Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03988


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno DE 1840. Sabbado
.
.
}
^Tudo Agora depende de nos meamos; da nossa prudencia, modera.
Cao, e energa : conlinuemos como principiamos e seremos apernados
coro admiraco entre as Aace* mascultus.
Proc/amaco da Assemblea Geral do Brazil.
-+4*-0~
Subscreve-se para esta folha a 3ooo por qimrtel papos adiantados
nesla lypografia, rUa das Crairs I), .i, e ra Prac da Independencia
ns. 7 ea8, onde se receliem correspondenciasleyasadas, eannuurios
iniirindo-M entes lats, sendo dtsproprios asignantes, e vindosassigl
gnados. 8
Partidas dos Correios Terrestres,
Cidade da Parahiha e Villas de sua pietpnrSo.
Dita do Mi Grande do Norte, e Villas Idm."
Dita da rnrtah-za e Villas dem........
Villa >;e Goianna...............
Segundas e Sextas Fciras.
Cidade d (Jlindit..................
Villa df S. Anto.................'_...'*
Dita deGaranmins e l'ovoac'io do limito........
Dnasdo (Jallo, Seriiilinein Itio Forinoso, e Porto Cairo
Cidade das Magnas, e Villa de .Maceio...........
Villa de Paja de Flores...................."/
Todos os Correios partem ao me i > da.
. Todos os das.
. Quintas fe ira,
Dias lo, e j de cada mez.
. Idetn 1 11, e ai dito dito.
. Idcm dem
. dem lr>, dito dito.
11 de Janeiro. Numero &
_ ni,, .. ~tj^aa
CAMBIOS.**"""
Janeiro. 10.
Londres...... to 1110*33 por l/ooo ced.
'islioa....... So por 0/0 premio, por mciaiouerecido,
Franca.......20 res por (raneo.
hio de Janeiro ao par.
OfO Moedas de 6j4oo rs Velhas i{f D"laa Novas lil/ioo a i4jf4w>
Ditas de {ffonn rs., 8* >oo a tfioo
PHATA Pataces Brazileiros---------------ifioo 1 ij^Slo
,, Pezos Columnarios-----------------i#5oo a 1 #59<
Ditos Mexicanos---------------------ij/iSo a i|jo
Premios das Letras, por mez 1 1/8 a 1 ip por loo
Moeda de cobre i a 4 por ioo.de disc.
*
Das da Semana.
>Jt Da dos Reis Magos-------------
S Tbeodo Mouge------------------- Rellaco and. do J. de D. da r. v. man.
S. Lourenro Justiniano ---------Sess da Tliezoinaria.
S Jnliie VI.--------------------------HelacSo e Aud. doJ. de D. da a rara dt n.
S. Paulo 1. Eiemita ---------Ses. da Thez. e aud. do J. de D. da 1. a.
8. tivgino P. 1.------....-----Re. e aud. do J. de D. da 3. y.
S. Satyro M.------------------
Mart cheia para s da 11 de Janeiro.
As 12 horas e 19 minutes da Urde As 1 horas e 42 minutos da manh.
- 6 Secunda -
7 Terca-------- 8 Qti-rta------
0 Quinta------
lo Sexta--------
t Sahhado -
la Domingo -
co e pcdindo-lhe a expedieco de suas or-
(Jcns para que a folha fosse paja com a al-
leracao a cima dilft.
Dito \o jor Commandante do pri-
meiro Batalhlo l'xpediccionario ao Maralo.
naes ordenando-lhe de conformidade com a
ordem do Exm 'residente datada de hoje ,
que pague em moeda de prata somenle os or-
denados dos Empreados Pblicos Provin-
caes vencidos em o mez de Oiilubro p. p,
rommunic;indo-llie o d'.firimetilo de sua sup-ifazendo os annuncios pela forma determi-
iltra
suda
ao Exm. Snr Presidente enderes-
nada
tada pelo Commandante Geral em a Falha
referida pois que sao ce intuicao os incon-
venientes de tanta credibilidade, hera re-
preliensivel e arriscada to grande facilidade
em huma Repartido Ficcal. Seria novo e
estranho que nao viudo as folhas remetltdas
officialmeute. e sendo apresentadas pelo Quar-
Oflcio Ao Contador da Thesouraria tel Mestre houvesse necessidade de commu-
Dilo--Ao Commandante Geral do Corpo transmiltindo-lhe para sua intelligenoia e ex- nicar por officio, como quer oCommaudante
de ''olicia, scienlfieando-o que as 6 horas da erucao como cumplir o iucluso officio do! Geral as duvidas que sobre ellas occor-
tarde de hoje, .se I he aprcsenlario para o Exm Presidente peloqual manda fazer todo j ressem como se o Quartel Mestre que or*-
servico nocturno da cidade o pracas da C- em prata nao s o pagamento dos ordenados {Tanisa a Folha e que a a presenta nao fosse
panfria (FArtfices, e o com alguna inferi^ dos Empreados pblicos vencidos no mez de capaz, de transmiuir asduvias respeito : mui-
res do terceiro Batalho d'Artilheria e que Outuhro prximo passado mas tambem o to lempo serv na T
devendo as praias d'Artifices entrarem no dia dos mezes seguintes em quanto houv
Kftuinte nostrabalhos do Arsenal conxinha nheiro sufficiente nessa especie; eout
er di-
ipecte ; eoutro sim
r|ue patrulbassem al meia noite e que psrleciando-llie que em conformidade do
____ 1____ r...._ ..... ___ _. 1 ____11 -J-. '_._' 1 .
po serv na Thesouraria das Tropas, j
como I agador e j; como Chele dola e nao
vi nunca casa dependencia de commouicaces
officiaes ; e corto que todo o tempo seria mui-
essa hora fossem ao seo qua riel recolh das pred to officio r.esta data ordenou ao Thesou- 'l" curto, se tal dependencia houvesse de
entretanto que as d'Artilheria, podio reco- reiro que pagasse em nrata jmente os er- j' mister porque quast sempre as Folhas sao
'her de manha denados vencidos no ret'erido mez de Oulu- j alteradas mais ou menos pelos erros de calculo
Dito Ao Director ntirino do Arse- bro. com que vem. Finalmente se tantos dias
nal de Guerra, para que hoje pelas 6 horas
la tarde mandasse apresentar ao Comman-
Idemdo dia 17,
Officio A o F.xm residente parteci-
PERNAMBUCO.
COMMA1N0O DAS ARMAS.
Expediente do dia 8 do correte.
Officio Ao Fxm Presidente, enviando-
Hie urna requisicao dos ohjectos que Se fasiao
mister ao Hospital Reimentul a fitn de que
a mandasse satisfazer.
Jiito Aomesmo Exm. Senhor, requisi-
tando-lhe a expedieco de suas ordens para
que fosse arrancada a feixadura, c concer-
tada a chave da porta da Salla das ordens ,
que se tinha quebrado.
pilo Ao Commandante intirino do ter-
ceiro Batalho de Artill.eria 6rdenndo-lhe,
que a preslaco mensal de 5U reis que o
Alteres de Commisso Vanoel Clattdino de O-
livefra Cruz, do primeiro Batalho Proviso-
rio Expediclionarlo ao Maranhao, baria dei-
xado a sua familia nesta Capital, fose do
1 de Oulubro do anno (indo em diante ele-
vada a 5oU reis, por assitn lhe haver o mes-
nio Alferes requerido.
Dito Ao Inspectur da Thesouraria, co-
municando- Ibe o exporto no precepente offi-
cio e pedirido-lhe houvesse de dar suas or-
dens a onlabelid.ide Militar a fim de que
fosse a follia respectiva paga
Dito Ao \ia;or t otnmandante do segun-
do Batalho Provisorio de Candores Expe-
diccionario ao Maranhao aecusando recebi-
do o seu officio de 17 de Setemhro do anno
findo que acompanbnu a supplira do Alie-
res M a noel laudicode ORveira Cruz, c c-
municando-lhe o diferimenlo da mesma sup-
plica.
dem do dia o.
OfficioAo Exm Presidente, communi-
cando-lhe que pelas investi^ares leitas no|c utas saldadas com a Thesouraria al o fim respectivo Commandante Geral que acampa-
l eposilo e terceiro Batalho de Artilheiia,
secolligio nao haver existido naquelle Esta-
lellecimento desde sua or^anisai ao praia
alj'iitna de nome Patricio e ueste Batalhoa-
pciias existi o soldado Patricio Jos Borges
de Menezes falescido a ,8 de Janeiro de
|b5 00 Hospital Regimental ; pelo que o
escravo do Capito Maneel de Aran jo Caval-
ante nunca perlenreu a estas duas corpora-
ces 'Militares, podendo entretanto suceder
que com praca seache em alguna dos Corpos
do io (>rande do Sul por terem sido dire-
ctamente remedidos recrutas e voluntarios,
no acto de partirem as expedic oes.
se tem passado e se anda nao esto pagos os
Officiae* nao hede ce rio por culpa desta
dante Geral do Corpo de olicia Jo pracas da pando que as marcas de ferro para as saccas Tbesonraria, mas sim uu do Quartel Mestre
Compauhia d'Artifices inclusive alguns In- de Algodo que se mandaro apromplar pelo que nao compiuncou logo as duvidas, que oc-
feriores a fim de se emprefiarem no servico Arsenal de Guerra nao se fizero conforme o correro ou domesmoCommanda nte Gerai
nocturno da Cidade al meia noite somenle, artigo i do Begulamenlo de 21 de Feve- que nem ao menosmandou aprasentar essaqr-
certo que essa hora devio recolher ao seu re ro deste anno e requisitando que de novo | dem de V. Ex a que tanto se refere,
respectivo quarlel. expessa as suas ordens pira que as mesmas Portaria Ao Thesourero dos Rendas
DitoAo Capillo Commandante interi- maicasse facoconforme elle designa 1 Provinciaes mandando entregar ao Coronel
nodo terceiro alalho d Arlilhera, para litoAo Contador da Thesouraria trena- Gaspar de Mene/.es Vasconcelos de l'rumond
mandar apresentar na mesma conformidade milindo-lha por copia o officio do Exm. Pre- as letras constante da relaco inclusa na im-
ao Command. Geral do Corpo de Polica :;o zidente de lri do corren te em o qual ordena, portancia de iao;oo U reis proveniente do .
pracas e alguns inferiores, as quaes se de- que se faca o pagamento la Folha dos ofhcia- contracto do Imposto de ioreis por cenada-de -
vio recolher ao amarillecer do dia 10. es do Corpo de Polica rellativo ao mez de No-
Dito Ao Commandante da Fortaleza de vembro ultimo na intelligenca deque se-
Ilamarac. aecusando recebido o seo officio de rao feilos os dsconlos necessario* nos futu-
7 do corren te e remelleudo-lhe a quanlia de ros mezes caso baja excesso no presente, se-
14 U6f'o pertencente aos vencimentos do gundo a nlbrmaco que ; respeito do mesmo
Destacamento no presente mez, .Picando suas objeclo passo a'dar sobre a representaco do
DitoAo mesmo F.xm. Snr requsi-
do passado anno nhou o prcdilo officio.
Dito Ao Commandante do Forte de Gat- TiloAo Exm Presidente Recebi o
acruzando recebido o seu officio de 7 officio de V. E*. de ifido corrente e em sua
bu
que acompanliou o mappa numero 6 dos Ar- conformidade logoordenei > que nao obstan-
tij'os 1 ellicos e remetlendo-lhe a quantia de te quaesquer duvidas se pagasse a Folha dos
10 U.'-oo petlenconte ao deslacamenle no officiaes do Corpo olicial relativo ao mez de
cot rente mez, Meando su'is coota3 com a Norcmhro prximo findo ; e como tambem V.
Thesouraria saldadas, ale o fim do passado Ex. no predilo officio manda, queeuinfor-
anuo. me quanto orcorre sobre as mesmas duvidas,
i (0Ao Commandante do Forte Pao- que dero lugar ao officio que reverto, do
Amarello, remelleudo-lhe a quantia de Commandante Geral do sobredi (o Corpo
1-U5'0 importancia do Prct do Destaca- devo ponderar : que em 7 do corrente deferin-
menlo de 21 a 1' do passado Dezcmbro. j do a huma representaco do Contador lhe de-
V terminei, que revertesse a l'olha dos offici-
THEZOURARIA PROVINCIAL. ,aes do Corpo Policial relativa ao mez de
'iNovemhro, por vtr nella contemplada com
Expediente do dia ifi deDezembrodo anno p gratificar.) de Commando de l ompanhia o
passado. primeiro Commandante Padlha, quando a-
lias se elle acha destacado em Pajau' de Fio-
bebidas espirituosas de consumo da Frovkij-
cia visto nesta data ter recolhido ao Core
em letras a quantia de 84;ooolI reis q.ue'1'oi
reduzido por ordena do Exm Presidenta o
preco da arremataco do mesmo contracto. ,
tando-lhe o concert do (aldeiro em que se
cosinha o rancho das pracas do Deposito.
Dito Ao mesmo Exm r, propondo-lhe
-para demiio a doiis soldados do Deposito e
um da Compauhia de Artfices, que por suas Officio Ao Exm Presidente da r'rovin.- res e a Compauhia Commandada poroutro
molesliis roniprovadas pela Junta de Saude, ca in'ormando com a inlormaco do Cotila- oficial, para quem a mesm Folha smulla-
esla\o incapazes do servito. dor 4hre O requermcnlo que devolveo do neamenle tira huma igual gratificarlo.
Dito Ao Capito Commandante inte-! Doulor Marliuiano da Rocha Raslo, Juz fuudando-me em a lei -Provincial numero57
rio do terceiro Batalho d Artilheiia or IdeDirelo do ivel da prin.era \ara desta de t) de Abril do anno prximo passad.0 Art.
-denando-lhe que do primeiro de Oulnbio ; Comarca
6 em vigor o qual dlipde que ven -a a
do anno findo em danle lirass pe-
a loiha rrsj ecli\a a lem da preslaco men-
r.;!. que asna familia deixu o Major Jos
Thomaz Hdiriques Commandante meiru Batalho E.xpi diccionario ao 'aranho, bro ultimo, pois qu sendo o documento que
8* ftfrragens Iba que cdOipenem, entregando a oihemnae refere huma ce'rtido dei rend-
4ua importancia ao seu procurador Padre Au- memos arrecadados pefo i.ullecior do Muni-
tonio da Trnd-'de Anlunes Mnra .por assim cipio deSjuI Aulo u1 accoinpar.ihava a Guia
numero 11 do resto desles reudimeiilos con-
siderou-a o mesmo Thezoureiro como papel
separado.
Follara 'andando abonar ao Thezou- I gratificaio de loUreis, quem Commandar
reiro das Rendas Provinciaei a quantia de cada Conipanbia.je nada txa para aquel-
Idem do dia ao.
Officio Ao Illm. Inspector da Thesoura-
ria da Provincia rogando-lhe que mande, que
olnsperlorda Alfandega admita os Agentes
do Arremaltante. do Imposto de io reisde be-
bidas espirituosas na mesma Alfandega, para
que tomem as olas de que tracta a segunda/
condicco de seu contracto e Ibe p reste "to-
da a coadjuvaco possivei, a fim de que pos-
soefTectuar a arrecadaro segundo as novas
condices que transmita incluza.
Oiversis Rep.iru^oeiiN.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS
O Brigue Americano Tiodore viudo de
Philadelphia entrado em 8 do corrente Ca-
pito A A. Shecd consignado a Malheus
Austin & Comp.
Manifcstou o segunte.
o haver requerido dito Major ao Exm Sur.
.-J'wsidenle que houve por bem difirilo.
Dito Ao Inspector da Thesouraria c-
inuuicando-lhe o exposto no precedente offi-1
flu Barricas com farinha f>5 caixas cor
vellasde spennecele 75o barricas com bola-
xiuba 70 dilas com ditas de vinho 16900
U4 W r que Ibe oi laucada em debito le que Coiimandar hum dcsUcameiilo sem ps de taboa de pinho ^9> barricas abalidaa,
I artig da Caxan 1 1 em -^deNovem- duvida ponpie o Legislador supo/., ouque- di^com lampos, aadcaixas com cha.
ew laes de tacamenlos nao iossem empregados Go uiiab cui charulos.
os prmeiros Connnandanles, ou que quando
empregados o devio ser com suas respectivas
lompaiihias com o que nada perdio. Pa-
rece-me que assm devia eu proceder em vista
Ja le, tanto mais quanto nao me tendo sido
commuuicadaessA ordem de V. Ejc.de a5 de
Ao*to nodevia dar por lia, apezar de ci-
Dita 1- A o Thesourero das reodas Provin-
A Paula ha a mesma do numero a65.
MEZA DO CCNSLADO.
A Pauta he a mesma don. n.
A


f
DIARIO
i
D R
IER.NAMBDCO
i* I I i
mm
*
Rendimento do mezde Dezembro de 16J9.
Rendimento Provincial.
1 36 a 1837.
Dcima Urbana
imposto sobre canoas
i85; a18J8.
Dcima urbana
1838 ai83g.
Decima Urbana
1839 a 184o.
Decima Urbana
Imposto sobre Fabrica de tabaco
Dilo sobre olaria
Meia siza dos escravos
Novos evelhos direitos
Passaportes de Polica
Sello de herancas e legados
Despachos dos Navios para fura
do Imperio
Emolumentos pelos titulo dos
Ofiiciaes da tiuardu Nacional
'laxa das Puntes dos Carvalbos
e Magdalena
Taxa do assucar
Taxa de algodo
5,f rs. por escurvo exportado
Rendimento meta-le' '.eral.
1833 a 10.34.
Dteeima Urbana
18J i ai835.
Ddcima Urbana
i^35 ai836.
Decima Urbana
Silo de herancas e legados
0*3*670
7'n'oo
37i.?o86
iooo?8ai
1:848^99
ia,'Poo
la 1*800
75ds''oo
6a s'900
aa'roo
3;if5i4
ai8fa88
77#-t*
473'5oo
i 007 io
Jatjty o
l.ooo
na tarde do da antecedente em o lugar do
Monleiro o preto Justino, Mera v o de Felici-
anno Joaquim dos Santos o qual apezar de
ter sido persistido pode escipar-se s dili-
gencias da Policia. Procedeo-se nos compe-
dendo toda a infantara. Tambem *e diz que1
a expedico seguir para a banda do Tr'uim-
pho,
7 de Novembro
Ftoje se pnssou hum casaca encarnada e
lentes termos da Lei, os qnaos vo ter o de- confirma o ataque da Laguna eque Cana-
6:735 Jftirt
337o8
37f44t.
S-li^Sg
44 *'9'7
Total. 7 '7JfB5B
Meza de Rendas Provinciaes a d Janeiro de
de /o.
Lttiz Francisco de Mello Cavalcante.
Escrivo e Administrador.
Achando-se findo o prazo marcado para a-
obranca da D dos Predios Urbanos dos qua-
tro Bainosdesta Cidade o Sur Escrivo e Ad-
ministrador da !Ve/.a de Rendas Provinciaes
manda faser publico para que chegue ao co-
nbecimentode quem possa aproveitar que
tem de dar principio do dia < 5 do torrente
ttlez a cobranca por meio executivo do 1. se-
mestre do corren te auno financeiro de 18 gi
184o edssim ta bem de lodos os mais Im-
postas Provinciaes que esto a cargo desta He-
prticSo.
Me/a de Rendas Provinciaes 8 de Janeiro
de 1840.
O |a Escripturario.
Joz Guedes "Salgueiro.
CORREIO.
G Vapor S. Sebastio recebe as malas
rn as rovinciss do Norte, amanha ia as
horas do dia.
O inspector Geni das Obras Public- ,
convida aos Offiriaes de Pedreros e Ser-
ventes sendo livres que qui/crem trabalhar
as mesmas obras acomparecerem na respe-
ctiva ReparlieSo as horas do expediente a-
tratar com o Inspector.
InspeccSo das Obras Publicas 8 de Janeiro
ife 1840.
Moraes Ancora.
Terrenos de Marinha.
Tendo-se de continuar com as medicoens
dos terrenos de Marinha no dia 1 do cor-
rele mez em diante, da ra Augusta ao at-
teno das Cinco Ponas o lllm. 8nr. Inspector
Geral das Obras Public s manda convidar a
todos os Possuidores dos ditos terrenos para
que hajo de comparecer por si ou seos Pro-
curadores logo depois das horas da manb
Inspec.o das Obras Publicas 9 de Janeiro
de 1840,
Joo Francisco Bastos.
Encarregado da Esciipturacio.
PREFEITRA.
riKTE DO DIA 10.
lllm. cExm. Snr. Foro prezo hontem
i minli ofdera e liverlo boje destino : Ur-
vido destino.
I'-' o que consta das partes boje recebidas
n'esta Secretaria.
ANNUNCtO.
O Prefeito da Comarca faz de novo cons-
tar aos Estrangei ros residentes na mesma ,
que, em virtude das ordens estabellecidas ,
dever quanto antes sollicilar na respectiva
Secretaria os seus ttulos de residencia para
que possa ser recouhecida a sua qitalidade de
Estrangeros, quando bajo de pertender pas-
saporte na dita Secretaria em cuja occasio
deverappresentar alem do dito titulo,
t da competente hahlitaco, o Diario, em que
trez dias antes ten bao annunciado a sua 11-
lencio de sair da Provincia como est orde-
nado nos Avisos de ai de Fevereiro e 16
de Abril de iri3a.
Esta ultima disposico comprehende lam
bem todos os Rrastleiros que igualmente livc-
rem de sabir para Tora do Imperio alem da
obliga ao de se mostrarcm competentemente
habilitados.
Recife 9 de Janeiro de 18 .{o.
S.1 Barreto.
NOTICIAS PROVINCIAES.
Rio de Janeiro.
Recebemos folhas da Corte ale! a a de De-
zembro. Ali reina a trnnquillidade publica.
tos. Tambem Veio o Reverendo capello do
seguhdo balalho.
O F.xm *n. cmmandante da guarnico
tem hrilhado t inquietando constahlemcnle a
os rebeldes, e CJisegiiindo vanlagens humas
a pos nutras. Mandar huma expedico a 3o
'leguas de distancia certo de conseguir taes
rrsuliados he ate onde podecliegar seu ge-
nio emprehendedor A ociosos esperamos pe-
la parle do Exm brgadeiro Filippe Nery pa-
ra a publicarmos ; nOeutanto be de*er nnsso
desde j darosdevidos parabens aos Exms
Sois presidente da provincia commandante!
da gtlarnico e a todos os Sur*, benemri-
tos ofiiciaes e dislir.ctos soldados legalistas que
fi/ero parte da expedico e aleancaro to
grande victoria. Sal va rao n seos i roaos pfi-
sioneiros e por <8 mezes victimas do furor
dos rebeldes. Com taes soldados a legalidade
ha de sempre triumphar.
Noticias Estrangei ras.
Resultados do systema retrogrado em Franca.
Lemos oseguinte no Nacional de Parir. :
" draves symptomas de descontentan-)! nt.i
se observa rain na clusse dos operarios de Pa-
rs a maior i arle dos quaes se acha reduzi-
da mais profunda miseria pelo augmento do
Ahuma un 'urnal
barro viuda corrido com alguma cavallafia .
leudo perdido loda a nfantana ; e que de no-
vo pelas Ierras Cora balido por bum tal Juca
Grande o Rodrigo, que ah perder mais
gente : estamos andados por saber isto com
individua o.
%8 de Vovembro.
Cbegara boje asembarcaces /jue forao n
expedico: ella com efeilo foi a Rio Pardo ,
edas mais felizes que se tem feito ; o que j
sabemos be o segunde : Foi por trra a ca-
vallaria pela niargtm direita do Jacuby, e
huma companbia do 8'. embarcada em dua
canoas de tolda ehegra s Pombas, e como
nao desse vio, nao podia a cavallaria passar ,
e as canoas seguio a nfanlaria que desem-
harcou no Rio Pardo entrando na illa de-
baixo da confoso dos anarebistas que lli se
acbava, que. precipitadamente fugira,
sup|>ondo ser vanguarda deforma que estafa
na praia. I inmediatamente ftlli tomra5 a
barca dos cavallos que (inba sido nosa e a
mandaran s Pombas para a cavallaria passar,
o que logo se etTecluou. e ali ehegra sem 110-
vidade 5 demoraro-se qualro horas ar>a-
nharo lqj|| a msica que foi do 1. balalho
composla de 2 0 msicos huma banda de cor-
netas de 9 msicos, tudo ali prisoneiro no precedo pao ja to caro
ataque de 3o de abril ; 4 pecas de arlilheria, da inunh que este estado de cou/as fara pro-
sendo huma de 3, duasde 6 e huma coronada bjngar a estada da cute em Foutuebleau pi-
de i4i e al;um armamento, alem d urna por- ra dar tempo que se Iranqulbisassein os ani-
co de fazendas seccas de huma amado Sar- mo- Seja 01. nao verdadeiro este boato sa-
O dia 1 de ezembro Ibi celebrado com gran- | razem que ha pouco Irouxc de tontevideo. bemos de um a con lee i 111 en lo que tal vez o con-
de pompa pois lodos os ra/ileiros estao bem Compoe-se a gente que resgalara, entre mu- firme. Chiaudo parliram os Coches reaes pura
convencidos, que sr da maioridade de S. M. 'icos, cmelas e a presenta Jos tle H que ludo l'onlainetdtau algumas mulheres e operarios
I. pode vir ao Brazil o descamo de lantos ma- est ja na Pierda, para entrar como fita dito, reunidos no sitio jior onde elle* passuram ,
tes e uma felicidade permanente. Nos te-1 9 de novembro, sollaram mu i los gritos significativos Nao
remos occasio de dar a os nossos Le i lores por Houvero hoje dous pasudos. Aqu de- ,eve logar a mais pequea desordem ; mas
extenso a-expozico desses festejos por hora se moa reo u hoje 'de tarde a expedico que foi aquellas queixas denota vam Una siluaco que
a pressa s nos permiti tocar per capita oque ao Rio Pardo e confirmo o que cima fi'ii poderia vira Jer graves cunsequeucias } oque
ramos encontrando de mais nolavel. dilo 4 este respeito accrescen lando que as cei lo que esta exploso accu.a a impericia
O (overno Imperial acaba de nomear para cavalhadas que se apanharo foro to, e de um governo que depoisde haver sacrificado
a presidencia do Maranho o Exm Sr. Coro- poucas rezes vieran porque huma noite de '"do aos interesses maleriaes fedu/iu o paiza
nel Luiz A Ivs de Lima ; para a do Cear o t-i menta que ao amanhecer para hontem a- l^' estado que o trabalhador nein tem com que
Sr. iJepulado Francisco de Souza Marlins ; e panharo fez com que fugisse quasi todo o possa comprar pao para alimentar, sua fami-
para a do Para o Sr. I)r. Joo Antonio de Mi- gado. ( Carta particular. ) l >i
randa, quese&cbapresidindo a provincia do 3o de novembro Cbegaro estes boniens finalmente a co-
Cear. tm Conimunicado inserlo em o n. Parle da expedico que seguio villa do Rio nhecer que impossivel durar milito tempo
i o do Jornal do Commeicio faz grandes e- Pardo chegou Picada no dia <* ; e sabe- urna posico lo vilenla r" 1 i/.em que a inu-
logios a estas nomeaces principalmente, mos com toda a certeza que os expedicionari- niCipalidade de 'ari* trata de lazer obras para
resolnco de mudar o presidente do Maranho, os foro muilo felizes na sua empieza I acudir aos operarios sem trabulho e que ser
por faltarem ao Exm. Sr Manoel Felizardo Resgalara 9 a > msicos do segundo ba- vai diminuir o preco do pao. L'ev;nos tam
segundo diz o Communicado as qualidades talho inclusive o mestre endanba ; uma bem diz.er q^ue us ultimas noticias dos depar-
para presidir uma provincia em siiuacao to banda de cmelas, e muitos soldados dos nos- lamentos mencionan! alguma dimiuuio no
melindrosa e retalhiida por partidos Em sos cacadores e guardas nacionaes que ti- preco dos trigos. ,
quanloamudanca do Exm Presidente do a- nbo sido prisioneiros 110 Rio Pardo ao to-I A vista da pintura que nos faz o contempo-
r* diz assim Nao cerlamenle porque te- do hunsto e lanos bomens Que Irium- raneo de Pariz a qual temo* por verdadei-
nba mal servido o Sr. Reruardo de Souza pbo conseguio a legalidade 1 A inda islo nao ra nao podemos deixar de fazer sobresahir
Franco na administraco dessa provincia; he ludo: batero priineiramenle a policia que com algumas reflexes nossas a posico violen-
que oGovcrno o demilte ; : eremos, por- ali se acbava ao mando do lamigeiado Urnel- la a que o systema relrogrado do gabinete
10 da cmara qua- las, tomaro-iiie .'1 pecas d artiberia huma F ranee/, lem colU/cado urna i\a o, que pe-
que esse cidado membro a cmara qua- 'as, tomarao-liie 1 pe
triennal, e na sesso desle anno loi o governo de calibre 3 de 6 todas de bronze e
censurado por bavel-o arredado das lunc<:5es huma caronuda de ferro de | 2ooe tantas
parlamentares sem previo consenlimento da armas de inl'antaria a grande barca de tran-
camara. portar animaes que ali havia ficado no ala-'
Em o n* *>9^ do Jornal do Commercio lemos que do dia Jo de abril huma poreflo de ler-
0 seguinte Iraduzido do Temps. ragem laucas e muitas oulras cou/as. Tu-
Os projectos de casamento do duque de do isto ja est na Picada bem como huma
Nemours, e da'rainha ,\ ictoria nao sao os canoa grande, que ia de Taquari carregada
nicos, qjae-oceupa aturiosdade publica, de lariuha feijo milho etc. "eap'uo
Fallava-se tambem de uma prxima unio en- Bacellar, com a sua companbia de cacado-
Ire o princip*" de Joinville e uma princeza res do 1 1 balalho, he o que ja chegou
brazireira. Picada; foi elle quem primeiroatacuu a vil
--------___ la (*) o brigadeiio Filippe ^ery com o
grosso da forca vera por Ierra e a esla hora
"b*ro Ferreira Joo Lopes dos Santos ,JbJ* dos Allemese mais algumas pracas de caval-
cjrtto Lopes prts pela Sub-Ptefeito de
S Antouio 01. e ultimo por serem de-
aiciaac m farto de cravos.
O mesnio Sul>-Preieito parlecipa que no
RIO GRANDE. ja devem ter ebegado com o ma or Francisco
i'cdio de Abreu que foi quem de seguida
Por serem lisongeiras as noticias desta pro- ao capilo bacellar tambem ataron a villa
vinci* nos as damos por inteiro com o que a- com 80 guardas nacionaes decavellaria to-
baixo copiamos do Jornal do Commercio. mando grande porco de cavallos e gado de
f'orlo Alegre, a3 de Novembro. manicio Contaro os msicos que eslavo
Sabio hoje a cavallaria do Chico Pedro e para ser degollados pelos rebeldes na occa-
outras pracas da mesma arma para a Picada ; sio que foi a villa acommeltida por nao
e huma companbia do 8* de 5o homens quererem lugir com elles ; que maldade que
desconfia-se ser sortida mas nao se sabe pa- ingratido f quebraro-lbe os- inslrumen-
ra onde.
a 4 de Novembro.
Sabio a barca de vapor para o Rio Grande,
com orenfell, s sette horas da manha.
A' tarde sabio o balalho 8 a companbia
laria a canhoneiras e foi o Filippe Nery
para o mesmo destino. Da pnmeira dizem
ser para proteger a retirada do Juca Ourives ,
que sendo presentido ter entrado no Faxinai,
se acha cercado sem poder seguir a seu deslino
paia Santo Antonio.
a5 de Novembro.
Hoje, por gente vinda de lora se espaliou

a 8 do crrente' mez allescera Joze Maximi- a completa derrota de Canabairo na Laguna ,
anno dos Santts de una fucuda que Ihtdera j e que yem ra retirada com a cavallaria per-
(*) O Sur Bacellar e sua companbia foi
em piquenas canoas de tolda e ao passar pe-
dos registros dos rebeldes se Ibes pergunla-
va ;Que canoas sao essas ? -He a familia de
D. Felisberla que vai doeute.Chegue a Ier-
ra Nao podemos, porque vamos com presa.-
Que novidades ba ?Neiihumaa Roa via-
gem !"-Que canoas sao essas fHumas er-
commendas que vo para o Rio Pardo,
boa viagem 1
O major Francisco Pedro com a sua caval-
laria seguio por Ierra pelo lado das Charque-
adas. O l.xm brgadeiro Filippe Nery fi-
cou as immediacOes de Santa Auna con> o
u. balalho
. que pe-
los seus sacrifu>K>s meiecia melhor sorle
JNo ha (Ius ida e os acntecimentos o lem
provado que o governo Franccz enln ge to-
do aos inteiesscs materiaes dos corte/aos tem
despre/ado o* populares a tal poni > que sem-
pre se tem mostrado surdo aos clamores da im-
prensa patritica a qual com vivas cores llie
tem pintado oquadro lastimoso de urna naco
que trabalba e produZ para a sustentaco de
nieia duzia de ulicos que s vivein de intri-
6a*
Por outro lado .is alliancas e as deferen-
cias s potencias estrangeiras que nao podem
solrer oengrandecmento da sua mais lerri-
vel rival lem concoirido muilo paia agrt.var
asiluicodo po*o Francez porque a coi le
toda engolfada nos desejos de agradar aos ga-
binetes absolutos em quanto procuraos meios
de alcftncar este fim despieza aquelhs com
que podia acudir ao que va( pelo inferior.
Tal tem sido em puncas patavras o systema
dos bomens do justo meio ou retrgrados, sus-
lenar-se a si cusa dos interesses populares :
mas esla posicfo demasiadamente violenta ,
porqueios desgratados nao podem ver a san-
gue fri que em quanto \i\em na miseria se
esfejatn fa/endo por ourro lado Condes e Ba-
rdes <|ue depois se 1 em dos inlelizes ruja sor-
le Ibes i' indill'erente
O onteniporaneo diz bem quando affirma
que esleestado de couzas nao pode durar
muilo. a reforma eleitorar que una neces-
sidade uual o governo nao notle lup;ir sob-
pena dse smridar hade por termo ao apu-
ro das actUats circunstancias porque cessan-
do o privilegio1 eleiterttl esbara rejiresenia-
cao nacional de ser facticia 1 e o povo lera na
cama 1 a quem ad-ogueosseus iuieiessescon-'
Ira as prelences da camarilba.
t.-- --rs-=-. *-i


A' -0
DIARIO D I fi R N A M U C O
s
i
A Poltica das (las Potencias reltiVamenl t
Hespanba.
O Commercio de Pariz aprsenla o seuin-
te artigo a respeilo.
" Seria niuilo d desojar qu os governos
Inglez e Trance/ se' entendessem -fivicameiitp
tocante poli tica qu deviam Wfeo mmendar :i
rainha de Hespanba Poncas semanas tem
decorridodesde que D (arlos leve que emi-
grar e | venios que s consol los da Franca
posea m a rainha em urna col sao imprudente
comas orles eaopuiio publica.
" Quando fallamos dos conselhos da Fran-
ca nao queremos fallar do gabinete ('ranee/.,
mas de certa influencia oceulla e tenebrosa
exercida pelos que se julgam sos investidos
da confianca da Cort. S continuam estas
inlritfns a Inglaterra doler ntervir CR favor
das liberdades, e independencia da eninsdla,
e um conflicto se poder suscitar em Madrid
entre os In/.le/es e Franceses
i eve evitar-si: este resultado por meio
de urna explica o franca entre os dous gover-
nes de Inglaterra e Franca e sobre instruc-
ces dadas cora milito arcordo ^uaesquer
quesejam as divergencias de Inglaterra e
Franca sobre os assumplos do Oriente, diver-
gencia que nao dever ler-se levado a (al ex-
tremo, e que nao obstante esperamos se com-
poro proin pamente em quanlo ; questo
hispanhola julgamosque nao devera ter ba-
tido dissenlimenlo aluui.
similhanle espetaculo seria desastre para
nos bem dimril que os-conservadores resis
tam nnanimidade dos esfor os que vo diri
gir-se contra a le que protege a prodcco dos
graos.
A tareslia deste ann, a colheita ;i qual
hade faltar muito para chegar para o preciso ,
a m; qualidade dos trigos e alm deslfls tris-
tes causas o descontentamente e a estagna-
co das officinas e das fabricas bao deajudar
maravilhosamente aosesforcos communs.
O invern apresenla-se com eliito na In-
glaterra debaixode bem tristes auspicios l)-
lem que para atisfazer s sitas necessidades
ordinarias preciso que a Inglaterra cuide
as duas grandes potencias conslilucionaes da I em assegurar-se fra do paje para um mee de
Europa. Seria urna victoria para os servido- I subsistencia pelo menos. J.i o anno panado
lamente o escrutinio secreto e a abolido das A vista deste facto quem poder ser senlior de
leis cereaes se se alcancarem j bao de ser sen deslino
bem bellas victorias Nao suceede militas ve/es que quatro ve-
He pena que entre os aovos membros do Iliacos Iramao de mo'lo que levar a o pali-
giibinele hapi um que seja opposto ; aboli- bulo um bomem probo, jurando de o Iciem
cao-das leis cereaes eoutrO ao escrutinio se- visto fazer um rubo crime que nem por ;
cielo M heil pensa que conveniente pensamentos era elle capa/ de commitler ? Eui
que a legislaro dos graos fique como est filii nos s temos nossa desposicao a noss.
eM Malean ley queemc'to lempo apoioii coragem que forcada a ceder a os ohslicu-
ird j. nsell na sua opimo sibre a fiscalda- los invenciveis p le se curvar sem ser ven-
de do bil de reforma ainda se nao conven- cida. Esle peusamentr pjetico de Sneca
ce da necessidane do escrutinio secreto. mu bello ; A verdadeira grandeza consiste
Sao todava duas opinies particulares; ein ter ao mesnlo tempo a fraque/a do bo-
ba de ter pouca influencia sobre paiz e ainda mem e a far.a de Dous. Os poetas nos (li-
meos sobre o gabinete porque na Inglaterra zem que quando Hercules l'oi soltar a Pro-
quaudo urna medida se loma o desejo da na- methf*o(que leprzenla a natiire/a hum..naj ,
cao o gabinete 80 tracla de regular a sua in- elleatravessou o ocano em um vaso de barro ;
troduc o as leis do paiz i querendo dar com isto urna viva idea da cora-
Nao podemos di/.er com aniicipaco qual se gem que anezir da ragilidade da carne,
r a sorte da urna ncslc anno mas parece- 3dbc vencer as tempestades deste jnundo.
u
que fui preso vos medi'scslc- que vos o
en seriamos en fornidos Venho pois saber sc
t'S queris sl, pois nao oqiierendo, ento
necessari. que osjaeu. O Marecbal su
poz a rir perdoou a o espio. .
(Trduzido)
res diplomticas do absolutismo'examine
atlenlameule o governo trance* esla questo ,
e nao deixe exeicer sobre a raiuba de Hespa-
nba e polilic\ Hespauhoia urna influencia do-
minadora que seria realmente contraria aO
espii lo de um gabinete composto de lanos
sinceros liberarais.
Se se permille agen'es oceultos "exrcr
esta inlluencia resultara que o partido re-
trogrado de Hespanba tratara Iranstoi itar a
Constitu o de leatabeleCer a opulencia da
Igreja e a aristocracia e ludo em nome da
1 ruina e com o apoto nacional do seu Gover-
no
Os ultras moderados se chamaran) frailee-1
zes e os ultra liberaes pelo contrario, lu-
glezes.
Disto resultar o baldad a Franca de favo-
recer a Urania eo turismo e pelo oulro la-
do a Inglaterra solliei ia a absurda nota defa-
Vorecer os auarcbislas e a insurmeo.
O Governo Francez nem nem deve$ neiii
pode ser parlidcirode un plano que porta o
tbroiio oustitucional e a rainha de Hespanba
ein opposi.o com a maioria liberal do paiz.
O estado actual de Inglaterra.
O Tcinps Jornal de ariz discorendo a
ste respeilo diz o seguinle
Em quanlo entre us ameaca a questo e-
leiloi al dividir os houifiis do progresso era-
da cor parece querer plantar a sua l.andeira
parle e fular-M no meio dos seus amigos
naluraes, procurara os reformistas da Ingla-
terra pelo contrario concentrar as suas (urcas
para liuerein lace duidntc n prxima sesso ,
ao inimigo cunnnuin, Wihgs reformistas
radicaes parlamentares, radicaes extra-le;aes.
irlaudezes e al.carlistas todos parecen
buje animados pela mesma dea, a de se
reunrem a fin de firmarcm oliom xito das
reformas novas Entre estes domens de pro-
gresso, os mais numerosos se nao sao os- mais
loruudaveis sao evidentemente os ex-carus-
tas Ensillados pelos seus ltimos en os de-
pressa peiceheram (jue o seu isolaineulo os ba-
ta comproinellido entiaro oiitra vez na
grande familia e vao camiuliar de conserva
com os radicaes.
i o seu lado < lord VJelhofne sentid de-1
pois da ultima tentativa dos lories ; que ini-
uortava sua conservaco dar no vos penh'ores
reforma A entrada de lord rbriugfon nos
negocios a de VI Maca ule y a de M
Mieil j sao novas garantidas d urna mais in-
tima uniao entre os whi-,s c os radicaes
As quesloes que se devem tractar na pro-1
sima sesso ; sao bem puncas. O escrutinio
comprou n x i\ dias : julgou-se por tan-
to dos esforeos que vo ser neeessarios e di
crise que va i causar a nova exporta cao co ou-
ro que j lo raro.
Nao bao de ser s os operarios que bao de
reclamar a livre imporlaco bao de seros
manu'actores qneesperam por esta medida
poder diminuir de outro lano os procos dos
ornaes e por consequencia opera rem nos
procos dos seus productos lima diininui o
proporcional i arece-nos que isso um srro
A pfodlicuad na Inglaterra j nao pode depen-
der dos sn arios e o emprego geral das ma-
quinas tem modificado consideravelmente a
|Hjs]co relativa dos mestres e dos operarios, e
a favor destes qu>se opemu esla revoluco ,
porque fe/ o salario muito mais independente
da proco dos genwoj, do que o era. O ver-
d.-deiro operario hoje a maquina ; o seu a-
I i ment o car Vo ; o bomem lornou-se um
auxilio ind spensavel e como agora se apro-
veita mais a sua inlelligencia do que os seus
bra os, augmenta o seu jortial proporco
que se estende a sua ucro sobre as maqui-
nas
Mas aconleca o que aconlecer a popula-
(Tradutido )
Variedades
Facccias.
O philosopbo Arislippo pedio um da a
Deonysio o tvranno, urna somma assaz cou-
sideravel iao me leudes vos dito tantas ve-
f.cs que a os pbilosoplios nada falta ? )ai-
meaquanlia. que vos peco replicou Aris-
lippo. dopois fallaremos O pbilosopho ,
leudo sido emholcado do dinheiro que pedio
respondeo enlo deste mado : lem Nao vos
tenbodilo, com milita rasao que os sabios
le nada neeossitao ? V(5s sois lestemunba da
verdad deste meu dito ; quando ellos neces-
sitao d'alguma cousa aclia sem perda de
tempo quem Ibes d o que elles querem.
LOTERA DO SEMINARIO.
Como tem sido grande a venda dos Rillietcs
da se;rida parle da i(. Lotera concedida
beneficio da nslrucn publica^ em o Semina-
rio Episcopal de Olinda o Rcilor do mesmo
Seminario anninci ao respeitvel publico,
que as rodas bao de andar imprelerivelmcnte
em o dia vinte e sele do corrale Janeiro.
Avisos Diversos.
-----O Proffcssor de primeiras lettras, o
Grammalica Latina morador na ra estrella
do Rozarlo terceiro andar do sobrado ?8
aviza aos paes dos seus alumnos que abre di-
tas aulas segunda (eir treze do corrente e
continua a receber pensionista) meio-pen-
sionistas pelo mdico proco osles de doze mil
reis mensaes e aquelles de vinte mitris,
dando-se-lbes caza, meza, ensino roupa
lavada e engomada, e sendo tractados coirt
lodo o melindre e zelo como j o tem pralica-
do com mu i tos.
t25" Joauuim Jozede Sania Anua Barros ,
Prollessor Particular de I rimeiras Letras ,
e Gramtica Franceza em Fora de Portas ,
aviza aos Pais de seus Alumnos que continua
a leccionalos do dia treze do corrente cmdiautej
em a mesma ra nova de Sanio Amaro ua caza
D 4 i l'do do nasecnte.
1L7" O abaixo assignado tendo praticado
por espaco de dous anuos o ensino do primei-
ras letras avibaos Snrs Pais de familia ,
que perlonde abrir aula do mesmo ensino no
dia treze do corrente na ra db Jardira e ca-
Em putra occasio pedia urna graca ao mes-
mo principe ; mas esle nao proslava ouvidos
a os seus rogos Ento Arislippo lancou-se a os
s do tyraoBO e tanta fe;, que obeVe o que lta (' mesmo nme ; onde esteve o Collegio
desejava. Algumas pessoas de senso hzera
vera este sabio que similbantes baixezas e-
ra6 improprias d um pbilosopho: A culpa
nominba, respondeo Arislippo ; ''eonysio
so o culpado, porque tem as orelhas nos
ps devendo lel-as na cabeca.
O Duque de Roquelaure acbando-se em
urna pequea cidade propoz-se a visitar a
a niaior parte das damas daquelle lu-
gar ; mas esqueceo-se d urna que se consi-
derava credora da(|uella vizila O esijueci-
mento do Duque fez escorrer aos obos de nos-
sa venus o sangue em lagrimas pois lemia ,
da L'onceico ; por tanto os Snrs. que se qui-
zerem utilizar do seu preslimd : dirijo-se a
mesma casa para I rata rem do ensino, e do
ajuste. Manoel Adriano d'Albuquerque Mel-
lo;
-----Precisa-se de urna mulber parda o
branca, que seja de meia idada para servir
em tima caza de pouca familia e que saiba
fazer o serviro de portas dentro sendo o prin-
cipal o de cozinha ; quem nestas circunstan-
cias estiver dirijase ao allerro da lioavista lo-
ja de alaiate na esquina do eco.
-----Qim quizer comprar pelo cmodo
preco de dois mil res pelles de boi, dirija-se
a ra Velha N. y casa que fica ao p de so-
s-cieto e a revoga.o das leis dos cereaes for-
ma rao os pontos mais salientes dos debates
parlamentares-, e de presumir que chega-
Nacional de Lisboa.)
que as outras nao lirassem por slo partido
cooperaria ha de aproveilar se do erro dos de seus mererimentos ; e assim foi-se valer bracio de dois andares que adiar com quera
mantlfactores ; se tisltt fizerem o bem |d um dos amigos do Duque em quem sup- | tratar
que importa que seja para elles mesmos vis- punha naliirtva e ai te de fazer com que o
to d'ue o resultado vem a ser ul i I a lodos. Duque a fnsse visitar. Tildo se arranjou ;
mas o Duque forcado pelos rogos d seu tm-
p4)itunolmio e nao por livre volitado sua ,
prolesluu que iria ; mas que urna s pala
va nao seria ouvida" de sua boca. Com ludo
adama, pillando de conten le lipba lido o
cuidado de ai un lar urna grande companbia ,
com o lito de ter militas testemtinlm do trium- j para ser procurado
Tesgraca infortunio, desastre, acci- pbo quealcancava, Mas Roquelaure, co-
denle pre.udicial, e molesto. mo o bavia promellido enlrou e sem que
MORAL.
Desgraca.
SJ7* Quem precisar de um Portuguez d
idade para Caixeiro dequalquer arrumaco ,
o qual il fiador a sua conduela ; aununcia
para se procurar.
\^T Quem precisar de um Caixeiro Portu-
guez de ao a a* anuos de idade para armazem,
cobranras ,' pdaria oi venda e mesmo pa-
ra lora da Provincia ; annucie sua morada
Asdes;racas sao a partilba da humanidad. de.se urna nica palavra loi Sentar-Se em u-
O bomem desgranado em iodos os estados da mt polnma onde se conservo sem abriros
vida; ningueni pode snblrabir-se sdesgra- denles, loda a companbia murmurava d um
as, nem ter a salisfaco de se por a abrigo to incivil procedmento ; adama despresada
dellas; mesmo mais proprio do sabio prepa- verlia toros no Semblante ; porem leve logo a
rar sua alma para sofrer as adversidades do salisfaco do ver-se vin,;ada de lo iegia af-
que le a louca pielenco de prevOnil-as as Irona por urna sua filba menina mui viva ,
aginas da historia eicontrao se nomos de e mui espirituosa Caneada j;' de lo diulur-
jtessoiis mui resj eilavoiS por suas virtudes a no silencio a menina levaniou-se quando
quema inven tem perseguido que se por- menos o esperava e, lendo-se aproximado
dera por seu proprio mererimento equ do Duque come ou a gritar toda espantada :
tem deixado aos remorsos de seus perseguido- Ali meu I eus! maman ; acuda Mon-
res o cuidado de sua propria vingancir As snlor de Roquelaure esta morto Esta in-
desgracas muilas vezes desenvolvem em nos opinada argucia cauSou na assemldea um rir
sentmentos, lu/es torcas, que nunca co- folgado. dio-se a pequea que explica-
nheceriamos se nunca a necessidad nos o- se o que quena" ella dizr com aquillo SSa
brigasse a tel-as Ergotelo cantado por Pin- verdadeest mono ; porqu elle cheira mal ,
daro, nao tea triumpliado se nao fosse in- e nao falla. Nao se me tem dito, que sao
justamente desterrado de sua patria ; sua {!lo- estes os signaes do bomem que esta morto .
a ler-sc-ia murebado em casa do seu p:e M. de Roquelaure retirou-se promptamente
Como urna flor se mu cha sobre sua hasle. O se.n dizr palavra, deixando a companbia a
infortunio faz sjbre as almas grandes os mes- liberdade de r a sua cusa,
mos e ellos que faz o orvalho sobre as fio- i -fc
res, sepsso servir-me desta comparaco ; Quando o Marecbal de la Ferte quena
do o lempo ein que ests reformas devem ser (elle anima seus perlumes: elle tira do seio mandar en forrar al.jum soldado, tinha por
levadas a elleilo, | das flores cheirosr, que embalsama os ares coslume di/er-lhe ; Por estas Ou eu ou tu
U auno passado os motins carlistas dislrahi-'1 Solales era chamado o productor dos pensa- seremos entiiCCadn* i U mesmo disse a um
ramas atlu oes Nao la/elido caso das re- nonios eu creio que a desgraca a pro- espio que se encontrou no campo. Uuan-
tui mus de pouca entidade qUeriam enlo u- l duclora das virtudes1 Esle sabio tem sido do esle desgraeado camuihava para o patbulo ,
lu ieiornia radical na reuieseula. ouacioua* mesmo um bello evmpl da i..|iislica dos bu- pedio que quera tallar pnmeiramnle a o tZT frecisa-se de um so
bem virara oue assustaraiu o paiz e Cofnaram meiis, por o haverem conde ni nado, quando Inrechal: Alon-senhor Use diz elle de- Rccife ou Santo Antonio ;
jw isso para as reformas posiiveif ) e cer-, o respeital-o era de seu mais ngoroso dever, veis estar lcrabrado, que, naoccasia'o, Cmrra alujar annunc.e para sei
XST Aluga-se urna casa no Bairro de San-
to Antonio as" seguidles ras de (lorias,
Agoas-verdcs Direila das Trinxeiras o
no Paleo do Carmo com preferencia ; na ra
da* Gloria Di a. .
tsr No dia 70 do mez p. p. desapareced
urna canoa de a.-narello bruta com 44 pal-
mos de comprido e trez e meio de boca con
um rombo n proa, que vai procurando o
'fundo da* dita canoa cu jo desa parec ment foi
as i horas da madrugada do dito dia jo; quem
della tiver noticia dirijase a ru do lio/ario
larga casa D 8 quesera, recompensado.
%Uf Alga-se huma Propriedade de casa
cita n ra da Cruz do Recite n. 56 onde
moraran os Snrs Joo Malhers & Comp ,-
cuino tambera se vend trz temos de pezos
proprioS para rmazm d assucar.
&5~ Precisa-se de alugar huma preta capti-
va para todo o servico de huma pequea
familia, que saiba cozinhar, e ensaboar,
e Comprar na ra e que seja fiel, dando-se
laUooo mensaes : quem a tiver dirija-se a
Hia das Flores D. 8, ou anhuncie a moradia
por esla folha.
cyQuertr precisar de um menino portuguez
para carxiro de huma loja de fazendas o qual
tem bstanle pratica, de idade de ida 4'
annos sabe bem 1er e escrever, annucie
sua moradia por esta lolha para ser procu'r-
da. ...
XT Precisa-se de um sobrado no bairro do'
; quem o tiver pa-
ser procurado.
I
<


4
DIARIO DE
PERNAMBUCO
. T Ps procuradores da Sociedade Luben- ts- Quem precisar de um rapaz brasileiro (e proprio para pagem monta bem e igual- dade chegada ultimamenle no escriptorio
.tina de Rebiribe encarregados pela mesma so- de dade de 17 annos para caixeiro de um en- menle sabe Iralar de vacas e qualquer outro do Coronel Vlenezes na ra do Vigario nu-
ciedade de promover a cobranca das joias. egenho, ed fiador a sua conducta ,
annun-
meusalidades dos socios pertencentes a" mesma, ce.
TOgoaquellesdosquaesainda nao lem pago | ssr O Director da Sociedade Lubentinade
as Buas mensalulades e joias hajo por sua Bebiribe avisa a todos os socios e convida-
ba de levarem essas quantias na primei
ra partida que be nodia ia do corren le 1
como nao se a possivel a os mesmos procurado
re andarem de porla era porta pedindo ess^
pagamentos visto a incerteza das horas en
quedeVemos procurai e do muilos a la-
ceres que os mesmos tem tanto relativo a O'
seus particulares como a os que pertencem ;
sociedade por isso fazem o prsenle ;tnnun-
cio. Alexandre Jos Dornellas Piocurado>
lie ebiribe l'ernardino de "-cna Das .Pro
curador de Diinda ; Rufino Gomes da Fonse-
ca Procurador do Recile
SST O accionista das cautellas correspon-
dentes a indas as loteras avisa ao reapeitavel
publico que a do Seminaria corre imoreleri-
vlemente no (lia 39 do correte segundo o
aviso do Reitor do Seminario por isso ro-
ga a os apaixonados .leste jogo queiro con-
eorrer a compra das mesmas as 5 pontas ven-
da D. 9 e nos mais logares ja annunciados
C?* No dia segunda teira iJ do correle,
em praca publica do Dr. Urbano na ra no-
>a se bao de arrematar i> escravos ( sendo
los da mesma que por inconveniente da m-
sica nao se poder adiar em Hebiribe*no da .
lea transferida a sua partida para Doming'
i do corren te.
SS^* A pessoa que annunciou querer arren-
dar um engenbo para as parles do sul diri-
a-sea ra de agoas verdes D. Mi.
Avisos Martimos.
PARA A BAHA segu cJm toda b re vida
leoBrgne Escuna Nacional Constancia Fe
liz ; quem quiser rarregar 011 ir de passa-
gem dirija-se a Gaudino Agostinbo de Barros.
na pracinba do Ccrpo Sanio D 67 011 ao
Capilo Malhias Ferreira Braga a bordo
PARA PAR AH A Rio Grande do Nor-
te Cearji Maranho e Para segu vii-
guem amanh as o horas a Barca de Vapor
S Sebaslio ; quem quiser ir de passa-'em .
dirija-se a Me almont & Companhia
P.iRAOASSU'o Brigue Brasileiro Pa-
quete dt Pcrnambuco sabe impreteriiel-
mente no dia i5 do
animal e mugir leile afianca-se nao ter
vicios e o motivo se dir ao comprador na
ra de S Rila nova D. 8 1 do do nascente.
cy Superiores e puros charutos da Hava-
na da fabrica de VRELA em caixas
le 'i5o e de oo ; ditos de Hambugo ; e ditos
la acboeira ludo prximamente chejado ;
ia 1 na do Cabuga toja do Sr. Baudeira
tSF Urna canoa de carreira muilo boa ;
io armasen! de vidrosao ladoda cadeia
mero 5.
t7" v'eios bilbetes da Lotera do Semina-
rio a 3> loja de VJauoel Gomes de Carvalho.
Esc ra vos Fgidos
- corren le, quem qmser
alguns ca reirose deservir de campo e casa ) carregar, 011 ir de passagem diria-se a bor-
gado vrenme carallar, por execuco contra
os hinieiros de Vicente Pereira Gurjo.
IST Trespassa-se a chave de um sobrado
cen soto na ra do Livrameuto com bas-
tantes commodos por outro mais pequeo,
ou casa Ierren dirija-se a mesma ra loja de
couros l) \.
C? Aluga-se um sobrado de um andar
do; fundiadodefronte do Trapiche novo, ou ao
Capilo Manoel Jof de Azevedo Sanios ; na
ra da Cruz n 8.
K5" Da-se 5o,ooo de gralificaco a quem
apprehender um preto de nome Francisco ,
estatura regular bastante encorp.ido e
- maCsarer"rea"no"bai7ro"de S. An- largo dos hombros olhos meios encarnados,
ionio : a tratar na ra do respo > 7 nian da BT Urna negra moca de bonita figura, co- Pe da munheca e no meto das costas urna
inha eugomma ecose e um moleque de varruga lug.ode bordo do Br.gue B>a ven-
darle de 1 annos ; a negrada-sea contento. *** > dia ou a do p p he trepador
motivse dir ao comprador; n? ruado decoque.ro ecanoeiro constar and ir por
)ueimadoD 7 alguns sitios a pedir Irabalh.i; quemo pegar
m mol'eque peca de naca~o angola leve a scu r Jos Gonsalves Ferreira Costa ,
s-r
optimo para todo o seaviqo ; na bolica que
na ra da Cruz
fica a porta travessa de N S. do Terco. ^ dia 8 'do corrente fugio um mole-
. ir.m prelo escravo hora canoeiro e Te de "on,e ^mingos fullo nariz bas-
deiro com do anuos de idade e de bonita lanle chalo cara comprida espado.s largis,
eno fose; na pracinha do Livra- "'helios vermell.os levou vestido seroula de
camisa de chita
C o 10 p r a s
t?* A plices da extincla Companhia de
! Pernambuco c Parahiba na loja do Sr I ran-
com excellenlcs commodos no principio do cisco Jos Pereira Braga junio ao arco de S.
alerro dos allegados ; a fallar com Silvestre Antonio O. 5.
Joaquim do Nasciment ; assim como compra
agrilho ledos osdias por qualquor preco.
S^" O sitio no Pbmbal que foi do fallecido
Y e (I a s
daCostaS ulhl^' ,dT dMPrel0| PS ^ Me0S B,heleS ,a P"*
dnosla, e ullimumenledo Snr. Manoel I e-! 1 ral o-
dro da Fonscca acha-se hypoiecado pela da l0- Lotera do bitnimno
Hffura .
ment > *A algod) da trra camisa e cima e jaque-
ca Bilbelese meios ditos da Lotera do ta de lila preM ja rota nos coto velos ; quemo
eminaro, quecorre nodia odocorrenle; pe;ar leve a pra .a da hea v.sia em casi de
na ra d, Cahug loja do relojoeiro junto do lwrpo Jos de Al:.uquer.|ue ou na ra
r Baudeira. de Hollasen casa de Joaquun. Jos da Con-
ST Na ra da Vtoeda D. i4f ou Fir- ceico
SE^- No da 7 do corrente desapareceo um
prelo creoulo da nome Querino tslalura al-
ta secco do corpo cor fulla tesla lisa ,
muilo calvo peruas mui zambas de idade
de a5 a unos levou urna condeca peque.ia
e dentro urna casaca de panno fino pelo um
mino Jos Felis da Rosa superiores bichas
em rento a ioors meiocenloa i/o
em
e hypoiecado pe._
quantia de dous cnlos de ris por escriplu- de Olinda : ne>ta Typografia .
ra publica selebrada no cartorio privativo das S25~ Seis escravos um' bom molequi
de
pequeas [lorcoens a ir.ocada urna, e se tro-
co as que nao pegarem
SST Um sitio em S. Amaro, com chaos
proprios, com portao casa de pedra e cal ,
com '. quarlos, duas salas, co.inha boa par de apatos, um par de meras de seda um
agoa de beber muilos ps de 1 irn eiras e dil" ('e lVls }ao l,reto dous teneos de se-
frutasdetodaiasqualidadcs; a tratar na ras di um encarnada, eoulro de seda, tres vara
nova O.'iqcom Joo Raptista la.idio Tressa de esguiao e um melao e junlamente um
isr VeiosbilhelesdaLoleria do Semina- taboleirode4 palu.os de tamanbo levou ves-
rio ; na praca da Independencia loja de en- tido calcas e ea.nsa de algodo ; quem o pe-
cademador n >t. 6ar ^eve a se" r* Vanoe A,,lo,uo de Almet-
CT Urna negr'inha de idade de i5 annos 5 da, que graliicar .....
na ra A ngusla em casa de Francisco Gonsal- CF- No da o do p. p fugio do sitio agoa -
ves do Cabo. zinha em Bebiribe um preto de nome Mathe-
SST Os seguintes livros ; Benlbam penas "9. de naco angico alto 'secco do corpo,
e recompensas Bossi direilo penal, \oltii- representa ler ,o annos de idade, muilo la-
co
nypoinecas, cuja escriplu ra ja se venecu no 18 a 50 annos, raziaba bem odiario de urna re diccionario filosfico, Rousseau contrato din0 quando lata he alguma cousa gago,
da u\ de Selembro do anuo p p. o que se casa, dous ditos de o a iv annos bous para social, Silvestre Pinheiro curso de di.eilo levou vcslido calcas de panno da cosa de lis-
faz publico para que ninguem faca negocio apienderem ofKcio urna ncgrjnha de 10 an- publico, Pascual Jos de ello direilos das iras a/us e Iraucas camisa de algodo,ji-
comditosilio nos, muilo ladina ja cose bem e faz o ser- cousas o!'ri(;acoens, e ac oens em porluguez; pona aul forrada de baela amarella chapeo
srr O abaixo assignado Procurador da Ca- vico de urna casa ; urna molalade o annos de na ruado Livrameuto loja U q fino de pello dizem que levou urna trochi-
xnara Municipal da Cidade de Olinda encar- idade com bom leile pira criar urna crian-; UT ; eios bilbetes da Loleiia da Semina- nha de roupa que lurlouem. Behii ibe talvez
regado da afferico do Mnnicipio avisa a ca cose, engomma e cozinha urna pre- rio; na ra larga do Rosario loja de miude- terina mirlado de roupa lem por oticio fa-
todas as pessoas que quiserem ail'erLrdirijao-se ta de 20 annos faz todo o snico de urna zas I), r. zer crlenles e cordoens de rame; quem o
S Olinda ra do Boaifim a*.-Antonio casa, todos por preco commodo ; na ra del E5- Urna escrava de bonila figura, de na- pe,;ar leve aomesmo silio ou no Recife a seu
agoas verdes usa Icrrea D. 7. lo engomma liso cose cha cozinha o di- Sr. Manuel da Silva Molla que gratificar,
para ser ama ES" A posse de um terreno no beco do qui- ario Je una casa 5 na ra Uireila t. ao lado ^^ *sapareceo e julga-se fgido um
do Cotlegio abo, nos afl'ogados junio a ra do Carneiro, ; do Li ramelo. preto de nome Francisco de naco angola,
sendo duas das
larf^uc annunciou querer comprar quaes novas urna ja d 4ooo meosaes, e chapeos de sarja selim e de palhf
juarlaos, dinja-se a solidade sobrado de um tem a frente de lijlo, e as duas urna velhas, das as uuulidade* para senbora na 1
mdar coro mirante e sd >fio e outra s est armada poiem J). i,.
C?" A creoula que se oflerecc para ser ama
de horaem solleiro dirija-se a ra
O. com 3 C3zinbas no mesmo
tsr Que
1
un
tsy Quem annunciou querer arrendar um em raibrada e lem portas feilas e alguma
engenhopara as parles do sul dirija-se a madeira para se acabr lera no lerren al-
rua de agoas verdes casa terrea I), ii. guns arvorrdos de (rucio j a tratar na ra por
tf A enleresse do Sur. Luiz Antonio de detraz de S. Jos D. 19.
Souza se Ibe deseja entregar urna sua caria iS?" Lina negra de naco com linda fi-
inda do Rio de Janeiro, por recomendaco gura, de idade de aJ anuos; as 5 pontas
daquella Corle procure a Francisco Gonsal- 4.
ves do Cabo, na ra Augusta i^- f'ous palativos 4 bicudos c 8 co-
CJ- Quem ti*, er para a lugar um silio inda ris ; na liavessa deS. Jos as lejas do so-
mesmo pequeo, mas que lenlia casa ram brado do Costa
commod(,s para familia e urna venda as es- ISf O Correlor Oliveira vende um silio'
tradas de Joo de Barros, Rozarinho Cruz, grande perlo do rio na estrada da casa forte
de Almas e Arraial annnncie. para o Monteiro defronlc do Snr S.unpaio ,
SST Ollerece-se um rapaz brasileiro de boa com casa antiga de muilos commodos casa
conduela
um
le naco angol
tT Lbegado de franca pelo ultimo navio de dade de >5 annos ato cor preta secca
de to- e km feilo com lodos os denles na frente ,
nova bem parecido, levou calcas, e colele branca,
chapeo de pal ha ladino; os aprehendedores
ssj- Bilbeles da lotera do Seminario a oito ,evem,a casade sobrado de uro andar no pa-
leo do Carmo com a escada para a camboa'.
a
ra
ler esc
para ensinar em casas particulares a para pretos cocheira estribara para dous ,
ever contar por preceilos arithme- ou tres cavallos cacimba com muilo boa apoa
milris, e meios ditos a /00o; na ra do
uabng loja de miude/as junio do Sr Baudeira
c^- Meios bilbetes da Lotera do Semina-
rio a :>8 .0 ; as 5 ponas venda I) q
S27* Meios Bilbeles da Lotera do Semina-
rio a 5vo ; na rui do Crespo loja D 8 do la-
do do sul
ST Ou aluga-se urna canoa aherla que
carrega mil lijlos a tratar com Manoel Al-
ves Lima mostr do eslalciro dos affogados -
W Superiores bichas chegadas ultima-
mei.le ; na praca da Boa vista botica f) o
515" S^ldo Assi re superior qualidade ;
, abordo da (acuna ftaiulta dos Anjos, ao p
ticos, grammalica da Hngoa nacional e pro- de beber Ion eno para plantar o de lavouras
melle uesempeubartudo com muita perfeico; proprios 'de silio, com bastante baba para
SSP A lora-sea frente do.silio do corredor ,capim*, varios ps de larangeiras antigs, e
do bispo perlencenle a Manoel de Carvaljio .00 e tantos ps novos enxerlarbs de varias]
Paes riAndrada, as pessoas que'fuiserem edi- qualidades que principiar) a dar f.uclo 5q
ficar dinjao-seao mesmo proprietario no pa- e tantos |s de co<|ueiros de fruclo c conloe
teo da S. Cruz no sobrado da quina da ra e- lanos que anda nao do muilos ps de ca-
goa do trapiche novo
Iba ; assim como tambero arrenda a casa do
mesmo sitio
*r Precisa-se alugar urna preta forra ou
captiva 5 na praca da Boa vista arn.azem que
fui de soceos l). 10
X3T No-dia terca feira 1 < do corrente em
praca. publica do Juiz do Cvel Dr. Rocha
laUbS ,- h ra da Aurora se ha de arrema-
tar deinilivamenle um grande silio, com
muilosarvoredos de fructo e excollenle ter-
reno para se edificar cagas na estrada reina
do Potiibal pata S. Amaio avahado om Rs
5 t.00.000 ; sealguem quiser bncar a praso
eniMida-se nrjetro cesa Os exequenles na ra
da caaleia n. 40 para tratar das condceos do
pagamento
fc^* il!Bg-* um w*?fl Eci, e iiaiji paiu
o servico de qualquer casa ; quem o preten-
der, dirija-se a na do f'odaiobrado P. -j.
que dao de deseseis a >o arrobas por anno \
16 pos de jaquerasde fruclo, e o e lanos
que ainrla nodao .0 e lanos ps de nwn-
;ueira de fruclo o oulros lanos prximos a)
dar, varios ps de pnbeiras roman/eiras ]
limos doces limas de ambas as qualidades.
figueiras jamb.eiros eajueiros lamarin-
dos abcale eoulns niuitas (rucias que o,
comprador ver ; os pretendentes dirijo-scf
ao mesmo orretor. ,
XZT Dous negros um sapaleiro outro al-
laale e una ne;ra de bonita figura nio a
e com albinias babelidades ; na ra ds \ ga-
rio >'. 1 a
i-^- Dous moiequose d^as negrinhas os
moleques o, timos para pagem o as nogriiii
mi* iiiuhandas 5 no palco da riheira JJ |.
ssr m creoulo de idade de .0 anuos,
de bonita figura ; muito possaute gil, fie),
- U.11 molequede nac,*o de idade de
90annos, proprio para campo ou troca-se
por urna negra que en tonda de cozinha, na
ra do Fagundes .8
SSf eios bilbeles da Lotera do Semina-
rio a Jtioo ; na ra do Cahug loja de miude-
/as 4
8^, Meios Bilbetes da lotera do Semina-
rio ; na ra do Cabug lo|a de miudezas De-
cima j.
IST Umaescrava de na o por aco,ooo
de idade de 8 anuos boa quilandeira e co-
zuil.a.o diario de urna casa una dila de 5
anuos de idade-, engomma co/.inha nina
moleta de idade de 1 tunos mui linda mu-
I anda e dous moleques de naco de idade
de a 1, anuos ; na ra de agoas verdes I e-
cima S .
t?' Um rolo:; o de caixa de pra ta bnflj
regulador, dous pares de oeulos re arma o,
um de piala e outro de
1 ypografia.
tartaruga ;
nesla
T" Ljn uiciu moiaiinho
mu alvo, pro-
I no para pa;em deididede 14 anuos ; na
ra do Cbug loja l) 4 defronte do cerioiro.
Aluvimonto do i^irio
NAVIOS ENTRADOS NO DI A 10.
LOAN 'A ; -jodias, Brigue N3C. Uno de
a 1 tonel M. Manoel Pereira dos Santos,
equp i5, carga cera, e lastro, passa-
geiros dous
RIO DE-tA.NEIRO e porlos intermedios ;
ijdias, Vapa^ Nac S Sebaslio, Com-
mindanle o Capilo de Fragata Estevo
Chery ; p^ssageiros os E\ms Presidentes
para o Ceai Francisco Antonio de Souza
Marlins para o Maranho o Coronel Lu-
iz AlvesdeLima 4 ordenancas cria-
dos e um escravo dos mesmos', o Tenen-
te Coronel Antonio IVuues de A;;uiar os'
Capitdes Luiz Jos Ferreira e Jos Joa-
qun! Ferreira o Tenente Agostino Ma-
ra o Seguiivlo Tenente d aitilheria Gas-
tan I uiz Honrique Escaranhcl os Alleres
Po GuilhermePereira de Mello, Canuto
Jos de A;uiar Jos Juslin.ino de Castro
Rabillo. eoCfoorgio Ajudaiite Tliomaz
( arduzo de Almeida, rom 5o pracas de
Iropa, Exm. Cinselheirj Miguel Calmon'
dn I in e Almeida o l ezembargadore
Joaquim TvixMra Peixolode Alhuf|iierque,
Dr. omingos Jos (ionsalves a,", .iaes ,
Jos Antonio da Cosa, too Baptisla Ca-
bido Antonio Gcnsalvrs Mortira Frah-
cis*ti Joal Jiaibense Fraile**! Farrejfa de
Andrade Manoel Dias de Soot*, Igna--
co Pio;et, Manoel Franoisrn ropos An--
touino Jos de Mianda Falco, Fr Da**
mazio Mauricio de S Thamaz Abreu un.
Inglez e 4 escravos.
CT Potassa da Russia da primeira quali- I RECIFE NA TYP. DE M. F. DE F. 4^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E64H7JBVG_8SKV9A INGEST_TIME 2013-03-29T17:55:14Z PACKAGE AA00011611_03988
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES