Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03981


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4 ''
^.V2J)_E 1840. Quinta Ffika

TtHo agora depende de n*Vmesn os; da nosia prudencia, minera-
, f'"> e '|tr|>i : lonimcnios^cflHO principiamos e setenios apmtadoa
Jn admirado entre as Sacoes mas cultas.
Proelamaco da fs.tcmblea C.eral do llrazil.
SuHscrim-s.' paca esta folb n \".m-<> por rtnartel pasts adianl
| ns'a .'iy|otM,-.i.;, : ,:. das C.i un s l. 5, e na Iraca da liidcpendelicia
-. .17 e 38, ondeisc hoIuih corresponde nciaslejja isadng, eartnuiu
i-innd-e esles ualis, sendo despri-pnot assignantes, e viudos assi^-
kaados.
i Partidas dos Crrelos Terrestre*
ViQiT.ln ParahiN e \"iU ,' ttiia rio I Un c, i ;,ir1e ili> Piarte, e Villas dem.................
| til !-.M tal za e \ itls !>:i-::i........................
I i'oia'iina................................,
. re -. Chinda.......'............'.-............'
Vi.la d ~. Aiil."o .................................
i de ilran mis e l ovoaco do I! niflo...................
Unas jk I i'1. Strirmem i'.;.i Konnozo, e Porlu Calvo...........
_. I i ,.... I....... .. \ -.....
v ...,., i ,u i IA< .3. ^ *" *** -.... .v ... ... ........ .
, (i. '.i T ;r'i ...............................
JotlofosC partemao'meio dia.
: ri Jwvjno. miko .
CAMIHOS.
Dezeubb, acj.
3.
|<...V.lG
(jfteo
tfjdO
i#5 lS*
', .jj

^'^iTtks-xxiexlas Fciras.
. Todos OS das.
. Q-li'il.i.-. fi'ras
. I) i< lo, e -.i (ie-eada mc7..
dem i ii, e ai dito dito.
. idein 1 ti
. Idi m 17-, dito dito.
.indre^...... $7 na 31 por Ifooo ced.
I.islioii';...... So por o/o prenot, pu,'inciaiouerccido,
I'i < i.......'t reis pur iranio.
hio de Janeir.i ao i ir.
OUJt Woedaa. de >?oo rs Velhas i*oo a
, Dtas ,, ,, Novas tiSioo a
., Djlss de 4?""o r., 8#>oo a
PIlATA Pntsces Uri.id'iios--------------->Hv>a
,, Pezot Columna ros----------------- i#j i i
Unos Mexicanos--------------_-- i^Soo o
Premios das Letras, poi'met I i/S a i i|ipor loo
SJocda ue cobre u _4 por loo. de disc.
Das da Semana.
3o Secunda------S. Sal n l M.--------....- And. do J. de I). da 2. v. de manbs.
.ii Terca---------->*< S. Sil ves're i*.-----------------
i. de J. Uimi. if.Circiimoiiodo Sur. -- ---
(Quinta--------S Ixidoro (I. Al.---------------Relaeo e And. do.l.de D. da a tare d; ni.
3 Sexta----------S.rftAprigio U. --------------------Ses. <11 Tln-z. c and. do .1. de I). da i. v.
4 Sn ihado S-. T u> ------------------------------ ttel. e aud. da i. de a* j. v.
. J Domingo------'S. Semeo ljtelliUt> ------ -
'. Miire dieta para o dia 2 de Janeiro.
I As 3 hora e 30 n rts d-i tuleAs tiraras c >i nlnutol di' nanhS

/
PEItKAMBUCO.
r^ens^i
! pM:rfI<'OP
AIFAKDCGA !)AS fazendas.
EI3ITVL.
^ 'nenie Tlioma/ Pires de Figiieradn Ca- A
nr ,o liis'ccliir l'A U'ainlro.i la/, aabef .
ue ii;) dia le Janeiro, se. hade arrematar
i
I
I
i i ni hasta i'iilica e na porta lia mesma ao
|y',iici(>dia trillo e scssrnt.i covailos de slu
B'l i viada-, a din
IB lencos de s'da
Foratln ManifeslO'
i Embfullio i'.mi pannos para retratos i
raixa* com (nas e utcnclioa para pintor,
qir.dr <'o i oslante de pintor, > Kmbr-
liios i rolo de esleirs .< cai\as com cha-
rutos -t varas de medi ao ,
A la il i he a mesma ilo numero a6.
MEZA 00 C(NSULADO.
cipio a sua costumada eanltga carreira so-
bre o zodiaco, e tii'is conieeamos lionlem a
contar o prime!ro dia do auno ),. depois
<|iie riseados da obscura lista doapovoses-
cravos, vimos com {doria o nosso nomees-
criplo to catalpgo das naeSes livres.
isla poca semduvda para nsmais fe-
li, do que para os Romanos foi a da edifca-
i cao de liorna e para os Gregos a sna primei-
kra Olympiada. O (pie vemos na edifica 8o de
<> asilo ile lorap.idos a prepotencia
Pauta da pre?o rorrente do assucar, e algadio Je Jlomulo, a falta de liospitalidade, ea
que se despacliaro na Meza do Consulado mais uegru perfidia pralicada cornsSabi-
de Pernambueo na semana dcaaa o de i'e- nas. QuaodiHerenle a poca de nossa In-
alada-, a diius mil res ao
a mil reis caja
j, ;iidos pelo secundo Fst-riplurario Tlieo loro
Machado I'irire Peirira (la Silva servindo
Ide I eilor no capacho de Factura de ISon-
fkefoud Fau.\ & Comp sendo o Arirmalante
j.i rilo ao pagamento dos Oireitns
zemliro de >CJ,
covado vinte Assuo^r bianco rovo
linm impu--
isooo.
Dito mascavado noo
1. orte
o,
i. ((
Ii.
5.
(i
i.
dependencia que foi a primeira Olympia-
a3oo di, (ue (evo principio no anuo :j)>8 do pe-
9-oo riodo Juliano i1 legos instituidos por Hercu-
9 ioo les junio a Olympia ; jo;os etn q'ie res-.
lp5o pirava um ar selva;em e ;;ro-seiro Scali-
''oo gero, saudandq as OLympiadas diz: Ku
fio vos saudo sagrados depositarios da verdade ;
i5oo vos servis de reprimir ti aydicios* temeridade
sido al boje incansayeis no accrescimo e
melhoramento deste jprnal, cuja missq nao
lem sido nem ; mais ser a tfefeza d'um
pulido ; mas sim a manutencao da ordem e
da iberdade a iutegridade do Imperio c a
ILlicidade geral-
NOTICIAS PUOVIACIAFS.
RIARAN1IAO'.
Acampamento da columna da lente em ot.e-
racoffi na Varjjem Grande a.j de Oulubv
de 18jy.
Ordem do dia.
O Commandante da columna louva e a-
-radece as tropas do sen C'jmmando p"lo beni,
(lese poitaro nos cmbales de in nas For-
mi.as, ede 8 na Boa Vista, apresentando
corV*em conitanoia, e ordem contra os re-
beldes eii;;uer.rilliados, em superior posico ,
{
lUaboel Joaquim dos Sanios consiguaUo
hianoel Joauuim Hamos e Silva.
Manifestou o segunte. Dilomasravado vellio
(I t MoioS de sal 1 caixa com rap ? 3r,0..............
pipas corr yinbo o metas (litas cem dito, A l jodio em pluma
'v> barrrts com ditoV, i o pipas com vinagre,
l.caixao com vestidos para 6eiiiora l dito
joco obras de.ptata < i dito com Images >
lo rom peras seccas Qixes cora cbaieos
jara Scbora i acia'ile rame, oo molbos
.
6.
i.

i. Sorte
r.
3.
Jot' \faria Q?zardo \maral.
Francisco Jora Uarin'io.
I'citoivs e Corferentes.
!
tli: seliollas
t) rh-iguSuecoFa^oriten viudo del
riJiolm ,. entrado em 3o do crrente, t'ap-
i' >. SI. Ibk consignado a N. O. Bieber
Comp
PRF.FELTURA
PARTE no m\ o.
V.n: iV-1ou o seguinle-
ia 7 Barras di Ierro duzias .! i
linh.) 000 pedias
Ce
para ladnlios
i [lis p7ifa espadas
'o liafris coai !
IHm.ecxm Snr Das- partes boje reci-
bidas o'e-vi SecreUria consta nao ler occorri-
o novidade',
Da ?-.
TMm !'" :'". cor. Consta da--, prtrles
,,.,.,.^- fas o'esM Se( rt ';"'i;1 '''"; .'i":1"
i, boirtem a nrinba ordem os indivi luos
les os quaestivero o competen'e des-
tino : i'.e.irv Adolpb Spanu e CbristianTo-
O .' affl\o razilcir'o Paquete do Rio vindo ,-..., Tebibsted Amburguezes pelo Sal
Ion te-v ideo enlrulo em 3o do corren- | rtfeito de Sanio Antonio
,;, Capitn ilanoel Francisco da Suva, respectivo -onsu
5oo naaior razo podemos nos dzer s nossas eo-
i3^o cas brnileiras Y Nos vossaudamos, an-
uo i nos que nos fazeis recordar a poca de nossa
<-oo independencia, c do principio de nossoTm-
jfioo per'o ; ella a depozilaria da nossa liherdade,
ri^oo e da nossa paude/a ; ella lem servido de re-
55oo primlr a ivrannia eo despotismo de nossos
con >uistadres: pofella, que Se lem espa*
Ibado nas paginas (i i liis(') ia os actos de nosso
valor, agrande/a de nossa felicidade; sem
ella csln riamos certamen te merguHiados ajinla
nas trevas da eserav idao e do aviltamento
as. ''ra/ileiros como esta prisenlemen-
'.< enlutado o nosso hoiisonle politico! Pc-
sas nitvens, loimiadas peles mais
sos vapores de ambicio ede immora li-
* 'j, los com pxe (> ripas.
Fora do antesto
4 Rairis com ulcdtro, o iiiastareos ,
,..s de labojs de i in o
requesico do
francisco e Anglica .
consignado a'fiaudinoAgosiiubo de llanos. ,,,-,'1,,, pesera vos" aqnelle de outro pret de
. aniVjlou o."eguiile. nome.lo'10. eestq perlenrente ao Convento
f G" Qu'mtaes de rarne- secca 3o couccjS de S Cenlo., peloCminantj da Guarda da
ulndos, ao rollos de Fumo, Alfandegaporwwn encontrados com huma
I J*litigue Iugl /. Madonna viudo de Te.-- lroBsa de ranpft i e se lasercm suspetlos (le
Lriova enirado em 30 dt) conruie. Cap. andarem fugidps.
Mevantlie li. Snulh eonsijiiado a Crabee
Ii!v\V0Mby A Comp.
Parte do dia 1. de Taneiro de 18 'o.
i'
Manile^tou o segulnto.
(1o 1 Btxri'as eoni bacalnao. III
,) ,;,; o, cii.1 Vniericano, Fair Ame- ordem e lUerao
. Ivuldo de .alero \ entrad 0111 o 'o Saetos Iiranc
M o.i'eslou o se,titule.
HluaiKio
cal"- .
ras de pe
i com farinba p -' '' Prefera d 1 Po oda
;;, faul s Je rim o 'it com lar \ ctorino por ser '':i !" uentro das capoei-
m,ddS deal,;o.hio,.r> cwjwts t." dita ojras dstwdra.molle es
diuscom vc'i.iade ipernwtrte 5 diiasi.....
o 1 diw com lencos para rap u ii -
iica>couliacalio, b caicas com sabio.
.;,,..- com pimenla > o caixas com p
iiim ps (!- taboado de piiiio l\ cai\a.>
ifcom (.aleado ulaidos com lio. i
d 1 ie *q er ilafi sobr as nossas caberas e lur-
b md > o li illianismo de nossos Fastosos das se
tTTfi (!--'.'.'.'i i .i.i tnaia negras e medortbaS
lempestdes. Oh .' se um dia os Brazilriros
lodos dissessem Unamo-nos,' e sejamos
perfeitamente felices!
F. de esperar, que assim succeda ; poisse
entemente alguns Bra/ileiros sedeixo ar-
rasirar pelos falsos encantos da ambicio e da
grandeza, ilutes aos infelices companbeiros
de l. lisses (aparad Igum dia osouvidos ;s vo/es
ucantadoias desdas serea?,e,talve maisbrevedo
q*se pensa.. iri6 a tunbeeer os setsj erdadeiros
inleresses, a .sna verdadeira gloria, Ento.
maiss tisfeitos, quebo.e, vos desejaremos
('1 Leilores a eterna dnraeao dessa felicidade
eral jaque agora s vos podemos desejar a
continuarn da paz, e Iranqnillidade que
inle iianienle ?;o/amos e i.1,0 boni anuo,
, gnr Poro pre/.os a mi nha (iu:,| ,ue acaba de involver-se na obscut.da-
destino; Manoel oze dos edi tmpos
e Joan prcto escia.o am-| Nos principiamos de novo os nossos traba-
res-
as
s as
o Hiii 1- ; foi lie.:1 ro preso -eh Sub- nipnreras (neo odio, e a iuimi/.ade .cosiu-
man pindn/.ir ; soja o vos vi Irillio o mesmo ,^
que seguimos em primeiro lo,,ar o amor do
bem publico, depois os nossos nteu'sscs^
mas estes Oxpressados pela tingoagem da ver-
, t.*pH I : lufnd llirr, coignado a |,s pelo Sul)-Prefeito 1. oa-vista o 1 por |hos, confiados na vossa coadjivacao; pres
i ;L *Sc ..... dezobedien ia aseu patrio i e o a. por es ar i-nos a ossa allencn ecrilica sejao
" ehrio nroferindo palavras obscenas, e and.r jq, correspondehWMS escoimadas de lorias
nella o pardo Antonio
Diario de Pcr.ia:;buco.
.1..
U'lill.
, I..
C UU >II'\.H ,
camaradas,
O Commandante se compraz de declarar,
que est muito satisfeilo com os bons servieos
dos Snrs Olliciac lodos.
O coinportamento do Snr Vlajor Antonio
Comes Leal, e do Snr. Alteres Raimundo
Nonato iNuries l'elfort no combate de aj nas
Formigas ser recotnmondado ao IHm .Snr.
Commandante em chele, bem como o do se-
gundo Cadete do se;;undo Batalbo Vicente
Soareg de_MeJlo Jnior que foi lerido.
Mas o Commandante recommendar parti-
cularmente os Snrs. TenenteMiguel Perrei-
ra Cabial, e Alferes, Jos.- Joaquim de Barios,
ambos do primeiro Bata 1 bao pelo sen distinc-
to comporlamento no allaque da Boa V isla
o' ; bateodo-sc com um numero superior
m loicas, e em posico ; fazendo frustraros
esforcus que elle fez para cercar as Ifhas ,
que commandavao 5 c jiin'men'.e dirigindo u-
ma retirada bem ordenada,que nulilisou todos
os intentos dos rebeldes, (ue em grandes gru-
pos perseguiro a Tropa consideravtl uLs
lancia
O Snr. Atieres Ajudanle Francisco deAst
sis MendesGuimaraes, pese recolheo acce
leradametite ao Acampainento apenas ouvio
o fbgo, com a parlida do seu Commando ;eo
Snr. Capilio Antonio Benedicto d'Araugo
Pernambueo 'que estando doente so oflerc-
ceu para marchar em soccorro da partida qae
Irabalbava no ataque de loa Vista, e com ef-
feilo marchou sao nignos de elogios, e dea-
radecimento.
columna deve lamentar a perda do bravo
Soldado do primeiro Balalhao Severino Mar-
ques, que morreo gloriosamente no ataqu da
Boa Vista. Assignado Jos Tboiuaz. Hen-
liqucs, MajOr Commandanle.
Acampamento da segunda Brigada das Tro-
pas expediecionrias ao ifaranbo na Var
gem-Grande b dcNovcnitircd-. i^iy.
Ordem do da.
r
dignado publico, ,.-
ranuem escfevcrooa Obomem apaixonado ,
' r ........I...I...............I.....Ii.
i Cusa a sei acreditado. I'm quaulo nosnossos.de luna ouzari 'ir este Ac.an.|^ir.e-..tt
J o luunoso tro do dia de novo dco prioj' Irabulhos, coulinuawnios a wr 1 v t'-mosU dfipoi* X<^Mi 1 tf
Tcrsdo se portada dignamente a? iropa,
qoe formioesta Brigada no combate de 5 do
e rr.r; em tjUc > iveuies em ryran
R ENCONTRADO
1
MUTILADO


f A R I O 'DE
PE R N A M 3 i; T
a orcliestra execulou o hvmno Nacional, ru-
ja harmona duroualque caria hum tomas-
se os seus assentos. O Snr Dicolor collocou-
96 lio fundo da sala sol linm magnifico docel
que IIip eslava preparado e tomaran assenlo
; sua Direita o Exm. Snr. Bispo Pesignata-
rio O. Thomaz de Noronha en sua esquer-
da o Exm. Snr. Presidente da Relaco Rn-
lo expoz o Snr Director em noucas palavras
a naturesa dos trahalhos dodia, e dedarou
a sesso publica O Ecnomo do Collegio ap-
presentnu lo',o ao Snr. Dirprinr linm rico vr>-
lume du F.vangelho sobre liuma almofada de
seda, eoSnr. I rector abrindo-o pronun-
ciou alguns versculos de S Marcos ; eremos
que, do Cap. X. O Ecnomo recebeo o
Evangclho das mos do Snr. Director depnsi-
tQU-o sobre a meza, e tomanto huma Biblia
que ubi se achava o loi offerecer ao Monitor
Geral do Collegio que tinba assenlo na ex
tremidade direita da mesa do Director. Ah
receheu elle'a Biblia e ah pronunciou em
voz mui alta e sonota huma parte do Lvro
dos Proverbios, com huma expresso admira-
vel e tanto mais ntercsanle quanlo he lenra a
idade d'esse pequeo dignilano do Collegio
que a nosso ver nao lera mais de 10 a li
anuos. 1' inda esta lico execulou a orrhes-
ira huma pomposa symphonia terminada a
qual subi i cadeira dos aclos o Rm Snr.
que o 'nrliiam de pa
nein d huma assemhlea respeiiavel que Ibe
invejava este triumpho e que enchergava os
dlios bumecidns por hum expontaneo sent
ment de tprnura
Queira o (eo que esse Mpnino assim co-
mo todos os outms premiados seus companhei-
ros de fortuna e de triumpho, venham em
poneos annos realisar asesperancas lisongeiras
que concebemos e pagar tanta sympathia que
nos rouharam com huma gloria seno to sin-
Tflla. an menos mais transcendente que de-
vem : Patria hum da
. O Sr. Soares d Azevedn dergiu huma to-
cante allocuco aos premiados assim que a
cabou de coro;i-los fez sentir a commoro de
que eslava penetrado por similhante acto e '__i,i0 4
1 1 ,. ma nervoso se deprime consideravelinenle ; os
convidou-os a transmillir os adraros que ti-| ... ., ..{. i__i. i_;_ n. ___
nham recebido a seus Paes ou pessoas que
os representavam alguns dos qnaes se acha-
vam presentes e que em similhante orcasin
testomunharam de novo quanta impresso Ibes
faziam no animo as affecluosas palavras do
Director
Os Veninos premiados relirando-se do pa-
vimento porttil foram no meio dos Professo-
res lomar assenlo com el I es no respeelivo ban-
co que era ; direita di meza.
Os Alumnos entoaram en to pela ultima vez
e como Aeco de Oraras o 'salmo Exullate
'usti
muzica dn Sr Fachnelli como
ero lugar entie as partidas que fororeqo- vento de S. Francisco, onde se achava hum pela Congregacffn dos Professores 5o sen co>"-
ihcoer as proximidades do Campo. grande concurso de pessoas distinclas que hiao porlamento duranle O anno. Era huma scea
O Commandanleda Brigada louvatodis- cheias de alegra e avidez presenciar simi- interesante ver esle Pequeo d huma phy-
tinto com porta ment, que foi o que elle sem- Ihantesolemnidade. sipnoraia bella, o contcnlamenlo e o brio Irn*-
iire esperou das briosas tropas que comanda.
O valor o denodo com que todos estes bri-
osos Militares avanco sobre os inimigos do
Imperador da Constituirlo, e da integri-
dade do Imperio. fazem honra ao exerci'.o
Brasileiro que pertcncem.
Elogiando- eomodevo, o comporlamento
dosSnis. Officiaes, officiaes inferiores e sol-
ilados e mais Pracas levei ao conhecimenlo
doIllm.Snr Commandante em chefe, e lhe
recommendei os nomes dos Snrs. Officiaes, e
officiaes inferiores seguinles com as olas des
servicos que prestaro ; e os publico ao re-
conhecimento da Prigada :
O Sr. Major Antonio Gomes Leal desem-
penhou dignamente ludo de que eslava
incumbido, oecorreo ; Indas prerizoes edeo
acertadas providencias durante o combate do
dia 5. Os Snrs. Capitn Antonio Benedicto
de Araujo Pernambuco eAlferes Francisco
Jos do Rozario, halero os Rebeldes e os
levarode rojo quaiuio elles atacavo de im-
proviso e furiosamente pelo lado da Man-p
os Snrs. Alferes de Guarda Nationaes Joo
Sabino da Fonceca e Castro e Raimundo
. Nonato Nunes Hclfort. conduziro corajoza-
J mente as lindas da frente, sorendo vivis-
simo fogo por mais de 4 horas o Snr secun-
do Tenente Conrado Jos Lorena de Figuei-
redo Commandante d'Arlilheria porlou-se
com umsangue fri, e valenta pouco com-
muns e milito concorreo com seus tiros para
desalojar o inimig renitente, e intrinchei-
rado.
O Sr. Ajudante Francisco de Assis Mendes
G. sempre mperiuibavel e incansavel con a
a toda a parle a communicar as ordens, e pre-
venir qualquer disturbio 5 fazendo de mais o
importante servico de condu/ir ao Acam-
pamento com velocidade, e logo queouvio
o fogo a partida com que havia marchado ,
e que podia facer sensivel falta.
O Snr. Tenente Miguel Ecrreira Cabral,
que commaudou a linha da frente durante a
aeco com muito acert, vantagem c sangne
J'rioj que sempre o destinguc, cemprega-
do as empresas mais arriscadas ; assim como
o Snr. Al eres Jos uaquim de Barros que
combalendo com seu costumado denodo foi fe-
rido no cometo da aeco merecio ser re-
tpmpcmwitys ^ eoGoniii>l.f.>v =.
~i.-.l u;jaiJc, que Ihes podesse pa
avalia em que lem seus dislinctos
servicos. Igualmente o Com da Brigada re-
commendou ao lllm Snr Commandante
em chefe. o Sargento Ajudante Antonio Fran-
cisco d'Almcida, que se portn muito bem
no combate do dia 6j o primeiro Sargento
Francisco Antonio de I ma que foi lerido
no peito no mesmo combale avancando com
valenta ; e tanihcm os primeiros Sargentos
Joo Paulo Leo e Jos Aurelio de Moura,
que sempre se porlo bem no fogo e mui-
to Iralialbarao no a tagne dodia 5.
O Sargento Quarle Mestre Joo Anguslo
Cezar, os segundos Sargentos Andr Acciol
Pnheiio t rancscode 5arros 1*0028 e Re-
inaldo Antonio da Silva assim como o Sur
Cadete Antonio de Hollanda Cavalcante e
Albuquerque se tem portado como vale.ites
Soldados.
Finalmente o Commandante recommenda
saudade dos Militares desta Hrigada o nomo
do soldado da quarla companha do primeiro
Ratalho Antonio da Rocha que moneo
gloriosamente no combale dodia ; e ;i sua
estima eienera o os nomes das pa as se-
gu n tes que l'oro flidos.
Lo primeiro Ratalho o Snr. Alferes Jos
Joaquim de Barros, primeiro sargento Fran-
cisco Antonio de Lima, Soldados Antonio
Francisco, Jos Raimmundo Agostinbo, Clau-
dio A lves, e Rento Cordeiro.
Do segundo Ralalho o Furriel Jos Anto-
nio dos Sanios e os soldados Joo AI ves d^T
onvNpoiiieiicr
____________________~ '
1
Srs Redactores,
encontrei este nteressanlissimd
por isto Iho oderta
Um dos seus assignantes.
Do abuzo das bebidas esperituozas e das moles-
tias dos befados consijlcra\o> em suas rea
oescom a medicina legal, pelo Dr Roesfl.
rligo extrahido do peridico de Pais.*-
Annalesd'Hygiene publique et de rtedeci-
he lgale ; etranscripto da Revista medical f j
Ruminencen 5., do mez de Agosto, do
auno de 1S39.
l. Caracteres physicos do homem ebrio.--'
O rosto fita rubro os olhos despedem huml.
brillio desagradavel, a vista erra ao ira*,
faz-se depois fixa c sem expresso osaste-
sentidos se embolo bambaleo-llie as per-
nas ; as palavras sao mal arliculadas e os I |
discursos sem connexo o valor degenera epi
temeridade e a alegra em e\lravapncia
homem ebrio olvida-se de todos os seu-di-!
veres para com o mundo v se nelle hum
estovado arrogante desordeiro e final-
mente hum ente insociavel. Depois de hunt _,
somno maisou menos aturado elle recobrad
razo, catando em huma apalhia (|iie o fa
inditlerente ao seu bem estar e nesla indo-
lencia elle vola iium, estpido despresj
vida.
1 Caracteres montes do homem habituado
Padre Mestre Fr. 'oao Capislranr de Men- os dous primeros findo o qual e declann- .. ^jfc __(Ulsillailime e versatU em st.u ca_
doea, lente de Lingoa Latina e Geogra^a do o Director que eslava m terminadas as ceri- racte homem a eilo a embriagar-te ne-
doCollegio eahl rec.tou huma macan ac- momas religiosas, pedu. I.cenca o rofessor ,um odo>lliliaa menosque 0 sepa
dem.ca dando-nos conta dos trabalhos da ms- ,,le Desenho para cantar huma \rta em honra ^ H .^ d(j deseo fe Q lnttta
litui.ao ueste seu pryn. anno depois de fiw- do da elo^o depois bum duelo com o Pro- v ^P .^ ^ ee ge ^
aua cdesenvolvendo as vantaarens da edu- lessor de Mnzira onue exerutaram com lium .... J -i
.... 1 i- 1 1 1 r- 11 clama iior ailado /
cacao publica com a adm.ravel simpl.c.dade. suceso compelo ; e o Director declaro,, en- Fa||;|n(,0_,hea aJUardente elle se ulga em
claresa e Rosto que Reralmente dominam nos tao que o Colico fieava encerrado em ferias que de,esrera de aborrecido ,
discursos do "nr Padre Mestre I r. Joao Ca- ate odia 7 de Janeiro e relirou-se com a 1 _,,_j' j illim'
. r i-1 1 e he desle miseravel estado que mais de huma
pistrano A oracao termmou com mu gran- mesma lormalidade com que entrara,-
des elogios que o Orador teceu ao Snr Soa- i Circularan! de mo em mo por toda a sala
esd'Azevedo elogios que em nossa opinio dous grandesquadros. hum do "usto do San-
sao apenas a expresso da juslica c da gra- co Padre Gremrio XVI e onlro de hum
lido publica. Apenas o Orador desceu da Carde? 1 que mui bem nos p:trcceram o
cadeira alguns dos Alumnos internos do Co- copiado por hum fil'o do Sr Soares d'Azpve-
,* v \ tftftlrt lirRflo.c jciolr.cnn PriW>cor de Muzjcj do. oue lem n nnrr1 dn laia o o kc
tutear o Snr. J; FacnineTtf aco'mpanbados pel SK gundo' por onlro Alumno de doze annos'.
D. Trbuzi Prolessor de l'ezenho. entoaram o Relevar a necessidade que Pernambuco ti-
Psalmo Qiiemadinodnm desderat servus .r-, nha de hum bom Collegio de educat-o sPTtin-
Iraducco portugueza do Padre Caldas mu- dara parece-nos dupliradamenle occinso ;
zica do mesmo Snr Fachinelli depois de primo porque ninguem ha bo'e que deeonhe-
hum breve ntervallo hum dos meninos de- ca as vanlagens da eduraco melhodinr e un- cr.a ^s ,los 9e,,,,dos le'"P \ I"8 a 0C,
rigindo aorebesla, cantn com mufla grapa, forme; secundo porque a ronvrro desta ver- osul.de ll.e laz ler cuno hum pisado laido Al
eainda maior sympathia por ser hum dos dade tem pop tal forma callado om iu.ss.is desespera, o e o suicidio ,lao garrote a mor dajf
qumenos idade moslram ter, o Psalmo Cce- Paes-,de-fami!as que o Collep.o Pernam- pesaos seus das
li enarrint gloram
ram em coro os
acerimonia da deslrbuico dos Premios. O Corpo dos 1 rofessores veio tomar assenlo aos Orador. Dzemos poissomente huma palavra < (Pe movem o homem a coultabir o Rabilo d^
vez se tem visto brotar os suicidios. O* indi-
viduo dado de alem au habido de beber conr
serva-se coiislanlemcnte em huma especie dev
delirio
s pe-'soas robustas e baldas da precisa e-
ducaco inanileslo seus actos ;s claras e '
paleriteiiilite por huma fnclnai;u Ifrulal ,
e gro>seiros arrebatamentos
Os individuos mais flacos e que recebero^
alguma educaco teem continuos ar tifos no
centro de suas familias propendem a dedi-"
or das j
tilve/. a { i
11 I ei .. no qual responde- bncano leudo apenas dez menea de instituido principal cusa da embriaguez:\ a ocosid,.lc,
demais Alumnos Segui-e eonla ao mesmo passo aJ Alumnos internos. e a vohipia o espirito turbulento os d.s-
slrbuico dos Premios. O ores veio tomar assenlo aos Orador. Dizemos possomenle huma palavra (Pe movem o homem a coultabir o habito d|
lado da Mesa do I.rector, e o Snr \ icen- do que nos consta a espelo do Colleio Per- emhriagoex ppr nuanto10 amor ao trabalbo ,
te I ereira do Reg Professor de I figoa In- nambncano de seu director e do que. nos a sconomia e al a avare:-a nao eslao sen-j j
lesa, servindo'de' secretario rompen o Se- parecen a ceremonia que descrevemos tos de huma lo degradante nchnacao. ^
10 de huma caria que lhe foi entregue pelo
Snr. Direclor^-e- lendo em voz alta, e a p
o que ella continha vimos que era o julga-
menlo do ury de recompensas que al aquel-
ledia foi secreto aos Alumnos do Colle-
O primeiro premiado foi hum pequeo que
nao poder ter mais que 7 annos de idade,
o qual excitando a nossa admiraro livemos
a curiosidade de perguntar quem eri seu Pae
e\soubemos ser o Senhor Francisco Sergio de
Nrutlo?. NB felicitamos o Sr Sergio por ter
hum fillio que de to t.-nra idade o principia
compensar de seus disvellos, e a eneber a
Patria d'esperanca* Apenas ressooli o 110-
me do pequenojSer;io dnds oulros Meninos,
que serviiim de meslres de cerimonias ocon-
nzram do banco cima do pavimento por-
Gosta, e Antonio Joaquim de Fa.a. Asl- l,a,.l gestara a mesa do ire.l-.r o qual
gnado. Jos 1 homaz Menriques Major * (oniandante. miado; o Economn apprcsentou ento em urna
(< bronica Maranbense.)
ConiiiKiiiicaclo.
Collegio Pernambucano.
salva coroa e ramos de destinado para premio o Director lom u a
coroa, cingiu com ella acabe; a do premiado,
entregou- llie o premio, e abracou-o al'ec-
luosamente.
Seguio-sea mesma ordem com mais 9 Me-
ninos, aconleccndo porem que alguns obt i ve-
ri* m at quatro premios, porque frequenlando
diversas aulas Imam premiados porcada uuia
n<-|! .\lir;iluii snhi'P tndns ;. r>OSS2 a!S!t*20
o. pequeo iMonitor Geral de qnem cima fa-
Os hebados de profisso eslo sujeilos s al-
lucinaces dos sentidos acerca do ouvidojj
heao coineco hum zuido aproximado ca
Nao precisando nos utilizar-nos do estabe-
lecimento do Sr Soares d'Azcvedo mases-
lando todava empenhados como nos cumpre ,
no progresso da educaco da nossa mocidade i v buscramos saber o andamento que tinba o elle suppe ser a bulla de huma chuva gross:
011 o estampido de trovaos soado ao longe, o
finalmente pelo som rouco dos sinos.
Quanto ao sentido da vista as allucina-t-
ees p-irtem da supposla apparieo de faisca
que elle deriga csses seus lilhos adoptivos }. insertos voando e toco al vista de es-j
seu estabellecimento e leudo sempre ouvdo
louvar os exercicos do Collegio Pernambuca-
no asqualidades de sen Director, seu m-
rito I i llera rio, ca hablidade e estttde com
Sesso publica em ii de Dezem!>ro.
Foi nesse dia que livemos o prazer de oh- lamos que lendo j recebido dous premio-
Sfi-tar acerimonia da Dc-li lian o dos f le- acumulou finalmente hum tercero nueperjti
mos do <- olegio Pernambucano que leve lugar s<> era bastante para o encher de orgulbo : foi
urna hora da tarde na sala dos actos do ( 011- hum premio extraordinario de moral votado
forma vamos j mui grande conceito da insti-
tuifio e do instituidor e bemdiziamo-a Pro-
videncia que nos tinba enviado hum homem
de verdadeiro mrito a quem nossos filbos po-
dessem ser confiados sem receio. A solemni-
dadede que lomos lestemnnha veio roborar a
ideia que baviamos formado do Snr Soaies
d A/.evedo ; o porte a s/udez e al a de-
licadeza as maneiras e no tacto dos Alum-
nos do Collegio Pernambucano convemeraru-
nos dimais deque o Snr Soares d'Azevcdo
pertence ao pequeo numero de h imens tene-
iosos cujo alvo principal nao be odinheiro
mas -o bem do i aiz a cusa de sacrificios e
de fadigas de lodo o genero : e que o systema
de educaco que elle professa abraca vanid-
osamente ocoraco com o aporfeicoamenlo da
intelligencia. Possa elle nao desanimar nesla
to snela romo dilficullosa misso ; e possa o
Pai ao menos recotiheccr hum dia em seosn-
!!:',!:". a verdade des'as bubas que bor uvi!
laucamos, cheio anda o espirito das imnres-
sesd'buma scena que piovavelnenle se nao
apagar da memoria de moMoi ; como b.nm
astro de vida e de luturo.
prtros
Respectivamente aos sentidos do cheiro a]
goslo elles sao mais diminuidos qne noj
pervertidos elles creer ter al(iiem deitado |
cerca de si e sentir toda a sorte de vei'ire
rasle;ar ao derredor.
A loucura dos sentidos em os indivdu
dados ; beledice, passa immediatamentv K
estado que se chama delirium tremens, 01
ainda a hum estarlo de mana designad
pelo nomede mana poti e que muita se-
melbanca tem com o delirium tremens ; em
fim estas alleccoes podein degenerar realmente
em loucura. e he sobre ludo para o suicidio
que se inclino as aeces do homem ebreo erji
demencia /*
Cau/.as da emhriagnez A eSuza mais {e-
ral da embriaguez. he o goslo que lodos o:
bomens e.xprriineiito pelo prazer eo desejo*
queelfes teem de adormecer, por meio da*
bebedice ern bum estido uoelbei ta*,'a cane-
cer os desassoeeoos da vida.
As cau/as pai ticulaics sao certas profissdes,
bem eomo de ferreiro, padero linipadcres v
cbainins os glandes Iraballios braiaes en
geral, a vida sdenla, a o habito de estalr
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADC


DIARIO
D K
ERNA. M BUCO
8
[.
(y
w
!U
i
>
*
de p por muilo lempo as viagens aos rigo-
fes^das eslieoeiis o U/o de vender licores Cor-
tes o exemplo a m companhia conselhos
erfidos, ou tristes preconceitos e sobre Ui-
o a pobreza eis em summa as mais mohe-
cidas (onles que do origcm emliraguez
Huma serie ainda de ciuzas motoras da be-
bedice busca sna ori;',em na moral A occio-
sidatle a Calta deoccupaiao o oslo da dis-
sipacab o caraeler versali.1 as puixocns tan-
to expansivas como depri me tiles a colera ,
despeilo. os desgosto domsticos os exces-
sivos trabalhos menlaes podem ser enrara-
dos como predisp.)si Oes- :ara o ahuzo das be-
bidas .dcoolicas-brancas.
Ha trez sorles de embriaguez continua ,
inlermitlenle e mista. A pi imeira consiste
em buindesejo conlinadode l)eber lirores for-
tes desejo contra o qual a razao nada infle,
que lira sua origem em buma necessidade
moral ; os bomens assim avesados tomo quo-
tidianamenle por espaco de mez.es e ainda
de annos buma quantidadede bebida espi-
rituosa que seja bastante para os embriagar
A segunda consiste em paroxismos osquacs
sobre\em em pocas determinadas A ter-
ccira be a que no sen curso se nao nota or-
dem alguma determinada. '
Molestias e genero de molledos bebados.
A bebedice levada ao seu grao mximo pode
malar instantneamente quer pela paravsia.
quer pela apoplexia a paralysia sbita do
systema nervoso se observa principalmente
nos que tomo lumia grande quanlidade de
licor espirituoso de huma s vez e que a esta
bebida nao esio u/.ados ; a apoplexia porem
riva com preferencia o individuos |.i avetados
bebedice e que alera disto leem disposi-
cots s congestoes cerebraes Os ebrios mor
rem ordinariamente de i.urna muieira acci-
dental ; elles se Cercm e suicidao-se no meio
dos actos a que sao levados pela mesma bebi-
da : ou ainda regelo aliados aos campos no
volver do invern sem se saberem resguar-
dar das injurias do lempo do calor do
fri da bumidade ele. O bomem ebrio es-
t e.xposlo s inflammaces e aos beumatis
mos a cholera exereco seus famosos extrago*
em beliados especialmente Tem-se lambem
o1 servado a comhusto espontanea nevralgia,
spismos, convulses epilepsia embota-
BieutO e allucinacoes dos seutimentos impo-
tencia e finalmente a slenldadc nos indivi-
duas afeilos s bebidas ulcoolios-brancas
j Cnralnoda embriaguezSi he passageira
a embriaguez alguns copos d agua Iria e
h/im puseio ao ar livre comanlo que nao
esteja milito fri be lium prm-j lo e til snc-
corro. i a embriaguez porem vai alen? das
niaras; oprimeiro remedio he excitar os
vmitos, oque se consegue pa|a agua lapida
ou pelos emticos propiiamente ditos Si por
ventura n ilar-se simptiimas de apoplexia ser
mister anrir a vea e fazer succeder hum vo-
mitorio san ;ria ; fomcnlacoens Crias cane-
ca sao em taescasos mu apropriadas
O vinagre em friccooens caneca e em
(j clisteres o caf ,e a ammonia sao mui recom-
mendados contra a bebedice o actalo d am-
monia na de de io iogotis em hum co-
po d agua proelii7 effeilos maravilhosos
Nao basla o haver-se conhecido hum reme-
dio para curar a bebedice prerisa-se agora de
esfortos por desenraizar este vicio degradante
docoraeaodo bomem acostumado s bebidas
espiriluozas o melhor meio de s isto con-
seguir consiste em ordenar aodoente de ali-
mentarse com carnes succuleutas e de obs-
tal-o a que beba em jejum Manifestndo-
se hum accesso de dipsomana R UHI.-CRA-
Mfclt, recommenda o acido sulpburico com
o castreo. ,
Como se hade proceder para regular o u so
das bebidas espirituosa e previniro seu abu-
so ? As medidas legislativas sao insufficienles
para destruir a inlcmperanca e sohre ludo o
abuzo du agurdente bom seria que a re-
forma e o exemplo viessem ros que se acbo
enllocados nocimo da Sociedade ; por quanto
be dos grandes que os pequeos copio be
ao amo que o criado imita As aucloridades
deveriodar lodo o peso preciso s medidas
segujjites :
i. Ser punida a bebedice, quando della
manern arsomos contra a boa ordem vilen-
las ou espectculo immoral
% Congrassar a polica toda a sua alten ao
trafico da agurdenle e nao perder de
,'ia os individuos que por esta bebida se
ctixio arrastrar
i. Ser inleinmenle probihida por les
orles e e ectivas a venda pelas ras de ce-
nias ak-ouin-a> blancas.
I Nao se permillir em cidade alguma ra-
ras cuio trauco nico teja une agurdente,
porque be propriamenle fallando, nestas bo-
legas que oj homens e iwicio na bebedice
e a ella seavesao.
5 Para restringir o cnnsiimmo da agur-
dente e acallar or conwval-a nos pre-.cn-
ptos limites da necessidade fiscalisarem os
' ajenies d i polica cuidado-smenle as hiladas
I espirituosas que a agurdente menos pie- 1
jjudiriaes saude
Em franca antigamente nao era a be
hediee considerada em caso algum ro) i um
molivo de sp allviar apena ordinaria, ou
de sr a ncr applicar. Hoje o cdigo
penal no a menciona ramo escusa e circuns-
tancia allenuanle ; todava, os jurados alisol-
vem o homem que cu'pndo se faz no accesso da
embriaguez; e a raso fica songamente de
mnnslrada, ttendendo-se somenteq' a liebedi-
ce he huma demencia ranida e que o lio
mem completamente hebado fica ora lonco .
oulr'ora maniaco e as vezes em fim hum
completo idiota. A analoga entre a embri-
aguez e a alienaco mental faz-se muilo ai ten-
d vel quando se comparao os signaes cara-
ctersticos de hum lidiado com os de hum ali-
enado.

ii '1
LOTERA DO SEMINARIO.
Como tem sido grande a venda dos Rilhetes
da se"Ufida parle da i'>. Loteria concelida
heneficio da instruco publica em o Semina-
ro Episcopal de Olinda o Reilor do mesmo
Seminario annuncia ao respeitavel publico,
que as rodas bao de andar imprelerivelmentc
em o dia vinte e sete docorrer.le Janeiro.
desles huma nota ;isignada com decaraco
da qualidade e quanlidade do {enero, e do
rma/.era em que fica reeolhido, que o respon-
sahilize pelo mesmo depozito, ou pelo les-
|iectivo imposto.
3.*
Os donos dos armazens serao obrigados a
dar mensalmenle canta ao Arrematante do
genero que tiver sido exportado ou vendido
para con-umo e do saldo existente .'pagando
logo do vendido para consumo o respectivo im-
(oslo : para prova da eiporlaco bastar mos-
trar cerlido do despacho, e embarque pela
Meza do Consulado e para ornis o saldo
existente.
4"
O genero que se recolher a armazens parti-
culares do deposito nao fica sugeilo a quehras,
nem poder ser transferido de hura para outro
armazem sem audiencia do Arrematante se o
for sem esta eirrunslancie ser considerado co-
mo vendido para consumo.
O Aarrematante poder exigir dos done* dos
arma/cus do deposito banca ao valor do im-
posto seassimo julgar necessario ou conve-
niente.
Ultima.
Fica em intero vigor ascondicps tercei-
ra quarta sexta selima e oitava do ter-
mo lavrado e assignado em'5 ie Junho do
corn-nte auno
Esta forma de arremataeo principiar no
tsr Perdeo se desde o Mondegp at a ponU
do Ucboa ta larde do dia vinte e seis do cor.
rente, urna carteira verde com cincoenta t
tres mil reisem sedulas e alguns papis de-
importancia roga-se a quera a tiver adiado
o obsequio de annuiiciar a sua morada pro-
mellendo-se trinta mil res de gratificacao pelo
icbado.
\zr AJugao-se duas canoas abertas urna
earrega mil e duzentos t olios eaoutra oi-
locentos ; atraz dos Marlyrios loja de tres por-
tas verdes
isr Quem precisar de urna ama de casa ,
anuunce para ser procurado ou dirija-se a
i ua do Livramenlo no segundo andar do so-
hrado I), ireze indo para a Igreja do lado es-
querdo.
t2y Na venda de Fora, de Portas D. 17 ,
precisa-sc de um menino para caixeiro.
XST Acho-sc fgidos os escravos Antonio,
Angola conhecido por Pai Antonio e foi
esetavo de S. Thereza ja velho alto, se-
co barba branca meio calvo peinas en-
xadas ; Jo/e Angola baixo seco berta
barbado meio calvo com falta de um den-
t ? da patle de cima com o segundo dedo da
man dirrita meio encolhido he paxolla le-
\ ou calca de pao cor de vinho e farda da
Milicias auliga ; os apreheudedores o levem a
casa de depositario geral qua est encarre-
gado d'osreceber.
tr Da-se 3oo' rs. a juros de a por tent
sobre pinhores de prata ou ouro ; quem os
pertender pode dirigir-te ao primeiro andar
^
COLLEGIO-SANT A-CRUZ.
(K0 FOllTE-DO-MXTTOS.)
GO Collegio Santa-Cnii novamente erecto
n'esla Cidade sh os auspicios de mullas pes-
sas benemerilas ahre-se pela primeira vez
no dia 7 do correnle na forma do Pros-
neelo que se acha palenle no msmo Collegio
os Sis chefes-de-familia que alli quiserem
mandar educar seus filh'is.
kaoadmiliidos n'esle Collegio nao si Pen-
sionistas mas lambem meio-Pensionislas e
Alumnos externos. Os ensionislas residem
eflectivamente no Collegio, e pagam por ca-
sa mesa e encino a quantia de 000 rs.
mensaes. Os meio-Pensionislas residem no
Collegio smenle nos dias lectivos c pagam
1 4 000 rs mensaes.
A idade marcada para a ad.nisso de qual-
quer alumno seia 1 ensionisla seja externo,
de al 4 anuos.
As disciplinas que s'ensinam no Collegio
sao as que se exigeni como Preparatorio nao
i as Academias do Imperio mas anda as
Univeisidades da Europa.
As propostas para n matricula de qualquer
alumno sao dirigidas ao Pirector do Collegio
Santa-Cruz no Forte-do-Mattos defronte d'
Assembla.
Avisos niverso-.
XST Sendo ulil que chegue noticia- do
Corpo do Commercio as modifica oes que hou-
vera as condices com que foi ar-emalado
o Imposto Provincial de quarenta reis por ca-
ada de bebi las espirituosas importadas para
consumo desti Provincia o Arrematante do
mesmo Imposto roga a Vms. haja de dar a de-
vida publcaco s ditas condiees abaixo tran-
scriptas e por islo e pela brevidade lhe fi-
cara muilo obrigado
O Arrematante.
Condices com que o Arrematante do Imposto
de qu:irenla reis por caada deagoardenle ,
vinho licores e mais bebidas espirituosas
se sujeita a alterar o seu contracto ; fazendo
a robraiica smente na occasio em que o
genero for vendido,
i. "
O Arrematante s poder faeer a arreenda-
cao deste inipnslo quando o genero for vendi-
do para consumo : julgar-se-ha o genero ven-
dido para consumo desde o momento em que
passar d'Alfandega 011 dos anna/ens particula-
res de depo/.ilo em que lenha sido reeolhido
depois do despacho, para o poder de qual-
quer consumidor, ou para os armazens ou
tabernas que tem porta a berta para o venderem
por nuudo.
.?
O Arremaianie poder ier hum ou mais a-
gente na Aiaridegi.|inia lomar noia dos des-
pac hosehaver do despachante o imposto de-
vido pelas vendas que ani se fizereiii para con-
sumo ; se o geilero porem foi reeolhido a ar-
mazens. de deposito l poder haver dodouo
i de Janeiro de 4o ~ Secretaria do Go- do sobrado 11 na ra dos Quarteis que se
verno de Pernamhuco 7 de Dczemhro de dir.
, q. O Secretario da Provincia Jernimo SZT Aviza-se ao Snr TJiome l'ereira La-
Marliniano igueira de Mello. g,.s que o Blliar atraz do Qnartel nao per-
XZT Precisa-se alagar urna casa terrea em lence ao S qualquer ra desta Cidade nao sendo em lu- Farofa e o pertencente nao vende nelle hebi-
gar exquisito com cmodos para pequea fa- das espirituosas por islo deve o desariscar da
milia tendo quintal e cacimba e nao exce- sua Collectoria.
deudo o aluguel a dez mil reis mensaes ; d-se C?" Urna Sra oTerece-se para ama de urna
fiador, ou paga-se adiantado, conforme con- caza de portas a dentro, a qual cose, engoma,
vier quem tivex dita casa para alugar an- cozinha ludo sofrivel e Com asseio : a mesma
nunCe Snra. vende urna cama em bom uze e raeia
Cr No Manguinbo passando a ponte na duzia de cadeiras por preeo tommodo : an-
terceira venda ha para vender oseguinle- uncie.
a posse de trinta palmos de 'rente t duzentos tsr Quem tiver buma casa terrea para
de Cundo na estrada dos Aflictos no Sitio da alugar a qual lenha quintal, cacimba, e
viuva de Leonardo Marcellino tendo a fren- commodos sufficienles para grande familia ;
le da casa feda de pedra e cal e materiaes anuunce para ser procurado ou dirija-se
pata principio de levantar com madeiras a esta Typograha
promptas para cubera, portas, e janellas y Ouem precisar de um Portuguez do
tudoprompto; assim como o casco da mesma idade para Caixeiro de qualquer rrumaco ,
ven(|a o qual da fiador a sea conducta ; annuncie
SS5- D-se um conlo de reis a juros de para se procurar
dous por cenlo ao me/. com hvpotbeca em S2T Huma mulber parda e de meia idade se
a'guma casa livre e desembaracada ; quem offerece para ama decasa de bomem solleiro ;
quiser amiuncie qucindcseu presumo se quizer utilizar an-
\ST Vendem-se registos de tatito Amaro utite.
em porcao ou a retalho ; nesta Typogra- ~ Aluga-sc dois prelos diariamente dan-
p|, a do-se-le o sustento quemes tiver enlenda-
C3T Maria Angela Custodia do Carmo se no atierro fabrica de tabaco on annuncie
moradora defronte'da Igreja dos Martvros as por esta folha.
loiasdo sobrado I>. duas pertende abrir Aula, K-^ Precisa-se de tresentos e cincoenta mil
de primeiras Letras costuras xaens bordar reis a juros hy|K)tliecan(lo-se um bom prelo
lavarinto e marear, no dia quinte de Fe- g'nbador ; quem pertender este negocio an-
vereiro prximo futuro ; quem de seu pres- ntracie.
timo precisar dirija-se mesma caza a qual *sy Vuem precisar de um minino de ida-
qucrl.oradodia. jty Al uga-e urna casa de pedra e cal sita das; annuncie.
na Caza Forte defronte da Igreja; quema ET OCCerece-se para alna de casa de ho-
tiertender dirija-se a ra das Cruzes tenda mem solterro una creoula moca com todas
de tanoeiro D. sete que ahi achara com as habilidades precisas : annuncie para ser
quem tratar procurado
tST erdeo-se na ponte do Radie na noite ST Dezeja-se alugar urna casa para pe-
do da trinta do prximo passado mez urna quena familia no Bairro da Santo Antonio
caixa de prata dourada obra do Porto; eque seja em ra onde passem as procissoesda
quem a tiver achado querendo reslituil-a Quaresma ; dando-se de aluguer at 13U000
diriia-se a esta Typ., que se dir quema reis; quem a tiver annuncie sua moradia pa-
peleo. qc gratificar, ra se procurar.
tST Precisa-se alugir urna preta que saiba *ST Precisa-se de urna sen hora para ser a-
engomar,e cozinhar o diario de urna casa,sendo ma de casa de homem solleiro; annuncie a mo-
fiel, e capaz de comprar na ra pois he pa- radia
ra lodo o servico de casa ede ra ; quem a Vf Quem quiser comprar a/eite doce de
liver para alugar dirja-se a ra das Cruzes muilo hoa qualidade propro para casas
1) oitoou annuncie sua morada. particulares, por ser em latas de hum al-
Cf' Quem quiser adianlar os fundos ne- mude e por preco cmodo, dirija-se ao ar-
cednos para asdespezas e concertos da barca mazem de Francisco Das I errera defronleda
Inf-leza Lord Cockrane I ke St Smith Mes- escadnha d'Alfandega.
Ir arribada a este porto dirija-se ao Consu-1 tsyQnem precisar de um menino portuguea
ado de Sua Mageslade* Britannica para tratar para caixeiro de huma loja de fazendas o qual
tem bastante pratica, de idade de ia 4
3nnos sabe bem 1er e escrever, annuncie
sua inoradla por esta folha para ser procura-
dos particulares
_S2?- Na ra da Florentina na carreira de
Joo Zurrich qumta caa viuda da mar
acha-se eslabellecida a imprensa de estampar
rezstos que foi de A. I. Mavroquim As
pessoas, que qui/erem fazer encomendas de
ohjectos da mesma imprensa dirija-se a
mencionada raza ou a esta Typ.
%33" A Seohora que se pTpOeOt a ioniui
crianes j desoainas para 25 acabar da Cl I
ar com lodo o mimo eamor, e que lambem
recel>e as que liveiem omo p'",i'a SeCfeaieiu CO01
leile, mora agora na ra de Hortas defronte
do beco largo de S. Pedro D. cz.
da.
tsr Offerece-se para escrevente de algum
car't.>rio ou cscriptorio, um rapaz brasieiro
de boa conduela o qual tem boa letra es-
creve expedito, e correctamente ; quem pre-
cisar uc se prcsimo annuncie para ser pro
(UlU.
A quem faltar um preto bucal defeituu-
/ de hum olho entenda-se na fabrica de ta-
baco do atierro que se lhe dar noticias do di-
to prelo. ,
MUTILADO
.


N
4
1) I IM O* 'O V. P E R N A M li C C O
iT Dezeja-se fallar eom pessoa quV te-' pas urna vez que estes taubem sao puchados i ZST Urna venda em nulo lom .lugar .com nome .Mana de idade de 3o anuos tem na
,ha trama oes con, Manoel de Farias Ma-'adous boys. Favor que pede un" dos seUs>uros fumms c-commodos para li.nnl.it e, testa* marca le sua nacao corpo regular ,
fthu natural de Pernambueo e morador iassignantes. I alucele multo ero conta dar.d-se al- I n o he fulla, bem parecida so sabe Brahay
can Angola ao largo do pilourinho; dita pes-
soa pode annuuciar sua morada a fin dse
tratar grande -negocio.
CS" l'recisa-sede urna ama para casa d'urr
humem solieiro para o servico de partas den-
tro na ra nova loja de Ferrara o dkaga-,
D >>.. \ l
SSF" Aluga-se urna osa na ra 'de S. Rila
nova, com qulos cozinba lora, ca im-
La grande quintal com tclhciro e com,
porloens para amar ; os prelendentes diri-
jao-se a ra nova loja de Ferreira & Braga ,
D. ai-
KSJ" Precisa-se de urna ama de casa; na
praca da Independencia loja de chapeos s8.
e p ou no ;Ylondego sitio pegado ao Vlajor
Costa.
Cj" O accionista das cautcllas correspon-
dentes a todas as loteras avisa ao respeilavel
publico que a do Seminario corre imprclcri-
velmente no dia 17 do corrcnTc segundo o
avisodo Reilor do Seminario,, por isso ro-
ga a os apaxonados desle jogo ueirao con-
correr a compra das mesmas as 5 ponas ven-
da D. Cf e nos mais logares ja aununciados
s*" waooel Francisco Guimaris, fazsei-
enle a os seus credores f que queiro ir jus-
tificar suas conlas ou disidas no cartorio de
Francisco Joaquim aonde se esl procedendo
a inventario por parle da fallecida sua mulhcr
D Joaquina Mara da ConCeito apresen-
lando os mesmos seus credores primeramente
tuis onlas corren les para serem conferidas.
S^r* A senliora que se o He rece a ser ama
de urna casa de portas dentro annuncie sua
morada,
tlf" Na madrugada do dia de Festa ao vol-
tar da rt.a da cadeia fc ra do crespo at o
porto do embarque da ra nova perdeo-se-
iinw ataca de ouro com firma cufiada com t
gum dinbeiro por corita e o reslaute.a praso ;
Tambernus estamosem (luvida a cerca do defronte darii eir da Roa vista 1 ..
lr' Im lindo moreque nv.iito gil e bas-
tante vivo, proprio para pagem : na ra d
Livramcnto ein casa do Dep;:silario geral ; li
mesroa ntsa se cIh :a prels e preias possantes
Lj" O Corrctur Olivcira tem para vemle
Uin :!i.i;;i!';(v) e c miplelo apaieP'O para CllSI
e dois laholeiros. de prata do feilio e do;
Livores mais lindos e modernos que a e<;
roem alguma loja de (aterida o qual sibe leen vinrl.i da Cidade do Porto por lerem si
ler. e contar, eo seu pai se respons melisa do obra encomendadas pnrquenj^oao e pou-
por sua conduela ; cjuem o precisar dirija-se pon a despeas, somenl aliendcndo a < ;w
a ra do Faguh&es ..'. ou anuncie
verdadeirosentido do art. oi'lavo das posturas
addicionaes ; por isso nao podemos satisfacer
aoSr assignanle quedever recorrer a IIIm
Cimara, que melhor de que niuguem pode-
r; declarar o que ptelendeu prohibir.- Os
Redactores.
C^* Da-scum menino pardo rom dade de
1 i annos para estar unto com oulro caixei-
CJ" O Sr. Jos Antonio d*Amar,.l Laje ,
dij ja-se a ra da Guia sobrado 11. ) para re-
ceber un.a caria viuda do Para
yy Parleripa-se ao respeilavel publico e
com mais particularidatle a aquellas pessoas ,
que padecem molestia-de peilo bam como
catarros deduxouns e c, que ebegou de
niamente urn grande sortimenlo de pasla de
bofe de be/erros, e que continua a vender-se
em casa de V'eroz na preea da Independen^
cia ; o dito lembrado da grande rapidez com
que se vendeo a ulliiia remessa desta pasla.
avisa as pessoas que lhe encomendaran para
se prevenirem antes que se acabe; o preeo das
caixinbas be de i,oao as maiores e de la o
as mais pequeas
ST5- Alu^a -se o segundo andar da casa da
ra novii !> i<>, com grande sotao ; a tratar
com I o o Raplisla Claudio Tresse
t^ Qualquer Sur. Negociante que ne-
cessilarde um escripturano para esCrev*r
em seus livros smrs transaeoens mercanlis em
partidas simples ou dobradas e inesm al-
guma eseripta atrasada annuncie
ss?- O abaixo asslgnado faz sciente que
desanarlou a sociedade
ludo viesse rum a ntia ir iierfeiefio
13" Um -sitio em Santo Amaro, com por-
to na estrada caza de pedia ecal com quil-
tro 1111.11 tos duas sallas co/in!ia boa a-
goa de beber muilos arvoicilos de (rucio de
(odas as qualidades ; a Iractat na ra Nova
I), desenove com Joao Baplisla Claudio Tus-
se.
fir^ Queijos londrinos presuntos ingle-
zes, carros de nio para condu/.ir atierro, con-
serras ingieras vinbos de lodas as qualida-
des e ser veja branca e preta ; no armazem e mista (|ue loi para as bandas I" KngenlioS
Ibar de enchada e fa/. balaios de sap olbos
11 andes ,'denles eixads *e pelos cabellos
poneos torcidos pes e rolos regulares, peitos
nnpridos e seceos falla muiloinal a pe-
'.ar de estar bstanles anuos na tena, e be
iiuilo cacbimbeira-, os signaes do filbo sao os
seguales de nome L'stanislu bem pare-
cido grosso de tedo acorpo peinas e bra-
os curios pese n-.ios grossas unbas cur-
as bastante fonoso a inda que de lema
ulade eal.(l!os como da mi rosto carnuTo
uari/ baixo orelb.is pe ;nenas q'ando desa-
pareeco tinlia'i annoj de idade e boje lera
o, tem por dentro do tfeiVo declina um pe-
luenocaroo que se divulga nuarido ri-se,
lein na barba un l.ilbo alravessado dous
dedos us ps i ni media tus ao minimo iguaes
e uma un ha no dedo mximo tirado, e be anu-
lo .ladino; (uem os pegar leve a :. Anua Jj-
aqi:TTrftNTioma'ia de r./rres.
M dia i5do p. p fugio urn escla-
vo de non/e Francisco de naci angola oin
eaa.isa c calcas de algodao'.inho em urna das
orelias tem uma atgola de ouro be eaooeiro.
de 'cao Carroll na pra a do eommrrcio
tZf Orna eserava om todas as habelidades
Paulo, q-.umo pegar levej p o a do Commer-
cio a casa de i> Cathariua da Clu a^ Jiai.ca
para o-ser ico de uma familia um esertvo 'I'"'S|,|a 'l'".' rag
)om trabalbador desilioe ranbador de ra S-^'No dia 4 do |) p fugio uma m gra
I ,de nome Kosa de uofd benguella
pipas
10 e ga
quarlolas cbai^isque foro de
niel
cor lina,
e a/e>tc de ca rapa lo uma arma ao na ra
Imita para 'amidas 011 miudezas as j j
tas 1) >.i onde tem o lampiao
127" L'maesrrva de na a" annos laz lodo o servico de uma cas*', e
tem muilo !>ons cos 11 mes, por vo 000, \
laixa com a perna esquerda coxa sa 10
)n_ com camisa de luho .marcada cora esta lotea
i -H- e saia de cinta escura com um
de idade de UV'"lal azul ; qucni a cgar leve a fabricada
cliapeos na ra da
recompensado.
cadeia i.j que ser
molec >tes de idade de a <\ annos. Iivres
de bccbigis e le lindasu;-;uras urna mole-
r de nau.-io loand.i lo idade de 16 annos ,
ptima para mubanda urna dila de naiao
csaparlou a sociedade com anoel omin-
vollas de Iranselim de ouro roga-sea quem gues Perira (|ue linhao na venda sita na na mucambique. de idade de 1 annos, uma es-
hver acJiado e a queira resiituir dirija-se do Collegio ) i/| p'1 isso roga a os Srscrc- evava -le ua<-o, engomma. c co/.inba sofrivel ,
a loja de Domingos Jos Ramos na ra do
crespo que ser recompensado. r
tSJ" A creoula que annuiicicm querer ser
ama de tasa de um homem sulleiro annuncie
sua morada.
i__r Pn-cisa-se de uma ama que soba co-
ziidiar o diario de urna casa de pequea fa-
tV'lic lila vio PoVtO
NAVIO SAHII O NO I IA >8 DO P.
1
i
4
d
dodesoneradodas demais diviiJa qi
desse da em dianle Antonio Manoel Ramos
t2F" Traspassa-se o Hirendamenlo de um
sitio ao entrar da csliada do Conleiro com
milia ; r.o forte do mallos ca casa de Jos famosa casa envidrassada estribara, \pi\n
Antonio Silva Vianna.
sercado combos arv credos alguma orta-
IX'" Pirdeo-senosarrcba.ldes da Cidade pe- lica e flores o qual paga itjo 000 animal ;
la estrada do pombal helm afflictos, e so- esf enlregar as chaves logo que se fi/er o
lidade r.uia lui.e'.a ou oculo de tres vidros +*aspasso annuncie, ou dirija-se ao nies-
11111 pequeo e dous maiores com armaco mo sitio.
de piala inferior, e inuilo descorada, lilla J3F" Precisa-se de um porluguez para fei-
le turma chata para ser guardada no boleo do torde um engenho distante desta praca
colele lem uma ai gola pai a cufiar fila- quem leguas ; e se for ebegado de potico melhor ;
a ti ver adiado e quiser restituir, reeebendo nesta Tipografa.
ahijaras, dii ija-se a ra da ai'andega velha SS?" Precisa-se al ugar (j escravos que ja
. a fallar como ingle? Felipe Furby; lenbao trabalhado em olaria pgftndo-se
^ ualquer nmlber porlugae/a oudas1 mensalmente ed-se bour tralamenlo; quem |Coniprarem para (ora desla provincra llie c
libas, que. ueira lomar a seu cargo engom- tiver annuncie. menos-,-zoo do consumo pagos a saluda
mar, c-lratar da roupa de um viuvo e seu pg" Prccisa-se de uma criada para o ser- Itaiidega. .
fifHo com o cuidado de u.na filbe doenle vico de portas fura ; na ra nova no primei- *&" Superiores Charutos da Cacboeira
Joo Amonio da Silva en lastro..
ENTRADO NO I LWq
X \
TERRA NOVA -, o dias larra Ingleza.
Handolp de oy tonel Capilo Leuis ie-
lon equip 1, carga baca I hu ; aC;aU
btree k. Cortpanhia.
ENTRADOS NO ITA ?o
casa da moradia do S>' Braga velbo em pi-
pas binis e garrafoens o superior e ja BIO DE JANEIRO; i dias Sumaca Hes-
inuilo conhecido e approvado vlriho do san- panb a Carino de Co tonel ., \l. Jus Alu-
guiubal cerno o meflior que-vem d Lisboa a equip 10, caiga chumbo e munivo.j
! lenbao "trbalbado em ola'i ia pagado-se por preeo eommodo e se declara que os que a o;i 1 i'.nio de I emos
desla provincia lhe custa' DlT O dias Piara Mespanhola Uniaode
o tonel M, (abriel Pagcs ei|uip 5,'
qa/ga inunicao ; a Joo uto de Lemos ,
campo, de dade de 23 anuos ou troca-se
por urna .negra ; na ra do Fap. nudos D. 8
SU" Barrisdo legitimo viiitio leiloria-, de
dous almudes cada-mm ebegados ltimamen-
te do l'orlo no Paracho Primavera e bieb.is
pelas de superior qualidade no atierro da
Boa vista venda l). iq.
' Tres sepos bous para assougue ; na
c.uiihoa doCarmo I) 4;
a_j>" Na ra da moeda armazem defr.mlc da
nao scrau pagas
nicas obrigacoens a j|uc fica sujeila pode ro andar do sobrado D.
fallar na loja de louca da ra do Livramalo
n tres que dii com quem deve ti alar.
JSS" A aUcricao do Municipio o Ilecife
acha-se eslabelecida no lugar do largo das 5
ponas casa D. to onde diariamente lera lu-
gar a alerir-sedcsde as seis horas da manh
al as seis da tarde.
v^f" Precisa-se arrendar um engenho dis-
tante desla praca moenle e crlente com
fabrica ou sem ella e que sejaem boas tr-
ras e para as paites do sul ; quem liver an-
nuncie.
tF As pessoas que precisarem e (uiscrem-
sc ulilisar do picstimo do veleiinario francez
| marne podem dirigir-se ao Recife ra da
cadeia em casa de Alberto lloscb i). '7,(111
S Antonio, ra nova em casa de Frederico
Chaves l). 5 e no atierro, da Boa vista em ca-
sa de Ployon ourives Irancez para em qual-
quer deslas casas dtxarem seus noines ra ,
e decimu da casa por escripia pura immedia-
tamenle seren servidos
VST" Pede-sc a qualquer pessoa a quem for
ofierecido as seguintes pe as de ouro ; um
transelim uma cruz, cortada tom um dia-
mante tres aneloens sendo dous cortados ,
e um torniado com um diamante e outros
com selle ditos, um bolode punho, e urnas
rosetas de filagr, la gao apnrehenc,ao e hve
a casa o Sr. Consallo Jos da Costa na ra da
r*ijic,de Dos, ou na estrada dn v outeiro
Cta casa da viuva D. Mariana Monleiro de
Lima, que ser recompensado*
0T ldga-sca osSrs. 1 eductores o favor
dee.\clarec(iem o \rl. 8 das Posturas addici-
onaes se sr') se comprehendem os carros que
tonduzem s objecin a ppo litados no Artigo,
e se
Avisos Martimos.
da
em
caixa de 'Ido por 4000 e bichas pelas gran-
des e pcjucnas ; na ra do Cabug loja do Sr
Bandeira
scravos Imilios
pass
iciro un Irancez.
PARA LI\ ERPOOE segu viagem 110 dia
5 do Cdrrbute a Barca Ingleza Lord Cocbra-
ne ; quem liver cenias com este navio quei-
ro as apresen lar al o meio diado dia 4 de
Janeiro no cseriplorio do? Cunsigualarios cariudo, meia fulla edrpq a pro;orLao da
Me &Comp..nbia parasereraajustadas e aUa,,a ollu,s gandes-, pes e pernal com ]5Sr
nao as.apresenlando'ak?o lempo mencionado, prihei|iode inchaio por estar pnenha, le-
rj", Desapafeceo no -dia 28 do p. p urna
eserava de nauo I enguella alta nielo es-
voii veslulo uma saia
a.: 11
so!-re a
C o i p v a s
de cbila
'dila um vertido de uma fa/enda chamada poi-
cla e farinhfl e u:n panno de chilla qua-
dradogrande quem a pegar leve a botica do
m- iarrafasde Arrobe, do legitimo, quem Sr. Cipriano Lu/.da Paz na ra do Colle-
hcr innuni (i giq bu na Roa vista na botica do Sur. \ iclo-
UT L'n, quarlo en. boas carnes ; no paleo fino que sera recompensado,
e -.Pedro de lado esquerdo I) (i ^ > 10 uma eserava de nome Auna, ladina de
i^T
Milito em porfi que seja novo 5 na
1
a da senzaia Di. anS0,a dt l><,,liu Bf7 lf "uru /!""li,r
Um preto ladino de bons coslumos r preta rosto puchado-, ol hos-grandes, na -
tsr
ENTRADOS NO DIA 3i.
PIULA" ELPUIA ; /,o dias Barca \meri--
cana Osceoia de i> tonel VI, Winipple,
erpiip 1 > carga farinlia umtro- gene-
ros Ira/ i { passageiros quesegucm para
o Rio de Janeiro
5.1 thas Ruca Americana Jacob
S W.alre', de ab^ tonel. iM Dorio W. ,
equip 1 carga gelo Lj fazendas ; a
1
1
& i:ausield, passageiros Luiz. (iomes
Ferreira com sua familia 3 criados e
un cocheiro.
ERRATAS.
Da Correspondencia do Diario de a j dj p-.
p. ultima linha ob/equio leia-se obse-
quio : e no fin depois de um
seu
prelVre-se sendo moco e que lenha princi- Hz fino beice* mei.^rossos tem urna ma- ,g UhaDas iniciaes AL F. G
1 .. _. Iba mais prela do (iuc a cor natural no rosto do <\ .' .
11 1 Lu>,n ..-...<...,( uk.la LoiiimuiiK'ado- periodo w. Aviso de Q de
lado esquerdo e no uraco caqueulo urnas te-
de
pies ue co/inheiro
venda D. I9 ou annjpicie.
no atierro da Roa vista
Vendas
de
rii do c
H periodo
tras de angola tem as cosas muitos talbi-
nhos de navalia. ruaos pequeas e s groa-
sos porem mal fcitos intitularse crcuula .
levou \c lidode riscado ja desbotado e panno
loi comprada a Camilo de Le lis* da
das embarcacuens de
h xtenci vo.a os carros de conduzir pi- .na ra do cabug loja D. 4*
S27" Uma negra de nacao, da idade de 20
anuos ptima para todo o servico de urna ca- da cosa ,
sa como de camp ; na ra das tnnebeiras Fons-ca piloto de urna
;) )5 Jos RiJ piro de 1 nio
W Nove vareas boas cileiras mui gor- ra d. Gloria casa de n andar de grade de
das, eiaacoslumadas. pasiO e un lOUro jerrru e r.;,.U- no convenio a al.ar con- ,,
tudn,,,rnrecocom.odo; cmlo.a de portas Lcenli Co.c. 1 b ( e,:.;/,urlamal|ue que
arro do pilar casa de J j- Lminolatinbodeidadede .4 annus ^ Fugi e.n nbro de u.no nc-
claro, bonita figura ; e ptimo para pagem j gra levando-om s.go um moleque sen Idho.
'jiieni o [) de
I eono nacs se^jumles y necio ix jollo, de, iUXJFE JNA TYP, DE M. F. DE F..- 1
asii-
iXo
. A
r- 9. lea se-de f>J ; p- k
lilil is 1, i'nias leia-se ir 1 : r
linliaa a ijfial dispoai- t'
tao lea-V igual dis^usic.io ahi nicsmo |
ras es-lea-se 'i'uois. ol t pe iodo
segundo* 1 penltima quererb leanse ,
iiuerero periodo terceiro'. no lim i de ( ^
Julio leia-se de Agosto ; diief- leia-si^
di r
te supprir.
yu.Wilu
o mais o
Ull.ll Uit3Ct-
\
V.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECM27OT1H_I03KG9 INGEST_TIME 2013-03-29T18:41:46Z PACKAGE AA00011611_03981
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES