Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04297


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
Atino Je I843J
Cuarta Fera II
ludo .por. depende de no, me.mo.; d. n. prudencia, ao.ier.Qoo, e eneren
,_________________( l'r.ictaioajj.io da Aaseaibleia Ceral do BJuil.)
PARTIDAS DOS CORAEIOS TERRESTRES
.maona, a P.rahyba, Matada. e t, felr,t. H.o Gr.nde do.N .r... qunUl (.;,
ton.. e Gamahuaa, a ti* ._ ;4. *"""" "".
C.ud Saman .en R, Kor.B<0 P..HO Calvo, M.,-eio, a\la-oa, no 1 o H ,.
Boa nata a Fiote*ai2*. Sanio Utia auiaut fgiru Olmda iodo. 0< d...
UIAS DA SEMANA.
9 Sei. I, Dionisio H. Aud do J de I, da 2
4'> s'- Pia'cio B Re. Aud do J de I). da .1. t.
4/ Viarl. s. FiranoK, -ud do J. de l>. da 1 .
4 ). "t. CrpriauO It Aod do J. de 1). da. t,
4.3 ex e. Eduardo rei Aud do J. de I) da 2. t.
it tv Calillo e. Hal. *od do J. da D. da 1- Y.
5 "o. Sania Thortia de Jeius
de Oiitnbro
Ann XfX. N. 219.
^".^aBBBBBaBBlBBWiaiWaBBBiaalBBBBBBWBBBBBaMBBaSBBIBal.......I
O Ditaio publica e todoi o diaa qqa n lo foram S^nlificado: a pecio da aMRaatura he>
de trea mil r*i* por quartel p;oa adianladoa O annannoa dni Cratie, coa doa que ajo lona \ ralla) da Ml'm. p .r fiaba \a reclama ;.'*, daca* aer diri-
gidas a cata Ti.', ra dae Crure, N. I, ou iprasa da Independencia loja delirro* N. 8e8.
ad.
CtuiioiNo da
Caatbio aobra Londre. > a ? > ,1.
a Pana / i raa por Iranco,
10
a Liaba llU por lOOdepreaio.
de Outubro coapra
i Ouao-Mocda dt ,400 V. tti HoO
N. 16.GJJ
da 4,000 SfV.'ii
FuaTA-Paieco.a 1,9.0
Moeda da cobra l por cerno. PetoeCoiuanarei 1,920
Iilaadalavaidahoaa'iraait t f j. j JJloaMationoi 1,920
PMASES UA 1.UANO MEZ DE OUTUBRO.
Lu Cheia S, a,8 horme S7a. da ma0li |i.ua noaa ; 3, ia 5boraa el C m dan
Quarl. eaiag. 16, da 11 ora 30 a. ah pj | Juan, araao, 4 30, Mi 2* daffl.
J'renmar de huje.
17U00
to seo
9 i JO
1,940
l.S'W
1,040
1." a Chorea a 5i m. da
'boraa a IS a. da larda.
laWJI.IWIrfiaflaWlll I
AVISO.
AAViav. I 'r!|wi os pus annos de servido para a vi-ta
I delta obterom os ttulos do rieclaracao dos or-
insereno dos annunrios he em todos os denadrjs que Ibes deviad competir na formado
paites, onde se publicad jomaos, o prfncl- regula ment de 22 de Junho de 1836- e nutro
pa artigo da Sa reeeita: so no Brasil existen, s,m informan rom demora quaes nsdus -mar-
o Diario de Pernamburo compre religi'sa e am- ?" ''' ,lr!,n m ,0S da "ndega redu
plomen te esta obrigacaA: mas como algunsdos como ** ordens a respeito deter-
Srs. seus aattignante queram eslender este be-
nelk'fl a los os seos patentes e anherenles, o
Diario de Pernamburo \ se na neressldade de
repetir a reo mmeiuiiieao que militas ve/es |
tem feito a esses Srs. que a vantagem que liles
olTi-neida e salisfrila nao pode se i tram.ll.issi-
>a sem lesao enorme dos interesses desta lolha.
Tem a redaecao nimias ve/es Tediado nlhog a
minaiuo.
EXTEfiOR.
ponrv ca..
SOLEMNIDAD!-: DO BAPTISMO
esse abuso; mas dora em diante elle ser rgo- ^(,<;" Hlcza Serenism'ma a Sra. Infan'e Dona
rosamente evitado. Out.ro sim alwws Srs. que *'"'" --......-'- ~-
reiebeni por commissao de subscitores de lora
as r Ihas nesla cidade. queiem (tozar da vanta-
gem que he dada aos Srs. assinnanles porque
a tiansac.' he feito em seu minie, e alegad
quandorcorre lerem de raier publicar al^um
anniinciodiis seuscommitlentes, que annun-
*9fo de assigirantn: para evitar estes e oulros in-
Maria -inna, (/ionio frurto do augsto esa
anulo contorci de ^uas Wage*tud* FMelissi-
mataSiihora D Mario n, to V. D. Fer-
nanda 11, rei de Portugal, marida a rime e
um de juina do corrente anno pelas du t* ho-
ras e meta da larde noreat paca das ntemida-
des, residencia ordinaria dt Sitas Mageslades.
Depois deleitasen, todas as catbedraes, pa-
,._. ------ ......... u. asen mnas as ea tiedraes na-
coovementes a redaecao do Diario de Pernam- ro.his, templos das rasas rei, o as em o,.
dr.na0emmrn'ia,,MlrKarna, "'Ti P* **C>tamed" ^ .....'- P "
folha 2ZZ o" Ja "'"', deC,a,ad S 0raf "as mteMI '"" /WW parto as primeiras
folhasdetodosos Srs. assignantes que mora- no mes de malo, as segtiudTno me; de iunho
t, ns l'inn iJSV!""** 7""* "T" ,a ""'",""'l< r"ril lavoravelmenle ouvi-
S', S,'',n ttetr0m6,t T das I,Ho l,p,,sd,,s D0W0 l'lis a, fervorosas sup-
f" ',' P"' rwt0^bfnd-as por vfa de pinas do povo pnrlucuez e S. M. a Rainha e-
toceiro, que nao he subscriptor da folha assig- ,IS duas huras i meia da .arde rom a mainr
j felitidadedeu a luz urna linda e robusta infan-
ta; ersta fausta noticia annuneiada por giran-
, dolos de lbuetes, repiques de sinos, e salvas
\ de artilharla do casfeilo de S. Jorge, forlalesas
***m---------------------wFavfiai----------------------aaa j e vosos de uuerra surtos noT/j bem como pe-
i IttStrliraria (la FaZOIlda. Ias l,nbas'n^K^phicaa do nortee dosol.ca-
.,.. .__ ._ pal e as provincias cncheu de iubilo c. salisfa-
EXPEDIRTE no DI* 27 lio PASSA.,0. *hu um ^ qU(> (,mliil|m(,||(. ^a a sua ra
aos rhees das reparticoes da sua real casa pa-
ra que todas aseouaas se preparasscni paia a-
qiH'lla solemnidade com a maior srandi-sa .
pompa, e aeeeio, romoeumpre ft saritldadedn
n-lsiiad. maueslade do throno e dlgnidadp
la naeao porluiiuena, apode di/er-se que tanto
s rep.irticdus dn estado como as da casa real
levaran- ndesempendo dosgeus deveres A maloi
uerfeieiin, e nao se faltar a verdade, diserrdo-
e que todos se exeed-Ta i para tornar este sa-
erosanto acto mais solemne, augusto o mages-
toso.
Nn real paco das N'eressidades cstavo rica-
mente ornadas as Ires salas da tocha, do doeel.
i llirono. Na sala da tocha eslava o palio rico
de olio varas que deia ser levado pelos oi(o
icrandes do reino titulares mais antiitm, o sobre
um bofelecoberlo ile um panno de icludocr de
purpura com noarnicocii du ouru n saleiro di
ouro com sal Robre um pralo lamben, de ouro
i" ludo s rbre urna bandeja de piala ilourada de
'elevo o nntfquissiina.
Na sala do dorel, sobre um grande btele i-
gualmente cubera de veludo carmoslin rom
iiuarni(des de ouro, estavafi tres grandes ban-
dejas de prata dourada feitas com relevos, urna
com o massajiao, ou'ra com a veste candida,
nutra com o cirio tendoeste cravadosem lor-
ma de cruz os qualro docatoes de ouro, moeda
i'unhado no reinado do Sr. rei I). Manoel, 8 o
cilio linha mu lacode lita bordada de ouro, len
ilo as exlremidades, em bordadura de ouro, as
rmas de Portugal. Sobre o mosmo boleta, e
em grandes bandejas de prala dourada com re-
levos, cslaviio as vestes e sendal de damasco d.'
ouro pora veslir-se o grande do reino quvm
. M. I', concedessea honra de levar debaixo do
palio a serenissiiiii Infanta. Sobre ou Iras tres
airas de prala dourada eslava) as tres toalhai
nn. i.v i, V"" Ul" P'*" qu-oruiaimerue ama a sua rai
uiiic.o-Ao Lxm. Presidente da provincia l.a, pela qual lem feilo eesiprompto a fa-
inrormando em cumprimento dos despachos ser os malores sacrificios, eque considera a vi-
de 23 e 23 do corrente ( Setemhro ) que a- da de sua augusta soberana como o seu prime!-
couipanhiirao os officios do lente coronel roe maior bem.
chefe interino da 1.a legio da guarda nacional M Tcndo sido previamente convidados porSuas
deste municipio acerca das forragens na im-
portancia de :l 1S00 rs. que se deviio .os
clarinsdo 1.'esuuadrio desde o I di
do anuo passadu at o ultimo de i everein, do S" *Z"''" ^T!:!,':: "' f F' "^
rr.rrw.ii .. i i 'orondu-se alquil lempo as proen-
*. llTf* I i' H Okl'i i iniu Mageslades Fidelissimas para padrinlio e ma-
drinha da terenlssima infanta, Suac Mageslades
Impeiiats Apostlicas o Imperador e Impera-
tiiz d'Ausiria. augustos tos de 8. M. P. a Rai
correle que esta iuq.oitancia deiando de
tacf.es, nfioconsenlioo religioso animo deSuas
ar paga por se ter .tendido pelo olicio de 6 Mageslades que A Sra. infanta sua fllha se de-
de -. I>r i i assado que .rnenle se Ihesdevia morasse a graca do sagrado baplismo, fisera
abonaros mais encunen los, neo poda anda declarar aoEinm.'Cardealpalriarcha o sanio de-
ialisla/er-se em vista da ordemde 12 do cor- 8rJ de que a infanta recen,-nsseida fosse par-
rente ( Seteniliro ) que acompanliou a di.slri- t'-i>lrmenle baplisada, o que estando em har-
buicoo do resto do crdito mateado nara a des- "".n,a c"'" 8S r"-ras a^ahelecldas pela lgre|a,
pesa da guarda nacional da provincia salvse "I"', "r",'al ')a,r,a,,'ha >,io ,ao P8C B!
, ., INe.essidades, e ah na cmara real, e em nre-
iuvumenle o contrario delernuriasse. c.,.,, ,i.. ..,c; \i ...ci..,i. a .. i
. setiCa de Mas .Mageslades, do principe real, dos
IlltOAo momo l-.xm. .Sr. inlormando seiihores infantes duques do Porloeda Beja, dos
que na thesouraria nao existido os requenmen- offlciaes mores, damas, camaristas, e ministros
tos de Jos An'on o Marinlio de Queiroz.I'ran- de estado ful administrado o sanio bapt smo a
cisco Elis I ereira e Jos.- .Marianno de Alhu- Sua Alies,. Serenissima, servlndo de padrinhn
querque Cavalcaoti remetlidos pelo conselho Por l,art(' de 8. M. I. A. o Imperador d'Ausfria
supremos militar. '""' *" Evm. barad de .Maishal, ministro ple-
DiloAo d.redor do aasenal de guerraremel- nP0Jncirlodo niesmo augusto soberano nes-
, i rr i L- u. i i '' corle, e de madrinha por parle de S. M. I. A.
temi por copia ollicio do Kxm. i'r. sidenle da ',- ... ... .* > -\.
'.,',,. c i r a Imperalriz d Austria. S. A. R. a serenis-inia
provincia de 2b do corrente [Seltmbro]. a fim Sra< ill(iin(il |,abe, M;irjil. e no dj) 80deju.
de que licasse na inteligencia o mandasse dar |h0i ,.!,, oma hora du tarde, foriu postos aS.
execu ao ao (pie dispunha o impeiial aviso de a. os seguinles riomes :
30 do Agosto passado acerca da despesa ue Dona Marta Anna Fernanda leopoldina Mi-
6S rs. ltimamente leita pelo commandante chaellaRufaella (abridla Carlota Antonia Ju-
da lorialeza doBrum, com a compra da cera Ha t tetona Iraxedes Francisca de issiz (,on-
para a ci,pello da me,ma lorlaleza. :a9" (,e tragonea e Bombn Saxe Cobourg Got-
DitoAojuil da direito chelo interino do 0 ., .
i .. a.........: lendoS. M. designado as cinco horas da lar
polica rogando, par da eumnnmento o'de d(( dliM0 ll,il(tll^ ara a S(1,,.mhj,lH(l, Jas
despacho do Fsm. Presidente da provincia ceremonias baptlsmae; nesta conformidadef.-
lancado em seu olrio se dignaste mandar r8 expedidas, pela secretaria de alado dos ne
nir;..... se as tu. di-iras e mais materes da gocies do reino, asparticiiiacdas ao Einm.'e re-
de artimaa da veremtlssimn Caldea! pairi. rcha. ao corpo di-
averiguai
parle
abolida do anlign parque
jioiu; iiii.i.ni.i un iii.ii^" |ii.njn> uv niiiiiiwi.il ua ricniiiMMiiiu 1..1111.0. |)U 111 11 lio. an uoipu ui-
cidade de Olinda valido a pena de ser apro- ploma I ico, grandes du remo, titulares, rlRcia-
aitados attendondo se as despesas, que com es mores a menores dacasa real, camarista,
islo ler-se-hia dla er lamas, ajudanles de campo d'el-rei, ministros
DitoAo inspe.lor*da alfandega para f,wr|d'wtado eflrlhoi e honoiarios. eonsetheiros de
nstaramauardas Manoel Abares da Cru*, vA"- ldasasautondaueselwast,cas. cl-
. i. .7-, i i i i vis, e mi
Joao Baptista Gurjnd Andr rorjaz ue La-
cerda e Ignacio Francisco .Martin/ que se a-
cli.iv.io reformados por decretos imperiaes e
que deviao appresentar no tribunal do iheSOU-
ro publico nacional o ducumentos que tnos-
ililatesdo i-xercilo e armada, |) esiden-
les da cmara municipal e tribunaes, govena-
dor civil ele. para assi-lirem no referido da e
bota indicada, na real apella das Neccssida-
iii's ;. lususiaf e sacrosantas ceremonias.
S. M. bavia dado as ordens as mais positivas
ritas com que deviao olflgir-se os grandes du
reino que levassem as bandejas com o cirio ,
\esle candida, e massapao; e todos estes boje-
los erad cobertos por um grande panno de se-
lim carmesim semeado de estrellas de ouro e
guarniedes em roda do mesmo metal, queche-
gava alao pavimento. K le grande bofele, as-
sim guarnecido, eslava collocado debaixo de um
riqulssimo ducel de damasco verde lecido com
ouro.
Na sala dos reposleiros estavao dous bofetes
i Obertos de panno dC veludo cor de purpura,
leudo em cima as macas e insignias dos res
d'armas, arautos, e ^assovuntes.
A sala dos archeiros, e as aseadas estavao or-
nadas e cuberas de tapecariaa o pannos de ras.
Vo vestbulo das encadas comecava um longo es-
trado, que alrovessandoo pateo interior do pa-
lacio, e geguindo fra ate mel do largo, rolla-
va em quarto de circulo, e ronlinuata al de-
rronle da real ca pella onde torna va a voltar
m direitura i porta, tendo em tod .osen ci m-
piincnio 326 palmse 33 de largura. Todo as-
te otado eia defendido de ambos os lados por
una lea cd.erla por lora de pannos de ra/, e
por dentro de damasco, o o pavimento de tape-
caria. Km toda a sua exlensa.. bavia COcolu-u-
ncllos oilavades, eollocados de dose em dose
palmos, de cujos eapiteis pendiad em Huas as
les de farro oulros tantos cnndieiroi deforma
leugona. Denlrodo vestibulo do pavo, nneo-
meco do estrado ejunto ao adro da eopella no
un do e-t.ado. bavia crelos para mmeos.
Os b.dos laleraes docorpo da igreja estaiao
divididos am tres parles com rlquissima auna
cao de tella de ouro, o tanefas de veludo, sen-
'..... do centro maior para reieber urna
randecredun la de seis degraos, guarnecidos
de pecas preciosas de prata o ouro, bandi |as,
vanas, i'Oinis, frucleiias, jarros, badas, bilhas
de diversa grandesa serpentinas com vellasac-
cesas.e entre estas diversas pecas se viaa gran-
de hacia de ouro, tendo embebidas em sen vas
lo contorno as diflerenles moedasdeouro cu-
i.hadas coi Portugal, eque serve mis baplismo*
dos principes da casa real desde a aun .do l'i-'
Krad variados, ele-antes, ricos, a bellos osen-
faites com que os lados laleraes da igreja estavao
urnados.
Ivm frente desta credencia estavao dous Him-
nos dn lado do evongelho com ricos doceis de
iiamaeo roxo de ouro, um para Sua Uogesla-
de l'idelissiuia Kl Rflj ,. Sua Atiesa ll.-.l a Se-
renissima Senhora luanla D. Isabel Alaria, e
nulro para n Im. Cardeal patriar, ha. tend es-
ta uliio.o aos lados cadenas rasas paraos mi
:.:.:: o'Msi.iiies. O eulanlan.eiito eslava co-
btrto de Ibuma de ouru no fiiso, de veludo a
cornija earchitrave. indicando os cables do ouro
is dllT Tentes molduras quecompetem ordetn
orinthia. A aboboda estavn almof.idada com
sedas, veludo e galoes dedilT.'fentes adrase bri-
lllO, e para se dar mais p direito ao corpo da
igreja, addiccionou-^e porcuna doentablamen-
io tima ordem de bamholins. que pela sua trans-
parencia e collocacfui indicavo nuvens e pela
lOVidade e boa escoma das cacas adamad-
las davfio a maior bellusa graca, e pri-
mor a esta armocao. O arcii-i:rueiro linha em
oniorno da sua archivolla sa.ieas de tella de
ouro, e cercadura de veludo borlado de ouro,
is duas grandes pilastras, urna de cada lado do
neo. era.i torradas de veludo carmesim, leudo
is estrias em heluis com galn de prata, o que
fizia realcar limito este fronlespici ; e por ci-
ma do lado do arco estava collocado o escudo
,Mirluguez burilado de ouro, rodeado de ralos de
lilleientes sedas e galoes, os quaes indico to-
do o sobr'arco.
Na capella-imir eslava reunido e convenien-
lemente collocado tudo quan'0 ha de mais
rico, de mais brilhaiite. ede melllor gosto en
armacoos O aliar, o Ib roo do Santissimo Sa-
cramento, estavao por tal forma o tao niagesto-
samente pr parados, que bern designavo aos
liis que al! eslava o sa itn dos santos. Os (tir-
nos do Sua Magostado Kl Ral, eo deS. Em. o
i.ardeal pairiardia, estavao primorosamente or-
nados A tribuna de Sua Magestade Kidelissima
a Kainlia, e as do corpo diplomtico, as cre-
dencias, lud. brilhava com o maior aceio, ri-
quesa e bom g .sto. Tocbeiras, casticaas, ricos
lustres, ezcellcntes tapecarias, ludo eslava em
harmona com a santidade da religlBo, mages-
tade do throno, e dignidado do povo portuguez,
tudoattestava o respeito religioso, que Suas Ma-
gestadas, e a nacen portugueza consagrlo san-
ta religiao de Nosso Senhor Jezus Christo.
Aos lados da ere leticia oe prata havia duas
nutras credencias ricamente armadas, ern urna
estavao as mitras de S. Km \ a candella. e o ri-.
lual, e na oulia as lavatidas e toalhas K o dous
camarina ricamente armados, um dentro da
real i apella e junto ao guaida-vento e oulro
junto ou arco-cru'ei,n eslavaoos leitos coin ri-
cas camas coberlores, mesas, eo mais ne-
cessario para a serenissima infanta. Na capei-
la-mr havia duas credencias cora lavandas, to-
iilhas, salvas com globos de a Igodi, mica pa-
is, Minio, luvas. gremiaes. e mais objectos
necessarios. Sobre o altar estavlo as ambulas
le ouro com os santos leos de Cathccutiienos
e Clirisma ; e bem assim os liquissimoa para-
mentos bramos. que S. Em. devia vestir
quando depozesse os do cor rOxa, com que co-
mecoo estas santas ceremonias Tambe-m na-
vio na capella-mOr um laldstorio coberto de
rdso, para nelle se sentar o Kmm "Prelado
quando pozesse a Sua Alteza o santo oleo de
Catbecu menos.
A sduas boias da larde eslava aberta a real
capella o atrio guarnecido de soldados da
guarda real dos arJieiros assim como as cre-
dencias e aliares. A fura a guarda ordinaria
dopaeo que nesta da estava em maior lotea,
e que linha destacado senlinellas para os Iddos
do atrio, e porta l ravessa da capella eque
era de infantaria n. l(i urna brigada compos-
ta do bataltiao de cagodores n 2 e dos re-
gimentos de granadeiros da rainha o de in-
fantaria n. 1 commandada pelo coronel .Mar-
cellv se postou no largo das Necessidaoes ; a
um asquaurao de cavallaria soltando piquetes ,
UStentava a ordem e cililava a passogerr
dos coches, carruagens, e seges. Lm numero
mmensoile homens e sen horas estava apinhado
em frente do paco e capella nos lados do a-
trio e dentro do espaco que deixava o estrado
eidre a capella a a porta do pavo, a despeito
lo ardente sol, (ue estove todo o dio. grande-
mente incoinuiodo. As msicas dos cornos
locavo nos crelos e no largo das Neccssida-
ilrt, 08 hvmnosnacionaes, que sobretodos sao
gratos ao povo | ortuguiz.
A s qualro horas um moco da real cmara,
recebeu ra sala Ja Tocha o saleiro c pralo de
ouro e acompanbado de dous reposleiros a
de quatro archeiros e um cabo o condu/iro
pelo eslrado capella real onde foi rerebidr.
pelo pnmeiro mestre de ceremonias, thesou-
leiro-mj da real capella o beneficiado Joa.-.


I
"
quim E leu torio de So usa Ncgrao que o fez
collocur na competente credencia.
A's quatro horas e meia chegou ao paco Sua
Alteza Real a serenissima Senliora Infanta D.
Isabel Mara acompanhada da sua dama c
viador, em rico estado, Irazendo a procuracao
da augusta inadrinba.S. M. I. App.*. triz de Austria I). Mara Anna ; e (o rece-
Inda com as honras devidas sua alta calhe-
goria.
Logo depois e om grande estado chegou
oo puco o Exm. Baro de Marsbal Mini>tro
plenipotenciario de S. vi. 1. App.* o Impera-
dor de Austria com a procurocaodu Sua dita
11 apestad e.
A's cinco horas da tarde chegou porta da
real capella o Emm." e Rev.m'Cardeal Patriar-
cha Capello-mrdeSua Magestade Fidelissi-
ma tra/.ia alem do coche, em que vinha, dous
coi bes de estado da eminenlissima mitra e
vinha aeompanhado do seu secretario genti
hit ni'iis capelles secretario da cmara pa-
xriarchal o tem assim do sen mordomo ( 1 ).
S. K n foi rccehido a porta da real capella
pelo conselheiro esmnler-mor pelos capcllaes
de Sua Magostad Fidelissima das reaes calpel-
l,is das Neccssidades Ajuda e Memoria, pelos
capelles da real hailica da Estrella, e pelo
parochits d'Ajuda Belem S. Pedrocm Al-
ca otara Conccicao Nova, e poroutrosec-
cle>iasticos.
S. Em.* foi condnzido aocamarim que Ihe
estava preparado alli se parainentou e sa-
hiiido em procissio com a cru'. patriarchal em
frente do prestito paramentados o* ministros,
que havio assislir-lhn na celebraco das sa-
giadas ceremonias, foi conduzidn ao altar mor.
onde estiva o Santissimo Sacramento, conde
dejoolhos sobre a almoada fezoracSo can-
tan lo a msica acompanhada da orquestra da
real cmara o E.ceSaeerdot Magnus.
A'cinco horas e meia da tarde informado S.
Magestade El-Re o Sr. I). Femando deque
o Emn Prelado estava na real capella e
que o eorpo diplomtico ( 2 ) eslava as res-
pectivas tribunas, deu ordem ao Duque da
lerceira mordo-m >r interino e ao Mrquez
da ('emposta mestre-sala para fazerem sabir o
prestito; o que se execulou da maneira se-
guinte :
la adianto um destacamento da guarda real
dos ariheiros capo/, elle os porlciros da cali-
na levando os seis ltimos as massas de prata ;
os rcis d'a mas aruutos e passavanlcs comas
suas respectivas colas ; os oflciaes menores da
casa reul os generaos de lena e mar os offi
ciaes militares os presidente! dos tribunaes,
e outras pessoas qualificadas.
Vinbo depois por sua ordem os titulares e
grandes do reino os officises mor s cama-
ristas viadores, ministros dentado eflcctivns
e honorarios conselhciros destallo ajudan-
tes do campo d'EI-Rei os bispos os princi-
pies laeitincta patriarchal, a toda acorte.
Segui vando a bandeja com o massap&o acompa-
nbado de dous mocos lidalgos e um reposteiro.
O i arque/, de Fronteira levava a bandeja com
a ve-te candida acompanbado do mesmo mu-
do de iiocos-lidalgos o um reposteiro e depois
o Mrquez do Lourical da mesma forma acom-
panlidiio levava a bandeja com o cirio.
\ inha depo s o Exm. Baro de Marshal rom
a procuracao de "> M. I. App o Imperador
de Austria vinho logo depois o Duque da
l'erceira inordomo-mr eo Mrquez do Fa-
val capilo du guarda.
Seguia-se ua vlagcstade Fidelissima El-Rei
oSenhorOM FERNANDO II, tratando a
Seu la-lo Sua Altesa Real a Serenissima Senlio-
ra Infanta I). I/abel Maria que trazia a pro-
curacao de S. M. 1. App.* a linperalriz do Aus-
tria.
O Mrquez de Santa Ira camarista de Sua
Magostado Fidelsima a Bamba assislido de
dous mocos lidalgos levava no senda I a Sere-
mssiiiii Senliora Infanta dehaixn do palio e
pegavo as varas os Marqin-zes do Ponte de
Lima branles, Niza e Minas eos Con-
desde Penaliel Lindares, Cunba e desqui-
te) la.
Seguio atraz do palio e acompanhavo a
Serenissima Infanta a Duqueza ue Ficalho
caniareira-ni'ir as damas eflcctiva I). Ilen-
riquela Oyenhausen I). Maria de Vascon-
sellos e Sousa e as nao eflectivas Duquezas da
Tercoira Marquezas de Ponta Dclgida de
Fronloira e Mamposta Condessas de Lumia-
( 1 ) Sua Km." trazia urna guarda de honra
de avallara dos lanceiros.
( 2 ) O internuncio de Sua Santidado, os
ministros de Inglaterra Hratil llcspanba c
Pru.sia ; os enearregados d* negocios de Sue-
Ca Dinamarca Blgica Ilollanda "-ar-
denta os secretarios eaddidosda tojas as le-
ga oes. Faltou por docnlo o encarregado des
negocios dos Estados-Luidos da America do
porte,
res, da Ribeira D. Marianna o D Anna, de
Linharcs, de Cea ede Rio Maior. Ficaro
deserva) a Sua Magnstade a Rainha o cama-
rista D. Manoel de Portugal e Castro c a da-
ma D. Maria das Dores de Sousa Coutnho ;
estava de servico a El-Rei o Baro de Cam-
pan ha.
Posto em ordem o real prestito Sua Mages-
tade El-Rei se cobriu e ordenou ao Duque
mordomo-mr que se cohrisse e mandasse no
Seu Beal Nome que se cobrissem os grandes do
reino o que logo se executou cobrindo-sc
todos os grandes excepto os que levavAo as in-
signias. Neste momento salvou o castello de
S. Jorge todas as fortalezas, assim como
lodos os vasos de guerra nacionaes e entran -
geiros surtos no Tejo os sinos locavo cas
msicas sem nterrupcao, e assim camnbou o
real prestito al capella.
A'entrada da roal capella o Emm. Cardeal
Palriarcha lancou ngoa benta a - El-Rei, c a Serenissima Sonhora Infanta. A
orchestra da real cmara tocou entao urna linda
symphonia. O Srs. Juao e Caetano Jourdani
dirigirn a msica.
(guando Sua Magestade Fidel ssima El-Rei
enlrou na capella ja Sua Magestade Fidelissima
a Rainha plenamente restabolecida esta-
va na tribuna real acompanhada do Sua Al-
teza Beal o Principe o ^enhor D. Pedro de Al-
cantara Duque de Braganca e de Sua Alteza
Serenissima o Senhor luante D. Luiz Flippo
Duque do Porto.
A este lempo a Serenissima Senhora In-
fanta se recollieii ao primeirocamarrn e Sua
Magestade El-Boi e Sua Alteza a Senhora In
fanta I). Izabel, feita breve oraco ao Santissi-
uio Sacramento so sentarn no Ibrono tendo
Isempre ao pe do throio um lugar milito dis-
tinelo o Fxm. representante do S. M. 1. App.*
padrinbode Sua Alto/a.
Finda a symphonia e olitida a devida venia
le Sua Magostado para comecar-se a soleinni-
lade os grandes do reino tomaro o palio das
oaos dos oito mocos da cmara que os acom-
nanhriwlesdo o paco foro ao camarim re-
eeber a Serenissima Infanta e a Irouxoro a
S. Em.* que sentado no Ibrono assislido do
ministros paramentados, e havendo recebido
das maosne Sua Alloza a Serenissima Senhor
Infanta D Izabcl Maria a procuracao da au-
gusta madrinha o do Exm Baro de Marshal
a procuracao do augusto padrnho comeearo
as snelas ceremonias ropotindo os mesinos no-
mes que no dia 30 de Julbo linhiio sido na-
dos Serenissima Sonhora Infanta recem-nas-
cida conservando se sempro durante as cere-
monias aos lados da Senhora Infanta OS repre-
sentantes do radriuno e madrinha.
koingredere in Templum liei caminharo
todos para a capella mor, all proseguiu a ce-
remonia religiosa o feilas por S. Em.* a
perguntas: //brenuntias Satnatele., que
torito enrgicamente respondidas pelos repre-
sentantes dos padrmlns S. Em.* ungiu a Sua
vileza com o oleo dos Caldenmenos no peito
e na espadoa e o ronselhoiro esmolcr-mr
limpou as unces com os globos do algodo.
Sua xlte'a fui recolbida ai secundo camarim .
Sua Magestade e a Serenissima enhora Infanta
subirlo ao lhr< no e sentaro-sc.em quanto os
ministros foro vestir os paramentos brancos ,
o os vestirao a S. Em.*
Paramentado o Emm. Prelado subiu ao
tbrono e continuou a sacrosanta ceremonia ; e
feitas as pergunas credU in Deum Palrem etc
a que Sua agestado a Senhora Infanta D
Izabel o o Exm. Baro de Marshal responde-
rn om alta voz assim como haviao antes n'ye-
lido o Credo e o Paler nosier, S. Em.* ungiu
a Serenissima Senliora luanla com o snelo
oleo da Chusma c o csinolor-mr limpou ;
uncao. Logo depois o Mrquez de Prnnteir*
apresentou a vele candida, com que o Enim."
Prolado vestid a Serenissima Infanta, rerilarrao
o accipe vestem candidam etc. Enlo o Mar-
que/de Lourical apresentou o cirio nceso, o
recebendo-o o Emni.Cardoal Palriarcha.o po
na mo diroila da Augusta Infanta ajudado
de Sua Alloza a representante da madrinha .1
e do S. Ex. o representante do padrnho. En-
tregue o cirio ao esmoler- mor a Sonhora In-
fanta foi recolbida ao camarim para repousar.
Enlo correu-se a cortina eapparecou exposto
O Sanctissimo Sacramenro todos ajoelharo
com a maior devoco o coro cantou o Salu-
laris IIostia e incensado o ^anctissimo Sa-
cramento S. Em.* ent.iou o Te Ueum cao-|
lou-se depois o Tanlum Eran incensado o Sa- I
crarnento c recitadas as oracocs pro gratia-
rumaclione cncerrou se o Sacramento, eS.
Em.* lancou a todos de bculo e mitra a bencao
pontifical.
O prestito voltou ao paro corno bavia rindo,
Suas Magostados recoboro os curiipriinentos
do Cardeal Patrian lia do corpo diplomtico ,
da corle, das autoridades, officiaes milita-
res &c.
O Te Deum que se canlou foi o que Sua Ma-
gestade Imperial o Senhor Duque de Bragan-
ca do saudosa memoria compoz o serviu a
primeira vez no baptisado de Sua Magestade
Fidelissima a Rainha. A armaco da real ca-
pella (oi encarr gada ao mostr armador Joo
Evangelista Lobato, e ao Sr. Ferreira, que de-
semponharo o seuoffciode um modo que tom
meiecido os elogios de todos os entendedores.
A real capella est aborta para tres lias ser vis-
ta de todos do mesmo modo que serviu no acto
do baptismn.
Que o O) dilate por longos annos e sem-
pre inais le i/es as preciosas vidas da nosa
adorada Rainha, de El-Roi Seu Augusto e
excelso Esposo, edosPrinci es Seus Filhos ,
taes sao os sinceros e cordeaes votos de todos
os portuguezes.
PORTO 19DX.GOSTO.
Carta que certa pessoa do texo feminino eicre-
veo a um cavallieiro de Lisboa,
Senhor. A Senhora Dona......acha-se as
mnis tristes circunstancias: a sua nica riquesa
tao sote filhas, todas bonitas e de grande recalo
e honra, de que ou mesma sou testemunha. Sua
mal est resol vida para acudir ssuas necessi-
dndos o entregar rada urna deltas a urna pessoa
capaz, pela mdica retrbuico doquatro moo
das comocandn pela mais volha que tem 17
annos, esegnindo-se as nutras pela sua ordem.
nara dartmpo as mais pequeas de crescerem.
4ft Conheeendo eu o genio de V. S.* disse h
ninha amiga, que nao disposesso dellas sem Ihe
"ii dar parle.por n-a parecer provavel que V...
or urna bagatela do 28 moedas nao deixaria
escapar eslas boas fortunas, daquellas deque
milito se nao gabfio de ler adiado urna so em
toda a sua vida. Fico esperando a resposta de
V.... (cegue-sea assignatura.)
De corto nao mancharamos nos as columna*
lo nosso jornal com lo infama carta so o il-
lustre Redi-etor da Revista Universal o Sr
Vnlonio Feliciano deCastilho. nao fosse o pri-
meiroa puMi-nl-a em seu oslimavel jornal No
ha nessoa algurna que deixe de fazer justica as
bellas quididades moraes do Sr. t.astilho que
esem dnvida alguma um dos notaos maisaerre-
litados Iliteratos e quo deixe de considerar n
Revista Univert ti como o mais inloressante ,
inslructivn e modesto jornal do nosso pai7.
Tendo pois o Sr. Caslilho entregado ao domi-
nio da imprensa esle terrivelmenle vergonhose
monumento da nossa immoralidade nao no
'(vari a mal os nossos leilnres que nos Bu-
lemos entrada no nosso folhetim expondo as
sim oste infame monumento ao odio e execra-
do publica.
E com tanto mais vontade o fazemos nos .
que estamos profundamente convencidos. que
nao haverA um so dos nossos loitores e leitoras .
que deixe de participar do horror, que nos rau-
sou similbante carta, a qnal, a nao ser o carc-
ter e a moral do Sr. Castilho, nn feriamos dn-
vida de julgarmos apnervpha, ou puro invento
nara armar pintos que e hoje a molestia do
lempo. Na certeza pois da sua veracidade, per-
millir-nos-bao os nossos assignantes que fa-
eamos solire olla as spguinles reflexes.
f) laclo horroroso o descaradamente abo-
minavel ose nao estamos em um paiz de sel-
va ge ns esperamos que o governo trete de a-
verigual-o. e entregue justica osla mi mons-
tro que assim calca aos pe* os mais sastra 'os
deveres do amor maten al. Que uma reai se-
no a natural defensora de suas filhas? Quein
leve mais 7e|ar a sua honra, defender a sua pu-
rosa escudar sita fraqueza contra a donrava-
i o do sculo? E que vemos nos? Unta mulher
(tuesediz mi, n qual entrega suas filhas ao
aliar abominoso da sensmlidade e isto com o
fim de arranjar 2* moedas para a livrard'a-
Causa horror !
E logo 7 que rica nao seria esta mi desna
turada, se um lugar de 7 livesse 14 I E aquello
sanguo fri com que ella vende ja aquellas mes-
mas, que ainda nao tom idade o permiti entre
aal-asquando a tenho E a perversa fri-
'ajdadecnm que a infamo corretera convida e
persuade o tal cavalheiro a approveitar-se desla
boa fortuna Com effoilo 7 donzellas por 28
moedas bem boa compra Ah temos 7 des-
granadas medidas na estrada do crirne e da de-
pravae-in e guiadas pela mo infame de sua
mii E quem inspira a esta mi esto diablico
pensamento ? o grito da neccs'idade que se-
gundo o proverbi inimiga da virtude.
Conhecemos o imperio, que a necessidade
tem sobre a nossa rnmmum fraqueza ; conhe-
cemos que o mui diffieil resistir a fome; mas se-
guindo a nossa nalnresa tal qual a srhsmos, so-
mos rio opinin. que a fome nT'O logitin a a im-
moralidade mnito mais que muilos oulros
meios linha esla mi depravada de alimentar-so
sem sacrificar a honra de suas filhas. Nao bave-
ria quem q'iii^. fu v."1!: P"s Oiadade
servir ? Neste acto execrando nao ha s lome ,
nfio ha s'i fraqueza ha o vicio em toda a sua
ealdado ha a depravaco em triumpho A-
quell-'s 6 innocentesinhas de cuja deshonra
olla antecipa o proco sao um documento da
mais infame aglotagem e reclamo sobrees-
t mi perversa o mais torrivel castigo.
Sentimos, queoSr. Castilho nos nao parli-
cipasse.se o cavalheiro acceitou ou nao a mame
venda : desojamos nutrir a esperance de que a
rojoit ra mas nem por isso a soile das desgra-
nadas sera monos funesta que ja se \d que
esto ellas destinadas por sua mi a augmentas
o numero das prostitutas! Convidamos or
nossos leilores a analhematisar o faci e pon-
do este quadro de horror dtante dos olhusdas
nossas amaveis leitoras, faiemos os mais ar-
denles votos para que nao haja dentro dos mu-
ros da cidade eterna urna copia de lo horrivel
modelo! A mulher. que o amor lanca na estia-
da do crimo e da depravaco digna das nossas
lagrimas: mas quem deixar deoespre-ara-
quella que abraca o vicio e se torna sem poja
e sem remorsos!
HESPAMIA.
Escrevem de Ocanha com data de 6 d'agotto.
Neste momento, que si odeze meta da noitea-
. abo de cbogar das alturas intmodiatas a Orega,
.las quaes vi um horroroso incondioque est re-
usindo cinzas parte dalormosa ribeira do To-
jo Solt Maior, e talvoz a casa do patrimonio
de S. M gestade chamado Cortept. A dis-
tancia, que vai do ponto onde prini ipiou ao si-
tio do fogo me impidi de designar com cerina
onde comocou e at a >nde agora se exlende ;
mas affirntarei, segundo doscobria com a vila,
que as i hammas OCtupavio meia K goa e nao
ser eslranho quo por algum lempo itttorten-
loma communieaco com a curte pois corre
na dircelo d'Aranjuc. c segundo a frca, uuo
leva com o vento nao so corlar : se I' eos o
nao remediar grande porda vai ler o patrimo-
nio de S. M., c so o Todo Poderoso o nao apa-
ga infinitas familias ficaro redusida a summa
miseria.
( P. dos P. no Porto. )
PERNAMBUCO.
Tribunal ca lU'IacfiO.
sessa de 10 pe ormino de 1843.
Na caria testemunhavel da comarca de Quei-
xeiamobim do D. Izabel Maria de Jess e
eus Ribos e genros contra Antonio Cjuares-
ma Leo esua mulher cscrivo Mogo Itan-
el ; nao tomaro conheetmento do remiso
por estar abolido pela legislaco om vigor.
Na appollaco civel desta cidade appellante
Manoel Antones ^ illa a appellada nna Mi-
li ella dos Anjos, e outios, escrivo Bandeira :
se niandou avorbar a dizima.
Na appollaco civel da comarca do Rio For-
mozo appellanle Manoel Francisco Lamonha
Lina appollado Manoel Zoforino dos Sanios ,
escrivo Jaoomo ; sa mandou doscer ao juizo do
civel para se proceder avaliaco da cauza pa-
ra se pagar a dizima da chancellara.
Oaggravo de Antonio Pe re ira contra Joo
Domingues da Silva dojuizo da 2. vara do' ci-
vel dosla cidade leve provimenlo.
A appellaco civel da comarca do lirejo da
Madre de Dos, appollanFe Podro Akxandri-
no dos Prazeres e oulros, appellada I). Her-
narda Cotdeiro (los Santos, escrivo l'andei-
ra ; se mandou decer para se avahar para a
dizima,
Na appellaco civel do Rio Grande do Norte,
appellante D. Calhaiina Duarlo Xavier e
oulros, appollado Francisco J'oixeira dos An-
jos, escrivo Jacomo ; se mandou descer ao
juizOdo civel Iota i idoicp; ra m r avahada.
Na appollaco civel d.is Alagoas, appellante
Antonio Joaquim Giqueri appollado Manoel
Duarte Ferreira Forro, escrivo llego Rangel ;
se mandou pagar a di/ima.
reparticao da polica.
Illm. e Exm Sr. Depois da minha parte ,
dada em 20 do corrente, s lenho recebido | ar-
te da delegatura d'esta cidade e da do lirejo ,
ed ellas nao consta cousa alguma notavel que
menea communicar-se V. Exc. ; e respai-
lo da tranquillidade publica tambem nao me
consta, quo baja soflrido alteraco alguma.
Dos guarde a V. Exc. Societaria da policia
da provincia de Pornambuco 28 de selembro de
18id. Illm. e Exm. Sr. BaraO da Boa-\ isla,
Presidenta da provim ia. O cbofe de policia in-
terino, Caetano Ju* da Silva Santiago.
MEZA DO CONSULADO.
KXPOllTAgo para fura do Imperio nos metes
de .1 iilliD Agosto e Selembro, primeiro
trimestre do anno financeiro de 18W o
1844.
yll saccas t'uigodao com 49,309 >
14 libras.


caitas.
145 fechos....] ]
1J3 barricas___V
saceos.....
car ase latas. J
assoear com 136,392
@ 91 ibras.
61
1071
2(56
. 437 r,,)as
2'. quarlolas.. [agoas-ardentes.com
,27 l>ar'-i,i.....(79,587 caadas.
421 gi rra Toes .. '
723'/t elqueires de arroz.
32 02(> con ros salgados.
18 801 chita*
3,084 liliras de cobre velho.
24 @ 8 lili. caf.
16,500 (-baratos.
3.606 (iliras de doces.
.939'A alqueiresdefarinha de mandioca.
92< de fumo.
1 */8 oncas d'ouroj em obns velhas, e
1,143 ditas de praU i barras.
1 ouartoa' (melaco, com 6,660 ca-
160 Larris... )na(,as-
144 p.ios.. .. )madeiras do construc-
407 taimas.. kio.
2,665 ouin.tacs de pao brasil, por conta
do governo.
2,708 me ios de sola e vaquetas.
45,000 un luis de boi.
Moeda reis...... 101:152,097
Gneros iniudos ,
gasto fabrico____ 5:118.172
Valor da exportado 810:584,267
.Oiretos arrecadados gentes. 5529!. 356
d'outras provincias. 1:465,610
" pro.viticiaos 18:931,27a
crrante me*, 4 e 11 do futuro para se tractar i Da-se dinheiro a premio sobre penhores do
dos ajustes. Sala dassesses da administrarlo curo mesmo em pequeas porces : na ra
do patrimonio dos orlaos 23 de setembro de Nova n. 55.
I8U-----J. AI. da Cruz escriturario. |,nTIJII,. _____._.
_-___________' I LOTEIA DAS MEMORIAS HISTRICAS
- UK PEKNAMBUCO.
Avisos martimos.
Leiles.
Johnslon Paler &C. faro lelao, por nter-
vendo do corretor Oliveira do grande snrli-
"ento g.-ral de faendas inglesas j i bein conho-
TotalRs. 75:715.271
Fffectuada as seguinles embnrr ,tfeit.
Pr,os- N'1 Trio. Ton.
Cram Bretanha 9 Brasileiras 2 27 280'/.
Franca....... 4 Britnicas 9 103 2820'/*
PorluXl..... 9 Frrancetafl 4 46 1126'/;
Estados-Unidos 1 PorluguozasG
>ardenha..... 4 Americana t
Cidmlos Asialif" 1 Austracas 2
Hespaoba..... 2 Hesi.-anholas2
91 169,'
Austria
2 Sardas 4
Dinamarq. 2
9 206,
21 B46'/
19 304*/*
48 1071 /
25 711 A
eo de carnudos ingleses, novos de quatro e
i duas rodas alguna com eoberta e oulros
semella; e cabriols rom as competentes lan-
'ornas. o arreos, po.lendo-se assegurar, que
estescarrinhos alo bein construidos c fortes,
h ile molas lio elsticas, e superiores, como tai-
ve/ n'esta praca nao ten bao sido importados ate
boje ; sexta leira 13 do co.rente as 10 huras da
manhi no seu armazn) na praca do Corpo
Santo n. 11.
os caivnhas maior numero de purgantes e por
menos preco.
U publico achara na Medecina Popular A-
mericana as pilulas vegetaes do Dr. Kraudrolh
estas propiedades que produzem seu elleito
sem dores ou encommodo algum nlo se faz
Hoje sao pagos os premios obtidns pela I- preciso di tu alguma e pode-se tratar dos
trcelo desta lotera das 10 horas do da a I |S,.,!S nagoeloi nos meimos dias, em que seto-
casa do nico agente
II, e para maior
pradores na ra da ('a*
lozo Ayres ra Nova
Guerra Silva & C atierro da Boa-vista Salles
& Chaves.
se Johnston Pater & Oompanhia avisaoaoa
Srs. de engenhosecorrespondentesdos mesinos
nesta praca que se acba completo o seu esta-
belecimento de maohinismo para engenhos,
constando de moendus de diversos laman los,
de condesado o de alta
tro e de seis cavatina in-
. e coadas e prmettem
l recisa-xe de um caixeiro do boa conducta agradar aos seus fregueses tanto em preso como
naruu Direit n 82. |em qualidade visto seren todos estes ohjectoa
Frecisa.se de um olficial do chapeleiro f,.it(is n'un.a das principaes fundicesdo logia-
que sailia Irabalhar em qualquer obra porten- trra: ra da Madre de Dos n. 5.
-;entea.imsmoolljio na praca da Indepen- A fabrica de machinismo da ra Aurora
Targcllina, inda que nao se julga debitada para
com pessoa alguma todava ruga a quem se
|ulgar credor da mesmadea|iresentar suas cun-
tas ao thesoureiro para seren pagas,
Precisa-ge d'uma ama que tenha bom e
bastante leito : na ra do Rosario larga n. 20.
Arrenda-se urna casa sita na cid ida de 0-
-*v g.-iui ie ni/en.ias inglesas j i bein conho- i:n.|, n, _,., ., ,.....o -------- ,, t(m!,lun"0 uo moenuas
"las de seus bons fregueses quarta-leira 11 'S Forre,ra lui'ln d clla machinas de vapor, di
lo corrento as 10 horas da manilla', no sou C'.'.T .'''' ?**?" ^ Mfr '"" l''ssao da forca dequa
irma/emdaruadaMadredoBeos. .'!'""no1 ,,0,,ca 1" V2- -lezes e tatas batidas
Me. Calmont &C. f.trao lelao, por in-
ervei.oao do corretor Oliveira do urna por-
Avisos diversos.
32
32 389 8761'
N.B. O brigue ingles Fatcon transportou
para Liverpool por conla do governo 1320 sac-
cas d'algodlo com CS79 1v \ Ib. impor an-
do em 33:193.819 reis, do que nao paguu o
consulado do 7 p /o : assim como o pao bra7.il.
em conseqiieiicia do disposto no artigo 93 do
regolamenlo. O primeiro escripturario, An-
tonio de Souza Reis.
= Aluga-seo piimeiro andar do sobrado da
ra estroita do Rourio n. 21 a tratar no
segundo andar do mesmo.
=Pertonde-se saber da moradia do Sr. Jos
le Magalbiesda Silva Porto para se Ihe en
iregar urna carta vinda do Porto pelo brigue
Importador, da qual se prtenle reosla ou
'lie com Manocl Jos d'Araujo Machado nos
rina/ens da alfjndega "defronte da escadinha.
las 8 horas da manhi s 4 Precisa-so para caixeiro de urna loja em
Macei d'um menino portugUOZ de 1 \ anuos
le idade, obrigando-se quein o leva a roenvaN
i para esta praca. se all no se der bem ; b
r.it.ir na rua doCubug n. 16 e compasen-
lo alt> sbado prximo.
= Prmuta-se por urna casa na Solidado ,
demian. 21, e 26.
Pode-se ao Sr.
Jii<6 Rernardino I.eal o
acha-se sorlida de moendas de cana dos niodel-
"os mais approvados ; machinas do vapor de
f'vor de declarar onde e a sua moradia ou on- I |rca verd ideiramente de 6 cavlos. lendo (
' o >o pU{.;, osbillielosdosua rilaestrabidosem cilindros 16pollegadas de dimetro inteiior;
lW, eque nao correo | ditas de lorca de % ditos com dimetro de H
\pessoa, aq.ie.nlhe rallar um aaiiio pollogadas ,^ dito do alto prsalo com dimetro
que so presume servir para eomlusir jantar por I de 8 ditas. e lorca de 6cavallos, a boa ete-
conlor pratos, faca, garfo, &o., e que Irtra hon- cuelo de todas he garantida ; tatas de ferro
leni ontreguea um preto annuncio a sua ...o- !,., uso ( crVS ( e in,lis rerragens para assen-
rada, ou diri|a-se I rua do Cabug no aegundo lamento, todo Coito na meaina fabrica, onde
andar do souado que tolla para a rua das La- ti.ml.e.n se recebe encomondas de toda
""'A lida.le de machinismo.
I raspassa-se a chavo da toja do atierro da Alusa-se
Boa-viiita n 1%, com armado propria paro
qua-
iniudexas, ou calcado, a qual f .z bastante van-
lagem por sor o aluguel commodo ; a tratai no
mesmo
72
a qualquer estrangeiro e por
mes parte de urna casa moliilhada no cami-
ribo dos Aflictos contendo duas salas urna
Tullas inde^endente e outra com 2 quartos ,
. cosinha, ecjehia para cav los: a tratar na
Algum hr. per.to no offlcio de sombrei- rua Ja Cruz n. 38 segundo andar,
reiro que qu.ser aceitar um menino oranro |),.Sllpereceo ou lurlarao d'um sitio da
tola a 1 v ar.nos, para aplOfldll do mesmo of- |U,ntt. d E/rbAa um cavallo novo capado, ten-
deo .annuncio. do os seguintoseignaea: bastante grande, raco
hoga-so ao Sr. que ficou de ir segunda apataeado com atg.iu.as pintas de pedrs pelo
J lio correte mes rua do Paisoiu Publi- corp0| a ^i,,.^ lu(|u [(e(|ri.z ( c|inils aiira,|a9
ooarmazem n. 7 par concluir um negocio ,
luewa fa/er o obsequio de ir com a maior bre-
vula.le possvel, do contrario se (ara pul.licnr o
seu Dome
Ollerece-se urna mulhrr parda do idado do
COWMERCIO.
Alfandega.
Beodimento do dia 10........ 13:538S46G
Descarrego hoje 11.
Rsrca Hortense fa/endas.
Barca BU Luise fa/endas
Mstico Carmen chumbo amendoas ,
a/eite, vinho, o albos.
BrigueImportador lazendas, ferragens ,
vinho batatas albos, barricas va-
zias, taimado, arcos, e miude/as.
Polaca S. Jos manas, alarema gar-
ra foes va/.ios cominhos albos, so
bollas vinho azciic, aloisia e
amendoas.
me tenha quintal, inda mesmo que tenha pou- I 30 anuos para ama de casa a qual sabe cosi-
i.bar, engommar, lavar, e fazer todo o mais ar-
ranjode un.a familia : na ruada Virado n. 5.
X Madama Tbeard lem a honra de partici-
par ao respeitavel publico o particularmente a
eus freguc/es que tondo-se acabado o con-
cert da sua casa da rua Nova n. 32 \h se mu
Ion para ella, e que sempre l se acba um gran-
de surtiii.eutode chapeos de senhora u.ui ri-
cos do tih uno gosto, e por preco milito com-
modo, perfumaras milito linas viudas a^ora doj
Franca flores para a cabeca vestidos, cabel-
los do todas as quididades marrafas, crescen-
tes, chinos, cabelieiras pe.les de nllisa/ e
le atar os cabellos, de bal.1.! e .1.: tartaruga ,
IIo\ Hlenlo (Jo Porto.
Varias entrados no dia 9.
Rio do Janeiro ; 25 dias patacho hrazeiro
Josephiua de 155 toneladas, capillo Fran-
cisco Jos Bibeiio, equipageni 10, carga
carne secca : a Gaudino Agostiuho do Bar-
ros.
Barcelona : 57 dias brigue hespanhol S. Jos,
de 142 toneladas. capillo Jos- Demen.eh ,
equipageni 11, carga vinho, e mais gneros:
a Manoel Joaquim Hamos o Silva.
IreclaracoVs.
- O paquete ingles Crane recebe as ma-
las para a Babia o Rio de Janeiro hoje ao
meio dia.
= A administrado do patrimonio dos orlaos
temi da mandar proceder a reedificado da casa
n. i no largo do Hospital do Parai/o e da de
n 38 na rua do Torres do ba.rro do Becife .
convida as pessoas. que se quizeiem por menos
r.r.cr.rrcg*.." 2 strsmas recuiflcacoos a con pare
ceroin na casa da suas sesses nos diss 27 do
os couimodos urna grando casa com muitos
ommodos de tiiolo e barro sita na povoa-
ao dos Remedios distante desla praca meia le-
^oa com boa cavallarire para 4 cavallos mu
segura, com bom sitio de excedentes trras com
^50 o tanto* palmos de trente e 900 c tanto,
le fundo, boa cacimba com agoa de beber, mui-
tos arvoredos de espinbo plantados, coqueiros
&ft de presente tem diversas lavouras criadas.
e outras criando-se com grando hananeiral
d'excellenles ban-nas de todas as qualidades ;
volta-seoq le lor razoavel, sesimilhante troca
merecer folla ; adverte se, que todo terreno he
foroiro por lfijOOO reis por anno e tanibein
se permuta por qualquer propriedade, ou par-
le de propriedadeaqui no Becife; quem quise,
fa/er este negocio annuncie.
Lu tinlureiro do atierro da Boa-vista, n
72 aviso a to 'as as pessoas, que tem fazcnda>.
em meu poder 6 me/es a esta parte que as
bajo de vir tirar no preso de quin/e dias do
contrario nao me responsabilizo poetas ditas la
sendas. Jos Mara Ferreira de ouza.
= A tuga-so o pnmeiio andar da casa n. 12
na rua Nova proprifl para pequea familia ; a
fallar com Casaban & C.
= Alugao-se duas casas no alto de Apipucos ;
quem pretender procure no sitio do Oileiro no
mesmo lugar.
=Tboilia*C. Masn, subdito ingles, retira-,
se para fora da provincia. ^
=A luga-se a loja do sobrado do palio da ma:
Iriz de Santo Antonio n. 2; a fallar no sobrado
da inesma.
lina parda se efferece para o servico de
casa de homem solleiro ou de pou.a lamiun ,
propon.lo-se a engomar com perlcicao ctyitt e
ate. &<:.
j "
solt
na
-. Oflerece-sc urna ama para casado homem
c.m urna frula na cernelha principio das
dinas, leita peloselim, falceia de u guma sorte
de urna mao tem n'um dos joelhos una mar-
ca transversal de um corto que ah leve pare-
cendo ser proveniente da yueda que deu ; a
pessoa qued'elle souber queira annunciar, que
ser recompensado.
= O arrematante do imposto de 20 por con-
t sobre o consumo das agoardentes de pro luc-
an brasileira, avisa aos Srs., que anda nao pa-
garodito consumo, venho fazel-o nos dias 9,
10, II. 12. 13, 14, o 15 no largo de N. S uo
Terco n 11, lindos os quaes se proceden na
forma da lei contra aquellos quo deixarern do
pagar.
A irmandade do glorioso S. Benedicto ,
fr.cta,iio convenio deS. Francisco em Onda,
nz plente a todos os devotos quedignarao-se
receber cartas da mesma irmandade pedmdo
coadjivacio com su s esmolas afirr< de solemni-
sar com a decencia devida ao mesmo -Santo
lem resolvido fesiejal-oem o dia 30 de novem-
eiro para todo o servico do portes dentro; I |iro prximo vindouro e nao em o da 21 de
rua das Cuco Puntas n. JJ-. ou aonuncie. de/emt.ro. como tinl.o feito constar, por m-
= Precisa-se de un. hon.em.que <|Ueire ir possibilidade em o presidente do mearon am-
para um sitio perto da praca dando-so trra
para plantar e tomar S/'Otufo no mesmo sitio;
quem quizer dirija-s* a rua de Santa Rita casa
do um andar n. 18.
.i
Lotera da Matriz de S. Pedro Mrtir
de c linda.
-\
rii'nu i
lodo o mais servo o interno rom excepcio _
/nhar ; de tras da matriz de Santo'Antonio
n. 18.
(Juem precisar de obras de umfi'ha n I ti
No qia, 30 de outubro prximo futuro
co rem ojretrivelmente as rodas desta lot. ria.
IJm rapaz Bra ileiro que sabe ler e
escrWr sdffrivelinenlo se olervce para cai-
.veiro de qualquer en enho tainl.em se obri-
ga a ensinar primeiras letras; quem de seu
estimo se quiser utilisar dirija se a rua do
Ws'limo se q
Bi.n ge I n. 7.
chogado a
_ l'rccsa-se do um caixeiro
pouco de lora de idade de 14 a 15 annos
no beco do Peixe-lrito n. 5.
Lm um clima lio quelite como o do Bra/il.
onde as molestias terminan fatalmente as se-
sea noespaco de poueashoras, heniislerba-
tes um eine.lio que possa servir ao mesmo
reir, que trabalba en. la e sed., aorfcreco cuio lempo cono preventivo e curador. A e-
modo senil.) chales de qualq
OOO rs.
e en. jiorcoes 8'M) reis v enhoiasSOO
reis, votlos 1$80. inanias 48(f. eo.os.^o,
ra/acas 1)280. colcles 3^^^Hr na rua do
Ouailel dos Municipal';, n. 9': e na nie.ma casa
la
decina I ocular Americana tem essa proprieda*
ava-se. e engomma-se ||^^^^Vrnmnioilo.
(Ju.-m annun. iou JjPpioi>')S rs. a ju
sobre penhores de cur> e prata ; dir"
,...... ... JHs .
ui ni .v. i,, u. c/ un 11 ii >v*i *v i se.i (i i tii
que so Ihe dir qucntfiANSfte negocio,
de, tonada as ve/es em quanto ella linpedea
acuinulacao dos humores, con-erva o sanyue
puro e .iiaseiiiiileineiiie para as pes#a* menos
sujcilas a apaiibarein qualquer molestia, seja
ella contagiosa ou nao.
Ilecoiiimenda-se portanto ao publico em ge-
ral de ensaiar este cxcollciile remedio que.
venio para o teu.po que primeiro havio de-
signado : pede a mesma irmandade a lodos os
devotos do mesmo Santo nao deixem de com-
parecer com suas e-molas, apesar do ser trans-
ferido o dia pelo motivo ja mencionado.
- A pessoa. queannunciou por este Diario
querer 2 cont s do reis a juros com hypotheca
em um sobrado de um andar silo em uno das
principaes ras do bairro de S. Antonio de-
sojando vendel-o. pode dirijir-se a rua do Bo-
/arioestrella,a tratar com a pessoa que mora no
segundo andar do sobrado por cima da botica
doSr. Paranhos, aOm deajualal-o.
Antonio Joaquim de Oliveira lladiiem faz
srientea quem convitr, que a escrava Mana ,
que SO achava em seu poder depositada, a re-
querin.ento de Bernardina de Sena, p..r lioelio,
quo intenta ontia I). Mariano O'do Nascimen-
ui, dita escrava deaepparerdra desdo s 6 ho-
ras da larde do dia 7 do crrente, a uual tem
os afanaos seguintes : teih um grande pao no
ros u e outros pelos bracos, pe'os quae> se a.ha
.lenle e gorda, e quaodu anda nao i mu bein
os ps no ciiao como que Ihe doem.
Filimisca Mara de Carvalho o S perten-
deembarcar para fora da provincia um seu es-
rravu de nonte Elias, de osead Angola, com i-
dane de 0 anuos, na piimeira emhar.aca que
seibo uflereca.
l^il'&HIA DO TfiEATAO.
Os bilhetcs da !. parte da 15.a lotera, cu-
as rodas andan iiiiuieterivelmiini n .- pelo lado econmico he | relerivel s qualquer j do torrente Uutubro, acbao-se venda uoi |u^
outra niudecioa do similbante natuic/a, leudo | gares do ostuiue,
MUTILADO
I


T*~
4
\
VEITCH, BRAVO &C*
Venden na sua botica e armtztm de drogas ,
na ra da Vadre de Utos a i.
A preparar o seguinle por preco muito com
modo e de superior qualidade.
Extracto fluido e concentrado de saha-parri-
Iha di Jamaica.
As muitas experiencias sobre estas prepara-
coes tem feto conhocer sabia corporaco me-
dica, que compon o collegio de Londres, Edin
burgh e )ullin ser ella a nica dondo se
podem colhcr os beneficios e salutares elcitos.
que se requerem nos casos, emque se torna ne-
otssaria a indicacao da raiz du salsa-parrilha.
V. 8. & C* nSo podem deixar de fazer uina re
flexao as pessoas, que fizerom uso desta prepara-
ba > ; que vem a ser o nio ahusarcm da pequea
lr.antid.ide, que preserevem <>s praticos duas
colheres de cha duas vezes o dia em meio co-
po d'agoa) visto cada garrafa de doze oncas
conter a virtude de 5 li ras de salsa parrilha.
Na mesma casa tambem se vendem tintas ,
e todos os outros objectos de pintura ; vermzes
de superior qualidade entre cites um perfoi-
tamonte branco e que se pode applirar so-
bre a pintura mais delicada sem i|ue produ-
za alteraroalgiima em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de Rcrmuda,Sag, Sabonetes, -
Saiao de Windsor, Agua de Seidlilz, Agua
de Soda,Agua de Seliz,I.monada gasoza .
'1 inta superior para escrevor, l inta para
marcar roupa,Perfumaras ingle/as,Fun-
das elsticas de patente,Fscovas c pw pata
%denles ,Pastilbas de muriato de moiphina ,
e ipecacuanha, Pastilbas finssiirtts de hnr
tela-pi monta P.istilhas de hi-carbonato d.
coda e ginebra. As verd&dciras pilulasve-
getaes univeisaes do D.r Rrandrelh vindus
deseu autlior nos Estados-Unidos, &c &c.
= Aluga-se em Olinda para se passar a fes-
ta e tambem por mais lempo metade de ama
casa terrea com boa sala quintal, muito fres
ca e vista para o mar; a fallar na mesma
cidade venda junto ao calabonce na ra de
S. Bento.
= Aluga-se o segundo e terceiro andar
sotao da ra Guia n. 42; a tratar no primeiro
andar do inesmo.
att Aluga-so urna casa em S. Anna com
duas salas 3 quartos, cozinha fora quintal
murado, estribara pura dous cavallos perto
dohanhoe por preco commodo : na ra do
Oueimado n. 4.
Aluga-so o terceiro andar e agoas-furta-
das na ra estreita do Rozario n. 30 tendo o
terceiro andar duas safas, gabinete, 6 quar
tos cozinha lora ludo envidracado, easago-
as Curiadas urna sala grande 5 quartos e
cozinha com commodos suficientes para urna
grande familia, por preco commodo ; na ra
doCjueimado loja de ferragons n. 13.
= Deseja so fallara Joo Hiplito do Mou-
ra Lima a negocio do sen interesse ; na ra do
Queimado loja n. 29 de Novaes & Basto.
Roga-so a Jos de Aliiuquerque Mara-
nhao morador nos AlTogados que baja de
mand. r buscar 4 pares de meias de homern, que
mundou fazer na ra de S. Rita-nova, pois ja se
mandn dizer porescripta peloseuescravo Lliasi
e ja a bastante tempo que esto fcitas e nao
vindoas buscar no praso de 8 dias contados da
dala desteannuncio serao vendidas.
Aluga-se motad i de urna casa terrea na
travessa deS. Jos n. 7 para pequen familia,
por preco commodo ; a tratar na mesma.
CJuemannunciou querer 3008 rs. a juros
a um e meio por cento sobre penhores de ou-
ro e prata por tempo de 10 mezes dirija-se
a ra do Codorniz n. 3
= Aluga-se o segundo andar do sobrado da
ra Nnova com cmodos para uina familia ; na
ra da Cadeia-volha, loja do sobrado do corre-
tor Ulive.ra.
= Arrenda-se a casa da ra do \ gario n.
13 grande bem nrejada e aceada para qual-
quercasa commercial com grande c bom ar-
ma/em ; no porto da ra Nova do Brum as
obras do Mesquita.
= Arrenda se o segundo andar da casa da
ra do Livramento n. 36 com lions commo-
dos, co/.inha fra e muio fresca : a tratar na
loja do mesmo.
Precisa-se do urna ama paraosorvico de
urna casa de pouca familia : no patio de S. Pe-
dro n 4.
J. B. C. Tresso avisa ao respeitavel pu-
blico e particularmente aos Srs. Tbesoureiros,
e pessoas encarregadas das Igrejas que abriu
urna tenda onde fabrica orgosde todos os ta-
maitos paia I groja com trombela clarim ,
cromorno, voz humana, e rouxinol ; dito
orgao ( que sondo ouvido
cido aqui ) a duas fines, > -Invi
nos cilindros, a missa os hvmnos para todas
asfestas, o dias sanctos do anuo, tudo reu-
nido na mesma obra; orgao para recreio de
casas com machina tocando s a clavier e a ci-
lindro tudo reunido na mesmi obra; realejos
com tambor e tromhcta para recreio de casas,
com quidrilhas para dancar pantaln ett ,
noules, trenis finales, e valsas, outro realejo de
todas as dimences para Igroja, com a missa, e
o> hymnos com a mesma voz do um orgao de
Igreja ; as pessoas que o quizerem honrar com
a sua presenca acbara ja em sua casa algumas
obras prornntas ; tambem concerta os ditos
instrumentos e pe marchas novas ; assim
como compra orgos e realejos ja usados: no
atierro da Boa-vista n. 3.
= Da-se 200,000 rs. a juros a dous por
cento ao me/, sobre penhores de ouro ; na
ra do Cahug n. 9.
Aluga-se urna preta muito boa engom-
madeira costureira e co'inheira ; na ra
Direita n. 12, segundo andar.
= Aluga-se utn sobrado reedifficado de no-
vo na povoaoao do Monteiro ; a tratar na ser-
rara do Monteiro, ou no armazem de vidros
ao laJ > da cadoia, na ra de S. Francisco n. 17.
Precisa-so de um caixeiro de 16 annos ,
Portuguez c chogado a pouco lempo ; na ra
Direita padara n. 82.
Cbiem annunciou precisar de 3008000
a premio com penhores de ouro dirija-se a
ra Bella n. 37 primeiro andar.
Francisco Cordeiro Rapozo comprou a
Marmol da Cruz Nevos um escravo de nacao
Angola de nomo Jos para embarcar para
o !li de Janeiro.
Compras
Comprao-so effoclivamente para fora da
provincia escravos de ambos os sexos de 12 a
20 annos, sendo de bonitas figuras pagao-se
bem ; na ruu da Gadeia de S. Antonio so-
brado do un andar de varanda de pao n. 20.
Compra-so elfectivamento para fra da
provincia mulatinhas criolitas e mais escra-
vos i|e li) a 20 annos, pagao-se bem sondo
bonitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
= Com pro-se frascos vasios que fossem
de tinta de oscrever destes que vem de fora ;
no Altcrro da Doa-vista n. 72.
Vendas
Vcndom se listas da primeira parte da
f.otoria das memorias histricas : na praca da
Independencia loja de livros ns. 6 e 8.
Vende-se um cavallo grande, preto, gor-
do e bonita ligura carregador baixo e bom
passeiro o sem achaque algum : na ra das
Cruzes n. 40 das 9 horas da manha at as
4 da tarde.
== Vende-scum moleque do naco de 14
annos de bonita figura e faz todo o servico
de urna casa : na ra doCahug loja n. 9 ,
defronte da matriz de S. Antonio.
Vendo-so um negro de naco de boni-
ta figura e ptimo ganhador de ra : na ra
doOWpn. 11.
= Vende-so por preco commodo um pa-
ianiirro coiT'xmco uso; no caes do Macha-
do n. 12. X
\ ende-se urh moleque de nacao do 14 a
l.'i amos cozinha o lio ptimo para todo o
servico de urna casa ; na ra da Cruz n. 28.
Vende-se urna boa morada de casa de
sobrado com um soflrifel sitio em torras
proprias livre de qualquer elubaraco na ra
de S. Miguel, nos AlTogados: nelsa Typo-
gralia se dir quem vende.
Vende-se urna porco de arinhs da tr-
ra a rctaibo pola medida nova a 1280 o lquci-
rc o pola velha a 2400 duas ^aiiiefs''redon-
das e grandes fundas o bom fcitas ptimas
para banho sal de Lisboa a 1600 ; na na da
Praia, venda n. 27.
Vende se urna morada de casas de 2 ajt-,
daros e sotao em chaos proprios sita na ruaj
da Sen/ala-velha n. 76 ; na mesma ra n. 144
a fallar com Joo Vaz de Olivcira.
Vende-se assucar de todas as qualidades ,
caf moido e em grao, por preco commodo ; na
rofinaoo da ra da Senzala-nota n. 4 o no
deposito da ra larga do Rozario n. 38.
\ ende-se urna negra moca, robusta,
ptima paia o servico de urna casa : no Atier-
ro da Boa vista loja de trastes.
\ ende-se man em caixas pequeas : no
escriptorio de Francisco Severiano Rabello.
\ ende-se um moleque de bonita figura ;
nao tem apare- na ra dox^ueimado n. 4.
"dc-sc um.n. negra boa cotinheira, en-
ra barba a 60 rs. ditos milito finos, thesou-
rinhs doura las a 180, d tas lisas a 200 e 2 V).
abotuaduras le retroza 400 e VO essoncia
de roza a 1000 r.*. luva< de pollici pira mi-
ninos a J20, iOO e ISO. e outra* m litis mu-
ve para carro : na raa Nova n. 52, terceiro.
andar
\ Vendem-se bandejas de ricos padres e de
superior qualidade guarnecidas de casquinha
verdadeira de todos os lmannos ditas man
muira -#*-v, rv v *w, <------------ .....-..... .
dozas baratas; na ra do Livramento n. 10; ordinarias, espingardas de superior qual.da-
na mesma casa precisa-sj do um caixeiro Por
tuguez para fura da praca.
aa Vendom-sesaccascom farinha da man-
dioca a 8 <"* na raa ('a Cadeia-velha n. 3?>.
= Vende-se um escravo de 13 annos, de
bonita figura ; a ra da Moeda n. 9, primei-
ro andar.
Vendem-se 2 caixesenvidracadis, pro-
de cano t linchado, de pedra para caca ditas
do espoleta selins inglezes elsticos lisos e
bordados, silhes do veiudo para montara de
senhora lampallas de machinas com globos do
vidro muito ricas borzeguins gaspiados pa-
ra homem e senhora spatos de couro do lus-
tro ditos de duraque e marroquim ae todas
as cores, para senhora e meninas ditos de
prios para amostras de taberna urna canoa lustro para homern grvalas de bom stftn ,
fechada com mais de 60 palmos de comprdo de diflerentes modelos, mantilhas da moda
urna porciiode caixas vasias do Porto, e um de todas as cores eprotas tanto do sar|a como
par de esporas de prata modernas ; na ra Im- de setim suspensorios de burracha e de se-
penal, venda n. 2. ida para homern emeninos, meias curtas do al-
Vendem-se bons methodoi de cartas de godao muito finas para homern ditas do seda
svllabasepalavrasein lottra redonda e manus- de cores e prata para homern e senhora, luvas
cripta a 80 rs. ; taboadas com aluumas difini- de pellica pespontadas pretas e brancas para
ces arithmeticas a 80 rs. ; a continua extrac- homern e senhora ditas de seda ditas para
cao destos dous exemplaros prova a sua utilida- meninas chapeos de sol de seda para senhora,
de, sem exogeraeo; na ra do Nogueira n. 13. e homern coeiros de merm bordados de to-
Vendem-se duas escravas de meia idade das as coros lencos brancos bordados de cam,
sendo urna negra de nac3o com urna bonita braia de linho do muito bom gosto para mi ,
em, cozinha, e faz todo o servico de urna ca- e outros muitos objectos de fa/endas inglezas a
sa, excepto engommar e outra crioula am- france/as por preco muito commodo: na ra.
lias lavadeiras; urna negrinha de nacao, de do Cabu loja nova Ira meza n. 6.
bonita figura cose e faz todo o servico de por- Vende-se um hahu grande quaso novo,
tas dntro ; na ra da Aurora casa de Ange- com os seus competentes ps ; na ra de Hur-
lo Francisco Carneiro. tas n. 46.
= Vende-se o livro intitulado Primeiras = Vendcm-se massos do meias de linho
licesa minhadiscipula ; obra interessanle pa- muito finas, negadas, ltimamente do Porto
raas meninas, que frequentao as primeiras no brigue Varia Feliz, por preco n uilo em
letras ; na loja do Sette na ra do Queimado, conta ; na ra da Cruz do Recito n. 43 de-
e na de Cardozo Aires, na ra da Cadeia do Re- fronte do boco do porto das Canoas*
cfe = Vende-se potassa da Rusa nova de
= Vende se urna rede nova para viveiro e nnmeira sorto em barra do 4 arrobas; e \el-
lambem se aluga ; nos AlTogados, patio di 'as do espermarele em caixas do 25 11 liras ; em
de realejo, por falta de organista, ou por gommadeira e faz renda; na ra lurgu do
falta de saber toral-os entao se toca com a, Rozario loja de miudez.-.sn. 3B.
chave, comosefosse um realejo, obtendo a
mesma voz de um orgao de Igreja contando
N. S. da Paz n. 20.
N endem-sc por proco commodo 5 vaceas
do leite com crias e algumas ja pnnhes o
prximas a parir; na Capunga no sitio do Dr.
Jacobina ou na ra do Apollo n. 6.
ss Vende-se a armaco da loja do Atierro da
Boa-vista n. 12 toda envidracada proprm
p ra loja franceza, ou outro aualquer negocio
he toda de amarcllo onvernisado e feita em
quarleiros propria para ra mudar, sem eslra-
gar-se por sor unida as pecas com para fu/os ;
na mesma ra n 21.
Vende-se ouro e prata para obras um
transclim moderno para ,relogio um relogio
sabonete inglez caixa de prata. paros de brin-
cos, e nnnolos una salva de prata para 4
copos, urna duzia de colheres para soupa ,
urna dita de tirar soupa 4 clices de prata pa-
ra moza, um bonito alfinoto do peito colhe-
res para chft, um resplandor o titulo para cru-
cfixo urna corinha e bandeira de prata para
.Menino Doos fivollas de prata para sapa'os .
das de suspensorios urna armaco de prata
para oculos, um arriliraro para pescoco eor-
dos cora^es argolas lavradas, e de cor-
nalinas; as Cinco-pontasn. 45.
-= Vende-se manteiga ingleza superior a
800 e franceza a 640 dita de porco a 320 .
azeite doce a 3600 a ranada, e agarrafa a V80
dito de coco a 400 rs. a garrafa vnho do Ce-
le a 1280 a caada e a garrafa a 160, paras
novas, figos, amoixas caf do Rio e da tor-
ra a 48 rs a arroba e 140 a libra milho al-
piste a 400 o quarteirSo painco a 2r0 os-
permacete a 680 arinha do Maranbo a 120.
sag amendoas novas, macarrn, lilria pre-
suntos pains linguicas e lodos os mais g-
neros de venda ; na ra Nova venda n. 65 ,
ao p da ponte.
V Vendom-se machinas de vapor de forca
de 3, 4, e 5 cavallos com moendas para en-
genhos moendas para agoa e animaes, de to-
dos os tamaitos taxasde ferro batido o fun-
dido em completo sortimento ; todos estes
objectos sao da bem conhecida fabrica de Loxv-
Moor, e tudo por preco commodo ; em casa
IjlFox & Stodart, na ra da Senzala-nova
h. *2.
" .\ onrlem-se duas pretas moras de todo o
serVo ; duas mualas do 22 annos, sendo urna
muite prendada engomma cose cozinha ,
faz doces, o refina assucar, tudo com muila
perficfc ; dous pretos mocos, trabalhadores
de oncfiadi ; urna moleca de 18 annos com
muito bom principios dos nrranjos de urna ca
sa ; um morque de 14 annos sabe tratar do
cavallo bom nagom o serve bom a urna casa ;
na ra do l'ogo ao p do Rozario n. 8.
Vende-se a dinheiro ou a praso um
sitio na ra Imperial do atierro dos Alfogados ,
defronle daolaria com 228 palmos de frenle.
e para mais de 1500 de
asa de II. Mehrlens ra da Cruz n. 47.
= Yende-se um venda com os fundos de
S0OS rs. a dinheiro ou a lellras; e duas
tullas grandes vdradas, para agoa, ou outra
>|ualquereousa na ra Velha venda n. 67.
= \ ende-se unta ema grande defrontc do
<|uartel da polica n. 3
= Vendem-se sacras de farinha de superior
qualidade muito Iva por preco commodo ;
na ma da Cruz do Rocife n. 64.
= Vende-se galao lino de ouro do ultimo
josto a 800 rs. a oitava e entre-linos proprios
para bonet; na ra dos Quarteis loja de
uiiudezas de Victorino de Castro Moura, n. 24,
Escravos fgidos.
= No dia 17 de Setembro passado fugirao
do sitio Mundo-novo trras do engenho No-
vo do Cabo 3 escravos com os signaes seguin-
les : Alexandre cabra, alto, cheio du cor
po cabellos miudos, pouca barba, falla gros-
sa e tem noqueixo um talho, procedido do
um cce de cavallo e tem de idade de 45 an-
nos : Jos pardo baixo grosso cabellos
como de negro pouca barba molido a pa-
rtila meslre do assucar, e de 30 anuo-:
Thcodurio caboculo, baixo, grosso, cabellos
crespos pouca barba tratialliu de carpina ,
o inlitula-se forro e de 25 annos.
= No dia A do passado fugio uina prela de
nome Benedicta, coula lia Xa, gressa do
oorpo rosto largo nariz chalo ponas al-
gum tanto arquiadas ps rol icos do 20 an-
uos lovou vestido de cbila escuro, panno da
Costa bandado do matamos brancos consta
que anda de trajes mudados foi vista para as
bandas dos Affogados com trouxa na caboca ;
osla prota venda fa/.endas com outra paneira
de nomo Theieza e agora de prximo venda
fruas, calcado para senhora, em um flundros,
julga-se estar acoitada em alguma casa ; quein
a pegar leve a ra do Livramento dofronle das
catacumbas do Livramento ou ha estrada de
Joo de Barros dofronle da Igroja da Con-
coicao, quesera recompensado.
Dosappareceo no dia 24de Setembro urna
negra de nome Jacinllta de naco Rebollo,
de 38 annos estatura ordinaria magra do ,
corpo cara oouda a porna e p-1 esquordo
em hados sahiu vendendo bolinhos em um ha- 3
hu/inho de tartaruga com ovos consta que el-
la e la acoitada em casa de um curador; quem I
a pegar leva a ra do obo casa de Alberto ]
Lavenre que recompensar.
No da 8 do crrante fugio um moleque
de naco Rebollo que costumava vender agoa
com uina carraca de 14 annos, baixo delga-
do nao muito preto bem esperto levou ca-
misa de algodaotnho o calcas de algodo
undo com bastante i
arvorosdo fruto, baixa para cap,.,, com 6 J?"'- "?<*"?.' <}U1''" o pegar lev. a
Viieuiiutio luja ue lazenUas n. 0, que ter re-
uni baixa para capini com o" )''"
casas na frente lamliem se vendo melado ou
leve a ra do
Vendem-se transelns do burracha a 160,
eseovaspsr denles a 240 e IriO, bonetes pa- gado, c ps^ciro ^uio gordo e ser-
a rolalbo tanto o Icneno como as casas: na
ra Nova n 20
= Nende-so um bonito cavallo bom carre-
I -.!--
compensado.
Hrain: ha Tn. ou M F. db Faru. = 1843,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYD35BAA4_R5QT38 INGEST_TIME 2013-04-12T23:04:55Z PACKAGE AA00011611_04297
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES