Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04104


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
Anno de 1840. Sexta Fera
^Tudo agora'dr-pende de ni mesmos ; da nossa prudencia, modera-
cao e emerga : continuemos como principiamos, e seremos auotilados
com admiraco entre as Waces mais cultas.
Proclamarlo da Asserablea Geral do Brasil.
Snhscreve-se para esta fnlha a 3?ooo por q.iartel paeos adiantados
tarsta Ty,ogrli.-> ra das C.uzes |) 3, e na Praca da' Independen-
cia n. 07, e 38, onde se recehem correspondencias le2ala.las e an-
nuf.cios, insirindo-e estes "ralis sendo doi proprios asalariantes e
vindo assgnados.
PARTIDAS DOS CORREIOS TERRESTRES;
Cidadeda Parahiba e Villas de sua pretencSo.......\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem.......I .
Dita da Fortaleza e Villas dem............] (5e8* e Seilasjfeias.
Cidade de (loianna...................J |j
Cidade de Oltoda...................'.".'. Todog 0J d| -
Villa deS. Antao.....................gllinlas feiras>
Dita deGaranhuns e Povoanao do Bon.to ........lo, e ,4 de cada mei
Unas do Cabo, serinhaem, Kio Formozo, e Porto Calvo, i, n, e -n dito dito
Cidade das A Incoas e de Macei............dem i VUI- de Paw de Flores. ......... .......Idera ,3 dit0 d
/odot os Lorrtioi partem ao meto dia.
4 de Setembbo, Im. 193*
._ .... i i i ni*
CA MIMOS. Srtembuo 3.
Londres...... tg ira d porloooced.
Lisboa ......8'i a K3 p >r o|o premio por metal oflerecido
Franca...... 3io reis por tranco.
Hm le Janeiro ao par Cmp. Vendas
OUUO-- >-oeda de |oo reis vclh.is Ijff'vo I4f7.ll
II HltM ,, novas I.; : ir, ijfjoj
' Ditas de 4 tfooo res, ruerno- 8#ioo
PHATA l'ataces i:.sileiios i#b0 I^Stir
,, PezoColuinnarios------------ifti'10 ifl^o
Ditos Mexicanos------------- ijfijo 1JJ040
., Mura. --------.......ifi,, -
Descont de hilhetes da Alfandega 1 t jS par loo a*> mei.
dem le letras i i|( a 1 i|i por hoas (limas ollurecido.
Moeda de cobre .'1 por 100 de disc.
DAS da SEMANA.
PHASES DA LA NO MBZ DE SETEM8. 5i Segunda S. Raymundo Nonato Crd. Audiencia do Juiz de Direito da i
Quart. creec. a 3 as 3 h c 17 m. da tard.
La Clieia a 11-as 5 h. e 17 m. d< tard.
Quart ming. a :8- as 3 b. e 10 m. da tard.
La Nova a t5- as 7 b. e 6m. d* tard.
Alare ehcia para o dia 4 de Stembro.
As 11 horas t i* minutos d maiih.'
As ia horas e 6 mimos na tanie.
vara.
1 Terca S. Kgydio M. Relaco e Audiencia do Juii de Direito
da 1. vara.
a Oiiarta S. Bsttvfo Re!. Audiencia do Juix de Direito da 3. vara.
3 (Quinta S. Eufemia V. M. Audiencia do lint de Direito da a vara.
4 Sexta S. Roza de Vitcrbo V. Audiencia do Juiz de Direito da
I. vara.
5 Sabhado S. Antonino. -- Relaco o Audiencia do Juiz de Direito da
3. vara.
6 Domingo N. S. da Peiha.
RIO D^ JANEIRO.
ARTIGO D'OFFICIO
Tendoeu, no memoravel da vate e tres
dejulho do rorrenleanno, entrado no ple-
no pxercicio das minhas prerogativas impe-
riaes e querpndo por lao fausto motivo u-
sar da importante attiibuirao que me he ou-
torgada pelo paragrapho oitavo artigo no-
venta e oito da constituico do Impprio,
chamando a seus deveres os mens fiis subdi-
tos que desvarados linhao deixado de trilliar
o verdadeirocaminho da honra, hei por bem
e me apraz peidoar aos reos de primeira e se-
cunda deserco simples da armada e corpo
de arlilheria da inarinha rondemnados ou
em nrocesso hem como ao que se acharnm
ausentes e se. aprsenla rem dentro de sessen-
ta dias depois da publicado do presente de-
cre*o nais provincias e estaeSefl martimas do
Imperio.
O corrselho suppremo militar de Justina o
tetilia assim entendido e fua execatar com os
despachos necessarios.
Palacio do Rio de Janeiro em cinco de a-
goslo de mi! oitocenlos e quarenta, dcimo
nono da independencia e do imperio Com
a rubrica de S. M. o imperador. Antonio
Francisco de Paula Hollanda Cavalcanti de
Albuquerque.
(Correio OlBcialj.
CMARAS DOS SRS SENADORES.
Sesso de 3i dejulbode 1840.
Presidencia do Snr. marquez de Paranagu
Heapprovada a acta elido o expedienle.
O Snr Vasconcellos requer que se tomem
alfiimas providencias para que os membros
do senado nao continuem a ser como elle
tem ltimamente sido, insultados por hutn
folliculario alugado e nao comcebe como 0
senado possa prestar a exorbitante quantia
dea;6ooU reis mensaes para serem menos-
cabados os senadores J em outras oeasioes,
tem o orador mostrado quanto esse lollicu-
lario alugado falsifica seus discursos, j sup-
ptimindo palavras que alleao o sentido do
que diz, j prestando-lhe opinies que nao
liavia pro'erido, como v. g. ultimanenle dis-
se o orador que dtvia ser attribuido a ser
nominal o presidente a falla de respeito que
na cmara se volava, ea desorden) das dis-
cussdes, e o foliculario escreveo nacional -
o que involve o maior dos absurdos.
O Snr. presidente observa ao orador que
Bas condicoes do contracto a que se ohrigou
o despertador nao se lhe tolhe a liberdade de
insirir o que Ihe parecer. E que, quanlo a
insultos, o Snr Vasconcellos tinha tambera
publicado ultimemente hura artigo em que
insultava a dous senadores.
O Snr. Vasconcellos Esta peca eslava por
mim assignada. tinha hura carcter oficial,
nem poda qualquer lolha recusar-se a pu-
blical-a.
O Snr. presidente observa mais que o ora-
dor nao foi insullado como senador mas co-
iiio ministro de estado.
O Snr. Vasconcellos declara que desta vez
nao insistir pois est calejado a insultos de
lollicuiarios alugados.
USnr A Ivs H raneo acha que o senado
de^e faier com que o |ornal*>ta, a qoem p*g"i
nao insulte aos senadores, como j o le u ou-
tas occasies.
O Snr Ferrpira de Mello diz que n5o ha
sobre a mesn proposicao que se discuta,
O Snr Mello e Mattos nao admiti essi dis-
tineco da qualidadede sead ir do individuo
que he ministro e pede providencias no sen-
tido das que pedir o Sr. Vasconcellos.
O Snr. Presidente pe fim a discusso ,
di/endo que se nao fosse tao claro a favor do
jornal isla o contracto timara as precisas
providencias
O senado passa a trabalhos de coramis-
sao.
No dia 1. de agosto o senado oceupou-se
em trabalhos de commissao.
COMMAN )OD\S ARMAS.
Ilivendo falevula o Cirurgui numeado
-em ir para essa, e n auxilio dos poucos qie |
la existen j velhos e impossibelitados |>or'
.i
suas molestias, e se prri)n'issem no mesmo .. ... ,-. 1
' 1 para < Presidio de remando de Noronha d
imporlantis^imo ex-rrico das missoes. (pie
Dens tem aqu ahencosd como e>n toda a
parte onde sao hem dirigidas, cora excellen-
tes e copiosos fructos
Apressando-me pois a cumprir as ordens
de V. E\. rhntuei logo o resoectvo Pre-
cslando o Commante das Armas authorisado
pela Presidencia p rurgiai que o siihslitua convida pelo pre-
sente a quera estiver para Uso habelitado a
comparecer na Secretaria Militar as 10 horas
da mauha nos dias uteis cr-rlo que por este
Jliversis R PE R VA M BUCO.
GOVERNO DAPROVINCIA.
Exm. eRm. Snr. Tendo a Assemhlea
Legislativa desla provincia instancias mi-
nbas. restabelecido a Associaco Religiosa dos
Missionarios llaliannos, denominados Cipu-
xiilins consla-me (jora, que os >lissioni-
rios actualmente existentes nesta Provincia
I em conseqnencia de seu pouco numero e da
i sua a vanead 1 idade e moleslias, se aclio im-
possibelitados de satisfazer o po encargo de
que forao encumhidos, e por causa do qual
muito principalmente os juli^uei e jai
go necessatios, qual o de cathuliqikir. se as-
sim me devo expressir, os habitantes das par-
tes mais centrans e remotas desla Provincia ,
onde a ignorancia a pecima educacao, o i-
6olamento das habilaces o gresseiro gene-
ro de vida e mxime a falta de pasto espiritu-
al e de til'dienCM da palavi'a Evanglica,
entreten) a barbaridade dos co-tumes edo
lugar a crimes de todo o genero como V.
Ex. nao ignora pela pralica e conbecimento
que tem dessa Provincia, onde geralmente
se do as mesmas circunstancias. Por esles
motivos, e por que sou informado, que nes-
sa Capital existera alguns rades da Associa-
co stipramencionada, ro;o a V. Ex que se
digne annunciar aos inesmos a Resolucao que
acaba de tomar a Assemhlea desla Provin-
cia, e insinuar-lhes pedo modo mus conve-
niente que elles faro grandes ser vicos a
Religio, e ao Estado se quiserem vir para
esia Provincia, e que a respectiva Adminis-
traco nao poupar exforr,os e meios para
coadjuval-os no seo Santo ministerio.
Dos Guarde a V. Ex Palacio do Go-
verno de Pernambuco 19 deJunho de 18^0.
Exm eRm. Snr. I>. Romualdo Antonio
de Seixas Arcebispo da Baha. Francisco
do Reg Barios. ,
Illin. e Exm. Snr. Huma Adminislraco
tal como a de V Ex., credora da geral ade-
miraco e reconhecimeuto nao podia de
cerloesquecer-se do piimeiro elemento de or-
dem, e da maior das garantas sociaes, islo
he, a propagaco das crencas esenlimentos re-
ligiosos, mediante a poderosa elhcacia da pa-
lavra Evanglica. Assim, depois de ouvir
com praser, que V. Ex. era perfeita harmo-
na com a feliz reaeco religiosa que pare-
ce faser o carcter dcsiiuclivo do presente e-
culo ; havia proposto e conseguido a inslau-
raco do Hospicio dos Barbadiuhos Italianos;
expermentei a mais viva salislaeo t0 re-*
ceber o autlencoso oleio de V. Ex com a data
de lo de Junbo ultimo, reoiisilandome al-
guns dus Missionarios Barbadiuhos residen-
tes nesta Provincia que por ventura podes- j
feto que nao hesitou em prestar-se a hum
. ,' 1 ___servitjo vencer raensaimente 55U res.
tao honroso convite : mas nao pode ser com-
pleto o nosso gosto por quinto, sendo tam-
ben! mui piucos os que sededicao as referi-
das Mi-soes, e estes devididos ntreos ser-
los de-da Provincia eos da de -ergipe ; a- COBRKIO
penis resta hura em circunstancias de poder = ..
" r ./ TfO Vapor N. Paraence recebe as mallas
ir, emicnca a espera das ordens de V h.x. t 1-i n- i-< 1 1 vr n
, i m .....,, para Pirahiha, Riodrande dj Norte ^ea-
LalvezqUe com a chegad.i de mais qintro '
que brevemente devera chegar da Italia ,
mandados vir a custa desta -'rovincia ,
se
potsaarraujaralguna outro, que v realisar
as pas intenedes de V. Ex. ; bem que seja
de esperar que a Assemhlea Provincial des-
sa nao deixe de imitar o mesmo nobre ex-
eroplo.
Dos Guarde a V. Ex. Babia 78 de Agosto
de 180 Illm. e E Reg l'arros Presidente da Provincia de
Perndrnbuco Romoaldo, Arcebispo da Ba-
bia
Francisco do Reg Barros, Presidente da
pai
r Maranhaoe Para boje 4 pelas 3 horas
da tarde.
Existe na Adminislraco do Correio Geral
desta Cidade os seguros ahaixo.
Hura para Joaquim Joze Seis is
Dita Jos Xavier Carneiro Roidrigues
Campello
Dito Ahtooii Rodrigues d'Albuquerque.
Dito ., .Manoel \etto Sotua Handeira.
Dito ,, Miguel Vellozo Silveira lbrega e
Vasconsello.
Administradlo do Patrimonio dos Orfao?."
Peran'e a Adminislraco do Patrimonio dos
Provincia de Pemamliuco para se arrecadar o Orlaos se bao de arrematlar a quem mais der
Imposto de 4o reis por libra de tabaco fabri- nos dias, 5. 9. e i2 do corente mez as rendas
cado de 4o reis por arrouba do nao fabri- das cazas nmeros Jo, 3i 3a, 33, 3j
cado e de 3oo reis por milheiro de xarutos 35 e i na ra da Madre de Dos i-j e
de consumo, que nao forem de fabrico da 38 na ra do Torres 4". na ra da Lapa, \%
Provincia, estaliellecido peloartigo i-j 21 ni ra do Codorniz, 4^ 4t>> e 47 ra da
da Le Provincial numero 87 de t de \laio Moeda, 4** 49 5o, 5i, 52, 5, 55 e 5 ,
desteanno, ordena se observe o regulamento na ra do Amorim 57 58 5g to 61 ,
seunte e t> "a n,a do Azeite de Peixe 66 1 e 67 na
Artigo I. Este Imposto ser arrecado por ra da Cacimba : as pessoas que se propuserem
hum Agente nomeado pelo Inspector da The- a arremallal-as podero comparecer UOS o-
mraria, com a Commissao que julgar con- dtcados di is as 4 horai d tarde na casa das
i Sesses da mesma Adminislraco cora seos fia
zour
veniente.
Artigo a. O Agente cobrar dito Imposto dores,
a Porta da Alfande;'.a na occasio de se tase-
rem os despachos de consumo, e de se en-
trega rem os gneros a seus donos recebendo
logo destes em presenca dos mesmos despa-
chos a respectiva importancia em moeda cor-
rente.
Artigo 3 No caso de alguns dos ditos g-
neros depois de serem despachados para con-
sumo, e de pagarera o referido Imposto vie-
ren! a ser reexportados, spos donos podero
haver a competente restiluico pela Tiiesou-
raria, provando perante esta a indenlidade
dos mesmos gneros e a exportaco feiU.
Arlifo 4- O Agente ter para o expediente
da ficalisaco e cobranca do imposto hura l-
vro privativo, e era ludo se proceder pelo
mesmo methodo ordenado para a cobranca dos
mais Imposlos
Artigo 5. O Agente entregara ao Cofre da
Tliezouraiia nos das antecedente aos Domin-
gos e Pas Santos os dinheiros \ne tiver ar-
recadado e no fim de cada mez extrair cer-
tidO do rendimento classificado que acom-
panhar a Guia do Saldo, pela forma eslabe-
iteida a respeilo dos mais Imposlos.
Aili"ot O Agente antes de comme ;;.r a
servir pretar Banca idnea, e ter pessos de
sua coofiansa, que s.di sua responsabelidade
osubsiitca no aeo impedimento
!al..i i > 1'.nverno de Pernambuco 3i de
Salla das Sesses da Administtraco do
Patrimonio dos Orfos 1 deSetembro 1840,
J. M. da Cruz,
Escripturarip.
PREFEITURA.
Parle do dia i de Setembro de 1840.
IIIm. e Exm. Sor. Das partes boje re-
cebidasconsta somenteque foro bontem pre-
zos pelo Sub-Prefeio desta Freguezia o par-
do Joao Evangelista de Siqueira por estar
as circunstancias de ses recrutado ; foi re-
mettido salla e por ura G N. o preto
\ligue.l escravo de Joo Gomee da Silva ,
por andar vendendo bum chapeo furlado ;
ficou detento 110 calabouco
A gosto de 18*0
Francisco do llego Barros.
NOTICIAS PR0V1NCIAES.
RIO DEJAJNEIRU.
Por a circular, era dala de 19 docorrente,-
dirigida a os agentes diplomticos e cnsu-
les estrangeiros vimos que S M. o Im-
perador tem resolvido que a sua coroaco
ter lugar nos primeiros dias de mez de maio
pro\imo futuro.
Por demisso dada ao capitn de fragata
'edro Ferreira de Oliveira Jo logir de inten-
dente da marinha da provincia di liaia foi
nomeado para o dito logar o capito de mar e
guerra francisco Bibiano de Castro. Foi
v..;ta~riAn nn lnaar de chefe de polica da
mesma Provincia o Sr. Gonsalves Marlins.
Foi nomeado presidente da Paraiba o Sr


v, 7 a "R i o a pernambuco


II
1
i
Francisco Xavier Augusto da Franca.
Por decreto de 17 do p. p. mandou S. M.
I. ficar sem effeito o (jue remover para Pa-
ranaga o bacharel Jos Candido Pontes Vis-
ueiro, e bou ve por bem reintegra l-o na co-
marca das Alagoas
{Foro tainbem nomeados presidentes para
provincia do Para o Sr. vice-alroiranle
'rislo Pi dos Santos para a de Sergipe o
Sr. coronel Joo Pedro da Silva Ferreira e
> j.kra a Bahia o Sr. Paulo Jos de Mello Azeve-
noe lili 10.
10 GRANDE DOSUL.
Don. a 5 do Jornal dv Coinmercio de i5
''o p p Agosto copiamos as noticias do
Hio Grande e de S, Latherina ; assim como
do Despertador a parte othcial relativa au
ataque de S. Jos do Norte, para que ronhe-
io os nossos leitores que o que bavemos
publicado a verdade tal qual encontramos
n8S folbas e que nada se occuituu como ma-
liciosamente dizem por ahi certos espirites
turbulentos, paraquem tudo quauto se (publi-
ca anda pouco alientos es seus desejos.
BAHA.
As folhas desta provincia que aleando a-
t aH do prximo pissado nol a pinto em paz,
e toda entregue ao grande regoftijo que a
seus babitantes tem cauzado as noticias da
Maioridade de S M. I.
MINAS GERAES.
Fecebemos de Minas iolbas at 7 do p. p
Agosto e nellas nada de notavel encon-
tramos. Foro alegre e ge ral mente receba-
das as noticias da Maioridade.
POFTO-ALEGRE-
Sempre de Porto Alegre nos chego atra-
cadas as noticias. As que agora rtebemos sao
de 17 de Julbo, e dellns ^ publicaremos
algumas correspondencias encontradas as
ranaslrasde ISello j donde se v qual a con-
futo c quanla aanaiciua, que tem exis-
tido nos diflerentt-s poderes duquella chamada
repblica.
SERGIPE
Recebemos o Correio Sergipense at i()de
Agofto. N'o meio da paz, de que gosa esta
provincia foro receladas, e festejadas as
noticias de ter S. M. I- assumido as redeas
do Governo.
, que os rebeldes tentarib passar na barra
para a campanha. Tinhio-se tomado todas
as providencias para frustar o plano dos
anarebistas comquanto fosse geral a opi-
nio de que tal boata Tora de adrede es-
palbado pelos anarebistas para ver se cha-
mavid quelle ponto as forcas uavaes que
guamecio a Laga e podercm assim pas-
sar no Canguc.
De Ponto Alegre nao se tinliao recebido
noticias directas do Rio Grande \ mas por
bum lancbo chegado da Itapoam consta-
va que o general Andrea tomara posse da
presidencia no dia -8 do mee passado.
SANTA CATIIAIUNA.
FROCLAMACAo'.
Catarinenscs. A fagueira esperanca
que lia nove annos nos consolaya as tri-
bulaces por que temos passado realisou-se
cmfim no faustissimo dia a i de julbo. Nes-
se dia jubiloso o Seuhor I,) Pedro II ,
dente e com todas as deraonstracSes de
respeito e raesmode affecto Isto be de bom
agouro : o general se tiver como he de
esperar o apoio da populaco leudo a tro-
pa em geral como tem, grande confianca
nelle ha de ser til naquella provincia co-
mo o foi nesta. (Carta parcicular ).
( Do Jornal do Commercio. )
Porto Alegre 7 de julbo.
Gfieio do commandante das armas ao presi-
dente da provincia.
Illm. e Exm. Snr Previno a V. Ex ,
que nesta data vai para essa cidade David Jo-
s Barcellos chegado da Cachoeira donde
sabio no da a5 queme he recommeudado
pe'o coronel Medeiros para se Ihe permiltir
levar alguns gneros de que all lia total falta.
V. Ex. o poder ouvir pois d algumas no
ticias que em summa sao que o tenente
Rio Grande, 3 de Agosto de 1840.
A perspectiva que apresento o> nossos ne-
gocios be a mais I i sor, gen a possivel e se
as operaces forem intentadas com sabedoria
(o que se espera do novo presidente e ge-
neral), posso affirmar-lhe a pacilieaco da
nossa provincia. A Campanha est oceu-
pada pelas nossas (oreas de cavallaria e
Silva Tavares seacba com a sua brigada,
mabrde 600 pracas aquem de S. Gmalo
esperando ordens para operar. Nel-
lo, depnis di corrida que llie deu Fran-
cisco Pedro, deixando mono seu companhei-
io e amigo Crte-Real seempenbaem re-
unir pelas inuA incoes de Hralinim Can-
guc e Bage nicos lugares em que nos-
sas forcas de cavallaria nao se acbo. Os
rebeldes, tendo a sua loica do lado de
dentro do Taquary pretendro tomar a
villa do Nortw afim de armarem e vesli-
tirem a sua rota infantera toda composta de
negros roubados a legalistas etc. Depois
de a tomarem ( pode-se assim di/er) foro
lechacados, e as carreta que liouxero
para levar o que podessem roubar servio-
hes para a condueco de immensos feri-
dos. Comtudo air.da andamos muito as-
estados grandes medidas de defesa se to-
mo e os melbores pensadores ciin que
elles prelendem passar para a campanha
com alguro mcvimenlo estratgico em que
tiquemos logrados.
l-iiialmti.le, btnto Gcncalves mudou o
tbeatio da guerra para o ponto mais fraco,
e es anos andados aiu que o novo pr-
ndente e gcnei al principie suas opeatcis ,
e ponba vistas benficas paia esie lado da
piovincia que, sendo muito importante,
wo se cha bem guarnecido e otierece
por isso mais vantagem aos anarchislas em
sus negros e tenebrosos glanos.
Finalmente, mtu amigo, aqui tudo faz
servico os eslrangeiios de todas as naco-
ts lem-se pi estado para a pulida nocturna
desta cidaue e us brazileiros sem txcep-
r-o -dos pregados monto guarda com
rucio -dia de fuiga.
(Carta particular.)
- As Cartas que lecebemos do Rio
Grande at de .Agosto nao contem no-
ticias de giaiidt- impoit^ncia
i-enlo Goiicalves k. n.ei \a\a-se ainda com
al^urua .gtute pela inmediaies da villa de
S Joz dojNoitc. Ltaia-*M nu biu Glande
,u 110 auaii.paii.eulu daquelle caudulio
ti*Ta 40 cairelas de ca as e es>al?ics e
declarado em maioridade pela as-eiftbiea ge I BrendSo e Joo da Rocha se a presenta rao ao
ral legislativa, protn juramento, enlrou coronel Wedeiros coro 5 4 homens de S. Ga-
no exercicio dos diivitu* que a constitu- briel e Vacahy ; queogovenu rebelde lu-
cio Ihe outorga e assumio as redis do gio d'alli deixando os carretas e tres pe-
poverno como' imperador constitucional e C's de artelheria levando duas. No oulro
defensor perpetuo cid imperio do lirazil. ,'diaentrou Loureiro ; Joo Antonio, junto
Cessou pois a orphandade do povo brazi- com Demetrio. tem ioo homens incoropleta-
leiro, e com ella cessar os partidos, as mele armados : e o coronel Loreiro dei-
dissences e divergencias poli icas que tem xou iousa de 100 homens aparentando sobre
rasgado o seio de nossa patria querida : o ibicuy e marchava em diiecco a Algrete,
guiados pela bandeira da paz de concili u:o r,i,ri1 onde se dizia seguia tambero o governo
allianca que agora nos protpge confie- rebelde Em Cagapav.i o Cipito Celestino ,
mos que nossis irnos (Iludidos e ttans- que f.yra ali foi com 80 homens, junto coro
viados da senda dodever, se rcunao com- O mejor Roberto tem reunido m^is de lao
nosco em termo do joven monarcha nosso homens a aquelles fio. Dos guarde a V
patricio, nossas delicias e caro penbor de 'Ex. Quartei general na fazenda de vlonle A- do lugar em que se achava a qu.il,|uer dos pon-
toda a nossa ventura ; e que unidos todos flagre na inr^in direita do Taquary io J tos oceupados pelas forcas da legalidade a-
por urna so vontade a de fazer vingar as de Junhod( SiO.-llm. e Exm. Sur. Jorge fio de vir leuuir-se as mesmis fr^s: mau-
Saturrfino ue Souza e Oliveira. Manoel da em consequencia declarar o Exm. Sar. ge-
Rodrigues.
faci Joze Crspira. Estes homens que h^
dous annos se achavao reunidos e sustentado*
pplo dito tenente e alferes Rjcha se conser-
vavo pelos matos di costa de Cicacay es-
perando ancios'is occasU'o de se juntarem i R-.
leiras legaes, foro constantemente persegui-
dos pelos rebeldes qu3 muito desejavo des-
trui-os, e tem prestado a mais evidente pro>
va de constancia patriotismo e adheso
causa nacional; e S. Ex. muito louva ao l-
enle Rrando e alferes Rocha pela firmeza
com que longo lempo se sustentrocom estes
homens entre os rebeldes habitando nos ma-
tos sol rendo mi I liares de privaces e l'i-
zendo dispendios avultados; e tambero luva
aos mesmos homens, pois sua conducta os faz
credores de muilo particular consideraco.
Sendo constante e fora de toda a duvida ,
que o tenente cima mencionado desde o
principio da revolueo, emi8t5, semore
estivera em effectivo sen ico no corpo a que
enlao pertencia o 3 de cavallaria de linha ,
ussistindo a's differentes acedes que se dero ao
rebeldes no passo do Rosario na Capul 1,
no Fanta as Pedras Altas e ni passo do
Cordeiro e que aduciendo gravemente se re-
colhera sua casa no districto deS Gabriel,
onde se achava ainda enfermo na ocoasio da
deecco do brigadeirj bunio lanoel Ribeiro,
e que em lal eslado possivel Ihe nao foi re-
tirar-se para juntar-se a algu na fjr;a legal;
e que depois de restablecido jaroiis esti-
vera reunido aos rebeldes antes sempre se
conservara pelo mato com a sua reuuuo, por
nao poder alravessar sem inminente risco ,
a grande extenso de territorio que media ,
nossas instituices e manter a estibilida-
de do throuo augusto do Senhor D Pedro
11 nos empenhemos concordes pira assim ,
e sombra delle e das mesmas instiluices,
iazermos alcancar ao nosso paiz o grao de
l'ii.a de prosperiJade paia que o tulhou a
natnreza.
Valentes militares do exercito e armada,
briosos (uardas naeionaes!
O vosso presdeme e commandante que pe|a8 Mwasdanoite setinha retirado com
B le; Joo Antonio, que, com I Su criancas se
reunir ao governo No dia i4
marchou Loureiro ero seguimento do iniroi-
Extracto de huma carta particular.
Amigo velho serve esta de Ihe dar notici-
as minlias e do mais que nos iuteressa No dia
i3do corronte eutrou o coronel Loreiro em
S Gabriel
neral commandante ero chele que fica sem ef-
feito a djsposico da ordem do dia n. 8 i de 8
de abril de i'j a respeilo do referido l-
ente Candido Joze Sanches da Silva bran-
do por ella chamado como ausente, de cujo
chamxraento nao podia tambero ser instruido ;
e ordena S ti. que o dito lente li.pie per-
tem no devido api eco a bravura nos combato, I ij|,|ia viudo
a firmeza nos peiigos a constancia nos traba-
Ibos e a pericia mis manobras com que con-
go que marchava para o Rosario. Nesta
leguistes restituir esta provincia a pze*8or- marcha apresou as carretas do* rebeldes a
dem nao duv.du da vossa cooperacio para ;lllti0 maudou botar logo e com a noite roir-
pela parte que nos toca, se O b tere m ests ;cuuu Loureiro para o passo de S (Jorja que
simco- 'pdssou tu manli do dia tS e se Ibes no:
i rio ftilo juneco com Guedes marcharo a
rumo de Vacaqu e no dia que Loureiro
eutrou em S, Gabriel encontrou-se huma
bens a precia veis ; corita com ella assim co-
mo com a de todos os Catharinenses
sempre submissos leis e fiis ao ihrono ,
tantas pravas dero recent menle desias vir-
tudes. O Todo Podrroso. a quem aca'.tamfjs de
render graos pelas a>M;-rnaladas venturas que I partida deste \ como Fifi
nos concedeu no sempre memorael e grato ti
de julbo coroar nossos eslorcos. Tendo
implorado as benjaosdo ceo cumpre rjue nos
lomemos dignos deltas tomando por nico
norte a boma e o dtver e sendo o nosso
constante bunio :
Viva a coiistiluicao e o acto addicional !
Viva o imperador o Senhor i) II Vivao
as princezas brazileias Viva o curpo le-
gislativo do lirazil !-
Antera Jos Ferreira de Rrito.
Desierro S d. Agosto df. iHyjo.
Os acontecimentos notav.is succedem-se tranquillo, Loureiro deixou-me em S Ga-
com tal rapidez que bem podemos dizer os briel de polica remando e.enle e com
destas eras que muito vivemos em pouco tem- aquella que se me reuni m.rchei capella
po Entre out.os aconlecimeulos de menor de Santa Mara donde Hz desalojar a polica
monta, que de mais raemoravel que o dia e huma reuuio que sstavo fazendo nos
a3 de Julbo l O venturosa desenlace que leve Campestres, e marchei a reunir-me ao coro-
a scena que prir.c.piou a representar-se logo liel ..edeiros a q.,em todos os das se eslo
no cometo da presente sesso legislativa rennindo inmensos rasileiros queseacha-
ransou aqu jubilo universal; ainda que, vo eon idos elos rebeides
con vio^ao prapria nao n.sp.rasse alegra o fiM ,, reUs que Loureiro apresou foi en-
exempo dado pelo presidente Antera que cootradra a imprensa dos rebeldes : estes dei-
tem sabido faser-se amar e respeitar de todos, Xaro em S. Gabriel a obuses e 1 oeca Si .
a lodos eonvenceua. Achara qui hu.n exem- estas as noticias que por ora Ihe Psso dar e
piar da proclamacao por elle fela no da c cont.nuarei a dar-lhe mais que bou ver
do crreme, em que iqui se solen.nuou o Seu amigo cerlo. tc.
fausto IJ de Julbo. Tudo est contente e Campo volante a v.sta da Cachoeira a6 de
tudoiaz votos paia ene lao abalisados varoes maiu de tf.10. (dem \
romo os que compem o actual ministerio sa- 25 e ,uu10 l '
t.slaco a expeclacao publica, e por seus actos Quarlel Genera, na fazenda do"pereira a de
latao arreigar esda vez mais o amor que todo julbo de io4o
o brazil tem ao seu adorado monarcha Qrdem do dia n. ,31
^o tem apparec.do ate agura forcas rebei- O Illm e Exro. Snr lenle general, Na-
des ero para o lado da Serra nem para o noel Jorge Rodrigues, cummand-n.eer che-
desta prov.ncia, gracas a posi.ao criUc. a fe do exercilo em operaces manda publicar
que os redu/.o a sabia e anda nao assas luu- que Ilu ail ^ do mez passado renio-*. 1
vada manobra do benemrito aucio o gene- ltIca da segunda brigada de cavallaria qat
rdl *cl,e,e- seacba as immediaces da villa da Cachoei-
U txm br. general Andrea que havia fa o tenente de cavallaria de linha Candi
arribado da primeira saluda da segunda do Joze San.-bes da ailva lraudao trazand.
eutrou eoVsemba.cou B0 Ulo Grande a .do Wmsl mensarmados eoli 03
n.^z passado, sendo rectbiuo na ponte do se uolao ..ees de comrot so desuardas
atsenal por numeroso concurso de habitantes, j aciouaes, Joao da Rocha e Sousa e o alie
-os ,e^udo9 graos de-Viva o novo prci-j res reformado da cavallaria de Imita nT
em seguimento do goremo re- lencendo como addido ao i. regiment de" ca-
, quealliseacuava Este, no dia 1 >. vallara ligeira.
S. Ex. julga conveniente fazer constar ao
exercilo qu-: a villa de Cassapatra foi oceupada
por humesquadro do i corpo de cavallaria
de guardas naeionaes em destacamento ao
mando do capito Celestino Guiarte Pinto ,
ero principio do mezfiudo, e pelas ultimas
participacOes consta tere.n s<; j reunido all
mais da to cidadaos legalistas, e nao pouuos
oTciaes estando de regresso s suas casas a
maior parte dos habitantes ; e o intitulado go-
verno republicano havia abandonado aquella
villa nos ltimos dias de ni lio.
O Snr. coronel Medeilos commandante
da 'i brigada de cavallaria, coro o 5. corpo do
mando do Snr. tenente coronel Jlo Propi-
cio, tem oceupado os districlos das munici-
pios da Cachoeira e rio Pardo quero do Ja-
cuhy e suas partidas percorrero al Santa
.Ylaiia da boca do Monte e perseguero os
grupos rebeldes por toda a parte que appare-
cro no extenso terreno que oceuparoos.
Tero-se apresentado e reunido no munic i-
piodi Cachoeira quasi aoo homens que se-
ro destinados a formarem bum novo corpo ,
e o Snr major Cnaro muito se le.n esforzado
para estas reuuies.
Do municipio do Rio Pardo j viero a6
homens para o es juadio ligeiro reuidos
pelo capito Vctor.
descoberta
eno que andiva ero
e o mattro coro dous com pa-
ndeaos. E>t.i* sao as noticias certas qui/ at
boje pusso dar a V. S.
A sua estancia de S. Rita est arrendada a
Juca Ignacio e a do Carmo que era en-
carregado della o dito Fileno ucha-se coro
grandeporcio de couraroa e touros servigo
;ue :lii se fez.
Presentemente, supponho nao ha ver na
Campanha quero nos ihorreca. pois que pou-
ca gente dos rebeldes j se ach |>or si mesma
em desorJem e creio que breve ficar ludo
O intitulado governo republicano que es-
lava de assento em S Gabriel abandonou
preeipiladamente esti povoac >, debaitode
bum furioso temporal na tarde do dia 1 a do
passado, deixando ficar dous obuzes e huma
peca desmontados huro i canoa e alguro fu-
mo e sal indo escoltado pelo corpo de Deme-
trio que coro elle nao veio por ter dado par-
te de doeule 5 montando o lotal da forea que
seguio com o intitulado governo a i5o pra-
cas. O Snr coronel L mreiio, coro a bri-
gada de cavallaria, forte de 700 pracas eu-
trou ero dita povoico no da i i tendo ba-
lido no Saico a partida do intitulado cipito
r lleno que ficou mono coro tres coropaunei-
ros e seguio sobre os rebeldes no dia i*.
JNo bauhado de luliatiuro abandonarlo os
rebeldes as carretas que levavo as quaes
loro mandadas queiroar pulo Snr. coronel
Loureiro coro quanio dentro liuio seudo
grande porco papis, pue davida-se n0
podeno examinar pela falla da lempa e uero
serero couduzd.is por huma cjluro.ia ligeira ,
e cujas iroporlantes operaces depende.ii es-
sencialmenle do e.nprego da celendada para
se obterero os elizes resultados que se lero ero
vista, inlitulado governo 110 da 1 atra-
vessava o rio Santa .Vlana no passo do Ro-
sario queesUvade indo iNesse lugar sa
Ihe reuni GueJes com o corpo que coairoaa*


*
DtARIO R PBBNMBC
la, subindoo total da forca rebelde a $00 ( mas debaixo de hum grande risco de vida, secretario de estado dos negocios da marinha [ Prata .
torneas. E com elfo estivessem do outro ficando a baleeira passala de bitas mas sem! interino *' Antonio Pedro de C.rvalho"
lado e o rio dt nado naquelle lugar o Sor. ter sido ferida pessoa alguma 5 depois reun >- capitao de fragata e inspector. ( Correio oIR -
coronel Loreiro foi nessa noe passar o mes- se ao Unchi. Este lanchao, que ha pouco cial.) [Do Despertador ]
Bao rio leguas cima no passo de S. Borja seacabou de construir e o mellior de todos
onde achou vo colloeando-se assim na re- os otilros, tendo montada hum 1 peca de ca-
taguarda dos rebeldes podendo-os llanque- libre 9 ingleza, a qual foi docuter "Merut" ,
ar e Torear a ganhar a costa do Ibycuhi. O postando-se ja' em hum ponto j em outro ,
Sr. major Severo com huma partida se reu- foi o que mais concorreo para desalojar o ini-
nioaqui ao Sur. ooronel Loureiro, quebr- migo, esmorecido a final ao ver chegar lan-
vemente esperava se Ihe juntassem o Sur. le- chas de tropa humas atraz das outras" e es-
nente-coronel Annibal com os aoo lirasileiros caleres com soccorros. Achando-se no porto
que era fins de maio se achivo promptos no da villa de S. Jos do Norte oi. tenente
Estado Oriental, pois para tal fim tinha o ( creio que honorario ) Joaqun) dos Santos
mesmo Snr. coronel adantado seus avisos Malhado em Imm brigue de sua propriedi-
conforme as ordens de S. Ex. e pela poflico de em quinto teve plvora e bala n ces-
que ganliara se con hece poder aquella reu- son de fuer tbg sobre os rebeldes ; etendo-
niao do Estado Oriental fazer a sua junco se-lhe acabado a municat veio no seu esca-
sera que os rebeldes tenbo a liberdade de o* 1er debaixo de grande risco pedir-me an-
incemmodar.
Pelo que fica relatado e a posiejao em que
Correspondencias*
.....75 i|4 a na
Apolicesde6 porpento. 7. i|i a 3l{.
(Boletn) Comnrercal).
Srs. Redactores.
Rogo-Ibes queirao inserir no seu primeiro-
numero o Aviso do Ministro da Paseada de
<) de Abril do crreme auno que unto Ihes
remeto.
MINISTERIO DA FAZE.YDA.
Ao Presidente da Provincia da Minas de-
clarando que entende impossivel exereer-sc
xilio. rornect-lhe logo i too tiros de peca, conjunetamente o empreo de O.heial Vfaor
a runhetes de cartuxame eduas pecas de d 1 Contadoria di Thesouraria e o de Juiz
se acha o grosso da forca rebelde concentrada calibreu, das quaes s huma he que ento de Paz; e ordenando-lbe que no caso de Joa-
nas immediaces de Porto Alegre, S. Ex. pode receber por ir en huma das melbores j-QUtm Mariano de Yzevelo Coutiiitio nao pe-
deixa ao exercito ajoitar sobra as vantagens lanchas, indo depois asegunda, quando o dlr_ a escusa, que Ihe ha de ser da.la na
tempo ahonancou mais ficando assim com 4 ; ^ori11'1 do artigo r\. ~ A\ Lei de i5 de Otilubro
bocas de logo portera seu bordo a de ca-I de 18.7. dever el|e deixar o exercico do
libre (i. I seu em prego na ContaJorta em quanto lor
Passarei agora a fallar do infeliz capillo te- J"'* de Paz.
Surs. Redactores.
lotera do semivaco.
O Reitor do Seminario de Olinda convida
os amu llietes da prmeira parle da 17.* Lotera do
mesmo Seminario, (cujas ro-lisanda impre-
terivelmente no dia i2 de Sbr'jque se acba a
venda no Bairro do Reife rui da Cideia, na
loja decambio do Sr. Vieira ; em S. Antonio
na ru 1 do Cabug, loj do Sr. Bandeira ; na
Boa-Vista defronte ila Matriz botica do Sr.
foaquim Jos Moreira.
que temganbado, e se por estas tem a seu la
vor todas as prc habilidades de fazer sucumbir
brevemente a rebelda, e restituir a paz pro-
vincia.
Tendo vindo nos liomens que vierao com
o tenente Brando o soldado Silvestre Jos
de Andrade que era do antigo 3 corpo de
cnvallaria de linha e o soldado Sabino da
Silveira Faril, qtn So a. do antigo 1. bala-
Ihode cae-adores de linba : e prisioneiro dos
rebeldes em Rio Pardo em 3o de abril de
838, ordena S Exc. que ambos fiijuem per-
tencendo ao 3. regiment de cavallaria li-
geira abonando-se-lbes no respectivo pret
os veuciraeiitos que] se Ihes estiver de-
vendo e para este fim manda S. Exc. decla-
rar que o primeiro se acha pago at o ulti-no
de Janeiro de 187 eque, tendo estado sera-
pre com aquelfo lente se ihe deve abonar
o sold e gratifiraco a que tem direito ; e,
quanto ao segundo que este se apresentou ao
relerido tenente em novemb-ode lij), e que
dcsta poca em diante se Ihe deve contar o sol-
do e gratificacao por ter estado em servico e
o sold simples durante o lempo que esleve
prisioneiro dos rebeldes procurando-se na
pagadoria fiara se Ihes alionar os vencimentos
anteriores data de ser prisioneiro, al quan-
do se acbava pago o que constar das rela-
ccs do ultimo pagamento feito a aquello ba-
talho. Gabriel de Araujo e Silva ",
tenente coronel deputado aj udante general.
Relaco ofncial do ataque de S. Jos do Norte.
Illm e Exm. Snr. --Seria pouco mais de
huma hora da noile do dia ltt do corrente ,
quando lu acordado pelo eslrepido do logo
de artilheria da villa de S Jos do Nore. Sem
demora segu ao arsenal a dispr todos os
soccorros que entao se podio prestar De-
baixo de huma forte ventana de E. SE. e
grande mar, fiz expedir (plantas lanchas mer-
cantes pude esquipar com tropas *, e ein hum
excellenle escaler de 1a remos, bem guarnec*
nente Francisco Romano da Silva Esle o-
icial procurando aproveitar esta oceaso
Tendo-se-me dito nueem huma enrpom-
para prestar maiores servicos por nao poder 1 1 a > q"c e > "urna corres-
1 1 '1 ponilencia destribui la com o Perudicn He-
o brigue escuna do seu commando uiover-se
foi oara tprra
Vigano da l' reguezit do Cabo se relatav i o
como o lanclio'* Torres foi p*i
com o piloto e hum s sida lo.deixan.io ordera c '!
j- Ii J I'ICtO ll
co da Religiao assigna lo pefo Reverendo
Vigarr
e Ihe ter en dito, que o R no Dele-
LOTERI.i DO THEATRO.
Os Bilhetes di |, pirte da \. Lotera,
cajas rodas andio impreterivelmente 11) da,
i da Seiembro prximo futuro acho-sa
desde j;i a venda as Lojas d >s Snrs. Vfan jel
Goncalvez da Silva e Vieira Cambista em
a ru 1 di Cadaa no Barro do Rj-cife e no
de Santo Antonio as dos Snrs. Basto e Cos-
ta na Praciuba do Livramento e Manoel Al-
ves Guerra na ra Nora.
ao seu immediato para Ihe mandar na lancha .
todos os soldados de mannlia, para coa elles *t SluT' ^ bmt WS,d?
guarnecer huma peca das irincbiras } porn, faJM ~ Filho fosse tomar conta dadi-
quandoo immediato mandofl trra buscar a7* b.ce^'l\do Gb<> i e qe o mesmo lleve-
11 1 r j ii 1 rento vicario me resnoudeo oue nir nc-i.
lancha que tiulia [nado euvalliada na vespera 1 '
para se limpar nao se pode esta j tirar e
por isso nao furo os soldados 0:110 elle n
via ordenado. O soldado que o acco ipan 1 1
!oi encontrado in uto do piloto lia vestigio ,
que morreo afogado ; mas do infeliz comnun-
dante nao lia o mais leve sigual liouvequem
o visse anda fazer lo :o com as suas pistolas 5
mas carrejando os itiiieiue, com grande for-
ca sobre a ra da Alfandega da villa nin- p
Vj^* lili 111*
me respouUeo
ama-.ieira a quera, n;m conviuhi em tal
no-neacio e que assim o disse ao mesmo
Delegado; nao pude acreditar esta no-
e quiz por mim mesmo desenganar-me.
procurando a tal correspondencia E qual
foi o meo assombro ao ver qu : ella com ef-
feto con tinha a narraco deste inventadp fac-
i ? Lonlesso a vmces que nao fi juei em
e que nao pude deixar de esclamar .-
ASSOCIACO COMMERCIALDE PER-
NAMBCOvi
No sendo posivel haver reuniio da Socie-
dade em consequencia di chuva no dia 3,
(ica a mesmi reunio transfer la para o dia <}
do'corrente, os Snrs. Socios sao por sso con-
vocados pela a vez pira a referidareaniioeooi
Assmeblea Geral.na Salla das Sesjei di AiSO*
ciico para o meio dia.
Joze Jernimo Monteiro.
Secretario.
THEVTRO-
Da 27 de Setem'iro gran le gala an i-
versano da Ludependencia, O Emrezirio
vai celebrar este da com a maior p? npi ,
pondo em scem hun novo drama, o humi
ope requesitei ao coiinuanJanto o espe-
rar; e em consequencia voitou a lom ir o fl m-
co do suida villa. Na falta do ctpio ten-
te Ronauo,r:quisiteiao capito teue..t Ib, s,
o tomar o commanJo do brigu escuui > An-
e mu.to de bem, acrescentando-lhe huma mui brilhante 7euanova OlSCESl DE
equivoca e intempestiva admirado? 'Momem NU ilA VCI V ou AN TES 10.1 TE Qfi
honrado e mu.to de bem .' Co no he possi- FEBHOS O Em,.re/.ario tem preparado no-
vel -------Basta ; eu rae lemito ao que me ma horroro/.a vista do Averno estancia da.
cunioie declarand > altamente em deleza da
betdes hija seguir acannouetra Ru pdr_
antes pelo contrario diri>>indo-me eu a sua
do** ficando all coadi ovada pualurcddd 1;......:, 1 c 1 j
1 r/: no da prim-'iro de Seleraliro do anuo
alfandega
que bato das acabei da prompti. pa9J%do f ra receber a importancia de ttns
do, envieideamilcartuxosdeespuigarda, que ficar montaudo-lne nu.na peca do calibre frw vencidoS como procurador que er.i
me apresentou o capito Jos (ninuno do A- 9. eouliadej, para em caso urgente passar 0 feverendo Vicario de i) Anua Joaqu
maral ajudante do quarlel uiestre general
Por outro lado fu seguir os lancbes Del-
fim e Torre ; e apezar de ter encalhado
Avisos Diversos
o primeiro no canal o segunuo venceoas3
horas e meia da madrugada chegar ao lugar
do logo bem como quasi todas as lanchas ,
excepifo de duas que nao podro vancer
e arribarlo debaixo de grande nsoo de vida
liba dos viariiibeiros.
Ao discernimenlo coragem e bravura do
major couimandante do a bataliio de ca-
cadures de l. n linha ; a rapidez dos soccor-
ros 5 feliz lembranca da reuiessa de cartu-
xame ; e ao fugo do brigue escuna Ando-
rinlia principalmente do lajicho Tor-
res he divida a salvaco uaquella praca ,
tomada de sur.reza pela huma iiora da noile
por huma forca rebelde de 1,'ino liomens e
evacuada das 9 para as 10 horas da m.tuh ,
depois de hum porfiado logo sem cessar hum
instante de parle a parle.
Eslaudo no porto ascanhoneiras Rio Par-
do, Cassapava e Miniiana a prmeira sem
esta para o cter de soccoi 10 da barra que
por ordem do governo da provincia liavia eu
arraujadopara este fim Para 3. Goucalo liz
voltr a cdiihoneira #i iVluuaoa.
Ouando estavo os nossos bravos combaten-
do fiz Srthir para Forlo-Alegre hum hiatfl
a ,
quina
que os nao
tsr Quem tiver huma carta, vinda no foi-
gueSintd Miria Boa sorte pira Antoiio Luiz
leme que o grande temporal Ihe fez perder ; teiibo to.uado para a segurduca desles dous
a segunda es,er.< do comboi e a terceira a importantsimos pontos. O que ludo assim
labucar fiz reoroar coin geule das canlio.iei- lenlio a honra de levar ; preaeiiua de V. Ex .,
,0, dous tanciius ; 111;.. no as^everaiidj a V. Ev que s o estado de
Xnier e dizeudo-me elle
pagivaporno ter ordem avizando-me de- Gonsalves Vianna. queira entregil-i ni ra
poi> no dia viole e dois de Outubrodo mesmo do Quei nado Lija do Cinoca ia, ou lan-
anio para os bir receber como com eii'eito cal-a no Gorreo.
fui. nesse dia desabonando elle a conducta de CT Joaquina Osear Elster, taz snenle ao
algins Reverendos S.cerdotest entrando nes- respeitivel Publico qun mudou o seu escrito-
mercante a pedir soccorros ; e uoje vou au- te ,mero hu .1 Hespanhol que tnba esta- rio e arma daroluate 'Ol.veira' que ne do servio do IU sud |greia]eu Ibe disse, que tinha das para a ra do \ igmo Usa nova junio a
detrausporte de mantimeiitos armado com Juin F.lho Padre; mais que este iieutium do Consulado ; ficando a dos chapeos na ra
huma peca de calibre 4 com odiaos dando emp-era aceitara fra da praca e nem pre- da Cale velha I). 17.
parte dosuccesso hual talvez o maior que lenJ<1 SlM. Parocli. islo sem duvida he CT Traspassa-se o arrendamento de urna
lem havidodebde o principio desta mortfera mui adente do que se afirma ni citada Loja na travessa do Queimado para o Rosario,
revolucao. i\o caso do couimandanto em cae- correspondencia m lis ISlO he o que na rea- bem como se vende a armacao da mesm 1 que
fedadiviso naval nao ciiegar e liou.er a- |uUuJ sl pdSWU esU he a verdade ; e em he parle com eminhas envi.lracadas : quem
taque, pretendo ir ..o.-me a testa do com- Jobseuio dalla epero que os Srs. Redacto- a quner dinja-se a ra do Vigano casa nova
sesnelacoa merc de inserir estas buhas no junto a do Consulado on a ra da Cadea
seo lano ; pulo que Ihes licar obngadissi- velha U. 14. >
uo ce n se ceafessa ser Pm'Jo* o> das da Le se pora em
U. Vincas seo Aliento Venerador e ass3- Pr4v publica para ser arrematado por ven-
ut- Joao Leitte Puta Orguera. da, perante o Snr. IJoutor Juu de UireitO
da 1. Vara o Civel Marliniano da Rocha
Bastos, urna pequea casa terrea com urna s
CAMBIOS. porta, junto a urna Olaria na ra da Gloria
da Boavisti onde mora o Snr. Ignacio Altes
Ro de Janeiro ai pe Acost.
mando das 6 embarcaces ( inclusive o bri-
gue mercante armado j que boje protegen) a
villa de S. Jos do Norte deixwido aqu em
ineu lugar o 1 lenle l\ies que j foi
nouieado vice-insptcior flo devo omutir a
V. Exc, que este olli-ial tambem preslou seus
servico a uoido do brigue escuui Andori-
nha. '* Eis Exm. Snr., as providencias que
nuil
rasas guarnan.-
" Torres o c*ptio leante Francisco Luiz da
Gamj, cora o .. a tenente Pedro Garca ,
com mandan le dos lancbes levando tamben
huma bdleira para ajudar e soccorrer ds iau-
has que levavao tropa.
O j. teiieuie Pedro Garca debaixo de
hum vivo logo, guiou com a baleeira as lau-
chas aolujar que era dominado pelas uossas
Circunstancias lo extraordinarias,- e a boa
inteUigeucia e baruiouia que leubo mautido
com o coininaudaule e n ciiele da divisio na-
val he que me ubngro a lom ir huma po-
sio-io que me nin competa.
Dos guarde a V Exc Iuspecuiu dos ar-
senaes de mariuUa da cidad.: do ttio Grande ,
19 dejulho de 10 jo -- Jllm. e Exm "^
Pie,os 1 hora da tarde.
Camiioi sobre Lonlres 3o a 3o ijj
Pans. .
iimiui'go
obres bespan'ioes .
di patria .
Pezo-hesp mines .
o di patria _.
rcoasle Ci .joj Vfllbas *
a i) 11 ivas
nom.
torcas: oque cououio coin a maior fortuna, [ot|UIMl Jos R-idfigues lorros, luiui ili ^ ',;, de 4^)M
3ao
585
u7.ino a Aj,aoo
17,000 a 27,100
i,73o
1 68o
15,i5o
7,yoo a 3,oo^
da Silva Santos. Adverle-se pois aos licitan
les, que sedirijo ao mencionado lugar a
verem o predio antes d arre nalaeao e sm-
entes de quintos que ha nao se chamaren) de-
pois ao engao
S3T Quem precisar de um rapaz porluguez
ann mcie.
SST Precsa-se alugir um andar de um so-
brado ou urna casa terrea no barro de San-
io Antonio sendo e n boi rui e com com-
inodos sumeieules pira graiide familia : queid
a tiver auu-iii'-ic.


DIARIO DB PE^NAMBCCO
f
tsr Precisa-se alujar urna can de um o
:dous andares que lenha cnmmudos para urna
grande familia, as nrincipaes ras desla
-4'.darle : na ra nova armazem de luuca fi-
lia O. 18 nu aniiiiucc.
^" AInga-se o terceiro .indarda casa n.
1 da ruada Cruz junto ao arco do Bom Je-
ss ; por preoo mdico tena muito boa vista
para o mar solo e muito bous com modos ;
a tratar no segundo andar do mesmo.
tj*r Francisco Gome* de Oliveira [ o Cor-
retor 1 aluga a sua excelleute e mnilo eommo-
da rasa e pequeo sitio na povoac.o do
Poto da panella pelo lempo di prxima les
la uu animalmente os pretenderles diii-
io-M ao mesmo em sua casa na ra dd Con-
eiclo no Recil'e n. S\.
o diario de
varreht com muita p
deidadede 11 annos ja con principios
alfaiale ; um negro moco, opliuvi para qual -
quer servico ; na ra do Crespo luja I). 5 do
lado do norte.
tsr Urna pardinha de idade de ift annos ,
ose enomma e pronn.i para
mohanda
Avisos Martimos.
PARA O ARACVI'Y o velleiro Patacho
Nacional Lauremina Brasileira forrado de
robre pe leude sabir com brevidade por ter
a maior parte de seu campamento prompto:
quem quiser carrejar dirija-se ao rapito
Antonio Germano das Neves ou ao seu pio-
prielario Lourei.co Jos das Neves na ra da
PARAORIO GRAN IF. DO SUL com
brerdade-o Patacho Novo Triunfante rece-
be anda alguma caiga e passageiros para o
que lrata-se na ra Ja cadeia L). a 1 ou com
0 Capito,
Leilao
cr Hoje sexta feira quatro do corrente
as o horas da manlia em ponto, os credo-
res enrarregados da liquidaco da casa de
Francisco Nunes Correia ; Adour & C. Le-
noir Pogcl & C. e Thomaz de Aquino Fon-
seca rontiiiuarSo fazer a venda publica ,
j-or intervenco do Correlor Oliveira e de
acord COO) O dito Correia de todas as fa-
tendas da loja d este consistindo o soriimen-
to em fitas estreilas e laig-s superiores esco-
mo preto de idade de 35 annos trabalha mu
hem em servico de sitio, una preta quitan
deira e muito desembarassada e um mole-
que de idade de i3 annos ; na ra do fojo ao
pe do Ro/.aro I) t5.
tu?" Urna venda no pateo da S. Cruz ; a
tratar na ra da Guia I). 5 9.
t-T Umacarieira de ditas faces, tizada ,
por preoo com modo ; na ra de A mor m \
andar das casas do Sr. Nuuo Maria de Seixas
defronte da ferrara do-Sr. Caetano.
tssr Urna barretina de pello aparelhada ,
em muito bom u/o para G. N, ; na ra da
Gloria casa que nao tem rotulas U 11.
cy A casa terrea 6 indo da trempe pa-
ra o mondego feita a moderna, echaos pro-
pros ; a tratar na ra nova D. 18
ES* Urna escrava parda e dons moleqnes
creoulos ; na ra do Queimado foja de fa-
zcndasO. 16 defronte do beco da Congrega-
co.
SS5** Tres canoas sendo dnas de carreira e
urna aberta por acabar todas novas e por
preco com modo para as ver aira* do Carino,
e tratar do ajuste na ra do Rangel sobrado
D. 4o.
SST Um negro de bonita figura de na: ao
angola de idade de (> anuos o motivo da
venda se dir; ao comprador ; na na da Cruz
armazem de BoHi ra da mceda em casa de Joio Ferreira dos
Santos no lerceiro andar.
CT Vinbo de Champagnhe Rlieno, Bo-
urgogne blanco e linio liante sauterne ,
hars&c medoc H. Julieni, chambertin, por-
to xerres licores sonidos azeite de Borde-
aux agoa ardente de franca cognac
mimi p^^^*
XSF" Na praciuha do Livramento O. 34 ,
um sortimento de facas e garfos de cabo de
umroai, irarfim e de osso finas e entrefinas, bandejas
t^* Um scravo de nacaS srm deffeito al- grandes e penas finas e ent efinas espingar-
uma casa cose, lava roiina de|" *^ Um cavallo novo muito gordo e de
muita perfeico, e um molcquejuma gura muito linda; em lora e portas
._ ....= i-, om nrinrnios de numero 71 1.

nebra de lio'landa azeite doce em caixas ,
militas, chapeos de sol, perfumaras agoa hiscouto de llamhurgo diversos doces (-on-
de colonia, e oulras suspensorios lavas I servas com ervilhas e de oulras cotizas mus-
de todas as qualidades meias de seda para, tarda, charutos da fabrica de F. Gros na Ba-
senhora c homem leque luios pentes in- hia ditos de manilha, um apatelho de pro-
dispensaveis grande variedadede sapatoserelana para cha copos de cristal para agua;
liitins para sen hora homens e mininos | na rua da cadeia velha D. 17 primeiro andar,
nuntase lencos de garca vestidos requissi- I casa A. Hosch.
mos de selim lencos de cambraia bcos de *. -3^- Meias de seda lisas e bordadas para se-
liulioe algodo flores lindissimas challes nlora ditas de algodo para senhora e me-
de seda pistolas, espingardas seiins cominn;,s, suspensoiios de burracha mui ricos,
seus aireos, bandeja, gnalas e copos para -Jilos ordinarios a 4 chitas frailearas lar-
vinbo e para agoa de cristal, estojos de eos- pas e de cores linas immitando a seda, de mu-
tora para sen hora escrivaninhas aparelhos |0 bom gosto 5 na la do Quetmado loja De-
de porcelana para cha mangas de vidro pin-
tadas e Usas, lampies debronze, bijoterias,
quadros carteira para escriplorio bande-
jas linas franjas de algodo, e infinidades
de outros objectos de bom gosto
C o ni p r a s
CS- Uma escrava moca que sai ha engor-
mar e coser, e que lenha boa figura e
uma negrinha de (j a t anuos nao se olha
preco ; na rua de agoas verdes D. 58.
tsy Um escravo oficial de carpira ou pe-
dreiro ; na ruada penna D 4-
tST Um niolalinho que seja bom para bo-
lieiio 5 quem tiver annunce.
V e ri d a s
C5- Caulellasda Sociedade Fortuna Ty-
pografica, da Lotera do Theatro ublico ga-
nhando a vigsima parle dos premios, cahendo
na .orle de b 000 000 reis tresentos mil res a
preco de 45 ; nesta Typografica na praca
da Independencia n. -jo e na rua larga do
Rozario loja de miudezas D. 7, e na rua do
Collcgio loja de relojoeiro.
jcy Uma mesa redonda de Jacaranda, com
gavetas ; na rua estreila do Rozario D. a4
por cima do marcineiro.
S3r~ Um cavallo russocom uma muda por
fazer, bonita figura, hem carnudo, bom
passeiro sem achaques e muito ardido : na
1 na nova ao p da ponte D. 66
tstr L'ma negra de angola de idade de
M annos com uma cra cabra de idade de i
annos, a escrava tem muio bom leile para
criar ; na rua nova da lado da viatriz D 9.
tSf Jma cadeira obra a mais rica possivel
toda forrada de seda ; na quina do beco da
congregaco U a.
tsr Uma porco de pombos muito bons ,
una cabra buho com duas crias, muito n an
ca ed bastante leile ; na la do Peixoto
jas f pontas D. 77.
L_ St-l.'-'.is a 4oo rs. o oento ; no arma-
cai t Antonio Aunes no caes da Allandega
Uto L'n.a mtade bonita figura cuzinha
cima 11.
ts&~ Um oratorio proprio para se dizer mis-
sa comas sitas competentes Imagens por
preco commodo; na rua velha I). ai.
~^ Ou aluga-se uma rasa na Cidade de
Olinda em S Theresa defronte do Colle-
gio dos orfios ; truta-se na la do niucho do
Livramento D. 1*.
*2S^ Caitas desviabas e palarrns em letra
redonda e manuscripta a 80 rs taboadas tom
algumasdiunicoes de Bczout e outros a 80 rs.
eucadernadaS e sem serem encadern id.is I 4
rs. diccionario poitatil portugnet-franctz, e
francez-porluguez v. Qifhtiliano era la-
lint selecta da edco de Coimbra contndo
a oidem grammal cal las 5 primeiras paginas,
dita edicao antiga Terenco em lalim e o
novo e velho testamento de J. C. ; na ru di-
reila loja de cabado do Sr Basto I). 36 e na
do Codorniz n 4 [ excepto os livros J renda
do Sr. Jos Rodrigues.
tsy Um par re brincos de hrhantes no
allerro da Boa vista loja de miudezas D. it
12?- Lid corrame de lustro com pouco
uzo na rua da S. Cruz venda que tem cal-
cada de pedra.
tsr L'ous nioer|ues e duas negrinhas de
idade de laa iti anuos na rua do Queimado
t^- Ou troca-se por uma casa neste Rect-
fe um sitio com muito boa casa feita a mo-
derna sita no atierro do varadouro ent 0-
linda com lodos os commodos para grande
familia tendo bom banho um grande par-
reiral viveiro coqueiros e oulras arvores
de fruclo com bom embarque no interior ;
trata-se na rua da Cruz D 5.
SSS" Sement de melancia mulo nova a
48o rs. a garrafa; no pateo da S. Cruz loja de
marcineiro
tsar Gigos com batatas novas ; na rua da
allandega velha armazem n 3.
SST A posse de um terreno na rua Augus -
la, com 1 Jq palmos de frente e fundo sufi-
ciente para se edificar por preco de 1 :.|00,ooo
metade a vista e melaiie a praso ; a fallar na
misma rua casa terrea defronte do sobrado do
Sr. Dias Fernnndes.
gum entende de plantaci nao he rapaz
por essa razio capaz de se entregar qualquer
litio 11 com
i '.
.~ Um cvalo preto de estribara gordo
^ntuito bom passeiro e rarre-a baixo ; para
ver na ru 1 do assougue velho em casa de Ci -
priano alveitar e nara o ajuste nos Coelhos
terceira casa da rua do jasmira
tsw Farellos de trigo superior en sacas;
no atierro da boa visla venda que fui de Car
los Jos Lopes
cr Dma canoa aberta que pega 1300 a
i4oo lijlos mui hem construida e de boas
roadeiras ; em casa de Joaquin Pereira de
Mendonca a diante da riheira do peire sobra,
do de rlous and res
c^" Um molato de idade de t8 annos co-
zinha sofirivel o diario-de uma casa; na rua
ra praia a fallar com Bernardino Antonio
Ramos.
C^" t'Vm bracas de rede trcsmalho de bar-
bante ; em fura de portas n an.
y Um molatinho de idade de la annos,
de bonita figura, muito fiel; na ruada Cruz
II. 'y
\^J~ Calcado de toda qualidade para ho-
mem e meninos chegado na ultima embarca-
can de Lisboa : na rua do Rozario D. la indo
para o Collgio
til? Por precisao duas molecas de nacao ,
de idade de !/$ a i4 anuos dous moleqnes de
'"idade de ,\ a \5 annos uma escrava de ida-
de de a5 anuos, engomma e coznha com
perfeico um preto de meia idade traba-
Ihador de enxada duas escrava? cozinhio,
e lavao rnupa de saba e varrella lodos es-
tes escra vos sao de elegantes figuras; na rua
de agoas verdes D. do.
ts^ Por preco commodo um bote novo com
vellas e remos ,e cheg ido ltimamente dos
Estados Unidos ; em casa de Henry Forster
& Coro pan hia no trapiche novo
TS- Urna casa de taipa hem conslruda
unloa povoacan de Nazareth em pequea
distanciado rio capiharibe, com sitio com
algumai froclejras e aooo cocos com casca ,
proprios para embarque a i4 }o o cento ; nos
arTogadosa fallar com Claudio Pereira junto
ao asougue.
S.^*" Duas escra vas de naco de bonitas
figuras ambas com algumas habeldades ,
ou troeao-se por outras que sivvo para o
servico de porta dentro; na tua drcita D
ao lado do Livramento.
13^" Taboado de pinito americano de todas
as grossnras e larguras dilo da Suecia de
uma a tres polegadas de grosura dito de
orro proprio para fundos de barris de meia
polegada3| de grossura ludo de superior
qnalidadee por preco ommodo; no forte do
mallo armazem do Viann
C^- O Tresenario de S. Francisco de Pau-
la obra utilissima aos devotos do mesmo
Santo, a 1 'jo rs. o volume ; as lojas de
livrosdos Sis. Cardoso Aires na rua da cadeia,
de Santos e Companhia no arco da Conceicao ,
de Antonio Jos Pinto pateo do Collgio, e
na i,i 1, Independencia n. 37 e <8.
py Lu libra de sement de alface uma
dila de dila de nabo uma dita de dita de co-
ve hespanhola uma Bandeira Nacional, de
4 palmos propria para qualquer embarca-
cao ; na praca do Commercio botequim do
Almeida.
t^ Os jenuinos pos antebeliosos e pur-
ganlivos de Vlanoel Lopes massas para cha-
peos bezerro de lustro fino folhas de pa-
pelo envernisadas para pala apparelhos
decavallaiia de G- N. ditos para soldados ,
bandas fidas para official ditas para sargen-
to galp entrefino branco earoarello tran-
ca pela para fardas chores de pennas fi-
nas, ludo chegado do Rio de Janeiro por pre-
co commodo ; na praca da Independencia lo-
ja de Antonio Felippe da Silva n. 11 e 12.
XZT Bolilbos e biscoulinhos de patente, e
se foz sobre mesas de bom gosto ; na rua di-
r! la sobrado n ir.
-, ?* Pentes de tartaruga de coco, aberlos
e lisos e ditos de marra!'i ludo eilo na ter-
assim como se cunceita loda obra de lar-
las de espoleta a a88o caivetes e tesouras
finas, compassos com lira linha e canelas par
ilonio Jos Gomes >'desenlio, tudo por preco commodo.
doze patacasinsdellas de idade 5o annos de J
de todas as .rossuias para curar carnosidades
<; dor de pedia por 3 <-to a duzia e a 400 ca-
da urna meias de linho brancas e crins para
hoinem e de algodo para meninos bieos de
todas as larguras os verdadetros purgantes
e vomitorios de le roy ntacass per-ola e
olio agoa aromtica paia (lentes facas e
glifos de cab.i de marfim a 8000 a duzia, e
outros muilos objectos por preco commodo ;
na rita larga do Rozario loja de miu/oVzas De-
cima 7.
Escra vos Futidos
KSEf* No da a5 do passado fugio uma es-
crava de naco de nome Josefa estatura
regular, cor fulla cheu do corpo, cara a I-
guma cotiza chala representa ter de idade
i j a ,j' annos falla descansado ; quem a
pegar leve a Olinda rua do Amparo n 67 ,
e ser recompensado*
t3F" Fugio no da 18 do corrente uma ne-
gra de naco costa de nome Roza baixa ,
chSia do corpo, carcunda, com lalhos no
rosto, testa encogida tem um inchaco n>
rosto de uma queda e para maior signal tero
aneldo de jacar ; quem a pegar leve a rua
aira/, dos Martirios I). a5
ts?* No da a do corrente pelas duas horas
da larde tugioda Cidade de Olinda uro es-
cravo crioulo de idade de io annos bastan-
te alto pernas linas, ps grandes, sem bar-
ba beicos grossos e grandes andar banzei-
ro ; quem o p';gar leve a mesma Cidade ru
de S. -Joo sobrado D. ia que sei genero-
samente recompensado.
8^> Ao amarillecer do dia primeiro do
conenle do sitio do Cirurgiu Silva no poco
da panella i esi'ravos dous machos e urna
femei um de nome S.uafiui de nieia idade,
muito baixo cibeca grande pescoco gros-
so e curto, iar;;o de pz peritas finas fei-
coeos nada regulares ; outro quasidt mesma
idade de nome Cipriano anda menor ero
altura corpo alguna 1 couza inclinado cor
mais fulla talla lina feicoens irrigulares ;
a preta de nome Getrudes estatura ordina-
ria cor fulla pellos cabidos caracompri-
d 1 e feicoens mais agradareis levo ves-
tido o primeiro camisa e seroula de algodo ,
cujos lacios esto marcados um coro a lelra C,
outro S eilo de linha* encarnada a preta da
caiiiisa de algodozinho e vestido de xilla ;
quem os pegar leve ao dito sitio que ser re-
compensado.
l7* Fugio a dous annos um preto de no-
me Joao com os signaes segu 11 les ; altura
recular magro de idade de 40 annos para
mais de naco mucanibique tem no rosto
um.rs marcas de ferro e entre ellas uma bas-
tante grande na testado feiliode umaferradura
de cavallo ; quem o pegar leve a rua da ca-
deia a casa de Ale. Cal moni & Companhia ,
que ser generosamente recompensado.
Uovimeuto do i'orto
NAVIO ENTRADO NO DIA 2.
ra
taruga: no pateo do Cafrmo loja de lartaru-
gueiro D l4-
tsr No engenho Meguahipe debaixo fre-
guesia da iluribeca bois creoulos e mansos
para carro.
EJ" Urna preta de naco de idade de 20
annos com principios de costura engomma,
e coziuba o diario de uma casa, e uma dita
deidadede ta annos; no largo do collgio
escriplorio de Antonio Jos de Magalbaes I
Baslo.
RIO DE JANEIRO e porlos intermedios ;
11 das Barca de Vapor t'aranhense Co-
mandante Joo Frederico Berrizo passa-
geiros para esta provincia Joo Reis da Sil-
va com duas escavas Manuel Gonsalves
de Babo Sebaslio Jos de Oliveira Ma-
chado, Vligucl da Costa com um escravo,
Luiz Salter com i|ecravo de 1 .uilherrae Fe-
lippe de nome Julio ; ditos parao Cear ,
o Capito Jos Fels Bandeira Depuudo
Antonio Jos Machado com um escravo ,
ditos parao Maranhoo a Tenente da ar-
mada Jos Juslinano de Vasconcellos Bar-
riga e uma escrava Ignacio de Vloraes ,
Major Albino dos Santos Pereira Carlos
Joaquim Fortunato Alves de Souza, Ma-
noel do Huass Reis Brrelo,
SAHIUONO MES VIO DIA
LISBOA ; Brigue Portuguez S. Joo Baptis-
ta Cap. lYianoel Jos de Souza carga as-
sucar e couros.
ASSU' ; Brigue Escuna Rainha dos Anjos ,
Cap. Manoel Pereira de 5>a carga lastro.
BAHA com escala peto Asa ; Brigue Bra-
sileirj Americano Flt Cap. Jos r cr-
reira dos Sa utos em lastr.
JREC1FBNA TYP. DEM. F.UE W.m -84o
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E335G7S95_J2NYTH INGEST_TIME 2013-03-29T16:50:02Z PACKAGE AA00011611_04104
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES