Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03980


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Annode1839. Segunda Peib.i
Tudo agora depende de vs meamos; da nossa prudencia, modera-
cao, e energa : continuemos como principiamos e seremos a pon lados
tova admiraco entre as Kaces mas cultas.
Proclamaco da Assemblca Geral do Braiil.
Z*Wiawi
------------------ i ni ni
Suhscreve-98 para esta folha a 3j?ooo por quartel pagos adianrados
tiesta Tyuografia, ra das Cruzcs D. 3-, e na I'rara da independencia
u. 07 e 38, onde se recebem correspondencias legal isadns, eannuucios,
in-irnido-se estes gratis, sendo dos proprios asignantes, e viudosassig-
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Paranib e Villas de sna pretendi. .............*"*)
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem. .................>Segundas Sextas Feiras.
Dita da Fortaleza e \ illas dem............... ..........i
"Villa Cidade di' Olinda ... ..#... ....... oaOB os ums.
Villa deS. Anlo................ ................Quintas feiras.
Dita de (Jaranhuns e Povoaco do Honilo.................... Das' lo, e i dcada mez.
Ditas do Cabo, Ser'mhaem. Rio Formozo, e Porto Cairo............dem i ll, i II dito dito.
Cidade das Alagoas, e Villade Macei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores............ .....................dem lo, dito dito.
Todos os Correios partem ao meto da.
30. de DszEMnno. Numero 383.
CAMBIOS.
'DeZIMBRO. a.).
Lorulrcs......o iii 33 por Ifooo ced. ^
LUkm....... So por o/o preiiio, por mciaiouerecidW
Franca.......i.ji reis por franco.
hio de Janeiro ao par.
DORO Moedas di 64oo r Velhai Soo a ifo
, Dita ,, Nova i4#ioo a i<# Ditas de 4#ooo r., 8>oo a 8#aoo
PRATA Pataces Braiileiros.......tjKSao a i|3 rVzosColumrrarios--------------#5o a l|54*
^ /Dito Mexicano*------------------ifioo a if jio
Premio das Letras, por mez 1 i>8 a 1 iji por loo
Moeda|de cobre 3 ajj por ioo.de disc.
Das da Semana.
-------Aud. do J. de D. da i. V. de manha'.
3o Segunda S. Sb:no B. 51.-----------
3i Terca------ Jf< S. Silvestre P.-------
i.de J. Quart. >X CircumcijAo do Snr. -
a Quinta-------S. Isidoro li. M. -
3 Sexta---------S. Aprigio B. ----- -
4 Sabbado-----8. Tito...........
5 Domingo S. Semo lislellita.------- .*
Alare chela para o da 30 de Dtzembn.
As (2 horas e 30 minutos da tarde -- A li horas e 5* minutos da manha.
----. RelacSo e Aud. da J. de D. da 3. rara de n*.
___Se, da Tli*. e aiirt. do J. de D. da i. V.
... Re. efcud.do J. je D. da 3. y.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 23.
Officio A o Inspector da Thezouraria c-
municando-Ibeem resposta ao scu officio desla
data, que a Presidencia approva as condieces
com que foro arrematados os rendimenlos
da laxadas Barreiras das Puntes da'Magdalena,
e dos Carvalhos conforme o termo que por
copia remelteu como dito officio.
Dilo Ao Prefeito da Comarca de Goian-
na para remeltercom a possivel brevidade a
Inspecco Geral das Obras Publicas a ma-
china do abrir fon tes Arte/.ianas existente cm
poder do Coronel Antonio Alves Viaiina co-
mo j lbe foi ordenado dando a razo de urna
tal demora.
Dito Ao Inspector Geral das obras Pu-
blicas paja remeter Secretaria com urgen-
cia um muppa demcnstralivo das obras arrema-
tidas cujas prestacoes devem ser pagas no
un'TinanccH-u 'do i. de Jullio de ib.jo a io
de Junho de 1841 -
Dilo Ao ( npilarh Tcnenle Joaquim Joze
cuoim carcumia e arruinara os barrisecu-
nbeles, em que era gr-ardada a dita polovra.
e cartuxame. mal este que podia sanar,empre-
gaudo-se algum antidoto contra o cupim que
por esta mancha se extinguirla com facili-
dade.
Dito Ao Inspector do Arsenal de Mari-
nba, requisitando-lbe um lanchao ou al-
varenga para transportar de bordo da Escu-
na de O erra Nictheroy para terra. duas pecas
de Arlilberia pertencentes ao parque, que
marcho para a Provincia das Alagoas, em
Novembro ultimo
Dito Ao Director interino do Arsenal
de Guerra, para fazer entrega ao Comtr.an-
dante do terceiro Balalbo de Arlilberia da
quanlia de >4Ucjn<) reis pertencentes no ajus-
lede conlas de faldamento do soldado Silvestre
deCaivalho Fcrreira, que lendo perlencido
outr'ora a Companbia de Artifices. fez pnssa-
gem ltimamente para o dilo-Balalbo. e ins-
tando pela remessa das rellacoes pedidas em
officio de 5 docorrrente.
Dito Ao Conimandanle interino do ter-
ceiro Balalbo de Arlilberia para receber
a quanlia mencionada no precedente officio ,
e fazer della entrega ao soldado Carvalho Ker-
I^nacio signilicando-llie em resposta ao seo reir, que actualmente se acbava destacado no
officio de 2a do corrente cm que d; parle das j Rio Grande do Sul.
FT
S
observaces que linha feilo sobre a marcha e
quulidades do Brigue Escuna Gara rapes du-
rante a curta vitgem de experiencia que Raer
no dia antecedente ; que a Presidencia vai le-
var o conleudo do dito officio Presenca do
Goveruo Imperial a im de que elle conheca ,
que a Armada Brazilcira conta mais tima Lim-
burcaco com os predicados que exigem os ha-
bis navegadores conforme se express no
mencionado oflicw ; e como j tenha ebegado
a esta Cidade o i. lenle Joaquim Joze de
Aftuiar a quem be destinado o Commando do
dilo l'rigue Escuna em virtude das Ordens
Imperiaes lbe determina que entregue o re-
ferido ommaudo ao mencionado i. Teen te ,
aproveilando a Presidencia a occasiao para
louvar-lhe o zelo aclhidade, e inlelli,",cncia,
que tem mostrado em todo o lempo em que lm
estacionado nesta Provincia senlindo a mes-
ma Presidencia que nao baja na Provincia urna
Embarcaco em que possao ser approveitados
os seos bons servicos
Portara Ao Primeiro Teen te da Armada
joanuim Joz de Aguiar Commandau'te No
meado para o lirigue Escuna Gararapes or-
denanuWIhe que pasre a tomar conta do refe-
rid Ceavinaiido que lbe ser entregue
pelo Capito Tenente Joaquim Joz Ignacio.
COMMANDO DA> ARMAS.
Expediente do dia 18 do corrate.
Officio Ao Exm. rresidente, requisi-
tando-lbe um calceta para o servico interno,
e.limpesa das prises da Fortaleza do Bruro,
por isso que um s que ali actualmente existia,
nao era bastante paraomesmo servico
Dilo Ao mesmo Exm. Snr. signifi-
cndo-lbe em resposta ao seu officio de 19 do
Xmrente, que na Fortaleza do Brum existio
Dilo Ao mesmo para mandar receber do
Comandante da Fscuna Nictheroy as duas
pecas de Arlilberia pertencentes ae Parque ,
solicitando transporte do Arsenal de Mari-
nha.
Lia tg.
Dilo Ao Auditor de Guerra rrspnnden-
do ao seo officio de 16 do corrente que acom-
panliot as justificaces, que peante elle
produsiro os soldados do terceiro Balalho de
Aililberia Albuquerque Lcenla e Lins
Valcasser e emilindo sua opinio acerca das
attribni oes do Auditor, do Conseibo de Di-
reccSo e do Commindanle das Armas, as
justificacoes, e reconheciment dos Cadetes.
Dito Ao Doutor Presidente da Junta de
Saudc para inspeccionar no dia 2o deste
mez o soldado da Companbia de Artfices, Jo-
s Joaquim do Nascimenlo-
Dilo Ao Director intirino do Arsenal de
Guerra, communicando-lhe o exposto no
precedente officio e ordenando-lbe que ao
Presidente da Junta de Saude mandasse no
dia 5o deste mez a presentar o soldado Nasci-
mento.
Dilo Ao Commandante intirino do ter-
ceiro Balalho de Arlilberia remeltendo-lhe
a relaco das Pracasdrr ItairdliSn dn wn Com-
mando, que desertaro da Provincia das Ala-
goas onde se achavao em servico. assim como
as partes acuzatorias de cinco dellas para se
lhes formar, ns competentes Conselbos de Di-
ciplina.
Dito Ao mesmo communicando-lhe, qne
falescera as Alagoas o soldado Pedro de Al-
cantara c que ciu seos asscnlos fizesse a,com-
petente verba em vista da nota que lbe en-
viava.
Portara Ao Commandante intirino do
terceiro Balalbo de Arlilberia, mandando d'
LV
dous payes, sendo um do deposilo da plvora : orJcn do Exm. Sr. Presidente, commfnicada
dos particulares, o qual se nclia fin bom estado, em officio de 18 do corrente dar demicao ao
e oulio do deposito da plvora Nacional que soldado Marlinho Gomes Maciel por uno cs-
slava cm concert ; que no Eorle do Buraco lar as circunstancias de servir na prmeira
ha\ia um payol onde era guardada a plvora Linha.
c cartuxame do Arsenal de Guerra, o qual Dila^Ao mesmo, mandando na mesma
ttndo sido soalhado e relelhado de novo.em conformidade dar baixa ao soldado Antonio
6\)7, eslava em bom estado, se bem que o J Joaquim de Santa Anna porserfilbo uni-
co de Viuva e estar por isso izempto do re-
crutamento.
Dia o,
Officio Ao Inspector da Tbesouraria ,
commanicando-lbe que o Director intirino
do Arsenal de Guerra lbe faria entrega da
quantiade )5U5i7 reis pertencenteao segun-
do Sargento Joo Xavier Correia da Silva,
e Soldado Ignacio de Souza, ambos falescidos,
afim de ser conservado no cofre Nacional, visto
que al o presente os herdeiros das ditas pra-
cas nao a tinho solicitado', e bem assim que
ao Commandante intirino do terceiro HatalbSo
de Artillera se havia ordenado o descont
daquellas pracas que tendo pertencido a C3-
panltia d'Arlifices e eslavo devendo ao di-
to terceiro Ratalb fardamentos que adianta-
dos recehero reverlero ltimamente para
o dito Balalbo.
Dito Ao Director intirino do Arsenal de
Guerra, para fazer recolher o Tbesouraria a
quanlia de i5U5 j reis que exista em sen po-
poder pertencente aos falecidos segundo sar-
gento Correia da Silva, e Soldado Souza .
cando desla -sorte desonerado de tal qua-"
lia.
Dilo Ao Inspector da Tbesouraria, c-
munirando-Jbe que o Tenente Coronel Tra-
jano Cesar Burlamaque, e Alferes Barros
Falco e Maranbo, re^ressaro da Hro-
vincia das Alagoas plgos dos seos vencimen-
tos al o ultimo de Janeiro vindouro
; Dito Ao Commandante interino do ter-
ceiro liatalbto d Arlilberia, commnnicaudo-
lbe o ex posto 110 precedente officio. '
Dilo Ao mesmo, disendo-Ihe qtio es-
lando doente o Alferes Maranbo-addido ao
llalalbo do seo Commando, lbe bavia con-
cedido liceoca para se tr.iclar fora da Cidade,
a fin de gozar dos ares do campo que lhe a
conseiba vo os Facultativos.
loriara Ao Major Commandante do De-
posito mandando dar demisso ao recrula
Joaquim Jos Vieira acceitando com pra-
Ca etn seo lugar ao Paizano Manoel Joaquim
de Santa Anna por elle offerecido.
Dla Ao Commandante intirino do ter-
ceiro latalho d'Arlilbera mandando em
comprimento da Le dar demicao ao Soldado
Jos Joaquim de Santa Anna por ter acaba-
do o tempo de servico a que era obrigatlo co-
mo recrulado, sem nota que lhe fosse disfa-
VL>ravel.
Diversas Reparicoens.
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
0 Brigue Escuna Dinamarqttez Experi-
ment, vindo de ilamburgo entrado em a3
do corrente Capito A M. Cbristopbersen ,
consignado a A Scbramm.
Manifestou o segulnte.
1 Barrica com rame de cobre 7 caixas
com espingardas 1 dita com cameiras 101
fardos com cordas itcaixas comearlas de
jogar a ditas com couros de jusiro ditas
com miudezas '5 dita- com utensilios pa-
ra chapeo, t ditas com papel 4 bar-
ricas com sag toditas com alvaide, 4 di-^
tas com bixas 6 ditas com drogas i ca xas
com ditas a barricas com familia 3 caixas
com charutos 1 dita com fitas 8 ditas com
faseudas 4 ditas com agoa de Colomni.i 1
dita com amostras, 2 ditas com piauuos, 5o
barricas com ervilbas 1*] latas com bolax/s
nba 180 barricas com ginebra 438 dita-*
com polaca 5 fardos com saceos, aoo
saccas com Carelios n5 garrafes vasios 1
fardo com linho 1 dito com cha e assucar ,
11 caixas com vinho 1 dita cora agoa mine-
ral 1 dita com oleados 5 ditas com pellu-
cia 1 fardo com fasendas 1 caixa com ba-
nheiro, 1 dita com conserva % barricas conl
dita, 1 caixa conl livros, 1 pacote com bolaxi-
nha ao caixas com queijos, 1 gigo com con-
servas 2 caixas com caivetes toditas cota
agulhas 1 dita com fasendas para colxo.
Fora do Manifest.
48 Ggoscom batatas 4 barricas com bi-
xas 36 botijas com agoa mineral.
A Pauta he a mesma do numero atS!
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do n. a8i
PREFEITURA.
AfcTE DO DIA l3.'
Illm. e Exm. Snr. Das partes hoj pof
mim recebidas consta que foro presos hon-
tem niinba ordem os individuos segint's,
os quaes tivero boje destino : oo Antonio
da Silva, branco e Antonio preto escra-
vo de Joze Cordeiro Leite pelo Sub-Prefei*
feito de Santo Antonio este por eslar fgido,
e aquel le por se faser suspeito de ser desertor
de Marinha ; Joaquim Macario pardo por
um soldado de Polici. por estar espancandot
um preto e Joze Luiz da Silva, semi-bran-
co, pelo Sttb-Prefeito de .ahoato por sef.de-
sertor ; e Antonio Felippe, crioulo, pela
Sub-Prefeito de Tegicupapo por ter briga-
do na noite do dia ao do corrente mez na Po-
voaco de Ponta de Pedras com o pardo Ma-
noel Francisco em o qual deo ma facada t
de qtte meia hora depois expirou, saindo tara
bem ferido com duas estocadas de' que se
procedeo nos termos da Lei: e finalmente ,
que de bontem para boje foro arrombadas
as portas armarios, e cvelas da Alfandegaj
das Fazendas a qual deixou de ser roubada 1
por nao tercm conseguido os ladroes abrir unli
cofre, onde existia algum dinheiro tendo
se de tudo procedido igualmente nos compe-j
lentes termos.
Dia a4>
Illm. Exm. Snr. -
partea uuje receidas
Consta
somente das
, que foro preso hon-
tem a minha ordem 5 Manoel Martins bran-
co pelo Sub-Prefeito de S. Antonio, por
contravenco das Posturas ,' e Luiz preto ?
escravo do Doutor Mena pelo Sub-Prefeito
de Olinda por estar fgido cujos presos tive-
rao boje destino*
Dia a5
Illm. e Exm. Sr. Das partes boje recebi-
das nesta Secretaria consta nao ter occorrido
novidade alguma.
Dia q6
Illm e Exm. Sr. Foro bontem presos a
minha ordem Bernardo de Sena, creoulo, An-4
tonio Ta vares Cordeiro branco e Jos Braz
de Oliveira ntrdo Manoel Jos parti
escuro Francisco Pereira Borges Joaquim
Ribeirode Mendonca brancos o primeiro
pelo SecrelJ rio do Col pode Polica por estar
ebrio e espantando a mulher o segundo e 3
pela segunda patrulho. du atierro da Jioa vis*
_AR ENCONTRADO


DIARIO DE
P E R N A M V CO
r os encontrar lutando um com o eutr,*o
c pelo Sub-h releilo do poco da panella por
de m conducta, e dado a furto de cvalos,
quinto pelo"Sub-Preleilo desla freguezia de
S. Antonio por ser musitado de negocio de
cravos furtados e o sexto pelo mesmo Sub-
refeito por ser encontrado eni compaas
do dito Francisco Pereira Borges e se fa/er
tuspeito. Foro lainlieni presos pelo Sub-
Prefeito da freguesia dos allegados os par-
dos escuras Vicente Ferreira e Antonio M-
ximo por sercm encontrados com tres cvalos
e a vencierem um sem darcm pravas de os
pussuirem em boa f. Todos os presos lve-
' rao os com pelen tes deslinos, sem mais occorrer
Inovidddes.
Diaa7
Illm. e Fxm. Snr. Rasparles boje rece-
l bidas consta to somcnle (cr sido preso a mi-
Iuha ordem pelo Sub-Prcfeto da freguesia da
Muribeea, I/.idoro Francisco Lopes crcoulo,
por ser encontrado roubando um balni em
urna casa. Nao tem octorrido mais novdade.
Dia 38.
Illm. Kxm. Sor.--Forao presos bontem
iiinba ordem : Estevo e Antonio prelos ,
e escrawos, este de Pedro (avaleant, e aquel-
le de D. Mara pela a. palrulba de Fora
de Portas por suspeita de estarcm fgidos ;
G11 Inerme Joze de Oliveira e Gregorio da
(Silva brancos e ^ anoel Joze dos Saitos ,
preto, pelo Sub-Prefeilo de S. Antonio : o
?
i.,
e a. por eslarem as circunstancias de
prestar servico na Marinha ; eo ultimo para
urna averiguaco 5 Joaquim prelo escravo
de Antonio Gomes pelo Sub-i refeito da
lBoa-vista por desorden)} e Loureneo, tambem
preto escravo de Nobcrto de tal pelai.*Pa-
trulha da mesma Freguezia por ser encontrado
tarde da noile -, e.suppol-o fgido.
Dia
a9
Illm. Kxm. Snr.Forao presos bontem
nimba ordem e tivero boje destino os indi-
viduos seguinlcs: Joaquim Joze Florencio V-
eira e Uamianna d.-is norcs, prelos, por
|um Soldado de Polica, por bi iga; Joo ,
jAntonio, e !\Qfria tambem pelos escra-
IJtos : o 1 de Slanoel Fcrnandes pelo ( o-
nissario de Pclieia da Boa-vista por estar a
'dormir na porla de urna luja e suppol-o fu-
tido o /. de Manuel Antonio de Jess ,
lo Sub-I'refeito de S. Amonio requezi-
o de seu Snr 5 e a ultima de Joze Mara ,
la Guarda do Manguiiho por estar fgida.
nihcaco da Senlenra que a seu favor al-
ancou Marcelino da Foiiceca e Silva da
Denuncia que contra elle dera Jos Anto-
nio de Mcdnonca.
Conformando-me com a decsTo do Jury,
olvo o denunciado Marcelino da Foneeca
'Silva e mando que o Escrivao d baixa
culpa do mesmo e pague a Municpali-
Jlade as rustas
Recile, Sala das sessoes dos Jurados Tinte
tres de Novembro de 18J9, Francisco
)o Carne i ro da Cimba.
NOTICIAS PROVINCIA ES.
MARANIIAO'.
As folbas que recebemos do Maranbo da-
lo al 8 docorrente, c del las se col I ige, que
" negocios daquella desgracada Provincia a-
Ja continuas na mesma alternativa ; pois
tura lade apparorem motivos de conlcnla-
ilo de oulro os males oflerecem permit-
>-se-nos a cxpresso, um carcter epidcnii-
o; e tanto mais nos firmamos nesta opinio,
Iquanto lemos um oflicio do F.xm. Presidente
rcm data de 19 de Novcmbro, dirigido a o
inspector d'Alfandega em nienda iodo o cuidado em acautellar as crimi-
nosas remesaos de munees de guerra pro-
edendo-se a o mais rigoroso exame as ca-
noas botes, gabarras, sumacas, e Escu-
llas, e em geral com as Embarca oes que
letguem para o interior. Este escandaloso Ira-
Uno se taz com tanto alrevinieuto, que a Cbro-
fciica indigita a alguns dnsses negociantes do
mangue e vida dos Brazileiros.
Sedernios tambem crdito Chronica co-
fir.o estamos disposlos a l'a/er atientas as pro- I
ras por ella apprcsenladas e que se confor- i
ma com noticias particulares, que bavemos]
recebido, a administrarlo daquellcs nega
nao marcha com milita lisura da parle de cer-
tos em pregados ; e os Ceos queira, que a-
quelles negocios se nao ten ha 6 mudado em es-
peculaces merrantis.
Mas seja o que for, o certo que Caxas! noel Felisardo de Souza e Mello Presidente
anda esta entregue ; descripeo dos malvados da Provincia Francisco Sergio d Oliveira ,
salteadores e as poucas familias abandonadas, ITenenle Coronel Cormandante das Forcas
por nao poderem retirar-se a os livres e| Expedicionarias.
continuados incursos daquelles inmorigera-
dos vndalos nenhum auxilio havia lido.
como prava urna representaco assignada por
cento e o tenia pessoas entre Brazileiros, e
Eslrangcros eemdala de 95 de Novembro
pp na qual se pede a o Exm Presidente as
providencias para Caxias, entregue a tanto
desamparo
As armas da legalidade por oulro lado ,
haviaQ alcancado duas victorias na Vargem
grande, e na Boa-vista com forcas mu i in-
feriores sdoinimigo, COJO resultado tinha
alentado a os nimos dos habitantes da Capi-
tal, aIgum tanto consternados Pelas parte-
cipa .oes ohciaes anaixo transcripias conhece-
ro os nossos Leitorcs os pormenores deslas
duas accoes to importanles por estar ali re-
unida a maior for a dos rebeldes.
Porem apezar dessas victorias e do ultimo
destroc do Munim pelas quaes a rebelda
vae declinando e a Legalidade adquirindo
for a com tudo a perda de Caxias e Brejo ,
adminuico da (bita da Legalidade os co-
fres exhaustos a intriga, e a gublevaco dos
escravos em algumas fazendas tudo faz, com
que vacilemos no inteiro festabeleciasento da-
quella cidade.
PABA'.
Pesia Provincia recebemos a Folba Com-
mercial al lo de Novembro pp. que pelo
seu ohjeeto nos nao d; noticias polticas ;
mas consta-nos quenada de nolavel ali lem
apparecido. ,
CEAfiA'.
Illm. Exm. Sur. -- F.m 0!Ticode hoje
communiqucia V. Ex. o resultado do ataque
da Vargem Grande no dia 16 do corrente e
supondo os rebeldes na Boa-vista mande!
que o Major JozeThomaz Henriques Com-
mandante da 2. a I ligada os fosse ali atacar
e esteaprcssou-se a transmitir-me o resultado
do dia 19. Tresenlas e cincoenta praeas e
urna peca de arlilberia sob Commando do
mesmo Major acometero o inimigo fortifi-
cado na margem do Ignara com guerrilhas
peios matos, edepoisde o ter flanqueado,
rom peo o fogo com viva resistencia da parle
dos rebeldes quedurou hora e meia A Arti-
lheria depois be 8 tiros ficou inulilisada por
se Ihe ter quebrado a flexa ao pe do carnequim.
A linha da es pierda atravessando o rio f-los
ahandonar as trinebeiras e debandar e parti-
das seguiro em sua perseguicao Os rebel-
des deixaro no Campo sete morios e tivero
muitos feridos. pelo que seavalia dos vestigios
de san.tue que deixaro ; e ficro em nosso
poder dois bacamartes huma caixa de guer-
ra e vveres e o rebelde omualdo 'erre'-
ra. O nosso preiuso consta de 1 Soldado da
1. Companhia do >. Batalho morto ; 1
Soldado de Arlilberia ferido gravemente j e 4
do 1 Batalho com ferinentos leres.
* o referindo ainda o mesmo Maior os no-
mes dos Oliciaes que tivero occasio de se
destinguir com oportunidade levaret os seus
servil os ao conhecmenlo de V. Ex asseve-
ver a Lavoura c o Com'merco animando os
Negociantes desla Cidade a mandarem para ali
os gneros do seu Comercio lornando-seassim
ali a eslabelecer as mu abundas forjas da In-
dustria em soccorro de todos os ramos que for-
mo a riquesa da Sociedade. Os mesmos com-
batenies legalistas dispersos 011 no poder dos
inimigo? principalmente de tropa de primeira
linbadequem sempre elle loi eslimado virao
todos reunir-se a seu corpo e todos os mais qu
elle for angariando melitarfo debaixo de seu
commando com mais fidelidade valor
trenca. Eis pois a Suplica Exm. Snr. que
os Supplicantes levo preenca de V. Exc
tam digna de concesso como necessaria para o
bem e salvado da Provincia por tanto
P, a V Exc. se digne outor-
gar aos Supplicantes o qu
icquerem com justica.
E. B. Merc. -
Diario de Pernambuco.
rando-lbe no entanto que as nossas Tropas ,
Desla Provincia recebemos lolbas al 11 do como sempre. porlKrSo-se com valenta e
corrente > e deltas nada de novo se le ; dois o denodo contra huma (orea de oilocentos rebel-
Correio contina a onalvzar todas as acedes do des. Apresenlou-se em a Vargem Grande,
actual Presidente ainda as de nenhtima re- Valerio Joze d Oliveira ( Irmo do Izidro ; em
laco com a cau/.a publica e o Deseseis de quem falle! a V. Ex em Oflicio de 1 \ docor-
Dezcmbro a apprezenlar as (elicilaces diri- rente tendo para isso concorrido huma carta ,
gidas ao dito Exm. Presidente por difidentes (juca elle derigio Manoe-I Rodrigues Ferreira
Corporaces civil, e militares por ter adia- : Coque Com o dito Va'
doasSesses da Assembla Legislativa Pro-
vincial.
Illm. Exm. Snr. Tenho a satisfaco de
communicar a V. Ex que est levantado o
/aleo se apresenlarao
Cherobino Correiade Araujo e lium soldado
de Ligeiros Francisco Antonio Ferreira. (1)
Diz o mesmo Valerio que espera bagagem c
eo.Ti ella mais alguns que veno apresentar-se.
Dos Guarde a V Ex Ojiartcl do Com-
mando em Cbefe das forcas Expedicionarias
cerco da Vargem Grande desde ir do cor- no Acampamento do Ilapueuiii-mirim 90 de
ente e posto que o inimigo se embrenhasse, Novembro de 18^9 Illm. e Exm Sr Ma-
vai sendo procurado para ser batido eni Boa-
noel Felsardo de Souza c Vello Presidente
vista, aonde se presume estar. Referindo- me :s partidpaces officioes do Major Joz 'Pnente Coronel Commandante das Forcas
Thomaz Henriques (.'ommandante da 1. a
Brigada e do Capilo Ernesto Emiliano de
Medeiros Commandante do Batalho
Expedicionario tenho a honra de levar ao co-
nhecimenlo de V. Ex. a relaco dos suceessos
d'acco e dos movimenlos das 'Propas. As
Expedicionarias.
1U.PRESENTACAO'.
Illm e Exm. Sr. Representa a V. E\.
os Negociantes desta Praca e da de Caxias
6 horas da manh do referido dia i(i foro juntamente os Lavradores que aquella des-
atacadas as trinebeiras qne os rebeldes linho l rocada cidade era e precisa eontinnar a aero
construido na retaguarda daquelle acampa- j foco de lodo o Commercio desta Provincia e
ment e tendo mais corlado as comn.unica- da do Piauhy para onde daquelles centros
roes no lugar Olho (TA;oa junto ;i Pan lira concorrem ;rande numero de habitantes a
eompri de generas idos desla cidade do Mara-
nbo com a entrada dos gados daquelle certo
e culto de sua lavoura. Esta (o rica como a-
gora deplora.el cidade por muitos accidentes
causados por motivos impievi-tos ticou depois
de ser tomada pelos revoltosos salteadores le-
dusida ; campo de morios e de ruinas.
Asim mesmo ueste misero estado foi reto-
rnada por um grupo de seu habitantes ; mas
omente para a sua maior desgraca : pois que
tornando um corpo daquelles salteadores se a-
poderara oul^a vez della acabando de com-
pletar com nova morlandade e estrago o ex-
tremo de sua ruina. Ali nao existem de seus
habitantes seno familias abandonadas na ul-
tima indigencia que por essa mesma rasao nao
podem de l ielirar-se ; exposlas por lano aos
livres e continuados incursos daquelles inmo-
rigerados bandoleiros que de qnando em
uando torno vir esquadrinhar aquelle9 iso
icduzindo as nossas forcas a sentirem faltado
viveres 5 atacados nejscs pontos cessou o logo
;s oilo e meh horas dessa manh, com a fuga
dos rebeldes deixando as suas trinebeiras de
paus e pedras tintas lie sangoe as quaes
foro demolidas ; ; morios alguma carne ,
e farinha |>olvora chapeos redes vare-
las quebradas, bum eavallo, e a garrafoes
varios -Na fuga os rebeldes sol'rero ainda Irez
tiros de arlilberia que seguramente os preju-
dicou bastante.Noalaipie do dia 16 (vemos
1 Cabo do a. l'alalho e hum Soldado dos
paisanos feridos gravemente dois Soldados
do 1. Batalho e oulro do a. levemen-
te. Apiesenlou-sp o Soldado da 1. Compa-
nhia de Ligeiros Casimiro Pinto de Almeida ,
que tinha iicado lerido e presione!ro na Cba-
padinba ntreos rebeldes, trasendo arma-
mentoe e municSes ; diz que os re>elesou-
saro siliar a Vargem Grande, por avisos
que recehero dessa C apila! e mesmo deste
acampamento de que alen de sereno diminu-
tas as nossas forcas esto muito devididas, e
pelo que rendida que fosse a \ argem Grande,
este acampamento, teria igual soi le, que o
numero dos rebeldes armados e influidos e dis
postos nionlo a oito centos que era
concelh^lcliberaio assasinai lodos os Olici-
aes e quinos anteriores liroteios do da 16
tivero n morios cabidos no < ampo e nais
quatro dos so que linho sido feridos JNo
se linha ainda apresentado o chele rebeldl
\ aleo Joze d Oliveira.
Dos Guarde a V. Ex. Quarlel do Com-
mando em Chele das Ferias Expedicionarias
no acampamento do Ilaniicur-mirim so de
Novembro de tbjg. -Illm e Exm. nr, Ma- drigues Nina !
1
lados lares para o roubo matanca e tudo
niianto sua malvadez Ibes suggere. Apezar
porem de tanto desamparo ainda lhe resta um
ocorro, q' prestado com s precisas providen-
cias chamar seus sandosos carminados mo-
radores ;i inni abracar seus lares e proverem
sobre as tristes reliquias das sua9 exubias. O
Major Feliciano Hntonio I alelo um dos mili-
laies mais benemritos e de toda a confian a
ainda olhado rom respeilo e temor por todos
aquelles bandoleiros e sendo mandado- para
ali com o seu corpo de I olicia chamar.'! logo
pela l que lem ni lie lodos ou a maior paite
d aquelles moradores e tomar a faacr rtvi-
(*) Sse nao aprsenla o snr. Manoel Bo-
l ola do Redactor,
lisia finalizado o dcimo oitavo auno da In-
dependencia do Brazil sem que se realizem
as nossas esperancas vendo reunido todo O
Imperio da Santa Cruz sombra d'um gover-
110 constitucional. O I ara ameacado pelos
ambiciosos soldados do Rei dos Franceses e
elle mesmo ainda gemendo pelas profundas
chagas, que com mo patricida lhe abri-
rao fillios revoltosos e ingratos ; Maranbo
ainda a bracos com a mais eucarnicida e as-
soladora anarqua ; o Cear e a Paraiba em
lula com os seus Presidentes sem que os maos
resultados de taes questes emoulras Provin-
cias Ibes aconsclhe a moderaco e o sofri-
mento ; o Rio grande a tanto supporlando u-
ma guerra consumidora de tantas vidas e de
tantodinheiro ; as oulras Provincias, ou ci-
catrizando as feridas reoebidas em iguaes lu-
t.is ou oceupadas em auxiliar as dissidentes ;
o genio do mal em fim activo e pressurosd
ha Cejando sobre a Ierra da Santa Cruz cardu-
mes de males nefandos, e irreparaveis. Que
triste a condico do escriptor quando leiit
de delinear a os olbos de seus leitores to es-^
curo, e menencorio quadro, em que a tinta
sangue, o tronsiimplo a perturbafo da or-
dem e as vicliiDas sao os nossos amigos, pa-
tricios e patentes !
E' por esta situago melindrosa do nosso es-
lado poltico, que d'enlre nos fugio aquella
festiva alegra que reinava por estes lempos
as deliciosas margens do nosso Capibaribe ;
os melodiosos instrumentos que em lempos
venturosos acompanhavao as mais afagueiras
cantatas, ou eslo pendurados das manguei-
ras ouser\em to smente para o ucompa-
nhamenlo de funehies e lamenlaveis nenias.
Se alguma forjada convivencia 6e encontra por
esses campos sao antes passalempos d urna mo-
notonia fastidiosa que os divinos e'.eilos d'u-
ma felicidade permanente ; ()ois os I ernam-
bucanos. senlem como proprios os males
de todos os Brazileiros
E a quem se nao .'i urna desmensurada am-
bico e una crassa ignorancia (fallando do
Brazil em geral) somos ns devedores de to
irreparaveis males ? Sao estas duas infernaes
divindades. a quem a mor parle dos Brazilei-
ros offerecem os mais impuros sacrificios; em
cujas aras corre em roios o sangue de seus mes-
mos compatriotas ; os bens a honra o des-
canco, a vida mesmo do infeliz povo do Bra-
zil sao as suas mais meritorias ollerendas
Quo engaadas fora5 as nossas esperancas.'
Quo de pressa se murcharrfG as nossas ale-
gras Podemos acertadamente applicar ao
nosso estado o que disse o Fabulista Latino -
In principalu imitando uil populi mutant,
pioeler nomen domini E na realidade. i|ue
temos visto nos, depois de nossa feliz inde-
pendencia se nao mudanea no nome d>s que
nos governao? O 1" Imperador do Brazil,m
que. apezar de seos erras, foi o Santelmo de
nossa emancipa.o poltica vio-S desacre-
dilado em seu governo ; (como Elle ; nao ex-
isle podemos (aliar com liberdade; propala-"
rao-se contra elle as mais inauditas falsidades ;
algumas imprentas do Brazil gemera com o <
pezo das mais nojentas indecencias ; e a tribu-
na a tribuna que o sustentculo da liber-
dade quando orad os Ciceros e os CateS ,
foi urna lorie mnralha d 01.de se deslecbarao-
rontra Pedro as nais agucadaS setas ; da'li
se II. e fe/ a mais 11 nenia gnona: dali se I lie-
dii igirao os mais violentos ataques ; desmuro-'
liou-se ras maos do r I) I edro 11 lo'ao pela l.eir
escolhidas 1 ai a sustentar o enorme pezo dosla
maquina poltica que teria feilo vergar os
hombros do mais valoroso Atlas. Em vez
d um imperador apparecera Irez j e esse da
MELHOR EXEMPL


*P^
fT
ww
DIARIO DE NBNAMBDCO
.-
_

7 d'Abril principiou a ser desacreditado por
aquelles mesmos que hnvia feito n guerra a
Pedro I. Quando todo o Iiraz.il, quan-
do todas as naces que o conhecem espera-
ran ver a nao do estado fluctuando em mar de
rozas, quando (assim o pensava os ento
indiciados por inimigos da liberdade) o vento
lhe travesa*, os mares nos tnda lio cruza-
dos e soberbos que ainda se nao encontrou
um bom piloto que podesse guial-a ao porto
seguro da saivaco.
O peno, q ur com o acto da abdicacao,
scousideru feliz por ver exercido o maior
acto de sua soberana jar. devidido pizado
pela prepotencia d'alguns mandoes ferido ,
morto ; os seus bens tem girado de mao em
mo de modo que podem os Brazileiros di-
zer Como os Mantunr Kn queis conse-
vimus agros As capacidades polticas sao
capacidades de momentos ; os Ministerios se
succedem sem interrupeo e, se algum se
demora mais para ouvir na Cmara electi-
va as mais infames arguites e as descompos-
turas nada propinas de sabios representantes
d urna naci livre. Ah Como todos os ele-
mentos nos sao contrarios A mesma Assem-
bl? Geral em quc;-.i ha vemos posto parle de
nossas esperancas; pois s leis boas, e execu-
tadas nos podem fazer surgir do meio das des-
gracias que nos cerdo essa mesma Assem-
bla gasta o lempo em futeis discusses e
mesmo em ataques positivos. Urna das prin-
cipaes notal.elidades da Cmara electiva, que,
pelos seus conbecimentos pouco vulgares
por suas cans e pelos seus servicos em ou-
tro lempo prestados ; independencia do Bra-
sil de vera fazer causa commum com a parte
s da Cmara a que pertence o mesmo ,
que se tem celebriz.ado com ditos e com apar-
ts que movem estrondosas risadas, tornan-
do-se o sagrado recinto da casa em urna pla-
tea e as questes que se devem tratar com
serio e com diguidade propria da materia ,
e do lugar em pecas de meio carcter e
graciosos entremezes. Na sessao de a \ de Se-
tembro seja-nes permittido usar da expresso
do vulgo, surdio de valenle e desahou a o
Sf. Rocha (ialvo para brigarem na ra. Nos
vamos appresentar as suas mesmas palavras
Eu chamo o nobre deputado : ordem : lora
desta casa o nobre deputado e ninguem liria
a ousadia de me attribuir falla de verdade e
de boa alias arrepender-se-ia', Eu o
desafio que o laca .
Quem nao sabe, que tempo gastn a op-
posicao em csmerilliaro procedimentodo Mi-
nisterio de Setemhro menos por dezejo de
estremar ajastica da injuslica que pelo de
aviUal-o aos ollios do publico? Quem ignora
quanto lempo se perdeo com as injustas aecu-
saees, illegalmenle feitas contra o General
Andreas ? vas, que vergonha para a opposi-
co f.' no meio de lodos esses vituperios
e afrontas que o hornera, que nao liona pa-
tria era religiao nomeado para esmagar
a rebelda em Santa Calharina ; o o mais ,
que se nao falsearlo as esperanzas daquelles
que oellegero.
Pasma que assim se proceda quando de
toda a parte por onde volvemos osolhos, se
vira abismos, e precipicios, que nos fizem
verter cores no semblantes Ura dficit enor-
me, o meio circulante sem melhoramento o
Brazil ameacado d'uma banca-rota as leis
repressivas necesitando de melhoramentos, os
dadlos clamando por leis gi-ranlidoras de
sua seguranca individual, em lira o lirazil
sem ordem sem paz sem unio, sem inte-
gridade
Mas basla de enlutar as paginas de nosso
jornal, cora factos que existem vivos na lem-
branca de lodos os Brazileiros e que (mao
grado nosso) somos obrigados a redizer como
escriplores e escriptores que nos afanamos
pela felieidade gcral do lirazil todo ; pois se nos
cpntenlasseinos tanisomente rom o bem estar
desla Prcincia, e nao conbecessemos que
Lioilos us Pernaffibucancs e&5o Saci por
Sver o Brazil gozando dos prazercl, cujos go-
teos nos planlou a independencia nos s
cuidaramos boje o Le iteres em dezejar-vos
i continuadlo da paz que internamente go-
zamos, devida ao recto governo do Illm. e
Exm. >nr Presidenle, e ao bom senso, com
que nesles lempos d'uma combuslo quase
gcral, tanto se teiu dcslinguido esta Provin-
tia.
Variedades.
Fragata Vapor de guerra Ingleza.
Ha poucos dias que se lantou agua em
Londres lium novo barco de vapor chamado
Cyclope que ser o maior desla classe ar-
lliado cm guerra de quanlos existem boje uo
mundo. Tem duzentos e vinte psdecom-
prido, e trinta e oilo de largo e vinte e hum
de fundo : o seu lote he de i too toneladas ,
das quaes earregar joo de combustiveis pra a
maquina que sero sufEcentes para seu con-
sumo durante lJo dias A sua tripulaco
constar de alo liomens .v huns so engenhei-
ros e mocos para a maquina e hum destaca-
mento de marinha ; o seu armamento constar
de 8 pecas de 48 e a de p4 ; aballa destes
ltimos tem dez polegadas de dimetro e to-
das estas pecas giro por meio de hum rodizio.
Este magnifico barco tem debaixo da batera
espaco suficiente para transportar com toda a
commodidade hum balalho de loo pracas com
os seus officiaes. A forca da sua maquina he
de 3ao cavallos. Aprzenta alem disto a no-
vidade *ue he navio de vell* *s ds vapor ao
mesmo tempo, para cujo efeito vai receber
vcllame como se fosse huma goleta Calcu-
la-se que seis destes podem fazer frente, e
mesmo baler-se com vantagem contra dezoito
naos de linha.
Avizo aos navegantes. A descoberta das
ilhas d'Auroza que foi feita pela segunda
vez pela expedidlo de explorado partida de
New York, excita o mais vivo interesse e pa-
rece verdaderamente incrivel que seis ilhas
situadas na longitude do Rio de aneiro, e
por 5 4 ai" de lalitude tenhao podido ficar
desconhecidas al ao prezente quando tantos
navios ten bao expressamente cruzado naquel-
tas paragens para as reconhecer Estas ilhas
linho a primeira vez sido descuherlas em
1769 ; deoois desla poca se linha passado em
vio mezes inteiros ^m procura-las e se tnba
a final chegado a riscailas do mappa Commo-
dore Sollivaw expedio hum navo d estado as
ilhas Falland para dalli se passar as ilhas da
Auroza logo que a estado permitisse. Em
futuro os navegantes nao sero mais expostos
a naufragio sem ronhecer o em prego que cor-
real no sitio em que tanta gente tem munido.
Lucta de homens contra peixes. Escre-
veu de Ivica a 1 a de Junho que pelas 4 llo-
ras do dia antecedente huma pequea embar-
cado que dalli sahio para Barcelona e es-
tando diante de Aranhi Grande a hum quarto
distante do dito porto encontrou hum gran-
de cardume de peixes cujo nome se ignora ,
e se parece com os deliins, porem muito maio-
res aos quaes a tripulaco fez fogo d espin-
garda e continuou a sua viagem, mas aquel-
es peixes to disformes de tamanbo de a5 a
3o palmos de comp ido com a grossura de
pipa e meia e de mais de 5o a (o arrobas de
llespanh.i cortamente se engaarlo em' sua
d recelo e entrarlo no porto com hum ruido
es pan tozo, e chamarlo a atiendo dos mari-
nheiros e outros sugeitos da Cidade. Logo se
armarlo humas cincuentas lanchas oceupadas
por 4o a foo liomens com toda a especie de
armas e sabiro a persegui-los e dentro em
poucos minutos dero com elles e come arlo
a lidar por hum modo pouco commum e com
grande enthuziasmo. Dentro em hora e meia
o porto a pezar da sua extencao eslava tinto e
sangue e sem olharem a perigos pelejavo os
homens com aquellas feras vista de mais de S
a 4 mil pessoas por hum modo admiravel e
di,;no de se publicar : o rezultado foi apanha
rem mais de 40 peixes, e a nao sobrevir a nou-
te mais leiao apandado. Calenla-se |aese
gauharlo de 3o a 40 m' reales no producto
do azeile.
Estaslica da marinha de guerra dos Esta-
dos-Unidos. A repblica da Unio Ameri-
cana contra 1 nus que tomo os seus no-
mes dos dilerenles estados que compoem a
Unio 5 17 fragatas cujos nomes sao os dos
dinVentes rios, que regao aquelle paiz; i5
Corvetas, e i3 embarcacoens menores A Pen-
svlvania tem ivo pecas de3i, e pode leva?
10 a sua anchora maior peza li c6o arra-
lis trm J6d tunrlladas c quando toda a
sua Artilheria faz logo, pezo i8o arralis
as bailas de huma s descarga H na mari-
nha Americana mu i tos marinheiros Inglezes
emra/odeque lhespago melhor do queem
nenhuma outra Naco e he couza singular ,
que apezar d'estas altas soldadas nenhum
Nano leva Iretes tao baratos como a mari-
nha Mercante d aquelle Paiz pois como seus
barcos sao mu veleiros fazem trez viageus
em quanto os das outras Naces fazem duas ,
e economizo muito com esta cclei'idade.
Consumo de Opio na China. Parece in -
crivel que os Chinas consumi tanto opio co-
mo o que para ali se manda Segundo mul-
l do rezumo do Commercio d'aqelle Imperio
com os inglezes e com os Americanos do
Norte a itnportacao foi a seguinle ; em navios
Inglezes o valor de 13 354:o{o pezos duros e
em navios Americanos 0:191 :m .pezosduro :
esta excessiva importado leve lugar em o anuo
financeirode 87 a 1838.
A marinha Ingleza. A forc,a naval desta
naco, queem 1814 era composta de io'>4
vazos em effectivo servi o dos quaes afii
ero nus de linha e a6i fragatas tripula-
das pqr 17 1 '54q homens contava a penas em
18 ri em efectidade jHi vazos sendo 4i n-
us de linha 63 fragatas e itl. emhareacSes
menores : o resto daquella grande forca ou es-
tava destruida ou vendido ou recolhido nos
estaleiros
(Do commercial do Para.)
CAMBIOS.
Rio de Janeiro, 19 de Novembro.
Londres-------------------.__.
Paris----------------------
Hamburgo-----*--._.._
O uro em barras------------ -
Dobres bespanboes--------- 27U000
da patria-------------- 9fiU8ooa6Ugoo
Pezos hespanhoes- r----- 1 Ufiqo
* da Patria--------------- lUfi.fo
Moedas de'6U4oo velhas 1 iU9oo
novas 14U900
de4Uooo ------------- 5U700
Pr.ita----------------------------- 7a Ja ip
A plices de ri por cento uro 78 i| \
5
(Eo Despertador )
LOTERA DO SEMINARIO.
.Como tem sido grande a venda dos Bilheles
da segunda parte da 16. Lotera concedida
beneficio da instrueco publica em o Semina-
rio Episcopal de Olinda o Reitor do mesmo
Seminario annuncia ao respeitavel publico ,
que as rodas bao de andar imprelerivelmente
em o dia viole e sete do prximo Janeiro.
tes cada vista compogla de dois pannos e se1
bastidores de/, mil Veis ; cada vestuar1"
roico qualro mil reis ; cada vestuario di
carcter tres mil reis ; cada vestuario de com-
parce dez tasles porcada um Domingo, ou
Dia Sanio pagos adiantados e dando
pessoa conhecida que se obrigue restiljpo
dos utepciliosalugados o mesmo se entendo
com as Pecas, e fardas cujo valor est de-
clarado na tabella j impressa.
tsr Quem quiser comprar azete doce de
muito boa qualidade proprio para casas
particulares, por ser em latas de lium al-
mude e por preco cmodo, dirija-se ao ar-
mazem de Francisco Dia3 Erreira defrnte da
escadinlia d'AIfandeg.
COLLEGIO-S ANTA-CRUZ.
(KO FOnTE-OO-MATTOS )
O Collegio Santa-Cruz novamente erecto
nesta Cidade sb os auspicios de multas pes-
soas benemritas abre-se pela primeira vez
no dia 7 de Janeiro p f. na forma do Pros-
pecto que se arha patente no msmo Collegio
os Srs. chefes-de-familia que alli quiserem
mandar educar seus (illios.
Moadmittidos n'este Collegio nao s Pen-
sionistas mas tambera meio-Pensionislas e
Alumnos externos. Os Pensionistas residem
efTeclivamente no Collegio, e pagam por ca-
sa mesa e ensino a quantia de aooo rs.
mensaes. Os meio-Pensionistas residem no
Collegio smente nos dias lectivos e pagam
14'0oo rs. mensaes.
A idade marcada para a adraissao de qual-
2uer alumno seja pensionista seja externo,
de 7 al 14 annos.
As disciplinas que s ensinam no Collegio
sao as que se exigem como Preparatorio nao
s as Academias do Imperio mas ainda as
Universidades da Europa.
As propostas para n matricula de qualqner
alumno so dirigidas ao Director do Collegio
Santa-Cruz no E'orte-do-Mattos defronte d'
Assembla.
Avisos Diverso^.
S2T Na ra da Florentina ,na carreira de
Jlo Zurrich quinta cara vindo da mar
aciia-e estabellecida a nnpreiisa de estampar
rezistos que foi de A. J. Marroquim. As
pessoas que qnizerem fazer encomendas de
objectos da mesma imprensa dirija-se a
mencionada caza ou a esia Tvp.
C71 A Senhora que se propoem a tomar
criancas j desmamadas para as acabar de cri-
ar com lodo o mimo e amor c que tambem
recebe as que tiverem ama para secrearem com
leile, mora agora na ra de I lorias defronte
do beco \atj,o de S. Pedro D dez.
$Sj~ Quem precisar de um ^adeiro : diri-
ja-se a ra dosQuarteis caza de Pasto I), a.
tls Allugueres para os'l'liealros parlieu-
lares O Emprezario avza a todas as pessoas
que lhe pretenda alug.T ulencilios de Thea-
(ro que elle estar prompto para esse fin em
o mesmo I heatro as qailas quintas e sex-
tas de todas as semanas : fora destes dias nao
estaa Cidade: os allugueres sao os seguirx-
prati
annos sabe bem 1er e escrever, annuncia
sua mradia por esta lollt para ser procura-
da.
ts^" Dezej-se lugartima casa para pe-
quea familia no Bairro da Santo Antonio
eque seja cm ra onde passem as prcisses da
Quaresma ; dando-se de aluguer at iUooo
reis ; quem a tiver annuncie s mradia pa-
ra s procurar.
tur Precis-se de urna Senliora parager a-
m de casa de homei solteiro; ununcie a m-
radia .
U^* Dezeja-se fallar c"om pe soa que te-
nha lianza oes com Manoel de Farias Ma-
rinbo, natural de Pernarhbuco e morador
em Angola ao largo do pilourinlio; dita pes-
soa pode annunciar sua morada a fina de s
tratar grande negoci.
SSf Precisa-se alugar urna casa terrea em
qualquer ra desta Cidade nao sendo em lu-
gar exquisito com cmodos para pequea fa-
milia tendo quintal e cacimba e nao exce-
dendo o aluguel a dez mil reis mensaes ; d-se
fiador ou paga-se adiantado conforme con-
vier 1 quem tiver dila Casa para alugar an-
nuneie.
ssy Offerece-se para escrevente de algum
cartorio u escriptorlo um rapaz brasileiro
de boa conducta o qual lera boa letra es-
creve expedito, e correctamente ; qnem pre-
cisar de seu presumo annuncie para set pro"-
rurado
tay OfTrecc-se para ama de casa de ho-
mem solteiro urna creoula moca com todas
as habilidades precisas : a'nuuncic para ser
procurado
SS?" Perdeo se desd o Mondego at ponte
do Ucha na larde do dia vinte e Seis do cor-
lente urna carteira_ verde com cincuenta e
tres mil reis em sedulas c alguns papis de
importancia roga-se a quem a tiver chado
0 obsequi de annunciar a sa morada pro-
mellendu-se trinta mil reis de gralificac pelo
adiado.
^ Preci-se de tresentos e cincoenla mil
reis a juros hypothecando-se um bom pretn
ganhador ; quem perlender este negocio an-
nuncie.
XSf Fugira do Engenho Machado no dia
1 > para 14 do crrenle dous escravos pardos,
um por nome Antonio cor alatoada cara
larga cabello caxeado boa estatua cheio
do corpo e urna profunda cicatriz d'um tiro
no braco direilo e ou'lro por nome Jos pa-
ra redonda e bastante marcada de bexigas ,
baxo, grosso e ps algum tanto eiuados ;
levaran bastante roupa e um chapeo de pa-
lhinba fina ; o primeiro foi esclavo de Jos
Theodoro de cujo poder andn fgido 3 an-
nos servindo como forro em varios batalhes
da G Nacional na q 0a I idade de corneta no
que he hbil ; e o segundo foi escravo de An-
tonio Joaqitim do araizo morador no lugar
da Tclha, villa do Queixaramoliim: roga-se a
todos os Commaudanles de G. N. a 'quem o di-
to escravo baja de se ir olferecer para o exer-.
cicio de corneta e igualmente as Aulhorida-
des Policiaes ou outra qualquer pesso 1 jmc
encontr os sobreditos escravos haju dVis aTei
agarrar, e conduzil-os ao referido enge-
nho ou a esta Prfcca casa de edro Ignacio
Baptisla piarada l'oavisla que se acjia au-
thorisado para satisfaser toda a despesa e re-
compensar generosamente.
Aluga-se dois pretos diariamente dan
do-se-le o sustento quem 09 tiver lleuda-
se no atierro fabrica de tabaco ou annuncie
por esta folha.
A quem faltar um prcto bucal defeituu-
zo de hum olho entemla-se na fabrica de ta-
baco do atierro que se lhe dar noticias do di-
to prelo.
Una Sra offerece-se para ama de urna
caza de portas a dentro, a qual cose, engoma ,
cozinha ludo soliivel e com asseio : a mesma
Snra. vende urna cama em bom uzo e meia
duzia de cudeiras por preco com modo ; an-
nuneie.
I AR FNCONITRAnO



PERNAMBUCO
fesTlnT^-ito examinado approvadu I prumpto uro deposito ,!o vi.lms d>ste h.ls,uo tro quqrlos, dos sallas, e cosinha boa a- Wmila eWonte.ro, quem os pegar
A auLecomm^odaCidade de Lisboa na saa^as! rual pra a ,la Gamboa n. ,9 .fgoadiWer. mullos arvoredoS de fruclo de ra 1 ^.em casa da vn.va d Anacilo
Vf.rlei.de dar licoens lesna residencianes* Cidade a alguns Srs. ao-resp^tavel publico que oauthordesle bal- deseno ve com Joo La psla Claudio I res-
boa a-(Winda ,*eMonteiro ; quem os |.e-ar leve a
rua da cadeia em casa da \itlva
Antonio de >lorues que ser recompensado.
a rr.i
que queiro istruir-se na escripluracao mer-
aiL|kir partidas doliradas e mesmo sin-

F '
M
onlabel idade commcreial arbitri
de cMbi^ff seguros carregacocus reba
de letras letras a risco avarias com as I
malidades dos asientos em dita eseripluraco ?
os S*', pretendentes podem dirigic-se ao "ur.
Joaquim da Silva Lopes morador na ra da
eodeia do Recife e em S. Antonio ao Sr Jo-
s de Oliveira ao p de N. S. do Terco, qual-
quer dosdous Srs di rao com quem se deve tra-
tar-
if Qtialquer Sur. ISegoeiant,, que ne-
cessilai de ura escripturano para escrever
em seus livros suas Iransacoens mercantis em
partidas simples Ottdoliradas e inesmo al-
guma escripia atrasada anr.uncie.
3^- Nodia da fesla de N. S. do Monte ,
,. lera sor vetes bebidas frescas., espirituosas,
das nove boras do da em diante.
bp O abaixo assignado faz scienle que.
desapartou a soriedade coro Manoel Doron-
utS Pereira que linho na venda sita na ra
do Collegio 1). 14. por sso roga a os Srs ere-
dores bajo deapresentar suas contas do que
se llies deve para seren pagos at o dia 10
de Janeiro prximo ficando o abaixo assigna-
/ dodesonerado das demais dividas que bou ver
dess dia em diante Antonio Manoct Runos
X^r A viuva da fallecido Joo Baplista
Concia Nunes nmdou-se do atierro dos ai-
logados para a ra do Livramento ao p da
lubrica de chapeos as pesios que com ella
tiverem transatoens ubi se pod^m dirigir.
jjf" Precisa-sede urna ama' para casa de
11111 homem sollciro nao se importa pagar
mais do qiie se cosluina com tanto que saia
i a ra com un pelo para fazer as compras da
I casa; no lorie do matos ra do Amcrini a
tallar com Antonio Jos Francisco Veiga.
Bf O Sr. Estrangeiroque entende da ar-
te veterinaria queira annuiuiar a sua mora-
da para lazer a cura de un cavallo.
Quero Ibe faltar urna negra de naco .
que nao sabediz.er quem he sen senhor; d-
1 -i a-sean ultimo silio da rila do Hospicio que
Sola para o pombal que dando j signaes
Ibe ser entregue.
tST A casa (|ue fabrica bogias de cera de
ra mili ba da ruadas trinchen a-, niudou-se
para a ra de Iloilas 11 i>5 as pessoas que
uiserem comprar podem dirigir-sea mesma
ca.-a.
%f Piomelle-se recompensar com gencro-
sidade a quem descubrir o habilidoso que ni
noiiedo dia aS do crtente den urna lacada
nn uui cavallo na porta do sitio do V ajer Cos-
ta no Mondego ; na ra do Queimado Dci-
ma 1 d
ZT*- Quem quiser dar 750U000 rcis a pre-
mio de* por cento ao mes, por lempo de hum
annocom bypoleca em huma boa morador de
casa le rea no Bairro de Santo Antonio an-
niincie.
tST Prcrisa-sc alugar urna casa terrea para
pequea familia leudo quintal c cacimba 5
innuncie
S33" Boga-sc ao Sur. do engcnlio, S. Jos
flelpojuca que tenlia a bondande de decla-
rar sea esclava que se. ada em seu poder,
leui os signis seguinles ; de 110:1.c Flor inda,
crioula alguma ronza fulla, tem hum lalho
ou marca deferida na testa com seoslas se
nadegas alanbadas de huma sima denles ,
algunas couza aberlos corpo regular, e falla
milito claro.
s. j- Alluga-se huma casa, que tem com-
mndos para huma pequea familia 5 |ior pre-
ao ropcitavel publico q
samo tem em todos os videos u sua rece i la, im-
' ia e na mesma receila a sua firma; e
e qjntqur vidro que appareca sem a dita
ita-hc falsificado pelo qual o dilo aulbor
Jio be espoiisavel ; faz esta advertenciapara
que o respeitavel publico nao fique engaado,
e seu verdadeiro autlior comproineido.
As virtudes d'este remedio sao : curar e
sarar com a maior promplido quaesquer fe-
ridas produzidas por armas ou acaracoes ,
inda que ja eslejo em estado de cbagas cr-
nicas esponjosas e ptridas ulceras can-
erosas venreas ou escorbticas sarnas ,
erisipelas, scirrhos mal de Lasaros e se-
nilmente todas as molestias cutneas rhcu-
matismo, shialicas gola, inclia,oens e
fraquesa das articula'_,nens queimaduras ,
fstulas de todas as qualidades mordidelas at
de animaes pecon lientos e tomado por dose de
gola internamente cura e extirpa as loin-
brigas nao exceptuando a solitaria nalhema
a menstrn o, e calma as dbres clicas ou sim-
ples de estomago ou venlre : lomado mdica-
mente todos os dias preserva das enfermida-
des contagiosas eestimutfao a-pofite de co-
mer finalmente applicavlo em fricVoens cal-
ma e socega ns mais violentas dores'crnicas ,
tanto cauzadas pela gota como por fheumatis-
mo cu incbacoens dos ossos condecidas pe-
lo nome de cyboslesis. V ende-se nesla Cida-
de na ra da Cruz bolica t. ai.
C o 111 p r 11 s
5~y Garrafas de Arrobe^
tivcr annuncie.
Ven
ntendo
%Z?" Folhinhas de algiEe
abm do Kalendario &c, a confissao do ma-
nijo e iim Dialoyo entre um Algaravio, e
sua Masa ; a i4o ris cada urna 5 Ditas de
dita, dita, dita com anedoelas, historias bons
dictos &c a 4o ; dit.'is de porta divididas era
semestres a seis vintens o auno ; dilas Ec-
clesiisticasa pataca; na praca da Indepen-
dencia loja de livros 11. i? e 38 na ra do
se.
CS" Urna casa terrea sita no paleo de S.
Pedro lado da vira o ; quem a pretender
dirija-se a loja^de fa/.endas de Manoel Joa-
quina da Silva os' quutro cantos da ra do
(^ueimado ; na mesma casa, se acliao a venda
duas requissiinas carleiras de costra| de se-
nhora urna de xaro e ontra de sandro
marebelado de prata e marfim ambas da
India.
3" Superiores Charutos da Cachoeira em
caixade 5o por 4ooo ; chichas pretas gran-
des e pequeas ; na ra do Cabug loja do Sf.
Bandeira
ZW Champagnhe Ay sauterne elaisette
raloison cbateau laffitle chaleau margeaux,
St Julien medoc chambertin cognac, con-
servas de vinagre dilas de fruclas da euro-
pa ervilbas sardinhas mustarda fran-
ceza trulfes vinho do Porto de Xerres
azeiledocede superior qualidade copos de
cristal apparelhos de prooelana para cha tu-
do a preco barato ; na ra da cadeia velha D.
17 no primeiro andar casa de A. Hosch.
Escravos Futidos
Viovimento do Porto
N4VI0 SAHIEJCO DIA 3.
PHILADF.LPHIA5 Parca Americana Nava-
re Capilo James ^ eacock carga assucar,
passageiros 1 Americano.
ENTRADOS NO DIA a^.
PORTOS DO NORTE; 17 dins Barca do
Vapor Nac. Maranhense Commandantc o
Capilo de Mar e Guerra Bariholomeo Hay
dem equip. a1 passageiros a Inglezes ,
e oito Brasileiros.
AC/vRA( U' ; 3o dias Sumaca Nac. Feliz
Americana de 94 \\ tonel., ftI. JoSo An-
tonio Gomts eqflip- 10 carga couros e
sola ; a Manoel Joaquim Pedro da Costa ,
passngeiros. brasileiros e um portuguez.
ASSU'; 11 dias Brigue Nac. Passo Victoria
de a5? tonel., Capilo Manoel Jos Ribei-
ro equip. i5, carga sal, donosiBeiHa Jo-
s Alves e Jos Ramos de Olireira pas-
sageiros 1 porluguezes.
STOCKHOLM ; 4 mezes, Brigue Sueco Fa-
voritem de ifc5 tonel. (ap. Olof Renhold
Hok equip. 10, carga gneros do paii 5
a N. O. Bieber.
%
>\
SAiHDOS NO MESMO DIA.
S2y DesapparVeu urna negra creoula de
nome rsula idade vinte e quatro annos
pouco mais 011 menos alta do corpo cor pre-
ta as juntas dos ps inxadas com um lalho
na testa do lado esquerdo ; quem a pegar leve
a Trempe na venda per baixo do sobrado do
Sr. .Guimares que ser compensado.
tW No dia a4 do correle fugio urna negra TRIESTE ; Brigue Dinamarquez Olinda ,
de nome Rosa de naci benguella cor fula,' Gap. Miguel Jepsen c'arga assucar
baixa eom a perna esquerda coxa, saldo DITO % Brigue Sardo Guglul'w > Capilo
com camisa de linho marcada com esta letra L. Peaggio carga assucar.
-H- e saia de chita escura, com um MACEIO ; Brigue Nac. S. Joo Baplista ,
a venial azul; quem a pegar leve a fabrica de CapTJoao Gonsalves Bocha", carga varios
chapeos na ra da cadeia D, i.\ que ser gneros pas%eiro um hrasileiro.
recompensado.
SS3- Fugio em Dezembro de 83 Juma ne-
gra levando com sigo um moleque seu filho,
com os signacs seguinles ; naci rebollo de
nome Maria de idade de 3o annos tem na
testa a marca
ipo be fulla.
le sua naco corpo regular ,
s sabe traba-
LISBOA Brigue|Pprtuguez Oliveira, M Paulo
Antonio da'Rocha carga gneros do paiz.
ENTRADOS NO DIA a5
LISBOA; 3o dias, Brigue Brasileiro Urba-
no de q4 tonel., Cap. Manoel Joaquim
e

pe-;
peixe ; defronte da Vnlriz da Boa visla zar de estar bastantes anuos na trra, e be,
bolica do ."r. Joaquim Jos Morcira ; e em niuilo racbimbeira; ossignaes do filho sao os i
Olinda. Bolica da ruado Amparo. seguinles de nome Kstanislu hem pare-]
tST O Corrctor Oliveira tem para vender cido grosso de tedo o corpo pernas e bra- '
um magnifico e completo apa rellid'para cha eos curtos pese mos grossas-, iinhas cur-
edois laboleiros de piala do leilio e dos-*, bastante forcoso anda que de tenra
lavorcs mais lindos e modernos que n es!a '''ade cabellos Como da niai rosto carnudo
tem viudo da Gidade do Porto por lerem si- nariz, biixo orelhas pequeas, quando desa- za" Vl George Watlim carga assucar.
do obras encomendadas por.'qm nao >e pou- pareco Una H anuos de idade e boje tsr RIO DE JAM'.IRO ; talacho Brasileiro Be-
pou a despezas, somenle' llendendo a que 'O, tero por dentro do heco de cima lim pe-! la Carlota M. Francisco Jos da Silva,
equip. 9 carga diversos gneros.
SAIHDOS NO MESMO DIA
BARCELONA ; Faluxo Ilespanhol S. Joao ,
IVI Joo Rozes caiga algodo.
GIBRALTAH ; Escuna Inglc/.a Blazyad Su-
pou a despezas, someuie .auenuenuo a q
ludo vesse com a ir.aior perfeco.
%ST A atterico e revizo dos pezos e mdi-
q ueno ctfro o ,
tem na barba
-ulga
um lalho alravcssado
que se divulga" quando
to eonimodo ; no I oco da Panella : quem a
tiwi tender dirija-se a ra do Queimado bolica
>. S.
V^' Precisa-se aup.ar
vifla
das das fregu/ias de Jaboalo "-. Louren-j dedos nos es innnedialos ao mnimo igues ,
co da Malta Luz e parte da Freguezia.dos c urna imita no dedo mximo tirado, e he mili-
carga assucar. passageiros. t
dous GOIAiNNA ; Hia'lConCeoaodo Pilar-, M.
Anlonicrde Souza Louro carga varios g-
neros.
1.1
Boa
A,u S. Antonio sendo em boa ra ,
urna casa
em
\ti leudo l.cns commodos mas quer-se terrea,
r que Icnia quintal, nao se duvida adianlar
ottfe/esdo alugucl agradando o pre-
dio ; na 1 ua do encantamento primeira casa ao
ladndireito entrando pelo largo do .Corpo
Sanio no segundo andar.
59 Pedro Garlioyza tirurgio italiano,
inventor fabricante do balsamo homogneo
simptico. Iiavcnilo previamente, oerecido
: ,-la lllutrissinia acideiuia di medicina e a
vrtriosSrs. profesores da capital do imperio
do Bras.il algiuis vfdios do dilo balsamo ,
roa amostra para que possa ser experinieu-
,,.,! por halieis lacultativos ; e verificar no
meuno a energa e quasi nsUnUiietmeuic a
necio rom que produzos seas milagrosos cllei-
los, como ja o derlaro muilosilluslsado pro-
|.,sores.lni Cfl Millao, 6cc&c. que (
doens o tomprovo res
Afogados perlencenle ao anno de .8-0 ; di-
rija-se a Placada Ba vista caza D. tres, 011
as Cinco Ponas onde se acba estahclleciia a
mesma aflericao.
!C?" Um molatinho com i4 annos de idade ,
claro de bonita figura e ptimo para pa-
gem ; na rua docollegio loja l. 4
5C5" Um cavallo com todos os andares, e
muito gordo ; na rua do Livrarnenlo em ca-
sa da viuva do Baplista
i'v" Ou troea-se um moleque creoulo de
idade de 14 anuos com principio de alfa ate ,
bom para pagem c sem vicios nem achaques,
por urna prela moca e sadia que saiba co-
z.inbar o diario de urna casa, engommar liso
hera lavar e. sabo c coser alguma coiza ;
na rua de S. Rita nova I). |H ou no silio ao
entrar para a estrada do ( ordeiro
. t2T" JNa rua da moeda armazem defronte da
casa da moradia do Sr. Braga velho em pi-
pas hirris, e garrafoens o slipericr eja
muite conhecido e'approvado (^bo do san-
guinhal como o melhor que vem de Lisboa ,
por preco commodo e se declara que os que
compraren! para lora desta provincia Ihe custa
menos 7,200 do consumo pagos a sabida da
alandega.
Sr* Ou aluga-se urna canoa abeita, qua-
si nova que (anega too lijlos ; na rua de
Hurlas venda defronte da Igreja dos Martirios
ZZj- Duas escravas ambas com bonita figu-
ra engomad liz.o cosem cha cozinhad o
diario de urna caza c do-se contento ao
comprador ; na rui Direila D. -o lado do Li-
vramento.
to ladino; quem os pegar leve a Auna Jo-
aquina Thomazia de Torres.
tlF" INo dia u) do correte fugio do silio dos
afflictos perlencente ao abaixo assignado um
negro da Senho'ra Francisca Benedicta Torres,
cujo tem ossignaes seguinles ; cor (uMn. alto,
hem parecido secco do corpo perihs finas,
ps hem leitos de nome oo hem civili-
sado e parece creoulo o qual negro foi em-
bargado pelo dito, e como se compuz.cssecom a
Senhora amigavelmente por intermedio de seu
genrooSr. Heniique Jos Brainer de Souza
Rangel, o enlrcgou e nessa mesma occasio
o dilo negro fugio ; quem o pegar leve ao Sr.
Francisco Euzeuio de Furias pralico mora-1
dor em flora de portas. 011 ao dito iin. nn ser
gratificado. Antonio Manoel de .Ylorae? da
Mes(|iiili Pimenlel.
ft^ No dia 4 do corrente fugiro dous ne-
gros com os signaes seguinles Joo cabund ,
boa estatura grosso do corpo mos e ps
grandes cara larga olhos papudos com
pouca barba cor fulla levou camisa e cal-
cas de estopa ja velha, a camisa de mangas
curtas e um bonet de marujo e de panno
az.ul ordinario aberto do lado com fita preta ,
be ganbador de rua, e consta andarganban-
di> pelos bairros da Boa visla e S. Antonio o
mitro de nome Pedro cabund altura regu-
lar magro cara larga olhos grandes; e
apilombados que parecem inchados de dor-
mir os cabellos avermelhados ps grandes,
falla muito e responde a qualquer coisa que
se Ihe diga levou calcas e camisa de estopa ja
uzada, as caigas rotas nosjoelhos, e as mangas
uy Lim silio em Santo Amaro, com por-! da camisa curtas chapeo de palha velho
sobeo-sea ter strpre to na estrada caza de pedra e cal, com qua- I canoeiro e consta andar fazeudo frete para
ENTRADO NO DIA 6.
5ALEVI ; 4" dias Brigue Escuna Ameri-
cano Far A. de lia tonel., Capitao R-
card Haell epuip. 8 carga farinba e
mais gneros ; ao mesn.o Capilo passa- '
geiros 3 Americanos.
SAHICOSNO MESMO DIA
ILHA DCS ACORES ; Brigue Portuguez
Valoroso Capilo Joaquim Jos de Olivei-
ra carga assucar passageiros dois
MACEIO', Babia e Rio de Janeiro; Barca
de Vapor Nac Maranheuse, CommandaCt-
le o Capitao de Mar e Guerra Bariholomeo
Haydem passageiros 13. J
*f
ENTRADO NO DIA a;
TEBRA NOVA qo dias Brigue Inglez
Madona de ai3 tonel. Capitao Smitb*
equip. 13 caiga bacalbo ; lundiou no
lanieirio.
NEW-YORK. ; Barca Americana Carolina
de 357 tonel. Cap. Jorge B., cjuip. 8 ,
em lastro.
V
OBSERVAgOENS
4
NodiaaS fundiou no lamero um Brigne*
Escuna Brasileiro; e entrou para o ms*
queiro um Brigue Sardo.
A Gatera Inglesa que estava fundiada ola-
meiro suspendeo e seguio o seu desti-
no no dia 16.
,
i
REG i- E JNA TYP, DE Al. F. DE F, i83
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6H68VSHO_LA6E47 INGEST_TIME 2013-03-29T18:11:38Z PACKAGE AA00011611_03980
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES