Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03999


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1840. Sexta Feira
Tudo aeora depende de nos mesmos; da nos prudencia, modera-
cSo, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontado
com adroiraco entre as Naces mas cultas.
Proclamadlo da Asstmblta Geral do Braiil.
-O-^O-
Subscreve-se para esta folha a Ojooo por qunrtel pagos adiantarlos
TM'Sia Typografia, rUa das Cruzes D. 5, enaPracada Independencia
ns. 37 e 38, onde se recebem correspondencias legasadag, eannuuoos,
insirindo-se estes gratis, sendo dos proprios assignantes, evindosassig-
gnados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Paialul'a e Villas de sua preteocSo
24 de Janeiro. Nlmero 19.
CAMBIOS.
JiNFlBO. ?3.
Londres..... lii t\i i ""th (ior tfooa crl.
Lisboa....... So por o/o premio, por naeaiouerecidoi
Franca....... lij reis por franco.
hio de Janeiro'>o par.
OIJHO noclas lo 6#ioo rs Velhas i48oo a fjfv.0
, Dilas ,, ,, Novas i4/ffioo i lgc;
Ditas de 4ooo rs., ^ooo a
TU ATA Pataces firazileiro*....... 1 ^'>4<> a
,, Pezos Columnarios------------------ i'"><>
,, Ditos .Mexicanos ---------- i/5io a
Premios das Letras, por rrez lfcj8 a 1 x\t j.or loo
Moco;, de <.obie 3 a 4 por i<>o. 'le disc.
15 'o

So...................\
m...................>Sem
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem...................[-Segundas c Sextas Feiras.
Dita da Fortaleza e Villas dem.'.........................\
Villa tie Goiauna..................................'
Cidade de Olinda..................................Todos os das.
Villa deS. Anlo....../*:...................'' r?""?? "'""'a j
Dita deGaranbuns e Povoacao do Bonito....................Uias lo, e 24 decapa mez.
Ditas do Cabo, Serinhaeni, Rio Formozo, e Porto Calvo............dem 1. 11, e 21 dito dito.
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores.................................We> O d'lo dito.
Todos os Crrelas partemao meio da.
Das da Semana.
20 Segunda S. Sebaitio M...........SessSo da Tlie. e aud. rio !. de D. da >. |
" lerra.....'s- 'u'i-ez V. M.------.......Helkcio e aud. .lo J. de D. iia 1. v. man.
M Quaria-------S. Vicente M............SetsS liaiThczouraria,
Quinta-------Os Desposorios de N. S......lela' "o e Au.J. do I. .le D. da a
24 Sexta---------. S. da Pal...........Se, da Xhez. e and. 53 Sabbado-----Convcrso de S. Paulo.---------Re. c lud. d.> J. de D. da
20 Domingo S. Policarpo II. M. -------------
Mart dieta para s da 2 4 de Janeiro.
As S horas e 30 minutos d tarde As 8 horas e O minutos .la man!;:.
d
J V.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 17 do corrente.
Officio Ao Prefeito da Comarca do Re-
cife re*pondrndo-lhc que a Presidencia tem
solicitado do Exm. Viee Presidente da Parai-
ba a remessa das Guias dos 19 Sentenciados
que forao mandados para a Illia de Fernando
a fim de cumprirem ali as suas sentencas.
Dito Ao Commandante Superior da
Guarda Nacional do Recife para ordenar
que se aprfsentem ao Commandante Geral
do Corpo de Polica dous Capiteas da mes-
ma G. N. a fim de servirem de Vogaes nos
Conselhos a que tem de responder algumas
Pracas do dito Corp
tal, aos doentes da Companhia le operarios
Engajados no mez de Setembro do anno pas-
sado, a vista da conla que inclusa se ihe re-
mete
DitoA Aministraco dos Eslabelleci-
mentosde Caridade communicando-lheo con-
teudo no precedente officio.
Dito A Cmara .Municipal da Boa -vista
communicando-lhe que nao tendo acompa-
nbado o Balanco da Receita e despesa do an-
anno findo que remelterao com o seu officio
de 1 a de Outubro ultimo os documentos
que legaliso as mesmas despesas como be
expressivo no artigo 4* da Resoluco de 3\
danle da Escuna tiunrarapes Hermenegildo i noticia do 4
Anlonio Barbosa de Almeida conteudo os eratasade
artigos constantes do conbecimento mesma
Portara junto.
Di versas Reparticoens.
TRIBUNAL DA RELLACAO.
Ses^o do dia ti de Janeiro.
Na Appellaco Civcl do Juizo de Direito
de Outubro de i83t, eo recortienda o artigo \ desta Comarca Appellante I). iMaiia Roza
3o da le Provincial numer 79 ; Ibe ordena da Assuinpao e Appellados Joaquitn Anto-
a Presidencia que remella quanto antes os nio da Silveira e outros Escrivao Bandei-
dilos documentos, e significa-llic para seo.ra; lora julgada a de/istencia por sen tenca,
conbecimento, que a falta delles nos subse-1 Na Appellato Civel do Juizo de Direito ,
Dito Ao Commandante Geral do Corpo Iquentes annos quando por ventura tenha da Comarca de Macei Appellante o Juiz ,
de Polica, communicando-lbe o conteudo no lugar, ser bastante para que a mesma Pre- o Appcllado Joaquim Lopes da Silva Escri-
sidencia considere a Cmara incursa na vio Bandeira se julgou pela reforma da sen-
pena pecuniaria imposta pelo sobredito artigo lenca appellada e condemnado o Appellado
o. 1 as costas.
Igual officio foi dirigido a Cmara Muni-| Na Appellaco Civel do Juizo de Direito
desta Cidade Appellante Joo Ferreir dos
Santos, e Appellado Joo Zurrik Snior,
dijtrictq do Recife por desordm
una nitilber; Manocl Joaqtiiin
Lopes branco por um soldado di- Policia
por minlia ordem para una averiguaco ; e
Francisco Antonio preto por dous Solda-
dos do Coi po Policial ; pedido de Luif Ce-
sat io do Rcgo por tor dado com o cavallo ,
cin que vinha montlo um encontro no lu-
gar dos qiialro cantos da 1 na do Collcgio em o
[iielo Miguel escravo de Francisco Joze do
lie;;.) qur liiacarregando urna ttave a|ual.
eabindo sobre o dito escravo o matou imine-
dialamente.
. E' oqueoonsta das partes boje recebidas
n'csta Se precedente officio.
Dito Ao Inspector da Alfandega, sig-
nificando-Ule, que tendo a Presidencia pro-
posto ao Exm. ministro da Fazenda a cons-
truccao 011 compra de duas Barcas para subs- cipal de Jguarqss
tituirem ao Patacho Conceicao, e ao Cter
Esperanca de Reberibe assim como o con-
cert deque necessito as tres embarcaces,
que existem para o servico d'Alfandega, foi
acceila a dita proposta a excepcao da compra
de novas Embarcaces porque o Exm Mi-
nistro da Marinba espera em bieve despensar
BISPADO DE PERNAMBCCO,
Escrivao Bandeira ; se julgou pela confirma-
cao da senlema appellada.
Quantia destribuida no anno de 183g pelos Na Appellaco Civel do Juizo de Direito
pobres das tres Freguesias do Recife da S j da Comarca do Sobral, Appellante a preta
e S. Pedro Mrtir, pelos Recolbimentos de O- Jacinta e lilbos e Appellado Vicente Fer-
linda [giiarassu' Boa-vista, e Goinna, pe- reir Santiago e outros Escrivao Cbaves ;
para esse fim algumas das que se acho no lo Seminario, para a grande obra da Matris foi julgada pela reforma da sentenca appel-

1
BioGrande, Santa Catharina ou Mara-
nbo avista do que cumpre que laca re-
colber succossivamenle ao Arsenal de Mari-
nba para serem concertadas as referidas tres
Embarcaces principiando pela que estiver
mais arruinada.
Lito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinba ordenando-lhc que mande fzercom
a brevidade possivcl os conserlos que preci-
so as trez Embarcaces que existem no ser-
>ico da Alfandega, as quaes Ibes sero remet-
tidas pelo respectivo Inspcclor.
Dito Ao Inspector da Thesouraria da
Fazenda, communicando-lhe o conteudo no
precedente officio.
Uilo Ao Inspector Geral das obras Pu-
blicas para mandar entregar as chaves do
segundo andar da Caza da Cadeia desta ci-
dade Cmara Municipal que as reque-
tila.
DitoA Cmara Municipal do Recife ,
communicando-lhe a expedico da ordem su-
pra.
Dito A (amara Municipal de Ignaras-
6u', approvando a arremataco da terceira Ca-
za da ra dos Prazeres da villa dos Sitios
do Rei e do Mondego, e do contracto da3 af-
filaces.
dem do dia 18.
Officio Ao Inspector da Thesouraria
Provincial, para mandar pagar a quanlia de
J96L4oo reU importancia das despesas fei-
tas pelo Prefeito da Comarca da Boa-vista
desde 8 de Fevereiro do anno passado at 3o
de Novembro lo mesmo anno com a suslen-
taco dos presos pobres de Juslica d'aquella
Comarca.
Dito Ao Prefeiio da Comarca da Boa-
vista communicando-lbe a expedico da or-
Dito Ao Administrador Fiscal das O-
bras iubJicas, para satisfazer ao Grande Hos-
pital a quantiade aiU682 rs importancia dos
da villa deSotiza, e no lempo da visita na lada.
Provincia do Cear em dispensas matrimo- '
neaes concedidas gratuitamente no culto di-
vino nesta Capital, e fora della Rs.......j
i3;45U64o.
Totalidadeda quantia que S. Ex Rm. des-
pendeu na forma cima declarada desde ou-
tubro de 1S34 at i de Desembro de i8Jq, i
como consta dos recibos Rs ho;37Uo55
Palacio da Soledade a3 de Janeiro de.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A Pauta be a mesma do numero afS
LITTERATRA.
SomurvHle.
Poticosso os Poetas Inglezes de cuja vida
nos ficaram tao eyassis nolicias como de
Wiliam Somurville e com todo a sui no-
meada foi grande nos lempos em que lores-
ceo.
Saltemos que ti poca do seu nasci ment
foi o auno de 1 tj j-' que a sua familia era
muilo anligu conscrvatido anda o appelido
dos seus antepassados Normandos.
Este Poeta dotado de um animo liberal e
patritico alistou-se as bandeias dos
whigs poieni eiitrou pouco na vida poltica,
contentando-se*de jiassar seus dias us trras
queherdara de seus avs no fundo de tima
condado. _____________________________
18^0.
Antonio Teixeira
Mordomo de S. Ex. Rm.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do n, 7.
CORREIO.
THEZORARIA DA FAZENDA.
Expediente do dia 20 do correte.
C) Brigue Urbano recebe a mala para
Maranbo boje 2.4 as 11 horas da manhaa.
OlUm. Snr. Inspector do Arsenal d Ma-
rinlia manda novamente fa/er publico que
1 ho dia 27 do corrente se vender em hasta
Portaria AoCuIlector de Diversas Ren- publica pelas lo horas da nianh huma por-
das do Municipio de Flores, remettendo-lheo cao de cabo velbo de linho : convida-se por
titulo passado Cesario Aiiricio Pinto Bandei- lano as pessas aquem a compra possa convir
ra para o lugar de Escrivao da mesma Collec- i a que compareco no indicado dia compelen-
loria a fim de que conferindo-lhe a posse temenle habelitadas.
e o juramento do estillo o faca entrar no ex- j Inspecco do Arsenal de Marinha de Per-
erciciodo referido Em prego.
Dia 11.
Ufficio Ao Inspector da Thesouraria de
Fazendada Provincia da Parabiba parlecipan-
do-lbe a entrega leita pelo primeiro Tenente
Hermenegildo Anlonio Barbosa d'Almeida ,
Commandante do Brigue Escuna de Guerra -
Gtaraps dos dous Caixoles aecusado no
seu officio de dezesete do corrente.
Dito Ao Director do Arsenal de Guerra
para mandar efleituar pelo mesmo Arsenal o
pagamento da quantia de noventa mil reis a
Anlonio Garca de Miranda Meslre do Pata-
cho Francelina do frete de vinte caixes com
armamento, que a bordo do dito Patacho
conduzio do Arsenal de Guerra du Corte.
Portara Mandando carregar em deposi-
to ao Thezoureiro da f asenda os dos Caixo-
tes remettidos pela Thesouraria da Provincia
'eneros/oruenrlos polo mesoio Grande Hoapi- dj Paralaba pelo primeiro Tenente Coraroan- Silva Gondini, branco, pelo Commissario de
nambuco si de Janeiro de iK.{o.
O Escrivao.
Luiz de Franca e Mello.
PREFEITURA.
PARTE OO DIA 3.3.
Illro. e Exm. Snr.Foro prezos hontem ;
minha ordem, e livero boje destino : Manoel
'arneiro Monteiro Felippe de Santiago e
Izabel pretos esta escrava de Clara Cor-
rea Gomes eJohnL. Grilli Americano,
manijo 4 pelo Sub- Prefeito da Freguezia de
Santo Antonio o '.por ser desobediente i
Ma mi e ne pcssima conduca Ol, e 3.
por briga saindo esla ferida e o ultimo
requisicodo respectivo Cap i Lio por embri-
aguez e desordem ; Antonio Francisco da
Somurville reunia o mrito de um exee!-
lenle Juizde Paz ;s qtialdades de um caca- .
dor da primeira forca ; muilo de suppor
que a paixo desenlreada que tinha por este
diverlmento de parvos Ihe fisesse negligen-
ciar os negocios de inleresse porque Somur-
ville, sen cmhargo da opulencia deque
gozava se vio muitas vetes ebegado a raras
da miseria. Nao sabemos porque fado mao
os Poetas que geralmente fallando sao ap-
tos para tudo somente o nao sao para des-
pender o seu dinheirocoin economa, e gran-
gear a sua fasenda de modo que nao va dar
vaza barris. Tanlo certo que os homens de
urna imaginadlo viva e exaltada nao podetn
acomodar-se com os delalbes minuciosos do
regulamento domsticos.
Somurville falesceo anda moco no anno de
1 ?44' deixando varias obras que Ibe grangea-
ram beni merecida reputaco e viva sauda-,.
de aos suus'amigos que todos o respeitavam.
como bomem de bem cidado probo, e de-
cidido patriota.
Entre as suas obras acha-se urna epstola c-
logiando a famosa balalba de Blembun. Es-
te assumplo era de etiqueta e como de 0-
brigaco para lodos os poetas conjeporaucos :
quanto nos esla epstola de Somurville nos
parece nimio inferior de Adisson sobre o
mesmo objeclo.
Entre todas as composces aquellas que
mais tem merecido a allenco da prospeiida-
de Caca. Poema em quatro cantos de ex-
cessiva estencoescripto em verso sollo. Es-
te Poema cam poucas excessoes o mclboi
poema do genero duscriptivo que haveinos
deparado na Honga serie de Poetas Ingle-
zes.
Fstaobra um ptimo modeilo de versi-
ficaco nao rimada e So.nurvilc maneja esla
lingoa Potica cora tanta perfeico como Tera-a^^
pson. ^^



i UP 1-1 "i
DIARIO
P E R N ALBUCO
I) E
*
Nao duvidamos deque os seus cantos s
Jo'sira se1 perfe lamente apreciados pelos a-
n adores do praser que se celebra, eem cu-
jo numero nao enlramos nos ; mas lodo e
qualqiier l eitor pode, e dcve sentir a beleza
dos seos periodos a riqueza ,c brilliantismo
das suas imagens, e adevocao, e (oreas de
muitos dos seus quadros.
Pelo que perlence a Poesa ; trou elle o
maior partido possivel doseu assumplo as-
sim descreyendo no canto I, a influencia da
manli que he o tempo em que o Cacador
corre aos Campos, celebra Somurville a be-
leza da Luz em um quadro etn que se nota
f suvbella exclamaco digna do grande Mil-
ton, ecujo ultimo verso notavel por sua
formosura.
Fountain ofligth ichance
Some emious clond veil thy rofulgent brow,
ln vain the elbasses ad ; nutoucheo. unslrug
Lies my mute harp, aiidthy dispondesig baril
Sits darkly musing v er th'uifinished lay.
Fontede claridade, se invejosa
Nuvem leu rosto fulgido turveja ,
Em vo accodem Musas nao tocada
Jaz minha lira Jiiw|a, e.te#ue'tji
Senti-se medi^njloem seus5jautare
Que terminar nao pode ?
A discripco da caca da Lebre no canto II
he um quadro perfeito, cheio de calor e
de imagens brilhantes assim no Canto HI o
}'oeta compara os Cacadores anojando-se
plan ice preciplando-se nos barrancos e
repando logo ao alto dos Montes a um bai-
jcel |ogado pelas ondas que ora se submerge
em sua profundidade, ora fica suspendido
sobre a crista dos exarcos.
A cacada dos lees na ndia tambem for-
neep ao oeta descripcoes, e quadros giandio
os. Finalmente paira nada otniltir Somur-
ville nosd: no IV Canto como Virgilio a des-
crilo das iidermidadei dos caes, entre os
quaes colocou urna horrive pintura da by-
jlrophobia.
Este Poema termina com urna digresso
Philosopbica sobre as venturas dos campos,
obre os nobres prazeres de um carcter n-
dependenle erafim com p quadro dos dese-
jos do Poeta Somurville se eleva aqui no mais
alto grao de inspiraep e alguns pensamen-
tos sublimes corraro dignamente um peema
mu i pouco conbecido jora de Inglaterra _e
qu mereca ter maU leitores e mais adon-
is seculos que os ilheos sepira^os de Veneza fcahava de Tarar vinle e um annos. Lam-
bken despertou ao estampido da artilhera ,
pens indo quauto sua vida era digna de inveja
naquelle momento ; amava urna rainba de 2o
radores.
(Raciona,! de Lisboa).
NOTICIA S.CIENTIFICA.
As Caldas de Goyaz.
Continuacp do n. antecedente.
Caldas Velha*
O intrpido a^enlureiro Anhanguera e seus
companbeiros fora os descubridores destas
Caldas ; por issa chama-se Vclhas. Filas
existem no lado occidental da sprra, opposlo
ao das Caldas Novas e nao goza da posicao
aleare do ar ivrce fresco dos lugares ja des-
criptos. Immediatas ingreme serra que Ibes
he quasi spbranceira os matos que as rodea,
as cavidades enormes da montanha e as lar-
gas fendas que descendo do cume parecem di-
yidi-la, do-lhe um aspecto medonbo e ao
mesmo lempo pittoresco. Conforme o estado
da atmosphera as manhas hum denso
vapor que lentamente se eleva do riberp. das
aguas quentes cobre o terreno de huma es-
pessa nevoa que nao dsappareee seno quan-
do os raios do Sol, que tarde se mostra ra
lefazendo o a leva as regies mais "
As aguas das Caldas Velhas uascem
ha quarlzosa aurfera: as pasenles sao
tas e a temperatura njo passa de Of graos.
Nove morpheticos estava laepdo uso dellas
quando Foggia as visitou ; e entre elles aoha-
a-se j quasi de todo reslabelecdo Vicente
Berna'rdes dePreitas que para ali viera ha-
vio dous annos. N*o obslanle isto a concur-
rencia dos doentes be aqui muilo menor que
as oulras partes o que se deve atlribuir
sua posicao menos favoravel.
(Jornal do Commercio.)
se tem afastado dos seiis.limiles naturjes a-
proximando-se para se pnjrem. Mu flizes
se reputariam os humanos se a upo dos ho-
rneo* (osse taoiluravel ViJn\P V 4as Pedias !
Est'outra Veneza S.toi^.'iolm onde rei-
naram dous Gustavos ^peldados g''a'i-
des ; um porque derribo qm .a.sua espada
a escravido que cruelmente es.ia.va invete-
rada na sua patria; ouiro nind* q\? por
forca de valor e de genio elevou.seu^ par*
primira calhegoria das naces guerreiras da
Europa. Este ultimo ja nao esistia e sobre
seu throno que deixara vago morrendo como
soldado o direito de successo collocou uma
rainba de um genio quasi varonil mis buca-
e caprichosa que leudo reinado vinle annos
nao deixoudepois de si um sucessor da sua
jerarchia,
ra um da em que liavia pomposa e so-
lemne recepcao no antigo palacio dos Reis da
Suecia. Nobres Sueros doutos cslrangeiros,
c filsofos rorv&zqs vinham saudar Cbristina
pelo 9ii ainiversario do seu nascimento. O
ovo se linha preparado para festejar a sua so-
erana e dirigicido-se em mullidlo al ao
pateo do palacio acompanJiando suas exola-
mac-es festivas de praMcas gregas e discur-
sos latinos, improvisados pela galantera vSuc-
ra aos gi andes corpos do listado, que am-
bicionavama estima (le uma rainba amada de
Descartes e elogiada ,ior Sjumaise.
Porem repentiiiamente o povo agita-se e
murmura ; os officiaes da guarda do palacio
correm aos seus respectivos postos reunem
suas tropas c as formam em hatalha no com
prido paleo. Todas as anellasdo castello se
abrem ao mesmo tempo apparecendo nellas
homeus e mulheres ricamente vestidos. To-
dos osolbos, e todas as maos sedirigem para o
mesmo logar parecendo diz-er : eilo-ali'*.
Ella estende-me iua linda mo e eu a cu-
bro de sculos depois feliz por ter rumpr-
do o meu juramento a diexei partir. JVn
outro dia eu e meus companbeiros fotn
os
anuos a quem a Europa admirava quantoa pie/os ? mas isso nada porque executei a
o ser coi respondido o mineiro nao e inqne- mnba palavra.
lava com isso.
\jestido c im o seu filo domingueiro elle se-
guiu a mullidao con o cora-o oppressn c
i alma singularmente gil idi eiictiminhan
do-se p.u o castello re ti. Lirt.k.'ti nao re
parou que o poro r-slK,fnsMncnle pwava iv
veslibulodo palacio: conlinuon a raotihin
encontrando Form *> ; ni :;r i ofti-
caes e i us'eros m:i istr/ido
Logo que .-nlnm na alvi'ia
vistuario causiu escandal ; rain sur)i.-.,a si
aflastavam para o dei\ar paMH-r mni-.no
randoaltamente rdtdelie; mas Lamfiken
nao relrncedia (torqu** nao rej.arava na nl-
les que encoleri'*d >s otBlavam de lodos os
lados e igualmente nao ouvia as exclamaco-
ens da nohreza que se indi nava de se acbar
U carcereiroabriu aporta da pri?5o e nes-
le momento cbamou Lambken e Ibe diz j
\amns mel rapaz esl ebegada a hora.
O que por ootros termos sirnifica o cad;fuI-
so est armado, eo algoz tos espera.
01 raJqtihilo eiivoiHntdo.
\rontfCPii na liha de Frnnra .h.ianno
No angttlod urna s.lia brjllianteppto bm
lnuiitiada que eslava, na qml i>tumhavao
som las vozis dos in: tnininitios se via auen*
'nl.i nina meninn TimIo< os pie estavo ao
redor lilla se entiegivm a*js l'< ^uedos do
baile as pessoas qu<- \\A a>am deqiMndo eai
q ando passavam pordiante della e Ibe to.a-
vam no vestido ; ouviam-se ditos gallantes
) palacio em to mesquinha comnanhia l'oi que passavam de uma a outm quadrilha ; mas
sim al porla dosaloonde Chrisloa re- ella nao ouvia nada, u.i via na la. A po-
no
assim ale p
cebia as hnme.iagen* da sua corle O jjor-
leirp introductor Ihe perguntou o seu nomee
oquz deler ; maso mineiro, anmido pela
esperanca e fascinaJo pelo tumulto vence es-
te obstculo dizendp seu nome de homem do
povo ao guarda do sanctuario e preiipjta-se
para onde a rairdia eslava para ihe lieijar a
mo, que graciosa-nenle eslend.ia para o Pre-
sidente dolSenado. A' vista deste home.ii a
rainba grita hoiloriscila retirando sua mo ,
ecem blancos se levantam para punir o inso-
lente que vnh i disputar elle nascido do
nada ftlho perdido da grande fumilia do po-
vo um favor *) concedido aos previlegiados
pela lortnna mi pelo nascimenlo,
sic/o em pue estiva sem |ifa/ o= olhoj do chao
dava a entegttfer que o s#:i p# sanenlo esta-
va lo#ge desla pMa e que sua alma era es-
tranba o pra/er que a r ideara. A e s ps
eslava um ramo que tinha dei\adocair io
trictava de apaubur Ubi r .-ti pal I i lo e
triste paenleava certa *spr ssao de dr
eos olbos pisados revelavam penas occullas.
As suas sobrincelbas >|iie pareciam pintadas a
pincel de quando eai qnando se conlr.dii mi e
davam a este rosto resignado um carcter de
forca e de resolucao que admirava Infulli-
velmenle esta mulber nao podio, recuar (liante
de qnalquer perigo devia ser alguma dessas
pessoas de nalurez iudomavel que se que-
Cbrislim min'>a quirida Chslina hram, mas que nao dol.ram Um vestido de
cupaco exlranba no meio de'um hade
Com pouca r^flexo as-.im como militas
donzellas desejosa de nindu-o prsenle por
O Conde de Lagardie apparece na janella exclamava elle qnan lo se vio agarrado, e' vellido pieto Ihe cingla o corno em feito e
principa) do palacio edavaianda d as se- expulso pelos criados eu a quera beijar a delicado e fa^ia sobiesabir melbor a sua
guinles ordens ao chafe da polica, que as tua niu sa-.rada e tu negis-me esta lelici- agradavel pallidn Com estas mulheres ai-
recqba descuberlo. dude? E quando no pleo ochefe di polica sim nao se com i bna a claridad" das vellasea
' A rainba diz elle nao quer que pren- execilava a sentenca em que lambken lora luz do lustres1} a anmacaodis fes las asale-
dam esse homem ; lazei somente dar-lbe sem conderonado elle intei rompa seus lamento grias munduias parecem deslocadas para el as,
demora nesta praca vinle planchadas e de- para dizer : "Cbristina- cruel Cbristina os seus olbos nao pres-Mitam todo o Irilla.-
pois seja posto em liberdade estas sao as pr- juro per-nle o leos que nos governa a lodos tismo o seu rosto nao orilha com todo useu
dens de Sua Alageslade que um di i vira em que eu a despeito da la explendor senao na intimida le a u rosa
O homem motor deste tumulto enndu/i- vi.ulade beijarei tua mo crueL M uando o claridade da la aos olimos raios do dia ijue
do entre urna numerosa .escolta de soldados, ullino golpe sibilou no ar Lambken Hxou se acaba Esla mulber era Emi ii D.vei-
O chefe de polica serv.indo i-esla occa- ferozmente o ch.efe da polica e leyantou-se, sey Algumas parliculard des de sua vida
sio de algo/, por aflicto a rainha manda abrindo caminlioentie a multido. passada nos inipiaro no> segredo desla preo-
ajoelhar o culpado e com passa da mente a- No oulro dia o mineiro deixou Sfockolm ,
plica yinl,e vezes sua esp.da sobre as costas do mas nao lornou apparecer em Norberg.
padlecente que a cada pancada que recebia, Cinco anuos depois dous prsioneiros um,
soltava um rouco gemido, que faria nascer um joven de ib para .7 anuos acusado de uma um futuro desconbecnJo Emilia Un ha casado
scniimento compassivo na alma de dez mil tentativa de rapto, e o outro conbecido da idade de 6 annos sem amor assim como
espectadores desla repentina execuco. por chefe de urna coippanbia de ladres sem repunancia com o Sur. Uaversy 5 casou
Qualera pois ociimedest,e homem lo se- copversavam na mesma prisao sobre o rigor da por casar; accitou o marido que Ihe o'ere-
veramenle castigado em um dia de gala e sua sorle. ^erarn como houvea acceado outro qualquer.
(uasi na presenca de Cbristina ? A voz de Ah Diziaojoven, o que eu mais sin-
Lagarde pareca quasi einbaigada pelicbo- to nao tornar a ver aquella que amo! *
lera quando dissera : A rainba nao quer M 'Mancebo Ibe torna o bandido tu fica-
queoprendo' e a sombra veliemencia de ras livre nofim de alguns me/es de prizo e
uma cruel alegra animavd seus olbos quando tu peides as esperancas como se se ignorasse thusiasmo lodos os presagios sao pouco e>cu-
acrescentava ** I a-lte vinte pranchadas' Que verdadeiro amor jamis perdu os seus tados (ual a donzella que nesta idade
estas sao as ordens de Sua v ages la de I direilos ? Escuta o que le vou dizer. Urna deconfianca e illuso se inquieta com o'u-
Este homem nao era nada mais do queum Hainba bella urgulbosa e cruel fez um turo quando reina como seberana quando
jovem mineiro chegado de Morberg a Slo- da .pplicar vinle pranchadas as costas de um a sua vontade alorada e que seu noivo
ckolm e que viera ver as brilbaines Cestas pobre diabo que poi ella concebera uma n- ainda que fingido Ibe falla de joellos
do nascimento da Rainba. Seu cr i me Cora vencivel paixo o d.sgra ado s pretenda Fe>.-e o casimento e a puhre Emilia la-
causado pela ignorancia das leis da etiqueta, tocar respeilo.inientecoiii seus labio-na mi va unida a um desses bunonsde intelligfncia
Haviam-lbe dito pa sua provincia de West- da sua Morada 1 uoiratu-no da Mateme- t;scija e esta grosseia, no qu.il v\ la '
manland que neste da a rainha nao s re- rdade como se a sua L.uim empre/a fosse forras s sensaies fysicas. Quando elle bo-
cebia as homenagens dos seus nobres jubdilos, causada pelo ciime e nao elo amor. .
comotobem ()os homeus do povo e que a Eljrou dianlede Cosqui um dia xiria
mo real se offerecia nua para o povo beijar.' em que es., mau que o tepi liia se Ibe ofere-
Beijar a mode upia rai.Jia, a mo desta ceiia pra elh bei;ar. Eajuelii boca, jiie
rainha, cuja adorada imagem era de ludo o di/ia CaPfjuei o cnlj^dp se abrira para
Bem ou vio ella repetir em voz baixa algumas
palavras ameacadoras ; algumas vozes sinistras
que Ihe .presagiarain os males que podiam
provir desla unio ; mas as occasies de en-
orcas as sensai oes fysicas.
mein se loiui'. 011 a. aborrecer, \ollou imme-
dialaueule uoa -eu aniigos habita de disso-
I11 io que l.aviam animado a sua ida de ?ol-
leirp -, nao se iiup utou mais de sua mulber
se nao para atormentar 0111 leu i eisciuines.
oquan- Beijar a mo de upia laii.ha a mo desta <"* pra ella heijur. Ltf|Uell1 poca, |iie uno. nao se nup iriuu mais oe sua muuier
rao ra- rainha, cuja adorada imagem era ce ludo o di/ia C"*M,.uei ocnljiado se abrira para sp nao para" atormentar mu leiri eisciumes.
altas. mais mar vil hosp ; o prazei e. u alegra rei- pwdir auxilio a este | bre diabo lao i t ligua- (Jliotava enao Kinilia amargamente a sua le-
em'ru- nava na denegrida cabana co mineiro Lam-. uienle ultrajado pelo chefe da polica viandade em-aeter ligado por lacos eternos }
lio mui- bken era esta urna filicicidade a que pupea i le dia de vinganca lo vivamente dse- lembrou-se ento d outro amor limido e de-
Variedades
O Beija sao;
Ao noru da Europa na entrada do golfo
An mar Bltico ha uma outra Veneza for-
mada de pequea ilha-. espalh'adas e uni-
das em uma s cidade pelo espirito da associa-
cio como um s.nome rene diversos meni-
S
k bros'ua mesma familia. Mo b menos de se-, bolm annunciava ao povo que Chiislina a-
que ,.^.M,_ T u -'
iulgara aspirar; porem quando soulie que j"do foi esperado muilo tempo, mas che- pie.-ado a utig miente por ella lembrou-serti
em cerlo lempo as portas do palacio se abriam, 60U alfim A Rainha linha ido a uma part- seu amigo de crianca Femando L ui;,ay edu-
a quem queiia cumprimentar a rainba, Lam-' "a de caca e porfiando a ligei.e/a com os
bken impacientemente esperou esta epocha i fidalgos da sua Corle adiantou lo ousada-
em que lobem participara dos favores reaes. i mente o seu cavallo que este a conduzio lon-
Trabalhou mais do que de ordinario, e tobera I ge dos seus companbeiros de ca a e achou-
se houve, que no tempo determinado para
o festejos populares o mineiro eslava muito
rico, para poder comprar um boro e a cea-
do lato para a festa o qual trajava com gra-
ia porque era bepi feito tipha boa figura ,
andar magestoso. Cuidadosadamente fez de-
saparecer esta cor parda, que um longo
trabalho introduzira no seu rosto ; fez sallar
o san,,ue de suas maos para as lazer mais bran-
cas e macias : at que finalmente pardo Lo-
go que ebegou Stockolm o seu pruueiro cui-
dado toi ir Igreja de S. l> icobo pedir ao
Allis>imo longos e gloriosos anuos para sua
muio adorada rainha. Alfim ebegou o dia
to vivamente dezejado J os lanbdes d s
duas fortalezas de l redi ren boi g cile W.x
se no meio de um espesso bosque repenti-
namente cercada por dez homens, que nao
conbeciam nem o medo nem a piedade !
Cbristina Ibes disse : Eu sou a Rainha E
eu porque era o chefe dos bandidos o ho-
mem que tora maltratado Ihe respond ; e
eu sou Lambken acuelle que juruu beijar
tua mo real e que ha cinco annos espera-
va que Iba viesseis otierecer. As pistolas
engalilhadas e apontadas para ella a amea-
cayam da morte. v birstina hesita-, eu me
dirijo a ella ; mas Grande eos eu eslava
commovido.
/tjoelha me diz ella sem se alemorisir .
porque aquclles <|iie sao admitido ao meu
beija-mo, %i ti jo^io se aproximam Ue
cado com ella e o qual ticra dessesperado
com o casamento da sua amante ; e comecou
a anuir Femando e a referir a elle os soiibos de
uma allico Iludida.
O lempo to enfadonbo para as pessoasqne
padecen) a andando cinco anuos tinbaiO
passado desde o dia em que coinpromelteu
a sua felicidade e esla recoidaio reservada
110 I uudo do seu coraco tinha-se desenvolvi-
do rom toda a sua energa a ponto de se
apoderar de sua alma: por isso quando en
contra va Fernando em alguma soeiedade,
sempre tmido ousando apenas chegar-se a
ella, quando o via aue nao tirava os olbos
della incrivel prazer se apoderava do o ra-
co desta infeliz : similbanle a essas flores da
Europa que se fecliain noute e se abie.n pe-
la maub recobiava eila pova vida com
os raios da qtiles olbos (icava salisfita jul- .
gava-se feliz, via que era amada.
Apesar de que Uaversy era tyrannksmeatt
*
i


/ >
DIARIO DB
PERNAM3UC
=
teloso de sua mulber por urna extravagan-
cia inconct'bivpl postava de a levara toda a
parte era para elle um objecto de luxo ,
uma roiisa que nao tem valor seno para se
mostrar A inda que os bailes o as visitas fos-
seni sempre seguidas de liorriveis srenas, Da-
no deixuva de levar a ellas sna mu-
versy
llier, e por isso llie loi necia ocrasia de ver o
homem que ella ama va
Emilia linda pois viudo a este baile dado
por uma de suas amibas. Fernando em |>
entre uma das portas da sallu nao tirava os o-
lh outra pc-soa nthava lamliem fiara ella ; e pou-
cru pom-o o exlase em que eslava a invobeo
h'um orreano de ponimientos vagos e indeci-
jos Uma vos a acordou .
-- Veolia Sra.
ReconfacCeu esta voz ; !evntou-se, e pro-
curando o seu ramo nao o achou.
II
Fu bem o vi, torno a dber ; bem o vi
l escusado mentir ; bettl o vi exrlanvm o
Sur eversy dando largos patsos no quar-
to de sua mulber.
A sua vo aiinuiiciava o ultimo parocliismo
de furor
Litros no chao por um e outro lado do
finarlo, pedacos de poroellana, redeiras que-
bradas, diziam que eslava a I lacadodessa co-
lera cepa de enanca que primeiro se seva as
cou/ns inanimadas a ules de acomelter os vivos.
Kmilia assentada e rom ocotovello ajioiado a
urna meza ouvia c ficava immovel e fria na
piesenca das palavras imperiosas, os amea
eos e os desvarios de sen marido cuja co-
lera era envenenada por esta tranquili
dade.
Nao quero que elleolhe para vos, nao
quero que VOS Mgt.
Poique Ihe nao dizeis isso a elle, dis-
se Madanie Daversy, coin um soi riso irni-
co.
Apenas pronunciava estas palavras, que
pan c;am acusar a coragem de sru marido ,
ouvio-se um estrondo ; era'urna doietada que
(ini-a sido deseancguda na 'a ce da infeliz, E-
milia Iaimnvel a esta nova injuria, res
pondeii a ella tildando com desprezo parasen
marido O arrehapimento de Daversy cadio
repentinamente, envergonhado de ter caliido
em sin tildante hrutalidade sadio d< (puilo.
Enlo Emilia ajoeidou ; adaixou a calieca so-
bre o | eilo e uma louga orato se elevou de
sua alma alllita ,' presenca de Dos ; e depois
pensou que a sua cadea era muito difcil de
arralar quepara ella nao havia nesle mun-
do esperanca de felicidade ; sua luta con -
tra o destino lde parecia muito longa e de-
cidi que era rr.eldor acabar o desalent se
apoderou de sua alma e nao lhe poude resis-
tir.
Qnandose levantou finha desaparecido todo
o abalo Com um passo firme linda ido bus-
car a uma gaveta urna Irasco de cristal, e o
despeijou todo em um copo d'agoa. Esle fras-
co continda sucos mortferos de plantas vene
no-as, no qual o Javenez molda a seta antes
de a 1 lacar o inimigo L ra seu prenle o tinlia
tra/ido como ob,ecto le curiosidade, n'u-
111a das suas f iagens ;i sonda
Ja Emilia eslendia a nulo j;i seus heicos li-
nda dito o ultimo a dos qnelle qu<
lia umava .... Nesle monelo meditando 11-
n a itcoiH i'i.ico mais tmida anda do pie a
injuria Oavercy entino no quarto de sua
mullid confuso e pri turbado ; eutravae sa-
ba andera de um para oiltro lado, e distra-
do pegn no copo pie continda o veneno e o
levou ana bei os Emilia tez um movimento
para Ibo tirar abri a boca para hincar um
{rilo mas susleve-se. Nao sei que demonio
lite linda inspirado repentinamente tal \n-
ganrt o marido belieo.
III.
J a nui'e ia muito ndiantada e Fernando
3ne tinlia vollado | ara casa aiuda nao eslava
cilado. Diante delle em cima de ama mesa,
otava um ramo que multas vezes ludia levado
a)S I ecos ; eslaxa pensando ... Qual denos
nesses feli/es lias da m itlade nao tem pas-
sado por esses son los amo; osos, por essas mu
das cumlemplares diante de urna flcr ou de
uma hta ? Qual de nos nao U-m dito a essas
cousas inanimadas as confidencias, as pala vas
d'amor que u< s pullulam nocoraco? Quando
-* anuos lem decrrido rimos enlo de com-
paixo. lerobrando-nos daquillo que chama-
mos loucuia.e ac< amos exIravHganles as dures
Avisos Diversos.
cy Um moco hrazi le rod dade de quinze
annos se o'ferece para pralcar em uma loja
nao me Tacas perguntas. Quero partir,
necersario partir j. Antes de amanheeer
quero estar longe daqut. Pensei em vos s
vos me podis acudir. Procurai um meio seja
qual for indispensavel partir
Queris partir Emilia s e eu ?
IV. submeltendo-se a trabaldar de graca atead-
O ennho j tinha despedido o tiro da ar- quirir a precisa hahilitnco para esta indus-
vornda que relumhava pelas monlanbas quan- trie ; piem o pretender annuncie ou pro-
do o Annihal vllenle navio de trezenlas to- cure-o na casa de sua Mae a viuva do Almei-
nelladas se lum-ava na passagem sinuosa do da no largo do Amparo em Olinda.
Corlo para ir affrontar as tempestades e as fe- 1 tZJ~ As Cautel'as da Rubrica SReis tem
res de Somalia. ticlo uestes dias alguma extraccao o restante
Apezar pas nrdens repelidas do piloto as devecoveluir-se alt: Domingo tiH do corrente ;
velas d<*slohrava lentamente romosopro de os premios sero pagos no Recife heco dos
uma aragem de sudoeste a manobra se fazia Porlos das Canoas \. 4 segundo andar dos
de agar executava-se as ordens com ponca quilro as seis horas da tarde logo que sa-
rapidez e sem alegra principalmente Esle bir a Lista geral do Seminario. Na mesma ,
vagar d->s marinbeiros orctlltava uma saudade, e nos Inga res a aununciados no Diario N. 7 ,
lalvez no cora.o desses hnmens reinasse a ter- vendem-se as l aniel las correspondentes a Lo-
M e poderosa recordacn do folguedo de algu- teria do Theatro preco oi tocen tos reis o
ma taberna ou de algum amor pouco avaro, primeiro premio 600U000 rs. e os ruis con-
Qual o viajante que pernio o p no navio que forme o plano exarado no verso das mesmas.
o ha de transportar se nao sent compungido e tsr Precisa-se de alugar um sobrado de
tris*-. tristeza que augmenta quando noite um ou dois andares que tenha commodos suf-
re desapparecer no horizonte das agoas a trra ficienles para uma familia ou mesrno caza ter-
que ha (Hinco pisara Apenas se isolado na rfa que seja em ra por onde pasiem as pro-
immcnsidade dos mares procura comhaler esta cssoes e que o seu aluguer nao exceda a 10
impresso sem torta va deixar de a soffrer. ou 15 mil reis 5 quem tiver para alugar an-
O navio ia andando ; j o piloto do porto nuncie.
fazendoao capilo os comprimenlos do estillo tSJ" Francisco Nunes de Barros Coelho ,
tinha sabido de bordo j os edificios de Porl- faz sciente ao puldicoquecomprou tres meios
Louisse confundiao com o nevoeiro dama- bllietes da segunda parle da 16 Lotera do
nha apenas se divisava as montanlips, quan- Seminario deOdnda a saber-. 63 e 6|
doocapiao Kernan que apontava o oculo pertencenles ao Sr IManoel Pereira Lins mo-
na a Ierra vio distancia d trez ralws do na- rador em Maceni; e 1713 perlencenle a Se-
Am
P?
vio uma canoa immovel como perdida no meio
das ondas Suppondo que era a piroga de al-
gum pescador j tinha pendurado o oculo e
descia para a cmara quando a canoa abor-
dava ao navio : subiram para bordo um ho-
mem e uma mulber .
Desde enlao nunca mais se ouvio fallar na
liba de Franca nem nnti de Madame Daversy,
nem de Fernando da Langay
(Franco-Portngais )
(Nacional de Lisboa )
LOTERA DO SEMINARIO.
por S. M.
jstrucrao em
o Episcopal de Olinda
mente em o da 17 do correle no Consistorio
da Igreja de Nossa Senhora doRozario ; e co-
guel cuja carta he de de i lando a mesma pie pelo ultimo navio lhe tras
timas encommendas procurando-a quem
for seu dono, na lo_,a da ra do Collegio D.
se le.
-----Precisa-se de uma ama que tenha don
leile para criar urna menina de seis a sele me-
ses ; quem estiver nestas circunstancias diri-
ja-se a ra do Vigario no primeiro andar do
sobrado por cima da botica do Sr. Pcxoto.
SST Precisa-se alagar uma casa terrea na
boa vista nao sendo em becos e que tenb
> quartos cacimba e bom quintal e nao
excedendo o seu uluguel de :o a 12,000; quera
tiver annuncie.
\sr Um brasileiro de boa conducta que
tem bastante pratica de ser caixeiro de Ito-
tequim e de ra, e d fiadora sua conducta;
quem precisar annuncie.
t^S> Preeisa-se alugar uma pequea rasa
de sobrado ou algum andar, que tenha o
commodode se fazer uma estribara para por
um cavallo e que seja em lioa situacao, dft-
vendo servir para um estrangeiro que be
solleiro ; quem tiver annuncie.
ir?" A mulber que anunciou no diario de
a3 docorrente querer ser ama querendo ser
de um homem solteiro fora desta praca di-
rija-se as5 ponas D. 3i.
-----O Senhor que no Diario de segunda
feira viole do correntc annunciou preci>ar
de um Diccionario portuguez e inglez por An-
tonio Vieira dirija-se a ra do Collegio I).
oito lado lireito segunda venda.
-----Quem precisar de uma ama de leite ,
annuncie para ser procurado.
Troca-se (ou vende-se) ura moleque la
naco de dade de ao annos proprio para cam-
po por uma ne^ra que entenda decosinha :
na ra do Fagundes D. dezoilo.
Precisa-se de um hbil forneiro na
padaria do heco da Guia do Recife ; quem es-
nhora Mara l'astora dos Anjos moradora na
mesma villa.
cy O Professor de Gemetra do Collegio
das Artes do Curso Jurdico de Olinda avisa a
quem convier que a matricula da sua Aula
principia no dia trnta do correte mez, na
casa de sua moradia na ra do Bom Successo tiver nestas circunstancias dirija-se ao mesmo
em Olinda : e matricular todos os dias uleis ou annuncie.
em qualquer hora do dia. Quem quiser comprar nove portas da
tSF" Precisa-sede um homem que saiba ler louro de largura de cinco palmos e meio a
para feilor de um sitio porto da praca ; o que comprimenlo de onze e meio quatro jariellas
nestas circunstancias estiver dirija-se a ra da cora a mesma largura e sete palmos de com-
Cade:a velba loja de fazendas D. 34 que se primento novas dirija-se a ra Direita lo-
dir quem precisa. I ja que tem padaria junto a outra de cbapelle-
tST Aluga-se o armazem da caza da ra do ro D. sessenta e tres.
Encantamento confronte o heco que vai paraa!-----Quem quiser comprar uma venda sita
As rodas da Lotera concedida por S. M. ra do Vigario proprio para se por uma ven- no atierro da Boavista falle a Manoel Men-
I. e C beneficio la Instrucraoem o Semina- !d& por ser em boa ra ; quem pertender di- desda Cunda Azevedo na ra da Conceico
anda impreterivel- rija-s a ra da Cadeia velha loja de fazendas dos Coqueiros da Boavista lado esquerdo,
D. trinla. I Quem quiser comprar fitas de seda de
HT" No dia dezenove do corrente mez fugio gpsto moderno bicos ago.i de Colonia ,
mo irida resta hnm pequeo numero de bi- da ra dos Pires um cameirinho pequeo, manoquins s duzias, contasdouradas ane-
I heles roa-se encarecidamente aos amantes manso, nao tem armas nem he capado: l5es, brincos, e nutras militas fazendas,
leste divertimentn que a tantas familias tem quem o tiver achado o poder mandar entre- por proco commodo dirija-se a loja do falle-
felieitado que hajac") de os comprar a fim gar na ra do Vigario do Recife N. 14 no cido Aaouca ra dos Quarteis Decima
de nao restar bilheie algum para o Semina- armazem de Machado que ser recompensado seis.
,.0i deseo trabalho. I -----Quem quiser comprar uma preta de
CJ" Nos dias g8, 3l e 4 de Fevereiro nacao Benguel a, que ter quinze annos de
prximo vo a Praca para serein arrematadas idade com bonita figura muito sadia es-
1 as faieudas das lojas perlenrenles ao falescido lando pren he em dias de parir, por qualro-
Antonio Mancel de Oliveira Arouca : na ra centos mil reis ultimo preco dirija-se a ra
SOCIEDADE THEATRAL.
S^ A quem lhe faltar um pir dando os
signaes certos : dirija-se a ra das Flores D.
5 que lhe ser entregue
tsr Maria Amalia Costa e sna Inna ,
residentes na ra da Conceico da Boa-Vista
N. a8 prope-se a tomar meninas ensinan-
do-as a ler, escrever costura cha bordar
O Drertor do Theatro condescendendr) com dos quarteis aonde podem comparecer os Direita padaria do Machado das seto hora
os rcosde militas pessoas vai por em Scena perlendentes (as qualro horas da tarde). da manha at s duas da tarde,
na prxima futura Qua resma tres Oratorias C7" Precisa-se de um creado que saiba' ^ Vende-se huma escra va de nacao com
Novas assaz dispendiosas O Nascimenlo bem cosir.bare entenda dos mais arranjos do- bonita figura de idade de jannos engoma,
le JezOS 011 os tres Res fagos-em Jerusalem mestices para caza de um homem solleiro fo- coze cham, cosinha bem odiario de uma casa,
A mnrtede Sanlou David Triunfante eSan- ra desta Capital, sujeilando-se outro sim a e lava bem de varrella ; quem a pertender di-
to Hermenegildo, (a nova Composico do andar vestido de libr ; quem quiser enea rre- rija-se a ra direita D. ao lado do Livra-
,;rande aullmr Dramalico Antonio Xavier). A gar-se desse servico dirija-se ao atierro da ment.
iMimia deslasOratoras excede quanto al Boavista, segundo andar'do sobrado D. qua-
hoje se tem esrripto a respeito : o > rector se torze
propde a a presen tal-a segundo o Sagrado 3" Na ra larga do Rozario D. 4 ao p do
Texto, nem o Espectador espere ver Pastoral bolequim da cova da onca eiisle urna carta
le calenbas vestidas moderna Semio ves- viuda de Lisboa para o Sr. Jos Joaquim Fin-
lirio de Pastor nem soldados A ouros por He- to morador no Caes novo N 14.
breos e Romanos ; mas sim segundo o Texto BT Deseja-se entregar uma carta vinda da
Fxodo ap. :*<), e seguinles etc etc O Corte do Rio de Janeiro ao Sr. Luiz Antonio de matiz d'ouro, e de todas as qualidadea;
Sr. A ndr A Ivs' da Fonceca he o incumbido de Souza que se aeha em poder de Francisco bem como marcar de todas as formas ; tam-
para as formar dos Elefantes, Camellos e Gonca Ivs do Cabo ra augusta a toda a ho-
nini trem <|ue compSe o grande Estado dos "a.
Magos; a sua habilidade na Esculplura < *ST Feseja -se saber se existe nesta Provin-
Pintura he assaz conhecida para senaoduvi- a Jos Bernardo Pinche filho da Cidade do
dar de bum bom xito. Asdemais pecas jue orto o qual heouri>es ; far o obsequio de
devm ornar o interior do Templo, imilarao annunciar ou diiigir-se ao armazem de Fer-
mais possivel o desctiplo no xodo Cap. 37 e nando Jos Bregues ao p do arco da Concei-
JH. o-
Todas estas despezas nao se poder ressar- S25" Viuva Cosa & Filhos avisa aos Cre- ser procurado,
cir sem uma assignalura composta de 5o >o- dores de Vicente Pereira Gurjo que se nao t7" Extraviou-se u
cios a eincoerita mil i-eis cada bum para o iem no rateio do liquido dosbens, apuiado
ireclor a; presentar seis Oratorias, solido as no epo/ito Geral, por exeemo dos aunun-
outras lies Santa Secilia Sania Label, e S. cianles ; visto que ainda ha outros bens desse
Benedicto piolei-tor dos negociantes quebrados, al nao (lenhorados pelos annunciantes ; e
Peca em lies aclos e que na Cidade do Ma- desque andara"j em pra^a, existem oito es-
bem acceitad e aprompta qualquer obra da
modista como loucados vestidos cliapeos1
e etc. : tudo com o melhor gosto e na ulti-
ma moda.
tS2~ Precisa-e de quinhentos mil reis %
juros de dois por cento ao mez por lempo da
um anno. dando-se em garanta firma de to-
do o crdito: quem quiser dar annuncie para
que nos ustaram tantas lagrimas todava di- ranho lem sido muito apdlaudida. O I i- crasos para se arremalarem no da vinte e tres
zemos-----era bom iei,,o'... rector espera ne os -m ___\,Js aqUi J 5ra disseelle mentase reunaii. e combinem a fim de levar r. Lbano na ra Nova ; e finalmente que,
^_ a i*n I... *_ e -- _*___lili A |-n- *t nm MIH.IM1IIII (\H ,1 .. .ara i- -I------------ 1 .. __ _^
-----Sim meu Fernando, amais-me.
-----Siiii o ; pois j vos esqueceslt-s.
a effeilo al o dia ao de I evereiro a primeira faz a bem dos mesroos credores darem lanca-
,%orcdade I heatral do presente anuo. As dor aos ditos escravos ; alias lhes sern adju-
___Oh! nada de palavras n* ouv pessoas que ti verem meninas para entrar no jdicadas aos que liverem execuc5es legalisadas.
precisamos de acides. A esta hora provalve- I Drama, a vinte mil reis, com paree a 5 no The- -----; Acba-se uma carta em mi de Jos
vate raau marido est morto. Nao respondo, | atoro, l *K*m Pwmrt, vtnds da liba de S. Mi-
m tambor ou caixa do
guerra, de metal amarello tal vez j esteja
pintada ; quem della der noticia nesta ou na
Cidade de Olinda se lhe dar o dobro do seu
valor e nesta Typ. se dir quem paga.
C5" Da-se cento oitenta e cinco mil rs. a
dinheiro, por a plices da extincta Compa-
nhia de Pernambuco e Parahiba : quem as ti-
ver e quizer dispor, dirija-se a lojadoSnr
Francisco Joze Pereira Braga, no Arco de*
Santo Antonio D. a.
-----Compra-se uma carteira de escrirania.
em bom uso ; quem a tiver annuncie, asaie
como um alambique de cobre.


V
TTTrr
*
i
I) I A
RIO DE
~J"
PERNAMBICO
l .
^> I rancisco Garca Chaves compron de
sociedade com Manuel Jos de Carvalho mo-
rador em Macri quatro bilheles intuiros da
segunda parle da it> lotera do seminario, de
numero*seguate*- i$io, yo.6. 7C0 e j5l.
s7* Arreda-se um sitio porto da praca ,
com boa casa muitas arvoies do Inicio bai-
\a para capini e pasto para vacias 5 a tratar
na ra do Horlas n. 12.
t^T Nuno Mara de feixas declara ter
comprado por coi)la de Antonio Marques de
Oliveira de Maranhio o Bilhete n. i'S$o da
prmeira parle da .{. Loteria da Boa vista, e
n. io5S da 2. parte da 4* Lotera do Livra-
roeoto c 11. abda 1. parle da 1. Lotera do
Theatro.
C5~ Precisa-se de duzenlos mil rs! para se
pagar cm obras de lijlos de alvenaria gros-
sa, tapamentQ ladrilho, e telba, com acon-
dicd de por a obra no porto que a pessoa lhe
ovi.r es>c. negocio determinar, e por preco
commodo; a qnem lbe convier dirija-se a ra
de borla-, lado do poente casa D. /|J, das i
horas em diante,
!C7* P.recisa-se de urna ama que saiba co-
zinhar e engommar ; na ra do Hospicio cm
1 asa em que mora o engenheiro Boyer on na
na do Vigario debaixo da casa do alfaiate Joao
\ erissimo
SU' Quem tiver para alugar nm es ravo
para o servico de urna casa, dirija-se a na
da sen/ala velha n. 45 casa de .los Jacomo
Xasso.
Jr~ O abaixo assjgnado professor de primei-
is letras e lalim morador na ra estreita do
Rozario, 3. andar do sobrado D. afl, avisa ao
1 espeilavel publico e eom-expecialtoade a os
paos de scus discpulos que desde o dia i3
do corrente abri ditas aulas, onde continua
por mdico preco a recetor pensionistas sendo
tratados com todo o disvello asseio e melin-
dre possivel. Jos Antonio ereira da Silva.
Cy Precisa-se de um cont de rcis a juros
de dous por eenio ao roez dando-se por se-
granca mu bom sitio mui perto da praca ,
oin bastantes arvoredos de fructo casa de
vi venda com dnas baixis para capim e tom
cacimba d agoa de beber ; quem quiscr dar
aiinuucie.
5EF" Precisa-se de 800.000 a juros com se-
guranca em urna propriedaile nesta Cidadc ;
quem quiser dar uiriia-se a ra das Cruces
Iqja de barlieiro defronte da Typografia que se
dir quem precisa.
iS' Aluga-se urna excellente casa na ra
da Alegra, lendo- muitos commodos paral
uma grande familia salla e alcova assoalha-
:!a e torrada con. solao e varanda de Ierro na
trente; quema pretender dirija-se a ra de
S. GonsaloD 1*1, oulalle a Marcelino Jos
Lopes.
&!/* Na padaria franceza do atierro da Boa
vista D. u, precisa-se de um preto captivo,
que enteiidade padeiro
S Peideo-se no dia 19 do corrente um
anel dcouro com um diamante desde a ra
da Cruz ao pollo das canoas, e do sitio da vinva
Gonsalves Ferreira e Filho at ao do Sur.
Pedro 1 ias des Santos ; indo por este mesmo
sitio at a capella de S. Amaro ; roga-se a
pessoa que o achou de entregar na loa de fa-
/.endas de Joaquim Gonsalves Casco que se-'
r generosamente ncompensado.
"y Arrenda-se a propriedade de casas da
rua de Cruz n a perlenoMile a Jos Fer-
reira Duarle & F1II10 ( de Lisboa ) ; a tratar
na mesma com oseu procurador Jos Gonsal-
ves Ferreira Bocha.
X~F" JNa ra da alfandega velha continua-
se a concertar loda a qualidade de realejos ,
caixas de msica e vende-se um realejo mui-
tii bom com seis sel i nd ros e boas pecas.
i^f U Sr que annunciou no diario de ii
do corrente precisar de um liomem para entre-
gar iazendus queira annunciar sua morada.
t^~ A pessoa que tiver um quarto para
alugar a um homem solte'uo ; annuncic para
ser procurado.
52^* Quem precisar de uma ama para casa
de nm homem sollciro dirija-se a ra da
ribeira sobrado L). 11. "
SS/" Uerece-se um homem para adminis-
trador de qualqucr sitio ou engenho diri-
ja-se a ra do Bangel sobrado de varanda de
pu pastando a bf.co do trem.
C^~ iJa-se aoo.ooo a premio sebre pinbo-
res de ouro ou prata e se precisa alugar
um casa inda mesmo com poucos commodos ,
sendo as ras das cruzes larangeiras trin-
obetras camboa deCarmo S. Francisco e
borus que o seu aluguel nao exceda de dez
mil ris ; a raa nova Soja do Chaves se dir.
ser carregar ou ir de passngem di rija-sea to proprio para se faz er um sitio e um bom
.Antonio Rodrigues Lima ao p do Corpo
Sanio per cima da loja de cabos do Sr. Ma-
dor), ou ao Mestre Antonio Jos Vianna a
bordo da mesma Sumaca fundiada defronte do
trapiclie novo
viveiro por ter para isso proporcoes ; a tratar
na ra nova loja de Ferreira e Braga
ss?" Rap da Baha dito do VarejSo, dito
do Lima cha issen de primeira sorte dito
Imperial em caixnhas de duas libras, tinta
PARA O RIQ DE JANEIRO o Brigue Es- 1 de escrever em potes a 160 dita encarnada a
cuna Amisade, forrado de cobre, c de pri- 24o pentes de tartaruga de travessa ditos
meira marcha, com toda brevidade ; quem'de massa ricas tesourinhas de unha, ingle-
quser carregar-, ou ir de passagem para o Izas, pentes de mar fim de tirar piolbo fitas
que tem exellcntcs commodos, dirija-se ao de garca de todas as larguras, e qualida-
Capito Joaquim Gonsalves Maia ou na ra des, bicos de linho de todas as larguras, ri-
da cadeia n. 5g.
L e i I a o
C7" Que fazem Crablree He\ worth & C.
por intervenco do Corretor Oliveira, de uma
porco de chitas mcias gangas amos, al-
godaosinhos lencos avariados por contado Lotera do Theatro que corre a 17 de Feve-
cos aderemos de filagra pretos brincos, ero-
zetas dita escovas de dentes finas ditas or-
dinarias hurzeguins franceses para senhora ,
e galochas ditas para homem sinleiros de
couro de lustro com fivella filas para sntei-
rode meninos bhete* da Lotera do Semi-
nario a onze patacas cada um, cautellas da
quem portoncer e de um hom sorlimento de jreiro a 5oo ris e bichas prelas ; na praca
fazendas limpas entre ellas um caixote de
roupa para creanca consistinclo em toncas,
da Independencia n. 10.
S2^" Um porcao de prata velha ; na ra
vestidos e &c. que se vender por todo o do Rangel D. nove,
preco ; quarla Icira vinte nove do corrente as I xzf m bom cavalloe bem a figurado com
dez horas da manh em ponto no seu arma- 'todos os andares, muito liberal e bastante car-
zem do Forte do mattos. jnudo, por preco commodo a dinheiro ou a
SSF" Que fazem Russell Mellors & Com- jpraso e um preto da costa vellio proprio pa-
panhia por intervenco dp Corretor Olivci- ira sitio por ser hom trabalhador de enchada ;
ra do cerca de 80 barricas de pregos caixa-
res avariados e de alguns selins no mes-
mo estado por conla de quem pertencer .
sexta feira i\ do corrente as dez horas da ma-
nila, no armazem pordetraz da casados mes-
mos ra do Encantamento D. 71075.
\ZT O Icilo da carne serca a bordo do Bri-
gue Americano Clio ficou transferido para
sexta feira <4 ^ corrente as 10 horas da ma-
nba
ssy Joo Stewart. consignatario di Barca
Iagleza Mary-Charlolte-Weber arribado a
cravo de nome Antonio por atonomazia boi
tem uma marca no pescocode talho as cos-
tas com sicatrizes de chicote, inda frescas
estatura ordinaria cheio do corpo bem fa-
lante foi escravo do um c.imaroeiro de nome
Manocl Rodrigues, na Cidade de Olinda e
hecanoeiroj quem o pegar leve ao beco da
lngoeta n. 4 quesera recompensado.
tnf Fugio no primeiro do corrente Manoel
pardo de idadede \ \ annos secco do corpo
beicos grossos vestido com camisa e calcas
brancas, chapeo depalha, tem sido visto pa-
nliando nos bairros de S. Antonio, e Boa vista;
quem o pegir leve a Olinda ra de Mathias
Ferreira D. 5 ou no Rerifc no beco da lin-
goeta venda do Sr. Joaquim Jos Rabello, que
Aera recompensado.
&y Fugio no dia i"do corrente ao Majo:
Jos Mara Ildelfonso Jacome da Vciga Pessoa
um seu escravo treoulode nome Antonio, cor
fulla, de idadede yo annos muito ladino,
balso, reforcado do corpo rosto compriJo ,
tem falta de denles na frente levou vestido
camisa de estopa calcas de algodo ja tusada;
roga-se a quem o pegar leve ao sobrado de
dous andares na ra dos 4 cantos da Boa vista
que ser bem recompensado.
cy Fugio em 11 do corrente as 4 horas
da tarde a Francisco Antonio Rabello de Car-
val lio um seu escravo de naci congo de
na ra nova D. 34.
SS^- Uma negra creoula ja de maior idade nome Benedicto cor prata de idade de 10 a
boa cozinheira e lavadera de sabo refina j 11 annos meio ladino secco do corpo, roslo
assucar, e faz diversas qualidades de doces comprlo, queix.idas grandes, lem na testa
o os maisarranjos de um casa ; na ruada ca- um signal de queimadura anda com a pelle
deia velha n a no primeiro andar. \ branca e duas na mo direita a prmeira
Ssy Uma escr*ra creoula de 20 annos de s mas com a pelle branca e a segunda l'al-
dade cozinhtt o diario de uma casa, eu- la pouco para sarar levou camisa de.mada-
gomma e onsaboa bem ; na ra da Paz junto polo e calcas de rscado ja rola; quem o
a fund So de sinos. i pegar leve a ra de agoas verdes sobrado de
S2T Chapeos de seda setim e de palha um andar D. i-i defronte da porta da sacris-
de todas as qualidades, de muito boa? gosto, e ca de S. Pedro. ^
osle porto, tendo de continuar a dispor de outras muitas fazendas, tildo chegado da fran- I SST No dia 15 do corrente fugio um mo-
parle da carga da mesma Barca para o sen '5a prximamente, na ra nova lado da VlD. 9. leque de nome Felipe de idade de 1S anuos,
cosi-io e concerlos ; fa leilao por interven-
1
cao do Corretor Oliveira torca feira q8 do
corrente dos differentesobjeclos annunciados
quinta vamente dsspachados no seu armazem da ra
da cruz.
C o 111 p r i s
ZOS" Um negro que seja bom canocirs e
que nao seja fujao; na ra das larangeiras so-
brado do doua andares ). 3.
Z15" Uma carroca para carregar materiaes ,
propria para cavado ; quem ti ver annuncic.
V3~ Os A volumes do Feliz Independente ,
cm bom uzo; quem tiver annuncie.
V e 11 fl u s
W" Dous negros de bonitas figuras, de cabeca eolhos grandes secco do corpo raaos
idade de-24 anuos ptimos para todo o ser- delicadas, tem uma barroca em um lado do
vico ,
ummolequede 10 annos, uma negra queixo e tem um dente por cima do outro,
de a ditos, cozinha e engomma alguraa canellas compridase finas, pouco entende a
cousa : na na do Hospicio casa em que jmorou falla levou vestido esmisa e calcas de algodo,
oengelieiro Boyer ou na ra do Vigjrio no e suspensorios do mesmo 4 quem o pegar leve
armazem por baixo da casa do alatte Joao a ruada Palma lado esquerdo prmeira cas,
Verissimo. quesera recompensado
1ST Meios Bilheles da Loteria do Semina- IjTNo dia i5 do corrente fugio urna escrava
rio; na ra Direita venda que fo de Jos da de nome Patricia creoula, de idade de ia
Penha annos mui bem precida estatura regular,
S3F* Bilheles da loleria do Seminario a oto cheia do corpo levou vestido de chita desbo-
mlris, e meios ditos a 4000; na ra do tada saia pela, consta andar em fora de
cabug loja de miudezas junto do Sr. Bandeira portas, no bairro do Recife e ltimamente
O" Meios bilheles da'Loleria do Semina- ter-se embarcado para Olinda ; quem a pegar
rio a 58 jo ; as 5 pontas venda D. 9. leve a ra de Horlas sobrado D. 4 i que ser
S2F* Meios Bilheles da Lotera do Seniina- recompensado
rio a 35oo:, na ru do Crespo loja D 8 do la- '< C7" Au/entarao-se da Magdalena no dia
do do sul seis do corrente dous pretos com os signaes
C^" Mc03 Bilheles (la 'Zaparte SSS" Veiosbilhetes da Loteria do Semina- seguintes um por nome Antonio (conbecido
Ha rfi I ntpra lr em:n-:rt ro a 36oo ; na ra doCabug loja de miude- por Fortuna) nacao Cassange altura regular,
JUi'A t r s.4 bem prelo e representa ter 24 a a5 annos de
de Ulinda : nesta lypografia. 5^. Meios bilheles da Loteria do Semina- idade; levou calsa de brim branco, carniza
C3" Bucetas com Ameixas y indas prxima- rj0 a 5oo ao p do arco de S Antonio na de madapolo e chapeo pelo de seda ; eoou-
mer.le do Porto a 800 ais ; na ra nova ven- loja de Manoel Gomes de Carvalho. tro de nacao Quicam de nome Thomaz re-
da D. af. g^, Meios Bilheles da loteria do Semina- presenta ter ai annos muito fula, um
CT' Urna venda com poneos fundos, na r0 na rlia do Cabug loja de miudezas De- tanto bucal com urna pequea ferida no tor-
rua do Liviamento 1). 20; a tratar na mesma. cima i. nozellodo p esquerdo levou carniza e serou-
XZ' Uma negrinha de linda figura, de xzr Blbetes e meios ditos da loteria do Se- la de algodaozinho e tambem calsa e carniza
idade do 16 annos cose, c laz todo o mais
servico de uma casa por 35o,ooo ; cm casa I cambio u. 48.
miliario; na ra da cadeia do Recife casa de
de Francisco Gonsalves do Cabo, na ra Au-
gusla.
zr?- Meios bilhetes da Loteria do Semina-
rio ; na praca da Independencia loja de en-
cadernadorn vf.
lZe~ Uma negra de naco cose engom-
ma lava e cozinha ; na ruado Livramen-
to D. 13 primeiro andar.
Sgy Uma escrava de nacao angola de ida-
dade de 20 annos engomma bem cozinha o
Avisos Martimos.
PARA OARACATYat ao do crrante,
a Sumaca Conceieffo Flor do mar; quem qui-
de rscado : roga-se as Authoridados Policiaes
e Capites de Campo hajao de os aprehen-
der e levar a ra do Vigario armazem D.
II, ou na Magdalena sitio de Miguel Cor-
reia de Miranda.
tSF~ Quinta feira 16 do corrente, fugio o
escravo Antonio cabund, alto, rosto redondo,
sry Urna boa morada de rasa terrea; na rua diario de uma casa, cose, e faz doces; na pouca barba tem signaes de lechigas ida-
do Rozario da Boa vista I). avi junto a Felipe rua do Rangel U. treze. |de de inais de 3o annos ja faz algumas ru-
Bandeira ; quem a pretender annuncie. tT Botins de Lisboa e francezes sapa-!gas, toma tabaco levou vestido calcase ca-
SS7- Um molalinho bem claro, com 4 | tos de uma c duas solas meios botins ditos j m'sa de hrm branco roga-se a todas as au-
annos de idade ; ptimo para pagem ; na rua borzeguins de lustro com o peto do p de brim thoridades e captaes de campo, e qualquer
do cabug I). 4 defronte do cerieiro e de duraque preto sapatos de couro de lus- pcs'oa que o prenda, ou mandem prender,
ondoquer que dr visto ou encontrado eo
condiuao, ou facoconduzir seguro a casado
seu Sr., no Recife rua dos Quarleis n. 7 pri-
meiro andar, que se satisfar todo o traballio.
Cir Os seguintes livros Hentham penas tro para homem e senhora ditos de duraque,
c recompensas Rossi direito penal, Silves- setim e marroquim de lodas as cores, chi-
tro Pinhciro curso dedret<> publico, Vollai- | nellas para homem, botins para meninos,
re diccionario filosfico, Rousseau centrado sapatos para ditos, iuvas de pelica para homem
sosi.il l'asceal Jos d Mello direitos das e senhora chapeos deso de seda bicos de
cousas ohngacoens c aeces em porluguez; linho lencos de seda fitas de garca chapeo
naruadoLivramcnlocasa D 9. do chile de copa alta e aba larga'; na praca
USr Urna mol ata de 17 anuos de idade, 'da Independencia loja de Jos A nton'io da Si-
excellente engommadoira e coslureira borda ; va n. 7, 8 e 34-
de toda qualidade, faz I varilo, ensaboa j 2^- Uma escrava creoula de idade de ao an-
e cozinha ; uma creoula de 13 annos de ida- nos, cozinha o diario de uma casa, e lava rou-
de, muito boa quilandoira tem principios pa ; rta rua de Horlas D. 17.
de costura e cozinha; na rua de Horlas de-1 125" Cinco Varas emeia de bco da trra
fronte do beco de S Pedro casa 10. para toalba de lavarinto ou vestido de Senho-
yj- O resto de sal do Ass a bordo do ra ; na rua Direita venda vinte e novo.
Brigue Madildes fundiado ao p do trapiche cr Huma ptima cadeira de rua, nova
nevo a tratar com o Capitfo. e c g(,sto moderno; quem apretender de-
is?- Meros bilhetes da Lotera do Semina- rija-se a camboa do Carmo D. 9.
rio ; na rua larga do Rozario loja de miude-
zas D. 7.
CT* Um terreno no lugar do Remedio com
l5o palmos de frente, e 000 de fundos, mui-
>

Kscravos Futidos
ssy Fugio no dia 12 do corrente ura es-
Movimento do Porto
NAVIO ENTRADO NO DIA aa.
IVIACEIO' ; 4 das, PatachoNac. Bom Finv
Flor da Amisade de 1J9 tonel., M D"
mingos Lopes de Amorim equip. 17
carga algodo e assucar ; ao mesmo Mes-
tre passa;eros 4 brasilecos
SAHIDOS NO MESSlO DIA
COTINGUIBA'5 Hale Nac Especulador,
M (ionsalo Jos da Costa em lastro.
No da a nao enlraro nem sahiro embar-t
cacoeus.
rEcu e xN a typ. ut: m. f. de f. Tn
c


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERQOEYMTF_I4ASO9 INGEST_TIME 2013-03-29T15:05:35Z PACKAGE AA00011611_03999
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES