Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04124


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Quinta Feira
Tudo agora depende de" nos mesmot; da nossa prudencia, modra-
lo energa : continuemos como principiamos, e seremos aponlados
com adroiraco entre as IV'aces mais cultas.
Proclamado da Assemblea Geral do Brasil.
**--
Surncreve-se para esta folha a SJooo por quartol pagoi adiantadoj
cjcsta Typografa ra das Cruzcs D.3, ena.Praca da Independen-
cia n. ?>j, e 38, onde se recehem correspondencias legalizadas e an-
auncios, insiriudo-e estes gratis sendo dos proprios assignantci,
rindo asignados.
PARTIDAS DOS COR REOS TERRESTRES.
ACidade da Parahih* e Villas de sua pretenco.......\
IJila do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......(
Dita da Fortaleza Villas dem..............beg- e i>ex{M fe''
Cidade de Goianna...................,/
Cirtade de O inda......................Todo os dias;
Villa deS. Anto...............t ..... Quintas feiras.
Dita de Garanhuns e Povoaco do Bonito.........lo, e ?4 rie cada mer
Ditas do Cano, Serinhaem, Ilio Formozo, e Porto Calvo, i, n, e n dito dito
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paja de Flores.....................dem 13, dito dito
Todos os Correioi partcm ao meio da.
1, DE QlBftO, NM. 214,
CAMBIOS. -- Sktkmbro o
Londres...... 30 d. por l^ooo ced.
Lis) oa ......K<> a x.i por o|o premio por metal oTereciS
r ranea......5a5 rei por Ti anco.
Me de Janeiro ao par. Corop. Vendas
O-- Moedada >\oo res, vellias M'S.o ij?ooo
Ditas ,. novas l4|6oo li^Soo
Ditas oo res. Knoo o^oo
PKATA Pataces Hrasileiroa lfio 1^640
PesosColuninarios----------iffoo ijjti'io
Ditos Mexicanos ----------i^ioo ijjfSio



Mui.la.
FHASES DA LA DiOMZ DEOUTOP.
Qoart. cresc. a 3 as 3 h. e 17 m. da tard.
La Chcia a 11-as { h. t &4 m. da tard.
Quart. nting.a :7-s 9 h. e 3? m. la tard.
La Nova ai5-as b. e 38 n. da tard.
Mart eht'.a pira o da i. de Ou'.ubroi
As 9 horas e 18 minutos d manh.'
As 9 horas e i? muimos #44o i^tio
I), iconto d l>ilides da Alfandega 1 pr looao mei.
dem de letras l i|4 a 1 ip por boas firmas ollcrecidoi
Moeda de cobre 3 a U por ido de disc.
DAS da SEMANA.
a8 Segunda S. Wenceslao Duque. Relaco e audiencia do Juiz de Dir '1
da 1. Tra.
2q Terra >J< 8. Miguel Arcan jo.
jo Quilla r Jernimo Dout. Audiencia do .fui* de Direito da3. ar.
1 Quinta S. VirissimOj Mximo e Julia Ira. Audiencia do Juiz de Dir .
da 1. vara.
1 Sexta Os Anjos da Guarda. Audiencia do Juiz de Direito da 1. va
3 Sabba InS. Candido M. Relaco e Audiencia do Juiz de Direito da,
.'. varaa
4 os-. Rozarlo de N. S. .
|^L:&E1C
liM
J1IO DE JANEIRO.
CMARA DOS SRS. DEBUTADOS.
Sessao em 17 de agosto de 1840.
Presidencia do Snr. Marcelino de Bnto.
A*s 10 horas e meia faz-se a chamada ; e,
reunido numero suficiente de Snrs. depu-
tados abre-se a sessao.
He lida e approvada a acta da sessao ante-
cedente.
O Snr. primeiro secretario d conta do se-
guinle expediente.
Hum oflicio ilo secretario do senado com-
municando que o senado adoptou, e vai di-
rigir sancro imperial, a resolucao que de-
clara Festa nacional o dia ai de julho fica a
cmara inteirada.
Outro, do ministro da fasenda enviando
diversos papis que fornecem os esclareci-
mentos exigidos sobre a pretengao de Jos
Teixeira de .Mello : terceira commissao de
fazenda.
Huma tabella demonstrando a substituicao
do papel moeda nesla corte e provincia do
Itio de Janeiro at o dia 8 do corrente : a cu-
n issao do orcamento da Fasenda
Hum parecer da commissao de justica cri-
minal sobre a prelenco de Antonio Jos Lis-
boa sendo de opinio a mesma commissao
que se remeilao os papis do prelendente ao
povemo para deferir como for justo : he ap-
provado.
Outro, sobre a queixa de Ignacio Jos Pin-
to BuHiOes em que he de parecer que se
remella a mesma queixa ao governo para
mandar proceder como for justo : he appro-
vado.
ordem do diA.
He introduzco o Snr. ministro da fasenda
com as formalidades doestylo, e continua a
discussao do orcamento da receita.
Anprova-se sem debate a emenda da com-
missao ao arti)o 8. supprime se o artigo lo
e he approvadoo ll.
Entro em discussao os arligos additivos.
O Snr. Vianna (pela ordem) observa que a
commissao, para poder dar o seu parecer so-
bre o crdito pedido pelo governo, precisa
com urgencia de alguns esclareciroenlos ; e
pois que est sobre a mesa o parecer e reque-
rimento da commissao sobre este ohjecto o
nohreoiador pade a urgencia para tratar-se
delle. ,
O Snr. presidente declara que apenas se
concha a discussao dos artigos addilivos sera
salisfeilo o nobre deputad o.
Snr. Vianna prope o addtamenlo do
artiro addillivo do Snr. Gon.es Ribeiro sobre
o contrabando do Pao Brasil, a lrn de que
t entre em discussao quaudo se tratar da reso-
lucao offerecida pela terceira comuussao de
*' fasenda sobre este objecto.
O addiamento he apoiado, e depois de bre-
ve discussao he approvado.
Con nua a discussao dos outros artigos ad-
'lOSnr. Moura Magalliles explica e desea-
volveo seu artigo addilivo em que se au-
l .nrisa o governo a pagar o cobre que fot re-
clhido casa do troco na cidade ua Babia,
c do qual se aproppiiaro os rebeldes duw-
te a rebel.o de 7 de novemhro. Observa
flUe os pruprietarios desse cobre nao o tendo
1 ^colindo Juntamente, esim por obediencia
1 i, rio culPa ^ osrebelJeS heUVe9"
sem aprnpriado delle. Analisa o aviso de mi
nislerio da fasenda que prohibe esse paga-
mento, emoslra que, alem de injusto he
contrario ;s deliberaces do corpo legislativo
em casos idnticos citando entre outros o pa-
recer da terceira commissao de Ifzenda de
queera membro o actual nobre ministro da
(azenda, em favor dos negociantes Diogo Bir-
ckhead e G. e outros, sobre a entrega das
quantias depositadas na mesa das diversas ron -
das desta corte.
O Snr. Re;;o Monteiro pr.ipe o addia-
mento doartigo a Iditivo, obre que fallara o
precedente orador.
O addiamento he ap dado e approvado.
O Snr. Alvares Machado pede tamhetn o
adiamento do artigo addilivo do Sur. Souzi
Franco a(im de que entre em discussao quau-
do setraclardo projecto de lei sobre pioprios
nacicnaes
O addiamento he approvado.
" Julga-se finda a segunda discussao do or-
camento, e approva-se para passar a U;r-
ceira
Approva-se sem debate a urgeoeia pedida
pelo Sur. Vianna, e he sera discussao appro-
vado o requeriinento da commissao respectiva,
pedindo com urgencia certos esclarecimentos
ao governo, para poder dar o seu parecer so-
bre a proposia do crdito.
O Snr. Alvares Machado prope a urgen -
ca da lei viuda do senado que revoga a de
n de novembrode itiji sobre o trafico da es-
cravatura.
A urgencia be apoiada e depois da breve
discussao o Snr. Alvares Machad i retira o seu
requerimento esperando que o Snr presi-
dente nao deixe acabar a presente sessao sem
dar para ordem do dia a lei cuja urgencia
requerera.
Entra em discussao, e approvada e adop-
tada a resolucao que concede privilegio ;i c-
panhia de navegagao por vapor no alto Ama-
zonas.
O Snr. presidente d para ordem do dia:
Piimeira parle a mesma e mais as reso-
luces nmeros 89, 90, 43 ? o desie
anuo.
Segunda parle, continuaco da discussao!
das emendas impressas do senado sob nume- j
ro6i, e mais as resolucoes numero i7j de'
i838, emerid do senado sol) numero 109 des-
te anno, dila sob numero 79 Resolucao n
35 desle anno segunda discussao do projec-
to n. 6a sobre colonisaco segunda dita do
projecto n. 111 de 18J9.
Levanta-se a sessao antes das duas horas.
Sessao em 18 de agosto.
Presidencia do Snr. M. de Brito.
As 10 horas e meia faz-se a chamada e,
reunido numero sutfieiente de Snrs. deputa-
dos, abre-se a sessao
He lida e approvada a acta da sessao ante-
cedente.
O Snr. primeiro secretario da conta do se-
guinte expediente.
Hum ollicio do secretario do senado, com-
muniando que o mesrao senado adoptou e vai
dirigir ;i senecio imperial a proposta do go-
verno fizando as torcas oavaes para o anno li-
nanceiro de 1841 a t4* : fica a camarj -|
teirada.
Outro, do ministro do imperio envian-
do a copia do decreto pelo qual o governo con-
cedeo a D. i lorinda GUra da Foutoura a
aminha entre em terceira discussao o orca-
mento.
He apftiado o requerimento dispcnsa-S'
a imprcsso e approva-se a urgencia.
Ordem do dia*
Fntra em discussao a lei com as emenda;
viudas do senado, sobre aextinccSo do vn-
culo de Jaguar, na provincia de Minas; e
por falla decasi. nao se vota..
O Snr. Presidente d para ordem do dia a
mesma; comecando 3 pela discussao do orca-
mento, e levanta-se a sessao depois do meij
dia.
'p. -i iV a Ai'nuca.
pensao mensal de a5oO0 reis ; a commissao
de pensdese ordenados.
He approvada a redaccSo da resolncSo que
aulorisa o governo a conceder carta de na-
tura I sacio decidadio brasideiro aosubdito
portugus Joo Mamede Zeferino : he ap-
provado.
Hum requerimento de Emiliano Jos Bap-
(la Jardineiro pedindo o deferimento de
htii outro quese acha ha muito tempo na
commissao para dar o seu jiarecer- sobre
e\le : ccramisso aque est alfecto esle ne-
gocio
Outro deLui Procopio de S Vason-
cllos. reqnerendo de novo o lugar de por-
tetro da cmara dos ser.hores deputados :
mesa.
Outro de D. Mara Joaquina da Goncei-
eioe suas sohrinhas. pedindo o deferimento
do requerimento em que solicitio o paga-
mento de SwlJifi reis que llies 4eve a na-
ci : comroissio a que est affectoeste ne-
gocio.
Ilum pare?er da commissao de instrucco
publica, i 'V.recendo huma resolucao que au-
lorisa O di rector do curso jurdico deOndi
pira admittir Gandido Jos de Moura a fa-
zer acto* ilas materias do quinto anno ; jul-
ca-se obiecto de deliberacio e vai a imprimir. -
Otitrj da commissao de constituicio, jo- gosto ulmodeclaravaser desertor da escuna
bre a prelenco dos olEciaes da gu irni :o da <>e guerr i Victoria pedindo ao mesmo tem-
BrovinradePernambnco, para ser annulla- poa sua conservacio no Rsju.drao, e umi
do decreto do governo que declaro.. Joio res4l va do seo perdi passada por quem com -
Pedro de Arauio Agoiar, ex-capilo de ar- petisse.
tilheria, destituid:, dos direitos de cidadio .to Ao mesmo Exm. Sr, significan-
brasileiro j a commissao hedeopiniio queao.do-lhe em resposta so seo olHcio de Mjb
peder exeutivo compete derogar os decretos frrente que em 18 de Agosto ultimo ja llie
seus eporisso .-e Ihe remella a pretendo havia commumeado que rio fora remettldo
1 t ; 1, 1,0 anrnviiln para a Lomaici do Bu L'ormoso, a lim de
uara ser ileernla ; lie aoprovauo t
' He approvada e adoptada a reluci que a,, responler aos Jallos o so dada do 3. bt-
declara nos Pom de cidadio brasileiro todos -1 aa de Arl.lhena Jos Cirios por ter el-
os t.e tendo nascido no Brasil, se acharem: U deserta lo em ,0 d Abril deste anuo antes
ron prhendids na pena de perdimento dos da participio de se .char pronunciado.
COMMAiNDO DAS ARMAS.
Expediente do dia a3 do p.p.
Offieio AoExm. Presidente da Provin-
cia, devolven l-lhe com o parecer da Junta
de Saudeo rejuerimento de VIaria Joaqun-
das Merce/. que pedia demissj para seo
marido soldado Herculano Jou: de Santa An-
ua do i. Batalbio d'Artilheria a p.
Dito Ao m'-smo Exm. Sr. transmit-
tin lo-llie a supplica de Luis Jos Pereira ,
soldado do Esquadro n. 4 do Iinha qu
em vista da publicacil do Decreto de 5 de A-
mesmosdireitos imposta pela procianucio de
8 de Janeiro de l83.
He igualmente approvada e adoptada a re-
solucao que aulorisa o governo aconceder
carta de natoralisacio de cidadio brasil iro a
Joo Estevio Seraine, de naci francesa.
Entrando em discussao huma resolucao ap-
prorando a tenca de Miguel Florencio Xa-
vier da Serra o Snr. Goelho Bastos motiva
e manda a mesa o seguinte requerimento, que
lie apoiada.
Requeiro o addiamento da presente tenca,
para ser discutida depois da pacificavio do
imperio e tambem de todas as mais tencas
e penscs.
O Snr. Resende ope-se ao addiamento,
suposto vote contra todas as penses excep-
to as que lorem dadas a militares abijados
em combate nu s viuvas dos que morrerem
defendendo a ordem publica e a ntegriiade
do imperio Qaanto s lencas, vola por el-
las, e o continuar a lser em quanto hum
alferes tiver o insignificante sold deiiUooo
reis meosaesi
Fi.a a discussao addiada pela hora.
O Sr. Goelho pede a nrgctia para couclu-
ir-se a discuti do addiamento e he regei-
lada a urgencia.
O Snr. Vianna (pela ordem) aprsenla a
redaco do orcamento.
OSnt Alvares Macbadd pede a dispensa
da mpressSo do orcamento visto dever sa-
hirem impressas as emendas no jornal de
amanh, e pede lambem a urgencia para que
Dit) Ao mesmo Ex;n. Sr. requisitan-
do-lbe tres empanadas para serem colocadas
na porta e aneltas da enfermara dos bexi-
ceder guentos estabelecida ltimamente na Forta-
leza do Brum.
(JiloAo mesmo E*m Sr., enderezan-
do-Ihe a pelicio do 1. Teen te Antonio Dor-
nellasCamera, queaS.M. O I.supplioava
a Graca do promover a Capitio no Goinnin-
do da Fortaleza de Itamarac ou para urna
das vagas existentes no J. Balalha ) d' Arlilhe-
ria allegando para isso seos servicos ; e an-
tiguidade.
lo Ao Major Commandante da For-
taleza de Tamandar respondendo osejof-
ticio de 14 do corrente e dizenlo-lhe que
devia enviar a requisigio du plvora encartu-
xada (ue era de miater pira as salva, a dir no
presente anno segundo a Tabella e que o
Gommandanie do Deposito tin'.ia ordem para
remelter-lhe por intermedio do Couamandjn-
te do 6, batal'no do Arlilheria os venc me-
los do sold ulo Joao Francisco que la ser
julgado na Comarca do Ilio Formoso na pr-
xima sessao dos Jurados.
Hito Ao Pnenle Coronel Commandan-
te do Deposito, ordenaiido-llie, que e.n
quinto se denijrasse preso na Forlaltza da
Tamandar o soldado Joao Francis qun
ia ser juigado no Jury da Rw rormoso ae-
via enviar os vencimentos que Ibe competas
ao Commandante da lorales par interme-
dio do Gommandanie da Ailuem con
quem se devia entender.


DIARIO DB PEUNAMBCO
Portara Ao Commandanle do 3 Bata-
IhSoe'e Arlilheria remettendo-lhe n justi-
ficBj'o que pcrante o Auditor de Guerra
tinha produzido o soldado da 4 Coropanhia
Joaquim de '.'astro Madeira accompanhada
do parecer do mesmo Auditor a lira de que
fimse o Conseibo de Direc^o na contormi-
dade do Al vara de 16" de Marco de 17S7.
dem do dia 25.
Officio Ao Exm. Presidente, apresen-
tando-lhe o requerimento do Majar Com-
mandante interino do Esquadro n. 4 de Ca-
va lia ria de Linha Florencio Jos Carneiro
Wonteiro que a S. M. O I. impetrava a
merc d'o conciderar Major honorario cora
sold, em remuneraco de seus servicos
prestados a ordein publica e a Integrdade
do Imperio.
Dito -- Ao mesmo Exm. Sr., remettendo-
lhe o requerimento do i. Tenente do i. Ba-
talhode Artilberia Joaquim C. de Mello
PaJilha pedindoaS. M O. a Graca d'o
promover a Capito do mesmo Batalbo rom
antiguidade de 2 de Dezembio do anuo prox.
p. em altenco a ter soffrido preterices j
por vezes comprovadas, e al reconhecidas
pela Cmara dos Srs. Deputados em o parecer
que deo sobre urna representadlo que Ihe en-
derezara e cujo deferimento fura submettido
ao Governo.
Dito Ao mesmo Exm. Sr., transmiltn-
do-llie a supplica do a. Tenente Qtiartel
Mestre do 3. batalbo de Artilberia Mano-
el Lopes Maciel que pedia a S. M. 1 a mer-
c de o promover a 1. Tenente continuando
ro mesmo exereicio allegando sua antigui-
dade e servicos.
Dito Ao mesmo Exm. Sr. informando
o requerimento de Andi Francisco das Cha-
gas que pedia demisso do servico alle-
gando 1er sido injustamente recrutado.
Dito Ao mesmo Exm Sr. informan-
do o requerimento de Joanna Mara dos Ali-
jos que pedia demisso para seo filho solda-
do Pedro Manoel Cavalcanti allegando pa-
ra esse fim attendiveis rases.
Dito Ao Capio Luiz de Queroz Cou-
tinho, dizendo-ihe em resposla ao seu oihcio
de hontem que estava passadas as ordens ,
para lheserem amanh apresentados no Con-
sslho de Gueria de que era Presidente os
dous presos de justija que requisita.
Portara Ao Tenente Coronel Comman-
dante do Deposito, mandando de ordeni da
Presidencia dar demisso ao soldado Pruden-
cio Professor, por ter sido julgado pela Jun-
ta de Saude incapaz do servio em stsso de
j do coi rente.
Dita Ao Commandanle do 3. batalbo
de Artilberia mandando pelo mesmo moti-
vo dar demisso aos soldados Francisco r/elix
de Jezus e Jos Joaquim do Nascmento.
Diversas Repartces
Parte do dia 3o.
Illm. e Exm. Sr. Fora5 hontem presos
pela 1, patrulba dodist. da ra Nova a preta
Josefa escrava de Joaquim do Reg por
Ihe ser encontrada urna navalha ; foi remet*
tida ao Senbor : e por um soldado do Corpo
Policial o nardo Jos escravo de Floriuda
Mara de Jezus ,' e os pretos Jos e Victori-
no eacravos de Jos Ramos de Oliveira ,
por briga ; tivera o mesmo destino.
Das partes boje recebidas nao coasta que
occorresse mais novidade.
Pela Administrado Fiscal das Obras Pu-
blicas se ha de vender em hasta publica, a
quem mais der urna porco de madeira velha
tirada da ponte da Boa-Vista : a saber urna
porco de estivas algumas madres e lnhas,
avahadas em cem mil res ; e urna pequea
porco de pelastras avalladas em dezeseis mil
reis ; estas existem dentro do armazem e
aquellas fora : as pessoas que pertenderem
lancar e a quizerem ver dirija-se a esta
Repartico as horas do expediente para as
mandar mostrar e podem comparecer na
Sala desta mesma Administraco fiscal, as
11 hoias do dia 6 do coi rente mez de Outubro
para darem seos lances.
Moura A. F.
CMARA MUNICIPAL DACIADEDO
RECIFE.
Sessao em 3i de Julho.
Presidencia do Sr. Figueiredo.
Comparecers os Srs. Silva Drumond ,
Barros, Rios, e Pessoa.
Aberta a Sessao e lida a Acta da antece-
dente foi approvnda.
O Secretario dando conta do expediente
mencionou os seguintes oficios.
Do Vereador Tbomaz de Aquino Fonceca ,
pedindo escusa do mesmo lugar, por se a-
char bastante doente : deliberou a Cmara ,
que se ofBciasse dizeudo, que ella Ihe conce-
da a escusa pedida ; e que se cliamasse o ira-
mediato em votos para vir prestar juramento,
e tomar posse do cargo de Vereador em lu-jar
do mesmo Fonceca.
A requerimento do Sr. Silva nomeou a
Cmara urna Commisso composta do Sr.
Vereador Miranda e do mesmo Sr. Silva,
pars aprezentar urna Postura revogando o art.
9 das existentes aprovados pela Assemblea
Provincial, fim de se pedir ao Exm. Pre-
sidente da Provincia a sua approvaco interi-
namente e para indicar os lugares era que
devem existir os tanques de agoa em con-
formidade das mermas Posturas
Salla das sessoes da Admidistraco dos Es- | basta que acrescente, que o beneficio de Mme.
tabellecimentos de Caridade 26 de Setembro I Robert, rendeo livre de todas as despezas
de 1840. I Novecentos e tantos mil reis.
J. M. da Cruz. I Sou com estima De Vm. att, ven,
Escripturario. Rober.
J Snrs, aedactores.
Na Sessao da Cmara tiesta Cidado nse-
DIARIO DE PER N A M BUCO.
o q e' o Juay entre nos ?
Se justo o conhecer das causas pelos ef-
feitos qual deve ser o amor que se tributa
ao governo representativo quando a das
melhores de suas iustttuicoes se acha entre
nos no maior abandono que se pode ima-
ginar ?
Sabbado [ a6 do p. p. ] nao appareceo nu-
mero suficiente de Juises pira poder ter lo-
gar a 5. sessao ordinaria do Tribunal dos
Jurados o que nao admira pois to escan-
dalosa e reprehensivel falta teta sido assaz
repetida nesta cidade que se gloria de to
constitucional.
Que differenca se nao encontra entre oju-
ry e as elleiedes 5 aqui o cidado desejaria
ver o seu nome reproduzido em mais de mil,ali
deseja ver o seu nomeno rol do esquecimento ,
e mesmo no livro dos morios ; aqui todos fin-
gen) temer a multa ali nao ; as elleices
todos se a presen to ora5, intrigo, e brigo,
no jury todos fogem, escondem-se,maldizem-
se lamento o trabalho e do a os diabos ao
patrono que mais extenso 111 defeca de
seu constituinte ; s em um sentido se toco
estes dous artos constitucionaes ; as ilieicdes
os votos [ pela maior parte] se do por pedi-
dos no jury tambem algumas sentencas ; ali
vota-se em cidadcs sem mrito aqu absol-
vem-se [ as vezes ] os reos de crimes o mal*
dignos de punico ; ali pertubi-se a ordem a-
fim de se favorecereiu afilha los aqui para
livrarera-se afilliados, pertuba-se a ordem do
processo [ como temos visto por vezes no jury
desta cidade ] cahindo o processo no conse-
Iho de aecusaco quando s o devia ser no
de sentenca. Quanto vivemos Iludidos !
A regra d'um jurado diz B. Constant ,
rida em seu Diario de ^4 deSe.p.p. n. 308 ,
observei que o Exm0 Presidente da Provincia
oficiara referida Cmara remetiendo hum
requerimento de D. Mari?. Francisca Mar-
ques d'Amoria s rep$es~3nts;.do o er-.barasso
que cauza ao tranzi'o publico as a^uas que se
junto na Estrado da Ponte d'Uxa, e no seu
citio por haver eu tapado hum aqueducto
por onde as mestias dcraguavc.o para o Rio
Capebaribe ; e por que a abeberiura tlesse
aqueduclo nada menos importa quo a ruina
da mili ha propriedade eu dezejo 'azor pu-
blico os motivos por que me tenho opposto a
pertenco da mesma Sara., j principiada
pelo seu finado marido o Sur. Antonio Jo-
s d'Araorira.
Jos Antonio da Silva Teivas antigo pro-r
prietario do Citio da Sara. Amorim perten-
deo do meu antecessor, o falecido Manoel So-
ares '.e Souza o consenso para a abertura de
hum cano en seu C:t3 pelo lado onde ho-
je se acha e.lifioada a m>nha propriedade ,
para por ali escoarem as aguas que na es taca j
invernosa juntavo no dcUa o que nj
coneeguindo nem pelo iuteresse que Ihe fazia ,
enera por araisade, se valeo ecn 1818 do
Chetfe de Polica nesse terapo o Major vlerme
para representar ao General Luiz do Reg
queojbem publico naijuelle lugar sofra por
taita de hum aqueduclo que desse escoamento
as aguas d'estrada : conseguida a ordem :
a sua consciencia ; seu mrito o escrpulo
e a exactido no exame ; seu dever a expres-
so fiel d'um juizo imparcial que se nao cur-
va eni presenca d'alguma consideraco d'al-
guraa intencj. Ou Benjamn nao era cons-
titucional, ou nos somos responsaveis em pre-
senca da nacao, e do mundo pela inexacidg,
pela parcialidade e pela injustica com que
tintas vezes se tem postergado a lei se tem
ridicularisado as formas protectoras de nos-
sa liberdade. Ondeesto pois aquellas feli-
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
Edital.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Ca-
n argo Inspector da Alfandega faz saber
que no dia sexta feira 3 do mez vindouro se
hade arrematar em basta publica e na porta
da mesma o meio dia tres caixas com t
chapeos de seda para Seubora cada um em
sua caixinha no valor de 5j5Uooo reis ,
impugnados pelo Amanuense Damingos da
Silva Guimares, no Despacho por Tactura
de Adour & C. sendo o arrematante sujeilo
o pagamento dos Direitcs.
Allandega 3o de Setembro de i8,fo.
V. T. P. de F. Camargo.
CORREIO.
Existe na Administraco do Correio um
seguro indo do Maranho para Antonio
Francisco Dornellas.
PREFEITURA.
Parte do dia 99 de Setembro de 1840.
Illm. e Exm. Snr loro hontem pre-
sos pdoSub-Preeito da Fn-guesia do Re-
cife oportuguez Jos Antonio Caldas, por
ter recibido e nao querer enliegar um boio
de brilbante que lora lunado do tallecido
Franeisco Felijipe dbanos pelo seo escravo
de nome Malbtos ; foi remeltido para a Ca-
deia : pelo Sub-Prerilu desta rregueziao
pieto Manoel ignatio Marques Bezerra por
ter lerklo cem urna espada a ioio Baiaono ;
foi (.(-((nlo no CallaboiijO : e {.-eia 1. l'utiu-
Iba do dittricio da anla Cruz 0 crtoulo Joa-
quim Jcs de Sania Anua por =er deseilor
de Maiinba : oi 1 emet(ido Salla.
E' o que consta das i ai tes boje recebi-
das neita Secreaiia.
A requerimento do mesmo Vereador deli- cidades taogabadas, que nos deviu provir
berou a Cmara que todas as vezes, que se desta inslituico ? Tudo tem sido pulverua-
houvesse de conceder licencas para edificaces | do tudo se tem evaporado como o fumo ; e
se lancasse no livro de registro de despachos o o remedio o mais saudavel que nos offere-
nomedodono, e mestre que tem de fazer ce a coostitaico, cahindo as inos d'alguns
a obra ; e que quando o Cordeador bouvesse Jurados se tem tornado em morillera pe-
de dar a copia da cordeacoao respectivo Fis- con ha.
cal devia nella mencionar o nome do mestre. Poderemos ainda clamar contra alguns Be-
A requerimento do Sr. Vereador Rios de- cus Perece-nos que os ouvimos dizer :
liberou acamara que as Sesses fossem de : Vos clamaveis oontra nos por que vos, s
15 em 15 das devendo o Snr. Prezidente querieis ser injustos, querieisser venaes, e
logo que houvessem negocios urgentes convo- despolas. Por acaso a vida e a liberdade do
cal-a extraordinariamente, tendo votado con- cidado tem sido mais seguras, quando de-
Ira o Sr. Vereador Pessoa. i pendentes de vos do que quando dependio
A Cmara deliberou pela representaco denos ? Que chicana nao lera sido inventa-
que Ihe fez o Fiscal deste Bairro que o Pro- ,da por vos r1 Algum dia em nossas sesses
curador desse as ordens necessarias para fac- despararo-se tiros morrero cidados 'i Em
tura de padies e cornijas em conorniidade os nossos julgamentos tem apparecido alguma
do que determinad as Posturas. | vez o temor e a pertubaco i Que sentenca
Compareeeo o Dr. Promotor e fez o sor- se dar entre o medo e a esperanza ? a
teamentodas 60 sdulas dos Jurados, que! E como responderemos nos a to justas ar-
devem coropor a presente Scsso Ordinaria; 'guicos? Sendo mais promptos em concor-
e deliberou a Cmara que se fizesse publico rermos logo que forraos chamados para as
por Editaes os noraes dos sorteados. sessoe j sentenciando segundo a nossa cons-
Compareceo tambem o Cidado Joaquim j ciencia ; edesprezando toda e qualquer con-
Jos de Miranda Jnior que prestou o jura- sideraco que possa separar-nos do dever o
ment do estillo e tomn posse do Cargo de mais sagrado que nos impoera a consti-
Vereador.
Despachara-se alguns requerimentos. E
por ser dada a hora alevantouse a Sessao.
E mandara fazer a presente em que assigna-
ra. Eu l'ulgenrio Infante d'Albuquerque
e Mello Secretario a escrevi.
Figueiredo Presidente Silva Dru-
monu Barros Rios e Pessoa.
Administraco dos Estabellecimentos de
Caridade
tu icio.
Perante a Administraco dos Fstabeleci-
mento de Caiidade se ho-se arreraaltar a
quem mais der no dia u do Induro mez as
rendas das casas D. 2, 6,e 4 na 1 ua da Reda, 8
hijas da casada Roda, 1 e 10 ua ra a-
Iraz do Calabougo ; as pessoas que sepiopo-
seienia arrematal-las poderao comparecer no
indicado dia no Grande Hospital desu Cida-
de as quatro horas Ua larde com o> seua li-
li dores
Correspondencias
Srs. Redactores do Diario de Pernambuco.
Maranho i. de Setembro de 1840.
Tendo-me o Senbor Gamboa dito,, quando
em Pernambuco trabalhei no spu tbeatro ,
q* Do era possivel poderem artistas como eu,
contractar cora os directores do Tbeatro
do Maranho, por exigirem estes cousas ab-
solutamente inademissiveis e seja provavel
que isto mesmo se diga aos oulros meos colie-
gas logo-ibes, Snrs. Redactores, para des-
engar alguus delles, que se deixera levar
por falsas infonnaces de publicarem no
seo Diario que nao s achei, que esses di-
rectores obravao o contrario do que o senbor
Gamboa me disse ; mais at que eio *mais
cordiaes e francos, do que esse senbor. __A-
Jgora pelo que toca ao publico do Maranho, [seu Cilio, e impedir ^M aSuas"dTeh
Neivas manda metter as enxadas para dar
principio a valla mas sofrendo opposico da
Alanoe Soares vai queixar-se a Merme o
este Sullo cuja vonUde era lei, fas execu-
tar a ordem poslando seutinelas do liatallio
d'Algarves te inalisar a obra e Soares inhi-
bido de pronunciar palavra e d'algum outro
recurso. He retirado o General Reg em
18a 1 e Manoel Soares nao t mais a prepotencia dos que o circulavo man-
da intupir o cano ; em 1816 deu principio a
edificar o meu predio no lugar da valla j en-
tulhada seo que alguem me embaracasse.
Em i8Ji a Cmara tentando fazer demolir o
muro do Cilio do Exm. Presidente da Kela-
co pertendeo to bem que a despeo de
se adiar o meu predio edificado sobre a valla
abrisse de novo o aqueduclo e depois de me*
oppr mostrando a impossibilidade de tal exi-
gencia coja vestoria que requer posrae ella hum Libello do qual decahio
desde a 1. t ultima Instancia.
Em i83J compra Amorim o Cilio d" Nei-
vas e querendo trnalo mais salubre me fa-
la cora aquellas maneiras lo affaveis de qua
era dolado mxime quando ten lia a iuteres-
se proprio ollerecendo-me 00U000 rs. para
consentir nova abertura do cano o que uo
conseguindo de mira tanto nnis por nao ha-
ver titulo algum que a isso me obrigzsse rae
ameassou cora justica e que nao precisava
de ttulos &. Se. Propos-rae cora eieito hura
Libello no qual a pezar de pruvar eu ludo
que acabo d ex por ti ve Seoteaca contra cja
qual recorreuao para o Supremo Tribunal,
este toraou conheciment para a Relaco da
Corte e esta eutendeo confirmar a Sentenca
da daqui. Logo quu aqui saino a ulii.rii
Sentenca Amorim quis dar execuco e eu
requer ao Ministro que- ento era o Snr. Na-
varro huma vestoria para que se delioerasse
o lugar por onde se hava aurir o cano sem
prejiliso ou ruina do meu predio; S. S. rt
nesia occasio foi to trauco que com a maior
singeleza declarou aute algumas pessoas que
se achavo nesse acto que linha dado Sen-
tenca contra raim mas que vista do que
etava patente ella continua injustica. Dos
guie serapre os pussos de S. S. por que dos
urrependidos he o Reiuo do Ceo Ento S..
S. me lerabrou acmodaco e que eu cal-
entase o prejuiso que teria para Amorim in-'
demnisar-me ; oulros Snrs. que to bem se
achavo ahi approvaro a mesma-ideia e ao
que Amorim respondeo dava por bem feito o
que os seus amigos zessera mas eu entend
a n.tda dever seder. Tem por tanto mediado
4 anuos sem a Sentenca se ter cumprido ,
e nao obstante o Snr. Joaquim Jos d'A-
raorira veio-me offerecer Ks. i.aooU para
despeza da obra, e alhe se empenhou cora o
meu amigo o Snr, Jos Pereira da Canil* pa-j
ra arranjar esle negocio porem a miuha re4
zoluuo he daada annuir : entrelanlo a pa-J
rece agora este requerimento de queixa ao
Exm. Presidente, quando a queixa devia!
partir dos vezinbos a respeito da Snra. Amo-(
rim por haver tapado os bueiros do muro do
f



1
\
$
DTAR
IO E PHflAMBCrt

trada na altura do do Snr.
Pereira Simes dezagoem para dentro, a
exemplo do meu, que pelos bueiros que con-
servo esta a estrada sempre livre d'aguss
Paulo {Jos erro, commettido pelo governo de accusar
este escripto perante a capara dos pares,
deu-lhe grande consideracaii; e tal foi a im-
portancia da cousa que o gabinete francs ,
achando que a presenta de Luir Napoleo na
impossadas, e conseguintemente que, o tran-
zito publico nada sofre embora seja este o Saissa poder.a"occasioar mementos milita-
argumhto com c qual se pretent* invadir a
minha proprtedadc, para beneficiar outra
particular.
Concluir este rn:nha nsrncao repetirlo
que se polc meu Citlo ouve -quelia serventa
de despejo d'aguas.ella fo devida.a huesa ar~
bitrarlsdade da hum Governo desptico que
em lenpoaljuc podo constituir cireito que
pela masw.a meceira com que esna ocmeduc;o
foi aborte pe'a mesraa fio er.'.ulhou ; e sando
estas 3 rasoes om que ule fuads para repre-
sentar as djAcuklades que se Erereocu e::c-
cuco de hura- Ser.tanca inicua ro desisti-
r! j mais de buma oppcslcSo lega!, qual a de
evitar a ruina do ~ien Predio. Rogo eos San.
Redactores c insertfio desles liabas para qua
o respetavsl publico pese na Balanza impar-
cial o meu procedimento
Sou De Vmcs. cauito V* e G.
Manoel Antonio da Silva Motta.
OS PARTIDOS EM FRANCA.
OS BOKi.'ALV'IST^S.
Tal tem sido prtente .t o estado dos par-
tidos em Franca que das e&peraocas de hup.s
e dos recetos de outros le-n resoltado a forc
de cada bum. Entretanto perra bato
terceiro partido veio chamar a aKenc&o pu-
blica e influir considerevclmcnle sobre c es-
lado das cousas. Quero fallar do partido bo-
napartista deste partido em culi existen-
cia eu tive tanta diOicuidade de erer por nao
poder comprehender nem o sau principio ,
nem a sua signiicaco mas cuja reaidade
j nao pode pur-se em duvida. Explicare! as
circunstancias que viero da vida a esta fac-
cao que com a morte do duque de Reicis-
tadt pareca ter dado tambera a ultima bo-
queada.
O partido lona partisla que no tempo da
restaura' o tinba sido a alma de toda a oppo-
sico liberal havia- se deixado arrancar das
mos a victoria em i63o tanto por causa da
ausencia do duque de Reichstadt, como em
consequencia da deleceo dos seus chefes. A-
pezar disto porm nem perdeu as esperan-
zas nem a coragem ; e logo que passou o mo-
mento do estupor em que ficra com aconte-
cimentos to imprevistos tratuu de tornar a
ganhar a forca que tinba perdido. Possoaf-
frmar porque o sei, que ja' no principio de
1851 corpos inteiros com generaes e coro-
neis frente estavo espera do duque de
Reichstadt, com quem hum general, depu-
tado e famoso orador enlo chele de partido,
se corresponda por intermedio do principe
Luiz Napoleo que nesse tempo se achava
em Allemanha oceupado em abrir communi-
caces com seu paimo. A diplomacia aus-
traca que Ihe espreitava os passos vio logo
lodos os nos do trama e impossibilitou o du-
que de Reichstadt deapparecer pessoalmente
em Franca : em consequencia disso exigio-se
que Napoleo II aulorisasse seu primo para na
qualidade de seu lugar tenente se por testa
do movimento que se preparava.
Tal era o estado das cousas quando a morte
do duque veio dissolver o partido bonapartis-
ta cujas ruinas se reuniro parte aos repu-
blicanos parte aos orleanistas. Este resul-
tado era natural, O interesse publico, a tra-
diio dos direilos e das recordaces do impe-
rio estavo reunidos na pessoa do duque de
Reichstadt: as outras familias banidas e es-
palhadas pela America e Europa estavo es-
quecidasj e portanto tudo devia deparecer com
a morte daquelle principe.
Entretanto parece que Luiz Napoleo Bo-
naparte a quera os seus partidistas coinec-
ro desde a morte de seu primo a chamar o
principe Napoleo [nao considerou a dissolu-
co do partido como definitiva ; e o que he
certo he que servindo-se das relames que
tinba entabolado, era nome do duque de Rei-
cbsthadt, emprehendeu derribar o governo
francez com mo armada e tenlou apoderar-
se de Slrasburg. O resultado material da in-
terpreza foi nenhum porm o resultado mo-
ral foi grande ; porque nao s o governo
francez passou pelo primeiro dezar na consi-
deradlo das potencias estrangeiras mas re-
nascro no reino as sympatbias napolenicas ,
as quaes ganbro mais forca com-a absolvi-
co dos abusados de Sirasbiu. A sentanca
de jury fez glande sensaco em Europa ; e
desde enlo por diante Luiz Napoleo come-
cou a ser considerado como bum verdadeiro
preiendente.
Tal era a siluaco do partido bonapartista ,
quando em i sahio a luz a obra de Laity
res em certas cidades ex i'o a remoga des-]
te principe. Esta exgencii -soncorreu muilo
para dar forca e crdito ao partido bonapar-
tista ; porque todo o mundo enf rou a pensar
que tautlo'serio devia ser o negocio para que
aquella mesmo governo que tantos sacrificios
tinbalello para a ct?rscrv?ao da psz v no ti-
vesce duvida en cmp.ehender huma guarra ,
s para apartar ac suas fronteiras o princi-
pe rTapoicto. lleta disto este ultimo, re-
tinfadeseesponUneaiaGr.te adquiri o me-
rscirr.f-ito de ter evitr.do pala sua moderaco
huma luta entre dous povos amigos. Assin .
os erroj de erabinee Trancez clixro a at-
tonno pv.I>lca solare hura Bonaparle e e:;-
citraS paixes (: cen'.iraentos, a que s falta
occasiao o.ppcr:uaa para poderera entrar de
novo era ra'ovlraento.
No estedo actual das ecusac nao he peqaeaa
a dir.culdade do^prcblaraa quc deve ser rasol-
vida pelo partido bcnapcr'.isti ; porque sa
trr.tr, de nada rocos que de peder conciliar
t:ii5 os outre partidos .' ana he isso tatrbem
o que rato e fkzer es cbrbs booaparltrtta .,
e eis-cqu: e qce nodo. Aos partidos repu-
blicano q dctcoc:x.;ico, dieen 1 x'Quetendcj
TOS con a ferraa do gor-arno ? U qu v js
ruereis he a cousa. Pois bem! Ntfs faremos ven-
cer todos o?. vos:osdirei:o3 e ledos os VOSSOS in-,
naca 5 e
a asurar
ma vez q'
techa coregera talento e raerecinrsr.to. v
As classes madias fao desta maneira: O
loja de cambio do Sr. Vieira ; era S. Antonio
na ruido Cabug;, loja do Sr. Bandeira ; na
Boa-Vista defronte da Matriz botica do Sr.
Joaquira Jos Moreira era Oiinda venda de
J/.oe Manoel dos Santos nos quatro cantos.
Nos inesmos lugares, troca5-se bilhetes da
Lotetia do Theatro, e de outras que, sabido
tenha premiados.
lotera do theatro:
OsBilhe'es da aa Parte da 4- Lotera,
cujasrodas ando imperterivelraente no da 3
de Nivembro prximo vndouro, acho-se a
venda no Bairro do Recife ; em as Lojes dos
Snrsi Vieira Cambista e Manoel Gonsalves
da Silva, e no de Santo Antonio, as dos Snrs.
'Jaste* e Costa na Pracinha do Livramento t
a Masoei Alvec Guerra ra Nova.
GABtfTEITE LlTTERARIO DE PER-
NAMBCO.
ADIrescao do Gabinette Litterario de Per-
namjuco randa fizer publico que Domingo
A da corrente palas 4 horas da tarde, ter
lcgai a abertura solemne do mesmo Gabinette
no 1. 'andar da caca D. a' da ra nova ; e
qua t sessSo ser publica e a entrada franca
qualfuer pessou que oueira assistir ao acto.
Rflci.e 1, de Outnbra de 1840.
Por ordem da Direcco
O i.Gecretcrio
Lus da Costa Porto Carreiro.
SOaEDADE ARGELINA THEATRAL.
O Priraeirc Secretario avisa aos Illms. Srs.
3ocias que no dia 4 de Outubro pelas 3 horas
da Urde haver Gesso extraordinaria no
Forte do Mato ra da boia casa n, 3^.
e que seja fiel ; na ra das Flores, caza D. 8j
se dir quem precisa.
&^ Arrenda-se uma caza para se psisar
a festa com quatro quartos, duas sallas, co-
zinha fora, estribara para ura cavallo, quin-
tal, cacimba, ortalioe e com algura principio
de flores na campia da cara Forte pela
preco de 80,000 mil rs., e perto do banho ,
quem a pretender dirija-se a ra de S. Ri-
ta nova D. 18.
G^ Alluga-se um sitio por tempo do fes-
ta no lugar capunga com muito boa casa t
e bastantes fructeras e uma baixa de capim,
e outras plantaces : na loje de fazendas da
ruado Queimado,D. 11.
wNo dia segunda feira 5 de Outubro des-
te anuo se hade arrematar na parta do Dou->
tor Juiz de Direito da a. Vara doCivelc
pelas quatro horas da tarde na ra da rola 03
gneros de uma taberna e varios escravog
perter.centes ao finado Antonio de CarvalhoJ,
quera nos mesraos pretender comparec asi
horas cima declarada, pois he a ultima
praca;
c^ Quera precisar de huma ama coro
bom leite, e nao tem filho, procure no
sobradinho de hum andar detronte do telheiro
do porto das canoas.
fc^r Quem possuir buma escrava moca o
mulata que saiba bem coser e engomar
e a queira vender annuucie a moradia por
este Diario.
t^3> Deseja-se alugar buma casa terrea no
bairro de S. Antenio para pequea familia
dando-se de aluguel por mez at isUooo rs.;
tambera se arrenda animalmente ; quem a
sua moradia
para ser procu-
que vos pre:andeis he estaLidade e ordem
pois nos vos daremos esta establidadee ordem
que os legitimistas vos prometiera, n.as sem
V03 iraporracs como elles o ji:go do clero e
ja nobreza e 3era que vos seja preciso sacri-
ficar o vosso amc-r preprio e a vossr honra a
huma casta dequam j hura vez triuaphas-
tes. Quanto as a!J.iancas estrangeiras nao
esto os germes dellas nos lacas de parentesco
q' uera a familia de Napoleo rciior parte
das potencias do continente? Qra o principe
Luiz Napoleo est actualmer.ta multo mais a-
parentado cora ellas do q' o duque de Brdeos.
Na casa da Russia toca por seu primo o du-
que de Leuchiemberg $ na de Austria por
sua ta a imperatriz Mara Laica; na de
Sueca
Avisos Diversos
ca : na
Leuchleraberg
v %^T Qualquer {Reverendo Sacerdote que
se quiser utuisar do abaixo assignado para
mr.ndar fazor obras de batinas xismarra ou
quclqusr ornamento de Igreja tudof muto
bem feito e com promptido procurem ao
mesmo no beco do ouvidor em sua loja.Jo-
s de Souza Fortuna.
KST Lenoir Puget & Companhia rogaS a
iodos os crtdores do finado Joo Jacinto de
Medeiros haji de justiGcar sua* contas at s-
bado 3 do corrente do contraro elles ratea-
ra O dividendo por nguoilea crodore* qu Ja
tiverea feito a dita justificaco
tsr Arrenda-se por tempo de um ou mais
por sua prima a princeza rea! de Sue- anno$ o sitio de D. Laurana Roza Candida
1 de Baviera por sua tia a duquera de Rigueira no lugar do manguinho na di-
na de Wurlemlierg por sua [ visa da estrada de S. Jos e A3ietos ; no at-
"\ I__1 '" ., 1 t .. I. ... \ m'i'd A l'\a iM.'fn i>nc um <- un mnn tia a princoza de Montfort ; na de Badn por trro da Boa vista casa era que mora o Maj
nia i nade, Jos Carlos Teixeira.
or
sua tia a gra-duqueza Estaphs
lii Bganca por sua priin 1 a imperatriz duqueza
de braganca.
Finalmente com os Iegitraistas exprimem-
seos honaparlislaspor este modo: Excep- 1J lado esquerdo.
Quem precisar de uma ama para o
servico de um horcera solteiro ou casado de
pou.'a familia; dirijase a ra de S. Rita, D.
tuando aquelles que por devoc.'j generosa
sim
raas sem idea poltica se querem con- j Tavares Luiz Francisco do Valle
Ey Os fi;-s. Francisco Gomes Vi Hela, Jos
Do-
? e
annunciar
servar fiis dynasta antiga que he o quej minjos da Silva Mello, queiro
pretende a massa do vosso partido ? Nao he a : suas moradas para se tratar negocio de inte-
dignidade do throno com grande autoridade resse.
moral para reprimir os partidos e com ca- C^ Na ra do Amorim no Recife defron-
pacidade para sustentar a jerarchia social, te do nincho de N. S. da Piedade onde tem
donde resulta o equilibrio das classes e a po-1 na loja teuda de puliero^ engorama-se com
sico natural de cada huma sera confusao perfeico e cose-se todas as qualidades de
nem desordera P Pois nem a legitimidade he costuras por muito mencr preco de que
bastante para ohter este resultado porque
todas as vezes que as massas nao reconliecem ,
nao passa de hum termo sera significago ,
nem o instrumento eflerecido por vos j ser-
ve para cousa alguma porque perdeu todo o
prestigio com que dantes obrava sobre aopi-
nio. Napoleo, porem que nao fez elle por
vos ? Restiluio-vos os vossos bens e saciou-
vos de honras ; porque o que anda vos resta
do vosso antigo esplendor e riquezas a elle ,
e a mais ninguem o deveis. Quera azer
muito por vos e podia porque ninguem
desconfiava delle e nao se lhe poda suppr
parcialidade a vosso favor. E que pedem fa-
zer os Bourbons que, com razo ou sem el-
la nao representad aos cilios da naco se-
nao os interesses da nobreza e do clero e dos
quaes per isso mesmo toda a naco descon-
fa ;'
O partido bonapartista portanto espera
ganhar para si nao somenle o povo e o exer-
cito porem tambera a massa fluctuante de
todos os outros partidos.
(o Jornal do Commercio.)
. LOTERA DO SEMINARIO.
O Reitor do Seminario de Oiinda convida
os amantes de Loteras a comprarem os bi-
lhetes da primeira parle da 17.a* Lotera do
mesmo Seminario, (cujas roda anddoimprete-
rivelmente no dia i2 do corrente) que se acba
para wplicar o movimento deStiasburg. O veadanoliairrodoftecil'ejruadaCadeia, aa
em
outra qualquer parte ; assira como aiuga-se
uma escrava pagando-se 3ao para vender na
ra.
ss^Precisi-se de uma ama de lete forra ou
captiva mas que tenha bom leite ; no prin-
cipio do atierro da Boa vista na loja de fa-
zendas do Silva ou no forte do mattos no se-
cundo andar por cima da loja de tanueiro de
Manoel Esteves.
$53- Aluga-se um sobrado em Oiinda na
ra de S. Bento ptimo para se passar a fes-
ta e duas casas terreas na ra da mangueira
no poco da panella; os pretendenies dinjo-se
a ra da Cruz D. 62 terceiro andar.
t~3* Precisa-se alugar no bairro de S. An-
tonio, uma casa terrea que deite o portao pa-
ra a taar e que o seu alaguel seja de 8 a
10,000} quem tiver annuncie.
g^P La7a-se e engomraa-se roupa com as-
seo e por preco commodo no beco do padre
casa 11. 7.
si?" r"recisa-se de uma ama para o servigo
de uma casa de pequea familia ; no atierro
dos allbgados lado direito n. 8.
C?" Quem precizar de uma ama para todo
servico de uma caza de pouca familia ,
ou de homem solteiro j dirja-se a ra
de agoas verdes casa nova de duas por-
tas defro nte do oilo da Igreja de S.
Pedro.
CT Preciza-se alugar um 'moleque de 1a
a 15 annos de idade, para comprar na ra,
ti ver annuucie
rado.
BJP* Prenisa-se de hura Estrangeiro para
feitor, que se sugeite a todo o servico de la-
voura n'um sitio perto da praca : a falar cora
Jos Francisco de Paiva no Afogado ra do
Filotocolorab.
t3T Offerece-se hum brasileiro, que bem
l, escreve e conta para qualquer oceupa-
co de escripia em algum cartorio, ou mes-
mo para adiantar alguma escripturaco a-
trasada. Outro sim otfereco-se tambera para
ensinar pavticularraente primeiras letras ero
atf uma Povoaco, Quem do seu prestimo so
quiser utilisar annuucie sua moradia par este
Diario.
;9* Han senhora de bons coslumes sugei-^
ta-se a ser ama de homem solteiro ovi alguna
senbor viuvo com poucos filhos ; quem dola
precisar annuncie.
KST" Quem precisar de hum rapaz para
caixeiro de taberna annuncie a sua moradia
por este Diario.
cr Quem quiser carregar para a Cidada
da Parahiba ou para a do Rio Grande diri-
jase a Fora de Portas a tratar esm Antonio
Joaquira dos Santos, parte do mar grande.
S39" Qualquer mulher de idade ou mes-
mo moga que queira estar era uma caza da
pouca familia para servir smente de compi-
nhia dando-se o sustento e vestuario di-
rija-se a travessa do Rosario no primeiro an-
dar do sobrado onde mora o Sr. Seralim.
tST Rita Mara da Gmceico viuva do
fallecido Joaquira Antonio Ferreira de Vas-j
concellos faz sciente aos seos Credores para
quinta feira 8 do corrente comp?recerena aa
m horas da manha na caza do sua residencia,
para se lhes fazer ver o estado actual da raus-
ma.
tSST Na ra das Trincheiras sobrado n. a3,
precisa-se de uma mulher capaz que saiba
vender fazendas com uma preta : e na raesraa
casa vendem-se e fazem-se chapeos de seda
e do palhinha.
m Perante o Sr. Dr. Juiz de Direito da
3. Vara do Civel se hade arrematar no dia
7 do corrente as 4 horas da tarde uma mal ai 1
escura com as habilidades seguiutes: coza
xo engoma cosinha faz varias qnalida-.
des de doces e he recolhida.
-----Precisa-se de uma preta para ama do
um menino captiva que saiba engomar ,
e lavar a roupa do menino e fazer todo o ser-
vico preciso a uma enanca ou forra e da
bons costumes e moca sem molestia ; na ra
do Vgario L). 3o em casa de Themotheo Pin-
to Leal.
cr Desapareceo da praia do Collegio uma
banda de uma canoa nova de sessenta palmos
de comprido : quem della tiver noticia ou.
souber onde existe) dirija-se a ra da Praia
serrara de Coustanttuo Jos Raposo ,
que ser generosameute recompensado do seo
trabalho.
%sr Preciza-se de um Portuguez, para fei-i
tor de um Engenho e que tenha os conheci-.
menlos necessarios para administra-lo j quem
pretender, dirija-so em Oiinda botica d
ra do amparo i), 5 ue acnar caca quem
tratar.


1a.
D
IAIO DB PERNAMBC
ver Precisa-se de urna ama de leite, na mal t?r ptimas bichas chegadas de prximo
das Cruzes no segundo andar do sobrado De- por preco commodo ; no armazem
cima 7. Annes no caes da alfandega.
Da-se dinheiro sobre.pinhores de re- tsar Urna preta creoula de bonita bgura ,
da Boa vista I Je idade de ao annos co'e engomnv
Ionios de algibeira no atierro
loja de roluj'>eiro.
'tS9~ Precisa-se de urna ama com capacidade
para bem tratar de um doente na ra do
Queimado D. i.
S2T Aluga-se para passar a festa quatro
moradas de casas no lugar da capunga a mar
ge do rio capibaribe as quaes sao de pro-
priedade do Major Jos Carlos Teixeira1, os
pretendenles dirijoo-se a praciuba do Livra-
meoto loja D. 26.
SST 'i'raspassa-se a chave da loja da ra
estreita do Rozario L) 16 lenda de barbeiro ,
com sua armaio envidrassada propria para
qualquer eatabelecimento ; a tratar na mesma
^.SST Madame Theard cabeleireira na ra
nova oriraeiro andar do sabrado D. 16 de-
fronte da Conceicao dos militares te.n a
honra de parlecipar ao respeitavel publico e
particularmente a os seus freguezes, que aca-
ba de receber da franca um grande sorlimen-
to de chapeos de palba e de seda para senho-
ra do ultimo padro e de muito bom goslo ,
lnvas sem dedos mui lindas pentes de to-
das as qualidades flores finas de todas as
qualidades para ornar cabecas e vestidos ,
um grande sorlimenlo de cabellos para roar-
vafas e crescentes, e trancas finas
OT Francisco Lucio Coelho faz publico ,
que deixou de ser caixeiro doSnr. Jos An-
tonio Gomes Jnior des o dia 3o de Selembro
prximo passado.
Avisos Martimos.
de
zinha e faz todo o mais servico
CO-
PARA LOANDA o Brigue Portuguez O-
liveira at i5 de Outubro pioximo por ter
a maior parle de sua carga -prompta } quera
quiser carregar ou ir de passagem, para o que
tem bons commodos dii ija-se a Mendes & O-
liveira na ra do Vigario i5.
PARA O ARACaTY com brevidade a
Sumaca Conceicao Flor do Mar quem qui-
ser carregar a frete commodo ouir de pas-
sagem Jirija-se a Antonio Rodrigues Li-
ma na praca do Corpo Santo ou ao Mes-
Ue Antonio Jos Via una a bordo da mesma
Sumaca fundiada defronle do trapiche novo
PARA LOANDA o Patacho a. Jos c,uo
sahira em poucos das; trata se na ra da
Cruz n. 67 ou coin o capito na praca do
commercio.
de urna casa,,
para fora da provincia ou para o matto ; na
na do cabug loja de miudezas D. 5.
CT Urna negra de bonita figura lata ,
en;omma faz todo o servico de urna sata,
e de idade de 10 annos com urna cria am-
nha de idade de 5 mezes na ra nova hdo
da Matriz D 9.
t Bichas pretas de boa qualidade a-
mendoas molares e urna gaiola de madera
propria para conduzir aves ou outros quses-
queranimaes para a Europa"; no atierro da
Boa vista I) iq.
f^> A posse de um terreno sito no ar-
gados no principio da estrada que vai pan a
varzea lugar dos pocos com duas eazinhas de
pedraecal edificadas na fenle duas cacim-
bas ptimo tanque para banho e lava de roupa, dous ps de coqueiros ja daido
fructo e alicerces feitos para mais 3 casas na
frente do mesmo terreno o aforaroento he
perpetuo ; a tratar na ra da S. Cruz venda
que tem a calcada de pedra no correr da n-
beira.
tST Urna escrava creoula de id*de de a5 a
26annos, boa doceira cozinbeira engcm-
madeira e cose cha ; na ra do Vigario nu-
mero 52.
ssr Um sortimento de sement de ortalice
muito nova e de toda3 as qualidades : na
ra do Vigario n. i4 armazem do Machad}.
tsr Um sitio com grande casa e um par-
reiral, com banheiro e grande viveiro ,
e terreno para plantaco, e muitas arvores
de fructo sitoem Olinda; a tratar na ra
das Cruzes D. i no segundo andar.
Urna banca redonda nova e de an-
gico
todo
marca
por 40,000 e um guarda louca novo
cr Os verdadej-os pos pansinhenses pur-
de Antonio gantivos bolins dk bezerro meios ditos pa-
ra homem e menujo edilos de cordavao e
sapatos para rnenims de todas as ulades, alga-
lias e vellas elsticas de odas as grossuras ,
meiasde linho e d( algodo para meninos e
meninas, bicos de diversas larguras, o ver-
dadero purgante e romitono de le roy ma-
cass, facas egarfostudo por preco commo-
do ; na ra larga do Rozario loja de miude-
zas D. 7 j
tsr Um cavallo com muito bons andares ,
tanto de carrego baixo como esquipado ; na
pracinha do Livraraento I). 20.
tsr Urna venda na quina dos 4 cantos em
Olinda, muito coramoda ao comprador ? por
s ter a armacao e pertences da mesma venda,
e se far algum abate ; atraz da Igreja de S.
Pedro Apostlo casa n. 11, ou no sobrado por
cima da mesma*
tsr Sapatos de couro de lustro para senho-
ra ditos de marroquim a ia3o ditos de
setim a 1760 diios de duraque a 1120 di-
tos de marroijuim pretoa 900 rs. ditos de co-
res a 880 ditos para senhora a 56o ditos
para homem a 56o ditos para meninas, bo-
tins gaspiados para senhora sapatos france-
zes de urna sola a 2i4 ditos bcancos de
Lisboa e meios botins ditos ; no atierro da
Boa vista loja de Antonio da Silva Guimares
D. 16.
SST Urna casa terrea no bairro da Boa vis-
ta ra do Arago n. 2 quintal murado ,
e cacimba ; a tratar na ra do Kngel De-
cima 3o.
ET Rap de Lisboa chegado ltimamente
em meias libras a i44 : atierro da Boa
vista D. 16.
tW Um molato de idade de 17 annos co-
zinha o diario de urna casa, ptimo para qual-
quer servico ; na praca da Independencia n.
a8 e 29.
3~ Tijolo de alvenaria grossa ladrilho ,
Recentemente chegado taxas coadas de
seis e meio e sete palmos ditas batidas de 5,
5 e meio e 6 palmos ;. em casa de Fox z Sto-
dart ra da senzala nova.
tsr Potassa da Russia nova em barris pe-
quenos chegados agora na ra da Cruz
. 63 casa de N, O. Bieber.
tsr Duas mola tas mocas com boas habe-
lidades,uma dellas he perita costurera ,
engommadeira e tem 2 filhos molalmho* de
ida'de de 2 anuos e um pretopara o servi-
do de campo na ra de agoas verdes casa
terrea D. ij
BT Urna escrava baa lavadeira e moca ;
na ra do Fagundes em casa de Antonio Jo-
s de Figueiredo a fallar com Jos Luiz de
Mello Brrelo,
ssr Sebo em ps de arroba e era rama ,
superior qualidade viudo do Rio Grande do
Sul ; a boido do Brigue Paquete de Pernam-
buco fundiado defronte do trapiche do al-
godo.
tsr 3 canarios de imperio bons cantadores,
e 4 gaiolas ; na ra estreita do Kozario loja
d'e Barbeiro D. .6 defronle da Igreja
Na casa de nere na ra do Arago os
envidrassado por bo.ooo j na loja de [apamento e telha ; na passagem da Magda- propnos para carro,
>j v J pna o aria innin a nnnlp i delronte da Matriz,
ineiroao pe da cadea. lena oiaria junio a ponte, ?. [Im nporo ni
utencilios seguintes urna mesa de amarelo
para meio de sala urna dita grande de pi-
nho, duas ditas de abrir um jogo de ba-
lela, um dito de vispora com sua urna n-
meros e carles um dito de gamo com co-
pos e dados e 26 pedras de marfira 6 cadei-
ras americanas e um candieiro de globo ,
tudo uzado ; a tratar nos 4 cantos da Boa vis-
ta n. ai4- i..
t^- Bichas de Lisboa de superior qualida-
de ; na travessa do Rozario venda D. la.
tsj" Uma escrava creoula de idade de
16 annos, de bonita figura cozinha o dia-
rio de urna casa ; no pateo do Carmo venda
S Uma parelho decavallos mellado age-
mado arregacados caudas e dinas brincas,
a carros na ra do Cabuga loja
Azeile de carrapato a 1760 a caada ,
ESy Tres cavallos ja ensinados para carri-
e a garrafa a 240 ; na ra do Cotovello Deri- nhoi n0 allerro d,a Boa vista casa em que mo-
ma 1Si ra o Major Jos Carlos Teixeira,
tsr Porprecisodedinheiro uma escra- *" Um carrinho de duas rodas com al-
va moca cozinha; ensaboa; na ra de agoas fum uz0 i no allerro da Boa vista na couxeira
verdes D iq
do segeiro Emydio.
SST" Dous chexos muito bons cantadores ;
no atierro da Boa vista D. 16.
tsr 80 pacote ia fio da india de boa qua-
tar Um negro moco, canoeiro ; na praca
da Boa visla sodrado junio ao do Sr. Gusmo.
ssr Um reloj,io de patente de repilico ,
e saboneta de prala por barato preco ; na
ra do Queimado loja D. 1 i.
Escravos Futidos
Compra s
S3T Um .braco grande de balanca e que
seja muilo exato quem o tiver ; dirija-se a
ra da Aurora a falar com Joo Francisco
Santos de Siqueira de tnanhaa at as 8 ho-
ras e alarde das 3 horas 'in diante.
CT Ou aluga se uma escrava que lenha
bomleile e que seja sadia : na ra nova nu-
mero 10 j se dir.
S2T Escravos de ambos os sexos tanto
pardos como negros de idade de i o a 10 an-
nos ; a bordo do Brigue laqueie de Pernam-
buco fundiado defronte do trapiche do algo-
dio a tratar cera Leopoldo Jos da Costa A
rauio*
P*las 7 horas da noite desapareceo um
lidade; na ra do trapiche novo n. 17" era prelo bucal alto secco hombros levanta-
iUfviiiiento do *orto
Vendas
tsr CAUTELLAS da Sociedade Fortuna
Typgrafica, da Lotera do SEMINARIO ga-
nhando a vigsima parle dos premios, cubendo
ua sorte de 4 000,000 reis dusentos mil ris a
preco de 3to ; nesta Typografica na praca
da Independencia n. ao na ra larga do
Rozario loja de miudezas D. 7 na ra do
Collegio loja de relojoeiro, na ra eslreita do
Rozario loja de trastes D. 3i.
K3T lina cabra mota com bonita figuia ,
cose engomma cozinha o diario de uma
casa faz todas as qualidades de doces, e lava
de sabo e he recolbida por preciso ; na
ra direita D. 17 loja de couros.
-*- Excellentes bichas chegadas prxima-
mente ,, de boa qualidade e grandes e ven-
de-se por preco commodo na praca da Inde-
pende ma loja n. ao
tsr Lima meza de meio de salla de an-
gito e um berco de Jacaranda tudo muito
m tonta i na ra das Cruzes D. 19.
t-j~ Um preto de Jo a 5 annos sabendo
com toda a pereico trabaihar em sitio, a-
ztrcanltiios e plantar toda a quajidade de
hoitalice por ter sido sempre nissooecupa-
do- duas negrinhas muito bonitas uma ne-
Kiasbendo cosiniiar e engomar uma dita
quiuiideiid e cosinheira um moleqOe e u-
mu paruinba de i t a 18 annos et^omadeira
e cottoicira : na iu do Foo ao p do Rosa-
rio D. j5.
ssr Uma escrava de bonita figura, de ida-
cose cha e cozinha o diario de urna casa ,
sendo para fora da provincia : quera qui-
ser annuncie. ,asa de Henry l'orster & Companhia. i dos pouca barba levou vestido camisa de
tsr Cafi moido da melhor qualidade pos-I f9" Dm molato de idade de a4 annos, offi-! algodosinho nova e calcas pardas; quemo
sivol, em porco e por miudo por preco cul de M*1^ e ptimo para pagem por pegar leve a serrara de Joo Antonio Baptista
commodo, e torrado; na ra do azeite do ler')0 figura ou troca-se por um moleque Muniz junto a ribeira que ser recompea-
pexe padaria de Manoel Ignacio da Silva de ,llade de t2 annos; na ra das Cruzes no sado.
Teixeira. *i ultimo sobrado de um andar do lado esquerdo
tyr Uma venda com poucos fundos e com ndo Pa" Fnci. ,
commodos para familia, na travessa de S, t^ O brigue l ortuguez Josefa pregado e
Jos D. 1 ; a tratar na mesma. torrado de cobre com dous ptimos masla-
or Camas de vento muito bem feitis, a ros d lnnho vergame panno e todo o
4,5ooreis; era caza de J. Branrer, na ra da aparelho em muito bom estado, bem como
Florentina. jSuas amarras de ferro; trata-sn na ra da
^tsr O Estado actual da Monarchia Por-' ruz n: 57 a?^ese pode ver a qualquer
tugueza, seguido de uro anpendice sobre a hora o inventario.
guerra pei,,.suiar. na rua Kova D. 6 e U. ^ a venda da rua nova D 6 no fundo
7 Ha de livros e na praca da Indepen- d; mesn)a era seguimento para a ruadas fio-
deneia lojado encadernador res conlronte ao porto das canoas, um bom
^MT Dous Diccionarios um Lexicn e 80rl">enio de louca tanto da trra como de fo-
o outro portunuez e latino ,,or Pedro Jos ^a assun tomo quarlinbas potes, jarras
7
portuguez e latino ,
dal'onceca; na uav'essa do Rosario lo,a D 7. fa"as e lodo o mais quaato diz respeito 1
ra assim como
finas e lodo o
iST mboraescravo do ao annos sera vi- um arinuzen de louca grossa por preco muito
ci nem achaque dando-se toda a seguran- Jo-
ca pela sua conduela ; 4 moleques pecas ,
muilo ladinos livres das bexigas de boa
nac.ioe de na 14 annos ; uma escrava cos-
tureira e engomadeira de 2 annos, he re-
colbida ; uma dita perfeita cosinheira com
t^r U mi linda negrinba de idade de 18
annos, com principio de costura e engomma-
1I0 e oulra de idade de 16 annos; na rua
nova n. lo.t.
S2T Uma escrava de idade de a6 annos .
res
na rua de Agoas verdes D. i.
^,tsr Um bello sorlimenlo de fazendas no-
vas entre as quaes ha diales da ultima mo-
da propnos para o vero ; chapeos de seda
promptos para Senhora chapeos de garsa
puquios para o campo luvas de seda e de
pelica para Senhora meias de linho muilo
tinas e de seda para senhora crep de nan-
kim para vestidos sarja branca para ditos -
guarnitoes para mangas de vestidos de baile ,
muito delicadas sapatos de todas as qualida-
de chapeos de sol para homem e para se-
nhora -llores per I uma lias es*eiiCias de
mbar algalia e roza mantas e lencos do
bom tom pentes de tartaruga e de ac para
marrafas etc. etc. pecas de mutica dos rae-
Ibons aulbores A temaos e Francezes para u-
ma e duas rabecas cazaes de chicaras de
porcelana iNa rna Nova D. t lado da ma-
triz defronle do culdeireiro.
uma tria de 4 mezes '. com muito bom leite ; de bo"|u fiSura cose <*" engomma liso ,
duas muletas proprias para mocamas uma Ilaz "" qualidades de doces e he recolhi-
escrava. muito fiel sem vicio, ede Jo annos, j da 1 Por Pre^ commodo por haver grande
boa lavadeira tanto de varrella como de sa- p'ecito ; na rua direila D. ao lado do Livra-
bo ; e um escravo bom canoeiro por 3ooU menlo.
ST Uma negra de idade de i5 anuos, e
um moleque de ia annos; meiasde linbo para
homem ; na rua do Queimado loja D. 7.
bT Um moleque muito gil para qualquer
servico eentende de cozinha, e ouro e pra-
la sem feitio uma caixa de msica que toca
dando corda ; as 5 ponas D. u5 onde tem
lampio.
tur O Corretor Oliveira vende por preco
muito em con la em.barrise meias pipas de-<
licioso viuho de Tenerife vindo de Inglaterra,
o qual pela sua superioridade c vclbice, quasi
re\alisa com oda madeira tanto era cor como
em paladar os amadores que quiserem brin-
dar os seus amigos tom to be a pinga prin-
cipalmente agora pelo lempo de festa, diri-
jo-se ao mesmo Corretor.
tsr Sal do Ass a bordo do Patacho 4 de
Maio fundiado defronle do trapiche novo ; a
tratar a bordo do mesmo cora o Capito.
NAVIOS ENTRADOS NO DIA ,28. DOP.
PARAIIIBA ; Brigue InilpzPaquete Pacire-
dgez Commandanto William Morris.
LOA N DA com escala por Novo Redondo ;
41 dias Patacho Portuguez'S. Jos de
78 e J|i tonel. Cap. Joaquim Pereirada
Silva carga lastro ; a Jos Francisco de
Azevedo Lisboa.
IIAMI5URG0 ; 4o dias Brigue Dinamar-
quez Amekitia de iqo tonel. Capito J.
II. Boxobom equip. 10, carga diversos
gneros ; a N. O, Bieber passageiros 5.
ENTRADO NO DIA 39.
LIVERPOOL ; 3o" dias Barca Ingleza Bak
de3i2 tonel Cap. rlaubbente equip.
16 carga diversos gneros ; a Russell M.
& Companhia.
G1I5RALTAR; 4o dias ; Sumaca Pureza de
60 tonel. Cap. Jos Mallos equip. lo ,
carga diversos gneros,
LIVERPOOL ; 40 dias Brigue Ingles Pe-
monha de I87 tonel, Cap. Assplet, equip.
10, carga diversos gneros.
S AH DO NO MES VIO DI A
LISBOA Brigue Brasileiro Triumpho A-
mericano, Cap. Alexandre Jos Alves,
carga diversos genoros passageiro o por-
tuguez Joo Toralo Lopes.
SAN POS com escala pelo Ass Sumaca
Nac Bom Sucesso Cap. Ignacio da Fon-
seca Viarques carga lastro.
RIO DE JANEIRO; tlrigue Americano Wil-
liam Jones Capito W. P. Neiwenel,
carga a mesma que trouxe.
LONuREScom escala pela Parahiha, Bri-
gue lnglez Builisk Goasm Cap. Roberto
iVieikhegoun carga ussucar e pao Brasil.
ECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. i84
*



CONTA
DA
Rcceita, e Dcspcza
DA
Administraeao dos Estaheleeinientos
de Caridade.
DO
1. de Janeiro, a 51 de Mareo
DE
1840.
PERNAMBUCO;
Na lyp> de M. F. de Furia
1840.


Janeiro
Fevereiw*
t<
RECEITA.
Pela importancia de 89 letras a vencer de y de Junho de i84 a 7 de Gu- .
tubro de 1846 ;0r8; p;bIffa;pei09 gneros mecido a
Da dita ,
De Antonio Bento Frois pelo Iradamente do seo irmSo do 1. de ue
zembro do anuo passado al oje a 4oo res.
DeJoiedoOrmo, peloseo tractaraento de ao do INovembro a i6de De-
zembro do anuo passado a 6fo res. ........
He Joze da Silva dem de 14 a i5 do crranle a 9b. res.
I DeJoieJoaqui.nPere.radegrat.ficaciopelo tr.cl.ment. de caixe.ro
Antonio Castinheir..........,*'"',' 'am \lI
, Do Procurador d'Admim.tr.c.0 pelo que arrecadou no corren e. dos
rendimenlos do Patrimonio segundo consta do Livro respectivo a ti. b.
3 Do Comm.nd.nl. de Comp.nh. dos Operarios engajados P >!
ment dos Enfermos da dita Comp.nhia em o mez de Dexembro do an
Do
10 p. p. .
dilo dem
do 1. 12 do corrente met.
De GoncMo Francisco'lavares, por conta d. despea que ftz seo filho Hora-
cio quando exposlo na dita casa, i ?
ia:688Uigo
a3U68a
60U160
11U280
34U000
i7lJ8o
uU5ao
9U600
1I70345
10711286
a3U53B
4U000
i4;^788i


i84o.
Janeiro.
Fevereiro
DESPEZA.
i Por saldo a favor do Tbezoareiro era 3i do pasudo. ; ;
3 Pagos a Placido do Rozarlo de Aaevedo pelo concert que fez na
ca. 19. .........1 # g ,
4 A Antonio Uaptisla Vieira pela pintura da dita casa...... a
9 Ao dito dem da casa .1 ,3. k........ 3
Ao dito pida camelo da di la casa............ /
10 Aos Empegados da'Admraislracio su)* 01 denados vencidos era e-
sembr iilli.no................. 5
Ao-.culos do G. H. dem. dem. ;....... t
11 A Francisco Xavier da Fonceca Cutintio pela carne fomecida a En-
Uji nial lado* Operario engajados em Dezembro ulllmd ... n
A Manuel Antonio de Jess pelo pfio iderrt. *..., 8
AoH.geine do 6. H. por diversas despeZas miudas que fez co'in
dita Enfermara al ojo............. Q
1 5 A Joto dos Santos Lages Porteo do G. II. pelo accreasirao d seo
oideuado vencido ein Dezembro ultimo ,..... IO
ib Ao rttgeute do G. U. por diversas desptzas que fez corh a Enfermarla
da Mar.ni.aale' oje................n
aj A francisco Xivierda Fonceca Coutinlio pela carne foidecida etn
OuluXo do auno pp. ...............a
u\ A Luiz da Uoaveiitnra Salerno pelo faro da ea*a n. 5o vencido de
17 de J.inho de i8J5 a 3o de Jnnbo do annopp.......i3
a5 A Fiancisco Xavier da Fonceca Continuo pela carne l'ornecida a En
i< linaria dos Operarios engajados do 1. a 11 doco, rente. 14
A Lu Pereira de Faria por diversos gneros Idrnecidos eiu Oulu-
bro do aono pp. .............,5
A l!< ii-diclo das CHagea por Gdinbas e otos fornecidos aos Estabeleci-
inenioi de Candidoeni l)>'zembro u'timo inclusive t5Uiaodo Torne*
ti an-iito da Enfermatia dos Opranos engajados.......16
A Manoel Amonio de Jess pelo pao toinecido a Enfermara dos
Op 31 A Uoining >a Antonio deSiqueira pelo foro das casas ns. 3y e4>, ven-
cidos em lutibodoannopp. .......18
A J t G01 iu 1 o da Cjsla Al rtins por a8 caadas de azeite do carra*
"*'" ;................ 19
Ao rt sente loli. H. por diversas d^pens miu las feilas neste mee. ao
\ dito idem com a Enfermara da Mariulia do 1. a 17 dito. ai
A' Jilo id. 111 com a de Operario* engajados do i. anditJ. a a
-\o dito da ras., dos exposios i lem no convine mez....., 3
Au Regente do II. dos Lazaros por diversas despesas miudas feilas nez-
< '"z. ...................24
Pelo que ae despendeo neste mea com a compra de diversos gneros se*
guu lo consta do Litro respectivo a folba ......... a
dem com b Cnlermaria da Marinha no mea pp. segundo a conla e
documentos remet idos para a Thezouraiia, e regisiados uo conipt-
l.ileLivrol................
1 Aos Em pregados e amas da casa dos expostos seos ordenados venci-
dos e.n Dezembro do auno passado e Janeiro ultimo. 2 5
8 A Benedicto das Cbagas por galinbas e ovos fornecidos as Etlabelrci-
111. n.os de Caridade tni Janeiro ultimo inclusive (J5o do lorneci*
uictito da Enlermitia dos Operarios engajados al 1 a do p. ... 26
8 Aoa Evpregados d'Admnistracio seos ordenados vencidos etn dito mez 37
<( A.i- d;' ..-, do '). H. dem. ........... atf
13 A Francisco Xavier da Fonceca Coutinho pelo concert que fez na
casa 11o 17. .................99
Ao dito pela carne fnroecida en Novembro pp. ...... 3o
14 A ilrnmpje Jorge por bizas fornecidas aos Eslabclecimentos de Ca-
1 i tale de Abril a Dezembro do atino pp, ...... 3l
a; A lia< tholouieo & Ramos por medicamentos fornecidos aos Elabeli-
1 'mulos deCaridade do 1. de Outubroa 3i de Dezembro pp.
com o abate de 4J P0'" "/ > ...... 5a
4;246y,
5iUooo
ip(J 00
14C000
6U000
5<>Uooa
175U170
99U340
aiooo
U760
aUooo
a3Uaoo
3i3U5(>
! U679
6U660
36iUio
88 U 480
3U900
laUooo
3oU8oo
84U64o
35a8>
4U160
31Loto
a4Ua6
i9U38o
196U896
3oC863
56(1664
49^999
bybii
a3Uaoo
5o9U33o
aSoooo
890U376

8;55o9i


i4.
RKCEITA.
Maro
Transporte. ... arreradou no correnta
a fl. j. ,' .. '-pncco a casa dos expoitos not
vencido Junho p.p. t caba dos expustosem
a6D.The*our.naPra.mualosub.,d.oque feoceo a ca. / _
Deaeunbro do anno p. p. ......
Da dita idenoU. dosLiaaroa m;''' 3, De Joze Rodrigues do Paaso pelo *l%* *......
de 19 deJaneuoaaodopaswd.6 i. Frallctc0 de ,4,1,
Janeiro a 6da correnle a 800 wi ;Jem Je seo escravo, de
DeS.ha.t.dosO.uUArcoTerdePernambuco, .Jn .....
de ji de Janeiro a 8 dopassadoa gta.re. 0 a q6o re,.
De PMuardoBally dem de *" ^udique de ve do Irada-
DoDoutorFrarrJscode Paula Rapt.sta, por coma M .....
Do Procralo.- d'Adm.msUaeio ^"^^,^.,,,-,,^1.1.
1 rudimentos do Patrimonio} segundo coast. do J-ifi V
. Por aaldo a faror doThe.our.iro; qe pw a tqfi d, mez seguale. .
11
i4:597U88i
97I9
5ooUoot
33J33J
3oUooo
oSoUooo
i65U6t7
aiiw
3400
i8Ui$J
fi;o
6oUh>
ao5UQ^o
itsail35ni
t.a!U45
aa:4739i6
Salla das Sccoes d-Administracio dos Eitabeleci
Jvie dos Sanloi
Escrivo e
Antonio 3
Jheioic
Mantel Ceetauo Uva
Joaqun Leocadio d
;


i84. DESPEZA.
Transporte. 8:5a5Uo}ji
Fevereiro ag Pagos a Luiz Pe eir de Faras por diverso* gneros fornecidos em
Novembro doantio p...............35 a56Ui7
rapato...................34 t5U6oo
u A Joze Antonio da Silva Porto, ex 1. Enfernieiro do G. H. seo
ordenado, e raco vencidos do i. a aa do corren te.....35 11U730
Ao Regente do G. II. por diversa dispezat miudas i'eitas no corren-
te mez...................36 56Uggo
Ao dito da caa dos expostos dem. ........... 'i- 34U3oo
Ao dito do Hospital dos Litaros dito.......... 3t> aiU34o
Pelo que sedespendeo nocorrente mez cora a compra de diversos ge-
nero segundo consta do Livro respectivo a fl i .... a, 1981)975
dem do 1. 317 do passado com a Enfermara da Marn ha segun-
do a conta e documentos remetlidos para a Thezouraria c legislado
no Livro competente a fl.............. a6iU384
Marco i Pagos aos Empregades e amas da casa dos expostos sea* ordenados
vencidos em Fevereiro passado...........3y. 137 U7 3.)
6 Aos Empregados d'Admnislracio seos ordenados vencido em Feve-
reiro pp........;......... 4o 4qL'9i)()
Aos ditos do G. H. idem ............ 4l \'i^Uj65
7 A Antonio Henrique da Cunha seo ordenado, e raco sendo al aa
do passado como a. Enfermeiro do G. H., e de a3 ao fim
como 1. ................... 4a i4U33a
A Benedicto das Chaga por galnhas e ovos fornecidos em Fevereiro
ultimo...................4* 57U6J4
17 A Francisco Xavier da Fonceca Coutinho pela carne fornecida em De-
zembro doanno pp............... 44 SnU/jgo
a3 A Antonio Joze de Castro Guiuiaracns por a panellas grandes de Ierro
para o 11. dos Lazaros......... -.....\r> i.jl oon
3o A Crispim dos Santos pelo concert que fez as calcadas dos predios
do patrimonio................. 4 1 A Joze Germano da Costa Martins por 18 caadas de azeite de carra-
pato....................47 23Uo4o
A Francisco Antonio Rabello de Carvalho pelo jornal de seo escravo
Joaquim servente do G. H. vencido neste mez.......f lfU36o
Ao ex Regente do G. H. por diversas despezas alindas feilas do 1.
a igdocorrente.................4j) 18U590
Ao actual Regente idem de 20 ao 6m dito mez. ...... 5o gUSo
Ao dito da casa dos expostos idem neste mez.........51 3uU8ao
m AoditodoH. dos Lazares idem.............5 a6Uaao
Pelo que se despendeo oeste me/, com a compra de diversos gneros se-
gundo consta do Livro respectivo a fl.......... t)gU5g5
dem que se abona ao respectivo Theioureiro pelo engao que houve em
se lanqarem Receita nosmezesde Julho a Dezembio do anno pp. a
importancia dos gneros sabidos da dispenca para o fornecimento da
Enf. da Marinha por dever ser lancada dita importancia na conta
particular da mesma Enfermara............ 3o4U8ia
10:73411786
Pela importancia de 80 letras a vencer do 1. de Jjneiro de i84* a 7
dOutubrodei846................ 11:7390190
aa:4739i6
mentes de Caridade era 3i de Maree iSfc.
Nunes d'Oliveira
Presidente.
ze Pires.
teiro.
res Carneiro Monleiro.
Oleveira Cuimaraens.


MAPPA
DOS
Enfermos e expostos que existiao, enlrarao sahirao;
c morrerao desde o I. de Janeiro ao iro de Marco
do corrente auno e dos que icaro existindo para
o l. de Abril do mesmo anuo.
Sexo 'Masculino. | Grande Hospital. | Sexo femenino.
1 c 1 1 I 1 1 til ||| '** Existido. En tr ardo Sahirao. Morrero Existem.
Janeiro. *g \ 8 I 9 | 1 1 *7 1 Jnero- '9 1*1 2 4-
i-evereiro. 2? | 12 | 10 a | 27 | Fevereiro. | 4 | 5 | 4 | 5
Merco. I 27 1 1 11 | 4 1 10 Marco. | 5 | 5 | 9 | I | 7
feomma. | 29 | 97 | 3o | 7 | 19 | Somma. | 9 | 10 I 9 | 3 | 7
Sexo Masculino. | Hospital dos Lazaros \ Sexo femenino.
ula.lllJ.lal lauaiJu
Janeiro. | 20 | r | | 1 | 19 | Janeiro. | 11 | 1 | | 1 n
Fevereiro. | 19 | 1 1 1 | 7 1 Fevereiro. 12 | I | | 19
Marco. 17 | | | | 17 Marco. 12 | | | 12
Sotnma. 20 | 1 2 | 17 | ornma. 11 1 1 | | 12
Sexo Masculino. Caza dos Expostos. Sexo Femenino
1 i4o. | | 1 *3 1 1 1 11 l84- 1 II |
Janeiro. 1 45 | l | 1 | 45 1 Janeiro. | bb | 2 | | 2 \ bb
. ereiro. | 45 | 2 | 1 47 | Fevereiro. | bb 1 5 | | 12 | 69
Marco. | 47 | 2 | | 3 | 4b | Marco. | 69 | 3 1 "1 2 | 70
Nnnma. 1 5 | 5 1 | 4 1 4<> 1 Somma. | bb | 10 J b | 70
Sallas das Sess5cs d Administracao dos Estabclecitnentos de Caridade em 3i de
Marco de i84o.
J. M. da Cruz.
Escripturario.


Snrs. Redactores.
He tao raro hoje encontrar-se pron-
ta e leal adminislracao da justica que
me nao posso despensar de fazer publico
nao s o embaraco que ao principio en-
contr! para haver o que era meu como
a justica, e imprcialidade com que se
houverao os ltimos Juizes nomcads pa-
ra decidir hura pleito no qual ama fe ,
e chica na tinha esgotado lodos os meios
de acabrunliar-me e levar-me des-
preraeao. Por infelicidade minha cons-
titui-me credor do Sr. Alexandre Lo-
pes Ribeiro e perdendo as esperanzas
de amigavclmente cobrar do dito Snr. ,
recoli-me a demanda-lo, mas forao tan-
tos os embaracos forao tantos os dissa-
bores e tam crescidas as dispezas od
fis, que eslava quasiresolvidoa ludo per-
der se nao tivesse a fortuna de encon-
trar Juii que sendo inflcxivel a todas
as solicitaces a todos os empenbos ,
c al comprometinientos nao desse
fin a esta questo que me lem envelc-
cido e Irazido maiores despezas do
que a importancia da divida. Propondo,
como hia disendo demanda ao Snr.
Alexandre Lopes llibeiro pela quan ti da-
de de 2:700.^000, a pro n le i a execucao em
Fevereiro de I826, e desde entao tenho
Juctado para cobrar do meu devedor ou
para mostra-lo exgotado de bens afim
de fazer executar o seu fiador ; parece
incrivel mas he huma triste verdade ,
que somonte cm o presente anno pude
isto conseguir !
Tive primeramente de lutar com os
embaracos que com a Fazenda Publica
me armara o Snr. Alexandre Lopes Ri-
beiro de quem tambem era elle deve-
dor e quando a reconhecida honradez ,
c nabavcl probidade do Snr. Francisco
Ludgeroda Paz,\lignocontador, dissolvia
os embaracos, eis que recorre o Snr. A-
xandre Lopes Ribeiro para o Rio de Ja-
neiro ao Ministro da Fazenda o qual
tambem foi surdo as suas solicitaces ,
mas de novo a pesar da decizao do Snr.
Ministro se appresentarao ovos obsta-
culos pela Fazenda Publica a qual nao
era possivel fazer levantar o sequestro ,
que tinha feito nos bens do commum de-
vedor afim de que eu os podesse fazer
arrematar e nisto em pregava o Snr.
Alexandre Lopes hibeiro a chicana que
infelismente sempre era favorecida ten-
do conseguido que 15 diversos Juizes to-
massem conhecimento do pleito e se
dessem ou fossem dados de suspeitos !
15 Juizes figuraro na cauza e nada de-
cid rao! Mas por felicidade minha foi
nomcado Juiz o Sur. Donlor Casimi-
ro Jos de Moracs Sarment que !'<-
xando os olhos aos cmpenlios c leudo
em vistas a Justica nao admiti chicana
algua, e em poucos mezes decidi lula
queslao que tinha passado por 15 Jui-
zes e quedurava quasi 15 annos. Mas
por infelicidade minha a inda appareceo
o Snr. Doutor Jos Eustaquio Gomes
com Embargos de lerceiro sobre os es-
clavos sequestrados pela Fazenda Publi-
ca desde I82G, c por mim penhorado
alguns escravos e outros bens cm \ de
Maio de i833 sem que em todo este
tempo se lembrasse de allegar o seu di-
reito reservando-se para reprcsenlar a
ultima figura e no ultimo extremo !
Ja forao julgados nao provados os seus
embargos e estou resignado seguir o
Snr. Doutor Gomes para a Relacao mas
espero que a Justica c nao a impor-
tancia do Snr. Doutor Gomes decida a
queslao. Nao posso deixar de mencio-
nar o nome do Snr. Doutor Neiva que
em quanto foi Juiz da cauza, o que dei-
xou de ser por ter de o cupar outra va-
ra sempre me fes Justica.
Lis, Snrs. Redactores a expozicao
dos embaracos que tenho encontrado
na Justica j o publico faca Ijustica e
honra a quem merece, e avalle o quan-
to tem de soffrer quem se ve na neces-
sidade de demandar aquem tem prote-
cao ; mas se ha Juizes que a isto se
prestao nao deixa de haver alguem ,
que honrado e Justiceiro faca o seu
dever, couza que entre nos nao he
ordinario e que por isso merece to-
dos os aplausos, para que por esla
maneira se anime a honra e aos que
nao sabem dobrar-se concideraces ex-
tranhas ao nobre cargo de que os reveste
a sociedade. Com a publicaco destas li-
nhas 'arao servico ao Publico e espe-
cial favor ao seu assignante
Antonio Jos de Albuquerque: '
Pcrn, na Typ- de M. F, de Faria. \%fa


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9JQLA8Y2_TOW6X3 INGEST_TIME 2013-03-29T15:07:21Z PACKAGE AA00011611_04124
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES