Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03992


This item is only available as the following downloads:


Full Text
* *
V #
Annode 1840. Qunta Feiba.
Tuno agn depende de nos mesmos; da nossa prudencia, modera.
co, energa : continuemos como principiamos e seremos apontados
com admiracAo enire as Kares mas cullas.
Proclamadlo da Assemblea Geral do Brazil.
Sul.screve-se para esta folln a 3j?ooo por qnartel paso* adiantados
nesia ypograia, ra das Ciu/is 1). 5, era Iraca" da Independencia
ns. 07 e 08, onde se recehem correspondencias legalisadas, eannuuciofl|
iriMi ciulo-se estes *;i atis, sendo d< sproprios assi^iiaiilts, e viudosassii/- ^
pitados.
Partidas tos Correios Terrestres.
Cidade da Paraliil>a e Villas de sua prctenco...................\
Dita do Itio Grande dolxoite, e Villas dem...................( 7
Dita da fortaleza c Villas Iden...........................j&gundai ehextas Fciras
Villa ne Goianni................................ /
Cidade d- Ulinda..................................Todos os das.
Y illa de*. Anlfio..................................Quintas lenas.
Ihta deGarantmns ePnvoacfio do Bonito.......... ..........D,:g )_ e ^ dera,|a m.
Ditas do Cabo Serinbaem, lio rormozo, e I'oito Calvo............dem i u, e ai dito dilo
Cidade das Alagoas, e Villa de Macei.........................dem dem
Villa de I'aja de Flores.................................ljcin frt dilo dito.
Todos ns Crrelas- prlem ao meto dia.
16 db Janbiro. Numkro 12.
CAMBIOS.
Jakeiro. i 5.
Londres......iii ip 35 por Ifooo ced.
l.ishoa....... Ho por o/o premio, por mciaioCerecido,
Franca.......jj5 re, p0r franco.
hio de Janeiro ao par.
OUHO Mocdas de 6floo rs Velhas i^Rno a i50->ro
, Ditas ,, Kovas liStioo a i4?8co
i Di'as de 4ooo rs., Kjhoo a S^-oo
PHATA Palfices li.azileiros---------------1.54 a
,, Pezos ('oluninarios----------------- i.#>{.i a
DOS Mexicanos--------------------- rf.ru ;i
Premios das Letras, porraet t i/S a 1 ip por leo
Alocdu do colire 5 a < por ioo.de cinc.
iff56o
i#56
#5*o
Das da Semana.
i3 Secunda -
io Teica--------
15 Quarta------
Quinta------
17 Sexla--------
18 Sabbado -
ly Domingo -
S. Hila io R.......- -
S I-Mis M-..........
S. Amaro Al).------------
S Narceiio i'. i. -
S. Anio Al) ----------------
8 Pfica V. M........
S.S. Aoiiic de Je/uz --
------Scss'o d i Thei. c and. doJ. del), da a. v.
- II. IIk-.i,) e nuil, do I. do I), da i. r. man.
--- Sessio da Tbezouraria.
------ivciari) e Aiul. no.!, do ). da t rara O.
- Sev da Thes. e nud. do .1. du I) da i. v.
-- iici. C aud. iiu J de i*, da 5. V.
Mare chela para 9 dia IG de Janeiro.
As 2 lioias e C minutos da tarde As 2 horas e 30 minutos da raanli.

'
PEBWAMBUCO.
TIIEZOURARIA DA FAZEN'DA.
Expediente do dia io docorrente.
Officio AoExm. Presidente do Tribu-
nal do Tbesouro Publico nacional parleci-
pando a rcmessa ao mesmo Thesouro pelo
Brizne Imperial e Nacional Pavona de hu-
ma lala de lollia Soldada ; enviada pela Tlie-
souraria di Provincia do Rio (Irande do Nor-
te declarando conter era Notas innlilisadas
a quanlia de :jiK| U reis
Dilo -- Ao mesmo acompanliandoas tercei-
rns vias de quatro letras no valor de oitomil
libras slerlinas importando ao cambio de a
i|? dinheiros por iU reis em 5>y.n-(Wji) ki rs.
que a )o dias vistas forao remedidos em t) de
Dezembro ultimo, e na mesma dala. ao
Encadenado dos r*egocios do Brasil em Lon-
dres, sendo luima de ,000 libras do saque de
I\Jc Calmonl & C alonada por l.uiz Anto-
nio Y eir sobre Me Calmonl Bro.x & Com
outra de i,c;oo libras do saque de Adolfo
Scramm. en los ado por Gaspar de Menezes
Yasconcellos de Drumond sobre Dugrand
Fordat & Comp. outra tambem de i,cjoo
libias do saque de N. O. Bieber & Co'ni|i. ,
alionado por JoSo Maria Seve, sobre Iliatb
Furse & C. e outra de i,->oo libras do saque
de Mr. I almont & C abonado por Antonio
da Cimba Soaics G ti i maraes, sobre Me Cal-
monl Brox & Compaiihia.
Dilo Ao mesmo acompanbando a tercei-
ra va da letra de >'on libras slerlinas a no-
venta dias vista do saque de Me Calmonl & C
abonado por Antonio da Cunha Soares Goi -
maraes reniellida por conta do rendimenlo
de i por rento do expediente, e armasena-
irom addicional das Alande;',as ao Encar-
rec'do dos Negocios do I rasil em Londre
importando ao cambio dea* \\i dinheiros
por mil reis em Sigo^UGo,'* reis.
Dilo A o mesmo pailecipando ter o De-
putado poresfa i rovincia A. Perigrino Maciel
jVlonlciro recebido a Ajiida de cusi de vul-
ta da lercera legislatura por esta mesma I ro-
vincia
I ito Ao mesmo parlccipando que ten-
do o Exm. Presidente da Provincia determi-
nado que por a Tbesouraria se continuasse
a abolir as quantias necessarias para o con-
cert da cas i da lelaciio desta Cidade, alem
da consignaclo de a 561.4^7 o reis j;
marcada pela ordem do I ribunal do Tbesou
ro de'9 de Janeiro de ix.-'c), visto que ten-
do-se conhecido nao ser sofficiente acbau-
do->e a dita casa sem coberla e eslanub pr-
ximo o invern nao era possivel demorar o
concert e aguafdar-se a autorisaeo do
Governo Imperial semrereioi de novos estra
pos e oulros despendi* da Faiendu ,
julgou a mesma Theaouraria em vis-
ta das rases ponderadas que devia satisl'a-
zer a esta determinaco seguindo-se este
respeito o qtw dispoe o arti-o 4 da le de 4
tle Novembro de ihi'
Dito Ao Exm. Presidente da Provincia
pedindouara transmittir ao Tribunal doThe-
souro Publico Nacional o? precedentes ofti-
ias.
Oiversas Re|>arti<;oeiis.
ALFANDIGA DAS FAZENDAS.
.A Pauld he a mesma do numero a6".
MEZA DO CONSULADO.
A Paula be a mesma do n. 7.
Nao se tendo concluido a arrematacao de
urna porcao de cabo velbo de linlio annun-
ciada para o dia de bontem, em eonsequenci 1
de terem aparecido poucos concorren les o
lllm. Sur. Inspector do Arsenal de Marinba
a transferindo por semilhanle motivo para o
dia 11 do correnle pelas 1 horas da manhaa
convida a todas as pessoas a quem esta arre-
matacao possa inleressar o comparecerem no
indicado dia e bota, munidas dos seos fia-
dores.
Inspeccodn Arsenal de Marinba de Per-
uambitco l4 de Janeiro de 1^40.
Alexandre Rodrigues dos Arijos.
Secretario.
Terrenos de Marinba.
O lllm Snr Coronel Inspector Hera! das
Obras Publicas manda buer sciente que a
medieSo dos terrenos de Marinlia continua
as ler as. quimas csabbados da ra Au-
gusta em direccao ao \t trro das 5 Ponas, a
fimdeqtteos Possuidores dos ditos terrenos
bajao de comparecer por si ou seos Procura-
dores logo depois das (j horas at as c> da
manhaa na certeza de que serio considerados
devolutos os terrenos desocupados ciijos Pos-
suidores nao apresentarem titulo.
Inspeccao das Obras Publicas i4de !anero
de 18^0.
Joao Francisco Bastos.
Encarregado da EscripturacSo,
CMARA MUNICIPAL DO RECIPE,
Sessao extraordinaria em 7 de Janeiro de
i83p.
Presidencia do Snr. Barros
Presentes todos os Snrs. Y'oreadores a-
brio-se a >essao e lida a acta da antecedente
foi apnrovada.
O Secretario dando conla do expediente
meneionou os seguinles olficios
Um do Juiz de I ireilo Substituto, Fran-
cisco Joao Carneiro da Cunha parleeipindo
baver marcado o dia aadocorrente [iara se
reunir a primeira sessao dos Jurados, e que
; Cmara fi/.cssc o sorteamenlo das pessoas
que deveiri compor presente Sessao resol-
veo Cmara que se ohViasso ao Exm. Pre-
sidente da Provincia solicitando saber se
por ventura -portera na casa dos Jurados faser-
se ; reuniao dos mesmos nao obsl-nle es-
tar ella*em cOnserto e caso nao poderse para
a Cmara procurar outra em que se possa re-
unir os Jurados.
Outrorto Procurador remetiendo ; senten-
ca dada pelo Juiz de I ireilo da segunda va-
ra Moraes e Silva respeito da casa de
Antonio da Cunha Soares (iuimaracs, e par-
lecipando ter apellado para a lielacao as-
sim que foi della inteirada e que a vista da
senlenca houvesse ( amara d* o orientar se
deve ou nao continuar com a appellae.io :
que o procurador continuasse na appella-
co
Otilio do Fiscal da Roa-vista remetiendo
relai,o das pessoas mu liadas naquelle li.iir-
ro nos mezes do. Outubro Novernbro e
Dezembro do anuo prximo passado : intei-
rada.
Oulro do Fiscal do Recife partecipando
que Nacha presentemente alfectado de al-'
gumas molestias; e como para o seo reslabe-
lecimento necessita astas de remed
ios pedia
1 cenca
-o dias de Urtica foi concedida I
resolvendo :i Cmara que o Snr. Fiscal Parala
passasse fiscalisai o Bairrbdo Recife no im-
pedimenlo do respectivo fiscal.
Foi apresentado ("amara um requerimen-
lo de Antonio da Cunha Soares Guimares
com despacho do E\m Presidente da Provin-
cia mandando que ella informasse respei-
to : resolveo ; Cmara que se ofticiasse d-
zendo os motivos por que houve de negar
I icen a requerida.
NOTICIAS DE MONTE-VIDEO.
No Nacional de a5 de novembro Ie-se o se-
gu nte :
VERSAO'.
Pariz, a8 tle agosto de io-3fl.
Gabinete do ministro dos Irabalbos ptibli-
cos, agricultura e comniercio.
Recebi, meu caro Portal, a vossa caria. O
governo nao tem o menor conhecimenlo da
medida, que dizeii ra tomada pelo gover-
A Cmara resolveo, que se offieiasse ao nador Rosas, contra Monte-video. No caso
Exm. I residente da Provincia pedindo a so- de ser verdadeira, o nosso comniercio est pro-
lucio de sen officio datado de 17 de Setem- tegido pela marinba real, eas nossas e\pe-
bro da anno p. p. dieces do brasil a Monte-video nao corrern
Resolveo mais a Cmara nue se offieiasse ao risco algum.
Sur. Vereador Antonio lose Pereira despedin- O governo tem aaticnco fixasobre os nego-
do-o, por se acbar promplo Snr.' cios de Ruenos-Ayres c nos prejuisos que
vereador Vianna, a quem viera substituir,'esta situaco cauza s nossas relaedes com-
e lindamente a,radescentlo os servicos que merciaes Tudo estara ba ranito lempo ter-
prestou ; esta Caroart, em quanto esleve no minado, se Rosas nao fosse um hornera inlra-
Iugar de ^ creador supplente. ; tavel que se prevalece de sua posico geo-
Despacbarao se al,mu-; requerimentos. E grfica, e taz tremer a populaco que est
por ser dada ; hora levantou-se a Sessao e debaixo das sitas ordens. Vamos fazer nossos
niandanio fazer a prsenle em q'assignaro. U exforcos para por termo a todas as nOSsasdif-
en Fulgencio luanle de Albuquerque e ficuldades com elle.
Mello, Secretario a escrevi. Marros, pro- Eu vos reitero meu caro Portal, a segu-
Presidente Rios, Chaves, Souza, Mame- ranea da niinba amisade. Assi;nadoCu-
de, Oliveira, Vianna, Bastos, Figueredo.! nin-Cridaine.
PREFEITRA.
patite no da 15.
lllm. Exm. Snr.Partecipo V. Exe. ,
que forao presos bonlem : niinba ordem o
livetao hoje destino Jos .""oares Pereira ,
Artigo de huma carta de pessoa respeilavel do
exercito da repblica,
Passo do Cuello, novernbro ai de i3J9.
Nffo ha novidade alguma da parte dos ini-
branco e Antonio prelo, escravo de Fian- migos : permanecein em S. Jos e, sciin-
cisco da Silva Leilao pelo Sitb-I'refeilo de, do diz huin trnsfuga cnlrclei ano, queche-
S. Antonio este rogo de Lonrenco loze das gou honiem, a deserco continuava de tal
Nevos, tomo rocuiador do dito Leilo e a- sorlc que em pouco tempo Ecbague fitara
quellc para urna averigua o ; Francisco An- s Diz tambem que nada saben) de I'ntre-
tonio Harcellos pardo pelo Cammissario Rios e Corrientes, pois que fazem espalhar
de Policia da ra do Fagundes por ter dado o contraro do que na verdade se passa as-
uro murro em urna crianca ,e insultar ao di- segurando sempre que contao com Monle-vi-
lo Commissario quaudo este o prendeo ; Lou- do. Conhece-se bem por isto que Lavallcja
ren o Jo/e de Lima crioulo por um sida- etJarzon esto no exercito.
do de Policia para o servLo da Marinba ; e Em dala de (i nos remelletn da Colonia as
Juliao tambem preto escravo dos berdei- seguinles noticias ;
ros tic Jo/e Martina da Penba pelo Sub-P. Toda a costa ao sul de Buenos -Aires es-
da lioa-visla por estar fgido. l deserta. As tropas veteranas, bem vest-
E'o que consta das Parles boje recebidas das e bem pagas marebarao segundo as or-
nesta Secretaria* dens de Rosas; as milicias tem-se sublevado
todas, e dirigido para o Sal. Rosas na conta
ANNLNCIO. com outros milicianas mais do que osvelhos, os
O Prefeito da Comarca faz de novo cons- meninos os i 11 lemos, os que nao podem mo-
lar aos Eslrangeiros residentes na mesma, ver-se, eos que sao obligados a ohedecer-
que, cm virlude das ordens eslabellecidas lbe para nao seren degolados. Estes sao os
devero quanto antes sollicilar na respectiva que assignao essas prolestacoes de que tlo-
Sccrclariaos seus ttulos de residencia para sas faz imprimir e q sao antes protestos de in-
que possa mt reconhecidaa suaqualidade de felicidade, e de terooV, as ultimas bypocresias
Eslrangeiros, quando bajao de pe tender pas- tributadas ao tirano para prevenir os seus
saporte na dita Secretaria em cuja occasiao golpes desesperados.
deveronpprebntar alem do dito titulo Alearte Buenos-Ayres nao ha porto
e da competente hablilacao, o Diario, em que algum oceupado pelos Soldados de Rosas su
Ir z dias antes tenbo annunciado a sua in- nao a Enseada onde ha souiente dous mns
tenco de sair da I rovincia como esl orde- Cnnboes e huma fraca guarnico. O oue
nado nos Avisos de 2a de l'evereiro e l cl;i otas noticias o sabe pelo ter visto.
-Todos os milicianos da Atalaya subievarao-
de Abril de i.->3 >..
Ksta ultima disposico comprehende lam
bem lodos os Brasileirosque igualmente live-
rem de sahir para lora do Imperio alem da
obliga fode se mostrarem compelcitteinentc
habilitados.
Pccife (j de Janeiro de i(?4o.
Si Barrcto,
se ; huma companbia de veteranos que ali es-
lava rctirou-sc, por ordem de Rosas.
-- i>odia 15 toco.u na Colonia obergantitn
inglez que vinha de Uuenos-Ayres. O seu
Capilo oceupou-se em distribuir exemplnres
da Gacelta Mercantil, e em noticiar a todos,
com um arde triunipho que a revoluco de
Bueuo*-Ayres eslava suffocada inteiramenl,


DIARIO
D E
PERPAMBUCO
h i SJS
1 a paz e a orden restahelecidas em toda a
provincia. Quatido fallava de Rosa* dizia
lemprcO Snr Rosas; quando fallava do
Snr Rivera dizia simnlesmcnte Rivera.
Tudo isso faz conhecer evidentemente a neu-
tralidade dos agieses.
-- As guerrilhas sal i rio da Colonia ha i 5
dias ; a guarnicao da praca lie composta de
aoohomens.Gracas abondade do Capillo
inglez, os habitantes da Colonia Ierlo,a Ga-
cetta Contudo julgano com exactidlo das
noticias dadas por ella dissero, com espiri-
rito estudantil que a doacao de trras que
offerece Rosas se chama em lingoafem jur-
dica doaco por cauza de morle ; rirlo-seda
contra revoluco do Rosario.
Tem chegado ao porto desta capital MIL
dos libertadores do Sul com os Snrs. coro-
neis Rico, Olmus, Mujica,' e outros. Acha-
rao-se cortados no porto de Tuiu' e juiga-
ro melhor rctirarem-se para esta capital ^tJo
que exporem-se a urna derrota. Quinheiios
liomens commandados, segundo se ci pelo
Sr Villarino, opero na Sorra do Tandil
O illastre general I). Pedro Castelli foi sur-
prehendidoe brbaramente degolado por r-i-
dencio Rosas. A sua cabeca foi espelada cm
hum p;o, na Praca de I-olores,
[Extracto da Correspondencia da Gaceta Mer-
cantil.
Montevideo i4 de novembro 8 '9=
Desde o da 8 cm que chegou aqu a pri-
meira noticia da nsurreicio.do sul vivemos
em huma completa ignorancia desse successo.
S hontem ; (helada de huma enibarcacao,
se dsse que Riienos-Ayres se achara sitiado
p"los sublevados cu jo numero linha engros-
sado considera velmentc-........Estas vozes
po/ero em consternado os agentes franceses ,
porque rcceavlo que ueste extremo nao
h.ouvesse seguranza para seus compatriotas ,
que he a nica couza que Mies inlercssa dan-
d-lhes mu pouco cuidado que o paiz todo
seia devastado Enfatuados como eslo de
suas glorias e do poder da grande najo nlo
pensar) inais do que em sabir airos desta
contenda cuja prolongbanos tem summa-
mente desgostado
Porem qual he a razan porque os France-
zes existentes em liuenos-Ayres nao tem cum-
prido o seu'dever informando o seu governo
das calumnias levantadas contra o de Buenos-
Avres, dos erros do almirante Leblanc, dos
desvairios de Roger das srdidas especula-
res de Baradere e da nullidade ou incapa-
cidade de to considerado Mr. Marligny ?
Porque nao levanto a voz em obsequio ; ver-
dade e em seu proprio interesse ? Nao en-
xergao csses Snrs o abysmo que se abre de-
baixo de seus ps, o os perigos a que os tem
arrobado o imprudente procedimento dos a-
gentesde Luiz Philippe ? Nio Ibes imcum-
hem instruir n novn almirante para que aban-
done e marcha extraviada de seus predecesso-
res esobreludo para nao dar ouvidos aos
conselhcs de Marligny e Raradere ?
A alegria dos Argentinos ( se merecen tal
nonie ), ao receberem a noticia do tevanta-
mentn de Dolores tocou as raias do delirio.
Forao tantas as ioucuras que fizero que me
d asco de fallar dellas. Os vivas os mor-
ras os abramos as imprecaces. as excla-
mares os brincos a alga/arra &c. &c.,
confirmo o conceilo que todos temos destes
energmenos cuja nescia nresumpsao Ibes
ti crer que sao os homens destinados a rege-
rar a sua patria. Pobre e desgrasada Re-
publica Argentina se cabisse as mos des-
ses faci norosos !
A bandeira tricolor tem presenciado todas

tf
v. rtsp.weH.amw iw RtTinaenav-u p^... ... zer cauza commum com hum proscripto de- perante a Representado arional, contra a
novimentrt o co e a trra pftra detare.T abai- generado esqnecendo os direilos e c naide- I violencir. de sua renuncia tazenclo responsa-
10 o Snr. Rosas. Nlo contentes com as intri- raepes devidas ; huma Nado independente I veis os Snrs Representantes, penante a CSa-
jasque urdem por este lado entrarlo em e violando as-leis, e os principios immuti-'olo pelo uzo que fizerem de sua auctorida-
Ruenos-Ayres em suas, dflerengas com a
Franqa.
Os representantes da grandenaco poem em
mor i
xo
gas que uruem po
relagoens com os farroupilhas do Rio Gran-
de por intermedio de huma especie do com-
mssnro ou agente qiie tem aqnichamadn
Castellini Italiano. Flontem teVe elle huma
larga conferencia com Marlignv que o en-
carregou de despachar boje mesmo hum pro-
prio a Cacapava para levar huma communi-
cacao sua importante quelle governo revolu-
cionario. Assim estes agentes depois de te-
rem accendido a guerra civil as provincias
argentinas trahalhln por fomentar a anar-
chia as do Brasil Se o governo france? esli-
vesse informado do nrncedimento de seus re-
presentantes nestes" paizes deveria mand-
is acontar publicamente pelas ras de Paris
Neste momento, huma pessoa da tnwiha
confianza me avisa que chegarlo Villarino .
Saenz Valiente e outros can pees Ilustres do
movimento do sul : asuapresenca e as noti-
cias que dio da sua derrota produzirao o cuel-
lo de hum balde de agua gelada na cabeca de
hum febricitante. Que caras! Que trom-
bas ... Hum silencio sepulcral subsliluioa
algazarra de 3 dias
(Gaceta.)
Montevideo 27 de novembro,
.....Nos dias >.*>. e ^3 do corrente a-
portarao aqui embarcados q5o Argentinos
vergonhosa e humbanfe allianca de hum
punhado de rebeldes nem hesitaran em fa-
te desfecho, o mesmo Presidente protesta des-
de j., e da maneira que Ihe he possivel fazer,
veis, admittidos por todos os < '.ovemos es-
clarecidos e civilisado-; elles nao respeitarc
to pouco as sttAl proprias cathegorias nem
a dignidade de huma N "ao tao grande ronn
a Franca que perteneci : nem temerlo
a reprovagno gcral dos Orientaes Deshon-
rando o neme Francez humilharo-se e
ultiaiarao-sp da maneira a mais indigna e
a mais prfida. Sem nenhumi provocacin
da parte do Estado Orient I ; sem cebido a menor offensa sobre que podessem
fundar suas hostilidades prfidas e inexpe-
radas. m&giutvaV) pretextos ridiculos para
justifcal-as esforcando-sc ao mesmo lempo
para asilisfanar debaixo de pretextos enga-
adores de benevolencia e de amisade dos
quaes Mr Ramn Raradere Cnsul FYancez
em Montevideo, era to prodigo em suas con-
ferencias verbaes como em suas notas olfici-
aes,
ltimamente, deedidn como estavTo a
derribar a Authoridade legal a faser triun-
fara anarebia e a destruir a ordem oonsli-
le para saneciortar oU ajudar as vistas da u-
Mirp So.
Protesta o mesmo tempo e da mesma fr-
na ao Governo FYancez contra a conducta
lo Almirante das fon;as navaesda Franca, es-
tacionadas neslas paragens e contra a los A-
;entes Consulares da mesnla Xacao residen-
tes em Montevideo que abusarlo todos da
maneira a mais indigna e vergonhosa da
sua forca e posigao para hoslilisar e derri-
bar o Hoverno legal de hum po?o anh>o e
independente.
Montevideo a \ de Outnhro de 18-^K.
Manoel Oribe.
Carlos G. Villademoros*
3. Peca Official.
A' S. F.x.o Sr. Brgadairo D Manoel Oribe,
Presidente do Fslado Oriental do Uruguay.
Buenos Aires 12 de Novembro dei858.
O ahaixo assicnado rer.eheo com a mais viva
tucional esses Agentes nao renunciarlo a
meio algiim. por mais vil c indigno que fos- satis'icao a nota de 8 do corrente pela qual
se para fa/.er arrebentar a borrasca prepara- V. Ex Ihe annuncia &c.
da pelos rebeldes legan lo ; Franca i triste O Governo Argentino Sr. Presidente, que
gloria de ter conspirado no meio da paz a mais tem dado sempre ao Estado Oriental do Uru-
dosque fizeraoo movimento*aosu d Rueos! profunda para mergulhir um Pelado amigo guay as mais decisivas prov.is do vivo inte-
Ayres contra o governador Rozas, os quaes o abysmo de males, de que seus filbost jurarlo resse, que toma pela sua prospendade ein-
forao obrigados a'escapar-se estando ce.cados sublrair-se vingindo a honra e a dign;- dependencia deve nesta occasiao testemunhar
por forcas mui superiores, mandadas pelojdade, que se Ibes roubou da maneira a mais a.V Exc como ora o faz a justa simpathia,
irmo do dito Rosas. Esta gente hontem par- prfida que Ihe inspira a causa digna., e honrosa ,
O Presidente abaixo assignado nao teria que V. Ex sustentou contra os rebeldes e
podido resistir ; tantos elementos de deslrui- contra os \gentes Francezes seos alindo*
tio para a ilha de Martin Garda, parad'alli
ir unir-se ao general Lavalle.
Consta que hunsrjno bnmens que nao po- cao reunidos por hum tram \ ta"o escndalo- ''eve expnmir-lbe o profundo pesar,
Desla cidade sahirao no da a3, para o ex- juntavao-se os vivos alarmas que os Agentes contra os me.os niquos que esses mesmos A-
ercito trez pegas de arti Iberia servidas por \ francezes lliecausavo por suas pretences dia- gentes emnregrao no meio da pi/. a mais pro-
Lorenos livres e huma porcao de officiaes. ras annunciadas em too altivo e despro- funda, que reinara entre O Governo confiado
Tem-se agarrado a tudo que* pode pegar em positado. Em to dim^eis circunstancias era V. Ex eodeS VI. o Reidos Francezes,
armas para ir servir m ejercito ; muilos es- do dever do abaixo assignado denunciar s com o fim de proteger os proectos anarebicos
trangeiros o forao tambem porem Ionio logo mitras Nacues a.pielles que insultando a de hum Oriental degradado e proscripto p-
sol tos e continuSo a ser respetados pelo Go- moral publica, desennhecendo e calcando la vonlade geral deseos concidados. Heve
verno aos pes os principios q todo Mundo respeita em!im applaudir a resolucao magnnima dos
As for-as intendentes nesta repblica con- al tentarlo com revollanle injuslica e com filhos dignos desse Estado de o tirarem do
5. inaudita imprudencia as leis do Estado Ori- abysnrn de males iiicalculaveis em que o
ent.il ; sua soberana e res pe i tos que Ibes mei;ulh;rao e de restabeleeerem a honra e
sao deudos, e Ihe con'el"m os Agentes das a dignidade que de hum modo lio prfida
nutras Nacoes to esclarecidas e tao podero- Ihe roubarao
sas como a Franca obrigado pela injustica O abaixo assignado roga a V. Exc. se digne
Corre; impresso em Francez hum opsculo e pela inlervenco culposa dos Agentes france- admitliresta expressap- sincera deseossenti-
le 88 paginas, intituladoManifest da rn- zcs em favor dos rebeldes ; e insurgidos pelo mentos como huma justa homenagem devida
amia, trado, e perfidia em pregados pelo despre/.o e insulto.* com queacompanharao ao Magistrado Supremo e legal de hum Es-
contra- Almirante Francas Mr. Le-Rlanc. e as suas hostilidades contra a Authoridade le- lado, cuja uidependeucia defendeo contra os
pelos ootros Agentes da Franca residentes emlgaldo Estado; |>roximo a abdicar a suprema esforcos criminos-s de rebeldes contra osa-
Montevideo, paraatucar, e submetler ti- MagistraUra eno momento mesmo dedeseer taques, e humilbacoes prodigalisadas sua
rana do rebelde Fructuoso Rivera o Esta- do seo posto o abaixo assignado dirigi i soberana pelos Agentes da Franca e contra
doOiiental do Uruguay que |or sua cons- Honradas Cmaras Legislativas o protesto a ingralido monstiuosa dos execraveis unita-
lituico eslava debaixo* da Presidencia legal que por copia certificada tem a honra de trans- fios )# que de rastos os seguem para renovar as
do Brigadeiro General D. Manoel OribeI mitir V. Ex. assim como aos Snis v inis- mlames aggiessoes pelas quaes nos annos an-
Este opsculo alem do manifeslo conten tos, e Agentes Eslrangeiros junto do Gover- tenoress hadueceo, e auspicios desse fa-
no da Ccnfederai o Argentina, dando da mosoanarchisla Rivera desse genio qualifi-
mesma maneira a maior publicidade possivel i cado de mall'eilor pela Assemhlea Geral do Es-
aos meios criminosos empregados para ar- j lado Oriental do Uruguay invadiraoo terri-
rancar do abaixo assignado a renuncia do alto torio Argentino donde se relirrao sempre
servio anda as niesmas posiges
( Correspondencia do Despertador. )
( Do Jornal do Commercio )
de
fa
estas zambras. Era a que abra a procissao
conduzida pelo degradado Florencio Varella
A seu lado ia o velha D. Pedro Agrella e
outros bons patriotas romo elle lio gritan-
do -.-Morro os blanquillos ; morrlooslngle-
zes porque sao amigos de Rosas; morra
Hood correspondente de Rosas ; norrio lo-
dos" os que nao sao amigos dos inimigos de Ro-
sas 5 morra fulana de tal, mena sicrana de
tal nomeondo-os pelos seus nomes e appel-
lidos .. .. Esta gritara durou-ale as 4 da
manha...............
No domingo passado ebegou aqui o famoso
borrachao Vial que foi levar communicu-
jes de .Mr Marligny os acampamentos de
Rivera do general Echague. Tras respostas ,
cojo conlheudo revella o seguinte -Mailigny ,
inieressado na promplo desenlace das ques-
tes pendentes com o governo de4Buenos-Ay-
res
api
toda a correspondencia official havida entre o
Governo daquelle Estado, e os Agentes Fran-
cezes : poucas pe?soas o possuem e essas
memas talvez nlo o tenhao lido com aquello
interesse, que demanda oconhccimenloexa-
cto do procedimento do Governo da Franca
para com os Estados Americanos nossos
visinhos Nos |K>is o iremos traduzindo ,
e publicando no nosso Jornal ; porque he
nosso intento que no brasil se saiha do que
se passa na America : que no Rrasil se conhe-
clo os aggravos de que so queixao os Estados
Americanos ; que no lira/.il emfini se lome
ola desses aggidvos.
1. Peca Official.
A' S. Ex. o Governador de Rueos-A y res ,
encarregado das Relaces exteriores da Con-
fetleraco Argentina.
Buenos-Ayres 8 de Novembro de 1833.
Depois de huma lucia to honrosa como
heroica de dois anuos contra huma faccao
anarchica organisada e dirigida por hum
homem indigno do nome tle Amerieano, e en-
grossa
sada peLs unitarios da Repblica Argen-
e nao sabendo a que santo he encomnieii- tina o abaixo assignado Presidente do Es-
dar', resolveo entabolar de uiolu proprio ha-| lado oriental do Uruguay, que eslava Ion-
na
cen
negociaglo pacifica com Echague oflere- ge xk: prever a sua queda lbr.ada do alio pos-
do-lhe a amizade de Luis Philippe, e lo, que a Naci Iht havia confiado vio-se
todas as satisfages e garantas que ixxlesse ua fbreosa necessidade de renunciar i elle, por
desejar em sua i|ualidade de chele d 1 pro- j causa da cuoperacao alerta, e escandalosa
vincia de Enlrr-Hios, sem condi...io aiguma do Agentes Francezes to infame procedi-
uwisdo que a de s^parai-sc do governo de I meuio. Emm Agentes nao recuato ante a
posto que oceupava porque este protesto
interessa todas as Naces No entanto o
abaixo assignado se apressar em por estes
aconlecimentos no seo verdadeiro ponto do
visla e em fazer conhecer lodo o Mundo
os motivos que oobrigaro a lomar as ulti-
mas medidas de que os habitante.) do Estado
Oriental e os estran',eiros nelle rendentes
forlo lestemunhas. O abaixo assignado apro-
vela esta occasiao para ter a honra de saudar
V. Ex com os sen ti mentos da mais parti-
cular eslima, e espeilosa eonsideraco.
Manoel Oribe.
Carlos G. ViUademoros.
a. Peca Official.
O Presidente Constitucional da-Repblica
do Estado Oriental do Uruguay no momento
de deseer do posto, a que o tinha elevado o
voto de seos concidados declara pcranle os
Represntenles do Povo e para que chegue
ao conbecimenlo de todas asJNacoes, que elle
nao faz mais do que ceder ; violencia de hu-
ma faccao armada cujos esforcos leriao sido
impotentes se ella nao t.vesse aeliadu o seo
principal appoio e decidida coopera,ao da
uiarinlia mililal franceza que nlo se dedig-
nmi de alliar-secom a anarenia para desfruir
ordem legal desle Estado, (pie nenhuma ol-
ensa havffi hilo I'ranea : e cm quanto se
nao publica o manilesto, em que serio desco-
bertas todas as intrigas que cnduzito es-
batrdos e acossudos.
Se meios to iniquos, empregados para-
preparar os desgracados aconlecimentos, de
que V. Ex se queixa, o ohrigra a demit-
tir-se da suprema Magistratura e a dirigir
as 11 H. C C. L. L o protesto, que por co-
pia certificada me enviou elles excilao tan
liern por justo titulo o zelo desle Governo, e o
constituem na necessidade, e inevitavel dever
de nlo expor a seguranca do territorio Argen-
tino aos planes insidiosos e sanguinolentos
dos Agentes da Franca que se propuserao a
inlrodiizir comajudados rebeldes a revol-
ta e a narchia entre os habitantes desle Es-
tado para derribar como u izerao no Ori-
ental o Governo legal', substttuil-o porou-
tro, que te mostr mais dcil suas preten-
coes humilhantes e ignominiosas. O abai-
xo assignado por tanto se considera na obriga-
1I0 rigorosa de ajudar por lodos os meios pos-
siveis e sem chocar levemente a soberana do
Estado Oriental as disposiees nobres e ge-
nerosas de seos filhos fiis para restahelecer a
honra e a di;;ndade, que to cobardemente
lites foi roubada. DeosGuardea V. Ex. mui-
tos aunes.
Jo ) Manoel de Rezas.
F
"i'i
f iC .u niM,
4. Peca Official.
Manifest de Oribe s Naces.
lie semjne hum spte'.aculo digno de atiene


DIARIO BE
PERNAM3UCO

cao o ver o Chefe legitimo de hum Estado
constituido despojado por meio da torca ,
da Suprema Magistratura de que eslava in-
vestido apresentar-se perante as Nacoes do
Mundo para submetter-se ao seo respeilavel
juizo. Mas quando o seo despojo ou queda,
nao lie somente o excito de dissenses inlesti-
nas ou de ataques externes, quando eli.i he
acompauhada de circunstancias especiaos,
quando he preparada calcando-se aos pesa
independencia e a dignidade de luini Paz
livic presidido por essa misma Aucloridade ,
e empresa ndo-se os ineios iniquoa de traico ,
e de perfidias lao reprovados quanto in-
compaliveis coin os principios sagrados do di-
reito das Nacoes unicqs que prolegem a sua
soberana ; (piando esses escanda los sao o ef-
feilo dos desvos de huma Nacffo poderosa ,
que sabe perfeilamenle o que ella se 'deve a si, '
eoque deves oulras Nacoes; quando. fal-
tando aos respeilos e considera i, oes que
llies deve, sem outro direilo mais que a Coi-
ca sem outro appoio mais do que o poder ,
vexa. cliumillia, sem ser provocada a hum
Estado independente e livre ; he enlaoque
os fraoos devem converter era snstos a sua es -
pectacSo -, naturalmente excitada por lao in-
justa aggresso de que por sua vei podem
sor victimas; lie enlo (|iie os lories vendo a-
balados os principios que respeha e Ilu-
didas as mximas de moral sanecionadas pelos
Povos e pela juslica universal devem eu-
tregar-se huma ndignacao salutar. >> Esses
escndalos, que sao huma nodoa civilisaco
do nosso secuto mina a existencia e hem
estar das sociedades humanas 5 e tSr* hasta
denuncial-os para Ibes levantar por toda a
parle barreiras insuperaveis lesmascaral-os
be o fim reste Manifest ; e o nico seiilitnen
to que anima a quem o assigna he o amor
da sua l atria lao injusta e lao cobardemen
toilendida pelos Agentes da Franca ( i ) Os
documentos, que aqui seajunla as conse-
qnencias que del les se pode tirar, a noio-
liedade mesnia dos lacios que se relereni
sao a prov, a mais convincente da verdade in-
conteslavel rom que o abaixo assignado ousa
dii igir-se a todos os I ovos do antigo e novo
Mundo intimamente convencido, como osla ,
de que o que avanca nao pode ser desmentido ,
nem mesmo pelos Agentes cu;a conduela vai
desmasoarar nem pelos rebeldes que des-
honrando o nome Americano, de que sede-
vero ulanar lanrarao-se em Crimea horri-
veis que marcad indelevelmcntc sua vergo-
nhosa traico.
Desde o mez de Jullio de i 36 o Estado O-
riental do Uruguay era agitado por huma in-
surreico excitada por hum de seos filhos
degenerados O Governo contando com a
-cooperaco sponlanea de seos hahilanlps e
com os bous officios da Repblica Argentina ,
tinha conseguido se nao triunfar completa-
mente ao menos provar que a ronslituco
e as leis erao respailadas) que ellas achavao
defensores entre o I ovo que as tinha jurado;
e que era empreza ao menos arriscada cuidar
em substituil-as pela audaciosa ambicio de
hum rebelde. Achava-sc nessa lucia quan-
do desgracadamente as Coreas navaes de S. M.
o Reidos b ranee/es a|)pareccro as agoas do
Piala dcbaixo do pretexto que lodo o Mundo
pode apreciar, pelos documentos, que fro
publicados: e posto que nao se nolasse'oulra
raudanca nos negocios do Eslado Oriental ,
seno mais impertinencia no (om altivo c
imperioso que o Cnsul de Franca em Mon-
tevideo, 1). Ramn Raradcre tinha empre-
ado atentaoem suas relaces ollioiacs lo-
go que por hum acaso o chele da anarchia se
tirou da humilde posico em que eslava es-
sa linguagem imperiosa ettat maneiras inso-
lentes torna rao-se em ataques, e estabele-
ceo-se entre os Agentes Franceses e os in-
surgidos huma alliiinca lao immoral quanto
pretences ultrajantes dos Franceses ; em fal-
ta de outros pretextos para justificar suas in-
trigas comecro por exigir do Goveruo cou-
cesses vergonhosas q repellidas, como era de
presumir os levara commeUer o escndalo
inaudito de se reunirem Rivera para ajudal-
o a derribar a authoridade legal deste Estado ,
e para humilhal-o com huma infamia sem ex-
emplo.
Consequentes com o systema de decepcJo
tevideo, quer para obter a faculdade, que
solicitava do Collector. A pesar disso, nos
apuros do momento e para evitar toda a co-
casio que podesse servir de pretextos ao
Cnsul para alterar as relaces amigaveis que,
o Governo desejara conservar com a Franca ,
renunciou elle ao direilo incontestavel, que
llie assistia de se elevar contra huma condu-
cta tilo estranha quanto o'fensiva ; e o eha-
mou confidencialmente para lhe fazer sentir as
que baviao adoptado esses Agentes nao pa- diihculdades que se oppunhao ; sua preten-
raudo eni sua marcha insidiosa, e aprrfvpitan- cao Mas o Cnsul ci Franca abusando da
do-seda captura, que os Navios Francezes moderacio do iioverno e persistii^lo em seo
estacionados diante de Buenos-Aires acaba vio projecto de alterar a boa intelligencia (pie se
de fazer de alguna Navios mercantes, com su- procurava conservar, i-espondeo, que se lhe
as cargas pertenoentes ;'t individuos dedilfe- fosse recusada a permissao de vender em leilSo
rentes Nacoes ; nao se limitando a condu/.il-os em Montevideo as piezas, que pira ali tinhao
para c porto de Monte* Ideo e a conservad-es sidocondu/.idas, elle as expedira para os por-
ahi ;' sua disposicao ; corno se fosso hum prin- toa oceupados por llivera. I?lo di/.ia em lom
cipio adoptado ou huin direilo cslahelccido altivo e insolente, e no momento em que
assenlro de os vender em leilo publico ; e esses pollos estavo fechados ao commercio es-
o i onsul \!r. Baradere se dirigi ao Collector trangeiro por disposicoes governativas, que
Gcral iiara lhe pedir a aulhorizacao neeessaria elle nao podia ignorar c que baviao sido di-
( Documento N. i e a ) ( i ). Este ped- tadas pelas circunstancias muito excepcionaes ,
do to absurdo em si mesmo quanto alten- em que se achava o Eslado Oriental
lalorio pela mancha porque Coi Cuito, CbegOU,
como era de esperar, ao coiihecimenlo do Go-
verno. O Cnsul de Franca nao devia igno-
rar ipieeraao Governo, e nao ao Collector
Gcral que elle se devera derigir quer para
justificar ou expr os motivos, que o tinhao
obligado a condusir as suas pre/as para Vfon-
( Conlitiuar-se-. )
Correspondencia
belecer urna Livrari no Rairro do Recife
sendo na, ra da Cruz ou Cadeia : anuun-
cie.
Precisa-sede qlialro mulalinhas sendo
trez de dez e urna de de/cocis anuos ; (|uem
tiver para vender anntlncie ; e vende-se seto
esclavos de nacflb hum negro de vinle
e cinco anuos urna negra de trinla anuos .
sendo estes doua portrezenlos e quarenta mil
rs. urna de vtate e cinco anuos, otra de
trinta anuos hum moleque de i4 annos ,
huma moleca de n anuos hum negro d"
vinle lodos estes de bonita figura sem vicios
nem achaques e tanihem troca-se alguin
destes escrotos por huma negra quesaiba coaer
e engomar no Atierro da Boa-v.sta loja de
ferragem junio a Matriz,
tsr O^ual quer Sur. que Bcou encarregado
com ordem por escrita e firma pelo Doutor Ca-
cimiro de Sena Madureira para se entender
com Marcelino da Ponceca Silva, diiija-se i
casa de !ose Felis da AssumpcSo ra de
Santa Rita ou annuncie a sua moradia por
esta follia.
cr Quem qutseralugir hum sino peno
desla praca, que nao exceda de meia le^oa,
com bous arvoredos de Crudos e com capim,
annuncie a moradia por este Diario para ser
procurada.
S~>"]N'oda t3 desaparecen de hum tabo-
leiro indo na calieca de um negro, pela ra
nova atravesando para ; da Roda, huma toa-
chocante e nao menos contraria, e degra-
dante para a JNaco Franceza que elles re-
piescnlao.
l.ecididos a fazer espiar ao Governo legal
do Estado Oriental a neutralid.-.de que elle
bavia adoptado as diterencas da Franca com
a JSaco Argentina ; a aCaslar os obstculos ,
que a marcha p%usada e circunspecta de
tium Governo, que se bavia senipre mostra-
do amigo fiel da Franca oppunha ao pro-
gresso lalal de suas opperacoes, para obrigal-
o a tomar-se inimigo desta Repblica, e pres-
tar huma cooperaco illicilif ao bioqueio e ;s
Srs. Redactores. Como corre a noticia ,
, ( inda que dada por pessoa que me he desale- Iba aborta, e com luco, quem a tiver adiado
( i ) Muito modesto he aqui o Sr Oribe cta ) deque eu nao dera conla do uuro e sendo queira restitu!a dirija-se a ra daFlo-
quando diz que esse Cnsul pedio auclorisa- piala pe tenecnte aos Orfos filhos de 'oz rentina, vdo da man' lado esqnerdo quin-
co. Eis o seo officio ao Collector Gcral Antonio da Silva e Mello, e para que muitos ta casa, "que se recompensar com generosi-
Montevideo 5 de Sclembro de S'j-i.O Snrs que asim o creem fiquem serlos que dade.
Cnsul de fran a abaixo assignado tem a hon- he caliiinnia rogo-Ibes o obzequio d'enserirenj U~ Alugo-sc 4 cncravos que saibao traba-
ra de se dirigir ao Sr. Collector Geral deste no seu conoeituado Diario, o Requerimento lharem Otaria, pagaudo-se annual, ouse-
Pstado para o prevenir de que com o ini deef- e Ccrlido junta que Ibes agradecer osen nianalmcnte O que sea justar, e bom trala-
fcctuai a venda por conla de quem direilo Respeitador e Criado ment; quem os tiver annuncie ; adverle-
for, dos .Navios, >e cargas, capturadas pelas Polycarpo Joze de Albuqucnpie, se que se admitle lanibem duas pessoas for-
forcas Francezas do bioqueio ," este Consulado Certifico que vendo os respectivos autos ras que queirao traballiar no fabrico do lijollo
tem nomeadoao Sr.Frederico Desbrosses, na que trata o requerimento retro, delles se pagando-se-lhesp que seconvencionar.
quaKdadc de Commtssario de pre/as, para mostr ser recomido pelo Supplicante como fcsT* Huma mulher parda ede meia idade sa
presidir venda eaoSr. Luiz Baenocomo adm'mistrador de sua mulber, ao Cofre as olferece para ama de casa de homem solteiro {
I,orleiro publico para a realizar.. O que com- joias e dinlieiros pertenrentes aos Orlaos seos quem de seu presumo se quizer utilizar d-
munica ao Sr Col lector Geral, para quero- coleados filttos do fallecido Jos Antonio da rija-se a ra de Orlas indo do Carmo lado
conheca aos rs- Desbrosses e Rama como Silva e Mello constante do Inventario e par- direito I. 38.
investidos desse carcter e Ibes d OS hilbetes lilhas. O referido consta dos autos a que me *^" Precisa-se alugar urna casa terrea com
de descarga de que poderem precisar. Dos reporto, e dos quaes fiz passar a prsenle por sotao as principaes ras da Roa-X ista pre-
Guarde ao Sr. Collector Geral O Cnsul de mim subscripta e assignada nesta dita Comarca forindo-se as que tem quintal beira da ma-
F ranea R. Raradre. t^uem nao se re- de Santo Antonio da Cidade do Recife e seo r, ou porto perto ese paga achantado de
vollar. leudo osles, e outros intuitos/ H" Icimo Provincia de Pernambuco aos quinze seis cm seis mezes ; quem tiver annuncie: e
hum consol estrangeiro, nue em huma Ka- dius do mez de Novembro do anuo do Nasci- na lalia serve um sobrado de um andar com
cao independente reeonhecida pela sua e metilo de Nosso Senbor Jezus Chrislo de mil quintal e cacimba
pelas outras NacOPS assitn manda a huma o tocen tos trinta e oito Dcimo stimo da In- tJT Troca-se huma negra creoula de trin-
Aulhoridade superior do 'aiz onde se acha dependencia do Imperio do Brasil. O esorevi ta anuos, que sabe cozinhar e vender na ra,
e sai bao os leitores que nem ao Governo de e assignei Francisco Joaquim Pereira de por um moleque pequeo : quem o preten-
se Cnsul te tinha aluda dirig- Carvalho. der dirija-tea ra da Cadeia numero 19 no
(mulo andar.
*S3" Compra-se hum Diccionario poituguez;
de Constancio e huma grammatica france-
LOTERlA DO SEMINARIO. ce de Lemare, que estejaocm bom uzo ; an-
Como tem sido grande a venda dos Rilbetes nuecie.
> pastar V. Ex huma copia. Ella far co- da segunda parle da 16. Lotera concedida j C^" Despacbo-se navios e tirao-se pas-
nhecer a V. Ex. que exislem ncsle porto beneficio da inslrucco publica em o Semina- saportes e guias de escravos, com presteza
muitos Navios enviados como pre/as pela rio Episcopal de Olnda o Reitor do mesmo e promplido ; na ra do Vigario venda D
esquadra, que bloqeia o litoral da Republi- Seminario annuncia ao respeitavel publico, 29 se dir.
U7- Dc/eja-se talar com o Sur. Manocl
Gonsalves Campos sobre negocio de inle-
resse o mesmo queira dirigirse a RoavisU
D.p.
5^" Quem tiver para alujar urna cash ter-
rea no Bairro de Santo Antonio dando-so
Montevideo esse
do para ao menos lhe dar parte de>se negocio !
All vo dois documentos que o provo. .
1 A'S. Ex. o Sr. Ministro das Finan-1
cas. O cnsul de Franca acaba de me diri- I
gir huma ola de que teiibo a honra de
ca Argentina. A prinieira noticia, que (pie as rodas bao de andar impreierivelmenle
esta reparlico recebeo d.\ rhegada desles em o dia vinle e sele do crtente Janeiro.
n Navios he a que o Cnsul de Franca lhe -----------
trantmitlio ; e como o negocio me parece ;
..muitos respeilos delicado, rogo a V. Ex. AVIZO COMMERClAL.^
-. queira di/er-nie em nomo do Governo o O Rrignede Guerra de S. M. R. Camelion ,
que devo fazer neste,- e noiitres casos seme- G. M. Jlunter Commandanle partir para de aluguer atd 10 reis, sendo para pouca fa-
.. Ranles, que io.-s.io apparecer. lieos Gu- Macei e Rabia sabbado dezoilo do corrente; nidia annuncie a sua moradia por esta i-
. arde a V. Fx. muitos anuos --Collectoria as malas serlo fechadas no Consulado Rritan- Iba.
.. Geral de Montevideo 4 de Selembro i85t nico s duas horas da tarde do mesmo dia. tJ" O Europeo de idade que annunciou
assignado Francisco J. Munhoz.
Avisos Diversos.
Montevideo 6 de Setembro 818 O abaixo
assignado Ministro e Secretario d Estado das i
relaces Exteriores acaba de saber pelos Mi- '____________________-----------------------
nislerios da Marinha e Fazenda s que
exislem ueste porto Navios capturados pelas ST Precisa-se de urna creada que saiba
loicas navaes de S. M. o Reidos F. que cozinhar, e enteuda dos mais arranjos domes-
querer searranjar, ou outro qualquer Eu-
ropeo que estiver as circunstancias de ser
caixeiro do huma venda e della tiver pratica.*
procure na ra das Cruzcs loja do sobrado D.
a que dando coiihecimenlo a sua pessoa a-
cliat com quem tratar.
i:j~ Urna Sen hora curiosa se propoem a
( ') inesio mu e O iit-siiio senumen-
to dirigem otRedacUresdctla lolha que in
dignados ue pioccleres lao escandalosos e de
xeietn osieiiCO anda mais escandaloso da
Imprenta brasleira edos seos homensd
Estado se propuzera larercom que no Bra-
sil se s.iiba o que se passa na Ament e na
Europa respeito da America.
A neutralidade que o Governo da Repu- lo se dini quem precisa.
blica tem Btricta mente observado, e que se 1 cj" Manoel Francisco Guimaracs faz sci-
propoe observar as questes pendentes entre ; ente aos seos credores que queira ir quanto
a!'ranea, e a Repblica Argentina nao lhe antes justificar suas contas no ( artorio de
permiti olhar com indifferenca hum laclo ,; Fiar.cisao Joaquim aonde se est proredendo
que comproiiielteria essencialmente osla mes- la inventario por parte de sua mullica D. Joa-
ma neutralidade ^ suas relaces de ami/ade quina Mara da Conceicao adverlipdo que
com huma das duas poleni ias dando lugar a lodos os bens j se acha a aliados apresen-
queixas e justas reclamarnos. He por isso i lando os ditos acredores primeiramente suas
ue o abaixo assignado se |Uga com direito 'cotilas crtenles para soivm couleridas
e pedir, em nome do seo Governo ao >r. |-"* Felendo-se hum i estiliador d'agoas-
ardenlet para lora da praca a pessoa que
euive nesias circunstancias, e tenha a inte-
ligencia neeessaria : dirija-se a ra das cinco
ponas I) 11 loja de (afeudas,
$27" Quem tiver para alugar hum andar
d una caza com boa baila propria para csla-
'1
d
Cnsul de Franca as necessarias expliraioes j
saudaiiuu-u u HH-3IIIO ieinpo com a maior
eonsideracio, Carlos (i. X illadcmoros. Ao
Sr. icntuldeS. M. o Ile dos I*rancezct
A resposta do Cnsul a esta Neta he assaz
curiosa : a&\* publicaremos seo tenijio,
do seu prestmo quizer ulilizar-se dirija-se a
ra Direila sobrado D. 1$, que achara com
quem tratar ou annuncie.
S-3" Anna Joaquina do O', aviza ao res-
peilavel Publico, que principia com a sua la-
refada escola de primeiras letras, do dia 16*
do correnle mez ; na caza de sua residencia no
Recife ra do Amorimem o sobrado de dois
andares no ptimeiro : nttpm quise'- Calar-llie i
este respeito dirija-se mesrae desde o dia
marcado.
t/" A pessoa que dc:o urna Imagem de
Santo Antonio ao Sr. Jos Aranba do Es-
pit ilo-Santo para mandar encarnar ; pode
dirigir-te as si neo ponas ; caza O. 4'' po1
bise acha a dita linagem encarnada desdo
ezcmbro p. p.


*TK~
4
DIARIO DE PERNAMBUCO
*
t2f Tvecisa-se de urna ama para casa de
peluca familia ; na Itffi de chapaos da praca da
Independencia D i8e ip on no Mondego
primtira casa passando o sitio do Major Costa.
tsr Quem quiser dar too a 00,000 por
tem pode seis mezes com boa firma annun-
cie.
C3~ O ahuxoassignado avisa a os paes de
seus alumnos que pretende novamenle abrir
su aula de primeiras letras hoje ib dti
correte em casa de sua residencia ra da
cadeia velha 11. 5j\ Fol^carpo Nunes Cor-
reia.
tJ" As caufellas quese acho a venda nos
lugares ja publicados no diario n. ^ de 10 do
correntH com a rubrica S l'eis- existem
Jnais de metade por vender ; .0 dia 27 princi-
pia o andamento da segunda parteada 16. lo-
tera do Seminario a qe correspondem .
esl; prximo Adeverlc-se portanto a os di-
gnos concorrentes hajo de Ibes dar a total ex-
traeco o preco de b/a ris nao dcixa de
convidar para o diveriimento das laranginbas
decheiro; as sortea premiadas ser5 exacta,
mente pagas; dorontrario ficar parausada,
j>araoytra que se seguir do mesmo Seminario.
D" O Sr. Manoel Adriano de Albtiqiicr-
quee Mello queira procurar na ra das Cru-
aes no primeiro andar do sobrado D. il>. pa-
ra Ibe ser entregue urna carta vinda do Ilode
Janeiro.
IV A pessoa que annuneiou querer com-
prar \ niolalas sendo tres menores e urna de
cianno*, sendo queira urna de idade de \'
annos, dirija-se a ra de Hurtas I). 10
7' Samuel & Jengleis Americano esla-
balece casa de pasto com todo o asseio na ra
do Hospicio junto a casa que foi do piigenhei-
10 Boyer, tem lodos os neoessarios que se pre-
cisa e lem estribara para cavallos e trata-
se com todo o zello os que lorem de sella.
XST A pessoa que precisar de urna senbora
de cor pela para o servico de engommar e
niais servico de urna casa, dirija-se a Boa
vista no beco de Joao Francisco I) 7
539" (^uem achou una cabra grande ma-
Ibada de amarello
S2^" Urna escrava de bonita figura. de na- casa dous ditos de 10 a 11 annos bons para
cao engomma liso cose cb cozinha o di-
ario de urna casa ; na ra Direila D. 20 lado
do Livramento.
CT Urna olaria em terreno proprio com
arro dentro a margem do rio capibaiibe,
ttm muitn bom porto e com algum tijplo ja
"eito, por preco commodo ; ni .ra do agoas
erdes por cima do assougue j assim como
n.a canoa aberta uzada para carregar en-
ulbo por preco baratssmo
tsy Molduras douradis de cinco pobladas
de largura proprias para giiarnicoens de sa-
la 011 para quadros ; no botequim do Al-
incida na praca do Commercio.
Mf" Meios biljietes da Lotera do Semina-
rio ; na praca da Independencia bja de en-
cadernador n >(>.
Z*~ Cac moido de primera quadade e
sem mistura alguma a 9'o a libra, e em
grandes porcoens se ajustar calda de tama-
rindos e maracui a -8o cada garrafa sera
o casco ; na ra do azeile do peixe n. 6 pada-
ria de Manoel Ignacio da Silva Teixcira.
\Ky Um relogio de algibeira com ponteiros
deVniro e muito bom regulador ; nesta Ty-
pografia
S~?* O Corretor Oliveira vende por preco
commodo a casa terrea nova edificada a mo-
derna em daos proprios na ra que vai da
Trempe para a do Mondego D. 6 e imme-
diata a do sobrado que actualmente esto edi-
ficando ; os prelendentes diiijo-se ao mesmo
Ccrretor.
6Q> Um moleque de nac,o de idade de
90 annos, proprio para campo ou troca-se
por urna negra que enlenda de cozinba na
ra do Fagundes D. 18.
SS7* Potassa da Russia da primera qua-
dade ebegada ltimamente ; no escriptorio
do Coronel Menezes na ra do Vigario 11 u-
aprenderem olKcio urna n.'grinlia de 10 an-
nos muito ladina ja cose bem e faz o ser-
vico de uma casa ; urna molata de >o annos de
idade com bom leite para criar urna crian-
ca cose engomma e cozinba urna pre
ta de ao annos faz todo o servico de urna
casa todos por preco commodo ; na ra de
agoas verdes casa terrea D. ^7,
C?" O Corretor Oliveira vende um ma-
gnifico aparelbo para cha e dous tabobiros
tudo de prala milito fina e Jos feilios e la-
voures mais perfeitos que nesta se tem impor-
tado da Cidade do Porto; os prelendentes
podem examinar as mencionadas obras em ca-
sado mesmo Corretor.
SS^" Urna propriedade delerras sita na fre-
guesa de S. Jos de Agoa fra no lugar de-
nominado Simicsou Mutuns com urna legoa
de fundo e meta de largura pela margem
do rio da Iba a cima propria para se levan-
tar um muito bom engenbo d'agoa com o mes-
mo rio de Unna, que pode ficar quasi todo
dentro da levada e propria igualmente para
cracoens e plautarao de algodo que d
milito mclh'ir do que as calinitas, e muito
fino chapeo de pelha, mas consta ja ter
mudado de traje C andar vestido de seroula e
bonet, becanoeiro e auzenlou*-se com urna
canoa aberta com ma taboa e com as fa-
ces exlernas pintada de encarnada em que
trabalbava e ulga-se andar fretat^fo pelos
portos conbecidos 5 quem o pegar lev) a ra
das larangeiras sobrado que inorad Claudio
Dubuex.
tsy O Canueirodo porto dascanoas do Re-
cife bem conbecido por Jos Goianna esT
fgido desde o dia i do correte; quem o
pegar lete a sea Sr. Manoel Carneiro de Sou-
f.A Lcenla moradoi na ra larga do Roza rio ,
de quem receber 16,000
xr" A pessoa que tem em sua casa urna ne-
gra de nome Roza de naco Mengela com
ossignaessegantes ; bonita figura, tem um
bordado em um braco signal de sua trra, com
cabello rapado a navalba mis principiando
acrescer levou vestido de chita branco com
llores encarnadas e panno da costa anda no-
vo desJparecco no dia sabbado 1 ido corren-
te sabe-se onde est e lem se esperado que
a venhao entregar quandonao ser publica-
do o sen nome e se proceder na forma da
abundante de madeiras tanto amarello co- i le ; quem a ti ver irija-se a ra por delraz
mode bur jangadas, e oulras militas qua- dos Martirios D. 4 que alem de gratificar
lidades ; a tratar na mesma propriedade.
CF- Bilbetes da lotera do Seminario aoito
mil ris e meios ditos a ,ooo ; na ra do
promelte-se nao di?er quem he.
SSy- No dia 1 ti de utubro de 18 '9
gio urna escrava de nome Anua ladina
fu-
de
cabug bja de miude/as junto do Sr. Randeira angola de bonita figura estatura regular ,
sry Meios bilbetes da Lotera do Semiua- cor prela. rosto puchado, olhos grandes, 11a-
rio a 8 {o ; as 5 ponas
venda
O Q
ri/. fino
leteos meios grossos
lem urna ma-
mero 10.
XZJ* *.(cios bilbetes da Lotera do Semina-
rio ; na ra larga do Rozario bja de miude-
zas D. *.
Z^F" Urna molata ptima cozinhera, de ida-
a de amarello e lirancn com as ponas'. de de b annos sem vicio lgum, lava bem
grandes, untaorelhacortada pelo meio com de sabo e cose ; urna negrinha de nacao
um cabrito de cor sizenla las costas dirija-se a ra do Aragao D. j, mas babelidades e propria para mubanda ;
que ser recompensado.
na direila sobrado D. g no primeiro anda
SEF* Ou treca-se por urna negra que saiba
lazer o servico de urna casa um moleque la-
dino sem vicio nem deffeilo algum de idade
'7 no primeiro andar
Si^~ Urna escrava com as bib:-lidades para
S" O Sr, Jos francisco Marlins de Oli-
veira queira procurar na bja de Antonio
Francisco dos Santos Braga ra da moeda
n. ta urna carta de particular recomendacao de 1 i anuos; na ra estreita do Rozario I)
vinda do Rio de Janeiro
^iS Rrecisa se de um caixeiro para venda
que d fiador a sua conduela ; 110 beco do pe- oservicodeuma casa um negro ganbador
e frito!)./j. lenta, pipas, quartolai e l.arrcs vazias
'ty ffereoe-se um iiomem casado para um bulauca pesos, e medidas de pao e fo-
ca xeiro (ora da praca ; quem precisar dirija- Iba v urna armaran de venda ; as 5 pon-
Be ao atierro dosaflogados na casa que foi bar- | ti3 de < onde lem lampio
raca de D Tiiomaz.
C7"AjHg|a-se a peopriedade da ra do azei-
SSJ" N'eios Bilbetes da Lotera do Semina- Iba n>"is p>eta do que a cor natural no rosto do
rio a 38 o 5 narui do Crespo bja D 8 do la- lado esquerdo c no braco esquerdo urnas le-
dodosul tras de angola tem as costas muitos talbi-
tZT Veos bilbetes da Loteria do Semina- nhos de navallia, mos pequeas e ps gros-
rio a 36oo-, na ra do Cabug bja de miude- sos porem mal fetos', inlilula-se creoula .
?as |)_ ^ levou vestido de riscado ja desbotado e panno
-O- Veios bilbetes da Loteria do Semina- da costa foi comprada a Camilo de Lellis da
rio a 384o; ao pedo arco de S Antonio na Fonscca piloto de urna das embarcacoens de
bja de Manoel Comes de Carvalho. Joaquina Ribeirode Brito, quemo pegar leve
tsr Bilbetes e meios dilos da Lotera do a ra da Gloria casa de um andar degrade de
""eminario, que corre no dia > 7 do eorrente ; ferrrode!ronte do convento, a fallar com o
na ruado Cabug leja do rebjoeiro junto do Tenente Coronel T. Cenar Burlamaque que
*p. .Bandeira. v receber o,ooo de gralilicaco.
^. Meios Bilbetes da lotera do Semina- C5" No dia 5 do eorrente desaparecero do-
rio ; na ra do Cabug bja de miudezas De- us esclavos do a baixo assignado do seu sitio no
eiroa 3. Bollrim n? Cidade de Olinda um de nome
Apolinario de idade de 10 anuos estatuara
sem barba ofBcial de curpina, to-
e gosta de andar pelos batu-
ques e be ereoulo ,
gos d* nacao anr.ol
SU* Para frada provincia por preco com-
modo um escravo creoub de idade de '5 an-
nos serrador caruiceiro e cozinba o dia-
rio de urna casa ; na ra dos Quarteis D. 1 1
no primeiro andar
regular ,
cador de viola
oulro de nome Domn
estatura regular de
02
de i
dila-
te do peixc no bairro do Recite n
andares e anna/.em ; c|iicni pretender
ia-se a ra 3a Cadeia velJia bja 11 10.
t!7" Apefsoaquc annunciou querer aoo a
?oo 000 por lempo de seis mezes com boa
firma dirija-sc a ra do Nogueira I). ,a la-
do esquerdo viudo pelo jialeo da Penha.
Avises Martimos.
^S2^- Bous cpalos inglezes para Iiomem; na idade de .5o anuos sem barba grosso do
roa da cadeia Velha bja D 10. corpo eos turna andar decabeca baixa, quem
s^-Casemrasgrossas a pataca cada covado, os pegar lere a ra da < ruz n i que ser
panno azul proprio para farda ment a 600, recompensado. Caetano Pereira GQjisalves
e finos de todas as cores por preco commodo da Cimba.
chitas modernas de superior qualidalc de i4> ST No da lo do crrante fugio um mole-
aaoorso covado, modernas e finas cassas que de nome Antonio do gento de angola ,
tST Urna m a nguira propria para sepos de pintadas a' 900 n. e em cortes de veslidos a de idade de i5 annos, estatura baixa bem
assougue pode dar de f a'5 sepos da-seem| aooa 3ooO, cambalas bordadas de 5oo a tinto, beicos grossos e lem na mo direila
centa mas com a condicao dos compradores
mandareni serrar o compimenlo dos ditos,
800 rs, e adamascadas de lislras de '00 a 00 um dedo corlado at o meio, que o immedia-
rs avara, lencos de garca a 3 o e de sede, -lo ao polegar falla bem enl<:ii;ivel veio do
PARA O MARANIIAO' segu vagem al
O 6m do presente o Brigue Escuna Laura,
torrado e encavilhado de cobre bem con be-
cadas as suas qualidades e grandes commo-
dos para passagiros ; quem quiser carrejar ,
ou ir de passagem dirija-se ao lapilo, ou a
FirminoJos Fe'lisda Roza.
PARA LI\ERPOOLya Barca Ingleza
Irt tendo a metade do seu carrcgamenlo proiu-
plo ; quem quiser carregar dirija-se a os
consignatarios HarrisOns Latbam & Hibbert ,
na ra da alfandega velha n. nove.
PARA O MAN RE o Brigue Frailee Ar-
rjiorique tendo ja parte de sua carga, sahi-
r imprelerivelmente nodia ii do crranle:
quem quiser carregar, ou ir de passagem di-
rija-se ao seu consignatario L. A. Lnboureq ,
na ra do Vigario 11. 16.
poisa r.iangueira ja se acba derrubada ; a I diales de cambraia 370 lencos de cassa de lomo da cal de Olinda para vender leite nesta
fallar com M. J. do Reg na ra do Rozario. qu.idio de cores e pintados de metim 160, ris- Cidade e consta de la ler viudo para o Reci-
o sobrado que foi do chamado Luz dos 4 cados lessidos a itoocovadoe escuro a iqo, fe 5 quem o pegar leve ao Ionio da cal ou na
011 em pecas de aScovados por a5(io baelas ra da Cruz n 58 quesera recompensado-,
algodao da America, e cobertores proprios pu- O Cundido crelo flicial de pintor es-
ra escrava tura por serem encorpados, e oulras tatura alta seco do corpo sobiancelhasgro-
muitas l'azendasa preco commodo ; na ra do cas, beic,os vermelhos ps grandes bem lalan-
crespoD. 6 lado do norte, bja de Antonio te levou vestido carniza de madapolam jaque-
da Cunha Soares Cuimarae?, tadexla branca, e calca de brm branco e
__ ----------- chapeo de palha pintado de branco, fgido no
SSCra VOS- JbllindoS da i do eorrente-, os apnhendedoies poilero
lvalo a ruadas Cruzes caza U. tcjqucsero
t!7 IN'o crtente niez fugio dous escravos recompencados de seo trabalbo
ladinos um de nome Gabriel e oulro de
C o 111 |) r a s
Magnun
Le
xicon
* C7" Um diccionario
quem tiver anuuncie
tsjr Urna porco de lage que sirva para la-
ear urna culsaila ; na ptaca da Boa "isla bo-
6!
t
1
5
ni-, :inllniirii>-
V e 11 fl a s
'^y Meios Billietes da 1 parte
da 16. Locria do Sintiario
de Olinda : nesta Tyj>ografia.
cantos ou na solidade onde existe a dita
mangueira casa I) 6 quasi deionte do sobra-
do de Francisco Gonsalves da Rocha.
5S5" Urna bja de miudezas com varias obras
decpalos, e formas e sua competente ar-
mario todaenvidrassada, por preco commodo
senJo a vasa em conta e boa moradia ; en-
trando pelo lado da lgreja do Livramento D-
cima 1
VST Cm riti na estrada dos allliclos com
casa, porlo e cacimba de pedia e cal, em tr-
ras propria e una morada de casa terrea no
palco do Carmo I) 7, e duas pipis vasias de
Lisboa ; na rita da Conceicao da Boa vista
I). 5o.
tF" Superior sal de Lisboa a 7 >o o alquci-
re e rebollos para barbeiro por preco com-
modo; na praia do Collejjio armazem de Cae-
tano Jos da Silva.
f^^ i a vacas de boa quadade dando-se
a escolba em majar numero drllas ; no sitio
acar na estrada de l'eliribe.
IZJ" O velleiio Brigue Americano Theodo-
ro forrado e encavilbado de cobre de lote
de va; tonelladas prompto a seguir viagem
para qualquer porto ; Irata-se com os seus
consignatarios IMatheus Austin & Companhia,
na ra do trapiche 2
S^T Ou aluga-se urna canoa aberta nova ;
em lera de portas noeslsleiro de Thomaz Jo-
s Neves.
zj" Em casa de Firmino Jos Feliz da Ro-
za ra da moeda boas bichas e Irocao-se
as que nao pegarem pe!' preco? seguotCS
ocenloa lo,000 meio cenlo a iao o em
pequeas porcoens a ico.
S^" Seis escravos, um bom moleque de
8 a se aiin^s cozinba bem o diario de urna
nome Mariano o primeiro lem os ps de pa-
pagaio c o segundo tem urna marca de fer-
rad ura na testa e por estes signacs se fazem
bem conbecidos ; quem os pegar leve a casa
de Manoel Cardozoda Fouseca ra da ca-
deia nova |). !\.
STjf Nodia o do eorrente fugio do Ca->
Xftng um escravo ereoulo de nome Smo ,
estatura ordinaria levou vestido camisa e
calcas de estopa e conduzio um surrao de
idadcde'O annos, perlence a Cirino Mar-
ques de A tanjo ; quem o pegar leve a ra de
liorlas D 1-4 que ser gratificado.
6^ Desaparrceo no da a5 do p p. um
escravo de nome Jos por anlonomazia Jos
Boi de naco camhinda estatura regular .
corpo grosso, cara um lanlo.redonda e pre-
Ha de um caiacter feroz o>os pequeos e
a fuma ados nariz regular boca grande
c bastante grossa rom urna sica ir iz sobre o
leco de cima ue bem indica ler sido gorpr
defaca ou navalba suissas.um tatito finas e
obliquas, falla grossa, c bastante a marinbei-
rada por ja ter sido de Iripulaco, denles igu
Moviinento do Porto
bes e um
ados
101 xa-
grossas e
unidas pes
e mos bastantes carnudas e apalhetados
levou vestido calcas e camisa de brm entre
NAVIOS ENTRADOS NO DIA i4.
MAR PACIFICO ; 5qdias*, Galera Ameri-
cana Fenagne de 3a5 tonel < apito J. B-
Pussy equip. aa carga azeile ; ao dito-
Capilo 1 veio refrescar e segu para Ame-
rica
RIO DE JANEIRO; ->5 das Barca In-
gleza ValheusClumm de -jgi tonel. Cap.
Pile'r Trasby equip. a em lastro a
Jobn Sluard.
BAHA ; Sdias, Brigue Ingbz Emerald de
de 45 tonel. ap Jnhn Warly, equip.
l .j, em lastro ; a Schramin.
S AH DO NO MESMO DA.
ANTOS"; i'rigtic Nac. Passos e Victoria-r
Cap. Manee! Jos Ribtn cnrgn :!.
BAHIA 5 Brigue Ing'ez Ages Cap. CobI)r
em lastro 5 passageiro um Alemo.
RECF rs A IAP. DE M.F. DE F. ."'iS-j'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAOQBN71E_Y9N4NN INGEST_TIME 2013-03-29T16:42:59Z PACKAGE AA00011611_03992
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES