Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04011


This item is only available as the following downloads:


Full Text
V
Anno de 1840. Sexta Feira
_Tudo agora depende cao, e energa : continuemos como principiamos e seremos aponlados
com admiraco entre as aces mascullas.
Proclamacao da Assembha Geral do Braiil.
o---' ---------------------
Subscreve-se para esta folha a 30000 por quartel pagos adiantados
nesla Typograha, rUa das Cruzes D. 3, e na Traca da Independencia
ns. 7 e:>8, onde se recebem correspondencias (alisadas, eannuucios,
insirindo-se estes gratis, sendo dos proprios assinantes, e vindosassic-
gnados.
Paradas dos Correios Terrestres.
Cidadeda Parahiha e Villas de sua prctencSo...................
Dila do Rio Grande do Norte, e Villas dem. ...... .".".' .* .'.' .'.".". ." '.,,
Dita da Fortaleza e Villas dem..........................{Segundas e Sextas Fciras
Villa de Goianna...................... .... i ..... .
Cidade de linda..................................Todog os djas
Villa db. Antao ......... ........................Quintas (iras.
Dita deGaranhon ePovoar.o do Bonito.....................0,as i0( e ^ deca,| mez-
Ditas do Laho, bennhaem, hio l'ormozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito,
Cidade das Alagoas, e Villa de Maceio.........................Idctn dem
Villa de Paja de Flores..........................'.."..... dem 13, dito dito.
rodos os Corraos partcm ao nieto da.
7 de FEVi.nfciRcu Numero -iI

CAMBIOS.
FKVFnniBO 6.
Londres...... bi i| 33 por igooa ced. ^
' sboa....... So por 0/0 premio, por inciai ouerecid
r fca.......ag> res por franco.
Iiio de Janeiro a par.
OUHO -- Moedas de bffioo^n Velhas 14*800 a
1 Ditas ,, ,, Novas i4froo a
> Hitas de iflooo r9. 99O0 a
PHATA PataCoM RrazileilOJ -.....ijrSfio a
., rezos Columnarios--------------- l^jno a
Dilos Mexicanos------------------- i#Jio a
Premios ds Letras, porroei I i>8 a 1 i|j|x>r loo
Moeda de cobre 3a por 100. de disc.
o i
iStforb
8,*-ino
i|58o
Dias da Semana.
da I. V,
3 Segunda-----S. Brai II M............Sassfo da Thai. c and. do J. de D. da a. v.
4 Terca---------S, Andr Corsiuo B.-------------Keltaco e aud. do I. de D. da v. man.
5 Quarta S gueda V M.....----SestSo da Thesouraria.
6 Quinta-------As Cliagas le Christo.-----------ReiacSo e Aud. do I. de IV .Ij -> v>r> de :
2 Sexto---------S. Raniuaido .^b--------------Sos. da Tliez. e aud. Ao J.
8 Sabbada S. Joo da Malta Fuudador-- Rei. eaud. do J. de I). da
9 Domingo-----S. Apollonia V. Al.---------- -
Mare eheia para s da 7 de Feverciro.
As 7 horas e 42 minutos da tarde -- As S horas c minutos da manh.
de li.
3 v.
Dilo Ao Inspector da Thesouraria das
Rendas Provinciaes, communicando-lhe o
conteudo no precedente ofhcio.
Igual communicacao foi dirigida ao Com-
mandantc das Armas.
Dilo Ao Jniz de Direito interino da se-
gunda Vara do Crime communicando-lhe
que tendo sido levado ao conhecimenlo do
Regente em Nome do Imperador a sentenca do
Jury desta Capital que condenou a pena
ultima o reo Antonio Diogo por haver as-
sassinado ao seu Seuhor Jos Biserra de Al-
huquerque Montenegro houve o mesmo Re-
gente por bem Determinar que fosse execu-
t-lda a referida sentenca em Aviso de i de
Janeiro do corrente anno.
PortaraNomeando o Cidado Manoel
Zeferino de Castro Pimcntel para o Posto de
terceiro Commaiufante da Compauhia de Ca-
vallaria doCorpo de Policia vago pela de-
misso dada a Joo Marinho Paes Brrelo.
PEBNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dio 4 do corrente.
OfFicio Ao Commandante das Armas,
signicando-llie, que foi levada ao conheci-
menlo do Governo Imperial a Representacio
que a companhou o seu oflicio de 5 de Ja-
neiro ultimo de alguns officiaes Cadetes
e Sargentos que nao obstante terem sido
propostos por suas antiguidades e servicos
deixaro de vir contemplados na relacao dos
officiaes promovidos por Decreto de a de De-
zembrodo anno p. p.
Dilo -- Ao Inspector da Thesouraria da
Fazenda, transmitlindo-lbe a relacao das no-
tas da segunda eslampa assignadas, e emit-
tidas tanto para continuaco da substituico
das notas do extincto Banco, como para su-
primento do crdito concedido ao Governo
elo Decreto numero 91 de ti de Outubro
o anno prximo passado, a fim de ter a ap-
plicaco que Ihe d o artigo 28 do Regulamen-
to de 4 de Novembro de i835.
Dito Ao mesmo, partecipando-lhe que
o Regente em Nome do Imperador por A- va por copia a relacao dos officiaes que por
viso de aa de Novembro do anno findo con-' Decreto de 2 de Dezembro do anno findo fo-
cedeu seis mezes de licenca com os seus res- despachados para o terceiro Batalhao de
pectivos vencimentos a fim de tratar de sua Artilheria a p stimo Batalhao de Cacado-
saude ao Dezembargador da Relacao desta res, Engenheiros E tado Maior, Fortale-
Provincia Francisco de Paula Almeida e Al- zas Companhias de Artfices, e Reforma-
buquerque. : dos.
Igual communicacao foi feita ao Presidente Da relacao dos promovidos no terceiro Ba-
da Relacao. talho de Artilheria nolo que o segundo Te-
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma- nenie Francisco Camello Pessoa de Lacerda,
rinha, respondendo ao seu oflicio de i5 de proposlo para primeiro Tenenle da segunda
Novembro do anno passado que a Presi- Companhia, foi omitlido na Relacao entre-
dencia ficou inteirada da primeira parte c tanto qne o segundo Tenente Manoel Ferrei-
que quanto a segunda e terceira, quedeve- ra de Almeida proposto primeiro Tencnte
r; fazer matricular todas as Embarcaeoes da terceira Companhia vesse oceupando o
liudas, que empregando-se no servico de lugar da segunda, edeixa vago o de primei-
carregar lustro, nao se achao matriculadas ro Tencnte da terceira. Ett creio que a so-
por se nao romprehenderem as sesses do melbante respeito houve engao do copia *
llegulamenlo ; propondo as medidas quejul- porisso que da Relacao transcripta no Corrcio
gar convenientes tanto a cerca deslas como Offioial, c no Jornal do Commercio vi que
das que nao tem conservado como conven) o segundo Tenenle Pessoa (ora elevado pri-
com claresa os nmeros e marcas a fim de meiro Tenenle da segunda e o segundo
serem interinamente approvadas. Teneute Almeida ; primeiro da terceira. A'
Dito Ao hiesmn ordenando-lhe que nao ter havido engao observo a V. Ex. que
ponha na mais restricta observancia pela par- o segundo Tenenle Pessoa soffreo man i Cesta
te que lhe toca o disposto no Avizo que se njustica 5 por quanto forao despachados pri-
" he remelle por copia expedido pela Sccre- nieiros Tenentes, os segundos Manoel de Mel-
COVIMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia 3i do passado mez.
Illm. e Exm. Snr. Tenho em mos o of-
ficio de V. Ex. de hontem datado que invol-
Naosei a que atribuir a falta dos despa-
clios deslas pracas milito principalmente do
segundo Cadete que oceupando j.i o Posto
de Alferes de Commissao na Campan ha do
Maranhao se ve preterido por outros Ca-
detes e Sargentos, mais modernos, que fo-
rlo promovidos pira o terceiro Batalbao de
Artilheria. Os dous Sargentos estao.nas mes-
mas circunstancias quanto a aotiguidade e
justo <; que ett perante Vr. Ex. reclame seus
direilos a fim de que o Governo Imperial re-
pare a injustica que soCTrero, promovendo-
os com a mesma data de a de Dezembro.
Quando a V. Ev. remelti a proposta do
terceiro Batalhao do Artilheria Companhia
de Artfice e Fortalezas, nao podendo or-
^ansar a dos Corpos de Capadores, por se
acbarem fora da Provincia submetli a con-
sideracSo do Governo nina relacao dos offi-
ciaes existentes na Provincia que por sitas
anli;uidades, e servicos esto no caso de se-
taria de Estado dos Negocios da Marinha em loe Albuquerquede 12 de Outubro de iJ-j),
lata de 7 de Janeiro do corrente anno acer- Manoel I'eireir de Almeida de 1 de Julbo de
ca dos Navios da Armada que aportarcm a'i83>, Joo do Reg Barros Falco e le-
osla Provincia. menegildo d'Albuquerqne Poiiocarreiro de
Dito Ao Administrador Fiscal interino ib.iS, no entanto que elle segundo Tenente
das obras Publicas rcspondendo-lbe que de 12 deOulubro de 1817.
sendo as gralificacoes concedidas aos empre-l Vejo tambera, que o prim
gados Pblicos pelo exercicio dos Empregos, noel Soares de Figueredo proposto Capito
nao pode ser conferida ao Tenenle Coro- da quarta Companhia e assim publicado no
ncl Amaro Francisco de Moura durante o seu ', Correio Official, nao aparece na relacao que
impedimente a que elle devena vencer como V. Ex. me enviou e ficou porisso vago
Administrador Fiscal das obras publicas,
mas sim a quem suas vezes fizer.
Dito Ao Commandante Geral do Corpo
de Policia, para considerar demiltido do pos-
to e mandar apresentar ao Commandante
das Armas, o tercesro Commandante uo mes-
mo Corpo Joao \ sendo primeiro Cadete do 3. Batalbao de Ar-
tilheria e tendo sido por Decreto de i de De-
zembro do anno passado despachado para se-
cundo Tenente da Companhia de \rtifiWe,
faxem-se indUpcnsavnsos seu5 serviros na HN
ferida Companhia. -
rem promovidos e a esta rea o acompa-
nhou urna proposta expecial at Capito pa-
r aquelles, que alem (I autignidade se acha-
vo em activo servico de Cimpanha. afim de q'
o mesmo (overno os promovesse no Batalhao
sexto de Cacadores ou em oulros quaes quer
Corpos.
Eu falo por tanto dos Tenentes de Caca-
dores Jos da Silva Guimares Manoel Fer-
nandes da Cruz e Antonio Jos de Souza
Cousseiro ; do deCavallaria Sebasto Lopes
Guimares ; dos Alferes de Cacadores Antonio
Bcrnardino dos Reis Jos Gregorio de Je-
ss e Joo Gonsalves da Silva, edos de
Commissao Jos Maria Marques Jos Joa-
qun! de Barros e Manoel Claudio de Oli-
veira Cruz.
Estes officiaes acho-se na Provincia do
Maranhao em servico activo de Campanha,
a excepeo do primeiro que serve de Aju-
danle d ordens dcsle Commando, e do ter-
ceiro, que marebou para as Alagoas em
Novembro do anuo prximo passado ; todos
sao anligosc mu bem servem ao listado, e to-
dos devem ser elevados aos posloa mediatos
com a nics-ma antiguidade de 2 de Dezem-
bro datados despachos d'outros que j; fo-
ro promovidos na Corte, 110 Maranhao, c em
diversas Provincias
Digne-se pois V. Ex. de levar ao conheci-
menlo do Governo Supremo as circunstancias
desle officiaes e tomar a respeilo dellesa-
queilc ateresse de que se fusem eredores,
lembranilo-se V Ex que a justica deve de
ser com igualdade destribuida e que seusi-
vel liies ser verem-se pieteridos por oulros ,
cujas antiguidades, e servicos nao podem
ser com os seus equiparados.
Dos Guarde a V. E\. Quartel do Com-
meiro Tenenle Ma-1 mando das Armas de Pcrnambuco 3i de Ja-
neiro de 1840. Illm e Exm. Snr. l'ran-
cisoo do Reg Barros. Presidente da Provin-
ca Anlonio l'cdro de S Barrelto
Dito Ao mesmo E.vm. Senbor, com-
mtinidando-lbe, que a guarnieo de boje Im-
via sido rendida pelo terceiro Rata I bao de
lugar de Capito de tal Companhia: ignoro
nteiramenlc o motivo desta supreco que
semelnantemenfe atribtio a engao.
Na relacao dos despachados para as Forta-
lezas, noto que nao aparecem o segundo
Cadete Alferes de Comisso Camillo Fenei-
ra Madeira proposto ; segundo Tencnte A-
judante da fortaleza de Itamarac, o primei-
ro Sargento Jos Rodrigue Soares a segun-
do Tmente Ajudante do Forte do Gaibu', e
Sargento Francisco .Tosp nniK .- segQndo'
Tenente Ajudante da Forleleza de Taan- j'rulas viudos de Santo Antao discontasse no
,|an;_ ( fret do ultimo do mez a qusnlia de 60D ,;
pe
Arlillier.ia, com faltado official Commandan-
te, e seis soldados na Principal, tres n&Al-
fandega dous no Consulado e tres no Ar-
senal de Marinha, masque a Caita de offiiai
Commandante da guarda Principal liaba de-
pois sido suprida cotilinuando com tu lo a
dos soldados,
Dito Ao Major Commandante do Depo-
'id or* 4,
constante da relacao que lhe enviava e a 01-
Iregasse ao Prefeito daqnella Comarca ..au-
rentino Antonio Pereira deCarvalbo que se
athava tiesta Capital, -isto que clleaabo-
nou por conia de taes vencimentos.
DitoAO Prefeito da Comarca de San-
to Anlo communieando-ihe o exposto no
precedente oflicio o disendo-lhe que
tendo assento de praca no Deposito os oito
recrutas, a quem abonara vencimentos e
que pela Presidencia tivero destino nao si;
podia faser descont algum devendo por
tanto exigir sua indemnisacSoda mesma Pre-
sidencia.
dem do dia 1. do corrente
Oflicio Ao Exm. Presidente, signtGcan-
do-lhe, que havendu sido despachado por de-
creto de de Dezembro do anuo prximo p,
segundo Tenente da Companhia de Artfices,
0 primeiro Cadete doMerceiro Batalhao de
Artilheria J>iao Marinho Paes B.irrcto e
sendo necessario a sua presenca na referida
Compauhia hdUvesse de dar suas ordens
para que elle fosse dispensado da Commis-
sao que exercia no Corpo de Polica em qua-
lidade de terceiro Commandante, mandan-
do a presenta l-o na Secretaria Militar, afim
de entrar no exercicio do seu novo Posto.
Dito Ao mesmo Exm. Snr. commu-
iiicando-llie que em virlude de sua ordem
de y de Desembro do anno findo, havia encar-
regado ao Capito Anacleto L. de S. Auna da
adminislraco das obras que se eslavo fasen-
do pertencentes a Fortaleza de Itamarac, e
que bavendo o mesmo Capito comprado as
precisasmadeiras na importancia de m5Uioo
reis e tendo-se empregado em preparal-as
bum meslre e quatro officiaes cujo salario
nesta semana montava a SUoo, i nao era
possivel deixar de faser taes quanlias pagas ;
pelo que houvesse dedar suas determiaacdes
ao Arsenal de Guerra para esse fim. Conclua
ponderando-lha que estando as madeiras
preparadas para as obras que setinhSo ala-
ser convinln terminal-as.
Dito Ao mesmo Exm. Snr, remellen
do-lhe convenientemente informado o reque-
rimenlo do primeiro Sargento particular Eu-
genio Luz Franco que pedia licen a para
freqiicnlar no Liceti desta Cidade os esludos
preparatorios, e os de sua respectiva arma,
sendo obrigado a faser o servico durante as
ferias, e a comparecer as revistas aerees do
Batalhao.
Dilo Ao Exm. Presidente, e Comman-
dante das Armas do Maranhao remetendo-
Ibe a guia do soldado Anlonio Francisco se-
gundo que segto a bordo do Brigue Vf
liana e significando-4lie que o soldado do
mesmo nome incluido na guia geral que se
lhe envin devia ser considerado coma An-
tonio Francisco Terceiro e nao segundo.
Dilo Ao Major do Imperial Corpo d'En-
i;enhciros SebasUo do Reg Barros, eommu-
nicando-llie que por Decreto de 2 de Dezem-
bro do armo (indo, havia sido a este Posto
promovido, e que tendo sido semelhante des-
pacho publicado ero ordem do dia de boje, po-
dia entrar desde j. no goso das honras e
antagens a que linha direito.
Dilo Ao Major Jos Maria Idelfonso J.
da \ eiga Pessoa ; commnnicando-lbe que em
ordem do dia de boje fora publicado o seu des-
pacho de major do Estado maior, e Director
do Arsenal de Guerra a que foia elevado por
Decreto ; ue (Miembro lindo ; pelo (jue
poda desde j; entrar no goso de suas novas
tunec


DIARIO
D
A
DiloAo Major Joze Carlos Teixeira recibo guardando-oscm oaixa romo dinheiro
eommtinicando lhe que por Decido de de
Fzemhro do auno passadu fora Reformado na
forma da Lei e desonerado da Directora do
Arsenal de ('.tierra (cando na intelligentia,
3ue le seo despacho lora publicado eni or-
em do da de lioje.
Diio--Ao Major Antonio Auonao \ianna ,
communicando-lhe que tendo elle sido des-
pachado ueste Poslo para Commandante da
Fot latera de Tamandar conforme se depre-
hendia da ordem da dia de hoje devia quan-
to antesseguir paraa|iiella Fortaleza to-
mar o Commando que lhe fora confiado re-
rebendo-o formalmente do Capilo Antonio
Francisco de Souza Magalhcs que inieri-
namente a Commandava.
DitoAo Capito Antonio Francisco de
Souza Magaihes couiinunicando-ihe que
tendo elle sido promovido por Decreto de a de
Dezembro do anno pretrito a Capito Com-
mandante do Forte de Gaib devia lo;;o que
se lh apresentosse o Major Antonio Alfonso
Viana', Commandante da Fortaleza de
Tamandar, entregar-lhe formalmente o
Commando da seguir munido da presente ordem aapresen-
tar-se no Forle de Gaib ao ( omandante in-
terino do mesmo a fim de entrar 110 exercicio
do seo novo Commando, louvando-lbe o bem
que 6e conduzio no de Tamandar.
DitoAo Commandante interino do Forte
de Gaib, para queentiegasse o Commando
do mesmo Forte ao Capito Antonio Francis-
co de Souza Magalhes logo que elle ali se
apresentasse ficando por tanto elle desonera-
do de sna Comtnisso.
DitoAo Capito Joo Ribeiro Pessoa de
Lacerda communicando-llie que tendo
elle sido por Decreto de a de lezembro pro-
movido, a Gpito Commandante de* Forte do
Buraco cumpria que quanto antes seguisse a
tomar o Commando do mesmo Forte reee-
bendo-o formalmente do 1. Tenente Joo do
Reg Barros.
DitoAo 1. Tenente Joao do Reg Barros,
communirando-lhe que devia entregar o
Commando do Forte do Buraco ao Capito
Jco Ribeiro l'essoade Lacada e feilo isto
paitisse para Po-Amarello, a tomar o Com-
mando do Forte por ter sido para elle despa-
chado por Decreto de 1 de Dezembro do anno
findo, recebendo-o formalmente do I.Toot Ule
Pompeo Romana de Carvalho.
DiloAo 1. Tenente Poi-ipco Romano de
Carvalbo communicaiuio lhe, que devia
rntregar o commando do Forle ao 1. Tenente
3oo do Reg Barros, logo que elle se lhe
aprescnlsse e que se recolbesse a esta Ca-
pital, a fim de entrar no exercicio do seo Pos-
to na Companhia d'Artificcs, para onde fora
despachado por Decreto de % de Desamoro
ultimo.
Dito__Ao Inspector da Tbczourana com-
jmiricando-lhc que tinba mandado tirar do
1. de Dezembro do auno findo em diante,
pelo J. Batalbafj d'ArtiIberia, a prestaco
mensal de 33s1 res que a sna familia nesta
Capital deixou o Alteres deCommissilo Ca
millo Ferreira Madcira.
PortaraAo [Viajor Commandante do De-
posito mandando era virlude d ordem do
Fxm. Sor Presidente communicada em of-
ficio de 3o de Janeiro ultimo excluir com
passagem para a Companhia Provisoria de Ca
cadoresda Provincia das Alagoas o Sargen-
to Quartel Mestre Pedro Nolaseo devendo
enviar sua guia a Secretaria Militar.
Dito__Ao mesmo mandando d'urdem do
Exm. f-rir. Presidente communicada em offi -
ci de hontem dar demcao aos soldados An-
tonio Rodrigues Lima "Jernimo de Castro ,
Luiz Francisco de S. Auna e Antonio Joze
Cabral por teri-m aido julgados pela Junta
de Saude incapazes f!o Servico Militar.
DitaAo Commandante do 3 Hatalho de
Artillieria, mandando na mesroa coutormi-
dade dar demicio ao soldado Solero Manoel.
para lhe serem abonados nos ltimos dias do
mei com despacho da Tbcsouraria ; visla
da con la que derem os raesraos Pagadores
das despezas para que fisera os referidos pe-
didos.
Diio Ao Administrador da Meza do Con-
sulado para dar as suas oi'dvns para que se em-
barque no hrigue Inglez'Fanery Capito Hal-
lo! com destino para Londres o Pao Brasil,
que se acha promplo no respectivo Armazem ,
ent ando o recibo da entrega para se passarem
os conhecimentos.
Dito Ao Diretor do Arsenal de Guerra
disendo-lhe que devendo em cumplimento ao
oiiinodoExm. Sr. Presidente da Proviuria de
1b' de Dezembro p. p. remetter-se para forne-
cimento dos A rma/ens da liba de Fernando na
pi metra occasio de Emba cae ao os artigo
constantes de huma relaeo que junta se lhe
remeneo, baja de os mandar aprontar pelo
mesmo Arsenal, remetiendo a Thesourartfl a
conla da importancia dos mesinos para ser sa-
lisfeita.
Dito Ao primeiro Boticario doextincto
Hospital Militar Jos Luiz Innocencio Pojge
recomendando-lhe a promptifica.o dos ar-
tigos constantes de huma retcalo que se lite
remetteo para serem remeltidos 11 ha de Fer-
nando na primeira occasio de Embarcaco.
Dito Ao Thesoureiro da Lotera do Se-
das Obras Publicas
orcamenlo e condieoens todos
aonde est o respectivo
os dias otis
s lioras do expediente.
Inspecco das Obras Publicas 6 de Feve-
reiro de 1 *4o.
Voraes Ancora.
PRFFEITURA.
PARTE DO DIA 6 DK KEVEREIO.
Illm. Evm. Sur. Consta somente das
Partes hoje por mim recebidas que foro
presos hontem minha ordem pelo Sub-Pre-
feito de Santo Antonio, o pardo Francisco
Jos dos Anjos por ter furlado de um Ta-
berneiro l&jfn. em Sedulas das quaes ia|
rs. foro encontrados dentro de um de seos
sapatos ; e peto Sub-Preeito de Muribea ,
outro pardo de nome Manoel Joo da Assnmp-
co, para o servico do Exercito cujos presos
livero o competente deslino.
O Reo Antonio Diogo que foi condemna-
do a morle na penltima sesso do Jury desta
Cidade o anno passado por ter assassinado
a seu Snr Jos Bizerra d*> Albuquerqiin
Montenegro \ai ser hoje executado no lugar
do coslumc; visto que o Exm Regente em
nome do Imperador houvc por bem confirmar
a senlenca, e mandar que fosse executada.
minarlo de Olinda com o requecjmeulo de!
Francisco Manoel d'Alroeida Catanbo aoom- Continuacao da relacao dos Dcvedorcs de De-
cima de q' se refere o Edilal do 1. de Fe-
vereiro publicado no Diario de 4 ""o cor~
rente.
panhando o Bilhete da segunda parte da 14.
Lotera n. V}o a fim de informar se o mes-
mo combina com o respectivo talo*
THEZORARIA PROVINCIAL.
ED1TAL.
Antonio ffigorio.
Antonio Vicente Guimaraens.
Antonio Martins Coito Viauna.
O Inspector da Tbezouraria das Rendas Antonio Pedro das Neves.
Provinciaes faz publico, que perante a mes- Antonio los Magalhes Bastos,
ma The/ouraria em os dias 2 4 e 6 de Antonio Goncalves Pereira
Mar o prximo futuro s onze horas da ma- Antonio Luis Maciel Vianna.
nha se ha de proceder a arremataco em Andre de Barros Reg
basta publica a quem por menos fizer do Antonio Jos de Amorim.
Contracto da Illuminacao da Cidade do Recife Angelo Francisco Carneiro.
por tcnipode annoe meio edaCiduded Olinda Antonio da Silva Comp.
por tempo de trez annos contados do primei- Anna Mara de Souza.
rod Julhodo presente anno. Antonio Jos Bastos.
As pessoas que se propozercm a esta arre- Antonio Joao Ramos,
matacn compareci nos dias cima indicados Antonio Pereira da Cimba,
.nunidos de fiadores idneos. E para constar Antonio Cardo/.o Aires
I se mandn athxar. o presente e publical-o pe- Anna Joaquina de Santa Anna.
lo Prelo. Antonio Joa(|tiim Lucio.
ma ; e que a amasia de que esse miscrave/
falla urna sen hora enrai regada da edura-
co de nieus pequeos fi ib os, porque sou ti-
vo : contentar-me hei pois. como j disse,
com a punico dos sens j perpetrados crinies.
JNo desejava fallar mais nessas mulheres
da estrada de 'oz Roberto a quem Jo:>
Theodoro chama honestas ; mas como provo-
cado direi que nao s sao meretrizes porem
lo escandalosas que nao se pejao de dar dia
e noite os mais perniciosos exemplos de debo-
che e cynismocom esses eslrangeiros meus vi-
zinhos. Tcnho acremente notado csse indigno
proced ment ; e nao duvido que por isso es-
sas meretrizes e estrangeiros se tenhao quexa-
do de mim ; qual foi porem a desordem que
fiz mesmo com esses estrangeiros ? Quaes as
quexas que de oulra parte contra mim su-
bra a presenca das AuthoridacS cnminac ?
Fu desafio a quem quer que seja para que
m'as aponte. Um homem bem educado que
tem que perder, equetrabalha para manter
com decencia a sua familia nao pode ser um
desordero ; desordeiro s pode ser um homem
que como o author da correspondencia que
meoecupa, tem a sua forluua na sola dos
ps.
Poda com milita facitidade destruir todo
esse aranzcl, que o Commissario de Policia
da Soldade chama fiel exposico do faci que
para sso me sobejaG argumentos e provas ;
mas temendo ser enfadonho sem neceseidade,
assevro ao respetavel Publico que o Pro-
cesso desse bom agente da Policia est em an-
damento e que ah provarei evidencia ludo
3uanto afrmei na minha primeira correspon-
dida. Pode Joao Theodoro dos Santos a-
rengar quanto qitizer que esl com dinheiro
para tudo : nada mais lhe responderei. Com
a publicaco desta muito obrigar Senho-
res Redactores ao
Seu venerador e assignanle
Manoel Cypriano Ferreira Rebollo.
Srs Redactores."
Acabamos de saber que na Corle fora pu-
blicada urna promocao para os ORciaes da Ar-
mada que se distinguirao no glorioso feilo
d'armas praticado na Laguna. Honra seja fei-
ta ao digno Ministro que assira galarda tao
dislinclos servicos.
Mas perguntaremos se a Lei quo aucto-
risa S. Ex. a promover por servicos relevantes
prestados a prol da inlegridade do Imperio e
que pela Assemblea Geral foi-lhe concedida ,
Tbezouraria das Rendas Provinciaes de Herdei-os do finado Antonio Marques da Cos- guando a anarchia dessolava a infeliz 1 rovin-
Pernambuco 09 de Janeiro de 1810.
Joo Ba lista Pe eir Lobo Jnior.
ta Soares
Antonio dos Santos Santiago.
Antonio Joaquim Rodrigues.
y\NNNC'IO. Anlonio da Rocha < ompasso
A Tbezouraria Provincial paga do dia \ a Anglica Teixeira da AnnunciaeSO
7 do do corrente os Ordenados do me de De- A itonio Jos de Castro.
sembr do anno p. |>. em moeda de prala a Antonio Domingues Ferreira
os Fmpregados que nao tivcreni emotumen- Agoslinho da Silva Neves.
tos. Antonio Hfcnrique Mofra.
Thezouraria Provincial 3 de Fevereiro de Antonio Joaquim
1840.
Evaristo Mendcs da Cunha Azevedo.
Fiel.
Diversas RepU'ricoens
Antonio Marra do Sacramento.
; Aiexrandre Jos dos Santos
(Conlinuar-se-ha )
TRIBUNAL m RF.LLA AO.
Ses-.o do di b de Fevereiro
THEZOURARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia 3i do prximo p.
Officio A o Exm. Prndente da Provincia
ponderando-lhe nao se poder passar o lilulo de
aforamenlo D. Maria Severna da Rocha
Lins sem que a mesma aprsente o respecti-
vo termo de inedico, eavaliacao.
Dilo Ao Thesourero da t asenda d-
iend>-!hc que cenvindo simplificar a escrptn-
racSodaThesouraria, e Cotitadoria evitan-
do-se grande numero de assentos que sem se
fallara aresa r:e a luim s d ora em diante quando se apre- sobre o rio Serinnaem oreada em 0:010,0.o
Os Embargos de Mara Victoria da Con-
ceicao oppostos ao AcoordM) proferido a favor
de Thereza Francisca da Conceico na Ap-
pellaco Civel do Juizo de Direito desla Ci-
dade Escrvo Bandeira ; forao dispresados
mandando-se cumprir o Accordo embargado.
Os Embargos de D. Ignaca Maria Xavier
contra Joze Rodrigues de Oliveira Lima na
Cauza de Appellaco Civel do Juizo de Di-
reito desta Cidade Escrivo Posthumo j fo-
lo dspresados.
Os Embargos de Manoel da Silva Marques
oppostos ao Accordo na Cauta de Appellaco
Civel do Juizo de Direito de Nazareht, Es-
crivo Chaves ; foro dispresados mandando-
se cumprir o Accordo embargado.
ALFANDEGA das FAZENDAS.
A Pauta he a mesma do numero ai
MEZA DO CONSULADO.
A Paula he a mesma do n. 28.
Era virlude da ordem do Exm. Snr. Pre-
zdente da Provincia vai de novo praca pa-
ra ser arrematada obra da ponte do Anjo
Correspondencias,
Srs. Rodadores.
I.i no seu Diario 3N. a6 a correspondencia
de Joo Theodoro dos Sanios e a vista desft
cia da l'aha onde o Marinba Brasileira fazia
os servicos que lodo o Brasil reconhece ; per-
guntaremos digo se cssa Lei nao pode ter
applicacSo parte desla Corporaco que em
tal lucia serviu ? S. Ex. o Sr. Senna Pereira ,
qoe na Cmara dos Srs, Depulados na sesso
passada se proclamou o deffensor nato da
Corpoiacod*Armada qnercr por ventura
: faser persuadir ao Brasil, que nada mereceu
: por laes servicos cssa Corporaco ? Assim he
criamente. Os >: ltimos Srs. Ministres
dagnerra promoverao os militares de ierra ,
que servir;} naBabia. .A Promoyao esten-
deu-se Guarda Nacional, e at pelo Wifiis-
lerio da Jusiica despachos se fizerao em magis-
tratura, aonde o Sr. Dr. Simes foi elevado a
Deserabargador. He pois de concluir.
que a Arraada nciihnra servico fe;. que nao
merece ella a contempladlo doGoverno, ou
que alias, se pertende desacredital-a para
Os licitantes poderft comparecer muni-
ridicola e insolente peca torca foi ineom-1owm o publico de quem em tal epocha rta-
modal-os ainda por esta ves. Sinlo snmroa-
mente dai importancia a esse miseravel res-
pondendo-lhe ; ecerto lhe nao respondera,
contentando-me apenas com pedir como te-
nho feito a sua punico pelos crimes, de que
o aecusei na minha primeira correspondencia ,
s o seu Diario nao circulasse por lugares e
provincias que me nao conhecem : mas ao
contrario, devo desmascaral-o.
Principia Joo Theodoro por figurar distan-
cia inmensa entre mim e elle : Rsum tenea-
tis Querer um desgranado sem nome sem
familia que possue o dia e a noile que mo-
ra no torreao da Soldade por nao ter casa nem
haver quem delle confie que o maior dinhei-
ro que vio era suas mos foi sem duvida algu-
raa os otocentos e vinte e um mil res que me
roubou pr-seem distoncia inmensa cima
de mim na verdade o supra-summum do
ridiculo. Eu podia chamar a esse infame de-
tractor responsabildade pelos insultos eca-
lumnias que me prodigalisou era sua cor-
respondencia : mas todos que me conhecem,
sabem do contrario : sabem que posso heos;
que j negocie! nesta preca girando com mais
de quarenta cont de res ; que sou capaz de
ter na minha carteira nao so a quantia rou-
liada como oulra muito maior porque an-
nhou alguu.a eslima. Ja/, pois, a picaianle .
a sampreieal Marinha Brasileira na deslem-
hrahea do Exm. Ministro, por que nem o
servicos da Babia, nem os do Rio Grande,
Maranho Para 011 mesmo os ordinarios ,
quetambem sao dignos de attenco fazem
com que ella saia da apalha a que esl con-
demnada. Sirva-se porem e sacrifique-se a
exisleneia, que he esse o de ver do militar
honrado e j que uinguem se lembrade hu-
ma classe ile cidados to proficua ; ao menos ,
Srs. Redactores, queira no seu conceituado
Diario dar publicidade a estas mal tracadas
linbas do
Deffensor adoptivo.
MISCELNEA.
COMBATE, FF.RIMENTO E CURA DE
HUM CARANGUEJO.
Fcoo era secco huma ostra. Maravlhada
e contente de sentir o calor suave do novo ele-
mento que se lhe raostra fagueiro abre hum
pouco as vlvulas da sua concha para que
lhe repasse a quentura todo o corpo. Hum
assassino emboscado em lugar vizinho, a es-
f..' "." pedidos don Mmo\arif<,<:'!"?, Arrcna06
d* Guerra e da Marinba e do Thesourero .
dw Ordenado rij* nomeoi O rmpeteme e 18 de Fevereii o ao meio da na ReparlicaoJ desordem nem jamis offendi a pessoa algu-Jproxima-sc andando de ilharga e bordejando y
dos de fiadores habilitados nos dias i5, 17 ,|da muito se me dcvC qtie nunca tiz urna so jpreita escondido atraz de huma pedia. Ap-.
-


'>.
V
f
['

DIARIO DE
PEBNAMBCCO
5
sem comtudo lirar es olhos de cima da victi-
ma Huma grossa e dura couraca de cor
parda-esverdinhado lite xlefende o corpo ,
sustentando eni quatro pos compridos e &je9 ,
e armado pela fenle de duas torquezes fortes
e ameacadoras.
do mesmo modo q' o nosso tom numerosos pla-
netas que jiro em torno dedos. O svstema
solar, ou aquelle a que nos pertencemos,
tom trinta planetas pouco mais ou menos ,
primarios e secundarios que Ihe perlencem.
O dimetro do espaco circular em que elle
secomprcliende tem tres mil e seis centos m-
lhoes de millias e o espaco sobre que domina
he mullo maior. O sol mais visinlio do nos-
so he chamado Sirius e dista do nosso aa
Lanea-se sobre a presa porem a ostra ,
advertida do peiigo fecha immcdiatainente
as duas vlvulas e milito feliz, he o voraz
caranguejo era Ihe la nao deixar huma ou duas
dassuds palas felpudas. Este gira breve es- j billies de militas pouco mais ou menos,
pacoem torno da presa que, encerrada na j Ora se todas as estrellas fixas estiverem to
sua fortaleza inexpugnaveli zomha a seu salvo' distantes humas das outras como Sirius dista
dos mos intentos do inimigo, Retira-se fi-! do nesso sol ou se o nosso systema solar for o
nalmenle e a outra presume poder abrir sem I verdadeiro typo da grandeza' de todos os sys-
perigo a sua casa ; mas o seu contrario se lite! temas de 73 milhOes de ses, qual ser a ima-
avisinha de vagarinho e mui sorrateiro, le-j ginaco que possa comprehender a immensi-
vando n'huma das torquezes huma pedrinha ,! dade da creaco ? Quem poder tomar sen-
que apuiiu na ara c que tem a hahilsda- lido n'huma plantario nue abran' 95 milho-
de de introduzir de repente na concha do mol- es de campos circulares tendo cada hum
lusco, o qual, quando quer fecha-l .nao delles o dimetro de dez billies de militas i'
pode, ehe, portarito fcilmente devorado.E comtudo tal be huma das plan taeies da-
lle istooque o caranp.uejo se dispe a fazer ,| quelle que apanhou as aguas dos mares na
mais eis que sahe do mar outro individuo pa- cova da mo que com hum s palmo medio
ra disputar-lho donde resulta hum combale os cos, que comprehendeu em aperlado es-
perlina/, e mui curioso. Os doHS animaes paco o p da tena e que pesou 11 huma ba-
comeeo a pelear marchando lateralmente e lanca as altas montanhas c os pequeos outei-
voltando-se hum contra o outro, cboco-se ros Aquelle que. assenlado sobre a rbita
com os escudos e diligencioderribar-se ; do do mundo, corre o firmamento como huma
depois crueis golpes com as patas dianteiras cortina e o dejdobra como huma tend em que
e procurao segurar hum ao outo entre as va i morar Asnacoes paradle sao como
troquezes Emim nao se largao senao de- hum tomo de poeira no pralo de huma bt-
pois de terem perdido as torcas por effeito do lanca. E assim mesmo elle diz Posto que
caneaco ou das feridas e o vencido foge ver- eu tenha a minlta sede em lugar su-
gonhosamente. hlime esagrado, comtudo vira morar jun-
Ficou o caranguejo vencedor senhor do cam- lo a mim aquelle que iiver espirito humilde
no da bulalha mas sabio do combate com e contrito e que respeitar a minlta pala-
iiuma das torquezes quasi quebrada. Conhe- vra "
ce-se que a ferida he dolorosa porque se re- -----------
tira tambaleando para o seu hmido asylo ,
e do corpo inteiro se lite apossa hum tremor HUMA DAS MARAVILHAS D NOSSO
convulsivo. Morrer sem duvida porque | TEMPO.
a crosta que o cobre dura qual pedra nao1
tem cura em se Turando ou quebrando ; em Acabamos de ver fabricada huma folba de
breve atacar a gangrena as carnes expostas ao papel de quasi 100 ps de comprimento e
ar e da perda do braco doenle se destro dous de largura impressa de ambos os la-
cirurgio onoampular seguir-se-ha a do dos, logo que acabou de fazer-sc tudo em
corpo. Pois tal nao acontecer Elle pro- huma s machina e por huma s operacao.
prioseroseu cirurgio e vede como a ope-1 Com to extraordinario invento huma pes-
racoj principia : o caranguejo sucode a pata soa pode imprimir qualqucr comprimenlo de
ferida ao principio lentamente e depois
com progressivo augmento de velocidade at
chegar a huma especie de tremor rapidissimo
que dura hum ou dous minutos. Separa-se
enlo inteiramente a pata na primeira articu-
laco e o animal esl salvo. Crescer outra
DHla em lugar da amputada porm ha de
por muilo lempo ser mais pequea que a ou-
tra, porque toda a nnunieravel familia dos
crustceos logra a pasmosa faculdade de re-
produzir os membros que lite arrancao e he
por isso que se enconlro tantas ve/es earan-
guejos santolas &c. com esta deibrmidade.
O PRADO EM MADRID.
O Prado be o salao de rettnio de toda a so-
ciedade de adrid. i orno no vero so nao
papel, e quantos exemplares quizerem de
qualqner obra ou jornal publico sem outro
auxilio mais que huma outra pessoa para ap-
plipar o farrapo ( de que se faz o papel ) na
exlremidade da machina. Efleclua-se esta
maravilhosa operacao, collocando os typos so-
bre chapas stereolypas na superficie de d-
os cylindos, connexos com a machina defazer
o papel ; este, proporcao que sahe do en-
eenho, entra por ntreos rolos em estado con-
venientemente hmido ; estes rolos recebem
tambera a tinla em lempo competente por
meio de hum engenhoso apparelho : o nume-
ro de exemplares pode medir-se s varas ou
s militas conforme aquintidade que houver
de materia brulu pirra fazer o papel'. A o-
bra que desta imprensa vimos heRobinson
Cruso .'consiste em 1 to paginas em i*2.
Se hum homem que for visitar esta fabrica ,
desor a camisa e a entregar ao dlabo que
sahe pelocahr he de ajuste enconlrarem-se I irabala em urna das extremidades sabir -
as pessoas de tarde no Prado: -tqui pas-ea-
se fazem-se CUpriroenlOS, apresenta-se os
amigos conversa-se fuma-se e(para o d-
zer de passagemj ver-se-lia aqui o que se au
ve em nitro ulgum pan e mu a ser ; o a-
guadeirp e o Uoaio segurad o primeiro minis-
tro ou o grande de Hespanha, (ue va pas-
tando para accender o seu cigarro ao dellc.
lhc-ha em ponto Robinson Cruso pela outra!
Mr. Tho.naz French he o inventor.
Peridicos dos Estados Unidos.
Nos Estados Unidos publicao-se, pouco
mais ou menos i,-oo jornaes os nuaes
Bello e espac,oso passeio cercado de lurnosos conforme um calculo moderado, formaS cein
alamos, lie o Prado o poni de reuuio de mil paginas impressas por anuo. Se estas pa-
tuda a beUa sociedade de Madrid; be, na guias se unissem de modo que formassem hu-
verdade encantador o cspcclaculo dos engra-
nados trajes das Mes pan bolas, e dos rostos a-
iuda mais engratados e meio encohertos pela
manlilha de blondo. Aqui tica a Franca min-
io atraz ; tem be verdado muilo mais poli-
ticos experimentados do que a Hespanha ; mas,
sem olender, nem levemente as amareis
Francezas pde-se dizer com toda a verdade
que se encontrars no Prado mais mulberes
Jbrmcsas e at bellas, n'hum q liarlo de ho-
ra do que as Tuillei ias em oito dias. Nao
quero dizer que se encontrar sempre no Pra-
do o apuro do Lomoslo o elegante andar
engranadas maneiras das Parisienses mas sim
olhos to brilhantes cabellos to negros ros-
tos to frescos, formas lo perfeitas que sao
capazes de extasiar hum pintor.
IMMENSIDADF. DA CREAQA.
Alguns astrnomos calcu'-ro que nao lia
>'d MU
mitn
roa ful lia continuada semelhanle folba seria
quatro vezes to comprida como a distancia de
hum a outro polo ; e se ella se redttzissea vo-
luntes dara em cada minuto durante hura
auno seis voluntes do formato da Biblia.
Engeitados em Londres.
Osexpostos a cargo das freguezias em i835
fora6,475. Em 18J7. sao 9,^71. Em
835 foraS reconhecidos por seus pais ii,?4-
Em 1837 9 8(31.
Mendigos em Londres.
Ha 10 annos andava por 7,5oo. De ento
para c tem augmentado prodigiosamente. A-
gora conlao-se 8,000 pobres e alem destes ,
mais 7,15oo mendigos de profisso que enga-
na o publico. A colheita de hum mendigo
em cada semana orea por 3o schillings (7U000
re). Suppiibamos, porcm, que ser 20
schil o termo medio por semana segue-se que
estes mi mil cruzados> 011 35o,000 L por auno (i m-
llies e meio !)
Bibliothecas publicas.
Ada Prussia conlm 907,000 voluntes: da
Austria 1.200,000, dos estados da Alemanha
3ti4i5oo, de toda a Allemanha t.75!,5oo.
de toda a Franca t..117,000 de toda a Russia
880,000 : de toda a Inglaterra 15. <3t,ooo de
toda a Italia 1,15o,000. A bihliotheca real
de Pars contem 45o,ooo volumes ou 77,000
obras a universidado de Oxford 4'Oi00 otl
io,ooo obras, a universidade de Munich
4oo,ooo ou 4o,ooo obras, a universidade de
Gothinga 3o,ooo ou 5,000 obras e o museo
britannico 3oo 000 volumes.
Prncesso singular.
O tribunal de Coutances oceupa-sc com
hum processo singular, Hum litigante de-
manda hum advogado por esle durante o
lempo da audiencia Ihe haver tirado o retra-
to com o lapis. O autor pretende que o ad-
vogado deve ser constrangido a dar-1 be o re-
trato e obriflado a nao emprear o lapis se
nao para tomar a pon la montos.
(Despertador.1
COLLEGIO SANTA -CRUZ*
(No Forte-do-Mattosj
O Collegio Santa-Cruz cuja installico
leve logar no da ? de Janeiro docorrente an-
no, contina a admillir em seu recinto Alum-
nos Pensionistas meio-Pensionistas c exter-
nos na conformidadedo Regulamento-geral ,
que se acha todos os dias patente no mes-
mo Collegio.
As disciplinas que se cnsinam n'este Colle-
gio sao as mesmas que se exigem como Pre-
paratorio nao s as Academias do Imperio ,
mas ainda as Universidades da Europa ; alm
do desenlio Muzica vocal e instrumental,
Pianno e danca.
As propostas para a matricula de qualquer
alumno sao dirigidas ao Director do Collegio
Santa-Cruz no Forte do Mallos defronlc do
['alacio d'Assembla.
najan-- 1 naiimiMM
111111 iiciou trocar hum
LOTERA DO THEATRO.
Os Bilhctes da primeira parte da primeira
Lotera do jThealro cujas rodas andad im-
prelerivelmente no diadezesete no Consistorio
da Igreja de N. S. da ConcVw.o dos Milita-
res achao-sea venda as lojasdosSrs. Ma-
nuel oncalves da Silva Antonio Comes
Pessoa Cardozo Aires, Vieira Cambista ,
na ra da Cada do bairro do Recife, cuas
dosSrs Antonio AlvesTeixeira Bastos na ra
do Crespo e Joaquim Claudio Monteiro na
do Queintado no bairro de banto Antonio.
THEATRO.
O Director para presentar em Scena os |
Dramas de grande espectculo ja annuucudos
precisa para manter as despezas indispensa\eis,
de sessenla Socios (pois tantos sao os Camaro-
tes) B (uarenta mil reis cada um para a for-
maco de uma Sociedade Theatral. Os Se-
nhores que pietenderem ser socios podem di-
gir-se ao Srs. Luiz Moreira de Mendom a
Jos Peres da Cruz, loja na ra do Cabug ,
ellerculano Jos de Freilas isto at odia
vihte e dois do correte. a fin de se dar prin-
cipio aos trabalhos lbealraes.
Avisos Diversos.
tST Perdeo-se desde a ra Direita at a Se-
cretaria do Coverno, um trancelim de relogio
lendo na pona uma chave de ouro moderna c
em uaixo uma coralina encastoada na mesma
chave s quem a aHiou dirija-se a ra do Ale-
crim D. a que ser gratificado.
tST Quem precizar de um rapaz Brazileiro
para ensinar 1. letras fora da praca para
o que se acha sufficientemente habelitado nao
s pr ter os conhecimentos necessarios como
pelo exercicio em que se acha nesta profisso :
annuncie para ^ser procurado, ou dirija-se
neste Recite ao 3. andar do sobrado da ra da
Sen-zalla velba junto ao de Joo dos Santos
Porto c na Cdade de Olinda ladeira da Mi-
zericordia caza D. la.
t&- Joze do Reg Machado faz sciente ao
respeilavel publico que retira-se para a liba
uiiKtiju menos ue 1
As estrellas Qxas sao outros tantos ses que | enorme somma de 7,500 L st, por semana (75 1 de S. Miguel a tratar de sua saude.
1*3" A pessoa que
sobrado na ra do Kangel por outro no mes-
mo Bairro de S. Antonio : dirija-se a ra do
Rozarloeatreita I). 3j 110 segundo andar.
tSf Preciza-se df* huma ama para taza de
pouca familia que seiba cozinbar eengomar ;
1 pessoa qoe esliver nestas circnustancias ,
annuncie para ser procurada ou va a cara
na ra do Kozario estrella na esquina do becn
que vai para a ra do Fogo que se dir quem
a quer.
C7* Preciza-se de um Caixeiro para tomar
contd de um armazcm de mol hados e no mes-
mo arma/.cm se vende huma caldeira de cobra
pequea por prego coramodo assim como tara
bein se aluja uma ama q- enlenda de cozinha ,
engomar e lavar de sanio : quem tiver an-
nuncie ou procure em Fora de Portas na casa
N. ai ; tambem scaluia um bilhar.
27* Perciza-scde 400^000 rs a juros dan-
do-se por seguranca huma morada de caza
terrea livre, edezembaraiada na ra de ga
verde ficando os alugueis pelos juros, a qual
rende 7$'000 reis : quem este negocio quizer
fazer anuncie sua moradia para sir procurado.
Bf" Desapparecera nodia 10 de Dezcmbro
do anuop. p. duas cabras com quatro cabri-
tos a saber: liuma toda prcla com aoreihi
esquerda na pona cortada e pouco raxada t
com duas cabritas pretas; e outra amarela ,
malhada de branco com dous cabritos femia (*
macho de cor amarellos : suppe-se terem si-
do furiadas do lugar da Caza-forte onde exis-
tiat c vendidas fora do mesmo lugar ; quem
dellas tiver noticia ou as tiver comprado de boa
f, querendo-as restituir annuncie por esta
folba que se gratificara com seis mil reis poi-
cada huma valor este porque fora compra-
das.
C7" Ignacio Antonio dos Santos faz ver a
todas as Aulhoridadcs desla Provincia, que
no dia 3 do crrenle metfoi-lhe desapareci-
do seu irmo de nome Francisco, cora dade
de tapara 13 annos, scduzido por o pardo
Eugenio Amancio da Paixao para esse menor
ser seu eseravo (piando elle he fillio legitimo
do fallecido Ceraldo Antonio dos Santos cilio
menor leve lugar de muilas vezes ser seduzido
pelo mesmo Eugenio Amancio da Paxo: e
para que elle o nao venda pelos certes desla
Provincia como tem acontecido faz o an-
nunciante j este aviso para que seja o dito
seductor preso no lugar do Brejo da Ar.i ,
onde elle reside pelo referido crime de roubo
que fez do menor irmo do annpnciante.
Sy Arrenda-se uma casa de sobrado de
dous andares c loja na ruado Coxo em Olin-
da com bous commodos quintal murado com
porlo para a ra da Cadeia e al;;um.is ar-
vorc3 de frusto ; os pretendentes dirija-se a
loja do Sr. Bandcira na ra do Cabuj que
dir quern faz o arrendamcnlo o qual he por
preco cmodo.
S27- Precisa-sede um homem nacional ou
estrangeiro para oservco do campo assim
como de um liom cauoeiro para aervico diario :
os pertendentes dirija-se a ra Nova loja de
caldeireiro D. 14.
S7" Um rapaz brasileiro de bons costo mes ,
propc-se a ensinar Crammatica portugueza ,
e latina, ainda que seja para fora da Paca ou
para o ccrlo ; quem del le precisar annuncie.
Kj- Arrenda-se um sitio com excedente
caza de vvenda heira da estrada com pro-
pon-oes para ter dezeseis vaccas de leite boas
Ierras para hortalice e capim ; no principio do
atierro dos Afogados a fallar com Silvestre Jo-
aquim do iSascimeuto-
^r Jos Joaqnim Marques Biaga retira-se
para a villa do Arataty.
tg. Aluga-se mentalmente no logar de
Sania Thercza de Olinda uma ca/a terrea
grande com qualro quartos cozinha puxa-
(la fora, e oonliguo a esta um quarto com la-
rimha que serve para e-pravos um grande
quintal com algumas arvores de frtelo e no
fundo desle tent desembarque e banlto ; quem
preiendel-a dirija-se a ra d'Agoas-verdes ,
lado de N. S. do Terco, caza terrea ue duas
jancllas e uma porta que lera lampeo.
tST Roga-se a os Senhores Sub-Prefeilos,
Capiles de campo e de Navios, e mais pes-
soas particulares o obzequio de aprchenderem
urna escrava songa de nome Catlvarina que se
acha fgida desde 39 do p. p. Jane'ro ; com
os signaos seguinles alia, ceca, cabello licado
bastante prela, denles limados e urnas sar-
jaduras pelas cosas e parece crioula : toda e
qualquer pessa que a aprehender leve-a a
camboa do Carmo l). 9. que ser geneoza-
mentc recompensado. Adverte se que di:a
escrava tem por costume entitular-se forra e
faz-se sciente a toda c qualquer pesfi que
a tiver em sua companhia de a ievaraoiu-
gar ;i mencionado, do contrario protesta-a
mina mu ta iutioo Ja Lt y.


4
DIARIO DE PERNAMRCO
srj- A pessea que annuneiou no Diario de! t^" Quem annunciou
segunda feraquerer comprar urna pedr to pe paulado para msica
filtrar agoa, dirija-searuadacadeia do "
cfe venda n. 8.
c? Da-se duzentos mil ris a juros sobre
pinhorrsde ouro ou pr.ita : na rua da ca-
deia loja de chapeos n \ i se dir.
E^* Quem peiileoum cruxBxo de ouro ,
deOlinda ale* o Amparo dirija-se ao Semi-
nario cubculo i? 6 das obras novas, que
dando os signaes Iheser entregue
OS" Muga-se uma casa terrea rom solio
Irepeira quintal, c cacimba. em Olinda
rua das mangueiras confronte o muro quem
pretender dirija-se > os t\ cantos loja de fa-
zendas a fallar com a Senhora 1). Anua Xavier
Lial.
XST Naladeira deS. Beploem Olinda ha
nina pessoa que se prope a dar almor s e
jantares com iodo o aaseio e tamhem engom-
ma-se inila qnnlidade de rjuca* quem preten-
der dirija-se ao diio lugar na rasa oue faz
quina com a casa amarella.
3" Preeisa-se de uma ama de casa .ara
um homem snlteiro ; no atierro da Boa vista
t isa doourives francez.
tZ7' Na rua da senzalla nova P. i precisa-
se fallar com o Snr. Antonio Clementes Este-
ves das Sarras fiara negocio de sen inlc
xzj- Precisa-s<< de iim cauoeiro lorio ou ca-
ptivopara irabalhar em canoa; na rua le
Arago D, i. ; assim como de menino9 for-
ros ou captivos para a prenderen! oofficiode
sapateiro
v.- Quem precisar de um rapa?, brasileiro
de idade de 17 annos, e de boa conducta para
raixeirode escripturacode algum engenn ,
8 d; fiador a sua conducta anuuncie.
ISS" Achou-se um muleque de idade de
12 annos, quediz ser forro e que seu pae
fallecer e como o dilo eslava meio espantado
e com a falla trmula desconfk-se estar in-
cido ; a quem este Ihe fallar dirija-se a rua
do roltegio lado do passo D. q no segundo an-
dar, adverte-se que sen80 responsabelisa pe-
la fuga do dilo moieque.
c?" Precisa-sealugar urna negra pa ven-
der fructas nao se niia dar mais al uma
onza; na rua vellia D. 7 lado direilo indo pe-
la S. Cruz.
C7' Os Snrs que encomendarn cliarutOS
da melhorqualdade doauthor Groz podem
procurar na rua da Cruz n. 5 que acharo
rbnforme encommendaro.
s^r* O Sr. que pede a grammatica franceza
de Monte \ erde, dirija-se a rua da Cruz nu-
mero 5a.
S2y* Quem annunciou no Diario n. 3 que-
rer 400,000 a premio procure na rua das la-
rangeiras D. i3.
SST O abaixo assignado faz asiente ao pu-
blico que pela terceia vara do Civel ha
de se arrematar uma casa terrea na rua dos Pi-
res I). 14 por execucao feita a Joao Dama-
anno ; quem a pretcnder.dirija-se a referida
praca da supradila vara da data deste a oito
das por ja se acharo escriplo e edital na
mo do porleiro. Francisco Antonio Freir.
C? Preeisa-se de uma mulher portugue-
sa ou hrasileira que possa cuidar da edu-
caco de trez meninas na Villa do Rio For-
mozo fdhas du Major Francisco da Rocha
VVanderlcy com acondico de morar na casa
deste, pelo tempoque for mister e de en-
sillar a ler, escrever grammatica portuguesa
da Independencia loja n. a.
nciou querer comprar pa- I e 60 rs. e os mais como ja he sabido ; na rua I 52T Uma negrinha de idade de i3 annos,
nusica dirija-se a praca do Cabug loja do Sr. Bandeira, I boa rendeira cozinha e lem principios de
Avisos Martimos.
PARA MONTEVIDEO segu em poucos
dias o Hrigue Oriental Indio de primeira mar-
cha ; forrado e encavilhado de cobre s re-
cebe passageiros por ter superiores commodos ;
irata-se com Santos Braga na rua da moeda
n 142.
S2T Urna porco de madeira de sicupira I costura ; na rua de hortas casa terrea defronle
constante das seguintes qualidades ; 8 cintas/ do beco de S. Pedro D. 10
L e i I l o
SCJ" O abaixo assignado faz leilao por con-
la do Sr. Manoel da Costa Nunes da Villa do
Propia de 900 rebolas que lbe remteo no
Hiato S. Sebastio no dia 7 do correnle no
no armazem de Antonio Annes Jacome Pires ,
..,_ 1. ir____1____
MU Cuca Otk /l UUIIUCjja.
Manoel Joaquim Pedro da Costa.
O" Joo Stewart, consignatario da Barca
Ingle/a \Iary-( harlotle, VVeber arribada a
este porto tem de continuar a dispor de par-
le da carga da mesma Parca para suprimento
das despezas do seu cosleio ; faz leilao por
iutcrvcnco do Corrector Oliveira sexta fei-
ra n do correnle do* arttgOS seguintCS ; uma
cama cmoda armario com espelho apa-
iv I lio para cha copos frascos liadas e jar-
ros de porcelana vasos dita e de rame para
lamparillas, chapese bonet para meninos,
bordados de fio de ouro meias e luvas de se-
da coberlas para pralos de metal eandi-
eioos vidros para espelbos maquin-is para
fazer cafT lavatorio com nieto sapatos e bo-
lins para senbora reloio de bronze facas
de mesa caixas para tabaco tinleiros de
bronze fp avalas de seda suspensorios pa-
pel pintado para forro de salla um quadro ,
frasqueiras, guardas joias; pescorinbos de
eassa crine de arroz prefumarias apara-
dor mezas pequeas, baixella de casquinba,
e iiiiiiios oulros objeclos de bom gosto.
Co
111 p r ji s
SCy Um berco de Jacaranda ou de outra
<|iialquer madeira que esteja em bom uzo ;
nesta Typografia
HP m gamo uzado : nesta Typografia
se dir.
C3" Um escravo fomeiro que nao tenha
vicios paga se bem ; na rua Direita padaria
do Machado.
&^T Um preto que seja perfeito cozinheiro ;
na rua de Hortas sobrado de um andar do Sr.
Jos Felis de Souza.
cy Os seguintes livros ; cdigo commer-
cial analisado, e o processo tambem analisado;
na-rua do Crespo Dolado do sul.
Vendas
e &c. ; quem se propozer a tomar o dito cargo
queira annunciar ou dirija-se ao dito Ma-
jor em casa de Manoel C'ardozoda Fonseca,
ou no cscriptorio de BentoJos Alves.
ST7" Quem tiver algum sitio na estrada de
Bellem ou no lugar chamado Joao de Bar-
ros edahi at S. Amaro, quereudo arren-
dar annuncic.
3" Alguma mulher portuguesa de meia
idade que queira fazer a companhia a uma
senhora dando-se o sustento e casa para mo-
rar dirija-se a rua da moeda n 151.
SE?" Roga-se segunda vez ao Sr. que trou-
xc a carta de AlSeres Joo Francisco dos San-
ios para entregar a Caelano A lves Pereira ,
tenha a bondade de annunciar sua morada ou
entregar na botica do Sr. Peixe.
S2T Preeisa-se de una mulher forra para
ama de uma casa de pouca familia, prefere-
se prea para lazer as compras ; annunciesua
morada.
cy* Roga-se ao Sur. Manoel Correia Lima
esludantedo emso jurdico, de dirigir-se a
rua do Queroado loja D. 3 para negocio de
sen interesse.
IZf Alugao-se ou engajo-se por tempo
indeterminado, escravos mocos e robustos,
para o servico de dentro da praca snstentan-
do-se todos aquellos queseas Srs assim ajus-
tarem a tratar na casa de nev no beco do
Theairo demanh at as jo horas, e de tar-
de das j em diante. I as de
(qr'Meios Btlhetes da Lotera
do Theatro, e cautellas correspon-
dentes mesma Lotera conten do
premios infalliveis : n'esta Typo-
grafia.
t^" Lonas da Russia e de oulra qualida-
de que servem pira enserados e para camas
de vento; na rua da Cruz D. 2 J em casa de
Hermano Mchrlens.
S2F" Uma cabra bicho com muilo bom leite,
e piridade poucos dias e rollas de angola;
na quina da rua de Hortas D. 1.
S27" Ou aluga-se uma canoa aberla ; em
fora de portas por detraz do pilar no estaleiro
de Thomaz Jos das Neves.
C? Canarios de imperio nascidos no paiz ,
dous curies dous patativos da Parabiba ,
cada um em sua gaiola ou sem ella ; na rua
Direita sobrada I). 5i, primeiro andar, das
6 horas as 8 e meias da manha c das duas as
5 e meias da tarde
t3" Terrenos para se edificar casas com
frente a vonlade do comprador e du/entos
palmos de fundo no atierro dos alfogados lo-
go a dianle das casas do Snr. Brito ; na rua
Direita padaria do Machado.
SS7** Urna canoa aberla de boa construccao.
de carga de b'oo lijlos de alvenaria ; a tratar
com Jos HigiiiG de Miranda, na rua da praia.
S*^- Uma coleco de leis estravagantes ,
ainda nova, de 1750 a i8ao, porprecocom-
11101I0 ; quem quiser annuncic.
tST Meios biHieles da loteria do theatro .
e cautellas dos mesmos; na praca da Indepen-
da n. vinle.
%Z3~ Superiores eberntutos da Cachoeir..
chegados ltimamente no Patacho Dois Ami-
gos ditos pequeos chamados de senhora, di los
de Hamburgo e dilos de Havana em cai-
xas de 5oo, por 18 e q5,ooo, e caixas peque-
de 3o palmos, 14 maos de cintas de 16 ditos
i5 curvas de (5 ditos uma bocarda de 6 di-
tos aoa bracos de ia ditos ; Irata-se em ca-
sa de Manoel Jos Gonsalves Braga junto ao
arco de S. Antonio
S?^- Meias de laia pretas para senhora a 60
o par ditas para Padre a 800 rs. de seda
compridas a v56o e curtas 1700, navalhas
finas e ordinarias para barba Urda de carri-
tel de todas as cores a 4^0 a duzia e em li-
bra 135o, botoens pretos de retroz para casaca
a '00 rs. cartas portnguczas a 35o o raasso.
linha preta de linho a a4o o masso fitas de
garca a 4 a vara> e 'ar!a a ^ ,0' e gl,ar~
nicaoa48o, ditas para debrum de chapeo,
a 1000 a peca bicos de linho de todas as lar-
garas que boje mais se procura e outros mu:
tos objeclos por preco commodo na rua do
Cabug D. J loja de Francisco Joaquim Da-
arte. .
C3- Cartas de sillahas e palavras em le-
tra redonda e manuscripta augmentada? de
alguns consolhos de educacao uteis a os me-
ninos tabeadas com algumas explicacoens de
Bezoul e oulros a iuo reas cada um exempt' .
um Tilo Livio latino e um novo Testamento
deJ.C ; na rua Direita loja de couros D. iO
do Sr. Bastos.
SSF A posse de terrenos para se edificar ca-
sas, na rua da Aurora em frente a palacio ve-
Iho, e tambem no fundo destes na rua do Hos-
picio ; no'Recife rua dacadeia n. a4 a fallar
com Joao Maria s*eve.
SST Meios Bilhetes da loteria do Theatro
e caulellas dos ditos ; na rua Direita venda
que foi de Jos da Penha.
t9T Urna escrava de naco, de idade de
9.5 annos lava, cozinha e vende fazend? na
rua para o que he ptima ; na rua da cadeia
n. 56._
S2T Um completo sortimenlo de lahoado de
pinho da Suecia o mais limpo e alvo que a-
qui tem aparecido e de todas as hitlas de
meia polegada at tres de grossura e de qua-
torze ps de comprido, por precos commodos
no armazem novo por detraz do Theatro da
parle da mar.
SSF Cautelas da Loteria do Theatro ; na
rua do Cabug loja de miudezas do lado di-
reito passando a loja da quina na immediata
ssy Um bote de 4 remos ; em fora de por-
tas casa de Francisco Fusebio de Faria.
8^> Um caixo de uma casa ja repartida
com tres frente sendo uma para a rua da roda,
outro para S. Amaro e a outra para um beco
cordo e cantara ludo de pedra ja em es-
tado de recebe-r o travejamento e ser alevan-
tada para tres andares por ter os alicerces
mui bem fundados ; a tralar na rua do col-
legio do lado da praia D. 5.
CS^" Bezerros francezes a duzia a 20,000 e a
relalSo a 2000 a pelle ; na rua Direita loja de
conros D. 18.
S2F" Meios Bilhetes da Loteria do Theatro,
e uma carleira de escriptorio propria para lo-
ja ; na rua do Cabug n. \.
C7- Meios Bilhetes da Loteria do Theatro ,
a 4too ; as 5 ponas D. 9.
Linhassa muilo nova e louca da Ba-
K3F- Urna molata de idade de 15 annos, de
muilo linda figura cozinha o diario de uma
casa engomma liso e cose alguma couza e
muilo propria para mubanda por ser recolbi-
da na rua da senzalla velha n. 4 1.
C? Vinte caixas para assucar multo bem
feitas ; nesta Typografia se dir.
\zr Um excellente pianno com muito boas
vozes : na rua nova D. 11.
Escravos Futidos
jo a nove mil rs, ea ratatho a 4o
C^-
bia de todas as qualidades ; na rua da senza-
lal). i.
C3" Lances da ventura a forca da amisa-
de, Gair* novella Americana, Leocadia ou a
innocencia victima do crime Carila ou os
amantes espozos Calatea novella pastoril ,
Vctor ou o menino da selva, diccionario da
lingoa portuguesa archivo popular ertol-
do Bertoldinho Cascaceno ludo ja tiza-
do ; na rua do Livramento D. 1.
*zr Fitas sarjadas mui superiores, ea seli-
nadas a 480 a vara dilas degarca a 240 dita,
ditas sarjadas para chapeos de palhinha a 200
dita, ligas.de seda a iso, pentes de alisar,
ditos de tartaruga para marrafas tisouras de
alfaiateade aparar papel superiores facas e
garios de cabo de mai im aboluaduras de re-
troz meias pretas compridas mui superiores
a 640 o par, tinta encarnada e azula 1600
frasco dita preta a 80 rs e meias para me-
ninos e meninas e outras militas miudezas
por preco commodo ; na rua do Cabug n 4.
S^f- Cera branca a retalho a joo ris a li-
bra ; na rua da cadeia do Recien. it defron-
le da botica.
t;f- Lm negro capateiro de muito boa fi-
gura c urna negra costureira cozinbeira, e
boceleira ; na rua do Vigario D. t 2.
r^* Cautellas da lotera do theatro a 5oo
ris ; na rua eslreila do Rozario loja de miu-
dezas D. 7.
t--** Bichas co muito oca qualidade e
por todo preco. em conduo: na rua do cabu-
gr. loja doSr, Pandeira.
%? Fugio uma preta creoula de idade de
12 annos, baixa grossa, com callos as maos,
de nome Marcelina fugio no dia 3 do cor-
rente ; quem a pegar leve confronte a rua do
A *.......">'- nnA -->>........n,......-. I 1
...^.J I'. .j IIUO O^l t, i^uiiiii(i,ii.i(il|JI|t' tC U
tr.ibalbo.
ts?" Fugio no dia 1 do correnle um escra-
vo crcoulo de nome Antonio, estatura rppu-
lar cheio do corpo cor retinta cara redon-
da e com alguns signaos de bechigas ; quem
o pegar leve a casa de Me. Calmont & Compa-
nhia que ser generosamente recompensado.
523" Do engcnbo de sgo fra da matta fu
girao na madrugada dodia 9.6 do p.p. doiis
negros c uma negra, com os signaos seguin-
tes ; pouco ladinos, um dos pretos alto', gros-
so cor meia fulla de idade de -j5 annos o
outro baixo, tom as pernas arquiadas cor
fulla de idade de 55 annos, ambos de ca-
misa eseroula de algodao da trra e chapeo
de haeta do copa redonda e hacas amarlas ,
a preta de regular altura e grossura meia
fulla, e com marcas de bexigas, de saiae ca-
misa tambem de algodao e haeta amtfrella ,
os dilos sabem dizer seus nomes que sao Joa-
quim Joao e Joanna ; quem os pegar leve
ao dito engenho, ou ao Major Jrs Carlos nes-
ta Cidade quesera recompensado.
t^" No dia 4 do p. p. fugio um negro de
nacao angola, de nome Joao, altura ordina-
ria cor bem preta beicos vermelbos le-
vou camisa de chilla azul, calcas escuras de
riscado jaqueta de chita cor de roza tudo
novo de idede de arj annos desapareceo da
obra do sobrado de dous andares que se est
fazendo por detraz da rua do Fagundes; quem
o pegar leve ao Tenente Coronel Varejo, que
recompensar ; assim como avisa a todos os
donos de obras de pedreiro que nao admtlao
sem levar escripto de seu Snr. e que sendo
pegado em alguma obra pagirao osdas de ser-
vico
CS" No dia i5deOutubro de i83G fugio
uma escrava de nome Anna ladina de na-
lo angola de bonita figura estatura re-
gular, cor preta, rosto puchado, olhos gran-
des nariz fino, beicos meios grossos lem
uma mal ha mais prelado que a cor natural
no rosto do lado esquerdo, e no braco esquer-
do'umas letras de angola tem as cosas mul-
los talinbos de navaha mos pequea e
ps grossos porem mal feitos inlitula-se
creoula, levou vestido de riscado ja desbota-
do e panno da costa foi comprada a Ca-
milio de Lellis da Fonseca piloto de uma das
embarcaces de Joaquim Ribeiro de Brilo ;
quem a pegar leve a rua da Gloria caza de um
andar de grade de ferro defronte do convento
a fallar com o Tenente Coronel T. Cezar Bur-
lamaque que gratificar com 5j,ooo.
^r" Roga-se as aulhoridades policiaes e ca-
pites de campo apprebenco de um escravo
de nome Pedro Lauque oificial de sapateiro ,
alto secco rosto comprido anda por esla
Cidade e pela de Olinda inculcando-sede for-
ro ; quemo pegar leve a Manoel Jos (ion-
salves Hraga junto ao arco de S. Antonio ou
a seu Sr. Caetano Francisco de Marros VVan-
derlcy 110 engenho cadioeira de Seriuhaem ,
que recbela 00,000 degralificacao.
Moviuiciito do Porto
NAVIOS SABIDOS NO DIA 6
HAMBURGO, Birgue Inglez Madonna,
Mestre A. D. Smilli carga assucar cou-
ros c agoa ardenlc.
MONTEVIDEO; Brigue Portugus Con-
ceicao de Maria M. Jos Felippc da Cos-
ta carga varios gneros.
OBSERVACOENS
Leo fundo no lameirao um Patach 1 Sueco.
[UECJFENATYP..DEM.F.DEF. e-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2WNKCFRN_CIJWR9 INGEST_TIME 2013-03-29T15:55:33Z PACKAGE AA00011611_04011
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES