Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04290


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno dp 1843
11 iiwi ninrirniiiA 1111111 iiii
Tercia Fera 3
raOBHMi
ludo sgora depende de nos mesmos; di nossa prudencie, moileragao, e energa: con-
(inliemos como principiamos, e seremos apollados oora admirado entre ai Naqos>a mais
eul'.aa. ( 1'rociara agio da Aasembleia Geral do Brasil,)
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Goianna, Parahyba, aeundas e nxlas feiras. Rio Grande do N irle, quintas feiras.
lionito Garanhun, k 10 e 24,
Cabo Serinhiem Rio Formoso, Porto Cairo, MsceiA, e Alagoas no 1 11 e 21.
Boa-vista Floreas lo e 2l. Santo Anuo quintas feiras Olinda todos os di ai.
DAS DA semana.
2 Seg. s. Leodejsrio B. And. do J de D. d 2. i.
3 Ten}, a. Candido H Re. Aud.do J. de D. da 3. t.
4 Quarl. s. Chnspo M. Aud do J. de D. da 4. r.
(Juint. s Cantina 1. Aud do J. de 1). da 3. t.
A t't, t. Bruno fundador And- do J. de 1). la 2. v.
7 S*b. s. Marcos P. Re. Aud do J. de D. dt 1' T.
jj unas. O Patrocinio de S Jote,
jutbro
Anno XX. N. 212;
*
______^___________
' O DialIO pnhlirs-s. lodo, i lias que nSo orem Sa.riBnados: o pre9o dt impostor
c!e :res mil mi >r quartr', .; s ulisnlsilos Os annuneios dos mi'MnteJ sao insen
.fore.ni.ras.il. de Ml'roif p giiUs a asta Tip., ruadas Cruies N. $4, ou SPW8 da Indepenoeneia ioja delirios I*.
ClMiioiNo dis 2 de Onlubro. oomprs
Ca.blo sobro Londres 25. Ooau-Moeda 4* 6,40 ?. i*.**0
- Pans^C reis por franco. N. 16.6J
S, ZOO
l,9ii
1,920
1,921.
Lisboa 11U por 1U de prsaato.
'"do 4,000
PlATa- Patacn
Mooda do cobro 2 por oento. Puos Cotaanawas
lile da letras da boas 6raaa 1 a s. dilot Meiicanos
PHASES DA LA NO MEZ DE OTBRO.
Las Cbeis 8, as 8 horase 57 da man'. I La ora a : :t, s 5horas \\ mi da m.
Qusrt. aaing. i 16, e 11 horast 31) a. j .^aari. croso, i 30, sos 2J ev "
Preamar de hoje.
i.- Oboras .30 a. da sssnbas j i a OboraseW. da iaf^.
renda,
17 OVO
16.80U
SUot,
1.940
i,V4o
1.940
n
tURTE OFFJCIAL.
1----------
Governo da Provincia.
EXPEDIENTE DE 22 DO PASSADO.
Offlcio Ao inspector da tliosouraria da fa-
senda, communicando ter determinado em at-
tenca ao que informa rao o commandante das
armas e o director do arsenal de Ruorra que
para o foinecimento d'agua, luzes e limpesa dos
orpos de guarda, c secretaria militar, slga-se o
mesmo tnelhodo at aqui adoptado pelo men-
cionado director, emquaoto pelo respectivo mi-
nisterio, 6 que se vai communicar esta delibera-
bas, se na5 mandar o contrario. -
Dito Ao juiz municipal da primeira vara,
nomeando-o para presidir o andamento das ro-
das da loteiia da matriz da Boa-vista, que deve
ler lugar no dia 28 deste mez (setembro).Com-
municou-se ao thesoureiro da mencionada lo-
eria.
DitoAo inspector da thesouraria da fasenda,
ordenando.de acord coro oque informou o com-
missario fiscal do ministerio la guerra,que man-
de abonar ao capita d'eslado maior de primei-
ra classe do exercito, Diogo Garcez Palha, vin-
,do do norte na charra Amazonas com destino
corte, por chamado do quartel general, trez
me/es de sold porconta dos que tem vencido,
fasendo-se-lhe pela quinta parte delles os lis-
.cootos devidos; visto tor o mesmo representado,
que nao pode seguir na referida charra, por
haver declarado mestranca do arsenal de ma-
rinha, que ella nao pode continuar a viajar; e
que nao tem meios alguna de paar ascomodo-
rias para seu transporte e de sua familia; e ser
prejudicial ao sorvico a sua demora nesta cida-
de; e determinando, que, feitoo pagamento ao
dito official, mande com urgencia passar-lhea
competente guia, afim de quu 25 do presente
(setembro) parta paia acorte no patacho Pira-
pama,Bipedirad-se as convenientes ordens,
para o embarque do referido official, o sua fa-
milia.
DitoDo secretario da provinciano comman-
dante das armas, remetiendo os procesaos do ca-
dete Antonio Carlos Paos Barreto, e soldados
Generoso Antonio da Silva, o Jos de Siqueira
Bueiio, todos do segundo batalha de artilharia
p, para que faca dar cumprimeutos senten-
cas, nelles profer.las pela junta de justica.
dem no da 23.
Officio Ao directoi geral interino do cr-
relo da corte, remetiendo, em consequencia de
requisicasua, os dous nfhcios do administra-
dordo correio desta provincia, em que prope
os vencimentos, que dever poioeber os admi-
nistradores parciaes, e agentes dos diTerenles
correiosda mesma provincia; e dcclarando-lhe,
que so conforma com a proposta.
Dito Ao agente da companhiados vapores,
autorisando-o faser seguir o seu destino, lin-
do o praso to estilo, ao vapor Bahianna, que
participa haver chegado hontem (22) este por-
to, vindo dos do norte.
Dijono secretario da provincia ao com-
mandante geral do c.Vpo de polica, enviando
umejemplar do decreto n. 224 de2* de setem-
bro do anno p. p.
Ttit'snuraria da Fazencla.
EXPEIrNTE DODIaII DO PASSADO.
Offlcio Ao Exm. Presidente da provincia,
informando em vista do ollicio do directordoar-
senal de guen a, eem cu nprimento do despa-
cho nello prolerido. que na distribuirlo do cr-
dito do ministerio da guerra para as despesas
desta provincia no anno inanceiro de 18*3-44,
nasedavaimpoitancia alguma para compra
de plvora; porque alem de poder incluirse na
rubrica de despesas eventuaes em vista da di-
minuta quantia, que para ella so marcou, con-
forme as tabellas do orcamento submettido
samara legislativa este genero dcvia ser com-
prado na corte respectiva fabrica, e distribui-
do pelas provincias a proporcaS das necess.da-
des e roquisices, que se fisessem.
Dito Ao procurador fiscal da thesouraria ,
remetiendo cinco contas extrahidas pela conta-
dorla do diversos devedores laser. pdica
na importancia de 970^793 rs., constante da no-
ta, queacompanhava para proceder judicialmen-
te a sua cobranea
Dito Ao administrador da mesa do consu-
lado, participando ter o Exm. Presidente ua i
provincia, por officio do 9 do rjof rfMtfc faetem-
bro em cumprimento do imperial hH
de agosto ultimo expedido pela secretoria de
estado dos negocios de fasenda, mandado que
se praticasse com o agente da Parahyba, o mes-
mo que se achava disposto no do 13 dojulho
prximo passado acerca do das Alagoas; visto
que as rases porque assimsedeterminou a res-
peito deste era5 em tudo procedentes respeito
dos outros; eque assim o fizesse constar ao re-
ferido agente da Parahyba.
Dito Ao mesmo, part hipando para sua in-
telligencia e cxecueaS na parle que Ihc tocasse ,
tor S. 1W o Imperador, por aviso da secretaria
de estado dos negocios do imperio, determina-
do, que as visitas policiaes se flsessem, na con-
formidadedo artigo 7. do decreto de 29 de Ja-
neiro deste anno, no escaler da sade, e se pres-
lassem ao mesmo tempo qiiaesquer outros soc-
corros, que conviessem; o quo foi communica-
do por o Exm. Presidente da provincia em offi-
cio de 9 do corrente 'setembro).
Dito Ao provedor da sade, participando o
contedo no precedente officio.
DitoAo contador da thesouraria, remetien-
do para sua intelligencia. a copia do officio do
Exm. Presidente da provincia de 6 do andante
mez (setembro), em que communicnu ler S. M.
o Imperador indeferido o requorimento dos em-
pregados da contadoria em o qual pedirn ao
mesmo augustoSr. Ihes conredesae um unifor-
me o graduacoes, que os distinguisse nos dias
de festa nacional.
Dito Ao mesmo, enviando para o seu co-
nhecimento o officio por copia do Exm. Presi-
dente da provincia de 9 do corrente (setembro),
em que communicou a nomeacao do bacharel
Antonio Luiz" Dantas de Barros Leite. para o
lugar de juiz dedireito da comarca da Boa-vista.
DitoAo mesmo, disendo, que sondo do ab-
soluta necessidade liquidar-se >:om promntidaS
as contas dos diversos Ihesoureiros das loteras,
afim de entrarem para o cofre os saldos nxisle -
lesem poder delles,elondo a experiencia inoslr. -
do a impossibilidadede vencer esto trabaio
immenso tempo, que se consuma eaconfcre
do todos os bilhetes premiados polos raspee I
talos, cumpria. quo d'ora r;m diante nao se ve-
rillcasse pelos talos os bilhetes de premios me-
nores, salvo aquellos em quenas mais cor feron-
ciosapparecesso duvida on doscunlianca; por-
que alem de ser provavel nao so ochassem enga-
os nesta verificacaS, estando tudo o mais exac-
to, quando mesmo, por caso algum so desco-
brisse, a indemnisacao do seu valor nao com-
pensava o do augmento do trabalho, que se des-
penda.
Portara Ao ex-collector de diversas rendas
do municipio do Cabo, para com amaiorbre-
vidade prestar contas na thesouraria, dos ren-
dimontos que estivera a seu cargo, do tempo
de sua serventa.
Mello sempre o Rei das agoas se mostra pro-
picio
Aquem amando, seu auxilio implora.
O amante apoz da amada o aclia brando ,
0 amante junto della feliz surge
Ondo quer que o destino insano os leve,
c he por isso que elle ada rasoavel felicitar o
seu amigo, que he o Sr. Dr. .Nutran, pela via-
gem que empreliende, com o fim d'obter a sau-
dcd'uma esposa a quem ama.
A viagem nao so verilicou, mas o poema im-
primio-se : he elle um echo do saudade e
d'amdr da patria ornado de pequeos quadros
da vida real por entre os quaes o poeta osten-
ta urna misantlimpia quasi selvagem. indigna-
do de tanta lorpe/a quo o actual gremio social
apprcsenta.
Depois que elle aprecta da boca do seu amigo
todos os sentimenlos que a partida Ihe inspira ,
e depois de nos mostrar com urna originalidade
verdaderamente potica que as tempestades
fogom do mar epassam talvez para o peito do
liomem eis aqui como elle interpella o seu
excellente amigo :
Que livro v.is abrir de desespero
Ante tousolhos ? mil sangrentas paginas
De traieoes e d'horror hfto de fallar-te !
Entro ahrolhos os campos despresados
Novas pedir-te-hao das mos calosas
Quo o seio Ihcs rasgaram com acudes ,
Onde hoje som pastor procura o gado
Com tardo p na ssta abrasadora ,
( Em vao ) des-sedentar-se.....
i .
une
Comu. :nicado.
M A DOS A' BORDA DO M.R PELO SB. DR. JOO
CAPISTRANO BA.fDEIA DB MELLO.
Anda um poeta mas um poeta que estreia
a sua brilhante carreira entre nos com lodosos
caracteres d'extremado gosto um poeta des-
pido da vaidade que tao commum he ao inge-
nho as suas primeiras inspiracoes quo a to-
dos consulta a todos ouve de si propro des-
confia ao arremecor-se aos ares ; mas que na
inmensa regiao que o Creador Ihe poz dianto ,
e na qual tem os olhos cravados como o filho da
agina, nao encontra limites no vo queensaia,
nem no pensamento que se ergue atrevido.
0 Adfos borda do Mar que acaba depubli-
car-se pela imprensa de Santos & Companhia ,
he um poemeto que a ami/ade inspirara cheio
de considerarles d'uma ordem elevada e um
dos primeiros voos do Sr. Dr. Joao Capistrano
lian de ira do Mello. O novo poeta accompanha o
seu amigo ao baixel que o devia conduzir ao ri-
sonho ceo do Ceara e comoca por mostrar-lhe
toda a magestade do mar que se Ihe desdobra ,
... quer rauO
Roncando espmeo as desertas praias ,
Quer calmo nos rochedos dormitando.
O homem nem sempre atravessa omarimpu-
iiuuieme poreni no seniir o Sr. Banduira tic
'ro? : olhos, fogo :
'. 'i no ,
noso,
i, nguo...
"ui. > itromo
ia s ro i I los !
b quem oriojx chore com ellos.
Miles' marinhas erva* desgarradas
Das rocas ygo vogar no mar da vida ,
A merec la irre lo e da tormenta !..
Ella rocha caiu-lhe sobro o peito ,
E de dor esmagou-a !.....
Ha um movimento e urna melancola nestes
versos que revelam em verdade toda a alma
do poeta e todo o futuro para que ella ca-
minha.
A ultima parte do poema he um voto arden-
te do piedade lilial' he um lornissimo desejo
em que o poeta se consumme d ir visitar ascin-
zas de seu bom pai: Quem o tve inellior ,
diz elle,
.......Este mou voto
A meus ilhos ir no adeos extremo.
Ninguem lera estes accentos de saudade ede
religio sem accompanbar o Sr. Bandeira de
Mello na sua piedosa homenagem com urna
lagrima d'amr. O amr filial he a aza do sera-
phim, que eleva o homem a Ueos e traz Dos
ao homem. O que honra a memoria de seu pai
he bemavenlurado na trra.
Eis o que nos occorre na revista rpida que
acabamos de fnzer do bello poemeto do Sr. Dr.
Bandeira. A communidade em que vivemos es-
t de tal sorte organisada, que nenhuma attrac-
i o encontra o genio para sair das mantilhas de
IdJo em que se acha envolvido senao algum
echo bem solitario, e bem longiquo. Em quan-
to se nao opera a transformadlo social porque
todos os bomens honestos aspiram o incita-
mento s artes assim mesmo individual, he
urna necessidade d'irmo e d'amigo.
He para cumprireste dever e para mpel-
lir o Sr. Bandeira do Mello a dar-nos um poe-
ma de maior pulso no qual brilho a pbiloso-
phia que elle professa que nos hoje Ihe consa
gramos estas linhas ingenuas, com a opinio
talvez presumpoosa deque ellas Ihenosero
indi ferentes.
S. d.
Variedade.
CONTRIBUIR) EXTRAORDINARIA.
1 Todo o ministro de estado, que despachar /
os seus prenles ou amigos, preferindo-os aos
homens que tiverem servicos, e Ilustrarlo ,
pagar por cada um que tiver despachado ou
despachar 50S000.
2. Todo o deputado que nao estiver na c-
mara as horas da abertura da sesso ou se re-
tirar antes de se fechar pagar por cada meia
hora que faltar 28880.
3. Todo o deputado que subir as escadas das
secretarias de estado ou entrar em casa dos
ministros por cada vez quo l for 208000.
4. O deputado que sollicitar para si ou para
os seus prenles amigos o alunados, empre- .
gosou condccorces por cada urna 2-IS000.
5. Todo o deputado que votar contra a sua
consciencia e so por espirito de partido, por
cada votacao 308000.
6. Todo o deputado que atrapalhar as dis
cussocs com estudadas e fastidiosas interpella
ces, com addiamentos e discursos do duas ho-
ras 208000.
7. O deputado quo nao disser nem urna pa-
labra pagar por cada sessao 2$880.
8. Todo aquello cidado que tiver sido agra-
ciado com habilos, commendus, ttulos ou car-
ta de couselho pagar 348000.
9. Todo o official militar que tiver mais do
urna racao de forragem tendo s um cavado, ou
nenhum pagar por cada urna das racoes que
tiver tirado ISoiO.
10. Todo o agiota que descontar recibos ou
ttulos a mais de 5 por cento pagar por dia
1008000.
11. Todo o possuidor de bens nacionaes que
mcltesse no pagamento ttulos de divida publi-
ca 4:OOOS000.
12. Todo o cavalleiro das ordens militares,
ou commendador quo deixou de ir procissao
le Corpus Christi em todas as Ierras do Reino
i-SOOO.
13. Todo o peridico, que mentir, por cada
mentira 200.
14. Todo o periodiro que calumniar ou de-
vacar a vida privada por cada vez pag.r
108000.
15. Todo o empregado publico que comprar
casas ou quintas, pagar por cada casa ou quin-
ta que comprar ou dinbeiro a juro que der
3008000.
16. Todo o escrivo que nao souberescre-
ver, por cada palavra que se I be nSo entender
240.
17. Todo o escrivo que nao (radar bem as
partes, ou fizercomedelas 1008000.
18. Todo o advogado quo enredar o feito ou
aconselhar ambas as partes lOSOOO.
19. Todo o juiz que receber memoriaes, por
cada memorial 2800.
20. Todo o procurador de causas que entre-
gar a causa de seus constiluintes, por cada urna
que entregar 40g000.
21. Todo o administrador de conselho ou
de liairro que levar emolumentos que Ihe bSo
pertencem JJOjOOO. '
22. Todo aquelle que lanrar coras aos c-
micos porcada cora 108000.
23. Todo o que se cncostar s portas dos tbe-
atros ou das igrejas para ver as mulheres dos
outros 128000.
24. Todo o administrador de conselho ou
liairro onde se fzer um roubo violento por
cada um 608000.
25. Todo o juiz criminal que soltar presoa
ladros, ou oulro qualquer por interesse, por
cada um 1O0S0O0.
26. Todo o ourives que comprar prata de
igreja ou pecas roubadas 2008000.
27. Todo o ourives quo vender corioiz de
ouro ou brincos sem ser de lei 1008000.
28. Todo o jurado que der o seu voto por
dinhoiro nu favor 150*000.
29. Todo o negociante que, tendo fallido .
continuar no mesmo luxo 4008000.
MUTILADO


I
1
30. Todo o jogador de profissSo 508000.
31. Todo o dono de casa de pesio que vender
comidas requentadas HbOOO.
32. Todo o estanqueiro que vender cigarros
ou rap de nidio 16*000.
33. Todo o arrematante de illuminaco que
dcr mau azeile por cada candieiro apagado
IOjOOO.
34. Todo o carcereiro que levar aos presos
mais que a carccragcm 20.) 000.
35. Todo aquelle i|ue entrar nos holequins
mais que 2 vezrs ao dia 240.
36 Todo o homom ou mulhcr quctcndo i a-
bello o cortar para prtr ch'n IOjOOO.
37. Todo o que andar vestido de panno n-
glez ou estrangciro 30jO0O.
38 Toda a senhora que andar nos banhos de
mar de vestido de seda ou de 1 i l< > SOjOOO.
39. Todo o jantar mcrenda ou ceia em
que se beber cbarnpagne por cada garrafa
4*000
40. Todo o enterro que custar mais do 20
mil reis SOiOOO.
41. Todo o individuo que pertcncer a soci-
edades secretas 20 j 000.
42. ( ada beneficio no tbeatro pagar por
urna vez somente 14400.
43. Todo o homein casado que tiver amiga,
pagar 40jOOO.
44. Torio o ecclesiastico que tiver ama de
menos de 50 annos de idade 30j000.
4jS. 'lodo aquello que oflerecer um desafo
ou o aeccilar 200*000
46. Todo o que comer beber, vestir e cal-
car sem ter modo de vida 10>>000.
47. Toda a testemunba que jurar falso, pa-
gar por cada juramento 20.)000.
48. Todooviuvo ou viuva que tornar a ca-
sar por cada vez 100j000.
(P. dos Pobres no Porto.)
COMMERCIO.
Alian doga.
Rendimento do dia 2.......... 2:0198767
DescarregUo hoje 3.
Brigue Maria Feliz azeite, vinho, vi-
nagro c ferragens.
Brigue Fiel rap e barricas vazias.
Brigue Setoern fazendas, e taxas.
I
tacoes do Brasil em Franca tem sofTrido, e
continua a soffrer urna diminuidlo enorme no
scu censumo como se v da tabella compara-
tiva abaixo. A causa principal de 13o grande
diminuicao o seu preco elevado em compara-
cao dos ou tros algodoes, o que convida os fa-
bricantes o emprogar o da I.ouisiana e Paita ,
que cusido muito menos. Di/.em elles ( os fa-
bricantes ) que tirao mais proveito do em prego
do algodao do Paila para as mbluras dos
lculos de laa em que se empregava o de
Pernambuco porque a felpa daquelle sendo
maisgrossa, liga-se melhor a laa. Osdireitos
de entrada do algodao do Brasil sao de 22 fran-
cos por kilogramas ( 224 libras).
/abella da Importa- Consumo doalgod&o do
(do Brasil no Havre.
1835-18.843 saccas. 15,6X0 saccas.
183023.123 19.555
1837-16,030 22.676
183811.395 11,595
183916.259 11,109

Transcrevemos'do Jlrasil o seutnte
artigo.
COMMERCIO BUASILEIRO.
Chamamos a atlencao do* nossos leilores pa-
ra o segointe olicio que foi dirigido pelo nosso
compatriota residente em Parid o Sr. Le-
mos ao Exm. Sr. Jos de Araujo Ribeiro ,
que o consultara sobre o commercio do brasil
com a Franca.
Illm. e Exm. Sr. Em resposta ao oficio
queV. Ex me dirigiu em 14 do correntc ,
venho communicar a V. Ex o que sei a res-
peilo da materia. Depois de haver colindo as
informacoes que me erao necessarias sobre o
que nao estava directamente ao mcu alcance .
principiarci pelos artigos de produccio e rnani-
pulacao tirasiicira.
Os productos do Brasil importados emFran
ca sao : caf algodao,assucar branco,
bruto c inascavailo,couros secos e salga os,
pu ilc Jacaranda,pu brasil,cacu,gom-
ma clstica (horraxa ),tapioca,salsa parri-
Iba, ipecacuanha,(lufres de lioi.
O cafe vem em maior quanlidade do Rio de
Janeiro e paga de direilos de entrada 104
francos 50 cntimos, p r 100 kilo.rau as
( 224 libras nossas ). O cal do Brasil repu-
tado interior ao da Martinica mas o do Cara-
vellas se llie assomclha : elle cultivado nessa
comarca por Franco/es e Su SOS, que 0 eoihom
com o inesiiio cuidado com que colindo oda
Mar inica.
De algum lempo a esta,parlo o caf do Bio
melhor pois que os cultivadores j nao o sc-
cao como precedentemente sobre a lena ,
o que alem de tornal-o opaco dava-lhc um
gusto dtsagradavel ; e presentemente este caf
que eslava completamente abandonado em
Franca, e que s era consumido naSuissae
no Norte comeca a ter extraern.
O caf da Babia igual ao do Hayll, e segu
o mesmo curso no proco Da tabella abaixo
julgar-se- do valor do caf brasilciro compa-
rado (om outros.
Moka......... 1 f. 60 c. a I f. 20 c.
Martinica...... 95 a 1 f. 10
Porto rico...... 70 a 80
Havana....... 65 a 75
Camellas..... 65 a 76
Hayll......... 55 a 62'/
Babia........ 55 a 62 V*
Eic de Janeiro. 50 a 62 V
Q algodao, que urna das principaes impor-
85,750 80,616
Emser no fm do anno de 1839 5,134sac-
cas. A' vista disto os plantadores ri algodao
brasileiro devem ter inuilo mais cuidado no a-
condk'ionamenlo deste genero e nao envia-
rein saccas (citas com panno excessivamente
fraco e que se rasga a todos os instantes, don-
de resulla urna perda considcravel do peso.
Devem igualmente cuidar d conservar a boa
qualidade do algodao uue tem j bstanlo dege-
nerado, e evitar sobretudo e mistura de corpos
estranlos com o algodao que Iho diminuem
o valor em consequencia do dficit de peso e
de mod'obra, que n cessita a extracto des-
ses corpos. O consumidor calcula todas essas
desvantagens e compra em consequencia. Cum-
ple pois ao agricultor tomar todas as medidas
para poder fa/er face a concorrencia.
O assucar branco pagando um direito de
entrada de 7.7 f: por 100 k i logra mas naocon-
vem para os mercados de Franca o o que vem
do Havre reexportado para os porlos do
Norte.
O assucar bruto do qual tem vindo muito
pouco, c excessivamente mal fabricado de
Pernambuco e Maranbao paga 66 fr. por 100
kilogramas de direilos.
O assucar mascavado, importado principal-
mente da Babia paga os mesmos direilos que
o brulo masp'ide ser lefinado e obtem a
reslituicao dos uiroitos para ser reexportado.
Para que os assucares do Brasil posso convir
nos mercados de Fran:a ( fallo do bruto e mas-
cavado ) seria preciso que o governo francez
diminuisse os direitos de 66 fr., o o rendimen-
to para o dratubacl; prime de reexportaran ou
restiluicao de direitos ) de 60 a 65 e que o
governo do Brasil nao admitiese caixas de mais
no 15 a 20 arrobas pois as enormes caixas em
que Se melle o assucar no Brssil alem de se-
ren de madeira Iraca que se quebra todas as ve-
/.es que preciso mexer com ellas, o que faz
perder mais ou menos quanlidade de assucar ,
alem da sua deterioracao sao extremamente
d(ficis de mover, e exigem por essa razao urna
grande despeza. E' s no Brasil que se usa de
taes caixas, pois que todos os oaizesexiedem
o seu assucar em caixas ou barricas de 500a 600
kilogramas.
A probibicao resultante do excesso dos direi-
tos nao somente fatal aos negociantes brasi-
leros pois que a importaco do algodao cm
consequencia da diminuicao do consumo sen-
do cada vez menor torna-se extremamente
dillicil a oporatao dos retornos, provenientes
da introduccao dos producios do Franca eos
navios Iraiuezes demorao-sc no Brasil anno o
seis me/es e a (nal voltio sem poder com-
pletar o seu carregamento.
Os couros seceos e salgados pagao 5 f. 50 c.
de direitos por'/ kilograma. A gueira entre a
Franca o Buenos-Ayres tem dado urna grande
importancia a ote artigo, que alhoje tem sido
o melhor e que menos prejuizo tem dado.
O favor poiem deque elle goza cessar inme-
diatamente que se fizer a pa/. com Buenos-Ayres,
o baixaran de 15 por cenlo ao menos.
madeira de Jacaranda paga 16 f. 50 c por
kilograma. Este artigo tem seguido o impulso
de baixa de todas as madeiras de marcineria ,
e se acha hoje excessivamente barato. Para
prova de que o genero bem tratado tem sempre
valore pode sustentar a concorrencia citarei
o exemplo da madeira de Jacaranda do Rio de
Janeiro que de certo lempo para c bastante
procurado, porque cortado e acondicionado
por obreiros europeus idus cxpressjtnentc pa-
ra esse lim Da Bahia vem algumas vezes o
pao de sndalo, que da India se importa muito
em Franca.
Jas madeiras do Brasil que sao tantas, a
nica apreciada a chamada pu-brasil pois
que um outro pu que produz urna tinta ama-
relia excessivamente pobre de materia col-
renlo, o c preco por que se vesda 5c cobre os
despezas de fretee introduccao. As madeiras
que fazem concorcencia ao pu-brasil, s5o,
segundo a denominacao dos Franceses o sa-
pan que vale de 15 a 16 francos eocoha-
lour que vale de 12 a 15 : ellas vem da In-
dia o sao muito inferiores ao pu-brasil. po-
rem sendo o preco deste de 50 a 70 fr. os fabri-
cantes nao o emprgao senao em muilo pequea
quanlidade e nicamente miquillo quo nao
pode deixarde ser feito com elle. O pu-brasil
vindo directamente paga de 5 f. 50 c. por 100
kilograma c vindo por Oslcnde 8 f 80 c.
Eu pens que o governo brasileiro obteria
maiores vantagens se eslabelecesse depsitos c
agentes para sua venda no Havre, em Marseillc,
em Hamburgo e em Genova pois que os
consumidores, tendo menos despezas de con-
duceaoque lazer talvez oempregassemmais fre-
quentemente Asdespe/aspara o tirar de Ingla-
terra commissSes de reexportaces excessivas eo toma o extraordinariamente ca-
ro ao comprador.
O cacu tem subido de preco por haver-se o
consumo bastantemente augmentado. De tres
annos a esta parte este artigo tem dado bons re-
sultados.
A gomma elstica paga f. 11 de direitos por
100 kilogramas de peso bruto. A sua applica-
i ao aos merinos e pannos fez subir bastante e
mesmo de urna mancira desproporcionada o
seu preco do que seguirao-se importaces
tonsideraveis eque tornSo este artigo presen-
temente invendivel.
O balsamo de copabyba paga f. 220 por 100
k.' Este artigo, que, duranle muito lempo ,
se achava abandonado eque por consequencia
ninguem ousava importar, subiu a um preco
excessivo de dois annos a esta parte mas adia-
se hoje na mesma posicao da gomma els-
tica.
A tapioca paga a f. 22 de direitos por 100
kilogramas bruto o seu consumo extrema-
mente limitado e as importaces se tem sem-
pre excedido : todava quando elle bem
(eitoe perfeitamente branco bastante pro-
curado.
A salsaparrilha e a ipecacuanha paga f 82 ,
50. "por. 100 k. e sao fcilmente vendidas quan-
do nao vem em grandes quantidades.
Os cintres de boi pagao 11 fr. porlOOk.0
Nao sendo hoje da moda os pentes este artigo
nao se vende senao cm mui pequeas porcoes ,
e por procos excessivamente baixos.
Em geral os productos do Brasil sao de boa
qualidade o se fossem bem tratados merece-
riao notavel favor Infelizmente os os nossos
compatriotas nao querem seguir senao a rotina
que os Porluguczes inlroduziro entre nos ha
mais de 300 annos no entanto quo os culti-
vadores dos outros paizes cstao muito mais adi-
antados em industria e agricultura.
Nlo acnbarei de fallar dos gneros princi-
paes do Brasil sem indicar os que sao particula-
res a cada provincia e fazem o seu principal
ramo de exportaco.
Pernambuco, Alagoas, Parahyba Minas,
Maranbao Para sao as que exportan mais al-
godao. O de Pernambuco e das provincias li-
mitrophes classificado em primeiro lugar. O
da Babia e Minas em segundo, e o do Mara-
nbao e Para em terceiro.
Bahia Pernambuco e as provincias que Ihe
sao limilrophes e Rio de Janeiro sao as que
exportan maior quanlidade de assucar. Oda
Bahia classificado em primeiro lugar o de
Pernambuco e provincias visinhascm segundo ,
e o do Rio em terceiro.
Quanlo exportaco dos productos france-
zes para o Brasil consiste em sedas, artigos
de luxo e fanlazia couros e pellos cortidas .
vidros porcelana vinhos e pouca farinha de
trigo : ella tem diminuido bastante c mais
diminuir so a lei sobre o assucar que se acha
em discussao fr sanecionada. Nembumas
operacos bancaos se fa/om enlre a Franca e o
Brasil de mancira que para obter a negocia-
cao da menor letra preciso mandal-a a Ingla-
terra Em geral, sao transaces pequeas e
mesquinhas.
Deixo de entrar em maiores detalhes a este
respeito porque sobre elle poder informar
com mais precisiio o lllm. Sr. cnsul geral
Quanto s medidas que se deverao tomar para
favorecer o commercio entre o Brasil e a Fran-
ca supponho ser a principal a que ndiquei a
respeito dos direitos do assucar : em segundo
lugar obler dos nossos cultivadores que pres-
] tem maior cuidado plantacao e colbeita dos
i gneros. Por urna quanto mim dema-
siada libordario eornmcrcial se tinha abolido s
! nspecces do Brasil : a experiencia lem mos-
trado o erro dessa medida e algumas piovin-
I cas j < as tem restabelecido mas preciso seria
que todas o li/essem e que alem da perda do
genero fosse estabelecida urna multa mais
forte contra o fraudador.
A penelraco de V. Ex. supprir o que eu
Dos guarde a V. Ex. Pars, em25deA-
bril de 1840. ___________________
Movmcnto do Porlo.
Navios entrados no di 1.
Porlos do Norte ; 15 das, Imrca de vapor na-
cional Imperador de 467 toneladas capi-
to Jos Maria Falcao cqui pagem 30, car-
ga lastro. Passageiros, Pedro Jos da Sil-
va Ouimaraes um lilho e um ei cravo, Manoel
Lourcnco Castro e Silva csua familia D
Candida Maria de Olivcira Francisco Bal-
thasar da SiBeira um filbo e um rscravo, pri-
meiro lenle da A. Felis Loure neo de Si-
queira, Jos Goncalves Flanco e 2escravos,
Honorio Francisco Caldas braz ileiros ; e
2 cscravos a entregar
Aracaty ; 18 das patacho nacional Lauren-
lina de 110 toneladas, capilo Antonio
Germanos das Nevos, equipagem 12 carga
varios gneros.
Navios sahidos no mesmo dia.
Porlos do Norte ; vapor nacional l'arahe "" .
com mandante Joaquim Peixolo Cuimai es ,
equipagem 24 carga lastro.
Serinh.em ; hiate nacional Especulador M -
pilao Jos^ Mauricio da Silva, carga lastro,
Passageiros, Christovao Diestel, Emilio Bde
lace, hamburguezes.
Observacdo.
Fundiou no lameirao o vapor de guerra inglez
Grawler commandante Buckly.
Erilars.
ti luu deixao tic id'i
.. v r"
-.a. ijuuer
aovas informaces sirva-se de mas indicar.
BISPADO DE PERNAMBUCO.
Dom Joao da Purificaco Marques Perdigo ,
Conego Regrante de S. Agostinho por Graca
de Dos, e da S. S Apostlica Bispo de Per-
nambuco e do Conselho deS. M. I. &c.
Por especial mandado de S. M. o Imperador,
communicado pelolmperal Avizo de 14 demaio
de 1829 expedido pela secretaria d'estado dos
negocios da justica : pomos a concurso pelo
presente edital as seguintes igrejas vagas desle
Bispado. A de N. Senhora da Conceicao das
Agoas-Bellas a de N. Senhora do Rio das E-
goas a de N. Senhora da Pena do Burity a
d'Atalaia, a de S. (mralo, a de S Romao da
Manga a de S Jos dos Angicos a de S..
Joao Baptista de Porto Alegre a de S Rita da.
Povoacao da Santa Cruz a de S. Jos de Cu-
rinhanha a de N. Senhora do Livramenlo da-
Parahiba a de N. Senhora da Conceic&o da
Vitado Conde, ou Jacoca, adeS. Antonio do
Meirim a de Gdarabira, a de N. Senhora dos
Milagres do Coit. a de S. Antonio do Salgue!
ro a deN. Senhora dos Prazeres de M a ran-
gua pe a de S. lu/ia de Morn. e a de S.
Benlo do Porto Calvo.
Todo o revi rendo sacerdote, ou clrigo, que*
queira la?.er cpposieao as igrejas cima referidas-
aprsenle se com os seus papis promptos e-
cor rentes na forma do estilo pi ra serern admit-
ilos fa/endo termo d'opposieo dentro do
praso de 60 dias findos os quaes se lar o con-
curso em o qual respondero os reverendos
nppositorcs nove rasos de moral, o consciencia,
e farad urna exposico ou humilia do evange.-
Iho que assignarmos, para propormos a S.
M. I e C. os que se julgarem mais dignos na-
lorma dos sagrados caones, e concilio triden-
tino. Dado em Olinda sob o sello da chancella-
ra c nosso signal aos 3 de oulubro de 1843.
E eu o Padre Joaquim d'Assumpcao escrivao
da cmara episcopal o subscrevi.
Joao Bispo Diocesano.
Edital pelo qual manda S. Ex.'Rin.* pora
concurso as igrejas vagas desle Bispado na con-
fu midade das Imponaos Ordens como na
mesmo se declara para V Ex." Rm.* assignar-
A cmara municipal da cidade de Olinda t
seo termo em uirtude da lei, 6jc.
Faz saber, que em virlude do officio do Exm.
Sr. Presidente da Pmvinoia dirigido a esta en-
mara em data de 26 de se tomn o proxin-o lindo,
Ihe fra communicado haver S. M. a Imperatriz
desembarcado na Corte do imperio no dia 4 do
mesmo mez cima, rerebendo nesse mesmo dia
SS. MM. II. as heneaos matrimoniis com oa-
parato dev ido to solemne e augusto acto no
meio do regosijo de todos os Brasileiros, que
podero concorrer esta mageslosa solemnida
de ; esta cmara bastante satisfeita de to faus-
ta noticia, convida a todos os habitantes do sea
municipio, para que em demonstrarlo de sua a-
legria o prnzer pelos bons que bao de resultar
ao oslado do feliz consorcio de S. M. o Impera-
dor lluminein a frente de suas casas nos dias
4 5 e 6 do corronte mez.
E para que chegueao conhecimento de todos
mandamos publicar o prsenle pela imprensa.
Cidade de Olinda 2 de outubro de 1843. Jos
Joaquim de tmeida Quedes presidente.
Joo Paulo Ferreira secretario.


tteclaracors.
w 5

- 0 vapor Jmperudor recebo as malas para
0 Sul hoje (3) as 10 hm.s do lia o as cartas
devem ser entregues na respectiva administra-
cao 1 hora antes.
O arsenal do guerra compra 6 a 8 arrobas
de oleo do l.nl.aca ; quei.. Uver p')de rompa-
ecer no mes.no boje 3 do corrente pulas 10 ho-
ras do dia.
dministracao do patrimonio dos orfot.
Tcndo sido decidido pelo tribunal do tho-
ouro publico nacional por aviso de 5 de agosto
Itimo questo que penda entre a adminis-
traefio do patrimonio dos orlaos, o Goncalu Jos
da Costa e Si acerca do arremlamento do arn.a-
zem.queo mesmo Costa o izeraconstruirno
quintal da casa n 23 na ra da Madre de Dos: a
mesma adminislraco manda la/er publico, que
perante ella se lian de arrematar nos dias 27 do
torrente mc/,4.e 11 do luturoa quemmaisder
as rendas do dito arma/em : e por isso convida
s pessoas. q/.ie so propozerem a arrematar as
mesuias rendas a comparecerem na casa do suns
sessoes nos indicados dias as 4 horas da larde
com seus (.adores. Sala das sessoes da adminis-
traoo do patrimonio dos orfos 23 de selembro
de 1843.. J. M. da Cruz, escriturario.
= A dministracao do patrimonio dos orfos
tendo de nwndar proceder a rcediicacao da casa
n. i no largo do Hospital do Paraiz.o e da de
n. 38 na ra do Torres do bairro do Recife .
coiwida as pessoas, que se quizerem por menos
cr.earregar das mosmas reedificacocs a con pare
Cerero na casa de suas sessoes nos dias 27 do
corrente mez 4 e 11 do luluro para se tractor
dos ajustes. Sala das sessoes da administra, ao
lo patrimonio dos orfos 23 de setembro de
3843. J. M. da Cruz escripturario.
Companhia de feberibe.
= Convida-se a todas as pessoas livres, e
ativas, que quizerem trabalhar por jornal, ,-,
e engajarem nos trabalhos do encanamento das
agoas ; os pertendenles se podero entender no
Recifo com o Sr. Angelo Francisco Carneiro ,
no Monteiro com o Sr. Francisco Sergio de
Mallos.
lotera das memorias hmoricas
de pernas1bico.
As rodas desla lotera, cu-
jo maior premio he 8:000/
reis, na forma do plano, n-
dito mprelerivelmente no dia
5 do crrante oulubro fi-
quem ou nao bilheles por
veuder, e o restante adia-
se venda nos lugares j an-
uunciados.
O thesourciro ,
Jos Antonio fasto.
LOTERA DO TI1EATKO.
Avisos martimos.
=P"ra o Aracaty ohiate Flor de Larangei-
ras, perlende sair com muila brevidade por ter
o seo. carregamento quasi completo; quem qui-
ser arregar ou ir de passagem dirija-sc a ra
da Cadeia do Rccile loja de (azendas n. 37.
Para o Rio de Janeiio segu viagem o hi-
ato 5. Jos, capitaoJos Ignacio Pimenta, for-
:rado de cobre com excellentes cornmodos
para passageiros; quem n'elle quizer carregar,
.ou ir de passagem dirija-se a Caudino Agosti-
nho de Barros.
A bem con'nccida barca Firmeza, capitn
Narcizo Jos- de Sant'Anna, deve largar impre-
terivelinente paia o Rio Je Janeiro no da o do
prseme me/., ff os Srs. passageiros queirao di
rigir-se ao escriplorio de Gaudino Agostadlo
de Barros a verificaren! suas patagona assim
como o Srs. que lem escri\os a embarcar.
= A barca Virtona do liecife perlende sa
liir para o Ass al o dia 3 do corrente ; quem
nella qui/ei (arrogar, ou ir de passagem enlen-
da-se com o meslre \ cenle Jo.da Costa, ou
na loja de Jo; n da Cunlia Magalhaes.
Le i I oes.
Russe'l Mellor& Companhia farao leilao,
por inlervencao do corrector O iveira de um
grande sortiinonto de fazendas inglezas algu
mas das quaes se vendern a todo o preco: quar
ta-feira 4 do corrente as 10 horas da inanhau ,
no MU armazn ruu da Cada.
Christovao Ooste I far leilao, por inter-
venido do corretor Oliveira, de una porcao de
cobre de lorro p egos de cobre, e de brome .
do urna vlla nova, cavilhas curvas, escovens,
cano de fogo cantos d'escolilhao chapas, e
pessas de bolinetc; salvados do patacho na-
cional Santa Anna naufragado no Ro de S.
Francisco: quinta feira 5 de Oulubro ao
s 10 horas da manila na prensa do Sr. Meu-
don^a no Forte do NIattos.
\visos diversos.
= Jos Joaquim Peieira (az publico para
prevenir qualquer transaccao a respeito, que
Lourenco Alvos d'.vlbuquerque morador, as
trras do engenbo Cavaco freguezia do Santo
Amaro de Jaboatao, I be hypoihecou porhy
potheca especial feita no cartorio do sr. Jos
Alexandre Ferreira desla tidaJe os seguintes
escravos : moleque IWanoel de 10 annos An-
toniodito. Amaro do 1H nnns_ nrol Ingracia
de 25 annos, todos d'Angola.
Os bilheles da |. parte da 15. lotera, cu-
jas rodas andao mprelerivelmente no da 19
do corrente Oulubro, acbo-sc a venda nos lu-
gares do coslume.
Pelo juizo do cvcl, na ra do Lvramento,
se ha de arrematar nos dias3,e6de oulubro por
serem as ultimas pracas urna porcao de miu-
dezas e ferragens ; quem quizer arrematar, o
edital e escrito ai hao-se na mao do porteiro
e os poderao ver poil be por preco commodo ,
e laz muta conla ao arrematante pois he pe-
quena quanldade.
Ollerece se urna croula deidade avancada,
para ama ou creada de dentro de casa nao
sendo muita familia, a qual sabe coz.inhar bem
engommar fa*er os arranjos de urna casa e
abona sua capacidade ; quem a pretender an-
nuncie ou procuro na travessa da Madre de
Dos n. 11.
Na padaria da fumin alta na praca da San-
ta Cruz continua a fazer-se exccllente pao do
commum e de folha, bolaxa, oca e (urada
de todos os tamanhos para o que tem as mc-
Ihores farinhas que ha no mercado, e caf moi-
do ; qualquorporcao, e da melhor qualidade
que he possivel neste genero.
Caf moido da primeira qualidade qual-
quer porcao e preco commodo, calda de tama-
rindos e pao do commum o de folba ; na
travessa da Madre de Dos n. 11, padaria de M.
I S. Tcixeira.
Perdeu-se na sexta feira 29 do corrente
desde a igreja do Corpo Santo at Fora-de-por-
las um relogio grande com caixa do prata, e
vidro, e de fabrica enliga : quem o achou que-
rendo-o restituir entregue na loja n. 26 da ra
da Cadeia do Recife quo se recompensar.
Um homem de meia idade se propio a ser
caixeiro para ludo que se Ihc offerecer de ser-
vico pertencenlea negocio tanto de loja como
de escriplorio sendo todos os dias da semana
menos os dias santos e domingos do meio dia
para a tarde, a seca, ou conforme o ajuste que
se fizer ; quem precisar annuncie.
O abaixo assignado pede a quem for offc-
recido um transelim de ouro com urna meda-
Iha que foi tirado da algibeira do ilho do an-
nuncianle per outro menino da aula do vr.
Miguel Jos da iMotla no dja 8 de Selembro ,
o queira tomar para ser restituido ao abaixo as-
ignado o qual igualmente pede que os Srs.
que lem (ilhos na aula do dito Sr. Molla queiro
averiguar dos dilos seus filhos esse negocio afim
de se descobrira \erdade desie fado e ciitai
que o annunciante faca publico no ca'o de sa-
ber qual do< meninos praticou esto fado.
Joo Paulo Xavier de Salles.
= Conlinua-se, na ra do Rangel n. 34 a
rr passaportes para dentro e fora do Impe-
rio, e (olhas corridas com toda a presteza e com-
modiilade.
Aluga-se um arma/em na ra da Cruz do
Recife, e outro na praia doCollegio defronle
do Passcio publico ; os pertendenles podem di-
rigir-se a ra da Cadeia-velba n. 16.
= l'cscja-se fallar com aljjuma pesoa que
lenha correspondencia para o lugar da Formo/a,
no Rio Grande do Norle ; roga-se a pessoa que
esliver nesle caso c que a isto se quizer pres-
tar annunciar sua morada ou dar-so ao traba-
Iho de ir ra Nova n. 3.
A pessoa que annunciou dar 1:000j000
reis a juros querendo dar 600.) reis sobre hy-
pothecaem um predio desembaracado, dirija-se
ra Nova loja n. 9 que secnsinar a pessoa
que osquer.
Precisa-se de um caixeiro poituguez para
urna venda ; d-se bom ordenado ao qne deste
negocio entender ; quem pretender dirija-se >s
Cinco-pontas n. 71.
Aluga-se urna casa com bastantes cornmo-
dos no lugar dos Arrombados; quem a preten-
der rija-se LoraiC-portas a tunar com a
viuva de Constancio da Silva Neves, ou a Ma-
noel da Silva Neves.
Deseja-se fallar com o ^r. Joao Nepomo-
cenn Riheiro. nenro do fllprdo A!ex?.'dre A!-
ves d'Oliveira morador cm Jacuipe, a nego-
cio de seu inlcrcsso ; na ra do Collegio loja de
chapeos n. 8.
Aluga-se urna casa no lugar de Fora-de-
portas, do lado da maro grande ; quem a pre-
tende! dirija-sc a Manuel da Silv Neves
Lava-se c engomma-se, com promplidao,
e asseio ; a tras da igreja de S. Jos n. 31.
- Aluga-se um soto proprio para homem
soltciro ou pequea familia tem duas janel-
las para a ra corredor independento e com
duas alcovaft e cozinha : na ra da Praia n. 70.
O Sr. Jos Antonio de S dirija-so ra
da Moeda ao arma/em de Jos Antonio da Sil-
va Vianna para reieher duas carias \indas do
Porto para o mesmo Sr. pelo briguc Mariu
Feliz.
Em ca?a de Joaquim Concalves d'Oliveira
Guimares junio ao arco da Conceifao existe
urna carta viuda do Rio Formozo para o Sr
Thomaz de Gascia desta praca.
Arrenda-e um silio na povoacao do Mon-
teiro com sufinentes commodo* para urna fa -
milia crescida cuja casa he situada no melhor
lugar da mesma povoafo ; a fallar com o seu
proprietario na travessa andar do sobrado n. 13.
= Maria da Gloria Vieira retira-se para
a Baha.
Quem annunciou no Diario de 2S de Se-
tembro querer comprar urna lancha que pe-
gue em oito pipas, dirija-se a Fora-de-portas
na ra do Pilar sobrado n. 137 quo ba quem
lem urna propria.
Furlara no dia 27 para 28 de setembro
um "paliteiro de prata com um passarinho, e
juntamente urna cadeira de Jacaranda: ropa-se a
quem for oflerendo, q' levem na ra Nova venda
n. 65, quesera gratificado. Adverte-sequesup-
pe-sc Icr sido furlados por uns nebros que an-
da vao carrejando uns trastes da ra Nova, para
o pateo do Paraso.Na mesma venda precisa-
se de urna negra para se alugar, para o servigo
de urna casa do pouca familia.
Desapareceu do sitio (outro ora! do Mol-
la na Ponte de Uchoa, no dia 29 de setembro
pela manhaa, um cachorro inglcz, rajado, pe-
queo, da raga de cao do tila alravessado; quem
o pegar queira vir enlregal-o no mesmo sitio,
ou na ra da Madre de Dos n. 5, que ser bem
recompensado.
= Alugao-se duas escravas crioulas para o
servico do casa do porta dentro; na ra do
Trapichen. 19 ; bem como um moleque da
Costa bom comprador, o cozinha alguma
cousa.
=Precisa-se de 300i rs. a juros de um c
meio por cento ao mez por lempo de 10 me-
zes dando-se penhores de ouro e prata ; quem
quizer dar annuncie.
= Deseja-se fallar a negocio de muito in
leresse com o Sr. Joao Coelho de Menezes, ou
quem suas vezes fi/.er ou com pessoa que
delle noticia lenha ; annuncie.
_ Quem qui/cr comprar para fra da
provincia urna escrava de nacao de idade de
30 annos, cose engomma laz lavarintos ,
faz doces cosinha he qutandeira ludo
ptimamente; duas redes feitas no Maranhao.
novas edcbomgosto, quo servem parathi-
poia : v ao Recife ra de Apollo vendan. 1.
Quem quizer vender um negro cosinheiro
que seja moco, eque- no lenha vicios nem
achaques, dirija-sc a ra da Cadeia do Ricefe
n. 39.
Quem tiver para alugar urna casa terrea nos
lugares seguintes : bairro do Recife S. An-
tonio ou Boa-vista, tendo soffrives comino-
dos n5oso dispensando bom quintal, eca-
cimba ; annuncie declarando a ra.
O Sr. Antonio Teixeira ("apella queira
annunciar sua morada para se Ihe entregar urna
carta vinda da sua familia.
Antes prevenir do que curar.
Prevencao para o natal aos que toman ba-
nhos sen. limites, c evitar morrer affogado.
Quando se orem banhar levem um pedac/) de
corlea fafiio urna especie de boia com urna
corda no meio da cortiea bem segura ou bra-
bante grosso.eamarrem m- cintura icando frou-
xo a corda com 7 a 8 bracas que aconte-
cendo tahir em pero a boia ficar pela cor-
da e se achara o paciente ; no caso de se sup-
por morto anda estando duas horas debai-
vo d'agoa depois de lirado abro-lhe a bouca
metendo o annel de urna chave do porta ou
um pausinho rolifo, (cando este preso na tren-
te dos denles superiores, einferiores, com-
mnnicando assim o ar, posto do barrica para
haixo ou de urna banda da parte direita, que
dar signal de vida laneanao urna pouca de
agoa de espuma, e ao depois hincar toda a
agoa que bebeo.'e alimentando-lhe com al-
guns caldos de galinha ou de carne : a bem
da humanidade.
Aluga-se o i.o andar do sobrado da ra (o
Queimado na esquina do hoco do Peixe-frito
n. 2. : a tratar na luja por baixo do mesmo.
- Jos Ignacio Ferreira c vIva embarra para
O Hin llnnlrn r\ <..---------
Herculano.
..._____i~
U-- MWIIIV
Pedo-so por favor pessoa que por en-
gao lirou urna carta do correio, com o nome de
Fernando Alonso de Abranches vinda do Rio
(Irande do Sul em 25de Selembro prximo pas-
sado, a mande entregar no collegio Santa Cruz,
que se Ihe pagar o importe que ella custou.
A pessoa que precisar de urna ama de
leite parida poucos dias dirija-sc ra do
Rangel n. 22.
Aluga-so ou vende-se urna canoa gran-
de de carregar acua ; quem a pretender diri-
ja-se ra do Cabug loja de miude/as n. 5.
Arrenda se al l'evereiro o sitio na passa-
gem da Magdalena entre as duas ponles e
defronle da casa em que passa a fesla Joaquim
Jo><6 Ferreira ; na ra do l.ixramento n 2i.
=. Ftirlro da loja de l.izendas da viuva do
Burgos, urna caixa de prata, obra do Porto de
quadriiihos prolungados.com um quadro maior,
e em claro dos lados ; a quem for oflerecida ha-
ja de a levar mesma loja que se Ihe dar o
importo ou aprehcndel-a da mao do ladro.
sArrenda se o segundo andar da casa n.
30 da ruado Lvramento, muito bresco o com
cornmodos para lamilla ; a (rutar na loja do
cer;? por baixo do mesmo sobrado
Aluga-se ama morada de casa terrea, l-
timamente acabada de novo propria para <,uem
quizer passar a festa. ou mesmo para moradia ,
sita na encruzilhada de Belem ; a Iradar com
M. da Cunba Oliveira no corredor do Bispo.ou
no palio dasantaCru/ na venda confronte bo-
tica do Sr. Jos Maria Freir Gameiro ; tam-
bem se vende urna escrava anda moca por pre-
co commodo : a tratar com o mesmo Manoel da
Cunba Oliveira.
Quem precisar de um fetor para sitio, o
qual sabe tratar de llores, procure na ra Di-
reita n. 10.
O abaixo assignado vendeu a parte, que t-
nha, na venda da praia da Boa-vista n. 13 a
I.uiz Jos de Magalhaes licando a cargo do
mesmo Magalhaes todas as dividas activas o
passivas. fernardino Azevedo dos Santos.
= Preciza-se do um menino portuguez do
idade 12 a 1 \ annos, quo queira aprender a la-
zer charutos; na ra de S. Rita Nova n. 91.
= Preciza-se de um caixeiro de 12 a 14 an-
nos de idade que d fiador a sua conducta; na
ra Direita refinacao n. 10.
as3 Aluga-se a metade de urna casa para pe-
quena familia ; quem a pertender dirija-se a
ra de S. Rita Nova n. 91.
Preciza-se de 600 s reis a juros, por seis
mezes, sobre h}potheca em urna boa casa terrea
na Boa-vista, livre o desemharacada; annuncie.
Prccia-se alugar um negro para todo o
servico de urna casa, sendo fiel, pagando-se lOj
reis mensaes dando-se bom Iradamente; na ra
da Cada de S. Antonio n. 19.
Jos Pereira da Cimba embarca para o
Rio de Janeiro os seus escravos Fernando, e Ma-
ria de naco Aiijjola, c Manoel Mocambique.
OfTerece-se urna parda de bons costumes
para ama de casa de homem solteiro, de portas
para dentro, quem a pertender, dirijase a ra
do Roza rio larga n. 52.
Iloje (3 de oulubro) so ha de arrematar em
praca, que faz o Sr. Dr. juiz docivel da pri-
meira vara, urna parte d'uiii sobrado de dous
andares e sotao na ra do Rozario larga n.
-0 penhorado a Antonio Augusto Pereira do
Brito por seus credores,
No dia 4 do corrente se ha de arrematar,
por ser a ultima praca, una casa no atierro dos
Vflogadosdfl parte da mat grande n. 137; quem
a pertender arrematar compareca as 4 horas da
larde, na ra Direita a porta do >r. Dr. Juiz
da 1,'vara docivel, Ferreira Gomes.
Antonio Lopes \ ianna precisando reti-
rar-so para Macei, pela rpida saluda do vapor
Imperador, nao pode despedir-se das pessoas ,
que se dignaro obzequial-o na sua chegada a
esta pedindo-lhes o deseulpem e pelo pre-
sente meio Ibes ollerece ali seu limitado pres-
timo.
= Preciza-se de urna pessoa capaz para ama
de urna casa de pouca familia e sem meninos ,
pelo comer e vestir; quem estiver nestas circuns-
tancias, dirija-se a ra de S. Rita Nova casa n.
71 junto a igreja.
Quem annunciou no Diario de bontem
precizar de 600j reis a juros por 6 me/es ; di-
rija-se a ra eslreita do Rozurio na venda, que
fa/esquina para o largo do Carmo.
Prec za-se de um preto, ou prela para
todo o servico de urna casa de 3 pessoas; na ra
Novan. 12.
Kissel relojoeiro junto ao arco de S. An-
tonio contina a vender relogios patentes, e
horisontaes, tanto novos como de segunda mo
por preco commodo.
Oflereco-se urna mulhcr para criada d
urna casa de familia sendo para lora da trra
vai por preco muito commodo tendo habili-
dades e at para ensinar meninas na casa para
onde for : quem do seu prestimo se quiser uti-
l.-~-- i:.:: ------ J. f i ..
"-"i ui..jo-.'i; ii i uu un \_.iu uu Liedle pri-
meiro andar n. 49.


m
5!""",!"!"
VEITCU, BRAVO &C.
me/., parte de urna casa m obilhada no cami-
nbo dos All idos, contei ido duas salas, urna
dellas independente e ou Ira com dous quar-
los, cozinha ecocheiraj >ara cavallos; a tra-
tar na ra da Cruz n. 38 segundo andar.
Oflercce-se urn pad( )iro chegado agora
do Porto para qualquer padaria ; quem o
precisar, dirija-se a ra da Son/ala velba n. 96.
Precisa-se de urna an ia capaz para fa-
cr companliia a uma senbo ra casada dndo-
se de comer e vestir ; quem i ostiver nestas cir-
cunstancias annuncie.
O proprietario da ola ra da ra da Flo-
rentina faz constar a repartid :3o das rendas pro-
vinciaes que deixou de tr abalhar a referida
olaria e que vai ter outr 3 destino, ficando
portanto desoneradode pag ir o respectivo im-
posto.
Roga-se aos donos do fabricas de espri-
tus do comparecer, nesta s emana das 4 horas
as G da tarde na ra da Flon jntina n. 16 para
negocio de seus interesses.
Quem Ihe convier u m estabelecimento
com todas as proporcoes p orto de embarque ,
Vendem na sua botica e armazem de drogas ,
na ra da Madre de Dos, n 1.
, A preparoeo seguinte por preco muito com
modo e de superior qualidade.
Colirio onte-ophtkalmico.
Este medicamento tem as mais enrgicas vir-
tudes para destruir com os bons e lolizes re-
sultados q do tudo quanto sao nevoas, belidas infla-
macoes, c outras dooncas d'ollios cm (|ue nao
be preciso para seu curativo radical usar dos
meios operatorios que a arte em taes casos
indica, eaquoo doente necesariamente re-
corre. Um sem numero de pessoas podem at-
fostarcum verdade os salutares elTeitos d'appli-
cacao dosto remadio prodigioso ; ta. to em dif-
erentes partes do Imperio donde tem sido pro-
curado como cm algumas partes da Europa
onde seu uso be ha mais tempo conhocido.
Na mesma .casa tambein se vendem tintas ,
o todos os outros ohiectos de pintura ; vernizes .
de superior qualidade, entre elles um pcrfci- o commodos bastantes at para urna familia ,
lamente bra neo, e que soporte applicar so- dentro desta Cidade, aprop nado para estabe-
bre a pintura mais delicada, sem que produ- lecer uma ptima fabrica de serrana marec-
za alteraco alguma em sua cor primitiva. Ar- naria ou grande armazem de maderas por
arrendamento do tempo que se contratar, di-
row-Root de Bermuda,Sag, Sabonetas, -
Sabio, de Windsor, Agua de Seidlitz, Agua
do Soda,Agua de Seltt,Limonada gasoza ,
'I inta superior para escrever,Tinta para
marcar roupa.Perfumaras inglo/.as,--Fun-
das elsticas de patente,Escovas e pos pata
denles ,Paslilbas de muriato de moiphina ,
e ipecacuanba, Paslilbas linissimas de hor
telil-pimenta Paslilbas de bi-carbonato de
soda egingibre. As venladeiras pilulas ve-
getaes univeisaes do D.r Krandreth vindas
deseu autbor nos Estados-Unidos, tSc &c
= Precisa-so de um estrangero que sai- nlao pagar os juros vencidos do contrario se
. _______j_. _.. -.....i. ru.:. .i. n. voniler.i nnra nasatiiento. e licara sem fU't
ba talhar carne verde; na ra da Gloria da Boa-
vista relinaco de assucar.
Carlos Holmes comprou a 19 de .Maio des-
te anno a Joaquim Jos de Faiia duas mora-
das de casas, que este possuia as iusdo Ran-
gel e da Praia e como consta, que o dito
Holmes as quer vender ; o abaixo assignado faz
sciente ao publico que sob.e ellas ha ques-
tes judiciaes, e previne para que ninguein fa-
ca negocio algum com ellas para nao se por
em risco de perder o dinheiro e comprar no-
vas conteslacoes Francisco da .silva.
Aluga-so o sobrado de um andar e sotao
da ra da Concordia ou s o sobrado sem o
sotao como convier ao pretendente ; a tralar
na ra da Cadeia de Antonio d. 15 se-
gundo andar.
= Aluga-so um primeiro andar do sobrado
dobecodo Peixe-fnto; a fallar na yenda n. 15.
= Aluga-so o segundo o terceiro andar da
easan. 6 do atierro da Boa-vista duas casas
terreas novas por detra/. da ra da Aurora, um
sobrado de primeiro andar e sitio no Mangui-
nho papaterra, a margem do rio muito pro-
prio para se passar a festa ; a tractar com Ma-
noel .loaquim da Silva caixeiro do Francisco
Antonio deOliveira.
= Aluga-se urna casa terrea com bons com-
modos quintal murado, e cacimba, na Boa-
vista ra do Sebo; e outra no Cachang defron-
te do rio. econtendo duas sallas, setequartos,
e estribara ; a tratar na ra Novan. 63.
__ (jhaldina Tbomaz dos Prazeres faz pu-
blico para prevenir uualquer transacao a respei
to quea rela forra Mara do Rozario Ihe
bypothecou por escriptura feita no cartorio de
Jos Alexandre Serreira desta Cidade urna
escrava de nome Domingas de naco Angola,
de idadede 35 annos.
= Quem quizer dar para criar de leite al-
guma crianca quer seja do pessoa impedida ,
ou de impedida dirija-se a ra de S. Rento
era Olinda sobrado n 28 ; pois ha uma par-
dinha com muito bom leile e bastante sadia ;
assevera-se todo o solo cuidado e aceio na
crianca. Tambera se alaga a loja do dito sobra-
do com boa sala assoalhada bons quartos ,
vista para o mar e muito fresca.
__ Sr. Manocl Jos \ ianna queira diri-
gir se a ra do Rozario n. 13, para receber
uma carta vinda do Rio de Janeiro.
Precisa-se do um hornera que trabalhe
deenchada, para um pequeo sitio no largo
da Treinpe para o Mondego sitio n. 3.
__ Da-so dinheiro a premio sobre penhores
da ouro ou prata : na ra da Cruz do Reci-
te n. 38 segundo andar.
__ |)a-se a premio um cont de rcis sobre
penhores de ouro; ou prata em quanlias ,
le, parida de 15 das: na praca da S. Cruz e
n. 6.
um conlao arosso ou lino dirija-se a ra
Jjireita beco ue 3 Pedro n. o.
Aluga-se a qualquer estrangeiro e por ra do Caldereiro n. 56.
rija-se a ra da Florentina n. 16.
- Aluga-se um segundo andar e sotao na
ra da Cru/. n. 37 com commodos para fami-
lia ; a tratar por baixo do mesmo com Joao Al-
vesde Oliveira.
Manoel Jos da Silva faz sciente ao res-
peitavel pub ico, que mudou-se da ra do
Oueiinado para a ra larga do Rozario, sobra-
dlo n. 1, segundo andar; e pede tambera a to-
das as pessoas que teera penhores em sua mo
pelo trato ja vencido, que os vao tirar, ou
vender para pagamento, e ficarS sem offei-
lo as clarezas que se passarao.
Aluga-se o sobrado novo de 2 andares e
loja cora ex. ellentes commodos para duas fa-
milias na ruada Aurora n. 10; os pretenden-
tes dirijao-se a ra do Crespo loja n. 11 de
Bento Jos da Silva Magalhaes.
Compras.
Compra-se uma pedra de moer tinta ,
usada: na olidade n 22.
Comprase caf da trra qualquer por-
co e papel para embrulho sendo diarios de
formato grande a 2560 a arroba, e 80 rs. a
libra: na travessa da Madre de Dos n. 11,
padaria de M. J. S. Teixeira.
Comprao se dous negros para todo o
servico ; na ra da Cruz do Recife n. 38 se-
gundo andar.
= Compr8o-se jarros de louca para plantar
craveiros novos ou usados ; na ra da Ca-
deia de S. Antonio no deposito de farinba
n 19.
Compra-se um prato e tbosoura de pra-
ta de lei. sem leitio ; na ra do Amorim ,
venda n. 36.
__ Compra-se uma boa cabra de leite ; no
assougue defronte da cadeia.
__Comprad-se cortes de bicos de duas varas
e meia que sirvao para ponas de toalhas de
bretanha fina ; na ra dos Trincheiras, so-
brado n. 42.
Comprao se eflectivamente para fora da
provincia mulatas negras o raoleques de
12 a 20 annos sendo bonitos pago-se bem :
na ra Nova loja de ferragens n 16.
Vendas
Vendo-se para fora da provincia um ne-
gro crioulo de 30 annos: na ra da Cadeia
do Recife lojt por baixo do sobrado do cor-
retor Oliveira.
= Vendem-se estojes de navalhas de cabo de
marfira de superior qualidade perfumaras
papel de peso e diversas miudezas ; na praca
da Independencia n. 5.
= Vende se um mulatinho do 15 annos,
proprio para pagem c um nioloque de 12 an-
nos ; na ra do Queimado n. 42 segundo
andar.
= Vende-se um bonito mualo de 22 an-
oos de boa conducta e trabalhador : na ra
do Cabug n. 16.
= \ ende-se uma porcao de pennas do pe-
lucia de diversas cores; as Cinco-pontas a
uosprelendtntesquizercm : napraca da S tallar com a Amorim Jnior.
rU7_ n 6 = Vende-se um esxravo carreiro e bom
J Alaa-se uma preta escrava com bom lei- trabalhador de enchada ; na ra do Queimado,
a a i'_____-_ I L I .* a_ I ., t i. Ii. r\ a I i. W i I a > I nliniAA
asa de Anlonio Ja SiKa Gusmo.
Vendem se 37 travs de boa mndeira e
Ouem quizer trocar um transelim por de diversos tamanhos, na ra do Crespo n. 11.
_- 1> aa ____ ___ \ nnflA.cn lllllf lil'.llll't fia Ul'nnln 1*1
= \endc-se uma toalha de lavarinto de
ciiiidrez de p = Vende-se um bom torreno no corredor do
Bispo, murado, com bastantes arvores do
fruto boa agoa de beber com 600 al 800
palmos de fundo e outro tanto de Irente; tsm-
bem se vende a letalbo por preco commodo ;
a fallar com o Major Mayor.
= Vende-se taboado de pinho da Suecia ,
costado costadinho pollegada e forro pro-
prio para fundo do barricas e forro de casas;
dito Americano de diferentes larguras e com-
primento, vergontas de pinho da Suecia de
differentes hitlas e comprimentos de superior
qualidado ludo por precocommodo; no Forte
do Mallos armazem do V ianna.
= Vende-se um preto proprio para todo o
servico, ou troca-se por urna negrinha ou
mulatinha que sirva para mucamba : no at-
terro da Boa-vista n. 68.
Vendo-se uma porcSo de chifros vindos do
Ceara ; na ra da Cruz do Recife n. 52.
Vende se uma rotula moderna em bom
estado por proco commodo ; na ra de Hor-
tas, no segundo andar do sobrado n. 16.
Vende-se uma canoa fechada com mais
do 60 palmos de comprido dous caixSos en-
vidracados, para amostras de venda ; e um par
de esporas de prata com mais de meia libra,
tudo por preco barato ; na ra Imperial ven-
da da esquina n. 2.
Vende-se um selim com todos os arreios,
com muito pouco uso, e por preco barato ; na
ra Imperial n. 167.
Vendem-se fardos do fumo em folha da
Bahia proprio para charutos, por preco com-
do ; no armazem defronte das escadinbas da
Alfandega.
\ endem-se duas escravas do nacao, uma
de 22 annos, e outra de 28 annos, engom-
mao cozinhao o lavSo ; na ra das Cruzes
n. 41 segundo andar.
Vende-se um sobrado de um andar novo,
em chaos proprios livre e desembarazado, em
uma das raelhores ras do bairro de S. Antonio;
quem pretender annuncie.
Vende-se um sobrado novo de 3 anda-
res cinchaos proprios em uma das princi-
paes ras do bairro de S. Antonio, vende-se
para se pagar uma hypolheca em que o dito
sobrado esta obrigado ; quem pretender an-
nuncie
Vende-se um jogo de gamlo com seu ta-
boleiro tudo novo; e uma carteira de em-
barque ; na ra do Livnment loja de funi-
leiro n. 34.
Vendem-se lOcadeirasde Jacaranda com
assentode palhinha um canap, urna mesa
grande com abas, uma dita pequea e um
banco : na ra da Gloria da Boa-vista n. 29.
Vende-se biscoito do Rbeiins de superior
qualidade prximamente chegado ; em casa
de J. O. Elster na ra do Trapiche n. 19.
Vende-se sal do Ass a bordo da sumaca
Felicidade; a (aliar com Anlonio Joaquim de
Scuza Ribeiro.
Vende-se um quarto russo escuro, em
boas carnes proprio para viagem : na ra do
Livramento venda junto ao lampiao n. 38.
Vende-se o primeiro e segundo tomo de
Virgilio era um si'i volume por 1600 a nobre
Venesiana por 1 i rs. urna arroba de lumo pa-
ra milo de charutos, ja tirado, por 3,000 rs ;
na ra estreita do Ro/ario loja de cera n. 3.
Vende-se para fora da provincia um es-
cravo de nacSo de 18 annos cozinha een-
tendede bolieiro: na travessa da Madre de
eosn. 18.
Vende se uma commoda do angico com
sua estante em cima toda envidracada obra
muita bem feita por muito menos preco do
que ella vale ; na camboa do Carmo loja de
marcineiro
Vende-se uma porcao de palbas seccas ,
proprias para queimar embarcatoes ou para
banheiros mandando-se botar onde quizerem;
na ra Imperial o 63.
Vendem-se duas colchas da India obra
muito rica por preco commodo: na Solida-
de n. 22.
Vende-se uma escrava crioula de 23 an-
nos com habilidades; na ra Augusta n. 22.
V= Vendem-se corles de vestidos de cassa
chita france/a de tintas mui seguras e lin-
dissimos padnVs embrulhados em papis do
meis apurado gostoe da ultima moda, lencos
de seda de quadrinhos para grvalas ou para
desmanchar em mantas a 4000, ditos para pes-
coco de senhora com franjas ditos adamas-
cados e pintados para senhora e para algi-
beira a 1280,1440, e 1600. pannos finos de
cores a 3000. 3200 e 4500 dito preto supe-
rirde rela branca a 7500 e 8500 o covado ,
madapolao de gallo lislra dourada a 5760 a
peca e outras mais fazendas por barato preco;
na esquina do Livramento, loja da viuva do
Burgos.
Vendem-se duas casas terreas que forao
do fallecido patro-mor sitas nos Arromba-
dos, o iciu Ju jiuenie cun exceiicitcs com-
modos ou trocao-se por outras nestas praca;
1 na ra do Pillar n. 147 segundo andar a
fallar com Joaquim Jos Ferreira de Almeida.
= Vende-se o engenho denominado Sacco ,
na freguesia de lpojuca moenle e corrente ,
com muito bons partidos lavradios porto de
embarque e outras commodidades recomen-
daveis; a tratar no mesmo engenho, ou na
ra Direita n. 100, segundo andar.
X Vendem-se pares de brincos, anneloes
de diversos modelos um relogio pequeo ho-
risontal sabonete de ouro por 70,000 reis ,
um dito inglez sabonete de prata por 16000
rs. um transelim moderno para relogio co-
races de ouro com diamantes duas voltas de
con tas do Rio de Janeiro para pescoco bo-
tes com diamantes esmaltados para abertura,
um rico allincte de ouro de lei com diamantes
e esmalte por 20,000 rs. dilos de outros mo-
delos, ouro, prata e diamantes para obras, um
relogio sabonete de prata que d horas e meias
horas como os de parede por 40.000 rs. e
oculoscom aros de prata; as Cinco-pontas
n. 45.
^ Vendem-se os seguintes livros ; Tratado
de geographia universal por Ba bi com atlas ;
Diccionario topographico do Brasil; Contrato
Social; Henriada; Aventuras de Telemoco em
froncez ; Lgica Classica por Perrard ; Ouin-
tiliano traduzido por J. S. Barbosa ; Gustavo ;
Virgilio; Ruinas dos Imperios; Ethica por
E. Job ; o Fatalista ; Synlaxe de Dantas, Ca-
cographia portuguesa e correccao a mesma;
Lgica de Genuense ; Hervy ; Sallustio; Ovi-
dio ; Loke ; Diccionario philosophico da re-
ligio; Atlas moderno; Lgica de Condilac
em portuguez ; Panegricos de Joao de Barros;
Manual de chimica ; Telemaco em inglez; Ho-
racio ; Compendio de geographia por o Abita--
deGaultier; Descobrijucntoda America; Flos
Sanctorum ; Rhethorca sagrado ; Pregador
nstruido; Sentimentos de um christao ; Felis.
Potestas ; Casado Giraldes Compenpio de
geographia ; lito por B. Q. Torreao ; Mestro
francez por Clamopim ; Estado aclut.1 da Mo-
narchia Portugueza ; o Hissope ; Novo Testa-
mento ; Declaracoo dos direilos do horneen ;
Resumo de Astronoma ; Metamorphoses do
Ovidio em portuguez ; Diccionario geographi-
co ; Guia da conversac&o ingleza e Iranceza ;
historia do Rrasil; Atlas por Lessage ; dita das.
duas Americas ; papel paulado para muzica ;
um globo terrestre : no largo do Paraso n. 8,
primeiro andar.
Vendem-se 5 escravos de 16 a 24 an-
nos proprios para qualquer servico ; na ra
da Cruz n. 51.
Vende-se uma casa na ra da Casa-forte,
defronte do assougue corr 32 palmos de fren-
te chaos proprios com o fundo at demar-
car com Ierras do Poco : na Solidade n. 3.
Vende-se uma canoa de condu/ir agoa :
na ra do Pillar n. 141.
= Vende-se um bonito cavollo bom csrre-
godor, passeiro est muito gordo e he novo,
e serve para carro
ceiro andar.
na ra Nova n. 52 ter-
Escravos fgidos.
= Fugio no dia .'!() do p. p. urn preto de
nome Jacob, estatura- regular, olhos peque-
nos, i oslo bechigoso lera um dedo na mo
direita alejado ; le\ou camisa de algodovinho
trancado calcas do mesmo tem de cosluine
andar ganhando na ra ; quem o pegar leve a
estrada de Joao de Rarros no sitio do V igario
do S. Antonio que ser recompensado.
Fugio no dia 10 do p. p. um mulato al-
faiate de nome Manoel de 40 annos, alto,
magro figura feia ; desconfia-se que anda
pelo lugar do rio da prata trabalhandu no en-
canamento das ogoas; quem o pegar leve ao
atierro da Boa-vista loja do allaiate na es-
quina do beco quesera gratificado.
= Fugio no dia 23 do p. p. o preto Luiz
Inhambam, bastante lula, reforeado, com bas-
tantes cabellos brancos na barba fallo de den-
tes e tallas algum tanto presas ; quem o pe-
gar leve ao atierro dos A (Togados n. 67, a V in-
centeTbomaz dos Santos, que recompensar
generosamente.
Na tarde do dia 30 do p. p. mandando o
abaixo assignado um seu filho acornpanhado de
um seu escravo pardo que naquelle momen-
to Ihe tinha chegado do serlao em pagamento ,
e indo a ra Nova este desappureceo ; o qual
tem os seguintes signaes : cabra de nome
Francisco de 14 annos cor escura cabello
quasi estirado bonito corpo reforeado ps
grandes e grossos ; levou chapeo decouro ve-
Iho e ja Turado no fundo camisa do algodo
trancado o ceroulas de algodo liso ; quem o
pegar leve ao abaixo assignado que gratifi-
car. Antonio da Silva Gustnao.
Recipe: na Typ. db M. F. db Faria.=1843


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENIGZ0ML2_K3GHYW INGEST_TIME 2013-04-13T03:20:11Z PACKAGE AA00011611_04290
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES