Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04063


This item is only available as the following downloads:


Full Text


Anno de 1840. Sabbado
.

--J"?0/*0 ^epe^e de nos mesmos; da nossa prudencia, modea-
o, ,,i rS'-a : ^""""emos como principiamos e seremos aponlados
ocm aUmii ao>o cnire as JNaces mas cultas.
Proclamaco da Assemblea Geral do Rrazif.
ni. 3j e38, onde se rrtebcm cormtnde.Hias lesjaTiMd**. educios.
gnad""" ""'t'S' SCnd d<3,r"",S ***". Yindo.Msig!
Partidas dosCorreios Terrestres.
Cidadeda Parahiha r Villas desla preteneSo. .
Dita do II io Grande rio J\ orle, e Villas dem. .
Dita, d* FortnJrza e \ illas dem........, .
Vil! de Goianna, .,*..
Liiiade u< O.ma................
\ illa deS. Anio............... \
Dita deGnranliuns ePovoaco doflonito .
Diasdq CaJ <>, Trir.iacm. Rio.Fopmozo, e l'orto
Cidade das AJapoas, p Villade Vacuo.......
Vili- de Pajir de Mores.................
Todos os Corrcioi partem ao meio da.
:)
Segundas e Sextas Fciras.
Calvo
. Todos os das.
. O'.ma jairas.
. lilas lo, e i dcada mei.
dem i ii, e 21 dito dito,
. dem dem
. dem 13, lito dito.
t pe Abkil. Numkro 83.
^ CAMBIOS.
Abml 10.
Londres...... 3i \yx d. por ifooo < I.
Lisboa....... 70 a 75 por 0/0 premio, por metaloTerccidoj
m Jm wyur t!8n?"I*"**** *90 res poHMneo.
Jtf-jM \jff-f" Janeiro a> |......
yffl OUIIO ncdas de Gffloo rs Vclhas i|#4o a lfffino
fJ l p.' ,, Novas ioo i.4A4oo
t>Ii\-r i \ He 4i?ooo rs. 8*100 8#aop
KUA J A I alacca Rratileiros-------------- lTin. a 1 !>{o
Pesos Columnarioa--------------- i<"i'io < i|'" >
Ditos Hexicanos.......... ffou jfi.JO
Friinios das Letras, por me* ; ,-s ., 1 ,,3 (H), )o<,
Meda de cobre 3a 4 por ico. de disc.
Dias (a Semana.
6 Secunda 8. Marcelina M......------Sess?o da Tf.cx. e aud. dw J. do |J. rf',. -.
8 d'\brilQnrt. 3. Am-ritaio |.--------------------Sessaa rta TIim,
9 Quinta-------S. Demetrio I..........Ilelacfia, e aud, do J. da 0 da 7 v
10 Soxl8.....As Dores ci N. Sra.......Ses. di Tin-.-., c. aud do J HVD di <
. 1 Shhhda------S. Leo P. Dr da L-r......Ilci. e fuj, do J di i;. ti 5. v "
rt Dura. i de llamos S. Vctor M. ---------
Mare ckei para 9 da 11 de Abril,
As 11 horas e 4a minutos da tarde As 11 horas e 6 mtvitos da msnhS;
P.ttRNAMBCO.
ASSF.MBiEA LEGISLATIVA PROV.
Acta da ,97. Srss5[o ordinaria legislativa Provincial de rernambuco aos
9 de Abril de i8.{o.
Presidencia do Snr. Doutor Pedro Caval-
conli.
Feita a chamada, acliarp-se firesentes 26
Srs Depulados (aliando com parlicipacao
os Snrs. Dese/nbarijador Macel Monteiro.
Manoel Cavalcuntej e sem ella os Snrs
Lopes Gama e lJoutor Hrilo.
Lida a Acia da Sessao passada foi esla ap-
provada.
O Snr. primeiro Serreta rio tcelarou a-
char-se sobre a mesa os diplomas do Sor. De-
puladdo Vieira de Mello, e do Snr Depntado
Suplente Pereira Monleiro. O Sr. Presiden-
te convidou a Commissao de Conslituicao, e
Poderes para interpor o seo paiecer ; esta
de prompto odco favoramente ; o qnal sendo
np fqrSo a(|uclles Snrs. admiitidos com as
formalidades do estilo e prestado o juramen-
to, tomarao assento
Expediente.
O Snr. primeiro Secretario leo hum oli-
np do Secretario do Governo i'azendo cons-
tar a Assemblea qe so lioba participado a
("amara drsta Capital, e as dos Municipios de
Goahra Santo nlo e Limoeiro, acharem-
se apj.rovadas as suas cuntas ; leon a Assem-
blea iteirada. Aquelle mesmo Snr. deo
tonta de huma pe rao de Ignacio Vieira de
Mello, Tabeliai) Publico da Comarcfl deNaza-
reth ri-ionendo esla AfSemiilea da res0-
lucao tomada pelo Evm Pitsidenle da !'ro-
vincia i-ni seo officiq de vo.ie Jullio unda-j Aj-.oa Puta e pelo lado do su I lodo o leVreo
da as razes, que allega, ; Commisssa'o de daFregiwzia de Una que fica ao norte do
Juslica Civil le Otilia de Pedio Ignacio da riacho Ilhetas. I'oslo a volado o requeri-
Cunlia de novo requtii'iulo a esta Assemblea I metilo do Sr. Dai.tas adiado da' Sessao niilece-
a approvacodo aforamcnlo Jeito ;i Cmara dente que pedia o adiaiaenlo dcsle Projeclo
dcsla Cidade de lium terreno na ra dos Mar- r,a0 foi at-provado. Posto a votaco or j;ai-
na dsta Ciliado, noqual a Commissao cnten-
de quenenbuma medida deve propor esl>
Assemhlea prque tienbuma injusca fez ho
pe tendente o Exm Presidente da Provincia,
autlxorisado para refqrraar o Liceo ; e no
entretanto queapeticad v a commissao de
Inslrnccab publica a fim de ser tomada em
consideracao ficou aste parecer addiado por
pedir.a palavra o Snr. Mello. De oulro da
Commissao de petigoes ndeferindo a per-
leiico de Antonio Gomes dos Santos Tabe-
lio de .Notas da Fregvesia de S. Lonrenco 5
tambera ficou adiado por pedir a palavra o
mesmo Sr. Mel. Foro litios .e julgados d
deliberacao um proj. do Sr L. Biserta exlin-
guin'io as Cotns ile fora o J. do Civ. e dando
ottlras providencias sobre a adtniuistraco da
Juslica ; c oulro do Snr. lJoutor iJanlt-s ,
maridando dividir em qualFO palles as Ierras
tos Indios da Kscada, edando outras delermi-
naces a tal respeito.
Otdem do Pia.
Entrou em tliscusso o art. do Projecto
n. 44- Vieraia Meza sejuinte emenda ; do
Sr. Padre Meira denois das palavras -en-
contrar omesmo rioi-diga-se-: ecompreben-
der.'t da Fr=gueiia de Una lornente todo o
terreno que fica ao norte do riacho Mangi ,
e que tifirange os engenhos Minguio Hom
Jardim Maragi etc, e o art, substitutivo do
Sr. 1. Sfcrelatio lista lieguezia pelo lado
do. norte coniprehcnden todo o terrcuo da

lo pelo Sr. Peixoto de Rrito : ernluprde
SriooU rs diga-se 5-. Sr Aguiar a seguinte Sttpprima-se desdo
a palavra creando-se at Boa-Vista. O
Sr. I
jurzo sriniiK a esss,

Tendo de serem im>;-f>ssr>s os Proiectdsa-
presenta los para enlrarom cm di^cussio ,
kluSfSZ i"10 se,a a emen(,a de feae'Wnos para entffo asnossai observacl
^;0(>DLobo rs l-ora approvadas ambas as sobre ellos lemilando-nos a reflexionar s-.br
i-mentlas e a do Sr. Mavb-nier iul-ada n ,l-., ti-ln ,.,.....;i. m .:....:... .1........
roes
or. Mayignier jnlgada I o di-eulido e wncido I).-.s unico^objeotos
tomprehendtda na do;Sr. Peixoto. Ao art | de alguma imporlanoi., fora tratados nesta
st.bs.hn.; ^ T ''nT0 a.SP.'V;nffi.eme,'ll;,S^^ ** d0 Pr^otO H oW*
MM tunta Com o Janlim Botan.co em | p.-.ssado em que se IMtabelece o lemite da n-
quanlo se nao real.sa a ana venda, para o | va FreRuemd Rio Formoso .
que tica o Governo authorisado assim como
para promover na visinhanga desta Cidade a
acqiiincfo dealjum terreno adt(uado afun-
dacao de hum Jardim Botnico e Escol-
la Normal de Agricultura ^:oooUooo rs.
O mesmo Snr. est'outra No caso de nao
ea suprcsso
ao Jardim Botnico ; porqua tndo mais que
se discuti e venreo tvlalivam?nle a l.ei do
Orcaraento do anm financeiro de 1840 a iQ4
foi com mui pequeas altoracea omesmo, qv
o determinado para o presente atino que a-
inda corre ; sobre estes dois pontos pois aire-
pascar a emenda, q..e mande, a mesa supri- sentaremos o nosso iuuo. Nao padece duvida .
: na-96 a consumarn m nv i,l .' n...... r. 1___ I: > ^ .
U ^nr. Urbano mandou 1 seguinte sub-e- cao da nova Freguem e por isso emSaraea-
mendaa do Snr. Peregrino; accrescente-se- va ao Parodio o bom desempcnbo dos deveres
qnando sereabsar a venda do Jardim, para o de seu Magisterio, polo que iuramo3 m.ti
que se acha a.uborisada a Presidencia na for- preerivel a divis.o adoptada por qiiahner das
i ordena do Governo"- O mesan Snr. emendas substitutivas ; mas temi de optar
Freg.uc/,a
do .eiiiiliein que fica ao sul da
mesma principiando da Barra do Rio For-
moso al encontrar o riaeho Goicanna que
Ilassa no Tinoco ; e por esto cima al a sua
nasrenca segqindo d'abi em linlia por entre
os engonlios Ca rpalo e Jacit ti Aggt lm e
Caxoeira al encontrar-o rio Serinhaem 5 e
dor tile cima al os letuiles da Freguezia de
ramente approvado julgando-se prejudi-1 fervel a primeira
tirios; a Commissao de pelitots. I ebuma
tes o arl. hUbsliluttvo do Sr, 1. Secretario foi
represen taco da associato Commercial des- approvada a primeira parte, regeitada a se-
ta Cidade reclamando contra a cr*acSo de gunda e tobem approvada a emenda doSr.
mais umTabeliao para os Aponlamenlos e Meira. Tendo dudo meio dia o Sr. Presi-
protestos de Letras ; obligando as parles
dislribuic*: e mostrando a necessidatle de
estabelereros emolumentos, que as puls de-
vem pagar ao labellio ; Commissao. it*
Juslica Cixil lie huma paiecer da Cominis-
sode Cuntas t oreainen(o d;sCmaras n-
denle suspendeo a discusso deste Projecto pa-
ra entrar a contiu. d disc. do Proj n. (.9so-
bre o crcamen'.o da Reteila e Despeza Provin-
cial. Ao art. t, o Sr. Mello muudou o se-
guiule-substitutivo que foi ajiprovado. Com
,1 .as Rendas Proviudacs indusUe ,009
I rovando as de Serinbaeni desde o 1. de Ou-1 rs, de gratificaco para quebras ao Tnezou-
tubro de 1838 at o ultimo de Stieutl.ro de rdio, e as detmais cotledurias da Provino^-
i83o; foi approvado. I e oulip da mesma
Commissao sobre as cotilas do munici pi do
Brejo da IVIadie de Dees noqual ella enteu
1!, que para se coneidrar lega usada a respec-
tiva despesa cumpre que a \.amara do liiejo
iuiilcs tontas os competentes recibos, e que
pata esle nn ge llie icvcila,) ; i u proV(ido.
i'e onlt o .'' nitsnia Comisso no qual ella
exige que paia approvar as cuntas da Cma-
ra do RioForinoso deve a Cmara declarar
l.,quaes os objectos quefasem a divida de
1;, *j.,Lbi)(> reis at o ult de Sel. 8jy j a. o~,
anuos, a que esla divida pe lenca ; e alsm
disto que deve juntar as cuntas os mandados
e lecibos para sua lo(;aiiilu.e, e que reveilau
a dila Cmara para salisfiiser as pi editas ex -
incultas.: foi apptovudu ucoulro da ,om
nissao de Jusitca Civil sobr. o retruerimen
to do Padre Ignacio de Almeida Fortuna ,
SttfAtilutO das Cadciras de Grroinailca Laii-|
o.voos rs. O art. 7. oi approvado^ e re-
geitada a emenda substiluiiva do ir. Mello -
Com o Sollicilador da Fazeuda ioos rs. O
art. 8. foi approvado. Ao art. 9. o Sr. A-
guiar mandou a seftujule emenda Suppri-
mau-se as pala-.tas (icando al ao Jim. O
5r Mavignier aoart o addiccione-se
sendo elevado o ordenado do Substituto das
(, Cadciras de Primeirus Lelras desla Cidade
; uj 1. haventlo o augmento de yoU rs. ^ i
mais 5ooU rs. para a f rolessora daCadeira do
Primeiras Letras novamente creada som-
metn-se as quanlias. : ecoino na discusso
se fizese ver que a 4. parle da emenda per
leticia ao arl. ,*, o seu aulhor pedio adia-
nitiilo tiesta al se entrar na discusso do re-
lridoarl. ; e assim vemeo-se. Na votaco
iui approvado o arl. cotn a emenda du Sr. A
guiar regeitada a du Sr. Mtvignier* O art
10. foi approvtuo e o art 11 ussitn emeuda-
rad.is 0% miisemendas. O Sn* Mello man-
dn o segoiflle artigo aditivo ao Capitulo tef-
ceiro ; Com o principio da undaco de hu-
ma biblioteca publica-, unindn-se-llie a l-
vraria exislente no Liceo 8,oooU. Fici o
Presidente da Provincia authorisado ; abrir
Imilla subscripto voluntaria em toda a Provin-
cia por huma ve/.somente para o dito fim ; e
lambom para obter ta Torre do Tombo de
Lisboa Copias dos documentos interessantes
Historia di Provincia pelos meios que fo-
rera mais proprios e eficases dispendendo
para isso asquanlias necessarias depositados
os doenmentos ;ia Biblioteca Publica. O Pa-
dre Rafael a seguinte ao arligo- em lugar de
(:oooU tligi-se, .i cooU reis ; foi regeitado
o arligo, licanilo prejudteada ,a emenda. Os
artigos 1 i, -5, ib, 17, foro approvatlos Ao
arlijjn til o Sur. Beserra Cavalcanle mandn
as segninles ; primeira Fica suprimido ex-
ceto na Comarca do Becife, o lugar de Ama-
nuense da Preeitura icando cargo dos
Prefeilos adespesa .que for neOMSaria para
seo expediente Segnuda. O Sub-Pieleito
ti i Cbeos da Comarca substituir ao Prefei-
lo nos seos impedimentos. Tendo dado a ho-
ra e pedindo-se u palavra ficou a di*cusso
addiada,eo Sr. Presidente datio pata or-
tlom da Sessao S6gUn4c a coulinuaro da
de boje, a terceira discusso dos piojelos nu-
meroa o do auno passado, e 11 deste e a
sagunda do numeo 20 tambera deste auno,
levaniou aSeiso depots das tinas botas da
tarde.
Salla das Sessea 10 de Abril de 18.jo.
Pedro Francisco de Paula Cavbante de
Albuqucique.
V iee-Presidonle.
Alvaro Barbalho Uehoa Cavalcanli.
t. Secretario.
Joao Jos Ferreira de Ajjuiar.
a. Secretario Suplente.
p :> pre-
Ile int[tiestiouaVl que
a Freguezia de Um be multo maior do
que a de Seriubaem, e.s o peder necnr
quem nunca viajou por taes lugares ura
delles lem a menor ideia pelo (ue pare-
ce nao s de conveniencia publica como a'
de ustica que leudo de lirar-se a estas fre-
guezias huma porco qualquer para se^incor-
porada i nova Freguezia d maior parle a-
quella que possue maior extensao (icjtodo
assim guardada huma justa proporcJo ; nao
si) porque sendo tiesta m incita proporcional-
menic destribuido pelos Prrocos otrabalha
de aecudir as necessidades espiriluaea de su ts
Ovelbas, sero estas mais bem apascentadas ,
recebendo mais commoda t: promptamenteos
soccorroa da Reiigio como porque tendo
dediminuiros reudimentos da Freguezia polo
desfalque quesore nao vena este prejuizo
a pezar mais sobre o Parrbco que j; se ada
mais mal anuinboado ica.do a .sua Fregue-
zia demaziaaamento pcquei\a. Erabora p'is j
sido a Freguezia de Una diminuida por
duas vezes 5 a de Serinhaem tambera j. foi
huma; e jsto nao pode jamis estorvar a di-
uriso'que I porque lie corto que
n5o obstanb estes desfalques quesolreo,
im ell'eitq maior do que a i'reguezia de
Serinhaem, Huma outra rasao ainda miltia
em abono da noisa opinio e be que tendo.
o Parroelioda Frej 11 e/.ia que se divide o
previlf.jio concedido pelas liis Cannicas de
ftzer opeo da que mais Ihu couvier, e de-
vendo esto prenlegio sor dado no caso era
qucslo em que sao unas as Fregueztas di-
vididas ao Prroco da [uella a que perlen-
ciaa l;;rca Filial que lie elevada acathe->
; iria de Matriz lera o x- gario de Una era
! suas naos es Iher a Fi-feguezi'a que julgar
melhor poden do assim renunciar a sua u
escolber a novainente creada caso sejubjue
deseuuteiile do desf-ilque causado a sua tre-
,;ue-i i-, o <(' n.Io lera lugar a respeito do Vi;a-
e Serinhaem que, 011 se'cmilente*, uu
naoj he'obrigcdo aconfonaWr^le com oque
le leuaretn ; a nao querer perder ludo.


DIARIO
PEBNAMBCO




-j
a
'Pussando agora ao segundo ponto, su- muitos Majorca despachado Tenentcs Coro-
iiesso do Jardim Botnico nao tememos a- res no da de Dezembro do anno prximo
enturar, que ella he absolutamente neces- passado.
aria. liitm estabeleciment que consqmc Dito Ao mesmo Exm. Snr. enviando-
annualmcnje a:0O0j rs sem dar a menor ul- llic o requerimento de Thomaz Peres de A-
ldade. porque ainda estamos por saber, anal raujo que pede passagem para seo filho ,
a vanlagem que delle tcm resultado pare-
ce ; que j?mais deve de ser conservado sob
Siena de fazerse ao povo litim verdadeiro rou-
jo ohrigando-o a pagar impostos para objec-
lu9 de nenhuma utilidade; sim luun roubo ,
porque o imposto sendo j em si hum desfal-
que a propriedadedo Cidado feilo para pro-
%er as uecessidades da Sociedade, de que elle
u/. parle be somonte justificavel quando be
pplirado a objetos de commodidade publica ,
?: por isso nao pode deixar de ser lumia verda-
dera extorso huma flagrante violaco da
propriedade todas as vezes que he exigido pa-
ra manuteacio deobjeclos de nenhuma uli-
lidade. Ora ueste caso se acba exactamente
loda iquella porco dos impostos que he ap-
plii ada a manutenco do Jardim Botnico : o
Publico nao tira a menor vanlagem delle, a
ucpeo dogostode ter huma coisa chamada
Jird m Botnico, que so serve de descrdito
a Provincia de Pernambuco. Verdade he,
que me podero diser que nelle existe huma
Cadeira de Botnica, de que se pode colher
guinde vantagem; mas pergunlaremos nos,
qnaes sao os alumnos, que frequenla essa
Aula.equem japrendeo nella Botnica?
Huma Cadeira de Botnica em Olinda onde
bnenle h para a frequentar os Esludantes
do Curso Juridico que oecupados com suas
lices o nao podem fazer, ou mesmo nao que-
rem porque ninguem dir que Botnica be
iiecessaria para hum JurJMMlttKo he sem
duvid huma Cadei. 4 .M nomine huma ver-
dadeira illusio AIem disto a Cadeira de
Botnica em Olinda torna-se totalmente des-
iiecessaria depois da nova organisaco que
deo ao Lyceo o Exm. Presidente ; por isso que
crcou-se hum Curso de Agricultura em que
6e acba comprebendida a Botnica. Nao des-
conhecemos as vantagens, que pode offerecer
o eslabeleciraenlo de hum Jardim Holanieo:
mas nao vemos, que o Jardim Botanieo
existente em Olinda possa prestar huma s
d ellas j porque o terreno em que se acba
situado nao he proprio para a cultura j por
que estando arredado da Capital em hum
lugar pouco frequentado, e fora da inmedia-
ta inspeceo do Governo nao pode receber to-
llo o incremento que he necessario para se
colherem as vantagens apetecidas.
Entretanto ainda que geralmente se re-
conbecesse a necessidade de supprimir o Jar-
dim Botnico de Olinda huma duvida pare-
ceo embaracar os nossos Deputados ; e foi so-
bre o deslino que se daria ao sitio do Jardim,
logo que fosse suppi mida a consignado para
ns suas despezas; nos porem julgamos, que
tal duvida jamis os poderia impedir de su-
primir consignaco ; e at nos inclinamos a
crer, que nem era da competencia da Asam-
blea Provincial determinar a venda do Jar-
dim Botnico ; ou dar-le outro qualguer des-
tino O Jardim Botnico be bem geral por
que ainda que as suas despezas seiad pagas pe-
la Thesouraria Provincial todava foi com-
prado com dinheiros Gcraes e por isso per-
manece propriedade Geral, em quanto o
contrario nao lor decidido ; poique SUppost
todas as Provincias tenha direito a hum ccv-
to uumero de proprios Geraes nao podem
oom tudo arrogar-se a propriedade deste ou
daquelle bem porque nao podem saber se
elle ser incluido no numero'dos quo Ibes vie-
ren! a pertencer : ora se o Jardim Botado he
hum bem Geral, e por isso s pe [tiro ao
Podci Geral decretar a sua alienato, ou dar-
ibe outro qualquer destino que tem a As-
semblea Frovincial de ingerir-ss nesta tarefa
alheia da sua jurisdieco ?
do Deposito, onde actualmente serve para a
Companhia Provisoria criada na Provincia das
Alagoas a funde que em vista das rases
alegadas o deerisse como de Justica fosse
Dito Ao mesmo Exm Snr. remetien-
do-Ihe em comprimenlo ao. seo officio de 17
do prximo passado mez, o orcamento das des-
jifsas a f'iser com o conserto do teclo do Hos-
pital Regimt-ntal cuja obra deve ficar sob
a adminislrago do Tenente Coronel Coman-
dante do Deposito, pelas rases emitidas em
officio de 1 i uo corrente.
Dito Ao Commandantc interino do Es-
quadrao de Linha, reineltendo-lhe para seo
conhecimento tres tabellas urna das pe;as
de fardamento que competle as (iracas mon-
tadas e lempo de deserco outra das de ar-
mamento no valor eduraco, e outra final-
mente do valor das diferentes pecas de urna
espingarda do adarme 17, a fim de que por
ella se regulcsse nos casos de discontos, mo-
tivados por extravos. Conclua ordenando -
lhe que remettesse duas requisiees urna do
lardamenlo de quartel, que devia pelo Arse-
nal de Guerra ser abonado as pracas do mes-
mo ) Esquadro no seo estado completo,
e outra do armamento por ora necessario, con-
forme a nota que lhe transmeltia.
dem do dia a*
Officio Ao Exm. Presidente,-rogando-
lhe a expediccao de suas ordens ao Arsenal de
Guerra para que recebesse do Comman an-
te da Fortalesa do Bruin 18 lanadas de diffe-
rentes Calibres, a Soquetes, 5 barris de car-
regar agoa 1 carrinho de mo e 1 cabr-
Iba cbjectos que por inuteis ali se fasio
disnecessarios.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. pedindo-
Ihe semelhantemenle bouvesse de ordenar ao
Arsenal de Guerra para que fosse conserta-
da aporta da priso destinada no quartel
das Cinco Pontas para corresso dos inferio-
res, cuja porta se acba com as aldrabas ar-
rancadas, -e a feixadura arruinada
Dito Ao mesmo Exm. Snr., propon-
Pernambuco tode Abril de 184o.
oaqliim Francisco Bastos.
Oflrcial Maior.
da a eSquadritha quemandei queimar, as-
sim romo todos os pirechos, que so bem
hum valor cohcideravel. Tudo tmba sido
bem executado 5 portri nao houre necesji-
de de grandes esforcos pois que o cobarde
DVerSS HepartiCOefIS Read fugio apressadamente e com grandes
perdas depois de haver intilmente
tracado fazer frente a nossos bravos despa-
ME2A DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do N. 7 J.
Pobli-
Regi-
A Administraco Fiscal das Ob'-ts
Cas compra para o concorto do Uospita
mental no Quartel do Hospicio o seguinte
> travs de 45 palmos de comprido n lo p-
legadas em quadro ; q ditas de 3c> ditas e
dito ; 6 ditas de .{o ditos e dito ; < ditas de
5 ditas e # polegadas em quadro ; 5 en-
clnmeisde 36 ditos s a dito? de ao ditos ; 5o
caibros de 4o palmos de comprido ; Ft56" du-
tiasde ripas ; 1S00 lelbas ; 5oo lijlos de
ladrilbovs-iao alquetres de cal preta : as pes
soas que twerem Uaes gneros, eompareco
a esta TpaciicjVas horas do expediente pa-
ra o ajuste dos mesmos.
Administraco Fiscal das Obras Publicas
10 de Abril de 1840.
Castro
A F. interino.
PREFEITRA.
PARTE DO DIA 10 DE ABltlL.
Ulm. e Exm. Snr.Das partes ho'e rece-
bidas consta nao ter occorrido novidade. .
AN NUNCIO
O abaixo assignado faz sciente ao Senhor
Joze da Cruz Cordeiro morador na- Cidade
da Parahiba e ao Reverendo Manoel Jos de
Oliveira inorado* nesta Provincia Villa de
Serinhaem Snr. do engenho Camboinba ,
que o creonlo de nome Francisco, fugio do
poder do dito 110 dia ai de Marco findo reco-
Ibido a Cadeia desta Cidade no dia a5 do
mesmo, se invadi do seguro da oses m a Ca-
deia na manha de boje pelas 4 horas pouco
mais ou menos, levando huma corrente gran-
de ao p com qu eslava para mais seguran-
ca pudendo queimar a dita porta durante a
do-lbe para demisso o soldado do Deposito noite por nao baver guarda na mesma Cadeia.
Vicente Ferreira dos Reis que foijulgado! Suh-Prefeitura das duas Fregue/ias da Ci-
pela Junta de Saude em sesso de 3o do mez dade de Olinda 9 de de A bril de 84o.
prximo passado, incapaz do servico, e in-
formando sobre a pretenco do Soldado Ma-
noel Ignacio dos Santos com o acto de ins-
peceo a seo respeilo.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. commu id-
eando-! he a fuga do Calicha Joo Marn lio
Miguel Jer.e Teixeira.
Sub-Prefeito.
EDITAL.
Nao tendo comparecido fncnbum Candi-
dato em o lempo que por Edital foi aprnsa-
Falco que se acbava em servico na For-' do para o concurso das Cadeiras vagas de Pri-
talesa do Brum, e bem assim do soldado que i meiras Letras c.Laliiiidade as quaes con-
0 escoltava. I vem Inslrucco Publica, q' quanto antes se-
Dilo Ao Prefeito da Comarca rc*risi; ]5o prvidas 3 de novo se assigna o dia 1. de
tando-lhe a priso do soldado Manoel Joa-j Junbo para esse Concurso ; e se declara que
quim dos Santos que no da 99 do mez pro- j eslo vagas as duas Cadeiras de Latim, de Go-
ximo passado se ausentara da Fortalesa do'ianna, ede Garanhuns assim como as de
Brum, onde se acbava destacado com o. Primeiras Letras deS. Joze daCoroa-grande ,
calceta Joo Marinho Falcao que estava en-
tregue a sua guarda.
de S Lourenco da Malta do Bonito e da
Villa da Pesqueira. Os Aspirantes aqual-
Ivito Ao mesmo, tornando a enviar-lhe quer dellas dever apresentar os seos Despa-
Q scr-lbo presente Domingos dos Passos Pa- I chos de hahelitaco ao Director do Liceo al
rao, por nao ser desertor de primeira Li- odia a5 de Maio para se proseguir as for-
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 1. do corren'e*
Officio Ao Exm. Presidente remetten-
do-lbe competentemenle informado o reque-
limento do segundo Tenente Reformado Ca-
jiulo Jos Nellosoda Siiveira queao Gover-
mo Imperial suplica a graca de ser invalida-
da a sua reforma por ih'a ser dada sem a
pedir com a terca parte do sold por Decreto
de XI deJunho de i833, a fim de reparar
com este passo as injusticas que tem so-
fiido.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. remetten-
do-lhe e informando o requerimenlo do
Ala,or de Caladores Joaquim Caetano de Sou-
za Cosseiro que pelos seus ser vicos e an-
tiguidade supplica a graia tde ser pro-
movido ao poi0 immediato e em vista dos
reprt?,.u* *^'os dados as pessoas de
uha. c sim do extiuclo Corpo de engajados
da Fortalesa do Brum ,a fim de que Ihedes-
se o destino que conveniente fosse.
DitoAo Diicclor Interino do Arsenal
de Guerra para que mandasse assentar vo-
luiatariamente praca na Companbia du Art-
fices aos paizanos Joje Ellas Pssoa de Vas-
ronce! los e Jos Nuberto dos Santos, que a-
companharo os stosofficios de a8 de Marco,
e 1. do corrente.
Dito- Ao Administrador Fiscal das obras
Publicas, communicando-lhe a fuga do Cal-'
ceta Joo Marinho Falco em servico na
Fortalesa do Brum.
Portaria Ao Tenente Coronel Core-
mandante do Deposito, mandando, em cum-
primenlo a Lei dar demisso aos soldados Ma-
noel Jos de Faria e Caetano de Mello ,
por terem sem nota acabado os seos engaja-
mentos como voluntarios, e nao quererem con-
tinuar no servico*
THEZOLRARIA DA FAZENDAS.
EDITAL.
A Tbezouraria de Fazenda desta Provincia
lendo d'cmbaicar para a Cidade de Londres
5oo a too quintaes de l'o Brazil manda
convidar aos Snrs. Donos, e Consignatarios
de Navios a quera convenha fazer este trans-
porte para que compareci na mesma Tbe-
zouraria no dia i3 do crrante pelas onze ho-
ras da manha para e.ffeituar-se o frelamento.
Secretaria da Tbezouraria de Fazenda de
realidades do Regula ment das Aulas.
Liceo 8 de Abril de 1840.
Laurentino Antonio Morena de Carvalho.
Director do Liceo.
NOTICIAS DE bUENOS-AYRES.
Recebemos folbas de Buenos-A y res que
alcauco at a de Marco e das quaes fazemo
os segufnles extractos.
A batalha d> Cagancha segundo a Gaceta:
A folha oliitial argentina revndica para o
exercito de Echague a gloria da victoria no
combate que teve lugar em S. Jos entre as
forcas de Rivera e as daquelle general.
" A maior parle de cavallaria do Vndalo
Rivera diz a Gaceta oi completamente
destruida, Mais de mil e quinhtos cadve-
res de seus escr?vos eslendidos no campo da
batalha sao tropheosdos triumphosdos livres.
" Depois de baver levado o escarment s
filas do traidor immundo desertor da sagrada
causa do continente americano nosso exerci-
to t e seu Ilustre general coroados de glo-
rioso louros tiouxero comsigo no seu re-
gressoao Uruguay ; a8,ooo cavallos*
A Gaceta do Buenos-Ayres conim novos
detalhes sobre a lomada da esquadrilbn de
Rivera surla em frente de Belm detalhes
tirados da partecipaco ofticial de Pablo L-
pez a quem se deve este importante Irium-
lando. ao approximar-sea infanlaria, alguna
tiros de mitralba.
Paragem dos Tigres 3 de Fevereiro
de 1810.
Ao Exm. general em chefe D. Juan Pa-
ble Lpez.
Tendo cbegvlo a Sauce apanbei lurm de-
sertor de Lavalle pelo qual fui informado
de que o coronel Ramrez sq acbava do ou-
tro lado do rio Corrientes e o commandanle
Barhoza no Rincn dos Espiritlos ; e como es-
les me serviao de obstculo tomei a resolu-
bSD de marchar sobre Barbosa ; e nislo fui
surprebendido esta manh ao desp-miar o
sol por huma erobuscada. Porm nada
valeo-lbes gratas intrepitiz dos meos bra-
vos que completamente os derrotro i-
cando em campo ti homens morios do inimi-
go entre estes Barbosa : lomamos duus pri-
sioneiros e grande numero de cavallos.
( Paseual Cabral.
Resposta da sala dos representantes a'Mcn-
sa;em de Rosas.
J em outro numero desta lolba publicamos
o projecto de resposta da commisso da sala
dos representantes mensagem de Rosas. O
projeclo nao passou qual lora a presentado ,
mas soffreo as modificaces que se seguem :
" A sala dos representantes considerou com
a mais apurada atlenco a mensagem que V.
Ex. a presen tou no dia i. de Janeiro, ao
abrir a sesso. Esie documento classico, em
que V. Ex. investido do poder publico ,
descreve a situago poltica da repblica, raa-
nifesta o profundo respeito que lhe merecem
os mais bellos direitosde hum povo livre e
os representan les da provincia cumprem o ma-
is grato de seus deveres offerecendo a V. Ex.
o solemne tributo de sua gralido.
11 O quadro das relices exteriores da re-
ublica inspirou vivisssinRo'iiiteresse e a mais
izongeira e*peranca. A injustica com que a
Franca abusando do seu poder, privou-nos
do commercio com as naces amigas por nao
dobrarmo-nos s suas illegaes e exorbitantes
pretenges fez realgar o valor e a modera-
co dos Argentinos O mundo civilisado sym-
pathisou com a nossa causa ; e os successos ,
que bao correspondido sabedoria e ardenle
patriotismo de V. Ex., sao o feliz presagio d
que a independencia e dignidade da repblica
sahiro inclumes da lula em que lo glorio-
samente se empenhou.
Mu profunda foi a impressa que no ani-
mo dos representantes do povo causou a ob-
servacofeita por V. Exc de que estava ap-
proximar-se o termo da alta tnisso de quo
foi encarregado. Elles em comformidade da
indieaco de V. Exc oceupro-se cora este
negocio e reconherein toda a justica com
que V. iLxc. reclama hum descanco que de-
sejario coucedcr-lhe Porm; nao vm bo-
je jiossibilidade de allivia-lo. E, oxal que,
desassomhrjida nossa patria em 5 de Marco do
presente anno possa a represen la cao da pro-
vincia entrever essa possibilidade e couce-
der-s peuossas fadigasde V. Exc. hum ie-
111:111 1 n u li-
nda causa da
pousoque, nesta momento
cia-lo pode sera perigode sa
eiii lacio e .la liberdade e da independencia
americana.
" Us representantes do povo nao podem
olvidar que V. Etc consagroa ao servico di
patria toda sua vida a qual loi novaraente
olierecida por V Exc. no diaodeNovembra
do .iiio anieiior assim como sua loiluua e
lama : e i=so Ibes d o direito de esperarcm
de >. Exc.,0 cumplimento de to generoja e
patritica ollera, quando, pela primeira vez
a reclama a representando da provincia ,
na presenca das grandes atribuiyoesda patria.
Decreto para a eleicao de hum novo presi-
dente.
Viva a Federaco !
Buenos Ay res, 3 de Fevereiro de 18 o.
A honrada juntados representantes houve
por bem decretar o seguinle :
Art. 1. De a a 7 de iuarc.o do presente au-
no de 1840 ser iila pela juna dos represen-
tantes a eleico do goveruador e capito gene-e

I
pho. *t O resultado desta opeaco, diz a-j ral da provincia.
quelle general fot cahir em dono poder to-j Art. a, O Snr. presidente dar as provi-f


Jim
DIARIO BE PERNAMRUCfl
Z
dencias para que* esta resoldco s^ja commn-
riicada opportunamente a fddds os" depttados,
,sem excluir os que se chio no campo com
lieenca para que concorro a este acto so-
lemne.
Art. 3. Communiqne se ao P. E.
Dos guarde &c Miguel Garca pre-
sidente.
Sesso da salados representantes.
No da 3 de fevereiro abrio-se na cmara
argentina a diseussao sobre a resposta men-

igm
deR
osas O Sur. (larris
os
tepoi?
de sustentar a adoico do primeiro tpico da
fes posta nuo cima publicamos e de traen
o mais brilhanle quadro dos servicos presta-
dos ; repblica pelo actual governador con-
tina assim :
Pelo que toca ao inntto e justo hloqueio
que soflre o Rio da Piala elle cuche de glo-
ria os Aigenlinos ede eterno haldo os que
abusan com escndalo do poder maiiflmo. que
s devro em pregar com rao e contra as
naces que possuem nos mares buma forca e-
quivalente sua.
* Entretanto be digno de notar-se que os
agentes da Franca com seu tyranuico hlo-
queio, damnificad principalmente ao com-
mercio eslrangeiro obstruindo nossas rcla-
5es mercantis com as potencias neutraes A
classe trabalbadora que sem din ida alguma
he a mas numerosa da popularn enconlra
ior resultado des a ordem de- cousas buma
rarate/a nos gneros de primeira necessidade
que se nao compadecerla com a livre exporta-
rn das i'arinbas e eructas, Quanto aos arts.
d'luxo, ao menos o bloqucio tem prodiwido
0 beneficio de plantar nos babitos do pas a
frugalidade e a diminuicta nos gastos sump-
ptuosos > que sao a ruina das repblicas.
* Enganao-se pois os que penso sopear
nossa constancia privando o thezouro das
entradas martimas. As repblicas nao tic
cessilo de grandes ihesouros. Em suas vir-
tudes patriocas acbo bum manancial inex-
golavel de recursos para sustentar cora digni-
dade seus direitos. -
41 Alem disso o co be justo, e os bomens
livres do universo nao desconbecer nossa
juslca. O poder da opinio he omnipotente;
ella triumphar e a repblica argentina da-
r huma licao proveitosa ao novo mundo, e a
essa naco injusta queimmerecidamente hosli-
1 isa-nos e ven a ser r que os verdadeiros
republicanos se nao bumilio ao despotismo ;
que preferem a morte com bonra vida com
ignominia ; e que quantos sacrificios e priva-
ces necessaras forem elles os su p porta ro
com denodo antes do que quebrantar seus
sagrados juramentos liberdade e indepen-
dencia da patria. "
A chegada do almirante Dupotet.
O almirante francez Dupotet chegou a este
poito na corveta Alemene A sua chega-
da causn n pi i.icipio aiguma sensaco pela
t'onjeclura de ser elle bum meusageiro de paz.
NOTICIAS DE MONTE-VIDEO.
As folbas que recebemos de Monte-video
alcanco al y do corrente ,e n5o sao mais
fecundas que as de Buenos-Ayres em noticias
importantes.
O Nacional orgo official de Rivera ,
annuncia muito prximas como a bum au-
no o fazia a dissolucao da lonja de Oribe ,
a entrada de 1.avalle no lerilorio argentino e
irrcmssivel e inminente destruido do po-
der de Rosas mas ao mesnio lempo, trans-
creve entre as pecas oiliciaes lomadas ao ini-
niigo buma cana de Oribe ao coronel D Kar-
tello Halieto datada de Mandizovi-Chico ,
ni 8 de levueiro na qual assrgura a aqucl-
le official e Ihe manda que assegme a toda
Sita jorca, que brevemente o exercilo r*eor-
ganiado lonidi a invadir o territorio orien-
tal e que no caso de que os larropiiias
( do Rio Grande ) o queirao desarmar re-
clame com toda a energa contra essa medida,
lembrando-lhes q' a suu lonja perlence Re-
publica Argentina*
A mesma follia transcreve bum segundo
manifest do presidente de Corrientes, decla-
rando a continuarn da guerra com Rosas;
documento este em que como be de costume,
aggloutera lodos os a;gravos verdadeiros ou
suppostos que o go\tinador de Uuenos-Ay-
res tem ieito a aquella provincia e as outras
da Confederado. Em seguimento a esta ne-
<$a repelilo do primeiro manifest da de-
-claraco de guerra e que por isso denota a
onsciencia de que o povo de Corrientes carece
de novas instigaces para persistir na luta,
vem huma proclamgo de Ecbague escrp-
ta nos termos mais vigorosos, e chea tambem
de gravissimas aecusaces contra o presidente
de Corrientes a quera qualiflcs de traidor.
O Nacional ttribue a Echague nesta ul-
tima peca a ntenCjo nao s de reanimar se-
us soldados mas tambem e principalmen-
te de neutralisar o cfTeilo do mencionado
manifest.
A' vista desle redobramento de esforcos de
huma e outra paite para reanimar o espirito
das duas forcas bel igerantes, v-se bem que
se approxnSo os gratules acontecimentos que
bao de decidir o xito da luta daquelle lado
do Prata,
Em quinto ao estado particular di provn-
cia de Buenos-Ayres o mesmo peridico de
Rivera assegura que no sul se operou bum
novo levantamento, a cuja frente esto Ca-
brera e Barra e dizque a conscripeao mili-
tar be fela com o maior rigor sem excepeo
de pessoa admittiudo-se comtudo aos indi-
viduos notareis o darem em seu lugar ( se-
gundo a sua cathegoria ) hum certo numero
de voluntarios que nSoeslejo no caso de
serem sujeitos aoservico : e com a condico
a juslica com qi,e elles mesmos sao obrigados
a pegar em armas No caso de desertarem
os substituido sao os que os oerecero su-
jeitos a seren chamados. Nesta substituidlo,
Rosas prefere ntreos eslrangeiros os Euro-
peos*
O mesmo Nacional confessa que Rosas
tem feto partir a Igumas forcas para o norte,
inda que procure diminuir a importancia
destas espedices.
D\z mais a mencionada folha que o paquete
inglez fora demorado por ordem superior,
naluralmente para poder trazer noticias das
disposices e das probabilidades da eleico do
novo governador. Mas em sua opinio ,
esse negocio est desde muilo decidido : Ro-
zas ha de ser infallivelmente reeleilo e ludo
quanto ostenta em contrario he pura forca.
Desla parte do Prata a nica noticia que
encontramos de importancia ( se he que se po-
de chamar noticia o que desde muito be
abido ) he o deploravel estado fi-
nancelro da Repblica Oriental. Nao po-
deremos dar aos leitores buma idea mais exa-
cta (Jas circunstancias em que seacha o gover-
no de Montevideo a este respeito do que
substanciando a inl'ormaco do ministro da
fazenda lida por elle na sala dos representan-
tes em a5 defevereiro-, e transcrevendo os
periodos mais terminantes desta peca
Depois de descrever com a maior clareza e
individuarlo o estado das financas em agos'o
ultimo poca em que se uchava anticipadas
todas as rendas dos estados e subid a divida
J:5H5,07a. 3. 10. passa a memorar como
se vira o governo obrigado a declarar aos ere-
dores do estado a impossibilidade de Ibes pa-
gar bem como a suspender os uros das a-
polices d* divida publica e da reforma mili-
tar.
Em seguimento diz que nos ltimos cinco
mezes bou vera bum dficit de $51,i% p3
/o ; e que a divida subia actualmente a
3:7.34,go3 p 75 augmento este prove-
niente quasi todo da accumula<;ao de juros
Depois desta exposicao,e da j ustificaco das
medidas em apparencia violentas de que
usara o governo, prosegue o ministro i4os
sla divida, ou pelo menos, com que vista feitos}do Sr. Monoel Jos Soares de Ave
alimente os soldados que bao de continuar a
guerra. A augusta sala dos representantes
tem hum meio fcil de tapar oabysmo que
lhe mostra ominislro das financas nesta im_
[ilcita prnmessa e na bem conbecida libera I
lidadede Luiz Philippe.
Testa vez nao encontramos no perio t,
de Rivera aquellas bellas liradas com que .
turna exaltar a mageslade c o poder di re
hlica de Cassapava o que be milito de no.
Mas em recompens vem buma appara. '
rerommendacao aos seus leitores, p.ira n. .,
estudem o Jemal do Commercio de Rio lie Ja-
neiro peridico muito bem escripia e que
faz grandes servicos Repblica ; e liun a-
natbema contra o infame Despertador (|iiri >
vendido a llosas mugido felo Sr Sjrrata
e quecompromette os Brasileiros e o Brasil
peranle o inmortal hroe de Cagancfti
NOTICIAS DO RIO DA PRATA.
Recommendamos a Icitura do se tracto do buma carta de
Montevideo 7 de marco de i8fo.
Antes de hontem lire a honra de eserever
a.V enviando-lbe as noticias que naquelle
diacorrio, e agora outra vez o faro fazen-
do Sciente a V. de que de 5 para (> chegou a-
qui o filbo de Benlo M.inoel i,,,!,, morar pa-
ra casa de hum Chaves do Rio Grande que
tem charqueada porto do Serr. iz-'se que
elle se approsenlra no quarlel general de
Eructo, solicitando o reconheci ment da in-
dependencia da intitulada repblica mas que
este Ibes responder quevietse a Montevideo
haver-se com os ministros a quem pi>r ora
( diz-se tambem mas eu nao o creio ) nao
e appresentar
lar.
Antonio de Queiroz Monteiro Regadas.
LOTERA DO THEATRO.
as tojas dos Srs. Manoel Goncalves da Sil-
va Cirdom Avris e Irmaos < p Vieira Cam-
bista em a ra da (ladea do lairro do Recife,
s as dos Sis. Antonio Alves Tcixeira Bastos ,
ra do Crespo e .loaquim Claudio Monteiro<
ra do Oncimalo no Bairro de Santo Anto-
nio achao-se ;i venda os Bithetesda primei-
ra parte da se in la Lotera do Tiealro cu-
jas rodas aiula impreterivelmente no dia %J
do corrate uses.
LOTERA DO LIVR V\'EN'TO.
Achau-se a venda nos lugares dodoslume o
bHieles 1I1 Lotera a favor das obras da I de N. Senhcra do Livramento logo que ac 1 -
bar de correr a do Theatn ser marcado o
dia em que devera impreterivelmente rorre
is rodas. Roga-se pois aos amadoras destti
jo,",o edevotoi di Senhora do Livramantu
queira com- rre a compra dos bilitotes a fim
deque nao fiiue grande numero com prejui-
/.o das obras da Igreia di mesma Senhora.
TIEATRO.
|Lltirni r :;i. osentac )Me Peca Sacra.
Sabbado i 1 do oriente se represe itard
a muilo sublime peca nova
SANTO HE't MKVEGILD J.
com
Avlto importante.
Nada transpira da comferenca de Dupotet1 \w,reco llua,,n0 (le >**$ m peca d
n o ministro iuglea depois da qual foi que Aotl?or litigo e desconhecido com o mes-
quai 101 que
sabio o paquete. Smenle se diz que Rozas ?M l,ll,, a 'uaI 5e IePreseil31 era n nosso
deixa o governo nao obstante as multas re- n,ealro ')or?ni ran,e aul,,or dramtico
presentaces das parochias que tem ubido 4"ton,1. Xfv,fr ^erreira Conhecendo as
sala, onde os representantes lem declarado s'ml;!tl'lif ''"* Porluguezesjiara com os bornes
que hamister que o restaurador f.ca mais o *"da nna LuMni lan-ou mi de
sacrificio de continuar no governo at desapna- ?" ,,ah p8,iatI csore;f a presente peca
recer a prsenle crise. "'* s,nl l^rmone-ililo o novo ,que
Amrpartedospaasageiros, viudos no na- f^jie O Sr. JoaqUim Jos da Gama, a
quete sao para seevadirem ao recrutamento q!'- l"",a V"U, de Llsbof Pa,a VIara-
Igerat) pois, tolos era estado de pegar em ,,a< ^ o presente se aciano Archivo do
armas devem alislar-se nos difieren tes corpos Tl f'? 'irreerendaua ,n, lribu"al
urbanos. '( CorreioOfficial ) Prefe,l.ura- Klla he tao sublime, e to
(Do Despertador) I m ?SCr,Pla 1 P6" Pa,avra ''emente,
1 J clevera milito agradar ao respeitavel publico;
_________...,...-,___.________ quanto mais Com as Mgicas que pede seu
aullior s qaes taires sedevesse o le/fivel
CorrCSpOndeUCa I ,ncena'' ^ Tiealro do Rio de Janeiro : mas
_______________________. que o Director Jera todo o cuidado o precau-,
* cao em evitar semelbaule catastropbe : poden-
do o respeitavel publico concorrer sem receio
doperigo, pois que as providencias estarlo
Srs. Redactores.
Lendo um annunrio em um dos seus Dia- ja(j.
rios do mez de Marco p p issignado por mi-
li lia mnllier D Manuela Francisca Rcadas ,
noqualdiz, que ninguem contrete comigo
sbreos bens do casal ; pois que ella he mi-
nha tutora passo agora a responder, que he
verdade que estando eu em diversas Provin-
cias do Imperio como no Para Maranhao ,
Rio de Janeiro em servico militar, o corres-;
as.
Com esta rilhante Pega termina o Direc-
tor os ti abalhos da presente Quaresma.
Avisos i li versos.
termos seguintes
*' O ministro julga naO dever terminar es-
ta informaco sem vos lembrar o que outra
commissKi vos propz., eijue vos tendea re-
cudiendo, isto be que o poder execulivo
marcha sobre o abysmo que 1 e tem cavado a
lona rresislivel dos acontec mentse Entu-
Ihai, pois, este shysmo Hum s da que
iNiais passar sem o fazer tornar diflicultoso
o adiarlhe fundo edescobr ir-i he huma mar-
ge m em que nos salvemos
O Nacional da o bloijueio como pouco eli-'
caz pela falla de medidas de rigor contra a-
qoeiles que o riolaS, e aconselba ao almiran-
te Dupotet que, d ora era diante, coudemne
a tral albos forcudos indos os que fbiem ap-
prehendidos em contraban lo.
A mesma folha analysando a falla do tro-
no do rei dos Franceses esforca-se por des-
cobrir as palavras de Luiz Philippe rela-
tivas queslo do Rio da Prata, a indivisi-
bilidade dos iuteresses de Rivera e do governo
franeez, em qualqner convenio com Buenos-
Ayres e nao se forca menos por demonstrar
a impossibilidade da paz com o governador
Rosas Esqueceo porem ao Nacional ti-
rar urna consequencia necessaria dessa sua
premissa isto he que visto o estado das
huancas de seu amo Rivera segundo o (este-!
munbo do proprio ministro da lepartico, as
palavras de Luiz Philippe incluem tambem a \
promessa solemne de loineccr ao caudilbo o-
rieatal dinheiro com que pague os juros de
X~T Quem precizar de bum Feilor que en-
pondendo-mesemprecomadita m.nbamu- tonda de todo o sevico de sitio; dirija-sea
lber, estaseduzda por Manoel Jos Soares lu;i do R ,zai, estrea D. 5J-.
de Avellar, valendo-se de mu.ha ausencia VJr Quem re,.,r dfl ,mmi| mu,her
deoumacanlosajustificaca, e cheia de falsi- ama tie01,a< Sll. ,,vai. Mg0mar conanhar
dades justificando nao acbar-meem lugar cer- coser : dirija-se a ra nova de S. Amaro
- lee
to c com ella conseguio do Jtiiz a adminis-
tra o dos bens ; porem que todo este proce-
dimento feilu em minba ausencia; e sugerido
pela maldade do Sr Manoel Jos Soares nao
pode subsistir ; pois j;i eslou cuidando de des-
tazer e mostrar o rol de indignidades, que
se commellera a respeito e alguem que
para ellas concorreo se hade arrepender.
Tcndo eu urna heranca era Angolla por fa-
imeiitO de um To Joo Francisco Repa-
?ga-
gadas e mandando procuradores a fim de ar-
recadarem a dita heranca por Pedro de Tor-
res Ribeiro F.scrivo de Orfos e A senles da-
quelle lugar soube que toda heranca ja fia
via sido eulregue a Jos Severino Soares de
Avellar que em Angolla se apprcsentou com
procuraco do Sr. Manoel Jos Soares de A-
vellar. E que tal ? Sr. Manoel Jos Soares ,
que nenbuma amisade nem relaco tem comi-
go j passa procuraco para Angolla para
receberoque meo e anda mais, vendeo
urna casa do men falecido Pai que tinba de
me pertencer e aos orfos. Tem o Sr. Ma-
noel Jos Soares feito ludo ; porem eu peco
nicamente ao Publico que susepnda seu mi-
zo a respeito do aunuiicio de minha mnllier
at que eu ponha patentes muilas velbacadas ,
que se fizerad pois serci incancatel em pro-
mover os meus iuteresses e nao pouparei
rabalho algura para fazer publicoi os bons
r
maro
D. 5,
SS5" Alluga-se buma preta para o servico
interno de hura 1 caza ; na Pra a da Indepen-
dencia Lja de Chapeos a8 e 2g.
n.v* No dia pdo correte perdeo-se hum
pardeholSes depunhos desde o arco de S.
Antoino pela ruado Colegio alhe reparlicao
das diversas rendas e de 1 i para a ra (Ja
praia quem o tiver adiado "pode lvalo a
botica de Cipriano Luiz onde receber o em-
polle dos mesmos.
123" G. T. C. de Vasconcellos roga pes-
sa que or graca ou outro qual quer mo-
tivo tirou-lhe urna carta do Cor icio
viuda pelo ultimo vapor qneira entregar-lhn
em sua caza no patio do carmo no 1. audac
do sobrado em que mora o TabelloGui
Iberme ou fazer-llie o obsequio de a largar
no Correio.
tS" Nesta Typografia ha quem queira a-
lugar urna easa terrea que (eolia commodos
para grande familia, seja em que ra fbr sen-
do das principase; adverle-se q" tinto serve no
Bairro de S Antonio* como no do Redf'e.
y A pessoa que annunciou querer linnt
primeiro andar e. lojes de hum sobrado co.it
Quintal e sabida para a m..re sendo queira n >
Atierro dos Afogados ; diraje a ruado <^>ne*-
mado Loje dal'azenda i>. tO, que sedui
quem alaga.


/
I
niARlO HE RRNAMBl'CO
n t'



^fcOililllf llifil II IIH B
v~&~ A besana qu quiser tlor 4po,ocoa pra- \:-y Arrenda-se itm sitio n estrada de Jo-
ir.io ilr un o meio ; rento :io niB, pelo tem- j fio de I':!! ros com boa casa da vivenda, e com
po de 6
nuncio.
rae- Pn
pracinlm <
tsf A _
prar una negrinhn do dudo de i->. anuos di-
rija-so a rua das Irncheiras D. 9.
j^5" Jacob Mara Perlazz tendo muda-
ita a sun/residencia da ra da Cruz, para a
Praca do Commerco era casa do' Rozo & Ir-
ritad rpnova os scus ofTerecmenlos para com
u respeitavel publico desta Cida le no excerci-
c:io da crismar a tocar l)cni como i Rnarpiannos
rom o mesmo desemp I un que aleo pre-
sente se tem prestado os | que bengna-
lena o cuj rulo riio 1 -se sali
dj sen i resinti,
Z'f L'rao :. S nicho I 1 1' isa ical,
i lll .1 de
Snr. que por engino tirti do cor-
reio ma arta iinda d > Porl 1 pi la Te
paro Joaquim Jos qn ira, ter a
tregar nina olaria a/endo-se nina socieda-
de de inleresse porem lia de prestar fiador,
pois que a mesma otarra se llie entreja rom 8
captivos* o os arranps necessarios, e obri-
gudo a fa*C a venda dos lijlos e despezas
iiecessarias trata- na ra do sebo da loa
vista .1. c.-su torrea antes d chegar a venda e
casa do La 11
.'ucui ijtiiser nrrondar um sitio com
boa isa d* vivenda muilos arvoiedos ler-
r. 1 para plnntar n4 estrada que vai de S
r i para elein ; annunca.
!\ rdeo-se na tarde de sexta fcira de
os, un anol de curo cravado em brlhan-
los rom um dito grande no mcio, Coi ca-
bido de tuna varauda enaxo na rua do Ro-
buudadeiei 1 ioja deCal- nato, esupeterum negro apanliado, ro-
ileieirn !'.. 1 ', g uem tur bileretdo de o tomar c man-
JC3S De lirao-se pas- dar levarao pateode Si. S, do Terco ioja (e
aportes e L|i >re- lerragyis I). c8
' : na i A Sen Uora i). Anua Mara de Jess
tu comino lo > 01 1 mi
rua do Vig Mieros, queiffl annuuaiar a sin morada
;-.- seja qiyUn- para se I lie entregar urna carta viuda do ser-
1 ira : n:g e i o rs, por '''^'-
tST Urna mobilha de Jacaranda do melhorj lop. da quina junto ao Passo na ra do Cole-
oslo, e pi i morosamente acallada, por ser legro. ... ir
27* Uma du/.ia de eadeiras do Horlo en
ua-
po-
por
a no
secundo anclar.
' l / V'ellas elsticas, c aljabas prxima-
mente clisadas u franca a tres mil rs a
Precisa-sede um bomom para se en- enserado para uma sala mais pequen? von-
de-so esta mohilia por sor suporllua o nao
ter lido uzo ; assim como se aluja uma jran1-
de Ioja com uma forraosa salla na frente, e
dous raudos piarlos', uma salla atraz :
quartcs e quintal eommodo con bastante
ajoa para os uzos da casa e mais a van'o
de ter embarque na porta e tambera recebe
seges e carros pina o que lem suficientes
com modos; ncsla Typograa se dir
as* Potassa llussiana de superior quali-
dade a pieco eommodo 5 na roa da Cruz
n. i.
\SST Um cava I lo ni 11 i lo bom
Cruz n. 1.
\jt Urna casa boa em Dunda por preco
muilo comniodo o actual aiujuel rendo ao
comprador uto a des por cento de uros pelo
anuo; a fallar na mi da Cruz 11 1.
na 111a I
dozia botins de Lisboa de bezerro, muito
bom Toilosa do/.e patacas, e meias de liubo
para homem ; na roa larga do lo/.ario Ioja de
mrudezas :.'. 7.
i,- Uma barretina para (i. nacional por
preyo muito eommodo neata Typografia.
\
tiin : na o i
L .. AlugaO-se 3 armazens na ra da praia
O abai*;o em Barli proprioa para carne, ou venda; trata-sena
do rngetibo ma s.Id na freguesia di ra da Aurora loreeira cosa de i andares.
or beca tez sciei le a iso s que pro- '----------........... ----------------------
;...:: 11 i qu tem na djlo en- L (3 i I j O
1 mailrasta Ai 1 ira do Rozado ,
> mais berdeiros que a moenda e mais GT
i.,- Nodia 7 do correnle fujio urna ne-
. jra de riaoaQ-mucanitque-! da uome i-ornu-
' na :'U1 na, L-oaaitlabus na resta uou marea no
rosto confronte o olbo, eontrasobra o eitos
narras oslas dt sii Ierra boicos grOSSOS ,
ps pequeos.., basiauo magra, por esar
iloente e ei 1 u o de remedios levqu vestido
I de ausento bia.uo com palmas < phmoLohoy, vrijdo de i rauca ; |iaiu,:) ,|:i t.u,la ;i/il| camisa de algodaozinbo
arja do Ro/.ar.o Ioja I). 7. | lud u/illJ(J ( ^^.^ cle(,jUi t0Ill lllais luna
s^- Unas cohas, varios passaros cania- bmitrif na fCrU direU5 .uem apegar leve
dores um casal de gneos, o bananeiras pra- ,.u| da )adl.e de lJeo. ( anu,/(.in' do CU_
ros 11 '<." 1 qu*: sera reeompensado ou na
roa do Livramonlo J. :|, no segundo andar.
&!*/* iojy-seaos .Sms. iu-i*rei'eilos e
mais auliioriii.ides desta e mais comarcas ,. e
pessous particulares (jue suuberein ou virein
un'! negra de uome Josefa de idade de 4
anuos aitura regular sueca do crpo cor
tara o
la; no finida ra do Hospicio i:i
Pun bal a primeira casa torrea
133" Uma riegra ptima para lodooservico
de uma casa 5 na #ac da Independencia Io-
ja de chapeos rt. >8 r ao,
SI7* Uma preta moca boa lavodeira e faz
lodo o mais ser vico de una casa, urna dila
boa coziiibeira e engommadeira dous pre
ulencilius do dito engenb pi-rte.icem aoabai- co do Correlor Oliveira e varios arlijos
so assiguado porleresle levantado o mes- desembarrados,da Marea Ioglezs Alary-Cbar-
uioengenlio'de sociedadecom o fallecido sen lolie-VV'eber qiiftftl feira i5do correnle as
1 fulla nariz chalo com urna marea de ferro
Que faz J0S0 Stewirt por interven- tobonspara u servieo decampo una nejri- ; d(j siw ,u,ra 01U clu f Uin dedo (,,,Ulde ale-
pai Ignacio (jomes Forns. do que tem do- <> boros .t manift em poni no bou arma- *^ Ra ra do Queimado Ioja de frragens ^ | que ser gratificad? coi. a .000.
cunienlos a espeilo e para nao so chama- zem da ra da Cruz, a saber; cojios parai" ,5 jerramenla de muilo boa qualidad u^-A o diag do crrente desiuar
-. "*' ^^ Pila i\,l IU VIII *.I'* ) UIIIULUU UIILie UiC--
nba de .dud de t a i j anuos, opltma pira < euj uma ddS llloi s
Wl' .'I IIMl llfl l-l.n .Ir. ......... .......I,..- ....=.. !,..._ .. I T '
ser educad..; na ra de ajoas verdes casa ter-
rea i), s-j.
lu;ua dizer ijue be luna e inudur do uome;
' quem a pegar leve ao atierro da boa visla n.
pareceo uma
renva rgnoruncia se faz o< prsenle annuncio. agoa calis paca servefa chapeos de plha, P ounves, a saber tornos de mo e d bai- uegra de uome l'hereza ,. de naco cueange
Pedro Joaquim Gomes para meninose hooiens quadros, dous lava- (>a souras airales surtidos Irmas de lo- vt.s'i('
O? Quem quiser dar 100,000a uros so- lorio completos duasbancas para costura,!""*. us qualidarles Boiras, damas(|uiliios ,
bre firma a confento annuncie locadores pequeos mozas para jantar ori- ; bu"'s alicate de corlar sorras corridicas ,
Ues'apareeero do sobrado D. 3o da nes, e jarros de porcelana, papel de pesbe 'xas, palmaloriasde^ larraxa folhas.de sorra,
radireila dous conleos de ouro grossos almaeo e aljodoziubos 5 estes arligos de- Uor08 de canuda, alicates de mola para cortar
ile mais de vara de cortiprimeiil*o cada mil vem vonder-se infalive.linenle e por lodo pre- ""has estojos para desenlio dilos confple-
e cun o ileso ambos deciucoenla oilavas pou- co por ser o ultiniu leilao de morcadorias do, *--*" Cincoenla e cinco e meia bracas de
r mais ou menos leudo um del les umo ve- ca rejaucnto d* dita IJarca.
lido de channlule ja desbolada e, um*
challes encarnado lem urna velida em um
ullio e lulla-llie um denle na frente ciuein
a pega 1 leve a praia do cullegio no 1. aima-
zem.
i^f JN'o di i q do corieute frigio uma escla-
va de nueu angola de nomo Calliaiina. al-
leira com o nuarlos r,v .,m, ,..., u.,.. ... .... 6, ,e.. V ta socca do coipo, i oslo /icqueuo e redondo,
\ei:,iiuos, ou empeun
ndos.
yorl). II. A Inilieft. Vemle-so no nioV*2W> ufi-r e,le muilo proprio papi da c,sa da ^ ou m rua ^^
Ssy (uem precisar de um mullier forra, Janeiro, e pede-se a ultima elicao. Ma-, I>0lk loaa a aaendas ah silua- jj t> lado de lena no .andar
ida para cusa de ura homem solleiro ou una! de partos, esc'riplo por Randelneque s ll, Ura"dos van t agen por os pastos j^. s0 la o do correnle
ip.iHjiier
Rozarlo no S. andar !o sobrado .'. >j que dependencia n. >) e ^H. a^* Wua negra ladina de bonita figura,
por isso se respon: .... a a pegar toda a des- ?s.^- A obra ile (ieniienre firande diccio- mui oljista de dado de >4 anuos cozi-
posa. e no caso de querer comprar o mesmo uario d Morae, ea recreacao iilosotrea eto I n"a engomsia liso clava de varrella: na
escrao nenbuflca duvida ha vera em se ven- bo'D tizo : no paleo de S Pedro no segundo j,tl''da (oia sobrado n. 7, al ..s 10 horas di
der us e J.iao de uaco benguella de boa i-
Umjogo (locarlas geogralieas .linda
gura lem 1 rauoeiro beiii fillant- aue sojao cadas <:om lano (pie sej.i inu-
de Idade de a 1 anuos sem barba, falta gro! dernus; quem iu 1 annuncie.
- 1 peseoco, alio e [rosso lem urna peque- '
na prexajuuloa 1'unU- diroim oiclluis pe-
queiias bracos compridos lem um lalhode
taca era um dos dedos jvnio ao polegar da
mu cjqueida ; ps grandes, o grossos, e
digumas sicalrizcs de 1 acalhu pi oslas ,
frigio em Janeiro do correnle e lem soni
! um denle aborto na frente do queixu supe-
rior.
Quem precisar de um rapaz porluguez
e 11 das
Caulellcs da Sociedade Fortuna Ty-
11.!.1 divididas dos bilheles da 1. Parte
da Loleri.i do Tliealro gaubando a '*o.
;.11 iodo lodos u; pennos e premios inful-
lives a pi eco de 000 reis : nesla l'ypogra-
lia na piaca da Indopeudeiicia Ioja n. ao e
na Ioja de eucade.i'uadcMkn, .{j \ na rua larga
para raixeuode toja de f.i/.eni.as e ehegad I do Rozarlo Ioja do miudezaa D. n ; na rua
jiroimmenla annuncie do CoRcgio Ioja de reb^oeiro (lefront'- da re-
tsy l'ro( isa-se alugar^uma casa terrea, ene parlicu ibis obras publicas ; na Ioja de Muo-
tonba quintal e:: (jiiai.jiii 1 r.ia 00 iairi de [el Comes de Carvailio aopiarco4# .^.Anto-
nio; e na ruadireila veii'ia que foi de: Jos
da \\.....1
.moa de cas u a 3Jao oalqueiru nie-
dido e uma canoa de ao a o palmos de
tomprida e e meio de lar,a ; no paleo do
, no segundo andar.
l ;i 1 cu a,nievo para senhora, do inc-
ln.r, goslu e leilio, e tres negros srvenles; na
ruado t^ueimadp JJ. i5 Ioja de .Nuvaes &
iST Um negro de angola, de idade de i(j
anuos ,uilo robusid e sem achaques ; na
rua dueilu podara o .Machado.
L-r Um muiequede nacaode boa' figura ,
de idade de 18 anuos, cozinba muilo bem e
ungola idade de o anuos falla como ere
otilo, bem barbado e preto lem um den-
le lirado na fenle na lace tem urna man
deferida ja s, do meia estatura, e corpo
mediano, pernas finas meio a palhetado dos
pl; quem o pegar leve ao engento Arandi
re,;ue de Uliveira ou lo engenho Pago a Andr
Gomes Cabral que gratiricar
tsr oiningos, iuade de jo anuos, de es-
S Ani'inio ou Reeio e que seu aluguel nao
seja muito ato ; (uem livier annun
B9" Manoel Ignacio ilo Mascimeulu retira-
se para Portugal Uatarde suasaude, dei-
xando por seus proco ., ; us urs oo da
(Justa Lima Jnior Jo^qui lin-
io e Joaquim Pereira Iran -.
t^ Piceia-se lugtir uui prisueiro ;.n-
d.ir com a5 lojasemiua que nao sea muilu
^xiiucsiia ; qpent |i*er annuucie.
iy L,ata-8 e eugoi..... 1 p< 1 icaoj
i.cs ) cantos da 1'oa vi:l 1 cusa umea
,0 sobrado.
4_- Mauteiga ingle/a a oou oburiil; no uan ientadora ; na luudu Crespo a lu-
iroiazem de leinuud*. Jo liragucz ao pe do ido do norte.
'reoda Coucen | t.- I ilhcie da lotera do Tliealro 5 ni
lem ptima conduela, n u cabrinha de ida- laluri barxa, iheio do co*|jo, rosto redondo,
de de 1^ anuos, proprio para pugein um 0,hos S,aue e peis Gambados levou vos-
eacruvo coneiro, de id anuos, ;> moloques lido ca/nua debala, e siroula d'algodo. Mu-
de u a .0 anuos diias escs.ivus com opliuiafi BOe* M0^ de i anims, tblatufa regular, sc-
habilidades, lodos esiw escravos sedaba con- P0 de co^- rSt0 **prdo, daos grandes,
teuto e seatiaucas hoirs vendas; na rua de '' beipudo, e peis e mos bem lieius ;
aguas verdes tu. o. levou vestido carniza de baila, esiroala d al-
iar* O Curco de Poltica de Beiiyamim 5odoi ambos de naco Angolla, um tanto a-
Consiaul 8 volumes em bom uzo, por pre- *,,da Druto!> u u0id.s no da 7 dop. p. os
CO muito eommodo; em Oliuda casa do des- "PP^'liendedores levem-us a rua iJneita i).
tnbuidur do Uuuio rua de Walhias Ferreia. u",ut-,"il e Irei.
i-/*- Lima cabra hil.o, com urna cria fe-: ***" ^o (lia n de Si-lembro de 18)9, des-
mea, boa leileiru, muilo manea; na rua' a,PareCe0 <> pass geni da Magdalena do-si-
de agoas verdes O.' J, tio-de Joaquim Jos de OHveira um escra
v^/- Lima asa s.iia na rha de Sr, Boin J- vo'peto&s nome-Joaqedm nacao lienguela,
susduscreoula D. u ; quemo quise uiinuii- HS,*t.ura regular, cheio do corpo basianie
rinO, ce ,o do oliio esipierdo., com o si-
gnal de um lalho no lado dimito da cara Itf-
ou Vestido calcos de estopa-, eamKa de bao--
a rerdeja otada chapeo de castor brartco ja
UzuUo; quemo pegar leve ao dito si!io_, uu
na rua do (Jueiitiadb Ioja de .i portas defronte
do beco da eongiegacp 1>, 16, que ruceoeni
100,000.
Rl C II UNA LYP. K Ai. l'\ Ufe T^T^a
ce
-j- Iva pelo moco de bouilu figura ,
conioiiciode all,uale ; quem quiser annun-
cie.
2T Sarjas pretas poituguezes de supe-
rior qualidado e ulluuaiiicuie chegadas na


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES3H1N9BX_8PL5VH INGEST_TIME 2013-03-29T18:22:58Z PACKAGE AA00011611_04063
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES