Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04218


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"*I
AnN^d 1841. Sabbado
Tuflo bro'it de\lei\fte (le tufe iteesntos ; da noss pnirletici, tnorla-ra-
,..-, e eo''r^ continuemos como principiarnos, sererfos [.bi.tarlos
wA laruca *>tre a ftecoes mais cuitas.
Proclamado 8a Assemblea Geral 'o Brasil.
, / .11
Saborbve-se paa est folha a Sfooo por q artel pago* adiantadO.
neW Typograia ra das Cruzes ). 3 e na l'raoa da Independen-
cia n. iw e 38, onde ae recebe* correspondencias legalistas e an-
nundos, inttriad04e estes gth iuoo dbs propridb asSifenahta,
Viudo agrtadot.
PAH'ilftS DOS C0KHEIS TEflKBTR^S.
CidaHe da Parahiba e VHlas da sua preUeo......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......>Seg Setals fWtafc
Dita da forlalexa e Villas dem..............1
Cidade de Gtarina..........* ......./ __
'Jinaoe de Olinda.........* *........../ **
Villa deS. Anlo......... ..........gumas feras*
Dita de Garanhuns e Poroaco do Bonito ... ... lo, e *4 de cada mea
DiwadoCatw, Ser.W.aenv Rio For*ifato, PotOClTO. i, u, 91 dito dito
Cidade das AlapOas, e de Macio............dem dem
CAW1OS. x* Ja hr i o ig
fcondrWs......30 Si d. por 1 foo ced..
Lisboa ......8o por ojo premio por metal ofiertcido.
franca ...... 31o res por franco.
Rio de Janeiro ao par. Com, Venda
ORO- Moedlde6f(oo res, velh.s .'418% i^oeb
Hites ,, 1 novas UJuioo uirfao
, Ditas de*|oooreis, Xjuoo o|Soo
PKATA Pataces brasileiroa i i|Wb 77 Pesos Goluniririos----------jfOoo if?o
Ditos Mexicanos -i. i. r58o iffco
Miu.-tft., i a.-------- ijo ,#<6o
Villa do Paia de Floras..
'J'odot os Correto partan ao mezo da.
idkfm 13, dito dito
PHASES DA LA NO HEZ DE JAI*.
La Ceia i 7.-1J o h. t 35 m. ria ard.
QbaA.raTmj. a ta- fO 6. e 18 m. da man.
La Nova a n s 1 bi e 44 a. da ann.
Quart. cresc. a 5o 1 as 8 h. e bj m. da man.
Alare Ata parm o da 28 de Janeiro.
As lo horas a 6 minutos da dandij
As 10 horaae 36 minutos da tarde.
Descont de bilbtes da Alfandeoa t ai8 por 100 o
4detB),de letras 1 i|4 a i(ija,)or^sflroW(rfred Mocdad cobre 1 a 3 por lobdedisct,
D>AS DA SEMANA*
15 Segunda Courersao de iran* Xp Audiencia de-Juis d Dir&o da
. 1. vara.
a Terca i. Ponca>rP3 B. -- Rlicio *W* da Jet de Direito da
I. tra. j '. S, i <
27 Qorta 8. JoSo QrisOHeino P^- Audiea:ia d,o {& DajejtQ da 3 vau.
a8 Quinta {. Gyrillo B. Audiencia do Jui d uireit'j d 5.
*meaa
ag StU S. Frncisc dSal-e b -- Ad ,1anci da J\,t d Direito da
3o Sabbado S. Naninha V. M. KolU^io a Audiencia do Juh d D.
i.
da 5
ara' 1 ...
Domingu S. Pedro Nolasci.
Am
PERNA MBUCO.
DIVEHSAS REPARTigOEN'S.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
O Briue Sardo Sultan, vindo de Genova,
consignado a Joo Pinlo de Letas & Filbo -
manifestou o seguidle :
344 raixss com toann, \ i ditas cor ibas
sas, 38 pipas com vinho il pipas ci0 a-
{juardenle 158 bailas de papel, 4o0 re8'
teas d'allios,
Fora do manifest 88 calxas ci ras-
sas 5 ditas com fasendis, a tinos com bixas,
1 oaixa com chpeos i,aOo ticas de o'ur'o, 1
realejos 1 porgo d'alhos.
O Ikigue Inglez Andes, vindo deVergi-
ne, consignado a Latham & Ilibert, inaniles-
tou o seguinte.
jo;2 barricas com farinha, 180 mtias di
Us com dila*
OBRAS PUBLICAS.
Pso tendo havido quen se pra|tozesse a ar-
rematar separadamente os 'oriecimeitos doa
moteiiaes de Car pina e ti* l'edteiro, e ou ser-
ventes necessartos para a renovaco do caes da
entrada do uorle da ponte dos Carvalhos ,
ne oblante tereu andado por duao veces ean
praca sao agora po6lo* em praca os mesmos
lorii"Cimeiilos para serum airemaUdos em
globo om execuco das ordens do ixna. Sor.
Presidente da Provincia de 15 do crrante,
abaixo assi<;i*ado convida poii as pessoas a
qut'iu convier este contracto a comparererem
na casa da luspecgo coropetenlemenle habe-
Inadas de fiadores idneo uos dias 1 e
5 do prximo futuro mez de Fevereiro afm
de ser concluida esta ariemataco.
lnspeqio das Obras Publicas 18 de Janei-
ro de 1B41.
M o raes Ancora.
Todo o trabalbador orro que quiser tra-
halliar no melboramento da estrada de San-
ta Anna pode apresentar-se ao respectivo
apentadoi naquele lugar
Inspecco ds obras publicas afi de.Janeiro
de 1841.
Morces Ancora.
EDI TAL.
Manoel Jos Ferreira do Masctmento Fiscal
da Freguesia da s de Olinda, em virtu-
de da Lei etc.
Faje saber que da dala do presente quinao
dias principia a lser as corridas em sua Ire-
i;uusia revistndoos pesos, e medidas e a09
estradas pblicos, e ludo o mais quanto for
concernente as pastuis\ da Cmara Munici-
pal j e para que nao baja ignorancia fias res-
ptilo, adverte .os si us Coiuparochiauoa a de
se pievenii 1 m e manda fasex o presente pu
buco pela impreiisa, e fixar nos lugwe* p-
blicos desla ['i ejjucbiu.
Oliuda Frtguesia da S a4 de Janeiro de
i84u
Manutl Jos I-'eneira do ^avimento.
juslica clamorosa qu'o Ibes fez o Vir Pre- i-mprensa quebrando a Tip>grafn da oppo-
la nie'sma Provincia Joo Facundo sicj reiTutaudo um 11
sidente Jesta re'sma Provincia Jo'b Facundo sicj reitrutaudo ut dos seus impressores
de Castro e \Ieneses, no lempa desuadmi- perseguindua outro. que fgio aos seus fu-
nis! raco e Ihs tero continuado o actual rors, do que ha provas nesta desgra-
Presidente o Senador Jse Martinah'o d A- cada Provinci ; declarou solemnemente que
lenca r e he o seguinte ; Os abaix assigfta- havia de vencer as eleiedes aferr, e a lo-
dos aoccasi d'apura'cao gral dos tolos dos go, de designar a dedo os Oeputados, eassim
fnembros 'Asshible Legislativa Provincial, acontecei perqu o etrondo das armas lia
qO e prdcede' no da vinte de Agosto do an- de lser calar os clamores dos Cidados Cea-
no prximo pa'ssa'do, nao ctinta'rSo os vdtds do renses : que ti verem a audacia de compare-
Collej'io da villa da Granja deixando d cer para dar o aeu voto de consciencia, e de
Joiso da Asserblea quand verificisseos po- sympatbia. Si pois o Senadjr Alencar tudo
deres de seus membros, approvar O nao isto obra, e innmeros outros actos despticos,
se proced ment oque suctedeo pela affi-f que seria enfadonho enumerar, ecartcario os
ffia,vat ouvidos de V. M., nao he de admirar que
Mas este acto deconviccSo da Camata nio os abaixo assignadosestejao solrend esta in-
apYadando ao V ice -Presiden te da Provincia juslica clanorosa era si m-is hura peque-
prque nao era d nfOrridade cor os in- nio actos de caprixo era face dos releridos.
ter*ses de seu partido (que to grande renoma Ao erq, Imperial Senhof iufuniadjs
tem alrahcado por suavacc5es de infernal os receios d'Assemblea Provinct.l com- di-
virtganea, e de violacSo e todas as regras, se o VlnUtroda V. M. por que elles lofelts-
qoesDStenlfo o edificiosocial) foi considera- .menW-ae realisaio,
do criminoso, e rherecedor de castigo exerplaT Os abaixo asignados por Unto confiados na
decretado pelos Tribuna** competentes pe- juslica, e rectido que fasem o mal bal han-
rentequemde-rrojeaponder os abaxo assig- te adorno do ThrO.io deV. M. esperao que
nados. Em conseqaeiivls foi^o elle Spen- V. M. menda suspender os efle.tos da aont mi-
sos por virtudd de huida portara lavrada p- ?a de suspJnco que o abaixi assignadi
lo v.ce-Presidenle er data de 1 de Seterd- eslao solrendo de fado e remlegral-os ou
bro ultimo, do exercir de sus fuc.oes, pa- .quilla que julgar conforme aLeu
ra serem procesados: passado muito lempo I D^.Guarde e P^W6 J P?;"? "U
sem que fossem, reqaerero^lhe que ran- de V \1. para lelic dade d, Brasil
dasse proceder conire.l, o entramo exer- Cidade: da Forlalesado Ceaia .8 del
cicio de suas funcertes pois qtlu segundo a* de 1041.
I'anei-
Lei* elles naodeviao estir privados io goso
de hum direito Poltico a titulo desu*pen- (
sos e s pela vontade e caprxo de hurd ho- .
mem que em quarenta dias de administra- !
t,o tudo demoli, e trantornoO, tiverao
por despaxo, que tralario do processo, porem
este se nao comecou ao menos
Pedro Jos Fitisa Luna.
JoseTbeofiloRibello.
Miguel Fernandes Dirro.
Anlouio Rodrigues Ferreira.
de
no
Exc
nad
Illm. e tm. Sr. Jos Martinianho
rtao comecou ao menos Alencar Cuegando eu a esta f
Avantagem de conservar os abaixo assig- da > de .Novembro, p. p. p rai* V Kic
nados suspLos para ter urna Cmara cora- commu.ucar o acn lee lo a Vil la do A cal.
nosta desunientes, que lisesse quanto o por motivo d. ro.na.mcnto da VilU de 3
IthKUli e ,u, tir de a- Remardo nao t.ea fortuna dJ1J- ^
purar os votos dos membros d- Legislalura de rar a V. Exc pelo que^ rt/ U/rdae
;g ,2 be sem duvi la que te.: determin .do P"o a ro^ar -ll.e para voltar d onde quer qae
:..,!.. ria mncil.adoras da boa oruein uesgraca-
to revollanle contra os abaixi ass.gnadu*. cin iunauui u u
^egoUsUdor Alencar P^^re, ^^-^-t^
ta Provincia e congracar ^J*^ "abreve aqu, se ach.rU para dar provideu-
l,do9 exallados segundo os W*** ^ que o caso exiijis.e com esla resposl.
dos MluW.ro. da V.M ^^ dU^L-me esperar por V. Ex. para ver
VMra1Mu^^,,el,d0'M'Vn^arS;" o resultado das salutares medidas que de V.
signados nutrirn esperanca de que enao re qUe tranquil.i.ssera as
muegues, mas sua cxpeclal va ^ liuJjdi s uJliu '^^m sollo,
o Senador Alencar er- o au.tor mo.al dos.c- J* pe|o9 agentes de
tos pr.tie.do. porseu inst.uraenlo m qui- *sr^os *q t. lr1aqu|fi eslava,
ci de ser sua Espos e seos Ribos eSpingar-
dadS pelos agentes do (invern que d -
vm g'rahtlr se^ttrancft Individual do Ci-
cladlo e cor ris ri,^or a do seto ferini-
nd |Wr s# est qu por stti fratjueza cha-
nta m'is 3 altenefio O r'eSpeito do lodos t
bombos i airida osesmo oi slvagris. Eu
deixo consideraco dos honrados pas d
familias, o triste qudrrj de Verem hnl
dbil tila y nd oltos. mez d Sua prenllez
prostada 00 campo desmatada pel irpuleo
dos tiros rodeada d is inermes tfmigis e da
len-os fi'hinhos, beijando Ihu asmaos, re-
; inio-lhas as plidas faces com asairgorid)
lagriras, e sera secaren repeta li doce
nome de may e i liplorand aa Ceo sJe or-
ro ? Ah Exm. Sr esta tragedia estiva re-
servada pelos mdos fad do Cear para
ser representada no lempo da admiuistraco
de V. Exe. que lera o descosto da ver que
este horrendo laclo vae tocar o alarme nos
paites das immensos pus de l Ha i lias de ti
Provincia que forma oposie j aos agen-
tes das ordens de V. xt* que no erapenho*
de venceresn as proxiaiaS eieii^es tem come-
tido toda > sakata le uauldades E\m. Sr
quando eu pjr algu motivo fosse culpado
de crimea en em mira que de va cal ir o peso
da responsabilidade e nunca sobro mmha
fraca e cara esposa que? oehbu parte tem
nos neos feilos e pos so o piis de fimt-
Uas ol lia rao para os liras dados era na m lia
cara esposo e mirtos filbiiibs cono o pre-
ludio do qu ellea est preste* a aconioo;rk
Sin* Kan. Sr. serio astassinadas as esposas,
dos Cidados que refugiados nesta Capital'
procurarlo a V Esc. para providenciar sobre
lio horrendos el te uta dos f pore o o sanguo
destas victimas eclamar vinganca r d
V. xc. cabera o tfspraser de ver a adrai-
nistracode V, Exc. no loada uo olisUo*i
le protaelimento efto a S M. O Irapeca-
dor de tornar a Provincia tranquilla como*
liillitada por hu s familia 9 que a* de-
ver{etcia- peliticaa ao podessoera mais de-
sunir.
Ssnotvera saptiafaeie' de- oommunkar
a V Exc. teiilia a de aflansar alia coaa -
der.icj em que lenho a sita pessoa. Sendo
com respeilo .l)e V. Exc alieicioso s>ve-,
nerador. Joaquir Erailiov AMs *. Cea*
16 de Dezembro de lufa
i i^ sni*
IIIra. Sr. Aires Aracati 7 de Derboj
do 1840 Nosto mmenlo cheg em caso *.
vindo d'acompanbar sua familia e aa dos
Srs. seo Primo Antonio Ferreira ate-
1 nial! umei.10 njaqui- y-- "^^^ ^tm lr'a eJlava, xandre Ferreira quo receosOs d'ajguma vio-
nal, o v,ce-Pres,dente t .cundo el- por ^ ^uo vae liana- lenci. se retirarao par.m Ursp. e por
lorca havu de sustenta -lo.. : m ^J^ gg x e(U se m plr^cij.a ter Francia- no ter em casa alguraa d'ollas o seo chefe ,
asleicoes em buma Prov. ca anude w ^^J^ / {} e am0 dt V. me pediraoque as osse condusir aqueUo la-
tera nenbum rdito nenluma torvsm.r.l, mAl%do ljer f*, a railu inerme e gar Infelizmente ao sahK do VilU. fdi-no
nenl.umas reUcoes com os borneo, de reco- o^ ^^ de 01l0 aBf|Mr,U4 aalk granadla log. maas dUa* ,
?IW^y^^~.^^X5; lilhos, eirez Senioras se reara vo para lo- e depoisonlr. que pela providencia do U-
le arma das gracas de q o goveruo diqrae nao Villa'uor ia uo uoderem solrer os in- os no lririo a pessoa alguma. Ue. d9
Ihe podia conseguir ol. que anhelara ; raua 01 j^ ,:,..;------------.... ik- .
Id UJ I lili pw. Jr *M**V |--w.~----------------- .-_
-.......qr saltos uue se llies fazio ; esla dolorosa uo- coular-lhe quaolo susto cusana ura tao
a maionada Provincia Ceare..,e OyMOSl ^ mm e unU. inaudU(, practJQer nesta,.felices ras. cer-
cao ao Seuad-ir Alencar desviesmJo sojs ta- ., i,__1__a------.......i.^ iuniiM ujr aue uaa
\uie de que 1 a> precia iva por &e compor
dos piopj ielinos, e liomens de lenas da p>o
vinci e aulipalisando coraos precedentes!
do seu transado governo, nao o apjiava
Mislerera pjis que elle desviasse suu vistas
do meioquehie era proprio e as lixisse era
outro, que lbe alcaujasse o lira nao : por
1 ue que uiiu< ** vji ...... ...-. ,.------. ----..
.borlado c se ochava era pe.igo de vida cadas de vinle e tantos tjlhinlloa por que nap
por causa dos tiros que haua eceb.do me qusro *ao.-.lo sal. Os soldados d.cero
L voareio seo soccorro e dos Bluos que que lioho sido modados pelo Uula Mar-
it supoqbo oi.s p.la maldar perver- u,s o que elle uega. Su* Sa. pede- e
udade daquelle agente de V Exc. e no quo venua quanto les loaoar canta dowM
ae. -r-lia?al onde ebejar o excesso de .- lamina que ella wo.Q a^7^u'la^
b. tndi^naco. Al. Exm. Sr. eu deixo estado eu pasem. Oatoo f.sendo e*U. 804.
CEA U A'.
8ENU0R.
O. Voresdores da Cmara Municipal, da outro, ^^^^J[*? 'TlJfc!^^ bar'que^a.ir'levar ou W*'
i idade da Korlalesa da Provincia do Cea. a- ter ,........ a~~~. ^
haix assignados, peanle o Throno Augus-
to de V.lM. I. e C. se queixo de huu in'
ao uim v iiumauua vmuihv" w j--u-------------------.
dji quedespedacao coro;j de liura amaii- quem quena
t. ._.__-----g-------, r d 11 un- (i'>iih lili -a O Clt'Oaj Ue UUIU uuia- uuiu ijuti. .. -..- ,.-0--rr- -



9
D I A RI O DE PERNAMBCO
roso'le fnse-lo. F-timo o seo leni estar por
ser de Vm, Amigo Venerador e Criado*
reunidoi boje pelas 4 oras da larde dirigiro-
me a representado que por copia tenho a
V. F. V* honra de passar as mos de V. Esc. t eeu,
al'endendo ao grande numero da gente reun-
Illrc. pFjra. Snr. fontm pelas oilo ho-. da e ao pequeo do que me vera do Aracaly
ras da noile chegut-i a esta Villa encontrando! se que o Ajudante Manoel Vicente manda
sua pai e tranquilidade alterada na forma, essas ao pracas e considerando por oatro la-
3ue expuz a V. Fxa em meo oticio de ?i
o coi rente son n. i5. A gente armada que
arcometeo a Villa segundo me consta foi
em numero de setenta pouco mais ou menos ,
crapitaniada por Joao Baptista Ferreira dos
Santos ; mas boje acha-se na Villa para mais
de duzentos bomens sehdo armados mais de
ce uto e (incenla ; e consta-me que se espera
gente de diferentes pontos do Municipio. Os
soldados do destacamento desta Villa quer os
do corpo de Polica quer os G. N. que tam-
bera o compunh' acblo-se reunidos a forca
do Baptista. As pessoas prezas sao Antonio
Aires de Miranda Henriques que exercia as
tuneces de Juiz-de Paz; o Esciivo do-Cri-
me e Ctvel Joo d Castro Silva e Menezes ; o
Sargento Baima Comandante do destacamen-
to ; e hum moco de norce Joaquina Tbeodoro
Andrade Pessoa. Chegihdo eu a esta Villa
encontr i-me logo com o dito Baptista o
qual declarcu-me que nio receasse eu a con te -
cimentos funestos da parle da gente reunida ,
huma vez que forca alguma se Ihes oppozesse
que a geote reunida nada mais queria do que
paz e sccrgo publico que para conseguir
tal Om be que laucarlo mo das armas pois
que s assim, em quanlu pedio pro videnci-
as a V. Exa.podio obstara tantas perseguices
do que a entrada dessa pequea forja nesta
Villa s pode produsir funestos resultados
principalmente para os presos a vista da de-
claraco dos reunidos e nao desejandoeu
csrregar sobre mim tamanha responsabelida-
de tenciono salisfazer o pedido na repre-
sentaco e esperar ento providencias de V.
Exc. as quaes pela minha parle darei exac-
to cumprimento. As coisas 6co neste estado
nao tendo vido nada mais i se alguma alie-
raro ouver eu nao me descuidarei de par-
ticipar a V. Exc, Dos Guarde a V. Exc.
por rnuitos annos. Villa de S. Bernardo a5
de Novembro de i8.jo. Sr. Joze Marti-'
niano de Aloncar Presidente desla Provincia, '.
Antonio Joze Machado Juiz de Direito da
Comarca.
Illm. Snr. Os abaixo aisignados reuni-
dos n'esta Villa aGm de representaren ao Exm.
Presidente da Provincia sobre a oppresso que
tem sofrido manada das Authoridades ( cons-
tituidas pelo Vice Presidente Joo Facundo
em virtude de buma Ley Provincial j der-
rogada ) a quem se acbava confiada a admi-
nistradlo d'esle Municipio tendo noticia ,
que V. S. se dirigir da Villa do Aracaly a
eota para debellar a (orea reunida e mauter
a seguranza individual dos cid-daos para
. f rr i a seguranca naiviJuai aos cia-aaos para
crueis leitas neste lermo prcmovidas pelo c_ j c i
-...,, L*j K cuio hm deprecara forca ao commandante .Vlt-
Lerivao Lastro e apaleadas depois que to- i i ii-n i_
, \ -j n lilardsqoella Villa e que esta prstese che-
rtou conla da odministraco da Provincia o
Snr. Vice Presidente Joo Facundo de Castro
e Mtnezes ; o qual nao respeilando as leis que
a Asseu Llet Provinci*l frz este anno e foro
competentemente sancionadas pelo Presidente
da I revincia o Exm.Douior Francisco de Sou-
ta Mattins mandou por em execuco buma
Lei Provincial ja -revogada por quanto s
assim podia elle ler em rnuitos lugares Auc-
toridades que perseguisse os seos adversarios;
perseguico, que, diz elle neste Termo
chegou a ponto de pretender litar a vida a elle
Baptila como aconteceo a poneos das levando
dous titos de buma escolta con?.pesia de doze
soldados que se havia mandado por de embos-
cada em huma estrada por onde este tinha
de passar indo desta Villa para sua casa es-
-iidiiuo felismentA Ao ,r asesinado nesam
ociasio ; lendo-se para acobertar to orroroso
atlentado formado-se de anle-mo diferentes
processos crimes e a titulo de resistencia a
pruo ser assassinado ; e que tentava se obrar
contra oulras muilas pessoas o mesmo que se
obtava contra este Por ultimo declarou-me,
que a gente reunida ja bavia iuderessado buma
represcnlagoa V. Exa. na qual expunba os
motivos da sua reunio e pedio como pro-
videncia a por termo a lanos males a execu-
co das Leis feilas este anno pela Assemblea
Provincial e con ptenteme;.le promulgadas
pelo Exm. Doulor Souza Martins ; e que s
depois do deerimenlo de V, Exa. largario as
armas*
Ciuvindo semelhante declararlo Exm. Sr. ,
envidei todos os meos tslorcos para tirar esta
gente de semelhante pretenio persuadin-
do-a a debandar-se ou que inermes espe-
rassem pela deliberaco de V. Ex. a suplica
que Ibe liatio detigido ; porem com pezar
reo at agora nao me tem sido po-sivel
isto conseguir. Por ultimo j exiga a penas a
soltura dos presos, e com acondiio (leu os
conduzir para a Vi4la do Aracali ; a isto mes-
ano nao quizero annuir declarando-me
que os presos era buma garanta para nao se-
reno agredidos os reunidos. Eu conforme
disse a V. Ex. no meo anterior officio, a pe-
nas tive Doticia do movimeoto desta Villa ,
considerando que em principio qualquer tor-
ca podetia oLstar o seo ptogresso requisitei
ao Ajudante Manoel Vicente que marchasse
cm di rece o desta Villa com todas as pracas do
seo L'esiacamenlo para onde eu tambero linba,
o dito Ajudante porem levado por cou.-elhos
de alguem que tambera tem posto aquella
Villa ero estado um pouco melindroso liao
quiz pieslare r.o todo a minha requesico ,
declirando-me que apenas (aria mancar viole
pragas porem Exm. Sr. nem mesmo e&aas
*itxrmarxf j pois que a te-lo eilo j lerio
chegado ao ponto que eu avia.designado e
nem ao menos me tem fe i lo par cipaco al-
guma 1 l Eu espero pois que V. Ex. le-
'jjba em muila concideraco o proceder do
Ajudante Mu.oel \ cente ; se elle continuar
com simelbanle obrar iuulil se toma o Des-
tacamento no Aracaly e com giavame os
cofres pblicos.
JJevulgaiido-se nesta Villa que do Ara-
c*\) \iiila de vir essa lorca os piigeipaes dos
quella Villa e que esta preste
gar. Os abaixo assignadof pois vo repre-
sentar a V. S. para que baja de mandar sus.
ler a marcha da dita forc,a Militar afim de que
nao entre n'esta Villa com cujo passo se evita-
rlo consequencias e reaedes tristes que por
ventura se poderlo seguir achando-se n'esta
Villa sufficiente tropa em atmas ; por quanto
os abaixo assignados, protesto manter osoce-
;o publico e aboa ordem at a ultima deci-
iadeS, Exc. par quem j foi representaco
alias teremos de ver trisiissimas srenas der-
ramaado-se o precioso sangue Brasileiro ; po-
rem os abaixo assignados confiao e espero
da prudencia e sabedoria de V. S. queat-
tender a presente Reprerentaco s tendente
a conservacao da paz e tranquilidade dos ha-
bitantes e povo reunido n'esta Villa at que
S. Exc, se digne por suas enrgicas provi-
dencias Irvrar-nos dos males e oppress3
que lemos sofrido mandando porem execuco
as Leys Provinciaes do cor rente anno. Dos!
Guarde a V. S, felizmente. Villa de S.
Bernardo %S de Novembro de t8jo A o
Illm. Snr. Doutor Juii de Direito. Ig-
nacio Ribeiro Bessa Coronel de Legio Joo
Baptista Ferreira dos Santos Pnenle Coro-
nel Commandante inlirino da Legia Fran-
cisco de Abreu Barros Major de Legi; >
mingos dabilva Joo de Oliveira Lima.!
Francisco das Chagas de Araujo Alteres da
G. N. Joo Baptista dos Sanios, Joo A-
lexandie de PontesSimes Simo Pereira
de Azevedo Jos Caetano Ferreira Fran-
cisco Floriano Uelgado 'erdigo Tenenle da
l.m Companhia, Gaspar Pereira de Oli-
veira Barros Angelo da Silveira Lima ,
Joaquim Jos Rodrigues de Carvalho Joo
da Silva Collores Jos iogenes de Bour-
bom Catunda Manoel Maiuns d'Altneuia
Butity Mdjorda G. N.
2o Peridico Pedro 2. de ai de Dezetn-
bro l-se o segu nte :
Hoje quasi pelas a horas da tarde entrou
nesta cidade algemado e amarrado pelo
pescoco e pernss, como se fosse um reo
de lesa roageslade ou algum negro fgido ,
o dislinclo, e benemrito Major Joaquim
Ribeiro da Silva da Villa do Sobral :-kesse
illustre e prestante Cidado que tres, ve-
zes se expoz aos maioies perigos para salvar
as nossas Ironleiras e a Provincia da Para-
hiba dos estragos mortes e quanlos' cri-
mes se podem imaginar, be tratado de a
maneira to aviltanle 5 isto nao pode dei-
cl.ai de indignar a quem nao ti ver sede de
vinganca e sangue com,o o Redactor do aJ
de Julho e quasi toda a sua sequella. Pa-
ra qne o publico cada rez avalla melbor os
desejos e as vistas da faccao que hoje aca-
brunha com o maior escarneo os principaes
Cearences ; aquellos que em todos os lem-
pos e pocas tem dado provas de amor a
Monaroliia e um interesse decidido pela
oidem expuremos o que se passou com o
AJajor Ribeiro quando aqu cliegou. lm-
mediactamenle que constou a gente governa-
iva que elle se achava no uailel a As-
ten-Llea cm petoe quasi lodo os Emprcgados
rubliros rorreto para l nio sabe-
mos para que 6m s se era para darem o
triste exemplo de se rrem com as desgracas
humanas, como succedeo, segundo tomos
imformados 5 isto demonstra bem os prin-
cipios e sentimentos da gente que cerca
ao Governo da Provincia,
A inda nio parlo aqu as injurias e af-
frontas feilas a esse honrado Cearence ; es-
pere o publico por maiores attentados: em
lugar de ser recolhido a prizio que coitu-
mo ter es Omcaes ; assim nao acontecer
para o aviltar e rebaixar mais, (quanto
sao vi/ e indianos 11^ foi metlido na Ca-
deia do crime !!!... Pois assim he trata-
um individuo que tem huma patente con-
firmada a de Alteres de a. Linba que aca-
ba de oceupar o Posto de Mijor do Equa-
drode Cavallaria : hum homem finalmen-
te que prestou relevanlissimos servicos a le-
galidade contra a horda dos salteadores bala-
ios ? Porem estes merecem todas as aten-
ces eos que os debellaro sao ignomiosa-
mente tratados ; por que ha meras suspeitas ;
de que concorrero para as loucuras qae se
fizero no dia t4 do correnle quando bem
se sabe que o Major Ribeiro nao concor-
reo nem levemente para silbante coiza i, mas
como nao se quiz passar para o partido do Go-
verno por isso tudo quanto ha de ignomi-
nioso aviltante, e mo deve accarretir
sobre si
Tendo de ser recolhido a bordo da Escu-
na de Guerra Victoria, como, passadas
duas lioras, succedeo, para que nao 'esteve
em oulro lugar com a divida seguranca ?
Nao; devida ir para a cedeia do crime !
afim de es'.ar embora fosse por pouco t m-
po envolvido com toda a casta de crimino-
sos Alguns amigjs do infeliz logo que
souberj dos males que o oprimio foro
ver se podio fallar-lhe porem esla pe-
quena coisa foi negada pelo Ajudante. d'Or-
dens o 'Pnente Reformado Joo da Rocha
Moreira dizendo-lhes que o preso se a-
cliava incomunicavel em virtude das or-
dena que recebera do Governo e que re-
querece em lempo !
Tres vetes escapou o Major Ribeiro de ser
assassinado desje S. Benedicto, onde foi
preso at a Villa do Sobral, apezar de nao
saberem com certesa que era elle.
Sabio de sua casa com i camisa no corpo
at esta Capital ; por que nem mudar a rou-
pa se Ibe consenta 1 1 1 Mais teriamos
que dizer porem como a nossa patria esteja
em bum terrivel estado de convulses nao
queremos que se nos attribua venenosas
intencCes ; pois o que'sinceramente deaeja-
mos he a ordem infelizmtnte alterada; per-
mita Dos que em breve ella seja restabe-
lecida ,. para qae possamos expor com cora-
gem, e diziuieresse d'onde parlem nossos
males. Ha lempo para ludo; por isso cum-
pre-nos conter a peni.a por esta vez afim
de que o Governo nao encontr da nossa par-
le liopecos para chamar a ordem os descon-
tentes.
Coimiiiiiiicado
Cear em 17 de Janeiro de 1841.
As vexaces teitas aos habitantes do Cear,
que nlp aprovo todos os actos do actual Pre-
sidente d'aquella Provincia o Senador Padre
Joze Martiniano d'Alencar ; o horrendo sis-
tema dos processos ; as prisdes ; e a perse-
guicad por todos os modos s pessoas mais
influentes da Oppozico nos crculos elleilo-
raes lem levado s armas diversos pontos da
Provincia bem como S. Bernardo, Cascavel,
Aracaly, Sobral, e lalvez Baluril. De to-
dos estes porem o que mais serios teceios deu
ao Presidente foi o de S. L'euiardo, porque
os seus habitantes exasperados pela acintoza
perseguic-o dos agentes do poder prende-
ro-os e levarlo ao Presidente da Provincia
urna representavo em que pedio a remoco
d'um de seus perseguidores para lora do Ter-
mo e a execuco das Leis Provinciaes to
arbitrariamente suspensas pelo Vice-Presi-
dente Facundo.
O Presidente nenhuma consideraco deu a-
quelle acontecimeuto e respondeu que sol-
tassem os presos que elle logo ira pessoal-
mente tomar conhecimento desse negocio:
entretanto o 23 de Julho, foi ha do Gover-
no (ratava os habitantes d'quelle Termo por
salteadores, ladres de gado &c! Mas em
ao de Dezembro p p j se conlavo na Rus '
sis Villa d'aquelle lermo 1:800 bomens
reunidos ; e no dia a4 atacarlo a importante
Villa do Araca.ty onde se achavo as loicas ,
que o Governo tinha feilo marchar contra el-
les, e onde mil attentados pralicavo os Com-
mandantes dos corpos ali elacionados ,1 he- l
gando a mandar *espingnrdear Senhoras <"
consideraco, quando se relirav > da V'i||a
para evitarem os insultos que diariamente
se Ihes fazio. O combate foi renliido: e
depois de 5 horas de aturado fugo entrar)
dentro da Villa soltarlo setenta e tantas
pessoas da Opposici, que se acbavlo presas,
por suspeitas *, e tirando do deposito da polvo,
ra alguns barriz, voltario Russas deixan-
do tudo o mais intacto.
Neste chuque perdeu o Cear de 3o a 4o
pessoas ; e poucos das depois 8 no Cascavel 1
alem das que morrerlo no Sobral, onde a
tropa desciplnada se bateu toda urna noute,
Foi ento que o Presidente Alencar conUe-
ceu o perigo que o ameacava vendo a guer-
ra civil surgir-lhe por todos os lados ; eva,
lendo-se dos bons dezejos das pessoas de maior
consideraco no lado opposicionisla, pro.
mette-lhes fazer acabar com os procesios,
eom as przes soltando os que ja se achavo
ers custodia por prevenco como elle dizia ,
e emfim a ninguem mais consentir que se per-
seguisse depondo as armas a gente reunid,
as Russas, e voltando a seus domicilios.
Nekte sentido mandou lavrar urna porta-
ra ; e sob palavra de honra pronetteu lte-
la observar religiosamente. Duas pessoas,
pjis foro mandadas em Commissio a Russu
pela parte da Opposicio Djmingos Tcolo
Alves Ribeiro, negociante do Aracaly, que
acabava de ebegar Provincia de volta da
Corte onde fora enviado pelo Commercio
daqqclla Villa fwlicitar S. M. ; e pela do o-
verno o Bacharel Miguel Joaquim Ayresdo
Nascmento primo do Senador.
O mais feliz resultado obtivera > estes Srs ,
a gente reunida Gada as promessas do Pre-
sidente e a instancias do Snr. Tefilo depoz
as armas e se relirrio a seus lares, lluma
ditoza conciliacio era desperar em toda a
Provincia se o Presidente fosse fiel a sua pa-
lavra e a seu dever. Mas poucos das de-
pois elle sancionou urna ley de suspenso de
garantas ; e foi ento que a perseguico se
desenvolveu com mais furor ; que as prises
se multiplicarlo com maior escndalo -, e as
pessoas postas ( por prevenco ) a bordo da
escuna Victoria foro laucadas em fer-
ros !!
As eileces primaras, que tinhaS sido
marcadas para ao de Dezembro e ddpos es-
padadas para 10 de Janeiro sao anda arre-
mecadas para j de Fevereiro isto he para o
fia do praz* da suspenso das garantas;
tendo-se de proceder de Juizes de Paz,
tobem inda por fazer, dentro desta mesmo
suspenso Huma ellfico de tanta mon-
ta feta com garantas suspensas j e outra,
inda quando as pessoas perseguidas nao lero
deixado seus escondrijos tas matas onde mal
podem acbar refugio a feroi perseguico do
Verrez do Cear !
Em consequencia de to rsvoltante proce-
der os jornaes da opposicio Popular e Pa-
d'o a. acusa vo o governo de perfidia, S
elle ameacava publicamente de mandar que-
brar a oposico a pu e a Typografis a an-
onado se contiuuassem a censurar seus ac-
tos I Com effeito no dia 11 pela meia hora
da noile hnm grupo de soldadesca armada ca-
pitaneado pelo AjudauJe de Ordens JoIj
da Rocha Moreira e algumas pessoas da ioli-
roidade do Presidente cerco a casa do Juiz
de Direito da Comarca do Sobral e Presi-
dente da Assemblea Provincial .Miguel
Fernandes Vieira j e a golpes de raaxado ar-
romb6 as portas e reduaem a pequeos fra-
gmentos a Typografia que j pelo receit
de violencia para ali tinha sido levada lan
cao ao mar o prelo ; e carrego os typos,
espalhando alguns pela frente da casa ....
To feio attentado tem tomado de espasmo
a populaco desla Cidade vendo com indig-
naco que essa gente hoje no poder e que a-
inda a pouco fasio to cruel, como itnuu-
da opposicao s administraces dos tres lti-
mos Presidentes nao possa tolerar, e nem
de oulro modo delFender o seu predilecto da
justas arguices que sa-lhe fasem l
Este facto dispensa qualquer reflexo; mais
nao podemos deixar aqui de observar q' o se
nador Alencar chele de hum pirtido n
Provincia do Cear na j era o homem proprio
para couciliar os nimos dos Ceatenses que
elle mesmo tem em grande piarte irritado ;
que por esta raso nunca lite devera ser 'ton-
fiada a administraco daquelli provincia,
principalmante na poca memoranda em que
o Snr. D. Pedro a. assumio as redeas di
mando, promelteo a lodos os Brasileiro,
paz concordia e bens de que tanto carecia.
Ao ministerio porem he que o Cejr deve os
males, que hoje soffre ; elle r-o desconhe-
cia o Senador Alencar e o seu sistema de adH
ministrar era bem conhecido por alguo
membros do ministerio (que tanto sem^ali*
sara com 09 meios couciliatorios )... le lili*
. k_


t> i A R 1 O DE PERNAMBUCO
Aa convcco erio as palavras do Snr. Martina de refugio pois que 05 traa navio assim
francisco na Tribuna Brasileii'a^quandooutr'l perdidos cora toda a aprobalidade terio-se
tora o Snr. Alencar adminislrava o Cear. tobrigado e se salvario se existisse um
o Ministerio pois be devilo o sangue ,
nue o Presidente Alencar tem feito correr no
Cear ; o sangue que ainda far correr, o
grande prejuiso que sofrea Provincia por
se Ihe apartaren! da lavoura os Guardas Na-
cionaes do centro e essa enorme despesa fei -
tal porto. ( Rrening Chronida )
COLLEGIO PERNAMBUCANO;
ta com tanta gente era armas para cuagir o
novo na prxima eleico primaria. Mui
aro tem de pagar os infelises Ceareuses os 8
TotosqueoSr. Alencar deve ao Ministerio
pela su nomeacao l
Por veses o Presidente Alencar havia amea-
cadado quebrar a Typografia, tf levar a nu
a opposicio Ceareose e este meneo ainda
foi repetlido no dia 11 docorrenlea uma pes-
soa de merecimento a um uegociaante de
nauito crdito Miguel Joaquim Fernandes
Barros. Na ooitedesse mesmo dia loi des-
truida a imprensa e um dos soldadosque
assislira a execucao de to infame altenlado
encontrando 11 volla um portuguez queac,
cudira ao eslrondo do arrumbameuto deu-Ihe
urna baionetada, de que escapara apenas: no
dia immediato um guarda costas do Tenente
Coronel Jos Gervasio matou acacetadas a
Bernab da Rocha Pessoa de Albuquerque,
vendelhao n'esta cidade ; inda ha u.n outro
xnais espancado, estes acontecimentos hoje
na ordem do dia tem orrorizado a pacifica
populaco desta capital nunca thealro de se-
millantes scenas Mas V. Exc. prometteo
levar o Cear a pao hade trabalhar por
cumprirsua patarra.
O Palacio do G o ver no merece particular
menco. Elle se acha redundo a um 'pros-
tbulo donde l'ogem todos os homens de pro-
bidade nem s ja da opposico, como at dos
que simpatizo com a poltica da gente hoje no
poder. Cercado exteriormente de quase to-
da a forca exislindo na capital o Presiden-
te he dia e noite rodeado por urna a. guar-
da completa de pessoas de todas as idades ,
6 diversas clasces escoria em geral da po -
pulaco d'esla cidade, qualelled o ri-
me de leaes de Pedro a. Nem hum homem
sizudo pode ali tratar negocio d' importan-
cia ; portez odioios, grosseiras chocorrisces,
e toda a falta de respeito dos taesenuucos ,
que penetro o mais recndito do Palacio ,
e que por ordem ou sem ella na largo o seu
Predilito um s momento tem arredado
d'este logor a gente mais importante da ca-
pital, que el ha com despreso para Pegue -
mjlion e seu Palacio
O Tenente Coronel Torres que tantos
serviros prestar ao Cear ja na guerra de
Pinto madeira como ainda a pouco na dos
lialaios foi dimittido em Sobral do Com-
mando da forja pelo actual Presidente ; e
nao s este, como outros officiaes de mrito fo-
ro demittidos, e para seu logar outros co-
meados de pouco prestigio para a tropa ; po-
reni nenbuma ncmearo mais revoltanle do
que a de um negro por nome Cabra! que a
cuba va de commandar um grupo de balaios ,
eque se viera entregar ao mesmo Presidente.
Estes actos fizerio com que a forca de linda
se revoltasse-; e alguma della que se evadir
com osolhciaes dimittidos a quem querio
prender, acha-se agora em marcha par
esta cidade commandada por todos aquelles
oflkiaes a quem .se-dis ter-se reunida mui-
ta gente. Acho se hoje ( segundo as
participaces ) perto de Baluriti onde a
populacho se achava miiilo agitada pelas
prizes recentenoente futas as pessoas prin-
cipaes da opposico. Quem poder prever
a serie de males qne us aguarda se mo
impiudente arremedar o faxo ao mon-
tao dos cambustiveis ? Valha-nos quem
pode.
NOTICIAS DIVERSAS.
Porlos de Reiugio na Inglaterra.
Foi apresentado um memoravel dos ha-
bitantes de Mrgate aos Lords cora misaar ios
do Almirantado para o fim de ser aqnelle
lugar escolhido como porto de refugio. El-
le representa que durante a ultima tempes-
tle o navio Claodine de 600 toneladas
viudo de Madras carrejado de arroz, ndi-
go e algoJo ; e o Westminsler de 5oo,
toneladas vindo de Singapore carregado de
eh .encalharo ambos no mesmo lugar du
porto proposto pela coraroisso parlamentar;
taimbem ia sendo laucado para a mesan ba-
lita um teiceiro navio d'igual porte qne
b(|8uppeser o Equi'alent de Sunderland',
e calhado presentemente junto a Ilingsgale.
Objecto Jo memarial apresentar conside-
raaao de suas senhorias estas provas de con-
viniencia da situaco pioposta pelos com-
n contigua para a aceitado do projectudo porta
Aterro da Boa-Vista n. 6.
O Collegio Pernambacano encerra em seu
seio todos os preparatorios que a le exige para
as Academias de Direito e de Medecina do
Imperio a comecar desde Primeiras Letras ,
assim como para os meninos que se destinara
ao Commercio.
Muitos dos Professores do Collegio das Ar-
tes, e do Lyro sao proprietarioa de diver-
sas Cadeiras no Collegio Pemambucauo.
O Programma do Ensinu o os Estatutos
do Estabelecimento sao Traucos ao publico a
qualquer hora.
COLLEGIO SANTA CRUZ;
(Palacio do Gervazio na Boa-vista.)
A Direcco d'e>te Collegio t tendo consi-
derado quemuilos pae, zelozos da educacode
seus ilhos desejam mas nao podem apro-
veitar este Estabelecimento ; porque infeliz-
mente Ihes fallecera ot meios para poderem
salisfazera competente penso, entendeu qu,
para dar mais urna prova de que na funda -
cao d'este Collegio teve-se mais em vista o
interesse commura do que o particular, de-
ve, em vez de limilal-o smente s classes
abastadas, tornal-o tambem extensivo s pes-
soas menos favorecidas da fortuna mas tai-
vez mais Ja natureza.--Para cujo fim resolveu
admitir alguns Pensionistas e meio-Pensio-
nislas fillios de paes menos abastado mas
probos e honrados os quaes retribuiro s
a quanlia correspondente aos alimentos ar-
bitrada em 16000 mensaes paca os Pensionis-
tas e em pagas estas quanlias na conformidade do Art.
i 1 dos Estatutos ; e quanto ao miis goraro
gratuitamente das aulas e oulras regalas que
olereceo Eslabeleci nenio.
Os pretendenles faro um requerimento
instruido com urna Certido aullientica de
probidade e de falta de meios para poder sa-
lisfazer a competente penso ; e depois das
necessarias e indispensaveis ndagaces ser-
Ihes-ha deferido ou iudnferido.
Os eludes do familia assim d'est a como
d'oulras Provincias as circunstancias sn-
pra-mencionadas, nao hesitaro nem de-
vem hesitar um s momento em aproveilar
to til e favoravel medida e a direcco
muito se lisonjear com isto pelos immensos
desejos que tem de que se diundam por
beste vasto e rico paiz os couhecimentos uleis ,
em os quies mal pude haver Civihsacj.
LOTERA DA BOA-VISTA.
Acho-se a venda os bilhetes da 9. parte
da 5. Lotetia da Matriz di Boa-vista ; no
recil'e loja de cambio do Sr. Francisco An-
tonio Vieira da Silva ; em S. Antonio na
botica do Snr. Joo Moreira Marque : na
Boa-vista na loja do Snr. Joze Ignacio do
Monte no atierro.
LOTERA do THEAT10
O pequeo resto dos Bilbetes da a. parte
da 5. Loieria cujas rodas ando impreter vel
mente no dia 1, de Fevereiro prximo futuro,
acho-so a venda no Bairro do itecife as Lo-
ges dos Srs. Manoel Goncalves diaSilva, e Vi-
eira Cambista ; e no de S. Antonio as dos
Snrs. Joz Antonio Alves Bastos na Praci-
nha do Livramento, e Manoel Alves Guerra
na ra nova.
LOTERA DO SEMINARIO
Acbo-se venda os Bilhetes da a. par-
le da 17." Loieria no; liecife ra da
Cadea loja do Snr. Vieira cambista em
S. Antonio na ra do CabUj; loja do
Snr. Bandeira e na Boa-vista botica
do Snr. Moreira delronle da Matriz ; e bre-
ve se annuuciar o dia do andamento das
rodas.
Avisos Diversos,
-----O abaixo assignado avisa ao respeita-
vel publico que pretende abrir a sua Aula de
primeiras letras no primeiro de Fevereiro ,
em caza de sua residencia na ra da Cadeia
velha D. 49
Padre Joo Jos da Costa Ribeiro.
tT Aluga-se urna canoa ou veude-se ,
a qual pega nove centos lijlos de alvenaria :
Qualquer Snr. que queira aprender,
o mandar nsinar, Rethorica PIhIosj-
phia Geographia Laiim Francez Pri-.
meiras letras e Arithmelica : dirija-se a ra
da Guia, n. 5j t. andar, oade adiar
cora quem tratar ; adverte-so queoannuu-
ciante nao s ensina en sui casa como em
casas particulares que prometa em pouco
lempo mostrar o seu disvelo ; e que, as lices
podem ser presenciad is por qualquer curioso.
tsy Preciza-se alugar um sobrado de um
andar ou um primeiro andar que tenha
commodos pira una familia sendo no IJairro
de S. Antonio em boa ra eque seu alu-
guel n5o exceda de iUooo mensaes e dau-
do-se seis mezes adianlados; quem tiver
nnuncie.
*W OfFerece-se para cixeiro de armazem
de assucar urna pessoa que tem bastante
pralica pois nada ignora do servico ; quem
11 pertender dirija-se ao atierro dos adoja-
dos, caza, D. il, defronte do viveiro tenda
de tanoeiro ou annuucie.
tsr Vende-se um bausinbo aparelbado de
prata proprio para aderemos de senbora ;
nesla Typografia para ver e ajuslar.
tsr Offerece-se um rapaz para caxeiro de
loja ou de escripturaco o qual sabe ler ,
escrever e contar; quem o pretender an-
nuncin,
XSP Quem precisar de urna ama ; annun-
nuncie ou dirija-se a fora de Portis sa-
brado i). 1 it.
as^" Precisa-se de uma escrava que scbe
cosiudar e engomar para servir a um ho-
rnera solleiro : nesta Tfpograii se dir,
SSf Tendo viudo ao poder do abaixo assig-
nado urna escrava de sua propriedade de no-
me Francelina ; a qual havia sido desemoa-
minhadaa lempos; e vendo o mesmo no Diario
11 a8o exarados os signaes carateriscos da
mencionada escrava ; scientifica o abaixo as-
signado aos Snrs. moradores na ra direita ,
refiuaco d'assucar D. 6 ra da l'enlia ,
D. 10, que se acha d'assistencia em caza de
Joaqnim Pereira de .Mendeuca na ra da
praia onde podem apreientar sen ttulos ,
e desde ja protesta pelos das de servico des-
de o lempo do dtsapparecimento da escrava ,
de quem se julj;ar seu Sur.
Francisco Joze Pereira Carvalho.
tST Precisa-se d alugar urna escrava para
todo o servico de urna casa de pouca familia ,
que Saiba comprar cosinahar eensaho-
ar dando-se-!he o sustento, e 12U rs. men-
saes : na ra das Flores casa D 8.
t Oferece-se para ama de casa de al-
guna homem solteiro ou viuvo, urna Mulber
a qual sabe emgomar e cozinhar; quem a
pretender anuncie para ser procurado.
tsr Precisa-se alugar uma prela para
vender fasenda na ra com oufa pessoa; quem
quiser annuucie, ou dirija-se abobada da pe-
nha, D. i.
fST O Collegio de S. Boaventura Insta-
lado na Freguezia de N. S da Saude do Poco
da Panella desde o i.de Fevereiro de
1808, acaba as ferias em o ultimo deste
mer, e conforme os regulamenlos princi-
pia as Aujas 3 de Fevereiro deste corrente
anno. O Director do mencionado Collegio
tema honra de convidar aos honrados Pais de
Familias que quizerera para que seos ca-
ros filiaos se matriculeui para se utilizarem
das Aulas que carecerem. Os Professores
sao merecedores dos maiores elogios pelo
que deseroptnho suas obrigajes relativas
aos seos empregus assim as Artes liberaes,
como na moraiidade que apresento.
tW Antonio Joaquim Gonsalves de Mo-
raes, roga a qualquer autoridade policial,
pessoas particulares ecapilesde campo de
aprehenderem um moleque de nome Joze ,
de naco be/iguela de idade de 16 anuos,
beru preto espigado do corpo fi e mos
coropridas e leve uma molestia em um de-
do da mo esquerda do qual lhe cabio a uuha,
tem o beico debaixo comprido bem pareci-
do tem o signal que trouxe de sua trra que
lie urna ancora de navio pela parte occulla do
braco esquerdo, quem o pegar lave a ra
de S. Rita nova casa de rotlas verdes defron-
te do sobrado do fallecido Rossado que lera
5o,000 de gralificacoi
-----D-se diiihciro sobre penhoses de
ouro prata brilhantes o-i hypolheca de
caza: no sobrada da ra das Triucuiras D 9.
> O Professor de Geometra do Colle-
gio dus Altes do Curso Jutidico d princi-
pio a matricula da sua Aula a jo do cor-
rente na casa de sua residencia na ra do
Hora Successo em Olinda ; e matricular nos
dias uleis das 8 a ia horas da manb.
C3- U.na senhora parda e de bous cos-
lumes se oiTerece para ama de alguma casa
de domem sjlleiro ou casado de pouca la-
ti'isar annuucie a sua moradia por e*ta fo-
Iha.
ssr Quem tiver para aludir uma casa ter-
rea no bairr-j de Santo Antonia, dando-s
peloaluguer te dez mil reis, para pequn>
lmilia ; nnuncie por esta folha sua mora-
dia-
no atierro do allWlo casa da quinada ra de domem solleiro ou casado ue pouca ,*- e cUe8... """-;'".-.' '
do ouro,onde achara coa. quem tratar. [ mU* } quem do seo presumo se queara u modo y praca da lndepend,ucu u. .0.
^- Roga.se enearrecidamente aos pren-
te} do BiU.rt Sairas di Silva declaren
suas m'iradi.i; para se proenrar, a lin d
se lhe filar sabr odit> lialxior quehalile-
cido no Aracay, alian procure na ra da Cruz,
n. 35 primeiro andar.
l^* Q lera precisar um rapnz viudo a pou-
co para esta provincia ,. Sem conhe;imento
de pessoa alguma,q'deseja-se empregar em al-
guma caxeria nesta^pracajannuncie sua mora-
dia.
tST Vende-se a posse do cento e vinte pal-
mos de trra na ra Imperial da parte da
marf5 pequen ; o aforamento muito emeonta*
Vende-se mai1 a posse de vinle e oito palmos ,
da raesma banda ; quem pretender dirija-se a
mesma ra caza grande, qua te-a qualro
pequeas ao lado.
r Ennmdia antes da festa desapare-
cen u* casa I), le ra de goa verde um cj
grande, d'agoa muito manso julga-se estar
seguro por se o nao ler achado ; roga-se a-
quemotiver por favor o mande entregar ni
dita cas;i eu anuncie,
SST Pessoa que lhe faltar um Negro bru-
to que 11) sabe dizerquem seu iljno e
que apa rece o por fins de Desembro do anno
pretrito ; dirija-se aos alionados ni casa de
Luir. Pinto de Souza que dando 03 signa-
es cerlos lhe ser entregue ; advnrle-se qua
quem o lena nao responde pela fuga do ,nt-3-
mo assim como quera for o seu dono fie 1 su-
geitoa pagar a cura do mesmo, pelo trato
de urna molestia grave as-ira como deo par-
te a authoridade do Distrito do facto.
- Quem precisar de umhomem para bu-*
lieiro de idade 8 annos d fiador de sua
conducta: anuuncie qua nto antes Ja sua
morada.
-----O abaixo assignado declara a qd?m
no Diario do dia a5 do corrate inez quu-
saber di sua moradia, q'd'ora em diante a-
cha-se na ra do Sebo no sobrado do Snr
Joo dos Santos Nery d'Oliveira.
Joao Francisco de Mello Cavalcanti.
tST" O Portuguez de idade de 4o annds
que quer ser empregado ; quereedo hir para
huma venda distante urna legoa d'eSta praca ,
dirija-se a travessa de S. Joze caza D. i5 i
que achara com quem tractar.
XST Quem precizar de urna ama de leit ;
dirija-se 1 ra da roda D. ti.
CT Preciza-se de urna ama de leite for-
ra ou captiva e que nao tenha flho ; era
fora de portas n. 6 em casa de Henriqu
Xavier de Olandaa
ly Quem annuncion precisar de um ra-i
paz portugez para caixeiru de venda ; quieta.
annunciar sua morada para ser procurado.
VST Urna pessoa se que propoera a ser
ama seca do urna cusr para todo o servico,
menos engomar ; quem della precizar
dirija-se a ra do muro da Penda
caza "de rotulas terdes defronte do nixo
da As*umpco collocado em dilto muro:
tST U.n menioo Brazeiro ou Portuguez
de 10 ala annos que quier ser caxeiro de
huma venda dirija-se ao Patio do Hospital
do Paraizo, na mesma venda que la achara cora
quem tractar.
Aluga-se um sobrado ue t andarese
soto na Ba do Livramento ; D. ai e o
3 andar do Sobrado ; U. aJ ; na ra do
Collegio, D. 3, a fallar o Tenente Corouel
Costa.
Percisa-se arrendir aforar ou.
comprar hum sitio pequeo ou algum ter-
reno que teja peno do Ria Cipibanbe ou
mesmo attie ao Cachaug quem o tiver an-
nuucie, o dirija-se a Praca da Boa-vista;
defronte da liotica do fallecido Joo Ferrei-
ra da Cunha ao p da Wayiz.
Piecisa-se de hum menino de idade de
16 annos para caxeiro que entelada de pa-
deria; na ra do Qneimado 11.
- Vende-se borzeguins para senhora a aooo,'
sapatos de marro-juina francezes e de Lisboi ,
ditos de dura.jue botins para homem, sa-
patos a botinados pentes de martina para ti-
rar piolbos feitosem Lisboa ditos de ali-
sar escovas para dentes ricos bicos da lar-
gura de d'uj a i de ios de largura ricos bo-
luca de marllra para abertura as veidadei-
ras (lulas da familia era rascoa d b<> com o
competente foi hele, e superiores hieda gf-n-
les edegad as ultima metale. tud# a preoo wn-
M


M

DIARIO DE P Eli NA M BUCO
Mi
^^^
-B
E2- O Sur Jiit Consalves de Farias dei-
xou de ser cobrador da subscripcao do Echo
va R e do 1 nos liairrcs do Recie e S. An-
tonio desde 28 do correnle o que se parle-
cipa nos S-s Assi;;nautes passando a ser co-
brador uestes dous barrs o proprio deslri -
huidor do F.cho a quera deveio s piga'
a vala do recibo eauthorisacao do Redactar
Na boa vista continua a ser cobrador o Snr
Virginio Antonio Homero
SS?" rVlrthodo de tingir os cbelos lav5-
se bem os cabellos com agoa moma e depois
esfre<>o-se bem co.ti un ovo batido, e de-
pois toruao!' a lavnr com agos moma e es-
tando encli 1*1 los molba -se urna escovinhana
agoa do vidro mes mu fra e da-se nos ca-
bellos tendo o cuidado de nao deixar pingar
na roupa e quando esliverem bem molha-
dosdeixa-se enchugar, e sabe-se para a ra
Esta agoa da-se urna vez por da, e muilo
poucas vezes precisa de mais de 4 das ; ed-
rerte-se que a lavagem rom o ovo basta s fia
pr'arceira vez. Es te irethodohe o mais sim-
ples e oseu resultado he o melhor qte-ate
ngora lem aparecido. Nofimde dous ou i
meics ser necessario dar una nova aplica-
tjo ; vende-se na ra nova loja de chapeos
de Joaquim Jos Pereira O aa e era fora de
portas na botica doSr. JooClimaco Fe reir,
osen preco he de 6400 os vLiros grandes, e
de aoo ns pequeos.
tsy Quem precisar de urna ama para o
servico de casa de una l.omeui solteiro e co-
lindar e er gommar dirija-se a ra da roda
.5
tsy Na loja de alfaiate no atierro da Boa
vista de Manoel Joaquim Venancio de Souza,
la;.111 -se casacas de panno preto fino a 20000 ,
e calcas de dito a i4ooo, prometiendo-sea
raaior brevidade p issivel uas momas obras
i_j" (Van el Joaqu.m Venancio de Souza
faz scienle que tendo comprado a Antonio Jj-
aquim de Sou/a um escravo de nome Joo ,
creoulo acn eco que o mesmo Antonio Jo
aqc.irn de Souza o tira-se do poder do ahnun-
< 1 me por isso pessoa alguma la-;a negocio
sobre dilo escravo.
.cy Quem annuncicu querer usa obra-
do ou prineirn andar querendo um secun-
do andar com cozuiha no soto silo na ra
do Livramento dirija-se a mes na sobrado
de duus andares deffunte das catacumbas.
kijr Dcseja-se saber quem he o procura-
dor ou coi lespondeule do Sr. Antonio de ir
Lins CavaleantiSr. do engenho dus Finios,
para se llie entregar urna caria.
\r Dd-sea juros de dous por canto ao
roez 1 oooo sobre pin botes de ouro uu pia-
la ou Cu 11. a a contento por lempo de ti
mezes j uas 5 ponais D i-
tS~ No dia 28 do correnle desapareceo dos
nrmaieiia de carne uro civallo casianho e
tem urna mo calvada do apiador para baixo ,
loga-se a qualquer pessoa que o achar an-
nuncie.
t9* O dilector da aula de sgrima desta
Cidade le,m a honra de parlecipar ao respei-
tavel publico que iudepeudentemente das
Ihcensde armas tem um liro publico de pis-
tola para os Sms. que quiserein-se d; vertu,
ueste jogo.
Oh l'aitecipa-se ao respeilavel publico ;
que no atierro dos allomados casa que faz
f,i-ule pura a ra da cabanga, echase colo-
cada urna fabrica de sabo de todas us cores ,
assira como saboueles e-.sencia de sabio, sa-
bo para piep araies saboneles para tirar
Ijs as nodoas priocipaliteiile de gordura ,
esjinlo de vml.o d & graos agoa de cqlp-
nia de superior qu..lidade espirilos es-
seutiMS proprias para limas d c.litiro lu.lo
pelos precqs mais cuna modos ; p admiuislia-
dor e socio do mesmo t >!.Fci ciit nio espea
da GiiiWppia dos honrados C.idadaos que pn-
corro.
KSjr Declara-se ao Sr. Collecf,or das agoas
.anjeasPlr8 p'od.uip bra>deira que o bio-
lequiradacpva da oiica cleua de Vender tal
genero.
j3g" Deseja- se saber a moradia do S.r. An-
tn pj Francisco Cavaleauli que morava pa-
ra as parles de S. Smlo e negocia va com
gado que ira dirigir -se a ra da cadeia do
i ec.je 11. ti a negocio de seu inleresse ou
annuiicie sua mu:ada.
i_v* INa padaiia da rya do Peixoto das 5
ponlus l) j7 preisa-sede um perito lor-
neiio e ouirem paia njSseira
\r (uem piecisar ^le uui ppiluguez de
itld'e de 40 anuos para ulguma cecupago ,
ou para acompunbar algpipa pessoa para lora
da provincia aanuncie
ueiu pieii?ar de um rapaz portugus
de assucar e mesmo adminisliador de es-
cravos ; quem precisar annuncie.
i^> l'm rapaz peiluguez seofferece para
caixeiro de loja de fazendas roiudezas ar
raazem de assucar esnriplorio ou mesmo pa-
ra 1 u<* ; quem precisar annuncie.
t3y Quem precisar de um rapaz chegad
a pouco da liba de idade de 18 anuos pai
fcitor de um sitio, ou criado annuncie
X3~ Quem precisar de urna ama capaz pa-
ra casa de um bomem solteiro a qual salx
conciliar coser, bordar, 'e engommar, di-
1 ija-se a ra da Gloria I) 33.
.tsy Quem precisar de too 000 a un con
lo, com firmas a contento dirija-se a esta
Typografia
tsr Precis-se alu,;ar urna pessoa quesai-
ba vender Fazendas em taboleiro ; na ra di-
reita n fio*
ar Qaem quiser mandar fazer limas de
cheiro dando a cera e mais preparos sen-
do as limas de vintem a 10 rs. dirija-se a
ra alraz dos Martirios ''. 25.
^v' J.s Antonio Pereira da Silva avisa
aos Paes de seus alumnos que abre a sua
aula no primeiro de Fevereiro h continua a
receber meninos para o ensino de primeiras
letras e grammalici latina prometendo es-
merar-se no seu adianlamento os prelen-
denUs dirijo-se a ra eslreita do Hozario D-
cima i-j.
Avisos i\;iritims,
PARA LISBO\o lirigue Brasileiro Atlan-
te Torrado de cobre e de toa marcha tem
bous com iodos pretende sihircom a maior
brevidade
Um moleque e urna negrinha de na';'io
angola ; em fora de portas n. a1.
cy Uto escravo rnoco reforcado e ape-
nas com o deliilo de er baixo porefn ca-
paz de todo o servico ; na ra por detraz da
Mairirda Boa vista casa confronta a Manoel
Felis Nunes de Castro D 6.
iy Um cavallo bom andador baixo ca-
oadoe muito manliudo ; na roa d* penha
0. 6 ; assim como precisa-^e alugir t^es na-
fras ou moleques pagando-se 400 rs P01"
dia e comer.
cy Telhiserh pequeas e'grandes por-
coens de muito boa qualidada im nlarra
do atterro'dos affogados ou na ra do Qiei-
mado loja de fazendas D. iti, p>r menos pre-
co de que em outra qualquer parte
t&" Babados denhode todas as largaras
para toalhase rences psno de linho infei-
tado lencos de seda para grnvata e de raao,
toalbas de linho alcuxoado chapeos deso
desedade cabo de osso, linhas de linho j lar com Jas Uernrdj de Ar*ujf m rui rjj
puro para bordir, em caixiuhas ineitadas muro da penha I). 17.
mui deliradas meiss de linho curtas, cha- er* Um escravo de idade de i8 annos,
tes de eda furlacares retroz preto e azul official desapaieiro ; a (ratar aula de pri-
ferrete de primeira serte, botsens de retroz m-ims letras na cirretra dz Pereti na boi
para casaca pequeos e grande? por preco vis'a.
comino lo na ra do figundes D. 5. fj^> Um escravo de naci ptimo para
tsar Duas preas mocas, urna d das be s-e empregar em qua'quer obra, urna escrava
boa cozinheiri engom-nadeira e cisiureira demcocm bonita hgura co'.io'ia, lava, e
uia mola La de idade de 20 annos, com ar, be quitan leira ; na roa direita i), ao lado
messias habelidades dous pretos para todo do 1.mmenlo.
o servico eumdelleshe bom canoeiro 2 H" Uma negra de an jola cozinhi o dia.
moleques de idadede aa annos j na ra de rio de urna csa f engomiiM e lie quitm-
agoas verdes casa terrea D 37. deira de idade de ati armas 4 01 ra direita
tsr Moendasde ferro para engenno d'agoa D. 56.
e animaes de varios tamanbos tambores W Duas canoas de carrega.r intullio e
para armar-se a moderna maquinas de va- lijlos urna peg opotijoU ea outra iaj
por de Torca de 3, 4* eticavallos, por pre- e um ebrasapaleiro para to^a da proviocia ;
tsr Cautellas da segunda parte da quinta
Loteria do Thealro [ c'm a firma de Nunes
Correia ] em decima e vicsima parles ga..
nhando eslas na Sorte de rjjoo.ooo 3oo,ooo e
aquell is 6oo,-ooo a preco de 4tio. e 1000 ca-
da urna ; as lojas do9 5r3. Lopes Jnior, rrj]
da Cruz PitOtoba Baltar Souza P'mtn
viuva do Bairo Dias & Cunha e Jos Pi-
res de Moraes e Companhia, ra da cadeia
velba Braga unto ao aren de S. Ar.tonia
Io Antonio da Silva Jos Tavares da (ia-
ma cOinrpsmi pra'ca da Independencia,
Claudio relojoeiro ra do cabg e nos
cantos da Boa vista as duas vendas das qui-
nas.
car Cera para limas de uhwtro 5 em far
de porta* loj 1 de miode/.a?
tST Um moleqae de wacio angk sen
vicio algum ; as 5 p>ntas U. >ai.
%3T" Urna morada de casa na ra da calca-
da e urna negra vendedeira de ra ; a fal-
quem quiser carregar assucar a
ido por iroba e por cada couro ou ir de
passagem dirija-se ao Capilo na pracn ou co com modo taxas de ferro balido e cua- a fallar na inspencao do aasujar co .Vlamel
a seu consignatario Tbomaz de Aquino Fon- | do de tod^s os tamaitos urna prensa hydrau- Joa dos Sauto*
ceca.
jLe i l, o
lica para emprensar algodo e bombas e OT Urna escrava bucal de idadede o an-
serras rompridas para engenho : em casa de no- pjr pre.. o commodo e com algum
F'ox &Stodart na ruada senzala nova I). 1. praso ou troca-se por um mjleque ou ne-
tsr Urna morada de oasa tprrea no lugar gro em hora sej a com c indicio de sabir para
Que faz Jos Ray por intervenoao da casa forte com a frente de pedra e cal. com lora da provincia j no Urgido Terco Deci-
do Corietoi Oliveira Quinta leira ;{ de Fe- bastantes commodos ion duis salas grandes ma 4-
vereiro as roboras da manh no seu ar- um quintal com btsUnle luudo e vario? ar- i~^" Por preco commodo una porcSo de
mazeo no-forte do mallos na casa onde re- voredos 5 a tratar na ruado'Fagundes ao p pedes de ladiilho che^adis ulliinamenle da
sidiroos Srs. Crabtree Heyworlh S C., dos do niuchodo Livrainento D. t. Suissa e de liamburgn j em casa do N 0.
seguintes artigos ; chapeos de paiha muito t^. Amendoas coberlas com chocolate; na Bieher na ra da Cruz D. tid.
finos, e o u Iros entrefinos calcado america- ra das laraugeiras refinaco D. 6. t$f Uuscaixode duas casas promptoi a
no superior para bomem relogios de pa- tsr Duas escravas de bonitas figuras de receber o ira veja me uto podem ser eleva-
rede sa bu neles de cheiro para barba ver- idade de 20 a 22 annos d<* bons costurues dos a i andares pelaboi conslruyo en qua
uiz engarrafado para lustrar couro, boles sabem perieitamente cozinhar duas mo- esto principiadas e urna casa que rendn
de madre de pcrolu copos lapidados de cus latiuhas recolhidas com boas habelidades, de ia,ooo mensaes ; a fallar ua ra da praia ao
tal finsimos para agua e oulros niuitos idade de ti a i5 annos 3 escravas e urna p do vapor.
objectos. moleca que faz lodo o servico de u:na casa, X3T Pannos de cores e preto a 4^ co*
-----------------j=-------------------------------------------- 4 escravos de idade de aoa 25 anuos dous vado harja preta a 1800 o covado e outras
iv O 1IJ |) 1' II 8 moleques de idadede la a i5 anuos e um mu i tas (azoiida? por prer.o oommolo ; na ra
'------------1---------------------------------------pardo moco bom olhcial de alfaiale ; na ra do Livramenio D. 1 junto ao beco do Padre
IST Ur tacho de 18 libras pouco mais ou de agoas verdes D. S&.
menos, uzado } na ra das larangeiras no tjr Um bonito cavallo de estt baria e 3
primeiro andar dsfronte do nincho vacras de leite ; na quina da praciuha do
pT Uqa violo de Jacaranda de boas vo- Livramento loja do Burgos,
zes ede regra viituira ; quam tiver auuuiicie. j *sy Um moleque de naco de idade de
Escravos Fn^ido-i
is~ No dia ti do correute l'ugio da ra do
Nogueira D. 3i um moleque creoulo de no-
- me Policiano de idade de 1 1 anuos levou
lo anuos, de bonita figura; na ra direita vestido camisa de chiba azul, e calca de 1
loja de couios U. 26 do ledo do Livramento. parda quem o pegar leve a dita casa 011
tST Meias de linho, vellas de carnauba nos Coelhos emeasa do Sr. Joo Rodrigues de
SST CAU I ELLAS da Sociedade Foriuna a 4" 'bra rap rolo Hamburguez o Moura que em arobis as parles ser recoro-
Typp&rauca, da Lotera do TllMFROga- verdadeiro purgante e romilorio de le-roy, pensado ; adverle-se mais que muguen na-
ri!(Md0 a vigsima parle os premios, cabeudo vellas elsticas de todas as grossuras para cu- gocie tal 1
V e n a s
moleq
ue pois pro I es la-se uzar
dfl
ua son de O ooo.ooo res tresentos mil ris a rar carnosidade e dor de pedia, meias de lodo o rigor da lei contra quem o Uver 01-
oreco 4 4#0 '1 nesla TypogriCia na praca algodo pai.a meninas bolius de beierro pa- culio.
da Independencia 11. ao na ra larga do ra hornera e menino sapatos de marroquira $3*- Fugio ou iul^a-se ter sido furtado no
Ro/ario luja de ni'pd^as D. 7 na rpa do
CoUegio loja de relojoeiro, e no largo do Li-
vrarja.e;ilo loja dp S'lf Gabriel que Qca no
principio do beco do Padre na ra direita
veudj que l'oi d,e Jos da Penha, as 5 ponas
vepda (,1o Sr. .Mnoei Joaquim Piulo s\lacbadu
GuiQaiaes l) 10.
S^T Uip re og,io de caixa coberta de curo ,
e um aifintle de (tilo igualmente de ouro eum
diamantes ; no piimeiro andar dosob Bandeira |ia ra do Cabuga Victorino ra
para meimio e menina tacas e garios do ca- dia 2tido coi rente um ecravode navio ben-
bodemarfim, ieques da china bicosenm- guela.de noine Joaquim, de idade de U
das baratas, de tudas as larguras os verda- anuos alguma rouza bu^l alio do corpo,
deiros |;os parisicuses purgantivos e outras p* grandes a^a ierida em cada urna canela,
muitas iniudezas baralas ; na ra larga do rosto redondo l-m preto, levou vestido
tozano loja U. 7 do Lody. calcas o> estopa ja velha e camisa de c\nU ;
ST Uilbeles da Ki do lorie pianno ; no queau o pegar leve a ra da cacimba em ca.a
lenle 14a loja do ar. Jos Antonio Vieira de de ftla.lhus Josii Gomes, que ser lecom-
Souza euadoSr. Vieira cambista na ra pensado.
7 na ra do Livramento,
ffc Urna porco de prala de l.e.i urna
grande garnela deamaiello urna rotula pa-
para (ai .tiro de '.ciida ou ra e da fiador
a s
ta conducta aiu.uiKie,
A
ra pvila um bercp de copdui e p'pas va-
tias j as 4 ponas 23
ES" Os poucos fugoensque anda reslo ,
ptimos pov ser de #ulil iiivenco pois lem
a siiigulii'idadt'de co.n un t logo poder-se
cozuiiiur de ti at o panel.>s e alem de um
torno repartido que admita diversos pecas,
O asseio e economa deates fogoens lem me-
recido bailante altemo c i|ue lem concur-
rido muito paia sua t-\lr..cto na ra nova
L) 1 i assim como iim soilmenlo de obras de
latdcbegadas uliiu...i;ienie de Lisboa como
sejaO bous randieiios d laloamoda eouza
oiuitosupeiior esciivaninhas de bom goslo
grandes e pequeiibs defumadores de todos
os lamiiihus
Una canoa abcila que carrega um mi-
i^r i li,i dudt para caViyo c padaria ou trmazero Ima iu.
dos Quarleis, na botica do Sr. Bartholoaqeo ,
ra do._Buzar 10 larga e na venda l). aj uas
5 pontas na Boa vista botica do Sr. Moreira,
e loja do Sr. Jos Ignacio do Monte atierro
e em Olinda na casa do Sur. Jos Policarpo
de Fichas ladeira do Varadouro ; esla ri-
la tem a vantagem de ser s jbo bilhetei, len-
do 5 nmeros em cada bilhetes duus mil rs ,
e se ueste rnez se findarem lodus correi infa-
livelmeuie no ptirpeiro de Fevereiro
tsr Um moleque de boa figura, de idade
de it annos, creoulo, raudo sadio coiu
piincipio de sapaleiro, muiloapto para qual-
quer oulro ofiicio, e desempenba ptimamen-
te lodo o seivi^o de urna casa ao comprador
se dii o motivo ; em Oiil.Ua na iui do Bom
Succsso no UU|CO sobiado.
BjT Uka eicrava de idade de iti annos.
de bonita figura coziuha lava e engom
ma
jioenl.
, na ra do Raugel sobrado D. 8 lado do
tluviiijeuJt do l^urio
NAVIOS ENTRAUOS NO DIA 28
ASSU' 17 dias Brigue Nac. Boa ven tura
de 192 tonel., tM. BiUbazar Jo dos Ha,
equip 1 a carga sola 5 a Jote Goncalvcs
I' en eir Costa.
AUACATY; 18 dias, Sumaca Nac. Con-
ceLo Flor do Mar de 7j tonel. AL
Antonio J.;s Vieira equip. 10 carga sola,
touros, e algodo ; a Antonio Rodrigues
Lima, passageiros brasileiro a u nbora cun um tltio menor um criado -'
daus escravas porLuguezes i e /f es-
cravos a t nlregar.
SAHIDi) ftO A1ESM0 DIA
RIO DF JANEIRO pelos portas intermedios;
Barca de Vapor Paibense Commandan-
teJ. F. Benito, passageiros os mesaos
que vie/p do Norte.
I BFCIFE NA TYP. DE M. F. UE F. 1041
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3JET3CI4_V1T8R1 INGEST_TIME 2013-03-29T18:14:56Z PACKAGE AA00011611_04218
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES