Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04121


This item is only available as the following downloads:


Full Text
IV
Anno dk 1840. Sabbado
^Tudo agora depende de nos mesmos 5 da nossa prudencia, modera-
rlo e energa : continuemos como principiamos, e seremos aponUdos
com admiradlo entre as Gares mais cultas.
*
Proclamar.io da Assemblea Geral do Brasil.
--------- 1 lOli 111 -----------.-----------
Subscreve-se paraesta folha a 3?ooo por qnarlel pago? adiantado./
tiesta Typografia ra das Cruzes D.3, e na Prara da' Independen-
cia n. 37, e 38, onde se recebem correspondencias le^alisadas e aiv-
nuncios, msirindo-se estes gratis, sendo dos proprios assieaa'ntts
\indo ass^nados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES.-
Cidade da Parahih e Villas de su pretenco.......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......|
Dita da Fortaleza e Villas dem..............-cg e Sextas ferias*
Cidade de Goianna.....................J
Cidade de Olinda......................Todog 05 ((aj
Villa defe. Antno ......... ..........Quintas faras.
Dita deGaranbuns e Povoar,,o do Bon.to ........io, e a4 de cada met
DitasdoCabo, bennuaern, K10 Formozo, e Porto Calvo. 1, u, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e de Maceio............IdeiM ijein
Villa de Paja de Flores. .... ..... .......i(Jem ,3 .fr dito
J ocios os Corretoi partera ao meto da.

>
PHASES DA LA S'O MEZ DE SETEMP.
Qnart. cresc. a 3 a 3 h. e 17 m. d tard.
La Cbeia a 11-as 5 b. e 17 ro. da taid.
Qoart.niing. a :!>- as 3 h. e 10 m. da tard.
La Nova a?5-as 7 h. e 6 Mart thtla para o da aG de Setembro,
As 5 horas e 18 minutos d manlii
As 6 horas e 4a minutos da tarde.
26 de .Setembro. Nuvr. 3IJU
CAMBIOS. Setembro a5,
Londres......30 d.por Ijtooo ced.
Li;l>oa ......80 a 85 por oo premio por metal oflerecido/
branca...... 3a5 reis por tranco.
Rio de Janeiro ao par. Corop. Vendas
OUB-- Mocda de b#4oo res, vcllias 14^700 ttfqoo
Ditas ,, novas HgSop i&fljoo
Ditas PHATA -- PaUcSes Brasileiros i|(i5o i#65o
PesosColomnarios----------ifti'io i#rioe
Ditos Mexicanos ---------i^ffio ij't>3a
Hliii.la.--------------------------i#oo i#4ao
Descont de bilbeles da AMandeza 1 por loo ao met.
I Aiocda de cobre 5 a i por ioodc disc.
DAS DA SEMANA.
ni Secunda > S. Matheus Ap. e Evanp."
a2 Terca S. Mauricio SI. itclacio audiencia do Juiz de Direito da 1
vara
a3 Quarta S. Lino P. \njieneta do Juit de irelto da 3. vara.
a?i Quinta Nossa Senliora das .Mcrcez. Audiencia do Juit de D:reito d
>. v:>ra.
u5 Sexta S. Firmino B. Audiencia do Juiz de Direito da 1. vara.
a'j SabbadoS. Eliziario B. -- Relacio e Audiencia do Juiz de Direito da
3. van.
a? Domin-u S. Cosmes e Damio lrs. Mtn.
KIO DE JANEIRO.
cmaras dos sus. senadores.
Sesso em 14 de agosto.
Presidencia do Snr. marque? de Paran/*u
Approvada a arta, e lido o expediente, en-
tro-se na ordem do dia.
He approvada a redaeco da lei da ixaco
das fortas de mar.
Entra em discusso a resoltsco que assig-
na a dolaco de S. M o Imperador e das pes-
soas da familia imperial.
O Snr. Oliveira enlende que se deve sup-
primir o que diz respeito construeco e re-
paros de palacios.
O Snr. Alves Branco observa que a com-
misso nada mais fez do que dirigir-se pelos
esclarecimentos do nobre ministro do impe-
rio, que julgou suficiente a quantia de
8oo;oooU de reis.
O Snr. Mello e Mattos manda a mesa
huma emenda para que se supprima o
que diz respeito construeco e reparos de
palacios
He apoiada.
O Snr. Oliveira nota que o Snr. ministro
do imperio pedir a quantia de Hoo:oooU de
re? to sonriente para as despezas da casa im-
perial f. explendci do throno, e nao constru-
c5o de palacios.
O Snr. Mello e Mattos observa que da
Intua do artigo eonclue que a quantia con-
signada salva o que respeiia a construeco de
Palacios.
O Snr. Hollanda Cavalc.inli eritende que a
dotago deve servir timbera para tazer os
reparos neresiarios nos pacos imperiaes ; mas
rjuando esses leparos equivalen! a huma
construeco exigiro huma nova dolaco.
O nobre orador enlende que he essa a intel-
igencia, r o artigo co'mo est redimido satisfaz as exigen-
cias da casa imperial.
O Snr. Mello e Mallos mostra a necessida-
de que ha de aser reparos que equivalbo a
novas constrceoes e a conveniencia de ro-
dear o tLrono de explendor.
Ainda fallao sobre a materia os Snrs. Oli-
veira Monteiro de Barros, Alves Bran-
co Hollanda Cavalcanti Vergueiro e Sa-
turnino.
O Snr. Mello e Mattos manda huma e-
menda a mesa para que se diga Ter a
dolaco consignada at que se llie assigne
huma definitiva segundo determina o artigo
jo8 da constiluico.
He apoiada
Tcmo ainda parte na discusso os Snrs.
Alves, Branco Oliveira Calmon e Lopes
Gama.
O Sr. Oliveira manda mesa huma emen-
da para que em vez de boo;oooU de reis se
diga 1,0005000!] de reis.
Heapoiada. .
He approvado o primeiro artigo da resola-
co, fendo regeitadas as emendas.
Fntra em discusso o segundo artigo.
O Snr. Oliveira manda a mesa huma e-
menda paia que em vez de 6o;oooU se diga
loo;oooU reis.
Posto volarlo he approvado, sendo re-
ieitada a emenda.
Sao approvados sem debate os artigos 5.
'*
Enlra era Jiscusso o artigo a.
O Snr. Lopes Gama nota nao haver sido
comprehendida no arliffo huma princesa bra-
zilfira filhado Sr. D Pedro I. a Snr. D A-
niciia e requer que se pecio os documentos
a respeito que existem na cmara dos depu-
tados.
O Snr. Calmon ola que existe o auto do
nascimenlo, que comprova haver nascido a
Snra. prince/a D. Maria Amelia no i. de
setembro de i83i, oque prova que atien-
to o tempo necesario para dar-se essa even-
lualidade, ella fra concebida no Brasil. O
nobie senador manda meza um art- addili-
vo par que se consigne huma dolaco para
alimentos a Snra. 1). Maria Amelia.
O Snr. Vergueiro nao acha a occasio pro-
pria ; porquanto poto o artigo se refira as
pilncezas imperiaes nao est o nome de
nenhuma deltas, e porissoenlende nio sede-
ve especialisar o nome da Snr. D. Maria A-
melia, podendo-se na lei do orcamenlo apre-
sentar huma emenda a esse respeito
O Snr. Lopes Gama concorda coro, a dou-
trina do additivo.
O Snr. Calmon combate os argumentos do
Snr. Vergueiro mostrando a inconvenien-
cia de se consignar em huma lei annua co-
mo a do orcamento huma emenda a tul res-
peito.
O Snr. Hollanda Cavalcanti nao se oppe
ao arti;o addittivo mas julga o assumpto
muito importante. Entende que se trata de
direitos de surcessao coroa, e que laes di-
reilos de*em ser discutidos com muita nrnli-
taco. Nota que a adminislrago nao pode
desde j julgar conveniente a insertjo do
artigo addilivo, se bem que elle orador, at-
tendendo s suas affeices, nao se opponha
sua admisso. Teme apresentar algumas
ideas, nao sabe se houve reclamago da Tu-
tora a respeito.
O Snr Lopes Gama observa que os direi-
tos que competem augusta princeza sao con-
feridos pela constiluico e nao pela assemblea
geral. Qu&nto a nao ter havido reclamaiao
por parle da tutora elle orador pode afir-
mar que a Snra. duqueza de Braganca nun-
ca ronsiderou a sua augusta filha se nao co-
mo princesa Brasileira que essa foi a vou-
tade do sen augusto pai e da naco, que nao
pode querer se nao o que existe naconslitui-
co
O Snr. Monteiro de Barros declara que vo-
tar pelo artigo additivo.
O Snr. Hollanda Cavalcanti nota que nao
duwdou lium momento dos direitos da Snra.
Maria Amelia mas que falln em bypotbe-
ses que se pderio verificar. Nao julga
muito decoroso Iratar-se de tal assumpto sem
audiencia de S M. Segundo os seus conbe-
cimentos na materia esl persuadido que o
I reronlieciment dos direitos di princeza bra-
I zileira de que se trata em nenhum modo po-
'de preiudicar familia imperial; e que,
portanto quando fallou a primeira vez, nao
se referi ao caso actual mas a eventuali-
dades que se poderiib verificar-se em nego-
cios desta nalureta
Snr. Calmon nota que muita impresso
lbe fiztrao as observaees do nobre ministro
da coroa e porisso hesita em apresentar
i considerago do senado materia de tanta in-
; prtancia, sem hum voto explcito dos conse-
lbeiros da coroa.
Pede ao Snr. presidente consulte acimara
se consente no addiamento do arligo additivo
! al terceira discusso.
O Snr. Vergueiro propSe seja enviado o
artigo t commisso de constiluico O no
bre senador observa que a queslo he de
muita gravidade e necessita ser muito medi-
tada.
O robre senador manda hum requerimen-
to mesa para que seja o arligo enviado ;i
commisso de conslituro.
He apoiado.
O S-.r. Costa Ferreirad algumas explica-
res sobre o discurso que proferir na sessao
ntecedente.
A discusso fica adiada pela hora.
O Snr. presidente d ordem do da e le-
vanta a sesso.
CMARA DOSSRS. DEPUTADOS.
Sesslo em i4 de agosto de 1840.
Presidencia do Sur. Marcelino de Bnto.
A's 10 horas e meia faz-se a chamada e,
reunido numero suficiente de Snrs. depu-
tados ahre-se a sesso.
He lido e approvada a acta da sesso ante-
cedente,
O Snr. primeiro secretario d conla do se-
guinte expediente.
Hum oBicio do secretario do senado, com-
municando que S. M. o Imperador sanecio-
nou as resol uces que approvo as aposenta-
dorias concedidas ao conego lanuario da Cu-
aba Barbosa e ao padre Miguel do Sacra-
mento Lopes Gama, atenea concedida ao co-
ronel Carlos Jos de Mello, e as peosoes a
D. Constanca Maria da Silva e i suas quatro
fiihas ; fica a cmara iuleiada.
Outro, communicando que S. M. o impe-
rador sanecionou ns resolucdes que approvo
as lencas concedidas ao brigadeiro Francis-
co de Ornellas Telles Brrelo de Menezes, e
ao coronel Joaquim da Silva Diniz : fica a
cmara inteirada.
Outro. do ministro da marnha, enviando
acopia do decreto e mais papis relativos
aposenladona de Luis Antonio da Costa Bar-
radas do em prego de oficial miior da mesma
repartico : commisso de pensoes e orde-
nados
Outro, do ministro da guerra, enviando a
copia do regulamento dado ao governo pa-
ra a administradlo da fabrica da plvora ,
da Estrella; commisso de marinba e
guerra.
Outro, do ministro do imperio requesilan-
do os documentos relativos ao nascimenlo da
princeza a sra D. Maria Amelia que foro
enviados cmara legislativa em 5 de maio de
185a, para sitisfaser a exigencia do senado :
mando-se entregar.
Hum requerimento de Joo Marcianno de
Carvatho pedlodo o lug*rde porteiro da c-
mara legislativa : meza.
Hum parecer da Icrceira commisso de la-
senda sobre a pielenco de Justiniann > An-
tonio da Fonceca. Julga a comraisio que
defe ser enviado ao governo o requerimento
do auppltcaute, p*ra lbe dar o dilenmeuto
que merecer : he approvado.
Oulro offerecendo o seguinte projeclo de
resolui o .
A assemblea geral legislativa resolve :
ArlVo 1. Fica concedida a Jos Francisco
Remudes, Joo Pereira Uarringue Faro e
outros, huma lolena animal, por espaco de
6 anuos a favor da fabrica de vid ros que W-
tabelecero nesta corte, na forma das de
mais que tcm sido concedidos a outros estabe-
leci roen tos.
Artigo a. O governo fica autorizado a dar
as providencial convenientes para que asal-
tas loteras teoho a devida applicacSo.
Anigo 3. Ficio derrocadas as disposi-
ces em contrari
Julga-sc objecto de deliberico e vai a im-
primir
Outro parecer da commisso de pensoes e
ordenados offerecendo hum projecto de reso-
lacoapprovandoa teuca concedida ai capi-
tode fragata Jacitho Alves Branco Muriz
Barreto ulg-lPBbjecto de deliberacio e vai
imprimir.
lie approvada e adoptada a resol cao que
autorisa o governo a conceder carta de natu-
ralisaco a Joo Manoel Zaferino.
O Snr Dias de Camargo pede urgencia
pa'a entrar em discusso o projecto sobre o
hospital da Santa Casa, d impeiial cidade
do Ouro l'reto : be vencida a u'gencia, e en-
trando em discusso o primeiro artigo fica
adiada pela ebegd do Snr. ministro da fa-
senda que he iulioJu/.ido com as formali-
dades doeslylo
Continua a discusso do orcamento da re-
ceita.
O Snr. Rezendj, depots de longis rellexes
sobre as emendas apoiadas manda ;i inezi
hum artigo additivo que he apoiado, para,
no C680 de nao ser entendido por emissio de
notas o crdito que pede o governo, ser ar-
recadada a terca parle dos direitos de im-
portacio em mosda de prata pelo valor do
mercado.
O Snr Oliveira faz huma emenda que
heapoiada, reduzindo metade a quota do
direito de ancoragem pira toda a embar-
cacao que importar mais de 10 colonos, Pican-
do isentade toda a quota a que trouxerninis
de ao.
Il- "ualmeute apoiada oura emenda que
supprime o imposto de mineraco para os na-
ciones, e reduz a 5 por cento o que pagto as
companliias estwbgeiras.
U Snr. Nunes Machado pede ao nobre mi-
nistro que declare se a tarifa que regula os
direitos que se pagad pelas gracas e merec
subsiste em vigor ou se S. Ex. a julga dero-
gada
Snr. Ribeiru de Andrada (ministro da
fazenda) entende que a tarifa subsiste e de-
ve ser executdda. Kespoadeodo lis observa-
cues feitas por alguos seohores deputado, re-
conhece que cooaeffeito lia empregadosalem
do numero com que foro creadas algumas re-
particOes e promette provideucur a esse
respeito.
Quanto nomeaco doSnr. Perdigao pira
inspector da tbesooraria de Alagoas S Ex.
se honra de baver leito porque reco-
nliece 110 nomeado inlelligencia e probidade ;
e protesta que toias as nomuaces que hou-
ver de fater na sua repart gao serlo re-
guladas pelos ruesmos principios .jue rogu-
luro esta, nao escothendo seno borneas de
recoahecida probidade e aptidSo professi-
onal.
Nao concorda com a primeira parte da e-
meada do Sur, Reseade, porque antecipi
qoestSes que lem de ventilar-se quando se
discutir o crediloj e oppoe-se segunda prte,
porque acha sobremodo injusto querer otiri-
gar o negociante a pagar e.n especie que nao
recebe.
Beprova tambem a emenda qa augrae.it



OTARIO DE PERNAMBUCO
a imposico sobre o calcado ( roupa feita ,
ele.; e entende que de tal materia s se deve
tratar depois de expirar o praso porque tem
de durar esnossos tractados sobre o commer-
cio que em oulro tempo j elle orador dis-
sera serena synonimos de tratadas Adverte
que hum dos precedentes gabinetes j le os
necessarios avisos para que taes tratados nao
continen!.
Analysa as emendas da commissao e con-
corda com todas.
Quanto s outras emendas e especialmen-
te as que crea novas iraposices as reprova,
porque entende que bum imposto novo se nao
deve estabelecer eno por meio de huma
lei especial, em quepossa ser bem discutido.
O Sr. Souza Franco faz varias reflexcs so-
bre as emendas apresentadas e defende a que
impe sobre seges e cavallos de sella.
O Sr. Carneiro da Cunlia relira as suas
emendas e pergunta ao nobre ministro se he
verdadeira a nomeaco da pessoa indicada
em huma folha de boje para presidente da
Parabyba.
O Sr. Ministro da FazenoV declara que a-
t aquelle momento nSo sabia de semelhante
nomeaco.
OSr. Maria do Amaral, referindo-se a
bum relatorio da assembla provincial do Pa-
i;, er, em vista dos documentos juntos ao
fnesmo relatorio, que os cofres geral e pro-
vincial daquella provincia estivera tomo ex-
postos na praca para quem quizesse tirar del
les dinbeiro, e pede ao nobre ministro que
d tedas as providencias para que seja punido
to grande escndalo e severamente castiga-
dos os empregados prevaricadores. (Apoia-
dos) Le os oficios e em vista delles espera do
nobre ministro em cuja probidade tem a
maior confianga (apoiados) quejar punir to
escondaloscs abusos (apoia^|^
Fazalgumas reflexSes contra o estabeleci-
rnento da casa de moeda vista do pouco
3 ue'rende, e contra o numero dosemprega-
os da thesouraria da provincia do Rio de Ja-
neiro que suppe excessivo.
O Sr. Ministro da Fazenda faz algumas re-
flexes que nao ouvirnos.
O Sr. Marinho sustenta huma emenda que
reduz a cinco por cenlo os direilos que paga a
companhia de mineracao de S. Joo de El-
Rei.
do Thesouro Publico Nacional enviando-lhe judicialmente taes Imposto?
com o Balanco da Receita e Despeza Geral
desta Provincia do raez de Agosto prximo
findo os das Rendas applicadas ao resgate
do papel, e o do Rendimento de hum por
cenio de Armarenagera addicional applicada
ao pagamento da Divida Externa, perlencen-
tes ao mesmo mez.
Dito Ao mesmo Exm. Presidente aecu-
sando a rerepeo da ordem de 19 de Agosto
prximo findo que mandava remetler pela
Recebedoria das Rendas Geraes Internas
a5 de Setembro de i.\o.
No impedimento do Administrador
Estanislao Pereira de Oliveira.
Correspondencias.
Srs. Redactores.
Tendo ebegado ao conhecimento da Meza
Administradora da Irmandade de N Senhora
Barca de Vapor Paraense que a conduzia do Livramento desta Gidade nao s a pergun-
Thezouraria da Provincia do Maranho a' ia do Desejoso de saber inserta n'ura
quantia de 4o:oooU de reis para occorrer as dos seus Diarios mas tambem a correspon-
despezas a seu cargo e participando que pe- j dencia do mesmo incapotadj que vera Iran-
ia mesma Barca somenle oi remetlida a scripta no Diario n. 207 de a3 do corrente
quantia de 2o:oooU de reis j porque tendo-se mez ; vacillou se devia ou nao abaixar-se
por ordem do Exm. Presidente da Provincia j a responder a taes sandices desse intrigante
enviado em 10 de Agosto ultimo aquella perguntador ; mas como o silencio da parte
Thesouraria pela Barca deVHpor Peruano- da Meza possa induzir a fazef-se della uro,
bucana huma "ualsomma eno havendo desfavoravel conceito, resolveo por meio desti
anda approvacao desta remessa pelo Tribu- declarar ao tal empertinente perguutador, q* a
O Sr Vianna mostra que nao ha emprega-
dos de mais na thesouraria do Rio de Janeiro,
e que o precedente orador se convencer disso
seattenderque7 ou 8 desses empregados es-
tao addidos contadura geral deievisao do
thesouro. Contesta as observaces do Sr. A-
maral a respeito da casa da moeda e d al-
gumas explicacSes sobre os fados do Para,
de que fallara o mesmo nobre deputado de-
clarando que o tbesoureiro quebrou com ef-
feito com 1H0 contos de reis e que o governo
o mandara rtsponsabilisar mas que talvez
tivesse a mesma sorle de outros thesoureiros ,
que mesmo aqu lace do governo, se a-
presentara quebrados e sendo processa-
dos tem sido absolvidos sem que dessa im-
punidade tehha culpa a administraco. O
nobre orador distorre sobre outras emendas ,
approvando a do Sr Marinho que reduz a
cinco por cento os direilos da companhia de
mineracao de S. Joo de El-Rei.
Dando-se por discutida a parte do orca-
rr.ento em discusso he approvada com todas
as emendas da commissao.
O Sr. presidente d para ordem do da a
continuago da discusso do orgaraento da
receita, a materia ja dada e mais a resolu-
gao n. 46 as emendas do senado sob os. 64 ,
79 e 109 e as resoluces ns. j e 70 ludo
desle anno,
Eevanta-se a sesso s a horas e raeia.
nal do Thesouro o mesmo Exm. Presidente
da Provincia Julgou que por esta forma fi-
cava cumprida a referida ordem.
Dito Ao Exm. Presidente da Provincia ,
pedindo para expedir as suas ordens ao Com-
mandanle do Brigue de Guerra Nictlieroy pa-
ra vir receber da Thesouraria na vespera da
sua sabida para o Rio de Janeiro hum cai-
xote com Notas de 10U reis para ser entre-
gue no Thesouro Publico Nacional.
Diversas Repartieres
CORREIO.
O Brigue de Guerra N. JSictheroy de que
he Commandanle Antonio Conrado Sabiuof
sne pan o Rio de Janeiro hoje (a'i) pelas 3
horas da tarde.
PREFEITURA.
Parte do dia ib de Setembro de 1840.
Illm. e Exm. Sr. Das partes hoje rece-
biaas nesta Secretaria consta' soroente que fo-
portado mui bem e prestado bons servicos
desde a organisago do Corpa e o nao co-
nhecer mesmo pela sua fisionoma estar sua
saude bastantemente gravada eu me pro-
nunciarla contra sua pretenco ; porem ella
pelo motivo expendido he justa, e V. Ex. a
defirir como for de direito. Dos Guarde a
V. Ex. Quartel do Commando Geral do
Corpo de Polica 5 de Setembro de 1840.
Illm. e Exm. Sr. Francisco |do Reg Barros ,
Presidente da Provincia Pedro Alexandri-
no de Barros Cavalcanti Commandanle Ge-
ral. Certifico mais ser o theor do Despacho
pedido por certido da forma seguate A
vista da informago do Commandanle Geral
do Corpo concedo ao Supplicante a demis-
so que requer. Palacio do Governo de
Pernambuco 9 de Setembro de i8.{o. Re.
go Nada mais continha era dita inforraa-
co, e Despacho aqui tudo copiado. Quartel
do Commando Geral da Corpo de Polica a5
de Setembro de 1840. Manoel Camello
Pessoa Secretario do Corpo.
A esta certido precedeo requerimento e
despacho.
O CARAPUCEIRO NA CORTE.
s t:i ans Accn?.
Passa por principio geralmente admittido
Meza nunca po demdas caprixosas a alguera,
e smente trata de sustentar os di<*eitos e dig-
nidade da Irmandade contra o zelo farisaico
ou furor diablico do Sr. Desejoso e seos
consocios ; manifestado as questes pueris ,
que contra a Meza tem promovido. Se de-
seja elle saber por conta de quem sao fei -
tas as despezus dessas questes consulte o
Cap. ai do antijo Corapromisso e hoe o Art 5o do novo que era ambos encontrar ^as transacc5es ; e eu o tenho por exacto sa
a resoluco do problema. Quanto porem a se trata das transaeces licitas justas e ho-
Commisso emarregada da obra como ella te- neslas 7 porque seja qual fr a forma de go-
nha dado mensalmente as suas contas, e no vern0 que associacio poder.', subsistir e pros-
fim do anno lenha de serem publicadas todas Perar .0l,de a?irtude modestia he preterida
essasconlas, cora o relatojo do estado das Pe|o vicio despejado o .de se transige cora o
obras da Igreja ento o publico conhecer mme; oude para chegar a hum lira nao
quem sao os zelosos da Irmandade se as pes- se rf ua d,ane de raeJ algum por mais ver-
seas que actualmente compe a Meza ou se 80n,,0S0 Por mais indigno que seja ? Nao
aquelles que cousumirao dmheiros e altaias rcProv0 nera estranho que o governo que,
da Irmandade e que sendo Thesoureiros a- P* susten^r-se e progredir ha miter cp-
presentara contas gigantescas escriptus com Ur aP010 Ja maioria das cmaras, cuide de
certa tinta ageitada do p deserra de mis- "5o Je'-'onle"tar a seus membros ; mas esta
tura com os residuo* dos fundos detonis P.rocedl!nento deve ser regulado pela pruden-
como por ex. aecusar o recebimento em Mar- C,a de nnu"eira que a administraco ounaa
godeum barril de azeite de amendobim de trailsPlia negras da justici e da equidade,
esmolla e em Maio subsequente dar era con- P?ra na. )e.rder voslo.i n0 sel dl representa-
ras hontem presos pelo Sub-Prefeito da la 16, ou 17 garrafas de azeite comprado, Canacional* priraeiro dever de quaiquer
Freguezia do Recife o prelo Manoel Antonio tendo-se consumido no mez anterior o barril Sover<10 seu maior interesse he ser justo.
Baziliopor estar insultando em alta voz urna de 1 a caadas pelo menos !! | Was^ depmsque pelo muudose generalisou
prela sendo tarde da noite e faltar ao res-
Para aqui Srs. Redactores a resposta da a dou.tr.'na do ulihtari*'no como unicj
Meza, a qual me incumbi de dirigir-me a Pnur,l)l0 unlcu motivo das aqcas querem
Vs. ras. assira como deassegurar ao seo cor- fluer eni PoIltlca 1 Por toda a parte se
peito ao mesmo Sub-Prefeito : ficou detento
no Callabougo : e pelo Sub-Prefeito da Fre-
guezis da Boa-Vista Manoel Francisco de respondente que no TribunaT corapetentes- e/lcar"ou osystema das transaeces. Segun-
Aguiar, branco, por estar em desordera ; rao esmerilhados tanto os 'actos comoasfal- 0i e3u,doi'es da escola sensualista ( era
foi solt. sidades e embustes de que se acha revestida CUJ ',um,ef ha toJvia escriptores respeita-
a correspondencia de que se irata. v5iS / so ha hum principio raznavel dasac-
j coes humanas ou era outros termos estas
De Vs ms naos53 racionalmente boas, seno quando
Muito certo venerador e creado "reS lm'n P^'^'P'0' que le a utilidi-
Ju; Domingos de Gusmo
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
RECIFE.
Sesso era 9 de Julho.
Presidencia do Sr. Silva.
Comparecers os Srs. Drurnond Barros,
Rios, Souza Mamede, Chaves, Oliveira,
e I' igueiredo.
Aberta a Sesso e lida a Acta da antece-
Sou Srs Redactores
S. interino.
de do agente : esiabelecer tal principio he as-
senlar a base da tod* a moral. Nao bast po-
rem ter posto o principio ; releva aplica-lo ,
Srs. Redactores do Diario de Pernambuco. e esta apP,ice* he a propria moral. Tra-
Os lacios, exposlos na minha correspon- la-se Puli (Jt ^tremar os verdadoiros dos Ul-
nci inserida no seo Jornal n. iqi acerca sos'"^resses afira de abracar aquslles e re-
dente foi approvada,
SiKspWnn i* a nnpsio sobre ser ou nao dencia inserida no seo jornal n. 191 acerca
a ter !w- d haver Sr' A"selmo Jos Ferre,ra *- "T mM ahl ^ lo5 & observa?a"
males ha apparentes que sao
Presi- le da.' resposta a correspondencia do Ini- xl,no.ue mais desejavel.
ron a Cmara que se pediste ^-^_ ...iyo de calumnias inseL no seo Jornal e qu.zerera a v.rlnde toda edra-se em saber
9oq. Por elles se couhecer i a miuba verda- *PPr5cl f resultados deruntivos o proiuc-
ao9.
de ,
a_ tu liquido de huma JcSo para conseguiut-
mente concluir se ha de laz-la ou absier-sa
della; de maneira que a moral vera a ser a
dente da Provincia
peito.
Tambem suscitou-se a questo se devia o de, eo publico decidir de que hdo e a ra-
Sr. Vereador Bastos, mai votado do que o Sr, "O : ^Ivea que o mesmo Sr. se envergonhe
Vereador Figueiredo, tomar asunto, ere- doque va, apparecer. Uaqiu amis al-
Sr. Bastos GUI,S l'ias os aprezentarei. Por os doeslos "H"eiu ua lenndacle.
com que fui tractado douperdo, porque i Wa3 cu.npre notar que nao he dado repetir
5 e dos Srs. Redactores a i0? aumento esle calculo por cada hura*
Muito respeitador e assignanto Iacf;o 1ue 1,aa do azer-se por.jue to gros-
OCidado. se,ro methdu lotera lugar na ufanen da
cultura moral: nos usos da vida he mistersu-
Srs Redactores.
lirar-se esle nao obstante ter o
comparecido depois da Sesso eslar aberta ;
depois de calorosa discusso requerimento
do Sr. Vereador Oliveira ficou a questo
addiada para que se pedissem ao Exm. Pre-
sidente esclarecimentos respeito que em
casos idnticos possa servir de regra.
O Snr. Vereador Chaves requereo que se
addiasse a Sesso at que viessem os esclare-
cimentos pedidos 5 sendo posto a votaco dito
requerimento li approvado tendo dado-se
por suspeilo os Snrs. Vereadores Silva e
Urumond, e tendo votado contra os Snrs.
Barros e Oliveira.
E mandarao fazer a presente em que assig-
naraS. Eeu Fulgencio Infante de Albu-
querque e Mello Secretario a escrevi.
Silva Pro Piesidente Drumond Bar-
ros Rios Souza Chaves Oliveira -Ma-
mede Figueiredo.
sou urbano
RE R N AMBCO,
THEZOURARIA PROVINCIAL*
Expediente do dia 19 do corrente,
Officio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia informando o requerimento de Manoel
Jos de Jess, Praca voluntaria da 4. Com-
panhia do extincto a. Batalbo de Cacadores
de I. Linba desla Provincia, pedindo em
conseq-ueucia do Aviso de a de Maio de i835,
i ara se Iheabonarem os seus ventimentosdes
deoannode j84 em que perdeo o braco
ireito, estando de guarnico na Barca de
;istrodo porto.
Dito Ao Commandanle das Aimas, sig-
r.ficando-lbeoemlwraco que existe paiao lembro o praso marcado para o recebimento berreira de Siqueira segundo Sarge
uslamento das contas do Sargento Ajudante dos Novos Imp. de lojas abertas do crreme Gorpo de meu Commando e de queu
rge Bodiigues Sedreira e pcdindo-lhe
. radarosestlareeimentosa respeito.
- Jdem do da aa.
Dilo AoEim. Piesidente do Tribunal
hordinar o detalhe ao todo. O que parece hura
em res-
Para destruir quaiquer iinpresso desfavo- : bem ueste caso pode ser hum mal,
ravel que contra o Sr. Commandante Ge- peito a relaces mais geraes. O asente he pre-
ral possa causar a leilura da corresponden-jeiso que tenln diautedos ollus a vida inteira.
ca do 5r. Freguez de Santo Antonio, inser-
ta no Echo rogo-lhes a bondade de dareiu
publicidade por sna acreditada folha aos in-
clusos documentos.
Sou Srs. Redactores
Seo censtante Ieitor
M. A. Ferreira.
Certifico que revendo os livros de regis-
tro de informacoes em um delles encouirei
a de que trata a petigao supra cujo theor he
Terminando no fim do corrente mez de Se- oseguinte Illm. e Exm. Sr. Innoceucio
nto do
uem tenho
anno financeiro ; lembra-seas pessoas q' lorao a honra de encaminhar a V. Exe. o incluso
coHectadas nos Bairrosdo Recife, S. Antonio, requerimento requer a V. Ex. fundado nos
Boa-Vate, eAogados, que do dia 1. de documentos appensos ao mesmo requerimento
Oulubro em vanle se principiar a arrecadar j demisso do servico. Esle Sargento se ha
em todas as suas relaces ; e curapre (jue obre
segundo o inleresse di vida desu maneira
concebida, Aqui comeca a ciencia. De in-
nmeras observaces pirticulares ella remonta
a leis geraes faz ver que ordem de aeces ,
que hbitos ; que systema de proceder oiTe-
recera em resaltado definitivo e infallivet a
ellicidade do individuo ; e assira pioceJendo
liequechega a recommendar a teraperanca, a
veracidade obediencia tilial e-geralinen-
te lodos os hbitos que se cliarao virtudes.
Mas o que he ludo isto seuu interesse in -
dividuai ? Posta tal base como secliegar.
ao inleresse geral de outra sorte que pelo in-
teresse pessoal ? Aquello a quera inculuarraoi
o principio de uiiudade do maior numero ,
seuipre nos perguntar ; e porque hei de eu
tomar por bise das raiuUas aeces o inters**
'


Mario z> f pbrmmbco
S
do maior numero ? E que lhe havemos de
responder ? Ou que assitn o manda a cons-
cienria e eis destruido o principio exclusivo
do M utilitarismo ou que assim o requer
a utilidade propria e ahi temos o systema de
interesse individual.
Este systema pois filho legitimo do scep-
ticismo doutrina tao dominante nos fins do
seculo passado, tem dado huma espantosa vo-
ga ao principio das transacces. Per toda a
parte descubro jtransaeces. J nao trato das
que se fazem no commercio porque por ellas
he que este subsiste : se porm sempre sao li-
citas e honestas deixo a juio ((aquellas que
o tem experimentado. Transige o magistra-
do com o poderoso faltando borrosamente
iustica porque este be lumia potencia eleito-
ral, e aquelie deseja entrar na ca.nara tem-
poraria ou conservar-se se j nella existe ,
e mrmente em vesperas de eleices que
sao mares de boa pescara. Transige o chefe
de repartico com o deleixo e mandirisse deste
ou d'aquelle empregado porque o tal vadio
he protegido do governo prente ou afilha-
dodo Sr. senador tal ou tal doSr. deputa-
do qual. Transige o presidente de provincia
com rebaldias e travessuras de verlos sujeitos
turbulentos porque teme que estes Ibe po-
nhoa calva mostra por nieio dos peri-
dicos | ou o nlrguem de tal geito que o der-
riben! do puleiro. Transige o ulico com as
misuras zumbaias coiistrangimentos e in-
trigas do pago para que possa exigir iguaes
ou maiores sacrificios do restante do povo.
Transige o senador ou deputado com o gover
no e Ibe presta o seu voto contra a propria
convieco, porque tem promessa de certo des-
pacho para seu Hlbo, seu afilbado &c. &c.
Transige o medico com a morle -mandando
o pobre enfermo ad patres s abm de se
nao apear do seu systema pathologico ibera -
peulico &c &c. Transige o escrivo co.n
O seujuiz que oencarrega de certa velhaca-
ria Diestra nos autos, porque nao quer perder
o officio e a pilanca. Transige o padre com a
impenitencia da Sra. D. F. que llie est ios
ps no confissionario : porque nao qur desa-
gradar a pessoas poderosas &c. &c. Se da
vida publica entio na particular por toda a
parte vou encontrando o systema das trasaec-
es. Vejo por exemplo encaixar-se no seio
de certa familia hum sujeito lodo espinicado ,
e com bum olhinbo que bem est dizeudo o
que quer. Leva horas esquecidas grudado a
o p da menina j casadeira canlando-lhe
incessantemente ao ouvido : estalli em con-
tinuos bichancros e requebros com ella. Os
pais bem eslo vendo ludo que nao sao c-
gos nem basbaques ; mas trasigara com o tal
cupidinho, porpue nao he destituido dos bens
da fortuna, pode ser seapaixone pelo peixi-
nho, e venha a elfectuar-se o santo matrimo-
nio. Verdade be que muitas vezes o lal pre-
tendente o que quer be divertir-se ; e depos
que a pobre, moca anda de boca em boca roe
a corda e manda-se mudar para oulro pou-
so ; mas, estes azares sao proprios lascon-
gas humanas e nem por isso deixaro de ha-
?er dessas e d'outras transacces.
Ha senhora casada que transige com os ga-
lanteios de seu marido pira eom outras afim
de que este Ibe relnbua com igual plnloso-
pbismo de boa feico. A viuva s vezes tran-
sige com a alma do seu defunto que sempre
foi huma boa creatura vertendo por elle al-
gumas lagrimas mandando celebrar missas e
esmolando por sua alma, atim de (pie. esta llie
nao leve a mal nem a estorve de aceilar os sin-
ceros oerecmentos de hum joveu que bem
pede supprir a sua falta. O pai crapuloso e
relaxado transige com o filho e o deixa en-
vasar-se em todos os vicios, para que o itho
nao Ihe estranbe os seus desregramentos o
mesmo pouco mais ou menos pratica o a-
mo com o criado e o senhor com o esclavo.
Tambera nao talto periodiqueiros q tazem
suas transacces, dizeudo muilas vezes bao a-
quillo de que eslo convencidos, poriu sim
espreitando o geito que toma a opinio domi-
nante alim de se dobrarem a ella e deser-
te nunca perderera a freguezia j e alguna lia
to girios que vo sempre bem coin Dos o
com o diabo. Finalmente quera he que nes-
ta vida nao transige mais ou menos i" Dirh-
cil he seuo impossivel, pendrar os eutres-
solbos do coracao humano e a tal respeito
fallar ta a ponto que nao fique curto o escup-
torquando pretende determinar osadamente o
movel principal desta ou daquella acco.
VA1UEDADE.
Mais algumas reflexes sobre os bailes.
Nao entenda aigum de meus Ilustres leito-
res que sou lo ligido ou anles birreulo ,
que proscreva absolutamente os bailes. L
tona que.animo ousarei reprovar bum paisa- i
tempo hum recreioem si mesmo to inno-
cente ? Alm disto eu j disse que os bailes
Marques ro do Gahttg -- Joao Jos da Cr-
valho Moris rui da Cideii ao Rocife Ma-
ero huma especie de Lyco dos peripatticos, noel CardAzo Ayres ra diCideia ni Recife
onde as uossas meninas, passeanioembragadasj Jos de Menetes Jnior ro do Collegio
cora bous mestres podem adquirir humeer-' Os amantes deste jogo haja de concorre-
to cabedal de conheumentos uteis : e Unto he rera com as compras dos referidos Bilheles ;
este o louvavel fim dessas companhias que para milhor extraegao
anda que seja a sala to acanhada que mal
to lo o cuidado em suas enferrai j
queira annunciar por este Diario.
posso mover-se os pares acabadas quesejo
as contradanzas e wilsas o passeio be ira-
preterivel de sorte que mal se clao os
instrumentos cada doutor vai logo enriando
o braco no da sua respectiva discipula e exer-
cendo o seu magisterio.
O que porm [comja devida venia] abalanz-
me a reprovar he a demasiada frequencia de
taes reunies; porque em verdade senlioras lia
que nao perdem hum s baile huma s par-
tida e sao como figuras brigad is desses ad-
juntos. Talvez provenha isto de seren eslas
mais applicadas aos estudos e por isso nao
queiro perder huma s lico. Mas o cer-
to he que a senhora que tem todas as noites
erapregadas uesses diverlimeutos nao pode
deixar de ser huma completa vadia para as
cousas de sua familia porque logo s 8 ho-
ras da noiteapresenta-se no baile ou partida :
quando se rccolhe casa he meia noite e s
vezes iiuma e duas horas. Entre despir-se e
pegar no sorano gasta para mais de urna hora.
Acorda amarrotada e aborrecida la pelas 11
horas da manila almoca e depois foreoso
he que va cuidar em uovos atavos para o bu-
le ou soire daquella noite; porque, qual era
a senhora to imprevidente que caia na pe-
qusse de se apresenlar duas vezes com o mes-
mo vestido Isto seria huma ierrivel quebr
em sua pessoa.
Jaula pelas 5 huras da tarde e mal tem
GABINETE LIT TUR \RIO DE PERVAM-
BUCO.
Devendo ahrir-s; ath; o da i. d'Oi-
tubro proxim:) viudouro a Biblioteca do Ga-
llineto LUterario de Pernambuco por .i ie-
rem chegado os livros encomendados pala i) -
eccao e estiren qua/.n conclu li- ts ultimas
estantes o Thezoureiro da S >ciedade convida
os Snrs. Socios creadores do Est abelecimento,
e os que se lhe tem associado depois e que
anda nao pagarlo a oa de entrada a fazei-
lo com a posstvel brtvidade, a fim de que se
posso saptisfazer despezas indispensaveis.
lJ ,, \lanoel A Ivs Guerra.
Joo Alvos deSouza.
SOCIEDADE IIVRMONIGO TrlEATR/VU
A Commissio Administrativa da Soctedade
Harm mico Tiieatral aviza aos socios pi-
ra comparecerem Domingo 17 do corrate pe-
las to horas do da na caza n. 4 defrou-
te da [grep do Gnrpo Santo a fina de se pro -
ceder impreierVelraente eleicio de nova
Gommis>o Admiustra'.iva.
SOCIEDAd;: natallence.
Para Sesao extraordinaria.
O Primeiro Secretario convida aos Socios
da mesma para se reuoreai boje [ati] pelas
seise meia hurai di larde iiinretivelmente no
principio da ra Augusta ( outr'ora Palacete )
__ J -('... .1. J. k!_. I \T I!1 "I
eogolido o ultimo bocado j abi est o ca- caza defronte da do Sur. Jos Mara Placido
belieireiro para ie arranjar a csheca ; leva de Magalbes.
nunca menos de % horas em ataviar-se e espi-
nicar-se e la vai outra vez para o exercicio
das quadrilbas dos corropios e das lices
passeadas; e ha mestre lo zeloso do udiauta-
meuto de sua discipula que tambera nao per-
TIEATRO PUBLICO.
Espectculo extraordinario de Phisica. Da
de S. Miguel ay do frrenle.
O Sur. Pedro de Alcautra, Mgico Portu-
de reunio. Oxal que lo assiduos lossem guez bemconhecido nesta Cdade por ha-
lodos os professores pblicos! Mas haverho- ver trahalbado particularmente em algumas
mera sisudo que queira para esposa tiuma me- cazas dictioctas, vai pela primeira e ultima
nina que s vive para os bailes e soirces :' vez traballiar publicamente 110 Theitro pe-
Como ser boa rai de familia a senhora que la maneira segainte :
nao cuida seno de divertimeulos i' A roupa 1. 3 parte jogos de E juilibrios a. s jogos
do marido anda a granel, peide-se furia- ,\e hgeirezas S. m Phizica, ou Mgica i\e-
se porque a senhora entrega ludo a escravas rpa,
por va de regra preguicosas e deleixadas; os O Snr. Pedro de Alcntara espera nao
tilhinhos nao tem quera os pense quem os desmerecer no Thealro Publico os mesmos
corrija, etc.; e a casa val pela agua ubaixo aplauzos que tem recebido dos [(lastrados
por mais pue possua e faca por adquirir o pas- Espectadores quando tem trahalbado as ca-
irano do marido. zas particulares e que o ser Portugu.es o
Se a danca he huma dbs bellas artes eu nao faca considerar [como lie coslumej iuferiro
com a minha lgica de roceiro concluo que aos de mais artistas das outras Naces cujo
nem todos sao apios para dancar. A danca prestigio Ibes he to favoravel nesta Ca-
requer certo corpo certo ar certo garbo piuU
e alera disto lem regras huma vez que be 1 No fim ;lo Expcctaculo do Snr. Pedro de
arte. Entretanto observo que as taes con- Alcntara a Companhia representar a jo-
tradancas e walsas entra todo o biclio careta, coza i'arca denominada O BARiElllO ;
llura hoaiem pernilongo e descompassaa- AFETA BURROS.Os Camarotes se ven-
mente jangaz a alirar us gambias em huna i dem na mo do Sur. Zebedeo Gezar das 8
sala poder agradar como caricatura s 12 da manhai e das 4 as o da tarde,
mas nao como danoador. Huma senhora de
idade cannica ou to hojuda como huma
quaitola para que se melle a dancar ? S
se de pensado pretende excitar o riso dos es-
pectadores. N em ludo lie para todos ue;n
lodos sao para ludo.
ANCDOTA;
O celebre Vestris, famoso dancarno de
Pars di/.ia com toda a boa le. Hoje s
conheco tres boroens singulares cada hum
na sua especie : o rei'da Prussia Voilaire ,
e cu.
LOTERA DO SEMINARIO.
O Retor do Seminario de Olinda convida
os amantes de Loteras a comprare) os bi-
Iheles da primeira parte da 17.a* Loteria do
mesmo Seminario, (cujas rodas andad imprele-
rivelmente no dia il de Oulubro)que se acha
a venda no Bairro do Recife, ra da Gadeia, na
loja de cambio do Sr. Vieira ; em S. Antonio
na ra do Gabug, loja do Sr. Bindeira ; na
Boa-Vista delronte da Matriz botica do Sr.
Joaquim Jos Moreira em Olinda venda de
Jzoe Manoel dos Saulos nos quairo cantos.
LOTERIA DO LlVRAMENTOr
O Thaiooreiro da Latera declara queos
Bilhetesseacho a venda as cazas dos Se-
nhores Jos Ignacio do Monte na Boa-vis-
ta Antonio Jos liandeira de Mello rua du
Cabug Jos Antonio do Carmo ra do
Lvramcnto Manoel de Jezus Paraius
Ponas Francisco Antonio Vieira da Silva
ra du Gadeia 110 Recite -* Joa^0rcua
Avisos lliversos
ssf* Precisa-se encarecidamente aiugar u-
ma casa no bairro de Santo Antonio, que le-
nha quintal e cacimba ; com com modos para
pequea familia ou mesmo (uafjuur andar
de sobrado com a masma propurco ; quem
a tiver, annuucie a sua mordia par esta fo-
Iha.
t3^ A pessoa que quiser bipoclecar urna
morada de casi tenia D. m na esquina da
ra que. vai par o Jardim; dirija-so a ra do
Nogucira caza D. l%, que achura com aueo)
traclar.
t2&~ Preciza-se aiugar duas canoas para car-
regar areia que leveooo a 1,000 lijlos ;
quem as ti ver annuucie j ou dirija-se a ra
da Florentina, na caza que se esl edificando,
a fallar con Jos de .latios mestre de Pe-
dreiro.
igj'" Quem precizar de hum caxeiro braz-
leiio de idade de 1 ti anuos para qual quer
arrumaeo excelo venda cujo da fiador a sua
conduela j dirija-se a ra de Sania Thereza
D. ti.
ly Aluga-se ura cilio com excellentes
commodos e bem planudo junio Povoa-
co dos Allog idos, na mema Povoacio ca-
za de junio a ponte.
47 i^uein paecizar de urna ama para caza
de pouca familia a (pial sabe COnbar odirio
de urna caza, dirija-se ao beco do sarajiaiel ,
caza por baixo de um alala te ou aiuiuncie.
t/" Se aljjuiu Sur. d'eugeuho precizar de
um homem de actividade hbil para ludas
as plaotacoes do Pas, e administrar os ser-
ios do eugenuo e com '.elo tratar oaetera- I
vos com
dides .
CF" A pessoa que tiver ura jogo de gamo
em bom uso que queira vender dirija-se
a Bua-vista ma do aragaS D. a5.
ts- Vende-setodo o mel de urna safra pen-
. dente: quem a quizer conlractar anuncie para
ser procurado, ou entend-se com o Eserivam
Joaquim Joz Ferreira de G.uvalho na ra
das Trinxeiras D. 8.
CT" Joze Vlaria Ferreira de Son; acabo
d'ahrir nesta Gidade do recife de Pernambu-
co no atierro da Boa-fista n. thumi tintu-
rara de todas as qutlidales de fazeidis de la,
liubo algedio e seda tambera se limpia
as meitnas fatendaj tu lo feito can a miioi*
perfeico possivel e pelo miis mi lio preco
a quem eonvier dirija-se a mesma casa
ts?" Quem precisar de u:n hbil fei'or pa-
ra sitio dirija-se a rui nova paderia Dci-
ma 19,
sar O abrito assignado drige-se a seis
honrados, e generosos Gredores (ptnJerau-
do-lbes que leudo em vio luetad > ora a sor-
te e encarado um tribal ho assaz doloroso .
com sacrificio at de sua mesma existencia
vista das gravis.imis queixas de molestia,
que padece sj a (ira de nesta safra amorti-
sar de urna vez suas divids e ir tratar de
sua saude, agora tem odesprazer de ver
frustrados todos os seos exforcos p>r lhe sa-
bir com o rigor das ciiuvas, e tempestades,
que occorrerao 110 p, p. Agosto o novo en-
gatillo j pronto a receber a machina a fi n
de dar comego a colhcita da safra e onde a
o va fundado pela prodcelo.
Isto posto como o augmento demasa h da
molestia do annuuciaute o desiuim > e lhe
dilacnlle inteiramenleos meios da tirar a si-
tradoengenbo cabido, nao querenlo pjr
mais tempo abusar da generosidade de s^os
Cre lores, e nem BUjeitar-se ao le di ca-
lumnia de que ordinariamente se valen
seos gratuitos inimigos, a fim da macular sua
honra e repulacao por veses olFendidi por
detractores infames que, sera hrio, e co-
raegm para resistir aos trabalhos quere.n
viver cusa de baixesas e indignidades ,
pilgando o aniiuuciaute na raesmi liaba ,
ruga se os Gredores o favor de viren cj,lin-
dar com elle ou no Beeife com o seo muito
presado Pai, o Snr. Francisco Luigero di
Paz, o qual lem do anunciante aulhorisa-
co para lazer qualquer negocio rasoarei
respeilo Jos bens que passa a o'l^recer.
Oengenho Tintugal, de bestas moente,
e correte com urna solta assai pingue, e
etteusa, oiteuta bois mansos, sessenla aui-
maes de roda o Novo Cngenho, ptimo
dagua, ferlilissimo e rauuo fcil de ser
cullivado, material <; undenas promptas ,
tomadas levadas Cavdso rodi Ce. ic. ,
as sallras urna grande estilado corn alam-
bique de cobre, molerno, com todos os seos
ulensis a qual eslila du is pipas d'ag lrden-
te por da e esta boje relorm 111 para estilar
tres, vi n te c cinco escra vos salios mojos,
capases de lodosos servidos, urna Barcaca no-
va e muito bem construida para itfeiixis ,
urna Fazenda de gados em Garir-V'elho a
denominada Matumbos cura 5oo ca becas do
eadovaecum, crias, carallos de fabrica&c,
&c. (Se.
Sobre o mercL-imento
n. vantagens
de se-
melbantes propriedades, e mais bens bi
nesta l'raca pessoas ntellgentes e probas ,
que podem informar com imparciaritla.de, u
circunstanciadamente a qtalquar penen lente
O annuncianle eonbece que o justo valor de
seos beus excede muito a perder de vista ao
total de suas dividas que moutaro .1 dezoita
contos ; cumprindo notar que se llie deve
tambera nao muito menos d'essa quantia
poremj ica expendidas asrasoens, que O
obrigoeste franco olferecimento, e an-
nuncio. Tintugal de Seplerabro de 18 Jo.
Francisco Antonio Pereira dosSiutos.
&r Da-se de cem mil res al a q(tai-
ta de dois con lo* a premio de dois portento
pelo espago de seis raezes sob ponhores, ou
firmas a conteni : nc.ta Typ. se dir quem
os da.
tsy* O abaxo assignado ten Jo sida preso
no da -i para ai do correte pelo Siii-l're-
leito de Santo Antonio vomo.ousti di Par -
le da Preleiiura e suas circunstancias no
Diario n.ao^ecomo possio algumas pessoas (j'
lhe sao desuifeicoadas facer algum juizo ou
menoscabo,desui reputaeo : taz pelo presen-
te sentir ao respritovel Pubticw, que nu
houvc outra (ireuu>taiicia DMS ^lo (pie a que
se menciona na dita Parte ; tendo svimeute a.
acresceular que a sua prisao foi eScogilad 1 pe-
lo Gomoussaiio de Polica da ni du Praia ,
que muito Ibe agradece o iuconSMmiente quu
soriieo,
Manoel Jos; da Costar


MARIO OR PERNAMBCCO
tsr Precisa-sede 3 ofciaes cbaruleiros | o ser viro de uma casa de um hametn stteiro,
ru trabalhera effectivo sendo eslrangerosj annuncie.
Bielhor; na rasa do Teuente Coronel Va-------
rejo na ra atrae d* Matriz da Boa vista.
' tsr precisa-se alugar urna rasa lerrea ou
um sobradinlio de um andar queoseu ala-
puel nao exceda de 10,000 mensaes ou tro-
ca-se por urna casa terrea que paga 8000 na
praca da Independencia ioa de funtleiro.
tST" Da-se dous conlos de res a premio de
tlous por cenloao mez com hypolheca ein al-
guma propriedade na ra direita lado da
Jgreia do Terco loja de ourives D. 5i.
tsr Precisa-se de 60.000 a premio de I
porcento ao mez dando-se boa firma; queiu
quiser dar annuncie.
=> Antonio Vital tle Ulireira nao po-
dendo despedir-se de todos os seus Amigos ,
e pedir-Ibes as su.s ordens para a Corle do
Rio de Janeiro para ende o levo negocios
de seu interesse o faz por inlermedio deste
Jornal tendo a satisfaco de alhrmar-llies ,
queali e em toda parte onde se elle echar,
sera' irreprehensivel nos deveres que a ami-
sade imperiosamente ordena.
tsr (^uem quiser um exccllente negro
rouito fiel e geitoo para o servico de urna ca-
sa dirija-se a ra da moeda n. 15i.
t9T Frecisa-se de urna ama de leite, na ra
das Cruzes no segundo andar iio sobrado De-
cima 7
tsr Precisa-sede i5o,oooa juros de um
e meio por cento; quem quiser dar annuncie.
tsr Adverte-se nos Snrs Elleitores (ue
Avisos Martimos.
PARA LOAN Da o Brgue Portuguez O-
livcira ale <5 de Outubro p'oximo por ter
a maior parle de sua carga promptu \ quem
quiser carregar nu ir de passagem, para o qu
lera bons commodos dirijase a Mondes & O-
liveira na ruado Vigario D. i5.
PARA O ARACATY core Irevidade a
Sumaca Conceico Flor do Mar ; quem qui-
ser eariegar a frete commodo ou ir de pas-
sagem dirija-se a Antonio Rodrigues Li-
ma na prac< do Corpo Santo ou ao Mes-
tre Antonio Jos Vianna a bordo da mesma
Sumaca undiada deronte do trapiebe novo.
j e i i o
t?T Que faz o Corretor Oliv'eira debarxo
la direecao do Cnsul de S. M. Britnica ,
de urna porc;o de sacas com cade averia*
Jas do Brgue Irglez Orion naufragado ,
as Carcas, por couta deq>iem pertencer. sab-
bado 26 do corrente as 1 1 horas da manb na
prensa de Augusto & Mendanca no lorte do
Mallos. '
tsr Que fazem II* Ciistopbers & C Roope
por interver.co do Corretor Oliveira, da mo-
biliadoSr Roope que ltimamente se re-
tirou desla provincia consiatiado em mezas,
banquinhas armarios para livros, cmodas,
13'annos, bastante ladina cose cb lava
des&bao, cozinbao diario de urna casa, e
ptima para raubanda por ser recolhida ; na
ra direita D. ao lado do Livramento,
sr Urna canoa aberta de carga de 800
lijlos e tambem serve para carreira preci-
sando de algum concert ; na ra do Qnei-
m.ido D. 11.
tsr Urna escrava de naci de dade de
2a annos ptima para qualquer servico ; na
ruada S. Cruz D. 26.
SST Bilbeles da Lotera que corre irapre-
teriveltnentc no da 16 de Novembro do cor-
rente anuo no Reino da Bohemia, constan-
do de 3 grandes palacios com jardins cam-
pos bosques e prados, e outros mu i tos pre-
mios de quantias avultadas que melbor se
podero informar a vista do plano; na ra
da Cadeia do Recita loja D. 58.
V*sy Chales de lanzinba do grande tom e
modernos, superiores chitas pretas coloridas,
n cor de vinho cambraiasdo grande tom e
bilbetes da grande lotera de Vienna d'Aus-
tria que o seu maior premio be de nm mi-
e i5oode fundoj, pagando o diminuto foro do
3o rs. o palmo todo ou a retalbo ; na ra
de S, Gonsalo D. 11.
tsr O Corretor Oliveira continua a ven-
der no seu escriptorio da ra da Conceico n.
34 diversidades de fazendas da india con-
sistindo em sedas de. quadros, ditas lisas, mos-
quiteros mantas de palha ditas de toquira
chales de palha riquissimos leques de cha-
rao e de outras qualidades esteiras da in-
dia praliiibos de xaro casacas feitas de
palha proprias para p vero figuras da chi-
na ede mantilha, urna flauta quadros e tsr Para fora da provincia urna pret mui
boa engommadeira cozinba e lavadeira ,
urna pardinha de dade de 18 annos engom-
madeira ecostureir, um moleque e urna
negrinha de iJa.- c >. anuos; na ra do fojo
ao p do Roza rio I). as,
tgp- TJma escrava boa lavadeira e moca ;
na ra do Fagundes em casa de Antonio Jo-
s de Figueiredo a fallar com Jos Luiz de
Mello Brrelo.
EST" A melade do ngenbo sito do meio da
freguesia de Urina e duas moradas de casas
quando houverem de escolherem candidatos M""~' le,los \*?f. ,,e,a,rede "n '
ra deputados da Assembla Geral nao se nno C &C. segunda fera s8 do correntelas
devemlembrardos Sacerdotes; nao s por- horas da manba no escriptorio dos mes-
lho5iii8 francos de franca, alemde ajqoj lrp-
premios avahados; na ra'do Crespo |oja terreas com a posse de um curral de pesca-
0. t lado do sul, de Bento Jos da Silva Ma- R'0 doce ruJ3 bens se, permutao-por
jjr outros nesta pratja ; em casa da Viuva Costa
& Filhos.
t3T Urna casa terrea com chaos proprios ,
P

S
tsr Urna cabra mota com bonita figura ,
cose engomma cazinha o diario de urna
casa faz todas as qualidades de doces, e lava
de sabo c he recolhida por preciso ; na
ra direita D. 17 loja de couros.
tsr 3 pretos mocos muito fortes para todo de louca fina l) 28,
com 3 portas com vidrassas, corredor ao lado,
e muito fresca indo da trempe para o rrion-
dego lado Esquerdo o* ; na ra nova loja
inos na ra dos barbeiros
o ser%;c.o e um delles be boai cauoeiro e 00-
zinheiro ; na ra de agoas verdes casa terrea
Dcima 37.
.-7* Uta palanquim em bom uzo, e por
que os seculares nao doJis no ecciesiasiicu JJ- Crablree'levw^h & C. faro leilo Prf commodo ; na ra da Gloria D. 4,. .
como porque quando o Sacerdote se ordena e | ntcrvtncSo do orrelr Oliveira, e em j ^ Urna poivo de milho velbo ja forado;
para o Altar, e nao para negocios polticos. 11"" ." ." 1 11 ,1 na ruade Hartas ) m
p n !'.,,' ._ .continuacao di principiado no da do cor- ruaue nonas, u. 17.
u<\avei teme. rente, de rwde borofo de fasendas inaleas sp* Urna negrada costa muito robusta .
CT Quem precisar de urna ama para o ser- J^Ji fetl,r C0|'llas boa lavadaiaa e quilandeira ou tro,a-se por
vico de urna cas. d.rija-se a ra de agoas ^ (j) ^.^ as q ^^ Ja ^ um negro que seja bom a trepador (!e wque|.
verdes casa nova de duas po.tas deironle das ;H ^^ ^^ |iq (qv1( ^ ro ;em S. Amaro na estrada de Belem sitio
catacumbas de S Pedro. 'mallos de Joo Uaplisla Claudio Tresse.
tsr No dia '4 do correle tomou-se de (
um prelo um couro de boi que o andava ven-
SSS Um prelo ladino sem vicio a vista do
conjurador se dir o motivo, na ra do Pa-
dre Floriano sobrado da quii do beco das
Carvaluas.
Es'cravos Fugiilos
S_7* No dia a5 de Marco do presente an-
no desapareceo um tscravo cabra a caboco-
lado altura regular de nome Felis gros-
sodo corpo cabeca grande cbelo em pro-
porco da cor e puchado a pichaim nariz o
OT Cb"issoo e Imperial de superior qua- ^a regular falla a moda do serto por
lidade, emcaixasde6e 1 i libras; em casa er de la natural dos reconcavos da Lidade do
(1 ver annuncie.
Vendas
CAUTELLAS da Sociedade Fortuna
que souber queira arinunciar que muito se
agradecer.
tsr Precisa-se de um feitor f.orluguez ou
brasileiro que enlenda de plantaco : na
la estieita do Rozano i) ao.
iy O Secretario da Sociedade Benificen-
ria Caixeiral convida em nome da Direcco
a lodos os socios instalaitores e mais pessoas
iior elles convidados para se reunirem no dia
ln do corrente as .0 horas da manlif na casa Pf>'/ **> 5 esta Ty^grafica na praca
D2(i.lercei.o andar na ra estrella do Ro- da Indepeiidencia n. w e ha ra larga do
Rozano loja de miude/as D. 7, e na ra do
sr Arrenda-se por lempo de um Rnno [CoUegio lojaderelqjoeiro
SS5" rara lora da provincia, e por ooo.ooo
nina escr
vista n. 3i com poucos fundos e com com
modos para familia ; a tratar na mesma.
Sy* Urna linda negriiiha de idade de 18
annos com principios de costura e engom-
ir.ado outraditade ib aonOI e um raole-
sr IwVUlLLLA da Docieuaue ronurta 17 -----------'--------------
Tvj.ografica, da Lotera do SEMINARIO ga- 1ue de ,dttde de "*i,n,l0S 5 a rna nova nu-
AJruii' .' ", mero ioa.
libando a vigsima parle dos premios, cabendo d
na surte de 4 000,000 reis dusenlos mil res a f bacas fom sevat-a M/ arrobas por
prefo commodo; no armazem de Antonio An-
ues deronte do caes da alfandega.
Ferreira quereceber 100,000 de gratiicaco,
ou na Cidade do Cear ao Sr. Martinho do
Borgs.
S3T No dia 18 de Julho do corrente an-
no, desapareceo um negro de naco benguela,
inda bucal de nome Gregorio bastante
alto, corpo a projiorcao da altura, com prin-
cipio de barba por baixo do queixo de ida-
de de a 5 anuos hade ter marcas de feridas
nos hombros de andar no ganho mos pe-
sarlo.
mimis, o sitio de La uriana Ro&a Can-
dida Rigueira no lugar do Manguinbo ;
quem c pretender dirija-se ao dito sitio a fal-
la r com Joaquina Francisca Duarle.
boas leteiras ; nos abgados casa de ranxo
paseando a ponte
ava moca de bonlla m- tar| Uma c,drl,era de ma s<> face i "lito
ia cosinba e faz doces, e ensal.oa udo JjJ^ 6 de. bom SSl i Qa rua do 0S
com perleiclo ao comprador se dir o moti- ^^^ ,', .
^T i anuo de linho muito superior a 600 a
tsr o vacas paridas filhas do pasto e (lUe,,a1S '. boca olbo9 Ilfuiz e ore,haS re'U.Ia~
1 fio riuipnc iTi>rtccna -. r ai? 11 m-inni __ k t \S _
jar Aluj^a se uma casa na rua de S. Rila
nova ; quem a pretender dirija-se a rua
velha D. 34.
ma
tsr
de a
V Uina preta de bonita figura de dade \os ^,lonii da Si'va n. 7 e 8 um gran-
ao annos cozinha engomma liso faz J rtimenlo de calcado de todas as qualida-
des cliegados ltimamente pelo Brigue Ar-
res beicos grossos, com esla marca ADS -
no braco direito cara redonda com bastantes
marcas de bechigas tesla e p* grandes; le-
vou camisa de algodo de um fio e suja nos
hombros de eariegar ferro cabas de algo-
do de 'i los suspensorios de borracha ja
muito uzado : chapeo de palha; quem o
pegar leve-, a rua da Cruz D. j5 que receber
de Antonio da Costa Ferreira 100,000 ou
no Cear ao r. Martin00 de Bordes,
lUuVlamiiCo iio i'ovio
NAVIOS ENTRADOS NO DIA a5.
Almeida que lem os poderes necessarios.
tsr Arieuda-ae um sitio na Magdalena ,
na rua do CJueimado 1 \ loja de Jos An-
tonio de vidgalhes Basto & Companhia.
CATUMBUP.G j 80 dias, Br.re Sueco de
arroquim se- a00 toneit ^api Cnu c~ jiderentes
Um e duiuque ditos de marroquim para me- teneros.
fazer farinha de "BJM de ldos os l*"h<>> e botins dito* ARACATY
uu uc ~ ..-(.- 1---------------- ~, -..- uc iiue era outra nuaiuuer p
. amigos por isso roga aquelle. com quera r Um camap ?^>*"*- r As afamadis piiulas vegetaes de Mo-
flear em hita hajao de Ihe acceitar a sua des- ** ^ta tudo de F*" rison em caisas grandes e pequea,; na rua
pedida por este meio, ede o desculpar. i na rua nov- D 4 deironle da Matriz. al d u V
1 I, f, krroir> tr Uuro e praia sem leitio para obras; u ** u"e0 'mu -
, nprlra se a ue as letras -A JO as 5 ponas D a3 onde tem lampio. juntos ingleses, que.jos lodr.nos,
-T ^ tlL^oft lloo Jos de Ol tflrPUm pequeo sitio plantado no lugtr g^-om batatas conservas de odas as qua-
m d ruello ao Sr. Antonio Jos de Oh- "J" \om boa CJU de ^^ noa> lidades latas com sard.r.ha salmao era a-
C!^L t>,HM_sedeum poilUguea en bft- estribara para o cavallos casa para prelo, .'- vinho engarraladc.de: todas as qualida-
*? ^"lST* um armazem distante boa cacimba com agoa de beber tanque para u" ** -6o- rdanle de ..u..Va, -
^^^^^^^X^tTt^. banho ; a tratar no meso,o por isso que se ^ de todas as cores, olio de l.uhaca eb
eata P^";^;ra^ dra. nao pode contratar negocio algum sem pn-; vellas despermacete e de sebo, lona, carne
conduela ; netaTj pogia h. se^a me,ramente ver-se os objectos. | ^ '.ce. porco salgada escovas para sa-
"r Lr sedca iriTeu* 2'-< ^ Urna venda comJ poucos fundos, no P**e, vassouras de cabello para varrer salas;
que querr arrumar-se d uein> de um en |S^ ^ 1^ ^ ^ o M ud d ^k^ {l j#
benho peilo desta praca; no armazem de as > .,' tsr Um terreno alagado no seguimento da
,ar j do trapiche do pelour,nho.__ ^ a UjUr ^^^ ^ e -^ dfi w da Aurora f lendJ,50 palmos de frente ,
J"5?TW lcd0' ^negrinha de naco, deidades
ERRATAS
Essenciaes do Diario de ontena. Na pag.
3. columna 2. lin. 16 releva leia-se relva, bu.
45 hlito leia-se balito ; lin. 5o frimeiros
leia-se primeiros ; lin. ta e 63 teu rosto ,
negro que a ave nocturna leia-se lem rosto
mais negro que* uve uCturaa o. ~0 p-
nda leia-se pendo ; columna 3. lin. 1. ao
pwgoundos leia-se ao pego undoso ; lin. al o
axecraces leia-se e as execracoens lin. bj
desenvolvai vossa esperaes leia-se desenrolai
vossas espiraes ; lin. 70 fauces leia-se fauces.
RBUFEKSTe M. JT. JUE P.^T^o


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEQKK06I0_B8YS1S INGEST_TIME 2013-03-29T15:30:10Z PACKAGE AA00011611_04121
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES