Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04186


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-Amo i>e 1840. QuaAta Feira
Judo foi* rfepasda da na wsiui ; da nossa prudencia, moc'.era-
clo oaria : eontinuawos como principiamos, serenaos apuntados
i adaairaco otrt a Maceg aaaia cultas.
Prodauaco da Asteublaa Geral do Brasil;
Sabscrtre-M para esta folha a 3om por quartel pagos adiantarfotf
ottta .lypograKa ra da Gruiej D.3, t na Praca da Independen-
i* ; ^7, 38, onde m recebeaa correspondencias le^aiisadas e an-
naiieiM, Muiriudo-M stes gratis, sendo dos proprios asignantes,
viudo aasgaados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES^
Ctdarle da Para bit e Villas da su prstaneSo ; S .
Dita d Rio Grande do Norte, c Villas dem.......
Dita da KorUleta Villas dem..............
Cidade d Goianna ................ ...
Cidade de Olinda.....................,
Villa deS. Anto.................. ,
Dita de Giranliuns e Povoaco do Bonito.........
Ditas do Cabo, Serinhaem, (lio Fornaozo, c Porto Calvo.
Cidade das Alagoas, de Maceio............
Villa dt Paja de" Flores.....................
Todo? os Correioi par lem ao meio dia.
CAMBIOS. DBZEX.no 15.
Londres......>i d. por 1 fooo oed.
Lisboa ......So por o|o premio por metal olTereeido.
I -ra:'-.i ...... 31o rei por franco.
Rio de Janeiro ao (wr. Comp. Venda!
CORO Moedace 6'.oo rei, velhas 1^800 i5jt'ooo
Ditas novas MfDM

>
It'joo
Ditas de 4/000 res,
Seg. eJSexUjfatia*.
Todos os diasj
Quintas Tetras,
lo, e ?4 de cada mes
1, 11, 31 dito dito
dem Hcis
dem 13, dte dito
PilASES DA LOA NO MEZ DE DEZ.
Quart. cresc. a a as i b. e 58 m da man.
La. Clteia a o as 1 h.t j'i m. iliraan,
Quart. ming. a 5 as 6 h. e {5 m. da tard.
La Nova a al- as a b. e 5a m. da mau.
Alare chela para O dia 16 de Dezembro.
As to hors a 54 minutos da mar:h<]
As 11 boras e 18 minutos da Urde.
Kj 100 SJfoo
FU ATA Patacn lirasileiios----------i#6'4o ijboo
,, Fe;o.Columnarios ------ 1/640 ij.'io
,, Ditos Mexicanos ------- ip 03 1/ ;o
Miu.ia.------------------------i?4o iflio
Descont de bilbetes da Alfaitde-'a 1 i|8 p r looao nieS.
dem de letras 1 i|i a 1 \\i por hcas firmas olitirecido.
lloeda de cobre a a 3 por ico tie dise.
DAS DA SEMANA;
11 Segunda S. Angeo Ab. Audiencia do Juil de Diralto.de ?J
vara-
15 Terra 5. Enzebio B SI. Relaco e audiencia do Juia de Direito da
1. vari.
16 Quarta As Virgeni d'Africa Mm. -- AuL do J. de D. da 3. vara.
17 Quinta S. Colanic il. Audiencia do JolS de L'ireito da si\>und
vra.
' 18 Sevla N. Snrs. d-Q*. --Audiencia do Juia de Direito da 1. vara.
19 babbario S. i'austa Retar o Audiencia do Juta de Uireito
da 3. vara,
ao Dominga .{. do Ad-, en'.a S. Domingos de Silos Ab.
PERNA MBUCO.
{ Dito Ao Prefeito da Comarca de Na-
; saretb, aecusando recebido dous'oficios de 7
do corrente datados, una contendo a qiiana
j de 36U36o reis importancia das Etapes que
1 de roais recebero 11 pracas do destacamento
COM MANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 5 do correte.
OficioAo Exm. Presidente, envan- daquella Comarca em Julho desteanno por
do-lhe em duplicado o mapna da Forca ce-J espaco de nove dias e outro os papis de
ctiva dos Corpos de Linha da guarnido per- j Contabelidade do mesmo destacamento rela-
tencente ao me* de Novembro ultimo; assim tivos ao mez de Novembro, dos quaes se de-
como o da Guarda Nacional destacada as di- volvio os pretes, e relacoes de alteneSes,
ferenles Comarcas da Provincia. para serem refundidos em um s pret e oms
' Dito Ao Exm. Presidente e Comman- relaco, conforme o modeilo que incluso
dante das Armas do Maranbao, remetiendo- ^ acbaria. Conclua communicamlo-lb? que
lheas guas dos Soldados invlidos do tercei- j o Sargento Selestino Perreira Leite coudusia
ro Batalbo de Artilberia Miguel Ferrei- a importancia dos mesmos papis.
ra dos Anjos, e Jese Jernimo de Oveiri, Dito Ao Teen le Coronel Commandan-
para que fossem sustituidas poroutras que te do Deposito mandando entregar ao Sar-
Irouxessem cerlos esclarecimentos necessarios I genio Seleslino Perreira f.eie os vencimen-
para pagamento do que se Ibes ficou a dever tos do destacamento da Comarca de Santo
durante o lempo que naqueiU Provincia ser- ) Anto pertencente ao mez de Novembro cu-
viro e procurando saber qual o de.itino do jos papis de Contabelidade opportunamente
armamento que estes soldados levarao.
Cito Ao Commandante interino do ter-
cei r o Batalbo de Anilberia. ordenandu-lbe
as remessas das fid'oiBcio dos soldados in-
vlidos Miguel Ferreira dos Anjos, e Jos
Jernimo de Oliveira a 6m de serena pro-
poslos para relortna ao Govemo de S. M. o
rio apresentados.
THEZOCRARI\ DA FAZENDA.
Expediente do dia 7 do cjrrenle.
Oficio Ao Exm. Presidente do Tribu-
nal do Thesouro Publico Nacional com os
Malangos da Receita e Despesa Geral desla
Im peraJor e dutndo-lhe ero resposla ao seo j Provincia do mez de Novembro prximo fin-
oficio de 94 de Outubro ultimo, que ao Exm. d0 $ e os os Rendimenjos applicados ao res-
Presidente da Provincia do Maranbao bavia:Raie 0 papel, e ao pagamento da Divida
nesla data pedido os esclatecimentos necessa- Externa pertencentes ao mesmo mez.
rios acerca dos vencioientos, e oceurrencias i Dito Ao Exm. Presidente da Provin-
Mililares destes dous soldados, durante o ca pedindo-lhe para transmillir so Tribunal
do Tbesouro os dous precedentes bfi'jios.
dem do dia 10.
Oficio-Ao Exm. Presidente, informan- i .
, 4 o j A Parca Mor do leio de que he Lapi-
do o requeiimento deAiaenio rortunato dit ,. J 1 <> .!...
to Dourado sai para Loanda a tb do cor-
las 5 boras
>il va
lempo qne ierviro na guerra daquella Pro-
vincia.
Dito Ao Commandante do Deposito, or-
denando-lbe a icmessa das les d'officio do
Cabo Manoel Gomes Teixeira e soldados
Antonio Lui? de Santa Anua, Joao Alves ,..
da Costa, Antonio Jos Nunes Joo Barbosa, Fasenda da Provincia do MaranbSo remet- | A"^:.!
e Antonio Joaquim Ferreira todos invli-
dos a fim de serem propostos para Reforma
aoGorno de S. \l. o I.
Portara Ao Commandante do Deposito,
mandando de ordera da Presidencia dar de-
mico ao recruta Jooe Lucianno Rebello vin-
do do Marauho por nao estar as circuns
tancias de servir na Tropa de Linlia,
DitaAo Commandante interino do Es-
Gusrri sijnifieando-lhe em resposta ac
seu oficio de 10 docorrente, que posto Fran-
cisco de Salles da Coit Monteiro teuha dei-
xado o lugar de Alnnv'iria da mesma Re-
parlico os livros della deven continuar
a servir at o fim do anno, fasendo-ss nelles
os competentes termos psra a toda o lempa se
c'onhecer a conta does-Almosaiile, e do que
o tem de substituir.
ED1TAL.
O Illm. Scnbor Inspector da Tbesourarin
das Rendas Brovinciaes m^nda faser publico
que em virtude do oficio do Exm, Snr. Pre-
sidente .ta Provincia de 11 do corrente, e
conforme as condieces que o acomp anbaro,
te lia de arrematar a quem por menos fier o
fornecimento das madeirus necessari.15 para a
Pant" de Santo Amaro, constantes da respec-
tiva Relacao que com as mencionadas con-
dieces ser patente aos Ilutantes eti todos
osdiasuleis, na mesma Tbesourarin.
A:; pessods o>ve se proposer#>n a esta arre-
matarlo compareci palas onse boras da ma-
nh do dia aa docorrente no Tribunal da so-
bredita Tbesouraria munidas da Fiadores e-
doneos.
Secretaria da Tbesouraria das Randas Pro-
vineiaes de Pernambuco la de Deaembro de
O Secretario
Luiz da Costa Poiloearreiro.
Diversas Reparticues
i-.-. .1 .1 ,. j 1 rente recebendo a malb a jt pe
Dito Ao Inspector drt Tbesouraria da, r
' larde.
O late Flor a Laran^eira, deque he
tendo-ln*. em cumplimento da orriem do,,, T ,. c u ,, -
,r r,,. i) 1 > v 1 a Mestre Jos Alves de ojuza sai para a ahn
Iriunnaldo 1 nesouro rubiico JMacional dii .. ,, ,____ ( v. ..... ,......---------- -----T-,
i3deOatnbro prximo pass.do a quanti.| bal* (.,b) cabendo a malla as .0 horas da ^ remc,ti(!S par;, Cadia,; Antonio
Tadas as maderas devem ser aprezentada
livres de blanco brezio lascous piolbo ;
ftidas e qtmlquer outro deleito.
Podas as pessas que qnizerem vender as
clitnj madeiraS pdem concorrer na -Salla da
sobredita Administrar,) Fiscal em ludos os
ciiasuteis horas1 do e. seu ajuste. AdtninislrAclo Fiscal 10 de De-
zembro de i/,0.
Moora.
A F.
.A Administraco Fiscal das Obras Publi-
cas precisa de sirvonte que se livres, e
possautes para trabadlos de arrastro* de ma-
deras, com o jornal desetecenios reis ; aquel-
las t esasas que quiserem trabalbar pou-sm
dirigir-se ao apouiador Geral na ponte da
Boa-vista.
Admitjistrago Fiscal das Obras Publcaa
4 de Desembro it ,0.
IMoura
A. F.
P R E F E I T R A*
Partq do dia i de Dezembro.
Ilm, e Exm. Sr. Das partes boje rece-
idas coata somenleque foraj bontem presoal
pelo Sub-Prefeito da Freguosia do Recita, o
preto Francisco Severianno Ribeiro rque-
1 ment de *u Senbor ; fot ren;e*ii.Jo para a
Cadeia ; pelo Sub-Piefeito desta Fregueaia
o |)ardo Manoel Marques, para recruta ; foi
detento no Callabouc) ; e pela primeii i Pa-
Irulha do Distrito da Ribeira o prelo Pedro,
escravo de Isabel Mara, por Jlii ^eri -
ido um punbal ; o emettiJo para a
Cadeia,
Parte do dia 1 f.
Illm e E\m. Snr. Foro hont;tn pre-
sos pelo Sub-Prefeito o prelo Fernando, es-
cravo de Luiz Gomes per:< i:a reqaesirfo do
seuSeiihor; o poiiuguez ESalbeos Manoel
erteira por ler feridoa outreo na Cabega ;
OBRAS PUBLICAS.
de iSjoooUooo de reis em tres Le.lras a jo 1
dp sendo huma de sete contos de reis, sobre
Leile & Irni^o otitra de iret contos de reh Pela Administraco Fiscal das Ohvas Pu- Poituguez Jo.se Antonio da Silva por queijta
sobre Jos erteira da Silva S Ionio, ambas Micas se hade vender em hasta publica a quem de ter le: ido na Cabeca o um pteio foi sol-
dosaqne de Firmino Jos Felisda Roza alio- mais der vinte e tantos costados de louro no-
nado por Machado Santos; e outra de oito tos de diversos com primen tos e de palmo e
Joaquim pelo mesmo motivo ; lo renietli-
I do Salla para o ser vico da Maiinha; eo
o ; pela primeira patrulba do districlo do
Corpo Suto acrioula \;nria da AsSump>o,
quadio numero 4# de Cavalhria de Linha,! contos de rei sobre Antonio Jos Soares Duar- > meio a dous de largo avallados em 511,920: e os pardos Arcanja Mara do Rosatio e Jo-
um; as lies- s dos Santos Lopes por btiga foro r^met-
lemettendo-lbe a justifca^o que perante o
Auditor de Guerra deo o Soldado da segunda
CouVpanbia Antonio Pedro Caralcanle de
Albuquerque, para qt:e proeedesse a Conse-
tidos Cadeia ; e o Portugus Manoel Vieira
de Souza pelo mesmo motivo foi Sollo ; pea
Sub-Prefeito desta Freguesia o prelo PjuIo
escravo de um tal Bastos por furiar ca-
te & Companhia do saque de Angelo Fran- preco porque lo comprado cada bum; as pes
cisco Carneiroabonado por Elias Baplista da seas que. quiserem arrematar poden) concorrer
Silva. i na salla da sobredita Administrac&o as il
L'ilo--Ao Contador da Thesouria parle- ; horas dos dias ll, 17, e 13 do corrente para
lho de Direcco na forma do Alv.de t6 de j cipando-lbe u commumeaco feita pelo Exm. (,nem seus Uncos; e querendo ver o dito
Marco de 1707.' Presdeme da Provincia em oficio de 6 do uboado podem ir a mesma salla todos os as i e o pardo Manoel Rodrigues da Rocha,
dem do dia lo. I correrte de baver, em conseqfueocia d'au- qfas Uteis as horas do expediente'para se Ibes por desordem : o.pnmetro 101 detento no Ca-
Officio Ap Exm. Presidente, requiii- torisacao, que Ihe conferio o Imperial vizo mandar moilrar.
tando-lbe a expedieco de suas ordens para de 5 de Selembro prximo passado exped-I Admimislraco Fiscal as Obras publicas 5
que osse recebido no Arsenal de Guerra, nao; do pela Secretaria de Estado dos Negocios de Desembro de lujo.
so o uiastio vellio da bandeira da Foi'talrza di Marinlia, e em vista da informal o do;
do lirnm ; mais alucia lies Reparos de pe- Inspector do Arsenal da Maiinha desta Pro-'
Motira.
A. F.
icasdebater, adose Esquepes ; obje.ctos que
por inuleis se fsiao ali disnecessaiios.
Dito Ao aesmo Exm. Snr., entiau-
do-lhe para ser dilirida como entendesse (le
juslica a peiiio do Soldado do Deposito Jos hral, Manoel Ambrosio da Conceicio Fddi- com 12 pollegadas de fice em quadro -- 1301 E*
Francisco Alves que pedia demicu, alie- Iba, e Jola Vlanoel Miguis que liavio si- eslivas de 4) palmos de comprido e 7 para'; asa'a
laboaio, e o segando para a Cadeia j pelo
Atieres de Polica Manoel Pedro o p.telo An-
' Ionio do Carmo, por estar uas circuiistan-ias
de servir na Marinba ; foi remmeltido Sal-
la ; por um soldado do mesmo Corpo o (,ar-
vincia ordenando a este para, idmitlir para Pela Administraga Fiscal das Obras Pu-: do Antonio Joo da Mata 5 poi briga ; loi
coadjuvarem os trah; os addidos Luiz de Franca e Mello Jnior, madeira seguinle a saber berl lohnslon por ter feudo a ntreos j loi
Antonio da Silva Sampaio. Jos de DeusC'a-' ?.o linbas d i!i a bo palmos de comprido remetlido p*ra a Cadeia.
E' o que consta das p; les hoja recebida
Secrclaria.
gando ser casado e ter a seu cargo urna nu-
merosa familia.
Dito Ao 'Pnente Coronel Commandan-
te do Deposito para que informasse se na
mesmo exista o soldado Joaquim Jos de
Sania Auna de que tractava o Comman-
dante de terceiro Batalbo uo oficio que lbe
euviava.
Parte do dia '5.
Iilm. e Exm. Sur. Foro bontem pte-
gea pelo Sub-Prefeitoda Freue*i* do rlcil
dj despedidos emJulbo desleanno, abonan- b pollegadas de grossuraiesteio3 de 4^
do tanto a estes como ao Praticant; Cluistovo palmos de comprido e 1 t pollegadas de face
Santiago de Oliveira a gratificaco diaria de em quadio.
1U600 res, que lhes kavia arbitrado, levan-' Os esleios devera ser de embiriba preta.'or pretos Jos, escravo ihi tiento Autoaio
do-se-lbes em conta o vencimento, que aciu- e toda amis madeir'a pode ser d* sapucaai Domingues por ser encontrado tarde alcaeute percebem, menos, ao Empregado de pilo rcacaranduba verdadeira pao d'ar- noite dormir debaixo ue u.u ie.h":iro, e
Joo Manoel Miguis. co e barat e as estivas podem tambem ser! faser-s suspeito j foi remetudo so su bnv
[ Dho ~ Ao Director blerino do Arsenal de de pao ierro, e coracio da nejro, j Malheus serao de Manoel i trato sfo-


DIARIO Dfi peftNUMBOCO
*
fdor no lucrar do Rebedoiiro do Bouito por. o1>a5 direito > as provincias para onde fo-
tei diii;;ido bordo do Rrigue Rom Jezus rem.
Nao estando comprehendi<'os no perdi
concedido aos desertores de
se9,* deser-
sa>-a fogir e ser dclido nelle pelo respecti-
vo Capito ; fui remedido para a Cadeia ; por
Malinas Antonio Cesar, Jos da Fonceca l gao simples os que tem desertado para as filei-
Telles branco, por lel-o querido erir com ras dos rebeldes o marecbal toma sobre si
um furador ; leve igual destino ; pelo Cora-
roissario de Polioia do destricto da Ponte Ve-
Uta da Roa-vista o preto Joo, escravo de
Joo Francisco Coda por estar erpancando
a una prea ; foi detento no Calabouco ; e
t/elo Sub-Prefeto de Olinda o pardo Simo
Diss de Mello, por ter conimetlido obscenida-
des, e iiisuliado e desobedecido ao mesmo
Sub-Preleito.
E' o que consta das Partes hoje recebidas
n'tsia Secretaria.
Eleitores da Freguesia de S. Fre Pedro Mar-
tyr dt Olinda. Os Srs.
Tenente Coronel Antonio Joaquim
Guedes *
Foutor Lourenco Tri.-'o de Loureiro .
Ah.jor le Legio Jos Joaquim deAl-
meida Guedes
Reverendo Padre Mestre Miguel doSa-
ramento Lopes Gama
Reverendo Coiiego Francisco Jos Pei-
xolo
Reverendo Vigaro Joio Jos Pereira .
i icessor Manoel Antonio de Assunip
co Go ni i m.......*
Capillo Mauoel Antonio dos Passos e
Silva
Fmprielario Jos Tavares Gomes da
S.lva ....
Professor Salvador Henriqne de Al-
buquerque .;>
Pn curador da Cama re Antonio Nuncs
a5o
a46
44
44
4i
t!e Vello........
Esrrivo Joaquim Jos Pereira dos
Santos t >
Tenenle Jase Eustaquio Maciel Mcn-
'. ei o .'.
I5i barel Formado Antonio Herculano
< Souza lanilt-ira ..
Reccbero-se 2ji sedulas.
a36
a35
a35
3i
a3o
a3o
ai
ai-
34S
335
Eeitcres da Fregueza da S.
Os Senboies :
{etiope Manoel de Cbrislo Leal .
Profouor ltxndre Joze Dornellas.
'1 enenle Antonio Joaquim Rabelln Pessoa 335
Capito Joo RaptistadaS. Mauguinbo 333
Ir Joaquim Francisco de Faria. 3i(j
Dr. L> i/. Duarte Pereira 325
or Joio Paulo Ferreira 'it
Cii urgiio- mor Joaquim Jeronymo Serpa 32a
J'icl smv Joie l'edio da Silva. 3ai
3ao
3iy
tiacbarel Jcaquim Jos da Fonceca Jnior 'ifj
Cirurgiio-mor Francisco Jos duAmarai 3ob
HectLeiau-se 3ti3 Sedulas.
A i Silvestre Antonio de Laaes Jr.
Manoel Mines de Mello
RIO GRANDE DO SUL;
Continuado do n. antecedente.
Impcrtantissimas noticia,
O msrer! al de campo, presidente e com-
n: andan te das armas desta provincia abaixo
signado, estando prevenido de que o Exm.
Sr. deputado pela provincia de S. Paulo,
Francisco Alvares Macbado vm encane;a-
iulgar deserciooio complicada a i. ea.de-
serco anda sendo com a armas e para os
rebeldes buma vez que nenbum outro cri-
me anterior lenha ^gravado o acto da deser-
cio e em consequencia repula perdoidosa
iodos que neslas circunstancias estiverem
strvindo iitre os rebelde.
Todos os escravos nue se acharem boje ser-
vindo as fileiras dos rebeldes nao vollard
mais o poder dos seus senhores, e serio com-
prados pelo governo e divididos pelas diver-
sas provincias para strera eos pregados nos ar-
senaes segundo os seus oiHcios recebendo
raco diaria segundo as etapes do exercilo ,
menos a raco de agurdenle e 3o reis dia-
rios para uro vestuario. Aqueles que prefe-
rirem vohar costa da frica sero para ali
mandados cusa do governo e l poslos em
liberdade coma pena de tornarem a ser es-
clavos da naci se volUrem ao Rrasil.
Sendo estas condices o mais ampio possivel
sem oii'cnsa da dignidad e ntegridade do im-
perio 6 nao estando o governo de S. M. in-
habilitado para acabar a rebellio pela Torca
das armas deve entender-se que tudo ran-
lo se concede be hura acto de generosidade e
clemencia precisa nicamente aos que tem
lido a des^raga de iazerem a guerra i sua
mesma patria.
Para claiezas reciprocas fora feitas duas
declaraces iguaes, que tambsna assigna o
Exm. Sr. Alvares Machado.
Palacio do goverdo em Porto Alegre, aG de
oitubrode iBo.
Francisco Jos de Souza Soares de Andrea.
Francisco Alvares Macbado e Vascoucellos.
O Sr. Alvares Machado ao marecbal Andrea.
Illm. e Exm. Sr. Hontem cheguei a este
acampamento di Capella onde fui recabido
rom todas as deraonsiragoes de estima : hon-
tem mesmo tive com o coronel liento Gongal-
vesda Silva huma primeira communicacao de
pensam^nlo a respeilo da reuuio dos disii-
dentts ao governo do imperio e tenbo o pra-
?er de communicar a V Ex que o mesmo co-
ronel t general das forcas dissidenles asse-
pura-nie que e'le e seus companbeiros nada
menos desejido que a continua.o da guer-
ra ; que, desde o momento em que S, M.
o imperador subi ao ibrono em seus pe i tos
dera por acabada a lula ; que desejaudo
iodos se render a S. M I nao seria capates
de exigir cousas que de>dour>ssem a <-oroa do
monai'cba a quera tanto respeiti e indignas
da lealdade e do carcter do povo rio-gran-
dense i quae>perava5 anciosos os resultados
das cartas dirigidas ao Exm. Sr. ministro do
imperio; que com a minha chegada remo-
vendo-se algumas dilbculdades, desejavu
concluir logo e lo;o bum arranjamenlo hon-
roso a irmes q' s-j reunem debaixo da protec-
cio do iiii coromum mas que he da maior
neressidade que seja chamado para aqui o Ne-
to ou seo procurador, e que se manda quauto
antes ao governo disidente alguns o..ios a-
fim de que quaulo antes veoba commissio
para que o ebefe que aqu se acba conclu o
arranjamenlo por todos, e todos sereunaao
do em particular de aplanar quaesquer dilfi-| imperio ( em dissidencia de bum so; adu-
ne o mesmo coronel chele dus torcas dissiden-
icaque eu nao acitUite noque se diz na con-
tumacia desleou aquelle individuo, masque
fiquererlo que lodos se destjao render ao im-
perador.
Para abreviar esto arranjo deseja o coro-
nel que V. La. lhe mande salvos-conductos
para os que devem ir levar os olbcios a fselto e
ao goveuiodissidenle pelo caminho mais pr-
ximo liaba recta porque dit o mesmo che-
le que pelas veredas que Ibes sao (raneas o
transito se lornava mais longo e maior de-
longa bavetia delongas que elle quer abie-
viar.
Diz mais que se V. Ex desconfa do des-
tino df>sesestafetas pJe V. Ex. manda-Ios
companbar por pesaoas de su* coulitn;a : o
que elle deseja be que seus otlicios tejad eu-
culdadesque possa teros rebeldes |iara acei-
tarem a amnista comedida por S- M. o im-
perador, t: tendo recommendaco nassuaa
ii strucies particulares ltimamente rece-
bidas, paia salvar era quaesquer ajusles a
dignidade da coroa imperial t julga do seu
dever eslabelecer as regras seguinles :
Tedas os individuos involvidos na rebellio,
quaesquer qu sejao os seus crirr.es, commel-
tidos em actos da mesma rebellio ou por mo-
tivos della, puJem \oltar as suas casas, e
permaneceiem em paz sem que autoridade
alguna os possa inquietar por seus crimes.
Os que tiverai-m postes no exercilo ou em-
pr :;os pblicos fica no gozo dos niesmos pos*
idos dos empregOS e peretbendo
i tus sidos e ditos oidei.atios desde o dia em
r :< opitsHjitaiem aina que nao possa
entrar no exercicio de suas commissoes ou em-I llegues porteas proprios eem lempo breve,
j i< gos i or pstarem dudos a outios. e que Seito ou seu procurador e o promra-
. ..u.-e reronbecem demudo algum poslos dor do governo dissideute poesao Uvremente
ou t u regos adquiridos entre adminislraco tianspoiiar-se poi esia* parageus sem risco
dos rebeldes j e, em gerel, nao se reconbe- de ser atacados huma vez que elles vem sem
crin euau os postos e empiegos lejjaloieiite lorca.
fedquii idus antes da lebtllio.
A lodos os que quizeieo sabir desla
>- d
utende o coronel que para bons resultados
e canvieco de lodas as boas
A lodos os que quizeieo salnr desla pro- disle arianjo e convic^ao ue louas as uoas
vincia pata oulra qulqUer do imperio, com-1 inlencdes do governo de que elle coronel
j.roroeue-se o governo a dar-ibes passagem a duvin sena muito conveniente seiia cou-
tiles tuas familias e dar-llies guias para torme lodos os principios que us hostilidades
baverem os seus sidos e ordenados a que te- i cessassem durante o lempo em que se irafasse
do arranjo da fusa dos dous partidos ; que
isio muitosarviria para conciliar os cora55es
recinrocamente ulcerados ; que V. Ex. pode
muito bem avaliar a m vontade com que os
belli-jerantes se prestao reconciliado no
meio do i bombo dos canbcVs diante do san p
gue eda carnagem ; que elle da sua parle es-
ta promplo quer e deseja suspender toda?, as
hostilidades e guardar a mesma posico aleo
i defnlivo arranjamenlo ; masque se V. Ex.
'suspeita que o cliamamento de JNetto e do de-
legado pelo giverno dissidente he hum so-
pbism i dilatorio, bum ardil da guerra bum
meio de ganbar lempo para operar com van-
tagem, que nesse caso V. Ex. pode continuar
as hostilidades, que elle far o mesmo se
bem que deplorando o derramamiento de san-
gue de irmos prestes a rconciliarem-se ; e
que, demais, as mos de V. Ex. est o con-
sentir que os proprios parta pelo mais breve
caminho.
Dif mais o mesmo corone', chefe das forcas
disidentes que supple a V. Fx. bastante co-
nliecedor da provincia edas circumstancias d >s
dous exercilos e por isso bem convencido de
que o mesmo se conserva nesla posico por ibe
ser conveniente, e que nada lhe obstara pas*
sagem para a cumpanba quando islo lhe i-
tesse conta.
O que porm o mesmo ebefo me fez notar e
com muita seriedade be a neressidade de ser
respeitado o lugar de minha residencia actual-
mente a Capella de Vanlo porque diz
elle, se buma pequeiia forca viudo pelos
matos conseguase surprehender a povoacjo,
poderiaS alguns homeus pouco alilados repu-
tar huma traico, bum engao, todas as mi-
i nbas operaeoes e sdestinadas a attrahi-los
em hum ponto para ali se lhe lancar a tar-
. rafa e que nessas circunstancias era elles
ncinsua olBcialidade- poJerii responder por
minha pessoa i comquantoresolvidosesteja ,
i anda nesse caso detenderem-me at a der-
I radeira exlremidade.
PJo me intimida qualquer poiic em que
me ache ; se fosae covarde c nao vinha ;
mas temo que qualquer ataque militar per-
turbe as felizes dispasices em que aclio a es-
tes Urasileiros que anda podem ser sero de
muita ulilidade ao imperio.
Sobre todos estes objectos ja assegurei sos
nos^os irmos dissidentes que podiao esperar
de V. Fx. huma solugo digna de hum mili-
tar philosopho e iiatiiota. Quer-se que o
salvo conduelo de V. Ex. para ida e volta te-
nha vigor por lempo de i5dias, e esperad
que V. Ex. responda logo atlendendo que os
das coriem.
O chefe das forgas me diz que est so a es-
pera que V. Ex., dando inteiro cumprimento
amnista imperial, ponha em liberdade a
todos os presos polticos ora existentes no lio
Urande e l'orlo Aegre por.jue elle iar o
mesmo com os prisioneiros da legi lidade.
Ho propuz ao chele que se reudesse ao im-
perador com esta paite do exercito a seu man-
do porque o mesmo chefe logo as primei-
>-js aberturas me assegurou que huma con-
ducta semelhanto seria indigna delle seria!
huma traico ieita a seus camaradas com
quein (icaria unido nos bous e mao> lempos '
e que isso si ra desneceesario atienta a es-
peranca que tem de conciliarem lo ios bum I
arranjo dig no de irmos ; e que se eli fos-
se cap z de tra'.ar e render se por si s isso
nada a^roveitava ao imperio pon|iie elle se
desacreditara e o sangue continuara a cor-
rer.
Sou de V. Ex. Illra. e "ivo. Sr. mare-
cbal presidente Francisco Jo^ de Souza Soi-
rs de Andii, atteucioso venerador e cru-
do muito obrigado Francisco Alvares Ma-
cbado 6 Vascuncellos.
Capella de Viamj, ai) de outubro de i84o.
Hesposta do marechal Andrea.
Illm. e L.xm. Sr. Francisco Alvares Ma-
cbado. Acabo de receber a coninunicaco de
V. Ex e Hrme nos niesmos principios ,
devo dizer-lbe que eu uo entro e>u ajuste al-
gum para suspenso ie armis era em cun-
t acto com os dissi lentes em quanto estive-
rem con as armas na mo.
Sa (uaiidade dcdslt,j ulo do imperador s
me toca conceder em seu norae mas uo le-
nho que admiltir co:idi^es.
V. Ex. sabe muito be.u os limites que asta-
beleci e a minha conduela esta em harmona
com elles utsde ue eutrei na adminislraco
desta provincia.
Para (ue cada individuo ?e decida em ace- '
tar ou recusar o peidao que o imperador lhe
oeiece uo precisa muilo lempo uem u cou-
aellio de outro.
JNo dia 16 de novembro expira o prazo con-
cedido pelo decreta da amuislia para se apie-
senlareiu os arrepeudidos. Uesse dia em di-
ante ncm eu os posso receber iujuq Ibes poa-
so Conceder cusa alguma nem V. Ex, ja da-
ve estar entre elles.
O futuro que nos espera perl-nise a sort
das armas.
Nao obstante quanto digo ah mando as
' portaras para qu o coronel Rento Goncalves
ossa mandar dous portadores seus a encontra-
ren! os cheles Antonio de Soma Nelo e Jos
Mariano de Matos seguindo por ondn Ihej
convier. Mando igualmente outras paraos
sobreditos Nelo Matos ou seus delegados po_
derern vir, recommendandj aos comman-
daules das forcas a quera se devera apresen-
lar, os faca") acompanhar de posto em posto
at passarem o Taquary. Estas portaras ex-
pirad no da 15 de novembro. Nelo tendo
feto volta pelo estado Oriental para poder
reunir-se a Joio Antonio teguio cora Ama-
ral Ferrador e huns 70 homeus e estao to-
dos nn Saican aonde deve ser procurado.
Desejo a V. Ex. a mais prospera saude.
De V. Ex. muilo attento e venerador Fran-
cisco Jos de Souza Soares de Andrea. jo de
outubro de 1W.40.
Porto Alegre 1. de novembro.
No dia 28 do passado sabio desta rapital
para o acampamento rebelde o Sr. Alvares
Alachado acorapanbado do secretario da pre-
sidencia o Sr. valos, edo capitio Sebistio
j Maneto Pereira Pinto. Os rebeldes recebe-
ra o Sr. Alvares Machado com provas de
conteniamento tendo-lhe Rento Gongalvej
mandado hum civallo muito bem arrend.
Das pecas que ahi lhe mando por copia co-
; nbcer o que se tem passido sobre a impor-
tante queslo da pacificar) da provincia,
INo acho expresses com que Ibe possa pin-
I tar a extraordinaria sensago que aqui produ-
zio o contendo da carta do Sr. Alvares IVlacha-
do. Jamis ser possivel, sera grandes des-
' gracas annuir-se s aviltantes con vengues
' que exigem os rebeldes. Todos os habitantes
da capital, tarro militares como paisanos,
parlilha a sensaco gcral ; e, para dar hu-
ma idea do grao de exaltaco a que tem che-
gado basta dizer-lhe que aquelle* que anda
hontem prorompia e.n gritos contra a admi-
nistrado do marecbal Andri, e ancios-;
mente almejava o decreto da sua dmisio,
veem-se boje na necessidade de unrem se a
I elle e calarem os seus queixumes para co-.
;adjuva-lo na grande obra Je silvar a pitria.
Na verdade o comportaraento do marechal
! nesta conjunctura lera sido nobre e grande }
tem elle representado bum papel biiihame.
A sui respusta ao Sr. Alvares Machado he
j digna em tudo de hum delegado da cori im-
perial contco dos seus deveres. Restar-
llie-hia s para cubrir,e de immarces.siveis
louros que, lindos os 60 dias do decrlo da
, amnista que acaba a i5 do corrente, mar-
chame contra os rebeldes e os desbaratasse o
que nao ser impossivel. b assim se acabar
a guerra e se conseguir huma paciiicaco
dur<*doura ; mas, do modo porque a quereos
os rebeldes (se he que a querem) ficando os
seus cheles na provincia s se obter huma
paz Bcticia eephemera e em pouco lempo
leremos de ver rebentar de novo o volco re-
volucionario cuja lava assola ha tanto lempo
as nossas maWadidas campias.
Os rebeldes n) querem amnista ; querem
coiicess.ies garautias e que se Irate com el-
les como de potencia a poteiua. O qus es-
creveu Rento Goncalves ao Sr. ministro do
imperio? Exigi, se sou bem informado,
que ou elle ou o seu irino o Sr. ministro
da f zeuda fosse enviado uo acampamento
rebelde tratar da pacicico da provincia 1 !
(^ue idea forma Rento Goncalves da dignida-
de da coia imperial !. O que le pos-
so dizer he que se alguma cousa se lizer que
nao seja amnista simpiesraeiite com a con-
digode sihuem os cheles rebeldes da pro-
vincia, muito receio que haja hum roropi
meutu da parle dos legalistas.
Voltou honlem a tarde a esta cidade o 5r,
Alvares Machado acompanhado de doze ar-
rapos oibeiaos e paisanos, mu bem arma-
dos com graudes peras e lacos republica-
nos. Vierao visitar suas familias e voltao :
com el.es vt-io o proprio que deve seguir pira
o campo com os odkios ao Neto e Matos. Es-
te proprio embarca hoje ua barca de vapor
pequeua at as Pombas.
llura dos farra pos ijue veio com o Sr. Al-
van s Aluch ido Col ter com o marchal An-
diea, e lite disse que sendo preciso chimar
iNelo para ser elle ouvido lora convenien-
te a bem da provincia conceder se mais
cinco ou seis diis alem do piato marcado,
que he al i de novembro. O presidente,
ha muito descouliado 1010 todas estas diiaces ,
e vendo j auianlaudo-se o vero que deve ser
aproveiadu para operagoes respondeu logo
que ulo concedera i>tm mais buma hora eg


1
__'' '
m
mmmm
DIUO *> fcfiftfl ALBUCO
3
?
,o di 5 estara frente do Cxercito im- brad erttre 0 plenipotenciario da Franca e %
erial. Com 'sse comportamento enrgico da Confederacio Argentina.
granfeou o marecnal maita ppularidade.
Chegou hontem segundo bata'.hao que
eslava no Norte e 180 recrutas da coi te a
iodo cerca de 6oo homens.
(Carta particular.)
(Jornal do Commercio )
JVoticiiis Estrangeiras.
-*""" o da prata.
Vita a Federaco !
>ARTID0 DEMORN, 29 DK OVTfBRO DE I 84o
O govemador da provincia honrada jun-
ta dos representantes.
Tenho a honra de elevar a V H. a conven-
ci celebrada boje, 29 de outubro a bordo
do bergantina francs parlamentar Boulon-
naise entre o ministro plenipotenciario da
Repblica Argentina, camarista Ur. D; F-
lippe Arana e o da mesma classe de S. M.
el-rei dos Frencezes o Exm. Snr. vice-al-
mirante Ange Rene Armand de Mack.au ba-
rio de Mackau ele*
A honrosa misso que roe he incumbida .
de conservar illezas a honra e dignidade da
Confederacio Argentina me havia imposto o
penoso sacrifn io de manter interrompidas as
r.ossas relacesde amizade com a nacao fran-
cesa em quanto nao fosse melhor comprehen-
dido o espirito de benevolencia que liubamos
mostrado e conservado para com esse soberano,
tal, que, fazeudo-se justica repblica,
ficassem immunes as eis e direitosesiabeleci-
dos na Confederacio desde que tomando seu
lugar entre as mais naces constituio-se in-
depeiidenle e soberana pelo magnnimo es-
forco de seus fillios.
'edindo a V. 11. a autorisacao necessaria
para ratificar a referida convenci supplico
aos honrados representantes que examinan-
do-a nos cousellios de sua .abedoria com a at-
tenco e madureza que ella exige, se pronun-
cien! livieniente sobretodos e cada hm de
seus artgos -, e que nu caso de a julgarem
merecedora de sua augusta sanecio se dig-
ieu approvar o projecto de decreto que a a-
com pan ha; para que, cessando a inlerrupco
commercial que tem supporlado heroicamente
este povo magnnimo e virtuoso por mais de
dous unos e meio de bloqueio comece a re-
pubUca a colber o fructo de sua constancia e
tenasga a paz e a confianca entre ella e a a-
po hauceza.
Juan Manuel de llosas,
PROJECTO DE DECRETO.
Art, nico. Est o governo autorisado
para ratificar a convenci celebrada em 29 do
corrente a bordo do bergantina parlair.eutar
jriitulonnaise entre o ministro plenipotencia-
rio da Repblica Argentina o camarista Dr.
D. Filippe de Arana e o da mesma classe ,
de S. M. el-rei dos Franceses o Exm Sr.
vice-almirante Ange Rene Armand de Ma-
VIVA A. FEDERADO'!
Buenos-Atre 3i de outubro de 1840.
A honrada juntados representantes;
Ao Exm. Sr. govirnador e capitio-general
ra provincia brigadeiro-general D. Juan
Manuel de Rosas, illustre restaurador das
leis.
A honrada junta dos respresentantes hou-
ve por bem decretar o seguinte:
Artigo 1. Cuncede hum voto de gracas ,
em nome da provincia a seu digno chefe o
Kxm. Snr. govemador e capitio-general ,
Ilustre restaurador das leis brigadeiro-ge-
neral D. Juan Manuel de Rosas pelo lelo ,
patriotismo sabedoria e energa com que
tem sustentado a causa da liberdade e inde-
pendencia da Confederacio Argentina e da
America.
Artigo 2. Huma cOmmisso da honrada sa-
latransmitlirde viva a vzeate voto ao chefe
do estado apresentando-se ante elle no da e
hora que designar. Esta commissao ser
composta de tres representantes elleilos pelo
presidente.
Artigo 3. Communique-se.
Dos guarde a V, Ex. rauilos anns.
O presidente da honrada sala Miguel Gar-
cia. O deputado secretario Manuel de I-
rig iven .
0 J (Do Despertador. )
q jlgrl conveniente estabellecer a Em de ^
dar execucSo lei eleitoral.
Victoria. "Chacn
Ferrer 'Cortina
Gmez Frias,"
< Valencia i4 d'Outbro de 1840."
eachou cartas ordeardo-lhb que tol
ckau 1 &c.
ral 1.1 jiiu> mea
IIESPANHA.
Os jornaes e cartas de Madrid de 2o d'Ou-
tbro annunciio o seguinte : A Junta d 1
Governo tinha publicado a seguinte commu-
nicacodo Ministro dos Negocios Estrangei-
ros :
Excellenza Tenhb a bnra de an-
nunciar-vos que em conformidade das dis-
posices adoptadas d'anleinio pela Regencia
Provisoria do Reino, de accordo com S.M.
a Rainha Mi leve lugar a paitida d esta
Princesa para o Grao esta manh 6 horas e
meia n'uma caleca aberta pela porta Real
contigua ao palacio habitado por S. M. Ma-
ra Cbristina fui arompanhada pelo Conselho
da Regencia e seguida pelas pessoas da sua
cazaepe*a Municipalidade de Valencia.
' As tropas guarneceraoa estrada desde a
porta a cima mencionada at a porta de Grao ,
onde S tVI. embarcou em un barco esrju-
pado pelo capito do porto. S. M. receho
ao longo da estrada e na sua chegada a Grao
as honrase salvas.do costume. A's 7 horas
e meia fji ella para bordo do Vapor Hespa-
nhol Mercurio que immediatamente parti
para Port Vendres onde S. M. deve desem-
barcar. O bam lempo que predomina, in-
duz a esperauca de-que 5. M, ter boa passa-
gem.'! ,
Joaquim Mana rerrer,
" Valencia 17 d'Outbro de 1840."
Aex-Raiuha Regente de Hespanba chegou
a Perpigniu a 19 d Outubro de tarde. All
foi S. M. recebida pelo General Leopoldo
O'Donnll que a acompanhou at Narbon-
ne onde ella chegou a 20 as t horas da Ur-
de. A guarnicao ahio a recebe-la com as
honras devidas sua dignidade. No da se-
guinte a Rainha cujo tren constava somen-
^briK.'dT.offe.i'er^lJ.'juan ts d urna caleca e urna carroca destinada a
.. t I ________ ____ I____... Lili use t.il Rosas.
VIVAAFEDERAgAO!
Buenos-Arres 3l de outubro de xS4o,
,A honrada junta dos representantes.
Ao Exm. Sr, govemador e capito gene-
illuslie restaurador das
Manuel de liosas ,
leis.
A sala dos representantes tem maduramen-
te examinado a convenci celebrada em J9 do
corrente a boido do bergantn) parlamentar
Roulonnaise.que V. Ex. le remelleo com
huma nota da mesma data.
lie com muita satisfacio que ao manda-
ren) a V, Ex. o decreto que o autorisa para
ratificar a dita convenci os representantes
da provincia contemplo a immensa gloria
que V. Ex. tem adquiido. Nada ha mais
vivo intenso do que o seniimenlo de admi-
ra cao que a salados representantes experi-
menta pela sabedoria fina prudencia ; in-
flexivel justica lervoroso patriotismo e cora-
josa peneveranca com que V. Ex. se tem por-
tado em tio clstico assumpto e eu incum-
bido pela mesu.a honrada corporacio de ser
para com V. Ex o interprete dos seussenti-
11.en tos, cumpro o honroso dever de felicta-
lo em ten nome pelo prosjiero esUbeleci-
nentola paz e amizade entre a Repblica e
a Franca, devido piincipalmenle ao acert
com que V. i:x. otea /irepaiado, eaoes-
j-inlo ue juslitja e de franqueza tecipruca que
Itm duigicio as ultimas negociares
Dos guarde u V. Ex. muilos anuos. O
-residente da 11. 1. ,
q depulado secretario
Segu o decrete
tu do Rosas para
iVjiguei J.)/e Gircia.
ftiunut'l de Irigoyen.
cmegar a sua bagein e algumas pessoas do
seu sequilo parti para Montpellier onde
chegou as 2 bous. S. M. apeou-se no Ho-
tel do Meio da poucas portas adianle da caza
oceupada por Cabrera que a vio passar so-
bre o lioulevard da sacada do seu andr. A's
5 horas parti a Rainha para Nismes e ao
passar diante do Hotel de Londres deitou a
cabera lora da ckrruagem para ver Cablera,
que eslava a sua janella e nio pode deixar
de sorrir-se ao avistar aquelle celebre chefe.
Urna carta de Marselha de 23 d Outubro
annuncia a ebegada de S. M. aquella Cida-
de onde foi recebida com a maior distinti,
Ella se demorara apenas alxuns das e ei-
perava-se que proseguira a Nece. S. M,
lu escollada ale Marselha por dous esqua-
drdea de gendarmera; e Urna guarda de
honra de 100 homens devia accoiupanha-ls
durante a sua residencia n'aquella cidade.
As folhas de l'ariz dizeur que a Rainha
Cbristina tinha levado consigo da Hespauha
o pai, mi, e irmio de Mutxoz seu ma-
tido.
A Gazela de Madrid publica o seguinte de-
creto :
NOTICIAS DIVERSAS.
Appareceo as Gazetas de Magdeburg ,' e
de Leipsic(Allemmba) ura annuncio de que
o Imperador da Austria tencionava abdicar
em favor de seu irmo o Arquiduque Ferdi-
nand a exemplo do Rei da Hollanda ; o que
causou algui surpreza em Pariz. Porem
desnecesjario d'uet que semelhante boato
destituido do carcter de verdads.
Urna carta publicada na Gaceta de Leipsic ,
e datada de Copenhague a 17 d'Outbro diz
que corra n'aquella Cidade boato de que o
Gabinete de h. Petersburgo tinha pedido li-
cenca ao Governo Dinamarqus para invernar
no porto de Copenhague urna esquadra Rus-
sianade non 18 vasos de guerra com 12,000
homens a bordo. Todava nojulgara dig-
no de crdito tal boito; porem o escriptor
acrescenta que se tal pedido se fizesse certa-
mente encontrara repulsa porque diz elle ,
se es Russos urna vez estabelleceessem aqu o
seu quartel general, nunca mais o deixa-
rio.
A Gazela de Ilanau de 26 d'Outbro an-
nuncia que a pesquiza feita no aposento de
Darme tinha produz.ido a descoberta de pa-
pis cujos conleudos temi sido communi-
cados aos Governos Allemes tinbo feito
10.11 que as uuilioridades de Frankfort fjzes-
sem varias prises a %$. Un homem cujo
n j;ne bem couhecido no mundo scientifico
Si) una haVer deixado secretamente aquella
Cidade. A Gazela de Co'ogne de 26 diz que
os individuos presos ( 24 em numero )cons-
tavio pela maior parte de homens pertencen-
ves classe operara.
A Gazela de Augsburgh traz urna carta
das tronteiras da Turqua de 1J d'Outbro
mencionando que se receavo movimentos
revolucionarios em Albania Bosnia e Ma-
cedoitU, em cousequencia da retirada das
tropas Turcas que deviio concentrar-se em
roda de Constanlinopla ou ser enriadas
Syria ; que a Austria havia se encarregado de
manter a ordem u'aquellas provincias e que
varios rgimen tos da fronteira io ser imiue-
diatamente removidos para aquelle fiox.
O Consllutionnel publica urna carta
d liada de Odessa a (J d'Outbro a qual diz
que al aquelle da nem um soldado tinha em-
bircaJo ali ou para a Asia menor ou para
Censtaatiiopla,
Um Lkise Imperial datado a 29 de Sep-
tembro manda armar no 1. de Novembro
^o regimenlos de Cjssscos 03 quaes forne-
efo i5,oco bomtni de Cavallaria ; e este
chamamenlo as armas no principio do invern
nao pouco notavel.
O Conde Woronsow, Govemador Geral
de Odessa tinha annunciado aos directores da
Bolsa de Odessa que o Ministerio de M. Thi
ers seria derrubado e que consegu temen te a
paz entre a Russia e a Franca nio soffreria
inlerrupco alguma. Ella assegurou aos ne-
gociantes que podiio continuar as suas cor-
respondencias mercanlis com a Franca em
perfeita seguranca,
A Gazela Universal de Leipsic publica urna
caria datada de Uerlm a 25 d'Outbro a
qual diz que o Rei demorara a sua visita s
provincias do Riieno atb a primavera seguin-
te. Nao foi ( acrescenta o escriptor ) o pros-
pecto da paz que se torna cada ves mais bi i-
llianle nem o ultimtum de Thiers ,
que niolivou a sua determinacio mais o es-
tado da saude da Rainha. Suas Magestades
continuarn a oceupar o palacio de Sins ,
Souci at o 1. de Novembro e depois fard
a sua residencia em Charlollenburgb pelo res-
to do anno.
O Moniteur annuncia que Lord Grart-
vlle Embaixador Infles e o Conde Le-
hon Ministro, Plenipotenciario da Blgi-
ca aprestnlarao a a d Outubro ao Rei dos
Fraucezes carias dos seus respectivos Sobera-
nos congralulando-o por ler felizmente es-
capado do O mesmo jornal olhci.il diz que o Conde
RielmanseggesMinistio residente de Hanover,
noticin no mesmo da ao Rei a morte da
Princesa Augusta Sophia Princeza da Gr
breiauba e oe Hanover,,
O Principe Frederico
tasse immeii llmente para all.
O Coronel Laborde um dos cmplices do
Principe Napoleio bteve licnc para passar
osdousannos de prisao a que foi sentenciado
pela Corte dos Pare3 em Paris n'uma caza da
hospedara, > .
LaPresje" expressa a sa cnvicelo d
que Mara Cbristina ex-Regente da llespi-
nha che-'aria a Pariz em poucos dias.
(The Times.)

(LOTERA DO LIVRAMENTO.
6 Thesoureiro da Lotera fat sciente a
respeitavel publico [que como *ai a venda dh
bilhetes com grande afluencia] que deseja que
os amantes deste jogo concorrio para a com-
pra para o mais breve annunciar o impre-.
lerivel dia. -
a Hollanda chegou a
*' A Regencia em conformidade das ra- Brest na Fragata Ruine a 20 d Outubro, e
zes coulidus n'uma exposito que iiie foi loi recebido com todas as honrus que ordi-
ueiicula pelo Ministro o Interior lem de- nanamente ae liiuulio a um Priocipe de san-
ci elido que as novas Coi les so ituuira a 1 j gue Real. O fnucipe souue ala a pnmeira i qualquer pessoas a qUem lor oHerecida a dita
de Marco de itHi. A Regencia tara tons- uolicia da abdicaiodt Guilnerme 1. e da e- [caixa ou a vir, queiraa tomar, e aauucie on
Avisos Diversos.
-----Alugao-se gales espiguilhas e
rendas mu brillantes proprias para Thea-
tros presepios, e anjos, por serem de mui-
ta plbeta praleada e dourada ; nanos, bas-
tidores 28 Comedas de urna so dama |a
mais proprias para Theatros particulares; ves-
tuarios heroicos rios, e bem enfeitados a
4:ooo res, cada um dealluguer, e os da
meio caracer a i,000 rs., de cmparcas i
1,000: paga-se adiantado e da-se conhe-
cimento ; na venda do Snr. Pena defrouts
do Theatro ; as tercas e sextas feiras de cada
semana. N. B. Cada vista composta de dais
Panos e seis bastidores, sealluga por 10,000
rs. Tambem se allugao ou tendero vesti-
dos para llerodes Res Vagos Ssntunoes.
e para todas as mais figuras proprias para
presepios.
ssr Joo Goncalvez Evangelista mudoti
a sua residencia para a ra da cadeia I). 5 ,
primeiro andar por cima do assougue Fran-
cs ; 00 qual lem estabelecida sua loja d al-
faiate.
sy Vende-se um cvallo rass pomp, d
bonita figura, carrega baixo, estradeiro, ur
galope muito naci, sellado e emfreiadj por
preco commodo ; na ra nova paderia D-
cima 16*
- Offerece- se para catxeiro de venda oti
de armazem um rapaz brasileiro de boa con-
ducta e muito hbil para qualquer das ditas
cccupacdes : quera o pretender annuiicie.
tsg~ A pessoa que enlregou a Manoel Jo-
s de Castro Araujo urna carta vnd do
Porto de \l-mccl Antonio de Mallos Guima--
r.es queira procurar resposta na ra das
Cruzes D. 9.
S^ Precisa-se de huma ama para casa da
pouca familia, que saiba engomar sofrivel-
mente ; quem se aclaar as circunstancias v
a ra Oireita, D. 22.
sjy Na ra Direita D. 33 psecisa-s
de um caxeiro para lomar conta de umt venda
por balanco eiendopesso que agrada d-
se bom ordenad >.
cs~ Quem quiser comprar um molequa
de naco de 14 anuos de idade proprio
para qualquer ofhcio; dirjase a ra Direit, D4
ao lado do Livramcnto,
%ST Preciza-se alluger urna escrava pa-
ra o servido urna casa de pouca familia, qua
saiba comprar na ra cosiohar, eeniaboar,
daudo-se-lhe o sustento e 10U rs. mensaes ;
na ra das Flores casa D. 8.
tsy Urna Senhora que foi passar a festa no
mondego no [sitio da capelinha faz doces
de todas as qualidades pao da l se-i
quilhos podm bolo inglez, pastis de na-
ta tortas e doces d ovos tudo muito beax
feito e por preco commodo.
tsr Precisa-se de um homem de idade d
3o a 4 annos que saiba ler, escrever para
caixeirode um trapiche no Rio Formoso ; na
ra da cadeia do Recife x fallar com Francis-
co da Silva.
tsr O Sr. Jos Francisco Fernandes, qua
chegou de Lisboa a poiico tempo queira an-
nunciar sua morada, ou dirija-se a venda
defronte do Tbeatro.
tsr Quem pracisar de um menino por-
tuguez para loja de fazeudas ou ferragem do
que tem pralica dirija-se a venda defronta
o Theairo.
tsr Alugo-se o primeiro e segundo anda-
res da casa da ra da moeda ; com bons cura-
modos e a casa terrea da ra do Cjlovello
U. 2 os preteudeutes dirijao-se a ra do
Vigario, D, 12,
t~r Ontern i5 do correnle, chamando-sa
um negro anbador na ra das agoas verdes,
para carregar urna caixa qual levava 7
carnizas e 4 vestidos &c; roga-se pois a
>.,. .^o-J^^j^^:[ZZrZ'ZM.~ZlZAm,.m. l** *Wta .. un 4.HJl-ld,ui.r, m^niMohtof.


*
DIA0IO DS PEBNAMOOO
tsr Apessoaqueannunciou urna loja em do-se por seguranga urna escrava de todo o prcprio para pagem ; na rna direila sobrado
iicmsito, con /sendas drija-se a rua doservico cli* urna casa ficando os servias da ai.
mesma pelos juros ; as 5 poutas D. 49*
Queiruaclo D lo
tsr" O Sur. Antonio G"mes da Cunba e
Silva tenha a bondade de aununciar sua
morada para se lhe entregar urna carta de
circunstancia,
tsr O Dr. Joaquim de Aquitio Fonceca,
nao podendo despedir-se pessoalmenle de to-
dos os seus amigos pela brevidade com que
deixou Pernambuco vem por va do Dia-
rio faser-ihes os seusadeozes e oereser-
lbeso seu presumo etu Parii.
tsr Desaja-se fallar com a Senbora Maria
Candida prente de Joaquim Lopes de Lima
tsr
Um escravo de boa figura de idade
tsr Precisa-sede urna ama de leiie ; na de-jo anno ptimo canoeiro um dito da
costa de idade de aa anuos dous ditos para
o ser?ico de campo 3 nioleques de idade de
13a 14 anuos, milito ladinos, 3 raolecag
rua dasCmzes 7 no segundo andar.
" Antonio Perejra Teixeira filho do ci-
rurgio Manoel Pereira Teixeira retira-se
p.ra (ora do Imperio*
Avisos Martimos.
PARA LISBOA segu viagem coimui-
ta brevidade o muilo velleiro e bera cons-
truido Brigue Portugus Conceiro Flor
de Lisboa -- de primeira viagem de que
Raimundo, Capillo Mor da Villa do Ico, ajCapito Vicente Anestacio Rodrigues t por
negocio de seu interesse, para o que pode pro- ter a maor parle de sua carga pftmpta,
curarara casa do Escri rao Posthomo, na rua | Quera no mesmo quizer carregr ou hir de
de agoas verdes, ou annuncie. I passagem para o que tero excellentes corn-
il Alug... se para quero quiser passar a ; modos dirija-se a seos consignatarios Men-
fesia comroodamente urna casa rom sitio na des & Uliveia rua do Vigario D. i5 ou
Matriz da Varzea que est situada sobre a ,ao referido Capillo.
narran Manoel Dionisio em Olinda es i defronle de .'Portugus S. Domingos, por ler a raaior
T. S de Guadalupe Prt de seu carregaraento prompto ; quem
"t> O Marques do Recife sendo a con- quiser carregr ou ir de passagem para que
selbado por os Srs. Prolesson-s que lhe lem tero excelentes commodos diiii.i-se ao seu .
assistido na sua molestia para que se reliras- consignatario Iierculano Maria Bessone ou joutras galar.tanas dillerentes ludo recen- eJ0
se para o campo o fez sen. que o seu estado aoC.pito na praca. v lente chegado da Franca. Magd
de saude lbe permetisse agradecer pessoalmen-
boas para mu banda por serein recolhidas 4
escravas de nago de idade de 18 a uo annos,
urna linda moiatinha de idade de 18 anuos ,
na rua de agoas verdes D 3tf.
f9t ISa rua nova na quina por detrs da
Matriz, lujas francezas i e a ura lindo
sortimente de cambraias muilo finas adamas-
cadas e do bom tona sedas das padroens os
mais nevos e ricos, lindos chales de da e
de nirin mantas de seda e de fil de linho,
chapeos de seda para senbora os ma9 ele-
gantes que se lea visto cada um em-eia cai-
xinha de pao, sapatos de couro de lustro, e
de bezerro para hornera ditos de todas as
qualidades para tenhora e menina, brose-
guins de duraque preto e de cor e gaspia-
p, viudo da Babia por preco com modo .
na rua da senzala velha em casa de Manoel
Francisco .Pontes.
CS- Urna canoa de carreira que carrsga
8 a 10 pessoas, um caixilho para alcova uma
carleira de cima de balco camas de vento
a 45oo ; em Olinda ladeira do varadouro
defronte de S. Sebaslio n. 1 $.
t3~ Vasos de nova forma para'lamparillas
proprios para as casas de familia tan|p pelo
seu asseio como por sua com modidade por
muilo menos do que se.tem vendido por se-
rem os ultiipos a primeira e segunda colecao
do priodico rm'alhele guarnecidas com peito
jde cent :aata lupas, fi-oss ,.-cuja, le tura he bas-
tante interessante, na pracinba do Livramen-
to loja de fazendas D. 26.
Escravos Futidos
tsr Desapareceo urna negra de nome The-
resa baixa muilo mole no andar ps pe-
queos algum lanttf espigada para tras,
levou saia de chita com* flores rouxas camba
dos para hornera e senbora lencos de c-nn- de algodosinho novo e ura panno da costa,
1___:...i- .1__j;. .>:_ A,. i;.,l,,> lxr,l>,l,.:'__________________i_ _... j_ <'i......'. i_*
braiasde algodo ditos de linho bordados '. quem a pegar leve a ra do Cabug loja n
para mo um grande *ortimenlo de cheiros que ser recompensada,
para toucador e de perfumara e multas: j^- Fugio no dia 11 do corrente do sitio
oo Pinlo de Lemos na pass&gem da
udalena um molalo de nome Juli.io es-
PARA OARACATYsahirat o dia 19 I i3T Filas largas de seda de todas as cores talra regular cheio do eorpo, bastante bir-
te a todas asnessoasque lhe Gzero o favor do correte o Patacho Nacional Maria Luiza com letreiros domados de S Amaro, S. Bom ia3 % cor amarela e com alguma incba-
de o visitar no espseo de lempo que sede- deque he Meslre Ignacio .Marque-,, s rece- j Jess das Portas Montee Poco, ditas es- co n3S pernas. Este escravo perlenceoo
ipraca ; e por isso Ities pede que be alguma carga miuda ou pass.geiros os Ireitase largas lisas de bom gosto e retros Sur Antonio de S Cavalcanti Lins do en-
ndade de o desculpai desta fulla pretendentes dirijao-se ao dito meslre, ou ao de todas as cores ; na rua do Lvramento lo- genho dos Pintos e veio para vender -se, e
ja de fazendas D. 36. estando preso nocalabiuce da polica, por sa
XSS~ Duas negras de bonitas figuras urna acbar doente fui tirado para curar-se; quem o
de idade de la annos e a outra de 16 } na pegar leve ao mesmo Lemos ou ao Snr. do
dilo engenho
nos xsg- Ho dia i5docorrenle fugio um ne-
ma grode nome Miguel de nago benguella ,
casa ; e lava de sa bao ; na rua direita D. ao altura regular de idade de 24 annos, cor
morou nesla
tenbo a bo
que bem dceiaia nao ter molivo para a come- seu dono Antonio Joaquim de Sou*a Ribeiro.
ter. PARAOCEARA* sahir muito breve a
SST Arrendo-seannualmante. 011 somen- Sumaca Nacional Felicidade Meslre Jos
te pelos quatromezes de festa duas moradas Uodiiguea Pinheiro ; quem quiser carregr | rua do Queimado loja D. 7.
de casas terreas, a barracadas, sendo urna ou ir depassagem e-itendo-se co^io dito mea- I S35- Urna escraya de idade de 18 anne
dellas aera querefedioo Exm Snr. Bispo tre ou com Antonio Joaquim de Sousa Ri-engomma cosecha, cozuiha o diario de u
D. Tilomas de Noronha e a oulra contigua beiro.
a mesma as quaes sao situadas na estrada PARA O PORTO a Barca Portuguesa Es- i lado d Lvramento.
que vai da solidade para a do manguind e pililo Sanio pretende sabir com brevidade;
cr-
preta grossura regular pes pequeos e
Urna escrava de nacao da costa, de bem fe i tos anda devagar com principio de
panno no rosto sobre o nariz vestido de cal-
cas de brim rota no assento camisa de risca-
do ou chilla azul e carpuca preta na ca-
er Duas cmodas um par de bancas de ijeca quem o pegar leve a rua da praia ser-
apoade beber, senzalla para pretos estri- PARA LISBOA o Brigue Bom Jess sahe ;jogo, Scadeirascom asaeulo de palhinba e ,aria do Cardial, que sei a recompensado.
-------'*"- Q" ----- Um escravo, alto, secco, alguma cou-
cacundo,
he bas-
denesdirijo-se a rua de Horlas sobrado Uo- commodos dirija-se a GaudinljO Agoslinho da Independencia n 4. tante bucal, levou camisa de algodo, e ce-
cima 70. de Barros atrs do Corpo Santo D. 67. I VST Urna preta de idade de aa annos en- roulas un baeta velha de nome Jos o
CT Quem annunciou precisar do um me- PARA ANGOLA o Brigue Nacional Per-!{romma e cose da-sea conteni ; na rua n- n,eo yacilaute; quem o pegar leveaoen-
nino paro loja de fazendas dirija-se as 5 pon- nambucano segu viagem con loda brev-Augusta casa terrea defronte do sobrado de genho breos, que ser recompensado.
tasD.3i. dade i quem quizercarregr dirija-se a Jos um andar. CT Fugio no da 13 do correntn urna es-
repartimentos segundo o goslo moderno quem quiser carregr ou ir de passagem para* idade do 60 annos ao comprador se dir o
com sallas de visitas dio quarlos boas sa- o que lem exrellentes commodos, dirija-se ao j motivo ; na rua do Queimado D. 5 no pu-
las de jantar cosinha foia com assenla- Capilo na pracadocommercio, ouaseucon- meiro andar,
ento de fugues ingleses boas cacimbas com signatario na rua estrella do Rosario D 17. Cf* Duasi
apoade beber, senzalla para pretos, estri- PARA LISBOA o Brigue Bom Jess sahe jogo, 5cadei.
baria para dous cavallos, e pelo preco cada com toda brevidade por ler parte de seu car- jos perlencesde urna loja de allaiale 5 na rua l3r Um escravo, alto, secco, alguma
urna de 180 oaoannuaes, e sendo pelos me- regenlo prompto-, quera quiser carrejar |da cadeia velha n. 19 pnmeiro andar. sa espadaudo bastante fullo he cacu
zes p seu aluguel he de 100,000 ; os preten- ou rde passagem para o que lem exrellentes J OS" Dous selinscom pouco uso 5 na praca reprsenla ter 4 ann0? de idade ne
CT Arrenda-se pelo tempo de (esta urna Francisco Ribeiro alraz do Corpo Sanio n
casa para pequea familia no lugar deno-
minado baixa verde estrada da capunga; quem
pretender dirija-se a rua da senzala velha
casa n. 46.
Qnem quiser singar um moleque de
31 ou ao capilo ua praca do Commercio.
JLei i o
crava de nome Suzana levou vestido de chi-
ta e uro panno da costa com listras encarna*
das he mnito nova que nio sabe dar palavra$
quem a pegar leve ao estdleirode Joo Tho-
vr
et" Por preco commodos na rua nova loja
deferragens D 10, urna porcao de inarro-
quim sortiJo em duzi&se a retatho.
139" i5o ou ac palmos de terreno no lu-
gar da ponte d Ucboa ; quem o pretender maz Pereira que ser recompensado
Que faz o CorretorOliveira da mais 'dirija se ao mesmo sitio da Viuva de Manoel or No dia ixf do torrente lugio urna ere-
idadede"i4anos, que coainhe o diario d complela"mobilia e todos os aprestos de urna Gomes de Oliveira. oula de nome Luciana de idade de i4 an-
ma casa dirija-se a venda da quina de- e,sa bem fornecida sexta feira 18 do cor- K^" Um lerrp-io de propriedade no lugar nos, baixa espadauJa com urna gordura
fronte da Igreja da Madre de Dos.
tsr
na-se con;
cocona)
S37* Luiz Jos da Silva inestre alfaiate ,
nudou o sen estabelecimenlo para a rua do
Queimado D. 11 defronle do sobrado pintado
deamarello no pnmeiro por isso fus scieii-
te aos seus fregueses protestando servir com
toda promptidao.
CS"
rente as 10 horas da manh na rua nova, do alterro dos AtTogados do lado do nascenle regular, bastante amarela por ter friaidade,
Pa rua direita sobrado D. 56 engom- casa da moracha que foi dos Srs. Tarares e <"om aao palmos de frente e mas de 3ooo de lt-rou vestido de chita rousa ura tanto des-
om todo asseio e promptidao, poi pie- rjr Fonceca. futido 5 na rua direita D. o. botado, panno da costa azul novo, argoli-
jodo. _________,_____________________________1*" Champa-inl.e bordeaux tinto, me- nhaa de topasio amarelo sentado era ouro di
C o ni p r a s
pagnl.e uordeaux Unto, me- nhaa de top
doc St. Jolien chateaui laffitle latour lei cada nrgolinha tem duas pedias, cabeca pe-
tar Urna rafia agoa que seja em hom lu-
gar e no buirro de S. Antonio ; quem tiver
annuncie.
O Um cordio ou transelim de ouro ; na
U Sr. Manoel Vieira Lima dirija-se rua do fogo sobrado D. 3
garosa margeaux bordeanx branco MU-
terne barsac, baut breignae muito velbo ,
bnrgogne tinto e branco chambertim viv
nho do rheno hockheimer, lielfrauenmilcb,
Porto, cherez mlaga licores de todas as
quena e Cbelo balso porem falbado mostran-
do o casco levou uina trouxa de roupa con-
tando urna banda de um grande capote de
beto roberto ; quera a pegar leve a rua da
agoas verdes defronle da sacriatta de N. S.
a rna do Crespo loja D b.
^2> Quem precisar do um caixeiro por-
tugus de idade de 16 anuos para qualquer
oicuparao dirija-sea ua da roda D 8.
ti' Quem quiser um menino de menor
idade para caixtiro de loja francesa sabe ler,
escrever e contar dirija-se rua direita
p. if.
tsy Precisa-se de um oflcial de roarci-
neiro na rua estreita do Rozaiio D. 2.
qualidades, cognac, atainlhe, kirsch, ani- do Tergo ounacusa do Fiscal Baiata na
t^> Um casa terrea em qualquer dos rair- tette de bordeaux aseile doce em caixa de la j rua Augusta,
s, que nao exceda a mais de um cont de garrafas, farinha de legumes para sopa, con- j S3T Fugio de Bcbiribe no dia piimero do
leis ; a tratar do ajuste na loja de cabos da- servas de crvilhas sardinhas e outras mus- crreme um
fronte do Corpo Santo.
tsr Uro braco de balanca que sej pro-
escravo canoeiro ,
tarda iranceza charutos da Bahia da fabrica Benedicto do gento de angola ,
de nome
estatura
prio para armazem de
Crus n. 6.
*sr Duas arrobas de cola da Babia; quem
tiver annuncie.
ir Um livro de Arcbiteclura -, na rna das
Flores D. 6.
Vendas
de Groz ditos de roai.ilba chocolate muito pequea secco do corpo um tanto tullo,
assucar ; na rua da fino copos de cristal de muito bom gosto pouca barba com os denles da parle de cima
apareios de prorelana para cha, ludo por tirados, tem algumas marcas de bechigs no
pre^o muito cm conta ; na rua da cadeia c*sa ; rosto e muito caubecido por conduzu Jenna
de A. Hosch D. I7noprimeiro andar. do dito lugar para o arrumbado fugio com a
tsr Ura preto de naco benguella de canoa da qual nao se tem noticia-, quem o
idade de ao annos ptimo para o servico de pegar leve ao mesmo lugar a fallar com Lou-*
campo e tambera se troca por lijlos de al- renco Justiniano Rodrigues que ser lecom-
venara grossa j na rua diieita padaria do pensado.
Machado. 1
E9- Qualromoleques ce idade de t a i5| t ; i 0-,..#
nos. ue mili linda, fi*Pe ,!/ nr,n. lVi O Vlllieil tO O POl tO
Os Snrs Antonio Gomes e Manoel
Gomes dirijao-se a rua nova D. i para rece- (
beiem duas carias viadas do Porto.
9^> O Snr Joaqun) Manoel Ribeiro Ro-
za dinja-se a roa do Cie.-po loja D lado co | tsr FOLH1KHAS de Algibeira Porta ,
ii'one. e Padre ropressas nesta Typografia e bem anuos, ce mu lindas figuras dous pretos
tST Chegcu a penco a esta Provincia Jos conhecidas pelaexactidodo -lculo ; na pra-' mocos ptimos para carregr cadeirinhav urna
Lopes de Caivalbo homemde probidade, que lie venado em commercio e sua efcriplura- na rua do Labug lo|a do it. Bandeka na logo sobrado ao p do Rosario 1). 25.
cao, e arilhundita ; quem o precisar dirija- rua da cadeia do bairo do Recife loja que foi 4*~ Urna canoa grande que pode receber
do5r. Quaresma na iva da Madre de I-eos soo a 600 lijlos a qual se a cha acbada de
na venda da quina def'onte da J;reja no construir no estaleiio do oito da casa do Snr.
alterro ca Boa vista loja do Snr. Moretra Uis Joi lligino de Miranda por preco commo-
D. 10 e na botica do Snr Moreira. deron- do ; un pracinba do Lvramento 11. ap,
te da Mal iz ; e em Olinda botica rua do k_* Um moleque de idade de 18 anuos ,
Amparo. ptimo para pagem j na venda da quina da
tar Urna negra boa coziuheira e quitan- rua do Fagundes I*. 28*
deira por abo,000 j na camboa do Carino ISV Um escravo de idade de ao annos, mui
D. 8. robusto, e acoslumado ao trabalho; na rua
tzr Para for da provincia cu para o roa- da penha sobrado de um andar do lado do
lo um negro de idade de i% annos, de bonita .Livrawenlo.
se ao con vi nlo dos Religiosos de S. Antonio do
Recife lugar de sua residencia
tST AJug-se o pnmeiro andar da casada
la do Queimcdo piopria para horoem sol-
teiro ou pequea familia ; quem o preten-
der dirija-se a misma rua D. 7.
tST Quem pieiisar de un rapas brasilei-
rc para mueiro de venda mesmo para o
piaitci, o (jul da ciihec imento de sua con-
ducta dirija-be o rua tstieita do Kozario
leuda D. a-J
NAVIO ERNTADO NO DIA i4
PHILADELPHIA ; 37 dias Brigus Fj-
cuna Americano Cuberland de 15b tonel %
Cap. Tnomas Slelw equi p. 8, carga d>n
e farinha de Irigo ; a Matneus Ausiui
Companhia.
SA1I1DO NO MESMO DIA
PORTOS DO NORTE; Barca de Vapor
Paraense Commaudaute Irriro paS"
sageiros 11.
OBSERVAgOENS
Fiea sobre a vella um Lkigue Americino.^
J'icciia-t de a5o,coo a prinie, dan- .ligues jwiio uncial de ispaitiro, e al mui wr Fumo em lolha para clurnios; ou ra- V lid FE NA YYP. D&d. F. DEF. II


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB18GC5KF_1K9LFY INGEST_TIME 2013-03-29T17:25:55Z PACKAGE AA00011611_04186
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES