Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04180


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\rtso pk 1840. Quarta Fkira
Tudo gor depende de nos mesmo* ; d nossa prudencia, aaodara-
-5o energa : continuemos cony> principiamos, e seremos apealados
0m ad.niraco entre as Naces mais cultas;
Proclarcaco da Assemblta Gerai do Brasil*
II'
Subsereve-se para esta falla a 3?ooo por quartel pagos adiantadotf
nesta Typograia ra das Ouzes I). 5, e na Praca da Independen-
cia n. 5j, e 38, onda se recehem correspondencias leu-alisadas e an-
Buncios, insirindo-e estes gratis sendo dos proprios assignantes, a
indo asignado*.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES,
(Jdade da Parahiba Villas de sua pretendo t S \
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas Idea......./,. ,Q ...
Dita da Fortaleza e Villas dem..............V**' *""5P""
Cidsde de Goianna......... ......../
Cidade de Glinda................... Todos os das;
\'\a deS. AntSo......................Quintas (eir*.
Dita de Garanhuns e Povoaco do Bonito ......... lo, c ?4 de cada mes
Dilasdo Caito, Serinhaem, Rio Formozo, e Porto (Jai ve i, n, e a til* dito
Ctdade das Aiai>oas, e de Mace o............dem dem
Villa de Paia de Flores..................... dem 15, dita di;
7 odos OS Cor re.o pariera ao meto diz
PHASES DA LOA jO MEZ DE DEZ.
Quart. rese, a i as i h. e 58 na," da man.
La Cheia a o-as i h. e 'im. Quart.miu. a |5- M 6 h. e 43 m. la tard.
La Nava a al as a h. e 5? m. da man.
Man thcia para o dia 9 dt Dczcmbro.
As 5 horas 18 minutos da manhS.
As ;> Iterase 4 2 minutos da tarde.
9 or Dszkmarco. -V/ vi. g-G8
CAMINOS. Dbzgwo 7.
Londres......8i d. por l?ooo csd.
Lisala ......80 83 por co uremio por metal ooereciio.
Franca......3j5 res por franco.
Rio de Janeiro ao par. Comp. Ver.dns
OURO viooda de i,?oo res, vellos i4,48oo i5#ooo
Ditas ,, iwvm l4.*f:oo la#8oo
Ditas destfoooreis, K,Jioo 8/3oo
PHATA PaUces Bratileiros i#bao 1*640
PczosColiimnarios----------- l#6)0 1 ?ti.o
Ditos Mexicanos-------------- i^'o'oo i/fti
Muida.-----------------------i^44o- i#4So
Detcr-nte de bheles ldm de letras 1 i|4 a 1 i|i por noas firmas oterecido.
Mectla de cobre 3 por 100 de disc.
DAS da semana.
7 Segunda S. Ambrosio Are. Audiencia do Juis de Direito da 1.
Tara,
8 Terca >)? ConCeicfio q Quarta b. Le ead a V. M -- A111, do J. de D. da 3. vara.
10 Quinta S. Ma'quiadas l'. M. Audiencia do Juia de Lireitoda 1
Tara
11 Sexta S. Da mazo P. Audiencia do Juiz de Direito da 1. ver.
1a Sabt.a'to S. Justino M Relac e Audiencia do Juia de Direito
da 3. vara.
i3 Dominga 3. do Adventi S. Lacia V. M.
PERNAMBUCO
GOVERNO DA PROVINCIA
Expediente do dia 1. do corrente.
OTicio -- Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha appvovando a deliherac,o que tomn '
de fornecer a Charra Carioca, as ractr.s de
carne verde e pao e as dtns pecas de lona ;
para concert do veame que foro requesi- I
tadas pelo respectivo Commandante.
Dito Ao Commandanle Superior da
Guarda Nacional do Recife, inlelligenrian-
do-o de que o Cortejo do Dia a do torrente
ter lugar depois da Parada e que as
Tropas devero achar-se no largo de Pala-
cio e ra do Collrgio as onze horas da iiia-
nh.
Dito Ao Juiz de Pai d Grvala res-
poudendo-lhe que as KleicVs para lleito
es, a que se vai proceder no da 13 do .-r-
rente devera ser feitas na Parochia onde deve-
ro comparecer todos os Cidados. que estivo
rem no caso de votar ; e que ao Juiz de Paz
da Fre Meza Parochial como ja liie fez ver a Ca-
ara Municipal respectiva, de conformida-
de com as Instrurco de ti de Marco de
l8*4 e ma's ordens em vigor,
dem do dia i
OfficioAo Commandanle das Armas,
pata mandar escusar do serv-o militar os cin-
co soldados de que tracti o seo officio do p meiro do corrente visto tereo sido mi-
gados pela junta de saude incpases de ser-
vir. 1
Dito Ao mesmo significando-lhe, que
lendo cliegado da Provincia) das Alagoas no
Brigue Patagonia o segundo Teiinle de Ar-
lillieria Jos de Almeida Pinto de Proen9a ,
compre que Ibe d o conveniente exercicio na
conformidade das lmpe ia^s ordens,
Dito Ao Inspector da Thesouraria de
Fasenda para mandar faser os competentes
ssentamenlos aose,-;undo Escripturario da
Meia das Rendas Iuternas Geraes, Francis-
co Antonio de Souza, nue se lein inscripto no
Monle Pi Geral dos Servidores do Estado
conforme requisita o tespeclivo Secretario Di-
rector.
Dito Ao Director do Liceo, respondendo-
Ihe quede\e jora concurso a Cadeii a de La-
tina da Comarca do llio Formoso logo que
ieio ('residente da Cmara Municipal daquel-
a \ illa Ibe for partecipada a vacancia da
referida Cadeira.
Dito A Cmara Municipal de Cimbres,
significandc-liie em resposU ao seu officio de
14 de Oulubro ultimo qu. parte, que fallando a Lei i'rovimial numero
a4 de 8 de Junlio de 18J6 artigo t. c *) i. em
boceteiras e mscales seui desiinc^ao de resi-
dentes ou nao residentes no municipio he
sem duvida que sedeve entender comocom-
prebenciva de ambos pelo principio, (us on-
de a lei nao destingue nao nos cube deslin-
guir : e quanto a segunda, que o tacto dos
mascasles e boceteiras haveiem j pago em
uiu Municipio oiir4)rtp a queesto sugeitos,
nao os nenia de no inesmo auno {Mgaiem em
outio, quando ahi por ventura lucbem ven-
di nao so porque sendo a predit* lei con-
cebida em termos mui genuinos, nao admi-
te raslrii'9o aljuma. se nao tambeiu purque
percehendu elles no Munitipio para onde se
JpjSso urna nova vanlagem resultante da
mPnle seregeitema um novo otis tanl) me-
nos gr talo-. 011 limilando-se a um s Municipio ,
ou nao saindo durante o aniu d^queile onde
(iverem urna vez pago.
Dito A Cmara Municipal de Seri-
nba*em repnndendo-lhe, que lendo c Exm.
Prelado Deocesano nomeado o Padre Joatiuun
Mauriii. Wauderlei para Vgario da Fr*-
Dilo Ao mesmo, remetiendo-lite o rc-
qv.erimenlo guia, edocumentos doex-sol-
dado Pelri Jos da Fonceca Lira, eor*'-
nando-lhe querobrasse da Thesouraria pelo
methodo adoptada oque se Lie estivesse a
dever de vencimentos atrasados por estar
em idnticas circunstancias de outros a ijuem
se tem mandado pagar.
Dito AuMapr Commandante interino
ftueaia do Rio Formoso neuium obstculo [do tereeiro Bftalhao d Ariilherii, -autho-
ha para quo ali se nao proced a E'eicao ; risando-o a rereber com passagem da Com-
que em contormedade da Lei drve ser fela no I |i.inhi Provisoria de Cacadores de Linha
para o mesmo batalho o segundo Cadete
Francisco de Aranjo Caldas Tompion,
Furriel Manoel Caetano Muni/. liar-
dia i 3 do crrente.
COMMAADO DAS ARMAS
Expediente do dia 4 do arrete.
Officio Ao Exm. Presidente, transmit-
trndo lhe informado em sentido lavoravel
reto, e Cabo de Ksqnadra Maximiauo Fer-
reira Chaves, cujas guias se lhe enriara.
Dita Ao Tenente Coronel Comtnau-
,dante do Deposito, mandando considerar pru-
0 req..emento do Soldado d0 lerce.ro hU-l^j, ,||j|m t0,n is .,, da fiU!lP.
Iho de Arl.lher.a a pe Theolonio Joaqu.m n9fio ,,4, A|ag0 M clljM gui8 htptem se
de Almeid. lortuna, que supp..cava leceu- ,he remelle elo A.judaote e bera Kssim
ta para frequentar os estudos de sua arma na ( ma|s 3Jre(TU,,ls vidos da BKsma Provincia
Escolla Militar da Corle. i designados na reUcao que se liie transmit.*
Portarta- \o I cente Coronel Comman-aSbiada |0 Secr,;f;ir M|tar, devendo
danto do Dq.os.to mandando dordem da abrir_|he,ru;.a do dia (1o correte.
Presidencia commun.cada em ohc.o datado '
del.ontcm, dar demao aos soldados Jos THEZOCRARIV DAFAZENDA.
Antonio Bernardes da Silva Claudio Jos do (|ocorrenIe.
dosNegroe, Jo.e Gomes le reir Jos J __ Ao E^ 1>rideuU) llfor.
Consalves liiserra por lerem vi lo lulg^aos m- r .. tl% -
. .5.... J. B(c ., 1 mando acerca da requeficao Itita pelo Lom-
capases do servico Mi litar pela Junta de oaude J (.__ 1. a r lilUoi-*
1 ,r mamunte interino do Corpa U<: Ariuneiia ,
einsessaouo 1. do corrente, ,-__, a. _,,:_
... ,, 1 de varios arti,os para o expeJi'mte aa quin-
I ila Ao Maior Coniinandinte interino ., ,,' iv^B eo .
. i, 1,'- 1 .M. a ta Comnanhia do mesmo Corno, por se adiar
do terceiro Datalnao de Arllieria, mandan- [, '____' ,,_
e .. 1 1 acctinuilado o commando da mesma ao leona-
do na mesma conlormidaue, e por i;ual mo- ., 4.:
, 11 1 m .i mandante de huma oulra V.ompsiiliia.
livo dar bixi ao saldada Alaximiano lien- ,. ,. ., '
, c.. o Uem do da .
nque daSilva Santiago. Dito-Ao Commandanle dasArmascom
dem do dia 5* o requerimento de Pedro Jo>e da Poacecs Li-
Officio Ao Exm. Presidente, commu- ia para se dignar emit.r o seu parecer a ree-
nicando-lhe que segundo sois determina- peilo da preteiu.) do mesmo.
roes fora o destacamento do Forte do ura- Portara--Ao Collector de Diversas Ren-
co, tendido no dia Jo de Novembro ultimo, das do Municipio de Serio haem declerando-
poroutroda Guarda Nacional de Pao Ama- lhe, em vista do seu officio de la de JNo*ero
relio, com falla de dous Guardas ; masque bro ultimo, que nao (em lu;',ar as providen-
0 callando dous a murallia e levando quase Formoso se deixe de arrecadar o imposto da
lodos o armamento 5 que o restante dodesta- >isa dos Predios existentes em outros Deslric-
camento, por promessas, e eusinuaces do tos posto ;ue nella se ellectuem as vendas,
1 Commandante do Batalbio esta va esolulo a porque conforme a Lei tanto pode o paga-
abandonar oseo posto, e pedindo a respeito ment ser f-ilo no lugir em que se acbe os
desle procedimerito providenciss, e para que beni como naquelle em que se (asem as Es-
o destacamento fosse completado com praca* trituras.
do mesmo ou deoulro Uatalho. ] I m d j di 1 .
I Dito--Ao Commandanle da Escuna de Dita mandando abonar ao Thesoureiro
Guerra Fidtlidade para ei.tregar adispo- da Laseoda no Livro do Registro de bheles
sico do portador desle, o primeiro Cadete di All'iidega ; vencer do exercicio corrente,
indo do Vfaranbo preso p tenca nailha de leinaudo, Jos listeves de 0nze ilbeles entregues ao Aloioxii.lo do
Almeida. 'Arsenal dd Mariuha Manoel Francisco de
Dito Ao Maior Commandante interino Moura.
do lerceiro Batelbo de Artiliiene remei- Dita- Mandando debitar ao mesmo no
lendo-lbe a guia, e copias das Seiilencas que livro Caixa do exercicio corrente pela qun-
tete em piiu.eirae segunda Instancia na pru- liadeque trata a precedente Portera, entre-
vincia do Maranlio i primeiro Cadete Jo- gUe em notas pejo Almoxarife do Arsenal so de Al.r.eida eordenando-lhe que o con- Marioha.
siderasse addido ao Ralallio do sea Com- |_)u Mandando abonar ao mesmo no Li-
mando com vencimeulo de Sold, e Eiape vro de registro de Letras i vencer do exercicio
somenle. doi. de Oulubro desle anuo uax torrente pela qu.mlij tie doje contos de res
diante, ale que ao mesmo Cadete sa desse des- proveniente de huma Ltiia acceita pelo Fiel
lino. dj 1 ieaoureiro da Tliesouraria Provincial
Dito Ao mesmo di:endo lhe e= res- vencida no da 3 do correte mez e recebida
posta ao seo officio de 4 do trrenle, que erao pelo mesmo Fiel, por haver entregue oulra
pracas de Cajadores os tres soldados relur- igual qiiautia em Notas.
inados ltimamente, meocionaoa em seu di- ji;-t Mandando debitar ao mesmo no
lo officio e que asaim couideradosf lhe pa>- Livro Caixi do Exercicio correule pela quin-
, sasse guia para a Thesouraria. uade que trota a precedente portara.
EDITAL.
O Illm. Sur. Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciacs de Pernaiubuco miuda
faser Publico nue em virtude do <6 do ar-
tigo 37 da Lei Provincial numero Sj e Officio
do K\m. Sr. Presidente da Provincia de 5 do
corrente, se ho de arrematar perante a mes-
ma Thesouraria nos lias t", 19 e ti de L)e-
zembro prximo viudouro ; n por lempo da
annoe meio a contar do 1. de Janeiro de 1 ^4*
t io de Juuho de 164a as taxas d*s pontea d*
Magdalena Carvaiiio e Gequi,
As pessoas que se proposerem a esta arre-
m .t n_:.'> com)arefam pelas 11 horas di mo-
l i dos dias cima indicados no Tribunal dt
mesma Thesouraii i manidas de la lores ido-
neos. E para constar se mandn afix&r o pre-
sente e publicar pela i mprensa.
Thesouraria das Rendas Provinciaes de
Pernambuco 7 do Novembro de iSjo.
O Secretario
Luis da Costa Portocarreiro.
ii versas iiepartiydes
ARSENAL DE MARINHA.
O Illm. Sor. Inspector do Arsjnal de Ma-
liuha maula faser publico que se tem de
por em arremataco o lorueciinento dos ob-
je tos abaixo declarados para as embarcayes
da Armada, e Arsenal, pelo lempo de seis
mezes contados do ptimeiro de Janeiro ao liu
de Junho do torrente anr.o. O n;;'s:no Illm.
bnr. Inspector cernida as pessoas a queru
tac* fornecimontos possa convir o comparc-
cerem com suas propostas em carta feixad.i at
odi 15 do prsenle mez; e as quaes se de-
claren os fiadores aim de que te poess ee-
cloar a anemataco com as que- por menos
preco os mes mas fornecimsntos fizerem ; pro-
euindo-se tjue a condicijia especial he das
gneros serww Ja melltor quilidade, ni falta
00 que serio recambiados, e comprados outros
cusa d s ueaus fornecedores.
Inspecco do Arsenal i Cariaba de Per-
na.nboco 1. de Uezembro de iio.
Joio Manoel Miguis,
Relaciodosobjecto precisos para for.iecimen-
tos dos Natos i% Ariotdi, e Arseaal d Marinba. A saber.
Atette doce, vinagre, Feijo, toucnho,
Arroz e bacalbao.
Inspeceio do Arsenal de Mariuha de Per-
nambucoemo i. de Destmbro de 1 r> j-j.
Joao Manoel .Miguis.
EDITAL
Lui Francisca ile Mello Garateante JE^cri-
v.v), e Administradjr da Viesa da Rendas
Internas Prorincieot deita Ci i a.ir; te.
Faz saber a lo las os propietarios dos preii-
os urbanos das trez bainos deit* C.Jade,
Povoaco j-, Afogadjs que do primeiro des-
te correte mez teve principio a cobraitc
boca do Cofre da respectiva Dcima na eou-
formidadedo Vrtigo .uve da Certa de Le de
27 de Agosto de ibi.i. (indo este mea pre-
ceder se-ba excuiiva.nente caut.a os que m>t
Uvciein |>ago.
Meta de Rendas luternai Provinciaes da
Novembro du if54o
Luis Francisco de Mello Cavalcantu.
OBRIS OBLIGAS,
Pela Administra* a Fiscal d s Obras ''u-
hlicdS se hade ven ier em beelii-publica a jii;n
mais der vinle e tantos costado louro uo-


DIARIO
perAambuco
osaderegosj esiivessem por miaba con la pezar dse haver dissolvido a unio anles
porque dirigindo-me diasantes ao Sr. Paiva applaudio tanto como a Belgiea a separacao
para pagar-lhe os aderemos, edando-lhe bu- queacabava de realisar-se. Porm e evi-
m letra de boa firma coro tres das a rencer, denle que o Rei nao se resignla ella seno
este franqueoo-mc recebel-a eu e traier-lhe oa apparencia e uto Jacto indahitavel que
depois odinheiro, dando me n'essa occasio at o ultimo diado seu remado conservoues-
o ultimo aderezo que liaba, e dizendo-me perancas Ilusorias de rertauraga.
que icassc lambem com aquelle que era o Boa parte de exigflraoo se tena divulgado a
ultimo, ao que annu. Es Srs. Redacto-' respeito do pretendido despotismo de Guilbur.
res o caso como se passou ; e deixo ao res- me. Verdadc que elle levou muitas veres a
peilavel publico ajuizar do comportamento do sua firmeza de carcter a ponto da evidente
Sr. Paiva e do tal Braga.
Seu Assignante
obs'.inaco ; mas aunca se entregla ao exer-
cicicio do poder arbitrario O seu Ministro
Joaquina da Oliveira e Soasa. Van Maanen que foi uro da chamado res-
ponsabilidade ministerial parante os Estados,
NociaS lastra ngeraS. I respondec- Nao sou responsavel pelos meus
r -P- .-=> actos seno ao meu Re. Declaracoes sema-
Ihantes irritaran a ooinio publica e suscita-
MEMORIAS Di ABDXACAJ DO RE Di H3M.AHDl# ^ ^^ q ^^ ninijddes qU(J ^ fc.
O Reino dos Paizes-Baixos fundado em veria limitar ao Ministro. Se elle tivesse
i8i5, econaposto das antipas Provincias da allegado como poJera ter feito que a le
llollandae Blgica foi con6ad> a un sceptro fundamental dos Paizes-Baixos permitlia s
empunhado pela mo di oais Ilustre familia Cmaras reunirem-se anda na filia d'um
das antigs Provincias Unidasa caza de arlo de convocaco Real, quando occorria ai-
Nassau que alcancou tanta gloria na revo- hi circunstancia particular e que o~Rei nao
lugo ateada por Guilherme o Silencioso ron- tinlia direito algn da dissolve-las ; ter-se-
tra o despticoe fantico dominio de Felippe bia ento entendido que pira contrabatan-
a. O mime dos .Mauricios e lleriques di- rnos Successores do Grande Guilherme tan- j ment, era necessario qua o Ministro estives-
to bavia unido esta familia com o Povo dos se armado d u:a poder de resistencia miis ex-
?os de diversos compiimentos e de palmo e, pelos autos, e ordenou-lbe a entrega sol) pe- me queixou-se pelo seu Embaixador as Po-
*ieia adous de largo avallados em 5Qao j na de pruo e estando elle prompto a entre- tencias Europeas reunidas em conferencia ,
preeo porque foi comprado caja bum; as pes- garmos desist do recebimento com quanto em Londres. A "^P^noUtndttt nlo leve
soas que quiscrem arrematar podem concorrer
na sallado sobredito Administrarn as il
Wasdos das lti, 17, e 19 do corrate p3ra
(iarem seus leos ; e queren l > ver o dito
.. oado podem ir a mesma jalla iodos os
uias uteis as horas do expediente para se lhes
n.andir mostrar.
Amimistr-ueo Fiscal das Obras publicas 5
de Descoloro do i.jo.
Moura.
A. F.
A Administrado Fiscal das Obras Publi-
cas, precisa de serventes que sejo livres, e
posanles para trabalbos de arraalros de ma-
deiras, corn o jornal de setecentos res ; aquel-
las esssas que quiscrem trabalbar podem
irigir-se ao apoulador Geral na ponte da
Boa-vista.
Administrado Fiscal das Obras ["ubicas
4 de Deseaibro 1840.
lMoura
A. F.
PREFEIlURAi
Parte do dia ti de Dezembro.
Illro. e Exm. Sr. Das partes boje rece-
Licias consta sa:enie que fora hunlem presos
por um Inferior do Curpo Policial Francisco
Gcncalvcs Ferreira e Jos Francisco Tuna-
do bramos por ter sido avisado de que an-
dava armados de faca de pona para o assas
:na. em.; ara lecoihidos Cadeia.
Parte do dia 7.
Illm.e Exm. Sr. ~. Fora bontem prc3os
pelo Sub-Prelo do Rerife Manoel Lttl Gon-
zage, branro por ter faltado ao sel vico da
Polica; e pela Guarda da Rbeira Miguel
Correia de Mello e Barros, taaibem brauco ,
por alravcs>ar gneros de primeira oecessida-
de desubedecendo assim asordens eslabelle-
cidas respeito ; fora" clenlos 110 Callabou-
co: e pela primeira Patrulla do districlode
Fora de Perlas o prelo Jo^ escravo de Joo
Antonio, por desobediencia e querer agar-
ra r-se as armas da mesma Patrulba : leve o
rcesmo destino.
E' o que consta das Partes boje recebidas
n'ekia Secretaria.
EDITAL.
O Cidado Jos Antonio de Oliveira e Silva ,
Juicde Pa da Freaueiia de S. Pedro Mar-
tyr da Cidade de Olinda em virtude da
Lei etc.
Faz saber, qu tendo-sa recolbido a mes-
ma Cidade e ora residente na ra de S Pe-
dro Apostlo assim o parlecipa aos seus
Comparocbianos e mais pessoas a quem coo-
viar, par sua intelligencia ; eque na con-
tinuaco de suas funces ali o acbaro sempre
prompto pira Ibes deferir conforme as obriga-
toes ci feo cargOi Olinda 7 de Dezembro de
ab4o. EeaAlanoel Jos Ferreira doNsci-
tcento Escrivo de Paz oescrevi,
Jos Antonio de Oliveira e Silva.
Pelo Brigue N. Indi n:no e pelo Brigue
Frasileiro Jpiter nao recebenos gazelas,
Jim iici> consta ^apezar da deligfiicia que fi-
zemos) (|ue viessem remedidas pessoa al-
(;uma : mas por noticias particulares sabemos,
que a Capital permanece tranauiila. Uo Rio
Grande uenhas noticiae tem aliebegado, u-
lem das ultimas por r:s publicadas ; e cons-
tava serem (alsas as que se espalhaia por a-
cuide se ter levantado o bloqueio de Bueaos
Ayres.
paues-Bai.xos que nao podera cuidar ero
constituir urna Repblica ou em crear urna
Monarchia sem fazerem o berdeiro da caza de
Orange seu Jtatbouder 011 seu Rei,
Guilherme (o Soberano que ha p meo ab-
dicou) o qual tomn o titulo de Primeiro ,
desde o estabelecimento da nova monarebia .
comecou por introducir em Bruxellas ir.stitui-
ces cujo espirito liberal lnn{;e estava de
lenso do que pennitte o uso da Inglaterra ,
uu da Franca onde existe o direito dedis-
solver o corpo legislativo. Porin Van Maa-
nen pravo-jou a ditcusso e ao mesmo lempo
decliaoa-a, e era ao seu noma impopular que
o Rei Guilherme devia a maior pute das suas
inimizades polticas
Inimisades paiticulires nenhuns titiba. A
simplicidadeea boudade do bomem eslavao
ser agrada vel santa lllianca. Comprebenden- sempre unidas firmaza do soberano. Du-
do claramente que nao podia acertar de po- j ranle um remado de vmte e sette annos con-
pulai isar-se senao seguindo urna marcha dia- servou sempre o usi. de receber to las as quvr-
metralmenteopposta aquella que amigos pre- tas feiras quem qier que dasejasse aproxi-
juizos bavia dictado em Franca ao ramo mais 'mar-sede sua pessoa, sem uzer disliocco
velho dos Bourbons,flie pareceoser em Bru- :alg
xellas lo bom philosopho Protestante quanto Anda que muitos se inclinem a apresantar
a Curte das Tulheras era ento Calholica e o ex-sobarano como um dspota todava en-
monarchica. Proclamou por todos os seus es- tre a* Corles do Norte sempre passau por um
tados a liberdadede imprensa n'um periodo, Principe muio liberal eraui tolerante.Quan-
em que exista m Franja urna rigorosa cen- do nos primeiros annos do seu reinado o Kei
sura e recebeu com rouit benevolencia os da Prusia eu cuniado, lhe dirigi repre-
deslerrados polticos a quem a intolerancia seniaces relativas prolerco que elle dava a
doGovernoFrancezcondemuaraao banimen- certos desterrados, e jornalias liberaes ,
to, Dizei u meu cunba-lo que eu sou assaz
Esta protecco outorgada a's mesmas por- grande para abrar por .nun msmo : tal fa
las de Franca a mues revolucionarios os resposta do Rei Guilherme. Este dito pi-
msis notorios assustou as Potencias, as cou nao poucoo Rei da Hrussia ; e quando re-
nuaes intimara a Guilherme de as- beotou a revoluclo Blgica e lhe oi pedido
sau que fuesse lemover esses desterrados, um soccorro militar a resposta que elle raari-
Elle nocedeoa estas intimaces sem ter por dou ao Rei Guilherme loi esta : Meu cu-
muit tempo defendido com cousideravel zelo abado nao pode haver misler do meu soccorro.
os seus direjlos romo Priccipe independite Elle assaz graude para sabir por si iues.no do
e os da bunianidade anda mais sagrados, embarago.,,
Quando ullimamente elle foi obrigado a cons- j O Principe de Orange que ha pouco su-
tranger aquelles iulelizes a sahirem dos seus bio ao throno franco eallavel no seu Ira-
dominios Irouxeaa-lbe a nova d> que um to e isto junto com o seu renome militar o
naufragio havia outra vez arrojado sua costa tero sempie feito muito amado da soldadesca.
o sabio iVIcrlin de Donai A exclaroaco do Os liollandezes povo esencialnaenle com-
Rei Guilherme nessa occasio ser sempre mercial e pacilico, tntretivera algumas pre-
lembrada o O mar m'o restitue, muito vengues ronlra elle por causa do seu gosto
bem eu o guardarei Com elfeilo elle as- militar ; mas ullimamente o caracierdo Frit-
simo fez, e deo-lbe muitas provas convin- cipe de Orange sodreo urna cori3deravel mu-
ccnies da sua real munificencia. danca, O guerreiro lornou-se agriaullor o
E' ilesnecessario entrar aqui na analyse das mancebo generoso, e alguna tanto prodigo
causas, queconduzira revoluco Blgica, converleu-se em cuidadoso ecoaomisla e por
Basta dizer que o Governo Francea julgou ultimo lem-se oceupado diariamente co n gra-
um dever e at um acto de necessidade o a- ves negocios do Governo Execuiivo e projec-
poiar os insurgentes sendo evidente que esta lado relormas, emqueoutrora nao sebou-
revolu(,o sobre as mesmas fronleiras da Fran- : vera dignado ddecupar-se.
ca prest.iria um apoio material nova dvnastia A Gazeta de Utrtcii annuncia que o ex So-
estabeilecida eii Julbo. Circumscripto den- berano tomar daijui em dianle o nome de
tro das Provinvias da ifollanda o Rei Gui- Guilherme b'rederico ; e ficar em Luo du-
Tendo apparecido no seo Diario duas cor- Iherme recorreo a todos os meios possiveis ranle o crreme inez na companhia do Priu-
rspondencias sobr; jioder um corretor vender primeiro para preservar e depois rconquis- i cipe Frederico s.;u segundo tilho. O actual
bum objecto por roaior preco do que o que se lar as provincias do 5ul, q acabava d escapar Sooerano Guilherme era esperada diaria-
Ibe deo ; c suppondo eu que este negocio se ; do seu sceptro, O Principe de Orange (que ha mente em Amsterdam.
refere a mim, too contar ocaso como o caso pouco suctedeo ao throno) marchou contra (The Timas.)
foi. Tendo o Sr. Jos Mara da Costa tai va, \ o# Belgas venceo-cs no campo da batalha em ----------------
alguns oderecos para vender e nao adiando llassell e em Louvam: e estava inminente'u- j au .' t ,-
comprador. e:iCrrefi.,u-me de es vender por orna restauraco, quando o Governo de Ln II,slori de lres f>|hos d um Mendigo que
preco designado por elle, sendo o excesso que Felippe, a quem um tal acontecimento teria Se tolnardu nc03'
pudesse obter o lucro do meu trahalho ; e seriamente ameacado, lez marchar debaixo Ha muitas profisses que o homem mais
tnliei a inculcar a uns e outros e tendo j docommando do Marechal Gerard um exer- pobre pode tentar para gauhar o |>o e nutrir
vendido um dt-i dous a amostra a Francisco cilo que eslava destinado a repellir os llollan- >ua mulher e seos fiuo. (guando se he at-
.i-.- le reir Hraga, e estando em ajuste com dezes das fronleiras Blgicas. Enlo leve lu- j tent traballiador e econmico lem-se
el.e pode esto dirigirse ao Sr. Paiva, o gr o memorawl cerco de Antuerpia onde o sempre prehcnchido o caminho no mundo;
qual sem delladM tratou de ajastar cem o Geueral iaoandez Cliass e urna brava guar- j he o que prova a historia de Joo dchmid.
tito braga, sem eu ser sabedor ; como po- nico sedefendea com a maior perseverancia i Joao .-hmid era um velho soldado, q'linha
itm o homem i:o ice dava solucao dos ade- e intrepidez. Esie sitio aqueassistio o jo- urna perua de pao ; era to pobre, que anda va
i' us, vi-me obrigado a chamal-o a Prefei- ven Dujue re Orleans pos tim a campanlia, de porta em porta a pedir esmola as Aldeas
tura j.ara_ m'ijsenegar e oidenando lhe o e o succes-oda revolugo Blgica foi estabe- vizinbas aera que elle habita
>r. Pit-fcito que assno o fizssse desca tou-se lecido.
duendo que tinba pago um eenlitguco, Tendo-se retirado para o Haque capital
outroaufcr. Paiv- o Sr. Preleiio nao aleve [ dai suas provincias do norte, o "Kei Guiler-
'urr^spouuericia.
Surs. Redactles.
que ene nabitava periodo Lago
de Cunslanca, Presentemente o velho io*o
Schmid descanca sobre urna grande Cadeira
de bracos ; elle est a seo cmodo e nao se l
sabe como isto seja. Huns dizem que eu
1 cobrio tbesouro 5 nEo, dizem outros qUe
elle fez pacto com o Dabo. ,
-- Eeu respondo, que aquelles, que asi
sim pensa sao fracos ; sei melhor b que isto
e passo a vos contar.
Joao Schmid tin'.ia tres filhos que os lia.
via bem educado apezar de sua pobreza por.
que nao lliea dava senao bous conselhos, e
l>ons exemplo3 e tinba o cuidado de es man-
dar Escola. Hum dia de vero que Joao
Schmid reparta o pao do almoco ntreseos
lres filhos Ibes dte :
Meos filhos, eis-vos agora asss gran-
des para ganbardes vos mesmos a vida ; naaS
nao he precis mendigar quando se pode fu-
zer d'outro modo, he roubar o paod.aquelles,
que sao anda mais desgranados. Tu, Pe-
dro, tens quatorza anuos, e bous olhog ,
procura o trabalhoj Tu, Gabriel, tens tre-
7e anuos, e bous bracos, metei-os obra.
Tu Jorge tens ouze annos e boas pernas,
aproveitai-vos deltas.
Mas os tres filhos gritara : Que queris
que nos facamos ?
Joo Schmid Ibes respondeo : Gu bern
sei, que nao tenaos nem campos a cultivar .
nena paos a derrubar nem rebanhos a con-
duzr; porem ha muitas cousas que se par-
dem sem que niagusoa as ulilize e de que so
pade tirar partido com um pouco (^industria.
Eu vou moslrar-vos sto ; esa ganhar.les al-
guna dinieiro nao o gastis seno segunda vos-
sas nceessidades e economizai para o futuro.
Se poderdes ebegar ao ponto de ver sustentar
e par de parte una batz par dia cada um de
VOS, no lim do anuo, lereis junto 4 flirins
emioaiiri'is islo far a jo II jnus, que Ibf
' perlcncero.
Ento Joo Schmid se poz caminho con
seos tres filhos. Elle lhes fez ajuntar lodos os
ossos que se langavao fora como inuteis, a
fin de vender os mais grossos aos torneiros
que fazem delles todas as serles d'obras da sua
profissao, eos outros aos Cultivadores para
ettrumar suas torras. Elle lhes fez recolher
(Jos os peda eos de copo que se comprad as
Fabricas de vidro para os fundir com outros,
e fazer novos. No vero trazia grossos pi-
cotes de folhas de rozas, de flores de Sibj-
gneiro etc. que lhe fora bem pagis pelos
Boticarios; estes mesmos Ibes pedia trou-
xessera novas e Ibos indicara outras muitas
plantas e raizas de que se faz uso 110 sau es-
tado. Juntara timben cabellos de vaca,
crinas, e cabellos de caballos quando po-
dia achar u:n pouco compridos. Os Tapa-
ceirOS comprava o cabello de vaca ; os sallei-
ros os Carrosseiros e os fabricantes de ca-
deiras comprava as crinas decavallos, e os
Cabelleireirosconpravo os cabellos. Tuda
isto traria diubeiro sem exigir outra couza
que altenco e cuidado 5 po -uravij to
bem sedasde porco para os Sipateiros, eos
intestinos da animaes morios que elles lim-
pavo e secavo para o fabricantes de cor-
das de tripa para Rabeca e Viola. Quando
se Ibesdavo cinzas lo levar aos fabricantes
de sabo, s lavadeiras para suas barrillas &c,
Todos os trapos de la e panno da linbo ,
que elles achavo ero vendidos aos papelei-
ros ; em fin elles nao terio deixado perder
urna puna que pudessa anda escrever ou
que pudesse entrar no numero de pinnas
brandas com que se eneha.n travesseiros. -
Deste modo sftus pe juenos provaitos se augf
mentaro cada da.
Logo que appareceo o Outono o trabalho
nao liDii aos (res filhos. Por todas as par-
tes onde elles obtinho pennisso recoliiio
os traeros agrestes de que se faz vinagre, raox-
to, e outras couzas uteis. i\os bosques ,
juntava urna grande qu 1 1' idj la de frucios
de carvalho de tata de pevides d'alamo ,
de carpe de Betola do que e'les obiinha
bom preco quer dos florcaleiros quardos
Cammissarios de trigo.
Encbio sacos de castanhas selvagens e as
Ira/.io ao moinho onde o moleiro zombava
Jelles ,julgando que lo comer esta aiinha
amarga e queniuguem ha que gosle ; mas
os falteos de Joo >chmid o deixavo rir e
vendio sua farinh.t de castanhas aos encader-
nadres, aos fabricantes da papelo, e outros
obrmos que fazem uzo da colla.
Emhm, quando o trabalho faltara axa-
a-se sempre depois d'uma chova quenle
cogumlos par, os gloloans daCidada-- No
invfrno, seoecupavaj eoa faier vas.ouras, eu-
trancar cadeiras cestos e esleirs ; o velho
Joo Saiimd era seo mestre ueste genero de
trabalho. Em urna palavra a caza que ha-
bilava Joo >i!wuid com seos tillaos lriipu-
se um armazem qua poda apenas coiiter
lodos os objectos que cada da elles trazio,
como os pe juenos passaros quando quereo
construir seos nuihos. Pouco a pouco,


DIARIO DE PI5RNAMBUCO
s
*
fi;frao ccrilrecios das pesow que lhes coa- berras graos penas e trapos seriamos t Redactores a graca degublicarem estas Iinhas
nrav apprendero a distinguir a qualida- ainda boje mendigos. pira intellgencia do mesmo Snr. e do Pu-
Foi assim que elles fallarlo e enchero '
de
de de suas mercadorias e tornavio-se
a mais habis em as procurar.
o Pai Joo Scbmid contou
jnais
Jjo fimdoanno
todos os productos e reconheceo que seos
res filbos tinbo ganbado mais de um bctz
opr da i por 1ue av'a ein caixa io4 flonns ,
e 23 kreotzers.
Joio Scbmid levou logo esta somma caza
de um rico mercador ,ea poz a juros. Tudo
islo fez grande prazer aos fillios, que nunca
^iro tanto dinlieiro de urna vez.
So auno seguinte o traballio foi ainda me-
]hor. Joo Schmid nao mendigava mais ;
cui^ava na familia hia aos fabricantes de
sabo Commissarios de trigo &c, para por
as mercadorias juntas por seos filhos No
fim de 4 annos em empreados elles se v-
ro possuidores de6i4 llorins. Entretanto
es rapares tornavo-se maiores e disputavo
mudas vezes. Ora um era jacuzado por seos
irruios de nao baver trabalhado ora o outro
de ter vendido muito bom mercado ou o ter-
ceiro de ter bebido um quartilho de Tinho.
O Pai Joio Scbmid que nao podia sup-
porlar as queixas lhes dice : Tomai ca-
da um loo florins pde-vos no mundo ;
com industria,e economa sempre se lirou van-
ta"em. O resto do dinbeiro ficar em caza do
mercador onde nos o temos pasto e espe-
rando que nsdelle tenbamos necessidade ,
os juros sero cada anno juntos ao capital.
Eitlo os tres apertaro a ino e dicerao
n Dos a Joo Schmid. Pedro se diriio para
Leste Gabriel por o Oeste e Jorgs para o
Su. ...
E Joio Schmid nio recebeo mais noticia al-
guma de seos flhos. Sento multo de se ter
separado delles porque era velho e fraco ;
de alegra os utimosdits de seo velho Pai. Era-
pregaro o dinbeiro que se axava junto e que
tinho trazido de seos bellos iuteiesses a fun-
dar urna esoola na Aldea.
Eisaqui o que aconteceo naturalmente, e
os Camponezes que nao sabem como isto se
passou abrem grandes bocas e repetem ,
une Joio Schmid tinha feilo um pacto com e
Oiabo. fim.
LOTERA, do livramento.
O Thesoureiro da Lotera faz zciente ao
respeitavel publico [que como ai a venda dos
bilbeles com grande alluencia] que deseja que
os amantes desle jogo concorro para a com-
pra para o mais breve annunciar o impre-
terivel dia. f
s um braco ; queira procurar na ra do
apollo armazem de Reg & C,
tST Perdeo-se no dia ) deDezembro des-
de o armasem do Rofino alhe o largo da Pe-
nha d >is requerimenlos de dispencas viudos
do Rio Grande do Norte por tanto roga-se a
LOTERA DOTHEATRO.
OsBilhetes da i.* parte da 5. Lotera
cujas rodas anduo imprelerivelraente no di
l4 do corrpnte mez acho-se a venda
as lojas dos Snrs. Manoel Goncalve*
da Silva e Vieira Cambista na ra da cadeia
no Bairro do Recife e no de S. Antonio na
dos Sur. Bastos na pracuha do Livrameuto
Manoel Alvez Guerra ua ra nova.
/
VvisOi fIi versos
Sendo muito cuslozo saber exalamenie
a residencia actual dos Srs. de que se cora-
poem o Alm.iuA o Edictor do mesmo roga
a aqueilesque tiverem mudado de habitaco o
favor de mandare; umi notta de suas mora-
mas nao queria tocar no dinbeiro de seos fi-; as acluaes na Praca d* Independencia
Ihos. Entretanto cabio doente ; algumas fa-
milias eompassivas Ihe enviaro socorros ;
mas havio tarabea pessoas insensivos na
Aldea, quedisio, que o commum tinha
bastantes pobres e que querio o f azer vol-
tarcomoextrangeiro ainda que ahi ficasse
toja de livro n. 3} e i8.
tSF- O morador da casa n. a na ra do
bom fim em olinda tem urna fonle du
blico.
Antonio Vallentim dos Santos
Os abaixo assgnados encarregidos por
os Snrs. Manoel Pacheco de Queiroga e
Antonio Domingos Pinto, de liquidartm a1 buem os achou querendo hzer of*voru> os
sociedade que existi entre os mesmos em urna
maquina de serrar madeiras estabelecida na
casa da Engenta Monteiro fasera Leilo da
mesma maquina no estado em que pre-
zentemente se acha no dia sexta feira li
d9 correute as io horas da man ha na ra
das Cruzes era caa d-" Joze dos Santos Neves;
por via do corretor Oliveira.
Joze dos Santos Neves.
Francisco Joaquim Pedro da Costa.
Joze de Medeiro Aguiar faz siente ao
respeitavel publico que tendo sido roubaJo em
sua casa na noite do dia 28 para 29 de No-
vembro, entre os mais prejuuo* que na oca-
zio sobeo fora tambem envolvido um reci-
bo de oito sacas de algo ln passsdo em nome
do Sur. Antonio Joie de Azevedo du pren-
ca do Sor. Sebastio Braga : e ouro mais de
quatro sacas em nome do Snr. Antonio lite-j mente loja do Sur, Joze Antonij do Carino.
Iho Aguiar, da prenc do Sur. Joaquim Jo- | Na Boa-vista loja dos Snrs Antonio Gui-
ze F"ireira j igualmente urna obrigaco do mires Joze Ignacio do Monte; loja de Ju-
que o mesmo aun uncante he credor ao Sur. nileiro do Sur. Geraldo i Botica do nr. Vc
Antonio Viveiros Rapozo da quanlia de;torino; botica do Sur. Braulio. Cidided
54Uaoo rs. e que por este faz ver que qual- Olinda ra de S. Bento botica do Snr. Joi9
quer pessoa que faga negocio aljjum com taes: Cliraaco.
crdito! ficaram sem vigor pois que se nao | MST Vande-se um cavalio msso pompo, da
responsabilizi no pagamento. Ad verte mais I bonita figura, carreg baixo, estradeiro, um
que nao se concdera devedor a pessoa alguraa i galopa muito macio, sellado e emfreiado; por
porem visto o acontecimento de Ihe seretu de- prego commodo ; na ra ora pajeril Ue-
sencaminhados seus crditos e alguns recibos cima 16.
taz ver que quem for seu credor a presente -----Quera tiver huma ama deleite cati-
suas contas no praso de oito dias, para ser i:n- va. dirija-se a ra do Rosario e*treita so-
bolcado; sendo que 110 mezmo prazo se nao a, brado t, ?4 PJr cima do marcineiro.
prezente ficar sem direito algum a haver ----A pesioa que annuciou no Diario da
querer trocir huma cas*, pjr
pautas, annuucie sui mora-
termilente d'agua ferria artificial, feita por
meio d gz iitrouzo marcial : este raa-
quinismo foi mandado fazer na corte do Irape-
depoisvinte quatro annos. Joo ichmid es- nodo Hrazil he o mellior meio de se taser
_.______.i an .n.rrailur it CAAtd __Man-1 agua ferria agua por si mesmo trahalha no
creveo ento ao mercador da Cidade : Man-1 agua ferria agua por si mesmo trabalha
dai-meoo florins de meo capital; porque sou a parelbo ; pare.se que nasce paresse que
velho e fraco e desde 14 annos, que nao, sobe ; e por si mesmo corre para um reapi-
tenho tido noticias de raeos filtioi.
Sao morios *em duvida e eu nao tardarei
seguilos na Eternidade.
Eu vos reraetto o que me pedis respondao
o Marcador ; vos sois rico porque vosso ca-
pital tem-se augmentado pouco a pouco ale
uassar alera de joo florins.
Guando o dinbeiro chegou os Caraponeies
ente : consta o aparelho de ura ngulo lon-
go urna marmita tudo de folha enverni-
zado um balo dous tubos sortiados e
urna horraxa; o mesmo a baixo assignado
convida ao Illustres e muito digno Senbo-
res Prufecores de Sude desta Capital, o dia e
hora da manh q' quizerem, para verem ope-
ra, afira de dareui a sua aprovaco, e ao mes-
ab'iio rrandes olhos e lomaro novaaente mo lempo introdusirem no seu uzo Medico: o
amiz.de a Joo Sshmid e deziia : Este ho- mesmo convite faz ao dignos Senhores Phar-
e mgico. maceuticos que quiserem proverem da ditta
Mas Joo Schmid a pezar do seo dinbeiro, agua as suas boticas ; pelos principios na-
rio eslava contente} dezejaa morrer para ic turaes ou da tuica } he sabido que as
iuntar-.e a seos iilbos, q' julgava morios. Es- aguas lernas natur.es nao sao puras mas
tava as vezes mui abatido. i sia prenhas de substancias Etherogenns ,
Eu morro s dizia elle, e a mao d'um ca- que o calrico subterranio o faz ser dissolu-
to 6lbo nao me feixara os olhos, Oh que; el na mesma agua cuja nacenleaparece em
nao con*erei ao menos meo pequea Jorge ao mina subterrania de Ierro j e isso conforme a
p de mira. estaco do lempo as qiiaes s por urna sega
Mas Joo Scbmid nfio morreo abandonado, rutina inda goza d'estima dos Senhores legiti-
Em urna bella noite do Domingo eslava sen- mos Doulores ea Medecina Materia .Medi-
tado debaixo d urna arvore com oulros ca- 1 ca &c,
ponezes quando chegou um domestico ca- 1 Esta agua em forma de medicamento, he o
-vallo que parou diaule delles, e perguntou: milhor Aperiente as convalessentas das fe-
Nao he nesla Aldeia que habila M. Joo bres como um depuiantrt das viceras tanto
Schmid ? superiores como inferiores, n uzo de Zy a
OsCamponezes se admiraro, e responde- i Zy, (doze) tomada duas vezes ao dia, dema-
ro : sem duvida eilo aqu. E como olha- nhaa
vo uns para o* oulros com admiraca pro-
curando advinhar o que isso signilicava eis
quo duas bellas carro^.s entrar na Aldi ,
pa
aro dianle da caza de Joo Sehmid.
, e a urde.
Rufino Luir Henrques.
Pbarmacfutico com caria,
tsr* O abaixo assignado previne o respei-
tavel publico, que pessoa alguraa contrate
Tresiovens, e duas bellas Damas deseeij negocio com o Sur. Joze Francisco Pereira
todos vestidos masiiificamenle e todos Un- sobre um sitio na Matriz da varzu por que
caio-se aos bracos do velho Campouez que parte deste sitio
nao sabia o que pensar do que via.
Meo Pai, vos nao nos conheceis mai* ? di-
ce o mais velho ; sou Pedro vosso Filho } vim
a ser Mercador Droguista e:n rosso em Var-
sovia na Polonia e esla Dama be nimba
raulher.
O segundo dice de sua vez : Son rosso
filho Gaoriel, e eis aqu minha mullier. Eu
tambem leuho comaerciado coa trigo ea
Varsovia.
Knto o terceiro dis>e tambem : Sou vos-
so Jorge } venlio das indias onde tenlio l'eito
grandes negocios ; soube pelas Gazetas a ha-
Liiiagio de meos lrraos em Varsovia. Ajo-
ra nos vimos para lercuidadoda vossa velince
O pobce Joo SlIiiuJ poz-se a chorar ao
eolio de seos lillios; elle os abeocoou assia
como suas mulhcres.
l! vos que i.s devemos a nossa elici-
dae exclarnaro os tres Iilbos. Se vos
orfos e de menor e nao houve inventario
de seu pai e consia-me que quando o Sn.
Pereira coiapruu hem o sabia que tinha or-
fos de menor e que nio houve parlilhas ,
pois nao comprou por ignorancia su por es-
perleza.
Geraldo Lourinto de Siqueira Varejo.
sgr O iiba.X'j assignado faz siente ao pu-
blico que tendo contratado com o Snr. Justi-
no Ferr ira de S. Amia adioiuislrar-lhe urna
casa de armaco para Ihe pagar o seo irabalno.
entregar, diri|a-se a loja da Pracinba do Li-
vrameuto D. ai ou annuncie.
CT A rifa de Ignacio de Jezus Bandeira
corre iraprelerivelmente com ai.- parte da
5. Lotera do Theatro no dia 14 de De-
zembro de 1 8 10.
Acbi-se a venda nos lugares seguntes 5
no Recife em casa do Snr. Vieira cimbista ,
ra da cadeia ; atraz dj Corpo Santo na ven-
da do Sur. Joze Pereira ; ra da Madre de
Dos loja do Snr. Simplicia e venda di es-
quina confronte a Madre de Dos. Em S. An-
tonio loja di Snr. Menezes na praca da
Independencia loja do Snr. Joze Antonio ;
ra do Cabug loja do Sur. Bandeira e ba-
ica do Sor. Joo Moreira, e na loja do Snr.
Joaquim Joze da Costa; ra Dreita loja de
couros do S.ir. Agostinho; ra do Livra-
spguud
a teira
do mesao annunciante pualquer quantia,
Manoel Joze de Bastos. ouira as cinco
tST Aviso os Agentes da companbia dos dia.
Vapores que existem em seu puder duas \ i^" Preciza-se allugar um sobrado de urt
quanlias de dinbeiro urna remullida de andar para piquena limia quem o tiver
Maranha para o Snr. Joaquim dos Sanios annuncie ou dirija-se a ra dreita, D.
\zevedo e a oulra do Para para o Snr. Ma- ^9 primeiro andar
noel Joaquim Ramos e Silva rogo aos' Precisa-se aliugar um moleque de i3
ditos Snrs. virem aprezen'ar oconhecircen- 4 annos para o servito da ra e de casa ,
to no escriplorio da Agencii para recebe- daho-se oito mil rei* mensaes-, quera o livef
rea estas remessas. dirija-se a ma das Flores D. 3.
ttr Furtaro no da 7 do orrente as 9 *r A. qualquer Snr. que se Ihe oerecer
horas da manh do sitio do Bongi um ca- Para eomprar um Relojo e sbemete e sea
vallo lazo vermelho calcado de aabos os T'dro dentro do lado onde se da'corda de
pez, frente aberta, duas reladuras em ambos Uhrica^coberta cora segunda caixa de Uto ,
os joelhos, e bom squipador; quem o pegar e leiD na mesma o nome do Fabricante que
ou discobrir onde elle existe ieve-o no mes- "" Prefe em Pernambuco a pessia que
rao sitio do bongi a entregar a Luiz Gon- descubrir podar tomal-o que foi furtado
ao abaixo assignado que ficar sumraamenta
agradecido a quera o tomar e entregal-o
na ra Nova, D. 39, por ciaa da Botica.
Domiagos Joze de Azevtdo.
calvez di Luz ou nesta praca na ra estrel-
la do Rozario a Joze Antonio Pereira da Silva
no sobrado t. 17 no terceiro andar que
ser generosamente recompensado.
VST Joo Erancisco Santos de Siqueira ,ro- MIoje 9 do correnta pelas 4 horas da
ga a todas as pessoas que voluntariamente ti- tarde a portado Sr. Dr. Juiz do Civel da 3,
vero de comprar bilbeles de sua rifa e al- j Vara se hade arrematar por quem mais der,
guns de seus amigos que Ihe fuero favor Por ser, ultimo dia^ de praca urna caza
comprar dos mesmos, que tendo ella de cor- \ terrea sita na ra do Fogo lado do nascente
rer em 14 do corrente precizo se faz que an- D. 5, com it palmos de frente 62 de fue-
tes deste dia seja realizado o recebimento da do cosinhafra, quintal murado e cacim-
impertancia dos mesmos afim de ser entre- b avalia-U por 900 mil reis penhorada a
gueaoSnr. Thezoureiro como llie cumpre Caetana Coellia e os representantes de au-
esperando dos dilos Snrs, Ihe laxerea o re- entes, pelo falleciraento do ab intestado Pe -
lendo favor entregando as pessoas que para dro Jos Gomes por execuco de Thereza da
isso esto encarregados. Jezus Mana.
SST Antonio Carneiro Maxido Bos ten-; Arrendo-se annualmente ousomen-
do endossido a Francisco Vicente Vallina te pelos quatro mese da festa duas moradas da
urna letra de um cont de reis sem sacador ,, casas terreas abarracadas sendo urna del-
a doze mezes precitos e dizendo-lhe aquelle 'as a em que residi o Exm. Sur. Bispo D.
Vallim que era para tomar fasendas na loja j Thomaz de Noronha e a oulra contigua x
dos Snrs. Bastos S Costa ; e nao lendo apa- j mesma as quaes sao situadas na estrada, qu
recido na dita loja com esta letra previne a *ai da Soledade para a do Manguind o
qualquer pessoa a quem ella for aprezen'.ada com repartimenlos segundo o gosto moderno ;
que a nao negocie por que o aununcianle com sallas de visitas, oito quartos .era aula
s a endossa para cora ella se tomar fasendas ; uma dellas boas sallas de jantar cosinba
na loja dos ditos Snrs. Bistos & Costa. j fora com assentamenlos de fuges inglezes ,
lar Domingos Moicira Dns comprou boas cacimbas com agoa de beber senzallas
por contados Snrs. Antonio Francisco do* pira prelos, e estribaras para dous cavallos ,
Santos Lisboa e Jacinto Joe Romeo de Ma- e pelo preco cada uma de 180U000 rs. annu-
ranham o biluele inleiro n. ibio e dois j al e sendo pelos quatro mezes da festa o seu
meiosditlos 11. ;a6 e 727 da 1. parte; alluguel e de 100U000 rs. ; os pretende/i-
da 5. Lotera do Theatro publico desla Ci- tes dirijio-se a ra de Hortas sobrado
dade. t. 7o
*sg- Os credores do fallido Joo Joze Fer- Va-se principar uma casa para arma-
reir de Mello hajo de appresentar as suas zem nos Bus da ra da Florentina ao p da
tontas justificadas no Escriplorio de Leuoir
Pugel & C. ne praso de oilo dias;
fcj*" t^uem anuuuciou querer comprar fu-
desde o ultimo de Novembro de iUjo houve
por despedido o mesmo Snr. para nao ter mais roo em iuiha muito bom dirija-se a ra da
ingerencia alguraa era dita casa tracto nein > cadeia vcihi do recife t. 14.
relaco e como o tenba chamado para ajuste [ tsr A quera Ihe faltar um cscravo d'an-
de cuntas, e passar-lhe recibo de saldo, e o nao I gola de nome Joaquim idade de dezoit) para
lemteilo, o chama outra vez pelo prsenle dezanove annos anida bucal ; dirija-se ao
annuncio } e no caso du o nio querer lazer no Poco da pauella caza aupe do sobrado do Sr.
- empaco de o das da dala des e carem as Pauiy.
nao i cantas juntas sem nenhum ter direito, nem asa' O Snr. que anuuuciou querer com-
uauc e.\<-iauiuraj ua lies "" ww '' -'i---------j----- i _..,!_..__ i
nus.tivesseis encmado aajuatar } a utitisar Jacvaoatguaa contra o outra. Roga aos >n,,' prar una balanza epezos se Iba convier mar cora 7o e tintos palmos em quadro le-
vando um oilo com parta 110 meio ; quem o
pretender dirija-se a mesma ra sohrado
novo.
sar Na ra das trincheiras entrando pelo
paleo do Carmo do lado esquerdo no primeiro
andar do sobrado D. a o que lem as lojas
um funileiro, lava-se e engomma-se tod.4
qualidade de roupa com o maior aaaeio possi-
vel } assim como da-se cor em roupa de gan-
ga ludo coa muda promplido e por pie-,


DIARIO D
te
pEft NAMBC O
r PrecMo-serie sooooo a premio de' Typograftca, da Lotera da THE A TRO ga-
i^r Prenao sene o r um > nhando a vigsima parte dos premios, cabendo
IM. por cent-, ao mez ., hjP** ^ de J ^^ reis tresetos mil ris a
preco de 46o -, nesta Typograha na praca
da Independencia n. ao na ra larga do
Rosario loja de miudezas D. 7 na ra do
Collego loja de relojoeiro, e no largo do Li-
vrsmenlo loja do Sur Gabriel que fica no
principio do beco do Padre.
UT Toalbas de linbo alcoxoadas de duas
varas e meia decomprid* e urna e meia de
laro ditas mais pequeas com urna vara e
ti es quartas de coiuprida, e urna vara e quer-
a de largo, meas de linbo curtas retroz
azul ferretee preto de primeira sorte baba-
dos de linbo de todas as larguras panno de
linbo, lencos de gorguro pretos muito grau-
moleque ; na ra estrena do Hozarlo U. 3*
tur Precisa-sede urna ama de leite ; na
rus das Crines D 7 no segundo andar.
ssr A creoula que se ofleiece para servir
a urna casa e que tem em sua conpanhia1 um 1
sobrinho, dirija-se a olaria da ra datio-
or Quem annunciou querer .comprar nm
selim eu bom uzo, dinja-e a ra do ladre
lloriaoo 14 lado do nasceiite.
tsr Aluga-se urna casa terrea grande nos
4 cantos da loa vista ; que f..z qtliua para a
na da Gloria eS Cus j a fallar com o li-
belista llegis.
%S&- Aluga-sc urna salla com um quario
. ^^ZSS"^ Vd tosde-ti-l de mHcu dos de seda
de um pnmeiro ai.d-r ,.,deproflenie ',,.,,,,,*. hiros de linbo muito largo,
casa na ra do (ueinado D 7 a tratar
na mesma n.
XST UsSrs. Asignantes do Universal 11-
toresco dirijo-se a casa de Mu noel Rlbeiro
la >ilv para receberero os nmeros 17 '2o
e2l ;. na mesma casa ja se acbo collecoens
completas de ai numeres.
tsr Quem quiser urna ama para alguma
casa, Uva, engomma, e cosuiba dirija-se
a ra de S. Joze L). a l.
sar Roga-se ao Sr. procurador da Senho-
ra D. Francisca Antonia Lir.s que declare
oque querdiser do seo aren/el do Diario de
7 do coi rente pois que aquella senhora nem
por heranca engeuho Pererecas.
Sr Quem quiser alugar urna casa teirs
na casa lorien. 2l para pastar a testa dirl-
ju-se ao beco do Padre a (llar com Francisca
Joaquina de Luna.
jL e i 1 ft o
prcto e azulados bicos de linbo muito largo,
chapeos de sol de seda de cabo de osso liabas
de bordar em caixinhas enleiladas linio do
Pono da roelbor qualidade possivel e por ea por outru qualquer.
t/r Ou troca-ie uro moleque de idade de
10 annos com principio de cozinba por
urna negriuha da mesma 011 mais idade que
sirva para muband. vollando-se o que c >n-
vier ; na rua da praia amasen de carne jun-
to a obra que lem junto um entulbo.
tST Bicos finos da largura de um a dous
dedos de largura a pecas e a varas ricas ti'.as
de sinteiro pira nenios peules de larlaru -
ga para marrafas ditos para coco sap-ilM
de marroqnim francez para senhora ditos de
Lisboa ditos de doraque dito botn* para
liomem, meios ditos, sa patos a botinados ,
e superiores bichas cuegadas ltimamente ;
na praca da Independencia loja n- ao.
9. Em casa de Hypoliis Lavauere con-
denador e afinador de pianuos m ra nova,
methodos de pianno lrrinhos de afinar ,
curdas chaves e todos os mais perteoces
para os roesmos assim como tambem pian-
nos inglezes novse uiadiH e para fazer tro-
precocomniodo s na ra do Fagundes l) 5
CT- Urna pardmha de idade de ib annos,
de muito linda figura engomma cose e
rozinha, ludo com perfeicio doiu moleques
de idade de i2a i4 anuos, de lindas figuras,
urna prela coz n he ira e quilandeira, um mo-
lalinhode id.de den annos, ptimo para
pagen ; na ra do fogo ao \> do Rozara
sobrado 1). a5.
t^> P..r 45o,ooo um eseravo de natao ,
moco be pescador, canoeiro e bom a m.is-
sador de cal: na ra direita *4 u0 P ^o
beco de S Pedro.
tST Por preco cammodo semaias ou tre-
los chegado ltimamente de Trieste; na ra
do QueiJad loja do Sur Joaquim Henrique
l.i Silva na ra da Aurora sobrado 10,
terreas uas melbores ra* ; os preiendeutt i
dirijo-se a Manoel de Almeida Ferreira n
mesma Cidade de Goianna para as indicar
e para o ajuste das ditas dirijo-se ao Ricifa
ao Recife ao seu proprietario no sobrado D,
ai junto a torre da Igreja do Liar-ment ,
por cima da botica do Brando.
HT Um greta de naco angola de idadu
de ao annos, cose, engomma e cozinba;
11a praca da Independencia n, a.
ssr Na ra nova loja de Jos Tavarcsda
Gima D. 16 chapeos de seda branca, cor de
rosa azues cor de pe ola pretos e de
paliiiaba, ditos brancos seni pello para lio-
mem sedas de muito lum gosto s ta bespanbola luvas brancas e prelas de se-
da bordadas de cores as costas das mos, ditas
de pelica, ludo seaa dedos para senhora di-
tas de pelica para hornera borseguins dedu-
laque com lislras e pouta de couro de lustro ,
e gaspiados de marroquim de todas as corr9
para senhora superiores flores para cabera
e chpeos plumas brancas para os mestnos ,
sedas mui superiores para chapeos, mantas de
fil de linbo fitas de lod.-s as qualidades
para guarnicoens cambraius de bom tom
dj Si va na ra da .Aurora aouiau.. .-,. r-- o----- r r '
no Recife ra da senzala armaiem de Joaqu.m M m^ma loja se lazem com toda e. fe.caa e
nenie ra (J(J a[Umo gosto vesi,dci para senboias e me-
"la^'um.'wrava anda bucal, do gento ulnas, ocas tocad.s e ..--becada para a,
de angola de boa figura e por preco com-
mo.lo 5 no pal 1 de 8. Pedro casa do BlMMO
fc3> Taboado de costado cosladinbo e
a.soallio dito de mei. polegada a i\\ de
grossura proprio para forro de casas e undos
de barricas maslros de pinho da Suecia de
muito superior qualidade tudo por preco
------ do
ditas ludo com pei\ico e por prego cora-
modo.
Enera vos Fii<1o*
tST One fapm I.ehmann & Companhia
poriuten-encodo Corr.tor livei.a, Quar- palmse urna polegada dita, d- Ierro ba-
ia hira u do cor.enleas ,0 boras da m.ubi do de 6 a 7 palmse ama pob 6.h, recen-
no seu armazem da ra da Cu.z D 9JS se- lemenle cicadas; em casa de i-1X & Stod-.t
guintes fam.das e miudezas que se ven- na ra da euzala nova
Serio por procos baixos a (im de conclui- tST Pecas de can.brans finas com seis
rem-scouias no lim do crrente auno, a sa- varasie n..e, al bou cada peca; na prac-
iba do Livramenlo u. 29.
tar Um sobrado de um andar com peuro
tST Na noite do dia 6 para 7 do corren! ,
desapareceo do sitio do cjoeiro um prelu de
naci angula de nome Loureuco Manuel ,
reprsenle a a6 a io muios de idade de es-
tatura regular cor prela olbos grandes ,
e urna pequina falta de cabello na cabeca e
duas marcas uas pernas de ler le\ado sana-
ilsv- uma preiaue aiigui 1 >-......- pismOS que abiiro feridas levou calcas
cr*Tsxns de ferro coado de 5 a 7 e meioi e he quilandeira ; na ra velba casa nova que de Casimra escura f caniiia de cbila azul no-
$39- Duas esclavas de lindas figuras, urna
be boa cozinhe.ra faz todas as qualidades|~"kIo j no for.e do mallos arma.em
de doces, refina assucar assa de lomo, e ""^a*
cosecbi, a outra engomma liso e faz o ser-
vil o de urna casa ; na
asr Um selim usado? na ru nova ar-
de lionas Dect- de trastes D Jo. ,
tST Urna pela de angola ro/inha lava ,
ber ; chapeos de sol de seda para bomem e
eeohora sarjas pretas grvalas prelas de
lem venda.
r Urna molata de i.lade de *2 annos ,
rozinbeira., engommadeira, lava de sabo,
faz lavarinto e cose sufrivel ; no Recife iua
do trapiche casa n. 5.
tST Urna eserava oplima para todo o ser-
vico j na rpi \ugusta casa do Fiscal do bair-
ro de S. Antonio.
\a e dousaneis nos dedos de urna oio ,
Qualquer aulhoridade de polica ou pessoa
particular o podera prender e levara sen Sr.
Joaqun Gonsalves Cascu na la da eadeia
do Recife loja de fazendas 11. 45 que gneo-
samenle ser recompensado.
19 O abaixo assignado roga a todas as
aulboiidades policiaes que a bem da umani-
dade endagueni e laio piender um inoleque
e noaae Benedicto creoulo de idade de 14
a,,.,.lS .kri.ia iIp < tar um sooraao ue um aunar rom piaini-----------------......-
senhora, sarus prela. 6ravaas prelas de r hevo o asr Um terreno em S Amaro com md e ,
.cttm *"*teta me.r.,.o e Uprn. P I J^^ t fjdfo 600 |)almos de frente ,,. wltld. de Luu do d
preos suspensoiubde burracha una ue. 1 1 e tan-jbem se reU|n,. na praca da In- .
bonels deveu, ,,ar ^..^, dm^^ ^ a Nj^J^ carr alo, (.onl ^ Cautellas da loieri, do Theatro sub- c%erdo e a lingos meia perra, lugu
.Ifibrir*. ramei to.d.o-de Jf ^.J" ^ fun1Pf U(I)U ,,rc de diamba da diwd.d.. de bilbotOS da oiesma em deema Fevereiro p. p. e .eme.e-lo com
loes lie osso, luvas para liomem t rs,| I viaime narte anhando estas na sorte de .....
velud
de
de
segu anca
' I...... i.niPHm e scuboia.'Mu'11"1'* un,a porcao de diamba da trra "......-.- "- ..., ^~ -.....-. revereiro p. p. e leroeue-io ruoi wguiinca
rsileosso, luvas P,^JJ0;BI """ / i mull ,JLa uma ^rcJorfe U decaianba. tu- v'6*' Pf ganbaodo estas na sorla de a seu senhor no varsdoura na Cidade de O-
iudopre.o, cayabo dau* de .re o C01B, ,odo ; na ra da S. Cruz 6:000.000 ioo.ooo e aquellas boo.ooo ; as |Ilda que paar .oda adereza. Joio Pe-
hnho bordados f^*^*f^\^^Mn^tMn lojasdosSr.; feopea. Iwlor, ra da Crus ,eira s.tvaGuima.es.
Iicba, 71/M|^2d^,liJrr *-*" Uma'preue urna molata mocas, com Puoroha Bailar, S.uia Pinto, 1 homar Na ncile do dia 6 do torrente fugio un
,al.s de "'"'; Bb* ^dSl^^.babelidades,dous pre.es mocos bons par. Mor.es tu. da cadei. velba Bra^a junto de
branco, ^ ^J ^ ; ^o o l.abam, e a moleques de idade de de S. Antonio, Jos Antonio da Silva, MW
ltimamente, que l-mbem ,e ^..derao para I b0ll ',. servir J uina caS ; ua rUi Jos Tava.es da Gama e Quaresma na pra- bellos n<
leixar ContaS. ______ ,!.. rasa lariea 1). ii. <* da ludepeudencia I ra dos Quarteis lo- ... ulra
lXZ- Ooe"ten Me Calnont & Compsobis de afosa ordos, casa ler.ea i;
x r\i- ...... .1. t por iniervenco do Coirelor liveira do
mais perleiiosortimentode blendas inglesas
limpas e avalladas quinta Itira 10 do
coneote as 10 horas da manh em poni no
geuarmazem da ra da cadeis.
%ST Que lazem kalkaiann & Rosenmund,
por interveuco do loirelor liveira, sexta
leira 11 do torrente as9 hu as da manb no
seu arma/em da ra da Cruz n. bo de um
liom suriuueiiio de lazendas e miudezas frau
rezas e hambui',uezas enlie ellas as seguin-
tes i tilas de seiiiu laviadas deludas as qua-
lidades e e bom gosio, ditas com listisS dou-
railos retroi de seda marioquins. sapulos,
botins, bolbes cai.\as de tabaco milito su-
perioits lisouras caivetes, escovas, cs-
pingaidas e ieixos rtlogios de paiede, iuvas,
camlraias, el.alies lenjjos pittos e UUtrsi
lazeiidds de piompla eiiracao.
C o m p r 1 s
tST lm livrodear.l.i.ettuia kinda mes-
B o uzadu \ na ra das Flie >. O-
w---- -------*----- /
tsr Urna carrosa qasi noa cangalbas
e cassan.bds um par de rodas novas lian
diese medidas de vender azeite um selim
em bom uzo no Cot-lho casa do Sr. Gadaut,
tur Xaro^es de Groselhai e ouiros de
superioie qualidades j na ra nova loja D-
cima 7,
isr Um m.>leque de ijade de i3 annos,
ptimo para qualquer otbiio urna eserava
uoliuia cuzlnbeira lava beiu de sabo e Var-
ela oulra dita da idadu-de 18 anuos, en-
totuma bem liso e dao-se a comento na
ra diieita U. oo lado do i.ivrameuto
ey Urna espingarda inglesa de dous ca-
nos ti um hados mi espoleta e de superior
quulidade ; ua praca do comruercio no bo-
lciuiiu do Almeida.
L,' Uu.a tasa terrea em Olinda na ra do
Amparo de pedra e cal U. t ; a Irslai
lid ruada Cruz U. -fj.
%3f L U..3 e ia. o de sa palos tinta para
escrever a boiuudurasde retroz a 7U0 reis ,
grvalas de se(i:n e sai jadas a iooo e a 1 1 ao
jilas de outias L/ei d-.s a ti |0 e 8H0 bicos
lia lid u.i. v.uim'uiu^j.
%*T Na ncite do dia b do corrile fugo un
de no.i.e Manoel de naci alto, e
ijjrosso com barba puchada e ca-
nos peitos tem uas costas de um lado
ra uus calombiuhos signal da trra del
tsi- una morada ueissa que seja peque- jptetos fitas degarcae saijadus pentes de
Sia em qualquer dos J ba.rros ou 11 esmo |coi a /Jtoe de outras quali.iade a 5tio ,c.i-
in..1 .,w* (ii'l..l.l .* V/.i fi Ir.ivl'll I1\J'"..:U i..*-! 1*
fu andar.
Vendas
ver FOLHIKHAS de Algibeira l'orla ,
e Podre impresas tiesta Typografia e bem
con heridas pela exaelidao do tabulo ; na prs-
;a Ua Independencia loja de livros 11 7 e 3,
a rus do 1 abug loja do Sr. BaudeirS na
ra da cadeia du bairo do Recife io. que toi
lio *r. Quaiesma na la da IViaue de i fos
pS \enua d quina dtfronle da lgi*ja ua
Hca vistadeiicnle da Alatli/ botica do Sur
j^oieira eiu Olinda botica da rua do Am-
'* I---------
tjr CAUTELLAS da Sociedade Fortuna /pivtcnUer auuunut.
maiassa petla a dio o frasco metas netas
compnddS de al^odo di US curias luvas
de seda branca sera dedos estro/ es de bui 1 a-
1 iia a t'.i liuleiios de loma pentes de ali-
sat de voita a .i .n eeutras militas miudezas
por preco commodo j naiuado Cabug loja
que lem calungas na porta 1). 4*
aitr Urna porcao de sal de Lisboa a 1600 ,
btalas a iaOo a arroba, sevadiuba de franca
un rs a libra >., n ju chocolate a
fao, stvada a iuo a lelria e macan o a
aoo ts. ; na rua nova venda i) 3i.
S' Um sitio no principio da estrada do
arraial com grande casa de pedra e cal, com
difiel entes arvoredos e Ierra pioprisj quem
------. .- ni um wiun, tem uas costas de um lado
ia da Independencia ; rita dos Quarteis lo- ao 0utra uns calombtnhos signal da trra del-
)a de mtodeza n. 1 Claudio rua do Cabu- |^ f lem os escrotos incitado e traz urna cr-
g, nos 4 canlos da Hoa-i isla as duas ven- reia amarrada r.a sintura anda de vagar,
das esquinas eem casa do caixa e assignaia- fc jna da mesma h0ile Iraz um bonet na ca-
ito das mfemas na rua da cadeia onde ba- jjeta e um irouxr. pequea de roupa na mo ,
ver sempre bom sortimento de nmeros, dtscoiita-se que fosse em seguimenlo para a
dando-se duas cautellas gratis ao comprador paralnba por ler sido de la j quem o pegar
de o e 4 ao de cen |t.ve a ,Ud do Peixuto das f pontas padaria de
J3B- Um sitio com casa de sobrado na pas- Joio Lopes de Lima que ser recompensada,
sajjem da Magdalena entre a pontezinha e
ponte grande i tftrenos com arvoiedos de
i rucio e porto de embarque no mesoio lu-l
gar *, a fallar com Jos Joaqun) Uezerra Ca-'
vdlcauti
Jloviiiiuulu u uxorio
NAVIOS ENTRADOS NO LIA 6
lntl i ul ijjvjANLilhO} iQdias, RiigueNac Ju-
rar Urna eserava do gento de angola, pa- | dUwio ^ %io lum,,. y Lap. Al)tIlio Car-
o se. vico de campo mu moleque com lo (oj d(, Azevt.d ^ tullllho equip 16, car-
ga varios geneos ; a VanOel Joaqun Ha-
r
annos ; na rua da cadeia do Recife :i. 551 110
segundo andar.
asir Um bom escravo de naco eosla de
idade de ao annos de bonita figura uui
dito bom coziuheiro de idade de ai annos ,
dous ditos de iS anuos de idade para lodo
0 servicO dous moleques de idade de u a
1 anuos urna linda nolatinha de idade de
5 anuos com algunus libclidades urna
e*c-a va propria para mubanda por ser reco-
liini.* duas Bolecas de idade de 1 i a 14 an-
uos e urna eserava iue sabe eugumniar e co-
z aliar ; na rua de Agoas verdes U. i&
tST Um tratado de ijeouieliia por Lacroix,
um compendio de pbilosofia (.01 Geruzez ; na
uta das Cruzej U ib.
%ZJ- Potasss de primeira sorte em bartis
pequeos e por pieco commodo ; no armazem
de A. F dos Santos dratja na rua da mueiia
11. 141.
lT Gomma de Aramia muito nova e
um si-iiin ngiezja u/ado ludo por preco
Cuiiui.odo ; lid rita da cadeia venda 1). o
t38~ Poiassa llusoiana em banis pequeos,
do os negror e um u.oieque j 11a la do Vi-
rjllO 11 15.
XST Seis moradas de casas de pedra e ral
ua Cidade de Goiauua una de tobiado e i
tuos e bllva, passagtiros dous e dous escra-
BALl'lAiCR i 48 das, Hiale Aroeiicano
Htwinede .00 tonel equip. a carga fa-
rinba ebreu ao Cft|)ilao Franer.
SAlilLOS bO MES.MO LIA
RIO DE JANEIRO ; bugue Biasileiro Pa-
cifico Cap Amonio Aniunes Luz carga
varios gneros passagiiio i,
iltO, 151 igue Escuna Nac Amisade. Cap.
Leandro Lucio Monleiro da Franca car-
ga assucar 1 pas.ageuua Luis Jo e Sam-
paio e o escravos.
SANTOS ; Hiale Clinda Cap. Jos Gon-
Salves Lima carga vetics gneros.
NTRALOS NO LIA 7.
MONTEVIDEO, pelo Rio de Janeiro} 19
utas do ultimo pono Silgue Brasiieiio
Jpiter de-i-B tonel Cap Jo: X*T>
Vuniia equip. t5 caiga carne secta ; a
AJanoel Alves Uuena. .
ASSU'i aodias liiigue Escuna iasilera
Rainbados Alijos de iba tonel Cap Ma-
noel Peietra de 5 carga ;al ; a >i"*a
de Gonce I Ves Ferreira S lilbos.
ktui/eAA r*j/. M4L fc Uartv- fl4<
i
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH4MQO1EY_R0Y8S0 INGEST_TIME 2013-03-29T15:01:48Z PACKAGE AA00011611_04180
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES