Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04174


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*nnodr 1840. Terca Ffira
Todo ago>-a dependo de nds meamos ; da nosr prudencia, madera-
5S0 e euergis : continuemos como principiamos, e seremos aponlados
com admiraco entre as ft'acoe mais cultas.
ProdamacSo da Assemblca Geral do Brasil.
Subscreve-se F *ta folha a 3?ooo por quartel pagos odiantadow
nesta Typografi.1 ruadasGruzes l>.3, e na Praca da Independen-
cia n. 37, i.S, onde se recehem correspondencias legalizadas e an-
nuncios, insiriiido-se estes gratis sendo dos proprios assignantes,
vtulo ugnadov. .
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cdarle da Parahiha e Villas de sua preteneo ...... ,\
Dit do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......I ., ...
DHa da Fortaleza e Villas dem..............jbeS* e^extas^feQM.
Cidade de G 01a ma...................../
Cidade de Hnda......................Todoi os das,
Villa deS. Ant3o......................Quintas faina.
Dita de Garanliuns e Povoaco do Komta.........lo, e 1^ de cada met
f)it*s do Cabo, Serinbaeni, Rio Fonuozo, e Porto Calvo. 1, 11, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macet............dem dem
Vill- d Paja de Flores.....................dem 13, dito dito
Todos os Correioi partem ao meio dia.
1. o: DczfittRKO. aw. 6.
PHASES DA LOA NO HEZ DE FIOTB.
Quart. cresc. a a as i h. e 53 m da min,
Lua Che.a a Q-as 1 h. e 5'i m. da man.
Quart. rain, a i5- as 6 h. e 43 m. da Urd.
Lua Nova a al- as a h. e 3? m. da mai
Mare ehcia para o dia vj de Novembro.
As lo horis 51 minutos da manh.
As 1 horas e 18 minutos da tarde.
CAMUIOS. Novembbo 29
Londres...... 31 d. por l#oooced.
Lisboa ......So a 83 por njo praerfo por insta I oTorecidp
1* ranea......3a5 reis por rsuCo.
Hio de Janeiro ao par. Como. VendaS
OURO-- Moeda de 6'joo reis, vcllias j4#8oo i5iooo
., Hitas novas HjpSoo ihjjfco
Ditas de fioooreis, *f"roo 8^3oo
PKA.TA Pataces B-osileiros ----- i#oao i/?o7,o
Pezos Coliimii&riot .-.-.. ifj?o i ri^o
Ditos Mexicanos--------------jfftoo i^bs
Miuda.------------------------ i/?44o i#4oo
Descont de bonete dem de tetras 1 i| a 1 iu pnr iveas (irmas oterecido.
Moeda de cobre 3 por 100 de disc.
DAS DA SEMANA.
?o Segunda S. Andr Ap. Audiencia do Juia de Dirato da 1.
vara. ,
I Terca tf. Eloi f Helac^o e audieiicia do Juia" de D tve. Lo da l
vara. ^
a Quarta S. t biamm V M -- Ao 1. do J. de D. da 3. vara
3 Quinta S. Francisco Xavier Ap. da> Indias. Audiencia uo j.uiz de D.
d a. vara.
4 Sexta S. Barbo a V. M Audiencia do Jais de Dirtitn da i. vara.
5 Sabitado 9. Giralda Are. ~ Relaclo e Audiencia do Juiz de D.
da 3. vara.
6 Oomin:., 1. do Advento A*. Nicolao t.
PERNA MBUCO.
GOVERNO DA PROVLNCIA.
Expediente do dia 24 docorrente.
Officio Ao fomronndante Superiorfda
Guarda Nacional do Recife, para ordenar,
que sejo despensadosdoservico da roesma os
Guardas da prime)ra Compnnbia do terceiro
Batalhao Antonio Machado Pereira Vianna, e
os da quarta Companhia do mesmo batalho
Jos Francisrode Souza Magalhes, e M no-
el Jos Pereira, que se arho nomeados Cora-
missarios de Polica da Fregucsia da IJoa-
?i*ta, conforree requesita o Prefcita da Co-
marca.
Dito --Ao Prefeto da Comarca com-
municando-lhe a expedico da ordem su-
pra.
Dito Ao Inspector do Arsenal de M.tri-
nha respondendo ao seu officio era queda
fiarte do resultado dnexame feito no lirigue
Escuna Nictheroy, que o mande virar de que-
rena e 'aser-lhe os consenos, que forem
absolutamente indispensaveis.
dem do dia a5,
Officio Ao Commandante das Armas,
romunicando-the que S M. o Imperador
Huuve por bem conceder por Aviso d;i iecre
na Comarca dq. Bonito, composto de nm Te-
nente Commandante tim primeiro Sargento,
1 segundo dito 4 Cabos, e 43 soldados pa-
ra o qual devia tirar vencimenlos da Tbesou-
raria forma que se pratica com o destacamento oas
mais Comarcas.
Dito Ao Inspector da Thesourari.i, com-
municando-lbe o exposto no ofHcio cima,
dem do dia a6.
Pito Ao Commandante da Fortnlnsa de
Tamandar. com"nujiicando-lle em tuluco
aos seus officios de q 'e "j do corrente, que
o Cabo J F de J. tinl.ia recoi...do ao Arse-
n.il de Guerra s objectos que para esse fim
conduzira e .levara a ser-llie entregue os
que requisitara para as salvas do dia
a de Desemtyro, e fiarle dos do servico de
Arlilberia fieando-se a aprontar o res-
tante para o ompleto da requesico, os quaes
serian opportiu'.amente remedidos.
Dita -- Ao Major Commandante interino
rioterceiro B**!v;c de AnilL.ria-, nzendo-
lhe em resposta ao seo ODcio de a^, que do
dia 5o do corrente em diatite contasse com o
auditor de Guerra para os Conseliics de guer-
ra que tinlia a faser no Ralalho ; que os im-
pedimentos dos Auditores passario a ser-llie
communicados pelo quartel do Commando
das Armas e que quando estes impedimentos
taria de Estado das Negocios da Guerra de fossem de duracao prolongada, devia oome-
do mez prximo passado aoTenente de *r u Canito para servir interinamente de
Caradores de primeira liuha Jos Delino de Auditor nos Couselhos, como era por Lei au-
do imposto > como do que ja estiver arreca-
dado.
Dito Ao Procurador Fistal da Tliesoura-
rar'a satisfasendo a sua reqoisiclo em olficio
de 17 do corrento de urna deelaraoao do quin-
to se tem pago por cent da Fasenda deste
: 83a em diante, -aos donos de Cavallos qu
volto desta Cidade pava o interior por le-
goa de oouductao de gneros, e bapa^ena do
Estado.
Dito Ao Inspector do Arsenal da Mari-
ha com o do lixm Presidente das AlagOM
requisitando a indemnisacao dat n<\?n SoiUiooreis; despendida em diversas po-
cas couio transporte de madeiras de constru-
co naval encomendadas pelo mesmo Arsenal,
fim de se diar dir os necesarios esclareci-
mentos a respeito.
pr
Camargo, quatro meses de lioenca com venci-
tiiorisado
mentos de sold para reslabelecer-se.
Dito Ao mesmo, enviando-lite urna co-
TRIBNAL D\ RELLAgAO'.
SksA'5 dk a8 do corbehtb.
Naappellacao civel du Jaiso do Direito
desta Cidade appellante Jorge de Souza ,
appellado Mathi:is Meniles da Silva, Escrivio
Posthumo foi julgada pela confirmaco da
senfenca appellada.
Na appellagao civel do Juiz-t de Direito da
Comarcadas Alagoas, Appellante Silvestre,
'ereira do lom-fim e appellada a Irman-
dadedeS. Benedto. lcrivo Rabello foi
confirmada a sentenca appellada.
Na appellagociveld i luiso de Direito des-
ta Cidade, appellante D. Maria VI do Car-
Dito Ao mesmo remetiendo urna re-
presenta5ao do Commandante da Portaleta do
pia dss Pracas de primeira Linba desta Pro- l^rucc, acerca da dieta dos doen'.es existen-
vincia quefoio reformados pela Irmme- tes na enfermarla ali estahelecida, e ordenn-
dola e Imperial Resoluco de a4 de (Jutuhro do-llie que tomasse conhecimento de seo con- roo e cutres appellante a V'va eherdeiros
ultimo tomada em consulta do Conselho bu- leudo, fasendo punir falta na pessoa em de Jos Pereira de Mendnc-a, Lima Escri-
premo Militar. I quem ella recahisso dando-lite parte do re- vo Rabello foi julgada a confirmaco da
Dito Ao Inspector da Thesouraria de sultado. Sentenca recorrida.
Fasenda enviando-liie igualmente un.a re- Ml _.__ ^^^ ^. Naappellacao civel do Juiso de Direito
desta Cidade appellante Fiancisco Antonio
Pontual, appellada a Fasenda Publica, Es-
crivo Fereira se julgou pela reforma da
Oflicio-Ao Exm. Presidente da Prdrin" sentenca appellada.
ordena engajar um pratio que conduza a cia informando o requerimenlo de Feliz Pe". Na appellaco civel do Juiso de Direito
Provincia do Maranho o Transporte -- Pa- re,ra.de L. ds'sla Comarca, appellante Dionisio Gonsalves
vuna' I Dilo Ao mesmo Exm. Presidente n- appellado Francisco Gonsalves Reg & Comp.
P01 taria Ao Commindante do Transpor- armando sobre a representaco do Insperlor Escrio Ferreira foi confirmada a sentenca
te-Pavuna- ordenando-lie, que logo que da Allandega, e resposta do Commandante recorrida.
liveraseo bordo o pratico que o deve con- do IJrigue Escuna Fid. lidade acerca do caso Na apnellicjo civel da Comarca das Ala-
duzir a Provincia do Maranho siga o seu torem sabido do mesmo Brigue algumas pes- goas appellante Antonio Joaquim da Silva,
__---------, _.. ---------- _() ....... --------...
laco das pracas de primeira Linba, de que
trata o precedente ollicio
DitoAo Inspector do Arsenal de Ma-
linlia para em coulormidade das mperiaes
THEZOCRARU DAFAZENDA.
Espediente do dia i5 do corrente.
destino.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia a5 do corrente.
Officio Ao Exm. Presidente commu-
soasda sua tnpulacao e entrado no liri- apppelludo Mancel Uuarte -erro, Escrivo e para que chegue a noticia todos e nu
e Ilippolito Ferreira de Alhuquerquer foro
receidos ejulgados provados.
CORREIO.
A Escuna Guasca recebe a malla para o
liio de Janeiro Itoje (i);ts 4 horas da tarde,
O Hiato Brasileiro Olinda sai para Santa
Cathrina no dia 4 do crreme^
P R E F i: I T U R A.
Parte do dia 3 de Novembro,
'. Ulm e E\m, Snr, For~ bonlam pre-
s spelo subPrefetodest1 t'Ve^ aospre-
tos Francisco, escravoLj AAiioel Denuda
Costa, Joo, de Vicente Tin, a, pjr te!
rem furtadj urna porco de Sala- Joarjui.^
Jos Viera ; foro detentes fo (4laaouco j
e Severina Mrtir, por ebria foi solta ; e
pelo Stib'Prefei'.o da Freguesia da Boa-vista
o pardo Antonio do Carmo Xavier, por quei-
xa de terlurtado de nina padarie huma por-
co de iarinua de trigo j leve igual des-
tino.
E'o que consta das parles boje recebidas
nes'a Secretaria.
ANNUNXTO.
O Sub-Prefeito da Frcguesiu de Santo An-
tonio do Beaife, visa a quem c.onvier, qua
por elle foi encontrado na Ponte da Boa-
vista huma trouxa de roupa suja : quem
pois, for seu dono, dirija-se a secretan da
prefeitura, quedando os signaes cerios, Ihe
ser entregue.
Iecife 28 de Novembro de iHJo.
l.uiz Francisco Barbalho.
C0LLECT0R1A D MUNICIPIO DEO-
LISD.
ANNNCIO.
O Collector da De.-ima e mais Impostos do
Municipio de Olinda, manda faser publico,
que em virludeda Lei, de %7 de Agosto de
t83o tem designado o mez de Desembro pr-
jimo vindouio para a arrecadacao passiva do
Lancameuto da Dcima Urbana do primeiro
simestre docorrente auno fiuanceiro de l'40
a ib^i na casa daanara respectiva sendo
enclusive a divida de todas as mais Imposi-
coes a seu cargo : devendo icarem os seus
collectados na inlelligencia de qua se nao
comparecerem dentro do praso marcado se
proceder executivamenle contra os omissos,
possa allegar iguorancia mandou que fies-
se constar pelo presente.
Collecloria de Olinda ao de Novembioda
1840.
O Escrivo
Joo Goncalves Rodrigue Franca.
gueAthlante, e Gallera Santa Cruz que es- Rabello; foi jaldado millo o Processo de f.
tavo em carga sem liceuca do mesmo Ins- 84 em diante.
P2^lor Na appellaco civel da Comarca e Provin-
Dito Ao mesmo Exm. Presidente levan- cia do liio Grande do Norte, appellante Joa-
do seu conhecimento, que tendo em 18 de quim Alves da Costa appelados a Viuva e
iiicanuo-lhe o resultado do exame a que se Janeiro docorrente anno pedido a S. Ex, berdeiros de Antonio Bento Vianna, Escri-
piotedeo nosPropnos Naciouaes de Olinda, que houvese de expedir as suas ordens aos vo Bandeira. nao se lomou conhecimento por
remettendo-Ilie o orcamento dos Consenos engaregados da extraco das Loteras desta ci- ser apiesentada fura de lempo
a faser-seno quartel do I-arque para nelle se dade para que e.u coulormidade da circu- Na appelaco civel iesta Cidade, anpel-
alojar o Batalhao de Arlilberia, quando as-lar do Tribunal do Thesouro I ubl.co Mario- lanle VlanoelCavalc.nte de Albuquerque e
sim o julgasse conveniente. na| de a5 de Dezembro do anuo passado, ar- outros appellado Estevo Ca.alcan.i de Al-
IJito--Ao mesmo Lxmbnr. para mandar recadassem e fizessem recolher ao cofre des- buquerque, Esc.ivo Rebello ; foi asenten- do u. p. Nelias nao eucobtrai
suas ordens ao Arsenal de Guerra a hm de ta Thesouraria o imposto de 8 por ceuloes.a- 9a confirmada. rf6 \^ ,u?1 *u^nto
-Noticias ProvJiciaes
BAHA.
As foi has desta Provincia ahanci al (j
mos ecu^a dif;na
ncao em quaiito a paz e tranquil'-
seremarramados o cabides existentes no belecdo pelo atligo a. da Lei de de Ou- Na appellaco civel do Juiso de Direito des- lidade publica7'salvo' um'S dJ'^omo-
Cidade ,
. atrimonio
quartel dotsquadrao numero 4 de hnha e que pela ordem do mesmo Tribunal de ai Vicenie Pereira RorivSnCl.w. n\ ~u /<
_.._..._.i_ .1___._.i____ _-_.. '^ r eieira, r.sci nao suaves, iot a sen- gus tem apparecido em o Campo de Nazaret
quartel da extinta Companhia do Corpo de tubro de 18J7, nao tem sido at o presente ta Cidade appellante os Administradores do tor. em que parte ipa ao Dr.
Poltca, ese^em.ranslendos, e pagados no nenhuma quantia recolhida ao mesmo cofre, P.lrhnonio dSerfios e appellado o Padre to e chelea KullilT q ue e!n v.rioi dom7,!-
uosi tal os r T 1 ^ ."f e\eCUUr, MU* le,^a reCrrd :| >'*< um numero extraordinario de negros ,,.,.
1 lJto- AnTn^ramnpl remandan "^^"T ^ de *b e Selembro ante- Os Embargos do Tencnte Coronel Joo leques armados de ccele, laSndo jwm
u,^Z2L^^1^^ mmanJ,3n- 5de'llc' ando-se entrar paran cofre das Marques de Carvaiho opuesto na appella- brlas c que a elles se unem uu.los dm -
1 de^tm ^,rmni":,1Cf"1?0 ? T T Ue"-aS T T^"*0 fpeml nSo S 0(IUe ?ol!ivel do Uie Grande do Norte, escrivo du\ b anejs e pardos tautbem armado
c deum destacamento da Guarda Nauonal 8t arrecadar d'ouia cm dtante do meuci.ua, Ferrei.a, contra Antonio Marques do Valle, ando viva, q^e se nSo tea. Hi5o^uSl


3
ymywMasm
w^?
5BS5S9?rWWW
SW.l**l!!!.'.lll-y.lMJmil|.l
D IARlO DE
iiim'1 i ni..... ni......wiiiiwmwwii
PERNAMBC O_____
HU'|liVM J'MIWI*H.,II1 iWftluMMIk.Mil
snarat
tiir : p (la rpsposta do Dr. Juiz de Direito liciaes adeudos primeira linha na Capital ;
chefe de Polica seconclue que iguaes mo-i dispensou-se un auxilio para Maranho ;
viraentos tem apparecido ho campo do Bar- i fornecero-se d Hieren tes indispensavets des-
halho nos mesmos dias. Tambera lemos | taramentos. Descontando Je toda a forca os
oulro officio dirigido ao roesmo Juiz de Direi- I tallecidos demillido* desertados, e des-
to pelo dito Promotor pedindo providencias pedidos por finalisarem os respectivos en-
acerca do abusivo coslume de accompandar os
cnterros de individuos africanos um grande
numero dos da mesmu nacao enm rebotes
"cesos do que podem resultar grandes males.
Do Edital, nueabaixo copiamos se conhe-
cem quaes os logares pira onde os amnistiados
deteria assignar termo de residencia.
Fdital.
O Dr. Francisco Goncalves INIartins juiz
de direito da primeira vara do crime e rbefe
depolicia d'esta Cidadeda Baha por S [>. I.
&C Eaco saber a todos es Cdadios a quem
nteressaro coubecimento desie Edital que
era consequencip do acto da imperial clemen-
cia de S. VI. I. o Sr. D.Pedro a. datado de
aa de agosto do correnleanno.pelo qual o rnes-
mo .lUgustoSr. Houve por be;n conceder am-
nista a todos aquelles que por qualquer lrma
seum envolvido ero crimes polticos ometlidos
cid cada urna das provincias do Imperio m
data do referido imperial decreto: o governo
imperial tem ordenado que liquem desde j
amnistiados sem conriico iilguma todos os
envolvidos nes relindos crimes que nao sao
"aqui exceptuados na rouformidade do a. do
roesmo decreto sendo porem estes obligado
a assignar termo de residir temporariamente
nos diversos lugares abaixo designados lim
de rederem gosar da amnista concedida n
saher : o t'raiire Matheos Alexandre Gucllet
para ia do Imperio ; Francisco Sabino Al-
ves da Bocha \ it ira pira a provincia de
Goyaz ; Joao Carneiru d* Silva llego Dr.
Joo Carueiro da Silva RegoFilho lente
Daniel Gou.es de Fieitas lente Jos Nu-
nes labit-nse para a Cid de de S, Paulo ;
Sergio Jos Velloso, Jo;C Joaquina Leite
Alextuidre Feneira do Carmo Sumir In-
nocencio Eustaquio IVrreir de Aratijo para
a Cidadedo uro f'rclo ; lferrr.es Correa de
ISIoraes Fumino Mendes Limoeiro para a
('idade de S Amaro ; Joaquina Jos de S
Anua Gomes, Agosiinho lMarinho de S ,
Joaquim da Silva Freir para a villa de
JSii/.uetii. Assiguo por tanto na conlorrcida-
de das ordens superiores o praso de vate di>s.
para os referidos'exceptuados seguirem para
ceus destinos apresentaudo-se-me desde lo-
go aquellesque se acia oceultos para assig-
r.arem o competente termo. K para que cha-
ge ao conhecircento de todos mando que
este seja publicado sufficientemenle. Baha
j deOuluhio de 84o. Asignado, Fran-
cisco Goncalves Martina. Fsta contorne
Joo tVliquilno Pestaa da Cmara empre-
ado na reparlico da polica
PARA
Illrr; e'Exm.'Sni.Tristio Podos Sanrtos.
Hecsbe V. Ex. posse neste momento da ad-
ministra cao de urna provincia cujos habi-
tantes sao no {'.eral doces pacficos e i( li-
giosos cuja porgo ka por consciencia tri-
buta ao Governo o precioso apoio de que
tanto necessita e cu jos desvalidos, b quan-
do nas lagrimas nao eircoutro lenitivo ; seus
males se arrastro ni a cadeira da |irim'ira
Aulhordade da Provincia supplicar jus-
tica.
Lgaro-mp os roeos Ilustres aniessessores o
coslume de nesla o ca.-iao diter alguma coisa
por esciptO aos Sus. Presidentes romeados a
cerca do estado dos negocios pblicos, INo
Pelalorio que no da 16de Agosto recite! na
i berlina dos tribal I os da Assemblea Legisla-
tiva Provincial, procurei, quanto pude,
tatisfaser to impeiioso dever : tu o olfere-
co Vi Ex. corr.o parte deste discurso e ,
roiro slo vsriadissimos os ramos da adminis-
trarlo sobre os quaes lalvez queira V. Ex.
ern tempo coitvenici.te ouvir-n e e seiia de
mais astidiosa urea longa narraclo i seo res-
peilo 11 leve V. lx., que muito pouco ac
lu I mente expenda.
i E' geral a paz de que gosa a Provincia ,
ito ir.efes e alguns dias ,
que tive de administracu o menor tacto nao
encorreo que a perturbaste. Esae firmado principio pela apresentavojadiS'-
rosta de centenas ile rebeldes, e fecliaoo qua-
t>i ao mesnio temj o, em que as torcas
prnnreses dctoccupaio o territorio Ura-
Slein> | constituu na minba vida poli-
tica urna das epocuea s*m duvida mais sili-
ii tonas !
gaiamentos achara anda V. Ex. um ac-
ciessimods 35o pracas.
O commercio entregue ; sua lberdade, a
industria protegida, quanto cjube ern m-
nhas forcas tem feito sensiveis progressos.
Os cofres provincias pesar dos innmeros
obstculos com que bao luctado tem pau-
latinamente amorlisado a enorme divida mi-
litar que sobre elles pea,
Nao me foi possivel proclamar extincta a
expedieao ao Amasonas e mudar a tare da
Provincia ero relago aos commandos milita-
Provincial me acaba de patriticamente coad- verificarem a maior parte das veies e que
juvar, A'V. Ex cabera a gloria de levar smpre consttuena um nao pequeo elemeno
deordetn. Nao ^possivel neste momento,
em q'espira toda a minba representaco,deixar
de manifestar a V. Ex. os meus senlimentos
ellieito a desejada reforma para a qual fica
com amula authorisaco.
Estes sao Exm. Sor. os princpaes de
meos actos que suppuz vantajosos provin-
de gratidao ede simpatha hem como por
c.a
como acbar justo : ella os julgar com a im-
parcialidade qud o meo amor por ella e o
meo desinleresse tem direito esperar.
Eu disse Exm. Snr. que o pequeo es-
paco de minba presidencia constituira urna
das epochas mais satisfactorias de minba vida
poltica. Permita V. Ex. que mejusli-
fique.
Fui auxiliado 'quanto foi possivel pela
patritica, e respeitavel Assembli Legisla-
tiva Provincial ; fui estimado e sustentado
res. A priraeira deslas medidas depende da pelo digno Hispo Diocesano; vivi em perfeila
parte olcial de se acharem recolbidas todas harmonia com o probo Commaiidantfl das Ar-
as armas: a segunda (leve dimanar de>sa e mas e cora todas asmis Authorbiades ,
de algumasoutias disposicoes que insens- semeonbecer um partido um s inimig >,
velmente eu promova a fun de aplanar e sem ter alguera a meuor desaeco. Ul-
pouco e pouco as diluculdades, que tal pro- tmamente fui elevado ao numero dos Vice-
videncia de xofre dada encontrara., | Presidentes da Provincia e reclamado ao
liiclinando-se boje todo o espirito da Pro- Governo de S, M. o Senhor D. Pedro a. Es-
vncia mantr todo cusi a ordem publica, tas provas de amisade e gratidao do povo pa-
reconbeci como primeirodos deveres da l're- raense sao dignas da inveja de muitos Pres-
sidencia aproveitar essa garantidora leuden- denles, e enchem de nobre orgulbo aquel-
cia, e dirifjila grande obra das enages les, que nellas fasem consistir como eu ,
de que tanto ella necessita. Tem si lo grao- a mais valiosa recompensa de algum pequeo
des e patriticos os meos desejos ; servico.
mas como presenciar o fructo de minba am Eis o estado em que V. Ex. recebe a pro-
bieo, se anda agora recebo de algunas par- vi neja : ludo lisoutieiro e afiauca a V.
u m uu4- oii 'i/u* >. p > i j< .-> .i *#i ***- u---------- r f
estes e todos os mais V. Ex. corrigir intermedio seo asel-os chegar ao conhecimen-
to de toda a ocialidade e tropa que em todo
o tempo de mtnba Adrainistraco se eonservou
leal e obediente lornando-se por isso credo-
ra de toda a minlia estima. Aproveito a op-
portunidade para faser sentir ao Corpo Po|.
cial desla Cidade toda a aeicao, que me tem
merecido, e tributar -Ibe os elogios, quelbe sao
rigorosamente devidos iiela sua subordinaco ,
aceio e valiosos servicos que continua-
mente presta. O Presdeme no 100:110,,tu
de separar-se de toda a oficia i id ide e tropa ,
Ibes reommenda acjntiuuaco de sen honro-
so procedimento, de sua firme adhesao ai
Governo do Sr. Pedro a. e a seo novo
Delegado nesta Provincia; que sabei'a incon-
lestavelmenle faser justica aos' seos publicoi
merecimentos. Dos Guarde a V. Ex. Pa-
lacio do Governo do P-ir em 4 do Novenabro
de 184o. Illm. e Exm. Sr. Coronel Marcos
Antonio Uricio, Commuidante das Armas
desla Provincia Joo Antonio de Miranda.
Illm. Sr. Dr. Joo Antonio de. Miran la,
Presidente da Provincia. O Coilegio das
Educandas desvalidas aquellas quem V,
j Ex quandocbpgou ao Para acbou submel-
gidas no pelagodas n;ci;ss iades e que der-
las condado com sua mi divina as salvou-
tes fpicitases pela miuha posse, se anda Ex. urna adminislraco venturosa. collocando-as em um estado feliz ; hoje c.m-
desconheco Rrande parte da Provincia! ReconhecenJo desde ja a V. Ex. peloleg- ornadas coa a triste noticia de que V. Ex.
Nao roe foi cnseguintemente possivel co- timo Presidente da Provincia resla-rae pro- he demitlido da Presidencia desta Provincia ,
nl.ecer, e proteger como desejava o Al- lesiar-lbe o meo tributo de alta consideraco chorao sem consalacao urna lal perda. Oh
to Amasonas cuja causa advoguei perante o e res pe 10 empeniando-lbe o dbil contin-
Governo dn S. Magestade. Essa importante gente, de que possadispor, aben da or-
porrfo da Provincia est mu longe \< lutella detn e da tranquillidade publica,
do Governo. Para que os estoicos de um | Snela Mara de Helero, do Grato Para aos
Presidente a facao prosperar, necessaria 4 (lt Novembro de iS/jo
J0.10 Antonio de Miranda.
Dos I he possivel que isto assito succefla ?
Que nos percamos to de preca a am to boro
Protector saboreando por to pouco tempo
as delicias que a sua sabia e bem fazeja
roo nos miniilrava ? Nao b.sta Senfior sin
nao basta a nossa triste sorte ; sermos pobres ,
e desvalidas, e por sso depositadas nesla clau-
sura e assun mais nos aloruneutaes entre-
Illm. Sr. O Presidente da Provincia,
antes de ver encerrada a Assemblea Le;;is!ati- gmdo-nos de novo O fandade.
'rovincial pera ule a qual desejava tero,lo he pra corrigir os naSOS crimes corrigi-
Ah !
se is-
va
alli a existencia de um Presidente.
Ko temenuo a pubcaco de meos actos ,
e entendendo que a Provincia necessitav
gosar dos fructos da liberdade de Imprensa ,
nao duvidui animal-a fasendo apparecero
peridico i3deMaio, que llie ha prestado praser de dar posse seu successor, julga de- Senhor pi na vossa ira mas sim na vossa
grandes servicos sem o menor dispendio de sempenbar o mais sagrado dever dirigindo-
seoscofrps. Urna s ves nao foi anda pollui- se muito patritica Representaco Provin-
da essa salntar inslituirfio pela torpe calum- ei*1 > para sinceramente Ihe agradecer as conr
na, pelo manejo da iulriga por desorga- stantes e nao equivocas provas de amisade,
nisadoras doulrinas. com que sempre o honrara. Reclamado por
Toraei a peito a colonisaco do Rio Ara- ella ao (ioverno do Sua Magostado o Impera-
guary em cuja margem direita assenle a dor, elevado ao numero dos Vice-Presiden-
Colonia Pedro-a. que desde j recommeudo tes da provincia tractado cora osmaishon-
aos patentis cuidados de V. Ex. roso* e Ustnigeiros epithetOS, lendo vis;o oco-
iMandei viajar e examinar alguns pontos H'idas com delicadeza e consideraco as roedi-
ao Norte doEquador: meos pinissarios esti- das em seu Helatono propostas para o bem da
vero em Cayenna; um delles anda nao Provincia, eludo no seio da mais nvejada
regressoUa fraternidades q''8, excitando realmente o
Amparei as desvalidas educandas dando tiume re muitos Administradores causar
casa regulamentos um tanto lories, mas sem a menor duvda ajusta confuso de seus
neressaros no lempo, em que conven por mais violentos inimigos sena o abaixo as-g-
termo aos progressos da dissoluco, teudo o nado um consumado ingrato, se, recou'heci-
praser de vel-os plennmeuteapprovados pelo do. nao levasse ao con tieci ment dos dignos
virtuoso Prelado A Assemblea Provincial Representantes da Provincia os mais eordiaes
superior todo o elogio nos auxilios que agradecmentos reiterando os seos protestos
Ibes acaba de decretar. de amor e simpatha bem como os mais ;r-
Proteg o estabelecimento dos educandos denles volos pela sur. prospci i lide. I)igne-se
arlifices cuja prosperidade antollia anciosa a V S. communicar seos Ilustres collegas os
provincia, e o elevei ao numero de cenio e sentiraenlos que pela ultima ves llana plen-
desoito. lea o piimeiro respeitador de seos merecimen-
En tregela Religio os Conventos de San- tos, palriotismo e virtudes. Dos Guarde
to Antonio e Carmo. V.S- Palacio do Governo do Grara Para
Dei aos M1 litares enfermos um soberbo a- em ao de Outubro de 1840. Joo Antonio
silo no antigo Hospital Militar, que n.andei de MirandaIllm. Sr. Joo Mara de Mo-
reedificar e que suuposto no se acbe de raes, Presidente da Assemblea Legislativa
todo concluido j em alguns de seossales desta Provincia,
habilo esses nossus (amaradas. Illm. e Exm. Sr, -- Tendo feito apre-
Dei todo o possivel impulso grande e sentar Assemblea Provincial o Officio que
importante obra do caes na qual fiz sobr'e-- V. Ex. se servio diiigir-me no dia ao do cor-
tar mais de um mez logo (ue tive noticia rente, siuto praser eiu significar a V. ( ,
de minba demisso a fim de concluir a obra que ella ouvio e rectbeu com especial grado
do Hospital. a expresso tranca e generosa dos senlimentos
lustaure o olielisro de Nasaretb construi lo de gratidao. concordia e amisade que V.
em ijfia pelo I xm. Capilo General Jos de Ex. se dignou enderecar-lbe : e nao menos
aples Tello de Menezcs e fiz aiormosear rcconhecida es'e co de boudade e cou-
com isseiito?, e arvores o circulo em cujo stanlc cooperaco de V. Ex. em seus trabi-
ctnlro fe cha tollocado. Ihos legislativos, durante a presente Sesij ,
ftJandei alionar e plantar o largo da polvo- como justa apreciadora do alio mrito e er-
ra que dei o norae ce Praca i'Eoao 2. vija re V, Ex. em beneficio desta Provincia ,
a Assemblea Provincial por voto unnime
rende giacas e dirige a V. Ex. seus protestos
de estima respeito e veuerdcc
Dos Guarde a V. Ex. Paco da Assemblea
Legislativa Provincial do Para ai de Outubro
lercionando levantar no centro at o fim do
auno um chalara elegante.
Mandei desoLsliuir, limpar e aperfeicoar o
canal de lgarap-Mirm cuja obra se acba
hoje em grande e satisfactorio piogresso.
Dei passo* para que se desobstruate em de .840 Illm. e Exm. Sr. Doulor Joo An-
bentficio do commercio e da pequea nave- tonio de Miranda Presidente desta Provin-
gaco o canal de S Caetano na Viga ten- cia. Joo Mara de iVloraes presidente d
do a salislaijo de ser auxiliado neta Asseni- Assemb:ea.
i:ete o da ao de Fevereiro at a presen- bla que ataba de dtcietar uro quanltativo lllro. e Exm* Sr. Tenho concluido a
le data ttve .' tforca de primara buha o para csia importante obra, vida Presidencial, acabo-a penborado pela
tipmento de 55o pra" as. Foi criado, se Intenlei roelhorar a lastimosa posicao da amisade, que V. Ex. constantemente me cou-
(Ui'do as rirrPBelancias o 9. Balalhio de Snela Caa da Mitcricurdia : ludo se achata sagrou e pela harmona, que cutre nt sein-
tacaderw 1 aJIiviaiio-a* ^ destacamentos pe- para ias disposto v uiato uinda u Assemblea I pra reinou .ualidiidcs otas diibceis de se
misericordia nao per.nillindo que os nossos
males revivao tornando-nos ao antigo esta-
do. Sabemos que as coroas do Ceo se ga-
nna com os espinaos da te^ra e se nos com
tanto penar lemos direito ellas enlo ja
que perdemos o nosso bemfeilor serrai a car-
reir dos nossos dias para dallas irmos go-
zar e mais junto de vos pedir por quem
lauto bem nos tero feito,
Sim Exm. Sr. os afinados sons da Citara
comqueaqui nos congratulava-mos urnas
com as outras pelo nosso bem passar emu-
decera com os nossos prantos os risonbos
das que aqui se va5 de nos desapparecerao ,
e s huma nuvera negra buje cerca nossa ha-
bitaco ou por que a Nalureza com slo nos
d;i provas de que nos acompauha nos nossos
males, ou porque a torrente das nossas la-
grimas nos nao deixa destinguir o brilbanlis-
mo de seos raios.
Emfiro aceite V. Ex. nossos sinceros votos ,
e acredite que nao temos expressoeni con que
bem possaraos pateutar nossos senlimentos :
elles sao verdadros pois invocamos em tes-
lemunho ao Dos que uosouve. iNo (ode-
moi romper as sagradas balizas deste claustro
para o irmos coroar de verdes luuroi nao te-
mos ibesouros coro que possamos co nprar 0-
dorificos baleamos pira os derramar sobre a
caneca da V. Ex, em signai da nossa grati-
dao e s sim o que temos sao rageis oiuces,
que de da e de noite enviamos ao AltisStroo,
rogando-lhe pela vida e saule de V. Ex e qut
se digne dar-lne a palroi da iromorulidada
pelos servicos aqui piesladj* Religio, e
patria.
Dos Guarde a V. Ex. inuilos annos. pjr
no Recolliiment das Edu-andas desvalidas
aos a3 de Setembro de id|j.
Mara Carila Regente do Recolhiroeuto.
Maria das JNeves ex ie0eule.
Mana Dionuis.
Leopoldina Halbi,
Joinn.1 Halbi.
Gerlrudes Maria.
Jozefina Toscana,
Emilia Carlota.
Angela Csia.
Liara Cuidida Franca.
Auna Maria de Sao Joc,
Natalia Alaria.
nulina Maria.
L.uiza Cunegundes,
Aguida Mana.
N. B. por n.o saberem escrever nao v*0"
assignadas irmli meninas, pjrque enlraro"
paruesie Recolhirounlo a tres mtv.es ero ditlu-
Jreules oceusiut, -- )Urka Garlla Regente?


dario de perjambuco
a

do Recolhimento.
Cora aulhorisacao do seu Administrador ,
O padre Salvador Rodrigues do Cont.
Illm. e Exm. Sr. A razio dos mais pro-
de conjecturas qnando quer acertar com a ex-
plicaeo de certos fartos que como inPteoros,
brilhao na vida dos povos ennublando o
seu horisonte sumindo-se cobertos deana-
tliemas e de maldicces, pois deixo apozsi,
descostes, pranto e afllicces. Que atrevida
capacidade pode dar soluro a essas innme-
ras contradieces que marcheto o dezolvi-
menlo d'elles ? Nem urna. Oh i que
bem certo terem os povos epochas em que des-
liza-sea existencia no seio da prosperidade ,
e outras em que o turbilho revolucionario
envolve os principios es mais sagrados da
morte s illustraces que fulguro. A Pro-
vincia do Para lera sido at boje victima cons-
tante deste principio. No regago da paz ,
is que de sbito abre-sa em seu seio um a-
ijysnio que Ihe arremeca a Discordia e seu s-
quito inferna! para cobrir com u-n manto en-
aguentado os seus bosques vrente e feriis.
Depois de huta porfiada e renbida a con-
cordia ea paz desterrarlo o raonstro esurri-
ro-se para a victima que anda arquepiva la-
cejada ; raion o dia i 3 de VJaio e o Parsen-
liu o balsamo consolador esparcido pelos dois
antecessores de V. Exc. al que teve a ven-
tura de possuir a V. Exc \eudo-o testa
da adminislraco. Eulo ja alentado er-
gueu-se ufano e remocado e valente prin-
cipiou a eslsear a vereda da rivilizaco Im-
pedido pelos gloriosos feitos de V. E\c. Que
primores alardeou logo e at na choupana
do pobre ouvia-se a infancia avii^Jidadee
a velbice abengoar um nome. Qual ? o de
Y. Exc. A esta scena risonba suecede urna de
pranto de horror mesmo cauzada pela sua
demisso. Quem pois poder comprehender
este pbenomeno esta circunstancia inespe-
rada, esta viccissilude terrivel. Como se po-
de explicar esta anomala nos factos adminis-
iiativos ? Seja como for perdemos a V.
Exc. que sabe do nosso seio nao como o Tira-
no decorado pelos remorsos e que cuida en-
tiever .punbal agudo de baixo das vestes do
amigo, mas siro como o dolo do Povo Para-
ente coberto de louvries de coroas citicas ,
lecidas pelo amor e gratido despedindo-se
elle ao mesmo lempo choroo d<> seu Bem fei-
tor e Amigo. Nao s como Cidado, mais
principalmente como Director de um proficuo
Inculdade ; quando em fira V. Exc. susten-
tando com denodo o progresso da lleligio em
armona com o Exm. e virtuoso Prelado e
conspicuos Ministros e de atcordo com As-
fundos Estadistas arroja-se a um vasto pelago sembla Legislativa trabalbava por appresen-
tar i face do brasil o Gigante do Gram Pa-
ra entrado na vereda da ctvilizsco eis que
V. Exc. recebe a sua demissao .. .
Ella baixa do Throno resignemo-nos em si-
lencio a esta desgraca Sirva-se no entanto
aceeilar os protestos de amor e gratido dos
Educandos que sympathiso com os de seu
Director, quesaudosos se lembraro dos be-
neficios de V. Ex. e como Cidado uno a
minba magoa a do povo paruense, por V. Ex.
nos deixar ficando V. Ex. na intima con-
vieco de que seu nome era por elle sempre
abencoado.
Dos Guardo a V. Ex. Para 17 de Ou-
lubro de 1840. Illm. e Exm. Snr. Dr. Jo-
o Antonio de Miranda Presidente desta
Provincia Joaquim Gomes Uelford Ca-
pitao Pedagogo dos Educandos.
Ulm e Exm. Snr A generosa restitu
cao do Convento do Carmo com a mudanea
dos Enfermos para as antigs], nobres espa-
cosas Enfermaras acintemente abandonadas
a estragos positivos bem merece aqu urna
pequea digresso histrica para servir de
assumploao meu vivo reconhecimeuto par-
ticipaco com que V. Exc. me honrou hon-
tem de um suceesso to inleiessanle e agra-
davel a expeclago publica.
Constando-me pots Exm. Sr. por convite
osnecial que e pretende imprimir na Corte
costa dos Assignantes um poema intitulado
parense eu posto que j nao possa ler ,
nem ouvir ler com ludo so para honrar o
merecimento e estimular a Mocidade Brasi-
leira a empresas de literatura nao duvidaria
mesmocontribuiraindaco.il maiorsoroa, se
o Author do poema mudando o Titulo no
de rara restaurado real^asse com bellezas
poticas a I5enefica Al 5o, que o levaniou djs
ruinas em que se achava com a propria
grandeza que o distingue !
Mas para que ? Os Eactos Governativos
publicos que mndaro a face da provincia
em menos de seis mezes ja gravados no co-
rceo dos pais nao necessito de 01 natos ex-
ternos nem de bronze ou marinore para
serem esculpidos ; a sua memoria passar de
geraco em geraco mais remota rosterida-
de : o anno de i84o far se.npre um grande
vulto aas pocas mais gloriosas do Amazonas :
Estabelecimenlo sou comparte na e.xpanso a prompta e roagestosa Keedificaco do Bel-
dos sentimentos universaes a frente dos E-
ducandos sou orgo da profunda roagoa que
dilacera os seus sinceros coracis em conse-
quencia de Ibes ser arrancado o seu Protector,
cujas vistas os fazio vingar para desabroxa-
rem ulilissimos fruclos Patria que os vio
loEJidificio que servio de Hospital ha tan-
tos anuos Tropa estacionada na Capital, he
um Monumento indelevel de piecUdc de
nascer.
um Monumento indelevel de piecbdc ,
Magnificencia e de Justina !
Animado destes scnliraemos, que a natu-
reza inspira e a ieligio consagra louvo a
Dos, a quem ludo se deve, implorando com
Conhecido V. Exc. pela firmesa do seu ca-1 o auxilio de sinceros votos de todo o Reba-
racler deu provas reaes de ser urna forteco-, nl a que preside, a diuluina con.-ervaco
lumna do Throno de S. VI I. o Senl.or D. j da vida de V. Exc para bem da Igreja e
Pedro a. ; apresentou-se enlre nos com a j doEdado em qualquer Enprego, a que
espada da jusiica e com o piogramma da S. i\Jageslade Imperial o baja de promover,
civilisaco as mos. JuIjcu de proficuo me- JNo he o vil interesse Exm. Sr. ni
em
rito olhar para Mocidade desvalida, a fim de j abaixa lzonja que aqui fallao; heozeloda
dar-lhe um arrimo um apoio em que bajeas- lleligio, e o amor da patria que at bor-
se as suasesperaruas tornando-a esclarecida da da espullura a que por instante* vou a
e proveitosa. Chamou a si o estabelecimenlo' dicer anda podem exprimir os alfectos da
das Hducandas organisou-o de novo e no-
vas leis Ibe applicou para a sua manlenca e
dignidade e ainda ha pouco deu-lhe urna
enrgica que dt certo ser a sua salva guar-
da. Refiro-me is Loteiias Vendo desmo-
ronado e peco oque eu dirijo reediicou-o
ji.oralmente com nova organisaio depois dt'
o ter mudado para urna nova caza j ahi fui
incansavel em promover a sua seguranza o
eu crdito inoculando n'elle lodos os ger-
men* inlalliveis da sua prosperidade. Quem
tal dia! Embrete reassu-i.iu das rumas ,
e ostenta boje valenta. Ali nem um mi-
nuto destinado i ociosidade ; ali aci:o-se
cfficiaes das arles fabris e mechanas ; a!i a-
cbo-se em vigor os rudimentos indispensa-
veis para a culiura da raso ; ali, em lim ,
acha-se na mais pequea cousa impressoo de-
do de V. Exc. depara-se cora o* vestigios da
eabedoria e protectao de V. Exc, l\o de
subido quilate o valor d'este servido ? JNo
fez crescer e florecer um Deposito de Cidados
litis JNo achou d'esta arte o problema de
combinar a pobieza com a prosperidade ?
anco c sincero por naturesa deilaro a V.
fcxc. que nao llie queimo incens no turibu-
lo da lisonja porque as minlias asserges
cao veidadeiias tanto assin que nao podem
ter contestados por aquelles a quem dirijo com
prazer como lambem pela populico t-ar-
*me Quando V. Eac. quotidiuiiae pro-n-s-
bivamente pentiorava a uossa eslinu e reco-
liliccimenlu quando V. Exc. embellezava
sua gralido, sem a menur ollensa da verdade.
i;eos Guarde a V. Exc. para ai de Oulu-
hrode 1840. Illm. eExm. r. Dr. Joo
A.itonio de Miranda" piesidenle. Ro-
mualdo Bispo do para.
LOTERA DOTHEATRO.
Os Hilheles da 1." parle da 5 p Lotera,
cujas rodas andao imprettrivelraente 110 dia
11 de Dezembro prximo luturo acho-se a
venda as lujas dos anrs. Ai a noel Goncalvez
da Silva e Vieira Cambista na ra da cadea
no liairro do Recife e no de S Antonio as
dos Snrs Bastos na pracinha do Livrameulo ,
e Aiauoel Alvez Guerra ua ra uova.
LOTERA DO LIVRAMENTO.
O Thesoureiro da Lotera faz sciente ao
respeilavel publico [que como ^ai a venda dos
bilueles com grande afluencia] que deseja que
os amantes deste jogo coucorro para a cein-
pra para o mais breve anuuncuif o impie-
lerive dia.
THEATRO.
Grande Galla, dia a de Dezembro ANI-
VERSARIO DES. VI. I. C. OSENiiOK
D. PEDRO 11. Execuiar-se-h a grande
Overlura Sernirames em Rabiinnia beguir-
se-ha hum aparatozo Drama, cantando a Se-
Impeiio peran'.e o Retrato de S. M. O Im-
perador no fim do Oram-t se repreientara
a magestoza, e engragada pega intituladlo
grande palmeirim d'Inglaterra solitario ins
galias, e o Campio das montaohasd'Ecicit.
Esta insigne Peca que o Director do The-
tro obteve por graca especial do Sr. Jos
Octaviado Teles he sem duvida a mais bel-
la e appropriada pira este dit : mostrando-
ne quinto a escrupulosa Jusiica de hum boa*
Monarcha he til para salvar os innocentes
opprimidos pela forea da intriga. A jindicio-
sa moral da peca vai ao mesmo tempa em-
belezada pelas joco/.as Scenas dos Creados ,
fazendo as parles graciolas a Seuhora Jozefa
Candida eoSnr. Santa Roza.
O Theatro estar todo armado e Ilumi-
nado o melhor possivel. O Expectaculo prin-
cipiar chegada do Exm. >nr. prezidentc ,
quesera annunciada por huma girndola de
o-'.o doar.

Ivisos Diversos,
i'ioviuaa dando de cao luilliarcs de di- nhoru Jotela Candida du Mello o vnuo o
-----A pessoa que acbou um embrullio ,
ronteudo uns rois de encomnreudas osquaer.
foro perdidos no dia iodo p. p. Novena-
bro desde a ponte da lioavista al o At-
ierro da mesma ; quem o livor achado lve-
os a loja de Joaquim Niegas.
-----Arrenda-se por lempo de festa urna
casa no equi com 4 qs eosnha fo-
ra envidracada e com bauho no fundo ;
a quxl da parte da sombra e por mdico
preco : a tratar na ra das Plores sobrado
da quina I). I.
-----Offerece-se para ama de casa de pe-
quena familia urna parda forra de raeia i-
dade a qual engoma e cosiuha o diario de
urna casa : quera precisar aiunincie parase
procurar.
-----Aluga-se urna preta cativa, propria
para ama de casa ; quem a uretender v a ra
do Fogo 1). a.
%3$r Alluga-se o segundo andar do sobra-
do n. 26. na ra velha do liairro da H0-1vis-
ta j quem o per tender dirja-se ao 1. andar
do mesmo de manh alhc as 8 horas e de
nina as i da tarde.
ts?" Precisa-se um caixeiro para tomar
conla de urna vend por bataneo, o qual se
Ihe dar bom ordenado : quem esliver nestas
circunstancias diirija-se a praca da lioa-
vista, venda D, 5, ladodoSul; 011 de fronte da
ribeira da Boa-vista a 'aliar com Jeze Sores
Pinto Correia.
t;y A rifa de gnacio de Jezu3 Bandeira
corre impreterivelmente roma i.* parte da
5. Lotera Thealro 110 dia 14 de Uesembro
de 1 8.o.
Acbo-se a venda nos lugarps seguintes :
no Recile em casa do Sur. Vieira cambista,
ra da cadeia ; atraz do Corpo Santo na ven-
da do Snr. Joze Pereira : ra da Madre de
Dees loja do Snr. Simplicio e venda da es-
quina confronte a Aladre Dos. Em S. An-
tonio loja .) Snr. Aenezes na praga da
Independencia loja do Snr Joie Antonio;
ra do cabug loja do Snr. Bandeira, e boa
tica do Snr Joo Moreira e na loja do Snr.
Joaquim Joze da Costa ; ra dimita loja de
couros do Sur Agoslinho ; ra do Livra-
meulo loja do Snr. Jote Antonio do Carmo.
Na Boa-vista, loja dos Sis, Amonio Guima-
res Joze Ignacio do Monte ; loja de fuui-
leiro do Snr. Geraldo ; Botica do Snr. Vic
tormo j Botica do Snr. Braulio. Cidadede
Olinda ra deS. Benlo Botica do Sr. Joo
limaco.
SS>" Na ra do Rozario larga sobrado de
uro andar por sima da Ipia do Sur, Aluniz ,
defronte .Jo beco do peixe frito ha muito boa
tinta de escrever feila pela reccita do falescido
Joze Vital Ferreira Pinto e que continuou
a uzar sua falescida muliiec ; a garra-
fa a quena lev o cseo a 400 rs e a quem o
nao leva a /fbo rs. por isso qu> se d o casco.
Desta tinla tem comprado constantemente a
repartico da alfandega e algum Snrs. ne-
gociantes desta praca pela sua composico
e por nunca se faser de diferente cor poreur
como ella deixa rouilas vezes motivos para a
desfalcarem enchendo os vasos com agoa ; o
annuncrante nao quer perder o seo crdito no-
vamente declara que loda a tinta que se fi9er
amarella pelo lempo adianto nao he ila pe-
la dita receita e procede a diferenet pelos
compradores, ou da eulros vendedores.
tsr Precisa-sede urna rnulher para com-
nanbia de urna Sura. doeole e que faga al-
gum serxiuo dando-se o sustento e alguma
roupa que Ihe for pe.ciso } a ra do inon-
dego ultima casa passaudo o beco das I5ar-
retras do lado esquenlo.
SST Qualquer Snr. Reverendo Sacerdote
que quena ser Capello da Igreja de N. s!
do 'lerco des la CiUade sendo queiru dcla-
3
re sin raoradt oir se tratar do ajuste o
falle no palio da mes.na Igreja, loja da fa-
seudas D. 8.
-----Aluja-se um moleqii9 para todo o
servieo de cas- e de rui : quem o preten-
der dirija-se as Cinco p)rtta pt?indoo
becco do \;aris'.'o, primeiro sobrado d'um
andar, junto a urna piderii, que achara
ocm quem tratar.
l?9" Urna Sra, capaz se offerece para lavar
e engomar com primptido e aceio ; quem rio
seu preslimose quiser ulilisar dirija-se ea S
Rita Nova deronte da mesma I ceja.
SS^ Precisa-se de um preto para podara ,
que traba Ihe bem na masseira na ra Di".
reita D. 34.
Cf Precisa-sede urna pessoa forra ou ca-
tiva que seja capas para sahir com urna
preta a vender fasendas prefere-se que seja
de meio dia para larde, por ser a preta occa-
pada no servieo da casa; a pessoa que Ibe coa-
vier dirija-se a ra das trinxeiras sobrado nu-
mero 21.
tsr O abaixo assignado faz sciente ao res-
peilavel publico que o seu mnibus capaz
de levar des pessoa que quiserem hir, estn-
de estos no lugar da Matriz de S. Antonio,
pelas 4 e meia horas da tarde hiudo o meima
mnibus em dereitura moudego m ni-
guinho ponte de uxoa campo de S Anua,
casa lorio e moiileiro como tambero da mes-
ma maneira ero torna viagero ua manh
do dia seguinte pelas sete horas. Oabiixo
assignado tem feilo este novo eslabelleciment
durante a festa sendo o preco de cada pesioi
lUooo rs. ero toda a destancia e menor
distancia duas patacas,
Tbomaz Savia.
ssy Qualquer Snr. dono deloje de fasen-
das e que seja casado sendo queira aceitar
uro menino Brasileiro de idade de 10 a 11 an-
nos, afira de admetti-lo caxaria (possabe
ler, escrever e coutar suffrivelmeute )e educ*
lo corno .eu fillio, tendo-o ero sua companhia;
dirija-se rui do Noglieira D. ig lado
direito onde achara com quera tratar ou
anuncie.
ezapareceono diapdo corrente do enge-
nho penedo debaixo, um molato de no.n
Vicente baixo groco cara redonda bailan-
te baibado olhos piquenos cabello boro ,
ptimo olficial de sapateiro representa ler 3o
I a 4 anuos de idade bastante costiado no
1 scrlo, e se presume que para ali se tenha en-
caminhado levando em sua companhia urna
filha de idade 6 pira 8 mezes urna espin-
garda d' espolela e o mais arraujo de seo
olficio ; quem o pegar leve-o ao dito engerido
que ser recompencado, ou no patio de S.
Pedro a Joo Rabello Eeite Guiroaranes ,
D. 4.
tS3~ O abaixo assignado tendo de faser ser-
ta transaga com suas propriedade na povo-
aco do loreto por isto previne ao publico
q'ieem ditas propripdades nao ha piadoras
nem hipothecas que proiha sua transaco e
qiiando baja qneiro declarar dentro de Iras
das para reputaco do abaixo assignado o
satisfaco do publico.
Pedro Antonio T. GoimaranesV
t*r Qualquer hornero solleiro ou viuvo,
que precisar de urna ama para o servieo in-
terno de urna casa ; dirija se ao patio de S.
Pedro, D. 18.
SST Vende-se urna escrava de a8 a 3o an-
nos sem axaque e sem vicio, boa quitan-
deira de ra, fateira e vendedeira de azeite 4
vende-se por nao querer servir Sura no
patio do Ter(o a. andar D 67.
SST Methodo de lingir cabellos : Iava-e
bem os cabellos com agoa moma e deu-ois
esfregue-os bem cora um ovo batido, e de-
pois turnea laval-os coro agoa morna e es-
tando enxutos moldo urna escovinha na agoa
do vidro mesmo fra e d nos cabellos, tea-
do o cuidado de nao deixar pingar na roupa ;
e quando estiverem bem moldados deixe en-
xugal-os, e saia para a ra ; esla ago* da-se>
urna vez por dia, e que mu poucas vezes
precisa de mais de quatro dias ; adverlo ser
que a hrvagera coro o ovo basta s na primea
ra vex. Esle methodo be o mais simples e o
seo resultado he o melhor que atbe agora lern
aparecido, no Gm de doisou tretme.es ser
necessario dar urna nova aplicaco. Vende-sa
na ra nova loja do chapeos do Snr. Joiquim
Joze Pereira D aa seo preco he (jUaoo
os xidros grandes [Jzooos piqueos.
C#* Na noile de a-i de Novembro p p. ,
noG. O. P. Irocou-se um chapeo ; ruga-se
a destroca na loja de livros u. ij e 8 uu
praca Independencia.
ST Alluga-se por preco muito corumo-
do urna das casas de propriedade do Sur. Un-
to situada no lujar denominado cajueiro,
mui proprio para se pass.tr a lesta : quem
pretender arrendar enleuda-se com Jos Gon.
alvci Eurcira Ron ua ruado Pone.


DIARIO DE PERNAMRCO
W/M
IWIII iniB.>>*iMMtaaaMWMrW,TtrMII
UUBUrtittK
^c^:MJtwwrr.WJBaBwr^^
JES*" Aluga-se urna casa le rea decent pa-
raum em pregado p_%tcb sen familin as
mas de Horus agoas verdes, e paleo de
S Pedro lado da sombra ; wfttt Typigra-
fia se dir quem precisa.
SS5" Alugo-se escravos srvenles de pe-
1 renos para a obra au thejttro ; na prea do
forte do inultos de Manoel C. Carneiro Mou-
leiro.
a_r Perdeo-se no dia 26do p. p. da roa
da senzalla velha al o pil'ar urna sedla de
_o,ooo 5 roga-se a pessoa que a achou de
entregar na roa (ii senzalla velh\ n. ati ; que
si recompensado.
t_" A capata7a externa da alfandega ain-
da admitle alguns escravos, por aso aq"uel-
Jes Srs. que tei Callado ao ubaxo assignado
para Ihos admitir podem ir entrega-Ios e tra-
tar do ajuste. rcenlo Fortunato da Silva
maraes quena dirigir-se a ra do Clespo loja
D. 5.
tSST O Sr Jojquim Domngues de Souza ,
Ttnnuncie sua morada para se Ihe entregar
urna carta.
SSJT A pessoa que annunciou ter urna preta '
para aiugar dirija-sea ra do Livraineuto
sobrado D. J.
__" Offerere-se nu bom feitor para en-
genho ou sitio pois lera bstame pratica ,
he portugus casado e sen fllios ; quem o
pretender dirija-se ao i-rraUI casa lo mestre
sapaleiro Joo Antonio junto ao Padre Mau-
ricio.
_y Quem tiver para alagar um negro di-
rija-s lora de puntas fu na de S. Ai_a-
ro na pada la.
_# Arrenda-se animalmente tima morada
de ca* terrea a bairarii i, Oitl/e re>ide o Kxm
Sr. Ettpb D. TiiOrtia de Wbreoha da ri
que di da estrada da soledade pira a do man-
guind e com rpartinu-nlo segund u gusto
moderno coui salla de veVila forrada btto
quarios boa salla de jantar co/inha lua
com assentamento de fogo infiel boa ck
jimba coni agua do beber seiuaia p*af i b
iscravos estribara para dous cava I los, '
jielo precode ibo,ooo a-uniial j os pretenden-
les ririjo-se i ru dls Horas sobrado i). ?o.
_r i're isa-si-de urna ama de leile que
uo lenlta creaiica j na ra 00a D ii a fal-
lar com Delfiuo Goncalves Pereira Luna
I3f" A pessoa que precisa de ooo ooo a ju-
tos dando por seguianea um escravo que pa-
ga 6{< por dia difija-se a ru das treJti-
tU D. H.
t^0 Chiemarhar um papagaio rontr.i fi-
1o que tugio na manir do da ad do passa-
do do atierro da Uoa iata levando no p di-
reito una correle parte de laido e pari de
ferio, querendo entregar no dito lugar L).
q ser recompensado
5S*" Piecisa-se de um criado bolieiro, que
nao se embriague ; na praca do l omnetelo
casa de Angelo Francisco Carneiro.
SSf" A pessoa que I i ver uiti moleque que
queira olugar para andar vendeudo con uin
neto dirija-se ao atttrroda Uo vista loja
1). 10.
ty Tendo ebegado a esla Cidade um por-
tuuez viudo a pouco da Cid de do l'ui lo se
tlerece ao lesjfilavel publico para ensillara
tocar pianno rebeca e orgo u lamb-.n
atinar ; as pessoas que se quiseirm uliluar de
seu prestiino dirijo-se ao lorie do otattos
prensa de Antonio Jos Pereira de Meu-
douca.
saT A pessoa que deseja saber relativo ao
anuuncio sabr o platicante d. pifnaca ,
que se quer para urna boti a dirija se a ruado
Cabug loja de Francisco Gal cid Cbaves.
SEjr Precisa-se de um cpela.i para distan-
te desta placa Jo legoas aqUelle que estiver
iras civeunstancias de querer iaier cala viagein
d>ri]a-se a praca da Boa visia L). 16
ter" Quem annunciou querer cumpr.-ir um
moiato ue idade de i a w) annus com olicio
de allaiatedirija-se a ra do Crespo D. o.
%3f Precisa-se'alagar una ana para casa
de pequea familia ; no pateo oe JS> S. do
Terjo sobrado novo L>. que aiii acnai.<
coai quem tratar.
SST" Alliga-se para passar a fesla urna
casa com sitio e banho na camboa da ponle-
zinha na passagem da AJagdaleua e oulr
con ba iiHo noca pib be junto a ponte gran-
de i ambas para pequea lamilla; a lallar
com seu proprietarro Jos Joaquim Be/erra
Cata lea nli
t^*>. U Sr. M. J. P- qeira mafidar pagar
omezqueficou dveitlo do aluguel da casa
onde inorou.
fgf A pessea que annunciou querer um
cont dfe res com bipoiliecd iesta prac. j di-
tja-se a venda no palio da S. ciu, por
hijcodo Sm. IVreti.
T Kua das trinchtiras entrando pel
paleo do Carmo do lado esquerdo no primeiro
andar do sobrado O. -i5 que tem as lujas
um funileiro lava-se e engomma-se toda
qnalidade de roupa com o mair asseio possi-
vel ; assim como da-se cor em roupa de };au-
gn tudoeom muila prompiido e pof pre-
co mais barato de que em ovtra qualquer parle ^
t3>i Aluga-se urna casa-no M.mteiro com
exrellentes com modos para passar a Testa 5 a
tratar no Hospicio cora Jos de Pinbo ISorges.
"Avisos M/iritiiuos._
PARA LISBOA o Brgue B^m Jess sabe
rom toda brevidade por ter parle de seu car-
regamenlo prompto quera qaisef enrregar
ou ir de pasagem para o que tem excelentes
comhiodos dirija-se aGaudino Agustino de
Bal ros aira/ do Corpo Santo 67.
PAABA LISBOA immediatamente o bem
conliecido e velo/. Bri^ue Purlugue/. Feliz
Destino, Capitao Jos Francisco Lessa. para
car;a e passageiros trata-se com Francisco
SeVeriano Rabello ou com o Capitao na pra-
PMIXO IWREsahe imprelerivelmente
no dia oito do crrente inel a Barca Frn-
ceza Casemir Uelavigne de superior mar-
cba, tem a maior parte de seu earrpga-
mento prompto ; quem quiser carregar ou ir
de passag-ert para o que tem excellentes rom-
modos dirija-se a seuv consignatario; B. Las-
serre Se Co npanbia na ra da senzala velba
D. 4.
la iti;
ib e i l o
alachado & Sanios fasfm lelUo do
por vinpanea,< Raimundo e Mariana, filba',(S:ooo 000 oa.ooo e aquellas 600000; as
adona monte de nev cr.u da ponte, lujas dos Srs. Lopes Jnior ra da Cruz,
Piromba Bailar S>uz Pinto [Mioma* ,
e Moraes ra da cadeia vellia Braga junto
ao arco de S. Antonio, Jos Antonio da Silva,
Jos Tavares da Gama e Quarasma na pra-
ca da Independencia ; ra dos Qurleis lo-
ja de miudeza n. Claudio ra do Calin-
ga nos 4 cantos da Boa vista as duas] ven-
das esquinas eem casa do caixa e assignata-
rio das mermas 11% roa da cadeia onde lla-
vera sempre bom sortimnto de nmeros ,
dando-st duas cautellas gratis ao comprador
de 5o e 4 ao de cem.
43* Um negro canoeiro cozinheiro, e
pescador ; na rila nova IJ. 39.
KSS'* Urna negriuba de angila aina bu-jil,
Paulina Auna de Arcona f.tfrtla, branca,
tres dias de vida noi^a Brasile'ira 105a a-
marela Pedro o cruel rgulamento par-
ticular ir.aciiico e utios muilos livros e
novellas" ; na ra do Vicario n 16
Vtf Historia das inatliematicas por J. F.
Vlontucla 4 volumeseo francei com estam-
pas obra prima por p*re"?0 comino lo ma-
nual do jury por Frauciscode Paula Almei
dae Aljuquerque o novo testsmonto de J.
C por Antonio Pereira de Figueiredo um
volume narrativa da pssagm do pacifico
o allante ooo os 3 tomos de Nicdu To-
lentino 3ooo cathecismo de economa pol-
tica 1180 tratado da educaco phisica e rao-1
ral dos meninos 1*80, grammatica analtica mas qtte ja fu todo o servico de urna casa ,
la lingoa porlugue/a i4oo poesas offerci-
das as senboias brasileiras a tomos aooo, ori-
entad principio de engommadeira e costureira ,
de muito bonita figura sem vicio nem acha-
-emdanobrt-sa i28o, historiada geometria qu 5 na ra da lorenlma lado do muro de
praiia 1000 fncoens do casamento deS. M., S. Frantuco casa ao pe da fabrica de pioelao.
I o Sr. I). Pedro I !-i8o, expoiico dos a-! S^ Um cavallo de bom tamanbo, muito
contecimenlus do Har 960. ode a memoria novo, e com bous andares 5 na ra de agoas
do 'Pnenle General Gome* Freir* 800 rs. verdes D. 37.
projectode Cortstiluico pa>a o Imperio do S^ Urna molatinha de idide de t8annos,
Brasil 18o Constituico polilica para dito l>e recollnda e de linda figura a molecas
4o dita com lei da reforma, cdigo do de idade de ii annos dous lindos mole-|ues
processoecrimindtudo em um s volume de idade de 11 a i3 anuos, \ escravas mo-
aioo, collecode leis decretos, e resolu- cas, engommo e cozuho um escravo de
coensda Provincia de l'ern^mbuco ein um s >'l"de de jo unnos o(.timo canoeiro um
volume 2000; na forlalrtH do brum a tratar bonito moleque de idade de 18 anuos e urna
com Manoel de Mallos TcixeiraLima. parda de boa conducta prxima apartr i na
ssy Pata o mallo ou engenbo urna esnrava ra de agoas verdes U 38.
de idade de 28 anuos, por 3oo,ooo, ao com--------------------------------------^-------7---------------'
prador se dir o moivo ; no pateo do Terco li8Ci*aVUS V ll^llOS
D. 65 110 segundo andar.
tST Um preto de uacao moco de boni-
xgr Fugioa 21 de Agosto do pretrito cor-
T alachado OL Santos ^ ,ei.w cw jr Um preto de naci moco ae ooni- ^^ ^ ^ ^^ ^ ^
urna porcio de 1 oucnbo de Santos hoje la figura acostumado a todo o serv.co e ^ ^ ^^
l de )e/Ginbro n> Cates 41 allhiidega a por isso mullo proprio para o inallo ; na ra r .i..!,
i 4. 1 ... '. i c ..1 1 c i a 'o. secco d- corpo espadando, roto com-
porta do armazem do Sur. Antonio Aillis. dneita 01a ). -j5 ao pe do ecode 3 redro. ., r .
I ... .,_ r 1 1 1 prido barbado suissas puchadas para bai-
tsy Vende-se em leilo 5 dias dpois do 1 t^- Linp.oas de muila boa qnalidade, c-
prezeiite aviso a porta da alfandega, frCOtit- 'gtdas ultima mente co Rio Grande ; na ra
ta do fabrica ule em Jersey, urna pofi'o de (Ja praia armazem U. 1 a defronte da serrara
rap princesa cii)o rap se acha milito bem 'do vapor.
acondicionado porem pela longa demora se I 539- (Jma venda em Olindaeni milito bom
tern tornado secco as pessoas que dtlle qiiei- I logar e com poucos Fundos ; a tratar na ra
pucuauas |> 1
xo, nariz afilado, boca e olhos pequeos,
rusto fu lio caneludo com lodos tos dentes ,
he alegre e carinlioso; quem o pegar an-
nuncie.
t3T No dia i7 do passado fugio da casa de
Jos Alexandre Ferreira un moleque de
l emcadabo.le depois molhando com agoa Coronel l'.rederodes. "zl 0dn,u ,ndar ^, V "f *
limp, de alkV com i oncas desta agua es- I ^ Ou truca-se por lijlos de alrenaria fur,e j Hoein ',e5ar lev a rua arf du Rt"
fr,gaudo a mo ou passando por pettiifl de um bom cavallo bstanle 3urdo e de bon- "rl U 7 ou no poco da panela delroule da
rame ou ferro .le 8 fios em polegada. e guir- la J na ra nova I). 34. I lVialr,Z *M WtA **V***
dand.1-0 tapado em bre 1 es das se achara su- t^- Bogias de carnauba mi-.ialvas para
periui esta re rer a sua boa qualidade augmenta a quatili- de burrachs amado Rangel sobrado que
dada as pessoas que fueren a exi'eriencia |en, ua varanda um relabolo de vellas piuta-
veiificaio a veracidade do presente aviso. Jas,
--------- ~---------------------------------------------I isp- Oclosdever ao longe, de superior
Kj O III i*) i' i S qualidade, em (.aixas de mugno e um oi-
tante: na ra da alfandega velba armazem
iVlovimento do Porto
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 27 DO P<
tsr Urna cadeirinha de bracos que seja f
lorie eesteja em bom uto \ a lallar no so- ^ Um methodo de flauta em bom uso ,
bradode um andar do lado esquerdo entrando (Jo aul|,or Utvieme com nova encadernaco,
pela praciuha do Livramento na ra do Ran-
6ei __________________
Vendas
por preco commodo ; na praca da Indepen-
dencia luja deencadernador D a.
\t^> Na ra nova loja D. qe 10 defronte
do oilo da Matriz, ricos chapeos de senhora
3T FLHlIf H AS de Algibteira Potlii,' chegado ltimamente de franca, tanto do
e Padre impressas neaU Ttpogtifi e bem seda, como de palbinha bolina gaspiados
conbecidas pela exactido do cale ti ib na pra- de luslro tanto de duraque, como de cha-
ca da Independencia loja de livros 11 3; e 5tf, malote e seliin llores para chapeo e cabeg,
na ra do cabug Iota do ?r. Baudeir ni sapatos de couro de lustro para senhora,ditos
ra da cadeia do bairo do Bccife loja que foi de selim duraqU e marroiiuim ditos de
do >r. l^uaresraa na ra da Madre de leus couros de lustro bezerro para hoaiem ricas
na venda da quiu.i defronte da Igrfeja na meias de seda para homem e senhora luvas
Boa vista deronte da Matriz botica do Snr. de seda oom dedos e sen elles para senhora,
ftoreira e em Olinda botica da ra do Am- candieiros de folha de fl.indres para eseidas ,
paio e 1 otras minias a/.eudas e quenquiiheras
tar CAUTFXLAS da Sociedad Fortuna francezas.
Typogralica, da Loleria da T H^AlllO g- l~ Um pianno inglez da celebre fabrica
nbauuo a vigsima parle dos premios, cabendo de BroadtWod Filhos ; na ra da Lriu boti-
na sorle de o 000,000 res tresenlos mil ris a ca n. ?9
pieco de 4 i ncsla 1'ypograiia na praca 1 ssy Duas camas de vento de armado, com
da independencia 11. ao na ra larga do sola na lona e urna carleira de ti palmos ,
Buza rio loja de miudezas D. "} na la do uzada e comporta de novo ; na ra estieila
Coliegio luja de relojoeiio, e no largo do Li- do Bozar'io lqa de inarcineiro D 3i.
%&- Bioes de graixa vasios j no atierro da
Boa vista loja D itj
l^r Urna cadeia da Babia e urna duzia
de cadeiras de coudui com duas bancas da
inesma mUdeira tudu em bom u/u e muito
barato ; au p da cadeia loja de inarcineiro.
IV Urna cscrava do gento de angola de
idade de 19 anuos cose, eugomma liso e
cozinha o mano de urna casa 3 ita piaca da
independencia 11. a.
Xar Um expeliente e moderno atlas de geo-
gralia por Andriveau Goujou em grande
lolio t a resumo da historia unveisat por
Bossuel j na ra nova D. at) no primeiro an-
dar.
*r Cauteitas da loleria do Theatro, sub-
divididas de billietes da mesm 1, em dcima
e vig?>it>v paite gnnhando lWs na sortc de
viainento loja do Sur. Gabriel que tica no
principio do beco do Padre.
stsy Osseguintes livr.-s : Colleco de leis
de I8a'daibt)y com ndice guras dos jui-
zes de orlaos historia de Napoleo dita da
revoluco ranceza romortas da campanil 1
de L'. fedro resumo da histoia natural ,
voz do profeta rgulamento das lellaces do
impeli nova guia da guarda nacional te-
sourode meninos itinerario de Rio de Ja-
neirocom mappa regulariiento das alande-
gas >iuae de Nantua ialesmo historia
do Brasil, ruinas de Volney historia geral
ida maconaru aprendiz masnico, mestre
dito, companbeiro dito cdigos dos Juizes
t Paz solao de nurcia, honrado ne-
gociante amor otieodido e vingado Ce-
hsliiia ( engao latal Calatea casatncrito
LISBOA ; 29 dias Brigue Portuguez Con-
ceico Flor de Lisboa de -i70 tonel. Cap.
Vicente Anaslacio Rodrigues equip. 17,
c-irga vinho sal ; e pedia : a Meudes S
Oliveira ; passageiro portuguez Jos Joa-
quim Ferreirv
BAHA; 18 dias, Suraac Nac Feliz Ks-
trel de q6 tonel M. Beraardino da Silva
Sena equip. 10 carga varios gneros a
Manoel Joaquim Ramos e Silva, passagei-
ros 3.
PARA' pelo Cear ; 5 dias do ultimo porto ,
Paquete de Vapor Pernambueano Com-
mandante o Capitao de Fragata Bicardo
Ilaydem, passagelrds para o Bio de Janei-
lo 10, para esta provincia a sennora do'
Dr. Xavier urna filha e o escravos e
mais 3 passageiros"
SAIIIDUS NO MESMO Di A
BAL'I'I vIOll ; Escuna Americana Justina ,
M. Samuel Collins carga assucar.
ENTRADO NO DIA 28.
PENF.DO; 7 dias Date Nac. S. Sebasti
de 4 tonel. M. Manoel Jos dos Sanos ,
equip 7 carga pedra de amolar j a .Ma-
nuel Jos de Bastos passageiros brasdei-
ros 1 e portuguez 1 com um escravo.
SALUDOS NO MbSMO UlA
RIO DE JANEIRO pela Babia, Brigue Nac.
Nova Sociedade Cap Manoel Jov Cor-
reia carga pedra passageiros brasileiros
2 e um escravo e porluguezes i4-
JERSEY co.T. escala pela Parahiba ; Escu-
na lngleza Inlerdict M. George, carga
15o barricas de bacalhao.
PHlLADELl'HlA ^ Eacuna Americana Ge-
neral Warren Cap, Charles Oige, car-
ga assucar. ___________
"ERRATAS"
Do numero a<>! Artigo Bispado de Per-
nambuco, Columna 2, linha a_- Lcia-se
InliniU M'tfgtfUde e nao Veidadera
Magestade. _
xECFBNA TYP DE M. F. DE F. 1040


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHSBBY0XC_I4VV69 INGEST_TIME 2013-03-29T16:15:54Z PACKAGE AA00011611_04174
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES