Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04081


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Quinta Feira
Turto
enTS.dt dfen6 ""? ***** P^encia, moder.
com BHn,.rl^ roo principiamos c seremos acontado.
com adonrac-o entre as IWes mas cultas, ponuiao.
rtoclamaco da Assemble Gerat do lirazil.
" t /^ S' "" JaCrOTW J- en.Prar ,a Indejiendeno.
Z'JUl 'T "'l-' "[nndenctoslegtisarias, ea'nnuucios,
d? '*' IMrfdo,I)roP'**Sttt. evindosassigi
Partidas dos Correios Terrestres*
Cidade dn Parahiba e Villas de sha prctenco. \
Dita do Rio Orande do Norte, e Villas dem_____.*.'............. *n
Dia d? Fortaleza e Villas dem..... ..............>Se.-unds e Settas Feiraj.
Villa de Ooianna.........../ .
Ciriade d tj.'intla.....
7 de IHaio. Numero 101.
D.Ihs
'
CAMIUOS. Maio 6,
Londres...... 3i ||t a 3i 3(4 d. por ifooo ced.
Lisboa .,.....70 a 7 por o/o premio, por metal oFerecido.
r ranea......, ?q res por franco.
hio de taneiro ao par.
JURO ~- Mofetas de 64oo rs Vlhas Uftoa a i4fg>o
Novas i<^5oo a Hf-oa
Bftoo
l|*Wr
PetosCoiuitinarioa*---- tf/fio a ifo . IW01 Mexicanos---------------------'gfmo i'ii-o
Mttirf-----............i#*l-> a i^(Jo
Dneonlo o Hillictes d'Afandegp 1 i/i* pi tooi met.
dem d Letras r|4i a 1 1/1 ,, firme.
Moeda de coin 3 a 4 por ioo.de dic.
Das da Semana;
, l>:ias de /fooors., Hitoo a
PLATA Patacn !(. nxileiros.......tjldw a
Villa de*>. AiitHo
Todos os diag.
-1 (a "Var, ,!0"i!, ......... ..........S o, endcada rrte,.
VU' Mores...... 1 .- ... ,.
ift I au di !' res .
Tdot as Correan p.;rtemanm 1 di.
dem 1>, dito dito.
4 Segunda-----S. Monic Viera.---------------- Sesafo da The, e and. do ;. de I), da i; r
6 Terca---------Couverso de S. ig.tftjnhn Hel. e md. 1I0 .1. 6 Quart. S. Joo Da mace 10. ------ Sesso 1 rht,
7 Quinta--------S. Estanislao B. ------------Relacen, e and. do I. de D. da t. v.
Sexta---------Apanc.> de S. Miguel-----------Sea. d. i'I] 1. a aud. da I de I"), d 1 IV |*
0 Sabhado------S. (regira N*caceuo i!......Re. o aud. .Jo J. .le 1). da i. t. "
lo Doii.--------- S. Aiitooino Are.---------.... *
Mart chela para o dia 7 de Malo.
As 8 horas e 5o minutos da Urde Ai 8 horas e 54 nulos dA naanhS

&<
PFJ;> A M RUCO.
ASSEMHLEA LEGISLATIVA PROV
Arla da 'P Sesso ordinaria da Assemble
Legislatva Provincial de Pemamhuco aos
Jo de Abril de 840.
Presidencia do Sur. Dtor Pedro Caval-
lante.
Feita a cbnmada. acbar/o-se presentes 18
Snrs Depulados ; fallando com partAcipacSo
os Snrs Manoel Cavalcanti, Alhuquerqte
Lacerda. e Desembarjjadpr Mariel Monteiro.
Lida a acia da Sesso atilecedcnte, foi esta
approvada.
Expediehte
O Snr prirneiro Serrelario deo cont de
lilim oiciodo Secretario do Goverho. no qual
partecipa este 1er o Exm. Presidente da
Provincia designado huma hora da larde para
refacer no Palacio doGoverno a dputacao des-
la Assemble que tem de levar as Leis a
sanecao ; ficou a Assemble inleirada. De
otitro do mesmo, enviando as copias dos ar-
rendamenlos dos predio* do patrimonio dos
orfos pedidos por a Commissao n que es-
lava afecta a perlenco de Joaquim Jo-^e Es-
leves decidio-se que reveiu-ssem ao Go-
xt-mo por se acbar o obiectoa que disio res-
ptlo j.' decidido na lei do orcamehlo O
Sr Metra rei|tiereo q se meucion;isse na acta,
que elle volara contra a emenda do Snr Le-
onardo Bcserra pela qual sao privados de
sua congrua os Parocos.que se aibarem fora da
sua Freguesa, ainda com licenca por mais
de lies meses ; eassim fica ftisfeilo o reque-
rinienlo daquelle Snr. Depuiado. LeooSr.
Secretario bum parecer da Commissao de con-
tase orcamcnlos das Cmaras pelo qual se
approva o ordenado de 'OoUnoo res ao Fiscal
de Santo Aniao concedido pela respectiva
Cmara ; foi approvado Os Snrs. IMeira e
A(,uiar mandn a mesa o seguinte ie(|ner-
picnlo I roponbo p'ra quesejo considerados
na redactao, como artigo le receita Provincial
os molimientos das patentes dos cfficiaes da
Guarda Nacional. Snr. I'cixoto de Hrito
6 seguinte : Ncartigo da Secretaria, mude-
seapalavra emolumentos para Liiio-e
no art. da lceita tr.ule-sea palavra einolu-
menlos-paiu taseios soldte stlos ; S. K. Posto
o prirneiro ictici in.tnlo a oiacu foi appro-
v.ilo e julgado urejudicado o do Snr. I'ei-
xolo. Leo-sc a ledacco do nrojerto nume-
ro 46 j a t|nal pVsla 1 disCn.-so, nao en-
contrando op pos cao fdi approvada O Snr
Apiar mandn a mesa eguii requeri-
.etilo; J(i>(lo sidoapprovaUo o parecer da
Commissao pratomtder aoPiocuiadpi na
Can ara da Cidade de Goianna urna gratifica
cao t'e '/Ct-Looo tis j cas 1 en Jas do Vlunici-
pio: e se naotendo leito oor^amenfo Muni-
cipal-, tcqiu.iro que pelas vas competente se
eomi lauque a dita Cmara a deciso da As-
seu.Lia, fin de que o aj{;raciado futre no
goao da (ratilicaco oslo a voluco loi a
piovddo Oadie Rafael le se^int re-
qiitrnmnlo Requtro, di recelo da Socrr-taria dosti Assemblpa ;
asim foi deferido dtlla encarregado o Sur.
Carnetro.da Cdnha. O Snr Presidente por
nao ha ver materia a tr-lar-se, suspende: a
fssao al apresentar-se a redaco da I.ei do
Orcamento, e apresen tada a reilacco d Lei
Orcamento continua a Sdssao ; lida a dita
Redaco, e posla em discsso foi approva-
da. EoSnr. Presidente fasendo ver que es-
lo (indos osdous meses determinados por lei
pata a sessao ordinaria encerrou a sesso.
Pedro Francisco de Paula Calcante de Al-
huquerqne Vire-presidente.
Alvaro Barbalbo [T.-lioa Cavalcahli, 1. Se-
cretario
O Padre Joaquim Rafael da Silva 1. Se-
cretario Suplente.
Juizo sobre a Sesso,
Reuniremos em bum os nossos Juisos sobre
esta e a antecedente Sesso : pouco diremos-,
porque ambas constando em grande parte de
redafces pouco interessante nos parecem.
Principiando pelo piojelo numero ij deste
anno addiado em segunda disctisso na ;.e*so
antecedente, julgamos que tal projeclo ne-
ubma utilidade aprsenla pndendo WHd o
inconveniente que se pode seguir da exis-
tencia de bum s Tabelio de apontame'ntos
e protestos de Letras, ser remediado cont a
emenda apresentada que mfnda ue tenli
bum Ajuilante. fSlSaf jlfljarnos, que binn so
Tafielio de apontamentos e rolestos deLel-
tras be multo sufHcienle pata dar conta de todo
o expediente que a este respeit pode ha-
ver tiesta praca porisso que nao vemos, que
ella seja to extenca em seo coinmeroio que
possa oceuppar mais de bum Tabelio em a-
ponlar e protestar letras desde n nascer ald
o por do Sol antes vernos, que Se tal olBcio
fosse devidido em dois taUez seos lucros
fica-sem to diminutos, que n/Jo dessem para
qualquer dos Tabe.lies subsistir. Nao des-
ce becemos que algus inconvenientes se
podem seguir de existir bum so Tabelio 5
porisso que por qUalqUer emaedimento repen-
tino pode o portador de huma lellra noa-
cbar quem tume oapontamento en proles-
testo della no term > desit*nado ; mais como
entendemos que tendo o Tabellio bum A-
ludante fica sanado este mal. poriso q' ot|ud.
podf niui bem supprir a sua lilla, juljja-
nioso projeclo de nenhuma utilidade. Ver-
dade be que se pode diaet* que eom a con-
desle AjudaUt nada seadianta pri-
meiro porque, j se adiando elle concedido
Tibdifo d- npmtarn-i'os. e poteslos |'l n
Aju lante nao be ne-essario: por so que
>ndo obrigatnria nipoe ao Tabelio o de-
ver de O ter e nao deixa simplesmenle a dis-
posicoda sua vonlade e porque este Aju-
danle sendo juramentado carao deve de ser,
pode asef por si todos os actos que o Tabe-
lio mesmo faz : de sorte que vem assim .1
existir dois Tabelies de apontamentos, e pro-
testos sem todava se devidir o officio, como
qtier o prjectd.
Quanto aos Projectos numero a8 e 1 deste
atino, sua uli'di fe hereconhecida. Pelo que
respe i ta ao prirneiro parece-nos que nao ha
motivo fiara qne os Tabelies nao piss.i") mi-
rar no Bairro, que mais Ihes convier salvo
presas Saotonci)d.)s A lexnodre Vieira Lm
> .lose Vajearlo Froes ef}ueoSb l.ndoacom-
oa aliado as respetivas fds corivinha sa-
ber-se do lxrh Presidente que os remelteo ,
qual a remessa de sitas sentencas, qtleconsta-
va serem de degredo perpetuo para a Ilha de
Fernando e neste caso devino ser excluidos
na forma da Lei.
Dito Ao mesmo Exm, Sur, communi-
cando-lhe em resposta aos seos offioj de t\
e il do corrPnt qde Idro desembarcados de
bordo da Escuna de Guerra1 Fidel i dade t}*>
pracas inclu/.ive H > rccrulas, que tinho si-
do divididos pelo Deposito 3. Btalho da
Arlilberia e Esquadro de Cavallirii li^eira
de Linha c pedindo varios esclarecimenloi
se he rasao para se llie tolber esta liberdl ide, o a repeito d'alguns soldados que nao trouxe-
pupar a parte algumas passadas para ir pro- rao guias e d'oulros que as trudxerel, sein
curar um Tabelio em olr Baii ro quanoo no i as precisas declaraces.
de sua moradia nao houver algu m ; sendo) f)ito A o mesmo Exm. Sr, enviando-
assim os mesmos Tabelies forcid isa maiores lbe pin que tiyesse a'honda de de mandar sa-
dispesas, e mnores lucros A disposicodo tisfazer urna requisiejo dos pinceis, e tin-
artt;o do projeclo para Os Tabelies nao la- taS hec! ssarias para a pintura d'Artilheria d>
vrarm Escriptura ou procuraco sem bi- Forte do 15 uraco, e suas ferragens reparos,
Ifiele de destribuic.' sob pena de perda de of- e palamenta".
fitio he de utilidade nao s aos mesmos Ta- Dito Ao Exm. Director interino do Ar-
belies porisso qi/ Jhes assegura a igu.ildade Seal de Guerre communicando-lhe a pro-
de lucros huma vei que a destribuico deve nuu la que pelo Juizo da 1 Vara d C me
deser feit coro imparcialidad^, e i;;ualdtfde, desfaCidde leve o soldado da Coinpanma de
e elles po'lem quando se julgarem prejtidi-' Artfices Policarpo Freir Vital, pelo feri-
cados, reqnerer imlemnisa.o se;(iii lo, dis- ment feiio a um seo cantarada devenda o
p"je o artigo teneiro ; ficando desta sorte a-' pronurYeiado continuar preso a disposico do
cautelado que por qualqiicr motivo sendo niesmo Juizo.
alguni despiesa-Jo fique reducido a ua ter Dito Ao Prefeito interino da Comarca ,
de que subsistir; como tambein asparles, communioamlo-llie o resultado da desordeni
que saliendo pelo livro do Destribuico a que na tarde de 0 do correle houve lugtr
que Tabelio locou a sua Escriptura etc com -entre un matutos e um soldado que se a-
a maior fcilidade a vo buscar cuando tlell.1 chava destacado no Forte do lluracj da qual
[irecisarem srJm que lbe seja mister correr proveo o ferimento de um bomem que tran-
todos os C'arlorioS Pelo que resp?ta ao se- sitava na occastq e a disp.'rso de um caval
gundo projeclo numero 1. deste anno. nota- lo, que llie bivia sido remetlido no dia 17
mos que elle deslrce buma desigua Idade e para d ir destino
por conseiinencia bum privilegio infundadd Dito Ao mesmo., tornando a ser-llic a-
A Lei de i4 lo Abril de h^6 dispoz noarti- presentado Joao de eos llarroso por nao ser
gt .t que em cada I'aroclua houvesse bum ueserlar dos Lorpjs de Linha desta. ProViocM,
Sub-preleilo e nao ha vendo motivo para que eomo supiiosera por isso que leudo elle ser -
lias ditas Fregitesias da Cidade de Olin'da lia- vido 0*0 txercito obtiveri legalmenle asna
ja bum s nao sabemos de crlo porque ra- demasao e c 101 un caod-1 he era resposta ao'
sao se hade conceder ao sub-prcfeilodaquel- seo oficio dcSta dala, que o soldado da Com-
a Cidade bum verd adeiro privilegio em pre- panbia d'Arliices PHoarpo Freir \ ital,"
juizo seirt dtvida da cidaye que nao pode ser eontinurtva preso o disposicio de Jui/o da t.
(ambein policiada exisliudo bum s Sub- Vafadp Criine em conseqUMneh da pronon-
prfeitu e.w amba as1 Freguesias ornse cia que deo o mesmo Jui/.o, conforma porto
em cada huma exislisse hi/m que exclusiva- cipara.
mente della se oceupasse.
1 tesidcnle da PioviiiC ia a eii.enda ao Parecer
da Commissao de negocios .fcccltsiuslicos, que
loi appro\ado e j,eia qua? se declara que i
quelle v, compete confimar os comuromi.sso;
as limaudades loi approvado. O Snr. 1.
OtcieUiio ueiUtrou que letirava-se da Cida-
de e que convitiha que o Snr. Prsidenle en-
carrrgasse ao segundo, que ficara na Cidade,
a qualquer F.scnvo pela Ord L t. T
^ 3. e T. 97 o, desnecessaro he conceder-
se o que ja est concedido, secundo porqnio
segundo as mesmasord citadas o Ajudante
dos Escrivies nao pode escrever 'odos osados,
que estes fasem ; mas se aiiendermoa, que a
dsposicSo das ord. he apenas pt-nnissiva, e
que por consequencia poile o TabeHao por
motivos de iateresaes etc. nao usar deila j heni
como, que a ptobibico por el|#s disposta
Mmenle diz espeilo aos termes de audiencia,
inquiriles, (|uerellas. e mais actos que re-
queteni se,;rdos de Juslica, e que os 1 abe-
iaes de apontamentos, e protestos nao vo a
udiencii nao escreven impiiricoes, nem
querellas (>oje denuncias) neiu ha pela nos-
sa Legislacio estes actoi, que requorem se-
grdea de J ustica por quanto lodo o proce-
dimento da Justina he publico as partes ; ve-
COVI.MANDO DAS ARMAS
Espediente d dia a8d'Aurilp.' p.
Dilo-Ao Commandante uterino da Forta-
| leza do brum mandando salvar com u liroa
a mesma Fort res 1 em eorreqion I niy a sil-
: va que a Escnade Guerra Fidelidada deo >
' dia 1 do concillo dentro dj r*ortu ten lo
I tito a sua eiitrada ao anoitecerdo dia ante-
cedente, por-cuja causa deixara a i .iruieM
OlBcio AoExro. Presidente, remetten- de corresponder a dita sal. 1.
do-lhe dUas requisices, para que se servisse Dilo-Ao't.emmandante do Forte do Bura-
d'*s niandar satisfaser1 umacontendo arma- co communicando-ine. que a requisico da
ment corrame e plvora necessaria ao tintas e piucets bavia sido ciieaniinhulr a
Foi le de Gaibu otra um penacho para Presidencia equadevia pintar asioj ba-
espaear a Capella de Itamarac. I las de larro estragadas da lerrugsnu se aca-
Uilo Ao Inspector do Arsenal de Ma- '. so sobrasse tinta da que era destinada a pin-.
rinba, para que houvesse de mandar fornecer tura d' Arlheria e suas erra;;ens.
ao portador deste Intu bole a fin de trans-
portar de bordo da Escuna Fidelidad para
Ierra, dous" presos Militares,
idm do dia -c.
OlBcio Ao Exm Presidente responden-
do ao seu officio' de 9f, e sfghificando-lhe ,
que d bordo da Escuna de guerra Felidade,
loro conducidos para Ierra, e mandados ad-
remos, que a disposico que manda dar ao |dir ao battlhio de Artilheria 0% soldados
Dilo-Ao Co'mmand tute interino do 3. lia-
talhao d'Artilheria procurando ssoer qu
prestaco deixaro e actualmente deixao o
Pnenle Sebustiao Antonio do Reg Barros,
e Girurgio Ajudante de Commissao Luu da
Franca Pimeuiel
ttb-A'o mesmo comrniintawdo'-lhe, qtte
tendo no di t *3 do mee passCdo embarca u
para a Corle o Dr. Joa,tum Xuoe* Mcalo 4
\


,nfiRO DE PRI^AMPUJCO
i
^nra
joe servia de Audilor de Guerra e havondo
Presidencia nomeado para o substituir ao
Hachare! Manoel Joze da Silva Ne*a o
lontenplasse na respectiva folha, lirando-lne
es vencimenlos do da a8 do corrente cm di -
ante fasendo recolher a Tbesonrariaqual
quer vencimento que por velura llvesse ti-
rado ao Dr. Nunes Maxado, depoia do seo
embarque.
Portaria-Ao Exm. Director do Arsenal de
Cu erra mandando que fossem recebdos do
Loinmmandanle do Deposilo dous reclutas ,
os eonsiderasse como pracas da Companhia
d'Arlifices ; dodia 5 do corrente.
Dila-Ao Tencnte Coronel Commandane
do Deposito, mandando considerar pracas do
niesmo desde o da "25 a 58 remitas viudos
do Cc.ir e Maranho, constantes da rela-
co que se liie enviava.
Dita-Ao iiajor Commandante interino do
,1. Esquadro de Cava liara Ligeira de btmba,
mandando receber do (. ommaudante
De-
posito, e considerar piucas do Esquadro
desde o dia a5 ac) remits vindosdu Marra
nlto e Ceara cujas nemes acbaria na re-
laco que se lbe eilviava,
Dila-Ao Capito Commandane interino lo
3. Balalho d'Artillieria mandando receber
do Commandane do Deposito, e considerar
iracas do dito Hataihao desde v>5 do corrente .
a y reclutas vindos do Maranho e Cear ,
constantes da reluci que se Ihe enviava.
Dila-Ao lenle Coronel Commandane do
Deposito, mandando considerar addidos desde
odia 20 do corrente, O Sargento Jo/e Antonio
d'Araujo Camera invalido, e soldados, Refor-
ni a do Jos Pereira da Silva Joze Pereira
de Brio Alexandie Ignacio Ferreira An-
tonio Alves Barbosa Jacinto de Fre tas Du-
ro, e Vicente Ferreira de Mallos, viudos
dos Poi los do i\ orle.
Diversas Kepartieocus
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do N. cjti.
CORREIO.
O Brigue Portugus Seciedade Capito Si-
beriano Jos Vieira sa para Lisboa no dia
iodo corrente.
Vapor Nacional S. Scbasliosai para o
Rio de Janeiio locando na Baha boje 7 rece-
Lendo as malas as Irez horas da tarde.
Rendimentoda Meza de Rendas Provinciaes
no mez de Abril p. p,
Lccima Urbana
De i833;n834
De i834 a 1635
De iS 5 a 1
De fca i837
De iBSja 18JH -
De iSJtf a l8*g
De 1839 a 18,0
Impostes sobre ol i
Dila de casas de modas
Meia siza de escravos
Notos e velbos Direitos
Sello de Seraneas e Legados
Passapottcs e L'es| acboa Passaportes de Polica
Emolumentes pelos ttulos de
Officiaesda Guarda \ae.
Matricula das Aulas do Liceo
c Seminario
5j is. poi estrave exportado
Tasa do assucar
Dita doaigodo
Lila da lonte de Magdalena
saldo de Desembro [). p.
50 7>'i
1
0 !
'> ,-...
:". 5
t; 6
lil 7?!
,1
-- V
18]
189,1
ao
44,8oo
(50,000
88-1,800
30,1(10
5,780
7:545,3u
Meza de Rendas Provinciaes 2 de olaio de
1840.
Luiz lian seo de Mello Cavalcanti.
EscriTo e Administradora
ANNNCIO.
O Administrador da .Me/a da Recebedoria
cas R. Genes Internas, avisa pelo presente a
taas as pessoas Collectadas pelo Imposto de
Caixcirus fcslrangeiros que no dia 3 do
corrente se finaliza o prazo manado para dila
anecaduiao e que rindo o niesmo sero
in-mcdiatamente ejecutados, os que nao pa-
garem na coniormidade da Lei.
iiecebedoria b de Maio de 1840
O Administrador,
/ti,Ionio Ferreira Duaile Velloio.
im "f?L'l'l ['P .
i JAA..4. Ll 1 dJLin.
Fie Jo dia 5 do coi vente.
ilm. e L*m Snr.-Foro bonteru preses pe-
a foi solt.
lo Sub-Prefejto do Rcrifc o Portugus recorrer a medidas legaes, porem extraordi-
FrancisQo Nicolao, requisiyo do rtwpeclivo narias, a que me autoiisava a constituidlo ;
Cnsul ; manriei que fosse conservado em pri- meus desejos do escurecer oscrimes que mi:i-
so at que o rae'smr Cnsul requisita a sua .chava a honra da patria chegara pirfima
soltura: e pelo Sub-Prefeito da Boa-vista o persuadir a aos desorgnisadores que devian
pardo Jo?e Gomes d Almeida por desobedi- 'contar com a dehilidade do governo e que era
seguro o triiuiip'10 do crime.
Os ltimos accontecmentos devia emfim.
por termo a tanta tolerancia ; e obrigra o
governo a tomar huma attilu le respeilavel pa-
ra salvar a patria. Os intendentes e gover-
nadores avisavao-me a cada momento de i|ue
se prep-irava una conflagrado em seus dis-
irictos ; que se brmava reunidas de hornera?
viciosos con heridos como perturbadores, e
de incautos engaados e attrahidos pelo nli-
ficio J; se nao disfaveava a seduccio com
que se pretenda apartar de seus dereresas
TarUi i pou-me o Sub-Prefeito d<" Muribeca
que o Caes da Ponte dos Carvalbos do lado
do iNorle est arruinado pela corrente das a-
guas e desabar todo se de prompto se nao a-
cudir afimdequeV Exc com esta noti-
cia d as providencias que forem de mister.
E' o que consta das parles boje recebidas.
Dia li
Illm. e'Elm Sor Foro presos bontem
pelo Su!i Prefeto d'esta Freguesia a
parda Maria Tbomasia porqucixa de ser de
e insultar a
pessima conducta e insultar a visi- i gaardis cvicas, cuja patritica leajdadc re-
nbanca j ful recolliida Cadeia rara sua Srtlie com Grraeza a todas as suggestes. Mul-
eerrecato pelo Oommawdanta da Guardado tiplica%a6-ae reas provincias comanos do
Caes do Collegio o pardo Amonio de Paula cliib desorganizador deSanliago para sable-
Crrela ; l'oi remetudo para o Hospital de va-los.
Caridade por estar em estado de itliewacao t
tendo-se honlem limado da Ponte do lleca le ,
e nao respondendo com acert aoque se Ihe
As maclunaces dos desorganis id >rea j to-
mava o carcter mais execravel e atroz, e do
assassinato: o hroe de Yunsai, o liumem
pergunta: e pelo Su.b-.Pic/eito d'Olinda o Uust#e einnocente, aquera se nao poda
indio Jo,e Carlos Pereira e o pardo Fran- imputar influencia algtima nos conse]hos do
cisco Alves Rodrigues por suspeta d.- serein governo e que acalma ile coroar a patria de
desertores de 1 Linlia : fra reraettidos ao'fttoria, era a victima destinada ao puflbal
Commandane das Armas', para Ibes dar des- ; os assassinos como passo preliminar para
tino.
iN;Io consta que occorresse mas uovidade.
NOTICIAS ESTRNGEIRAS
CHILE.
apoderarem-se das armas e venceris u obst-
culo que sua onra e patriotismo oppunhao aos
malvados. Tal era o objeclo a conjuraco
dcscoberta ao soianliccer do dia 11.
\ eu deverde velar sobre a segurancu pu-
blica ohiigou-me a recorrer ao remedio legal,
que indica a conslituico e que em das
menos crticos e aziagos ten sido posto em
Manifest do Governo do Chile por necasio do Praticii como a ancora de sal vacio da repu-
eslado de sitio de S. Tago. Tilica : e, auxiliado pela sabedoria doconse-
; liio de estado declarei, de accordo com elle,
O presidente da repblica : e estado de sitio a provincia de Santiago.
Concidados 1 CJuando, coberta a patria t-sta medida s pode inspirar recelos aos
de gloria firmada a sua independencia e e- desorganizadores Asseguro-vos cidados ,
levada a bum alto grao de honra e creJito en- que o rgimen constitucional nao ser altera-
tre as nacoes entregavamo-nos lsongeira do; e no meu anterior proceder em iguaes
esperanca de consolidar e augmentar os beus circunstancias leudes a garanta mais segura
que nos bavia proporcionado dez anuos de de niinha actual promessa. Ho,e mesrao ev-
Iranquillidadee ordem; quando sombra de pedi o decreto em que sem embargo do asse-
nossas insltluices que cada dia nos empe- dio, declaro subsistentes todas as leis e actos
nhavamos em melborar, e dirigidos pelo mais eleiloraes,
profundo respeilo conslituico e s leis pro- Santiago i3 de feverciro de 18 jo.
curavamos conservar esle inaprcciavel dom do
reo e goza vamos dos beneficios que a nossa i
agricultura commcrcio e a todos os ramos
5e anuos. Os patronos goza do direito d
reter em seu servico os ditos libertos., sem
que autorid-idealfMima os possa separar sal-
vo no caso de sevicia pbysica ou moral.
Os patronos devem dar aos libertos no
campo os mesmos auxilios que a seus escra-
vos. e bum peso por semana desde a idade de
*5 annos ; e as cidedes a melade do silario
que se paga a bum criado Os filhos dos ti-
berios sero educados cusa dos patronos ,
que Ibes proporcionramos meios de prende-
rem alguna arte oficio ou industria til ,
ao passo que aproveilar o seu servico. Os
pairnos nodem ceder o seu p-itrimonio por
aoalquer dos meios qu as leis ihdicao para a
transmisso d >s direitos e com as mesmas 0-
brRaces que Hits prescreve esta leu
( Id. )
Joaquim Prieto.
Santiago a de Marco.
da prosperdade publica tem tra/ido os pro-:
ressos da nossa civilisacoj quando ilifl'un'>i Havendo sido demorada a sabida do An-
d a-se por Indas ssclassesdo povo bum sent- dromede lomo a escrever-lhe.
ment geral de bem estar, qual nunca se ha- O presidente desta repblica, achando-se
experimentado na repblica; quando con- muito doeiite parti boje para Valparaizo ,
entre todos os estados espa- eo ministro dos negocios eslrangeiros tomou
roericanos era a nessa patria a que redeas do governo como vice-presideule
os linba feito na cari eir da repblica,
dade social; quando emfim, oses- Por bum decreto do governo boliviano,
. < al niesmo os noisos mais encar- datado de 11 de novembro de 18j desde o
nj ..: rivaes reconheca seas vantagens 1. dedesembio desle anuo todas as merca-
. 1 ara sua residencia como o pas dorias importadas do Brasil em liolivia pidas
cm que se gozava de maior liberdade. oidem fronteiras de Moxos e Chiquitos sero inlei-
. .1 ; bum punhado de dscolos que ramele isentas de direitos
o tormento de qu.ntos governos tem O governo boliviano tem olereci !o bum
do eslabelecer o imptrio das leis e da premio priroeira barca de vapor que nave-
moral tracou arrancar-nos esles bens a- gar o Au.../.'jas al liolivia
brindo o raminho a lodos os horrores da anar-
tnia. Pelo mais rehollante abuso do libera- Valparaizo, 7 de marco
lismo e indulgencia do governo, l'ormara
reunies sediciosas, invocando as paixoes Aqui v'no Chilej tudo est quieto, desde
subversivas despertando todos os odios, con- que o exculivo reassunno poderes exlraoibi-
loca ndo lodosos malvados e excitando amis narios
perigosa commoco de huma extremidade a O Per tomou huma ntttude hostil a res-
ouln da repblica, peilo de liolivia, e lem espedido algumas
Em lempo algum nem mesmo nos das ibrcaa para o Sul Ha divergencia de opiu
mais dej.loraveis de nossa revoluco vio-se quuilo ao resultado.
lazer bum uso to abominavel da liberdade da (^ Despertador)
imprensa. Quanlo tem de vil e execravel a
calumnia ; quanto encerra de borrivel e im- '
moral a depravato mais profunda ; quanto
ollereie de odioso o mais impudente cvnismo ,
poz-se em pratica para desacreditar nossos
REPBLICA PERUANA.
Valparaso, .0 de fevereiro. Em bum 1
concidados, nossas instituices e nossa gloria.; nota de 1 deoUtubro passado o ministro
Al a conslituico foi proclamada como bum dos negocios estran^eiros da Repblica pedir
cnuic resultado de oulros maiores Lu.-i-
nava-se aos povos que a revoluco e a ruina
de seu govcino eraO meios lcitos de opposico;
appiaudia-se altamente aos crmes ; e pro-
punba-se como modelos ao publico os mais
lamosos lat inoras. Quanto ha de sagrado e
venerare! na crdem poltica nossos mais res-
peilaveis lunrcionaiios e homens illustres -
erao desigualados ao desprezo eairrisao pu-
blica. A Suprema autoridade de presidente...
Vos oulros o haveis presenciado, concida-
dos !
Oilo mezes de loieraottM nao LasiaraC. para
con|cr ecvtigonhar os malvado, que da
propiia moderacodo governo tiravao o prin-
cipio de sua audacia, Miuha repugnauciaain
ao Sr iVJantel Ferreyros, ministro dasrela-
coesexteriores do Repblica Peruana, que
se nao coutiuuasse a dar asylo no terrili 1 1
peruano, al) Jos Ballrisan general que
o do exertilo de liolivia ou que pelo me-
aos oaevlo Ihe fossecjrcumscripto obri-
gaiido-o a residir eui ponto mu dictante dos
limites que separao huma e oulra repu ca
O ministro peruano noquiz annun aos de-
sejos do governo boliviano como consta de
huma reeposta que Ihe dirigi em 19 de de-
zenibro |iasado
iium decreto de -4 de Demnbro sugei-
u os filbos de.escravos declarados iivres pelo
decreto de 12 de agosto de i8ai, ao patri-
onio dos donos de seus pas, at a idade d e
RETROSPE TO POLTICO.
Alcanco al 7 do correle asfolhasfn-
Rlesas, e os nossos fundes haviun baixado
em consequencia de nao se terem destinado
recursos Junta do crdito Publico para os a-
martisar.
As sesses do pirlamento inglez tinhaai
versado solire medidas de administraco in-
lerna. Atguns pares ToNCS haviam inler-
'0 o ministerio acerca li oceupa^o Prau-
ce/a da ilhola do Re no porto de Vfahon.
Lord iVJerbourne, presidente do conselho de
ministros, deo algumas esplicdes sobre esle
objectu. Tambem bouvnam novas nter-
pellacoes sobre o estado da marinha infiera,
a resjicito'do que o respectivo ministro ma-
nifeslou qual era a opinio do governo.
J linbo partido dos porlos de Inglaterra
alguns navios de guerra com munices para
a guerra da China objeclo este que cada
vez ocrcupa mais a allenco publica.
Na praca de Londres tinha bavido ultime-
mente urna grande afluencia de bilbetes do
tbeoiiro por motivo de vendas feilas pelo
agente do Banco, e algUDS particulares Ig-
norava-se a verdadelra oauza destas vendas ,
! mas em geral eram .atribuidas aos planos fi-
naoceiros do chanceller do Eebiquier. Nao
obstante Icrem haxados os fundos e o pre-
' codos bilbetes do thesonro Dio havia taita
I de numerario naquell 1 praca.
O duque de YVellin;;to;i j seichava res-
lobelecido da indisposieo (pie livera S. G.
havia dado alguns passeios a civallo.
Tornam a renovar-se os rumores de mu-
danca de ministerio, porem sera fundamento
algum positivo,
Em Franca os negocios polticos assumiram
' um aspecto risonbo para a pennsula em con-
' sequeucia da demisso do Ministerio Soult oc-
I casionada pe* ret;eico do projecto de le
I concernenle dotaco do Duque de Ne-
I mours
A rrise ministerial tinha terminado depois
de muitas continuas confbinacues Mr Thiers
I tinha sido enearrogado pelo rei da forma-
i cao do ministerio e lendo-lhe proposto va-
! 1 ios membtos S \I Luiz Pelippe tinha pe-
dido or.ts para pensar na approvaco ou re-
geico d el les e consultar depois o Duque de
roglie, oa o marechal Soult Em resultado
destas confer -ocias o rei approvou o referido
gabinete com pos o dos metnbros seguinles, cu-
jas nomeacoes publica o Vionitor de 2 dt) cor-
rente Mr Thiers, presidente do conseibo,
e ministro dos negocios eslrangeiros. Mr.
de Remusat minittro do reino. Mr V-
vieo, da luslica. U general Cubieres, da
Guerra O almirante Rossin da marinha.
r. DucosGouin, da agricultura, e do
(icio 'ir Jauhcrt das obras publi-
ca:- ..r i'ele (de la Losere) da iaseuda. -
e r Ci-i, da iustruco publica,
Abdei-KLader j tiulia subsliluitio as fallas,
que linbam causado ao seu exercito as derro-
tas de lioulTarik e de Blidaii ; em coiisequen-
co do que os rabes turnavarn uovamenle a
apresenlar-se com carcter hostil U mare-
chal \ alle tinha concentrado todas as suas
forcas nos acamj amentos principaes, nao em-
pi ibi ndi lo al ique algum Com ludo pare-
ce seg.....1 os grandes pieparativos e de-
s que se tbssem em litlah e Bouera, que
acampanha come ai em breve, equeum
exercito e 15.*ooo homens dividido emduas
divises das quues una jera commandada
[ielo duque de rleans e oulra lo lente
d Sci.ramm', operar co'nl a as tropas
1 iir, e ; n urna expediyo para aparto
di Leste. izia- se em aria que o gover
no tinha deceoiao retirar de Argel .....rechai
de Valle.
Tinham partido deToulon as naos Solfren
e Argel cora destino a reorcar a esquadra
do Levante,
O Monitor publica a convenci concluida
entre Portugal e a Franca para regular as
f



r
DIARIO DE PERNAM8UCO
r.
kndemnisacdes reciprocas a ambas as nacoes,
horneando para isso urna commissab.
O Minisierio Hollando?, j tinha terminado
o oxame dos trabalhos dos Estados geraes,
etiidia julgado conveniente annuir as modi-
ficaces pedidas porelles, e partidos mais
apreciados di naco Julga-se que o gover-
iio far uma nova proposta mas lemem-se
novos embarazos porque toda a concessao
que pertende fazer quer se concidere como
\im sacrificio da prerogativas da Cora. E*pe-
ra-se que a grande prudencia do re Guilher-
roe desvanecer todas as duvidas adoptando
un partido que livre a llollanda da crise de
tjue se \ ameacado
O governo austriaco acaba de dar ordem
para se regularen! definitivameuteas froulei-
ras do Vstula entre a Prossia a Sile/.ia e a
Galiua Urna >a;.i de Vieitua aui.unciao
casamento de S. A. R. o Principe Augusto
de Saxouia Cohurgo Cohary irmo de S. VI,
F. ll-Hci D lernaudo com a princeza D.
Jenuaria irnia de S M. P. a Hainha,
c herdeira presumptiva do imperio do Bra-
sil*
A questab turco cgypca em vez de avan-
car por parte das potencias europeas permane-
ce parausada tornando-se por isso cada ve/,
milis morosa ou complicada. E' certo que a
Russia a fin de nao perder a influencia que
ha lemposexerce no liiyan traa de intrigar
de tal maneira que ponba a Porta na coli-
sao de se ver obligada a pedir-lhe auxilio e
ento aqueTa poleucia apoderar-se-lia do as-
cendente e iniroduzira um exercilo no Kur-
distanaigual distancia de lierat e.do golpho
prsico para se oppor aos projectos de >'e-
hcmel-AUi e aos inglezes na Persia plano
este a que deu principio com a expedicao con-
tra o reino de Khiva sob pretextos bem pouco
rasoaveis. Ora alguns jornaes tem ullima-
mente annunciado que as ne^ociacSes enabo-
ladas por Mr. Brunow enviado"russo com
o gabinete inglcz,,., linham sido rejeiladas por
este como muilo exigentes : porm o Commer-
ce jornal francez transcreve noticias de Ber-
lim as quaes dizem que o gabinete prus-
siano lii.ha recebido de Londres noticias da
mais alta importancia manifestando que Mr
Brunow tinba convencionado cun Ip-.d Pal
nierston as bases preliminaies de um pro-
jeclo de pacificacao eio O icnte e que o en-
viudo do imperador INicolo longe de ter
fcado malogrado na sua missao comogeral-
menle se uiza tinba conseguido mais do
cine poda esperar verificando-seas promes-
sas (citas pelo gabinete ingles. Segundo pa-
rece trata-se de formar em Londres um con-
gresso cm que tomarlo parte os plenipotencia-
nos da Russia Austria, Prussia e Por-
ta, c que se convidar a Franca Di-
zem que reinava grande misterio sobre as
condieesda nova quadrupla allianca porni
ncreditava-se que nao seriam lavoraveis a We-
bemet-Alli. baro ulow emb.iixador
da Prussia em Londres que se acbava au-
sente daquclla capital por alglini lempo em
consequencia do seu estado de saude tinha
recebido ordem para se dirigir inmediata-
mente a desempenhar as f'uncdes do seu car-
go. Em quanto i Mebemet-AUi continua
na firme resoluco de nao ceder de suas per-
;ences e prosegue nosseus preparativos de
guena, Conheee que est n'uma posicio for-
te e trata de a robustecer cada vez mais Di-
zem que j lem organisado dois remenlos
de milicia nacional para defensa de Alexan-
dria e gue responder ltimamente ao cn-
sul inale .* oucse a Fiama o abandonasse
" i i
hilara contra lodo o inundo.
As ultimas '.lias de Hespanha alcancam.
a;; i do correte c por ellas se sobe que a
capital contiuuava em estado di; sitio ifpezar
de baverera cessado os motivos que servram
de proveilo paraessa medida violenta i'i-
lem que o governo nao tcnciona acabar com
o estado de sitio senao depois de se aprova-
remas eleicoes coma as quaes ha ludados
protestos e que se aproveitaria a occasio pa-
ra e & luaf deporlac6es,nomeaces e outras ex
redientes proprios dus moderados <; i xercito
do Duquede \ ictoria apoderou-sede S.gu-
ra esta captura importante presagia im-
i orlantes vamagens para a cansa de D leu bel
se,",n
ustiabalhos eleitoraes absorveram a ai leu-
nuda
I
dos
negros. Impresso em Roma na Typogra-
pbia da Cmara Apostlica no anno de i8ig
Gregorio XVI Papa.
Ad futuram rei memoriam.
Constituido na suprema dignidade do A-
postolado nao j pelos proprios merecimentos,
no exercicio de Vigario de Jezus Chrislo .
que pela suaexcessiva caridade sedgnou fa-
zer horoem e morror para a redemp o do
mundo ; consideramos pertcncer ao noso ctii-
dado pastoral o diligenciar lodos os meios pa-
ra prohibir totalmente aos fiis o trafico dis-
humano lauto cm negros como em qual-
quer ou tro ente humano. He certo que (can-
do principiou a raiar a luz do Ev ingeluo se
procurou alliviar no seio da christndade aquel-
Ics inlezes que em consequencia das multi-
em i J volumes. S. Exc, deu assim mais uma
prova do empenho que toma na pros()erdade
leste til estalxdci rnento.
Recife 5 de .Maio de 18^0.
Lua da Costa Portoearreiro
1. Secretario.
Estas recordaces, sancrionadns pelos
ditos Pontfices foro pouco depois confir-
madas e renovadas por lotiifaon XIV por
huro novo Brev apostlico dirigido as au-
toridades ecclesiasticas do Brazil e outras
parles das suas dependencias em data de ->o
de Dezembro de i7i a lina de excitar o
seu criidado a prol dos seus pequeos go-
vernos [-] tendo antes disso o nosso prede- LOTERA DO LIVR.WJENTO,
cessor Pi II em cujo tempo se estabele^i'o
o 1 lOperlo LusiUno na regiao dos negeos d : \s Ro is da L-.tcria a favor dos Obras i?p
Guie escrpto huma carta ao Blspo Rubis- Igreja da S siliora do Livramento correm im-
rence que a partir para alli, em data de 7 pretervelmente* no dia j2 dj mez deJunha
de Outubco de 4()i pela qual nao si) lhe prox. vindouro.
I'i/.ia ver a opporlunidade que se lhe presen-
lava de exercitar o seu ;overno com maior
o seu governo
Inicio mas censura ao niesmo pisomu a-
margamenlc os chrislaos por aierem escrivos
os neophitas (')
]'. ii'is nossos diaso mesmo Pi VII, ani-
V visos Diversos.
fW* A pcsoa a quem for offerecido nm
pilcadas furias daquelle tempo oflriid a mado por aquelle espirito de religilo ecari- guardasol preto rom uma bordad uraemenna,
mais dura escravtdfh Os Apeste4os euto dade qu- possuia ossous prodecessoroa io- *-,|",'''!,:' "'' 'do cabo de lolha de lande ;
inspirados pelo Espirito Divino exho.iavao terps com toda instancia a sua mediciQ para a8 coml,,e I"11ue, furtodo, e pode traze-
u ser agradecido.
esses escra vos a obedecer a Chr.isto as pestoas! cam os varios polenldos, para queGcasse a- a estai rp. q
de seus seuhores cumpriado a Vontade de blido para sempre otiaEco da escravatura f o/lia a do trrente appareceo na ok-'
Dos de coraco*, assim como mandavo os ent os christos. n" d
senhoies tratar bem os seus servicos con- He certo, que com o auxilio de Daos nao "o
cedendo-lhes ludo quanto era de usticu, eraprwveitaro poueoosesforcose sancodes pos-
perdoando-lhes as muidas,
na do abaixo assignado um pretd lamno por
nome Pedro pedindo-Ihe que o comprasse, e
ser escravo do i). Anua Joaquina senbora/
ustrndu que! tas sm ortica, para mitigar as crueldades q- do engenho r-o.vista no eso de assim ser,
mesmo Dos tanto de buns-como deoutros se }*rpetravao as conquistas da India, e 1 e ditaf senhora o queira vender, pode quanto
eslava nodo, na esperance do qual no se outras sobrecitadas regies assim como pa- antes enlender-se com o abaixo assignado n
admtte.differncjdepessoa(i). ('orno fosse ,,, com bate- a avareza no commeixl,, dos ;. u.,_;,1,_l'0I,a.;):. \[[ .." _T ^l"}*: Vi!
por elles recommendada a sincera e universal rhristos; porem no'chegou a ponto de se
caridade da le do Evangelho, assim como a: poder a Sa ota Sede luteiramente gloriar do
declaraco de N9SS0 Senlior Jess Chnsto bom resultado dos seus esforcos para este fin,
que attenderia aquelles que beneficiassem o por isso que o trafico dos negros anda que se-
mais mnimo entre os indigentes, eseuega ji algum lano diminuido, he aiuda conli-
gariaaosque negassem soecorre^Jos (a),' a- nuado por mutos chistaos.
conteciacom facilidade ver os ebrstos tratar! I'elo que desojando os remover esta in-
os seus servos, e particularmente aquelles que fama do seio da chrislandade e por huma
ero christaos como seus irmaos [3J e se mos- medida geral bem disentida pela concurren l
Irarein mais pro|tensos a por em liberdade a- dos nossos venera veis irmos os Csrdeas ';m
quelles que o merecio o que era cosame concilio fundando-nos nas resoluces los
lazer-se nos primeiros temposda solemnidade nossos predecessores admocslamos c ma
da Paschoa secundo diz Gregorio Ivyssenus mos com instancia, com os odios era >,
fu). JNcni faltaro pessoas animadas pela pela nossa auloridade apostlica, a o -----Uma Senliora portilRUKa de bons cos-
mais vehemente caridade, que se entregassem christao de qualquer condi,To qu'eseja, n tomes, offerece-se para ama de casa de algum
Sr solteiro, casado com pouca lamina oit
viuvo: quem precisar de seu prestimo dirija-
so a n Direita D. 35.
t-y Constando pelo Diario n. 76 adiar-se
n- engenho Bamburral da Freguesia de Seri-
que nao declara quem ho
se pjr lano ao Sr. pro-
neficio dal?"'obrando pda ca idade', acn- sem animaes e sto sem motivo algum prietario do mesmo engenho ; de mandar ex-
teceo nao exislirem por Inultos secles escra- Ira a juslica e a* leis humanas sao ev, minarse od.taescravo tem os signaes se-
vos, entre os chiislos. Porem com bem dos vendidos e destinados a duros e ins quintes- nacao Benguella bem le.to do cor-
maroadizemosquebouverao alguns entre os lavis trabalhos segundo o uso esta' po preto ladino, alio seco barbado^bons
fiis que se de xando cegar pelos vergonho- pelos primeiros que occupro as regic dos 'lentes, boasmaos.dcdoseunhaseompr.de..
sos lucros e pela avarez nas remotas e di- negeos como qualidade de commercio d, pernas nm tanto finas, represen ao a 3o
:.. i_ 1------ r__. mnna chama-se Francisco, c deve ter ci-
fogados pois que se nao icsponsablisa pela
fuga do dito escravo,
Francisco Carneiro Machado Ros.
Hf No botequim do Sr Brando na rua
dos Qaarteis continua a vender-se leite puro
a 5o reiaa medida.
HT Precisa-se deum feitor que entenda
de tirar lefte e qe seja portugus ; na loia
de lvrqs da Praca dalndept ndeoeia o#3j c 38.
tS3" Piecisa-se de 6on(J rs apremio.
dando-se uma propriedade livre em iiypotlie-
ca on -: mis si uras le Negociantes cs:;::j-
lecidos nesta capital quem live annuncie.
escravidaO para libertar nutras o que foi que se nao atreva de hoje em dianto :ar
bem notorio nu|iiel!e lempo segundo atiesta injustamente, expoliar dos seus heu e 1-
o Santo Varo nosso predecessor Clemente 1 zir a escravido ou por outro modo
nas suas recoida,es[5]. Pedo decurso do oulros que laes cousas pratiquem ou qi K
tempo como se dissipassem mais as supers- oceupem do infame trafico de indios u? engenho bambor
ticiosas trevas do paganismo ese modificas- ou quaesquer pulros homens 5 poisqr i tnhaem um escravo
sem os barbaros costumes dos povos pelo be- negros reduzidos escravido como seu senhor roga-se
predecea
rrao
seus
lornfl
a
os
no
tSHSk ^ip ""Ta ^'"1,0'L>ara ,M con m.ior WU nh. Ij-**-^ f ^'
de P,s=dor .0 V : n-o B... _*+*g* "-^ ^StSS da Socicdada Wmer.i,,
^drdaaJz"Er'Xs^:.l!i d.K. -s^*-s:.j.
15J7 debaixo do annel
cebisfio Cardeal de Toledo e
inda mais extenso de Urbano
sua liberdade e rcicndo-os coma escravos,
sem preceder para is->o conselho auxilio c
favor c dehaAode pretexto uenbum e sem
me dar ser isio licito e fasendo ludo quaplo bem
Ibes pareca.
ni
efio pdblica exclusivamtiie na senn-ua tiua
-.... leil^sao partido lieausla p votase. .m oGovcruoatiuco de peruo
inij iicados na conspirado das Marnotaa lou
reiecadas. ,
( Po Nacional ne Lisboa*
Breve Apostlico do Santo Padre, pela Di-
vina Providencia Gregorio XVI sobre a
abolieao do Conuucrcio da esclavatura dos
(.) AdEphesrum VI 5 ad Coloss lll as
seqq IV.
j .Matib. XXV 35 seqq.
(_ ) Laclan vV nstLib. Ve. iG. Tomo
j\ bibl, viterom Palomo Vene! a Gallandeo.
celitae ia;;. i.
(lj De Resurect. Dom. Or. III tom.
pan i'.o opererum edil Parisin annt i(J3S
j) Ad Coiint hp. I cap, oj, tom. 1 Uel
Gallaudii pag. j.
(6) ln Bllar. Qom. edil, lypis Macnardi j
tom. VI pavt. Consl. 604. pag. 8J.
bruscl.uiu
( Do Correio Oficial. ^
GABINETE LITTERARIO.
O abaixo assignado cm cumpri.nento : dis-
a^i^ (juca annuifci
correte ertender comprar um selim cm boa
u/o dirija se a rua do Oueimado loja D, 7..
i3> Precisa-se de um rapa*vportugues pa-
ra caixeiro de un botequim e eaaa de pasto
no puco do Hospital eio Parauso; no mesmo
recbense assignaturas de- anlar para lora
posivo do artigo Ja dos Estatutos do Gabine-J por proco mais commodo do que em ouira
te Litterario de Pernambuco faz publico que [qualquer.
oExm. Sr. Ijesembargadr Thomt. Antonio
AJaciel Moniero Vico Presidente da Direc-
o o mesmo Gabinete, otfereceu ; sua Bi-
bliollieca a preciosa ulna intitulada Lode de
l'fiumanil ou La Legislalion Universelle -
(;) InBullar ened. XIV lom. 1. Const.
38.'
(8) Apud llaynaldum ip aun, eccl au
140'^--n. 4. "
precisa se de u n 1 casa para pequea fa-
milia com comusodos suHicteales .' qnooi u-
\, r annuncie.
Precisa-se alugar urna caza pequea
para pouca familia., sendo no bairrodo Reci-
fe ouBoa-Visla, e que o seu alugufl nao
1 a seis mil reis adverliudo-ee que te-
qIhi luiinlal a cacimba qoctn liver para alu-
b .,.';ilJ,-,, a rua do Uangcl U. -'.orze,
que adiar.1 coiu quem ira lar.


I-
DIARIO DE
PERNAMBL' C
Arrenda-sr um sitio na estro ra de J
ao do Rorros rom boa rasa fe vuendi
qual alem de bastantes rotnmod -: tem ur <
relleple soto ; com latadas de ;-unir i
lados da 11 siua e rom mu tos oplime?i r-
voredos de (rucio, entre os quaos ha urna lin
da jaqueia propria para recreio ; a Ira!ai
rom o Tenenle Coronel Manoel Jos Martn*
no lugar da soledad? cata .i.
ZS5" I\a ra o Kngel no primeiro an
do sobrado que ica delronte de oulro que
l. cabido junto a caaaqoefpi os diversos >
rebimenlos engonma-ae rouoa lidade rom lodo asseio e promptido, a
pracomaisem conla de que em oulra qual-
quer parle; assim como receba toda qualida-
de de cos tira.
tzf Quem prwWar ds ums smi para iodo
servico interno de urna casa, dirija-se a ra
de Hortas 1 3p.
ssy Quem precisar de urna ama pira tata
para todo o servico dirija-se a piara do Corpo
Sanio no primeiro andar do sobrado onde mo-
la o Sr. Angelo Carneiro.
tsr Francisco Jos Pereira Das, residen-
te na Cdnde do Porto, e w u Irmo Jos Luiz
Percha Uias residente na sua casi e quinta
dpPassode Faldijaens ulgado de Ponte do
Lima n Provincia do Wnho Reino de Por
tugul liunn si ienle a os Habitantes de Ver-
iiaml'uo os mas desU Imperio do Brasil.
queelles comparan a Jo.io Luiz Salgado Achl-
oli Albuquerque Maranho e *ua roulber
D. Mara Candida Albuquerque Maranho
todos o hens queelles possuiao no dito Reino
de Portugal por eteriptura publica por
isso ftzem o pieenie ai nuncio para que mu-
guen para o facturo se tiamein a ignorancia
S2^* A. pesso que quer comprar a edeeo
do* mezes Feverero, .Marco, e Abitl, do
Diario de I ernambueo dirija-te a ra de Hor-
tas D i.
tsr Jfluacio Plasta retira-se para denova
do primeiro navio.
iy- O tutbor do annuncio no Diario n
99, comprador do BUhete* n lo o da Lole-
ria do theatro que acabon de correr-, leria
onseguidooscu fim declarando ao^ publico,
e particularmente aqurlles a quem Ib i contado
0 laclo que o hilbete lia comprado as horas
que indica sem precisar laxar de pouco res-
peitadores da repnlaco alheia e. despresive-
is delralores aquelles que ouviao o caso e
llie dero ciedito pela sua possihilidade poia
sao creatinas que pralico iniquidades, e nao
animaes. Lindos que acredilou o caso.
S2T U abaixo assignado leudo de mudar a
sua residencia para o Rio de Janeiro quer
l'eixur as suas conlas com todas as pettoas com
quem tem tido Irarsacas nesta praca por
isso taz o presente eununco para que os in-
teressadoscomparecao no prasode i* das em
casadoannunciante i edro Ignacio de Mi-
randa.
SST Jos Jacomo Tasso subilo grego re-
tira-se para (iibrallar no fim do correle
met ; quem tiver contascom o lido snnuncie
sua morada para seren pagas 110 prato de i
dina*
t7" Precisa-sede 11 m rapaz para venda,
anda que nao lenlia pratica e que tenna de
idadede la a
ment loja de louca D. 10,
tar <->Sr Jos da Costa de Albuquerque
Mello dirija-se a padara da ra do Peixoto
das aponas a lim de se Halar negocio de
seu iulareste.
Cj f rteita-se alugar UOBt casa terrea no
bairro de b. Antonio para pouea familia ,
e que seu aluguei nao exceda de 7,000 fuensa-
es, quem litar annuncie.
tar Quem perdeo un bilhele da lotera d j
Rio de Janeiro, piocure a Jos HigiuO de
Miranda que dir qum oacbou o mesmo
tem para vender canoas brutas de 5o a 60 pal-
mos propriat para se ahni'ciu e tauhem awr-
Irsdeauoede too lijlos por pieco coin-
Hiodo.
sar O Sr. Jos Jacomo Tasso queira nn-
nunciar a sua morada paia s llie tallar a
negocio de interesse.
xor Sor. Manoel Francisco Mun di-
rija-se a rua do Cres, o loja D. ia, na mis-
ma vende-se oo cn.ipeos de liwta dos de copa
a pretodo *oo rs. e sendo unios -~n daraO a
100 res.
S#- Ueseja-se fallar a negocio de inteics-
eoin o .^r, J< o baratan 011 quem su.is ve-
c* Usar-nesta prata aimuncia sua atorada
yvy- o 5r tF. Joaqun Teixeira l'eixolu
deisibuquerquei queira^ procurar nina carta
rindrtOa Paramo* m ua d cadex do He-
,}h 11. ib.
Aviaos MaritiiuoH.
I'AKA O ARALATY no da la do corren -
sobe o bem conbecdo e ?ellero Pttacho
! .Nacional Lanrentina Brasileira, Capito An-
'. ^nio Germano das Neves, anda recebe al-
.iraa carpa miuda para o que trata-se con
o proprietario Lourenco Jos das Neves rua
da Cruz n. 3a ou >om 0 dito CaptJo.
1 PARA LSPOA sabe com a maior brevi-
ade possivel portel- a maior parle da carga
iromptao Rrgue Portu^uez S. Domingos;
pen quiser carregar ou ir de passagen para
o que tem excellenle commodos dirija-se an
Capito na praca do Commerro ou ao seu
consignatario Herenlano Maria Ressone
PARA LISliOA tahir at o da 10 do
enrenle o Rrigue Porlugue/ Sociedade; quem
qu.ser ca regar ou ir de passagem para o que
leiu excellenle commodos dirija-se a rua da
Crui en casa de Vtanoel Hibeiroda Silva.
PARA LISBOA no da i5 do correle mez
o Rrijuie Poitugue/. Oliveira Capito Paulo
Antonio da Rocha por l'r seu carregamento
qiiasi prompto ; quem quiser carregar, ou
ir de passagem para o que (em bons commo-
dos dirija-se a Mendet & OHveia na rua
do V'igario I). 15 ou autillo Capito
Le i I o
10 anuos ; na rua do L'.vra-
Mf Que faz Nnno Marn de Seixas, por
inlervencao do Corretor Oliveira de porcao
dos gneros a bal xo declarados desembarcados
de bordo do RrguHespanhol Jos4 Francisco,
anibadoa este poiio uj sua viagem de Mant-
Ihacom detlino a autander, para suprimen-
to das despezas e costeic do mesmo Brigue ;
a saber arroz de muito superior quulidade ,
pimeutji canda esleirs da india cibos
de Cairo, charutos, hiscoilos, ebolaxinba k.,
sexta Iciii oito do crreme a> 10 horas da ma-
nh* no armazein do llraguez prximo ao ar-
co da Conctico no Recite
SF" Qus faz o Con clor Oliveiri, de un
excellenle bole com qualio remos, e leme ,
que pertenca ao navio Mary-Chailolte-VVb-
ber, e que por ter sido furtado nao pode ir
no mcsm-i navio ; sabbado nove do crrante ,
ao meodia em ponte no lugar da Hngoeta ,
onde una hora antes so achai para exime
dos preteudenles
t/" l^uc fax Aim 1-radel por nlerteu-
cao do Corretor Oliveira de urna excedente
mobilha de cata quasi nova consistindo en
meas de meio de salla, ditas de jogo, ditas para
jantar banquinbas para costura, secretaria ,
armario com espelho sofs manjuezas, la-
vatorio com jarro e baca, commoda earaa
com colxo cadefrat americanas ditas cora
asseulode palhinha ditas de bracos, lita
dissimos quadros espelhos com molduras de
angico e domadas, relogio de parede, man-
gas de vidro lanternas aparelbos de por-
celana para cha cafi' e chocolate bande-
jas varias obras de prata com pouco ou
juasi ou nenhum tizo, urna cadeirinha para
en hoja, e outros m ai los objeclos de bom gos-
ti; segunda feira 11 do corren le a* to horas
d-'i manh, na Roa vista rua do Moulego ,
na cusa de I roo te dosillo do Sr. Luiz Gomes
Per reir.
C o mpras
cy* Umpar, oudousde luvasde 1:1 ver-
de bem Upadas ; quenas tiver dirija-se ao
i irdar d.i sobrado defronle 1I0 theatro que
laz oito pare o beco do onvidor declara-se
que em filia de verdes eompra-se de qualqui-r
ouira u notendo brancas
t&" l 0(4 varea de le/u 1 o novo e boa de
leife j 1 en livrr anuuncie
'^ktsy Uno din-onario ingtez de Vera, em
2 lomo; na rua eslreita 1J0 i-ozario no 1. an-
d.. do soliihdo novod Sr. Razilio.
3T Uetia o libras de tartaruga; na pra-
ca du Independencia toja du >f Moiot.
-~-.v\f" A obra de \ ugilio em la lim quem
(iver annuucie.
do ; na rua da eadeia do Recife n. 5 e na
rua dos Quarteis n. 7. .
tST Urna negra ladina sem vicios, cotinha
o diario de urna casa lava de sabo e tem
principios de engommar eom muito bom
Uite e com urna cria de mez e meio ; no
atterro da Boa vista D 17.
tST Urna carroca e don* bnU p-r>nrios nara
todo o servico "\ na aolidadi lindo ve Ilrt''
culano.
tsir m grande armario que serve para
dispqnta ; na rua do Jardim casa do masrao
nom.
te?" Ou troca-se por outra urna ne:";ra
creoulade darle de l5 anuos enzinba en-
gotnma faz bem renda e cose ao com-
prador se dir o motivo ; na camboa do Car-
mn I) 1 .
tar Urna armaro com caixlbos envdras-
sados, ptima para loja de miudezas pen-
nas de ac de muito boa qualidade cbaru
los da Hivana e Americanos ; no Recife rua
da eadeia n. 1 j
8qs Urna poica de bonba de porro em
ancorelas muito alva oplim para Mbello.
esleirs de palha de rarnahnba muito bem
fritas, 60 duzias de vellasde sebo un bar*
ril de aceite de earrapato e um. tne-rti'iha
de mel de abelha na rua do \'i;;Trio nu-
mero 37.
S3T Um cavallocaslfno rosilho d' bo-
nita figuea novo e anda lien de pasto, um
selim e um tilho eom pouco uzo ; no at-
ierro da Roa vista venda I) q.
CS" I08 pecas de t oo das velh.it, a i5ooo
cada urna ; q.iein quiser annuoce.
S3T Urna parlida de aSsoalho, e de forro ,
delourode3op ja serrado, porprecocom-
modo pois nao se quer mais continuar com ne-
gociode senaria ; na rua da praii casa junto
do fallecido mar roqun,
C^- Para fora da provincia urna escrava de
idadede-i8 anuos co/inha o diario de ama
casa lava cose cha e engoman ; no beco
da lingoela armazcm 11 4*
tsar l venda da rua Uireta D. i4 junto
ao deposito d.-- rap ; a tratar na mesna.
SST Uin selim elstico de ruro de poico ,
era bom uzo e cem todos os seus pertences ;
na rua do Crespo D. ta.
~tET Um completo 6orlmen\o de calcado de
Lisboa bolins e meios ditos sapalos de urna
e duas solas em brancos sapalos nglezes
ptimos para invern ditos Americanos di-
tos lrancezesde urna e duas solas, ditos de
marroquin para seuhora ditos de selim c
duraque tanto francezes como de Lisboa
sapalos de lodas as qualid ides para meninos e
mininas pennas de secretaria e mais ordi-
narias fitas de seda garca e cliumalole ,
e 70 pares de sapalos para tropa 5 11a rua da
eadeia |o;a de urna porta larga 4*
ly Um escravode naco de idade de ao
anuos perito olbcial de pedreiro 7 ditos de
naco mu robustos de idades de ao a ib
anuos oplimos para lodo o servico um ca-
britilla proprio para pagem, urna moleca per-
leila muhanda cinco escravas de idades de
la o anuos, com hbedades que serao
patentes a os compradores-, na rua de agoas
verdes D. iti.
tST Urna casa terrea na ponte velbada Boa
visla ; a tratar na botica de liraulio Rodri-
gue* Teixeira na praca da dita.
*y (humo oratorio viudo ltimamente
do Pono ; na roa da Cadeia do Recite u. 10
cr Una cata terrea tita ua rua do Aui-
paro emOlinda cinchaos proprio ; a tratar
na ladeira da Misericordia U. 4
Cir S molequesde bonitas figuras, de ida-
dede i i a unios, opliraos paraqualquer
oibcio wa rua do CJueuuado loja L) 7.
annuucie para se mandar buscar. Manoel
Francisco Pedroso,
CS- Fuairo 5 cscravos do engenho Pesco-
co da Comarca do Penedo Provincia das
lagoas, de que he proprietario Jos H.g.-
no de Carvalho Couto o 1. de nome tran-
cisco mstico a ctbocolado estatura indi-
nara grossura proporcionada official de
arpifta, ecarreiro, tem a scatri/de dous
tiros que botreu se do ttnt as costas e mi-
tro no pesco.-o que llie sabio a bala no queixo;
o segundo de nome Luz, de boa altura, gros-
sura proporcionada creoulo bem preto ,
reprsenla ter ao anuos de idade ps gran-
des e grossos o branco dos olhos um tanto
verraelho ; o 3. de nome Manoel de naio
angola representa id anuos de idade es-
tatura recular, secco de corpo rosto com-
prido denles grandes c apartados um dos
outros ; quem os pegar leve a rua direita O.
58, que ser recompensado.
S^* Desapareceo na noite do da 5 do cr-
ranle pelas 10 horas da noite um escravo de
nome Jote por alcuoliocaoiongo ain ia no-
vo estatura regular cara campe la eo 1
uissas por biixo do queixo fi-; be -i ;
cor fulla quera o pe^ir lev* a ra li li
!{j n n-> .ci:nei"o..-i ir .1, b' i> o I
i,e 1 .
: I
1 -
di 1 t 1 i.'ii-- 11 crreme 1 iu i 0;
p n i'i'- \ tura : se 1 11 p 1 eo ful11 cara re-
dolida litscus grossos, deules a cunguiadov,
ps grandes len duis ticatTUBS as cosas
buscaado o hombro dreito, levou vestido de
chita branca saia preta e panno da costa ja
uzado esta roupa nao serve desigual por ter
ella levado urna trouxa cora varios vestidos de
cores, entre os quaes um de riscado verde no-
vo, um dito de chilla novj e mais outros que
se ignoro ; quera a pegar leve a rua da ca-*
deia velna n. 5J que ser recompensado
SSSr Na madrugada do dia irj do p. p,
fugio do silio do Dr Francisco Xavier 'erei-
ra de Urito umseu escravo creoulo de no-
me Joaquim natural do serto do Brejo da
Madre de Dos, o qual foi encontrado na
mesma manh na estrada de S. Anto em
corapanhia de uraa preta o mesmo tem de
idade i(j anuos alto cheio do corpo pei-
nas e bracos musculosas, semblante alegre ,
falla um tanto rouca condono a roupa do
seu uzo e urna trouxa de roupa ; quera o
pegar leve ao atierro la Roa vista I). j{ do
lado sul que ser .generosamente recompen-
sado.
--------.---- i
Moviitifiro Vendas
*^iar Una maquina para moer niilho; na
rua da (.riu n, 55.
5.y Urna casa terrea pequea em fora de
Portas da parte do mar grande com a tiente
para o mesmo \ na nu Imperial do atterro
iljs .iilo..dos casa Ao escrivo di chancellara.
IfiT* Uina venda en multo bom local em
una Jas piiiujpacs mas com o iundos a
TOutudc do comprador ; no alieno da boa
lisfa U. y se dir,
^f- Um lleno com 11 palmos de altura,
ct>e ir.eio de largura com duas laces tnrvt
Uratsadat ptimo para loja lrauceza por <%-
lar en verntado e lie muito em reparlio
i.a rua ua du/. urtnazem de irasics u 3i,
[-* i"y sapaiua i nglezes, obra moderna pti-
ma para o invern por ser de muito bom sola*
Escravo Fgidos
O abarxo assignado roga a os Srs Pre-
feilos e Sub-Pre/eilOj a apprelienco de um
easal de esclavos sendo o negro de naco an-
gola de nome ledro e a negra creouia de
nome Adeandrina, esquaea 1 lie havia hy-
polbecado Joo fapiisia cu Albuquerque U-
cboa avrador du eligenIrO .modo iVovo ,
reguezii do Cid j le do o .nesino Sr. uo Uia.
ai do correnle ti alado entregar-lnc os
esciavos, por estar o lempo li.idu, entre
do nesse mesmo d a o as pie li
eosa de purgar du uiesiii cu
do pagamento de uaia letra \t nci 1 no <
dia, emadrugada se evad ;n 1.....
corapanhia cinco escravo qui s&ui, e os
dous a cima ola ios qu',; taus e o mais que
pode conduzir islo pralicou im de nao p*
gar a outros niuilos credores que tuia e
como o abauo assignado ignora o seu destino,
roguaosditos rs. sendo sejo aprehendidos
de os'mandar entregar ao dilo engenho ou
NAVIOS ENTRADOS NO DIA i.
KOVA HOLANDA; i4dias, R.rca Ingle-
sa Convidar de Bi tonel., Cap Hundo!,
equip. 3a carga ateite a llallideny ,
veio refrescar
PARAHIRA ; .3 dias Hiate Flor das Vir-
tudes de a2 tonel. M. Joaquim Antonio
Mara, equip. 5, carga assucar ; ao dito
Meslrc.
SAUIl;ON MESMO DIA.
LIVERPOOL com escala pela Parabba ;
Barca Ingleza Wary Cap Roben R. iJe-
meter carga algodo \ e as>ucar.
I. HAS dAURiClAS, barca Ingleza Uary-
Ciianolle-VVeber Cap Robeii v^orns ,
carga lazcndas
DA 4
GaNAL ; .Brigue Ingles Rolla Cip Jeorge
Abitre, carga assucar.
DITO j Brigue Ingle* Westrentand Cap.
John carga assucar
ENTRADOS NO DIA 5.
MONTEVIDEO; 5>7 dias, Patacho Rrasi-
leiro Novo Especulador de 71 tonel. Cap.
Jio Luiz Rodrigues equip y, carga
carne de charque ; a .Manoel Joaqun lia-
mos e Silva
CUT1NGU1RA, 9 das, Sumaca Flor da
Larangeira, >i eruardo de Souza, equip.
7 carga couros e assucar; a Souza o
Restos.
SAHIDOa NO MES O DIA
L1VER. OL ; Uarca Inglesa Wellam Rus-
">el C,|> Roberl i.ieuce carga varoe
gneros pastageiroa a,
nRj Di ) i.sEi.Oj Rrigue Escuna Riasi-
' ". A .o- v^.ii, Izidru Ua
1 van-s ; .uS.
. ni r/'iiN .. O.iOiii', ; >0 diat, a-
qutttu ut kaporiNac S. ebaslio Com-
ni.iouante afCapilao de Fragata Stewu C.
Clewiey caiga 00aaeat com assucar
.JARSElIA 00 dias, litigue ardo u-
roiiiia de dotitonel Cap Roen, equip.
la caiga viulio e farinha; a N. U. Rieber
I
ni-l-Ar a. .* .\ k 1 f, ut, u^ v un, e


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWJBN09YM_VOWZMK INGEST_TIME 2013-03-29T17:48:14Z PACKAGE AA00011611_04081
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES