Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04027


This item is only available as the following downloads:


Full Text
* iflftrcivo DKJ840. Quinta Feika
Mn
1
^Tildo agora depende de nos mesnios; dn nossa prudencia, modera-
cao, e energa: continuemos como principiamos eseremos acontados
com adiniraco entre as Aaces mascullas.
Proclamaco da Assemblea Geni do Brasil.
Subserevc-se para esta folha a 3j?ooo por quarlel pacos,adinntndos
tiesta 'J'ypografia, ra das Cruzes D. 5, enal'racada Independencia
ni. 07 c 8, onde se recebem cotresppndenpie legalisacfts, eannuucios,
insirindo-ie estes gratis, sendo des proprios asignantes, e vindos assi"-
1 guarios.
Partidas dos Crrelos Terrestres.
Cidadeda Parahiba e Villas de sua pretcnco...................\
Dita do Rio Grande doftorlc, e Villas dem...................(c j 1? 1
t)iia da Fortaleza e Villas dem..........................jSegundas e Sextas Fc.ras.
A lia Ce Goianna................................../
Clrlade di* Olinda..................................Todos os dias.
Villa deS. Autiio.......................1...........Quintas ciras.
J)ita de Garanliuns e Povoacio do Bonito........'.............lias lo, e a4 de cada mez.
Ditas do Galio, Serinhaem. llio Formozo, e Porto Galvo............dem 1 11, e ai dito dito.
Giilade das Alagoas, e Villa de 11 acet.....................{. dem dem
Villa de Paja de Flores.................................dem la, dito dito.
Todos os Correios partem ao meio da.
21 i>r Fkverrieo. Numero 4"
^
CAMBIO.
Fevf.reibo 26,
Londres...... 35 d. por I fono ce1.
n....... So por 0,6 p*BlO, por mciaioiTe-ecido.
Franca.......996 ret por I r;i neo.
r>:o de Janeiro *'n par.
DUffO Mordas de i**oo n W!h*n ttfoa a if'Roa
, Hilas ,, \ova liSloo a ; i
un.- de .-;' kjo 1-., o h 8#too
Pl: \T\ Pataces Brasil ros....... '/" 80 a
Pesos Columna) ios----------- l/5aa t
Ditos Mexicanos-------------------* i^56d a
Premios das Letras, pmez l i/ 1 l i|2 pur loo
Moeda de colire 3 a 4 por loo. da disc.

1
Das da Semana.
24 Segunda------Jej S. Prctcstato B. -M.-------Sessio da Tliez. e aud. do i. de D. da -x. v.
iS Terca----------*ff S. Malinas Ap.-------------- -
26 Quarta--------S Cezario (Jlarliano M.---------- Sessfio ila Tliczouraria.
27 Quinta S. Torca'o Are.----------------- Helaco e Aud. do I. de D. da 1. vara de m.
28 Sexta----------S. Leandro Are.----------------Sos. da Thei. e aud. do J. de 1). da 1. v.
20. Sabbado------S. Homo Ab.--------------------Re. e aud. do J. de 1) da
1 de Marc Dom. da Quinquag. S. AdriSoM.-----
Alare chela para 9 dia 27 de Feverciro.
As II horas e 42 minutos da tarde As 12 horas c C minutos da manhi.
o. v.
PERNAMBUCO.
THEZORARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia ao do crtente.
Officto Ao Exm, Presidente do Tribunal
lo Thesouro Publico Nacional acompauhan-
dp em cumprimento as otdens do mesmo Tri-
bunal de *4> e ';; de Novembro prximo pas-
sado, d!tS(|uadros mosliando liutn as somas,
que6carSo no fina doauno financeiro de 1 ;;
1 t83o, por pagar, e passarn para o que cor- '.
re, eas'queforSo pagas nelle pertancentes a
annos anteriores, cona declaracao da origem
das mesmas despesas, e outro as. des pesas le
anuos anteriores pagafl no torrente anuo finan-
ceiro at o fim de Novembro com declara- I
cao doq' perlence ao me?, de Junlio ultimo, do
Ministerio e do auno finaneciro a que per-
ce a divida e do mez em que se fez o pa-
gamento (
Dito Ao mesmo acompanbando o conhe-
cimentode5C;o quintaes de P.io Brasil; que
ena 11 do corenle forao remettidos ao Encar- ,
regado dos Negocios do lirasil em Londres ,
pelo Brigpe ln;lez Fanny Capitao Julio llal
lelt e parlccipando que nestes dous l-
timos meses, tem aparecido grande numero
de conductores do dito Pao em consequeneia
do pieco de 5Uoooreis a que foi elevado, o
quintal a ponto de que nao havendo nos
respectivos, Armasens al o ultimo de No-
vembro prximo passado, mais de qiiuien-
los e tantos quintaes, em G do correnle j ex-n
istio dous mil tresentos e quator/.e eque,
continuando esta afluencia de entradas com
probabelidade providencia se tem dado para a diminu-
ir, tanto para nao desviar os mesmo condoc-
tores para outro cbjeclo diferente, como
porque continuando a aser-se remessas para
Londres, ncnb'.:m artigo pode dar ali nie-
Ihorvantagem o ponderando juntamente 1
que sendo a marca de fogo, que se manda por
nos extremos decada b 1101 dos loros oque a-
trasa as remessas do referido pao, e que
desuppor que nada influa naipielia '.idade,
poupar-se-bia se o mesmo Uabalho podes-
se ser dispensado gratules despesas a Fasen-
da Publica e se evitara os transtornos que
occorem pela falla de Armasens com capa-
cldade sufficiente parase fa/.er a dita opera-.
^ao com maior numero de trabafaalhadorea e
listo de algum incendio e pedndo final-
mente para que seigue de communicar se
deve continuar a compra e remessa para Lon-
dres de todo o Pdo lirasil que for apparecendo;
se pode ser dispensada a marca do fogo nos
toros, e que deslino devem ter i.i 1 quintaos
do referido P.io cbamado de refugo que
existen) nos Armasens-, comprados autiga-
mente. '
J)ilo Ao Exm. Presidente da Provincia
pedindo-lbe para transmitlir ao Tribunal do
Thesouro Publico Nacional os dous presentes
olcios.
dem do da 2;.
Quicio Ao Administrador da Meza do
Consulado disendo-lbc em resposta ao sen j
oficio de 15 do correnle 60 que commum-
cotv a f dta de Armasens para se recollier o
I o Lirasil, e a necessidade de dispensar-M a
Siarca de fo" '""' cada l.um dos toros que
quanlo a ntitncira parte que pelo Inspector du
Arsenal da Marinha llie seria entregue hum
jiovo Armascm com os atranjos necessnrios .
pagando-se pela icesma mesa as des-
pesas que se fzcrem ; e quanlo a segunda
']ue nao se adiando a Tbezouraria autlio-
risada para alterar as ordens do Tribunal do
Tbesouro, deve continuar a dita marca como
esl em pratica at que o mesmo Tribunal,
; quctii se lem pedido dispensa desse trabalho,
ilccida o que convem a este respeito e que !
eniretaQto devende adiantar-se o espediente
<\o.dito Pa'o, e sendo nessessario este fim pira
que elle se faca demanba e de tarde, prin- i
ciando logo as oit> boras do da, seja abonado ,
eos respectivos guardas por este excesso de
ternpo e de trabalbo o omal de mil res mw
das uteis, como tambem sejo feitas todas!
as mais despesas que forc.u ndispensa-
veis.
EDITAL.
Em cumprimento do olicio do E\m Snr.l
Presidente da Provin.cia de i< de DezembrOjl
do annp 4). passado di rgido Tbe/.ouraria da
Fazenda em consequeneia da recommen la-
cao fcila em Avizo da Secretaria de Estado
dos.Negocios/la E^^^da de 16 de Novembro
do mesmo anuo passado ; o ill.11 Snr. Inspe-
ctor da dita Tlie/.ourara manda fazer publico
e convidar as Corporac.'S de mo mora des-
ta Cidad'e que quizerem contribuir para o
I'.mprestimo a appresentarem as suas pro-
postas das sommas quotiverem dsponiveis,
ea que queiro dar esta applicacao.
Secretaria da Tbezouraria de Fazenda de
Pernambuco de Fe^ereirode 1S0.
Joarpiim Francisco Bastos.
Olbcial iMaior.
forcar a urna mull.er ; Jozc Antonio d
'orto branco por me baver desobedecido,
Joao, preto cscravo de Pedro Varciano ,
pela ?.. palmilla do districto de l'ora de por
tas por ser encontrado tarde da noite e
suppol-o fugido { Joiqum Joze de S. Atina,
Manoal Ignacio da Silva c Simio Antonio
de Santa Auna, pardos pelo Su'.-Pr
Silva ver Tnpretervelmenle al o dia l28 do eoireh*
le do contrario aerfio ranliados na conforrai-
dade ras Posturas -e remov !o* a custl de
quem pertencer
do <' i!i > 01
por Ibe ser apprehendido dois
Sub-
cavallcs e os dous ltimos para
e Joaquina Joxe tambem pardo pelo
Prefeilodos Alionados por vagabundo.
,_.,.. por
O > ub-Prefcilo do Cabo partecipa mais
que pidas ou/.e boras da noite do dia i5 do
c mente ;nez derao um tiro em Manocl rVn-
Publieaco ; pedido.
Illm Sr.Se a rta que V, Si derigie,
rm t j do corrente '"' Presidente d Assoeiacao
a exigencia
de anre
Commercial se lemi'as
sentar .-i mesma \ iso?acfio a resolucSo en pie
est o Sr. Administrad r d Meea do Consula
dode-retirar-se de,Socio bon.nario el ella a
mesma Associacffo sentira srinionte a perda da
Ionio da Dcgolacao morador dentro da Vilta coadjnvacSo que ainda nsperaacava do dito Se-

Kiepari iom-
ALFANDEGaDAS FA^ENDS.
--A Pauta ic a mesma do numero ai
MEZA DO CONSULADO.
A Paula be a mesma do n. 10.
O Inspector Las bras Publicas precisa
Cnteos para Irabalbarei nasobraaseu car-
go ; os Olliciaes deste ollicio nue forem li-
vres e quizerem as mesmas obras trahalhar
podem aprescntar-se-lbe na casa da Inspcccao
para serem admillidcs.
Moraes Ancora.
- PLFETRA.
PARTE DO DIA a $ DE KEYERKIRO.
Illm. e Exm. Snr.Das partes boje rece-
bida.s consta somente que forao presos bontem
Biinba ordem Antonio Francisco Chaves
iie Ara-ajo, pardo, pelo Commissario de
Polica'do AIteiTjOdos Abogados', por ser de
conducta suspeita ; I/idro pelo escravo
de Domingos Pites ierren 1 por ter insulla-
dga um solduio fje Polica ; e Agostinho o/.e
Gomes brinco pelo Sub-Prefeilo da Boa-
vsla por t-slar ebrio
Dia -.
llrn. e Exni. Snr.l'ora presos bontem
minbaordem, e tveio boje destino: An-
tonio preto escravo de Joao da Silva e
Joze Mara Siqueira pardo pelo Sub-
PrefeitO da Freguezia de Sinlo Antonio este
porter de cusame comprar eitos nasta
bernas e nao pagar armando-se para iso
de urna faca depona, e ser um dos dnsor-
deiros dos Aflogadna e aquello por querer |
do que escapou saindo somente le ida mas
sem risco de vida urna ulber ; c que ci
agora se nao sabe quem forao assassino.
E' o que consta das partes boje recebidas
n'esta Secretaria.
Dia i 5.
I Illm. e Exm Snr.FovSo presos honlem
I ;1 minlia nrdem c liverafi 1ii>']p itcslino '. JOO
i Romao Marques preto Felicianuo Fran-
' cisco pardo Ignacio Joze dos Santos Firmo,
preto Joaquim Joze de Santa Atn e Joze
Costodio Alves pardos, pelo Sub-Prefeilo
de Santo Antonio, o 1. por estar ebrio, e
piofferindo palavras obscenas o a; por andar
gritando pelas ras com tncomtnodo da visi-
nhanca o 3. por ser de pessima conducta o
4. por Ibe ter sido apprehendido ym estique,
c o ultimo por ser encontrado junio ; porta
de urna casa allieia, romo quem eslava all
pira alguma cotiza, e Francisco Warlins,
pardo-, pelo Sub-Preito de Olinda por va-
ras queixas-, e ser de pessima conducta.
O Sub-Preito de S Antonio, partecipa
que bontem tarde apparecera no lugar do
Caes do elle&io defronte do Arsenal de Guer-
ra o cadver do pardo Antonio de tal, alla-
iaie e morador que foi, n'esta Praga; e
eque das inda-a. oes', c vistora que se
procedero se conheceu ter elle fallecido ulfo-
gado.
E' o que Tconsla das parles boje recebidas
n'csla Secretaria.
CONSULADO DA SUECIA ENORRUE-
CA.
Offercce-sc huma gratificacao de trnta mil
reis a quem poder prender 011 indicar o lugar
aonde se acba escondido de forma que se
possa proceder a sua apprchensa o Mari-
nbeiro Sueco Cari Bergstrand desertor do
Brigue Sueco Sevea fundiado n este porto o
dito Marinbciro be de idade de a6 annos .
baixo de corpo magro e plido do rosto com
cabellos loiros e olhos azucs e eslava ves-
tido quando frigio de bordo com carniza de ris-
cado azul calcas de brim branco botina or-
dinarios e chapeo de palha.
0 abaixo as'signado Cnsul protesto de pr 1
ceder nos termos da Lei contra o que o agsa-
Ibareui c tiverem escondido o dito desertor.
1 ernambuco ai de Feverciro de 18 o.
J. J L. Herrleib.
Cnsul da Suecia e Noruega
ANNUNCIO.
nbor, supposto que elle j He livesse dado
urna prava dfi reserva em que tem seus conbe-
cimentos no silencio que gnardou pie nem
ao lenos se dignon responder, quando sen lo
pela Assoeiacao convidado eu\ 7 de Janeiro
passado para a coadjuvar com suas luscs para
se enderessar ao l'.xm. Presidente aquella mes-
ma reprcscnU-So que tanto o chocou em tal
caso a Assoeiacao nao se vira eonslrangida a
responder a V. S. Mas o Sr. Administrador
f-squecendo-se de sua propria dignidudc, po
a Assoeiacao Commercial de fautora de repre-
sentaedes falsas nico argumento que V*. S.
pude produzir para destruir <>s proprios docu-
mentos do Sr Administrador, que sao os seus
despachos, quecorrem impressoa (em verida-
dc ambiguos e intermitanlas)) e admira que V
. avan'assj urna tal*ssoiaa5o^tio GenUo desta
Cidade anide tafrez? nao baja meiadujiade
NeTOcianli que nart Mhba nrido.das ins-
1-s e taras das Caixas d Assucar disen-
tlo-asde*primeira sortea que lie lercera, bran-
co o que be masca\ ido dando sei* arrobas de
tira por volunte que tem trexe acrescendq a
sso a vergonhosa tomadla das oilenta caixas
remedidas d'esta Praca para a Haba, em que
hum negociante no comeco desua arreira per-
deo o meliior de doze cotilos de reis,, e isto pe-
la omissao que aqu hou\e na-Meparlico do
Consulado de se nao liscalsarem as taras, ^*
finalmente as numerosas queixas que vem da
Fu ropa a este respeito, e nao obstante todo
este clamor nao obstante as representaces e
queixas verbaes e por escrplo que ao Sr. Ad-
ministrador setm dirigido cerno prova os
Documentos annexos a represeulaco feita ao
V.\m. Presidente ; como o chavao das repre-
sentaces ao (joverno Provincial e Vjeral vai o
mesmo Senhor Administrador deixando que
corra tudoda mesma maneira.
Ningueni nega que o |Sr. Administrador
nao lenlia feito sact lucios do seu descanso e re-
pOUSO masconvinba queoSr. Administra-
dor decarasse Assoeiacao a que vem essa
a I legai;ao dos milhares de seus favores quan-
do se trata de pedir a aulhoridade competente
medidas e providencias para acautellar
fraude c a lalsificacao 110 que al o Sr. Ad-
miuistrador sa devia m^jirar cmpenbado'uoad-
1 ,-.vloi. a..i;iu porem. soube relevar
a V S a i 1 com que prctendeo por
esta Assoeiacao de calumniadora, e capaz de
calumniar e vituperar bumaerautas vezes.
Em concluso ficaoSi' Administrador do
Consulado illiminado da lisia Jos o,.'ns i;
ratios desta Assoeiacao. Dcus Guarde a V.
S. muilos anr.os. Salla d'Associacao Com-
O Fiscal do Recife Felis Rizerra de Mello mercial /* de Fevereiro do l.jo. illm, Sr.
Leil> av7.a aos Snrs. donos de pipas gi- Miguel Arcan .i ''onleiro de Andrade Ad-
ps barricas, e oulros objectos que actual- ministrador da Meza do Consnuaio. --Jc3
meiitt se acbam 110 Caes da Alfandcga at [ liamos d'Oliveira Presidente.--Jos Jero-
ai tura da nova travessa ha'po de os rcmo-lnimo MonUiro, Secretario.



DIARIO
D B
PERNAMBCO
*
t\OTICIAS TROVINCIAES.
RIO-GRANDE E-SANTA CATHARINA.
Conlnuaco da Correspondencia interceptada
aos rebeldes.
Officiode Bento Gonralves relativo ; caria
de Beiito Manuel, publicada no Uesperlador
de houtem.
Illm. e Exm. Snr.Junio envi a V. Ex.,
por copia o ultimo officio querecebi do te-
nente coronel Teixeira do qual se deduzcm
as providencias por elle tomadas para (Ierro
car aos trnsfugas da Cruz Alta se tenlarem
evadir-se naquella dirccco.
Km io igualmente a ufticiosa carta do gene-
ral Bento Manoel com cu|a doulrina me
conformo respeito necessidade de fa/.er pe-
sar a disposico da lei sobre os reactores da
Cruz Alta certo que sero inexequiveis an-
te taes homens todas as medidas de hrandu-
ra que a experiencia de trez annos consecuti-
vos lem nullifcadu e tornado improficuas
Esta nittBii medida me parcee conveniente se
generalise aos moradores de qualquer outro
ponto do estado em idnticas circunstancias,
e mesmo ao municipio de Layes ou peste
por intermedio do enviado extraordinario do
governo catarinense ou directamente >elo pre-
sidente daquella repblica. Ao general len-
le Manoel conleslei que posto se uniformise
minba opinio com a _delle no objecto em
quesillo todava nada podia resolver por
nao caber na rbita de minbas allrihiiicoes,
e sim ao governo quem a ia submeller sua
proposta.
Quanto venda des bestas llu disse que,
marchando para a Cru*. Alt o Ex. i minis-
tro da fazenda alli podia expedir conveni-
entes ordens bem como sobre os couros e ,
quando S Ex., por qualquer incidente, o
nao baja feito elle determine a venda das
bestas applicando seu producto compra de
carallos Rogo a V. Ex. se digne levar ao cj-
nhecimento do Exm. Snr. vice-p^dente ,
para resolver o que I be parece justo.
Dos guarde a V. Exc. por muilos annos.
Quartel general na villa Setembrina 18 de
Janeiro de 1840. Bento Goncalves da Silva
Ao cidadao Serafim Joaquim de Alencaslro ,
ministro e secretario de estado dos negocios da
guerra Est conforme. U. Joze b-dlhasar
daSilveira capito assislenle da reparlicao
do ajudante general.
Joaquim Teixeira a Domingos Joe de Al-
meida.
Illm. e Extn. Snr.Anda nao seinslal-
lou a cmara e por conseguinte nem foi no-
meado o jais de paz. A sua falla tenbo sup-
prido o melhor que me foi possivel. nao len-
do tido nem animo de escolher hum cidadao
que izesse provisoriamente as funches de che-
le de polica. Nao deve V. Ex. de ludo islo
deduzir censequencias que possio fazc-lo du-
vidar do patriotismo desle povo absolutamente
republicano, mas s convencer-se ser mui
poucos os bomens capaces de oceupar erapre-
gos de tanta responsabllidade Mandei reu-
nir os moradores do municipio para o dia 4
e lisongeio-me que poderei entio tomar a-
certadas medidas a este respeito e mediante
buma demasiadamente licita caballa talvez
conseguir! fazer cabir os votos em pessoas
dignas da confianca do governo e da repbli-
ca. Est igualmente vago o em prego de col-
lector e para o preeneber nao me falto em-
penhos : muilos individuos o vo cobicando
Como chegassem varios liopeiros que me
oi necessario mai r despachar assenlei que
nao exorbilaii 1 t mu,. i ideuldadas orde-
nando aocidau tenente Ani.nio Jo/e d'
Azevedo que ju>tameute se acia na minba
companbia por ter sido en\iado de V. h\"
a huma commisslo que diz respeito s colle-
ctorias que at novas delermices de V. Ex.,
exercesse suas funcees ao que o mesmo de
bom grado preslou-se para servir a patria e
sem iuteresse. Cumpre-ni-japroveitar a oc-
cnio para notificar a \. Es. minbas ideas
a respeito desta tollectoria que pela sua im-
portancia lhe merece amis pa.ticular at-
tenco.
A reaeco serv.o de pretexo ladioeira
quasi total dos seus 'ofres. O HdaJo Aze-
vedo a seu tempo o inbiwr-{ aicfa disso;
mas adislanua em queja., impreterivel-
mente haz de proteger o seu monopolio, logo
que no seja o seu administrado: hura patri-
la que mais o que o proprio zele os dinieros
la naaco e seja da ii.leira confianca de V. Ex.
Consta-roe que na safra passada se o termo
< oiikttu, expti iav0StaOOBSTM -SS opa
1*0 podrria ter rendido menos o a 24 con-
itos de reis ; e como supponho que o ihe-
'zouro mesmo, pelo que me foi dito os no
recebeo me ronvenco da necessidade em que
V. Ex. esta de providenciar em modo que fi-
que de huma vez atalbadosos males que nus-
cem da pouca boa f dos empregados.
Nao devo deixar ignorar a V. Ex. qu, pa-
ra remediar a grande falta de camisa*, cal-
cas al que soffiio os patrilas que rae a-
companbo fui oonstrangido a lancar ralo de
ulgum dinbeiro (jueenlrou nos cofres depois
que oceupamos Lages, como tambem me
compre dizer a V. Ex. que tenbo comprado
buma pequea factura de fazendas a Iroco de
gado a cj rs. por rez 4 com a condico de
o deixar introduzir par 1 a ilha. A necessi-
dade era inulta e assenlei que se com 90 re-
zes poda supprir as mais urgentes precisoes
da divislo do meu commando r.o merece-
ra s^us reproches. Os individuos avessos a
o syslema que defendemos abandonarlo seus
hens, e ha por isso muitas fazendas do muni-
cipio ex postas pilhagem dos andantes. As-
sim que o juiz de paiz ser nomeado Ibe
ni.mdarei tirar buma relaciu circunstanciada
das mesmas ; porera ptrece-me que no
enlamo V. Ex tomando em consideradlo
a grande distancia em que nos acharaos de-
vena communicar-me suas instruccoes a res-
peito. Para que a riqueza nacional nao seja
lo prejudieadd nesle intervallo, pro:urarei
confiar a administradlo mencionada aos ca-
jialazes mais inlellgentes e honestos que me
lr possvel achar.
tomo para uniformar-me as ordens que
me foro transmitlidas a o do correte, man-
dei publicar huma ordenaco que prohi-
be a introdcelo do gado nos lugares oceupa-
dos pelo inimigo lenbo aproveitado a occa-
siio para cohonestar a nossa conducta face do
mado todas as veredas a que se podessem di
nir.
pretrito se
povo" cathai inense que, parece-nie, devenios ,
cons.derar como nosso alliado e at nisto in- neiros dos dispersos de Santa Victoria
lento Ibe dirig a proclamacio cuja copia vai
comadamesma ordenaco a este junta.
Jiil.-'o nao merecer comslo a desapprova-
cao d V Ex. nem a do Exm. governo
Esta fronteira Exm. Snr. ,
aa importancia para nos seja por resp
grande rendimenlo das tropas que para aqu
slo exportadas, seja poaque daqui podemos
manter em charque nao so a provincia de S.
Catharina mas a de S. Paulo tambem e
vigiar com a maior acilidade possivel os dis-
trictos da Vaccaria Cima de abrir* e Mis-
soes. A vista disto rogo-lhe valer-se de
toda a sua merecida influencia para que o
Exm. governo e u general em chefe lancera
O Snr. coronel Agostinho, em officio de 7
do corren te commumea haver, nos ltimos
dias do passado mandado buma partida so-
bre a guarda realista da Serrinha, a qual foi
surpreheudida, ficando preso o commandan-
te da mesraa o facanhoso Lino do> Santos, e
dous comparces.
O Snr. tenente coronel Portinho logrou no
dia 4 do presente, derrotar completamente,
junto ao Mato Castelhano ao celebre Joao
Lourenco que acompanbado de huma forca
de transfugas se pretendia no mesmo inter-
nar. Destes, os poucos que se salvarlo o
fizerao a p e desarmados concentrando-se na
serra.
A partida ao mando do Snr. Capito Jos
Ignacio Rodrigues que, de ordem de seu di-
gno chefe o Sr. tenente coronel Joaquim Tei-
xeira Nnnes, se havia dirigido sobre o ca-
pillo Varella a 4 o pretrito o poz em
completa derrota, fasendo-lhe hummortoe
alguus presos, e tomaudo-lhe todos os caval-
los arreiados roupa e armamento ; a 2*5, o
mesmo capito Varella impelrou indulto para
si eseuscompanheiros e o Sur. lente co-
ronel Teixeira fiel executor das ordens do
governo que mais se apraz em abracar pa-
tricios arrependidos que punir conlumases ,
prorapto Ih'o ia conferir, ea 14 homens
que o acompanharo para o que a a8 devilo
chegar a Lages.
Nos ltimos cadveres das victimas do dia
ij, immotadas ras agoas de Pelotas, que
montarlo a 1 t, ao se lhe dar sepultura, foi
visivelmente conhecido o do infeliz brigadeiro j ros sobre o prejuiso que resulla para o com-
Cunha.e suppoem-secom razio a mesma sor-' mercio inglez do dito bloqueio, e particular-
te livesse o capito Candido Alano, do qual mente dos ltimos desembarques effectuados
nao havia a menor noticia. At o dia 20 do pelos Francezes para destruir os navios que
havilo feito mais ii presio-1 tinbo escapados vigilancia dos cruzeiros ;
e igualmente sobre a oceupacao de Montevi-
deo pelas tropas francezas
Tudo isso no se fez sem
da dia mais firme consequencia da grandr
quantidade de numerario que vem tanto do-
exterior como do interior. Ao mesmo lem-
po, consideravel diminuicao ilo seu pas-
sivo affasta toda a especie de receios ulterio-
res, tomos informados de que a circulaclo
de suas notas he hoje menor do que o tem si-
lo de trinta annos para c. Disem que em
i3 de novembro a importancia da circulaclo
nlo exceda 16 milhes de libras exlerlinas,
e que a dos depsitos apenas exceda 5 mi-
lhes. No mez de dezembro de i8a2 o
banco da Inglaterra se acbou quasi as mes-
mas circunstancias 5 a circulaclo foi de Ij.
it;o38,5 jo e os depsitos de t;a 1 3 800. Em
presenca destes lacios, nao de admirar que as-
classes commerciantes tenblo sol rido alguma
cousa pela escassez de dinbeiro; e se lenblo
visto na necessidade de faserem algum sacri-
ficio para obterem o dinheiro com que sa
tisfizessem a suas obrigaces. Hoje os capi-
taes abundlo ; o commercio go/a de confian-
ca e crdito ; porem, a grande difRculdade
consiste no augmento dos meios de cir-
culaclo porque as transaeces nlo podera ser
lio facis com it milhes de notas postas era
circulaclo como o serilo cora i9milhoes.
(Globe).
Londres 29 de dezembro.
Est-se ssignando nesle momento, em Li-
verpool huma peliclo contra a prolonga-
cao do bloqueio do Rio da Prata ; buma me-
moria deve ajuntar-se petico, para chamar
a atltenco do ministro dos negocios eslrangei
O general presidente ao patentear ao ex-
ercilo o progresso da causa da liberdade e in-
pendencia se contrista pelo excessivo nume- logo veremos os resultados quando se rena
ro de victimas que hio ltimamente suecum- o parlamento.
algum fim e
he da primei- bido aoalfange nacional, conducidas ao tu-
)or respeito ao mulo pela malvadeza e ambicio do governo
lirasileiro, e oxal este infeliz povo se acorde
todas a- suas vistas nella e nao deseuidem
providenciar para que seja este ponto guar-
necido com buma lorca proporcionada s in-
finitas vantagens que nos apresenta. Por
quanto de mim depender nao deixarei nada
de intentado para ver se consigo elevar a
divislo que agora tenho a honra de comman-
dar a huma forca de 1,00o homens para mais.
Se osj Lajeauos nu illudirera miulias espe-
rancas nlo me ser dittcil. O brigadeiro
Cuiiba morreo afogado e muitas fazes de
suspeilor ha que igual sorte encontrusse o ca-
nillo t_andinho.
lieos guarde a V. Ex. por muitos annos, co-
mo magna causa que defendemos he inister.
Quartel era Lages 28 de dezemhro de 18^9
Illm. e Exm. cidadao Domingos Joze de A-
meida ministro e secretario de estado dos
negocios da lazenda interino e da justica. Jo-
aquim Teixeira.
Ordem do Dia.
Quartel general na villa Setembrina i5 de
Janeiro de iSio.
O general presidente e commandante em
chele do e*ercilo vio com prazer realizadas as
victorias que augurou em sua ordem de 2 do
andante ; tilas se tem succedido simultnea-
mente em Lages e Cruz Alta e a causa da
liberdade e independencia se robustece com
dobro vigor este municipio se acha como
aquelle, expurgado dos prfidos reactores
que o assolro leudo com o escarment del-
lts convergido a ordem que a traicao e cobar-
da havilo entorpecido e feito desapparecer 5
es mesmo, que pouco havia altamente bla-
sonarlo otriumpbododivnisado trono para
ocupletarem-se ao merecido castigo d> seus
crimes, fugiro em todas as direccoes ao ap-
proximar-se a forca ao mando do Exm. gene-
ral Bento Manoel e Snr. coronel Jlo Anto-
nio emendo com [razio seren reproduzdas
as scenasdejutbode 1817: esles dignos che-
les os idio vivamente perseguir ficando
algunsdos traidores morios outros presos,
eos mais felizesobrigadosa se asilaren^na
den** erra ? cuja stfjuaraiiva uracana ic au-
ra r s momentos por se lhe haverem to-
(Coramerce),
Recebemos a noticia do miserere] estado era
do extranha indolencia que o conduz ultima que j se achio os operarios de Tesley e ou-
defiradaco e miseria. Bento Gon,alves trascidades de Escossia. Em Bolln. ISo-
tbingham e outras pracas ha a mesma penu-
ria. O invern ja vem ebegando 4 3 prc.;
ses vio crescer e os recurso* deminuir. Se
se tivessera supprtmido as leis dos cereaes,
parle desle mal se podia prevenir e impedir,
porque dos Estados-Un idos se teria importa-
do huma quantidade consideravel de trigo e
farinha e essa importacio facilitara o pa-
da Silva.
Bento Goncalves da Silva a Jos Mari-
ano de Malos.
Setembrina 16 de Janeiro de 1840.
Querido Matos.
Hontem me vierio mi os nmeros i3o e gamenlo da divida dos Estadoi-Unidos. Re-
i3i do Povo, e no ultimo vi estampado o o- sullaria d'h que so nos faso encommendas
ficio de Texera tal qual o enviei. Ora, vos para a industria eque a populacio ganhan-
sabeis que a maior parte de nossos cheles, do o dinheiro por seu trabalho os alimentos
leudo grande capacidade para operar sobre o se tornario abundantes e baratos. Espera-
inimigO Ibes falta o saberem dirigr-se por mos que a penuria das classes trabalhadoras
escripo, e que por isso mais de urna vez temos excitar todos os manufatureiros a combina-
compost suas participaces quando ellas rem os seus esforcos contra a lei dos cere-
lem de aparecer em publico. Islo foi o que aes. (Sun.)
eu pense abi fizessem com a de Teixeira,
i4de nove nbro.
O lornal de Windsor da conta do seguinte
acontecimento, que leve lugar no Palacio, re-
noite de io
ou queao menos exprimissem a ultima par-
te, lendeule aoperaces, (|ue nenhiima ne-
cessidade havia de aparecer para nlo pre-
venir o inimigo Sei que vossos allaseres
serilo a cauza disso succeder; porem, eu sidencia actual da rainha. Na noite de
vos ro^o de evitar que para o fucluro suceda varias vidracas forao quebradas em huma da
outio lano com alguma ou Ira que trate de cmaras immediatas a da cama de S M. ,
com pedradas atiradas de fora. Disem que ao
operacoes ,
venido.
afimde nao ficar o inimigo pre-
dia ii, pela manhi lord Melbuorne man-
S espero que o general Bento Manoel e dou ao coronel Boys ordera de proceder a ba-
jlo Antonio oceupem O ponto que Ihes tenho ma investigaco a respailo das sentinellasque
indicado
para tomar a offensiva por diffe-
renles pontos a hum mesmo tempo sem o
que seria imprudencia laze-lo. Tenbo falta
de resposla a huma porgo de oficios meus a
os ministros, inimigo tem feito por esla
parte varias tentativas sem nenhum resul-
tado favoral a elle ^ e se nlo fosse a falta de
cava los os teriamos escarmentado. Tenbo
recebido communicaces de Crescencio, e es-
tou ao laclo do occorrido com Ismael e o major
omingos no Estado Oriental ; e lhe res-
pond que os fizesse regressar nao permit-
tindo que se envolva naquelles negocios ,
em quanto nao estiver baseada nossa poltica
com aquellas repblicas &c. &c e vi
com prazer que vossas ordens a respeito sao
conformes cora as minbas.
Saudades vossa familia e a todos os amigos.
Disponde do vosso invariavel. B, l. da
Silva. Vi
[ Do Despertador. ]
NOTICIAS ESTRANGEIRAS.
INGLATERRA.
O estado do banco de Inglaterra se torna ca
esliverio de guarda ao palacio naquella noite.
O resultado dessadevassa anda no publico,
e o faci mesmo anda parece hum miste-
rio.
O que he verdade he que no da 11 To-
rio visto vidraceiros pondo vidros as ja-
nellas da salla onde s diz que aquillo acon-
ceu, Eis aqu os dados que podemos alem-
car.
No dia 10, pelas 7 horas da manha no
momento era que alguns criados do paco en-
trarlo na sala immediata cmara de sua
magesli.de, repararlo que naquella noite a
anetla u.' meio cujos vidros sio muitos gro-
cos, fora quebrada como se algum corpo lhe
fora atrado de fora. Os mesmos criados,
passando depois sala immediata do mesmo
lado do jardim virio que tambem eslavo
quebradas tres ou quatro janellas $ e, dando-
busca sala achario debaixn das cadeiras
tres pedras baslantemente grandes.
Mr. Kussel, Inspector de polica adido ao
paco, foi informado desta circunslanciae sem
perda de tempo principiou-se huma devas-
sa para se saber quera lora o autor de to rr -
Jminoso laclo reconbeceu-se que este devera
ter occorrido entra hora e meii e 7 horas da


I
DIARIO DE PBRNAMBUCO
5
manb", porque resulta do depaimento da ba-
ronesa Lehzen que estivera uaquelta sala
pela i hora da manh, que naquele momen-
lo nada havia anda de novo Tomaro-se as
informacoes do coronel Boys commandante
da guarda de palacio e bro interrogados
todos os homens que ha7o estarlo de sentinel-
la bem como o sargento da guarda e min-
ios membros da casa real Cada hum em par-
ticular e todos em geral declararn que na-
da tinho visto nena ouvdo o que parece
milito extraordinario
Dizem que esta aggresso podia ter sido
commellda de larde por alguem que estando
no parque, atirasse pedrada aos quartos da
rainha durante o jantar da corte, e no
momento em que a msica das guardas ex-
eculou symphonias, cujo ruido impedira
provavelmente o das pedradas e os dos vidros.
Mas esta asserco cabe a vista do depomjnlo
da baroneza Lehzen.
Em conseqnencia de todas estas circuns-
tancias presume-se que alguma ssntinella a-
dormeceo no seu posto ; mas como ellas sao
rendidas de duas em duas horas, he impos-
sivel lixar exactamente em hora a que as pe-
dradas fora~o atiradas e, prtanlo, concluio
esta iuvestigaco sem resultado ulgum sdis-
factorio.
(The Morning Herald).
(Uo DesperlaJur.)
CHARADA.
Em versos e noutras parles, ) c ,, ,
c- i < r i Svllaba.
Singular ngura luco. )
Digan la oque quizerem : )
lilas declaro, que sou d'aeo. )
(Quebr o remo ou rasgo a vella ,
Por tal ou por lal maiieira ;
Sou maiorou menor parte
D urna certa coisa inlcira.
LOTERA DO THEATRO.
O pagamento dos premios correspondentes a
i. parteda i. Lotera continua a ser diaria-
mente feito no escriptorio do respectivo Phe-
sourero na ra da Cru N. t das 9 horas da
man lia,1 ;ts duas da tarde.
Os bilheles da 1. parie da mesma Lotera ,
cwja.1 rodas andad imprrterivelmenle no da
ai de Marco prximo futuro, acha-se ven-
da no bairro do Recite em as lojas dos Srs
Manuel Goncalves da Silva Cardozo Aires &
Irmo e Vieira Cambista na ra da Cada ;
e no bairro de Santo An'onio as dos Srs.
Antonio Alvos Teixeira Bastos ra do Cres-
po e Joaquim Claudio Monteiro ra do
Queimado.
THEATRO.
O Director tendo de reformar diversos ob-
jeclos do Scenario e vestuario cunvida os
aprendizes de alfaiate ou mulheres para
cozerem pannos no Tbeatro jornal ; dan-
do comedorias ou a seco : os pretendentes di-
lijao-sj a caza junio ao mesmo Tbeatro para
tratar do ajuste.
tT Precsa-sp de um moco poriuguez qu
saiba ler escrever e que goze de bom cr-
dito para segundo caixeiro de urna pilara;
na ra dos Quarteis D. quatro se dir quem
precisa.
SSF" Antonio Rodrigues da Cruz compran ,
e tem em scu poder um bilbete da a. parte da
1. Lotera do Tbeatro publico da cidade do
Recife N. 189 por contado Sr. Jos Ribei-
ro Barbosa do Bio de Janeiro.
C9" Aluga-se um grande armazem as
Cinco ponas por baixo do sobrado de dois an-
dares defronte do vveiro do Sr. Muniz : a
junto do S;\ loaf Pinto de l .pinos.
%~/~ O *baixo asssignado faz sciei *s-
peitavel publico q' o sen Omnib 1 .p. de
levar dez pessoas que quizerem vi, :r. *t*n-
do estas no lar,;o da Matriz tic S. Antonio pt
;im ;!' naco, ludo por preco rommob na
1 v,.\ do Cal inga loja de lazendas ao | da de
cera de Jos Casado d'Almeida eOveira Frei-
r.
-----Iva MW 'da Madre de Dos 11 vhUp c
las quatro horas e mea da tarde indo o mes- quatro conlinia-sc a ensinar meninas a ler
mo mnibus em direilura ao Mondec;o Vlan-
guinho Ponte do Uchoa canino de Suda
Auna Caza forte e Monteiro, d'on le vol-
lar da mesma maneira cm torna vi igtsm na
mandado dia seguidle pelas sete horas. O a-
baixoassigmdo tem feilo esta novo eslabeleci-
ment para todo o anuo sendo o preco de ca-
tratar na ra Nova D. as con Delfinio on- da pessoa um mil reis em toda a distancia ,
calves Pereira Lima. cm mcia dita tfo c cm urna terca parte ao,
S25T Aluga-se urna can terrea cora sota ao que deo principio no dia ai do correte.
Thomaz Savie.
E3- Os Snrs. Assignantes do Jornal Pa-
trapeira cacimba e quintal confronte ao
muro na ra das Mangueiras em Olinda ;
quem a pretender dirtja-se a casa da Sra. U. norama podem man I ir receber os seu*. com-
Anna Xavier Leal no3 quatro cantos, ou no ptenles lamelos no Escriptorio de Francisco
Recife loja N.a8 de Joo Alara Seve. Severino Rabello no Forte do Mallos: no
*2^ A pessoa que animneiou ter umi carta niesmo escriptorio h; venda o Diario da a-
para 1) Anua Mara de Jczus Cisnei ros de- vegaco da Armada que foi aterra do Hra/il
clara que mora na estrada dos A Hielos de- em i5Jo. Sob a Capitana mor de Marlim
fronte do beco do Espinheiro e poie entregar Alfonso de Souza escriplo por seu Irm.lo Pero
a dita carta no mesmo sitio e lica esponsavul Lopes de Souza com Documentos importan-
pelo importe. (,.s peia fnaior parte copiados dos aulhosrafos
t5- Precisa-se de um cont de res a uros da Torre do Tombo e ornado de elucidacoes
de do.s por cento ao mez por lempo de um an- e notas. Um volunte em 8., bom lypo ex-
110, daudo-se em garanta hypotbeca sobre relenle papel e com o retrato de Mirtim Af-
cscravos ou firmas de todo o crdito : quem fonco : preco 1880 rs.
quiser
do
dar
annuucie para ser procura-
vil
1/ Um rapaz brasileiro de boa conducta,
(que provara com attestados) oflereee-se para
C7" Troca-se um escravo ladino, mico e caixeiro de algum engenho, ou mesmo para
sem achaque algum por um moleque de do- I ensinar alguns meninos as primeiras Letras ,
ze a quatorze anuos nao leudo tambem acha- letrero especies de coalas ludo rom grande
que algum ; na ra ireita sobrado do lado do perfeicao visto j ter bastante pratica e nao
deixar de fazer todo e qualquer negocio com
aquellas pessoas que de seu prestio se quize-
rem utilis.ir, asquaes queira annuncar suas
moradas] a hm de sercm procuradas pelo au-
nun ante.
tSf Vende-se ou perm,ula-se por trilos
urna grande^porcode lenha decajueiro, no
logar convier dirija-se a esta Typographia que
se dir quem pretende.
13" (,)uem animneiou no Diario de 26 do
correle querer comprar um oculo de ver ao
longe dirija-se a praca do Commercio no bo-
tequim do Almcida.
rr^ O Lenle de Mathematica do Collegio
Pernamburano t U> Collegio ile Santa Cruz
declara que abrir seu curso particular da
mesma ciencia em o dia 9 de Marco : os Sis
Poente D
iZT D-se sociedade a qualquer homem que
queira tomar coula de una venda entrando
com urna pequea quanlia para fundo da mes-
ma : a tratar delronle da rbeira da Boavsta
D. viole e oito.
SS" Troca-SO urna casa na Boavsta na ra
do Rosario M. n co:n tres portas de frente ,
quatro quarlos um quintal cheo de arvore-
dos, que deita de ra a ra por outra niais
pequena no bairro de Santo Antonio era boa
ra ; quera quiser dirija-se as Cinco ponas ,
venda I). 10.
XST Quem precisar de urna ama creoula ,
paro servico de una caza <|uc s.ibe engom-tr ,
coziuhar e cozer procure a vlaria Pedro dos
Prazeres no porto das Canoas sobrado que
tem os caxorros sem varanda na loja.
escrever. contar, cozer, c doulrina Cbris-
|ia. Os Pas de familias, que quiserem a edu-
caefio de suas (i I lias, e desejareiu o au ;mento
das mesmas poden dirigirse a mesma caza ,
ficando certissinos que a Senhoru propje he incanfarel aodesenpeaho dosse^s
deveres.
%L^ Precisa-se de duzentOS mil reis a pre-
mio de do;s por cento ao mez com hypotbeca
eai urna sera vi ou sobre ontro negocio. (|uc
se dir a vista 5 quem quiser dar annuncie pa-
ra se procurar.
- \ eude-sc urna cari tenca na Cida !c
de Olinda, na ra do Aljube N. onza quem
a perlender dirija-se a ra de Hurtas casaU.
cincuenta e nove.
--- O Rm. Sr. Sacerdote queannunciou
uo Diario de segunda feira vinie e quatro do
corren te pereisir de um homem para sua
cempanhia dando-lhe todo o preciso a 1-
nuncie su i mor ida ou dirija-se paderia d 1
ra .Nov.i I). it).
tS3hFaz-se todo e qualquer negocio de nlu-
guei ou veod 1. com o butiqnm das cinco.pon-
t,is assim cono tabem se traspassa a xa?e, pi-
ra outro negocio as pessouas q'quizeren tratar
dirija-se ao mesmo a qualqu >r ora do dia
Vende-se una 1 sera va preti de -o an-
nos de dado con inuila agilidad? para qual-
quer seivieo ; na roa do neinado loja de
la/endis I). | defronte da botica.
Conpra-se urna caixa uzada autiga
com nove palmos de conprido pouco mais ou
inen.s 5 na ra do Queiraido loja de lazendas
defronte <\.i botica
O Dr. Eustaquio [Gomes tem enb r-
gos de terceiro Senhor pnssuidor recebidos na
execucio que nove Antonio Jos.- deAlbii-
querque a Alexandre Lopes Hibcir s ibre os
esclavos Manuel Cassange Mano d Con^o ,
Manoel Caraondongu e Joana nova Cas-
sange; e como ape.-ar disso \.i> ser arremata-
dos por accelerar-so aexecuco, o annun-
ciante protesta reivndical-os de quem por
ventura os arremate firmado em seu direito
de propriedade.
Preciza-sc de nm rapa/ estran^ciro -vira
creada, preferindo-so tinque fall
na ra do Trapiche l\. la.
nglez ,
sm- Quem quiser alugar umcavallo para que O quiserem frequentar poden procural-0 ----Preci a-se de um caixeiro portii"uez
ir todos os das al aos Aflictos indo de ma- em o principio da roa d'liorias D. 14 prmei- j para venda de idade de 1 a a 1 \ annos na
nb dando-se o sustento ao cavallo e mais ro andar na certeza de que (tinguen ser ad- ra da Praia defronte do sobrado do Se. Jos*
alguma coaisa de aluguer isto por um al t miltido sem contar mais de quatorze annos de Higino de Miranda.
mezes; annuncie. ij,l(lc. | Mandou-se no Domingo 3 do crran-
te Quem precisar de alugar urna carraca lar Aluga-se una casa terrea sita na ra I te unne-jro denaco Maianhique, levar
para conuuzr raateri.ies dirija-se a ra No- d'Alegra na Boavsta que lera 5quartos. um uppdrelho de cha a ra da Cruz eco.no
o di;o negro nao entregon ; julga-se que por
engao foi entregue en ou'.ra casa : roga-se a
quem recebeu baja deenlregar a ra da Ca-
dei casa de Alberto Hoscli.
S3T Hum rapaz Porliijuez que ja len pra-
lica dos En.:enlios de assucar suas de'oenden-
ii
qualqi
A visos #l v e rsos.
' tST O abaixo assignado Professor de Bo-
tnica e Agricultura partecipa ao respelavel
Publico que abre a sua Aula no dia em que
se abrirem as do Curso Jurdico. Tambem se
olferece dar algumas no oes de Anatoma
descriptiva a os que quizerem entrar 110 co-
nliecimsnto de Medicina Forense.
Joaquim Jeronymo Serpa.
ES/" Quem precisar de um menino de ida-
de de doze anuos para caixeiio de loja de la-
zendas o qual d fiador sua conducta an-
nuncie.
tS5r Madame Thard tem a honra de parti-
cipar ao respeitavel i ubi ico e particularmente
as senhoras que acaba de receber de Franca
um rico surlimeiilo de guarnicoes de llores pa-
ra vestidos e capailas, e llores para ornara
cabeca toda do ultimo gosto ; cbapos de seda
para senbora dos padreS os mais modernos ,
hlonde branca c prela fila larga para guar-
necer vestidos e chapeos; grande sormenlo
de cabellos niarralas da ultima moda per-
fumaras milito linas. Tambera tem dois es-
pelbos grandes para salla que dar por um
preco mu lo rasoavcl.
l^r- Quem tiver adiado urna chave de bro-
ca perdida no dia 'z 1 do correle cuja bro-
ca be quadrada lenba a bondude de a entre-
gar na venda da ra dos Quartcis, que rece-
heralvicaras.
va D. ai ou ao sitio da Capellinba do Vlou- salla independente e co/.inba lora ; quem 1
dego. pertender dirija-se a praca da Independencia
yr O Sr Fernando Aflbnso de Mello ,' N. 4,
queira dnigir-sea ra do Vigario do Becile ft^. Pelasoito horas da noite do dia vhjte
venda do Sr. Puntes que tem um sobinlio e cinco do crrenle ao desembarcar 110 Portu
que veio da liba de S. Miguel de norae Mi- das Canoas da ra iNova desapparec<-o%in
ximo Adriano de Mello, lem urnas carias bulni do poder de um preto ganhador a quem ciaa e trbalbos assim como DeslillacSes e
para me entregar. I'oi entregue sendo o mencionado bah ac!n- oerece para administra So de qualquer des-
C?" Quem annunciou dar um cont e no- do pelas 10 horas da mesma noite DO lugar -9 'tas couzas ou ambas reunindo-lhe o presli-
vecentos mil reis querendo dar qualrocentos Carmo Velho j arrombada a feichadu -' too de todos os acentos e escri pturaco nares -
mil res por um anuo sobre hypotbeca de urna com falla das seguntes peaas 3 vestidos1
morada de casa terrea de pedia e cal dirija- bramos, um novo era foi ha de cambra a de
se a ra do Rangel 5. listivis linas, uradilo de cambraia liza e 011-
13- Jos Antonio Pereira da Silva piof- tro de paniiiuho sendo estes dous lavados e
fessor de primeiras leltras, e Gramtica Lat- engomados, um dito de chita cor de roza ,
na, morador na ra estrada do Rosario, ler- tambera novo em folba ; um l de hubo hor-
ceiro andar do sobrado a, aviza ao res- dado, lavado e engomado : urna manta rk
peitavel Publico que arala contina a rece- gara azul c um lenco de garca branca com
ber alumnos para ditas aulas, sendo os de barra azul. Koga-se pois as pessoas a quera
primeiras ledras pelo mdico preco de dois mil dito furto for ollerecido ou alguma das pecas
reis mensaes, os de Lalim, Ires mil res e cima ; queirao lomal-o como lulo ediri-
dedicando-se estes Arithmetca e ao aper- gir-searua de Dorias sobrado da quina do
feicoamenlo da escripia quatro mil reis O 1. beco a direila quem vai do Carmo
aniiunciante pioraelleomaior disvello noadi- cr Pieiisa-se fallar aos Srs. Antonio da
antamenlodaquelles meninos, que llie forem Rocha le/erra e Vlanoel Antonio da Silva
confiados como j o tem practicado eom mu- Gaimarcs 5 e como so ignora sua moradia ,
tos no esparo de tres anuos que sto se em loga-se-lhes queira anuunuial-as para seren
dedicado. procurados.
Sjsr Precisa-sede alugar urna escrava para t^r O Teatanenteiro do fallecido Antonio
o servico externo de urna caza de pequea la- Manoel de OKveira Arooca, faz publico, que
milia dando-seo sustento, e pa;.uido-se no dia sexta feira viole e oilo do crrenle pe-
liezenlos e vinle res diarios; no iecile de- las onze horas dn dia lera lugar a ultima praca
fronte do porlo das canoas era uiu sobrado de das lazendas das lojas do dito fallecido com
portadas amaradas. a#condieoes ja oerecidas por Jos Antonio
i^- Quem qujser mandar engomar roupa da Silva: os pcrlendenles podem comparecer
com asseiO6 presteza dirija-se a ra do Li- pula da dita loja na rua dos (piulis ; as-
v lamen lo sobrado D iS primen o andar.
jy Precisa-se de urna muliier para ama de
casa de pequea familia na ra di Gloria D.
ix do lado esquerdo
t^ Huma muliier parda o de bons custu- mil reis u juros dni,a-seao atierro dos .li-
mes, e d fiador a sua conduela, se ollerece logados 4casa de : eiis Goncalves Htres.
para ama de qualquer casada homem solteiro, I ^- Vendem-se chapeos desold seda de
ou pouca familia, a pessoa que do seu prest- barra de bom gosto, e de outras qualidadcs ,
mo se quiser ulilisar dirija-se ao andar '.e Umanhos at |wra meninos, eseda e se-
situ como se iia de arrematar urna muala j
inaior da ~o anuos e a armaco de una loja ,
que se desmauchou
- Quem o.lereceo um cont e 00 vecen tos
saria ; e igualmente pira Caxeiro n'esta Pra-
ca ou de ra 011 de lojas de la/.end is ou fer-
ragens : oSnr. Proprielario qne o qnizer ei-
perimenlar procure na ra lormo/.a en caza
do Ai rematante da [lluminaco.
OJrece-so hura Portugue de iikde
de vinte annos para Caixeiro de quilqueres-
belecimento nesla Praca ou lora della ou
mesmo para lora da Provincia, nao sendo ven-
da : a pessoa que se qnzer utilizar de seu
presiimo annuncie ou dirija-se alenda de
ourives na ra Direita junto lgrejade iV. S.
do Terco ou no Atierro da Boa-vista venda
que foi do finado Carlos Jjze Lopes
C3T -No porto da ra Nova se acha boma
por.ide travos de J? a Jn' palmos, o do
palmo en quadro e rende-sepor prec'o cam-
inlo, sendo ludo de boa qualidade : no ar-
uia/.em da ru-i Nova D. lj
ur Precisa-de Uuai hbil oficial de Pe-
dreico ; quem se queira eacarregar de huma
pequena otira o Recite dirija-se a ra do
.\oueira O 19 lid do Sal.
IZ3~ >.r. Kissei relo,0:110
Boa
110 atierro da
vista compra relogios de blgibeira em
segunda mi a lamben troca e vende em
con la eafiaocu-se aos^comiiradores,
"^r Quem precizar de un rapaz iratileiro
paca ensinar 1 letras fura da prava para
oque >c acha suacientenente habelitad 1 nao
st por 1er os conhecinenlos necessari >s cono
pelo .'!." o ;,, (,u,- una uta 1 pra'sso ;
annuncie a sua moidju pira BBC pricu-
11 l ,
U


9------
i
T Prcrisa-sealugar um silio no lugar da
capunga ou em oulro qualquer Lagar parto .
quetenha banho ? quem tiver dirija-seta ra
nova lou !) aa.
' Quera aunuciou querer ilar 1:900,000
a dous por cento com liypotheca en casas ,
qucrendo dar tim e meto, dirija-se a ra
i\o Fugundes D. i.
SSF" O Reverendo Sacerdote que annun-
ciou querer urna pessoa forra par. viver em
sua eompatrhi* no diario de >> doeorrente .
qverendo um hornera de jor tantos annos o
qual ton alguns conheciraento, dirija-se o
111a nova loja franceza de Frederico Chavos.
'). 5 ou annuneie.
CS" Da-se dinheiro sobre pinhoresde re-
rogiosde a I gi Loira ; na alterra loja de reja oeiro
No dio sexta fierra g \ do eorrenle p*lo
Jui/.o da pfmera vara do civel o Sur. Bas-
tos, se Isa do arrematar por exeeucSo una
asa terrea a barracad 1 no lugar do monteiro
una dita no caldereiro em respaldo, e urna
olaria no lugar doc
52T" Arrenda-se annuahnente urna rasa
tcrqra a barracada, si: 1 na ra que vai da es-
Irada da solidado para o manguinho repar-
tida segundo o gost moderno, lera corredor
lavado sala de vesita la com J pal-
mos em quadro tres iam lias de peit iril en
vidra^sadas 8 quarl 5. sala boa d jant'ir ,
eozinha fora, c .-; oto de .n o ingle/.,
conten dhas, ese respectivo for-
iii) quintal murado, com cacimba de ag a a a
beber, scmalla para seis escravos. estriba na
para ; carelios com norlo para n frente, da
na hdei l< ule da porta principal c
tudo multo hcra piolado e snii entemente
seseado; es pretendentes Pirtend c rom
0 Escrivat ln !.i que tcm poderes para o
lito a r rendam nto.
OT Maiioei Francisco Pinheiro, retira-se
para a Baha,
PARA GEAR Ve Acarar a Sumaca Fe-
liz American 1, sabe impreterivelmente no
imdoeorrente recebeaindacarga os pre-
tenden tesdiujo-sea Manoel Joaquim Pedro
da C< sla.
I '. \ ASSU' o Brigue Brasileiro Pernau-
' u< mo : ni' er carregar or bfr de
passsgem dirija-se a Manoel Gonsalves Pe-
i m 1 I 1 .. "ii io Capilao do mesmo.
PARA O '' a Sumaca Belmira
M. Jos Joaquim A Ivs tema maior parle de
sua carga pcompla e saldr breve ; quem
uiscr carrejar ou ir de passagem ectenda-
com dito '.esle OU com sea dono Anto-
nio Joaquim de Souza Ribeirn
PARA O. RIO GRANDE DO SL o Pa-
1 n 110 Nacional Francolina salte atd o (lia 8
de arco 5 quera qtiiser carrejar, ou ir de
paSsagm dirija-se a losa da ilvn Nevos,
ou u 1 edro Marciano airando corpo Sanio o
naesmo Patacho tocara no Rio de Janeiro, caso
baja pasageiros pois lem excellentea coni-
inodos, eo ki estro promete trata-Ios exceilen-
temenle.
PARA T IESTE o superiore velleiro Bn-
gue Ingl Ca ito obb, sahircoai
toda brevidade jior ter a maior parle de sua
. ..1 ja pronjpla quem quiser carregar di rija-
se a us seus Consignatarios Me. Calmont &
. Companhia na ra d;i cadeia velba.
DIARIO D!
i
P F.n N AMBCL'O
MBJJUII.JJ ^..nAOBSSMBRBnm
*
/
m
umsmmtf.B'miMKiof':-^.' ivi .vMOUBUsanr^K
mjjjm
de diferentes qnalidadcs, suspensorios debur-
raeha e sorveles de ructa ; na ra da cadeia
iiitcrvencaodo Corre'or Oliveira, de um com-
pleto sortimeulo de fazendas limpas e ava-
riadas sexla feira -.'8 do corrente as dez bo- quina do beco largo n. 55
ras da man ha no sen anuazem da ra do tra-
piche novo.
i, ttT?* Urna balanca com o seu competente radmetido em seus estabeleeimenlos alguna es-
C o m F) r ;i s
HT Um brafo de balanca grande e pesos;
na primeira serrara da ra da praia a fallar
com Miguel de Torres.
r Um oculo de alcance que seja bom;
quem tiver annuneie.
'" Um cavado para carro ; quem tiver
annuneie.
V e 11 das
. Tres molecas de idade de i nos iioas par, seren educadas -i moleques
:[' o a i5annos, ptimos para toda o ser-
vi o duas prelas mocas de bonitas figuras,
engommlto ooinho, e fazem lodo o mais
servil o de urna casa una moltinba de ida-
de de 16 anuos de bonita figura cose en-
gorama alguroa couza, e he de muito boas
costumes dous prelos mocos muito robus-
' los c ptimos para todo o servico, e um mo-
I htoptimo official (le saputeiro ; na ra de
ias verdes casa terrea I). ^7.
t :=- emente de inhame e urna venda na
estrada de lofio de Barros quina do b.-co do
espinheiro a tratar na mesma
a> Pina pela de idade do 15 annos co-
ziniia eiiKorama e cose alguma cousa ; na
ra estrella do Rozario D. t.
' Lincavao caslanho bom carregado'r
e piisseiro gordo e novo um moleque crc-
. >, de idade de 90 annos,, bonita Bgura;
na pa do Queimado loja de fazendas I .6.
v.,'- Uma escrava sera vicio, boa co/Jnbei-
marco de quarla ; na ra de S. Thereza venda
D 1 i.
SSJ" Um sobrado de 3 andares e sotiio, no-
vo e bem construido na ra do collegio onde
mora o Dr Guimaracs a tratar na ra do
Crespo D. 11.
SSr" lima escrava creoula de idade de 16
annos de bonita igura e ptima mucamba
por se- recolhida ; e outra dita de nuco hen-
uela<, com bonita lisura, cozinha o diario
de urna casa e he quilandeira vende-se
por seu Sr. rctirar-se para fora da provincia :
na ruadircita I), o lado do Livramento
a:^- .Seis-cscravos entre elles dous que scr-
vem para pagem de idade de i> a |H anos ,
todos gozo perfeita saude e de bonitas fi-
guras duas escravas de nacao e urna cre-
oula sem vicio algara de idade de 20 annos,
as suas babelidades se dir ao comprador to-
dos se dio a contento ; na ra de agoas ver-
des I). 3S
1S^ Cautellas de bilhetes da lotera do the-
atro devididas na vi^essima parte ; na ra
do Cabula loja junto da de cera preco 5oo
ris.
\CF" Fitas sarjadas e assetinadas muito su-
periores fitas de garoa a :i \o e a ^20 de to-
das as larguras pentes de marra fas de tar-
taruga ditos de alisar muilos bous abolua-
durasde retros para casaca ditas ampielas a
4H0 aboluadura tinta encarnada a 160, e
azul e preta a 80 estojos de navalhas mili-
ta finas ditos em caixinhas com caco va e o
mais neri'ssirio para barba afiadores para a
ditas Rieias para meninas facas e garfos
de cabos de marfim, ligas de seda a i?.o. nieias
prctas para Padre a (vjo e outras militas
miudetas jior preco cammodo ; na ra do ca-
t27* Roga-se muito a os donos de armazens 1
prencas sitios e olarias e mesmo os que
eslao idificando predios, que no caso de ten-m
ra engorare lava e faz. doces na roa
j unto u ponte a fallar com Jos Candido Par- DUR D~ L
ios. fifi O verdadeiro robe do lafectcur, pasti-
2T Mmmi finas, covos, c lerros para cha- ,hag (|j} Vichy ^ g pm t,(, mou (Je Vcau ^ (,,ie
peos chegados prximamente de trancaj na ^fafe Franca na Athalia; na ra doRozari
ra nova lado da Matriz D. 9. btea de Bartholomeo & Rumos D. 7.
ra nova laao na mainzx. y- botica de liutluilomeo i\ liamos D. n. P-unaqne qi
tzr SaldoAssu'abordodoBngue Escu- (;;M1,(;i:iS dc bilhetes da lotera do c?- Roga
na S. Jo, fundjado delronte do trapiche lj,e,tro Jevedidas na vigessima parle, a pie- mais authori
novo ; trata-ae na ra nova D. .2 com Delino (,Q (Ie 5oQ r9. nM f) pniUas i0jas (lns Srg Mj_ pessoas part.
Gonsalves Pereira Lima ou com o (..apilao {;nci joapdm de Menezes o de Jos Martins urna negra d
Ricard 1 da Silva iNeves. ju Gra nomo ) de icfi
cravos para o servico dos mesmos siipond >
serem ganhadores de ra que por obsequio
bajita de reparar com alguma prudencia se en-
tre os escravos que lera admetido em seus
servicos, se encontraren) um negro com os se-
guinles signaes O qual est fugiilo desde aa
de Janeiro p p., o qual quando foge lem cos-
tme ir-se oerecer para trabalhar em sitios,
olarias prencas de algodao armazem de as-
Bucac e para servente de obras qualquer
Sur. dos mencionados estabeleeimenlos, haia
de manda-lo pegar e ehlrega-lo na ra estrel-
la do Rozario 110 J. andar do sobrado D, 09,
que sera salisfeito da toda a despe/.a ; o prelo
he de rime Joo l'eixoto de naco brfngele,
idade de '4 annos deboi figura sem bar-
ba pescoco alto egrosso falla grossa, tem
algumas penuenas sicatrines pelas costas pro-
venientes de hacalboadas be muito ladino ,
e falla muito bem tem um denlo aborto na
frente pois dando principio a os abrir nao aca-
bou osignal mais visivel qne elle tem, foi
vestido com camisa e calcas de algodao gros-
so foi visto a i o dias no sitio mangabeira em
O linda
s^- Nodia iBdeOulubro de 18 '9 fagio
urna escrava de norae Anr.a ladina ,'de na-
ci angola de bonita figura estatura re-
gular, cor preta, rosto puchado, olhos gran-
pes nariz fino beicos meios grossos tem
urna mal ha mais prelado que a cor natural
no rosto do lado esquerdo, c no braco esquer-
do urnas letras dc angola tem as costas mi-
les talhinhos de navaiha mos pequen is e
pes grossos porem nial feitos inlitula-se
creoula, levou vestido de riscado ja desbota-
do e panno da costa foi comprada a Ca-
milio de Lellis da Fonseca piloto dc urna das
erabarcacoes de Joaquim Ribeiro de Brit ,
quem a pegar leve a ra da Gloria caza de um
andar de grade de ferro delronte do convenio
a fallar com o Tenente Coronel T. Ce/ar iiur-
lomaqn que gratrGcar com 5,ooo-
Sp- Roga-se a os Snrs. Sub-Prefeitos e
idades desta c mais comarcas c
Lma escrava de na*** de idade de
cu lares que soubercm ou virftm
le nomo Josefa ( senao mudou de
) de idade de M aiiao3. altura recular,
SJ3" Superiores charetutos da Cacboeira secca d corpo cor fulla nariz chalo, com
chegados ltimamente no Patacho Dois Ami- joma' marca de ferro de sua Ierra em cima ,
gos ditos pequeos chamados de senhora, ditos um dedo grande alejado em urna das autos, ps
de Hambargo e ditos de Bavana era, cai- pequeos costunia intilular-se por forra j
i? annos cozinha lava e ptima para
veoder fazendas por ter bastante pratica j na
ra da cadeia do Recifa toja D. a6. .,
gp-*s. Urna casa torrea era fora de portas do Ms de .00, por 180*5,000, e caixas peque-quema pegar leve'aoatterro da Boa vista n
lado da mai i;, b_ 5c^ a tratar na niesuia niS r|e 50 a n0V(. m[ rs ? c retaiho a i|o 1 que receber 90,000 de gratifica o.
e tin rsi e os mais como ja he sabido 5 na ru irj" Da-se o 0000 a quem pegar um prelo
do Cabng loja do Sr. Bandeira.
ra ci ta ] >i da Cosa.
E hampagnbeAy, dito joly um gran-
I un nto de vinbos de Bordeaos e de
outras qual idades bervilhas e outras mais
qualidades de conservas, biscouto de Ham-
genebia de Holanda charutos da
erav< s Futidos
escravo de nome Antonio de naci congo,
de idade de pannos, fugioem bde Julho
del 838, bai.vo corpo seceo canallas finas
ps pequeos marca de ferida por baixo da
burgo, genema (ie nwiauua "" tj Fugio 110 da :6do corrente um mo- j barba olhos muito vivos aodava vendendo
fabrica de Groz da Pabia; na ra da cadeia leqne de nome Onorato de idade de i/{a i fazendas, e andava com upa preta forra do
nome Paula ; quem o pegar leve a ra do Ca-
bug loja de Antonio Rodrigues da Cruz.
CJ" Dcsapareceo no dia ai do correte ,
urna prelado nome Izabel de naci rehollo,
de idade de ;f) annos clieia do corpo tem
mis la I bos pelo corpo enfeites de sua Ierra ,
peinas arquiadas levon vestido de chita uza-
do panno da costa uiicangas amarlas no
do Recifa D 17 no primeiro andar.
' :m moleque de idude de 10. annos ,
muit crio 5 em fora de portas n. 5
a;^ Una morada de casa tortea cm chaos
proprios, h.ila na ra de agoas verdea; na cam-
boa do Carme 1). cito.
GT Dcccdcperluxo de superior qu;
annos secco do corpo pernas finas fullo ,
falla muilo apressado, foi visto decalcas bran-
ca ja velba camisa de algodao suja ; queOl
o pegar leve a Olinda ra de aguadelupe a
Ignacio de Loola Calado, que recompensa-
r o trahilho.
r. f" Fuirao dous escravos de Francisco
'** um de nome Manoel do gento de angola de 'pescoco e rosetas de ouro as orelhas ; quem
de de, 18 anuos, do idade de Jo anuos, a'to e gago o oulro de a pegar le\e a ra do Pangel D. 14 quesera
do Cabuya loja Ue nome Alhanazio cabra um tanto a cabocola- recompeusado.

i i A t
1 ". Que lazpin L. G. Ferreira & IMausfi-
t'd no seu armazem atraz da ra da cadeia, de
umaporcSde barricas com carne de porco
na sexla feira 2.- do correte as dez ho-
ras, do dia.
tSt Joao Slwarl, consignatario do barca
ingleza VJary -Gharlot- Weber anillada a
sie porto lendo de continuar a dispr de
parte da carga d^i mesmo barca para o seu cos-
tean, f#i leilao por inlervenc&o do rorretor O-
livcira quinta feira aj doeorrente s dez
horas da manbfi '. no sen armazem da ra da
Cruz, dos Kguintes arligos Retogio de
bronze, serpentinas oito, casticaes dito,
quadros com molduras doaradas agoa de eo-
j oa, marroquins, diversas guarda-ioias, l
"\ ros em branco cunas, 1 las, secreta-
lias 1 al mofadas amendoas confeiladus e
luiiilos ouiros urtigos do excellento gosto bem
como urna magnifica harpa, de grande va-
lor, pelo acreditado aulhor inglez Barry -
de Londres de voz as mais suaves C pe ci-
tas que se pe le imaginar.
%gf Quinta feira '- do correte as dez ho-
ms da manila na porta do armazem do '"nr
A atona Joaquim ] e vender obar-
com ervill nualid
a huta Jones & ; or
de cm potes de 20 libras por preco com- j\jarc|,anci morador na Cidade da Parahiba,
modo ; na rna da roda I) -n
' W Um escravo de idade
nliode angola ; na ra
fazendas D. a. do de idade de 10 annos, baixo, grosso,
t2F Essencia dc zimbro muilo boa para la- (,om uma sCitrz no pfllo fjUPm pegar le-
ve aoSr. Joaquim Claudio Monteiro, nesta
praca que gratificar.
KSB* O ahaixo assignado morador no sitio
var/ea grande as mattas da freguesia, e ler-
zer genclira ; na ra nova loja D. Bl
S2?" Uma escrava creoula de bonita figura ,
lava perfectamente de varrelia cozinha o di-
ario de uma casa cose faz renda e be
I qu'rtandeira ; em foi a de portas lado do mar. UiodeS. Antonio do Garanhuns faz sciente
n. 77. aorespeilavel publico e em particular a os
UP Lma escrava creoula de idade de i| Sis empregadosde policia a quem pertencer
anuos, cose cha engomraa eosaboa, co- a exeeueflo deste annuncio aue no primeiro
/inha o diario de uma casa, e serve para vea- dia Dezembro do animo p p. se pazero em
j dei na ra do ijue lem bastante pratica; na faga de seu poder dominio nm seu escravo,
; ra do Padre lloriano sobrado da quina o V(lia os signaes Segointes ; de nome Raimun-
beco da Carvalba das b as 9 horas do da do de nacao mu.-ambique, idade pouco mais
ou na p renca de Joaquim Francisco de Mello de 3S annos ladino, porem de maxavel se
Cavbante dessa ora cm diante.
OT Lma casa de pedia e cal no lugar do
caldcreiro a diante do poco da paneila, par-
to do banho, com qualro quartns duas sal-
las e cozinha lora j na ra de .VJauoel coco
D. ...
L Na ra do Viga rio n. 7 tious pardos
de idude Uc 90 anuos um com principio- de
carpina O aponiador de engtnho e oulro
Cum principios de capa taro.
Or 'i iuta encarnada em garrafas grandes
peonas dc a.o cicio de dezenho barretes
deseda para pedt ralas e meias ditas
de i-olio I rgaez lacas de marfim para
1* 14 V.D
.. !;; para go'j
1 tai nga, fsforos dc velinbas e 01
faz bucal de lingoa de boa estatura fullo
da cor grosso c barrigudo, olhos a pro-
porco marcado na testa e fontes da na-
ci orelhas forados, nariz pequeo, c tem
falta de um ou dous denles na fenle do quei-
.\o inferior, com marca de dous SS na bar-
riga e costas ps grandes e largos e tem
os dedos dos pes torloj para dentro a mancira
depsde papagaio 5 o abaixo assignado lem
fsica certeza que o (Pto escravo ciilrod'iVido
em um romboio d Granhuns entrn na
Capital de Pernambuco quem do dito tiver
noticia o prender e entregue o Chantre Jo-
1" a Silva da Fonseca em Olinda ou a
aeano Pintode Seras no Recife que
recomjiensado Jernimo Ferreira de Veras,
o\ tinento do tJvu
NAVIOS ENTRADOS NO DIA 25.
MACEIO' ; Jo dias Brigae Escuna Nac.
Nidheroy, ("ommandanle o i. Tenente Jo-
s Pimenta, transporta daquella Provin-
cia um Capilao Tenentcs e pp pracas
de pret 10 menores, e ,14 mu Hieres e
dous passageiros
ASSU'; odias, Prigue Nac. Matildes dc
200 tonel. M. Antonio Jos dos Res,
equip. 10 carga sal a Viuva de Gonsal-
ves Ferreira & Fillsos.
RIO DE JANEIRO; 16 dias, Barca Ame-
ricana Osala de a6 tonel., M. We'np-
ple equip. 14 carga ca fi ; a JohniMa-
tbeus vcio receber ordens e segu para
o Norte da America,
SAHIDOS NO MESMO DIA
PORTOS 1)0 ^ORTE : Paquete de Vapon
Nac. Maranhcnce Commandante o (a-
pitio de Mar o Guerra Barlbolomeo Hay-
dem, lev 1 os mesmos passageiros que tfouxe
S. CATHARINA j Patacho Kae. 4 de 1 aio,
M Amlonio Jos de Abreu carga vrioi
gneros.
CYP. M~\l F;"DEF.- 1840
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPPR1DKK7_FLYGJW INGEST_TIME 2013-03-29T17:47:47Z PACKAGE AA00011611_04027
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES