Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04266


This item is only available as the following downloads:


Full Text


Anno de 1841. QaUita Fbiha
Tudo ag-ra dopande d nos mistos ; rl nossa ptudane., modcra-
eXo, oar-u : e.iutinue.nos como principiamos, scrawoi acontados
eo'j ad,o:racio antra as Naecs ais cultas.
ProaUmacio da Asserablta tic. al do Brasil]
tt>
Snhsera-e-ua para asta f.'ifha a 3?ooo por quartel pagos
Otsta Typografia', ra das Crines D.5, na Praca da "
n. tyj
diantado
Independer-
38, onde u recetiem eorraspondencias le/alisadas e n-
oanuos, iruirmdo-*a estes ralis scauo dos proprios assignanlcs,
viudo asaoado.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Ctriadt d Parabiha I Villas da sua prttsneo...... ,'.
Dita do Rio Grandt do Non-s, c Villas Idam.......( .-., f_j...
Dita da FMtaltjW e Villas 1"1" ,""
(Juisde da (oan na ...* ..........,'
Cirtada da OHnda...................... Todos os diasl
Villa dea. Anto...................... Quintas feiras.
Uita deGaranhuns ePovoaco do lonita.........lo, t i i; cada nhi
Uiasdo Cano,'iierinhaein, Rio Forreoxo, a Porto Calvo, i, II, 21 dito dito
Cidadi das Alagoas, a de Maceio............dem Idea.
Villa da Paja de Flores.....................idea lo, dito dita
Todos os Correios partem ao meio dia.
P AS ES DA LA NO MEZiDBaETEM
ihwrt. ming. a 8 as 11 h. e 5> m. da man.'
La Nova a i5 *S 3 b. f il ta. da rom.
V11.1t t. cese, ai? > asi I I. e S7 m. da tard.
La C.'-.eu > ao as 1 La. a 3j m. da man.
Alare theia para o dia 1 de Selembro.
As 4 horas e i 1 minutos da tarde.
As 4 t> ras e 54 minutos da manh.
1 |>K SETEMBR3. NM. I9?>.
CAMRIOS. Agosto 3i,
Londres......3o d. porifoooced.
Ljsboa......80 a 83 por 010 praiuio por metal oilereciiio.
Franca......3ae ris por franco. Canp. Venda.
CURO- Moeda da 6#4oo reis, vainas 14*700 l&fgio
Ditu .. WTas i4|9M 1**700
Ditas de Jooo rais, Kfaoo 8*400
PRATA- Pauces Brasiiairoa.....i#6ao io4o
,, Pexos Coluraoarios......1/620- i#!>o
Ditos Mexicanos -------------1/600- 1/620
Miu:a.............iflao 1/440
Dise. da bilb. da Alfandega 1 118 por loo ao mas. l o o
Irte.ri de letras de boas firmas 1 )|ia I l|4
Moeda de cobre por 100 de disc. o P"
DAS da semana.
3o Segunda S. Rosa de Lima.--Audiencia do Jv.il de Direito da 9*
vara.
3i Terca S lliiuijuio Nonato. -- Relaco e aud. do Juiz de Dir to da
1. vai.
1 Quarta >. EgidiaAb. Aud. do Juizd D da 3. ara.
!i Quinta S. Eslevo Re. -- Auiieucia do Juil de Direito da a{
vara.
4 Sexta S. Eufemia V. M. Audiencia do Juia de U. da I. *
3 Sabbado S. Carnuda V. Relaco e audiencia do Juiz de D. da 3.'
vara.
5 Domingo M. S. da Pculia

1UODJE JANiJRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS SNRS. SENADORES.
Sesso de 15 de julho de iH4i
Presidencia do Sur. conde de Valenca.
Reunido numero stilli'iente de Snrs. sena-
dures, abre-se a sesso, e lida a acia da an-
terior approvada,
Oidem do dia.
Acliando-se presente o Snr. ministro da
marinha, continua a a. dcuiso addiada
pela hurt. da ultima sesso, da proposla do
poverno com as emendas da cmara dos
Snrs. depulados ruando as forjas navaes
para o anno Gnanceiro de i&t a i8*i, e eo
approvadas para passar a terceira discusso.
Prosegue-se a segunda discusso, adiada
em 13 do crrenle, do artigo 7. do prometo
de lei -S creando um couselho de estado ,
conjuntamente com as emendas dos Surs.
l'erreira de Mello e Paula Sjuz.i, apeadas
a referida sessa.
E' epoiada a seguinte emenda.
Ao artigo 8., depois da palavra- compe-
tir augmente-se unid giatificaco que nio*
txceda ao terco do venetmentode uin#mQs-
tro e secretario de estado. Vasconcelos.
Dada a hora rica addiada a discusso.
O Snr* piesidente d para ordena do dia
a terceira discusso da resoluvo que appro-
vaapcnso concedida a i). Constancia Car-
neiro da Fontoura, seguindo-se as malea
dadas para hcje.
Levauta-se a sesso as duas horas e um
quarto.
Sesso de i7 de Julho.
Presidencia do Snr conde de Valenca.
Reunido numero suihiieute de Surs sena-
dores, abie-se a sessso, e lida a acta da an-
terior appiovaua.
O Snr. primeiro secretario um cE.io do
marquei de Marica, partecipaudo achar so
hicuu-.mcd.ido
1''tea o senado uteirado.
Rcmette-se para o archivo um masso de
g. lelas inglesas que se achata sobre a mesa.
Passano se a nomear a deputayoque
tem de ir no da 2 do torrente cte felicitar
a S. M. o Imperador por ser oanniveisaiio
daqueile em que o mesmo Augusto Stuhor
ioi decan do maior sabem eleitos a surte
os Snrs. Paula Cavulcanli Alencar Va-
lasques, Mello Sousa, conde de Lages, Biilo
Guerra, Faes de Andtade, Lubato Mou-
teiro de arros Alves Uranco Mrquez
de liaepenuy visconde de S. Leopoldo ,
Paula Alb*uquerque e Oliveira.
Tendo-se retirado o Sr. Calmon para ob-
jeclo do servico nacional, e veiilicando-se nao
Laver casa fai-se a chamada e acbo-se
presentes a5 Srs. senadores.
O Snr. ptesideote convida os Snrs. sena-
dores prsenles a oceuparem-se em trabalhos
de corxmisso.
II e, para ser presente ao Govemo de S M o
Imperador, a reUeo das .iracas da ju.ru-
?o que p >r i'eriiuentos rerebidos emdife-
reutes combates e molestias graves adijue-
riiss na Camj>uii>B do Maraohfo se havi-
1 tornado invalidas, e absolutamente inu-
tis para o servido militar, a m de que o
Govenu do Mesmo Augusto Sentior Ibes
Cjufeiisse suas rei'ormas (.ara o ijuo iuij
annexas a relaco as les d olhcio das refe-
ridas pracas, com o parecer da junta Sa-
nitaria.
Dito Ao msalo i'xu. Sur. submelten-
do a sua dflOso as pro vas, que presen-
tara o recruta Manuel Francisco de fesus,
que com outro de uome Amonio de Sous
Aleude Uarbusa, ioi remeltido pela preteitu-
ra da Comarca do Liaueiro, e que por na j ter
acumpanliado a declarar.) de suis fiacues,
e condutal se achavo, de sai ordem, reclu-
sos at que se rectbcsseui os deviijs escia-
lecimenios.
Dito Ao mesmo Exm. Snr.; devolven-
do-lhe informando o reqjeiiin<:uio do ex-
soldado Jos Mamel dos I'hsos que suppli-
dva o pjgarueuto de venc acentos a que ti-
uba direito e deixou de recebe! couonue
se deprehendi de sua escuz.
Dito Ao Commaudaute das Armas d
Corte commuuicjudo-lhe quo o segundo
Sargento Maaoel Noberto de .tlouta, qao o
lerceno Uatalho de Aitilbeiia a p coulava
destacado no litigue de Guerra jNiclheruy ,
passava a perceber o seo suido do i. de \laio
Ueste anno eiu dtanle pelo mesoio lingue,
devendo sessar pelo bataluo a cabraaoa Ues-
te vencimeulo.
Dilo AoCommandaula da Escuna 1* G.
IVictheroy, diaendo-lUo qua conviuln osse
pago do seo sold aio res pelo inesoio
lingue o segundo Sargento de Aililneria
110 mesmo destacado .\ianoel iNoberto do
Aiuura deveudo l r poiisso principio do l.
de mio ueste auno eui Oanle por se a-
Cbar pego pelo loatalbo al o ii.u do ue
anterior.
Uno Ao Coaimandante interino da For-
lalesa do ium signibcaudo-ibe U ordem
da Presidencia, que a liarca, do Vapor We-
netuela, vinda ultimameute di Corle do Rio
ue Jaueiro gosava dos pviIrglOJ do navios
de Guerra, por ser de prop ied*do do Govor-
uo Ingle/..
Lato Ao mesmo, daudo-lhealgumas pro-
videncias acerca dos recrutt* viudos d* faia-
iba uo Norte ali leciusos.
Oiversas KepartiyQes
'UUliUNAL DA RELAC \U .
Sesso de it do passado.
Na appellaco civel do Juizo de Dueiio da
Comarca potito Eormoso appellauu o Jui-
I( e appellado Juse Antonio liastoj, Esciivio
l llebello, Ioi julgada pela couraiacau daseu-
Levanta-se a sessso s ll horas e meta ^ aueatda.-
LYC20 DESTA CIDADE.
Acbando-se vaga a Cadeira de Gramtica
da manli.
No dia ao nao houfe sesso, por falla de
n eunaciente de Srs. senadores.
PERNAMBUCO.
COM MANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia a; do p. p.
Omc io r AcExm, Presidente enriando-ida le.
Latina de Garanbuus j mauda o Ex. Sur.
bispo Director faser publico, que cu conae-
queucia d'ordem do Exm. Snr. Piesideule
da Proviucia ira' a concurso da data Ueste a
quarenla e cinco dias a dita Cadeira. Os
Candidatos a ella se uabelitaro ua forma
Directora do Ly,:eo3t deAgastode 1B41
Joo Facunda Silva Guimares.
Secretario.
MEZA DO CONSULADO.
Pauta do preco correnle do assucar algodu ,
e muis gneros do Paiz que se despacha j
na Mc/.i do Consulado de Pern. na sein tna
de 3o de Agosto a 5 do mez de Seiembro di
1841.
t. S. ar.
it
Asucar t. novo
600
Dito M. novo
tioo
Dito 13. vellio
4oo
Dilo M. vellio
3oo
a.
3.
4.
5.
(3.
1. S.
a.
l. S.
a*
3.
4. a
5. *
6.
1. S.
j.
Algodio em pluma
ti
i<

<(
t
.
*
i
tt
<<
ti
1
(
1.
a.
3.
1900)
8.o) 1S00 i.Q.
ijco)
i55o)
i4oj) is jo a.d,
a5oi
ll0O\ ifM Id.
iboo) "
l5oo)
i3o) i^'iooi.d.
laoo)
to 5o)
laoo) 1 sioj 'i. d.
1100)
Sorte ar. 6UJoj
c 5U~4oo
4U400
Jos Mara Sezar do Atnaral.
Antonio liento Eros.
Feitores e Confereates
CORKEIO.
O lirigue S. Manoel Augusto, recebe a
mala para o Rio Grande do Sul, ou es -li-
la por Santa Cailiarina no dii 6 dj cr-
reme.
O Brigue Indiano recebo a m til i >tra o
Rio de J aero no dia tt do corrale.
PREFEiraRA.
No dia 3o do passado nao occorreo uovi-
dada alguma.
Parle do dia 3l do pasado.
Illm. e Exm. Sur. Foi aocilem pre30 pela
Palrulha do desU'icto do Cor,,u Santo o Cf i Oti-
lo Joo Francisco soldado do Uepj.ito, por
i he ser aprehendido um ({arfo de prata ; foi
remeltido ao Commaodaute das Armas para
lhe dar destino.
E leudo hontein das sete pare as oi'o horas
da noite feilo cercar a taberna do Poitu,;uet
Miguel dos Aujus Machado sita 110 lugir
do porto das Canoas por se haverem feixado
por dentro as pessoas que nella s: acavo ,
depois de terem feridos gravemente a outro
portnguiz de nuioe Manuel Amnelo da C is-
la j passei ho;e pela inanbo i prender as
ditas pessoas que sao o dono da dita taber-
na, Juo Rodrigues Manoel dos Santos ,
Theodoro Domingos, e Antonio Joaqun dos
Santos ta bjru Portu.fiiezes, eo Hesnanhol
Joo Serra, os quaes remen para a Cadete ,
a ni de pouer melhor averiguar qual delles
foi q'ferio ao mencijiiadj Anaucio.a quem z
jvilgar com direito a elle a/,rese.itese n> Se-
cretaria respectiva onde tena de ju tiicar sal-
de sui propriedade.
Secretaria da Prefeitura di Comtrca do
Recile 31 de Agisto de 16*41.
Ciaulino do Ke{;o Lima,
Oiii.-ial Maior da mesma.
lR'llUNALDOSJRADOSj
Dia a8 do passado e ultimo.
Jury de aecusapio.
Denuncia do Dmtor Promotlor, contra
Joaquim da Silva Reg, fiel do Trapia do
l'cljurinhi, proauuciado no artigo a4* ('J
CoJi;; Criminal ;.o Jury /j achoa materia
para aecusacao.
Jury de Sentenca.
Qoeix de S l?e>tre Joiquim do Nasci-
mento. contra bMisG^mes de Oliveira Si-
mo Gomes de Soucij Luu Joe Coeliio,
e Manoel Vas l'eixoto, pelo aneStilUlO do seo
escravo Manuel : Ioi condemnado o primeiro
a gales perpetuas, o seguulo a a"* auno a
quatio meses de prisaj e o mai) absol-
vidos.
A Cmara Municipilda Cidade do le.-ie,
d principio as suas sesses ordimrias nodia
a do corren te.
O Secretario interino
Manoel Ferreira Acciolle.
O Administrador das Rendas geraes nter
as avisa a todos os que de^em o imputo do
banco, que a coleti ji se acha feimda tin-
to no bairro do Kecie cono no de Sinto A11 -
Ionio, que venhii psgar, sj'j peni d sj pro-
ceder o executivo.
Recebedoria Jo de Agosto do [ft\i.
Eraucisco Xtvier Cavalcti.te de Albu juerque
Correspoaeicia.
Sars. Redactores.
Lendo o seo Diario de ao do p. p. mez nel-
h cnconlrci huma correspondencia doSnrt
Mmoel Lopes Machado, em que amarga-
mente se queixa da resolu-io que tonou o
Capitulo Fra-iciscJtio por em recluzao a dez
Colegiaes que se negarla obedecer as ordens
de seos Superiores por 1nao ser deferido hu-
ma sua repreientaco em que peJiio e remo.'
cu de dous Compiulieiros para outro coa-
veuto por taitas o crmas mesmj que hs-
vio comjltido e como se depreiicnoU qua
essa conespondeacia he iihi soneute do lili-
11.iludo amor de hum Pai que -a seo iiihosj-
itfudo huuii p.'ni e nao i'or amor di justi-
ca que lhe assisla por isso que elle furmil-
mente com seos co.i.p a seos superiores e qua por isso deven so-
l er pena visto que uentiumi AiSOcuffo fe
pode maut.r sem Leis que as regule n e sem
Cheles que as acij cum,rir puuiu lo a a-
quelies que as suas delermun^-'S lej.e> se 0-
rcoiher ao hospital para ser competleumeule poem come no cizo em qaeMio, por isso cuaj -
tratado. Procedeo-se aoa deudos termos das prime daclarr a esto S/ir. quj eu to bem sou
. Pai ecoino tal amo aos meos (i ius porem
' o que conla das partes boje recbidas esse amor nao me lacia 1 a descoabecef aula
lid Secretaiia. faltas e crimes e que sendo to bem Pie dd
AlV\n\flfi hum desses dez (Jolejiaes necn por su do-
AWttUiN'-IU. y0 eixafjo armar que o Cipiluhcoamut-
O Illm. Sor. Prefeito desta Comar manda la jusliv puuio a falta deooedieucia dos de<
fiser pnblico que na ncite do da 3o do cor- Colegiaes tmpoudo-lUe a peua do rectucao ,
rente, lora aprehendido |or urna palrula achando soxenle essa pena mu.to pequea
do destricto do Corpo Santo a um tudivi- para meo lilho por uso que facinado por seos
do, um garlo de prata j a pesaoa que se ^compaubtiros uutou dcsobetci-jic qun-
nesto

1


DA Rio DE PEfiNAMBCO
BIVRT231

;

dcoido Ti e ani^o lheroKue noseenvol-f meios ao seu alcance para melhorar a sorte ann:>s que pe ib ao capito Birrot lhe tiras-
wue no negocio ira quesio aiseverando-mejdos infelizes, cujas moradas haviam sida des- se de vagjrinho um punhal que at aoscopos
5ne perdera toles a HicizaJe de seo I'ai ede iruidas pelas chammas. Mandaram-se-llies
coa familia do que dnxar de seguir a ccnduc-
m
u e seos ctupnlieiros, Otando certoo Snr.
Muthdo qne a conduela dos Colegiaos em
queslo be divida o abandono em que se a-
cho daquelles que devio cuidar de suas
condutas e nioconsenlir que eiles faco o
qut Lem lhes parece passiando as ras desta
ridade com capatinhos de couro de lustro, ca-
bellos coro eii*.da de literdade relcgio com
cdeiaa de curo por fora do habito sendo en-
contrados as ras alta noite quando devi-
no f.ermanecer uo Claustro donde nao podem
sJtir a caes bcras senfio por desleixo e aban-
dono ero que se|atria o Cemento e nao por
(alta de educavo que retebesssem de seos
Pas, e exaqui pois Sois. Kedacloies o que
pesso responder ao Snr. Machado, e rogan-
Ihe o favor de enstiir tm seo Diario o que
n uilo ohrigai a quem s ama a justica e he
| De Vv. Mm.
JVuito Venerador e Patricio
Luiz Jcze da Silva Gumaiaes,
Sursi Redactores.
Tendo-se procedido a urna deligencia na
FtvoacSo dos Afiegados no da i\ do p. p.
Agosto (n a casa de Lua Francisco Cor-
itia Gomes ; e tendo-se aprehendido em sua
caza escravos alheios de cu jo acto se pioce-
deu o competente termo, ubscrvei quenas
partes da Preeitura nao se mencionou esse
fado (nao obstante occorrerem algumas cir-
cunstancias aggravantes como a de ser pre-
cizo tentar-se a abertura das portas a maxado,
pela opposico da dona da caa em as abrir
pelos meios brandos ) recorro a Vms. a Gm
de me informarem se estiver a' seus alcance,
quaes serio as rares de tal esquecimento ,
com o que milito obrigar ao
Admirado,'
Noticias Estrangeira*.
{PORTUGAL.
ifcel erres reais alguns nmeros doNaco-
i al de Lisboa e do Diario doGoverno que
; ksmao at 39 de Julbo p, p., e coutem no-
ticiesde Hespanha at a3 de Inglaterra at
17 ede Franca at i5 das quaes apresen-
aremcs eos nossos leilores alguns extractos
- ttaisinteressantes.
As noticias de Portugal pouco ou nada
edianto ao que publicamos em o nosso d. de
3. -'tila tm quanto polilica ; continuando
ia Oreara dos Deputados renhidas discussoes
t j.tre es da opposico e o Ministro da Fazen-
da sobie qutsles lnencfiras. Porem o que
neis attrahe por agora a attenco do ltitor
Ctrargeiro paia aquelle nsaladado Reino,
p a serie de talarxidades publicas e partkula-
les, (;ue nelle se suteedem urnas apoz cultas
tm dierentes pontos e os transtornos da
crdem physira e moral ltimamente ocecni-
m all, os quaes interesso a toda a huma-
nidades*
Lniie os desastrosos factos cuja narraco
d. mos nos aiiigos ebaixo transcriptos do Dia-
rio doloovemo, figura cerno sobremaneira
levcltante per ser parlo da preversidade
l.Lixaca o hoiiendo asstssinMo de urna a-
ciiia inteia, con mettido por uro seu p-
rente prximo Constava a familia de qua-
tro pessotl; urna Senbora que (segundo a
decaraffio de um dos facultativos chamados
para a autopia e publicada no mesmo Dia-
rio) lea Uaspassada de l i.uuhaladas ,
1)0 a dasquats Ibes atravtssava o coraco um
i i o menor com 17 ; urna filha com i3 } e
uTraciifcda com 14 j ao. ledo fc'opuuhala-
das .' I i
comestiveis, enviaram-se-lhes da Arsenal
barracas de campanha em numero 9u(ficiente
linha cravado no haiso ventre e que ella nao
tinha oodidu tirar. Ento declarou a mesma
I Julia que todas aquellas atrocidades acabava
para que dos prximos pinhaes pertencen-
tes Fasenda Nacional se lhes dsse toda a
madeira necesaria para reconslruirem as suas
habilaces e insinuou-se s Aulhoridades
q' promovesseoa os auxilios da caridade pub'.i-
ca em favor dos que se acham em mabr des-
graca. Se os que pertenderam suicitM o zelo
do Governo. s tiuham a otenclo de procurar
prto remedio quelles males, devem congra-
tular-ge de ver que os seusdesejoa l ora ai pre-
venidas,
Um acontecimento deploravel cujas con-
enuencias poderam ter sido anida mais fu-
nestas leve lugar no Conselho de Ulme no
Uestricto de SanUrem e deu occasio a mais
de urna narraco exaggerada e falsa sobre a
sua nalureza e circunstancias. Para evitar
os inconvenientes que resultam quasi sempre
da adulteraco da verdade, daremos em sum-
ma urna ideia exacta do acontecido. Tendo-
se furtado no Conselho de Ulme um jumen-
to, e sendo altiibuido o roubo aos Ceifeiios
de Moutargil, que all se achavam em gran-
de numero levantou-se entre estes e o paro
de Ulme urna coutenda violenta, de que re-
sultaran! graves ferimentos e duas mortes.
Apesar de ser consideravel o numero dos que
.-e achavam invoividos na desorden) e de es-
te rem os nimos sobremaneira irritados, con-
seguiu-se apacigalos em pouco tempo. O
1 loverno expeda ordens Adminislraco Ge-
ral do Destriclo para proceder a rigorosas in-
vestigares sobre o procedmento da Autbo-
ridade local, e tomar as providencias conve-
nientes para que os auctores do tumulto e
todos os culpados nelle sejam capturados e
processados na conformidade das Leis. O
Governo nao se esquecer nunca que a jus-
tira o principio fundamental do program-
la da sua adminislraco.
*^e<
LISBOA, 2o DE JULIIO*
Um iiKti.dio .violento e rpido reduzioa
rinzas quasi Itdas .'>* Lar:atas dos pesaadores
a Cesta de Caparica f deixando estes des-
(raesdos e suas familias stm habilaces em
que lecoll er-se. Ho e possivel que o
Ge reino deixasse de aecudir com promptos
occerros s victimas deste desasir } porque
elle cenhece os seus deveres e se rompraz ,
principalmente em discmj tnha'-os, quando
a humanidade liea o reclama,- Jo ha
muito anda que a catastrophe da N illa da
1 rea lhe dra octasio de manifestar a sua
BilMdde e solicilude quando se trocla
ce atLdir a inftlizcs. Entretanto houve qucu-1
para trguilo ii.diuctamente de descuidado
tiJtciasse ..orar as premptas providencias
que elle dia e com husptita ccmpaixo lhe
ittoaiiciiuasse es contiisudos pescadores da
testa. Cjtando esta letcacoieodacio se fazia
joLcvtr.0 tinha cemecado a empregar os
para se rec .Iherem todo expedio-se ordem de commelter seu primo Francisco de Mallo*
Lobo estudante natural da Amiera mo-
rador na ra de S. Eento n. 4 primeiro an-
dar que sob o pretexto d* lhe ter mor ib
urna tia em cuja casa eslava e nao ter a-
on-ie fiear tinha na vespera ( a4 ) pedida
mi delU declarante que odeixasse -ilii fiear,
no que ella consentir dndo-i!ie una cama :
que s onze horas e meia desta ncite eslandj
ella e sua mi e criada ni coziriha dissera
aquelle brbaro dona da casa que lhe quera
fallar era particular e que inda ella sala
se sentir um estrondo cuja causa a criada
veio observar e vendo j. sua ama ossissina-
di rev ella loj igual sorte, e em seguida
o menor Emygdb na cama em que dorma :
que ella Julia vendo taes atrocidades quiz fu-
gire gritar mas foi suiioeaJa por aquelle
moostro que ao p da cozinha lhe deu no pes-
i'oeo urna punhalada conduznda-a ao p
das outras vctimas e que venda elle a cria-
da anda viva acahou de matar em qudnlo
ella Julia correu janella que tentou e el-
le nao deixou abrir, agarrando-a pelas goe
las e cjuduzind-a oulra vez para junto das
mais viiti.'.as cravando-lbe o pual da ma-
neira que ^.stava quando lhe fora tirado per-
suadindo-se elle que ella ficava morta por
que ella assirn o Bngiu arraslando-se depo-
is para a cama em que eslava. Em acto se-
guido ecoin um desvelo e diligencia dignos
do maior elogio o Exm. Commandante Ge-
ral mandou cbamar facultativos as autori-
dades civis e capturar o delnqueme. Ap-
parecerajn mu breve os habis e phlaniropi-
cos facultativos, Jos Baptista Cardoso Klerk
Joo Pedro llarral e Luiz Cesar Baurquim,
queprestaram infeliz menina lodos os sac.
corros que a arle e a humanidade aconselbal
vam serem proprios sem se poupar cousa ou
diligencia alguma. Correram a capiturar o ri
o alteres da 1. companha de infantera jj
Guarda Municipal Antonio Candido Cor.
reia e o oicial da secretaria da administra_
cogeral Agostinho Jos Pereira : acliand0
aberla a porta da escada u. 4 da ra de S
Bento baleram no primeiro andar e nao
Ihelailandoabi alguem bateram no segn-
di> e quando o fa/i.-m ouviram voz de mu-
lher no primeiro andar a que novameute se
dirgram eperguntsndo se all morava um
fulono iVIattos se lhe respoodeu que era no
quarto fronleiro, correo o dito Agostinho Jo-
s Pereira a postar sentinellas uos diversos
locaes que lhe parecerara propios para obstar
a evaso do reo. Ficou o alferes Correa a bater
a porta que lhe veiu abrir um individuo
que eslava em mangas de carniza e confessou
logo chamar-se Francisco de Maltas Loba.
Tinha elle os punuos e peito da carniza e
o colete que tinha vestido tudo iosangueola-
do e as calcas em que tambero anda havia
sangue esta vam molhadas do joelho para bai-
xo por acabarem de ser lavadas em urna baca
de rame que eslava ao p da cama. Pro-
curando o alferes Correa outros vestigios ou
instrumentos do crimo achou no chapea do
assassiao tres acces do banco commercial do
Porto, averbadas a favor da assassiuada D,
Adelaide Filippe da Costa estando duas des-
sas aeces inianguentadas. Perguntado a o
dito Mallos si era elle quem acabava de as-
sassinar nmi familia na ra de S. Paulo ,
respondej que nao ha vera all niuguem que
dissesse ter sido elle; informado de que o dis-
sera urna menina que anda vina ficou sur-
preheudido e quasi suffocado e nao se a-
trevendo a ne^ar seu horrendo crime disse
que dissessem o que quizessem pois que se
o havia feito era para se defender de um ho-
rnera que eslava na easa para o obfigar a casar
com a dita Julia e para cujo dol a falleci-
da D. Adelaide lhe havia dado as acedes do
banco do Porto que tinha no chapeo. Es-
ta prsao leve logar pela urna hora e um quar-
to da manho de ati e declarando urna mu*
lber que o dito Mattos tioba em casa que
oo teodo elle l dormido na noite anteri-
or e tendo dito que nesta tambera nao fi-
aba havia entrado depois de meia noite.
Condozido aquelle moostro preseoca das
suas victimas foi logo reconhecido pela dita
Julia que o proclamou o seu assassioo ede
sua familia. Eram pouco mais de duas ho
ras quando apenas foi avisado appareceu
o administrador do 3. julgado o Doutor Joa-
juiuj Marques Paul. Mandando chamar o
escrivo de seu cargo Maooel Joaquim de
Aiascarenhas, appareceu este imm'idiaumen-
te tambem e ao passo que principiou de
O borroso altenlado da ra do Arco Grande.
Adminislraco do 3. Julgado.
Pelas onze horas e tres quarto da noite de
a5 de julho de \S^i estando Frederico
Augosto Jaimes em urna das suas janellas que
deita para a ra direita de S. Paulo, viu que
no primeiro andar da casa n. 5 da n.esma ra
chegou a urna janella, e fez intil esforco para
a abrir, urna mulher que pareceu dar gemidos
dolorosos: que pouco depois um homem abriu
a aesma janella e se puzera no seu parapeto
locando com os dedos como por dislracco :
que ladrando muito um cao que era muito esti-
mado da dona da casa, fora este lancado ra
pelo dito iidivduo. O refeiido Jaimes descon-
fiando que aigum crime ae houvesse perpetra-
do naquella casa correu cstaco da Guarda
Municipal do Caes do Sodr cujo Comman-
le lomando-lbe o nome mandou dous solda-
dos que apenas acabavam de chegar pona
da dita casa i'oram seguidos do Exm. O. Car-
ios Mascaranhas Commandante Geral da
Guarda Muuicipal a quem na occasio de
rondar a eslaco o Commandante desta aca-
bava de prevenir de q' havia prestado aquel-
le tiixilio : o icesmo Exm. Commandante
Geial fazendo chamar o Capito Uarrot ,
Commandante da Companha do Dislricto e
alguma Aulboridade Civil aaiidou a um
soldado bter na porta da dita casa n. 5 de
donde ninguem espoudeo. Subindo elle mes
mo Exm. Commandante, e descendo a dona
da hospedara do segundo andar e os hos-
pedes que ahi tsia v..m baleram do rcesmo
medo sem outio resultado seno o de ouvi-
rem gemidos dolorosos. Prevenido o Exm.
Commandante Geral tie que para o lado da
rus nova do Caivaiho tambem a cesa linha
janellas oi all postar urna senlinella mas
ja ento eslava abeita a janella por onde depo-
is se veriicou que sahira o mouslro seodento
de sangue. Chegado j o rcapilo barrot, subiu
elle e um soldado da sua companha por um
escada janella que eslava aberta do lado da
ra de S. Paulo, e achando tehada por den-
tro a j orta do timo da escada a abriu eo-
tiando logo o dito Exm. iGommandante Geral,
o Redactor dos Maitjre o dito Frederico
Jaimes D. Francisco de Salles de Lancas-
ire o capito Lebrond e e oulras muitas
pessoas que dirigindor se a um quarto aon-
de viram luz acharara abi moras a dona da
o sa D, Adelaide Filippe da Costa seu iiho
de Je doze annos Emygdio Costa e sua
criada laicisa estando anda viva em urna
cama a
Ju-
ia Peraleda Cosa, de idade ,de quarloue lavrar um auto ciicunsUDciado de
icipiou de]
e todo ete I
horroroso acjiteciment), mandou o raesmi
administrador ( eram tres horas e um qmrto)
dar parte ao Magistrado de Polica Cirre-
conal do que por astentimeuta di Exm. om-
mandante Geral da Guarda Municipal foi en-
carregda um alferes decavallaria da mesmi
Guarda : tambem por ensinuico do mesnria
administrador mandou o dito Exm. Comman-
dante Geral postar sentinellas na casa aonia
foi presa o brbaro assaajino e e>ta qiej
esta? no calaboueo da 1. companha da
Guarda Mnnicpal ao Carmo, foi novanerrte
conduzido presenca da infelit Jjlia pra el-
la repetir as suas declaraces peranle elle ad-
ministrador seu escriva e teslemunhas
que assignassem o acto que se eslava levantan-
do. Tendo os dito* facultativos declralo
que a mesma Julia eslava em seu perfeito jui-
so, e enlendimento n)va sentado o preso Francisca de Mattos Lobo ,
que rila mu clara e distnctameute repetiu
que era seu primo natural da Auieira } e
que fora que.n a apunhalra a e la le:ido as-
sassinadosua mi irmo e criada pela for-
ma que havia dito quando lueliraramo pu-
nhal que em si linha cravado o que e o
dizero dito Francisco de Mallos Lobo quan-
do a infeliz Julia o nomeou o seu assassino ,
e de sua familia que ella Julia sua prima
bem sabia o motivo porque elle o havia feito,
ouviram entre muilas oulras pessoas, ales: da
administrador e seu escrivo os ditos facul-
tativos o Exm. D. Carlos dascarenbas o
capito e alferes da 1. companha da Guir-
da Municipal, o Red clor dos Marlyres,
o dito Agostinho Jos Peraira U. Francia-,
co de Sallas de Lancastre capito Leblond ,
e negociante Brounel. Mandou loo o admi-
nistrador por incommunicavel o monstro,
que era o horror de quantos o vi im coa re-
commendago de ser constantemente guarda-
do para nao destruir nenhuaa doi vestigio! que
em s tinha de seu nefando crime 5 nisto se
houve, como em tuda mu exicu e dili-
gentemente o digno coaa tnltu'.t; da i. ca.
panhia da Guarda Muuicipal. Providenciou.
bemassimo administrador que se guardas^
sem da mesmo modo e no local em que es-
lava m todos os vestigios permanentes do cri-
me para o Magistrado Correccional, a quera
foi nova e urgentissima participaco olficial,
proceder ao respectivo corpo de delicto. No
b*ar do delicto appareceu o Exm. Ministro
doReino que recommeudou se prestassea
infeliz Julia anda viva todos os soccor-
ros necessarios : appareceu tambe a e fe
iguaes recommendacSe o Exm. administrador
geral do districto a quem o administrador do
julgado expedir uaa breve e sucinta par-
ticipaco. Tambem appareceu o secretario
geral, e alguns empregados da admiaistracao
geral. A's sete horas da manho estanjo era
seu perfeito juiso a dita Julia, receben com
resgnagio e verdadeira piedade Curisl to-
do os Sacramentose s nove horas e cincu-
enta e cinco minutos falleceu com viva seuti-
mento de quantos observaran) sua caodura a
bellas qualidades. A's nove horas da manh
appareceu para tomar cauta do espolio da ca-
sa o Doutor Jos Anlonio Ferreira Lima,
Juiz Conservador da Naco Fraoceza por
ser subdita dessa Naco a fallecida D. Ade-
laide Filippe da Casta. A's nore horas da
manh appareceu tambem o Delegada da 5.
vara D. Joo de Portugal Silveira para pro-
mover o corpo de delicio e aecusago da reo,
e as dez horas appareceu o uagiclrado de Po-
lica Correccional do a. Discncto e seus es-
crives, e o Doutor Delegado da 4* vara no
impedimento do da 3. O mesmo Magistrado,
a quemo administrador eutregou o auto que
s uito horas da manh linha concluido, e
em que se faz a narraco fiel de todo o horro-
roso altentado procedeu a exame e corpa de
delicto nos vestigios destes existentes no deiin-
quenle e depois proceded com a sua natu-
ral aclividade e pericia a todas as diligencias
legaes. A's cinco horas da tarde fot o reo
conduzido da companha do Carmo para o
Limoeiro pelo digno capito Barrot que ter
ve de empregar a sua aclividade para evitar
que este moustro de nova especie pagasse s
mi os do povo contra elle irado parte da sua
divida. Seriam poucas todas as express5es pa.
ra elogiar os relevantes servicos e activas di-
ligeucias empregadas nesta conjunctura pelo
digno Commandante Geral da Guarda Muni-
cipal e seus subaiiernos : com eiles revali-
saram porfa as aulhoridades civis, e uo
menos os habis facultativos e os zelosos ci-
dados que de to boa vontade se prestaran
uns com as suas luzes e todos com a sua an-
nuencia para em tempo eompetente testemu-
nharem sobre os actos de que tivera conue-
eimenio, o que tudo se mencionou no auto
levantado pelo administrador do t jugado,-


DIARIO
P E R N A .41 B II C O
3
E falso ler o assassir.o passaporte pira ir
para o Porto como por ah se leaj publicado
Elle natural da villa da Amieira Caminar-
en de (iaivao filho de Jos Pedro de Mallo,
Conde. Lisboa 28 de julbo de 18 ii. -O
Administrador do 3. Julgado Joaquina
Marques Paul.
No logar competente da parte oficial, dei-
xamos transcripta a noticia dada pelos Admi-
nistradores Genes de Beja e Faro da cap-
tura de tres Chelea de Guerrilhas sendo um
destes o malvado Alvalede que se inlitulava
Rrigadeiro e exercia sobre os bandidos a
primera influencia. A apprehensa deste fa-
cinoroso foi principalmente devida intelli-
gencia e a tividade com que o Bravo Capita
JNeutel diri{;iu a tropa do seu Caminando na
sua perirguitio. J pelas parlicipaces clB-
ciaes do Conanaandante da 8. Diviso sab-
amos este importante acontecimento que lo-
go publicamos. O Correio de boje confir-
mando-o d-nos a certeza deque elle concor-
rer para a mus prompta extinceo deste fi-
gelo. O estado em que se acbam os bandi-
dos da Alemtjo e Algarve era j de grande
desalent Dispersos em pequeos bandos vi-
vendo apenas de suas arriscadas depradaces,
sem recursos o sem tsperancas nao ousavarn
rtunir-se entre tanto os embustes do Che-
fe Alvalede mantinham aii.da entre elle*
illuses que os ligavam aquella vida. Es>tas
illuses devem acabar com seu perverso auc-
tor Coucebemos por tanto a mais salivatoria
espemnea de que em breve ficaro livres e
desatontados desses inimigos aquellas Pro-
vincias que tanto leem sotirido. Gracas
constante aclividade, inlelliguncia e telo
com que as aulhoridades, tanto civis como
militares ah leem empregado todos os meios
de acabar to grande mal, e gracas solici-
tude com que apesar dos graves embarazos
que o cercam o Governo as tem habilitado
para conseguir to desejado lira.
Por officio dos administradores geraes de
Beja e Faro constara que, no dia a a do cor-
renle ruez de Julho luiam apprehendidos ,
no Valle de Porcas Concelho de Mertola ,
dous ebefes dos bandidos da berra do Algar-
ve j e que o seu principal commandanle de-
nominado o brigadeiro Abalad fora cap-
turado icIo C-f i &tl t de Infantera
N. 25 destacado em S, Uartholameu de
Messiues.
CAMBIOS E M LSBOA i
Em 19 de Julbo;
Londres 55 3|4 por if rs. 3o d. v.
.... 54 .... por ... 90 d. d.
Amsterd. 43 i|4 D.43L. p.^oo rs. 3 m. d.
Hambuigo 43 3|| D. 48 i|i L. p. ij rs.. d.
Trieste /5o D. por lorim d.
Genova ... 52; D. 5a8 L. p. 3 L. n. d.
Leorne i pot 1 L. F, d,
aples...... por 1 Dd. d.
Paria 53o L. 629 D. por 3 ir. 100 d. d.
Madrid....... por 1 P. deC. i5 d.
Na sessia inmediata chamou iSr. Arguel-
les a altenco da assembla sobria sua pasi-
c> especial por Ihe sugerir 4 sua delica-
deza que achando-se revestido \ela vonlade
nacional da cargo eminente e honroso ue tu-
tor de S. M. e A., nao podiaYonlinuar a
presidir no Congresso e por eses ponde-
rosos motivos se retirou da sali tara que a
assembla deliberasse acerca das su* duvidas.
Abriu-se logo a discusso s .late este in-
cidente e depois de orarem varios! Deputa-
dos decidiu-seem votaco nominal por 1J1
votos contra 2 que a noaaeajao doSr. Ar-
guelles nao o inhabilitava para coilinuar a
exercer as funeces de presidente a Cju-
gresso,
Snhiii logo da sala urna rammissa a par-
ticipar-Ihe aqnella decsa o poucaj mo-
mentos depois voltou acampanhada do presi-
den'.? o qual sendo-Ihe notificada a resol u-
co da assembla manifestou com dignidade e
etfuso o quanto se achava penhorado in-
sistindo todava em ser alliviado da presiden-
cia do Congresso por Ihe parecer sobre mo-
do dilncil, senlo impossivel, o aecumuiar os
dous carjua que Ihe haviam sido conferidos.
3
Cdiz .
y leona.
t

1 >*>
45a D. .
( Do Diario do Gorerno. )
d.
HESPANHA;
Madrid i5de Julho.
No dia 10 leuniram-se as Cortea no pala-
cio do Senado para decidrem acerca da va-
cancia de tutela de S. M. a Rainha e de sua
augusla Irma e procederem nomeacao do
tutor. Achava-se de servico no palacio das
Cortes urna guarda de honra composta de
umacompanhia da Milicia Nacional, coma
bandeira do Batalho respectivo. As tribu-
nas publicas estavam oceupadas por um gran-
de numero de espectadores desejosos de pre-
senciar um acto to solemne como novo,
Poucoa minutos depois do meio da decla-
iou o presidente abena a sesso, e proceden-
do-se chamada vericou-se estarem presea-
tes 38 Senadores e 161 Diputado*.
Perguntou-se em seguida se a declaracao
da vacancia se faria por votaco nominal ou
secreta e venceu-se por a35 votos contra 4
que fosse nominal a votaco.
Vericou-se immediatamente a votaco e
por ao3 votos contra 36 foi declarada vaga a
tutela.
Aunuuciado que foi o resultado da votaco
nominal procedeu-se logo elegi do tu-
tor por meio de listas sabindo eleito pela
immensa maioria de 180 votos D. Agostinbo
Arguelles actual presidente do Congresso
dos Deputados.
Este resultado foi acollado com estrepitosas
acclaraaces por lodos os coocoireuU9a
dem ao de Julbo.'
O Congresso dos deputados occup.avam.--se
com a discusso da orcamento. Na sesso >
dia i(j versou a discusso sobre o crdito de
3 o 11,00a reales que o Governo pedir para
dotaco de S M. a Rainha Vli, e que a
commisso respectiva conceda sem prejuiso
du que sobre patrimonio Beal decidissem as
Cortes. Depois de animado debate foi a-
quelle crdito concedido por 9 5 votos contra
Na sesso nocturna do mesmo dia estando
em discusso o orcamento da guerra, oilere-
ceo-se urna emenda para que o Cangresso
negasse as verbas relativas Guarda Rail ex-
terior e interior. O Ministro da Guerra
combateo a emenda, afumando que aGutr-
da nao gosava actualmente de nenhum dos
anligos pri'ivilegio>, que podio olan der as
outras armas do ejercito e declaraudo ou-
trosimque o governo eslava tractauto da
sua reforma geral. Estas rases prevalecero
e foi a emenda regeitada por 91 votos con-
tra 16.
Em seguida pedio o Deputado Muoz Bue-
no a palavra para interpellar o Governo a-
cerca de varias rollisdes occorridas entre os
guardas-rostas Iiespanhoes e algumas em-
barcares de contrabandistas em Algeciras
Os Ministros de Estado e da Guerra res-
pondern! satisfactoriamente aos interpel-
I antes.
A sesso do dia immediato foi oceupada
com o mesmo assumpto o orcamento da
guerra e ficaro approvadas todas as eccono-
uiias propostas pela commisso.
Na sesso do dia 18 tratou-se da lei para
a alienaco dos bens do Clero ; mas o Con-
greso nao tomou resoluyo alguna*, cando
des la sorte pendente o debate.
Na sesso do dia 19 versou a discusso so-
bre assumptos de mero interesse local.
Tinbam occorrido em Barcelona alguns
disturbios originados em urna rixa entre
dous militares e segundo as ultimas noticias
d'ahi recebidas que alcancavam at i5 ,
anda havia recelos de que se renovasse a
cornmoco.
commisso rejeitado [em votaco nominal por
83 votos contra a6.
Passou depois a discutir-se por propjsicao
incidente dj Deputado Itnardi a propi-ia
mensa^em dj Sina la ; piren depois deja
encelada a discusso retirou o preopinante .,
com annuenoia Jd > Congresso a su* propo-
sicj apesar de haver sida tomada em c>n-
sideraco. Em seguida entrn em discusso
a totalidade da mensagem da Senado, e depai
de fallarem cor.traella varios oradores fu
approvada na sua totalidade, passando o Can
gresso a discutir os arligos, e Bcaudo todos
approvados em votaco ordinarii.
Na sesso nocturna depois de se discut-
rem alguns assumptos de interesse local en-
trn em discusso a totalidade da authorisa
cao para que o Governo padssse contractar
urna anlecipaca de 6) milhes. Alguns 0-
radores combateram a authorisacaa por Ibes
parecer inad-iuada as urgencias ncluaes li-
canda a discusso pndente para asessa 13-
guinle ; e nessa depois de discut li a tota-
lidade da projeclo -paisou-ss ao examejo
artigo primeiro at que chegada a liara de
levantar-se a sesso Gcou a discusso apre-
sada para o dia immediato.
Segundo as ultimas noticias de Barcelona
achava-se felizmente reslabelecida all a or-
dem e Gcavam desvanecidos os receios de
que setornasse a alterar o socego publico.
Os principies culpados dos excessas de A-
Ihucemas a que nltimamento alludimos ,
haviam sido fusilados, e os nimos dos ha-
bitantes daquelli presidio ficaram tranquili-
6ados com aquella actode juslica.
(dem.)
---i--
Dito de' Bouohes du
Rhone.
dem de a3 de Julho;
Na sesso do dia ao disculu-se no Sena-
do um projeclo de lei relativo extincco dos
direitos e preslaces que se pagavam s
communidades religiosas.
No mesmo dia no principio da sesso no
Congresso dos Deputados, propoz o Deputado
Cortina que se pedisse ao Governo a Real or-
dem original, q' sob o Ministerio do Sr. Cal-
dern Collanles se expediu acerca das eleic-
es a que se procedeu em 1839. O oLjecto
desta indicac,o que foi approvada pare-
ceu ser evidenciar a parte que o Gabinete da-
quelle lempo tomou as mencionadas elei-
cOes.
Na sesso extraordinaria do mesmo dia con-
linuou no Congresso a discusso pendente re-
lativa totalidade do projecto de lei acerca da
alienaco dos bens do clero.
No dia immediato oceupou-se o Congresso
dos Deputados com a questo suscitada pelo
Senado relativamente ao juramento que o tu-
tor da Rainha e da sua augusta irm deve
prestar perante as Cortes. A commisso a
quena lora remetlida a mensagem da outra
assembla colegisladora fundando-a na
Constuicia do Estado e na lei de 19 de
Julho de 1737 opinava que as Cortes nao
podiam reumr-se para similbante efleito.
Depois de alguna debate, foi o parcer da^mat,
O Gerente do Consulado de Franca nesta
Cidade tem recebido do Ministerio Fran-
cez o avizo seguinte que manda publicar
para chegar ao conhecimentodos nuticas.
Os navegantes sao prevenidos que de pri-
meiro de Novembro prximo em vanle seis
novos fogos Gxos, aero accendidos durante
todas as noutes, as costas de Franca nos
lugares abaixo descriptos, a saber ;
1. liba de Saiiu-Marcouf, departamento da
Mancha.
a. Porto-Navalo i dito do Morbibani
5. Bacja d'Arcachon dito da Gironde.
4. A Camargue )
5. Porlo-Cosis J
6. Porto da Ciotat. )
As seguintes indicaces faro conbecer o
local e o alcance de cada um dos ditos
fogos.
Fogo da liba de Saint-Marcouf.
Sobre a fortaleza da mesma Una. Latitu-
de 49 39' 55" Longitude 3 39' O' O.
O foco do aparelho da lux domina de 17 me-
tros o nivel das mares vivas do Equiuoxio
Em lempo sereno este pequeo fago poder
ser visto at a distancia de tres leguas ma-
rtimas,
Fogo de Port-Navalo.
Sobre a ponte de Port-Navalo, lado direi-
10 da entrada do morhiban. O foco do apa-
relho da luz domina de aa metros o nivel das
mares vivas do Equinoxio. Em lempo sere-
no este pequeo fogo poder ser visto at a
distancia de tres leguas martimas.
Farol da Baca d'arcachon.
Sobre o Cabo Ferrol a 3ooo metros ao nor-
te da entrada actual da Baca d'Arcarhon.
Latitude 44 38' 43" Longitude 3 35'
i" O. O foco do aparelho da luz domina
de 5i metros o nivel das mares vivas do E-
quinoxio. Em lempo sereno a luz deste Fa-
rol poder ser vista at a distancia de seis le-
guas martimas.
Novo Farol da Camargue.
De primeiro de Novembro prximo em va-
te o pequeo fogo estahelecido deste 18Jo
sobre a beira oriental da embocadura do ve-
Iho Rdano (.por 43 2o' 3o''de Latitude e
a ao' 3o'' de Longitude E ) ser supprimi-
do e substituido por um Farol de primeira
ordem a fogo fixo cujo ser acendido sobre a
torre novamente edificada a 55 metros ao nor-
te, 37 O. do antigo fogo. O foco do novo
aparelho domina de 3b' metros o nivel do
mar. Em lempo sereno a luz deste farol po-
der ser vista at a distancia de seis leguas
martimas.
Fogo de Port-de-Cassis.
Sobre o lado esquerdo da entrada do por-
to a sa5 metros ao norte 99 o O. da ex-
tremidade do morro situado a direita da mes-
ma entrada. Latilude3 ia' 3o" Longi-
Novo fago'do Porto da Cislat.
De primeiro de Novembro em vante, o
parto da Cislat ser sinalado por um seguadj
fogo que ser acendido em cima da pepe-
na torre edificad* a direita da entrada dasta
porto, sobre a extremidjde do novo morro ,
e situada a no metros ao S. E. do fogo do
(orle Hdrouard, o qual est por 43 io'5(5",
le Latilude e 3 16' 28" de Longitude E
') fogo do marro apesar de menos alto que o
la lorie, ter o mesmo alcance com piuca dif-
lereuea, quero duei que sua luz era ternpi
serena pa lera ser fista at a distancia de tre*
leguas martimas. Deve-se observar que o
segunda fogo da Cislat evitar osrros qua
po lerio temer-se para os navegantes ea
consequencia da estabelecimonto de um fagJ
tiro no parlo de Casos.
Pernam'iuco na Chtncellaria daCms'i-
lado du Franca aos 3 a de Agosto de 184U
Est conforme.
O Gerente do Consulado de Franca ,'
L A. Baudoux*
GABINETE LITTER\ROJ
Devendo procader-se a eleica de um Di-'
rector um Secretario i e um Thssoureiro ,
para administraren! o Gabinete Litlerario na
bienio seguinte, o Eicon. Sor. Presidenta d*
Uireccia actual, em virtude do artigo a. do*
eslabelecimentos manda convidar aos Snrs.
Socios para se reunirem na salla do mesmo
Gabioelo ( hoja 1. de Setembro ) pelas 5
horas da tarde. O 1. Secretario ,J
Luiz di Costa Portocarreiro. j
-**.
LOTERA DO SEMINARIO.
O Reitor do Seminario de Oliuda convidar
os amantes desta jogo a compra dos bilbete*
das.* parle da 17. Lotera, cujo plano)
j foi publicado e as rodas andard iinpre-
ter velmente no da 18 do corrente: Os bilhe-
tes acho-se as casas seguntes Recite ra
daCaduia loja de Cambio do Snr. Vieira >,
Antonio ra do Cabug loja do Snr. Bandeiraj
ra do Collegio loja do Snr. Manezes Jnior a
Boa-vista botica defronte da Matriz do Snrj
Moreira em Oliuda nos qualro cantos venda
do Snr. Josa Manoel dos Santos
Latitude 43 9 ia'
lude 3 11' 4o" O foco do aparelho da
luz domina de a8 metros o nivel do mar.
Em tempo sereno este pequeo logo poder
ser visto al a distancia de tres leguas marili-
Avisos Diversos.
4^1 O Secretarlo da Sociedade Pets-
queira,; convida aos seos membros, areu-
nirem-se ( boje ) ao meio dia i no logar da
costume para a discusso dos novos Estatu-
tos. Ricardo Chrisostomo Roiz'. da Plvora.
xsr N. O. Bieber & Companbia e Le-
noir Pugel & Companbia rogo aos Credo-
res de Antonio Xivier da Silva, bajo de
comparecerem Quinta feira a de Setembro
pelas 11 horas da manh, uo escriptorio da
Leuoir Puget & Compinhia, na ra da Crur/
para tratare na de objectos tendentes as execu-
ces, que elles movem ( como procuradores
raastantes de todos oa Credores) contra An-:
Ionio baptista Ribeiro de Faria eTito Fio-
ck Romano.
tsr No dia a8 de Agosto achou-se um me-
nio de nome Bento Joze da Silva que diz
ter desembarcada de bordo da Escuna GiraJ
rape e ser filho de Ansstacio com Alaria da
Conceico ambas t ranlas \ a quem o mesma
pertencer dirija-se a caa da travessa da S<
Cruz ao p d'um raarcineiro que Ihe sera
entregue adverando que a pessoa em cujo
poder ele se acba se ni responsabelisa pe-^
la fuga que o dito menino possa fazer.
tsr Na paderia da ra Direita, D. 10;
precisa-se de um hornean amassadar que t8rj
nha pralica ; sendo escravo se prefere.
tsr Vende-se Bixas de superior qualid-:
de do Porto e de Lisboa na ra Direita
venda do deiunto Jos da Peona.
tsr Precisa-sede huma ama de ieita sera
tillaos ; quem se acbar nestas circunstancias ,
dirija-se no segn lo and ir da casa defronte
do oito da casa em qcie morou o Dr. Padre)
Meira.
tsr llura rapaz que tem dado cinco
preparatorios prope a dar lices de pri-
meiras letra* em casa particular ; quem qui-
ser utilsar-te do seu presumo dirija-se a rux
de Orlas bindo do Pateo do Carmo lado es-,
querdo primeiro sobrado de dous andares,
sar Quem tiver para lugar urna nsgn \
que seja boa \ e hem assim quem precisar da
roupa engommada tanto de Senhara coms
de hornera ; annuncie,
sar* Precisa-s alugar um a. andar da so-;
brado sendo em boa ra, e nao excedenda*
de 2oU rs. annuaes: rta (ua de Ortai D. 8 y
\k dii quem pretende.


7
niARi
lamuJM
BW l'ergufiU-&8 ao Sor. Tbesoureiro da
Rifa do Sr Ignaiio de Jesus UanJeia, seno
.prtieude pagar os bilhctesd da roesma islo
deseja sale' tira que cabio coro os cobres.
BST" O abaixo assigimdo coroprou e le
eoi seu poder dous roeius billetes da segn- reute pela
da parle da 17. Loleria do Seminario ; nu-1 boa vista ,
meras a-4; i, e 3547, para o Sur. Jos Joa-
quim Raaos Villar do PaK.
Domingos ,V'o eir Ds
tSjrPrecisa-se fallar com o Sr. Antonio da
Cusa Hilieiro scbre negocio que Ihe he de
bastante inleresse ; queira annunciar a su
murada.
ssr Precisa-se de urna casa pequea corx
tanto que leuha cacimba no bairro de S
Antonio ou boa vista ainda que seja por
8000 3 na jiraca da Independencia luja nu-
mero 11.
car Arrenda-se urna boa casa de campo
no priniipio da estrada da Ponte do Uclioa a
margen do lio capibaribe onde morou o l'i-
tii 3 quem o pretender dirija-se a ra da
praia a casa de F. X Carueiro da C nina,
sar A pessoa que liiou urna carta do Cor-
reio viuda de Lisboa pelo Brigue Afii 'ano ,
para Joo Coellio de Almeida de u. 5 5 ,
queira faier o favor de levar a iua des Cru-
tes O. j.
SST Deseja-se fallar com o Sr. Li pes de Castello Branco por isso queia an-
uuiici.if a sua morada.
SW O Snr. J. que a pone 1 ttve loja de al-
iaate queira quanto antes bir uu mandar PARA O CEARA'com es ala nelo o As-
pagar uui par de calcas de brim trancado de su, o Brigue Eacuna Brasileiro Raiuha dos
coidaoque lecebeo para fater de quem bem Anjos salte no da dous do coi rente-, quem
sabe; eisiopeilode um anuo, e se o nao quiser carregar ci ir de passagem diiija-sea
fizer publicar-se-ba o seu nome por exlenco, ra da Cruz a tratar com Jos Goosalves Fer-
tsy Aluga-se o segundo andar do sobrado reir ou a bordo com o Capito.
da ra do Rangel D. 4o $ a tratar na ra do PARA O ARACA'J'Y com a brevidade
Cabug loja de miudeas n. 5. possivel a Sumaca Couceit,a Flor dq Mar ;
Car Ltsapareceo urna canoa a Manoel A11- quem quiser carregar ou ir de passifjem di-
tonio da Silva Molla, no dia aJ do p.p. rija-se ao Mesire Antonia Jos Vianna a
meia aberta ja com bastante uco nao lem bordo da dita Sumaca ancorada defronte do
paneiio e na bujalda (em falta de estopa ; trapiche novo ou a Antonio Rodrigues Li-
quen dela souber queira parlecipar ao dito ma, na praca do Corpo Sanio.
JUolta que gratificara.
O D E PBBN A
rwiir' 1
suas veies fier, sobre objecto de importancia,] sar Um fcbrinha de idide de 7 annot >
na ra da praia armacem de Antonio Calda proprio par/pigero na ra de agas ver-
da Silva ou annuncie,
C53* Perante o Sr. Dr. Juiz do Civel da
3. vara se bao de arrematar no dia 4 do cjr
rente pelas 4 horas da larde no atierro d
vaiios escravos de ambas os spxs
incluiudo urna escrava da coda boa lava-
deira baceleira e rozinbeira bem como
outro para o servico de campo e ha boa la-
vadeira e os oulros de servica de campo .
pertencenles o casal do fallecido Joo Carlos
Pereira de Burgos Ponce da Leao, para pi-
gamento dos credores do dito casal, os qua-
es vo a praca a requerimeoto da viuva in-
venlariante L). Francisca daCunha Uandeira
de Mello.
IST Precisare alugar um escravo para
trabalhar em urna padaria pagando-se ~j 1 <
por dia 3 na padaria da ra direila I). 11.
KST* Aluga-se para se passar a feaia una
casa iv m commodos para grande familia, sitio
plantado com bastantes arvoies de fructo na
estrada principal do poco da pauella na ra
do Colltgio D. 8.
isr Quem precisar de um barbeiro que
se pro j a Idz-r qualquec viagem para Jlora
da provincia pois sabe ptimamente exaeu
(ar os deveres de seu era pujo, dirjase a (ua
di Cruz L). ai.
ty Seis garrotes bms pira ca'ro. e oulro*
tantos mais pequeos e i uovilhas e
gir-
des sobrad/i). 7, roles boas pam se criarem 3 na ra da praia
IST Urd es?Mva mci urna negrinba armazem de Manoel de Sjea Guimares.
e um npgr/, a dinheiro ou a troco de lijlo ; tsr Um Bicudo muito bom cantador o
as 5 panas (I la. qual veio de Goianna, e o melhor que ha-
lar- UsaveivU aaitt afreguei^Ja com J via naquelle lugar } vende-se por preco con-
osfuudoqueeonvNer a., aompradar e tem modo, por haver preciso : 110-paUo da Pe-
nha ca^a lerrea ao p do Deojsiti d rap
%ST Urna venda na ru do CaMereiro D.
43 1 a qual rende diario ra 16000 ; a tra-
lar na ra ilraz dos Martirios casa d< i par-
\l verdes. 1
car Sacas com superior farinha dita de
Vlag e de Sorui chegada recentemante
do Hiode Janeiro ; 00 armatem de Aa'.onij
Francisco dos Santos Braga na ra da moe-
da n. 14-*
S3Sr Superior gomma da aramia che ;a h
recentemente ; ua pr >vi da boa vista venda
V- 9
, ssr Sal do Assuda melbor qu.liiade pjj-
sivel a bordo do liiaia Flor da Larangeira
lundiado defroale do trapiche novo ou na
Avisos iUaritiiitos.
coinmoloi para familia, e pnga peque.-u
1 .gurl .adverte se que se vnnde pr seu la-
no relirai-se pira fora a tratar de su sauda,
a tratar 10 atierro dus alljgidas defronla da
viveirodo Munia venda 10.
tSF" fccas paridas de bezerro novo ; m
i"ua de S. Gansalo defronte da Sr. Francis-
co da Silva.
issr A armaco da loja de couroi com os
fandw-s que ha na ra direila L) i3 \ a tra-
ar na ruados Quarteis D. 3 na seguirla an-
dar.
tsr Urna negra moja meia bu al ja ca-
zin'aa o diaria de urna casa ou troca-se par
oulia que saiba vender na rui j ni ra alrai
doi Manirios *.
T l'or muitocommado p-eco a posse e ruad ca lei '')a n- l7-
bem leilorias de um terreno cam 100 palmos 39* tt>a negriuba de idade de i annaj.
de fente sita nos aQ'jgados no loar dj ca robusta e sen vicio ; na e.trada de Belem a
tuv na beira da estrada da Vanea, cam a tratar com Joo Bapli.la Claudio Tres.e ua
fenle pira a mesma e funJo para a rus de seu sitio
S.Miguel, divide com o sitio di Sai, Jj<- Um fardamento completa para un
qui.i. iU de Mi-Hj Carioca este terrena ha guarda nacional de cavallana e juntimeuia
loreiro ao engeuho Giqui pag um foro todos os arreios para o cavilo lulo em inni-
dimiuuta e he perpetua, tem dentro duas to bam estado ludo junto ou separado, 111
cacimbas com um ptima tanque de pedra e ruado Quaimado n a) lado da ra direila
cal para baubo o lavagem de rouaa dous ps no primeiro andar.
de coqueiros navos e ja da inicio duas pe- --------^----------------------r\-------~--------------
quenas cazinbas de pedra e cal que renden! liaSCrl YOd V llalli OS
ambas 6oo nens-es, e alicorees feitoa na;-------------------------"-------------~ '
mesma fente para se edificarem mais i casas, t> iooUooo reis de1 g ratifica c a aqun
jLeil o
Aluga-se 0 6, andar do sobrado da ra I
do Collogio D. g com commodos para qual- ------
quer familia ; a tratar na ra do Queimado t5~ Que fas o corretor Oliveira de va-
loja de fazendas D. 19. .. (ios Ira&tes viudos ltimamente do Porto
SST Wf.rua. da~8iancia ba para se alu- pelo rigue Ventura Feliz consistindo em
gar ua,a c;sa que tem 4 quartos duas salas cadeiras solas commodts meias comrao-
cosinha fora quintal de cem palmos com das camaps camas banquinhas &c. e
larangeiras e cacimba de agoa de beber. de urna porga de rodis d'arcos para pipas :
car Precisa-se alugar urna casa terrea no Quarta-ieira 1. de Selembro as 10 bo-
Lairrode S. Antonio, e que o seu aluguel ras da manb na ruado Vigario aimazem
nao exceda de sete a oito mil reis; quem livor 11. 7 caza do Snr- Manoel Alves Guerra,
dirija-se a ra do Rangel loja de cera de urna ssr Hita Mana da Couceico Viuva do fa-
s pcTrta. lecido Joaquim Antonio Ferreira de Vascon-
sar Precisa-se de um feilor que enlenda cellos a quem foro aquiuhoados os beus mo-
do trabalbo de eugenho, livre de familia j Teis, e de raz para pagamento do debito do
noengenbo S. i'aulo Freguesia da Varzea. seu casal a esta praca avisa a quen con-
tar* Quem live urna casa na Cidade de vier que no dia 1, 2, e 3, de Setembro fa-
iinda no legar do varadouro a queira r lealo da casa e terrena que possue na m
alugar para se passar a fesla aunuiicie. do Apolo pegado ao sobrado grande do Snr.
KST Aluga-se o stguuuo andar do sobra- Me quita ; tendo a casa 34 palmos de frente ,
do o, 22 da ra diitiu a iralar no priu.tiio e too de fundo sendo de um andar e solo ,
andarda mesmo. e achando-se toda travejada chega o seu
sar Precisa-se alugar urna escrava para o fuudo at abaixa mar ; o terreno em face da
servico interior uexieiior de urna tasa de dita ra de Apolo tem 40 palmos de fente,
prquena familia estrangeira e sein meninos, e 117 palmus de fundo e fica etpasso para
nesla 'I ypografia se dir, chaguo de ao palmos entre urna e oiilra cosa
jar Aluga-se o artnazem legeada e o se- achandu-se toito o alicerce eito e a frenle
guado andar da casa da tua da praia com al o respaldo ; quem pretender esta valiosa
muito bous commodos para lamilid com proprieade poder examinar e ver com pre-
vista para a ra do Faguudes j a tratar ua cedencia ou 00 acto do leilo que lera lo-
ra da radeia velba D. 5. gar no mesrno sito pelas 11 botas da uiauh
KST Um ispaz porluguei que estreve dos referidos dias.
sofrivel v conla coneclaoienle e euleude I \y Que fas o Corretor Oliveira de urna
slguma coma de esciipturavo se clferece pa- | excellenle uobilia de mogno e outios trastes ,
ra lomar lonla da escripia de alguiua casa de de um carro de 4 rodas, 3 optimts CbVallos
negocio, lano para esciever em sua esa, de carro", urna quinta parte do sobrado da a
como ua de qualquerSr. quesa quiser utili- andaies na ra do Livramcnto D. 5 e um
sarde seu preslia.0 tirar pampones folias sitio no liozarinho com boa c.-sa de vivendi ,
corridas, dar batneos em qualquer casa de mullas arvores de frucio e grande baixa pa-
negocio, mui piiucipalffieuie de veadas do ra capim ; Qaiuta feira a do conente as 10
que lem prata copiar quaesquer paueis, hora da maun no atierro da b>a vista D.
ludo com prorxpiido, e a goslo da peaaoa (j casa da esidencia do Snr. Francisco Jos
que o incubar de qualquer couza j que pie- da Costa,
tender dirija -se a ra do Aiago L>, 12.
tsr Lo-se 500,00a a (.remio de dous por
ten lo ao mez com piubores de uuro e piala ,
ou com firmas a conteni ; na praiiuba do
Livrameulo i). 60,
Compras
car Escravos de ambos os sexos, de ida-
de de 12 a 2o anuos para fora da provin-
A pessoa que d ama moialinba para .ta j defronte do liapiclie novo en casa de
te educar uiiija-se a ra das larangeiras so- Joaquim Jos de Amorim.
brado D. junto a refiuaco de assucar as-i fcar Breu prelo em bariisua ra do
sim cobio \ende-se um vaola lodo trastejado Queimado loja i, a ti.
de.praia. i %sr Touciubo arruinado manleiga dita ,
tsr Quem piecisar de urna ama para csa em poifo giandes j na fabrica de Sabio ou
de bomem solteiro ou casado de j.ouca fami- aunuocie. _____________________
lia, diiija-aeaiuddocollcui0jb). ia n0 be_'
em raza de eslar o dono auzeulee deseja-se descabrir o negro Uenedito desapireciJo ha
etieiluar esta euda .con brevidaue para re- 3 me/es pouco mais ou menas o qual temos
mette-se-lhe o importe e por isa) vende-se signaes siguintes : bedenaco, idade piuco
muiloemeoota } arralar na ra do Aragaa mais ou meos de 20 anuas altura regalar t
JJ. aa com Manuel uarte Vieira. cor preta olhos abugalhados orelhas gran-
es^ Sapatos i bolinados de bezerro fran- des: rosto redoudo falla muito baixo ,e ha
cez dos com pala meias bo.ins de bker- muilo manhoso quando desippare.cea tinlu
ro francez borztquir.s de ubora a a4oa algumas leridas de boba pelua joeihis odes-
sapalos de duaaque de Lisboa con fts e sem cubridor pode dirigir-se ra do cabug loja
ella, ditos de couro de lustra para homem de rap do Sur. Bandeira, que dar o dinhei-
eseuhora, sapatos de uaarroquim francez ro ou dir de qaem deve receber.
para seohora ditos de selim eduraqua. di- KST Despaieceu da Sitio da Ara o un ne-
tos para meninas ditos de cauro de lustro gro Cacange chamada Joe pjc alcualia *?-
para dit.s sapaiosde eiim de Lisboa a 1000, xumb, j velho con principio da calva, nui-
*palos de becerro Irancez da urna sola a 19*0 to barbado e peludo pelo peilo r-nas cur-
botins e meios ditos de Lisboa, espartilhas tas, ps pequeos, estatura -..a, corpa
para seohora luvas de pelica e de seda para grosso ; toda a pessoa que o vir e delle sau-
seubora e borneo e botins de beterrofran- ber, facetado pariecipacaa a seu Sr.,^dona da
cez ; na praca da independencia a, 7 e o" laja msno Sitio en Santa Amara ser graiii.
de Jos Antonia da Silva. cado, e muito melhor entregando-Ihe prezo.
SST Urna negiinha cteoula de idade 17 Recomenda-se aos Srs. Co nmandanles, Ci-
annos, bonila bgura engomma liso, co3- pitaes, ou Mestres de Embarcaoeus qua
nba bem e lava de sabio j oulra dita ere- sahirem deste Pono para algum outro daa d-J
oula de idade %\ annos com as mesmas Brasil que nao recebo a bo'do o dito 11 gra
habiudaaes: ua ra Direila ao lado do dos signaes supra ; pois que o auuuu.-unte
Livramenlo. nao ignora haverem uesia Pra?a co nissarioa
4^- A Sumaca Nacional Circulante de de huma compauhia de ladroeus de ngroi
lote de b mil arrobas, he de construco bra- que facen remesja de seus roab s para outras
sileira prompta de um ludo ou m'esmo se dorios-, na loja de lon^ do ass.g.iante ra do
troca por oulra que seja de i a A mil arrobas; Livramento n a se recebe o negro, ou no-
na ra da senzala tellia a fallar com Manoel "cas do mesn con a^recompensa promanad*.
Francisco Paules, ou a bardo da mesma S^ Uesapareceo do logar do po;o da pa-
defronte do trapiche do algogao. nela no dia 4 Abril urna neg.ina de
nome Joaquina de uacaa benguslla da
idade de al" annos, cara redonua, cbelo
estirado como de cjbra boca e orelha pe-
queas olhos grandes cor preta supe-
E5&- Bolins db Lisboa a u561 fsforos a
5o rs. lampriuas a t'o rs. obreias a 5a ,
8o, e oa rs. es-ovas para cabello a 43o ,
cordo brauco a/jo rs. gruxi e outras mu-
las rtiudezas por preco barato j no allerro da se andar Pelos ml0i'] (tUe'n *, ^^ ieve a
boa vista. 21 luja de Jos Joaquim da SU- ra da S. Crui casa deroule do ultima arco
va Guimares. <** ribeira.
ssr Urna casa lerrea de pedra e cal cam Paulo do gento de angola de boa
bom quintal e da parte da sombra sita na estatura, corpo regular maos e ps peque-
casa f, ne i a iralar na 1 ua da Couceico da nos bracos e pernal finas, anda alguma
boa vista loja de funileiro defroiite da Igreja. couza bucal de idade de aa a 4 anuos ao
ma escrava pida muilo clara, de que representa ugio no da 19 do cor/ente,
idade de 18 annos engomma bem cose cli, levou calcas de algodao americano ou ugle*
cozinha o diario di urna casa e oplima para milaco do da ierra camisa de xilla azul ,
criar por ler muito bom Une ; na trempe ca- suspensorios de orello azul ou prelo, cha-
sa de sobrado u. 1. ; peo de palhs grossa e muito peajeovi; quen
t&- Um par de pistolas americanas para o pegar leve ao beco do Veras na boa visia sa
algibeira ; uuito l.ndase de patente u urna b'do de um andar que sea gratificado.
guiado andar
tgr i fteisa-se fallar com o Snr. Dr. Joo
QneriDO Taodiiguca ua iaUa } ou um quem
Vendas
lr Um violo em buoi estado, e por uie-
So commodo ; ueste J ypogri4.
espingarda de um cauo de dornas uno pa-
tente 3 na casa do tbeatto a fallar com Mr.
Valli
Kzt Por preco commodo os scguinles pas-
saros j dous viveircs com cannios de impe-
li muilo bans dous canarios solleiros cum
gaioias una paiaiiva um eolio um bicudo
e um wveiro vaaio } na ra da Padre Floria-
no U. S.
*r A ioleressanle obra intitulada o Por-
tugus e um famoso Bienio por preco com-
OiOJOj na praca da Independencia loja do Sr.
Antonia i* elipe da Silva.
^U' botuauuras de imito bom gosto pa-
ra casaeds ; ua ra larga do Razano U. 9 no
pnmeiro audar.
sar Fugio no dia 19 de Marco de 18t ;
um negro crioulo de nome Joaquim que re-
presenta ter 5o aunos de idade com os signaes
seguintes : altura e corpo regular car fulla,
cara redonda pouca barba, denles limados,
pernas finas ps pequeos muito ladino ,
falla bem e deie ubaracado ha noticia que ele
tem andado pela cidade da Parabyba ven-
dendo cargas de farinha e milbo por Uta
he de supor que esleja morando pelos arre-
baldes da mesma cidade quem o pegar ou
delle der noticia certa lera de gratiricaca
100U000 reis 3 na praciuhado Livrameuto lu-
ja de la leudas i). 1 9. -
REC1FF NA TYP. E M. F. DE F. i8ii
'.'ru


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EF6F4KH34_RINVXH INGEST_TIME 2013-04-13T02:15:50Z PACKAGE AA00011611_04266
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES