Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:04006


This item is only available as the following downloads:


Full Text
J

Anio de 1840. Sabbado
^Tudo (jor.i driitnrle de nos mesmos; rln nossn prudencia, roclfra-
ciio, e energa : continuemos con>0 pr;nci| sinos eseremos apomados
com adinirnco entre as gares mas culius.
FiocLimaco da sfssrmblea Gcral do Urazil,
t:t.-> .-CrS--
creve-s para esta folha 5|ooo por quartel pagos adfantadfts
t.i la lypografia, ra das Cruxes D. 3, e na Traca da Independencia
ns. :>; e 08, onde se receben) correspondencias legalizadas, eannnucios
insirndo-se estes gratis, sendo dosproprios assignantes, aVindosaMig*
puados.
Partidas dosCorreios Terrestres.
Ci'lade da Paraliil>a c Villas de sua pretencSo...................
Dita do lo Grande do Norte, e Villas dem........
Dila da fortaleza c Villas Icltm...............
\ illa ce Goianna.......................
Cidade d Olinda......................
"Vlia de Su A n tifo......................
DiU deGaranhuns e Povoacio RnnitQ.........,
Dias do Cali, Serinhaem, llio l'ormozo, el'oilo Calvo.
Crdade-das Alagoas, c Villa de Macej..........
Villa de Pap Todos os Correios partan an meto dia.
i. oh FfjVERRifto. Numer %.
CAMBIOS.
'Janiiro. 3.
Londres...... i? I|l33 por Ifooo red.
Lisboa....... S. por 0/0 premio, por metal otierecj
* 'k"r......... 19b re? por frtOcV,
bio de Janeiro ao par.
OIR'J Voedas de 6* Ion rs
*** .,
' '"as de 4hooo rs.,
FU ATA fataces Brasileiros--------------
IPeins Columoarios.---------------
Ditos Mexicanos ---*...-,-.-
Premios Has. Letras, porraex tiljS a I ip por" loo
alcedo de cdlre 3 a 4 pbt ibolfle-disc.
Ras da Semana.
.o;
Vellins 1 4-*7oo a
Noias rioo
J\*mo a
l#5fo a
l'^O H
ijl'rio a
ittfooo
i7&o
8#aoo
iffto
ifiio
'/Segundas eSextas Peras,
1.........I odex os dias.
.........Quintas faifas.
.........Dias lo, c !', deca!fl mes.
.........dem 1 11, e 31 dito dito.
.........Mein dem
.... df Iiiem 13, dito dito.
1- Secunda - s.
jH Teica----- s
>Q Qu Ha - - a. s
i<> /1, .; 1,1 > --- >;
5: Sexta ----- --- S.
1 So aba 'v> - Jej
1 1 )i, ni .i.,.1 - Pu
Joo riu'isnstomo t, -
Cyrillo t..........
Francisco de Salle U. -
ItfjLirtinlia V. ". -____
Pedro No asco.
un S. Ignacio 1L.
1 iliccRo de JN'. S. --------
- SeStSO da The, e and. ,| J. ,|(. |). ,)3 ,_ T>
-- Rellacio e and. doJ. de I), da 1. *. ovan,
-- bessao da Thetourarih.
-- Itelaco e And. io .1. rte lt da 9, v...a de i".
- Ses. da Thes. eeud. do J. de D OaY. fr.
Itcl. e aini. do J. de i). > %.
Mure, chria para $ da 1 de Fcvereiro.
As 2 horase .Vi minutos da tarde -- As i hoias c 3 minutos da mal :.
PERNAMBUCO.
goveno da PROVINCIA.
Expediente do (lia aR do correnle.
Cilicio Ao Commandante das Armas,
ordenando, que mande abonar a Auna Mara
dos Santos a prestacao do Sold, e a ter-
ceira parle da ^ralificaco de Campanha,
que llie deixou seu filho Manoel Marques
soldado do lia la I lulo Expedicionario a Provin-
cia do Maranho,
Dito Ao mesmo, communieando-lhe que
tendo de reunir-se 110 dia ii do correnle a
Junta de Justica cumpre que expe a as pre-
cisas ordens para que nella comparecaC os Vo-
gaes Militares
Dito Aos Dezembargadores Vogaes da
Junta deJuslica para conipareccrem no dia
'31 do coi-rente em que se ella tem de reu-
nir.
I;ual ofFicio foi dirigido ao Dezembaiga-
dor Juiz Rclactor da referida Junta
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinlia, partecipando-lhe, que a Presidencia
tem ofliciado a da Provincia das Alagoa pa-
ra dar as suas ordens a fim de que o reslo das
madeiras de conslruccao enrommendadas pa-
ra o mesmo Arsenal qu ali evistem anda
distante seis legoas do lu;ar em que devem
ser embaracadas sejo conducidas para elle.
Dito -- Ao Inspecior Geral das Oluas pu-
Llicas, conununicando-lhe que a Presiden-
cia por despacho desta dat^i concedeo a dc-
misso que Ib pedio o Dezeabisla do Gabi-
nete Tliopografico Miguel Carneiro J-
nior,
Igual parlecipaeao foi fcila ao Administra-
dor Fiscal das Obras Publicas
Dito Ao Engenbeiro Aristides F. Mor-
nay comm>iii(indo-lbc que foi expedida
ordem ao Inspecior Geral das Obras Publicas
para Ibc fornecer os instrumentos que Ihe fo-
rera preciso para o exame do encanamento
das a;oasdoRio Beberibe.
Uilo Ao Inspector (eral das obras Pu-
blicas ordena mo-1 be o fornccimcnlo dos
instrumentos de que trarla o precedente
officio.
Dito Ao f.idadao Jos Ramos de Olivei-
ra signi6caiido-lbe que tendo a Compa-
nhia ile Artfices que se nehava oci upando a
cusa denominada -- Armasera do Sal re-
gresado ao seu antigo Quartel pode mandar
tomar conta da referida casa agradecendo-
Ibe o ofl'erecimento gratuito que delta fez pa-
ra acommodacao da mencionada Companhia
em quanto durarao os reparos do Quartel
respectivo.
i ilo A ("amara Municipal do Recife ,
significando-lhe que bavendo representado o
Inspector Geral das Obras Publicas, (pie Jo-
s Pereira da Cimba, edificando um muro no
seosilio da estrada da Magdalena Ib fisera
urna escada de pedia que sobre sai a linha do
mesmo muro cinco a seis palmos, c que es-
ta Conslruccao lora feita sem a precisa li-
cenca ; cumpre que pelos meios leg.ies faca
demolir a referida escada, chamando a res-
ponsabeiidade o Fiscal daquelle Dtsttnjtu.
Dito A mesma enviando-lhe parasen
conhecimenlo urna copia da demarcaco do
alinbamento qtiedeve se;uir o Caes que se
pretende mandar fazer desde oForle do iMat-
tos at defronte do do Picio e oidenaudo-
Ihe que nao conceda licenca para edificar nos
lugares prximos sera previa auclorisaeo da
Presidencia. '
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do da aS do correnle.
Oflicio Ao Exm. Presidente, requisitan-
do-lbe o concert da feixadura lo citadrez
do Callahottco dostalcjtas do Forte do Bu-
raco, que se havia quebrado na occasio de
tirar ditos calcetas para o ser vico.
Dito Ao mesmo Exm. Senhor, com-
municandq-lhe que a Companhia de Artfices
bia boje deixar o armazem chamado do Sal,
onde temporariamente se aclia aquarlelada ,
para retomar o seo repectivo quartel que se
acba concertado e rogando-lhe bouvesse de
avisar ao Proprietario doditoarmasem, a fim
de tomar conta delle,
Illm. e Exm. Snr. O Supplicante Anto-
nio Jo?e l'aes tendo-se em 27 de Malo de
1793 alistado no exercito, servio com destine-
cao at 7 de Abril de Hqc), dia em que por
huma fatalidade inexplicavel se Ihe (leo bai-
xa no Rio de Janeiro vnllaudo de huma
Campanha de 11 annos Sem meios de sub-
sistencia e nao podendo em avancada idade
: a 011 tro genero de vida que nao
fosse o da profissao das armas, na quaj con-
sumir a sua mocidade regress iu da Corle
; esla Provincia e fez parle do Corpo de en-
gajados que poralguns annos guarneceo a
Fortalesa do Brtim
Pela exlincclo dos mesmos Engajados ,
em o 1 de l'ezemhro de 1818, alistou-se
no Batalbo Provisorio de Cacadores de pr-
meira linha com outros que expontaneamenle
commiinirando-lhc que pelo terceiro Bata-
lbo de Artilbera os segundos Tftuentcs
Antonio .Tose Mello e M a noel Ferreira de Al-
meida destarados as Alagoas hiao do 1.
deste mez em (liante cobrar os seus respectivos
sidos, e addicional, sendo laes vencimentos
entregues ao primeiro Teen te Alfonso Ho-
norato Baslos.
DitoAo Commandante interino do ter-
ceiro Batalltao d* Artillera, para cobrar do
I. desteme/, em dianle os sidos e addi-
cional dos segundos Tenentes do Ba'alhao
doseu Commando : Antonio Jos de Mello,
e Manocl Fe re ira de Almeida "destacados na
Provincia das Alagoas, devendo entregar ta-
es vencimentos ao primeiro Tenenle A. II.
Bastos que eslava aulhorisado de os rece-
ben.
Dito Ao mesmo exi^indo o molivo, por
que o Dotitor Muniz Tarares deixara de
fazer as-*71n#MK> ^Hf*#usime gOuinTWirlrra de
Artifices conforme Ihe fora ordenado.
Portara Ao Commandante infirmo do
terepro Batalbo de Arllhera, mandando
d'ordem do Exm Snr. Presidente cotn-
municada em despacho de bontem, dar de-
misso ao Soldado Manoel Vieira dos San-
tos ; por nao estar as circunstancias de ser-
vir na 1. linha.
THEZOURARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia 27 do correnle.
O.lico Ao Inspector di Thcsouraria da
> do crtenle, consta sci o r. -. id dito ren
dimento pela mesma arreendado em todo
semestre lindo.
,)lla Mandando debitar a 1 Thesoure
dito, no Ltvro de Receita e Pespe;
dimento de 1 por cont de Arma .. e
Expediente addicionaes a quanlia do que
tracta a precedente Portara.
Dila Ao mesmo Thesoureiro partect-
pando-lhe em cumprimenlo ao officio do
Exm. Presidente da Provincia do 23 do cor-
renle, que foi roubada dos Cofres da Tlie-
sourara da Provincia das Alagoas a quantia
de 5;oooUooo rcis em olas proveriieutes das
sobras da operaco do troco da moeda, de co-
breem numero de 5oo do valor de tolJooo rs.
anula serie, e sob a numeraco d 39,001 ;
^9,5oo assignadas por Luiz Joss Lopes Cou-
to o que nao podendo taes olas entrar em
circulaeo deve lomara este respeito as cau-
telas necfssain.s.
Igual ('orlara se expodio ao Thesoureiro
dos ordenados e a lodosos Col lectores de Di-
versas Rendas da Provincia.
se quserSo prestar a este servico e nao po- Provincia da Paraiba significando-lhe* que
deudo pedo seo oslado d'invalidez acompanhar em vista do seu oflicio de 31 do correnle so
o Hatalho para a Provincia* do Maranlio | tora mandado passar do Cofre das Rendas
firou ligado como addido ao terceiro Batalbo Provinciaes da mesma Provincia nosla arre-
J'Arlilboria, aim de n'olle esperar sua refor- cadados para o do Rendimento de um por
1
ma cuja proposta brevemente ser a V. Ex. ceulo de Armazenagem e expedientes addi-
apresentada. ciouaes, applicado A divida cxlerna aquan-
,s7
lo todos quanlo a Presidencia lem mand.i- ta de 1 j.'i), res que COOi a tic oSlJ
do adraitlir novamente ao servico por dmi- reis n transportada no mez deSelembropro-
coes que ihe foro dadas, nenhum meu ximopassado, conforme o seu aviao derf de
ver aprsenla rasoes ma'is valiosas que o su-! Agosto antecedente, prefaz a de a.'Uo 16 re-
plicante, que conta mais de Sj auno do ser- i.s, constante do dito officio, o reraeltendo-
vico inclusive 11 de Campanha, etia dei-
dades
Ehtendo pois, q' V. Rx. deve maodnr arer-
rar apraca do Supplicante sem interrup-
co do lempo em que lora demillido eres-
tando-lhe os seus voncimenlos desde o
me as cotilas da Receita e Dcspeza dos Ren-
dintentos Provinciaes da mesma Provincia
nosla arrecadados, que pertencem aos a l-
timos anuos financeiros, communicanilo-lhe
por nao ser possivel a rcmessa tambera das con -
tas relativas ao semestre ltimamente (indo,
anuo de iSjq, at odia em"q' foi engajldo na que o saldo em Jl de Dc/embro existente
Foi tale/a do Brum porsso que dessa epo- no Cofre dos ditos Rendimenlos, era de
ca em dianle principios a ter vencimenlos,
dos (|uacs se aclia em dias pago.
E' quanlo me cumpre informar a V. Ev. ,
9;8Uo(4 reis.
) ilo Ao Poocurador Fiscal remellen-
do -Ihe por copia a represenlaco, o docu-
em observancia ao sen despacho de boiiiem mentes, qiteacpmpanliaroq ordem do Tri-
datado. bunal doTbesouro Publico Nacional de Ih
Dos Guarde a V. Ex. Quartel do Com- de Julbo prximo passado provando haver D
mando das Armas de Pernambuco-8 do Ja- Mara de Pin lio Borges reeebtdo pelo mesmo
neiro de 184o. lllm e Exm Snr. Fran- Tbesouro em 7 de Marco tic 8ji a quan-
ciseo do Reg Barros, Presidente da Provin- tia de ';76Ubo reis, saldo do expolio reco-
da Antonio ledro deS liarrelto IhidodoDesembargador Antenio Flippe So-
Dito Ao Exm, Presidente ponderan- ai es de Andrade Biederodes ; ja tendo a ms-
do-lho a conveniencia davimla do Sargento j ma quanlia sido paga em 8^3 ao herdeiro
Ajndanle Pedro Aola'sco e a irapossibetida-
de de dar-se execuc uo as suas ordens ledenles
ao mesmo Sargento.
DitoAo Brigadeiro Jos Joaijuim Coolho,
communicando-ibe que em ordein addicio-
nal de iioje havia sido publicado o seu (es-
pacho, e que achando-se desligado do. ter-
ceiro Batalbo d'Artilberia devia cobrar
seus vencimentos directamente da Thcsou-
raria.
Dito -- Ao Inspector da Thesouraria,
Antonio de .Mello Lcenla de lili denides, j
fin de que procedendo na forma d.i Lei hi-
ja de promove .1 arrecaduiju da inesraa quan-
lia individamente paga.
Portara Ao Thesoureiro da Fasenda pa-
ra passar lio (.0110 das Rendas i rovinciaes
da Provincia da I araib.i para o do Rendimen-
to de por cento de Armasenagem, e ex-
pediente addicionaes, applieado uirida ex-
terna a quanlia de 154729 reis que por of-
ficio do Inspector aquella Theouraria il
vcrsiS Re|)}jricoenN.
ALFAND5GA DAS FAZENDAS
A Paula be a mesma do numero -i 1
MEZA DO CONSULADO.
A Paula be a mesma do n. 7.
Em vrinde da ordena do Exm. Snr. Pre-
sidente da Provincia vai de novo prara pa-
ra ser arrematada obra da ponte Anjo
sobre o rio Serinhaera oreada em i;5 '.>, i<>
rs. Os licitantes poder comparecer muni-
dos de fiadores habilitados nos dias i5 17.
0 K de Fevereiro ao meio dia na Reparti ;io
das Obras l ubi cas aonde est o respe livo
orcamcnli), e condicoens todos os dias uteis
;s horas do expediente.
Inspeccao uas Obras Publicas Ji do lanei-
Ki de iH40,
Moros Ancora.
PREFEITRA,
paiite do ni\ 'i:.
lllm. e Exm, Snr.Forao presos honiom
minhaorden) e liverd boje destino : An-
tonio da Costa Guimaraes bramo pela pa-
Lrulha da olicia df l'ora de Ponas por
contraven o das Posturas da Cmara Muni-
cipal Jo/c Congo, pelo, pelo Prefeito dte
S. Aniao por iulgal-o escravo e fagido ;
Vlanoel Fragoso da Silva pardo J080 Ma-
noel, preto e Marimba de tal parda ts-
1 ura por di fferen tes soldados de Polica, <
1. por ser desertor d .Ma'rnha-, e os outro
i)or ebrios Joaquim, lambcra pardo escla-
vo de Joze Raimundo da Silva e (luilhermo
Minie. Hamburgus, pelo Suh-Prefcira i 1
Boa-vist este por desobediencia, e aquello
por injuria feita h um Ctdado honesto, sem
que para sso tosse provocado
F. o ipie consta das palles boje recebidas
u'csta Secretaria*
NOTICIAS ESTRA N'GEIRAS.
ORIENTE
Pars, 5 de outubro.-As noticias de Cons-


DIARIO
DE PERNAMBC
tantinopla e de Alexandra alcancloal ij de
outubro.
Em Constantnopla se succedioos incendios
om espantosa rapidez.
Na noile de 15 a 16 pegou fogo V huma
pasudaria e propagundo-se o incendio ,
queimrlo-s-e 4?o casas Meando sem abrig
i,5oo familias.
Journal de Smyrne refere que hum cor-
po cgypcio marchava sobre Mulada ; porm ,
parece (pie be falsa esta noticia nascida de hum
quivoco.
De Alexandria escrevem em da^a de 16 ,
que acabava de chegar do Cairo Mehemet Ali.
que os cnsules havio ido a palacio ; que ha-
via sido chamado para Inglaterra o cnsul bri-
tannteo Campbell e que a Franca bavia re-
metido Porta e a todas asl^ories hum ul-
timtum declarando que cstava resolvida a
susieniar todas as pertencoes de Mehemet Ali,
se este nao exigirmais do que o dominio heri-
dilario do Egypto Syria e Arabis e o go-
verno temporario de Candia e Adelina
( El Tiempo de 18 de novembro. )
HESPAM1A.
Por decreto de 3o de outubro S. M. acei-
tou a dimisso do general Alaixdos minisle-
rios da guerra e da marinha e nomeou para
os meimos cargos o general D. Francisco Nar-
vaez.
Na sesslo de 31 de outubro o congres-
so volou a seguinte proposico apresentada
tiesta mesma sesslo e assignada pelos Snrs.
Feh Roda Caballero e muilos cmlros
deputados ;
*' Os Hespanhoes nlo esto obrigados a
pagar contribu, oes, taxas neni outra especie
de impostos emprestimos nem anlicipaces ,
qie notenho sido votadas e autorisadas pe-
las cortes, na conformidade do artigo ;3da
constituido. Esta proposicao foi approvada
por 91 votos contra 3. A certeza que se tinha
de que nesta mesma sesso se de\ i lo prorogar
asertes, e, alem disso a suspeita de que
o gabinete tinha concebido o projecto de dis-
solv-los motivou como medida de precau-
clo para conjurar esse golpe a resoluco
de que cima fallamos destinada a conter o
ministerio pelo receio das consequencias
gravissimas que de tal passo resultnrilo para
a' paz publica visto nao ter sido anda vota-
da a lei do orcamento e expor-se consequen-
temente o governo a ver paralysada a sua ac-
<; lo pela recusa co do pagamento dos impos-
tos. .
Na mesma sesso de 3i o novo minis-
tro da puerra ( Narvaez) subi tribuna e
leo hum decreto de S. M. prologando as cor-
tes at o dia 20 de novembro, com o fim
( diz o decreto ) de completar o gabinete como
o exigem os importantes assumptos que inte-
rcsslo o estado "4 (Folhas bespanholas.)
ca felicidade que tem tido o general Valdez ,
desde que est a frente daquelle industrioso
paiz, j tarabem porque as sympathias trans-
pyreneas permittem que o conde de Hespanha
receba como reforco a mor parte dos facciosos
que entrarlo com D. Carlos em Franca.
[ dem.,]
Da roca 10 de novembro.
responderlo ao fogo dos carlistas. Quatro | Ihe fe* a Inglaterra para o pagamento doi
forodei vados morios na ra; e seis outros juros que Ihe esta devendo, attrahe amis
Aciba de chegar a esta o valente batalhao
do Porto, que no dia 6 em Bar-rachina deo
huma boj ligio a Lhangostera ainda que u
cusa do scu sangue pois bao chegado a es-
te hospital 18 feridos graven n'e ; e lambem
tvemos alguns prisioneiros supposto baja
tamban aqui 14 da canalha.
Ao amanhecer do dia 6, quatorze compa-
iihiube facciosos cscolhidos de indos os cor-
pos e seis de ca vallara sob o commando do
mesmo Llangosler circumvallaro o povo de
lian achina derrotarlo as primeiras guardas ,
se apoderarlo de algumas casas e da igreja em
que ettivo as munitjes e pozerlo-sea sac-
car das casas os sida lo do Porto ; e hum
fogo vivissimo teve lugar at que 3o valen-
les d"rao-se guaja e entre el les D.
Raphael Campillo c depois de carregare*
a bayoneta por tres ve/es as duas companhias
dos facciosos conseguirlo na terceira apo-
derar-se do edificio e rechassar os inimigos ,
reou|erando as raunices.
A autordade superior militar de Galicia
concedeo huma tregoa a todos os carlistas da-
quella provincia e parece que estes se en-
na hospedara. Algumas informaces ebe-
gro aqui hontem acerca das intences dos
cartistas. Os constables estverlo de vigilan-
cia toda a noite e os soldados em farmas,
jo pouro maisou menos, estacionarlo aqui
Varios carlistas forlo presos durante a noi-
te armados com faces e chuc >s. Todos ns
loiaseslivero fchalas, e o tommercio in-
terrompido.
--Extractamos o seguinte de urna caria pu-
plicada naseguud ed i cao do Times :
New por t, a una hora.
" Nove carlistas morrerlo na hospedarla
doWastgate, e muitos outros que eu mesmo
vi,, estavao mortamenie feudos. O re-
giment 5 fe-Ios fugir em todas ns direcces
Hum grande numero delles loi de Merthyr
para Brecon mas estou informado que exis-r
tem 400 soldados em Brecon de manera que
bao de ser allij muito mal recebidos.
(ShippingGazelle.)
Seria attencao.
O despresivel governo da Grecia tratou com
desalen. 5o as representaces da Inglaterra,*
sem que se sentisse o nosso governo d seme-
Ihanle ultraje. (Shippng Gazetle )
TURQUA E EGY. TO.
Londres 9 de novembro.
Copia da ola dirigida pelo ministro dos ne-
gocios eslrangeiros da Sublime Porla aos re-
presen'anles das cinco grandes potencias ,
em data dedoze de selembro de iti-j.
FRANCA.
Pars 3 deag;slo
A crise commcrciil.
A crise commerc.al continua a tomar gran-
Madrid la de novembro.
Conliniia o mesmo estado de incerteza rela-
tivamente ao desenlace da crise actual : nada
sesabedaorganisaclodo ministerio nem dos
projectos que ter o governo para o dia ao
( termo da prorogaclo das cortes ) que se vai
approximando demasiadamente. nica rou-
sa que se d como certa he que o Sr. Balboa ,
rommandante geral da Mancha vem a Ma-
drid com a maior parle das tropas daquella
provincia ; e alguns pretendem ver nesta me-
dida hum svmpioma da dissolucao das cortes.
(El Tiempo. )
Crise parlamentar-Parce que se approxima
em fimo termo da presente crise. Affirma-
se que o ministerio se completar dando-se
a effectividade da pasta da guerra ao Sr. Nar-
vaez, e nomeaudo-sc deas outros ministros
para o interior e marinha. Varios nomes slo
citados para estas pastas ; porem parece que
nada se propoz formalmente a S. M, a este
respeito. Outros sustentao que o Sr. Peres
de Castro sahir do conselho em razio de sua
avancada idade e^nfermidadesque o inhabi-
lito para o eficaz desempenho de seu car-
go, [".]
Noticias do Thcatro da Guerra.
Fraga 7 de novembro. dJ
Honlem rbeeo a esta cidade o gerreral Az-
pirozcomsuadivsao, cemposta dos provin-
riaes de Vailadolid e Jan dos regimentos
de S. Fernando, um esquadrlo do principe ,
huma companhia de sapadores c huma batera
de seis obuzes. Estas for. as, que esperao de
ftavarra outros dous balalhes marchao esla
manb para a Catalunha onde sao chamadas
com urgencia pois que impeoia-se por mo-
mentos a sitado do principado J' Pc,a P^-
tregar s nossas tropas debaixo de certas de extenclo particularmente entre as mus
condices sobre as quaes o governo foi con- pequeas classes los commerciantes : io3
sollado. bancarrotas tverlo lugar nesta prava, no de-
Todas as ultimas carias deAiago esto curso do me de oulubro. As dividas com-
quasi unnimes cm assegurar que conclulr-se- prehendidas nellas monlo a 6:000,000 fr. (L.
ha a guerra desta provincia como a de Na- a4.000 )
varra por meio de hum convenio. Oulros di- O duque de Brdeos,
zem que Cabrera trata de emigrar porque .
nao quer sugetar-se a tratado algum. O con- O duque de Brdeos chegou inesperada-
de duque trata com affinco de evitar a eflozio mente a Boma em to do mez passado ( oulu-
de sangue ; nossas tropas avanclo incessante- bro ). O prncipe ao que parece tinha em
mente; e vo est re lando cada vez roais os vio requerido a legal isaco do scu^passaporte
inimigos, que at este momento nao oppe ao nuncio em Vienna e foi obrigado a via-
resistencia. jr com ,u,m passaporte que Ihe fora dado pe-
A Sentnella dos Pyrencos. do dia 5 diz lo duque de Modena. (idein )
que diariamente sahem de Bayona para su
as casas numerosas caravanas de carlista 5 de novembro.
hespanhoes caneados da emigracSo. D. Carlos.
Cadix 18 de novembro. La Mode ( peridico legYuimista de Parz )
diz que segundo sua correspondencia de
Poucas slo as noticias do Araglo recebidas Bourges o prefeilo do Ch'er ordenou no dia
ltimamente. O general Espartero tem es- 3o, ao Snr. Ramrez de la Piscina ex-mi-
tadopor duas vezes exposlo a perecer, pois nistrotle D. Carlos que sahisse da cidade ao
que as immediaces de Alcoriza prepara- termo de 48 horas. (El Tiempo.)
rao-lhe os facciosos huma embuscada ; e no A Gazetle de Berry annuncia q' tres pes-
moraento de percorrer a lnha houvera cahi- soas que havio chegado a Pourges em
do se hum pastor nlo o avisasse do perigo, carro de posta ti verlo ordem de relirar-se
deque foi vctimaete infeliz pelo seu zelo immediatamente.
morrendos mo dos rebeldes. Tambem, A condessa Orloff e seu filho o conde
ao passar por urna das ras de Calanda, atir- Nicolao Orloff enviarlo ao editor da Mode
rlo-lhecom hum trabuco que felizmente nao huma somma de 5oo francos em beneficio dos
acertou. (dem.) I carlistas refugiados.
Uiz-se que o governo francez desejo-
Circular do Duque da Victoria. | so de desembaracar-se. de D. Carlos cuja re-
sidencia em Franca d lugar a fortes recla-
Os commandantes generaes gorernado maces dos gabinetes do norte-, resolveoen-
res e commandantes d armas de Araglo Va- viar hum commissario a e^le principe para
faze-lo desistir de suas prelences. O mes-
mo governo promctle ao gabinete hespanhol
que D. Carlos reconhecer a rainba Isabel
II, com tanto que se Ihe resliluao seus bens
e se Ihe assigne huma penso suHicente. A
diplomacia franceza tmida como de coslume,
nlo se atreve a proceder franca e alertamen-
te : conlenta-se em enviar hum simples com-
missario com huma carta do mareclial Soull
para Cabrera, e outra do general Harispe pa-
ra o duque da Victoria convidando-o e que
suspenda as hostilidades at que se saiba o re-
zultado deslas negociacoens. (dem.)
lenca e Murcia procederlo immediatamente
a expulsar sobre Morella e pontos immedia-
tos que oceupe a facelo todas as fami-
lias dos que servem ou se acharem as
fileiras rebeldes, comprehendo tambem esla
medida as familias dos que com o ttulo ('.*
realistas tiverem abandonado as povoaces ,
ou as abandonarem ao lempo de chegarem
a ellas as tropas dosexercitos da ranha. A-
lem desta expulsao se Ihes confiscar os bens
a beneficio dos gastos da guerra
Os commandantes generaes ajudadosdas
deputaces, velaro escrupulosamente no
pontual cumprimenlo desta ordem que ser
levada ao devido effeito sem reserva nem con-
templado ficando responsaveis os que falta-
ren! a sso.
Quarlel general de Alcorisa ao de outubro
de i83g. O duque da Victoria.
INGLATERRA.
Disturbios dos Carlistas em Newport.
Newport, 4 de novembro.
Sinto.annunciar que os carlistas arrejara-
se a esta cidade, esla manhl s 9 horas ;
enue armados com espingardas, chutos e
varias outras armas olensivas i/.erlo alio
diante da hospedagem Wastgale, c imme-
diatamenreatirarlo deslruindo todos as ja-
nellas, e ferindo diversos habitadores. Hivia
lli nesbe momento huns ao soldados, que
Na nota que n Sublime Porta teve a honra
de dirigir aos representantes das cinco poten-
cias em dala de 11 de agosto exprimia o
desojo de que visto lererr. estas altas poten-
cias tomado sobre si a solucao da queslao com
o Egvplo ellas (omaria em consideradlo os
roeiosde forcar Mehemet Ali ft vollar aos seus
deveres e delerminariao que o vite rei resli-
linssen frotta ottomana, iTimiuiasse suasex-
ageradas prelences e especasse pelas deci-
sesque lossem tormdas pelas ciaco potencias
medianeiras ; c saneconadas por S. A.
Desde enlao a Sublime Porta tem cons-
tantemente recehido provasdas favoraveis dos-
posices das cinco potencias para com c.|la e
esl prompta por conseguintea fazer juaiica s
suas bous intences nlo pudendo desconhecer
as ddualidades de toda a sorle que ellas tem
encontrado na real sacio de s-us generosos de-
signios Entretanto mais de hum mez tem
decorrido desde a remessa daquella nota e a
perfeita harmona que gracasa divina provi-
dencia reina entre as cinco potencias nlo se
manifestoU ainda por um so acto positivo ,
calculado para levar a effeito o seu proposito.
Asaltas potencias medianeiras slo assaz co-
ntiendas por sua sabedora ejustLa, para
nlo reconhecerem qitanto he desejave! para o
governo de S. A. o ver quanlo antes termina-
do hum estado de cousas que he pernicioso ao
imperio ottoman eque, fazendo nsseer di-
ariamente notos germens de perturbadlo e dis-
cordia ameaca a paz da Europa.
A exaltarlo do sultao Ahdul Medschid ;io
trono de seus antepassados foi assignalada por
hum grande acto de clemencia, visto que S.
A. garanti a Mehemet-Ali o perdi de seus
erros passados e ao mesmo lempo a successio
hereditaria de seus filhos no Kg y po. O pa-
cha pagou lana generosjJade com a mais ne-
gra ngratidao. He boje notorio que Mehe-
mel-Ali nlo s recusa restituir a frotla impe-
rial que Ihe foi entregue pela mais infame
traiclo mas ainda que procura promover n-
surreicoes em lodos os paiies que reconhecem a
autoridade do sulllo e que procede era geral
de hum modo hostil Sublime Porta-
S. A. perseverando em suas generosas in-
tences ainda prompto a garantir a Mehemet-
Ali a successao hereditaria de seus fiihcs no E-
gypto e bem assim o perillo de todos crimes
e desatinos por elle pralicados al o presente
dia. Nesles termos o governo de S. A. ser
sempre disposlo a consentir em hum arranjo
com o scu vassalro. O procedlmenlo futuro de
Mehemet-Ali, depois da couclusio de simi-
1) a rile arranjo far
ver se elle he digno de
ITALIA.
Roma 3 de oulubro.
Acabamos de ser informados de cortos pro-
menores concernenles s negociacSes enlabo-
ladas entre o governo porluguez e a curia ro-
mana, O governo pontificio exige phmeiro
qne tudo a rehabilitadlo dos bispos destarra-
dos. Huma vez aceitada esla condiclo as
negocioes ter hum feliz termo. O tyranno
D. Miguel nlo toma parle alguma nellas ,
e vive neste momento mui retirado ( sepulta-
do na abje'-cio e desprezo universal.)
novos favores que em lodo o caso nlo podem
ser senlo o resultado espontaneo da clemencia
soberana de S. A. Dirigindo esta ola a S.
Ex o embaixador de....., a sublime Pol-
la roga-lbe se sirva exprimir ao seu governo
a espermea que nutre de ver as altas potencias
medianeiras tomaem qu into antes as medidas
que na sua juslica julguem coineuienies paia
dar aos negocios do Egypto huma solu do si-
lisfaloiia. (Sun.)
(Do Despertador.;
Correspondencias
G b e c 1 a;.
Londrr-s 5 de novembro.A eommunica-
clo de Alhenas relativa recusadlo definitiva i
do enverno gregode curoprir a requis9lo que I tVlorria cerlamente de fome. Olhem l ,
V. o-
Srs. Redactores.
No officio do Presidente do Rio Grande in-
serto no Diario de hontem em qu; partecipa
ao ministerio mais urna victoria de nossas ar-
mas contra os rebeldes li com atlenco a-
quelle sublime pedacinho onde se diz ser o
Francez Serrasin grande fornecedor dos
rebeldes Puz os meus oculos verdes (pois te-
mi ser deleito dos meus oiiios, que sao um
tanto remelosos) e reli 5 e, adiando, que
me nao tinha engaado ajoelhei levantei as
maos para o Ceo, e exclamei : Luuvado
Deus Se nao tivessemos a santa Economa
politica que seria dos miseros rebeldes ?


i
DIARIO DE fEnNASiftCO
ineus c r s Redactores quanto vale a Econo-
ma Poltica de Franca applicada s Provin-
cias do Rrazil i
Eu sou
O Recifense.

Srs. Redactores.
Como baja quem mise afirmar qne existe
desintelligencia Mitra o Pirector do Tbcalro ,
e a Sociedade Pastoril, dignem-sc por obse-
quio inserir o nHicio sepilite que assaz me
deixou penhorado B piompto i fazer pela re-
ferida Sociedade o que estiver ao meo alcance
Sou assignante
F. F. zamboa,
A Commissao Administrativa da Socie-
dade Pastoril tendo na devida consideraeao
os obsequios que o Sr Francisco de Freilas
Gamboa se dignou prestar durante osdiverli-
mentos da mesma Sociedade j.i no inteiro
cumMmenlo de seu tracto, e j: com a sua
pessoal coadjuvarao tributa ao mesmo Sr.
Gamboa os seus sinceros agradecimenlos por
todos esses voluntarios semeos filbo do sen
genio presuntivo.
A Commissao reitera ao Sr. Francisco de
Freilas Gamboa os protestos da considera efo v
estima era que tcm a pesson de S. S. Salla da
Sociedade Pastoril em Sess* da Commissao
Adm. aos i1* de Janeiro de i^/Jo.
Querino Antonio do Espirito Santo Aniunes
Director.
Srs. Redactores.
Prometti ao respeitavel Publico por meio
do sen interessantc Diario denunciar dos au-
tores responsaveis pelos libellos la mozos pu-
blicados contra mim n'esta Cidade. Cumpri
a minba proft e M c da cerlido junta yero
Vros. que se acba pronunciados 03 individuos
instan!, l d'elk e obi gados a prizo e livra-
mento pelo crime de calumnia que eommet-
terao publicando os referidos impressos. O
Preleitodo Limoeiro Joo Mauricio acba-se
igualmente proeessado como seos Collejas
autores e responsaveis peles referidos luidlos ,
e como Depulado(>eral tem a pronuncia de ser
submrtlida a consideraeao da Cmara. II.'
verdade que por motivos olbcios ao meo alcan-
ce os pronunciados sem haverem ainda pres-
tado fiauca idnea exercem os lugares de
Sub-Prefeilos das differentes Freguezia3 do
Limoeiro com revoltante escndalo e ma-
nifest ollensa das leis peuacs do Imperio ;
mas este laclo em nada aljera a torpeza do seu
procedimento nem a responsabilidade de quem
tolera que assim se afronte a respeitavel de-
terminacao da Justica
Sirva-se Sr Redactores de publicar esta
Carimba com o que muito obrigar ao
Seo venerador e creado
Henrique Pereira de Lucena.
Daniel Gregorio da Silva Coulinbo Escri-
vo do Climc da primeire Vara da Comarca do
Recifede Pernambuco nelo I egente do Impe-
rio em Nome de Sua Magostado Impelale
Constitucional o Sr D Pedro Segundo que
Dos Guarde etc. Certifico que revendo os
Mimmarios a que se procedeo por este Juizo
por queixa do Supplicanle Henrique Pereira
de Lucena, del les consta eslarem pronuncia-
dos e olnigados a prisao e a livramento Miguel
Joaquim Velbo de Mello Luis riicotonio
15e?ena, Joo Francisco de Anuda e Mi-
guel I ornclbis de Tetve pelos crimes de ca-
lumnia. Certifico mais que ucnbiim dos di-
tos Supplicados prcslara at boje ianca id-
nea paia seliuarem sollos. O referido be
vcidadee.'ios ditos autos me reporto, C val
esta na verdade sem cousa que duvidafaca,
r por mim escripia e assignada nesta Cidade
c!o l'ecile de Pernambuco aos vinlc e cinco
di c do mes de Janeiro do anno do Nascimen
lo de Kosso t'aihr /SUS Cbrislo de mil oito-
cenlos e quarenla l'ecimo 'da Independencia e
do Impci o do brasil escrevi e assignei. Em
de verdade Daniel Gregorio da Silva Cou-
tinbo.
Snrs Redactores Grosseiramenle calum-
niado em a Correspondencia de Mu noel Cy-
priano Ferreira Rabel lo inserida em scu Dia-
rio de s* do corrento mez e certo de que
nem todos conbecem a sua e minhn pessoa pa-
ra poderem avaliar a immensa distancia, que
enlie elle e mim la nao posso entregar ao
despiezo que seropre merece um vil e in-
sultante calumniador, as lalsidades que sem
nejo algn omou inventar em desaino da
mnba honra al boje iel.smente ill.bada :
l'or.oso he pois que eu recorrenuu tua mes
maolba, laca ver ao Publico quanto he
calumniosa a Cor.esponde4.c1a desse infame
del. ador, que lao desapiadadamente se aba-
lancouaferir-meno mais roehmdroto que
pode ter bum borneo.
Em eonsequencia de urna ordem que re-
cebi do Sub-Prefeilo para fazer comparecer
sua presenca Manoel CypriannoFerreira Ra-
bello ,, dirigi-me ; sua casa na estrada de Jo-
ze Roberto a (im de intimar-lbe a mesma or-
dem e tendo entrado por ordem de sua A-
ma-ua a quem pedi licenca mandei por um
soldado de Polcia que fui em minl.a com-
panbia, eonduzir Suh-Prefcilura un clavi-
nole e boma pistola de Cavallaria que es-
tavo em cima de urna meza, por serem ar-
mas Narionbes e baverem queisasde que o
mesmo Rabello com ellas insultara e aniea-
cava a vizinhanca relirando-me logo sem
que rouza mais alguma bouvesse do que te-
ubo testemunbas que ebamei quando en-
morte. O cavallo pagou o tributo a nalureza.
Um Gascones veio dar ao Rci esta infausta no-
ticia ; Ah Senbor diz elle, vosso val-
lo .. esse bello cavallo .... o cavallo de
vossa magestade ... Ob Cao. Esse magai-
modos pira huma pequ ena familia, com qiin
tal e cacimba em qualquer das roas dos
Hairros, dSartto Antonio e Boa-vala, nao
sendo cmtudn as nas mais esqHesitas ; e
na falla daqucll bum andar coni igtiaes co-
l, Senbor. replica o Gascones, poiqui
'osles o prmeiro que deo a noticia.
(Traduzido.)
SOCIEDADE TIIFATRAL.
O Director do Tbeatro para facilitar a rcu-
niao dos Socios se lembrou de aproveit.r tro
trei em caza para que presonciassem o que ; camarotes que a lllustre Sociedade Pastoril Ihe
eu bia .1 fazer. Entretanto viudo j; de volta
na Solidadc appareceo o tal Rabello a ca-
vallo perguntando pelo Commissarki !" DlS-
Iriclo edizendo-lbe eu ser quem elle procu-
rava e apprescntando-lbe a ordem que li- |l Socios 5 a quarenla mil res preco mais
nlm, respondeo-me com insultos, chaman- mdico, e quasi igual ;i primeiri quantia 111-
do-me ladrao por Ibe baver fu.lado di su a dspensavel para a despeza dos Espectculos
carteira bum cont de reis e d/.endo que annunciados. Os Scnbores que pretenderwn ser
no obedeca ordem por nao conbecer por I socios se poder dirigir ao Sr. I.uiz Murei-
aulboridade pessoa alguma : : vista do que | ra de Mcndonca na ra do Rangel. O l)i-
dei-lbe voz de prizo por ordem de assim o rector lem a satisface";) de annuncinr queja
f.izer casse furtasse a hir presenca do '. tem oito meninas faltando apena* qualro ,
Sub-rref.Mto. Eispoi Snrs. Redactores s quaes offereee -oLIooo rs por cada urna que
fico cavallo. Aposto que elle morlo gri- mqmodos : quera o livor diria-se a ra No-
ta o re todo espantado. Vos seris en forra- va 1). iq.
t^r Desea-se ntlngar urna rasa frrea pa-
ra pequea familia, que tenba dona quartos,
ii no bairro de Santo Antonio, prefetindo-
if as ras por onde passem pnreices dando-
sedealuguer at il 000 reis, quem a,livor
piera annunciar a moradi 1 por esta !')!lia,faz-
bradode um andar ou primeiro andar de mi-
tro, que tenba mais do um quem o (ver
annuncic.
tsr Arrenda-se o sitio gran le do Olbo d'.i-c
goa no lugar da Salina o qtial tem muito
rvoredo de todas as qualidades grandes bai-
xaspara rapim e tem proporecku para nutrir
de/, ou doe vacca* pois o terreno pode entre-
ter oito a dez scnivos ; quem o pertender di-
ra-se a ruado Crespo I), onze lado dosul.
C5" Precisa-se arrendar um sitio, que te-
nlia bastantes arvoredos de Inicio v que sej
>erto da Praca e que Icnba pasto para quatro
vaccas de leile o Verlo e tendo haixa de ca-
piu melbor ser. : quem tiver annuAcie para
se tractar do ajuste.
H7- Do dia dois de Fevereiro em dianto
baver na Casa da Nev do beco do Tbeatro
almo, os de ptimo caf com leile cb e bi-
fes para quem gestar desolido da? oito horas
em diante
KP Vcndc-se um moleque d" nacao com
ceneo, feitos na frente da lerceira ordem, o>
quaes reunidos a sete camarotes do arco do
Tbeatro fes quaes sao por militas pessoas pre-
feridos aos de mais) prefa/em o total de sessen-
quiser entrar no Drama.
Avisos Diverso?.
0 laclo tal qual acontecen eque esse bomem ,
dando toda a desenvoltura ; sua lingua ferina,
totalmente drsigurou-me na sua insultante
e calumniosa Correspondencia asseverando,
que sua familia abandonara a caza refugi-
a'n Jo-sen fundo do sitio, quandoeu entrei;
e que acl/ou se roubado em oito ceios e vinle C3" Vendem-se Cautellas com a Lotera do idade de tinto anuos, proprio para o campo ,
e um mil reis dinbeiro que julgo nunca elle Theatro 5 no Irairro do Renle beco do porto j ou troca-se por urna negra que entenda de co-
nossuio. *'as ca,50as ,u -ra da Conceicio loja do zinba : na ra do hagundes D. dezoilo.
He assim, Srs. Redactores, qne bum lio- Sr. Vagalhacs- ra da Cadeia as, qne: ts^- O Sr. Antonio Alves da Fonceca Ju-
mem de buma conducta vergonhosa compb- foradoSr. Quaresma: dos Sis. Souza Ras- mor, que leve loja de mmdezas na Prara
lamente turbulento e desordeno a quem nem los, el'ourgar: atrs do Corpo Santo, do da Independencia quera d.rigir-se a ra da
huma injustica se faz iulgando-o compre- Sr. Dias Sonto: ao p do mesmo na de tras- Penba sebrado delronie do Sr. Cambo.m.
hendido nos ^ e 3 doart. 11 do Cdigo do tes. >o bairro de Santo Antonio ao sabir do t^- Precisa-se de um bom cozinlie.ro:
1 rocesso Criminal; bum bomem, contra quem arco, loja de miudezas : na ra do Queima- tratar na caza da Nev do beco do Tbeatro .
o SubPreleilo tem recebido repetidas queixas, co, na de ferragens do Sr. Reatos: ra do e ah ternura lindo palileir de prata para
at de Negociantes estrangeros, que sao seos Cabug. as dos Srs. Claudio .elojoe.ro, e vender.
visinhos: bum bomem que constantemente Randeira Jnior ; e na ra JNova na do Sr. sr O Sr. que annunciou no Diario de 5o
cosluma a insultar e ameacar huma viuva bo- Frcderico Chaves. do pasudo precisar de una ama para casa do
nesta e sobrecargada de familia, sua visi- *^ Precisa-sede um caxeiro para tomar pouca familia dtnja-se ao Mundo JNoi o casa
nha (que na sua correspondencia tem a ousadia conta de urna venda por balkoCO que tenba D. tre/e junio ao laropeo.
deanpelbdar meretriz) s porque nao pode de viute annos para cima eque tenba disso tST A casa de pasto e hotequim da ra dos
seduzrhuma sua filha he assim, que bum inlelligencia ; na Roavista na pattiria do Sr. Quarteis D. dezoito precisa de um creado.
iomem desse carcter se arroja a denegrir a Saraiva ao p da Matriz. que tenba principios de coznba quem estivef
reputaco de bum Empregado de Polica por => Quem precisar de uro rapaz liraz.Ie.ro nestas circunstancias d.rna-se a dita caza,
que em imprmenlo de seos deveres quer por para eusinar primeiras letras tora da Prata s~r Precisa-se alagar seis pretos que se-
um dique a seus devaneios Gusta com elleilo para o que se acha o annuncianle sulBciente- ja possantes 5 quem os tiver d-ma-se a ra
a bum bomem que tem senlimenlos, e cuja mente habilitado dirija-se a Cidade de Olin- Direita sobrado D. tres por cima da refinaco ,
conscencia tranquilla nao be mordida de re- da'na ladeira da Misericordia caza D. .3. ou annuncie.
morsos sofrer lo pesada afronta; mas em S3T Urna Senhora viu>a propoc-se abrir ET 1 roca-se urna caza terrea no pateo
fimaminhaeduccioeo respeito;. que devo Aula do 1. de Fevereiro em diante para ens- do Carmo por oul.a no mes.no ba.rro, e
Sociedade nao me permitiera outra vingan- nar meninas a 1er escrever e conUr e la- que nao soja em beco ; advert.ndo-se que
ca mais do nue a que a Lei me faculta e por zer lodas as qualidades de bordados e lavar...- tenba com.nodos su cenles para grande la-
isso eu
(lor pa
"ude&.fmdesd "ja" esse infame calumnia- tos, e fazer flores, por pre o commodo ; os milia eque seu aluguel nao exceda a doze
ara o Tribunal' competente onde pre- Srs. Paes de familia que qu.serem se util.sar m.l re.s
quem qui/.er dilo negocio derija-so
a vtTdade"/e desmasca- do seo prestimo dirijao-s a ra doNogueira ao mesmo pateo L>. 7
--------">.....|"" ~..~ ._ t^j- j'rancisco da Gosla Lardozo tendo de
por
c
miniosos.
Sou Sis, Redactores ,
ra bum impostor, que nao podendo vingar- sobrado D. de/, no primeiro andar que a-
sede mim por oul.a raneira, nao se enver- charlo com quem tratar. A mesma Senhora ret.rar-se a Cidade do I orto a tratar de sua
"onhou de recorrer a meios to baixos e igno- se propoem a vestir anjoa morios, e vivos saude ; laz scienlc a todas as pessoas que
^5,%!ft8nB tudo por preco commodo. con elle tenno contas liapo de comparecer
US" No dia 'ii do pissado dcsappareceo um em caza de sua v.-i.lemia : adverliud) que
molerao de nome Joao muito ladino, lem retirar-se segunda leira i do crlenle,
um lano as peinas arqueadas, e denles lima- SJT Troca-se urna casa terrea no bairro do
dos; cujo prelo foi do Sr Silva cerurgiao : os S. Antonio por commodo preco, por um so-
aiinrebeiuiedores levem-o a ra ila Moeila a brailo no niesmo bairro que sirva para ho-
Fi rmi no Jos Fellis da Rosa, que ser bein mera sol teiro; quem pretender este negocio
recompensados. queira annunciar.
___Precisa-se alagar um prelo canoeirOj cr Concertao-se ca xas de tartaruga e s-
diariamente ; na ra das Aguas-verdes n. tre- sos e aze.n-se chapas para marcar bolaxas ;
,- c vendem-se pentes de tartaruga por preco
___Rrecisa-se alugar urna escrava que commodo ; na na D.reita I) as.
5_j- Joo Baptisla Claudio Tresse avisa ao
Sen venerador e creado
Joo Tbcodoro dos anlos.
Variedade
FACECIAS.
Oualro cavalleiros de industria tenrlo jan-
lado larga em urna casa de pasto cbamara aa iba jaser todo oservico de urna casa;
Roa-vista ra de Santa Cruz D vinte e um
pelo creado para Ibes dizer quanto devia.
O primeiro fingi pue meltia a mao na algi- -----Cjuemquiser comprar a uosse de I.
beira ; mas o segundo o deteve e disse que renos para edificar na ra d Aurora o
elle quera pagar toda a importancia ; o ter- fronte Palacio velbo ou no fundo restes na
ceiro mostrou os mesmos desejos em fimo ra do Hospicio dinja-sc a Joao Mana seve
respeitavel Publico que elle contina exer-
sse de ter- cero scu cilicio de fabricante d'orgaos de T-
greja ; assim como concerta c faz reale-
jos p6e prcas novas nos mesmos, ele. ; to
um
-----Urna Senhora idosa se offe.cce para a-
rio atarmos os olbos a este rapaz, e aquello,
d'entre nos que for por elle agarrado pa- ma de caza de bomem solle.ro para co/er e
Par;i a despeza. Applaudio-se a lembrai.ca, cozinbar ; quem precisar dirija-se ao beco da
e poz-se logo em execucao ; mas, enlretanto Ordem terceira de S. Francisco delronie do
qco rapaz andar as palpadellas pela sala porlo do Hospital da mesma ordem, 11 um
- f .....' r- sobrad i nho D. duas.
ob quatro tafues desfilara p ante p e fo-
rao-se. Neste inlerim sobe o dono da casa ,
e o nosso jogador da cabra-cega corre a elle ,
Precisa-se de trezentns mil reis a juros de
dois por cento ao mez hypothecando-se urna
e o agarra gritando em alias rases : Em fim boa escrava ou um moleque ; quem quizer dar
sois vos quebaveisde pagar os escotes De
certO elle se nao en^anou pois o dono da asa
foi quem veio a pagar por todos.
Henrique IV linha um cavallo. em grande
estima e costumava de dizer que mandara
enforcar ao primeiro, que noticiasse a sua
annuncic.
S^r Aluga-seo 1. andar da roa Nova D.
decenove ; quem o pretender du ij-se au mes-
mo fallar com Joo Raplista Claudio Tres
se.
S2T" Precisa-se aiiugar bum aoufaQnbo
de bum audar, que tenba suflicientes com-
bem alia e concerta piannos, eaceerdeSen
na ra Nova D. i) lado do norte.
Zf D-se cento oilenta e cinco mil rs. a
dinbeiro, por a plices da exlincta Companliia
le Pernambuco e Paraiba : quem as tiver, e
quizer dispor dirija-se a loja do Snr. Fran-
cisco Joze Pereira Rraga no Arco de Sanio
Antonio D. a.
T^/" Arrenda-se o sitio do Francisco Ribei-
ro de l)i 1(0 11.1 estrada que vai para o Mangui-
nho com bom sobrado com muitos commo-
dos para grande lumilia boa coelieia para
mais de um carro e cavalbarice para seis ou
oito cavados, na loja do mesmo sobrado tein
.'ommodo para mais de cincoenla escravos. O
sitio tem diversas qualidades de fructas e
cuui muita abundancia ; tres cacimbas, cora
tanques para lavar roupa e entre ellas urna
com superior agoa de beber : quero o preten-
der di: i ja-sc ao Forle do Malta* ou ao sitio do
Caiueiro*
Sr,


A
DIARIO DE
PERNAMBC CO
rmsn
iwuihlz iwJ mjiUiKUtiJsn tm jiiib 'jungatr^i
S2F" Quem annunciou querrer trocar una
casa por um sobrado queren'de urna na rita
do Livramento com muito commodo e olba
para duas ras. dirija-se a mesona ra loja
le couro I). !\.
KSf* Una rasaz brasleiro de mulo bous
costo mes prop>e-sea ensinar primeiras letras,
erammalica portuguesa, e mesjno latina, fora
desta praca, anda mesmo para o scrto; ouem
precisar annuitcie'
t3f Quem quser mandar ensinar escravos
no otlitio de Varoineiro dando o mestre o
sustento drija-sc a ra da Guia a .5.
5U" Troca-s' una casa terrea na ra da
Alegra com excedentes commodos para grande
familia por outra no bairro de S Antonio,
quem conviereste negocio annuncie,
&_/' Aluga-seo andar da 5 casa do
ladodireilo da ra do Apollo no porlo dar, ca-
noas muito aiejda com suficientes com-
modos para familia cozinha fora e &c. quem
pretender dirija-se ao terceiro andar da mes-
ma propriedaile.
tSB" Precsa-sc de ,{oo coo a premio hypo-
tl.icando-se urna escrava e faz-se pagamen-
to mensaes de Jo,oo ; annuucie.
Bf" Quem precisar de um rapa? brasileiro
para caixeiro de qualquer ai rumaco, -de iila-
de de il anuos, e da fiadora sua conducta,
annuncie.
CJ" Troca-se |>or dinluiro urna Iir.ngem
da Conceico obra mnlo bem feila de pedia
construida em outro paiz com as pecas se-
guintes ; tem dous anjos dos lados nm of-
l'erecendo urna palma e o outro urna oroa [
a Senhora esl eni cima de urna pirmide por
baixotem >. Miguel esmagando o diabo de
roda tem o paraso com Ada.), e l'.\a lem
junto o desengao do mundo com metade do
esquelete da morle e outra metade figurando
urna mulber com o Cacao na mo do outro
lado a arvore da maca com a serpete enros-
cada tirando o frucio de outro lado tem S.
Miguel Arcanjo com urna espada na mo cor-
tando o diabo a Senhora tem urna coroa de
ouro fino na cabera ludo dentro de urna re-
doma de vidro em urna rica pianna ; a tra-
tar na ra de Mam.el coco D. i3 das b llo-
ras da manb as 8 c das 4 as 5 da tarde.
ts^" Precisa-se de urna mulber para ama
de casa para bomem solteiro que saiba coz-
nharodirio de urna casa ; em Oliiula ra de
S. Denlo junto ao \ gario.
CJ" Jos Fernandas Fradique de dade
de i5 anuos rlira-se desta provincia paia a
das AIa,Das
C7" Roga-se encarecidamente ao Sor. Dr.
.lu/ de Direilo Marteniano da Rocha Bas-
tos que por amor.a juslica e bem da huma-
nidade ten ha a bondade de despachar os autos
que Ihe sao conclusos por(|ue com o retar
dameuto do* ditos, muito sen tem as partes n-
terefsadas ; soflcndo mil prejuizos: espera-
se pois do Merilissimo Juiz sejtt benigno a es-
te pedido ganhando desl arle as hencoens
daquelles que por necessidade sao obrigados a
litigaren! feitos judiciarios para possuirem
aquillo que com o suor do sen rosto ganliaro.
i^r- Tliereza francisca da Conceico avi-
sa ao respcitavrl publico que ninguem laca
algum com Mana Viclorianna da
xos cordes trancelim ou aneis; r,a ma
do Cabug D. -j.
Vendas
-
de algibeira conteud
, &c, a confisso lo ma-
s^r Folbinhas
nlem do Kalendario
rujo e um l)iabo mire um Algardvio e
sua Mara ; a ?. o res ea la nma Ditas de
di. I i- 'lila, dita com o Almanak a trezenlos
e vinte ris : (lilas de porta divididas em
semestres, a seis vintens o auno; ditas lie-
clesiasticas a pataca ; na praca da Indepen-
dencia loja de livros n. 3- e 3?. na ra do
cabug loja do Sr Bandeira no bairro do
lenle defronle da Igreja da Madre de
Dos renda da quina do beco do a/.eite de
peixc ; defronle da Matriz da Boa vista
botica do Sr. Joaquim Jos Moreira ; e em
01 inda Botira da rui do Amparo.
snr'Camellas correspondentes a Lotera do
Tbeatro conlendo premios infaliveis a pre-
codequentos res cada urna ; nesla Typo-
g rafia
3" Um casal de escravos de '.'o annos ,
de bonitas figuras o preto be bom cozinheiro
e ranoeiro e a preta cose, engomma e co-
zinha duas pelas que fazcm todo o servico
de urna casa nma destas com um filbo de
mezes de dade he boa lavadeira, dous mo-
leques de io a i? annos ptimos para apren-
derem officio duas negrnlus de io a n
annos ja cozinbo bem e fazcm todo o Oais
servico de urna casa cial de capaleiro e ptimo para pagem; na
ra de agoas verdes casa terrea D. .07.
ET Cautcllas correspondentes a Lotera do
Tbeatro a 5oo rs. ; na ra larga do Rozario
loja de miude/.as I). 7.
HP No terreno doSr. Cardozo em S. A-
maro um sortin.ento de caibros e travs de
lodos os comprimentos ; a tratar nm Luiz
Jos Marques na ra do Rngel venda D. 4 1 ,
ou com Manoel Cardozo da Fonseca
3" Um escravo bastante ladino, bonita
figura de dade de ao annos, com principio
de maieineiro; na ra de llortas casa da qui-
X^M Um cavallo russo ainda novo mui-
to gordo com bous andares e com todos os
seus arreios ainda em bom uvo por proco
commodo; na ra da cadeia sobrado I). 11
^3" Chapeos de sarja selim e de palha
para senhora de muito bom gostj e oulras1 ps grossos por
muilas l'a/.endas ebegadas ltimamente de
franca por proco commodo ; na ra nova La-
do da 'vf.rt i/.'). ().
z^" Cabos .,i Russia de i .'.!' 5 pqfegads :
na ra da Cruz D. .i em casa de Hermano
iMehrlens.
Tviy Urna escrava de n^coangola de ida-
de jo anuos, faz todo o servico de urna casa ,
ou troca-se por um ne^ro de miior idade vi-
nbo tinto a caada a i^'oo e garrafa io, nma
poreo de copos de todos os tamanhos ffascos
branCos botijas razias cha ision superior
a i^" "as ;> ponan armazem deca I). >. \.
tssr Rapada Babia dito do VarejSo, dito
do Lima c!i; issen de primeira sorte dito
Imperial em c.ixinhas de duas Libras, tinta
deescrever em potes a 160 dita encarnada a
Vio, pautes de'tartaruga de travessa ditos
de massa ricas tesourinhas de unha, ingle-
zas, pentes de raarfim de tirar piorno, litas dar coaduz-Ia a casa do abauo aseigndo, que
des nariz fino beicos mcios grossos ten
urna milba mais prelado que a cor natural
no rosto do lado esquerdo, e no braco esiiuer-
do urnas letras de angola tem as cosas mui-
Ics lalinbos de navalha mos pequeas, e
mal feitos intitula-se
creoula levou vestido de riscado ja desbata-
do e panno da costa foi comprada a Ca-
m i lio de LeU 3 da fonseea piloto de urna das
embarcaces de Joaquim Ribeiro de Hrito ;
quem a pegar leve a ra da Gloria caza de um
andar de grade di: ferro defronle do convento
a fallar com O Tenente Coronel T.Ce/.ar Bur-
lamaque que gratificar com 5j,ooo
SST O abaixo assignado raga a os Srs. Sub-
Prefeto, e mais duthoiidides policiaca t
cpites de campo 011 m'eslres de canoas e
embarcacoens que sonba/em ou tiverem no-
ticia de una negrinha de angola de nome Iza-
bel de idade de ti anuos, meia secca do
corpo cabeca um tanto chata e a earneira-
"da com oliiar debaixo para cima peinas
muito finas com um dedo de menos no p
esquerdo junto do runde, levou vestido de
chilla a rouxiada de aprehende la e man-
de garca de todas as larguras 8 qualida-
des bicos delinho de todas as larguras, ri-
cos adere os de filagra pretos brincos e ro-
z.etasdila. escovas de dentes finas ditas or-
promele graliiicar. Manoel de JessPrafitlas.
S2?" Roga-sea qualquer pessoa que encon-
trar urna escrava creoula de nome Patricia .
p p. de idide de i o
fgida nodia
15 (i
diaras, burzeguins franceses para senhora j"'uos estatura ordinaria ebeia do corpo,
e galochas ditas para bomem, sinteiros de .)ra?os firossos e um delles tem 3 mareas de
courode lustro com fivella fitas para sintei-i eri(Ja teudo urna anda aberla, as mesmas
rod meninos, cautellas da Lotera do Tbea- ma,cas tem ius pernas, e algumas laxas nos
tro que correa 17 de Fevereiro a 5oo res, Pes prineipalmente nos careanhares proveni-
e bichas prelas ; na praca da Independencia entes de bobas cara larga denles da frente
n ,0. I '"nados fulla muito descansada orelhas
iW Meias de laia pretas para senhora a 6o abanadas cor bastante fulla levou vestido
o par ditas para Padre a 800 rs. de seda eomprdas a thto e curtas 1700, navalhas da costa azul, tem os petos grandes*-, de ap-
finas e ordinarias para barba linha de carri- prelende-la e leva-la a ra de Hortas sobra-
lel de todas as cores a \ \o a du/ia e em 1- 'J0 de um a,(iar que ser recompensa-
bra 1 So, botoens pretos de retroz para casaca o ^ oulWsim roga-sea qualquer pessoa que
para dclirum de chapeo
a 1000 a peca, bicos de lnbo de todas as lar
tl3" Quinta feira 16 do p. p fugio o
na do primeiro beco a direta quem vai" do guras qu boje mais se procura, eoulros mui- escravo Antonio cabund, alto, rosto redondo
Carmo. | tos objeclos por preca commodo, na ra do pouca barba tem signaes de hechigas ida-
s^- Urna armacao de venda eom seus uten-i Cabug D. J loja de Francisco Joaquim D11- de de mais de Jo annos ja faz algumas ru-
cilos na povoacao dos affogados na ra di- arte. 6* toma tabaco levou vestido calcas e ca-
reitadadita, a casa tem bons commodos pa-1 tsr Botns de Lisboa e francezes sapa- m'isa de brim branco roga-se a todas as au-
ra familia a dinbeiro ou a praso ; a tratar los de urna e duas solas meios botns, ditos tboridadese capiles de campo, e qualquer
na mesina I). 12. borzeguins de lustro com of cito do p de brim Pe8'oa 1 (lue o prendao, ou roandera prender,
tST Bichas grandes e pequeas por preco e de duraque preto sapatos de couro de lus- ndequer que for visto ou encontrado, eo
commodo e todos os mais gneros de venda ; tro para bomem e senhora ditos de duraque, conduzo, ou faco conduzir seguro a casa do
na ra do Livrament venda do ardial. selim e marroquim de todas as cores cbi- seu '1*-' ,10 Hecife ra dos Quarteis n. 7 pri-
JlCgOCIO
Conceico sobre urna escrava de nome Fran-
cisca, por isso que pende em Juizo urna causa
1 dativamente a dita escrava ud\ei lindo que
eale |a be segundo annuncio.
sny* Precisa-sede um leitorque saja orle-
lao ; quem (sliver ncslas circunstancias an-
uuooie
K3f Alga-sea loja da rua.cstrafta do Ro-
sario I). 1.) i.mi suiicientcs,commodos para
qui
l(i uer
eslabaleciment de la/.endas 011
inolbiiiuii quem pretender dirija-se a rua do
Livramento Ipja l>. 34.
tiJ' Thoiuaz Talbol Inglez faz scienle
ao publico que se retira desta uidade para Li-
verpool.
tST" Um cavalloalazao de muito boa figu-
ra e ptimo para um carro ; na rua do Hos-
picio casa que morou o llover.
SST- Piannos fortes e um forte pianito do
grande antbor John Hroadwood Si Sons viu-
dos ltimamente de Londres; na rua da ca-
deia do lecife n 6i,
C3- Cautellas da Lotera do Theatro a 5oo
res-, na ruada Culea do Recife lojasdos Srs.
Seve e Francisco da Silva.
L5" Urna meia ,gua na rua de S Thereza;
a tratar na rua de agoas verdes venda n. '.
"^Sp- Tancredo tragedia d Vottaire tra-
duzido pelo Dr Onorico, verso por verso,
com o texto francez ao lado obra muito til
a os alumnos da lingoa lianceza pelo preco
de 3000 ; na praca da Independencia loja de
livros n 37 e :8. ^
W" A possede reno com 1:55 de fundo, metade do qual
est por aterrar tem pelo lado do norte ia5
palmos de alcer.e parte da frente na rua
nova de lora de portas 5 a tratar na rua dos
cr Aluga-se urna lo'a com dous quartos I Unoeiros nica leuda do dito ollicio que ali se
'.......- -'- '' -- -..-.... acha. '
c duas sallas im rua da Glora no sobrado
em que mora o lenle C. T. C. burlama-
que.
L e J o
jay Que fazem ^'c. Calmnnl & Companhia
por nterenco do Corretor Oliveira de um
completo sorlimento de fazendas ingie/.as lim-
pas e algumas avariadas quarla leira 5 do
correnle as dez lioras da manh no scu
armazem na rua da cadeia.
C o ni p r ii s
SSy Ponelle Lgica, e Melbafisca ( .
tando em bom estado ; na rua do Rozario D.
y botica de Barlholomeo & Ramos.
CT Um cav-allo pe(|ueno ptimo passei-
ro mnilo forte e sem achaques proprio
para senhora por ser muito manco ; na nra-
cinba do Livramento l). -i.
S^j" Polassa da Russia mui serca e bem
acondecienada pjr por preco commodo ; na
rua da cadeia n. 6 j.
O" Um nioleca de ididede i5 annos de
bonita figura propria para mubanda engom-
ma e rose muito bem dous moieques de ida-
de de 1 J a A annos 1 e nma escravn moca ,
engomma, cozinha ecosc; na rua de agoas
verdes D.J8. v
^" Cautelas da Lotera do Tbeatro; na
rua do Cabug loja de nnudezas do lado di-
reilo passando a loja da quina na immediata.
da Independencia loja de Jos Antonio da Sil- levou vest|do calcas de casemira alvadia ja-
va n. -., o e i\ 1 queta de panno azul fino c chapeo de seda
SU" Urna escrava de naci, bonita figura. l>rcta Ja uzada^e ha de mudar de trajo
de idade de 2 annos engoma bem lizo coze Para calcas de brim branco trancado e j-
chao cozinha o diario de urna casa lava 1ueta *^e '"etm branco quando fugio rou-
lanlo de varrella. como de sabao e afianca- uou J 000 em sedulas dous patacoens um
se ao ce m; rador nao ter acbaqu s : na rua Di- corte Calcas de panno fino pardo, dlle-
reila ->o passando a venda do fallecido Jos ren,es corles de coletsde fustoens alcoxoados
daPenha. braueos e pintados e um de viludo rouxo :
V-T BIbeles da Lotera do Tbeatro: na 'Iucra pegar leve a rua de S Gonsalo D. 11
rua 1 ireita venda que foi de Jos da IVnha ; *seuSr Marcelino Jos Lopes que gralifi-
assim corno cautelas correspondentes aos mes- cara
mos.' i XST No da 29 do me/, correnle fugio um
BT Urna caixa de msica, com duas pe- molecole de nome Joaquim ainda um tanto
cas muito bonitas ; na ruado Cabug Lieci- 'UI u'' lerou vestido calcas de cazeroira par-
ma 3 jda, camisa de madapoUo com um remend
.Superiores cbarutulos da Cicbneira "as cosas he alto secCo do corpo a pona
ebegados ultimen!* no Patacho Dois Amigos, do nariz chalo no cachaco tem urnas sicalr-
dilos pequeos chamados de senhora, (jilos ^s de sarnas ja bem seccas levou um bala-
de Hamburgo e ditos de Llavaua era ca- 'nho na mo ; quem o pegar leve a rua do se-
\as de 00, por 18 e v5,ooo e caixas peque- ')0a D. Ignacia Jacome Hezerra que pagar lo-
nas de ^5o a nove mil rs. ea relalho a /jo das as des pesas e recompensara generosa-
.e to rs. e os mais como ja he sabido : na rua mente, e protesta conlra toda e qualquer pes-
do Cabug loja do Sr. Bandeira.
tjr- Cautellas da Lotera do Tbeatro a
quientos ris 5 na praca da Independencia 16-
a de encadernador n u6.
lscttivos Fueidos
tZT Roga-se as aulboridades policiaes e ca-
l'ilaes de campo pprehencao de urn escravo
de nome Pedro Lauque oficial desapalero ,
alio, secco rosto comprido, anda por esla
Cidade e pela de Olinda inculcando-sede for-
ro ; quemo pegar leve a Manoel Jos Gon-
salvea Braga junio ao arco de S. Antonio ou
a sen Sr. Caelano Francseo de Barros Wan-
derley no engenlio rachoeira de Serinbaem .
que recbela 5o,ooo de gratificacloi
Nodia 15 dcOutubro d'c
tZT 5o oilevas de ouro sendo em cruciffi- I no oito do Livramento D. 24.
- Nodia i5 dcOutubro de :3i(J fugio
*v* urna armacaode loja propria para m-I urna escrava de nome Anna ladina de lia-
ra re-
udezas ou couro na rua Direta j a tratar cao angola de bonita figura estafa
guiar, cor preta, rosto puchado, cilios gran-
soa que o liver oceulto em sua casa.
Movimenro do Pitvut
NAVIOS ENTRADOS NO DA 3i Du P.
LIVERPOOL { lidias, Barca Inglesa Pa-
Kenham de 274 tonel. Capilo William ,
equip. ij carg fazendai aiMc. Calmout
& Comgnnhie.
LIUCQUE ; ii dias iriguc Ilainburguez
Carlos de io tonal., Cipilao John Tauipa,
equip. i carga [varios gneros; a Ra-
mos eCm;>'!!i:!.
O BSEB VACLAS
Rntrou para o mosqeiro o ;:;g;;c SardOj T<
eslava no lameilo.
iTec ea typTde m7j77de"i\-isfo


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8QXYELP5_VZE7HR INGEST_TIME 2013-03-29T16:13:36Z PACKAGE AA00011611_04006
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES