Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04166


This item is only available as the following downloads:


Full Text
, nno de 1840. Sexta Peiba
Y TbJo ajjora depende tie nos cacamos; da hoki prudencia, morlera-
eKot e ecergia : continuemos como principiamos, e serewos aponlados
casa adanireeo entre as Naces mais cultas.
Prcclamaco da Asseiablea Geral do Brasil.
Sabscreve-se P"5"8 esta fol,,a a 3*000 P" qoarlel pagos adiantarlow
sta'I yr-ografia ra das Cuzes D.3, 6 na Placa .a' Independen-
j 57, e 38, onde se receliem corresponde icias lega Usadas e an-
e
cta
r.u:cios,
uisiri vindojaafgoados*
PARTIDAS DOS C03REIOS TERRESTRES
Citarle da P*ra!:iria e Villas de sus prctencSo.......\
Cita do tio Grande doISorts, e Vill3 J'ein.......f
I : ci Fortaleza o Vias dem..............iScg- e Sealas fc/ias;
L'idade de Goianna....................J
Cidaaa de iind......................Toriog M dasJ
\ illa de b. Anuo......................Quintas feiras.
D;ta rieGaranhuns e Povoocio c!o Bonito.........j0 e ai de c da me
do Cabo, Serinbaem, Uo Formo, c Porto Gaivo. i,'n, e ai ut- to
Cidade das A lepos e de Macelo............dem'dem
Villa de Paiaj de Florea....................iitm r d rf ,
/ trtox o Corraos parlem ao meto da, J
4 Vi
SO OE jVovBviBao. N.Vf. &$<>.
CAMBIOS- Novembbo ij,
Landres...... 3i d. por looo ced.
I Ja ......80 a 85 por o|o premio por metal offerecid/
Franca...... 5a5 res per franco.
Jam '.-<-> ao >tir. Coran. Vendas
UKU Vloedade 6^4oa reis, velli.is iI^'o/jo iSfoo
m ''as .. .. oras l$lf'oo th!/jqo
D:as
S.-ioo -


8#soo
:ioo
i^ti.Jo
fifi
PHASES DA LOA NO MEZ DE] NOVB.
Quart. cresc. a :. :s 10 h. e 4 5 m da lard.
La Cheia a o-as 5 h. e 4'i ">. ra man.
Quart. ming. a :(-as 6 b. a i) m. da tard.
La Nova a a3 as 11 b. e 5? m. da man.
Har ehcia para o ia u dt Nwembtoi
As 2 horas a 6 minutos d nnnhij
As 2 horas e 50 itiuioi ta Urde.
de 4#000 reis,
isileiros i.voo -
PetosColumnarios ------ i{6{o -
Ditos Mexicanos ....... |5fGaa -
Miuda. >...... ---------1^440 .
Desflont* de bilhetes da A!'... lega 1 if, par looao inei.
dem de letras 1 i{ a 1 \\i por boas firmas oderecido.J
Losi de cobra 5 por 100 de dise.
DAS DA SEMANA.
5 Segunda 5. Gansa'.o de LagesAudianeia do Jus de Direito da .
rara.
17 Tere. 3. Gregario Taumaturgo/?.Relaclo e audiencia do Juis de
Direito na :. tara.
18 O 1 'oh o '! AuI. do J, de D. da 3. rara.
19 Quinta S. Itabel ilainba F. Audiencia do Jeta de Direito da 2i
vara.
ao Sexta S. Octavio M. -- Anuencia do Jais de Direito da 1. yara.
ai SabbadoS. A presen taco da -S. IV. Reiacio a Audiencia do Jui: de D*
l'.J .'", V*r.
7i Domingo S. Cecilia V. M.
PENA M BUCO
THEZOCRARIA DA FAZENDA.
Expediente (Jodia l6(io corrente.
ODcio Ao Exm. PtesiJente da Pro-
vincia enviando llie a relacao dos Inslrncto-
reh da Guarda Nacional da Provincia, exi'i-
da cm oflicio de 10 do corrente mer.
J (o Ao mesrao ptdindo para ceder o
Armasem das o! Palacio Vello junio ao da Co\ia des Cav.ilio?,
do Esqnadro de primeira linda, para nelle
se recolljer o pao Brasil visto ler appareci-
do ltimamente grande ousnlidade deile e
nao liaver mais iu;;:ir onde se recol'.ia.
DitoAo mestno paitecipando, que ten-
do chegado de Londres na barca loglezfl lie
roiue os rticos constantes da.Factura que
junta ai'ompanhava que por determinacao
de S. Ex era virtude de crdens do neauteri
da Guerra se havia iitomroendadu Cajo
dos Negociantes Me. Calmont & Gompanliia
paia ornecimento doArseni! desta Provin-
cia officiou se na mesma data ao Inspector
da Alfaudega para q' ieito o compeltento des-
pacho nandasse faser entrega de ludo or-
den) do Director do dito Arsenal.
Dito A o Inspector da Alfandega pora
expedir as suas or ens para a entrega dos ar-
tigo* de que tracta o precedente officio.
dem 'o da 17,
Officio Ao Exm. Piesidente do Tri-
bunal do Tliesouro Publico Nacional, parte
ci[ ando a remessa pela Barca de Vapor
ranliense, Cornmandante Felis Corren de S;i
lia quanta de 5o:oooUooo teis era olas de
loL'oooteis por corita das Rendas cora appli-
caco especial ao resgale do papel
Dito ao Exm. Presidente da Provincia
pedindo-lbe para transmitir ao Tribunal do
Thesouro publico o precedente otticio e as
segundas vas dos de numero :jo 47 e 5l do
corrente.
DitoAo Inspector Geral das obras pu-
blicas, com o requcriinenlo deLui da Cos-
ta Amorim, e outro, a fim de ser demarca-
do e avaliado o terreno de Marinha reque-
rido pelos ruesmos.
Dito Ao Director do Arsenal de Guer-
ra, para mandar receber n'Allandega naoca-
Bo q'ero se izer o despacho, os art. chegados
de Lonches na Barca Inglesa lieroine en-
rommendados casa dos Negociantes
Cal-
nonte & Comp. em virtude de ordem do
Exm. Presidente da Provincias para lorueci-
t tu tu do mesroo ArseuaL
l>iversas Repartves
*------------------------------------------------------------
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
O Brigtie PortugunVentura Felii
viudo do Poito eiarado em 19 do corrente,
Cnpiio Antonio Francisco dos Santos, con-
signado a Jos Daptista Ilibeiro de Farias ,
nsanifestou o seguidle.
S)3 barricas com carnes, 3i ditas com fer-
ragrm, % caixas com obras de prata a diteis
(ora vasos, 'y ditas ccia ohos, i ditas com
fio da vella, to lardos com iasendas 5 cai-
xas com chapeos, 7 Larricas com vinlio, 4
n.heirosde tal, 10 caixas coin l'eijo, 58t>
rodas deaicos d pao, i?4 "deiras, 4 com-
n.odas, j 6 solas 00 teixes de arcos de pao,
lanxss abads, 1 carriu!t3t (Jcftiajirasj
com macSes, 18 diasc^m albos 1 caixa cora
fasendas, 5 ditas com (erragens, 'o raejas .
*75o nrolbos de sebolas, 7 ditos de dilas
brancas, i fardo con albos, 10 caixas com
ardiles 2 fardos com fio porrete a ca-
naslras com presuntos,
lora do manifest 74 dusias de Uboas,
58 canastras com batatas, i3 sacos com cas-
tanhfeS 170 moliios de sebolas, 4 viveiros
com passaros, 1 fardo cora fasendas, 1 bote,
a eatxas-iguora.se, 8 canastras ditas, 1
barrica dita 4 embVuIhos ditos, 5 barricas
cora carnes, 4 caixas com bixas 1 santuario,
18 cadtiras, 3 sacas com feijS, i barricas com
sinho, 16 canastras com macis, 1 em-
brulbocom noses, 3oc> resteas de soblas, ao
barricas com tinta i caixa com ferrajem,
1 saca com castaniu, 1 caixa com plantas ,
a embrulhoscom fasendas 6 molhos de fo-
ibasdelouro, 1 pote com peixe vivo
O Brigoe Portu;uer Flor de Beiris --
vindo do Porto, entrado em ig do corrale,
Capito Jos Thom3z do Lima, cousigna-
do a Manoel Francisco fontes, maniestoa o
seguinte,
y caixas com archotis, 1 dita com queijos.
1 dita rom biscoilo, <)8 Cadeiras 3 cima-
p.s 1 caixa com familia de milito, 31 di-
tas com fasBiidas i i fardos com albos, 3o cu-
nhetes abatidos, 5 i barricas com ferragem ,
7 commodas, ?o meras, locadores, a<8 Ilu-
das d'arco de pao, (i barricas coin carnes, 1
bccela com anexas, 1 caixa com pertences pa-
ra chapeos, rr (i;as com tremocos, 5j bar-
ticas com aducas, 1 mocho, i poltrona, 3
degraos, ti lavatorios, 2 marquesas, camas,
2 secretarias, 18 caixas com pomada, i dita
com vidros para cspelhos i.{ caixas com fel-
jo g ditas ce :r ferrasen 7 barricas com fer-
ragem, 16 fardos com fio, 7 cndeles com
rutas, 1 dito eom seaientei, 1 panella com
banha de porcoj nm embrulbo coin fasenda,
o ancoretas com carnes, 1 c&ixa com ima-
;ens, 5(> feixes de arcos de po, 1 caixa ceta
linbas, a dilas com obras de prata 10 eu-
nheces com fertagem 4 c*ixas com calcados,
160 pipas cora viuho, 9 caixas com calcado-,
1 dita com palbeta l-.ica, 9 temos de cjndecas,
1 caixa com fio, a ditas com roseiras, ti ditas
com doce?, i8 canastras com mames ,() caixas
com macella 1 barril com aseile 5o cu-
nbetes com vellasde s;;Ij3, 4 ca'xas com cha-
, 1 braco para balauoa, 1 guarda livros,
1 fardo com peeras, 1 cinbrullio com ouro,
4 lardos com fasendas.
Fora do manifest 87a resteas de bol-
las, 5 molbos de folbas de louro 5 canas-
tras com maces, dita? com castanhas, 3 vi-
veiros com passaros, igaiolaeom melro 1
caixotinho ignora-se 1 saca com casta-
ihas e nozes,
OBRAS PUBLICAS.
Em observancia o oralens da Prezidenea
da Provincia lem de ser arremata mente o ornecimento dos materiaes de carp-
na e de Pedreiro assim como os servicos
de serventes neeeasarios para a obra da renova-
cfo do caes da entrada do Norle da ponte doj
Carvulbos.
As pessoaa a quera taes contrarios conne-
rem socon\idadas a comparecer, devidas
menta habilitadas de BadorM idneos 110-
dias 1 a e 5 do prximo vindouro mez de
Dezembro, a dar os seus leos na fiepsrli-
copas bras i'ubiicas, aondo M achao pa-
i entes as respectivas conduces todos os das
titila
Iuspeccio das Obras, Publicas i3deNa-
vembro de iS^o.
Moraes Ancora.
A Administraca*o Fiscal da? Obras publi-
cas precisa de serventes qui sejo livros, e
postantes para trebathos dearrastros dema-
deirus, com o jornal de setecentos res ; a-
qoellas pessoas que quiserem traballiar, po-
dem dirigir se ao Administrodor Fiscal,
AdministracSo Fiscal das obras publicas 19
de Novembro de io.
Moura*
A. i;
PREFEITUIIA.
Parle do da 19 de Novembro.
Illra. e Exm. Sr. Fora boni.em presos
pela primeira palrulha do Destricto da Ili-
beira d'esta Freguesia o |>ardo Florencio de
Barros Monleiro por se tsrdeit.ido junto
porta d'AnnadoS Santos senda de g para as
i roboras da noite A fin de roiihar-liie o 011-
I ro, que trasia ao pescogo, e o dinheiro que
I adquerir na venda de seo paixe fot reco-
i Iludo Cadeia ; pelo Sub-l'refeito da Fre-
ifunjia da Boa-vista Luiz Josa de Franca,
braneo, por so negar ao servioo das rondas
iaesj epela Guardada passagem da Ma-
gdalena, Theodosio Ferreiru da Oliveira,
uta braneo por :>.5o querer pijar o im-
0 da taixa da ponte : fofio sollos.
E'o que consta dos partes boje recebidas
', nes'a Secretaria*
TRIBUNAL DO JURY DO RECIFE.
Sesso de 18 de Xovembro,
Jury de Sentenca*
Denuncia do Doulor Promotor contra
pardo Joaquiai Jjs da Silva Couto, por cri-
ir.e de bofetada i Ibi absoUio.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
DO RECIFi
Fdt.l.
A C;roara Municipal da Cidade do Recife,
c Mju Termo etc,
l'az saber que polo F.xm. Vice-Presiden-
te da Provincia Ihe ferio com mu nica das e
expedidas as ordena soncernenles a convocaco
da nova Assembiea Geral, e da Legislativa
Provincial, pareeffeito le se procederem as
respectivas EleicSescm eonformidadedas Ins-
trucedes de ati de Marco de i8aj, e Decretos
do Julbodo ui> de i6a8, 28, e 3o de Junbode
l83o, sendo imprelerivelmente era toda a Pro-
vincia a 1. reunio das Assembleaa Parochiaes
que devem nomear os eleitores no dia lide
Desembro prximo futuro ; a segunda dos
Eleitores que devem formar os Collegios ,
para elejereaa os Uepulados e meiubros da
Assemblea Legislativa Provincial no dia
17 de Janeiro do anuo vindouro I a ultima,
para geral apuracio na Cmara desta Cida-
de, no da ao de Marco do dito anuo. E pa-
ra que cbegtt a noticia, de todos mandn a
ira pastar o presente para ser publi-
ca.! .
Recife em sesso extraordinaria de aa de
Outubro de 10 je Jos Machado Frer,
Pereira da Silva, Pro-Presidente Ful-
jo Infante de Albuquer.jue e Mello, Se-
cretario,
lliai. e fim, Sur. A cmara Municipal
acaia de receber doExm, Vice-Presi eott; da
Provincia as precias ordens sobre a convoca-
cao da nova Asseipbleii Geral, edaLpgii-
lativa Provincial para efleilo de seprocede-
rem as rccpei-li t as eleices segundo as Iustru-
cea de a6 da Marco de i8j4. e Decretas de
agde Juhode I3a8, a8 e 3o de Junbo d.
i83o ; stiuo impreterivel-joente em todas Fre-
guesias da Provincia a retinilo d>n Assem-
bleas Parochiaes, que devem nomear os E-
leitores uodia i3 de De.>embro prximo fu-
turo e a dos Eleitores, que devem eleger
os Depulados no dia 17 de Janeiro do anno
vindouro 5 o qu a Cmara Municipal iev*
ao conhecimenti) de V. S. para cumprimeu-
to das obrigaces que iie sao impostas pelas
quaes dever V. S. quanto antes so!) sua res*
; rasabelidade publicar por Editaes alxados
as portas di lgrea Matriz o numero de fo-
gos, para que a Freguesia baja de dar exac-
tamente tatitos Eleitores quanlis veses con-
tiver o numero de cera fogos na sua popula-
cao, conleme o disposto na paragrapho 4*
dus citadas instrueces.
Espera a (Urnara Municipal que V. S. a
bem do ser vico publico, empregar lodosos
meios a seu alcance, para que no dia desig-
nado reunida a Asemblea Parochial desta
Freguesia lenha lugar a nomeacao dos se-
us Eleitores.
Dos Guarde a V. S, Recife em Sesso
xlraordiaria de aa de Oulubro de 184o.
Illm. e Km. Sur. Luiz Jos de Albuquerque
Cavalcanta Lina, Conego e Vigerio desta
Freguesia de Santo Antonio Jos Macha-
do Freir Pereira da Silva, Pro-Presidente
- Fulgencio infante de Aibuquirque e Mel-
lo Secretario*
De iual tiieor expedirao-sa officios a todos
os Parocboa das diferentes Freguesia's do Mu-
nicipio.
EDITA L,
Luiz Francisco de Mello Cavalcsnli Escri-
vao e Administrador da Meza de Renda
Internas Provinciaes desta Cidade ele.
Faz saber a lodo* os Collectados pelos im-
poslos, sobre serrara, otaria, casa de Cam-
bio, de modas, o leilo fabricas do xarulos,
e de chapeos que passa a faser a cobranca
executivamente contra oidevedores do refe-
iido Imposto, que anda nio tiverem satis-
feito, nao s do auno financeiro correiite co-
mo dos anuos anteriores.
Meza de Rendas Provinciaes 19 de No-
vembro c!e iSjo,
Luiz Francisco do Mello Cavalcenli
Noticias E
'Strangeiras.
Prccesso do PiiiNcii'E Luiz NiroiEiJ
E SEUS CMPLICES.
Corle dos Pares =* Sesso do i. d'Ou-
tubro.
M, Barillon advogou cm favor de Lom-
bard Conneau Persiguv e Bonflet-Mon-x
tauban* Elle comecou por queix ir-se de que
se tir.lia procurado lanzar o ridiculo sobr-j a
tentativa deUoulogne, entretanto que elle'a
considerara como digna de se chamar honro-
sa,
O Ptesidente interrompeo o adrogado, e
isUtio que bunca se poderia appUcatatal
io o termo honroso. '
M. Barillon replicou que todo o negocio e a
queso empenba umFrancee, mbora* arris-
cado seja, honroso, porque ha honra na
coragem CJue as suas p.lavras tinhao ex-
pritoidQ mal oj iciss-'nlixent03 e por Uiu
NUMERACO INCORRETA


DIARIO PF PEHNMBUCO
>edli* ao tribunal que as eso,uccesse. Elle en-f com o fundamento de falta de prova, Em
lio uutuhateo as mputaces feitas ios seus cli- quanlo a tSeurre rmio colaco do Pricipe ,
rutes, iuiidando a defeza delles na sua gno- nao havia prva para envolve-lo na accusa-
rancia da mlencesdo Principe at chegarem
' costa de Franca, oecssiao im que a sua
honra nao Uses permitlia negarem-se a ajudar
os projectos do Principe.
ftl. Nogenl fallou com muita energa m
favor do Coronel Lahordc,
M. Farra advogando pelo Tenente Alade-
n/e rununni por confessar que achava peno-
ae difficil a laiela que tinlia mprehendido.
O seu cliente sendo uEeial do exercito li-
nha disse elle tropenhado a sua espada ero
apoio do Principe n'uraa appeliacio para o
jovo, e por isso tinha-se exposto a urna ac-
cusacio de Iraico accusacao a mais horri-
vel para quero como elle jai liavia vertido o
seu sangue a prol da sua patria coja vida
linba sido al ento immaculada, pura, ir-
reprehensivel, equasque poda dizer glo-
riosa. Aiandenize inslou o douto advogado ,
linba sido atlraido pela poderosa e irresstivel
Issciuaco da poltica. Se este reo ti vase s-
do accusado aerante um consellio de guerra ,
leria sido absolvido cora o fundamento de tal
fascinaco e a sua cabeca Jtouvera sido salva,
Que havia situaies em que a bonra ordena-
ba o que o de\er probibia e tanibem havia
siluaces ero que a honra muitas vezessu-
geilava os Lomens a fazerem sacrificios que
qualquer bein podia conceber. U mesmo Te-
nente Aladcnie linba expressado ludo isto
coni urna nobre caudura e simplicidade, que
per s fallav a e (ernava desnecessario ao seu
patrono uen:orar~se sobre o seu caso. Elle
penas tero entrado na vida, continuou M.
Favre e com ludo de boro grado abracara
urna morte gloriosa mas recebel-a coberlo
d ignominia enebia-o de berror. Procurai
puis alga circunstancia que desculpe on at-
tenue a sua sulpa ; pesai todos os fuetos ; en-
carai o lodo da vida passad* d'esle mancebo ,
e ento confio Senbores que nao podereis
coudena-lo a morte. Peidoai-lbe e se oa
bcalos de guarra que agora correm, asabarem
por hostilidades, quebrai suas cadeias, abr as
portas da sua priso retlui-lbe a sua espa-
da e elle aiuda se mostrar digno de empu-
xiba-la.
O Fresdente entao cbamou pelo General
Maznan que tinba moslrado desejo de ole-
Itcei algaa explicaces.
O General iV aguan disse O advogado de
Vi. jWcMmaii apitsenluu a miaba conducta no
negocio ue Lvons como leudo sido ambigua.
Os lacios ao ua seguintes : Estando eu em
Monlbriaou | lecebi ordem de marchar para
Lyons onde cheguei im dezeseis horas com o
leu regiment inteiro, O General ia
tuliando em pail.cularidades, quandoo Pre-
tidenle o inleirompeo por be ir lornand* mais
extenso do que requera o que lhe havia si-
do imputado.
Com ledo oGeneral Magnan continuou di-
xeudo A miaba conducta fui mal compre-
hendida, o meu .regiment me foi tiado ,
mas depois foi-me restituido e por fim fui
promovido ao posto de General em cuja oc-
casio o Re me disse-A vossa conducta eu
Ljons foi honrosa pcimaneca tila sempre na
vessa lerabianrja.
Ul residente: Tendes dito quanto basta;
u eonhanca do Re responde por veis.
O Tribunal lo adiado s O horas al o da
ee^uiute.
sxia rriBA a 'octobro,
A' rreia hora depois do meio dia o Prn-
cipe Luiz iNapoleo o Conde ftjonlbolon e
os seus con eos loiao conduzidos ao tribunal
debaixo d'uma escolta de polica e coilocados
como cm oulias occasies.
Depois d'um curto iutervallo a cadera do
Presidente-loi otrupada pelo Cunda Poi tales
na ausencia do laro Pasquier.
ForaS ento resumidos os discursos dos ad-
vocados feilos pira asdefezas.
Vi. Lioiere fallou no tribunal ero favor dos
re'os Grnano Galvani d'Alenibert, isi ,
Ueurre ; e oLscrvou que dos dtpoimenlos se
evidenciara que 08 seus clientes nao linha
obrado rom deiberaco e que a expedico
iio linba tido irsultado algum poltico. Gjue
tiles pcdeiia sel- consideados como conse-
jadores de ttse va Uis ceiUmenle oio cerno
agentes leli.-es d'um luovimcnlo revoluciona-
110. A rtapeitodeOruano eGalvani, tiles
i.unca tiiiba isto O Principe seno 15 das
antes da expedico. G ultimo nada saba dos
teus piojelos at aboulo da a Cidade de E-
diauburge, onde heou atiomlo aoouvira
ueclaracoj poitm fca muitO tarde para a-
i
ca: : nunca se tinba ingerido em negocios po-
lticos, e ignorara inteiramente os projectos
do Prncipe; elle eslava nicamente oceupa-
do na caza do Principe, e nao tinba empreo
algum militar. O sabio advogado em con-
clusao disse que elle liaba plena confianca na
Justina do tribunal e nao duvidava que o
seu julgamenlo removera a imputadlo que
tinba sido atlribuda aos seus clientes.
Rl. Ducluseau fallou em defeza do reo Fo-
reslier, e sustenlou que nao havia prva
bastante para basear urna denuncia contra o
seu cliente } estava provado que elle ia a
Londres a negocio mercantil e fo por accaso
que ajuslou a sua passage-.n no mesmo navio
em que a o Principe. Era sobre esles funda-
mentos por tanto que o seu cliente liuha
justo titulo absolvico.
lluvenilo se por (indas as defezas dos advo-
os correctoras que ando pelas euiradas da
Cidade fazendo o mesmo manejo com as a-
riubasque entro e tu lo mais &. : a ponto
de largaren os seus olEcios, para undarcm
em semelbanle monopolio.
Oueiro ienhores Redactores introduzir
seguro fiador da tranqulldade publica e da
observancia das leis ; mas elles aabia5 ao
mesmo passo que esta rrligi;io rnica da or-
dem e la fideldade nao sabe prestar-se
rebellio que, avezada desde o seu berro a
espeiter a autoridade legtima anda no-;
:as linbas em um cantinlio do sau seus mesmo* perseguidores nao dejara pop
estas pouc
aprecavel Diario, do que l lie ficar sumraa-
ente agradecido
Uro .euasiiguanle.
O CARAPUCEIRO NA CORTE.
A Relo em suis re'.aees com a ordem
social.
(Continuaco do artigo antecedente.)
A le civil nao se exprime seno por pre-
mios negativas isto he prohibe as acces
que perturbad a soeiedade : su religifo per-
tencem os preceitos ailirmAtivos os que or-
denaS a virtude. He verdade que ambas di-
mas
{jados, o Procurador Geral levaulou-se para 2cm :NiomaUras: mas, a retigiao a-
r'esponder e sustenlou que era a prova nem crescenta : Amars a leu prximo como a
os discursos de defeaa liuho no mnimo grao t mesmo A le civil apenas prende a mi ,
oS iscursos uc ueicaa uuuaw uu unuiuiu g
enflaquecido o caso em apoio do processo. O
advogado do Principe ( Vi. Uenverl, nao
contente do provar o caso n't'ssa capacidide ,
appareceo peranle o tribunal rommum carc-
ter poltico j e procurou defender principios
que nao podiao sei tolerados ii'bio paizque
linha recoiihecido a re-veluco de Juiiio. A
razio a poltica e a lei coiicordavo em es-
tipmalizar e punir to tumultuarias e crimi-
nosas tentativas. O Principe e o seu advogi-
do tinbo invocado a Soberana do povo es-
quecendo que era essa mcaiua Soberana do
povo que tinba fundado a revoliico de Julbo
contra cujo governo era dirigido o audaz al-
lantado de Boulogne. O doutor Procurador
Geral reportou-se eos varios argumentos a-
a religiSo persegue ocrime at na intencfo,
no desejo, no penssmento S'a virtude po-
de achar groca a seus olhos ; ao passo que
para ser rrpprehensivel aos da lei civil basta
nao ser malvado.
A sociedade nao pode sanecionar s.uas pro-
prias leis seno de huma maneira extrema-
mente impeifeita, deiaaudo absolutamente
sero senecio a mor parte das leis moiaes. So
a religio que mostra virtude huma re-
ompensa nfallivel, eaocrime hum castigo | horror a decadencia progressiva da religio e
n:o hum governo a que eslava ligada mai*
por principios do que por motivos ue reco-
nhecitnento. Huma reiigiao que equipara o
que se deve a Dos com o que se de ve a Ce-
zar era sera duvida mui incompsiivel
com os desenhos dos regicidas. Para accom-
melter vantajasamente o trono cumpria der-
rubar o altar sobre o qual se finnava.
Litteratos desprovidos de engenho de-
senganados de que jamis chegariio gloria
dos grandes escriptors do seculo de Luiz XIV,
buscro grangaar nomeada pela audacia e
sin,;ularidade dos parado\os. Elles encinar
de pasmo aos ignorantes queabracavio por
grandes invenas sedi-os erros proscriptos
entre todos os povos policiados. Seduziao es
homens viciosos movendo a li-onjeando aa
mais baixas paixes do coraco humano ; ins-
piravrrs muiheres o goslo do falso saber eo
des,->rezo das virtudes modestas lev-avio a\ms
si sobretudo a mocidade que depois da ex-
linccao de liuuia soredade sempre lamenta-
da pela igreia pelo estado e pela! ledas es
tudava a religio cm Voltavre a moral em
Helvecio, o dieito publico em Raynal. Es-
la seila corruptora lacia ia dos progressos era
huma naco ja corrompida e o hornera de
estado o cidado honeslo calculavo cora
inevilavel he que sauccioua perfeilamente as
leis da moral e as leis da raesma aociedade
O homem religioso necessariameute be boro
cidado, porque o amor da patria eo res-
peito s suas leis sao preceilos da religio : e
preseutadoa pele advogado na defeaa e pro- orno saberla o atheo se elle nao lea patria
curou mostrara sua futilidad; elle liuha Dfl
mostrado salisfatoriameule que as leis do pau
liuho sido vioUdaS e eonvidou o tribunal a
dar a sua Sentenca coiiscienciosamcnle e
deixar a le o seu livre curso.
O Presidente pergunlou ao Principe Luiz
Napoleio se tinba alguma ohservaco a fazer
sobre o que accabaya de dittr o Procurador
Geral ?
O Principe Luiz respondeo, que na sua
opinio o Procurador Geral linba feilo um
discurso rouito eloquenle nas ao mesmo
lempo muilo intil. Confiando a sua defe-
za a Rlr. Berryer e pedindo-lbe que expli-
casse as suas ( mal concebidas ) iuleucoe e
elle apenas cuu.pria o que devia ao seu iias-
cimento n sua lamilia e ao seu paz ; o e-
loquente advogado linba noblemente execu-1 irados desta
tado a sua lana. Poiera como elle (P.iu- da antiguida
cipe Luiz ) nao quera separar a sua sorte da
dos seos comuanheiros neos pretenda ex-
cepeo alguma em seu favor Fundada sobre a
Jerarcbia e desejando parlilbar a fortuna
d'aquelles que nao o liuho ubeudouado na
hoia do paiigo, elle pedia a Mr. Berryer que
nao dissesse cousa alguma em resposla.
Ri. Berryer ohservou que os nebes senli-
meistos que o Principo aixabava d'ezpressar-
liie davao maior ufana pela huma que elle
I be liuha feilo eosiliando-lhe a sua defeza.
Em quanlo s obse vacOes pessoaes que lia-
vio escapado ao Procurador Geral, cite uio
deixaria de meacional-as em outra arena t
ah defendera as suas con vieces.
G Procurador Geral lefeno-ae s diversas
leis, sobie (ue era hasiada a aciusacao,
convidou o liihunal a deiibeiar sobie o caso ,
e profrrir o julgamenlo e seiueua que a ic
exiga.
Us ios era resposta ao Presidente dissero
que nada liuho a aciesccnlar em sua deleaa.
G Pitsidtnte disse que ha vendo por con-
cluidas as d ti < zas, o liibunal ia ictirar-se a
Camaia do Ccnselho para deliberar e que
o resultado seria dev dameule aunuuciado.
:>.i.w.ijo 3 jje ocTvsao.
O liibunal leunio-se esta manhao melo-
da pata deiiheiar sobie o taso do Principe
Lui e seus assecias ; mus at as !\ c meia ,
anda nao te liuha lomado desico alguma :
ere opiuio geral, que nao se saberia do re-
sultado al o eiia segu uto ( Domingo ).
( 'be Rtornng Ciiionice. )
Corresponde ncia.
Srs. Redactles.
Pelo amor de Dos : loroia antes que
morra que houvesse quero olhasse e aca-
Jiaitdciii oiuicij.c na hora do pcigo. A-iUsse com tsias guerrilbas queatravestoo
ieiu u'uso es icos que elle defenda, esiav.O generes d primeua ncessidade, queenlrafi
*xactEO-ei.le ufe uxetma posciu que aquel les j pela baira para conservareiu os piceos dos
jut cuo jotUk tu. ltrdadf \xk tiibunal l dij.os giutics que j eomprio : BJfioi con c
m cimbree? Segundo os seus pnncrpios,
lailas as lea sao subordinadas ao inlcresse
pessoal sendo cada hum a final de cotilas ,
juiz do que coiistitne o sea inleresse. A at-
feicao predominante a que a mesma razo
quer que elle mmele todas as outras he o
egosmo, e este concentrado em os limites
desta vida. Se se adorna de aSgumas virtu-
des de temperamento e de ostcut>cao uo a-
hiir ir.o dos limes uteis ou para elle nao
haver ero crite neto virlude. As acedes
humanas indiferenles em si saesmas, s
tomar em sua opinio hum carcter se-
gundo as relaces que tverem com seus gus-
tos paixes e intaresses.
Em verdade a leligio be a lei primara
e fundamenta! de loria a sociedade. Pene-
maxima todos os legisladores
guidade os Lycuigos o* Sobros, os
Zalencos os N urnas (izera intervir os deo-
ses coma) autores de suas inslituic&ei politcas;
e porque i' Porque bem sabiaS estes grandes
bomensqueem moral seria Iuld circulo vi-
cioso o pretender reprimir as paixc.es tmente
pelas pnixrS e que a alaranca poltica nada
[aria sobie a ierra, em quanto nao ttvesseo
seu ponto de apoio no Co
Pialan e Cicero que conhecia lodo <> ab-
surdo do paganismo e que todava nelle a-
cbavaS huma lorca repressva, que se nao de-
paravaem ossystemaa dos philosopho, esta-
belecera o culto e o temor das divindades po-
pulares como a | rimen a le da sua repbli-
ca ideal ; to convencidos estava ellc-s de que
no pode ha ver soiicdade bem ordenada sem
huma religio sija (jual for e que nao lie
menos diiikil, como dizPluiaico, fundar
hu estado Bobreo albeismo que edificar nos
aies huma cidade.
K com que ptazer com que reconheci-
meulo acolneriau os legisladores e sabios d an-
liguidade huma leligio escuimada de todas
esuis supeislijCi-s, coulra as (raes so indg
tiara a sua lazo, e que muius vezes os for-
cava a transigir com o tilia 1 Huma reiigiao
que converleo em dogmas populare* todas as
opinioes uteis ao genero humano ; huma re-
ligio que decide com anloiidude de ludo que
u philosopliia pe cm queslo ; huma leli-
gio Iunilada em provasde tal sorte acommo-
dadas a lodos os espirilos (jue convence o sa-
bio e persuade ao ignorante : huma religio ,
emiiii que loi tfica todos os motivos a vir-
tude qi-e ealieita lodos os lacee da soiiedade,
e cujospuceiuM todos se encdminhao a for-
mar do genero humano hum sc> povo de ir-
mios e de amigos !
Poique razio pois os legisladeres da rev
lucio 11 aoceza perseguirs comanlo furor a
esta leligio santa e hemlazeja que havia civi-
lizado u Euiopa e; sombra da qual Uorecia
a Irania I,avia tantos sculos ? Elles nao g-
uorava que ochiislieoisuio acommoda-soa
odas as oimas de gaverno e que he assim
dos oostumeSi
Ao principio os philosopho; i o hsviio re-
querido seno tolerancia sei-reclamavo a li-
beidade de pensar como se podesse baver li
que coii)sse o pensamenio mas (ue elles
affeclro confundir coro a liberdade de cce-
ver e dogma lisa r publicamente contra a re-
iigiao e polica do estado Mas a arrogancia
com (ue piegavo a sua doulrina o zelo fa-
ntico com que a propaga vo suasaitima-
nhns para se apoderaren) exclusivamente da
opinio publica annuuciavo desde ento a
ledos os homens perspicaces o que ao depois
nos loi revelado pela correspondencia impresea
do re do Prussta cona a'Alembert *< Vo!tire ,
isto he hura designio formado de acabar por
todos es tneioB posstteis coro a religio de J-
sus-Chrislo.
Fcil fo ver ( e Rosseau que bem os co-
nbecia ha va predto em (ermos expressos )
que se os pbiiosophos cliegessem a empolgar
o poder seriio os roiis intolermles d;;s ho-
mens, A revolucio tornou-os legisladores,
e bem depressa roovoUrie em decretos es se-
us syslemas ; nao cscrevro mais contra o
christianismo ; proscrevro-o ; e ajuntaudo
crueidade de Galerio os artificios de Julia-
no t-ucetio a mais sanguinolenta a mais
perigosa perseguico que nunca soffeo a re-
ligio do Homero Dos desde o seu nasciniPnlo.
INesla lula sempre memoravel da lyrannia
conda a conscienca do pblosophismo con-
tra a f revelada o mundo recanhtreo a (or-
ea divina desti it-li'jio que, segundo as
promessas e expressa prediexo de seu funda-
dor, seasempie perseguida e sempre liiuro-
pbaute. Al, que pareca ter adormecido
no remanso de huma loriga paz, desperlou de-
baixo da espada. R gou a Ierra o sangue dos
maityres, e esta sement fecunda nao ser
perdida ; por tod tu calholico ; furio ti neniados seus pontificei
e sacerdotes ; alguns loro encarcerados ou-
tros banidos ou transportados a plagas inhs-
pitas seus altares derrlibados seus templos
demolidos ou indignamente profanados. Gs
falsos pastores a quero, o perjurio os havia
entregado com as proprias roaos fiero hi-
quear essa igreja adultera, que iluJii os po-
vos pela temelhauca exterior cora u igreja le-
gitima em resumo o philosophisuio nao
ueixou era o reino chrislianissimo buro s
vestigio da relegiao chi isil Mas. no meio
de lana violencia eescanilo aregto nao
peieceo ; pedeo o seu eolio couservou po-
rm o seu espirito. Sendo expellida de seus
templos dia refugiou-se nos coracoes ,
donde alrocla a reiva dos liraniios, A tero-
pestade que despojou da sua folhagero a essa
aore aulga nao fez mais do qua lirmai-lhe
asraizes, o machado rue coi tou lanos inule-
is, uehrou-se no trcueo e a seia mai
concentrada prepara lebenlSea mais vigorosos*
que leu de aubsliluir os t'aSBOS Sl'CCjs que o
ferro havia corlado.
Per da.nni per tai les, ab ipso
Dual opea auiuiuiuque Ierro.
Dia vira em que a religio munid sodas ,
armas que Ihe sao proprias isto he d p.--t,|
ul- i.HiLl;eas_eamo as moinichias o roai: ecnia da tcitiade e da viilude, Uiumphe
aaw


MARH) D K
Jeseus perseguidores e brilhe com novo es-
lilendur Finalmente digaa o que quizaren
coito' hoinens que alardeio de pliilosophos ,
so porque sao incrdulos a verdade de lodos
os lempos lie que sem huma reli^iionio po-
den subsistir nem prosperai s sociedades hu-
manas e que Unto mais livre e mais feliz
ser o povo quanlo mais religioso.
LOTKBIA DO LIVRAMENTO.
O Thesoureiro da Lotera fat Miente ao
Tespeitavel publico [que como -ai a vendados
bilbetes com grande afluencia] que deseja que
os amantes deste jogo concurran para a com-
pra para o mais breve anuunciur o irapre-
terivel dia.
naan i in i m m-------rrni irr n i
PRUrvAMBDC
r>
e propri i para todo o
LOTERA da boa-vista,
A Meza regedora da Irmadade do Santis-
limo Sacramento da Moa-vista lem determi-
nado i que as rodas da i. parle da 5. Lo-
tera concedida a favor das obras da mesma
Jgreja corro impreterivelmeule no dia a5
do correntn mez de Novembro ; para o que
convida'o aos amantes das Loteras bajo de
compraren os bilheles que se acbo a vcuda
nos lugares do coslume.
LOTERA DO THEATRO.
O Thezoureiro da 4. Lotera do Theatro
Joze Pires Fcrreire avisa que pretende reli-
rar-se para o Campo ero. Desembru e que pa-
ga em su casa no atierro da Roa-vista nos
das 18, al, 25, e a> do correle
mez das io horas da roanb a i da urde o
resto dos premios tbidos ni i, o 2. fl parte
da mesma Lotera
Avisos S>iversos
Vff" Convidarse os Membros do G. O-
V. da S. Cruz a comparecerem na casa de su-
a sessoesnodia a4 lie jVovembro correnle
pelas 4 horas da larde .-ifim de empossarcui
aos hotos Empregados elleitos.
vs- O Ven. da Sob. L. Firm, e Hiira.
faz constar a mesrua que o Gr. Or. P. a mo-
vida a assislir a posse dos seus empregados que
lera lugar no da -i4 pelas 4 horas da Urde.
ase* Os Administradores casi do talecido
Joaquina Antonio Ferreira de Vascoucellos ,
convido os Surs. credores da roesmu casa
armarem no ( Escriptorio d'Admiuislracao
ra da Cruz n. it ) o convenio feilo era t
do crtenle aim de evitar futuras duvidas.
Rita Mura da Conccico. R, Lasserru. Jo-
ze Jernimo Monleiro.
VST U Fiscal do Ruirro de Santo Antonio,
abaixo Btsigna lo, previne os moradores da
ras doCabug, Cruzes Cadeia, Collegio,
Praciuha e Livamento Direila Estrella,
Larga do Rosario, e Paleo da Matriz e
Carmo, por onde ten de transitar a Proeis-
so de Corpo de Dos ao dia %% do coTeule ,
que na forma das posturas, devero le hitpas,
Ursembaracedas, completo aceio. suaa respe-
tivas testadas a fim de que a referida procis-
so transite 1 re decentemente. Recife
lo de novembro de 18 jo.
Rodollo Joo Barata de Almeda.
Or Vende-se arroz pilado a saca u 4U000
por ser bum Unto quebrado que serve mu
pelos ou paru negras quilandeiras eres-
ce muilo, por ser do Maranlio sacas coa
arroz sem ser de vapor a lUtoo arrouba : no
armasen) de Fernando Jote Braguez ao p do
do Arco da Concei o.
VW Precisa-se de liuma ama seca pira ser-
vir de porla dentro no arraujo de huma
tasa de pouca familia, e que saiba engomar,
quem esliver as circunstancias dirija-se a
sta Tipografa que se dir a pessoa, que pre-
cisa.
KT Quem pretender comprar hum mole-
quede idade, de 1 S a 14 uauos, dirija-se a
iua do Collegio lado do uasceule D. 1, ioja
ue alfuate.
%s tuno, urna casa edificada de novo, com con-
modos para grande familia, com estribara e
Leu agoa de beber ii'um logar mu viaioso ,
beira do lio entre a Capunga e pussugem da
biagdalena ; a fallar no alieno da Boa-\ isla ,
loja de Iraste*.
tur Prerisa-se alugar urna casa para pe-
quena familia no usuro de Sanio Antonio,
ujoaluguel nao exceda a dez mil rea iiien-
*ej : iieale Typ. se dir
-----Vende a moeda ou prazo com bois
Urnas, ou tioca-se por casas nest* Cidade ,
ou por silios peito da mema ou por eacra-
>lb Ue ambos os sexos urna lgta em quadio
Va\RieJ'irtngi Ueguezia du araetiuos,
principiando a dita legua do logar den o Ai- idade bem pare-ida
nado Laxoeira dos Ca reos Ierras de mallas ser vico de urna caza : em fura Je Portas no
sirgeos de boas madeiras para serrara I e 1 segundo andar do sobrada junto vendado
Snr. Diogo quasi delirante da Intendencia
de Maiinba.
t* Em o dia a6 do correnle be 3 n'tina
prega de renda dosalugueis de urna casi 1er-
rende a retal ha1 por prego cora modo ; oups rea con muito boas connodo* no principio da
"rras forao do finado Padre Antonio Jos a atierro dos a (Togados, penborata a Joaquina
llva \ a tratar no Convento de S. Francisca Joze Ferreira d penda para solu-
i para toda a construccao de qualquer obra e
ptimas para se levantar Engenhoa e mvto
terteis para toda a agricultura ; demarcadas
" e livres de qualquer duvida ; tambera se
vende
t
S
do Recife cora o Guardio.
aK> I recisa-se alugar um preto para pa-
deria queentpnda de maceiri epira ir com
un bonen entregar pSo t quem o tiver an-
nuneje ou dinja-se a Fon de porias pedera
do Figueredo & Irmios ra da parle da ma-
r pequea confronte ao 1. tanque de agoa.
-- Precisa-se de urna ama de leite forra ,
eserafilbo: na ra Augusta, casa terrea de
piao.
- Aluga-se vende-se ou permtita-se
por urna casa nesta praca ura hom sobrado
de um andar cito nos Arrombados com
varandas de ferro muitos comraodos bas-
tante fresco e com Ioja em baixo capaz de
arcommodar oulra familia com rotulas e
vidracas as janellas, sendo da parle da som-
bra ; e em fim mullo bom sobrado s quem o
pretender dirija-so a Pracinha do Livra-
aaento Ioja D 19.
Pelo lempo da festa du*s proprieda-
des urna na Povoaco de Reberibe eom
grandes co.i.modos, e em mu uequena tancia do rio : e oulra na e>rada da Captinga,
e perto lobem do banbo os pretendenles
dirijio-ae a ra do Rozarlo larga loja de
tazendas D. i.
isr Arrenda-se u-n sitio pequeo muito
perto por ser logo ao sabir da Soledade para
par
ci de dusenlos e tantas mil res que o dita
Penba deve a Manotl Francisco da Silvas cu-
ja casa esta avahada competentemente pir
ftlj rs. mensaen : porta do Sur. Doulor Ju-
ii do Civel Urbana Sabino.
lar A pessoa que annunciou pelo Diario
de sobado -4 'le Outubro acbar-se no Euf.a-
nli > Aguiar ura crilo de idade de 35 anuos ,
pernas grocas pez bem feilo bem falante \
dais janellas e urna porla, defronte do larn- queira por sua banlade cxaiaina-lo afira de
ver se tem os agnaes seguintes ; lagio em
Marco de i835 altura regular, cor fulla,
r>sto redondo pouca barba dentes alma-
d >s bem feilo muilo falante quando lil-
la be sempre rindo-se ba noticia que se lem
intitulado forro e do serlo mas be filhoda
nata lem andado sempre pelo serlo ja an-
dn mascatianla em lempa de oulro Sur. ,
a moren no rio Formoso he muito ladino ,
idade regula 35 a iii anuos : sendo tenha os
aignaes que neste menciona, om tolas as des-
pezas que tiver d<; fasei-se far o favor de o
mandar pegare conduzi-lo a pfacinb do Li-
iiii nuil 1 -----i-rT'rrr "ni-----T------1 1
c?* O Sur. Vicente Ferreira da Lu# q ii
mora nos a (Togados queira ;r ou rhiu ceber urna caria q'io veio ila Paraibi ^ ua ra
de cabuga 11. 4 l3ja de miudfzas.
azi* Precisa-se allugar urna prcta par
r vender na ra e fiser o serVico de ura ca-
sa ; que tiver annuncie.
i.j- Frtaro urna caica de prata no di
17 de Novembro as Juas horas da Ur Je com,
i> oitavas de prata la erada com o mu ,
ii. P., todos os Sis. o'irives o outra qualquer
pess n que Iba far offerecida pa le tomar cjno
perdida e le val-a na ru 1 veibi !). 3i,
hJT Alluga-ae o J. e 3. andar da cas
0. 15 na esquina da ra do Queimadi,
qnal tem connodos par ama grande fami-
lia ; os pertendentei po lem dirigir so ao es-
oriptorio de Antonio Joze do Magalbies n
1, andar da mesma casa.
isy Oezapareceo d 1 cata do abaixo assigna-
Ja u.n pardinho forro de no-nc! Joio Fran-
cisca da Cruz idade de i4 o an-.os le-
vando vestido camisa brauej calca de ganga,
jaquetade uno verle, chapeo de castor blan-
co desapareces no dia il do correnle, e cama
atbeo presente nSo tenba apoarecid, por iss
fazopreseule annuncio pira eonlieci nentud
publico. Inocencio da Cruz Cardeiro.
UT A pessoa que lirou do correio por lee
igual uome ou par nuva l;/.a ou por ijue-
rer saber da vida alneia una carta vio U do
Porto, \j Drigue Primavera, pertencenle a
Vlanoel Vdriano ;da Casta baja (ie mindae
vramento, loje D. 19, ao seu Sr. Amaro Gon- ntregar na venda da dita, nu5pontas D.
calvez dos Santos que se responsabilisr pe-i3'. ou tornir a bular no correio 5 assim cono
as despezas feilas.
roja a este .Snr, de na tornar a continuar
*" Hoja ao do correnle as 4 horas da C0(n grassa de tirar carias qu-s
larde, se hale arrematar de veuJa a porla do |!w l,o pef^ncen, pas o abauo assiguada
Doutojr Juiz de DireitO da 1 Vara do civel jui" 4U0 ofio ""i' 'ff0*1 nra" ai
um silio grande no lugaa de Parnaneirin ,
o Manguind com nao poucos arvoredos de ; com caza de viven 1 de pe Ira e cal com
fructo ciios proprios com;rande, e de- tres grandes sallas onzequarlos. Oratorio*
cente casa de sobrado toda envidracada von-
Manoel Adriano da Costa,
isy- Precisa-se saber da me radia do Sur.
J.azfc da Fonceca Suva,
tura OOI1 1: eute-
cosiiilia fora copiar, duas boas cacimbas rectf*
tendo quatorze quarlos, um algrele na fren- tanque, estribara 1 caa de pretos boas! Qaem precisar de un feitor para ura.
te. com dois portes de ferro e no fundo bauas de capim muito arvoredo de fruto i silio eiigenba ou fasenda de algodo con
outro portao granile cocheira casa para terreno para vacas e para plantacSes, a ca- bastante pralica de qualquer urna das cousaa
pretos. c*aUa; |Mfo d'agea capiz de be- za toda envidracada e o sitio sercado de li-| que aurtuncia j queira a anunciar; sua mora-
ber e tanque para baubo : na ra do muro
da Penha sobrado D. 18 das G as 8 lloras
da maubaa e das 3 da tarde em diante.
Alurt^-so jura *p nasssr a fesla um
mo i pertencenle a Jos RernarJinu Lial da ou procure na praca da Roi-vlsU 11. t,
avaluado em 7 aoo.ooo res por execuco 'Je iue achara con quem tratar.
bernardo Lasser Joo de Almo Cisneiro I ^r Na ra da penha no fundo do Livra-
. Joio Ant.uuesGuimares e Padre Felis Jase' ment no 3. sbralo 3. 3 andar ha um
caza no lugar do Caideireiro adiaute do Po- de Aranja joma. ijut. a prapoen a tomar enancas cora
co da Pauella cora quatro nuarlos duas I ajar Joze Iligino de Miranda respeitoza- a,I>a pra se criar com leite, tambera rece-
mente roga a todas as au'.hoTJades policiaes be-se as que u ^~-nia l)a,.d su acabar
esfa praca e fora dell que teniao todo o de criarem com loio mi no e nor,
cuidado sobre um seu escravo de nome Mano- l" A rila de Ignacio de JeztU Bandain
el de naco cassange idade '47 auno* esta- corre imprelerivelneiile co n a 1. parle da
tura mais que regular cara lisa cabeca e '5. Lotera Theatro no da 4 de Desenbro
rosto piqueno muito pouca barba dentes de 1840,
limados, tem a perna direila meia loria el Acbo-se a venda nos lugares seguintes;
mais groca que a outra, pez apalhelados, be no Reeife em casa do Sur. Vieira cambista,
serrador e ranoeiro 5 levou vestido camisa de nia li;l ca riscadoazul calcas de outro riscado mais ca- ll *' Jo7e Pereira 5 ra di \ladre da
sillas corinha lora e quintal sol'rivel ; no
Forte do Maltosa fallar com Antonio Joaquim
de Oliveira Baduem das nova horas da ma-
ab as cinco da tarde.
ur* Mariana e Paula Gibas da falecida
Ignaea Joaquina de Mello j boje nao me-
nores porem nao da idade que laicamente
diz o Annuncio inserto no Diario avizo ao
respelavel Publico, que a caza, que se pre-
tende rifar foi de sua falecida uai e por lan-
o pertence tar.to a ellas cunto a sua irmo
Ubaldina, que as Senlencas de que fali o dito
Annuncio uo:a foi a favor das Annuncian-
tes mandando-Ibes entregar urna escrava ,
que loi da dita sua mi e a oulra sobre a ca-
za em qneslaa, foi jlllgado nullo o pleito por
falta de concilaco dexando o direito salvn
esta cauja liinnva-se em negar a maternidade
das Aniiunciantea : a paternidade Ion sido no
oro desrutidas algunas vetes :, porem a ma-
triildade so um Franciscano devasso a \hi-
deria inventar. O Snr. Joaquim Jos Aman-
c0 loi legitimo tutor das Annuncianles ,
quanda correo o pleila se a mai >ri lade del-
ls o despensou por is^o nao deixou de o
ter sido ntm anda solenemente foi disio de-
zonerado ; por Unto na se inculca esse
Franciscano devasso ou seus satiletes i-
iiusden furfuris beque se quer inculcar
dono daquella propriedade : iiinguem por
Unlo cumpie bib.eles Je tal rifa que el les
s tem pu' fim comer-se o diuheiru e dar
questea a quem tirar a caza quem a
iiIj quei por este n:eio pasear a esla. As
Aniiuiicianiss protesta por seu direito contra
quem direito lor servindo o presente An-
nuncio de p.ova em contraria da boa le a
quem a quizer alegar.
4.UT Quem precisar de um caxeiro para to-
mar coula de uina venda par ba lauco o
qoal dconhecimento a sua conducta j uiri-
ia-se a ra uo Rozario estreila JN. a aa.
ks>" Aluga-se pretosescravea para se oc-
euparem noservivo da serventes e pedreros ,
na obia o Theilio Publico desia Cidado ; a
fallar no talle de Mallo com Carueii Mou-
teiro.
issr Arrenda-se ura armaze.n com duas
frentes proprio para qoal quer negocio j co-
locado na ra da Fagu lides U. 3 da paite
ua mare a tractor por sima do mesmo.
ro e oulra de al<;olam da letra por baixo:
e ha toda probalidade em como foi lu lulo.
Dos loja do Sur. Simplicio e venda da es-
quina confronte a Madre Dos. EtuS. An-
r Mir.Kissel reojoelro" o attarro"da lon' UJ;| du fnr Meiieie na praca da
Boa-vsla, compra relogios de de algilaaira en Independencia loja do Snr Joze Antonio;
segunda mo, e tambera tro^a e vendo em rua do cabug loja do Snr. BanJelra, e be-
cunta e hlbanca-se aos compradores. tica do Sur Joio Vloreira e na loja do Sotr.
urAlluaa.se urna das easa de proprtedade Joaqun Joze da Costa; ra Uireiia loja da
do Sur Ruto situada no lugar denominado cornos do Snr Agastinho ; ra do Livra-
cajueiro mu propria para se passar a lesla ;! m! loja dj s"r JjEe Antonio c
quem a pretender entenda-se con Joze Gou-
calvez Ferreira Roza na ra das Flores.
\a l!oa-\ista, loja das Srs. Antonio Guima-
raes Joze Ignacio do Monte ; loja de luui-
t^-Quem quiser allugar a metade de urna leiro da Snr. Geraldo 5 Botica do Sur Vic-
casa terria grande e bem arraujada ; dirija-se lon,, i Bollcado Snr< Braulio. Culade de
a ruadocabug D. t\. Olisda ra ueS. Rento Botica da Sr. Joao
ijjr Prccisa-se urna ama para o servico in- Climaco.
lerno de urna casa de pequea familia ; na *sr Manoel Francisco I.ages com ven la uo
ra das agoas verde* 11. 8 lado direila.
atierro da Boa-visla est encarregado a ven
Or Da-se 4oo rs. a juros a 3 por cea- der urna venda na ra velUa da Boa-vista, a
qual tem poneos fundos e comraodos para fa-
milia o qual vende a dinlieiro ou a iiraze ;
e fas-se todo negocio em raso da dono querer
se retirar ; quem pretender dirijio-ae a
mesmo lugar.
tJT Precisa-se de um caxeiro e um cosi-
se-bo os uros lodos os raezes fiando'obri-j faheire 5 quera Mtiver nesUs circunstancias
gado o euq uiliuo da casa a pagal-osdos alu- dirija-se a casa de pasto do Sur. Lachasseu*
gueies de casa se assim convier a quem der o< ra d Aurora,
dlilhelro ou far o negocio como melborse ar Quem annunciou querer allugir uina
ajustar } a quou este negocio convier va a preta que saiba lser o servido de urna casa .
lo ao mez com pinhores ou boa lirma :
na 1 ua do cabula, loja de lasendas 2 011
annuncie.
lar* Precisa-se quatro centos mil reis a ju-
ra por qualro naezes hyjiotiiecanda-se urna
caza nesta Cidade livre e desembargada ; dar-
loja de livres na praca da Independencia 11
07 e 36 que a ni su dir quem pietenne o
dinheiro.
inr A pessoa que annunciou querer du-
zeutoi mil rs. a juros daudo-se um escravo
pjr pagamento do premio sendo que anda
ou trocar por outra mais noca que sirva para
qualquer muter} dirija-se as o pontos D-
cima j,
Ug- Perdeo-se urna carteira de algibeira
ja vellia cora quatro rucias bilheles aa Lo-
leria do.Simiuano com assi(;natura 110 verco ,
qaeiraj dirlja-se a ra das aguas verdes, so- ; e mais al0um dinbeiro era sedulas e oatros
brado que se est redicaudu U. 7,
lar i'iecisa-ae allugar una casa terria 011
papis de importancia ; pede-se a pessoa que
ac lar leve-a a la,a o Si.r. Joiquim IJenti-
vr Pieciza-se toiaprar, ou alugar urna que seja na ruada cadei ou cruse de S. An-
preta que saiba lavar, engomar, e coniiniar, lomo, qaem a i.ver, dn ija-u aruadocabu-
e venuc-se una parda ue iba 30 aunas ae .?, n. 1 toja de siotteaas,
mesmo algum andar Je sobrado, embara naojqaes da Silva, na ra do Qiimmado U- 3,
q le serii genorosanflotc recompeacado; e ucu
exige pelo dinbeiro.
ajar Qaem precisar de urna negra moca
bonito hgura piopm para vcuuei imMuUos ,
squuuci,
leu na cam modas dauda-se seis meces adi-
antsdos 1 e nao se pla a preco, com unto


BlARIOftR PRBMMRBCO
i
fc^" l iccisa-se de urna ama de leite lorra fgp Um escravo ladino de bonita Bgtlf* \
ou'captiva n-.s: que nao tenhi filho ; na ra na ruj do Viga fio ni i5 no primeiro and**.
nova D, t3 no piiraeiro andar confronte a Um cava I lo alazao bem gordo car~
Igrej, regador bajxo al raeio j na rua da cadeia vc-
S3T" Tend pedido demsaSo do tcjir de j liia D. 5V.
Sacnstao da Veneravel Ordem lerceira da JN. j ts."" Dous cavalbs roui novo, hons caf-
S. uu Carmo, o Irmo da mesmi Ordem o 5r ^
Jou Rodrigues Cardoso e achando-se vago
este empreo convida-ae aos irmaos da nies-
ma Ordem qua se acbarem indigente* ou a
oulra qualquer pessoa que qaeira exerccr, lia
jo de se entender com o irmo sei retara da
mesma o Sr. Manoel Joaquim de Souza Ro-
drigues na rua do Queimado loja de ferr-
geus D. j a fim de veretn as condicoens a que
seuevem sugeiur para que nos seus reque-
rimentos declarem |tie a ellas sugeilao-ie e
qual sao os seus fiadores para que a vista da
cipacidade do piuieudeule doneidade do fia-
dor a mesa regedoura decida qual deltas de-
ve Ser preferido tendo a preferencia os ir-
maos da mema ordem que tiverem as Loas
qualidades deoutro qualquer pretendenlBi
Um Mesarlo.
12W Precisa-sede urna ama de leite j na
rua da Cruz no segundo andar do obrado Dt-
cima j.
bornea e meninos sapatmbosde raarroquim
meninas, algalias o relias
Avisos Martimos.
'AiU SANTOS a Sumaca Brasileira Hons
Sucesso segu viagem con brevidade |or
ter'parte de sua carga prompta ; quem qui-
?er parregar ou ir de passagem dirijase ao
Capitao da mesma Ignacio da Fonceca Mar-
ques ou na pruca do Corameicio aseu pro-
pietario Jos Manoel Fiuaa.
tsar Pas mesas pequeas mu b?aa fei-
tas e 5 duzias de formas de fazer velas ; no
pateo da S. Cruz laja do Sr. Fuxehio.
(^> Duas travs de mangue com trlntl
palmos de cumplido e um e torno de faec ,
por preco commodo ; as 5 ponas D. 5ti
HP Cebo de rim de carneiro capad), pro
prio para meisinha ; no assougue defronte da
cadeia-
*tr ptima sement de coentro de loucei-
ra a ooo a garrafa no pateo do Carmo ven-
da D. 3.
ESjr Urna nera para enajehht ou fura da
provincia engomina cozinha e lava roti-
pa ao om| rador se dir o motivo na rua
do cnllegio D. 7 no segundo andar.
r Bilbetes da grande Lotera de Vianna
d'Austria ; no atierro da Uoa vista loja De-
cima 55.
tar* Urna venda em Olinda cora poneos
fundos e em omito bom lugar ; quem qui-
ser annuncie.
tsr A mu apreciavel aejoa franreza con-
tra leridas de cobras, e outros animses ve-
nenosos e sendo ao mesmo tempo o melbor
PARA O CEAjA' ero poueos das n Su- preservativo contra o mal venreo
:aca Delmir, anda leceoe alguma carga mente glico, o frasquinho
vulgar-
muida ,
a aooo mi'us de
passageiiroa ; os pretenden tes cti- j|,nii0 para humem e senhora lisas e borda-
de cabo de murfim, a huluadur i* de b;j:n tom,
bicos de todas ns larguras mullo barato vel-
las de caroa'b i a i (o a libra e outras mon-
tas miudezns haratsa'*, na fu larga do Rd-
zario loja l). ) do Lody.
ISS- Salsa parrlhfl de muito superior qua
idade cliegada ltimamente e por prec<
rom modo; na roa da seozala velba em ua
de Manoel Francisco Pontos.
\BT Oa segointes livros : a narrativa da
passagem do panifico ao altante 3aoo os 3 to-
mos de Nicolao Tolentino jom, cathecismo
de economa poltica lao tratado da edu-
cacad phisica e moral dos meninos iSo ,
grammalci analtica da lingoa portuguezd
aoco, poesasofferectds as senhoras brasi-
ieiras 1090, origen da nobi'eza i8o epito-
me da geometra pratica 1030 resumo das
Institucoens paHlicas do Bario dealfeld q6o,
funcoens do casamento de S. M. Imperial o
Sr. D. 1, 1280 esbo;;oda vida e campanbas
Taboado de pinho americano de tod,,
a
de
meia
superior
qnalldadee por prego commodo j no fortedo
mallo armazem do Vianna.
S^. Bilbetes da grande Lotera de Viena
qiif corre irrevogarelmente no da ?>6 do tor-
rente constando de 3 grandes palacios corr
jardins campos, bosques e prados, sendo
o nuior premio de um milbao e b.\i 14 fran-
cos alem de a'3goa premios a vultados qua
tem e melbor se informarao a vista do pla-
no ; no atierro da Boa vista D. 9.
Um sobrado de u:n andar e sotJo D
na rua da roda perlencente a Antonio
Francisco Cabral residente na liba de S. AJU
guel ; ,tralar com Joao Jo^;dojMonle|, um
5 bontas ou com Nicolao Rodrigues da Cu-
nba.
sgr Um cavallo pisieiro e carregador, em
boiascarues; naruadaCni D 4?*
iss- Telbas e lijlos de alvenaria posto no
porto mais inmediato da obra por precocomo-
do visto a sua qualidade ; na prac da Inde-
pendencia loja !> 10 para tratar do preco e
v 1 .1 qtt'ilidade Jo mesm>
hssr Polassa Russiana em barra pequeos,
por preco commodo; na rua do{Vigario n,
5 primeiro andar eacrptorio do Coronel
Mfineces.
iy Potaba de primeira sorte em barra
.* 1
do principio Eugenio i28o expsito' dos P*\* i n0 armazem de A. F. dos Santos
acontebmentoa do Para u6o ode a memoria lJra6, rua dd Modd '
SoiT Batatas as arrobas ; no armazem do
lisera vos Fugirfds
KS" Desaparecen de bordo do Brigue Ks
tendf-se^m Antonio Joqiiim de Souxa Ri-I pa8 oiiio finase de bom gosto, e tamiiem firma, cdigo do processo criminal o &c. tu- cuna Cuasca no (lia i5 do correte um espra-
Leiro. para mininos 'meninas, urna eoberta de da- i do era ums volume ajoo, coleco de leii,'o ladino de nome Jos, de nacao mocam-
aconteci mritos do i'ara ybo
do benemrito lenle general Gimes Fre-
res 800. recordaco ao governo de Pernam- Ir;'5'J a0 P arco d '
buco 6{o projeeto de constluico para o
Imperio do Brasil 48o coiutluieo poltica
do Imperio do Brasil 4^0 dita e le da re-
JLeil o
masen em bom uzo ; na rua o Livrameato
loja de louca D. 3
Kar Cales, espeguilbas mu brilbantes ,
tS" Que fazera Me. Calmonl & Compa- "Troprias para guarnicesde vestuarios de an-
nbia por intervncao do Corretr Olivelra jos t presepios e tbatros pannos, bastido-
decretos, e resolucoen-. di provincia de Per- bique estatura regatar-, eorpa'ento tem
iarobucoem um s volume aooo invazo ti cabeca una cantos grandes quem o pe^ar
da Sussia distreco doerercito francs 800; leve a bordo do mesmo ou na rua da cadea
na fortaleza do brum a fallar como Manoel a Amorim Irmo que gratificar.
de Mallos Teixeira Lima. H=^ No da y do crtente ugio urna prela
&*r Cautellas da vigsima parte da Lote- 'creoula de nome Boza cor racia fulla es-
ria da Boa vista, gunbaudo 11a sorte de 4 ta'u,a mediana, levou vestido de cba, e
delioa porco de paz de ferio presos de va- |fM| 0 mas perlences para tbatros particu-
rias qualidades machados, enchadaa li- lares, assim como a8 comedias de urna dama,
mas e muitaa ferragens de culileria e l- propri9l para os mesmos
nba era calillis avadada sexta feira ao do j Hdade de se por em scena
corren te a i ;o horas da man lia no sau arma- ^ a falla r cora o director
aera da rua da cadea alU{,a 0s mesmos objectos.
iae~ Que fazeni Gaskell Jobnson & Co- jsy- rjm terreno no hospicio com frente pa-! Antonio da Silva e Jos Tararea da Gama do do corpo lera urna sicatrz a cima da testa
panba por intervncao do Corretor Olive- ,TA a rua A Aurura efundo para a estrada pi'aca da Independencia, Claudio, rua do do lado direito falta de denles no queixo ds
ra de bom e variado sorlimento de fazendas
ing'Iezas de prompta
ccmmo los por
tus antes da prxima Testa ; terca Teira 4 <1'mas plantas copiar, e rauilo frescas urna j mesmas na rua da cadeia velba n. 54 onde de da Parahiba a euticgar ao administrador e
co>renteas 10 horas da
mazem da roa da C
tsy Que faz o Cor re
nudos de salsa parrilba muito nova, rinda do mes, a*r~ Sal de Lisboa muito claro s bordo do do abaixo assignado um prelo de idade de
Para pelo ultimo Vador d aliebegado o Ma- i^- nape de Lisboa ltimamente chegido, I nav'o Sueco lundiado deronte do forte do ai annoa creouio cor retinta e de muito
raithens Quarta Lira a5 do torrente as 10 (jto (]c ,,iras (nulidades, cha petla e isson, Mallos em porcoens grandes e pequeas boa figura ofBciil de tanueird e marnheiro ,
thcatros pela fac- i contos de res 2oo,ooo ; as lojas dos Srs, Lo- panno da costa; quem a pegar leve a rua nova
't ne tbeatro publi-I P* Jnior roa da Cruz Pitomba Multar, : O. 36 que ser gratificado.
>r o qual tambora'Souza Pinto e Thamaz rua da cadeia ve- ; so- Um escravo de nome Jos* estatura
Iha Braga unto aoa-co de S. Antonio, Jos ordinaria de idade de 3 annos relorca-
Antonio da Silva e Jos Tararea da Gama do do corpo tero urna sicatrz a cima da testa
praca da Independencia, Claudio, rua do do lado direito Taita de denles no queixo de
arado sorlirnento de fazendas I ja J_,u, 0 f{epo com 124 palmos de frente, ^abu.^ Chaves, rua nota nos 4 cantos da cima o qual pertehee aos Relig0B3 da Car^
rapta extraeco e de pircos UIa piquia casa, ura grande viveiro com Boavista as duas vendas da quina e era ca- rao, Tugio do Covenlo da Parahiba onde era
se venderem para Teixar con- ; muia criacao 3o ps de coqueros e algu sa do cixa da sociedade e assignatartos das morador; quem o pegar leve a mesma Cida-
' na Testa ; terca Teira a.4 do mas plantas copiar, e rauilo frescas urna j mesmas na rua da cadeia velba n. 54 onde de da Parahiba a entregar ao administradora
s da manb no seu ar- canoa fraude de 800 lijlos um dita peque- 'tem a'em de diversos numero, collecoensde procurador do dito Convento o Sr. Cbrsliauo
-ro. na je earrera de um s pu, por prepo com- ^ nmeros seguidos para quem os desejar de Fojos Crrela Cezar que gratificar.
Jorrelor Oliveiri de 99 ca- moj0 na rua nova loia unto ao Sr. r, Go- dndose duas cautellas gratis ao comprador.1 *ST No da 16 do correte do escriptoro
liorasda manila rm ponto, no armazem do
Sr. Vianna tiapiche da alfandega velba,
ondeos Sis pretendentes podetn hirexaminar
11 ptima qitilidade da dita salsa.
C o 111 p r a s
tsr O Almocrevede patas em Lom estado:
na rua do Cabug loja de mtudezaa U. i.
Yendas
boas filas de garga e a selinadas de todas as pelo pieco de 1400 o alqueite da medida ve- de nome Mariinho e nesla mesmo da des-
larguras, bous fsforos de pente charutos ",lu '> a tratar na rua nova com com iM&noel embarcou do Vapor Marnbense ebegado do
di llavana llamburgo e Caxoeira; na rua Ferreira Lima. Maranhio, levou urna caixinha pequea com
do Cabug loja do Bandeira, 5.^ Umaescravade dado de 16 aunos roupa j quem o pegar leve ao dito cscriptorio
aav* Polassa Americana branca, em bar- ngomma cozinha, lava de sabo e urna quesera recompensado. Manoei Joaquim
ris pequeos de superior qualidade r bar- dita de idade a5 anuos com as mesmas ha- Ramos e Silva,
ricas com farelo muito novo, ludo chega- helidadet, ambassedSoa contento 5 na rua
do ltimamente da America ; em casa de Ma- direlta I). 20 lado do Livramento.
theus Austin & Compauhia ruado trapiche *3*" Sal do Assii a boido do Brigue Escu-
no vt
ih
Aloviniento do Porto
NAVIOS EN l'BADOS ^O DA 18.
cj> CAUTELLAS da Sociedade Fortuna casa
Tvpop.mca. da Loleria da BA Vr> 1 A ga- i Cr
miando a vigsima parle dos premios, cabeiido
na sorte de j.000,000 reis dusentoa mil ris a g
preco de 00 ; nesta Typografia na praca rua. de agoas verdes por cima do assougue
da Independencia n- -ao na rua lanza do
ao na rua lar_
Hozarlo loja de miudezas D, ~ na rua (o
CoUegio loja de relojoeiro, e no largo do Li-
vramenlo loja do Sur Gabriel que Tica no
principio do Leco do Padre.
e^? (J 'l'iesenario de b, Franc-co de Pau-
la obra ulilissma aos devotos do meamo
Santo, por a 4<> 1 s. o volume ; as lojas de
livros dos Surs. Ca>dosos Aires na rua da
cadeia do Ilccile Santos & Compauhia no
iico da Conceico em S. Antonio no pa-
teo do.Colegio e na praca uu Independencia
ti. j e 38.
mr 'J erzenos na passagem da Magdalena
entre as duas pontea rom rvotes de tructo ,
e perlo do embarque a lasa de sobrado com
Vtl palmos de terreno de Trente e 1400 de
tundo, coro aores de Irueto Uixa para
. captiak, viveiro de peixe perloo embarque,
1 ou com mais de oo palmos de terreno de
frekle proprio com mesmo fundo e propur-
coens ; 14 teres inclusive vacias garrotas e
J garretes tudo filho do pasto ; a tratar :: i mesmo iug-r com Jc: Joaquim Dezerra Ca-
do ; na entrada da roa do llangel H. 37.
tST A venda da quina da rua do encanta- \ S^ Um adereaso deouro para pescoco, i
ment b. 5 } a tratar na mesma. par de brincos de brilbantes um marac de
esr Um moleqne creouio de idade de i8lot,l' "roa fivclla para cinto, tudo obra
anuos, coziuhero e com principio de alfaiatei muito rica e bom gosto*; ni loja de Jos Ka*
leves Vianna na quina do beco da Congre-
va
Icanti,
ne?ta Typografia se dir.
\15" Osseguintes livros em bom estado;
Constancio icqiouario Irancei e portugus ,
Virgilio,! O. Raimundo de Aguiar arma-
*em de meninos ts venturas de Lazarino o
unodas pedras negras Telemaco em izan
cci cloga de Virgilio ao p da lelra gali-
ta nove la pastoril Celestina Selico Ca-
meri, Claudina Iddaiina deTorembourg ,
iafeura, eo u premio de amor, Laurino 011 a
lorca de urna paixo o cazamento por vin-
ganja Vernez ou as consequeuciaa de urna
conducta desreglada Carlota ou os imantes
teposoa o bom hornera Ricardo mana do
lugo ou hiitciis exemplar de um jugador tu-
do por preco commodo; na rua do Lobato De-
cima 3j.
XfcS'- Na praca da Independencia n. ao e
na rua dos Quaileis D. 3 Lieos de linbo de
dedo e meio a dous era pecas e varas e fi-
fcistgarca de njodelo novo.
gacfib I). ai
9" L'm escravo pardo de idade de ao au-
no ptimo para pagera outrodilode bonita
canoeiro, um dito bom
bgur
um
Uabaihador de enchada -a lindos moleques
de idade de il anuos 3 moletas recolbidaa
de idade de id a i3 annos com habelidades,
urna elegante escrava de idade de 18 annos,
sem defjito algum urna escrava de naci de
boa figura engomma cose, e cozinha mu
bem, todos estes escra vos se do a contento e
sea banca as suas vendas i na rua de la^uas
vudcsD 38.
equtp,
lora.
PORTO ; 38 dial, Brigue Portuguez Flor
de Ceirs de 118 tonel.) Cap. Joj Tho-
niaz de Lima, eqip. iS, caiga varos
gneros 5 a Manoel Francisco tontea, pas-
sageiroi 4
SA11ID0S NO MESMO DA
CUTINGlA, ou Villa das Larangeras ,
ltate Mac. EspeculedoT, Cap. Bernardo
de Souza : carga varios gneros passa-
geiros urna seniora e um escravo.
I1IO GRANDE pelo Ro de Janeiro Brigue
Nac. Miiiervu Captto Victorino Jos
Bilte carga assucar passageiros t>, e fl
escravos.
OUSEIIVACOENS
Bordeja no borisonte a Crvela Ingleza qua
havia suspendido era 14 do correle.
Enlrou arribado do Assu1 por Macei cm i5
das o Patacho Nac. Dous Amigos de i5o
tonel. Cap. Jos Paulo dos Res equip.
la carga sai ; a Manoel Joaquim Pedro
Jda Costa j traz partido o mastro do tra-
1 .. ________ )
*^-
Betioz muito fino azul ferrete e prelo,
linhas de bordar cm caixinhas eufeitadas ,
panno de liuho babadus para toalhas len-
cos de seda pelos dito* de corea bicos de
linho puro de largura de um palmo todo 1



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8HXL7399_SCX0TU INGEST_TIME 2013-03-29T18:19:41Z PACKAGE AA00011611_04166
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES