Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03974


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 839. ^erca_Fei v
Tudo ora depende de 6* mearto; de nos prudencia, modera.
to, e enera : coniiiH.en.os con>o phnci^umo e seremos apernados
eom admiracio entre a ^res mas culta.
Proclamado da Atsemblea Geral do Brmil.
*-
> i A
gnados
Partidas dos Crreios Terrestres*
-T-------^^a^aa^aj^a^a^p^a^Ba^a^aaa^ajaajM
17 ok Dezembiq,. NuMB*ftJ2!
CAMBIOS.
Pezembiio. i 6.
Londres...... Si i)i i 5V por fooe ced.
Lisboa....... So por o/o premio, por mciai nft0.
Franca.......i>> reis por franco.
hio de Janeiro ao par.
HO Moedas de 64oo r Velhai i<#{oo a ilB*
, Pitas ,, Novas i<#joo a i<4
Ditas He <#ooo rs., 8# >o a *lfa
PRATA Patacoes llraiileiros.......!#><< a lg*m,
Pexos Columnarios ---------------i#54o a l#^
Ditos Mexicanos-------------------- t.g$W l#54
Premios das Letras, por mez I i/8 a 1 iji por lo*
Hoeda de cobre 3 por ioo.de disc.

Cldarje da Pareliiha e Villas de sm pretencao.....
bita do Ro (i.ande dojiorte, e TWss Idete.....
Dita da Fortaleza e Villas dem. ..... .....i
Villa Cidade d- nda...................
Villa de S. Anto........J .........
UiS deGaranhuns e Povoacao do Bcn.to .... .
Ditas do Cabo. Serinhaem. Rio Formo, e Porto La
Cidade das Alapoas, e Villa de alacetd.....
Villa de Paja de Flores........... .....
Todos os Crreios partem ao meto da.

t____-J~- c...

:)
. Todos os dias.
. Quintas letras.
. Dias lo, e i decapa met.
. dem ( ii, e ai dito dito.
.dem dem
. dem 13, dito dito.
Das da Semana.
16 Segunda------S. Annania-, Araras e Mitiel. Re- e and. do J. d D. da r. de mana! '.
17 Terca---------S. Bertholomeo de S. Germin. Kclaco e And. do J. de D. da 1. vara de manh,
18 ( >iihVta--------Temp jej W S. do 0\ &' TIs. A uieiicia da j de D. da S. T. S
19 Quinta--------S Fusta.--------------------------1 Re e aud do J. de D. da 1. r.
Jo Sexta.....T. j-j 8. Domingos de Silos Ab Se, d Tber.. e aud. do J. de I), da 1. r.
gi 1 Sabbado------>J< Temp. jej. S Thoine Ap. -
12 Domingo 4. do Advento S. Honorato -M.-----
Mare chela para o da 17 de Dezembro.
1 As 2 horas e t minutos da manda As 2 horas e 30 minutos da tarde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO.DA PROVINCIA.
Expediente do (lia 11.
Officio-Ao Commandnnte Superior da G
1* do Recifc para mandar dispensar do
servko ordinario ao Guarda da 5 Companh.a
*n < l'alalho Mminel Dormilones da Silva ,
nomeado Conimissario de I olt-
cia em lugar do Gua-da do Bal-ll.ao Anin o
Joaquiml.ruedes dA,vedo, fo. demtt-
tidododito Cara, e quedeve ser chamado a.
o servil o da G. N- .
I)ito-Ao Prefeito da Comarca do Rf-n.e,
communicando-Iheoconteudo no precedenle
0ffiDito-Ao Inspccior do Arsenal de Vari.tha
significando-Ibe que a Presidencia tcm man-
dado sa.isfazer pelo Arsenal de Guerra as
duas requisicens que acompanharao o seo
ofheio de 10 do corrente.^
)ito-A dmi
fem de taes despe/as 3. e da mesma forma !
quites as somas pagas nelle perlenrenles a des-
pe/as de annos anteriores ; a de n. 111 re-
metiendo a nova dislribuico do crdito do
Ministerio da Fosenda e recomendando que
nose]a excedida ;is qttantias marcadas para
cada hum dos arts de despeza sera previa
aulliorisaio do Thczouro ; e a de n. > \-> or-
denando para se darem as preci/.as ordens .
para jue em conormidade do artigo 7- do
eqreto de a < de Ouluhro passado n. f)i a
contar da sua puhtaiSo nesta Provincia,
sejo rerolhidos ao < ol're de Rendas com a-
jicaao especial os vs por cento de dleren-
11 entre o anligo Direilo de '5 por Cento dos
vinhos e actual de Lo por cento.
THEZOURARIA PROVINCIAL.
ANMIN 10.
A Thezouraria Provincial paga 110 dia 17 e
1 h do correle o mez de Ouluhro em prata aos
Empregdos que nao perct'bem eromolu-
nistra 5o dos Fslahelecimen- mentos.
oftieio The/.ouraria Provincial de Pernambuco it
tjs de Caritjade respondendo ao seo
de de Outuliro do rorrenle anuo em
rtecipa nao ter lomado conta do Hospila
. aza da Misericordia de Olint a *
ilal da
partectpa nao ici ....-v." ..- .
S 1 a'.a da Mi.ericord.a de Olinda cohio
)he incumbe o Artigo., da ResolucSo de
,^t, f.nr.so do mo estado, e qnal.dade
dos hens a elle pertencentes : que nao la,en-
do a citada Lpi excepcao deste nem de ouiros
casos deve a mesma Adm.n.slracao dar- he
inleiro cumpriroenlo tomando conta do dito
Hospital seia aual for a natureza e impor-
m que de Dezemhro de H.jt)
Evaristo Mendcs da Cunha e Azeredo.
Fiel do Thezoureiro.
Diversas Reparttcoens-
ALFANDF.GA TAS FAZENDAS.
O Mitico riespanbol S. Joao vindo
de
Hospilalf sejaquat .oran -'J =_ Bl^lona eMi(a. enlrado etn i do cor-
rSt^rPalnmSd^yid;^- ren.e CapMam o Roses consignado M. Cal-
00.
.
a. icoo
3. 1800
4. a ir5o
5. i5oo
6. a i35o
i. f 000
a a 700
1. Sorte 75oo
t. bioo
3. a 55oo
Dito mascavado velh
'00..............
Algodo em pluma
Joze Mara Cezar do Amaral.
Fr-nciseo Joze Marinho.
Feitores e Conferenlei.
C0tlRF,l0.
O Paquete Inglez Skvlark recebe as mal-
!s para a Rabia e Rio de Janeiro boje 17 as
\ horas e meia da tarde.
A Cmara Municipal da Cidade do Recife.
Faz saber que forao pprovad.ts proviso-
riamente pelo Exm. Presidente da Provincia
as Postulas Addicionaes da Polica Sanitaria
da Cidade e seos SuburhioS ;
o seguinte :
POSTURAS ADPICIONAES.
cujo theor be
tem ue siiii ou *" ------' ... &t c
rainistraco fasendo delle parte os menc.ouados mont & Comp^^^ ^ ^^
bf)tn Ao Provedor e Mezarios da S. Caza, De liarcelona
da \ zericord de Olioda communicando- 6, lipas com vinho -o nle.as ditas com
d Mizenqonita cit x 111 ^ rs Jilo iQQ res(eas dc
lheaexpedicaodoottittosupra. '
Portal a-A.oCommandanteGeral do Corpo allioi.
.1p Polica nara foruecer diariamente t'om pra- 1 e twaia,,.
cas do CorpPo de seo Commando a Gua.da da 5o Rarns com accionas .00 pot wm
rasuo v.oipu ut u^s ( ca|xfl rom ra7Cnjas ,je ga f 35 quar-
Of'fico-AoComraandantedas Armas c6m- t..las com a,eite d.ce 5.9 ca i xas com pas rounZdo-lheaexpedicaodaordcm siipra. \'^^ tom fiS' 2 naM COm ^
Fora do manifest.
6 Caifa* com hixas 00 caixas com peras
)_ secas, sbaluscom pelles de bizerro 1 em-
a ao brul'iocom f'asendas de seda.
BnXliaitM J- -" pi""i' ^ annofi- M et.l.ada em .3 do crtente Captlam
nance
THEZOURARIA DA FAZESPA.
Expediente do dia 11 do corrente.
Officio-Ao Agente da Thezouraria da.Pro-
ncia las AlagoasdiseiK
u olluio de 1 do correle que na iNola dos
Imentus da mesma Provincia do anno fi- W
Zde .-7 li qx-e Ihe foi entre- .y l-dlow consonada a Ha.f.ssons Lalham
, PU .oferno bouve com eil e Htbbert. ^.^ q ^.^
ajoo Harneas com bacalho
. fora do manifest.
6 Batricas com batatas,
A Pauta he a mesma do numero ^6^.
MEZA TO CONSULADO.
Paula do preco rorrele do assucar, e algadao
quesedespachaTo na Meza do Cousulado
de Penanihuco na semana de .(ia 11 d Le-
zembro de 1^.19.
>ue para seu goferno
,'anoem lancar-se no rcndimei.to do l-izimo
lo Assucar do mez de Feverei.o a quant.a de
, -7 soo reis pois que em vista dos assenlos da
1 hezcniraria e da conta correte enviada pa-
ra a dita Provincia ve-se claramente que dtr-
viaser 151775090 reis.
Da i3.
Officio-Ao Contador d* mesma Thczonraria
remetiendo-Ihe por copia as ordens do 'lrt-
bui.al doThezotiio 1 ubbco ^acl0llal subo,
una nido corrente anno, parletipando a
de n iou a li'-ema de hum anno concedida a
o 1 ezemUfgador Amonio \ anoel da I osa
Maluchos com o vencimenlo de dous tercos do
ordenado com que foi aposentado abra de
tratar de sua saude em Portugal ; ade n. 1 o
ordenando para informar, .. quaes forao os
saldos ero dinheiro que do anno fmanceiio
f,ndode.8> 839 passarao para o cor-
rente : q. que somas ficaro no fim desse
nno'por pagar de despezas propr.as Ada: e
fissario para o qe corre, declarando a or-
cisco cavacos ou finalmente qualquer re-
siduo que incommode o tianzito ou con
orra para menor aceio de seus lugares lo
jas fabricas ou ras sob pena de pagarem
a multa de quatro mil reis e o duplo as re-
incidencias
a. Todas as manhs ateas 6 horas do,
dia Domingo sero obrigados a faser varrer.
seus lugares lojas .officinas e respectivas
tesladas de todo o edificio em que se com
prel.ender a loja taberna armazem ou
ollicina al ao meio da ra se do lado opposlu
ouver igual ohrifjaco alias toda a largura
da ra fasendo logo conduzir o lixo ou
varreduras para os lugares esse Hm desli-
nados pela Cmara debaixoda pena -de dois
mil reii e de priso por dois das.
. 3. Todos os Sabbados e alem desloa
todos os dias, que bem parecer aos l'iscaes,
visitars estes as vendas tabernas, e I ote
quius e quelles que acharsem a devida !m
pesa tanto a respetto da caza como das medi-
das multar na quanlia de seis mil rs.
Art 7 9 Todos os mais ociupadrrs de
predios urbanos sero obri;ados nos Domingos
aleas seis horas da manha i fazerem varrer as
suas testadas, e conduzir as varriduras na
forma do art. anterior excepcao d aquel-
es que te acharem suhslahel lecidos na con-
ormidade do mesmo art. anterior, e soffre-
ro a pena ali eslabellecida os contraventores.
Art 8. Ficao prohibidas as passagens as
Pontes da Cidade de carros de fora que
costumo trazer caixas de Assucar ou que
posso carregar madeiras pedras tijolo ,
ou lelha, sendo somente permittido o tranzito
das ca-rocas d hum s Boi alem de < arrua- '
gens segs e carrinhos ; os contrayendo-
res serao multados em dez mil reis anda que
adiados sejo no principio das Pontes fa-
;-endo-se effecliva a multa cora a apreheuco
dos Hois.
Art. 90 Fica igualmente prohibido anda-
rem carreira pelas Pontes desta Cidade quaes
quer carruagetis seges e carrinhos e so
poderao passar pelas referidas t-ontes pas-
so natural ; os conlravenctotes soffrero &
multa de vinte mil reis, a inda que encontra-
dos sejo no principio das Pontes.
Art. 10. Nem hum escravo ou homrm
livre dentro da Cidade ou seus arrebaldes
poder condusir cavallo em sso indo mon-
tado mais o levar pelo cobresto ou arrea-
ta excepcao de cavalgadtiras em retorno de
comLoi mas i esses somente be permitido
indo cavallo montado encangalhado da
mesma forma ninguem andar pelas ras desta
Cidade montado ou sentado em- cavallo
qu condusa qual quer carga devendo serrn
puxados pela arreata on cabresto ; os contra-
ventores sendo livres soffrero vinte e quatro
horas de priso ; os captivos, porem na pre-
senta 1I0 Fiscal duas dzias de palmatoadas
sem se admitir demora na execuco.
Art. > 1 Os que correrem a cavallo d'en
Da Polica Sanitaria da Cidade e seus Su-
burbios.
Art t. NO se poder d'bora em diante es-
tabellerer venda das carnes sercs denomi-
nadas do Rio Grande ou peixes seceos em
olro lugar que nao seja n ra da Praia a
principiar da quina do heco do Virginio para
o Stil; os lugares actualmente oceupados com
scmelhnntes gneros ser despeijados em
sessenta das iue sero assignados por Edi-
laes e annttnciadoS pelas folhas publicas:
os oontravenclores pagar a mulla de trinla
mi reis, e o duplo as reincidencias.
Art. 9. A mesma disposico do art. ante-
cedente se eslendem a todos oS Bauleiros ,
designando-se-lbe a ra da Praia para n'ella
trahalharem debaixo das mesmas penas.
Art. 4. A matanca do gado ser leila desde
o 1. de Abril al o nllimo de Setembro ; pela
manh das 6 al as 9 horas e tarde das
4 hora** as ti. Nos oulros mezes meia hora
anUS de manha e meia hora depois d$
larde: os contravenctores soll'rer a pena de
oilo mil rs e oito dias de priso, e o du-
plo destas penas as reincidencias.
Art 4. O I acal do respectivo Bairro e
na sua falta hum vedor que para isso elle
determine presidir matanca e far a-
partar aquellas rezes que appresentarem
simplomas de qualquer molestia os contn.-
venttores soffiei a pena de quatro mil rs
por cada cabera de gado a que nao assislir o
Fiscal ou vedor por elle aulborisado por
scriptO. As rezes moras sendo que estives-
sem doenles sero enterradas custa dos
conlravenetores
Art *>. Todos os assoogues se feixar os
mezes de vero as tres horas da larde, e nos tro da Cidade e seus Suburbios, sendo bo-
mezes de invern as 4 horas, pena de oito mens livres pagaro a mulla de trinla mil rs.
1 ._.__ i:_____1_____:.^
mi
Assucar branco novo
1 s 000 ...
Uilo mascavado novo
1 s 000............
{Dito branco velbo
1. Sorte
a.
3.
4.
b.
6". c
1.
a.
1. i
a3ob
1 -00
9100
i*>5o
l>-00
16:0
i5oo
l40Q
aooo
I rs e quatro dias de priso.
sendo captivos re dd'ns de palma loadas
Art. b. Os vendedores nos mercados lo- fasendo-se ota pena effecliva na presenca do
padarias refinacoens artistas de qualquer ; naneas montada- Oiciaes 6 Soldados c-m
ollicio Sacri'les de'grejas ou" t apellas e'servico publico: a mesma disposi^ar cima
finalmente todos os que liverem qualquer ge- se eslende aos uue esquiparem ou galoparcm
ero de negocio, OU industria de porta aber- a cavallo.
t2 alem dos especificados ficaro sugeitos
as seguinles
dsposicoi >.
. iNo lan ii ra e passagem in-
terior de suas' lojas ou officinas palha ,
Art. n. Fico prohibidos os repiques de
sino por mais de cinco minutos debaixo das
penas de quatro mil reis.
Art, 13. Ninguem poder tramitar pelas


DIARIO DE
PERNAMfll'CO
ras desta (dade e seus-suburbios* em ce- i morador na Villa de Sao Romo da hovincia
roiilas e carniza mais sim com calcas : os! de Minas tjue se cha seguro na Cadeia des-
conlravenctorcs soflreroa multa de dois mil
reis pagos Ha cadeia
Policiadas Ras.
Arl. i Os Froprietarios dos predios ur-
lanos e rsticos do Municipio terao as tesla,-
das de seus predios'em alinhamento regular
desembaracada* onde nao ouver ealtctamenlo
e calcetadas onde o houver, as cercas limpas ,
e aparadas ate ao meio da rna ou estrada os
coniravenrtores pagaro a multa de seis mil
reis achando-se a sua testada irregular m-
perfcila ou em mo estado o predio e
cus alugucis fico sugeitns ; multa
Art. a -as ras e estradas ainda nao
raleadas e onde se amontlo lamas e aguas
de chuva os Propietarios dos .predios urba-
nos que ja estiverem edificados eos rusti-
ros deverao entulhar a -parle que ficar fron-
tera ao predio com Callea areia eossos quei-
>ii.idos com o necessario declive para escoamen-
t das aguas ; os donos ou foreiros de terre-
nos para a edificaco de casas Hco sugeitos as
mesmas disposices : os contra tenclores fica'o
tbrigdos a mulla de oito mil reis e despea
que se fiser com a obra responsaveis os 're-
dios terrenos", ou posse asatisfaco
Art. S No prio de tres mezes depois da
puhlicacoda prevente Postura todos os Pro-
prietarios de Predios urbanos concertars os
passeios de suas cazas ( vulgar e abuziva-
| mente denominados calcadas j n que nunca se-
r (cito com seixos esses passeios guardaro
I todos o mesmo nivelamento demolidos por
icoiiseqncncia lodos os baienles e degros ,
que-actualmente exislem; os contravenclores
naga>ao de mulla oilo mil rs.
Art. ,: Fico desdeja prohibidos quaes
quer depsitos as ras ou piaras de materiaes
para obras salvo oblendo-se da (amara a
necessaria tironea ; os conlravenclores sofl're-
aoa pena de vinie mil reis, eo.Mestreda
{.obra cinco dias de prizo,
Art. 5 Os andames de todas as obras se-
rao guarnecidos com tahuas amarradas ou
pregadas para evitara passagem por baixo
|d ellos e de noite terao huma lanlerna acea ,
m llura i|uc esclareca bem asna situaco ;
los contravenclores pagaro a mulla de dez mil
reis, eoTlestreda obra cinco dias de prizo
Continua.
la Comarca o seo escravo cabra de nome Hy-
polito; cujos escravqs serlo entregues avista
de Documentos legaes Villa de Mores de
Paja 3 de Oezembro de i8Jo.
Francisco Barboza Nogueira P;s.
bracas, e cima das agoas mortas de ig; turbulento e revolucionario lomando a sal-
bracas. va a todos os revezes a fim de ver se pode pes-
A elevaco dos prticos que sustento as car em algunia enchurrada. Daqui a rasao
"renleshedeperto.de 16 bracas islo be, suficiente porque a nossa Constiluico exigi
Noticias Kstrangeirfts
D.-Carlos perseguido por os seus credore
No Journal du Cher peridico de Bour-
ges se l o seguinle
" Nesles ltimos dias apresen la rao-se na
hospedara de Panetle, onde vive Carlos ;
duas personagens cuja visita linda um objc-
clo muito menos cavalheiresco que o dos cien-
tes mais ou menos illuslres que vem de varios
pontos de Franca para adorar o symbolo vivo
ila legilimidade. As referidas persona;;ens
sao dous ausentistas do exercilo de Navarra
ou dous empresladores ao pret* ndente os
quaes munidos rom os (lulos e documentos
legaes, reclamo una liquidaco, com (aula
maior urgencia quanlb leiru-m grandes riscos
com a demora Parece que nao querem con-
lentar-se com promessas.hvpotheradas sobre
os milagres que em um.da'bao de conduzir
o 'ei nettodesde Bourges aos domados orna-
mentos do Escorial Por issp manifesto inlen-
co muito decidida de exigir falla dedinhei-
couza de 5 a 6 bracas mais alio do que a co- para volar as elei oes primarias a renda li-
lumna da praca de Vendme em Paris.
A distancia entre os pontos d'apoio das cor-
rentes, re de porto de 90 bracas -Nao ha em]
Franca ponte to grande de hum s lauco ou
ireo. A ponte de Friburgo na Suissa ,
lem mais 5i bracas de lanco que esta
(Correio de Lisboa).
Sr. Redactor. Parte af de Novom-
hrode 18 8
Hum das maiores capacidades de que s*
pode a Medicina assoherbar huma das mais
bellas glorias scientificas da Fraiua acaba de
extinguir-se na pessoa de v?r. Bronssais. Os
amigos deste celebre medico os admiradores
de seu genio exprimira o desejo de ver levan-
lar-se por subscripeo hum monumento sobre
a sua sepultura. Este desfijo nao pode dcixar
de ser applaudido porque tenue a honrar
huma gloria.legtimamente adquirida por 4o
anuos de Irabalhos por 4o an-oos de servicos
feos a scencia a philosophia e a hurr.a-
nid.'de. ,
quidade 100U rs. annuaes para ser Elleitor
a de >ooU rs e para ser elle ;ivel Debutado
a de 00U rs. e para Senador 800U rs.
Vas no lempo em que i feita e jurada
a Constiluico a moeda nao titilia o mesmo
-alor que h >je : o que enlo se comprava por
cem mil res por ex., agora se nao compra
por menos de cenlo e sessenla e tantos mil rs.
Alem disto releva que toinem a gerencia dos
nos sos negocios que nos gdvernera em sum-
111a os oidados que mais lem que perder ,
os cidados mais empenhados na manuten o
da unjrin publica os cidados mais dignos ,
e que nos offare aa maiores garantUs Uo
modo porque al agora seelleiluao as nossas
Ellei oes ; exigindo-se lo pouco para ser El-
Icitor para epulado', e senador nao es-
peremos que as nomeacoes recahia se nao
per accidens nos sujeilos mais dignos.
Os caballistas confiados na faculdade de
serelleilos visto que aoo rs. de renda nao
ha pelintra que deixe de er, udem a
sua teia as elleicoes primarias ; e basta ,
ridade dos Tribunaes.
I^o ha ninguem mais
desalcnrioso do que um redor que
perder o seu dinheiro.
I
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DE
CALINDA.
i Sessao ordinaria de a5 de Outubro
Presidencia do Snr ( uodes.
Foi abeita a Sessao estando prezenes os
6nrs. Vereadores Amaral Laage Jnior ,
J'r. Rozelles, e Albuquerque ; faltando com
cauza os mais Snrs.
Lida a acia da antecedenle foi approvada.
O Secretario dando con la do expedienle
nao mencionou ollicios por nao os haver re-
cebido
Resta mesma Sessao foi miltido a prego
os contractos do Patrimonio que se aclio por
arrematar, e nao ouvero lancadores a elles-,
e por isso resol veo a Cmara que se parleci-
passeaolxm. I residente da Provincia afim
de ver se o mesmo Exm Snr mandava que
se lornasse a por em praca pelo termo medio
do que se acho oreados ou se'devio icar
por-fldmiuistraco desta Gimara.
0 Procurador presenlon suas contas do
ultimo trimestre do anuo financeiro Munici-
pal (indo du ultimo de Setembtop p as
quats forao remeltidas a Commisso dos Se-
nhores Vereadores Ferreira e Albuquerque.
1 ispacharao-se requerimentos de parles e
dada a hora o Presidente le\antou a Sessao.
De que fiz a presente em que assignarao. Fu
Joze Joaquim de Figueircdo Secreta rio a os-
crevi. Gucdes, Presidente Amaral La-
age Jnior, Rozelles, e Albuquerque.
Est conforme.
I Joze Joaquim de Figueiredo.
Secretario,
O Preteito da Comarca de Floros de 'aja
Formou-se j. huma commisso para levar a que leiilia") qualquer mando, quaiquer infiu-
c.xecuco esle proposito aqual he com- encia rio innocente povo da 1 arochia para
posta dos -srs. Orfila deo da Faculdade de a ranjar Ellcilores sua vontade. E quanlas
Medecina ; l'ouillaud l'rofessor na mesma vezes at na porta da Igreja se distribuem por
Faculdade, Barfio.Larray Inspector geral muitos que nao sabein 1er, nem assignaro
dasaude dos exercilos ; Gasc i Medico do seu nome punhados de listas de que esto
ro as garantas mais positivas e seguras re- Hospital de Vale du -Grace ; Laneuville ex cfaeios os chaj.os dos traficantes das elleicoes !
rorrendo para slo so for necessario ; aulo- intendente militar : Evarar, intendente mili-! Engendrados os Elleilores vontade dos ca-
lar JNepomuceno Lemercier da Academia ballistas, fe i los esto os Debutados e Sena-
Franceta Droz d'Academia de Scieiicias mo- dores da mesma estofa ed'aqui resulla virem
raes o poli ticas ; Hoche d'Academia de medi- a representar, e curar dos interesses da Na-
cina Frappart medico; l.acorbiere me- cao, nao os ijue o merecen nao os mais dig-
dico, e J B Bailliere livreiro. A com- nos, nao os mais independentes se nao
que se (rada ? I'a friolcira d'uns %co mil misso reunio-se honlcm e constiluio-se im- muilas veces bisborrias maninellos os mais
francos ( o contos de reis). Eia nio ha re- j mediatamente escolhendo o Sr Orfila para gerigots 5 e intrigantes. Adviilo que esta
medise nao abrir urna subscripeo para que a presidente, e a mim para Secretario co- regia sofre suas mu honrosas exceptos. Ora
lc;itimidade pa;ue as suas dividas, celia re-; n,o tal e em nome dossa commisso rogo- liwmcns de nonada que soire'janieule buscao
cobrara o crdito Jibe, Sr, Redactor que se digne ajudal-a a o alio Cargo de Representantes da JN'aco por
(El Correio Nacional.) cumpnr asna obra de reconliecimento e de modo de vida, raramente terao a precisa in-
l'; orreiodc Lisboa de4 de Novembro)'j1,s,'Sa publicndoosla caria no seu jornal, dependencia, raramente deixara de promo-
eannunciando ,-que a subsrripco cst. aberla ver os seus para zellar os interesses do Povo :
lodos os dias, excepto nos Domingos, e dias pelo contrario elles cuidaio d engrossar as
rece1a
Eis aqu huma boa
occasiao para que os nossos legilimislas deem
urna prova do sea afecto no pretondenle De
Santos, das dez horas do dia as 4 da tardo rendas publicas por meio d mpoatos para lser
"cn'lc. nos uabinees da Faculdade de medicina do lace enorme despe/a com immensos empe-
ira si.
Noliciasdo Paquete.
Chegaro folhas inglezas al "do correnie. nos gabinetes da Faculdade de medicina do ae enorme despt..
l'iz-sede Constantinopla que Ibrahim mar- hospital do Val de de Grace em casa do Sr gos que nao sessarao de pedinchar par
chara sobre Cesrea e que os Negocios d'O- ''''iliicre livreiro, ra da Pscolh de medi- para os seus amibos &c. 6cc.
nenie em breve ficaro urranjndos. O Campo L'ina e em ca^a de lodos os Redactores dos Na Lei do Orcamento nessa Lei da Leis ,
ornaes de medicina da capital. Tenho a nesse principio vital do Estado he, queresi-
(fioche ) de,, em meu humilde juizo a principal mo-
__________ la da felicidade publica pelo que eiitendo-
que em quanlo essa Lei nao for feita [>or liuma
maioria de cidads industriosos islo he por
homens que mais conlribuha para o Fisco ,
de Borodino consla de '0:000 homens. com u-
nia reserva deO'o oo O Jornal do Oommer-
ciclallade ta/j officiaes presos por implica-
do* na conspiraco de alguna officiaes dos
Corposdo exercilo Russiano, com especiali-
dado no do General Geismar. A Imperatriz
da Riissia ach.-va-o gravemente enferma o
que linfa retardado o casamento do (ran 'u-
que. I isia-^e que o Conde de Mirad ores ,
Eml.aixador Hespanbol em Paris recebera a
honra etc.
Cara i) ti ce i ro
Alguns remedios a os nossos males politices. e tle"e nfld" l)e,ccl,ao i os nossos negocios iio
sempre de mal a pior ; nao )>aver- dinheiro ,
Longe, ebem longe estou de nutrir pre- (|UC clle'l,e\> simposios iro em hum pro-
;;......' 'i"""'r'" "s recenera a sumpcos de Poltico e Estadista ; puia nao reU borrivel e as revoluces nunca terao
ratruzdaLogiodeHonra e que Sonlt me alordoao os fuios do amor proprio a ponto ,im; P"lue luiidainenlo de lodas estas he o
mandara difl rentes officiaes conferenciar com de ilesronliccr a minha pouquidade como na,ural dtse.l dem.unar. e como pira (|uo
os cheles carlistas, que anda resisten na poiem'a nnauem codo o passo no amor'do ?es mainoni 1ie unsfer que se desmamcni a-
Mespanba, emostrar-lhe o verdadeiro estado Brasil, minha Patria, du-o franramomn (luellcs e ,0'Jus querem mamar ; d'ahi .asee
das cou/as.
Os Inlezes bavio tomado por assalto a for-
(aleza Ghuznee que os indios repulavo in-
conquislavel ; a guarnico de tres mil o tantos
homens ficou prisoneira com um filho de
' ost \'ohamet Re de Cabul que a coni-
mandava O.Rei de Cabul marchando des-
cidadecom ia.000 liomens, para se oppor
'Ingleu-s, estes se debanda rao e i-'osl
ir.
M
aos
Mohamet apenas pode fugr com pouco mais
de cem Assim pode-se considerar como a
acabada a guerra do Afl'ghnisto havendo o
antigoRoi Shah Sbooja sido proclamado em
Cabul Capital do I eino.
As Authoridadesde i anlo mandaro nu-
lilisar todo opio apprehendido, e publicar
ao mesmo lempo dous ediclos ; por o primeiro
prohibem os navios chins de commcrciar com
os cstrangeiros de qualquer modo que seja c
DrOiImPIT) f\nf\ n rnrnn'or
labaixo assignado avisa aos Snrs Manocl
lOuedes morador no Engenho da Ala -oa ver-
Inielha termo da Cnmirca de .Maceio que
loo dia primeiro de Dozembro correte foi
rezo, c recollido a Ca.leia desta Villa
excepto com os Portnguezes de Macan ; por o
secundo mandioentrar no porto todos os na-
vios estrangoiros denlro em cinco dias ou sa-
hirom lodos no mesmo prazo.
Os nossos fundos de cinco por cem fico de
33 elres quartos a*3 e um quarlo. leudo
C..0I0 Claudio, que a Ululo de forro apareceo diegadoa <7 ,,, anles das ultimas noticias
nesia mesma \ rila com o nomo de Manocl An-; chegadas de Liv
tonio, e sendo interrogado confessou perlence
1
oa
lao dito Snr Gudes Antonio Francisco
morador no liocife ou p?rlo, e nr do
j [jgenb.o do Cap ( ::' caii ou traip ,
jue na ( adeia se ada o escravo Jos Angola
klrapalhado no fular que pouco se percebe,
francisco Ignacio de Paira morador no Jnpi
Comarca de Gar.mhuns qne se acho
prezes os escravos Antonio e Jozefa que
jnfessao pericnccr-lbes e Lourenco Urcinio
os bespaiiiioes fico de
[dem de 11 de Novembro.)
VARIOADES.
Ponlc suspensa.
A cada de se lazer urna importante cons-
trueco perlo de Nantes A elevaco desta
ponte le cima das mares vivas de 5
guem codo o passo no amor'd
minha Patria, digo francamente O (lue"es, e todos querem mamar ; d'ahi nasce
que simo, atiroparahi as minhas pobres i- l(ia a desordem. IJuns que tslo aprovet-
deias e lembro o que me parece acortado da funcl a l)U.lilduia naturalinenle dese,ao nao
mesma sorle, e com a mesma boa f com larai' a lcla > M" imjiolgrao ; oulros sequio-
que qualquer pessoa compadecida dos so ri- sos e tlue,se "ao Ju'ga6 de pior condko ,
mentosd hum enfermo ensina-lde remedios Muere'-lh a tirar para si ; e eis donde pro-
cazeiros quejuga proveilosos embora Ihe cet'em as eciiminaces os desconlentamen-
fallem os osiudos Physiolouiccs, Palhologicos, loS as '"disposi oes os odios, as parciali-
e I berapeuticos / tlades, e as revollas.
A' vista de tantos males que de lodas as ^ P0')re'-- "o he crime certamente ; mas"
partes nos accomeltem al;uns ,, quanlo a tiin^'m nao lie vil lude ecomquano pobres
mim, pouco rellectidos queixao-se da Cons- "a|a niuilo dignos e honrados, todava a
liluico por aquello sofisma alias mu i ordina- le rio c vulgar Post doc ergo propler boc. ^ Hidependencia ; pois he | mu sabido pro-
Mas eu pelo contrario sempie quiz quero, e 0,IUIU que tjuando a necessidade entrar pe-
quererei a Constiluico ; ponjue para mim )a Pol,a a virlude oscapa-se pela janella.
Governo absoluto le synonimo de gover- J eni-se visto e tlvec eu mesmo podesse in-
no d'engenho d'assurar, onde s se co- ?igilar Deputados pobres poiem de carador
nhfce a vonUde do senbor eludo mais he "dopendoiile e desinltrtssado : mas nao he
escravo; finalmente figuran l; j como quize- essa a ri'''1 Svr*l be untes huma honres
em essas Monarchias palernacs de (Sumas 1 exceptu. iJuitos procurao esse lugar, com
Titos, Marcos Aurelios, Traja nos &c; ; meio lacil, e quas infallivel de arranjar l
vida, d'entabolar fortuna, oajde soldar a (|ue-
bradeua. E poder huma maioria de taes i-s-
no Ibes descubro c-stabilidade nem-garan-
tas ; e por isso antipatizo naturalmente com
taes lornias de Governo.
A onledc quasi todos os nossos males po-
lticos provm a meu ver do svstema Kl-
leitoral ; poique d'ahi engendra^-se os Ro~
preseutantes da Naci, dcsios dimanad as leis,
os imposlos &c &c. Julgo pois de absoluto
neressidade o exigirem-ae mais garantas assim
la paile dos Elleilores como da parle dos El-
legiveis. He da ndole do Rgimen Repre-
set.laiivo o concidetar por principal garanda a
dos rditos de cada hum ; pois em verdade
iiuem mais possue om qualquer paiz mais
interesse tem no seu socego progresso c
prosperidadc aquelle,que nada em de mero
locatario, c nao ser maraviiha o lornar-se
1
mo
a
poucra mima maioria ae
peculadores promover a felicidade dos povos ?
Eu onlendo que nao.
Mas dual dever ser a reforma Elleitcial ?
Direi Irancaiflente o meu pcns>menlo a esle-
respeilo Nao soa de parecer, que se altere
0 leudimonlo dos que (em de votar as ellei-
coes primarias justo he, que o Povo conti-
1 aexercer esse impoitante acto de sobera-
na at pela raso deque muito convm co-:
modizoSr. Jeremias Bentham que era o*
Rgimen Representativo os grandes os pode-
rosos, os legisladores etc. esteja em corta
dependencia do Povo a fim de bes abalero
natural orgulho a fim de que o elemento-
Democrtico reprima as exclusivas pretences-
.Vi
T
J
1


**
dbab
DIARIO
D R
P E R "N A HBCff
d Aristocracia. D'ahi nenhum mal resulta ,
huma vez que se estrelle o cireulo das rapaci-
dades Elleitoraes e das capacidades ellegi-
veis quero di/er ; huma ve/, que osque^o-
ta nos Elleitores se;a limitados a votar em
cidudos mais conspicuos mnis dignos e que
oflereio mais seguras garantas o misino se
'deve entender, e com muito maior rasao a
respeilo dos Depulados e Senadores. E\i-
ja-se pois para Klleitor a renda liquida annu-
al de lium cotilo de reis para ser Deputado
lum cont e quinlieutos mil reis ; paia Sena-
dor dous conlos de reis. E nem di,",a alguem ,
que tal altera :o ou mudanca nao pide ser
ieita por Lima l.ei ordinaria porem si ni pela
forma disposU em os Arls 7 i -5 "t ,
e i y y Til 8 da Constituidlo; porque maior
ou menor renda he cousa accidental, que
nao diz respeilo. a os limites e atribula oes
respectivas dos Poderes Bol i ticos nem no* l)i-
reilos Polticos e indviduaes dos Cidados ;
e tanto assim he queja n'Assembla appare-
ce hum Projeclo Lascado nessas allemces
Ueste modo pouro ou nada influirs as ca-
nallas as el|eices primarias ; por isso que os
colantes sao adstriclosa escolher paca Elleito-
res d eulr as classes de seus concidados os
que tem a renda de.lium cont de rs. : c hem
se v', pue hum homem destes nao se dobrar
to fcilmente a votar em (|uem Ihe ordenar a
ctyapa do seu commandapte do Sr. Prpfeilo ,
do ,lui/ de Paz etc. etc. : alem de que o cir-
culo dus candidatos Deputacao sendo mais
limitado, aselleiioes recahiro sobre cida-
dos.dc melhorcs.garantas i que he o que de-
ve ser.
Mas pouco ou nenhum j roveilo fundir
esta medida se nao for acomoanhadade oulra
para mm nao menos impoitante ; e vem a
ser ; sujetar a nova ejleico o Deputado, que
acceitur emprego do Governo menos o que
por accesso Ihe couher em ilude da Lei. Esta
disposico j se cl a respeilo do q' he nomeado
Ministro d Estado ; e porque se nao extende-
ra a lodos os mais cargos que Ihe possa dar o
Governo ? Qual a rasio d aquella disposi o,
que com muito maior fundamento se nao possa
apphcar a esta ? ten Gonslituico mui acer-
a tadamenle desconfa que o Deputado que
acceita huma Hasta pe em duvida a inde-
pendencia do seu cirai ter sendo alias osle
emprego d alta gerarquia e de avullado or-
denado e por isso exige que o mesmo De-
putado passe por nova provanca a fim de se
ver se nao obstante isso continua a meraeer a
conhani.a de seus Mandatarios ; porque se nao
f far o uiesnio aoelieilodo Povo que procu-
ra ou acceita qualqucr emprego de menor
monta, de menores lucros? Nem nislo vejo
inconveniente algum j porque se quelles que
oellegera ue_pulado (di/, o Sr. Macan I nos
seus Elementos "de i titilo Poltico) tiverem
lauta couiiaiKa na independencia do seu ca-
rcter que pensem que a sua nova posico
Ihe nao iar sacrtfi ar os inlt-resses do Povo ;
elles notamente, ede muito hom grado Ihe
prestars os seus votos do contrario elegero
onlro i
, Desta medida resultar a meu ver hum
grande bem ,' e he; nao baver opinado, que
lacilmenle bigoue o Povo. ou o Governo ; e
vvrnha e servil a hum dos dous quandu se mos-
tr ptrlencer clienlella d algum ou a am-
bo q tundo tenha da Jo provas de que o
cargo que acceitou nao loi capaz de o tor-
nar liu'milde servidas vontades inisleriaes.
Geralmente fallando e salvas as honrosas
exceptes, sendo quasi lodos oseropregos a-
moviveis, o fuucciouario publico est quasi
seuipie disposiyo dos Minislros -aquem
precisa agradar com quem se \em a neces-
sidade de transigir. O Deputado pelo contra-
rio nao so he inilependente delles se nao seu
superior | como membro d hum oder em
ludo i,ual a aquelle de que os Ministros sao
agentes | porque approva ou cot.demna os
actos do dito Poder c poue con;.cniar a ees
mesmos. Pelo que o l.epulano que acceita
empregos dos Ministros vem a pr-se na co-
lisao terrivel, e melindrosa de ser ao mesmo
lempo seu servo, e seu superior. Vemi a ser
pouco mais, ou mwios como o M esle Gil de
Inolieri, vairedobr Mrquez no Campo e
seu lacaio na Gidade. guando ,\iai.e(e-
pulado) pede a palavra eu com ano-an-
da Accuso-vos Sr. Ministro por e>ta ,
ou aquella medida por M ou laes ins-
truccoes q'"" **" 1"1,1,d v,uld' d" ,Ilu"lllbU de
tdasas eis. Como emp.cgado de la/.enda ,
ele ele Mestre Gil olhcia ao mesmo (Minis-
tro e diz-lhe Exm Sr. passo ja a ex.-cu-
4ar'as inslriic.es, que V Exc. sedipiou
transmittiraseubumil.ssimoserNO, ele
Se o Deputado pede ou acceita o emprego,
WuelheolJerecem; porque delle carece para
subsistir ou poique em sumrna Ihe laz ar-
lante grande fon, o de yirtude cabe que
lenba para se nao constituir bum dos ulicos
e lison;;eirosdo (invern, e conseguiritemente
tornar-se- incapaz de curar dos direilos e
interesses do Povo. Enlendo pois, questa
medida junta primeira das eleices sanear
a irr parle-dos nossos males.
O assumpto he vasto e quanlo a mim de
vital interesse por isso nocabendp ludo no
curio espneo de humsN peco venia a mus
benignos Leilores para continuar em o se-
guiule. Eu exponbo as minh.is iileias : se fo-
r'em erradas se alguem asulgar desafila-
das combnla-m'as por principios moslre-
me os inconvenientes j que eu francamente
darei as maos econfessarei o meu encano ;
porque nao lenho oulra :nira senao em ver
reniede.ids os hoscos males Drstros Facullali-
vossabero d'oulras receitas muilo mais pro-
veitosas par- curar o doente : saia a campo ,
faca huma junta e veja se o podem sil-
var em quanlo ainda he lempo
(Continuar-se-)
VARIEDADP-
Seculo das maravilhas.
C.rande foi a peqice d aquelles qtie mor-
rt a nos sceulos passados ; porque deixra
de ver as maravilhas do presente. Sim hoje
ninpuem mais faz caso dos annos que ou-
Ir'or'a pralicava tantos estragos Hoje a ve-
lhieezomba delles, depois efue appareceo a
feliz arte de lingir aseaos e de por denles.
Com esleengenlioso ardil o homem que a-
noileceo velho ecom bocea de oveiro de ga-
linha ; amanhece de cabeca preta e com I n-
da dentadura Noiardw que venba de
Franca huma especie de loles para soprar e
eslirar as rugas ao carao .'
Correspondencia
Snrs. Redactores Como o Medico The-
beife pertende. acreditar-se e dar-se huma
imp'orlancia que nao tem. a custa do trba-
Iho aliteio, e. a despeilo dos deveres de sua fa-
culdade pois arrnga-se a apre.enlar como
triunfo de sua pericia huma cura que nao
s elle nao operou com tambem. nao leve
nella a minima parte tenha a bondade de
Iranscrever no seu jornal caria que dirig
ao Illm. Sur Coronel Lemenha e a respnsla
deste Sni. a fim dedesmasoarar a impostu-
ra de que sou inimigo ; pelo que Ihe licar
obrgado
Joo BaplistaRibeiro.
Illm. Snr Coronel Rento Jos Lemenha
Lins Constando-me por pessoas de concei-
to e crdito que o Medico Thcberge ousa
propalar com ton empbalico que elle Ira-
tara e curara radicalmente a Illm Stnhora
de V. S e que, quando he desmentido por
al urna pessoa. que sabe perfeitamente que
fui eu o, que diri; o seu tralamenlo asse-
vera, que tem carias d* V. S a respeito, com
que pode provar o que diz, ro;o a V S ,qu
se digne fazer-me o ob/equio de responder ao
p desta. i. se tcmlo-me V. S. incumbido
a hum anno pouco mais ou menos do Irala-
mento da I lima, sua Senhora enlerma a
alguns annos, e Iniciada pr diversos faculta-
tivos, ale o presente ella uzou de remedio
al,;um que nao fosse receitado par inim. *.
se a molestia uno obedecendo, quinto eu espe-
rava, aos meios. que ye bavia em pregado ,
hleaconselliei os banhos de mar, com osquaes
obleve se nao huma cura completa ao me-
nos huma melbon consideravel
Com este favor muito obligar a quem
he
Te V S. ami0o venerador c
criado.
Recife g de Agosto
ue o-'^y.
Joo Baptista flibeiro.
Illm Snr. Joao Baplisla Ribciro. Em
resposta ao, que mediz, tenl o a responder-
Ibe que tendo sido minha Senbora ataca-
da de molestia por espa o de lium aneo re-
(oniao Doulor Dmelas. Silva e outros e
nao olilendo laxoravcl resollado, foi com el-
la pera cs.-a | raca em !\Uir a do anno pasca-
do e fi/. una na qual assislirao os ou-
tores l rnelas, Filippe Veri e Silva, e de-
pois ficou tratando da Senliora O Doulor Ko-
cba Lobo ; e continuando no mesmo estado a
Senhora cbamci a V S. que I enanamen-
te se preslou para tomar Tonta do seu cura-
tivo e desde estedia at hoje ella nao tem
tomado remedio algum reteituado por
oulrem e nem de oulra botica se nao da do
Snr Berlholomeu ; e assim s a V. S. ella
deve o seu -reslabelecimenio com franqueza
Ihe digo, que o meu prente, folo Manoel,
me inculcando o Theberge, como 'edico no-
vo edesejando que elle visse a minha Se-
nhora, fez com que elle no anno passado vies-
s ver a Senbora, eenlo disendo-lbeeu nes-
la occasiao queV. S. eslava tratihdo-a. el-
le npprovou e disse, que V. S. era quem
liaba acertado ; passou reeeita e banhos
(que V. S jos tinba receitado). e pedio-me
que Ihe participasse, o como a Senhora pas-
sava. e eu o r. : porem da sua reeeita fila nao
se servio Tendo o mesmo Thebecg sido cha-
mado a pouco lempo, para ver a Marqueza
enconlrou em casa da mesma minha Senhora
boa e nada mais fez .nem se Ihe pedio ; por
que a Senhora uo quer que outro a trate ,
se nao V. S a quem muito elevemos
Esta be a verdadeira exposiiao, que tenhe a
fazer-lhe a qual nao (leve cauzar-lhe algum
ressentimenlo pois se houve algnma mu 111-
telligencia nao foi por vontade.
Estimo goze boa saude e desponha de
quem he
De V. S. amigo venera-
dor e criado
Jurissaca 3 de A-
gosto de i8;c).
nenio Jos Lemenha Lins.
COMPANHIA* DO BEBIRIBE.
O Conselho Deliberativo da Companhia
convida aos Sis. Accionistas para se reunirem
amanh (.) do crtente pelas q horas do dia ,
na Casa da Sociedade Apolnea a fim de se
proceder a ele.Lo do novo Conselho Delibe-
rativo e de Ihes apreselitar o rehlorio do
trabalhos do actual : na forma do art. 9c 10
8 dos Estatutos.
Bento Jos Fernandes Barros ,
1. Secretario.
Avisos 3>i verso*.
XST Roga-se a pessoa a quem for offereci-
do um botao d'oiro esmallado com um pe-
queo diamante tendo de pezo urna ou oi-
tava e mria furtado no dia i do corren te do
quarto do 1. Sargento da 1. Companhia do
Corpo Policial o faca apprehender e igual-
mente a pessoa em cujo poder for encontrado
dito botao.
cy Quem quiser ser ama de huma, caza de
pouca familia : diriu-seao pleodeS. Pedro
caza I). < lado da Vira o.
ssy* Pfeciza-se de hum menino de idade
pouco mas ou menos de n annos para caxei-
ro de venda ; ainda mesmo nao tendo pra-
tica ; no aterro da Boa-vista na 3 venda
ladodireito.
S*W Aluga-sehum eseravo para servir eui
qualquer casa fiel e hom comprador do ne-
ressario ; quem o perlender dirija-se a ra da
Roda D. >]. -
cy-Quem precisar de um menino portugus
para caixeiro de huma luja de lazendaso qual
tem bstanle pratica, de idade de lia 4
annos sabe bem 1er e escrever, annuncio
sua moradia por esta lolba para ser procura-
da.
SS?' Ollerece-se hum mo o portuguez, de
iRa.o annos, chegado de prximo a esta pro-
vincia para caixeiro de armasem de motila-
dos de que tem pratica ou de cobranzas,
e mesmo para fasendl, dando para esU al-
tempogralis ; quem o pretender annuncie,
ou dirija-se a 1 ua da Guia N. 1.
tjy Constando que no Engenho Calende
fora pre/o pelos moradores do lugar hum es-
eravo, loga-seaoSnr do dito Engenho ou .
pessoa que o aprehendeo de ver se o dito es-
clavo tem os siguaes seguinles: Chama-se
Francisco, naco rebollo olficial de Podrci- ,
ro, cube s sobre O granile olbos lamhein
grandes abugalhados C afumacados, nariz
mais afilado que chato, boca grande, beicos
grocos peitos balidos de idade de a< a .{
annos. Onlro de nomo \ aleutim, naco cos-
a ,,eom os siguaes seguidles* cor pela cor-
po seco, cabeca c oiellias pequeas olbos
grandes, ahogalbados e meios vesgos, naris
nmis afiliado que chalo, boca abutedada, den-
les a (angulados, pescoco comprido peil
ouvado mos peinas e altura porpocio-
nacs, (lernas finas idade em que l'ugio 16 S
- annos 5endo algum dos ditos cima
mencionados pede-se encarecidamente o ob-
/cqnio de o remeter a esta praca a entregar
a \ snoel Elias de Moraes morador na ra de
Sao Gonsalo, que alem de toda adespeza, gra-
tificar ao aprehendedor.
S3y Urna crioula lorra, e capaz offerece-
se para cervir em caza de qualquer Sr. sol-
teiro ou mesmo ca/ado com pouca familia,
' 1 ni \\\*S^mmmmmmm
sendo de portas a dentro pois propoem-s^
a cozer engomar e lavar de sabio quentj
de seu prestimo se quizer utilizar dei ija-se
ao beco da Noronha lado direito loja de
porta, e janella encamada onde mora a Sra. j
Jertrudes.
8^ i-'recisa-se de hum pequeo Portuguez
embora se a dos chegados ltimamente, ten-
do de idade 12 i5 anuos, para caixeiro
de urna loja na villa do Rio Formoio o quem
se adiar as circunstancias dirija-se a loa de-*
Antonio Jos Fernandes da Costa ra do.
Queimado i) 5.
SST" Precisa-se de hum Portuguez dos che-,
gados ltimamente, e que tenha sido crea-
do em lavoura para ser feitor em fazend
de Algodo, Onde receber vantagens pela eua-
administraco ; quem nestas circunstancias so |
achar dirija-se a ra direila padaria do Ma.
diado ou annuncie
SSF" Quem quiser trocar huma casa de So-,,
brado de dous andares, nova, e ao gosto mo-
derno em -auto Antonio, por outia de hum
si) andar no Burro da Boa-vista, annuncie a
moradia.
12?-Na ra do Aragie D. 17 precisa-se de
hum homem que se propouba a ser cria-
do.
Sjy Precisa-se de hum negro ou negra pa-
ra alugar-se; dirija-se a ra do Arago
D 17.
1^- Aluga-se urna casa para se passar a,
fesla na Cidade de Olinda defionte de S Pe-
dro novo com mu i tos bous commodos ; quem
a perlender dirija-se a ra do Queimado Bo-
tica D.
E?- Jos Gonsalves Ferreira Costa fazsei-
enle a todas as pessoas que com elle tem
transacoes, que deixou de ser seu caxeiro des-
de o dia 8 do crtenle, Hugo Enue da osla
A lonco e que se nao responsabelisa por quol
quer tranzaco que o dito lizer desde o dia an-
nunciado.
C^- Quem tiver para alugar alguma casa
terrea no Bairre de Santo Antonio, sendo o
seualuguer al 10C00 reis qpeira annun-
ciar sua moradia por esta fot ha para se tratar
do ajuste.
tsr trecisa-se falar a Snra. D. Marianna
Francisca de Barros a negoc de seu interes-
se, a dita Senhora dirija-se ao beco do azeito
de pixe numero j segundo andar.
SSr Hoga-se ao Sr. Joao Baptista de Sou/.a
Lemosauctord'Avizo insirido no diario 11. a7,
haja de declarar, so seo devedor he 1 moris-
co Goncalves Serrina morador na ra do Ran-
(el ou Francisco GoncalvesSirvina Irmao do
Capito Joz Gonsalves Sirvina.
X3T Boga-se por favor a qnalquer Sr., que
saliendo onde morador o Sr. Jos Francisco
da Silva no engenho iauJii o favor de de-
clarar pelo Diario pois se Uie deseja fallar a
negocio.
Sy Sapa tos de marroquim francezen para
Senliora a mil reis ditos de setim a mil e
dizentos e oilenta ditos de duraque a mil e
cnlo e vinle ditos para meninas a novecen-
tos e sessenta ditos de marroquim para me-
ninos ; 110 atierro da Boavisla D. nove
52?" A pessoa que quizer alugar um segun-
do andar de um sobrado na ra do fi osario es-
trella para homem solleiro ou pessoa de pe-
quea familia dirija-se a mesma ra ao i#
andar do sobrado l>. >'\.
S5&- Arrcnda-se acomecar oarrendamen-
to de Maio futuro o engenho de fabricar as-
sucar em Serinhem denominado, l.'ba-
quina perlencentc a Jos Manoel de Vascon-
celos e Mello ; os pretendentes poder dir-
gir-se a seu bstanle procurador a esse fim
a til hu isado morador na ra dos Quarleis D.
i.
tsy i'esappareceo do trapiche d'Aliandega
velha um bote com duas proas pintado por
dentro de prelo e de verde noa lados e por
lora de verde e prelo com dois remos e leme ;
a pessoa que der noticia do mesmo na rita do
Trapiche d' Ifandega velha caza de pasto in-
gleza ser recompensado
.tST Precisa -se de urna caza de sobrado de
um andar loja nao se escolliendo para este
fim ra por servir em qualquer ra menos
110 atierro ou fora desle haino de Santo An-
tonio assim como duas casas terreas juntas
una da oulra equq sejaO de um s dono :
quem tiver annuncie ou dirija-se a Reslila-
cao da 1 ua de Mancoco, que l se dir quem
perlende.
C?" Furlara a 8dias pouco mais ou me-
nos duas colheres de prata novas, com a
01 ma r (i na primeira letra ; quem as tiver
comprado, ou Iheforemo crecidas, pode-as
levar no segundo andar do sobrado D. 7 ua
rua das Cruze* que se gratificara ou 11-
demnisar da qnantia porque as houverens
comprado.






Di
m
Ario
DE PEllNAMBL'Cb
mmmmmmimmmmmmmamimtmmmmmmmmmmmmmm
m
m**m
rinda do Rio de Janeiro para sc filho Ovidio
Saraivade larvalho.

C^ Pedro Garhoyia .cirurgio italiano,
Inventor fabricante do balsamo homogneo
jn ptico, liavendo previamente, olerecdo
;esta Iflustrissima academia de medicina e a
'virios Sis profesores da capital do imperio
do Urasil alguna vuivos do dito balsamo ,
c-m Bmstra para que possa ser experimen-
tado por habis facultativos ; e'verificar no
mesmo a energa e quasi instantneamente a
' i ace com que produz os seus milagrosos etlei-
tos! como ja o declaran muilos jllustrados pro-
fessores clnicos de Roma Capoles, Floren-
ca Millo &c &c. (]iie com suas ccrdi-
doenso comprovo resol veo-se a ter semprej
prompto um deposito de vidros d'este lalsamo
na sua casa ra da praia da Gamboa n. >iQ e
tatnbm no largo do Paco n. io' arlverle-se
uo respeilavel publico que o antlior desle bal-
samo tem em todos os vidros a sua re rita im-
prcssa e na mesma rcceita a sua firma e
todo e qdquer vidro que appnreca sein a dita
receita he falsificado pelo qual o dito author
nao be esponsavel ; raz esta advertencia para
que o respeilavel publico nao fique engaado,
'- e seu verdadeiro autlior com|iroinctlido.
As virtudes d'este remedio sao : curar e
sarar com a maior promplido quaesquer fe-
ridas produ/idas por armas oti acaraces ,
inda que ja estejo em estado de cbagas cr-
nicas, esponjosas e ptridas, ulceras, can-
I crasas venreas ou escorbticas sarnas ,
eiisijelas scirrbos mal de I.asaos e ge-
ral mente todas as molestias cutneas rlieu-
'" mutismo shialiras gota bichar,pens e
| fraquesa das arlicularoens queimaduras ,
r fstulas de todas as qualjdades mordidclas at
de animacs peconhentos e lomado por dosc de
. gola internamente cura e extirpa as lom-
' ljrias nao exceptuando a solitaria nalbema
[ a meuslru 3o, e calimas dores clicas ou sim-
ples de estomago ou venlre : tomado mdica-
mente todos os dias preserva das enferrida-
des contagiosas e estimula o apetite do co-
mer finalmente applicado em friccoens cal-
ma e Socega as mais violentas dores crnicas ,
tanto cauzadaspcla gota como por rhcumalis-
mo cu Incbacoens dos ossos con heridas pe-
lo noroe de evhostesi*. \ epde-se ncsla Cida-
de na ra da "Cruz botica n ->J.
sy Quem precisar de um criado estrangei -
ro para dentro ou fora da praia, dirija-se
>o atierro da Boa vista I) |#i,
CT Nodia I7 do crtente as l\ horas da
tarde se bao de arrematar qualio escravos na
noria do Juz Casemiro Jo: de IWoraes Sar-
ment, la do Rosario larga
Umbelina Joanna de yasconcellos roga-se oes de todas as cores a6oo rs. a vara
queira antiunciar sua residencia ou mandar prela de esrrevei- 86 rs. o hoo e encar-
saher o que Ihe diz respeito a rasa de Gaudi-nada a oo'rf. % tras militas miudesas por
no Agostiiiho de Barros pracinba do Corpo pre,o commod ; na ra do Cabug loja De-
Santo D. ir] aonde existe lambem ma caita
Avisos Martimos.
.PARA O RIO DE JANEIRO com todo
brevidade por ter parte de sua carga prom-
pla o bem conbecidoe velleiro Brigue Bom
Jess do qual be Capito Jlo Rodrigues
Amro ; quem quiser carregar ou ir de pM-
sagem para o que tem excel entes com modos ,
dirija se {andino Agostinho de Barros ,
pa"iuha do Corj>o Santo D. bj, ou ao Capi-
lo a bordo.
P.V A O CEARA' o Rergantim Brasileiro
Roa ven I nra, sabe at odia ao do correle;
quem quiser carregar dirja-se a Manoel lo-
aquim 'edro da Costa rua da cadeia n. f.
RARA O RIO E JANEIRO segu com
toda brevidade o Patacho Nacional Relia Car-
lota ; quem no mesmo quiser carregar ou ir
de passagem para oque tem excellentes corti-
modos, dirija-se a Gaudnn Agostinho de
Ra ros pracnha do Corpo Santo "- ou
ao Capito Francisco Jos da Silva a bordo.
cima i
ity Duas mezas de meio de sala e duas
tinta Antonio de Voraes que ser recompensado
tai" Nodia 13 do correle fugio um mo-
lequde nome Antonio de idade de 6 an-
uos, secco do corpo bem retinto cambado
das peinas para dentro nao milito he bas-
tante ladino ; auem o negar leve a rua da
. I, e i I a o
tsy Joo flcwart. Consignatario da Rarca
In;leza ary*< harloite-Weber, arribada a
este porto lendo dedispor departe da carga
da mesma Buca para o seu cosleio. e concer-
t que neressa llmenle lem de fazer nesle por-
to ; faz Leilo por intervenca i do Corretor
Oveira (Ruarla feira de/.odo do correnle" ;s
de/, botas da manhi em ponto, no seu arma-
zem da rua da Cruz. de um grande sorlimen-
lo de (atondas fraucezas cu.is qualidades nao
se podem agora auniinciar por- nao estar anda
pronto osen despacho n alfaudega.
C o ni j> r a s
ouro velho quem tiver an-
tST* Prata e
nunde.
Vendas
Folbinbas de algibeira ; contendo
alem do Kalendario &c a confissao do ma-
l rUjO e um I alo; o entre um Algara vio e
g^ Qualquer pe.isoa que quiser duas ca- sua Marta q l ii,o ris cada urna; Ditas de
sas no lugar de N. S do IVionte para o lempo dita, dita, dita com anedoclas, historias bona
que Se lesl'eja a dita Senbora dando urna es- dictos &c a x o ; ditas de porta divididas em
mola para adjutorio da dila fe ta dirija-se semestres, a seis vintn* o auno; dias Fc-
a rua dos Pires na Boa vista, D- ii. I clesiaslieas a pataca; na praca da Iudcpen-
cy Quem quiser e tiver para alugar es- 'dencia loja de livros n. e 3H na rua do
eravos possantes que I raba I bem bem em arma- eabug loja do Sr Bandeira no bairro do
Recife na rua da cadeia loja que foi do Sur.
Quaresma ; delronle da lgreja da viadre de
Dos venda da quina do beco do a'.eile de
'tanquiahas de madeira de mo mo modernas
cliegadas de Hambur;',o ; em casa de Hroian.
vJebrtcns i ta da Cruz i r- S.
sjgr Uina yenda no lugar da Magdaleiv
junio ao sobrado que servio de cadeia (M
poneos fundos e bous commodos i ara familia
i fallar com Manoel Fructuoso da Silva COAi
'enda no atierro da Roavisla que dir com
quem deve tratar
%SF" Cm selim em bom uzo apparelliado ;
no srmazem de vidros ao lado da cadeia c os
livros seguintes tboas de logarilbmos por
Callel tratado de aftilheria, e demechanica.
t^- Dina escrava parida de poucos dias
bem moca e com bastante leile ; quem a
quiser annuncie
trg~ Um preto ladino de idade de vo an-
nos ptimo para pagem ; na rua do Livra-
menloarma/em de lonca D. 3.
SST Taboasde pinbode lodas as larguras,
e comprimenlos e una por.ao de relugo :
alraz da casada opera armazem junto ao so-
Inado.
%3j- Vinbodo Poito da melbor qualidade
possivel a Canad a
dito de I isboa dilo de Selle, paios chou-
rissos mu no vos cli perola e isson em
hilas de duas libras ecaixas de onze e i < li^
bras de isson btalas ingle/us man'eiga
queijos novos, e todos os mais gneros de ven-
da por preio commodo ; na rua do Raaj|el
venda I) i quasi confronle ao beeo que vai
para o beco do T/iceo.
KST Urna esciava creonla moca, cozinba
quem o pegar leve a
!>uz ii. 4 quesera reramnensado.
C?" Nodia o do correle fugio um preto
le nome Vlalheos denacao angico de Ha-
le de 4o annos esta va' trabalhando no sitio
i;oaziuhaao p de Behiribe, levou vestido
Isa de panno da cosa com lutria zoes ca-
misa de algodo deseonfianca que tambeni
levou urna japona de baula azul forrada de
liln ama re la ; quem o pegar leve ao dito si-
lio cu no Recife a Manoel Antonio da Sily'a
Wotta que gratificar. '
SSf Domingo oilo do correnle fugio um
preto de nome Frandsco de naci mina, com
suissaa e barba serrada Com defleito em i
olho que nada v ebrio do corpo, estatura
regular ; quem o pegar leve a rua da cacimba
armazein de assucar u. 5 que ser recompen-
sado.
X3T Vio dia io do ebrrente fugio um cabra
de nome Joo natural de Monis de ii an-
uos de Had levou calsa'branca de brim liso,
camisa de madapolao chapeo de pal ha una
sicalriz por baUo da barba e Ires marcas d
vacina em cada braco sendo vaginado a dez
dias quem o pegar leve a rua da onceico
do Recife D <4 quesera recompensado.
%ST FugiraS do Engenho Machado no dia
i' para 4 c' correnle dous escravos pardos,
um por nome Antonio cor alaloada cara
larga cabello caxeado boa estatura cheio
do oarpo e urna profunda cicatriz d'um tiro
no braco direilo e oitlro por nome Jos ca-
ra redonda e bastante marcada de bexi^as ,
baixo grosso e ps alguin lano enxados)
o diario de um casa faz renda, e tem drill- levara bastante roupa e um chapeo de pa-
cipios de costura e he boa ewgommadeira ; lhinha fina ; o primeiro foi escravo de Jos
"ov
D. Jo
7.em de assucar appareca Ha rua do Viga-
rio por baixo do allaiale Joo Vuissimo.
d" A leln que honlem aununciei ter per-
dido de goo ooo, acceita pelo Sur. Antonio
Jos de Oveira e endocada pelo o Snr. Co-
ronel Henrique l'ereira de Lucena, avencer
em I ezembro de Sio tornei e aeba-fa,
e ngociei com o Sr. Allonco Saint Martin.
Francisco Antonio Pereira dos Santos
t3" Quem llie convier dar 00,000 para
reeeber em tijolosde alvenaria posto em qual-
quer porlo por menos do preco regular ; di-
rija-se a rua nova loja de Ferreira & Rraga ;
ananca-seser bom lijlo e da-se cumpri-
menlo at o fim de \'ar o.
d" Aluga-se um leicciro andar de um so-
brado na rua nova ; a tratar no mesmo n. 3a.
|r Quarla fvira i-> do correnle be a ul-
tima praca ein que se ha de arrematar por ren-
da annual um bitio no arraial com boa casa de
\ivenda e commodos suficientes para lami-
lla, as pssoas que o pretenderen! dirijo-se
no dia a cima dilo pelas 4 horas da larde na rua
do Fagundes em casa da residencia do Dr.
JuizdoCivel da terceira vara.
tsy Arrenda-se metade da casa do sitio de-
nominado Pisa pelo lempo de festa e o mes-
mo sitio annualmente ; a fallar no mesmo, ou
ha casa delronle da cadeia t. 5
tor A rrenda-se o lerceiro andar da casa
fallar
no se-
da rua de S Francisco I). 5
rundo andar do mesmo.'
jjy (v;f m tiver para alugar urna casa ter-
ea aleo preco de nove mil rs nitnsaes sen-
do as rus segaintes ; > ponas ; a^oas ver-
des bollas, ou direila annuncie,
l_y Oucm precisar de urna aftia para casa
de um borne solteiro, dirija-se a rua de
ajioas verdes D. ''6.
cy Piecisa-se alugar um sitio perlo da
praca com casa de vi venda, e que lenha al-
guma rvores de Iructo ; quem tiver annun-
Existindo nesla Cidade a Senbora D
vista
e em
Escravos Futidos
peixe ; defronte da Vatriz da Boa
botica do, >r. Joarjuim Jos Moreira ;
Olinda Botica da ru do Amparo.
CT Selins ingle-es elsticos, chirote de
estalos, dilosde carrinho ebegados uilinia-
men'e de Ing aterra espadas prtiadas de
roca esem ella lalins e cananas para ofbcia-
es de G. N. ditos para cavullaria bandas
de seda barretinas para officaes de cavalaria,
e cacadores chapeos envernisados a molema
para pagem couro de lustro para sapa los ,
sapaos-deduraqne e manoquim para senbo-
ra bolizinhos para meninos dilos de be-
zerro para homem e para rapaz tudo por
preco commod ; na rua nova ii i < e 14 lo-
ja de Antonio Ferreia da Costa Rraga.
S3T Manleiga ingleza em barril de duas
arrobas por dez mil'rs cada birril ; no arma-
zem de Femando Jos Braguez ao p do ar-
co da Conceii o.
s?" Lip oiian ; nmss taboauiiiia e i S^> N'o dia 4 uo corren te-fu gira o dous ne-
uma canoa pequea ; na rua do Livrameuto gros com o? signaes seguinles Joo calmuda ,
D ao. I boa estatura grosso do corpo, mos e ps
ES" Ladrilhosde pedra ; em casa de N. O. grandes cara larga olbos papudos com
Bieber & Companhia roa da Cruz u 6*. pouca barba cor fulla l^vou camisa e cal-
S^- Rap Piirceza muito bom em libras, sa de estopa ja velha a camisa de mancas
a l/|00 prximamente ebegado de Lis! oa e curias, e um bonet de maru'jo e de panno
bichas de todos es lamanhos ^ muito loase por azul ordinario aberto do lado com fita prela,
preco commodo ; na rua do Vigario venda de lie ganbador de rua e consta andar ganlian-
Themotheo Piulo Leal n. 3o. do pelos bairro da Boa vista e S. Antonio; o
tsr
na ( apung
pibaribe ; a tratar r.a rua das Cruzes com Lu-
u Jos da Silva coi (enda de. Marcineiro.
CT Urna nesga de tena em chao pro-
drios
casas
ra
ran 113.
uy Fitas de parca lisas e
ra ; i">
na rua estrena do llozano u. jo segundo Tlieodoro, de cujo |)od^ andn fgido tan-
andar. n>s > nervindo'como forro em varios balalhOes
ssy Um ravallo de boas Carnes, e bornear- da G Nacional naqualjdade de corneta no
regador, e esquipador por 70,000; ua rua que be hbil j e o segundo foi escravo de An-
Augsta casa da quina que tem lampio Ionio Joaquini do, arai/o morador no lugar
t3y Rolus de angola muilo cantadeiraj no da Tellia, villa do Queixaramobim': roga-se a
assougue do pateo do v armojunlo ao sobrado, id"s <>s Commandanles deG N. a quem o di-
que se esl fav.endo. es^ravo baja de se ir ollerecer para o exer-
tST Sacas de arroz vindas ultimrmenie de cicio de corneta e igualmente as Autborida-
Babia por preco commodo; na rua das Cru- des Policiaes ououtra quahjuer pessoa que
zes D. iq. encontr os sobredilos escravos hajaodeosap-
tsr- Urna negrade idade de 15 annos co- prebender econduzil-ps ao referido enge-
se engomma ecozinba ; na rua direila ni !>.bo ou nesta Praca casa de 'edro Ignacio*
casa de'Manoel Buarque. Baplisla praca da Roavisla, queseachaau-
ur Urna escravade boa figura faz lodo tborisado para saiisfaser toda a despesa e re-
serv.o de urna casa e um ne;ro liabalbador compensar generosamente,
de encbada, e ganbador de rua ; as i pon- *2J- No dia % do p p. fugio una preta d
tas 1). >i. nome Graca de naco banguella alta, ma-
XZT Papel paulado para msica ,e urna gri tem falta de dois denles, na frente,
rica estante de acarand propria para acom- rendia mcl de engenho levou vestido de chi-
panhamenlode piannb todo preco comino- 'a ra"a panno da costa, de um covado
do; na rua da moeda 11 i5i. de letras azues e brancas e por isso roga-Sa
XSf Urna casa terrea sila no paleo de S. certa familia perlo desta prrfca a mande en-
Pedro lado da vira o ; quem a pretender Iregar a seu Sr. Fradcisco Gonsalves do Cabo
dirija-se a loja de fa/endas de Manoel Joa- na ra Augusta que promette ficar obriga-
quim da Silva nos qualro cantos da rua do do. ei\m silenci rrienos castigar a preta
(^ueimado ; na mesma rasa se acbao a venda gralificar a portador com 10,000.
duas rei|uissimas carteiras de costuras de se-
nbora urna de xa rao e onlra de sandro
marchetado de piala e marfini ambas da
India.
C?" Tres molers de idade.de if\ a ib' an-
nos 4 escravas de idade de tu a >o annos de
naco an,;ola. um moleo de
de mull fiel eduas|
vico de urna casa todos
mni lindas figuras, e se a fiama nao leiem
"icios ; na rua de agoas verdes s8 .
l^r Superiores Cliarutosda Cffcboeira em t,
caLxadeopcn-4000. na roa do Cabug loa RW J f"W)' ,'" ,as ."^ "espa-
do Sr! Bandeira J ''' taniles equip i2, em.laslrO; a Scliramm.
FER \ AR \)') ; < dias Bi igue Nac. Jpiter,
Capilo Jos X ivier V anua carga pedia ;
9 >J.anuel Aires Gucrr- passa-eiros oiio
soldados 7 sentenciados, j mulneres dos
ditos a mais i\ pass-ageiros.
Mu\ i me uto do 'orto
NAVIOS ENTRCOS NO CA 5.
o de vo anuos de ida- rtcri/xA > n :U *t es.\v t .
pretaspara.odooser- Uf^' *' d'f > Br\*w *** P1'"'1 *
i estes escravos sao de i7* ,onc! M ,'om,0* Fwtir da Sil-
va equip. 17 ; cartageneros do paiz ; a
Joa;|uim Gonsafves Ferreira passageiros
dous.. .
.y, .,.. ^.., ,,. JU. u |,c.ua ii.niKi ni uua vista e j. /intoilio ; O
Um terreno com H6 palmos de frente outro de nome Pedro cabund altura regu-
nga na csira-la que vai para o rio cu- lar magro, cara larga olbos grandes e
apitombados
mir os cabellos avermelbidos ps" grandes.
falla
muilo e responde a qualq-iicr coisa que
rios qae se po asas, no lugar dos i oellios, com frente pa- u/ida a caha rota nos joelhos e as mangas
a a rua do Jardim ; a Iralar na rUa da Glo- da camisa curtas ,. chapeo de palha velho
as
itas oo rs a vara e largas a
laVrad
/,oo,
canoeiro
eslrti- Olinda
e consta andar lazendo frete
para
e Montcfro ; quem os pegar leve a
guarni- rua da cadeia era casa- da viuv* *J AnacletoREClFE NA TTP. DEM. F. DE F. ttfy
ERRATAS.
No" Diario de sevta feira 1 4 do corrente De-
zembro Na carta do Visconde de Goianna ao
Gabwte Lillerariov No periodo finalmen-
te diga-se :
Finalmente dira urna r.oco clara do que
erao socios houorairos de que se faia coufu-
que parecem incitados de dor- 'menle no art. 1 < e que se deverio enten-
der socios auzenles e ado.aris os seus ouus
ao menos noque bastasse a equilibrar a pri
vacio do gozo pessoa I. .Mas devo acreditar,
que o andatneuto dos lempos, ir' pouco e
pouco reformando pa'ra o que lor mais adapta-
vel.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFDVSAEMS_3P5A8P INGEST_TIME 2013-03-29T15:16:57Z PACKAGE AA00011611_03974
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES