Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04214


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno dj 1841. Te< y a Feira
Tudo g9r dependa de o menino? ; da nossa prudencia, ir.odera-
co e eutfryia : eonnueiuos carao principiamos, e seremos a^or.udofl
o n adiraco entre as IVaces Riis cultas*
r Prodamacno da Asseuible Geral do Brasil.
Sobsereve-se para esta folha a 3fooo por quartel pagos adiantado.
nest-i Typograa ra das Ci uaes O. 5 e na Praca da lnclepender.-
tis, i. 37 e 33, onde se reeenera correspondencias legaiisadns e an-
nuncios, insirimio-se estes gratis sendo dos proprios assignantes,
viudo assgnadog.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES,
2G e Janbieo. NtWa 'O.
i J J I i !
CAMBIOS. Jheibo a5.
/^ndres...... 30 a 3i d. por |ooo ced.
J^boa ......* |*>'' |o preai<> por metal offerecido;
Franca......31o res por franco.
oim,rVanfir ,"n:, ComP- VenJal
UUHO- Moeda de ojjoo rcis, velhas Mjf8oo i5ooo
' "'">* novas HSioo ls'800
IJitas de ftfooo ro, Hioo 8i3oo
PHATA --Pat.ic.;3 lirasileraa ----- i#6fb i-,,a
Pezos Coblunarios------------if)3o i#;oo
o Ditos Mexicanos -----------ii53 i^or)
Min.in. -----------.-------- i^4 ,^(53
Descont de biihetes da Alfaivlei.M i i|R por loo ao as*.
Mera o letras 1 i|4 a 1 |i por boas firmas olTeresidc.
Moc.U de cobre a a 3 por 100 de dc.
Gidade da Parahiba e Villas de sua preteneo ... .>
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......I
Dita da Fortaleaa e Villas dem..............|
Cidade de Goianna .............., ,,
Cidade de linda ...............
Villa He S. Anto .............*.
Dita de Garanhuns e Povoaco Dita* do Cabo, erinbaem, Kio Fornaozo, t Porto Calvo. 1, 11, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macci............idam dem
Villa de Paia- de Flores.......;'''..........dem' 13, dito dito
Todo* 01 Oorre.'o partem ao meio dia.
>3eg.Se*taj fafiai.
Todos os diisi
Quintas l'ciras.
lo, e ?4 de cada mes
FHASES DA LOA O MEZ DE JAN.
La Cheia a 7 as oh.e 35 m. da tard.
Quart. raing. a *4- as to b. e 18 to. da man.
La Nova a 12- as a b. e i; m. da man,
Quart. cresc. a 00 as 8 h. e 07 m. da man.
Mare ehtia para o dia a de Janeitoi
As 7 horas 1 minut d raanhj
As t horas c laiitutoi da tarde.
DAS DA SEMANA;
ai" Segunda Cmverso de S. Paulo A;>, -- Audiencia de Juiz de Direito da
1. vara.
at Terca a. PocarpoB, RelacTo e audiencia do Jus de Direito d
1. vara.
37 Q*ita S. Joo Crisostc.uo P.- Audiencia do Juiz d Direito da 3. vara."
a8 Quinta b. Cynllo B. Au,enca do Juil de irtito da 3j
?ara.
90, Sexta S. Francisca de Sais l A.i'iencia do Juiz de Direito da i.v
3o babrado x Marimba V. M. -- UMIa^o e audiencia da Juiz de da 3
vara.
3i Dijiingi S. Pedro Nola-co.
PERNA MBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia ai do corren to.
Officio Ao Coro mandan te das Armas,
para fazer demittir o reerulado Herlamino
AUes de Arouxa Guarda Nacional do ter-
ceiro flatalho deste Municipio, visto nao es-
tar no caso de servir na primeira linha.
Dito Ao Comroandaole Superior da G.
Nacional do Recife, communicando-lhe a
expedico da o>dem supra.
Dito Ao mesmo para mandar dispensar
do serrigoordinario ao Guarda do segundo
Palallio Jos Jernimo da Silva Limoeiro
eropregado na Meza das endas Ger;ies In-
ternas, conforme requisita o respectivo Ad-
ministrador.
Dito Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciaes partecipando-lhe a
Nomeacio do Racharel Formado Francisco
Carneiro da Cunba para servir interinamen-
te de Juiz de Direito da primeira Vara do c-
vel, em quanto durar a licenca do respectivo
Juiz.
Dito Ao Presidente da Relaco com-
municando-lhe a nomeaco de que tracla o
precedente offcio.
Dito Ao Director do Liceo communi-
cando-lhe que a Presidencia tendo proce-
dido a organisac'o do mesmo Liceo na forma"
do Regulamento Provincial de i7 de Feve-
roirode 1840. e aposentado os Professoresde
Plulosofia e IngUz, e o Substituto de Lalim,
cora os venrimentoB marcados no artigo 16
do dito Regulamento } cumpre que assi.n
Ibeilaca conslar, afim de que solicitem os
seus competentes ttulos.
Dilo Aos Membros da Commisso Ad-
ministradora do Tbealro Publico, considera-
do-os pira comparecerern em Palacio no dia
a5 do corrente a fim de ser tomada umu reso-
lucap definitiva a respeilo do projeclo do mes-
mo Tbealro.
Dito--Ao Engenluiro L. L. Wuthier,
communicando-lbe o contendo no pieceden-
te uihcio.
Portara Ao Commandante Geral do
Corpo de Polica para mandar diariamente
appresentar ao Engenheiro Wauthier dous
ordeiiaucas para o roadjuvarem no levanla-
mento da planta desta cidade.
Officio Ao Engenheiro L, L. Wauthier,
communicando-lhe a expedio daordem su-
pra.
dem do dia 11,
& Officio Ao Inspector da Thesou'raria de
rasenda partecipando-Ibe que a Piesiden-
'-ia te ni demittido do Cargo de Instructor Ge-
ral da G. N. de Nasareih ao Capillo de Ar-
tilheria Reformado Joo banlista do Amaral e
Mello.
DitoAo Coronel Chele da Legiao da
Guarda Nacional de N..sareth, communican-
00-Ihe a demissSo de que trata o preceden-
te officio.
Dito Ao Commandante da liba de Fer-
nando, communicando-lhe que pelo Brigue
Escuna Fidelidade se Ihe remelle urna por-
codefarinha e outros objeclos constantes da
ela$o que Ihe sei transmitido pelo luspe-
Uor da Tiieaouraria de Fasenda.
Lito Ao Padre Laurentino Antonio Mo-
Jiira de Carvallio communicando-lbe qe a
Residencia tem nomeado o Exm Rispo Re-j tco
i. Sorle ar. 6lloo curador Eiscal \ntonio Joaquim| de Veli^S
1, 5U6oo De/emhargador (ir t da Costa Lima Lel-
3 4^"00 raontc 7 )r. Urban Scbino Pesso de Mel-
Antonio Benlo Froes,
Jos Maria Cnardo Amaral,
Feitores e Conferenles.
OI5RVS PUBLICAS.
lo 7 Capilo Jo. Rap'ista $0 Amarl 5-
Major Manol Ignacio deCtrvalho Mendon-
ca 4 Dr. Custodio M a noel di Silva Guimi-
raes 4 P;'die Venancio Henrifue de Ite-
sende 3 Dr. Filippe Carueiro de Otinds
Campelb 3.
signatario para director do Liceo desta Cid- Ab'odao em pluma
de na forma do Regulamento Provincial de
f 7 de Fevereiro do auno prximo pnssado ; o
louvando-o pelo elo c. as suas ohrigac,6es e pelo cumprlmento que
deu as ordens da mesma Presidencia
Portara Ao Commandante do lirigno Es -
cuna Fidelidade para largar para a liba de
Fernando na mar de boje. i Nao tenda ha vi Jo rpiem se propozesse a ar-
Dita Not^eaiido o Uaaharel Joaqun Jo- rematar separadaraento os fornecimentos dos
se Rodrigues de Souza para servir interi- materiaes de Carpira e de Pedteiro, eos ser-
na menta o Cargo de Procurador Fiscal da ventea necessarios pira a renovaco .11 caes da
Thesouraria dis Rendas Provinciaes duran- entra a do norte di ponte dos Carvalho ,
te a licenca do respeciivo proprelario. nao obelante torera ndalo \>r duas vezes era al do corrente e, ao ler seus nmeros
Officio Ao Inspector da Thesouraria das praca sao agora postos em praca os mesmos
Rendas Provinciaes communicando-lhe a fornecimentos para surera arrematados era
Nomeago supra. ghbo em execuco das ordens do Exal. Sur.
< '.'-.. Presidente da Provincia de 15 do corrente. O
DlVerSaS KenartCPS 'to* nado convida pas as peuaaa a
l V oa queraconvier este contracto a comparecerern
v na casa da Inspecgo competentemente babe-
ALFANDEGA DAS FAZP.NDAS. litadas de fiad >res i Joneos nosdias 1 3, e lna resoltico (le-se no numero ^dodito
O Rrigne Ingles Cbase vindo de Lon- 5 do prximo futuro mez de Fevereiro afim Jornal) que os homens que se arrogio o po-
dres consignado a Me. Calmont & C, i\!ani- ^e ser concluid esta arremataco. der legislativo provincial, tomaro para dar
Inspecco das Obras Publicas 18 de Janei- o ultimo garrote ao direito de votar livre-
ELEICOENS D\PARAIBA,
Recebemos M o Vcrdadeiro Constitucional ''
nao podemos deixar de admirar o raod) por-
que se fizeio as Eleicoes da Faraibi \ pois
ali se lancou a barra muto adiante ou-
tras Provincias porque alera de influir nel-
las o Exra. Presidente, ( si ver est fama )
fisero-se eom anlecipacia leis provinciaes
nd le, ,, Apres.iamo-nos em publicar a ul-
estou o aeguinte:
76obarriscom plvora 60 barricas com
salitre, na toneladas de car vo de pedra, 1
caixascom fasendas 1 dita com armas 1, di-
ta coro relogio, 1 dita com Instrumentos nu-
ticos, 1 fardo com papel, iao barricas com
graxa, a barris com tinta, 3o ditos coin oleo,
r caixa com urna cadei
com instrume
ro de 184 <
Moraes Ancora.
PftEFEITfJRA.
Parte do dia aa do coirente.
mente e forcarem as e'eices em proveito ;
a resoluco foi cprvido a at> do passado, nes-
se mes t o dia raJijila e smeciauad*. A a8#
e a ao ionio suspensos sera motivo e sera
lo: raalidade, os Jnises de P.iz de varias fre-
guosias deque teros noticia; as pessoasj
llm. e Exm. Snr. Foro hontem pre- que obiivero poucos votos para em prego de
soipeloSnb-PrefeitodaFreguesia do Reci- .imd. Pal, foro juramentados pelos sub-
ntos. 1 dita com muzicas, 7 ditas fe' orluBu A',ton7 da fllf" fx,to l,or Vn*** JJ **?* e no mesmo du das ele-
1 i-, 1' '. estareuno, e prolenndo obcentuaues, eos c5ea. Lisa Le.
cora chapeos deso, 4 ditas com panel, 1 ca- r 1 di ii t .1 r "L|:|'
1 muruios Inslezes Ruh, Alian, iinitb.e lu- .. _,
xa com pen'amnihos e inais miudesai, J- '...,' ., A Asse*Llea I cisliva Provincial rpsnlr.
p, ', -r Imn a requisicao do respectivo Cnsul 1 or 1 resoive.
a5aa barricascou bacalho, 35 fardes com
fasendas it caixus com dita, 9 barricas cora
(arinha, 1 espelbo, 6 caixas cora charutos, 3
cideiras
MFZA DO CONSULADO
Paula do preco corrente do assucar slgodo ,
e mais gneros do Paiz que se deapacho
na Meza do Consulado de lfernambuco na
semana deaj de Jaueiio de it-j 1.
nesla Secretaria.
Na IVre.-uesia do LivrarnentJ, o Su!>-
Prefeito/ o seus conraissirios de Polica ap-
Obtivera'o votos para Deputados Geraes no pILcaro todos o meioi os raais violentos para
Collegiode Pao do Albo os San. o hora resultado da voiaco Os matlutos e-
,. t T r. i a // i> obrigados a subicrever a sed 11 las peni de
''>;; JSe Venena de Agu.arJ/- pDgire0doua l de ult. e de serera rZ
Dr J0.0 Mauricio t.avalcant, d.Rocha Waii- ff ^ .^ d
dericv 43-Dr.I-rancisco do lleco lia rros 41 ., ,ia L .. 1.......____ .....u. .
Assucar R. novo 1. S, ar.
a. i
, t
b'5o 4. tt
5. K
t>.
Dito M. novo l. s. .
5o 2. <(
Dito R. velho 1. s *
2. a t
3. II
Soo 4 ti
5 l
(i. II
Dito M, velho 1. s. II
Bco J. H
a 5o)
ao:o) 20.0 1. Q
19S0I
I 00 J
165o)1f5o 9. d '
15 o
135o) ,. ,
t- i siso 1 d
1, 5o >
a 00J
000) 2 ooo 1, d.
1900)
i7ibj
iboo_) 1 j'':'oo j. d.
i4?o)
i3oo) ,, .1
; isJoo 1. u.
1.00^ "
derley_fj -Dr Francisco do llego liarros 4 C1SU de ^ J(jre(n u
- Dr l-ehs Peixoto de Rr.to e Mello i| Ur. e,5o Qu *fi^ nJ
^%..SS3SS l LSTA -*. M *> *- voto Como
Finio a7-Dr Joaquira I rao cisco de Furiis j4 mili, ulgou-sequea 'ssisleiicia do Paroeho
i'i t.'aiioel Joa<}ui.ii Cirneiro da Cunba a3- no era uecessana.
Dr. lamino Pertira Monteiro a3 Teueme Na freguesiada Cidade s scnolo o; arJiz,
Coronel Leonardo liserra deSiqueia jo- que lera siJo quase ura syte ua, eral, a in-
I.r. Auloi/io Peregrino \laciel Monleiro Il3 troduevo do seJulas sera vjr.fi "cao iasas-
l)r. Jos Thomaz Nabuco de Araujo 10 signaturas, e, quaudo se ciamou pela exe-
iJtsemharg.idnr Jos Libanio de Souza a cuco da le, a meza cousentjo, qu* fassem as
.Major Antonio Jos de Oiiveira 1 a Dr. assiguaturjs nconhecidas pir unEscrivo da
ledro Francisco de Paula Cavulcanti 10- Execuves j n> isto depois de estar que e
l)r. Juaquin Nunes Alachado to-Pfo- meia a urna com sedulas a; de jnenorea, e


m
DIARIO DE I'ERNMBCO
M
fe Estrangeiros que nao sorero nem ao me- balho ficando a Matriz red uz ida a um castello,
nos esta nulla averiguado. | ou praca d'armas. Dedia e de noite brada-
Nas freguesias da Alhandra, e Taquara vaas senliuellas, e emfim assim este ve toda
onde se nao empregaro a violencia, e a tor- a semana era quanto durou a apuraco. Fo-
ca tnlvez pela pequenez dos Collegios, per- rao despresadas todas as sedulas que nao e-
deo o partido do Governo j rao da chapa do coronel e secretario tanto
Ka freguesia da Campia a organisaco assim que tendo os eleitores oitocentos votos
da meza nao foi feita por votaeo do povo.
Na freguesia deMamguape,foi empregado
o m tema de terror ; mandou-se da cidade ar-
mamamenloe cartuxame para armar-se a fac-
jao; foi suspenso o Juiz de paz, e o supplente
foi juramentado pelo sub-prefeito j em fien
pparecer i scenas to revollantes.que o Se-
cretario, que a ellas assistio e foi execular
os ltimos planos da facco, disse ao Par-
os suplentes tem apenas tres e quatro e
d'ahi para baixo. Note que estando os u
Escrives na villa o sub-prefeito mandou
iavrar o termo de juramento por tima pesso*,
que diz ter juramentado para servir de escri-
vo ; e se diz que o termo foi feito as 8 horas
da noite.
As Eleices em Guarabira e em S. Miguel
cho,,quebem conhecia quanto era mo fa- ora eilas cono iguaes irregularidades, e
seiero-se eleices desla maneira, mais que e- sempre dominadla p*da forga do partido que
ra necessario para vencer-se e que o Presi-
dente nao fasia mais do que cumprir as or-
dens do Ministro do Imperio.
O coronel da legio Manoel Gomes da Sil-
veira mandou nntifcar lodu guarda nacional
para se adiar no seo engenbo as tres horas da
tarde do dia 38. A mesma notificado man-
dou fazer o sub prefeito a todo o mais povo ,
que nao he da guarda nacional porem para
seachar na villa no mesmo dia. Na tarde
do din 28 apinbou-se a villa de povo que
vinha tedo armado de bacamarles e espingar-
das houve revista daguardi nacional, on-
de se dcslribuira sedulas dizendo-se aos
guardas que aquelle que as nao apresentas-
se tses quaes entaria praca na Marinha ,
sendo solteiros ; e seriad prezos seudo cazados,
ameacando-se at com o confisco de bens r
sendo obligados os que nao erad da guarda
nacional a tomaren sedulas feitas pelo Prof-
fessor de lalim Antonio Goncalves de Andra-
de que urna semana inteira se oceupou com
os discpulos na (atura d'eilas. Este hoiuem
unido ao pardo Jos Pedro riaptista pessoas,
que se deixad tomar de bebidas espirituosas
insufiara a populaco contra as pessoaj mais
distinclas do muuicipio como o commandan-
te superior Andr de Albuquerque Maraoho,
seu sogro Joo de Albuquerque Maranhio o
teentti coronel Francisco Antonio de Alraei-
du e Albuquerque o capito Joo Carlos de
Almeida e Albuquerque o juiz de paz em
exercicio Jos Policiano Gomes o major
Francisco do Reg Barros Cavalcanti, o ca-
pito Manoel Uoucalves Ramos, o major An-
tonio Fernandes da Silva o padre Paulo Jo-
ld Rodrigues da Rocha e todos os mais cida-
cSj que desapprov&va seoielbaiile proce-
der e en to corxecara os insultos e mor-
rn, O secretario' do governo da provincia o
1 < barel Eelizardo do liego deixando a Ca-
piul se apresentou na villa no roesmo dia
38, e pelas 8 horas da noite dirigi umoffi-
rio ao parodio signado pelo presidente da
provincia declarando que o juiz de paz que
d ia presidir as eleices era o coronel de le-
i"0 Nianoel Gomes da Silveira o qual sen-
do ti tceiro supplente foi juramentado pelo sub
I refuto as rtesraas hoias, sem que o juiz de
paz em exercicio fosse ouvido em nada ,
1'. ra souLesse o motivo de sua suspenso. A
vista de j roredin.emo lA os cidados pacficos
que piinripiava a sofTrer insultos relirara-
esta voz conbecido o trama marchou o Povo
para a Matriz determinado a levar a efeito as
Eleices a custa das proprias vidas 5 e n'es-
es mesmo tempo dirigiro-se para a porta do
Sub-Prefeilo uns o Guardas Nacionaes ,
Noticias JEstrangeiras
China, Tomada da Ilha de Cliussan
A ilha de Chussan ora oceupada pelos
que elle bavia requisilado ao Commandmh: In glezes *ta situaco sobre a costa nao Ion-
do Batalbo respectivo e logo o Sab-Pre-
feilomandou ao destacamento estacionado na
porta da Matriz que evacuusse o ponto e que
dispensa va igualmente o auxilio pedido dos
ao Guardas por quanto havia o perigo im -
mnente, c elle parta para seu sitio O des-
tacamento abandonou o posto tumultu/a-
ment e reunido ao Chic e seu irmlo
Zuza e cimbado Castro o celebre ProfTes-
sor Marques e mais dous forasteiro3 vie-
ro-se todjs postar no bairrodo Coraco de
Jozus em atilude hostil e tratavo de por-
se em linda de batalha o que nao levaro
a efeito pela repugnancia dos Guardas ; po-
rem ali presistiro at que o povo reunido na
Matriz para as Eleices conhecendo ser infa-
livel a sua perda visto que nao podas op-
por-sa OU antes que cAm sedulas nao podan
resacar cartuxos emballados tivero por
maior prudencia evacuar a Matriz deixan-
do de proceder-so assim as eleices, Euta
a (orea estacionad 1 sab o Com miniante do
Zuza Sub-Prefeito Suplente ( que oa obs-
tante acbar-se o actual em exercicio assim
mt-smo dirigir ordens ) tocou sua retirada
para o rio saboeiro que divide este do Mu-
nicipio do Brejo d'Are ali o fez abarracar,
e deixando-o cupilaniado por seu irmo Chi-
c dirigio-se para a Villa do Brejo d'Ara
pedir auxilio ao Prefeito Suplente Joaqun,
dos Santos Lial ( ou antes a seu cuuhado Lu-
is Vicente Bargss ) para vir baler os rebeldes
Banaueireuses e dir o saque j promtalo
aos Guardas ; porem tendo por miznricordj
di Dos o nosso Sub-Prefeito condecido ,
se diz dirigido pelo Presidente 5 mas na Vil-
la da Bananeira subi de ponto a cabala e os
dias 28 39 e 3o de Novembro fora das de
luto, e de anarcliia, Aparelhos bellicos, e
a atitude hostil appresentada pelos cheles
dessn partido pozerao a tilla em alarma de
modo que foi necessario que os cidados pa-
cficos correm-se s armas a fim de impr
barreira a to criminosas pretences\ pois
dizia-se mesmo que um tai Chic com a sua
gente pretenda saquear a cidade ; como me-
Ihor se pode v*r do artigo infra que copia-
mos do n. a3 do dito jornal de 22 de Dezem-
bro.
Acontecimentos que tiverlo lugar na Villa
de Bananeira nos dias 28 29 e 3o
de Novembro.
Dia 28.
Ao amanhecer do dia espalhou-se a noticia
de que Joo Nepomuceno Borges havia per-
noilado no lugar do Serto-zinho com i3o
pracas viuda da Capital para esta Villa,
para auxiliar um destacamento que n'esse, que por qualquer hostilidade seria a sua pes-
raesmo dia devia xegar nesta Villa, vindo'sa responsavel como logo llie asseveraro
do Brcjo de rea e que ambas as torcas vi- iufinilas pessoas traiou de ex;>edir um ol-
nbo lorcar a votapo a ponta de baonelas ficio a aquelle Prefeito Suplente declarando
recrutar prender e mesmo malar a quan- Ide estar a Villa tr-.ii juila e sem a menor
tos nao votassem nos farrapos : estas noticias novidade e que se nao havia feito aselei-
foro confirmadas por um celebre Joaquina ces. Este officio e mais que tudo a decla-
Jos Marques Proeisor ( in nomine j) des- raco de nao se terem effectuido as eleices ,
ta Villa e n'ella xegado no dia antecedente fez com que nao se desse o auxilio pedido ,
e porum talFelis, cunhado do bem conde- para o qual ja se havia notificado o povo.
cido Chic que diceaver pas&ado pelo dito Ao por do sol chegou a esta Villa um porta-
Joo Nepomuceno Borgws no sobredito lu;ar dor do Cbic a avizar a seu prente Trajano
do Serlo-zinbo j as nove horas da manda Pessoa de Mello, que elle eoutros(ape-
xegou comeffeitoto o destacamento viudo do zar de serena batas ) nada temessem ; por
13rejo cujo coiumandante tratou deempre- quo o Tenente Coronel Leonardo, Felippe
gar todos os meios para alerrorisar a popu- Jos de Mello, e.*mlros pagar io he m caro
laca e os rasgados irataro de de conserta- asuaouzadia, isto terem-se conservado
rem seus bacamartes, fazer cartuxos &C. &c. em oppnsico a elle Cbic* Este avizore-
Em fim levaro todo odia em amiacas e lificando a jura feita na occasio da partida,
aparatos blicos. j i promtssa do saque em todas a* cazas dos
Dia 29 1 ou Dies ira j btelas e mais quS ludo o genio desordei-
Logoao a manhecer (izero puulico dille ro e assacino do predito Chic e seus cora-
renles Commissarios de Poltica que havio panheiros fe; com que levasse-mos toda a
recebido ordem do Sub Prefeito para aviza- noite em contiuuo desassocego ; e o mesmo
rem ass Cidados de seus Destricios para Sub-Prefeito foi puco apouco lomando o e-
que n'aquelle dia comparecessem armados em gocio em serias considerares,
seu Quartel para receberem suas ordens e
sedulas de sua caballa. As 8 para as 9 lio- Dia Jo,
ras deu o Sub-Prefeito principio ao recruta-
ment sem dislincco de Estado ou idade Coutinuou por todo o dia a noticia de se
e foro arrancados de dentro das cazas dos ax ir n Cbic com seu destacamento a bar-
ios (ara suas faitndas temndo por suas Batas os Cidados, que ali estavo fazendo racado no ponto po sabueiro esperando pe-
suas sedulas Avista deaemelhanle insulto lo nosso reforco que devia trazer do Brejo
urna voz geral relunbou por todos os ngulos seu Irmo Zuza e oulros no en tanto fazia
da Villa- "Ou solto-se os recrulas por bem, nolificaces naquelles arredores em nome
ou por mal "l Urna bem conhecida dissimu- do Prefeito, do Presidente, e mesmo do
laco appareceo da parle do Sub-Prefeilo Imperador e ainda xegou a reunir uns 5o
que ordenou logo a soltura dos capturados, bomens [segundo elle* mesmo confessaro ]
que todos ero cazados, e Pas de filbos e quanlos por ali passavo Iranio-nos a esta
( pois um so hornera solteiro nao compariceu Villa a certeza da oslilidade que se Ide pre-
n esse dia ) e vendo elle que essas bravatas parava. Enlo o Sub-Prefeilo conhecendo
nada obravoa prol de sua preteu^o pois ser forcozo manter a sua e nossas vidas .
um 10 matulo nao se bavia resol'ido a receber requizitou ao Comandante do Batalbo de
suas sedulas ede seus ageutes fez postar Guarda Nacional desta Villa agente que
logo na porta da Matiit o destacamento, que fosse possvel notificar para manter o soce;o
eooLalou as armas vista do Povo, e seu e obstar os infernaes planos dos Chicos e ape-
Commandante ; e declarou em alio e I om zar deja serem horas e or i da tarde fez
som que aquellas portas nao cruzara quem sea nolifieaco dentro da Villa e todos se
nao levasse sedulas do partido rasgado que prestaro as ordens do Sub-Prefeito, Olh-
o ordenar, o Presidente da Provincia em no- ciaes Subalternse mesmo os Superiores,
me do Imperador. S de quanla infamia nao e lodo o Estado Maior empunhou a granadei-
foi coberla a Sagrada Pessa do nosso adora- ra ero lugar de espada ecingiu o tinturo
do iVonarcha ? I Mas lora de toda a expecta- em lugar de banda ; os Juizes de Paz Mu-
tiva o brioso Povo com intrepidez declarava nicipaes cerno o mesmo Parodio tomaram as
0 contrario, e apiuhando-se na porta do Sub- armas; cada qual a porfa quera oceupir o
1 rtfulo Ihe pedia que fizesse obstar seme- ponto mais perigozo atde que ultimamen-
1.a ules violencias pois tiles estavo resol- te axo-se oceupando a esta ora ( que sao 9 da
vides a morierem antes do que forcarem suas noite do dia cima ) as estradaa por oude el-
conciencias, porem este grande Chele de les tem de entrar, e se o amor propria ria
Polica fiel as ordens de seus amos presslia me Ilude 100 bomens nao os faro arredar
MUas, Pa.sou a noite de 28 para 39 a villa
co alarme uvitdo-se tires e gritaras in-
. "..iiuosas. o amanhtter do da 29 chega-
ra r. ais de tem indios da aldea da Preguica
vestidos de carnizas e ceroulas de algodo e
c tira Icos poiem ar nudos de arco e flexas.
Cbfgada a Lora da eleico o parodio plido
e tur .do de nedo appresentou-se na Ma-
triz oude a cmara j linda mandado por a
ICC e o milis nzcessario para a eleico ce-
itL.10i.-ae a Missa enirou ento o dito coro-
nel juiz de paz novan ente juramentado, e
urna (orea de cinecenta a sessenta bomens en-
t;t j nummenie e guardas nacionaes arma-
rios e q a.ciados a qual fez um quadrado ,
aberlu ce um lado ficando no centro a meza
rara a qual se dirigira o tal coronel, e e pa-
rcelo nenceando aquel le para a meza a dois
ur.l.ados do ser rt Uno do governo dirigindo
ludo isso o sub-preleito que um outro cu-
1 Ldodc secretaiio sempre com um espada-
gao a tinla. isto frito pincipou-se no iec-
i in tuto das sedula sendo prin eiro lectbi-
das as uos indios descleos e depois as dos
dtn-ais tidi-dacs. N'esta operado que du-
1 na Hez horas, rttebtia-se oilocentas e
vnlektte&tduUs Lurque alguus individuos
tnt;eg*v. maios de tincoenla e mais. \o-
tair.0 u-tninosile estola, xoiara estrangeiros, |eiu seus capriebos e ja mais ctdeu a apeita- o | pois a posico favoravel e vantajozi
> 'mo tiin.iiiobos volaia lodos quanlos a- | das instancias de todos os concurrentes eso para nos e os Compandeircs esto rezolulos
a mcrreiein
e toda a casta de perversidades.
seu, alien,o a idade a possibi- |ouviuiio acs Cbices salislazia-se em diier- a morrerem antes de verem suas Cazas Sa-
lidade e nem a nenhuma .ulra circumstan- lia rasga ha sau^ue a Villa estameaejada, quiadas
ua Pelas ciuco horas daUtde Jepois de e eu a abandono eso um remedio vejo ,
1 ~Akda
t 4a# A ClUO IIUI.V *w-* j w.j-w.- ------------------------------- ,
f rinciiiiaram a pufayo., levantara o ti*-, i qut ficarem as eleitces para amanba
Em urna palavra trata-se defender fazen-
, honra e vida*
i!) do rioqueconduz a Pekim. Urna'carta
ile Cliussan de 18 de Juldo diz que apenas
s tropas Inglezas desembarcarlo na cidade .
eutregaro-sft '* maior pilbagem que nun-
ca se vio. 1*odas as casas foro esquadri-
nhadas, e tuda foi roubado ; as ras esta-
vo juncadas de pe heos de movis quadros,
cadeiras ; e s dei.xaro os corpos mortos 01
os infelizes babitantos feridos pelo fugo da
artilherb e que nao tindo podido esrapar,
A pildarem s cesso quando nao houve saais
nada que apandar.
Todas as relaces nao tem esta franqueza ,"
como se ver pelos extractos seguinte3 dos jor-
naes edegados da India pelo piquete Inglez
Alecto, entrado em Marselha a 4 de De-
zembro.
O Can ton-Pros* do t. n d'Ajijln d, solire
este negocio as sejuintes particularidades :
" Commodoro Bremer havii concedida
4 horas aos mandarins de Tingdai Q na illi-> )
para fuerera a sua submissao. Ten lo expi-
rado o pra/.o, e conservindo-se os mandarins
era silencio alirou-se uro tiro de peca para o
palacio d elles. No mesmo instante os jun-
cos e tolas as baleras da cidade fttem r.'.t
sobre a esquiara ; todos as navios da guerra
respondem v:g)rosime.ite e era poucos ins-
tantes se v fugir a todo o galops a guarn-
pao da cidade e as equip.gens dos Hincos,
As tropas Inglezas deseinbarco e maredo
emdireitura para a cidade. JA girarnico a-
lira frouxamente a arlilheria da marinha
Ingleza lanca na cidade bombas que produ-
ze.n o miior elfeito. A 6 di Julho dispoe-
se tudo para o assalto ; mas ao chpgir aos
muros, percebso-se logo que a cidade est
inteiramente de erli. O Inglezes tomo posse
d'ella sem nada arriscar os inim igos tivero
3o a 4o morios O Brigadero Burrell no-
meado gnverndor de Tingbai, O Almi-
rante Eliiot chegou no Meleille smente no
dia seguinle ao da lomada da cidade. O Mel-
vill eaBlomde tinltaentrado no pdrtodAmo-
yra a 2 j de Julho. Tendo o forte atirado sobre
elles, bateroacidadeduranledua>horas;e de-,
pois lomiro t direceo do nirte. Eitre-
prise sabio de Cliussan a a 1 d'esle mez ,
15 diis depois da tomada de Tinghai. To-
dos os navios de gnerra e transportes ficavo
in ClIUSSan. Abortou unta ton fez para negociar com os primeiros manda-
rins, a fim de fazer passar um despacho er
Pekin. Cuidava-se era dirijir ojtra com-
misso para a raesraa cidade ; muitos navios
de guerra devio reunir-se em Pekn. "
l'or outro lado escreve-sd de Cliussan a
18 de Julho. a sejuute.a
O barco de vapor Atlante foi enc'rre-
gadode reconbecero porto deCbu sin. Saba-
se que no canal se aedava urna ro ha do'iaixj
d'agua no meio d'tima passigem muit) es-
trela, O Atalante passou a salvo sobre a
ro!ha; no dia seguinte levou a reboque o
Wellesley cora felecidade ; collocaro duas
canoas urna em cima da ro :da e oulra na
pont 1 a fim de que todas as embucaces po-
dessem passar a linda intermedia para entra
rem. ElTectuou-se esta ntrala a 4 tarde
o desembarque teve lugar n dii seguinte e
4 pecas d'arliiberia postas em ierra pela ma-
rinha espalhou o alarma entre a guarnico,
A cidade de que nos apoderamos se u diftkul-
dade alguma est bem fortifiada mas a
havia na praca ulgumas pecas veldas, e prin-.
cipalmente urna colubrina comprida de bron-
ze com a dala de icio 1 e o nome de Ricbard
Pbilipps. Os Cbinezes ficaro to aterrados,
que nao se serviro d ella. Esta peca aoontada
para o Alligator e contendo urna carga enor-
me teria podido fazer rauito mal. A Blon-
de que demoli parls dos forles d'A oy toi
mandada com mais 4 para a cidade de N m}
So-Foo com despachos que os mandarins
bao de ser encamgabos d'enviar ao Impera-
dor. Se elles se recusare n a isso a cidade
hade ser arrasada. Os mandarins promet-
tero enviar o despacho e fornecer s em-
barcages tudo qunto liouverem de misterj
Pretende-se que o imperador declare que po-
demos reter Chussan.
i, Esto cortadas todas as communices
entre esla ilha e o resto do impe io. Collo-
caro-se sentnellas roda da cidade : nin-
guem pode entrar sen permisso. Apezar
de lodos os nossos esl'orcos nao podemos con-
seguir o tranquiljisar esla populaco. Quan-
do algurn d esles iusulares avisla um esiran-
geiro deslaz-se em signaes de respeilo os
mais obsequioso:. O governador da cidada
deTtogha loinorto na nra9a por urna hala.


bi ARIO DE
PERNAMBUCO
naui
''oi o qUe prodzio a prompta capitulado da tes que tornr"o a entrar rf> cidade vend os ao Sr.arrematante de 2o por ojo de agoardenlenecessario pira sin conservaco. Mrs. M V
cidade/ Tomar-se 3o juncos armados. O suas cazas ero ruina revolvero-se pela trra, de producco Urazileira que deixaro de & G pono o menerale incorruptivel dente n
porto excelente e abrigado de todos os %eu
loa j poderia'conter fcilmente 6o embarca-
choro e grilo como cri incas. O gover-
nador de Ning-so-Fo assim como o de
rSetu 's a entrada [essima. jVluiJua navios. Chussan receberio muito bem os nossos
carrejados de opio pedetn entrada ; o alra-| parlamentares ; declararo-lhes que os coo-
rante So quer permillir-lha. Mlnares de, sideravo como estrangeiros hospitaleiros que
. cos de pescadores que linhao viudo ac lnho lomado posse de Chussan para prole-
nosso encontr, desapparerero como por
encanto. As providencias dadas pelas nossas
juthoridades pareeeru na trauquillisar a po-
mlaco e os matidarins nao se canco de
ublicaros editos en todas estas ilhas. ,,
pulacao ,
O Bombay-Times de 17 d'Outubro acres
centa : Falla-se duro ataque que se de re
fazer contra o Larne no Bogue. Os C>inezes
suspendero toda a especie de commercio em
Cantn. Ln organisou urna forca de 3,ooo
bomens em 15o juncos.
Estas embarcaces devem atacar os na-
tos no Bogue e devio deixar o Cantn a
3a*. Cr-se que se espera pelo prtmeiro dia
de bonanca paiaeste ataque. Todos OS estran-
geiros asahpr rlnna Amoricann* fin lis Su-
issos, uro Hollandez e um Poitnguez que
restavo em Cantn recebero ordem para
sahirem da cidade e todos os escriptorios
ficaro desertos. MuitaserabarcacSes C'oine-
2as furo tomadas pela esqttadra do bloqueio
no (io de Cantn; porem loro todas relaxa-
das excepco d'iim navio de mandarino ,
ed'alguns juncos carregado de sal. Fazi-se
algum negocio con CjiiIou porvia de Maca a ;
mas este negocio lornava-se cada dia mais pre-
cario. Os precos da seda comprada em Cau-
to ero de -tio dollars pelas qualidades ron-
jiiuns e de 480 a 485 pelas milhores quali-
dades. O opio valia .580 dolais por caixa
na costa e em Maco. A venda d'esle gene-
ro tornava-se muito dilbril e era iocil de
perceber que o seu consumo diminua consi-
dera vel mente. ,,
(Le Conimerce )
gerem e Iratarem cor. brandara os indgenas.
Esta ilha acrescentou elle nlo ftz nuis
parte do iaiperio celeste.' Cr-se que a nossa
expediyo voltar a Bengala para o raez de
JNovembro. Se os resultados nao (oren sa-
tisfactorios iremos a Pekn. Ning-so-Fo
deve de ser bloqueado por ter o governador
recusado transmitlir despachos a Pekn.
( Le Commerce. )
V.
di ueiutr no
ero dito genero desde o da 2o da cor-roais dura, estado com tola delicadez e
rente mei: no seo armazem na Praca de Com- em empirreicSo de, gualda Je alguroa.'.adbem
Maco 4 d'Agosto de 1840.
Seis navios de guerra Ingieres, q' se tinhio
apresenlado no Bogue para abrirem passagem
para Cantn foro obrigados a tornar a entrar
em Maco, por acharem a pnssagem enlulhada
de cadeias e de podras. Quc pela primeira
vee nos anmes da China o Governoda Pro-
vincia de Ghikan correspondeo-se com os In-
gieres a litudo de igualdade, tratando-os por
otficiaes honrados da grande naco eslrangei-
ra. Est estabellecido o bloqueio de Nui-
Po. H 6
O Major-General Burreil commandante
das forcas militares Inglezas nos niais da
China publicou um boletim oincial sobre a
tomada da ilha de Chussan : esta publicaco
datada da Cidade de Ting-Hai-IIcen a
i8ueJulho ; e dirigida ao Conde Auckland
O ataque da ilha foi leito por quatro navios de
guerra, edous transportes/ O desemb; jue
leve lugar por duas divises sem encontrar
resistencia alga. A maneira porque os Chi-
nezes prncuraro delender-se por algs mi-
nutos provou que elles ero completamente
ignorantes em materia de arlilheria. Os n-
steles tiul.a 10 pecas em liulia contra as
irinceiras da praca. A pilhagem foi horri-
Tel, principalmente nos suburbios da cidade ;
os nossos soldados nao podero entrar a lempo
ti'nnped-la. Us Iugle*es nao livero um s
nomem mort > o que faz pouca honra aos
artiiheiros Chinezes. A cidade de Ting-
Ha-Heen tem seis milhas de ciicuraferencia;
as muialhas csto cercadas de fossos de vnte
e cinco ps de largura. Tomaro-se nove ca-
nhes as diversas obras de forlilitaco.
JNas ras da cidade conquistada nao se va
seno fragmentos de movis quadros &c.
e uo meiu de todas estas ruinas os cadveres
dos habitantes morios pela nossa arlilheria.
Esles corpus ficaro expostos ao lempo por
dousdias; mas a putrel'aco, e a iiumensi-
dade de grandes moscas que ruino em tor-
no d estes restos obrigaro a enterrar os cad-
veres j la pee as d arlilheria manobradas pe-
Jos Chinezes nao nos fitero mal alg entre-
tanto que a impericia de seus arulheiro fes
con que mullos d'enlr'eiles fossm victimas.
O trem das pecas era extremamente misera-
vel. O V ice-Almirante dos juncos liulia de-
clarado que bem Ibe pareca nao poder de-
tender o porto i porm devia faze-lo, ao me-
nos na apparencia lano quanlo i he fosse pos-
stvel, para ler salva vida do seu benigno
mperador ; a gente das equipagens conten-
teu-se de preparar os seus arcos e as suas li-
chs. Elles
CASTIDADE.
A'Castidade' a virtude moral, pe'a
qual moderamos os desejos desterradas da
carne. ntreos appetiles que ha vemos re-
ouKi.lr Ha naturea um das mili violentos
a inclinaco d um sexo para o oulro ; appe-
lite que nos commum caro os animaes ,
de qualqver especie que elles seja ; pois a
natureza nao tem applicado menos cuidado na
couservaco dos animaes, que na dos bo-
mens; e na conservarn dos animaes dailio-
sos que na dos uleis. Mas succede entre os
bomens animaes por excedencia a uillo ,
que jamis se le.n notado entre os outros ani-
maes que engaar a natureza gitsand')
do prazer que ella tem unido propigici)
da especie humana e despresando o iim des-
le altiactitfo ; esle excesso oque conslitue
precisamente a essencia da empureza 9 por
consequencia a esencia da virtude oppoita
consistir em approveitar comsabedqria o que
havtmos recebido da naiurezi, e a nao sepa-
rar o fim dos meios. A 4 Castidade ter lu-
gar fora do cazamento e nocazamento; "no
cazamenlo salisfazendo a ludo o que a natu-
reraex/.ede nos e que a religioe as leis do
estado tem aulorisado j no celibato resistn-
do a impulso da natureza que aguilhoin-
do-nos sem atlento aos lempos, logares,
circunstancias, usos, culto, coslumes, leis,
arraslrar-oos-ia a acc5es proscriptas
E' preciso nao confundir a Caslidade'
com a continencia '. Pode existir um ho-
mem casto' que nao seja continente ; e
reciprocamente um continente ', qui nao
seja casto '. A Caslidade de todos os
lempos de todas as idades e de todos os esta-
dos r a Contiuenc a su do celibato e o
celibato nao um estado de obrigaro. A i-
dade rende os velhos necessariamenle conti-
nentes raro que ella os renda castos.
Eis quanto a philcsophia parece dictar-nos
sobre a castidade. Mas as leis da religio
ciirisl sao muito raas stri( tas : a palavra ,
a vista um gesto mal intencionadas des-
honraa caslidade chrisli : o christa'o s
ad^uire a verdadeira 'caslidade', quando
leu sabido conservar-se em um estado de pu-
reza anglica apezar das suggestes perpe-
tuas do demonio de carne. Tudo o que pode
lavorecer os excessos deise inimigo de nossa
innocencia, passa no espirito dochristo co-
mo obstculos a caslidade ; tas enmo o ox-
cesso uo beber e comer a frequencia com as
pessoas desregladas ou mesmo com as de
diUerente sexo, avista d'um objecto inde-
cente, um discurso equiroro i leilura des-
honesta um pensameuto livre etc. etc.
(De Diderut.)
LOTERA DO LIVRAMENTO.
O Thesoureiro da Lotera faz sciente ao
respeitavel publico [que como wai a venda dos
bilheles com grande alluencia] que deseja qu)
os amantes (leste jogo concorro para a com-
pra para o mais breve annunciar o impre-
terivel dia.
mercio,
Joo Carrol & Filho.
- Quem quisr comprar um moUlo de
dade de j annos com boa figura eoifi ial
de altaiate e proprio tambero para pagem ,
o qual tambero se troca por um molequede
14 annos ou por urna negrinhade 9 a 10 an-
nos dirija-se a ra do Crespo 11.
- Qum quizer comprar um pianno for-
te j usado e urna flauta de 8 chaves em bou
uzo com muito boas vozes tudo por preco
commodo, dirija-se a quina da ra do Mun-
do Novo, sobrado D 17.
- Perdeu-se na noite do da -i3 ,. d>
Theatro a the a ra velba da B,v>-vista hu-
ma Carleira contendo grande numero de S3
dulas e varios escritos a pessoa que ax >u
fiqun-s com todo o dinheiro e entregue a dita
carteira e papis ao Padre Bicailio no mes-
mo lugar que anda lbe car grato.
- Aluga-sei.0 andar de um sobrado .
poro cuidadazamenle denles de tal maneira
que ficiro f (redi va mente livres de dor e rui-
na : todas as outras operaqSss tendentes a Ci-
rurga dental ser; executada na mais sabia e
udiciost maneira.
N.B. As Saras, sero atendidis em saas
caas.
tS" Di-se dinheiro sobre penbores de ou-
ro, prala brilhantes on mesmo sobre liipo-
the:a decasa nosabrado da ra das Tro-
xeiras D cj
^ Tendo de correr na dia i. de Fe-
vereiro vnd >uro com a 1. pirte da 5. *
Lotera do Theatro a rifa da caza de Bbiri-
be e dos terrenos da ra da Conrordia
da Capu.igi e outros premios en dinheiro j
o fhezoureiro d 1 mesmi Joao Leite da A do convida aos amantes deste j ;o a concor-
rerem ac.tnpra d'um resta de Bilheles nos
lugires a'baixo indicados.
Bairro do Hecfe ; Praea da Commercio ,'
armatem de cabos dj Tiiezoureiro Porto das
C'f is lojas do* Snrs. Candido Tilomas
Perena & Conpanliia ; ra da Cadeii loja
dos Sars. Joao Carclo-.o Ayres Vieira cam-
bista, Gregorio Antunes de Oliveira e Jo,
ou huma caza terrea para p luena familia ;
quem liver dirija-se a esta Tfp
- Hum hornero veterano cazado com fa-
milia que afianza a sua conluta civil e mo-
ra! se propoem a usinar a ler escrever ,
e contar coro perfeicib e sua senhora a cazer.
bordar e fazer flores tudo com a maior per-
feican sendo ero alguma Villa Poroaco,
Engenho e mesmo em algum certo perto
desta Gipitai avista dos perdenles se foro nez*js Juior; ra do Crespa loiat dos Snrs.
os ajustes ; a quem conver annuocie, sua j francisco Jjze Teueira Bastas, e Manocl
morada para ser procurada, Camilo Peres ; prac da Independencia
Si^" Vende-se huma pequea cara de lojas dos Snrj, Henrique Jorge, Fortunata
pedrd ecalem S. Antonio, no alinhamen Pereira d Fdnceja Bastas, Joe Antonio da
lo da ra da Aurora contendo hum gran- Silva, eJoajuirode Oliveira Maia j ruado
de viveiro com bstanle peixe tudo confor- (^oe.mado lojas dos Snrs, Maciel & Maxa-
Das da S.iva ; qo beca da Cissiralji venda
do Sur. Joijiiii Jos (iom-s.
Santo Antonio ; ra do Collegio laja das
inrs. Joo Jacinto de Sonta e Jase de \le-
pracinba do Li
du
apresenlarao na parle exterior
seus juncos quadros horrendos represen-
tando cabiVas de leo piuladas c mu eitas 5
a o se iimilou a sua resistencia.
O. primeiros tiros de peca lirero desapare-
w:aa decwaeei. Aqueiles dohabiuo-
LOTERA do theatro.
Os Bilheles da parto da 5. Lotera
cujas rodas andio iropreterivelmenle no dia
l, de Fevereiro prximo futuro, acho-sa
a venda no Bairro do Recife as Loges do
Snrs. Manoel Goncalvcz da Silva e Vieira
Cambista ; e no de S. Antonio as dos
Snrs. Joz Antonio Alves Bastos na Praci-
nba do Livraiaento e Manoel Aires Guerra
na ra nova.
Avisos Diversos
me o annuncio par este mesroa Diari
dacta de 12 de corrente
vramento O. aj.
tm' Vende-se hum boro escraro para
lodo o servisso e bom pescador: mioja
do Cunta.
tsr Quem tirer para alugar urna casa ter-
rea no bairro de anlo Antonia, dando-se
peloaluguer le dez mil reis, para pequea
familia annuncie por esta foi ha sua mora-
da*
Baf Da-se qualro ceios mil rs para re-
ceber-se o principal e juros em tijolos; quem
pertender annuncie.
E^ Precisa-se d'uroe ama para o servico
iiicriio de urna caca ilemuilu puuca familit ;
fallar no a andar do sobrado, O. 11 ,
ra da Camboa do Carmo, de manba ath
as 8 horas e meia a de tarde das 5 por di-
ante
tW Quem annunciou no dtaio hontem
querer urna Senhora branca para ser ama seca
de um menino de idade de 1 \ mezes ; dirija -
qe a ra da Penha, no fundo da Livramento
no 3. sobrado 3. andar.
tsi^ Precisa-se de urna pessoa que entend
de charutriiro e que da fiador a sua sua con-
ducta para se lhe enlregira adminislraco
de urna fabrica dando-se-lhe soeiedade nos
ganbos: na praca da Independencia nu-
mero J3 e 34.
tur Precisa-se d alugar urna escrava para
todo o servico de urna casa de pouca familia ,
e que saiba conprar cusinahar eensabo-
ar dando-se-lhe o sustento, e iU rs. men-
saes : na ra das Flores casa 8.
tsr A pessoa que annunciou nodiiriode
onlem precizar de urna ama seca para c/iar
um menino ; dirija-se alraz das Martirios ,
D a5.
tsr Quera quizer compra un braco de
balanca conxas e nove arrobis deps'.o,
sendo a maior de duas arroba* : dirija-se
a ra da Penha sobrado de dois andares,O. 6
tsr Qneni qoiser alugar tres pretas para
vender na ra pagando a cruzado por dia
e dace o sustento : dirija-se a ra da Penha
sobrado de dois andares, D. 6.
----O abaixo assignado avisi ao respeita-
vel publico que pretende abrir a sua Aula de
primeiras letras no primeiro de Fevereiro ,
em caza de sua residencia na ra da Cadeia
vtllia D. 49*
Padre Joo Jos da Costa Rbero.
t&~ Opera gao sobre os denles--.VI anson
Ver Valen Carey Cirurgies dentistas de
JNi w-i'.jik, lem o prazer de informar as
Suras. e burs. de Peruambuco, que elles leu-
do chegado a esta Cidade achio-se residindo
na ra ds cruz n. 1 e preparados a executar
loJa operago nccessaria relalirameute uos
denles. Vi. V. & C. forao perluitamente
do Wovais S Bistos e Annunuaca ; pra-
cinba do Livraiiienlo, loja do Sur. Jos Anto-
nio Alvea Bastos; ra do Livramento, lo>a do
Snr. Jo^quun Goiicalves doCibo, e latica
do Sur. Francisco Antonia das Chagts ; patio
do Cirmo Venda da Snr. VJaaoel Jos de Qas-
Iro Guimares, ruada Razara, lojas dos Sars.
Joaqun Josa Lody Antonio Vluniz Pereira,
e Josa Auto.o AJaia e Botica do Sar. Ma-
noel Felippe da Fonceca ; ra da Cabug ,
lojas dos Snrs. Aulaau Jjse P nia Jos Bandeira Joaquim Jos da Costa .
e Bolicado Sur. Joio Vlareira Marques ; ru*
Nova lojas dos Fredenco Ciaves t Manoel
Alvos Guerra Jos Luis Pereira, e Domin-
gos Antunes Villaca,
Boj-vista : praca, Boiica do Snr. Jos Ma-
ra Freir Gameir*-
e*r JN'a riu direita da kda da Livramen-
to caza D. i i ao:ide teia vend* conti-
nua o estabetecimeato da autiga paderia ,
par estar caropreheudiJa na excep,o das
fosluras da Cinara Municipal, sendo assim
julgida pelo respectiro Fiscal e lacullalivo i
ella se acha b." n mentada e munida ds to-
ssy A parda de idade, de boa conducta qu. | educados dentistas ,, e oferece leslemunhas
se c ilierece para ama de caza de hornero solicito' inquestionaveis de JN'c\t-Voik e outros luga-
dirija-se ao beco do veras na casa de pisto es-Os individuos que tem alcancado "no-
que abi axat com uuem tratar. [ la^ens de denles saos com aquelles que esto
ssr.
Os abaixo asignados
fazem scieuig muioados t nao perdero iodos os meios nuncie.
dos os uiencies e hons fabricantes, e tem
ptima farinba de trigo capas de fabricar
pao, bolava biscouto rosca Se tudo coa
muiloaceio, e perfeico e por isso convi-
da-se a os antigs fregueses ; e a todas ns
pessoas que se quizerem utilizar da roesrox
para mandaren a caza aciroa referida.
ts>)~ Arrenda-se uro citio no prncioio di
estrada das Allliclos com muito boa e gran-
de caza muilo bem construida coxeira ca-
valharice e quilos para criados e escravos ,
tudifeito a moderna bastantes arvores de
Eructo, e hum ellegantejardim ; fasse este
ariendameiito com algumas ca.idic jes qua
sero patentes a quem o pretender arrendir ;
quem lhe convier este negocio dnija-se a
ra do Crespo D. 11.
ssr Vende-se urna negrioba de idade d
i3 para 1 j annos propria para seapplicar
a qualquer servico ; um mtalo alfaiate a
uro moleque de 11 annos, prnpria para qual-
quer otticio ; na ra do Crespa O. 11.
tsr Qusm annunciou querer comprar
urna porco de ponas de bai ; dirija-se a
ra Velha I), n a fallar com o tintureiro
Joaquim da Silva iNcto.
ss*" Oferece-se urna Snr. parda, pira ami
de caza deharoem solteiro, 011 de pouca familia,
a qual da fiador a sua couduti; quero a pre-
tender dirija-se a ra do Livramento. la-,
do do paente U. j no segundo andar.
S3r Vende-se um cabra de lumia ligura, du
idade de ao annos muito boro carreiro, pti-
mo mestre de fazer assucar e he oleiro ;
e urna negra de naco bonita figura e nanita,
moca, cozinhl salrivel eitva de sauao ;
quem os pretender ; ni ra do Fajuu tes ,
. 18
tsr Offerece-se urna raulber de meia ida-
de para ama de caza de houiem solteiro ou
de pouca familia ; quem a pretender no-*,


DIARIO DE
l'ERNAMIICO
o*if&wrMin
\ r Precisa-se le 5oo a premio por lem-
po d.1 dus naos d.mdo-se par. seguran-
cu vina propriedade rom im grai.de quintal
com arvoredos e rom chaos propflosj quem
quiser dar dirija-se a praca di independen-
t8 loja de Antonio FeHppe, que. se di:.
SSj~ Madame Theard na rila nova D 16 ,
tena a honra ile parteeipir ao respeilavel pu-
blico e particularmente as senhoras quj aca-
ba de receber de (ranea um rico sorlimento
de chapeos de senhora de palha e de seda
dos padroens os mais modernos e de lindas
cores flores de todas as qualidades muito fi-
nas e de lindas ores fitas largase eslreira*
para guarnicoens de vestidos e chapeos, ves-
tidinhos de carubraia para meninas, nava-
Ihas mu finas cora aliadores e um grande
sortimento dt pentes de todas as qualidade*.
CT Urna pessoa particular obriga-se a
czinlur para 4 ou 5 Srs,, com todo asseio
e I i m pesa que for possivel e conforme a
vntade dos preten lentes, mandando-: levar
a casa dos m;:sm.is Snrs. nao hawn lo riLto
falta alguma: os predentendes dtr)o-s. a
praca da Independencia loja de encadrnador
. l6 que su dir.
'4S?' O rapa/, de idade de %1 anuos, que
eonaniou no dirio de >5 do corrente, que-
rer a sel. rh'-ie difjja-se ao alten o da >oa
vista aiio do no: le sobrad 1 D. 7
K*T \ -nsiua-se gnram ilii-a latina a dous
iml is por mc e tambero se ensina gratis a
filbos de pessoas que nao posso remunerar o
trabalho do innunCianle \ os piis de fami-
lia aos quaes convierem dirijo-se a boa
vista principio da 1 ua da S Cruz casa
junio ao Sr. Bangui*
Cv" Quem aniiunciou querer comprar pas-
saros de angola querendo uma bangueliuha
por ao.000 annun.ie.
' G&Qnvta precisar de urna ama parda para
todo 0 si rvito de uma Casa de portas dentro ,
iltrijt-e a ra do fogo na toja do sobrado de
dous andares defronte do bsco do Padre.
tsr* Qoem annunciou no diario de a3 do
enrenle, ler em seu poder um moleque per-
tncenlea .Manuel Mariano Freir morador
no rfacho diria-se a ra do Queimado
loja de ferragens I) .'
iy No principio da ra do Rangel indo
pela pracinha ra estreita do Rosario e
das ti incheias ao sahir para a ra do Rozario
ha assou.-.uea novos e vmde-se a carne, por
meno* uma pataca qua em qtialquer outio.
E3- Quem perdeo uma carteira no dia >. j
do correte coro r ciboa dentro, dirja-
se a ra da S. Cruz, venda da quina
da ra velha que dando os signaes Ihe ser
entregue.
tsy- Precsa-se ahigar uma pessoa que
saiba coser e engommar com perfei^fio ; na
ra da cartela nova U. a junto a escuda da
cadera casa do I ir. i'. Tbeberge.
VIS- A inga-se a lujas do sobrado com mi-
rante-na solidude j assnn como se vende duas
Ta.CCM alleiraS : a tratar 110 roesmo sobrado
isr Antonio Martin* Cont Vianna faz
publico que tero asscciailo as suas lojas de
fazer.de*] tita> as mas da Madre de Dos e
110 atierro da Jo. .isla a Sru (lu Mallos
de Loulo Viauna u ijual lica aulhoiisaoo a
di igir as traiisaioeiis das du:s lujas deb^ixo
da tirina de Looto Yunca Filbo.
EsW A pessoa que anu n iou querer com-
pr r alguns passaros de angola querend 1
un> bicode lacre bom dirija-se a ra do l.i-
v fumen (o L). *5 no pr'imeiw andar
%&- Quem precisar de um rapaz poituguez
para liaaliisr em padatia 0:1 eiu oulra qual-
quea oceupaco dinju-se a praca da loi vs-
ta 7.
Ssr Precisa-se de urna senhora de maior
idado branca ou parda desempedida, que
nao lenha tiilios e de bons costmes que
queira 11 para um engerido perlo da praca ,
para enxinar a coser bordar facer lavarilO,
191 esciever e contar ; ua ra de agoas
verdes b,
PARA O PORTO a Barca Porlugueza Hel-
ia Pernambucaiia ; quero quiser carrejar ou
ir de passagem dirija-se ao Capilo a bor-
do ou ao consignatario Thomaz de Aquiuo
Fonceca,
PARA LIVERPOOL a liarc ugleza F.li-
z Johnslou falla smente aoo sacas de al-^
;odo ; quem qtiize-las rarreg ir dirija-se aoi
consignatirus Jolinslon Paler cNi Companbia ,
adveilin lo que o frete he de 5|S par libra com
5 oj.i de pi imagem.
C o in p r a s
iy Uro selim unido: quem liver an-
nuncie.
iy libras de tartaruga de fazer pentes :
quem liver an nuncie.
Vendas
tST CAUTELLAS da Socie.Iade Fortuna
Typografic, da Lotera do THE \ TRO ga*
n'iindo a vigsima parle dos premios, cabeudo
' na sorte de (i 000,000 reis tsenlos mil ris, a
i preso do 4^ '1 nesla Tjj)Ogr.iia na praca
da Independencia n. ao na ra larga do
Rozario loja de miude/as 7 na ra do
Co'legio l qa d relojoeito, e no largo do Li-
vi&meulo loja do Sur Gabriel que fica no
principio do bec do Padj na ra diieita
venda qu'efoi de Jos da l'enlia, as 5 puntas
venda do Sr. Munoel Joaquim Pinto Machado
uiuvuaes i) lo.
ts/" Duas escravas do bonitas figuras de
idade de ao a aa anuos d. bons costurues ,
sabem percitumenle cozinliar duas mq-
lulinb .'S recolliidas cora boas habelidades, de
idade de 1.' a 1 5 anius 3 escravas e urna
nioleca que la< lodo o servico de uma casa ,
4 esclavos de idade de ao a 25 anuos dous
moleques de idade de laa i5 anuos e um
pardo muco uom-ofhcial de alfaiale ; na ru-j
de agoas verdes D, J8.
ts?" Taimado de pinho coro 3 polegadas de
grossura e 9 de largura com ib a iti ps
de compiido potassa da Russia de boa ijua-
lidade, nova, e em barris pequeos, uma
poeco de pedru decantara viuJa de Lisboa ,'
sendo portadas jrtelas e cordes ; na ra
da senzala ve.lia armazem de Joo dos Santos
Porto nai.
a*r Uro molatiuho de idade de 17 annos ;
us ponas i). 10
S'-'/~ Um bom cava I lo de bonita (gura ,
com todos os andares na ra nova U. +.
nv'Uina casa nieia agua na ra de S Tiir-
rezo L). \.\ 1 por um cont de reis e rende
jroo por niez emclios proprios tein dous
quartos sala adi mo. cozinba deutro, quin-
tal e cicimba j a tratar na tnesma ra venda
D. 13 ou na ra do Cullegio coro Joo Piu-
lo de Qoeitoz.
tur liiibud is de linhode todas as larguras
para toaliase leoc8S pao de linbo inle>-
lado lencos de sela para grvala e de mo,
toalbas de linbo rcuxuado chapeos deso
de seda e de cabo de o-so lindas de linbo <
tssr Um jarro cabos de facas garlos e
colheres ludo de prata um par de boles
de ouro pequeos, um jarrinho de curo, uma
rotula para porta, uma caixa com realejo que
toca dando--e c.inla uro par de rodas com
pregara dourada 11 as 5 ponta D. a3.
ES7~ Un moleque mocambique de idade
le 1? anuos, bom cozinheiro e he rauito
ladino, lendo apenas uin anuo e tanto de Ier-
ra a vista do comprador se dir o roolivo ;
na na do crespo lado do norte loja D. t.
as?" Uma preta creoula de idade de a3 an-
nos boa co/inheira e engororoadeira en-
tende de costura e he evcellente roubanda
de casa tanto para vestir senhoras como para
iratar de enancas avista do comprador se
din o motivo, na ra estreita do Rozario de-
ironte da ra das laran,;eiras no segundo an-
dar de varauda de ferro por cima da venda de
garepa,
ssy Um sitio de trras proprias defronle
da Cpela de N. S. dos Remedios com i5o
palmos de frente e fundo at o rio pela cam-
boa aba;xo tem urna excellente casa nova
de pedia e cal urna olaria grande parte co-
oeita de tellia e parte de palba coro forno
novo, duas cazinhas de taipa fora Uos i5o
p.Irnos tero optiroo lugar para formar uro
ptimo vivero j a raiar com Manoel Anto-
nio de Jess.
Sr Tyjolos de a'.veniria (jrossa posto na
obra a ai,ojo ; na ra do Qieimado Deci-
ma 11.
U^" Tijolos de alvenaria da marca nova,
o qual d um lijlo no lcao dous ao cor-
rer com acompaiente junta o que torna-se
___E^cravos Ftigidos
tOT Antonio Joaquim Gonsalves 'de M0.
raes, roga a qualquer autoridade fpolicial"
pessoas particulares ecapitesde campo dj
aprehenderem um moleque de nome Joze
de nacao benguela de idade de 16 annoi'
bem preto espigada do corpo ps e mSa',
eoropridas e teve urna molestia ero um Je,
do da mo esquerda do qual Ihe cihio a un|,a
tero o beico debaixo comprido bem parecil
do tero o signal que trauxe de sua trra qU3
he uma ancora de navio pela parte occulta di
braco esquerdo, quero o pegar lave a rm
deS. Rita nova casa de rotlas verdes defron-
le do sobrado do fallecido Rossado que ter
5o,ooo de graiificaco.
t^ No dia 6 deste corrente mez pelas
oito horas da noite fugio da ra do Nopueira
casa Hi uro moleque crilo de noica
Porciano. idade de 1a para i3 annos levando
vestido camisa de xilla azul calcas de la par-
da a pessoa que delle souber ou tiver no-
ticia pdor prcudc-lu ti leva-to h msoia casa
ou na falla no Corturoedos Coelhos em casa
do Sr. Joo Rodrigues de VI o ara que tanto
n'uma como n'ontra parte ser bem recom-
pensado ; adverle-se mais que ninguero ne-
gocie 'al moleque porque protesla-se uzar
com lodo o rigor da lei contra aquella pessoa
que por machavelismo o tenha ero seo po-
der e para que Pessoa alguma se chame a
ignorancia, fac-se o presente annuncio,
> Fugio no priroeiro do corrente do
I varadouro de Ulinda uma preta de nome Ma-
, 1 na Theiesa anda bucal estatura resu-
muilo vantaioso ao comprador pois nao so 1 .__,___
.. ,E ilar, liastante picada de bechigas meia fu-
a llanta aos oinciaes ca.nogasta menos cal: 1 1________,-i. ... r
P 1 la levou vestido de xita rouch 1 uroas arco-
para ver e tratar na praca da Independencia 1_____, ,,
' r y v las cortadas as orelhas cabello meio rente,
"' ,. f ; e coro marcas de sarnas : quem aprehende-
tST^Por 10,000 um fardamento para guar- ia ,_oo M4m \ ^ ,.; ,
. 11 1 la leve a rua ova loira de Joze lavares da
na nacional a barretina leai aparelbo do ,.
Rio3 nesta Typagrafia.
5^" Tres porlaes completos para cjxeira ,
Aviso Martimos,
PARA O CE\RA' whir no dia 3o do
rontwte i summaca Pelicidade rr,estre Joze
. -gue l'it>tiiro pod.mdo recber algu-
na l -.(-a ir>id quem quizer ir de :>,..-.agP'i fi;i-ido-se con o dito u> es-
le ou rotu o lopi'-Utio Antouio Joaquim
ue Souza iuueiio.
PARA LISBOA com t.ida brevidade por
1 maior parte da carga prono pa a multo
f ira fcscun Poiluguta Aovo t.ongiesso .
oe ,ue he Caj i o \uo'.-l J'-^ Ralo j quero
i: i:.--r ca pgar-ou v. dfl possagedl dirija- si^
no si 1 Conugualario Praorisco Severiano
,0 iij foil r-i maltes ou COffi o Capilo
jj BVacf do Comuieicio.
puro para bordar em cam.,lias iultitadas | des chegadas ullimameule tudo a preco com-
mui delicadas ineias de linbo curtas cha- 1 modo ; a pra?a da Independencia n -jo,
lesde seda furtacores relroz preto e azul IST ois moleques de 14 a iti annos pro-
ferrete de primeira sorle botoens de retro*
para cazaca pequeos e grandes por preco
commodo na la do faguildes O. 3.
5^" Cera para limas de clieiro a 8oo rs
a libra e sbulos de burracba ; na rua do
Ranget sobrado que tem um lelabul de vo-
las pintaJo na varanda.
ISr" Farinha de mandioca a inelhor que ha
no porto, pela sua qu.lidade e chegada
ltimamente de S, Caihaiina ; a Uoido do
lirii ue Minerva ancorado na praiu do 1 olegio,
e em porco trala-s com A F. dos Sanios
Braga 1 ua da Moeda, si. l|l.
%i^. Um lien terno de malitetes feitos de
lientes de cavailo marinho, obra delicada e
Bomirle prpria para alguna olho. Mac. nes-
la Tipografa se di re*
SST- Duas prelas mocas uma dellas be
boa cozinheira engoin nadeira e coslureira ,
urna mulata de idade de ao anuos com a
inesmas habelidades dous preos para todo
o servil o e um delles he Oo:u canueiro a
moleques de idade de aa annos j na rua de
goas verdes Casa tenca U 3?.
Si3T Urna duzia de cadeiras de Jacaranda ,
um camap ludo com assentode [>.llnntia ,
ama, que gratificara generosaroente,
%ST Fugio ou lurtaro no dia 5 do corren-
te um negro de nacao Benguella alto re-
um deilescom dous porlaes medianos para os rn,An ln f
, u- lorcado do corpo, tero o beico de baixo fo-
l'dos, oulro coro duas telas e o ultimo 1 ai..- i i
,* J .. veiro picado das bexigas coro boco da
so, lodos coro o seu competente cordao o _. r___ ,.
1 i.] j i barba em cima da pestaa de uro olho tem
sacados de 10 palmos de corannraeuto lorias' 111
, : r ,' N um sijual que parece um tersol o cbelo
estas pedras sao de superior 'ramio da .or- "c ^ r 1 1 .
.' 1 1 coro gatorina a lutado levou vestido cal-
mainlia azul e siuzenlo superiormente la- ... .
... r 1 i ca de panno escuro, carona de chila azul,
vradas, sesumdo as nroporcoens das posta- r,___.:. r-
, /, m j i-> e as calcas muito justas no corpo foi escra-
ras da Cmara Municipal na rua da L.ruz r? J v/ 1 e
t. ,111 1 vo de 1'rancisco Vicente Valiro e I01 arre-
n. 50 no segundo andar aonde acharao coro u ... ,
, 1 matado em asta Publica.: quero o pear le-
onero tratar, e se podera ver a planta tiestas D 1 j j 1 1 im
1 1.1 v j ve a rua do Ranee! .venda de Luu Joze IVlir-
utesmas pedras lambe ni so encarreearao de "
. 8 I ques, que sera generosamente recoropensa-
maniiar executir e ver loda qualquer enco- I ., .
mend-quesefizerdesta mesma pedra dan-j A ab.ixo assignada viuva do fale-
do-se as diraencoens rigorosamente exactis.
ssr
patos de
ditos de .lura un botins p
patos a boliuados, pentes de murilm para ti-
rar j iolhos feitos em Lisboa ditos de ali-
sar escovaa para denles ricos bicos da lar-
gura de rittUl a 3 de ios de largura ricos bo-
lucs de inailiiii para abertura as verdadei-
ras pilulas da familia ero Irascos de 5o coro o
competente folhete, e superioies bichas grtu-
> 111 iiirn u':ria m ni ujaucliu l'.Mlin. -i? -io- r
cido Joaquim francisco de danta Arma az
l'orzeeuins para sennora a aooo sa- ^ ,. '
" r r l .saber ao respeilavel publico que lendo uma
i marroquim lrancezes e de Lisbos 1 ./ r '. ^ .. .
1 _. 1 cria, criollo por nome Joaquina de idade ue
dura que holins pira lionero, sa- t r ., .
e uma ciima
de aitgi
ico para cas.il ; na uta da
adeiu do I ecile lo^a o >r. Jos Auionio Vi-
t iia de Souza se dir
tSjr Liua armaco de ven Ja com todos os
seus peilences, um pequeo sor limen lu de
lencos de fil de linLu e pescoeinlios ditos ,
e urna porco de smenles sorli.jas no atier-
ro da 13oa *ista venda JJ. Q,
yy Una sccieiaiio em bem uzo j no be-
(0 do peixe fiito D. i\ no segundo andar.
ar
prios para olficio ou pagem uro moleco pes-
sa de 1 t a 16 tonos proprio para todo o
seivico uma pela de elegante ligura moja
de idade -t a .o anuos engomaeira cozi-
nheira e cose, mullo desembarazada no servico
de n na casa um preto de /jo anuos muito
relorcado sabe plantar e arraujar uro sitio ,
e iiii.iui boro trabalhador de ei.xada por .-5oU
um PardiuliO de 14 a 1 anuos muito bom
pagem sibe tratar de cava los,, e serve a
uma casa muito bem ; n.na cabra bixo que
d uma garra! 1 de leite com urna cria e um
cavailo com lodos os andares na rua do Fogo
ao p do Rosario L\ ao.
pT Ou aluga-se hum moleque crilo com
idadede ib* a 10 nnus bonita figura, sem
vico litro molesiia alguma sabe coziohar
soffriveimente curo principio de altaialu ,
e a visia do comprador se dir o motivo por
que se vende : nesta Typografi.
SST Cadeiras au.ericanas lauto de asseuto
de pao c:no Ue palomita dilas de balanco ,
camas du vento Uu niaielo muito bem eitas a
.'j>(). ditas de pmho a 35oo e tabeado de
pinito da uecia com ;> pulegadus de grossura
e cun i lie re ules compiiiutnlos j ua ruada
FloreiiUpa em casa de J Uraiiger.
saa* Lina pteuca de atrochar algodo coua
os sens uiincilio sentada e prompla para
quem quuer uzar delta com tutos de inai-
pdiJ supiir quaiqucr falla uma balaiua
pTompta com pesut e os aimazcus san no
ful le do mallos na i ua da boia e coro nutra
lenle para a ruada lapa ptimos para as-
socar, l e cauros-, a Halar na rua direil..
com Antonio Jos de Albuqi'erque.
i5aitanuos, tendo sido criado com titu-
lo de forro, porem sero carta de liberdade
este se acha fgido desJe o dia 3 do corrente
anno leudo os
si>naes
3 'tilintes tendo
c ra l.'rga olhos ti prooorco nariz xato ,
beicos finos p* bem feitos, con camisi bran-
ca cabs de riscadinho jiqueta de panno cor
de rap ; a pessoa que o prender dirija -se
a rua da Urdem leiceira de S. Francisco,
D. que ser recompensado'
Luzia Mara da Piedade.
tsr Fugio no da ai de J meiro uro negro
cornos siguaes seguintes ps apalhela los o?
calcaubares comido de bixos e o bsico de
cima um tanto levantado tem um salto na
talla i roga-se a qualquer pessoa que o pe-
lear o leve a rua da guia U, 5. que sera bem
reconpensado,
EST" No da ao de Novembro fugio da Vil-
la do Peuedo Provincia de Alagoas um ne-
gro creoulo de nome Jos Mdlheus, com arri-
cio de sapaleiro alto cara cheia beicos
grossos nariz chato, .illa muito grosa ,
ps grossose um mais que oulro, os dedos
mnimos dos ditos muito pequeos : que o
pegar leve a rua direita 33 que ser recom-
pensado. <
uir JJesa parece o no dia q ^ corrente das
para as t horas da uoule um preto de na-
cao congo estatura regular um lantd bu-
cal de nome Uomingos levou camisa e
caicas de algodo da Ierra quen. o p-Ja|'
leve ao paleo doCoilegio no segundo andar
do sobrado juulo ao Sur. .VJagalhes Bastos.
POST SCRIPTU.Vi.
Bem sensivel nos tero sido o vermo-nos na
tiricia urgencia de pubicarroos pelo noss>
jornal as correspondencias, que foro motiva-
das pelas Elei.jes da freguezia dos atfogados,
por islo estamos resolutos a nao dar mais lo-
>ar a taes polmicas as paginas deste Dia-
rio.
1ECIF& NA TYP. DE M. E. E F. 13

Expsito dos neios empregados
PAnA
3 syasas&acasacDa a por Jjg Pcrdricl, farmacutico de pars.
V
^
Os Vesicatorios, e os cauterios sao poderosos meios, que a medicina cmprega frequenreraenle, o
com os mais felizes successos, em infinitas molestias; uos Defluxos pertinaces, as Coqueluxas, Asthmos,
Catharros, e outras alleices do peito, nos Rheumatismos agudos e Chronicos, as dores, at molestias dos
ollios, dos ouvidos &c. Mas o modo eiupregado para os conservar he geralmente viciozo, do que resulta dor.
comixb, mocheiro, e huma difiouldade tal para os applicar, que mu i tas vezes, o medico, experimenta da
farie dos doeutes grande repugnancia em os deixar applicar, e manter hura cauterio indispensavel. _
lum modo de cura conveniente, he o nico meio de poder aleancar todas as vantagens que se devem colher
dos vesicatorios, ou Cauterios, os quaes sem esta condico, causo desgostos e incommodos, em compensa-
coes para o enfermo.
Instruido pelos avisos dos mdicos, pelas judiciosas informacoes dos numerosos enfermos que fre-
quentao diariamente a sua caza, e em fim pela sua longa experiencia o Sr. Le Perdriel, farmacutico privile-
giado em Pars, raembro da Academia de Industria &c. tem feito notaveis amelioraees n'esta especia-
lidade diffin'l .. importante, que lhe tem merecido lisongeiras recompensas, e o suffragiodos mdicos os mais
recommendaveis (1) Pelos meios por elle empregados, a cura ou tratamento destas sones de exutorios he
simples, aceada, commoda, econmica, e a sua accao pode ser augmentada, ou diminuida conforme a
preeisao.
Os productos do Sr. Le Perdriel, sao hoje conhecidos por todo o mundo, e se axao em quasi todas
as Pharmacias da Franc, e dos Paizes estrangeiros, onde os Senhores Mdicos que ainda nao os conhecessem,1
podem procurar amostras, para leittarcm as experiencias que julgarem necessarias. Elles se coropem de taf-
fet para Vesicatorios c para Cauterios, de Ervilhas elsticas, decompressas, de attaduras &c. O Tafet do
Sr. Le Perdriel para Vesicatorios devo ao ( Garou ) especie de Laureola, a sua propriedado epispastica, Elle
he fresco e macio ao tacto, nunca se desseca, e nao he sujeito a dilnir-se sobre a chaga, como o fazem muilas
vozes os papis. Tem trez nmeros, que correspondem a tres diflerentes graos de aciividade. O 1N. 1 he o
mais brando, e convem as pessoas de que os humores atlluem com facilidade. 0N. 2 he o numero o mais
geralmente empregado, para os adultos. N. 3 que he o mais activo, se emprega alternadamente com o N.
2. Elle convem mais particularmente para as enancas, porque para ellas he necessario que o epispastico que
se emprega, seja mais enrgico do que para os adultos. Assim, com hum ou com outrodestes nmeros, ap-
plicando a cada hum dos doentes, como acabamos da dizer, aquelle que melhor lhe convem, os
vesicatorios opero com facilidade esem dor.
Ka cura, ou tratamento dos cauterios, o uzo do Tafet refrigerante do Sr. Le Perdriel, que he
composto de principios gomosos, livra da irritaco e da comixo, to frequente no circuito murginal das
chagas. Elle serve tambem a limitar os vesicatorios que crescerem em demazia, e de que as bordas se tor-
jiarem doloxozas; pelo scu emprego impede-se ainda as compressas de adherir circunferencia destas sones
de cauterios ....
Os Tafels do Sr. Le Perdriel, nunca se acho em caixinhas, mas serapre em embrulhos, e meios
embrulhos enrolados. O dos vesicatorios N. 1, 2, 3, est envolvido em papel cor de rosa, e o dos cauterios,
que nao tem numero, est coberto de cappa azul, todos sao revestidos do Sello da sua Pharmacia, assim coma
da sua assignalura, cada rolo, assim como os embrulhos de compressas, trazem com sigo duas noticias para a
Loa direceo do tratamento dos cauterios e vesicatorios.
A dor causada pelos cauterios, proven de ordinario da m natureza das bolinhas ou ervilhas em-
preada* no tratamento .... Cada hum sabe, que as ervilhas de iris, incho na chaga de hum modo muito
irregular, que clles arasgao, a ponto as vezes de a fazer verter sangue, e causo por isso dores que sao as
vezes i nsu porta veis; ellas tem alem disso pouca ou nenhuma accao, pois o cauterio mantillo com esta sorte de
ervilhas nao excede as mais das vezes, se nao huma agoa arrnivada, e quasi nunca materia humoral alguma.
As ervilhas de Laranja, as do campo, sao to duras, e tem ainda menos accao, que as de iris, e a este re--.
peito, qualquer amclioraco se fazia grandemente necessaria.
O Sr. Le Perdriel tem combinado com certa porco de Gomma elastica(caoutchouc)outra quantidade, ou
de raiz de altea, ou de Laureola, ou de carvo para compor tres especies de ervilhas, Culmantes. suppurativas,
desinfectantes. Pode elle fazer entrar ainda na composicao das ditas ervilhas certa quantidade de Morphina,
ou de Stricknna, ou qualquer outra substancia activa conforme a indicaco dos mdicos. Pelo modo com
que esto conpostas estas hervilhas fcilmente se deixa ver o modo com que ellas opero nos Cauterios. Logo
que ellas se nenio penetradas pelo calor hmido da chaga, elles inxo-se levemente, conservando todavia sua
forma globuloza; ellas dilatan usensivelmente a chaga, e excito huma suppuracao de boa natureza, flexiveia
(I) O Scnhnr Le Perdriel nunca tem querido, nem h de querer publicar nos peridicos ou por qualquer outro
moio, os nomes respritaveis dos mdicos que aconselharo o uzo dos seus productos, dirigindo-lhc os scus doentes. Quanto
mais M ud'una da sua approvaco, tanto maiores lhe parecem as cauttJlas, e a discrico que por isso mesmo deve de guardar.
I


'.asleos, ellas nao obslao amovimento algam dos membros, e de$te modo nunca provocao dor alguma. As
ervilhas clstica com altea, com Laureola, com carvao, empregao-se ou sos ou alternadamente Imm da de
iiuma sorro e no dia scguinte da outra surte. Se alguem quiscr augmentar a aeco do cauterio scr\ir-se-ha
mais a miudo das ervillias de Laureola; se pelo contrario, quiser diminuir o effeito dever emprear de pre-
ferencia, c at exclusivamente as de Altea. Como se dei.xa ver, as propriedades essenciaes daservilhas els-
ticas, as disliuguem inuilu das outras especies de ervilhas, e as l'a/em mu superiores em ludo.
Para eslabeleccr os vesicatorios, o Sr. Le Perdriel tamhem prepara hum panno vesicante adlierent
que prodiu vesicaco em poucas horas, sem fazer padecer o infermo : O dito he prcto de huma banda, e
vermelho da outra e tetada parte vcrmelha o sello da sua Pharinacia assim como lie lainbcm revestido da sua
assignalura.
Foi-lhe preciso oceupar-se tamhem das attaduras necessarias para o bom tratamento dos exulorios,
pela raso que huma boa attadura, he indispcnsavel, para bem conservar a accao dos vesicatorios, e cauterios,
para nianter como he mister as pecas du aparelho, evitar as dore*, os oulrot inconvenientes que resulio
pernas, para o pescoco, e em fim para todas as partes do corpo. hitas attaduras sao simples, leves, elsti-
cas, com placas chapeadas de prata, com placas mollcs, e em fim sem placas-, Ellas nunca incommodo 03
infermos, quer estejo este deitados, quer em p, entregando-.-ea trabalhos de forca, ou a quaesquer outros
exercicios Usando d'ellas, nunca se veem apparecer tumescencias na circunferencia dos cauterios.
A crvilha estando bem mautida no Cundo central da chaga, produz ali melhor o seu efeito, com*
tambem nun a apparecem hurbullias ou escrecencias carnosas, as chagas causadas pelos vesicatorios ....
Alem destas attaduras apperfeicoadas que levao estampada a marca do seu sello, tem elle inventado humas
compressas iba-nadas compressas de Le Perdriel. Kl!as sao mais rancias, e absorvem melnor a materia hu-
moral que as de psnno de linho .... Uteis para qualquer pessoa, ellas sao de huma precioza vantagem pa-
ja as pessoas que viajao, e que desejo que se ignore que tm hum exulorio ...... Elle fabrica tambera
Compressas desinfectautea, para tirar o mo cheiro das chagas.
lgui
( NOTA ) Com pena nos vemos obligados a signalar huma grande falta de delicadeza da parte da
guns hot-irarios que depois de terem acceilado o deposito dos productos do Sr. Le Perdriel, tem procurado
tonlr.iii>:c-los, engallando as^im o publico, com buraa logracao inerte q'iando nao nociva .. iVo podemos
]> >r tan! deixar de avisar, que devem positivamente serem engeitados os arligos que nao vercm o sello e a
firma cima .... Os se;rabracos e outras attaduras, levo tambem o sello e firma da caza de Le Perdiel .
Os arligos cima mencionados, vcrdadeiros producas da Pharmacia do Sr. Le Perdriel, se acha
Batica de Victorino Ferreira de Carvalho, na Praca da Boa-vista.
JiXPOSiCOENS DA 1NDUSTIA.
MENC.d'O HONROSA
&EDALHA J)E HONRA.
IWmvch ie LE PERDLUEL,
Jlairro Monlmmrtrc 78
EM PARS.
Casa Especial
Para ludo quanto diz respeilo aas VESICA-
TORIOS w CAUTERIOS.
Privilegio de invenc\o
dado
.PELO GOVERNO DE S. M.
FABRICA
De Ervilhas clsticas de Caoutcliouc, c outras pura os
CAU TEMOS------
Srllo
Assignalura
'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWFY34UA1_Y1YP09 INGEST_TIME 2013-03-29T16:18:55Z PACKAGE AA00011611_04214
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES