Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04116


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annor1840. Sabbado
_Tndo agora depende de nos mesmoi; da noss prudencia, modra-
lo e energa : continuemos como principiamos, e seremos apuntados
i admiraco entre as Maces mais cultas.
Proclamarlo da Assemblea Geral do Brasil.
'
SnbMreve-se para esta folha a 3*ooo por quartel pagos adiantadoj
cresta Typograha ra das C> uzes D. a, e na Prara da' Independen-
cia n. 37, e 38, onde se recebem correspondencias' legalizadas e an-
nui.cios, nsirindo-se estes gratis, sendo dos proprios aiaigaantei e
viudo, assgnados.
1
PARTIDAS DOS CORRKIOS TERRESTRES;
Ciliada da Parahiha e Villas de sua pretendo.......\
Dita do Ri> Grande do Norte, e Villas dem.......(..
Dita da Fortaleza e Villas dem..............(**& e ^l' 1*1**
Cidade de Goianna.....................J
Cidade d- linda......................X.idos o* dtati
Villa deb. AnlSo......................Quintas feiras.
Dita de Garanhuns e Povoaro do Roni'.o.........j0j e aj ^c oda mct
Ditas do Cali, Serinhae.n, Rio Formozo, e Porto Calvo. 1, 11, e ?i dito d to
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Paja de Flores...........,.........dem i\ dito dito
Todos os Correio pnrtem ao meio dia.

1
FRASES DA LITA KO.MEZ DE SETEUP.
Quart. cresc. a 3 as 3 h. e 17 m. Ha tard.
Lua Cbeia a 11-as : li. e 17 Ha ta Quart minga a :.S- as 3 h. e 10 m. da tard.
Lua Nova a ?5- as 7 h. e 6m. da tatd.
Mare che.a para o da rq de Se'embro,
As 11 horiis t &i minutos d manh.'
As 11 tiorasc 6 minutos .la tarde.
M
i5
iti
'7
18
g
11
19 DE SETEMBftO. N^ ~Qg^
CAMRIfiS. Setumbeo i8
Londres...... ig ir* d. por tfOooead.
Lisboa ......80 a 83 1 i> nriuiio por metal oflereeidii'
I* ranea...... 33:") res por trauco.
Rio de Janeiro ao par Comp, Vendas
(JURO-- Hneda de f'jjfjoo reis, vcllias i^faio ta.) to
Hilas ,, ,. novas I > 1 -le;oci
,, Ditas de 4#ooo reisr f/fiioo 8#<>o
PRATA -- Pataces I n.sileiros tibio tg'.i
PesoColumnarios----------- if^'io ig 60
l)it-s Meticanos------------ ijjfriio i^3o
Muila. ------------ ----------ifio> ijjUao
D>conto de Inllieti'S da Alfandega 1 p>r looaomez.
lclcn ile letras 1 i| a 1 i|i por boas Ib mas olierccido.
Mocda de cobre 3 a por 100 ilc disc.
DIAS DA SEMANA.
Secunda Exaltaco da Santa Cruz. -- Audiencia do Juiz de Direito ra 2
vara.
Terra S. Domingos cm joriano. -- Relar'o e and do J. de D. da 1. v.
(Jinrta S. Rogelio M. audiencia iio Jura de l invito d 3. vara.
Quinta S. Pedro de Arbuei M. Audiencia di Juis de ireito da
> vara
Sexta S. Jos de Cupcrtino F. Audiencia do Juiz de Direito da
1 va'a.
SabhadoS. Januario B. M. Relelo e Audiencia do Juiz de Direito ca,
3. vara,
Domingu Fcsta das Dore* <'c N. S.
&v
KTO DE JANEIRO.
CMARAS DOS SRS. SENADORES.
Sesso de 11 de agosto de iFiJ0*
Presidencia do Snr. marque* de Paranagu
Approvada a arta, elido o expediente ap-
prova-se em lerceira discusso a lei da (sa-
cio das fortas de trra.
Entra em segunda discusso a resoluco
declarando dia de gala nacional o dia a3 de
j 11 I lio.
O Snr. Ferreira de Mello vota contra a
emenda porquanto a redacqo do artigo da
resoluco nao faz mais do que consignar hum
aclo praticado, porquanto he fora de duvda
que S. M. fora acclamado maiorno dia j3
de julho. O nohre orador nao pule adop-
tar o principio de que nenhuma revoluco
se deve julgar legitima embora sejo bo-
as as suas consequencias, porquanto, a passaf
semelhante principio, nao se devia approvar
a resoluco que leve por lim a independencia
do imperio. Enlendo que os meios por que
li declarado a maioridade sao muilo hones-
tos e legtimos, e nao raso porque
nao os approvo aquelles que adopta) as con-
seqnencias.
OSnc Vasconcellos, depois de defender
a sua emenda, combate os argumentos apre-
enlados pelo antecedente orador. O nohre
senador observa que depois do dia 19 de se-
temhrode i83j foro os ministros eoiegente
aecusados por haverem fallado na sauJc de
S. M. por nao terem prohibido que os sub-
ditos de S. M. lhe heijassem a mo e pas-
tarlo por ullra-monar'thistas Se esses mi-
nistros nao tivessem sincera adbeso ao thro-
o nao procederio de^sa maneira, nao pro-
cuiario redal-o de prestigio. Nao sabe como
se procura hoje faser passar por desafectos ao
governo de S. M. aquelles que sempre de-
ro provas de adbeso a pessoa do mouarcha,
dando-se a entender que os amigos da maio-
ridade derrolaro os inimigos della : quisera
que lhe discessem como podem ser considera-
dos desafelos ao throno o Snr. Joo Evange-
lista, que, no dia 7 de abril, quando se cha-
mava ao Snr, D. Tedro lyranno, Srguetl a
voz e disse : nao amarguremos os dias des
se principe que lautos beneficios fez ao paiz :
o Snr visconde de Congonhas, cujos sen-
timentos monarchicos nao podem ser postos em
duvda e milites oulros nohres senadores
que votaro contra a maioridade, e cujos Do-
mes nao referir.
Nota que quando. lemhrara a idea da re-
gencia da Snra. D Jauuaria, hum nohre se-
nador, que liavia sido seo amigo por espaco
de y unios, suspender, por aquetle acto,
suas relacoes de amisade.
O Snr. Vergueiro : Se he comi a palavia para contestar.
O Snr. Vasconcellos: He ao nohre se-
nador a quera me dirijo, que al me disse
liaver a praca estremecido com esta idea.
O nobre orador declara que sempre dese-
jou terminasse a maioridade. roas quera que
tra materia de tanta monta se dease a ini-
< ialiva ao paiz ulficial, sendo a nittiida toma-
da a aprazimentn de ambas as cmaras.
(^uanto ao haver-se dito que a revoluco,
prr ser coroada nao deve ser reputada le-
gitima elle orador sabe que aa europa hu-
ma escolla 1 ol tica que preza a necessidade das
iTolurcts asoim nos pases sugeilos escra-
v i'S como nos regios or hum governo pro-
tector Admitir;! em huma 011 otitra eventu-
al id ade a necessidade de huma revoluco
mas to somente (piando baja hum perig
justificado lo eminente, que outro meio nao
exista de salvar se o paiz. Tem ouvido fil-
iar na gloriosa revoluco de a3 de julho .
mas entende as'im porque nao houve venci-
dos nem vencedores, e sendo esse dia aquel-
le em que devio terminar todas as diver-
gencias, ctrmpria declaral-o dia de gali na-
cional, sem que fosse necessario aprsenla:
os motivos. Se assim nao Coi, parece que nao
solar a to desejada ftiio dos partidos,
porque no debate desses motivos a parecer o
discusses irritantes e ellas o serio tanto
mais, quanto mais se procurar provocar o
examedesses motivos
Nota qne aquelles rjiie recoiihecc^ 1 Pxis
leticia de huma revoluco nada ti 1 feilo '.: lis
do que approvar oque havilo (eitos os seus
antecessores, adaptanto as mesmas lei de fi-
xat.ode forcas o mesmo orcamento e al
as reformas aos cdigos criminal 8 do proces-
so. Dahi resulta iium principio e vem a
ser que o novo gabinete, adoptando as ideas
dos seus adversarios reconheceu que el'es
havio comprehendi lo dividamente asneces-
sidades do pa.
Nao sabe se o paiz ganhou com a substitu-
cao dos no'os ministros porque s ve adp-
la.ia a poltica das pessoas ; mas sahe q':e
ganhou muilo com o baver S. M. entrado
no exercicio dos seus direitos magestaticos ,
e que esse fado ser lio applauddo por lodo
o paiz, como por elle orador, e mal daquelle
queousar peiturbal-o ( apoiados ) : enlo se
conhecer que nao houve divergencia que
nao houve vencidos nem vencedores no dia
ai de Julho.
O nohre orador nao acha que o paiz lu-
crou com a substituico dos ministros, por-
que, lomados el lea colleclivaroente, nao va-
len os ministerios das regencias. Est persua-
dido disso e os debates mostrars ao paiz
se elle se engaa ou nao.
Julga que no da ai de julho devio ter-
minar todas as disidencias, havendo completa
fuso dos partidos al porque neiihiuna
vlrtude menos cusa a exercer a elle orador,
do qne o esquecimento do passado 5 e para se
conseguir essa fuso entende que deve a
resoluco ser approvada sen os seus motivos,
e caso se ulgue o contrario, votar pela re-
daceo da sua emenda.
A discusso lica adiada pela hora.
O Snr. Limpo (ministro da justica) he re-
cebido com as formalidades do regiment,
Entra ero discusso o projeclo O ar-
tigo i5,e 7.
44 Compele aos chefes de polica conceder
mandados de busca.
O Snr. Limpo de Ahreu (ministro da jus-
tica entende que deve ser addicionar ao o
seguiute : Na conformidade das Itis por
quanto julga que o senado nao qoerer dar
aos chefes de polica a faculdade de con-
ceder mandados de busca sem ser nos termos
e com as formalidades presencias pela lei.
O Snr. Ferreira de Mello manda mesa
huma emenda para que se addicione ao pa-
rgrafo as seguutes palavras na forma das
leis
He apoada.
O Snr. Vasconcellos entende que a emenda
nao s he escusada como perniciosa, porque
lendo-se approrado artigos sem referencia
; W%fc^*
legidaco em vigor, e no paragriphn en
liscusso fasendo-se esse addlamento, pare-
ce dar-se a entender que nos outro casos o
itiizpoder ser dispensado decoiifoTmar-se as
les
Approveiti a occasio para farer algumas
exoticacOes obre Tactos apresentad era ou-
tra sesso. Enganou^se quando di*se que
lora comprehendida na pniclam 1 .> a phrase
lon.a he a rainha do mundo por pun-
to essu pluase acha-se no dicn'rso da nobre
ministro do imperio, que he merabro d hu-
ma adminstraco que se dizsolidira Ne-
ga que o nobre ministro da justica elogiasse
o general \ndreas, por quanto se ocornparou
a Clausel, f>i m necessidade de deten lar-s.
Julga baver compareci entre Robert l'eel
coSur. ministro dajustca, cuja iiitelligen-
.11 e saber, ulga a par daquelle estadista,
mis nfo quanto materia, pir que Robert
Pe questionara acerca di conveniencia de
huma iei, nao negando ao parlamento o di-
reito de fazel-a, e o nobre minstro recusara
assemblea geral odireito de lser a inter-
preliLo tal quil existe, porque a julgou
huma verdadeira reforma.
O Snr. Ferreira de Uello defende a don-
trina di sua emenda. Diz que quando se fal-
lou no com na ud me superior de l'ouso-ille-
gre fui pira ferir in lire rtamente a al nem,
que elle orador lera dous irmos que sao pro-
ductores < nao consum lores <,ue nunca
recebero ordenadoj do estado,
O Snr. Limpo (ministro da justica) nao
comprelieudeu bem o argumento do nohre
leador o Sr Vasconcellos, quanda disseque
a emenda be perigosa
O Snr. Vasconcellos repele o que dissera a
respeito.
O Snr. ministro nota que a inteligencia
das leis est.i muilas veses por f.ilta de clare-
sa sugetta .s iuterpretaedes as mais extrava-
gantes. Julga que aperar da lei baver eata-
belecido as formalidades necessarias para os
mandados de busca pode suppor-se que no
Sera discusso Se quiz estabeilecer hutnaex-
cepefio regia geral.
Se qoisesse sustentar satis principios recor-
rera ao nobre enador a quera combate, pois
tem defendido todos os principios ilelle mi-
nistro apresentados na casa. Observa que
(jiniito ao que se diz do general Andrea,
elle ministro, vista de inforraacoes otEcaes
pode julgar mal fundada a censura que liera
em outr;i occasio.
Quanto a interpretaco do acto addcional,
nota que nao dissera a respeito o que lhe fora
attrihuido, e (ue se a orcasiao fosse propria
diria quaes os ai tem q julga q' foro excedi-
dos os limites de huma justa interpretacio.
Agradece a comparaco lela entre elle mi-
nistro e ir Robert Peel e diz que o facto
principal que tinha em vista qu indo citou o
nome do estadista iuglez, fui o ler a lei pas-
sado como lei do estado, sendo o mais pine-
ramente accidental,
O Sur. Monleiro de Barros defende a dou-
triua do .
O Snr. Vlsconcellos observa que co:no o
nobre miuistro enleudura que o icio al lional
era em alguus de seus artigos hnma usuijii-
cio das liberdades provinciaes desejara lite
dissesse se no artigo acerca das buscas o no-
bre ministro julga baver algum* isemp-
c.o JNota que S. Ev dAcorrer larga-
ment sobre a hisloiii da discusso do acto
addcional, sobre os artios do regiment
da remara temporaria e nada dissera a
re 11 Un.
(> nohre senador insiste em qu" a i le t d*
emenda he perigjM Rectifica anda alguna
ractos contestados pel nobre ministro cuo-
ta qne nada dase contra o general Andrea
de que deva retratar se, pois s o dev^vera fi-
ier aqnelles que juigarSo esse ra.....il inca-
par ile qualquer empresa de risco, restituindo
a lio digoo brasil.-ico a sua reputa : i.
Admira a babilidade ron que o nobre
ministro Iludir a sai arguraentacio acer-
ca proceder de Robert Peel quanto a refor-
ma da lei eletoral, p>r quanto o ministro
ingle/, nunca suppoz essa lei inconstituci-
onal, como aconteCtU ao nobre ministro da
justic 1.
Dir alguma cousa acerca de hum facto re-
ferido por um nobr senador por *l'nas sen
iniital-o na sua colera. N io se referi s pes-
soa alguma, mais ao ministerio que parece
correr a to la a brida pa 1 s ida do arbitrario,
declarando-se o tutor de S. M discutindo
actos que sao t propria coropetencir do im-
perador.
Desejara saber se o nobre ministro preten-
de separar a pirte jue r-sociu a polica d
resto do projecto pois el.'e orador quera
apresentu- algumss emendas a este respeito.
O Sur Ferreira de VIelloainli l'. dgi-
mas observaedes sobre i derairaisso dicon-
mand.inte sjptfriorde Pouso-Alegre d ida pe-
lo gabinete de lo de setembro
Dada a bora, o Snr. ministro da justica
retira-se com as formalidades do' regiment
O Sur presidente d a ordein do dia e
levanta a sesso.
Continuado do N. precedente*
" Nao pedio o governo, mis julgou ,1
commissio que devia consignar a qumtiade
78.(5r!ijU-i:7 para o augmento de despeza que
do anuo passado para c tem lido a rubrica
dos reformados aijud, importando entao
em 5iQ'it3Uao5 monta boje na enorme
goraraa de 5u8o5aU^ia i be ludo servieo
peasoal que se ha de azer quer lenha. quer
nao huido abuso as facilidades que fo-
ro dadas ao governo para orgauisir o quadro
doexercito, e para promover no exercto.
Para obras militares na corte pede o go-
verno aquanti 1 de 00.820U mus pela raso
de que, sendo tal despeza oreada em ~% 000U,
lmenle coube ao arsenal da corte na dis-
tribuido do crdito quinlia dear 180U ,
era rasio das reduccoes teilas no auno passa-
do pelo corpa legislativo nesie ramo de des-
pega ; a commissio porera smente consigne
a quaialia de j 7 >oU mais, que, com a da
5o:JooU votada na lei deste anuo perla/, a
de ro ouU votados por igual servico no ej-
ercicio luturo. \> deaconvem a commisso
de que ueste ramo de servico umitas deipezas
be neceasario fazer \ mas quando o corpa
legislativo, em atlenco s criticas circuns-
tancias do paiz, ordena que su suspendi o-
bras desu naturesa que poden ser adiadas
sera desservico publico para pochas mus
prosperas e (|ue o governo se limite 10 abso-
luta nenie indispensavel ; he necessario que
se nao pratique oque praticrad aiguiis mi-
nistros da guerra e m irinlia.
14 Pede mais o gjveruo englobadaraente
qaantiadeoiQ;.6ooUooO pira a (orea de s uiil iiouieiis queaccrescera as proviuciai
do Cear Piaulij Maranhio Santa Ca-
litarina e (Joya/., oorreapondanle a tau vt^


DIARIO n
KnDBBBiHBBHn
B
P E f! N A
M BU C 0
5*
pM e dwas rompanhia* Parcoe a coiqmigsSo
que f mhora essa forca nao seja de liiiba ,
romo parece deduzir-se da proposta nao yo-
de ser considerada como excedente ao numero
de pracas de pret decretado a saber : 6,ooo
de linlia a.ooo fra de linlia porque esse
numero de 18,000 nao esta todo preenchido
coro tropa recular ; e sim cono guardas nacio-
naese paisanos que, em quanto se nao com-
pletar aquella torca que o governo he aulho-
risado a ter em armas no correte auno pre-
encliem as vagas que ha de tropa regular :
isto pcsto, foi votada na lei do orcamento
?igfnte para 16,000 pratas de pret a soma de
2,7rpi3t U700. que, com a de glg.oojb'oo
01a de roais pedida, faria a somma de
3,708.7 15U3oo ; mas lendo o mesmo gover-
iio pedido para a mesma lona de 16 000 pra-
cas de pret de linha a quanlia ci
3 323:i22L'9So para o exercicio Futuro se-
gue-se que concedeudo-se integialmente o
augn:enlo do crdito pedido, se dara de mais
do q' pedio o gov. parta mesmsTorca,no an-
uo futuro futuro a quanlia de 385.6i/jU5ao.
A cmara volou para esse exercicio
3,838:171U0S0: parece pois que dando a
comroisso mais 4lo.863U.ioo, que, coro
9:7^9 >56L'7oo d.;dus na lei do orcamento vi-
gente prefazem a somma de 3,aoo 000U000,
d-se hum crdito muito sufEciente e que
chega tamben para gialificaces de campa-
nil a que nao ora pedidas pelo governo ,
mas que devem ser alieudidas por ser despera
determinada por lei, que nao pode deixar de
fazer-se.
Pede mais o governo 200 con tos para fretes
de vaporest que navegan para o Sul e de
transportes : a commisso porem smente
consigna a somma de i5o coutos para fretes de
barcos de vapor por isso que as sommas pi-
ra despezas de transportes, com oulra sor le de
embareacoes, estava compre henil ida na quan
tia de ia4;i3>Uofo votada na lei vigente pa-
la despezas diversas e eventuaes como se po-
der verificar as tabellas do respectivo o: la-
mento.
" Pede rrais finalmente o governo ico
contcs para compra de 10 000 armas de infan-
tera e outros ico para a compra de 1,000
cavallos: a commisso abona estas sommas.
Ministerio da lazenda. Pede o governo
a somma de 08.287IJ446 que roais hade
cuslai a ditiertnca de cambio as sommas que
he neressario remeller para Londres para pa-
gamento do juro earuoilisaco 'da divida ex-
terna cambio que loi fixado na lei a 3i ,
quando actualmente se nao faro as remessas
por mais de o que he o cambio do dia e
ao contos para a lubrica "pensionistas do es-
tado", porquanto sendo o crdito aberto ao
governo para o rorrete exercicio de
3eo H09U801 jem abril, quando foi or-
ganizado o crcamento para o luluro exercicio ,
a lolba dos pensionistas monlava a mais de
4oo contos sem contar anda com a nova
despeza que pussa acirescer durante elle.
' Em concluso do que fica dito, feilos
es au(;rr.ei>!os e reducioe* projioslos pela com-
misso temos 1. que o augmento de crdi-
to que se deve dar ao governo vem a impor-
tar ero 1.655; 1.-I0U79 e o dficit do auno
ou do exercicio correle em ^)o\6)to^U o^.
m
mm
m
*m
sea juiso a respeitodo excesso de despeza or-
denada e feita alenu dos crditos abertos pelas
duas leis referidas isto he para que a com-
misso podesse avahar que as despezas por
esl a man .ira feilas fora bera ordenadas e
asseverar cmara que estava no caso de ser
approvadas (porque a coraroiss segu o
principio de que em casos urgentes e extraor-
dinarios em que interesse a honra a segu-
rancia e a integrid ide do estado e ero alguns
outros pode o governo despender aioda hura
dos crditos abertos com Unto que taes ca-
sos sejao bem definidos e que os ministros lo-
go que se reunir o corpo legislativo se apr-
sentela peranle elle justificando as despecas
assirn o-donadas para este as aoprovar ou re-
geitar') fra necessario que estes documentos
se apresentassin) e nao os c|tie apresentou o
tere de calcular a receita e despeza dos mezes
de que nao ha bala neos mensaes em pro-
porco di que se arrecadou e pjgou effectiva-
roe.nte nos mezes de que ha b?lanc/>s o que
pode dar hura resultado apenas approxiraado ,
e em alguooas hypotheses at muito inexacto :
a commisso portanto votou para pagamento
da divida las provincias a siman de 3,5oo
con tos que lhe oareceo razoavel noqueren-
do e nem sendo possivel que pjr falta de
dados mais positivos, que ni actualid-ide nao
possue o thesouro se deixe de votar raes ro
euglobsdamente o que se reputar preciso para
tal servico, attendendo-se a que alguraas pro-
vincias onde ainda lavra a guerra civil, co-
mo no Maranho tem avultada divida.
Multas cazes de conveniencia movern a
commisso a dar o crdito para occorrer ao
ihesouro a que fez quanto s despezas dos demais mi- (la forma porque o fez na tabella C. ; e no ac-
nisterios isto he demonstrar o que se deve.
e nao se foi ou nao bem gasto ludo quanto se
despendeo. Na falta pois de tal jusiilicaco ,
lo di discusso a commiss > ter a honra de
apresentar a consideraco d* cintura essas ra-
zoes. Grande lie sem duvida o dficit
toser dividido pelos ministerios, na forma
prescriata na tablilla ii anuexa a esta lei.
" No artigo 3. da proposta depois
da palavra empresiimo accrescen te-s
por meio da venda de apolices e no fira
do artigo accrescente-se podendo o mesmo
governo emitzir como auteeipaco de ren-
da bilhetes do thesouro, pela maner
prescripU na lei de 11 de outubro de 1837 ,
artigo id. Em lugar de 10 4o:eooUooo
diga-se 9,804:4070117.
ARTGOS AUDITIVOS.
que s aos respectivos ministros ordenadores : deixado pelo anuo fioanceiro findo e nao
competa fazer sem poder a commisso jul- pouca lie ainda a divida por pigar perteacen-
gar da legalidad ou illegahdade de toda ou e a anuos anteriores : e lal 'ez anda seja mi-
de parle da despeza assirn ordenada ; e, dei-
xando esse exame para quando lor a presenta-
do o respectivo balanco a commisso acceU
ior se a divida que se liquidar as provincias
exceder muilo de a 5oo coo'.os e se appare-
cerem ainda no municipio dividas nao liqui-
o fado e consigna os fundos quanto ao mu- dadas at juuho e, por conseguate, nao
nirinio para pagamento de toda a conhecida e liquidada al boje com excepeo sao enleiide que n > he possivel reduzir mais
to smenle dasaddicoes deque laz expressi ja sua cifra, Uuas rasos porem ha para que
menco neste relatorio e petas rastrea 11 ;lle ;appareca agora hum dficit lo consideravel,
expendidas, e quanto s provm ias lo so-j tal qual ainda nao linda sido apresentado ; e
mente a,5oo;oooU, apesardeq.ie pelos cal a cuoiuiisso nao se p le dispensar de as a-
culos do thesouro esta divida se elevou n mais presentar ao conliecimento da cmara : he a
primeira a avultada so.urna de divi las de an-
uos anteriores paga nj anuo fioanceiro fiado
de 18.19 ~ '840 cusid em grande parle ,
da renda que loi votada para pagamento de
servicos proprios deile pois que absorte del-
ta para mais de i,uoo contis s pelo queja
he conoecldo uothesou.o; he a segunda o
novo sysleum do escrijduraco e de contabili-
dade por exercicios era virtude da qual forco-
so foipparecer agora hum decii semelliante
no thesouro ene muilos anuos existente,
que nunca appareceo por(|ue pesava sempre
de 3,ooo tontos, porque nesta parle nao he
possivel que taes clculos sejao rigorosamente
exactos. Ainda huma rasio tem a commisso
para votar as sommas precisas para o paga-
mento de cada huma das dividas liquidadas,
e que se liquidaren, e nao pela miueira
cuntida noart. l. da proposta.
As addices que a commisso suprime da
divida do municipio pertencenle ao anuo fi-
nanceiro findo e anteriores sao : 1. a5o
ionios de rs. para engajamento de eslrangei-
ios o qual parece que se nao etfectuara mais;
Angmento do endito no roi-
nisteiio do imperio
Iiem nodajuslicaj
tem no de f.si ran ge i ros
tem 110 da guerra
tem do da lazenda
E sendo a despeza decretada
na le n. 108 de aO de maio
de
Ser a despeza total de
Da qual abaleado as suppres-
sces ilas
a commisso poim uo duvidar abonar essa sobre a renda do anuo ira.uedi.i'O com a qual
somma, se o governo julgar que nao pode jera pago, deixando ueste, igual vasio e as-
deixar de ser volada: a." ii9.i53,rt3 sim progressivamenteo auno Dnaiipeim findo
pedidos pela repailiea"o da guerra pan paga- carregou cora despeza de i mezes, e pira a
ment de huma divida a mariuha provenien- !c|ual nao bislava os saldos como se verifi-
te de despezas de fretes de vapores e outras Ca a respeilo do auno fiado,
que por conta da guerra fuera a mariuha j ,, Quanto aos meios de suprir o dficit,
\ i>ta dos documeulos remettidos a commisso propoe o govenu que soja por mido de hum
dos quaes consta que marinha despendrao empreslimo como melhor convier. P0sto
fior conta da guerra no atino liuauceiro Hn- qUe a proposla nao declare a nalureza do era-
do nao a somma de 119:153,831 mas san presumo en tendeo com ludo 1 com-
a de 44 606, 91; que loi paga pela mariuha misso que ser por atejo, Ja vend de
coma sua cousigiiaco,e mais lis. io'| ibb.uoo apolices dentro ou fon do imperio, sendo
nao pagos pela guerra e pioviuienles coa el- esta medida coadjuv.d. qpmo .ij pode dei-
feito de taes despera* mas de1 que a repart- xar de ser com a de eaii.so de bilhesdo
cao da mariuha se desencarregra remetteu- thesouro como auticipavo de renda ; e ni$-
do da guerra a importancia da despeza leila Sl) convem pesio que muito lamente que na
por sua conta para ser por el le paga ; e sendo actualidade outro meio se nao possa adoptar,
pedidas pelo minislerio'da lazenda 8i;at>|,3b5, que aecuda ao crdito do imperio, e s ne-
para pagamento de fieles de paquetes de va- cessidades do servico que evite o augmento
por, em virtude do aviso da secretaria da da da divida publica fundada ; e so a anima a
guerra de 6 dejunho, do correte anuo uo esperanca de que o governo enpregar todos
resl duvida deque tal somma est compre- os meios para tornar cada vez mais electiva
hendida naquella oulra de 119 i55,n3i e a arrecalaco da ronda publica fazer obser-
entendendo a commisso que a differenca pa- j var a mais restricta economia.e a maior Gseali-
ra esta somma sao os 44:6<'6,i9i e uestes saijo as despezas publicas, ario d q'des'arle
termos supprime a verba de t 9" i53,rf31 se torne menos pesado o sacrificio que-a nacd
consignando lo smenle a de 8a:a6j,33o ; e be obrigada a fa/er para mauler a sua honra e
tercena, tiualmenle a de 7:643,000 por- integridade : enessi persuso nao fez seuo
que embora seja hum crdito a favor da ma- tornar mais explcito o art. 3.
rinha no auno de i8j -- iH 9 que nao i ,, Com taes a I taraces eutende a comrais-
recebeo com tudo lhe nao deve mai ser a- sao que a proposia do governo p-ide ser adop-
bonado estando como est contemplada lo-, tada e para que entre em discusso a ole-
da a divida ainda por pagar daiiuelle auno : jrece consideraco da cmara cenverlida no
assirn a divida do municipio doauno de i8. -- 1840 e anteriores j liquidada e ainda nao baleadas da commisso a proposta do gouern>.
paga a qual pelos documentos o thesouro O artigo 1. da proposla seja redigido da
iieara re- luaueira seguinte :
" Alt. 1. He concedido ao governo hum
Quto a existencia de divida por pagar per- crdito da quanlia de 5,787 66iU7i3,o qu*l
I tente ule ao municipio, constante dos docu-'destinado para pagamento da divida perten-
55a:ooUooo
3j3io383
ao;335U8oi
963:1960937
88: a711406'
i.655;i3oU579
lS.c73;8578i5
" ~ J"u~it/ a sobe quanlia ue 4:07 :i5q,oi4-,
jo.;s9}i884o4 uuzida4a de 4,,95,0^0.?'
; metilos apiesentado pelo thesouro e quanto 'ceute ao anuo fiuanceiro de 183918 jo e au-
ao 43;-,8o \]\o^ [ ao seu computo e exactiuo neuhuma duvi- teiiores liquidada at junho do correte an-
da pde haver na opinio da commisso : o no e nao paga sendo destinada a quanlia
i6.5oo;ooof mesmo porem nao succede com adas provin- ; do 3,787:6^3 U713 para pagamento da di-
lius. n existem ainda no thesouro, e era j vida propria do municipio e distribuido pe-
podem existir,, balaiicos das tbesourarias pro- los ministerios na forma da tabella C e & de
85;ooos' i6.4i5jcc^L"coo vinciaes; nao existem tambera e nem podem i a,ooo;oooU para a as dividas das provincias
-------------------------------existir aiesmo os balantos mensaes dos ulti- i pertencenles aos mesmos anuos que se tiver
oil 'qQ/'o r,s n!ez,!S de anuo financeirn findo de 1S59 1 liquidado einjunbo e se fr liquidando at
' "* ",0* 1840 e nem tabellas da divida passiva dezembro.
* Ltficit fatoravel venficado em junbo do al sua poca, como se v dos documentos a-
1840 pitven ente de .'erviios nao pagos do presentados pelo governo e portadlo lie ab-
anno filiai.cc-iro deir3y- 184 e anterio- olutamenle mpossivel conhecer-se tom exae-
res tinuiddns e nao pagos e pedido de ang- tido ludo quaiito se gaslou riMtJfl anuo tudo
ittuto de endito paia as despezas hitas sem quanto sv arrecadou os saldos que iioaro
^Jj^, exislindo no ultimo do junho e finalmente
* Para que a commisso -podesse emittir 0 quanto ficou por pagar : e entio o thesouro
Ficar reduzida a
E sendo a receila
da somma de
Menos a dimi-
ouico de im-
posto*
Ser o dficit de
Art. 1. Fico suprimidas na lei de a6 d
uni de 1840 e era e id 1 un das rubricas d
despeza dos respectivos ministerios as som-
mas constante da tabella A anne xa &
esta lei.
Art. a. Cura os sidos existentes no ultimo
dejunho as ihesourarias e com a impor-
tancia do eredito concedido por esta le,paga-
r o governo as provincias a divida perten-
cenle ao dito anuo fioanceiro de i83j 18 jo,
e anteriores liquidada em junho e que se
fr liquidando at deze.ubro at a importan-
cia dos saldos e crdito concedido-, e na pro\i-
raa sessj o mesmo governo i 11 forra ir aca-
mara : 1 a quanto montaro os saldo no
ultimo dejunho nis provincias na forma do
decreto de ao de fevereiro de 18 jo sob o.
4o j a. quti a.importancia de sua divida
nesta ooca liqnidid.i e que se liquidar al
deseuibro : 3. quanto se pagou dessa divida,
e a natureza della 4- filialmente o que
se ficar devendo afi o de sercm elo conce-
dido os futidos precisos 00 caso de que al-,
gum resto exista aiuda por pagar.
" Art. Os crditos concedidos pira pagi-
meuto da divida atrazada na t le e provinci-
as scr exclusivamente applicadas aos pa-
gamentos consta ules di idbetla C ; e aeulm-
111 divida na corte alii uio cora ire.ie.i lid 1 ,
e nem as provincias, que excedi os crdi-
tos abarlos ser paga sem que nos terraos
do artigo antecdeme- sejao decretados os
fundos salvo se dos credores conteiupUdos
uo municipio siguas uio coraparecerem caso
em que deutro Uo crdito aberto se podero
pagar quaesquer dividas que ao referido prazo
se liquidaren.
[41
*{ Art. Fico revogrdos os arligos 37 23
e 39 da lei n. 60 de ao de outubro de
lb'33.
Oiereco ainda,corao meios auxiliares Je oc-
correr ao dficit e de evitar que todos os fundos
precisos sejao bavidos por meio da venda de
apolices os constantes dos arligos additivos
unios em que nao convencerlo os meus
tionrados collejas e cuja doutriua justificare
no acto da discusso.
Art Heder tambera o govirno emittir
bilhetes do shesouro que vencern o premio
que nao exceda a3|iopor auno, calculado
diariaraeuO por cada iojU cora prazocerto de
pagamento ou sem elle os quaes sero acei-
tos como moeda uas eslaees publie is das pro-
vincias em que liverem curso legd, seudo
|igo o juro delles uo dia do venc.nonio
poJendo ser reformados por outros. Os bi-
ineles resgatados serio eulreg es caixa da
amortisaco para serera queimados
Art.--Do 1 de Janeiro de i8ji em (lian-
te o governo l'ar arrecadar era todas a irapj-
sic,es que se houverem de pagar ..o estado
[excepto uas applicadas amortisacaj do papel
inoeda] tantos por reato era ouio ou prata pelo
padro estabelecido na lei de8d'obi'. de 18 ly,
quaolos prela,o asomrai dos juros e araor-
tisisaco da divida externa pelo cambio de
43 i'p.
O pagamento das mposices nesta especie
poder ser teilu era letras sobre Londres a
aprazimento do governo, e nos casos era que
juigue conveniente,
Paco da cmara dos depulados era a a de
agosto 1840. [iiirs. assiguados os ra.ero.hros
da commisso.]
PE11NAMBUUO,
O artigo a. da proposta seja redigido
pela maneira seguinte;
* Art. 3 Alera do crdito dado ao go-
verno pela lei n. mrt de 26 de maio de it^o ,
pa-a as despezas do exercicio de 84o18ti ,
he o mesmo governo outorisado a despender
irais a jnanlid i,655;35oU589. F.ste credi-
TIIEZORARIA PROVINCIAL.
Expediente do dia 9 do correte,
Orucio Ao Exm. Presidente do Tribunal
do Thesouro Publico Nacional euviandj-
llie o conliecimento de 3;'|8o quintaes de Pao
Brasil cm 95,548 toros que em jo de Ajos-
to ultimo fora reraettidos Isaac Goldiraid
rving e Touopson d- Londres pelo lrigue
Iii|les Chase, Capilo Jamos fittjhise i e
signtficando-lhe ter-se feilo aotes aviso aoi


D T A R i O D R B I N A M B O O
*
fcesmos para procederem o competente segu- Orfos se ho de arremaHar a quem mais der
, no caso* de nao terem ordera em contra- nos dias 19, 2.i,e 26 do correte mez as rendas
', 0 e juntamente que tendo ficado nos' das cazas numero 4 no Largo do Hospital do
respectivos armazens peno de 5,000 Paraizo, 10 e li na ra de S. Gon-
qmntaes do dito pao brevemente deve tcr calo do bairro da Boavista 68 na ra
logar outra remessa. do Burgos do bairro do Recife, 74, e 75 na
Dito Ao mesmo Exm. Presidente en- ra do Encantamento 78 e 81 na ra da]
viando-Ihe coro os Balances da Receita e Senzalla Velha, 83 e84 na ruada Guia, 85 na
9
r Despeza Geral desta Provincia do mez de u-
Ibo prximo findo os da Receita e Despe-
ga das Rendas applicadas ao resgate do papel,
do Rendimento de i por cento de Armaze-
nagemaddicional, relativos ao mesrao mez.
dem do din 10.
Officio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia informando o requerimerito de Luiz Jos
ida Costa Amorim e Bernardo Jos Mendes
pedindo por aforamento o terreno alagado
existente nos fundos da casa comprada por el-
les aos lierdeiros de Antonio Marques da Cos-
ta Sobres
Dito Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciaes remetlendo-lhe doze ej-
emplares do Edital, que o Exm. Presidente
da Provincia raandou publicar em conse-
cuencia de terem apparecido na Cidade da
13ahia Notas falsas de aoU e de 5oU rs. ,
a, fim de que inteirado do seu conteudo Ihes
d o destino, que julgar conveniente; e
commuoicando-lhe ao mesmo lempo, que a
todas as Repartieoes da Receita e Despeta Ge-
ral, j se tizera as necessarias participantes .
enviando-se a lodos os Collectores por;o dos
ditos xem pa res, para cerera afhxados nos
logares mais not&veis dos respectivos Munici-
pios.
Dto Ao Inspector d'Alfandega remel-
tendo-lhe dous dos exeroplares de que traa o
precedente ofcio a im de que na mesma
.Alfandega se possa ler nielbor conbecimento
dos sigiues por onde ditas Notas se differen-
ja das verdadeiras.
Igual officio so expedio ao Administra-
dor da Meza do Consulado ao Administra-
dor da Recebedoria de tiendas Internas ao
Administrador do Correio ao Inspector do
Arsenal de Marinha, eao Director do Arse-
nal de Guerra.
Portara circular Aos Collectores de Di-
versas lleudas remetteiido-llie seis dos tem-
plares acuna referidos a fim de que fazen-
do-os affixar nos lugares mais notareis do
respectivo Municipio possa todos conbecer
mais circunstanciadamente os signaes por on-
de as notas falsas se di'erenca das verdadei-
ras.
dem dodia 11.
Oficio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia informando o requenmento de Jos Lopes
Kosa a. Escriturario da Contadoria .da
Thezouraria pedindo S M. U 1 llie
mande continuar a gralificico que por se
adiar enearregado da Contabilidade Militar
lbe foi mandada abonar pela ordem do Tri-
bunal do Tbesouro Publico Nacional de o ie
Agosto de Itiiti e depois suspensa por, oulra
ordem du mesmo Tribunal de jo de Juutio p.
passado._______ _^____
ra do Trapicbe 86 no beco da Lingoeta ,
87 e 88 na ra da Cruz, 91 a io5 em
Fora portas um sitio em Parnameirim em
que mora Jos Fidelis Barroso urna tira de
trras junto ao sitio cima e um outro sitio
na Matta da Miroeira emque mora Antonio
Jos dos Santos ;. as pessoas que se propuserem
a arrematlal-as podero comparecer nos indi-
eo los dias as 4 horas da larde na casa das
Sessoes da mesma Administracao com seos
fiadores*
Salla das Sesses da Administtraco do
Patrimonio dos Orfos 17 de Setembro 184.5.
J. M. da Cruz.
Escriplurario.
COMARCA DOLIMOEIRO. .
Juiz (le Paz.
Joo Ribeira Pesso de Licerdi
Maximiono Antonio ib; Pin'io e Olivaos.
Bom-Jardim.
Carlos Leilode Alhuquerque
Jos Bizerra de Mello.
Taquaritinga.
Jos Anacleto d Araujo.
Vereadores para a Cmara do Limoeiro,
Coronel Ilenriiue Pereira de Lacena
Antonio Peris Quintas.
Joaquim Theodorode Vnconcellos
Jos Leo Pereira de Mello
Joo de Moura Borba Jnior
Severino Alexaodre Villarim
Francisco Joaquim da Silva,
s Fgaros Cegos de Tolledo. Rematando
todo o divertimento com a graciosa farea de-
nominada O P \R DE FRANCA. Ex o
diverlimento que lera de aorezentarem OS be
neiciados pera n le um publico to generoso ,
a quera iraploro alinela amparo e
proteciof
COLLEGIO DV ROA-VISTA.
LOTERA Dt) SEM1N \R10.
O Reitor do Seminario de Olinda convida
os amantes deLoleriis compraren* os bi-
Ibetes da primeira parte da 17.a" Loteria do
mesma Seminario, (cujas rod.ts anda impre-
terivelmente no dia i2 de 8br)que se acia a
venda no Bairro do Recife, ra da Cadeia, na
loja de cambio do Sr. Vieira \ era S. Antonio
na ra do Cabug, loja do Sr. Bandeira ; na
Roa-Vista defronte da Matriz botica do Sr.
Joaquim Jos Moreira.
runo-.rio e mam-no
Por D Anglica Fuislini de Stqueira Wyal
A Djrectora tendo residido alguna ano
om Franca e Inglaterra tem estabelesci I
nesta Cid ule segundeo system 1 Europeo
huoi Gdlegio para itistrueco de meninas
as seguintes iciencias Ler B&crever A
rithraetica Geogranhia. aGramraatica Por
tugueta a lingos Frauceza e Ingleza Co-
zer Bordar, Marcir&c.
O Cotlegio admite Pensionistas, meias
Pensionistas e Dhci pulas externas.
O Collegio lera Professores de Muzica, De-
zenho e f tanca,
O mez de cada Allumni urna vez come -
cailo be sempre devido inda que seja rea-
rada do Collegio.
As Peusionbtas.s poderSo sabir do Colle-
gio nos Domingos e Dias Santos por pedido
de seus Pas ou Tutores, extraordinaria-
mente com licenca da Directora em recom-
pensa de su 1 aplicaco e boa conducta.
Pora dos Domingos e Dias Santos a Di-
rectora nao concede Ferias.
A lavagem e engomado da roupa das Pen-
sionistas sei; feita em suis cazas -, igualmente
se (ara no mesmo Collegio convencionado
com a Directora. A Directora espera da Eu-
ropa com brevidade huma Seuhora de aba-
Kzados conbecimentos para cotdjuvala nos
trabaihos do Collegio.
Pan maior iutormaedes dirija-se ao i.o
andar das catas do Sur. Joo Baptista Na-
varro i confronte Matriz da Boa-vista.
SOCIRDADE HARMNICA T1IEATRAL.
A Commis Uirmouica Thcatral convida aos Snrs. So-
LOTERL\ DO THEATRO.
Os Bilhetes da |, pirte
da 4.
Loteria,
quizer annuneie para ser procu'ado
ssr A pesioa aun precizar deumbonco-
imheira pin ludo quinto for coraidis ;
ariniinrif >u < inorada*.
cy Q lera q 11 ser um cont de res a juros
dedos por cenia a, mez com hip>tbeci e-u
ilguma propriedadej aununci a sua morada
para ser procurado.
cy O Sur. A. I, O. queira saptisfizer a
divida i que contribu, no prazo de 8 dias;
e'Jse ueste lempo noofiter, t.?r; o Drizer
de ver publicado o seu 110:11,; por inteiro
|ua! a minMra ; porque contrahio dita divida.
laV* Quera perdno :im cabiiinbo : diri|a-
se ao beco das Cirv libas 3, quedndoos
gn es ser entregue^
K> Faco sert 1 aos erdeiros do filecido Ja-
cinto de AgUfr TosA que rae miridl), sap-
tisfaca ao meamos erdeiros umi restituieij
de conciencia e be preciso lerabnr, que nao
pequea quintil : e como ignoro quera se-
jo f suas moradias; os faco serlo pelo ')ia
rio : devendo-me procurarera ao pe* da M itri*
de Santo Antonio no 1. and ir di 3obralo
do Sur. Antonio Rodrigues Smico, e sto
ter lugar at o dia ai do correte ; porque a
i3 do mesmo retiro-ote pira a Cintarca de
Quexerajnobim a :i I sou m irodor n i fa-
zendi de Santa Cruz Provincia dj Cear ;
e desta sorte fica claro a miulia moradias se por
al;um impedimento nj com;arecerera aleo
dia cima premeditado todava sabero raj
procurar serlos de(|ue logo que se apre/en-
tem justificados receliero a restitu io in-
dicada e se dir quem e por que o laz ; -*
Joaquim Jos da Crus Saldanha.
ViT Urna senh ira idosa e de biii-. ,'ostu-
mes, seolleieee pa a ama de ciza de boraera
solteiro ou de p >u? familia ; no piteo da
Carmo no sobra 11 d > Escrirlo Aciolea.
SS90 Precisa-se de augar un casa ierre*
cita pitra as cinco ponas para pe jueai fini-
lia ; d.uido-se de aluguel at doze rail reis.
que tenba quintal e cacimbt; quera a tiver
anunneie asuamoradia por esta i'jllii, pira.
se procurar
s- Um rapaz brasileiro de boa conducta
e com pratica de caxeiro de ra, bastante
cios a reunirera-se domingo ao do correrte desembarazado e saliendo bera ler escrever
cujas rodas and o iropreterivelmcute no dia
ai do corrente acbo-se a venda as Lolas d is
Snrs. Manoel Goncflvez da Silva e Vieira
Cambista era a ra da Cadea no Bairro do
Recife e no de Santo Antonio as dos Snrs
Basto e Costa na Pracinba do LivramentO e
Manoel Alves Guerra na ra Nova.
pelas 10 lloras do dia na caza N. 4 de-
fronte da Igreja do carpo Santo a fim de se
proceder elei^-o de nova Administracao.
SOCIE.0ADE NATALLENCE.
O primeiro Secretario convida a corporaco
da mesma, para sesso extraordinaria hoje
[ 19 ] pelas seis horas e me da tarde na
casa do costme.
Diversas Reparticoes
PREFE1TURA.
Parle do dia 17 de Setembro de 1840.
Illm. e Exm. Sr. Foia boniera prezos
pelo Sub-!'releilo da Freguezia do Recife
u pardo francisco Jos do Rosario por estar
armado de un compasao para cora elle assas-
sinar a outro pardo de nome Joo Ta va res t h
ser de pessima conducta j foi lemeltido para
a cadeia ; pelo Sub-Prefeito desia Fieguezia
Jos Bazilissimo branco por ler lunado
urna porco de j. ratos d estauho do servico do
hospital do Corpo Policial ; fui detento no
callabouio: e pelo Sub-Preeito da Boa-
Vistao preto Uenjamim escravo de Uercula-
no Alves da Silva, pur ser encontrado em um
quintal iurtando galinlias, e capim : foi re-
meltido ao Sr.
E'oque consta das Portes hoje recebidas
nesta Secretaria.
A CMARA MUNICIPAL DA CIDADE
de Oliuda e seu Termo, em virlude da
Le &c.
Faz saber, que tem transferido a ultima
Praca da arremataco dos contractos du seu
patrimonio para o dia vinle e dois do corren-
GABINErE LITTER ARIO DE PERNVM-
BUCO.
Devendo abrir-se it o dia i.d'Outubro
prximo vindouro a'J'.iiliotbeca do (iabinete
Litterario de Pernambueo por j. terem che-
gado os livros encommendads pela Direcco,
e estarem quaze concluidas as ultimas eslan-
les o Tbezoureiro da Sociedade convida os
Snrs. Socios creadores do Estabelecimenlo e
os que se lbe tem associado depois e que an-
da nao pagarn a joia d'entrada a fi/-lo
com a possivel brevidade afim de que se
posso saptisfazer despezas indispencaveis.
Recife 17 de Setembro de 18 {o.
Manoel Alvez Gnerra.
A.visos Uivo^
Z3T Perfliinla-se ao Sr Jos Joaquim de
Almeida, intitulado Cnmraissario Geral do
Mannuiibo quem o autherizou para espan-
110
THEATRO
Grande Expectaculo dia ao de septembro ,
a beneficio de dois particulares sera corapos~
to o divertimento da maneira sc;;uinte : depo-
is que os babei; professores da orebesra live-
rem desempeuhado a sublime overtura deno-
minada A FESTA DA RZA. Dar
principio o expectaculo com mui asss, e
sublime peca heroica em 3 actos a qual se
intitula A V1UVA DE PAD1LMA. Te-
cer elogios a esta sublime composico de huma
imaginatao fecunda, e Ilustrada julga-se
ser desnecessario., porquanio omuitojudi-
ciozo publico desta capital por mais de urna
vez a tem aplaudido como he de justica e he
de esperar o mesrao acolhimeuto por quan-
E~E para" que chegue a noticia de todos l0 os beneficiados promelem nao se eximirem
mandamos publicar pela Imprensa. Oliuda a trabaihos, e ladigas para api-exentar esta
.K.i ,..-----1. ,un noile de seus Leuehcios com aqueiu pompa ,
e magnificencia que pede seo auclor No fim
do segundo acto duas jovens daucar O
LANDUM D'AMUNROA. NoBm da pe
ib de Setembro de 18 10.
Manoel Antonio dos Passos e Silva ,
P. Presidente.
Joo Paulo Ferreira t
Secietario.
Administracao do Patrimonio dos Orfos.
a as mesmas jovens danyaia AGAVO-
TA. Os intervallos dos actos ser preben-
dados com as seguinles pegas de muzicas
Peranla a Administracao do Patrimonio dos l Italiana em Argel Nos Xandrina Os do-
car a quem be de sua vontade, como fez
dia 7 do correte, que passando um preto
com urna carnea ; e estando dois cavailos iol-
tos na porta do dito Comraissario espanta-
ras-se com a passagem da carrosa, e s.ihio
este furioso acom pin liad.idos donos dos refe-
ridos civallos e den mais de doze lelhadis
no preto da o.irroca ; e um pejueuo que ia
dentro da carroca de idade de 11 anuos ,
pedindo ao Sr. Com.nissario que nao desse no
piet se nao que levara tambera a sua duzia ? !
Pergunta-se mais se este pequeno be
netodealgum boiieiro criado mi meio da
estrada para elle dar-lbe tolas as vezes que
quizer ? Com a resposta desle Commissario sirva para pequea famila j
farei palales os seus le i tos para que o res-
peta*el Publico conbeca que hornera oceu-
pa o lugar de Commissario.
-; OlTerece-se um moco para caixeiro de
qualquer trapiche ou para qualquer im-
prensa de algodo e mesmo fiara ra dan-
do tiador a sua conducta ; quem dulle preci-
sar annuneie.
SaT* A Commisso Administrativa da Soci-
edade Psartoril, avira aos socios da mesma ,
que hoje s t horas da tarde-, ha sesso.
ssy a-se 5oo,ooo reis, apremio de a por
cento por 4 ou 5 mezes havendo segu-
ranca em pinhores ou lirmas a contento ; na
ra Nova N i'3 se dir.
tar l'recizi-se de um eilor, para traba-
lbar em um sitio perto da praca, quera o per-
tender ; dirinvee a ra da Cadeia caza de
Jos Antonio d'Oliveira : no Recife N. 8.
BT" CJuem precizar de um caxeiro para
padrria, ra, ou mesmo para armazem de as-
sucar ; annuneie pira ser procurado.
S^" Preciza-se de j.000,ojo de reis a pre-
mio de dois por cento ao mez ; por lempo de t
metes com boas firmas nesta praca ; quem
e contar, olerece-se para a mesnai oceupa-*
cao a qualquer Senhor que deiie precisar,
anouncjudo por esla folba au caja pira
ser procurado.
13F- Ai rend-se o Engenho Sio Bartolo-
meo sito na Freguezi i de Muribena arnir-
gem do rio Jauoato distante desta Praca ir*
fego se meia muente. e correte montado
em grande ponto cornos milhores acrenios
(pie se pode detejar em taes fabricas por:o
de ombarque, canaes para mvegaco de oran'
des cauis as quaes se coudus para o En-*
genbo canuas de alguns partidos lenlias e
madeiras de mangues do que he abundante*.
Os preteudentes ; dirijao-seao seo propriela-
rio no me t&- Quem precisar de urna ama de boa
conducta que se olierece pira todo o servido
de urna casa dirija-te ra do Man Coco
D. a8.
%sr Quem quiserj comprar um sitio era.
Beberibe no logar do Canlieng ou Crui
com casa nova de madeiio que aindi nj
foi habitada falle uo Padre Francisco Jos
de Lima morador na povottco do raeim
Beberibe.
OTA pessoa que quer hum cilio cora gran-
de casa, sendo queira nos Afogidos dirija-*
ao Recife casa da Viuva de Anacleto Antonio
de Moraes.
isg" Quem tiver para allugir hum sobra-
do ciio 110 bairro de Santo Antonio, que
dirija-sa a ra
estreita do Rosario D. 3a.
y*- Quera precisar de huma pessoa
com bastante conbecimento do coramercio
para caixeiro de ra, ou armasera de asiucar,
annuneie a sua raoradia por este Diario ou
dirija-se a praca di Independencia nume-
ro 17.
W A pessoa que tirar hura Diccionaria
de Moraes em lura uzo que queira vender
annuneie; ou dirija-se a praca da Indepen-
dencia, D. 37.
S2f A pasan que annuuciou pree'sar da
um caixeiro para tomar coma de liurat venl*
por banco, dando este fiador sui con 1-ieta,
queira annuuciar onde he a venda esua iiu--
radia.
%3T Aluflao-se duas moradas do etsajt, no
sitio do cajoeiro com grandes commodos,
quintal amurado estribarle e baniciri p>.i 4
se toraar bautio e urna deltas po le pastar a
testa duas familias por ser gran le ; .. ir it ir*
nomesina sitio com o proprietario das mes.nn.
Uf" Precisa-id du 11 nutru ; que euien -
da bem do o.li.io Berra oii captivo di-
ta-lhe liara oia#nada >, w* rna Vireita i. ii*"


1
DIARIO DE PER NAM BUCO
tMBBM
SOCIEDADEFORTNA TYPGRAFFCA
OCr>n*cH pedras de cantara procure a Jos Higino de
Miranda.
tsy O animo assignado parleripa ao res-
c nTia os So os para se reunifem |aT(i, b|co quee||e be procurador do de 3 grande
mbl t- . easadetoaa eessoes, a llm de se prelien ^^^ l0a oona.ra c mai* nada e que linios de nnanti
: er o di*posto no .ti .6 d >s estatutos |tefo Jo-0 Caelan0 mand0u-lhe fazer
KT Tbom Pereira > agos encarregado do .|o m |Wo em l,( cora 0 (lil0 padrt.
bimrnto das dm ncitro Nune* Crrela :>ela adminisiracSo
da mesma avisa a lodos os devedoiea da dita
, que so le pessoa competente para re-
nenio das ditas, poisqueem sea podei
m os livrus de coritas crlenles e le ras ,
periencenles ao mesmo, por este motivo so
i) pagar ditas rontasa pessoa portille en-
es rregado com recilio passado por elle Lagos .
un pnuca demora a fin. de que se possa com
videde liquidar ditas coutas tob pinna de
porque e
da com aso. Manoel Ignacio Monteiro.
8^3* Quem quiser arrendar um sitio perto
da (iraca da iraca com casa de viveii'la di
pedra eral, muito fresca com b.istante ter-
reno pira plautaces; e muito b.un pasto pa-
ra la vanas porto de embarque com agoa
permanente com bastantes lYucteiras e todo
sercado dirija-se a ra da Florentia sobra -
do novo ao p da mir,
Mf Na ra do Crespo loja n. 5 lado do sul
nrnceder ludicialroenle que para sso es- i. .,,
""" .1 luthorisadoa
gT Quem liver para singar urna pretn que
ba coznha r diria-se a ra da Gloria a-
ica de disti-aco ; ou aniumne.
tar Um ranas por tuguen de id.ide de 18
nos se Betece para cniseirode ra ou ai-
i >em ou lomar coi i de urna venda poi
I lanco, d h .dor a SUB conduela; quem
recisar annuncit.
VOr Lm rapas brasileiro de idade de G
lera lugar irrevogivelmente no dia 2!i de No-
'embro sfguinle em Vianna de Austria, do
Palacio jardins campos bosque* lujo
segundo avaliacfojudiciaria autentica depo-
sitada na -'lia ramara das fiananess na quan-
Bilhetes da Lotera que corre ropre-
terivelmente no dia a6 de Novembro do cor-
rente anno no Reino da Bohemia, constan-
es palacios cora jardins, cano
e prados e outros muitos pre-
as avultadas que melhor se
poderao informar a vista do plano ; na ra
da Cadeia do Reci fe loja D. 5>j.
S2S- Urna pedra de filtrar agoa ; na ra da
cadeia n. 8
tw No atierro da Boavista loja D if> de
Antonio da Silva Guimaraes sapatos de lus-
tro para senhora ditos de marroquim ditos
deduraquea nao. ditos de marroquim a
88o, ditos pretos a 900 ditos pira seuhora#
a 55o ditos de marroquim para homem a
56o dtOl d menina meios bulins, bolins,
e sapatos para homem.
ssr* 11 pipss com agoa ardente cachaca mui
clara em bous cascos a 33,000 ; na ra da
roda junto ao ferreiro.
tar Lamparinas de nova nvenco mui-
lo proprias para casa de familia tanto pelo
sen asseio como pela sua cotnodidade p\>r
P'e.co comino lo ; na praemha do Livramenlo
lia deuromilho 54i:b2 francos [de fran- loja de fazendas D b
o j que pertenceni ao premio grande. Aleni! ^r Ral' l"-inceza fino de Lisboa e \Ja-
desie oais 15,qoa premios de 100.00.0 fran- caroCi l"'r Vre^ ,0 "m0(io che^ado ulu-
annoa e de bous costumes se oTerece para ca
coa 60,000, 3o,ooo, ai.090 ii,5oo 11 000, i mente : na ra do Q.ieimado D. 14.
'.^|io,5oo, loooofrancoso daqui para meaos.! ^"T" Cassa lisa transparente em poca a 1920
desabo, cozinhao diario de Urna casa, e
ptima para mubanda por ser recolhida ; oa
ruadireita D. ao lado do Livramenta.
K^- Bilhetes inteiros da Lotera do thea-
tro a qooo ; na ra do Cabug loja de miu-
dezas junto a botica.
tsy- Potassa nova de prmeira qualidade ,
em barris pequeo, caixas com vellas de ce-
ra bem soitidas do Rio de Janeiro ; no ar-
mazemdeA. F dos Sanios Braga, na ra
da moeda.
ss?~ Ummolequede idade de i3 a 11 nos,
oplimo para lodo o senico j na ra nova nu-
mero lol.
iST Urna negra de idade de a5 annos t e
um raoleque sera deeito alguosj na ra lar-
ga do Roza rio I). 4.
2r Cautellas da primeira parte da quar-
ta lotera do theatro subdivididas de bilhetes
da mesma Lotera em decima e vigsima par-
le ; junto ao arco de S. Antonio loja do Snr.
Braga ," praca da independencia lajas l). 8 ,
a e 2j, ra do Cabug loja> dos Srs. Clan-
dio e Bandeira ra nova L), i loja do Snr.
Chaves e atierro da Boa vista D 10 loja da
Antonio da Silva Guimaraes.
t:.r Bilhetes da lotera do tliealro ; 'ni rui
do Quemado loja do Carioca L). id
tar Urna cabra moca com bonita figura,
cose engomma coznha o diario de urna
1 Eta l.oleiia ha sanecionada y e garantida

ld fe. dita de quadrode listra tecida de cores pro- casi faz todas as qualidades de doces, e lava
v -o de loja de fazendas cu outra qualquer ljfl a[( (, .,mira ^u|ica Imperial e Real e pe- Pria Para vestido le senhora pelo barato pre- de Sab|o e he recolhida por precisao ; na
ipaco dando fiadora sua conducta; quera L |>ir(.c?0 dM Oommissaris'da Lotera lm- ^ d-itoocovado peca de madapoUo sem | ra direita 17 loja de couros.
isar annuiicie. Iperial e Keal, gomma a 4oo dito enfestado 6110 a 5oob tur Urna loalha de lavariulo de chadres ,
r Pcrdeo-senodia 17 do corrate, da p nr perjg0_se ua% orjen, ,aCadas ama Jencosdecassadequadroa 60, meias bran-j toda abena com ramagem de bom gosto, de
d. Preeitura at prximo ao Quartel nM |,-rancsoa Tacaras or i5.ooo ; na ra do ci-
uvoideJoao tanba fina de liho a to a vara, lencos de bug loja de miudezas junto a botica.
cor imitando a seda a aoo rs., alem destas ou- lr" Os verdadeiios pos p.irisinhenses pur-
tras militas fazendas por barato preco : na gantivos bolins de bezerro meios ditos 11a-
jachado querendo entrega-las visto nao ser- ua do Crespo lefeeira loja vindo da ra do ra homem e menino, e ditos de cordavo e
d. Preeitura at prximo ao Quartel ^ |.rncsco Tarares de Mell e outra -.or
Hospicio, a9a o,wemaedolMea1bru-jPrtBCil!oSbfroaeOUl|| hvordeSoio
as em um papel impresso ouem Uver ,,, u n 1 1 .
'I ..'.. c iiivaresde > ello contra o Snr. Jos An;o-
,ido querendo restituir dinia-se aobe- ., 1, ., .
' ,t J nio .'ilvcs na ailva desla Cidaile uueni as liver
,rio da leleilura ou annitiKe. ,,,__ _. _
;3* (Quinta leira as 7 horas da noite pou- ,"
geuo a sen proprio dono, podci fazer na
eco da
ais on menos tuein na pimieU.i noa vis- /*,.:, i, ... e ,
. 11. ra doOiieaido JJ. i(j detioiiie do be(
mn cavallo potdro casianlio aiazao com o -. ,_..!;,(..d
. ,m, eignora-se a direceo que tomou O Secretario interio da Irtnanda
.^..ide de
m o pegou querendo reslilni-io a seo do- Nj do Lifnmmlo m viltllleu ,tlll
dinja-searuadaCrua no i.ec.fen. ad 5_0 n t i? (1) nvo Co!n|)rim,SSJ t avsa a
""ul'1fl* todos OS Irmos para que lujan de compare-
^-.^ >\lu;a-se un armazem muilo grande ,. ..:.. .... ,1,, > .
,.,.." cerera uo uta ao uo coi rente as o horas da tai-
aautUiulo ile i i-dr.i ptimo para assu- 1 ,.-,,,c-if,.., .:. 1 11
, .' de no consislono da mesma Iriiiandade a
que reger deve a
, ououiio qvalquer esUbeleramento por Bm deM n0mer o Juiz 1
enibanjue a toda hora a porta ira ruada .
iarasa do Sr. Peejra de .M.-ndonra e ^ guem preciar de u
im rapaz portuguez
(^ueimado. sapatos para meninas de todas as idades, alga-
S^" liicose brilbantes arreos para a ou 4 Has e vellas elsticas de odas as prossuras ,
cavallosde carruagem ; nesla Typogratia se' meias de linho e de algodo para meninos e
dir meninas, bicos de diversas larguras o ver-
S- Urna negra de naco angola, de idi- dadeiro purgante e vomitorio de le roy mu-
de de jrj annos, lava engomma, e coznha cass facas e gaifos ludo por preco commo-
sofrivel ; na ra de agas verdes casa nova do, na ra larga do Rozarlo loja de miude-
de duag portas defio ite do oito de S Pedro. **a O. 7 .
tf" Cii isson c imperial de superior qua- &3S" Urna carroca nova bem construida ,
lidade em caixas de e ii libras; na ra com os competentes arreio< ; na pjnte veiha
do trapiche novo em casa de Malheus Austin junto ao tanque do Sr Clao.
& Companhia, \3r Urna escrava de naca para fora da
mesma casa lem para vender orna por o par;i cridtlo dentro ou foia da Cidade an- '^ ma carro^a prompta com arreios pa- praca em fora de portas defronte do beco
rijorosd-ladrlho, e algumai llbus. nuoce. ra cvalo, por pre5o com.nodo ; no pateo da largo n. a.
r ArazaocommercialdeOidier J. Co- ^ C'"''. ar,ua'ef" do Sr Euzeb.io. I cy (Jm moleque de nacSo de idade da
,_ ^SWXa loja larga que foi do fallecido Arou- I '3 annos muito robusto e de elegante figu-
bicos de linho ra 5 "a rua direita l>. a lojade couros do Sr.
lilos pretos lar- Bandeira.
uga-se urna casa terrea na rua
do
Tf A pesua que for dona ce nina negrinba
idade de o annos, que n0 -jiier i.i.era
'n pertence, dirija-se a rua airas dos Mar-
is U, ab que liando os signaea Ihe ser
;',ue
6' eseja-se saber onde se rere bem as-
Avi^s Maridillos.
l para senlio- I t3f~ l-'IT,n escrava de narao coznha o dia
marro |uun r' de urna casa lava roupa, e eii,;omma cora
ditos para meninos de 4 a 10 annos ablua- peifuico pelo mdico preco de 35o.000 ; na
duras amarellas paro casacas bules de metal camboa do Carino loja de marcineiro Deei-
PARA O RIO DE JaNIURO segu com
brevidade o Patacho Paquete do Rio, aiuda .
recebe carga, quera quiser carrejrar ou ir de l,dades eoutras muilas g
cocomniodo.
mi :()
tw Urna prela angica, muito robusta ,
luia, pura o oluzeo Unii-rsal do Rio de P**6 dirija-sea Gaudno Agoslinho de
Pira e tambeea onde existen, a venue as Barfu8. l"-"c"-' ^ ^ ao Capilo Viaiioul Francisca da Silva a bordo. aT'lal Ptl" mdico peco de a4oo a libra ,
-----------------------------------------------------------------Maxinha americana n 45oo a barrica, dita
JueiO |uadradade7.1a 75 libras a lo,5oo papel
lmavode todas as qualidades caixas de ale-
pan cha lencos de ssda de lodas as cores,
chapeos de puiha linos ameriranos para I10-
uiem e menino fitas de lodas as crese qua- para lodo o servido, e quitandera na rua
galanlerias por nre- do Crespo D. 11.
"vss^" Chapeos.de sol de seda cora toda ar-
eioes do anuo |roxii> passido,
&" Pncisa-sede um homem KStrangeiro
1 eitor de um eng* ci.u difiaote desta pra-
l legoas ; na rua do Cabug ioja de-
..-da Matriz.
raacao de ac ; no paleo do collegio loja de
chapeos.
rar Que fa Quera precisar de ama porco de pi- por nleryeoiodoCorretor O.iyeira de um du',a ifcx''s/om a<\e ,5- r V se,'T
" >C. .-il r 11. Un uirlltnunlii Ha fuionrlua um alia l!m...a HUt lOllilS HS (] lia 11 ( .1 (IPS 11'fiT Iranra, A a
pav pintadas e arq'udas de ferio, propn-
ri agoada de n.vios eoutras m.is pe-
s para reslilaco e una porco de
las vasias, dirija-se a rua da praia ar-
,n de lernardmo Antonio Ramos
W Arrenda-se urna casa para se passar a
i rom a quailos duas salas, eozinha
, estribara para un cavallo, quintal,
ello soriimeuto de fazendas iuglezds Umpas Ia dc tdiJS HS qualidades licor franrez de
garrafa branca a 1..00 charutos da cachoeira
3000a caixa, e superior vinho de Lisboa
e vano, precos ; na rua das Cruzes venda de
un Pereira -le Parla 7.
15*" Um casal de pacas mu mancas; patio da S Cruz casa do sacristo.
e a variadas para se feixar cont.iv; quarla
letra a3 do corieute as 10 horas da mauliej ,
no seu ariuazem no forle do mallas.
C o 111 p r a s
"var U primeiro lomo ou a obra toda da Ki*r Una porco de lena propria com
, mba7com"l7u"or^ Historia de Portugal por Da.uasio Antonio de odas as-pro^poredes para se edificar urna ola-
de um jardn na campia d*cae or- Lemos I'aru e Ustro' n0 ^--atro a fallar com ja poi te. barro pa ra toda qualidade de obra-,
re quem pretender d.ria-se a rua de S. lula lll;^tor- .',aleo.,Ja b- LrU casa dt Antonio Lopes
queip pr
1 U. tto.
tur Prtcisa-se de urna ama de lete for-
ou captiva ; na rua da moeda u. 141.
tsr Quem prerisai de um u.oco biasilero
Vendas
Guimaraes.
U*r Una escrava de nagao de idade de
30 annos ; coznha o diario de uina casa e
C5T Caulellasria Sociedade Fortuna Ty- vadt sabo ; na rua direita 5o
lo para qualquer ocrufaco de escrpim pografica, da Loleria do Theatro I ublico ga- *&" a poica'o de ferramenta pertenceute
de rua, iriid sea rua do cano defronte nhando a vigsima parte dos premios, cabendo earpentieiro, por preco commodo; na rua do
do grande hospital; casa de duas portas que na sor le de o 000 000 res tiesenlos un rus a tresno U. 4.
i.or pintar preco de 430 5 nesla Tipogrfica na placa *-> Urna venda no bairro da Boa vista ,
\J- Jesapareceo da passacm da Uagdale- da Indepeiideiicia.n. ao c na rua larga do m poucos fundos, e seaztodoo negocio;
naum iia:dinlio lorio de nome h&o de Rozarlo loja de miude/as O. ;, e na rua do: '" a Guia n 5^.
le deja 8 anuos, levou vestido camisa Collegio ioa de relojoeiro \ *f Ulua negriona de naco songo, de
de chitas quera delle souber dihja-sea seu W Dous lindos moleques de idade de la idade de 1 a anuos j na ruada l'loreutina casa
nai Pedro Al a noel Joo morador junto a annos livies de bichiga, e dp-sea contento, jWrieaaop do sobrado hoto.
ente do mesmo lujar. duus di(os de i annos de boas figuras, urna] ^r Lrua pela ama de ieite com urna
'(e uo inesiiiu lu-.ai. --"" c .--... -^--------0 _-----
sr a 1 renda se o segundo andar do sobra- Boleca piupria para mubaoda por ser rece- <*" de 6 mezes duas ditas quitandeiras .
Iluda duas escravas que fazem lodo o ser- j I"*-'"' todo o servito de urna casa uma par-
v.io de urna casa e uma dila por o.000 ; 'dinl.a de idade de 18 annos engomma, co-
so e luz todo o mas servico um moleque
e uma negrinba de idade de la omos; na
1 ua do l'ujjo ao o do Rozario l). a5.
-v> Urna uegrinha de naco de idade de
1 i uno bailante ladina cosa chi lava
do -la rua do (ueimado i>. 19 com lente paia
rgede p-lacio ; a Ir.tar no serceuo andar
mebiAO.
\r Da-se 400.000 a juros de dous por cen-
BOOaat, sobie hypoilieca ; na 1 ua veiha
L. j\
' *a1
ua la de Aguas verdes L). 8.
lar Ln.a escrava doceira engommadei-
rs coziuheira e sabe vender na rua ; ua
rua diitila sobrado de um andar 16 de-
hUdy mucho.
Esc ra vos Fugidos
C9" No dia 10 docorrente fgio uma pre-
la de naco an,;oIa de nome Catharna, le-
vou vestido de cambraia cora listras encarna-
da saia prela e panno pelo, scea do cor-
po boa estatura bem prela era cada p
uma sicatriz he pequea cabello rcado,
cora pentes as man alas e. lera sido vista
vendendo larunjus em ura laboleiro quem a
pegar leve ao sitio de Joaquim Fernn des da
Azevedodefronte dosiiio do pombal que ser
recompensado.
tir* Eugio em 1834 um moleque creoulo ,
de idade de 27 anuos, alto, secco cabeca
mt-.ia comprida testa larga, olhos zarolhos ,
nariz pequeo boca grande beicos grossos,
dentes trigueiros e graudos roslo compri-
do pesgrandes, com os dedos um tanto
aberios pesclo comprdo cora grande gog,
tem de costume estar sempre com a cabeca
abanando, e ha noticias que anda pelo serlo;
quem o pegar leve a rua do Rangel sobrado
. ai que alende se gratificar se pagar
loda a despeza.
Moviinento do aborto
NAVIO SA11ID0 NO DIA 17.
BARCENONA ; Patacho Nopubenesido ,
Ca. Jacinto Durante carga algodo.
31 CIFISNATYP.de M. F. DEF.-8ie


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9WUIVCPK_0PPL3A INGEST_TIME 2013-03-29T17:32:15Z PACKAGE AA00011611_04116
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES