Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04161


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^*F
A nno de 1840. Barbado
Tadospora dependa de Mili i niilHl da nosna prudencia, raodera-
'>- e eoengia : caasnuciuos como principiamos, e seremos aromados
CMi daiiracd entre as Nacoe i mais cillas.
Proclamae" o da Assemblea Geral do Brasil.
>?
Re?
i*
mi:
viada assgnados.
PARTID/k DOS CORREIOS TERRESTRES.
Cidaded* Psrahiba e Villas de ana pretenr.So .'......\
Dita do Hio (Irands d Norte, e Villas Ide.n.......( r:....
Dita da Portaje e \ illas dem..............{.*? bel" fe*
Cidade ds Goianna.......... ........../
Cidade de linda \.................... Todos os das;
Villa dcS. Antrio ."..................... Quintas fciras.
Dita dcGarantiuns e Povoario do Bonito........ lo, c ?4 de cada mes
Ditas do Cabo, So inhocm, Rio frondoso, e Porto Calvo, i, n, e ai dito dito
Cklade das Ala .".tas e de Macoi..........., dem dem
Villa de F'aja de. Plores.......... ......... dem 13, dito dito]
Todos is Correioi partera aomeio dia.
-1 1 i ~JTT
*Hw \?J*% \SM \S fX
w
11 m jraVBtfnmK Nu\u 84&
CAMBIOS. Novi^bm la.
?a i| a 31 d. por l^ooo ced.
>
:>
II
PHASES DA IMX KO MEZ DE] NOVP.
Quart. crcc. a j uno b. e 43 m; Ha tard;
Lna Ckeia a o as 3 h. a 4'i m. da man.
Quart. ining. a f>- as 6 h. e ao ni. da Urd.
La Nova a 33- ai ti h. e S> ra. da man.
Alare thcia para o dia ih de Novembro.%
As 9 horas e l! minutos da ntanh;
As 9 horasc 4a minutos da tarde.
Londres..... um i| a i n. pvr if oou iwi<
Lisboa ......8o a.tf.i par co premio por acial oFtrecid.
Braqc i......3ap rejs por franco.
Rio d? Janeiro ao ; r. Corep, Vendas
ODUO Yloeda de 0,?4oo reis, vciss ijfftoo i5#ooo
n Di tas ,, ,, novas l.ioao tjfBoo
1>.i.xi 4fift#pMi|ei% Xj/ooo 8aoo
PilATA RaJapdes liraailejroj i^ljao igo
PezpsColtimnaras --...- inu i^'o
Ditos Mexicano*-----.... irf.ioo i^iao
Uta*........---------*Hi*' ?4
D'onto de uilbcles da Al'aivle^i i por t-.ioao mez.
dem de letras 1 m( i lia, por. gaasinoaj olcrjcido
Moeda de cabra 3 por loode disc.
DAS da semana.
vara.
io Terca i>. Audr Avelina. Relaeo e audiencia do Juiz de Direitoda
i. vara.
ii Quar.ta S. Martinlio B.' -- Aud. do J. de D. da 3. Yara.
Ii Quinta S. M.irtinlio P. M. Audiencia do Jijiz de Direito da] ai
vara,
3 Sexta S. Eugenio B. Audiencia do .luis ele Direitoda i. vara.
14 aUba.loS. Veneranda V. M. Belacio e Audiencia do Juis.de Direite*
da 3. vara.
i5 Domingo O Patrocinio de N. S.
PENA M BUCO.
GOVERXO DA PROVINCIA*
Expediente do dia 4 do corrente.
Officio Ao Inspector da Thesouraria e
Fasenda significando ll>e, que sendo de ur-
gente r.ecessid.ide occorrer ao paramen lo dos
o denados dos Empreados Previncias por
que dalles tirio os meios com que se ali-
menlao asi, e sanas familias, eachando-
ae a Thesouraria dasitendas Provinnaes ti-
possibelitada de o lser seis meses poueo
mais ou menos em cotisequencia do grande
dficit, que se nota as mesmas rendas com-
parativamente a deipesa marcada, pela lei do
orcamento do corrrente anuo financeiro ; llie
ordena, qne mande satislaser mencionada
Tliesouraria a importancia total do que llie
dever a Thesouraria deFasenda por conta
dosupprimento de i5o;oocU de reis consig-
nados na lei de ?6 de iViaio ultimo.
Dito Ao mesmo transmittindo-lhe a
ordem do Tribunal doThesouro Publico Na-
cional de ai de Jullio prximo passado sob
numero 71 concedendo a Rento Jos Fer-
nandos Barros Escrivo da Descarga da Al-
fandega tres meses de I cenca com vencimento
para tratar de sua saude.
Dito Ao mesmo signific.indo-lbe que
attendendo a Presidencia ao que Ibe repre-
sentou o Commntibante das Armas, e con-
lormando-se cotu a sua niormaco dada acer-
ca da mesma representa9S0 llie ordena que
a Etape dos Soldados soja elevada deta da-
ta em dianle no torrente semestre a lio reis
ero lugar de i85 reis pelo nvaliacao da Tabel-
la ltimamente approvada.
Dilo Ao Ccmmandante das Armas,
communicando-Ui o conteudo uo precedente
olfirio.
Dito Ao Commandante Superior da
Guarda Nacional de I Lrts communican-
do-lbe quebi approvadada a propasta que
hcomp.tuliou o seu cilicio de j de Setembro
prximo passndo de um Capitao par a pri-
meira companbia do primero Uatatllo da
mesma (i, i
Dito A Cmara Municipal do Porto Cai-
to, declarando-lhe em res posta ao seu oi'i-
ci3 de 14 de Outubro al timo acerca do Dou-
tor Francisco de liorja Buarque enviado pe-
la ruesina Cmara a Cuite pata em seu nome
felicitar a S. M. o Imperador fela Sua ele-
Vacao ao Tbr-ano ; que a Presidencia tem
concedido ao dito Doutor como Empreado
Publico desla Provincia du: mezej de li-
cenca.
Dito A Cmara Municipal de Iguaraastl'
respondendo ao seu officio de ti de Jullio des-
te auno em que pede autorisaoao para ele-
var a quaniia de o reis o mdico loro de to
reis que actualmente se paga pelo palmo de
trra pertencente no local da Villa, a lira de
que por este modo se au;meiitera assuas ren-
das ; que conlormando-se .1 Presidencia com
a opiuiw do Procurador Fiscal da Tliesoura-
1 ia das Rendas Provincias Ihe dc-xlara nao
poder ter lugar o que pretende a Cmara, poH
que sendo o loro o> 10 reis a penso estipula -
da no contracto erapnytlieutico que e de-
ve suppor ter sido celebrado in pariieluam
entre a (Jamara e os antecessores d-as que
lioje se acho na posee dos terrenos forado,
augmental-o nada menos importara que
Iterar o contracto em buui dos suus [)ottos
saeocMM] o que jamis e pode fuer por]
von'ade sement de huma das partes enntrac-
tanies ; no podendo a istO ontraror-se o
ar^umanto de ficarem n*sta parte estaciona-
rias as rendas Mnnicipnes. p-r que se por um
lado a Cnmara he adslricta limitar-se a e?sa
me lira penso. por outro ella leoatambem a seu
favor o Comisso e o laudemio que aug-
mentando o vnlor do seu dominio directo llie
compensa de sobejo a deminuta vantagem, que
percebe.
dem do dia 5.
Officio -- Ao Inspector da Tliesouraria ,
approvando a medida de faierpor um anno
e raeio comprehendido o segundo semestre do
anno fin'noeiro corrente e todo o anno fi-
nanceiro prximo fucturo a arrematado da
IJarreira das Pont;s da Magdalena e Carva-
Ihos, que se tem fie proceder em virtudo do
paragraplio a(i do artigo 3j da Lei Provincial
numero 87, nao obstante achar-se arremata-
da pelo anno civil corrente. atientas as ra-
s5es que expenden o mesmo Inspector em seo
oficio de 3 do corrente.
Dito Ao mesmo ordeuanlo-lhe a vista
do que informa em seo obeio da 3o de Se-
tembro ultimo, que mande collocar qualro
lampies nos lugares convenientes da ra
nova que vai da sua de S. GontJ&lo ter ao Rio
Capibaribe de acordo com o Prefeilo da
Comarca.
Dito Ad Prefeit.a da Comarca rio Re-
tile communicando-llie o contoudo no pre-
cedente officio.
Dito Ao Coronel Cbefa da Legio ri 1
G. N. do Limoeiro communicaudo-lbe, que
a Presidencia tem approvado as proposslasquc
acompanliatao o seoolicio de: 3 do torrente dos
olliciaes para o primeiro e segundo Batalhues
e Esqnadro de Civatlaria da mesma Legi.o,
lendo nomeado o Capilo Antonio (vomes da
Silva para Major do primeiro Batallio em
lugar de Joffo de MonTa Horba que pa^sou a
relente Coronel Cbefa do mesmo,
Dilo A Cmara Municipal de Santo
Antao respondenJo-lbe que a Presidencia
lem aprovado interinamente a postura addi-
cioml da mesma Cmara prohibindo, que
osCivallos que brre:n carrejados a Feira,
nao fitjuementre o povo depois de descarredos.
Dito A Cmara Municipal de Iguarassu'
respondendo ao seo ollicio, que acompanbou
o requerimento de D. Iza be I Joaquina de
Albuquerque, Professora da Cadeira de Me-
ninas do Pillar de Ilamarac em rjco pede
ser removida paraa Villa ; que em tempo
opoorluno ser tomada em cansideraco o que
a semelliante respeito representa a mesma
Cmara.
Dilo -- A Cmara Municipal de Nasareth,
ordenando-llie que faca arreeadar por adtni-
nstiacao a renda do Diximo das Miuncas de
seu Municipio 5 visto nao terem apparecido
licitantes para a sua arrematacao por duas
veses que anriou em praca.
Dito A Cmara Municipal de Santo An-
tao approvando interiticimente a Postura
que enviou com o seo officio de 19 de Outu-
bro ultimo
Dilo Ao Eocarregado rio levantamento
da Planta de-U CidaJe para entregar ao r,n-
'enbeiro L. L. Wautliier todas as minutas,
Me tiver eilo acercada Coostrucco l i'iie-
tilio Publico.
Dito Ao Fngiuheiro L. 1.. Wantliier,
communicaudo-iiie a expedico da otdem
supra.
i'oiU:ia -- jMadando pasaac Patente pa-
ra Major do primeiro Baialho da Guarda cado pelo Exm. Presidente tiesta Provincia ,
ponlio a concurso a Cadeira de Iuglez e Fran-
cez do Colegio das Artes dusta Academia, mar-
cando o praso de tres meses da data deste,
dentro do qual deven habelitar-se 03 opasi-
Icres.
Secretaria da Academia Jurdica do Onda
t3 do Novcmbfo de i'6\o.
Miguel do Sacramento Lopes Gara
Director intetiuo.
ALFANDEQA DAS FAZi.VDAS.
A barca franeera Al'ialie viada do
Havre de (iraca erttrg laem 11 do oorveitre,
Capito Httguel consignada a L. A. f)u-
bourcrt manilestott o ssguaU:.
336 volumes com diversas f.sendas, 55o
barra com ntneiga 1 \-j meios ditos ou
dita a j barra com vinho, 5o oestes com dito,
hura volume i;;iiOfa-se 10 barricas com
er, 1 na isa com doce. 5 ditas com drogas,
15o barricas coin batatas, y58 gigos con di-
tas.
Accrescirao 91 ^olumes com diversas fa-
senlas, 5ocestos como vinho, i\ Kolos de
cabos, duas cai.xas cora licores.
O [Jrigue Portuguaz S. Domingos vio-
lo iIj Liiboa entrado era 19 do corrente ,
C.ipitao Manoel GonsaUes Vianna, cotijig-
naa a Ilcroulano Mara eiione Maniciou o
Nacional do Limoeiro ao Capilo Antonio
Gomes da Silva.
THEZOURARH DA FAZENDA,
Expediente do dia lirio corrente
Dito Ao Exm. Presidente do Tribunal
lo Tbesottro Pulico Nacional communican-
do-lhe que com a receocao da ordem de ij
rio Outubro prximo passado Bou a Thesou-
raria na fnlelligencia de remoller mensal-
mente a Thesouraria d.i Fasenda da Provincia
do Maranho a quantta de aojoooU da res
pelo espato de seis meses.
Dito Ao mesm.) Exm. Presidente p-irte-
cipanlo-lhe o cumptimento da ordem de
10 de Outubro ultima, euviando-se a The-
SOUraria da Fasen la da provincia do Cear
pela Barca de vapor Babiana a quautia de
triuta cotilos.
Dilo Aorcesmo Exm, Prc-identc* carn-
mgnicando-lbe que pela ordem de ide
Outubro prximo findo, ficou a Thes>uraria
na intelligencia de que leve aeceitar o sa-
ques, que fiser a Thesouraria da Provi. 1
da Par3tba para a compra do Pao Brasil ,
que neiia existe corlado, e que no caso dos
mesmos nao se po lerem eleituar coca van-
tagen ou ao par, se se dnver. fazer a re-
messa pelos paquetes em numerario.
Dilo Ao meitno Exra. Presidente envi-
ando-lhe coraos Balances ria Receila, e Des-
pesa Geral do rae.r de Outubro fin Jo os da
Receita, e Despczi das Rendas applicadas ao
rescate, e 03 do Ilendimento Je'hum por cen-
lo de Arroasenagem addicional pplicado ao
pagamento da Divida externa.
Dilo Ao mesmo Exm. Presidente parte-
c* inJo-lho, que em eumprimento i ordem de
i { de Outubro ultimo, fica'o suspensis pora
Thesouraria as remessas de fundos para Lon-
dres bem OMDi as de imm por canto de Ar-
masenagcfii addicional.
Dito Ao Exm. Presidente da Provincia
padtndo-lfoe para transmiltir ao Triouna! do
Thetoure Publico Nacional es precedentes o-
6c ios.
Dito Ao Contrdor da Thesouraria par-
tecipaido-l.he para su inteliigenciu ler S.
M. o. por Aviso da Secretaria de Estado da
Marinba de aa de Outubro do conv.nle anno,
ordenado, que o escrivo aposentado do Al-
aioxarifado do Arsenal da Marinha desla Pro-
vinria Joaquim Gregorio Correia Galbardo,
fosse indemnisado do* ordenados qie dei-
xou receber desde o 1. de Janeiro do iSaa-
t a5 de Setembro de 1828, tempo era que
se achou privado do exercieio do seu euipre-
gu por occjso das coramoces polticas que
tivero lugar nesta Provincia.
Portara -- Ao Segundo Escriturario da
Contadoria eocarregado da CouUbelidade
Militar recomroendando-lhe para remetter
com urgencia huma relaco dos Instructores
Geraes, e Parciaes que exslem aclualmea-
le na Guarda Naciaal da Provincia, e quan-
to so dispende com o pagamento das respecti-
vas gratiicacjOe.
CURSO JURDICO DE OLINDA.
Edital.
Em cumplimento do Imperial aviso do 8 de
O ti infero prximo, segnnuo W fot commuot-'
segutnte.
pipas com vinho, 24 barricas com dito,
aj pipas com vinho branco, a meias ditas
dito dito, > i burrs cora dito dilo, 7 4 pipas
com vinagre, 3ia podras de cantara, 4 cai
xas cora cliocollato, a ditas cora marmellada ,
a barritas com carne ensacada 3 barrica
com bolaxa 20 ditas cora Seto cas I Paro-
te com papel, 1 caixa cora ferragera, 1 dita
com bracos de holanda 1 sof, a bancas 18
cadeiras 5 barucas cora sera, \ caixas cora.
relian, 5 fardos cora cordis, o gigos com
batatas,
Fora do manifest a caixotes i jnora -ie,
l fardo dito, 7 bihus dilo, ao pipas, ao bar-
ris, /j8 sacas dito, huma porco de sr.bollas,
ao moios de Sal, 1 ca'uo cora 11:11 braco de
balanza, 1 dito cora bolij.is de azeite, 5 gal-
otas cora passaros.
O Arsenal de Gueara compra azeite de car-
rapatd chumbo era barras estando em yer-
guinbas oleo de liuhaca e urna pequea
porgode prata Gna : quem perleader 'br-
necer estes gneros compareca nesta llepar-
tico para ajustara
O Director Coelbo.
OBRAS PUBLICAS.
Era observancia o ordens da Prezidencia
da Provincia tem de ser arrematado separada-
mente o fornecimento dos materiaes de carp'i-
n e de Pedreiro assim como os servicos
de serventes necessarios para a obra da renovar
cao do caes da entrada do Norte da ponte dos
Carvalhos.
As pessoas a quera taes contractos convie-
rem sao convidadas a comparecer devida-
mente habilitadas de fiadores idneos nos
dias t a e 5 do prximo vindouro mez de
Dezembro a dar os seus leos na Repart-
c5o pas Obras Publicas aondo se acba pa-
tentes as respectivas condices todos os ia.s
uteis.
Iuspecco das Obras Publicas ideNo-
vezabro ds xS^o.
Moraes Aueora.


r A RIO
ERNA M n V C O

PREFEITURA.
Parte Jodia i3 de Ncvembro.
Illm. e Exm. Sr. Fora hontem preses
por un soldado do Corpo Policial o porluguez
Jos Gomes Ferreira por estar espancando
m sua taberna a un creoulo ; foi remellido
ara a Cadeia : pelo meo crdenanca o prelo
oaquim escravo de Jlo Leito Figueira ,
por (star em desorden 5 foi sollo: e pela
Guarda do Manguinho outro preto de nome
Joao escravo de Antonio de tal morador
em Agoa Fria de Peberibe por estar fgido ;
foi remettido ao senlior.
E' o que consta das partes boje recebidas
pes'a Secretaria.
TRIEUNAL DO JURY DO RECIFE.
Sesso de ia de Povembro.
Jury de Sentenca.
Accusaco por parte da instiga contra Car-
los Jos de Santa Anna, Clarim do Esqua-
ilro de Cavallaria, como cumplir na tenta-
livademorte contra Rodolb Joo Barata de
Almeida ; foiabsolvdo.
EDITA Lj
jLuiz Francisco de Mello Cavalcanti, Fscri-
?o e Administrador da Meza fie Rendas
Internas Provinciaes de Pernambuco.
Pelo prezente Edital faz publico a quem
convier que no pia ultimo de Dezembro do
torrente anno, termina o prazo prorogado por
mais 6 Reces, pelo art. 4i da Lei Provincial
l\ 87 de i de Maio d'este anno para paga-
mento da Meia Siza des escravos que aiuda
csto a dever e findo o qual proteder-se-lia
na tor.forniidade da Lei contra aquelles que
rao tiverem pago. E para que o referido
conste mandei alixar o presente e pubii-
cai-o pela Imprensa. Meza de Rendas In-
ternas Provinciaes 9 de JSovembro de it^0,
Luiz Francisco de Melio Cavalcanti.
CMARA MUNICIPAL DA CIADE
DO RECIFEi
EESSA em a a DE 0TJTU1R0,
Presidencia o Sr. Silva.
Coroparecera os Snrs. Rarros Pessoa ,
Mamerle e Menna faltando com causa os
dais Srs.
A berta a Sesso ; e lida a Acta da antece-
dente foi approvada.
O Secretario dando contn do expediente ,
inencionou os segu 11 tes ofiicios :
Un do Sr. Joaquina Bernardo de Figuere-
do partecipando que o seu estado de saude
Ibe ebrigava a sabir para fora da cidade para
mtllior se tratar 5 e por isso que nao ibe era
possivel comparecer mais s Sessoes desta C-
mara ; inleirada e que seclmmasse ao im-
mediato para vir tomar assento.
Outro do Sr. Vereador Carneiro parteci-
pando nao Ihe ser possivel comparecer a
Sesso de buje por ler de ir a urna viagem :
inleirada.
Outro do Fiscal da Roa-Vista remettendo
a relao dos tanques existentes uo seo respec-
tivo baiiro : inleirada, e que se remenease a
Commisso respectiva a dita retaco.
Outro do mesmo Fiscal rerr.elleudo a rela-
jo das pessoas multadas era seo bairro nos
irezes de Agosto e Setembro prximos pasta-
dos ; e exigindo que se mandasse satisfazer ao
r, Felippe Keri a quantia de 9600 reis de 3
corridas de saude : etqu*ntou primeira par-
te ficou a Cmara inleirada e em quanto
ti;ii:da mandou passar mandado*
Outro do mismo Fiscal exigindo que se
mandasse satisfazer Bcnto de Barros Faico
Ccralcanti a quantia de 3qU2o de 49 di;is
que servio como Vedor do mntaduuro do ga-
do da Boa-vista : deliberou a Cmara que o
Yedor fesse mesmo quem requeresse.
Oulro do fiscal deste Baiiro exigindo a
quantia de 4-5(io reis que despendeo com o
trilen menlo de a cadveres e de um ca-
ballo romo provava dos documeulos que
juntou : que se passasse mandado.
Outro do mesmo fiscal exigindo que se
mandasse satisfazer ao Dr. Felippe Neri a
quantia de iuU8oo reis pelas corridas que
fez nos dias a de Selenibio i/j 17 e ao do
correle ; e igualmente a quantia de 3U?co
reis ao Cirurgio Lino da l'enba de Franca ,
pela corrida que lez no da ti do cnenle ; que
>e passasse maridado.
Outro do mesmo Fiscal exigindo que se
mandasse satisfazer ao] Dr. Felippe JNeria
. A requerimento do Sr. Vereador Rarros
nomrou a Cmara urna Commisso com posta
dos Srs. Menna e do dito Sr. Barros a fin
de examinar os concertos que se fazem neces-
sariosnascasinhas da RiLeira e Praca noya
deste bairro que se acha bastante arrui-
nadas assim como para dar juntamente o seo
parecer sobre a demoliro proposta pelo Sr.
Vereador Mamede de a parte da mesma
Ribeira para deseepaxamento da conlinuaco
da ra da Praia que essa porco embaraca.
Juntamente foi romeada urna Commisso
composta dos Srs. Pessoa e Mamede para
examinar nscontas da receita e despeza apre-
sentadas pelo Procurador, perlencentes ao
a. e quarteis do crrente anno finan-
ceifo,
Deliberou a Cmara que novamente se
officiasse aos Vereadores Antonio Luiz de
Souza e Jos Benlo da Costa para viren to-
rnar assento como Supplentes.
Da mes .na sarta deliberou a Cmara que
os talbos reservados para os creadores nao
fossera postos em arremalaco mas sim que
os Fiscaes respectivos os conservassem para
ser entregues creadores logo que appare-
cessem ou marebantes de lora da Praca em
falla destes,
Desparharau-se alguns requerimentos ; e
marinba. Conlinua a construir-si fortifi-
ca ces aqu e na cosa enmo tamben em
Ilossella entretanto que o Pacha est lazan-
do lados os preparativo* de guerra e lamhem
envia fornecimentos por Ierra para a Syna.
Tinha occorrido na porto urna se lirio a b^r-
da d'um dos navios Turcos mas foi p-omp-
tjmente suffocada pela energa doromman-
danle. Os passageirosque chegara de Mal-
ta a 1$. contaran que muilos d'aquelles que
linha ajustado e pago asna passageru para
Alexandria linha perdido o seu dinheiro
por se baverem persuadido de que nao sena
prudente virem para esle porto que elles jul-
gava ou estar bloqueada ou ser o para-
deiro das hostilidades. O Almirante Aus-
traco tinha escriplo umacirla, e o Cnsul
Austraco convocou urna rennio dos sous eon-
eidados para assegurar-lh.es que podiaS
continuar com seguran-a ns suas oecupacoes
scid receio algum de que a tranquillidaJe pu-
blica fosse pe; turbada,
INDIA.
Bonibay 38 de Agosto de |f?40
Nao temos anda noticia da chegada da ex-
pedico ; China e do seu primario movi-
mento abi p^sto que eslejamos todas as llo-
ras na mais ancioss expectaco d'ella. O id-
por ser dada a hora levanlou-te a Sesso, e timo correio terrestre nosinfermoa da sabida
para constar mandarn fazo*- esta em que as- Ida primeira diviso de Singapom a 4 da J'-
sipnara. Fu Franeisco Antonio Rabeilo de nbo debao do commando de Sir Gordon
Carvalho a escievi.
Silva Pro P. Barros Pessoa Mamede -
e Menna.
Eoitl.
A Cmara Municipal da Cidade do Recife e
seu Termo ele.
Faz saber, que no dia a3 do corrente pela
10 horas da manb devero comparecer na ca -
sa de suas sesses os arremailaules, e fiado-
res das casas da praca da Independencia, n. 1,
4, 5, 10, i5, 17, 18, ao a5, -jo, a8, 29,
3o, 3ij, e 40, para realizaren os autos de ar-
remalaco, sob pena de sereno novamenle ar-
rematadas dias casas *, no itcsmo dia continua
a arremalaco da Ribe.ra do Peixe deste
bairro de S. Antonio, e praca do mercado ,
e do daBoa-vista,
E para que chegue a noticia de todos se
passou o presente, que ser publicado. Pa-
co da Cao'ara Municipal da Cidade do Rece
em sesso extraordinario de 9de Novembro de
iSitk
Jos Machado Freir Pereira da Silva.
Pro-Presidente*
Francisco Antonio Rabellode Carvalho
Secretario interino.
Das partes recebidas pelo Presidente da
Cmara Municipal do Becile do Fiscal do
Bremer, accompanhado ou immediatameiuc
seguido por todos os transportes. As noticias
mais recentes d'etta diviso alcancad a i3dt
Junho na qual data ella apenas tinha che-
gado a Pulo SapaU, ilha perto de Siampa ,
quasi no meio do camiuho entre Singapore e
Maio.
A 16 de Junho, o navio Malville de 7 {
pegas(trazendo a bandeira do Almirante El
iotl) o IMades de 18 e o Blondo de 4 .
chegaraSsabras de Singapore. Um junco
Chine/. que tinha levantado ancora para o
f'ii de voltar China foi perseguido e re-
conduzido p;lo Blonde em consequencia de
um signal dado pelo Almirante e este passo
foi seguid pela caotura d'oulros trez juncos
sem resistencia a'g Comtudo loi subse-
quenlemente ordenada pelo Almirante a sol-
tura de todos estes navios talvez por ler o
Governo local anteriormente dado seguros aos
negociantes Chinezes de que no caso de se co-
merarem hostilidades elles Hcaria tranqui-
los. Mr. Maddock um dos secretarios do
Governo da India, que ao tempo eslava ero
Singapore a titulo detractar da sua saude,
suppe-se ler influido para aquella soltura.
Fste cavalheiro seguio depois para aCliiua
com o Almirante Elliolt.e por esta circunstan-
cia e pelo seu alio em prego no governo da
HairrodeSVAntnno, consta 'terem sido mor- India, suppe-se que vai com carcter offi.ial
tas no dia a3 de Oulubro 38 Rezes : vo di,.! da parle do Governador General. O Almi-
4, 69; no dia a5, 64-, 110 dia at 67 ; ran,e e os "avios com elle partiro de Singa-
no dia 27, 58; 110 dia a8, 6i ; no da 99 f porea lt de Junho } e como a primeira divi-
37 ; no dia 3o\ 38 ; no dia 3i 65 : lora llvcsse ,tlt0 Lni Pr<>{;resso lo vagaroso al
nutilisadas por exame do Facultativo 4 n
dia a3 5 no dia j5 7 no dis at 1 no dia
29 as quaes fora enterradas ; nos dias 24
37 28 3o e 3i nenhuma novidado occor-
reo.
Das do Fiscal do Bairro da Boa-Vista '
consta terem sido mortas no dia 23 de Outu-
bro ra Beses ; no dia
18
a8
a4
30 ; no dia a5 ,
no dia s6 1 ; rio dia 37 20 ; no dia
a8 ; no dia 29 11; no dia 3o ,
por
nodia3i 21: lora inulilisadas
me do Facultativo 1 no dia 34
a5 3 no dia a6 1 no dia 27 ,
39 1 no dia 3o 4 dia 3t ,
foia enterradas ; nos das a3 e 28 nenhuma
12-,
exa-
0 uo dia
1 uo (lia
as quaes
uovidade occorieo.
Das do Fiscal do ATogado consta terem
sido moras no dia 23 de Uulubro 1 ; no dia
a4 > 5 ; no cita 25,4? ,1U dia 2, 4 i no
dia 37 4 ; no dia 28 4 ; no dia 1 j: profunda indi'erenca e desprezo.
as quaes nenliuma novidavle occorreo. (i be Momii-g Ch
i 3 d'aquelle inez devido grande frota de
transportes que a acompanha provnvrl
que toda a lorca cbe.jue a Cantn quasi ao
mesmo tempo.
Depois da sabida do Almirante de Singa-
pore o Nimrod e Columbine passara do Ca-
bo para diante. Anda nao se tinha ourido
fallar em Singapore dos navios esperados de
Inglaterra mas possivel que elles teuha
passado de noile ou que lenhao seguido em
direitura para a China.
Diz-seque muitos grandes juncos car rega-
dos de pedra tiniao ancorado na primeira
barra do rio Cantn com a intancSo de tapar
a paosagem no caso de necessidade.
Os Chinezes nao lazia movimentos d'im
poitancia para rcceberem os Ingleses ; certa-
atente nao faziaS ideia da giande fjica que
vinlia coiira tiles
e tractavad o negocio
coa;
Noticias Estvix 1 < i ras.
ronicle.)
EGYPTO.
Carta datada de Alexandria a 17 de Sep-
tembro.
Comecara as hostilidades naSvria, e a
esquadra Ingleza tinha feito logo sobre a Ci-
dade } tendo-se refugiado abordo de navios
es habitantes Europeos. Os Judeos em Da-
O Coronel Hodges
VARIEDaD,
Doconsonio ou o Amor conjugal.
Quaudo nos nao poderco assegnrar da af-
feito nern da juslua dos homeus, devemos.
no meio deste mundo vulgar crear oulro ;
foulade da nossa lazo. Esijuecarnos em su-
ave letiro as quimeras a pz de que niarcbo
os hoinens e se estes se admiraren) disso ,
sejo para nos suas criticas o que o distante
susurro das ondas he para o viandante, quan-
masco tijha sido sollos.
haviaobtido do Governo EgyfCo saiislacaoj do ao abrigo do teclo hospitaleiro nao tem que
quiiitia de duL'tco reis de 10 conidas que pela lomada d'algun ouro errata cannadosj recear da tempestade*
con tile fez no das 3, 7, 8, 9, ro, i3, i5, Je por cunhar dos boles da escuna DmmelyeJ He de huma familia que se de^e prime ro
17 ao, e a* do conenie ncz no maUdouroj tomada sol o proteato ueijue e carregamenlo compr o nevo universo. O mellior amigo he
buma muliier que nos destina a natureza ;
esta bea depois .que a fortuna dispersa lodos
osoutios. (^uanlOi lioineus chamados ;i es-
perauca pelo amor de huma companfeir vir-
t.to-a, itaa^coia elfuaiodiU) Nada perd
deste bairro j assim como igual guarna ao era contrabando. Um navio Ingle/. ^Brothers)
Cirurgiao Lino da Penha de branca yat les coa orno em (olbaa a 1 iu0 e carga commuu.
Kilo 10 conidas no mesmo nortadouro uosdiaa! para Alexandria tinha sido detido peloomcial
4 5, 6, 11, 191 >4 *6 l& !.y eimaii velho fura deste porto, e enviado a
; que &e pasaasiem UJandados. j Malta tbxa u*H.uidado de um cbuai de
ut odho au
quanlo me reslai o leo coracao, Aleus infor-
tunios me desen ^ano de vas lluae* : eu 05
bemdigQ : elles me chamarn para ti eniB
dorio aconhecer todo oteo amor. Mas se
quizermas que o herosmo de buma mulher
brilhe com o miis puro esplendor suppo-
nliaraos seo espoto no ultimo estado de des-
graca l supponhamo-lo cuminoso e abando-
nado da Sociedade ; eque o arrependimpnt
nao pode de modo algum desculpar suas fal-
tas. A mulher be a tnica que o nao aecu-
za e Ibe liberalisa c msolaces. Abracando
deveres lo grandes emo seos revezes ella
ra partilbardo capliveiro ou desterro da quel-
le queaprivou dafeUcidsde: elleachaa-
inda no seic da innocencia luim refugio, en
que se metigao seas remo.'sos como oulr'or
is proscriptos achavo asilo aos pes dos alta-
res contra os furores dos hora ens.
Em geni o consorcio he um meio deang.
mentar nosso crdito e fortuna., e de segurar
bom successo no mundo : seja pois para
nos meio de vivermos .felices longe do mundo.
Desej-ira que na mocidade Houresse suffici-
enterazo e experiencia para oscolher a mu-
lher com quem nos ligasseoios mais pelo
tempo adiante ; quizera que captivados do
suas nascentes qualidades desejando sua fe-
licidade 1 calcar.ca^do sua ternura a educas-
semos [)or nos mesmos.
Seu caracler ainda tenro convida nossos
primeiros cuidados. A mulher ao nancer ,
recebe feiisesdons que metigao mullas vezes
nosSOS defeitos ; corrije nossu severidade com
sua blandura nosso impeto com sua pacien-
cia nosso orgulbo eom sua modestia e s
vezes com sua leviandade. Suas gracas dos
afasto do triste pedantismo, e seos exeraplos
nos chamo a brandas e pacificas virtudes.
Para formar o carcter de huma mulher
basta desenvolver nella as qualidades que
deve natureza e para sernpre Ihe fazeioos
charas essas'amaveis qualidades se consegui-
mos fazer-lhe considerar com os aneamos o-
Ihos, que nos os prazeres do mundo scus
perigos e seu ephmero allractivo.
Cultivai mais a razo, do que o engenho da
vossa joven alumna. Ella deve para o futuro,
modesta amavel, e respeilada governar sua
caza e dirijir a familia ; nao lomera os Ro-
mances e tunos e vulgares a seus olhos. Elles nao po-
dem tomar lodos os instantes. Algumas ho-
ras se passo em reunios pouco numerosas,
animadas pela alegra aruizade franqueza
e piazares inuxplicaveis que nscem do pra-
zer de estunios juntos. Tambera ha divert
mentos frivolos que as mulberes nao devein
despiezar. Fu goslo de as ver por alguns
momentos, oceupadas em atavos elegantes e
simplecis ensaiando aquello gosto encanta-
dor que serve do desenvolver suas gracas ,
e fiara assim me expressar de variar sua
belleza. As prend.s agradaveis em fim mul-
liplico nellas meio de escaparen sem>re ao
tedio ] mas satiem de buma bi'uliolheca eom
pedantismo sem insteuccao e loureiias sem
amabiidade. Ainda queeu nao duvidasse das
torcas de seu tlenlo Ibes dira sempre: Pre-
fe i as gracas s icencias ; para cingir louro*
he neeessario depr a coroa de rosas.
(guando dois esposos unidos pela ternura,
tem bom eoraco agostos siinplices tudo Ibes
prognostica um risoubo futuro. Vivo longe
do mundo, eaislia parasi, occullemsua felici-
dades e sua vida ser o ma is leliz dos sonhos.
lie talvez de vosso casamento que fallis,
se me lem dito 5 as vos nao pintis o caza-
mento. Km quanto cailoceis a elicidade deu-
Uo em casa e encommodos fora della quau-
t;s homensacho em sua caza desgOStos sen
ternura, e sugocio prazeres, saliindo para lo-
ra de sua babitaco ?* Poucas mulberes lia .
lao pe hitas, disse la Bruycre que nao la-
cio an fj.ender o marido huma vez cada dia aj
menos, du ler mulher, eejulgar Itliz a-
uelie (jue a nao lera. "
Esla fuze nao contem observaco e simt
ium epigramma, As bois familias sao me-
nos raras do que se julga altendeudo a bum
circulo de individuos ridiculamente chamado
mundo. m segundo lu;;ar sera injusto
contar entre as unioes inleiises todas as que.
niosao iseulas de passageiras borrascas. INao
so a perfeita felicidade iie quimrica, nns
encontro-se tambem homens, que se enlas-
liaiiao de socego alwolucto e que julg 1, que
alguma conti'ariedade torna a vida vanada.
Ku nao me darei de sua existeuci. Ha p<>"
rem modos de existir singulares, que semda.-
rem ieUcidade procoro prazeres. A Bnsl
posto c(ue o numero dos eazamenlOS mu
toase immenso que se poderia d ah con-
cluir ? Uj homens leudo seguido camuibo
opposlos ao meu nao nos deve ademirar qu*
nao cheguem ao im cojas delicias perte
.mular.



O inlcresse dicide a maioria dos pas 5 p o
quemis deve irritar mocos lamben saben
calcular. Quaudo o homem caza por especu-
larlo se v sita fortuna augmentad* ou e-
Icvada sua jerarqua baja a desordena que
houverem sua caza lie assim mesmo ainda
mais ditozo do que mereca. Nossos casa*'
tnenlos de inclinacio afianco lio pouco a fe-
licidade, como os de inleaesse. Sou de pa-
recer que se nao rase com mulher sem pri-
meiro haver conseguido sua ternura ; porque
seria duvidoso que o amor lhe fosse inspira-
do pelo marido e lie tora deduvida, qii*
Iium affecto lio natural nao ficaria sempre es-
tranho a seo coraco. Mas o amor tal qual
joassa dos Romanences para os costumes da
mocidade he huma febre funesfa. Rapaces
mo se reputlo amantes se nao quando deli-
rio penso que a vida deve ser um perpe-
tuo exlase e os sonlioc dos amantes arruina
a realidade para os exposos. F.u suppuz o
horaem mais idoso que a mulher a quem
quer unir o sen destino e o suppuz forman-
do o carcter de sua jovem companlieira e
para assim dizer educando-a por si mesmo :
enlioa mistura do amor e razo llies assigura,
quauto he possivel, dilozo porvir. A infide-
lidade dos homeus lie cauta (raquete da de-
zuuio dos esposos. Vendo qilo piucos ma-
ridos sao fiis somos tentados a accredilar ,
que o nico partido que deveriamos seguir,
seria presumir as mulheres contra o cime e
jiersuadir-lhe que nossos prazere nunca
exceden nossosdireitos ; mas deixo pensar ,
qual setia a Moral, que ellas lirariio de se-
xnelhanles liues. Tero-se resolvido muilo
bem que a fidelidade dellas he de maior im-
portaocia que a uossa nao repelirei verda-
des ditas com eloquencia a este resucito : fa-
ei antes observar que se nao tem asas mos-
trado, o perico da inidelidade dos bomens
Esta he a menos ignorada. En eral huma
venda cobre os olhos dos Iludidos maridos ;
vivcm em aocego protegidos por sua vaidade
oujiugflia. As mulheres, pelo contrario ,
sao engenhozas era se atormenlarem apro-
veilo particularidades que pirecem fugitivas,
e se aeciesienlar-mos no ere pregamos pouco
iuleresse ou menos destreza que ellas em
ccullar nossas accei julgar-se-ha que
uosso procedimento he fcilmente desroherto.
Sao nos engaemos a respeito da influencia
'e nossas sem razoes. As mulheres obstina-
e emjulgarem nossa infidelidade lio crinii-
oza t como a dellas. Julgao niais com o eo-
aiio do que com a razo ; e como ha hum
onto em que os dilutos se confunden! e
iao admmittem grios entre si, ellas julgao ,
vie a violaco do nosso dever equivale aquel-
B cujas consequencias sao, todava, mais
raves. jNein todas proemio viuganca fcil j
'ingo-se pelo menos com seus vituperios ,
lueixas e tristeza} e a felicidade desapparece,
O genio altivo de algumas mulheres he hu
culra causa di desuniad : mullas ha persua-
didas que a fidelidade contera todos os seus
deveres. Mais de hum homem atormentado
tedososdias por hum ente imperioso e extra-
vagante sente-se quasi chegado as vezes a de-
sejar a Borle do marido benigno suavemente
peiseguido com laicos aflatos. Assim como
para ser homem de bem nao evitar dilietoa :
assim tamben o norce de honradas mulheres
M! devera reservar para aquellas que nao S
fosse m casias mas que souhessem derramar
cora alenlos cuidados a felicidade em volt
de si.
Ao principio pense! que o genio das mu-
lheres ralbadeiras era producido pelo cons-
trangimenlo que Ibes impocm nossas les .0-
Lre a fidelidade. Enganoi-me, Multas sao
ralbadeiras, loureiras. Se devemos despiezar
o homem (ue cheio de amabiiidade com os
uulros he inspido e grosseiro em c.isa com
os seus senlimento nao deve excitar a mulher !
que lyrannisa sem compaixio hum marido
iraco e que bella no mundo sua alegra e
gracus libera lisa aos es'ranhos ?
Posso aflirmar que os Iiomens em tudo
muito atilados eslo convencidos que lorio
js Uiientaes os nicos que estabelecerio em
fcuas casaspoltica rasoavel. Pe semelhante
idea muito lempo duvidci da sua veracidade.
guando a escraviuo existe na familia lam-
bem existe no Estado. O dspota que faz
tremer suas mulheres nao lera outros hbitos
com pessoas manos dignas de o iuleressarem.
Os gi iilies estendem-se de hum a outro e o
despotismo domestho gera o poltico. Mas
pe os nao menos reaes ameaco a Sociedade,
**s evocas de galanleio e niollesa em que
a optniio se desvair e us prsete ve sub-
luis.o s mulheres.
O homem di ve rxercer aulboridade e a
mulher ter influencia sobra elle, lie preciso
que ridarecamoa estas ideas, que bem po-
de n parecer contraditoras ou pelo menos obs-
curas.
A Ib rea do homem sua contetiso de fsni-
rito bem indicio quo a nalureza lhe destina
authoridade. Paia o desapossar della seria
preciso qne o ente frac aprendes es a entre-
"ar-se as meditaces polilicas a vencer fa-
digas manejar armas e condemnasse o an-
te forte aos pacificos cuiJidot do manejo da
familia. Preciso seria que em ama pala-
vra a mulher fosse homem ; oque demons-
tra a qual dos sxos pertonce o poder.
Mas eu vejo que os dtfeitos dos bomens
ias"em em geral do abuso da forca e junto
lelle diviso sua cotnpanbera dotad de uua-
lidades que podem modiQcar estes defettos
Dezejoquo ella os mitigue; eos meiosque
recelieo para o conseguir annitncio que tal he
realmente oseu destino. Para noscaptivar ,
a mulher tem seos encantos seu carcter .
mistura feliz de senstbiliJade coragemelevi
andade so llexibilida.le em i n devida a
natureta ea quera excita a reserva constante
que a educado lhe impoera.
Por este meio as imperfeicoes e qualida-
des dos dos sexos concorrem a aproxima-los;
o homem por este meio pira sua mutua le-
licidade deve ter authoridade e a muibei
exercer sobre elle influeiicia
Qu indo a mulher u m I no considero
doUesposos; vejo um escravo rediculo, e
iium tyranno anda mais rediculo, Suas or-
dens en vo suoporiamos conformes con a
stbeiloria e
juslica ,
si) absurdas por s.^o
nado que as rodas da 1. parte da Lo-
teria concedida a favor das obras da mes.na
lgrej orrio imprelerivel.neu'.e no da ib
do corren le mez de Novembro ; para o que
convidio aos amantes das Loteras bajao de
compraren os bilhetes que se acbo a veuda
tus lugares do cos time.
TIIEATRO.
Domingo 15do crranle a beneiVi. !* Jo-
tefa Candida de Mello e Companhia se re-
presentar a beiissima peqa o Capitana Beli-
zuia, no fia da dita d gles; dando fin o devirlmntocom o jocoso
e ilremez o Uoutor Suvina. A benehciadi
implora a protegi e amparo de um publio
t.i benigno e quera confeca ser eternamente
grata
mesmo que sio ordens. As virlules queo
homem pode dever a sua companbeira lem
relaeio como amor que quer ser inspirado ,
e foge de ser conslrangido. A mulher em
urna s circunstancia se honra tomando >
authoridade. E he aquella era que iufot-fu-
uios allligem e opprimem sen espozo. Este
entoj nao he apoio della pelo contrario
ella se torna apoiu delle ; mas ou seja quo ella
despeite nelle a esperance ou que o faca en-
vergonharde receber o exemplo da coragem .
deve sempre aspirar restituirl!e o lugar de
que a desgraca o fez descer.
Que muitas vezes os esposos se amao mais
doquepenso he huma verdade pouco con-
testa vet. Se parecem indifferentes ou pr-
ximos a odiarem-se seja hum d'elles ataca-
do de molestia grave o outro s go a grandes sustos o habito lhe faria ter sau-
dades at dos iucommodos a que eslava acos.-
tumado, Quaudo esposos comecio a queixar-
se da sua sorte eu a oonselhava a cada hum
delles que em vez de querer corrigir o ou-
tro lhe desse exemplo e adquirisse indul-
gencia O marido pode nao ser culpado >e
nao de erro passageiro pode ter sido infiel
sem ser inconstante ; e que sera raso para
aquella que o aecusa s*as suspeilas fjs.-eai
falsas atormentada de quimeras s ella
iiquietirh a paz da familia? Pode a mulher
ter genio desigual s*m que por issodeixe de
merecer amor, lie (Vaca a saudc das mulhe-
ras sua influencia sobre seo cara ter he sen-
sivel; suas sem razoes podem ser independen-
tes da vontide. u js espososo antes
de desesperarem da felicidade que esperavio ,
e se havtio promettido devein esgotar lodos
os cuidados para a realisarem e fixarem-
na junto de si! A felicidade mais pura he ;>
de dois entes unidos pela e>lima e amor. Que
(lutlro nao aprcsenlo eslas seguiutes iii.has !
tiradas da Iiiuenca das paixes por Mme,
Stael tu vi durante minha residencia eni
Inglaterra hum homem de raro mrito unido
hivia -ij anuos a huma mulher digna dclle.
Iium dia passeandojuntos encontramos o que
os Ingleses chamo gypsias Bohemios ( Ci-
gmos ) vagabundos pelos bosques em depl-
rate! situacio ; roe coudoi delles por que as-
sim reunido ledos os males usicas da ualufe-
/.a. Ora pois me disse eutio M. L. se
fosse necessario sugeitar-me a este estado ,
para passar a vida com ella e ter i a mendigado
lil Imita anuos e assim mesmo leriamoi si-
d bem l'elizes. Ah sim exclamou sua
mulher, leriamos sido os mais felices entes.
(Tradusido iivremenluj
LOTERA DO TIIEATRO.
O Tbesoureiro da w Lotera do Thealro
Jo/e Pires l'erreira avisa que pretende reii-
rar-se para o Campo em Desembroeque pa-
ga em sua casi no alieno da Uoa-vista nos
das l4 1 8 al ^J o %'i do concille
mez das 10 horas da inanha a I da tarden
resto dos premios saludos na i.'e 2, 3 paite I ral de Braga freguezia Je Adofe e raa
da mesma Lotera. Jos Antonio da Costil Palmetea, natural
.-------- lambeta de Braga,
A pesaoa que quiser comprar um pti-
mo esnavo, moco, fiel, e robusto pro-
e de boa con-
..,- .,;.. ..n .....
Avisos Diverso*
t>5'" Engoma-se com perfeicSo, liso de
pregas toda a qualidade de roupa tanto de
horaem como de Snra. e tambera se lava
para quem mandar engomar ; ludo pir preco
muito com modo ; as pessoas que precivirem
driiio-se ao segundo audar di caa era que
morou o Oesembargador Peixoto D. 7,na
roa Drreita*
isy (friera precisar de un padeiro diri-
ja-s a ra dosQuarteis cisa de pasto D-
cima 1,
I r OfTerece-se um rapa* portugus ?ol-
teiro de idade de in anuos para escud ir 1
dealgurna casa particular, ou mesmo pira
fara da provincia -I que lera algtima pratica :
i pessoa qua precisar qieira aununciar SU3
morada.
vy la quem se praponha a: tomar edar
ctiinpriroenio le tola e qualquer qualidade
da escripturaco militar com acert, lim-
pesa e brevidade mediante a gralifica-
ca que a naturea di escripia mereca ; an-
11 a ocie.
tS* Quem precisar de um rapaz do 17
anuos, para caxeiro de Engenho, o qual sale
ler escrever e contar; annuncis.
S3" Urna Senhora se olfere para ama de
homem solleiro ; na ra do fagundes D. 97.
tes7" OCferece-sc |iara ama de casa, urna Se-
nhora idosa com bons costuraes ; no beco do
pocinlto da panfila I). 8.
----Vende : moeda ou prazo com bo3s
rumas, ou troca-se por casas nesta Cidade,
ou por sitios perlo da mesma ou por escra-
vos de ambos os sexos urna l?goa em quadro
no Rio i'irangi fr.guezia de Garanhuns ,
principiando adiln legua do logar denomi-
na lo Caxoeira dos Carocos ierras de manas
virgens de Loas madeiras para serrara e
para toda a construccio de qual juer obra e
ptimas para se levaular Engenhos e muilo
feriis para lodaaagricultura ; demarcadas,
e ivres de qualquer duvnla; tambera se
vende a retalbo [tor prego coramodo ; cujas
Ierras foraOdo finado Padre Antonio Jos da
Suva ; a tratar no Convento do S. Francisco
do Recife com o Guardiio.
tSf Prerisa-se decento0 cincoenta mil rs.
a juros de dois por cento ao mez, dando-se
por seguranca u-..:,i escrava; na ra por detras
dos Uarlyrios venda da esquina pintada de
amarello, D. n(j.
"*----Compra-se o Jornal Panorama dos
raezes de Fevereiro Marco e Abril de l83g;
na ra do Torres caza contigua do Sr. Juao
Pinto de Leraus, no Recife, terceiro an-
dar.
Quem quiser comprar urna escrarade
naco tora bonita figura e propria para lodo
0 servico ainda meio bucal di rija-se ao
Urgo de N. S do Terco sobrado D. O" no
i imeiro andar.
W Adrio Joze dos Santos lem contrata-
do comprar urna parle de um sobrado na ra
do Rosario larga D. 7 que fbi do fatescido
"1.1;,cisco dos Res e hoje do herdeiro como
administrador de sua mulher Antonio Vleli-
lo Mari ios Teixeira ; coja parle est hypo-
tecada por seis rentos mil rs a Joao l'iio-
mas Pereira que este ja sabe qut de minha
mi a de a ver a dita quanii 1 par ja estar eu-
teiiddo disto e este be para prevenir outro
qualquer encargo o qual dever aparecer de
n >je a 10 dias,
- Na rc>-a de ferragem da ra da Cadeia
Velba n. %S existem duas cartas viudas de
Portugal para Joaquina Jos Ferreira natii-
LOTER1A DA BOA-VISTA,
A Meza regedora da limadade do Santia-
limo Sacramento da Boa-vista lera detenni-
pn > pata qualquer servico ,
Ldu servir no mato,' pode procurar naoUri* da
Florentina, onde se acha dito escravo e seo
Senhor, para ver e ajustar ; adverti Jo-s
que o escravo pode ser ptimo canjeiro da
que tero principio.
C3" Quem annunciou no Diarion. af5d
segunda feira q do corrente querer vender umt
lio no lugar do Rosarinho com boa casada
vivencia, arvores le (Vuela boa baisa plan-
uda de capira; annuncie.
-----O procurador da Cmara .Municipal
leOliridafas publico as pessoas que devera
foros ; tiifsma Cmara q' bajan de compare-
car as sextas feirasno Cartorio da Escrivio
Cirieo ra das Cruces D. a ; e na Cdada
de Olinda na roa do BoraGra.
-----Aluga-se umi das natas de proprie-
lade do Sr. Brito situada no lugar denomi-
nado Cajueiro mui propria pira se passar a
festa : quem a pe leu ler entend se coai Jos
oncalves Ferreira Rocha noTrapixe*
-----Precsa-se de um homem de qualquer
cir e estado que seja que saba bera destilar
iguardente para ir exercer este empregona
Cidade de Loanda venen lo p ir issi avul-
tado salario ; quem se adiar 110 caso dirija-so
a ra da Crui ;V 07, i\a roesm caza hi
para vender dous lOneis noves e proinptos, de
madeira de carvalho por preco commodo,
e compra-se-mel novo pira embarque.
slt" Aquem lie fallar oni canoa anda
por abrir-, dinja-se ao Porteiro do Arceoal
le Vlarinba que dando os sigiues certos sera
entregue pa tan lo as despesas que cara a
mesma se [ v.J' Alluga-se por lies ou qmtro mezes da
festa un muito bou sitio no lugar da rapunga
com boa casa de vivenda, com tres sallas, o
leisquartos, cosioha fora bastantes planta
cues ; tambera se alluga com a competente
mobilia da casa no saso dos perlen lentes a
quirerem, podem difigir-se a estrada do rain-
uiuho no sitio em que morou o falescid
Beigadas defronte do Sur. Joze Baplisia Ri-
beiro de Parias.
t&T Vende-se ura molequ de naco feu-
guella, com idade de dezessete anuos bonita
hgura e muito sadio ; ao comprador se dir u
motivo porque se vende : na ra do Fagun-
des II. 18.
i^TQueta quizer dar duzentos mil rs. a ju -
ros com hypolheca era uina escrava, annun-
cie.
Antonio Jos4 de Siquera Jnior ,
comprou tle sociedade cora os Srs. Bernarda
Ferreira da Silva e Jos Joaquim da Silva,
Carneiro da Villa deS. Jos do Hio rauda
do Norte ura Bilhete da" primeira parle da
. Lotera a favor das obras do Thealro pu-
blico desta Cidade N, ijg, o qual te, em
sen poder.
Aluga.se um armasem por detrae di
ra do Fagundes cora rampa para o e nbar
que e desembarque proprio para saear assu-
car ou mesmo para venda por ser de esqui-
na e ler j sido procurado para isso ; na
ra da Praia em caja do Vianua,
-----Precsa-se de urna lavadeira que do*
conhecimento era ?. ra de Santa Hita iNova
18, lado do nascente: era a mesmi tzx
aiuga-se um naoieque que entende de cozi-
11I1.1 e sabe vender na ra.
-----Roga-se aoSr.. Manoel Branco Rezer-
ra baja de dirigir-se a na da Cadeia D. 3o ,
ou ao caes do Collegio na caa D. 6 aonda
e lhe deseja coinmunicar negocio quo muito
o iilercssa.
-----No logar da Trempre, casa n. 6,
engoma-se com tuda a perfeigo coze se ves-
tidos chapeos e toncados ludo do oaelhor gosto ,
e por preco commodo assim como tmbeos
quem quiser mandar ensinar algumas negri-
nliasacoser, marcar e engomar dr>a-so a
dita casa Adverte-se que estas negnnhas
devera ler de dez anuos para cima.
-----Aluga-se para a testa ou por anuo o
slio denominado Uangabeira tendo era 1
ama grande casa de sobrado cora mais do 70
palmos de frente silo a Ciddo de Olind 1 ,
confronte o jardn botnico: quera o per-
tender uirija-se a ra do Rosario larga bjlica
!). ;o.
Preciza-se de um homem europeo,
qne queira ser fe i tor de umengenbo distante
desta praca dezeseis leguas ; aquera convier
dirija-se o aterro da joaVsa L). it, uu
ao Eugenbo Rosario deSerinhaem, a fallar
couaoSr, Antonio Germano Regoeira tinto
le Sousa,
3~ A pessoa que quer urna casa por do-
us ou tres me/es para passar a festa n
i'onte d Uclioa the o Caldereiro, querendo
DOS subuibiog da Matriz da Varzea, divija-su
a ra de Agoas verdeseasa 1). i
i^T Um rapaz itiadlii-o e otferece pira
qtialquei-ariuma.io o qual dfl fiador a iua
cvmluh'M ; quem precisar annuncie.


!> i a r i o rm P ?R NA M r r c o

III'i "Mi fl"1 ii ii'HMWtaTIIWiirifTiriiriii'n ii i'mu i ir frrr-T-Trnr-
i^^MBMsnffi3BW ''
lT-
O director da obra da rala di Bellaca. brado en Olioda n ra de S. liento com
tem pretisaode 4 oficiaos de* pedatra e al-
funsde caplna os que quierem ali traba-
lur ( sendo pessoa"? livres) podnfi drigir-se
a metma aonde sendo reconheeids peritos iros
scus tirulos, serS admetlidos e bem pagos
tzr Domingos Mreira Di'S, comprod
por conta de Antonio Francisco dos Sanios
Lisboa c Jacinto Jo c Romeo, do Mar-
nhotresmeios bilbetesde n, i^jo, laji -
t ag da primeara parte da 5, Lotera, da
Matriz da Boa vista,
j^Deseja. se saber onde existe o Sr. Fran-
cisco Rodrigues Salgado Jnior natural db
Porto de onde velo desde i8i6 a 133 i para se
Ihe fallara negocio de seu uteiesse ou an-
nuncio sua morada
tjr Aluga-seduas canoas umadeagoa, e
entra que carrega louo lijlos atraa dos
Martirios esa da i rotulas verdes.
" Roga-seaoSnr. Manoei de Queirot
elonleiro Llegadas que queira annunciar a
sua morada para e Iba aiiar a negocio de sen
iuteresse.
J" A mulber que se offerecc para a:;ia de
casa dirija-se a ra da cadeia u 6i<
S"jt Quem quiser alagar ne;',ro:* pora o ser-
tico de eneliada ou abrir viveiros porterem
bastante pratica diiija-sea ra direita D-
cima 2 no segundo andar
i-T As pessoas que annunciarao precisar
de dinheiros a premio dirijo-se ao aterro
da Boa vista no sobrado que se esto acabando
do Sr. Manoei ires Ferreir,
tsr Ca us VVan Zves tem a honra de avi-
sar eos seos muito dignos alumnos particuia-
rafa e cor ; no paleo Jo C?rmo luja de Ur-
tarujjeirn D. f.
SST Urna morada d casa terrea sita na ra
do Caldereiro d bairro de $ Amonio n.
336 a qual est bypotlMcada aa abaixo as-
ruzes o'segudo andar do sobrado signado, eumescravodemili bonita lig-
ia ; na pjracinha dLivramenfa !> !
bastantes com modos para familia ; a tratar
na mehiriW.ida.le na un do balde casa ter-
rea d. a
&.. Precisa-se di Urna ama de lcite na
na das C
7.
r O abaixo assignado he senhor e pos-
snidor de tres sitios da nOms Tocum Sap,
e Arco verde em a comarca do N. Si de Na-
tarethdas farinba na Provincia da Babia, dos
quaes sao procuradores Thiago Jos Pereira
a Antonio Jos Pereira be por estes avisa-
do o abaixo assgnado que aparecer um pro-
curador .i Dr, Manoei Mauricio Reboucs i'
Cidade da Babia com urna eacriptura falca a
obstar a cobranca das rendas dos sitios, di-
zendo que o Dr. Reboucasos linba compra-
Jo ao abaixo assignado e por isso o abaixo
[tad > de; de a protesta cintra tal escri-
ptura falca dos ditos sitios pois qne m ven*
deo ao dito !)r. He' >u -as o sitio chamado da
Lapela db Padre Ra titeos e nada mais e
vi utar tloa meios que Ihe compete para obstar
setttetllante roubo.-Antonio Pinto Lopes
9WOS
aritiitios,
PARA (.) 10 HE JANEIRO segu ia-
gem'con toda brevidede o Brlgue Nacional
ifico, por ler parledacarga proropta e
nao espera para ir a barrotado ; quem quiser
carregar o frete ser comraodo, a tratar com
Umag/aride casa terrea sita na
vetba da i3oa vista com boas sallas cozinl,.
(ora quintal, cacimba e porto parala
ra da Alegra., c una pequea casa qu isrn
dora a dita ra da Alegra, em chaos pro,
uito bonita gju-1 proprlos; na rita do QoeimadoD. 7.
%sf Umaeaa terrea de pedra e cal, cora
HerculancJos de Freilas. Jsotao e quintal murado muito bom eni
x*g~ Urna venda Has 5 ponUs l>. 8 con rus do Misericordia da Cidade de Goianaa,
coatmodos para familia; a tratar no me.roo
lugar ). 11
ajan Cb isson isvon sekirt, vinbo do
Porto, madeira sheroy claret malvad,
ngoa ardente de franca ginebra serreja ,
vinagrebranco fumo americano, sal refi-
nado, presuntos iugtczes, batatis, salmeo,
sopas preparadas, conservas, mostarda al-
caparas sedlitz, sal de globes, vallas de
spermacete saho tintando todas as cores ,
olio de linhaca veruii lonatngbjza, lui.-n,
(lo do vella camisas de riscados ditas c!e
bada bonets para marujos, meias de algo*
.iT'i muito superiores sapalOs inglezes Ios-
loros tijl:>j de limuar lacas graixa tin-
ta de escrever c de marcar roupa oculos
de ver o longe chapeos do Chile ditos de
pa 1 ha americana carne slgala, bolaxa a-
mericaua cirros de mo para conduzir at-
ierro pregos i.* cobre maquinas de vapor
a tratar na mesma com IVlanoel Gomalves ,|.
Paria ou no Recife na ra do Livramei.ta
, ao.
gE3?> Camas de vento a ifiSoo ? muito bom
feitas e piulio da suecia de muito boa qun-
lidade* com S polegadas de grossura e da.'-l
dilfereites comprimentos ; em casa de J. Be-1
raoger na ra da florentina.
fec r a v os F11 i (i os
estatura regular ,
saagne
Sjsy Fugio no dia 4.He Outubro urna ne-
fra de nicao cabin-la idatio poueo mais ou
menos Jo anuos com os sijjnaes se^uinteS
olhos grandes Oom raios de
cara redonda pernos grossas ftfl
um com sigiiaes de l'ovtira denles limados
cor meia fula 5 levou vestido camisa de ;A-
ge oi'iho vestido de cbilia azul saia da
lila preta, e panuda costa : qualquer pessoa
au campanhn poder pe.rar e leval-o a seu
,!:V Snr.ManoelAntonioTava.es, pateo do Car-
modo; napracado Commercio a.mazem de
Joao Carrol! & Filbo,
i^r Um cava lio de estribarla oolimo car-
es consignatarios Amorim Irmos, ra da e- j regador baixo e roeio j na camboa do Carme
D. 9 e juntamente um selim,
Kif Urna escrava moca do bonita figura,
den ti.
PARA OARACATY a Lanxa S. Jos de
res que achando-se um tanto reatabelecido de 'que he Meatre Jos %taria de Assumpco, tem j boacozinbeira o engommaleira urna par-
sna longa e perigosa molestia que pretende I maior parte de sua rar;a prompia ; quem" I d de idade de 2o anuos, bo ama de casa,
principiar seus trabalbos particulares no dia quiser carregaroa ir de passage, dirija-se dus moleques de idade de 1J anoes, .5 mole-
1 ti do correte mes. o beco da iingoeta na venda de Jo*quimJo- cas de idade de n a i anuos, urna escrava
ts?- A pessoa que annunciou ler urna car-
ta para Jos Jacomo i'.sso queira entrga-
la nesta Typojraia.
s-zjr Roga-se ao Sor. J, B. L, queira ter
a bondade de mandar levar a importancia de
ll
s iebe'io a tallar com Jos Luiz de Souza.
jL e i ;1 o
Sgf O leilao da lobilia e mais obiecl -s
um bilbete da rifa de seu sitio, loja de pertencentes a Sorii Ule polinea annun- I molwtia ( boa cozinheirae quitandeira, por i'
5r. Cardoso Aires evitando assim ao lanun- iad para segunda feira :; '. 1 corren le ii a preco com modo a qual be vendida por sen So
cianle o nao pequeo traballio de continuar a |">r- novas occirrencia, transferido para odia faier precisa na dita casa vislo haverem ou-|
------------'SU
pequeo Iraliaiiio (ie continuar a por novas cccorreociSi transre nio p
procurar S. S. em sua casa. i que se annunciar.
SS9* Quem quiser arrendar um sitio bas-I ~----------.,------------------
tanie grande com tercas tanto para plantar iv O til |) V l S
com para ler urna porelo de vaccas de leite I ;' -- -------
pois lem muito bom pasto, ajjoa torrente,) *" Fraseoe que servitaem de agoa dero-
muilo boa casa de pedia e c.sl com grandes lonia de qualquer qualidodo j na ra da ro
commodos e ditos para escrarvos estribara, .cadeia n. 53.
CiTi coqueiros j cjueiros, raanjuerras ikr.
deseiros muito pe lo da praca e tem em-
barque dirija-se a ra d Florentina sobra- '
ino ). I quesera recompenados,
IST l.oga-se as aulboridades policiae,
pessoas partieuhres eeapiles de campo,
aprehen :o de urna negra creoula de nome
Vlaria quese acha fti(;iila desde o dia ao da
p, p. oi vista no Mecilea titulo de procurar
senhor tem estatura regular nariz grande
e afilado, fdta-lbe um dente na frente dt
parte d; cima lem pelas costas marcas pe-
queas de reio ; quem a pegar leve ao sitio
de 8goa fria a beira do rio bebiribe.
ts*r Fugio no dia 7 do correle um mole-
que de nome Guilberme de id .e de o an-
uos levou vestido calcas e camisa de riscado.
portee procurado de ira ra sup5e-se estr
I recolhido ern aiguma ca3a; quem o pegar la-
e a ra da cadeia n. 1.
S3S* No principio do mez de Oulnbro fu-
, tras de i-juaes babendades ; na camboa do: 1, m, 1 .
Carrol) 8 girao dodo silio de bonita lijura, de idade de 18 annos boa
para mubanda e um preto de idade do Jo
anuos bom cozinheiro; na ra de agou3
verdes 1), 38.
%&~ Urna escrava moca sera vicio nem
um casal de escravos pertencentes ao ca^al
V e ?a do novo ao pe da mar.
a*y CAl TBI.LA8" da Sociedade Fortunare urna casa, e vende na ra, uaia porco
noscheiado co^po tem cm urna perna umi
redes com banheiro e cacimba, dirija-se a Ir. contos de res 2oo,ooo j as lojas dos Srs. Lo-
jua do Rangel 8 ou auuui.ci le conse.....1 beleza tradu- pes Jnior ra da Cruz, Pitouiba Hallar,
to de nome Benedicto ebeio do corpo estap-
inra regular, barbado, de< suissas, oltiu
pequeos, vestido de calcas de brim branca ,
camisa de algodozinho levava urna amela
de cajs 5 quem o pegar leve aosio de Ma-
UP* A pessoa que querfazer a troca de urna ;idadoFi o olerecido as senha 1 na Souza Piulo e Tbomaz ra da cadeia ve-
cata nlo grande no baiiro ot Boa vista u uiencia loj*delivros n. o Iga Braga junto ao arco de S. Antonio, Jos
outra nos arredores destaCidad i-sca '' recode tacas. itonio da Silva e Jos Tavares da Gama ,
me da Alegra casa de LuizGon Rxxa. tro, du idade praca de Independencia, Claudio, ra do JorMa yerno corredor do iiispo que sera
tST l'iecisa-se alujar um sobradinbo 1101 a4 "os, 1 pa ; n, um mole- 1 Lbaves, ra nova nos-i cantos da &r*^c*~, .....
bairrodcS. Antonio ou u ou ': ladedeio um dito da mesma Boavisia nasduas vendas da quina e em ca-'
segundo andar
o boa ra para familia do- idade, un 1 negrinba livre de I 1 higas, e lo caixa da sociedade e a'ssign-tanos das Srs, de engenbo, donoide fatendas, eoe
da cadeia velha n ontio embarcaSoe:* que se p r v.mlura aparecer
; ju.rua nacional \>:<
aimazem, uu rcesmo para lomar conta de
nma tenda por balaniodo que tem Lisiante
pratica; quem precisarannuucie*
ki" Quem precisar de um caixeiro par
venda ou raesmo para engenho diija-se '
ao trapiche da compai.bia,
ur a banco de amarelo para marcinei- nba e engomma liso, e ptima para o ser- tem o dedo grande do F direito alieno par
r, e umsecretaria do mM.no, em omito fodecasaj em lora de portas na ra nova lo,a lttu. as C03sas t0(la P,ca,,a 4 reetbeo
bom uzo ; n ra da ca lei. n, j i, .o pilar na segunda casa do lado do poeute UJ Mu MS9 **?*"*' l"m uroa oreIlw u'
irnfi preta, egomma e cozinha iudo uo sul para o uorte. rada eom um brtaco -Francisco Josd utrtei
em forado portas em casado lialiazar Jos t Urna ca roja quasi nova, um par de ssr Fagio o* d*a 8 do corrale um pretw
cneReii rodas, urna canga I ha com um parde cassam*- jde n5o canvnge conbeeido por .Manuel
sv 1 endo-se lirado do correip viudo do Hl" Urna venda na Cidade de Olinda bas Uauures para azeile, um pipa para do,
'i de Janeiro duas cartas para Jos Goosal- cena poneos fundos-, e em bom lugar; ama eoutrosarranjos de silioj.nos Coelboi casa
ves de Futid como urna Ihe Jija resjieilo e
outra nao o Sur. que ler de i^ual nome ,
queira procurar edita, carta no bolequiro do
i do tbeatro.
r Pede-*e aoSr. i'. J. S. por sua bon-
dude queira pagar aquelles 44100 du ensino
: us pequeos, p ;is a l<,zem d >us anuos ,
ea^oiaodr estem melkor circunstancias,
: jur Mj 1 as j arcellas c^mo se tem j
. ases nas loj is d > sobrado D. a. ; do Sr, GadauL
^y Daas pi tas mocas com bujs habeli-1 Salde Ass muito bom a bordo do
dadrs ama moiata de meia idade boa para 1 Brigue LscunaS. S. Jos tundeado defrou-
ama de ama casa > pretos mocos ptimos
para to lo o trabslho um dilles he cozinhei-
rcesapateiro, um preto seibo pur 100,000
ptimo para botar sentido a u;i sitio t aio-
e.jues de idade de 1 anuos muito ladinos ,
e um 1 negrinba da mesma idade ; na ra de
do; poieiu a pona voatade e genio o la 1 cesa-terrea D. 3;,
.. ooiur, e porisso =e ndvette, pois do I 1 r lima venda na quina d roa de Encan-
tamento n. 5 co:n poneos fundos ; a Iratai
contralto se far publico o seu nome por ex-
tern
. r O Sr. que quer comf-ri-r mea ."nula e
- .iodo .;.a .i acama difitase a rtM do
v' loado ioja 1 1 j.
na mi sma.
t r Pentes de tartarup.a da
moda para co-
< liso, e pira marrafas, feitos na
1 r; e incito bem feitos ; assim como se des-
eW* Atofa-se lepteeat a feota um so- j manenu ptniei p/audM para se fazei de mar- ca d chanco J.
le da lingeeta ; a tallar com elino Gonsal-
ves Pereira Lima na ra nova L). *i,
_- Urna escrava de idade de ib annos ,
engomma cozinha lava de sabio e urna
dita de idade anuos comas meamas ha-
beiidades ambas se do a conteni ; na ra
direila i), ao lado do Livramento*
& V i"-o do Porto de Xerez e de Te-
nerife, ern barrise engarrafado das quali-
Jades mais luperioresc estimados, que vem
i este mercado] id ra dos bafbeiros n, t.
t.%.!- Um negro de nac.io an;;ola, eiuda mo-
::> c forte s*m vicios; na ra nova fabri-
novo de idade de *j annos, estatura mail
que regular cara lisa cabeca e rosto pe-
queo muito potica barba denles lmalos,
tem a perna diieita ir.eia loria e mais grossa
que outra lie serrador e canoeiro levou
vestido camisa de riscado azul calcas de 011-
tro riscado mais lar^o, e de algodo da tena
por baixo ; quem o pegar leve a Jos lupino
de .Miranda que gratificara
OT Uomiugo t do crrante fugio um es-
cravo de nomo Lourenco estatura regular ,
corpo lefurcado cara redonda, nariz chato,
pouca barba levou camisa do madapolo
calcas de brim branco, chapeo de palha ;*
veibo he canoeiro. e pertence ao Sr. Fr*u
cisco Jos da Costa; quem o pegar leve a ra
de agoas verdes O. Jt que ser recempeo-
,ado.
UPXilFB KA 4*Y i 4>E M. F. Lh F,-*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELWBIP2LO_ZL5GKT INGEST_TIME 2013-03-29T15:04:19Z PACKAGE AA00011611_04161
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES