Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04009


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 180. Qlurta Feira
Tildo Pjjora depende de nos roesmos; dn nossa prudencia, moriera,
co, e ererpia : connuenoa cod.o principiamos e seremos apuntados
cid admiroco entre as JNarucs mas cultas.
Proclamaco da Assemblea Geral do Brazil.
-------------------- g >a
Suliscreve-ss para esta follia a .\l?ooo por quailol pacos adiantados
nrsta Typo^rafia, ra das Cruzes D. 5, e na Praca ns. 37 e M, onde se receliem coirespoiulencias leglisadsa* eannuucios,
insirindo-se estes gratis, sendo los prop os aM^nantcs, e virtdos assig-
gnados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cirladeda Paraliiha c Villas (lesna prctpnro...................\
])ila do Hio Grande rio Norte, e Villas dem...................f c ,. .
Dita da Fortaleza e Villas dem..........................j Segundas e Sextas Fciras
Villa lie Goiauna................................../
Cidade d; linda..................................Todos os dias.
Villa deS. Ailo..................................Quintas furas.
J)ita de Giranlmns e I'ovcaro do lionito.................... Uias lo, e 24 de cada mez.
Ditas do Cali, Serinbacm, Rio Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e ai dito dito
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de Pja de Flores...............................^, dem 13, dito dito.
'Judos os Correios par te m ao nieto da.
5 ni? Fev&bemo* Numero 29
________j_____.... ""
CAMBIOS.
1'f.VFRRIHO 4
Londres...... !vj ipx 3) por 1/or>o ced.
Lisboa....... So por o;o premio, por ieaioleiccido.
Flanea.......a^i res por franco.
hio de Janeiro ao par.
CURO Modas de fj.?too rs Vell.as tigoo a iSjfo.-o
, Ditas ',, ,, JVovas i4'aoo a lgicj)
i Ditas de 4'ooo rs., o'^aoo a 8^900
PliATA Patacues Rraiileiros.......>#56o a i#58o
{Petos Col mmanos---------------- i^56o a f.iSo
Ditos Mexicanos--------------------- i#5o a ifa
Premios das Letras, por mez 1 1/8 a 1 t|l por loo
Mocda de colire 3 a por 100 de diac*
Das da Semana.
3 Segunda S. Braz R. M.------------------------ Sesso da Thez. e aud. do J. de D. da* a. v.
4 Terca----------S. Andr Corsiuo U.---------------KuIIhi;." > c and. do .1. 5 Quhrta S. gueda V. M. -------- Sesso da Thetouraria.
G Quinta--------As Cnagas rie Ciirisio. -----------Keiacao c Aud. do .1. ite 1). da a. vara de m.
7 Sexta----------S. lianmal.lo .\b. --------------Scs. da Thez. e aud. do J. de D. da y.
8 .Nahliado --. S. Joo da Malta Fuudador-- Re. e aud. do J. de i', (la 3. v.
g Domingo S. Apollonia V. M. -------
lUare chcia para s da 5 de Fevereiro.
As C horas e C minutos da tarde Aa 6 horas e 30 minutos da manila.
PERNAMBCO.
GOVERN DA PROVINCIA.
ExpcdicHlc do dia 3i do passado mez.
OfTtrio Ao Commandanlc das Armas,
declarando em resposta ao seu officio de ai
do corren te que nao pode mais ter lugar a
fatura do porlao c perla, do callabouee da
Fortaleza de I la marac visto ler-se j. cv-
cedido a qusntia marcada para concertos de
Quarteis e Fortalesas no crrante anno finaii-
ceiro.
conhecidos os delinquenjcs ott por falla de
provas como dos crimes policiaes o por in-
fraceoes de posturas cujo definitivo julga-
mento pentence aos Juizcs de Di re lo ; a fim
pelo Govcrno Imperial para concertos de For-
talezas visto que tendo a ordem do Tribu-
nal do Thesotiro de i") de Junho ultimo au-
torizado a Thesouraria para despender em
le que se nossa organisar a Statistica crimi-' dito anno por conta do Ministerio da Guerra
nal que lera de ser apreaentada a Assemblea
Legislativa Provincial na prxima se?*o.
I?uacs olTtcios torito dirigidos 10 Juiz de
Direito do Crime Interino da segunda vara,
e ao Joiz do Crime da Comarca do Brejo
dem do dia i.do crrante
OfTicio -- Ao Commndanledas Armas, en-
vando-lhe os Processos dos Reos soldados de
Dito Ao Inspector da Thesouraria das primeira Linha Antonio Lzaro do Sacramcn-
Reodas Provinciaes, signifcando-lbe que rep-jt0 eManoel Andr Tiburcio julgadospela
esentando o Inspector da Thezouraria da Fa- Junta de Justica.
re
zenda, que nao obstante achar-se j; declara-! Dito ~~ Ao Inspector da Thesouraria das
do pela
Publico K
ordem do Tribunal do Thesotiro Rendas Provinciaes signcando-lhe que co
Nacionul de i5 de Jullio prximo mo o artigo 5. das disposices Goraes d
passado emraso das duvidas que occorre-jLei Provincial o, H'i dando a Presidencia a
rao sobre a inteligencia daexecuco da Ta- aitribuicSo de disignaros logaros, quedo-
Lclla a que se refere o artigo n da Lei de vem pagar decima tcm implcitamente fe-
2ode Oulubro de 1W8 N. 60 que os cinco volado o ^ 5. art 5i da lei de 1 5 de Novembro
porrento desque traa o paragrapho de- de iP3i pelo qualacobranea respectiva si-
vem ser cobrados de todos aquellos, a quem mente tinba lugar as villas, e Povoacoes
for concedido qualquer ordenado, sold a- com mais de cem casas dentro do arruamen- contemplado
poseii^adoria, ten.a, penso, coiiRrua, ou to : e devendo cobrar-se em conseqnencia da ras9 I,nr'll,e oSo constando ainda
a sorr.ma de 9.00 000U rs. nao declarou a
quantia perlencente a cada artigo de despeza,
com ludo julga de dever a presentar a conta,
que inclusa acompanbou, do que se tem pago
nos ltimos seis me/es do i. de Julbo ao
ultimo de Resembr com os reparos e concer-
tos do Arsenal de Guerra CJuarteis, c For-
talesas para a vista della tomar a delibe-
radlo que julgar conveniente
Dito Ao Inspector da Tbesouraria da
Provincia do Rio Grande do IN'orte signifi-
cando-lbe que pela primeira Embarcaco,
<| ne se ollcreccr ser satisfeita o seu otticio de
_ 6 de Dezembro ultimo enviando-lhe os gneros
., ojue requisitou para o expediente da mesura
Thesouraria.
dem do dia 2q.
OTicio Ao Inspector da Thesouraria Pro-
vincial declarando-I he em resposta ao seu
officio da mesma data que na gua, que
lbe foi remetlida em i836 dcixou de ser
o Carcereiro da Cadeiade Igua-
nessa
Ministros do Supremo fribuual de Justica, compre que informe quaes os qne por sua seu conhecimento, que o F.xm. resi
os quaes devem pagaf estes cinco por cento, riqueza, qualidude de suas casas devfio ser do Tribunal do Thesotiro Publico Nac
alem do Q,ne deverem a titulo de novos e ve- designados para o fim supra mencionado. sendo informado deque cm reparttecs
residente
acional ,
..oes pu-
Ihos Direitos pelos paragrapbos i, i4>, c i6 Dito Ao Commandanle Superior da blicas de algumas Provincias se tem recusa-
sendo si) izenlos aquelles que a qual quer ti- Guarda Nacional do ecife communican-
tulo tiverem de perceber gratificacao ou do-lbe que a 'residencia indeferio o raque-
nue de sua natureza sea an- rimento de Jofio Jos de Moraes, Ajudanie
As pessoas que se propozerem a esta arre-
mataco compareci nos dias cima indicados
munidos de fiadoirs idneos. Eparaconslar
semaudou aliixar o presente e publical-o pe-
lo Prelo.
Thezouraria Has Rendas Provinciaes de
Pemambtiio ?p de Janeiro de 18 io.
Joo Rtt! lisia Pereira Robo Jnior*
ANIYUNaO.
A Thezouraria Provincial paga do dia 4 a
7 do d crrante ns Ordenados do me de De-
zembro do anno p. p. em moeda de prata a
otEmpreados que ni-1 li\c;e;a emolumen-
tos.
Thezouraria Provincial i de Fevereiro de
1840.
Evaristo Mondes da Cunha Azevedo.
Fiel.
lh\-s wi! tul li^oei ts.
vencimento
nual e permanente ; todava acontece, que do primeiro Hatalhao em que pretenda ser
aparecendo na recebedoria de lleudas nter- reformado no mosmo Posto nos termos do ar-
rias diversas pessoas com Provisoes e Nome- ligo 38 da Lei Provincial N. "3.
acSes de Pro'essores de officiaes do Corpo Rito Ao Inspector da Thesouraria da
Municipal edeoutros Empregos exigindo- Fazenda para mandar pagar por conta dos
se dellas OS referidos direitos, se retiran sem rendimentos da Provincia das Iagoas aqu
faser pagamenlo algum perdendo assim a arrecadados a quantia de 6:\J~o reis ao En-
Fazenda Publica os mesmos direitos e o r- genbeiro Aristides Franklin de Mornay im-
pectivo sello ; lbe ordena que do as provi- portancia de varios instrumentos por elle
dencias necessarias para que as estaces comprados e remettidos para aquella Provi o-
Provinciaes, se nao pague vencimento algum cia conforme as requisices do Exm. Prest-
aos Empreados Nomeados depois do i. dente respectivo.
de Janeiro de iBig, em que principiou a ter PortaraAo Director interino do Arse-
execucio a citada Tabella em qpanto nao nal de Guerra, para mandar construir urna
inosltarem que tem salispeito os devidos di- Cadea de medir de cem palmos com devi-
reilOS. sucs de dez palmos, afim de cr enviada para
Dito Ao Inspector da Thesouraria da a Provincia das Alagoas.
Fazenda, commuuicando-lbe a expedic.o da Officio Ao Engenheiro Aristides Frank-
ordem supra. lin de Mornay, commnnicando-lbe a expe-
Dito Ao mesmo, 9gnficando-lhe que diccaodas duas ordens supras.
o Regente em Nomo do Imperador Determi-I Dito Ao Juiz Substituto dos do Crime,
nou em aviso de 5 de Setcmbro do anno pro- e Civel desta Comarca, nomeando-o para
ximo passado que os officiaes que deixarcm presidir ao acto do andamento das rodas d:i
oservico por doentes, ou obtiverem licenca primeira parte da primeira Lotera co The-
com vencimento sperceboo sold de suas airo Publico desta cidade o que hade ler lu-
patenles e os que forcm chamados pelo Go- gar as nove horas da manha do dia 17 do cor-
verno ou mandados em servico pelos Pre- rente mez no Consistorio da Igreja de nossa
Senbora da Conceico dos Militares, con-
'forme a communicacao feita pelo respectivo
EscrivSo.
fdo as Notas carimbadas emeltidas em vir-
ludc do Decreto de -x3 de Outubro docor-
rente anno, numero 9, acaba de declarar
pela ordem de 11 de Dezembro que taes No-
tas devem ser acceitas sem uenbtima differcu-
ca das que circuido na Provincia.
Bidentes das Provincias recebo somonte a gra-
t6cacao addiconal alem do sold ; e orde-
11.,
nc
#0 01
;!iservar restrictamente
liando
o artigo 11' do Regtilamento das Pagadorias
das Tropas de 10 de Abril de i83a na par-
te que di;' respeilo as declaracScs, que se
dc>i',':i bfiw nns guias dos Officiaes.
DU0~.AaJi.1z de Dii Crime da
primeira vara para rcmellcr com a possivcl
^ucviadc a Secretaria os mappas assim dos
crimes que durante o anno prximo passado
foro julgados improccdenlcs por nao s^cm
THEZOURARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia !8 do prximo p. >
O'k-io Ao F.xm. Presidente da rWvin-
cia siniGcando-lhe que nao pudendo sals
faser ao officio de -jo do corienle em que
exigi saber quanto se tem despendido no cor- '
dem do dia 3o.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha disendo-lhe que nao podendo a Re-
parlico da Saude continuar a existir na ca-
sa em que se acha pelos muitos encommodos,
que nella se encontrao como por diversas ve-
tes j.i tem representado o respectivo Prove-
dor se sirva fazer desocupar hum dos dous
quarleis da anliga Intendencia em que se
acheS por emprestimo alguns officiaes de Ma-
rinha mandando entregar as chaves ao di-
to Provedor, afim deque sem demora se fa-
ca a mudanca que este requesila.
Dito A Jos Luiz Innocencio Pogjje ,
primeiro ISotecario do exlincto Hospital Mi-
litar acompanhando urna relac.io de diversos
artigps que devem ser remetlidos para a -
lba de Fernando, a fim de os apromptar para
screm enviados a mesma liba na primeira oc-
c;isiao de embarcaco.
THEZOURARIA PPOVINCIAL.
EDITAL.
O Inspector da Thezouraria das Rendas
Provinciaes, faz publico, que perante a mes-
ma Thezouraria cm os dias 1 4 e 6 de
Mar o prximo futuro s onze horas da ma-
nbaa se ha de proceder a arremataco em
hasta publica a quem por menos fizer do
Ion li ai tu ia iiiumii.ai ;,o da Cidade do Recife
por lempo de auno a mejo cdaCidaded'Olnda
por lempo de trez annos contados do primei-
rcu
le ajino fincaneiro da quantia consignada ; ro de Julho do presente auno.
ALFAH DI!GA DAS FAZENDAS.
A Barca Inglesa P.ickenhan, viuda de
Liverpool entrada em 3 do correte CaptSo
\\ m. I.oy consignada a M. Calmont. ;
Comp.
Manifestou oseguinte.
a3p Fardos com fasendas d algudam q1
caixas com ditas dilo 1 embrulho com ditas
dito, 31 caixas com ditas de linho 5 fardos
com ditas dito, 4 ditos com ditas tic lia,
a38o caixas com sabio 1 barrica com pregos
de cobre 5 caixas com folhas dito leo fur-
ris com mnnteig'i 70 gigos com louca 8e
mcios ditos com dita, ai laxas do ierro i(i
caixas com fawndas de algodam c la 1 dita
com apparelhos para carrnho, 3 volumes
dito dito 1 barrica com armamento 47
caixas ililo dto 10 lardos com lonas 1 ca-
xa com folhas de flandres cm obras l.J pes-
sas de cabos.
O Patacbo Americano Lion vimlo de Bos-
ton entrado em 3 do crranle Capilao C. G.
Boneles, consignado a Henry Forsler & Comp.
Manifestou oseguinte.
So1)! Pez de taboado de pinho 58 pessas
de cabo da russia de patente 1 carroagem com
seus pertences, 9 caixas com cha 3 carri-
nhos para meninos 1 embrulho com chicotes ,
4 mastros 11 caixas com cadeiras i5 dti-
zias de ditas assentos de palinha ^4 ditas
ditas dilo de pao (i cadeiras de gabinetes 1
dita de bracos 7 barricas com aduellas l
barrilinho com conservas.
O Rrigue Sueco Swea vindo de Cdiz ,
entrado em 3 do crrante Capilao C. G. La-
gerwall, onsignnd a N O. Bieber & Comp.
Manifestou o seguinte
33i Cahizesde Sal.
A Raha Inglesa Soperb vnda de Liver-
pool, entrada em do con ente Capilao VVm.
tUmsay consi ;anda a Jones & Cdwards.
Manifes! u o > quinte
88 Fardos com faser.c! s de a!,;udam 98
caixas com ditas dt 1 fardoscom dilas de
linho. 1 caixas com dilas dilo, i ; fardos
com ditas fe j xas com ditas dita ,
43 dilas c3 rdos i m el para forrar,
5o barricas, 3caixase igigoom ferrajeoa
1 cai i co M papel e inros aooocaxoens com
sabo 8 gigos com queifoi caixa com di-
ius Jo queijos 3o ... .. "" .^..;as ^c co-
bre 4 barricas com pregos dilo* .io ditas
com serveia > caixas com roopa Sjj bar-
ra com manteiga ^'^ do chumbo 100


- **
DIARIO
m
D E
PERNAMBUCO

I
fcanis com cluimlio He mu nica m 101 f; i {Tos
rom loKca Si meios dilos com dila 4 to-
neladas de carvo de pedra, 86 panellasdc
ferro, i *\\ toneladas de ferro 3 so foges ,
a barricas rom lampas dos foges, c'o pintos,
a raixa com nir.ceis a ditas com ginebra ,
4 barricas com pregos, 2 Misase i gigocom
pertcnces para carrinbo, 20 presuntos 4
calas com conservas 3 ditas com ngulhas ,
1 dita com tintas, i5i ditas com estanlio ,
a ditas com lampies 1 dita com vidros a/i
barris com oleo de buhara 4 ixas e urna
barrica cora pertenccs para machinas.
Fora do Manifest.
m embrullio(ignora-se).
A Pauta be a mesma do numero a 1
MOB DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do n. a8.
CORREIO.
Existe na Adajistracao do Correio Ceral
huma carta segura para Joze da Silva Coiiu-
bra viuda do Hio de Janeiro.
Em virlude da orden do Exm. Snr, Pre-
sidente da Provincia vai de novo praca pa-
ra ser arrematada obra da ponte do Anjo
sobre o rio Scrinhaem oreada em i:5?5,i- rs. Os licitantes poden comparecer muni-
dos de fiadores habilitados nos das 15 17,
e 18 de Fevereiro ao meio dia na Reparticao
das Obras Publicas aonde est o respectivo
orcamento e condicoens todos os das uteis
s horas do espediente.
Inspeccao das Obras Publicas ili de Janei-
ro de 1840.
Moraes Ancora.
Pela Inspeccao do Arsenal de Marinha se
vender em hasta publica no dia 5 do cor-
rente huma porcao de madeirns velhas li-
radas, da Sumaca S. Jos Viajante, aspea
Boas a quem a compra possa convir, compa -
reca no indicado dia pelas o horas da manila
competentemente habelilados.
Inspeccao l.de Fevereiro de i8qo.
Luiz de 1'ranea e Mello.
Escrvo.
O lllm. Sin Inspector do Arsenal de Ma-
rinha manda fazer publico que se tem de por
em arrematico o fornecimento dos objectos
a ba i xo declarados para as erobarcaces da ar-
mada e Arsenal pelo tempo de 5 mezes de-
corridos da data desle ao fim de Junho do
corrente anno. O mesmo lllm. Sr. Inspec-
tor convida as pessoas a quem laes forneci-
mentes possa convir o comparecerem com suas
proposlas em carta feixada no dia 5 do presen-
te mez ; enasquaes se declarem os fiadores
1 fim de que se possa efectuar a arrematacao
com s que por menor preco os mesmo for-
necimentcs lizerem ; previndo-se que a con-
rico especial he dos gneros seren da melhor
qualidade na falta do que serao recambiados
e comprados ontres a cuita dos mesmos-for-
necedores. Arroz, papel almaco, dito de
petos, dito de encarluxar lapes obreia, pe-
nas de escrever, pedra de amolar, lint" pe-
la dita branca, secante, agoa-raz, Un ha
alcatroada, dita de barca, anebem, taitas d
bomba e sebo em pao.
Luiz de branca e Mello.
Escrvo.
EDITA L.
Luiz Francisco de Mello Cavalcanle Escri-
vao e Administrador da Meza de Rendas
Provincues desta Cidade etc.
Pelo presente Edital avisa a todos os Pro-
pietarios de Predios Urbanos desta Cidade ,
constantes da Relaco abaixo transcripta os
ques aida nao satisizeio a recima, dos res-
pectivos Predios que passar a proceder exe-
cutivamente contra aquelles que ule o ultimo
deste mez nao tiverem realizado o pagamento
de seus dbitos e para que o referido conste
mandei publicar o presente.
Meza de Rendas Provinciaes da Cidade do
Recife t. deFeveiro de i840,
Luiz Francisco de Mello Cavalcanle.
Relaco dos devedores de Dcima dos Predios
Urbanos de que faz menco o Edilal ci-
ma.
Antonio Jo/e Teixeira Lima.
Antonio Francisco de Freilas.
Antonio Tavares
Antonio Cardczo de Queiroz Fonceca.
Antonio da Cruz.
Antonio da Costa.
Antonio Pereira.
Antonio da Silva Paz.
Antonio Bernardo Fernandes.
Antonio Joaquina da Costa,
Antonio Duvirgens.
Alexandre Norherto
Auna Francisca Maciel Monleiro.
Anna Joaquina.
Anua Joaquina Xavier.
Anglica Francisca de Azevedo,
Adrio Joze dos Santos
Anua Joaquina Bizerra.
Anna Mara [Wuniz.
Anna Rita da Conc*3o.
Alexandre Joze Dornellas.
Anna Rita do Sacramento
Anna Jozefa Delfina dos Santos.
Anna Marcelina.
Antonia daSikr;
Antonio TelJei a Lopes
AleXandre Loafts Galvo.
Anna Joaquina da Conceicb.
Auna Joaquina Pratis.
Antonio Joze Fernandes de Andrade.
Anna Joaquina do Nascimento.
Anna Felis.
( Conlinuar-se-hi.)
PREFEITURA.
FATE DO Dl\ 3 DE KEVEKF.IHO.
Sergio Jos Velloso.
Jis Joaquim l.eile.
Alexandre Eerreira do Carmo Sucupira.
Manoel de Santa Barbara Ventura Ferraz.
Manoel Jos de Azevedo Coutinho.
Joo da Paixo.
Pedro Barbosa I.eal.
Rodrigo los de Figueiredo Ardenha.
Manoel Florencio do Nascimento
N. B. Forao juizes os Sis. desembargado-
res Pantoja Lisboa e Chichorro ; e sorte os
Srs. Siqueira Verneque e Cavalcaulu
BIOGRAFA.
MAZANIELLO.
Quando os homens que sao depositarios do
poder zombo das miserias do povo ; quando
com novos excessos respondem a seus queixu-
mes e parecendo despresar seu descontenta-
mento e seus soffrimentos accumulo injus-
lica.s sobre injuslicns pode-se dizer que tal
govino esta' prximo a cahir
impedio qne os facciosos incendiassem asalfan-
degas e os registos.
Esla exped ,o cuja audacia paralysou o
poder do governo era apenas o preludio de
mais importantes scenas. O duque de Mon-
tcleone e seu irmao 'ose Cara Ha expedi rao
>oo vagabundos incumbidos do assassinado de
Mazaniello por mila>>re escapou este a seos
golpes mas, tendo sido descoberto o proje-
cto, os iniseraveis forao feitos em pedacos
pela populara. Caralfa receheo a punico
da imfame ac.ao que tentara commeter 5 sua
cabera foi apresentada ao dictador.
Parece-nos que devia ser bum espectculo
digno do pincel de Raflt a presnea desta
mullidao esfarrapada embriagada tinta de
sangue e furiosa como as vagas de hum mir
agitado nela tempestade : aquellas physionn-
mias sirtistras smente Vistas em semelhan-
tes occasies animadas por essas paixes de
populaca em toda a parle to ardenles po-
rem em nenhuma mais terriveis do que nos
climas meridionaes agitando-se em trono
deste homem a quem por prova de devoc,o
porque he I a presenta vSo a lividae ensangueniada cabe:a
da ordem das colisas que a punico siga o cri- ] de hum de seus tvrannos .
sffede perlo 5 le musante daqueiia jirovi- O terror tinla chegado a seu auge. Neste
dencia que vella ra coiiservaca dos estado?.! critico momento o hispo Filomarini ancio
A historia nos ol'erece muilas provas do qne de cabellos brancos foi o tnico pue ousou
avancamos ; e em cada huma desuas paginas jembrar a Mazaniello que elle nao era tal vez
deparamos com a oppresso punida pelo der- mais que hum instrumento frgil de quem
ramamento de sangue; I cao fataL que os f)eos se servia para punir os res ecst>s re-
reis raras vezes aproveito Em cada huma fiexes juntou tudo oq' H reliflio tem -do mas
deslas sangrentas reaces do justo contra o santo e lhe fe/, oflerla de ?oo escudos de ouro,
injusto, vemos a frente do movimenlo hum pagos mensalmente o que o 11 croe pele) re-
homem enrgico que em si rene as paixes cusou com nobreza, Tudo foi intil, e o du-
que concorrem para este drama terrivcl, e qUe d'Arcos vio-se obrigado a entrar em nego-
quo pode ser ol hado como a personificad) da ciaces com Mazaniello ; este, aproveitan-
lllm. e Exm. Snr.Pas partes boje recebi- vinganca popular Quer esle homem seja do-se do terror que inpirava seu nome ,
is consta somente que foi presa hontein mi- de hura nascimento illustre, ou plebeo obscu- g0 antes de depr as armas a ratifica
exi-
a da
das consta somenle q _
nbd erdem a parda Maria Mindina pelo ro ; queomovel de suas aeces seja o enme, corte de Madrid e o geral esquecimento de
Commissario de Polica do districto das 5 ou o amor da latra ; monslro ou hroe ; quantas injusticas tivessem sido commettidas
Pontas por estar bastante ebria e gritando Rohespierre ou Guilherme Tell, puco im- durante a obra da justa vinganca do povo.
em horas incompetentes com encommodo da porta aessa potencia invisivel, cuja misso Preencbida sua misso, Mazaniello quizabdi-
vizinbanca ; e apprehendida a preta Arcanja be a de castigar huma vez que seja dotado car, masa populaca, cheia de admiracao
escrava de Joo finio de Lfimos pelo Com- da necessaria energa. Se sto he vervade pelo novo Sylla cobrio com hum manto de
missario de Polica do dislricto do Chora Mi- pode-se afirmar que o homem de quem ya- purpura os andrajos do pescador, que foi leva-
nino, cuja escrava hia condusida por um n- raos detractar be bum daquelles cufa exis- do em triumpho pelas ras de aples,
diduo cavallo, que a bavia furtado e nao tenca he indispensavel na marcha dos acn-, Para completar sua exstencie poltica falr
foi conhecido oqual logo que avistou a pa- teciment03. tava-lhe somenle alguma negra ingralidao da
trulha do dito Commissario pelas 10 horas da 'I homaz Aniello mais conhecido pelo no- parte do povo a quem acabava de libertar,
noile deitou correr deixando ficar a mes- me de Mazaniello, era hum pobre pescador Esta triste illuslracao nao tardou muito, porq'
ma escrava ; que no lugar de Apipucos falle- natural de Amalfi que para subsistira a o bispolnha dito a verdade : aobradesan-
cera offoado o preto forro de nome Pedro, aples vender pexc gue eslava feita somentercslavaquebrar.se
morador que foi na ra de S.Rita Nova; Naturalmente atrevido e temerario os pe- o instrumento.Desde cntao, observou-se no
e no da Passagem outro preto que nao foi rigos continuos de huma vida rude e laboro- eomporlamenlo do chefe popular huma gran-
conheeido e que em ambos os cadveres se sa serviro para anda mais desenvolver-lhe a de mudanca. Ou fosse a embriaguez do tri-
procedeo a competente vestoria. audacia. Muito tempo vveo obscuro. Nesta umpho ou hum eeitoda eifervecencia e de
Di 14. poca, va-sea Italia sobreearre#fila de im- muilas vigilias ou finalmente o de huma be-
Illir. e Exm. Snr. Consta somenle das postos, que cada dia tornavo-se mais onero- bida venenosa que os historiadores dizem
parte- !,oie recebidas que fnro presos hontem sos; na Hespanha llorecia o reinado dos val- llie derao duque d'Arcos, he cerlo que sua
por un soldado de Polica o pardo Marcolino dos e das damas reinado que se assemelhava arrogancia e suas crueldades tornarao-se odio-
dos Reis Lins, por terse opp oslo a prizao de ao dos mgnons do tempo de Henrque III. sas aindo mesmo para os seus mas zelosos
outro pardo que Bava sido preso pelo Fiscal Para cneber os cofres esgotados diariamente partidistas. Elles o abnadonarao ao ferro dos
do Bairro da Boa-vista por estar vendendo por toda a casta de dilapidaces suhmettiao- ass&ssinos jue por ordem do vice-re o rodea-
leile viciado ; eo Alemao Anni C Maya pe- se as provincias i exorbitantes tributos. Na- vio, c seu corpo arrastrado pelas ras lor-
ia Guarda do Manguiubo por ter querido as- poles vendo violar seus privilegios oulr'ora nou-se o cscarneo daquella mesma populaca
sassnar a sua mulher com urna faca de pona sanecionados por Carlos V, rompen emmnr- para quem, hum da-asiles, hum
cu os presos liverao destino. murios a que a corle foi insensive! a p nto
de volar hum novo im osl
GUARDA NACIONAL. [dorias de prime!ra neces
! recahia directamente ibre
O Promotor dos Conselhos de Disciplina da I acpii vemos a obra da oppi
Antonio Maia Cortes.
Antonio Manoel de Souza.
Antonio Luiz Goncalves Ferreira,
Antonio Martins Bibeiro.
Antonio Gomes Pereira.
Antonio Fernances de Azevedo.
Antonio Joze Muni%
Guarda Nacional d'este Municipio do Recife
faz saber que em consequencia do ollico que
recebeodo Capito Commandante interino do
segundo Batalho da dita Guarda Nacional ,
tem de se proceder a Conselho de Disciplina
contra o lente do mesmo Batalho Thomaz
de Aguino Pinto Bandeira por 6e ter
ausentado do Batalho para fora da Comarca
alem do termo legal, e porque sendo o mes-
mo Teen te procurado por o Guarda Nacional
ordenanca do Conselho para inlimar-lhe a no-
ta que a Le determina para comparecer, e
dar a sua defeza nao foi encontrado c nem
se pode obter certeza do seo domicilio ; por o
presente convida o Promotor ao dito lente
para que haja de comparecer no termo detrin-
ta das contados da dacta desta para o fim
que fica exposto, e findo esse termo quando nao
compareca proeguir o Conselho sua revelia.
Recife t de Fevereiro de 1040.
Joze Narcizo Camello.
RIO DE JANEIRO, i5 DE JANEIRO.
Julgaroento dos Reos polticos da Babia.
Os reos julgadospela relapao da Corte, em
grao de revista e condemnados em conformi-
dade do artigo i5 do regulamento de guerra .
sao os seguintes:
Ignacio Joaquim Pitombo.
Manoel Marques Cardoso.
Iunocencio Eustaquio Ferreira de Araujo.
do em sua carreira de iniquidades ; agor
chegro ao cumulo, vejamos a obra Urda
da vinganca.
EA junho de 1G47 'en(' ''' Mazaniello
a aples vender peixe teve fie perd-Io ,
em consequencia de nao querer su]eitar-se ao
pagamento do imposto, que elle olhava como
injusto. Oulro qualquer homem olharia pa-
ra tal successo como para hum uestes inciden-
tes to numerosos no decurso da vida pelo
qual o homem perde o Iruclo de seu Irabalho ;
mas para Aniello foi isso a falsea que pro-
duzio hum grande incendio.
Transformado lo^o em outro homem elle
rene a populaca e a subleva usando da-
quella eloquencia popular de que Danton ser-
vio-se depos com lanta forca. Acreditem-
me e bem depressa nao se ouvir a palavra-
impesto .'-Seus protestos enrgicos chamaro-
lhe grande numero de partidistas d' entre os
grupos dispostos a ajuda-lo. Alguns das de-
pos renovaro-se estas odiosas exaeces e
Aniello proseguindo em seus clamores vio-
se frente de hum exercito. Dada destedia
a formidavel dictadura que o povo lhe confia-
ra ; obedeceo-se cegamente a suas ordens,
porque elle saba u/.-las respailar punindo
de morte o menor acto de insubordinacao,
A'frente de 4o mil homens elle fez fugir os
cobradores de impostes c o meMl chefe de
iolica diflicilmenle escapou ao supplicio que
he destnavao. O duuun d'Arcos, vce-re
de aples nao ousou expr-se empregan-
do medidas de rigor 9 todo o seo poder nao
simples
sem
nppe
lacao.
lurado dezoito
' Vayss ere.
sin lador.)


i:, El LANEA.
Gostnmes c. iiiempor&neos.
O Porla lvroniano -- o Poeta melanclico.
o Poeta religioso.
(Por J. Janin )
Nao ser este um artigo de lilleratura mas
hum artigo de costumes. Os poetas romnti-
cos tem a pretenco de ser perfeitamente ver-
dicos e annuncia em seus prlogos, que
quizera pintar-se taes quacs sao com seo
proprio carcter e paixes reaes temores e es-
peranzas duvidasou conveces que reina5
em suas almas; zomba desses pobres e fros
poetas classicos, que com admiravel fidelidi-
de transmittirao-se tbemas de convenci,
sempre os mesmos desde Ires mil anuos como
se o coraco humano, dizem ellos, nao devesse
hum dia sabir dessa antiga rolina entregar-
se a novas sensaces e marchar Jpr novos
caminhos.
Depois disto aguarda sem duvida o lei-
tor encootrar-se frente a frense a frenle com
huma alma de homem ; conta com a verdade
do que se lhe prometteo em tom solemne ; e a
si mesmo diz : Gracas a Dos, que por
tim sahimos dessas hcces que tanto tedio da-
va-me desde a escola. Oh como vou inte-
ressar-me com os accentos do poeta que se im-
pe o dever de descrever-se a si mesmo de
deixar-me 1er, at o fundo de sua alma o
l
1



;_-
DIARIO DE PERNAM3DCO
3
I
II
que sent o que soTre o que espera do por-
vir Se ha ah no mundo lium espectculo
frtil em grandes lices deve ser este ; e
quanto dignos de compaixo sao os anlepassa-
dos ...
Assira pensa o leitor sincero e bonachao ,
que suppe candidamente que os poetas ro-
mnticos nao tem faculJades para mentir
quando promettem dizer a verdade.
Toma o leitor o primeiro volume de poesas
que Ihe vem s mos. He hum poeta byro-
niano ou satnico. A' medida que se enlranha
na leitura commove-se e espanla-se Que
imprecaces to ferozes contra a socie.dade ,
contra o homens contra os rcis contra os
ricos contra a humanidade, contra o uni-
verso ... Na falta de homens o poeta mal-
diz montan has c valles selvas e torrentes.
Que anathemas inexoraveis !
A humana linguagem nao Ihe ministra ter-
mos assaz amargos e vehementes para expres-
sar toda a indignacao de sua alma. Oh!..
oh diz nosso candido leitor ; eis ah um
homem queolha as cousas sob hum aspecto
desolador e medonbo !.. Desgracado De-
ve passar huma vida horrivel. Que lasti-
ma ... -
Tranquillise-se, caroleilor; eu Ih'opeco.
Esse poda est gordo e nedio tem a phvsio-
nomia risonha e toma parte nos mais vulga-
res diverlimenlos do genero humano. Esse
poeta fur blindo que amildicoa os res eos
ricos com tanta colera eiicontrn-se em todos
osseroes, filando mu prarenteiramente com
os abomina veis tyrunuos, assisiindo aos ban-
quetes daquelhs excommungados que lhc la-
zem o favor de o convidar. Porm enlo ,
senhor meu para que aquelles gritos de fu-
ror e imprecaces ? Sao huma mentira da mo-
da nestes lempos que correm; sao hum manto
que be preciso tomar para ser poeta. Huma
vez terminada a obra, passa a vestir-se de
trajos mais elegantes. Lod Uy-on conquistou
nome glorioso com maldicocs e muitos mal-
dizem como elle por mitacao : a gloria he
huma cousa to doce sobreludo nos delirios
de huma imaginadlo de vinle e cinco anuos !
Porm passemos ao poeta melanclico, lis-
te est desengaado de"lodos os prazeres da vi-
da, geme sempre sempre chora e soluca.
Para elle oi-se alegra, esperanca! QuSo
paluda tem a fronte Quanto despreza seu
coraco os frivolos folguedos do mundo
Que dores tao agudas c atrozes o angusliaocm
sua mauso solitaria .. Infeliz Sofl're o
supplicio'de Prometheo e sent penas quaes
as nao pode definir a linguagem impereila dos
humanos infortunios. A morle ... a mor-
le ... invoca elle com grandes gritos Poi-
que cruel irriso vio elle a triste luzdodia,
j)ois que to desventurado devia ser ? .. .
A estes lamentaveis queixumcs move-sc o
leitor e por pouco que nao chora com o poe-
ta. Como .. Ser possivel que huma si
existencia encerr tantas lagrimas e dores .. .
Oh Sr. leitor Guarde Vm. sua
ternura para melhor occsTo. Esse poda lao
melanclico passa melhor vida que Vm e eu :
come bem dorm? melhor, ri-se sgarga-
', iads de qaalquer palavra faz c uivoros ou
calemhourgs e he o primeiro que moteja da
comedia que est representando. .No prximo
carnaval o encontrar Yin. de mascara, la-
rendo de bullo com vinle rompanheires nao
menos folgasesdo queeile Chora em seis
versos porm consagra o resto do da pro-
sa e prosa hum lano sensual e impudente.
A miuha le nao va \ m. procural-o em algu-
111a selva e ra dos deserto* daThebaida, ou
no mosteiroda trapa. Mellior do que isso lie
O seu syslema i anda atrae de huma rica ber-
deira ; e ninguem est mais disposto que nos-
so poeta a passar deleitosamente os dias em
hum salo elegante em meio de lodos os o-
sos de uossa civilisaeao malerial poique .ie
picureo como hum Ira de do antigo redimen.
Diris tamhem qumenle sem laivos de
pe*o esse poeta clioro e melanclico ? Sim ,
Sr. mente; chora por moda. Anligamenlc,
linhao os poetas huma Iris imaginaria; hoje
suppoem-se martyres no mundo, moribundos
e desfallecidos ; isto he boje sao mais fasti-
diosos do que oulr ora sem seren mais ver-
dicos Ao menos os classicos dava suas fie
cues por ficcoes ; os romnticos imaginan as
maiores imposturas, e as a presen ta como rea-
lidades dizendo queche este hum progresso
do secuio XIX*
Emlim, o poeta religioso falla incessante-
menle de preces invoca Dos e dirige-ihe
supplicas defaiis? das mais di rieren tes formas,
conjura-o que fcpiade-se do genero humano ,
que uui luzir dias melhores. Dahi dapre-
hender-se-bia lalvez que seu Ueus he hum ser
independen te da materia, que pode ouvir
nossos rogos. JVada disso he ; lea-se mais al-
gn versos, e reconhecer-se-ha que o Dos ]
do poeta he o universo a nalureza o sol, o
mar, o insecto o grao de rea Vm., eu .
e nao sei qual mvsterioso destino que se ma-
nifesta por hum immutavel encadeamento de
circunstancias Assim o poeta religioso adora
o mundo material, a si mesmo como se in-
vocaste o Dos dos ebristos. Nescia parodia ,
e anda mais nescia mentira Nao ser j lem-
po de acabar com todas estas imposturas ?
CLCULOS CURIOSOS
Sobre a divida nacional da Gram-Brelanha.
Hum jornal inglez anterior a i83o fez os
seguintes clculos sobre a divida da sua patria .
que actualmente se suppoe consideravelmenle
augmentada. Ento a avaluaran em 700 mi-
llies delibras sterlinas, que se podem redon-
damente calcular em 7,000 milboes de cruza-
dos supposta a L igual a 4.000 rs. Esta som-
ma enorme em bilhetes de huma libra do
banco de Inglaterra cobriria hnm espaco de
4.5i6 milbas quadradas ; convertida em gui-
neos faria huma linba de 10,511 milhas e 558
jardas de compridr; em schellings faria ou-
tra fileira ou renque de aoq,q5S militase
1 ,o rencia do globo, porque a circumlerenciada
trra se reputa ser de 3,08 1 milhas.
Esta mesma somma pesaria em ouro ,
1^:981,181 libra; em prata 3?.::8o5 45
libras ; em cobre faria 4^87,^00 tonelladas
(A tonellada se avalia em vinle qnintaes e
oceupa ('o ps cubico )
I ara contar toda a quantia a razi de cem
pecas de moeda por minuto, e gastando dote
horas em cada dia sera preciso, se fosse em
guineos 27 anuos, 6 mezes a semanas 5
das e 6 horas ; se fosse em shcllngs 5y8
annos 8 mezes : a semanas 1 dias e 4 ho-
ras ; e se fosse em moeda de cobre, c se come-
casse na crea ao do mundo segundo a vulga-
la anda seriaS precisos mais i,3a annos.
Finalmente para levar a tolaiidade da divida
em cobre, seriad precisos 9,3^5 navios de
porte de 5oo tonelladas
Irrtpostos que paga hum 'nglcz.
premios da segunda parte da 16. Lotera.; >
[LOTERA DO THEATRO.
Os Bilhetes da primeira parle da primdra
Loteria do fbeatro, cujas rodas andar, im-
prelerivelmenle no dia dezesete no Consistorio
da Igreja de N. S. da Conc^ico dos Milita-
res acha-sea venda as lojas dos Srs. Ma-
noel Uoncalves da Silva Antonio Gomes
Pessoa Canlozo Aires Vieira Cambista ,
na rua da Cada do bairro do Recife e as
dos Srs, Antonio Alves Teixeira Bastos na rua
do Crespo e Joaqum Claudio Monteiro na
do Queimado no bairro de Santo Antonio*
Avisos Diversos.
tfW Manoel Joaquim Soares faz scienle a
quem convier que se retira desla Cidade para
a da Baha a negocio de seo interesse.
E5T" O ahaixo assignado tem em seu poder
urna carta de importancia para entregar aoSr
Jos Duarle da .Silva ecomo ignora a resi-
dencia deste Sr. Ihe roj,a tenha a bondadede
a declarar por esle Diario.
Jos dos Sanios Neves.
C^" Aluga5-sc Ires canoas novas urna que
earrega 1^0 tijollos, outra oilocenlos e a
oulra selecentos e tamhem se vendem ; a
tratar alraz dos Marlyrios caza de tres portas
verdes
$^T O ahaixo assignado comprou de socie-
dade com o Dr Amaro Baplisla Guimares ,
Promotor Publico da Comarca da Boavisla ,
um bilhete da primeira parte da primeira Lo-
teria a favor das obras do Thealro Publico
desta Cidade N. dous mil e oitenta e qua-
tro.
Manoel Jos Lopes Braga,
52^" Perdeu-se urna carteira ronlendo o se-
guinte urna lera sacada por Manoel Joze
Lopes Braga acceila por Antonio Joze Pe-
nara de Mendonca da quantia de 370UJ00 ,
vencida em 6 de Oulubro do anuo prximo
passado oulra aceita por Jo,?o Marn lio Paes
Brrelo de 3 U080 ventada no I* 'le Oulubro
de i83ft eumaordemdo Mitres Jos Cuni- pes, alguns coqueros, o mais arvoredos ;
guildes da Silva sobre o Quartel Meslro Ma- e tamhem huma olaria cobcrla de tellia com
a pessoa que pretender applirarseo fillioem
as primciras Letras com relio, cuidado, e
promptido em pouco* tem [ios ; podem diri-
gir-se ao mesmo logar para tratar ; assim
como tamhem na mesma caza preciza-se de dti-
zentos mil rs. para se pagar era obras dcal-
venaria grossa ladrilho, tellia, e tapamen-
lo pondo-sc no porto que for determinado ,
e por preco com modo ; quem Ihe convier tal
negocio dirija-se a dita caza cima que acha-
ra com quem tratar ; adveitiudo-se que se d
fiador a quantia pedida.
c^ Compra-somselim rmLom nsoqte
tenha loros e silbas cstrivos e cahecadas na
rua do Qucimado I), onze ouannunc'a;
tambem se vende tijollo de alvenaria groco
por wie e quatro nut reia posto na obra ; na
mesma caza.
CT Precisa-so de um cont de rcis a juros,
pelo tempo de seis mezes, dando-se de premio
dous porccnlo ao me/. com boa firma i quem
os quiscr dar annuucie por ente Diario a mo-
rad ia.
XZJ" Troca-sc por dinbero huma imagciu
da ConceicSo obra muilo bem feila de pe-
dra construida em oiilro paiz com as pessas se-
guinles dous anjos dos lados hum oHere-
cendo huma palma o oulro huma corda ,
a Snra. esl em cima de huma piramida por
baixo tem S. Miguel esmagando o diabo, roda lem o paraizo com Aio c Eva tem
junto odesengado do mundo contendo n'u-
ma melado o excalele da morle, ca oulra mc-
tade figurando urna mulber com o faco na
mo do oulro lado a arvose da maca ir. com
a serpele enroscada tirando o fructo e do
oulro laclo tem Sao Miguel Arcanjo cora urna
espada na mo corlando o diabo ; a Snra. lem
umacoroa de ouro fino na oabeca tudo den-
tro de urna redoma de vidro em rica piaba ;
a tratar na rua do Manoel CoeJ D. ldus
seis da manha as oilo, e das quatro as cinco
da tarde.
;cr Arrenda-se um ciiio na Madalen, com
casa de pedra e cal, a qual lem duas sallas,
seis quarlos cosinlia fora casa para estriba-
ra sanzala para pretos duas cari ninas, leu-
do huma muto boa agoa baixa para capim,
um pomal de larangetras com rento e tinto
1 Brougham n'hum discurso sobre os; noel Fcles Ramos de 4'U5no a favor de An- dous Ionios, sendo hum para tellia e outro
os da Inglaterra proferido antes de Ser ionio ila Cunlia Soares Guimaraes : roga-se j para lijlo, o qual leva deoito a nove milliei-
a pessoa que as achon easquizer entregar I ros, e tema vanlagem de com Ires pessoas
i'-- 1 i_ if._ r<.._i_ '____________:/ 1 ...i.:_ ::!_ ,i c__......- _________________
dirija-se a loja do dito Cunha por quem ;;
forao prevenidos os acceilanles de as nao paga-
ren, se nao a elle Cunha ou a seu Caxeiro
sabir o lijlo do Corno para a canoa com amai-
or presteza possivel ; os perlendentes dirijo-
sea ruado Vigario armasem I). 1 1 ou no mes-
S^3 Aluga-se o >. andar da 5. caza do I rao sitio a tractar cora Miguel Correia de Mi-
lado direilo da rua de Apollo no porto das. randa*
<^ O lioteqiiim e caza de pasto da r-ia d
Quarteis D. oito precisa re um cread > hbil,
c se tiver principios de cosinha melhor ser.
r?" O Assionisla das Cautellas desmn-
Canoas com suficientes cmodos para fami-
lia mnito arejada com cosinha fora : a tra-
tar no mesmo.
cy PiL'ciza-sede hum cosinheiro forro ,
Lord Brounl
imposte
nomeado chancellcr enumerava da seguinle
maneira os imjioslos inglezcs ;
l'agamos:
n Direilos de ludo quanto nos entra na boca,
nos cobre o corpo ou temos debiixodos ps.
Dircitos de quanto agrada vista ao ol-
vido ao laclo ao olfaclqe ao paladar*
Dircitos do que est na superficie da tr-
ra dentro da agua ou debaixo da Ierra
Dircitos de ludo que nos vem de fora ou
he produelo do nosso paiz, [ou captivo, para o Seminario Episcopal de I diadas de brinetes dos Loteras em decima par-
DireitOSdas materias brutas e do valor que Olinda; derija-seao mesmo Seminario. j te tac SCenteaos apaixonados deste jogoque
Ibes d a industria do hornem tsr O Professor de primei ts Icl 1.1 do. tambem tem caotellas peiiencentes a quarta
.< Direitosdos molbos que provocad oap- Bairro do Recife, faz publico que a sua Aula parte dos bilhetes da Lotera doTheatro, cm
pdite dobomem edas drogas que Ibe rasti*-1 est aherla desde o dra 3 do corren te e regi-. cujas cautellas o raaior premio beiooUrs.
luem a saude la pelo Professor Substlulo o Sr. Simpli-I a qual corre impreterivelmente a dtele do
Direitos doarminbo que cobre o niz e ci Joze de Helio, por molestia do mesmo 1 correte: vendem-se na Boavisla na caza do
da corda que estrangula o criminoso. i Professor efectivo Sr.Saraiva, e na m Direitos da prenda do encmente e dos t:.- Hypoltfo Lavcnere avica ao publico ponas D. nove, e nos mais lugares jannun-
pregos do esquife que elle tem novamenta recebido um grande ciados.
Na cama, abordo de hum navio no jorlimento. decordas para piannos, e contina | sy Arrnda-se o sitio de Francisco Ribei-
nasceote e no poente temos de pagar direi- a ronceilar os mesraos com todas asperfeicoes ro de Brito na estrada qaevai para o Mangui-
,:J " O rapaz d;i i^vda aeoita a sua boneca la-' -;- ualquer Sur. passageird que viesse : dos para grande familia. fin; cocheira para
xada com ium chicote laxado. | de Lisboa, no Brigne Federico Africano, na mais de um carro, ecavalharicc para seis ou
O bemem adulto dirige o seu cavallota-' ultima e viagem troncesse alguma caria para o oilo cvanos, na loja do mesmo sobrado tem
xado, com huma redea laxada, por huma Decemlmrgador Tomingos N unes Ramos Fer- commodo para mais de cincoenta^escravos. O
reir aja por obzequio de a entregar na na sitio tem diversas qualidades de Inicias, e
da Cadeia vclha n. 53, quina do becco com mnita abundancia ; tres cacimbas com
tanques para lavar roupa, e entre ellas urna
tar A pessoa que quizer receber um mc-
, torna a deilar-se n'buma cama coherta nio de q annos para dar lices de Grammati- der dirija-se ao lorie do Mallos ou ao sitio do
cbila porque pagou m por 100; fazo ca Portuguesa, e Francez : annuucie, ou|Cajuciro.
imenlo euioselU usa 8 librasslerlinas, seenlenda comoTenen'.e Joa Bcrnardino de
pira nos bracos de hum bolicirio a quem Vasconcellos rua da Florentina, caza que S^ Troca-se um sobradinho de ami.i-
eslrada laxada.
Finalmente o inglez agonisanlo to-
mando hum remedio por que pagou 7 por
cem, n'buma colber por que pagou r5 por
100
com
testamento
e expira nos bracos de hum boticario aq
pagou 100 libras para confcrir-lbc o diieilo de
o faarer morrer ... As suas propredades pa-
gao o imposto de o a 20 por 100 exigem lo
bem direitos enormes para cnterral-o no ce-
mi terio ; hum marmore laxado transmute a
posteridade as suas virtudes e s finalmente
quando ebega a rcunir-se cem os seus ante-
passados deixa de pagar imposto?.
(o Despertador*)
largo
com superior agoa de beber: quera n preten-
LOTERIA DO SEMINARIO.
Manoel Caetano da Silva actual Theson-
reiro da eleria do Seminario Episcopal de
Olinda faz scienle ao r speilavel Publico ,
que na segunda feira 10 tio corren te Fevereiro
pelas nove horas da manb comeca a pagar em
a caza de sua residencia na rua das Grases os
lem Olaria.
SST Urna pessoa. que lem osconhecimen-
tos necessarios se propoem a cnsinar Latim e
Rhetorica por mdico preco : as pessoas a
quem convier podem se dirigir rua do Jar-
dn* caza que tem este nomo o annuncan-
le prometlc apromplar os alumnos, que se Ihe
coimarem no menor tempo possivel.
lj- l'erdeo-se urna carteira no bairro de S.
Antonio leudo dentro um bilhete de diy.cn-
los mil icis e algnmas Sed lillas : e mais al-
guns papis que a vista se dir que papis
sao ; nga-se a pessoa que aciiou e querendo
cnlregal-a a seu dono : dirija-se a rua Nova
D u", loja de Antonio lerreira da Costa Bra-
ga ou annuucie sua morada para ser pro-
curado.
%ZJ~ Atha-se aberta a Aula da rua de Mor-
as caja D. 41 desde o 1 c do | rtenle mee | annunvie*
res no bairro de Sanio Antonio rua do ran-
gel por oulro que soja de um andar no mes-
mo bairro e que sirva para grande familia ,
quem pretendfi este negocio qncira annun-
ciar om dirija-se a ruada Cacimba armazem
deassucarda cazo n b que dir quem pre-
tende esle negocio fazer tornando aquillo que
for justo.
tif Dezeja-se allugar urna, rasa frrea ]>>-
ra neqnena lluoia. mo Icnha dous filanos,
sil vp bairro de Santo Antonio, preler i mi-
se as ras poi onde passem porciedes dndo-
se de aluguer at l'/OOO rtis, .ii'r'Pi H-Itvnn
quciraanniinriar f moradin por esta olba,!'-
se tambem qualquei lerocio rom u--iii:i so-
brado, de um andar ou .metro andar de on*
lio, que tenha mais de um quem o iv.t



DIARIO DE
I 'ERNA M BCCO
'
**v.:*.iji!fi.in\_
'."""
s^j" Quem livor para alagar un quai (o era
lerceiro andar, dirija-se u cadena ve-
lha n i-.
* Quem pret sar de una nina de leitc ,
dirija-se a ra do a D. R.
Antonio Jos de Magalhaes aslo largo do co-
legio casi anweMa.
S^f* Um botequim e buhar nas 5 ponas ,
est prompto de tudo e com perlenees fiara
sua Maria ; n a4 ris cada urna Ditas de
dita, dita, dita com o Almanak a trencillos
c vinte ris; ditas de porta divididas era
' estrs a seis vintens o auno ; ditas Ec-
elesiasticas a pataca; na praca da Indepen-, casada pasto o lugar lie excel lente para este
Da-se nts de risa jai lencia loja de livros n. 37 e 38. na rua do'negocio, e a casa paga milito commodo alu-
hypotheca em alguma c ruadoQue- cabug laja do Snr. Bandeira defronte da gul; trata-Se no mesrao.
mr Meios Hilheles da Lotera doTheatro.
c umacarteirade escriptorio propria para lo-
ja j, na rua do ''abuga n. (
t T Meios Bilhelesda Lotera do Tbeatro ,
a 46oo : nas 5 ponas I). C).
f Uma bonita creoula cozinha o dia-
rio de urna casa cose engommaliso e he
qaitandeira ; na rua de llorlas 1). 17
t3S7" Uma casa terrea na povoaco dos a {fo-
cados na rua deS. Miguel n. 4o ; a tratar 10
heco de S Pedro junloao assougue.
ES" Umaescravade i8 anuos de idade ,
de bonita figura ; na renda da quina do beco
do S Pedro.
SSz" Um negro de na rao de idade de 3o
anuos ptimo para servieo df. campo pelo
preco de 160,000 ; na na das trinebeiras De-
cima 16.
lo D. 5 no 1 '..o ou na pr
Collegio armazeni de de Souza Ciui-
mares
S^" Precisa-se de um pequeo que se
porluguez de : la a 14 anuos ; na
rua larga do Ro 1 de miudezas D 7
C7" Aiuga-se um armazem do porto das
paooas : a tratar na n re&po I). 8 I
do sul ; ass nin cavallo rus-
so novo e
carregador
Ljjjiliheia-se ;1-.:' boa morad 1
terrea no bauro de S. Antonio, por 760000
i" lo ti mpo de u n am o., pa 111 lo3 <> 1-
n idedous por cont ao mez ; auei
darannuncie.
'
ws porem 1 -ja
dse:.. 1; no Ira-
piebeda c rapauhia se dir,
I
PARA O CE '' p 11 a u
I Le-iii 1
l ....
1 Joaquim I .

i ;
que ; queiro le ar os
con -.......Los na la da tu da D. i'4>
ue
00 rebo is 1 ue
atrizda Boa vista botica do Snr. Joaquina
! Moreira ; e em Olinda Botica da 111.1
do Amparo.
I y Cauteilas correspondentes a Lotera do
heatro. conlendo premios infalivcis a pc-
eo de quien tos ris cada urna ; nesla Typo-
rafia
CsF Na refinecSo nova d > largo de N. S. do
Terco assuca refinado muito superior, por
proco commodo.
.7 Um essravo de necio de idade de a5
SunOS, proprio para todoo servieo ; na rua
nova D. 21.
f Um ptimo escravo de ?8 a rt anuos
de ; na rua do Rangcl 110 primeiro an-
dar do sobrado I) 3i.
C2 Uma esclava de naco angola boaen-
gommadeira cose bem faz doces. e cozi-
nba o diario de uma casa 5 na rua do Ran-
gcl D. 3.
r U"ma duzia de cadeiras de Jacaranda
novas e do ultimo gosto ; na rua Rireita
b .1 lenca contigua a do Tallecido Cosme das
.'.. vas.
VST Na rua estretta do Rozarlo D. 16 de-
fronte da Igreja, canarios de imperio bons
cantadores esojos de navalhas finas se afi-
auca a qualidade 11 caixillios com vid ros c
uma cama de amarello nova e sem ter uzo ,
ludo por preco commodo.
- Verniz copal fino a 3'iooa garrafa-, na
1 ua nova !>. 70
tST Cerarefinadaa 9^0 a libra ; na rua
nova ). -8.
1 ./ Cauteilas correspondentes a loteria do
Tbeatro a 5oo rs 5 na rua larga do Rozrio
loja de miudezas D 7.
$rj" Duas mil oitavasde prala velha ou
parte da dita; no armazem de rpadeiras de
de Domingos Jos Rodrigues de Azevedo
na rua nova defronte o tanque d'a
- que Ibe remet no assim como um terreno aterrado e prempta pa-
rcm de uma ne^ra de nome Benedicta, de ida-
de de 15 annos de naco baca est prenha
com dois mezes fugio no dia sabbado as 7
horas da noite com vestido de chita e camisa
de,algodozinho com missanga encamada no
pescoco com troljfiga de chifrej dea pegarem
e leva-la na rua do Jardim D. 2, que ser
recompensado por Antonio Maciel.
C? Desapareceo a semana passada um mo-
leque creoulo de nome Tbomaz official de
pedreiro torio de umolho pernas zambas,
anda quasi seinpre de calcas prctas, luiqp no
chapeo, foi encontrado no alterco dos affoga-
dos e supoe-se estar para estas parles tra-
bahSando pelo oflicio ; quem o pear leve a
rua do Crespo D. 18 lado do sul que ser
gratificado*
FT JNoda 27 do p. p. desapareceo da casa
de sen Snr. um escravo creoulo de bonita
figura bem preto com olho direilo mais
pequeo e defeiluo/.o parte dos denles da
frente podres de idade de 18 annos pe-
dreiro ; quem o pegar leve a rua do Crespo
loja de Antonio da Cunha Soares Gumaraes.
E5" Ucsapareceo no dia 5 do crrente um
Uma loja de miudezas com sua com- moleque de nome Traja no de idade de \\
plente armacao toda envidrassada por pre- annos quando fall sem pie se ri com cal-
co commodo : no principio da rua Direita la- cas de chilla escura camisa de riscado ama-
do da Igreja do Livraraento D. 5. relo secco do corpo rosto regular, beicos
IV Tres sepos bons para assougue 5 na finos porem um pouco compridos quando
camhoa do Carmo querendo sabir para o pateo falla ; quem o pegar leve a rua da cadeia do
.
25" Que 'azem i'c. Cal I
por intci o do Corr eir de
completo enlode a;
pas ealgumas a variada .
corn ni as des horas da manh n
armazi
O al so a lo faz lel por < on-
ii di, Sr rjfi Ja Vill
D. ?i.
!C7* t'm completo sortimento de laboado de
Recife n. 57.
125" Desapareceo no dia 3 do corrcnle um
- rl.
Propia
no da 7 do co^i inte no se edificar com Lo palmos
no armazem de Jacom Pires mais de 6o de fundo,
no caes da Alian lega.
! lan nim edro da Co>la.
S"7" O ei!"
ile
lenle e
eradas ; 1

de
.^SS" Dous arados duas rodas para carro,
alguns barris de pregos caixaes bons e ou-
9 com alguma u varia e barris de superior
> inbo do Porto, e de Lisboa ; na rua da ca- Ser e Francisco da Silva.
pinho da Suecia o mais limpo c alvo que a- moleque de idade de 10 a 11 annos cor ful
qui lem aparecido e de todas as bilrdas de la e secco i\o corpo, muito esperto, levou
meia polegada at tres de grossura., c de qua- vestido calcas branca de brim e camisa de chi-
torze ps de comprido por precoa eommodos : la amarella; quem o pegar leve a Cora de po-
no armazem novo por delraz do Tbeatro da tas i) 5, quesera recompensado,
parte da mar. I Vff" esapareceo no ultimo de Janeiro do
tSS* Cauleiasda Loteria do Tbeatro ; na corren te uma neta de nome Thereza de
rua do Cabug loja de miudezas do lado di- naci cassange de idade de 16 annos, com
reilo'passandoa lojada quina na immediata, uma velide em um olho, estatura regular,
tsar Ura moleque creoulo de idade de dez le^ou vestido de ch illa, e panno da costa; quem
annos; na rua do Cabug loja de ourives De- a pegar leve a padaria de Jos Zacaras de
cima 1. C irvalho que ser recompensado.
Farello ebegado ltimamente de Ham- B" Furlaro no dia i do correte um mo-
burgo, a a56o a saca; no quartel do Rom jeque de nome Manoel de nacao cassange de
Jess. idade de onze annos c'.ieiodo corpo levou
Uma bonita escravado gento, de ida- vestido calcas de estopa, ecamisa de algodo ;
de de 11 anuos cozinha o diario de urna casa roga-se at authoridades policiaca capitesde
cose cba e faz renda 5 na ruido V gario n. campo, e com mandante de registo, qde sen-
17 no primeiro andar. do o encontrem o queirio prender e levara seu
S3T- Cauteilas da Lotera do Thatro a 5oo Sr. Luis Jos Marques, na rua do Rangel
ris; na rua da Cideia do Recife lujas dos Sis. D que gratificar.
JC?- No dia a;> \ p. p. fugio um escravo
cana a velha n. 18, casade Russell Mellois tk: 1.. a prelas parasenboraa 64o de nome Jos de nacao cosa estatura me-
Companbia. r, ditas para Padre a 800 rs. de seda diana, bem fallante, com bstanles lalhosno
as is para bar- RS" m terreno cm 64 palmos de frente I corapridas a ioo e curias 1700, navalhas rosto, foi vestido de cateas de brim branca ca-
to pi eco commodo; e a libra a 80 ris I garca a 240 a vara,e larga a 3o, edeguar- naco mucambque, algum tanto ulla ja
'.-.- Uma meia agua na rua de S. Therc 1 ,, ditas para debrum de chapeo de alguma idade barriguda olhos papudos,
armazci ruidaCoi ; tratar na rua de agoas verdes D. 1. a looo apeca bicosde linbo de todasas lar- beicos grandes } quem a pegar leve a mudo
"^ :..' 1 oda Ban S Uma porclo de madeira de sicupira guras que hoje mais se procura^ eoutrosroui- Aragol). ij que ser gratificado.
Ingleza ary- Wch ra constante das seguinles qualidades ; 8 cinlai 1 objectospor preco commodo, na rua do t~J" As oito horas da noite do dia dous d
r- de o palmos, 14 raaos de cintas de ifi ditos Cabug D > loja de Francisco Joaqum Da- correla entrando a croula forra Maria Vi
le da 1 pai 25 curvas de 15.di tos, uma bocarda de di- arle. ctoriana da Conceico na Igreja de N. S. d
....
por
es, ?02 bracos de 11 (utos; trata-se em ca-
sa de Manoel Jos Gonsalves Braga junte ao
arco lie S Antonio.
tW Cauteilas da Loteria do Tbeatro a
quienlos ris; na praca da Independencia lo-
ja de encadenvador n -O.
cncoi

....
pos ,
dita e de ara e p ira
la SSST. Rap da Rabia dito do Varejo, dito
lo Lima cha isson de primera sorlc ,' dilo na rua Direita U uo lado do Livramelo.
da,( parapn Imperial emeaixinhas de duas libras, tinta Linhuaa muito nova, eloucadaBa-
eiros.vid I escrever em ptese 160, dita encarnada a bia de todas as qualidades ; na rua da sensa-
to pentes de tartaruga de travessa ditos tal). 1.
t,s ; o de b nze facas de massa ricas lesourinbas de unba, ingle-
de mesa ca ; tabaco, lin iros de zas, pentes de marfim de tirar piolho, I as
,; .. garca de todas as larguras, e quali
el ....: lo para f01 ... des, bicos de linho de todas as larguras, ri-
Uma escrava de naco com bonita figu- Saude da mesma porta da Igreja lhc fugio
ra, engoma I izo cozecbo, cozinha odia- uma escrava creoula de nome Francisca, de
1 io de uma caza lava de varrelh ," e de sabo: dade de ib annos com vestido de chita no-
d-se a contento ao comprador sendo conheci- va de assento rouxo e llores amarellas, com
do; una dita de idade de 17 anuos, com mu- panno da cosa ; quem a pegar leve a rua Di-
to bom lcite com uma ci ia molatinha de ida- reila D, 21 a sua seuhora, que recompensar.
de de .{ mezes engqmma cose e cozinha ;
toviiuento do Poro
:!>S
.el I ...... des ticos de Imlio de todas as larguras ri- -se as authoridades policiaes e ca-
rasqueiras.....- prelos, brincos, e re- pitaes de campo apprebenco de um escravo
i assa n mi de ai roz pn ... ai
dor mi zas pi uei as ai ella de 1 asquinba,
, muii ouli tle .:. 5to.
C o lii p v a s
j.-/- m es ravo 1 ro; no Semina-
rio de Clinda a fall ir ao I ei 1 n lo Reitor ,
ou nesla Typografia. [
: bomesli d 1, de qual-
quer qualidades 1 liver
annuncie
." cabra qt d 1 leit* ;
na ,,. casa de Antonio da
bilva Gusc
zetasdila, escovasde denles finas, din
NAVIOS SAHIDOS N0IA3
PORTO; BarcaPortugueza Relia Pernam-
bucana VJ, Manoel Franc-co Ramos, car-
ga assucar passageiros (\,
ras iiu
covasde denles finas, ditas or- de nome Pedro Lanque official de sapateiro PRTOS DO NORTE Paquete de Vapor
raeguins (rancezes para senbora alio secco, rosto comprido, anda por esta Nac. Pernambucano, Commandante Fran-
e galochas ditas para homem sinteiros de
; 1 de lustro com fivella, fitas para sintei-
p
Cldade e pela de Olinda inculcando-sede for-
ro ; quemo pegar leve a Manoel Jos Gon-
Iro que cunea 17 de Fevereiro a 600 ris,
e bichas pidas na praca da Independencia
11 o.
ssr Superior rap do contrato de Lisboa,
ebegado prximamente por mdico pceo .
(i a S
tjp- Folbinl a pira contci do
;;kn doKalendario, &i ma-
uo, e um liak.,0 cnlre ura Algara\io, c
rod meninos, cauteilas da Lotera do i'heu- salves Braga junto ao arco-de S. Antonio ou
a seu Sr. Caetano Francisco de Barros ^Vran-
derley no engenho cachoeira de Scriuhacn ,
que rceber 00,000 de gratificaco.
IIT iSodia '..'8 do p. p. desapareceo um
moleque indo com seu >nr. da rua do Rangel
eaixes com barretinas a pastora pura senbora, o qual ainda he novo porem ja falla bem, de
barricascom lnbaca nova uma poreo de] idade de 9annos, olhos pequeos e aperta-
garrafas de aaoa das caldas do Gerez; estas^oa dos, secco do corpo, peinas finas, ps pe-
boje to conhecida em Portugal pela sua vir-j quenos de nomo Domingos, levou vestido
lude, obrigou os especuladores a mandar pa-
ra esta e nutras provincias deste Imperio, c
\ i-to a muita extraeco 'ue aqui tem lido re
por isso n iM uzo a mielln* pe*-
. mpacb le estam
pois tem a partcularidade de ser um
caicas de riscadinho azul, jaquela do mesmo,
a ,c algodSzinho chapeo de palha :
quem o pegar leve o trapiche da companbia ,
'' ift'lai.....n :: Irapiclieuoj que gratificar.
C?- Roga-sca osSrs. Sub-Prefeitos e au-
thoridades policiaes desla c mais comarcas e
dos memores degestivos ; no escriptorio de pesssoas particulares, que vircln vou soubc-
cis Colbv passageiros 7.
ENTRADOS NO DIA 4.
TERRA NOVA M dias Rrigue Inglez
Porcia de 167 tonel. Mcslre Wm. llilbe-
ad equp dez carga bacalbo ; a Me,
Clmente.; Companbia.
SAHIDOS NO MESMO DIA
STOCKOLMj Rrigue Sueco Edward, Mes-
Irell P. Zeplien carga assucar.
DITO; Patacho Sueco Vigilance, M. Janscn,
carga assucar.
GENOVA j Parca Sarda Relia Emiliela, M.
Jernimo Sicard, carga assucar.
SSL" ; Brigue Escuna -Nac. Ramha dos An-
jos M. Juaquimlziduro da Silva carga:
Ucfpo
RECIPE NA TYP. UE M. F. DE F. i8$c*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ9ER1WYB_VUTZCM INGEST_TIME 2013-03-29T15:44:31Z PACKAGE AA00011611_04009
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES