Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04291


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1843.
r.i
Quarta Feira 4
de O ti t ubro
ludo agora depende de n. n.eamo; d. no.s. ..rudenci., .o.ier.Qio
____________ ( 1 foclmSao da A.sembleia Ger.l do Biuil.)
CK-J-finlUe,, BioftMw, P..rto Cairo, Macelo, e UOM no 4 11.11
Jlo. mta. Flore,. .3. 2. Santo Cnt.o quima, feir Olind. todo, o. di..
. u r u U,AS DA PU4k'.
2 3cS. .. Leoleg.no B. Aad. do J de d. 2. .
3 lerjj. C.nlid M Re. Aud. do J de U. d. 3 t.
4 Vu.rl. s Chn.po tf Aud do J. de D. d. 1. r.
5 yj.ftl. i. Cantina H. Aad doj. de 1). da y.
(i i'e .. Bruno Fundidor Aud do J. de D. d. 2. t.
7 Sal' .. M.rc.n e. Kel. Aud do J. de 1). d 1 T.
I!<<>. O Patrocinio de S. Jote,
Lieba 140 por 100 dipr.aio
8"?"
mmW
*ARTE OF$r
Anno XX. N. *I&
O Pullo puhlic.-ae todo. M di. que n.lo forem Santifio.drt.: o preoo d. iiigaalora k
de ires mil rail por .luartel pigOf adiantado, O, .nnuncios do, mignantas io ipaerido
gratii eos dos que n.io forera J raijo de Ml'rei. por linlia. As rrcl.m.gdei der.a rdiri-
gid.. ella Tip., ruad Crurea N.3, ou aprata d. Indepenenci. loj. delirro, N. 6e8.
CalmosNo dia 3 de Otilubro. onapri
Cambio .obra I.ondr.i 25. Oo.o-Moida di 8,100 V. 16.800
Paria 3^fi rea por franco. N. 16,60
tf,2U0
1,9.-0
1,920
1,920
d. 4,000
P..T4-P.I.CII
Mocd. d. cobre 2 por oenlo. P.toa Culoanan
Idea de letraa d. bnaa firaa. f J { rfitoa M,Ucanoi
PHASF.S 1M LAftOMEZ DE OUTBRO.
La Cheia a 8, yuari. inp. 10, Ubor.i 30 a. d. m. | tjoari. cr.ao.4 30,u2a d. a.
Preamar de hoje.
1 al boraa 18 a. da ambla. \ i \ boru 42 a d. Urda.
renda,
17 000
6,800
9.400
(940
i ;-4u
1.940
* f n
Governo da Provincia.
EXPKUIEN ; DE 25 PO PASflADO.
OITlcio A cantara municipal do Recife, de-
clarando, q'je approvou o rcgulamcnto, quea-
companho,,,, eu olUcfo de 22dejulho dcste
anno pjra a receptad a laxada barreira da
P >nc 'jo engenho Soccorro sobre o rio JaboatSo,
men< ,s nos artigos 8, 9, e 10. porconterem dis-
P',r.,icoeR legislativas quo Ihe naocompetem; c
bem assim no artigo 12. queso lera cffeito, de-
pois de approvado pela aMeinbia pruvint-ial.
Dito Ao director do arsenal de (uerra, sig-
niflcandoem resposta ao scu ofllclo de 12 de a-
gosto ullinio, que de\e eonliiiuar as dORpesas
com os aprendises menores daquelle arsenal den-
tro dos limle8 do crdito de 9:641^ rs., destina-
^rr^:s:;^^ .....
Barbosa por ler a-
cabado o lempo de servico, como recnilarto.
Dita Em 12 ao commandante do hatnlhao
do infanta ra da suardas Racionara destacado.
que elle determina.
Dito A Nicolao Florentino de Albtiquermie
dVdS"S'r riT,S'f 0"'Ue dS.PCnS- q,H! Pe" I,,,; ",,i,"li",;I "" K,,),r"as ">>" destacado.
d ,n 'adnd,!- Aguag-bellae; e mandando excluir com oa paraocorpoa qu
n ctho *Jr !''"' "\ Pr"m':r0 SUP,,,"ntc ,,;'n,"S PflrteBC,"1 r< Ca" frnncisco Itl.r-
resp cuyo, para que pasto ejercer aquelle em- '
p-eyo. emquaoto se nomela, quemodeva subs
tituir.Oiliciou-se respeito ao chefe de poli-
ca interino.
Hito Ao presidente interino da relac3o. di-
bosa; por ser o nico arrimo de soa mfio pobre
e vi uva.
Dita Mandando excluir com puia para o
6 balalha de caradores, o segundo cadete Fran-
cisco de CarvaPio Medciros, que nesla dala se-
sendo, que fi. a Relente d'ai-har-se eercendo o guia pata a corle
Dita .Mandando excluir com suia para o
corpo a que dantos pertencin, o suarda do bata-
Ibao de inrintaria de guardas nacionaes desta-
cado Firncisco Solano de Paula, em attenfao
a ter servido porespaoo de 15 meses, e ser o
arrimo deseu pai duente.
do para o corrente anno nancelro, e em con- ''arav<-l!i,s para a vara ciiminal da i
foimidade com a demonstrarlo, feitu pelo ins- form"so: e pn-venindo-o, deque deve (
pector da thesouraria da fasenda.de que Ihe re- 0.S(,,',,ll,l I>ela secretaria de estad., dos
inette copia. cosda justica. No mesmo sentido se
" ------------------> a|M-rf-Pu III HUU \l
lujinr de [)rocurador darorfla. fasenda. e sobe-
rana nacional o desembargador Joaquim Fran-
cisco Poncede l.e >n.
Dito Do secretario da provincia no doutor
Joaquim Aires de Almeida Freitas, communi-
cando, que S. M. o Imperador houve por bem
removel-o do lugar de jtiiz de direito da comar-
ca da Caravellas para a vara ciiminal da do llio-
deve solicitar
dos nego-
inette copia. cosna justica. No mesmo sentido se officiou
Dito Aojuiz de direito Manoel Teixeira Pei- ao,!"iz cntiflcando-o da sua remocad para a comarca
do Penedo na provincia das Magdas; aosjuizes
de direito do civel do Bonito, Flores, e Roa-
vista, intolligenciando-osd'haverem sido rem>-
presidir o andamento das rodas da primeira par-
te da segunda nova lotera a favor da obras da
jgreja de N S. do Livramento, que se verificara i
no dia 9 de noveinbro p. futuro.Olliciou-sc vldos' 0 prlmetro para a comarca de Pastos-
j-cspeilo ao thesoureiro da mencionada lotera, i na l,rovin(;ia do Maranhao. o segundo pa-
ra a vara criminal da comarca de Garanhuns e
Portara O Presidente da provincia em ob-
servancia do imperial aviso de 14 de agosto ul- l'rc,Mro Pra comarca dos llheos na Ba
timo, expedido pela secretaria d'estado dos Be- 6 "J?/, dirci, do cr,'mo do R*o-rmc
gocios da marinha, eem vu.ta da informacafl. I)f,,rt'0!n,ando-lheasua remocao para a vara
rmoso ,
ci-
gocios da marinha, e em vu.ta da informacao, ')',r',l0?p7ar
tor do arsenal de marinha em oficio de 9 do ,,clPac5es > inspector da thesouraria da fasen-
da. e ao presidente intarino da relaca.
corrente mez. declarando, que he por aRora dis-
pensovel o lugar do constructor do referido ar- ~ D. mcsmo ao inspector da thesoura-
senal, ordena ao mesmo Sr. inspector, que faca I rifl, ".a ,asenda1 transmilllndo a ordem do tribu-
despedir o actual constructor, Francisco Jos aolnesourosobo n. 142.
Com mando das Armas.
Marinho.
, dem do da 26.
CircularAs cmaras municipaes, intelli-
;genciando-as do feliz consorcio do SS. MM. II.;
e recommendando-lhes, que dem aniaior publi-
EXPEDIEXTE DE i 2 DO PASSADO.
OfTicio AoExm. Presidente, enviando-Ihe
para seren presentes na junta de justica, e jul-
i j i 11 ;'^~. .--------. : -" para seren prsenles na uinla de lustica en
^Tr^^.ra,l,M,mU "0,,tia-Ex" gados em ultima instancia, os pSssos S
jedrao-se as convenientes ordensao comman- bacs fcHos fl()S r.os |)om os J(Pse fSSh!\
danto das armas, e ao commandante do brigue Manoel Serafim, ambossoldadosdo batalhlode
S(2^Ts1E1Vd!aeatrndarem daf ama" 'nanfarU dfl "* naci0,iaes destacado pet
nnaJi7) ** Sdhas 0 estS '" crimnde dosergao.
Thi'souraria da Fazonda.
exped'Nte no da 12 dopassado.
Offieip Ao Exm. Presidente da Provincia,
informando o requerimento do Exm. Senador
Manoel de Carvulho Paes de Andiade em que
pedio a S M. o Imperador se dignnsse conceder-
llic pagar em prestaees annuaes do 400j res a
quantia de 6;006S043 reis, de quosejulgava
devedora fa/.enda publica, pelo sello da heran-
ca que deixou seu fallecido padrasto iManoel
Leocadio Bedamaker.
DitoAo procurador fiscal da thesouraria
remetiendo os documentos acompanhados das
copias da ordem do tribunal do Ihesouro publi-
co nacional de 29 de maio de 18V1 e repre-
sentacao da contadoria geral de revisSo para sa*
lisfazer pela parle quo Ibe tocava o que se
exiga para legalidado dos ditos documentes.
Portara Ao collector de diversas rendas
do municipio do Santo Antao para recolher
sem demora ao cofre da thesouran'a os rendi-
menlos a seu cargo do quarto trimestre do an-
no linanceiro prximo lindo.
Portugucz ; Jos Bar-
na Benedita e Antonio, pretos, cscravoa
de Francisco Cordeiro Rapoio ; Jos Joaquim
de Mosquita Brasileiro adoptivo leva ero,
UO companba seus esclavos de nomos Maria ,
Josa e Manoel ; Boza escrava de Luiz
Custodio IVreira ; Antonio de Azevedo \ illa -
rouca Portugucz ; Suzana e Antonia es-
cravasdo 2." lenle de marinha Francisco Du-<
irte da Costa Vidal.
BabiaJlo Antonio Pestaa, Brasilei-
ro; Francisco Bduaido AI ves \ ianna Portu-
guez leva em companba sua ciada de nome
Joa quina.
MaranhSo Pedro Aubertin, Francez, leva
em sua companba sua mulber, c um lilbo me-
nor.
Cear Cesar eseravo de F. Relnst. ;
Narciso Jos Ferreira
rozo \ alent Brasileiro.
Bio Grande do Norte Antonio do Rozario
Ferreira Brasileiro.
Massei Marcelino do Carvalho Rapozo ,
Brasileiro.
Parabiba do Norte Francisca das (bagas ,
Brasileira leva em sua companhia suasescra-
vas dennmes Mara J.ibania e Lidia.
Podo Calvo Ilario Goncalves Lima Bra-
sileiro.
Ass Vicente Ferreira dos Santos Bra-
sileiro leva em sua companhia seu ceixeiro do
nome Venancio Nogueira Soares.
l.egilimufei.
Liverpool Joo Welianne Studarth, Por-
tuguez.
Angola Gregorio Jos Portuguez.
Rendimento total d'a/fandega tmSe-
tembro de 1843.
Rendimento total........... 64:619,066
Restitu'oes
Oilicio A cmara municipal deOlinda, ap-
provando a sua resolucao de pdrem administra
Dito Ao mesmo Exm Sr., devolvendo-lhe
o requerimentoda viuva Felippa Maria da Con-
PERNAMBUCO.
infantaria de guardas nacionaes destacado, eu
filbo nico e seu arrimo, Manoel Ignacio iilzer-
ra, segundo sargento.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., reenviando-Ihe
informado o requerimento de Manoel Alberto
dos Passos, que oflerecia seu filho para o ser-
vivo do corpo de artilhaiia de marinha, e pe
DitoAo Exm. commiindantc das armas da
corte, remettendo-Jhe a guia do segundo cade-
te Francisco de Carvalho Medeiros. que sesuia
com destino de se encorporar ao 6 batalha de
cacadores no exercito do Su I
DitoAo coronel commandante interino da
forlalesa do Brum, ordenando-lhe a rcmessa
com urgencia deuma nota demonstrativa da
plvora consumida as salvas no anno flnancei-
ro p. p.,coro declaraca dos calibres dos ca-
nhoes quesalvaro.
No mesmo sentido so officiou aos de mais
commandantes de forlalesas, acrescentando a
nota cima a declaraca da plvora queimada
nas salvas do corrente anno, e da que se presu-
ma queimar at o fim do anno.
PortarasEm data de 11 mandando dar
balsa ao artfice do logo Jos NobreTavares Pes-
ado, e soldado Galdino Ferreira da Silva, poi
terem liualisado o lempo a quo estava obriga-
dos a servir corno voluntarios.
Dita Mandando poi igual motivo dar bai-
xa aos soldados Jos Thomaz da Cruz, Jos An-
"onio de Sou/a, o Fihsardo Jos, todos da ter-
eica companhia do segundo balalhao de arli-
'p.
No mesmo sentido, mandando dar bai-
j -j .' ., ..---- -luc-iiiiiciiiuaa viuva re pa Mana ua Con-
cao a arrecadagao do imposto que 'quella ca- TO|faot que pedia fosso excluido ao batalha o
niara foi concedido pelo capitulo f % 19 da le' -
provincial numero 120 de 8 de maio desle an-
no; assim como de nomear para administrador
Amador Anlonioda Cunha, cujo vencimenlo,
de24g rs. mensaes, lira dependente de aulori-
acad'asscmbla provincial.
Dito-Ao inspec or da thesouraria da fasen- YIV
da, determinando, que mando intimar & todos dllldoM |h-abrissc ,o<0 a a nes,a pg^IiiS.
os proprietanos dos terrenos da ra de Apollo, | gendo d(l)()is mn(,nido a ^r,e
a quem se lem conferido ttulos, que no praso i ,)ito -Ao mesmo Exm. Sr..* devolvendo-lhe
morcado nos art.gos 9., e 10. dascon.l.coes. ap- e recruta Jaclntho Antonio, porquealem de pa-
provadas em 91 denovembro de 1842 o sob i decer dj ^la> Pra fllho unjco t viuva e ,*la()
penadecom.nisso, facao a parle do caes. que|8e ochava habilitado para osen-ico militar,
competir cada um, segundo a directo, dada |)ilo _Ao c|u.r,. dc poc|a [ntt,rino< iccUMn.
na respectiva planta. ; do o recebimento dos deseitores Honorato Ahes
luto Ao engenheiro em chefe das obras pu- dc sousa, e Leonardo Pereira.
blicas, approvando n contracto, por elle l'eito
com Joa luun Ignacio de Carvalho Mendonca a-
oerca da factura da ca&a da baneira da ponte de
Moiocolomb.
DitoAo director do arsenal dc guerra, exi-
gindo em cumprimentod'ordem imperial, urna
conta especificada das mui.icoes de guerra e
outr.s artigos que de 18 de marco de 1840 em
diante se tiverem por aquella repartica sup-
prido s embarcaces de guerra nacionaes, com
declaraca dos seus precos nas epochas dos Sup-
pnmeulos.
Dito Ao mesmo, declarando, que se con-
forma com a medida, que adopt .u, de conser-
var no corrente anno linanceiro a enleimeira e
3 serventes da companhia de aprenpises meno-
res daquelle arsenal com os jornaes diarios de
500 reis estes, e de 400 rs. aquella.
Dito Ao inspector da thesouraria da fasen-
da aecusandoa remessa da ordem do tribunal
do Ihesouro don. 143, e de una copiado im-
perial aviso de 2 dcstu me/, expedido pela se-
crttaria do estado dos negocios da fasenda; e
determinando, que em imprmenlo do citado
aviso, ex peca as convenientes ordens, para que celia com
seja demiitidos os guardas Francisco Jorge da I Iharia y
Cunha Mascarenhas, e Uiogo Baplista Fernan-| Dila
Tribunal da Kelatpao.
SESSAO DE 3 DE OUTCBRO DE 1843.
Na appellacao civel da comarca do Cear ,
appellanle Paula Maria do Coraco do Jess,
appellado Manoel Alexandre escrivio Bego
Rangel ; foro julgados os artigos dc nabilila-
ces.
Na appellacao crime dos jurados da comarca
do Bonito, appellanle o juizo appellado Joa-
quim Pereira da Silva escrivo Postbumo ;
se manilou remetler o proccsoao juizo que ap-
pellou para o julgar.
Na appellacao crime do jury de Goianna ,
appellanle a justica appellado Marianno Jos
rerrc.ira de Santa Anna escrivo Bandeira ;
foi confirmada a decizao dos jurados.
Na appellacao civel do Bio Grande do or
lo appellanle liento Jos de Araujo appel-
lado Joaquim Alves da Costa, escrivo Bego
Rangel ; se mandou pagar o importe que subs-
l tirio a di/ima da chancellara.
Na appellacao civel desta cidado appellanle
Jos Ray appellados Lui/ Gomes Ferreira &
Mansficld .escrivo Postbumo; se mandou a-
verbara dizima.
REPARTigAO DA POLICA.
Petsoas despachadas desde o dia 17 at o dia
30 do corrente.
Riode Janeiro Jos Jacomo Tasso Ge-
noves ; Jos Gonfalves da Silva Portuguez ;
Venceslao, preto eseravo do Padre Jos Anlu-
nes de Olivera ; Manoel, eseravo de Manoel
Cardoso da l'onseca ; Manoel dos Santos, Por-
tugue/. levando um seu eseravo de nome Ma-
noel ; Benedicta preta. escrava de (uirino
JuliSode Almeida; Antonia, parda, escrava
remeltida pelo coronel Joao Francisco de Cha-
by a em regar a seu Sr. o conselheiro l-'rancis-
eo Jos de I'reitas ; Florioda prela, escrava
dc Joo Albino da >ilva Sousa : Roza, prela.
39.655
64,579,411
Plvora 50 p. % a
dinheiro.......
\ inhos, e lquidos
espirituosos a sa-
ber :
48 '/p. /adin."
Diversas outras mer-
caduras, a saber:
15 p. % a dinh." 16:811,349
15 dito em assig-
nados......... 29:825.670
Joias 5 p. */o...............
Armazenagem adicional 3 '/ip. /
Reexportaco 2 p. %.........
Expediente de 1 */i p. /o......
Gneros nacionaes */> p. */#.....
Premios dos assignados '/< P- 'Jo.
Armazenagem de '/? P- %.....
Multas....................
Emolumentos de certides.....
640.218
353.705
46:637,019
3,000
10.964,160
82,657
5:003 236
8.136
671,04
67,032
156,000
3.200
Benda geral....
Dita applicada..
R...... 64:679,411
53:369.990
11:208.421
64:579,411
O escrivo d'alfandega Jacome Gerardo
Maria Lumachi de helio.
Rendimeuto da meza de rendas internas pro-
vtnaaes no mez de yelembro p. .
Decima dos predios urbanos..... 3:927.682
Sello das herancas, e legados..... 218,318
Meia siza dos escravos ladinos....
Escravos exportados para fora da
provincia..................
Passaporles de polica...........
Novos e velhos dreitos, de empre-
gos provincracs.............
Iiiioostos Hp nUrM
1:113,150
ibs.OOO
4,200
4,640
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


'LlL_I.U""'gBgi^aMJMIIUJ|MI.IJ Hl.l I l
Ditos de serraras.............. 38,400
Ditos de labricas tic tabaco....... 12,800
Ditos de ditas do chapeos........ 25.600
Juros da divida acti.a provincial... 200,210
S
5:731.706
O cscriv3oe administ'ador,
Luiz Francisco de Mello Cavalcanli,
Com aiincado.
Li o communicado quo com o titulo No-
ticia litteraria foi impresso no Di rio de 30
do me/ pastado. Concordo com oseu auctor ,
em quanto ao merecimento, quo olio da ao tra-
balho. o ao talento, que sao do mister para fa-
zer-se urna oleante traduccO em verso ; t*
milito mais estamos de accordo relativamente
eos elogios, que com ras'oollc rindo ao Sr.So-
ares de Azevcdo pela verti, que este fe/, da
hchia de Lamartine para a nossa lingoa do
modo tal, quo o sen estro e tiosto nao podem
deixardeser reeonhecidos. A respeito dooutro
traductor nao me cali delle dizer oousaalguma.
Sinto porm nao poler approvar ovlo, que
no inesmo communicado se dirije ao Sr Soares,
pedindo-lhe que depnnha o cunto lgubre ,
que nao profane o seu genio com inuteis quei-
pas imite o cisne, que para nao manchar a
nivea plumagem, s se hanha em cristalinola-
go, finalmente que quando elle se sentir agita-
do do onthusiasmo s de seus labios doixe e-
mannr alma torrente, que encante os curacoes ,
e cncha os ares de perfumes.
Eu porm.rtivergindo Resta parto da npiniao
do Ilustre eommunicante cntendo que o po
eta nao deve limit.ir-se a expriiiiirsmente a bel-
leza revelando tnicamente por meio de egra-
daveis quidros o destino dessa felicidad com
a qual vivemos a sondar como urna promesa,
que nos foi feita e por cujo implemento sem-
pre esperamos. A poesia sem duvida a mita-
ca ilo que se passa no homem e em geral na
natureza ; tuda a imigetn. que ella ppresenlii
deve corresponder nussentme.itosu'nlma : as-
sim, (piando ella pinta os ingenuos brincos de
un menino esta pintura icha echo no cora
Co de urna mSl, e enohe-lhe de pra/er os snos
d'nlma ; a doseriprA de un innocente amor
comnove o cora .Ao de lo los. e os arrebata em
exlases. Certo deve o poeta oceupar-se com
estas lisongoir.is wag tes, pintando lo lo o encanto dos brando* elde-
los. Purom como a nossa alma tambern se abri-
os nluVcrtes. por isso n meu ver. devo igualmen-
te o poeta pintar scenas de desolacAo e devem
tambem di inte dos seus olhos passar horrores .
alim de que taes imagen* ardentes o cnsanguen -
tailas faeno con que a nossa alma lance enrgi-
ca um grito de viva repulsa, e diga O bo-
mem destinado a felicidade ; mas porque nao
gosa della as actuaos sociedades ? O homom
solTre o mal c geral Ora quanto mais
um ente elevado tanto mais o seu coracAo
generoso e sente-se impresionado pelo cx-
pectaculo dossoflrimentos universaes Sendo
assim como ( que um i ocla, o qual sem ele-
vacio se nao. omprehende pode evitar o sen-
timi'nlodesympatbica pi dade, que taes solTri
montos excita ? Con o deixar de pintal-os ?
D'aqui procede, que ape/ar de suas asi-iraces
de felicidade ce regra todas as olr;.s dos
bons poetas reflectora multas ve/es asaffliecoos,
que os rodeiao c toco. derramando aliAs com
a reprcsenlacao dessas scenas dolorosas um en-
canto melanclico em todos os que ellaa assis-
tem pela ietitra.
A opiniao do nol.re communicante nao no-
va. Ha iudo lempo e em militas occasioes
ella lem sido o prego da Vltaire crilicava vi-
vamente os excessos dos theatros oxlrangeiros,
recheados de horrores patbulos ecarnagem.
Elle queria matis nobres imagens. Laharpc re-
commendava muilo que se alormoseisse a na-
ture/a imiltando-a; c filiando especialmen -
te da pintura elle considerava como a infan-
cia da arte a representadlo de scenas terriveis o
pesada. Taes opinioes. soja-me licito di/.er com
oulros, baseo-se ern ideas incompletas a res-
peito da influencia, que a poesia deve terebre
asociedade. Sem dtivida. no meu bumil.le en-
tender e no de outros, 6 contrario ao fim das
b Masarles direi mesmo. inmvil o pre-
tender, que ellas a'Tormoseem envernisando ,
oque seappresenta aos nossos olhos quotid ia-
na mente 'tesforme, e cheio de eivas. e de podr-
do. Seria isfo uina irona cruel, ou seria que
rer que nos acco-nmo lassemos com o mal que
ali.is reeonbemos O emprngo do terrilii o 6 por
sem duvida perigoso, censuravel inesmo, quan-
dos tein por alvo excitar um;i ruriosidade em-
botada mas legtimo facundo, neceswro .
quando lem em vista outro efieilo.. ., quandu
inspira urna ardente raiva do mal. E particu-
larmente na represcnta'o das imagons terri-
veis, que o poeta deve preoecupar-se do seu
uuc lim
Un
ZStSmX C fvmai
um partido contra todas as cousas mAs. Nin-1
guem o noga, -lhc permettido copiar ao acaso
o bello remontar-se as regioes foli/es, pro-
curando-nos assim um goso: desla arte elle mar-
cha as vas do destino humano. Mas a dor
sendo contraria ao destino humano contraria
a lei de Dos, segu se que, so o poeta nos lan
ea com as suas imagens a ddr dentro d'alma.de-
vc fazel-o com o intuito, ou de nos inspirar vi
gnroso odio contra o mal ou do instruir-nos ,
fim de que evitemos os males, que elle retrac-
ta e principalmente os poupemos aos outros
bomens : seno o poeta nao tem direitode
nos (azer sofTrer com similhantes quodros. A
sua missAo pois duplico di-lo-hei por fim.
De urna parte cahe-lhe criticar ludo o quo
iiiAo, manifestando com energa as scenas do
mal alim de acordar pela piedade e hor-
ror, a nossa a versa o As causas dos padeci montos,
que sobre nos posan : de outra parte, deve elle,
sim. cantar c glorificar a vida humana oTerc-
cendo A nossa imitaran as imagens do bello e
do bom. ,
Sendo taes as minhas ideas A se ve qual se-
ria o meu eonsolho ao Sr. Soares de Azevedo.
Na 'a de cantar s alegras. Os homens soflrem
muilo .. Cnnvern tambem chorar. Se a sua
mu/a triste deixe-lho a sua melancola.
Quanto a mencionada verso da Iscbia,somon-
te tonho a dizer que so tiv sse de oceupar-me
della, doxaria a outros a desagradavel critica
dos il.'lcitos, ( seos tem ) para entretnr-me s6
com a grande e fecunda critica das bellezas de
que ella abunda.
J. C. B. de Mello.
Varicela de.
O CARAPUCEIRO.
AS INCONSTANCIAS DA FORTUNA.
Os verdadeiros Filsofos e os que sahem
fuer bom uso da sua raso preparao-so no lem-
po em que a fortuna Ibes stirri para resis-
tir aos mais desastrosos aeonteoimentos en-
carando os bens di Inrtnna como as apparen-
cia* d'uma saude engaosa e obrando iao
prudentemente como os mdicos experimen-
tados que concidero a cor da pelo dema-
siadamente viva por presagio corto d'uma en-
fennidade futura. O mesmo se pode dizer da
felicidade nunca interrompida : ella annuncia o
rain que -c sera em n nuvem o que o me-
not vento hasta para o (azer despedir.
Bien dignos de compaixao me parecomesses
'baritas embriagados de suas prosperidadec .
que nicamente aferrados ao presente baptizAo
em extravagancia ou em melancola essa pal-
ente precaiifAo que reflecte nos suceesso*
psssados o medita nos vin 'ouros, Aquelle,
que tem medita que nao ha tempo da vida .
que mais suspeito deva parecer ao homem sen-
sato do que o que se Ihe figura perfeitamente
feliz, pode nunca achar mAo o preciver-se
contra o infortunio queoameac? Pode ja-
mis roprovar que se proveja de tudo que o
podeajudar em urna nova situacAo tAo contra-
ria a em que se aeha ? Podo finalmente repro-
var que tire dos exemplos passados lices ca-
pazos de o instruir e da previdencia dos suc-
cessos lenitivos quo Ihediminuo o pelo e
rigori'a les ?
Se a fortuna de ordinario nao tirasse o jui/o,
e a prudencia aos seus mimosos estes fariio
maisjustea aquellos que durante a qua-
dra a dos seus maiores favores nao se entregan
a urna alegra excessiva ecorrigem a vivaci-
dade do seus prazeres pela lemhranca dos dcs-
goslos que se Ihcpodcm seguir. Pareco-mo,
que nao seria dificultoso provar pela experien-
cia que os grandes homens, queporteinpo
concideravel recehero os maiores favores da
lortuna a final viero a sofrer os seus rigo-
res.
Hem conhecida he a historia desse Tyranno ,
de quo Herodolo falla a quein por largos an-
uos todas as cousas saiao A medida dos seus
desejos: bastava um seu simples querer para
que tinto se Ihe ageitas-e. Tao propicia Ihe era
a lortuna que chegou a desconfiar della, tendo
por impossivel que urna felicidado tao rara ,
o tan pomo coinmum nao presagiasse alguma
tempestado prestes a deslecbar-lhe sobre a ca-
heca. Imaginou pois que evitara esse golpe ,
procurando per si mesmo um desgosto, e inter-
rompendo a serio desse rontentamento perfeito:
para o que lancou ao mar um a nel de grande
preco e que elle muilo prezava : mas pou-
co das depos voltoulhe A casa o a nel no
Imxo de um peixe que Ihe pozerao meza.
Este foi o ultimo favor, quo recebeo da fortu-
na ; porque pouco dopois caliio as nios de
um vencedor que alem de assonhorear-se dos
seus estados o condemnou a perder a vida ,
e dco-lbe urna mortc vergonhosa.
Quein ignora que Pompeo e Julio Cesar
fo rao por largo tempo os maiores, eos mais
f:lites dos homens ? O primeiro leve a satisfi-
I ",'IW UV tCl A |Jali iuvi jitiyu ttU M3U iUMIW
confiar-lhe os seus mais caros intoresses, e
concideral-o arrimo, e pai do povo Romano
O segundo agrilboou todo o universo de que
se fez senhor : mas o que acontecen por fim a
um e outro? Depois de tantas glorias e fe-
licidades. Pompeo espirou As mios de dous vi/,
escravos, e Julio Cesar assassinado por aquel-
los Hiesmos a quem accumulara de benefi-
cios. Que fim desastroso Quam pouco se
ussimilbou ao principio, e ao meio da vida
destes famosos hroes !
Marco Antonio, que depois da morto do
Cesar reparti os seus despojos no gozou por
muito tempo nem do Imperio nem de Cien-
patra. A gloria e o amor que o havio ac-
cumulado de seus favores, desvanocro-sedo
golpe a primeira eclipsou-so na batalha de
Actium o segundo eslenguio-se logo depois ;
e o que mais Ihe aggravou a chaga do coraran,
foi o convencer-se pouco antes da sua morto,
que n'alma da ladina Clcopatra havia mais mi
bicao, do que verdadeira ternura para com
elle. K quantos nao experimeutAo lodosos
diassorte igual de Marco Antonio! Senas
corles se tirasse aos ulicos, e grandes os al-
tos cargos que occupAo quantos infieis e
conspiradores nAo appareceriao de recento!
Tito esse Imperador Romano a quem
denommavao delicias do universo foi glorio
so, e feliz em os primeiros annos de seu rei-
nado ; mas por ventura nao percebo elle no
momento, em quo pareca d -ver esperar a mais
venturosa sorte ? A sua felicidade desappare-
ceo como um sonho e perdeo o imperio e
a vida. O mesmo crimo, que Ihcarraneou esta,
e aquello enriqueceo de seus despojos e hi-
ranca ao proprio criminoso !
Aleo da em que Bajaceto foi vencido pe-
lo orgulhoso Tameilao nunca sofreo o menor
revez. Desd'esse fatal instante porem quo
serie dedesgracas nao cairAosobr'elle Oseu
inimigo mandando-o fechar em urna galiola
de ferro fazia-o conduzir assim por toda a
parte a que a e s Ihe dava por sustento
restos de pao e de carne quo sobravao iIh
sua meza e que mandava alirar^io desgranado
Principe como a um cao. Que ciemplo da
inconstancia c caprichos da fortuna A' vista
ido um successo tao singular, como o fim da<
grandezas de Rajaceto que homem de bom
senso confiarA inteiramento nos bens desto muti-
lo ? Cjuom lera por permanente o segura
felicidade ao recordar-so que o mesmo Prin-
cipe quo hontem commandava formidaveis
exordios que dava leis a varios Soberanos .
|ue possuia Estados immensos, estA hoje redu-
'ido ao duroextremo de viver encerrado em uina
;aiola, com se lora urna (era? Quo digo?
Urna fera N8o : elle nimia he mais desgrana-
do que esta que pouco sent a perda da l-
berdade e nenhuma ideia tem do opprobrio .
e da infamia. E o que mais dovia aggravar a
magoa do infeliz Rajaceto era a lembranca do
que o conquistador que o reduzira A mais
barbara e ignominiosa escravidao, nascera
de um pastor, e tambem o fora nos seus prin-
cipios. RefliclAo bom nosta circunstancia os
poderosos do mundo, e cstejAo sempre sobro
aviso formando na prosporidade um certo ca-
bedal de sabodoria que Ibes possa servir im
tempo do infortunio.
Carlos 5.' foi por muito tempo tao feliz, quo
elle inesmo algumas vetos so admirava dos favo-
res que Ihe prodigalisava e fortuna. Elle a-
juntou o Imperio a Espanha e aosPaizcs Bai-
xos venceo e apresionou a Francisco l.9,
seu mais pongos inimigo ; hateo os Protes-
tantes da Alemanha subinetteoa curte de Ro-
ma siliou o Papa no Coslello de S. Angelo ,
e cortou o passo hellicoso a Solimo. Pale-
fia que nada fallava A gloria, e felicidade
desse Principe : todava ambas se desvanesce-
rao de repente : o conquistador roceboo uina
sanguinolenta alTronta no ceico de Met, e
pouco depois o grande Soberano foi melamor-
fozeado em frade. A Dos Gloria, e a Dos
grandezas do mundo.
Quem admira a profundeza dos secretos jui-
zos da Providencia porsuade-se que ella per-
mute como se exprime Lucrecio que baja
certa forca secreta que zumba do destino dos
maiores homens, abate-lhes o orgulho, e
dcslroe os mais pomposos signaes da sua digni-
dade.
Utque adeo res humanas vi$ abdila quee
dam.
Obterit et pulchras Fasces, scevatquesecures
Proculcare ac ludibrio sibi habere videtur.
Que outra cousa pode pensar quem conside-
ra a Carlos 5." retirado em um convento de
Mongos, indo as cinco horas da manba acor-
dar os religiosos, e depois de haver querido
violentar a ferro, e logo os protestantes d'Ale-
manha frequentar os ctosconventuses, e o-
brigar os mesmos religiosos a inlerromper o seu
somno pelo som d'uma matraca que os dis-
porta para matinas? Tal vez merecesse aplauso,
sea essa sua vocacao fosso duradora ; mas ella
fui wtw a oiiUv uiuiivs i o pouco tempo
depois do seu retiro elle arrependeo-se do que
fuera : novo augmento do infortunio.
Henrique4.:0 de Franca conseguio a coroa
havend quando nasceo nove Principes desan-
gue antes delle: feliciilade rarissima de sobir un
throno apezar de tao poderosos obstculos! Nun-
ca houve snccesso mais longinqua em um es-
tado hereditario ; porque de Hennque 3. a
Henrique 4." havia nada menos que vinle de-
graos de distancia. Alm disto com um punha-
do de Protestantes venceo os seus inimigos, poz
em fuga os Hospanhoes, submeltco os seus sub-
ditos rebeldes, o apoderou-se de um reino, que-
tudo pareca conspirar para Ihe arrancar das,
maos. Logo porin que se vio senhor absoluto,
nao durou por muito tempo a sua felicidade.
Sempre temeroso de sua existencia, posto quo
por inutas vezes esci-passe As citadas que a
supersticao Ihe armava a (nal suecumbio ,
quando menos esporava.
Luiz 14 cuja longa vida foi tao constante-
mente feliz. em seus ltimos annos pagou bem.
caro as glorias de que havia gozado. Elle vio
a familia Real entregue aos lurores das Par-
cas seus inimigos prximos a penetraren)-Ike
pelo coracao do reino seus subditos esgula-
dos e as rendas publicas inteirauente dissipa-
das. Carlos 12, esse hroe do'Norte, achou em
Hender o fim de sua felicidado e do suas con-
quistas Este mesmo Principe que livera^ a
gloria de deslhronizar Monarchas, e crear Res,
passou o resto de sua vida vagabundo e erran-
te pelos estados do Grao Senhor e foi por fim
assissinaao n'Allemanha.
Seria um nao acabar se, compulsando os
fastos do mundo eu qui/esse appresentar o
immenso cathalogo dos grandes homens, a quem
* caprichosa fortuna deo de rosto, depois de os
liaverengolozinado de seus favores. Recordar-
me hia de Scrates de Tociao, dcAristides,
lo Alcibiades, de Mario, e do tao famoso Marco
Tulio Cicero : mas por todos bastar lmar os
olhos para o ma-s assombroso hroe do nosso
eculo para esse homem extraordinario quo
fez tremer o mundo que deo, e lirou corous a
eu bel prazer, e mutlou inicuamente a face da
poltica. De simples official d'engonheiros tao
lavoravel e extraordinariamente Ihe soprou a
lortuna que chegou a constiluir-se Impera
lr dos Francezes! Todas as potencias da Eu-
ropa se enligaran con ra Napoloao : mas elle
'evado como pela man da Providencia a todas.
asisti e arvorcu as aguias vencedoras em qua-
i todas as capitaes da inesnia Europa. Que ca-
nitao que conquistador oiilovtf mais lourns ,
lo que Napoleao ? Tudo pareca submetlor-se
i sua vontade de ferro: o proprio chele da Igrc-
ja o Summo Pontfice u loi ungir Imperador
dos Francezes. Nunca a lu tuna foi tAo ladivo
a e prodiga com murtal algum. Entretanto
nos campos de Walerloo munliurao os lourosde
larengo, de Friedlund, de Cena, de Auster-
litz o de Wagram o o uiaiur boinoiii, que O
mundo tem visto foi acabar seus amargurados
lias como prizoneiro da Inglaterra na pestfera
ilha de Santa Helena Que exeinpln que li-
o para quem sabe meditar as inennstancias
la lortuna urna das dores mais pungentes
na adversidade he o abandono, e ingralido dos
falsos amigos. Entao he, que conhercm os.
grandes homens que os que os rodoavo o
lisungeavao a todo o momento s os queriao
dosfructar: mas logo que nao tem quedar,
uns os fogeui oulros at parece qtie os nAu
conhecem.e muitos nao duvidarB de ser os seus
mais encarnizados detractores. Atlentom beiu
para estas verdades os que governAo, e nao con-
fien) tanto om apparoncias que creiAo sinceros,
quantos so Ibes inculcan por amigos ; que mais
o sao militas vezes aquellos, que tem a coragem
de Ihos dizer verdades bem que desagradaveis
sejao. Nunca o grande Poeta Ovidio fallou com
mais acorto, do que quando pruduzio os hem
conhecidos versos
Durn fehx futrs mullos numerabis amicos.
Tmpora si fuerinl nubila, solus tris.
M I. I
O cavallo de corte e o cavallo de esquadrUOM
Aplogo.
Perguntando um suieitu a um filosofo da an
liguidade porque a i-quitaran era o exorcico ,
(|ue os Principes mollior sabiao, respondeo in-
mediatamente que era porque os cavados nao
an aduladores. Releva porm que as cousas
bajan mudado muito desd'esse lempo ; porque
recentemonleo bello Alasao corsel do Rei do
Pej sabio da Real eavalbarice tao flexivcl ,
como um corlezao: elle inlerpretava maravi-
llosamente urna palavra, um gesto um vol-
ver dolhos de seu amo, e prevena-Ihe todos os
dosejos de maneira que S. M. poda dormir
rom as doces ondularnos do seu galope e o
citava por modelo aos seus camaristas.
Sobrevol a guerra, e o Re, que capitanea- ,
va o seuexercito perdeo uina grande bctalha,
pelo que lugia a toda bride em oseu elegante
palafrom : mas ah! auc se nao aduuirem tantas
gracassem se corromperem as quadades nalu-


Von liZ t'f haV,a Pfr,,.'10 ?randc parl d0! Paflre *'>' do Sacramento Lopes G
seu vigor as cunetas da p.caria em oonsc- diredor interino,
quencia do que taino do rnncailn em um atolci-
e o Rei ai
ama,
ro
iuava o ultimo golpe dos
aguardi
inimigos, que o perseguido, Felizmente um
soldado, que se retirava pelo mesmo caminho ,
tuve do do .Moi,archa, e tirnndo-o de dehaixo
do valido derrabado, deo-lhooseu proprio ca-
*allo, sobro o quol audoU-o a montnr. Kste
nao tinha nem frcio dourado nem redeas de
seda: nasccra as elevadas campias d'Asia e
respirava os cornuales: suns crinas dcsalinhadas
patino os ventos o fogo Iho saina das venias, c
.osseus jarretes pareca > de ferro : livre, c im-
petuoso muduva francamente de andadura se-
gundo a natnre/a do terreno que pizava. A
inculta energa do ani:nal hellicoso salvara o
Monanha do Pej, se este tivesse sabido eom-
prehender os seus movimentos, e dirigir-llic o
logo : mas corrompido pelas complacencias do
AlasSo, seguiou-semal pcrd.o o equilibrio,
e foi arremessado a urna laga onde de todo
perdeo o reino, o a vida.
Nada havia sido convenientemente ordenado
no proceder deste infeliz Princ pe ; porque o
seu primeiro torsel tinha sido mui fraco para
ello, eclle veio a ser demasiadamente Iraco para
fsegundo: aquelle lelo-ia deixadocm umato-
Jciro e este precipitou-o no lago onde ler-
jninou os seus dias O' conductores dos homens,
flvezai vos a viver rom aquelles de que pos-
saes a vir carecer no da do perigo !
[I.e Montey.)
I declara cois.
Alfa i! dega.
Rendimento do dia 3.......... 6:40S363
Descarrego hoje 4.
Brigue Fiel barricas vazias.
lirigue Sewern o resto.
Brigue Marta Feliz fazendas, e ferra-
gens.
A'dmmistracao do patrimonio d'.s orfos.
Tendo sido decidido pelo tribunal do ihe-
souro publico nacional por aviso de 5 de agosto
ultimo a questao que penda entre a adminis-
tracao do patrimonio dos orfos, e Gonzalo Jos
da Costa c S acerca do arrendamento do arma-
'em.quco mesmo Costa o "a (hora construir no
quintal da casa n.23 na ra da Madre de Ueos: a
mesma arlministraco manda lazer publico, que
perante ella se bao do arrematar nos dias 27 do
torrente mcz,4.e 11 do luluroa quemmaisder
as rendas do dito arma/em : c por isso convida
as pessoas. que so propozorem a arrematar as
mesmas rendas compareccrem na casa de suas
sessoos nos indicados diasas 4 horas da lardo
com seus fiadores. Sala das sessoes da adminia
tracao do patrimonio dos orfos 23 de setembro
de 18W. J. M. da Cruz, escripturario.
= A administraeodo patrimonio dos orlaos
tendo de mandar proceder a roediicarao da casa
n.4 no largo do Hospital do Paraizo c dado
n. 38 na ra do Torres do bairro do Reeifo ,
convida as pessoas, que se quizerern por menos
oncarregar das mesmas reodificacocs a con pare
cerem na casa de suas sessoes nos dios 27 do
rorrete mez 4 c ll do futuro para se tractar
dos ajustes. Sala das sessoos da administrar o
do patrimonio dos orfos 23 de setembro de
1843. J. M. da Cruz escripturario.
Companhia de fetieribc.
= Convida-se a to.las as pessons livres e
cativas, que quizerern Irabalhar por jornal, a
se engajarem nos trabalhos doencanamentodas
agoas; os pertendentes se pdenlo entender no
Recife com o Sr. Angelo Francisco Carneiro ,
no Monteiro com o Sr. Francisco Sergio de
Mallos.
lotera das mkmorias histricas
DE PFJNA.MRUCO.
As rodas desla lotera, cu-
jo maior premio lie 8:000/
reis, na forma do plano, au-
do impreterivelniente no dia
5 do crrante outubro i-
(juem ou nao billieles por
veuder, e o restante adia-
se vendj nos lugares j an-
uunciados.
llov nimio do Porto.
Navio entrado no dia i.
Babia; 6 dias, barca franceza Intrpido, de
322 toneladas capit o P. V. ouza, cqui-
pagem 10, carga lastro: a Kalkmann '
Rosemunrl
Navio sabido no mesmo dia.
Barcelona, com escala por Porto Rico ; suma-
ca bospanhola (destina, capitao Felis Li-
moia, carga algodo.
IS'arto entrado no dia 2.
Monto-vido ; 30dias, brigue hospanhol In-
dustria, de 120 toneladas capitao Agos-
tinho Manslany equipagem 13 carga
lastro : a Joo Pinto de Lomos & Filho.
Sahidos no dia 2.
Rm do Janeiro ; polaca sarda Jpiter, capi-
tao Joiio Raplista Chioz/a carga varios g-
neros.
Paradiha ; ba-ra franceza Intrpido capitao
Sau/ou em lastro.
Rio de Janeiro ; polaca sarda (iore capitao
Joo Raptista Cbiozza em lastro.
Avisos martimos.
Edita es.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria das ren-
das provinciaes manila fa/er publico que por
nao lerein apparecido licitantes a arrematacao
dos reparos da ponte de Ganna annunciada
para o dia 22 do correte ir novamenle
praca no dia 10 do (Julubro correte pelo
preco e sob as clausulas especiaos ja pu-
blicadas. Secretaria da thesouraria das ren-
das provinciaes de Pornambuco 23 de vetembro
de 18i3. O secretario l.uiz da Costa Por-
to-Curreiro.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria das
rendas provinciaes manda fazer publico que
por nao teiem apparecido licitantes a arremata-
cao da reedificar/do da estrada do Joo de Rarros
no lugar da eamha de S. Joo annunciada
para o dia 30 do pascado, ir novamenle a pra-
ca no dia 10 do corrente, pelo proco e sob as
clausulas especiaos publicadas pelo Diario de
25 de setembro.
Secretaria da thesouraria das rendas provin-
ciaes Je Peroambuco 2 deoatubro de 1843.
O secretario ,
Luiz da Costa Porto-Carreiro.
Curso Jurdico.
Faco saber a quem convier que acbando-se
vaga a substituicao as cadoiras de Filozofia o
Geometra do Coliegio das Artes em obser-
vancia dos estatutos ponho a concurso a dita
sub-tituieo, com o praso de 6 mezes da data
deste dentro dos quaos devein habilitar-so os
i.'iivrrcrcs, Ciua 2 u'e ouiubro de ioio.
A bem condecida barca Firmeza, capitao
Narcizo Jos de Sant'Anna, deve largar imprc-
lerivelmente para o Rio Je Janeiro no da 5 do
prsenle mez e os Srs. passageiros quoirao di-
rigir-se ao escriplorio ile Gaudino Agostinho
de Rarros a verificaren! suas passagen3 assim
como os Srs. que lem escravos a embarcar.
= A barca Victoria dn Itecife perlende sa-
bir para o Ass at o dia 3 do corrente ; quem
nella qui/ci carregar. ou ir de passagem enlen-
rla-se com o mostr Vicente Jo- da Costa, ou
na Foja de Jo"o da Cunba Magalhes.
=Para o Aracaty s-'mal o fim do corrente mez
o bem condecido veleiro patacho nacional lau-
rentina frasileira, forrado e pregado de cobre,
quem no mesmo quizer carregar, ou ir de pas
spgem, para o que lem exr-ellcntcseommodos ,
liria-se ao seu proprietario Lourenco Jos das
Noves na ra da Cruz do Recife n. O- ou
ao capito Antonio Germano das Nevos.
Para o Maranho partir com maior hre-
vidade possivel o brigue escuna 5. Mal heos ,
do construecao brasileira lorrado de cobro ,
por ter parte de sua carga engajada; para o rs-
tanle tracta-so com Firmino Jos Felis da Ro-
za na ra da .Moda casa n. 7.
Leudes.
Russe'l MellorA Companhia farao leilo,
por ntervencSo do corrector O iveira de um
grande sortimento de fa/endas inglesas algu
mas das quaesse vendern a todo o proco: quar
(a-feira 4 do corrente s 10 horas da manhaa ,
no seu armazem ra da Cada.
Avisos diversos.
K BSTES1L
Sabio boje o 1. n.subscrcve-sc na livrana
da pra^a da Independencia n. 6 e 8 a rasao
de 5o000 reis por 50 nmeros.
=rContinua-sc, na ra do Rangel n. 34 a
tirar passaportes para dentro e fora do Impe-
rio, e folhas corridas com toda a presteza e com-
modidade.
Quem precisar de roupa engommada com
perfeicao, dirija se A ra dos Martirios n. 6.
Aluga-sc um sotao proprio para homem
solteiro ou pequea familia tom duas janel-
las para a ra corredor independentc e com
duas alcovafl e costaba : na ra da Praia n. 70.
= Maria da Gloria \ ieira retira-se para
a Babia.
Aluga-so um armazem na ra da Cruz do
Recife, e oufro na praia do Coliegio delronte
do Passeio publico ; os pertendentes podem di-
ngir-Mj i un un wueia-H'iia n. 10,
= Quem qui/er comprar para fra da
provincia urna escrava de naeo de idade do
10 annos, cose engomma a* lavarintos,
fu doces, cosinba he quitandeira tudo
ptimamente; duas redes ferias no .Maranho,
novas e de bom gosto que sorvern para thi-
poia : v ao Recife ra de Apollo venda n. 1.
Precisa-se do um homem que tmbalhe
deenchada, para um pequenositio no largo
da Trompe para o MohdegO, sitio n. 3.
= Quem qui/er dar para criar de leite al-
guma crianca querseja do pessoa impedida ,
ou desimpedida, dirija-sea ra de S. Rento
oin Olinda sobrado n 28 ; pois lia urna |>ar-
Iniha com muito bom leite o bastante sadia ;
asse. era-so todo o lelo cuidado, o acciona.
crianca. Tambem se aluga a lujo do dito sobra-
rlo com boa salaassnulbada bous quaitos,,
vista para o mar e muito fresca.
(^uein livor para alugar urna casa terrea nos
lugares seguimos : bairro do Recife S. An-
tonio ou Roa-vista, tendo soflrivescomino-
dos nao se dispensando bom quintal, e ca-
cimba ; annuncio declarando a ra.
Us 2 meiosbilhelesde ns. 2321 e 3213 da;
loteria a favor das inemorias histricas de Per-
nambuco pertencein a Jos Joa<|uim da Si!
\a Maia eJose da Silva Alvos.
Precisa-se de um oscravo canoeiro, para
O servico de canoas; no atierro dos Affogadoa
n. 120
Oflererem-sedoushomops portuguczes.cada
um com sua canoa de carga de milheiro de li-
jlo para alterrar ou por braca ou do em-
preitaila tambem sabem la/er viveiros novos
de peixe e reva/ar os velbos; quem do seu
prestimo sequiser utilisar dirija-so a ra do
Trapie defronte do caes da l.inguela venda
n. ;io.
Joo Dubois previne a seus freguezes, quo
quinta-leira 3 do coraente vai mudar o seu as
souguc da ra da Cada para a ra dos Quarteis
n. 11 devendo continuar a vender das melho-
(escarnes e carneiros, que apparecao nesta pra
ea por cornmodo preco.
Preciza-se de um cozinheiro queseja bom,
dando se bom selario, para o servico de urna ca-
sa de pasto: na ra dos Quarteis no botequim :
no mesmo preciza-se alugar 2 moloques.
O thesoureiro da loteria da Matriz da
Roa-vista principia a pagar os hilbetes pre-
miados da 1.* 4.* parte da 2.* loteria que a-
oaliou de correr boje (4 do conente) e con-
tina lodos os dias uteis, no seu escriplorio da
ra da Cruz n. 10.
No dia 1 "do correnle foi oiTerecido por
um prolo para comprar um alfineile de peito, o
romo polo diminuto proco por quo era ofl reci
do a venda sciesconliou sor furlado motivo
porque SO tomou ao referido preto ; quem so
julgar tom direitoao mesmo dinja-sc a ra do
Qucimado lo ja de la/ondas n. 47 que dando
os signaos cellos Iho ser entregue.
Quem livor urna canoa de carregar agoa,
grande, o bem construida, que queira alugar ;
din ja-so a ra Nova wnda n. (i3.
Na casa da ra d' Agoas-verdes n. 36 pre-
riza so fallar aoS'. R.irlbolomeo \ ieira da Ro-
cha a negocio de sru internase ou annuncio
sua morada para se Me ir fallar.
A pessoa, a quem forcm oflerecidas em ven-
da ou em penhor tres voltas de conlaodeou-
ro um coracao re Carolina encarnada, um an-
nel tambem rio ouro com oto podras; queira as
lomar, que sao furladas e entregar na casa n. 10
na ra das Laranjoiras, quo ser recompensarla ,
e no caso de que nao o faca em se dcscuhrindoo
lurto secaresponsavql comocumplice do mesmo.
l'ilippe Lopes Nodo roga ao Sr. thesou-
reiro da loteria das Memorias Histricas de Per-
oambuco que s pague a elle aiimim ianle o
bilheten 3072, da 1." parle da dita loteria .
que loidesencaminhado da sua casa.
Arrenrla-se 3 moradas de casas para se
passar a festa, na margern do Opina ribo, com
bons commodos na eslrada da ponte do UcbOa;
quem os perlender, dirija-se a ra do Livra-
mento boti a n. 22.
eflorece se um rapaz para ser caixeiro do
loja do fasendas ou do miude/as ; quem pre-
cizar, annuncio.
= Joo Francisco de Vaseonccllos retira se
para fra do Imperio levando ern sua compa-
nhia sua mulher, e urna sobrinha menor.
= Precita-se alugar urna casa terrea cora
bom quintal o cacimba em qualquerdasseguin-
O Ihesoureiro ,
Jos Antonio liaito.
Preciza-se de (500$ reis a juros, por seis
mezes, sobre hvpothcea em urna boa r asa terrea
na Roa-vista, livre o desembaracada;annuncie.
sr Precisa se re nina pessoa capaz para ama
rio una casa do pouca familia c sem meninos ,
pelo comer o veslir; quem estiver nr-slas circuns
lamias, dirija-sea ra de S.Rita Nova casa n.
71 junto a groja.
= Aluga-sc urna rasa terrea com bons com-
modos quintal murado, e cacimba, na Boa-
. isla ra do Solio; e oulra no ('achanga defron-
tc do rio econlondo duas sallas, seloquartos,
e csliibaria ; a tialar na ra Nova n. 03.
Mara Joaquina do S. Thom professora
substitua ras cadoiras de primoiras leltras de
meninas, ensina particularmente ler, escrever,
contar, arithmetica o diversasqualidadcs de
costuras; tambem recebe em sua casa algiinu.s
meninas de pessoas, que morao fora da cirlade,
ou que morando nella as queiro confiar a
sua educacao : quem pretender utilisar se de
seu prestimo dirija-se a ra Direita n. 64.
s= Carlos Holmes comprou a 19 de .Main des-
te anno a Joaquim Jos de Faria duas mora-
rlas de casas, que este possuia as mas do Ran-
gel e da Praia e como consta, que o dito
Holmes as quer vender ; o abaixo assignado faz
sciente ao publico que sob.e ellas ha ques-
les judiciaos e previne para que ninguem fa-
ca negocio algum com ellas, para nao se por
em risco de perder o rlinheiro e comprar no-
vas conleslaccs. Francisco da Silva.
O abaixo assignado pede a quem for offe-
recido um Iransclim de ouro com una meda-
Iha que fui lirado da algibeira do filho do an -
nunciantc per outro menino da aula rio Sr.
Miguel Jos da .Vlotta no dia 28 do Setembro ,
o queira lomar para ser restituido ao abaixo as-
signado, o qual igualmente pede, que os Srs.
que tom lilbos na aula do dito Sr. Molta quein o
averiguar dos ditos seus filhos esse negocio afim
de se descobrir a verdade deste laclo e evitai
que o annuncianle laca publico no caco de sa-
bor qual ros meninos praticou esto fado.
Joan Paulo Xavier de SnPcs.
Precisa-se de um caixeiro pottuguez para
urna venda ; d- negocio entender: quem pretender dirija-so as
Cinco-pontas n. 71.
Quem precisar lo urna mulher de boa con-
duela para ama do casa de homem solteiro ,
ou re pouca lamilia dirija-se ra do Cal-
deirciro n. 6.
Km casa de Joaquim Goncalves d'Olivcira
Guimaraes junto ao arco ra Conccicao existe
urna carta vinda do Rio Formo/o para o Sr.
Thomaz de Gascia desta praca.
Em um clima 13o qiienle comoo do Rrazil,
onde as molestias terininao fatalmente as ve-
zes no espaco le pouoas horas he mister ha-
ver um remedio que possa servir ao mesmo
lempo como preventivo e curador. A Me-
rlocina Popular Americana tom essa proprieda-
de tomada as ve/es em quanlo ella impede a
accumulaco dos humores, conserva o sanue
puro e eonseguintrnente para as pessoas menos
siijcilas a apanharotn quaiquer molestia, seja
olla contagiosa ou nao.
Kccommcnda-se portanto ao publico em ge-
ral rio ensaiar este excedente remedio que ,
polo lado econmico he [ relerivel a quaiquer
outra mortecina de similbante natureza leudo
as caixmhas maior numero (Je purgantes e por
menos proco.
O publico achara na Mcdccina Popular A-
moricana as pilulas vegelaes do Dr. Rrandrelh
estas proptioriarles que produzem seu efleilo
sem dores ou cncotnmodo algum nao se faz
preciso di ta alguma e pode-se tratar dos loa ruis : das Flores de Hortas, Rngel-, A-
sens negocios nos mesmos dias, etn que se to-
mar.
Vendc-se aqui em casa do nico agente
Joo Keller ra da Cruz n. 11 e para maior
commodidade dos compradores na ra da Ca-
goas-verdes paleo do Carino do S. Pedro
da Penda ou por estas immediacOes ; quem
livor annuncie ou dirija-se a ra do Cahug
n. 4.
A pessoa que annunciou querer 3008
deia emrasa de Joao Cardozo Avres, ra Nova t reis a |Uros, dando penhoresd ouro e prata; di-
Guerra Silva & C. atierro da Roa-vista Salles j rija-so a ra do Oueimado cnsa de um andar .
& Chavea. I cu|a entrada be pelo largo de Palacio.
Aluga-se o l.o andar do sobrarlo da ruado j = A pessoa, que precisar de urna ama, que
Cjueimado na esquina do hoco do Peixe-frito i lem muilo bom leite; dirija-se a iua eslreita dn
d. 2, : a tratar na loja porbaixo do mesmo. iRozaro n. 21.


h
PUBMCACA LITTERAWA.
ISCHIA,
Meditarlo Poet ca de Lamartine tradusida
em verso Portuguez con o texto a margem ,
por./. Soares d'Azcvedo e seguida d'outra
versao livrc por J. C. Bandeira de Mello; ven-
dc-se nu livraria do arco da Conceieao por 1G0
rcis.
VEITCH, BRAVO &C
Tendem na sua botica e armazem de droga ,
na ra da Madre de Dos n. 1.
preparadlo seguinte por preco muito com-
o c de superior (ualidadc.
Extracto fluid') e concentrado de salsa-parri-
Iha di Jamaica.
A
mod
Asmuitas experiencias sobre estas prepara-
res tem feto conlii'cer s.ibia corpraco me-
dica, que compon o collegio de Londres, Kdin
burgli e Uublin ser ella a nica donde se
podem colheros beneficios esalutares cITeitos.
que se requeren) nos casos, emque se torna ne-
eessaria a indieacao da raiz de salsa-parrilha.
V. B. & C nao podem deixar de fa/.er urna re-
Reli s pessoas, que li/.oremuso desta prepara-
cao ; que vem a ser o nao abusaren da pequea
qunntiilmle, que prescrovem os praticos ( duas
colheresde cha duas ve/es odiaem meio co-
po d'agoa) visto cada grrula de doze oncas
conter a virtude de 5 li ras de salsa pa/rilha.
Na mesma casa tanibem se venden) tintas,
e todos os outrosobjoclos de pintura ; vermzos
le superor qoalidado entre clles um perf-i-
lamcnte bramo e que se pode appli'-ar so-
bre a pintura mus delicada sem que prod-
za a tcraeo alguiua em sua cor primitiva. Ar-
row-Root de Rrmuda,Sag, Sal'onetcs, -
Salmo de Windsor, Agua do Seidlitz, Agun
de Soda,Agua de Selu,Limonada gasoza .
I inta superior para eserevor, tinta pan
marcar roupa,Perfumaras ingle/as, Fun-
das elsticas de patente,Kscovas e pos pata
denles ,Paslilhas de muriato de moiphina,
o ipocicuanha, PriSlilbns linissimas de lior
tela-pimenta Paslilhas de hi-carbonato di'
soda egin^ibre. As verladoiras pirulas ve-
gelaes univeisaos do l).r Hrandrelh vindus
tjosou autlior nos Estados-Unidos, &u &c.
Oflorece-se una preta para ama de qual
quer casa para o snico de portas dentro;
quem precisar, dirija-se asCinco-pontasn. 56.
Quem precisar de urna ama para o ser-
tico de urna casa de pouea familia dirija-se a
ru de > The reza n. 38.
= Offerece-se urna crioula de bons coslu-
mos para ama de casa de pouca familia ou de
homem solleiro de portas para dentro a
qual sabe boin engommir, cozinhar e faz
todos os mais arranjos do urna casa ; na ra da
Cadeia do Rocile n. 13.
= Roga-se ao Sr. Jos Rodrigues do Sena,
e a Senbora D. Tbereza Pereira Rabcllo Maya ,
o obsequio de declararen) as suas moradas ou
dirigirem-sea casa de Jos Francisco Ribeiro
de Sou/.a na ra da Senzala Nova n. 40 pois
muito se Ibes deseja fal ar a negocio de grande
interesse.
= Arrenda-se um sitio junto ao riacho de
Agoa-lria estrada de Bebiribe com boa casa
de vivenda estribara, padaria, baxas plan-
tadas do capim banheiro no mesmo riacho ,
arvores de Irulo e outras plan taces le inte-
resse ao rendeiro os pretendentes dirijo-so a
ra do Caldereiro sobrado n. 2.
= Aluga se um casa terrea no fim da ra do
Cotovello junto ao porto da olaria do Cor-
reira tem um solio duas salas, dous quar-
tos, e cozinha lora quintal e cacimba, e pin-
tada de novo ; na ra do Cabug, loja de miu-
de/.as junto ao Bandeiro.
-=Aluga-se urna casa Ierren na ra da Trom-
pe com 4 quartos, duas salas, corredor ao
lado co/inba fra quintal o carimba ; na
ra da Cadeia de S Antonio n. 19 ; na mes-
ma casa precisa-se de um prelo para lodo o
servico de urna casa, pagando-so IOS rs. men-
saes o dando-se-lhe bom tratamonlo.
= Precisa-se aluga r urna canoa de oondu-
zir agna que seja beni constuida paga-se
bom aluguel ; as Cinco-pontas a fallar com
Amorim lunior.
= Aluga-soo secundo andar da casa da ra
Nova, com bstanles commodos para urna fa-
milia ; n.i ra da Cadeia velha loja por bai-
lo do sobrado do correlor Oiivcira
Aluga-se um prelo perito cozinbeiro ;
na ra da Praia n. 83.
Quem tirou do oorreio urna carta vinda
Vioira Guimaraes Antonio Eduardo Braga ,
Antonio Pinto Lopes, e Jos Pereira Gomes
da Silva.
Aluga-se um sobrado de um andar na
ruada Viraeo n. 41 ; a fallar com o propie-
tario Antonio Joaquim de Souza Ribeiro na
ra da Cadeia do Rocifo n. 24.
Quem annunciou precisar de seis con-
tos do rois a juros dirija-se ao Forte do Mat-
tos ra do Codorniz n. 3.
Perdeo-scno Domingo do madrugada
dosde a ra do Collegio at a Igreja do Rozario,
urna cruz de ouro ; quem a achou dirija-se a
ra do Crespo n. 2 loja da viuva do Affonco
& Companhia que ser recompensado.
__ Km resposta do intepestivo annuncio do
Diario de 13dop. p. feito por Francisco Pe-
reira da Silva Santos, o abaixo assignado en-
carregado de comprar alguns natenaes para
obra da ordem terecira do Carino desta Cidado,
piando annunciou por esta folha para quem
ulgar-se crodor apparecor com suas contas no
preso do 3 dias, deixou este de mencionar o
annunciante porque muito antes do referido
annuncio ello ja tinha presentado a sua con-
ta ao Sr. Gabriel Antonio a quem o annun-
ciante nao ora ser pessoa competente que
tem pago todas as contas tendentes a mesma
obra ; leudo sido menos verdade ter declarado,
que este deixara de pagar ao annunciante, por
issoque de muitos que la tem ido receber
suas contal assignadas nolo abaixo assignado ,
nenlium setem queixado ; pois seja mais mi-
lindrozo o se nao I lio convem receber do dito
nag.dor pidas suas grosserias e viz batxozns ,
ine tem platicado com o dito Sr. Gabriel An-
tonio, procure o alnixo assignado em sua casa
le una as 3 horas da tarde que promptamen-
losera embobado. Domingos Jos Rodrigues
de sizetedo.
cas com bonitas figuras. cosem, engommaS,
e cozinhao ; urna nogrinha de nago de 14
annos com principios de cozinha; na ra
Direita n. 3, primoiro andar.
=. Vende-se urna escrava do nacao muito
boa cozinheira : na ra Nova n. 41, segundo
andar.
= Vonde-se-bolaxa boa para vendas a 3200
a arroba ; na ra Direita padaria n. 38.
= Vondem-se chapeos froncozes da ultima
moda a 7000, ditos de castor branco a 5, 7, e
7500 rs. : na ra do Queimado, loja n. 11, do
Vianna.
a Vendem-se 2500 tijolos de alvenana
grosa ; 68 oitavas de prata velha; duas ca-
mas de condur para homem solleiro ; alguns
allinctes de ouro com podras de bom gosto, pa-
ra senhora ; na ra da Cadeia de S. Antonio,
armazem n. 19.
Vende-se manteiga de poreo a 160 a li-
das asqualidades de sedae do panno tanto
para homem, senhora u meninos ; por preco
comraodo ; assim como tambam so concerto
ecobrem-se do sedae de diflorentes fazendas,
com muita perfeicao.
__ Vende-se um negro robusto para encha-
da ou para socar assucar: na ra de Agoas-
verdesn. 70.
- Vende-se por 408 rs. urna banca para
meio de sala: na ra ostreita do Rozario n. 32.
= Vndese macass perola a 400 e de
oleo a 200 rs. rebique a 80 rs. o papel, phos-
phoros de ponte a 60 rs. o massinho dito em
caixinhaa40 rs. banha em boies a 160,
meias do todas as qualidados, e pretas para
homem o senhora chapeos de palhinha para
meninos rap do Rio e de Meuron varias
qualidados de espiritos nsoa de colonia al-
finotes finos e grossos papel de peso e almaco,
caixinhas do lamparinas para 6 me/es a 120 a
|,ra eoevadanova por proeo com modo ; no caixa facas de 12 a 16 pollegadas ditas de
irmazem defronte de escadinha da Alfandcga sapateiro chapeos de sol de panninbo sus-
Je Dias Forreira. pensnos de borracha e outras mu.tas m.u-
s = Vendo-se a obra intitulada Diccionario de as por preco commodo ; na ra do (Jueuna-
ipostolico de Vlonlargon 15 v. cabos do do n. 24.
cairo de difiVentes hillas em grandes o pe-1 l'irmino J. F. da Rosa tem a venda mui-
-i,.nas porces : na ra da Senzala velha ar- lo boa farinha do mandioca o de Ir.go Ameri-
mazomn 106. cano oleodelinh.ua, por procos rasoavois ,
= Vende se muito bom panno de algndfio tanto a praso como a dinheiro ; os prclendcn-
la trra em grande e pequeas porces a tes dirijao-se ao sou cscriplono na ra da Rloe-
220 rs. a vara : na ra do Crespo n. '3. da n. 7.
Vende-se urna escrava do meia idade,! Vendem-se bules c caeteiras de metal
do nagio Costa, boa quitandeira e faz todo para cha bacas de rame, .an.lieiros, es-
o servico do urna caso : no ra da Gloria n. 62. crivaninhas, e perlumadores do lalao espo-
Vendem-se meios bilheles da lotoria das ras de mola para saleo de botins, pretas e bran-
inemOfiM histricas do Pernambuco; na praca cas bridas de paraluzo de camba torta sor-
da Independencia n. 21. I tidas, chogadas ullimamenlo do Porto ; na
Widein-se moios bilheles da lotera das ru Nova loja de lerragens n. 4L
Compras,
__ Compra-sc efectivamente para fora da
piovincia escravos de ambos os sexos do 12 a
0 annos, sondo do bonitas (guras pagao-se
tem; na ra da Cadeia de S. Antonio, so-
brado de um andar de varando de pao n. 20.
Comprao se jarros de louca para plantar
craveiros novos ou usados ; na ra da Ca-
deia de S. Antonio no deposito de farinha
\__ Compra-so o Diccionario de Moraes ,
ultima odiciio em bom uso ; na ra da Cadoia
do ReciTe n. 14.
y Compra-so o compendio de Rhethorica e
Potica traducao de Soares anda- que soja
usado ; quem livcr annuncie.
= Comprao-sc escravos pretos de ambos os
sexos, com ollicios ou sem elles ; na ra da
Cruz n. 45 casa de Manoel do Nascimento
Pereira.
Compra-so um methodo de muzica para
violao que esteja em bom estado ; quem livor
annuncio.
Compro-se eflectivamente para fora da
provincia mulatas, negras e moleques de
12 a 20 annos, sendo bonitos pago-so bom :
na ra Nova loja de ferragens n 16.
Compra-se urna braco de balanca e pe-
sos de duas arrobas que sirvao para armazem
do assucar ; quem livor annuncio.
Compra-so elfectivamentc para fra da
provincia mulatinbas crioulas e mais escra-
vos.de 13 a 20 annos, pago-se bem sendo
bonitos ; na ra larga do Rozario n. 30, pri-
meiro andar.
Vendas
= Vendem-se meios bilheles da lotera das
memorias histricas de Pernambuco : na ruu
do Collegio, loja de chapeos n. 8.
= \ endem-se meios bilheles da loteria das
memorias histricas ; na ra do Cabug loja
de miudcas junto da do Randeira.
N ende se um mulato moco bom ofli-
cial de ferreiro e ptimo pagem : na ra do
Queimado, luja n 18.
sea Vendem-se dous moleques de 15 annos,
bons pagens e l'a/em lodo o servico do urna ca-
sa ; na ra do Cabuga loja n. 9, defronte da
matriz.
V^= Vende-se nova arte Potica para conhc
cimento dos principios elomentaies da versifi-
ca, ao dividida em duas partes tratando das
regras melricas dramticas e eiemplos po-
ticos por i. J Valle preco 1280 ; na ra do
Guilherme Selle,
provincia um es-
do Porlo. para Luiz Antonio RodrigUPS, quoi- i Queimado n 25, loja deGu
ra entreal-a na ra da Cadeia do Recifc n. 14,' Vende-se para fora da
ou annuncie. lento de nato de 18 anuos, cozinha y een-
__ Jos Pereira da Cunha embarca para o lende de bolieiro : na Iravcssa da Madre de
Rio deJoiii'ii'oo-seus ocravos Fernando,alaria, ieosn. 18.
de nacao Angola e M.noel .Mo ambique. Vondem-se duas colchas da India obra
Na ra do Crespo loja n. 19 cxis'em muito rica por proco commodo: na Solida-
cartas para se entregirem a Miguel Estoves Al- de n. 22.
,-c! Mano?! Ferre'ra l^'nii Jo5nin! Gon^alves ~ Vendsm-se duas escrava? ds ico, jsc-
memorias histricas de Pernambuco ; na i un
larga do Rozario n. 25.
Vendem-se meios bilheles da loteria da-
memorias histricas de Pernambuco: na ra
larga doRo.arion. 35.
Vendo se urna commoda do anyico com
sua estante em cima toda envidracada obra
muita bem feita por muito menos preco do
que ella vale; na camboa do Carmo loja de
marcinoiro n. 23.
Vende-se urna porcao de taboas de ama-
relio de casquiras proprias para estacadas,
atierros ou cercas ; na serrara d'agoa do
Monteiro ou na ra Nova n. 59 ; na mesma
cerrara tem para vender alm de taimado de
todas as qualidados, larguras e grossuras
um pranchao do amarello com 3 palmos do lar-
gura e 60 ditos de comprido.
= Vende-se urna venda om Olinda, na ra
do Amparo n. 6 com poucos fundos a casa
be muito barata e tem bons commodos para
familia vende-se por seu dono retirar-se para
fra do Imperio; a tratar na mesma.
Vcndem se ou trocao-se duas moradas
de casas terreas de pedra e cal nos Aflogados ,
que rendem 180$ is. por anno, por um sitio
ainda que seja pequeo com tanto, que te
nha rio perto ainda que seja para as bandas
da Ibura.
Vende-se urna carroca e um cavallo
acostumado ao servico da mesma com o car-
roiro ou sem elle : na ra Nova n. 58.
Vendem-sc duas negras recolhidas, de 16
a 18 annos engommao bem e cozinhao ;
na ra Nova n. 19, miarlo andar.
Vende-se qualqucr porcao de varamo pa-
ra lachina, sendo encommendada ; na ra da
Florentina n. 16.
= Vende-se um terreno com 110 palmos de
largura, e 600 de fundo, que ve i ateo rio,
com casa de tclha cacimba de pedra e eal, no
lugar denominado Baixa-verde estrada da
Capunga ; na ra da Cruz do Recife n. 28
Vende-so urna meta commoda de ama-
rollo 6 cadeiras americanas o duas banqui-
nbas de gaveta : na ra da Praia de S. Fran-
cisco armazem da viuva Cunha, n. 10.
Vende-se urna negra do 32 annos co-
zinha lava o vende na ra: na ra das Cru-
/cs n. 41 primeiro andar.
Vendem-se barricas grandes com farel-
los a 3500 ; no arma/em de Fernando Jos
Kraguez ao p do arco da Conceieao.
Vende-se um violao om bom uso do
boas vo/es o por preco commodo : na ra Di-
reita n. 80.
V \ endem-se chapos armados rocasti.r,
prova d'agoa edo primeira qualidade com
as rnelbores presidias e borlas bordadas de ouro.
do ultimo gosto do Rio de Janeiro; na ra No-
va n. 45.
Vendem so bilheles da lotoria das me-
morias histricas de Pernambuco; na esquina
da ra do liangel loja de allaiatc do Bernar-
do Goncalves do Nascimento
- \ ende-se urna escrava do linda figura ,
de nacao Nagou de 20 annos lava enom-
ma o cozinha : na ra do Cabug loja de
Antonio Jos Pereira.
Na ra do Passeio n. 5 fabrica de cha-
= Vende-se urna negra de Angola com.
urna cria de 8 annos, a negra representa 30
annos, o he do servico de campo e vender na
ra ; na ra do Cabug loja do fazendas do
Yalentim do Valle Lidio.
= Vendo-so urna rede vinda do Maranho ,
branca trancada com franja de cor pro-
pna para tipoia : na ra da Madre de Dos,
n. 9. *
= Vende-se urna nogrinha de noci Ca-
cange de 14 annos cose soflrivol ; urna s-
crava de nacao engomma liso, cozinha e lio
lavadeira do-se a contento ; na ra Direita,
n. 3.
= No deposito d'agoa do Antonio Dias da.
Silva Cardial na ra da Praia por Ira/, da Ri-
heira ns. I5el7, das 6 horas da manha at-
as 8 da noute vendo so agoa pura da bica do
Monteiro a proco de 30 rs. o caneco e para
as casas conhecidas so empresta o caneco.
Escravos fgidos.
Na tarde do da 30 do p. p. mandando o
abaixo assignado um seu liliio acompanhado de
um seu cscravo pardo que naquelle momen-
to Ihe tinha chegado do serijo 0111 pagamento ,
0 indo u ra Nova este desappureceo ; o qual
tom os seguintes signaes : cabra de nome
Francisco de 14 annos cor escura cabello
quasi estirado bonito corpo reforjado ps
grandes e grossos ; levou chapeo de couro ve-
Ihoe ja furado no fundo, camisa de algodao
trancado o ccroulas de slgodao liso ; quem o
pegar leve ao abaixo assignado, que gratifi-
car. Antonio da Silva GusmSo.
= No dia 29 do p. p. ugio um negro de
nome Antonio de nacao levou vestido cal-
cas dealgodozinbo trancado, bstanlo largas,
e camisa da mesma fazenda com um remend
as costas, e do mangas curias, bastante ma-
gro sem barba tem una muitinha do cabel-
los do urna banda do queixo boixo quebra-
do de urna verillia traz sobre a quebradura
urna funda, elle foi do engenho Armazem :
quem o pegar leve ao alieno dos Aflogados,
sobrado n. 7 que foi do finado Baptista que
sera gratificado
= A 6 de Selembro de 1839 desapparoceo
urna negrinba de nome Ffjnctsca que parece
crioula de 14 anuos secca do corpo ca-
beca pequea o comprida, olhos grandes e pes-
taas arquiadas rostu comprido beicos gros-
sos e dobrados urna 11 arca em um dos pe los ,
1 a sumida pernas grossas ps apalbetados ,
e compridos, foi com um fia mi res de azeile ja
velbo, duas medidas e funil de carapuca quem
a pegar leve a ra da Praia do Rangel n. 64 ,
que ser recompensado
= Fugiq no dia 23 do p. p. o prelo I.uiz
Inhambam, baslante lulo, re forrad o, com bas-
tantes cabellos bramos na barba fallo de den-
les o fallas agum tanto presas ; quem o pe-
gar leve ao atierro dos AITogadus n. 67, a \ n-
renteThomaz dos Saotus, que recompensar^
generosamente,
Rkcifb: a Typ. ub s F. db Fahu.=84
MFI HDR FYFMPI A


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPJLC32ED_2WGWUA INGEST_TIME 2013-04-13T02:28:58Z PACKAGE AA00011611_04291
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES