Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04268


This item is only available as the following downloads:


Full Text
T
Anno de 1841. Sexta Feira
_Tudo agora depende de nos mismoi; da nosca prudencia, modera-
fao, c energa : continuemos eotno principiemos, e seremos auonUdos
coa adtmraco entre as Naces mais cuitas.
Proelamaeio da Assemblea Geral do Brasil}
*s
adiantadoy
SnbeercTC-sc pera esta folha a ojooo por epjartel pagos
nesta Typogra fia ra des Crines D.3, e na Praca da Independen-
cia, n. yj e 38, onde se recehera correspondencias' legalisadas e an-
nuncios, insirindo-ae estes gratis; sendo dos propris assignantes, e
vio do assgnadcs.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cidade da Parahiba e Villas de sua preteneia.....
Dita do Rio (rende do Norte, e Villas dem.....
Dita da Fortaleza c Villas dem............
Cidade de Goianna...................
Cidade de Oliada......................Todos os diasa
Villa deS. Anio...................... (Quimas fe i ras.
Dita deGaranhuns ePovoaco do Bonito.........lo, e 24 de cada mes
a Ditas do Cabo, Serinhaem, Rio Forrooio, e Porto Calvo. 1, II, ai dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paja de Flores.....................dem 16, dito dito
Todos os Correios partera ao meio dia.
>5eg. e Sectas tahas.-
PHASESJ DA LA NO MEZ, DEETGM.
Ourtrt. ming. a 8 as 11 b. e 55 m. da man;
La Nova a i5 S 3 n. e 11 ra. <>,< man.
Ouart. crcsc.a i > as 1 I b. e .17 ru. da lard.
La C'iea a 3o- as 1 b. c 3o m. da man.
Alare thtia para o da 3 de Sclembro
As (i lio:as e (*> minutos da tarde.
As ti horas e 5o minutos da iii.mh.
3 de Setembuo. Ni-m. 192.
- --^-__ "' "*
CAMBIOS. SbTEMBR3 a
Londres..;... 3o d. pori^oooced.
Lisbca......80 a 83 por ojo premio por metal ofTcrecido.
Franca......3o res por fraueo. Comp. Venda.
OLMO- Moedade6ftoo reis, velhas 14*700 lic,
Ditas ,, ., "' Mfaoo iA7"
., Ditas de aflooo res, Hfaoo 8f 400
PRA.TA l'ataccs Hrasileiros ----- iffiao if 64o
Pesos Colnmnarios-----------f6to i^rtiio
Ditos Mexicanos-------------- ilrioo i/)6jo
Miu,n.............i|4 '<''
Disc. debilh. da Alfandeija 1 i|8 por loo ao rae. 1 o|o
Idein re letras de boas firmas 1 l|a a I i|4
Moeda de cobie 3 por ico de disc 4 ao par
DAS da semana.
3o Segunda S. llosa de Lima. Audiencia do Jais de Dircito da 3,*
vara.
3i Terca S Raimundo Nonato. -- ReJacSo c mi I. do Juta de Oireito da
1. tar,
1 (uurta S. ElidiAb. And. do Juicdi I) da 3. vara.
1 (Quinta S. Estevio Re. Audiencia do Juit de Ulreito da ii
vara.
4 Sexta S. liufomU V. M. -- Anuencia du Juix de I), da I. v.
3 Sabbado S. Candi la V. Relaco e audiencia do Jull du O. da 3.*
vara.
5 Domingo N. S. da Pcnlia
RIODE JANEIKQ.
ASSEMBLEA GER4L LEGISLATIVA.
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS.
Sesso de al de julho de ir>4i>
Presidencia do Snr. D. Jos de Assis Masca -
rendas, i. secretario.
As dez hora e ip da manila faz-se a
chamada e reunidos osSrs. deputados em nu-
mero legal, abie-se a sesso.
Lem-se eappra-se as actas dasduas ses-
soes antecedentes.
O Sr. a. secretario d conta do expediente
Iendo hum officio do ministro do imperio, em
que parlecipa que S. M. o Imperador rece-
ber no dia a3 pela urna hora da Urde a de-
putacio desta cmara.
Fica a cmara inteirada.
Fax-se menco de requerimentos de partes
que tem o conveniente deslino.
E' lido e approvado sem debate. o seguinte
requerimento, do Snr. Vianna.
Is ao tendo anda o Snr. ministro da fseen-
Totos os mais ofnciaes e empregados mili
tares do exercito e armada, nao especificado!
na presente tabella teri os sidos corres-
pondentes aas seos pastos ou gruduaees.
E' approvada a emenda da commissu que
di/. :
JNo fim da nota que acompanha a tabella
aerrescente-se as seguintes alivias que por
lei Ihe competir,
E' approvada a emenda do Snr. Vianna
concebida nos seguintes termos:
Sutura direitos ;s gratificaces marcadas
nesta lei os militares queesliverem empre-
gados noservico do exercito qur em lempo
de paz, quer em tempo de guerra j aquelles
porem que servirem em repartico de guer-
ra e perceberem una or JcmJ >, ou gratiG-
caco marcada em lei nao percebero outros
vencimentos a lera do sold e do ordena -
do, ou graiificaco inhelierente ao empreo.
Por parcella gralificago se nao ctenla a
do exercicio e commando, aqual padera ac-
cumular.
lela mesnia forma os officiaes militares
empreados em commissio ai va, pelas quaes
da remetlido cmara as informaces que so- I Veii\o por qaalquer repartico ordenad j ou
licilei acerca do saque de 40,000 L feito de 'gratificaco, nao p.rcebeiu pela da guerra
Londres pelo ministro do Brasil em Londres
a i 5 1 ja na parte em que pedi que fossem a-
presrnladaa as rasoes dadas pelo dito minis-
tre, que podessem justiear essa operar j ,
requeiro novamente se solicitem taes infor-
maces j e porque consta que pelo ultimo pa-
quete aqui chegado ebegara um saque de
cerca de 3o,ooo L. feito contra o tessouro ,
anda por can Lio mais desfavoravelmente ,
requeiro tanbem que a respeitode semelhan-
te operaco iguaes informaces se poco ao
governo Vianna.
Primeira pnrte da ordem do dia.
Continua a discusso do artigo 6 do pro-
ieclo sobre o sold dos militares.
O Sur. Heniiques de tlesende, vice-presi-
dente oceupa o cadeira da presidencia.
Tendo follado obre a materia os Snrs.
Viann?, Veiga Pessoa Moura .Magilbes ,
Antruda Machado eClercecile l'erreira (rai-
i.istro da guerra) da^se por discutida.
E'eperovado o arligo (3. do pruject da
comnsso salvas es emendis, 2i esta appro-
vuco se inclue a seguinte tabella.
Tabella os vencimentos dos officiaes docx-
ertilo e aimada a que su refere o ar-
tigo 6.
Vencimeulo por mez.
o
I
o
'
w
O
T3

' m q n 4; -0 .- 01 2. -O a
ra a-c (g -o
"O CT W '^ *
O) 'c a u'C O
ti s w 3 " 41 w a -a 0 f> m
s '" H 0 a>
m -o 0
S - 03 W U- B i- 3 3 O"
^ i a
Wl X V* 5
O 0 - ^^
0* Vi O S
Mar. do exerc.-Almir.. a5o 5oU
Ten. general.-Vite-Al. aoo iM
Mar. decamp.-C. deesq i5iU 3oU
Brigadeiro .-C. dediv liuU oU
Coronel .- C. de m.
Tenenle cor. ,-C. de Ir.
Mejor .-C. ten.
CapitOi .-1. (enen.
Ten. ou 1. ten-a. leen.
Al. ou 2. len- .
loo aoU
80U at
jM acU
01U loU
b u
dc it
mais do <|ue o sold respectivo.
Sao desta regia t"j somente exceptuada] os
officiaes do coipo de engenbeir.is al o p3:-io
de tenenle coronel (Usado emprugadj* e
nao tiverem direilo sa nao a grali6cay5P1
activas ou de residencias, ora estabele^id* ,
as quaes accumularj tambjaia addionai des-
la lei i!.
Urna das partes da emenda do Snr. An-
drea que compreue.ide no augmenta do
sold os offisiaesda lerceira classe lie en-
patada na votaco, e por cons^ueuciaaddi- |
ada. Volara"o a favor 65 Snrs. deputados,
e contra culros 35.
A discusso ricaadJiid t pela hora.
Achando-se na sala immediata o E x. Sr.
ministro da juslic* c reeebido cotn as
formalidades do estilo, e occupi o competente
lugar.
Segunda parle da ordem do dia.
Conliuua a discusso do orcamento do mi-
nisteiio da jusilla cora as emendas ajju-
das.
Tomo perte na discusso osS.ns Peixo-
lo de Alencar minislio da jutusa c ladra-
da Machado.
A discusso ca addiada pela hora.
S. Ex. o Sur. ministro da jusii.a retira-
se tom a lL-said lormalade caiuo bavu ldu
recebido.
O Jnr. presidente d a ordem do di, e
Itvanta a iWao depjis das duas horas da
tarde. ,
Sesso de a a de Julho.
Presidencia do Sr. arcebispo da BWiia.
A's lo horas e meia da manila f.z-se a
chamada e reuuidos os Sort deputaiius em
numero legal, abre-se a sesso le-se ea^-
000U prova-se a acta da antecedente.
aotUj Snr. primeiro secretario d conta j
i5oU expediente laseudo meucj do requenmenta
laoU do visconde de S>. Leopoldo que rwmetliio a
I lerceira commisso de laienua.
70U Sao lidas e appruvadas du s redic.er, a
M primeira t da resoluo queappio/a a penao
5o(J'de i^6Ureis coucedida a Joaqun Peretra
cU Ida Silva j e a seguuda a ie;o.uco qud au-
a5U;thoiisa odirectaid* escolla ue meUKina da
I bubia a ada.Htir a exame das maieriis dwoj-J
plinares Ernesto Francisca de FiguoireJo
Cantar go.
Julga-seobjectode deliberaco e vai .1 im-
primir o projecto da commisso de assembleas
provinciaes (|ue revoga varios actos legisla-
tivos, promulgados na provincia da Paraiba
em 1840.
Julgo-se objecto de deliberaco e vae a
imprimir o projecto da primeira commis-
so do orcamento e lerceira da fasendt que
aulhorisa o goverua a psgar ao mireclitl Al-
bina Gomes Guerra de Aguiar ex-commis-
saria geral do exercito a quinli 1 de .
4oo;86iUo57 reis salda de suas coatas li-
quidadasem virtuJe da art. aa di lei de 11 de
oulubro de 1857 emilliuda para essa fina
apolicesde ciuco por 100 aa par na farma da
lei de t5 de noveaibro de 1817, para o pa-
gamento da parte desla divida liquidada at
ao fim do anno de i8at,ede apolices pelo
correte do mercado para soluca da divida
posterior aquella epo:a.
Ha tambera o voto do Snr. deputado Mou-
ra \lagalbaes, que o seguate<
Concordo coa o parecer j eca quinto aa
pagamento sou de voto que data ser feito seiu
distincco da epocha em apalices de ciuua par
tenia ao par.
A requerimento do Sur. Goais Ribeiro
rae timbera a imprimir una pirecur amiga
do S.ir. Caraeiro da Cmiha acerca desla ma-
teria.
Primeira parle da ordem do da.
Discusso do projeclo sobre os solios das
militares.
Depois de algurau observares produsilis
pelos Snrs. Andrea, C jelho Vianna e
ministro da guerra appr iv^dt a e uendi
do Sur. Andrea qua du. Os soIJjs da ta-
bella juntarompreheuJe lamuera os officiaes
ui teiceira classe.
Entra em diicussioo segainte art ;o.
Arligo j. Os vencimentos das o!li:i corpa de arlilherii de marili serio e.c tu la
regulados como odas oficiaos de arinatra
: (io eteriit-j porem quindaealDtrca
dos, era vez de gralilkaeao adiccioaai tera as
maullas de embirqua cotuo os oiliieidi
arm 1 ia.
Depois dedistutida paito avalas e ap-
provado, coaa a seguidle emenda.
Addiclone-se ao artiga 7., ou em nota
ad ituva a laoella ca.no miis couvier o se-
guinte 1
Os segundos lenles do corpa di jrlilh'i-
iii de iudfinba quando embarcadas lerio
de n. liaras as mesmas quautiaS que aCtitaU*
u.eiie percebeja.-Cotltia-'Jjtvaiha de Men-
!douca.
Entra em discussa o seguinte :
Artigo 8. As vaulageiis das novni veaci-
mentas e faroeU'eclias a medid que sj G-
zi- j qualilicaco dos oficiaos 1 uyUstauda-
,,-.;iiei conl* doexcessoque Uveiera detxt-
iu de receber desto a data deala lei ; e os
que u' sorama ger^l desodas e gralicaces
receberojp mator q'oaotia da qua a regula*
ju por esta aova tarifa, coatiauaro a ga-
iai-u t qu por accesso ou txjrctcia, o
novas cut rae 11 los igu lera, ou ttcedao as
acuel.
' apoiadi a seguinte emenda ;
:is vftuUgeni Jos uavus vencimentos se fa-
ro J tlleclivos desde a data desla le nia
anda O gosa desle uovo sida direilo aos
odiLiaes que bouverein de ser reformados ,
i.ia daxrem de ssr cara o sida da actual
tarifa F. do llego.
O arligo approvada e bem assira a e-
; menda.
I Achando-se na sala mediata o Exm. Snr.
1 ministro da justica ivcebid) cara as for-
malidades do estilla, e oceupa o competeule
lugar.
Segunda parte da ordem do dia.
C Milinu a discussa da ornamenta da mi-
nisterio da justica.
Sao apoiadas as logaolol emendas :
I. Do Snr. i'eixotode Alencar. O^juizes
de direilo e parocbos sera de ora em di in-
te pagos pelos cofres geraes nss respe.'livas
provincias, da mesma forma parque sio os ou-
tros empreadas gi-raes.
a. Do Sur. areebispo da Itibii, que a
seguinte : com osbispoi e relaca eclesisti-
ca vencendo os respectivo! desembarga-
dores o ordeuada par iateiro ualbora po.su ia
beneficio.
Tomo parte na discusso os Sars. aree-
bispo da lialiia e Lira,n des \breu.
A discusso Bca adiada pela liara.
S. Es. o Sr. ministro da justi;a relira-se
com a mesma formaliilade coaa q ce bido.
O Snr. presidente d a ordem do da,
e levavanta a sesso pjlas tres lloras da
arde. .j
t
PERNAMBUGO.
GOVERNO DA PROVINCIA,
expediente do dia 3o do p. p.
OfbYio A o Commandante d is Armis ;
participando-lhe q>ie tenis cessada a caaa-
roisso enn que se achava empregad o alfares
reformada Antonio Ciernen'e Eslaves di Lar-
i ras porsehaver npresenlada o alteres as or-
' densda Presidencia Jos Uernarlo L-'ernanles
Gama que estav com liceuca na corte ,
cumpre que em nome da mesma Presidium
i louve o mencionada Atieres rel'armaia pela
xelo, inteligencia oaclividadecom quus e uor-
tau duraute o tempj li refer li :o a nissi >
l Uila Aa mesnj ca nmuui?aiila-lrie qua
poravixo de3i da julho uUirai, bauve par
beiaS. Si. o Imperador, miniar cai'ir.nir
a licenija coicedid aa ciddte do 3. bitili
d'artilheri* a r J as M .ru Mseos j d- \lllo
Vioga PaMOl para continuar a fren |eiiar os
seas esluJas em quinta tiver apraveitinnlo.
Dita- Aomesmo, cammunieui l Ib em
cjns rente que o lente da es juulra decafal-
laria ligeira Francisca Jaaqaim Pereira de
Carvalliu Jnior fot deapea tai J na mesmo
posto para o 1. esquadra de ivallaria da S.
Paulo.
' Dito Ao Inspector da theaouraria di fa-
/ nia camrau:iijaiilo-lti.; o cantala ni
precedente oficio.'
Dito Ao uiesji) envianJo-lhe pirco-
piaoavio de id do corrente exae li la pelt
secretaria d'eslado da facenJ* d-i'-laranl
que neiilrura lu.o.iveiiieute ln euquacot-
tinue a obervar-se o disposto ui ordem ctr
cutar de ti de DezembiO da amia pissJf
1 pois que elli nao >e esteudd a atvegioa 4 cibotageiu j a tira de que o fac is.i.n con-
tar ao adiuimstrada' u mota da cnsul i it.
Dito- Ao msalo pira eu cuopnu;n-
lo do Imperialavuo da seccetaru m ^u-r.-t
de Odo cirrenle renel'.er combrevilile <*
secretaria di po unca urai coala esoeci ici-


2
ua de todas as unidas militares perlencentes
ro&nnofindo de 1840 a 1841 (que se acha-
ii.cn por pagar e oulra das perlencentes a
unos .-interiores acoropanhadas dos esclare-
cimci.tos necessarios aue uosso justificar sua
le
MARIO D PEfiNJMOCO
essaos que posso just
legalidade ; dando cumprimenlo ao mais q
tlispoe o dito aviio do qual se ibe remelle
copia;
Dito-Ao mesmo para mandar indemnisar a
quantla de 5sU<;b'4 res dispendida pelocom-
mandante do Cter Esperance de Bebiribe -
com os grucros fornecidos eos recrulas que
onduzio do oaovincia do IRio 1 brande do
Norte,
paov
dez annos ILe fora para este fira franqueado
pelo Reverendo Fr. Francisco de S, Jos
Magalhes, quando guardio.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 28 do p. p;
Dito- Ao inspector da thezouraria ~, rt-
mellendo-lbc a guia do major rommamlm-
te da Fortaleza do Brum Antonio Gomes Le-
para que bssem averbadas om seos as-
, senlamentos as occorrencias que liouvero
lugar, durante o lempo que servio nacam-
que acompanbario o seo officio desta data ,
fora posto em custodia por allegar ter sido
preso no Perrar sendo residente na com-
marca do Limoeiro ter a seo cargo a sub-
sistencia de um pai dec repto e de quatro
'rmes solteiras, allegaco, que se achava cor-
roborada com as infor macos dadas por 5
S, no seo dito officio.
Diversas lie partieres
paoba do Maranho, devendo depois d'aver-
^badas passar-se-lhe a d'officio qne de-
evpra.
Oito A cmara municipal de Ignaras! ,
iijMiiiK'aodo-lhe em res posta ao seo omcio de
(j do corrente que vai ser transmitido se-
cretara d'estado dos negocios do imperio o
cfficio da mesma enmara felicitando S, M.
0 Imptrador pela sua coroaco e sagraco.
Cito Ao V, Presidente da cmara muni-
cipal ne Ijjuarass, approvando a nomeaco
que fez do cidado Manoel Patricio da Silva ,
para reger enlerinarnenle a cadeira de pre-
jBtiiHS letras da Villa durante a licenca com
que se acba o respectivo professoa para tratar
do sua saudej
Di:o Ao inspector da thezouraria das ren-
das provinciaes comuiUnicando-lhe o con-
ituiio no cilicio precedente.
Portara JNomeando o Doutor Antonio
Vicente do Nascimento Ftitoza para exer-
ccr inteiramente o lugar de procurador fiscal
da thezouraria das rendas provinciaes, em
quanlo durar o impedimento do respectivo
f roprietario o bacharel Jos Nicolao Rigueira
Costa que se acba doenle.
Cilicio Ao inspector da theiouraria das
rendas provinciees communicando*lhe a
oomescio supra.
dem do dia 3i;
Officio Ao inspecter da ihcouraria da fa-
zer.da enviando para seo couhecimento e
eieiuco na parte que Ihe tocar ; urna copia
do Imperial avino da secretaria da guerra de
1 j do correle mandando suspender os ven-
citsentcs dos individuos que sendo nomiados
interinamente na falta de cirurgices e capel-
les do exercilo para taes logares nao apre-
seniarem titulo de conrmac5o dentro do pra-
zo de seis mezes.
Dito Ao mesroo para mandar pagar ao
procurador do Prtfeilo da commarca de Ga-
ianhuus a quantia de 3U4tio ress, impor-
taniia de varios ohjeclos comprados para se-
guranza dos rterut s que remetteu o mesmo
Prefeito.
Dito Ao Prefeito da commarca de Ga-
renhuns, ccmmunicando-lbe a expedico da
ordem supra.
Lito Ao inspector geral das obras pu-
blicas signiGcando-lhe que lendo Pre-
sidencia approvado o orcamento e coudieces
que organisou o engenheiro Wauthiea para a
lectura da estrada as visinhances da ponte
de Santo Amaro, se lhe remelle os diios pa-
pis a planta e pe fis da referida estrada a
iitn de que pocha a obra em arremataco.
Lito Ao engenheiro L. L. VVaulhier
cotnniunicacpo-lhe o conleudo no precedente
cfficio.
Lito Ao inspector do arsenal de mari-
nlia psia contractar com o mestre ou pro-
prielaiiodo 1. navio que seguir para a pro-
vincia do Cea j a condueco de 600 correa-
mes cultos tantosequipamentos e 12 corne-
tas de sepro que tem de seren remellidas
faro aquella provincia.
Dito r Ao mesmo, ordenando-lLe, em
cv.n:| iirrulo do Imperial avizo de 7 do cr-
lente, que mande pagar em seos devidos tem-
yes es soldcs des cfiiciaes e guarnieres do na-
vios de guerra estacionados no porto desta ci-
dade.
Dito Ao Vice Cnsul da confideraco
Helvtica nesta cidade significando-ibe
que a Presidencia senlindo asss a noticia que
deu em seo oflicio de a6 do corrente da moite
do Sr. Arlexis Chavannes Cuusul da mesma
Confideraco Ihe declara que pode continu-
ar no exeicicio de Vice Ccnsul em que se a-
tha desde 19 de Outubro de 1837 at que
o seo govetuo baja de fazer a competente no-
mea^ao.
Lito Ao Reverendo Provincial dos reli-
giosos Franciscanos para i en el ter a informa-
co qne Ihe (oi exigida em ofiicio de i3de
Aiaio do crlente anne sobre o cfficio da c-
mara municipal de Iguarass em que se quei-
xa do Reverendo Guaiico do Convento da-
quelle uila por querer obstar a que a dita
cmara laca as suas sessees em urna das sal-
n do mencin o do convento que a i< ais de
via ser remettida a secretaria d'estado dos ne-
gocios da guerra.
Dito Ao tenente coronel do deposito ,
oandando-lhe apresentaro paisano Jos Ma-
rinho Wanderley para Ihe assentar praca
voluntaria com declarado de que hia ser-
vir no 6. batalbo de cassadores em opera-
ces no llio Grande do Sul.
Dito Ao mesmo remettendo-lhe os pa-
pis de contabilidade do destacamento da com-
marca do Brejo relativos ao mez de julho
ultimo mandando entregar a respectiva eto-
portancia a o cidadao Pedro Francisco de
Mello; "
Dito Ao Prefeito da coemarca do Hrejo,
communicando-tho o exposto no precedente
officio, com o que ficava respondido o seo do
1 deste mez.
Dito-Ao commandnnle interino da fortaleza
do Brum parlicipando-lhe que nesta data
havia imandado dimittia o recruia Miguel
Soares d'Araujo o qual devio conservar-se
ali recluso at que se Ihe desse deslino.
Portara Ao tenente coronel eommandan-
le do deposito mandando dar demiclo ao
recruta Miguel Soares d'Araujo e que sua
escusa fosse enviada a secretaria militar*
dem do dia 3o.
Officio Ao Prefeito da commarca de San-
io Antao aecusando o recebimento de um
dezertor e do recruta Joo de Dos Chaves ,
que immediatamente asseotara praoa em vis-
ta de suas reflexoes.
Dito Ao mesmo 'mandando-lhe apr-
sente munido da competente escusa Miguel
Soares d'Araujo que Ihe tinha sido reme.t-
tido para servir 00 exercilo, visto que o mes-
mo tiuha a seo favor o disposto no artigo
das instrueces de 10 de julho de i8aa.
Dito Ao Prefeito da commarca de Gara-
buns, communicando-lbe em resposla ao seo
officio de 3a do corrente que fiuavo entre-
gues os 10 recrutas que enviara dos quaes
dous bavio sido postos em costodia por al-
legarem izenpees fundadas em le e pre-
vinindo-o que quando tivesse de remetter re-
crutas com recommendacio para servir na ma-
rinha devia fazer a remessa deltes directa-
mente a Presidencia e nao ao Comm andan-
te das Armas, que su eslava habilitado re-
ceber recrutas para o exercilo.
dem do dia 3i,
Officio Ao inspector da thezouraria re-
mellendo-lbe os livros, e papis pertencentes
acaixa das etapes e forragens do extinto ex-
quadrao n. 4 de cavallaria ligeira desta pio-
vinoia para que fossem aichivados compe-
ten emente.
Dito- Ao al fe res A. C. E. de Larras,
disendo-lhe em resposla ao seo officio de 37
do correle que os livros e papis da cai-
xa das iorrageus e etapes do extinto esqua-
dro n. 4 de cavallaria ligeira fora remel-
tidos nesta dala a thezouraria para serem
archivados.
Dito Ao tenente coronel commandante do
deposito, disendo-lhe, que baveudo-seos
soldados do 8. batalbo provisorio de cassa-
dores Antonio Martinho Xaviea, e Jos
Robeiro ausentado este no dia 34 e a-
qnelle a al> do corrente cumpria que pro-
cedesse os competentes concelbos de decipli-
na logo que qualificassem as diserces e
os en viasse a secretaria militar, para terem
destino.
Diio Ao capillo Affonco Honorato Bastos,
mandando excluir da folba das prestaces, do
1. deste mez em diante deixando de tirar os
consignares que destinarlo para tuas fami-
liaes o major A. G. Leal lenle M. F.
da Cruz atieres J. G. de Jezus, 3. te-
nente A. M. de C. Delgado segundos sar-
gentos J. V. Cezar C T. d'Aquino e
solJado M. F. de Jezus, todos recolbidos da
campanha do Maranhto. To bern manda-
va excluir da mesma iolha no 1. deSelem-
bro o tenente Joo de Siqueira Campello, que
se recoihera da corle do Rio de Janeiro.
Dito Ao Prefeito da commarca do Recife,
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Rendimento d'Alfandeg* de Pernambuco no
mez de Agosta prximo passado-
Direitos de i5 por op 8333Uooo
Ditos de 48 1| por ojo de bebi-
das espirituozas 5:353956
Ditos de $0 por op de plvora i:io8U ia5
Ditos de 3o por ojo de cha 4t77^^^
Ditos de 3 por 010 de reexporta-
cao 414LB82
Premio de 1 113 por op ao mez 1 SijUdcji
Expediente do i\i poro(o 9-473io
Armazenagem de i|4 por op>
ao mea 6o4D3i8
Dita addicional de 3 ip por op 30;363U745
Multa de 5 por op calculadas nos
despachos 7SD35o
Multas avulcas
Emolumentos de certides
136.697U179
7lo/o
15U910
Rs. 136:784^193
Alfandega 3 de Setembro da 1841.
O Escrivo da Alfandega
Jacotne Gerardo Maria Lumacbide Mello*
EDITAL.
Vicente Tbomaz Pires de Figueredo Camar-
go comendador da ordem de Christo Ins-
pector d'Alfandega &c.
Faz saber que no dia 4 do corrente se
ho de arrematar na porta d'Alfandega ao
meio dia oitenta barricas com sardinbas a-
valiadas por quarenta mil reis impnguadas
pelo guarda Joaquim Pedro dos Santos Bi-
zerra e na factura de Joaquim Jos d'Amo-
rira sendo a arremataco sugeita a direitos e
expedienten
1841.
Alfandega a de Selembro de
V T. P. de F. Camargo
O Arsenal de Guerra compra grande por-
go de cobre velho a pessoa que tal gene-
ro ti ver apprezente-se na salla da directora
do mesmo arsenal como seo ultimo preco
em carta feixada no dia 3 do corrente,
Burlamaque
Director Interino.
OBRAS PUBLICAS.
Em virtude das ordena do Exm, Snr.
Presidente d- provincia, expedidas em omcio
de 31 do findo mez de Agosto, pe-se em pra-
ca para ser adjudicado a quero por menos o
fuer, o milboramento de 16 bracas da es-
trada de Santo Amaro (contienda por estra-
da de Luiz do Reg), oreada em i5;7a6Ui6o
res
As pessoas a quem convier este contracto
comparecero deviJamente habelitadas com
fiadores idneos em os das i5, 16 e 17 do
corrente mez de Setembro nesta Reparti-
co aonde esto patentes ao exame em todos
os dias uteis as horas do expediente, a plan-
ta, perfiz e descripeo das obras, bem como
as coudiccoesda Arrematado.
nspecao das obras publicas 1. de Selem-
de i8ii.
Moraes Ancora.'
signicando-lhe que o recruia Joo Pedro melhoies de scus babilanies oa expectativa^de
RIO GRANDE DO NORTE
Senhor Os habitantes da Villa de S.
Goncalo, Provincia do Rio Grande do Nor-
te prejudicados no Direto de votaco que
Ibes garante a Coostituico e mais Leis que
regula o as Eleices Populares, e sobre ma-
neira consternados, a vista do que por mo-
tivo dellas tem praticado o actual Presidente
D. Manoel d'Assiz Mascarenhas, vem aos
pez do Augusto Throno de V. M. I., fazer
chegar sua justa queixa pois que os abaixo
assignados muito longe de engaaren a seu
Monarcha s querem com a franqueza e
linguagem da verdade exporem V, M. I.
seus solrimentos Ssnhor quando esta mal-
fadada Provincia luctuoza pelo assassinio q'
hum partido dominante chamado do sul ,
fez ao Presidente della o Dr, Manoel llibeiro
da Silva Lisboa por este digno Delegado de
V. M. I. pretender fazer punir os delapida-
dores das rendas Provinciaes, e quando os
a veremser administrada por hum Presidenta
activo imparcial e justiceiro recahio infe-
lizmente na pessoa do actual D. Manoel d'As-
siz Mascarenhas este hornera que alem de
nao prehencher os fins de sua honrosa com r
misso como em huma apathia se deixoa
levar pelos meamos assassinioa de sea Antes-
sessor a ponto de ser por elles inteiramente
governado ; isto pela promessa de o ellege-
rem Deputado Geral, com essas vistas de
ambicio do lugar de nada mais cuidou, q*
nao dicesae respeito a Eleices, perdeu o pu-
dor constituanse com o maior iescaramen-
to chele dessa pandilha e afronta todo5,
que sedizifo d'nutro partido, e que Ihe nao
prestavo seas sufragios e contra estes em-
prega torca armada na oceasio das Eleices
onde desconfiava perder. Cidadios prestantes
na Villa da Princeza sao assassinados, outros
feridos e o susto se espalha entre as pacifi-
cas tamilias vendo em lugar de Eleices na
Igreja Matriz o Campo de Marte e iguaes
scenas se veem representar em outros Colle-
gios que deixo os abaixo assignados de as
narrar, para evitarem a prolixidade e por
que ellas j tero chegado ao Alto conheci-
mento de V. M. I. Outro tanto, Senhor;
acontecido na Villa da Princeza sofrerio os
ab aixo assignados a nao se resignaren) rom
todas as Ilegalidades, e arbitrariedades, q'
piincipiaro por ordenar o actnal Presiden-
te que a Eleico primaria desta Villa para
Juizes de Paz, e Veri adores fosse feita na
Capital da Provincia e mudos expectadores
loro os votantes a vista do puder da forca ,
sahindo a Eleico como muito bem quiz o
partido de S. Ex., sendo porem feita a Elei-
co Parochial para Eleitores nesta Villa e
vendo os do partido de S. Ex., que a maio-
ria era da opposico, dasse o Parocho por
encommodado, e suipendesse o recebimento
dasSedulas. o dia aeguinte reconheci-
da a mesma maioria acontesse a mesma cou-
sa e no outro dia as seis horas da manh de
mandado de S. Exc* apresento-se po ta da
Igreja Matriz cem pracas armardaS, e mar
nidadas vindas da Capital de baixo do
Commando d'Officiaes do partido de S. Exc,
desde ento as sdalas da maioria principio a
ser regeiladas e qualquer exigencia deste
lado amiassado pelas baionelas: hum Ex-,
crutador entroduz ou quer introduzir sedu-
las na Urna ; o Juiz de Paz d voz de priso
a Tropa se amotina a favor do fugitivo e o
Juiz de Paz desobedecido e reciando da-se
por incommodado documento n. i. e
substituido pelo supplente tudo se decide so-
mente a favor do partido da menora, e de S
Exc. e como conhecessem que apezar de
ludo a maioria era do partido opposlo sao
na appurago regeilada muitas sedulas des-
te sem mais averiguaco que o Juiz abrila e
vendo que nao era sedula de seu partido a
melia debaixo da perna dizendo este nao es-
t no caso de votar e por esla maneira sahiu
a Eleico favoravel S. Exc. que para isso
empregava quanlo sugera, sua maledicencia,
seus planos e de sua sucia nao poupan-.
do os dinheiros Nacionaes e menos as
vidas de seus governados, assim conseguio ser
Eleito Deputado Geral. E ser Snr. valiuza
as Eleices desta Provincia feita sem forma*, e
sem Lei ? Ser Deputado Geral hum Can-
didato Elleilo a custa do sangue da Provin-
cia ? JLNo Senhor os abaixo assignados espe-
ro que V. M. 1. providenciar a que sejo
nulus taes Eleices, e at punido o Cbefe de
caballa to sanguinolenta D. Manoel d'Assiz
Mascarenhas que aiuda nao satialeitos de
tanta barbaridade continua a massacrar aos
qne Ihe nao prestaro seus votos com recru-
lamenlo sem attenco a estado nem a ida-
de ; e sua criminosa carrea ir adiante se
V* M. 1. nao separar da administra cao desta
Provincia, a hum Presidente que abusando da
confianca de V. M. 1. tudo sacrifica por o
seu vil interesse e querendo maliciozamenr
te desfarsar- se quer laucar na opposico a
infamia que s a elle perteoce usando
cbamar-lhe desordeiros, sendo alias os verda-
deiros Conslitucionaes, e Moaarcbistas da
Provincia. Dos Guarde a V. M. I. como
he mis ter ao Brazil. Villa de S. Goucalo 14
de Maio de 1841. Seguio-se as assigna-
turas. Esiava reconhecido.
Coiuiniinicado.
O Maio lista e o Snr. Reg Barros.
O homem probo, que pretender boje no
Brazil abracar a vida publica deve procurar
antes de tudo dar huma nova tempera a seu
estomago de modo que possa suportar toda a
qualidade de pilulas invenenadjs, que a inn
vej
a t e a calumnia, movidas sempre pelo
-.*


A ft l O J> B PERN ANCUCO
S
terrivel espirito de partido costumo repar-
tir cora mos prodigas. Nao he bastante fa-
ser proposito de bera goveroar, e de facto
goveanar bem; 'he sobreludo necessario pre-
parar-se resigar-se o hornera publico a ser Baronat
do Sor. Reg Barros; qu8 o premiasse em
nome da Naca s porque assim he que se
crio, se alentio e se eocoraja os servido-
i do Estado. Conferio-lhe bum simples
s
tonreado portodaalaia de toureiros, e en-
. vestido por huma cfila de '* m3rlins'' acula-
dos pela rivalidades
Quando observei a naaoeira porque o Snr.
Francisco do Reg Barros, tomou e dirigi
as redeas do governo en Pernambuco ; qu'-
do o contemplava todo ocupado em preparar
expedires para sufocar as diferentes sedices
e rebellies que ameacavo a integridade
do imperio quando notava que elle collo-
cado no foco dos parlidoa sem fomenta!-os ,
mas inullisando-os, smente cuida va da
prosperidade de sua provincia e do aforrao-
zeamenlo da nossa Cidade, onde de hum da
para outro viro-se erguidos edificios lo no-
bres como necessarios ; quando testemunha-
va os esforcos com que o Sur..Reg Uarros
promova o melhoramenlo das estradas a
reformados estabelecimentos pios, a nova
organisacao do Liceo ; quando finalmente lia
nos Jornaes da Corte que ess*? governante
era coberto de elogios as nossas Cmaras,
cujas notabelidades o apontavaa como o Presi-
dente modelo ; nunca emaginei, que
bouvesse j nao digo bum Pernambucano ,
mas ainda bum Lrasileiro que desputasse o
seu merecimento que o abucanhi-sse t en-
ganeUme redondamente. No mundo ba gente
para ludo at para escrever o MaiorisU.''
Nesta gazeta mords, que pouco leio de-
parei com hum artigo em que sao obscure-
cidos e redicularisados os servicos prestados
pelo Senbor Reg Barros para se lhe negar a
juslicacora que ora remunerado.
Nao he o Mdioiista folba inteiramente
parcial quera deve julgar da justica com
que os Bibianos oferecero ao Sor. Reg
Barros huma espida de ouro ; sao os proprius
Bahionos os naturaes juizes nesta causa ; pur
queelles (e ninguem melbor do que elle )
he que | odem apreciar devidamente o bene-
ficio que recebero do ex Presidente de Per-
nambuco que os acudiu prestemente no ter-
rivel apuro, em que se achavo. Se a ex-
pedidlo remettida Bhia j estava preparada
pelo antecessor do Snr. Reg barros, nem
esta intrigante tincada do '' Maiorista tira o
mrito da aeco : qoanto tnais que be ver-
dade, que quando o Snr* Reg Barros to-
mou posse da Presidencia acbou nicamente
o casco do Batalho 7., e 4 bocas de artille-
ra : e em poucos das preparou mais de 600
preces que expedio ficando ainda gente de
artilheria e gente do deposito. He este um
facto publico. (1) Nao he tambera o Ma-
iorista '' quem deve pezar a conveniencia da
expedicao de Maranbo: sao os Marauhen-
sts, que ao desfilar da tropa pernambucana
pelas ras da Cidade de S. Luu, embriaga-
dos de praztr como que alcan^&vo redemp-
co, aplaudio a energa do Presidente Re-
g Barros, entuando-lhe milbares de vivas.
Nao he o" Maiorista" quera pode apreciar
es vantagens que alcancou o commercio Per-
nambucano no lempo do Governo do Sr. Re-
g Barros, em virtude da pac dourada, e
nunca iulcrrompida que manteve no decur-
so de tua administrar ao; mas sao os Negoci-
antes de Pernambuco a quem o Maiorista
apelida de -- camarilba. Foro tiles,
que convencidos do melhoramenlo de sua in-
dustria dero amens" ao Snr. Reg Bar-
ros, pagaro-lbe tributo de gratido e res-
jeito. Nao to*' Maiorista nao pode ser
Juiz na materia j porque os lucios, que
grangearo ao Sur. Reg Barros huma esti-
ma indelevel, nao impressionou a essa Fo-
lba seno pelo lado da inveja e do ciume.
He impossivel. que hum Juiz, que tem in-
teresse em desfigurar, e de&aprovar tudo
que nao be'' seu e do p seu credo ", pos-
sa estar babelitado a graduar o mrito de um
dos melhoies Presidentes de Pernambuco.
P aliena pois os Babianos lallem os Mar-
nhenses lallem lodos os Peruamburanps
quem tanto interessario os actos do Sur. Re-
g Barros.
E queria por ventura o Maiorista q e a
recompensa espontanea dos particulares, soc-
coiridos relo >nr. Reg Barros despensasse
a /-ecompenso, que o Governo deve aos seus
benemritos? Nao: iada qual paga o seu
debito. Convinha muito que o Governo de
S. M. I. desse bum teslemunho de Sua alia
consideraco para cornos pi estantes ser vicos
(1} Tendo mandado liobem outras muitas
xpedictes para o Rio grande do Sul ; e a das
Al'goas ? cuja rebeluo fui sufocada rom a
rapidez do Raio 1
o j deu-lhe huma conaenda: seria
isso em troco dos sacrificios de deixar os bai-
les de Pernambnca ? ^) Responda quem
nao for descontente, ou sectario c;go do "Mai-
orista. Se os servigos do Snr. Reg Bar-
ros merecerlo recompensa tambem devia
merecer os do seu mu digno collaboradar ,
o Snr. Figueira de Mello, quem seno
pode contestar a fidelidade e pericia com
que se bou ve no empreo de Secretario, que
honradamente deseropenhoq.
He triste a condicio de hum hornera pu-
blico nesta mseravel epaca de enredos, e
conspiraces 1 .. Nunca o governo do Sr.
Reg Barros foi lida se ola par enrgico ,
imparcial, e patritico : outra exprsalo ou-
tra confiso nao se ouvia em Pernambuco ,
110 Imperio todo al certo lempo: mas luje
porque ronvem novas imagens par. oovos
cultos o hroe dos panegyricos e dos can-
licos se torna de improviso o hroe da Sa-
lyra I Para isso se mente, se intriga e
se calumnia I Que tem os servicos da Snr.
Paula (que ninguem os neg) om o do seu
Primo o Snr. Reg Barros ? Que tem as di-
vidas contradas pelo Sr. Reg Barros ( se ex-
isten)) com os actos do seu Governo ? Maio-
rista he censor da vida pirticular ou da vi-
da publica p Ah Brazileiros nao acre litis
no falso Apostlo : elle u que quer he divi-
dir e intrigar para reinar a cusa do vasso
socego. Dizei-lbe que nao sois Uesta de
pao": que j estamos caneadas j que o co-
nhecemos -....
RESUMO
DA,
Exportacao da Provincia de Pernambuco para
fera do Imperio, no mes de Agosto do cor-
rente anno.
ha tanto teitlpa, [ navam
Algodo Saccas
Assucar Caixas
Feixos
com iu,255 ar.
23 libras.
Arroz
1701- com 8781 ar. i3S.
ib'Jo-
65-
Barricas. a83i-
Saccas k'jS'j-
Latas 161-
i l i 4>alq.
Agurdente Pidas 168 )
Barrz 7-] com 28,93a caad.
Garrafes 3i3-)
Couros Salgados 4 i i3,3oi
Charutos i' i 89,000 m.
Doces ;;;...,. 54a fi
Farinha de Mandioca 180 Alq.
Fumo....... 75 Ar.
Solas e Vaquetas -Meios- 400
Unhas de Boi. .... 70.000
Esta exportacao effectuou-se em i4 Navios,
sendo a Americanos a Brasileiros a Aus-
tracos, 1 Hollandci, 1 Hamburgez 4 ^n'
glezes, i Portuguez, e 1 Sardo, tripulados
por i57 pessoas e conteado 37 ja t\% To-
neladas.
O valor da exportacao oi de rs. a89 196,367,
e pagou de Direitus Rs. 36.554,559
A moeda exportada foi apenas rs. i:.joi,3oo.
A' PEDIDO.
Exm. eRm. Senhor Teudo Sua Mages-
tade o Imperador Acolbido Benigno os sen-
lmenlos de respeito e lealdade que ma-
nifestou a congregarlo dos Lentes do Lyceo
da Cidade do Recife, pelo orgo da depula-
cao por ella nomeada para assistir ao Acto so-
lemne da Sagracao e Coroaco do Mesmo
Augusto Senbor : eumpre-me assim ocom-
municar a V. Ex. Rm. para o faser constar a
referida Congregarlo.
Dos Guarde a V. Ex. Rma. Palacio do
Rio de Janeiro em i"j de Julho de l-ji
Candido Jos de Craujo Vianna, Snr. His-
po Resigoatario de Pernambuco,
Noticias Estrang-eira^.
SECIA E NORUEGA.
Discurso de S. M. o Rei da Sueca e Norue-
ga na occasiio do enrerramento da Die-
ta em 16 de Junbode 1841.
Senhores : Ao abrirem-se as sessdes da
Dieta em a5 de Janeiro de 18 jo vos maui-
feitei que seria possivel reduzir os tributos,
(a) Todos sabem que o Sur. Reg Barros
nunca deu bailes, nem felo alguma em
sua caza e que mu poucas vetes apparecia
nesses bailes que por ah ba, e quando o
contrario fi'esse ser isto hum crime ?
(Notaa do Autor )
e com especialidade o qua ,
hSonerad;> a agricultura.
Nlo ficau fr*ustadt a minb esperan,?! }
par quanto a dinainuiflosba alen da sara-
ma qu8 eu vos annurjcira. As uossts reser-
vas ainda dispaniveis, urna pro lucia euma
actividade commercial mais externas, nos ha-
bilitarla a seguir, na proxim Dieta o mes-
mosystema e a operar urna nava redcelo.
Depois da vossa reuniia cancluiram-se ,
sobre urna base de psrfeita reciprocidids, tres
tractados de commercia com a repblica de
Venezuela e com as cidades livres de llam-
burgo, a de Bremen. O publico ser sciente
delles, depois de trocadas as raliticacdj. Pro-
seguem-se outras necrochc^es, no interesse
das relaces commerciaes dos dous reinos utii -
dos ; e tenlio asatisfa?i(i de poder annunci-
ar-vos que de entre ellas a mais importan-
te a da passagera do Sund est prxima a
lerminar-se satisfactoriamente.
E' o primeiroMever de ung >verna o velar
acerca da solides djs alicerces da existencia
nacional. O que os deixa solapar prepara
a queda dessa existencia. As leij quepjr
mais lempo blo passado pala prova da expe-
riencia esli, nao obstante isso sujeitas a
reformas que parecem necesarias 1 com
muito mais razio as que so teera introduzido
em consequencia de sacudimentos j porm o
Estado periga se o imperio da razio e da or-
dem se nao deriva delias.
Nlo diviso outra cousa que nao sej um
porvir diloso para a pennsula do Norte se a
paz.poder ser manlida ; purea permanecer
iodilorentes probabilidades de urna guerra,
e deixar de preparar-se para ella compro-
melter a nacionalidade e cavar lentamente a
sepultura do seu paiz.
As naces sao o que ellas querem ser se-
no poderosas ao menos consideradas por
sua boa f, a sua serenidade.
instantes ha em que urna nago deve sujei-
tar-se a sacrificios, pr maiores que elles pos-
sam ser ; quando a honra o prescreve a seu
Principe e ao seu governo. Se chele do Es-
tado pela latitude da sua authoridade de-
ve empenhar-se pessoalmente olo deve he-
sitar de o fazer especial me nlo quando o ia-
teiesse e a consideraco do paiz Iho impoem
como urna le.
Etn 1809 o reino, depois de perdida urna
lerca parla do seu territorio, estava em guer-
ra de laclo com tod& o Estados ailiados de
um imperio poderoso. Avexado pordissen-
ses sem apoio alheio bem de pressa ficou
sujeito a um systema commercial, que o cons-
tituiu inimgo da Inglaterra.
Nesta posicio o Re Carlos i3. admi-
nistrou, nao os seus meios presentes as suas
esperanzas extinctas ; mas sim o seu porvir.
Ao marchar para Alemauha o nosso exerci-
lo reputavam alguns que elle devesse ter a
mesma sorte que o que quatro annos antes ,
havia sucumbido. Elle voltou iriumphante,
e a patria nlo teve que chorar os seus iri-
umpbos.
Os Estados-Geraes, que em 1809, tive-
ram couhecimeuto dos projectos formados no
exterior contra os actos de 1809 reconhece-
ram os ser vicos que o governo prestara a na-
ci preservaudo-a das catrastrophes que
ligiram outros Estados.
1 supplicare ao L'od 1
a me) impiran la-
a acreditar que a idea de urna mu*
danca tanto dedasej^r nto hornera escapada
vossa sagacidade.
Para evitar que se prolong issera as vossas
sesses especialmente depais do ums dura-
co la a prot rbida tenho o designio d) cam^
muoicar meus pensamentos sobre esta partir
ailar commissio das Leis e reserva-me a
faze-lo aos Estados-Geraes na prxima Din
eta se tal for a vontade de Daos ; se nao ,
n'um melhor mundo
Poderoso que Ilumine
lhe para sempre o amar da justica, a for-
ca de a querer e o valar de a praticar.
llavais presenceado a ceremonia religiosa /
par meio da qml meu Neto estrelou os vn-
culos que uera o Christo ao Creidar. A-
cabiis agora de ouvir o juramento por ella
prestada sleis fundamentaos e a rain. O-.
xtl queesse momento se grave em seu cara-,
cia e nos vossos recardando a cada um qua
a Divindade abenca os pavos e os principes ,
que se deixam continuamente guiar pela rti-
ligiio, e pela verdade.
Km virtude da paragrapho 109 da Cansti-
tuicia vos annuncio Senhores, que es-
la cerradas as vossas sesses e asseguran-
do-vos da cantinuagio da minha benevolen-
cia Real peco a Dos qua derrame sobre os
reinos unidos suas heneaos celestiaes*
( Do Diario do Gorerno. )
LOTERA DO SEMINARIO.
Reitor do Seminario de Oliada convida
os amantes desUjogo a compra dos bilheles
da a.- parte da 17. Lotera, cu jo plano
j foi publicado e as rodas andard irapre-
terivelmente no da 18 do crrante: Os bhe-
les acuio-ae as casas secantes Recife rus
da Cadoia toja de Cambio do Snr. Vieira S.;
Antonio ra do Cabug loja do Snr. liandeira;
ra do Gollagio loja do Sor. Manezes Jnior ,
Boa-vista botica defronte da Matriz do Sur*
Moreira em Olinda nos quatro cautos venda
do Sur. Jos Manuel dos Santos,
I THEATRO.
-
Domingo 5 ha E Rifx constando todo da Dancas Sibaiarias t
Cliinezas, e Bahiana ; tu-1 > exdtutado pela
sua Companhia de Aatba natos ; ou Himoni
mecha nicos e a paca --Como sao muitas
Seahoras.
..... 1 1 1 11 ,
Avisos Diversos.
A pessoa que anuunciou querer dar
urna mulatinha para educar; dirija-se a ra
da Penha sobrada de um andar, varanda
de ferro na quina que volta para o becco do
Carcereiro, que achara com qusm tratar,
tsr Quem tiver para alugar urna negra;
que seja boa-, e bem assim quem precisar da
roupa engommada tanto da Sentan com j
de hornera 1 annuociej
tsr* Vende-se urna molaia com 36 annos^
pouco mais ou menos, muito fiel, boa cosi-4
nheira sem vicio e nem achaque al;um ;
falar na ra da Cadeia Jo R. coa o Sor. va
Se aos liomens, bem como s nagSes, cum- I noel Joaqun Pedro da Costa que est au<4
pre evitar o deixarem-se arrastar por suscep-
tibilidades, uns e outros, nlo obstante isso,
sao obrigados a adoptar medidas que persua-
dam aos inimigos al aos declarados a de-
terminadlo de um governo que se reputa
lesado em seus direilos e na dignidade nacio-
nal. Tal ha sido a atiiiude do vosso desde
1811.
A essa attituda deve a Sueca a considera-
cao de que tem gosado e as vantagens im-
mensas que da mesma se bao derivada,
Foi tnisler que a Divindade a protegesse
especialmente; para que Iba approuvcsseguiar
este governo at ao ponto de lhe poder apre-
sentar resultados lio positivos. Coraparai ,
Seuhores, vossas riquezas actuaes com o qua-
dro que foi oRerecido aos olhos dos membros
da Dieta depois da revoluco de 1809 pe-
deris eolio apreciar a proteccao visivel do
Altissimo.
Ha vinte e cinco annos que alimento a am-
biciode dar ao Toibunal Supremo do reino
a independa e as garantas de que gosam os
paizes da Europa. Em i8i3 mamlestei ,
por meio de urna mensagem os meus votos ,
e motivei a* minha* exigencias. Respeitei a
resposta negativa dos Estados-Geraes sem
toaavia parlilhar os principios de ordera soci-
al em que ella se eslribava.
As togitaces s quaes, durante esta Di-
eta voS ha veis entregado acerca da esseh-
torisado para a venda e dir mesmo o mo-
tivo porque o seu dono sedesfaz della e ateT
par hum proco rasoavel a vista das quali*
dades que tem, e que so aluncia.
%sr Precisa-se alugar um a andar de so-i
brado sendo em baa rus e uio excedeado.
de 2ooU rs. annuaes; na ra de Orlas D. 8 ,
se dir quem pretende.
ajar Faze.n-se delicados, e sabarosos ba-!
linhos para cha partidas e Bailes : no be-:
eo defroole da Igreja do Paraso loja da ca->
za de 3 andares} encommendando se com
aoteci pacto.
tsr No rmaseos de Miranda & Pereira
de mol hadas, por grosso e miudo na raa
do Vigario a. 5 aviza a todos os seus fre-
guezes e aquellos qua ainda nao sio, para
que o sejio que este estabelecimeato se a-
cha sortido com bons quejos londrinos. pre-;
suntos encapados proprios para fiambra ar-
roz carolino e do ivlaranbio de superior
qualidade vellas stearinas e sperauoet
passas muito boas, btalas, azeite doce
serveja bons presuntos do Porto chouri-
cos, paios manteiga de porco manleiga
lngleza e todos os mais gneros proprios
destes estabelecimentos senda tula de baa
qualidade, e precos commodos.
tsr Quem quisercomprar urna negrada
naci bonita figura com abilidades; ven-
de-se por precizo e por proco cmodo j T^.

cia de oossas iustiimcucs polticas, me iocli- l na tua do Faguodej U. i8f


DIARIO JE PEINAMBBCO
i u ii iii fiMim
iodo crrenle mez o Mate Flor de Laran
caira forrado de cobre e de primeira mar-
cha jj lero parte de seu carregamento prom-
plo ; quem quiser carrejar ou ir de passa-
gera dirija-su a ruada catleia 1 aja de faien-
da n. 17.
PARA O ARACiTYcoraa maior bre
Ali'fli-se urna casa terrea sita na ra
de* Qusrteis P, ti ; a tratar em S. Amaro-na
sKaiia de Uelem com Joo Daptisla Claudia
Tresfc
SS?" Precisa-se de urca casa requena com
tatito que teuba carimba no bairro de S.
Antonio cu boa vista anda que soja por
8ooo ; na praca da Independencia loja nu- I vidade possivel o i'alhabote Nacional liuda;
mero 11.
CT Quero p'edsar de um soto diiija-se
a 1 ua do Nogueiro D. IQ
ES" Peranle o lilin. Sr. Dr- Juiz do Civel
da lerceira vara se hade arrematar um sitio
na estrada do arraiJ trras foreiras com
tasa a sobradada de viveoda mui bem re-
partida de 4 agoas com seu terraya em ro-
da j e algrele, com 10 pa lints de alto da
supeifice da trra at o
trala-se com Manoel Joaquina, Pedro da Casta
na ra di cadeia do Redfe.
PARA BAHA com escala por Maceta re-
cebeodo carga para arabos os portos a rele -
ra Sumaca IViiz Aurora salie imorsierevel-
mente no dia 7 do torrente trala-se com
.Mano'l Joaquina. Pedro da Costa na rui da
cadeia do Rucife.
PVRAO RIO DE J\CfEHlO o moilo
velleiro Brigue Americana Calharine se-
gu se.n demora e te:u excelienles coinmo-
pavimento com ar-
mazem tem de frente 88 palmos, cozinha
iota com armazem por baixo casa para fei- i dos para passa;eiros ; quem quiser ir de pis-
tor, senzala, estribara, coxt ira, turrar pa- | sagem dii ja-se ao escdptodo dos Coadgnt-
ra gado, pombal e banbeiro no meio da tadosL.G. Ferreia & Mans'ield,
litada dous telbtifos para lavadeira caes
de ambos es lades da levada urna ponte lu-
do de pedra e cal com varios recreios um
jardim com seu algrete : viveiro he todi>
murado a frente e os lados at a levada e
continua com cerca nativa at feixar porto
eii& o
C o m p r a s
t^T O Leiloda casa e terreno da roa do
Apdo de D. Rita Mara da Cooceicid viuva
do fallecido Joaquim Antonia Ferreira de
grande de madtira com muilos ps d fru- i VaconcelloS continua boje pelas 11 horas da
cteirasde fora perlencente aocasd do falle- manh
cido Joo Callos Pereiade Burgo* pira pa-
ra pugameoto dos credjres do dito casal, o
qual vai a praca a requt-rimeulo da Vi iva in-
ventananle Francisca da Cunha li. de
Mello.
tssr Quem annunciou precisar de urna
aaadeidade, para engommar e cozinhar,
para casa de rouca familia dirija-se ao beco
do adique ao p do sobrado do Sr Jos Ma-
ra.
%sr Umparde cassambas em meto uyi
roa larga do Rozado u. a.
S3T Urna venda com os fundos da 830,030
a dinheiro com rebue de 10 por cento na
ruado Arago D. 12 ; a tratar na ru da
agoas verdes D. 8.
ssr Urna barrica com treaa?os no atier-
ro da boa vista 19.
ssy Varias vaccas de teite : em Olinda na
vend defronte do antgo palacio.
na
iscrivo.-} Futidos
125" Escravos de arabos os sesos, de ida-
de de 1 a a 25 annos para fora da provin-
cia ; defronte do trapiche novo em casa de
Joaquina Jc: de Amorira.
SST Escravos de ambos os sexis com ha-
belidades ou sem ellas nao sendo velhos ,
para fora da provincia ; em casa de Antonio
O Sr. que no diario de 27 do mez pas- Francisco des Santos Braga na ra da moe-
sado perguntou a nanoel de Souza Guimares da n. i4
se Ibe convinba dar es garrotes aniiunciados ssr Escravos de ambo? os sexos com vicios
com algum praso dirija- e a rua da praia ar- ou sem elles e principalmente com olficio de
noazem do mesmo Guimares. pedreiro e cirpina \ na praca da Iodepen-
tsy l'recisa-sede um bom padeiro capaz dencia ). 1.
de tomar conta de urna padaria portuguez $3^- Pipas com agoa ardente que seja boa
oudeoutra uaco ; nesta I ypografia se dir, para embarque ; na rua do Rangel Sg,
y Precisa-se alugar um priroeiroou se- tsr Taboas e cordas que sirvo para an-
gundo andar ; nesta J y: ogaafia se dir. dames ; quem tiver aonuocie.
JtS&* A Senhora D. Luiza viuva do falle- ^tsy A obra intitulada a ilha
cido Brasileo pode mandar buscar a suia quem tiver aununcie.
de lavarinlo que mandou fazer pois a mui- 555- Urna cabra parida de pouco lempo ,
to ja est acabada j em Olinda na ladeira qUe tenha bom e bastante leile \ quem tiver
da S. annuncie.
tsr" Precisa-se de 2 contos de res a juros .___________________-----------------------------
com hf polheca em um sobrado -.;'e dous an- V 6 12 (1 <1 S
dares no Rerife ; quem quiser dar nnnuncie.--------------------------------------------------------
tsr Pretisa-se alugar um pequeo sitio tsjr Por 35ooo urna duzia de cudeirs ame-
icoguila
prios para colxis de cama forros de cadeiras,
e ricas franjas brancas para guarnecer camas
ejinelas; na ruido Crespo L>. 6 lado do
iu|.
sov- Um mnleque creoulo de irade de 18
annos de ptima figura com principia de
sapaieiro e cosinha i> diario do uma casa ;
emOliuda na rua do Bim Sucesso nica 83-
brldo.
.r Apolices da pxlincta Companbia de
Pernamhuco e Parahibt ; ni ra< do Vigari)
0. t5 casa de Mndes & O iveira.
S?y Um roolato de ii.i^ de ao annos,
morjoede b)nita figura e urna negra de
idade de 4" annos cozinha cose e faz
baloa ; na rua da cadeia do Recifa n. n,
tS" l)ic.ionari.> btancez portu;5Uei a viae
versa Quiiliano Terencio Selecta co-
mentada e sem comento o nova testamento ,
s a biblia na rua direita loja da couroi D
i6 lado do puente.
ST' Um terreno no lugtr do? Remadioi ,
com 340 palmos de frente e o mesmo de fun-
do i caixiliii de vi Ira-sas nara tres janelas;
na rua do Colegio na botica da Cipriano Lu-
z da Pdz se dir.
KT Umescrav) creoulo para todo o ser-
vico ; na rua do Vigario n. 16,
53- Urna canoa em bruto Je aroarelo com
Jo palmos a muito sa ;-na rua da F|0renti-
ni sobrado novo aj pe di mar.
IST Sebolas e batatas cheg'ulas ltima-
mente do Porto feijo branca x e fradinho
ludo p ir preco comajodo ; na arome.-n do
caes da alfandega u. j, ; e na rua da senzala
velhaO.il.
S2^- Pipas com superior agoa ardente por
modico p eco j na rua estreita do Rozario
L.33.
ESy Ps de buritys, de saoolis e coquelros;
na prarin^a do Litramento loja da viuva de
Joo Carlos Pe reir de B jrgos;
fcgr Taxas de ferro batido a 11a e cuado a 'dnho panno da costa velho com um pe-
loo rs, a libra para ver no caes da alfaide- 'da^o tirad) na ponta $ quema pegr leve ao
ga, e para justar com o despachante Pereira. I pttteo do Paraiso casa 5 que ser recom-
isy Um molato esruro de idade de 4o ao- 1 pensado,
nos ptimo Irabalhador de encbada j na rua | g^- No dia a7 do mez passada f'igia urna
da Cruz D. 1 primeiro andar. 'negra de nome b'ilisarda de naco costa de
KSF- Sacas cem superior farinha dita de jade de ,3o annos baixa cor fulla com
Mag e de Sorui chegadi recentemente panos pela cara e tem um furo em um das
do Uo de Janeiro \ do armatera de Antonio lados do nariz e as costos todas lavradas de
Francisco dos Santos Braga na rua da moe- flores de sua navo levou vestido de afeita
din. ir, ^ rouxa com palmas e panno da costa ; quem
K3T Urna la nova oe boas vozes instru- a pegr ieVe a rua da Couceico da baa vista
menlo propria para quibjuer senhora tocar |), y qlie ser recompensado,
por preco commodo ; na rua de Hurtas casa j-y. Fujiu am p.et0 je ri3ne MjthLis, da
de porta larga com loja de pintura. 'naco angola, estatura baixi cabeon grande,
tsr Seis lacas 6 garlos 6 colheres tudo 0|ho3 afu,nacados ou verra-lh js ps peta-
cona 4oo oitavas a aio rs. urna duzia de ca- n0J de dade de 4 aim3 (juein 0 ptlC
!!
mez passada desapirecea ucaa ne;jra cranla
de nome Cerina estatura recular cheia da
corpo hunda empinada, cebica gran le,
orelhas pegadas beicos grossos com bas-
tante carnes sobre os olii.n, pi apalheitaias,
toscos e corn os dedos muita enrtos \n: pa-
eco nao terem juntas, eHiva com v Mi la da
chita escuro um panno di costa, e uiui
trouxaderoupi deseu uza ha n iticias qua
foi para os alTojulas ; roga-se aos agentes da
polica, capites de campa, ou pesioas par-
ticulares de aprehendel-a e levarem ao at-
ierro da boa vista loja de fazendas 4 que
ser generosamente recompensida,
K> No dia 3i do mez passado fugio urna
escrava de ame ftliria OeneJicta naeii bu-
cal de naco congo p belo cortado tem as 111 iot foveiras e cascu-
das e juntamente os ps he ladina poreru
bucal no fallar ; queaa a pegar leve ao porto
das canoas do Recite 18 que ser recom-
pensado
ssr No dia ultimo de Agosto fngia urna
raoleca de nome .Vlaria de naco Bengne!la,
cara comprida olbos fuaaicentos cabeca
comprida urna marca na fonte direita u
outra no pulco do brago do mesm 1 lado, per-
nas finas meia a travessida no hilar levo 1
vestido de cbila azul camisa de algodo-
parase passar a esla que seja junto ao ba- ricanascom assento de palhiuha ; na rua de(d"f um sof de jac^ranaa com ponca uzo, leve ao engenho Rozara frguesia da Seri-
nli e rao muito distante desta praca ; ftjncel Coco D. 4- quem quiser aununcie. nhaem a seu enhor que be Antonio Ger-
qcem tiver annuucie. &T Jo* Antonia Gomes Jnior continua C9" Urna venda na rua da Guia, com manQ RgUt,jra Pinto de Sjuz ou nesti
sr Quem precisar de um caixeiro para a vender no seu esetiptorio na rua da Cruz pnuco? fundos a tratar na raesma ou na rua Cidade a L>idnoel de Azevedo iVla no atierro
da boa vista L). 19 que recompensar.
KST No dia aodejulhoda carrenta nnno
desaparecen do engenho ilhete freguesiida
(Juna um escravo creou!ode noma Fe iano
se.n offi-io de carreiao de ido le da 40 an -
nos boa estatura grosso do carpo cara
engtnbodo que tem pralica cu para outra D. 12 por preco commodo, sacas com fa-,nova O. 5t
arrumacao, dando fiador a sua conducta, rnlia de mandhea muito fina e alva feita OT Um molato anda rooqo ptimo para
dirija-se a rua nova na penltima loja junto na moiiteca superior u de mag. |o servico de camn ; na loj. da rua da cadeia
a ponle da boa vista. t^s A primeira venda de tora de portas que vira PBra a da Madre de eos*
tZT A pessoa que annunciou no diario de hindo do Bom Jess uy^a o pilar, do lado
sbado e terca l'eira ler um sitio para alu- da mar grande $ a tratar no lerctiro indar
gar perlo da pra^a annuncie sua morad'. por tima da (resma.
SST Antonio Lopes Pereira de Carvuio iS3~ Na loja de ferragem de urna porta na
diixou de ser caixeiro da loja de Didier Ro- praciuha da Livramento ai continua a
beil & Companbia desde o dia 2 do cor vender um estante de ferragi-ns muito ba-
ratas para lirjarfa.o de certa conta, \ \
.acoid loha de brelanha por a8ooo C3-
uii.bus de jinha encarnad \ e azul a 100 rs. ,
cordas de vn'a amarelas n. j a ioo rs. a
duna ms3os de btoxasde sapateiro
duziss de liaaas chatas e maias canas 5 p ::
jatcuiioera cotila, uai resto da cbiieirai
11, a a iSjc n 3 a ifjaa, 5 arralas de
rente.
ssy Arrenda-se um sitio com bastantes
fructeiras capia) do planta, baa agoa de
beber opti.i a casa rom Lastantes comiuodos,
e peno da praca para quera quiser passar a
testa 5 quem o pieltndei di: ij 1 se ao alieno
da bea vista loja -q.
1 reciba-sede urna mulbcr para co-
zinhar e engoamar que leu ba boa conducta rrgos raix-.es o farro grande a jo rs, a l-
e seja ja de idade para tasa de um iuu.c;;i bra :(J milluiros de pregos boliii peque-
sem familia, qu^m ealivcr neslas tncunstan- nos a 500 o lilnero assoaiho aooo m. ter-
cias annuucie. rolts grandes 28 p. ia8o, 34 nao, S, oo,
tST J 'rerisi-se de um Cap la para a Ca-'i4> ii 56o, casserolas muito em couta,
pelado Trigueiro de Ncz^retli da Matta tbesouras grandes para alfaiale a 3,o, mas-
distante desta praca 19 bgoas, ao qual se sos de cieo a aoo louca grande pira fazer
oflerece meia talla aoo ooo de porcao an-
cual t tenfoens livres missa de Natal paga
a parle casa para murada ; quem preten-
der dirija-se a rua do Cabug loja ue ot
Peres da Cruz.
S5&~ Precira-sa alugar um prelo en pela
velba que o seu prestimo nao sirva iei.o pa-
ra cozudiar em um sitio para feitor e tstra-
vos e que seja fiel ; na rua da cadeia do
littitt) n. 6 casa de Manctl A. da Silva .\otu.
S3ST Aluga-se o i. sudar do sol rado da rua
doCollegio 9, com comaodos para quai-
quer familia a tratar na tua do Queiiuado
Ipja de fazendas D, 19.
ful'.s chxbs de lampaiinas para seis ruezes
a 80 rs. dilas de obreias a 80 ts. caivetes
entre unos para aparar penas a ?4 ? e outras
(cuitas ferragens muito em conta.
SS^" liequissimos oparelbos de pocefcna
paracb, as.dm como canecos e dillerentes
tuiris pecas da mesma lou?a e de outras qui-
lidades loucas finas e de bou gas'.o ip8"~
dtijas de cliaio de primeira qualidade^ser-.
fumarias sortidas vidros de essencia de ros ,
tinta de marcar
Avisos Martimos.
PARA O AHACA'IY pretei.d salii ^r
1
e de
tirar iiodoaa estovas
soilidas (inteirosde bronze e de porcelana ,
lencos pelos supeiiores papel de peso ,
vinhode cbampagnbe viJros de kn.uslaids,
eoutias ouias coasas a p e.o commodo na
rua du Vig lio a iGr
kjr Ijuinito de i a inil-o do s.da ,
de loda a ores e de lindos gostos, pro-
4=3> Um cabra muito robusto para todo o
servico e um tapete nova urna banquinjia
de ton dura ; na rua de ti orlas Si sobra-
do de uai andar.
E3^ Urna preta de naco de meia ilade,
boa lavat'cira j na rua do Nogueira 19.
t.'- Urna venda ua rua de S. Amaro a
tratar na mesma.
i^3" Faiinha de mandioca de superior
quaiidade e 4 sacas 'e gomma de engommar
de primeira qualidad?, e umi porca de bar-
batanas dfl balda tudo por preco com mo-
do j ua rua da Queimado loja de erragens
.5.
fr.y' Un escravo de naco de ida de de ao
nnos robusto e ja livre de bechigas ; na
tua do CJj' imado Iojade erragens 18.
j3> uas vaccas paridas e um garrote ,
por piteo commodo ; ua rua do Queimada
U. ti. '
i3r Um venda muito bem afreguesada
tanto para o mallo cotpo para trra, na rua
estrciti do Hozado 3o ; a tratar na rua
nova D, -ti no terceiro andar.
ssr Urna casa teirea de pedra e cal com
bom quintal e da pule da sombra sita na
casa file ; a tratar na rua da Couceico da
boa vista loja de funileiro defronte da Igreja.
%\s*~ Poi prego commodo os srguintes p is-
saros dous viveiros con ciinrios de impe-
rio muito bans ,duui canarias solleiros com
gbiolas urna palaliva uoa e uaa \iveiro vaso j na rua do Pudre Floria-
no .i.
tT A venda da quina do principio do
allt-tio dos htTogadcs U. 1 a dinheiro ou a
praso coto baaa fims ; a tratar na padiria
je Joio Lopes de Lima j r.a mesma precita-
se do dou- cuix.iros.
beuhigasa barba serrada tem urna marca
no que'XO do lado esquerdo que parece C0UCH
de alguna animal; qti-m o pegar leve ao
mesmo engenho ou na rua do Crespa sobra-
do de 1 andares U. 6 quesera recampansado
com 5a,000.
13T" Pnulo do gento de angola, de baa
estatura, corpo regular mos e ps peque-
nos bragos e pernas finas anda alguma
couza bucal de ilade de ai a 2a annos ao
que representa lugia no da 19 do correnle,
levou calcas de algo Io americano ou iuglez.
a imii i'v-o do da lena Cduaisa de xilla azul ,
suspensodos de orello azul ou preto cln-
peu de palba grossa e muita pejueno; quem
o pegar leve ao beco do Veras na boa vista sa
brao de um andar que ser gratilicado*
Moviiueuto do Porta
NAVIO SAHIDDNJIHA 1
Genova ; Brigue Sardo Dous de Julbo, Cap.
Paulo Salari carga assucar.
ENTRADO NO LIA a
.VJaranbo ; 44 das Brigue Escum Rrasi-
pleiro S. Jos de 148 tonel Cap. Ricardl
da Silva iNeves equp 16, carga sil
proprietario elliua Gaiisalves Pereira.
REC1FI7 NA IYP. LE M. F. DE P. ,84^
T


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5LIJACOD_BOTQO9 INGEST_TIME 2013-04-13T02:55:19Z PACKAGE AA00011611_04268
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES