Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04087


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annode 1840. Quinta Feira
"
'.*
Tudo sgori depende de ns mesmos; da'nossa prudencie, mon'era-
com liilrlS-" : conlin"fmos como Principiamos e seremos apontados
com admiracao entre os IS'ace mas cultas. r
Proclamaco da Assemblea Geral do Braiil.
Berta lypografia, rUa das Cn.zes D. 3, enaPraca Ha Independencia
H.S7 ea8, onde se recebe,,, correspondencias legalisada, eannuurio..
,ns>n,,.o-.e estes .r.hs, send,, pro(jros assi};llanleSi viIldosassig:
Partidas dos Correios Terrestres.
Ci'adeda Parahiba e Villas de sna pretendo......
Dita do Rio (Jrnnrfe do Norte, e Villas Idi....., .
Dila da Fortaleza e Villas dem...... ..........
villa de duianna...........
,,. ., 1 .... .............................
.ilade dt- Olirina..........
illa deS. Antuo................
Dito de (iaranhims e Povoaco do Krnito.....
Pilaslo Cabo, Serinhtain l(i,> Formato, r Porto Calva." .'.'.',
Cidade das Alacoa t Villa ">,...
VilU de Paja ePlom ...........*.'. .'.".*.'.''. '. \ \'.'.
Totlos os Correios rtem. ,L-n.
\ de Maio. Numero 107.
Lonili <*<,.,
Lisboa___
CAMBIOS. Maio i.
99 ip d. .v l/ooo ced.
. 70 a 7i por .no premio, por rocuiloerecidoj
"'anca.......'i,j res por (raneo.
no le Janeiro ao par.
UJIO Noedaa de 6foo rs Velhas
Ditas t f| Novas
> l'i'as de 4#ooo rs.,
PHATA Palaces Kratileiros.....- -
rezosColumnarioa--------------- i#o'o
Ditos Mexicanos------------------- .'#6?o a
W"da --.......r--------i#44o a i
Descont ue Bitetes d'Afandega I i;8 po loo ao raes.
Idcm de Letras itq a i i/ por boas tirinas oT;rciJo.
Hoeda de cobre 5 a j iior loo. de dise,
1S700 H
i4'"5oo a
8^ >oo a
i0io a
>
iO-jo
ii-00
i^fcO
1 ''.(i.
i>oa
#46o
Das da Semana.
'Segundas e Sextas Pairas.
. Todos os dias.
Quintas tetras.
. Dias lo, e q4 dcada mez.
. dem 1 11, e 21 dito dito.
. dem Idi-m
. dem 13, dito dito.
11 Segundo
I a Terca -
13 Quart.----
II Quinta
15 Sexta------
iri Saltbado -
17 Uoib. -
S. Anastacio M. ------
S. Joaiina Princeza. -
M. S. dos Vlartyrcs .___
S. Bonifacio M.------------
S. Izidoro Lavrador.
S. JoilO .\t>, un ICCIi ).-----
S. Pesoal liaylStJ F.-----
- SessSo da Tliez. e aud. do J. de da"i' ;
-----Hel._. e aud. do J. da l. v. do C. de 1;
.-----SqsiSo da Thez.
Rataco, e aud. u .1. de O. da >. v
-------Se. Ha Ther. e aud. do i. de D. da i# v.
------- Bel. c aud. >Jo J. de I) t;a 3. v.
Mare cheia para o dia 14 de Mato.
As a horas 5 minutos da tarde As 3 horas e lS minutos da raanbft.
)J

1
PE BUCO.
i8|o. NMERX)86-
Francisco do Reg Barros Prpsidenie da Pro-
vincia dePcrnai tu Para saber alo-
dos os seos habilnnles rjue a Assemblea 1.0-
gislatva rovincial Decretou eeuSancqio-
neia Resoluco ieguinlea
Artigo l. Pelo erectas em Comarcas as
Villas do Bonito e do Cabo sendo as'ca-
becas rlella's as Villas do lDemn rtomp,
Arli^o Tero poi disrriclo aprmcir.v
o terreno do seo Municipio e a Spgnnda todo!
o terreno qne comprebendem as Freguesias
de Bo.iito e Biserros.
rtico 3. I'ica erecto em Comarca o Mu-!
nicipiode Pao d'Alho sendo a Cabecn della'
a Villa do mesmo norhe e a esta Comarca fi-
car perlencendo todo o terreno, que anti-
{;amente pertencia ao Municipio da dita vil
a. I
Arligo 4- Os Escrires das sobredi tas Vil-
las do Bonito, Cabo, e r'o d'^Alho, que
tiverem ttulos vitalicios, passaro a' servir
os seos Empregos perante as usinas nova-
mente creadas sem que se Ibes faca mister
um novo Tilulo.
Artigo 5. Pira llevada a cathegoria de
Cidade a Villa deGoianna.
Arligo 6. Fica supprimida a Villa de Ita-
inarac, e a annexada a Commarca da Cida-
de deGoianna, a paite do Municipio da dita
Villa que fica ao Norte do Rio lilil at a sua
embocadura denominada Barra de ( atnama,
pertenrendo d ora em (liante a villa de I-
guarassu a demais parte do referido Muni-
cipio, que fica ao S11I do mesmo Bio.
Arligo 7. Felo revocadas todas as Leis
e Disposices em conlrario.
Mando por tanto a todas as Autboridades a
qUem o conbecimeulu eexecucSa da rele ida
liesoluco pertencer, que a cumprao e faco
cumplir tu inlciramente como nella se con-
ten. O Secretario desla rovnciaa faca im-
priniir, publicar, e correr. Cidade do Be-
cife de Pernambuco, cinco de Maio de 1840;
dcimo nono da Independencia e do Impe-
rio.
L. S.
Francisco do llego Barros.
Garla de Le pela qual V, Fa manda e\-
CCUlar a Besolulao da Assemblea Legislativa
provincial, que llouve por bein Sanccionar,
rigindo em Comarcas as \ illas do Bonito ,
Cabo e Pao d' Altio ; eltevandoa calbego-
Ta de Cidade a Villa de Goianna e suppil-
mndoa Villa de llamarac que bci anne-
xa aos Municipio de Goianna e Igirarassu .
tuuo na loiina cima declarada.
'ara
\ I
,X \er.
Jos Xavier Faustino I amos a .
Kei'istrada a 1 > v. do Livro 1 deLeisj
Provutciats. Secretaria da Provincia de P6r-
uantbuco em i de ijaio de o.
Jos lgui' iu Joa
Sellada e publicada nesla tecielana da
Provincia de Pernambuco em 8 de aio de
1^40.
Jernimo Mailiuianno l igueira de Vello
BISI'AIjO DE PERNAMBUCO.
JJom Joao da Purifcauo Marques Perdigo.
Cone;,o llegranle de Santo Agostinbo po>
Graca do Dos e da Saula S Apostlica
Rispo de Pernambuco, e do Conselho de
S. M I.eC. etc.
Por especial Mandado de S M. n Impo-
rador; comrounicado pelo Impela I Aviso de
14 de Msiode 1899. expedido nela Sefcrcta-
ria d'Estado dos Sffgocios da Juslica, Pomos
a concurso pelo presente Edital as S^guintes
fgrejas plenamentes vagas d'este Bispado A
de nossa Scnbora da Conceico d'rVoa Bellas,
a de Nossa Senhofa d'Asssumpeao da Villa do
mesmo nome ; a de Santa Maiia da Villa do
mesmo rime, a de Santa Bita do Bio Preto,
a de Nossa Senbora da Gloria do Bio das F.go-
as a de S. Miguel dos Bar re ros a de Nosr
Sa Senhora da Coneeico do Monte-Vor, o
velbo, adelanta Atina do Sacraniento do
Angical a de Nossa Senbora da Pena do
Buriti, a de Santa Quileria a de Atalaia ,
a de Nossa Senbora do Desterro da Villa
Flor, a de Nossa Senbora da Povoaco de
Maria Pereira, a de S Goncatd, a de Santa
Atina da Ribeira do Upanema a de S Ro-
mao da Manga a de Nossa Senbora da Con-
eeico da Maita Grande, a de S Josedos An-
gicos a de Papacaca a de Santa Auna do
Campo Grinde, a de S. Joao Baptista do Bor-
lo Alegre ; a de Sania Bita da Povoaco d\
Santa Cruz, a de S. Jos do Mipibu', a de
Nossa Senbora dos Praseres de xlremoz a
de Nossa Senbora da Madre de Dos do Pu-
Cbim, a de liananeiras a de Nossa Senbo-
ra da A presenlaco da Cidade do Natal do
Rio Grande do Norte, a de S Jos des Bizer-
ros a de S. Luzla do Norte a de Santo
Antonio da Barbalba 5 a de Fombal a do Sur*
Bom Jess dos Navegantes do t'orlodeTou-
ros ; a de Almofalla, a de Nossa Senbora da
Coneeico do Julgudo de Couros na Provin-
cia de Goi.iz, a de Santa Bita da Poioaclo do
mesmo nome, e de Santa Auna \o Brcjo
Grande.
Todo o Reverendo Sacerdote ou Clrigo,
que queira lser oposico as Igrejas cima
referidos, appreseole-se com os seos papis
promptos e corenles na forana do estillo ,
para serem admitidos, fasendo termo deo-
posico dentro do prazo de sessenta dias,
lindos os quaes se far. o Concurso, em o
qual rcspondeio os Reverendos Opositores
y casos de Moral, e Consciencia, e faio huma
exposico ou buniili; ao Evangelho que
Assinarmos para Propormos $os Exms. Pre-
sidentes em virtude da Lei de 4 de Junbo
de >j os que se jnljaiem mais dignos na
forma dos Sagrados Caones, eConcilio Tri-
denlino
Dado em 01 inda sobo sillo da Chancella-
ra, efliusso S(;nal aos 13 de t.aiode 1840
i. cu o Padre Juaguim d'Assumpco Escr-
vo a Cuniara Episcopal o sjibscrevi.
Joao iis q i < icesano
lil I lo qual inda V, Ex. H na. por
a con \ as deate Bis pado na
Inij eria I hdens, cu.no no
O SC i ...;.
l'aia \ En. Rui. assgnar.
C0\1MA i O DAS A\AS .
Expediente do da 6 do corrente*
Olfuio Ao Prefeilo da Commarca, com-
muhicaudo-llie em resposta ao seu uthcio
deaU data queficavo entregues e tivero
cooiptenle destino, os soldados do Esquadro
deLinba Jos Carlos Pereira, o Francisco
Alvcs ilii; Res,
Id?m do dia ". recib is d s icnementos do mesmo flnm-
OfReioAo Exm. ''resjdpnle, enviando, m ndanldo Destacamento, edaquantiade
destinada para aoa
Ibe htima reaui^cao de varias
risas ao porlo. e porta do Callabou
lalesa de Itamarac que por falta '; ;-"
lerragens se rio podio col locar em
respectivos lugares e instando pela satis-
faco do pedido com o possivel brevidn le
Dito Ao Commandante interino '
Mina de Ifamarac, remettendo-lbe p>an-
tiade yolJ'^o reis. importancia da-
la dos vencimentos do destacamento no pre-
sente mez. e a eautella dos do mez anteceden-
te que foi regeitada, cOmmnnirando-lhe,
q' a reqnisico das ferragens do porto e por-
ta do Callabouca da Fortalesa, tinba sido re-
medida a Presidencia para ser com brevidade
satisfeita.
dem do dia 8.
Offici A Exm. Presidente, pedindo-
lhe a expedicio de suas ordens para que o
Clarim da Companbia de Cavallaria do Corpo
de Polica-, fosse ctrlsiderado em diligencia no
Esquadro de Linha, a fim de instrua aos re-
Grutas qu se destnavo a Garios, equan-
do isso nao podesse terelfeito, que ao menos
losse ao qunrtel do Hospicio dar lices de
nianlia e de tarde.
Dito Ao mesmo Exm. Sur. remetten-
do-lbe em duplicado o mappa da Forca dos
Corpos de Linha existentes na Provincia per-
teneenleso mez de Abril prximo (indo.
Dito Ao mesmo Exm S remettendo-
lbe duas requisices de farda ment destina-
do aos remitas do tereeiro Batalhlode Afti-
Iberia e do Esquadro deLinba, eexpon-
os.motivos era que se basca va para lser um
tal pedido.
Dito Ao Inspector da Tbesouraria, com-
mtinicando-lbe que a Presidencia por ofi-
cio de 'i3 do mez passado, tinba posto ?o!> sua
di recelo os destacamentos da Guarda Naci- reir oc iViansuelde sobre Bare
nal das Comarcas deGoianna, Santo Ailo, I Companbia de Londres, que endossou ao En-
Rlo Formoso, i\saretb, e Brejo, e signfi- carregadodos Negocios do Brasil na nesma
cando-Ibe, que o Tenente Coronel Com- Cidade.
e luz, acilorme
incluzo adiara. Devolven-
1 relai So d silera 5 do ripes a Abril ,
para ser reformada, remettia-lbe a quantia
de 971U800, importancia dos vencimentos dd
Destacamento no referido :ncz. Hndueve os
oficial, e a quantia destinada para luz,
".oa.
No mesmo sentido se ofciou aos Prefeitrs
das Comarcas, do Brejo, Goianna. Rio For-
mlo, e Santo Anto reenviando aos tres
primeiros os prets e relaces de alteraces
que remetef-o para serem reformados con-
forme se Ibes irfdcava e transmitindo ao
prmero a quantia de6^'iU<90, importan-
cia de todos os vencimentos a que tinba direi-
to o destacamento nos meses de Marco e A-
bril; ao segundo a de 419U700 no mez de A-
liril eao tereeiro a de aHoioo, devendo
quanlo antes enviiirem os recibos relaces,
e prets dos referidos meses, para serem reco-
lliidos a Tbesouraria,
Portara Ao Commandante interino do
tereeiro Bafalbo de Artilbera mandando
excluir com passagem para o Esquadro de
Cavallaru deliril.ao primeiro Cadete Mauoel
Cavalcane Lins Valeasser
Dita Ao Mjor Commandante do Esqua-
dro autborisando-o a receber com passagem
o cadete mencionado t:a portara prece-
dente.
THEZOURARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia q do corrale.
Portara -- Ao Tbesoureiro da Farenda ,
para pagar a Luiz (iomes Ferreira a quantia
do 7.>;7ooLl7oJ res correspondente a ;iy
libras e biim cbeliin sterliuo ao Cambio do
39 lia dnbeiros por mil res valor de urna
letra a '5o djv, do saque d .uiz Gomes Fer-
nira & MansfieJde sobre liaren:: Brotbers &
mandante do Deposito eslava encarregado de
cobrar mensatmenle da Tbesouraria os ven-
cimenlor dos ditos destcame utos secundo o
nielbodo, que se Ibe indic .va.
Dito Ao Tenente Coronel Commandan-
te do Deposito oiden indo-lbe que por
Cautelas parciaes tirasse no primeiro de ca -
da mez os vencimentos dos destacamentos de
Goianna Santo Aman. Bio Formoso N.i-
zarelb Brejo, perlencenles ao mez anterior,
cuja loria lonslava do mappa que se Ibe re
mcitia e que estas caulellas serio resgatadas
cm vista dos prets recibos, e Belaces de al-
teraces que lite seriioenviadas, quealem dos
vencmentos,deva tirar nasmesmas Caulellas
para luz o agoa do destacamento de Santo
A nlo lo8oojde Goianna 7U200; edas de
mais Comaicas tl'ooo Conclua dando ou-
tias disposiedes a respeito.
Dito-Ao l'rcl'eiloa Comarca deNazarclb,
coniniunicando-llie, que leudo o destacamen-
to da Guarda Nacional passado a sua direc-
c, cotiviuia ij.ue para regular cobrang, C
pagamento dos seos veucimeulos, remellesse
no principio de cada mez o pret e relia mi
d'alleracoes pelo melbodo adoptado pelo Com-
mandante (eral do Corpo de Polica, coma
prefereuca do recibo do Piel, e ret'aclo". que
devia ser concebido nos termos que indlcava
a nota que se Ibe enviava, e que es-
tes papis (fe contabelidade feilos pelo (Com-
mandante d destaca mritos e por elle
Prefeilo rubricados, devio viraconinauh^dos
Dits-Ao oito |iara pagar ao mesmo Cofre do
Rendimento de 1 por cent de Annasenagetn
addicioual, applicadoao pagamento da Divi-
da externa a quantia de .H;iioU5i)J res
correspondente a 1000 Libras sterlinas ao
cambio de 29 lj2 dinlieiros por mil res, va-
lor de outra letra a tmdjv do saque de Luiz
Gomes Ferreira & MansBeld sobre Bareng
Brothers & Comp. de Londres, queendossnu
tambem ao Encarregado dos Negocios do Bra-
sil na mesma Cidade.
EDITAL.
No dia quinte do rorrete mez se ha du
realisar perante a 1 besourara de Fazenda
desta Provine:.1 ;. arremataeodas rendas iri-
ennaes dos, ti es Armazens so< no l-orte do
Mallo perienceuTes h os Propios N'acionaest
assim ionio da metade las casas meia aguas
Dcima trt*
o sitas ao lugar da Ca -
nanga
Secrel raria de pazenda da
Pern rabui VI. i 1 de io.jo.
i- Francisco Bastos.
i -.'. \. Maior.
s lie 1 >a rucee "3
TR] NALDAIIELLAC\.
Sessao de 1 a de Viaio de 18 n>.
Na Apiiellagam Civel do Juia il< Direilo
1* oCinarca da PaihieJ 9 Njrte K. urivia


DIARIO DE
PERNAMBU
pellantes Manoel Jos do Mascimenlo e sua
mulher, Apjellada Francisca Mara Cavalcanti
-de Vasconcellos: nao se tomou conhccimenlo
por ser apresentada lora de lempo.
Os Embarcos de Luiz Jos !*raiqurs contra
D. Mara Joaquim de Macdo e Mello, oppos-
tos ao Accordo na catira de Appellacam, Ex-
tiivam fcrreir, foro desprezados mandan-
do-se cumpri o Accordo embarcado.
Os Embargos de Joaquim AI ves de Farias
Administrador da Capella de Nossa Senhora
do O' da serra negra contra Manoel Percira
Monleiro op|>osto.s na cauza de Appellacao Ci-
vel da Villa do Principe Bxcrivo Bandeira;
eslrangeiros
loro despiezados e so mandou cuinprir u
Accordo embargado
Ka Appellacam Civel desta Cidade I'scri-
vam Chaves, Appcllanle Clara Joaquina dos
Passos t eAppellada Hila Helena de Jezus :
se julgon pela coiilirnuco da Senlenca up-
jellada.
Os Embargos de Jos Joaquirn do Nascimento
opposti'S ao Accordo niofei ido contra elle, e
a lavor de .Vanoel Gomes ta Silva e outros
na cauza de Appellacam <.ivel da Cidade do
iSatal, Esciivaiu Puslhomo: loro despiezados
maiidando-se cumplir o Accordo embar-
gado.
INa Appellacao Civel do Juizo de Dheilo da
Cidade da Parafiba Esuivo Fertira Anpel-
laiie Jcaquim Jos de Faria e Appellado
.Antonio Luis hizerra ue Souza;sejulgou pela
onfhmaco da Senlenca.
Na Appellajam Civel do Jui/.o de Direito
desta Cidade, Appellante Pedro Joaquim (jo-
mes e Appellada D. Auna Mara do Rozano,-
Excrivam Bandeira: lu juldada pela reforma
da Svnlenca.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesiua do N. io5.
que l'i.i rejeilada como todas
as mais emendas da Cmara vitalicia ledo
01 camenlo Nomeou-se a deputacao para
requerer a reunio das duas Cmars em As-
sembl^ geial.
Seguio-se a sesso de a a ; neste da n se
formou casa no Senado por falta de numero
snflicienle de Senadores. Na cmara dos De-
pulados ficaro adiadas a discusso sobre as
reclamaces dos subditos Porluguezes ; a pro-
prosla do Poder Executivo sobre o rest.ibeleci-
mento do Juizo privativo dos fitos da Coroa;
a resoluco que concede privilegio exclusi-
vo por 4oahnos companhia para a extraeco
de caivSo de pedra na Provincia de 5. Ca-
tharina ; e rejeitada kfia resoluco que de-
minuia o prazo para se loi marem as razes de
appellacao as causas de preferencia.
Na sesso de 23 tiatou-te no Senado so-
cebemos foi has.
NOTICIAS DIVERSAS,
As correspondencias da India annunci-
5o que em consequencia de huma terrivel
innudaco que houve no fim de Novembro
ultimo nos paizes situados entre Madrasta e
Calcula todos os campos semeados de ano-
foro destruidos e mais de i7,ooo Indio.-.
loro morios as ondas,
Escreve-se de Guadeloupe em data de y
de Janeiro :
O relatorio do Sr. Tocqueville sobre a
emancipaco dos escravos preocupa vivamente
nossos espililos e o conseibo colonial deve
delle oceupar-se a seu turno de huma manei-
ra seria Alguns membros linho pensado
que convinba expedir para a Franca tres de-
'egados extraordinarios ,
enea r regados de sus-
CORREIO.
O Vapor Paiaense lecebe a mala para os
Porto do Norte hoje ( i4 ) as 3 horas da tar-
de,
Carlas seguras existentes no Cor reio.
Padre Justino Furtado de Vlendonca.
Joaquim Francisco d Allem.
Tendo o Arsenal de Maiinha precizo de
quaienla fardos de panno tzul para alguas
Tracas embarcadas-no Brigue L scuno de Cuer-
ra Fidelidade e perlencentes as Compa-
nhias fixas : olllm. Sr. Inspector do mesmo
Arsenal convida a aquellas pestas que as
queiro fazer dando o panno e os aviamen-
los necessariis, a comparecerem na respec-
liva Inspecco no dia ib do crrenle pelas ti
horas da manb, a fim de ser mostrado o mo-
dello e fazer-se o ajuste tora qutm por me-
nos as fizer. Insiecco do Arccnal de Mari-
jiha de Pernanibuco n de Maio de ib/o.
Alexandre Rodrigues dos Anjos.
U ahaixo assignado preci/a de arca para o
atierro dos Arrombados e convida os pro-
prieUiiios de canoas que a quizeieo (brnecer ,
a procural-o na caza da Inspecco das obras
Publicas das lo at as a horas ce lodos os di-
as uteis a fim de tratar do juste. Inspecco
das obras Publicas |2 de Maio de 1840.
Moraes Ancora.
PREFECTURA,
Faric do dia i3 do corrente.
bre as medidas de se;uranca publica 5 fui de- tentare nossos interesses ; mas esta propo-
signadoodia a/, para a reunio de ambas as sico nao foi ainda id.
Cmaras, e o Exm Ministro dos Negocios
Extrangeiros declaro a cra'imcacSo oficial da
ordem dada pelo rei dos trncese* para a e
vacuaefio do Oyapock pelas tropas ali existen-
tes .
Na Cmara dos Snrs. Deputados discuti-
se o projecto de resoluco, que declara nao
pertencer a villa do Rio Pardo, Provincia de
Minas *S capellas de S. Antonio da Barra e
conquista ( que ficou adiado como tambera o
projecto de lei sobre eleiioes,
INa reunio de ambas ai Cmaras no dia
24, disculiro-se as emendas do ,-enado a
lei do orcamento sendo adiadas as duas pri-
meirast, e rejeitadas as duas seguintes Ap-
prova-se a emenda que augmenta a congrua
dos thesoureiro.*, e da que consigna a:ooo,f
mensaes para a casa de correceo O Sur
J.opes Cama declara seren falsos os boatos de
mudancasde ministerio.
Na Sesso de a5 continuou a discusso da
emenda do Senado relativa ao orcamento da
repartico dos negocios eslrangeiros.
Ka Sesso de a; coniinuou a mesma dis-
cusso supra, que tinha Ocado adiada e
procedendo-se votav o, houve urna maioria
de ib votos a lavor da emenda e por Unto
snjo nao I01 anda adoptada. O Conseibo
colonial lem-se limitado a dirigir ao nc-sso
Delegado insirucccs pelas quaes elle pede
que a Cmara se limito a votar o principio de
abolico da escravido e de indemnisaeoa
favor dos colonos deixa:ido s Asscmblas
locaes cujas .illiibuicoes deverio ser amplia-
rlas, o direilo de fixarem a poca e os nietos
de exectuo desta grande medida. No caso
provavet de qu a Cmara nao consinta em
fazer esta devoluco aos Conselhos coloniaes ,
u Delegado be convidado a exigir antes de lu-
do a repi esentaco directa das colonias no seio
da Cmara electiva. Ue resto parece que ,
vista entretanto a inulilidade, hem reconbe-
cida da delegaco o Conselho colonial se
absten de prover o em prego de Delegado ,
vago pela demisso que deo o Sr. Maugin e
da recusa do Sr. Uname. ,.
(Temps)
Tem-se calculado que a bebedeira mata em
Inglaterra .10.000 homens animalmente AJe-
lade des alienados os dois tercos dos pobres ,
e os des quarlos dos criminosos desle paiz se
aciio eulrc as pessoas entregues bebida.
( Sun. )
Na sessSo da Cmara dos Deputados do
1. de Jevereiro apresentou-se Imiu wcm
A CANNA E A BETERRABA.
Eis aqui buma nova que vai laucar o alar-
ma no campo das belerrabeiras. De nada me-
nos se trata do qu de huiu combate de
morte no qual a canna se apressa a dar o
derradeiro golpe na beterraba. Na sesso de
x7 de Janeiro na Academia de Sciencias ,
deo-se coala de huma analyse feila por hum
dos nosso sabios chmeos o Sur. Peligot ,
e que tem por fim demonstrar que a canna de
assucar he infinitamente mais rica em prin-
cipio saccharino do que at hoje se tinha
imaginado. Heportanio, inconlestavel-que
a pequea quanlidade, quede tal pr indi pi
se tira he culpa da mperlivo dos .'roces
sos seguidos pilos colonos ha muilos anuos 5
com obstiuaco rotineira Assim segundo
a analyse do Sur. Peligot, a cansa da \lar-
linica nao contera meir.'S de ^o ojo de subs-
tancia sacchariua chamada succu ( vesou ,1 ,
e este caldo proiluzir em reauitado pelo me-
nos i*i por opj de assucar sobre o peso da
canna em lugar de 6 011 B que se costu-
ma delle tirar.
Quesera dos nossos fabricantes indgenas',
quaudo os colonos quizerem seguir as instruc-
ces (ue se ilu-s do para aperieicoarero se
us processos de extrac.o i' A vantagem ser
tanto maior da parte (lestes ltimos quanlo
o assucar em ve/, de ser como no de beler-
raba combinado com buma multido de su-
bstancias estranhas e de materias colorantes ,
que be dilhcil separar acha-se quasi puro ,
e sinplesmenle nagua. I '.nticU nlo que toda
a artecbimica .he necessaria para tirar a be-
terraba sem a destruir sen a transformar
em melaco o principio saccharino intima-
mente unido aos lecidos complexos desla raiz.
0 colono p >v assim dizermos nao tem
outro trubalbo se nao exlrabir o assucar da
agua saecbarina bastando-llie faze-la eva-
porar com cuidado para ver o assucar depo-
silar-se por si mesmo e cristalwar-se.
A a descoherta do processo de conservaco
de Appert nao se tinha podido transportar
Franca cannas ou seu sueco em estado de
perleita conservaco de sorle que estes pro-
ductos nao tinha-) sido analysados se nao de-
pois de muilo alterados e privados de huma
porco de seu principio saccharino. O Sur.
1 elitfot tem sido mais feliz ; elle fez virera da
Martinica cannas de assucar seccas e com
fo aprovada a emenda do Senado que con- jecto de le sobre a or;anisac) de hum Con- : muita exactido pesadas antes assim como "o
cede para a repartico dos negocios estrangei-i seibo d'Eslado do quai duremos tal vez hum sueco inteiramnle conservado, segundo o
rosa quanlia de ab2 9i5s'685. | resumo em hum dos nmeros prximos desla j systema'de Appert, O resultado de sua ana-
lyse foi completo e sua publicidade deve in-
teressar no miior ponto as pessoas oecupadas
nesle interessante debate. O trabalho do Sr.
JNa Sesso de a8 continuou a discusso, 1 ful lia.
adiada pela hora na ultima sesso das emen- Paria 10 de Fevereiro. A sociedade Fran-
das do Senado < prrposta do governo e ceza para aboluo da escravido fez hoje ses-
emenadas da Cmara dos Snrs ^ Deputados I sao em casa do Sr. deLahorde, queslor da Peligot loi substiido ao exame dos Snrs!
6xando a receita e despeza do imperio para Cmara dos Deputados soh a presidencia do Thenurd e Pelouze e o relatorio destes do-
0 anno financeiro de 1840a ib\i. j Sr. de Lamailine. Tres enviados da socieda- us sabios loi lido na sesso de a7 ( Janeiro).
Na Sesso de 59 discutiro-se alguns arli- de Inglcza foro admillidos no seu seio e | O Snr iViinistTO do Commercio encarrecou"
gos sendo rejeilada a emenda ao 1 do arl j hum del tes o Sr Scobhe em resposta s
7. que suprime a quantia de .tinos que a observaces do Sr. de Tracy exprimi com
Cmara do Srs. Deputados havia consignado huma calorosa eloquencia ideias muilo eiea-
para pagamento dos jtiros das apoiiees emelidas I das sobre o estado das colonias Inglezas e so-
na labia. 1 isrutio-se, e aprovou-se a emen- bre a grande queslao da emancipaco
da ao artigo 8 em que se ixn a receita em
i^.Too.ooo'em lugar.'de \6(f>5:yi^s,jS,j.
( Lourier Francais. )
Depois da revolucan de JuJho tem havido
INa Sesso de Ao approvou-se a emenda do em Franca 4 j ministros nao compreheudi-
Seuado que supprime o imposto sobre as dos os ministros intermediarios de iJy.
Illm. e Exm, Sr. Das partes hoje recebi-
das consta fomente que foro honlem presos
pelo Sub-Prefeito do Kecife o creoulo Anto-
nio Felicianno por ttr datio com um cipo
cm urna mulher e iazer-lhe contusoens j
foi lecohido Cadeia j e pelo Sub-Prefeito
de Jboatao pardo Jos Quinliliannode Sania
Auna por ter deixado fugir um preso que
l.ia serappresenlado ao mtsiro bub-Prefeilo :
ficou ucluso.
NOTICIAS PROMNCIAES.
Rio de Janeiro*
A
(i ilaJ '..'. J'i ciit contina or da
1 oa tiaiiquiliidi le, comosetemliM das
respectivas (,u> ulcaiic&oal tdo cor-
1 o
A Cmaras ccoiinuavo em seus Uabalhos.
j>a st-tso d* iodo patsado o Sr. And rada
Machado declara coro 38 formalidades do estilo a deputacao,
ncarrrgada de cumplimentar aS. M. I, e
casas, que tem caixeiros eslrangeiros
Indo no dia 1 do corrente as deputaces do
Senado e Cmara dos Snr. Deputados saber
o dia e hora da Missa do Espirito Santo e o
dia, logar, e hora do encerramento da ses-
so extiaordinaria da Assembla geral legis-
lativa e bem assim o da abertura da sesso
ordinaria foi respondido pelo Regente em
nome do Imperador que a Missa seria no dia
a pelas 11 horas e a abertura da Assembla
geral a 3 pelo meio dia no paco do Senado.
No dia 90 do p. p. tinha fallecido o Exm.
Sr. Baro de Ilapo Senador do Imperio
pela Provincia do Para.
S- M. I e R. o imperador* d'Austria
mandou entregar, pelo baro 1,'aiser minis-
tro austraco ao Exm. Rispo de Anemuria ,
urna cruz episcopal de esmeraldas e brilhan-
les. caos Reveiendissimos megos Francisco
dos Santos Moreira, e Luiz Marciano da Sil-
va duas ricas hcelas deouro em commemo-
raco da confirmaco de S. M, o Imperador
do Brasil, acto, em q' o Imperador da Austria
servio de padrinho, e loi representado pelo
Exm. Regente.
Rio Grande e Santa Cathanna.
A necessidade de aprontarmos est folha
nao d lempo de fazer nina analise sobre as
noticias deltas duas I rovincias ; mas das par-
tes ofteaes, que publicaremos a manb ve-
ro os nossos Leilores, que esto desvaneci-
dos os receioi de que os rebeldes atacassem
SantaJCalhai ina, e que as noticias dessa Pro-
> luca e do Rio Grande sao agradareis (Mis
( dem )
A guilholina acaba de substituir em Cons-
tantinopla a empalaco, e outros suplicios re-
\ olanles, que se fazia sotlrer aos condemna-
dos. Esta nao he a menos curiosa das refor-
mas, que tem sido introduzidas no Oriente.
( Armoricain. )
Liorne ao de Janeiro. (^uadro estatisti-
co do Reino das duas Sicilias.
A superficie da Sicilia he de a4>97' milbas
quadradas.
A populaco era em i82o de 5,^07,573
habitantes; em HSj elevava-se 6,080,-488.
Em 180b contavo-se 71,000ecclcsiaslicos ;
em >&lj este numero eslava reduzdo
37,395.
As Rendas foro, em i835 de 9.6,089,000
ducados quanlia suficiente para fazer laceas
despezas correntes.
Em 1808 o exercilo era composto de ao,384
homens com os mesmos quadros pode-se fa-
zer subir o numero b^-ii-j homens sem
contar 8,a44 gendarmes e algumas compa-
nhias de veteranos e invalides.
A Manuha cm ib35 secompunha de 2
naos
/> fragatas ,
a crvelas 80 bateas ca-
nboeiras, abrigues, -a escunas a culera ,
a barcas de vapor ao todo 4o(i bocas de
logo.
lnstrucco publica. aples possue hu-
ma univrsidade 5 lycs i colie>ios te-
aes 4* escolas secundarias e oulras esco-
las que se acho em todas as idades de pro-
vincia.
rregou
huiu Pharmaceulico de irazer da Martinica
diversos pedamos de lodas as especies de can-
nas de assucar assin. como o sueco
L-se no Progs d*Arrasde bde Janeiro
'* H'ima curiosa descoberla devida ao aca-
so acaba de .manifestar na commuin de Her-
mies peno de liapeaume a existencia de
huma Cidade subterrnea.
*' ISesles ullimosdias durante as grandes
chuvas hum enorme desmoronamento de
trra houve contra os habitantes de Hirrais ;
alguns mocos decidiro-se descer esle bura-
co ajudados de algumas escidas postas hu-
mas n is extremidades das oulras e loi man-
do hum comprimento de cerca de trinta me-
tros, Qual nao foi seu espanto qnando el-
les reconiiecio oeste pTofundidade bel-
las ras bordadas de cada lado de aposentos e
cama 1 as !
'* Asmas sao bastante largas para darem
transito huma carruagem As cmaras,
de difieren tes grandezas sao mais ou menos
asseiadas e elegantes algumas tem mesas de
pedia. Se deve-se acreditar nos albitas ex-
ploradores seu numero eleva-se de laoo
i5oo ; mas esta cifra parece-nos exagerada ,
apezar de nossa confianza as pessoas que
nos tem referido esle laclo.
" O que mais impresso tem causado es-
tes m ico* he huma torre, guarnecida de
huma escada circular. epois de le em subi-
do esla escada e violentamente balido na a-
bobada da torre percebeo-se que ella dava
entrada mesmo para a torre de iiermies hu-
ma poita foi logo prilicavel.
*' Desgracadamenle continuando elles
caminharem atravez destas novas catacumbas ,
a raridade de ar respiravel fez apagarem-se
as luzes que levava e viro-se ohrigados
a abandonar suas pesquizas. Voltando
pressa ao lugar em que tinho descido ,
la I la va hum del les. Estes corajoso? mocos
regressaro immediatamense sena luzes j elles


DIARIO DE
PRUNA M BUCO
s
19
I
o chamarao ; e seus gritos respondi o ge-
midos que partio de hum potjb de pro-
fu ndidade de cerca de 90 metros, seucom-
panheiro tinha cabido nclle quundo se re-
tiravao ; foi d'ahi tirado com huma perna
maltratada e quasi aspliixiado. ,,
Dous obreiros dos mais habis fabrican-
tes de armas de Solingues [ Baixo-Rhno ]
tinho frequenles disputas sobre seu talento e
habilidade. O Director querendo por fim
esta conlenda lites propoz que tratasse ca-
da hum de ver qual far^ huma melhor espa-
da. Hum mez depois apreseulara-se am-
bos diante de hum Jury de obreiros compe-
tentes. Hum fez a ponta de sua espada tocar
a guarnico 5 ficando depois a lamina (Mili-
ta sem a menor tortura. O oulro nao levava
cousa al de tabaco t sobre a lampa da cual elle alar-
racha huma armaco acalcando eni lii.nn
mola a espada sallou da caixa na qual es-
lava enroscada como huma terpente. A' vis-
ta deste golpe de mcslre seu rival se incli-
nou, e procamou seu adversario Rei da Es-
pada,
(Folhas Francesas)
[ Do Correio Official ]
Sobre a pouca importancia que se d aos
Mestres.
S quem fechar os olhos para nao ver tan-
tas e to niara vil hosas produeces do engt-uho
I.milano que por toda a parle nos cercao .
ousar negar asuperioridade da inteligencia
do homem no sectilo presente. Su a O recia ,
e a Roma antigs piodu/ira um pequeo nu-
raero de genios assumbrosos que alguein
prelere aos noasos mais excellenles comtu-
do evidente que geralmciile fallando ficara
muito inferiores aos da nossa epocha ; anda
que a dilerenca resultasse das invenciveis cir-
cunstancias do lempo era que vivera,. Um
sabio moderno disse com graca : concedo que
a anliguidude loase um gigante e o nosso se-
cuto seja um pigmeu ; mas ho de confessar
que um pigmeu sobre os hombros de um gi-
gante ha de ver um pouco mais ao longe.
Tanto em sciencias e artes como as como-
didades e gosos da vida iudubitavel que es-
tamos muio cima dos antigos e sobre ludo
os excedemos na vulgarisaco e propagaco
dos conhecimentos uteis. A industria arle ,
e animo empreliendedor com que procuramos
instruir o humera rustico, e melhorar sua
condieo social, sao taes que nem o despota
mais poderoso do imperio mais opulento nos
lempos antigos seria capaz de as empregar em
ser vico seu, anda que empenhasse lodo o seu
poder. A grande importancia da educaco ,
tanto dos individuos em particular,. como de
urna na o em globo lo geralmenle reco-
nhecida que se algucm ousasse conlradize-
la seria ridicularisado e perdera o seu tra-
bdlho Ha porem um objecto em que se-
gundo nos parece essa hberdade, que cons-
tilue a gloriosa divisa do nosso seculo est
beiu repreheiisivelmente adormecida. Posto
que coulieca lodos ser urna das primeiras o-
brgacoesde um pai procurar a seus filhos as
inapieciaveis vanlagens de urna boa educaco,
e que esta teja to geralmenle recommenduda
como fon le davirlude, da felicidade e da
opulencia e grandeza dos povos parece com
tudo que por acinle se faz diminuto caso da-
quelles de quem depende o hom ou mo per-
leito ou iniperleilo carcter da educaco da
mocidade. Um povo que se pieza de saber
dar valor educaco nao pude caliir era mais
fatal e perigoso erro erro que, por ido vul--
garisado jieve sur combando por todos os
que lomad a peilo o progresso nao interrompi-
Uoda clvilisayo nacional.
^ao lia j Casca aiguina nem mesmo anda
OS minislr OS da lehgiao como logo farrmos
ver| que por sua piulisso leiiha na Socieda-
de lana influencia moial ^oo para bem ou
paramal, couluruie as circunstancias J como
um preceptor ) Poisquo deite depende o
deseiivolwuienlo aas (acuidades nisceutesd u-
nia alma leura nao someme Ihe sao iudls-
pensaves couliecimenlos sulcienUs accoiapa-
nbadosd'aquella rara e pieuosa iiabihdade de
co ni mu nica-ios a ouireui mus Umbera ue-
v era ser dolado'de cosiumes virtuosos e nre-
prehensiveis de incaiicuvel paciencia e ze-
lo inaUlavel na certeza deque nao lazendo
uso destasdqualidades nao so deixa imperlei-
la a educ cao que Ihe conuara como levan-
ta obstculos uisupciavtis aos estoicos do pe-
dagogo espiritual a quem incumbe inspirar
juvenl uue por meio das mximas da reii-
Pio o amor a viilude nesta vida, para a
encanunliar eterna telicidade na oulra. De
nada sei vira ao preceptor evanglico a pieda-
de, a sabedoria a eioquencia > e as "tta- 1
cias opportunas e nada Ihe aproveitar a ap-
lido no cumprimento de to sagradas e im-
portantes fuoccoes, pelo contrario baldadas fi-
car todas as suas deligencias quaudo en-
contrar um homem cujos mestres nao forao
capaz.es de cultvar-lhe o entendimento para
aprender e instruir-se e o coraco para ser
dcil e virtuoso.
Se refleclirmos quo sublimes devem ser os
predicados de um mestre e se alteudermos
:\< importantes consequencias que rcsulta
Sociedade de lo delicado ministerio, fcil-
mente nos deixaremos convencer de urna triste
verdade qual que entre nos, os mestres
sao muito mal recompensados quer pelo que
respeita ao seu estipendio como ; conside-
racao a que lem direito na Sociedade. E com
effeilo alera de querermos que ellcs sejao a-
durnados de bons sent montos religiosos, de
pulidez em stias maneiris e de costuraos ex-
propiares e irrejirehensiveis requisitos in-
dispensaveis para merecerm nossa conianca ,
exigimos anda d elles con Ierimontos inlollcc-
tuaes, e predicados de tal importancia que
possuindo-os, poderia aspirar COIQ justa ra-
zio s mesinas honras, e vanlagens que des-
fruclad as mais lucrativas prolisses da Socie-
dade. K nao vemos que urna mal entendida
economa a causa de ser o magisterio to mal
remunerado r1 Mostrai aqu um s vestigio
dessa toapregoada liberdade de que se jacta
0 nosso decantado seculo das luzes. K comtu-
do islo desgracadamente urna verdade inne-
(javelcbem conhecida. Ninguem poupa des-
pezasem objeclos demoro e insignificante lu-
xo, por mais cuslosos que sejao: gasa-se
profusamente cm magnilicos ornatos eem,
apparatosos espectculos ediverlimentos : ha
entre nos muilos pas singularmente carnho-
sose desvelados para com seus Hllios, no ciue
respeita ao seu tratameuto delicado e a tudo
quanlo Ibes pode servir de recreio e distrac-
co j m;is quando se tracta da sua instrueco ,
do seu mais verdadeiro inleiesse, nao se vo
seno avare/.a e mesquinharia.
Quem se persuade quequalquer pssoa ser-
ve para mcslre nao pode dar impoi lancia al-
guina a um homem digno d'este honroso titu-
1 ) revestido de um carcter perfeitamente
religioso e de conhecimentos solidos e varia-
dos com um metbodo ehcA d os commu-
nicar a oulrem ; e por isso est no ca-
so de pagar ao seu cosiuheiro e ao
seu lacaio mais generososo e avultado salario
doquequelle a quera entrega a educaco de
algum filho, o que muitos fazem por mera
ostentaco porque nada Ibes d menos cui-
dados que a futura sorte daquelles a quem
dera o ser,
JNo pensem os leitores que temos fallado
n'esta materia com demasiada atrabile e ex-
aggeraco. O mal, de que com to justo
motivo nos queixamos com ser mu geidl,
tambera in;lirios > especie humana ; e lenha-
r.ios a certeza de que em quanlo nao fr com-
pletamente extirpado do nosso slo infruct-
feros serao os esforcos do governo e os cla-
mores da imprensa para collocar a nossa patria
no elevado gru de cultura, e civiisaco e
prosperidade a que lem chegado as primeiras
nacoes da Europa, e de que somos susceplives.
coma-seque Arislippo lora o priineiro que
s\i;io recompensas pecuniarias por ensiuar
discpulos e que leudo pedido cincoenta dra-
chmas a um pai para Ihe instruir o filho.
, Como cincoenta di adunas exclamou
o homem admirado com esse dinheiro
compro eu un escravo ,, *' l'ois compra-
o reiorquio-li.e o philosoplio e leras
duis. ,,
Uoencas prop: i .s dos compositores d'obras ly-
pographicas, e meios de as prevenir ou re-
mediar.
A primeira idea que occorre a quem visita
as lypogranhas e observa o trabalho dos
composiioies a da longa constanle o pe-
uosa ppltcu^do da vista, exigida pelo ejercicio
d'esla | u.lissaO e que M causa a alleccoes
iphi.liincaa, c- algumas rezes cegueim; o
habito Ue ter osollio filos consiaiilemenle nos
tvpos ou caracteres prelos estimula os olhos,
o pode ser origem lenta e chronica que altere
e perturbe as luncces d'aquele orgo. Paia
prevean1 esta desgraca recoinmenda se o uso
dos oculos ; poieiu parece-nos que este meio
sosera bom quando a v isla cometa a enira-
quecer-se ; e achraos prelcrivel como meio
preventivo o de piular de verde os repa ru-
nenlos das ca xas e.n que esldo oslypos: a
cor verde mais agradavel aos ollios que a pe-
la tambera sera muito bom pintar de verde
as paredes das salas onde os compositores tra-
ba Iho.
ISo caso, que experimenten! alguma fraque-
za nos olhoa seni oulro iucomiuodo ou doen-
ca, bastar para remedio as man das vezes
hanhar os olhos no Brn do trabalho com agua
fresca misturada com algumas gotas d'agua-
ardente. O Diccionario de Sciencias Medicas
menciona muitas molestias a que em oulro
lempo estavo sugeitos os compositores e im-
pressores ; porm hoje, principalmente para
os ultimo em resultado da perfeico inmen-
sa introduzida nos procesaos mecnicos, o tra-
balho tvpographico muito menor e mais ra-
ras as uoencas e muito menos o sero se os
impressores se ahsliverem de bebidas espiri-
tuosas', e de urna vida licenciosa. Duas mo-
lestias ha porm que os compositorci nem sera-
pre podero evitar ; a priracira una nchaco
nos pea e nos loruozellos em cousequencia
da necessidade em que esto de trahilhar
muitas vezes de p : a segunda causada pelo
metal combinado com antimonio, quecous-
anlemente trasem as raaos; este chumbo
produz musefl'eitos na economa animal,
ortgem de clicas dolorosas e s vezes para-
usa as extremidades do corpo. O modo de
evitar a primeira molestia ( a inchaco das
pernea ) usar do polainas de ouro bem a-
pertadaa com conloes ou correias fortes. Pa-
ra prevenir a segunda molestia ( a das clicas)
muito til que os oticiaes se abslenho de
levar boca os caracteres ou typos e adqui-
ro o habito de lavar muito bem as mos antes
de comer, sempre que larguem o trabalho.
Tambera ser muito proveitoso o esfregar
noile e pela manh as mos com azeite. lien-
jamiu Frakliu que foi um sabio Ilustre e
comecou a sua carrera por compositor re-
commenda aos artistas das typographias duas
virtudes : primeira a economa, segunda a
frugalidade.
Oexemplo d'este grande mestre deve servir-
Ibes de lico ; viveo feliz e honrado e mor-
reo de 84 annqs de idade. X d'A.
( Do Panoram.)
lotera eo theatro.
Os Bilhetes da segunda parle da segunda
Loleria do Theatro Publico cujas rodas an-
dan imprelervelraente no dia 1. de Junlio
prximo futuro, acha-se a venda no Bairrro
do Hecife em as lojas dos Srs. Manoel Gonc>l-
ves da Silva, e Vieira Cambista ::; ruada
Cada e no de anlo Antonio em a loja do
Sr.Joaquim Claudio Monteiro em a ra do
C^ueimado.
LOTERA DO LIVRAMENTO.
As Rodas da Lotera a favor das Obras da
Igreja da Senhora do Livramento correra im-
preterivelmente no dia il do mez de Junho
prox. vindouro.
Avisos Diversos,
S!y O abaixo assignado encarregando-se
por pedido de Madame Robert, de servir de
porleiro do Theatro vendo-se maculado na
sua honra assoalhando-se que elle admilti-
ra 110 mesmo Theatro mais de ii'\ pessoas ;
dzendo huns que elle o fazia por dinheiro e
outros por obsequio ; declara que falso que
fossem admiltidos mais do que aquella nume-
ro, como o provou na abe llura q' fez o Illiu.
Sr. Pref da caixa onde se achav a os mesinos
bilhetes recebidos na porta. Faz tambera pu-
blico que elle nao comprou bilhetes para ven-
der cora lucro e ique os vendeo pelo preco
estipulado por Madame Robert, o por sua
ordem isto nicamente boje de b horas da
maulla at 4 da larde. Recife lidoiMaiodu
1840. Joo Uubois
t?~ O Bacharel Formado Antonio Joaquim
de Mor.es Silva Juiz de Direito Interino da
i a. Vara do Crimc faz saber a todos os Jurados
sorteados e a quem mais convier que a
prxima reunio do Tribunal dos Jurados ,
transferida para o da 15 de correte deve-
ra ter lugar na casa dos trabalhos da Assem-
blea I lovuuial por assim haver determina-
do o Exm Presidente da Provincia.
Perdera-se cento e cincoenta mil reis
ao sabir da loja da esquina do beco largo a-
l chegar a loja de cambio : quem os ti ver a-
chado baja de os restituir a .tianoel Joaquim
da Silva que dar um bom achado.
No da t;i do correle pelas oito horas
da noile foi achado um cavallo alazo sel-
lado e enfreado que andava sollo ; quera
lor seu dono procure a Marcolino Alves Vil-
lela morador 11a Caza-lorte era um sohradi-
11I10 a esquerda indo do Recite que dando
os sicnaes Ihe ser entregue.
Sji/- i^ueni precisar de mandar lecer pali-
uba em cadenas e canaps, dirija-fe a Uoa-
Vista n ra Velha casa n. s5 que achar.
urna pessoa que b;ce excelleuie e commoda-
mente
139* Ao pergunlador do Diario de ontem
responde-se ipie quando quiser fallar da-
quillo que nao Ihe compete indague para
nao avaucar filsidades ; que nao de sua con-
ti quanto ganhou o Reverendo Sr. Prioste da.
Ireguezia de Santo Antonio do Recife mono*
i|uautij tocn ao Reverendo Paroch na festa
doSr. dos Martyiios ; que o Olhcio Divine
nao augmenta ou diminue dw cssencii, por
ser cantado pe) Padre Jlo ou Antonio ,
e que ao Reverendo Parocho, ou quera suaa
vezes faca compele nomear quem deve oficiar
as festividades de sua freguezia. Adverie-
su-lhe era ultimo caso que muito mais liave-.
na a responder pois 11T, se ignora a* sua>
manhas porem que so S8 far se tirar a capa,
com que encobre as mataduras.
Ura dos que nao vio a Ladainba, porem
que sabe defender a innocencia oiTendida sera
para sso ser rogado*
tssr Quem l!ic fallar um pranchio dirija
se a casa do Vianna, na ra da l'raii qus
dando os signaes su ihe entregar.
C" Aigum hoaiem de negocio que seja s e queira morar cora oulro solteiio n'uma atr.x
terrea por detraz da Matriz de S> Antonio, di-
ria-se a praca da Independencia loja IN. 2.
t3" Arrendarse ura sitio no principio da,
estrada d j Arraial, com um 1 grande casa da
pedia e cal cacimba e muitas arvores da
fructo ; quera o pretender dirija-se ru 1 do
Sao lioncalo casa D. n.
52y O abaixo assignado aviza .10 respeita-
vel publico que pessoa alguma fie 1 compra ,
011 hypollieca de bens a sua mulher a preta
Joaona Mana da Coi o moradora no sitio
da Trerape porque o o negocio feitopeia
annunciada nullo quanlo o annuncan -
lee o Administrador al dos bens do caza! ,
e para ser em virtude u restituico da Admi-
nislraclo j o annunei inte tentn a accio coin-
I ptente pelo Juizo d 1 Uivel, alera do Libelb
de divorcio a que o annunciante se oppoz, que
se acha pendente na Relaco Eeclesastica da
Baha; protesta o annunciante em lempo
competente oppor-se a lodos os tratos, feilos
com annunciada e intruza administradora,
do Cazal.
Joaquim Manoel da Costa.
GT Vende-se urna duzia de cadeiras de
Jacaranda cora pouco u/.o na ra de Hurtas
entrando pelo Carino dolado esquerdo antes
do beco que entra para a ra de >. Pedro .
casa D. 6.
ts^" Jos de Santa Anna Coitinho rctira-se
desta Provincia para a do Marauho.
%3f Se nesta Praca de Pernambuco ou em
oulra qualquer parte apparecer Manoel Jor-
I ge filho de Domingos Jorge e de Mara Ttie-
! reza de Jezus Baptizado na freguezia de Ri-
1 beira io em Portugal, pode dirigir-se no
beco da Lir.goeta em casa de Joaquim Jos
Rebello; e aparecendoe querendo pode pro-
curar a'casa de seu Ir mi Jos Mara Jorge
no Cear que pagar o seu transporte.
0K> Aluga-se urna casa no atierro da Boa-
vista de tres andares con cozinna no auar-
to andar cocheiro grande cavalbarice para
seiscavallos : allugao-se mais duas moradas
j de casas terreas na Trompe : quem as preten-
der dirija-se ao seu dono Franciscj Antonio
, de Oveira no Atierro da Boa-Vista.
&37" Sacca-so para o Porto quiihentos mil
reis fortes no Furle do Mallos prensa da
j Carneiro Monteiro a hadar com o Guima-
res.
Si?- Jos da Silva Pereira com loja na.
ra do Queimada t tendo comprado no
da 9 docorreiite a bilhetes inteiros di se-
uiida parle da segunda Lotera a favor das.
obras do Theatro umdoiN. 1040, compra-
do na loja de Francisco Garca Xaves, eo
oulro de N. OS comprado na loja de Joa-
quira Claudio Monteiro e como os perdesse
ueste mesmo dia em que os comprou desda
a ra do CJueiinado ale ao utterro da Boa-Vis-
ta desde j previne ao Sur. Thesoureiro ,
para no caso de sahirem premiados, nao os
pagar se nao ao proprio dono cima mencio-
nado j o qual loga a pessoa que os aeliou ,
que, se os quiser restituir duija-se a diU
loja cima, quesera bem recompensado.
VJ~ C*uem precisar de una ama propria,
para urna casa dirija-se a ra do Rosario da
Boa-Vista D. ao.
ajay CJuem precisar de um ra|>az brasileiro
caixeiro de cobrancas dirija-se ao beco do
Carcereiro caza D. t.
HT Pede-se a um Sr. Procurador de Can-
sa avulso o recibo da quantia qu* por elle se
uiaudoii pagar a um annimo, no praso da
tres das. iiuiln. os qoaes, o apwwntando
o mencionado recibo, declara-so o nomo, a
quanlu u a pessoa a quem t>i saiislaior.


V
i
DIARIO DE PERNAMBC CO

l7ie*a
>
da
eominodos dirija-se ao mcsmo Capito ou
a seu consignatario Vlanoel Francisco Ponles
PARA LIVERPOOL ale ao do correnle a
Rarca Inglesa Esk Capito Adamson tem
excelleirtes commodos para passageiros ; quem
quiser ir de passagcm dirija-sea os consi-
gnatarios Harrisons Latham & llibbert, ra
da Allandega velba n. 9.
KST Quera annunciou no Diario de hontem recmenlo prompto o Palacho Nacional Le-
^uerer tallar com a Senhora '' -..-' -idade Capito c pratieo Antonio Silveira
Joannade Vasoonsellos tli-,- c 'iel Jnior ; quem quiser carregar ou
Pruia onde hoje exislem arm. '. de passagem para o que "lem excellenles
serca no primeiro andar do soiiw <-
ve tanque de agoa.
S2^" l'recisa-se de urna raulbcr qm.
boa cozinheira na ruado trapiehe n. 1
Mr* Arrenda-sc por lempo de oito ann
a e 3. andares ;!a 1 asa da ra da Cruz do
tife n. 47 1 os pretndanles dirijo-se a 1
na casa a fallar como Manoel Figueir
iilva
y Arrenda-se nm silio com boa. casa de
t venda no lugar do Y'onleiro ; a tratar na
ra do Arag.Vo na venda por baixo do sobrado
onde tem lampio.
t*^" Precisa-se deaooonoa premio de um
e mera porcento com hypoiheca era urna ca-
ta pelo lempo de um annoj quera quiser dar
aiwtuncie.
15T O accionista de cautelas de lodas as
Loteras, avisa a os apaixonados desle jogo ,
que se acho a venda ditas cauleilas 110 aiter-
roda Boa vista loja do Snr. ({apozo, na ra
do 1 respo loja de miudezas I). l> as 5 pou-
tas venda D. 9 euaruu (!; cadeia loja de
miudesas l). 4.
tr O Sr. Jo
iqum Jos Galvao queipa
da mesraa idade e 3 escravas de naco com a 1600. peitos ou aberturas de camisa a' iooo'
habelidades ; na ra de agoas verdes I). 38. 1 pastas de jujuba a 64o a caixinba e chapeo3
SSr Urna meia agoa na ra de S. The-! do chile de copa alta e aba larga ; na prac"
reza, e urna venda muito boa, tanto para 'da Independencia loja de Jos Antonio da Si
negocio como pelos commodos que offerece j Va n. 7, e 8.
C o ni p r 1 s
SSy* Urna escrava creoula ou parda, que
saiba coser engommar cozinbar e mais
irraiijo de urna casa ; na ra do Crespo D. $
lado do tul.
ssy Prataeouro velho ; quem tirar an-
nuncie*
Vendas
CT Cautellasda Socicdade Fortuna Ty-
pografica divididas de hilhete da presente
oteria do Theairo a preco de 4^0 coda urna;
nesta Typografia na praca da Independencia
n ao 1 na ra do Cellegio loja de relojoeiro bomgoslo ,
e com poucos fundos ; na ra de agoas ver-
les venda I). i.
$2^- Um sobradinho na ra dircita com
commodos suficientes, cozinlia fora quin-
tal, e cacimba 5 na ra do Cabug loja de
iNanoel Duarte Ferro,
127* L'm lindo relogio de ouro de sabone-
e na ra do Chieimado D. 11.
SS5" Urna lindissima carteira de uma s
face com excellenles commodos 5 na ra do
logo loja de marcineiro.
SST Una ptima varea com cria, man-
a c filha d; pasto ; nos allegados quarta casa
do lado direilo.
af^ Um bote de 4 remos com pouco uzo ,
que serve para qualijuer navio ou pessoa
que gosta de bordejar: era f ra de porus a
tratar com Francisco Euzebio de Paria
es** Um bom preto oficial de oleiro e
outrocoznheiro, o primeiro se troca por uma
preta que s:>i'.ia cozinbar e engommar na
ra da moeda 11. 1.41.
~-\' Din guarda vestido' de Jacaranda, d
Eseravos Futidos
e c!ie.,.nlo prximamente do or-
annunciar a sua morada para se tratar neg- ena ra larga do Rosario loja da miudezas J lo ; ao p da cadeia sobrado de 3 andares De-
vio que Lhediz resji-ilo.
i*~
OUerece-se para caiseiro de qualqoer
otsuoacfio um moco brasileiro v da > a 6
inezes ile gracn 5 quem precisar nnuuneie.
D 7.
Clll'l I .
tsy Uma duzia de cadeiras de Jacaranda i y*" Rap folo Hamburgus era garrafas
urna cmoda, um tocador, ludo da mesma delibras emeias ditas, diloareia preta, dt-
madeira meia duzia de cadeiras americanas lo do Lima, e Varejq, cha* isson de pri-
WT O abuixo assignado faz publico que no!unBa ferramwila deourives contendo os ferros meirasorte, dito perola era libras, e em
di* 36de Fevereirode id 9, Vv fn-io on J m*'s preciaos ; na ra dos Martirios venda da cauinbas de doas libras e meia por 4 00, lin-
f 111 tut-iio por sedu-.ao um seu escravo de norae 9uinaque volta para.o beco,defronte da Igreja, ta de escrever preta e encarnada a too o pote
bilverio Iha consta que elle .nula peloeen* tsr Urna escrava de naco do idade de dita azul a o, penles de tartaruga para mar-
tro m companbia de um mo^o que o sedurio ,! 34 ann0$ m bonita figura lava btra de rafas, ditos de massa paca cc ncs tisou-
e he provavel que assim teja por quanto di- i varrella ; cozinba o diario de uma casa e lie rinba finase ingiezas para unlia pentcs de
lo sera vo nao pode estar fgido tanto lempo, guiMtndtiri; na ra Uueila D. 2o lado do raaiijm i|e tirar piolhos, ditos de tartaruga
sobre si eaera proteefio de algnma pessoa Livramenlp. para alisar, escovinbas para denles e para
c como o Snr. do engenho Hamburrai aunun-I B'r Uma negra de idade de 15 anuos, en- escovar pedras umrico sorlimenlo de bicos
ca acbar-se em seu poder umescravo que nao 60l,'l,,a cose, ensaboa elida com crian- largos e eslreilos blancos e p retos superiores
diz quem beseu r. o abaixo assiguado ro-
pret
tsy* No dia ft do corrente fugio um mole-
que do lugar do rio doce de idade de 1 a an-
nos cor pela beicos grossos cabeca pe-
quea pernas finas ps grandes est al-
guma cousa cambado levo vestido seroula
de algododa trra comprida que nao loi fei-
ta para elle, pois tem uma prega tomada,
aqueta de brim liso pardo ja velba e bastante
comprida, e sem camisa e chapeo; quem o
pe -ar leve ao silio da boca do rio doce que se-
r recompensado
ISj" Fugio ou furlarau no dia 8 desle mez
.'o ablxfl iissTgnado um moloqiie de r.ome Uo-
iningOS, de naci Aiig da cor fula, dada
de 'a ibannos, com ossignaes seguiutes
lem falta de cabello ni coroa da cabeca olbos
abug libados cara red md-i cora os dedos da
man esquerda queimad >^ de frese 1, com mar-
c de 1 v-j i i. muilo anlija na perna dircita os
ps ebeiosde l'neii is Unpiia a -1 unda |u-
Joanda >S has;, nte .1 10 1 muito aecmo-
Uiido obediente risonbo
ruad.1 polio fino
alvo, cs lan
lev
11 ramiza oe
ceroula comprida de brim
, la ioi,! 1 ;i dous boloes do sso ;
1 o pegar ou delle livor noticia leve-o i
ra do Crespo .:) t fc_jy" Ao diu a5 de Marco fugio um escravo
pardo de nome Fcl. de idade de 2o anuos ,
estatura b.ii.va, grosso do corpo
lab
ca ;ran-
cie
jja auearescidamenle o favor de pesquisar se
o dito escravo ero os signaes seguinks na-
cusongo, estatura baixa, de idade de
ollioa pequeos, naiizeboca regular,
sem barba pescoco curto cor a cabocolada,
cabello puchando a picbaim tero verguea
pelo corpo que diz ser de chicote falla a mo
da do serto por ser natural do cascivel per-
lencenle a Cidade do Cear tem as perna
arquiadas-algiiraa couza para fora principal-
cas por ser a isso costumada ; na ra das trin- mantas de bico de blocn para senhoras'e me- "ente a esquerda j quem pegar sendo para
che. ras casa terrea D. it ao p da venda. ninas, a 3aoo e 4800 lencos do ditos pretOS Kio Pormoso ou Serinhacm o p
MT Um negro velho para silio por preco e blancos a lafo um rico sortirnenl
anuos, cor preta, feicoti grosseiras nariz
um lauto chalo
beicos g
jiossos maos curtas
grossds corpo xeio pernas grossas ps
...to de fi-
. modo ; na praada lioa vista D. 9. tas degarca largase estreitas ricos aderecos
UT Uma creoulinha de boa Bgura de de filagr prelos, ditos de contas lapidadas s
ida ele 15 anuos, eoiiuha lem principios borzeguins para^senhora a 5oo galocha,
deciigommar, sabe tratar de criancas e be para bomem a itoo luvas decamurca ama-
pequenos com o dedos curtos, regrista e babil par* todo 6 tervico j narua estrella do rea, boles dourados para guardas da alfan-
lem o sulaque na falla em vez de dizer at Rotar'Uti tereeiro audar. dega dilos para maniuha bichas ullima-
ditealbe, bastante bebarro, tem officio de .*^" Uoucravos sendo um molatoptimo mente chegadas, e oulras muitas miudezas
jiedrtiro, ehe em todo o servico despachado fl'^'a'de alaiate muito moco e de boni- por preco commodo 5 na praca da Indepen-
diera o coslume quando foge mudar de no- ta bgura e um moleque de idade de 14 an- dencia nnmero ao e na ra dos Quarteia
rae sendo seja o dito baja de o mandar en- nos cse al costuras de senhoras e cozi- i), i.
tregar ao manguinho sitio pegado ao do Snr. n.na |>erleitamentc o diario de uma casa a tsS" Taboasde pinhoa 4o rs o p de to-
.Maciel Mouteuo Manoel Cypriano Fer- v,sla do'C rado de 3 andares ao p da Cadeia, e que por querer-se desocupar o armazem : no por-
;m por baixo fabrica de chapeos to das canoas no Recife armazem que foi do
%W" Para lora da provincia ou algum en- Calecido Uomingos dos Passos a fallar ajoa-
geubo, urna escrava de idade de aa annos quim Lopes d'Almeida
co.il una cria de 9 raezes a preta coziuha ssr .Muito bom sorlimenlo de oliados pin-
li.^omma, cose, e faz todo o mais servico lados e eslampados em haeta de algodao de di-
...: uma tasa j na ra nova D. 34. -versas larguras proprios para capas de pi-
^r -~Uf m os w>l" I108* bgures, sendo annos ou mezas de salla ou bancas, e um
ra
reir Uabello. b
tT A pessoa que annunciou no Diario de tem
terca feira querer fallar cora J G para re-
ceber dele o que o mesrao Ihe deve se he o
abaixo assignado dirija-se a ra da S. Cruz ,
defronte a ribeira do peixe L). 33. Joau
Gregorio dos Santos.
EJT >a ra do llangel no primeiro andui
preco raaisera conta de que em outra nal- ua ,u* J verdes i'S. sr Ura pequeo mas muito bom sitio ,
querpar.le; assim como recebe toda qualida- : sar C1 arda para caca muito boa; | perlo da praca com boa casa cozinba fora
ue de costura. j do i a jM 3i. I CHSa uara pre|08 ( estl.iba|.a j a L.a(.mi,s (011,
j- Arreuda-se um silio na estrada de Jo- ist' ij'n '' ao de barros, com boa casa de vivenda a i*rragens dom uma barretina de pello.
uul alem de bastantes commodos tem um ex-. *"" ua'reto ; una escovinha ludo com
ctliente sotao, com latadas de parreira a osiPpMCOUto, poi -o,000 ; no atterro da lioa
Ldos da mesma e com muitos e ptimos ar- v,s,a ua l!',Jaii': <'. 00
voiedos de fruclo, entre os quaes ha una lin
dajaqueira propria para recreio ; a tratar
com o 'Pnenle Coronel Manoel Jos Martina ,
no lugar da soledade casa ti ...
Er O abaixo assiguado faz scienle a lo-
cif Ura CO; i. ue e uma barretina para
li. W, .; no al; rro di Boa vista i). 5 i.
Ky Uma casa terrea no beco das Carva-
Ibas D. a 5 na raca da Independencia n. a.
tiv 1 aooado de ninlio de suuerior quali-
per
do* es seus amigos que em consequencia da **f.' la,Jt0 Americano, como da Suecia ,
brevidad com qu*i foi eita a sua viagem para de diilerenle hillas ; assim como taboas pro-
a Kabia para entrar no Mosttiro de S. i7i-n- 1 PrH,a V*n fundos de barricas e arcos para
10, ud Ibie lui possivel despedir-se dos mes-I "s na'i,na* i forte do mallos armazem de
mos pfBMOffJmente ( como uevut) o que laz Jos Antonio Silva Vianna(
pelo presente annuiicio e otierece O seu pe-I il'' Urna negrinba de naco, de idade de
queno preslirao naqueila Cidade. Anlonio '' a,lMS bonita figura, na ra Augusta
liomes da Silva. quaria casa antes de chegar a casado Sr. Fis-
sar Jos uarte das Seves, relira-se para |ial Barata.
a Pumpa.
Avisos itlai'itiiiuis.
1R11 Au1 s'; ue viagem
PARA MAR
preu-uikliiieiile al o I1111 do corrente o bem
con lucillo lirigur Ksiuna Laura lunado e
eucavilhado de cobre e de superior mar-
cha 3 quAu quiser canegar, ou ir de pas-
u;gem paiaO que lem excellenles commodos ,
ciuija-se aocajiit.o ou a Pirroiuo Jo. Feiis
iin i4o/ j na ru da Moeda i.. 141,
PAhA U MARAWHaO' egue com toda
bieuaude ji li uiuioi june ue seu ear-
Mr Pitas cora lampreas de escabeche ,
raulu boas viudas do Porto pelo ultimo na-
..0, e be vndela agora raais era coi.la para
ultimar a vende do resto ; na ra da cadeia
uo 1 eciie o. 5
K U m escravo de naco de idade de ao
anuos, de bonita figura,, e ptimo oficial de
pediciro canteo e pintor dois ditos de
LiOus liguias sem vicios nem achaques, pti-
mos pura o servico de campo uma esaruva
de idude de Jo anno6 perleita engomraadei-
la ucozubeiru e vende-se por seu dono
ictiiii-.-c (.ira a curojie ttu.a moler de
dauede yt anuos, cose thi um moleque
boraas de cobre muitas fructeiras com
porto de embarque; na praca da Indepen-
dencia n. 4 se dir.
is^- Uuas casas terreas boas no bairro de
S. Antonio, uma na ra de agoas verdes, e
outra na ma do aldereiro j a tratar na ra
de agoas verdes I). i-j
fc** Para lora da provincia uma negra
de naco de idade de ao anuos cozinua o
diario de una casa engomma e lava de sa-
bio ; no beco do sarapatel o quarlo sobrado
indo pela ra do fogo primero andar.
IST- A posse de i5 palmos de terreno ala-
gado no alinliamenlo da ra ua Aurora lodo
ou em parles j na ra do Queiroado loja de
lerrageni U. 18.
Sy* Su|>eriores charutos da Cachoeira, di-
tos de Havana Americanos e Uambur-
guezes v superiores bichas do Porto em
condico ; na ra do Cabuu lud do Sr. ban-
deira.
*e^- Broseguins de duraque para seabaia ,
Botina de usboa, ditos Irancezes, sapa-
iosd,e uma eduassoilus meios botius,eil
bozeguins de lustro com o peito d p d .rimo
e de uuraque pelo sapalos ue couro de lus-
tro para houaem c- seubora dilos no dura
setim e mario.]unu deludas as cores, cbi-
nellas para hornera bolina para meninos ,
sapatos para dilos, luvas de pelica para bomcm
e senhora ohapeos de sui de seda bicos de
iinlio lencos de seda fitas de garca man-
as Uncos de blom para senhora aanartiljio
pode rao en-
tregar ao Snrs Jos Perira Lins Henri^ue
Luiz de Aimeida e Antonio joaquira de
Mello e para a parte da Paruhibaa os Srs.
Antonio Francisco de Oliveira, e Joao An-
tonio, consal ves e para a parte da Serrado
Martina aoSr Mauoel Luiz Brrelo, para
a fazendade Monte Alegre ao Sr Jeo Aives
dCarvalbo, para a Villa do lc ao Sr Joo
Antonio de Souza e ua Lidade do Cear ao
Si Marlinho de liorges e nesta Cidade na
ra da Cruz n. a5 no segundo audar casa
de Antonio da Costa Ferreira ou na ra da
cacimba armazem de assucar n. 5 que re-
ceber 60,000 de graliicafo.
tsy Desapareceo no dia 8 de Janeiro do
corrente auno um escravo de nome Phomaz,
de naco angola bem fallante que parece
creoulo de idade de 40 anuos tem um ca-
loinbo nalesla meio fullo roslo comprido
com bastantes marcas de bechigas Lucheixas
metas [luchadas para dentro, eas pernas ar-
queadas j roga-se a lodas as aulhoridades po-
liciaes ecapites de campo de fazerem todas
as deligencias para o caplurarera ; o abaixo
assiguado lem por informacoes que o dito es-
clavo se ada a coilado em uma casa Jora da
praca motivo porque declara que nad 1 mais
exig Ja pessoa que o tem, nicamente o pre-
co de 00,000 o quanto deo por elle e sendo
paya esta quantia nao proceder contra essa
pessoa ; (juera o pegar leve a ra do trapiche
. 1:,. Jos Venssimo da Rocha.
Muvistieiito (Jo iJorio
NAVIOS ENTRAOOS NO DIA i3
LIVERPOOL; Jodias
15 ligue
Inglez Oia-
dem deaid tonel., Cap James Ros, equiq
n carga fazendas ; a N O. Bieber.
PORPOSOiLj lidias, Harta de Va-
|ior Puraoliense Commaidaule o C'apitio
ae Fragata V. Subra passageirosg
S .,;! OS i\0 .^ no -1 v.'
LIVERPOOL pelo Ceai
al,
II
di)
beorge

ca
1 rigne
ta assuca
lnglet
GEAUVA; litigue Sa'rdo fterriua. t ap. Joo
liaptisla Veueile
geiros dous
O S.fUACOi'.xNS
assucar passa-
.">
1.
1 acabar de ca r. ga no araeirao
Luglez W. ..j. i.iuWi.1.
ERRATA
Expecial do Diario de houtem s'a ellei-
co d Senador para a Prqvincia do Cear,
n lugar de ledro da Costa barros, leia-sii
adre Jos da Costa Danos.
em
r-ad
Ri.CiPfci>A vyp..Ul..>i. F.Ufel. ibic.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESIBNI5NN_CUY8BV INGEST_TIME 2013-03-29T16:46:55Z PACKAGE AA00011611_04087
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES