Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04189


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno br 1840. Saraado
Todo agora dependo do taris mciniM ; da nossa prudencia, afiodcra-
C* eeuerjna : continuemos Csmo principiamos, e seremos apoitudoe
coa adtnirac&o entre as Naces mais cultas.
Proclamadlo da Assemblea era! do Brasil.
>'
F Sabscreve-ae para esta folha a 3ooo por quartel paco, adiantado.
neeta lypografia, ra das Gruies U.3, e na Praca da Independen-
pa n. 07, e 38, onde se recbeos correspondencias le-alisadas e an-
nuhcios, insiriiuio-se estes gratis, sendo dos proprios assignantes,
vaade aftagnadot. r >
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cidade d Parahiba c Villas de ana pretendi.......!
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem
Dita da Fortaleza e Villas dem.......
Cidade de Goianna.......... .
Cidde de Oiinda...............
VHla deS. AntSo...............
Dita de Garanhuns e PovoacSo do Bonito
Seg. eJSexUs fafn
Todos os dissj
Quintas Teiras.
u.w aeuarannuns e Koroac-o do bomto.........lo, e a* de cada met
Ditas do Cabo, >erinhaem, Rio rormozo, e Porto Calvo. 1, 11, e 31 dito dito
Cidade das Abroas, e de Macei............IdeiB ldem
ViUa de ftya de Flores................
Todot os Correioi parem ao meto dia.
dem 11, dite dito
PHASES DA LA NO MEZ DE DEZ.
Quart. cretc. a a as i b. e 58 m da man.
Lna CUeia a o-as 1 h.t 5' iu; dunan.
Quart.aaing. a i5- as 6 h. e 43 m. da tard.
La Nora a al as 2 b. e 5? m. da mau.
Mire thcia para o dia 19 de Dezembro,
As 1 horas* 18 minutos da manbij
As 1 horas e 4a minutos da Urde.
J9 OE ^fiMBRO. Nvt. 21-
CAMBIOS. ~ Dezembho 19.
landres......*i d. por Ijjfooo ced.
Lisboa ......80 por o|0 premio por metal oiiorecrdo.
I'rjnr.a...... 31o reis por franco.
H10 re Janeiro ao par. Comp. Vendes
OUR Mocda de tijCJoo reis, Tclb.is i4Soo i5fooo
Ditas ,, novas UfSoo laf*oo
Ditas de a 000 res, tf/?ioo Stfooo
PtiATA Palaces ISrasileiros ~ 1 't>4;> |()S
Petos Columnanos-----------if64o i|6oo
n Ditos Mexicanos--------------ifioo ijfcao
Miuda.------------------------ i?44o 1J409
Descont de bilbetes da Alfandesa 1 118 por looao mes.
i i ta de letras 1 i| a 1 i|i por boas firmas oarecido.
lAoeda de cobre a a 3 por too de disc.
DAS da SEMANA.
14 Segunda S. Angello.Ab. Audiencia do Juiz de Direfte da **'
vera.
15 Terca >. Bdttbio B. M. ReIac*o e audiencia da Juix de Dreito da
1. vara.
16 Quart As Virens d'Africa Mra. Aud. do J. de D. da 3. vara.
17 Quinta S. Coianico M. Audiencia do Juix de Direito da segunde)
rara.
18 Sexta N. Snra. do O'. Aadienci do Juix de Direito da l. varu
19 Sabbado S. Fausta Relacle a Audiencia do Juix da DireaUb
da 3. vara.
3a Domingo 4. do Advento S. Domingos de Silos Ab.
PERNAMBUCO.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia i5 do corrente.
Officio Ao Exm. Presidente reqni-
sitando-Ihe varios objertos necessarios ao ex-
pediente diario do Hospital Reginmental; por
is80 que estando encarregado de sua direc-
.0 Doutor primeiro Medico do extinto Hospi-
tal Militar Jos Eutaquio Gomes nao que-
ra por este trabalho perceber a gratificagao
racnsal de aSUooo por con la da qual deve
deserfeito o espediente. Ponderara a falta
quejtinha o Hospital de um cirurgio A jluan-
le de Semana que tomassse obre si o curati-
vo do doentes em casos fortuitos, como
recomnaendado no Regulamento de 17 de Fe-
vereiro de i832, e que esta falta sendo de
algtima sorte suprida pelo Sargento Enfer-
mero que adquerido grande pratica, e que
a este servico rene o de sangrador justo
raque se lliedesse urna gratificaco mensal
de loUooo reis, gratificaco alias rasoavel em
vista dos servicos que presta no Hospital,
alheios dos do Enfermeiro que exercito.
Dito Aomesmo Exm, Snr. devolven-
do-lhe benignamente informada a suplica ,
queaS. M. o Imperador encaminbava An-
na Joaquina do Espirito Santo, pedindo em
remuneracd dos servigo3 de aeu Gibo nico,
Sargento do Batalbo j. de Cacadores de li-
Jiba, Jos Gomes de Oliveira, Calecido na
Capanha ultima da Babia em i8i8, urna
penso equivalente ao sold da scu finado fi -
IIjo com sobre>itencia a duas filbas, porisso
que vivem honestamente na indigencia, e no
desamparo.
Dito AoMajorJ. M. I, J. da V. P.,
signiicando-lhe em resposta ao seu ollicio de
*4 que ficava sciente de ter sido itopoi-
sado no lugar de Director do Arsenal de
Guerra.
Dito Ao Major Commandante interino
doterceiro batalbo de Ariilheria commu-
nicaudo-lhe o falecimento do Capito de Ca-
tadores de Lin ha Joo Antonio de Noronha,
expediccionario ao Sul, e mandado suspen-
der a cobranca e pagamento da parle deseus
m minien los, queconsignou em soccorro de
ba familia nesta Capital,
loriara Ao Tenente Coronel Comman-
dante do Deposito, inundando em execuco
ao despacho da Presidencia datado de hoje,
dar baixa ao recruia Francisco de Uune, filho
do falescido Manoel Joaquim, e da Viuva 15o-
tulacia Mara do Espirito Santo por nao es-
tar uas circuuslancias de servir na Tropa de
Liaba.
DitaAo Major Commandante interino
do-Esquadro numero 4 de Linda mandan-
do na mesma conforruidude e por igual mo-
tivo, dardemisso ao soldado Manoei Du-
arta.
ED1TAES.
O Illm. Senbor Inspector da Thesouraria
das Rendas Drovinciaes manda faser publico
que em virtude do officio do Exm, Snr. Pre-
sidente ua Provincia de 1 i do corrente, e
conforme ascondiccoes que o acompanhuro,
se lia de arrematar a quem por menos Gter o
forneciment das roadeiras necessarias para a
Ponte de Santo Amaro, constantes da respec-
tiva Relaco que, com as mencionadas can-
dieges ser patente aos licitantes em todos
os dias nii-is, na mesma Thesouraria.
As pessoas que se proposerem a esta arre-
mataco compareco pelas orne horas nila do dia 1* do corrente no Tribunal di so-
bredita Thesouraria munidas de Fiadores e-
doneos.
Secretaria da Thesouraria das Rendas Pro-
vinciaes de Peruambuco 11 de Desembro de
1840.
O Secretario
Luz da Costa Portocarreiro.
loi, Bao nicamente feriados os Domingos, e
.ac 16 de
As pessoas que se proposerem a esta arre- 1 leudas e qualquer oulro defeito.
mnlago compareci pela* 11 horas da ma- Todas as pessoas que quizerem venders dias Santos e de Festa Nacional,
nh dos dia cima indicados no Tribunal di ditas maileirus poden concorrer na Salla da M>za de Rendas Internas Proviuci
mesma Thesouraria munidas de fiadores i-
doneos. E para constar se mandou afixar o
presente e publicar pela iin'prensa.
Thesouraria das Rendas Provinciaes de
Peruambuco 7 de N'ovembro de 1840.
O Secretario
Luiz da Costa Portocarreiro,
sobredita Administradlo Fiscal em todos os Dezembrode ir>4o.
dias uleis a horas do expediente para tratar No impedimento do Escrivo e Adminis-
seu aju>te. Administrarlo Fiscal 10 de De- ta or
zembro de 18.40.
Moura.
A. F.
JoseGuedes Slgiieir,
1

P R E F E I T U R A.
Parte do dia 17 da Dezembro.
Illm. e Exm. Snr. Forao bontem pre-
sos pelo sub-Prefeito desta Freguesia os par-
dos Falicianno Jos de Oliveira por ser
encontrado bastante ebrio ; foi detento no
Callabouco ; Antonio Soares de Andrade ,
Elcilores da Freguesia dos Afogados.
Votos.
Exm. Snr. Francisco do llego Burros 68J
Illm'. Sis. Manoel Cavalcaute de Al-
buquurque ..... 'jg
Manoel Joiquim do Reg Albuquer-
que ...... 5i8
Ment Fransco de Farias Torres 50j
Firmino Theotonio da Cmara S. Ti-
ago...... 5ocj
Diversas llepartces
CORREIO.
O Paquete Inglez Seagule, recebe as mil-
las para a baha e Rio, boje (19) as 10 horas
da manli.
Existe na Administraco do Corre i o urna
caita segura para o Snr. Tenente Coronel
Manoel Antonio de Almeida.
e Martmianna Marta do Rosario, por serena Au,on0 Leia Piho......5o8
encontrados tarde da noite : forao solt; e pela vlanoel joa(|Um Antunes Correia .
primeara patrulha do districto do Carmo os Manoel Jose da Costa Guimares .
pretos Joaquim escravo de Antonio de Al- pejro Cava cente de Albuquerque .
meida, eSeverma Marques por bnga; lo- Jo5o Anastacio Camello Pessoa ,
rao sollos. Fn|~.r Jose Duarle Rangel.....
EirAL Jos Joaquim de Santa Anua Fraso
Francisco Antonio de Sa Barrelto Prefeito Joso Ant0Q0 Corroa (ioraes .
desta Comarca, por S. M. I. e Constitu- pfarjcUco Xavier de Miranda .
conal, a quem Dos Guarde ele. : Francisco Xavier Corraia. .
Faz saber que na Cadeia d\ Comarca de Luz Carlos d Costa......9f
m
5od
5o8
5o5
5o3
5oJ
5oi
497
487
4J
Flores existem recoUiidos dous prelos, es- Fmiicxo de Paula Carneiro Leio
cravos, constantes dos sigr.aes abaxo trans- Francisco das Chagas Cavalcaute .
criptos, e remetidos pelo respectivo Prefeito, jJoo Luiz Salgado .....
para terem a devida publicidade. Eleilores da Freguesia de Santo Amaro de
Antonio, preto que parece crioulo mas Jdboalo.
diz Ser angola, e que viera em mu tenra ida- q Snrs
de estatura baxa cheio do corpo. idade pe- Frane$^ Antonio Pereira da Silva. .
lo que representa, de 3o anno, j tem urna si- ^^ de ^ Leio.....
catrii nacabeca, outra, que parece ter sido J8e Gomes d3 SaloJ pMaM d(
de laca ao pe do estamago ; urna queima- i'asto-
dura 255
5x
633
43o
do.
ulgumas marcas de re lio
as costas, e j ac0 de Barros Harrelo
O Illm. Snr. Inspector da Theouraia das
Rendas Provinciaes de Peruambuco manda
lser publico qae em virtude do u6 do ar-
tigo 37 da Lei Provincial numero 7 e Officio
do Exm. Sr. Presidente da Provincia de 5 do
correbt, se ho-de ai rematar peante a m-js-
nia Tbesourara nos dias 18, > e ji de De-
zembro prximo vindottro \ u por tempo de
auno e ineio a contar do 1. de Janeiro de 1841
a 3o de Junho de 1844 as laxas das pontea da
Magdalena Carvallio, e Gequia.
OBRAS PUBLICAS.
Por ordem do Exm. Snr. Presidente da
Provincia, conlida em ollicio de 15 do corren-
te ; poem-se novameute em praca para se-
rena arremattados separadamente os forueci-
uientos dos materiaes de Carpina e de Pe-
dreiro, e os servicos dos Serventes necessarios
para a obra da renovago do caes da entrada
do Norte da Ponte dos Carvalhos.
As pessoas que se proposerem a estas arre-
ma taces com pa receta o nos dias 7, 9, e 11
de Janeiro vindouro habetada de fiadores
idneos, nesta Reparlcao, aonde estao pa-
tentes as respectivas condicedes todos os dias
uteis as horas do expediente.
lnspeccao das obras publicas 17 de Desem-
brode 184o.
Moraes Ancora.
Pela Administraco Fiscal das Obras Pu-
blicas se compra para a ponte do Recife a
madeira seguinle a saber --
30 hutas de 48 a 5o palmos de comprido ,
com apollegadas de face em quadro -- i-o
estivas de 44 palmos de comprido e 7 para
o pollegadas de groisura 11 estelos de 45
palmos de comprido e 16 pollegadas delate
em quadro.
Os esieios devem ser de embiriba preta ,
e toda a mus madeira pode ser de lapucaia
de pilo maijaranduba verdadeira pao d'ar-
LO e baratu e us catiras podem tambem ser
de pao Ierro e coraco de negro.
, ... 'nanuue aiiaaua warieiu .
nadegas onde parece ter sido rotiilo surrado Jose Mmanno Pereira Vianna .
--Confessou ser escravo do Mecido Io*{Bm|i Seador Frauciic de Fauia Ca-
IrancscodeSa C. helio-duro Europeo^ que ; va|c,nle de Albuquerque .
era morador na Villa da Alalaia,, Provincia joaoFo ,p6 de Souza Leo .
das Alagoas. e que fugira em lib para ac- | Do(Uu(. Jose F1 dfi g^ Leio _
panh.a de Antonio Lardoso e depo.s passou, ^ Domi 3 de SUd Lej Juil0r #
a do Major Guedes, que foi morador em L a- Manoel Je de Si ira Cavalcaute .
caratu em cuto poder se acbava com o supos- I Fl.ancisco to noiue de Joo ; este prelo
zambelados peia
Ambrosio, naci cassanje idade de 4 an-
uos, a vista do que representa, estatura or-
dinaria seco do corpo ; tora urnas marcas de
4 a 8
39i
3t3
ferds as costas e entre estas urna que
tem de cumprmento meto palmo ; eotilessou
ser escravo de Francisco Antonio, morador
noEngenho Garap junto a cidade do Re-
cife, equed'ali lora furtado por um preto
sendo ento elle pequeo e Ihe poz o nome
de Jose, pelo qual tem sido eoubecido ate
hoje
Prefeitura da Comarca de Flores 07 de
Novembro dei84
Leonardo iserra de Siqueira Cavalcanti,
Prefeito da Comarca.
Preleilura da Commarca do Recife i5 de
Dezembro de 1840.
S Brrelo.
ANNUNC10.
O abaixo assguado faz constar a quem
convier que a Meia sza de escravos sei re-
um Pu\Frdri(.sC(j iJe pi(ll) orges
Antonio dos Santo Siqueira Cavalcaute
Joaquim de Soua Leo .
Francisco Pedro Soares Braudo .
Padre Jose Pedro Bandeira de Mello .
Joo Coelho da Silva......
354
3o*
3(j
35^
354
353
34
34t
340
3io
3,7
JVotieias Provinciaes
CRARA'.
Damos a ler o seguinte artigo, que not-
cia os acoiitecimenlos de S. Bernardo ; ejun-
tamente oatro artigo tirado da folha da op-
posico, e urna carta de um nosso amig, pa-
ra que os nossos Leitores formem uinjuisj
Prefeito daquelles uegocios.
Que estado melanclico e queagjura fu*
nestas cousequenci^s he o desta deiditos4
Provincia, pois sejuud.j a, marel>a que vi~*
tomando 0* negocios outra cotia uj e >!--
ve esmerar se nao nixtes sobre aales p.
celada na Mesa de Rendas Internas Pro- que quem poda ludo remediar parece, qa
vinciaes at o dia 3o do corieuld ; por ussnn o
ter oideuado o Illm. Sur. Inspector da Tue-
Todas as niadeuas uevem ser uprezentadas isourara Proviacial, e mesmo poique se-
| Uvies de blanco btoiio lascous, piolho ,' guudoa Lei de 4 de Ouiubrode 1SJ1 artigo
pouca consideraco d a oppressj que uV
dia em dia progride coj espanto uicnvei ,
e que s Cu.ia e.magar os miseros Ce*re>u*
es, cuja laaioria sa nao comparte o3 pin-


D1HRIO DE PRMIDCO
?-*BB>IIBP^'*1^'.''W^i*,s^M^
se he que se ora se deva dar procesaos, os recrutamerito* ndistinctsmen--
para raaior desgraca do Brasil, e le as deraisses suspendes, evarr-josde
pos,
oj que
Km especia I idade do malladedo Cear boje se
acho senItores do poder do qual vo fa-
sendo hura perigoso uso nunca visto para
casas sem as formalidades que as Leis pres-
crevem ero todos os dias postas em pratica
essis violencias pelos agentes do G iverao e
Otsim diser em poca a I ^ u a. Nao sao ima- que medidas dava esle para obstar tamanhos
gimrios nem to poueo fantsticos nossos
serios SOCtos e receios pela futura sorlo que
nos aguarda como se qutzde proposito per-
suadir o Si'r. Ministro do imperio na respos-
ta que dera a representarlo qne dirigir ao
Augusto Monarcha Brasileiro Assemldea
Legislativa desta Provincia qne rOflSCa de
sua distincta e nobre misso julgou do seo
iu.perioso dever expor com totopo ao seo
Soberano os rcale9 que virio a pesar sobre
sua patria se a dirigase pessoas que desde
ni u i los annos se aciio envolvidas no tur-
bilhad dos partidos sendo por isso mesmo
incapazes de a bem gnvernar. Os fados, que
vamos referir convencerlo ao Snr. Antonio
Carlos de que nao (oro fantsticos os receios
woslraroa justica da cauza que muito nos
honramos advogar; e posto que seja-nos sum-
mamente penoso entrar em sua narraco, toda-
va nao ha remedio se nao cumprirmos esse pa-
trioco dever, com o qual julgamos prestar um
relegante- servico ao paii etpondo os des-
manchos di.s que se deferido occupar com
mais serio cuidado dos interesses pblicos ,
desempenhando bem a penosa tarafa de que
se oirumbiroem hua poca assas melindro-
sa devendo por couseguinle se mosirarem
por factos amigos do Monarcha e da ver-
ciadeira felicidade dos povos que confiados
loro aos seos cuidados : pois s assim po-
derio altrahir as attences e resj^eitos p-
blicos e nao ser certamente por via do
terror que conseguiro o meihoramento do
paiz cuidando-sc s em privados interesses ,
coqjo desgrucadamenle vamos lesteinunhan-
do.
S. Ex. o Snr. Senador Alencar tomando
conta do Governo da Provincia se havia fu-
go em pregar todas as medidas conducentes a
salval-a dos males, que a ameacavo pelos
aritos disgovernativos do Vice Presidente o Sr,
Facundo, que, para saciar seos desregrados
caprichos, e sua baixa vinganca nadajul-
gou ilcito ao contrario coisa al-juma des-
le : approvando ludo (|uanto pozem pratica
seo Antacessor ; fui procrastinando negocio
cjue demandavo prompto remedio, que nao
rao desconhecidos a S. Ex. serem de lerri-
veisconsequencias a continuarem no p ero
que os achou alem de outros muitos que ex-
io remedala reparaco fallamos com
massaeres ? A penas se limitou em faser re-
tirar hnm desses agentes, talvez para em-
pre^al-o em outro lugar em que o ulgasse
mais preciso ; fallamos do Tenente Xildsrico
Cicero d'Alencar Araripe que antes de par-
tir para esta Cidade se arrojou a soltar hum
preso de justicia e levando o Juiz de Direito
o Snr. Doutor .Machado o succedido no co-
nhecimento do (ioverno
como o caso exigia ; este
Sobral deixava vir.te pragas com o lente tonio Freir Guabiraba sargento da 6. com-
Tamboril fjenlo retirar para a capital o
Sr. tenente coronel Torres c.im o resto da olft-
cialidade e tropa, Nao podemos deixar de es-
tranbar a reserva com que se ha portado o Sr.
Alencar na adminislracio da Provincia att
S. Ex. a huns que a Asserahlea est legal,,
mni breve ter-se-ha de proceder a eleigo de
Cmaras, e Juizes de Paz em virtude de hu-
ma lei feita este anno 5 a outros-, que reque-
re m os Empregos, deque fora esbulhados,
manda que esperem e que se at* a chegada
do vapor que espera da Corte naoviesse deci-
dido o negocio que ento tomara sobre i a
, para providenciar responsabilidade dando huma decLao qne
i cousa alguma resal-; nao deicharia de ser fundada na justica e di-
panhia. A muito que outros oflsviaes fora
nomeados, se acha juramentados: mas
para se darem importancia assigna5-se como
se anda fossem oficiac*de G. N. A mor par-
te destes assignatarios sao assssinos convictos;
e era esta a gente do maior agrado dos Srs.
Joo Antonio e Souza Martius.-
veo deixando impune seo autor. Po Cas-1 reito i no emtanlo vae-se escamogindo para
cavel sao tobem empregados todos os meios [ Sobral onde se pretenda demorar algum
de terror ; correm-se as cataa das principies temp> segundo acaba demandar dizer em
pessoas da Villa sem motivo algum plausivel, j huma carta que dirigir a huma pessoa do A-
e fasem 6e prender hum velho de scenla racati que de presente se acha nesta cidade ;
annos, que conta muitos filhos e he sum-! nde-se considerar raangacao maior. E he
mmente pacifico o Capitao Promotor que desta maneira quose tratad negocios de sum-
acaba d-: exercer o oficio de Escrivo he ma conuderaco e dos quaes depende a sal-
igualmente casado, tem cinco filhos, dos vaedo da provincia? S. E<. parece que de
quaes era arrimo, e a hum pobre homem a- proposito vae procrastinando as coisas at que
lejado ; lodos sao remen ido presos para esta se aproxime o dia das eleicoes, a fim de que
Cidade e os dous ltimos anda se acudo as mesmas sejao eitas por authoridades pos-
nos Quarleis, sofrendo huma injusta prisio ; to que Ilegitimas todavia de sua confian?,
e no entinto suas familias iasendo na penu \ Cumpria- nos cao terminar esse j longo ar-
e
na ,
nao havendo quem as soccorra Nao iio se.a que nao pintassemos o estado em
devenios esque;:er dizer, que esses homens que tem estado esta pacifica Capital nestes ul-
foro maltratados com epithelos injuriosos timos dias: he digno de riso o aparato bellico
eafrontosos, quando aqu chegaro pelo qu ha desenvolvido o Sr. Ajudante de Or-
ajudante d'Ordens do Governo o Snr. Joao da dens : nao ha vendo o menor receto, de que a
Rocha Moreira. Esle ofiicial anda nao fa- ordera e tranquillidade publica seja alterada ,
parlicularidade dadeclaracao da legitimidade
d'Assemblea e por conse^uinte da execugao
das Leis que a rcesma havia competentemente
l'eito, que se achavao suspensas \ porem tudo
lu despres*do porS. Ex. ( quecom huma
fi per.nada leria obstado o danmo que vai
soicndo a Provincia e nao su hemos o mo-
tivo ; porque assm proceda o Governo, ou-
tro nao venios que nao fosse o de querer
vencer as eleicoes ; conservaudu-se authori-
dades que em face da nova legislaclo nao po-
diosuvirj oque deo lugar a oimarem-se
monslruoss processos por todos os Munici-
pics opiimiiido-se com inaudita ferocidade
as principaes pessoas meio que os agentes
doduvLii.o juigaiao asss couvenienle para
o completo tiiunlo das futuras elleiccs : hum
tal estado de coisas nao poda deixar de
ter de lunestos resultados de que ioro logo
apparecendo provas, porem S.Ex. surdo
todos es clamores, nada resolva, sem duvi-
da porque tinha convieco de que cumprin-
do seo dever, perdido teria o que troaxe-o a
Provincia e que boje mais ocupa suas at-
ttncCts, que sao as malditas eleicoes e por
cauta de I las Um de muito soUrcr a Pro-
vincia !
A Villa de Daturit fui huma das primei-
ras que j nao podendo com o enoimu pe-
so das vexaces e oppresses que prodiga-
iisava ao povo authoiiudes intrusas recor-
leo a hum meio que muito lepruvamcs o das
armas ; porque vio em hum s da serem
pronunciados por tentativa de inorte os pri-
iLeiros individuos do lugar ; porem gracas a
ba ndole e otihdade dos seus pacficos
balitaLtes ludo se cuncluio em paz sem que
para laso concn esse u Governo pois quando
tnviou o Snr. Juu de Uirtilo o Lioutor Joo
laulo de Miranda j tudo se achava em
lleno socego ; porque os oppressores conhe-
ti-ndo a iiijustka com que procedido, ea
zem muitos dias, indo assistir a moslra da
G. N. deu murros em hum G. de mime
Francisco Marques, nao sabemos que moti-
vo leria S, S. para praticar acto to revoltan-
le e que deve encher de indignago a quem
liver bro, e pondunor ; porem oualquer
(|ue fosse elle nao pode certamente justifi-
car, o pessimo cowportamento de S. S., pois
outros sao os meios que a Lei tem daiio para
fazer punir os G. N. que nao cumprem seos
nobres deveres.
S. Bernardo em consequencia da3 perse-
guices, que ia desenvolvendo o Sr. Judo de
Castro sobrnlio do Vice Presidente o Sr.
Facundo com lodos acuelles que nao lhe e-
ra submissos servos e que poderiau olTuscjr i desordeiros e perturbadores do publico soce-
sua preconisada influencia levantou o estn-1 go quando elles j tem dado econtinuaa
darte das armas ; exigindo do Governo reme- dar provas irrefragaveis de sua adtiezio a Pes-
dio aos males que o acabrunhava. Logo que soa do .Monarcha a Mon'ircbia e hum iu-
ebegou ao Aracaly a noticia desse rompimento teres>e decidido a favor di orJem e quem
odignoJuiz de Direito o r. Antonia Jos lera que perder nao deseja certamente desor-
\iachado poz-se de marcha a fim de ver se dens. *
S. S, que neste estado he que gosla de mos-
trar sua bravura mandou ante hontem pos-
tar huma peca na frente do Quartel em ali-
lude de lser fogo e quando fora a noite re-
olheo-secom toda a sucia (arrapatal ao mes-
no Quarlel onde pernoitira; consta-nos
que tionlem Gzera o mesmo j se vio maior
miseria ? Pois huns homens que diien ter a
maioria da Provincia a seo favor que achaS-
se de posse da forca etc. procedem desta ma-
neira ? Deduashuma, ou estao convencidos
que sao assaz odiados pelopjvo, e que nao
despoem delle a sea bel praser ou sao muito
malvados em querer faser acarretar sobie os
seos dignos adversarios polticos o labeo de
poda com seos conselhos e admoestaces acal-
mar os espiritos fazer.do-se com que depo
zcseein as armas e soltassem as autoridades
que se achava presas porem forao baldados
(Do Pedro II.)
Os abaixo assignados reunidos ao mais po-
vo n'esta villa de S. Bernardo afim de repre-
os esforcos que empregou : porque disia os sentar jo Exm. Presidente da Provincia sobre
sublevados j haverem dirigido sua r epresen- a oppressao que tem soffrido emanada das
taedo ao Exm. Presidente da Provincia c Autoridades constituidas pelo Vice-Presiden-
que, em quanto este nao resolvesse nao fa- le Judo Facundo em virtude de huma Lei
zia acomodarn alga em consequsncia do' derrogada a rjuem se achava confiada a ad-
que volta o Sr. Dr. Machado sem proveito al/- mnislraco deste Municipio, tendo noticia
gum dosseus incommodus ; e quando supu- que V. S. se detige da capital a esta villa pi-
uba era recoliiendo-se ao logar de sua resi- ia debelar a forca reunida, e que j se acha
dencia achar garantida ua pessoa assim, de marcha do Aracati para aqu; vo por
nao succedeo porque ..putas entra em casa meio da presente representacio fazer ver a V.
Os abaixo assignados commandantes? das
fon-as da Legalida dS Bernardo aecuzando ter receido hura
olricio de 3 do crrante assiguado pelos disi-
dentes da villa de S. Bernardo Ibes declara.
Que nao reconhecendo em suas pessoas auto-
ridade, e carcter le^al, nenhumas relar;5e
podem manter cora elles salvo se reconhe-
cendo as faltas coramettidas como preliminar
de sincero arreptndmento enlregarem os m-
felizes que se acha presos peta successo do
dia a3 do mez passado procedimento este u-
nico que poder obstar a marcha da Forca
da Legalidade a qual esperar ulteriores or-
dens do Governo p ira ento obrar.
Semelhaute declaraca s lera efeito se
dentro de 3o horas forera entregues os presos ,
do contrario obrar-se-ha segundj as ordena
existentes do Governo ; que para manter a
sua authoridade e a honra do Throno do
Nosso Adorado Imperador tem forjas mais
que suficientes pira pulverizar meia duzia de
infelizes alucinados, que esquecendo-sfl de
seus deveres e s para dar pasto as suas pai-
xes nao hesiu era compromatter os mais
sagrados direitos.
Quarlel no sil o -Albuquerque- s 10 ho-
ras di ananh de 5 de Oatambro de 1840. --
Pedro de Queiroz Lmi tenente coronel
commandanle do r. batalho de guardas na-
cionaes da villa do Casoavel Jos Ignacio do
Queiroz tenente coronel commandanle do a.
batalho da raesma Antonio de Queiroz Li-
ma major do mesmo Thomiz Lourenf o da
Silva Castro capitao e commandante da for-
ca de primeira linha. Sr. Joo Bapluta dos
Santos
Na dia j do crrante pelas g horas da ma-
nhd chegara nesta cidade os denutados p., o
ten. cor. Jos Gervazio d'Araorim Garca o
major Jos de Castro Silva Jnior,e o Sr. Joa
Teixeiru Castro, q' sahira do Aracaty no dia
antecedente para virem tomar asseutou'Assem
blea Provincial, O sargento Baima, que com
as suas seis pracas tinha sido surprehendidos
pelo bando de salteadores capitaneados pelu
cabocolo Baptista irmao dos turbulentos Ca-
minhas, tinha-se apresentado ao comman-
danle da forca tendo conseguido a fuga. Es-
te assegura que apenas acluvu-se reunidos
l5o 7o homens actiando-se to armados
de graadeiras eos mais de diversas armas
finas; e que essa reunido se deve as prornes-
sas feitas de que vero, grande reforco do lc
enviado pelo Agostinho para ento atacaren
0 Aracaly onde pretendem dar hum saque
geral ; eque por conselhos conserva em pri-
so incommuniciveis o coronel Joo de Castro
e mais autoridades ameaoandude os matar,
caso sejao atacados pela forca di Legalidade j
mas o coronel Joo de Castro ameacado para
escrevflr ao commandanle da forca rogando
1 he que em attenco sua existencia nao ba-
he esta logo invadida pelo capitao Thomaz S. que he prudente suspender esta marcha tesse os revoltosos vidos de saque e sangue ,
hum mano do Sr. Joo de Castro e mais al- com cujo passo se evitarri consequenci is e re-
guns individuos e lodos a huma s voz forao aeces tristes que por ventura se poder se-
dirigindo taques e formando acres censu- guir achando-se nesta villa forca suficiente
ras ao Juiz de Direito chamando-o conui- jiara se oppor a quera V. S. vem Cmmandan-
vente etc. aqu nao parao as loucuras dos- do ; porquanto os abaixo assignados protestan
sa gente : havio na escada do sobrado im- manter a boa ordem e o socego publico at a
mensos soldados e o Sr. Thomaz de vez em ultima decizao de S. Ex. a quem j se acha
quando deixava a conversa, cm que eslava a fcela huma representacio; e igualmente
com o Juiz de Direito e ia as escadas com- protestad contra V. S. pelas trislissimas sceuas
municar com os soldados eis fielmente o es- que se represenlara derramando-se u preno-
tado de coaccao em que se vio o Sr. Dr. Ala- so sangue Brasileiro huma vez que nao at-
cbado por hum oficial que su dizia ir s suas leuda a requisico dos abaixo assignados ; mas
ordens Nao tardou muito que a Villa fosse estes confiao no palrioii*mo de V. S e o a-
cercada e se fizessem algumas prises e es- mor da ordem que deve ter a sua Patria que
tranhando o Sr. Machado semelhaute proce- evitar suspendendo a marcha todos os ma-
dimenlo o que havia responder o Sr. capitao les que resultar no caso de conlinua-la,
Thomaz ? Que ludo iguorava e que aquillo Dos guarde a V. S. Quarlel na Villa de S.
nao havia sido leilo por determinacao sua Bernardo de Dezembio de 1840. Illm.
Em fim fora tantas e Ido grandes as a incitas, Sr. Comraandaute da Forca em marcha para
e terrores empregados nessa Villa pelos agen- a Villa de S, Bernardo. Joao Baptista Fer-
ies do Governo que os urincipaes habitantes reir dus Santos, Tenente Coronel e Cora-
no cuidando com sua existencia segura aqu mandante interino da Legio Ignacio llibei-
se ach todos refugiados, e procurando a ro Bessa Coronel da Legio- Benlo Freir
proiectjo do Governo, e esle bem descancado do Prado, capitao da 6. companhia Frau-
daqui a o legoas pondo as cousas ero bom cisco Florianno Delgado Perdigo tenente
p que cont infallivelmente vencer a elei- da i.ra companhia illa noel :viartins dAl-
cao em quase toda a comarca do Sol/ral e se- roeida niajor do batalho Antonio Alves
neiihuma upiuiao que tiutiu paia tom a guuo as providencias que ahi lem dado as- Correa de Lima allres e commandante do
liona do puvo tederdo de seus iuiquos j sim espera que se realise ) pois j nos consta t. batalho Joao Aires da Silva tenente da
pinos, 1 blando todos os pructssus, que na- [ que S.Ex. mandara o Iran binte tenente 4 compiuhia F. de Abren Barros, major
v:ao lurtbfeo. A Comarca do Aracaii que se Xi.denco para a Villa Vicosa oiu oileula da legio Francisco das Chagas de Araujo i* de Direito que o Aracaty bfera seria ata-
cou j e das \ ilta ueste uooiti, Caacavel e pracas o alteres Clugas com quarenta para alfere e commandanle uterino da 1. campa- do pela genle de seu lado 1 e nos soinoi
5. bunaido dos iiujsas, Ui huma dasem S. neucdicto, que lie pala dar uu.n sultoem j iinu- Jos de Lima Kdieiro de. Carv^lbo Joppreisoras, 1111^ i;,les rebeldes convictos pas-
i st coiLu-tvciau u-w.-i^. ilewtiuWj uj ViliuNuvanauciMtia dilijjejeque uu I lael0 commandante d*J. ti|uniu -au- l6ijuuw ut 5Wj jj4f< r*t
com aquella corngern por todos recomienda
disse que o Governo devia susleular sua
dignidaJo fazeudo entrar a forca para restabe-
lecer a ordem publica embora sua vida se
perdesse as raaos dos assssinos.
A' visla desta resoluto digna do* mais de-
dicados amigos do Imperador e da ordem os
rebeldes immediatamenle ofia ao comman-
danle da forca respousabilisando o petas tris-
tes e funestas reaeces e vingancas que ap-
pareceiia se elle se aproximaste : e a respos-
la fui a que dcixamos transcripta e que ser-
ve para mais confirmar que o partido verda-
deramente da ordem nao se quer aproveitar
da oceasio para de lodo pulverisar e sup-
planlar seus inimigos raucorosos.
s cheles desle desatino os que o promo-
vern vendo sua causa perdida e que ne-
nbura soccorro apparecia desapparecera da
illa leudo desembarcado aqui ha poucos
das o Jui de Direilo que desamparou sua
comarca depois de estar tranquillo ti dias
entre os seus amigos de S. Bernardo o bs-
cripiurario da Alfandega Jos Joaquim Fiuza
Lima e o seu irmo Manoel, guarda da mes-
la que a deixara sem participir cousa al-
guma ao chele o afamado Joaquina Liberato ,
e o turbulento estrangiiro Joo huir dtgaO
genro de Silvestre Cnuinhi ; e aqui passsau)
aiardeaudj dt seus crimas apregoindo o Ju-


D I A II I O DE iSR*MBUCO
Porfirio no tempo de Sons* Marlins sao arran-
cados dos bracos dos seus filhos e encarcerados
na Cadeia doSobral pelo principio,do Salua
populi, s porqaeo celtberrimo Bussola par-
lecipa ao Sr. F. Soza Marlins que era el-
les suspeitos de connivencia com os balaios ,
quando todos os precedentes de sua vida e a
riqueza do segundo depunha em favor de seu
amor a paz e ao repouzo ; c estes forngidos
fomenta a desorden enthusiasma os re-
voltosos salteadores e nada soffrem e anda
uso contentes ameaca-nos cora hura S. liar-
tholomy igual ao do Para, agitando a cana-
lla cuja grossena feroz e ignorante tudo
se altreve movida pela mo dos malvados que
a arremega fanatisada pelas vivas da iniqui-
dade Sim a anarcliia horrivel osuccesso
medonlio do Para que Lanto deploramos he a-
conselhado como meio nico de salvago e
vinginca !
. O escarneo he tuda quanto as desgracas e
o soffrimentos do coronel Joo de Castro ins-
piraras a essas almas de lodo que he accu-
sado como hum monstro cruel, quando sua
alma generosa e grande li intensa a vingan-
ca Kquaes sao as oppresses e injustigas
que elle perpetrou ? (Justa a guardar a pa-
ciencia quando se v a deslealdade a per-
fidia e calumnias que com a mais revollanle
audacia esses moyos apresenta em suas duas
anarchicas (olhas 1
A forca da Legalidade em marcha acbava-
pe forte de i to praeas leudo (icado no Ara-
caty grande numero de G. N. porem ueces-
6tados de armamento nao havendo nada a
leceiar de ser a tranquillidade publica trans-
tornada.
(Do a3 de Julho.)
llin). Amigo eSnr.
Cear 4 de Dazembro de 1840.
Cora tre das de feliz viagera cheguei a esta
Cidade onde me tenho demorado atlie boje;
porem pretendo partir para sobral onde, e em
qualquer parte poder contar com hum ami-
go e criado.
Como pedio-mo que lh participasse algu-
na couza a rsspeitodos negocios polticos des-
ta Provincia ea vou tocar-lhe por huma
capita entretanto remetto-lhe as folhas da
opposico donde poder colligir qual he o
estado dos negocios por aqu. O Alencar ,
como era de esprar seliou com o cunbo de
sua authoridade todos os desatinos do Facun-
do digo (|ue approvou ; por que atbe hojs
nada fez em contrario antes as leis d'Assem-
blea continan) suspensas coutinuo os pro-
eessos e o mais. O Alencar adiou ou es-
pacou a adiaco d'Assemblea pera meado de
Dezembro e as Elleijes para Janeiro ; elle
foi para Sobral, dizem que demittir so dig-
ne valente e prestante Teen te Coronel
Terrea do Commando da Tropa que def-
iende as fronteiras somente por que teme ,
que estando no Comando o Torres a tropa
vote com a opposico : os diversos agentes do
Governo pelas Vilas. da Provineia tem com-
D:etiido todos os actos d'arbitrariedade que
Ibes sugire urna estupida maldade em coa-
eeqaencia de tantos desatinos pegou em armas
a Vilade Batorit mas felisrnente pode ser
chamada ordem e agora tobem em S. 13er-
nai do oito centos homens toncarn mo d'ar-
naas por cauza dos processos e at assassinios,
que ali esta va platicando hum agente pren-
dero o piqueno destacamento e ao tal agen-
te que he Joo de Castro bera conhecido na
queile logar onde foi Esciivam pelos fur-
tos q' fez, pelos quaes foi tres veses querellado,
lio je feito Coronel de Lcgio e nao sei mais
o que o povoem armas representou ao Alen-
car para mandar tirar aquelle bomem dali ,
e para por em exeeusso as Leis d Assemblea
suspensas pelo Facundo ; mas neste interim
como o Alencar tivesse ido para o Sobral, e
deixado no expediente o seu Ajudante d Or-
dena este sein esperar deciso do Presidente,
maudou marchar cento, e tantos homens
contra aquelle Snr., talvez com ordena de
fazer o mesmo que Tbeodoro mandou iazer
em Thesalouica porem creio que o resulta-
do desle drama ser nada menos que a
conagraco de toda Provincia, Deosqueira
que rumbas apprehensdes sejo quimricas ;
Das o nosso estado he horroroso; talvez mes-
mo que a esta horvja lenbo-se eilos mul-
los assassinios por que o povo que estava
em armas desia que se o Governo maudasse
tropa tnalavo ao tal Joo de Costro que li-
li nao preso e mais alguem e he provavel
que se tenbo batido com a forca do Governo.
o Aracaty eapera-ee ja igual rompimento ,
e quando nao seja ja t pelas Elleices be ine-
vilavel, o sangue oeste dia hade correr am
inultos pontos da Provineia segundo oa ai-
laos e uisposicts dos hjmeus, por que o,
Alencar tem huma bera piquen parte da ?
Provincia a maioria he d'opposico, elle pro-
cura (vencer de todos os modos emprega a
forga a maioria quer suplanta-lo para ver I
se deste modo fico livres delle o re-
1 soltado he a guerra civil Terrivel eousa !
Eu temo nao poder voltar tempo para Per-
nambuco por cauca das desordeos.
Entretanto eslimarei muito que gose boa
saude e passe muito boas testas acampanba-
das de immensas felicidadas, e aproveito a
occasio pera reitererar-lhe os meos protestos
de mais subida eslima gratido e samado ,
por que tenho a honra de ser
De V. S.
Amigo Obrigadissimoe C.
* *
ItABASauS.
publicacao' a pedido.
Ha poucos dias parti para a Corte o Sr.
Antonio Gomes Lial Major Comandante do
Batalho Expedicionario de Pernambuco ,
tendo sido scolhido pela Cmara da Villa do
Brejo para em seu nome ir felicitar S. M: l.
e C. Este tpstemuuho de dislincco e confi-
anca que mereceu o Sr. Major Lial da Mu-
nicipalidade do Brejo um escasso galardo
que o nosso reconhecimento Ihe tributa, pe-
los assignalados e relevantes servicos que
elle prestou aquella parte da Provincia. Co-
mo Militar o Sr. Major Lial soube casar o
valor cora a prudencia a actividade com a
reflexo ori?orda disciplina com a afabiiida-
de o respeito com o amor de seus comanda-
dos. Com estas grandes qualidades elle mui-
to cooperou para as victorias que ,aleancaro
as nossas armas naque.lla Comarca e para a
polica e tranquilidade publica depois que a
mor parle da mes roa Commarca se reudeo
aos exforcos de nossos bravos.
Como homem na grande calamidade publi-
ca que nos trouxe tantos padecimenlos seu
coraco folgava de proteger a innocencia ,'do
estender a mo ao infeliz de suavisar a dr
ao allicto sincero humano e franco foi
estimado por lodos os que livero a ventura
de o comunicar, e relacionar-se com elle.
Os habitantes do Brejo penhorados por tantos
beneficios, viro com saudade apartar-se
delles por algum tempo o seo protector, o seo
amigo Pesnambucano, e fuero incessantes
votos ao Ceo para o levar com prospera vi-
agem ao lugar do seu destino. Vai o Sur.
Major Lial aportar ao lugar do seu naf cimen-
to, e ahi se appresentar ao Exm, Presidente
o Snr. Francisco do Reg Barros, coberlo de
gloria, e das bencos dos Maranhenses, cor-
respondendo assim to altamente confianca
que nelle depositara, quando o nomeou Cora-
rnandente da expedico para esta Provincia,
pela sua recomienda coragem probidade, e
inteligencia, e deUe reeeber S. Ex.ossin-
ceroi apradecimentos que Ihe envio os habi-
tantes do Brejo, pelo presente que ibes fez
de to valente e nobre Militar.
Estas lindas que traco inspiradas pela gra-
tido e dictadas pelosentimento so da ver-
dade se conformo com a resposta que e
Exm. Sr. Presidente Luiz Aires de Lima deu
a Cmara do Brejo onde resido, na qual conce-
dendo-lhe a permissso que ella sollicitava de
euviar Corte o Snr. Major Lial o distingui
como unidos mais dignos oticiaes do Divizo
do seu commando.
CWira, Snr. Redactor, dar publicicade a
este signal de recoobecimento que ao mrito
didica.
De V. S.
Atttento venerador e obrigado criado
Jos de Meirelles Pinto.
Noticias Estraim-eiras.
liarte pelo benemrito coronel Casanova e
na cidade por doOl cpitesdi guardacivica.
O governador delegado Zabilia foi abando-
nado por lodos os seus e ebegou sosinuo ao
acampamento de Rosas. De Lpez nada se
sabia; o general La-Madrid entrou depjis em
Cordova a frente de tres mil homens.
Em Buenos-Ayres havio apparecido nes-
tes ltimos dias dous homens degoUdos, com
este cartel : Paz com os Froncezes ex-
terminio dos unitarios. ?' Continuavo as
arrematacoes dos bens dos proscriptos que
ero dados vilissimo preto aus merabros di
Mas-Horca*
TESTEMNHOS DEGRAHDA NACI-
ONAL A ROSAS.
viv a reDEaacA '
Projecto dejei.
Artigo i. Declara-se, por parle da repre-
sentaeio da provincia que o govornador e
capilo-general della o illustre restautadnr
das leis brigadeiro D. Juan Manuel de Ro-
sas corao encarregado das relaces exteriores,
e negocios da paz e guerra da Conederaco
Argentina desempeuliou dignamente os de-
veres de seu encargo as desavencas qus exis-
tio entre este governo e o da branca e que
be hum firme defensor da liberdade e inde-
pendencia da repblica.
x. Huma comrausj da honrada unta dos
representantes, que o seu presidente designar,
Ihe apiesentar em nome da provincia ,
huma medallia de ouio guarnecida d bri-
Ihantefl que ser leila custa dos fundos pu -
bucos e que lera as inscripcoes seguidles ;
No inverso se lera
VIVA AFEDERAQV!
A Honrada Representaco da Provincia
AO CRAHDE CIPADiO
ILLSTRE RESTAURADOR DAS LEIS ;
Firme
Defensor da Libeidadc
e
Independencia da repblica .,
que
Sustentou com herosmo
sus
Honra e dignidade
3, Ocidado brigadeiro general D. Joo
M a noel de liosas sera exonerado duraute to -
da a sua vida de toda contribuico directa ,
ou exaccao Jorcada.
4. Seus filhos ser5 isentos do servido mi-
litar.
5 Os criados de sua pessoa ou familia,
na cidade ou no campo t jor.ar de igual
privilegio.
6. Poder conserrar por toda a sua vida
huma guarda de honra correspondente a hum
capio geuerai.
j. O mez de outubro ser chamado de
ora avante mez de Rosas, escrevendj-se era
seguiraento entre parntesis ( outubro ) ,
e na contiuuicu o dia da data e anuo.
fc BUENOS-AYRES.
io de novembro.
Temos noticias de Buenos-Ayres at 3 do
corrente. O Sr. de Mackau havia solicitado
buma audiencia de Rosas e ainda nesla data
nao a linha oblido. A Mas-Horca o bata
visitado varias vezes. Mansilba orgeuisou
huma subscripeo para dar hum baile aosol-
ficiaes francezes que lazem o tristissimo papel
de vencidos entre seus vencedores. Corrii
como certa a derrota de Pacheco entre Areco e
Arrecifes.
As noticias das provincias interiores sao
imporlantissimas e eonfirmo plenamente
quanto sabamos. Aldo havia sido derrota-
do pelas foreas do coronel Gomes que com-
mandava huma diviso doexercito libertador.
Em Santiago houve huma revoluco contra
Rosas, promovida pelo coronel Gonsa Ivs del
Estero e operada pela diviso lucumaua e
por too Tlenles de Santiago.
A revoluco de Cordova foi dirigida no
VIVA AFEDERACAO!
Pmjeclo de lei.
Artigo r. Fici creada a classe de grao ma-
reclml cora o tralamento de exceliencia.
2. He nomeado grao tnarechalu benemri-
to brigadeiro D. J. AI. de Rosas.
3. A commisso militar presentar aanc-
codall. sala, hum projecto que disigne
o sold honras e distinctivo militar classe
de grao marechal, &c,, &c.
VIVA AFEDERACAO'!
Projecto de decreto.
Artigo i. A provincia de Buenos-Ayres de-
clara benemrito da patria em grao heroico ,
o Ilustre restaurador de suas leis o grao ma-
rechal U J. VI. de Rosas.
2. A provincia, reconhecida pelos eminen-
tes servicos deste seu illio predilecto resol *
veo e decreta ;
Artigo i. Que, durante oa preciosos dias do
grao inarechal D. J. M. de Rosas, todas as
pessoas de sua familia e ligadas seu servico
em qualquer ponto da provincia sao isentas
do servico militar*
a. Sempreque o benemrito G. raarechal
D. J. M. de Rosas transitar pelo territorio
da provincia pjder usir elle e sua comi-
tiva de saques sobre o thesouro publico, dan-
do hum biliiee ( papeleta ) que se pagar
vista no thesouro com o simples pague se
do ministro desta reparticao.
3. A correspondencia epistolar e ollicial do
G. marechal ser franca de porte.
4. Na correspondencia privada eoHcial do
benemrito G. marechal U. J. ;W. u llosas,
Ihe ser pcriuitlidu o uso do sello com as ar-
isjj da WfaV) o coin a imwipcao seguale, --
" A provincia de Buenos-Ayres ao defensot
da independencia di ifpublica.
. O sello, de qiie trat\ o artigo anteceda-
le gravado ein oura e ca nr>r,i > pelo tbe -
souro publica ser apresHoUdo ao bfl rito grao-marechal I), J. M. deRotM, p-l
presidente de H. Sala.
7. O henemerito-grO marechal presili-
r sempre que assislia aos actos de etiqueta,
e seu asiento ser uperior ao do cooimaa-,
tlantc geral dis armas &c, &-.
A H. Sala dos representantes em premi
dos distiOCIOS e relevantes servicos prestados
por D. J. M. d Rosas sanecionou o se-
guinte:
1. No terreno da proprieda.ie particular du
S. Ex. se edificar lium sumpluoso palacio
por corita do estado.
a. No marmore do frontispicio se gravar
esta le &c. &c.
(dem. )
[Do DespertadorJ
LOTERA DO LIVRAVIEN'TO.
O Thesoureiro da Lotera faz sciente ao
resfieitavel publico [que como ai a venda dos
; bilbetes cora grande alluencia] que deseja que
os amantes desle jogo coneorro para a com-
pra para o mais breve annuuciar o_ iiupre-
erivel dia.
A.visos Diversos.
KS^- O abaixo assiguado com aula particu-
lar de primeiras letras na ra de S. Acaro ,
em Pora de portas faz sciente ao respeitavel
publico que deu este anuo por protnptos das
pi uncirs letras a tres di; seus alumnos ; os
quies foro examinados e salario aprovados
plenamente na diU aula cojos nomes sao os
seguiuies r Antonio Felipe de S. Amia Bar-
ros Manuel Joze Pinheiro e Herculanj
Joze Pinheiro e para mostrar o seu zeio a
actividade que tem empregado no curto espa-
do de dous anuos de entino fie o present
para conhecinrentodo publico; assian como td
bern scientifica que d'ora era diante .todos
quanto o abiixo assignado for dando por
promptos far pubiieaco por asta folia da
seus respectivos nomes para conbevimento do
' mesmo respeilovel publico ver o quarito
j elle se esmerar paran booa ensiuo e apti-'-
do de seus alumnos.
Joaquim Joze de S. Anna Barros.
tsr Quem quiser comprar usa rnolequeda
naco de 14 anuos de dade oplim.' para
qualquer otficio e urna escrava de naco do
i5 anuos cosiuba lava de sabo e varrelia ,
e afianga-se no papel a boa conduela de am-
anabas ; dirija-se a ra Direita, D. ao, lado
do Livrameuto.
%sr Preciza-se alluger urna escrava pa-
ra o serviejo ma casa de pouca familia, qus
saiba comprar na ra cosiuhar, eensaboar
dindo-se-Ihe o sustento e laU rs. mensaes \
ruadas Flores 3*
fc-y O Collegio de S. Boventura insta-
lado na P'reguezia de N. S. da Sii le do Pojo
da Panella d'esde o primiro de Fevereiro >
de 1833, conforme os seus Regulamentos,
d as ferias do estillo amauh (20) do car-
rele. O Collegio encerra em seoseio ha-
bis Professores das materias, que os Alum-
nos preciso. Os dignos e honrados Pas
de Familias, quequizerem matricular seus
charos filhos o po Isro fazer durante o es-
paco das ferias que sero t o dia 2 de Fu-
veieiro do anuo prximo viadouro, O Di-
rector do mesmo Collegio tem a honra de
convidar a lodos os Sara. quo quuerem ,
que seos fiihos se ulilizem das Artes literarias,t
que ali se ensiuo com aproveitaineuto do
Alumnos.
ur Preciza-se de um menino para caixei-
ro ; na iojado Sur. Baudeira ra do Ca-
bug.
ssr Pede-se a m guarda da primeira c-
panhia do seguudo Batalho, queira levar o
importe de um corrame, qu comprou na ra
Nova,D. a2 alias ter o dissabor de ver oseo
nome publicado par to diminuta quautia.
tsr O Reverendo Vigario da Firguezia da
Ipojuca convida a dous Snrs. Sacerdotes
para seempreg*rera un na Coadjutora da
mesraa Freguezia e outro na Adminislraca
da Capella curada do N. S. da O': os Senho-
res que esliverein neslas circunstancias di-
rijo-se as 6 pontas ao pe do beco do Marisca
primeiro sobrado L). i que acaar coas
quera tratar.
137" ma Sen hora que foi passir a festa no
mondego no sitio da capelinha faz doces
de todas as qualidades pao de l t 39^
quilbo* podiin bolo ingle*, pastis de nan
U tortas e doces d'ovus tala mulla bui
Caito o por pre.o coinmodo.


DIARIO D R PFRNAMfiOCO
nwwjwfa
5' Pii'cua--e de nm;i ana de loitc ; na
rua.uasCruzea D. uo secundo andar.
sss~ O* rirfoi'i tic Joo J-. Ferreira de
Vello sao convidados pelos encarregados da
iiqddacao da casa dndjilo Mu..
rem ho|e i.) do crrente as
tao que hola para ontra rua ; a tratar na na cr Seis clasr.es proprias para aula de pri-
etas tnncheiras n. ai.
K-y Anlonio Gomes da CunliE e Silva mo-
ra Da ra da cadea do Recife n. 4o defronte
lo lioras la
maulla no e.-criptorio de Lenoir l'uget &
( .o.'iipanbia,
ssr" L'in porlugwz se offerece para caixet-
ro de loja de erragens ou armasen de as-
quear do qurttem pa tica ; queai precisar di-
; na-se a rua estrena do Rozario no depona
oe assucar.
ssr A pessoa que por encano tirn do
rorreio uma carta viuda do sal pelo ultimo
Vapor para Bernardo Jos Vieira Coutnho,
queira i'dzer o favor d; a entregar no escripto-
1-10 de Manocl Joaquim liamos e iKa ou
ansa-la de novo no correio.
SS?" Ha -se de cem a uro cont de reis a
premio sobre pinbores da bur ou oris na
' ia das Cru/es junio a Typografia I) \.
tsSr Joaquim Francisca da Conceicio e
I diveira roga aoSr. Asqiiatario das Cau-
i ellas da Sec
nao pagar sendo
acompavece- da ra da Aladre de Dos,
Hi-
para caixeiro de venda ; quem estiver tiestas^
circunstancias annnncie.
tpr Precisa-se do Una ama deleite ; no
largo do Terco lo j file snalos I). 3.
S3T Arrendao-se aiinualmaiite, ou somen-
le pelos quatro metes de festa duas aloradas
rie casas terreas a barracadas sendo urna
deilas u em que resedioo Esm. Snr. Bispo
') 'Mioma/ de INoronba e a oulra ron ligua
a mesma as paos sao situadas na estrada ,
que vai da Solidada para a do manguinhn e
com reparlimenlos segundo o gosto moderno ,
com sallas de visitas oito quarlos boas sa-
las de jarilar cozinhn lora com assenta-
nienio de fugoes ingle/es boas cacimbas com
age* de beber senzalla para pretos eslri-
l'viria para dous cayallos e pelo preco cada
un i de 18o oki annuaes, e sendo pelos i me-
meiras letras ; no paleo do Coliegio sobrado
por cima da loja de aKaiate.
Ky Duas I i nbas ptimas pira a espigoens
com 65 palmos de comprido e la poegadas
Precisa-sede um menino portuguez de grossura em quadro de lotiro ; em lora
de portas no ultimo tanque ao p do pilar, ou
a fallar com o taires defroute do sobrado no-
vo do Barbosa.
CT" -Na prarinba do Livramento loja I)
i>4, um completo sorliaeuto de facas e gar-
fas de cabo de marim de osso finas imi-
tando a marlim e ditas entrefinas bandei-
jas finase entrefinas prelas e encarnadas e
oulras mudas miudezase ferragens por preco
commodo,
S- Urna casa terrea multo boa com duas
salas, 5quarto*, sala de jantar ecozinha,
na ra novada Cidada de linda na quina
que vai para o recolhimenlo das freirs; a
:iedade Fortuna Tynogiafica de tes o seu aluguel be de 100,000; os preten-
udoest.-jao premiadasduascaulet- lenles duijo-sea ra de Hurtas sobrado De-
dos nmeros i:>8, e 3*3.5 a primeira cima jo.
,'. ne da quinta Lotera do I bea tro assigna---------------------------_____-___________________
daapelo anunciante aenajo ao momo, pois AvSOS .Ht Til l,Oil,
lorqo perdidas no dia 1 y do corren le. ________
HT Perdeo-se no da .5 do crranle um FlllTA-SK pura quabjner porto da Huro-
nera talhele da primara parle da quiuta lo- pa a Escuna li,.;|eta Jobti Roroilly [ A 1 ] ,
ieria do tbeatro tieu, aj e asignado us forrada e eneav'ibada de cobre de lote de
razes 5 15o toneladas t e juntamente a Escuna l)i-
iraiar na mesma casa ou no Recite na botica
de Joo Pereira da Silveira.
$&- Urna escrava de idade de 16 annos ,
engomma e cose cha ; na praca
pendencia n. aa e a4>
%3T Urna canoa grande, que pode rece-
ber 5oo a 600 tijoiosde alvenaria a qual se
9- Urna negra moga ,1 dejbonita figura ,
costurerra engomroadeira e cozinlieira
e he recolbido na ra do crespo D. 5 lado
do norte.
tsff~ Duasescravas recolhidasj, de nacao,
de idade de ao anuos, engommo e cozi-
nho com perfeico tres escravos mocos urn
bom canoeiro um moleque de4 idade de |fj
annos, eoutrode i, duas molecas reco-
Ibidas urna molatinha e mais 4 escravas
de todo o servico ; na ra de agoas verde**'
D. 38.
tss^ 4 moleques de naco de idade de i{
annos ptimos para psgem una parelha
de negros de idade de a a annos proprios para
todo o servico e para carregr cadeiras, um
pardinbo de idade de 18 annos, sabe tratar
de cvalos, e niuito bom copeiro, e urna pe-
la co/.iubeira e quitandeira ; na ra do fu-
go sobrado ao p do Rozario D. 25.
SST* Carne do serto omito boa a no rs. a
libra e a 384o a arroba e tamben urna
porco de ossos que servem para escravos, tu-
da lude- I do muito gordo e nmi porco de sebo ; na
ra da senzala velba na venda de Antonio Jos
.Muniz.
tsg- Um negro ja de idade de naco con-
cha acabada de cmslruir uo estaleiro do oilo g Pia o servico de campo e um mole-
da asa do S..r Jos lligino de Miranda ; na |e de "dae de ia anuos 5 na ra velha so-
p/acinba do Livramento n. at). | b,a Uma preta moca de naco meia
ras.
cusas o Hume de Albina Mana
uos
.a
poriBsoroga>8eaor. Thesoureiro da mes- na marqueta Experimeot, torrada e enea vi-
aja que sandoesleja premiado nao pague se I hada do cobre, edebtede l3o toneladas;
..oaaanuocnie quem a pretender dirija-M a Uc. Calmout
S3T- Os 5rs. que leoi pedido dinheiro em- &. Corapabia.
prestado at. abaixu aasignado pibe nao le.n I'AIIA MA.VIBDRGO o Brigue Harobur-
pago no lempo que irauro, cuidem em ie enea Victoria forrada* encatdbade de<*-
mandar pagar, sem perda de lempo, do bre, edelotedeSo toneladas; os prelen-
t^ ^.- |.... M buSal e bem possante ; na ra dos Marti- E^* Um cavallo alazao caxito novo com
nos D. (i lado da lureia. ; t0(*:i os ai,,aretJ bstanle carnudo e muU
>s => Diccionario histrico, um melbodo tuardigo; na ra da praia armazea de Va-
para llama um dilo para violao atlas mo- uuul de onza tJuimares.
derno arilhmettca de Lacrois, mestre fian- -----------_-,,--------------------------------------------
cez cinco cdigos dito compendio de bo- JiiSCI'aVOS V II !'i(i OS
lanica cdigo commercial elementos de as ?"--------------------------------
tronomia direito ecclesiaslico, Horacio, ma- | tT No dia 4 do p. p, desapareceo urna ne-
nual devoto, missal festivo, selecta, pra- gra creoula de idade de 18 anuos alta, lc-
tica criminal, pranto de i\. S* Salustio ca do corpo cara comprida e muito comida
veraoosseusnomes paUlicadoa, as- denles diijo-*e a JV|c. Calmont &. Compa- Telemaco trignometria de Lacaoix trata- das bechigas olhos grandes, sobransellias
-uu como a cario Sr. que pedio ama pistola nb
roiprestaua a oilo annos que se iembre (i.- 1
lii-a.
mandar restituir. VlajiOel A ves di Co*.
\~y Outiii precisar do doua prtoi serven-
tea, dinja-sea roa do Catjuga luja de Joa-
|uim Jos da Cosa.
PARA O RO DE JANEIRO sahir com
brevidade por ier sea carregamenlo quasi
promplo o Brigue Brasileiro Santa Maria
UoaSorle, Capito Jos Joaquim iXu:- dos
Prazores ; para frele'b passageiros trata-se
ssj- \nwtn prensar de u.ua ama para o ser- com os Gonaaive Cselo na ra da cadea
ico;de urna casa d.r.ja-se .. n.a de agoas ver- ,1,. Recile ... .jo ou com o mesuio Capito na
**" praca dn Commercio.
OT Aluga-se urna escrava moca que en- PA B A LISBOA o Brigue Bom Jess sabe
4Mla ue venuer baenOas ; quem prelendei com toda brevidade por ler parle de seu car-
a da Clona v a5. regameoto promplo ; quem quiser carregar
ou irdepassagem para.o que lem excedentes
com modos
urqa-se a ra
sr* Ka rua larga indares, ensaboa-se, < engomma-se roupa commodos dirija-se a Gaudinbo Ag(
om todJ asseio piomplidao e preco rom- de Barros atrai do Corpo Santo 7,
V.IO.___________________________
?V" O Snr. Padre Francisco Hermenigido
loaSautos, diript-se a rua nova fabrica de
i.q.eos I), ua jiaia receber una carta viuda
- Lisboa
#> O abaixo assigado a vista do anuun-
co uiseilo no Diario u. -27a, ralalivamenle
1 piopiiedede que loi do fallecido Jos |-'er-
JLeilao
rio espiritual Vayge de Cyrus livros em grossas, nariz regular boca pequea bei-
branco pasta para meninos traslados e 9"S grosos dente* limados espadauda ,
carias de syllabas ; na praca da Indepen- sintura fina tem os dedos minimo* de ambas
deuda loja de encadernador D. at. a* mos alejados ; quem a pegar leve a rua da
3-y JNo assougue defronte da cadea, tou- penha sobrado de um andar do lado do Li-
vinbo de porco muito superior a ito a li- uramenlo quesera recompensado,
bra, W Na noile do da 11 do correte fugio
X3T- l'm excellente bicudo um curi e um negro de nome Jo* de na^j, de ida-
um canario: as 5 ponas casa d um pintor dede 35 annos, baixo chelo do corpo ps
lado do nascente. grossos ieio de cara, levou vestido camisa
XZT O Corretor Oliveira offerece a venda de chila azul colete de panno fino prto-ja
urna bem construida maquina de vapor, de uzado calcas de lona ja rota pelas pe mas A
lorca de um cavallo com todos os seus per- costuma andar com eaximbo na cintura, foi'
lences inclusive raoinho para cale, e mui escravo de Joaquim dos Santos Azevedo, e de
proprio para niilbo mandioca, feiio pi- Joo Vlanoel Pinto Xaves este negro eos-
menta ou outra qualquer aplicaco que se turna fugir para as bandas do Kozarinho
Ibe queira dar ; a sua ulilidade he de multa ""de ja ioi visto quemo pegar leve aira-
consideraco principalmente para Srs. de en- vessa de S. Jos i5 que ser recompen-
genbo que leubo grandes fabricas, peta fa- sado.
ciiidade com que d'ella podem servir-se para I E^" No dia i5 do correte fugio um preto
tST yue fa/em Me. Calmont & C. de
\ 11.bo tenerife de ptima qualidade em
Banis t roelas pipas sbado 19 do 1 oriente poupar irabalho bracal de seus escravos ,"e o creoulo de nome Telestre de idade de ian-
boras .....ules Cama julga dever declarar pe
rteseute a fint de evitar
)el
dita
as 10 oras da
rua .la Cadeia
V (v;ue lazem L. (i. Ferreira & Mansfl-
eld por i 11 ler venci uo Coiretor Oliveira,
lie urna porcoUe carnes salgadas de porco ,
e vacca em barris terca lena ux (,o Corren-
inanba, uu seu armazeo por
e da senzala ve-
C O III p r a s
qncstoes que
piopciedade (se he a ero (|ue mora o tfiuiun-
unie como se deve supor ) Iheesi.i arien-
...u.i por b anuos e de umoeira que pausando te as 1 1 horas da
a a novo potsuidor be este obrigido ,. deinss da casa dos meamos'
. uiupni Uiloairenaroei.io pelo lempo que li.
liar para prebeuer aquel es anuos segun-
ou loi declarado en outra occasio por este
mesmo diario, AutoDio de Souza Raugel.
i^5- i) Jccitlan-) fia Sociedad* Paneuse
an>a i.o> socios que boje t) do frrente ses-
sueatraoraiaaria >u>prelerivelmenle as b ho-
ras a u.eia e parlecipa ay.s oieshios que ha-
...o ue .reui reielier sus bliheles para .. en-
sttiogeral no dia ai rmcasa do Thesourn-
10 na rua d (loria,
Aln;;a-iC un preto ou moleqiif
precioso lempo que perdem quando all o nos, beicos grandes, falto d cabed os no
pedem poupar por meio da mesma maquina, meio da cabeca foreiro de umamo, levou
sasr Um escravo de idade de ao annos, vestido camisa e caltas de brim liso, ejaqueta
acoslumado a liabalhar nos trapiches; na rua de rucado; quem o pegar leve a rua das Cru-
Ui
&&~ uipacasa mea agoa, que seja no batr-
10 de S. Antonio ; quem liver anutliicii .
i L-" Dous peso de duas arrobas cada um ou
de arroba ; na rua noa au.
V
e 3. ti ;i
s
para
menino ; na roa direita
or- KOLHINHASde Algibeira Porta,
e Padre impressa nesta Tjrpografia e bem
conhecidas pela ezactido do calculo ; na pra-
\eiider pao coro un
jmdaria D. 4-
BjBjr A peesOS que quiser alagar urna ne- a da Independencia loja de iivros 11' 3? e5d,
gra que saiba coziuhar e eugomuiar annuu- na rua dovabug loja do sr. Baudeira,na
ie rua da cadea do batro do llecife loja que loi
*gr O primeiro secretario da Sociedade do "r. (uaresma na rua da Madre de le.,s
Natalence, convida gera(mente a lodos os na venda da quina delronle da Igreia no
, Jlltistres Socios para sesso extraordinaria' atterro da Boa vista loja do Snr. Moreira Dias
ijomingo uo do oliente pelas 10 horas da I D 10 e na botica do Snr Moreira, deron-
.i.ha impreterivelmente para se tratar de! le da Matriz ; e tm Oiinda botica da rua do
>dijeclos 1111 porlantissirnos tendentes aos fins'Amparo.
iia mesma sociedade e para que s.-nio cha- SW Urna negrinba creoula de idade de 7
^e proceden ou preaeute | aunoa j na rua de Hbris sobrado D. it>.
Vi" Ra praca iU independencia ioja 11, ao,
borieguns franceses de nianoquim e cores a
dous mil rs o par sapalos de ciuraqiie de
Clia
.em a ignorancia
uiso.
ti/- Da-se a quem liiefom brevidade uma
porco de cauca para ei.iiiiiio niiil.i pe tu do
.-o ib ai que ; 1.0 lee.) tapado por detraz >a
iiovajuniuao caes do ,\i<>cb..do.
\r Aluga-se para annozem de assucar | marroquim para senbora soniroenio de bi-
hum pelo, por preco CuOiOiudo;',queai quiser i.s de limo < rtieio a dous dilos de largara
annuncie. mamas de bico de ploma aoo cada uroa
la penha sobrado de um andar do lado da
Igreja do Livramento.
ts- Des cadeiras um catnap, duas ban-
cas redondas de meio de salla, e uma com-
moda tudo de Jacaranda e anda novo 3
mangas de vidro 3 caslicaes de dito um
caiidicito de meio desala; no pateo de S. Pe-
dro laja de uiarcineiro D. i.
tsar Um cao de ezeellente raca de trra
Dova; a laiUr na rua daCruz n. 43 no se-
gundo anclar.
kur Uro prelo de meia idade, que euten-
de de ptantaces de sitio para tiabalhar de
exada ; quero o liver dirija-se a rua das Flo-
res D. 6 (pie se dina quem pretende.
6-vi*. \a rua nova na quina por detraz da
Matriz lojas francesas D. I e a um lindo
sortimeulc de carobraias muito finas adamas-
cadas e do boro ima sedas do padroens os
mais novos e ricos, lindos diales de seda e
de miriu mantas de seda e de fil de Hubo,
chapeos de seda para sen hora os mais ele-
gantes que se lem vislo cada um em sua cai-
iillba i.epao, sapatos de como de lustro e
de bezerro pura hornero ditos de todas as
qualidades para tenliora e menina, broze-
guins de duiaque pelo ede cor e gaspia-
dos para humero e senbora lencos de cam-
braiasde algodo dilos d linbo bordados
pita uiau, umgrAuda sortimemode cheiros
para loucador t de perfumara e muitas
outras gala&tarias dileienles, tudo receu-
zes. 9 quesera recompensado.
Moviiiieiito do Porto
iar .Aluga-se |iia fias-.ir 1 esla Um so-
brado 1 m Uiiinia nos 1 ionios, tutu > quar*
,s e/u I... loi a ,
tuii il D'uradi) i m poi
na Lisboa dilos de marroquim botina de Lis- j temente cliegado da Franca.
boa Bspatos a bolinados ditos Jliancezes de i Lr b 111 uieibodo de vioio por Mr. Caruli:
na rua o Queimado loja D. 9.
asir Superior sal do Ass alvo e grosso ,
e paia ue carnauba; a bordo do Palacbo
Lauientina Braaileira ancorada confronte ao
caes da lingoela ou na rua da Cruz n, 3 a
j aliar Con Louienea Jos das Nev#,
os quadrados de dito a b'oo rs. t e ricas
builladuras para casaca, tanto de metal dou-
roa o ue rerse por preco comsaado.
NAVIOS ERNTAD0S NO DIA 17
PARfl' pelos portos intermedios 19 dias Va-
por Nac. Bahiano Commandanle Jos
Mara Falco equip a4-
LIVERPOOL ; 5a das, Brigue Ingles V1.
diurrade ig5 tonel., Csp. Thomaz Ky ,
equip. <^ carga varios gneros j a Johnson
Poler.
ARACATY pelo Assu' j 5 dias do ultimo
porto, Brigue Escuna Nac. Aracsty de
16a ia tonel. Cap. Joo Antonio da
silva equip. 11 carga sal ; a Antonio
Joaquim de Souza Ribeiro.
SAHIDO NO MESMO DIA
LIVERPOOL; Galera Ingleza Cherhre ,
Capito J. H. Heucefc son carga assucar, e
algodo.
ENTRADOS NO DA 18
LIVERPOOL; 46 dias Brigue|lntllez Windeor
deato tonelj Cap. Hennque H.vton, equip.
xa cargo varios gneros; liallday Dourj
ly Se Gompania.
DITO ; 5a dias Barca Ihgleza Mariana de
i4d tonel. Capito Q. Campbell, equip.
i3 carga varios gneros ; a Schramm.
TEBRANVOA; 4o dias, Patacho Ihglez
Maseppa de i34 tonel., Cap. James Jor-
dom eqoip. 9 carga bacallro j a Har-
lison Latham 6c C.
SAHIDO NO MESMO DIA
PORTO B1CO ; Polaca Haspanbolaj Couce-
peo Capito D. Miguel Roldor, carga
algodo.
KKralrt'YP. E NL k\ E*?. i4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDHFBIBFP_GEG4RI INGEST_TIME 2013-03-29T17:13:46Z PACKAGE AA00011611_04189
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES