser proposto.
Dilo Ao commandanle interino do 2 lia -
talbaoda guarda nacional do miinicipiodoReei-
fp acerca da da Fonseca, que servia na qualidade de cabo no
batalhao de infantera de guarda nacional des-
tacado.
Dito Ao capifao Canbal commandante
rio conligente de Irnpa \indo do Norte no vapor
t'aqucie -do-Sul com di roer o ("Orto para
que ontregasso ao portador destea praca que
se cima doentc a bordo a lim de sor recolhi-
rla ao hospital, devendo fazel-a acompanhar da
competente Ruia.
Dito Ao commandante do batalhao desta-
cado ordonando-lhe que fi/.esse muncinro
destacamento dos Aflojados na raso de 10 oar-
tuxos embalados por praca, a fin de so poderom-
pregar no sorvico da polica do lunar e ropelir
qualquer tentativa, ou resistencia dos crimino-
sos as diligencias.
Dito Ao commandante do dopozito re-
metiendo Ihe as guias dos permanentes invli-
dos Alvaro do Luna Freir o Francisco Xavier
tes issentamenlos o a vista dellos passasse as
fes d'ouT'io, que dovio ser annexadas a i ropos-
ta do reforma.
Dilo Ao mesmo, mandando organisar em
dupp cala a conta, do que se estava a dever no
anno do e\i rcieio findo ao permanente inva-
lido Francisco Xavier de Freitas.
Portara Mandan lo excluir, com guia de
pagsngein do depozito para o 2 lotalbao d'ar-
lilboriaa pf* o I sargento addido Joaquim
Garca dos Santos
Dita Ao commandante do batalhao d'ar-
lilbpria, para rocohor o sargento mencionado
na anterior portara eempregal-o como ama- ter acabado o seo ngajamento.
nuense do hospital rcimonlal fie indo dis-
pensado desto sorvico o srjenlo"Magalbcs.
n l a 3 e relaco respectiva, pertencentes uo
me/, do Setombro passado.
Dito Ao mesmo Kxm. Sr. remettendo-
Iho as guias de 27 pracas do hatalho dartilhe-
ria, que ombarcaro para a Corte no vapor Pa-
quete-do-.Sul, o d/endo-l'ie, que das 89 pra-
cas desembarcadas da charra amazonas em
Jiilho doslo anno apenas restno 1 \ porte-
rom embarcado para a Corte 09 fallecido 1, o
desertado 5.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. remetiendo-
Ihe a conta da despesa feila p do subdelegado
ile Pedras-de-Fogo, com o destacamento, que
all eslevo no anno passado juntando conla
os esc arecimentos pedidos segunda ve/, pelo
commissario fiscal.
Dilo Ao major commandante interino do
2 batalhao d'artilheria para que (i esse jun-
tar ao ajusto de contas do soldado Joo Jos Ro-
hdrigues, copia da guia que Ir mee do Hara-
nho declarando ao mesmo lempo, se regulou
o valor da clapo pelo que foi arbitrado nesta
provincia em falta de esclarecimientos na guia,
ou se pelo que regulava na do Maranho.
Portara Mand .ndo excluir, com guia de
passugem para a Corto o embarcar no vapor
Pagele do Sul 27 pracas cujos nomos so
incluiro em una rolacSo que se Ihe enviou.
DEM DO DA 9.
OicioAfn. Prcsi lente enviando-lhn
para ser presente ao (Invern Lnnerial com sua*
observaces, a rila a d is pncas do exercto .
6 do exlincto corpo de permanentes, que oro
propostas para relonua em consequenc.ia db
se haverem tornado invalidas no sorvico.
Dito>o mosirio Exm. Sr.. enviando Ihe.
para ser paga,a conta do fariJamenlo, que se es-
tava a 'U'vor ao cabo Pedro de Alcantra que
tivera deinssfio da companhia de artfices, por
dem do da 0.
DitoAo mesmo Exm. Sr informando o
renuorimenlo do 1.* cadete Francisco do "sales
Dutrao \ndrade que pedia doirs me/es de
OfficioAo commandante do batalhao dar- Inenea para ir a provincia do Rio Grande do
tubera romeltondo-lhe os aswntamontos do Norte iraclar de arrecadar urna hpranca.
almoxarfe de lamarac Alexandre Simulo da i DitoAo mesmo Exm. Sr. informando o
Cruz, para que os averbas-e no competente l-,r-(|uerimenio doex-calio d onquadra Joaquim
extrahindo depois a f d'olfiio (|ue de- Ferreira
vro
via acompanhar a proposta do reforma.
dem do ni a 7.
Officio Ao Exm. Presidente enviando
Ihe,para serem oncaminhados a Secretara d Es-
quo pedia, so Ihe nmeedesse passa-
no va-
gem p ira a corte ( (Fondo 6 natura
por Paquete '/" Sul
DiloAo Exm. Commandante das Armas da
corte reineltendo-lhe o cooselbo do averigua
lado dos Negocios da Guerra, os map as de cao perlencent; ao soldado Amaro Jos dos
FOLHETS
0 CAVALLEIU NEGRO.
Episodio histrico.
i.'
D. JoSo, o Torio.
Mancebo ainda. porcm vainille o generoso, o-
ra o mil do 0. Fernando, o emprazado quan-
do tomou as rodeas do ..voriio. Nunca os reve-
ses destruas suas esperancas, antes o lenta-
vao. temi imi mais conta vencer os maiores obs-
tculos a pro de seu povo que desructar rega-
lados festejos; masnein por issodeixava de ser
ateicoado a rUvertimentos e ao fausto o part*
cipar dos pblicos reuo/ijos, atavindose uom
ricos vestidos bordados de ouro e perolas, o que
fasio realcar sen porto nobree maneiras engra-
sadas. Ouandoa guerra c Ira os motiros o
nao apertava arda era desejos do mostrar a
forca de seu braco; v.iava aos tomeos cober-
to d'armas luilaas, e por mais de urna vez o-
brgou a beijarein a arena eaforcadoa paladinos.
-ra%|iaes senhores queconcorrerao
Internas, que alborotarn o rei-
erao
Entre s pr
para as rovolta_-.....
no durante a menoridaue d Airooso il.
os mais temidos e Influentes D. Joao Manuel,
scnbo.de Vllhena e pai da Ranha I). Lonstan-
ra.o o lamoso infante I*. Joao. o lorio. A ^rro-
ftajicia emenosprecocom queestfl tratava ate os
nobres da mais elevada jerarclla, o conslituiao
urna casta le ly ramio, aborrecido de todos, mas
a quum lodos leniio por seu desmedido poder,
pois comoaiviUo doAUonso obiiuna ptS --1
privanea desto, e a Biscaia o reconhecia por se-
nh.ir. Tempo havia quo no coraco abrigava 0-
dio mortal contra o rei, o seu enioallivo e tur-
bulento so esperava propicia conjunclura de ar-
rancar abertamente a mascara do lealdadecom
que so encobria ntrodusindo-so no enlanto
com manila na confianca de I). Joao Manuel, o
qoal olhava a amisade do infante, com. mu re-
curso nao despicicndo paia chegara mandar tu-
do. Os enredos occultos destes cortezos nao
escapava penetrante sagasidade do rei, que
justamente desconfiado do infante comecava a
deivar de o tomar por confidente, sem comtu lo
o apartar de seu lado, porque reeeava dar-lbe
occasio para novos disturbios, quando era tao
necessaria a paz interna, o voltar todos os es-
f ireos contra os mauriscos d Andaluzia.
A hava-so a corte em Valhadolid; o mes-
ma hora quel). Alfonso recebia na sala regia do
paco as vassallagens da nobresa. passeava I).
Joo Manuel, de semblante carrejado, pelo cor-
redor immediato em cujo remate ficava urna
espacosa oseada de pedra serventa dos quar-
tos inferiores:nao tardou a apparecer nocl.no
della o senhor de Biscaia, que rep irando quo
estomanado estava o suu ainino. Ihe disse :
Quo novo cuidado vos molesta, senhor de
Vilhena?...
llagaiella !. tornou esto em voz baixa
Que havemos de faser agora ?... Ignoris quo o
rei ja so vai por a caminho?...
<( Que diabo dixels!... E para onde vai el-
le?...
Para Victoria rom toda a corte.
K isso vos contrista ?... Em Victoria farc-
inos o quo estava talhado para Valhadolid.
~ Mu; c que lesbc orden para sai: h.o-,
jo mesmo para as fronleiras da Andalun'a
<( Pelo olho quo mo falla que nao parece se-
nao que o re adiviiha uossa* tences.
| E preciso buscar-mos refugio.
Bom dedi/er buscar refugio... mas co-
mo?
<( Becolhendo-nos a Vilhena.
E seo re vos mandasse prender dentro de
Vilhena, o degolarcomo vassallo rebelde?...
Que mo dirieis sendo levado a passo gravo pe-
las ras manietado entre lusido acompanlia-
nhament de guardas, esc.utando as santas ad-
moestaces do compassivo confessor? E dahi a
pouo. ao divisar o patbulo bom empinado, e
em cima o alentado carrasco prepaianuo a for-
ra menta___
Alto ah. senhor infante; que nao hei tre-
pado ta alt quo tenba de soffrer lo desalina-
dos pronsticos: lomai tonto nao se vcriflquin
na vossa pessoa.
Cousa essa com que 'arde ou redo devora
contar os que ando. como ns-oulros reme-
xendo ronspiraces.
Eucreio queem loledoestarom issexuros.
Eeudigo-vos que era Toledo tereis o mes-
mo desastrado flm que em Vilhena.
K O domo vos levo o a vossos vaticinios...
Pois onde que iremos parar ?...
Ao Arago.
Percebo, percebo... Almazan fica na raia
desse reino.
E 6 lugar seguro para urdir ousadas em-
prezas,
Siui, sm... E emquanto o ciierreiro ala o
gumo da espada nao (altura alguma donzellj
formosa...
Passos que pretenda servir como 2 cadete ,
afi n do Ihe dar o dovido destino, visto que
a ;J de S'lenSro qiiando embircou dito sol-
dado o eonselho nao se ach iva concluido.
Dito \o director do arsenal do guerra di-
sen lo-lhe, quo pelo hatalhio I a.-iilb iri.i Ihe
serian anresent tilosos soldadosDiogoJos-doRe-
go,e Joaquim Jos da Ro lia. p ira serem exami-
nados as respectivas offi inas iolormando
SS. depois sobro a capacidade prolessional de
ca 11 um para so poder elfo :tu ir a passagem,
quo requoriio, pira a conpinhii de artilces.
DiloAo cbi'fe do pohcia re liciten lo-lhe
os assenta montos de praca e signaos de alguns
deserlores.
DitoAo mesmo. aecusan lo o recebimen-
to de dous desertores do batalhao do infuntara
de G N. destacado
Ddo>.o Co'ii'iiandanle da companhia de
artfices ordenando-lhe quo remetleste para
oarconalde uerra os quin o pares de botins
existentes em reserva e dan lo-lhe o esclare-
cimrito, quo podio a respeilo daduracodos
botins, qu, oro distribuidos as pra,as.
dem do da 10.
DitoAo Exm. Presidente informando o
requer ment do permanente Francisco Xavier
ile Freitas quo a S. M. o I supplicava a
morc do o reformar o ao mesmo lempo con-
ceder-lhouma penco em componsaco do seo
estado de invalides:, provinente de graves fe-
rimentos recebidos em combato na guerra do
Panellas.
Dito\o mesmo Exm. Sr. informando o
reqiierimontodo Alleros reformado ;iguol dos
Anjii.s de Mendonca, que ao Governo Imperial,
supplicava o pagamento to I:2l0o000 que
seibo osti a dever de vencimentos atr.sadis
constantes da cautefla passada pela tbesou-
raria.
dem do da 11.
DiloAo Exm. Piesiihmte informando
o requei intento do M jor Fernando da Costa ,
que ao Sol-rano einpoirava a niercO de annu-
lar a reforma, que jiilj^a iminerecida cora as.
indemnisa4es devidas.
rhesouraria da Fazonda.
EXPEDIENTE DE 2 DO COR RENTE.
OITieio Ao Kxm. Presidente da provincia,
informando sobre o do director do arsenal de
gueri a acerca da rubrica a, quedevia ser leva-
vi
bis tuds res senhor d? Viihen.
Quo arnenise com a luz do sous olhos a tris-
te solidao daquelles bosques....
Encantadores se ,'is possesses de Almazan
so a.untaren) as fasendas d'Alc >cer.
Kiiirn .crpe vos inorda o coraco !... Sois
um hornera incomprehensivel. .disse o senhor
de Vilhena. retirando-se,
x Ajuda-mo lu a conseguir a man da bella
herdcira d'Almazan, depois v-lo hemos...
disso por entro os deutes o infante quando o
corapanhoiro ia dcscendo os degraus da escada.
Neste passo o confuso motirn, que provinha
dos aposentos interiores prendeu-lhe a atten-
Vo; e ni breve apiesentou-se na galena o Rei
seguido de brilhante comitiva de nobres. he-
lrfdo que foi curta distancia do infante este
se adiantou o podiu-lhe a mo para boyar; o o
re lhepe'guntou:-B. Joo, queris acom-
panhar-mo a Victoria ?
E porque nao?... A Victoria e a loda a
parte, senhorresponJeu cora alguma turba-
cao.
Basta... (juntou o rei) tu lo a cavado. Se-
ris meu amigo, infante, quando mo houver-
des provado com actos leaos o parentesco qu*
contigo leudes.Passados poucos minutos to-
da a corte segua caminho.
2.*
0 passo do Zadorra.
Nao muito longj da estrada real que vai de
Victoria a Salinas, e no sitio ondeoutr'ora duas
renques d'azinheira: vedavo entrada ao raios
do sol apeava-seum guerreiioc entrigava o
corcel a seu creado: trasia calada a vise-ira e
capacete tinto de negro; da mesma cor era toda
a armadura : de crep luctuoso tmha coberto o
iiinll.i rli ..inilii U iiiiL'nlar m ondnavaiA anhraa


I
da a gratificaco mnnsalde 49oo) ra., que ven-
cid o segundo tomento refere ti j i> Francisco
dos Santos, por estar em, re.ado no labora-
torio.
[)lo Ao Contador da thesouraria parti-
cipando, ein consequcncia do offlcio do Kxm.
Presidente da provincia de-20 te rtembro po-
limofindi, que. em ruwprim uto no imperial
aviso de 2 do Acostte e decreto ilo 9 de Janei-
ro Jo correte anuo ter tom ido po tado juramento ein inenno da 2) le Setom
bro o pro* br -I t si 11.. n un mJo por car-
ta imperial oio D.) ningies >li Silva.
Dito\o eo ii.urs-i rui fiscal d> Ministerio
da guerra tritailo a rom.-ito do pagimonio ,
que pora provincia 'lo M .rmho se lo/, a oous
individuos.que capturnio o soldado Joao Viei-
ra de Albuquorquo desertor do bjtuluo ex-
pedicionario desta provincia.
PortaraAo t'ies turriro da azenda, para
aceitar epigir no diado venc ment. cuno
deterniin a ordem do Iribun il do lliesooro pu-
blico nacional de 1 tdaScteinbro prximo lindo,
letra, q le ano npanhava do 2:000 rs. que
na mesma data sacou o thesoureiro geral do dito
thisouro a oito dias precisos a favor de Leopoldo
Jos da Costa Araujo,
Dita\o inesmo dem a do 4:500S rs: iduin
de Pedro Nunes da Fonsoca.
Dita-rAo mesmo idom a de8:000j000 rs.
idem.
DitoAo mesmo idem a de 5:280$ rs. dem
de Manoel Ignacio de Oliveira.
dem Do di v 3.
OITloioAo director interino do curso jur-
dico de linda participando que em vista do
seu ollii-io de 2 do crreme linlia dado os pro-
videncias para na recebedora de rendas ge-
raes se rereberem as tatas das matriculas dos
alumnos d'a pi<-Il- rur-o at o da 10.
DitoAo administrador da receliedoria de
rendas geraes internas, determinando, recebes-
se as laxas das matriculas, de que trata o prece
dente officio.
DitoAo inspector da thesour.iria das ren-
das provinciaes enviando os livros do lanca-
mento da ilecima dos ba nos do llecifee A lio-
gados, relativos ao 1 semestre do anno fn n-
ceirn de 18 13 h'.i\ afim de poder ftatwfa/er
a requisicao do Kxm Presidente d i provincia ,
e promover cobranr.ada divida que se adia-
ra em atraso.
Dito\oprovedor da saude duendo que.
para poder dar soluco ao seu offido de 2 do
corrente que acompanhou o do inspector do
arsenal de marinha como termo de visloria.
a que se procede pelo mesmo arsenal no es
caler d'aquella repartico, precisava que
nlormasse, se era indispensavel a substituido
do dito escaler por outro maior e qual a des-
pesa* que rom elle se poileria fazer; porque *
verificar se esta necessid ule convinha nao des-
pender cun o existente maior quantia al que
o Governo Imperial teliberasse, e enviusse as
las ordens.
dem no da i.
3
maraca que requisitou e-n offijo de 9 de Ju-
nho prximo pa-sado.
D;to Ao director do arsenal de guerra par-
ticipan lo .|-|.. e n cumprimenlo do officio do
Kxm. Presidente da provincia de 3 do corren-
te ficava a su a disposiclo a quantia de 101 < 100
rs. pira as despesas do assentamento das grades
r|eferro, qnededao ser collocadas as janel
las do hospital rgimen tal.
Dito \oengenheiro em chefe, encarre-
gado 'la dem irradio dos terrenos de marinha .
I.nolven lo os documentos de Jo^ di Silva Xe-
ves. el). Fnndse K iiilh de ^Ihuquerque
Mar anio, que d-viao ser en lerecados ao Kxm
Presidente da provincia pira oliter os despa-
chos definitivos dos terrenos que requorerao
no lugar de Fra de-portas.
Dito \o mesmo idem de Manoel Anto-
nio da Silva Molla idem na ra de Apollo.
I OEM DO DA G.
Offido> o Presidente da provincia remot-
lendo o nrcamenln da plvora que se gasiava
nesta provincia em tres me/es com declara-
dlo da que existia m ser.
Dito \o inspector da thesouraria das ten-
ias provinciaes para dar as suas ordens ao
thesoureiro d'aquella thesouraria pira roceher
nesta por conta da thsoijrara provincial das
\lagoas, a quantia de 2l30(i0, conformo exi-
lio em officio de 17 de Agost Ultimo.

317
PERNAMBUCO.
-4. lUtII
ELKICK) PROVINCIAL.
OfficioAo Kxm. Presidente da provincia,
nfm-mando sobra o fli -io do Commandaiite das
anus, queacoupanli iva com a guia e coma ,
do que se devia ao sollado da V coinpanhia
de aridheria Joo los Rodri ues.
D'lolo Conmino I inte das .irmas envan
do o assentamento de pr ca de Alex.mitre Se-
mino da Cruz almoxarife da forla/ela de la
a citnrira do elmo plumas bastas e negras \
posluia de tal campean, que manifcslava i tre-
pide e animo fogoso, e a alleneao rom que o-
Ihava para a prxima omite de can aria indica
vodosejos decoinmetter arriscadas pioe/as, uu
de levar ,'i leli/. termo aventuras com cadas.
Fra mu desses dias que 0 AT mso de as'cl-
la dosrjando fasrraiardo dn guerreos, que o
eguiio aos combates percoiria nscamposde
Arriaba. Com elle eslava a flor dos cavalleiriis
de Victoria Trevinho, ataviados com a precio-
sa facha carmesim, que Ibes Conceder oreieni
piemin de leranhas obradas emita os inflis ,
sendo os priiicipaes I). Hnralo de Alendo a
com sua cola de perlis iie oum; o valoroso Mon-
dibil, sopeando o mesmo catnllo que as mar-
gena do Guadalhorce fra ravalgado pelo pos-
gante sarraceno Osmin; eo invemivel I). Lopo
de Vendanh, cujo brioassaz era denotado pela
lottra de seu escu>lo: sempre cartel ao mais for-
te. A cortez amabilidade do principo enthusias-
mava estes animosos aventrenos, e ainda mais
a demonstraco de confianca que Ibes dava ,
pondo-se em nios debes quando ardia o rei-
no inleiro afilado por enredos de grandes. Mus
Alfonso bem conhecia quant i era amado da
maioria da nobresa e sabia que os fidalgos fi-
is na guerra, que Ihe suscitara si u esforcado
competidor o monarcha do Arago, se oppo-
aerio sempre a entrada deste nu territorio das
duas Casteilas eelle os premiara com a insig-
nia da ordem dla llanda: o romo ocavalleiro.
ypurac'i gral protvd-d* na Cmara
muntripal desta Ciiade.
Nomes. Votos
Pedro Francisco de Paula Cavalcante de A. 672
Francisco de Paula Cnvalcanle de A. 002
Sehastao do Reg Barros 6' i
'ienvenulo Augusto de Magalhaes Taques i75
Manoel Francisco de Paula Cavalcante de A. 40 V
'oo Floripes Dias Rarreto 450
Francisco de Paula Cavalcante do A. L. 45 V
los Thoma/. Xahuro de Araujo 4V8
Francisco Domin^ues da Silva 4:I9
'oao Baptista Pi reir Lidio Jnior 433
Vlexandre Rern irdino dos Reis e Silva 431
\nton;o Peregrino Maciel Monteiro 431
Ignacio de Barros Brrelo 41
\fvaro Barbalho LVha Cavalcante 39/
IVIis Peixoto de Orito e Mello 390
Francisco JoSo Carneiro da t.unha 388
los Bento da tamba Figueiredo 383
.los Telles de Menees 373
Fram neo do Pan'a Baptista 3tM
Manoel J aquim Carneiro da Cunha 30(i
Francisco Rarbo/.a Nogueira Paz 363
Francisco Ferreir Brrelo 36%
Manoel Mendes da Cunha A'evedo 362
Bernardo Rabellodi *ilva Pereira 350
Joo Jos- l'erreira de Aguiar 3V7
Jos Bernirdo Galvao \lcanlorado 3i7
Antonio Bipt'sti '".tirana 343
Manoel de Sonsa Teixeira 3-19
Jos Pedro-la Silva 338
Vnlonio Mlonso Ferreira 331
Custodio Manoel di Suva Goimares 327
Miguel do S iiramento Lopes (i una 325
Pedio \lexandnno de Barros Cavalcante 325
loaqiiiin Jos di Costa 32-1
Fiancisco Jos de Medeiros 317
Antonio Jos de Oliveira
Supplentes.
Lourenco Francisco de Almeida Catanho 31 i.
Urbano Sabino Pessrta de Mello 313
Antonio Joaquim de Mello 312
Francisco Xavier Pies Barreto 310
Lidro Francisco de Paula Mesquita 310
Joaquim Manoel Vieira de Mello ,'{0
Joaquim Nunes Machado 303
Manoel Teixeira Peixoto 302
Joaquim Teixeira Peixoto de Abreu Lima 299
Lourenco Bi/err Cavalcante de A. 29 I
Manoel Ignacio de Carvalho '.endonca 293
Felippe Lopes Netto Jnior 292
Tiburlino Pinto Aa Almeida 288
Joao Paulo de Carvalho 281
Joaquim Francisco de Faria 280
POLICA.
Dia 18. Teve destino pelo subdelegado
da Boa-vista o escravo Manoel. Kxistem tm
custodia a dispnsicao do delegado Lourenco
Barbo/a Franco, Francisco Xavier do Oliveira,
6 Manoel Alves, a do subdelegado de Santo
Antonio Miguel Joaquim de Carvalho e An-
tonio Sutcro
Dia 19. Forao presos, ordem do sub-
delegado da Boa vista pelo inspector da ra da
Santa Cru o guarda nacional Jos Gauden-
cio d'Almeida e a do de Santo Antonio pelo
inspector da Rihoira o paisano Felisberto Cor-
roa da Silva. Kxistem en custodia os prezos
mencionados na parte antecedente.
DIARIO DE PERNAMBUCO.
DMA NOVA VISITA A' OFFICIXA K'eNCADERNAR
DO B. P.c FRANCISCO COELHO DE LEMS.
Ji n'oulra occasio nos consigramos um ar-
tigo nesta tulla ao melhoramento que entre nos
havia experimentado a arto de encadernar e
aos esforcos inoansaveisdo Sr. Padre Francisco
Coelho do Lomos na excellente ofili ina que elle
dirige ; periu boje que acabamos do visitar
este estabelocimenlo urna segunda vez e que
onservamos o progressoquea arte tem feito as
mosdeste homem perseverante, nao podemos
resistir ao deverquo nos iiupdem a condicod.
escriptor publico, para n'um jornal que hi de-
senovoannos sustenta os inleresses do paiz, in-
citara nda urna vez o inlaligavel artista a pro-
seguir alentado no caminho do apereicoa-
mento..
Muitosvolumes promptos a sair Ja officina
turemos nos as mos que s5o sem duvida um
primor d'arte, nao s pelo gosto e elegancia dos
ornatos, mas pela solide/, e elasticidade que elle
da encadernaco qualidades que mais que
ludo os amadores apreciam. K nao. adiamos
que asencaderncoes A francesa sao perlera-
mente execulauas, mas oque mais he, encon
liamos n'algumas que elle labricou de Lntasia ,
a ervos salientes, o goto mixto anglo-hollao-
de/, que sao um modelo d'aceio e de bello a.
Sobre ludo oque mais nos maravilhou, loi
o acert com que o Sr. Padre Coelho de Lemos
lem conseguido os seus dourados sobre as lollias
e o couro tanto a amiga perfumado como a
ingle/a transparente, sem lalhaalguma, ed'um
bruido admiravel
N'uma cidade romo a nossa onde, a par de
tanta cousa que nos falta, ainda nao temos urna
m 11 mimwmmu
fiindicao de caracteres e ornatos d'imprensa .
vio-se o Sr. Padre Lemos obngado, parasats-
fa/er algumas pessoas que delle oexigiram, a a-
rir sobre planchetas de bron/e vanas placase
ttulos capitaes, que teve a complacencia de
mostrar-nos, uns dos quaes j fguram e outros
tem de figurar em jomaos dcsta cidade cujo
trahalho revela sobremodo o talento e gosto do
artista.
O Sr. Padre Coelho de Lemos tem adiado o
meio d'extrair todas s ndnas e sordidez de
quaesquer livros antigos, restiluindo Ihes o al-
bor pnmit.vo e tiinbem de tornar immudavel
o m irmorisado que elle d ao couro.
As iilliin-is dse iberias foitas em Inglaterra o
Franca quedan ao couro de be/.erro o pro-
prio cheiro e feilio do couro de Moscovia, con-
vidain os bons encadernadores do toda a parlo
do mundo a se provrem desle couro excellente
para as suas offcinas. N6s nao dimitamos por
tanto que o Sr Padre Coelho de Lemos avi-
sado hojepor nos, se ja um dos primeirns que
aqui o appresente e que nos d o gosto de ver
as suas cncadernaces elegantes em urna en-
voltura quo satisfaz compiectamento dous de
nossos principaes sentidos a vista e o olfato.
Dando assim conta da nossa ultima visita ao
estabelccimcnto do Sr. Padie Francisco Coelho
do Lemos, nao levamos somente em vista au-
xilia-lo rom o nosso (meo contingente na hon-
rada prolisso a que elle se da mas julgimos
tainbein que indicando o meio d'boje pusuir-
mos os nossos livros perfeitamenlo cncadema-
dos o que he ja urna necessidade algum ser-
vico com isso prestavamos ao publico c com
espocialidade a todos es amadores.
A lan doga.
'endimenlo do dia 19......... 7:436S920
Nao ha descarga para boje.
rioso reinado llin prraaglava o coracao, enca-
ninfiava-se/i po .le d Ziil'-rra, que lava urna
campia tao aprasivel com # as mais jocundas
que a imauinarao pode delinca em seus impul-
sos creadores. Alindo de si, e eiubevecido no*
ilesiumos (pie p istoque elidiris, prestes havia
de por em pralira, nao reparn (pie indo na di-
anleira alguns ravlleiros. como biledoie* e
desroberta. tisero parar os gineles entrada
da ponte. I). I.'qio de Vendanha que so ebe-
K011 delle, upoiiiou-llie o cuvulleiro da negra ar-
madura.
A meu res|)eito nao vos di^assocegueis
(responden]; ser lalveimensagciroque da Itu-
inha me venha Iraser novas.
E nisto, o sum rijo da tuba da guerra leriu os
ouvidos dnquella fidalguia. e tolos a um lempo
com o rei tesla esporcarao os cavados.
Ao entejar com a ponte, pefgunlarao-Ihe os
exploradores:
Passaremos, senhor?
Qimn no-lo estorva? replicou Alfonso
impaciente
A minha lanca... bradou o cavalleiro
negro.
A tua lanca!... Barreira dbil contra o meu
braco... Quantos sarracenos tens derribado com
essa lanca?..
Empunba-a um nobre; o Dos e a minha
dama a protegen).
() sol lee contrario. Se ein realidades ca-
que odiante elernisou sua memoria as ribei { valleiro, e nao forajido dislarcado vem a meu
ras do Solador poderia temer trairao dos que [campo; dous reis d'armas nos paniro o ter-
baviata pouco o elegeio ca.iitao o piinripe irt-no.
*"? I epois de vencer-te... agora cedo-te esla
Tomado das altas esperancas que de seu glo-; vantagem.
IMPORTACAO.
Zilia barca franceza viuda do Havre de
Grace entrada no corrente mez consigna-
filn de lie111 i Chavannes ; manilestou o se-
guinte :
^0 gigosrom vinho Channangno, 1 caixa fa-
'endas deseda 1 fardo merin > 1 caixa fa-
zendas dealgolao I cmbrulho amostras ; a
Kalkeiiiann & Rosemund.
1 caixa pelucia 200 barris manteiga ; a N\
O. Bieber & C.
3 caixas fazendas de algodao ; a Tohler Fre-
res & C
1 saco cartas ; ao Cnsul Franrcz.
1 caixa milpa ; ao Dr. Sarment.
1 embrulho ga/elas; a Waulhier.
1 caixa sedas ; a II Zimer.
200 barris manteiga ; a .1 J. Monteiro.
1 caixa livros; a J. Churdn.
30 barris manteiga 1 caixa caixinhas para
colxeles 23 imagens. 3 molduras ; a Ordem.
1V0 barris m inteiga ; a Chabrillac & (!.
1 caixa rendas, 2 ditas (tas de retro/ 7 ditas
azendas de nlgodao, 1 dita ferragens 7 ditas
jvidros, 3 diasi hapos, I dita bons e pjiu-
dezas 3 d tas perfumaras 1 dita estribos e
esporas, 1 diia dillerenles unude/us, Iditase-
lins, 2 ditas calcado 1 dita louca e vidros 9
E de mim que fars, arrogante campeo, se
me venrerdes?...
Seferidor res, sendo quem se me augura,
dar-te-hei o gol pe da grata inlrodusindo-le a
misericordia ate o coraco ; riepois... arrojarei
leus mortaes despojos a corrente doZadorra
lodosos uuerreiros flsero reren ao monar-
cha, nos olbosdo qual scinlillava o prazer 011-
vlndo as rasoes do enlutad' ; e vendo que o de
Vendanba predispunha-sea castiaar a insolen
le arrogancia inlimou-liiecoui autoridado ,iue
permanecesse quedo : deu d'e-po as ao ginete,
caliHi a viteira do eiino reluzenle, enibrafnu a
rodilla pedio a lanca, edespedin a galope.
Psrliu tamben) a en ontral o o desconbeeido;
ej.i se acerca"10 com furioso impelo; ao lal-
u-z fa/er-se pedacns no terrivel embale; eis que
de subi'oocorcetdo lavalleironegro desviou-se
da primeira carreira. ladeou o quem o manda-
va exdamou aprumando-se sobre os estribos:
Como, senhor!.. Sois o mcslre da ordem d
la Banda !... cavailairos, foi engao... Eu mu
confesso vencido
Abaixa alanza, infame (gritou D. AITonso,
delendo o ra vallo ).. quem nao sabe soprezal-a,
nem nem pode ser cavalleiro.
Senhor,respondeu o outrosou nobre.
mais que todos os vossos nobres, e tanto como
tos.
Aqui I). Joan, aqui senhor de B'sraia!
(bradou mais alto o enfurecido monarcha)___
Que c stigo merece este cobarde ?..
Cobarde !.. Viva Dcus, o re de l'astella ,
que liomens do meu prol nao soirri 111 taos de-
masas !..
Quo castigo mfwe f
o re.
11 vnlvi'ii a nmwnM
Confessor e verdugo .... respondeu D'
Joao.
E eu digo-te (redargiiiu logo o incgnito) ,
dmii toito, dom villao, e dom traidor que t
es o infain : que ando buscando. Tcstcmunlias
ele poderoso rei de C,itlla, e vos oulros va-
lentes ravalleiros, deque eu ronhe.ido pelo
nome dr caralleiro negro, acenso ao infante I).
Joao de traidor u instigador de maldades; e em
prova do dito o desali i tanca e espida a p
011 a cavado, e a lodo o transe levantai a mi-
nlia manopla. I). Joo... Kei d < Castella, vOdo
u n signal de minha nobresa...
E disimilo appioximou-se de AITonso, einos-
trou-lhe um pergau inho.
Como Isto !... Vos por aqui !...
De longes Ierras vendo buscando vossa al-
teza para contra fiotM inimig defendol-o.
Qm (cito de vosso pai ?..
<( Itenuni-iou lodos os seus direilos em favor
de VOSSfl aftesa.
II. Joo [conlinuou o Bei dirigindo a lata
aoinlanle) pod is levantar essa preuda: no-
bre este Ruerreiro.
Pois que o prove.
Seret eu nobre, I). Joao?... inquiriu
AITonso com atroadora voz
Senhor. sim; e o primeiro d'enlre os d'am-
ba as (bastidlas.
l'ois eiiliio digo-o eu e basta.
E imsta leprtiu una a chusma de ca-
valleiros.
I). Joao o lorio recolheu a luva seu mu gra-
do: c o B 1 levando ao lado o das armas 11 gras,
e seguido pelos demais, retmeeduu para a ci-
uoui,
{Conlimar'Se-ha,}
1-




a* *
dtai procelana ; a V. Lasserre & J. Colom-
bier.
1 caixa cot7 chapese 1 alampada; a Anto-
nino Jo-. dn .Miranl i Ealeao.
1 Mita arno/. o 1 peJra de martnore ; ao Dr.
Netto.
1 caita pipel, 200 barris de manteiga. 250
gigos batatas, 1 caita ferragem 1 embrulho
amostras, 6 caitas suspensorios 3 ditase 2
fardos facen las de algml.io, 1 caixa ditas de, lia,
1 dita saleado 1 dita lacralas de soda 1 di-
ta ohroias e t ntas ; nos con igulanos.
3 cams rcenlas de ahpdao, 3 ditas ditas de
soda, 2 iMnbrullios amostras; a J, Keller.
Ichiirrui; a Carneiro Lima.
2embrulbos amostras; a f. J. Bamos o
Silva.
1 caixa selins 1 dita calcado 1 embrulho
ga/otas; a L. Bruguicro.
170 barris manteiga, 2embrulhosamostras;
a 13. Lasserre & C.
1 caixa papel; a J. P. de L*moj & Filbo.
1 embrulho gacetas ; a Colombier.
1 dito ditas; a Daumont.
1 caixa fa/cndas: a Millochau.
4 ditas ditas de algodao; a S. Tobler.
1 dita perfumara ; a F. Belenot.
1 dita virtho, agoa do Colonia e livros ; a J.
J. Carvalno
1 embrulho e 1 caixa ignora-sc; a Boyar.
1 caixa livros era branco elacar ; aJ. O.
Elster.
2 ditas chapeos 1 dita drogas 1 dita per-
fumara ; a Cecal Kruger.
1 caixa la/.endas de seda 1 dita fil, 4 dita*
minde/.as, 1 diti ago.i de Colonia. 2 ditas vi-
dros. I dita llores artiliciaes l dita perfuma-
ras, 1 dita procelana, 1 dita calcado, 2 dita la-
va* de seda 2 ditas espingardas; a idier
Robert & C.
1 caixa chapeos de palha t dita esporas, 1
dita perfumaras, 2 ditas calcado 1 'iiti mo-
das e fl rcs t dita miude/.as; a Adour & C
3 caixas vk ros, 1 dita chapos, 1 dita livros,
1 embrulho amostras ; a Avrial Frrcs.
2 caitas garrafas 2 barricas drogas, 3 ca-
xas acido ; a B. F. de Sou/.a.
t caixa chapos, 1 dita perfumaiias 1 di-
ta mudecas I dita chapeos de sol 1 dita
calcado e flores, 1 dita fa endas do seda 1
dita chapeos de palha 1 dita agoa de Colonia,
125 barris manteiga ; a Cals Jnior.
fazenda da audiencia as tercas-, e sextas feiras' Aluga-se o segundo andar da casa da run
na sala das audiencias. i do Livramentu n. 11; a tratar na loja do mesmo.
'i Aluga-se por lempo de lesla una rasa ter-
A VISOS lilil*ititlIOS. j rea sita no lugar do ontoiro confronte ao
----------------------------------------------- | oitSo de S. Pantaleao cora sufliiientes com-
Para o Maranhao partir com a maiormodos; quem a pretender dirija-se ruado
brevidade possvcl o briguo-escuna S. Malheus,^ Quemado n. 11.
capto e pratco Joo de Heos Pereira ; pnraj = A pessoa que na occasiao da entrega das
carga, e passageiros, para o que tem excel-1 cartas chegadas pelo navio francez '/.lia ,
lentes commodos, trata-se com Frmino Jos levou do correio por engao umembrulho de 45
Felis da Bo/.a na la da Moeda n 7. | diarios franceces {l.'/'slafetle) dirigido ao Sr.
= Para o Hivre pretende sahir brevemonto a |)0mont fara grande favor decntregal-os na
barca franceca Zilia, de muito boa marcha,ten- |0j;, ,|L. Didier Bohert & C." na ra Nova,
dosido novamente forrada de cobre, ja tem una
Alo* miento do Porto.
Navios sabidos no da '9.
Ass ; briguo n*cional Feliz Deslino capitao
Manuel Pereira de Si carga lastro. Pas-
sageiros Jor.6 Pinto Vieiina Manoel Du-
arte da silva e Jos.' Peuro Ferreira.
Edilacs.
Vrenle Thomaz pires de Figueiredo Camargo.
Commendador da Ordem de Christo ins-
pector Walfandega, ,'c.
Faz saber, que amanlia 20 do corrente ao
Uieio (lia na porta da mesma so lia de arrema-
tar urna caixa com 21 resmas de papel de im-
primir, no valor de 120*000 reis, mj>unada
pelo amanuense Domingos da >ilva Guimaraes,
no despacho por tortura de Lenoir Puget&C.;
assim tambem uina caixa com 120 chapeos de
palha e fa/enda p >ra sen horas e meninas no
valor do 2308000res impugnada pelo mes-
mo amanuense no despacho por factura de Vi-
cente Lasserre. sendo o arrematante tageito a
direitos. e exoedk-nte. xlfandega 19 de Ou-
tubro de 1843. V. T. P. de l'\ Camargo.
Oeelaracos.
parteda carga prompta ; pira Irele o passagei-
ros falla .se com usconsignatarios Uolli & Cha-
vannes.
Para o Havre segu vagem no da 7 de
Xovembro a muito veleira baica franceza lo-
tease capitao Morvau Koval por tor a maior
parteda sua carga prompta ; quem quizer car-
regar, ou ir de pasigem dirija-so aos seus con-
signatarios Kalkmann & Bosemund, na ra da
Cruz n. 10.
Le loes.
ssLeilo, que faz Joaqum Lopes d'Almcida,
por nlervencaodocorretor Olveira, noseu ar-r
mazem por de tras do theatro no dia sexta
fcira 20 do correle pelas 11 horas da manh ,
de 120 barricas com farinha de trigo excel
lente para bolaxa em lotes do 10 barricas.
Avisos diversos.
=0 administrador dame/a de recebedona
de rendas genes internas tendo esgotado to-
dos os oieios de brandara para com os mora-
dores dos bairros do Recito, Santo Antonio, Boa-
vista e Aflogados para virem pagar o que d. -
vem delS reis da Uxa de escravos. o imposto
de lujas, e tabernas de 18*3 al8U, muito
poucas pessoas tem comparecido, e por esta
omistfo annuncia pela ultima ve/ que espera
atofim do corrate mee pena lo remetter
para juico a relacao de to los os devedores sem
excepca. Becebedra 17 de Outubro de I8W.
Francisco Xacter Cacakanti d' Ubuquerque.
Companhia de febnibe.
= Deconformidade com a disposicilo do ar-
tizo 17 dos estatutos da Companhia do Enea-
menlo sao convidados os Srs. Acc.on.stas para
a segunda reuniao ordinaria desle anno. a qual
lera lugar no dia 10 de Novembro prximo pe-
|;,s9 horas ,1a manha no escritorio da Compa-
nhia ra Nova n. 7. O secretario B. J.
Fe mandes Barro. t ,
O Ur. Urbano, |Uiz interino uos leuos ua
=Pelo presente convida-se a todos os ir-
n aos da rmandade de N. Sr do Terco par.
comparecerem Domingo "2 do corrente as8 hn
ras da manha no respectivo consistorio alio.
de se procedei a eleicao da meza regadora par,
i anno linanceiro.
= Aliija se urna boa casa terrea na povoacfu
do Monteiro por proco commodo com qual ni
quartos cozinha fra quartos para negros .
estribara paaa tres cavallos, com dous qun
taes murados com portio e sabida para o rio ,
e cacimba; quem a pretender dirija-se a tra
vessa do Veras na Boa-vista sobrado novo di
um andar esotao.
A administracSo dos fundos da exlinct
companhia gcral que foi desta provincia r
da Parahiha contina a fa/er as suas reunioe-
no escriptorio d'clla na Boa-vista ra do Al
Ierro n. 30 em todas as quintas-feiras uleis .
ao meio dia e com ella se podem tratar 0#
negocios respectivos.
=Aluga-se para se passar a festa as lojasih
um sobrado no Varadouro de Olinda con
las salas, quatroqua tos. cosinba fra con
banheiro utrac ne agoa doce : a fallar na ru.
do Vigarra noprimeiro andar n. 23.
Offerere se um home i soltciro para ro-
/inheiro do que tem bastante pratica o mes-
oo para fa/er doces de alguinas quididades ;
quem o pretender annuncie por esta folln.
= A luga-se o primeiro andar da casa de dou-
ditos em Fora de-portas por cima da segun-
da venda do lado direito; a tratar na mesma.
Quem quizer comprar pombos batedores
por preco commodo, procure na Trempe sobra-
do n. 1, das 6 is8 horas da manha.
=Aluga-so urna casa no Poco-da-panella ,
conlronle 6 casa do Sr. Pedro Jos Carheiro
Monteiro com commodos para grande fami-
lia : a fallar a Manoel da Silva Noves em Fora-
de-portas.
;= Aluga-se urna casa no lugar do Arromba-
ilo com bastantes commodos: a fallar com n
viuva do fallecido Constancio em Fora-de-
portas ou com seu filbo Manoel da Silva No-
vea,
Aluga-se urna casa em Fora-de-portas,
ilo lado da mar grande, n. 6; a fallar em Fora-
de-porlas com Manoel da Silva Neves.
Na venda n 2 da ra Imperial precisa-
se de um caixeiro para Jomar conta de urna ven-
da por i.alanco, dando fiador; e na mesma ven-
dem-se dous caixes envidracados. proprios pa-
ra amostras de venda c um par de esporas de
prata muito mo 'ernas tudo por barato preco.
Quem Ainunciou querer permutar um so-
bradinho por urna casa terrea, &c. declare
a sua moradia para se Ibe propor um negocio
respeito, ou procure o Ur. Pereira na ra do
langel.
__A pcfsoa, que quer comprar urna carteira
para escriptorio, dirija-se a Fora-do portas ra
do Pilar n. 122 para ver urna; c na mesma
casa vende-se urna cama de armacao bem feita ,
e grande e por preco commodo.
__IVt>imln-se il irmandade de N. S. do Bo
/ario do bairro da Boa-vista se, nao obstan-
te ler sido devido todo o desarranjo da respecti-
va ultima lotera ao seu escrivao pretende ,
Precisa-so alagar urna escrava ; quem a
tiver dirija-se ra do l.ivramenio n. 22.
=Precisa-se ue tom r um menino para se
ensinar o offico de chapelero dando-se o
sustento e alguma roupa ; atra/. da matriz da
Boa vista n. 29.
LOTERA DEN. S. DO LIVRAMENTO
As rodas desta lotera andao infallivelmente
no dia 9 de novembro do corrente anno e os
bilheles achao-se a venda nos lugares do costu-
mc.
=:Precsa-se de um caixeiro para tomar
conta por bataneo de urna labe na e que d
liador a sua conducta ; na ra das Cinco-pon-
tas n. 27.
=AlugnO-se quatro casas duas no Atierro
los MTogados urna para grande familia por
termal tos commodos, outra junto o viv iro
do Mu' propria para qualquer e>tibeleci-
iiienio, contra na ra Imperial, com bastan-
tes commodos e urna mei'agoa na ra Felict-
dade : a tratar no viveiro do Muniz, ou na ra
do Crespo sobrado n. 10.
Aluga-se urna escrava para todo o ser-
vico que seja fiel e sem vicios ; na ra dos
dos IVsraiiores n. 19.
a= No da 20 do corrente mczpe'as* horas
ta tarde fia porta do Sr. Dr. rb.mo Sabino
Pessoa do Mello, jui/ da primeira vara do civel,
na ra do Kaugcl tem de ser arrematada Btn
pfaca publica urna morada de casa de pedra e
cal,terrea, sita na ra da Pa/ deola cidade, n. 3,
avahada em 810$000 reis penhoradn a Pran-
isca Antonia Hencdicta, por exerucao de Joa-
|tiim Jos Ferteira ; os licitantes devero com-
parecer neste|dia por ser a ultima praej.
SOCIEDADE \
FHILO-DRAMATICA
O primeiro secretario lembra hos Srs socios,
que boje pelas seis horas e meia da tarde, lera
lugar a coiitinuac. o da sessao extraordinaria do
lia 18 do corrente no limar ilo-co-lume.
O I ser relario,
Quem quizer alugar um quartiio bom car-
regador e muito manco selado e freiadu ,
liriia-se a ra IVIla no sobrado prximo a ma-
ro l As nove botas da manha.
Quem precisar de urna ama com bom leite.
e capaz, a qual be crioula ; e juntamente di-
urna l.oa lileira com lo los os seus arreios. quei-
radirgir-se bruadoCabuga loja de mudecas
n. 5.-
Acha-se em poder do subdelegado snp-
plenlo da fieguezia de Sanio Anio una preta
le idade de *0 annos bastante bucal e que
s i diz, que o senhor lo de Panellas, e que mor-
reo na guerra dos Calanos, pnrtanlo quem se
minar coin direito a ella dirija-se ao mesnio sub-
delegado, que, dndoos signnescertos I he ser
entregue.
No dia 15 do crrante desencaminbou-se
urna letra sarcada em 6 do Sctemhrn prximo
passado por Manoel Joaquim da Silva a dous
meces precisos e acceita por Manoel Antonio
de Azevedo : prevne-se por tanto ao publico,
que nao laca transaren o alguma com a referida
letra nao obstante nao ler endosse para se po-
der negociar.
=-Jos Antonio de Sou/a Machado reeo-
llie em seu armacem na ra de Apollo n. 20 ,
com embarque e desembarque do lado do po-
enlc, na mar pequea todos os volumcs dr
aencrns de qualquer nnlure/a e (amanho qu<
forem tanto para sabirem logo como para
se demoraren) pelo que se convencionara rom
as pessoas, a quem convier. por um preco mui-
rasoavel tanto pelo desembarque, como em-
barque e armacenagem o que muito eon-
vem por nSo tei carretas fra do armazem.
. Loteria da Matriz de S. Pedro Mrtir
de i linda.
No dia 30 do corrente mee de Outubro cor-
rem imprcti rivelmente as rudas dc-la luleHa .
e os bilhetes achao-se venda nos lugares do
costume.
Alujja-se o segundo, e lerceiro andar da
casa n. 6 do Atierro da lioa-usla, loiradas dv
papel no maior asseio possivel una casa ler
que ella continu, sendo conservado este em- rea nova com duas sallas cinco quartos. roii
pregado. que foi enforquilhado, e nao quer nlia frd quintal e cacimba na ra do Se-
_*...#. I ve or tras da ra da Autora duas ditas du
IKUH S-W.
|13S reis na ra da Solidado urna dita de 10*
reis na ra do Sebo, um sobradiaho no man-
guinho l'apalerra a mar^em do rio. muito pro-
prio para se passar a feta; a tratar com Manoel
Joaquim da ^ilva caixeiro de Francisco \nto-
| n0 de Olveira na ra da Aurora n 20.
Alaria Joaquina do S. Thom professora
substitua das cadeiras de primeiras lottras do
! meninas ensina particularmente ler, cscrover,
contar, anthmetica, o diversas qualidadej de
I costuras; tambera recebe em sua casa alguma
, meninas de pessoas que morao fora da cidade,
OU que morando nella as queirao confiar a
sua educado : q iciii pretender utilisar se de
seu prestilUO dirija-se a ra Direita n. Oi.
ss O abaixo assignado lac publico que os
escravos, que su acbao lugidos os quaes fo-
rio de Lui? Jos do Araujo, Sr. do engenho
Dous Bracos de cima, freguezia deSerinhnem,
boje Ibes peiteiuem pela compra, que fe/, a Joa-
quim Corroa de mujo tulordo menor neto do
dito Sr. de engenho cujos escrotos sin os se-
Kuintes Geraldo, pardo de idade *0 annos,
Ho/a, Angola, de idade 30 annos casada com
o dito pardo, e Anastacio crmulo, de idade *0
annos, oflicial de oleiro ; as pessoas, que so*-
bercm aunde exislem os ditos escravos, nueiro
levar au engenho Gamileira comarca da Victo-
ria ou em casa do collcctor da mesma quo
serio recompensados
Joiio Francisco de Araujo.
= Na ra do Pilar em Fra-de-portas alu-
aa-se urna casa niopria para qualquer estabele-
cimento por ser em bom lugar, e vende-se a
armaran ainda nova, e muito bem feita; quem
pertender ilinja-sea mesma ra n. 122.
Aluga-se urna boa sala, com urna alcuva
da casa da ra da Cru/ n til no I "andar e
na mesma asa preri/a-se de urna nina,que sei-
ba bem gorinbnr, o perfeilamente engommar.
(llrre, e-se urna mulher para ser ama de
urna casa de poma familia, de portas paia den-
tro ; na ra de .Santa I hereza n. 38
Traspnssa-se o arien'laniento de urna das
medrares olarias, sita no becco das Karreiras
n 7 ; quem a pertender, duija-se a mesma ,
que achara com quem tratar.
Na ra do Pilar em Fra-de-portas 'alu-
ga-se o andar da casa n.' 122: na mesma preci-
za-se de urna parda ou preta ja de idade para
cozinhar,
- Os abaixos assignados fazem publico, que
Elias Jo- dos .wantos Andrade desdo o dia 19
do correte deixou ile ser seu caixeiro.
ffernardino Jos Munlevo Ir mitos.
= Trasp..s-a-se a idiave da loja do Atierro
da Ib.a-vista n. 7*. com armado propria para
calvado,ou miudecat,a qual oflcrece muita vn-
lagem porseroaluguel muito commodo; a tratar
no mesmo lugar n. 72.
A pessoa, que annunciou no Diario de
hontcm (19; querer lugar unta casa para pas-
sar a fc-ia com bastantes commodos ; d,rija-so
a ra do Quemado n.6.
Quera se achar as circunstancias de to-
mar conta de urna venda por lialanco dando-
su-lhe mi'tadedosnt reales; dirija sea ra do
Quemado n 10 loja do lerragens, dando
fiador idneo.
Priciza-se de um rapacinhn pnrtuguez ,
que j ten ha alguma pratica de venda ; na ra
'lo Aragiio n.*8.
= I). Roza Theresa da Cunha viuva em
primeiras nupcias de Hetnr Hornera da Costa,
e das segundas de Adno Jo> dos Santos, de-
clara que porocasiao de assgnar duas cartas
para Lisboa a Joaquim Jos da Silva e Fe-
liciano Jos Collares, Ibe apresentaro masutn
(tapel di/endo-se quo era a copia da carta de
Joaquim Jo- da Silva,que se diriga a Felicia-
no Jos Collares e a annunciante em boa
le sem le as assgnou ; mas agora se tem veri-
ficado que tal copia da caita ir o existe assigna-
da por a annunciante, conseguintemcnteque
loi islo urna slrategia de que uzarao para cons-
lituir a annunciante em olirigaco ; mais a an-
nunrianle declara que tal ubrgaeiu letra ,
ou doa ao uo existe e i xige que a pessoa
que esse papel tiver o apre-ente em tres das, e
do contrario farA mais publico o furto. A mes-
ma annunciante declara que de boje em diante
neiibum papel, que nao forassignado por ella
< ennji ni -.lamente por cu procurador Porfiro
da Cunha Moreira Ivi-s nenhuma validado
lera, e isln me-mo se entender* a icspeito de
i artas sejao pHra eta cidade e provii cia sejao
para as oulras provincias desle imperio ou
para lora. Finalmente ro^a annuncimile as
pessoa* que tivcrrm lilnlos de divida d'clla e
iontis no niaiode oilo dita da dala diste nn-
nuncio se aprcu-ni'in rom ellcs no dito sea
procurador para sen ni pagos e no imp apre-
lenlamlo si culi ndi r que luis ttulos c con-
sas n5oexislem.
Prec sa se de alugar urna rasa na Passa-
gem da Magdab na para se passar a b-Ma (|ue
icnna bnns comitiodos par urna familia ; quem
a tiver annuncie para ser .rinirail.

L
\
\


ESlJTif^i de. Sabra {***' ,l,d0 Pr Preco WlM no hoco
, ." U\ l0|aJa v,uv" P"-frto 3. ou na pna do Calderoi-
para recebar urna carta
O Sr.
dirija-so ni
Cunha (iiiiiii irles
vind.i da Porto.
= \l ra do Torres n 20; a batir com Antonio
Joaquim lio F.iria Patricio em su.t cusa do
pasto; e na mama casa compra-so urna mu
lata ou prota de bonita figura que saiba
perfeitamente coser enjaminar e eoobar.
Compras
ro n 6.
Vende so o primoiro e segundo tomos
le Virgilio por 1000 r. ; a obra de Roberto
liurn em ingle/, por 2000 rs. : Izabel, ou os
desterrados de Sitiera ornado com estampas
por 1600 ; na ra estroita do Piozario toja do
cera n 3.
Vende-se um cavado melado muito
novo bom esquipador e muito estradeiro ;
para escriptorio em bom estado : na ma da
Cruz n 47.
Vende-se urna armaco de loia pro
riz riquissimos loques brincos argolas
voltas para poscoco braceletes, allinetes de
cabello lixos e de halanco corrcnies de se-
------- .. ___ _.__,_ ,ja f |MU. vouuu i.us c uc iidiunro corrernos de se-
pria para qualquer estabelecimento, pelo mo-' guranca para relogio alfinetes de peilo pora
dico preco de 608 rs. ; a casa, aonde ella esta bomem e senhora com retratos os mais del
colocada, tem commodo para familia : na rua cados; servaos do mesas, colheres. facas o
Direita n. 80. garios de 12, 6 e urna pessoa para jantaros
"V Lmdissimos cortes de lanzmha para ves- almo-os, e pora cha e cal.-, cid metal lin
tidos, chapeos de seda para senhora. enejados ( Melchior ) superiormente dourados esloms
nelo ultimo navio do t.umm +~~. -... ... .....:- --------gonhora ricamente
Compra5-se elfectivamente para fra da
provincia mulatinhas, crioulas e mais escra-
os.Uel.Ja20 annos pago-se bem sendo
bonitos ; na ra larga do Ro/ario n. 30 pri-
meiroaodar. '
* Compra-se urna escrava quo nao soja
bobada nem fujona queco/inbe e engomme
bem; duas negrinha? de 13 a 15 annos: na
ra de A goas-verdes n. iG.
-= Comprao-so escravas de 12 a 25 annos
com habilidades, uu sem ellas: na ra Direi-
ta n. 3.
Compra -so urna negra ou muala
que sub coser bem co inhar e engommar ;
quom livor annunnie.
Vendas
Vomjem-sedous mappas ontendo ascos-
tas cabos, e ilhas do globo, pata uso dos ma
mimos tratado da reduce o das distancias ob-
servadas no calculo das longitudes por Travasso
rotoiro dos mares, costas o Jhas, &c do Brasil
tratado prut.ro do aparolho dos navios taboa>
de logarithmos por Callei, e urnas taimas ro-
ques, tas de \orio; quem precisar d.rija-sea
casa da viuva do Burgos na ra do Livramenlo
n. 1 onde se dir lambem quem d lices de i
ar.thmetica algebra e geo.nelria. assiin como ]
de escripturacao commorcial.
Vendem-se aparclhos para cha dourados
e pintados de porcelana linos ditos azues .
eoutras cores; garrafas lapidadas, e de cristal;
copos para agua calix pata vinho, ditos para
champando porta-licores de cristal em caixas,
campoleiras linas do cristal mangas do vidro
lapidadas, ditas lizas casticaes de vidro finos
frascos de bocea larga ; ludo isto ltimamente
ebegado e de muito bom gosto, tanto -m
qualidadecc mo em padroes ; na ra Nova loia
de louca de Manoel Antonio Vieira. '
Vonde-so um escravo pardo do 18 an-
nos ; e urna preta de nado .le 20 annos ; no
Iwgodo (.orpo-Santo a fullur com Antonio
Rodrigues Lima.
. \ ende-se cal virgem de Lisboa em bar-
ra gr mies e pequeos; no escriptoi iu de Fran
cisco Severia no Ha bello.
_ Vende-se um preto para fra da provn
vin.ia; no principio do Atierro dos AfToirados
sobrado n 39 de manhaa ate as 9 horas e
de tarde das 3 as 6.
V j~ Vcndem-se os livros seguintes ; obras
Hbilosoph.cas de Loke ; Contracto Social; Te
lemacoemlnulei, Compendio de f.eographia
por (.as,do G, raides; os Cu/radas ; Trrelo
Jieographia; Manual de Chimica; Ruinas dos
Imperios; o Cbiadro da doutrina dos Santos
Padres; Casos de Consciencia por Felis Poles-
las ; Salustio ; Horacio; Ovidio; o Fatalista;
Virgilio ; Nvo Testamento om Ingles ; Son-
tencas Espirituaes; Compendio de Lgica po
Genuense ; Panegricos de .Tolo de Barros
v, .....r>...... <'.ii. uu narros;
Potica de Horario; Pregador Instruido; Atlas
moderno ; o Pulpito ; Meditados de Hcrvov J
Lgica de Cond.laceo. Porluguey; o Hyssope
iralado de Contraponlo; Eth.ca do Job; b'Iio-
tborica Sagrada ; Principios Lgicos porTra-
cy ; Cacographia Portuguesa e correerlo a
mesoia; Diccionario JPhilosophico; Instrucces
oe Cerimonias ; Geographin de Gaultier; lan-
f.' Syntaxe; Conversacao Framcza e ingle/a ;
Diccionario Geograpbico; Geographia nivor '
sal por A. Balbi com Atlas ; Atlas anligo o
mod.rno por Lapage ; ditos das duas Americas;
Diccionario Topographico do Brasil; Perrard ;
hetborica de Quintiliano ; a Herniada ; Me-
thamorfose de Ovidio ; Declaracao dos Direitos
do Homem ; Resumo d'Astronon.ia ; Historia
do Brasil; Pensamentos de um Chrislao; His-
toria Ecclesiastica por o Al.bade Ducrcux ; um
globo terrestre e pajel pautado : no largo do
Paraso n 8. primeiro andar
Vende-se urna lancha de 12 remos, rom (de lindos padroes fozenda de bom costo e
pouco uso com fundo de amarello. roda-qui- / muito en. moda : na ra do Cabuga n 10
ma e caliste do suco pira novo proprio para defronledo cerieiro.
T Ir, g"e ; "'""^"'^'"'"wlkno-'V- Vendem-se lindos cortes de 13. ditos de
rrnl .erla-PBaI 'Opessoas. por preco com- chita mu fina lencos de seda de muito bom
brado n Tillar so *<" chales do damasco do algodo de gos-
*' j to moderno lindas las para calcas e outras
jen.Je-sc urna porcao de travs de 30 a n.u.tas fazendas por barato proco: na rua do
LrCfi df (;,)ml,r1",,'",o ""' -anoa de Oueimado loja de Sanios Coelho casa ter-
ibirt !~.-I--40 pa,'"0S.; "'"I dl,ra entre ns. 19e21.
um selim ingles novo, o todo bordado por
preco commodo : na rua do CJueiinado loja
de ferragens n. 10
Vende-se cal moido muito bom e bara-
to calda de tamarindos ,*pao de folba e do
commum do muito boa farinha ; na trvessa da
Madre do Dos n. 11. podara de Manoel Igna
co da Silva Teixcira.
= Vcndem-se bichas de superior qualida-
dechegadas ltimamente do Hamburgo por
proco'commodo : na rua Direita n. li.
= Vendem-se bellissismos cortes de lanzi-
nba fazonda que pela elegancia dos padroes ,
delicadeza das pinturas e mimo das cores ,
nao deixa duvda do que foi de proposito ima-
ginada para este lempo de osta em quo as
senhoras demandao fazendas do melhor goslo ;
na rua do Cabuga n. 16.
Vende-se urna escrava de nacao, de 20
annos, faz todo o servico de urna casa; urna
litado 16annos recolhida e com boas ha-
bilidades ; urna dita boa quitandeira lavadei-
ra ecozinheira por 330.000 rs. ; urna dita
por 220.000; urna dita por 300.000 coznba,
e lava ; ume parda faz todo o arranjo de urna
casa por 380.000; duus cscravos de 20 a 25
annos; 3 ditos e um moleque de 1S annos.
p ra todo o servico ; na rua de Agoas-verdes
n. 46..
Vende-so um completo methodo de mu-
zica para pianno : nalivrarado arco da Con
I eeicjo.
=3 Vende-se urna escrava de nacao, boa co-
zinbeira tanto de forno como de fogao, tai
bem flores. e he recolhida ; um moleque de
nacao de 16 annos; urna negrinha de nacao
de 18 annos, com principios de engommar;
urna mulata escura com boa conduela co
zinha e lava ; na rua Direita n. 3.
= Vende se urna olaiia no lugar do Cor-
deiro de pedra ecal com muito bom barro
em chaos proprios e a margem do rio Capi-
haribo, por preco commodo ; no Atierro da
Boa-vista n 54.
Vende se um nesro proprio para encha-
da ; o um moleque crioulo de 16 annos : nn
rua de ^goas-verdes n. 70.
= Vende-se urna venda na travessa da Pe-
nha n. 6 com commodos pa.a familia ; a
Iratar na mesma.
= Vende-se urna toalha de vara e mea de
omprido deoguiao de linho bordada de
susto obra muito bem feia : na rua de Ala
noi I-iOi o n. 20, das duas horas da tarde en
dianto.
Vende so manteign ingleza superior a
110 dita france/.a a 6M) vellas de esperma-
rete om- ricino a 720 e 800 a libra c fran-
cesa a 720 e 6W th i isson a 2560 milhfl
alpistaa OOo quarteiro caf do Rio a 140,
vinho do Bordeaus a 2i0 a garrafa semocasco,
lelria nova a 200 rs. macarro a 160. man-
teiga de porro muita alva a 280, vinho do Por-
to velho engarrafarlo a 360 a garrafa sem cas-
co ede pipa a 2i00 a caada az"ite doce a
1801\ garrafa o lodos os mais gneros do ven
da ; no hoco da Pol, esquina dos Quarlcis.
ss Vende-se carne salgada americana di
primeira qualdade, o por proco commodo
em casa de L G Ferreira & Companhia.
Vendem-se pentes de marrafa rom den-
les abortos e lencos da India vordadoiros ; em
casa de L. G Ferreira & Companhia.
Vende-se um moleque crioulo de 14 an-
nos de bonita figura ; o urna negra de 35
annos, cozinha lava, e he ptima quitando!
a ; na rua das Cru/es n. 41 segundo andar.
Vende-se oleo de linhaca a 320 a libra ,
e em galoes a 2300 banha do porco de Lis-
boa muito alva a 200 rs farinha do Ma-
ranhao a 80 rs. /litria a 280, amendoas a
320 pacas a 240 esnermacele a 720 ch
isson a 2400. milho (pista a 400 o quarteiro.
painco a 280 e todos os mais gneros por
proco commodo ; no pateo do Terco, venda
n. 7.
f-----------------_-_, vaaw^UUX'>* I *' *-' Vi I i'J MI mi l|M uu J\,
pelo ultimo navio de F anca chapeos para para escriptorio e para sonl..,,a ,
honum, ditos de palha para senhora e meni- esmaltados, e nutras muitos obje.tos p-rfei-.
nas. chapeos de sol de seda para homem e se- tamenle dourados e da ultima .moda. Jaciues-
nhora luvas curtas som dedos, um so. limen- son raga aos amadores do bom gosto que nio
lo de calcado de todas as qualidades para se- bajade confundirs suasfazendas peifeitamen-
nhora meninos e homem ricas mantas e te conleico das e de cujo dourado elle garan-
chaies de sedn iudo por mais barato preco do te o brilbo e aduracSo com muitos objectos
que em outra qualquer parte; na rua Nova, mal dourados, ou la smente envernisados
loja france/a n; 8 de Amaral ^ Pinheiro. de que estao recheados muitos armazens de
V- Vendem-se bonitos cortos de la a berta e miudezas e canquel heras, eternos alcaiades
cscoceza do melhor oslo ditos de chita e de tao smente proprios a ornar as partileiras das
cassa, mantas de seda preta e de outras cores lojas. Km fim a vista he, que ellcs podero
escuras mathisadas e deigual qualidade cha- julgar da grande differenca se quizerem tero
es o lencos, moios chales de garca e soda, trabalhodedirigirem-se em casa doannuncian-
lencos de garca umsortimento de calcado pa- te no hotel da niao ruada Cadeia do Be-
ra homem senhora e criancas chapeos de cifo onde arhao-se lambem a venda, as ver-
chuva e sol os mais modernos, bons para ho- dadeiras medalhas do casamento do Senhor D.
mom e meninos de diversos gostos luvas Pedro Segundo. As pessoas que compraren!
de pellica ede seda ricos cortes de col leles, para cima de 100$ ter urna remessu de 10
flores para chapeos, setim e seda para vestidos, por cento.
chales de la, meos ditos de seda, los de li-__________________ ________________
nho brins para caicas, riscados finos mar- _^ ~~
roquins. casimiras o meias ditas, merinos, LSCraVOS IUI(()S.
pannos finos de cores, azul, verde e preto,_____________________ _________
cambraia adamascada de diversos precos, ealm v '
destas outras muitas fazendas do gosto, que "~i *a&,ono dia 16 d0 correnle ou est
J pceulta em alguma casa dentro dosta cidade a
=r? Vcndem-se cortes de chal ( la e seda )
aos compradores seno mostradas com agrado ;
na rua Nova, loja n. 52 de Bonifacio .Maximi-
ano de Mallos.
No bolequim ao p do Iheatro contna-se
a vender sorvetes do frutas, e boje com espe-
ciabdade porstr de ananaz c maracuj\
Vende-se a grande casa e sitio que foi
do Bandeira, e hojo do Jos Antonio do A/e-
vedo Santos: a tratar no sobrado do dous an
dares junto ao mesmo.
- Vende-se urna negrinha crioula de 12
annos: na rua do Queimado n. 32, terceiro an"
dar.
= Venle-seum terreno com 110 palmos
de frente e 600 ditos de fundo no lugar da
Baixa-verdo, estrada da Capunga com casa
detelba ecacimba de pedra e cal; na rua da
Cruz no Recife o. 28
= Vende-se urna casa principiada no Ater-
ro dos Alogados, da parto do mar; na rua
do Vigario n. 7.
= Vonde-se a reinacao da rua Direita n.
10, muito afreguezada ; a tratar na mesma.
= N ende-se cha isson de primeira torta a
2360 a libra, chocolate de sade fabricado pe-
lo novo autor a 320 a libra bichas ullima-
#inoiitechegadasa 8000 rs. o cenlo e em pe-
liienas p.ircoesa 100 rs. carta urna excedente
etroz do todas as cores para marcar mu i lo
lino om enrreles a 80 rs sapatinhos para me-
ninos a 320, e outras muilas miude/as por
preco commodo : na praca da Independencia ,
n. 39
Na rua alraz da matriz da Boa-vista n
29 vendem-e caixas para chapeos do bomem a
1280 e 14M) ditas para chape s franrezes pa-
ra senhora a 2360 e 2000 e com tornos para
suspender o chapeo a 3 e 4000 a duzia ditas
para touquinhas francezas a 800 a duzia cas-
cos de palhinha de ormas modernas, muito
bem feilas a 2M)0 como lambem se faz ou-
Ira qualquer obra pertencente ao oflicio de cha-
peleiro.
ss \ende-se um Diccionario da lingoa fran-
ceza por Napolen Landais utilissimo para
quem se quer a pereicoar naquella lingoa ; na
rua do Cabuga n. 10 defronledo cerieiro.
= Vende-so urna casa terrea larga, com
grande quintal murado e cacimba ; e um es-
cravo bom aratu/eiro e caranguigero ; na rua
ila Conceico da Boa-vista n. 14.
= \ondem-sc saccas com farinha de man-
dioca a 2,000 res; na rua da Cadeia-velha
n. 35
. Vcndem-se cambraias adamascadas de
lindos padroes a 4500 e 5000 ditas borda-
das rom 8 varas e meia a 4600, lencos finos
para mo Jo senho'a a 480 : na rua do Cres-
po loja n. 23.
\= Vende-se por 5S rs. um Atlas geogra-
phicopor Simenrourt tendo47 cartas, ou-
Iro porC. Piquetpor 3$ rs e urna ramma-
Jica Italiana por 640 todos estes livros em
i bom estado ; na travessa das Cruzes n. 8.
. Vende-se urna boa tipoia ovelbas com
cria boas leiteiras, e carneiros mancos; no
Atierro dos < flbgados armasen de sal de
Francisco Xavier das Chagas, n. 218.
== Vende-so urna porcao de cbifres vindos
do Ceara ; na rua da Cru? do Recife n. 62.
=5 J. Jarqueston participa, que tem pa-
ra vender diversas qualidades de lindissimos
adornos de senhora bem como : pentes di
preta Florencia Angola de 13 annos, al-
tura conformo a idade secca do corpo nariz
chato e grosso boca grande com Urna quei-
madura na maoesquerda quo por ter pouco
lempo anda se devuiga bem ps granues por
ler tido muitos bichos, falla bem aue parece
crioula he muito medrosa que por qualquer
cousa d logo a conhecer os seus fetos e an-
daya vendo (juando fugio ; levou vestido de
chita roxa ja desbolado, com floresamarellas,
e panno da Cosa velho com matamos em tolla ;
quem a pegar leve a rua do Crespo n. 10, que
ser gratificado.
-= No da 4 do corrento desappareceo um
moleque de nome Guilherine de llura de 7
palmos bstanle magro, pern.is e bracos mui-
to finos, cabeca pejuena. e rosto bonito; quem
o pegar leve a'rua do Crespos Manoel Gomes
Viegas quo recebera lOOSrs. de gralificacao.
Fugio no dia 17 d.. correte urna preta
do nome Bernarda de nacao Calaba levou
I vestido de flores azues o amarellas uns solita-
rios de podras as orelhas, panno da Costa ,
com a barriga alguma cousa crescida cor fula,-
anda alguma cousa de vagar altura regular ,
p s apa botados; quem a pegar leve a rua da
Cuiil n 36.
i= Na Monte do dia lodo corrento fugio de
casa de Joao Baolisla Bibeiro na rua da Crw
do Recife urna escr.iva parda de nome Cici-
lia gorila, estatura regular, naiiz grosso ,
elodasas n.ais fecoes regulares; be natural
deFiexciras, provincia do Alagoas aduna-
se posta cidade depositada para tratar de sua
bberdade com sua senhora D. Francisca do Ro-
formozo depositario o Dr. Francisco do Pau-
la Baptisla ; lugio com vestido de casa de lis
tras encarnados oifivelbo, e saia ja usada,
e timao roto em algumas partes sapatos de
couro preto ja roto e meias brancas ; quem a
pegar leve ao dito depositario que recompen-
sara.
Fugio no dia 18 do c rrenle um escravo,
de nome Miguel de nacao Cabinda de 40
annos estatura regular pucha por um quar-
to tem oflicio de canoeiro ; quem n pegar le-
ve ao tanque de agoa do porto da rua Nova ,
defronte da rua das Flores quo son recom-
pensado.
No dia 10 de Setembro do corrente an-
anno fugio um escravo de nome Joo de na-
ci Angola, de 40 annos, foi comprado em
1834 a Joo Rodrigues Xavier Vidal morador
em Alagoa-nova para e,ide consta ter ido;
o dito escravo tem os signats seguintes : altu-
ra regular corpo grosso rosto comprido ,
bem barbado, oaos grandes e torios, falta
do denles tem a cabeca partida em duas par-
les cantos bem grandes falla bem lem an-
dado pelo sertao, ps apalhelados tem a mo
direita sarjada; levou chapeo e peitoral de cou-
ro ; quem o pegar levo a rua Nova padaria
n. 31 de liento Antonio Domingos, que ser
gratificado
= No dia 16 do corrente fugio um negro
de nacao Congo, bucal, de 18 annos, com
ponta de barba de 7 palmos de altura, ma-
gro bem feito de corpo cor natural tem o
hwico inferior cabido; levou calcas de alg-dao-
/inlio do frangir, e camisa de estopa ; quem
o pegar levo a venda do l.oflor na rua da Cruz,
que recebar 50j rs. .k> grahficueio
nova, prooria nara carrera de 27 I v.-dc-- ~-..... -*~ >--> | ru u" w.* : ^m como : pon les do :_______----------------; ........">""
"'"dC" -....................I^wniga, e de rumio oo ultimo gosto de Pa-|RKCiFE: na TP. de Ai. F. db r7aiA. = 1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9GRWKIO1_8WNPMI INGEST_TIME 2013-04-12T23:34:18Z PACKAGE AA00011611_04305
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES