Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04223


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ann"de 1841. Saruado
______.... .--------------------l-l-l .....-':...... _I-LBL
Tuda go a dependa de nsmesmos ; da noasa prudencia, modera-
r; c Doign s continuemos cama principiamos, e seremos aponudot
o udmtacio enire as Naces mais caltas.
Proclamac'o daUssemblea Geral do Brasil.
a t a i
iubcreve-se para esta folha a 3Jooo por quartel pagos adiantado,
nesta Typogralia ra das Cruzes D. 3, e na Piara da Indepenrien-
eia, n. 07 e 38, onde se receben correspondencias lei tauncios insinmio-se estes gratis sendo dos propnos assignantes,
Viudo ssgnado.
PARTIDAS DOS COR REOS TERRESTRES.
tSdade da Parahihe Villas de sua pretenco i .
j)iu do Rio Grande do iNortc, e Villas dem .
Dita d Fortaleta Villas dem........f .
dade d Goianna..........,.....
Cidade d> Olind........... ?
Villa deS. Anto......*'.'',.''.....
Dita de Garaiiliuns e PovoaCo do Momio
DiiM'lo Cabo, Serinhaem, o Formoto, e Porto
Cidade das A lagoas e de alacei.......
Villa de Paia de Flores............. -
Jados os Crrelos partem ao meto dia.

n
PHASES DA LOA NO MEZ DE FEV.
[Seg. e Sextas fehas.
Todos os das]
, Quintas feiras.
. lo, e ?4 de cada mes
Calvo. I, II, e ii dito dito
.....dem- Ida a
. idera lo, dito dito
Lna Cheia a 5 as
Quart.ming. a i3r as
La Nova a ai as
Quart. cese, a uH as
n h. 411 m. da tard.
i li. e i (i m. da man.
8 h. e 58 m. Ha man.
5 li. e 40 m. da man.
Mart ehtia par o da 6 de Feverctroi
As 4 horas s 'o minutos da raanhj
As 4 horas e 54 mulos da tarde.
6 me Fkvkheiho. jNm. %1.
CAMBIOS. FvgasiM 5
ndres......ti d. por I Joco ced.
J-,8hoa ......^ por o|o pre.oio por metal afferecido.
"f a...... 51o rcis por franco.
Rio de Janeiro So par. Cohjd Venda
OURO- Woeda de 64oo reis, vellu. ^ JK
f* '),lM ? .. "vas I45> Hjm
Dal>a n .de **fo0, re'> K#l<>0 8J00O
FrlAI A Pistacoes Hrusilciros ? i#68j 1^790
Pe/.os Columnarios---------- 1^703 ig-jto
Ditos Mesicanos--------------lboo i^t.-ia
M''1'.............i#44o 1 #400
Desconlo de b.lhetes da Alandega 1 i|8 por loo ao mes.
dem de letras i a |4 a 1 112 por >oas firmas ollorecida.
Uoeda de cobre a a 3 por 100 de disc
DAS da semana.
1 Segunda Jej-im S. Ignacio B.. M. Audiencia de Juz de Diroto da
t. vara.
a Terca >Jf l'urificar.o de Sra.
1. vara.
3 Quarta S. braa Audiencia do Juiz d Direito da 3 vara.
4 Quinta S. AnlrcCursino Audiencia do Juis da Direito da 5j
?ara
5 Sexta S. Ag-icdi V. M. Au iencia d. Juix de Direito da 1. v.
ti Sabbado As Lbagisde (Jliristo. -- Hellaclo e adieucia de Juiz de D. da
3 vara.
7 Domingo S. R jiuiilJ 1 Ab.
P E II N A MBUCO
THZOCRARI DA F.AZENDA.
Expediente dodia 18 do pasado.
Officio-- Ao Fxm. Presidente do Tribu-
nal doThesouro Publico Nacional infor-
mando o requerimenlo de ^'enron &Coinp
pedindn a isetico dos direitos para os {{ene-
ros que imporiarem para a sua fabrica de
ray estubelecida nesta Provincia.
Dito -- Ao Inspector da Alfandega, par-
tecipando-lhe para sua inteligencia, e expe-
did 5o das ordens necessarias ter a Thesou-
raria attendido vissa das suas nformaces, e
ondicto especial be dos gneros serern dan! uirir desejos mais sinceros de faser-se a p*z o
melhor qualiJade na falta do que serlo re- Bem claro I he allei que nao quereirb nem
(* 1 fin 111 fl O ti An rvi B"\f ak 1I111I Aiit tiln H ni. ilnn ...II a_
cambiados e comprados outros acustados
mesmos fornecedores.
Relaco des objectos precisos para forneci-
mento dos Navios d'ar.-nada Arsenal, e Fa-
rol da Barra.
Aseile dee vinagre, feijo toucinho ,
podendu entrar em ajuste albura com o rnare-
clial Andia, era necessaria remover esse obs-
tculo de paz e de concordia ; e para obler-
se um felis resultado pedia eu viesse em
pessoa aquelle Exm. Snr. ou seu irma'o, por
que, munido de suficiente auiborisa^o es-
arror, bacalhao, larinha, azeiledecarrapato,, lavo no caso de poder romper quaesdtier
e leu lia.
Inspecco do Arsenal de V'ariuba de Per-
nambacoem o i. de Fevereiro de 184
No impedimento d 1 Secretario,
Joo Manoel Miguis.
ARSENAL DE GUFRRA.
O Arsenal de Guerra precisa de comprar
do que declara o A wso de 10 de Fevereiro de porco de aseite de c-o ; quem o tiver coin-
1837 sobre os artigos i4. e i5 do llcgu- pareca noroesmonadia t do corren te pelas
Lmenlo ila mpcmo A iir1ai .,,% .....<._: *
lamento da mesma Alfandega ao reuueri-
mento, que incluso acompanbava de W. II.
Troob Capito do Rrigue Escuna America-
no Clio em que pedia ser isento da multa ,
que I lie fui imposta pela falta de 4o barricas
de rinba r que se encontrou na conferencia
do respectivo manifest.
* Dito Ao Thesoureiro da Lotera do Se-
minario de Olindi rom o requerimento de
Joo Paulo Xavier de Sa lies, pedindo o pa-
gamento de diferent s premios sabitfos a di-
veisos bilbetes junto ao mesmo requeri-
mento j afimde dar a sua informayo a res-
peito.
Portara Ao Thesoureiro da Fasenda
para en I regar a francisco Jos larbosa a
quantia de 4oooU de reis valor a ella in-
clusa So dip, sacada com abonado de Joa-
quina da Silva Lope sobre Antonio Jase Sa-
ares Duarte da Pfovincia do Mardiiba, a fa-
vor da Tliesouraria da mesma Provincia a
queui foi remettida para ser levada em con-
ta das prestaces mandadas abonar pelas or-
dens do Tbribunal do Tbesuuro Publico Na-
cional.
THIZOURARIA PROVINllAL.
Akncio.
A Tliesouraria Provincial paga aos Em-
11 horas da munli.
Veiga Pessoa.
Director.
OBRAS PUBLICAS.
diiculdades e nao dependio de*Anlr'di:
j enta previa eu, que vinda qualquer ou-
tro em semelliante commiss! 1 este ma lla-
meo procurara embaracar qualquer accom-
muJaca Inlelis neme a experiencia moi-
trou que nao meem-ane. V. Ex. Es:; be n
aa faca de todisas pts que elle lem paito no
negocio da ConciHayo, e porisso ouciaso re-
ferl-as aqu eralmenle execrado em toda
o imperio e mu principalmente no Rio
Grande, elle deseja cevar seu odio no san^ua
brasileiro. Acaso ignora V Ex que debai-
xo de sua influencia se tem redimida u'easa
cidade alguna peridicos opposianistas dj p?
rsv tos de es iaia e c< nsid Tara cmquesau
de V Ex o mais resp-itador, veneradar o
criado lienta (Jonyalves d 1 Silva
P. S Neste momento acabo da recebe? a
partecipac) ih general Notta, ipi; mr capia
envi : a vista (billa V. E*. ,)'.>:ii\ cano
u'gar mais confarria con o b.;.n geral se
lne lar oosiivel faseuda-ina aviso de quer resoluca que ta.ne a reijiita. -- Era ut
supra.
Do Jorml do Commercia extrahim-js o se-
gninte que completa as noliciis do Rio Gran-
de :
Todo o trabaldador forro qua quiser tra- Jgnora que seus asseclas fora ati mesmo o
halhar no melboramenta da estrada de San- autore da representaco de Pelrppe Neri coi-
ta Anna pode apresentar-se ao respectivo Ira a concillaco represenlaca que esteas-
apontador naquele lugar. signou de cruz ? Nao sabe V Ex que partida-.
Inspecco das obras publicas a8 de Janeiro ros de Andrea sibiro pira diversos pantos,
de 184
Moraes Ancora,
PREFEITURA.
Parte dodia 5 do corre nle.
Ulna e Exm. Snr. Foro hontem pre-
sos pelo Sub-Prefeito da Freguesia do Red fe
Ventura Jos Ferreira e Antonio Joaquina
dos Santos, brancos o primeiro por estar
espanoando a parda Vicencu em sua casa
na ra do Aseite de Peixr as 10 boras da noi*
te epcommodando os vesinbos ; e o segundo
por ter bridado com urna preta sua amasia ;
foro soltos ; e por um soldado do Corpo de
Polica, Juo Tonjuato Ferreira, tambem
branco, por estar briganda com um matulo, e
nao querendo dar-se loga a prsa a pretex- j
lo de ir a casa tomar a jaqueU lutou com
Idado, do que resultou
o soldado, do que resultou sabir o dito
pregados que hopercbetn emolumentos^ os Torqualocom uns pequeos ferimentos, (o demos esj.eiar de su*
>eus ordenados vencidos al Uesembro nos 'guyente sollo. S<
E o que consta das partes boje recebida
nesta Secretaria.
diasi a 5 de Fevereiro e aos que vencen e;a-
naolumenlus na mesma conformidade de 6 a g
do mesmo net.
Thesouraria Provincial 3o de Janeiro de
Joo IVIancel da Cunba e Azevedo,
Thesoureiro.
Diversas Uepurticues
ARSENAL DE MARINHA.
O Inspector do Arsenal de Maiiuha desta
Provincia manda lser publica que se tem
de por em arremataio o orneciraento dos
objectos abaixo dec larados para as embarca-
c5es d'armada Arsenal e Farol da Birra,
pelo ten*p < de seis me/es contados do pii nei-
ro de Janeiro ao fim de Juubo do corrente
no, O mesmo I lina. Snr. Inspector coa-
AVJINISTRAGAO' DO PATRIMONIO
, DO' ORFAOS
Perante a Adminislraco do Patiimonio dos
orfos se ha de arrematar a quem mais der
na dia [\ do fucturo mez as rendas do pri-
meiro andar da casa numero 1 da largo do
Collegio 5 as pessas que se piojaosere.u a ar-
rematal-as p.ulero comparecer na mesma
casa no indicado dia as 4 horas da tarte com
seos fiadores.
Sallo das Sesses da Adminislraco do Pa
fnraiiib das Orfos Jo de Janeiro de itli
J. M datruz.
Escriplurario.
NOTICIAS PROVINCIAES.
S. PEDRO DOSUL.
[Ilm. e Extn Snr. Francisco Alvares Ma-
eclaraca
vida as pessois a quem taes fornecimenlos cbado. Quando extasiada pela declar ------------
Jiossoconvir decomparecerero com suas pro- da m posta em caria fechada a: o dia 8 do corren- rnais pea esperanca de que mudiria a mr- !luS ,,0Jt H01'
a im de aluciar os ofciaes do exercito inpe-
rial para represonlarem contra a paz e pro-
var assim ao longe que elle gosa entre a tro-
pa de muita popularidade ? Sim, Exm.
Sur., Andrea que empre ss mostrou hostil
a roaioridade do Snr. Pedro II e por
'consecuencia ao ministerio actual, procura
augmentaros seus embaracos naturamenle
de coiiibiuaco com esses lameos sanguinarias
que arruinaro u Bra I durante a nainuiida-
de e que na satisfeitos com lanos mi-
les ptelenJem aindi segundo constante ,
por mcia de uoa movimeate popular, cans-
tran;ero Imperador a desolver as rede3 da
governo ex-regencia, ou a nomeal-os. seus
UtiiiMtros. Em taes ciicunstancias quando
nem mesmo ogoverno de S. M. I. est segu-
ro, como entregaremos nossus pulsos a du-
cupeo desse bomem ? Que garantas po-
adaa 1 n i->t ra o ? A tle-
iCao qut elle taz de pretender deportar de
enlre nos lodo aquelle cuja presenca ulga
ii.fensa e pengosa tranquiltdide publica ,
as duras conuicces que nos-present, e fi-
nalmente at o mneme periga de vida que
corre V. Ex nesta cidade s ,ior ter vinJo
a ella como orgo de paz assaz comprova
que para seus us particulares e os de seu
partido, beque elle fomenta a continua da
gueira. li oante santo pois que fossem per-
didas os passos de V. Ex., nao por vonta
de no9a mais por culpa do marechal An-
drea j e nao leudo anda ebegada o emisario
que maudi-i ao outro lado para combinar ro n
i\eiio e com ogovemo, talvez por alguma
peitiJia dalle, nao me he possivel declarar
1 raucamente como tencionava as bases sobre
as quaes desejamos lser a paz Eulietanto
lorioso ddeudermo-nas de qualquer injus-
ta aggitgsao. l\ovos Scftafl em torna de uassis
muilieiese de uossos hlnos, pugnaremos por
noasas vidas por nossas diieilos pelosobjec-
tos que nos sao mais caros, aic que S. M. o
litpe- ador se digne lembrar que todas t| 'au-
te mez
'es, a
taeJo co._
Wuecimeutos
eceaside
Oficios a que se refere a C3rta de Santa Ca-
tbarina publicada no Diario de 4.
Ilim. e Et-n Sr. Acaba de saber par
pessoa (idaligua. resiJenta n> districla J.a fre-
guszia de Pinlinim qu9a participaba qae
Uentu (iousalves dirigi aa rebelde Antonio
Nelto pelos enviad >s qUe ||ie ma A >u ca n fi-
cul 1 ni-! d V. Et apire itaulo que era pa
I ra o dita Nelto ir ou miniar un procura-
dor, a (111 de seeOettlir a canciaca q' tin'ia
trrtada com o deputada Alvares \!acliaJo ,
nao fai no sentida que tralou antes pelo con-
trario llie dizia que era um meio a que tinha.
recorrida para Iludir o governo a fim de vi;.-
se podia iltudir a V. E<. a fim de aprovei-
tar algu.li descuJo para poler passar para a
campa 11 ha alguma forca que a sejurasse, o
tuda u exercila se f.sse possivel porque ,
seperdessem acamoaiiha, seria um motivo
de perderem a rjneslo ; este foi coatado par
que.n leu a participaco e.n essa mesma oc-
casiso declirou o rebeIJe Netto que prefer 1
morrer sobre as ruina da patria do que
dexar de ser general d repblica rio-grari-
dense ; e me apresso a oarlicipar a V. Et,'
para Gcar informado da falsiJ ida com que tra-
to os rebeldes
Deus guarde a V. Ev.. Acampsmenta as
Pedras Alt'S ao de novo nbro de 19 Jo. .
lllm. e Pxo. Sr. Francisco Jos de Sausn
Saares de Andrea presidente e commandan-
te das armas d'esta provincia. Juo da Sil-
va T..v.nes commandanle geral da guarda
nacional.
- Participo a Vm. que fui at Bajiu a-
onde me de erminou que fasse saber noticias
das forjas rebeldes e sobre que tinlia viudo
ordem aos rebeldes que se acbavo aqui na
Lagoa do Thesoureiro pira se retira re m a to-
da a pressa ecamiulurem dia e uaiteaso
reunram com o resto d g^nte de Mistardas ,
e seguiem a se leuuir a loica e Uoje ebe-
gou da costa da serra de Santo Antonio um.
rebelde de Moslardas e conti elle queja
tinba viudo contra ordem pira nao marcha-
rem mais em razo de nao ser preciso por
j ler descida o dnavarro para b:ixa pelas
Tres FurquLlbas j e conU mus que o Gina-
varro atacara o general Labaiut-, e que Pie
lomara paite bigigem eafgana pn ianei-
ros e que elle se retirara para l.iges isla
eo quj eliesdi/.t'u ; diz iii'i} o dito re'oeid;.'
natns de cavaliaria para a l.apeili e o resto
da infantera pira a costa da >erra de >auto
Aulouio a espera di: se reun:' cam o Caua-
vairo. Il.veio aitodias ijue liento (o.'tpatviii
reselwu um olli:ia de Hvlia unJjj eu urna
cani, e nao ae sabe para o que s.;ria ;a
de UjzcuIji o.
reiterar


b A R~l O DE PERNA^CO
gen
r*a
em forra abaixo da serra. N'esta mesrao leitt-
po fe i Loureiro forca de Joo Antonio que
Ihe era multo inferior e veio metter-se den-
tro do Jaruliy.
Esle incidente reuni ai nossas cavallarias ,
sesse.
Assentou-se ltimamente que o general
a hri"ada de Vledeiros e que urna for-
ca composta do modo seguinle atacasse
liento Gonsalves em baixo da serra :
Major Rodrigo 3oo
Juca Ourive 3oo Goo homens de cavallaria.
Capilo Portelli loo
5.CorpodeArt. 3oo 400 i
de infantaria,
Porto Alegre 9 de Dezembro.
1 Como hoje se nao ignora o plano das opera-
8c8 dir-lhe-l:e o qe sobre cr assumpto
il pgou ao cu conhecimenlo.
A posico dos rebeldes no principio da cam-
ponha era a seguinle : Beuto Gonsalves \ e hsbililou o brigadeiro Joo Paulo a mudar
Canavarro Crescendo eoufros cheles occu- a direceo dasoperacoes no seutido que qui-
pavo a capclla de Viamoea fazenda da l>oag1
vista Prpoispassou uma forca de i,5oohomen
para Sarrio Antonio como amearjaudo subir
1 sprra para S. Francisco de Paula* A loica
dos rebelde* por este lado fo julgada seaipre
de tres mil homens ou pouco mais leudo
de 600 a 800 i 11 f uites.-
Ketlo e Joao Antonio formaro systema en
tre si e cu unidos ou separados dispu-
nlio sempre de urna foria prxima a mil ho-
rneas que boje pode ser julgada at i,$oo.
listando Loureiro com i,3oo bomens em
JNiissGes e Jernimo Jacinto com mais de 3oo
a!am de S. Gabriel consta que livero or-
dens estes dois chefts para &zeretn junecao e
baterem a Nelto ou a Joao Antonio e Guedes,
logo que a occasio Ibes ollerecesse; e se Lou-
reiro coroprisse bem estos ordeus eo que elle
mesuro prometleu Mria dizem a primei-
ra empresa do general limpar de toda a coru-
canba com a uestruicod'estes tres pailida-
I ios para depois voltar todas as forras sobre
a Capeila. Para isto se conseguir contava-*e
ciuda com a hiigada de Silva lavares que
manobrara a proposito com mais de 5oo bo-
mens ecoutava-setambem com a brigada de
Medciros ou Propicio com too a 700 homeB ,
que em caso preciso 'uia juneco con Lou-
reiro. Este official faltou a ludo e o gene-
ral tere de voltar us suas vistas sobre liento
Gonsalves cuja foica pateisavu sabir da po-
sico critica em que eslava porque demo-
rando-se dava lempo a ser atacado com to-
das as/orces juntas.
Bmto Gonsalves podia tentar u'essa posico
cm que sachata :
l. Subir a serra para entrar na campa-
II lia pelo lado de Missoce.
a. Foliar a liaba do Taquary e passar
para a campanha ( com liento Guuialves e pe-
dera fazer se quuesse. )
3. Maichar sobre o norte, aparentar o
ataque da villa de ciordo com Netlo a-
travessando o Rio de S. Goncallo passar na
bara o lado do Sul, e ja unido a Nella to-
mar a cidade do Rio Grande bater em dela-
IheaSilva Tavaie eas&enhorar-se da cam-
panha com todos as suas lorcas.
4. Atacar a cidade de Porto Alegre.
6. Fnliar novan.eute na Laguua.
Ncs ultimes lempos, antes e sulirem a
serra, .allarao nauilo dWrto e de,lpenle
cortarao a comniunicato com a capital t ao
n.csmo ttrrpo appurcicu Nelto pelo Patauoza.
Julgou-seu.toque Bunio Gousalvta tomava
nao tendo podido reunir -se a liento Gonsal- qrigida de i,5oo homens.
ves na sua retirada toraavo para o lado del Cana'arro nao se esqueceo de mandar ain-
Mostardas ; que aquello caudilho subi a da uma vez saquear a infeliz Lages: aoo pi-
serra com cousa de 800 homens o qus j serratas de# trra ali eutrro a iJ deste mez ,'
arredou do que elle nao pode levar tres pecas, j mas adiarlo ludo deserto.
as ferragens dos reparos. &c, O Presidente lem alindado guardar a es-
Dos prisioneiros feitos pelo.Netto fda for de Jernimo Jacinto foro fuzilados cinco of-
Si es entre elies o tenente que foi secretario
. partido, en.arcbou o general para o
sul cem 3oo bon.ens de cacatoits paia rtor-
sara guarnic,o da cidade doliioGiai.de, e
elcs'.e preciso, deixal-a entregue as suns
lorcas. Foi chamado Silva Tavares j para se
aju'star com elle a bcra e o dia tm que havia cencederaria niais que o que conceda Andrea.
passar o (.maman rom todas ts cavalhadas Tomase emfim a oensiva, e no dia ra priu-
Esta for5^ era destinapa especialmente a
defender a entrada das picadas pira que
liento Gonsalves nao podesse subir a serra.
Francisco ledro 600
a. e 3. Reg. de linha. 200 800 homens de
cavallaaia.
a batalhoes i .
' fantaria.
Esta forca devia operar directamsnte con-
tra liento Gonsalves, e o ataque devia ser
no dia 1a de dezembro.
A brinda de Silva Tavares far servicose
oceupar bem o districto de S. Francisco de
Paula e a forca inactiva pode empregar-se
contra Netlo ou Joo Antonio conlanlo que
seja bem commandada. ( Garta particular. )
a* '
SAHTA CATHARINA.
Desterro a5 de deicmbro.
Duravio as conferencia ainda com os re-
beldes do Rio Grande e Nelto atarava Je-
rnimo Jacinto e Canavarro subia a serra
para destrocar L-bslut [K'este tempo o ni-
co obstculo pacificaco segundo os rebel-
des o governo o destre e o Andi* entra-
ga a presidencia a 3o de noveir.bro : ebega o
dia 2 de dezembro apresenta-se Bcnto Gon-
salves com a sua tropa em frente do Porto
Alegre, manda dizer poa uma ordenanza que
veru com os seua festejar o graude dia pede
refrescos Joo Paulo aceita o auspicio faus-
to ; annuncia guarnico a anhelada sub-
misso, manda o que pedem, e ento abaloe
vo para a t apella lazer entoar um Te-Uemn
em atco de grabas pelos triumphos de Netln e
Ganavarrol (^uel-o mais caro? Pepois de
aofrida mais este insulo JtJ Paulo dispoe-
se a 1 r era praiica o plano do Andij e
enloque os rebeldes inaudp por um Ulha
Cintra novas proposlas que sao : pagamen-
to da divida esirangeira liberdade aos es-
clavos em
ser vico ou conserva^o dos postos que se
deio durante a it.belliao.
Jco Paulo nena quiz ver os mensageiros ;
Alvares Machado respondeu-lhe que nao llics
para achar alr priroeno
as barca e cavallos ,
a im de ttltiiu*r a passagem ,
e sfguindo
Francisco i'tdio d^ outio lado para prote-
ger. Grenlell e fllippe ^^y lo,ao P'*1*"-
des do que se devia ltr 1:0 cso que te dts-
cclnsse cutio prejeclo do inimigo e vinha a
str: tomar u tiulia do Taquaiy tm Is os
casos, orser mais curta, u ais deltnsivel ,
e ^stieilar mais o ttritno aos u beltts ;
lazer
Labulut fosse reloi9o com dois batalhoes e de Cilderon e o lente Antonio Bica de S.
Gabriel.
Vollro aos rebeldes depois de amnistia-
dos Flix Vieira major que se acht com
no homens que. reuni no districto de S Frao-
cisco de Paula e Martiuiaao Texeira Pinto ,
capillo*
n de desembro de 1840.
Ajuntaro-se a ura tempo aqu tre bar-
cos de vapor a Pernambucana ebegada
bonte do Rio, a Maranhense ebegada
a mesma hora do Rio Grande e a Paquete
do Sul, que lem de sabir para este ultimo
porto com armamentos e fardamentos.
J ah saber que os rebeldes illudiro-nos
completamente ; emqiuntooSr. Alvares Ma-
chado na rnelhor boa la cura va de apla-
000900 ,, da in- uar ocaminbo conciliico eiles os burla-
vo. Davo-se salvos conductos, franquea-
vo-se as commuiiicacej ednavarro su-
bia a serra para atacar Labatut e Netlo a-
tacova Jernimo Jacinto. Querem diser que
estes movimeutos Ibes foro aconsefhados para
gaohandovantagem poderem dictar condieces:
nao me parece que para isto fossem necessarias
alheias iiiQueiicias, |>orque a dublicidade lem
sido a norma consunto da cjnducta d'elles.
A vhta deste preceder, Alvares Machado resot-
veu retirar-se, e o general Andrea dispoz lu-
do para alacal-os.
Chego ento os seus sucesseres, e dcixin-
do de existir o obstculo que lenlo Goncal-
ves figurara ser o nico para se etlecluar a
conciliaeo, devia esperar-se que elle logo
tizesse depor as armas aos seas bandos ; mas
a a de desembro aprsenla-se com algurna
forra em renle de Pono Alegre, manda di-
zer ao novo Prtsidenle qne vinha lomar par-
le nos festejos do dia pede refrescos mau-
do-se-lbe e quando ludo nadava em ju-
bilo 111 edade na espectaliva de estar aca-
bada a guerra levantoos rebeldes o cam-
po, e vao para a capella assistir a um Te-
l.eum em & ar^o de graca, pela derrota de
Jernimo Jacinto e peta do general Labatut,
que julgavo concluida. Tanta infamia ,
lauta perversidade, jz que se nao possa du-
vidar da veracidade do que pirtecipa Silva
Tavares na carta que aqui adiarj junta.
O Brigadeiro Joo Paulo conieceo logo que
era prenso recorrer a torca e prinpiou a
lser disposices para levar a effeilo os pla-
nos de Audiea e logo no dia 7, Bento Gon-
peo aos rebelde de todos o calves se dirige ao presidente queixando-se
1:0 irairo apirscnlaniio o infame ultimtum.
E nao ser vingado lamanho ultraje frito a
honra edignuade nacional?
f a rece que rompeio as hostilidades no dia
12 ou que nesse dia priucipiaro os pri-
meiros movimeutos das larcas impuriaes con-
tra s do sitio de Porto Alegre que o ge-
neral Andrea buvia leito recouber nao serem
numerosas.
O presidente A ulero que esperava um
desle:x) qualqual, as conferencia para a paci-
caco, liavia marchado para a Ironleira a
r 2 deste, cu lSchngaro na Laguna avisos
trada pelo lado do Trombudo eotn caialleria
da lerceira legio da guarda uacional ; esta
lorca tem-se prestado ao servico com a roe-
fhor vontade e na Liguna concorrea volun-
tario era numero duplo do que se chanaiva.
Eis-nos pois com a guerra a bracos nova,
mente, c dest3 vez a honra do governo est
empenhada a loncar ma de lodos os recursos
para acabar pela forca com a rebelda. Nao
sou daquelles que enxergo em tudo quinto
o governo fez para paciicr o Rio Grande por
meios conciliatorios a serpente escondida as
hervas : elle lez com a melbores inlences
quantoera humanamente possivel, e quinto
dictiiva a philantropbia e a poltica pira pon-
par sangue e vidas brasileiras, Podem fi-
zer-lbe disso um crme ? E' injustica. Eu-
ganou-se nos meios, e principalmente ear
mandar retirar o general que linha ganlio a
confianca do exercito e da papulaco, que co-
nheria o terreno e o inimigo e que no caso
de dever continuar a guerra cono acontece ,
mais estaria apto para dirigil-a com acera :
mas o mal nao irremediavel.
(Carla partieular.)
23 de dezembro.
O presidente acaba de ebegar da Ligunij
Nada de novo, liento Gonsalves j est na
Vaccaria com o Canavarro : compute-se a
perda d'aquelle em desertados e extraviados
em mais de 400 homens alguns dos quaes ja
se apresenlro na Laguna.
( Carta particular. )
( Do diario do Rio de Janeiro. )
Noticias
BaStrangeiras.
nanl.ar dois butalbeh o a brigada de Propi- j serra y,t[0 Kio \ erde e l vee em demanda
co pela picada do Rio Paroo -t O PaSM
Fundo c unir-se ali ao general Labulut, a
quem j te tinba dado ortm para se retirar
atea/. 5 e ajer um leonbeciiieiito at \ ia-
n.ao/ nc caso que conalasse que O rebeldes
subio a serra.
Anda eslava o general na cidade do Rio
Grande, quando conslou que Lana\anu li-
rba subido a tetra com a,eco homens isio-
Ibidos que Jernimo Jacinto linha sido ba-
lido por Nelta, c qde tile ta itiiido.
Ihuie tnlo oidtns para os fcoo cacidores
vollaitm ao aii.n)| bu culo visto nao seteu.
preciics e pea Silva Tavares unii-se ao
extinto pelo ledo da Cathotia quando lato
He losse potsivei ; e o general voitou a Por-
to Alegre tona os seus sucitssoits.
Chegadcs constou que '.anavarro tinba
toi nado a descer a sen a c Lt ui qut. isto nao
Bcrettsse crtdilo, tmludo deUin.ini.u-sc
eta 1 zcsstm alto, e que nr.esu o frtesse a bu-
1 lia de tldenos, ale t tei inleza o Utori-
n e loqie pouto d< j-ois st uufi(ou sti lalso.
i^ouapo que ici ordenada i maullados
l.ir fe tej ella rcc.o se tinta oidem.do c li-
cipia o raowmenlo. Os rebeldes sao sacudi-
dos da Capella; Francisco Pedro bate Cas-
tilhos Jucauiives bate oulra pailida. A
I7 estando o presidente na Laguna rece-
be aviso de que Beuto Gonsalves com toda a
sua loica atravessava o l'asso da Laguna em
Tramandahy e se encaminbavn para esta
provincia : toin tliito a 1 penetra pelas de que a l.Bento Goncalves passava a arli-
101 res, alravtssa o ltambiluba mais sobe a Iberia e infantina 110 passo da Lagoae.n Tra-
de Canavarro | ara juntos protuiarem ba-
ter Labatut, Este | de ganhar uma forte po-
sicao aquem do Malto-Pormguez leudo
sempre ganhado quatvo das de marcha sobre
CfeVarro que loi acampar noCapo Bonito ,
cito de Pelotas d'ondo maudou pela quar-
la \e assolar a mal aventurada Lages que
desde iJ do crlenle est oteupada-pelos
reLeldesj
Bento Gonsalves arossaelo de perla pelas
lonas uij elides lancou a aitithana na la-
goa, qutunou os repares e as bagagens pesa-
uas. O coronel remandes, com ous bata-
Ihes de caladores e boo cavalleiros segua
pelo Uutucarahy a apoiar Labalu-, se esta mano
nao se completar, podei Beuto Gonsalves ,
rctsn.0 unido com Canavarro lorcar a pas-
ssgem que gualda aquello general, e ento
aul eslao o lebeldes 5 o grosso das nossas
torvas estende-se boje pelas abas da serra e
portanto eve de e*lai levantado o sito de Por-
to Abgie. Netlo porem ja lem mais tie mil
homens e esta desi-llroulado em Mis-.Oes ,
porqtie Loureito desseu na Lacboeira,
a(i de dezembro.
O presidente tst aiuta na Laguna j as ul-
timas iiotirias ta lenle sao qut as lonas in-
ttu uMiguc-do que es itbtldto iio eslavo .trj,es peisegutm psiltas lairapas que a em marcha pelo BuUcara^ i>a a sua j prejnizos a que estavam ex postos. Maso Mi-.
maudahy com direceo para esta Provincia.
O iiifaligavel Antero dispaz tudo para repe-
tir a in/aso, e correu em pessoa os pontos,
collorou postos as piradas do Tuaro e liuu-
ruby j quedo rommunicaco para a Serra:
a 1t deu-se parle da frente que o inimigo
passava as borres, o que com ellciio e'eclu-
ou : mas alravessando o Mompituba a 18
subi logo a herra pelas piradas doRio Verde.
liento Goncalves loi accossado pelas orc*s
de Porto Alegre, que o obrigaro a laucar a
Lagoa a arlilhtri queimar os reparos e ba-
gagens pesadas, e a lugir precipitadamente
para a Serra com 800 homens, que o que
pode reuir tendo sido cortadas delle diver-
sas partidas que tendo tomado a pireceo de ] sa concesso era m us do que um erro pois
Mostardas ero peiseguidis pelos imperiaes, que in volva a elimmaco de una das dyuas-
que j eslo de posse Ue A das pecas abando- lias reinantes na pennsula verificando o
nada -, a deseico entre a gente que devia negro pensamenlo de acabar com a nacioua-
stguir liento Goncalves loi grande e pode lidade Porlugueza. Esse Iractado por esparo
dizer-se que sua posico nao c vantajosa deriuco anuos esleve de par sem que par-
porque anda reunido a Cenavarro como j lido algum se atrevesse de dar-lhe validado ,
estato, nao podero ventera passagem pa- erecommendar a sua exeruco esse trarla-
ra Misses visto que o general Labatut pode do ios stigmatisado no paiz por todas os eor-
ganhar uma forte posico no Saitintio, a poracoes e individuos epases de ai aliar os
quem do Matto-Portuguez d'onde fcil Ihe aeus lerriveis resultado. Cmaras munici-
sei obslar-lu'a principalineulu se Ihe che- paes assuciaces lavradores proprietari-
gar o reforjo do coi onel Feriundes que esta- os, lodos cm coro reprezentaram contra os
LISBOA 11 DE DEZEMBRO.

A intimaco de Hespanha.
J nao pude haver a menor duvida sobre a
noticia publicada em lodos os jornaes Selera-
bristas* O Govorno Porluguez foi intimido
para por em execuro o traclado da navega-
cao do Do uro em um curto prazo com a
ameaca de uma nvenso no caso de nao se
obedecer. O proprio Diario do Governo de
Sexta fer se explica a esle respeito por the-
or proprio para nao deixar a menor duvida
sobre a veracidades dos factos. Tal a bo
intelligencia que reina entre os doui gibine-
les tal o caso que em Madrid se faz do
plnipolen^iario Portuguezo Sr. Mrquez ds
Saldanha. As m igras generalidades da fo-
llia official sobre o bom p de nossas relace
com a Hespanha ficam arruinadas e destrui-
das ; ntnguem pode i? ais duvidar da m fe
e duplicidade da fuelles que aulhorisava n
essas asserces no momento em que linlio
sobejos motivos para estar convencidos do
contrario. E* mais outra prova da capaci-
dode governamental da gente de aS de No-
vembro mais outro teslemunho em prol
da sua popularidade.
Pelo que consla sobre as reuniSes qua
se bao celebrado parece que o Governo esla
resolvido a pedir auxilio a oulra potencia
eslrangeira a essa Inglaterra rujo pre-
dominio seria a mahr das calamidades para
Portugal. Somos ameacados pelos llesjia-
11 hoes e querem que nos sujeitemoi aos In-
gleses como seus colonos Julgar alguem ,
que cinta no peito baler um coraco Porlu-
guez digno de sympalhia e adbeao o Go-
verno que atsim correr para Carijb-
dis a 6m de eviclar Scijlla ? Nao por cer-
to a indignaco succeder ao dtscon-
lenUmento, quando Portugal reconhecef
que os attuaes Ministros nao lem forca nem
prestigio para resistir a quem quer qut seja >
sum u auxilio estrangeiro mais ruinoso,
mais prejudical de que a iuiqua aggress,
O traclado ominoso para a nave aco do
Douro loi concluido duramente a administra j
dos Srs. Duipie de Palmellae Iljdri.jo e de go *correrain vaticinios sobre o seu alcance
poltico--desde logo se conjecturcu que es-


DIARIO OB PERNAMBUCO
istero de 26 le Novembro cora o exclusi, Mxico, e Texas.
., nrnnrmito d*5 se conservar no poder adu- 1 ;._. j,
vo proposuuu- ]\a,ia sabemos de novo cu importante da
lando a Regenna de Madr d f, desenterar, ^^ y ^ UlfW 5HL -
PSse pacto unilateral presenta-o a Cor- o8 fc d independencia de
, de i84o ao parlamento menos escrupo- em breve Xcon,iecdaKoffiB.inieil-
loso de que ha memoria nos annaes da fcuro-
KOTCIAS DIVERSAS.
ra conslituciona
Tudo eslaria j* concluido se as qiieixas e ;
cs reclamates dos proprietarios Portugue-
ses nao chegassem ao trono coro a forca e a
energa propria para conhecer o abysmo em
que nes queriam e querem recipitaf os adu-
ces Ministros. A Cmara dos deputados pa-
ra azer leis a vapor sobre estere no deba-
te do regulamento para a navegaco do Do-
ro, logo que rerebeo a competente insinu-
ado : eo Ministerio ; em lugar de se por-
tar [coro franqueza e lealdade inseriu no
discurso do encerramenlo um paragrapho
mystificante sobre este negocio que a nin-
guem podia iludir
De nada valeram os raiseraveis subterfu-
gios ; actualmente ha a decedir sdetenos
cu nao ieder torca sem honra e sera digni-
dade, pondo em vigor urna convenci que
se nos iuipe com a espingarda cara.
Resta questo somos Portuguezes prme'uo
do que ludo repugnamos a concessoes avil-
tanles e desojaramos queso una vontade
unisse a naco Porlugneza e o seu governo
para que se conservasse intacta a heranca glo-
riosa de nossos maiores. A patria dos Allm-
querques nase acba boje incapaz de hom-
brear com o pequeo Reino das duas Sicili-
as, apezar da discordias civis e seiia
horrivel imaginar que o* Ministros-Porlu-
guezes nao tivessem se quer a esoiuco do
Governo Napolitano. O gabinete Inglez ,
disse ltimamente Mr. Thiers em Franca ,
cuidou que deparava em aples com um pe-
queo Rei por causa da exiguidade do seu
territorio nao pelo conheeimento Je sua al-
ma magnnima um Rei fraco que opp.i-
miria a seu bel prazer porque nao ousaria
resistir. Enganarara-se porque elle se hou-
vecomamaior firmeza.,, Se querem obri-
gar-mc a dar dinbeiro dal-o-bei dis-
se csse Mcnarcha ; mas se pretendem obri-,
gar-me a deilarar que o tratado fui violado ,
nao seu triis do que o Rei de Vipoles is-
to de um paiz que tem seis milbes de
babitoules. Hei de resistir Inglaterra a-
conleca o que acontecer *' Neste logar Mr.
de Saints Albin interroropeu Mr. Thires
irnicamente, observando que se citava um
bello exemplo. ,, Senhores redarga o
orador nao acbo aqui materia pira rir ,
nao acbo seiio um procedimento que deve
ser imitado. ,,
Rao terio os Portugupzcs alerto para os-
tentar esta linguagem ser possive que
S, M. a Rainlia deixe de ielirar a sua con-
fianca a Ministros que en logar de inani-
festarem a situaco do paiz e de se i leulifca-
carem com a naco mendigan auxilio mi-
litar ao paiz que nos obrigou a pagar os se-
us exforcos contra Napoleo na guerra penin-
sular como degradante tract-.do de 1810 ?
Rao baver nesta malfadada naco estadistas
confiados de sobe-jo na decizo do pavo Por-
laguez, e na boa f e circumspeca da Re-
gencia de llespanlia para que possam subir
dacrisesera que o territorio se polla cum
as faldas encarnadas sem que as insliiuces
liberaes se subverlam ao auto do despotismo
exlrangeiro ?
Ser bravata extravagancia e queixo-
tismo diieorrer por este iheor pugnar as-
te pela Metropole. As mais recentes infor-
maces referem que o General Federal, Ur-
eslava la milhas distante da cidade do
Mxico em momentnea expectaco de ser ai-
tacado pelas forcas unidas de Bustamanle e
o General Santa Anna que tinha formado
urna allianca para sustentar o Centralismo.
As nossos correspondencias de Vera Cruz al-
cancio at 10 do passado ( Outubro). O
paiz eslava perfeitamente tranquillo ; mas o
negocio parado. A provincia de Yucatn
separou-se inteiramente doGovemo Mexica-
no 1 e estava empenhada era hostilidades com
o Estado contiguo de Tobasco. O Governo
Provisorio de Yucatn est determinado no
caso que o Mxico nao admitta a forma d
Governo Federal, a formar urna Repblica
dislinota e independenle. Arista famoso
General Central foi capturado pelos Fede-
ralistas. O paiz parece destinado a ser dila-
cerado por muito lempo pelas comraoces in-
testinas, mas os Federalistas realmente tri-
unfarlo.
Tem-se recebido noticias de Ilavana por
Nova Orleans as quaes conto que urna
'consideravei parte da cidade de Tobasco no
Mxico tinha sido feita em cimas e urna
grande porco dos habitantes redunda a po-
breza e mizeria.
Estados- Usibos.
Moralidade e Justica em Philadelphia.
Direito a Moral, e as Fuancas ando
a igual passo em Philadelphia. Os Bancos
recubo impunemente satisfazer os seusera-
penhos e zombo de toda a justica e eqnida-
da. Um pai, Wo>d, por exemplo, assas-
sina sua propria filha com circunstancias de
atrocidade sem par, e um Jury recusa con-
vencel-o por urna vaga suspeila de que as
suas faculdades intellectuaes estavo era de-
sorden. Um doulor insolvavel, como El-
dridge rouba melado dos Bancos da cidade ,
e ouuo Jury o absolve porque elle leve bas-
tante tacto para disfarcar a sua pessoa de
sorte que passou por mais ignorante do que
um cepo de carniceiro. O Cavalheiro d'Haut-
ville marido aojavel digno, e exemplar ,
requer urna ordem de ,, babeas corpus ,, pa-
ra recobrar a posse d'um filho seu, carne da
sua carne e sangue do seu sangue e ne-
gao-lh o, porque por pecados, elle es-
trangeiro, e o pai de sua mulher um ho-
rnera rico. Parece haver total desraoralisa-
co em todas as repartices de justica, e la-
zenda na cidade do Amor Fraternal. Seria
lo dikeil acbar-se Sanlidade no Pandemo-
nio ou compaixo nos execulores das Leis
de Dracor como Justina em Philadelphia.
Excitamento Poltico nos Estados-Unidos.
Rao nos lembramos de que em lempo ;il-
gum enlrassem com tanto ardor as discus-
ses polticas do dia todas as classes do povo ,
oclusiva mulheres e meninos. Veudo-se
cjl.tr conversando duas ou trez Senboras jun-
tas as ras mais que provavel que o as-
sumplo da sua conver&aco nao seja oulro se-
no a poltica e os memos comparativos de
(a} Harrisson e (b) Van Burn. Urna scena
Imposto das mellas em Lomlre-.
Os proprietarios habitantes de Kennnpton
e Vauxhall fizerao urna reuuio em Wright's
Rooms Vauxhall.road para tratarem de
dirigir ao Parlamento urna petico para re-
ogaco do imposto das janellas. Mr. Ciar-]
es Spencer sendo convidado para presidir ,
explicou o im da reunio. Disse que Ihe
causava milita satisfaco ver que o publico
coraecava par fino a encarar esle objecto com
um espirito conveniente e resoluto. Qjjej
se tinha ajuntado muilas dis parociiias me-
tropolitanas e ainda que elle ( Presidente )
nao apiovasse inteiameute aa lesolueQl ado-
ptadas em alguns casos com tudo era justo ,
que o Governo e o Corpj Legislalivo soubes-
sem que a grande maioria djs contribu-
intes estava disconteiite pela conlinuaco
d um imposto que elle ero indusiljs' a
crer que teria ha muito lempo sido levanc-
do. (uo sendo j oppressiva a taxa original,
o ultimo linca ment hara tornado parti-
cularmente intoleravel. Que para os pobre*
era o maior grvame que se podia impor-
lbes por tender como aconteca a pri-
vaco da luz e ar ( applausos) principies
motores di saude e vida ; que lendo elle
servido o cargo d'inspector p>r do*as annos
n um dislncto densamente povoadj e ex
tremamenle pobre muilas vezes o commo-
via o escuro e triste aspecto de muilas das
casas que elle visitava em razio de estarem
as janellas fceliadns para evitaren o paga-
mento do imposto. Que sj desejava que
algum d'aquelles que sustenla o imposto das
janellas condecendessem a entrar naquelUs
infelizes habitacoes, e vissem ao mesmo
lempo a impoltica injustica e deshuma-
nidade do cjnlinuar u 11 tal
LOTEKIA DiBOV-Vlsr.V-
O abaixoassigindo. Thezoureiro da fi-
lena a beneficia d-ts obras da Matriz da Re-
vista faz publico que a Meza actual t.u
resolvido que as rodas corro no primeiro
para tratarem de de Marca prximo (moro j da a. parte -U
5. Loteiia, cujosbillietesacbo-se a venda
na loja do Sor. Jo;e Ignacio do Monte ,
na Boa-vista ; do Sur. Joio Morcira Mar-
em S. Antonio ; e do Sr. Vieira cam-
odo Sr. Joio Cardozo Ayres no lio
ques ,
biiia ,
ci fe.
Jos dos Santos Nunes d'Oliveira,
AULA DE ESGRIMA)
Eslabelecida nesla cidade.
aula J'esgrion do florete e espada
moderm d'esta capital n rui do hos-
picio continua a estar aberta tolos os das
desde as 7 horas da manilla al ( as n di
noite por falicitar os Srs. que liverem
ntgocios de dia que os empedem da tomar
lico.
O professor le.-nbra de novo ao respeitaw
vel publico queaEipida moderna tem van-
tagem sobre todas as armas brancas conhe-
cijas ata boje; quatru Srs. d'esta cidade qne
sabe .o bem jogir a estapada antiga veri-
fiesrio con professor e tolos foro desenga-
ados e assigmro inmediatamente para se-
rem discpulos do sobre-dito prolessor.
Avisos Diversos.
I9> A ptbrissirn Ir man la le de N; S. dO
Rozara, do Bairro da Boa-vista torna ou-
tra vez adisaerlar os catholicos e 01 devotos
de sua divina padr.ieira pira que os ajude
_ com a sua piedosa molla ; pois a obra es.d
trelantoqua se podia recorrer a unirs de P" Pr JS ,mttorUe necessrio ,
naturesa menos impu*navel. Que confia- I T*m ^'-^".obreirM e assicn peden
lor ,. Paro=hl" ijeratmenle ^ Fraucisco Domingos da Silva Pro-
fuLvelnnT ^8trttdoa ri* raolur PWi d'ato Comarca, partecipt
cuipjvel negligencia em relaco a este oble- ,n. 1 1 '
no n..rti, s" uje ; a quellas pessoas, qua cmele prelendereai
co. iJue ellas nao Dodiao ignorar man *p- \ c f r. 1
riamP.H* atv~a inorar quao e fjUr, que presentemente se acha de re-
sTul va dfO|'Tr0/d9 jrlUsa *** ra das Trinxeiras sobrado
aue em v r ud ,fe,eC'dade doi Pjbresj e confronta a do Rosario estrella.
2 e eVl ? i '"i" VI oc"ulavaj BJ- Da-so dinherosobre pinhores de pra.a
occ^a T"u JeVr a d.*.Pf ouro.brilhantes.ouhvpotecaeracisaj ni ra
occawao O maoiiesucao da 0/.iiao publica a daS Trinxeiras sobrado O. q.
L LsTrlebiJ ""'T Cana' daS aS8e,D" sri'erdeo-se desde a ,a do Qoeimad, .-
.U! ... ^.f qUrSe faZe-a nM"Wtol laoa.lerrod. Boa-vista, ba.,rP.pri. con
das suas respectivas freguezias. Quo elle
presuma que ellas nao recusario fazel-o so-
bre reqnisico, mas que n um casa desta 11a-
lureza nao devia ser preciso aguillioal-as para
o cumprimenlo do seu dever. Elle conclua
propondo urna resoluyo para o lim de se re-
presentar, quauto a laxa das janellas par-
ticularmente perniciosa a todas as classes di
socieuade, e mais especialraenle aos pobres,
pois que tende a p~rival-os dos beneicios da
luz ear, cuja falta conliibue para a geraca'o : fi(Qr a SU1 C0(1jucta quem 0 pretender ,
de iLolestias nos districtns populosas, e em dirija-seao palio do Cirmo vend, 7.
papi
breve dado pelo Nuncio do Rio dd Janeiro,
para a ordenado de Antonio Goncalves La-
pes para o estado Sacerdotal; quem os adiad
restituiudj-os 111 ra do Qjeimado loja dd
fasendas L), 16 defronte do heco da Congreja-
co alera de se Ihe ficar sumamente agrada-
cido receber boasalvicaras.
t^ Um rapaz brazleiro de idado de 11
annos que esereve sofrielmente se olTere-
ce para caixeiro de escritorio ou ra e da
mullos casos serve d'eiicmlar a duraco da
vida bumaua. Mr. Webber apoiou a < luco. Mr. Pratt propoz segunda resoluco
fctf" Na ra da muro da Pea Ira cazada
rotulas pintadas de verde confronte ao NixO
d'Assumpco h umi mulher que se propo-
sito pelo inttresse de Portugal e pelo decoro semelliaule occorreo quinta leira n'um ora-
do Reino visinbo ondeos eternos inimigos
de Portugal os Ministros luglezes tai-
vez intirgam para acelerar ura rompimento
que elles mesmos seio chamados a reprimir
com os seus soldados i Desconhecer aigucm,
dolado de senso commum que ha ura fra
oculto da parte do truculento Lord Palraers-
ron ; e que depois de ellectuada a rovolu-
io de Madrid que livrou a llespnha das
garras de Luir Felippe se pretende oceupar
militarmente i^orlugal para conslranger os
briosos Caslelhanos a humilhar-see acceilar
o jugo do leopardos i'
A iiidepenueucia a existencia poltica de
Portugal acha-ss problemtica e tal vez
prestes a exiinguir-fe* O Ministerio de -Ai
de Novembro nao poda fazer mais para dar
em ierra com lodas as esperanzas dos lberaosj
cumpiio a sua misso ; collocou-nos be n a
bordo do ajjysmo o mais ligeiro impulso
pode precipitar-nos pra sempie. Resta su-
ber se os nossos compatriotas daio os pulsos
s algemas o pescoio canga que se nos
pieparam,
[Nacional de Lisboa.)
nibust O coche ia cheio de regates e a
discusso versava segundo o coslume so-
bre poltica. A opiuio da compauhia estava
quasi igualmente dividida ; cinco das inu-
llieres eio a lavor de Van Burn, e quatro
por llariisson. A discusso toruou-ae 4o
calousa que o boleeiro purou o coche (jara sa-
ber a causa da teriivel coramoco inlerior.
Te ve euto lugar um desafio para singular
peleja entre urna regateira e outra raulher
que negocia em carne de porco e iingoicas.
i\o estamos bem certos se bouveouuu
pancadas dadas e rcecbdas d'uma e doulra
l>arie ; roas podemos alhrmur com certeza ,
que nunca viraos nove pessoas do bello sexo
luo indecentemente irritadas. Todas iallavo
ao mesmo lempo, e a gritara era lo positi-
va que fazia enzurdecer j -- notamos paili-
culaiuieule o agucado queixo d urna mulher
mais madura que se mova para cuna e pa-
ra baixo com a veioeidude d'uma serrara de
vapor. f hilad. Cronicle.
( VVeekly Herald.)
representando que o ultimo la acmenlo da fiin a ser a'.nj SUgeilando-se a lo Jo o servio
piopnedade, pelo qual se impoz mais um [d'uma cas menas engomar.
(a) Novo Presidente eleito dos Estados-U-
nidos.
(b) L'x-Piesidente.
onus aUdicional de dez por cinto soare us di-
re tos das janellas tora urna imposica ar-
bitraria oppressiva e iujusla e passou a
indicar us diversos modos pelos qnaes se 0-
peiououovo lancau.eulo que elle consi.le-
rava coma o mais vexatorio possivcl. Mr.
Roberts apoiou a resuluco. C'oncordou-se
nesias e uouttas resoluces de igual tenden-
cia e leudo-se no/ueadu urna commissao pa-
ra preparar urna petico ao Parlamento vo-
laiaose agradecimentos ao presidente, e le-
vanlou-se a ses:a,
(Evening Chronicle )
LOTERA DO LIVRAMENTO.
Olhesouieiro da Lolena laz sciente ao
jespeilavel publico [que como uai a venda dos
blindes cora grande afluencia] que deseja qiu
os amantes dete jogo concn ao para a com-
pra para ver se por lodo este crrenle mez
so auuuucia o da impretenvel.
LOTERA DO SEMINARIO
Acho-se venda o* Bilheles da a. par-
te da 17." Lotera no j Recife ra da
Cadea loja do Sur, Vieira cambista era
>. Amonio na ra do Cabula loja do
dnr. Bandeira e na Boa-vista botica
do Sur. Mareira delronlo da Matriz ; e bie-
tsr Precisa-se dalugar urna escrava para
todo o trrico de urna casa de potica familia t
e que saiba conprar cosinaiar eensabo-
ar daudo-se-lhe o sustento, e nU rs. meu-
saes ; na ra das Flores casa D 6.
vflr Precisa-se de una escrava que seiba
cosinliar e engomar, para servir a un ho-
rnera solteiro : quem a tiver annuncie.
ar Quem (juizer mandar fazer limas de
xeiro pagando meio feitio ; dirija-se a ra
da Florentina indo para Palacio velha na
casa D. 1.
\3r Desapireceo e;:i a noite do dia 3o de
Janeiro p. p, u.na Icouxa de roupa lavada
que vinha uo l'oco en urna canoa d'agoa
contendo grande numero de ienes Camisas
de hornera e de senhora vestidos &c. ; e
como sejulgue furtada talvez pelo mesmo
canoeiro que a condusia : roga-se encarec-
damente a pessoa ou pessoas a quem fo-
rera olferecidas lodas, ou algumas dessas
pessas por compra .. de as embagarem avi-
saudo-se por tsie Diario para seiera procura-
das ou dtfpiaudo-se fuel-o em casa da la-
vadora Auna Luiza na ra do Nugueira U.
aa ladodireilo.
ET Aluga-se urna caza terrea sita na ma
nova qne vai para a trompe com surlicien. tes
cominodos pura urna numerosa familia; qu m
ve se aiinunaara o dia do andamento dasi a quizer alugar, dirija-so ao palio da dan a
i odas. 1 Ci Ui. a tratar com Joao Sbbaslio 1 'rele.



/
TSSX
DIARIO D E
iBwsm.ni iu hmmmxB
P E R N A TVI B C O
t^* Precisa-sede utn menino para caixei-
ro Je urna venda que tenha pralici e que
d findor a sua conducta : na ra da S. Cruz
venda que tcra calcada de pedra ao correr da se pagar bono ordenado, e ser mu bet
rbera tratada, sabendo ler, escrever. contar, oo-
tsr OSr. quedeixoa um emhru.ho com ser, e bordar e taanbem preeisa-se de um
ede reconbecida conducta que seja desem-i tsr Urna poreio de papel de pesa brauco, ^ Borzeguins para senhori a ,0D0 ,
pedida, inda mesmo sendo parda, que quei- por preco commodo e abanos em rnaior ou j s*p*H>* re marroquim Irancezes e de Lisboi ,
nhoperto da praca, a qual menor porcao, o mais barato possivel ; ero ditos de duraque bitins pira--uomr-n ,,.
ra ir para um engeiibo perto da prac
fora de p >rtas n af<|*
tsr Seis escraves por precisao de idade
patos a botinados penles de raarfim par .
rar piolbos feitos em Lisbia ditos de al.
sedulas na loja de lerragem de Jos Pereral
Teixeira na ra nova D i3. dirija-se a mes-
ma quedndoos signaes Ihe ser entregue.
ts^ Precia-se de um liomem forro ou ca-
utivo quesaiba tratar de cavallos ; na ra
larga do Roza rio no botequim do Albuquer-
que.
BT" A viuva do fallecido Joaquim Ferrei-
ra de Vasconcellos previne ao respeitavel pu-
blico, que dito seu marido baiia celebradj
rontrato de arrendamento cora o proprieta -
lio da casa da ra da ra da Cruz n 16 cu-
to contrato s termina em 3: de Ue/embro de
de i843 e posto que reconheea a pmbidade
do mesmo proprietario sabe que ba quera sV
diga authorisado para verificar novo arrendt-
mento quando ella est dsposta a sus'e .lar
e manter aquelle ; por isso ht o presente an-
nuncio para evitar futuras duvidas.
tsr A pessoa que quer vender um sobra-
do de um andar na ra direita, dirija-se a
roesma ra 1). 4p n primeiro aniar.
tsr Aluga-se o piimeiro andar na na dos
Quarteis D a a fallar na ra da caricia do
Recife loja n. 55 ou na praca da Iadepen -
dencia n. 1.
tsr A pissoa que quise.- dar -200,000 a
juros para receber em lijlos ou em telhas 5
annunci?.
tsr A viuva Pego Si Filhos convida no-
va roen le a todos no da segunda eira 8 do corrente pelas 10
horas da manb se reun5 em casa de sua re-
sidencia a fita de deliberaren dj estado da
sesma como a fez ver na prinieira reunio,
e por faltaren alguns Snrs. motivo po'queo
frz publico a fim de cl.fgar ao conliecimenlo
de todos,
tsr Urna pessoa capai se oferece para pas-
homem de boa conducta e que" enlenda d
leituiisar; na ra de agoas verdes D. 38.
ssr O abixo assignado nao poJendo des-
pedir-ss dos seus Amigos e mais pessoa <.
que o honraro com suas vesitas en razo
da seleridade com que se vio obrigado a volt u
para asa roga-llies d esculpen to- invo-
luntaria falta como tambera que a- rditem
na cbntinuaco de sua amisade. Louienco
Cavalcau'i de Albuquerque Marauho.
Avisos Martimos,
PARA I ISBOA e liba de S. Miguel o
Brigue Escuna Amelia ; quem quiser carre-
gar o ir de passagem filie com o Capillo na
prava ou c< m Jola Jos da Crur.
PARA O ARAGATY segu viagem a Su-
de dou9 a tres de los ricoj D0.
toes de marim para abertura as verdadei-
ras pilulas da familia ero frascoj de 5o com o
competente follieto, e superiore bichas gr.li-
des cliegadas ltimamente ludo a pre.-ocom-
modo ; na praca da IndepenJuncia n. o,
tsr Um escravo official de alfaiate e co
/.inbeiio ; em fora de po itas n. 2oj
tsr Um negro robusto para todo oservcor
na praca da Boa vista D 5.
maca Conocido Flor do Mar ; quem quiser I f n"v0 60f" e 0|)" no para,^
carregar n ir de passagem dirija-se ao Mestre estante grande j na ra nova D
Antonio Jos Vianna a bordo do mesmo de- | & U-n p.anno de multo bo
fronte do trapiche novo on a Antonio Ro-
drigues Lima na praca do Corpo Santo.
PARA MONTEVIDEO segu com muita
krevidade o Brigue Oriental Indio Capilo
Vicente NicoJiui ; quem quiser carregar ou
ir de passagem dirija-se a Gaudino Agosti-
nho de Barros, na pracinhi do Corpo Santo
l\ 67.
PARA ILHV DES. MIGUEL e gem o Brigue Triunfo Capito Alex,andre
J >s AI ves ; quem quiser carregar ou ir de
passagem para o que lem excellentes comrao-
dos filie com Jos Antonio Gomes Jnior no
Recite ruada Cruza, la ou com o mes- ql'*Ie> sendo igual a qualquerquo vem
mo Capito. de lora em porcao e a re'alno, e tare o bo r.
PARA O ARACATY pelo A*; o veleiro e noVJ*
Palabote Vmgador tem ja a maior parte de
Cscravos Futidos
de 18 a a5 anuos 3 moloques de idade de! sar escovas para denles ricos bicos da IJr.
13 a 14 annos dua3 molecas boas mubindas
e urna escrav boa engommadeira costurei-
ra e coziuheira j na rui de agoas verdes De-
cima o*8.
SST Dous guardas loucas das marque
/as ; 5 bancas de angico uma duiia de ca-
deiras da mesma madeira um relo&i de
parede duas mezas de jantar ti n par de
lanlernas de vidro lavradas ludo novo e
par prego commodo ; na ra direita D. 49
no primeiro andar.
tsr Umajcabra de idade de 18 annos de
bonita figura co'.inha lava e engomroa
liso sera vicio nem achaque o que se a flan-
ea ao comprador se dir o motivo ; na ra
do collegio venda de Sebastio Jos Gomes
Penna.
fcgy Um cavallo rudado, earregador, rci-
e opti no para carro por ser
3i.
oas vozes e
uma flauta de oito chaves 5 na ru do mundo
novo sobrado da quina D. 1*.
tST Manleiga de porco muito nova pti-
ma para filho/es ; na ra direita venda que
foi de Jcs da l'enha
HT Um bom cavallo de bonita figura, cora
todos os andares e bastante carnudo-, na rui
nova D. 34-
tSST Vannos nglezes. e hamburgueses de
ptimas vozes e por preco coraoiodo ; na
ra di Cruz D. 60.
tsr Na fabrica de (arinha no attterro da
Boa vista tem (arinha de trigo de superior
tsr No dia i do corrente sabio de ras* mj
prelo de nome Pedro anda bucal de na-
i,ao bauguella anda nao sabe dizerquem he
seu seubor lovou ramisa de alg>d jzin'io
queaindi nao foi lavada caigas de alj'odao
azul estatura regular pouca barba uB
pou'-o cacunda anda com a cabeca baila
magro do corpo tem o olho direito mais pe-
queo foi visto meio dia adiante da Estancia
huid > para o manguind quem o p-g ir le-
ve a ra do Vigario D. i"] que lera ao.ooo de
gratificacio.
tsf Antonio Joaquim Gonsalves de Mo-
raes roga a qualquer autoridade policial,
pessoas parliculires ecapilesde campo de
apreheriderem um moleque de nome Joze,
de naco benguela de ida le de 16 annos,
bem preto espigado do corpo p; e moj
compridas e teve uma molestia em um de-
do da mo esquerda do qual Ihe cabio a un!) 1,
tem o beico debaixo comprido bem pareci-
do lem o signal que trouxe de sua Ierra qua
he uma ancora de navio pela parte occulia dj
braco esquerdo quera o pegir leve a rui
,H* carregamento prompto; quem quiser car- s empregar em qualquer obra, uma escrava que lera 5o,ooo de grafficacao.
ralgumaescripturaco em limpo em ai-' regar ou ir de passagem dirija-se a seo pro- d navao com bonita hgura coz.nha, lin.el CT Do aba.xo ass.gnado e
,ttarPsa particular; quem pretende! di, p.ietar Domingos Antonio de Azeredo ou le quitandeira j na ra direila D. ao lado da da Macamb.ra termo da V-lla do Pes-
sa
guua"cpsa particular ; quem pretender din- ,piretario Domingos
ja-se a 111 doQueimodo D ll. la Manoel Joaquim Pedro da Costa na ra da
tsr Quem precisar de uma ama para co 'cadeia do Recite
_-_________j;-;;,_. ra ,! t\,\,\^ ------------
t^> Um escravo de naco ptimo para do Livramcnte primeiro arriar sobrado 5
5o,000 de gralificaco.
Do abaixo assignado ede sua fazen-
ithar e engommar dirija-se a ra do Calde-
dereiro D. i3 onde lem o lampio na jane!a.
tST Na noulede lerca (eir perdeo-sc da
Cruz de Almas at as salinas um veo da linho
grande ; quem o tiver adiado sendo queira
restituir leve no principio da ra de borlas
na loja do primeiro sobrado de a andares indo
para os Marliiios defronte de um venda.
tST Quem precisar de um caixeiro porlu-
guea para qualquer oceupato aiuda que seja
para fora da praca annuncie
a
gado
nos
quer
\inca ,
Cl^ grafa se dna.
t> Perdeo-se da praca da Independencia ^ Urna escrava parida com bora leite ;
al a ponte dos alogados ;5o,coo em sedu- quem tiver annunle._____________
las. sendo uma de 5oo,ooo oulra de aoo.ooo V e II ti *i S
a de aos e uma de ios todas eir.brulhadas e 11
do Livramento. quero Comaici do Biejoda Madre de i)e-
IST Farinha de mandioca a melbor que ha os fugio ero dias de Se'.embro p. p o esera-
no porto, pela sua qudidade e ehegada vo Joaquim creoulo filho do mesmo serto,
ltimamente de S. Calharina -, a Bordo do o qual o houve por beranca do seu sogro o
Brigue \: inerva ancorado na praia do Colegio, finado Joi Coadeiro Moni/. Falcoj osaigaa-
tsr Duas canaslras em bom uzo e um em porcao Ira ti-se com A F. dos Santos es do escravo sao os seguidles alto ebeio
livio intitulado bacco Pastoral; na ra das braga ra da Vtoeda, n. lji. do corpa cor bem preta pernis bistante-
I'lons I) 6 tsr Uro moleco peca de idade de 16 en- mente grossos falla algura tanto rouca lem
tsr Um violo de Jacaranda de regra o* nos, muilo reloicado ptimo para todo o o vicio de embriaguez, he bastante pratico
leira que seja de boas vozes; quem tirer servico duusdi'.os de idade de 12 a 14 an- as estradas do seno pois em oulras fugi-
annuncie nos, uma preta de idade de 11 anuos cozi- das lem-se dirigido para es sertes da Pira-
tsr Um bicudo que seja muito hora can- aba, engomma ese, e he recolhid, uma hiba. Tem sido vislo na povoaco de S. Bdii-
tador que leuha boas xoromellaa ou bons pardnha de idade de ib annos, perfeita en- toeCacimbo, termo de ..Girau'iuns e ul-
dando fiador a sua conduela annun- a sua bondade e merecimento ; nesta'Typo- annos, com principio de corintia., e ptimo tsr No da do corrente palas 8 h iras di
comprador de ra e uma pr ta moza faz noite fugio um moleque de nome tugue! de
pam de 10 e lodo o mais servio de uma casa ; natad mo. ambique de idade de 10 ai-2 au-
na ra nova D i'\. nos tem a cabeca co nprida e na testa tem
tsr Fumo da Babia para charuto, de ana calo-.>binhos pequeos camua de chi-
varas qualidales e por preco commodo ; na la azul e eticas de brim ; quem o pegar leve
1 na da l ruz D. 60. a ra di toda D 8.
isy Tratado de pbisica por Biot, diccio- tsr No du Ha do raez piusa lo fugira 1
naiio porttil eav.ilhciro de fobl 13 com- escravos creoulos, ambos innas umdeno-
lingleza de patente em caixas pendi de botnica Cornelio cdigo com- me PeJro do i-Jado de ai anuos, estatura
meicial c..-|i.-..o In iiano restauraco de regular as peritas um lauto arquiadas, den
arle potica educuco de me- tes limados e um delles partido na (rente
moral grammalica franceza da boca bem fallante uma orelha furada ,
Horacio, horas da semana santa jornal poe- intitula se forro, ju'g^-se ter coudu/.ido uma
tico, novo testamento melliodu de flauta, mulher forra bastante trigueira de nome
utr. papel jardo; quem tivtr ai-hado quereno tsr Colecado Panorama encadernados ;
restituir diiij-se a praca da Independencia na praca da Independencia loja de livroS n.
n 1 1 que se d '5o,000 do gr&liicaio. ; ;7 e 3H
n i 1 que se lia 00,000 ue g
XST Precisa-e de uma an:a para casa de
lar
pouca familia ; na venda do Sr. Pedio Mar- de folha a qual pela sua qualidade be mais me,cial c^sju-j
:iano na ra da Cruz n. a8. interessante do que 011 (ra qualquer; no al- l'ernambuco a
tsr Uma parda ds bens cestumes se ofe- trro da Boa visla D. 16 n"08 B^.'
rete a servir h uma casa de portas dentro tsr Algus garro es filhos do pas'.o e al
poucos aias, ecoiiiem um uieve; qi-----------------------D----, .
Ibr teu dono di.ja-se a ra larga do Roza.ia ur CUsse dos crines Eui-ldes geo- ej uiediiaVuea Silustio SelecU livros nz ambos costuimu lmar, os qiues julg-
P. 8, que dando os si -naes lizas sci entre- melria ; ndice chronelogi. o ds leis e(ra- embasuro, cartas de sitiabasi, pasta para se ter h.oo para o serlao por serem bastante
7 vagantes, sistema dos regiment* ; no paleo meninos e &c. ; na praca da Independencia pialiconos camiubc-s, quam os pegar leve ai
- A pessoa que lem annunciado precisar do coilei;io loja de Uvros. Ija de encadwnad,.r U. (i, aonde fz-se lo- 6 ponas o/, ou em S. A11L. a seu Sr. Lu-
de uto sobiado em uma ra p.ineial drudo W Uma casa en terreno proprio oam da e qualquer encade, uaiao a gos-.o |de seus ciano Roza Ue Lima qua recompeusarl^
Mmannoadidiiladodiriia-searua de Hoilas 100 palmo de frente e mais de 5oo de fundo, donos, e presteza posiv el que para isto lem .. 1 ,, "
1) 45. com arvcresdefrucwoedivtreasqualidades, lenameiiUs e ananjos proprios. |____muniiiPiito uu l iflUt
tsr Perdeo-se na noute do dia 3 do cor- e porto de embarque junto poniezinlia da 'T Vmbo de cbampagnlie e de bordeauz NAVIOS ENTRA DOS N DIA- 4.
jenle na Igreja VJatiz de S Antonio, uma passagem da Magdalena ; a Uatar na ra da limo o brauco em caixas } na ra da Cruz Ro U JANEIRO i 9 das. Patacho Nac.
Su ai va do 15a tonel. Cap Jos Podro
Saiaiva equip 1 i, carga varios gneros,
passageiros dous.
fas, u u par de hrincos do renda tom J dia- oulra 8oo; a tallar coro V.auoel Jos dos San- uma molaia de idade de ao anuos, com a& DiT j ,eu(io 9ahido de S Calharina, a?
iiiaates e i aiiele* sendo um comesmlte e tos na nspeco do assucar asira como um mesmas habelidades dous pretos para todo das, liaica liasileira Firmeza de i4
diamante grande oulro dito com diamanta cabra sapaleiro para lora da provincia o ser 190 e um delles he bom canoeiro a | lon4Ji, ^ Cap. JNaiciso JJ: de S. Auna,
*eo esmalte, oulro de ouro levrado com Iu-; tsar Viveiroscom casaesde eanaios de Im- moleques de idadede 11 anuos na ra de
lar para firma ; a pessoa que semelhanles pe- peiio nascidos no paiz leudo alguna ovos agoas- \e.rdes casa terrea u. 3j
cas acbou queiendo resliluir ser geneosa- canarios ilo mesmo em gaioias separadas, uma W.Chilas a laoocoyado Unto
coro arveresde frucw de divtreas qualidades, lonameiiUse arranjos proprios. |___hiuti.ucih> ___
do dia 3 do cor- e porto de embarque junto pouuainha da **r Vmbodechaoipagnae e de bordeaux NAVIOS ENTRADOS NO
i Antonio, uma passagem da Magdalena ; a Uatar na ru.i da limo o brauco em caixas ; na ra da Cruz RIO U JANEIRO i 9 das. I
jesrgantiba de ouro de cenias grandes e olier- Gloria sobrado D. Jo. D. t>o.
tas, una aceda grande eiiCBstouda com lato tsr Duas canoas bbertas para carregar 11- : *~ Duas Pre,as mo?as uma deI,as he
diamante, um cordo grosso com li oila- tulho e lijlos urna can ega iwa dilosea boa coziuheira engom nadeira e costureira |
xaeuo gratificado pois quem perdeo he su- sabia, rolas chamadas da india, cor de
ana suene pubre e nem Ihe ei ltii aquilio joisandava em ajuste u o dono se ios lodos oiuilo cantadores e boas gaiolas
liaba coniodo da pessoa para a levar amcslraj para sabie chechea ; na ra diieila D. 53
no beco de Joo Francisco casa de idrassa. no pi imeiro andar das 6 as 8 horas da mauh
Preta-se de una seuhoia de idade e das duas a cinco e mu* da larde.
azues co-
mo de cores ch.tas a 10 e a 1 jo rs. o co-
V.do liscados trancados a 180 algodozi-
nho 1 jo a vara, madapolo 160 a vara, iran-
quelim preto e de cores, e oulras mullas
lazendas por preco commodo ; no beco do
Pau D. a.
equip* (5 carga lariuln ; a A. F. dos
Santos i51 a;;a.
SAlilDOS NO MS\IU DIA
PARA' porlos iiilennedios .larca, de Va-
por JNuc Paraheu^o Co.ii.ii.ui lant3 o Ca-
pito Teneulo Fe.is Corren- do S pas-
sageiros 17.
IRECIFE NA TYP. DE M. P. D F. 14


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9Z9G08OP_MI0WCX INGEST_TIME 2013-03-29T16:53:38Z PACKAGE AA00011611_04223
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES