Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04220


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^
AXN>DE 1841. QuAttTA FeIRA
x____,l------1----l------'----'-----'----ni m.L ujt___'___J.. Jb
Tudo go, dapaada de ruis mesmos; da nosa prudsnei, modara-
? energa t eontinuaaaos como principiamos, e ser mo* apoaudcl
coa *dmitru^*if antre a* INaoes ruis cultas.
ProclaraacSo da Assemblea Geral do Brasil.
i* lisa i
Ssbscreve-M para esta folha a 3|ooo por quartel pagos adiantadotf
-"a Typogralia ra du Cunes U.3 e na Praca da Independen-
n. '37 e 38, onde se recebera correspondencias legalizadas
e n-
uncios, insirmdo-se estes gratis ,
Viodo asignados.
sendo dos proprios assigaantes,
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESf RS
3 de Fevereiro^Km. 2tf.
Lona. C^BIOB. *>*> U
!??***.....'" d'P/oooced.
Fnnc,......?? *&* T *r meUI ff3l
n j.......51 rc,s P nio de Janeiro ao par. rn w j
OBO- Moedad^oo reis, ve.ha, SfS .SJ?
P.IATA Patacas Bra.ileiro. a ,U ,'/"
Fexos Columnarios-----------i-o, .1' .
fe*s^.::-::::erg
--?-- i#68o il7a
...... ,#j00 ,*(.,
fe* biineVe. da" Alfim^ "g pToo**,
te^'is:1< i* p^bo-sh'ro.^ oSar
Boeda de cobre a 5 por ico de disc. L im
CJrlade d* Panbiba e VHUa do sua preteneo .
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem .
Dita da Fortaleza e Villas dem..........
Cidade de (ioianoa .....#.....
Cidade de Ulinda ..................
Villa deS. Anio ..................
Dita de Garaniuns Poto*o do Bonito.....
Diaso Cabo, Serinhaem, rlio Foroaoao, e Porto
Cidade das Alat>oas, e de Macei.......
Villa de Paja de Flores.................
'iodos os Correio partem ao meto dia.
Seg. Sosias fartsa
Todos os diasj
Quintas le ras.
lo, o ii de cada mes
i, ii, 11 dito dito
dem dem
idem 13, dito dito
PHASES DA LOA MO MEZ DE FEV.
La Clicia a 5 as ii h, e 4r nj. cia tard.
Quart.ming. a i3- as i h. e 16 m. da man.
La Nova a ai as 8 h, e 58 as. da man.
Quart. cresc. a 38 as 5 b. < 40 na. da man.
ttaruhcia para o dia i cte Fevertroi
As i horas t 18 minutos da man ha.
As i horas e 4> minutos da tarde.
das da semana.
' """i S:? 'naC,' M" Aud-rtc' Drfif da
i Terca > Pariflcaco de Sra.
i. vara.
4 $Ea B b An W (^Udenc!' d Ju!l da *** 3. vara.
v. AnlrCu",no Autifci. do ji. ja l?irit. da 3j
5 Sexto S. .V%A, V aaV 4-.. i- .
t babeado ^C^MAeC^o..A^!l^^^t D. J
J Vil I'I.
7 Domingo S. Romualdo Ab.
P E R N A M B U C O
THESORARIA PROVINCIAL.
Annuacio
A Tliesouraria Provincial paga aos Em-
pregados que nao percebem emolumentos os
seus orden idos vencidos a Desembro nos
das J a 5 de Fevereiro e aos que vencein em-
raolumenlos na mesrr.a conformidade de 6 a y
do mismo n.es.
Thesouraria Provincial 3o de Janeiro de
Joo Maucel da Cunha e Arcedo.
Thesoureiro.
Diversas Kepartites
Dita de 160 por caixa de assucar
Dita de 4o reis por fcixo dita. .
Dita de 4o rs. por barrica e sa-
ca dita .......
7i5U5o
o^Uaoo
57qU7oo
ALFANDEGA DAS FAZEJMDAS.
Rer.dimento d'Alfandega de Pernambuco no
" rece de Janeiro prximo passado.
Direitosde i5p.c. ... iaa:362aQ3
Ditos de 49 i|a p. c. de be-
bidas espirituosas ,
Ditos de 5o p. c. da plvora.
Ditos de 5o p. c. do Cha .
Fexportaco a por c. .
Expediente i l| p. c. .
Armasenagem de i|4 p. c. ao
D'ei .... ...
Dita addirional de 3 i|2 p, c.
Preii-io de meio por c. ao wei
Mulla calculadas nos despa-
chos -* .
l5;635a85
1:9060875
703U800
26c7'9
i3;iatU64a
a5^U863
3o;oo5Ui66
ap8jo65
Rs. 8B;i77Uao2
Pernambuo 1. de Fevereiro de 1840.
O Administrador.
Miguel A rea njo Monleiro de Andrade.
Paula do preco correnle do assucar algodo ,
e mais gneros do Paiz que se despacliao
na Mezt do Consulado de Pernambuco na
semana de 1 j de Fevereiro de 1841.
Assucar B. novo 1. S. ar. a 00)


|9J 4

Dito M. novo
85o
Dito B. velho
800
5jU6go
Emolumentos de cerlides
IViultat avulsas .
i84i895U5o6
3U4oo
3ioUc8o
Dito M. velho
i8co
Algodo em pluma
a.
3.
4-
5.
6.
1.
a.
I.
a.
3.
4-
5.
6.
1.
j.

S.
a
s.

a

a

s.
a
<<
te
11
(i
U
(
it
e
'<
11
<
ti
II
11
K
2.
3,
aooo) aooo 1. Q.
1 pro)
17 5o)
i6oo)tf6oo a. d.
145o;
'&{">*
a 00)
Sooo) afooo 1. d,
iqoo)
i75o)
1600) 1 s'doo 3. d.
l45)
.,?oo)l''fJoo,-d-
Sorte ar. 6U600
5U00
a 4U00
ouebontemno ocorreo novidad atguma se- aqtiim das Chagas 1 Padre I-oacio de AI*
gundo as panes hoja receb.d.,. meda Fortuna8, Leonardo DS de Si-
O Administrador da Rccebedotia das Ren- 1aeira *-
d^s Geraes Internas avisa aos devedores do -----""
Imposto de lojas aberta-, de seg^s e carri- NOTICIAS PROVINCIAS.
nhos, da taxa de aU reis e iU reis por escra- ao db JAifEtna.
vo da segunda Dcima de mo, morta e .."s 'olidas da Corte onde reina a
de Barcos do interior que tem marcado t lran?juil odia 15 do correle mcz de Fevereiro para P* INennum novidade de nteresse publico
satisfaerem o que devem ; findo este pra- ne 8S enCo,ran>os que diga respetoa cor-
so mandara proceder sxecutivameule contra Xe. ma,!' si,n a<> Rio Grande e Smu C tin-
os omissos. r'ns Recebedoria das Rendas Geraes Internas a.Suerra > e consta, segundo lemes no Dia-
3o de Janeiro de 1841. i'10* <,Ue tem aParecidt> a desinleligencia
Francisco de Salles da Costa Monleiro. enlr,e Gene1 o nov* Presidente, a pun.
I to desle pedir com toda a instancia a sa de-
rerante a Administracodo Patrimonio dos missfo.
orfos se ha de arrematar a quem mais der Por decreto de a de Desembro de 180
no da 4 do Induro me* as rendas do pri- S. M. I. foi servido conceder a penso de
r da casa numero 1 do largo do 4;ooo ao Exm. Sr Feij em premio dos
Collegio ; as pessas que se proposeretn a ar-
rematal-as podero comparecer na mesma
casa no indicado dia as 4 horas da tart- coa
seos fiadores.
- Sallo das Setses da AJminislracio do Pa -
triroinio dos Oifa'os So de Janeiro de 1 Si 1,
J. M. da Crur.
relevantes sei vi os por elle preitaddi.
No dia 8 do passado tinha sido sepultado
ua ijjreja de S. Francisco de Paula o Snr.
Scipiio Domingos Fahbrine encarregado de
negocios da anta S junto Curre e cee-
gadj apostlico de S. Santidede.
MINAS GERAES

a
Jor* AtTonco Ferreira
Francisco Joze Moreira.
Feitores e Comerenles.
Rs. i85;ao8986
O Escrivo
Jacome Geraldo Mara Lumachi de Mello.
MFZA DO CONSULADO.
Redimentos da Mesa do Consulado de Per-
nmbuco, no mei de Janeiro
findo.
preximo
Direitcs de 7 por c. de epcrla-
t"........54;ii9i5a
Ditos de a por c. dito ai5U685
Ditos de An<:oragem para lora
do Imperio......8:o58U34i
Ditos de ditas para dentro dito .
Ditos de Depsitos que excede-
rao do anno .....
Cisa de 5 por c. pela venda das
Emba/cagoes Nacionaes .
Firolumenlos de certidoes .
Papel dos passapoiles Imperiaes
36711190
3aU5eo
i4"Uooo
i3tio
3oo
Disimo do asssucar dasAIagoas
Dilodoalgodo de dita .
Dito do assucar deSergipe .
Dito do algodo da Prorncia .
Dito de dita do Rio Grande do
Norte.......
6;846U868
l-.9i2rf4o
'i57U-<9ti
(Jo i a
i3J8i
I356
Dito do assucar desta Provincia
pilo doalgododita .
Dito do Ca dita .
T*xa de 4o reis por saca de t.1-
6odo .......
65;oG3U865
19; lo-; U 145
a;.9;UtJ07
iiy29
66Ua4o
CORREIO.
O vapor \f aranhense recebe as mallas para
"s portos do Norte boje (3) ahuma horada
tarde as cartas deverao ser entregues neste
correio ao meio dia (cando todas as que vi-
eren! depois desta hora,
ARSENAL DEMARINHA.
O Inspector do Arsenal de Marinha desta
Provincia manda (aser publico que se tem
de po r em erremataio o (ornecimento dos
o bjcctosabaixo declarados para as embarca-
ces d'armada Arsenal, e Farol da Barra,
pelo lempo de seis meres contados do primei-
ro de Janeiro ao fim de Junho do corrente
auno. O mesmo Illm. Snr. Inspector con-
vida as pessoas a quem taes fornecimentos
possoconvir decomparecerem com suas pro-
posta sem carta fechada al o dia 8 do Torren-
te mez, e as quaes se declarem as fiado-
res, a fim de que possa effectuar o arrema-
tacocom as que por menor preco os mesmos
fornecimentos Hzeiem; prevenindo-se que a
condicio especial he dos gneros serem da
melhor qualiJade na falta do que serio re-
cambiados t comprados outros acustados
mesmos ornecedores.
Relacodcs objeclos precisos para forneci-
mento dos INavios d'armada Arsenal, e Fa-
rol da Barra.
Aseite doce vinagre, feijo loucinho ,
arroz, bacalho, farinha, ase i te Tle Garrapato,
e lenba.
Inspecco do Arsenal de Marinha de Per-
nambuco em o 1. de Fevereiro de 1841.
No impedimento d.; Secrstaro.
Joo Manoel Miguis.
PREFEITRA.
Parte do dia 31 de Janeiro.
Illm. e Exm. Snr. -- Partecipo a V. Ex
Obtivero votos para Deputados Geraes no
Collegio de Goiana, osSnrs.
Dr. Luiz de Carvalho Pae.i de Andrade 64
- Dr. Joaqun Mues Maxado 6 Dr
Francisco do Re^o Barros 6J Dr. Urbano
Sabino Pessoa de Mello 61 Dr. Sebastio do
Reg Barros 56 Dr. Antonio Peregrino Ma-
cel Monleiro 5i Dr. Alvaro Barbalho
Uxoa Cavalcanti 44- Padre Venancio Henri-
quede Rezcnde 4 Desembirgador Manoel
Ignacio de Carvalho Lacerda 4o Dr
Felippe Lopes Netto 3g Dr. Francisco Do-
mingues da Silva 38 Dr. Feli Peixotode
Britoe Mello 38 Major Antonio Gomes L-
al 35 Dr Pedro Francisco de Paula Ca-
valcante de Albuquerque 34 -Padre Luiz Ig-
nacio de Andrade Lima 39 Dr. Joo Jm
Ferreira de Agviar 37 Dr. Francisco Joao
Carneiro da Cunha ai Dr. Jos Francisco
de Arruda Cmara 17 Tenente Jos Pedro
da -Silva i5 Procurador Fiscal Antonio Joa-
qun) de Mello i5 Dr. Manoel Joaquim
Carneiro da Cunha 11 Dr. Manoel Mendes
da Cunha Azevedo 10 Dr Elias Coelho Cin-
tra 10 Dr. Jernimo M.-rtiniano Figueira do
Mello 9 Dr. Alexandre Bernardino dos Reis
e Silva 9 Joso de Carvalho Paes de Andra-
de 7 Padre Miguel do Sacramento Lopes
Gama 6 Dr. Antonio Per eir Barroso 6 -
Dr. Bernardo Habeo da Silva Pereira i -
Dr. Jos Joaquim Germtniano 4- Sebastio
Jos de Barros Brrelo 5 Leonardo Bizerra
de Siqueira Cavalcante3 Dr Joaquim Ma-
noel Vieira de Mello 3 Dr. Jos Libanio de
Souza 3 Dr Joo Jos Pinto Guimares
J Dr. Francisco de Paul Vellez 3 Dr.
Joo Paulo de Carvalho a L'esembargador
Gregorio da Costa Lima"1Mmonte a Dr.
Joso Thomaz Nabuco de Araujo a Antonio
da Costa Reg Monleiro a Dr. Antonio
Jos Souza Gomes a Antonio Jos de Oli-
veira a Dr. Domingos de Sousa Leo -a -
Padre Mnncol do Monte Rodrigues de Araujo
l Appolinario Laureutiiio de Alhtiquerque
1 Dr. Filippe Carneiro de Olanda Campel-
lo 1 Bernardo Jos da Gama 1 Jos Ber-
nardo Fernandes Gima 1 Dr, Francisco Jo
as folhas recebidas desta Provincia que
alcanco at 3o de Dezembro do anno p. p.
nada encontramos de cuja publicaco nos
provenha utilidade
BAflA.
A Bahia excepto os tristes acontecimentoi,
effeilos das Ehif s goa da iraitquillidade.
segundo as folhas que dali recebemos al"
a; do p. p.
No dia 5 do ditoinvi.i chegado de volta i
cidade a expedico que bra enviado para
as fronleiras do Piauhy durante a presdes-
ela do Exm. Snr. Thomaz Xavier; sendo
esle uno dos priraciros actos da nova Presi-
dencia.
No dia 4 pelas 9 horas da hoite o socego das
familias da capital (oi un pouco alterado
por ao tiros d'Artel hera de grosso calibre,
seguidos de varias descargas de fusilara ;
dados da corveta ingleza Pearl ; e igno-
rava-se al 8 segundo diz o correio Mercan-
til qual a causa de to inslito proceder.
Toda a cidade se sobresaltou ; mil conjaCturas
se fizero nova revoluco se figurou na i-
m-iginaco dos picideos cidadlos ; e OS ha-
bilantes do centro mais que todos entilo
os movimentos que devii produzir ua casa
nao esperado e nunca praticado
Abaixo copiamos o resultado das Eletc,6es ,
e daremos quando bouver logtr as noticias
do que neilas se praticou.
Apuraco feita pelos collegios conhecidos ,
para deputados geraes.
I Dez-Thomaz Xtvier t*4
a A. J. A do Amaral tss#
3 Dr. Ramiro 4dJ
4 Rejjoucas 4i0
5 Dr. MuiHI Mara do Amaral 4 Ja
6 Novaes Bocha 41
7 Dr. Ros 4*1
8 Dez Jjaquim Marcellino g5
9 F. G, Marlios 3jja
10 Sonto M9
11 Dr. Fres Mo
la Paulo Josa de Mello 378
i3 Di-. Moura Magalhisa 3;t
14 Dez. Junqueira 3;t
15 Dez. Paito ><*


t> A R i O b 13 PERNMBCO
9
16 Trncencio Jos Cal vio
7 Tost
i" 1 r. F. A. Ribeiro
jg Dr. Airando
-so Dr. Pediein
S. E.
B46
343
337
33i
33o
RIO GRAN DE DO SUL.
A' 11 horas da noi'e do da 3 do corrente sa-
bio d'esta ridade urca Torca composta do bata-
llirs 5. de catadores de linlia 5.dear-
telheria a p, 7. corpo Je cavalleria de guar-
tla nacionaes ,- 11 a pracas do a. batallo
"provisorio de guardas nacionaes fasendo ao
todo o numero de mil homens com o firn de
xecutarem um reconbecxento sobre a capel
iade Yiamo, A meia noile marchon a lor-
es da alio dos Moinbcs de Vento sob o com-
isando geral do tenenle coronel Nepomoee-
110 e iatendo a vanguarda na marcha o T.
Izaias. A meia legod de distancia da capel-
la enconlrao as primeiras vdelas inimigas to
*inilanles como se eslivessem vsadas.
INo damos o detalhe circunstanciado de to-
dos os acontecimentos que se seguirlo, porque
aqu sao sabidos e pora os que ao tange ,
nao sabeiu Irn acre remos no seguinte 11, o
boletim da expedico Por ora basta diier-oiQs
que se tomar canto e tantos cavallqa e To-
rio morios ejn combate .ia rtberdes, entre
lies varios ofbciies; e 8 prisioneiros : hou-
vero rios ftidos da parte d'elles, e da nos -
sa 1 soiaado decavallaria.
MALTADADA I'HOVlJVCIA
I
}fentero chegou S. Ex. o Sr. general pre-
sidente da sua viagem ao Rio Grande, ej
com o seu successor. o Sr. A Ivares Macha-
do !!!,... O Sr. Andta vae-se 1,. e com elle
vo tambero es votos de estima de todos os
legalistas e as esperanca-* da provincia ..
Que horrendo futuro nos espera Misero Rio
Grande vers em breve eclipsar-se a estrel-
la que te reprsenla ., chorae victimas le-
gaes !..
IJodia 6 do corrente s 5 h&ras e meia da
larde partiepou-se ao Exea, presidente que
na varrea se schavo os rebeldes o Sr. U-
llioa Cintra e o ca iloo Frederico acom-
panhauos de cinco homens, que pedio liceu-
ca para entrar e fallar a S. Ex. sahindo de
casa do Sr. doutor Paranhos onde reside ,
clorante a estada do Sr. Andrea tnandou
ordem para entrar e fo para palacio : che-
pudos |p fnro ris ditos rtl)< Idea no lo^ar da
jiikta subiro osofficaes, que lorio recebidos
com poltica | e!o Exro. presidente, e por roais
pessoas que s achavo presentes e entre-
gando o rebelde Ulboa Cintra urna carta de
13ento Gonsalves ao Exra, presidente, S. Ex
comecou a lel-a em alta voz para todos ouvi-
rem Undo hito franca a entrada a lodos que
quisessem ser espectadores de tal acto ( aiclo
propria da boa e digna de louvor ) faiei:-
clo no fxn de cada periodo circunspectas e
interessantes observaces a seu contheudo de
urna uaneira txpressiva, enrgica, e pro-
piiadeum honrado, e fiel dellegado de S.
M. I.
Jao podendo porm S. Ex. 1er toda ella
por estar bastante eucommodado a deo ao
Sr. secretario que continuou a leitura do mes-
uro modo. Lida a carta e depois das mais
jnouarchicas, e legaes ideas exprimidas por
S. Ex. o rebelde Ulhoa Cintra levantndo-
se disse ero norte de liento Goncalves o resu-
mo do conlido na dita carta: O general
BrntoGcncalies da Silva reconhecendo S.'M.
1. 6 Sr. D. Pedro 11., e ttndo lodos os de-
jos de (azer a necessaiia e honrosa conci-
iiaco protesta a V. Ex. a firme vootade que
'tem de encorporar-se agrande familia brasi-
lra e de sugeitar-se nsltuicecs, que
regem o Brasil 5 porm pata to til passo ,
juuessaria se torna a exigencia das seguintes
clausulas indespensaveis lonra gratido,
c segu aura individual do goveno da rep-
blica sendo as principue as seguinies O
pagamento da divida contr.thida pelo governo
republicano : a alloma de todos os escravos,
que existentes n'aquelle governo o leo aju-
dado tm seus uahalhos e fadigas a exemp-
elo de letiutan ento j.aia pnu.eira linlia a
todos aquel les, que M repblica foro con-
decorados ctin paleuide orlidal nao podendo
stds quando a iiecpssidade exija sua adans-
o', servir, nosj coi 1 os de guarda nacional
4a reserva eeno lias patentes que gosa-
fior.a repblica*
' CJuvidas taes exigencia., sua Ex. dirigin-
do *ua voz ao mtsmo LIlion Cintra dissede
mu aaeia enrgica e deiiviva :
Con.t dell gauo de S. M I. a quem
T*rVi iiiviolavti tidelidde nao j.osso conce-
ller a mnima tousa lora d*s inslruccts da-
uas 1 elo ge ver no de &. Ai. 3 e i.wu o gover-
no de S. M. I.'o Sr. D, Pedro Segundo Alegre, Rio Grande, e S. Joce do Norte l to dislinclo tome a vereda patritica que
recebe condi:oes de rebeldes e que ejixoea- Habitantes da camnanha cidadaos armados ,] lhe convena e volte a ser com V. S. as co-
lliaria sua alta dignidade : compete sim al- bravos guardas ftacionaes (Jivos todos em lurnnas do throno do noaio monarcha Brasi-
les aceitar com bracos abertos as preciosas da-I um pensameolo monarchia contitucio- leiro eos sustentadores de sua gloria.
Deus Ilumine a V. S. e o recondura ao
seio (h patria, ondo achara prestes a abra-
car-lhe o sen patricio obrigado e amigo
" Francisco Alvares Machado e Vasconcol-
los. *
Porto Aleare 18 de aoremhro de 18 (o.
( Do Diario do Rio de Janeiro. )
divas de sua extrema magoanimidade ," ten- nal representativa intesridade do Apo-
do de tal paseo loda a confiancaem sua generosa rioe paz publica. Arrede-se para longeda
clemencia: restando-me siin o pesar de que vos todas as dUsena&es ; rena se a faiaifla
atienta a pertinacia na desobediencia ao au- legalista, e todaella unida em abraco fran-
pusto Imperador o Sr. D. Pedro II. corra ao ternal a ponte a espada ao inimigo e concul-
campod'esta infeliz provincia o precioso san-^e a intriga qiie elle derrama eutee nos pa-
gue brasileiro ma sangfte necessario para ra nps dividir e fraccionar,
de urna vez extinguir a pestfera anarebia. ,, Brazileiro Vpra a nossa sinla regilo.
Ditas estas palavras S. Ex. determinpu se retirassero em qu.-mto di para nao se constiaicao.--Viva a Imperial Familia
alterarem as ordens do porto. Viva a fidelidade do exercito e da mariuha
A' vista do expendida desnecessario se torna brasilein.
qualquer reflexao porque sem haver logar Guerra aos rebeldes inimigjs da marinha ,
para o menor indicio de suspeita evidente da paz e socego publico,
est a capacidade a honradez o legalismo Palacio do governo era Porto Alegre 11
eboaf, e amor da monarchia, que infla- de desembro de tBo. Francisco Alves
ma o Exm. presidente.
Com este por mullos presenciado fado ,
flnvordftnhado lavem ficar o3 que o cfitrario
propalarlo eF desabouo do Ex. Sr. Alvares
Machado.
Combine o publico o que os caluniadores
andaro pregando com este comprtame!)lo do
Exm. presidente e cpro lodos os mais actoa
de sua adrainisiracao ; olheattentancente |a-
ra todas as circunstancias, si ti vemos ou' duelo para a viada da oommisso que deve
nao, forlissimas rases para fazer opposics' trazer os plenos poderes para que em no-
acs falsos boatos rebatter as falsas doutrinas me de todos os seos companheiros passi V. S.
Machado presidente.
A DESPEDIDA DO SR.'MACHADO AO
SEOS MUIR) AMADOS CO-Alrl-
MAO'S.
E' o mesmissiroo Commercio quem nol'a
apresenti !
Illm. Sr. coronel Beato Goncalves da
Silva.--Iuduso achara V. S. o salvo con-
aqui publicadas e apresenlarmo-nos em
frenre aos mal.ciosos espertalhes que ten-
to illudir os incautos o queja conseguirlo
com algunsi poremseus trabalhos degenero
todos em glotia e em sympalhiss para com
o liiu, presidente.
PROCLAMACAO'.
Bra/ileiros llio-Graudenses!
Elevado ao trono de seus Maiores o Se-
nbor D. Pedro Sgundo seu primeiro desejo
foi ver em torno de si lodos os brasileiros ;
lirn por isso do seu magnnimo e religioso
corarlo a mais ampia a mais comprehensi-
va amnulia que ao lado da forca foi apre-
zei.tada aos rebeldes d'esta provincia e mui-
ros d'ella se utilisaro para regressarem ao
seio da patria e go/.ar o melhor e mais suave
de todos os governos. Oscaudilhos porem da
rebellilo eogralos a tantos beneficios a sin*
ceridade e boa le de lodtsos monarchislas ge-
nerlos ouzaro impor coidicoes ao governo
do imperio e eu delegado do governo ido-
latra do monarcha defensor da honra e do
decoro da coroa imperial as/egeilei de im-
proviso, eu antes nao ouvi essai insensatas
exigencias que pe lera de loda a prova suas
malignas e pe versas in'encoes.
L' cetto ovesados na carreira dos crimes ,
sevicias e afrontas humauidada inseuveis
aos gemidos d'esta patria que desmantelo
por entre toda a soite de horrores e crut Ida-
des nao deixo os rebeldes a anarebia seno
(liante da forca, forca4pois consiguirio que nao
poui'e a clemencia do monaicha a raso e a
humanidade*
rasileiros Rio-Grandenses I A prospe-
ridade e grandeza d'esta provincia na paz ou-
tr'ora lio oreceute a alegra de seus filbos
gozada docemente sombra do governo impe-
rial ludo ludo desappareceo diante do es-
tandarte da revolla esteiado | ela mo da bar-
baridade. Pobresa, miseria desolaclo incen-
dios roorles continuas afrontas aturados
sobresaltados ;s familias eis os fructos que
a esta provimia deu em troco a faeco republi-
cana com posta de barbaros e degenerados fi-
lbos seus.
Mas o imperio da le vae firmar-so e com
seu triumpho repousar a loragida prospe-
ridade.
As denodadas falangeslejalista guiadas por um
biavoe leal brasileiro que arde em uobres
desejos de repellir o crime sustentar os di-
reilos do Senhor D. Pedro Segundo e a
|)z do imperio ja se avan>o a esses ban-
dos de brasileiros desorientados por caudi-
lhcs ingratos ao monarcha intensos trau-
quillidade e inimiges da bem entendida li-
berdade. Nosso exercito o superior em nume-
10, disciplima valor, e patziolismo,
sustentado pelo amor da patria e juslica de
nossa causa em breve rieiituir a paz a es-
la bella provincia.
Os recursos do Brazil sao immensos : a
Di.iia Providencia vela sobre a sorle do im-
perio de Santa Cr|je ; O Senhor D Pedro
Segundo dirige nossos destinos ; todos os
brasileirosse levanlo para sufocara hydra
da anuqutu em seu proprio berco ; o "iri-
umpho infalivel e a paz e a tianquili-
dade pousaio de novo 11 estes compos deso-
lados.
brasileiros, Rio-Grandes .' Invenciveis
uvumores d'esu heroica cjdade de Pono
render-se ao Sr. O. Pedro II. nosso ado-
rado monarca. A honra de V. S. e de seus
companheiros a prosperidade d'esU pro-
vincia que os vio nascej isso reclami. Nao
me demoro n'esta provincia onde j nao
posso ter serventa pois o presidente de< la-
rou-me que deseja enlender-se immediata-
mentecom V. S. Sei muito bem que entre
V. S. e o actual presidente exista urna anli-
ga e pa-ticutar inimisade, todava espero
que esta acauhada consideradlo nao obstar a
V. S, o proclamar o governo de S, M. o Impe
rsdor prestar-lhe juramento de obJiencia ,
ir ao Rio de Janeiio depor sua espida aos ps
do throno 9 largando as armas m indar
destrocar o exercito a seu mando a fim de
que seus membros vo empregar tanta activi-
dade em sanar as feridas abertas no rorag io
da provincia ; n esta expeataco emb.ircj-m'?
amanh para o Rio de Janeiro lodt-vu ,
se as cousas se nao arranjirem como desejo ,
se o mo fado d'esta provincia tem decretado
a convercio da lula ; se o genio das rui-
nas sentada sobre cadveres iuda tem sede
de sangue, se as agpnias d'ete paiz inda
tem de explicar se em lgubres gemidos ; se
seu coracodelacerado cada vez maispor tan-
tos flagellos quizer chamar-nie um da pa-
ra cooperar na paci,ficico da paria don-
de 'jiier que eu esteja voarei sua presen-
ta e ento mais Ilustrado pela experien-
cia estarc mais hbil para feixar a lava ,
que inunda esta provincia digna de melhor
sorle ; mas sera roisler de'que V. S e seus
companheiros se expliquem com clareza que
empenhem suas pahvras a fim de nao abor-
tar urna nova tentativa de conciliaclo. Vou
para o Rio de Janeiro ; mais seniora alerta
e promplo ao seu chamado correr! a ou-
\irlhe logo que o seu coracao se abra pa-
ra receber o Archanjo que faz a prosperida-
de do rozil, nossa patria commum,
Digo o que quizerem de mim os especu-
ladores polticos ; os homens sanguisedentei ,
ou aquellos cuos iuteresses repouso sobre
a continuaco da guerra civil, sobranceiro a
seus ditos, e ameacas, impvido no meio
dos perigos que me cerco nao desment-
re aqui o carcter dos homens da uiinia pro-
vincia : promover a paz publica populaK-
sar o governo inouarcliico constitucional re-
presentativo engrandecer e ellevar ao nos-
so monarcha evitar o derramaraentoda rnais
pequea gota de sangne do mais delgido
pingo de lagrima ; nao piocurar meu bem
privado mas a prosperidade da patria eis o
que sei seropre a ukujj divisa a nica dim-
ita de um brasileiro liberal.
(guando contemplo os notires sentimentos
de seu coraco em prol do governo do nosso
monarcha quando medilo sobeo-a lula que
ora V. S. supporta para rootper os eaibiracos,
que a perveisidade humana lanea no cami^
nbo que o deve cqndiuir aos ps do trono ,
nao posso deixar de lastimar sua posico; mais
como acredito na existencia de Deus em
CEARV
Um facto inslito na historia Parlamentar
de todos os Pases contituqtanaes acaba da ter
lugar era a AsseniSlea Legativa de nossa
Pr.oyincia ; urna maiora compacta e disi-
dida converteo-se era menora turbulenta ,
e anarchica pm sua conducta.
U partid) do governo em nossa Ierra pro-
testou apresentar em to.l is os lempos um
1 proceder quo olhado por toilas as facas he
S" oamelralmente opposto a todos os eslillas,
e formas co.istitucionaes.
Qual quer qua pre>enciasse pronunciar-se
a maioria dcste lado em a Assemblea, julga-
ria antes de ouvi-la palentear seo program-
roa Poltico que a prudencia a ordem a
maduresa a geuerosidade e tolerancia nel-
la residuo, osas se engaara; elle se con-
vencera que ella louge de admittir e ahra-
car estas qualidadee., que naturalmente sao
propiias dai maioria perturba a ordem ,
insulta a minora odeia as discusses co-
mo se ns conlasse triunfo as votacoes,
em 1 palavra precorre todos os crculos di
mais deseureada insolencia era ses da -
curcos em seos gestos e era todas as suas
acedes. Demos ura liis'e e Je gradante ex-,
emplo de nosso aununciado.
NaSesso de 14 do corrente leo-se o pa-^
recer da comisslo espejial composta dos
Srs Facundo e liarbosa organisada pica
reformir alguns srtigos do Rejimento d'As-
semblea assira como um projecto que a-
companhava o mesmo parecer e o Sr. Dr.
M-axudo pedio a palavra cutio o Presidente
o Sr. Doulor Feramdes Vieira declarou que
ficava a materia adiiada a vista dos rticos
i5oe i51 combinados e interpretrados mu
pelo outro j roas custou-he cara esta deci-.
sao : um choveiro -d'improperios cihia logo
sobre ejle: o Sr. Jo*o Facundo, este furi-
oso energmeno nao chindo diser seno
monosyltabos, conque injiirh acrementeos
cidadaos mais iilusires dirigindo-sa a el-
lo exclama no mero dos furores de sua al-
ma perversa e enurecid no crime Pre-
siienlo indigno Ao ouvir estas pila que seslano bem na boc do mais vil ittem-
bro da plebe, e que iranstomarSo a pru-
dencia mais hjbitual oSf.-Presidente posr
suido de sentimeu a mus sempre dentro
dos limites da moJera;9, e da box edira-
cio repelho lio baixos termos e reflectio
Assemblea em que boje o Governo tea
mai-jiii que este procedimento nio er* ho-
nesto que ella nao uadrava nos Legislado-
res da Provincia.
JNoloi islo bastante, a peiturbiclo nao
leve um intervallo apoiidoi tumultuosos a
qu.il quer u.u insoulto ,- que un Djputad
a maioria fasia ao Presidente oa a um Da-
pulddo da minora relumbavo no recinto
d Assemblea e ecchoivo multo longe delr
la : o.Sr. Joie Loureueo este hu.ucu sent
educarlo, e de qu.;m a houestiiade e de-
cencia lucilo espavoridas iio perdis un
momento de dirigir ataques lessoaei o no
meio de seo furor Bacclianico pastea va pela
mero do Salo dando gritos como nomo de
apoiados.
O ie.ii tal x'me se julgaria transportado
a Stfasaa de Juibo n Assemblea Gerat s cora
a dlderenea que la urna minora turbu-
lenta he que dej a mais inste p ova de sj-
s paixoes desregradas cu urna maioria a
quem alera disio preside a ignorancia, salva
bou rosa exce(>co.
INio ohiante bou ve discusso
, interrum-
pida acida inu.i.ento por chufas e gritos
de ordem da parle da uiaioiia qu ero
antes (jrilos do desurde* j os Sr. L>o uorea
Manuel Joaquim Airas do Nascmento, Ma-,
noel Ttieoilo Gaiuar d Oliveira e Antonio
Joze Maxado o 1. pertencente a maioria ,
e os dous a minora descutiio a materia ,
se o parecer devia ou nao hcar addirdo a
Sua Providencia como esta crenca a loute | se Assemblea corauaa ou nao intespretar
de miobas consolatoes e esperanzas em os arls. o tiegimento ou se ao Pre idente
Deus eem a Providencia espero ver realisa- incumba dar execuco ao mesmo, e discu-
rem-se os seus, e meu desejos da conciiiaco, lirio com aquella moderaclo que he pro-
' pria de sua uobre educaco bem que os
e da paz.
Rogo a V. S. tenha a bondade de significar
aoSnr. Antonio INelo o quanto sou sensvel
a palavras honrosas e urbanas, com que
roe trata e o quinto desejo que umjhrasileiiQ
uous ltimos peusassera diversamente do prir
meiro*
U ar. Doutor Aires na occisi0 de suas
aigumeuhves te b solenedeclaraco aos
. k.


ni ARIO DE PERNAMBCO
%
Da cliorosa partida,
lees corriligionarios Polticos qno elle
rerlencia a maioria compacta e decedida Ao lado da consorte visiiiosa,
mas simplesmente no sentid;) moral e rno i De tua Prole Ilustre
no fizsico quandoelles por palavrase arces; No remanso da paz gosa ditoso
davao entender que o Presidente forca I O premio da virtude,
bruta liavia por a materia a del^beraco da Essa filicidade que parlilho
casa. Da boa educaco do Sr. Doutor Aires
nunca esperamos senioeste procedimento.
Aqu nao parou o descomed i ment da mai-
oria turbulenta na qual tem lugar dislincto
os Srs. Joze Lourenco, Joo Facundo Ro-
cha Ajudaute d'Oidens do Governo Padre
Saboia ; as cousks haviode cliegar ao seo
fim urna vez que ludo cnspirava para-elle ,
oi-r. i. Secretario o Doutor Tl.eofilo eo
Duuior Machado com toda a prudencia de
que sao dotados lebatendo as rasesde se-
os coulraiios mo&lrsro que a maioria nao
poda obligar o Presidente d'Assemblea a
dtspir-se d'uma prerogatiga que elle cria
pe tencer-.e de nao por deliberaco da
casa a materia era questo ; provaro que a
maioria actual liuha os sentinaenlos d'u rci-
noiia turbulenta que nao quer discutir que
a maioria odiava a discusso por que nao
quera ver dar-se luz as questes.
Finalmente o Sr. Deputado o Padre Sa-
boia pediudo a palavra e despresando os ar-
gumentes dus dous Deputados da maioria ,
atirau-seas Sr. Doutor Machado com voses
desabridas, e furioso irrogou rouitos insultos
pessuaes que ioro apoiados com calor pelo
Sr. Jo/e Lourenco, ( que as portas, e
mesrao no sallo dava gritos de apoiados ,
apoiduissiiro que nao parecia hum legisla-
dor e sini hum soldado ni taberna ) e oais
Deputddos da maioria taes como assassino
Jurdico, conivente com o levaulamento das
iussas &c. Sr. Presidente chamando ;t
o (i iin a maioria e nao podendo cont-la ,
levaniou a sesso, e relirou-se como i,
Secretario o Doutor Machado Doutor Pi-
ntieiro e RjcIi Lima, .
Depois do acontecido, ainda a maiorio (se-
gundo o amrroo alguns ouvintes) tenlau
continuar a sesso* anda o Sr. Joo Facun-
do sentou-se na cade ira na qualidade de Vi-
ce Presidente a requer ment do seo Soba-
ndo Juze Lourenco e onlnuara a sesso,
seoSr. Doutor Aires, a quera nao podemos
deixar de tributar nossos agradecimentos e
elogios por urna to nobre aeco nao decla-
raste positivamente que nao u'cava na casa
qiuudo a sesso eslava eixada legtimamen-
te ( que nao apouva insultos to degradan-
tes como os que o Padre Soboia acabava de
irrogar a utu seo coilega e digno J uiz de
Dueiio do Aracali.
Apreudo uossos leitores se a a opposi-
co,, ou o partido Cislro-Alencaruo quem
perturba ou nao u paz da Provincia.
( De Pedro II.)
Coirespoii ciencia
As almas magnnimas^
A minha gratido nao tem limites :
F.roquanto vivo for.
Costoso publicarei bondades tuas,
Da Preclara Dona Auna,
Cuja beniieencij desafia
Enccomios nao vulgares.
SONETO.
D'Hipocrene nao sinto eximio effeito,
A mente no'm' inflama dom sagrado,
S pura grolido, Moraes honrado,
Inspira minha musa a teu respeiti :
A bondade que aco'.isesem teu pelo
Meus males tens assas aligeirado ;
E para ser teu nome venerado
Publicarei estes versos satisieito,
O que escapa a leo genio prest i muso,
Terna consorte supre preslimenle,
Da iniriico Roma decoroso.
Inda quaudo estiver no Continente,
Olvido superando tenebroso,
Teu louvor tecerei perenemente.
Por l edro Jos d'Alrneida.
Noticias Estrangeiras.
Na
Sais. Rededores.
orcasio em que se despidi de mim
para embarcar, Pedro Jos Al.neida encar- hbitos, coiu trato e occUpcoes7emdbnTes
America do Norte.
Canad Todas as Provincias Inglezas
parec-rn estar em estado de comparativa tran-
quildade. Os actos occasionaeg de incendi-
arisnio ao longo da margena do Canad pro-
duzem alguma irritaco local transitoria ; mas
a nada monta. As disposices preliminares
para as elleices do Parlamento unido vo em
progresso e a cabala parece excitar um ex-
traordinario grao d'interesse tornando gradu-
almente aceita ao povo e tem cessado toda a
opposico activa. De qualquer modo que se
encare a poltica do Gabinete' lnglez parece
obvio, que est plenamente estabelecida urna
forte disposico para promover a forca as
Colonias Americenas. Aproveitanlo-se do
enligo adagio que a uno d forca*' o
alto e baixo Canad pde-se dizer que se
tem traaslorrnadoem urna s Provincia por
cujo meie a amalgamaco dos sentimenlos po-
lticos e dos prejuizos de partido sein uu-
vida ceder d'algum modo ao condec ment
que os seus adhsrentes toroaro uns com
os outros ; consta por cartas partieulares ,
(e dirficil d'occullar essa especie d'iuforraa-
co ) que se projeita urna uno semelhante
entre INova Rrunswkk e Nova Escocia. Esta
tem sido negada mas a negativa nao tem pro-
cedido d urna origera que llie do direito ao
mais pleno crdito, 3Jal se pode duvidar ,
segundo c;uos que a reunido d'etas duas
Provincias conduza a resultados benficos. O
povo inteiramente semellante em carcter e
a quil pega nove rentos lijlos de nlvemri
m.s no atierro do affogado casa di quii d. roa
propoem a tom:r
admitir alguna Pensionistas o meb-Pensio-
nistas Bllios de paes mema abastad!
probse honrados oiqu.es retribuirlo so do ouro, ond, acl.r ron qu,^ traur,
ffi! lC0AeSP" "le aS &UmTS-' ^r' I t3r Na rua P**> "u fc*i da Li
, ; ,6,'03 me"saes 'J.:ira l% P^"- vrament. no terceiro sobrado lerceiro andar
tas eem 9 ooo para os mus Pensionistas | urna Senhora q-ie se
pagas estas quantias na conformi Jade do Art.
ii dos Kstatulos ; o quantoao mais g-)iar.>a
(gratuitamente d..s aulas e outras regalas que
olfereceo Estabeleci-aento.
Os prelendentes faro um requerimento
instruido com urna Cerlido autbeatica de
probdde e de falta de raeios pira poder sa-
tislazer a competente penso ; e depois das
necessarias e indispensaveis in 1 rgicoos ser-
Ihes-ha deferido ou iudnferido.
Os eludes do familia assim d'esta como
d'outrns Provincias na^ circunstanctis sn-
pra-mencionadas nao hesitaro uem de-
vem hesitar um s momento em aproveitar
tao til e avoravel medida j e direcco
muilo se lisonjear com isto pelos immensos
de^ejos que tem de qus se diQ'undam por
seste vasto e rico paiz os conhecimentos uleis ,
em os quaus mal pode haver Civilisacj,
COLLEGIO PERNAMBCAN3.
Aterro da Boa-Vista n. t.
O CoMe^io Pern imbucano encerra em seu
se.io todos os preparatorios que a lei exi;;e para
as Academias de Direito e de Medecina do
Imperio, a comeear desde Primeiras Letras ,
assim como para os meninos que se destinan
ao Commercio,
Mu i tos do Professores do Gollegio das Ar-
tes, e do Lyci), sao proprietarioj de diver-
sas Cadeiras no Colle^io Peinatnbucauo.
O Programmi do Eusiiio c os l'statutos
do Kstabelecimento sao francos ao publico a
qualquer Lora.
LOTERA DO SEMINARIO
Achio-se venda os lUlbeles da a." par-
le da 17." Lotera no; Ret fe rua da
Cadea loja do Snr. Vieira cambista ein
S. Antonio na rua do Cabug loja do
Snr. landeira e na lioa-vista botica
do Snr. Moreira delronle da Matriz j e bie-
ve se anuuuciar o dia do andamento das
rodas.
LOTERA DO Ll Vil A MENT.
O Thesoureiro da Lotera faz sciente ao
respeitavel publico [que como ai a venda dos
billieles com grande atinencia] que lieseja qtu
os amantes deste jogo voncorro para a com-
pra para ver se por todo este corrale me/,
se annuncia o dia impreterivel.
Avisos iliversos
cnancos co:n ana pan se r> ian ra com lei'e
mpe lilas a lasonpelij d.n e tamben recebe .
as que nao liverera avn pan as acaba-
de criar eom totlo o mi.-no e am ir;
tar Oabiixo assnado faz siente ao rea-
peit.ivel publico, que DO dia 3i dop p. ton
dnJaaeira, na Povoacio da Mmteio indo
elle lomar hanio no banheiro dio levava no lulco una caxa le tomar -
1 --ndo esta de tartaruga aparelhad da ouro
om urna firma que se for preciso se dir o
que ella significa ; portaoto toga iditapes-
Boa a quem ella for vendida; aeado q-uetra
restituir ao dono dirija-se aloja de livroa
na praqa da [bdependencii que be pertea*
ceote ao Snr. Figueird >.
Jos Mariano de Albuquerque Silva.
tsy Achou-se na noite do Prezepir Nital-
lonce um butoda abertura 5 quem for lea
dono dirija-se a esta lYoografia.
tW Aluga-se u.n Sbrado altos e biixi,
eom todos perteocea de Paderia silo na roa
da Senzalli velba n 35 ; quemo pertenJer ,
dirija-be a rua Di-cita padariado Sor. ivla-
chado sobrado do prmeiro andar que a-
chara com quem tratar,
tsr Felippe VIenna Callado da Fonceca .
Advogadonos AuditorioadeataCidade, parle-
cipa aoa seos Cuentes e pessoa* de nu ai-
de que tem mudado a ana reaideooia para a
ruado Cdlegio da parte do oatceatfl* ca/.a tu
r5, perteneente ao Exm. Seuador Maaoe 1 de
Carvalho Paz de Andrade
^ ^. M. Mawsoi. I. \V. Ver Vallen &
C' Carey Cirugion Dentistas avi...ao aorts-
peitave! Publico que o anauncio iaserido n
tolhadeN. 18 que, em quanto respailo a
(irm cima referida, be sem effidtO fi-
cando ludo o mais dito em plenitude com a
lirma de W. Ver. Vallen & (i. Carcj
os quaes rezidem na rua da C-iu N ^ -A, =
indar d'oude prestaro aos habitantes
Pernambuco os servicos da sua prolisso na
mais saptisfatoria uuneira e termos, quo
meiecero con (tanca e appovoaco.
recidamente roogou-me que de pois da sua
partida litesse puVlcar pelo seu conceluado
JDi.irio Ode, e Soneto incluso para clie-
gar ao conbecimenlo do seu bem feilor o
quanto vai pinlioiado pelo bom Iratamento ,
e caridade com oq' tralou.e a seus companhei-
ros de mai lirios. Para cumprimenlo de mi-
nha promessa, rogo-Ibes tenho a bondade
de inserir (litis pessas ero seu Diario, pelo
que Ibes ficar muito obligado
Seu constante leitor e criado
Manoel de Mattos Teixeira Lima,
OlE.
Ao lllustiisiimo Sur. Capillo Antonio Manoel
de Moraes da Mesquila Piroenlel Interina
Comniandante da Poiialeza do lrum.
Em vo, Moiaes egregio, em vo pretende
Minha rede Camena
Cantar virtudes, que leu peilo adorno ,
Teu peilo bem lormudo ;
S de Venusa o {enio trancedenle
A'abanto cliegaria.
O Commando do lirum apenas lomas
Meus males se fugenlo,
As prvacoesqueco da masiuorra,
JSovu vigor me anima.
Ojuslo Ctoj liuim destinado,
Que la mau bondosa,
Abrindo du pi ,. 10 ferrenhas portas,
Meus pulsos libertase,
Que a patria rendesses inste vilima,
A' quem calumnia torpe
Pturnis de quatfo anuos maitrulava
En leinvel desterro,
Negando-se-lbe seinpreo necessario
Sustento ludispensavel !!!
*oda nao pawki aqui leus ;ec;.:s
Poia fueres, generoso,
'awesreourarateo ibemeuio
o n esmos yslema de commercio, e o mesmo
eodigo de lela ser ac-eito a cada dista l.-to,
Lord Falkland que acaba de assumir o
Governo da Nova Escoc 1 parece ter i at-
lingido um alto grao de populaiida le entre o
povo. Se Sua deuboria evar a effeito os
principios prnostos na sua falla ao povo de
Halifax assegurar ao de Nova Escocia lo lo
o beneficio que razoavelmente se pode esperar
d'inlluicoes iivies, bem e firmemente admi-
nistradas.
As lolhas Canadienses annuucio que o Go-
verno lnglez tem ordenado urna inspeceo e
um rea lorio do estado de todos 0$ porlos do
Lago Erie na Provincia e das estradas, que
conduzem a elles com o intuito deroelhoi-
los. A construcio d'uma estrado Me. Adam
de Hamiltou para a parte do poente por
branllord e a inspeceo das outras estradas
para caminlioj de Ierro indica qUe de laclo
a i liietanha nao se esquecc dos interesses
agrcolas e commerciaes do seu povo.
( Weekly Herald. )
COLLEGIO SANTA CRUZ.
(Palacio do Ciervazio m Uoa-vistu )
A Direcco, d'este Lollegio tendo consi-
derado que muitos paes, zelozos da educiyode
seus Jilhos desejam mas nao poJero apro-
veitar este Eslabelecimento j porque inleli/.-
roenle I lies allecem os meios para poderem
satislazera competente peuso, eolendeu que,
para dar mais urna piova deque, na funda- da i.uia n.
Vo d'este Lollegio, teve-se mais em vista o
inleresse commum do que o particular, de-
ve, em vez de limiul-o ametea classes
abastadas, tornal-o tambera extensivo s pss-
sas menos lavorecidas da fortuna ; mas lal-
vei mai* i DatureaafT-Para cujo fim reiilvau
Precisa-se d a!ugar urna escrava par
todo o se: vico de urna casa de pouca familia ,
e que saiba comprar cosinahar e ens.,bo-
ar dando-se-lhe o sustento, e 12U rs. men-
saes na rua das Flores casa D 8,
tsy Precisa-se de urna escrava que Eftibc
cosiniiar e engomar para servir a um ho-
rnera solteiro : nesta Typjgra'ia se dir.
tjr Uma mullier branca de idado de/5
annos juuco mais ou menos, se olere.-e a ser
ama de uma caza para lser o servido du
mesroa ., excepto ensaboar, e engoaiar, quem
a pretender, dirija-se ao beco da Viraco, ca-
za junto ao sobrado indo por S. Pedro.
13?- (ueai anuunciou querer dar .joo.ooo
res, para receber em tijolo ; dirija-se a ola-
ria antes da ponte da passagem da Mag Jauela,
que achara com quem fazer negocio.
lf A pessoa que se olere-se para cobran-
ca no rio Formozo ; dirija-se na es juina
da pracinha do Livramento luja de fazeuda
do liargos.
Cj- (^uem quizer mandar fazer limas de
xeiio, p-'ganda Jmeio feitio ; dirija-se a rua
da florentina iuio para Palacio velho na
casa i), 'i,
6^ O Quartel Mestre d'Art Iberia faz
sesete a quem couvier, qne mudou sua re-
zidencia para a rua do Queimado U. 4 i
poreima do Alfaiate.
fcj- Quem quiser quatro centos mil res ,
a juros ue a por ojo sobre piuliores d'ouro,
ou prata ; dinja-se a rua de Santa Tliereza ,
u. 24.
ssy Qualquer Snr. que queira aprender ,
ou maudar ensioar, Ketaorica PJiiloso-
pbia Lieograpliia Lalira Francez Pri-
meiras lenas e Aritnmetica : dirija-se a rua
59
andar onde adiar
com quem tratar adverte-se que o aunuii-
ciante nao s ensina en sua casa como eui
casas particulaies que pro.uelle em pouco
lempo mostrar o seu disvelo ; e que, as Ucoes
podera ser presenciadas por quajquer curioso.
4^ Alt'J*-** uuia canoa ou vtudu-se t
Extrabido da Gazetla ?' The Weerly Pla-
net. New Sotk. Juuho aj de 1840. Infes-
lddacmoe?ta Cidade se acba pelos nume-
rozob perlendentes para scieneia parece nos
fazer um servido ao publico em lalar d'a-
queUes que verdadeiraraente honrda sua?
proicoens. Enlre o numero desla clace po-
demos noracar os outores Ver Vallen Ca-
rey N. 281. UroadwJy Gianite bulii-
gs near Chamber Street -. Aquelies que
liverem o infortunio denecessilar seos se; vi-
cos faro mui bem dirigiie.n-sea elles por
seos precoa serum eoinmodos e pela nossa ex-
polie icia pessoal aiaucamos que todas as suas
operacens que executarem serio em toda sap-
lisfatoria, Oa Gazeia The morniu; NeWs.
aiiit John. Ou'Ui! ultima pagina verso hua aununcio do ju-
lor Ver Vallen que por muilo lampo lera es-
tado nesla Cidade e practicado sua profiea
rom hum coosideravel successo e periendeu-
do deixar esta para as do Estados Unidos ,
no curso da semana viada, A uelies que
se acho na precisio do seo presti.no ser ..
bem que llie f';icj humi prompta vizila. A
sua rcputaio como dentista muito lempo ha
que acba-se estabelecida e ex.'cuiadoupeu-
coens sobre os denles de vei is, com adiai-
racao. O seo successo attri >ue-sa a seo
grande conlieciaisuto das principios dis Ci-
rurgias acompanhada com a da sita proco.
Nao podere nos dizer que e le podar extra-
liir'um denle con me.us dor ao paciente d
que oulro qual |uer por julgirnius sta opa-
rafo ser sembr feila ( em lodos os cazos )
pelo mes.no lerrrei, porem mo.nentaue> pro- .
cesso com t;i i pj.l.: iuceriar hum dente : .
com unis destreza e juizo de que u;n oulro que,
al aqui lera viuda ao nosso coniecirneuto,
ssy No dia Si de Janeiro perdeo-sa uma
cruz grande de e quatro voltas de aro a c.~us
na frente he toda de gomos e por detrs
temos martiros d > Se.1L.0r gravado de bu-
sil endo Laucado lora em uma Plangana de
aj;oa de uma janella abaxo no beco da carca-,
reiro do sobrado que faz quina da rua do ra- -
gel e na raesma ocaziad se vio abaixar u.ua
preta de tabuleiro de o.rne de poico que poz-
sepanhar e ninguem mais deo noticia ;}',!-
lajapessoa que della liver noticia apodera
levar no mesmo sobrado que ser bea re-
conpencado*
K^ Aluga-se a loja da sobrado com mi-
rante na Sajldade- assim como vende-sa
duas vac.s aleias 1 a tratar no mesmo so-,
-brado.


h
4
DIARIO DE PEBNAMBOCO
iit iiMiin 111<" mi i iMMiiiii>i'iiiiirif-n
UM
5LT" A pe -oa que lhe faltar una embrulho-
ii lio rom rciudezas que tomou-se de um
ret; que o anda va vendendo por muito de-
?nuo ji^epo, dirija-se a praca da Inde-
icia ii. 20 que dando os signaes lhe sera
tregua*
sar A pessoa que annunciou querer ser]
ulieiro dando Mador a sua conducti d-
ija-se ao pateo do Carmo l>, 3.
tsy A pessoa que ani unciou precisar de
)-.n andar era commodos para ami'.ia ero
oa ra dirijase a ra de Moras D. 45.
SST Precisa-se de uro rapaz poitugoezde
idade de n anuos pura caixeiro de um venda
lefaouteda ribeira da Boa vista.
tsr Qoem quiscr nteressar ero um veo.-
con (andas uaes annuncie.
v Na ra direita D.;3 precisa-so de um
ie-, :e no portugus para caixeiro; assirn co-
10 pretuS e pelos pnra venderem pu .
lj~ Da-se drtheiro sobre pinhons de ou-
"i prala brithantes e hypothecas pm
*sas na roa d is trinclieiras sobrado U. q.
J2T" O nbaixo assignado ruga a pessoa que
e tirou do correio uma caria viuda do Rio
? Jai.eiro no Vapor .S. Sfhaslij, o obsequio
;: a en!", gsr na ra do O iei nado D. n ou
d'i ra do Fagundes D. o. Antonio Jos
reir do Lago.
A. v isos Mii r i t i i nos.
PARA LISBOA com a maior brevidade ,
> 'Jriyue Portugus S Domingos por t,er a
o | 'te do sen c m quflercarregar.tfq bir de passagem para
^'- -,lent"s commodos, dirija-se ao seu
i'iiat.i i> Heiculaiio Maiia litssone ou
tfio Mino.I Gongalves Vanna.
''< SANTOS, segu cora brevidade o nha engomma oss. e he recolhida, urna
ngw irasileiro S. Joo liaplista 4i Ca- pardnb* de idade de ib annos perfeita en-
i o Jetutao J ve SimSesj para carga, e j fommadeira tanto de roupa de bomem como
tsr Um relojio com caixa e mostrado!
de prata e ponteiros de ouro ; nesta Typo-
rapliia.
tsr Farinba de mandioca a melhor que lia
no porto, pela sua qudidade e chegada
ltimamente de S. Catliurina ; a Bordo do
Brigue VI inerva ancorado na praia do Coleg.),
-. em porgo trata-se com A. F. dos Santos
Sraga ra da Moeda, n. 1 \ i.
tSST Urna molatinlia de idade de la a i3
anuos cose cli e ozi nha o diario de uma
caza na ru Direita defronle do becco do
Serigado 4o
tur Uma escrava crioula com idade de
aoannos, de bonita figura cozinha o dia-
rio de uma casa faz renda coze la'a de
sabao e varrella ; ni ra da Penba no fun-
do do Livramento no terceiro sobrado 4no
terceiro nndar*
tj- Um molcque de idade de i5 annos ,
de naco, milito lindo, ptimo para qualquer
ohicio ; na ra Direita D. 2o lado do Li-
vramento.
tsr Gamelas de cera branca a dinheiroa
vista pe o barato pre;o de 75o e a retallio a
85o e de mais de 16 libras 8oo ; na ra
da cacimba armazem de assucar de Paulo Jo-
da Silva & Irmo.
fe^* Uma porco de cera de carnauba e
gocie tal moleque pon protesta-se tizar de
lodo o rigor da lei contra quero o liver or-
culto.
KST Fugio no dia n de Novembro do pij.
sado um es.cravo ladino de nome Benedicto"
preto cabeca ponluda olbos pequeos o
vermelhos barbado com suissa rosto coto-
prdoecheio, de idade de i4 annos pouco
mais ou menos estatura mediocre cheio
do corpo finge-se meio maluco quando sa
lalla com elle vestido decalcas de biiai'e
camisa de algodiozinho, e levou comsigo uma
gamela de caj ; quero o pegar leve ao \la.
jor Maye re ni o seu sitio no corredor do Rispa
que ser recompensado.
CT No dia i do passado sabiro do sitio
bemfica defronte do sitio arac junto da pon-
tezu.ba dos Remedios i escravos que se jn|.
ga terem sido seduzidos, um de nome Bento
de naco cacange alto e secco do corpo,'
caa redonda e descarnada rauito feindo
da barba levou camisa eceroulas de estopa
o algodo e cita peo de pauta o segunda de
nome Pedro de ns;o ben;uelh alto, e
grosso caa comprida e tarubem barbado
de idade de 3o anuos e o terceiro de nome
Antonio caueu de idade di a annos coa
ponta de barba olhos grandes alio e cor-
polen to; quem os pegar leve a ra ds Quar-
enchameis de mangue de -8 a -Jo palmos; Da ,es pdaria I). 5 qut-scr re?ompsnsadj.
ruada praia casa do Vianna. *^" No dia a^ do pas-ado tugio uia es-
tsr Um tspelbo grande para sala 4 crav0 de no ne Gjsme que and iva venden-
quudros douiados uma cmoda de angico do pao para as bandas da casa forte, alio o
com columnas na frente com feixaduras lei- grosso cor prela nariz chato, ps grandes,
las na provincia, e urna dellas tie de segredo, niuio ladino he crenlo foi do seuSo do
l a cadeiras de angico a moderna ludo em 1(0> dizero que anda acornpanbando a dous
bom uzo na ra dos Quarteis D. i. j pretese duas negras ; quen o pegar leve a
fST Farelios da America de muito boa padaria de Joo Lopes Lima ni ra do le
qualidades em sacos ; nosarruaiens de Ma- xotodas 5 pont.s que ser recompensado,
noel de Jess atraz do Tbeatro e no Recile *sr No dia a6do passado fugio uma no-
no do Dragues, gra creoula de idade de 5o annos, da ame
ssyClavmas, e espadas a 4o30; na pracinha Auna bem fallante altura mediana sec-
assageiros trac(?-se co'o Jos Gonchlves Cus-|de senliora cozinha, e faz rende; na ra do Liviailenlo luja de ferrgensdo Burgos. ca do corpo seu trage he saia e calieco era
> ., rm ua Gdeia do Recife n. 45 ou do fogo ao p do Roiario sobrado D. a5. ^" 3 vaccas paridas a pouco muito boas de Joa.juim Fernandes ds A'evedo morador
oKesmoGapii::>, na Praea do Commer- %sr Uma rede bastante e.rande e muito ^e 'e',e' dando uma dellas meia caada eos no porobal, que a veudeo no dia ao domes-
bemfeita, porserdeums panno cliega- outras 3 garrafas ; no engenho l'oeta. mo me ; quem a pegar leve a ra de Sao
'AP/t ISBO\ o Hrigue Brasileiro Atlan- da ltimamente do Para ; na ra do Qqei-
orrauc ue cobre e de boa marcha tem ruado l.tj i D. ?.
. com i odos pretende sabir con a maior tsar Uma boa sabia, um bicudo e um
dade ; quem quiser carrejar assucar a curi; na ra nova D. u6.
iranoba, e por cada couro ou ir de tsr Duas preas mocas uma dellas he -oraes de execucones 3 v. tratado de segu- "bucal, altura. reguUr magro, olhos pe-
. dirija-se ao Capilo na praea ou boa cuzinheira engom^iadeira e costureira ros a v synopis clironologica de subsidios quenos nariz afilado (em na garganta uma
.i. i gnafaiio ihomaz de Aquino Fon- uma molaia de idade de ao annos, com ai inda os mais raros para a historia e estuJo sicalriz como uro golpe, rosto alguma couta
mcsinas habelidades dous preos para lodo critico da legislaco portuguesa em dous volu- enrugado, levou veetido carosa e calcas da
i .i. LISBOA e liba de S. VJ^uel o osecico, e um deiles he bom canoeiro a roes tslruvio tratado de direito Civil t v. 'godo dr ierra ecnstuma Irazer as calcas
rigua Escuna Amelia ; quem quiser carre- rnoleques de idadede ta annos; na ra de Guerreiro dito it v. l'ufcndorf direito na- por cima da camisa amarrada com uma tir
u i. passagem falle com o Capillo na aguas \erdes casa terrea .37. tural e das gentes a v. istiluico da hiato* de panno levou mais uma camisa de baeta
i ou cerr. Juo Jos da Cruz. taT Uma escrava de bonita figura cozi- "a ecclesiasiica i v, Heinecio elementos de encarnada; quem o pegar leve ao dito en-
tiba engomma, e faz doces; no pateo da diroito civil 2 v. diccionario prtico, me- genbo ao Tenenle Coronel Henriquo Poppa
S. Cruz filiar com Joo Sebastio Heretli. thafisica da contabelidadecommercial, diccio- Giro ou nesta praca a Joao Xavier Car-
is?^ Uma morada de casa terrea siti na ra naiio 'rancez para poi tuguel e vice-versa a neiro da Cunha na ra da praia que ser re-
Que f iz Jos Riy, por ii.tervcnco de S Tata nova, com-bous commodos, e v* > na ra das larangeiras O. 3 no primeiro compensado.
C nei.M Uliveira Quinta leira j da le- uma negra de dado de la anuos, cora boas ail('a'"- tsr Antonio Joaquim Gonsalves de Mo-
rtiro as o horas da minh no seu ar- h tsy Uma molala moca de bonita figura ,
cozinha o diario de uma casa cose e engom-
ma com toda perfeico ; na ra do Livra-
mento no segundo an lar do sobrado por cima
da lojade cera.
iSV Polassa em barris pequeos e por
nreco commodo ; no armazem de A. F. do-
Santos Braga na ra da moeda u. t\\.
.:jf Um negro robusto para todo o ser vico;
na praca da boa vista D. 5
s.-yr Polassa Americana branca e preta .
ero barris grandes e pegenos ; ero casa d>
Matiiens Au-tin & Coropanhia ; na ra do
Trapiche novo n. la.
ISf Uma escrava de idade de 16 annos ,
de bonita figura cozinha o diario de um>
casa e faz paro de l ; no ra nova D 3{.
iSSr Cadeiras americana tanto de assento
de pao como de palhinha ditas de bataneo .
cumas de vento de amarelo muito hem feit >s a
45oo dilas de pinho a 35oo e tahoado de
iiul'0 da Suecia com 5 polegadas de grossura
e com dilerenies comprimentos ; na ra da
Florentina em casa de J Reranger.
SS~ Djus piannos ingle?es chegados uiti-
mamentu ; na ra da Cruz D, 4 n0 segundo
andar,
tsr Duas escravas de dada de 00 a as an-
nos bas lavadeiras e uma cosinheira e
ambas quitandeiras ; na ra da cadeia ve-
Iha n. 5.
tsr Gl..,b s de vidif muito fornidos, de
Lisboa proprios para escada ou copiares
de sitio e tambero servem para peixe a
4ooo ; na loja atraz do Corpo Santo 11. Gj,
tsr Um molec) peca de idade de it an-
t.os rauilo relorcado ptimo para lodo o
servico dous ditos de idade de 12 a 14 an-
nos uma preta de idadede a? annos co/.i-
Garrafas vazias ; na casa de pasto da Francisco era casa de Antonio da Cunha Sja-
rua dos Qoarteis D. 8. res Guimares que gratificar*
139- Os seguinles livros ; sistema dos re- tsr Fugio do engenho d ago da ribeira de
gulamentos t v. Silva as oidenicoens 4., Araripe um ne;ro de angola, alguma cou-
1 e i 1 ft o
.'ni no 'orle do mallos na casa onde re- ssy Uma escrava moca de boa figura, per- rs. a libra, e sapatos deburrachi; na ra do pessoas pariiculares ecapitesde campo da
' os Srs. Crablree iltvwilli & C. dos feit engommadeira cosinheira e coslure- Ra"ge- sobrado que tem um retabillo de ve- aPrehenderm um raolejue de nome Jos ,
"i iigoj ; chapeos de pal ha muito ra uiua linda inulaiiuba d idade de 3 an- -^ pintado na varanda. de naco benguela de idade de l anuos,
tW Babados de linhode todas as larguras bem preto espigado do corpo p e
phra toalhase lentes pao de linho ufes- cjmpridas e leve uma molestia em um
1 os hlrefini calcado america- nos, com habelidades, duas escravas de ida-
panor ... hornero, relogios de pa- de de ao annos, duas molecasde idade de 14
^e, sabonetes de cheiro para barba ver- anuos, 3 muleques de idade de la a i5 an-
fagarrafado para lustrar couro, boies nos, um delles he coiinbeiro, um molaio
Mdre de perota coj.os lapidados de cris- moco boro oili ial dealfaile, e3 escravos pa-
n-ssiroos para ogoa e outros mullos re todo o seivico: na ra de a^oas verdes
D. 38.
.
mas
para tOMOare lene Oes panodelinho ufes- compriuas e leve uroa molestia em uro de-
tado lencos de seda para grvala u de rao, ^ ('a mu esquerdi do qual lhe cabio a un ha,
toalhas de linho alcuxuado chapeos deso tero o beiv'o debaixo comprido bem pareci-
da seda e de cabo de osso linhas de linho ^ ,em s'St,al ^ue trouxe de sua trra qua
puro para bordar em c.iixinhs incitadas l,e u:na acor'1 de navio pela parte occulia do
mui delicadas meias de linho curtas, cha- braco esquerdo quero o pegar lave a ru
U O !1J |) i" l S
tur bixas pretas pegadeins a milheiros. lestJe setla furlacores retroz pelo e azul do Livramente primeiro andar sobrado D. a5
o de riue ''errete de priroeira sorle botoens de retroz que ter 5o,ooode gralificac-o.
e ceios pelo preco mais commodo ue q
era outra qualquer parte; na ra da Cruz ; Para CrtSaca pequeos e grandes por preco
Uro bauziuho de tartaruga; nesta Ty- junto ao arco de S. Boro Jess no segundo commodo na rus do faguiides U. 5.
andar D. 1. tsr NJoendasde ferro para engenno d'a/*oa
e aniroaes de varios tamanhos tambores
para armar-se a moderna maquinas de va-
fihi
ir Dousmolequ-sde idade de 14 a it i- Uma farda, una barretina cora apa-
os com otnosou seta eiles, du-s pre- lelho do Rio para guarda nacional, ludo
cora habelidades duas negrinhas, eu:na por pret o commodo na entrada da ra do
dinhade idade de na anuos ; na ra do bangel loj.i de cera D. i-j.
ao p do Rotado D. 35. i^ Cabos de linho da Rusia priroeira
Orna porco de sombra de varias co- son de 1 ale J t|a polegadas ero casa de
uem liver annuncie.
Vendas
r FOLHINHASde Algibeira Porta,
Ir impressas nesia Tipografa e bem
reda peUexactidodo cajculo ; na pra-
Hermeno Vi'ebrtensna rua da Crus D aj.
ter Lira casal de escravos creoulos de
idade de ao annos de bonitas figuras e
sera d. leilo dlgum; na rua do Livramento
*jT Um rico temo de rralhetes feiios de
de;ile de cavall. marinho obra de muito
Independencia loja de hvros n 37e3?j, bom goslo e sbenle propria de al(;um offi.
. .... abuga lo|a do 2r. Randeira ni Mac; nesta Tvpograia se dir.
cadew do bairo do Recife loja que fbi tsr Amendoas coberlas de varias nuah-
= (, resma na ruada Madie de I eos dades au.oda de Lisboa na renaco da
la da quina (iefronte da Igreja no rua das larangeiras U, t.
rro ua i.oa vista loja do Sur. .Moreira Das asf bichas pretas muito boas e ptimos
bolicadoSnr. .VJoreira, deron- charutos da ILvana Hauburgo e Cacho-
na \ ^liio ; e era Olinda bolita da rua do eir ; na ruado Cabug loja do Si. Rindeir
": Um cabra de bonita figura de idade
; rucas com breu a 7000 era arro- de ao annos muito bom erreiro, e bou.
batatas a ti,to a arioba sal de Lis- tteslie de lser assucar e tem mais habelida-
..ilo em p oieran, u ..uio.a- des, que a rala do comprador se dir- na
'.u-aoo,sevaoiuha de tranca a rua do Fagundes D. 18, e na mesma 'uma
tT No dia i8 do passado auientou-se das
obiasdeJoi Mara na rua do Palacete uro
moleque creoulo de nome Luis cor pela,
estatua regular de idade de 17 annos, den-
tes limados e um dos da fente quebrado,
por de (brea de 3, 4, e t cavalio, por pre- "IOi grandes e afuraa.;.ados a orelha direita
co commodo, taxas e ferro bildo e cua- furada com uma argolinha gagj, e as gen-
do de lodosos tamanhos uma prensa hydrau- gibras vermelhas ; quem o pi-gar leve a rua
lica para emprensar algodo e bombas e ireita do Rozarlo D. 37 que ser recoai-
sei ras compridas para engenho: em casa de pensado
Fox & lodail na rua da senzali nova D l. | lsr, Fugio ou ulga-so ter sido furtado no
, dia atdo coi rente uin escravo de naco ben-
'guela.de nome Joaquim, de dada de 13
anuos alguma couta Dual alto do corpo,
ps grandes uma ferda em cada urna canela,
rosto redondo bem prtto levou vestido
calcas de estopa ja vellia e camisa de chila ;
quera o pegar le\e a rua da cacimba em casa
de ft/albias Jos Gomes, que ser lecomr
pensado.
liscruvos Fgidos
r;oca
xa a ibo stvada nova a i2oj escrava de naco muito linda figura coiinba
a .enda D. S. solnvel e lava de sabo.
tsv No dia 23 do passado fugio uro preto
de nome Januaiio de' idade de ao anuos ,
estatura baixa sobre o peilo de uro dos ps
em uma pequea sicatris teixada de muio
lempo, consta andar no camiubode bebirbe ,
beleme rozaiinho ca regando feixesde lenha;
quem o pegar leve a casa de Joo Vaz de O-
liveira na rua da cadeia do Recife na quina tSr A2de ovembro do auno payado
da rua da Madre de Dos, que ser recora- fuS' egro da Villa do Peuedo l'ro/iii-
pensado. c,a das Alegoas, cura os signaes seguinles ofli-
tsr No dia 6 do corrente fugio da rua do ciai de sa',ufeiro cara chea beicos
NogueiraD. 3i uro moleque creoulo de no- 6,0SSOi ntria chajo, falla grossa, psgio*-
me Ponciano de idade de 11 anuos levou S0S e Um maiS 1Ue 0Ulr0 os dtdo w,li"
vestido camisa de chiU azul, e calca de la dea mtisioos muito curtos j que o pa-
parda quem o pegar leve a dita asa ou 6ar ,e*e a rua dlreila lJ- ^5 que *'" recoiB-
nos Coelbos em casa do Sr. Joo. Rodrigues de Pensado-
Vioura que era ambas as partes ser recom----------------------------------------------------------
Jpensado ; adverte-so mais que ninguam na- RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F, I&44)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPSTO1MG3_F6IFAH INGEST_TIME 2013-03-29T17:58:31Z PACKAGE AA00011611_04220
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES