Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04149


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo 5 1840. Sar&aix>
-.s'fUd2*gWadepet,ded osmew; n prudencia, moder-
is, \? V**?* '" conB"emos C9mo pnncipiaows, seremos te onladoc
a cdmuacSo entre as Naces mais cultas.
ProclamarSo da Assemblea Geral do Brasil.
?.
Subjcrew^a para esta folha a 3Jooo por qoartel oms linn-J.
resta Typcgrat., ra dsC,Uzes b.S.^n.TrS S^SSoS?
a o. 57, e 38, onde se receliem correspondencias JecaliJdu tT1.
PARTIDAS DOS CORREROS TERRESTRES.
>
Odadeda Psrahiba e Villss de so* pretencao i'.'. .
Dita do Rio Grande do Norte, e "Villas dem
Dita da Fortaleza e Villas dem.......
Cidade de Goianna..............
Cidade de Ohnda...............
Villa deb. AotSo...............
Dita de Garanhuns e PovoacSo do Bonito .' .".' f^TS 'a**
Ditas do Cabo, Serinhacm, {lio Formozo, e PoV o vo.' \ i t ^ 7"
Villa da Parande lores.. ...... ........J g
* odos os Corrctoi parten aameio dia, ^ J
31 de OTt/irao IVovr. 258.
i#63o
fSeg. Sextas Mi
Todos os dis2
Quintas {iras.
PMASES DA LDAgiNO MEZ DEOTB.!
La Cheia a 11 as 4 h. 64 rn. da mao.
Quart. ming. a :7 as o b. 3>r m. da tard.
La Nova a i$- as o h. e 58 m. da man.
Man ehcia para odia 3i de Outubrol
As 10 horas e 6 minutos da tnanlij
As 10 horas e 3o minutos da Urde.
CAMRIOS. Otbbo 3o.
Landres......81 d. por ijjooo czd.
k'5*2** ......80 a 83 por o|o premio por metal offerecido* j
branca......3a5 rei por franco.
Hio de Janeiro ao par. Coiap. Vendas
UR -- Moeda de o^oo reis, velhas Mfooo i4,f/)0o
}}*** ; .. novas I4#5oo -14^700
n'5m. h.rei5' Ufooo 8*200
PKATA Patacoes Hrnsileiros --.:-. i*fj3o .
PezosColumnarios------------if6*4o -
Ditos Mexicanos ---.... 1*610 -
Muida. ----.-------------- 1^440 .
Dsconto de bilhetss da Alfandega 1 por loo ao mez.
dem de letras 1 i|4 a 1 i|a por boas firmas offerecido.
Moeda de cobre 3 a U por 100 de disc.
DAS DA SEMANA;
S Segunda S. Evaristo B. M.Audiencia do Juis de Direito da *.'
vara.
V} Terca S. Eiesbo Imperador. Itelaco e audiencia do Jaiz de Direito da
1. vara.
a8 Quarta S. Simio e S. Judas Thadeo App.
19 Quinta S. Feliciano M. Audiencia do Jqit d Direito da a
vara.
3o Serta S. SenpiSo B. Audiencia do Juia de Direito da 1. vara.
3i babuado jejumS. Qainlino M. Relaco a Audiencia do Jah de
Direito da 3. vara.
1. Domingo Festas de todos os Santos.
RIO DE JANEIRO.
,'
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS SRS. SENADORES.
Sesso de 10 de Seterabro de 1840.
Presidencia do Snr. Mrquez de Paranagu,
Arprova-se a acta, Ie-se o expediente e
cntra-se na ordera do dia.
Entra ero dbcussao o crdito supplemntar
para satisfaco das reclamases dos suhditos
Fortugneses e Brasileiros.
Tomo parte na discusso os Snrs. Mello e
Mattos Calrnon Mrquez de ParanaRu ,
e Vasconcellos e fica a discusso adiada.
O Snr. ministro da fazenda he introduzido
no salSo coro as formalidades do regiment.
i Continua* discusso do projectod lei con-
ftedendo o crdito volado pela cmara dos de-
putados.
O Snr. Vasconcellos nota explicando boma
exprsalo sua que como legislador nao que r
dar ao governo se nao a Torea da lei, que
ao.quer a iniciativa das massas ; pois de
oulra aorteno aver governo forte, mas anar-
cbico. Deixando de parte as consideracSes so-
bre a preferencia de imprestimos externos e
internos nao sabe a razo porque se deve o
Paiz empenhar para pagar a amortisaco atra-
sada do emprestimo poi Cuguez: que, se as-
sim se fizer, o que .acontecer be pagar-se o
juro por mais bum auno o que be prefejie
vel acontrair-se bum novo emprestimo para
pagamento da amortisaco atrasada.
Nao sabe qual o motivo que tem o nobre
ministro para nao adiar o que se deve as pro-
, riadas ; nao diz que se nao paguem as so-
mas decretadas mas que sejo desembolsadas
ero circunstancias mais favoraveis.
O Snr. ministro da fasenda Farei to-
dos os exforcos para ver se me he possivel res-
ponder s obstrvasOes feitas pelo nobre se-
nador que falln bootam en nltimo lugar,
assim como ao nobre senadof^que hoje ence-
tou a discusso e acaba de seutar-se. O no-
bre senador quo acaba de fallar dizque quer
hura governo forte, nao com a iniciativa das
masuts : Supponho mesmo toletar bum go-
verno transpondo a meta da lei, com o m
deextorvar e comprimir semelhante iuicia-
lia. Quanto a miro declaro que s quero
{jovemo torte com lei; porem nada de ca-
tete, nada dos furores da auarebia, (Apoia-
Jos).
Quanto eo que o nobre senador disse a res-
peito da ingerencia do governo 3ob*e as elei-
.f oes dos collegios eleitoraes nada posso por
ora responder porque nada sei j limitme,
^ior conseguinte a asseverar que, se bou ve
Iguma ingerencia nellas da parte do minis-
tn do imperto esta foi de certo fundada pa
Passarci agora a submetter a aeco de ex-
trae-imparcial Igumas das observacos que
e lorio feitas pelo nobre senador que hon-
t;ra falln por ultimo. Elle avau?ou que
eu na sesso passada bavia sido bum sec-
Urio da emisso do nosso papel-moeda. Creio
que a piopcsico do nobre senador seria de lo
(?ta mais vigorosa se avanfasse que eu parli-
are com alguns celebres economistas a opi-
nio de que hum papel fortemenle hypoteca-
Wo pode supprir a falta da moeda ; se as-
im se esprimissse, tn nada teria quo repU-
ar-lb, porque ajnda cstou nestiy princi-
*
pios. Demais, creio mesmo que o nobre se-
nador olviilou-se de proposicSes ento por
mira emiltidas } huma aellas foi o peguntar
eu era quanto monta va os papel regalado ; a
ulra pergunta ou interpelaco minba foi se
esta somma de papel resgatado bavia produ-
zido algum abalo no cambio. Eu a inda me
record das resposlas que o nobre senador deo,
sendo ministro : nesles termos, admitti a
misso de bum quantilalivo pouco raais eu-
menos igual s notas que havio de ser res-
gatadas ; e porque forcavo o accrescimo da
renda sobre o vinho e bebidas espirituosas,
buns era seis seutos, outros era oitocentos e
al bouve quera orcasse em mil e duzentos
coutos apr.liquei-lies esta para sua amor-
tisaco : lodavia, suspeitoso de que uunca po-
detia montar a tanto, porque sempre fui de
opinio que inpostos damasiado p?a Jos pou-
co produzem por diminuirero o consumo e
abrirem a pofta ao contrabando (apoiados) 5
nao contente ainda com esta hypoteca (e
o nobre senador deve de ter conservado tu-
doiito em lerabranca ) addicione-lheoutra,
isto be buraa parle do accrescimo de direilo de
importaco, deduzida do augumento que ne-
cessariamenle devio ter com a expiraco dos
tratados desde i8aa, e para esse Gm eu que-
ra que o governo se apressasse a coramu-
uical-a s diversas Naces com quero ain-
da tenharoo3 tratadas, protestando uunca
mais renoval-os porque o senado sabe que
fui sempre opposto a tratados de coramer-
cio e nao estou avesado a mudir de opi-
nio.
O nobre senador deve por ultimo tambera
lembrar-se de que, sendo a somma volada
para o crdito superior a que en bavia orea-
do, votei contra o crdito 5 por tanto nao sou
to sectario da emisso de papel moeda como
pareceo ao nobre senador. Nao posso igual-
mente concordar com o nobre senador, que a
cesa?o do resgate do papel moeda nao se-
ja huma falla para com os credores do es-
tado.
Eu supponbo credore do estado os possui-
dores de olas e quando o corpo legislati-
vo principia faltando lei da bum ex-
emplo assaz pernicioso, e nao he para admi-
rar que a moral dos povos cada vez decresca
mais. Note mais o nobre senador, que ii-
gumas das rendas com applicaco especial, co-
mo por excroplo, 03 tantos por cento addi-
cionqes de artnasenagom solFrero grande
opposico da parte do commercio e que es-
te prelendendo faser representaces re-
signou-se a final a pagal-os, em allenro ao
Gm que era o resgate do papel, medida
sempre reclamada pelo commercio. Ora,
quando o corpo legislativo d o exemplo de
Oesvial-os do resgate para quo a lei os ap-
plicou que mais poder esperar o credor do
estado da legislatura Brasileira e por con-
seguinte do governo? E, de enloem dian-
te que vira a ser o papel brasileiro ?
Qual sua hypoteca ? A duvidosa e trivial
promessa do pagar algum dia. Desacredi-
tado por nos mesmos nao acarretar continu-
as vacilarles ao mercado ? Nao abalar o
cambio ? E abalado este a quauto monta-
rao nessas dvspesas para o pftgaffientotia nu-
sa divida externa ? Refiecti cm ludo isto ,
senhores.
O nobre senador que acabou de fallar ha
pouco, disse que eu consent na redueco de
hum por cento e do juro de 5 c 6" por cont
das ApcQSs resbaladas da divida interna ,
eque, por consejuin'.e parece qne devia
tambera consentir em todas as demais ; e eu
perguntarei ao nobre senador se, porque con-
sent huma deverei consentir todas ? Os ar-
gumentos em lgica de menor para maior,
sao muitos fracos demais quando eu con-
sinto ludo incuto suspeitas aos credores do
estado, de que nao pretendo trilhar outro
norte, e para nao merecel-as be que duvido
adotar flemelhanles redueces. O nobre se-
nador tambera disse bontem que podamos
reduzir os seis cotttos de rs applicados para os
exaines de minas de carrode podra. Eu con-
cordo com o nobre senador t estis sao igual-
mente as minhas ideias conformes com as
suas ja no lempo do seu ministerio porque
nlgumas veses tratamos deste assumpto por
que no schito argiloso das Ala;oas aparecio
alguns t j(;ulhs de carvo de pedra nao
se segu que baj a forraaco capa? de ser la-
vrada com proveito ; o mesmo direi da deno-
minada mina de carvo de pedra onde s se
tem conservado poryoes de liquido e nada
mais.
Tentar pois exames que nao promettem re-
sultados vantajosos e tental-os pelo sim-
ples praser de despender sera duvida me
nao parece acertado. Concedida porem a
redueco lembrada pelo nobre senador per-
flalo : Que vera a ser seis contos de re-
dm-c-io em hum crdito de 9,000 e tantos con-
los ? Hum grao de ara,
O nobro senador que fallou bontem por
ultimo disse que podio faser reduceSes no
ministerio do imperio.
O Snr, Alves Branco. Perdoe ; eu dis-
se que era ministerio que quasi nunca des-
penda o seu crdito, mais nao que fizesse
red uceos,
O Snr. ministro da fasenda Est bem,
suporei que nao gasta o seu crdito e que,
por conseguinte se deva faser aljjumas re-
duccoes. t'ara fasel-a cumpre saber o quan-
tum definido. Ora, o mais ou o menos que
se nao despende no foi ainda determinado
precisamente ; lo o he impjssivel ten-
tar nelle huma reJuccjo corta ou em ou-
tros termos, precisara cifra que deve ser
subtr.ii('a. Igual raciocinio poJeria ser ap-
plicavel repartirn da justiy que umbeo
nao gasla o seu crdito, e a da guerra quin-
to ao saques,
Resta-me huma s relexo ao nobre se-
nador e vem a ser que, passado o crdito
tal qual foi emendado pela cmara dos Snrs.
depulados, se houver acrescimo em qualquer
daj mencionadas reparliques, o ministro da
fasenda encarregado de contrahir o em-
prestimo nunca o far da somma inteira ;
o ministro da fasenda nio ha de contrahir
em prestimos que reputar desuecessarios, edos
restos, se os houver, ser iuteirado om
lempo o corpo legislativo, como he sua obii-
gaco
O nobre senador fallou igualmente dos sal-
dos das Provincias : creio que est engaado;
oro elimiuados no projectos emendado pela
commisso do orcamenlo da cmara ; e lano
he assim que se diz no artigo 6. b'i-jquea pergunta do nobre senador eras
cao revogauos os artigos ete. (lej Ora, he
esia lei que us manava pagar ; por conse-
'uinlc o Thesouro os ineiuio no crdito ;
e fui Jo poieo elimiuados pela cmara dos
depulados*
O Sur. Alves Branco, A commisso to-
inou outra veieda.
O Snr. ministro da fasenda S nao be
assim a que fim veio este artigo revogin-
do a lei de 4 de outnbro de 1838, nos artigo
que ordenavo emelbantes pagamentos ? De-
vo por ultimo adrervitir ao nobre senador,
que essas ordens aos presidentes para qne ne-
nhuma despesa faco que nao seja decretada
pela lei, excepto em oceurrencias extraordina-
rias caso em que sao obrigados immediata-
mente a partecipar ao governo estas ordens-,
digo havio sido dadas pelo meu antecessor,
e por mim repetidas com restriegues inda
maiores creio porem que ellas nao basto;
o presidente e mais funecionarios nio esto a-
vesados obediencia da lei, e tem para dea -
culpar-se ou a no vi dado do sy atena, ou a
gravidade das circunstancias oceurrentes; ho
o temqo, e s o tempo quero nos ha de ama-
durecer e costumar-nos ao respeito de nossaa
inslituices,
O nobre sanador, que ha pouco falloa,'
disse que eu o bavia aecusado de, com as suaa
reduejoes querer tirar a for?a ao governo ;
e eu respondo que o aecusei, e que s me li-
mitei a I be faser sentir que da falta de meios
resultava a fraquesa e que o governo des-
tituido dos dinheiros necessarios a satisfaco
de suas dividas devia desicreJitar-se a
desacreditado ser-lbe-hia diSicil se nao ina-
possivel o contrahir emprestimos cota
vantagera. Sinto nao poder continuar ; mas
e meu estado habitual de saude m'o veda.
O Snr. Calmon a vista da discusso que
tem liav Jo boje, nao pode deixar de fallar o
de emitir a sua opinio sobre o crdito que
se discute. Reconbece a existencia do dfi-
cit que existe, porque a guerra e as com-
moces intestinas4 deslroem o equilibrio en-
tre a receita e a despesa, augmentando esta
e deminuindo aquella. Forcado a nio e-
mendar a lei do crdito como desejara e
fasendo ao paiz o beneficio de alguotas re-
dueces ve-se obrigado a invocar o patriotis-
mo do nobre ministro, para que fa?.a elle
pioprio essas reduice*, oque poda faser
sem compromettimento do servido. O orador
para provar sua asserco, especifica impor-
tantes parccllasque o Snr. ministro pode cor-
tar ; entre asquaes a saspeuso da paga-
mento dos saldos das provincias. Como de-
putado. O nobre orador oppoz-se out'ora
decretaco dessa despesd quu hoje constitue
divida ; como ministre, cora repugnancia h
executoa.
O orador faz outras relxes acerca do
reconbecimenta da senbora princeta D. Ma-
ra Amelia ; e de hum presidente que suppoc
nomeado para a provincia do Ceara.
O Snr. Alves Branco explica em piu-
cas palavras como a commisso da cma-
ra temporaria englobou no algarisraa do
crdito o pigammeuto das preslac.es s pro-
vincias.
O Snr. Calrnon declara que estara en-
gauado quando disse que a amortisaco da
dividiexierna esta va suspensa por lei; e assim
pois peda ao nobre ministro fuer ahita eita
redueco.
O Snr. ministro da f asen di Eu peuses
aa-
uinrtisaco dos emnresltmos BfaseiroJ ss tt-
nha feito e ea respond que nao, A miaba
res posta negitiva nao tiuhi em vista a lei do
orcamenlo,
Quanto ao saldo se bem m..- lembro nio
me encano a Commisso apreseutou-o de-;-
senglobadamcnte ; quiudo marcou o quautfe-
talivo para as Provincias supprimio esie te' ^


3 A 5! B V C O
Hitilll III mKjJg
4 cempieliendere Bupetfluidade do artigo 6.
Fico revocados os artigos taes e laos. A-
gora di-vo responder no nebre Senador sobre
arguicio que le ao Governo de que fago
parte. O Gabinete usa muito longu de nao
querer reconhecer como Princesa Brasileira a
Senhora D. Maa Amelia e o contrario se
deprchcude da inmediata apresentacfo de
huma Proposta sua para este im na Cmara
dos Snrs. Deputados, onde devia ter comeco
o seu reconbecimenlo. Se ipembros do ac-
tual Gabinete se oppiuero nesta casa emen-
da que Ihe consiguava alimentos fizero-no,
e com toda a i usina na plena eonviccode
que era manifesta altera? o de ordem em hu-
ma questo de tanta magnitude era princi-
piar por onde se devia acabar, porque alimen-
tes nao sao dados aos Principes seno depois
de reconheeidos, e, no caso de que se trata ,
esta Autoridade eatc s delegada ao Corpo
Legislativo. Ero huma palavra seraclban-
te emenda era bum manifest desar para a
Augusta Princesa e para a Legislatura Bra-
sileira. O Governo pois cumprio seu dever ;
e o tesultado da Propasta nao corresp >ndeo
aos seus desejos fi-juo o nobre Senador cer-
ta de que o Governo nao leve parle alguma
na demora ; se a Cmara temperaiia senlo
rene ,' detta falta de reunio nao be o Go-
verno responsavel. No liio de Janeiro ainda
lia numtio mais que surcienle de Snrs. De
putados j reunidos elles a Propusta pode
assar eiu bum momento porque compre-
:ende bum simples artigo
A rtspeito da noroeacio de Presidente a que
al lude o nobre Senador por ora nao sei que
a bouvesse e nao sei mesmo de queni falla-
Se o nobre Senador exige do Governo que
comee para as Presidencias de Provincia pes-
scas iuleirair.eute indifleiente a partidos .
confesso que aos eucarrega de huma tarefa ,
ser.o impossirel, pelo menos demasiado dif-
cil.- Como se pode conceber a existencia de
muitos bomens inilerentes em Governos mix-
tos e por isso Governos de partidos ? llum
tal achado seria verdadeiro milagre pela sua
raridade. Homens indiilrentes sao bomens
murtas para o systcroa que nos governa.
Se porem o nobre Senador dissesse que o
Gabinete nao tem escollado simplesmeute bo-
mens que partilho uas ideias que os tem
procurado em bum e outro partido. ento
tiizia huma verdade e fazia-nos justica. Se
por ultimo o noLre Senador entende que o
Gabinete deve excluir, ou nao de ve escolher
ra Presidentes bomens que mais ou menos
ib5o arrastrados pela torrente revolucionaria,
que mais ou menos vari.'rao de opinies po-
lticas consinta que Ihe diga que se engaa
bem poucos se pedem dizer puros, depois
que a borrasca aua de actes mais ou me-
nos condemnaveis que seu coraco eempre
tlesapprovou ; em huma palavra lancemos
as vistas para a Franca ella conta eni seu
teio hoaiens respeitaveis que tem feilo rele-
gantes serviles e que nao pudem alardear
de illiliados e puros no meio do voIco revo-
lucionario que ameacou devoral-os. Por ul-
timo metamos a mo eui nossas conscieu-
cias e seremos justos para con* todos He
tjuanto posso dizer a tal respeito.
J'osto a lotos o primeiro artigo, be ap-
provado com a emenda da Cmara tempo-
raria.
Entra em discusso o artigo segundo da
Propo.ta cora a emenda da Camal a dos Re-
putados.
O Sur. Ministro a Fazenda pede Breara
so Senado para retirar-se por nao poder
continuar a discusso atteuto o seu estado
de saude. S Ex. retira-se cera as lrmali-
dades docstylo.
artigo a. be approvado sem debate.
Vassa-se a discutir o ai ligo 3. da Proposta
cem a emenda da Cmara dos Deputados ,
que altera a sorcma concedida ao Governo.
O Snr. Vasconcellos luz aiguinas observa-
tees contra a doutrina do artigo j e declara
que vola contra elle.
Os Snrs Ahes Branca, e Calmon fise-
To es mesases rtilexes lulas pelo Snr. Vas-
concellos*
O Sur. Costa Ferreira diz que nao achava
rasao nes queouu'oia neguvao pao e agua uo
Governo, quaudu este nao poda consultara
JN'aco disiolvtiido a Cantara ; mas agora be
o caso de negar pao e agua 5 o se elle arador
cceasse o males que itceio os que iasem
opeeico aoait.,maJaiia emenda a ftu&a nesse
tuitido. JNo sabe de queseiveni esses ion-
ios discursos ; ebeios de principios Guancei-
ics, bem vertidos, e tompara-os com esMS
ui voies lit-ndosas porem esteris, que oie-
lecero a njaldito do Redemplor do inundo :
pieleie asai vores seai lolhas que do truclu.
v Suri ijiianua Cd**lcauli a^uuoa pre-
tenden fugir s discusses era trancara
I Cmara dos Deputados ; antes tem comprimi-
do seu desejo de fallar atlendeud ao inte-
resse publico e posicao do Estado : ni se
servio de intrigas particulares p^ra adquirir
I o couceito de que gosa, mas siua da pubci-
Idode que nao rejeita.
?o sabe se ba nella alguma diTerena en-
! tre Ministro e l-epresentante da .Nacao: julga
que conviiia pissar oLelhes, n^ paraes-
quecer-so de si \ mas de alguem. Sabe quan-
to Ihe be prejudicial o nao responder a al/ju-
mas censuras que se Ihe lem feito ; nao des-
presa nem a \dtninislracao nem as obser-
vaces que Ihe sao fei'as, lisongeando-se que
os nobres Senadores que se tem opposto ao ar-
tigo pelas rases (|ue p^-ider-Io presto syu
apoio Administracao. Pede que reP.icto
na posicao do Governo e eulendo su silen-
cio e seu sorso pela convieco de sua cons-
ciencia. Protesta qae en lempo se iudem-
nisaiv do silencio que tem guardado e res-
ponder s interpellacOes.
O Snr. Alves ranco linba escrpulo de
votar pelo artigo em consequencia da obs-
curidade ; mas eessa o escrpulo depjis que
o nobre Ministro declarou que os Senadores
Regenerado ou della. dusenibarearo depois
de elarem abordo os recrut'is llcrnardu Ro-
drigues e Msnoel Alberto Luduvico cora-
prehendidos na guia geral das pracas que pa-
ra a Capital do laiperia seguiro na mesma
Corveta a 3de Julbo ultimo.
Dito Ao Major Coiumandaute interino
do 3. atalbam d'Arlill.eria Mandando
suspender do 1. do corren te em diante o
cobramento e pagamento da eonsifjnsco
mensal de io,$'rs. que se abonava a familia
doCapito de Cacadores deLinhs M, L. T.
de A. Maranbao ; por isso que de Ordem de
S. M. o I passava a vencer dita quautia pela
que tem eito rtl-jxoes presto seu apoio ao
Governo. Coulia que nao se iar emissao de
notas.
O Sr. Hollanda Cavalcanti: O Governo
nao ser bancarrotero.
O Snr. Alves Branco tem toja a coufianca
de que assim ser. Ruspondendo ao Snr.
Costa Ferreira diz que seus discursos tem
todos sido fundados em raciocinios e que
desejava vel-os respondidos : ne manda e-
uienda porque j est regeiuda pelo Sima-
do pelo fado de uo qucier ouvir o parecer
da Conimisso.
Da-se por discutido o artigo e be appro-
vado. Sao tambem pnrovados os aitigos
additives e toda a Proposta para passav
terceira discusso.
Contina a discusso do crdito de mil ton-
tos para indemisacao dos subdiius Brasileos
e Portugueses.
O Snr. Vasconcellos insiste as ideias e -
mittidas anteriormente.
Julga-se discutido o artigo e he appro-
vado.
O Snr. Presidente d a Ordem do dia, e
levanta a Stsso depois das a huras e meia.
PBRNAfflBCO,
COMMAJSDO DAS ARMAS.
Fxpedienle do dia aa do corrale.
Officia Ao Cammandante interino da
Fortaleza do Brum couimunicando-Ihe em
resposta &o seo olficia de ao do torrente, que
estavao passadas as urdeus ao Arsenal de
Guerra para a remessa do pedreiro que li-
nba de concluir osconcerlos e para o lorne-
cimeuto do novo masiro da Baudeira que re-
quintare.
dem do dia *3.
DiloAo Exni. Gocimundane dns A*-
mas da Coi te, requisitnndo-llie a guia do i.
Cadete Francisco de Soura Costa Monleiro ,
queba poucoobtivera passagem do I. Regi-
ment de Cavallara Llgeifa de Linba para
o 4. Fsquadio da mesma Arma esta Pro-
vincia a bm de se abrir no Livra Mestre os
campetrutes asstnlamentos de praca.
Lito ~ Ao Inspector da Tneaourana re-
enviaudo-lbe o lequenmenlo, e mais papis
da boticario Victorino Ferreira deCorvalbo ,
e significando-ihe que em vista da conta or-
ganisada pelo entairegado da Coatabilidado
Militar d'acord com os termos d'arremala-
cao e livros de receiluurio do Hospital Re-
gimental, neuhum embarace via para que
deixasso de ser pago o mesrao boticario da
importancia dos remedios Ib-mecidos, desde
i(i de Fevtieiro, at t de Julbo do crrente
anuo
Lito -- Ao mesmo coinmunitaado-lbe ,
que de ordem de S. M. o i. expedida em
aviso de t do correut pelo Ministerio ia
Guerra, se mandaia suspender do i. do cr-
lente em dianle a piesUto mensal de roU
res, que por esta Capital se abonaba a la-
inilia do Capito de Cacadores de Uaa ,
Menoel Luiz Tapeti d'Alnujuerque Mara-
nbao, visto que passava a ser pago desU
quautia pela Pagadura das Tropas na Lorie.
Dito -- Ao '1 cuente Coronel Cummandaule
do Deposito mandando por a disposico do
Comn.undante do 3. alalbo u'Ajtilliaiid
un dos subalternos Uo mesmo Deposito para
servir de vogai nos L-onsellios de Disciplina ,
que hiuo ser i ti I os por quelle Bataibao.
Di lo Ao mesmo piocuraudo saber se
j Pr algum aossdeotfl de que uo liohs tonbe-
itiuenu;? deMT|a de embarcar ua oryeta
Pagadoria das Tropas na Corte.
j),l0 Ao rVlajor Comraaudante interi
do Esqaadrao N. i\ de Cavallari* sobre a
roaneira de tomar elJ'ectivo o fornecimento
dos Cavallos que por Le eimpetiao aos ol-
Beaea do mesmo l.'kquadra eai rasao de seus
exerciaos.
}!{o__Aomesmo, mandando por a dis-
posica da Gommandante do Artilhea un
dos ofBciaes Cominaodantes de Companhias,
para ser empre;;ipo como Vogal na cuiieecu
dosConselhos de Disciplina que por falta
de oibeiaes dispouiveis naquelle Balallio,
nao pdia ser eilos sem eite auxilio.
Dito Ao Commandanie interino do 3.
Balalho de Artilbarii comuiunicando lbe
em resptsta *o seo olicio de a% do correule ,
que pelo Esquadrao de Ctvallaria e nelo
Deposito, era posios a sua disposico djus
Officiaes para serem em pregados como vogaes
us Conseilos de Disciplina quo linba de ;
proceder ficaudo por esta forma sanado o.
inconveniente da falta do officiaes qtte expe- !
riineiitava no Bataibao pan dar oiidaioenio
a ditos Coaseliios.
Dilo Ao mesmo dizendo-lbe em solu- ;
cao ao esciarecimeato pedido em seu oihcio:
de 11 du trrenle que o soldado estrangeiro
Fiederico Scbuctr venca diariamenie tooU
reis inclusive a Etape, segundo as coadiccoens '
do seo eugajameuto e que este veacimeuto
lbe deveria ser abonado desde odia em que
passou a pertencer ao Bataibao em quatidade
deaddido, ticando preso para Coasclo de
Guern era cunsequencia da deserco qu
comroetter*
Fregnezia da S reraeltend) igualmente acta
da anuraco geral dos Jnizes de Pai e Verea-
djres ; oulro do Colegio da Freguezia de
Marauguape enviando Uo bem a Acta da a-
puraco de Juizes de Paz e Vereadores; uu_
lio da Capella Filial da mesma Freguezia de
Aviiranguape remeltendo a Acta da apuraco
de Juizes de Paz e Vereadores : outro do
Colle-jio da Capella Filial de Beberibe per-
tencente a Freguezia da S, remetiendo _
goal mente a AcU da apuraco geral de Juies
de Pax e Vereadores ; outro do Colegio da
Freguezia do Po\:o da Panella remetiendo i-
guahneute a acta da apnraco oe Juizes de
Pac e Vereadores ; outro do Colegio Eleito-
rada Freguezia da Boa-Vista remetiendo a
acta da apuraco de Vereadores da parta
pertencente a este Ylunicipio } a Cmara fi-
cou inteirada e marcou os das aa e a3 da
correte me para a apuraco geral dos actos .
dos Ccllegios Eieitoraes
i'ouverao rajueriaieutos de partes e forao
despachados, Dada a hora o Sr. Prezideote
ievaaiou a Sesso deque iz a preseate aeta,
em que assiguara. Eu Joo Paulo Ferrei-
ra Secretario a escrevi.
Passos Macial Monleiro Padre Pereira i
Laage Jnior Cardim.
Administracao dos Esiabelecimentos de Car
ridade,
Havendo a administracao dos Estabeleci-
1 mentas de Candado resotvido fazer no dia
primeiro do futturo roez a revista geral des
expostos 5 manda lser publico afim de que
todas as pessoas eacarregadas dos mesmoa
ex{)Oslos compareco com elles na respective
casa no indicado dia as oito horas da m.mb.
Sallo das Sesses da Administracao dos
esiabelecimentos de Caridade 17 de Cutubro
de 184o.
J. Ms da Croa
Escripiurario.
Diversas iiepartices
PREFEITURA.
Parte do dia 3o do crtente.
I lira. ti Exm, Sur. Foro bontem
presos peloSub-PreO-ilo da Freguezia da Baa>
vista o preto Miguel Mondes e a parda Ge-
Irudes Maria por serem de raac comporta-
i ment e terem insultado com termos obsce-
I nos 8 visinbanca ; fofa recotbidas Cadeia ;
e que das parles boje receidas COUSta que nao
occorreo mais novidade-
Illm. e Exm. Sr. Achando-se ha in-
menso lemp) presos na Cadeia desta Cidade ,
e pesaudaes leudas Provinciaes varios Reos ,
sendodestes ^ 4 perteiicentea Provincia da
I3abia e a da Paralaba do Norte o de
; prximo 1 \intlo da Comarca do Bre;o e
; perlencente a Provincia das Aiagcaa ; e leudo
leu por di'Oerenles vezes requisitado a'easa
Presidencia providencias para que elles sejaS
transportados ao logar de seos destinos: sou
i por isso a rogar a V. Bl.ee digne do lomar era
considerafo esta miaba representa^o lira
;de que possa ser levada a eUeitO,
Dos Guarde &c,
CMARA MUNICIPAL DA CADE
DE 0L1NDA,
SKSSA Lm it uii SKTEMliRO
Presidencia do Sr. Passos,
Foi alerta a Sesso estando presentes os
Srs, Veridore, Laage Jnior, Padre Pe-
reira, Maciel Alaateira, o Cardim, (alian-
de rom causa os nu* Srs.j elida a acia da
antecedente loi approvada.
O Secretario dundo tonta do expediento
'mtiicioiiou o segniutes oflicioa.
mdoExm. Prexideuta da Provincia re-
metteudo os Actos LegiijiiVoa Geraes deM.
97 a 10b a Lollecco das Demoes do Gover-
no de 1\. im a '2o5, 0 as Decretos e Re-
gularotntos do mesmo Governo de N. 38 ,
49 4". 4. a^incluwTe, i0(los pub-
rados no piesenle auno e que aesta occasio
tambera remeltm igualmente as deces do
Geveruo, de N. i7s a 184, MUe deixarao
iUeacow|iaiibar os domis que ihe lora eu-
uadoe com oficio do j. de Abril do cmate
aaao, a lira de compltlar-sj a collecco do
sano pioximo passado,
Um officia do Colegio da Fregoezis de S.
Pedro Viarly, desia Cuiade de Olinda re-
metiendo a Acto da pureceo geiai dos Juues
f iy e \ ercailores ; uuuo dg Qul,jjj u>
Oorrospoiidencias.
Srs. Redactores.
Gom o Sr. Nuor Mar a de Seixas me te-
aba indignameate calumuiado dixendo qo"
eu Ihe dissera ter dedo dozentos mil reis ai*
expertos que fora5 nomeados pelo Sor.*
Cnsul de Fra r.ca a fim de declaraiem no seos
processo verbal que o carregamento do Bri- '
gue Frenen Froverce nao eslava ero estado
de seguir ao porto do seu destino para desta
forma ser vendido nesta Praca ; pela prese -
te declaro que urna intriga igual i pode ser
formada pelo Sr. Nuno, j bem conhecido
aesta Praga pelo Corpo de Commercio a que
tenho a honra de pertencer ; e que se eu de-
clarassehuma tal indignidade de certo oQen-
deria mais a minba honra do qne a u'quel-
!es, isto pois bastii para provar urna seme-
ibaue calumuia.
J. Lazary.
Snrs. Redactores.
Havendo-rae aseverado Sr- Jos Lazary t
que ia transcrever no seu Diario, urna de-
olaracSo era a qual pertendia tazerconhecer,
que era calumniosa a informaco que eu de- ,
roaaSr..Barrer, Cousul de Franca de
m'haver o mesmo Sr. Lazary asseverado na
Loja do Sr. C. Uot.gard (entre outras cir-
cunstancias que ora nao preciso declarar) que
por diligencias suas, e o'ertas de certas
qnantias que dera a certas pessoas para ellas
declararem as tazeadas do navio naufragado
Provento era estado de ao poderem seguir a
seu destioe, conseguir fazer venda deilas
nesta Cidade. E supposto que esta declara-
cao fosse por mina mui reservadamenle feiu
ao Sr. Barrer era occasio que este mesmo
Sr. me revelava faclos bem pouca honrosos
do Sr. Laiary } jwr esta novamnte tbjclaro e
confinuo, ludo quauto hei dito por serem
ludo verdadeiro.
Quanto ao anuancio que perlende faser in-
serir o Sr. Jos Lazary no qual mecoosta a-
van?ar expresse injuriosas o aiacaates con-
tra aarn devo de.:larar-iles Sis Redac-
tores que re-jeito todas as sua# infamias,
de coraco lbe perd-o porque oSr. Jost
Cazary sendo bem conhecido de todie peb
leveza de sen genio e pela pouca diftnJadt
e hrraeza do seu carcter mais digno di
coinpaixo do que de censura ou castigo,
Nuno Diaria deScuas.
VARIEDADE.
FredeTick-Lemaiire e o actor improvisado.
ltimamente Frdrick-Lemaitre repre-
sentava liuy-Blus no ibealiu de Limoges,
liimcaupoucz, que passava pela prava do
espectculo, ciaron n** ** iptorio, e di-
gludo-M ao biltittleiru i Nuqra ajMa|l 'M
preseaticjo alguma lli


i
res o fez sentar em huma cadeira de bracos.
O bum docamponezouvioos qualro prniei-
ro9 actos do drama com impertubavel sere-
VJade ; porem quaudo no quinto acto vio
frrdrick-Lemaitre cora a espada na mo
arremessar-se ao actor que fazia de Dora Sa-
laste precipitou-se para o tablado, e.
agarrando lluy-Blas pela garganta : Lia de asneras, d.sse elle; brigai coro 0s pu-
nta embora ; porem com espadas nao ,
<,ue isso fero Ajulo iraaUj0 teVc Frd-
riik-Lemaitre em Jivrar se desle adversario
improvisados que dava assim bura novo de-
senlace ao druma de Vctor Hugo.
( U lion Ton. )
CONSELHOS nORFA FIIEDERICOGUI-
jLUER.ME III A SEU ITLUO.
S. M. el-rei dirigi a carta segninle ao
couselho dos ministros :
" Vianda que se publiqucm dous documen-
tos preciosos que conforme a voutade do
tinado re, meu augusto pai e soberano me
torao entregues no dia do sua morte. Estes
dous documentos de que bum be intitulado
Minnas ultimas vonladts e outro come-
ta por estas palavras : -- Hes (u, m-u caro
XTederico. sao datados em i de dezerobro
ue tvi-j f Cfscriplos por M|| pr0|irb poi||IOi
r.sse re esse bere de ntosa grande poca ,
ja nao exite j deseanca em paz ao lado da
queUa que tanto tem sido chorad, e cuia
lem iranca se conservar sempre viva.
Dos o sennor soberano dos
------------..nv.a uu nicu puVO qi
meu thesouro mais precioso.
Berln em i. de dezembro de 1827.
Frederico Guilberme.
Hes tu meu caro Frederico que carre-
gas agora cora o fardo dos negocios pblicos
o peso de sua terrivel responsabilidade. O
posto que at agora tens oceup.do para isto te
tispoz mais do que a outros muitos herdeiros
de qua quer cora. (A ti psrlence letificar
as minhas esperancas e da patria. TY-us prin-
gos esentmentos sao Ihura penhor de que
has de ser o pai de leus subditos uardi-te
dessa mana de innova, oes, que se lem tor-
nado universal ; guarda-te dessas numeris
mearas actualmente existentes que se nao
po.Jera por ej pratiea ; porem guardaste
umbem de cahir em outro exeesso que po-
ena ser igualmente funesto f quero dizer ,
de iium amor exclusivo s instluices anti-
gs. Evitando esses dous extremos he que
podera fazer melboramenlos verdader a men-
te otis, o exercito est perleitame-
w orgamSado ; Rz o que delle esperava ta
ue aK P" COm M "?"' que ana nao perca nunca de vista sua alta mjs_
Queira tambera Heos que a patria nun-
, e Apollan a Parea o Bar- se respei.o e pode
I.: ^.'ladro do gran(le do mesrao ab.ixo
e seu fuera
beiro e o poeta
carlat do arco da ponte, reprezenta"o fu-
neral para cujo dezempe-iho a Beneficiada
espera obter tropa doGoverno e a prezen-
tarajvestida conforme o padro do Re;'mn-
r resonuecer se be ou na
assignado o escaro de qua
trata oannuncio
Joze Joaquim de Misquiti.
, *=*" Allo'j.-i-se urna caza que serve par*
(trailla* cora duas cazinhas, e dua*
a se esqueca do que Ihe be devedora l Es-
J]ns quanlo de ti depender m boa intel-
"genoia eom as potencias europeas. Ovab
a (-ussia Austria e Iussa se conservera
, sempre unidas Tal unobe aaUagoarda
Quei- da i,az wirop:i. Meus queridos filhos me dio
aces, a s.uai'e consolapo de que sempre se dislin-
guirao por urna conducta uti1
pelo Ucceano ; em sima a Apotteozi vend-
se as sombras dos hroes circulan lo o Impe-
rador coroados de louros, no Templo da
Immortahdade. A muzca melitar tocar en-
ao o mesmo himno que se tocou no Palado jxra. Prndente da Baha., chegada dos
.Ilustres companhciros de Napoleo. A be-
nrneada espera que 03 seus heni;;oos protec-
tores Ihe eviten) a cobraoca, dta.wiidoi tra-
zer na raesraa uoile as gratificacoea dos Gama-
rotea,
O Empresario tendo rocebido carias da
Cidado do Porto do Snr. Sarafim Pereira
da Fonceca Bustos para virera para esta ,
mu.tos Hclores.eaclriios.os quaes querera alera
dos ordenados, a5 rooedas fortes para cada
m, de adi.intamento, e passaTe j^ratis
para 51, e sua familias e cora, tU* \L os
mtereces do Theatro ., fcco face a estas
despezas convida a quera quizer eubscre-
ver para esse fim cora huma assignatura ou
mesmo tomar couta do Tiieatro pelo mesmo
re5o se entenda rom o Sur. Furtunado
-----------. coraces, -, -.^
qut esse amor do puvo que tero sustentado a, ju,rao Por "'"* conducta til. ac
frederico Guilbcime III nos dias de peri-m. denle e rK'ei,)Sa porque s de
que Ihe tem aformoseado os anuos da veliic !,roceuiniento be nue se ijodom <,
t adoyado as amarguras ^ morte me seia
( ura retribuido a mim seu filho e syeces-
^, que estou firmemente resolvido f a Dos
6,?iHqUe,ll6rer,,ale lue<*80 3 seguir as
P'aadas de meu augusto pa 1 Implore o meu
3\o comigoa miericordia de Dos epeca-
^e a mauntcuiao da paz, esse precioso ihe-
anuro que o augusto defunto nos tem adqui-
rido ao ior do rosto, e q ajnhe conservar com
tanu fenedade! >a esse thesonro (do que Dos
uos guarde ) viesse o periclitar, estou cerlo
que bera como o seu po*o se lerantou sua
>oa tambero minha se levantara o meu
povo como bum so hornera, fiera digno he
Luiu ui povo de ouvir plavras reaes umo
ts que se seguem, e ver que eu cao poda
assigaalar o principio do meu reinado or ac-
to mais bello do que por sua publcaco.
bas-Suuei, em 17 de jando da /84o.
Frederico Gulbenna.
Minhas uliimas vontades. guando mi-
libas ultimas vontades aqu escripias che-
gatcm ao couhairoemo de meus filhos queri-
dos de niiuha cara Augusta e mais pren-
les dilectsimos-, ; nao eslarei no meio d'el-
r le-, ja n3o estirei no numero da vvenles.
4 Quena Dos que enifo vista da inscripcao
que Ihe he toconhecida i Peimi naquel.
les queja l;oe*htem I (rensem tambero cm
mira com maor I Seja-mo Dos hura iuu m
eertrordioso e rlemenle ; receba elle' o meu
Mjuuto que entrego em Mas raaos. Siro ,
u calaste 1 remello meu espiito em tuas
loaos. I, nos reunirs todos alm do Cumu-
lo. Oxala, eratuagraya, nos julgucs dig-
nos d esse iavor em norue de Jesus-tjhristo
leu raro hllio, nossuSalvador Amen Era
tua sahedona eterna mandou-rne Dos acer-
J>as e dolorosas p.rovas nao s era minhas
activa pru-
- de semelhanlo
procedimento be que se podera esperar os be-
neficios doGo e essa idea consoladura sua-
visara meus derradeiros momentos. Dos
proteja eabencoe a cara patria! Ab-racoe-te,
meu fillio a ti o a leu reinado I Dh'rne-se
conceder-te a fon-a e o talento precioso para
reinar e dar-te conselheiros e servidores
conscionciosos e leaes, e subditos obedien-
tes Amen.
Berlim, em t de desembm de 18*7.
Frederico (uilberme.
fConsltutionnel.]
(Do espertador.)
LOTERA DO TUEATRO.
As rodas da 2. a parte da 4. *
Lotera aodao impreterivclmen*
te no dJa 3 de Novembro prximo
futuro, e os respectivos Bt I heles
achao-se a venda nos lugares ja an-
nunciados, isto he em as rojea
dos Snrs Alanoe! Goncalvez da Sil-
va e Vieira Cambista na roa da
Gadea do Bairro do Becife e as
dos Snrs. Manoel Alves Guerra na
ra Nova e Bastos e Costa na
Pracinha do Livraraento eoi o Bair-
ro deS. Antonio.
irmaodoSnr. herafin, cora loje na Praca
da Iudeoeadencia ,,ue la achara os esclare-
cimentosnecessarios; O aclaro Snr. Anto-
nio Ferro de Figueredo que hi o conduc-
tor das cartas o que ja se ocha udmetido uas-
leiheatro, podera informar do memo dos
outrus actores,
____ F F. Gamboa.
visosi lliversos
LOTERA |D.V BOA-VISTA.
A Meza regedora da Irreadade do Santis-
simo Sacramento da Uoa-rista tora determi-
nado que os rudas a i. parte da 5. Lo-
tera concedida a favor das obras da mesmo
igreja corrao impreteriveliuciite no dia ao
i------- > w viu uiiinids u-\r" """ upieieriveiuente i: > m.i ao
lelacues jwssoaes, quaudo. h 17 annos to-: "o mez de N'ovembro vindouro ; para o iiuae
liieo-me o que linha de n-ais caro no mundo convidi anc H..ia. J-. t _._..:-. 1
como tambera nos aconlecimentoa que lio pe-
to r.. & que guarnen a liba. A 3. e11 es^b rhi tTf^'^Mt *
tampa, reprzenta o Pico da lllha ha,.h,,l 1 m ba,|ro P"a se tomar ba -
iu vajupiro a tallar co n o seu nroiirietario
onr. Unto. '
BT Aluga-se ura sobrado de dois andares,
elojes na ra do Goxo eu Olinda cora
muito hons comrao los para familia; na
ra do Cabuga na loje da Sor. Uan-
deira, eera OtinJa cazado Snr. Minoel Joaofc
na raesma nn,
tsr Convida se os Membroa do G. O. P'
se reimirem na asa de suas sessoes no'di
3 de iVovembro prximo vindouro pelas 4
lluras da tarde a fim da tractar-se de nego-
cios que ao mesmo O. disera resucito.
D.*p". Joo Tavares Cordeiro. e Joaquim
Pinheiro Jacorae mudarlo sua rezideuci*
para a ruado Vi rio.
sp* Quera annuuciou querer comprar po-
tes de grana vazias; dirija-se ao atierro da Boa-
vista loje D. id,
SZT Quera precisar de urna ama, coa
ramio hora leite ; dirija-se a ra das Gruze*
U. ib na lo,e di caza de trez an lares.
ssy O abaixo assignado leudo visto na par-
te da Prefeitura do dia 2 \ do correte ura
nome igual a0 seu o qoal se acha sentencia-
do pelo *uri desu cidade e como nao seia.
o annunciaute por isso desde hoe era Tanto
mudou seu no.-ne de Manoel Joaquim da Gas-
ta para tu,,ei Joaquim da Costa \Jaia.
tar* Oferece-se ura hornera cazado carai
diminuta familia paraeaxeiro, ou feilor do
Eugenbo ou dalgom cilio do que tora.
bastante pralica ed fiador a sua canda ti,
I e o mais, que se exigir ; na roa d'Ortaa
D. */\,
X23" Preciza-se de ura rapaz Porlu^uez da
ida'le 11a 14 anuos ebegado a pouco lem-
po do Porto pira cixeiro de urna veadaj de-
ironteda ra doQoeiraado D. 11.
SS" Preciza-se de um hornera deidade-,
o qual lome coota de ura Arma/era e que do
fiador a sua conducta era Fora de Portas
N 10i, aalar com ioaquira Lopes de
lmeida.
%w Quem precizar de um padeiro par-,
limo; annuncie.
tS" Quem quizer dar a qnanlia de i5o.ooo
a 'ioo.oao mil reis a juros do dous por can-
to ao mez e cora boas firmas ; annuncie.
i:3* Oerece-se u:na mulher para ser a-
ma de qualijuer caza senda de neiaena fa-
milia ; na rus do Rangei I/, ai.
cy A passo que Ihe faltar ura malequo
anda bruto de piuco mais de seis palmos
de altura dizque seu Sor. se sama Joa-
quina dirija-e a Povoaco das Alfogadas ,
em caza de Tiloma Pereira Lagos, que se Iba
d'; quera o te:u para ser entregue.
ts* O Snr. J C L. D. queira dirijr-
se a iua do Rozarlo larga, luje D. 3 u saplis-
fazer a quautia de 4>ooo mi reis e resgatar
o seu auel quodeixou de pinhor pois que
tendo pedido os referidos \,oo rail reis, por
dois dias lera decorrido trez raezes e o
tilo fazendo no prazo de Irez diis perder to-r "
do o ireilo ao dito auel.
t^ abaixo asignado tendo assignado
ura deposito de vario baos, por execucao dos
Snrs Ott Uieber e companhia contra o
Snr. Ijuacio iieaio de Loialta e como este
Snr. Loiolla otunba dezonerado por isio
faz o prezeule.
Felippo da Silva Porto.
cy Roga-se in^arecidaraeute ao Snr. An-
tonio da Costa e Silva que teuln ahonda I9
m- Perder-se urna eoberta da abita, cora
o bauado grande cora trez panos, D3va cor
escura cora mis ramos Gngindo trancos de
arvores cabio da va-anda as 11 horas da
noite do da a? do correte; quera achou
querendo restituir, dirija-se aa becodoPei-
xe frito sobrado D. 5 que ser bera re-
compencado.
*pr Desapareceo do' poder de Joo Paulo
de ouia urna letra de reis 100,000 reis a-
ceila pe a Snra. Jorefa Mara de Alraeida ,
era aj de Marco do crrante anuo a vencer
na mesma dacta do anuo do i84i rwa-se a
quera a adiar a entregue ao annunciaute no
atierro das 5 Pontos delronte do Snr- Pavo.
I3r Arrenda-se para se passar a festa urna
caza delronle de S. Joze do Slaoguinho ,
cora arranjos para grande familia coebeira 1
estrihana cacimba e porlo de ferro .11
frente na roa Nova loje de Caldeireiro De-
cima 1.4,
sy Ura moco brasileiro que lera Dis-
tante ptica de ser eaixeiro de venda e de
ra, offereca-s para o axercicio destaa oceu-
pacoes dando fiador ;i sna conducto : quem
deilu precisar auaancie a sua morada para ser
(iroruraua.
S25T O Snr. que annonciou no Diario de
fionlam dodeOutubro, que quer comprar
potes degraxa grandia e pequeos ; dirija-
I i das trez horas em
se 1 roa d'Oihs D.
diante
*Jr- Preciza -se trocir urna caza grande cora
solSo pagando de aluguel 10,000 mil reis ,
jwr outra que seja pequea que pague do
singue! O a 7,000 mil reis meusal uao se
escolbe ra 5 quera quizar annuncie.
aar Joe Naiario dos Anjea respondendo
ao annuucio de Anua Moiiteira declara,
que lodos os beni, quepossue sao seos por
Muios claros e legaes que lodo o lempo,
em mi/o mt Ciro .luI,. ,____i-..^
tudameulu carregrao sobre miirfw querida
)-ulria, Porem era ifccam.Deus, esse Dos,
* lio de boudme, racaa eleruaa Ibe seo i
li-udtdas peraiitiiu que eu fuise espclador.'
de tcoiitecittientus cansadores a caros a meu
u-j<,o, biu primeira na vera as glorio-
sas guerras ue tita ibi/#e 115, as quaes
paua ueve aua icsUuracao. Os outros suc-
tesso que roo coiuraovera o coraco sao o
comprarem 03 bilhetes que se aclio a venda
uos lugares do coalurae.
Ix-iiebcios ue que cusoseuclieo ; emfiui u
hlicidadt preciosa t inesperada de en, grapas
t Pioiridencia aci.ar aida na ihcadencia dus
iuua huma companl.eua que he dever meu
litar pijhlicaiuiiUj como huro modelo de mor
Itiao e fiel.
Dirijo uueus sikcjxis e derradeiros agrade-
atBimkM a aqueiiea que UJW IFrflidsBa la-,
w'ju '.cir ^i ri^K u uiun e ou amada L-irijo
'ualmtnUi mais suiceroi c den COLLEGIO PEK5AMBCx\JiO.
Atkruo o a dua-vista 0.
OCollegio Pernambucano encerra em seu
seio todos os preparatorios que a le exige lia-
ra as Academias de Direito e MdtCina do
Imperto, assim como para os alumnos que se
emor queme toa. meus fllios uuendos os O? uss,m,ron, !* os alumnos que se
l*mfa + !ELZZLttZ9 clestinarum ao Commerco' desde pnmeiras
convidan aos amantes das Loteras haio de cumo sua vizmha, comodisse a Snra. Anos Mon-
to ira mas stra morava com o annunciaute,
por qu?m era suprida e alimentada era ra-
iao de Ihe rranjar a sua caza ; uoia vez uue
o annunciante soltoiro. Jkj o auuuriciaitc
nao losse la ftcii em dar n Snra. Anua Mon-
tura alguns mores eroupas, que dei.vara
adefuntu, com cujo producto seliberlou do
cativeiru ; agora nao sabiria publico, como
para enjuriar ao uiuuuriaute. Os ingratos
sao recommendados por quem sabe a esto-
na do Judas Pois bera : abelite-se a Snra.
Anna Moiiteira e venba a justica onde ae
desengaar do quantoesto' iludida.
:,,.,.(,... ja annaocio inserido no D-
, ou fora delle os mostrar: ass'ra Idecarr por esto ibiba ', too ahiixo asslgnai^
Ihedisse alguraa crasa raspeilo a uraa mar-
(|ueza para evitar uraa intriga cora o Snr.
Joajuira Pereira dos Santos Pinto, etra-
iUras.
Os profesores das diversas aulas sao de
Uiu inf'rilo reconltpciilo.
Os fclalutosdo Lstobclecimento 9S0 francos ario de Sabbado 23 do correte sobre um es-
ao pblico a qualquer tiora. travo irioulo que se acha uo Engeuho Con-
i-eico, queira declarar que liiigenho Con-
ceico he j pois que con le indo ossigoae* do
crioulo que l se acba com ura Cttoul-j '.'.::'
libando muito qua o Sur, Costo eSilra Ihe
dicesse alguma cousa, para intrigar o annun-
ciaute quando suas tallas poucas ou neuhu-
mas vezes se lera encontrado com o dito Snr,
Cosa e Silva e para evitar eatrigas mo -
vo por que o abaixo ussignado faz o prezen-
te para que o Snr. Joaquim Pereira do*
Santos Pialo fique entendida que o abaixo
assignado
? Ro;'a-se ao Sor. do
TH EATRO.
uunca se empoxtou cora a vida a-
Ibea,
F. R Bstos.
aniiuucio, sobr
0 crioulu que se julga captivo e que se acha
morando no Engeuho Aginar se alera dos
signaes que aprezento, lera j>jr cnni do olha
direito mais parto docatiello ura siguI moi-
lw autixu Jo ferida qua.-e re loa I do toraa-
UUO ,uu c v.jbiecoja u uonU de uu) ao,
1 1b_-__L 1 ii:.'.: 1-
MUTILADO
manhsereiMesenta a UmeGcip dai.- j ao abaixo asviguado dese.a este transraiturT ""*V* "
Oiuu. u PtHaUcma \ m n n I r i .- .. < 1 MWJaoa|c ' aU^*^vA^^^rVpole.,o,lmesnio^r. pattal^Umaadwedmeiita chapeUrto, no.ur,U- Boa-vUU U L


J
I

2
ifc

^
Aluga-se uro horo armaren! con cam-
pa para embargue e desembarque ou mes-
no para venda ; na ra da praia por detraz
deS. Rila casa do Vianna.
>ijr Perdeo-se no dia 3o do corrente de?de
a ra do Rangel vindo pelas ruasd Queiroa-
do das Cruzesat S. Francisco uns cora- ,
tes encarnados encasloados em ouro tendo
os engrasados abertos ; quem os achou diri-
ja-se a esta TypograBa ou a ra do Rangel
no segundo andar do sobrado junio a fabrica
de chapeos que se gratificar.
tsy Da-se 5oo,ooo a juros de dous por
centoaomez, dando-so por seguranca urna
casa terrea no bairro de S. Autonio ; na run
das Cruzes em casa de Theresa Mara de Je-
us. .
83*" A pessoa que annunciou no diario de
9 do corrente querer 5oo,ooo a juros dan-
do por seguranca urna casa dirija-se a ra
de S. Rita D* i8 lado da Igreja.
Cy Precisa-se de alagar urna casa na ra
direita j quem tiver dirija-se ao entrar da
ra do Rangel loja de cera D. 3?.
tST Na ra do Queimado casa D. 7 alu-
ga-se uto preto bastante forte para qualquer
eervico.
tar O Bacbarel formado Joo Antonio de
Souza Beltrao Araujo Pereira Substituto das
cadeiras de Rhetorica e Geografa do Liceo
avisa ao publico que est com aula oberta de
Bhetorica Geografa, Geometra e Latim;
quem se quiser utilisar do seu prostimo d-
rja-se a ra da Madre de Dos sobrado n
a3 para se marcar o dia, e o lugar das Itc5es.
CSr O Sr. Jos Antonio de Oliveira e Sil-
va queira mandar buscar urna carta viuda
do Rio de Janeiro no escritorio de Gaudi-
no Agostinbo de Barros pracoha do Corpo
Santo D. 67.
KST Precisa-sede 15o.000 a premio so-
bre piubores j quem quiser dar annuncie sua
morada. ^ ,
S^" Partecipa-se a todos os Irmaos Caris-
simos da Veneravel Ordem 'l'erceira do Car-
mo, que tero servido em mesa e por es-
quecimento nao tem entregado a cbapi que
leu em seu poder, queiro por favor man-
dar levar na dita Ordem ou em casa do The-
soureiro na ra de Horlas D. 55.
fST No da q8 do corrente lurlarao da sa-
crista da Ordem Terccira do Garino urna
chapa de prala previne-saa qualquer pes-
soa que for oflerecido nao compre e que-
rendo restituir leve ao thesoureiro da roesma
Ordem na ra de Hortas D. 55 que ser re-
compensado.
tsr Precisa-se de urna ama que de fiador
a sua conduela 5 na ra do Vigario armazero
por boixo da casa do meslre Joau^ Vcrissimo.
la
ainda
ra nova
CT Uro negro de uaco ango
moco robusto para qualquer servigo
cozinba o diario de uma casa;
D. 3 fabrica de chapeos.
tsr Urna morada de casa Ierre na ra do
Mondegoda Boa vista, era chaos oreiros ,
oites proprios cacimba com escolente agoa
de beber bom quintal a dita anda nao
est repartida ; a tratar na ra das Cruzes
defrontedaTypogaafiacom Francisco Soares
Picheco ; ou na ra do Padre Flonano De-
cima 3.
^ nicamente os pos parisienses ver-
daderos : no deposito geral ero Peraambuco
na casa do Snr. Meroz na praca da Indepen-
dencia e na loja de Fredirico Chaves na ra
nova n. 5.
tsw Uma Janterna mgica por preco cota-
modo na ra nova loja de Fredirico Chaves,
D. 5.
tsr Uro negro boro oleiro cavador de
barro e de todo o seiviqo de campo ; na ra
palinha r um camape de Jacaranda
fide cabello de mogno, um jogo de bancas
de Jacaranda, uro dito de olio, toerfor
de Jacaranda uro guarda roupa d*^0^
do Rangel sobrado que tem uro rcabolo dej
vellas pintado na varauda ; sciro como sa-
patos deburracha.
*& Em Apipucos urna morada de casa si-
ta no sitio da Viracao lugar elevado e fres-
co com suasarvores de fruclo e pos de caf-
f muilo propria para se passar a festa ;
trata-se 110 cartorio do Escrivo Regs.
tiy Duas rotulas para portas ; na ra do
Livramente D. i5.
O* Na praca da Independencia loja de
Jos Antonio da Silva n. 7 e 8 um gran-
de sorlimenlo do calcado de todas as qualida-
des chegado ltimamente polo Brigue Ar-
roorique como seja bolins do bezerro bor-
zeguins de duraque preto gaspiadosdo bezer-
ro de lustro obra muilo l.cm l'eila e moder-
na sapatos de becerro e de couro de lustro ,
dilos para senhora, sendo de mnrroquim se-
tiro e duraque ditos de marroquiru para me-
ninos de lodosos taroanhos e bolins ditos
de duraque para senhora chinelas de raar-
roquim para hornero meias do seda espar-
roanlas de Blocm
uro casco de tipoia noto coro seu braco uro
gama-o de Jacaranda com seus pertences de
marfim un canario de imperio exc* leo U
cantador, uro palanqun uma parciha de
checheo, lodtamoblhaeslem bom estado
e por preco coromodo j na ra das larangei-
ras prmeiro audar do sobrado defronte do
nincho. ,
tsr Sementada coeiitro de toceira rouito
novo a 48o e garrafa ; e de sebohoho; na
passagera di Magdalena sitio em que mora o
Capibarihe. ,.
ES- Bilhetes nteiros a oo e metas ditos
a 45oo da lotera do Theatro ; na ra doGa-
bug loja de miudezag junto a botica.
tsg- Bilhetes inteiros a 9000 emeos ditos
a 45oo da lotera do theatro j na ra do Ca-
bug loja de relojoeiro junto ao Sr. Bandeira.
tse- Um selim de cavallaria coro todos os
seus pertences inclusive corrente e maca ,
e todos osraais perlcnces para um guarda na-
cional de cavallaria ludo em muito boro 03-.
lado e por preco comroodo ludo junto ou
eada objecto de per si ; na ra do Queima-
do loja de Maooel Joaquim da Silveira D-
cima 19.
09" Bichas prelas chegadas prosimamon-
ssy Utoa escrava dn oaco ,
*5Januos, ejigomma liso, enzinha o djt
de uma casa, e lava de sabio o varrelh }
ra direita D. ao lado do Livramento.
$ Um bonito escravo do dada de 0
annos ptimo para sitio, um dito de da-
fde de 25 anoos irabalhador de enchada ,
molequesJdenacSoraui liados de idade do1
i a t4 auno* livres dejbechigas 3 mele-
cs de idade de 1 5 annos, boas para
mubaudas por serem recolhidas e um pre-
to para o servico de oam|3por aoo^ooo; ua
ra de agoas verles D. 38.
sf Por preciso uma prett moca ; oa ta
de 1 lorias D. 7.
*& Um negro padeiro por preco com rao-
do ; na ra de Borlas D. 33.
SST Duas pretas de idade de 90 anuos d
boas figuras boas'engommadciras, coziubsi
ras lavadeiras, e de muito boa condac
uma molatade idade de ao annos de bon
figura com as mesmas habelidades u
dita de idade de 4o aunos ptima para .;
de casa, engomma e coziuha muito h-
ddus moleques de idade de la annos, rn-
ladinos um preto velbo por 15o,ooo 1.
para botar sentido a um sio na ra de ag
verdes casa terrea D. 37.
Escravos Fgidos
No dia a5 do corrente fugro dous <*s-
te, aroendeas molares de ptima qualidade, cravos da serrara da ribera de Jos Mara
3 do superior o legitimo^ vinho leitana jWggicthy nm de tjorac LVaooel, de;n8oJ
conservas e presuntos do I orto ; no atter- jittob e a,,0 cor fu,, Orfosto ct(,
de Lechiga ol'hos grandes e a bitombadjis ,
dosdenies lirados na frente, tem uro dedo
gr ande da mo ferido e scro unha tevou
1 ve slido camisa de ahrodozinho suja caicas
cambraias lisas a 28o a defbrm de montara rasgada toda pela bar-
ro da Boa vista D, 19 junto ao beco do fer-
reiro,
x.$gr Casias para babados e cortinados a 200
caoavara chitas de todas as cores muito
finos a 160 o covado
vara satinetas brancas a 2oo
covado
>. 859- Cortes de vestidos do cambraia de ya- i nas cima marcas c,.an(ies de" Mrnas ,fl
ras cores o paitadas coro tinta fixas cintas vou ves|do catuisa e sm,H,a Ue a|goda-Mohf}
e calcas de brim preto com; de assento em cassa de lislras
barato
quiser mi-
era va do Reverendo Sr. Feliciano Pereira i
Avisos Martimos.
PARA O MARANI1A0' sfgue tiagem
impreterivelmente at 5 de Novemhro por
teramaior parte de sua carga engajada, o
bem conhecido Brigue Escuna Laura 5 quero
quiser carregar ou ir de passagem para o que
oQerece ptimos commedos dirija-se a ra
da mpeda I). 141 a Firmino Jos I'tl'S da
Rosa e ou ao GapitoaLuiz Ferreira da Silva
Santos.
tilhos chapeos de sol
fitas e lencos de seda
chapeos do chile de aba
ditos de copa alia a
muilas couzas por preco mais
em outra qualquer parte*
t3 Uma canoa aberla ,
tijolos de alvenaria gressa
cu troca-se por ^lijlos j quem
nunrie.
t^ Uma negra de idade de 16 annos, e
[outra dita de ta annos ; na ra
do casa D. 7.
ssy Uma venda na Boa vista em bom mu 8.
lugar e coro poucos fundos j a tratar na ra
da Guia n. 5o.
*sy Uma rcfinacocom os seus pertences
cem muito km lugar que nao offeude as 6:000000, Joo,ooo, e aquellas600 000 ; nas mandar a .,- e mada-la ab abauoas^
posturas da Cmara; na ra da seiuala nova lojas dos Srs. Lopes Jnior, ra da Grur signado f e igualmente aos capites de camp M
evar a dita ser-
, ditas cor de rosa ditas brancas com raanhS^ausentou-se da casa do abaixoassi^A-
.e vanas cores e tecidas de fie de reiroi, do uma prela creeuia dc nome Efigenia^c-
que pega em 1 apo mantas- de gar^a de diversas cores, chales
, com algura uzo ,
p.narueci
ca ptimos para bai es e de selim preto, bi- para ^curar.se quaDdo se4relirou desla ida-
de minno de superior quahdadecom franja Lira LVigario do Limoero, que o mean
gnaruecidos de veludo, eoletes de seda bran- inha'dexado em poder do baixo assi^ado'
ca ptimos para bai es e de selim preto, b- para' curar.se quando se.relirou desla Cida-
1 16 annos e eos de hnho finos, largos e estreitos e ouras depara a 6ua lreguesia em Maio do corrente
1 do Queima-jmuitasfazendasdebom gosto. e por preco anno a qualtem os signaes segoiutei: alta,
jcommodo ; na ruado Queimado loja Dect- cor meia ful|a baslan,e ^ag," levou VflBi
tido azul de cbila e outra de reserva de cIm-
%sr Cautcllas da Lotera do Theatro sob- iabranca com flores encarnadas ; rega o aba,i-
I divididas dos onginaes Bilhetes em dcima, xoassignadoa qualqnerdos amigos do Snw.
,e vigsima parte, ganhando estasna sortede Vigario em cuja casa ella paSla aparecer de te
4 niMtn.mn .fiwt.AAn. annt>llaaHnn.mwi n .1 1 r .
Decima 7
i P.tomba Ballar,e Soasa Pinto ra da cadeia 8eildo a ,, em leveai a ,., ,- a
Chapeos de castor sera pello proprios velha Braga junto ao arco de S. Antonio, | Walrz ja ^ visIat_ Maooel prJocscoeao, -
para andar a cavallo : na ra do Quciroado Jos Antonio da Silva praca da Independen- : drisoei
loja do Carioou. ca, Claudio ra do Cabug, Frederico Cha j
hZF Potassa de priraoira sorte era barris ves, ra nova Guimares atierro da Boa r:a de r
jLei l o
"* Que fasem Russell Mellors & C. terca fei-
ra o de Navembro nas casas da sua residen-
ca por intervencao do Corredor Oliveira ,
um esplendido sorl'roenlo de fasendas de al-
godao incluido os melhores nadiues de chitas
cor de rosas que al boje tem aparecido ueste
mercado, e mais qualidades muito vendaveis.
No dia 17 do corrente fugio da serra-(<
* Constantino Jos Raposo, um negr. >
, nos 4 cantos da mejanas duas, n de nome Antonio-. de naco angola aituV ,'
lidas doRiodeJane.ro; noarmazero de A. das da quu.a eemeasa do caisa da Socie- r(>1M1|,r ,,;,. L -AJ*f.l^!L *
pequeos,
caixas com veilus de cera bem sor- vista
F. dos Sanios Braga, na ra da moeda nu- dade e assignatario das mesmas ( Nunes Cor- 'Sfe ^ CrOS309 'h? fumaceottV
! rea) na ra da cadeia velha n. 54 onde ha ver ^ ? vl^ Jno 7* ^^A ^^ 1 &
i vivas pelo corpo leveu vestido seroula dft
numeos para ^q caiuisa de aadapolo, jaaueta pref
porcao, daado-se em conla u^^ prelo f e un ^V brancas.j
mero i\i
iS" Uma preta de idade de'^'t anuos to- senipre boro sorlimenlo de
ziuheira e boa lavadeira ou tioca-se
, t uo ......, ..u Mw.-K por i quem desejir
i ou uro negro, que saiuo coznhar c'alguma couza.
C o 111 p r 1 s
Uma ou duas moleeas de idade de 1 5
a 17 anuos sem vicios nem achaques e de
JooniUs figuras ; na ra da Madre de Dos
defronte ta Igreja no primeiro andar da caa
em que mora Domingo remandes Vianna
Vendas
CAUTELLAS da Sociedade Fortuna
nao tenho vicios ; os genuinos pos auli-hi-
iiosos e jiurganlivos de Manoel Lopes che- caar
gados ltimamente j no urmazem de assucar j india que produzem em casa
ao ji do trapiche do pelouridho. annuncie.
SST Duas ptimas sabias da malta, dous1!?"!"0 FS*
.arios de Imperio um casal de robs da i "^T^it
leve a dita serrara que
se i
6^5 No dia 24 J crreme fu^io de um
q quiser gjjjQ n0 pnri|iiineirim um escravo ladino da
Um bonito cavallo al azo muilo pas-i esr Dous sitios pertencentes a Francia I na? '. de ll0me Manoei estatura alia
com falla
seiro e carregador at meio ; na ra di Au- j Manoel da Mlva Tavarcs ja annunciados a Cr mC'a 'T6'*!'
rora n. 9 das 6 as S horas da mauh e das dinhuiro ou a praso uma burra de ferro
a tarde em diante. batido muilo secura, ornamentos
?
dos
icio mesmo saquinhos c 1G00 a arioha pilulas da familia a
, tabaco simonte chegado ltimamente
verde
lado u
(jo rs.
da Babia em latas c a retaiho a iJuo a libra
superior cha perolae hysson, chocolate mui-
manteiga ingieza
superior ,
dc Lisboa ,
sevadinha ,
- ,u... ",i. 5 utiitiiucuius para ce
Olio de liohacaa 240 a libra tinta j ltbrar missa duas bandejas grandes de
prala e travs dc muito boa qualidade ; no
lorie do mattos prensa de Carneiro Montei
, njuuuiyu *u0.vAi muito
vinho do porto engarrafado dito
toassas farinha do Maranho ,
papel de todas as qualidades e
Typografica, da Lotera do TllEATRO ga-I outros muitcs gneros por preco comroodo j
nhando a vigsima parte dos premios, cabeudo
na sorte de 6 000,000 res Ureaentoi mil ris a
preco de fo ; nesla Typografica na praca
da Independencia n. to na ra larga do
Kozario loja de miudezas D. 7 na ra do
Ccegio laja de relojoeiro, e no largo do Li-
vramento loja do Sur. Gabriel que lica no
principio do beco do Padre.
tST fijlos de alvenaria posto no porto
tn*is immediato da obra por preco muito
da con! a vista da sua qualidade j na praca
ai depende'"-'* U lo*.
ro.
mr Os genuinos pos anti-bilioios e pur-
gauivos de Manoel Lope- chegados do Rio
de Janeiro bandas finas de rede iogleza pa-
ra oficiaes lalim, gales entre finos ban-
das de la para surgenlo espheraa para offi-
ciaes aparelhos de cavallaria dilos soltos
transa ata fardas bezerro de lastro cha-
peos de beda fina da moda, ditos mais ordi-
narios palas de lustro para bonels e barre-
dentes cani-
nos na quexada superior levando camisa de
riscado calcas brancas e chapeo fino uza-
do e mais alguma roupa de seu ozo e urna
enchada ; quem o pegar leve a ra estrella do
Rozario no segundo andar 6obre a botica do
Sr, Paranhos que ser recomoensado.
Aiuvimeiito do Porto
NAVIO ECraADO NO DIA 33
no pateo do Terco venda D. 4*
K^* Cabos de linbo da Russia primeira
sorle ero pecas dc 1 ate e meias polegadus,
em casa de Hermano Mehrteus ra da Cruz
D. 5.
sy Urna r.egrinha do gento dc angola ,
de idade de 11 annos muito esperta e sem
vicio a vista do comprador se dir o motivo;
na ra de aguas verdes D. t'J sobrado de um
andar defronle da sacristia de S. Pedro, das
9 horas ao meio dia e das du&s as 4 tarde. ....-_...,.....,
ssr Uma duzia de adoii as com assento de i duasjanellas de"virassas
linas grvalas finas de lustro forros para
chapees tudo por preco commodo; na praca
da independencia loja d, lien.
ssr Uma negra creoula de idade de 24 an-
..-. ww ^ mu ub j a 4 aunos muito
noa engotnadeira e cosinlia o diario de uma
casa ; no atierro da oa vista D. o,
tJT A parle de uma casa terrea na Cam-
boa do Carmo D. 8 } a tratar no atierro dos
aHngados nn lugar piro gordo casa que tem
" no solao,
ASSU'; i3dias, Hiate Nac Flor de La-
rangeia de 58 Ifl tonel., M. Uernardod
Souza equip. ti carga sal carne o
palhas ; a Joaquim Dominguea de Souza.
MACElO'j 3 dias barca lnglexa Rossandale
de 397 tonel. Cap. Eduardo C, Frieud ,
equip, i 4 c Crablree liej worlb fie G. e seguio para
Liverpool.
SAUIDOS NO MESMO DIA
LIVERPOOL-, Barca IngUa Enk Cap
Alcxandro Adanroa carga varios genera
IUliCIFE nTTXP, m M F. V F.^ 1040
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5UE2F9OP_XDMX0N INGEST_TIME 2013-03-29T15:12:22Z PACKAGE AA00011611_04149
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES