Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04044


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Anno de 1840. Quarta Feir
II I II .......I I II I II
I
^ Tndo agora depende de nos meamos; da nossa prudencia, modera.'
teo, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontados
\ eom admiracao ehlre as Gares mas cultas.
Proclamadlo da Assemblea Gcral do Bratil.
Suhscreve-se para esta fo!h a 3,?ooo por quartel papos adiantados
nesia Tvpografia, ra das Cruces D. 5, e n fracs la Independencia
ps. 07 e 08, onde se receben correspondencias legal badas, eannuucios,
insirindo-se estes tpatis, sendo dos propnos assignantes, e vindos assie-
gnados. 8
Partidas dos Correios Terrestres.
CHadeda Parahiba e Villas desua preteneo. .'...............\
Dita do Rio Grande do Norte,e Villas fdm. ..................L .
Dita da Fortaleza e Villas dem..........................|i>egum1ai e Sextas Feras.
Villa de Goianna...........................*.".*..".*./
Cidad de linda .,........................."....I. '.Todos OS dias.
Villa deb. Antao..................................Quintas feiras.
Dita deGarannuns ePovoacSo do Bonito.....................r)ias l0) e H decsff, m
Ditas do Cali, sennhaem, K10 rormozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito.
Gidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores.............................. dem i, dito dito.
iodos os Correios partem ao meto dia.
de Marco. umfpo 6t.
*-.
CAMBIOS.
Milico 1^.
Londres...... 35 d. por foo ced.
Lisboa....... So por 0/0 premio, por mciaioiTerecidoJ
J*,anc.......30 res por franco.
nio de Janeiro ao par.
OURO Moedas de 64oo ri Vclhas i<.?5oo a i^-r.o
'>'! INovas i4S3oo a ii/!bon
? I-*itfs de PB.ATA Pataces Brasileiros-------------ij?58o a i^rirj
Pezos Columnarios------------ igSHa a |4tO
Ditos Mexicanos......-------.'#56o i^iSa
Premios das Letras, por moz : 118 a 1 tiipoi lix,
Moeda de cobre 3 a 4 J*>r >oo.de di se.
Das da Semana.
1" Segunda S. Cyriaeo M. ---------- Sesso da The*, e and. do J. de D. rJa 1. x.
17 Terca------- S. Patricio Ap.-----..-.. Hel.. c aud. do J. da 1. v do C. da m.
II Quarta S. Gabriel Arcanjn. ------ Sesso da Tliezomaria.
19 Quinta------->ff. S. Jos Espoto de N. S.-----
JO Sexta------- S. Martinho Damiense Are. Sos. da Thez. e and. do J. de I), da 1. r.
21 Sabbado S. Rento Al).---------------.- Kel. e aud. do J. de D. j j. v.
22 Uiii. 3. da Quar. S. Hemygdio B. -
Mare chela para a dia 18 de Marco.
As 4 horas e 5o minutos da tarde -- As 3 horas e 54 minutos da manila.' H
PERNAMBUCO.
ASSEMRIF.A LEGISLATIVA PROVIN-
CIAL DE PERNAMBUCO.
Acta da 19. Sesso ordinaria da Assemblea
Legislativa Provincial de Pernambuco aos
16 de Marco de iB/jo.
Presidencia do Snr. Dezembargador Maciel
Monteiro.
Feita a chamada achnrao-se presentes 24
Scnhores Depulados, faltando com partecipa-
eos S.ir. Manoel Cavaleanti, Manoel Cos-
ta, Lopes Gama, e Mosquita, e sem ella
os Snrs. Doutor Pedro, e Joaqnim Fran-
cisco.
Lida a acta da sesso antecedente foi
approvada.
O Snr. primeiro Secretario deelarou adiar-
se sobre a mesa o diiloma do Snr. Depntado
Eleilo Doutor Francisco Elias do Reg Dan-
tas ; e que alem deste Snr. arhava-se fora
na sala o Sur. Oeputado Antonio Cava loan-
te de Albuquerque ; o que sendo levado a C-
missso de Poderes esta inlerpo oseo pare-
cer declarando estar legal o diploma do Snr
Dantas, e que n.s este como o Sr. Antonio
de Abuquerqu podan ser admitidos ; appro-
vado o parecer foro introduzidos estes Snrs.
com as formalidades do estilo, e prestado o
juramento toma rao assento.
O Snr. Presidente nomeou para encarre-
gado de receber a quota declinada para o ex-
pediente da Assemblea e faser as despesas
necessarias ao Snr. Doutor Brito e por es-
cusa deste ao Snr. Antonio Carneiro, o que
foi pela Assemblea approvado
Expediente.
O Snr. primeiro Secretario leo um officio
do Secretario do Governo *no qual de ordem
da Presidencia, recomendava esta Assem-
Idea a restaura cao dos Capuxinlvos Ilaliannos
pelo Lem espiritual que produzio com
as suns pregnces ; foi a Commisso de ne-
gocios Ecclesiasticcs-
Ilum requerimento de Joaqnim Jos Bello,
Fiscal dos Afolados, pedindo a eanfirmaco
da gralificacode 200U res que llie foi con-
ferida pela Cmara desta Cidade Commis-
sodos Negocios das Cmaras.
Huma re presen la cao de propietarios de
casas na ra do Collegio c de alguns mer-
cadores de carne seca pedindo que seja re-
seitada a medida tomada pela Cmara da
Capital no artigo 1. das Posturas oddiccionaes
publicadas em De/embro do anno passado ; a
Comisso de Posturas de Cmaras. Leo-se
um p/irecer da Com. de Fasenda e orcameu-
to deferodo favoraveltoenle a representa-
cao dos arremattanies e socios do Disimo do
Gado vacum e ( avallar na qnal pedio a
relorma dos seos pagamentos, ltenlo o mal
tiiste, que lem acommetlido os Gados de Pa-
jau", e Moxol, foi approvado.
A mesma C.omiso tez lium requerimenlo
no qual disie ser necessario para ptogredir
em seus traballios que se peco ao Exni.
Piesidcnleda Provincia as seguintes informa-
ces : 1. A' resposla que tefe do Governo Ge-
tal relativa ao saldo de tresci.tos e lautos con-
tos em que se M"ha debitado o Tuesonro
Geral para com o Provincial pela disposicao
ta Le 00 orcamento de ao de Novembro de
18SS. a. Que quantia supprio o Cofre Pro-
vincial para a construeco do Caes jior im-
|>reslimo, j. Que dwspez'a se fe eom o enga.-
jamento dosofRciacs Mestres, e trabajado-
res, que existem nesta Provincia ; e igual-
mente a despesa que com os mesmos se tem
feito depois de sua chegada, 4. Quanlo rendia
o disimo de miuncas annualmente em toda a
Provincia, antes de ser dotado o seo rendi-
mento s Cmaras Municipaes, foi appro-
vado.
O Snr. Mello mandou o seguinte, que tam
bem foi approvado. Requriro que unindo-se
a reposta do Presidente da Provincia ao meu
requerimento a' representaco impressa cas
Inslruces do Prefeito do Limoeiro, que o(Te-
reco, v; tudo s Commis*3esde Consliluigo,
e de Juslica Civil e criminal para interporem
seo parecer ; 1. sobre a aot constitucionali-
dade, e anii legalidade das referidas Instruc-
ces ; a. (no caso de se enlenderem que taes
Instrucoes sao anti constitucionaes ouanti
legaes ) sobre a aquiescencia, e falla de provi-
dencias do Presidente da Provincia acerca das
mesmus Inslruccos H sobre o meio lej^al
e eficaz que esta Assemblea deve empregar,
para que as preditas Inslruges uo continu-
em a ter vigor e reger.
Leo-se a redaco das Posturas da Cmara
de Olinda ; a qual antes de ser posta votaco.
o Snr. Reg Monteiro fez este requerimenlo -
Requero o addtamento por a4 horas foi ap-
provado. ,
Ordem do dia.
Entrou em discusso a emenda da Comisso
ao art. i das Posturas do Limoeiro, empa-
tada na sesso antecedente, nesta parte subs-
tituto as penas de a a 1 oU reis ; foi appro-
vada tambem esla parle da emenda do Snr.
Pcixolo de Hrito ao artigo i4 que tinha fi-
cado empalada para os contraventores a
multa de 10U ; foi approvada. Ao artigo a
o Sur. Aguiar mandn huma sob-emenda a
emenda da Comissao-depois d 4 dias depriso
digH-se, alem de ser tomada a carne por per-
dida e enterrada a sua cusa como no artigo
antecedente ; foi approvado o artigo com as e-
mendasda Commissao, edo Snr Aguiar. O
art. '9 foi appiovado com a emenda da Com-
missao, menos apena de prso. Os arligos
toe l foto suprimidos segundo,a emenda
da Commissao. Finalmente foro approva-
das as posturas do Limoeiro para passarem a
terceira discusso.
Enlrarao em discusso as Posturas da C-
mara de Flores. Ao artigo 1. mandou o
Snr. Dantas a segninte emenda Depois de
aulborisaco diga-se do fasendeiro ou pro-
pietario do lugar, onde se post-r fogo ; su-
primindo-se tambem as palavras Conimissa-
rios de diferentes divises ; o mais como no art
O Sr. Brito a seguinte ; accrescente-se depois
da palavra mulla c iudemnisar o prejuiso
causado sendo para isso nomeados dous (oli-
vados omesmoSnr. Dantas pedio o addia-
menlo los Ires primeiros artigospor a4 horas,
o que foi appiovado. Os arligos 4- 5. e 6.
foro regeilados.
Entrou em discusso oProjeclo numero 35
do anno passado : o Snr. Hego Monteiro fe/.
o seguinte requerimento : Addie-se este pro-
jecto al depois da disvusso do Orcamento o
qual posto em discusso com o Projeclo ficaro
addiados por dar a hora. O Snr. Presidente
dando para ordem da sesso seguinte : Lei-
tura de Projcclos Indicaces e pareceres
,le Commissoes conlinuaco da ordem
Je boje, e bem ossim mais a terceiras dis-
cussoi das posturas ( inclusive as addicionaes)
da Cmara da Capital, levantou a sesso de-
pois dasduas boius da Urde.
Tbomaz Antonio Maciel Monteiro.
Presidente.
Alvaro Barbalbo Uchoa Cavaleanti.
1. Secretario,
O Padre Joaquim Rafael da Silva.
Secretario Suplente
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 7 do correle.
Officio Ao Exm. Presidente, informando
os Requerimentos dos segundos Sargentos do
tereciro Batalho de Arlilheria Luis An-
tonio do Albuquerque e Mello e Antonio Jo-
s de Santa Anua que pedio faculdade pi-
ra frequentar os estudos malhematicos no Li-
ceu desta Cidade, obrgados ao servico duran-
te as ferias
Dito Ao Tenente Coronel Administrador
Fiscal das obras publicas^ acusando o recehi-
mMito do en ofTioio de honlom c com elle os
Ires calcetas destinados ao servico da Forta-
leza do l'rum e p'orte do Huraco.
DitoAo Commandante Geral do Corno
dePolicia, significando-lhe em resposla ao seo
officio destadala, que estavo dadas as ordens
ao Alferes Francisco de Harros JAe{;o Falco
para comparecer no quartel do Paraso as 10
horas da manb do dia 10 a fim de depor
no processo dos Soldados Granja e Lins.
Dito Ao Inspector da Thesouraria c-
municando-lhe, que o Capito Antonio Fran- !
cisco de Souza Magalhes tinha tomado o
Commando do Forte de Gaibu' no dia primei-
ro do crlente que deixou nes>e dia de sx-
ercer o primeiro Tenente Reformado Felipp
Antonio de Barros.
Dito Ao Major Commandante da Forta-
lesa de Tamandar respondendo ao seo offi-
cio do primeiro do correte e disendo-lhe
que no primeiro de Abril vindouro, seria ren-
dido o destacamento pelo terceiro BalaWiaode
Arlilheria ; que devia fazer novas rqui-l-
coes das luses perlencenles aos meses de Ja-
neiro e Feverelro, visto se terem desenca-
minhr.do as assignndas pelo seu antecessor ;
providenciado sobre a condueco do azeite do
Arsenal para a Fortaleza c finalmente fa-
sendo-lhe ver que as luses da priso dos j
presos de Juslica deverio ser fornecidas pe-
la mesma repartico por onde ellesero ali-'
mentados, conforme anteriores ordens da Pre-
sidencia a respeito dadas.
THEZOURARIA DA FAZENDA'.
Expediente do dia ta de Marco de 1846.
Officio-\o Commandante das Armas en-
viando-lhea CerlidaO dos asientos militares a
respeiti do soldado Paulo Joze de Sania Ali-
na requisitada enl seu officio de a do cor-
renle mez.
dem do dia |3,
Officio-Ao Inspector d'Alfandeg parleci-
patido-lhe ter a Tursouraria por ordem do
Governo da Provincia comprado a M. Cal-
ntOBt filComp abo granadeiras do adarme
19, que se achSo nos Armazensda mestna
Alfandega pelo precode Hooo rs captivo de
dircitos e mais desperas do expediente a fim
de consentir o competente despacho, e en-
trego de tildo a pessoa que for aulorisada
pelo Director do Arsenal de Guerra.
DitoAo Director do Arsenal de Guerra ,
ntelligenciando-o do conttudodo precedente
officio a fim de mandar examinar o dito arma-
mento c no caso d o acbar pcrl'cUo de
qualidade nao inferior as amostras que se Ihe
remetieran faze/-o recolher aos Armasen* do
mesmo Arsenal enmmHincando o resultado
de tudo para se tomar a direceo sobre o pa
gamenlo.
dem do dia 14.
OfficioAo Inspector da Tbeznuraria do
Rio Grande do IVorle partecipando-lhe que
apezar da Thezonraria desta Provincia eslar
presentemente sobre carregada de grandes
despezas e por este motivo nao poder dispor
de maiores somas era satisfeita a sua requi-
sico em officio de ai de Dcsembro pp. eu-
viando-lhe pelo Comandante Subr. da Barc*
de Vapor Parense a quantia de 6 contos de rs.
em Notas do novo Padro que passav i a se."
lancadi na conta do supprimento mandado a-
bonar pela ordem do Tribunal do Thezotiro
Publico Nacional de (i de Oe/.embro de 18 jo.
PortaraMandando abortar ao Thczourei-
ro da Fazenda a quantia de que tratar o pre-
cedente officio.
DitaAo mesmo Thezoureiro mandan i >
passar^h) Cofre dos Rendimentos Provinciaes
da Thezonraria da Provincia das Alagoas pa-
ra o da Rcceita Geral a quantia de \:ri.\so^\.
rs. por saldo do que a mesma Thezourari se
achara a dever em i i de Dezembr p. p. por
ddidntamentosque se havio feilo.
EDTAL
Continuando a Thez. de FazertJa desta P.
a faser remessas de numerario para Londres,
e pretendendo enviar agora al seis mil li-
bras sterlinas; o Illm. Snr. Inspector da
Fasenda manda faser publico ,e convidar
para esse fim aos Serthores Negociantes desta,
que q'screm s.u.u" suore aquella praca, para
que compareco no da ib" do corrontc me/. ,
na mesma Thesouraria as 11 Horas da ma-
nila.
Secretaria da Thesouraria de Fasenda d
Pernambilco 16 de Marco do 1840.
Joo Francisco Bastos.
Oficial Maior.
THEZOTRARIA PROVINCIAL.
A If NUNCIO.
A Xheronraria Provincial paga aos Em-
pregios Publico? Provinciaes que percehenx
eimolumentos os ordenados do me/, de Ja-
neiro pp. em moeda de prata do dia 18 a ai.
Thezonraria Provincial de Pernambuco 17
de Marco de 1840
Joo Manoel Mendes da Cunta e Azovedo.
Thezoureiro.
Diversas IteparMcors
TRIBUNAL DA RELLACA.
Sesso de 17 de Mareo de 1840.
Na Appcllayo Civel do Juizo de Direilo
desta Cidade Appellante Francisco Joze
Germanod Aguiar Appellado Caetuno Pe
reir Goncalves da Gunha BtcriSo Bandei-
11 ; foi j(ligada pela, confirmaco da sentenva
appellida.
A.FANDEGa DAS FAZENDA5
O Brigue Americano Mermaid vindo de
Salem, entrado em 16 correnle, Capillo
Jeorge Savary consignado aL.G. Ferrcir*
& Mantfield.


2
DIARIO DE
PRRNAMBCO

ManifVstou oseguinle. I todo o coracdrBrazleiro ; j nao existe di- I nhnra tinlin cscolliido o quinto verso.
7 Caixas com T-harutos, fo duzias ce M- gao Con ufana os Fluminenses que o Rio de; Muito nos admlrrao estes exerucios ; Mr.
porem. nao pareca dar-llies gran-
tambem os de importancia nem os olnava como prova
oni iazeidsdealgodu, ?'.< barricas com bu- Porluguczes quena poucf anf.oselle ador- infallivelda acea inteHeclual mas apenas
alho 18o caixas com arenques 5oe barr- mece* para sempre no rejac da lieroica Per- como pravas de maravillios instituto.^ I e-
Mori-
deras, 3 cadeirae de batanear, 5 caixas com Janeiro foi o seu bcrco natalicio, eoiicSocom Leoiiari
y.en les y paroles com charutos ~o fardos ttisleza todos os Brazileiros .
00
ca
cas com larinha de tri.^o 7 caixas com mo- i numhuco. A Capeila do Eugenho da Mori-
u'is 10ditas com chapeos de patira', 9i8ti pes de tahoado de pinho 16 cascos com azei-j despojos : ella s representarla Ecrney b
te, 4 suecas com pflM uta o5 hurris com 1 Esrm-novie Biasleira. Tcmpo vira e calvez
agurdente, 7 caixas com sa patos r> ditas nao tardar em que o genio creador do Col
com charope de limo 1 dita com fumo, a legio de ledro II ftpparelhe no templo de
ditas cem lazendasde se la a ditas com gra- I S. Joaquim jazigo de cin/as to preciosas,
ratas dita f 1 dita coro botes t % saceos com, cuja guarda sera confiada aos alumnos desse
dinheira de ouro 4"^ medas 1 ) pstecoes. Instituto. Ser hum annumio corlo do
O Brigue Portuguez Izabet, vindo de Lis-1 reinado das LeUas--,quando1 no tmulo de
boa, entrado em ili do conente Capilio A11 .Moris, logo ahaivo to seu nom'e rlhai
ionio i'ciisdos Santos consignada a l tiippo esta iiiMtipto. A Aiaior gloria Iliteraria
ipp
Joze Pereira de Avilar;
Martifeston o seguidle.
Co J-edrasde cantara, it.ob.nris com \-
nl'o 1 caixa com obras de seda 1 dita com
miodesas 1 crucifixo 1 barril com Jetada ,
1 uilo com grama a caixas eom drogas 9;)
pipas com vinbo.
Fcra do Manifest.
looo Molbos de sebollas 1 pacote eom le-
treiro.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta be a mesina do N. l)i.
pbfeitura.
PAUTB DO DA 17 DE -MARCO.
lm. eExm. Snr.Participo V. Eac. ,
que honlem nao occorreo novidado.
Glorias Literarias da America.
Os annaes da litteratura indicando que
os maiores I exicograj.hos das linguis Poi tu
guezn e Ingleza nascro no nevo Mundo, of-
itrecem neste curiosa coincidencia lam per-
fume ao amor propro de todo o Americano:
amor proprio louvavcl e que ( em verdade
se; 1 dito ) necessita de tanto estimulo princi-
palmente no Brazil.
O registro mais anlign falla de Antonio de
Moraes e Silva, como autor da Gramtica e
Diccionario de lingna P01 tugela.
O lccici.Hiio o melhor de quanlcs hajo
appareeido be obra superior a todo o elo-
gio i.o s jelo immenso irabalbo do autor
era procurar cm terreno estril maleriaes para
levantar este intu omento eolossal como
pela profuso e riqueza com que o dornou.
Bibliotbecas, Lartoros, Arcbrvbs, ludo vi-
silou. Abri todas as gavetas da Torr do
Tombo de Lisboa; limpou o mofo das liv ra-
nas dos Conventos, e sacudi o caruncho dos
pergawiuhos de Alcobaca tbesouro ce niu-
nuscriptos o mais rico das ETespanhas. Estu-
rin os dialectos de todas as posseso>s Porlu-
guesOS e al do algarariado convse da 11-
rimba colbcu termos cesticosa Tuno isto foi-
lbe necessario ara estabelicer os radicaes e
assignalar as etimologas Arbicas, Caslclha-
nas Proienjaes e d'oulrat. linguas vivas,
v da? moras das quaes todas tanto abunda a
Portugueza. E se be verdade no o cuubo
de perk-icaoda Ideologa moderna nao fica n-
tidamente estampado sobre a Gramtica desle
li'.terato he ir.negavcl que foi Woraea o pri-
meiro que seguindo a Condillac cieo hu-
ma veidadeira Arteda lingua libertando-a
do {oreado jugo da COIiStrucc J atina el 1 u
do Brasil.
( Correio Kicterohvense. Gabinete
de Leil.;
( Do Con icio Olliiial. )
Yariediidc
IiNTELLIC.ENClA DOS AMMAIS.
Dous Cacns sabios.
Fomos bontem de manbaa habilacaoda
ra de Popncoiu t, edepbis dos comprlmen-
ilio-uos, portn que prestassemos altencao
10 que ia-mos ver.
A' sua voz obedecan os caes promptamcnle
a sem titubear : mahdava-llies que mudassem
ie lugar, dttinba e contrariava seas movi-
mentcs revogava suas ordens ou as modifi-
cava capricbosa.menle ; em huma palavra ,
dverlia-se em nlroduzir a desnrdem ; mas
elles mostraro-se constantemente intelli-
gentes e docis e ol edecero cym tal exaclido
e rapidez que fa/iao honra a qualquer ins-
tru lor ile peloiaj ou monitor. He incunce-
bivel a scienidado que uc[iielles animaes con-
servo em ineio das delermiuacoes mais n-
eouricxas e inesperadas ; vao entrao Stt-
hem delao-se levantao-se brigo aea-
riclo-se, fazem habilidades', desempbao
seas manobras, tudo simplis palavra do
sen amo. Aconfece ;s vezes qu este falla
eom Bque olbando par Pbillax 011
viet-versa, o cao com quem falla he sempre
o qud responde ; o movimento suppre nelles
a palavra e a resposla sempre lie exacta.
Na segunda parle da sesso Ibro os car-
toes substituidos por alguna pedacos de liga-
do eo/.idos nos quaes, nem se quer ebega-
rao o focinho : e vimos Pillax obediente s
los rros .'iiiesentasse a seus dous discpulos. Dra-
que e i'hillax. Achavao-se estes em biim a-
a existencia de hum orgao ntelleclual nos a-
nimaes.
Martin e Van-Amburgh so^eitraS*- e ven-
cerad os brutos ; vir. Lnard os realca es-
l'orcando-se em saltar os limites e ciiegar a
huma perfeco nContestavel. Tem com el-
feilo olitdo este resultado e sem levar ao ex-
tremo as consequencias de sen Ira bal lio de-
ve-se delta esperar faotos bem interessanlea
para o estado da pbysiologia eom parada, pon-
to de vista sob o qual deve se considerar sua
tentativa!
O segredo da paciencia admiravel e da
perseveroca com que anda lo moco de-
sempenba huma trela lo cheia de diilieulda-
des deve-se procurar em seu ardenle amoc
;s sciencias naluraes e nao em va euriosila-
de OU Caprichos extravagantes pois ftteil be
conceber i|ue homem desta classe nao se satis-
faz coni obter alguna applausos do publico.
D?sde que se acba em Pars nolou Mr.
LeoiKird em Braquc c Pbillax hum trabalho
de observacao Creados em Lille familiarisa-
dos com ledos os sitios dessa eidaile acostu-
mados com huma existencia iiidepcudeule,
habis e intrpidos eacnores ineaneaveis an-
darilhos e habituados desde pequenos vida
activa e laboriosa nao goslao das dilicias da
capital. ]Nas primeiras vezes que se viraem
meio do lumullo das ras de Psris estava
como aturdidos e inquietos e nao faia seno
encostar-sua sen amo. A (esleir que Ihe pu-
zera segundo os regulamenlos polieiaes os
cncommodava em exliemo ; eseu amo nven-
tou para elles hum bom Locado que nao os la-
liga ; os dous bocados estao .unidos por huma
A principio, vira-se com slo ex
ie
ao
uasse
(ue hum pedaco aira/, do qual Ihe iao os
olhos. Por maior qu seja o guilbao da fo-
posento do principal andar, detados em um me, o amo dispOo a seu arbitrio daquella I correa
tapete 5 e bem que sua postura era do reco- | comida e os caes atrasen levao movem postes a mil accidentes poreui deixaiulc-se
Ihimenlo e medtacao con bumolharattavel em todos os sentid-s, sem prova-la, emiroio experiencia o cuidado de corrigil-os boje
e benvolo que nos dirigiro izerao-nos cem- das tentaci s. A. boje es que cducroj canunhao junios 5 ja os nao mcoinino.ia a cor-
prebender que linbo obse vado nossa entra- animis e eom elles povoirao os circos, pro-: rea e pusseaS (como diz com graea .r. Lo-
jy, j cederlo excitando desejos que sa apressavo a nard) de braco dado.
Sao dous lindos caes de caca de pello cur- satislazer. Em casa de Franconi os caval- Braque e Pbillax sao valenles e mu sensi-
to, orelbas largos, esbeltos, beni feitos Ibsobedecenas totrdus deassucar q-ue Ihes! veUaoelogioo censura ;ea palavrapolisr-
com a peBe manchada de pardo e de mui do; Mt l onard porem toi mal, alem.j son he para Pbillax huma injuria airo/. As
(brmc-sa'apparencia.. Pbillax tem dous anuos pois governa seus caes confiando-Ibes o sus- leunioes que se laziao em Cusa do preleito do
e d'ous meses, Braque tem S dous anuos; tent, mas sem lli o abandonar. departamento do Norte bia cerlo sugeilo cujo
nenhum la co d parentesco os liga ; Pbillax Braque e Pbillax corremaq lado de seu a- talento esiluacSo poltica dava-lbe alguma
b< n 01 gem suissa cruzada com rac hespa- mo que OS chama sem olhar para elles ; ha- autoridade : moslrava que nao gostava da 111-
-.bola ; e Brqile he francs, sendo-o tan leudo com as mSos, huma pancada quando. tligencia dos cese quea desapprvava. Hu-
bemseupai ea\6s, sem mistura alguma es- chama o primeiro,^ duas quando o se- manoite, aehando-se presentes odilo sujeito,
traneeira, guudo. Aquellea quem nao cbaniou per- disse Mr. Lonard a liraque oque pensava
Quando cbegfflOS, tinha Pillax acabado de manece eonslantemenle nnmovel. delle aquello individuo. Vo pode o animal
commelter hun delicio J pois, tendo querido Querem alguns suppor que Mr. Lonard conter sua indignaco e lancou-se ao delrac-
comeroreslo de hum pastel que baria em dirige seus caes por hum signa 1 qu laz com lor querendo mordel-o ; porem como he bun
hum pralo o fez cabir e quebrou-o. Be- as uuhas cujo ruido conbecem e cujo mo-, cao muilo bem educado nao o ferio e con
prehendeo seu amo t nbUft vista, inda que vimento cont.io Adnilindo-se isto, se el j tentou-se com tocur-lhe, mas sem causar-III
ovia contrito e arrepmdido e via-se quan- U* sO eapzes de perwber apreciar e obe- a menor don, Em outra reunio propuzeiai
too animal senta o viteia da reprehliSatl decera hum signal ^iiperceplivel, da5 com Pbillax que apagasse huma luz e a lornass
pelo rezar que mai.icslava \ endo-o tao isso msmo pro\fa de grande intelligencia a acceuder; e vio-se obri.;ado a nao fazer o
triste, disse-me ao ouvrd: "lie preciso nao tanto mais que este signul seria para elles que se lbe pedia. Poucodenois quiz seu amo
affligj-lo mottO porqu nao lardaremos a universal ajiplicavel a nmeros, letras ,| mostrar huma habildade em que Pbillax de-
prtesar delle. ** Dirigio-lbe ento algunas cores, eslampas, ele Quanlos homens ha I va fazer quasi milagrea com hum chapeo, ^e
palavras carinhosas e 1 hillax enternecido, que serio capazes de lao constante e inlalli-| querendo a casualidade qim cahisse a sorle no
manifeslou por meio de seu olhar a maior vol applicaco oiio a de que nece'sslo os' do sugeilo que o humillara publicamente nao
pralido e alegra. Apresent..ro-lhe huma caes, adniillindo-se esta inverosmil feypo-! o enlregou senao molliado manchado es-
ci mida dt que^iuilo giislo todos os caes fi- Ihese? f | tropeado inleiramente ; cousa que ale ento
gado iL- vacca cozido ; e, quando se dispuuha Huma nova prova de gymnastica moral nao havia leilo. Ha occasio em que cada de-
a prova-lo huma palavra de seu amo o de- torna mais hiilliantc anda sua educaiao. nionstraco destes animaes equivale ahuma
liw. Mr. Lonard quenumall.es poe a mo ,
Achou-se por consequenca condemnado a pega em hum azorrague moslra se entallado,
cer junto da boca o appeikoso bocado sert lo- levanta a mi, grita com elles luri-
car-lbe C submelteo se a esta penitencia oso e em meio .daquella tempestado que
inda mesmo durante a ausencia de quem Ib a a Ierra OS pobres animaes grila-lbes com voz
impuzeia. TSo be possivel levar mais longe o ter'rivel: 1 iva Dos Quero j ve-Ios ale-
impeiio sobre aspa ixoes fr hillax naquel- gcs. VamosBraque I Pbillax! J e j ale-
la occasio, se mostrou heroico j esta hita g'cs e amaves ISu mesmo lisiante mostio
valerosa durou perto de meia hora que foi elles estar contentes ; eos salios, o monmen-
pntao commum a quasi todos os fbOSOphos o temno que gaslu eni se leunra Soeiedade to das caudas o latido e as caricias que la- dos dous caes, com o goslo graca, exaclido
peante a qual devino ser apresnlados os sem neobumaduvida deixb sobie sua com-1 eelegancia quecaraelerisad todas as suas o-
dousces. mocio bras. Amanlia os desenliar Grenier, para o
Tivero lugar os exercicics ei fla salaier- Vese pcis que ha nelles huma seusa- Diario dos caradores. Hoje voaer admiitidos
rea, eos dous h-res da sessao se aprsenla-i cao que Ibes da' aconbecer que o luror de j peante, huma commssop do instituto de Fran-
lo nella com extraordinaria modestia, e seu amo nao he verdadeio e esta sensacao u. di pois serao examinados pela academia
como pessoas bem educadas. : nao he superior ao simples nslincto ? I da sciencias e esperad ainda oulras-fortnuas }
\ in.o-los ir buscar e trazar suecessivamen- I Braque e Pbillax vivem juntos e amad-se sendo mui provavel que visittm augustas lesi-
te nmeros iiue se Ibes indicou de entre os al- muilo. Sao continuos seus brincos e caricias,! delicias puis sua iulelligeucid e o pra/er (|ue
r;risni(s de. hum circylo cabalstico formado ;C nada ha de mais lindo que o ver os impul- rausadevem properciouar-llies aenliadana
em torno delles. Passrio depois s (ores,' sos de seu mutuo affcclo. Braque be mais es- corte.
que escolhiio sem titubear,; depois com-! perto suas formas mais ligeuas e seu porte j Em meio deslcs liumphoi ten Mr, Le.
puzero a \ aiavra Pars tomando na devida mais elegante ; niostra-se al ;uin lano altee-1 ard o desgosto de ler perdido Milord cao do
resposla enrgica.
M. Lonard recele alleuciosamente as pes-
soas que (iesejao veu seus caes ; e sua constan*
te condescendencia be mais nolavel porque
nunca quiz fazer de seus discpulos objectu do
lucro ; daudo-se por salisleilo com o prazer
que estes proporcionad e conlenlando-se com
os elogios que Ibes fazem,
llontem acabou Carlos Elsoeet as estatuas
O outro celebie Lexcograpbo he o Dr.
^Vtbster, natural dos Estados Luidos. A
segunda edicao do seu Diccionario publicada
em Londies im itjo foi univtlsalmenie acc
lbida. As revistas cientficas apptlldo-a
Tbesouro da lingua Inglesa.
Esta obra est to cmeira do Lr. Johnson,
a melhor que ento vogava, que s na no-
n enrlalura naval exibe mais de ico tem os ,
que loro esquecidos por Johnson : falla esta
ni.) erdoavtl mu piejudicial a huma ISacao
cmiuenlcmeiile niariiirna como a Gr-Bieta-
nha, Lcstaile, estes dois Americanos de&a*
Ircntro noblemente suas 1 atrias desmen-
liiid o styi;n:a contra elles bavio vomitado os amigos me-
1io| olitinos indispo&tos ptlo lectio cia enian-
ripacao, pelo crguilio e pela njuslica. Os
capcllo te CoiI ra OxIoid Canibrid ,e .
e Edii.Miijh euveigonhados li&seio la lo
Iui.do de sius gabiniUs. lie possivel que
dois colonos (Jcim IGes de lingua a dua iNa-
toesda velba tuiopaj1
W ihslei inicia vive: elle mve os votes
de agiautun tino de seus cem iuudts c re-
cebe as oblaCj.ts dos Sabios tsliageiios. 'S.^--
ats nonie de an.or non.e de saudade paia
oidem cada huma das letras necessarias. Un; lado e tem o saber de um homem do mundo.
delles temou o y em vez de mas logo que
fi/.eao-lhe observar o engao COrrigioo er-
ro e leslabehceo a verdadeira orlhogiaphia
Apresenlaio-llies varios objectos de vulto,
e elles folio buscar as estampas em que cada
hum eslava gravado. Braque fez huma ha-
Pliillax he mais serio e pesado, inclina-se al-
guma ecusa obesidade ; he em extremo vo-
raz ; e he preciso que seu amo o vigi cons-
ove anuos, que morreo em Strasburgo,
quando eslava em toda a madure/a doseu ta-
lento que linba ebegado ao ponto de ladrar
pereilainenle a cane.io lranceza Ali vous
lanlemente para conter e reprimir a inclina- i dirais-je maman... com todas asiuodula-
co que tem golodice, Fra disso Pbillax coes musicaes.
be hum sabioJ>rotundo sua sciencia he s-I Quando me lembro do que vi acredito ter
(hdade que lbe mereeeo mui tos elogios, 'ia, e pde-se dizer que tem alguin lauto de passado huma manha em Bagdad, em casa
[un.a senboraescolbo hum de entre varios
versos que eslavo escritos em cartees, c
perguntando a que numero coi responda em
uut serie de carices em que tambem esta-
itos e vista logo sem mais da-
<' ue 1 tes, levdiitou-se Braque cslentleo
1 11 gra,ca huma das niaos e bateo cinco
ve/15, dsndo a inlcudcr cun isto que a sc-
mathemaliro. | daquvlle padeiro das Mil e huma noilcs que
Air. Lonard com a edueacao de seus caes, | linba por caixeiro hum cao que perleilameute
nao pretendi demonstrar que iosse possivel eonbeeia o cambio das moedas e a sciencia do
ensinar-lbes alguma babilldade j nao quiz guarda linos.
competir com Ai unito e oulros caes celebres 51 Sarao braque e Pbillax como o ente des-
oas sim que em quanlo oulros demouslra a graeadodo conlo rabe dous homens a quem
torca e o poder do homem e subjuga os ani-
maes mais lerozes quiz elle provar com lactus
ilgiiui nlaine leilieeiro Iraiisloriiiasaeem eesr"
Eugcne Brilaui, (Do Lesperlador.)
^


DIARIO DE t> E N A M S U C O
S
MISCELLANEA.
(Dos differenles valores da moeda chamada real.
Esla moeda baixa foi batida em Portugal
i differenles lempos. de differentes tnetaes,
c rom difiranles valores Chama-se-lhe real
porque tinba as armas reaes, oque I lie dava
curso (onado qualquer que fosse oseu preco
Os primeiros reaes que se lavraiao loiaode
ma do ten.po de 1) Joo I. sendo anda
defensor do reino e eran de le nove dinhei-
ros : denps niandou-os o mesmo re lanar
de 6 dinheiros e depois de a ; Meando pu-
reno semprecora o mesmo valor. El re O.
I nailc mandn lavrar reaes blancos ; era 5 de
Cobra rom liga de eslanho o que Hits dava
liuma car esbranquicada e por issollies dra-
ma rao forneos Tambera a esles se foi por
ve/es diminuiido o pe/o, mas conservando-
Ibes sempre o primeiro valor. O mesnio lei
l>. Duarle mandou baler os reaes prelos as-
sim cbamados por serem s de cobre e para
se dislinguirem dos reaes brancos. l-'ez desles
reaes prelos, em cujo peso bouve lambem va-
rias diferencas valia tanto como lium real
branco. Elrei L). Joao II, para acabar com
o embaraco e conusao que causava tanta di-
versidade de reaes ixou-lbes o peso man-
dando lavrar reaes de cobre de valor delicei-
tis ; nfeios reaes de piala de lei de on/.e di-
nbeiros, a que depois chamaras vintens.
inesoio li/.eiii elrei U. Joo III oqual man-
dou lambem lavrar reaes de piala queliuliao
deum lado lium l\ debaixo d urna coioa e do
oid.ro o escudo das armas do reino : a esla m-
cela lie que no lempo de elrei L). Joo IV se
veio a chamar meio luslo e que anda iioje
corre. Elrei L). Sebaslio fez lavrar tamben)
reaes de cobre com a valia de rj ceitis e meii s
reaes com a valia c o ceiiis ; linha de huma
banda hum S coroado, o da oulra hum
11. entre dois pontos. real veio a ser a uni-
dade do valor da moeda poi tugueza. (id.)
lotera DA BOA-VISTa
O Thezoureiro da Lotaria a beneficio das
obras da Matriz da lioa-vista faz scienle aos
amantes deste jogo que as rodas audo im-
pretei ivebr.ente no dia seis do prximo niez
de Abril e os bilheles acho-se a venda nos
lugares do coslume.
O Jornal do Commercio ao Publico.
Approximando-se a poca da abertura das
camaias legislativas, convocadas para o dia
i de abril p. f julgamos dever prevenir o
publico de que o Jornal do Commercio, api e-
sentai por extenso, do mesmo modo porque
o fez o auno passado os debates da cmara dos
Sis I tpulac'os e que igualmente publicar
os tiabalbos do Senado por extenso ou em
resumo, como melhorcouvier e lor postivel.
As icssoas que anda nao lorem assignantts do
Jornal do Commercio, e desojaren ter a col-
kcco dista lolba desde o i" da da sessodas
can aras devtro mandar lazer a assiguatura
antes do da i" de abril, para nao coueieni
i seo de litar sem alguna nmeros comoqua-
si si ni pre acontece quiido chegad aasgua-
turasdepois de comecados os tiabalbos legisla*
lives.
E pois que nos dirigimos ao publico apro-
veitanios a otcasio para declarar que o Jor-
nal do Comnieuio continuar a apiesenlar na
sua i edcelo es mtsmos mellioramenlos pro-
gressvosque lem apresenlado desde que he
pro) ledade dos actuaes editores. afira e tor-
liur-se anda mais digno da prolecio que ao
publuo lem merecido.
Lomo nunca fizemos huma so romessa que
nao losse relgiosamenle cumpnda hcaiuus
que os nossos asignantes e o publico nos dir'o
ii.leiiotitduo ijuundo Uiesasseguranios que
o luelboraBienios do Jornal do Couimeicio nao
sollrera interrupto.
Avisos
Diversos.
J" Urna parda soltura seolfcicro para a-
nia de caza pieierndo a de algum homem sol-
i.no : sabe coser, lavar eengomar com per-
ieiao, e lazer todos os arranjos de caza;
quem a pretender dirjanse a rua do Aiundo
J>ovo caa D. lacio esquerdo.
tSr Jjesappareecu no dia i5 docorrentej
um escravo j n.-lo por nome Roberto de naco
lienguclla com os seguinles signaes : estatu-
ra ugular Lem encornado com muilas mar-
cas e beaigas rosto largo naiiz chato cor
lula ; lem um grande talho na taboca procu-
rando a tesla da parle esquerda ; be anda
meio bucal e foi vestido decalca, e camisa -----D-sedinlieiro a premio sobre pciibd-
de algod0>tranead<>: os aprehendedores eon- res de ouroou prata inda mesmo ein peque-
duza5-o ra do Vicario armpzein D onze. as quantias ; na Pracinha do Livrainenlo laja
mmtSt Os Srs que Mzera a honra subscreve- a5 se dir.
rem para a* Poesas olfetecidas as Senhoras -----Joo Goriealvcs Evangelista avisa ao
Rio Grandenses por 1). Helfina Benigna da rcspeitavel Publico que lein-se estabelecido
Cunha quenao mandal-as receber oa Praea com lo; a de alfa ale na ra do Collego U. a
da Independencia loa de livros Ns. i-j e i$ lado de trra aonde se acba promplo par.
ISr ll quem lenba duas canoas com os executar com toda a exactido, e perfoi:o de
seos competentes canoeiros para bota rem. rea que lor capaz todas as obras quo Ibe fu rem
ou lijollo em qualquer obra e mesmo lar- eacommeiidadas.
se-ba ajuste deempreiiada para allerrar al-1 s^r Antonio Cavaleanli do AJbuquenpie
gum terreno : quem pretender amiuncie ou morador no engeuho Diamante freguezia de
dirija-se a ra da Praia deloute dos arinazeus Kossa Seulura da Escada Comarca de Santo
uovos, I). 8. jAnlo declara que no dia 3ete de Janeiro deste
S^T" Qui-m annunciou vender vara e mei i anuo fugio-lhe urna escrava por nome llosa .
de cordo deour sem ieilio dirija-se ao bo- crioula de idade de Sj anuos pOUCO mais ou
lequim do pateo do Hospital do Paraizo que menos lem poucos cabellos brancos, cara
abl adiar com quem tratar. | carnuda, heicuda lea, e j leve bcxigis ,
i^T O annuncio que se fe? em i docorren- j de estatura ordinaria con as unlias dos ps
te no I iario JN\ 5i de um bilbete da segunda leas : quem souber aonde ella est, ouqui-
paiie da primeira Lotera a l'avor das obras do zer pegal-a dirija-se a dita ca:a cima que
Theatro n, diq, que se tinlia perdido (iea ser bein recompensado.
de nenbum eiieilo por isso que j se achou o
dito bilbete.
-----Troca-se urna casa na Boa-vista, na
ra do liosario n. 2a, com lies portas na len-
le 4 quarlos e quintal de ra a ra chelo
de arvoredos por oulra mais pequea em
qualquer dos tres bairros : a tratar as cinco
Ponas venda O. 10.
A pessoa qoeannunciou querer vender
vara e meia de coidodeouro au liiciea sua
morada ou dirija-se ao atierro Uos Allomados
lia penltima casa de tres portas deftnt do
viveimdo \luuiz.
-----CJuem annunciou querer comprar seis
arrobas de cera de carnauba diri|a-se aloja
de cera da ra ireili U. t que adiar a
porco que quizar e por proco mui comnio-
do. s
-----iloga-se ao Sr. Presidente interino da
Relato para que se lembre de que tanibem
da Lbancellaiia dependem os pleitos juditia-
rios e mais nejocios
a houdade de lazer,
Iraballiar essa parle da admiuisiraco judicia-
ria embora roube algunas horas aos prazeres
do Polo da Panella.
O Ermilo da Thebaida.
-----Jos l'ernandes Lima perteude reli-
rar-se para Portugal a tratar de sua saude ;
Meando a sua rasa na aUininistraco de sen
mano iVJanoel I'eireir Lima ; por lano roga
aos seos credores ipie Ihe apreseulem suas
conlas no prazo de i :> das para serem pagas.
- Cjuem quizer assenlar praea por oulro
dando-so a quantia de oitenla mil res an-
nuucie ou dirija-se ao CJuarlel do i. Bala-
Hko de Artiihena ,
Ajudanledo mesmo balallio.
-----Precisa*se de um ilor que saiba tra-
tar de um sitio cora peileicao assim como ar-
i uar en< bei lar podar e mesmo Iraballiar
; e que, por isso tenha
com a sua assistencia ,
a tratar com o Sargento
-y Um moco de 17 para |3 aunos se o'.e-
rece com o seo pequeno preslirao para caixeiro
de algum Sr. nesla praea, de ra ondees-
cripta, oqual escrve mui sofrivelrnente, e
d Mador a sua conducta 5 quem o pretender
a.'imiiicic*
W A 15 do correnle sabio de casa a pre-
lexlode ir buscar o jornal da semana mu pre-
lod nome .VJanoel ; levou camisa de algouo-
zinlio nova cji collai iulio, e puubosde ma-
dapolo ; calsa de algodo grosso de alapio
largo : be alio, bastante prelo, pouca barba ,
cara redonda olhos grandes denles claros ;
nuem o pegar poJe levalo casa de U. Lau-
nuia 110 alieno da !>oavisla ou ao Capilo
vlaximiano era casa do Calecido Gervasio na
ra dos Pires, que ser generosamente re-
compensado,
-----Precsa-se de
mil reis dandu-sc p
ST O Sub-preleito da Comarca de Plore,
do l'ajau' ahaixo assignado avisa ao Sur.
Joo Francisco de Vcnezcs morador na p 1-
voacd de Nossa Senliora da Conceieo da
Cidade di Babia, junto ao Convenio de S.
francisco, que no dia itf do crrante, foi
preso c recolliido a Cldea, hum cabra de no-
ne Mauoel qiie sendo interrogado desco-
brio ser cativo do dito Shi, equea tres an-
uos, se achava em poder de Antonio Leandro
da Silva, disendo este ao escravo, que o bavia
comprado, mis vendo dito escravo que o
Sur. Leandro s o conservara em lugares mais
ocultos para locupletar-se com o seo serv-
co e |>ara nao ser visto de pessoas estranbas,
tralou de evadir-se segunda vez em procura
de quem ocofflprasse visto ter conhecido ve
tbacara no seuhai Leandro. Qeira o Sor.
Menezes (com documentos) procurarar o seo
Escravo, que ser entregue, por est Pre-
feitura. Villa de Plores 28 di Fevereiro do
Prucisco liarbosa Nogueira da Paz.
K3T Alguma pessoa, que precise de lium
Procurador nesla praea para procurar o in-
teresse de algum negocio (bem como Sur,
de engtnbo ou- Professor, pira procurar
seus ordenados no FJrario) \)&.> est pessoa lem
has tanto agilidade e por preco mais com-
moJo de que qualquer outra canfdrme o ajus-
te ; annuncio.
iy Aliitrao-se tres armazens bastantes
laudes u proprios para carne ou oulros qual-
quer negoci 11a rua da Praia ; quem os qui-
zer dirna-se a mesma rua a falar com Cons-
tantino lose Rapouso.
srjr JNicoIau Beibinji retira-se para Ga-
nova no primairo Navio,
KQ^* Aluga-se huttti preta que saibi
vender na rua pagaudo-S8 mwnsaluiea'e de $
a oU reis ; quem ativer e quiser aluzar di-
um co;ito e quiubentos rija-e a rua de .Vlanoel Coco 1 4-
,or segu-anea damesnn| Bf" PrectSa-89 de bum coiiuheiro forro
piantia por hypotlicca urna propriedade de on Catiro dirija-se a-ruada Cruz nuine-
sobrado no bairro do Mecile e pelos juros os
reiidimenlos do mesmo ; quem quiser fazer
dito nejocio dirija-se a rua de HorUs sobrado
ro 7
^Quem precisar de huma ama para com-
prar na rua co biliar dirija-se a rua da
L>. 7 delroule do beco de S- Pedro que se da Santa Gru isa '). S.
dir quem uquer ou annuucie para ser pro- sss^Q-i muciou querer vender huma
curado. esolla rica 1 e ta Typogralia para -
f3- prancisco Abes Pinto, portuguez justar.
fazsciente, que retira-se dusla Cidade para! OT 1 itnprar huma porco
adoCear, de porcos .!.... diiija-se na ruada moa-
-----Quem precisar de umi mo.-a solteira da S. l5i.
para ama de una casa de homem tamuem sol-; Narui h Florentina casi D. 9 desapa-
leiro a qual cose costuras chas e ne nuito i receo hum ddal d oaro pez nido daas oilava
zelosa dirija-sepordetrazdomur) da Puuba e meia pre/.u nef-se ser luilado por algum
. 90, ipiepoder tratar com a mesma. 1 escravo, assim 10;i-se a quem o mesmo for
___Quem annunciou querer vender vara e pibrecido : digne-se envia-lo a sobredi la ca-
mela de cordo de ouro sem Ieilio <:iiija-se sa que ser bem recompensado,
a rua da KoJa 1J. ao ou a rua da Praia adi- isr Quem annunciou querer vender va-
anle da llibtira sobrado novo que se est i'a- ra e meia de cordo de ouro sem fetio.: diri-
zendo que achara com quem Halar.
___Qualquer pessoa que de conbecimcnlo l
ja-se as 5 poiitas venda L). j5.
s^- Perdsa-sede urna mu!ier preti I
de eiuhada : quem esliver neslas circuiistan- de sua conduela querendo ir cobrar urna di- bous costones p
ira a. 111
di;
casa de p
dos Allomados com
cas quena dirigir-se asrua da CaJeia vellu
loja L). 00.
-----Veslem se anjos com toda a perfeico ,
e por preco eommodo na rua do Cabug em
caza do tallecido Jos llibeiro do Amara!.
-----O ahaixo assignado faz ceilo a quem
convier, que oomprou a venda do Porto do no alieno
Mallos, que peilencia a Lbano Francisco dos para urna grande familia
Maja, aos procuradores deate, Joaquina Pi- j cinoo. quarlos duas salas euvidra^ada, um
nhero Jacome eJoaquim Prancisco de A- grande solio com mirante e seis quarlos, cor-
lein que para isso eslasa eompelentemenle redor independeiile seiuaL para prelos es-
ciuiorisado. Joao de Oliveira uimares I lrbaria para Ires ou quairo cavallos, lando
-----Quem tiver algum engeuho., que o seu sitio cura oilo pesde couqueiros, e vivei-
queira arrendar, anuunoie ou dirija-se a ro ; quem o perleuder (lirija-se u rua do
vida dislanle desta praea dez legoas, pode au- familia, e de portas para lora, o ru de o-
nunciar para ser procurado. I nheeimenlo de sua oonducu ; dirija-sa no
___A pessoa que quer cera mil reis sobre a atierro da Boa-VSla 0 L
escrava, dirijf-so ao alieno da lioavisia loja i SJ- Jo/e Caelano liorges, retira-se para
de miudezas 11. iy. I fora do Imperio a tratar de s-m negocios.
m- Aiuga-se buma casa terrea sita' Urna pessoa que he 'offictal do entder-
commo-
coaien.lj
rua do LabugO loja de banlos JNeves lulurniai da posBoa ipue pretende
mt- Compra-se um seiiin que esteja ain-
Rosano estreita loja de trastes a5
S5** Alugo-se prelos ou moleques que se-
jo liis e ladinos para venderein na rua pa-
ca em bou uzo, e por pitvo cmodo 5 quem ;gando-se meusalniente I0U000 ; H Iraclar na
o 11 vi r anuuncie
-----A Senliora que se prope a lomar eri-
ancas j desmamados para as acabar de criar
com lodo o mimo eaiuor lambem recebe as
que vicrem com ama para secrurem com lei
te : na rua de Uoi las casa JJ. 10 delroule do
Leco largo de S Pedro,
-----O Allcres dlanoel Pedro da P'onceca ,
roga a seus devedores desta praea e do niat-
to queirad lhe pagar quanto antes visto que
lambem deve e seos credores o estao vexau-
uo ; alias uzar dos meios judiciaes bem a
pasar seo.
-----iJr. Kissel rclojoeiro no atierro da Hoa
vista compra rologlOa de algbeira em segun-
da mo e lambem noca \cnde um coma c
Banca->e a os compradores.
------sa dinheiro sobre penbores de re-
togos de algibeira no alieno da oavisla lo-
ja de relojoeiro.
-----Yendo-se urna moialnba escura de i-
dade de lieze anuos cum alguiuas iiatoilida-
des multo bem educada propria para mo-
cama : nesla Typ. se dir quera vende.
rua do Livrameuto O, ao. primeiro andar.
XST Precisa- se d bum homem trabalhador
deencliada, e todo o servico bracal em um
pequeo terreno -. quem esliier nestas cir-
cunstancias dirija-se a loja de livros nmeros
07 e jo que se dir a pesssoa que o per-
leude.
ir/-Precisa-sede huma mulher sem vicios
que compre, engome e cosinhe, para ser-
vir de ama a um homem splliro; quem se a-
cliar as circunstancias dirija-se a rua da
Concoideo da Lloa-visla delionle do Sur. lio-
lino.
i_r Precisa-se de urna Senliora que saiba
perle la ment eusinor a bordar d**ouro ou
praia e lazer llores para ensillar meninas
em uuia cjs particular \ qucui se adrar as
circunstancias diiija-sea ruadireita por ci-
ma da botica U 11.
j- O Sur. Manuel Adriano de Albuqucr
que e Mello queira diri;;ir-su a ruaihreila no
piiuieiro andar da lolica I). 11 para lhe ser
entregue bina carta viuda do 11 de Janeiro no
ultimo vapor-
nador e lambem sabe Iraballiar de impic-
sor por ja ter liaba!hado em dito oicio se.
ouerece para trabalnar yor qualquer um dos
dous aiuda mesmo em outri Provincia : a
pessoa que dclla precisar dirija-se a .ua do
Nogueira O 8 ou auuuncie. ,
v^?~ Precisa-se de huma preta para ser a-
ma deleite prejeriado-sa captiva", e qu
seja de bous coslumes e que 1110 tenha eu-
fermidades: quera tiver a dita pela o qui-
zer alugar auuuricie
Arrenda-se a loja que foi do miudezas
na travesa da rua do Rosario pira b
Queimado 10. quem a perleuder dirija-
se a rua do Queimado loja u. 9.
Precisa-se de ama ama deleite, queSeiS1
deserabaracada ( sem lillio ) forra, ou cap
tiva : quem esliver nesla circunstancias diri-
j i-se ao Recite no Porto das Canoas na rua
do Apollo i). 6, segundo andar.
Aluga-se um sobrado comsollO, es-
tribarid e cuxeira no lugar da Qipunga a-
margHin do Capibarihecom hum grande sitirt
com muitas arvoredos de tructos de diuerentes
/pialidades huma grande baixa para capim
caiimba coui boa agoa de beber : quera o pre-
tender diriia-se a rua da Coiicei.jao di lioa-
visla casa U. um.
Precisa-se de y>)os rs. a juros assegu-
rando-sc ptnbores de oiro que cubra a dita
quanlia ; a pessoa que os quizer dar dirja-
se a rua de I lorias lado do u ule ). 4"-*.
pr Pracua-se de alugar numa caza n
bairro de S. Antonio OU boa vi*** ', queseo
aluguel nlo tAceda do 8|ooo ; oocm a tiver
anuncie.
_=^


DIARIO ft PERNAMBCCO
r TMi"1*
^5
W
Un rapta portugu que abo d n anuos de idade, urna negrinha de i5 para edificar-so outra casa, tem grande quin-
* tal que vai at o rio e ponsso com s
laragoardenle ,, '_ seofl mos bonita figura faz todo o servico de
rece para caixeiro J( <; occ p i c;tsa dous prelos bons para o servico d
excepto venda e mci i< lora da pro ..~.oo, e um rtiolato oplimo official de sa-
vincia ; quempre^i;a. unuuuce< ...iro; na ra de agoas verdes casa terrea
W Precisarse de um catauro portugu*?.. 1) $j.
para urna taberna na ra de agoas verdes $55- Um moleque creoulo de idade de rt
O 8.
X5T Precisa-se alagar um preto, ou mo-
leque para o servico de urna casa, pagando
se qooo por me?., dando-so comer: no be
co .lo sarapalcl D 8 deronle do sobrado novo.
oy Ka loja de Antonio Soares da Cuitha
Guimares existe um embrulbo acompanha-
do de ama carta viuda de portugal para o Sr.
Joaquira Das da Costa.
sar Da-se cero mil rs a juros sobre piuho-
res de ouro ; na ra direita D. 18.
SET Arrenda-se animalmente urna casv
terrea a barracada, sita na ra que vai da es-
trada da solidado para o manguinho repar-
tida segundo o gosto moderno tem corredor
lavado sala de vesila, Torrada com .i* pal-
mos em quadro tres janellas de peitoril en-
vidrassadas 8 qHartos sala boa de jautar ,
eozinba 'ora com assento d fuglo ingles ,
conteudo seis tornaIbas, eseu respectivo for-
DO quintal murado, com cacimba de agoa de
beber entalla para seis escravos estribara
para 1 cavallos com portao para a lente da
ra iudependente da porta principal e
ludo muito bem pintado c suficientemente
assfcado ; os prelcndenles enlendo-se com
o Escrivo Al incida que tem poderes para o
dito arreudamento.
Avisos Martimos.
PAR A TRIESTE o superior Brigue Ingle/.
i&gnet Capitao Charles Cobbe anda tem
Me. Calmont & Companbia.
L e i I o
isr QuefazemN. O. Bieber & Compa-
nbia. por intervendo do Corretor Uliveira ,
de um bom orlimento de espingardas lasari-
nas ditas de caca sovellas brocbas co-
l.eres de eslanho, bezerro, pedias para afiar ,
dedaes, trinchetes estribos, bridas, missan-
gas caivetes, tisouras, e facas dexarque-
ar &c. quarla fcira 18 do crrente as 10 da
mar,ha no seu armazemda ra da Cruz.
cy Que fat Adolfo Schramm por nter-
venci do Corretor Oliveira de urna porcao
de trastes novos prximamente ebegados ,
consislindo em commodas metas, e tremes,
secretarias relogios armarios e de muitas
miudez&sde prompta exlracdo sexta feira ; bos defronte do Corpo Santo n. 5i
denle terreno para urna olaria; na ra
de S. Gonsalo D. 11
C3" Ou arrenda-se um sitio em Olinda ,
que rende annualmenle 3oo,ooo ; na ra da
larangeiras I). 12.
tsar Na loja de louca largo do Corpo San-
to n. 66 gigos com aparelbos para meza, ;
para cha de louca fina de cor de lirio, pardos
e cor de rosa contendo cada gigo o seguinte .
duas terrinas para soupacom prato e colher ,
duas ditas para molho 4 pralos cora tampa
para quisado 4 ditos para, podim, 16 pratos
travessos, duas seladeiras 7 duzias de pratos
rasos 3 e meias ditas de fundos para soupa ,
4 ditas para frutas um aparelho para cha
eom duas duzias de chicaras e pires, j duzi-
as de tigelas para caldo dous orines com
tampa, duas bacias e dous jarros, ludo por
preco de 70 ooo#
=3> Muito superior oliado de pinturas de
diversas cores para capas de mezas grandes
e pequeas ou bancas de sala, estampado em
baeta de algodo com largura de 4 e meio e
7 e meios palmos e botins de bezerro para
bomein ebegados ltimamente de Lisboa; na
ra nova loja de Ferreira & Braga, D. 22.
S23- Urna molata de idade de a5 annos ,
bonita figura engomma liso cose e eozi-
nba nesta Typografiase dir.
$37" Bilbetes e meios ditos da lotera do
theatro ; na ra do Cabug loja de rlojoeiro
junto do Sr. Bandeira.
S57" Meios bilbetes da lotera do theatro 5
na ra do CJueimado loja de fazendas de Ma-
noel Joaqun) Silveira.
ssy Meios bilhptes da loteria do Theatro ;
no pateo do Terco venda D. 9.
tsy Bilhetes e meios ditos da lotera do
theatro ; na ra da Madre de de Dos.
tjy Meios bilbetes da loteria do theatro a
ZZT Pannos prelos e de cores a 4oo o co- 458o; na loja de Manoel Gomes de Carva-
vado ; na loja de fazendas na ra do Livra- Iho ao p do arco de S. Antonio,
ment junto ao beco da padre D. 1. *2s" Duasesrravas de naco com bonitas
tsy Rap ebegado ltimamente de Lisboa figuras, urna de idade de 20 annos engom-
en) libras e meias ditas e as otavas ; na lo- ma e '>e cozinheira a outra de 4 annos
ja de Antonio da Silva Gusmo na quina do de idade mea ladina e ambas da-se acon-
beeo da Congregado. tent, na ra direita 20 lado do Livra-
XSf MEIOS Bilhetes da loteria do thea- ment,
tro, e Camellas de ditosa qoinhenlos ris ; *s?" Bilhetes e meios ditos da loteria do
na praca da Independencia loja de ededer- theatro na ra do Cabug loja de miudezas
nador n. 26. junto a botica.
C7- Urna escrava de nado angola, de ida- *^ Meios bilbetes da lotera do theatro ;
de de i8 annos boa lavadeira. eozinba o di- no alterro da Boa vista loja de fazendas D. i5.
ario de urna casa e he quitandeira ; na ra *ST Bilhetes e meios ditos da loteria do
da Conceico da Boa vista D. 8. theatro a 4oo e os inteiros a nove mil rs.;
^S25- Panno de linho de boa qn&ldade em na ruada cadea n. 48 loja do cambio,
pecas por preco commodo ; na loja de ca- -
annos ; na ra das Cruze3 D. i5 no segundo
andar.
C3" Um selim em bom uzo com arreios ,
na ra do Queimado D. i 5.
^bKI5" Pannos finos, pretose de cores, ve-
ludo prclo lavrado $ chapeo de sol de seda ,
rambraias de bom tom bicos pratos, e outras
fazendas finas por preco commodo ; na pra-
cinha do Livramento D. a5.
S2*" Urna porcao de cebo propro para vel-
las ; no curime das 5 ponas D. 17.
tsy Facas de cabo de marfim para mesa ,
ditas para sobre mesa ditas de cabo de oss
branco ditas de cabo preto travessa de tar-
taruga para marrafas duzias de penles de
marfim para tirar piolhos. ditos de alisar,
massos de cartas de jogar portuguesas e
francezas ; na praca da Independencia nume-
ro 9.
Q3^> Urna venda nos quatro cantos da boa-
vista com os fundos de dous conlos de ris ,
a dinheiro ou para se desonerar dos credores ,
ed-seopor cento de abate; a tratar na
ra do cotovello com o Celestino e em sua
casa azeilede carrapato a ijlo a caada; e
precisa de negras para venderem azele pa-
gando-se 4oo rs. por caada.
-**sy Um diccionario de Vforaes y em Olin-
da rna de Mathas Ferreira n. 4o.
tsy Urna morada de casa terrea em boa ra
e bstanle grande com chaos proprios ; no
palco de S Pedro D. 10 se dir.
527* Cinco travs de ii palmos de compri-
lugar para 100 caixas de assucar; trata-secom do, e palmo e meio de quadro, e um preto
vellio ; na ra da cadea velba n. 44-
2o do cor rente as 10 horas da manb no seu
armasen) da ra da Cruz.
Vendas
Kscravos Fgidos
try Urna casa terrea em Olinda na ra
d mangueta n. 7, com muitos bons commo- ts^' Desapareceo em dias do roez de Setem-
do a tratar na loja de cabos defronle do bro do anno p. p um preto de nacao cacange ,
I Corpo Santo, n. i5 denome Antonio, ofncial de serrador, de
_______ iv" Farinba de milhoem harris a 9000; dade de a5 annos, baixo corpo regular.
jy... ,..; na^raca do Corpo Santn 1. corprela, rosto luslrozo, nariz bastante cba-
^ JiliheiPS, C meiOS btlftctCSr,^ Uretanhas de linho em pe^as de 6 va- 1 s ventasanibiladas tem um signal de
da 1. parle da t. i. itera ra ;,ca* casa de Hermano Mehrtens ruada fogo em timado peito es uerdo beicos gros-
YOr das obras do Theatro, C I l)- *3 sose virados ps pequeos, e dedos guaes.
2. '
os esclavos de'
< ios vende-se por st
da provincia ; na rt>a
VS9" Dous piannos com, e.\celentes
charutos da Ha vana Je superior qualici
livrosem branco, e bacias de proeelana na
ra da cadia velba D. 1
xzr Urna escrava creoula de idade de 20
annos ptima pata todo o servico na roa
v#lha no sobrado da (juina do beco do Veras
tST Sacas com fejao por preco cemmodo ;
na ra do Rozario D 8.
13* MEIOS Bilhetes da loteria do Thea-
tro e Gautellas de ditos a quinbentos ris ;
na ra larga do Rozario loja de miudezss De-
cima sette.
tSr Bichas prclas grandes e de boa qna-
lidade um sortimento de sement de orta-
lice e farinha de araruta ; na ra do Viga-
rio armazem do Machado n. 1 .
X3F Umcavallo russo boni carregador ; no
beco do Veras sobrado novo.
KSr Potassa Americana nova em har-
ris pequeuc-s ebegados ltimamente de flali-
luk ; em casa de Me Calmont i Companhia.
ts^" Champagnhc da melbor quaiidade ,
vinios Iiavana boiaxinha de liinbuigu conserva
de diversas qualidaues ; na ra da cadeia ve-
Iha D.17.
C*" MEIOS Bilbetes da loleiia do theatro,
caulellas de ditos a quiibenlos ris; na pra-
ca da Independencia loja n. ao
irar [>a 1 porcao de copos sonidos e outra dita de lei;' degratficado .Jo.ooo.
io \). 8 Iros para botica; as 5 ponas D. aitan- ^ f'og'o nodia i5 do corrente um preto
1 1I11 I il id < d .. ^ > _____- 1 Til *
(o ao lampio. de idade de a5 anuos; de nome Marciano _.
CS" 70 palmos de trra de frente e 3oo cPm can,'sa de baeta encarnada e outra de
de fundo com bastantes arvores de fructo, e ciscado de meia com signal de ferradura na
ja cercado na estrada nova da capunga. urna tesfa ,uem pegar leve a ra de S rancis-
niarquesa de angico urna cama com enxer- <-'o junto a cadeia casa D 4> que ser recom-
go ; na ra nova D. 39 confronte a Concei- pensado,
cao. SS?" No da 11 do corrente fugio um negro
tsy 4 "ceas de leite muito gordas e ] DU af de nome Manoel, de naco Angola,
chegadas de prximo do matto ;"na ra de S. cora dade de J5 anuos altura regular cal-
Rita nova casa terrea l) 1. vu com um talbo no meio da dita, bem
C5" Um escravode idadede a5 annos; na : barbado tem urna velida no olho dreto*,
a da Cadfiia nova D 4. : evou vestido camisa de algodo da ierra cal-
Sarja de superior quaiidade, propria ^ai ^e u,'m branco colele de sarje preta ja
ra
S"
Sonimi, c o e eozinba, 4 moleques de 10
para vestido de en hora e para coleles; no
alleiroda Boa vista loja de fazendas D. i5.
"CT Bezerros francezes cbpgados ultima-
mente em duzias e as pelles, filas de gat-
ea meias de Hubo para homem duas ban-
cas e dous bancos proprios para botequim; na
ra da Madre de Dos loja de l'eiragens de-
fronto da Jgreja.
i-" Raie de Lisboa chegado prximamente
e caixas com vellas de cera iabricadas em Lis-
boa de diversos tamanbos ; na ra do Vi-
gario n. 16 casa de Alendes e Oliveira.
iSr* Salsa parrillu, nova e tinta muida
a olio preta branca azul e verde ; na ra
nova U. 29,
S3T Urna casa no cortume dos Coelhos jun-
to a olaria do Sr. ":' "- r-'-
Miguel Carneiro feita a
ito escravos,.urna preta moca, en- moderna com solo e trepeira oites do-
bndos, com terreno ao lado ja com alicerce
vtdbo e um saco com lodo sua roupa anda-
r vendando fazend&s cura urna creoula de no-
me bibianna quera o pegar leve a ra do
Liyramenlo sobrado de dous andares l). 5
deronle das catacumbas da mesraa Igreja, que
ser recompensado.
tST Fugie una negra de nome Victoria ,
nodia 27 de Janeiro p. p, nao be muito secca
do corpo, cara comprada ficoens regular.
de idade de 5o annos ja pinta de branco ,
levou vestido de chita preta, baeta azul ferre-
te, bem conhecida poi vender banha de ma-
nb e azeite de carrapato de latde pelo alter-
dosdosatfogados quem a pegar leve a ra
do Livramento D. o, que ser recompen-
sado.
C3- Nodia i6deOutubro de 18J9 fugio
urna escrava de nome Anna, ladina, de na-
,cao angola de bonita figura estatura re-
noraes e signaes seguintes ; Jos de naco
angola alto secco cor nao muito preta ,
rosto lirado e descarnado maces altas ,
olbos avermelbados pouca barba com to-
dos os denles da frente mos pernas e ps
proporcionados falla um tanto alrapalbada,
e estando vecbado gagueja ; Kaulo de naco
calduda bastante alto, ebeo do corpo rosto
redondo e carnudo sem barba com lodos
os denles da frente cor fulla ps c mos
grandes, pernas grossas e urna mais que a
outra e 1 oder ter de idade 'o annos ; An-
tonio de naco Angola de idade de 5o an-
nos ja pinta de branco estura ordinaria ,
corprela, rosto descarnado, buxeixas chu-
padas, meio curcunda, pouca barba, psgros-
sos e mos ordinal as, falta-'he alguns den-
les na lenle ; roga-se a lodas as pessoas que
se quiserem encarregarde os apprehender le-
vem-os ao dito engenbo do abaixo assignado ,
que recompensar generosamente o no Re-'
ene ra da cacimba em casado Sr. Francisco
Xavier Martins Bastos.
Francisco Honorio Bezerra de Mcnezes.
irivimeiito (io Porto
-AMO SAK1C0K0 DA 17.
RILE JANEIRO 5 BiigucNac. Constan-
te, M Manoel > arciano Ferreira, car-
gar sal vinlo, eassucar, passageuos'-i,
e um escravo a entregar
OBSERVACOENS.
Sabio para acabar de carregar no lameiro o
Brigue Inglez Agnez Cap. Carlos Cobb.
UhCli E NA TVP. DE M. F. DE F. ify*
guiar, cor preta, rosto puchado, olhos gran-1
pes nariz fino, beicos meios grossos terri
urna malba mais preta do que a cor natural V
no rosto do lado esquerdo, e no braco esquer- /I
do urnas letras de angola tem as costas mui-
tos lalbinhos de navalha mos pequeas e
ps grossos porem mal feilos inlitula-se
creoula levou vestido de riscado ja desbota-
do e panno da costa fo comprada a Ca-
milio de Lellis da Fonseca piloto de urna das
embarcaces de Joaquim Rihero do Brilo ;
quem a pegar leve a ra da Gloria caza de um
andar de grade de ferro defronte do convento
a fallar com o Tenente Coronel T. Cezar Bur-
lamaqu\ que gratificar com 5-,00o.
t$- Joo Baptista Claudio Tresse pede ao
Illm. Sr. Prefeto e mais aulhoridades poli
ciaes e igualmente Srs. donos c ca pitaes de
embarcaces a aprehenco de um escravo que
se supe estar furlado ninguem poder l-
ser compra com o dito sob pena de se proceder
contra o comprador; esle escravo fo compra-
do ao Sr Joao Frederico Abreu Reg mora-
dor na ra de agoas verdes I). .i8 no dia
17 de Setembrodo p. p. .. o dito desap^receo
no dia v3 do passido com os signaes seguin-
tes ; de nome Benedicto baixo. ebeio do
corpo, de nado mucambique cor fulla,
cara redonda e ebeia olbos oupados nariz
chato o andar pesado falla descansada t de
idade de 20 annos tem urna orelha furada
de prximo ; quem o pegar leva ao dito Sur.
a cima morador na ra nova D. 19 que re-
compensar com 2 5,000.
tSF" Roga-se as aulhoridades policiaes, e
capites decampo a apprehendode um escra-
vo creoulo de nome Pedro Lanque official
de sapaleiro, alto, seceo rosto comprido ,
anda por esta Cidade e pela de Olinda in-
culca ndo-se por forro quemo pegar leve a
casa de Manoel Jos Gonsalves Braga junto
ao arco de S. Antonio ou a seu Snr. Caetano
Francisco de Barros Wanderley no engenbo
Cachoeira de Serinlnera de quem receber
5o.000 de gratificado.
S2y esapareceo no dia 17 do p p. do lu-
gar da boa viagem urna negra de naco de
nome Mariana baixa grossa do corpo bu-
ebecbuda. levou vestido camisa do algodo-
zinho saia de metim ja uzada de cor verde.
urnas contas azues no pescoco, e urnas corneli-
nas encastuadas em ouro nasorelhas ; quem a
pegap leve ao penltimo sobrado do Peixolo
as 5 ponas.
S^* Roga-se a os Snrs. Sub-Prefeilos e
mais aulhoridades desta e mais comarcas, e
pessoas particulares que souberem ou virem
urna negra de nome Josefa de dade dt 34
annos altura regular secca do corpo coi
fulla, nariz chato, cora urna macea de ferro
de sua trra era cima um dedo grande ale-
jado em urna das mos ps pequeos cos-
tuma intilular-se por forra e mudar de no-
me quera a ()egar leve ao alterro da Moa vis-
ta n. 4 que teceber 20,000 de gratifica o.
C5" No dia 29 de Novembro do p. p. fu-
gio do engenho Gongacari do Termo e Fre-
guesia da Villa de Iguarass


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJIEO0MEN_6QYB2J INGEST_TIME 2013-03-29T18:11:32Z PACKAGE AA00011611_04044
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES