Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03997


This item is only available as the following downloads:


Full Text
s
'VjT7
tr- !:.-
Anno de 1840. Qcmrta Feira.
* Tudo agora depende de nos mesmos; d nossa prudencia, modera-
cao, e energa : continuemos como principiamos e seremos .apernados
cora admiacAo entre as Gares mas cultas.
Proclamaco da Assemblea Geral do Brasil.
. Subscreve-se para esta follia a 3ooo por quartel pa-cs adianlados
I nesta Typografia, ra das Cruxes D. 5, e na Traca da Independencia
I *f.5? e 38, onde se rrcehem correspondencias legal isada, eannuucios,
j insirindo-se estes ,iatis, sendo des proprios asignantes, e viudos assig-
gnados.
Partidas dosCorreios Terrestres.
Cidadeda Paradina e Villas de stia pietenco..................
Dita do Ilio Grande doISorte, e Villas dem..................
Dita da Fortaleza e Villas Idcm.........................
Villa ce oianna..................................
Ciride de C)nnda.................................
Villa de6. Antio..................................
Dita de Garanhuris e PovoacSo do Bonito.................
Ditas do Cabo, Serinhaem. Rio Formozo, e Porto Calvo.........
Cidade das Alapoas, e Viliade Macei......................
Villa de Paja Todos os Correios partan ao meio (Lia. '
22 DE Janfiro. NJMEttCl 17.
CAMBIOS.
Janeiro, si.
Londres......bi i(i 33 por ifooo ced.
Lisboa....... So por o/o premio, por niciaioerecido,
Franca.......a,);, reis por franco.
hio de Janeiro ao par. ,
OUHO ~ Mpeda de 6#4oo rs Velhas i^Soo a iStforo
Ditas ,, Novas i..R'00 a
ii Ditas de iSooo rs., 8#ooo a
PRATA- Patacoes ftrazileiros---------------l#54o a
,, ^ Pezos Columnarios-------------------i ,#>$ o a
Ditos Mexicanos--------------------- 1J10 a
Premios das l.elras, por mez I i/S a 1 i|i por loo
Motda de cobre 3 a por loo. de disc.
<8oo
8^oo
'gOo
i#56o
i#54o
Das da Semana,
Segundas e Sezlas Feiras.
. Todos os das.
. Quintas feiras.
Oas lo, e > i de ead mez,
dem i 11, e ai dito dito.
.dem dem
dem 13, dito dito. '*

i
o Segunda------S. SebastiSo M...........Sesso da The, e ai.d. do J. de D. da a. ?.
71 le'.....S. Iguez V. M.......--------Reliaeo e and. rio J.'de D. da i. mu,
> Oii.rta--------S. Viceote M........--------SssS dr ieiouiaria.
23 Quinta--------Os Desposorios de N. S.----------ItelaciJo e Aud. do.l.de D. da a. rara de m.
a ?*.....N.S. da Paz...........Ses. da Thez. e aud. do J. de D. da I. -
3 Mbbado------Coiiver-o de S. Paulo.----------Kel. e aud. do J. de D. da
2(3 Domingo------S. Policarpo B, M.____-____
Mure chela para o dia 22 de Janeiro.
S 6 hosas e 54 minatos da tarde -- As 7 horas e 18 minutos da
3. r.

rnanliJ.

PERNAMBUCO.
i
GOVERNtTDA PROVINCIA.
Expediente do dia 13 do corrente.
OfTirio Ao Oommandantedas Armas, c5-
muniratido-Ihe que achando-sc preso des-
de -j6(\e Julho do atino prximo passado para
responder Con&elho de Guerra o Teen te
Jos Percira addido ao 5 Batalho de Caca-
dores desta rovncia expediccionario a do
Rio Grande do Su! ; compre que llie man-
de fazer o necessario descont da quantia de
a5Uooo reis mensaes que consignou a Bita
familia nesta Cidade, visto achar-se este olli-
eial a meio sido em conformidade da Le.
Dito Ao Inspector da Thesouraria, da
Fazenda cummuuicando-lhc o conleudo no
precedente ofFicio.
DitoAo mesmo, commnnicando-llie em
resposta ao seo ollicio de 7 do corrente mez ,
que a Presidencia tem nppro'vado a avaliaco
f'eita pela Tliesouraria para as etapes e
forrapens da I ropa de primeir;: Linlia desta
Provincia no semestre de .Janeiro a Junlio do
corrente auno.
Dito Ao Prcfeito da Comarca de Nasa-
retli ordenaitdo-llie faca letnessa da porcao
da ferramenta de abrir Po os Artesiannos .
que se aclia em sua Comarca enviando-a
direclamenle para esla Cidade a entregar na
Inspeccao Geral das obras publicas.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rinha, sgnificantlo-lbe, que tendo o Gover-
no Imperial determinado por Aviso de fi de
Dezembro do anno fintlo, que o constructor
Francisco Jos Mantillo soja conservado no
mesmo Arsenal com a gralificaco de 5oUooo
reis mensaes que bora persibe e bem as-
siin que se construa quanto antes urna Escu-
na ; compre que passe a dar principio a men-
cionada Constiuecao, recomnicndando-lbe to-
da attencii na maneira de enllocar as esco-
tillsas e a maior seguranea nos vaos e cur-
vas a fim de poder montar dous rodizios de
24.
Portara Ao Administrador Fiscal das
Obras Publicas, para payar a Antonio Hen-
riqtie de Ai-auto Mestre da Barcaca Cons-
tancia o fete da ferramenta de abrir pocos
artesianos, que condu/io da Villa deGoiauna
para esta Cidade.
Ofhcio Ao Prefeito da Comarca de Goi-
anna, communicando-llie a expedido da or-
dem supra.
Dito Ao Inspector Geral das obras Pu-
Llcas communicando llie igualmente a ex-
pedicefo da orn'em supra e bem assim que
foi dirigida ordem ao Prefeito da Comarca de
rN'azarelh para remetler a porcao da ferramen-
ta, que ali existe.
dem'do dia 1^.
Officio Ao Commandaule das Armas ,
para em cumprimento do Imperial Aviso de
1 de Dezembro do armo prximo passado in-
formar a cerca da pretenco do Teen le Co-
ronel de prmeira 1inba Trajano Cezer Bur-
iamaque.
Dito Ao Inspector da Tbezouraria da
Fazenda envando-ine a ordem do Tribu-
Mi (io Tbesouro publico Nacional sob numero
1:8 de 5 de Dezembro ultimo, declarando
que so pode conceder o ti acceitar lemissao
OS Em pregados a Autoridade que tem o d-
reito de os noineai ou appravar M propostal
quedelles se fazem.
Dilo Ao mesmo transmiltindo-lbe a
ordem do Tribunal do Tbesouro Publico Na-
cional sob numero r-jgde a de Pezcmbro
ultimo, determinando que se laca arrccidar
os oitos por cento cstabellecidos pelo artigo
t, da Le de i" deOulubro de 8;, sobre
as Loteras de todas as que se extra i tem nes-
ta Provincia concedidas pela Assemblea Pro-
vincial remetiendo a sua importancia para
o Tbesouro onde ser conservada em depo-
sito al a decisao da Assemblea Geral Legis-
lativa.
DitoAo mesmo significando-Ule, que
tendo a Presidencia de dar execuco ao que
determina o Imperial Aviso expedido pula
Secretaria da Guerra que se llie remmotte.
cerca da somma despendida debaixo da ru-
brica Reparos de Qiiarteis, fortalezas e
ao Joze da Cruz.
De Lisboa.
IWnnifestou o seguinte.
o Pipas com vi 11 lio 7 barris com dito 8
pipas com vinagre, 00 barris com azeite 10
caixas com toncinbo 25 barris com azeito-
nas 11 ditos com paios a6 ditos com cbou-
rices 0 caixas com passas 35 barricas com
grao debico, 1 caixa com macarro, 5o bar-
ris com figos Sj saccas com feijSo 3 ditas
com grao de bico 1 i-'o molbosde sebollas.
De S. Miguel.
Manifcslou o seguinle.
o Rarrilinhos com obras de linlio 1 bu-
a compra possa convir a que compareci no
indicado dia pelas 10 horas da inanb compe-
tentemente babelitadas.
Inspcco do Arsenal de Marinlia de Per-
nambuco 21 de Janeiro de 8^0
O Escrivao.
Luiz de Franca e Mello.
Relagao dos objectos de que trata o annuncio
cima.
Duas ancoras grandes com sepo urna dita -
com sepo de ferro cinco pedacos de amarra
de corrente tendo cada um pedaco l bracas ,
um dito de dita corrente de tome! rrais fina ,
So com carne, t pacotes rom obras de linlio conleudo mais de it bracas, um linguado
3 barris com carne de porro -5 caixotes com grande u.Tia cana de leme toda de ferro ,
ulnas de linbo i capot-ira com pombos 1 um pedaco de corrente com 4 '/' bracas de
Rventuaes,; cumpre que enve as informa-1 embrulho com obfas de linbo a ditos com 6 compridoe manilba nolim. um cobertor de
coes exigidas no mencionado Aviso que far livros pacotinlioa com obras de linbo, 1 grupes quiote gatos com sapalilbas de dtf-
reverter a Secretaria. saquinha com cuscus 5 a saccas com feijffo ferentes tamanhos oito maniibas dito dito,
Dito circular Aos l'refcitos das Comar-
cas pita remetterem com a possivei brevi-
daile, primeiro um mappa las pessoas que I tres mil pesos.
em suasCommarcas rivem de esmollas, quer! DePonta Del,ada.
as rece bao as portas dos Cidadaos caritativos, Manfeslou o sp^uinte.
quer as casas tlesles particularmente pela Saccas cora lavas 1 dita com
a peiltas para moinlifis 8 caixas rom bi\as seis arganos duas rodas to Ierro de escolas
ao amarrados com saceos vazios Saceos com de gavias urna pea d turco, duas pecas
vergonba de mendigaren! publicamente, di-
rigindo-se nesle trabalbo pelo modello que
se I lies remelle sol a letra A ; segundo ,
oulrc mappa de todas as Fasendas de criar
ou lavrar com declaraco do numero de escra-
vos de cada urna, fo re i ros emoratlores ,
organisando-o segundo o modello que so Ibes
enva soba letra iJ ; erecomendando-Ibes
a execuco do Airar de a5 de Junlio de
1760 na parte em que determina que nin-
gtietn possa tirar esmollas sem I cenca da po-
lica sob pena de ser considerado vadio e
sujeito as penas legaes.
Dilo Ao Inspector do Arsenal de Ma-
rio lia para mandar receber a bordo ta Hir-
ca de Vapor Correio Hrasiense loo riue
Icbegue a este Porto os objectos constantes dos
qualro coubecimentos que se Ibes rcmet-
tem.
' loA Cmara Municipal do Recife ,
declarando-llie em resposla ao sen ollicio de
8 do corrente que a Sesso dos 'tirados convo-
cada parao dia aa, pode cellebrar se na pro-
pria casa da Relacao, acbnndo-se to somenle
embaracada a entrada da gallera segundo
informa o Inspector Geral das Obras Pu-
blicas.
Dito Ao Juiz Substituto doCiveleCri-
me communicando-lbe o conleudo no prece-
dente ollicio.

r4 ditas cora feijao, 1 embrulbos com pao
de linbo, /{paroles com dito 1 ditos com I
dilo de estopa 1 dilo com pao le linbo c
nieias 4 ditos com obras lf I i n lio 1 dito
com ditas e semenles 1 dilo com las cober-
tas t fardiubos com obras de linlio 7 cai-
xolmbos com pano de linbo em obras arre-
li/uias e llores, 3 ditos com trez pedras pa-
ra filtrar agoa, 1 barril com pimenlas, 1
encapado com figos 3 baleas com carne de
poico 2 ar.corelas com manteiga de porco,
e linguicas, iq temos de cestas, i saquinha
com obras de linbo 1 caixote com linbas ,
do piao das vergas duas bocas das vergas
I grandes.
Inspeccao do Arsenal de Marinlia de Per-
nbaca nambuco ai de Janeiro de 1S jo.
O Escrivao.
Luiz de 1' rauca c Mello.
CMARA MUNICIPAL DE OLINDA.
Sexta Sesso ordinaria em 9 de Dezembro
de ,S'.
Presidencia do Snr. Guedcs.
Foi .aberla a sesso estando presentes os
Snrs. Vercadores Doutor- Rozelles, FerreL
ra, Passos Laages Jnior, Maciel Monteiro,
a ditos com cbouricos b i seo i tos linbas, e e Albuquerque faltan to com cauza os mais
ramos de flores, 5 ditos com pino de linbo, Snrs.
cobras de dilo, 1 dito com loucinbo 1 dilo Litla a acta da antecedente foi aprovada.
com obras de linbo ementes e cuscus 1 I I O Secretario dando conta do expediente
dito com cuscus, 1 dito com dous queijos mencionou o seguinle officio do Exm. Presi-
: dilo com cbouricos e toncinbo barri- dente da 'rovincia em que manda que fi-
cascom garrafas d agoardente 1 barrica com que por Administraco os contratos do Pa-
ag>a Inglesa 1 dita com ervilhas 8 barris trimonio que n5o foro arrematados por nao
com carne le porco toucinbo linguica tor- baverem lancadores aosmesmos pelos seus
remos, e cbouricos, 1 barrica com lavas e Orcamentos cujos contratos sao os seguinles :
4"? 1 pedras para moinhos O da Atlillaco dos pezos e medidas do Vuni-
cipio asCasinbas da Ribeira, 'o fornecimen-
ouiias miudezas
496 Lages de pedra 10 moiosde sal.
Diversas liepartigoei
itS.
.
TP.IB[]NAL DA RF.LLA.A.
Sesso do dia ai de Janeiro.
Na Appellaro Civel do Juizo de Direito
da Cidadeda Parabiba Appellante o Juizo,
e Appellados Francisco Arcan jo Severino e
Umbiina Candida Senborinba de Barros,
Escrivao Handeira ; se nao tomou coribeci-
mento do recurso por nao ser comprebenditlo
no uit yu da Lu de 4 de Ouiuuru uu i8J.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
O Brigue Portuguez Amelia vindo de
Lisboa, Pona Delgada, e liba de 5- Mi-
A Pauta be a mesma do numero a65
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta be a mesma do n. 7.
O Illm. Snr. Inspector do Arsenal de Ma-
to de azeite, agoa, e pavios para as prizes da
Cadeia a renda da Cazinba da plvora 110
Manguind um armazem por baixo da casa
junio a Igreja de Sao Sebaslio, as medidas
do mercado Cmara resolveu que Gcasse a
cargo do I roernador,
Despacbaro-se varios requerimentos e da-
da a hora o Snr. Presidente levanlou a
rinba manda novamente fazer publico, que sesso, .de que fiz a presenta acta em ue as-
no lia aj do corrente se vender em basta signaro. Ett J. J de Figueredo Secretario
pul lica pelas lo boras da manh huma por- a escrivi. Guedes Presidente, Rozelles. Fcr-
cao e cabo velbo de linbo: convita-se por
tanto as pessoas a|uem a compra possa convir
a que comparet o no indicado dia competen-
temente babelitadas.
Inspeccao do Arsenal de Marinha de Pcr-
nanibuco at de Janeiro de 1840.
O Escrivad.
I uiz de Franca e Mello.
O ilm Snr. Inspector do Arsenal de *'a-
rinlia desta Provincia manda fazer pubilco
que no dia 27 do corrente se vender em bas-
ta publica precedidas as formalidades do es-
tillo os obettos constantes da relacao abaixo
transcrita, perlencentes a Rana Fcanceza

guel entrado em ?o do corrente, Capitn | Bongainville naufragada na llha de Fer-
Joo Ignacio de Menczcs consignado a Jo- ] uando ; convida-se por tanto as pessoas a quem |
reir, Passos, Laages Jnior, Maciel Montei-
ro, e Albuquerque.
Est conforme.
Jos Joaquim de Figueredo.
Secretario
SREFEITURA.
."ARTE no nr ai.
1
Hlm. e Exm Snr.Das partes boje rece-
bidas consta smenlo ter sido preso minha
ordem por um soldado de Polica Antonio da
L'onceico Pessoa pardo, por briga ; e que
uada mais occorreo.


2
DIARIO DE PER-NAMBCO
BBI
NOTICIAS SCIElsTIFICAS.
Aviso aos Surtios,
O jornal allemo Per Freischutz de 15 de
Jnlho diz o segninle :
Os Sius S e R. Salomons, de Londres,
pertendem ter inventado hum instrumento
acstico (Smmlciter ou porta-voz), que nao
obstante ser ainda mais pequeo que lium du-
cado fazouvir s pessoas que padecem de
surdez a conversa pronunciada o mais baiXO
possivel no meio de huma grande assemblea
O pequeo instrumento intrutlu/.-se naaber-
tura do ouvido, onde nao cauza o mais pe-
queo incoDimodu.
A medicina Homeopilica.
A mesma folha cima citada a turma que
lium medico homeoptico acaba de curar hum
iloente atacado de ileliriunitremens (sceuler
W.ahnsion) com huma decima milliouesima
parle de hum rao de essencia de tl.er^biiiti
na 5 e acrescenla que outro medico da mes-
ma seito ltimamente dcspacliado medico do
estado-maior em Franca traz sempre consi-
go n'uma ca xa de tabaco lodos os remedi-
os hccessai ios para o Iratamento de todas as
molestias possiveis de todo o exuicilo fran-
cez.
Hum Vampiro.
A chegada de hum Vampiro vivo faz actu-
almente oobjeclo das conversaces dos occi-
osos de Londres. He o pi imeiro animal des-
ta especie que se tem vislo vivo em Inglaterra.
Aquelledeque se Irata veio de Sumatra, e
pertence a especie Vespertilio spectrum de
Linneo a sua horrivel apparencia d-lhe
todo o di re lo a este nome. Lst sempre com
a cabeca baixa, esvoacando na gaiola que lhe
serve de priso : os olbos brilho de huma
maneira medoidia.
(Ucr Freischutz).
Peproducco das pinturas oleo.
Em quinto Daguerre em Franca se im-
nioilalisa com as suas interessantissimas des-
cobertas pholograficas eis que apparece em
Berlim um homem merece nao tem menor cele-
bridade. e que com huma descoberla de que
he autor deixa o espirito duvidoso sem sa-
ber a qual dasduas maravilhas deve render
maior tributo de admiraco. O homem de
que se trata he Liepmann a descoherta que
se lhe deve he a arte de reproducir os quadros
a oleo com a maisescropulosa semelhanca que
he possivel.
Havia annos que no museo de Rerlim se via
sempre hum homem pequeo de estatura ,
mesquinho de apparencia e miseravel de ex-
terior. Cada dia que o museo se achava a-
berto l se encontrav o inf.illivl visitador.
Km lugar de discorrer pelas galenas para ob-
servar os diferentes quadros da colleccao
nunca sahia do salo la escola fiamenga on-
de se achava o retrato de Rembrand. Immo-
vel dianle desta "pintura ali se deixava esrar
horas inteiras com as mos cruzadas detraz
das costas, e sem proferir palavra. Todos
julgavo o homem alienado ; mas a suppos-
ta mana nao era seno a profunda meditado
de huma descoherta que vai fazer huma re-
voluco na pintura. Liepmann meditara so-
bre a invenco de huma machina propina para
rcproduzir os rjiiadros a oleo 5 e finalmente,
depois de dez annos de tiabalho conseguio
o seu fim alein de quanlo se podia razoavel-
menie esperar. Quem for sua casa ver o
espectculo o mais extraordinario do mundo ;
para cima de cem copias da cabeca de Rem-
brand do museo de Berlim todas da mais
escrupulosa semelhanca humas com as oulras.
Porque meio o conseguio elle ? He segredo
que anda nao quiz revelar.
Quando se pensa as privaccs mesmo na
fome a que se sujeitou este homem para re-
alisar a sua idea ninguem pode dcixarde
desejar vivamente que o seu trabalho obten ha
recompensa condigna. Sem mais auxilio que
o de huma nica criada, o marlyr da scien-
cia trabalhou longos annos desde pela manh
at noite sacrificando al a propria saude.
De noite fabricava lacre que vendia para
subsistir.
O que ha de mais espantoso no novo inven-
to he que o artista nao fez copia alguma do
nuadrn nue reprodu/io. mas que Iransnormn
na propria cabeca o original parte por parte,
proporco que ia decorando os differentes 1ra-
f Diento* naa auaa visitas ao museo. Hum dia
levava oi.ariz, outro hum olho outro hum
a.mel de cabello ; e eis-aqui porque lhe o-
1^0 pierisos annos para concluir a sua obra.
Scn outro iiiStrumento a lem da sua machi-
Va Luyixanri ulufl a das {-aleriau do mu-
seu real c na presenca dos directores do es-
tahele.-imento reproduio al cento ede/. co-
pias do retrato de Hembrand quadro cuja re-
produco segundo todos os pintores affirmao,
o He rece immensas ditficuldades.
Estas dilerentes copias nao podem ser ex-
cedidas em pe fe i o, porque at reproduzem
as mais insensiveis morte-cres do colorido.
O preco que o pintor pede por cada copia he
hum Frederico de ouro (6(5oo rs em moeda
brazilica )
A maravilhosa invenco de Liepmann tem
excitado hum reconheciinento geral, A aca-
demia das bellas-ai les de Herlin renden pu-
blicamente ao inventor o seguinte lestemunbo
de admiradlo em data de 5 de agosto :
'* A academia real cedendo ao desejo ex-
primido na vossa carta de 16 de julho esti-
ma muito atlestar que a impresso em cor de
hum retrato de Rembrand do museo real, que
vos Iheapresentasles excede lodos os ensaios
desle genero al agora conhecitlos em que to-
do o mundo a lera por hum verdadeiro qua-
dro a oleo feito com o pincel A academia
deseja que os vossos maravilhosos ensaios j
coroados de resultados to excellenles sejao
por vos continuados de maneira que a tanta
honra vos accrescente proveilo. "
Pergunta do Arbroath Herald,
" Ha poucosdias' diz o jornal menciona-
do, estanto huma rapariga desta cidade par-
lindo alguns ovos para os seos arranjos domes-
ticos achou dentro de hum delles hum peu-
ny de cobre do tempo de Jorge III e per-
lencente ao anno de 17uC). O ovo nao linha
defeilo algum e estava perfeilamente sao.
Pergunta-se de que modo aquella moeJa de
cobre foi ter dentro delle arianjanilo-sr l
dentro como se fosse huma das suas parles in-
tegrantes,
Combusto Espontanea.
A historia da medicina possue hum no-
vo exemplo de combusto espontanea que cau-
sn a morle de huma moca de Baiwhcim
(Blgica) O facto aconteceu em 3o de agos-
to panado. Parece que a desgra ada linha o
funesto costume de beber com muilo excesso.
As pessoas que presenciaran este aconleci-
mento affirmao que o fugo se manifestou pri-
meiro na boca e que depois se communicou
ao peito e aos bracos. (Monileur Parisin )
Meteorologa.
No dia 9 de setembro, s fi horas menos
hum quario da tarde grande parte do ter-
ritorio de Marselha foi vi.aineute Ilumina-
do por hum magnifi o meteoro e a maior
parte dos que o vi rao confesso nunca ter sido
leslemunhas de scmelhante pbenomeno mc-
teoiologico. fogo celeste mostrou-se na
conslellaco da uisa- maior, ese dirigi de
oeste para ste A comprida esleir lumino-
sa que deixou lomou logo huma (r azulada
bem semelhanle s luzes phosphoricas na es-
curido e s dissipou-se completa mente de-
pois de alguns minutos (Nouvellisla.)
( Do Jornal do Commcicio. )
Trabalhos gigantescos ios Estados-Unidos
Aqueducto de Crotn.
A cidade de. N.ew-York nao leudo suficien-
te agua, seus habitantes concehera o projec-
to de construir hum aqueducto por meio do
qual a cidade deixaria le estar exposla a esta
deagraca. Entre os diversos proyectos, eseo
llieo-se o de .hum aqueducto que recolhendo
as aguas do Crotn ao longo da marjem 0-
rientaldo Hudson virsse ter a hum ;raude
reservatorio na proximidade desta cidade
Este aqueducto, que temo cumplimento de
i4legoas, he, sem duvida a concepcio a
mais grandiosa do nossa poca. Conslrvindo
em hum terreno de 1 odias desigual monla-
nhoso elle encontrou obstculos immensos,
mas ludo foi vencido. Cometada ha pouco
lempo esta obra acha-se quasi terminada.
(Lespeitador.)
Nova Forca Motril, ou Navios Elctricos (*).
Ha annos que os phenomenos elctricos co-
mecarao a ser o ohjecto favorito das medilaces
dos sabios. O Ersled e nao Berzelia como
ha pouco se leu no Despertador conseguio
explicar todos os phenomenos ch i micos pela
Iheoria da electricidade ; e nao contente com
islo at imaginou que a forca electro-mag-
n tica poderla tambem appcar-se com fruclo
ao movingenlo das machinas. Seos piesenli-
mentos do sabio dinimarguez viessem a rtali-
sar-se, estava resolvido. pela maneira a
mais engenbosa do mundo o problema d"
movimento continuo. Porm a feliz idea de
OErSted tinlia icatlo como germe nao fe-
cundado na cabera ou no gabinete do in-
ventor sem que ninguem se lembrassedea
transportar para as officinas ede applCH-la
pelo niovimento das machinas ulilidade do
genero humano. F.ste segundo periodo do
seu desenvolvimenlo natural era ainda bem
longo e s lona de ie\a de paixo e de
trabalho he que podia vencer-se.
, Jacobi de. K-Tnisberg foi quem sC encarre-
i 1 cris par ib us a medida da dita elevaco*
NOTICIAS INDSTRIAES.
Memoria sobre a cultura das batatas na fabri-.
ca de Ferro de Mr. Monlevade, perto del
S Miguel as margens do Peracicava.
Hem persuadido de que ao paz interesa o
conbecinienlo de todos aqlullcs ohjecto's per-
lenceiiles ao ramo da agricultura, que po-
dem concorrer para augmento da popularlo
e aproveitamento dos terrenos que nao protlu-
zem em lauta abundancia como as matas vir-
gens os cereaes que o' uso comiiium tem feito
entre nos indispeusaveis subsislencia Oos lio.
m mis e d s animaes tfregdos no sei serrico
tullamos a [iroposilo deslraliir hum pouco a
gou desle inportante trabalho. Durante tmti- att.-nto de nonos leitores da materia de poli-
l'os annos se OCCUpou de experiencias relativas tiea para occupa-los com a publicado da se-
ao grande ohjecto e, proporco que ia guinle memoria ...
obtendo alaum resultado satisfactorio, o ia O resultado da experiencia de 7 annos da
communicando a academia de Pelersbiir o cultura das batatas tem provado que de todas
Nolbidifficil academia perceher quanto os as raizes a melhor he a nossa batata md.ge-
trabalhos dn sabio pruHtano promettio de n> muilo longe della vem a 11 andioca em
magnifico, eem consequencia disso foi Jaco- primeotugar edepois o man arito fai,
bi 'chamado a Petcrshurgo onde o impe- iniame ele. etc. Mas quereutlo engoi.dar
radorpzsua disposi.o todos os meios ne- poico com a dita mandioca e asiraues, e mea-
cessarios para construir hum navio que podes- mo fructas assim como as abobaras cliu-
se ser posto em niovimento sem nutra Corea clis etc nunca me tem sido possivel con-
que ada electricidade A academia nomeou seguir sem lhe unir o lul.a de nullio Ara-
huma commissao para assislir aos trabalhos zo b que aquellas ntizes tem somente polv.-
deXacobi; e he do seu ultimo relalorio que llioe mucilagem ; mas para boa corr.mula^o
eu eslou extrahindo esle artigo. A commissao e por conse.piencia nutricio Ibes taita o prm-
acha o problema mu perto da sua tomplela cipiosaccarino, o qual existe etwgrande quan-
resolnco; e he de parecer que com efleilo s lida.le unido a multo polv.Il.o s, ras htalas,
nodem vir a substituir os barcos de vapor de Alem deslas qualidades as bstalas tem
que actualmente se usa, p.^r verdadtiros na- oulras que Ibes danao anda a prele- enca so-
vios elctricos, e.m que. em lugar da im- breas mais, e mesn sobre a mandioca a
mensa quantidade de combuslive indispen- melhor de todas pOIS fazendo-SC hum.com-
savel para a producto do gaz nao baja pie- paracao entre as duas ve- se : l que ella
ciso de mais que de huma grande tina cheia se acco.nmod com huma Ierra mais inferior 5
de liquido c de huma machina elctrica. ^, que produz em seis a oilo rne/es na mes-
^ me superficie multo maior pezo de raz (aqu 3
Mudanca de Nivel do Raltico. a \ vezes mais] do que a m indioca em 20 me-
?es, e a raiz he muilo mais nutritiva e agra-
A olxervnco de que o nivel do Pallico vai davel ao paladar ; V, que exige s -. a i ca-
descendo lodos os anuos ia nao he nova. To- pinas e a mandioca 5 a b ; i', que sem re-
do o mu-ido sabe que a Scandinavia no lempo plantado ddoiS anuos socas abiinda.iies 1 o
de Eneas Silvio que ao depois foi papa com que nao acontece u mandioca) em rasao do de-
o nome de i io II era hum aggregado de Irito da rama e immn.sa loll .:em <|ue co-
qu.t.o ilhas ', que os canaes que a seoaravo brindo a superficie da Ierra a conserva sem-
loiodimin.iin.lo pouco e pouco at desappa- Vre fresca ele 5 5 que se conserva quasi
recerem de ludo ; e que as amigas quat.o de hum anuo a outro sempre boa eag.adavel
ilhas tle que se lala formo boje hum con- ao paladar 5 que nao he dammlicavel pe-
linenle unido, por toda a parte cercado de lo vento como a mandioca a qual mullas ve-
mar e pegado com a Russia pela parle da La- zes fica de todj arrancada e arrumada por este
ponia Estes phenomenos, porm, tinho agente; 7., que nao he to perseguida da
pascado durante sendos por diauto dosolbcs lormiga. Emfim desde que eu a cultivo,
S. mundoscieotifico, sem que a atiendo dos ainda nao tem havido peste nos meus animaes
sabios se diriwse sobre elles com a constancia c\e servico e na porcada quando os meus vi-
necessaria para os inierprttar. Esta omissao sinhos, quenio tem adoptado anida acttllu-
acaba de ser remediada pelo gelogo l'.ar. ra della lem sido arcommeltidos drsle tl.gel-
-\s olwfcnacf.es contidas na memoria que o lo: porque, a!em della ser mullo nutritiva,
i.alil natnraiisti-ol'ereceu academia bobre he hum tonto laxativa. Ella pcodu mais as
oassumpio.ltndem a lazer ver que o den es tenas assentodase vargedos, eulil nos an-
cimentonas aguas do Balico he prosivo nos de c u a que nos de sCeca; mas resiste
quero di/.-r que se o nivel desle mar dtste km a estos esto3es extraordin iras poi* nos
huma* rolegada em .a mezes descera duas auno de 18 e H i o prnneiro mulo ciui-
em > 1 tresem e assim por diante; de voso e o segundo excesivamente e.ro ella
maneira que. verificando-se esto ch cumplan- medeu produ'toa abundantes; e mesmo no
lie ser tocil prognoslicar a poca em que aun de .>'-{, colhi ,00 alquei.es della em
o Bltico deve desapparecer da superficie da 4 e meio alqueiresde torra de milno : gratas
tena. A academia juljjoo a memoria de bir a ella tive futura n-'Sle lempo de calamidade
digna de allenco ,'eo governo mandnuoca igeral!!'
pilan de mar e guerra Reinecke examinar com : Ella da melhor na Ierra Iraca composta de
todo o cuidado pobsivel os vestigios do nivel a/1 rea 1/ argjUa do que na mass.pe; a nu-
do mar as pocas anteriores, eiicarregaado-
0de fazer marcar as rochas signaes que il-
lusliem hum dia a pesteridade sobre este
grande e cuiioso pbenomeno
nha |edesta qualidade .porque provem da
deromposico do gneine granito, base das
nimbas, montonhas.
A sua cultura he fcil mas com ludo me-
(*) Comparem os leitr.res o que aqui se diz
acerca dos navios elctricos com huma pelito
que durante a sesso legislativa passada se
a presen tou na cmara dos dcpuiados pedndo
hum previlegio exclusivo a nitor de ham no-
vo invento por meio do qual se poderia na-
vegar nao somenlc sem velas mas mesmo sem
O auxilio do vapor. (Noto do redactor.)
A I.Ypoihese de liar parece extremamente rece alguma allenco Tem duas maneira* ce
provavel ; e em todo o caso he hum raio de reproduzir-se 5 priineira com a raz segunda
luz que serve para explicar hum fac.o nolavel | com a rama no primeiro caso plapla-se o
quehamuilos anuos lem dado nos olbos de \ milho no .primeiro de Miembro como se eos-
lodos anuelles que observo ; tallo do augmen- turna e logo que elle liver 4 a (i lolhas ca-
lo constante de Trio em lodo o continente da pina-se com cuidado e na mesma oneraoao
Euroi a e sempre na direceodo norte | ara se abrem tovas de 4 palmos entre o milho e
O meio dia. .fe sabido gue mutos partes da dentro se poem as batatas que podem ser
Laponia que anligamenleero habitadas nao mesmo as mais pequeas ede relugo. mu
O sao boje e que it popula o da Suecia vai nou vodias comecao a vegetar. Nao se de-
retluindo pouco e pouco por este motivo para ve demorar em dar a eapina aquel stl'1
as provincias meridionaes. Aparte habitav el' muilo penosa se se tsperasse que as vergonleas
da lslandia lodoso* annos se vai restringido col lissem a Ierra. Esto eapina he ulil nao so
cada vez mais ; e ; geralmente fallando em ao milho como s batatas que acl.ando-se
toda esta parle do mundo a linha das neves j descmharaiadas loman immetlialamenle con-
etenis vai avancando de huma maneira mui-, la da Ierra: com ludo he aro a pesar do
lo sensivel. A hypolhese da descida prog.es- maior cuidado na eapina que nao se de lei-
sivado ni'el do Hallico explica salisfacto'ia e
completamente psie pbenomeno. A desoda
progressiia das aguas importa o mesmo que
,1 elevado correspondente das parles por ellas
han hadas cima do nivel do n.ar ; e por hu-
ma le physica geoeralissima do nosso globo ,
a diminu'o de temperatura deve seguir,

ceira e quarto mi no primeiro anuo para is
diminuir no segundos lerceiro poia sem se-
ment nao pasee capim. Em Ierra boa dea a
superficie della inleiramenle cubera com a ra-
ma das batatas que logo Irepa pelo milho ,
e o abalarla certamenle se elle nao fosse enlao
I a a m adulciendo.
'



DIARIO DE PERNAMUCO
n

ir
(lomo bestbido nue ein lo;lis as plantas o | trra milito beneficiada c clrumada e fal- destnarcm ao Commerco a cometar desde
desenvolvimento das raizes est serapr'" em ta-lbcs o principio samcariao, W bem que pro* piimeins letras.
O* Profossocei dis diversas aulas, sao de
iim mrito recon'ierido.
Os Estatutos do Collegio sao francos ao nu-
prnpoicio dos ra mos e 'ollwis que alim<*ut 10 ;
vegPlaco a bsica do milho por lano coo-
pera para o augmento ila prodlKt'So das hala-
tas .No secundo caso querendo f.izer a plan-
tarioCOU) o sipo, se d< ver em meados de
ni'lio preparar cavando'hum qntrtel de ier-
ra proporcionado cultura que se quer fazer,
peni lugar que se possi regar ; plant-se
depois as batatas com intervallo de $v \ pal-
mos ea ierra inda Rea cubera "de sipo dentro
de nvv.es e meio ; e quando elle csli duro,
esrolhp-se huma estacan chuvosa para arran-
ca-loe pica-lo em pedacos de ires palmos ; e
na planlaeo do miliio copinado, como
disse em covas de Ires e meio palmos ou me
nos porseba hum sipo d^itado na covu
qomasduas ponas de fra deitando como
p trra sobre ee e cltuvendj nao tardar a
vegetado a apparecer- No quariel de Ierra
preparada donde sahio o sipo nasce immedi-
a lamente pova srpoagera, e se colhera5 bata-
tas coro abundancia a pesar da sangra dada
vegetado O primeiro melliodo com a plan
tacao de raiz em anuos d# secca he prefervel ,
mas he preciso caulella com os lalis que a-
vesados vo de cova em cova arranca-las. o
cupim lamhem fai damno.
O secundo mclhtdo, quando acontece chu-
ver \offl depusda Iransplanlaclo, do si;. he
rnuilo hom porque lem de nao ter os in-
convenientes cima indicados poupa a rai/. ;
mas se vier hura sol ardenle e secca prolonga-
da., muilas ve/es o sipo fenece.
Em campo (mulo prefervel nos matos por
causa das ra/es e tocos que embaracao a co-
Iheita) seja com a enxada teja com o ara-
do em Ierra caucada mas de boa e proprh
qualdade como a minba tenho chegado a
eolher sem psIi uoie tem outro beneficio a-
lem das quatro copinas cima indicadas, mil
f oitocentos al(|iieires poraqueire de ler"*a de
mil lio e cincoenta a sessenla alquriresde mi-
lito Principio a col he-la em maio fazendo
u/o da charra que poupa dous tercos da o-
bra de mo e nao damnifica as batatas : mas
be preciso arrancar previamente as ra/es .
pedias cupins etc. e desta maueira nao
precisando cavara [erfa, empreo enancas de
oilo anuos mullices c (tracas inferiores.
Devo diserque de todas as especies de bata-
tas jiie tenho cultivado tenho adiado que as
amarellasdao mais resislem melbor s esta-
cos e conservao-se melbor na trra ; mas
sentpre cultivo bum quarlel das chamadas de
Ancolia que sao brancas cm asdnas ponas
meio rosadas por virem mais cedo hum mez .
e estarci promptas no principio de maio em
quinto as amarellas s em julbo eslo madu-
ras.
No secundo auno em hipar de mil e oilo-
eputos iqueres apenar da tena revolvidae
livre de semeulps decapim, a rolbeila nao
me
Avisos Diversos.
res
tetn dado mais de mil t Irezeulos viquei
, c hii.it.js mais miud s. e no lercoiro an -
noscismilo! dqueires o que prova q:
se pndem mesmo ni la Ierra aliemoada, in-
frio ir as leis i iie e
por l. nlo .i
l!.01 cultivar oul > plantas y m i
proveiio e passados npnos vollar s batal
e continuar a roleaco Tenho costume de
dar as btalas co/idas aos parcos e galio*as .
que engordad coro el Ua melbor do que com o
mimoso' as beatas ecavatios de estribara as
comem croas ; raladas o torradas do huma
familia su; ei ior nogosto ao da mandioca e
do abundante polvilno mas mais irigueiro.
De tres em lies das be que se devem arran-
car pata o consumo, pois s conservad mulo
bem na ierra o que nao acontecera guarda-
das omito lempo amontoadas slem do lo-
cal para guarda-las Col lio anpualmente de
cinco a seis mil aIqueires este anuo n'buma
exlenc de ciuco aiqueires e nteu de trra ,
colhi perto de seis mil alqaeres c ellas se
conserva rao na tena ptimas al estes das
passados em que se findou a colheita. Com
ellas sustento dujtetos porros de lora equa-
reniadeceva, treseolas gallinlm, ovelbas
pai idas e nao casto milito i\ci me/es com de-
zoilo bestas ecavallos rento e viole pretos
ccad c Cimera dlas ad libilum lodo o auno A
minha d"Spe/a de miiho licsde mil Iresenlns
e ciucoenU alqueircs e nao podia ser menor
de nualio n.il ediuenlos ( s ->, o liqenes
de milho, e minios oi.lios sei vicos licu por
tanto predu/idos n huma tura que nao daria
mais de djUzenlos e cincoenta akiueires com mulherw e meninos: v-seque paia produ-
tru ilbo se* c uce ao menos de des \e?es
ntais bracos. Tem-se proposto varias re/es a
cultura d..s balitas chamadas ingieras apesur
de'las tuni filbis d America \ inns eslas nao
du/ ein tic/, mezes
Vsi'.'iim quen"is que se polem tirar do a-
i Lma > iiiuies .
i. As I atalas indi [en ts sao de todas as rai- blico a qualquer hora,
zes e mesmo l'nutas a mais nutritiva.
i. Produzem no curto espa o de seis a nove
me/es com huma cu llura snlFi ente, pro-
ductos sauda veis ptimos abiind mies e in-
faHveis o que nao acontece com as mus ra-
ces e tractos ty Ro,"a-se oos Srs. Redactores o favor de
<. Deve-se restringir o mais possvel a cul-!esclarecerem o seguinte Ve os oceupadores
tura do milho, oqnal e\i,;e huma trra su- dos Predios urbanos, tendo Tarrido suas tes-
pernre muito m ior Irahalbo, eciljo rend- tadas nos di.is Domingos al as seis horas da
ment muilo diminuto he lo precario que manb conforme determinou o Art. n" das
pe a populaco inteira no maor pergo quan- Posturas addicionaes se em oulro da o de-
do elle vera a faltar. ; vern fazer debaixo de qualqucr pretexto e o
J. Podem com a cultura das batatas utihsar nao fazendo se deverao sofrer a pena commi-
as campias co.n mnita vantagem ; e de pe- n1(|,, n0 Art. 6. ^ ., e de cujo favor Ibes se-
ferencia as vorgens empregando a charra r agradecido
paia a* cnlli.ar e arrancar. Um que nao quer errar.
S Potipando para pro lo/ir a mesma q'uan- -----JJ0 clarissimo que s devem ser varri-
tidade alimentaria f^/ o dos bracos em prega- das as testadas das casas e mais lugares apon-
dos na cultura lio continenle e intpiclicua do |,l(|og n0 ^ Hcma citado nos Domingos at as
milho, vem desta manera as batatas a snp- seis horas (at as seis horas/! !)e nao em ou-
pi ir a falla que ha delles com a diminuico iroquidquer da debaixo de qualqucr pre-
progressva dos bracos africanos. lexlo que seja salvo s o proprietario ou mo-
0. He recoiibecida agrande mpulsao que rador da casa quiser, caso em que o poder
lem dado ao augmento da pupulacao europea fizer nao s lodos os dias sino todas as ho- .Tlistca Criminal por Berenger ^ lodos em
as batatas muito inferiores de l; ; he impossi- ras ? c todos os momentos Esle o humilde Francezj quem for seu dono baja de procu-
vel que a nossa nao deceba huma ainda maior. pensar dos RR, j ral-os cm S. Francisco que dando os signaes
9 Com a cultura deltas he provavel que se jjy- Perdeo-se ou furtou-se duas letras cerlos Ibc sero entregues; adverte-se que
evite em parle a emigracao di pojtubuo des- todas da auantia de cincoenta e quatro mil rs., ditos livros forao ollcrecidos compra por
gracada a qual nao acbando nos campos ma vencida boje e outra a vencer a iq de um moleque.
meos spgros de subsistencia vai privando Fevereiro sacadas por Jos Moreira da Silva | t^~ As Cautelas que se achao a venda nos
as geracoes presentes e futuras destas florestas eacceil 'S or Jernimo Cer.ar de Mello ; av- lugares publicados no Diario numero 7 de
riquissimas e ndspensaveis para as rlese sa-se pois ao mesmo V aeccitante que nao as lo do correte com a rubrica S. Reis
pague seno ao seu legitimo dono existem mais d'ametade por vender; o dia
-----Quem quizer dar um conlo de reis a 37 principia o andamento da segunda parle da
juros de dois por cento ao mez com hvpothe- dcima sexta Lotera do Seminario a que
ai em urna morada de caza no bairro de Sanio corresponden!, est prximo. Adverte-se por
Antonio annuncie ptjr esta folha. tanto aos concorrenles, hajo de Ibes dar a lo-
-----Precisa-se fallar ao Sr. Manoel Fer- tal extraco preode 6 o reis nao deixa du-
nandes da Porciunrula negocio de seu in- vidar para o divcrlimcnto das Laranginhas do
leresse na praca da Boavisla nove. ebeiro ; as sortc premiadas sero exaclamenta
-----L ppssoa que annuuciou no Diario de pagas; do contrario ficar' parausada, para
segunda feira vinte do corrente querer trocar a outra que se seguir do mesmo Senuua-
uma escrava engomadeira coznheira e qui- ro.
tanlo bucal com una pequea ftida no Ior*
nozellodo p esquerdo levoo carniza e semrt"*
la de algodo/inho e lamhem calsa c carroza
de riscado : roga-se as Aothoridadea Polieiac*
e Capitaes de Campo hajao de os aprehen-
der elevar a ra do Viga rio armazcm ?).
11, ou ni Magdalena silio de Miguel Cor-
reia de Miranda.
t^" Precisa-se de um creado que saiba
bem cosnbar e entenda dos mais arranjos do-
msticos para caza de 11111 homem sollciro lo-
ra desta Capital, sujeitando-se oulro sim a
andar vestido de libre ; quem quiser encarre-
gnr-se desse srrvico dirija-se ao atierro da
Coav isla segundo andar do sobrado D. qua-
tojze.
C5" Urna mulher linda moca e de bom
comportamento deseja ser ama de homem
soltuuu, sabe bem engomar e coznha solfr
velmenle ; quem do seu prestmo se quiser u-
tilisar annuncie por cala folha a sua inora-
dla.
S27* Quem precisar do hum rapaz Rrasilei-
ro para caixeiro de ra, ou outra qualquer 0-
cupaco, (menos venda) ; annuncie a mora-
dia.
ir?" A pessoaa quem lhe faltar tres livros,
rmlo hum da Obra completa de Voltairo ,
oulro Luz das idades modernas, e ourro
navegacao,
(Universal de Minas.)
(Do Jornal doCommercio )
VIAGENS SC1KNTIFICAS.
Descobrimento do Polo Magntico.
Na Lilcrary Gazelte do mez de Setembro
l-se o seguinte:
Acajta de partir para huma expedicao an-
larclica o Terror, commandado pelo capitn I tandeira queira entender-se com Jos Auto- ts?- No dia 3o do errente h partida da So-
nio dos Sanios e Silva morador defronte da ciedade Lnhentna em Beberibe e o Director
ribeira da Boavisla da mesma faz scienle aos Snrs. Socios que
- Precisa sede urna pessoa que lave rou- nenbum poder levar convidado (conforma
pa ; na ruado Rangel no primeiro andar do marca os estatutos ) sem que aprsente o no-
sobrado que tem olo para o beeo do Vergi- me a commsso adinnislraliva para se poder
nio. rellacionar, e dar Bilhetes por mci dos quaes
-----Precisa-se de urna ama que tenha bom lero os convidados o divido ingresso e pa-
leile para criar nma menina de seis a sele me- ra facildade dse saber quaes sao os con vi
os felos. Os navios estao prvidos para tres: zes ; quem psliver neslas circunstancias diri- dados, o Director pede aos Snrs. Socios que
anuos, e enriquecidos com lodos oslnslru-l ja-searua doVigario no primeiro andar do lheapresenlem em sua residencia humi lista
mrnlos scieniKcos que ministrou a sociadade sobrado por cima da botica do Sr. Peixoto. declarando os nomes das pessoas que querem
Crozier, e o Erebo pelo capillo Ross. Nada
foi ncgligenciado para premunir psIs dous
navios contra lodos os obstculos de lo peri-
gosa expedicao Huin tubo quadrado de ferro
foi nelles posto de modo que podesse manler a
bordo huma temperatura sempre igual e doce.
Do ultimo ron vez parlem em diversos sentidos
serrasdo coirprimentp de 3o pi para corlar
cal de Londres
Os eslor os dos dous celebres va antes t*n-
C/- Da-se cnto otenta e cinco mil rs. a convidar, a fim de poder aprescntal-os em
dinbeiro por apolices da extincta Compa- cammisso para sciencia da mesma.
b rao sobre ludo a a profundar os dfseobrimen-1 nhia de 'ernambuco e Paral.iba : quem as ti- C7" Precisa-se de >ooU reis a juros de do-
fevprpro e niafio df-'c jnno na ver e quizer dispor 'dirija-se a loja doSnr. ns por cento ao mez, por um anuo, dando-
urra chamada I nd e a ilba de Ral- Francisco Joze Pereira Braga, no Arco de se para seguranca hypoteca em bum sitio de
' procurars Sanio Antonio D. >. plantar no lugar Tigpi livre c deseinba-
ms longe quel E?* A quem lhe fallar um pird, dndoos racado ; quem ele negocio qniser lazer ,
magntico signaes cerlos : dirija-se a rua das Flores D. annuncie por este Diario a sua morada para
ei berto no 5a grande 5, que Ibe ser entregue
lude c ).,' de K

\ aera Archeelogiea r.o Oriente,
I .. Maria Amalia Costa, e sua Irmaa ,
se procurar.
iZf Huma pessoa de hons costumes e que
residentes na rua .da Conceiio da Boa-Vista tem os conhecimentos necessaros pertende a-
N 8, prope-se a tomar meninas ensinan- brir aula de primeras letras no dia vj do
do-as a 1er escrever costura cha bordar crente, prometiendo empregar torios os mei-
de matiz d'ouro e de todas as qualidades; | os para o adiantamento de seus alumnos ; to-
M. 'bares Texer fez ullimaroente hura bem como marcar de todas as formas; tam- da pessoa, que se quiser ulilisar do seu pros
descobrimento archeologico domis dio inte- bem acreitao eaprompla qualquer obra de limo pode dirigir-se a ruade Sania Tliereza
(Despertador.)
O Collcgio Pernambucai.o cncerra em sen
seio lodos os preparatorios que a le exige para
podem supportar a concn enca com as doces as Academias de Direilo e de \icdicina do lm-
e principalmente nesle paiz ezigem huma i perio, assim como para os alumnos que se
t.
resse no seu trajelo de Smvrna a < onstan- i modista romo toncados vestidos, chapeos
I inopia Fin Magnesia do Meandro assa ci- e etc. : ludo com o melbor gosto e na ulli-
dade que Xerces l'nba dado a Tbemistocles na moda.
achou o nosso viajante as ruinas desse oulro 13" No beco de Sao Francisco D. a. vende-
templo de I fina, queStrabon p6ecima doisc bum poucode palo fino propro para ofli-
de Epheso lano pela superioridade das di- cial de moinha humlimode Sarja, hum
menses cont pela da aichilectura. Fvr- par de brincos -de fuagran, dous anelo, huma
dentemente o templo linha sido desmorona- loneta eniaisouro, assim como lamhem lui-
do |.or hum ten emolo, ma guitarra de boas voses. ludo por preco
cemodo por a dona 1er de se retirar para
lora da Provincia. Na mesma casa dezeju-
se allugar urna casa terrea no bairro de San-
to Antonio nao se escothe rua sendo
tenha cmodo para familia dando-se de alu-
iiei oilo mil reis
$2y* A .'enhora que se propoem a tomar al-
gunas crian as j desmamadas para as acabar
de crear com lodo o mimo e amor e que lo-
bem recebe dgumas que lenba ama para se
iriar rom leite mora ua rua de Hortas defron-
te do bpco largo de S. Pedro caza l>. dez.
i'_f A ii7Pniar:nj-e da Magdalena, no dia
seis do corren le dous [netos com os signaes
segrales, nm por nomo Antonio (conherido
por Fortuna) naci Cassangs altura regular.
Lem prcto e repltenla ter 3 1 a aS anuos de
LOTERA DA BOA VISTA.
O Thezc-ureiro da Lotera concedida a be-
neficio das ohr/.s da Matriz da Boa'isla ovi/.a
ao respeila vel publico: que os hilbeles se a-
cha venda 111.s lugares docoslume. e bre-
ve se niuicar odia em que devem correr as
rodas.
(OLLF.GIO PERNAV'BTICANO.
Toa-Vista, rua Fonmosa.
id
levou
le lirini I
aile levou casa ele iinm tranco, carniza
de madapolaoc chapeo prelo de scila ; eo ou-
tro de uaco Quicam de nome Tliomaz re-
presenta ler i5ai aunos muilo lula, um botica D. J.
D. i3.
t*~ Precisa-se hum homem que queira lo-
mar conta de huma venda com sociedade,
entrando, lo somonte com huma pequea
quanta, para fundos da mesma, quem sea-
char nesla circunstancias pode dirigir-se a
Boa-vista defronte da Ribeira I). 38.
S27* Dezeja-se allugar urna casa terrea pa-
ra pequea familia, que tenha dous quartos,
sita no baiiro de Santo Antonio, preferindo-
se as ras por onde passem poreces dndo-
se de aluguer al i-jUooo reis, quem a liver
queira annunciar a morada por esla folha,faz-
setambem qualqucr negocio com algum so-
brado de hum andar ou primeiro andar de ou-
tro.
G7" A pessoa que annuncou querer falar
com Joaquim de Santiago ; procure na rua
de S. (ioncalo caza I). 4 que em sua falta
achara seu mano visto que se acha molesta
na Cidade d Olinda na rua de aixo em a
nl-radinho e loja que na dia rua nao se -
cha outro e nao lem decima.
C?- Ppr.iza-sp de huma caz* terrea naru
da praia ainda que precise de alguns con--
cerlos, e paga-se maior altigucl, comanlo
que sirva para negocio quem a livor, e qui-
r.er esle negocio ; dirija-se a rua do Coleg*


V
DIARIO DE
nrm
PERNAMBl'CO
"II III1MW
nennRR
tsj" 0 abaixo assignado faz sciente ao res-
peitavel publico, que se relira para foradesla
provincia a tratar de seus negocios -Rodrigo
da Costa Carvalho.
ft^> Precisa-se alugar urna pequea casa
de sobrado OU algutn andar que leuha o
commodode se fazer urna cstraiia para por
um cavallo e que seja em boa stuacio. u*-
vendo servir para um estrangeiro que lie
solleiro ; quero (ver annuncie.
OS* Januario Alexandriuo da Silva Ribei-
ro Caneca morador na ra do Livramonto I).
14 Drop5e-se o primeiro de Fe*ereiro do cr-
rante em (liante a ensinar gramroatica portu-
guezapornm metbodo muito claro e abre-
viado e o mais proprto a capacidade das en-
ancas ; di aula em sua casa.
E5" Um rapaz brasileiro de idade de 17 an-
nos se oiferece para caixeiro de loja ou de
OUtra qualquer arrumacao, oqual sabe 1er,
escrever, e contar sofrivelmenie e daador
a sua conducta ; quera precisar de seu pres-
t'ur.o di rija-se a ra do Rosario botica dos Srs
Railbolomeo & Runos
H*- Lna pessoa casada e com pouca fa-
milia, ollerece a melado de sua casa na boa
vista para morar com a mesma alguma se-
ibora vi uva sendo honesta e de bous costu-
mes, e que nao lenha filhos, concorrendo
somentecom a metade do atuguel quem es-
tiver nestas circunstancias e nao poder com
os pesados alugucis annuncie.
tST Avisa-sea os Snrs proprietarios das
apolicesdeGross Zdikan que pelo ultimo
Paquete ehegara lista dos premios a pial se
acba em cusa de N O. Rieber & Companbia
para a inspecao das uicsmas aoude tambein
se pago os premios das ditas apolices.
ISf" A pessoa que precisar de um homom
para se encarrgar de cobrar divida* lora da
praca ou vender fazendas ou outra qual-
quer ceupa cao que se l'be offerecer pois tem
bastante platica d fiador a sua conludcla,
dirija-se a ra do Collegio venda de Jos .Ma-
ra.
7* J. Cbardon faz scientc que por cauza
de demoliao ira us ferio todas as fazendas da
sua lujada ra nova I) ia na quina do beco
da camboa do Carino para a sua outra lo|a de-
fronte na mesma ra nova JJ. /j lado da Ma-
triz.
tE^r Precisa-se alugar uma casa terrea na
boa vista, nao sendo em bi eos e que lenha
3 quarlcs cacimba e I om quintal e nao
eicedendo o seu aluguel de ;oa 12,000; quem
ti ver annuncie
i^/" O Sor. Antonio Clemente Estoves de
Larras queira dirigir-se a ra do Rangel D.
41 a negocio de interesse; na mesma osa ven-
de-se uma boa escrava sen vicio, engomma
ptimamente liso lavadoira cose alguma
coisa c eozinha o diario ue urna casa.
Rjj* Precisa-se de un bomem para entre-
gar fazendas as cesas abollas de negocio e
que dellas lenha conhecinienFOs*', e que lenha
as mais uudidades precisas; quem esti'cr
nestas circunstancias annuncie.
iZJ" Uro brasileiro de boa conducta que
tem bastante pratica de ser caixeiro do bo-
tcquim edema, e d fiador a sua conduela;
quem precisar annuncie.
Qi> Na ra de S. v>iguelno atierro dos
affogados ha urna pessoa que se prop'e a to-
mar cavados para tratar tanto de estribara
como de campo por ter para isso bous com-
modos ; tiata-se no niesmo lugar em casa da
viuva de Anacido Montes, ou na ra do cres-
po D. 8 lado do Bul
tu* Quem tiver para alugar uma casa ter-
rea no Bairro de S. Antonio 011 loa vista ,
que seu aluguei nao exceda de lo,000 dirja-
se a ra eslreita do Roza rio I) a .
SSf* abai.xo nssign>dos pasiageiros do
Patacho Nacional Dous Amigos, agradecem
ao Capilao do mesmo o Sur. Jos Paulo dos
Res o bom tiatamenlo que recebero do
dito Sr. a bordo do dito Patacho durante a
sua viagem da Babia para esta Cidade e
como os mesmos nao podein testemuubaro seu
reconhecmenlo de outra maneira por isso
o fazem publico Antonio Alves de Carva-
lho Joaquim Muniz i'acheco.
ZZT Na ra do Rezano era casa do Snr
Manoel .'os Mondes Raslos existe uma car-
ta viuda da Babia para o Sr. Manuel de Sao
Roa ventura frerraz.
i^r- Traspassa-se a posse de cem palmos de
terreno alagado com fundo at o rio 110
atierro do varadouro na Cidade de linda da
parle da mar unto a camboa do pi/.a ; na ra
do Arago L). 9.
I sagem dirija-se a os consignatarios Me. Cal-
, moni iN Companbia
FRETA-SE para qualquer porto o supe-
I rior Brigue Sueco Celedonia. Capitffo ound;
trala-se com Me. l almor & Companbia.
FRETA-^E para qualquer porto o sure*
rior e muito veleiro Brigue Ingles Fanny.
CapilSo llulleit, forrado e enravilhadoi de co-
bre de primeira classe( AI) j lrata-se.com
Me. Calinont & Companbia,
PARA O RIO DE JANEIRO o Brigue Es-
cuna Amisade forrado de cobro e de pri-
meira inarcb.a com loda brev idade ; quem
quiser carregar, ou ir de passagem para o
que tem exollontes commodos, dirija-se ao
Capillo Joaquina Gonsalves Maia ou na ra
da radeia n. 5o
PARA ORACATYat ir, do correnle,
a Sumaca ConceicSo Plor do mar; quem qui-
ser carregar, ou ir de passagem, dirija-se a
Antonio Rodrigues Lima ao p do Corpo
Santo per cima da lo'a de cabos do Sr; Mi -
(loro, oibaoMestre Antonio Jos Vianna a
bordo da mesma Sumaca fundiada del'ronle do
trapiche novo.
Lt e i I i o
tros de pinho do comprimen- CT Superiores puros charutos da Ha va-
palmos c da gro-sura t\o na, da fabrica de ~VRELA-, emeaixai
gadas; no cserplorio de L. de aSoede rroo ; ditos de Hainburgo; e ditos
da "achoeira ludo prximamente rheado-
na rua do Cabug loja do Sr. Bandeira
tST Uma negra de nacao, cose, engom-
ma lava ecorinba ; na ruado Livramen-
lo I i. 13 primeiro andar
STj=- Quarta feira i do crtente as de/, ho-
ras do da a bordo do brigue americano
Clio fondeado ao p da escadtnha do Caos
d'Alfandogad uma porcao de carne secca com
avaria por corita eiiseo de quem perleucer
por ordena do Cnsul Americano.
OS*" Que fazem Crablree'lleyworlh & C
por nlervencSo do ( orretorQMvera, de uma
porcao ;;odaosinbos lencos avariados por emita *le
quem poiloncer c de um bom sortimenlo de
fazendaf limpas entre ellas um eaixole de
roupa para creanca consislindo em toncas ,
vestidos, e &c. que se vender por todo o
proco ; quarta feira vinle nove do correnle as
doz horas da manba om ponto 110 seu arma-
zem do borle do mallo.
tSf Que l'a/cm Kussell IVfellors & Com-
panbia por ntervenco do Correior Dlivei-
ra de cerca de fo barricas de pregos caixa-
res avariados, edealguns selins no mes-
mo estado por conta do quem pertencer .
sexta Icira %\ do correnle as do/, horas da ma-
nb, no armazem por delraz da casa dos mes -
mos rua do Encantamento I). 7 1 e ^5.
W I'ousmastros
lo de cont e tbz
vhiie oduas polo;
G F. & Mansfieid.
sir Uma negra de naci cabinda para
Cora di provincia ou para algum engeho ,
jco/iuha o diario de uma casa ; na rua velha
i casa D 6 das o horas do dia em diante.
S3~ Uma escrava creoula de idade de vo
anuos cOzmbao diario de uma casa engom-
mo liso o ensaboa ; na rua da Paz casa ao
p d'i fundicao de cinos,
*C3" Ou tniia-se uma o-orava de nacao con-
go saliendo lavar, engommar e lavar i
rua de S Thereza D. i4
S3" Uma escrava de bonita figura de na-
ca) engomma muito bom cose e co/.in'ia
o diario de uma casa na rua do Rangel Di-
rima 4*
sr?- Um escravo creoulo de bonita figura.
coui principio de car pina : na rua da son/a-
la volba armazem do linado liento Jos da
Costa.
Hr O Correior Oliveira vendo um sitio
grande perlo do rio na estrada da casa forte
par o Monleirodefrontc do Snr Simpaio ,
com casa antiga de mudos commodos casa
para pretos coebeira estribarla para dous ,
ou Irescavallos cacimba com muito boa agoa
de beber toneno para plantacao de lavouras
proprias de sitio com bstanle haixa para
capim varios ps de larangeiras antigs e
Escravos Fiincios
S T Fugionodia 1- do eorronte ao Wajo?
Jos Maria lldeffonso Jafl6roeda Veiga Pessoa'
um seu escravo rreoulo de nomo Antonio, cor
fulla, de idade de-*o anuos milito ladino,
baixo, reforcado do corpo rosto comprido ,
lem faltado denles ha frente, levou vestido
camisa de estopa calcas de alg'dlo iau.m
roga-se a quem o'pcgar levem ao sobrado de
dous andares na ruados i cados da loa vista
que ser bom recompensado.
Of l'ugirao do eugf 11I10 Machado na norte
do da 5 para ni do corrente 4 negros meies
novos deiitcu mucimbique, e um delles
representa ter quarenl anuos e os outrosde
o a 1 anuos lorao vestidos com camisa e
sern I a de u I goda o/i 11 ao a biela encarnada,
e um be meiozarolbo quem os pegar leveao
dite engenho que sei gratificado.
ss?" Em tu do correnle obre a madruga-
da fugo do sitio da Magdalena ao p do vi-
veiroaue foi de Vicente Jos de Brito, um
/ ....vLia.l^ .l/i v-u-I-is escravo pardo de nome Raimundo levam o
ion o laidos nos novos, onxertados de vanas 1 1 1 1 1-
r 1 1 : ;-,.., ,l,n f....^i K,*' veslun camisa e seroula de algodao e chanco
cualidades que principian a d ir Iruelo, a<* ,, '
^. -i 1. r. ,.i ....! de soda 111 oto montado em um cavado russo
e tantos ns de coqueiros de huelo, e conloe 1 .
1 J-. ,;. _j ,i. n, cardaoc.aro, capado, nom esir.nlt 110, nara-
lailos fino aMid.i nao dao mudos pos ce ca- 1 ..
,. i-i) ..........1 hauor com Ierro no nuarlo diroilo o.es-
fe uno d.io de desosis % vo arrobas por anuo,. '
..'.,- 1 < ,' ,...,, cravo be alio, seceo do cupo, e alvinln,
10 nes de jaquel ras de I nuci, e oe tantos 1
que amela na > aao
o e lautos ns de
C o \\\ p r ;i s
SSy Umi cabra biclo boa leitoira 5 na
rua
do collegio O 4 armazem de chapeos.
KST Um tronco (uc esteja em bom u/.o; as
5 ponas I). 3a.
' e II ti ;i S
V
A vinos Martimos.
/
PARA TRIESTE o Brigue Inglez JN'orlb
Pole Capito Watt loriado e encavilbado
/le'coLrc ; quem quiser carregar ou ir do pas-
GZT Mei Bit heles ild 2 parte
da \G. r3 Loeria do Siminario
:le ()lin CIr" Uma negra creoula de idade de o
anuos cazinha e be quitandeira ; na rua
da cadeia I' ij no segundo andar.
8^55 Airo/ de casca em sacas ; na rua de
agoas verdes *enda I). S.
Of Urna canoa decarreira muito boa to-
da pintada e di. muito bom gusto ; atraz dos
Martirios ,esialeiro de Vicente I'trreir de
I aula.
t3" O Correior S. Deniels tem para vender
oncas Ilespanbolas, moedas de /|,ooo e do-
broens antigos de I). Joao (Quinto
t^r Meius liilbetcsda loteria do Seminario
a onze patacas j na praca da Independencia
n -2 o.
tJ" Uma ir.olola moca costo reir e en-
gommndeira por 00 coq ; na rua da cadeia
velha a tratar com Joaquim Jos de Mello.
Of" Urna negra ladina de angola de
idade de .(j anuos cose engomma e co-
>.inba o diario de uma casa ; na rua da cadeia
do Recife loja de fazendas n. 17.
%ST Umamolata de 17 anuos de idade,
exccllente engommadeira e eoslureir borda
de loda qualidade faz lavarinto ensaboa ,
e co/.inba ; uma creoula de lannos de ida-
de, inuilo boa quitandeira lem principios
de costura ecozinba; na rua de Norias de-
l'ronle do beco de > Pedro casa I). 10.
trr" Meios blbetes da Loteria do Semina-
rio ; na praca da Independencia leja de en
cadernadorn -6.
C?" Um inolalinho bom claro, com 4
anuos de idade ; o;dimo para naeem : na ru
do CabugU I). 4 dclronte do cerieiro.
i^r- O resto de sal do Ass a bordo do
Brigue Madildes fundiado ao p do Irapii be
nevo a tratar com (> Capitso.
^j' Vicios blbetes da Loteria do Semina-
rio ; na rua larga do Rozario loja de iniude-
ix D. ;.
Movimento do Porto
cr Uma Flauta com muito boas vozes,
uma casaca de panno azul urnas calcas de
dito ludo por preeo commodo ; na rua do
Livramento D. .
XZr" Farinba de milho fina moida 110 vapor
da loa vista pelo preco de 15oo res a arro-
ba ; na rua da sen/ala velha armazem do fi-
nado lenlo Jos da Costa.
IZJ~ Una escrava creoula de i5 annos de^
idade, lem principio de eozinha c engom-
mado na ra d f.ivrvmento !>. .5.
UJ" L m pianno em bom u/o e de muito
boas vozes no atierro da Boa vista lado din.t
ao Subir da ponte l) 10 primeiro andar
Uma escrava de nacao angola de ida-
dadede no anuos, engomma bem eozinha o
diario de nma casa, cuse e laz doces; na
na do Rangel U. trozo.
NAVIOS SAHID0S NO DA >o.
RIO ORAN DE 10 SUL : Brigue Nac. Bom
Fim Capito Manoel da Silva Coulo, car-
ga sal.
RIO DE JANEIRO ; Brigue Bom Juz.es Ca-
pilao Joao Rodrigues Ainaio carga varios
gneros*, passageiros 9 com 4 escravos e
t diios para entregar.
TRIESTE? Brigue Sardo Carsiosa Fama,
Capilo P. L. Ftscancia caiga assucar.
NTRALO ^0 DIA ao.
NEW YORK j 45 das Brigue Americano
Gram Finio doin tonel., Capitolbeai
I., lleygirs, eqnp. > carga varios geoe-
ncros ; ao mesmo Capilao npipiro '
.. tem bastantes pro/as para passar por lorro,
1 r 1 .i.... i. r.i./;mnan pouca barba som suissas de idade de ?i a
Mioir." de Iruelo e ontros lanos prximo, a 1 .
, 1 1. .~___:..... o anuos pouro mais 011 menos com princi-
d.ir, vanos pos de lunheiras romanzetras, -.
,. i- 1 1 ........i;,i i0 nio de sapaleiro, e noai vaqueiro em que I01
limos doces lu.as de ambas as qualida.les l "v I 'ir- 1
figueiras, ambreiros, cajueiros, tamarin- criado ; por delitos comellidos fo. amarrado
dos abcale eoulras muilas Inicias que o con, co,das ou iclho^nos bracos os quaes SI-
1__ 1 ___j-tM d;..:;.f.. cn ftiiaes ou costuras sao vi/iveis ; assim como
comprador vera : os prelendentes diniao-se >. .' .
ao mesmo or. otor. sieatnsado por lodo corpo quando lo. su. ado ,
^r Meios Blbetes da Loteria do Semina- a pernadireita hesecca e gross, na proxi-
rio; na rua Direita venda ,.ie foi de Jos da n.,dade dos lorno/.elos que nao pode pisar era
p '. cbeio do calcanhar por sourer ltimamente
^Genebra da Holanda de superior qua- uma iri/.ipol. ou gomma da qual fiera com
lidada, emcaixasde do/.e fraseos; em casa vanas cos.ura* ; roga-se a* OUlhoridades po-
de A. Hosch rua di cadeia velha ,7 no hcaes e seus agentas a sua captura fa/.endo-o
primeiro andar. reroeUer a e'la PPa? Wl. r.Ua dtt. CaeI" V,'Uu
erTabaado de pinho da Soecia de su- entregar ao -nr Jos Antonio Bastos, ou
perior qualidade e de differenles hitlas, a Joo Jos de Carvalho Moraes na Parahi-
,or preco commodo ; no lorie do mallos na baa Jot Luu lemraLucena, no RoGraii-
n-enca de Pedro Francisco de vello, ou no de do Norte a Antonio Cerqueira Carvalho,
P
por
1 prenca de Pedro Francisco Ue 'eiio ou no
armazem de assucar de Jos Antonio Silva Villado Aracaly a seo Snr.Damingos Jo*
.,. rereira acbeco de quem recebero lodasas
\ anna. ... '.
S2T Blbetes da loteria do Seminario a oiio 'espesas ledas alende serem recompensa-
mitris, e meios ditos a ,00o; na rua do ti"' .... ,. ~ 0. r
cabug loja de miudeas junto do Sr. Bandeira .O" >o -:r Meios hilbetea da Lotera do Semina- gm uma escrava de nome Auna, ladina de
rio a 58,0 : as 5 ponas venda U q >Wl* debOnila figura estatura regular.
tST \ eios Bilheles da Loteria do Semina- cor prela rosto puchado, olhos grandes, na-
!rit,a^;o-, na ruido Crespo loja D 8 do la- "'l". be.cos meios grossos, lem uma ma-
1 1 i Iba mais prela do que a cor natural no rosto uo
^" eios bilheles da Loteria do Semina- lado esquerdo e no braco esquerdo urnas le-
rioa .'600: na. nado Cabug loja de miude- fas de angola tem as costas mudos lallu-
II i nhos de navalha, maos pequeas, epesgros-
t^ Meios bilheles da Lotera do Semina- S!,s porem n';i1 .fel0,8. "tiu.la-se creoula.
' rio a 3X .0 : ao p do arco de S Antonio na Ifvou vestido de r.scado ja#desbolado e panno
loia de Manoel Gomes de Carvalho. da cusla 01 comprada a Camilo de LelIlS da
t r Rilhelese meios ditos da Loteria do Fonseca piloto de uma das embarcacoens1 ae
i eminario, quecorre no da do correnle \ Joaquim R.beirode Brilo quem o pegar leve
na rua do Cabuf Iota do reloioeiro unto do a rilJ d;i Gloria casa de um andar degrade ue
-r. Bandeira. ferrro defronte do convenio a la llar com o
NeioiKiUietrt da lotera do Semina- Tenente Coronel T. Cezar Burlamaque, qw
rio ; na rua do Cabug loja de miudezas De- recebera 30,000 de gratificarlo.
cima i. __________________________
ES Blbetes e meios ditos da loteria do Se-
minario ; na rua da cadeia do Recife casa de
cambio 11. |8.
CT Uma negra de nacao angola de ida-
dade de jo minos 3 escravos proprios para
todo o servico uma porclo de botijas razias,
e algumas garrafas e uma porcao de copos
grandes e pequeos ; na rua das 5 ponas De-
cima 5.
pH.ceogeii
lni'.lc/. Alexandie Fsvens engenbeiro.
OBSERXACOEKS
,.'
Sabio para o Sul o P.1I1 el o ISac Lanrenlio*
Capitn*p Anlcnio Gein tiu d.as Aens 011'-
ga varios rneres |nssa^tires 7 e*om
esi ra o. ._____
REUl'ENA TiP. DEM, F. 1)EF. i4*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHVPL48NO_JMUOM0 INGEST_TIME 2013-03-29T16:05:22Z PACKAGE AA00011611_03997
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES