Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04095


This item is only available as the following downloads:


Full Text
H
->
a,:
Anno de 1840. Sabbado
Judo BRora depende de nos mesmos; da nosM prudencia moden.
5-0, energa: continuemos como principiamos e^remo Cma
com admiracao entre as ISaces mas cultas, "os a pona do.
Proclamnco da Assemblea Geral do Bratit.
SuLscreve-se para esta folha a 3#ooo por quartel pagos adiant.do.
nes.a lypografia, ra das Cruzes h. 5, 'e nakc da ffdcindenc
m.37 e">8, onde se recebem coirespondenciasle^da,, eannUUC0
gnad0"" ^ MndodosProPr^^nteS,'ev.ndoS.ss?g*
Partidas dos Correios Terrestres.
j Cidadeda Paraliiba e Villas desua pretendi. .
/ Dita do Rio Crande do Norte, e Villas dem. ,
Dita da Portllela e Villas dem..........,
"Villa de <'Oanna. ..................
Lidade de Oinuia..................
Villa deS. Ant;"o............'..,.
Dita deGanmlmns e Povoaro do Bonito.....
Oiasdo Cabo, Serinliaern, Rio Formozo, c Porto
Cidade das Alagoas, e Villa de Maceio........
Villa de Paja de Flores..............
Todos os Corret'o partem ao meto da.
Calvo
Segundas e Sextas Fciras.
. Todos os das.
. Quintas letras.
. Dias lo, e a4 de cada mez.
. dem i ii, e *ji dito dito.
dem Ideni
. dem 13, dito dito.
23 DE MaIO. OTJMEItO 11 5.
atax___i__ii ni -----W*-~ '" "*
CAMBIOS. --tIiaio as.
Tjhr *ndres......ao ip 30 d. por Ifooo cerf.
Lisboa.......70 73 por o/o premio, por racialoflerccidoj
F'pi.ca.......iiprei por franco.
hio de Janeiro a par. *
r iff OUHO Moedaa de gioa n Velhas 1^700 a i Ditas ,, Novas l4#5oo a tifao*
1 ,, Ditas de ifooo rs., Sff-wo a 8#tioo
PKATA (Pataces Brasileircs.......1^5 > a 1^67
___ _LVPQ5r^ ?' Pezos Columnarios -------------- i6Ha a 1*68
Ditos Mexicanos-------------------.1063 o* i/Mia>
Miuda--............_ 1^440 a t/fiGo
Descont de liilhetes d'Al'andega t i;8 no 'o ao mez.
Iden) de Letras 1 t\i por boas'tirina j olfercido.
Moeda de cobre 3 a 4 uor 10O.de disc.
Das da Semana.
18 Segunda S. Venancio Hf.------------------- Sasslo da The, e and. do J. de da 11 ?;
19 Terca.....S. Pedro Celestino.--------------Rd.. e aud. do J. da 1. v. do C. de m.
Jo Qtiart*--------S. liernardino de Sena.---------Sanio da Thea.
ai Quinta--------8. Mares H. M....._ Relaco, e a.id. do J. de I), da ?. v.
21 Sexta---------S. Hita de Cassia Viu. ------ Ses. la Th. e ud. doJ. de l>. da 1. v.
i3 Sabbado------S. Ilazleo Are. ......- Rel.e aud. do J. de L>. da 5. y
24 Uodi. S. Aira M. -.....
Atare c lie i a para o dia a 3 de Maio
As 10 horas 6 minutos da tarde As 10 horas e 3o minutos da manh."
i Jt....
Hss? IPSl mk ftp MSS
* -aar \iai /#-,.!, B\rv 1T iwffl VI /*/ \~t-\
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
RRNIAO' DE AMBAS AS CMARAS
Continuaran da Sesso em a4 de Abril de
i4o.
(O Snr. Andrad Machado continuando a
fajar).-He preciso ignorar o lech infama da
Scieucia a esle respito : nao mandare! ne-
jil)tim dosSnrs. deputado* a huma obra ;
vilal: trato,, della e foi bem sucedido ; este tas 5 porque aquellei que se acredito th -
"'liz resultado mostrafq quando se trabalba a-! nicos capases de salvar o paiz,
uradamente por 'azer triumphar huma can- veses enea rielados da ptihlit
Ten lio dito o
c
pu
sa justa, sempre se vence,
men parecer.
O Snr. Marinho Snr. presidente huma
queslao se lem apresentado. e V. fix. hade
permettir que annuncie minha opitiio com
toda aquella franquesa o lealdade que he
propria dos representantes da naci, O no-
mas que tantas
publica administradlo
somente tem feito desservicos nao querem
nem ao menos que se Ihes apontem asfaltas
dos deputados : se esta cmara approv.t o au"*
amento nao est em lempo de apresentar ou
de iniciar as imposices i|' precisas forem (ia~
ra f.uer lace a esse au.pnenlo ; eis poia neceg*"
sari.imenl segUtndo-se a consequencia qu
quecommettem ; e apenas hum diputado Ihes tolos estamos vendo di ntcessidade de crdito
Historia Constitucin| da Inglaterra ; man- bre ministro (ios negocios estranc.e^ros pela
do a mesma c nstilniciTo que faz a distinecao franquesa com que se iem portado perante o
das prerofativas de huma e oulra cmara :; Cor po legislativo, declarando que nao se lia
na cmara dos deputados est a iniciativa dos de relira/do seu posto em iiuinto nao n-
impostos por qtie esta cmara be (pie est formara itaco dos actos concernen tes a sua
melhor informada, melhor instruida desta reparticao merceos meas louvores Snr.
materia; iniciativa suppe que ludo quanto presidente, eua|iprovo esse principio pro-
alise trato pode ser tratado na oulfa mas 'essudo pelo nobre n.inisUo ; esse principio
nada mais. le o mesmo que sustente! o anuo passado
Disse o nobre deptitadoqiie heda atlribui- contra a administradlo (le iq de setembro,
, rao da assemblea peral marcar as despezas que, depois de ter obtido do corpo lepislati-
publicas e nao s' da cmara dos deputa- vo poderes immensos e largos crditos recia*-
dos. so dar conlas de sua fjeslo, e se demiliio
Ora, o que quer diser a conslituicao a es- Vergon liosa mente poucos dias antes da instal-
te respeilo ? O orramento que fixa s despe- laco do corpo legislativo.v
I za nao pode ser lei sem que concomo os tres Tehho de perguntar ao Snr. ministro da
ramos do poder legislativo sem que Cada juslica qual a urgencia que o moveu a a-
lurn delles a apptove pelo modo prescrito brir as portas da rellaco para empregar nel-
na conslituicao. la tantos desembargadores novameule nome-
Diz-se mais que o senado tem direito de ados; tenho de perguntar ao nobre ministro
emendar Senhores, he preciso que nos en- da fasenda militas e muitissimas couzas : per-
tendamos ; a conslili^o he como outro guntarei ao Snr. ministro da guerra porque
qualqner escripto ; nao pode ser entendida raso alargou tanto o quadro em que devia
sem se comparar lodos os seus principios e manobrar o nosso excrcito. Por isso, se os
destruir as antinomias que primeira vista nobres ministro rile declararem que fico,
podem apparecer, com para ndo-se os antece- quesegulro o nobre exemplo do seu digno
denles com os consequentes e finalmente companheiro o Snr. ministro dos negocios
observando nesle exaroe todas as regras da estrangeiros maior sera o meu contenta-
hermenutica, ment. Mas talvez u esteja era erro ; to-
Tambem se disse que ras propostas dogo- davia quero esclarecer-me ea na cao mui-
\erno creo despezas ; mas nesle caso estas to lucrar ficando inteirada do modo pnr-
proposlas tem de passar por novas copeas ; que tem sido dirigido os negocios publi-
htr a oulra cmara julga que nao se pode com eos.
semelliantes aespesas nao as concede. Snr. presidente antes de entrar na ques-
Disse-se que o governo fixa a despeza. to da emenda, tocare! em huma queslao
Allega-se esla rasSo porque se confundem as summamente importante que se venlilou so-
ideias quando o governo faz a proposta nao hreoOyapork. Nao pretendo nem levemen-
entra na iniciativa ; deixa a quem compette te roubar administrado a gloria que d'abi
consignar os fundos. lbe possa resultar ; mas entretanto cumpre-
Snr. presidente, eis oque tenho a diser me notar que o ministerio nao deve haver asi
sohe esta queslao. toda essa gloria; porq' Sr. presidente, eu estou
Hum illuslre dcpulado por Minas tocou iuiimainenle convencido de que as nossas ne-
na queslao do Oyapock. Eu agradeco ao gociaces com a Franca lomaio p mais fa-
noure ministro o ler-se ocenpado com esta voravel para nos desde que alguns espiritos
questo: islo s faria com q* eu lbe desse o patriticos apparecero e principiaro a dar a
meu apoio aiuda mesmo quando o negasse imprensa brasileira huma direccao digna
in-
lazoposico, hum deputado os ioterpella ou Isupplernentares., que niu^uem dir queJM*-
ponta fados que nao so coneeti teos com sao entrar em htiu. sYstnn.i do governo recu-
a disnosiefio da lei elles dizon 1 V sois | lar porque he huma medida de que se lat oa
mo em casos extraordinarios,
'iis he preciso que a assemblea geral na
dtscusso di despeza nao berca de vista o<,u:
anarquistas vos compromelteis o bem-estar
da sociedade E se se Ibes pergunta porque,
elles respondem. Porjue vos estis apun-
tando nacao o que nos lasemos. Eis, Snr.
presidente, o servio-) q'preslarao esses espiritos
patriticos preparando a opini.o publica para
que possa coadjuvar hum ministro digno,
para que a nacao approve e adopte suas
medidas; eis-aqui oqueeu mesmo, depu-
tado da opposU-o, live a honra de fazer na
minha provincia redigindo hum peridica
neste sentido. Houve hum ministro da ad-
ministraco de i<) de setembro que dcliro
solemnemente q1 nada tinhamos a fazer se nao
der da questo la evacuaco, e oceupar-nos
principios e que se prevtni ja contri o h r-
roroso crdito que segundo as prevsesmi-
nisteriaes, dizem que subir a mais de 15 mil
con tos.
Conforme com estes principio1), Sr. presi-
dente eu ententlo que o senado no pte au-
gmentar o quantum da despe/.a flxada pela lei
do orcamento na camira dos deputado* ; voto
portanto contra a emenda em discussao 4 e vo-
to contra ella tambera p>r outra razSo ; por
esla oceasiao eu invoco o lesterauulio de hum
nobre deputado que be igualmente merahro
somente da quslo de limites: a opposico j do tribunal do thesoui o. I'oi elle quem dis -
disia que a Franca devia evacuar primeiro o se por oceasiao de se discutir esla lei que
nosso territorio e que depois trataramos dos ella j levava em principio hum dficit par
limites. Esta opinio foi contestada por mais de i mil contos.
(n mili us casos ; poique, amanle do paiz, chdht moslrando Franca quaulo era
amante da sua dignidade nao posso deixar justo o seu procedimen:o para comnosco e
de louvar o mrtistro que a taz respeltar. O quo ressentido eslava contra hum tul pro-
niinisteri u de 15) de seleinhro precurou a ln- ced ment o espirito nacional dos Urasileiios.
glaterra e to mal apiocurou que.nao toiPoi sem duvida a prepalacao destas ideas
Jicn recebido. patriticas, foi de cerlo a propalaco (lestes
Mas disse-se que a oposiio LUz a guerra.. principios de dignidade naciunal que moveo
!No a opposico recoohcceu bemadelica- o commerciu francez a representar ao seu
de/.a da situadlo do Brasil; disse que ajjjoverno, e que peanle elle reclamasse a re-
gueira era hum mal que se devia fugir del- j paraco da injustica que o Hlasil solfria.
la por todos os modos ; cu live. a honra de Cabe aqui notar ao nobre depuiado que re-
faliar nestu questo c disse que era preciso
esgotar os recursos das navegaces ; mais
disse que a honra nacional devia ser susten-
tada. Eu nao provocara a guerra; mas se
nos quisessem por o p no cachaco se nos
quisessem tratar uinda peior que os negros,
de S. Domingos, enlao dira iorraraos
lodos mas morramos com honra. E nao
(vemos nisso gloria? Aiguma tivemos ; a sico ; mais nem eu nem os meas nobres
dignidade da opposico influio milito no mi- collegas sao os que se pretenden! apresentar
i.isieiio j elle ritf que era esta. Jjubh quesio pernl na^o voqio desordeiros e anirquis-
c Luna parle desta gloria para a administra-
cao de 19 de setembro que no lempo della
foi justamente quando hum peridico que
1'e.z redigir hum nieuibro o mais inilueule
dessa administracao aconselbava o contra-
rio, e disia que era preciso solrer para depois
vencer.
Sr. presidente, eu son deputado di oppo-
Imm membro da administracao de 19 de se-
tembro, na oceasiao em que se disia que es-
se gabinete voltava ao poder ; entretanto bo-
je reclama-se toda a gloria para a adminis-
co de 19 de setembro e procura-se com-
prometter a opposico disendo-se que ella
(pieria aguerra quando nunca, nunca ella
quiz ou aconselhou a guerra : quando (eu
recorro a lembraucados Snrs. depulados e de
lodos os que nos 011 vi rao ), quando a opposi-
co s disia que sustentassemos os direitos
do paiz, e (' se na sustenlaco desles direitos a
guerra l'osse indispensavel, ella se fizesse ; eis
o que disiamos, mais nunca quisemos ade-
claraco da guerra.
Ora Snr. presidente, alegrei-me sobre-
manera ouvindo diser ao nobre ministro dos
negocios estrangeiros que nenhum ex-miuis-
Iro anda fez tanto quanto fez St Ex. Em
verdadeopaiz pouco tem a agradecer s di-
versas administradles que tem tido ; esta ad-
ministracao nao estou persuadido que tenha
feito s bens ; sei mesmo que alguns males
tem feito ; mais pela reparticao dos negocios
estrangeiros apparece este grande resultado a
seu favor, e desejarei que o Snr. ministro
dos negocios estrangeiros (eu sou franco e le-
al) se conserve na administracao com todos
os seus collegas e que sse retirem quando
o corpo legislativo Ibes declare solemnemente
que elles perdero a sua conflanca, 011 quan-
do for da vontade do regente ; mas, consti-
tucionalmeiite fallando, nao enlendo que o
regente possa (uso mesmo do verbo- possa-)
demiltir hum ministerio que merece a eonfi-
anca da sua nacao nem nomear hum que
saiba que vai encontrar a repulsa do paiz. co-
mo o de 19 de setembro se por infelicidade
do pail anda huma vez voltar ao poder.
Pouco di re a respeilo da emenda. Eu
sou hum dos que enlendera que o senado nao
Ora proseguiremos nos, Sr. presidente,
neste carainho que necessariainenle nos con-
duzir.i ao ahrsmo decretaudo sempie despe-
zas extraordinarias sem que atleudimos i
nossas posses sem que olhemos para os meios
de occorrer a taes despezas ? Sen Ii ores at
quando pediremos emprestado e pediremos
emprestado para gastar ordinariamente ? Se
em circunstancias ordinarias a assemblea deve
decretar sempre as despezas tendoem attenoo
0 servico na razo de sua importancia nos ,
as circunstancias em que nos adiamos so-
mente (levemos decretar aquellas que sejo es-
sencialmenle indispensaveis. Tera-se mos-
trado que na reparlic.o das relaccs estrange!-
ras muita economa se poda fazer.
Sr. presdeme, quem nao sabe como se fa-
zem as nomeaces de adddos e ajenies consu-
lares qne uo lera nenhuma ulilidade e
necessidade aiud meaos? Hum ou outro que
tem grande proteco quer ir esludar Europa,
e pede ser addjdo : mas para ato Lavemos de
consignar dinbeiro e ouerar a naco j tj
immensamente sobrecarregada ? He para isso
que havemos de abrir ainla mais o abysmo
dos crditos supplementares ? "Se me fosse"pos-
si vel, eu interpellaria o nobre ministro da fa-
zenda para que me deelarasse a quanto ebega-
r a montar o crdito que nos pretende pedir..
Sr. Alvares Branco ( ministro da iazenda );
Talvez a 6 mil contos.
O Sr. Marinho : Seis mil cantos o anuo
passado, seis mil contos para este auno, e
paia o anuo Dos sabe quaulo ser !.,.. Mas
devo suppor que ser o mesmo se nao mais
porque este atino as cousas v.ao segurado o
mesmo caminbo do anuo passado. JVo auno
passado principiaro as cantaras os seus traha-
Ihos cora hum ministerio cuja mudauca todos
os das se annuneiava ; ora se dizia-fica esttf e
sabe aquclle. ora se annuneiava huma mu-
pode emendar a despesa para mais, e sim danca completa; assim loi-se levando a cama-
para menos. Aos raciocinios apresentados
accrescentaiei ; he do direito constitucional
de todas as ijaces que hum augmento de des-
pesa importa necessariameote o decretacao de
hum imposlo.
As nossas imposicSfta sao decretadas na lei
do orcamento ; esla lei emendada n t cina-
ra al o 1. de setembro quandoase orgaui-
sou hum ministerio e veio-nos pedir huii
crdito do que creio que apenas restao hus
oo contos. A dissolucu do ministerio j m
annuncia ; e al se diz que hum nobre. mi
nislro nao sei se ornis influente, j nen
despacha, est deaniltido, e senio fosse e
rados Sts seutidoics volla para acamara generosa, (rauca leal decl-uadO do Sr, mi-




UDMjaasMHam n >< mi mw i mirra
nislro dos negocio estraiimiros or
DIARIO Ot PEBNAMBCO
reio quptcornhatprpm minbns opinips, as allprem P nao parpre que a entpnfle bem ou redif>io-a | OfficioAo Commandante Geral do Cor-
lonas a* emendas que leir. pisado leriao cahi- j me aUribnfo oque cu uo disse. Se o n-io de surte que d a corr prehender cousas diver- po de Polica communicando-lhe a expedi-

tlo porque nem en itern meus cotlegas,
podeiiamos querer disculi-las nao havcndo
nnnislcrio. Dos queir^ que nao aconteca po-
rem o que as folhas j; annuncio e he que
fica simiente o Sr. ministro dos negocios es-
trangeiros. Eu entendo que deven) icaf to-
dos os Snrs. ministros e com espccialidade
o da fasinda porque at a le do crdito llie
impoz a obrigaco de dar con las do modo por
que o dispendcu. En quero saher minucio-
samente do empreo destes dinhejros; quero
discutir este ohjecto na cama;a pi.de esporo
ler a felicidade de me ver cm face com o Sur.
ministro ; porisso desejoa sua copserya :"o ,
jiorque nao lia desprazei miior principal-
mente para hutn depulado da opposreo do
que discutir sem ministerio ; mas como
existe ministerio podemos discutir.
Voto contra a emenda porque nao temos
dinheiro ecada hum'se accommoda com as
suas circunstancias. Todava se me conven-
lesse que esta despega era necessaria para sus-
Icnlarmos a dignidade da ossa representadlo
externa Bustentando lmma diplomacia bri-
. liiauie cuino desejo (pie seja a do meu paiz,
nto muito francamente votara por ella ;
mas entendo que com o consignado pela c-
mara dosReputados se poder fazer a despp/a
sem que o servico publico padeca. Snrs ,
cortero os Snrs. ministros esta car reir de a-
buzos ; nao nomcem addidos e cnsules que
rao cstiidai ;i Europa custa do Brazil j
to individado e to empobrecido.
O Sur. Souza Franco:Snr. presidente,
tem-se dito alguma couza sobre a fausta no-
ticia da desocupaco do Oyapock ; tem-se
querido repartir a loria que resulla da con-
tri bu^cfo p,,ra este acto e be meu dever
fazem de ptoposito fuitd-te a entender mi- ; sas do que dzein seos rticos.
nbas proposicoes qt:c ali sao bem claras. I O senado nao pido augmentar despezas ,
Por ventura disse eu que s admillia a ques- po/que toda a despeza se resolve a imposto ,
?......." ...;-*. .V .|m ?F rllIUHllMI a t|Ura [">IIJU(- (nuil II UCMICA'l 3C inUIVC a lilliu>-i! !ao de (undn secretos como a nica queslao de tem-se dito e elle nao pode augmentar im-
gabinete ? En dsso que bavia quem o segus- posto, e es o .senado reduzido a nao poder!
se; mas quantoamim, tendo alfirmado propr burna nica le, porque nao ha lei
t ------ ----- I ]. no ..i..,ii ..-. [i declarar que ;is admimslracdea de 19 de se- enca na nomeaco e demisso dos ministros,
lpmKrn .>:w!ii-,l r:ilw- minlfi nnrln t\ntl-t ..,. lli^..; .:_-.!.. J. __ I_ .-
tembro e actual cabe muila parte della pe-
los esfreos com que a prorao\ero o que eu
posso certificar vista de ordens e provi-
dencias que me loio enderecadas na quali-
dade de presidente do Para ou que j; e. tio na respectiva secretaria.
Nao fui por certo as recrminaces eamea-
cas que por meio de jorhaes se fizera ao
governo francez que ella se deve allrihuir,e*por
tanto a gloria ou parte della aos que as diri-
g rao : lo i ; juslica da nossa cauza bem
pleiteada taivez oi i pacificaco da provin-
cia du Para que ella se deve ; e honra a a-
quellesque a promovern ou coa/Jiuvro .'
A desordem da provincia liuha dado lugar
oceupaco, com o fim naturalmente de altra-
thir pnraaquelle ponios scus habitantes lu-
gitnos povoar o dislricto com os propros
Jiidi;enas do Fai; evirdepois approxman-
lecimenlo da ordem frustrou porem os planos
acabando com a emigraco 5 e iasendo com
que os fugitivos se lecolhesseru as suas casas j
eos Framczcs deixados quasi asi mesmos ,
lacados de molestias que Ihcs iao matando c
inutihsando muila gente, a ponto de s lo-
que liavia actos quesles que entrando no
progamma principal de quasi lodos os gver-
il n tomavo o carcter de queslSo de gabi-
nete e outros que nao de bem a entender,
que nolimitnva a huma queslao de gabine-
te ealcitei o de fixaco de orcas de mar e
tena como entrando neste numero. *
Se se tratasse de classifiear pbilosopbca-
mente quaes ellas sejo eu citara mais al -
<;umas ; mas nao vera ao caso pasar'i adi
ante.
E, nao s ha quem limite a huma taes
questes poim quem as nao admita abso-
lutamente e siga, que a retirada do gabine-
te quando derrotado em qualquer queslao ,
anda as ma is vi taes he contraria as prero-
galivas que a coia tem nosgnvernos repre-
sentativos de nomear seus ministros Se tem
o rei de escolhe-les dentre os que loe apona
a canaara cotao seus cheles se os tem de de-
mitlr quand em minora dizem elies : nSo
fita nuflhcada tal prerpgaUva ? Mas e re-
pito que nao don como minba esta opinio ,
era a de que he huma s a qno.uo de ;abi -
nete e s as cito para que o Sr. deptado
que me eornhaleu observe qUe se nao deve ad-
mirar da minba opinio quando autorida-
des muito acreditadas vo anda al;:n di lia
e peco de novo que me nao attribuao opinioes
que nao teubo emillido ; que se nao diga ,
porexemplo, que sustentei como meu o prin-
cipio de que as cmaras nao devern ter intlu-
Drei ainda duas palavras sobre a queslao ,
se pode ou nao o senado emendar a lei do or-
camento visito que a defend na outra cma-
ra e que se comhntem anda os meus argu-
mentos bem que eu a nao jnlge a proposito.
Em minba opinio a queslao he clara e nao
precisa debate ; porin se o nao he e se he
mster diruMo esta nao lera resultado ;
porque equifabria a deciso a huma inter-
pretado e nao he este o meio de se interpre-
tar a constituidlo.
Eu nao julgo Sr. presidente que em
materia como esta toda constitucional ve-
, (. ------ ------ 7 ,.,. __
quasi alguma que nao traga consigo despeza ,
nem anda a fzer emendas a crear hun
eoipregado Nirllo Meara o senado do Bra-
zii Mas pode propr leis, ele. ; acaba de
dizer hum-nobre depulado p-jrS. Paulo por
que be s indirectamente que ent.o augmen-
ta as despezas e cu no vejo oque va I ha
esta dstineco de augment directa ou indi-
rectamente (nardo de facto en ambos o ca-
sos ella he augmentada ; e segue-se que pd-le
e nao pode o senado augmentar despezas por 1'
augmentar directa ou indirectamente be aug-
mentar.
Tambera no pode augmentar disse hun
depulado por Minas, porque, huma vez
marcada pela (amara dos deputados e mau-
llada a lei para o sen ido viubacXia mui Ur-
de e nao poda mtis que aquejli camarade
novo iuiiir mposH. A queslao he enl:> di'
lempo, gue tem muitos meios de ser preve-
nido e eu nao vejo que as cousas posso ler
tal andamento que nao seja mister reforma-
las em virttide de novas oceurrencias. Huma
desoriem huma oceurreneia qualquer, veni
muitas vezes tornar necessario o augmento de
(oreas ou de pre*tac.5es para qualquer ramo
de despea publica j; quando a lei respec-
tiva est no senado ; e para nao augiftenlar ,
e c.iusar inconveniente de lempo padecer o
estado, perder-se-bo vidascjrr ri seo huma
provincia ? !
E eu nao sei como alguns Srs. deputados
que tem tanto a peito as prerogatvas da c-
mara queiro ceder em favor do senado a
mas importante que he zelar as despezas
publicas e restring-las o mas possivel. O se-
nado dizem elles, pode diminu-las ; e co-
mo diminuir seja o mais brilhante acto da
cmara dos Srs. deputados, he huma abne-
gncao que elles fazem de seus mas caros di-
reilos. He da essenca des^a cmara que ella
tenda a favorecer o povo diminuindo-lhe as
imposites; be da essencia do senado que,
collocado do lado do governo tenda a lhe dar
mais lorca augmentando as consgnacoes vo-
tadas. He neste sentido que o senado be mo-
----------- ----------^^> .^*... wlwmHiinlul| ic- *...i..o. .j^ mili- ^riiiniu llliCU >(_ IIIII J |IC I11U
nlm muilo a proposito a citaco da constitu- derador e intermediario ; e bem que algumas
cao costumes e eslvlos de paizes estrangei- j vezes elle possa estar no lado exagerado na
ros He com a consitnico na mo que ella opposico e a cmara dos deputados no con-
deve ser ventilada e s viran nnmimiin. irarin do t tmr i-nm-n a s-',!..
deve ser ventilada e s vi rao a proposito a
quelles como esclarecimentos e apoio do sjste-
ma.
Abnndo a constiiui.ao eu dou logo com
otit. 4- 1 cap. l. do poder legislativo,
que. dividindo-o entre duas cmaras nao
deixa nem anda suppr rne caiba maior par-
ledelle a huma que a outra cmara. Noart.
H. trnta da lacinia interpretado sus-
penso e revogaco das leis como compelin-
rtm no ponto do A mapa j5 homens, nos 5ns I do a ambas as cmaras com igualdade
no 11 que mais ap|ilicaco tem ao caso ,
nao deixa suppr que 1 aja ..Iguma desigual-
Irario he s porexcepeo, e nao deve
formar regra para que em materia de con-
tiibuicOcs s possa se colloear do lado desta ,
e contra o governo. He isto desconhecer nos-
so systema assm como he o comparar o nos-
so senado com as cmaras altas europeas ,
cheias de mais altribuic5es poderosas pelas
suas riquezas diversas em sua creaco ele
cao da ordem supra.
dem do da tq.
OfficioAo Inspector da Tbezouraria da
Fazenda para mandar indemnsar o Arsenal
de Marinha da quantia de i8s75i rs. im-
portancia da despeza feita por aquella Hepar-
licocom o fornecimento de raci'S de Irez
praeas do Exercito perJencpntcs Provincia
do [lio Grande do Vorle que loio transpor-
tadas para o Rio de Janeiro.
HiloAo Inspector do Arsenal de Marinha
communicando-lhe o couteuJo no precedente
officio.
lulo -Ao Tuz Substituto dos .Tuizes de
Direito do Crimt e Civel desta Comarca, No-
mcando-o para'presidirQaeto do andamento
das rodas da '. parte da s>igunda Lotera do
Theatro Publico oque ter. lugir as j horas
da nvmha do da t. de IiinliO p'oxiiur fulu-
>'o segundo a communicaco feita pelo res-
pectivo r.srrvoem o olliciode lioj '.
DitoAo Esciiv;To da Lotera do Tbealro
Publico scientifi.eindo-0 da JVomei.ai supra.
DitoA Cmara VIuncmi do Pao d'A-
Ibo respondndo ao seo o(Fi io de i2 de
Marco uHmo em que informa que nehhtim
Patrimonio tm cm trras ; que di termina a.-<
do o Alvar de / de Julbo de ifli i que ha-
vendo terrenos devo'utos se conferisse a mes-
ma Cmara urna sismara de legoa al legoa e
meia em qindro para sen patrimonio ; he
necessario que declare os molvoi (jue obsta-
rn ao cumprmenlo de tal disposico.
Dito -A Cmara Municipal de Iguarass ,
ordenando lhe que declare com a hrevdado
possivel quaes o> terrenos que tem sd i tom-
bados, e incorporados aos projirios Municipi-
es sua exten'o e confrontadlo foro e Iju-
demio que Ibes foro marcados e mais cir-
cunstancias, que Ibesdsserem respeilo co-
mo lhe fo ja ordenado em circular de 39 de
Fevereiro ultimo.
Dito-A Cmara Municipal de Cimbres ,
declarando-lhe que a Presidencia licou ira
lerada dos motivos porque a mesma Cimara
nao tem podido cumprir o art 2t da Lei
Provincial n. 79 ; e ordenando-lhe que re-
meta com urgencia urna copia aulhentici da
Lei ou Alvar que criou a Villa de Cimbres,
como das ordens que lhe marcaro os limites,
e cosignaro Patrimonio para as despezas
Municpaes
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do da i5 do correnle.
de janeirp se resolvero, como nos assegura
oSnr. niinislio a evacuar o poni.
Mas tenba o gabinete cuidado anda com
esta questo e muito cem o Para. Ha ano
aunes que por aquelle terreno disputo Por-
tiigiiczcs e Francezes c expulsos muiasvc-
eesestes Torca d'armas, mitras tantas tem
volt.iilo larga e renovado suas rcilaniacucs.
Huma nova deaordem no Para as renovar e
para a? prevenir e acabar de huma ve/, mis-
ter he promover a povoaco civsacao e
navegacaodo lo Amazonas e cm geral da
provincia toda. Ileso povoando o Para, c-
vilisando os Indios que habllo seus centros ,
pruniovcndo companbias industriosas na pro-
vincia que se consolidar o socego della e
setvilaio desorden* que despendem milla-
res de contcs de reis ao estado, loubo-lbe
deienas de milhares de vidas c do aos es-
trangeros pie.'exto para invadir nosso territo-
110. He s tornando o Rio Amazonas o ve-
hculo dos productos que dao e daio as pro-
vinciasdeCoyaz e Matlo-Grcsso, e as da
AiLivina bespanhola a quem das Andes e
nos confluentes dos ros JNegro e Rraneo ; he
lornando-o, e ao Faro todo hum vasto mer-
cado em que ntertssem a Inglaterra, a Fran-
ca os Estados-Unidos e mais nacoes com-
iLerciaes que cada huma ellas ciosa das
outra vigiar que se nao voie nosso teTii-
torio e que prospera e tranquilla aquella
jtfovincia, nao s nao,ser dispeudiosa porem
sim vanlajosa ao imperio, t ludo isto Snr.
piesidente nao he to diiucil que se nao
uossa conseguir com algum melhodo e pru-
ueucia (.Cffi a luusseco de alguns privile-
gios.
\ ollando u outra queslao cu sinti Sr.
l'MHdyute. qu a1||U> Srs, dnjiuludos, para
lade. Logo ambas as cmaras tem igual
direito na proposico e factura das leis e na
fixacao das despezas publicas sem reslrcco
ou excepeo alguma al aqui.
Continuando com .1 cunslituico encon-
lia-se o artigo j(J, que Iraz huma excejico
a favor da cmara dos deputados e restrieco
contra a dos senadores. e he na iniciativa dos
mpostes e\e-se notar que sendo excep-
eo deve-se entender restrictamente que ,
sendo posterior deve-se explicar pelo ante-
rior e subordinar a elle e nao vice-versa }
e o que se conclue,? At aqui, que a cma-
ra dos Srs. deputados tem sobre o senado a
vantagem a prerogaliva de iniciar irapostos,
e nao a de decidir exclusivamente sobie leis do
impostes; quecomecada, iniciada e ida para
a outra 1 amara entra na regra geral das leis,
e pode ser alterada e modificada pelo senado
no que nao prejudique a iniciativa.
Iniciar huma lei enteudo eu que seja pro-
1 -la j iniciar hum imposto, pro(.orhum
imposto; e sustento por tanto com as pala-
vi as da constituidlo, esobre impostes que
.-n acamara dos Srs. deputados compete de-
signar a qualidade e que assim Pica salva a
iuiciativa ; porm.nunca fixar exclusivamen-
te a quantidade de sorie que a outra cma-
ra a nao possa alterar para maisou para me-
nos. A conslituico dira ento que a fixa-
lo e nao a iniciativa dos impostos compete
cmara dos deputados.
He assim que pode ser entendida a consli-
iuico de sorte que salve contradiccocs e
se onobre deputao por S. Piulo, que aca-
ba de tallar e diz ter lido parte na factura da
u-iiHituico a eiiicnde diversamente ouj
Esl dando a hora e. dexo de comb iler
alguns argumentos entre outros os do Sr.
depulado por S. Paulo e seu systema de re-
presentantes da grande e pequea pioprieda-
de que nao o sigo.
O Sr. Presidente declara que a materia fica
adiada pela hora : levanta a sesso s a ho-
ras da larde.
PERNAM BUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 16 do correte
.
Offico--Ao Exm. Bispo Resigna lar Dire-
ctor Interino do Curso Jurdico aceitando a
rcepeo de seo officio datado de 15 do correte
communicando ter sido nicamente proposto
para Lente Substituto da Accademia o Doulor
Lourenco Trigo de Lourciro.
DitoAo Adroinislridor do Cerreo sig-
nilicando-llie que a Presidencia approvoua
deliheraco que tomou de susjiender or oilo
dias o l'osthjo Vallenim Izidoro pela falta
que.cometteu segundo parlecipa em seo officio
de 13 do corren te mez
Idemxlo da 18,
OfficioAo Administrador Fiscal Interino
das Obras Publicas para mandar pagar ao
JooJoze de Larvalbo a quantia de ioosoo
rs por indemnizaco de arvores fructeiras
que foro destruidas no albinamente da Es-
trada de S. Anlo e a Manoel Paz Brrelo a
de vate e cinco mil rs. pela de urna casinha
de taipa, e oilo arvores de Iructo que lambem
loro destruidas no aliuhnmcnlo da menciona-
da estrada.
PortaraAo Director do Arsenal de Guer-
ra para fazer concertar o iampio que se a-
cha collocado no meio do (uartel do Corpo de
Officio Ao Exm Presidente devolvtnd -lhe
o Aviso da Reparlica da Guerra ^ que a-
companhou o requerimento do Vlajor Joa-
quim Caetano de Souza Cosseiro e infor-
mando com a declarado dos Majores mais
modernos que o Supplicante que no dia a de
Hezembro do anuo findo foro despachados
Teneutes Coronis effectivos e graduados.
Dilo-Aomesmo Exm Snr. remeltendo-lhe
competentemente informado o re |iieriirenlo
do Urigadero Reformado Antonio Pereira do
Almeda que ao Governo de S. M. o Impe-
rador supplicava milborameiito de sold.
Dito-Ao mesmo Exm. Snr. requisilando-
lhe cinco estrados dos que servro de tarimba
aForcaq ou Ir'ora este ve destacada nos Api-
pucos a fim de servir provisoriamente de
leito aos soldados deslacados no Forte do Bu-
raco que por falta de tarimba no respectivo
quartel pernota sobre a tetra,
D1I0-A0 mesmo Exm. Snr informando
sobre a pretenco do Cirurgiai-.nor Francisco
deuaulaDulra Malvinas, que pedia o pa-
gamento dos sidos atrasados uu tem dexido
de perceher.
Dito-Ao mesmo Exm. Snr., remellendo-
Ihe e informando disfavoravebnento os re-
querimento do a. Tenenteda Lompanhia de
Artfices, Joo Vlariiiho Pas arelo que
em o piimciro pedia a S. Exc. mezes de
liceoca legislada e no segundo aj Go.eruo
Central 4 annos de igu VI licenca.
Diio-Ao Prefeiio da Comarca para que
bouvesse de mandar rnecer a priso dos
calcetas cveis do Forte do Buraco agoa, luz,
como eslava ditermBudo pela Presidencia.
Dilo-Ao Tenenle Coronel Commandante
do.Deposio para que iuuvesse de remeliur
para o Arsenal de Guerra os dous caldeirts
de rancho, para serem novamente estanha-
dos, conforme requisilara em seo officio de
onze do correnle.
Diversas lleparticoens
fc-
1
ALFA1NDEGA DAS FAZEl\DAS.
EDITAL.
Vicente Thomai Pires de Fgueiredo Ca-^


>
PBNAMBUCft
*n"G. Inspector da AUanclega faz. sabe.
; imsma ,0 Vi.]o ((ia j cnco 1^,^ ,|e cl)aro
jovalorde/.oooo rs. una Tsa de nano
ft-anton, yoL-ooors trcze pesgas de lencos de
coreo ,4oooo rs.. e duas I i I. ras de seda
iJ-Uooors e tres livros com figuras e flores
| iiiluds, 48Uooo rs., impugnado pelo Gmr-
factura deJNuno Mara de Seixas ; s-ndoo
Arrematante sugeitoao pagamento dos Dim-
ita. Allandega aj de Maio de .8jn.
Vicente Thomai hites de Pigueiredo Ca-
ma rgo.
MFZA DO CONSULADO.
A Pauta lie u mesma Jo N. 1.,.
O Arsenal de Marinha dfffta Provincia,,
precisa comprar urna porcTo de farinlia de
mandioca que letn de ser remet ida para al-
l a de Fernando. k illm Sur Inspector
do niwmo Arsenal, convida a aquellas pes-
roas (.te tal genero qtieiro vender, que com-
parece* rom as Mas amostras e piopostas para
se halar do respectivo ajuste ; ito emodia
S do andante mez pelas de* horas da ma-
iil.aa
Arsenal de Marinha de I ernamdueo 2I
de Mato de iftio.
Alexa.ulre Rodrigues dos Anjos.
Secretario.
Tendo o Arsenal de i>!arin!ia dosta Pro-
vincia precisan de (retar um Navio para con-
dnzir diverso cbjcitos a llha de Fernando c
trazer d'ali um completo carregamento de
pedrasde calcar. O Illm Sr. Inspector do
mesmo Arsenal convida a qualquer Sr. pro-
prieta rio ou ronsignalario de Navios que
quena fazer este fretamento a que compare-
ca nesta Inspccco com as snas propostas ate o
dia ib do correte pelas o horas da mauh*.
Jnspecro do Arsenal de Marinha dePernam-
buco 2-j de Via o de ih4o.
Alexandre Rodrigues dos Anjos
Secretario.
PR EFEITUR A.
Parle do dia 22 do corrente,
Illm. e Fxm. Sr Partecipo ; V. Exc. ,
que das partes receidas n'esta Secretaria ,
consta nao ter occorrido novidades.
ciado no Diario n. 76 ter apparecido em dito
engenho um escravo, que nao declara,quem
lie sen senhor ; roga-se ao mesmo Sr. Pro-
prtetario que tenl.a a bondade de examinar
se o dito escravo tem os signaes seguintes : bo-
nita figura cor bern preU gengivas roxa3 ,
hons denles tendo o dous da frente da parte
l
A.
sahir premiado se no s pes&oas ah-iixo men -
donadas Felicia Antunes do Freitas Rlan-
dina Felicia Pessoa de Mello Antonio da ,
Silva Pessoa de Mello Mara Antunes das de sabo e ptima para fSocama quem quise
Viertes, [comprar dirija-se a ra do Fngundes D irt.
-- Vende-se urna negra de naco Mocam-
hinue com idade de vinte annos com fctmi -
a figura tem'priiirupi.f de cosinha e lav*
ser
- por lempo de dois 011 tres me/.es, i
de qraa muito separados he um tanto anda em garanta penlior de ouro ; quem [quise,
bu. al ; rugido ou Turado, no d.a 21 de Fe- dar annuncie. *
vere.ro do auno pp costi.ma acodir lauto j -. Desap parecer o da ven peto nome d Gaspar como pelo de Joo :! guia da ra do Santa Tliereza tres meios l>i-
sendo por lano que seja este o dito escravo Hieles da Lotera do Theatro tend um es-
roga-sc qiie soja entregue nesle Recife na cripta no verso Jos Silveira NitM o Mari..
ra do Crespo toja do Sr. Antonio Alve Tei- R(a outro perlencente s a Marta Rita e
xeira Bastos, onde sera satisfei.ta toda e qual outrosem asignatura alguma: e por estarom
querdespeza quecom o d.lo escravo se tr-nha todos tres embrulbados ten lo sido compra-
l'lld mi r.n l-.ll-. __.:_ .l!i. C_ J_ .. '.
jcompr...^...,----------------- -
Precisa-sede quarenta mil reis a juro, r Veudem-se oleado3 pintados estampa-
V dos em baetas de algodo proprios parj me/.ns
> capas de piano porserem de boa qualidae,e
letenos de lustro ludo por preco milito ru-
mo lo : na loja de Ferreira e {raga ra No-
no mesme dia or isso no se tinlri ti-
eilo 011 na falla annnneie o dito Sr. de en- \ dos
genho onde se dtve procurar. rado os nmeros Pede-se a pessoa que os ti-
U7- rrectsa.se alugar um sitio perto da I rou sendo de si consciencia os qulira rW-
I ...ca v que lenlia pasto para ditas laceas tiluir na mesma venda que se Ihe icar a-
'uein liver annuncie -' '
irariecido cando certa a pessoa que os tem ,
umpriraeiro, ou segundo .pie os que t<-m ass;;nat.ira se sahirem i>re-
qnalquer preco que sen dono miados, o^Im. Sr. Tliesoureiro fera favor
Sil-
VW A111 a- se
andar
quizer; sendo ras ras seguintes CM.ei.na- de os nao pagar setn que o dito Ssnuor
leg.o ou Cada : a fallar na ra do (^uci-j Tendo apparecido um pasquim na Pra-
mn,iol<.|a U. ,,. com Jos Antonio dos San- \ ca da Commercio em que diz que os Srs. Lu/
los LoelhO ou annancie a tna morada. Gomes Ferreira & Mansfeld eo rallecido
W" *-* no dil -zo do crreme mez! Sr. Jos Antonio de Oliveira tinha conrorri-
rtesde i-ora de portas, ra doV.g.ino, ra do para a desgrasa da miulia Caza Coomer-
tfo Quemado e Agoas-verdes um rmbrullio cial e agricultora no auno de i83i o abaixo
com urnas poucas desedulasde vinte mil reis, :
leudo so urna de mil reis ; quem achou, que-
rendo restituir, dirija-se aloja de fazendas
na ra do Queiinado esquirla do lieco da
Congregacao D.ai que ser generosamente
recom pensado.
XW Antonio Joaquim. da Cosa Pimentel,
hayendo j annunciado por esle Diario a sua
retirada para Lisboa novamente annuncia
assignado nao podeudo sofrer tal calumnia
contra os ditos Illustres Srs. raz publico que
pelo contrario antes as ditas Cazas fora sem-
preasque mais honrarao as firmas de Joo
Rufino & Irmo de que a minha Caza usav;l
naquelle lempo ; os Sis. Ferreira e seus So-
cios nao eslrt na orden daquelles estraigei-
ros ignorantes que pensad que o Brasil deve
ra D. 22.
1----------- w
Precisi-s" alugar umi negra pa;ando-
se o aluguel mensal aue saina ven ertu
ra e que seja fiel ; annuncia.
-- Precisi-se de urna inulher que compre
e oosinhe o diario de ama casa de ponis neri -
oe! n rn da ConceiySo da Boa Vista easa
de porlis ver.brs del'roule d rancho de ini-
lulos.do Sr. KofinO,
-- (> rKwpttol Kegimental precisi de unn
lavadeira Corra ou captiva : a quem. convier,
dirija-se a ra do Padre Flpria.io sobrado!).
19, ou no Quartel das Cuco ponas a liiUa/,
com o 1. Tenetrte Ajudant<> do mesmo Joa-
quim Cenar de Mello Padillia
Precisa-se de urna ama pira casa d
pouca familia : na ra Nova paderii do Sn
l?ento Antonio Domingos se dir quem he
que quer.
t3T Precisa-sede urna ama para o ser vico
interno de urna caza de homem viuvo ; que
saiba cozer engomar e cozinhar e que
seja de a va 11 cada idade e abone sua conduela-
na ra do Azette de Peine indo da Madre da
Dos direita no segundo sobrado onda
tem paderia se dir quein preciza ou au -
mucie
OfTerece-se um rapaz porluguez pava
boMeiio de urna carroagem ou czrrinho di*-
rija-se as Cinco ponas D. j3 onde ha um
.... im iiutuiueiiic annuncia ter lodo o Commercio na mo dos Estran"e- nja-se a
aquel as pessoasquese julgarem suascredoras, | ros sabem mui bem que tem proporcoes'na- lampero.
que el le pertende sabir para aquella Corte a-j ra fazer a felicidade de qualquer lirazileiro Troca-se urna casa de sobrado de dois
te 28 to corrente Ma 10 impreterivelmente ; q"e como eu, tenbo Irabalha'do etrabalho andares, e solio bem construida, e anda
e que al ao da 27 devem comparecer no Es- | por imital-os sem invejar suas fortunas ; por; nova por er sido acabada poneos anuos por
entono da Adm.nistracao da Companbia Ge-; que tambem o posso fazer assim tivesse eu outra que seja de um andar smeute e com
ral exmela na na dos ( )nnri<.w n < mm, a Ainu J. i. .a.j. c.^.. ._______. I___._ i. ..... _____i_r.._:is_ ___
Srs Joaonres Ferreira, Joaquim da Silva urna precipita o e leviandde de pessoa d nm piano ingles de rauit->
lastro ,e Francisco Goncalves do Cabo | minha familia. O Aullior do pasquim teve boas Toaes ijuem o perlender dirija-se a ra
19* yuenvquiser vender um piano ingle*:. certaraenle em vistas adular ao Sr. Ray, Direita. paderia do Sr. Machado, primeiro
bom, e era hora uzo. annuncie J00 Rufin0 Ramos. dar; tam vende.
tssr Adverle-se acert morador da ruado, -- No dia 18 do corrente desappareceo urna BT No 1 do corrente desapareceo do
ilcleireiro. nuc tem em ras um n:inl.i ,1,. a'.%-r. A ,.,....- 1.__, 1___i.j_____1.___'
LOTERA DO LIVRAMENTO."
As Rodas da Lcleria a favor das Obras da
Igreja da Senhora do Livramenlo correm im-
pieterivelmente no dia u2 do mea deJunho
prox. viudouro.
THEATRO.
Hoj* 23 do corrente o Sr. Robert e sua
Espoza sumniamenle reconheridos esle res-
peitavel publico pela benignidade com que se
tem dignado favorece!-os se prope em a
funco que annuncia entretel-cs completa-
mente, pondo de sua parte ludo que tem a-
credit.ulo para seu maior brilbantismo.
Primeira parte. Principiar o Exjiectacu-
]o com urna variedade de surtes-Jogos de
mos Phisica V'agica -
O Mninbo Mecnico
D Joo Moleiro.
Acabando esta primeira parte pelo iiuibomato
Thomai Koulo Khan.
Segunda paite. -Os excicicios da Srrt Ro-
bcrl em segoifla appaiecer o Sr. llubert
cencluindo suas sorles pela
Famosa prava l Iiiiieza dos Aros Mgicos.
A Companbia de Actores concluir o Ex-
pectiiculo com a eiceiiente pessa do grande
Antonio Xavier Intitulada
O Divorcio por Amor.
Antonio Lopes Ribeiro previne as pessoas
que lomarao Caniarotes es vio pagar al Sab-
bado (hojc_) ao meio dia ; do contrario passa-
r a vendel-os a quem os quiser.
cT7 %c,ie"sedceri norauorda ruado, So da 18 do corrente desappareceo urna S3W No do corrente desapareceo do
Laldeireiro, que tem em rasa urna parda de caixa de cassas brancas bordadas marcada com um mour.To do porto detraa do Theatro urna
nome t rnocisra que indague do comporta- um diamante, e dentro a letra F com um li canoa de tai 1 meia aberla ^ com os signaes
ment da mesma parda para com seus visi- po. fcra do diamante N. 21'j a dita caixa a" seguintes : a." i.ardi da proua emmend'ada
flIlOS, POIS COSlUma insultar. Como ft>r na nl K9T1 ilnt $in r.-,l.ir.... H..-n.i. r noclrwln Jn r.> il. .I.L ~l____. _i_
Da-se n premio de um e meio por cen- da Silva de
lo dous cotilos de reis com firmas a contento: graUncacSo pe
na iiii estreita do Rosario venda D. 2a. I existe.
SST rxisle urna caria viuda do Para par1 Na ra do Cabug loja do Bandeira 1
o Sr Jos Leile da Silva Barbosa ausente ,; vendem-se charutos mui superiores da Hava-
;i Illm. Sra. D. Magdalena Leile da Silva naem caixasde cerne de duaenlos ecincoent
ree ou a rcenlo Fortunato em seco, e lem urna corren le delgada tem mais
quem receben! urna generosa um rombo d urna banda : qualquer pessoa que
a entrega ou noticia d'onde da dila canoa souber e a quiser denunciar ^
alem de se lhe ficar obi gado, da-se urna gra-
O abaixo assignado lendo no Diario n.'
||3 o ainiiincio em que Leonor Rodrigues
noticia alguma a respeito destas pessoas faz- leile", e que seja desembaracad. ,
se o presente aniiunc.o a fim de que qual- ilesla Typ.
quer das referidas pessoas baja de procurar, Responde-se por esta so vez aoan-
a dita carta na l>oa-\ isla' m 1 \ i.||,.-i n ,'n.,nn;n a,, y- n.J...t :___., 1_ n:__r. j.
aliar havendo comprado a nieacao da casa D i da
mencionada ra aconicceu que os Collecto
es a seu arhit.iio mudaiao para D. 17, e di
'luu wiuoa pessoas naja de procurar] Kesponde-se por esta so vez. aoan- res a seu arlut.no mudaiao para D. 17, e di-
a dita carta na l>oa-\ isla ra Velba D. ,o; nuncio do Sr. Gadant inserto no Diario de! baixo d.sso numero lem pago as Decimas de*
defronte da venda do Sr. Barroso, das 6 as 9 onlcm 22 do corrente Maio a cerca de to pal-1 de iSiS como consta dos conlitcin.enlos.
horas da manh e das J as t da tarde, onde moa de Ierra nos Coelbos, resto de 80, ven- j Por tanto pelo presente rectifica o annncio da
SCexilOra nlcUlUS CilCUtlSlU licias Innrl^nloa \ AiAa anfnoAn Pl-,< '..:.. Lllo %-oi..l a niian MPlonila. ma__________
seexporo algum&s ciicunsluncias tendentes dida ao finado Elias Jos Martina Pe'reira,
mesma carta. \ qUe De mu digno de louvor o despejo desse
-- Quem precisar de um fai*eiro paraj annuncio; e ao Sr. Gadaut que quando
qualquer occupaco ou pa.a algum enge-; quiser vender o terreno em queslo a presen-
nbo aianeando sua conducta, dirija-se a i te primeiro o requerimento (jue fez ao Sr.
ra Lucila, paderia do Machado, no pri- Dr. Juiz de Direil do Civel e Orlaos da 1.
nieiro andar, que adiar com quem tratar. A'ara por ser o do inventario do mesmo li-
A pessoa que precisar de um bom co-| nado a resposla do Sr 'fulor da Sra. Viu-
siii.iiio estrangeiro ara esta Provincia 011 va % e do Sr. Dr. Promotor e Curador dos Or-
paralora, o qual sabe foaer toda as qualida-1 los, e despacho final do mesmo Sr. Dr Ju-
dcs de iguarias diriia-se delronia d.i Avisos Diverso^
t^j" l'erante o Sr. Dr. Juiz do Civel da se-
gunda Vara se hade arrematar a quem mais
der urna venda sita nos Quatro cantos da Boa-
vista no valor sefecentos mil reis cujo ba-
lanco melhor ver quem a quiser anematar
em mo do Porteiro do Juizo.
SSy" Tendo Pioprielario do engenho
Duuibuirul da fiegueai& de Serinhaem ounun-
de de iguarias, dirjanse defronte da Cadeia
110 assougue francs que se dir quem he.
O abaixo assignado, constahdo-Mie qne
se fi/ira um embargo em una divida que
julga ser de Aleixo Jos de Luna Freir, faz
ceno pelo presente que as dividas nao penen."
cein ao dito Lu.ia 1 reir mas sim aos her-
deiros do ihlecidoCapilo-nior Fraucisco Xa-
vier Paes e Mello Brrelo como consta de
uuia hxpolbeca c execiuo feita no engenho
Penedo de Baixo cuja hypolheca se acha 110
cartoi io do Escrivao lVego
Joaquim-Coi rea Araujo.
Perdeo-se ura meio bilhele de n. 1451 ,
da segunda Loteria do Theatro ; roga-se ao
Sr, 1 lieaouiciro de o nao pigar no ciso de
sem o que ninguem o com-
a de Direilo ,
pre.
Precisa-se trecar um Santo Antonio ,
que seja perfeito e tenha de altura um pal-
mo quem o quiser trocar annuncie ou di-
lija-se a esquina da Camboa do Carmo n. 22.
No dia 26 do corrente mez por asqua-
tro horas da tarde se hade arrematar por ven-
da por seicm findos os dias da Lei ; urna par-
te das casas de sobrado de dous andares na ra
estreita do Rosario pertencenle a Firmino
Jos Rodrigues Ferreira por execuco que
contra o mesoio eiiL-aminha Manoe Joaquim
do Pariao, e tera lugar apraca aporta do
br. Juia do Civel da segunda Vara na ra da
Roda Escrivao Mu^alhes,
dila venda v e quem perlender comprar a me-
aco da Casa ra Direila D. iti collectad
em D. I7 longe de comprar urna demanda ,
faz urna compra legal, com toda a seguranca ,
em certeza do que nao duvida apresentar o
respectivo titulo no sobrado D. ai defrouta
da torre do Livranienlo -
Joo Leitao Figueira.
xsy a-se aoooo rs. mensalmente a um
canoeiro lorio ou captivo que queira andar
em urna canoa de milheiro para conduzir lij-
los da camboa do retiro ao \ do lljmedio, para
o receber, menos aos Domingos : quem se a
char as circuuataocUs de desempenhar este
serviio dirija-se a ra dos Quarteis da Po-
lica casa D. 5, que achara com queui tratar.
XST Vende-se conlinuamente laboado do
pinho da Suecia de mu i lo boa qiulidade, m
meia polgada al i de grossura e tambem A-
mericano por mdico preco ; quem o pre-
tender comprar dirija-se atraz de Theatro ,
da parte da uidi.
i^f Vende-se urna barretina e correanm
de lustro proprio para G. Nacional etudo
em bom uso e preco conimodo ; no alieno da
lioavista, lado uiieito U, 54



**
4
DIARIO
DE PERNAMBUCO
BT \ pessoo que quer comprar >
velho Testamento, dirija -se a i u
leis no segundo andar di sobrado i
Sr. Joo Mcucu a Marques.
Avisos Martimo!-'.
PARA O MAnWflAO'at 16 do cor -
le segu viagem o bem conhecido I5t ;ui .<-
cuna Laura de superior marcha e >m-
modos forrado e enea vil hado de cobre a i 11
tes dirij5o-se ao Capito ou a Fumino Jos
jFe'isda liosa ra da moeda {). JI-
PARA O CE ARA a Sumaca Conceico
Fiordo Var ; quent quiser carregar, ou ir
de passagem, por freles eommodos, duija-se
ao Me>i-e Antonio Jos \ ianiiQ a bordo da
iovo Ol a
ruiitha
mesma Sumaca ao pe do trapiche
Antonio Rodrigues
Corno Sanio.
Liiu-t

.!.
tre i I o
UBT Que la/ \11110 Mara da Seixs
(oru loi C > t i ^
sencilla velha podara O 4 -
Si/- Urna venda no atierro da Boa vista,
.un enmmodes para familia e coro os fun-
dos a vondade dos compradores e tanibem se
iaz negocio s com nrmaco para outro qual-
quer estabelecimento; na mesma venda De-
cima 3o.
CT Amecfo i\o nm sobrado de dous- an-
dares na \ illa de Gu maraes reino de por-
lugal pelo preco da avaliaco no inventario
feiioem i.U ; quena quiserannuncie.
ir?* Bilhctes e meios ditos da lotera do
iheatro a |5oo 5 na prachiha do Livramento
toja l). i de Manee! Florencio Al ves de
Moraes
ss#" Rape de Lisboa chegade proxtmavfe'n-
i te mercurioem rsixiiihaa de cinco libras,
r .' ;t de oliado para pagana, calcado de
jni.u venc.. doiConcior Ohveira na siia hornera e mulher, barricas com pregos liua-
easada ra do Vigario sexta letra 1*9 do r,.s ditas com ruchadas cailuscara feixa-
correiilc as dez horas da na.,Ir. dos -e uin- duras so, ,,!,,, ddas Clt) |na ,je GumPtiflB
te artigo* requipsimos chales de loquun
bordados o estampados mantas da china mui
, u meia agua a tractar na na de j S33" Meios Bilhetcs da Lotera do theatro ,
; s casa terrea D. ^7. I que corre impreterivelmente no dia primeiro
r ..veo muito.commodo um corra- de Junho, por preco rasoavel na ra do
met .u>iro na rua do Queimado loja De- Crespo indo para o arco de S. Antonio loja
cima |3. I D. 5 do lado direito na ra do Queimado
STJ7* Urna escrnva de naci, com officio de loja de fazendas confronte do beco do peixe
iripeira por preyo commodo; na ra da frito D. 4 na praeinha do Livramento loa
do sitio Xarneca do engenho Barbrho ter
mod^ V.lia do Cabo, um preto de ,,0m
Jos de naco de boa presenca de ida-
de de io annos. cor muuo tulla, olhos za-
rolhos barbado com urna marca de taino
no beico debaixo boa estatura bracos e
maos grandes reforcado
1 l ,r r"
de boa grossura e supoe-se ter hido
Goianna at o engenho novo q-uei
gar leve na estancia a Bazilio AI ves
randa Varejo ou no mesmo
rejo, que ser
lindas, lencos de seda de militas cores di-
versidades de sedas para vestidos mosque-
teirospara armaroeus de camas caixinhasde
rosturas para senhoras, caixas para cha o para
iniu sortimento
na ra do
* igaro U
ludo por preco cumulado :
n casa de Alendes &
Oliveira
s&- Cipim de planta a -2o rs. arroba, 1
loma-se heguezia ^ no paleo do Carme D 3
SS- Urna venda na ra do Apolo no porto
tabaco de tartaruga, edemarfira, porta-gar- ,ls cano.. defronte da Ubrica do MeMluUa
ralas pratos bandejas copos e hacas Je H Halar na mesma.
lavar rosto de xa rao fixas de madreperla tSf. n, wVaUo raslanl)0 C0QJ ,(ios os an_
jogos.de flamas leques detodas as q nal ida- da res reo. boas carnes; na ra do Ouei-
des t mi les lino como mais inferiores enclusi-
\e algiius de prala nenies de tartaruga e de
mu fin livros com luidas pinturas finas,
pannos de calillo mnito superiores para ca-
misas e lencos (ieuras de l>ano dos ebefes
chneles vestidos de sedaras mesas de sarao,
una rica e linda casa de campo de cristal ,
ibarnteiras canastras para roupa suja c
litros minios objeclos magnficos do uns
apurado gulo ludo da China e do JapAo',
prximamente ebegado 5 e as^im mais chapeos
de Braga para saldar tontas algn.* obje-
tado loja de IVovaes e Basto
tsr Urna negrinha creoula de idade de
10 para 11 anuos sem vicio nem achaque .
tntendealgumacouza de costura, e coxiaha ,
he muilo gil para o servico interno de urna
cash e muito carinhosa para criancas ; na
ra Augusta sobrado noo que tem soto.
XST Pcneiras de lato novas barricas va-
nas, e muitos outros utencilios para refina-
co ou irmazem de assucar
, por preco
commodo 5 na ra dasenza la velha
f) 7i por haixo do Cnsul Francez e no
largo do Livramento loja de fazenda 5
junto ao alfaiale.
ley Meios bilheles de lotera do theatro ;
no largo de N. S do Terco venda O rj.
tzr Vleios Bilbetesda lotera do Theatro
na ra do cahug loja de rclojoeiro junto do
Sr. Badeira.
ssr Bilheles da lotera do Theatro; na ra
do Cahug loja de miudezas jumo a botica.
^ Un pretode naci de bonita figura,
canoeiro e capinUeiro ; boas chitas finas
(ranelas duas duzias de cadi iras de Jaca-
randa um tocador e uina mesa de angico ;
na ra da cadeia velha I) 7.
ss?^ Urna feixaduta de broca grande ,
propria para armazem e { portas novas de
amaiello com seus porlies um houi oeu-
lo de ver ao longe e urna cabra com cria j c*1'" no qeixo as pa?es largas, i
muito boa leiteira ; na ra do parcele de-l dedos grandes d,.s mos alejado canetlai !i-
Ironte do sobrado novo do Sr. Jos Mara. "a3< e com algumas sicatres as dita; queiu
&^- maescrava de naci de bonita i- o pegar leve a ra das Iriutheiras casa de
gura cornha engomma bem, e com prin- Joaode Brito Correia que ser reconipeu-
cipio de costura ; na praciuha do Livramen-1 Mo.
J- No dia ai de Abril fugio do sitio da
Uonaa na povoaco de Jaboalo um escravo
de nome Joo de idade de 60 anuos baixo,
grosso do corpo cara redonda ar alegre ,
com falta de denles na fenle a orelha es-
querda fur'ada tem um dedo na mo direila
corlado pela primeira junta o braco direito
pouco sencivel ; quera o pegar leve a ra do
Livramento D. 7.
iNo dia ti de Selembro do anno pas-
m rorpo pernas
para
i o mi-
de Mi-
, ou no mesmo sitio a Fran-
cisco AI ves de Miranda Vai
bem recompensado.
VT Fugio no dia 18 do corrente um preto
muilo ladino, altura regular, chelo do cor-
po a hunda muito empinada cor bem re-
ta de idade cb; 4o anuos, de noine Pedro
de naci camundongo levou vestido calcas
brancas e jaquelado cor, e levou uoia trou-
xa de rcupr; qoem o pegar leve 1 ra de sea-
zala \j. 1 quesera recompensado,
ISt No dia 8 de Uezembro de tH '>) fu A 1
um preto de ome Francieo do gento de
angola de estatura regulrr meio fulla
bastante alegre nariz afilado com unasi-
1-
uus
lo no primeiro andar do sobrado do Sur. Joo
Manoel Pereira de Ahreu.
es- Um moleque de idade de i.{ annos ,
com principio de cozinha ; na ra nova venda
SSS" Urna casa tenea no atierro das 5 pon-
tas qut est em armazem ptima para um
sobrado : a tratar no mu .do novo sobrado da
quina I). ?-j.
tar Panno de linho de muito boa qualida-
de, em pecas de i5a 18 varas pelo com- sado fugio Antonio de naco caca 11 ge'. de
.nodo preco de 6{o a vara e panno de linho idade de 20 anuos, bonita figura, estatura
aberlode vanas larguras, ede boa qualida- I regular lem na face esquerda urna StUtriz,
de por preco commodo; na ra do Queima- abaixo dos olho cara redonda e bastante car-
do loja por baixo do deposito de chapeos nuda olhos grandes, nariz chato, beicos
detrontedo beco di Congregaco. grossoa foi com chapeo de paiha camisa
VST Urna por j de arroz de casca, duas de chilla e calcas de melim preto, levando
cangalbas, barra de mauleiga frascos de alt
ioras da inauh dos seguinles objeclos per-
tencerilcs ao mesmo'lavares a saber tadei-
ras bancas marquezas cmodas camas,
quadros loucas vidros garlos, lacas e
eoiberea de prata, duas bandejas de prala com
lindas e bem lavradas cercaduras do gosio
mais moderno um oratorio cem todos os
pertt'uces para diier nnssa capachos novos
Ja cores dous carros de 4 rodas tres c.i-
vallos para os ditos e muitas uulras cjukis
por
na n
que se acharan patente,
tSr (^)ue lazem Ve. Calmont & C ,
eniPivencao *io quem neitencer de porco ronsidei>tvei
11, i, 1 o. ne I' -1
de razenuas avenadas, bem como douli'dsi
inipas ede pronta exlracco Terca-feira .
no eorrenta as 10 horas da manh em ponto ,
cfo sen aiinuzem da ra da Cadeia.
^?> (Juc se hade azer de (jo rolos de fu-
mo muilo novo ebegado do o de Janeiro
,;elo ultimo Vapor c j un lamen le de 3o sa-
uinhos t(iu (omiiiho muito novo com o
peso de arroba cada um e alguus menos no
lia st guma leia vb do corren le as une bol'as
pontezinha da passagem
sry Sapatos de duraque preto de cores
para meninas ; na ra do Collegio no 1. an-
dar do sobrado de 4 amlures ; canoas de ama-
icio bem fornidas eticalhadftS no porto do
tre- a tratar na loja,da quina defronte do
S Antonio
eiilee de tartaruga de toda moda para
e feilos na provincia ; assim como
la lodt qualidade de obra de larla-
pi :eo lo Carmo loja de larlaru-
m.
Si-
ri.
g'U
1.
c?a 11.anda no caes da
do amaten) do Sr lJias lerrtii.i.
alfandega
na
po-'la
C o 111 p r a s

8^ As obras poticas pon- |iv/t ; queiy
i er asinuncie. ^*sa
Lotera (Ui Uieat-i^Nies-
fcr_* 11I1II t it i wii-| 1 Ir Fortuna Ty-
pografira dividtias de bilheles da present
!olera do Theatro a preco de abocada una;
uesla 1 tjiogratia na piara da ladependcnei.,
ii 'jo. nai na do Collegio loja do relojoeiio.
. n.t 1 Uo luiga do lio/ario luja de miudezar
U 7.
\;y linas casas lencas meilAboas na ra
ds Aguas verdes. vutra na iua do Ciltlere-
posse de irinta palmos de terreno,
la i.iaia com a lenle ja levantada ,
guenlar um sobrado, quem qu-
zer annuncie
JET Olhos de repolho e couve de man-
leiga para plantar a 4-0 ocento ; na rua di-
reitu padaria do Machado encomendando de
um dia pira outro.
S-V I 'libeles e meios ditos da lotera do
theatro; no atierro da Boa vista U 9
Urna mulata de ao anuos, do bonita
ooo rs a pessa, lencos de cassa de quadros se fuer na conduco do dito escravo, sem
e tambera de inetim a it,o rs. ditos de cores que proceda contra a pessoa em cuja mo elle
emilando seda a 00 rs ditos de seda de cores esliver.
muito modernos proprios para Snras. ditos sja- Ao 1 Tenente da Armada Nacional
de cussada india blancos pelo barato preco o Imperial, Carlos Augusto' da llocha Hreir,
de4no rs ca/metas para calcas a tio rs. o fugio 110 dia rj do corrente um preto de 110-
covado meias de algodo de todos os tama- me Gregorio creoulo supaleiro de ida-
nhos blancas, e pelas vellido preto portu- de de 4o annos, sem barba calvo, e costn-
guez, selinsde cores da ultima moda para na andar oom um lenco preto atado a cabeca
colees, paniiihos lusliinS, algodozinlio para ocultar este delleto ps grossos; quera
madapolo e alera deslas outras militas laten- o pe;*r leve ao Commaiidaule do Brigue LV
dus por precos baratos na rua do Crespo
loja U. ta.
lscravos Fgidos
cuna 1 idelidade que ser recompensado.
SST Ao amanhecer do dia 19 do corrente
desaparecerlo dosiiio daS, Cruz em S A-
niaio dous esclavos anda bucaes no fallar ,
um de nome Benedicto cora o rosto picado
t7* Tendo desaparecido um escravo de de bechiga levou vestido camisa de baeti
nome Clemente lio da itdo corrente do po- j verde com gola azul ja u/.aila eseronlade
derdoSr Belarmino de Arruda Cmara com '' linbage o outro donme Felipe de estala -
quem o liara negociado a tres lias; o qual ra ordinaria, levou calcas branca, camisa
escravo se achava no (li^ui pastorando uns de algodo trancado, carapuca azul coai mu
cavallos do mesmo Sr. olfeiecea quem o joelho inchado <|ue no andar parece ter moles-
pegar 5o,o.o levando na rinde Agoas verdes lia na perna ; (|uem os pegar leve i Fraurs-
Iiguia perita engommade-ra e costureira; I). 38 : o mesmo tem os Biguaes segu 11 tes j co Auguslo da Cusa Guimaras no traniclu
na rua de agoas verdes casa terrea D, 17. boa estatura cor fulla com os denles da novo ou a Antonio Joe Gomes do Correio no
sy Una casa terrea ua rua da l once- frente limados olhos grandes barbado sitio invisivel em S. Amaro qoo ser
cao da oa vista U. 4i j a tratar na meama. cabeludo pelos peitos, levou calcas u cauri- recompensado.
sur Lin olante
, uma grammalica fran-
cesa o peltioueiro desmascarado ludo a
o''do <:pw prWoVmiodo; na rua novapada-
B^iTomo Uoniiugues.
ilbedv-nii :,s dilos da Lotera do
Jfhealro.j ii^iraAdiodo Livramento Leci-
v S^s.-i ^%V -^. vrv^_
i^v Lmxes(i'4.vN~de idade de a5 annos
>oVifcirnbeiTa; fi) rua da Alegra 111 casa
nulo ao lampio, enlrando pelo lado da Igre-
a da o 1.141"'..
*^r Um c.iecli.*
io du bom gusto ; ,1 fallar
como destribuidor do Diario da Boj visia.
12/" Lina negra de boa figura, sabe bem
rozii.har lavar de varrella e sabo e he
multo boa quitandeira ; na ma das tiincbei-
r.is casa ao p du venda
kir Lina negra de naco moca de ida-
de de -lo judos us habilidades 'se dir ao
ompradoi 5 na rua d* >,Theiza yenda Oe-
cima 1 >.
sadebiim blanco, chapeo de couroia ve
lho e foi vendido do serlao de pesqueira
t^/- iNodia a do corrente fugio um prelo
de nome Frederico vestido de calcas de
panno pelo muilo grosso e ja rolas camisa
de lisiado azul tambera rola be baixo ros-
to redonda gordo lem os ps incoados e
um mais que outro a ineiaco he no* tor-
uozelos; e as pumas tem marcas de feridaj .
quem o pegar leve a 1 ua do Collegio 11 9 j.
andar.
S3y No dia 9 do conente desapureceo um
preto d nome Joo de naco congo, de ida-
de de <|5 anuos, estatura regular, com os
denles abeilos na lente calciimures racha-
dos de rieiras eu.bigu has.ante grande ,
bracos finos mos pequenas cora buco de
barba, levou vtstido calcas e camisa de es
lopa ; quem o pegar leve a rua das larangei-
rus O. o, ipiesei.i ecompeutado
%sr JJesapartceu no dia 16 do corren le }
ipe
ttr iNodia 13 para i4dop. p fugio utn
preto de nome Domingos, de naco songo.
de idad de 2i anuos alto reforcadu da
corpo, beicos grossos olhos grandes un
Sigua! de \entusa em cadi f011 le nao sabe dl-
ser quem he stu 5r i|iieui o pegar leve a
rua dos lanu iros uo armazem de gello qufl
sei gralilkado.
uuviineiito do POrto__
NAVIO SAlIIUONODlAa.
BIO DE JANEIUO ; Paquete do Rio < ap<
IManuel Fianeisco da Silva carga vano
gaueros.
RfcCJFE NA TYP. DE M. F, DE F. iHl
MELHOR EXEMPLAR EN


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E1HT4OGHG_UYCJSD INGEST_TIME 2013-03-29T16:54:06Z PACKAGE AA00011611_04095
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES