Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03996


This item is only available as the following downloads:


Full Text
P?**- ^%j^f-VP" !*^
"*>- i- r
\ ,
Anno de 1840. Terca Feiiu
Tudo gora dpenc)e rlp nos roesroos; d nossa prudencia, modera- ttiy <,'KiK^^Vw
tmj, e energa: continuemos cono principiamos e seremos a no tita dos W^ <1 l! h^-V^r*
coni admiraco entre as Saeoes mas cultas* wJk II i
rroc/nmnciio da Assemblea Geral do Brasil. .^awT f
----- B-O-0 ^bUf.wf^
Sunsrrevc-se para esta folln a hSooo por quartel pajes wJiantados
r. sta I vp'u'.ili.i, ra das CrUfCS I). 5, en I rae da Independencia
rs. S7 e 08, onde se recaben correspondencias legalisadss, eannuucios,
insinndo-se estes gratis, sendo des proprios assiynantes, e viudosassig-
gnados.
Partidas dos Correios Terrestres
Cidadeda ParnUih e Villas de sua prelenco...................
Dita do Rio lirandt Segundas e Sexta
Dita da Fortaleza e Villas I aun. -
Vill >e Goianns..........
Cldade i iiua................= ...............Todos os dias.
Villa deS. Anto..................................Quintas lenas.
Dita de (jarantinns e l'ovoariu do >< nito..................., |las lo, e t\ de rada mea.
Unas do Cali, Serinhaem, llio Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, e 21 dito dito.
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
VilU de Paja de Floros.................................dem l\ dito dito.
'Piados os Correios pnrtem an meio di*.
21 de Janfiro. Numero 16,
CAMBIOS.
Janfiro. 20.
Londres...... .11 \\i "SS por l'aoo ced.
Lisboa....... So por 0/0 premio, por inctaioerecido,
Franca.......i.jb rris por franco.
luc de Janeiro ao par.
OUH'J Ver-das de 6floo rs Velhas i?8io a iSoo
, Ditas ,, ,, Novas i4*ioo a ii.'8to
., Dilas de PHATA Pataees Brasileiroj------------i|5{o a
,, Petos ("olnmnarios 4--------------ijJo a
Ditos Mexicanos---------------------i.'/ima
Premios das Letras, por mez J 1/8 a 1 i|i por loo
Moeda de cobre o a 4 por 100.de disc.
ij.'.no
l|56o
.J4o
Das da Semana.
lo Segunda------S. SebsstiSp M.----------------------Sessfo da Tlies. e aud. do i. de D. da a- ?.
i Terca----------S Icnez V. M.----------------------Rallaclo e and. do J. de D. da 1. v. m*.
vi Oh na--------S Vicente M.------------------------Sess'i da Thzouraria.
93 Quinta--------Us Desposorios de N. S.--------Helarlo e Aud. doJ.de D. da 1 vara de m.
ai Sexta----------(U.S. da P*z.----------------------Ses. d Thez. e aud. do J. de da 1. v.
3$ Sa libado -- Conversao de 5, P a6 Domingo------S. Polica.pj B. M.----------------
Mare cheia para 3 dia 1 de Janeiro.
As G horas e 6 minutos da tarde As 6 horas e 30 minutos da raaah.
I
I
PEftKAMBUCO.
COMMANDO DAS ARMAS.
Expediente do dia i3 do corrente.
Offirlo Ao Prefeito da Comarca de Pajau'
.le Flores, enviando-lhe urna nota de vanos
desertores, e pcdindo-lhe a expedico de
suasordens para que fosseU) presos, e re-
remetiidosa esta Capital.
l\o mesmo sentido teoflicou aos Prefeilos
de Garanliitns, Goianna e Ilecife, acerca
da apprehenco de uniros desertores trans-
niittiiulo se-lhes as notas de sus nomes, fi-
liaces e signaes.
Dito Ao primeiro Teen le Anacleto f.o-
pes de Sania Atina enviando-lhe os esela-
recimentos que pedir ao Commandante da
Forlalesa de Itamarac acerca das demen-
coes que deviao ter o porlo e porta do ca-
labuuco da mesma 01 tale/a
dem do dia 5
Officio Ao l'.xin. Presidente, requisi-
lando-Ihe um Calela, para ser emprestado no
servio) interno, e limpesa do Forle do Bu-
raco.
Dito Ao Commandante infirmo do ter-
ceiro Balalho de Artilheria para ahaler
mensa I mente a qtiantia de U5oo Tes des-
de () le Jttllio do atino findo na presta o
de i Ooooseis t|ue a sua Familia deixou o
Tenente uddido ao quinto Batalliio de aca-
dores Expedicionario ao Rio Grande doSol,
Jos Pencer por se arhar pre/.o para Conse-
nso desde o referido dia e conBegainlemen-
te u meio s>>ldn.
litio Ao Inspector da Tliesnuraria, c6-
muuicando-lba o exrposto no officio prece-
dente.
Dito Ao primeiro Escriturario da ad-
rninislato das obras uhlicas Antonio Fran-
cijto de rVioura respondendo ao seu officio
de bonlemdatado queacompanbara ocal-
cela Joo Evangelista que linba de ser
empregado na Fortaleza do Brum
dem do dia (>.
- OfficioAo Prefeilo da Comarca acu-
sando a nlrega do seu officio dcsla dala e de
cinco desi 1 lores do I eposilo e do terecito
liataliio de Ariilheria tjue renrettera
Jjiio Ao Inspector da Tbezouraria s-
gniieando-llie em resposla ao seo officio de
bonlem datado, que para fumar a opniao
que linba de dar sobre a prelenco de Joa-
t]uim Jos de Santa Anna mislersc faca losse
piinieiranienle saptisfeila a exigencia do ofi-
cial Encarregdo da Cootabelidade militar
par\cendo-lhe que a niesma Contabelidade
podiaobler os esclarecimenlos que pedia, in-
dependenle de inlormaco do Allcres Maia
em vista das relacdes de pagamento das
presta, Oes que uaquella' Reparli.o deviao
existir,
I ilo Ao Commandante do Brigne de
. Guerra Conslanca em resposla ao seu offi-
cio de bontem, que peta.Presidencia receba-
ra as ordena par* o desembargue dos dous
desertores que se aehavo a sen bordo viudos
du Rio Grande do Norte no Vapor arabense,
c caso al a m tull taes ordena llie nao l'ossem
traiisiniitidas fizesse desembarcar os deserto-
res, e apresenla-los na secretaria Militar.
dem do dia 17.
()fficio Ao Exm. Presidente, pedindo-
.ibeaoluco do officio do 1 ommandante inle-
rino do Fortaleza do Brum em o qual se
queixaya xlu procedimeuto que coia a mesma
Fortaleza teve o Commandante da Escuna de
Guerra-Gararapes no dia 21 do mez de
Dezembro ultimo 10 entrar no ''orlo c dando
as eatizas porque nao corresponder a salva
dada pela Escuna no mesmo dia na occasio de
sua sabida
Dito Ao Commandante interinodo ter-
ceiro l'alalbao d' Arlillieria. communican-
do llieem resposla ao seu officio de boje, que
lieava" de nenlium ePeilo B pioio;acao de t
cenca que linba no dia antecedente conce-
dido ao Cadete do Batalbodo seu Comman-
do Joo olicarpo do Reg Barros.
Dito Ao Commandante intirino da For-
taleza de Ifararac para que fretass*e urna
canoa, emandasse transferir para a Forta-
leza os objectos de palamenta, c munido que
se acnavafi depositados em casa do professerde
primeiras letras de Pitimbu' ; porisSQ que
dito l'rofessor prelendia mudar de residen-
cia
DitoAoProfessor de primeiras letras de
Pitimbu', cmunicandorlbe o expelo no
ceden le officio, em resposla ao seu de
coi rente
tarip fiesrrivi. Cuedes. Presidente, Albu-
qnerque Amaral, Maciel IMonleiro, Laages
unior,
Ferreira. e Passos.
Est conforme.
Jos Joaquim de Figuercdo.
Secretario
PRRFEI rRA
PARTE DO DIA 19.
Illm. Exm. Snr. Foro presos bontem ;
minba ordem e tivern boje deslino : Se-
huslio 'oze de Carvalbo pardo e Joze
Francisco Marlins nortnguez, pela 1. pa-
trulia do distrieto <[
Diversa Repori^oen3.
ALFANDF.GA TUS FAZENDAS.
A Pauta be a mesma do numero jo
MEZA DO CONSULADO.
A Paula be a mesma do n. 7.
cezes. Pode a America existir om a euro p
desda a crecSo do Mundo at os fins do secura
13, e nao S existir, mas at formar Impe-
rios como o Mxico e Pera' e nao podare-
mos nos boje existir dous ou tres anuos, que
serla o mais que tardara a europa em con-
vencer-se de (|ue eslavamos resolvidos a us-
tentar nossos direilos ? Triste pensar por cer-
io Alego ouiros que soffreremos, que nos
empobreceremos mais nessa lut.i misera^eis !
E que importa isso e muifo mais compara-
do com a vantagem de nos apresentarmos ao
Vnndo como dignos de formarmos MacSet, e
Naces ndependentes ? Com a de nlo ser-
la Ribeira este por estar mos escarneo de meia duzia de mercadoies
ebrio e aquella por aspancar a urna mulher; apoiados em suas Estacoes navaes! Com a de
toaqiiim pelo escravo de Jo/e Ramos de no DOS dirigirem olas semelbantes a do C5-
Oliveira, por um soldado de Polica por sup- mandante Du Goudrais aoGovemo de Car-
poi-o fgido 5 Joo Francisco Corroa e Fe- tagena ou ao'ultimtum do Bario Deffan-
licianna prelos esta escrava pelo Com- dis ao Governo do Mxico concebidas na irf-
missario de Polica dodislricto da Soliilade solante lnguagem debumsenbor aseus es-
por estar fgida eaquelle por desordem. cravos? E porque acontece ludo islo ? por
1 pre- E' oque constadas partes boje recebidas falta de espirita publico. A geraco, que fez
i rj do "frestSrSccietaria tantos sacrificios pela Independencia da A-
Dia 00 marica', eque teria feito muilos mais se fo-
lllov e Exm Snr.Parlecipo V. Exc rao precisos, porque era animada do fogo do
que torio presos bontem ; aiinha ordem, e patriotismo, ja nao existe representada se nlo
tireraS boje destino .Antonio Manoel dos por meia duzia de velbos, e foi siilisliluida
Sardos, blanco, pelo Sub-Prefeilo de Santo poroutra, que nao sent do mesmo nudo:
Antonio por ser encontrado com um ferro aquella era guerreira estaqtu-r ser diploma-
com ponta : Roznido Rodrigues e Angelo tica equella era desinteressada ; ponto de
Vfuniz Milbeiro, hespanboes, por um sol- sacrificar Indo pela Patria esta be anciosa de
d.iil) de Polica. Jnlio Ribero da Silva, riquesas ponto de sacrificar tudo aos calen-
pardo, pela 9. pairulliado dUtricto di R- losmercantis ; aquelh em fim era ebeia de
CO FRE O.
O raquete Inglez Palevel, recebe as malas
para a Baha e Rio de Janeiro boje 21 as
!\ bcras da tarde.
O Arsenal de Guerra compra 3oo corados
de pao a/ii 1 100ditos de pao prelo (ino
varas de brim e Soo pares de apatos, Indo
para farda ment de tropa : quem quizar for-
necer compareca nesta Repirlico no dia 11
do corrente pelas 11 horas da manba.
Arsenal de Guerra ->o de Janeiro de \$!\Q
Joze Joaquim Cocido.
CMARA MUNICIPAL DE OLINDA.
beira e Manoel Lopes lambem pardo pelo espirito publico esta nao tem nenbum(').
Sub-Prefeito da Boa-vista por estarem todos '"a pois severa' subjugada pelos assum-
cm desordem. ptos eurpeos qtiando para emaneipar-se
Nada mais consta das partes ho;e recebidas quiser fazer esforsos, que custar-Ihe-bfio o
n'esla Secretaria. dei iqilo dos que ora serio precisos se se de-
cidjrsse a fazel-os Cborar seos erros, qtian
Continuado do n. anleceJente
do sentir os effeitos na completa vantagem,
que com manda e arle se llie prepara......
A marcha dos Governos Estrangeiros re-
Ontros ha, que jnlgae conveniente, que latvamente a nos, esl calculada para que
os nossos Governos. ero ohsequn da boa ar- lenba progressos lentos, porem solidos ; elles
nionia com as [iolencas martimas, se a- nao ili/etn nem fasem couzas insignificante,
cao desentendidos de pequeos ullrag<*s es- tudo lem objecto fixo.
perando f|ue alies ressaro quando o tempo Para perderem olerrenc, (jue se Ihesdeixa
nosfizer mais respeita veis consolidando a nos- ganhar bum dia, necessita-se da anuos A
sa ordem social, Errocrasso, e vil modo d- primeira vez que dum Cnsul poz a bandeira
pensar s fdbo da falta de espirito publi- de sua Naco na janella de sua caza por moti-
co He o mesmo que suppor que a degrada- vo de aljum refjosijo publico ou procisso ,
cao pode conduzir dignidad He agora e pareceo isso bumayfrioleira e como tal na-
Quinta Sesso ordinaria em 99 de Novembro : so agora que podemos assentar as bases de guein fea caso. Pois essa friolcira que boje
nossa respeilabelidade nao sofTrendo que se se olba como hum direito tem trazido por
nos faca ultrajes, porque o que doje be buma consequencia que^algums Cnsules, igno-
condescendencia amanli se allegara como bum ranles dos primeiros rudimentos do direito das
direito 1 e quande menos o pensarmos en- {/ntes tem eputado a sua caza como o ter-
conlrar-nos-bemos oulra vez colonos. Ser ritorio da Naco cujo pavilbo Iremulava
de .8 Presidencia do Snr. Guedes.
t
Foi .iberia a sesso estando presentes os
Snrs Vete.idores Albuquerqne Amara!.
Macel Monteiro, Lnages Jnior, Ferreira, e
Passos fallanto com causa os mais Snrs ,
Lida a acia da antecedente foi aprovada
O Secretario dando eonta do expediente nao
mencionou oficios por os nao baver rece-
bido.
Nesta mesma Sesso foro remetlidas as con-
las e rr.appas do anuo financeiro que
teve principio em Outubro de tr-5% e fim
no ultimo de Se tem bt o di corrente auno ao
l.xm. Snr. Presidente da Provincia para c-
rem levadas a Assemblea Legislativa Hrovn-
vincial na forma da Lei e Decretos a res-
pailo
Houvero varios requerimenlos de partes
que se despacbaro e dada a hora levanlou-
se a sesso, de que fz a presente acta em que
miflnwftoi Eu Ji Ji de Figueredo Secre-
por certo huma conquista a que se fizer de nella ; e por conseguinle Um asilo inviolavel
nos sem outras armas que o nosso adormeci- em todo o cascas Autoridades do P.iiz; nascen-
metilo, e a nossa possilanime condescenden- do desle erro, disputas to serias como a do
ca O cestume be a mais forle das Lea | Cnsul Barrot em Cartagena de Colombia e
quergema Socicdade e he ndubitavel, [ algnr.S oulros ; que os compatriotas desses
Ine se os nosssos Povos seacoslumo a ver pra- I' onsules lem julgado que linbao em nosso ter
ticados bies e laes actos por Agentes Euro- ritorio bum pedaco do seo ; cujo abrigo p-
peos, ou Commandanles de esta oes navaes,
ao depois nao baver meio de ibes fazer co-
nhecer que sao hum abuzo, e prepotencia. A
minha opinio eade todos os que sentem
un ro-
palpitar .cera o americano i;
solvamos quanto antes o problema de nossa
Independencia, ao qual a allanana euro-
pea vai acciesecillauu loda os ..; ovos
incongnitos. Nao vacillo bum ilutante entre
a guerra ea paz, pois vejo na a susten-
lacode nosga honra, e dignidads e na se-
gunda papel piulado, e perfumara das fiun-
(1) Nao he tanto assim : a mocidade de bo-
je tam'.iem llie bale o eoraco pela patria,
nao precisa ma dd que de Ihe falarem, para
mostrar que he descendente desses hroe da
Independencia da America | criminamos an-
tes os Goern -, qna a tem deivado amol
cer com essis perfumaras, e que por mil mo-
dos tem feilo adormecer esse espirito publico,
que anda existe abalado siin mas existe ',
oh se existe!


-"sr^-T
^^T>^
#
DIARIO
HBNA MB UCI)
Jio farer quaotose II.es antolbasse sem su- I A bordo fia Isere hum dos dons vasos 'eleI pos He Prastnm poila de aples (.templos, ha la ella deve sel- mais rarificad! que o af
Jeicaos oossas Authoridades e fallando em guerra franceses que se re pari no porto as qne os pescadores de Sorrento que So e v;- que se conserva no recipiente d* machina p.
desabono dellas como o la ran as oraras da handeiras de certas ames tinelo sido icadas hjio ao longo da costa, deviao divisar do neumtica dcpois de ieilo o va/io.
te tenho migado com as mesmas i
des, que hum Imperador ou Mnisi
pa
sua trra ; que esses Cnsules e Agentes ,
Immunida-
Iro de pri-
meira onlcm e como taca tenliao querido
entrar em diseusses de muisallo inleresse po-
ltico c reputado liuma ofiensa sua Na cao
o nao ter-se querido entrar cm tiles em taes
diseusses V pois as. conseqtiendas de hum
pedacinho de trapo ndevidsmente aorado
em huma janella .' Anda devo manifestar-
te oulros e'leilos raais funestos da falta de es-
pirito publico e de Americanismo. Tenis
vislooarigo do Jornal dos Debales ( minis-
terial era Franca ) que inserio o Mercurio da
j d Janeiro ltimo no qual ss apprnenia
os Estados Amerisanos como hordas de bar-
baros que na ppinio do aulhor nao so
lie licito, mas M* louvavcl q sejocivilisados
; tiros de canhoes comoem Argel. Poisheni:
nao tenbo notiiia de oulra resposla essein-
sultante artigo sen|o a que Coi dada pelo
Cosmopolita ( peridica do Mxico ) que o
niesmo Mercurio copin pouco depois. E
quer-se i;nc nao nos olhem com despiezo
qliando snffionios angne fri to grosseiros
insultos e quando os copiamos nos nossos
jornaes sem huma nota se quer ( ) ? Apna-
receni proclama- 5es como a do Almirante Ce-
Rlanc em Buenos Aires. depois hum ultim-
tum como,o de Dclandis no Mxico depois
as conseqnencias destes actos ; e os llovemos
dos ouiros Estados da America, seos peridi-
cos e os particulares*, guardSo hum silencio
to profundo como se estes successos nao ti-
vessem com elles a maior relacao ( i) !
SS""** Como nao.se riro os Europeos vendo
as futilidades dos nossos peridicos e dos
nossos documentos officiaes de huns para ou-
tros Estados., e observando que em quanto
elles cslio esfolando vivos a huns Estados os
outrosEstados irmaos se conservan silenciosos
tranquillos! Como nao se riro de nossa
imbecilidade quando aos profundos salames
diplomticos soltamos hum sorrizo de confian-
ca ao passo que elles bloqueio nossos portos
invadem noss&S cidades; e nosso territorio !
He n.i verdade o cumulo da slulticia, da de-
gradacao do avittamento e da impreviden-
cia sim da imprevidencia mais que til-
do
O Aullior desta longa e judiciosa carta,
depois de mostrar que a America e es-
pecialmente a America do Sul marcha i sua
peda e tolal escravidlo por nao ter se-
guido os cpnselhos dos sabios e politicos l'a
trilas que primeiro figurarlo frente de
SUS Independencia ; depois de citr varias
passagens das correspondencias do grande Es-
tadista Americano JeHerson q' desejava urna
coa I sao continental Americana que impe-
dirse nos mares e territorios de ambas as a-
mericas as ferozes c sanguinolentas guerras
da Europa ; e hum regulamcnto com as po-
tencias martimas europeas pelo qual toeas-
sc ellas conter a piralana em seos mares e
o canibalismo das costas africanas, e neis a
suppressodos mesmos excessos as nossas ;
conclue aconselhando ( porque ainda he
tempo e agora mais que nunca se fazneces-
saria ) a grande medida salvadora de hum
congresso Americano onde se traa de regu-
lar osinteresses da America em relacao aos da
Europa. Ambos os Mundos, presidiudo a
justica e nao a prepotencia e a ambicio .
podem collier dessa medida resultados mu
ftntajozos civilisacO e humanidade).
( Da Liga Americana )
de hum modo inslito, sendo a britannica mar) no loro descolertos senao em fj$o ,
poeta em baixo de ledas as mitras. devecessar todo o motivo de surpreza a res-
0 commandante de hum navio merranlil peito de fados leste genero
ingle/ ( o eapito Driver i na isanhSa seguin- Eu vsiei Sifs alftnmas das raara-
le colb.con o pavilhao Iruicez de huma ma-
neira semelhaute aquella.
O oflicial franez observando isto ;man-
dou huma mensagem ao capilao i ver. para
que mudasse a ordem da posico dos pivi-
Ihoes ao que esle respondeo queso o furia
por mandado das autoridades brilannicas ; e
fue, se assim havia posto a band-dra frari-
ceza era em paga do cumplimento feito na
espera bandeira britannica.
IIuna i|ii(i.\ o dirigida ao gjvernador ,
o dual dizse ordenara a Driver que des-
se huma satisfacao ordem a que esle naojul-
gou dever sugeitar-se
tirando irritaeSa succedeo aislo, e de-
pois de ul;:ims (lias ja peloft conselbos dos
amigos ja pidas orden* rciter.ulas dj gover-
nador, m Home da rain ha Driver deo a
salisfaeco exigida.
As exigencias do otlicial (Vanee/, mullipli-
caro-se cn'.ao e a tal poni qitcobrigaro
o goyernador a mandar todos os Franceses pa-
ra bordo e prohibir-Ibes qialquer cbmmu-
nicatrt) com a trra Esta medida fui, to-
dava relaxada, a respei'o das commiinica-
ioes necessaras ao fornecirnento e reparacao
dos navios e.xigindo-se porcm para isso,
passa portes.
No entonto peras de arlilheiia faro tra-
illas do EgVplo ; mas fall i-me o ponto de
ciMnoarncao entre a a re: u lectura da India c a
lo Mxico.
"' Conceb muitas reteso projecto d ir vi-
sitaras bordas do Ganges, e ser hum de
incns pesires ( e lenbo pesares ) deixand ) h
Ierra o nao ler idosa;idar o berco ilogenero
humano lano quanto posso aiui'ar os
monumentos de P.ienca mais ajiatagia tem
com os do Indostni que com os do E.vpti
" Para apoar a n.inh Opinio, appello
"ara as descrip 6es que fazeis de hum grande
niunero de couslruccoens mexicanas c parti-
cularmente a ella passagem relativa ao gran-
de templo da Palenca,
' Est boje quasi demonstrado que Ion
go lempo antesdo deseobrmento de Colom-
lio a India Septentrional a China e a Tar-
taria communievaVCom a \merica. Valer,
Hartn Klaprolh asslgnalo grande mi-
mero de affinidades entre as linguas indias,
chinezas trtaras e as lingnas america-
nas. Nos calendarios dos Azti'.]u;.'s como
nos dos Kilmouks e dos Trtaros os mer.es
DaGERRE-TYPO.
M. Dagrterre i de setemlrro fcr. boje em J nma das salas
lo ministerio do interior. alieno publica dos1
procesirts do sen I asueno- lyeo.
,, A experiencia feila a sista de !inm nu
meroso concurso, de extieetadores. foi com-
dla mente heni sucedida. A pesar da iucer-
iiva t\v l^mpo e da presenca das nuvens (jue
coiilraiiavno a luz a cida instante a ttaarpig
reprodit/io-se com perleicao Acamara un-
ir, situada sobre a janella do caes d'Orsay
eslava,epi frente do palacio reJ, edojardim
das Tuillerjas, Ella desenhou taes riuaeses-
tes obcctos Applauzos es rondososremperao
na sala.
O imperador d"Austria tendo manifestado
a inlenio de conlieecr os resultados da ce-
lebre inven cao do Daguerre-typo, M. |>a-
guerr !ez Ih presttl de huma chapa ;
preparada, reprsenlafttlo a igreja de V. S de
Parir..
NA\ EGA; \6 A VELA E A VAPOR.
Huma grande experiencia vai tentar a In-
glaterra. VJuitos ensains foro i; leilos em
sao esignados pelo nomo de animaes As] Franca para applicacao dd vapor a marchados
quatro grandes festas dos Peinan-w coinciden i "av,os de v,s,a >abe-se que a pesar das du-
com as dos Chine/es < s Incas agrlcullato t,das qotsi umwiaea doi ofBciaes de mari-
com suas proprias maos certa poreao de ierras, oh*, a respeito do evito desla navepicao o
zidas para a praia cas tropas achavo-se a semelhanca dos imperadores da China. Os w're pliysic) \'r Arago ; espera com
promptasao primeiro igual. I hfrroglyphicos dos auligos Chinas tem huma ipfianca felizea resultados. A partida do
A despeilo da ordem do governador hum ev denle ttnalogia cornos hieroglophicos mexi-j *rnon > Pa'a eeindiaa, tem de decidir esta
doscommandantesfrancer.es flesemharou de- canos e os quipos do Per quesio Elle dirig se pelo 1 abo da loa Es-
sapercehido c entrn na cidadt-. Foi logo Os grupos de i Ibas, to numerosos na peranca porque he insta direccao qu as
prezo ecoiidti/.ido a luimi guarda onde c<- Uceania forma vio pontea naluraes oU de re- ta,"iariis as tempestades, os ventse us
leve delido toda a nile, e na manhi seguin- pouzo que c mdur.iiio d.s plagas da india e crrenle? tornaran a ex eriencia completa e
le loi mandado para, hnrdo. Manifcstou o do Indostan s da America. permilluao que se orme a este respeito huma
desejo de corresponder-se linda com o c,over- P arece tamheni provado por hum exa- op'mao dcliuitiva
nador, mas Poi informado de que SO Qosof- me mais aliento e m.ii completo da hacia do Hum concurso immenso de pessoas asisti
freria mais commnnicaco alguma. Os na- Mississipi o do Ohto que hum grande povo em Londres a partida do Vernon mangnih-
vios recelierao ordem de partir e, ames- civilisado haliiliui ja esses deserlos ondea CO navio, construido pelos &n. WigiMm e
ma tarde, fir.eio-se de via no ma solcm- civilisaco acaba agora de incer. |Green, para esta experiencia domis Irans-
ne silencio.
fGuide- African )
NOTICIAS SCIENTIFICAS.
[ Do Despertador. ]
Canoni/.aco de Santos.
MAURICIA.
Nao se tem ainda iccehido informaioes hem
ciaras sobre ceno disturbio occorridoem Port
Louis. Nos porra romos la vun cid os
cem huma ca la particular redimida no mo-
mento do acontecimenlo onde minuciosa-
mcle vem descrito lodo aquello incidente.
Mas como laes pormenores involvem serios
captulos de acensa ao contra nima das par-
tes nao nos parece proprio nesle estado
de couzas dar-lbe publicidade em hum jor-
nal.
"Eis-aqui entretanto os pontos principa-
es deste negocio .
i' t '\m' II IBM*' -. i I IW.llll
fi} As xp/p* Iip so melhor : ;t linitoascm
muda falla s vezes mais alio e calla nos co-
ra coes.
(.) O Autor desla carta ja lera vislo e ir
vendo o contrario em todo os Jornaes dos
Estados da America nao escriplos nem c.i-
liuei,ciados por estrangeiros que fazem da
Anuerica o que o bomein lar do boi,appro-
' Us Phencios os Carthaginer.eschega- eewdeuteinterese.
rao ao novo mundo huns pelo estrello de I A s,lil machina he da (brea de 7o cavallos ,
Gibraltai outros pelo Mar \erm.lho? Po- ciigenlieiro leve o cuidado de cobrir a cal-
de bem ser ; mas releva observar que o Mexi- co e o Pe. i'i eslao situados mu longe do Alian- Para 1** calor >'5 incommodasse os passa-
tico, c qne a demora das colonias do Med- ^i,os- Ksle envoltorio reduz de hum terco
As antiguidades MexicanasCarta do Snr. trra neo na Amrica, nao poda ser senSo mu o .consumo do c.irvao. I iz-se que as caldei-
Chaleaubriand. curta e nao teria bastado para erigir essas ^s estao munidas deapparelhos (pie se oppo-
vaslas c numerosas conslruccoena que se nota e;m deposito salino de sorte que podem
Acaba de ser terminada em Parir, i grande dcliiun e oulro lado do Isthmo de Panam miccionar lano com aguado mar como com
obia em que se acbo reunidas lodas as naces No se encontr alem d'lSSO nem na Pi.eni- a"a doce. Quarlurze senhoras aventuiaro-
at aqui lao incompletas sobre os monumen- cia nem as cosas publicas edificio algum se nesla txpedigao.
los d'o continente americano esobre as ori- da natureza dos de Palenca
gens e antiga civilisuao do novo mundo. A Ajjora s hum voto resta a farer e he
rogo de Mr VVarden ex-consul geral dos que huma tompanhia Estados-Unidos e hum dos autores deste vas- ao Mxico para esludar as ruinas de Pale-
lo Irabalho o visconde de Chateaubriand ea e de Milla Esta companhia poda ser
despertando a reminiscencia das suas viageus composta de Ingle/.es instruidos as antigui- O maior espectculo que a religio poda
na America emittio asna opiniao sobre a- dades do Ganges e versados as lingnas indi- dar ao mundo acaba de admirar, e enllui-
quelle Irabalho em huma caita que os nos- anas, e de Franre/cs companl.ciros de sjasmar as leKi-.es lestemunhas d'lta magnifica
sos leilcres nao verlo bem ornis vivo inte- Champoion. iniciados na lingua bierogly- lesta. _^arr'mpigou todas as suas jKMnpas,
phica do Egjpto as pesqiii/as de laes ho- todo-o*seu enplendor e isto para celebrara
memoria de i pobres padre;, q' passa's i;a'
\ ida I; zendo o hem, e (ruina pobre \ ir<;e n, q'
semellianle quidia (|ue foi >le do Divino
Reden ptor viten na sididao, e no retiro,
eque toilo'o Calholi o proclama bem a ventu-
rada Allenso \ai de I.ij;uori FrancisO
Jernimo Joeo Jtis da I rur. Pacifico di S.
Scverino, Vernica de Juliano sao inscri.ls
no esta logo immo'tal dos Santos, a Igreja bil-
ln pela vor de Gregorio ; nos os saudanios
com ella como os escolbidos do Senhor os
milites amados do seu coracao os elizes co-
roadoadesua gloria ; nos podemos sem receio
de- nos engaar levantar aliares para suppli-
car vossa inlercessao pcranle aquelle, que se
glorifica em seus Santos.
i sdc honlem hora d'Ave Marios, oca-
nbaodoCaslello S Anjo, e todos os sinos da
Cidade Santa annuuciaram a feliz noticia a os
habitantes de Roma A' meia nouleas trom-
helas e claris do Papa e do senado per-
Cirerad os diversos .paitis e por suas ale-
res oicluicslras parecan dar preludio a {;rin-
ile solemnidade. A s 4 horas da manha umi
salva de iO tiros d aililharia saudou 3 le feli* -
dia : enlao as mas Se eucheiao d'uma muu'-
desejosa dever, que viuda de todas as
resse :
Carla de M. Chateaubriand. niens muilo se pnderia esperar.
Sciihores Sea oque tur, mosSnrs asanligui-
u Grande honra fareis-me deseando sa- dades mexicanas ser.io lidas como huma das
ber a minha opiniao suhre vossi bella e im- mais curios is e importantes obras dearcheo-
portantissima obra fjio esludei theoretica- logia. A inl ar se do cileilo das ruinas de
mente os monumentos da America, nao le- Palenca pelo que eu e\perimenloi, descohrin-
nho igualmente OS conhecimentos praticos qu do alguna monumentos bem inferiores as
d o simples aspecto (ios lugares porque nao Floridas, essee eilo deve ser grande. N
irolonguei mirihas viagens ate asregioea que hum dia em huma Iba, no meio de hun
i
proionguei minhas viagens ate as regioes que hum da em huma iiiia, no meio de hum
lizero de Hespanha hum imperio ondeo sol lago, hum'velho liimiilus de qnarenla a
nunca sr dei!.va ipiarenla e cinco ps de alio O contraste
" Quando vi os magnficos edificios repro- desta ruina e da mocid.nle perpeluamei.le re-
mexicanas ,
durados as anti"uidades
esses naicenle da natureza causnme bumenlevo
monumenlos que ont'ora dominavao as (lo Que povo babilou essa iba ? Quem nos
canej.ao florestas dir seo nome sua raea eo lempo da sua
h i;e
res las e que
em seus fastigios desmoronados cu os" passagem pela Ierra :' .
admirei ; mas, depois abandone*!me sre-
flexoens melanclicas que naturalmente ori
gino laes e .pciaculos. Esses tumuii de po-
dras essas pyramidas quadiangulares essas
sepulturas subterrneas essas estatuas e mo-*j
Hmenlos quasi gregos de Milla esses mo-
numentos seini-egypcios de Palonea que
mao os constrio os esculptou os gravou ?
O povo que semelhanles obras erigi devia ,
de cerlo, ler vivido em huma poca a mais
remota pois que no momento da conquis-
ta do ...cxic os povos fie Anntcuma nuc
a tinhaosua anti :uidade bavMo perdido a
tradicao dessa cidade de Palenca, outr ora lo
ilnrescente e de cuja existencia nao simpei-
laro os numerosos historiadores do novo
mundo, por mais de trer.enlos anuos,
' Poder-se-hia crer (pie s loi em
que Antonio del Rio verilicou a e\i>teini.
,fi
veitar t O coiro^ e depois por le lo fresco de Palenca? Quando ir.e lembro que os tem- 'sistecm pensar que suba huma atmosphera
ATMOSPHE'A DA LIJA.
O instituto de Franca a proposito de hu-
ma caria escrita de Mnnirh por M Grui-
thusen a M. Ara;o disculio r.a sua sessio
de 16 de setembro a qnealfo da atmoslera da
la. J o anuo paseado M Cuvelier eu.
huma nota dirigida ao instituto referi hum
phciiomeno que parecia indicar a existencia de
huma athmosfera na la. Esle phenomeno
consista cn porcocs de circuios on listas escu-
ras que elle linha visto formar se durante
algn segundos antes do conlaeto real dos do-
nk 'fitt'Ofl li*> ;; (J 0 '>
depois feitas em Inglaterra e nos Estados-I ni-
dos pelos horr.ens os mais habis e con
instrumentos os mais diversos. A pesar po-
rcm, de;todoeestes lacios, o Sr. Arago pre
nao
1
j'iii'i o IIIUIIUO Siui'lj'jlO
ionio ="
!..,_
mem para a maiavilha do mundo (Jalholiw >
a baslica de S. i edro. Osdnees i\o I apa,
oslados naS < uas princinaes nwithohaft h l'r~
ileiu e vtgiavaOI I se, manca publica ; /ufm
i-ravineiros PontiKeioa, as ,uaid..s cvicas.
companhia dos gianadeiras ns gualdas, no--
l.ics kin.aiau as ( u.co l.oias da m-udia W*
lileira dthai.xo das columnatas dp Valicano ,*
1
.
i!
I


(

DIARIO ft R PSAMBC
s
L
%
druidas de ricas tapecaras edebaixo d'uma t gradas., e lancaa henco. Fsta mullido se
nutra columnata de madeira ornada de ver- precipita de oelhos por um promplo e quasi
dura e panos hrnnco* que forma va 0 cr- involuntario tnovmenlo ; de novo os toques
cuito da inmensa piuca. : de sinos, s tambores, os instrumentos de
A's seis horas em ponto a proeissTo enmeeou msica se misturaran com os estroncios dj ci-
ofTeinlia d'um tal leitura. lbe disse: Nao
vos molestis as liarpias j. hoje nao morad
ha vossa i I lia ; ellas se tem despertado
naeama
a desalar pela port do alacio do \ ntiCSno nhao o entusiasmo religioso se ospilhou au-
vin'ia na sua lenle os riic-i >s i rfos, e do da na muilido* es "Ilos se hanhava em
pelas cortes dos principes ela, que estas
aves esfaimadas tem a muilo lempo fixado
sua habitaran,
Mr. Ollier' cura de S. Sulpico aclnn-
,"ll.;;io dos-ii'i'ires ; segilia0-&e as c o pora .".es lagrimas <' l*al e relira hemdiz.cudo uo-se na casadecampo, que O Seminal o pos-
de todas as ordena mendicante* cada qnil de- aqiiellc di 1 o ahucoar, e agrade- sucemlssy, fez. mn discurso a seus semina-
li.iixo do si-ii estandarte depuis os Cruciferos cendo ao le feito conbeeer urna risla e prepon sobre a destruicao do vellio
os Dominicos, os e/ntas emitios, os Pa- relijjiSo Wo bella loMtgust, tao grande, hornern. Elle repeli militas vezes, c com
vii'li"s de lodosas reguesi as com estolas bran
cas os aludos t\r todas as Baslicas levan-
Ido Cruz. e pendi na son lenle o< Qraes
das ordens os Ahhsddes mitrados os Piel*
dos os llispos. Am hispes todos COTO mi-
tra de linbo. os Penitenciarios de todas as lin-
goas com casula branca os officiaes da caza do
i apa com seus ricos ornamentos soguiao se
depois os pendiles dos bemaventurados de
que se ia fazer a canonisaco lavados por
meio de Religiosos da ordem a que perlen-
ciaG.
Os membros presentes em Roma da familia
de cada um d estes itovus Sanios levavn os
conloes d estes pendOes notando-se sobre lu-
do aquel le de Santo Alfonso do Lgori cer-
cado de mancebos oIHciaes Napolitanos d'um
Lugar-Teneiile-Geiieral e de sen fillio to -
dos sobrinlios d aquelle ou liliios de sohri-
ulios de que sejtroelamava a gloria um \c-
Iho baplisado pelo santo Hispo se;ua tam-
bem seu estandarte Em im soguao-se os
Cardeaes cada um com as insignias e or-
namentos de sua dignidade tendo a mitra de
seda brama ondeada sobre a cbe>a Quando
o Papa sabio de sen Palacio revestido de
seus ornamentos onlicaes a tiara sobre a
cabeca levado sobra sen ib roo cercado dos
officiaes de sua caza dos Senadores de Roma
com vestidos e mantos doeados os Sinos
res laraui, os tambores retumbara" as muzi-
cac locaran alegres arias Que bella figura a
preseatavaa milhaiesde extiecladores este ve*
neruvel \ el lid trasendo nina tocha na sua
mo es pierda assiin como lodos os membros
da pruciso em q-uanlo (pie com a direila a-
ben oava com bondade as nuillides do povo
proslrado na sua passagem.
O nobre e religioso cortejo desfilou assim na
maior ordem durante hora e meia O clero so
enlrou na {pande lasi ica O soberano Pon-
tfice acompanliado dos Cardeaes fazendo
oraro diante da capt-lla do Sacramento fui
tomar seu lugar sobre o throno', que Ib es-
e rae admiravel na pompa e na magnificen-
cia de suas ccrimonias. (Re|acateur ;
(Do Alcance.)
MISCELLANEA.
Nascimento.
Naseimcnro raca origem Ilustre e
nobre, um feliz presente da fortuna, que
soa que tiesta Cidade as suas vc/rs fizer ; que_
r nnnuiiciar a sua residencia para ser procu
rado.
yj- Arrenda-se por anno, um grande
sitio no logar da pirang, com boa casa do
vivenda com bastantes co ni modos e duas ca-
sas na estrada propria, para negocio no
sitopode-se ter vareas de leite 5 a tratar no
principio dj atierro dos aflojados em casa de
Silve; tre Joaquim do N iscimento.
t^F O Accionista das camellas correspon-
lentesa rodas loteras faz. puhrr-oquc alcm
ais
a existentes tem mais agora de novo a do
Theatro que corre impretenvel no da 17 do
Feverero daqri! lotera o maior premio
as cautellas be de ^'00,000 e vende-se nos
lugares ja a anunciados e m Boa vissa venda
do Sr. Saraiva e as 5 ponas casa do an-
nunciante I) p
OT Antonio Manocl dos Sanios compoz.i-4
tord'esla lolb.i tendo lido na Parte poli*-
cial de liontem boje publicada que lora,
preso nm individuo do mesmo nome por
ler sido encontrado com nm ferro depona,
declara 80 resbeitavel Publico especialmente
as pessoas que o conbecein nao ter sido o an-
nunciante O indicado na, referida parte oulro
sim declara qoed'hoje em diante asstgnar-
se-ha Antonio Mnoel des Santos Cami-
nha.
C7" frecisa-se de urna ama de casa de bo-
mem soltciro sabendo bem engomar ; queni
minio zclo que era preciso que o velbo bo-
tnem morresse. A jardineira .qujo marido
era bstanle vejb tendo tido a curiosidade
de por o ouvido sobre a fechad lira da sala ,
onde prega va Mr. ollier, eneas-pietou-se,
Que queria matar asen marido, que era o
mais velbo da casi. Abelba-sc a ir com mu-
nicar-lbe o que rila acabava de ouvir pedin-
uo-lbjeencarecidamente que quanto antes,
Cllidasse de evitar a morle que llie eslava c-
minonte. O bom do velbo jardineiro nao
(leve ser considerado c respeilado as pes- pz lempo em arrumar n seu fardel, c diri-
soas que del le gozao nao s por um princi- ; (ir-se a c Padre Cura a qoem disse : n Mon-
pio de reconbeciment para com aquelles ,' senbor minba mulher tem ouvido ludo ; dai-
que tem rendido grandes cvicos a o estado .' me 0 meu despaco de sabida pois'ainda per-
mas anda para animar OS descendentes a fin tendo viver mais alcuns anuos i vossas inlen-
de scfpiirem os exemplns de seus antepac.sado<. coes me nao sao oci ullas Que inlcnces
Sao de inleresse publico os' botnens de nasci- meslre Pedro ? Vos o sabis inelbor que
ment, porque til repblica que lia- cu ; por tanlo nio necessario, (|uc vol-o
ja bomens dignos de seus abtepassados : d e- din-i- Alesire Pedro, pxplicai-vos. Moi-
vem reverenciar-se os direilos do nascinieii- senbor nao tendes vos dito que c neressa-
lo ; porque elle o sustentculo do Irono. rio matar o velbo liomcm :' En sou velbo 1 se acbar nestas circunstancias annuucie a ino-
Se e abalem as columnas que vii.i a ser o bem verdado ; mas a velbice nao um crme ; radia.
edificio por ellas suslenlado. Demais o as- e de mais a inda trabalbo para nulrir-me al K7" O abaixo assignado faz. scieole ao res-
cimento parece ser urna tiincbeira entre o mim e a urna mullier, que Deus me dco. peitavel Publico que se relira para forado
povo, e o principe; e urna tiincbeira, que M Ollier veio ntio ao coiibecimcato do que Imperio a tfacar de seus negocios,
os defeiHe ronlra as mutuas empiezas d'um liara motivado o engao do jardineiro ej Antonio Jost* \ icira da Cosa.
Contra o oulro 5 em fin, o nasebnento di costaran-llie os olbos da cara para desabu- | C3" Exlraviou-se um tambor ou caixa de
com rasSd privilegios disl netos, e urna ^mn- zal-o e pxovar-'lbe que o velbo liomeniera guerra, de metal amarello talvez ia'esteja
de aasendencia sbreos memhros d'um estado, | o peccado, que nos devenios destruir dentro pintada-, quem delta der noticia nesta ou na
quesaodumi origem menos elevada. Assim de nos mesmos. Cidade de Olinda se llie dar o dohro Jo seu
aquelles, quegoza denla feli*dade sea Caninio llebulo tinha sido oscolbido por aler cuesta Typ se-dir quera paga.
nao rnrrompeni por nina conduela criminosa Cesar pira s.iccder a o onsul Fabio Vlaximo, | tf O abaixo assignado para cumprir coni
eslo se.'iiros de obter legtimamente justas que linba morrillo ; mas sua di*nidadc s du- os Avizos de > de Fevereiro e 16 de Abril de
preferencias sobre 6s outros cidadaos. ion umdia porque morreo lambem ; so- 1 Mas aauelles a quem o nascimento se- bre o ipie Cicero disse com muilo sal : Ti- fcilo da Comarca faz o prseme annuncio.
para do po^o eosevpe fl o lonvor 011 ; vemos um cnsul muilo vigilante; naodor- Joao Toralo Lopes,
sensura na.o sao por ventura obrigados por mi em lodo o lempo de sua magistratura. .. C7 Precisa-sc de 5oo,ooo a premio de a
isto mesmo a sustentar a di;;nd ule de seu no-j Caio opilio liomein pirrante e eslup- por cento ao mez dando-se boa firma : quem
me ? Quando qualquer homcm se veste com as do. gabava-se de mui hbil jurisconsullo. quiser dar anuuncie.
armas de seus maiores nao de>e considerar ISdd um da chamado para ser teslemunha T Precisa-se alugar um jireto que saiba
ipie tambem obrigao a ornar sua alma com em um negocio responden que elle nada trabalbar de enchada pagando-se 10000
as mesmas virtudes, que ellcs tiveraQ? Oe sabia daqul lio : Tal vw pensaes vos, Ibediz mensaes de comer, e roupa lavada; no
outromedo, osquegaba a seus anlepassados Cicero, que se Irada de questo de dircito ?
tava preparado no meio d'uma mullidao im-I sem imitar s as accies Ilustres, dispe aos
mensa, queeniulhava sem desordem a Basil-
Ca. J ribunas elevadas em roda do pande al-
tar es'ava cheias de damas e d'alla nobre/a
de tudas as INaciics Os Kmhaixadurtsdas di-
ferentes Potencias linh/.d sido nearregados de
deslrihuir Inlbelcs, com osquaer, sse entra
va as tribunas O* liis de aples de Tu-
viera u Vliguel a Rainha viuva da Sanie-
nha e os Einhaixadons oecupava tribunas
guarnecidas de veludo arniesim ; roda do
trono
Os ardeaes Pairtarcps, Arrehpea Bis-
|ins \b!iades (leraes das didi-iis occupaVa
bancul enllocados entre o aliar eo trono,
e eiitao a ceiim na romecou por cantos esecu-
tados pela msica do Papa, enllocada em urna
tribuna r direila do iiilar-nn'ir A's ) horas o
Solieiauo PuDlificfl depois das formalidades
do costil me pronuncou a senlejicu decano-
nisicao Logonni I e cuin :i enloado en-
tao os sinos ua Baslica i/erao Ouvir-S os
instrumentos de msica, os tambores, as
tio.nl.elas o canh io do Caslelb de S Aojo .
eoi sinos detoda a Cidade KspondcraO : i3o
sei porque gritosdalegra nao vieran mislu-
rar-se com toda esta admira vel pompa ,' en
nao tenho visto. nem ouvido cousa'alguma
tao halla c insinuante I.orna s pode dar
um lio encantador espectculo ; era a alegra
do Ceo sobre a Ierra em mais de um rosto
corria lagrimas involuntarias lodos os cora-
edes esta\ao mudos. Comecou logo a missa
Pontihcal
Apenas terminou a Missa a Baslica em
um instante ficou sem pessoa alguma pois lu-
do saio para a (iraca de > ledro para recelar
a encao Papal ubi el orbi que o siinuno
Ponlilice nao d; senao em ruras circunstancias
do alluda tribuna exterior da Baslica Jles-
ta vez quiz salisfazer ao piadoso desejo da mul-
lidao dos liis qiiu concoi reo de toda a Cbris-
tandade paia celebrar com elle a glora dos
BOTOS autos ..:: :;;. Uiafai>ie a imntensa
placa se cobriod Fiis impaeintea' degosar a
jneseaa do l'.e c< noiiini delles o \ igario
SOl-re seu linono cenado do sagrado colle-
gio aoiuido da mullida,1 se ,uii)- U.is ni.i0t.sius.) silencio o Pontfice supplicoii
Sua \o. luile e sonora fcilmente ouvida
l^ejois levanta-se e esleude suas raaos sa-
outros homens a laz.er comparacoes que re
cahem em desvan'a^cni de taes pessoas que
deshonraS o sen nome. O povo. lab incl'na-
do a respeitar os homens de o nascimento >>
que, quando elle nao respeita este favora vel
prejuzo os culpados sao os mesmos nohres,
(Tradzido )
LOTERA DO SEMINARIO.
beco largo da Matriz de S.. Antonio I). 6.
( ) s^y Na padaria francesa da Boa vista D.
irt precisa-se de um prcto captivo que en-
lenda de padiiro.
tSf Prccisa-se de um feilor que seja sol-
tciro para tratare plantar um sitio muilo
pertoda praca j na ra Drcita padara do
As rodas da Lotera concedida por S. M, Machado.
Quando eles nascem entran logo na posse I. eC beneficio da InstruccSo em o Semina- s^* Prccisa-se de um creado, que sai! a
das honres: os grandes emprogo*, a admi- rio Episcopal de Olinda andad impreterivel- bem cosinhare enicnda dos mais arranjos do-
nisira io do* negocios* ocommando das ar- menteenfdda 17 do corren te no Consistorio meslicos para caza de um homcm solteiro lo-
mas raem naturalmente eirt suas moS l'e da Igrrja de Nossa Scnhora doRozario ; e co- ra desla Capital, sujeilando-se oulro sim a
quem podem elles qneiaar-se senao de si mes- mo anda resta-hum pequeo numero deb- andar vestido de libr ; quem quiser encarre-
mos q liando se-vem atacados pela i n veja, e I he tes roga-se encarecidamente aos amantes ger-se desse srrvico dirija-se ao atierro da
pela iita'Iignidade Aisle caso do' a publi- deste di ver tmenlo que a tantas familias tem Boavista segundo andar do sobrado D. qua-
co urna provt exuberante de qua elles nao fucilado, no haia de os comprar a im tojze.
lora [eilis para dS-logal-es, anda que os lo- de nlo restar hlbele algum para o Semina-{ t3" A caza que fabrica hegas dse;
do feii
lies.
gares pateca o ter sido le tos para cues. no.
Os inmigOS de Cicero lanr,-i\a-lbe en lis-
io o ser elle um homcm novo (nao nobre);
sua resposta simples : Folgo mais, diza
elle, debrlhar em virtude d- meu proprio
nclito que por una beranca de meus ante- !
passidos ; e bom que cada qual comece a
sua nohrcz.a >f por cxemplos de virtude, que
COLLEGO PERNAMBUCANO.
Boa-Vista, ra Formosa.
O Collegio Pcrnamhucano cncerra cm seu
carnauba da ra das Trinxeiras mudou-sc pa-
1 ra ra de llorta I). 6.', ds pessoas qtiequiz.c-
1 rem comprar: dei ija-se a mesma caza que tem
sempre pronta para se vender.
C7* Perciza-se de huma caza lerrca na ra
da praia anda que precise de aiguns con-
certos e paga-e maior'alugucl, com tanto
que sirva fiara negocio quem a liver, e qui-

-edeixao posteridade A Calannos a ver- seio todos os preparatorios que a lei c.\i;e para zer este negocio ; dirija-se a na do Colegio
dade os que assim diz.em sao os que faz.em as Academias de Dircito e de Medicina do Im-, botica 1). J.
da necessidade virtude. N as que diremos da- perio assim como para os alumnos que se E7" O abaixo assignado aviza aos Snrs.
quelles, que tendo em partilha um grande deslinarcm 00 Comincrcio, a comecar desde Paes de familia que se a cha com aula aberta
nascimento moslrao rao dar-lbe O \er:Ia>lei- piinicuas letras.
ro mrito deslii-trando-o com ac oes ndig- O* Prcessores das diversas aulas, sao de
as e criminosas em vez. de susienlal-o por um mrito reconhecido.
meio de aeces dignas, e virtuosas? Antes Os Estatutos do Collegio sao francos ao pu-
se r um plebeo > virtuoso que un n nobre n blico a qualquer hora
scelerato.
(fraduzido.)
Variedade
Farecias.
Um homem, detado d'um espirito capri-
choso oMvndo er-na corle de Alfonso V re
de Ara;,a, a lahula das liarpias : imaginou ,
queaquillo Ibe era alius'vo e que se prelen-
r.i'l-oa ridiculo ; e a raso queerleii-
,1;..
AVIZO COMMERCIAL;
As Mallas para a Babia e Rio de Janeiro
pelo paquete de S. M, B. Pelerel' serao
leichadas no Consulado Brtannico s seis ho-
ras da Idrde de -i 1 do correte.
Avisos Diversos.
s^z" Pcsca-sc billar a negocio de impor-
hha p,.ra ass ni pensal-o era que os podas lamia rom o Sr, los Anlonio Pessoa de el-
lo senbor du-eiigenbo Araguaba ou pes-
linini. 1,11c e-ies animaca fatulos hahilavao
em uma Iba nn Sicilia donde elle mesmo,
e sua familia erao ori;;iinarios. O monareba ,
percebendo que este bomem phantasioso s
( ) Tumbcm por l bavia destes ?
Do Traductro,
desde o da iHdo rorrele na ra do Jardim
e casa do mesmo nome onde tao bem recebe
aiguns de Franccz.Vanoel Adriano d'Albu-
querquu .Mello.
t~f As Cautelas que se a chao a venda nos
lugares j; publicados no Diario numero 7 de
1o do corrrnte com a rubrica S. Res
exislem mais d'ametade por vender; o dia
9.7 principia o andamento da segunda parte da
decima sexta Lotera do Seminario, a que
corresponden!, est prximo. Adverte-se por
lano aos concurrentes, bajo de Ibes dar a to-
la! extracao precede fijo res nao dei.xa du-
vidar para o divertimenlo das Larangnhas de
cheiro ; as sorte premiadas sero exaclamenlr
pagas do contrario ficara* parausada, paia'
a outra que se seguir do mesmo Semina-
rio
f^ Nuno .Mana de Seixas declara liavef
comprado por con la do Sur. Antonio Mar-
ques de Oleira do Maranbrio, hum bi-
Ihete numero 3ojJ da Lotera do Seminario,
que hade correr no dia a7 do crreme mes ^
klc Janeiro.



T5T
DIARIO DE
PERNAMBUCO
i ____
t^ 0 Bacharel Antonio Vicente do Nas-
cimento Feiloza abre o seu curso de Filoso-
phia racional, e moral etn o dia 4 de Fe-
vereiro as pessoas que o quiserem frequen-
lar dirijo-se ao seu escriptorio na travessa
do Rozario primeiro andar do sobrado onde
mora o Sr. SaraGm das 9 horas da manb
at urna da tarde e sua casa que be a pri-
meira de vidrassa ao virar da ponte velba pa-
ra a ra da Gloria desde urna hora at as 5
da tarde.
S^ Perdeo-se na bcira do Rio em caxan-
g urna chave grande fina e urnas poucas
pequeas amarrados em urna rodinlia de
ferro ; quem as achou traga a esta Typogra-
j)bia que se dir quem he o dono.

nb no armazem por detraz da cas* dos raes-
mos ruado Encantamento I). 7 1 e ^5.
C o 111 p r a s
Avisos Martimos.
C7" Um cabra bicho boa leitcira ; na
do collegio 1). 4 armazem de chapeos.
ra
lado da Cidadc do Porto ; os protondcntes do rocho e costuma vender na ra ; quem
Ven das
t^T Folliinhas de algibeira eontendo
alem do Kalendario &c, a confisso do ma-
PARA O CEAR.V a Sumaba Emilia, Mes-
tre Jernimo Antonio de Sou/.a ; quem qui-
ser carregar dirija-se ao mismo Meslre a
bordo ou a Antonio Joaquina de Souza Bi-
leiro na ra da cadeia
PARA LIVERPOOL a linda e velleira
Barca Ingle/a Columbus, Capitao Dan Green,
forrado e encavilbado de cobre e de priraei-
ra classe ; quem quiser carrejar ou ir de pas-
sagem para o que tem expelientes commodos .
dirija-se a Me. Calmont & Companhia.
PARAORIOGRAMUi l; SUL segu
viagem o lem conbecido lirigue Nacional 1 t-
osTeGuaide, por todo o prsenle mez quem
quiser carregar ou ir de passagem para o que
tem exoi'llenU'S commodos dirija-se ao seu
proprielario Jo Luiz Paredes morador no
forte do Mallo.
PARAO ASSU' saldr mprelerivelmente o
Brigue Matilde Capillo Antonio Jo> dos
Reis recebe caiga a frete"; trata-se com o
mesmo Capitao a bordo Tundeado defronte do
trapiche novo.
FRETA-SE para qualquer porto a nova e
muilo velleira Barca Americana J. S, Waln ,
de primeira classe forrada e encavilhada de
robre; trata-se com os consignatarios L. G.
F. & Mansfield.
rujo e 11111 Dialogo entre um Aigaraviq e
sua Mara ; a if\o ris cada urna ; Ditas de
dila, dita, dita com anedoclas, historias bons
diclos &c ai.Jo; ditas de porta divididas era
semestres, a seis vintcns o auno; dilas Ec-
elesiasticas a pataca ; na praca da Indepen-
dencia loja de livros n. 3- e 3 na ra do
cabug lo ja do Sr. Bandeira no bairro'do
Recife na ra da cadeia loja que foi do Snr.
Quaresma ; defronte da Igreja da Madre de
Dos venda da quina do beco do a/cite de
defronte da
e em
podem examinar as mencionadas obras em ca-
sa do mesmo Corretor.
t~ Urna preta boa cozinbeira lavadeira,
eengommadeira de idade de a annos;na
ra da cadeia do Reci i e fabrica de chapeos de
J. O. Elstec n 14.
C?" Urna duzia de cadeiras novas um
aparador com dous armarios e 3 gavetas e
urna cmoda com .< gavetas ; na ra nova em
casa do Sr. Vilaca.
tZf Por preco com modo, urnas cartas ge-
ogrficas ; quem o perlender dirija-se a ra
do Alecrim D. i.
ET* Meios Rilheles da Loteria do Semina-
rio ; na ra Direita venda que foi de Jos da
Penha
171" Um completo sortimenlo de taboado de
pinho da Soecia o mais limpo e alvo que a-
qui tem aparecido e de todas as bitalas de
meia polegada at tres de grossnra e de quu-
torze ps de comprido por precos commodos
no armazem novo por delraz do Thealro da
Matriz da Boa vista par,e da mar>
t^" Um relogio de prata, e. de repetico;
Bj e i I a o
C7" Joao Steward, Consignatario da barca
inglesa Mary Charlotte-Weber, arribada a
este porto, leudo de continuar adisporde
botica do .Sr. Joaquim Jos Moreira ;
Olinda Botica da ra do Amparo.
da 16. Lotera do Siminario
de Olinda : nesta Typo2;rafia.
KZf Urna escrava de bonita figura, de na-
cao engomma liio cosecha cozinha o di-
ario Je urna casa ; na ra Direita ao lado
do Livran-enlo.
ty Urna escrava moca de boa presenca ,
perfeita cozinheipa engommadeira apronta
comdelicadesa um panquetc faz toda quali-
dade de doces e algumas qnalidades de mas-
sas duas molecas mui lindas mubandas 2
moloques de 13 a 1 > annos. urna linda es-
crava de nacao com um filho de \ anr.os ,
urna dila de 3o annos lava l.em de sabio e
varrelln por -to,000 todos esles escravos se
do a contento; na ra de agoas verdes D, iK.
dr* Urna otaria em terreno propro com
barro dentro a margem do rio capibadbe,
com muito bdhi porlo e com algum tijolo ja
fcito por preco commodo ; na ra de agoas
verdes por cima do assougue ; assim como
un.a canoa a berta uzada para carregar en-
tulho por preco baralissimo
52F" Bichas de muilo boa qualidade e
por todo preco em condico; na ra do cabu-
na ra das Cruzes casa de relojoeiro
S3F" Urna preta de iS annos de dado alu-
da bucal, propria para o sen ico de campo ,
e um molequecreoulo de idade de < 1 annos ;
na ra do Crespo I). 1'.
l~T Um escravo ladino sem vicio al -um
de idade de 'o annos. e com principio de
marcineiro na praca da Independencia D
a o se dir.
KSF" ous moloques muilo lindos, pro-
prios para aprenderem officio duas negri-
nhns muito proprias para mobanda e um
parle da carga da mesma barca para o seu eos-' 6a wjadoJ. Kanfleira. muris, e meios dilos a 4000; na
teio, econcertos faz lejlao, por interven-1 'szr Y Correlor Oliveira vende por preco cabug loja de miude/as iunlodo Sr B
cffo do Corrector Olivera terca fe ira 2, do "n modo a casa terrea nova edificada a mo- ^ Meios liilheles da Loteria do S.
copiinoilo a casa terrea noi
derna em chaos proprios na ra que vai da
moie(|ue ue idadede i i annos; no paleo da
ribeira D. '\
5C7" Urna casa terrea no principio da estra-
da dos afililos acabada de novo com inul-
tos commodos na mesma urna venda para
negocio com terreno ao lado para se edifi-
car outra casa quintal grande com algumas
plantas e serrado de limao, a tratar na,mes-
ma casa
XZT O Briguo Americano Theodoro de
primeira classe, forrado e encavilbado de co-
bre de lote de a >j toneladas prompto a se-
guir viagem para qualquer [torio ; a tratar
com os seus consignatarios alheus Austiu&
Companhia na ra do Trapiche u. t
tw Bheles da lotera do Seminario aoiio
mil ris e meios ditos a /iwoo ; na ra do
" indeira
Semina-
rio a ^8(0 ; as 5 ponas venda D 9
cao do Corrector Oliveira terca fera
correnle s de/, horas da manb em
no seu armazem da ra da Cruz dos segua- 'j',e!11l"' l'a,i';1 l Mondego D. r. e imme- 5^ \ ei0s liilheles da Loleria do Semina-
tes arligos a saber : agoa para conservaros J,aUl a do obrado que actualmente eslSo edi- r0a^io-, na rui do Crespo loja I) 8 do la-
deles beierros, meza de jamar, cadeiras, | y,cando 9 pretenden tes dirijo-se ao mesmo dodosul
;/" eios bilheles da Loteria do Semina-
ficando
servidor, armario para liv ros, liabas deco- i Corre tor.
res, cadasso branco, frpscos de porcellana pe- v=r Meiesbillisteidt Lotera do Semina- ro a J600 ; na ra do Cabug loja de miude-
ra agoas de ebeiro, oculos de ver ao longo r' na l,r,u a ,1;.1 Independencia loja de on- jas |), 4
guarda joias para Senhom, estojes de nava- cadernadorn 6. ^ ^ \'eios bilheles da Lotera do Semina-
rio a 3>>o ; ao p do arco de S Antonio na
noel Gomes de Carvalho.
[has carteiras para algibeira e para sedulas,
pastas para escrever liguras de broiue es-
toles de costuras para Senhoras, urna cama c
colxo cbengallas, ludo do melhor goslo
possivel; c na quinta fera inmediata 2 ido
correnle vender da mesma forma os seguin-
tes arligos mezas para anlar e para cha ,
aparelbos de porcellana fina copos para agoa,
serveja champanha e para vinbo garra-
fas globos parameio desala, vazos paia
fructas, frasqueiras differentes objectos de
porcellana luvas e meias de seda para Se-
nhora e para bomem dilas d algodao e
seda grvalas de seda e lencos para grava-
tas e correles douradas para relogio ele.
C7- uarta feira aa do eorrente as de/, ho-
ras do dia a bordo do briguo a morir no
Clo fuudeado ao p da escadinba do Caes
d'Alfandoga d urna porcao de carne secca com
avaria por conta e risco de quem pertencer
porordem do Cnsul Americano.
3" Faz-se leilao de meias barricas com
savada terca feira vinte e um do correnle ,
porta do rma/em de Antonio .'oaquim Pe-
reira, defronte da escadinba d'Alfandoga ,
por conta de quem pertencer
tST Que fazem Crablree Heyworlh & C.
por iutervenco do ( orretor Oliveira, de urna
porcao de chitas, meias, gangas azues al-
godosinhos lencos avadados por tonta de
piem pertencer edeum bom sortimenlo de
azendas limpas entre ellas um caixote de
roupa para creanca consistindo em toucas ,
vestidos e &c. que se vender por lodo o
preco ; quarla feira vinte nove do correnle as
dez horas da manb em ponto no seu arma-
zem do h'orle do maltos.
t^~ Que fazem llussell Mellors & Com-
panhia por intervencao do Corretor Olivei-
ra de cerca de 80 barricas de pregos caiza-
res
mo
seta 1 tira a.|
.? Um molalinho bem
de idade
unos de idade ; ptimo para pagem 5 na ra loja de Ma
o cabug I). 4 defronte do cerieiro l \f \\[\
..Hilese meios ditos da Loteria do
E7" Btalas novas queijos londrinos Seminario, que corre no dia >n do correnle ;
cnampagnhe, ymho de Bordeaux cabos de na ra do Cabug loja o relojoeiro junio do
hubo de 5 e meia e b polegada de hitla ser- -r. Bandeira.
reja branca e preta, mustarda o conservas de a^. .\Jeios Bilheles da loteria do Semina-
todas as qnalidades. e oulros mtiilos gneros; rio; na ruado Cabug loja de m i udezas Do-
na ra da alandega velha armazem n .i. cima 3.
W Urna canora com um bom cavallo c^ Urna escrava de nacao angola de ida-
para a mesma ; na ra da sencilla nova do la- dade de ao annos engomma bem cozinha o
do esquerdo ou no atierro da boa vista pri-
meira venda o sabir da ponto.
JO" O resto de sal do Ass a bordo do
Briguo .Madildes undiado ao p do trapiche
nevo a tratar com o Capillo.
t3- Um aparelhodecli de louca dourada
obra a mais rica possivel. com 24 chicaras
parach, dilas para caff bulis, cafeteira.
assucareiro manleigueira leitcira e lige-
la do lavar; na ra da cadeia loja do Sr. Car-
doso Aires se dir.
S~7" Alguna piannos do melhor gosto de
muilos boas yozes e ditTerenles precos j na
ra do collegio D. 4
tST Terrenos para se edificar casas com
frente a vontade do comprador, efundo de joo
palmos tenas proprias e muito vantajosas
pelo commodo desembarque de materiaes no
atierro dos aSbgados logo adiaole das casas do
Sr. Brilo ; na ra Direita padaria do Ma-
chado.
ISJ- A mui excelente e substancial farinha
de aramia pelo deminulo preco de 3ao a
libra na ra do Crespo loja D. 5 lado do
sul.
C7" Meios bilheles da Lotoria do Semina-
rio ; na ra larga do Rozario loja de miude-
zas l). 5.
s:y O Corretor Oliveira vende um ma-
gnifico aparelho para cha e dous taboleiros
engomma ul.<. ,
diario do urna casa, cose e laz doces; na
ra do Rangel U. treze.
Escravos Futidos
, avadados e de alguns selins no mes- ,
1 estado por conla de quem pertencer ludo de prata muilo fina e dos feitios e la-
ta ieira ai do correnle as dea horas da ma- | vourvs uiais psrfeitos que ucsU >c tem impoi-
S^" Fugio no dia la do correnle um es-
cravo de nome Antonio por alonomazia boi ,
tem urna marca no pescocode lalho as cos-
tas com sicalrizes de chicote, inda frescas,
estatura ordinaria eheio do corpo bem fa-
lante foi escravo do um camaroeiro de nome
VI a noel Bod ligues na Cidadede Olinda e
becanoeiro; quem o pegar leve ao beco da
lingoeta n. 4 quesera recompensado.
CJ- Na noite do dia 98 de Selembro de
18 p desapareceo da passagem da Magdalena
do sitio de Joaquim Jos de Oliveira, um
prelode nome Joaquim de nacao benguella.
estatura regular cheio do corpo bastante
ladino ceg dp olho esquerdo com o sin-
gnal dfc um talbo no lado direilo da cara le-
vou vestido calcas de eslop camisa de baeta
verdeja tizada, chapeo de castor branco ja
uzado j quem o pegar leve ao dilo siiin mi
a ra do Queimado loja de 3 portis defronte
lo beco da coi.gregaco D. 16 que ter de
gratifica.o 100 000.
Ur JN'o dia terca feira 4 do corrente fu-
gio urna negra de nome Luiza de idade de
<, annos altura regular cara redonda, an-
la doente be creoula falla fina cosluma
olhar para o chao quaudo falla levou vesli-
ser recompensado.
ra
,oiogarde a. Hago, no a pegar leve ao segundo sitio adiante de S
Jos do man;',uuho indo para a ponte de.
Udioa ou na ra da cadeia velba defronte
do beco largo n. 1a que ser recompensado
l~?~ Fugirao do engenlio l'ongacari da
Freguezia delguarac no dia a5 de Novem-
hro do p p. trez escravos com os nomes se-
guinles ; Jos angola estatura do marca
seci.o de idade de 35 annos cabello bem
chegado ao casco cara comprida, pouca bar-
ha um tanto descarnado macas altas, olhos
muito pequeos todos os denles da frente
ps, e mos ordinarias cor nao muito preta-
Paulo cambiuda de idade de 3o annos
alto, cheio do corpo cabello bem carpinha-
do cor fulla, cara redonda, sem barba,
todos os denles da frente ps e mos gran-
des pernas grossas. e principalmente um
tornozelo ; Antonio angola de idade de
jo annos cara comprida, e descarnada pou-
ca barba meiocorcunda cabello bem che-
gado cor pela mos -.-randes ps gros-
sos e pernas ; quem os pegar leve ao dito
engenho ou nesta praca ao Sur Francisco
Chavier Martn* Bastos com armazem na
da cacimba qu
S3J" Fugio do logar de S.
8 de Dezembro passado um negro creoulo de
nome Joo alto, falla de lenles adianto,
peilosacanoados urna grande fejida na per-
11.1 esquerda se estar na cusa lorie ; quem o pegar leve, a
suledade casa do coaunissario de polica que
sera recompensado.
i~f Roga-se a os Snrs. Suh-Prefeilos e
maisaulhoridadesdesla e mais comarcas, e
pessoas particulares que souberem ou virem
una negra de nome Josefa ( seno mudnu de
nome ) de dade debannos, altura regular,
secca do corpo cor fulla nariz chalo, com
una marea de ferro de sua Ierra em cima ,
um dedo grande alejado em urna das mos. ps
pequeos costuma intilular-se por forra 5
quem a pegar leve ao alieno da Boa vista n.
-t que receher 0,000 de gratifica o.
a^.-s JNodia 18 do correnle fugio um pre-
to de nome Paulo de nacao angola, tem urna
velidiaem um olho, secco do torpo falla
muilo mansa ; quem o pe;ar leve a ra es-
trellado Rozario D. 33 que ser recompensa-
do de seu trabaIbo
DT" JNodia lado correnle fugio um ne-
gro de nome Joaquim de nacao angola ,
alto pouca barba levou vestido seroula
e camisa do brim ; quem o pegar leve a sole-
ilade a casa do Joaquim Xavier Maia que
gratificar*
, iSJ" No dia
crava de nome Antonia Benedicta estatura
mediana bem preta tem falla do um ou
dous denles da frente da parle de cima faltos
de idade de 'ib anuos tem as pernas arquia-
das para lora urna marca de queimadura no
rosto do lado esquerdo ao p da boca he
muito ladina, e lalladeira ; quem a pegar
leve a ra larga do Rozario a casa de Jo.-o
v anoel Rodrigues Valenca que gratificara.
ty JNodia ai) deJNoveinbro passado lugio
um negro que Irabalhava na padaria do Snr.
Jos dos Santos Por tos na ra direita D. ia ,
do nome Antonio de naco Quicam re-
presenta ter bo a 70 auno* falla atrapalhada
apesarde ler mais de ra annos do Ierra es-
tatura ordinaria cara larga boca grande .
beicos grossos nariz chato e grosso orelhas
pequeas tem falta de cabellos no alio da
Cabeca do carregar mos e ps curtos tein
um panno de outra cor que Ihe toma desde o
hombro al as costas levou vestido seroula de
estopa ; nem o pegar leve a ra do Colegio
botica D. 3 de Cipriano Luiz da faz.
13 do correnle fugio urna es-
noine Antonia Benedicta
31 ovintent do Porto
NAVIOS SAHI0S NO DIA 19.
BARCEM 3NTA Brrgue Americano Argo ,
\i. oukl ca ,,a assucar.
ASSU' ; L}rigue Escuna Nac. Constancia Fe-
li, M. Manoel Malbiaa Ferreira em
laslio
ENTRADO NO DIA 19.
BAHA ; 11 dias Patacho Nac. f'ous Ami-
gos de 146 tonel., M. Jos Paulo dos Reis,
carga varios genero? ; a Manoel Joaqun
Pedro da Costa, passageiroa tres portugue-
zos.
RECIFE JNA TYP. DE M. F. DE F, x4<*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDLID40QF_0L5O8B INGEST_TIME 2013-03-29T16:43:32Z PACKAGE AA00011611_03996
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES