Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04046


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Sabtudo
^ Todo agora depende de nos meamos; da nossa prudencia, moHcra-
cno, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontados
fcom adrairaco entre as INaces mas cullus.
Proclamaco da Assembiea Gtral do Bratil.
' 9 Subscreve-sa para esta folha a 3/fooo por qnartel pagos adiantados
Tiesta 'iypografia, roa das Clines D. 3, ena Praca da Independencia
*is. 'p e 38, onde se recchem correspondencias leu'alisadas, eannuucios, -/S5^
insirnido-se estes fjratis, sendo dos proprios assignanles, e vinosassig-
^nados.
Partidas dos Correios Terrestres
tidadeda Paralaba e Vi|las de sus pretenro................, ,\ )
Di la do Rio Grande doIWte, e Villas dem...................f e
Dita da Fortal.ZH a Villas dem..........................>Segundas e Sextas Fciraa.
\ill ce .'idade de linda..................................Todos os das.
Villa de* AntSo............................;.....Quintas l'eiras.
Dita rie Garanhuns ePovoafco do Bonito....... ...........[)ias lo, e-i dcada mee.
Onas do Cal>o. Serinhaem, Rio Formn, e Porto Calvo............dem i ii, e ai dito dito.
Orlarte das Alacias, e Villa de Macet.........................dem dem
Villa de Paja 'le Flores.................................lfam ^ Hito dito.
Todnt os Correios partem ao meio da.
21 DE Marco. Numero QG.
\
CAMBIOS.
Marco ?o
Londres...... J57- d. nt Iftw*
Lisboa......><.-, noi o/o nri
'""'ch....... i0 res por I
hio de Janeiro .o par.
OUHO Noeda* de 6foo rs
Unas de {fooo rs.,
PRATA PatacOes Braziiofroa--------------- l#58o a
Pexoa Columnarioa---------------- i^o a
Ditos Mexicanos ----------------- '#56o a
Premios das Letras, por mea 5 i/8 a 1 i\i poi loo
Mocda de cobro Ja por 100. de disC.
c>!
Velhaa i<
Novas l4#3oo a
>oo a
i#b.io
i'5)o
r5&
r
Das da Semana.
C Segunda S. Cyriaco M.------------.... Sessio da lie/..- e and. do I. de D. da a. r.
17 Terca----------S. Patricio Ap.-----...... |{el. e and. do J da I. v do C. de m.
18 Guara)--------S. Gabriel Aroanjo. ------ Sesso da '1 buiourarin.
19 Quinta-------->J< S Jos Fspoio de N. S.- -
20 Sexta----------S. Marlinho Damiense Are. Sea. da Tcz. e and. do J. de D. da i. t.
21 Sabbado------S. Rento Ab.-----------------------Rcl. e bui!. do J. de D. da a. v.
22 Dom.---------- 3. da Qnar. S. Hcmygdio B. -
Alare cketa para 3 da i\ de Marco.
As 6 horas e 5{ minutos da tarde As 6 horas e S minutos da manhJ.*
zL-Aj^h-dJ-J' &Jj \2L3: J
E^&^^^sSsg?' v-
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia i j do corren'e.
Officio Ao Comroondante das Armas
respondendo-lhe que remeta as requisices
dos cubos e barras de madeiras precisas no
Hospital Regimental, a fim de se mandarem
fornecer pelo Arsenal de Guerra e quan-
1o ao concert do tecto do mesmo Hospital,
que mande proceder a um orea ment de sua
despeza para a vista delle expediiem-se as
precisas ordens ao referido Arsenal.
Dito Ao mesmo, significando-llie que
pode ordenar, que pela respectiva folha seja
lirada, mensalnvente a quantia de Uooo reis
do Sold da Patente do secundo Tencnle .Tose
Antonio Barbosa que tendo marcliado para
a Provincia do Maranho, constiluio aqui por
seu procurador a Antonio Francisco Dornel-
las para receber dita quantia e entregalla a
sua familia.
Dilo Ao Inspector da Thezouraria da
Fa/er.da para ordenar o pagamento do sold
de que trata o-precedente officio.
Dito Ao Commandante das Armas, res-
pondendo-llie, que foi expedida ordem ao
Administrador Fiscal das obras publicas para
mandar por a disposico do Commandante do
Deposito no Quarlel do Hospicio, o tijolo e
cal precisos para o concert da casinba alpen-
dre do mesmo Quarlel.
Dito Ao Director Secretario do Monte
Pi Geral dos Servidores do listado, transmit-
tindo-lhe urna letra do valor de> ;i i JU ^98,
saldo existente em caixa das conlribuires ar-
recadadas por esla Provincia at ab" de Feve-
reiro do anno correte.
Dilo -- Ao Inspector Geral das obras P11-
liliras ordeuarido-llic <(ue mande concluir com
toda a brevidade a obra da Salla destinada
as Sesses da Thezouraria das Rendas I 10-
vinciaes.
dem do din i^.
Officio A Administnicao dos Bens dos
Orfaos aecuzando a rerepeo do seo officio de
11 do ntrenle, a que acompanbarao doze
exemplares da conta de Receila e Despeza do
Patrimonio dos Bens dos Orfaos no semestre
do primeiro de Junlio ao fim de Dezcmbro do
armo passado.
Officio Ao Inspector do Arsenal de Ma-
nila significando-lbe que o transporte
Pavuna deve ir ao Cear receber o pralico de
que necessita.
Portara Ao Major Gommandante do
Brigue Ccnstanca para receber a seo bordo e
transporta para a Corle do Hio de Janeiro o
uajorde primeira linba Fernando da Cos-
ta.
Dita Ao Diteclor interino do Arsenal de
Guerra, ordenando que mande apromplar a
Salla do Uocel do Palacio, para odia a5 do
corriente Anniversario do Juramento Cons-
tiluico.
Dita Nomeando e mandando passar
patente para o Posto de Major do 1. Batalbo
da Guarda Nacional {de Na/arelli ao Capito
da segunda Companhia do mesmo Hatalho
Joaquim Jos de Albuqtierque Maranbao.
Officio Ao Coronel Cbefe da Legio da
Guarda Nacional de Nazarclh conimuni-
"cando-lbe a nomea^o supra,
COMMANIIO DAS ARMAS.
Expediente do dia 9 do correle.
Officio Ao Comjnandante interino do ler-
ceiro Ratalbao de Artilheria, procurando sa-
ber o motivo porque nao forao competente-
mente avisados os facultativos Memhros da
Junta de Saudc pertencentes ao Batalbo
de seu Comrnando como se determinou em
ordem do dia 5 do corrente.
Portaria Ao Major Commandante do De-
posito, mandando d'ordem do F.xm Snr. Pre-
sidente, communicada em despacho de 7 do
corrente dar baixa ao recruta Evaristo TIipo-
doro por nao estar as circunstancias de ser-
vir na primeira linha.
dem do dia 10.
Officio -- Ao Exm. Presidente, remetlendo-
Ihe competentemente informado o requeri-
nrento do primeiro Cadete do terceiro Bata-
lalhao de Artilheria Antonio Carlos Paes Bar-
reno que pedia licen^a pira freqtientar os
estudos de sua arma, e presentemente o "ran-
ee/. no Liceo desta Cidadc ohrgado ao
servico do Batnlho no tempo das ferias, e ao
cnuiparec'nnentQ ilas revistas fjeraes; e ex-
traordinarias do mesmo.
Dito Ao mesmo Fxm. Snr., propondo
pira demisso os soldados do terceiro Bata-
lbo de Artilheria Alexandre Gomes do Jess,
Benediio Pereira de Maltos, Francisco Anto-
nio Primeiro, e Francisco Antonio Segundo
e do Deposito Manocl Bizerra de Menezes ,
Manoel Camello Joaquim Joo Florencio ,
Antonio Bernardo, e Gonsallo Jos do A-
morim todos jnlgados incapazes do servico
pela junta de Saude em sessao de honlem, "\-
crcscen'lo ser o ultimo de avancada idade e
carregado de filhos, alguns dos q uaes existem
em sua companhia no Deposito
Dito Ao mesmo Exm. Sr. remettPn-
do-lhe compelentemerile informado o reque-
rimento do Major Fernando da Costa que
pedia se Ibe niandassc abonar a gralificacao
addicion.il pelo lempo que tem permanecido
nesla Provincia, vindodoPar com distino
a Corte, para onde deve seguir na primeira
occasiao
DitoAo Major Commandante interino
da Fortaleza do Brum ordenando-lhe em-
resposta ao seu officio desta data que man-
dasse apresentar a parelha de Calcetas de que
(ractava em seo dito officio a fim de sepra-
los e subistiluir por outro o que linba ado-
ecido.
Dito Ao Tenente Coronel Administrador
Fiseal das obtas publicas, disendo-lhc que
tendo interinado o Calceta Luiz A Ivs, que a-
correntado a oulro fra a pouco remetlido pa-
ra a Fortaleza do Bruna tivesse a bondade
de mandal-os reparar, e de substituir odo-
enle por outro para o que havia expedido
ordem ao Commandante da dita Fortalesa, a
fim d'os mandar apresentar.
Dito Ao Inspector da Thesouraria, com-
municando-lhe, que nesta data havia man-
dado tirar pela folha respectiva a prtstacao
mensal de aUooc reis que em socorro de sua
Mi Anna do Espirito Sanio, deixou do 1.
de Fevereiro em diante o soldado Joaquim
Firmo expedicionario ao Maranbao,
Dito Ao Commandante interino do ter-
ceiro Batalbo d Artilheria, mandando in-
cluir na folha das prestaces o soldado Joa-
quim Firmo tirando-lhe do primeiro de
Fevereiro em diante, a prestacao mensal de
2U000 reis que em socorro de sua mi An-
na do Espirito Sanio deixou nesta Capital.
Diversas Reparicoens
MEZA DO CONSULADO.
--A Pauta be a mesra do N. 6i.
PBFFEITUBA.
F-ART DO DIA 19 DR MARC.
Illm. e Exm. Snr.Parle-cipo ; V. Exc. ,
que hontem nao occorreo novidade.
Dia 9.0.
Illm. e Exm. Snr.Foro presos hontem
minha ordem e tivero boje destino: Jozc
Antonio de Barros e Antonio Jozeda Silva ,
brancos, peloSuh-Prefcitode S Antonio
por eslarem em desnrdem; Miguel Luiz da
Ptirificayao, prelo menor, por um soldado de
Polica por ler fgido da companhia de seo
mestre ; Antonio tambem prelo eseravo
de Luiz Bizerra por um Capio de mato ,
por estar fgido; e Antonio Francisco de bou -
z.a pardo pelo Sub-l'releito da B-.ia-vista
por ll; ser appreh ndida umv f.e;i de pona.
E'o que consta das Parles lioje recebidas
n'esla Secretaria.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
RECIFE.
5. 5ess5o ordinaria de 16 de Marco de i6\|o
Presidencia do Snr. Ros
Comparecer/) os Snrs. Souza Chaves ;
Mamede Oliveira e Vianna ; faltando com
cauza os mais Snrs
A berta ; Sesso e lida Acia da antece-
dente foi approv.ida.
O Secretario deelarou nao haver expediente
algum.
Despacharo-se alguns requerimentos. P.
por ser dada :i hora levanton-se a Sesso e
mandaro fazer a prsenle em que assignaro.
Eu Fulgencio Infante de Albuquerquei* Mel-
lo, Secretario a escrevi. Rios Pro-I're-
zidenle. Souza, Chaves, Mamede. Olivei-
ra Vianna.
Est conforme.
O Secretario.
Fulgencio Infante d'Albtupierquce Mello.
NOTICIAS PROVINCIAES.
Rio de Janeiro.
As folbas recebidas da Corle s nos adian-
'.Jo quatro dias depois das ultimas noticias ;
j; publicadas enesle curto espaco nada en-
contramos de notavel no que diz respeilo 10
Rio de Janeiro. Porem na Villa de Paracal
em Minas Geraes a ordem publica linba sido
um pouco alterada. O Juizde Paz do distri-
eto da dila Villa pronunciou um hornero pel
crime de eslellionato e o fez recolher a ca-
da : este recorreo da senlen 5a de pronuncia
para o Juiz de Direito que lhc concedeo
"babeas corpos1' em virtude do que foi solt;
mas o Juiz de Paz o lornou a prender de no-
vo e o Juiz de Direito o lornou a soltar. A
esla luta seguio-se tomarem armas duas cam-
panillas da guarda nacioual para fa/erem e.\e-
cutar as ordens do Juiz de Paz, ea muito
custo consegui-seo reslabelecimento da tran-
quilidade publica.
MARANHAO'.
Palul'iudo Governo do Maranlio i-^ de De-
zembro de'iSijj.
Ordem do dia,
S. Ex- o Snr. Presideute da Provincia
manda publicar pan conhecimento da tropa
existente na Provitn :a, e seus habitantes quo
o Cidado Barata restal'.rador la Villa da
Totoya: nao podendo pela falta demuncSes
e pequeo numero de defensores da legalidad
sustentar aquelle ponto depois de por a sal-
vo as famili.is as ilhas visinhas, acampou-
se na povoaco das ( arnaubeiras ondea ^
do mez passado foi cercado por mais de .oo
rebeldes. Auxiliado porem pelo pre*tant
prefeito da P.irnabiba o snr. Joze Francisco de
MirandaOtprio com munices e algumas
pracas, depois de seisdis de fogo ; conse
guio aespersar os salle-idores, lendo-lbes
feit 3 morlo>, a|erh de muitos prisioneiroi
feridos. Dos rebl les fgidos parte se a pre-
sentar na Parnahiha oulros desanimados
procura'a \ suis casas, o resto emhm se nea
miuhara reuuirem-se com seus companbei
ros de crime, existentes nlo no Iguarq.
ScflVeo .1 ;;, i'.i i.tde apenas o (irejuizode 8
fer idas dos q uaes ^ gravemente, e que aa
esneVancas de prompto resl I lecimento. O
cidado Barata le:n depoU Coito evilorWj-
es por ambas as margena do Parn-ihiba
'e as f-slcndeo al Mariquitas, S Pedio, a
! Aras : batendo 'ellas os grupos de rebelde*
que foi encontrando, c fa*endo-lhes nestefe
j passeios o estrago dn i mortos, e 8 feridos :
destruio todas as Irlncheiras e aquarlela-
mentos rebeldes existentes as margena do
rio ; tomou-lhes a misera bagagem composta
de redes, surres 10 ormas e q uaren ta
Carluxos, farinha carne seeca <; urna vaca
esfolada, Contoos prisionetrose anresent:i-
dos que o desanimo entre os facciosos ert
muito grande, e que senlio extraordinaria
falta de municoeS. As forcas reunidas do ca-
pilo Pedro Paulo de Aloraos Reg e capito
mor Valerio Alves de Souza e!evav"o-se a
mais de 700 pracas ; i4 do corrente mas s
acbavO com muilo puco armamento, e mu-
nices estes arligos hio-lhe.sser frnecidos
por intermedio da Paruahiba cujo prefeito
tem tambem para o acampamento de Sapucara
e porto da Repartico extendido seus des vellos.
Urna fon-a de soo pracas do balallio proviso-
rio do cnpito nir V-ilerio e loo da lona do
capilo Pedro Paulo balero os rebeldes eri
Nazareth e os dispersarSo, Perdcr.io os re^-
beldes alem de hum cabo hem armado com
boa granadeira e 00 carluxos mu 1 tos feri-
dos, como indica a grande copia de sangue
encontrado. Era commandante dos rebeldes
n'esse ponto o faccinoroso Pedregulho que
aasassinado foi depois j do corrente pelo in-
titulado coronel couuaandante era Chele Tedro
Alexandrino dos Santos pagando assiin seus
horrorosos Crimea s inos de outro assassino:
urna ouira partida de 4'30 pracas a 8 do cor-
rerle atacou os rebeldes i-m sitas triuebeiras
das Arcas e depois de i horas de vivo fogo ,
i ficaro senhores do cmijio matando a os re-
beldes 9 salteadores e ferindo mais de 4o,
| dos quaea a maior parle gravemeule tivemos
' a lamentar a perd.i de S morios 11 feridos ,
e5 extraviados, e que al ao dia depois du
' nllaque, nao ero apparecidos. Entre os
mortos se nota o alcres doextiuclo regiment
de milicias deCaxias, Joze Adriano Goncal-
vesda Igreja. Grande ott quasi toda a gloria
d'estedia se deve s boas dispOsii^es do sur.'
commandante da partida e .os snrs major
do batalho de guardas nacionaes do liuri
ty Domingos da Costa Lima e Leonardo Jo-
ze de Lima e aos abntea do balallio pro-
visorio o copito mrNalerio, un icos que
aleWj do alteres Igreja, aoftrero do 1o>jj



2
DIARIO


Mi
m
PERNAMBUCO
rehf lde. Os Lalaios ns Aia tivero o ar-
rojo de seapresentarem em frente da villa do
Brrjo onde descansava 'a nossa tropa das fa-
di;as do arUque mas desappareoero no
momento em que os bravos moslraro inten-
c/o de Ihes dar o castigo de su* arrogancia.
As nossas Tortas da comarca de Caxias tecm
alcancado \ictorias contra os salteadores que
os pretendio cortar acha-se hoje parte
unidis s tropas do Piauhynas visinbancasdo
Estanhado e parte no acampamento do ca-
pito mor Valerio. Suppoem-se a comarca
de Caxias abandonada pelos rebeldes por
quanto os cheles que n'aquella comarca eSta-
vo exislem hoje em torno do Brejo. Por
toda a parte moslro os.rebeldes grande desa-
corecoamento, e as deserces entre el les conli-
iiiiao em grande esculla.
Assignado Joaquiai Joze de Santa Anua
Abren leuvnte Ajudante de ordena do go-
verno.
Artigo Ofliciaes.
Illm. Snr. Em dada de f i do corren-
te em consequenria do ofticio que me Coi
derigido por V. S. Sellado com o n V.j ,
dei a Vella desse Acampamento, petas II ho-
ras da noite besando a esta Povoaco no (lia
RESTAURACAO DE CAXIAS.
PROCLAMADO.
Caxienscs Parabens A vossa cidade res-
taurada j vio tremolar sohre seus muros o
Estandarte de legalidade dianle dos guer-
reiros que vierao coroar vossos exforcos ,s
satisfacer vossos de*ejos hum s rebelde nao
ouzou fazer-se firme Esses mmicos da Pa-
tria e do Imperador que vds cubrirlo de
luto, saquearlo as vossas cazas, tala rao os
vossos campes, e destrurao as vossas propie-
dades fogem espavoridos para se escaparen
aos golpes das nossas carabinas, fjia Caxi-
enses Se muito est feito multo inda res-
ta a fazer para compietar-se a gloria -enteca-
da nestedia quesera hum dos famozos da
vossa e-a brilbante. Rodeai poiso estandar-
te legal : reuni-vos nossos bravos que,
deixando seos domicilios, vierao lancar-se em
vossos bracos de pois de longas fadgas, sem
curaren) dos perigos, que a companbaio
desde os vossos trinta c nove das de assedio
Sabido vossas oceultaces teneLroaas, e vi-
de apprezentafivos para nos ajudardes Ri-
mando as Armas com que p&'derefs le leader
a vossa vi'a e lionra ; mar.tr o rfpouzo de
ilias ; sustentar o Impno da ley ,
que nesta occasiao p'restou Manoel Rodrigues
Ferreira Coque, e todas as mais pragas da
expedicao Ihes dou tro bem os meus agrade-
cimentus. Alsigiia'o. Francisco Sergio de
Oliveira.
Ordm do dia n. 3o.
~ O Illm. Snr. Tenente Coronel Com-
mandinteelas Forcas Expedicionariasorde-
na que no dia i. de Fevereirose acharad n es-
te Quartel todos o*Srs. Facultativos para ns-
peceo dosdecntes. Os Srs. Comro. dos cor-
pos mandaro as pracas inspeccionadas accom-
panhadas d'uma relaco nominal-Uma partida
mindada pelo .Sr. Tenente Coronel Francisco
Dias Carneiro conseguio debandar no dia aS
d'este mez a forca consideravel dos rebeldes,
que soh o comando do Ruivo tinlta fgido
d esta Cidade e se achava reunida na Fazen-
da Monleiro : os malvados perdero 18 mor-
ios e deixa rao S prizioueiros 17 cavallos,
3 Huiros 1a bois e toda a sua hagagem ,
constantes de bigalellas ; e mais consideravel
' para o inimigo essa derrota por ler per-
dido a dos seus olliciaes morios e um prizi-
onelrolosfissos bravos fi carao um solda-
vfsas fam...
que a 9 me/es lo i substituido pela rebellio dominio, c iG ftidos, sendo 9 levemente
, chegando a esta fovoacao no na pelocrime.e pela ana rq na. Hum s de inclusive o Tenente de Arlilberia Joze Alves
Ib por tarde, peas c horas do dia .eguinlevos, que recusar prestar-se para fazer parte Pinto de Almeida e 7 jerdos gravemente,
tomei posse do Commando deste ponto. A de nossas lonas ser considerado inimigo do No dia de hontem o Sr. Alteres Antonio Sam-
Forca actual nueMaz sua defeza Arma- Enroo Brazilero. \ iva S. M. o Imperador paio com a pequea partida com que sabio a
que"
ment e municoes e mais pelrexode guer-
ra, e de baca consta do mappa mellizo. O
Estado de deltva em que ucbei este Ponto,
0 seguintc o Campo que laz a lace da Cum-
panba ai b .-se rucado em distancia de oVj
passos; circulla toda a ovoacao ni mo
iutrincheiramento com pouca segara tica o
qual vou reparar. Pontos que os rebeldes
oceupo em nossas medi'acoes [telo rio cima,
ao lado da margena esquerda confrontando
com apovoacodo Piri ha 0 1 Ponto
Guarnecido com qo rebeldes intrinebei-
rados distante daqui una legoa. a. Po-
to seguindo o rio Piri da parle direita no
lugar Tcum, acha-se 60 em distancia de
1 legoas. 3. no lugar Mapary denomi-
nado rampa ha lira Piquete de o : julguei
fazer esta pesquiza necessaria dos rebeldes
que mais recen teniente se lem aprezeulado ,
conhecedores de laes reui.ies nao restndo-
me por isto.duvida alguma que os reberdes
que boje nos cercSo nSo passao de oo No
da ji petendose-juir a bfltt-r o i. ponto,
ser logo, elogo, ^. S. informado do que
ocecorrer a respeilo. Dos Guarde a V. S.
Quartel na Povoacao da Miritiba 19 de Ja-
neiro de 1H40.-- Illm. Sur. Lui/. Antonio
Favilla Tenente Coronel e Coinmandante
da 1." Biieada Assignado JooLu-
31 de Caslro da Cama. Capto e Coninian-
le, Conforme. Eduardo Joaquim Pcicia
dOliveira, Alferes e Secretario do i. Ba-
tallnio de Guardas Nacionaes Destacados,
serviudo de Secretario da 1.a Brigada.
__Os iraficanles op ,n.quenos negocian-
do Brazil \ iva a Naco Brazileira Viva a
Inlegridade do Imfierio!
Caixias a/j de Janeiro de ifi/jo
Frai 1 i '* i;,o de Oliveira.
Tenente Coronel Commandahle das Fo cas
Expedicionarias
explorar as paragris do Ouro aciltou os
conhecido o do generoso e exforcado Raimun-
do da Cruz e Silva Toda a populacao da
segunda capital provincia do rico emporio
dos iiossoscerles de Caxias em fim com-
posta n'outro tempo de 10 a 1 a mil habitantes,
consistia somentc em 3 familias redusidas a
ultima desesperaco, que cboravao sobre o
cadver da cidade destruida o seu infortunio e
deshonra Tudo o mais havia desapareci-
do !! Desventurados caxienses Uns suc-
cumbiro aos golpes dos assassinos ; oulros
perecero mingua ; oulros ( e este o maior
numero) andavo errantes pelos matos, e
procuravo um azilo entre as leras menos crueis
do que os homens ; outros causadores de tan-
tos nales andavo laucados com os rebeldes ;
c poucos bravos dos que forao presos na pri-
meira invasio e puderao evadir-se ao poder
dos cambaes depois de longos padecimenlos ,
entravo com os restauradores na cidade deser-
ta ... Caxias era um vasto cimilerio .
No meio de lana desolagSo e miseria a je ida
menos sensivel a da vida e fazenda Mili-
tas donzellas bem nascidas foro desfloradas ,
muitas violentadas a fairem casamcnios to
desiguaes que equivalem a mesma deshonra,
muit&s familias respeilaveis cubertas de op-
probrio (.*) A' vista deste expeclaculo to
iaslimozo o fnebre os hymno de triumplm
bem depressa se convertero em lagrimas do
dr e gritos de indi^na^o !
Tal hoje o estado da infeliz Caxias des-
pojada de tudo que a fazia grande. Apenas
se con to no seu recinto 4 casas que nao foro
roubadas ; a de um francez por nome I/.idoro,
na qual se acbia 5oo sacas 80 babas, e
muitos outros elfeitos que o senr. coronel
rebeldes no Bacabal, e causou-lbeso prejui-
zo de J morios trez prisioneiros. O mes-
mo Illm. Snr. Tenente Coronel Commandan-
te manda communicar s Forgas de seu Com- Sergio mandou invenlariur ; as de Jos Vi-
mando estes felizes succe.js de nossas armas'cenle Honorio, e Zacaras Fern-Judes presos
para q' parlilhem do prazer*J' senle sempre q' com outros como rebeldes na primeira invaso
as nossas Forcas expedicionaiias se cobrem | pelo sub-prefeito Baimundo da Cruz e que
Ounrtel do Commando das horcas Expedido- 'de lomo na guerra e para reconhecerem a vago boje sollos ; e a do senr. Joao Fernan.de*
V narias na Cidade de Caixias ao de Janeiro 'jusliga dos seus agradecim.nlos rendidos ao de Moraes. Tudo se acha devastado e consu-
de i84o, Snr. Tenente Coronel Francisco Dias Carnei- mido, nao s na cidade porern militas le-
ro e A lferes Sampaio e assiui s mais pra- guas ao redor : a fome nao far naquelle des-
gas que com laes Coinmandantes tambem se Iriclo menos estragos do que os rebeldes. As
__O Tenente Coronel Commandanle em
Chefedas Forcas Expedicionarias, possuido destinguirao. Assignado. Joo Paulo
do maior regozijo faz saber &s forcas do seu Miranda, Tenente Ajudante as Ordens.
commando que bontem leve lugar a restaura- --------------
cao da importante Cidade de Caxias cres-
cen
de
mesmas tropas imperiaes tem de ver-se bre-
vemente em grandes ap .ros se nao lorem soc-
corridas de prompto com viveres municoes e
armamento. Cumpre ao governo fazer todo o
endo em ponto o regozijo pelo bom resultado Nota dos Infelizes. que sabemos ter?m sido'genero de exforcos para conservar a legalidade
a aceito da qual nenhuma morte ou ferimen- morios pelos malvados na cidade de Caxias o primeiro ponto militar de toda a provincia ,
e seos Contornos.
Assassinndos dentro da Cidade,
da acc&o da q
lo resultuu do fogo dos rebeldes aos deffenso-
res do Monarca Para te lao feliz ucesso
muito contribuirSo as Forcas col'.ocadas na Manoel Jos de Castro.
Trezidella sendo a Cavallaiia do Sur. Te- Lzaro Ilenriques Pereira.
nenie Coronei Francisco Dias Carneiro e a ( Jos Manoel Fernandes da Costa todos esles
Infantaria do Snr. Tenente Francisco Affon- 1 velbos de mais de 80 anuos.
co Xavier Bastos com as quaes o rebeldes Jps da Costa Fortuna.
contavo como as de que poda o Governo Manoel Pereira Pinto.
dspor. i Na'madrugaua do da 4 do crrante Hura Filbo de Jos Manoel Fernandes da
posta em mo vimento a Columna seguio nal Costa.
vanguarda o Snr. 1 Commadaote do Corpo Antonio Marlins (Genro do Passara )
Provisorio do Codo Honorio Pereira deBur- Augusto da Silva Torres.
gos por assn o baver podido ; esse idi- Hum enleado de liento Baslos.
do Sodado, abastado em heos e indepea- Jos Curios dos s.intns.
dente de gracas movido gomen le pelo ver- Doulor Raimundo da Crus e Silva (alem de
dadeiro patriotismo deu provas do sea valor i outros mu tos )
na escaramuca com os rebeldes ao entrar da | Assassinados na Fazenda S. Domingos.
Assassinados na Fazenda d'Agostinho Braga.
Miguel Ferreira de Goveia Pimentel Belleza.
Jos Joaquim d'Abreu.
Um Feitor da Fazenda da P acaba.
O desgracado Joaquim Francisco de Seixas
Domado que pereceo a fome e sede.
Devo notar-lhe que o numero dos morios
he mui superior a este que s daquellcs de
quem temos maior couhecimenlo e cuja des-
granada sorie de vemos chorar loda a vida.
tes foro em todo o lempo considerados nomo
o flagelloda ribeira do Itapucur pela gr- Cidade : e nao menos merece s.r elogiado o O Capto Joo Lui/ de Figueredo e Almeida.
dede'smoralisaco, que promovero enlie os Snr 1. Commandante Fernando Carneiro O Capto Jos Justino de Figueredo e Almei-
Junior do dito corpo do Codo que o acompa- | da.
nhou e o Si.r. Lafito da '* Linha Frun- Benedicto de Almeida e Brito.
cisco Joze Vianna. A Artilheria que era com- I oulor Ilenrique Jos de Novaes.
mandada pelo Snr. l. Tenente J. J. les- Alcxandre Jos de .Novaes.
soa que nao tendo na ao,o de operar com
tudo o seu sangue fri me satisfez. O Sor.
Capitn Ernesto Emiliano de Medeiros Com-
mar.dante do 3. Batalho Expedicionario de-
senvolveo aquella coragem eboo dirceco ,
que se Ibe nao pode negar. O Snr. Capi-
to da Cavallaria AltlO Eellisde Moraes lie-
go que commandou hum Fsquadro dessa ar-
ma cobiio a retaguarda c portou-su como
era de esperar. O Sr. Pagador Joze Joaquim
de Figueredo e Vasconcellos que voluntaria-
mente levava o Estandarte JN. poriou-se como
ja o fez no ataque de Iguarass. O Snr.
lenle Ajudante J .-ao Paulo de Miranda ,
iiku Ajudante d Ordens desempenhou com
proroptido tudo o de que foi encarregado. O
Snr. Ca|)ito QuadrOS eassim lodos os mais
officatase porlaio dignamente, pelo que Ibes
rendo os meus agradecimientos e igualmente
aos Snrs. Sub-Preleito do Codo ilaimundo
Alves da Cruz, e lenle Coronel Sevt-nno
Likis Carneiro que apezar de doente deixou
a canoa em que vinha para ler parle na res
laurceo lugar que o vio na&cer. Us re-
1,1,:,." lidiantes de hum to tapido movi-
menlo ii-o dero lempo pela sua lu(; a que
os nOSSOi bravos Imperialistas mo-irassem o
nuantodeaejfo vingar a unidadedo Imperio
u" jada tiesta bella Ptouncia por is-
correteo t'nt debandada dcixanoo
escravos excitando-os a furtar gneros para
lite seren dados em troca de caxaca ou r-
ticos seno nocivos ao menos de muilo me-
nor valor do que aquclles, que pelos prctos
Ihe cro clandestinamente dados. Homens de
taes Mitnenlda >o capases agora apezar
das medidas que leulio tomado de condusir
plvora, eoutrasmunicoeosde guerra para
serem vendidas aos rebeldes, e devendo em-
pregar-se todos os mt-ios possiveis para evitar
commercio lo damnoso : recommendo a V
S. que faca proceder aos mais minuciosos
CXames as Canoas que navegarem para o in-
terior recomnieudaudo aos Commandanles
dos l'ontos a que ellas aportarem que sem
escapar volume laco con que nem l.um
dtixe de ser revistado devendo desde j fi-
car cerlo que daqui lem ido plvora em gar-
rafoens garrafas e dentio de barricas de
Lolaxa. Como as pessoas em poder de quem
lorem encontradas municens de guerra nao
podesn na poca actual dar-Ibes outro desti-
no que foruece-las a rebelda e reanimal-
a d'esla arte \ S. deten inai que seio
prezas 00 agrante eme logo parte do
que heuver occoLrido Ua minu-
ciosidade afnjL Guarde a V. S. xalacio do Governo do Ma-
r ) elisardo de -ouza e Mello.Snr Preleilo
uppieule do lupucui-miiini. Iguacs
ao fcub-rreleilo da Comarca de \ ianna e
*o Ccnimanddiile das Forcas 1 xpvdicionarias.
( D Chioii'ua VaianheMe. )
dois morios, e .(> pnoneiros.
Nao 1 iiiiii
iuslodeiiMfr no wqwdineaioo bom scivico \etes meio consumidos, entre os quaes foi re-
No dia -i4 de Janeiro pelas 11 horas do
dia tremulava a bandeira brasileira no Morro
da Taboca Caxias acubava nesse momento de
sor restaurada pelas armas imperiaes. Os re-
beldes que se achavo dentro da cidade ca-
pitaneados pelo Ruivo rio Latnego Cor-
reia Lima pouca esistencia fizero fugin-
do quasi s primeiras descargas dos nossos
bravos cuja guarda avancada oceupava Tre-
zidella desde a2. Apenas foro morios na
entrada dousdelles e aprisionados i4-
Mas a alegra de huma tal victoria foi en-
tunada aos vencedores pela melanclica apa-
rencia a seus olhos esse monlo de ruinas : al-
gumas casas arrasadas oulras destelhadas ;
as poi tas de todas arrombadas ; as sallas e al-
covas escavadas 5 os movis quebrados e inu-
ttlisados j o algodo desencacado e a pluma
espalhada pelos piarlos e quiutaes as ras
silenciosas inmundas e povoadas de ctda-
p
o cenlro natural de opperacoes para a podero-
sas commarcas que aiuda exislem rebelladas ,
o principal ponto de contado catre as forcas
do Maranbo e Piauhy que devem obrar do
accordo para extermiuarem a hydra da revo-
luco. Os exforcos do governo nesta parte
devem ser tanto mais constan les quanto me-
nos favoravel a estaco, e maior a distan-
cia em que se acha do quartel general aquello
ponto. Caixias j cabio a vezes em poder dos
rebeldes por falla de soccorros. O regular
eslabellccimenlo de correios muito concorrer
para a conservacao de urna conquista to im-
portante.
A oceupaco militar de Caxias vale ella s
na nossa opiniSo tanto, como lodas as oulras
vantagens que tem oblidd as forcas do
governo. A posse desss ensinguentadas rui-
nas sobre que boje flucta o estandarte da le-
galidade, mais que muilo importante,
indispensavel por muilos principios ao trinlo
da boa causa. Esta verdade parece que nunca
foi bem comprebendida no lempo da passada
administradlo : e com ludo oeleilo moral de
urna similbaule conquista grande e frtil em
resultados ; um golpe mortal dado rebel-
lio. A noticia da primeira invaso daquella
cidade a 3o de Junbo poz a capital na mais
extrema consternaco infundio um terror ge-
ral fez varillar a constancia dos pinos ea-
meacou a subverso total da provincia : e nao
se attendia smenle aos grandes recursos que
os rebeldes acbra na segunda praca commer-
cial da provincia, mas ao effeilo moral. Guan-
do Caxias foi de novo invadida pelos rebeldes
a c> de Oulubro j ella se achava destruida e
quasi no mesmo estado em que agora est ,
mas a noticia dessa ultima invaso cansou no-
vo abalo e cstremecimento nos nimos, por-
que os pavos altendia ao etleilo moral. A-
quella cid.ule servio de loco rcvolla e de
centro a rebellio. Foi alli que os rebeldes
organisrao a insurrei;o e a rodearao de al-
gum prestigio elegendo um governo .- alii
(|uasi toda a opposico figurou na revoha ou
insurreccionando deslrictos, e capitaneando1
bandos armados ou exercendo cargos da 110-
meacffb dos rebeldes, A posse da cidade mais
(*) O malvado Bernardo Anlonio da
Silveira com Irinla homens armados inva-
di a cisa de urna senhora Ilustre e roubou-
lbc una lillia. Fallava mais este allantado
para cncher a medida doscrimes de semilhan-;
te monslro !



DIARIO D ft PERNAMBUCO

-

, consideravel da provincia depois da capital
deu a rebellio muta forca moral; forca essi
queseannulla inteiraraente com a conquista
que acaba de ter lugar, Em poder dos rebel-
des Caxias ameacaya a provincia inteira ; oc-
ctipada pels nossas forcas essa cidade como
Capitao Leonardo Jos de Lima e Alferes
Virissimo (1 Azcvedo Costa que partira na
direita sendo os louvores devidos a seu denodo,
e prezo de os ter por companheiros.
Nao menos contemplo* em louvor, e apreco
o Sr. a. Tenentede Arlilheria Manuel Felicio
o preludio da pacificaco geral do Maranbao. e Silva. O cabo Jos Raimundo adido a i.
Cabio Caxias cabio a rebellio. j Linha he graduado a a. Sargento pela bra-
Depois da entrada das nossas tropas haviao-vura com que achando-se cazualmente na
se apresentado mais de 100 individuos; isto retaguarda do iumigo na occasio em que o
em 4 dias. O Sr. Francisco Dias Carneiro ponto fui atacado matou hura rebelde, que
depois de haver batido os rebeldes no Montei- mais fogo fazia sobre as nossas trincheiras e
ro lugar pouco distante de Caxias, matando- nellas se recolbco. Os rebeldes alera do estra-
lhes 18 homens ; e aprisionando 8 avancava *go que sofreno, na torca perdera to bem
a grandes marchas para o Puly a fino de a- urna canoa que est em nossas naos. O meu
brircommunicaco com as forcas do Piauhy. Ajudante d Ordens o Sur. Capilo Joaquim
Honra seja feta aos restauradores de Ca- Ferreira de Souza Jacaranda, que mandei a
Coronel Sergio TOJO importantes servaos a factos e circunstancias que o momento depa-
esla provincia na-, podem ser escurecidos a- rou. Tenha (ois a forca legal completa segu-
pezar das calumnias dos seus detractores. Hon- ranea de seus triunfos e saiba mais que por
rae gloria aoSr, Capitao Ernesto a quem se noticias, se bem que nao olliches mas de
deve em grande parte o feliz resultado da ex- pessoas acreditadas sabemos aqui, que a
pedico sobre Caxias, Honra e gloria aos Sis. rebeliao pelo lado de Caxias yai em comple-
lenenle bastos Francisco, eSeverino Car- tadecadencia e que os rebeldes j se apre-
iieiros. Honorio Burgos, a todos os Srs. Of- senla em grande numeVo as file ras da legal-
liciaes e a todos os bravos que arriscarais dade. Hum grande auxilio d'armas muni-
sua* vidas na conquista da cidade. Coes e fazendas acaba de nos chegar a Par-
Parabens Maranhenses esta restaurada a ,,ahiba vindo do Maranbao e isto junto com
|0 quedo mesmo j ali temos, e bem
cidade de Caxias !
(Snpplemento Revista.)
OEIRAS *] DEDEZEMRRO.
assim
mantrnenlos, que breve nos deve chegar ,
i habilitar a forca desto campo a partilhar acli-
I vamente da gloria de defender a br lia Provin-
I ca que a tanto geme em mos barba i as, e
lassassnas. Manoel Antonio da Silva Te-
Hojo das duas para tres horas Ja tarde lo- nenie Coronel Commandanteem Cbefe Es-
pos aqu surprehendidos por urna occurrencia t conforme Joaquim Ferreira de Souza Ja-
desagradavel. caranda Capitao Aiildanie de Ordens.
Por occasio de abnr-se umaprizo, que,
conten parle dos prisioneiros le los na Cam- '
panha, para se Ibes dar a comida arroja- Mm eExnV Sr.-Os 14oo rebeldes que ain-
'ia pouco siliava aperladamente a villa do
mais
. .. .. miauestraga
ja Uuham, depois de er.fem a asoldados, Has, e a miseravei bagagem que irazem cons-
e serem alguns leridos evadirn-se em nu- taillemenle cahio em nosso poder. Esta a
mero de 70. ]\o mesmo momento um alarma
la :;
rain se elles sobre a guarda que liuba bayo- da
- u 1I11 -----|--.. ..,.,,. ,,w gui;iiuuaiiiruic .1 twi
netas caladas na porta e armados de achas de iL,lU (W desalojados e perseguidos por
lente, que forao apanhando e oulras que de una legoa : snas trincheiras forao estr;
continuos sustos nos Irazem
poder.
maior victoria que a legalidade tem alcancado
mero
160,
fortes
1-----~ quer. anda o grande
, ,as piejuizo que iera e ao pouco que sallemos.
tarde, e somete .7 rebeldes de.xarao de ser A arnh teve no ^ J, n>s,e ^
al este memento apanhados. No conflicto,lo- CPSS0 distinguindo-se muilo o ..'Pnente
rao mirtos p; a, gi^e, ep levemente len- Jesuino Lamego Costa cumprindo tambera
dos escapando smenle Ucze inclumes. com seu dcvcr os ,fc Tciienle.s'jos Segundino
Mu.las pessoas que sepersuad.au dae- Gomensoro e Joo Baplis'ta deT.vcira Gui-
cessidade de falsos alarmas para conhecer-se mares. (*) Sobre o Pnente Lamego ouso
na actual cr.ze o espirito dos habitantes desta chamar a attenco do Governo eemitlir meu
Cenital, e lel-os alerta para qualquer oceur- ju,0 sobre a juslica e extrema ulilidade de ter
1 enca ricrao boje convencidas do amor que quaio antes o premio de to assignalados ser-
os eirenses consagraran ao publico socego e VICM. Se o Oficial que recominendo sabe-
de sua aversao aos deso dci ros, quando vira doria do Governo for recompensado com o poi-
que mullos anclaos e pessoas respeitave.s se lo mmediato oulros se preslara tambera
apreseniarao com a roupa que vestida t.nha como elle e a causa da legalidade e a honra
e com a primeira arma que encontraran a um brasileira deceno que com isto milito ganhar.
para irem recolher no seio carinlioso de J.
C. os ltimos suspiros do muribundo, suslen-
lando-lhe a F acorocoando-lhe a esperan-
ca acendendo-lhe a Caridade nestes ltimos
instantes de tribuiaco, e de horror. E no-
te-se que quem taes sacrificios praticava nao
ero sacertoles mocos, e robustos po-
reni sim Religiosos encanecidos, e muitas ve-
ces ate' valetudinarios elies entranhavao-se por
essas maltas, e sertes lrzpunlio bosques, e
serranas, ela hio levar a pala vra de Dos
a esses homens rsticos, e quasi montesinhos
as Msoes, que abriao quanlos amancebados
nao casavo quantas reconciliacoes quanlas
restiluices, quanlas converses nao cooseglli-
o desses povjs queja o conhecio, res-
peitavao, e tinho em grande veneraco !
Taes forao as culpas que motivaro aex-
linco desses religiosos em huma quadra de
vertigem em que o odio ou despreso s ideias
de Religo ero huma especie de certificado
de Patriotismo liberal e extreme. Mas j
he lempo de ter feilo essa febre a sua remiten-
cia : ja huma dolorosa experiencia nsss nos
lem provado a falla, que nos tem feilo esses
Religiosos votados por sua progo ao labo-
rioso ministerio das Misses. Discorra
quem quiser pelo nosso interior, e v ver,
v lastimar o estado de bruteza, de igno-
rancia e immoralidade em que vivera esses
homens sempre dispostos ao latrocinio ao
roubo e aos mais horrorosos homicidios. Ah!
Se anda existissem em missao os Religiosos
Capuxinlios cstou 5 que a guerra de Pane-
las nao chegaria ao que chegou. Em
ver de lantas baionetas em ves de tantos
instrumentos da destruico, o da mor-
le bastara que la fosse "hum Missiona-
rio destes que com o humilde estandarte da
Cruz ihsignias de paz, de mancido de a-
mor, e de vida, ludo atraibiria a si, e chama-
ria ao aprisco a essas ovelhas desgarradas.
Leia-se huma das Pasturaes do Exm. Snr.
Arcebispo Metropolitano desse Prelado
rigor do invern, se eroJ'cbamados larga-[ lureza desta causa'nao admitte a mnima d-
vo oagatalho,e repouzo dos seus cubculos laco. E para que esta suspensao chegue ao
couhecimnnlo de lodos e *e poupe aos mais
Srs o trabalho de virem talvez de longe
prestar sua assignatura rogo a Vms. que se
digem inserir estas linbas em seo Diario |el
que Ibes serei cada vez mais obrigado.
Joo Cavalcanli d'Albiiquerque ,
Viga rio cuniriuado do Cabo.
CAMBIOS.
Rio do Janeiro 4 do ^arjo de 18^0.
Londres------------------------joiljaai ora.
Paris--------------------------j,,
Hamburgo ______5^^
O uro em barras- ufl
Dobres hespanboes-------- a^sJoa a iBt'S5o
da patria--------------8*a5o a a83oo
PezOS bespauboes--------------itl('o
Moedas de 6U400 vclhas 15 faoo a 15Jfafcj
novas i.-ji; xi.>
de 4U000-----------_ ^Urfoo
Prata-----------------------.,
Apolices de ti por cento juro 7 J 11
5 -
( Do Jornal do Comnteroio. )
LOTERA da BOA-VIST a
O Thezoureiro da Lotaria a beneficio das
obras da Matriz da Boa-vista la/ sciente ao*
amantes deste jogo une as rodas audo 110-
preleriyelmente no dia seis do prximo me/,
de Abril e osbilhetes aehao-se a venda 110
lugares do costume.
THEATRO.
Domingo a* do corren le se representar a
grande Pea Sacra
SANTA CECILIA,
Esmalte de Roma,
Avisos Diversos.
de tantas luzes e virtudes e nella se vero com todo o luxo e brilhantismo com que foi
os beneficios, que desses Regiosos tem colhi- representada para .1 Sociedade Theatral. Ser
doe vai colhendo o bom povo da Babia que ornada de coros de muzica e da brilhante
muito os venera e ama. -:-r~ A~ n --:-
Quanto aos nossos Parochos, ainda que al-
guns sejao mu dignos, ezelosos, todava s
a adminislraco dos Sacramentos Ibes rouba
lodo o lempo de maneira que nenhutn Ibes
sobra para Catbequisar Missionar ele. etc ,
alem de que alguns b, que desgracadamen- I -----Jos Mara Pestaa rctir.i-.se desta Pro-
le no lem a precisa capacdade para lauto, viuda para a da Parahiba.
Finalmente em que dispende o estado com a UT O Secretario d ciedade Ternsirlin-
existencia dos Religiosos Capuxiuho ? Que re, convida aos Srs. Socios da mesma para qiie
prejuiso nos podem causar esses Padres quasi compareea pelas 7 horas da noite do dia 2i
vida cxemplar e que s docorrenle na salla de suas Sessdes a fim do
lodos andaos de
seoecupo da vida espiritual e. do mais im- tratar-se sobre mudarica pan nova caza,'e
admsses de Candidatos.
isy A casa de pasto da ra dos Quarlois D.
Dos guarde a V. Ex.
Maranbao 1a de
\m Sr. Ja,-
Manoel Fe-
inopinado rebate Urna tal promplido e o
desejo que linha lodos de verem capturados Novembr de iS39. -Tllm."e~F
os I ugidos rebeldes, muilo agradou ao Exm. cinllio Roque de Sea Pereira -
br. 1 residente, que deo mostrea de sua satis- |zaid0 de Souza e \'elio.
faci vendo-se rodeado de Cidadaoi de todas (Chronca Maranhense )
as elasses e idacles que so esperavao seu me- ; '
nur aceno a bem da publica tranquillidade.
(Do Telgrafo de Oeiras)
Comuiunicado.
portante dos negosios da salvaco eterna ?
Mil gracas e louveres sejo dados
ao Exm. Senhor Presidente pela sua feliz e' precisa de um cozinheiro.
bem acertada lembranca. Elle adquerio com tST Respondemos ao Sr. Emprezario qua
esle passo mais um titulo estima dos sisu- ; segundo a experiencia tem mostrado na Peca
dos e bons Peruambucanos.
de franebinotes elambusado
Vollaircs dos Diderols, dos Citadores etc.
Se um pugillo dos 3o annos que quando a peca he boa a
as na lico dos concorrencia de Ex pectadores deve ser favo r-
ete reprovo a reintegraco des religiosos Ca-
puxinhos os homens maduros, os homens cor-
vel ; e assim de novo Ihe reiteramos o nosso
pedido.
S2y Precisa-se alugar urna casa terrea pa-
dalos, os honrados pais de familias, as senhoras ra pequea familia ou mesmo urna loja a
honestas e piedosas anciosamente desejo velos que o seu aluguet no exceda de ti a H|' reis;
PARNAHIBA 14 DE FEVEREIRO.
Com que satsfaco li o oficio que o Exm.
Quailel do Commando em Cbefe no Acampa- Snr. Presidente da Provincia dirigi nossa
ment da Sapucaia i de l'everero de 18^0 Assemblea Legislativa Provincial em data de
iti do corrente mez relalivamenle reintegra-
cao dos religiosos Caouxinbos, cuja commu-
nidade fora aqui dissolvlda por Le da Assem-
blea Geral de ai de Agosto de i8Ji (uau-
lo me he lisongeiro o ver que as iiieiqs ,
Ordem Geral n. l3.
Chefes, Officiaes, Officaes Inferiores,
Soldados c mais pracas do meu Commando !
Os Rebeldes que no dia a6 do mez passado ha- que por muitas veses he propalado, desen-
via em sua peda atacado o nosso ponto alem volvido, e sustentado em meus pequeos e
do Rio na Repartico vollara de novo na pobres escriplos seacho enrgicamente re-
manb d'onlem com o intento de se apossa- sumidas, e apadrinhadas pela pri.ueira Au-
rem de um ponto por nos defendido Vas cloridade da Provincia, por aquelle ,que me-
es, iei ancas! Aos bravos ah destacados nao : Ihor deve de conbeccr as precises do povo co-
cabe o dezar a defeza lo como sempre e metlido suaadminislraco!
coadiuvadn o Destacamento com os Pifjucles I Em verdade que mal faso a qui os Re-
que do Acampamento partiraS aos rebeldes ligioso Capuxinbos ? Elles ouvio de confissio
sabio cara a tentativa explorou-se o campo ,
em 3 columnas e muilo sangue e oulros
vestigios provarao a sua completa fuga, e
derrota. Ao Sr. Capitao Jos Francisco Se-
rejo Commandanle do ponto da Repartico e
os Srs Capilo Joo Jos do Reg Jnior e
'Pnenle Alexandre de Souza Barbosa que par-
tira na exploraco da esquerda Capilo An-
tonio Pereira Jnior e Alferes Custouio Jos
deSouca Lima ; que partira na do centro ,
restituidos ao seu Hospicio ; e esse dia ser de
hum extraordinario regosijo para o bom Povo
I ernambucano.
Move-se a convieco, e nenhum interesse ;
eu fui em meus tenros annos doutrinado por
esses virtuosos Padres ; elles foro os meus
primeiros Confessores. Tem de ser traclado
esle negocio n'Assemblea Provincial; ejase
v qual ser o empenh, qual ser o voto do
Padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
Correspondencia,
] a toda a hora do dia e da noite elles promo-
van com grande fervor e decencia o Culto
Divino : elles ensinavo em sua Igreja aos
meninos a Doulrina Christ j elles no maior
(*) Por engao foi mencionado o r. lenle
Joo Baptisla de Oliveira Guimares, que
nunca sabio da cidade devendo ser 01. te-
nenie Joaquim Jos da Silva que foi quem se
achou no lcal como 1, teneule Lamego.
Srs. Redactores.
Mil louvores seja dados aos Nobres e
Honrados Peruambucanos, que apenas virau
o annuncio para se assignarem na supplica fe-
ta a S. M. I. em favor do benemrito e mal-
fadado Major Manoel Boavenlura Ferraz,
concorrera porfa e com a maior satsfaco
prestar sua assignatura banhando-se de
lagrimas huns e oulros oflerecendo franca-
mente sua bolea para qualquer despeza que
houvesse de occorrer cujos nomes brevemen-
te ser publicados em hum folheto que j
se acha imprimir-se. Mas, Srs. Redacto-
res no meio de to grande concorrencia che-
gou do Norte o barco de Vapor e eu me vi
na trisle necessidade de suspender tudo imme-
diatamenio por no perder esla occasio de re-
messa para o Rio de Janeiro ; visto que a na-
iiue
quem tiver dirija-se a esta Typografia
achara com quem Iractar.
Precisa-se de um homem Porluguez, ou
Hespaubol q' enteida deslilacao para ir para
o Engenho Burarema freguezia de Serinhaem
quera perteuder dirija-sea falar com Manoel
Goncalves da Silva na ra da Cadeia do Reci-
fe.
tgr O abaixo assignado herdeiro por parte
de sua mi Francisca da Assumpco Reg,
nos bensdo falelido Andr Alvesdo RegO, faz
publico pelo presente, que niuguem contra-
te negocio de hypoleca ou venda com Floren-
cia Margarida dos Prazeres; encabecada no*
seguinles bens mais sabidos ; huma morada
de casas terreas na ra do Rangel numero ati,
outra dita no fundo desta com frento para a
ra da Praia, huma escrava do gento de no-
mo Luzia, huma filha da mesma. e hura es-
clavo de norae Joo \ niuguem pois a vista do
ex posto poder de boa fe contrariar negocio so-
bre ditos bens, sem comprometer-se ao perdi-
mento do seu valor e sem incorrer no crime do
huma tranzaco dolosa em prejuiso de tei-
cero.
Manoel Jos da Costa.
-----Vende-se urna molatinha escura de i-
dade de treze anuos com algumas habilida-
des muilo bem educada propria para 1110-
cama : uesla Typ. se dir quem vende.
12?" A pessoa que quer cera mil rs. sobre
buina escrava ; dirija-se a ra Ja '
Rccic n. til.
CaJda no


s
DIARIO DE PERNAMBCl'O
KT
A pessoa que quer comprar urna por-jo abaixo assignado respondeo que conhecia
s mas que nao tinha amisade ; a pesar dis-
so tornou o dito sugeito rogo-lhe o favor
de entregar-he urna carta e o abaixo assi-
gnado respondeo-lhe que nao vinha em deire-
ctura a Pernambuco porque 'pretenda espe-
rar no Rio de Janeiro pela sua reforma ; s
o que poderia fazer era botara carta no cor-
reio (piando chegasse no Rio de Janeiro com
o quese conformou odito liomem entregan-
do ao abaixo assignado a carta pira o dito Sr.
Jos Carlos, e logo que o abaixo asignado che-
gou no Bio de Janeiro botou a dita carta no
correio. O VJajor Jos Gabriel de Moraes
Mayar
Avisos Mai'itirnos.
PARA O RIO DE JANEIRO segu via-
gem dentro em poucos dias o Brigue Roza,
recebe passageiros para oque tem exce'lentes
rom modos ealguma carga, os pretenden les,
dirijan se a ra da moeda D. 141 ou a Fir-
mino Jos Felis da Roza.
L e il a o
^rSo de cordo de ouro sem feitio dirija-se a
ruado Crespo D. n.
13?" Quero annunciou querer um caixeiro,
para venda dirija-se a ra de S. Tbereza
125" A pessoa que annunciou querer com-
prar pesos de duus arrobas at meia libra ,
sendo queira de urna arroba at duas libras ,
dirija-se ao atierro da Boa vista venda D. 34-
C5" Arrenua-se antiualmente una cas*
terrea a barracada, sha na ra que vai da es-
trada da solidado para o manguinho repar-
tida segundo o goslo moderno tem corredor
lavado sala de vesita, forrada com ik pal-
mos em quadro tresjanellaa.de pettoril en-
vidrassadas 8 qiiartos sala boa de jantar ,
ozinha fora, com assento de igu ingle/. ,
oontendo seis fornalbas, e seu respectivo f'or-
no quintal murado, com cacimba de agoa de
beber seniaila para seis escravos estribara
para a cavallos com portao para a frente da
ra, independente da porta principal e
tudo muito bern pintado e suficientemente
asseado ; os pretendentes eutendc-se com
o Eserivo Almeida que tem poderes para o
ditoarrendamento.
tS$- Na padaria da ra das larangeiras f>.
i5 precisa-se de umi pessoa forra cu capti-
va que cntenda do servico da mesma.
KT Precisa-se de urna ama que sai lia co-
ser e engommar e que seja babil para todo
o servico ; na ra da cadeia do Recife D. 45.
W O accionista das cautellas desmancha-
da de bilbetes das Loteras em decima parle
fazscientea os apaixonados deste jogo, que
tamben tem cautellas perlencenles a quarta
parte dos bilhetes da lotera do tlieatro em
cujas cautellas o inaior premio he de um cont
e quinhentos aqualcorr impreterivelmen-
te no da a3 de Mareo conforme o annuucio do
Sr. Thesoureiro ; vende-so no alterro du Hoa
vista na loja do Sr. Rapozo cautellas de aliar-
lo e na praca dila na venda do Sr. Saraiva ,
na ruado crespo loja de miudezas D. 5, e as
5 pontas venda D. p do annunciante ; e nos
mesraos lugares se achlo a venda as da lotera
da Roa vista, que corre no da 6 de Abril con-
forme annunciou o Sr. Thesoureiro.
tsr Df sapareceo da casa do abaixo assigna-
do no dia 18 do correte una escrava creou-j S^y Dous pares de casticaes de vidro ; nes-
la de nome Maria de bonita figura dada ,a Typografia.
de So anuos, letou vertido de chita epan-; VW Vaccas e cabras eque seja boas de
no da costa ja uzado roga a todas as aulh leite ; quem tiverannuncie,
ridades policiaes de a mandar prender e i tST Urna arte de Lonimond ; quem liver
mette-la a praca da boa vista venda D. i que annuncie.
ratificar. Jos Alvos Lima. .--------~------->--------------
jsy Aluga-se um sobradinbo de um au- VendaS
dar no atierro das 5 pontas defronle da fabri-
ca de tabaco, com duas sallas, .{ quarlos ,
cszinba fora e quintal com cacimba e est Ihealro ; na ra do Cabug loja de rclojoeiro
pintado de novo ; a tratar no mesmo
SSr Prccisa-se fallar nesla praca rom Joo
Ignacio da Costa a negocio de seo interesse ,
por sso queira annunciara sua morada.
S3=- O abaixo assignado tendo compiado
de sociedade com Manoel Dias Souto tresmeios
bilbetes da segunda parle da Lotera do Tlie-
atro den 403. 5oi e i3l4
^*t> Muito superior oliado de pinturas de
diversas cofes para capas de mezas grandes
e pequeas ou bancas desala, estampado em
baeta de algodo com largura de 4 e meio e
7 e meios palmos e botlris de bezerro para
do anda pucha pela perna direta ; Rita da
idade de a5 annos fulla da cor de boa es-s
talura secca do corpo os cabellos da cabe-j
a muilo ralos e ruivos ; Antonio de idade d*
4 annoj; fullo da cor, tem um olho vasa-
homein chegados ltimamente de Lisboa; na do ps apalhetados todos estes escravos fu-
tsy Que fazem N. O. Bieber & Compa-
nbia por intervencSo do Corretor Oliveira ,
( transferido no (lia j& do corrente por cauza
da cliuva)d'um bom sorlimento de espingardas
iasarinas, ditas de caca, sovellas, brochas' co-
IIteres de estanho, bezerro, pedras para afiar ,
dedaes, trinchetes estribos, bridas, missan-
gas caivetes tisouras, e facas de xarque-
ar&c. quinta feira at do correte as io da
maith no seu armazemda ra da Cruz.
SS^" Que fazem Alexandre Mackayfic Com-
panha por intervenco do Correlor Olivei-
ra de urna poreo de ferragens muito finas ,
caivetes navalhas
martellos facas e
garfos trinchantes, afiadores, lancetas, ser-
rotes de nmeros altos, caixinhas de mogno
conlendo cada urna 5o garfos e facas de cabo
de prata ; terca feira a4 do correte as lo ho-
ras da manh no seu armazem na ra da Cruz.
,,ro a a de Janeiro do corrente auno, e sao-
de angola ; Paulo de idade de ao annos ero-
oulo official de'alfaate, ps apalhetados,
olhos abugalhados cor fulla secco do cor-
po sabe 1er e escrever c supe-se adiar na
Cidade de Olinda, e algumas vezes apareceo
nos quatro cantos to sufrivel cachaca e ja
foi escravo do Padre Mestre Pegado, e a 5
mezes que se aeha fgido ; Severin o creoulo,
de idade de ao e tantos annos, boa figura cor-
io ordinario bem prelo e muito esperto ,
az ib dias que fugio ; quem os pegar annun-
ou leve-os uo rigadeiro Antonia
ce, ou leve-os uo nrigaueuo Aiitoni* Ro-
drigues de Almeida ou a Ignacio Xivier
Caroeiro da Cuuha que lie o Sr. dos referi-
dos escravos e morador de presente no en-
genlio barra.
S2^- JNo da 11 do corrente fugio om ne'ro
bucal de nome .Manoel de naco Aupla
com idade de 35 anuos, altura regular cal-
vo com m talho no meio da dita bem
barbado tem urna velida no olho direito
sendo principalmente
para barba tisouras ,
Compras
ra nova loja de Ferreira & Braga, D. aa
^^SS^* Na loja da praca da Independencia n.
i-j de Jos Tavares da Gama por preco com-
modo o seguinte sorlimento de calcado e ou-
tros objectos de melhor qualidade e gosto a
saber ; calcado de bezerro francez bolins e
cpalos de Lisboa para homem botins de
duraque e de panno para dito calcado de,
marroqnim, duraque, setim, cordao, couro
de lustro e botinas de duraque para senhora ,
calcado das mesmas qualidades para meninas,
chapeos pretos e brancos para homens e me-
ninos chapeos deso de seda para homem, e
senhora cpalos de couro de lustro e ebe-
nelas de marroquim para horr.em bengalas
de diversas qualidades e ltimamente chapa-
das*
t^ Urna casa terrea nos afogados defron-
te da Igreja de S. Miguel trata-se com
Antonio da Costa Lobato fisiono a mesma
casa ou nesta Typografia.
tSf Meios bilhetes da lotera do tlieatro ;
na ra do Queimado loja de fazendas de Ma- j levou vestido camisa de algodo da trra, cal-
noel Joaquim Silveira. j cas de brim branco colete de sarjp prela ja
SS7* Meios bilheles da loleria do Tlieatro ;, veiho e um saco com lodo sua roupa anda-
no pateo do Terco venda D. 9. j va venciendo fazendas com urna creoulade no-
tSF Bilbetes e meios ditos da lotera do, me Hibianna ; quemo pegar leve a ra do
theatro ; na ra da Madre de de Dcos. Livramento sobrado de dous andares l). u5
tT Meios bilbetes da lotera do theatro a defronte das catacumbas da mesma Igreja, que
458o; na loja de Manoel Comes de Car va- ser recompensado.
lbo ao p do arco de S. Antonio. ^12^* Roga-seaos Snrs. Sub-Prefeitos e
SSr Bilhetes e meios ditos da lotera do mais authoridacles desta e rnais comarcas e
theatro; na ra do Cabug loja de miudezas pessoas particulares que soubercm ou virem
junto a botica. I urna negra de nome Josefa de idade do 34
f^ Meios bilhetes da loteria do theatro ; anuos altura regular secca do corpo cor
no atierro da Boa vista loja de fazendas D. i5. fulla nariz chato com una marca de ferro
BST Bilhetes e meios ditos da loteria do de sua trra em cima um dedo grande ale-
theatro, a 4^00 eos inteiros a nove mil rj.; jado em urna das maos ps pequeos cos-
na ra da cadeia n 48 loja de cambio. turna intitularse por forra c mudar de no-
S2T
e ca
gario n. 15 casa de Mendes e Oliveira. ^ ..pareceo nm moleque creoulo de nome Be
ST Um moleque do gento de angola mui- Clo de idade de 14 annos sem chapeo le-
lo deligente para todo o servido, bom ven- TOu vestido camisa e calca de algodo, com
dedor na ra ; atraz dos Martirios D. 39. j urna perna meia torta um signal de queima-
XST 4 casas terras novas, boas, livres e dura de logo perto do olho esquerdo e tem a
desembarassadas de qualquer onus sendo liugoa meia perra; quem o pcar leve a Olin-
uma na ruado Fagundes outra na ra Au- da no varado uro sobrado n. 14 >ue sen re_
gusta, e duas na ra do Peixoto; a fallar compensado.
com Manoel Ferreira Ramos na loja da quina | t^-Joo Baptista Claudio Tresse pede ao
da ra do Crespo Tllm. Sr. Prefeito c mais auihoridades poli-
rua da cadeia n 4 loja de cambio. turna inlilular-se por forra c mudar de no-
SS^" Rape de Lisboa chegado pioximamente me quem a <)egar leve ao alterro da Boa vis-
aixas com vellas de cera fabricadas em Lis- la n 4 que receber ao,ooo de "ratifica o
1, de diversos tamanhos ; na ra do Vi-( ssr odia 19 de Fevereiro"p p dsa-
tsr
Urna escrava de naco Cabinda com caes e igualmente Sis. demos
Bilhetes e meios ditos da loleria do bonita figura meia ladina por preco com- (embarcaces a aprehenco de um escra
este ultimo
desencaminhou-so, pelo que roga ao Sur
Thesoureiro da dita Loteria que se digne nao
pagar o que por sorle sahir em dito bliicle a
outra pessoa que nao foro annuncianle. An-
tonio Jos Villas Boas.
SST O abaixo assignado faz certo ao res-
peitavel publico que nenhuina pessoa con-
trate com a enhora Josefa Roza da Fonseca ,
pelo que toca a melade da casa terrea sita na
ra das trincheir&sdesla Cidado D. 1 3 visto
queessa metade de que ella se faz senhora,
est obrgada ao abaixo assignado pelos alu-
gueis da outra metade da mesma casa de que
elle he legitimo senhor e.possuidor para cu-
ja satisfaco eda Dcima, que elle pagpu pe-
la dita senhora ; foi pinhorada e arremata-
da por alugel a referida metade que ella
diz pertencer-lhe e alem disso a mesma se-
nhora contende judicialmente com o abaixo
assignado acercada supradia casa, c para que
ninguem se adame a ignorancia faz o presen-
te annuucio. Agostiulio da Silva Guimares
tST Deencamiuhou-se o inventario dos
bens do finado Reverendo Caetano de Sou/a
Antuoes inventariante U. Tnereza Perpetua
ce Jous*, e por isso roga-se a esta pessoa que
delle souber o entregue na ra dos Quarleis
D. a no prmeirn andar que ser recompen-
sado.
ssy Quem annunciou querer comprar va-
cas com crias sendo que queira duas de pri-
meira barriga dirija-se a ra de S. Rita no-
va casa terrea D. 1.
tsr O abaixo assignado responde o aunun-
cio do Sr Major Jos Carlos Teixeira ; que
no Rio Grande ebegou-se a elle um homem ,
epergnntou-lhe sa conhecia seu genio Jos
Csrloa Teixeira Inspector do arsenal, a que
jmio do Sr. Bandeira.
tsr Um moleque de naco angola de ida-
de de la annos ; na ra dasenzaia velba D-
cima 39.
s*y Dous selins em meio uzo ; na ra no-
va armazem D. 34*
>.CF* Um tratado de fsica e quirnica com
estampas anda sem uzo um diccionario
francez um Mestie dito, historia do Feliz
independente ; em Olinda ra do Bom lim
11. a.
E^ Urna molatinha de idade de i3 anuos,
com algumas habelidades ; muilo bem educa-
da por isso ptima para mubauda ao com-
prador se dir o motivo ; na ra da Penha
sobrado de um andar do l&do clo Livramento.
jsy Terrenos com arvoredos de ffurto na
passagem da Magdalena entre as duas pon-
tas no sitio de Jos Joaquim fJezerra L'a\ al-
eante ; a tratar com o mismo.
tsr Umcavallo carregador haixo; na ra
nova D. 39
ssy Duas correnlesde ouro muito boas pa-
ra relogio de algiheira sendo urna grossa e
outra mais delgada ; na ra do Rozario da
Boa vista sobrado de dos andares confronte ao
pateo da S. Cruz no segundo andar.
tsy Bezerro francez a du'-ia j0,000 e as
pe les a a 000 ; na ra Dreita lojas de couro
t). 4 e 18; assim como da-se 100,000 a juros
sobre pinhores de ouro.
SS Una venda com poucos fundos naqui-
na da ra do ardim e tem commoilos para
familia ; a tratar as 5 pontas D. la*
CS?" Um casal de escravos de meia idade
sendo o marido molalo na ra do Queima-
do loja de fazendas D. 17.
S_r Urna quarlola e un barril para azei-
te de carrapalo, dous ditos para azeite doce ,
e 5 pipas para agoardenle ; lias 5 ponas D.
a3 onde tem o lampio.
s-Xst Urna canoa de amarelo de carreira .
muilo leve de vara corrida de alcalro com
chapa de ferro na pr,a com corrente e chave,
e proporces para carregar 4 possoas ; na ra
cLuaucm 11. q.
a capites de
vo lado do Livra-
i'ioviineiito (io 'orio
modo : na ra Di/eita D
ment.
tST Urna poicao de pranxoes de louro ; no contra o comprador; este escravo fb
beco do peixe frito D. 4
ssy Um moleque creoulo, de idade de
11 annos muito hbil para pagem ou outro
qualquer servico ; na ra da Hospicio pri-
iiieira casa terrea pegado ao primeiro sobrado
do lado do poeute.
$27" Na loja Iranceza de Alfonso S. Martin,
muito boas fazendas para vestidos de Padre ,
e muitos boas meias de peso.
ty L'ma vareada de fero de vinte palmos
de fenle pelo preco que custou a quem fez;
na ra da cadeia do Recite n. 4 "" primeiro
andar.
S55" Um escravo cabra, de idade de 18 an-
nos bom carreira e trabalhador de cncha-
da e macliado ; na ra kda cacimba armazem
de assucar D. 5.
tsjr abo palmos de trra com a-o de fundo
e com alguns arvoredos no lugar da capun-
ga e um berco de Jacaranda ; a tratar 110
manguinho estrada de ponte de Uchoa no sitio
que luz quina com o beco da capunga.
iif- Dous escravos de idade de ao a a5 an-
nos um moleque de la annos de bonita fi-
gura um creoulo de 18 annos de ellegan-
le figura e oplimo pagem 4 escravas mocas,
de bonitas figuras todas com habelidades ,
urna linda molalinha de ib annos cose en-
gomma e he recolhida a parte de um so-
brado na ra de borlas que rende aa 000
mensaes, e urna completa mubilia '1 na ra
de agoas verdes U. 3.^.
Cf Meios bilheles da loteria do theatro a
/(boo ; na quina do beco da Congregaco D.
ii loja de Jos liste ves Vianna,
Xgj- Um cavallo alazo bom carregador;
na ra nova i). .'\.
vo
que
se supoe estar furtado ninguem poder fa-
zer compra com o dito sob pena de se proceder
contra o comprador; este ef.cravo fui compran-
do ao Sr. Joo Frederico Ahreu Repo mora-
dor na ra de agoas verdes D. 38 no dia
17 deSetembrodop. p o dito doaparereo
no dia / do passido com os signaes seguin-
les ; de nome Benedicto fcaixo. chelo do
corpo, de naco mucambque cor fulla,
cara redonda e cheia olhos oupados nariz
chato o andar pesado falla descansada de
idade do ao anuos tem una orell.a Imada
de prximo ; quem o pegar leva ao dito Sur.
a cima morador na ra nova D. 19 que re-
compensar com a,ooo.
NAVIO NTRAD0 NO DIA .9#
Kscravos
Mugidos
XSF Da-se 3o,ooo de gralificaco a qual-
quer pessoa que aprehender algum dos esara-
vos seguintes ; Francisco cor fulla da ida-
RIO DE JANEIRO, aodias, Barca Ingleza
Marre de i 7 tonel Capilo Daniel Roy-
land equip 18, carga calf assucar ," e
outros gneros j ao dilo Capito ; veio re-
frescar.
Barca Ingleza Perceveren-
. Cap. oekhiel equip,
a Scliramm.
DITO ; 1 das ,
ce de a3^ tonel
1 em lastro ;
SAHICO NO MESMO LIA.
TRIESTE; Brigue Noruega Capito H. O.
Jensem.
LISBOA ; Barca Porlugueza N. S do Roza-
rlo Capilo Manoel Francisco de Souza,
carga assucar.
UAMBURGO; Brigue Hamburguez (amas,
Capito J. J. Ponnanes carga algodo
LlVEi.POOL ; Barca Ingleza Nighlingale ,
Cap. Thomaz Ilunler carga assucar e aP
godo j passageiro um com a familia.'
de de 40 annos, bom corpo, e aliura, quan-K ECll E NA TYP. DE M. F DE F
MUTILADO
184^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBIZSYQM6_A4JUSK INGEST_TIME 2013-03-29T18:31:04Z PACKAGE AA00011611_04046
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES