Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04113


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annode1840. Quasta Petra:
__Todo agora depende de nos meamos ; da noss prudencia, modera-
cao e energa : continuemos como principiamos, e seremos aponlados
com ao'i traro entre as Maces mais cultas.
Proclamarlo da Assemblea Geral do Brasil.
Sabscreve-se para esta fnlha a 3?ooo por qnartel pagos adiantado*
fiesta Typogralia ra das Ci uzes D 3, e na Piaca da Independen-
cia n. 5'7, e 38, onde se recehcm correspondencias' legalizadas e an-
nui-cios, insirindo-se estes gratis sendo dos proprios assigna'ntes e
vindo assgnados.
PARTIDAS DOS COR REOS TERRESTRES.
Cdadeda Parahiba e Villas de sua pretendo.......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem...... { ,
Dita da Fortaleza e Villas dem..............beg- ^Sextas e/ias.
Cidade de Goianna....................tJ
Cinade de Olinda......................To<,og M HMJ
Villa deS. Antao ...............Quintas feras.
Dita de Garanliuns e Povoacao do Bonito.........lo e a4 de cada met
Ditas do Caito, .Serinhaem, Rio Formozo, e Porto Calvo. I. II, e ai dito d to
Cidade das Alagoas, e de Macei............dem dem
Villa de Pnja de' Flores...........,.........dem 15, dito dito
/ ortos os Correioi partera aomeio da.
16 !>e Setbmbuo. Nwu. 202,
PHASES DA LA NO MEZ DE SETEMB.
Quart. cresc. a 3 as 3 h. e 17 m. da lard.
La Cbeia a 11-as 5 li. e 17 m. ra tard.
Quart. ming. a 8 as 3 h. e 10 m da tard
La Nova a "iS- as 7 h. e 6m. da laid.
ftlare che, a para o dia 16 de Setembro.
As 9 horas 18 minutos da manh.
As 9 oras e .'i minutos da tarde.
(HMHfOS. SiTTMna. i 5
Londres..... iq [i d por 1 '000 Ctd.
L'snoa ......80 a 85 p ora >rrrmo por metal llsnc '"
I" ranri......3tj rtia por (Vaneo.
Rio de Janeiro ao par. Corro. Vendas
OL'.O.-- !: ?ioo reis, vellias 1 Afii o 1 i8* > >
,, '' .. "ovas I44oc> f'j'Soo
I' l ?.>oo res. hffooo 8^100
PRATA Patacoe Hraleiro --ij!fn3o- i#<"5">
Peo.Columoanoi----------- ifoVio iyti6)
Ditos Mexicanos---------------itffio itbi*
Muida.---------.......i|44o ,#460
Descont de billietes du All'andega 1 por looao mez.
dem de letras l l|{ a I tp |Kr boas firmas otlerecido.
Mocda de cobre 3 a .'4 por 100 de disc.
DAS DA SEMANA.
14 Segunda Exaltaro da Santa Cruz Audiencia do Juiz de DireitO a*
vara.
i5 Torca 5. Domingo em Suriano. -- ReIac*o e and. do J. de D. da 1. v.
i'i Quarla S. Rogelio W. Anmeucta do Jmt de Direito da 3. vara.
17 (juinta S. Pedro de Arbues M. Audiencia do .hu de Direito da
2. va ra
18 Sexta S. Jos de Cupcrtino F. Audiencia do Juiz de Direito da
1. vara
19 SahbadoS .(anuario U. M. -- ReUeio e Audiencia do Juiz de Direito da
!). vara,
ao DomingK Festa das Dores de N. S;
RIO DE .JANEIRO.
CMARA DOSSRS. DEPTAD5.
Sesso de 7 de agosto de i84-
Presidencia do Sur. Marcelino de linio.
A's 10 horas e meia faz-se a chamada ; e,
reunido numero suflcienle de Snrs. depu-
tados a|>re-se a sesi-o.
He lida e approvada a acta da sesso ante-
cedente,
O Sur. primeiro secretario d ennta do se-
guinte expediente.
Ilum olhcio do ministro do imperio, reme-'
tendo a consulta do tribunal da junta de com-
mercio, agricultura, fabricas e navegado,
sobre o estado da fabrica de ole'dos estabele-
cida eraS. Christovo : icrceira commissao
de (aienda.
Oulro, do ministro da fasenda enviando
challando geral da caixa da amoi tisaco no
no anuo de if*3i) e |irimeiro semestre do cor-
rente, com observaces do movimento dos
fundos pblicos e hum quadro dernonstra-
tivo das transacces deste etabelecimento ,
desde a sua funda, o at o fina do referido
anno de 18 Uj : rommisao do o comento da
fazenda.
Hum parecer da terceira commissao de fa-
zenda sobre a pretendo de Theotonio Joz
Lopes do Brasil, sendo de opinio a mesma
commissao que o pretendente deve p-imera-
menle con'cncer a fazenda publica pelos
meios ordinarios para ento ter lugar a ins-
cripdo da divida como requer : lie appro-
vado
Outro sobre a pretendo dos devotos de
S. Bom Jess dos Perdes, erecto na igreja
do collegio dos extintos jesutas existente
no n 01 ro do Castello desta Cidade para
que seja ouvido ogoverno sobre o que preten-
den) os mesmos devotos : he approvado.
Oulro, da commissao de penses e orde-
nados, sobre a pretenco de Joo Lopes Fal-
co em que he de opino, que sendo o ne-
gocio de que trarta da competencia do gover-
no, a elle deve recorrer : be approvado.
bous pareceres da mesma commissao, offe-
recendo dous projeclos de resoluco ; o pri
meiro approTando a aposentadoria concedida
a Vicente Juse Fe/ reir Braga, e o secundo
approvando a penso concedida a Joaquim
Pedro da Silva ; sao julgados objeclos de de-
librado e vo a imprimir.
He approvadaa redaciao da resoludo que
marca a dotado de S. M. I.
OROEM DO DIA.
He ntroduzido com as lorrcalidades do es-
tylo o Sur. ministro da marinha, e entra em
discusso o orcamento desta repartido.
O Sr. Carnelro da Cunha desconfia que o
nobre ministro da justica nao tero, ido ao se-
nado para se lurtar discusso das emendas
dos cdigos. Censura' de novo as nomeaejes
de presideutes e er que nada poder justi-
ficar ademissodoSnr | >oura Marlins, que
lhe parece a pessoa mais propria para presi-
dir a provincia do Cear. JNo negando in-
teligencia e probidade aos actuaes ministros,
eutende, com ludo que. desde que aceita-
do as nomeaces de camaristas, se exposerao
a ser excluidos da urna eleiioial, pois que ,
se os eleilores o ouvissem nao volauao em
O Snr Rezende que saber se a barca de
escavado vai rom erTeito para PeMiambuco
e que destino se tem dado aodinheiro consi-
gnado para melhoramento desse porto. Igual-
rrente deseja que o nobre ministro informe
(! que provm a falta de tres officiaes de se-
crelaria na sua reoartico e que vantagem
resulta da rcintepracti do Snr. Fui* Augus-
to May. Bem assirn deseja que S Ex. i 11
forme que vantagem se tem tirado da acade-
mia da mrinha a bordo da nao ; e q a opinio da S. Ex sobre a lei que aulo-
risa a promoco de pilotos a olheiaes da ar-
mada.
e lerreira diacuss >> ufferecei emenda c os- naudo a quanlia oe esarla pvrft abertura 1
sin subs slir sem que laml.em si
narq
O Sur. Resende agraih'ce ao n i'iro minis-
de defenderem os interesses nacionaes
nemer que as prero^ativis da curoa p
luhsistao as da barra menrionada
O Snr. Hollanda Cavalcant fjministro da
marinha^ denois de varias cou^ideraces ge
raes com o fim de provarque as dusoesas fe-
las na repartido a seu cargo se deven) consi-
derar mais como desperas productivas do que
camo simples gastos declara que, em at-
tendo ao nosso estado finaneciro areta
todas as redueces propostas pela Ilustre c-
miso
Presta-se com muito gosto a dar todos os
esclarecimentos exigidos pelo n"bre depulado
o Sr Resende ; e, antes de fizel-o manifesta
toda a consideraco que lhe merece o mesmo
nobre depulado pela sua independencia de
carcter.
Declara que nao pode de prompto dar as
infoomaces exiglas acercados tres officiaes
da secretaria a seo cargo ; e sobre a reinte-
grado do Snr. May, protesta que nao fez
maisdo que justica aos mu i tos valiosos ser-
vicos prestados por esse probo empregado, 3"ni
que com esse acto houvesse o menor accres-
cimo de de*pesa. Foresta occasiao declara
que s far.i alguma reforma na secretaria se
a experiencia o convencer da necessidade dol-
a porque muito receia la er innovaces
que sejio muito pensadas.
A respeito do porto de Pernambuco, sup-
posto enteuda que necessita de melhoramen-
tos que nao podem ser feitos com o socorro da
simples barca de escavaco todavia em
quanto se nao podem applicar oulros meios,
trata de ftar com toita a brevida-
te a barca de vapor que deve condu/ir a de
escavaco, oquojulgo se poder elfectuar
dentro de 1 5 das.
Sobre a academia a bordo alem de ser esta
a sua opinio muitas veses manifestada, en-
tende que alguma* vanlagens se temja colindo
desse esta beleciraento.
Lamenta q' para as construeces navaes, e
especialmente para as que eslo comecadas
na provintia do Para, se nao possa consi-
gnar maiur somma; mas declara q' das quan-
lias para esse fim decretadas applicar ludo
que poder para que se conclua buma fragata
ha muito comtcada no Para.
Acerca da promoco de paizanos a offici-
aes da armada, declara que a lei que aulo-
1 isa nao merece a sua approvaco, e quedella
far o menor uso possivel
Falla das representaces que grande nu-
muero de olliciaes da armada, que se queixao
O Snr Pachaco requero Bnenlo da e-
meada do Sor. Carvalho de Vlendonya.
Sendo apoiado o requerimouto he sem
discuta) rteeitada
O Snr Silva "ontos faz diversas oh^rva-
vacoes acerca de diversos melliorament is que
termina votando'pelas "redueces aeeius por pela repart-eie da aarinha miande que
conven taser na provnola dis H.lagois.
O Sr Carneiro da Cunha insiste em suas O Sr. II .llanda Cevalcanti prornet-e ores-
observa oes. e declara que nao tendo anda tara ra.ior alten o aos objeclos de que f..l-
molivo para Paier grande opposido ao gabi- lranjiobre mpatMo.
oete actual espera pelos seus acto*.
tro a urhanidade com que se ni ;n m traa-
lo ; e depois de algumas relexes feitas a-
ce rea dos ser vi >;os queentende poder prestar
a barca da escav ico ao porto de Pernambuco
tero i n
S Ex
O Sur Pacheco vol 1 pelas reduecSes fei-
tas pela illustre commissio e censura os des-
OSnr Alencar responde a varias obser- nic(l0S ja casa irrj|>erial, pir que enten-
vacfiesdo Snr. Carneiro da Cunha; e per- ^ qUe forao feitos contra a lei e porqu*
gunta ao nobre ministro se o presidente do recai,i,5aem individuos de huma faedo ou
Cear foi j demiltido partidos
O Snr. H Cavalcanti declara que em con- Censura tambero, a poltica do gabinete ac-
selho se traiou desse ohjecto mas que Por tuil ^ laxando-a de p diuca reactora, ero
ora se nao verificar a demissv. pr0va do que aprsenla a nomejco do pre-
O Snr Alencar (continuando) nota que sijenle ,je 5 Paulo; que er nio foi dicla-
nao se havendoaindt dado demisso ao Snr. ja pgj., bero publi:j e siro pira a recleido
Sou/a Marlins o Sor. Cirneiro da Cunha jM mnstros Uo mesmo modoentendeque
se adiantou a fallar desse facto SMI da-, f0 ^a IIon,eado oSor marechil IJirre-
vida convencido da neessidad dessa demisso 1 ^ prque, posto reconbeta nelle probidade,
0">nr. Souza Franco, oppe-se a re- (ie saDi(l0 que he infenso au gabinete de 19
duccio dis despesis para arsenaes ecous- j je setem|,ro ...
trtccSo porque entende queessa reduedo, j \iu,,as voses: O'i oh oh !
em vez de ser huma economa, traz grande; QSnr. Pacheco (continuando)... e por-
prejuiso a fazenda publi-a porque obsta f tatito anda 11 sta nooMacio v 1 poltica ro-
que se acaben embarcacSes qtw se acho ns.aciora ; e outro tanto endeudo que se pode
eslaleiros de sua provincia. dizer do presidente das \la,;oa*
O Snr. Pacheco fede que se lea huma e- o Sur. Marutho observa que timbero o
meuda oflerecida pelo Sor Carvallo de n. |,,.e depulado bavia sido nomeido pe 1 ,;a-
Mendonca e deseja que o nobre ministro ||jineia de 9 de selembro pera presdante de
di"a a sua opinio acerca della.
Le-se a seguinte emenda
Arli,,oaddilivo Fica, creado desde j o
lugar de sola-patio mor para o porto de
leinamhuco tend a graduado de segundo "^ e'fa3eudo votos para que ampie car-
lenente semdireilo a acceso, e percebendo reira
Sergipe.
-O Snr Pacheco (continuando ) dechra que
elle orador n io perten^ia a partida* e cun-
clue deplorando a marcha do gabinete ac-
a gratificaco mensal de dez mil reis C
!iode \Jeudou?a--Wuoes Machado,
va
Heapoiada.
O Snr Hollanda Cavalcanti nao pode de-
clarar 110 momento se he necessaria a creaco
do em prego duvidar tonvir ne>sa nomeaco se se pro-
var que he necessana.
O Sur. Casado faz diversas reQex5es obre
a conveniencia da creado de hum arsenal na
provincia das Alagoas.
O Sur. Coelho como raembro da com-
missao, explica que a* redueces de iienhum
modo recahem sobre a despesa consignada pa-
ra conslrucLes e em vista dessa explica-
do espera que o Snr. Souza Franco de.isla
de sua opinio
O Snr. Uego Monteiro manda mesa a se-
guinte sub emenda que heapoiada.
5e passar a emenda do Snr. Carvalho de
Mendonca e Nuuea Mifthado para a creado do
lugar de Sola-palro mor seja sem gralifica-
cio ou pagameulo pelo thesouro
O Snr. Barreno Pedroso faz varias obser-
lencia de
saber
tero
O Sur. F. de Toledo cede da palavra para
se votar ; mas proiesU responder ero outra
occasiao ao nobre depttUdo que o precedeo,
respondendo ento coro mais ciarez, visto ha-
ver o roes.nonobrede|> talo insistidj as roes-
mis censuras par elle orador refutadas.
Julga-se a materia discutida, e he ap-
provado o orcaroeolo di roarinha coro as re-
dceos aceitas pelo nobre rot.iislro sendo
regeittda a emenda do Sur. Carvalho de
Mendonca. /
Sur presidente da para ordena do da,
a discusso do orcamento di guerra e levau-
ta-se a sesso s J horas.
PE UNA MUCO.
pessoas que forcosamente tem de ser fiis a seu
Augusto Amo, e que por essa razo nao jul-
pea marmita brasileira em defeza da inlegri-
daedo imperio.
Respondendo ao Snr Carneiro da Cunha
oberva que o facto de terem sido honrados os
COVlMAiSDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 4 do correte.
Oflicio Ao Exm. Presidente reenvUn-
do-lhe as guias de d prucas que le remet-
iera curo seo oilicio de nootero j por isso <|ue
tie* pra as fallecern a fiordo di obarru^ -
Arophilriie e deixirao de ser ligidai ao J-
poiito cu no delermuura em oulro seo oroaj
de 17 do raez passado.
Uilo Ao roeMUo Exm Sr. renetteulo-
Ihe coropetL'ii-eroeiiie informado o requer
ment do Cadete Domingos
Jos -laitioi ,
as precisas inseriMcbes sobre o obeclo, mas
qne tratar deobiel-as, porque est conven-
cido de que as deqiezas para obras lae sao
sempie p.oductivas.
) Mir li. t'eroso confia que 5. Lx. pro- .
ceaa" io.orm.ccS, e aguarda-se para na presentado appitcado e apiove)Umenlo
que pedia licenca pora continuar os seus esta-
dos no Colie;io Pernainbucano onde tero a-


DTARIO DB PENAMBOGO


PiloA o Exm Marechal e C mraandan-
le das Armas da Corte acensando o recebi-
mento do ro oflirio de i9de Aposto ultimo,
po qual communicava a passagem do i Ca-
dete do i. Regiment de Cavallara Ligeira
Tolemao Peres de Albuquerque Maranho ,
r-ara o 3 Batnlhio d'Arlilbena a p desta
Provincia, e requisitando dhe a guia do
mesmo Cadete a fim dse lhe abriremos
assentos competentes.
Dito Ao Tenente Coronel Commandante
do Deposito remelteudo-lhe os papis de
contabilidade do destacamento de Goi.inna .
relativos no mez de Agosio a fin de que
examinando-os e achando-os conformes ,
entregasse a respectiva importancia ao salda-
do Manoel Das Vieira que eslav;^ aulho-
Tsado para a receber.
Dito Ao Piefeilode Goianna acensan-
do recebido o seo officio de t do torrente e
communicaudo-lhe o ex posto no precedente
ollieio.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria sg
niicando-Hie que sobr'estava na cbranos
do que se ficaia a dever aos ex-soldados So-
tero Manoel e Amaro Jos Prudente em
consequencia da. raso que expenda e falta
de esclarecimentos nos documentos que apee
sentavao.
Dito Ao Tenente Corone! Commandan-
te do Deposito remettendo-lbe as guias das
a3 praias que l'ora ligadas ao me>mo Depo-
sito por Portara de 19 de Agosto ultimo, de-
vendo continuar nicamente a abonar-Ibes
Etape al que se llies desse destino
l ilo Ao Commandairfe interino da For-
taleza do Brum ; disendo-lbe que estava
passadas as ordens para ser conservado no des-
lacan eiiio o Furriel Francisco de Paula llego
"VVanderley em vista das rasots que expen-
der em seo c Iluto desta data.
Dito Ao Commandante interino do 3.
Batalho d'Aililharia ordenando-ll;e que
deixasse continuar no destacamento da For-
taleza do Brum <> Furriel Reg Wanderley ,
at que o contrario se llie cieiermiuasse
r'oitaria Ao Tenente Coronel Comman-
dante do Deposito mandando excluir do es-
tado ellectivo do mesmo 11 pracas que eon-
Rendas 'Yovinciaes de Pernambuco manda
fazer publico que d'ora avante despacha, e
da audiencia todos os das uteis, d>s gasa
horas da tarde na sala contigua a da mesma
Repartico.
Secretaria da Thesonraria das Rendas Pro-
vinciaes de Pernambuco i5 de Selembro de
18jo.
O Secretario
Luis da Costa Portocarreiro.
Diversas Repa-rticos
PREFE1TRA.
Parte do da i5 de Setembro de 1840.
da guerra o general Schoeider.
Tin ha sido nomeido o almirante Mackin
para ir substituir o almirante Bandn no blo-
queo de Buenos A j res que ainda continu-
is.
Parece que o governo francez se acha algu-
ma cousa embaracado sobre a sorte que hade
dar a Cabrera. Este ebefe rebeldo tinha che-
pado a Pars, e havia tido urna entrevista
com o ministro do interior a quem reclama-
ra a execucoda palavra que llie tinha dado o
Illm. e Exm. Sr. Fora hontem prezos generi,| Castellana de podor permanecer li-
honie.m pelo Sub-Prefeilo da Frefuezia do vremente em Pars. Dizem que o intitulado
Becil'e o pardo Antonio Joao Ferrera por t,on(je (je \|orella possue um immenso cabedal
estar em desordem e as circunstancias de tanto em fundos como em objectos de valor,
ser recruladc, para o Exercito ; fo rpmetlido |ja|maseda foi desterrado para Lilla,
e salla : pelo Sub-Prefeito d esta Preguezia o Km .Jarselha linham herido algunas de-
pardo Manoel Flix da Silva por ter assas- 90r(jeMS [)or occasilo da chegad* aquella cidade
sinado hontem pelis 11 horas da noite no At- <|0 general Bourmont a quem os tegitimistas
trro dos Allegados ao pardo Jos Mitheos da qizerim festejar Dizem que o povo alen de
Luz. eferido ao respectivo Commissario de nsultos e improperios que dirigi ao mare-
Poticia no acto de ser presa 5 foi remedido c|,ai j e su, fjmffa, passra a vita de facto,
para a cadeia : pelo Commissaro de Polica je qUfc reSuUou icar feri lo levemente rta ca-
do distrelo da ruada Praia os pardos Manoel DeCi, je lima pedrada, um dos filbos de Bour-
Felix Jos Das e Anua Joaquina o pri- mont.
meiro para recruta 5 foi detento no Callabou- Concluiu-se o tractado commercial entre a
co ; o segundo por ter seducido e raptado a pranca) e Inglaterra, pelo qual os vinhos e
urna menor da casa de seu *pai de creadlo e agurdenles dd Franga v) ter grandes van-
a ultima por ser connivente ueste crime ; fo- tageits nos mercado ingle/es.
rao remet idos para a cadeia : e pelo Sub- Parece que o joven duque de A unale par-
Prel'eito da Boa Vista o Alemn John Clanch, tr cm Dreve (j'e pars para perpinham a
fim de servir como tenente coronel 110 regi-
meot) ij de linha que se ach all estacio-
nado.
A celebre Madame Laffarge foi convencida
de ter roubado os diamantes a Madame Leo-
land e condemnada por esse crime a dous
anuos de priso. Ruceando ser igualmente
culpada no processo por ter envenenado o ra 1-
tido esta joven depravada tomou una dose
de veneno, eeslava muilo (lente
Segundo dizem quando os ministro! da
foi acceita porque era o que pretendiam 03 au-
lieos Nao obstante o-povo cora o qnal nao
contavam em seus clculos levantan-se em,
massa procurou o illustre guerreiro e com
elle foi ao paco pedir a demisso dos traldo-
e encarregar do ministerio j res qne desafiavam a indignacSo do povo Hes-
panhol. A attitude imponente dos patriotas
decidu
ferem que tinbam fortificado 09 pontos de
Medeah e Miliana, ltimamente tomados os
rabes e que estes coritinuavam a ser bali-
dos pelos Trancezes. Fib obstante isso parece
que o governo tratava de enviar a Argel o ge-
neral Cubieres
por desobedecer urna ordem sua ; foi solt t
e o l'rancez Chevallier por ter le ido na ca-
beca a um pardo hvre ; foi mandado para a
cadeia.
E' o que consta das Partes boje recebi-
das.
Administracodo Patrimonio dos Orfos.
Parante a Adminstraco do Patrimonio dos
Orlaos se ho de arremattar a quem mais der
nos das i(>, 19,e 2.ido corrente mez as rendas
das cazas nmeros 10 e 1 l na ra de S. Gon-
com os quaes fraternisou a tropa
proraptaraeute a questo. Os reos Ministros
fugiram a custo para a Franca e um Giver
no no sentido do progreso esta va assegurado
ao Beino visinho.
Estas faustissimas novas atterrarara os man-
des Portnguezes mas nao essa maioria qu
se senta em S. Bento. Na queslo da mensa-
gem ostentou urna repu ;nan e submisso .
e na da aecusacao do Ministro Costa Cabra
o cumulo da immoralidade dando como
innocente o horaem que transferiu Juizes a-
pesar de presciever a Constituico que isso
s poder ter lugar depois de tres annos n
na forma que a lei determinar.
Do Nacional de Lisboa de 4 de agosto.)
as cazas nmeros 10
stava da relaco que se lhe enviava assi;na- calo do bairro da Boavista (38 e tp na ra
da pelo Secielaiiu ftlililar : abonando- Ihes
Gmente Etape.
Dita Ao tnesmo mandando d'ordem da
Piesidencia communi-ida em oflicio de ii de
.Agosto uilin.o dnr baixa ao saldado Manoel
Hoque fieyuul; por ter sido julgado pela
Junta de Saude incapaz do servio.
O CARAPUCEIRO NA CORTE.
OS BAILES.
Quem ebega a esta corte a primera cousa
em que ouve fallar be nos bailes. Baile dos
Eslrangfros, Baile do Cllete, Baile da
Praia Grande, Baile de Mata-cavallos, &c. ,
&c Varias senhoras tem todas as suas ideas s
empregtdas nos taes bailes cuidando d'huns
pin os outros em uovos vestidos, em dilfj-
renles m ddes em rnalos e laugamUas de
tod 1 a laia e algum is ta que sao como figu-
ras obrigadas de todos os ajunlamentos desta
natureza porque nao falto a hu:n s e al
niti seria diificil indigitar esta ou aquella que
lia ja chorado que se baja carpido e mazela-
do como huma enanca porque o oapii ou
a mam.ii ou o ra nido a lolliro de com-
parecer em alguns desses bailes 5 e poie ser
que razo exista pira lies prantos e agista-
ment.'s porque mullas vezes ha pro nessas
de qu e.irilii is e wiUs com o senaor Ful-1110 o
Sicrauo promessa exarad 1 (eiiHtfi|ta na in-
Prussia prestaram juramento uis maos do no- I separavel cirteirinha ou sou venir e mui de-
vo monarulia este loes pedio que o acn- jsairoso lora que liu.na sealura assiiQ ialtassa
dem do dia 5.
OfEcio Ao Exm. Presidente devolven-
do- lie rompelenleniente informado o teque-
liuienio do Butiiarioda liba de Fernando de
^'oioriba que pedia se llie mandasse abonar
a addiiional que deixara de receber aile-
ganflo estarem na perrep o desle vencimento
o Cirurgio e Capellao da liba
Lito -- Ao Exm Brigadeiro J J Coelbo ,
convidando-o para no dia 7 do corrente di-
ligir o ceremonial do Coitejo que se tinha
de fi?er na tarde daquelle dia a Efigie de S
M. O I.
Dito Ao Coronel F. J. Marlins, sobre
0 mesmo cbjeclo do offiio precedente.
Dito Ao Presidente da Junta de Saude,
mandando inspeccionar o soldado do 3 Hala-
Hio dArtiiharia lleiculano Jos de Santa
Anna dependo emiai e:n separado o parecer
da mesma Junta.
f. DitoAo (on.m;indan!e interino do 5.
tlalalkio de Arlilharia ordenando-lue que
na prxima Sessaoda Junta de Saude man-
(a?se apresentar para ser examinado j o sol-
ubdo eiculano Jote de Santa Auna.
Ditii Ao Tenente Coronel Commandan-
te do l.epoailo providtnciando acerca das
jitcthsidades que expuimentava acjuellas
oacas, que s liiiba venci ento de Elaf.e.
Dito Ao Adminisliador Fiscal das O-
Lras Publicas para mandar por {em libtrda-
c mdo pelo 11 in.e de segunda deserco simples ;
1 -1 .-e uclii '.-i 111 piei ti.diiiu no indulte con-
cedido f.elo D de de Agosto ultimo
Dilo Ao Commandante do 3. Batalbo
11.ento do 2. Cadete l-lorentio da Cos.a Uh-
Vtjia que pedia ser piomovido a. lenle,
.4 :.ui de Jar sobre sua pieienco o sbu pa-
1 U't r. -
Dito Ao mesmo, mandando relaxar da
1 nsac os soldados Manuel ClauUino Guima-
><, e Joao i'iaucisco Xavier pul eaiaiem
1. ,it. tiiuidiis no U. de e Agual ul-
6
ment. 98, 81 e 8a na ra da Senzalla I um frgil mortal propenso a enganar-se.
Velha 8i e M4 na ra da Guia 85 na A dieta helvtica liolia->e abevto no dia
ra do Trapicbe 86 no beco da Lingoeta de )uliio. Todas as deputa cues disai can-
H7 e. ti8 na ra da Cruz, 91 a io5 era idea estavam p.esenles. O discurso d o presi-
Fora portas, um sitio em Paruameiiim em denteiBuigeimeisler^ tiuha sido muilo mo-
que mora Joi- lidelis Barroso urna tira de derado.
ierras junte ao sitio aoima c um oulro sitio j Conlinuam a fallar da prxima solucodi
na Malta da Miroeira em que mora Antonio 'queslo turco-egypcia pesar de alguiu di-
Jos dos Santos : as pessoas que se propu'serem zerein <|ue o enviado de Mehemet-Alii s ti-
a arremaltal-as podero comparecer nos indi- nha ido a CoiiSlautinopla com o objeclo de le-
eodos das as 4 horas da tarde na casa das licitar o sullo pelo nasci.nenlo de sua filha e
lo Burgos do bairro do Rei-ife, 7* 11 a ra do 1 selhassem para que o seu reino continuase a to sagrado e importante enjijamsnto. O
Vigario 7, 75 ejt na ra do Encanta- |a ser paternalmente governado j pois cpie era que dir u seu poututl e effojlivo vis-a vis ?
Isto he sempre hu.n terrivel desapponta-
mento.
En verdade sao magnificos os bailes desta
corle moruiente o dos Eslrangeiros, Que
reunio de madamas exoinni tribu li.i'met
natione Queaceio, ijue luxo queespi-
venlo Para elles correm acada lameula "a-
menhos e nao gamenlios, joveus e velbos. e
todos ucho em que se entreler qu ando mais
nao seja, a jogar ou a soltar o carretel da lin-
gua ; que uesla parte lium baile desses nume-
Sesses da mesma Adminislraco com seos nao com objeclo algum poltico. Comtudo as- r-isos iie mais ruidoso q' quando pela caala da
fiadores. seguran que o vice re communicara a mr
Salla das Sessoes da Administtraco do |Tniers os seu planos de coucilia^o, e as suas
Patrimonio dus Orlaos 1 a de Setembro 1^4').
J M da Cruz.
Escriplurario.
iN'oticias Estmiigeiras.
1 Franca fique por
que mr
Asseguram
j pretences sobre o governo hereditario da Sy-
, na e Egypto ceiJendo Porta a ilha "de
Canda ; mas erige <|
'garante desla soluco
j i'errier partir de Turm onde se acha va ,
i para Alexandria com o objeclo de tratar da
jconcluso desles negocios. Ajunlam que
RETROSPECTO POLTICO. Mehemet-Alli para ciar mais torca as sus
No parlamento Inglcz apre/.entou-se o bil proooslaa otlerecera Porta, por sua des-
sobre a regencia do principe Alberto o qual posico seu tilbo Ibrahim com um exercilo de
havia sido satisfactoriamente colindo e espe- 3o oo-i bomens no caso de ser uecestario. A
ci dente pelos duques de Sussex e de Cam- vista dislo parece que a Porta nao deixar i df
bridgfl j do que se infera que sena approva- acceder &s propostas do Pacha. Na Syiia
do quasi sem opposico. continuara rinda os prussos revoltados, em
Lord Slanley linha retirado o seu bil sobre consequencia do que linia partido para alli
odireito eleiloral da Irlanda reser^ando-se ^ Abbas-Pacb com algumas tropas. Em Ale-
apresentar urna nova moco na abertura da xandra trabalhava-se activamente no equipi-
proxima legislatura. Este passo do nobre lord ment da esquadra Oitomana o que tiulia si-
tinha reanimado os exforcos de O'Connell pa- \ do aunuuciado ao divn por S'aim-Bey en-
ra se ultimar a uno da Irlanda como ni-
co ob taculo do progiesso do bil. Lord San-
don linha chamado a atlencdo da cmara dos
communs
viado de Vlehemet'Alli.
Na ervia alevanioii* se um grande partido
coni'ra o principe iJiguel o qual exige a re-
sobre o estado das relaces com- iiileraco dos conseineiros demiidos.
merciaes entre a Inglaterra e Portugal 5 e
mr. Palmer havia interpelado o governo sobre
Rcbenlou eiu lapanan i^Persii) urna grande
rexolla. Odtiaheseus limaos linhaui inu-
a le
jlH/tLPARIA PROVINCIAL.
v a..iu, L.apcctgr da Thezourarisi da
presaiias feitas na Chiua Esta queslo | lilmente empregado os seus eaforcus para a re-
a que actu^lmeute ociup i mais a attenco pu- primir pois que se virara obrigados a fugir
Lira e com a qual o minis.eiio se aclia mais para Tehern, deixaudo aquelle ponto en-
embarayado; pois deba se querem serviros llegue a maior anarqua
seus iiiiini,',os para o derribarein.
As ultimas noticias de Hespanha sao do
Eduaido Oxford que atientou contra a vi- maior intertsse. A iniqua ledas municipa-
dada rainha Victoria foi pronunciado pelo |lidades que ndiguou a naco mteira e cjue
jury como criminoso; mas ao mesmo lempo jera daragoca havia sidoqueimada pela modo
julgado demente Em consequencia
disto o
piucuiodor recio pedio q ie fosse conservado
em pu.-o at nova 01 dea Ja rainha
bil sobieos Caadas l'oi addiado para b
me/es (o que equivale a lejeico), por pro-
posta e luid lloiwick.
Aa cmaras frailunas encerraram-se defiui-
'al,,oz recebeu a saueco da lUiuna
Regante
e.i. liaicel.jn 1 fascinada pela camiriliia re-
trograda que a cerca para a loinpromeller e
iiiUisiii cora a briosa naceo Hespanhola. O
invicto Juque de Victoria tuo que pie para
que nao pasSMSH urna medida lio lyraumca ,
111 js logo que son be da sua ap^rovaejao mau-
tivamenttt. Asulumas noticias de A'gel re- Udou a sua demiSbo de todos os cargos a qual
notte treme.n ni praia nua as solitarias ondas.
Dizem os entendedores que o grande susurro
be o mrito principal de hura baile como il
faut, de hura baile normal. Assira ser,
menos para aquelies que preferera os prazeres
tranquillos e serenos.
Em consequencia do murmurio inseparavel
das grandes reuuies proscripta est por
sua mesma nalureza a cantona nos b liles ,
rediuindo-se esles ajogo, islo he a voltare-
le e l'cari a incessante conversica, as
walsas de corrupo o aos passeos de pirceria ,
ora por msica a que cbamo contra laucas ,
ora cecea e a t 1, pelas salas e corredores
da casa Quem vio huma contradanoas des-
las vio todas porque tem o mesma andamen-
to a acabad todas ptjli cade da uuio. Se-
rode inveiico mayOuca i* Os bomens nao
largo os seus Chapaos', porque isso seria ao
depois a couiuso de Babel ; pelo que laiiyo
cora elles na mo e aljuus de mais apurado
tom e mais laslnonables sustenlo tu outra
huma bengala ; parece que est 1 de camuiho ,
o todava estao ferajos na diuca.
Esta sempre loi considerada huma das boas
arles ; mas boje [ gracas tal vez ao progresso
dos coulieciineulos positivos ) as contradan-
oas nao lera regia alguan e por isso deixro
de ser arle. Digo que nao te m re ra porque
nao ha jaugaz nao na Joao Tenorio nao na
machicaz nao ha mono ou joc que deixe de
tirar seu par de melter-se e.n restea e da
dangar ou antes estirar as gambias cj.no
Dos o ajuda } e nao vejo que por isso lhe d-
eio vria ou que a senlunu convilaia por
esse motivo iiie a li com algn levireie.
Amiga meo le os kCsupos os riertoiio* os
^alafres os de pji'ms de pjldro ou de lesju-
ra de cariono, as scnioras pausudas e obesas,
as corcovadas e era au.u.ua as mal coniigu-
radas ja saoio que nao eia ajadas para a
Janea ecjuienlavao-se Je applauJir aos |ue
a nalureza havia talludo para 14*0 > boje po-


!> t A R 10 O R
PHNAMBDCO
lili __ffI11_-_1
Mr
!_T
Wm (estamos n'hum seculo de muito pro-
$resso ) nao ha senhora nao ha homem
que nao seja apio para dancar ainda que ella
seja a propria dama Jacintha de Gil-Brai
e elle o verdadeiro transumpto de Sancho
Pansa
Nesgas qnadrilhas ou contradanzas em
quanto os homens piso, on ando de manei-
ta que parece esto espalhando com os ps
algnma cousa de que est lineado oslo, e
assim cada hum vai como ao encontr da sua
vis-a-vis ; as senhoras como se lorio mais
boligosas, envio-se a elles aos pulinbos le-
vantando hum pouco para diante a saia do
Vestido assim por modo de quem ergue len-
tamente huma cortina e com os mesmos pu-
linhos recuo para traz laia decamaro n'a-
gua.
Acabada a contradanza de numero-hum
at cinco que se chamo marcas cada ca-
valdeiro d o braco ;i sua dama e tem enlo
lugar o passeio essencial o passeio por cau-
sa do qual parece que se inventou a massada
das quadrilias vindo estas a ser hum pre-
texto plausivel para aquelle. Quadrilha sem
passeio no fim nao tem grata ( me disse
huma senhora ) porque no passeio final he
que est toda a grava e grande prest i mo das
quadiilhas Cada hum leva pelo braco, e
em giro a -enhora com quem dancen e vo
conversando sua vontade dizendo quanto
reciprocamente eutendem e senlem.
Nao imagine algum malicioso queeu eslra-
nho e reprovo este apuro da civilisaco e das
luzes. A muita familiaridade e frequeneia
entre os dous sexos s tinlio riscos e perigos
nps ferreuhos lempos de nossos avos. Hoje
succede o contrario: hoje as senhoras lem
outro criterio oulra fortaleza para resistir as
suggestes dos homens; e estes mesmos pre-
sentemente nao aproveito o ensejo de to fa-
voravel conversago para advogar a causa
dos seus amores pura se darem ponto e hora
aprazada &c. &c. Nada, nada disto se ve
hoje 5 tal he. o proj;resso da civilisaco e das
luzes Nestas conversaces com quanto os
esgares e demans s vezes pareci de amo-
lados, todava nao ha senao assumptos inte-
ressantese proveitosos. Quando virdes Fron-
delio por ex. com olhos esvaecidos ou de
cabra moila conversando em passeio e pu-
ridade com llozelinda nao facais juizos te-
merarios: talvez lhe esteja explicando o Bud-
get do correnle auno financeiro : hum estar
dando noticias a alguma do estado poltico da
Pennsula europea ; outro talvez estea ensi-
nando a D. Eufrozina o como se demonstra o
quadrado da hypolheiiuza : este estar ex-
plicando equacces a huma u>.nina caroavel das
malhenialicas ; aquelle bem pode ser que se
dis|onha a ensinur a outra as regias para la-
zer ou a chave para abi ir o segredo das cha
radas.
E ha nada mais acertado para | r as serillo-
vas no caminho da sabedoria ? Nestes pas-
seios e andancias ad(|uirem conhecimentos va-
riados j desvanecem-se de muitos prejuizos ,
e iiisensivelmente contrahem o habito .le dis-
coner bem sobre todas as .materias o que
nao lie pequea vantagem ; e se a islo ajunla-
lem a leitura pos peridicos de poesias e uo-
vellas estaro habilitadas para defender Ine-
ses. Muio asnos ( Dos lhe perdoe ) ibro
a este respeito os nossos maiores As reservas
e recalos em que educavo o bello sexo o lor-
navo tsiupidoe acanhado.
Nos inlervallos das quadrilhas e do impre-
tenvel passeio tem lujar ; decorrupio: ando os pares como em hum
sarilho e qu.nido acabo lie botando a al-
ma ptla boca. Quem quizer conhecer o esta-
do de violencia em que lico os walsidores ,
repare-lhes para os costos ltenle para o eol-
io das senhora*. Huns Beto com feices fu-
riosas e abounaveis oulros t<-m-as immo-
veis como as de estatuas ; esta .senhora parece
huma liguia de gesso aquella torna-se ver-
melhu como hum pi em todas ellas as ju-
galares e as paiolidas pulso de hum modo ex-
iraordinaiiu elleito nalucal do granue al alo
do pulmo e ras oais entranhas alias
meldas as tallas do iiidispensavel esparli-
Jho. E ser erivel que taes walsas deixem de
causar gravissuno dainuo a saude em lium pan
queute, como o nosso ? Parece-me que sim ;
e talvez que d ahi se possa explicar o ciescido
numeio de tlusicas que vo dando cabo de
tantas senlioras no verdor de seus anuos ; e tal
he a opiuiu respeilavel de alguns lacultalivos,
coiu qutm leulio conversado a este reseilo.
iviaa cima de lodos o argumentos .ci-
ma de todas as coiisideraces esia o imperio da
moda. Pois sera possivel que Ues corruptos
sedaucem em Parit em Londres em \ -
euna dAusti &c. fice e deixeui de se
danzar no brasil ? Ezubjra o calor ua Zona
trrida em que babiurfios tuime incum- ,
modas e prejudiciaes sande semelhantes dan-
sas : embora morro aos centos como tordos,
as nossas senhoritas wilsadoras, ctra tanto
que arremedemos oeslrangeiro as rousss in-
diirerentes insignificantes e ale na ridi-
culas. O que se dira do Brasil se as nossas
bellas nao dancassem as w lisas de corrupio ?
Qne idea se faria da nossa civilisaco e pro-
gresso, se na roda do anno nao morressem
nesta corte o a io senhoras de thisica em
consequencia das repetidas walsas ? Que ti-
tulo de gloria nao he para huma menina o ter
cortado em fl ir os seus dias deixando o ira-
mortal renome de boa v? ilsist.a Fez a na-
tureza as mullieres para outra cousa mais dig-
na do que para morrer no giro da danca ,
como as mariposas e oulros insectos pyrauslas
tem de sim ndole o acabarem na luz em que
primeiro' giro ? Embora padega a saude .
embora se encurtem os dias de vida : biga-
tellas ; tudo est em que nao deixemos de
macaquear o estrangeiro
Sempre estive persuadido que todas as boas
artes deviao ter certa cor de locadade ; e
assim a poesa grega por exemplo he qua-
si sempre icstica risouha e bella como esses
paizes : pelo contrario a asitica he gigantes-
ca hyperbolica e lujuriante como o seu
solo. Assim a danca parece-me deve accom-
madar-se ao clima e carcter das naies. As
que habito paizes frio adoptio daucas vio-
lentas e proprias para excitar o calor ; as
meridionaes pelo contrario co.ivm as dansis
brandas e at certo ponto mollea e sensuaes.
Uados estes principios entenda eu queao
nosso Brasil convinho as d nicas ilc-ta ultima
classe dancas flexiveis sem ser pantommi-
cas requebradas sem degenerar em desho-
nestas. Em geral me pareca que as dancas
hespanholas ero as mais adequadas ao nosso
clima ; porem estas dantas requerern certa
configuraco certo ar garbozo certa flexi-
biltdde muscular tem regras prescriptas ,
e deste modo nao chegario a lodo bicho care-
ta Hoje poim prevalecen outros princi-
pios. A danca que outr'ora s era cultia-
da pelas Venus ; pelas Gracas, e pelos Ado-
nis e Narcisos, agora chegou a vezdeperten-
cerem tambera s Megeras sCanidias s
Tisipbones as45aichos aos Faunos aos
Satyros aos Vulcanos Briareos Polypbe-
mos etc. etc.
Nao se apostemen nao fiquem de quebra
comigo algurs dos meus illiif.ires leitores ; e
mrmente leitoras. I3em sabem que sou hum
pobre roceiro que sou quasi monteinlio e
que assim pensaioenteio provavelmenle por
ignorar os profundos arcanos do hera e do
grande lom scenca alias de summ impor-
tancia Bem pode sor que nesses meemos cor-
rupios baja muilas vantagens que por de-
liradas e recnditas escapo ao raeu fraco
bestunto : lalvez sejo elles hum uieio mais
de civilisaco e enlace de familias, talvez
sejo hum symbolo da unio conjugal pelo
muito cosidos que giro os purs. JNeste caso
dignem-se desculpir a rainlia gmssaria at-
lendendo purezu das minhas intences. Ou-
tras muilas cousas se observo nos bailes mas
que fico adiadas por oulros ns. afim de e-
vilaroenojo das massadas Dsse.
todos os pontos de Costa d.- Pernambu-o ; e:m arto da celebrarlo do Grande ti .-.ni.il >e
a posico en que esto todas as Villas, e | Caridada no da treze de corrente m/. e ten-
Freg le/.ias servindo de p rato n Cida.de do do si 11 enviadais qaatro horas da tarde o
Recife ; umi breve noticia do noss Sertao se demorado at dez horas da noite do mesmo
popuUcorendimentos es'ravos etc. etc. dia nao possodeixir de prestar os dividos en-
Livnoi.0 |comiis ao rnesmo lllm. Snr. que tanto se
Da origen da Naca > Portugueza ; dos des-'
cibrimentos da America edo Brasil ; dos In-
dgenas de Pernambuco ; do Governo dos l)o-
nalarios n'esta Provincia ; e dos fettOS dos
Pernarabucanos as conquistas do Maranbo,
e Para.
LtVB.0 5
Da guerra Hollande/a durante o gjverno do
General Mathias de Vlbuqu-'r.jue.
tmo 3.
Da guerra Ilillandeza durante os governo
de I). Lui da Bocha e Borja e de seu suc-
cassoro Conde de lagnuolo at se comple-
tar o dominio Hallande/. no territorio de Per-
nambuc com a fgida do mesmo Bagnuolo
para Sergipe
Vende-se na Praca da ^Independencia luja
N Si e 8 preco aU5oo rs.
Est sobre o prelo a a. Parte do i. To-
mo e logo que esteja impressa se publica-
r.
\vh'H llivaratM
a disvella no socado nuMico Tamben he dig-
na do mr-u 'agr leeimento a mesan guarda,
que deserapenhou os seus deveres nao s em
bom compartimento: como nos lugares das
enfermarlas, esloeoa que leve sentinella
t.id i deudo ni verdideao inferior que os de-
rigia. O Regente; Vntonio de Faria Neves.
12^ Nao me sendo possivel pessoalme>ite a-
gradecer todos os Senhoras que me obze-
quiarocom o eraprestimod'alfaias, m.bilia,
e ornatos para a celebraco d > anniversario do
Grande Hospital di Caridad? no dii ii do
crrante rojjo acceitem por esta fjiha o meu
sincero, e devido agradec ment. Igudraen -
le nSo posso deixar d'agradecer publi.ara.5ate
.i lodos os Senbores empreados d> mesm
Hospital, ealguns Senbores particulares ,
que me ajo I nao nos traballios da mesmo ac-
to. Muito de/.ej.irei ter occasiesde poder ser*
viraos mesraos Sen lores. Regento; An-
tonio de Faria Neves.
ssy Manuel Francisco da Silva faz sien-
te ao respeitavel publico que Jo.' i Bapl>sla
da lilva L ibo deixou de ser seu cateiro c n
o dia t7 de Agosto do correte anno e assim
_, ..-----------------------....-, --...
cy Aluga-se -duas moradas de ca'.as, no I pede lodas as pessoas, a quem o dito seu es
'.- I __..:.... ..,,,,, nin.nrtoa mminmliM l'l V l'l l'O VCII I "O 11.1 1.1 Si'01 ,1 Slt 1 mi I,':n llllni-
sitio do cajoeiro com grandes commodos,
quintal amurado estribara e banher para
se tomar hauho e urna dellas pode passar a -----
festa duas familias por ser grande 5 a tratar \ZT Preciza-sd d'um forneiro ; qneenten-
110 mesmo sitio com o proprieta rio das mesmas. j da bem do oHi io lrro ou captivo e da-
.. NT.____ .! i).,I, .... r.i.1,1,. ,1 ll.ii -.ltif> lium ni' ii'u nl.i I na ni 1 llir.i ti l -t t
caxeiro venden fiado sem a sua orden, quei-
ro quanto antes silislazer ao annunciante 01
seos dbitos.
33 Na ra da Penda no fundo do livra-
mento da urna sendora que se propoem a to-
mar enancas com ama para secriir com
leite e tambera rebebe as que nio tiverem
ama para se acabar d; criar com todo mimo .
e amor.
i5^ Da-sequatro centos mil rs a premio
_____ -_.._, ,...-_ _..
se-lhe bom ordenado ; na ra Dire.ta O. Si.
S3T Aluga-se o segundo indar da ciza, da
ra Nova, com commodos, para urna familia-,
assim como a loje di mesma propria para
quatquer estabeleci nenio ; tratar na ra
dicadeia velha, loj# de Fazendis O. 34-
C_7" Freta-se para quilqu^r mercado da
LOTERA DOSEMIN.RIO.
O Reitor do Seminario de Olinda convida
os amantes de Loteras a compraren! os bi-
Ihctesda primeira parte da 17.a* Lotera do
mesmo Seminario, (cujas rodas anda impre-
tervelmente no dia r2 de 8br")que se acda a
venda no Bairro do Recife, ra da Cadeia, na
loja de cambio do Sr. Vieira ; em S. Antonio
na ra do Cubug, loja do Sr. Bandeira ; na
Boa-Vista defronte da Matriz botica do Sr..
Joaquim Jos .Yloreira.
LOTERA DO THEATRO.
Os Bilbetes da 1. parle da \. Loteria,
cujas rodas ando imprelerivelmenle no da
1 do correte acho-se a venda as Lojas dos
Son. Manoel Gonca4vez da Silva, e Vieira!
Cambista em a ra da Cade.a no Bairro do j
Recife e no de Santo Antonio as dos Snrs.
\ -y^ 1 lase: iiiii. v# wnw _.,. |..w...... _------- -- -,------,--------------------- -.
com boas firmas: na ra do cabug loja da es = \ Europa a Escuna Sueca Johmna Ca it>
quina defronte da Matriz. Nreman forrada de cobre e da primeira
\r?- Para pagamento de urna divida ven- ; classe ; tratar com o consignatario A.
de-se ou desonerada a divida permuta- j Schram0n.
se urna grande propriedade de caza n'esta ssy A pessoa que anuunciou, querer com-
Praca, ptima para sobre ella se edificar urna prar pedamos de pe Ira i dirija-sa a ruido
grande caza pela sui localidade e intmen- Caldeireiro caa terria l). \l e na mesma,
so terreno que possue os xa os sao pioprios ; vende-se travs de mangue de 36 palmos ,
a quem convier aunU-ice i ou oulra quali lade de u idetra
Cr Um 1 orluguez seolfercce para caxei-l sssr OtFeretv-se para ca ^ero de loje de fa-
ro de loj de ferragem ou mud"SSS, pois zenda ou de ferraren um menino de id 1-
tem dsso bastante piatic; quem do mesmo de de 11 anuos, e d fiador a sua conducta j
precisar annunciea sua maradia pjr esta fo- sabe bem lr escrever, econtar, para a-
jl,a !qui, ou para fora da ciade, sendo peno ;
%2T ll um hornera que se ajusta e offrrece- quera o pretender diiija-se acs quatro cau-
se para coi/as, e outras de q'tie tem inte- tos N ii\.
hgencia todas de grande inlerece a i. fl faz cr Q.iem ttver uma escrava com muito
todos ossabes do reino, e raeliior pot.ssa e bom lene, ea queira allugar para crurj di-
! chamada potassa da a.uerira tambera faz rija-se a Caraboa do Carmo.. 8.
construir toda euualqer ornaldas refina-1 tsr Aluga-se um moleaue que seja la-
cues, fornos ou quilpier fogo que seja. e dio, pira servir aura hornera solteiro ;
construco de cbamin com todos os fins de quem o tiver annuncie.
gastaren oouca leuda; quera o pretender pro- KT Preciza-se de Jm.ooo res a juros,
! cure ao entrar dos aFogados lado esquerdo,' dasse para seguranca pinliores de ouro; quem
'innova p.deria entre venda, e um tanoeiro;'tiver aonuucie.
adverte-se que o sabo otTerece muita conve-; SST. Alaga-se o a e ,3. andar da ca-
nieneia e a potassa muitissima, para o mesmo za na ra do Queimado D. i5 delronto do
sabio e Engenhos beio da C;ragregrbo com commodos para
Or No da 1 do correte, a tarde, sahin- u.nagrande lamilla-, a tratar ni loje do mesmo.
do-sedo Convenio de S Francisco, pela ra E3T Arrenda-se o sitio da Capelinha do
das Cru/es palio do Hospital rui do Ca- mondego cora grande caza de vvenla, bas-
bu'fal.atbearuaNova; perdeo-se tres cha- tanto arvores de Iruclo e planta ,ao de ca-
ves piquenas sendo duas de carteira, e uma j pim ; a tratar no mesmo ate dez doras da
de balui, enliadasera uma correnle de prata ; mauba.
quem as acbar pade entreg.r nesta Typogra-
pia que se gratificar
tsr Aluga-se u.na caza terrea, em qual
quer das ras do bairro de S. Antonio nao
11a, que se '.i anuan .i .
IST Arrendase o Engenlio Sao Bartolo- excedendo a 8,000 res ; quera a tiver annun-
meo, sito na Fregue/.ia de Munbeca amar-ce, para ser procurado
Pe.n do rio Jalrailo .listante desla Praca, Ires & Ura rapaz brasileiro de bot conducta
leraas e meia muenle. e correte montado e com praiica de caxeiro de ra bastante
em Prande poni cora os milbores arranjos desembarazado e saliendo bem ler escrever
que se
deemb
mde ponto cora os milbores arranjos desembara-.-au e saiienuo nem ler escrever
. pode de/ejar em taes fabricas porto e contar, o.erece-se para a raesm oceupa-
,a.<,ue, canaes para navegaco de gran- cao a qualjuer Seudor que delle precisar,
* 1 m n....uiiiuti.ili) ra.iw* ii^l I >li. a Cica ui niPl
Basto e Costa na Pracinda do Livrameuio ,
Manoel A Ivs Guerra na ra JNova.
PUBLICACAO' LI ITERARA.
Memorias Hisloncas da Provincia de Per-
nambuco, precedidas de umLnsaioTo-
pojjrapco-liislorico |>or Jos Ber-
nardo Fernandes Gama.
Tomo i.
Seclos ib. = e 17.
Parte primeira.
Esta primeira paite lem trtenlas paginus ,
e esi dividida da se.-uiu te maneira.
EoMM Topograpliico.
Conlem uma descriptao lopo-rapluca de
toda a Po viuda latitudes e 1 rajjilu es de
des cauas as quaes ,se condus para o En-
genbo (aunas de alguus partidos leudas e
madtiius de mangues do que de abundante.
Os preteudentes ; dirija5-se seo propieta-
rio no me-mo Engenbo.
E_y Brevemente se dar uma circunstan-
ciada narraco de tola a soleranidade do an-
niversario Ao G. Hospital de Candade como
tambera a dispeza e os que concorrero para
o mesmo acto.
UT Quera anuunciou no Diario de quinta
feira querer uma p.eta por quatro metes
para o sci > ico de uma cata ; duija-se uefron-
le do nicho do iNoia cata do Sur. Roberto,
Bf" O Porluguez que anuunciou no
Uiai io de hontein querer se empregar ; di-
rija-se a esta Typogr.ipia.
I y Teodo requisilado ao lllm. Snr. Pre-
eito da Commarca 1 raooisoo Antonio de Sa
Brrelo urna guarda para minler a orden,
aiuiunciai.do por esta folda a sua casa par*
ser procurado.
s_y Quera precisar de hura*, pesso
com bisiaue coodeciranio do commsrco ,
para caixeiro de ra, ou armase n de asiucar,
anuuncie a sua raoradi 1 por este Uiaru ou
dirija-se a praca da Independencia nume-
ro 37.
S33T Precisa-se de allugar uma casa terrea
cita pira as cinco ponas para pequea fami-
lia ; dando-se de aluguel atd doze mil res,
que leuda quintal e ca imb 5 quem a tiver
anunncie asuimoradii por esta lolha, para
se procurar
a_ST Qutm quiser comprar um sitio era
Beberibe no logar do Caubenga ou Crue
cora casa no.a de madeira qud ainda na
fo habitada falle -_ Padre Francisco ios
de Lima morador na povoacao do masmO
Beberibt.


DIARIO DB PERNAMBCO
*ar de um ca'ixeiro Portu- tica por Lacroix ; na ra da Florentina velha
Acalde o7ao annos para qualquer es- i lado do muro de S. raucwco primeira casa
SST Urna canoa aparelhada co,n ludo novo,
C5" Quem preri
guez---------
tabeleciroento nesU prata ou fora de.la an-
nuncie.
t&- Arrenda-se um sitio em 5. Amaro na
eslrada de Belem i com casa de pedra e cal
com b>a agoa de beber bastantes fruUeiras ,
e porfo B > estrada a fallar OOOI Joo Baplis-
ta Claudi o Treta*
IST O i >rivao dos protestos avisa a quem
convier que, tem mudido o seu Sartorio para
a ra da 1-'lores no segundo audjr do sobra-
do novo onde podera ser procurado das 9
horas da manu at as duas da larde e das
4as6# a 1
CS- t'recisa-se de oo.ooo a juros, dndo-
se por seguranca firmas a contento ; quem
quiser dar annuucie.
Da-se 100,000 a premio com boas fir-
carre;a5 caixas ejpeso de ; a tratar no
pateo do Livramento armazem de louca e mu-
tilados I). 10
K3T Azeitedoceem caixas del a garrafas,^
de superior qualidade na ra da cadea ve-
Iba l). 17 no primeiro andar.
C^- Uma casa terrea milito boa sita na
ra dos Martirios tem boas sallas i quar-
tos bous cozinha fora boa cacimba pti-
mo quintal muiado e com proporcoes pira se
edificar u.na uulra casa com frente para a ra
do Caldereiro : na ra das trincbeiras casa
terrea junto a venda.
cy ous aparadores par mesa de jantar ,
que juntas fazem urna mesa redonda, de
amareilo envernisidas | por preco coro modo
uas na ma do cabug lo a da quina defron- na ra estrella do Roiaii loja de marcinciro
L). a5.
tsi- Potassa nova de primeira quaiidade ,
em hatris pequeos caixas com vellas de ce-
ra bem sorlidas do Rio de Janeiro j no ar-
marera de A. F. dos Santos Braga, na ra
da moeda.
ey Cautellas da primeira parte da quar-
ta lotera do theatro subdivididas de bilhetes
da mesma Lotera em decima e vigsima par
le ; unto ao arco de S Antonio lo|a do Sur
Braga, praca da independencia lojas 0.8,
1 \ e 2 ra do Cabug lojas dos Srs. Clan-
dio e Bandeira ruanova O i loja do Snr
Chaves e atierro da Boa vista D. ib loja de
Antonio da Silva Gaimares.
IST Na praca da Independencia loja n. 2?
Jos lavares da Gama calcado francez
setim coui.ide lustro, e mar-
teda Matriz.
jar Quem precisar
de urna preta para
v*XT
Algodaozinho fnissimo: na ra da
ma de leite sendo de primeira barriga, di- Conceico da Boa vista loja defronte da igreja.
ri.a-seaosi cantos n. 2.4. U UtenciiUWe jogos seguinie. u.n jo-
C9- Joo Segisiiando lJirelti roga a seus go de bagatela wm^uii..o "v e ,mais^~
credorts o obsequio de lexos um jogo de fispora Cjm duas ordens
de carloens um dito de gaino um dito de
damas de marm e inais mezas, cadeiraa ,
e mais ulencilios a dmbeiio ou a praso e
tira-se os objeclos que nao quiaerein j trala-
\gr Piecisa-se de um homem pira caixei- se nos 4 cantes n. ai1 .
lo de s/- Um molato uthcial de alfaute de ida-
do crlenle mez pelas honze horas da manb ,
na sua loja na rua nova O. 91 .para o bin
de se tratar de objeclo de interesse dos mes-
mos seus credo res
de
de duraque ,
roquim dito de duraque de Lisboa bor-
zefuiins de cores para sen hora calcado de be-
zer'rolianrezdelu3tro para homem, sapatos
finos ditos de duas solas a bolinados bo-
tins e.boneguins de duraque prclo e de brim ,
sapatos ingleiesa bolinados, chapeos pretos
para homem dilos do sol, ditos pretos e
brancos para meninos, dilos de palhinha tam-
bero pira menino e homem ditos armados
para bailes calcado de bezerro e mairoquim
borzequins de duraque ,
lia a 60 Vs. cada urna tabaco simonte che-
pado ltimamente da Babia em latas e a re*
lho cha issin e perola rnanteiga cho-
colale fino de Lisboa vmliodo Pono e Lis-
boa engarrafado, massas, sevada, sevadinha,
farinhado Maranho e outros minios gene-
ros e urna negra muito boa connheira e en-
,;ommadeira ; no largo do Terco venda De-
cima i.
Esclavos Futidos
Do engenho Camaragibe em Serinha-
ero no fim de Uezembro do auno passado u-
gio um escravodo abaixo assignado o qual
tero os signaes seguinles ; de idade de 16 an-
uos; meio fullo ladino, de naco mucara-
bique olhos alguroa couza apellados tem
em umi das pernas marca de queimadura ,
tem um pequeo geito no andar que parece
ter urna perna mais curia e de nome Setillo;
quem o pegar leve ao dito engenho, ou no
lecife ao >r. Jos dos Santos tNeves que se-
r generosamente recompensado.-Jos Eu-
genio da Silva Ramos.
ssy No dia 6 de Agosto do corrente fu-
gio um negro de nome Vlanoel es.Tavode
Francisco Jos Duarle cujo escravo o dito
Sr. deo ao Sr. Jos da Silva Bolelbo para o
ro de urna venda e que d conhetiaien
sua pessoa j iiaruaaliaz ita
vista L). i y no segundo andar,
Matriz da Boa de de ai anuos e ptimo ptra pagem ou
troca-se por um moleque com ollicio de sapa-
vender no fim de i das veio noticia que elle
para meninos e
ludo de superior qualidaie, e por prevocom-
modfi icualmenle na ra nova loja 16 ,! *enaer,' .
Zhero do dilo os seguintes obelos fran- **" '8* e a,e a eslii dJ '"da f0 A^~
nca, llores de veludoe de panno para s signaes sao os segumtes y estatura
regular cor vermelha rosto picado das
bechisas < tem urna velila ero uro olho, e
cezes
chapeo e cabeca d.; senliora chapeos de se-
da e de setim e de paltnha ditos pretos pa
naruadasduzes no ultimo sobado ra homem ditos de pal.nha para menino,,
Avisos iUaritiiuus.
na perna urna marca dfc ferida ; quem o pe-
gar leve a ra de lloitas D. 65 que ter de
PARA MACE10' a bem construida e ve-
leira Sumaca Louceico da segunda viugem,
sane com a maior bievidade possivel quem
quiser carregar dirija-se ao seu proprieta-
rio a borda do mesiuu ou a MauOel Joaquim
Pedro da Costa.
teiro ; na run uasv-iucj n un." -..... ,-- -- -
de um andar indo paraS. Francisco, do la- ,. ^^1^ ^^ Salidj.-^^ ,. A
^Jntduzia de cadeiras com assento da de sapatos de lu.ro ditos de marrojuim I J^TJ^^ ZZ fu-
. umaroarqueza duraque, ese un ,,d^t^"MU^.^: I r.d. com argola paralitico de um lado, coi-
, duas camas com seus boa para senbora ^^^J^-\nt e uma mao entrevea de nome Jo,-
ara meninos e menina sapaioa ue ius-(
tro e de bezerro de uma sola e de duas solas, | V?* \*a\"Tl' l *"*?. ^ 2. J^l

""'r?rr-' ...... > ^ Um quarlao novo passeiro e ardigo pwa i.omem uauu^ ^ D-~ -.
Pedro da Costa. ** w < ,. .. mni finas oropnas pa ra cha e muito em ou
PAKAOPURTO sabir muito breve o por preco cdmroodo ; na praca da Indfepea- /,ttVu^Tl Blde tod. as qaalkUdes, IS'
B.igue Hortuguez .w. ia i-el.z Lapilao An- JCW toja .1 ,0 j ^^ ^ ^ para ,|o ( come
naliiiniii inda e D hom uzo v
>m seus boa para senbora dito de todas as
colxoeselravessfc.ro.. ; quem quer annuii- des para meninos e meninas sapatos de lus
, i t tro e de bezerro de uma sola e de duas solas,,
ce, 1 iv..>la< da minia ifi\>.m fiem da .Magdalena, e la a tero o lerendo
Um quarlao novo passeiro e ardigo Ifara^omen J^TJIa^JS! ll "l!umas colieres de'pnta que roubou a seu
eoutras obras mus do mesroo metal,
mo bem uma corrente de relogio, uma lua-
ionio Lau bornes j quem no mesmo quiser ^ Urna cama nova de boro goslo e um. ^^^Z^Z^^*-Ze & An,oni com resplandor, euro
ca,r,g.r ou ir de pasLgem dirija-se ao cap.- estante para livros por preco cororoodo 5 J1^ [ veJld Q m lis em 'cou nolvarinho de cobre coro plvora e chumbo 5
lo na pra.a ou ao seu UuaignaUrio An- a do mundo novo IJ a. I de dur de o pegar e levar as 5 pontea D. a5 a seo.
tonioJoaquimdeSouzaR.beiro. ,f.^ ^ J Z ha S 2'va 000 di os de setim .(oo, e aBo/ditos S.ir. Manoel Francisco Guiroaraes que gra-
PARA O SSU uSmmuca brasileira Boro "lade ** cose coatnha^, Jm va- ^ Gj ^^ de dura. t.ficara
que a jooo e brozeguiM de brim para bo- ^ Manoel creoulo de idade de -8 annos,
em a 4600 e 4200. fulu dlil l"> t Agosto secco do sor-
quero quiser carregar ou ir ue passagero, ~~~i~ \n~ ",^' VST Diversos obiectos proprios para thea- P boa estatura, falla intelligivel pernas
Lija-ieaomenoCapiUo, ou ao seu pro- ^^^^^^^J^ ,rnhoa parliculatei} na rJd.GuT. .fallar A". P^grandes, muitolige.ro no andar,
prietario Jos ^anoell-.uzana praca do Lom- ere-sepa.a fo.a da p,oy.ncia no beco do i ^ ^ ^ ^^.^ ^ ^ ^ ^ e ant
v'^r:.. r; ;sl ^ h. crezPo u 6 sSTsuo ^coeiho. ^-i
PARA O SSU' u Smmuca brasileira Bom "**<* dc *> a,inus CU3C "*aaa* l" "*"
Sucesso, da qual he Capito Ignacio da Fon- lias qualidades de doces e be recollada ; na
seca Marques pretende sabir com bievidade; f"a ul,eiU U- '5 loJa df courOS
quem quiser carregar, ou ir de passagero BT Vm moleque no gento de angola,
tuercio
u\ ASSIT MiiriiH viasprn em iiaurn* ^J~ Um pelo buro calafate e canoeiro de crezpo
PAKA U Assu egue viagem em poucos .j*', r_...... ^...........n .. tssr Uma negra que ensaboa bem roupa ,
dias o Patacho B.asiieiio Temerario Ca- idade de .9 annos j na ra nova II.. 7 se,vicode u
modo ; na ra da Cadea velh* L). 17
passageires lrala-se com o consiguaiariu A.
1. doSanios braga ruada uioeda u i^a.
casa e um mole-
servico e dous
caxorios do reino ; as 5 ponas L). a2.
fijo SJ^* Uma negra de idade de la annos,
JiUlla O
ptima para tuuhauda por ser recolhida ; na
tgr IJm pianno de excellentes vozes e
car Que faz o Corretor Oliveira de uma
quantidade de livros impresaos principal- igario l
mente inglezes e francezes, e de varios tras- s3^. -
tes de bou. goslo como seiig caderas apa- de muilo bonito modello ; na casa de
radores mezat cvc. quinta leira .7 do cor- Dlester na ponte velha.
' < ._ II.... linda narloi
rente as 11 horas da manb na casa da 1 na
ky~ Lbi'.otes hilos para cavallo*
cada um ; un 1 ua do Queunado 8.
K Piannos exceuentea chegados proxi- ra da l.ugoela sobrado de andares na es-
mameae, por preco commoio ; na ruado querda do beco das c.eoulas.
tST Uma linda carleira de uma s face ,
por pieocommodo j na ra do logo loja de
Biarnueiro.
da Cruz n 55 segundo andar parede e meia
coro a botica do Sr Saissel.
tssr (^ue lazem Jouuslon Paler &Compa-
Ii)iia ; por inlervencao do Corretor Oliveira ,
de um completo e vanado souiuento de la- ranxo junio a ponte
- Uuas neg ninas e dous
ty Uma negia quilandeira cozinha o
diario de uma casa lava roui bem de sabo ,
e varrella engomroa com alguma perleicao,
por otio,ooo ; na camhoa do Carmo as lojas
lo sobrado onde esteve o estanque de tabaco
u" Urna preta creoula para fura da pro-
vincia de idade de ao annos lava engm-
ense perfeilamente ; na ra estreila do
IZj- | vaccas paridas de 15 dias filhas do ffla
pasto, eboas de lene} nos a'ogados casa de Roaano U 27. _;
ssr Um bom sortimeoto de farinha de
.uoleques, de iv''sas qualidades como favas feijoens
leudas ingle/as as quaes se bao de vender *f ^u"a ,fcu'' (>llt>1Jail()' herviibas e lentilhas acompauhadas de
- 1 i-ti > ul.wii* (le 11 anuos i naruauo v./ueuuauo ca ... W ,
por nioii\ode se saldarem dillt-rtn es conlas, iumwuw x. Uma explicacaodo modo de se coznliar, rbo-
sextaleira.b do corrente as, o horas da ma- sa i-^ ^ boa lavadeira, col-le de Sanie ludo por prego coromodo ;
nba impietenvelmenle no seu armazem da *f M rua dd ui, sobrdd de na ra da cade.a U i7 primeiro andar
ra da t\Jauiede Ueos. eHuu,"ucl Charutos de ilavaui de superior qua-
C o m p r a s
#" Charutos de tavaiii ae superior q
jU'US^ L"muUo fina para encbimenlo de '"ade e dous anraUoseudo um muito pe-
colxoes e telbas novas de muito bom barro ; queno ,
manco e opumo para uro menino
Vendas
Cautellas da Sociedade Fortuna Ti-
pogrfica, da Loleria do Thealro 1 ublico ga-
hando a vigsima parle dos premios, cabendo' tas que lazem todo o servan de uma casa, urna
na sorte de b 000,000 reis tresentos mil ris a molulinba de idade de la. annos cose e en-
preco de 45o ; nesla Typograbca na praca! gomo a, e um molatinho opi.mo para pagem;
da Independencia 11. ao una rua larga do na rua deagoas veides rasa terrea U. 3.
upieuder montar j no quartel do Bom jess
110 segu ment da
palmos de frente ,< e
de loro o rs. o pal-
e um escravo ca-
noeiro mocoesein vicios; na rua de Sao
Gonsalo D. 11.
e>^ Uma casa feita a moderna a sobra-
0 dada, com tundo at o rio capibaribe ter-
um destes hecanoe.ro duas pie- ao lado para edilicar-seoutra grande casa
bom leile uma dita quilandeira de muito
linda bgura um moleque e uma negrinha
de idade de i anuos ; na rua do logo ao p
do Rozario L) a5.
_ vos ptimos para o servico
de campo ,
bo. J .aun de naco, de idade
de 3o anuos baixa secca do corpo cabe-
ca e (es pequeos beicos grossos falla in-
teiligive e andar apressado fugio no dia
12 da corrente com alguns laudos de chicote
as costas levou sonente vestido de riscado
azul no corpo ; quem os pegar leve a rua do
Queimdo U. 8 ou nos a'ogados rua do mo-
tocolomb a Jos Francisco de Paiva que re-
compensar.
if :No dia 6 do corrente fugio uro pardo
de nome Luiz sapiteiro de idade de \7
annos, rosto redondo sem barba multo
ladino e bem filiante anda sempre bera
liropo bem conhecido por Luiz inolatinho ,
tem uro irmo tambero pirdo trabalhava na
loja de couros do largo do Livramanto por
baixo da moradia do Piocurador Fiscal; quero
o pegar leve a rua do Fagundes 5, que
sera recompensado.
S3T Fugio da casa do abaixo assignado do
dia 1 a do corrente uro escravo do gento de
angola de nome Antonio estatura regular,
de idade de do e tantos annos cara redonda,
olhos grandes com alguma barba branca ,
levou vestido calcas e camisa de estoupa ja
suja chapeo de couro e consta que se di-
rigi para o lugar de S Auld ; quem o pe-
gar leve a qraca da 5oa vista l) 5 que sera
recompeusado. Domingos da Silva Pereira.

Jluviaitiito do Porto
spe
Kozano loja de iniudezas U, J, e na rua do
Collegio leja de reloioeiro.
t&* As pilulas \tgelaes em Pernambuco
somente na la nova botica L. 19.
pjp- Oiivro dt-noniinado Ramalbete, por
preco comn.000 j na .ua da S. Ciuz venda
que tem citada de pedir no correr na nbeira
so Os ditclnanos Iraucezes de Sapoleao
L&ndaii, e um curso ampielo de maibema-
t^ Btalas ingltzas em gigos queijos
lonuunbos, consertas de lodas .s qualidades,
latas com sardinlias, escovas para spalos,
e por sso capaz de qualquer estabeleciraento ,
sita no lugar dos coelbos da Boa vista junto
a olera do dr. Miguel Curneiro ; na rua de
S. Gousaio U. II*.
-CT* Lnccionario jiortuguez por Constancio,
l'i *.,., >,.** I .ti.,i> |'i liio *_
UUU 11O. lUyU. IttUiw pvJ KWI y *iio iu
le uor Viena, J^oneie Geotuelha por
vassouras de cbelo ; na rua da alfandega ve- aerla Log-.ca de enueoce em porluguez ,
., > tnsaio de sinnimos oracoens de Laceru ira-
Sebolas a 4oo rs. o cinto } no armazem ouildo Oracio iraduzido Jonallias e t^ope ;
M.tu.ui.am. uobecodopeaelftto.U. 4.
rs. saauinbo
NAVIOS SAHIDOS NO UIA 14.
MABANHAO'j Brigue Brasileiro Rosa, Cap.
Joaquiro Marlins dos Santos, carga dilfe-
rentes gneros passag jiros 5.
de Antonio ;>..u no caes da a.l-ndega. Uobecode pe.xe Ir.lo LV 4.
BUhetes da letena do tiieatio ; na rua ^r Ono de Uubussa a -i4o
r
do Olmedo toja do Ca ioca O. d. j com arroz a too a arroba pilulas da taou-
ERRATAS
INo diario de i*a uo cneme nu eaiw*
Fiscal do Baii ro da Boa uista leia-se o lei-
le ser vendido na Praca do mesmo Bairro,
e nao ao Publico do mesmo Bairro como se
acba declaiado.
| C1F N A TYP. DE M- F. CE f. W


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPW7OMWMI_4ND9VZ INGEST_TIME 2013-03-29T18:15:04Z PACKAGE AA00011611_04113
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES