Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04221


This item is only available as the following downloads:


Full Text
v.'
Ann^dk 184!. OtNtA Feia
Tudo j?o> dependa de nos meamos ; da nossa prudencia, mo;!*rt-
#o, e utairipa t contlnaeteos can:- principiamos, e seremos aponudof
o:o adatrneo entre as ISaces ntais cultas.
Proolamaco da Asserablaa (eral do Brasil.
>'
Subaereve-M para esta folha a ajooo por e/uartel pagos adiantadow
neata TypogMfia ra da* Ciuaes D.5, e na Praca da Independen-
cia, n. a; e 38; onde se receben! correspondencias legalisadas e an-
nuncios, insinndu-se estes gratis, sendo dos proprios assigoantee,
fiado asonados.
PARTIDAS DOS COfcRElOS TERRESTRES,
Clisado da Pirahba-Villas da saa preteneSo .......
Dita do Rio (Vradi-o (Wte, e Villas idera.......
Dita da Forial-ia e Villas dem ..........
Cidade de Goianna ..........,...
Cidado di linda ...........<
Vilta de Anto ..,...'
Dita de Garatihuns e Povoaoo lp tfonit .........
eiaa do Cabo, Senntisem, Uio Forroow, e Porto Calvo,
dade das Alaoa3, e de alacci.........
ViHa de Pej'i de Flores..................
Todos as Correiot parten aomeio da.
>5eg. a Sextas fe.;a.
Todos os dias;
(Quimas Teiras.
lo, e ?4 de cu da mea
i, ii, e ai dito dito
dem dem
dem 15, dito dito
PHASES DA LOA NO MEZ DE FEV.
La Cfeeia a 5 aj n h. e 4 i ro. da tard.
Quart. raing a 3- as i h. e 16 m, da man.
Lua Nova a ?i al 8 h, e 58 m. da man.
Quait. crcsc. a 28 as 5 h. e 40 m. da man.
dar chela para o dia 4 de Fevereiro,
As 3 horas a 6 utos da manbl.
As 1 horas e 3i nmuiii da Urde.
4 Dfc J?KVERE.tiO, NVM* 21.
CAMBIOS. Fvebeiro 3.
Landre...... Si d. por fooo ced.
j-'sIa ......80 por o|0 premio por metal oflorecido.
ranca...... 31o reis por franco.
R10 de Janeiro eo par. Oran. Ver.' I
OURO ~ Moeda de 6^00 rcis, velhas 1^700 i{|q ,
')lla *i ., novas MfSoo ttS-<-y
.',.,,. DJ!M de4#oooreis, Mi loo 8*300
r.iAt A Pataco- llrasileiros = ifbHo 1^7 >r>
i. Pezos Coluionarios ...... i/-co ij-io
Ditos Mexicanos-------------ltoo i|6ia
< Miud..............i?4o- i6o
De*conto de Uillieles da A Ifandesa 1 118 por 100 ao met,
lebrada letras 1 i|i a 1 irj por boasfirraas otlarecido.
Moeda de cobro 2 a por 100 de disc.
DAS DA SEMANA;
1 Segunda Jcj tm S. %Dteiofl.]M. -- Audisncia de Juiz de Dirello d
t vara.
2 Terca >Jt Purificacio de Sra. r
I. ara.
3 Qdftrta S. liras B Audiencia do J..z d Dirtito da 3 vara.
4 (uinta tj. AnJrc Cursino -- AuUiencia do Jui* do irtito da 3.
vara.
5 Sexta 8. Ag-icd. V. M. -T Au iencia cb Uv.i de OlreiM da 1. v.
(1 Sabhado As triaos do Christo. Rellaclo eauJie-.icia de Juiz de D. da
3 vara.
7 Domingo S. Romuald-j Ab,
V E 11NAMBUC0
GOVERNO D\ PROVINCIA.
Expediente do dia a6 Jo pass^do.
OfBcio Ao ("ommaudanie das Armas,
ordenando-llie que man le rrr.eber e d o
conveniente destino no> rec-rtitas vin'io) -1 .s Baliia ao Capio de prmeira linha Aiauael
Ala^oas abordo do Patacho Pata^oiiia de S. liuaveulura Ferr&z
devendo rempller para o Grande Hospital ,
os que se arho doen'cs da be.xi.ja a fim de
DitoAo Juiz iniiiino da segunda vara
do Ci?el non'.eando-o para presidir as redas
I da segunda parle da quinta Lotera do Tite-
ado publico.
Dilo -Aos Agentes da Corrpanbia dos Pa-
quetes de Vapor para ordenaren! ao Com-
mandanle do Vapor Paraensa que receba a
seo bordo e transporte para a Provincia di
mira Antonio Leocadio Paes Brrelo, na objtclosabaixodeclarados pira as embarca-
auzadeappellacao civel desta Cidade, Es- g6es tTarmada Arsenal, e Farol da Birra
uiau Ferreira j (oro despenados; manJan- pelo teaipo de seis meres contados do primi-
rentra
car
cr
do-se cutnprir o eccordo embargado. ro de Janeiro ao i-n de Junlio do corrnte
Os embargos de Jos Viclcrinodt Concei- auno. O mesmj Illin. Sur. inspector eon-
na causa de sppellaco civil vida as pessoas a (nem Mes fornecimenlos
dem do dia aS.
OfB'i'JAo Comraaudaute Superior da
sprem ali tratados assim como o (enente da Guarda Nacional do liectfe ordennidj Ihe
Guarda National daquella Provincia Antonio que mande dispensar do servico ordinario ao
Al ves Monleiro que est bstanle doente Guarda da quinta Companbia do segundo lia-
de uro allaque asmtico
Dito Ao Corr-mandante do Patacho Pa-
lalbo Francisco Xivier Soares.
Dilo Ao Administrador Fiscal das obras
fagonia, ordenando-lbe que faca entregar i publicas, rsspondendo ao seu ol':io etn que
' declara que o resto da madeira velha e in-
til lirada da Ponta da l3oa-vLta s /.-ode ser-
vir para leuda ; que a deve remetter para
a Cosinba do Grande Hospital de Cari-
lla de*
Dito x\o Provedor da Santa Casa da Mi-
sericordia de Olinda &igitiBcaudo-Uie que
mental e no de Caridade alguauas pracas do
Exercilo que se acbo accometiidas de be-
xigas cumprc que laca udiniliir no Hospi-
tal da Santa Casa aa Pratas que lite locera
remeltiilas pelo Comtnandanle das Armas, I
mandando faser a centa do que co:n ellas se
dispendcr a iui de ser paaa pela Fasenda
Publica.
ito Ao Commandante das Armas, com-
mullicando lite o conleudo no precedente of-
icio.
os Poiios doSul depois de completadas as 40'
iioras na Turnia do reguLoiento.
THESORAHIA PROVINCIAL.
Akjxuncio*
a desposifao doComD>4ndante das Armis os
recrutas que trouxe das AIsg->ai e bem assim
o Tenante Antonio A Ivs Monleiro.
Dito 7- Ao Prfsidentee memhros da Com-
rriissao Aministradora d^s Est^bellecimento de
Caridade. par faserem receber e tratar no
Grande Hospital os r-rrulas afectados de bi-
xia, z^ue para ali lorem enviados pelo Coro-
mandante das Armas,
Dito Ao Inspector da Tbesouraria das
Rendas Provinii.es, aucloiisando-o para
descontar as letras que txieliren no Cofre
perteheentes ao auno fnanceiro actual e que
lorem precisas para salislaser aos pagamentos,
que a misma 'i'besouraria deve al o fim de
Desembro ultimo
Di'oAo tiiesmo signilcando-lhe que
feudo o Engenbeiro L L. Waulier contrata
db o foruecimtnto das maduras precisas para
a rcnMruccoda Pe ule de Santo Amaro cora
o Ciddo Joo Augusto Pessoa na forma
dasconuieces que juntas se Ibe remi-ltem 5
compre que p nlia a desposico do lefe do
tiigenbeiio nio.> as quantias pietisas pa-
ra p. gamenlo das di'as madeiraa como para
a compra dequaesquer cutios objeclos que
forem necessarios para a mencionada 0-
bra.
Dito Ao Inspector Geral das obras
pbbltcaa, con municando-lbe que o Enge
nheiro L. L. W^ulbier, que se acba en-
cairegado da obra da Ponte de Santo Amaio.
Dito Ao Administrador Fiscal das 0-
bfas publicas, communicando-lhe o conleudo
no / reurJtnlo tmeio.
Dito- A Caara Municipal do Recife
significando-ll.e, que leudo Clirislovo Slarr
rtqueiido a Prtsidentia paia mandar balisar
a tan.boa deseiventia publica que desag^
os terrenos do lombal, e adjacenles a Gm de
poder edificar en utn terreno que alorou as
ierras do ilio Aiac, e no aliuhainenlo da
inadaAuroia, se Ihe remella a inlormuco
dada pelo Insj ector Geral dus obras publicas,
para que a vista della e da planta aprovada
pela a es ni a Presidencia, facn proceder a de
mar cacao requeiida nos dcvidus termos.
dem do dia 27.
OfBcio Ao (.on.aaiid.nle das Armas,
ispondendo-lbe que mande dar baixa a
Joaqum Jos da Cesta soldado addido do De -
|osiio, visto ttr sido julgado incapaz do
sen'
L
Fasenda, oruenauuo-ti.e q
-o*CapUo de ,. uha Manuel de S. Boa- |S'a appelIacSo ciel de Jos Cardoso Du-
tenlura Ferraz as cummedonas do estilo vis- raens com Francisca Rita de Mello, Escri-
'o ter de seguir para a Rabia 00 Vapor Para- vo Feneira ; foi confirmada a senten9a.
50 Anchul
t'aciivo Puslliumo ; contra Joana Mara do posso convir de cornparererem ro n suas pro-
K-pirito Santo ; foro dtspresalos, posta cui carta f-jchada a'. o dii 8 do corren-
Os embargos de Antonio Maria Wander- lo mez, e as qua^s se Jcciarem as liado-
ley, cotilla Paulo Jos Pe eir Simoens na res, a 601 de que possa etTecluir a r-eraa-
cauaa (leappellaco cirel Escmo liandei- tacocom as que por menor proco os rat-snas
ra 1 foro recebidos e julgados provados, forn,cimenioa Bzerem; preveuindo-se uca
uiandando-ss cu:o|rii o accordo embargado. CondlCfio especiil lie das ge:ieros sarem dt
Na appdllacio ivel do luisa deDirettode melhur qualidide n^ fe I lado q-.ie sern re-
Nasareili, appellante Francisca Maria do Li- carohiad s e comprad u outros ftCUstadtfS
vramento appellado Joaquim Jos de Me- mesmos fornecedores.
nc-ses Escrivao Hindeira } foi julgda pela Ilelacao Jos obi-clos precisas para f..rne?i-
reforjna da senteac^a. ment dos Navios' d'armada Arsenal, e Fa-,
Na appellacao civel da Cidade da Paraiba, rolda Liarri.
appellantc Ricardo Roges e appellado .Ma- Aseite do<-e rinigre, feijo toucinho ,
noel Antonio Chavea, Escrivsto Ferrera ; foi arroz, bacalho, farinha, azeiicdecarrapato,
julgada pela coulirinaco da seutenca appel- e lenba.
lada. I Inspecco do Arsenal de Marintn de Per-.
Na appelLaitf civel do Juiso de Uireito nambuw em o 1. de Fevereiro de 1841.
desta Cidide, appellaute Joaqun Earflaa I No impediinuuto d j Stnretario,
nao podendo ser curados 110 Hospital Reg- .des Gama, appellado Antonio Francisco
Xavier de Vasconcelos, Escrivo Posthuma : j
se julgo-a pela ronfirmaco da sentenca
Os Eitibaigo: de Ignacio -de C-istro Moura
Joio Manoel Miguis,
OBRAS PUBLICAS.
Nao tendo havido queoa se p'jpczesse a ar-
Delgado, contra Jos Ferreira Piulo, ,,;, ao- rema,.,r P*wdala1 M foruecimtMiaqs doS
pdlaco civel, Eacnvio Chaves, foro des- "^rlaesde Mpinae d Pwlietro, eoa ss>-
' ,! ventes necess-.DS inra a reu jv .ola da caes da
presados.
Na appellacao de lose Rodrigues do Piro
com Luii Antonio de Siqucira Jnior, Es-
cr i vio Claves, se julgon pela connrmayo
da seutenca appelad 1.
^'a appellacao civel desta Cidadj do Vis-
l.'ito Aos Agentes da Companl.ia dos cemie do Porto Covo, e cucos, coulw L).
Paquelesde Vapor respondendo-lbe quede- jLturiana Rusa Caudida Rigueira Pinto. Fs-
vem fdser heguir o Vapor Parbanse para I ciivo Chaves, foijulg.daa confirmado da
A Tbesourari* Provincial paga aos Em-
pregados que nao perctbem emolumentos os
seus ordenados vencidos al Desembro nos
dias i a 5 de Fevcieiro e aos que vencem era- I senleaca appellada
mlumentcs na mesma conforraidade de (i a y
do mesrao ti ec.
Tbesouraria Provincial 3o de Janeiro de
1841.
Joo Mancel da Cunha e Azevedo,
Tbesoureiro.
sentenca appellada,
Ht appeUacio civel em que be parte o
JuijO e a| pellado Antonio Joaquim Veras,
Escrivo Posthumo ; Nao toraara couhect-
mento do recurso.
JSa ap[iellago Civel desta Cidade appel-
lanle Luilikens & Comp. Appellado Cieta-
110 Pedia Goncalves da Cuihi Ese; i vo
Chaves ; foi julgada pela coniicmu;j da
Diversas liepartiyues
MI ZA DO CONSULADO.
Fditai.
Miuel Arcan jo Monleiro de Andrade Ca-
vnlleiioda Urdem de Christo e Adminis-
trador d .Mesa do Consulado tc.
Pal saber que se ho-de arrernattar na
porl da mesma 7 caixas de assucar appre-
beudidas pelos respectivos Empregados de di-
verios Trapiches por inexaciitlo das taras ,
a saber : No dia 6 do crtente 1 caixa 11. 1
B, a oito do mesuao ditas de n 1,4, 9, 4, quistada respeeliva CjiisuI par desale-
iq, li, edn. 45 M. em cujosdias nda- diencia a sen Capilio : pelo Ci-nmissano de
seos prasos mareados 110 regulamenio sen- Polica do distrito da Madre de Dos o pfeta
do a arremtala a livre de desbeza do arre- Jernimo Agostinho de Menees por ter
al4n,e furtado dous carneiros L'aetauo Perreira.
E para qae chegue a noticia a qnem con- Oonsalves da Cun!a ; lorio rcoiidos Ci-
dtspresaddsmandando-secumprir o accordo ver ,nandei efixir o prsense Edtial apar- deu: pela piiroeira ptirulha dadutricto do
es:rava
TRIBUNAL DA RELLACjAO,
Sessao em o i. rao correjiie
Os embargos de Francisco Alves de Car-
valho, contra Mancel Lopes de Barros na
appellacao civel Escrivo Ferrera ; oro
entrada do norte da punte'dos Car v albos ,
nao obstante terem andado por duis vezes em
pr;i:a sao agora pastos e n pra;a os ii-,:ims
fornicinsenlos para serem arrematados eai
globo em exteuco das ordens do Fxai. Snr.
Presidente da Provincia de la do corrnte, O
abaixo stsignado convida po as pessoas a
rjuem convier este contracto a comparereren
na rasa da Inspecca coiiipeteuteineute !, .iu-
lilsdas de liad ai es idneos nos dias I, i, e
5 do prximo futuro mez de Fevereiro aiiai
de ser concluida esta ariemala.a.
Inspecco das Obras Publicas 18 de Janei-
ro de 1841.
Moracs Ancora.
Todo o trabalhadar larrj qua quiser tra-
halhar no melhoramenta da estraua de San-
ia Auna pode apresealar-se aa respectivo
aponlidor naquele lugar.
Inspecco das obras publicas a8 de Janeiro
de itiji.
Moraes Ancora.
PREFEITRA.
Parte do dia 1. do corrnte.
lllm e Exm. Snr. Foraa bontj-n pre-
sos pelo Sub-Prefeilo da Preguesii da Us.-ife
o marujo Americido John Bolherham a re-
r o prsense Edital apar- deii : pela priraeira ptirulha da di,l
tadesla Adminislraco, e publicar pe im- Eora de Ponas o preto Benedicto,
nse
._..._ .. st .uuuc Uo. UJ.- eronargado, ., j..,. Ailmniur^rn f nublicar nel lm- i'ora ae roelas o preto lieiicJtctj es:ravj
luim Jos da Cesta soldado addido do De- Na appella.a'o civel desta cidade, Pp-lUn-l "S* Adm,B,1,rda0' e Publlctr &* lm de Joaqun, Jos de Santo v:l. par brigi :
lo, visto ttr sido julgado incapaz do (e Antonio Joaquim Ramos, appellados os.' [>Je&g j0 ronsuiaj0 A e Fevereiro de P* J>rieira pitrulbe dadistncto do Cuna
ico militar na inspecvoda Saude. teslamenteiros de Domingos Rodrigues do ./, o crioulo Vicente Ferrera de Sou>a par
no1-- Ao Inspector da Tbesouraria de ; ac Escrivo Ferreira ; se julgoupela Vipuel 4rcanio Monleiro de Andrade. ebri' : foro so,lu3"
tntJa, ordenaudo-ii.e que mande abonar confirmaco da sentenca appellada. J O mesmo Sub-i'refeita da Recifo parteci-
ARSENAL DE MARINHA. pa iujs que na raauli de bontem apaareCJ->
O Inspector do Arsenal de Marinha desta rana Praia do Forte do Matas o cadver da
Provincia, manda faser publico que se lem prelg Clemente escravo de Manoel C*rda-
{ Os embargos do Paulo Perreira Simoens, ] de po r em arremataco o fornecimenlo dos so da Fonceca cujo preto se suppoe ter mor-


DA RO b B PERAMBUGO
m
M
tdo (Togado disloque na vestoria que
e Ibc proceden nenhum indicio se encon-
ircu de ter sido assassinado.
E' que consta das Parlas heja receeidat
esta Secietaria.
Parle do da a.
Illm. e Exm. Sur. Partecipo a V. Ex.
que das parles hoje recebidas consla somentt
que fora bolera preso pelo Sub-Prefeitodesla
Freguesia o pardo Eloy Jos dos Passos por
estar en sua mesma casa su locando a urna
roulber a qual en giilos pedia soccorro j foi
remettiJo a Cadeia.
Nada mais orcorreo.
Parle do da 3.
Illm. e Exm. Snr. Forio honlem preso
pelo Sub-Prefeito da Freguesia do Recife e
prelo Jos escravo do Ingle* Garhel John-
eom & Comp. pedido do seo Senhor por
ibe ha ver f urlado varias cousas ; foi detten-
to no Callabouco 5 pela priraeira patrulha do
distrcto de Fora de Portas os pretos Anto-
nia escrava de Mana Carolina po ter loma-
do bum limo de outra j f ri sola Joo, es-
clavo de Joo Virissimo dos Santos por se ter
onposto a priso da dita prela j e Jos, cscra-
to de Pedro Maximianoporestar fgido; foro
Temetidos para a Cadeia j e pelo Sub-Pre-
ieito desta Freguesia os pardos Joo Paulo
Dis,e Jos da Cruz Ribeiro por estarem em
briga armados de facas e mutuamente se fi-
Trem-, tiveram igual dislino.
E' o que consla das parles boje recebida
nesla Secretaria.
ED1TAL.
Maneel Jos Ferr ira do Nascimenlo Fiscal
da Freguesia da S de Olioda, emvirlu-
de da Le etc.
Faz saber que da data do presente a quinte
das principia a faser as corridas em sua fre-
guesia revistando os pesos, e medidas e aos
estradas pblicos, e Judo o mais quanto for
concernente as posturas da Cmara Munici-
pal ; e para que nao baja ignorancia aGm res-
peto, adverte aos seus Comparotbianos a de
se pravenirem e manda faser o presente pu -
blico pela mprensa, e afixar nos lugaies p-
blicos desla Freguesia.
Olinda Freguesia da S *4 de Janeiro de
Manoel Jos Ferreirt do Naicircenlo.
ADMINISTRACAO' DO PATRIMONIO
DOS ORFAO'S.
Perante Administraco do Patrimonio dos
orios se ha de arrematar Ja quero mais der
no dia 4 do fucturo mea as rendas; do pn-
intiro andar da casa numero 1 do largo do
Collegio ; as pessas que se ptoposerem a ar-
remalal-as pcdeio comparecer na mesma
casa no indicado dia as 4. horas da tatl* con
eos fiadores.
Sallo das Sesses da Administrado do Pa-
tnrtmiio dos Olaos 3o de Janeiro de i84i,
J. M. da Cruz.
Escriplurario.
A
NOTICIAS PROVINCIAES.
Porto Alegre 10 de Dezembro.
Anda que em geral nioseja o general An-
drea lido como hornero de medidas brandas ,
re;lo que as suas primeiras ordens aos cora-
xnondantes de lorca n'esta provincia forio mui-
lo terminantes para que se dcixassem em paz ,
e em suas casas todas ;>s pessoas que n ellas
fossero encontradas ainda suspeitasde rebel-
da e alaos mesaos rebeldes que largas-
sera as Blras e procurassem vi ver de hones-
to trabalbo. Estas ordens principiario logo
a ser cumpridas ; e urna grande tan le de ri-
sas e dcsavencas a secar se de modo que a
excepcio do terreno oceupado pelos rebeldes ,
pareca que a perleila pst e seguranca se ia
apoderando dos espiritas e ganliando campo.
Felismeiite o general lomou o commaiido do
exercilo em quarteis de invern e este loi lio
rigoroso que mesmo no me de dezembro era
que estamos as nossas cavalhadas anda se
nao podem dar por promptas e capares de fa-
xer uma campanba inteira. Este incidente
ei que se nao pedessep intentar attaques se-
jics e nao ficcu por isso acs rebeldes, nem
o pretexto de que os h os! i I isa 1 o para nao de-
paren as armas em ccnsequencia dos extra-
oidinaiiosarontecimenlosqua se seguiro.
A maioridade do lmptiador con que
umita gente se engnou nao produzio para
a pacihracio dos itrbeldes oulro ticiio que o
desengao de que elit preterem acabar seus
das no crime antes que voltarem ao gremio
daasscciaro biasik-ia. O general segun-
de se v de seus actos que loio pblicos ,
loe c.dm jara fazer i-Legar ao lonbecmeu-
ta\.L u,uos a piocli>ma(o do Imperador e
tifia u fa/tr nois diitda e francamente cn-
Ku-a jor un oll-uel tccul ( o manchal
Gaspar ) ao chefe dos rebeldes affastando
adrede do seu olhcio toda a expresso offensi -
va ou que podesse servir de pretexto a du-
vidas. Benlo Gonsalves acha mesmo n'esta
simplicidade e singelett provas de m f ,
e queixa-se de que o general neuhuma oulra
abertura Ihe fzesse sobro os meios de levar ao
cabo a concliacSn roas o general, que o
entendeo respondeo-lbe propondo ludo
quanto Ibe pareceo capaz de ser admi'tidosem
quebra da dgnidade do governo ; e redutio a
questao aos termos de poderem os rebeldes ,
se n'elles houvesse boa f deporem logo as
armas e traa r-se nicamente do modo por
que cada um devia voltar s suas casas. Foi
to longeo general n'esta sua proposta que nao
faltarao pessoas sisudas, que Ihe nolassem
excesso de moderago mas elle respondeo
com seguranca : *' Nao lem perigo queelles
nao aceilo." Assim se verelkou Benlo
Gonsalves sabio logo da queslao e procurou
chicanas de rabota quaes o general deu cor-
te declarando-lbe que teria por inimigosdo
imperio a todos os que se conservassem com
as armas na mi &c, : terminou pois a cor-
respondencia
Veio o decreta d'amnislia mal recebido de
lodos os legalistas d'esta provincia mas o
general deo-lbe inteiro cumprimento a tra-
vez de quantos obstculos e opinies contra-
rias encontrava 5 e seguio o principio talve
verdadeiro de que as amnistas deixiode o
ser se na execuco d'ellas se adaitlem expl
cacoes ou excepcSes.
Durante o piazi de dois me/es concedido,
pelo decreto d'amnistii chegou o Sr. de-
putado Alvares Machado e esta provincia ,
odiado por todos os legalistas 5 de mao es-
querda para ella e lalvez para o liratil in-
leiro este senhor vnha dislargadamente
provincia para tratar em particular coai os
rebeldes, segundo seus fina e inslrucces ,
mas guardando o segredo com lal recalo que ,
con'ando-oa todos em breve nioguem ig-
norou-a para que vinha e era servir de
carta viva, por parte do Exm. ministro do
imperio para o chefe dos rebeldes
Nio sei que avisos leve e general sobre es-
la vinda roas esto abi patentes a conven-
ci feita enlre elle e o deputado acerca das
bases sobre que podia nogociar e esto pa-
tentes as outras commuaicaedes que enlao li-
vero logar.
Sabem todos que os rebeldes pediro t5 di-
as fe Hila o, fr mandaier o Azambtiji
al onde estiressem o Nelto e o Jos Manan-
no e que estes 15 dias no's Ihe lorio con-
cedidos mas que o general al Ihe mandou
uma barca de vapor rebocar oulra de carallos
para os por ao Azambuja ms immediaces
de Santo Amaro a 6m de mais breve seguir a
viagem. O resultado d'esta condescenden-
cia l.'.i poderem os rebeldes dar as suas or
lar que a uaica pessoa autorisada na provin-
cia para conceder alguma coisa aos rebeldes
era elle e que da sua parte nada tratara sem
que elles principiaren por se declararen
subditos do Imperador e como taes sujeitos
as aoutoridades e leis do imperio: que de en-
tio em diante Ibes dira o que Ihe* podia
conceder. O Sr. Alvares Machado na sua
carta de despedida que fez ao seu amigo Ben-
lo Gonsalves ( obra prima e digna de ser
I ida por todos os legalistas como ver n;
Commercio e Analista nos quass foi trans-
cripta ) troca o sentido d'esta ler.ninante ma-
nftistaco do general e diz-lbe que o pre-
sidente Ihe tinha mostrado dazejos de se en-
tender directamente com elle Beato Gonsal-
ves*
OSr Alvares Machado que como fa-
ma publica tinha combinado cora os rebel-
dens com toda a sfguranca para romperem as
hostilidades continuando a por tropecos
ronciliacio. Em quanlo ainda duravo as
conferencias, elles roubaro as povoaces do
TiiuriTo a Taquary e fizerio fogo sobre as
embarcaccee de guerra ali estacionadas : for-
coso foi en lio no general fazer um reconheci-
mento sobre os ros Caby e dos Sinos para
ver si o roo vi ment era igual, e por esl
occasiio foi dispersa a forca do rebelde Joa-
qun Pedro com perda de gente e cavu-
lbada.
O Sr. deputado Alvares Machado ia e
vinha ao quarlel general dos seus estrellas ,
e nio sei que proposta fez ao ao general An-
drea em uma d'eslas oefasioes porque elle o
nao dice, mas ouvirio pessoas queestaviona
sala immedieta o gentral responder-lhe cora
vehemencia: Oue elle general nem em
republicano nem o quera ser ; que as suas
mios nao serviao de instrumento a crimes ;
e que a ser preciso que o presidente da pro-
vincia annuisse ao que Ihe propunba enlao
mandasse vir oulro que da sua parte nem
tinha pedido tai prebenda norc a quera ; e
finalmente rematou com dizer-lbe entre ou-
Iras coisas j fui perseguido 5 annos por
ser monarchisia e volado cousarvaco da or-
dem e da uniio do imperio e ponto me im-
porta ser perseguido o resto da miuha vida ,
e por motivos lio gloriosos."
Acabou-se o praso da amnista acabaro-
se os i5 das pedidos pelos tebeldes e o
esultado foi pedir anda Bento Gonsalves
um salvo conducto para mandar outro dos se-
as oibeistsa Nelto a fo de este mandar
uma commissao tratar com elle sobre o modo
porque todos deviio tepor as armas. Fui a-
inda concedido pelo general este salvo con-
duelo arbitrado pelo deputado Alvares Ma-
chado por ao dias para ir o olhcial e vir a
commissao e n'esie inlerim anda o depu-
tado foi mais uma vez aos seus estrellas por
cuja ccctio tsve o general de lh maniles-
ra da provincia fingio-se desgostoso dess
commisiio e declarou qu se queira reti-
rar. O general deo-lbe todos os mens e
segundo a desconfianza em que. esteva dji
movmentas dos rebeldes que linho cortado
toda a communicacio com acidada, e lalvez
para algum outro iim foi al o Rio Grande
com ioo homens decacadores para reforcar a
guarnicaj d aquella cidade levandooomsg
o deputado que se quera retirar, o qml
cliegando ali teve o desgosto de ver que o
general era recebido com enlhusiasmo e fes-
tejos aonde mesmo o deputado coalou com
mais numeroso bando de seu partido.
Nos poucos dias que edeve ali o general
chegou a noticia de que o brigadeiro Joo
Paulo vnha tomar o commando do exercilo
O general Andrea entendeo logo que eslava
demitlido de ludo, e que o presidente se
achava na provincia 5 consta al que inter-
pellara directamente sobre islo o Sr. Alvares
Machado que responder negativamente ,
alarmando'Ibe alera d'isto que ainda que
nomeado fosse nao aceitara avancaodj
mais que antes quera seis mezes de prisio
Nao obstante cliegando no outro di o bri-
gadeiro Joio Paulo e 1 izendo-llie saber que
ibe irazia a carta de presidente S. Exc. pie -
cipilou-se por baixo das ondas que o tempo
estava duro e loi ao Norte receber a sua
carta imperial; logo no outro din partiro
o general Andrea eos seus dois successores
para esta capital, e contra os desejos e a
esjjeclativa de todos entregou o general o
< omrnando do exercio no di 3o do mez pis-
sa J j e n'esse mesmo dia a presidencia da
provincia.
Ganharo os rebeldes uraa grande victoria.
Nao querio na provincia ao general And-, ,
massim um presidente da sua escolha fez-
se-lhe a vonlade ; agir vemos ro.no os
fados juslilicaj esla medida extraordinaria e
revoltante aos olhos de lodos os que se tea
offeiecido em sacrificio noespaco de 5 annos
para salvaren a inlegridide do impo e a
itouia da naco. Houve quera quizesse que
o general nao enlre-jasse coisa alguma sem
dar o guipe que bavia projectado contra os
rebeldes ; mas elle recusou-se a taes conse-
Ibos ou propostas. O mirechal Fontoura juiz
de paz da cidade foi Ibe dar paite no dia
(39) anterior ao da entrega que os inspec-
tores de quarl.iro queirao representar ein
nome do povo da capital para que seno
d>se posse ao Sr. Alvares Machado e teve
em resposla :--" Em quanto houver um sol-
dado que me obedeza mandare! fazer fogo
sobre lodo aquelle que se oppoter posse
as ordens do impeador bao de cumprir-
se." Esta resposla determinantedeixou mn-
goado ou lalvez oll'endido o juiz de paz, e
fez desvanecer quantos piojelos os bons le-
galistas linho coucebido para se livrarem de
ver a provincia goveruada por um horneo
que ha pouco mais de um anno cobrio
de improperios aos verdadeiros defensores
da ntegridade do imperio e de louvores
aos mais criminosos rebeldes e que ainda
boje lem a impudencia e o descamnenlo na
sua celebre carta de 18 de novembro de
Ibes chamar columnas do trono imperial.
Vamos agora ao grande desleixo do ne-
gocio, Eeius todas as vontades aos rebeldes:
deilado lora o general galego com quem o
muilo patriota e muito Don cdadao Benlo
Gonsalves nao quera tratar ; e nomeado em-
n
buco como bem pnna entre outros o seguidla
ficto :
No da a de Dezembro apareceo Benlo
Gonsalves com algurna forca em frente a esta
cidade e mandou dizer ao sen amigo novo
presidente que Ihe mandasse l o Innocencio
( ordenanza do comm&ndante da guarntco
que levou alguma's vezes as carias do seu ami-
go Alvares Machado) mandaro-lh'o, e
Benlo (Gonsalves mind>u dizer a S, Exc. que
a iuell exercilo ( republicana ) estava dis-
posico do Imperador; que tinha vindo ali
para observar o fistejo d acuelle da ; que ia
para Viaraio assistir ao Te-Deun pelo mes-
mo motivo e que Ihe mandasse algn vi-
n ho para se fazez uran saude. Nao podia dei-
xar-se sem a devida attenco uraa lio polid
particpaco e o Sr. Alvares Machado fa-
zendo publica logo (fui na occaziio do cortejo)
des os meios de porera o general Andrea f- lio grata ootteta mandou aos seus amigos o
refresco pedido constando de ura barril da
vinho ura pouco de pi., e algura daca da
marmellada mas era quatidade e quiliJada
taes que se lien fossera coindignas dis soU
lciladores foro aceitas diz-su com bem
merecido escirneo e elles foro assistir a
um Te-Deura sin masenaeco degracas
pela derrota da 4. brigtda d; civatla^ia do
commando do coronel Jernimo Jtcioto: %
a sim que bourarao o anuiversario do Im-
perador. .
Quando o general Andrea foi ao Ro Gran-
de deixou ordenado ura reconuecimenio so-
bre a capella do Viaraio (cujo resultado Vn,
ver na orden do da inclusa dia da entre-
ga ) e alguns dos omciaei presioneros que sa
tizero enlo, declararo que a empresa de
subir jo a ierra para bilerera o general La-
luiut fora aconselhada pelo Sr. Alvares
VIichado na sua primeira visita con o fin
innocente de ad.juinren algurat vanta -en
nolavel para escorados n'ella poderem
imporcondices ao governo e para seguran-
ca que linda ido Canabtrro cora dois mil
homens escoltados -, e cerlanente lerio con-
seguido seus dezejos si pU franquesa con
que logo o dicero por contaren certa a en-
presa nao fosse prevenida a tempo polo ge-
neral Andrc a retirada para postea o segura.
Fallou-se mais em Viarao sobre a uuces-
sidade do exercilo republicano pira ju.ito a
imperial bater os nossos vizluhoi os quaes
( Fruclo) foro prevenidos a fin de os da-
zatiar a tiu il juer tentativa, e por ella vermo-
nos obrigados a pedirnos oa aceitar os so-
corros dos estrellas columnas do trono inpe-
rial, nos altos posios em que se acbo.
Na da \ chegou Capella a tul conrait-
so para que fotao concedidos os x diis ,
em resultado no da ti tarde liveraos o ^osto
de ver entrar pelas tnnebeiras e apresen-
tarem-se as sallas do p.lacio do governo o
plenipotenciario Ulbo Cintra ( de sooreca-
saca esca.ldte ) e oulros dois fai rapos, pro-
pondo as condiccs cora que aceiUvo a pz ,
que segundo ali dissero, e alen de outras
cousas ja pronettidas peloemtssario di corte,
se reduio liberdade dos es:rvos qu; ten
enlre si ou por outra a declarado de que
(ico livres lodos os escravos no Brasil que
pegaren em armas contra o governo. ao
pagamento da divida interna e exlerna feita
por elles rebeldes e dispo.i a de ser viren
.1 naco salvo nos postas que ora tem na sua
repblica, O brigadeiro Joo Paulo nao quiz
tallar nen ouvir a tal depulaco apezar dis
instancias do Sr. Alvares Machado-, entre os
quaes ji n>o existe intelligeucia aljun t,
Parece que o actual prisidente nao raiga
chega a ainda a ^oca de se podoren tx'.ac
taes coiivences sendo por iio que vio-sa
obrigado a declarar que nao po lia couceJer
mais do que j liutia concedido o presidente
Andrea, Seiuelhaiile desleixo junto aos dis-
sabores que S. Ex. ja bavia solrido nos das
a e i nao se lite tendo dado ura s viva
como de cosume n aquelle neo n'esta
da que no Uiealiiubo Ibe apreeularo en
scena o Traidor esmacarado e larca Re-
medio para curar desejos en que aparece ura
cuurgio levando pauoadas sem que pes-
soa aigu ua alea do seu escodeiru Cjiun-
tiliano me lizesse corie no camarote o let
cabir em um abatimeulo proiundo a pon-
to de dizer a mais de 4 pesooas que nao po-
da durar mais de ,1 nor.s veudo-sa lio
Iim o homem mais constante pologitla dos compleloraente achicaliido l S. i.xc pa de-
rebeldes de que temos noticia para presi-, ca seus iucommo dos proprios do paiz a
dente da provincia, devia-mos esmerar que mais alliviadod elles mediante os socorros da
elles aceilassem os bons conielhos d'este Sr, l arle que proiessa a inda d esta vez espera se
ede quem mandou e depozessem ou fia que nao ser cumprida a sui proluiia, e
gissem depor as armas por algum lempos coj o resUbeleciaieulo amanba publicar
em quanto as coisas se arranjavao por oulras urna nova proula uiaco com o remate guer-
parles ; mas elles nao lem paciencia parass ra lerna aos anaicbstas i
iingirem homens de bem nem por alum
mezes, ecomo linho conseguido os seas uus,
mofaro d'elle o esto lanado j sem re-
14 de dezembro de 1840.
Al fojeal legues prioeipiaro leus mvio-;
. k


fclARIO^DE
PERNAMBUCO
5

nitritos a 8 do correnta seguindo em ludo
plano qut fcavia concebido o general Andrea.
A brigada de Medeiros e os balalhes ni.
a e t subirlo a serra pela picada de Buluca-
nby e devem estar boje rnuito prximos ,
ou leunidos a Labatut que se acha a salvo
no Pasao Fundo* A columna estacionada no
Taquary marchou sobre a Capella e perse-
gue Benlo Gonsalves que se retira na direc-
co da picada das Tres Forquilhas que deve
estar boje occupada pelo major Rodrigo, sen-
do que elle ali podes>e cbegar primeiro que 03
rebeldes ; devendo tambero o Ouri ves emba-
racarque elles subissem pela de Santo Anto-
nio para o que lite oi com tempo enviado
um batallio, Se o major Rodrigo poder ga-
libar primeiro as Tres Forquilhas s resta
a liento Goncalves seguir na direcco das
'1 orres onde lia tambem urna picida para a
ierra $ isto quando as Torcas legaes que o
siguem rnuito de perlo cowo consta dos ofi-
cios das mesmas hontem recebidos os nao
posso baler antes de ali chegar : ha comtudo
um receio que a verificar-se muito fatal p
de ser e que nao seja o plano dos rebeldes
chamar nossas forcas at as Torres e deseer
ntietanto Cana ierro pela picada de Santo
Antonio em cujo caso fcario na retaguar-
da de uossas forcas pois consta que Caua-
*airo se estacionou no Passo ds Antas ou
Campos da Vaccaria nao s por causa da ca-
valhada como por muita deserco : acres-
cecdo anda o lo;ro que levou porque sup-
poz que o Labatut seguisse para a fronleira de
5. Paul0 e o fez para o Passo Fundo, pr-
jimo ca (Jrui Alta por ordena que titta de
Andrea f corlando-1 be a communicaco com
a cmpanha leudo boje nao s forfas su lu-
cientes para defender aquella passagem como
para carregal-os. Jos Joaquim de Andrade
lleves que com o corpo do seu com mando
occupava hio l'ardo, e Jernimo Jacinto,
que exilia prximo a Ctssapava tiberio or-
dena de r reunir-se forca que boje perse-
gue tiento Gonsalves j o primeiro deve passar
amanbaa o Taquarr sendo de suppor que o
segundo nao deva tardar : teme-se que Catn-
vairo descendo faca jnelo com Bento Gon-
salves e lente baler nossas forcas em dimi-
nuto numero por isso se mando reunir to-
das si bem que com a diminnico das que
loro reunir-se a Labatut, assim como de
mil homens que ficio com Loureiro de obser-
?avo a Joo Antonio e Netto as immediacd-
de Rio Pardo. Por agora rica (oda a cam-
pauha abandonada, O que bouver de novo
direi, etc.
Amigo e Sr. Cbegou finalmente para es-
ta provincia a poca do desengao ; os rebel-
des que at agora atlectavo desejos de paz ,
e quesustenlavj urna Ira cao da legaliJade ,
com essas ideas com sua boa (i acabo Je
dar um solemne teslemunho de sua perver-
sidade ede entinar ao nosso governo qml o
yslema que deve seguir para exterminal-os
luudtiro-se presidentes mandou-se um im-
politico decreta de amnista e um enviado
para tratar com elles, todas asvonladesse
Ibes fizero e o resultado exigiera que o qualquer hora,
lirasit se obrigue pela divida por elles con-
trahida com o Estado Oriental liberdade
para os escravos e ltimamente a isempco
de todo o servico militar mesmo o da guar-
As ultimas noticia, dizem que no dia | Bja-'hta ua loja do >r. Joze Ignac,o> pretender, dirija-se a, bec, ,1,
Bento Goncalves deveria ser derrotado com- Monte no atierro,
pletamente porm pelo Norte se diz que es-
l.OTERIA DO SEMINARIO
Acho-se venda os Bilhete
te, sabendo do mov ment do nosso exerci-
to, mandara chamar Canavarro que tinha
subido a serra para bater Labatut e sabir
para a campanha e ento nao seria to fcil
essa derrota.
Vamos a ver o que faz o governo e se a-
inda acredita em caraminholas,
(Do Diario do Rio de 4 de Janeiro.)
COLLEGIO SANTA CRUZ.
(Palacio do Gervazio na Boa-vista.)
A Direcco] d'este Collegio tendo consi-
derado que muitos paes, zelozos da educacode
seus filhos desejam mas nao podem apro-
veitar este Estabeleciment ; porque infeliz-
mente Ihes fallecera os meios para poderem
satUfazera competente penso, entenduu que,
para dar mais urna prova de que ua funda-
cao d'este Collegio teve-se mais em vista o
interesse conimum t do que o particular, de-,
ve, em vez de limitai-o smenle as classes
abastadas, tornal-o tambem extensivo s pes-
sas menos favorecidas da fortuna ; mas tai-
vez mais ia natureza.Para cujo im resolves
admitir alguns Pensionistas c meio-Pensio-
nistas filhos de paes menos abantado, mas
probos e honrados o quaes retribuirlo s
a quantia correspondente aos alimentos ar-
bitrada em it'000 meusaes para os Pensionis-
tas e em 11:600 para os meios Pensionistas ,
pagas estas quantias na conformidade do Arte
ii dos Estatutos ; e quanto ao mais gozaro
gratuitamente das aulas e outras regalas que
olFereee o Estabeleei.Tiento.
Os pretendentes faro um requerimento
instruido com urna Certilo aulueiilica de
probidade e de falta da meios pira poder si-
lisfazer a com plente penso ; e ,' desos das
necessarias e indispeusaveis indagares ser-
Ihes-ba deferido ou ludnferido.
Os cheles do familia assim d'esta como
d'outras Provincias as circunstancias sn-
pra-mencionadas., nao hesitarj uein de-
vem hesitar um s momento emaproveitar
tao til e avoravei medida e a direcco
muito se lisonjear com isto pelos immeasos
deiejos, que tem de que se aituudain por
seste vasto e rico piiz os conhecimentos uleis ,
em os quaes mal pode haver Civilisacj.
COLLEGIO PERNAMBUCANO.
Aterro da Boa-Vista n. t,
O Collegio Pernambucano encerra em seu
seio todos os preparatorios que- a iei exige para
as Academias de Direilo e de lYJedecuia do
Imperio a comecar desde Primeiras Letras ,
assim como para os meninos que se destinam
ao Commercio.
* M uitos dos Professores do Collegio das Ar-
tes, e do Lyco sao proprietario* de diver-
sas Cadeiras no Collegio Peinambucauo.
O Programan do Eusino e os Kstatutos
do Estabelecimeuto sao francos ao publico a
...a da a. par-
te da ij. Lotera no; Recife ra da
Cadea loja do Sur. Vieira cambista vn
S. Antonio na ra do C*bu; loja do
, e na Boa-vista botica
Snr. Bandeira
do Snr. Mornira deronte da Matriz ; e bre-
ve se annunciar
rodas.
w
o dia do audamento das
Avisos Diversos
^ Um rapaz brazileiro de idade de a t
nnos que eserve sofrielmenle se offere-
ce para caixeirode escritorio ou ru e da
fiador a sua conducta : quetn o pretender ,
irija-seao patio do Carmo venda, n.
XST Na ra do muro da Penha caza de
rotulas pintadas de verde confronte ao N ixo
d'Assump^o h urna mulher que se propo-
em a ser ama sugeitando-se a todo o servico
d'
uina casa
tsr
menos engoznar.
da nacional e quando losse preciso servir o
THEATRO.
Francisco de Freits Gambia nao lhe sen-
do possivel regrecar a esta Cidade por estes
e nos postos adquiridos seis raezes tem entregado toda a direcodo
Thealro ao Snr. Joaquim Jos da Gami ,
ao qual sede lodos os seus poderes relativos a
esse negocio. Os pretendentes aalugueude
senarios, vestuarios, &c. podero dirigir-
seaoSnr. Joo Jos Lopes, que os tomou
por arremataco 5 ambos os dittos Senhores
eslo morando no Thealro, durante o impedi-
mendo do Empresario.
fariao na rezerva ,
durante a rebellio 1 Estas proposices loro
apresentadas pelo Ulba Cintra como ora-
dor da deputaco que os rebeldes enviarlo a
Porto Alegre. O presidente creio que por
inspir&co divina respondeo verbalmenie e
depois por escripto que o Brazil nao acceita-
va condices e someule da va perdo 1 de-
pois d'isio esleve o presidente mui doente ,
e 4 dias passou ;* caldos ; o caso nao era para
menos, depois de levar vivas aqui depacit-
cador da provincia deixal-a em guerra, mo-
tivo de grande paixo e que dir agora o
governo, que fez o ai de julhot para ver
depostas as espadas dos rebeldes ? anda
querera curar a chaga com balsamo ? ainda
acreditar as estrellas o Sul ? Esta noti-
cia deve causar ahi bastante abalo, e Deus
queira que d'ella resullem os beneticios que
esperamos. ..... Os meias caras nao fa-
cen) seno dar satisfaces, e ando de ore-
lba cabida.
A pokico das novas autoridades a mais
arinca possivel j sem opiuio publica des-
confiando os legalistas que ellas preveniro
empre os rebeldes de qualquer movimeuto
ele etc., nio as podem considerar aptas para
administrar a provincia; quanto mais que bo-
nieus mandados para a paz nao podem ser-
vir para a guerra / por isto que o Andia
e retira cuberto de gloria, deixando aau-
dosos os legalitas que ainda tem esperarlas
vei-o frente de seu exercilo.
SOCIEDADE RECRUIO ENSTRUC\0'
A comisco administrativa avisa aos So-
cios para boje 4 do torrente irem receber
os Bilbeles ua casi da mesina as t horas da
tarde.
LOTERA DO LIVRAMENTO.
O Thesoureiro da Lotera faz sciente ao
respeitavel publico [que como vai a venda dos
bi I heles com grande afluencia] que deseja qu>
os amantes deste jogo concurri pura a com-
pra para ver se por todo este corrale mez
se auuuucia o dia impreterivel.
LOTERA DA BOA-VISTA.
Acho-se a venda os blhetes da a. parte
da 5. Loteiia da Matriz da Boa-vista; no
recife loja de cambio do Sr, Francisco An-
tonio Vieira da Silva ; em S. Antonio na
botica do Snr, Joo Morena Marque; na
Vi rae! 1, c
za junto ao sobrado indo norS. Pelo.
%Sr Quen annuiteiou querer dar ;\n .,
res pira receber e-n iij ld ; dirija-te a
na antes da ponte la passagm da Magdanela
que achara com quem fazer negocio.
W A pes 9a, no rio Formla; dirijf-te na etqni
da pracinh* do Livramento loja de fazen
do Burgos.
t&~ Quem quiser quatr"o centos mil reii
a juros de a pr 0|o sibre pinhores d'ouro
ou prata : dirija-sea ra de Santa Therez
D. 2.
ur Aluga-se urna canoa ," ou vende-se ,
a quil prga nove centos lijlos de (venara .
no atierro do affogado casa da quina da ra
do ouro.onde achara com quem tratar,
s^" Oabaxq assigaado faz siente ao res-
peitavel pub>CO, que no dia 3i do o. p. ra>v.
do Janeiro, na Povoaco do Monteico indo
elle lomar banbo no bauheiro do Snr. Costo-
dio levava 110 holco urna caixi Je tonar ra-
p sendo esta de tartarug aparelhada de ouro
com urna firma, que se for preciso se dir d
que ella significa ; portanto roga a dita pes^
soa a quem ella for vendida ; sendo queira
restituir ao dono dirija-se a loja de livroj
na praca da Independencia que he perlen*
cente ao Snr. Figoeiroo.
Jos Mariano de Albuquerque Silva;
IST iNodiaSi de Janeiro perdeo-se urna
cruz grande de e quatro voltas de aro a erui
na frente he toda de gomos e por detrae
temos martiros d> Se.ibor gravado da bu-
sil eodo Lancado fora em urna Plangsna de
agoa de urna janella abaito no beso da carea-
reiro do sobrado que faz quina da ra do ran-
gel e na mesma ocaniio se vio abaixar urna
preta de tabuleiro de curne de porco que poz-
se apanhar e ninguem mais deo noticia del-
la; a pessoa que della tiver noticia apodera
levar no m.sau sobrado que ser bem re-
coupencado.
ssy Vei de-sa uma nejra de ia annos d
idide bonita figura t quem a pretender 5
dirija-sea ra dos quarlets, no primeiro an-
dar do sobrado i >, 11.
- Vende-se tiotins de lisboa sapatos
'francezes ditos Ingieres, dito de duraque
* n* para senhora lacas e glifos filas de airea
r.',KT.".,e.,riM':.i,e'aorM"'tld8 JPrp7 .. ; 4. w.
loja do br Joaquim de Souza Pinto & C
- Quem pricisar de urna j annunsi
par 1 ser procurado
\sr Qufin preci-ar de um moco para ca-
xiftiro de idade da 18 anuos da fiador dt sua
conducta .umun i.; para ser procuraij i.
tsr .ilelhodode tingir os cbelos Iava5-
se bem os cabellos co n agoa morna e depois
esfrego-se bem co.n um ovo batido, e de-
pois lorno-'ie a lavar com ago\ morna e es-
tando encliutos molha>seuma e>coviniia na
agoa do vidro mesmo fria e da-se noi ca-
bellos tendo o cuidado de nio deixar pingar
na roupa e quando estivereio bem motila-
dos deixa-se enchugar, e sahe-se pira a ra
Esta ag>a da-se urna vez por dia, e muitd
piucas veres precisa de mais de 4 dias ; ad -
verte-se que a hvagem com o ovo basta s na
primeira vez. Este reethodo lie o mais sim-
ples, e o seu resultado he o melhor qre al
agora tem aparecido. No tira de dous ou .i
mezes ser uecessario dar urna nova aptica-
go ; vende-se na ra nova loja de chapeo*
de Joaquim Josa Pereira t. aa eem forado
portas na botica do Sr. Joio Chinaco Ferreira,
o seu preco lio detjoo os viJros grandes, e
de oo os pe.jiienos.
tsw No dia 31 do passadoshiro do sitid
henifica defronte do sitio aracjunlo da pon-
tezittha dos Hemedios i escravos que se jul-
ga terem sido seduzidos, um de norae Bento,
de naci cacange alto e secco do corpo ,
cara redonda e descarnada muito feixadd
da barba levou camisa eceroulas de estopa
c algodo e chapeo de palha o segundo de
nonie Pedro de naco benguella alto e
grosso cara cjipiida e tambem barbado ,
de idade de Jo anuos e o terceiro de no.na
Antonio caueu de idade da a5 annos com
ponta de barb o I los raudos alto e cor-
pulento; que n os pegar leve a ra dos _uar-
teis paitara 5 que ser recompensado.
tsr Antonio Joaquim Gonsalves de Mo-
raes roga a qualquer auturidade policial ,
pessoas particulares ecapilesde campo de
apretienderem um moleque de noihe Joze ,
de naco benguela, de idade de 10 annos ,
bem preto espigado do corpo, ps e mos
compridas e leve urna molestia em um de-
do da mo esqtierda do qual lhe cahioa uuha,
tem o beico debaixo comprido bem pareci-
do tem o signal que troxe de sua trra que
he urna ancora de navio pela parte occulta do
braco esquerdo % quem o pegar lave a ru 1
do Livramente primeiro andar sobrado O. a5
Qualquer Snr. que queira aprender ,
ou mandar ensinar, Rethorica Philuso-
phia Geograpliia Lalim Francez Pri-
meiras lenas e Arthmetica : dirija-se a ra
da Guia, n. 59 1 andar, onde achara
com quem tratar ; adverte-se queoannuu-
ci me nao s ensina e n sua casa como em
casis particulares que promette em pouco
lempo mostrar o seu disvelo ; e que, as lices
podem ser presenciadas por qualquer curioso.
tsr O Sor que annuncion no Diario
querer comprar pontr.s de liois ; sendo que
aindi queira dirija-se a ra delraz de S
Jos caza n. 17.
tsr Aluga-se u.n sobrado altos e biixo ;
rom todos pertences de Paderia silo na ra
da Senzalla velha n. 35 ; quem o pertender ,
dirija-se a ra Direita paderia do Snr. Ma-
chado, soorado do primeiro aadar que a-
chara com quem tratar.
w Felippe Menea Callado da Fonceca .
Advogado nos Auditorios desla Cidade, parte-
cipa aos seos Clientes, e pessois de ui ami-
de que tem mudado a sua rezidencia para ,
ra do Collegio da parle do nasceole ca/.i
H perteneeule ao Exm.
Carvalho Paz de Andrade.
B>r Precisa-se d alugar urna escrava para
todo o servico de urna casa de pouca familia ,
e qtie sbj co ar dando-se-Ihe o sustento, e iaU rs. aten-'
saes : na ra das Flores casa D 8.
tsr Precsa-se de urna escraa que seiba
cosinliar e engomar para servir a u:n ho-
mtin solteiro : nesla Typ igrafia se dir.
tsr Quem quizer mandar faier limas de
xeiro paganda (meio feitio ; dirija-se a ra
da Florentina indo para Palacio velho na
casa D. a.
a-^ O Quartel Mestre d'Artilhera faz
sciente a quem convier, qne mudou sua re-
zidencia para a ra do Quemado D. 4 5
por cima do Alfaiate.
tsr Na ra da Penha no fundo do Li-
vramento no tercei o sobrado terceiro artdar ,
uar Senhora que se propoem tomar
criangas com ama para se criarem com Iei le ,
mpedidas e desenpedi das e tambem recebe ,
as que nao tiverem ama para as acabar
de criar com todo o mimo e amor.
tsr A pessoa que precisar de algumas mu-
sicas lie llanta, eviolo, inclusive aver-
iaras senloniai cavatinas variaces ,
quadfilbas <&c. ou mesmo de alguma pessoa
que copie e transporte assegurando-se
huma boa copia e exacta de erros ; an-
nuncie.
UT Aluga-se urna caza terrea sita n ra
nova qne val para a Irempe com sutficientes
coruinoJos para urna numerosa familia; qume
a quuer alugar dirija-se ao palio da Santa
Cru; 'tratar com Joo Sebasliao Terete.
tsr Quem tiver hum sobra jo que quei-
ra alugar em priucipaes ras piga-se o a-
luguei de hum anuo adiealado ; anuuucie a
sua morada,
au> Precisa-se de um menino portuguez
para ser caxeiro de um loja de ; annancie.
EfiT Quem precisar de um rapaz portu-
guez para trabalbar em padaria ou outro qual
quer serviso dirija se a praca da boa vista;
. 7.
aU> Vende-se huma escrava de idade de
vinte e dois anuos ; cos n lia engoma, la-
va de si bao; na ra da senzala velha em ca-
za de Jernimo Lu da Coste.
- Vende-se vinho tinto de Brdeos em
quartolas ; na ra do Vgario N. it.
tsr Urna multier branca de idade de 45
annos pouco mais ou menos, se olferece a ser
ama de urna caza para lser o servico da
mesma excepto eosaboar, e engomar, quem que ter 5o,000 de graficact.



' f
4
da n i o de pebnam u dco
i i niiiinwauhmtaiii'iiiMimn ia"T-rTrrri-ifTrrrnnrmBriri"'iiiTiiiiitffi^i-y~
tse- Participa-se ao rtspeitavel publico ;
oye no .Hierro dos alionados casa que faz
fente para a ra da cabanga echa-se colo-
cada urna fabrica de sabo de todas as cores ,
assitn como jabneles esencia de sabo. sa-
bao para preparaces sabonetes para tirar
todas as nodoas principalmente de gordura,'
espirito de vinho de 38 graos agoa de colo-
nia de superior qualidade espiritos e es-
sencias prnprias para limas de cheiro tudo
lelos precosmais commodos ; u administra-
dor esocio do mesmo eelabelecimento espera
da filantropa dos honrados Cidados que :on-
corro.
C?- A pessoa que annunciou precisar de
um ra.\' iro para venda dirija-se as 5 pon-
tas D. ig.
*s^" Precisa-se de urna ama que faca o ser-
vico de urna casa ; em Olinda na ra de S.
Bpii lo n q i
SS9" Por nao ter-se vendido todos os bilhe-
tes da rifa do forte pianno nao le correr no
primeiro do corrente, perem correr infal-
-vel mente em Marro por isso os amantes des-
.ta jogo queiio comprar o resto do* bilheles ,
<|>ara nao haver falla nos lugares ja anuun-
eiados.
tsr Deseja-se fallar ao Sur. Manoel Joa-
quim Venancio de Souza que annunciou ter
comprado o escrava Joaa creoulo, a Anto-
nio Joaquim de Souza antiuucie.
*S^ O abaixo assignado, nao podendo des-
pedi -se de seus amigos pela precipitado
de su partida para o Rio de Janeiro srve-
se deMe raeio para fafcer chegar a todos suas
desdedidas olferecendo-lhes ali seus serv-
os e ratificando-1 bes seus ptotestos de ami-
aade -Vale i-Joaquim Nunes Alachado.
tKF" A uga-se um primeir andar na ra
los Qn
dando o sustento e vistuario e mesmo fora
da praca d^rija-se aofirte do mattos 0. a
SS?" Rogasse ao Sr J. J. T. M. baja de
ir ou n-and.ir pagar na ra do Quemad) I*
16 o que inandou bu-car por seu filho, pois
ja tem decorrido i meneo tmpo.
t39~ A quem Ibe faltar urna escrava bucal,
que anareceo no lugar de S Anna dirija se
ao sitio de Nicolao Rodrigues da Gunha no
mesmo lugar.
Avisos Martimos.
urna duziade cadeiaas de dito e urna meta
de jamar; na rui direita D. 4o. primeiro an-
dar.
ssy Frascos de conserva em vinagre a
4oo rs e em du/ia mais barato.; na ra da
cadeia do Recife bija di ferrjgans n. 4'.
SSP Farinha de mandioca de superior qua-
lidade a 5) io a saca e j6oa o alqueire ; a
b irda do Hiate Flor de Lataiigeira undia-
dj no caes da alfaftde^a ; ou na roa da ca-
deia do Recife loja de fazendis n. 17.
'tSr Papel de pesobrancode boa qualida-'
de ; em-fara d- partas n. r4.
t&r Riscadinbos de cbita de boas coras a
55ooa peca ; na pranbado Livramento nu*
mero ag.
ssr Borzeguins para senbora a aooo ,
sapa tos de marroquim francezes e de Lisboi ,
PARA LISBOA com a roaior hrevda le ,
o Brijue Portuguez S. Domingos por ter a
maioi- parte do seu carreamento prompto ;
quena uuizercarregar.ou hir de passagem p o q tem excedentes commodjs, dirija-se ao seu
consignatario Herculano Mara Bessone ou ditos de dura jue bj'jns para hiera, sa -
ao Capito Vbnnel Gongalves Vianna. j palos a bolinados peales de raarfin para ti-
PAR A S \NTOS segu com brevidade o rar piolbos feitos em Lisbja ditos de ali
Brigue Brasileiro 8. Joao Bapsta Ca-sar, ese-ova. para denles,, ricos bicos da lar-
p'nio Je^uino Jo/e Simes ; para carga e gura de d us a tres dlos ricos bo-
passageiros. iracta -se com Jos Gane* Ivs Cis- loes de marfira para abertura, as verdidei-
ca ra da Cideia do Rerifa n. 45 ou ras pilulas di familia em frascas de 5o cora o
com o mesmo Capito oa fracs do Coiomer- competente foHiete, e superiores bichas gr *u-
'* descliegadas uhiuiameule tudo a preco cam-
PARA LISBOA e liba de S, Miguel o modo ; na prai;a da Independencia n. 90,
Brigue Escuna Amelia ; quem quser carre- | *&> Um escrava de naco ptimo para estatura bai xa r sobre o peilo den
6r ouirde passagem falle com o Capillo na se empregar era qualquer obla urna escrava | tem roa pequea sic.tru feixada de fe*
nos urna preta de idade de as annos Cou^
nhi engoraras casa e he recolbida, Ua,~
pardinhade idade de iSannos perfeitt en,
gommadeira tan tu de roupa de bomem como
de senbora cozinba e faz renda ; ni'rm
do fago ao p do Roiario sobrado D. a5.
ssy Urna esorava cabra de bonita figura
con todas as habelidades ueoessarias para mna'
c junto ao lampiio.
KST Urna escrava croula com idade de
ao anuos, de bonita figura, cosinha o dia-
rio de urna casa faz renda coze lau da
sabo e rarrella ; na ra da Penba no fun-
do do Livramento no terceiro-sobrada aa
lerceiro andar.
tar Duas pretas mofas, urna deltas be
boa coznheira engom nadeira e costuroira
urna raolata de idade de ao anuos oiq as
inesmas habelidades dous pretoi para iodo
o servco e um dees he bom canoeiro a
moleques de idade de la annos ; na ra de
agoas \erdes casa terrea 3],
;rayos ^ libido
tW No da 23 da passado fu^i utni prefo
de ame Januario de id de de ao annos
praca ou ce m Joo Jas da Cruz. de nacao com bonita figura eoziuba. lava, e
PARA O ABACATY segu vaj,em a Su- be quilandeira ; na ra direila ao lado
maca Conceico Flor do Mar ; quem quiser do Livramento.
earregar ou ir de passagem dirija-se ao Ueslre tST Urna escrava moca de boa figura, per-
Antonio Jos Vianna a bordo do mesmo de- feit engommadeira cozinheira e costurei-
fionte do trapiche novo oo a Aflenlo Ro- ra uiaa linda molatinha de idade de i3 an-
drgues Li:n.-; na praca do Corpo Santo. nos, com habeliuades, duas escravas de ida-
PAHA A BAHA sabe impieleriveliuente dedeaoannos, duas molcoasde idade de 14
no da iodo connote u Hiate Flor de Liran- anuos i moleques de idade de la a i5 n-
fai
lempo consta andar no camitihode betiribe
beleme rozar inho ca regando feises dw lenln-
quem o pejar leve a casa de Jao Vnt de 0-
liveira na ra da cadeia do Recife na quina
da ra da Madre de Dos, que ser recom-
pensado.
tsr A ap de Noverobro do anno pwsad
fugio um negro da Villa do PeneJo Provin-
cia das Alagoas, com os signaes seguales offi.
qualquer oceupaco mesmo fora da praca,
fJiri|i.-se di-lronte do oitao do Lirrumento ven- I tsr
* D a3 de Joo Jos de V"oura, ido Coireai Oliveira
ltimamente de S. Catbaiina : a Bordo do
- Que. fas Jos.5 Ray, por intervenco Brigue Minerva ancorado na praia do Colegia, prelodenome Pedro anda I
4 de t*e-
peosac
No dia a do corrente sabio de cesa un>
de na-
Quinla leira 4 de te- e em porfi trata-se com A. F. do* Sanios rao banguella anda nao sabedizerquem ha
cr .T,essoa que annunciou precisar de metro as .o horas da manh no seu ar- Braga ra da Moeda, n. 1|. L ae-hnr lv.. Ji, 3. .1.,i u
atxeiro para venda dinja-se a" ra nova -uem nofortedo mallos, na casa ^onde re- Ca?m de planta as arroba, cortado "" a/nlTi/oi uX! **'***"'
um ra
D.a6.
Desapareceo na roanb do dia
fassadoda ra da praia casa de Jo
ereira de Vtendonca urna cabra bcl.
preta dai;da leite a qual levou um pedaro r^de sabonetei de ebero para "barba ver- velba e dito de
de corda ao pescoco ; quem a lii-er aciado I'.J'z engarralado r.ara luslrur cauro, bures
queicrnlo restitu-Ja leve a dita casa que ser "e roat|re de perola copos lapidados de cris
recompensado.
sr A!uga-je urna casa terrea sita na ra
nova que vai para a tiempo com excedentes
coa-modos pata urna famiiii; quem a preten-
der dirija-se se paleo da S. Cruz casa de Jo-
io Sebaslo Perelti.
WT Ouem liver urna negra paiida que te-
iihs bsatanie leite dirija-se a ra direita L).
49 primeiro andar.
OT A rila de Arcenio Fortunato da Silva
de varios objeclos de praia escravos, bilhar,
bagateilas e Se deve ser elfeciuada no dia z8
do crtente imprelerivelmenle da forma de-
signada no plano que se entrega com os b-
Hietts os quaes se acbo a vr-nua nos lugares
seguiutes ; na ra ova loji des Srs. Ga^ma ,
e Guerra ra do Cabula loja do Snr. J0;
Peres da Cruz, praca da Independencia do
Sr, Jos Antonio da Silva ra d Qaeimado
do Sr. Joaquim Henrique da Siha crespo
do Sr. Abreu cadeia loja de chapeos do Sr.
Antonio Jorije no beco do i bealro na casa
que loi da nev no ftecife as lojasdos Srs.
Cardozo Aires Jnior Cardoso Aires & Ir-
mos e Bourgard ra da cadeia e airas do
Corpo Santo loja de trastes o cusi de cada
Jjilhete be aooo,
W Cinta pessoa particular obriga-se a
eozir.h-r para 4 ou 5 Srs. com todo asaeio
e limpesa quefor possivei e conlorme a
vontade dos pretendeutes, mandaudo-ss levar
a casa des meamos bnrs. nao haveodo mato
lta alguma ; os predentendes dirijo-se a
raca Oa Independencia loja de eucaaeroador
1. 2b st-dii.
w No da 5 do corrente pela primera
-vara do Civel L)r. Francisco Joo Carneiro da
Cuuha na tua da praia se ha de arrematar
por eitriuo eiia aos olaos filhos do falle
cro Antonio Suares de Andrade Brederodes ,
tres escravos de todo o servco.
tsr Alu;,o-:e duas canoas grandes abor-
tas, urna pcca em 1-.00 lijlos e a outra
em c'oo com canoeiros ou sem clles ; u ra
do Livramento loja de louca U. a.
ajar l'o-se 400,000 a jures de a por ren-
to so mez ; na luado Cabug loja ue fxeu>
dasD. 2.
tsr* Algum senhor solleiro ou viuto que
yxeciwr de urna senbora para r*eger sua casa,
ul finisstmos
objeclos.
para agoa o oulros muilos
- velba, e dito decalca um preio de nno lunda pra o manHuinbo friera o pegar |8.
s bora serrador por 5oa,ooa ; na ra da praia Te a ra do Vigano a7 que ter o,aoo de
- serrana do Card.ai gratificaco '4
C o m p r t
- ma preta de nacao mora e de bon.la r W
figura para tora da provtucw } na ra das negra de nome Roza de naci cacante da
U.nchc.rasn. idade de a anno, cor fulla", r to compri-
r Um sitio de trra, propnas no lugar du com B1lko, s de Jeebiif-i /
de go. fra d. Ingoio junto do riacho u, veslido de chiba azul e pa.u.o d costa ja
j u ,v *= *"""="- -" paucos tunaos sua na ser recomiiniisad
logo so pt do Rotafio D. a5. (juina da ,na da Alegra que vira para a Glo- reL0a,P8U^-
UT Umaporcao de sombra de varias co- ,ia, u melade a vista e melade a pnso cora -------------:-----------
res 5 quem l.ver annuncie. firma a contento ; a tratar na ra da S Cruz
tsr Um quarto bom carregador baixo, ,tnda de calcada de pedra ao correr da ri-
queseja novoe manteudo ; no principio do beira.
atierro dos alfogados casa de Silvestre Joa- r Rap de Lisboa a libra a a.on e as
qum. doN.snme,.lo oilavas a ,0 rs. na quina da pracinha do N|rw 7 ASn K .
tKI Urna rede nova ou frvida que sirva Livramento loja do Buidas nt" ^-^LAiND; a5 meaes Barca Ameri-
de tapar tos fundos con, .ja a 4o bracas; t8T (Jai terreno cora Voslmoi de frente ?*!, ***** de *** onel. Cap. Jabz
?*iviiiiiiito do ^orro
1 _
NAVIOS ENTRAOSiNO DIA 1.
Um escravo cabra de bonita figura | tsr Urna venda ,Ua na ra da senzala ve- N,?v"f,.u i*!!?1 ix>**u}m Bamoi e S,^a'
v.ndodoAracaty; a praca do Corpo Santo lun ii ; o iratar na msala. ^A.Sb ; 4b das, Polaca Hes-
liernardo Fernaudes Gama junio aoque fui
do fallecido litigadeiro Jo e Koueilo
SST Bichas ebegadas uiimmente, as
roaores a 400 rs. e as pequeas a aoa rs. ;
na praca da Boa vista botica U. lo.
SSW Assucar refinada a fia e to rs. e ar-
robaa a'400 ; na la estrellado Rozari-j re-
ttnat-o i.
iv Um molatinhode idade de 14 anuos ,
tem principio de cozinbar e ptimo para
pagem ou iroca-se por urna escrava; na ra
do (utimado D. 4*
lar Superior arroz brando da trra pela
medida velba e sacos com dito de caita; na
ra do Rangel D. 9.
mar Urna secretaria de Jacaranda ora, um
relegiode pande, um guarda louca, urna
madeira ; ua ru> nova U 14.
tsr Us keguiuies litros em francez ; a mo-
ral de conluix lesuinoda historia da ilalia ,
resumo da lustoiia da vida dos melhores ti-
losolusda antiguidade lgica de Condilac ,
coio e .Sa, ult-ao resumo ua historia li-
letarii de poiiug.l, do brasil, oulros mon-
ges nuvella elementos da historia ecclectas-
ttca novo manual do forue.ro, m.uml de
arebitetura resumo de giaramaitca frauceza
ue LAtuioiid resumo da historia dos esta-
dos Unidos da Amrica, coa, menta 11 os sjbre
o est.11 lio das leis por JMoutesqueu; na ra da
Floientina velht lado do muro de S. Fran-
cisco casa ao p da labiica de papelio.
W Um molecaa peca de idade de 16 an-
nos muo reloicado ptimo para todo o
marquis nova de angico 5 bancas de dito, I servco dous dios de idade da sa a 14 an-
Stevens equip. ia carga diversos gene-
ros ; a Ferreua ti Vlansrieli
RIO Ul JaNEIIO pelos portos intermedio,
Barca de Vapor Parahense, Commandan-
te o Capito Teneute Fels C. da Sdr* ,
traz passageiros para difiererites provincias.
SAHIDUS SU MES.VIO DIA
SALE d ;' 1 atictio Americano asele Cap.
Josiah Duvmg Carga assucar.
DITOS NO DA a
RIO OEJANclliO ; Bn^ue Brasileiro In-
diano Cap Antonia Carlos de Azevedo
Couitnbo carga varios gneros cutid us
varios passageiros.
PHlLADELflA ; Brigue Americutj AttiU,
Cap. John Crow carga assuca.
ABOFE NA TYP. DE M. F. DE F. I&41
. t.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9NZZJCE2_7S426R INGEST_TIME 2013-03-29T18:14:49Z PACKAGE AA00011611_04221
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES