Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04076


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Quinta Feira
co?adeXLd?0C:it1',entsroesm^ ." P^dencia, m^ti.
co adm.40en^a-^--K'P-- e serbos apontados
I imapt* da Itscmblca Geral do Uraiil.
Partidas dos Correios Terrestres.
CMadeda Parahlm e Villas rlesua pretendi.
30 de Abril.1 Numero 90.
.CAMMOS.~Abi.ii, ao.
Londres......3i if* a 3i 3|4 d. por Ifooo ced.
';'s"oa.......70 a 7 por o/o premio, por ruiAal olerecidr 3
J* | ""C"....... agj res por franco.
I o de Janeiro ao par.
CURO Hedaa de 6#4oo rs Vclhas 149700 a MfOoo
' "''a ,, Notas i4f PHAT* i?'"*. '-e **O00rs" fKW a
i-nA j A l'atacoes lirsxileiros-------------- l|Gio a
rezos ColunMMrtM -- .--- 1 *'i.. a
Ditos Mexicanos.......... .#600 a
niiida-----------------______. 1^44,,
Reaconto de ISilhttes d'Arandea 3 1/8 bol loo ao mez.
dem de Letras ,,ia >f
OJoeda de coore 3 a { une loo.dedisc.


*
8/900
i64o
l/Tfi/u
Dias da Semana.
linnc.
\
Sextas Feiras.
., e Villa de Macei. .
Villa de Paja de Flores.................................
Todos os Correan pnrtem ao meio dia.
cada raes,
dito dito,
dem dem
dem 13, dito dito.
27 Segunda -
38 Terca -
?9 Qua'rt. -
io Quinta -
l Sexta-----
9 Sahbado -
3 ort. -
As a horas e
H..S. des Praseres........Sepo da T(iei. e ad. do J. de da fc
o. rtoro m.----------------------. Sesso da lhex,
?l^ln" **&!.......Relaco, e aud. do j. de I), da 9. y.
H* & relippe e S. 1 iago----------
S Athan.1110 H. ,.......Re|. e aud. do J. de ) da 3 v
do Bom Pastor. Inrenc. da S. C.
Mare cheia pare o dia 3o de Abrik
54 minutos da tarde As 5 horas e 18 minutos da MtnhsV
RIO DE JANEIRO.
ASSEMBLEA GERAL LEGISLATIVA.
CMARA DOS SRS. DEPUTADOS.
a. Sesso extraordinaria em n de Abril.
Presidencia doSnr. Araujo Vianna.
As to horas da manli faz-se a chamada, e
logo que se rene numero legal de Snrs. de-
pulados abre-se a Sesso le-se e approva-
se a acts da antecedente*.
O Sur. primeiro Secretario d con la do
expediente leudo um officio do ministro do
imperio, remetiendo a copia do decreto de 19
denovembro do anno prximo passado. pe-,
lo qual se concedeo ao brigadeiro reforma-
do Antonio l'orges Leal atenga annual de
aooooo res. A* commjssao de penses e or-
denados.
Vae a meza o requerimento de Antonio Jo-
sede Abreo Guimares que pede o lugar
de porteiro desta cmara.
Remelte-se commissso das assemblea*
provincias urna representadlo da assemblea
legislativa de 8 Paulo acerca da revogaco
da lei de 7 de no vembro de 1tiS1
Remelte-se commisso de enmaras mu-,
nicipaes urna representaco da cmara muni-
cipal da cidadede Cabo Fro pedindo os ren-
d men ios dos terrenos de marinha do seu
municipio
Vae a commisso dc constituirn o reque^
iimentodo padre Miguel Lzaro da Veiga.
Le-se e approva-se sem debate, o pare-
cer da commisso de poderes que examinotl
o diploma do Snr. doutor Francisco Ramiro
do ssis Cocido depulado da provincia da
Rabia rceleilo no lugar que deixou \ago
por baver accitado o lugar de ministro e se-
etetario de eslado dos tug- dos da uslica e
o achou conlbrme a acta da apurars geral,
sendo de parecer que o dito Snr. depulado
pode tomar ussento.
Le-se o seguinte requerimcnlo da roesma
commisso.
A commisso de ccnstiluico e poderes,
para poder dar o seo parecer sobie a Iegali-
dade do diploma do Snr monsenhor Silvei-
ja, depulado eleilo pela provincia de Sergi-
pe as ultimas eieiiOM a que tiesta se pro
crdcu de depulados presente legislatura ,
requer que se pero ao governo pelo mi-
nisterio do imperio, a acta de apuraco ge-
lal e as parciaes dos dulcientes colle.jios
dasobredita provincia relativas .i dila elci-
co etc.
O Sur. MonteMima pede a palavra pela or-
deni e declara que dezejava que o Sur. pie-
sidente o hoawsse dcinlormar se na casa ha-
vio al{uns piecedentes a ic-peiio isto 6,
se ja tiin dispensado algumas dessa acias poi-
que suppondo que ainda nochegaio, tal
m- se baja de ver ainda esleannua provin-
cia de Sel i i pe de Ei-Rci sem represenlaco
por seos depulados.
O Snr piesidenlc informa ao Ilustre ora-
dor que ainda nao t-xixtem na cmara ncm
a acta geral, i.cm us parciaes.
U lequeiiniento da commisso poslo a vo-
tos, e approvado
O Snr. iVjonlcsuma obleudoa palavra pe-
la ordein observa cmara (,ie ha um negocio
sa sobre urna representacJo do cidado Luiz
de Meneses Vasconcellos Drumond ; deseja
por tanto saber se acaso a commisso de c-
maras municipaesjulga que nao deve tratar
desie objecto por entender achar-V fiada a
suamissao emsesso extraordinaria, ou se
5 neressario mandar-se este negocio a outra
commisso: pedeao Snr presidente que ba-
ja de declarar qual a sua opinio a opini-
o do regiment, e quaes os estilos da casa a
este respeito
Aproveita esta occasiao para pedir Ilus-
tre commisso que baja" de dar eom urgen-
cia o seo parecer sobre a referida reprsenla-
cao.
O Sur. presidente manda ler o artigo 4*
do regiment da casa que determina que s
no principio da sesso ordinaria se nomeem as
commissoes permanentes servindo ostas as
prorogaces e sesses extraordinarias, em
consequencia do que convida a commisso a
salisCaser ao pedido do Ilustre deputado.
O Snr. Andrada Machado requer que se
nomeie urna dej)Utaco d'esta casa para ir
comprimentar S M. I pelas suas melhdfes.
O Snr Presidente observa que a existe
sobre a mesa um requerimsnto do Snr depu-
lado Carneiro de Campos acerca do mesmo
objecto O requerimento lido, e appro-
vado.
O Snr. Aureliano, como relalor da com-
misso encarregada da resposta a falla do
tbrono, pede a nalavra e le o seguinte.
A. cmara dos depulado con-
urgeate a stu \er e
diputado d e la cidade :
o nejiocio da cmara
o
que lora
por
elle
tdiij>alucnccaioddoiio anuo que findou, c ver- I
gratula-so com V. M f. pela presente reu-
mao do Corpo legislativo do Imperio.
A cmara soube com pesar que V. M. I.
se tem adiado vullimamealc enfermo, "e sen-
lindo vivo jubilo com a noticia de suas pro-
gresstvas melboras e da prospera saude de
Suas Augustas Irmes, ella forma ardenles
volos pelo completo reslabelecimenlo ra sau-
dtfpreciosa de V M. I e pela conlinuaco
da que felizmente goso as princezas brasi-
leiras
Acamara dos deputados, Senhor, sempre
solicita do Qteresse publico oceupar-se-ba
como lhecumpre, da roncluso da lei do or-
camento, que nao coube ultimar na passada
sesso legislativa, 1
Paco da cmara dos deputados 11 de abril
de 1840. Antonio Carlos Ribeiro de An-
drada Machado e Silva. -- Joio Jos de Mou-
ra Magalhes. -- Aureliano de Souza Olivei-
ra Coi l i nlio. 1
O .Sur Montesuma prope a urgencia pa-
ra que a resposta a falla do trono entre ja em
discusso.
A urgencia apoiada, e approvada. Entra
em discusso a resposta.
Nao baquem peca a palavra. O Snr. Al-
vares Machado pede votos. D-se por dis-
cutida a materia e a resposta da commisso
approvada tal e qual se acha redigida.
Annuacia-se arhar-se aa salla immediata
o Snr. deputado supplen'e pelo Cear., o dou-
tor Antonio Jos Machado o qual sendo
inlroduzido com as formalidades do estillo f
presta juramento e toma assento.
O Sr. Navarro depois de mostrar o seguin-
te requerimento remelteo mesa pedindo que
seja dispensada a lormalidade de ir com-
misso da mesa visto que a sua materia
milito simples.
Artigo addilivo ao regiment para se collo-
car onde convier.
Todas as veses que um deputado houver de
interpelar aos ministros da coroa sobre qual
rjuer factoou questao. mandar ,-i mesa no
da antecedente urna nota que conlenha o<
pomos cardiaca da interpcllaco ; estas no-
tas sero enviadas no mesmo dia por inter-
medio do 1. secretario aos respectivos mi-
nistros .segundo a naturas dos objertos que
coaiprehenderem. Salva a redacao. Na-
varro
Entra em discusso a exigencia do Rustre
deputado, autor do rttmieriment para que
se despense a formaldade de ir esle nccv-H
co ao exame da commisno da mesa. De ro-
is de alum debate, nao he dispensado de ser
remetalo a mesa.
Ordem do Dia.
Entra em discusso a seguinte resoluco.
A assemblea geral legislativa resol ve.
Artigo ?. A disposico do arligo 7, 9. da
lei n. 166 de 11 de outubro de 1837, A ap-
plicavel dentro deummez, cpnlado da sua
publicaco, quantia de i6;84Uooo reis
pertencente a Agostinho Correia da Silva
Goulo ficandoo governo autorisado a des-,
pender pelo ministerio da fazenda mais esta
somraa por conta das despejas eyentuaes no
anno financeiro de i83p a 1840.
Artigo 9. Fico revogadas todas as leis em
contrario,
Paco da cmara dos deputados 8 de julbo
de 1839.-J. F. Vianna. M. N. Castro e
Silva.
E' apoiada a seguinte emenda.
Suprimo-se as palavras applicavel a-
t ao fim dizendo-se em seo lugar pro-
rogado por mais "dona mezes con-
tados da publicaco desta etc. -JNuncs Ma-
chado.
Depois de alguma discusso, a resoluco
posta a votos tal e qual est eno seapro-
va ; porem approvada e adoptada com a
emenda e remetala a commisso de redac-
co.
l'assa-se discutir o seguinte;
Emendas feilas e approvadas no senado ao
projecto de resiluco vindo da cmara dos
depulados sobre a concesso de terreno1? de
igrejas, matrizes de Sania Auna, e da Glo-
ria.
Artigo 1. difa-se artigo nico.
Depois das palavras da mesm 1 freguesa
- accrescente--se salvos os direiros parochiaes
Srs. Aureliano Navarro e Pao la Candi-
do,
Entra em discusso a seguinte resoluco :
A assemblea geral legislativa resolve
Art. nico. O vencitnento que deva per-
cebe* Joz Antonio de Miranda Raroalho.
aposentado no officio de juiz da balaacada al-
fandega d esta corte ser regulado pela lo-
taco do mesmo officio com attencao a os an-
uos de servico na Repartico em conformi-
dade da.le de 4 de oitubro de |8J|.
Paco do senado em 3 de oitubro de |838.-
Vlarquez de Raependy presidente. --Con-
de de Valenca 1.0 secretario. Luiz Jo-
ze deOliveira, ,= secretario.
i\o bavt'iido numero de Srs. deputados pa-
ra formar casa o Sr. presidente d para or-
dem do dia de segunda leira na primeira
parte a mesma materia dada para boje e
mais os projectos numero 124 |81, e 198
de 1 <37 : e na segunda as emendas do se-
nado a lei do orpamento ; e levanta a sesso
pela urna hora da tarde.
1. e a. *
-e continu.
O artigo 9. forme um projecto de resoluco
separado nos seguintes termos.
A assemblea geral legislativa resolve.
Artigo 1 Fica autorisada a cmara muni-
cipal do Rio de Janeiro para levar a effeito a
convenci por ella celebrada sobre o terreno
do largo do Machado onde se pretende edi-
ficar a igreja matriz da freguesia de Nossa
Senhora da Gloria na conformidade da res-
pectiva ai ti c informaedes da mesma cmara
de ai de julbo de 186**.
Artigo a. Fico revogadas todas as leis em
contrario. .
Paco do senado em o t. de Julbo de 18I9.
Diogo Antonio Feij, presidente. Joo
Antonio Rodrigues de Carvalho, 1. secreta-
rio. Francisco de Souza Paraso, a. se-
cretario
Depois de breves rclexoes as emendas sao
approvadas e adoptadas.
O Snr. presidente nomeia para a deputa-
cao, que tem de comprimentar S. M. I, aos
Snrs. Andrada Machado, Carneiro de Cam-
pos, Lima e Silva, Clemente Pereira, e co-
nego Freitns ; e para a deputaco que tem de
aprvsealar a resposta a falla do trono, aos
Sessoes extraordinarias di As-
semblea Geral,
O senado nao se reuni no dia lo por falta
do senadores que preizessem o numero con-
veniente para deliberar.
No dia 11 houve numero. A sesso foi de
pouca importancia. Lido o expediente l-
ro-se e approvro-sc dois pareceres da com-
misso de consliluico reconhecendo legaesos
diplomas dos Srs. Araujo Vianna senador
pela provincia de Minas e do Sr. Francisco
de Paula Cavalcanti de Albuquerque pela
de Peraanbuco. Este ultimo Sr. tomou lo-
go assento
Nomeou-se a commisso para formular a
resposta a falla do trono, e ionio escolhidos os
Srs, Carneiro de Campos Mello Mallos e
visconde da Pedra Branca.
Passando-se a noim-ar um senador para se-
cretario supplente por baver fallecido o Sr.
Costa Barros bi escollado oSr. Cavalcanti
de Albuquerque
Decide o senado que se deve oceupar n'esta
sesso extraordinaria dequabpier objecto ad-
diado ou dc novo apresentado a sua conside-
raco embora fosse a assemblea geral convo-
cada para fim especial
A ordem do dia para |3 e trabalho de com -
misses
Ai." sesso da cmara foi pouco n teres-
san te entretanto foi bastante o pouco lempo
em que se trahalliou e a discusso de or-
dem que se suscitou sobre o rasponder-se ou
nao falla de abertura para mostrar-se que
o governo ser pouco defendido na casa.
Depois de lula a acta e o expediente quan-
lo se ia nomear a commisso para responder a
falla da abertura, verificou-se que Com quan-
to em it.'ijnu bouvesse resposta falla do
trono, todava em i3o e 18 33 a cmara ha-
via respondido/ O Sr. Re/ende, attendendo
ao pouco tempo que resta e ao contedo da
falla do trono requer que se dispense a respos -
(a. O requerimento foi impugnado pelos Srs
Moura Magalhes, Andrada Ylaxad. Nones
Maxado e sustentado nicamente por seu autor
O Sr. Moura Magalhes Uncou sobre o
governo a necessidade daconvocacaoextraor
(linaria por baver de alguma uianeira dado
causa a se introduzirum na lei do urcameni
orneadas tal voz escusadas MuStrod que a-
lm de Ser cssa a pralica e conforme a os o-
tjlos parlamentares, seria falu de cortezw ,


DIARIO DE PERN4.M.BUC
O
tespeilo e urbandarle nao responder. Que
verdade que o tempo urge mas que a cmara
em sua sabedoria aproveitar o tempo da ses-
so si ni alterar a pratica.
O Sr. Nima Machado addicionou que ,
havendo-se noticiado na falla de abertura que
S. M. tem estado molesto cumpre : cmara
levar ao trono os sentimentos de seu pesar
por objeelo que tanto toca ao paiz.
Finalmente foi o reqnerimento do Sr. Re-
zcnde regeitado por grande ruaioria reque-
rimento que s deve ser altrbuido ao desejo
de economisar o tempe*
A nomeaco da commisso paten&'ou os
senlmeulos da cmara era opposico ao go-
bern : os Srs. Andrada Machado e Moura
Magalhes, segundo atSrmo os estatisticos
parlamentares, volaro contra a actual ad-
ministradlo : a respeto do Sr. Aureliano ,
3. membro da commisso ainda nao es-
to fixas as ideius publicas dos diversos par-
tidos que dividem acamara.
De ponca importancia foro os uniros oh-
jectos de que se ore upou a cmara e por isso
nao daiemusjuiso sobre elles
A sesfode hoje lui tambero descorada e
fiia. Depois de lido o expediente lerao-se
pareceres du commisso de mui pouca impor-
.anciat
O Sor IWontczuma pedio que a commisso
das cmaras municipaes d quanto antes seu
parecer a rrspeilo da iepiesei.taco de Luu
de Menezes de Vasconcellos de Drumond con-
tra a deliberarlo da cmara municipal da
corle. Em nosso entender muito neres-
sario que o poder legislativo fixe urna regla
geral para por ella se regularem as cmaras
t-m casos semelhantes: couvem saber-se si qtial
quer cmara municipal pode excluir de seu
Corle e da Cidaue (de Santos em todo o mez
de Fevereiro prximo inda
Dito ao inspector da Tbesouraria de Fa-
senda da Provincia da Parabiba remellendo-
Ibe aconta corrente cora a Tbesouraria Pro-
vincial da mesma Provincia at o ultimo de
Marco prximo passado.
Dito ao mesmo parlicipando-lhe ter si-
do indemnizado o Cofre do Rendimento de
hum por rento de{Armasenagem addicional
applicado ao pagamento da Divida externa,
da quanla de *.\7jl(kn reis arrecadada pela
mesma Tbesouraria 4nos meses de Fevereiro ,
e Marco*
Dito ao Jnspotor dAklfandega disendo-
lhe, que acbando-se comprada conforme s
ordens d Exm. {'residente da Provincia ,
huma partida de i:5oo granadeiras, [que os
Negociantes Me. Calmoul tem na mesma Al-
fandega d as suas ordens pira eque feito o
competente despacho pelos mesmos Negocian-
tes sejfio enlivgues a ordem do Director do Ar-
cenal de Guerra*
Ditoao Director do Arcn al de Guerra
partccipando-lhe a compra das {granadeiras
de que rela o precedente (ofHcio pelo preco
de 9^5oo reis captivo de direito e mais dea-
I esas d'Alfandega e declarando-lite, q devem
ser todas pereitas e iguaes as amostras que
acho no mesmo Arsenal a Hm de as man-
dar rereber n'Alfandega e recolber a os res-
pectivos Armaseus communicandoo resulta-
do depois de examinadas e conferidas coni
as amostras para ser eectuado o pagamento
divido.
Portaria-Ao Tbesoureiro da Fazenda man-
dando passar do Cofre das Rendas Geraes pa-
ra a da Thezonraria Provincial da Parabiba
a quantia de i :4oo'4aa reis para I be ser leva-
Al godo em pluma
I. Sorte "
9. M
3
Joze AtTonso Ferreira.
Antonio Rento Froes.
Feitores' e Conferenlcs
seio um memhro eleilo pelo povo sem prece- I da cm corita do supprlmento para as despesas
drrem todas as furmalidades da lei.
Por indUjacodo Sur. Carneiro'de Campos
a camal a decide un&nimenle que deve man-
dar urna commisso de seu seo comprimentar
o Imperador e significar-lhe quanto se rego-
sija por suas melboras. Para esta commisso
foro nomcados os Snrs. Andrada Machado ,
Lima e Silva ,, Clemente Pereira Carneiro
de Campos e conego Freitas.
L-se a i esposta a falla de abertura que
nossos leitores acbaro no logar competente
m nosso juiso nao se poda melhor respon-
der a fallado trono do que o fez a cmara dos
deputados e o certo que n'iato concorda-
mos com a cmara que a aprovou sem dis-
cussSo.
A nao ser a emenda do Snr. Nunes Macha-
do pira que a substituico das notas do antigo
'banco seja prorogada por mais dois mezes con-
tados du data da publicaco da lei que assim
o determinar nada mais houve de impor-
tante.
A urna hora ja nao havia rasa.
do Destacamento Provisorio na mesma estaci-
onad').
Dita Mandando debitar ao mt-smo Tbe-
soureiro na Caixa dos rendimenlos Provinciaes
da Provincia da Parabiba pela quantia de
que trela a precedente Portara.
0ila-Ao mesmo Thezoureiro para fazer
.PREFEITURA.
Parte do dia jq do coi rente.
Illm. e Exm. Sur.-- Pelo Sub-Prefeito de
Boa vista foro honlem prezos Joo de
Deo e Luciano Magalhcs Ribeiro am-
bos pardos o i. como desertar e o i.para
recrula ; mande apresentar aquelle ao Cotn-
mandante das Armas e este foi sollo por
mostrar que era Guarda Nacional do 3. 15a-
talbodeste Municipio.
^ E o que consta das parles boje receuidas
n'esta Secretaria.
EDITAE&.
Joze Thoniaz Nabuco de Araujo Jnior Pre-
feilo Interino da Comarcado Recife ,-&c.
Faz pubioo que no Deposito Geral existe
hum cavallo caslanhoque lora adiado sem do-
no junto ao Forte do buraco a hm de que a
pessoa a quem pertencer em Imita das con-
tados d esta dala reclame a propriedade d'elle,
babelilada compelentemenle conforme o arl.
194 do Cdigo do Processo.
Prefeitura da Comarca do 20 d'Abril de
1840.
Nabuco de Araujo.
6600,'cidade com a sabida desses 3o policiaes ? Di-
5Poojgo os homens experimentados nos manejos
4600 dos devonstas se nao he rasoavel essa nossa
supposco. mormente quando com isso ain-
da espero fazer acreditar no Rio a necesslda-
de da mtidanca do actual presidente da nro-
vincia. Mas qual nao foi a satisfaco dos a-
migos da ordem quando viro a torca pu>-
blica prompta como por encanto e diipos-
la a deheiiar aos anarchistas sopor ventu-
ra ousasscm apparecer ? Louvores sejo dados
ao exm. presidente que to enrgico se mos-
trarlo cumprimenlo de seos deveres, e para
quem nao ha perigos e nem diHculdadcs ,
para conservar a franquilidade publica. E
com ciTeilo para os devorislas nao pode haver
nada peiordo que um administrador, que llie
sabe advinbar os pensimentos e por conse-
guate impossivel de a pan bar descalco. E
be por isso que Ibes nao convem a actual
administraco. Mas debalde clamarlo por
que o governo central bem sciente est o'a
camarilba esomcntehr.de altender as re-
presentaces que partirem dos cidados in-
leressados na ordem os quaes sao os que
considero o governo do exm. snr. Thomaz
Xavier como o elemento da tranqulidadeda,
provincia da Babia. O Piloto.
f Do Gafanboto.]
rublieaco da Correspondencia promettda
bontem em o nosso Post Scriptum.
VICE CONSULADO DE S. M.
THOLICA.
CA-
Snr. Gafaiibolu.Emfm pariro os devo-
rislas .' E digo que os laes homens nao
presto e sao incapazes de desempenharem a
commisso deque se encarregaio 11 Saiba
pois sr. redactor do contrario. Os devo-
rislas sao capasorios, e dignos de eternas lam-
parillas, lie verdide, que a quadra Ibes nao
he avoravel, e toda a populaco a mohece,
e se nao deixa amedrontar com cucas mas
nem por isso se Ibes pode negar babili-
enlrar para o Cofre dos Rendimenlos Geraes, dade. Que regosijo nao lero os sucios, que
a quantia de7.be' 1 B> rs. das despezas feitas '
Precisa-se tomar dlnheiro ris-o sobre o cai-
co e carga do B. Hespanhol J ebegado a este porto d'arribada de Manilla e
Balavia para Satander : as pessoas que se
propozerem a da-lo se podero dirigir a Chan-
cellaria do Vice Consulado de liespanha ra
do Vigaiio D. 1 a.
N. M. deSeixas
V. Cnsul.
LOTERA DO LIVRAMENTOi
Acha-se a venda nos lugares do coslume 09
com a arrecadaco de diversos impostos Pro-
vinciaes arrecadados pela Meza do Consula-
do desde o 1. de Julho at o corrente mez
1 re Abril lasendo sabir a mesma importan-
cia dos diversos Cofres Provinciaes a saber
do das Alagoas 658,458 re. do da Parabiba
53,o57 rs do do Ro Grande do Norte 3, 10
edodo Cearr i456.
Dita Mandando debitar ao mesmo The-
zoureiro na conta dos rendimenlos Geraes pela
quantia de que trata a precedente Portara.
Dita Ao mesmo Thezoureiro para lser
por r inienzmenie nao dia em que devem impreterivelmente correr
dos aos anteriores em que me.a duz.ade r0 Jas obras la Igreja da mesma Senho^aT
sceleratos fazia acreditar aos homens incautos ^nuoia.
quantos embustes querio. Nao ella co-
uhece que tende tanto a'an da parte dos de-
vonstas que prestes vem escapar-Ibes o
passar do Cofre dos Rendimenlos Provinciaes' peixedas unbas. Embora todos os dias ap-
ela Provincia da Parabiba para o do Rendi- P^reco Censores Fiscaes Athlelas Tu
.......! 1______________..i..______________ n;nnn.i./.. *'____.:....!______ ^
THEZOFARIA DA FAZENDA.
Cxpcdienle do dia a3 do corrente.
Cilicio Ao Exm. Presidente da Provin-
cia infoimando o requerimento de Antonio
Jos Pires pedindo o titulo de albramento de
bnm terreno de Maiinba.
Dito 00 mesmo Exm Presidente infor-
mando o requerimento de Manoel Lopes Ma-
ciel.
Portarla ao Thesoureiro dos ordenados ,
cncarregado des pagamentos militares man-
dando pagar D. 'Iheresa de Jess Cavalcan-
ti tousseiro viuva do Major de 1. a Linha
reformado Joaquim Andr Cavalcanti a
quantia de a5,'5oo reis importancia do sold
vencido pelo mesmo fallecido do i." a 17 de
Fevereiro ultimo dia antecedente ao do seu
fallecimento.
dem do dia 1^.
Offico ao Contador da mrsma Thesou-
raria reroetlendo-lhe por copia para sua
intelligeocia as ordens do Tribunal do Tbe-
scuro Publico Nacional de numeres ai
ment de hum por cenlo de Armasenagem ad-
dicional applicado ao pagamuitoda Divida ex-
lerna a quantia de 247S(K>ars. arrecadada pe-
la Tbezouiaria da mesma Provincia nos mezes
de Fevereiro e Marco,
Dita-Ao n-csriio para faser passar do Cofre
dos Rendimenlos applicados a amortisaco do
papel para o da Recelta Geral a quar.tia de
4/jb'oo rs. j por se ter considerado pela Guia
n. a24 como proveniente do imposto sobre a
as canoas quando ero sobre a ancoragem das
mesmas.
Dita-Ao Cellector interino do Municipio de
Flores remetiendo-1 he cincoenta conbecimen-
tos para o continuaco da cobra 119a do Imposto
da Siza.
SOCIEDADDE PASTORIL.
A Commisso Administrativa da Sociedad)
Pastoril convida aos Srs. Socios a reun-
pinambas, Constitucionaes Scenticos Su ..__, c r .reun'-
deSll '-q T rCa a"arch,a' ruadasduzes, casal).5, a fim de se nro-
desohed.ene.a as author.dades emf.m ,odos ceder a eleic5o' d, nova Administraco P nI
os principios necesarios para desmoronamen- forma dos Estatutos. ? "*
o da sociedade brasileira A populaco as '
Sl T 90bfra" -deSpe9 e S0men,e aU SOCIEDAE HARMONICO-THEATRAL
meja Jpela continua9ao dogouno Cons- w inMinaL,
Tendo principiado o obra do Theatro de
ni
titucional
nos rege
como o
Ha dias .
actualment
quj
que se espalhou [Apollo no dia 13,'c Marco pp
todel evantedealrl canos, e at sede- se'necessario proceder a ar ecadaro de "n"e
bSo nd/a? *** **- porcento do empreatimo de .5 con tos de Z
hado de allnlu.a como aquellesem que de- com que para ed.icaco do
va romper a inalesada.
ca
mesmo Th
Uiversas XieparlicueiiH
do corrente anno; a u" remettendo vinte
cxemplares da Pauta das avaliaces dos liqui-
dos em geral eda farinha de trigo : ai."
ordenando a forma por que devero d'ora em
diante ser feitas as proposlas para o preenchi-
mento das vagas dos lugires das Thesourarias
das Provincias : a 3. rtmeltendo vinte exem-
plares da a. c parle da Pauta das Allande-
gas : a 4- pailecipando a ordem expedida
SO Administrador da Typographia Racional
para remetter acrnla huma das Thesourarias
das Provincias bnm exeinplar docorrciool-
n'ai a contar do l.6 d- Janeiro desle anno,
a ultima ordenando para se remetter para
Londres a quanlia de ib-.'jmji'joi reis pro-
ducto da uri por ctiio de Aiuisenagcns ad-
nuivifii iifio no 1 bt-s'jiuo d'Afaiidcga d .
MEZA DO CONSULADO.
Pauta do preco corrente do assucar algodo ,
e mais gneros do Paiz que se despacho
na Meza do Consulado de Pernambuco na
semana de 37 d'Abril 3 do mez de Maio
de i84o.
Assucar B. novo 1. S. ar. aaoo )
nteirado dos passos dos devorislas
os planos
que a sua mudanca se
mesmo por
nao podem
e dos se- I das cornados do data deste", em caza do Tbe-
nia que quando alguna del- i zou.ciro Manoel Joo iVAmorim na ra ,1,
les se retiravao para o Mi prometiera, Cadea velba n. as suas resillas ^
is como be expresso nos arligos 7 e 6 da
, promellero ,
havia etleituar aind
meios illicilos e
ser outros
1

se
a
csses meios
nao os do
ou perturbaco da ordem
publica, visto que o governo central nao da-
va ouvidos ts suas calumnias. Por conepuin-
leparado esperou o accontecimenio o
assassinalo
te 111
proposta approvada.
Recifa b de Abril de 184o.
00
Dito M. novo
900
Dito B. velbo
5oo
Diio M, velbo
600
a. a
3. a
4.
5.
6.
l. S.
a.
1.
3.
3.
4.
5. -
6. **
1. "

<
44
<{
t<
(i
<(
(
<(
te
II
Cl
ti
f t
aioo )'2ioo 1. Q.
aooo)
i85o)
i7oo)if7ooa. d.
155o)
00 i.d
ti
i3oo )'*4
1800 )
i7oo )t$70o 1. d.
itioo )
i45o)
i3oo ) i|3oo a.d.
115o )
1000 )
900 )
qual como acabamos de ver appareceo' no
domingo de l'ascoa as 7 horas da noite.
Mas sr redactor
i.d
seria islo ou j.o ne-
gocio de encommeada ? He o que se nao iiode
duvidar quando se considea qUe o mo-
vimento appareceo em varias ras da cidade
a mesma hora e pela mesma lorma. JVn-
guem ignora que em consequenca "de otfi-
cos recebidos da villa da Barra, e do baro da
Parnahiba, o presidente destacou para a ron-
teirajoo permanenles, commandados pelu
seo digno tenente coronel 5 e bem assim a op-
posicao que certas pessoas fizero a sabida des-
sa Hopa. JNo sera provavel, que os devo-
, ristas para tornaren, censuiavel a medida do
I governo promovessem esse alarme afim de
' 1 iaierem acu-ditar o perigo em que se acha a
THEATRO.
Grande Expetaculo de Mr., eMadame Bo-
bert.. amanlia 1. de Maio A Companhia
de Actores representar a segunte pe?a Es-
cola de cazados Composico do grande Mol-
an. No fim da peca VIr. e Madame Ro-
bert daro principio ao seu expetaculo pela
maneira seguinte.
I. Parte. Mr Robert desempenhar va-
rios jogos de Equilibrios, os quaes sero exe-
cutados com muita destreza e actividade : era
particular o Trompo sobre o Elstico os dos
iuzsde inunico girado sobre hum dente,
aprovadas palanganas &tc. &c. &c.
9% Parte. Rlr. Robert olirecen alten-
cao do respeitavel Publico huma grande va-
nedade de Borles e jogos de inos e Outras
muitis manobras de Phizica novas, e di
vertidas. "


"A.
DIARIO DE
PERN \
Mm. Robcrt, a nica juglar ihe gora co-
nhecida, apresentar lindissimos iogos os
fjuaes se nao tem feito at agora cmo seia
JogodosArilhosetc. Finalmente Mr Ro-
licit, e sua F.spora faro lodo o possivel por
agradar ao respeitavel publico desla Capital ,
de (lliein ia SH Cnncs/n nonlinpartna l~ -
M RUCO
urartrUM
mor
luem ja se con'essao penhorados pelo a-
, r-consideraco que luto recetado dos
benemritos expedadores em recompenca do
'pie Ihe hiro apresenlando senipre novos
Expectaculos que llie laco grangear mais ,
cutis a publica estima. O Expectaculo
principiara as b lu>ras.
sidencia para a roa do Rangel no i. andar do andar na ra do Rar.gel : quem liver queira tv <>iu-m precisar >[.-. urna ama para casa
sobrado D. 3i, ao chegar a ribeira adiante annunciar ou dirija-se a ra Direila IkjUcu de iim komem solteiro, para ludio semen
do assougue: quero de seu presumo se quiser n. 5o. deportas dentro, dirija-se a ra da Hortas
Na ra doRozario eatre.it*, botica de, -asa terrea I). 3g.
utisar pode dirigir -se ao mesmo.
Aviaos llj versos
I
if
tS~ Quem precisar de urna ama seca para
tudo que pertencerao servico de casa diri-
ja-se ao Nixo do Noia casa i), i que a-
cban a dita ama para ajustar o seu negocio:
declara que s quer casadc pouca familia.
tsy O abaixo assignado no da 2a do
rente as oito horas da noite estando em sua
casa no sitio liba da Pedra e sucedondo bir
chegando a porta cis que Ihe despararo dois
tiros que felizmente Ihe nao pegarao e sim na
parede aondeeravpro huma bala e cincuen-
ta carocos de chumbo, e como o abaixo assi"-
rado notem inimignalgum nem tem ques-
toiom pfssea alguma o mal que aconte-
cer ao abaixo assignado e a sua familia nao
se queixar de outra cotiza mais do que do
negocio que le com um sitio.Joo '.tertuli-
ano Moreira deCurvalho.
tsy Roga-seaos Snrs. Sub-Prefeitos, e
* mais authoridades desta e mais comarcas e
pessous particulares que souberem ou virenl
mu ncgia de nome Josefa, de idade anuos altura regular secca do corpo cor
fulla nariz chato com urna marca de ferio
de sua Ierra em cima um dedo grande ale-
jado em urna das mos ps pequeos cos-
tuma dizer que he forra e mudar de nouie;
quem a pegar leve ao atierro da Boa visla n.
4 que ser gratificado com 20 000.
CT Apessoa que diz saber concertar obras
de tartaruga : dirija-se ao p da Cadeia caza
de trez andares em que tem por bai\o fabri-
ca de chapeos.
C9" Hypolito Domont subdito Francez ,
perlende sabir para Europa.
I recisa-se de um bom official de charu-
tos o qual se pagar bem pago ; ia fabrica de
charutos atraz do Corpo Santo indo para a ra
da Cruz D. 4a.
tw Precisa-se de urna mulher que saiba
cosinbar engomar, e tudo com perfeico
para casa de pouca familia : em Fora de Por-
tas n. lo.
*- Na na do Fagundes D. 5 vende-se
pao de linbo meias curtas finas para ho-
mem rendas largas para lencoes cstreitas
para toalhas lencos prctos e de cores e
canarios do Imperio em gaiolas ja cantando e
em viveiro tudo do Porto chegado yo ultimo
Navio, e por procos com modos.
tssr Aluga5-se tres armazens do sobrado de
tres andares da ra da Cadeia os quaes dei-
ta a trente para o paleo do arco de Santo An-
tonio; quem os quiser dirija-se ao sobrado
que faz lente para o pateo do Hospital do J'a-
1 ai/o e ra da Moda ; das 7 horas da ma-
nh as q ou das 2 as 4 da tarde.
SS^* Sabbudo dt- Aleluia fugio um moleque
de nome Sebastio do gentio de angola, eor
tilla milita ladino, de idade de ih unnos,
este moleque pertencea Antonio Jos Alfonso
e esteva a lempos m.tvikIo no collcgio da S.
O abaixo assignado faz Miente ao res- Joo Pereira da Silveira existe urn escravo
peitavel Publico que se propoe ensinar Filo- j moco, proprio para todo o servico princi-
soia Racional e Moral por proco comtnodo : plmente de embarcadico ou ile padeiro par
prometiendo etnpregar todos os meios para' ter bastante pratica.
adianlamento de seos alumnos j teda pessoaj Arrcnda-se um segundo andar esoto,
que de seu preslimo quizer-sc utilisar dirija- na ra Direila muito fresco bou vista e
scaooitodo muro da Penha, D. i3 das 10. bem arranjado ; co;n seis quartos, alem de
horas em oanlo. dois pequeos que servem de dispensa em os
O professor do Ensino-mutuo do Lycco devidas rcpnrlimentos para guardar taca;
faz scienle ao respeitavel publico que a sua quem quiser auiiiinoie,
aula se acba liberta desde o dia 23 do corn-u- Perdeo-se ou lurlara ama caixa de
te e convida aos pais de familia que qtii/.c- prata dourada cora as pagas do Voltaretc es-
rem a irem matricular seus ilhos ; pro- criptas n> lampa bastante'uzada e por isso
melle desvellar-sc quanlo Ihe for possivel pe- apparocendo ja a prala por ter pasto odoura-
lo adiantamentode seus alumnos. do ; quem aacbou e quiser reslituil-a diri-
-- Precisa-se^ de 7 conloa daris a tune ja-so a rua da Seiualla velha a caza n.16 de
mcio pelo lempo de i annos abantados por Joaquim de Souza Piulo quesera recompensa
urna propriedade: quem quiser annuncie ou do.
dirija-se a esta Typ que se dir quem os pre- j Perdeo-se urna espora de prata
Avisos
antirnos.
PARA LIVERPOOL sahir com
brevidadea lian-a [n'gleza Csk
s.;r carrejar dirija-se. aos
no
Porto
com urna correa velha ,
l'eita
desde o
cisa
tt^ Precisa-se de urna ama de leilc ; quem Manguiuho at a Capella dos AHictos : quem
es ti ver nestas circunstancias dirija-se a rua a achoii e quizer resliluil-a dirija-se i mesma
casa cima que ser recompensado.
da Alfandega velha armazem n. ,
Urna Senhora viuva tem-se proposlo a Joo Barbosa dos Santos mofador mo
ensinar meninas a l"er e esorever e as i o- Recife no beco do Encantamento tem para
pciacoesde Arithmeiiea a fater flores e la- vender ferragens de varias qualidades, pannos
varilos, bordar de linba e seda de prata e de linbo Imitas pomada, fio de sapateirp,
de ouro o vestir anjos tudo por precocom- tudo chegado ltimamente da Cidade do Por- I e (M) forrado e en :a\ litado de
modo; pois dita Senhora quer habilitar-se ,
e prometle o breve adiantamento como cons-
ta da que tem quem de seo preslimo quizer
ulilisar-se dirija-so a rua do
a maior
, qtiem qui
seos consignatarios
HarrisoHs Lathai & Hibb 11, roa da alfan-
dega vclba .1 o.
PAI1-V0 ARAC VTT o bem conhecido e
velieiro Patacho Nacional Laurenlina Brasi
leira Capitn Antonio Germano das Ufares
pretende sabir coro brevidade por ter quasi
completo o si-:i carregament; quem quist
carregar ou bar de passagein dirija-se ao sei
preprietario Lourenco Jos das Neves, na rua
da Cruz n. 52 ou no Capit io a I ordo fun-
diado confronte ao i'rapiche novo
PARA AS.MAUIUCI \Sa BaTca sleza
Mary Charlotte Wehcr, segu no dia :? M'iiq ; quem liver contas com este navio .
queira aprsenla-las at o meio dia do di 1
antecedente, no escriptorio do consignatario
Jojo Slewarl, na rua di Cruz. n. 55 para se-
rena ajustadas e nao sendo apresenladas at
o tem[o marcado nao sero pagas.
PARA TRIESTE o superior Brigue In-
glez tylars, Capit.i > Actken, da prim< ira das
to.
Precisarse de urna ama Jquo tenlia
leilc ; no urina/.3111 n. 5 di rua
velha.
Nogueira ,
prinieiro andar do sobrado I) 10.
Sendo necassario para o servico do es-
quadro de linba nunuro ,\ o proceder-se
((iianto antes comprr de cavallos o Maior
ooitnaudante interino do mesmo Esiptadrao ras onde adiar com quem tralar.
avisa 1 todas aspeasoas, que os liverem e i2W Quem precisar de
bom
d'Alfdndcga
lugar aindi pan ts de assu< 3'-
hircom toda brevidade; quem quiser car-
dirija-se a Me &Companhia*
PARA WgVM'BlQE o Brigue Porto-
legar
\lj~ Apessoa, que liver una escrava, que- gtle Triumpbante, Capito Guilherme Jos
saiba conijirar e cosinbar o diario d'uma ca-J. dos Reis a sabir com urevidade por ter mais
sa e a queira alugar para csse fim : dirija- de metade do seu car.-e amento a bordo; quem
se ao primeiro andar 1). 3 rua das Larangei- ; quiser carregar ou ir de passigem dirija-se
ao Capiloa praca do Commeivio ou a rua
um caixeiro
para
dq Vig
ano n.
15.
LeMo
S29~ Que faz Augusto Classen pov inter-
uueiraS vendel-ea, comparecaQ no Quartel botica, poisj tem pequea pralica, ed fia-
do Hospicio das 10 horas al ao meio diapara dor a sua conducta ; dirija-se a Olinda la-
se lazar o ajuste na forma 41 Lei: adverliu- deira da S casa do Sr. Conego Carneiro.
do-seque os cavallos de-vein ser de estatura! U. iViaria Antonia Corduiro mulher
pelo menos de sel quarias, reforcados lar-' de Francisco da Bcnevides Reg, ffcc saber vncSo do Corrotor Oliveira de urna excel-
gos dos |>eitos esforcadus dos rins, qusrlel- ao Publico # que tendo sido inventariados os lente fliobilia de casa, pianito, c deversi-
las curtas, e idade polo manos de 4 anuos e bens de seu casal em consequencia do divor- dades do objeclot de muito bom gosto j Tes-
ura mez. ci que perante o Juiz de Direitoda Comar- ?a 'e'ra -" ^ ^'a' ils ^ horas da manhi no
Quem annunciou a venda de urna ou ca'do brejo da Madre de Dos intentou e andar da asa pertencenteuo Sn-, Erancisco
duas cazas dirija-se a Gamboa do Carmo a pbteve-seu marido; sjaccedeo que Antonio Antonio de Oliveira, e parede-meia da em
fallar cotn o Porleiro do Hospital do Cumio. .Luiz Ribeiro de Brito fuesse-lhe penhora em que mora este Sr. no atierro da Boa vista.
Quem annunciou no Diario de segunda duas escrava*. com o fundamento de ser a an-
feira (a? do correnle) querer tralar por auno nunciante devedra elle de seiseentos e tan-
o sustento de al moco pintar, e cea pode tos mil rs. E porque fosse nova mente inteo-
coroparecer no primeiro andar do sobrado da lado seu divorcio no Juizo Ecclesiastico por
esquina da rua das Cruzes junto a Praca da ser iuteiramente millo o leito n aquella Co-
Independencia para saber-se as condices e marca, pela incompetencia do Juiz ; assun o cuit o Alfonso Bolelho.
poder ajustur-se. aviza para que ninguem faca negocio com o m~ Urna carleira de urna s face, inda
Precisa-se de um caixeir0 qUe tenha dito Brito, respeilo das duas escravas, e mesmo uzada e que tenba 4 palmos de com
pralica de venda : as Cinco pon tas l>. 34 protesta baver d'elle qualquer risco, quete- prida ; na praca da Independencia n. 7 e 8.
fto dia i-] do corrento s oito horas da nbo estas, desde o da da penhora at oda---------------------------------------/
V e 11 d a s
C o 111 p r i s
Z10S
Umi porcio de caixes de pinho va-
no atterro da Boa vista loja de luais di
Cruz ; quem o pegar leve a rua da Cruz 11.
67 que ser recompensado.
ft^> Precisa se alugar urna casa pequena
para pouca lamilia e sendo o aluguer muito
couimodo e em qualquer rua do Bairro de
Sanio Antonio
%Sf Utlertce-se para caixeiro um rapaz
brazileiro o qual da fiadoi sua conduca ,
qutm precisar diiija-se a rua das Triitxoiras
Jj. 16.
S3F Arrenda-sp um sitio na estrada de S
Amaro para Leiem com caza de vivenda
boa caza para prelos e estribara para dous
cavallos e minias arvores de fructos ; quem
o pertender dirija-se a rua do Kozano larga
JJ. 1 uo 2. andar.
tsy O Sr. Ignacio Jos de Moraes natu-
ral do Rio de Janeiro queira ter a bondade
de annunciar sua residencia ou dnigir-se
ao escriptorio de Rozas & Braga na rua do
Yigario D .* pois dtseja-se-lhe fallar.
SS^- Na [judera da rua do Peixoto das 5
Ponas precisa-se de um padeiro, que seja
perilO, eno se repara ao seu ajuste.
C?" D. Mara Joaquina de Jezus com au-
la de meninas na rua iitita mudou ia re-
noite foi desencaminhado da casa de Anto- entrega.
nio Pereira da Cuaba um seo escravo anda Quem por engao ou curiosidade ti-
bucal por nome Miguel de naco Angico ; rou urna caria do Correio n. yt, vinda de
representa ter trnta annos de idade he hai- Lisboa no Brigue Oliveira e outra vinda
xo do corpo c tem dous denles djt frente no do Maranbo no Vapor queira fazer o obze-
queixo superior cortados signa! quo costuma quio de mandal-as ao Trapiche da Companhia
ter aquella naco tem a tesla bastante alta e (com o nome) Antonio Jos Pinto Guinares.
arqueada, e os oihoa um pouco hugallunlos Uomingp perdeu-se um annello com
e esfumacados levoocamisa de algodao azul um diamante e firma G desde o Tbeatro le
entruncado e calca de estoupa ; ha toda proba- a ponto do Recife : qUein O acbou pede -se iior
hiiidade de ter sido scduziuo a ttulo de ir gi- favor dirija-se a mesmo Trapiclie da Com-
lihar ; por isso roga-sc a quemdelie ti ver to- panhia que sei:i generosamente recom-
ticia, ou a quem for oerccido para comprar, pensado
queira por obsequio ir declarar na rua da Precisa-se de urna pessoa alfil que leve
Cruz do Recite n i4 aonde se gratificar U*a carta a Villa do Rio tormoso; quem es-
genciosamenle otraballio, liver as circunstancias dea levar f dirija se
*-3s Pergunta-se a actual Meza da Irman- ao fin da rua nova loje ao p do serralneiro
dade de N. S. da Soledade da Boavista para perto da ponte.
(piando transferio a Festa da mesma Senhora, CJucm liver para alugar urna canoa que !
apezar de ir contra o principal Art. do Com- carreyue mais de um milheiro de lyjollos : di-
promisso da mesma lrmandade. rija su a rua nova em casa de Manoel Gon-
llum (jue nao gosta de ver abuzos. calves Pereira Lima.
C?" Previne-se ao resjieitavel Publico, que O Padre Joo Rodoigues d'Arauje ret
ninguem contrete com Ignacio terrera de ra-se para o Rio de Janeiro.
1 ojola Mjbre urna morada de casas terreas no Existe urna carta vinda para um tal
Atierro dos A (logados e alguns outros bens Carneiro Leal filbo de Jos Joaquim Car-
que possa ter visto ter sido o mesmo Loyola neiro Leal ; na rua da Cruz venda defronte
chamado Juizo pela quantia de i5o(Jooors. do Sr. Mesquila ou annuneie.
e juros legaes correspoodenles a mais de 10 i (Qualquer bomem forro j de idade,
aunes e nao ler sumcienlcs bens para paga- que esleja as circunstancias de se (juerer s-
menlo da releala quantia; ao contrario pro jeitar a pastorar gados em um sitio perlo da
lesta-se demandar por acyo revocatorra a prapa dirija-se a praca da independencia n.
quem quer que com dito Loyola conlractar,
Precisa-se d'um otfioial bauzeiio ; 'o
j e |.
rrecisa-se de tima mulher forra que
preteudenle dirjase a Pracinha do Livra- j queira sugeitar-se a cozirtbar # engomar, e
ment loja L). 2b. que ludo laca com perfeico e asseio para
^# CJuem liver a Recreaco Pbilosophica j tima casa estiangcira ; em Eora de Portas casa
aiiui em bom uzo, e qui/fr vender dirija JN to\
se ao segundo andar do sobrado ein que mo-
,ra o i adre Thom da Silva Guimares sito
no pateo de S. Pedro que achara com quem
Iraclar.
Precisa-se de urna loja propria para
qualquer eslabvleciuienlo com um primeiro
CT O Secretario da Sociedade Apolnea
convida a os socios para comparecerera no dia
quinta leira 5o do correnle, nao s para se
tratar da nomeaco de outro Tbesoureiro, co-
mo para deliberaco de um objecto milito in-
teressanlc a sociedade,
C? lima negrinba de idade de 1,5 annos ,
boa vendedeiri na rua Velha caza de niqho D. q
A utilissima pasta ou pastilhas de Al-
tea mui superior a pasta de Jujebas ou de
Altea, viudas de Franca ; por ser fabricada
por um novo metbodo pelo qual se priva ;t
pasta da parte linliosa da Altea com ..
qual (parle linbosa) se acba impregnada a
pasta vinla de Franca por ser feita eom'av
Althe*aero p, e portante prejudicial aores-
tomago. Recomendamos a applicacSo da
pastilhas de Althoa em todas as intl imae.c*
geraes do corpo ou locaes internas ero to-
llas as tosses c com particularidad!) na co-
queluche : tendo a propriedade de facilitar
respiraco : vende-se na rua Direila Boli':*
N. 5o.'
Ou aluga-sc urna casa terrea grande r
de pedra ecal (no logar de S. Thcreza em O-
linda) com duas sallas qnatro quartos co-
zinba puxada fora, contigua a esla um quar-
to com taramba que serve para escravos e
um grande quintal com algumas arvores de
fruclo e no fundo deste tem desembarque f
e banho : quem pretende-la dirija-se a ruai
d'Agoas verdes lado de i\. S. do Terco casa
terrea de duas ja'nellas cuma porta, que;
tem lampeo que ahi se dir quera c a do-
na.
Urna moeda de tifoo cncastoada doi
selins arreados tres cingalbas um berco de
condur, rotlas para portas, e janellas,
urna porcao de prala sem fcilio dois alinete
de diamantes urna chave com correte para
relogio de bom ouro nina lanterna mgica
com muitas vistas, um relogio de sima de
meza e urna caixa de muzica ; as Cinco
ponas 1). 7.S onde tem lampeo.
Bixas a a^o rs. Irocio-se as que nao
pegarem or oulras : na firaca da niao U.
11 teiid de barbeiro.


*
Ti I \ R O
ey Por oreco rommdo uma ra;i s'ta ,,a
reliada do manguinho a qual le ocha poi
i.. ihar n Indar no beco da Bomba 0 t-
CT Urna ex rara emula de idade ib1 (<>
hnnns, nplmn para .urna casa defamilia Pr
ter hon conflu la e saqer rozer, engomar,
rozinhar lavar desaliad rom toda a per-
feicao : rna da Wad|e do Dos loja de azen-
dat.IV. t.
r.. R rarlai do svilaba* e palavras em
letia redonda e inanauscripla finalisadas
eom alpuns conselhos de educarlo, proprio*
pata se di?por a mocidade a loors ; a 8o rs.
I loada s eomalgumas difiuiro** de Bezout c
cutros a moa jora e lomando-se em por -
rao dar--'-''- mais em. cunta ; na ra di-
mi.i [>. at Ioio decotnos du Sr Antonio Lu
i^fflj*Br."'.-v .r^MBssRcnt^jraroc'
ellaoccnpa no Seminariodesta Diocese _no
Arcbiepisropal da Baha, e ho Maranho;
be mnito lien impresso o encadcrnaflo Reci-
fc loia de Itvros do arco da Conceico praca
da Tndepertdtiocia n. :i: c 4S e defronte do
rolleglo loia do Sf Pinto-En Olinda ra de
Malinas Ferreira sobrado amarello, e se
acba lambem em m"o do Sur. Padre Joaquim
d'Assnmpco escrivdto di Cmara hpiseo-
,:l
1 reco .ooo
SST Charutos da Carhoeira do* memo-
res, que ha n'aquello lugar, chegados l-
timamente; na ra da Cm/. D. 6o.
rs~ Umsortimcnto decadeiras e cama-
i>s de madoiro de serdeira con assento de
piliiinha calgumasde madeira da casta-
io por preco milito commodo, a retalho ou
iz Peiei'ra Bastos, ua ra du Nogueira l. atacado ; na ra do Vigario armazera"do Ma-
Ja lati di) BIlO.
Cadeirusde batanear e rnho de s-
dra mnito superior.; em caau to Lut Goma
Ferreira & \jasfield.
* I;- "'anuo de linho ab( rio de 11 lar-
ras, chapeos de sol de st da do Porto, mei
inho leos pretos de seda, tudo de
muitp boa qualidade e ;>or preco commodo ;
j.a ru i ti -v "' 'w loja d endas defron-
le ti" beoo da Cong pgn
%&- | na venda rom poneos fundos cm urna
das principas* ras do 'eeile com commo-
dos para familia ; rpiemouiser annuncie.
y l :v;i porco tic lahoado de amarello .
<'i ass albo, t ditas canoas novas de amarel-
>t i mas para seabrircm;a fallar cotn I'iie-
cnacio ii. i i.
\j- Cc>,i em velha de todos as quididades
i f)fio a libra seda para rostidos n.lujoe a
Voocovado, nlgodn atul para roupa do
pretos de 4 palmos de largo a laooeovado,
chales adamascados a rro linde luiho pe-
queos pescorinhos ditos touquinuas fci-
las de perequito de eamtraias lencos hrair-
HT Urna ne^ra de idade de 18 annos, co-
nidia engomma ; na ra direila i. andar do
sobrado que fax quina no beco da Penha.
SO- Um escravo de naci bert&uella, idade
ao minos bonita figura completo ofneial de
pedreiro c entende de pintura sem moles-
tias vendo-s por precisan o que se tara ver
o comprador ; urna moleca da mosma nacao ,
idade i ti annos mu linda sen vicio aignm ;
outros osera vos com ahel dadas as quaes se
tiran ao comprad ir ; todosestes eseravosdo-
*e contento e se afianca -, na ra de Agoas
verdes D. 3^. ,
ts?- Um molatinho d'Ancolia idade i i a
i6 anuos, proprn para aprender qualquer
offirio ou para pagem ; na ra da cadea do
Recibe loja n. f)5.
t^- Um Piano Ingle em lom nzo, e de
boas vosea, twlo encordoado proprio parase
aprender peloprccodo loo mil rs. ; noAt-
terro d 1 toa-visla 1). 73. .
r^ Urna escrava de nacao iucanmiue,
do bonita figirra (le idade ifi annos C0nj'.a o
diario de buma casa cose xam, eufona IllO 5
para lora da Provincia ou para algum en-
genbo: em fora de portas, em huma casa lef-
ias de uerequito de eambraias, lencos nmir- r,. k-.......
eos finse ordinaria madanoles, brinsbran- r%a^oronte de imti venrla nova
osde varias qnalidales estopas eambraias
da india cansa lisa metas le mullior lu-
vas do algodo paiiinlio milito fino, dito en-
trefino pklia, setinela o outras mnitas a-
zendas ; no atierro da lioa vista loja de cera ,
fazendas.
tW Dichas prefasgrandes epaquenasmni
C5" Um escravo moro, bora carreiro, e
ontrn escravo-! o esclavas, proprios pira to-
do o servico enjas hahelidadessediroa 1 com-
prador na ra de Agoas verdes D. H>
ISr Leite muilo bom. ;i porta da casada
nev no beco do Tlieatro ;is n hora*.
t&- Superior pallia de Carnauba aira e
ma* du Anilina Ca valbo 11.1 lioa sla ra sneaioTes bomcondeeas a panno e a reta- granue ; na ra ua en w. a
i-.: Mal 1/ |>. A
x ; I 111 1 de liuba em pecas v luuna casa
lecreu em Ondd na na da M.m ueira .:. ; .
Ifldo por pre^' rom modo ; na luja de 1
ili'lroiilo do Lorpo Santo 11
5 .. Unta voud na ra de .Apollo defronte
da luiidico do Sr. Mosquita I). 1 quema
prciendcr dii ija*se n mesnia.
IST Uma negra que sabe 1 ivar, e nzinhai,
o laz o mais >civi o de buma casa na venda nova confronte Solidado.
%3f Urna mohta que sabe coser engomar,
1. cosinbar com um lbo de dona anuos j ua
ra do Crespo i). .
U5~ lDi realejo com Irc/ selinlros, do
muilo boas vo/es ama do llangei l>. 1
lado to mar. x
*de 1 i'. fi;uras
. duas .; retas en-
- 11! i\. 1 i#i .- f 11 -1 1 (i : 11 1 'i 1 > 1' ~ -^
Iho, peneiras de rame amarello, meiashar-l tST Urna escrava cabro mo^a, possanlew
be coser engomar I izo clava de varreiw ,
na ra Direila em casa de M. Buarque das ti
as 8 da mauba o das a as .r> da tarde
ES" Humi negra do gento de Angolla ,
mossa e bonita figura sem vicios nem acha-
inhao diario de huma casa, e ex-
rrasde farinba de trigo plulasda fsmilia ,
t.uidas de seda, ion par de dragonas do 011ro,
ibapeos d*-> sol de ila do Porto um llrelo .
um talim com guarnir amare'a barriscom
alcatr3o ea reailio ditos com manleig de
do Brasil ; Collectes de les do Imperio .
desde iB2ia i838 com ndice gcral ; Soli-
tarios de Murcia 5 Scliro honrado negocian-
te 1 Pedro, Amor offendido vingado, Ce-
lestina, Galata, l-'orca da amisade Rivacs
de si mesmo, Casamento por vinganca En-
gao fatal Nova Brasileira Crus da Pon-
te, Terremoto de Lisboa Monte de Nevo ,
Caverna de Strozzi, Diabo amoroso, amada
annima Capilo Paulo ; na ra do Vigario
I). 16.
ISscravcm Kimidos
poico, ancorelascomazeitonas, serada uora qc> eosiniia o aiarw ue ".
en, barrisou arrobas or preco commodo na cellente cngomadeira, propria para qual qtici
em barrisou arrobas por |
ra i' treita dn Rniario padaria l) 17
S."^* Uma porco de volantes do Porto milito boa qualutado de todas as cores e
larguras ; na roa Oiretta venda f) ?t).
t^" Uma escrava que sabe engommar, co-
znha o diario de urna esa, o mnito boa ven-
dedeiraderua, o., troca-se por outra qu sai- nheiroe hbil para lodooaemco i no alieno
Icose, engommur. e coziiha o diario de (la Boa-Vista K 7* ^
una isa: ua ruado Collegi I) 7 no sejjuu-
bervieo ; na ra do Crespo 1) 5.
ESj A jiosse de 1 9 p limos de trra na ra
Augusta ; a fallar na inesma ra dei'ronte do
sobrado de Jos Joaquim Das Fernandes.
K3?" Um negro creoulo de 'i8 annos oli-
cial de capaleiro de todas as obras bom C0Z1-
i?- Dous pretos mor s .
ptimos para lodo o servico
ommo co/inbo, e lavaO roupa, uma
uegriiibade 14 anuos de idade ptima para lom ieite rose engomma, cozinba solii-
sereduraa; na ra de agoas verdes casa ter-[ re urna fina uc ang
annos com as niesnias babeldades; na roa da
rea U. .'i;.
ISf- Uma morada de casa nova a moderna .
>.nm bom fundo para quintal t p'iiedc mei a
rincoenta e qualro palmos de leneiui a com
ios .:.
C3" Um escravo tic idade de 4o annos por
preco commodo ; anuuncio,
isr ma escravo cronta de idade 3o a,,-., ^" magamellacom cento r inteioHo li-
nos com uma cria d. dous mezes com muilo bras de cera branca por preco commodo; na
ra iNova ti 10>.
t3r Una ponao desebollas muilo boas,
ohcj'adas prximamente de Lisboa a 800 rs.
o uiolbo o a Jvo o ceuto ; uma porcao de
serada a 1600 a arroba ea rio reis a libra ;
,1 nina i.'sa de
da de idade de 1
cadea lujado. aH'aile por cima da luja do li-
dio do Sr. (lardoso Aires.
- Ou irooalse por escravos .lo servico de ve de sebo a ,.{0 a dftr.ia ; linguicas a a8o
a lilira 5 paios a 240 ; presuntos novos a 000
nlnlo/aJa.....bil i ou.l>.al...lo heju Horonh. ra 4-, c. Um raa,,vo (l'e v',|e l5 ,)s ,
na ra da Madi e di i us i.-a
neiossi
ii. 1
tsr Ti''..cutas /Jco oilavas ile prala em l'' m
colberes e resplandores, dous rcojos de pra-
i.i com ppteiros do sein.dob, bum dito tle
yuro de icpclir'io dando-so a contento um
)vo com 5 palmos c uni lexadura du
^Um bom cavaHo bstanle gordo, e ;
todos os andares o grande ptimo pa-
i non
, do, obra fela de m-omenda um dito co de um andar c mirante
i as o punas II. ai. GT Wa ra cas acoslumadas ao pasto, mu-
um dilo de i8 anuos
com bouiii Geura bem sadio e hvre de be-
com iouo us nuures e |iiuie >|>iiun> ;.i u .
ii, ..;,,,......... .... Mj'.as i a Iralai com o Ciirdcal na serrana ua
i.i cairo; adinhcnoa \ isla on a naso na '
,. li"a da Praia,
lUan0VdarmaV.emu.J4. ,, l 1 i,-
4^/- superior pallia de carnaiiuba uliuna-
n.inie ebegada do Assii por preco commodo ;
!? Um realejo com .i sellndros de min-
io boas vozes; na ruado Rangel sobrado uni-
i../- Um escravo que sabe liabalbarcm sa-
linas, nft 'jual .-unco tem sido emp^ado
desde sue menor idade, lie bom cjnceiio ,
e reirador piopriopra emiaieer, ou para
aria de quetntende ; ia ra da Cadea do
ilecife loia de azeudas de Joaquim Goncalves
LmQo.
tay Tabeas de pinbo a delo-
lo boas de Jeito sendo f paridas o as mais
prximas a isso ; na ra do Collegi sobrado
J 1 1 no prmeiro andar.
t?y Uma escrava creoula, de idade de 17
anuos cose engomma faz renda, e propria
para mubanda ; no principio do aterro dos
lilogados junio a-casa do Sr. nra'ndo
ir Um escravo do gento do angola, mo-
llas as larguras egi ira e< .. imenl .l'eoe debo., ligura ; na ra larga' do lio/.ario
porqnni:'--: desocupar u irw em ; non L). 7 por cima ua boina de Barlboloineo no
lo das s no ReCifv arn aze'ai qu
l'all
ir
... 1 uu
i. J .l-
f aterido Uomingos dos r
quira Lopes d'Almeid 1
jT;,-- L ; a escraa cieoula le 19
anuos, cose, eugomma retina assucar faz
doces de vaiias quaiidades, e cozinba com
pericioao ; na ra dircita,D. lado do Li-
riiCido.
Taboadode pinbo tanto d.i Suecia ,
... Americano, de superior qualidade, o
para barucas, ebegadus uliiiuoincutc do
.10 ludo por preco conanodo ; 110 ariua-
2m de Jos dnlouio Silva Viauna no lor-
ie do ruaitos.
y
andar.
Q$> Um viado capooPro muilo manso por
ser criado do pequeo j nos 5 pontos loja de
a/j iid.i.i D 1 i-
tsr Um guarda lou?ade otio ; na ra das
cruces D. ad.
tSf Dous negros de nato, um idade 18
annos e oniio de is proprios para servico
de campo ; r.a serrara do Cardial.
SSf" Um mdalo de idade 17 a 8 annos,
ao comprador se dird o motivo da venda ; na
venda grande dentro da ribeira da lioa-
vuta.
te/- Um prelode a8 annos, que tem de
A venda da aua direila I) l4 junto ao jornal tjo, por pre\u muilo commodo; na
deposito do rape ; na mesu u renda uu
nadara la. ,,-,,
+*_!& Compendio d I heologia Moral pa-
r9 M/u do Seminario do Olinda em i'ernarabu-
,,, polo Padre Manoel du Moute Uudri
deAraujo. Lente deata l'aculdade em o so-
i,rfdlo5oniiari... Lstaotra aclu-se ado-
t,.., fara o enrueda aatciu deque se
prava da Boa-vista U- id,
l_j- A collevo do Jornal Uamalhetc, com
eslampas linas 5 na 1 ua da Cadea do Hecife
de ferragem 11, 46.
liar Uuiaiiegia, engoma, cosinho, eUra
roupd boa puta iuuo u servico de dadt;
e .jo anuos ua na da catubua do Carao em
can do Marcinciro,
na ra ta Cruz, sobrado n. j8 prmeiro an-
dar.
tST" Sal do Assi e bordo do brigue Per-
naubucano, fondeado defronle do Trapicbe
novo ; quem pertender dirija-so a Manuel
Goncalves Pereira Lima ouaoCapito.
i^r- Urna utjjra tic naco Cabuiid mcia
ladina de bonita figura, robusta e muilo
deitgenle ; na ra de lloil.is cusa le rea do-
lime do liceo lar;o de S Pedio I). 10
tuM Um terreno com vivtiro dentro situa-
do emS Amar com alenle para a estrada
de Luiz uo Bogo de setecenlos palmos de
fenlo, e scijceiitos e uuarenta de fundo ; e
igualmente um escravo de meia idade, de na-
cao Congo : em casa de Rosas & Braga de-
Ironte do Corpo santo N. 6.
tjT" Urna puta creoula de idade tle a6 a 18
anuos, boa coilureira cha engoma luo, e
lava perieilaiuenie sibao laz renda e cn-
tcii.b.' algutna coisa de cozinba por preco c-
modo uu troca-se por nina negra que soja
boa quilandeira 111 ra d.1.1 Crtues sobrado
N.9.
^*t^" Us seguutes lvros Memorias da
Campaulia de l). Pedro Anuaes da Legisla
cao Provincial do Imperio do Brasil; lleju-
bubento das relacOea do Imperio } Conslitui-
co polilica j nova guia das Guardas iNacio-
uaes j lluinas de Voluej Simo de Mantua ,
Bibliollieca Constitucional ; Modello pira me -
uinod; Itinerario do Kj Para c Marauho ,
com uiappa regulamento das Alfandegas,
Bevoliuio francesa ; resumo da Historia .Na-!
lu-! j ralismo. Vozo Pioplivta Historia
S:"7* Ropa-se a todas as aulhoridades po--
liciaes o pessoas particulares, a|aprehencai
de um moleque creoulo do nome Benedicto ,
de idade de i j anuos com uma pona mcia
torta enmsignal de queimadura de fogo
porto do ni lio esquerdo, tem a lingoa mcia
perra levou vestido camisa o cabs de al(;o-
dao-i o dcsapareeeo em i) de l'evereiro do
corrente ; quem o pegar leve a sen Sur Jofio
Perera da Silva Gumaraos morador em
Olinda sobrado n. 1 { que ser bem recom-
pensado.
t "- No da 15 do mea de Janeiro do cor-
rente rugi um moleque anda bucal de no-
mo Pelippe de idade de 1 anuos cabe, a
e olbosgrandes corpo aecco, mos delica-
das, dedos finos bracos e pernas compridas,
e finas em um lado to queixo tem um sigual
de barroca, e tem um denlo por cima do
outro levou camisa e calcas do algodu gros-
so e suspensorios de dilo; rogl se a todas
as aulhoridades policiaca eOHHltra qualquer
pessott de o aprehender e manda-Jo ama da
Palma a Antonio dos Sanios l^rroira que
gratificar com loo 000.
urj"" Na madrugada do da 16 do correte
fugio do sitio do Vr Francisco Xavier l'erei-
radoBrto, umseu escravo creoulo de no-
me Joaquim natural do serto do Brejo da
Madre de Dos, o qual foi encoiilradu nd
mesma mauhS na estrada de S. Anlo em
comoanhiade urna preta,o mesmo tem du
idade anuos alio cht-io do corpo pei-
nas obrados musculosos, semblante aleare ,
falla um tanto rouca condumio a roupa do
seu uzo c uma Irouxa de roupa ; quem o
pegar leve ao atierro da Boa visla I). a| do
lado sul quesera generosamente recompen-
sado.
C^- No da aa do corrente desapareceo um
escravo ainda moled>te de nome Joo, de
naco S. Thom idade do o annos^ boa
figura sem barba altura regular falla
grossa levou um gtilho no pdireito oque
ta o pedera lor lirado tem siguaes de bit bus
nos ps e ao lado do dedo niinimo do p di-
reito tem urna sioaU'ii anda mal curada pro-,
cedida landiem le bichos tem ja por varas
ve/es dado suas Fgidas mas tem sido sem-
pie pegado nosla Cidade ; quem o- pegar le-
ve a ra direila padaria 1). 1^ casa de 3 a-
ilares, ou na Boa \ista ra to llozario entran-
do para o pateo da S. Cruz sobrado tle dous
ailases, no segundo, que ser recompensado.
*.y Sfinao negro que representa ler tio
anuos tle idade cabellos lodos braucos ,
um calombinho na testa, qs dedos grandes dos
pos torios para dentro duas erdas na per*
naesjuenla caranguigeiro, quando fu-
gio andava vendando caraiigueioa, o se inli-
iiilifo.ro, fu;i no da 1 < do corrente: os
apreendedores leiem-oa um do ollogio, ar-
mazem > 10 onde se dala 0U000 rs. to
gralilic.iC'o.
Vf Nodia?6flo corrente desiparocoo do
lugar da Caipunga silo do I)r Jacobina uma
negrinba de idade de t anuos, levando os
Irages seguintes vestitlo dechiti de assento
bramo com llores encunadas saia de lila ,
camisa de alquil io/inho a dita negrinba he
baixa meiagrossa, cara redona, olhos blan-
cos ; quem a pegar leve ao dito sino ou na
ra da Criu sobrado do 3 andares na quina
que ser gratificado^
M(iviinenio do Porto
NAVIO ENTRADO NO DA a.9.
RIO DE JANEIRO; la das, Brigue Nac.
Leal tle %o\ tonel. Cap. Josd Militih
Teixeira equir. 14 carga varios gne-
ros; a Caetano Jos 1 ravasso, assageiro l.
SABIDO WO MESMO DA.
pENKDO ; IJiatc Nac. S. Sebasto M.
Francisco Jos" Corroa, carga varios g-
neros passageiros 7.
p iRTORICO; MislicoJHespanhol Palomo.
Capilo (liiriel liameiitel carga algod.itt
iVoTufL^A Vil*. Ai. UE.*'. tE E. itso


v&^U-) S***-^^^^*^***^**^**^^*^?^
CORRESPONDENCIA.
I
i
Snn. Redactores
0 Sor. Bacharel Jos dos Alijos Vieira de Amo-
rito que pareca corrido com a demisso que do lu-
gar de Juiz Sulisiituiio lhe deo o Em. Sur. ('resi-
dente Reg Barros, cuja Admuistracio coufessa el-
la que prudente e sabia veio ao prelo com utn a
r aniel cheio de laicidades e parvoices inserto no
Diario ti. j5 uiaiscom u lim de insultar-me, do
que de desculpar o procedinieoto do seo irmio em
deflorar e raptar uiua infeliz orla codo Juiz Subs-
tituto Doutor Neiva em ahsoltrel-o deseo arbitrio.
Com os documentos juntos, que antes nio pude
obtei fica respondido quanto o* pormenores do
que se pa-sou no Jury esse discurso de que nio pu-
de apanhdr o fio e mostra-se que pur parle do or
se apresenlou ao Juiz Substituto una cei lidio legal de
na meuoridade.
Par* defender-me da ridicula arcusacio dees*
pecular com o casamento da misera ve I orfi basta per
gunlar srmplesmente ao Snr. Jos dos Aojos oque
tem de seo o Sor. Quinteiro Jnior alem do orficio
de apuntador das obras publicas para que algueiu
tire vdiilagHiTi do seu casamento ?
Que figura faz em Pe narabuco o Snr. Jos dos
Anjos, para ameaqar-me que de seguir de perlo m.s
Tribu naea, para, onde ibrem os meus recursos?
Se o Tribunal da Relajo ouver de sellar otiiunlo
deste Snr. com to pouco trabalbo obtiJo, assifti
como tem confirmado as suas Sen lencas de Juiz Subs-
tituto Iracas dcvem ser suas esperanzas.
A questio suscitada no (ligamento do Reo, que
malou seo Sur., Tem contra producen teni. Por es-
tar o Reo pronunciado como escravo em consequen*
cia desse papel a que recoi reo : por aver no processo
decreto de ccusaoio fot que o Juiz de Direilo nio
deLrio ao requermento de fazel-o julgarcomo li-
berto. Da met>ma surte por estar o Reo Quinteiro
Jnior pronunciado como defiorador e raptador de
urna menor e por aver no processo decieto de ac-
cusaclo que nio competid ao Sur. Neiva-Juiz
Substituto ouvir por si a defeza do Reo, e decidir
que a orla era maior revogando assim a pronuncia ,
e o decreto do Jury paia a accusaco ; e o que ruis
julgaodo a accio perenipla e mandando por silencio
no Jeito 5 por quanto pelo Cdigo do Processo Crimi-
nal nio podem os Juies de Direito depois da pronun-
cia e decreto de accusacio por silencio na causa ,
ueni julgal-a perempta por oulra occorrencia que
nao seja a re ve lia do Author.
Se o Snr. Jos dos Anjos que parece inculcar-
se de nico e exclusivo A dvogauo de seu irmio en*
teudesse melhor deste oificio nio avia de se dirigir
ao meo Patrono ( que nem se lembra se elle c vivo)
por causa de urna queixa por rnim assignada e
mandada ao prelo : se lesse ao menos a comesinlia
le Provincial de i4 de Abril, que ao em prego de
Promotor uni o de Curador geral do orlaos, nio
dira rom tanto desembarazo que ao Snr. Doutor
Promotor alo competa sustentar os direitos daorfi
ripiada. Se este Senbor Adfogado de seo irmio ti-
vesse o melindre que exige nos oulrot jamis se
attreveria a queier persuadir que o Sor. Doutor Na-
buco entiara na espe. nloclodo desdiloso casamento ,
que restava triste oflVndida.
Felisraente alo bem conhec'das em 'Pernambuco
as pesHoas que o Snr. Jos dos Anjos pertendeo tor-
nar odiosas sem advertir que o publico se acha in-
teirado da injustica que toifre a pobre orfi e do
que nenhuma dessos pessna poda ter o menor inte
resse de persegu'r o irmio deste Sur., n ni de so
leoibrar de qualquer lidies.
Restd.me agradecer ao Snr. Jos dos Anjos o d
que tem de miiu por mal poder exprimir o que sin-
to; favor este que lhe retribuo na m-sma especie,
visto que, a pesar de seguirmos diversa carreira nio
ueste particular idnticas uossas circunstancias.
Rogo-Ibes Snrs. Redactores o favor de darem pu*
blicuiade em om minio do mu Diario a estas duas
luidas com o dornimnio unto para esclarecimen-
toda verdade ; por cujo favor muitoagradecido Ibes
ficaiosou assignaule e muito afectuoso diado
Antonio Domingos Pinloi
laea**
Diz Antonio Domingos Pinto, Tutor da orfi
Mara raptada e d florada por Miguel Bernarda
Quinteiro Jnior que lhe he necessario por Cerli-
dio do l'.ici vio Benicio o termo de aggiavo inter-
posto por parte do Snpplicante pelo procedimento ,
que leve lugar na ausa do rapto, e estupro da
dita menor na Salla do Jory desta Cidade na tarde de
ao de Marco cociente P. a V. S. Snr. Doutor
Juiz de Direito Substituto lhe mande passar a dita
certidlo. E. R. M. Passe. Cidade do Re-
cife a6 de Margo de i84 Neiva F lippe Beni-
cio Cavalcanli de Albuquerque Bscrivio da Primei*
ra Vara do Crime do Termo do Recife de Ptrnam-
buco pelo Regente em Nomedo Imperador Constitu-
cional o Senbor D. Pedro a que Dos Guarde
drc. CertiOco, que revendo os autos deque ha
author Antonio Domingos Pinto, Tutor da Orfi
Mara Rita da Cooceicfo contra MiguT Bernardo
Quinteiro Jnior, delles consta o termo de aggcavo
que se segu- Aos viole de Marco de i8io nesta
Cidade do Recife de Pernimbuco em a Salla das
Sessdes dos Jurados que presidia o Doutor Manuel
Joze da Silva Neiva Juiz Substituto do Crime, o
Presidente do mismo Tribunal. Entrando em Jul-
gament o proeesso contra o Reo Miguel Bernardo
Quinteiro Jnior, foi dado pelo Doutor Cacioiro de
Sena Madureira Advogadoda mesma Mara Rita da
Conceicio de uspeilo o Doutor Juiz de Direito
Substituto do Crime, e Presidente do dito Tribunal
pelos motivos .seguintea Por ser intimoamigo do
irmio Advogado do Reo, do mesrao Reo, e de seo
pai, e frequentar a cata do menino Reo, e de seo
pai, e da o irmio ; anda depois qe est presi-




""**

o

-indo ao Jary ; que proraeteoaoReo-juIgalo ; in-
do para a dita casa todas as noites at> que respondeo
dito Joz que era amigo de muito roaisterijpo e
sempre frequentou a casa do Reo anda antea de ser
Juiz : deo o Abogado outra rasao que era o em-
penho que mostrara o Jais era ulgar esfccausa de un
afiancado quando haviio presos por juigar, em deter-
minar odia, e notificaro Reo sem ser a instancia do
Autor, -em mandar coraecar o julgamento as 4 horas
da tarde, quandoa essa hora jal roais houveexeroplode
comecar alg julgamento rteste termo: pos-chamar elle
mesmo Juiz contra a Lei o Doutor Flor pe, conjun-
to e con menea! do -Reo para servir boje de Jurado :
por ter o Juiz esperado que se reunis&em quarenta
Jurados, as quatro horas e meia da tarde quando
as quatro horas declarou que ro, hava casa para
ontinuar a Ses-o o queimportava o mesmo que
te-la levantado neste dia ; por ter querido recorrer
*o chamaraento de Juizes de Facto das Galeras j a
tarde depois de terem havido dous juigamentos de
Reos presos, e finalmente por ter elle Juiz prome-
tido ao Reo absolve-lo do crime sem sugeitar o pro
cesso ao Jury, [o que posto pareoesse rtcrivel pur#
La ver decreto de aecusacio todavii era de recejar de
Iiiiid Juiz, que transpunha todas as consideraces s
para ser hoje o Juiz da causa; e principalmente por
ter o Juis revelado este segredo a pessoas fidedignas;
e requereo o dito Advogado que isse sugeta a *us-
peigio a decizo dos Jurados presentes; pelo que o
referido Juiz deixou a Cade ira da Presidencia para
que os Jurados decidissem e como estes te levantas-
sem todos voltou o referido Juiz para a Presidencia,
e disseque se levantassem os Jurados, que o julgas-
sem suspeito e como nlo lio uve maioria declarou
o dito Juiz que nSo tinha passade a suspeico e pro-
eedeo ao sorteamento dos dozes Jurados que haviio
de julgar a causa depois do que o Advogado do Reo
o Doutor Joze dos Anjos Vieira de Amorim pedio os
autos, e propoz huma exctpclo, por apresentar
huma certidlo de idado vnda de Portugal, e hum
attestado do Comissaro de Polica da ra velha don-
de constava ser maior a i.Hendida embora tivense
justificado quando se formn a culpa ser menor de
J7 annos, por que disse o Advogado o fez eom te-
temunhas de sua aaitade, e requereo que o dito Juiz
mandando escrever o seo requerimento posase si-
lencio no feito absolvendo o Reo do crime cono era
de direito, e mandando o dito Juiz eu assim procedesse,
requereo o Advogado da offendida pelo cumplimento
fia Lei, visto que se 0S0 tinha feito interrogitorio ao
Reo, nlosetinhalidooprocessonemouvidoaaecusacio
antesdeouvira defeza do Reo, como rnandava o Cdi-
go, indeferio o dito Juiz a este requerimento,diseudo,
que rpr.bia a excepcio o que ouvido pelo Advogado
da offendda disse, que a queslio era puramente do
facto, e competaaos Jurados, e nao ao Donlor Juiz
de Direito decidir, porque o nascimento da offen-
dida e o dia em que teve lugar era hum feelo, hum
acontecinianto de que s os Jurados podio coube-
cer depois do Decreto da aecusacio, que lia va nos
autos contra o Reo; que elle to bem apresentva a
Certdio de idade da menor viuda de Portugal depois
da loi nuci da culpa em cuja occaso i tinha pro-
Tado a menor idade com testemunhas de huma re-
conhecida probdade; que a Certdio do Reo era fal-
sa, e ultimo recurso dos seductores, que nSo podio
negar o crime que requera ao Snr. Doutor Juiz
de Direito para nio julgar de seo arbitrio o procesno,
que o sugeitasse ao Jury de Sentenca eque.fi/esse
sortear o Jury de aecusacio para conhecer da fal&idade
do documento do Reo; o que llie fui ndeferido pe-
lo que aggravou e mandou o Juiz escrever o aggra-
vo. E para constar lis este termo que assgnou a
dito Juiz, e o Advogado da offendda. C eu Felip-
f e Bt-ncio Cavalcanti de Albuquerque, Escrivio es-
crevj JNeva Caciniiro de Sena Madureira -
Nada mas se oontinha em dito termo de aggravo pe-
dido por Certdio, oqual va transcripto fielmente
dos proprios autos, dada e passada nesta Cidade do
Recife de Pernambuco aos 26 de Marco de l84<> ati-
no do Nascmento de Nusso Snr, Jetus CI1ri.1lo ; de-
rimo nono da Independencia e do Imperio do Brazil.
Km fe de veidade e Concertada Felppe Benicio
Cavalcanti de Albuquerque E mas se nio conti-
nba em dita peticao, despaxo, e Certdio tudo aqu
transcripto'de verbo ad verbum que eu Tabelio Pu-
blico ahaixo assignado bem e fielmente fiz pastar em
publica forma do proprio original que me foi apre-
dentado o qual reconln co verdadeiro de que don if
eotornei a entregara pessoa que me oapreseutou j
e va na verdade sem cousa que duvida fac conferi-
da e concertada na forma do estillo subscripta c
assignada em publico e raso de meos signaes seguin-
tes de que uso nesta Cidade do Recife de Pernambuco,
.ios 8 de Abril de 1840 annos. Fi escrever e assignei
Em tesletnunho de Verdade, o Tabeliio Publico
Mauoel Antonio Coelho de Oliveira. Concei tei, An
tonio Francisco Rodrigues Magalhies.
Perruna Typ. de M> /. departa. i8o,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKZPLXYB9_6DMD9Y INGEST_TIME 2013-03-29T17:45:32Z PACKAGE AA00011611_04076
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES