Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03972


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1839. Sabbado
\)
9

Tudo agora depende d nos mesmos; danoMa prudencia, modera-
fco, e energa : continuemos como principiamos e seremos apoulados
com admiracHO entre as Kaces mas cultas.
Proclamncao da Assemlha Geral do Bratil.
----- y o !
Subscreve-se para esta folha a 30000 por misrtel paros adiantados
irsta '] ypografia, na das Cruzes D. 3, e na Praca da independencia
"D. 37 e 38, onde se rroebem correspondencias lepalisadns, eannuucios
hsiritido-se estes <;>atis, sendo dosproprios assignantes, e Viudos assic-
toados. b
Parlitlas dos Crrelos Terrestres.
Cidade da Paradina e Villas de sna pretenco. t..............
bita do Kio Grande do Norte, e Villas dem. ...; ............... ,
pila d Fnrtalfaa e Villas dem.........k................| Segunda e Sextas Fciras.
Villa ce Goianna...........i,...................../
Cidade dr Olinda..................................Todos os dias.
Villa de^. Anto ........... k......................Quintas feras.
Drta de Garauhnns e PovoacSo do Bonito................... Dias lo, e a4 de cada mrz.
Ditas do Cano Sennhaem, H10 Formoto, e Porto Calvo........... dem 1 11, e ai dito dito.
Cidade das Alagoas, e Villa de Macen.........................dem dem
Villa de Paja de Flores.................................ieiu 1^ iU) dto>
'lodos os Correios partem no meio da.
' -------------------------------------------"*-------------------------------------------------------------------------------------------- -.'! .1 1 -J
8M A'""'""" i"m
14 de Debembro. Numero 21
CAMBIOS.
Dezembko. t 1.
Londres......ba i[a i 33 por Ifooo ced.
Lisboa....... So por o/o premio, por mciaiouereoido
Franca....... 30 res por (raneo.
hio de Janeiro ao par.
OOJl'J
Vclhas
Novas
PHATA-
Woerlas de 6j4oo rs
Ditas ,; ,,
Ditas de ijiooo "rs.,
- Palacoes Hrazileiros ------
Peos Columnarlo -------
Ditos Mexicanos ---------
Premios'das Letras, por mez 1 i/3 a i iji por loo
Moeda de Cobre 3 por loo. de disc.J
.

ioo ligfio
i&ftoo a tiSioo
o'|vo a SjlioQ
l#i4" a ij>Sr>
i#54o a i*56i
i#5ao i|J4o
Dias da Semana.
9 Segunda S. Leocadia V. M. ---------Re. e aud. do 3. de f>. da a. v. de manbi.
id Terca---------S. Mala<|uis P. M.---------------- Helaco e Aud. doJ. de D. da i. vara de minn.
11 Qu-rta--------S. Datmzo P.----------------------i'esso da Tliez. Audiencia do J. de]. da a. V. i
ia Quinta-------- S. Justino M.------------------------Re. eaud do J. de da a. v.
ti Sexta---------S. Lucia V. M.--------------- Ses. da Tliez. e aud. do J. de da 1. t.
4 Sabbado------S. Agneilo Ab.----------------i- Re. eaod. do J. de D. da i. v. de *.
i5 Domingo 3. do Advento S. liuzebio B. M. --
Afane chela para o da I 4 de Dezembro.
As ti horas e 42 minutos da manbS As 12 horas e C minutos da Urde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA. .
Expediente do clia q do eorrente.
Officio Ao Commandante das Armas.
respOndendo-lhe, que volla com despacho pa-
ra ser salisfeita pelo Arsenal de Guerra a
primeira requisico do Commandante da For-
taleza de Itnmarar relativa ;i orcainenlos para
a respectiva ( apella ; e quanto a segunda e
terceira que deve mandar fazer o novo por-
Dito-Aolllm Inspector da Thezouraria ,
requisitando a predita indemnizaco.
Da ?7.
OffiVio-Ao Contador da 'I'hezoraria parte-
cipando-lhe o convite que recebeo do Ex*.
Presidente por ofncio de a S do eorrente para
concorrer com os Empreados desta Thezoura-
ria ao Cortejo e assislir ; Grande Parada ,
que terao Iu;ar no Dia 1 de Dezembro prxi-
mo futuro Anniversario do Felis Natalicio
lo e nova porta para o calabouco, remet-. de S. M. O Imperador O Senhor D. Pedro a.
tenddepois a conta legalisada da respectiva sendo o comparecimento no Palacio do Go-
despe/a para ser papa pela Thezouraria I verno as 11 horas da manhaa j esperando que
Dito Ao mesmo para informar se o re- nao falte a este convite com os Empreados da
ruta do Deposito Francisco Jos da Cunha Contadura.
rujo reqnerimento remelle com o seu oflii o Dito-Ao ^oulor Procurador Fiscal da The-
de do torrente, he dos que vierao da Pro- zouriria no mesmo sentido
vincia das Alagoas ficando na inteligencia | I ito-Ao Thezoureirodas Rendas Provinci-;
de qne sempre que houver de informar re- aes idem
quetimciitos desta natureza, dever declarar Portara-Mandando carrejar em Receila ao
a Provincia d'onde tiverem vindo os recrutas, Thezoureiro das Ren*as Provinciaes a quantia
Dito A o Director Interino do Arsenal de de 6 ooos' de rs. em Votas que nesta data re-
Guerra, significando-Ule, que representando cebeo do Cofre da Thezouraria da Provincia
o Commandanteda Companhia de Operarios por contu dos lcuooofoo..- le rtiis .
quedos aSosapalos por elle comprados para que para o Jupprimento do Dficit Provincial;
a dita Companhia existem. %\ que por peque- no eorrente anuo fnanceiro consi^noit a Lei do
nos nao servem as respectivas pracas, entre- Orcamcnto Geral de 20 de OutuLro de i838.
tanto que podem ser applicados para a tropa Dia a8.
de primeira Linha cujo calcado tem de ser Portaria-YIandando carregar em Beceita ao
comprado; cumpre que a bem da Fa/enda Thezouroiro das Rendas Provinciaes a quantia
compre ao referido Commandante os mencio- de 4'toijs'oo rs.%uenesta data recebeo do
nados pares de sa patos peto mesmo prego de Cofre da Thezouraria da Provincia importan-
1,80o reis ao par. cia das despezas feitas pela Beparticlo das O-
Dito Ao Commandante da Campanbia de bras Publicas com diversas obras d Adminis-
Operarios Engajados, communicando-Ihe o traco Gem nos meesde Abril a Setembro
conteudo no precedente officio. do presente anno.
Dito Ao Prefeito da < omrca de Goiait-| Dia aq.
na, communicando-Ihe, que a vista das ra-! Officio-Ao Administrador da Meza do Con-
stes que expenden em sen officio de i do cor- sitiado requisitando-lhe para q' nao paralizem
rente a Presidencia concede ; demmissao ((ue os pagamentos dos Empegados Pblicos Pro-
p.'dio o Tenenle Reformado Francisco de vinciaes por nao lia ver no Cofre moeda de
Paula Meira Lima do Commando do desla- prata digne-se de mandar que a entrada
caminto de sua Comarca; o que lhe far. que se deve de effecluar boje do dinheiro que
constar, louvando-lhe os bons servicos que se houver arrecudado por essa Reparticao e
prestou em lal exercicio ; e que para o sulis- que cosluma ter lugardepois do meio dia se
tiluir no referido Commando tem a mesma fjca a e ja e qtiando por qualquer inconvf-
Presidcncia nomeado ao Alferes do primeiro nif nte na5 seja possive remeta parte da
Palalliao da Guarda JNaCional Miguel Lins da quantia da predita entrada.
Silva, I Uito-Ao Contador da Thezouraria remet-
Dilo Ao Inspector da Thezouraria da tendo-lhe por copia para sua intelligencia e
Provincia communicando-Ihe o conteudo no execuco como cumplir o olficio do Exm
antecedente officio. Presidente da I rovincia em oqual pai-tecipa
Iguaes communicacSes foro dirigidas ao que por Decreto de aa de Outubro fora refor-
Commandante Geral to Corpo de Policia, e ao mado o Alferes de 1. J.inha Ignacio dos Reis
Commandante Superior da Guarda Nacional ( ampello que actualmente se acha no exer-
e Goianna.
Portara -- Nomcando o Alferes I
meiro Batalho da Guarda Nacional da
marca de Goianna Miguel Lins da Silva Com- Thczourejro das l'cndas Provinciaes a quau-
mandanle do Destacamento da referida Co- tia de a;'tjs'3a5 rs. dos 6 por cenlo dosdes-
contos nos vencimentos dos Empreados pagos
em moeda de prata pela mesma Thezouraria
em lodo o mez de Novembro.
Dita-Mandando abonar ao mesmo Thezou-
ui.iuiiai ampeuo que actualmente se actia no exer-
I cicio de 1. Commandante da 4. Companhia do
lo nrj l 'or P^l-Cia!-
la Co- Portara- Mandando carregarem Receila ao
m
marca.
THEZOURARIA PROVINCIAL.
Expediente do da 16 do p p.
Officio-Ao Illm. Inspector da Thezouraria
da Provincia requisitando-lhe a indemnrzaca reiroa quantia de 4o;.i. por elle feitas com os Emdregados e mais des-
da quantia de 4;''5sjoo rs. importancia
das despezas geraes Obras Publicas se fez nos mezes d'Abril ;i Se-
tembro do presente anno constante da conta
que inclusa transmiltio.
Dito-Ao Contador da Thezouraria trans-
millindo-lbe por copia para sua intelligencia
o officio do Exm Presidente de a5 do eorrente
em o qual ordena que se passe a haver do
Inspector da Thezouraria da Provincia a in-
demnizaco de todas as despezas que se fro
Icom a obra do Caes do Palacio tksde 14 de
l'evereiro desteanno como nelle se contera.
pezas Provinciaes np predito mez.
EL1TAL.
O Inspector da Thezouraria das Pendas
Proviuciaes faz publico que peante a mesma
Thezouraria em os dias 18 19 c 20 do eor-
rente as 1 horas da manhaa" se ha de proceder
mprcterivelmenle t arrematacao dos rendi-
menlos da Taxa das Barreirasestabelccidas as
odies da Magdalena e Carvalhos a qticm
mais der por ellas.
As pessus que se pfopozerem a esla arre-
matacao compareci nos diWacim.i indicados ,
munidas de Fiadores idneos. E para cons-
tar se mandou affixar o prezente e publca-
lo pelo Prelo.
Thezouraria das Rendas Provinciaes de
Pernambuco *> de Dezembro de i8'*q.
Joo Baptista Pereira Lobo Jnior.
Diversas Reparticoens-
"ALFANDEGA DAS FAZENDAS.~
EDITAL.
Vicente Thomaz Pires de Figueiredo Ca-
rnario Inspector d'Alfandega, faz saber ijue
no dia sabbado 4 do correnl, se hade ar-
rematar em hasta publica, e na porta da
mesma, ao meio dia iiH3 libras de cravo ,
no valor de oo rs a libra impugnadas pelo
Guarda Thomaz Jos da Costa a S no Des-
pacho por factura de L. G. Ferreira & Vlans-
field sendo o Arrematante ugeito ao paga-
mento dos I i 1 itos.
_Alfadega la de Dezembro de '839.
Virente-Thomaz Pires de Figbeiredo CamargD
A Pauta he a mesma do numero a65.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta be a mesma do n. ayo.
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DE
OLINDA.
1. Sesso ordinaria de g de Outnhro.
Presidencia do Snr. Cuedes.
Foi abcita a Sesso estando prezente os
San. Vereadores lerreira Maciei Monleiro.
Ir. Rozelles Laage Jnior ;' faltando con
cauza os mais Snrs.
I ida a acta da antecedente foi approvada.
0 Secretario dando conta do expediente
mencionou os seguintes officios.
Um do Exm. Presidente da Provincia em
que enviara a copia que o Inspector das Obras
Publicas de a Presidencia relativamente as
cazas que se estao edificando na estrada dos
Afilelos confronte ao beco do espinheiro para
a vista delta esta Cmara informar qual o
motivo por que considera a dita estrada Mu-
nicipal e nao (eral e scienlifcando a Cma-
ra que tem ordenado ao dito Inspector que
faca substar a continuaco das ditas cazas ,
que se vo edificando fasendo-as recuar do
local era que se acbo colocadas,, por isso que
sobressacm e disfeio muto a estrada : a
Cmara ofncicm no sentido que considera a di-
ta estrada deral e nao Municipal.
Nesta mCsma Sessa se responde o officio da
Cmara do Becife de 17 de Agoslo p. p. e
se ofliciou ao Exm. Presidente pedindo apro-
vacao dos contractos arrematados
1 spachara-se requerimentos de partes e
dada a hora o Presidente levautou a Sesso.
De que fiz a prezente em que assignaro. Eu
Joze Joaquim de Figueiredo Secretario a es-
crevi. Gedes, Presidente. Ferreira, Ma-
ciei AJoiiteiro Rozelles, el.aage Jnior.
Est conforme.
Joze Joaquim de Figueiredo.
Secretario.
PREFEITURA;
PARTfc DO DA 13.
Illm. Exm. Snr.Foro presos hontem-
01 dem desta Prefctura e livero boje des-
uno os individuos seguintes : Joanna Seve-
riana de Jess c Mara I hereza do S;i
fu a
ivi
cra-
de Luiz Barbalho pelo Suh-Prefeit de San
to Antonio este por estar correndo cavado
edeitarpor trra a urna negrinha aquel
las por denuncia de terem viudo de Macei set
Passaporle com urna menor tamhem pardi,
nba para a qual eslavo dilig-enciando com
rador titulo de ser sua escrava sendo e!
re, cuja menor foi apprehendida ; e An
tonio tambem prelo escravp de Jos Bent
da Cosa por um Soldado de Policia pedid
de um Cidado por tel-o ouvido fallar na
desordensdo Maranho e ameacar esta Pro-
vincia com igual sorle.
E' o que consta das Partes hoie rcebida;
n'esla Secretaria.
Dia i!L
Illm. e Exm. Snr Foro presos hontem ;
inmlia ordem e ti verlo hoje destino : Mano-
el Francisco da Silva, e Thomaz d"Aquino d
Silva brancos, Felicianna Maria e Anna
Joaquina pardas pelo Sub-Prefeito de S
Antonio ,01., e a. por briga com um Lo-
gista a quem maltraclaro com pancadas c 1
a J "e 4- por serem encontradas pelas 1 ho J
ras da noite em um sobrado lheio e Mai \
noel Francisco laslos tambem pardo pel l
1. patrullia da Bibeira por ser toordeiro.
Nada mais consta das partes boje recebidafl
nesta Secretaria.
Todas as pessoas que p achlo a dever 01
Impostos de lojas abertas do eorrente anno fi
nanceiro relativos aos trez fainos de 'Santi
Antonio, Becife e Boa-vista, queirocom
parecer na Reparticao das Rendas Geraes In
lemas no eorrente mez a fim de satisfazere
O que deverem pois que de Janeiro proximq:
futuro principia a executar-se a todos, qul
deixarem de satisfaser os cus dbitos.
Rcrebedoria das Rendas Geraes Interna
de Dezembro de 189.
O Procurador.
Antonio Ferreira Duarte Vellozo.
O Fiscal do Bairro da Boa-vista aviz
todas as pessoas que tiverem cazas publica
de bebidas tabernas ou otras semilhanteS,r
que venderem moldados serao fechadas ad
toque de recolher e no lempo em que esti-
verem abertas de dia ou de noile nao ad-
mitirao ajuntamento de prelos e vadios den-
tro dellas, sob pena de serem punidos os trans-
gressores com a multa e pena Corporal es-
tipulada no $. 1. titulo 11 das Posturas Muni-
cipaes. Outrosim ninguem poder lan ar na:
ras lixos ou immundices vidros 01
cutra
n'.'..-. !,j ;:::
co't^f* sob 'icnst de ccr"r?
compellidos 1 pagar a multa marcada no. J
titulo 5.
ALAGOAS.
Continuado do N. precedente.
O eorc.|)ortamento das briosas Guardas Na-
lionac, que se apresetitra em poticos dia
nos diversos pontos da Provincia em numen
de ti es mil mais mi menos a franca coopera-
cao de todas as autboridades a energa, i
demonslraco das municipalidades sao argu-
mentos inconteslaveis do espirito de ordem
que domina cque parece soberanamente en-
raizado no seio da populadlo Alagoana. O fa-
cho da discordia alumiado por bomens eston-
leadus somentc dentro dos lmites dcste Muni.
cipio nao servio senao para esclarecer a nohn
ment, pardas, e Joaquim, preto escravoj lealdadc do resto da popularlo de*la Provine
1
MUTILADO


DIARIO D K
P JE R N A M S C
+mm
, joss'a lo bella Iico ser til aos desordeiros ,
i le fascinados por loucas pretences ousarem
inda o temerario arrojo de se oppr autho-
dade do Governo Eu nao findarei este pe-
rndo, Senbores sem vos fallar do nobre
i oeedimento dos Presidentes de Pernambuco,
ahia e 'ergipe que em to curto espado
i os enviara auxilios sufficientes para reprimir
ualquerque fosse o movimento ou lula que
(tase de appareccr com a resistencia dos se-
ciosos !
. J Aqu termina'rei o relatorio dos Tactos acon-
kidos tendo o praser de assegurar-vos que
i autboridade do Governo Imperial Coi respei-
ula e suas ordensexecutadas. A Thesou-
| tria objecto da desordem ib i transferida
ara a Villa de Macei onde continua em
fts trabalhos.
Vas Senbores npezar do reslsbelecimen
> da orden: pondcraees graves me tem oc-
urrido acerca dos acontecimentos (jue aeabao
ter lugar, as quacs referindo-se ao futuro
este pair., e sobre ludo a conservaco de sua
ranquillidade Publica me parecem dignas
e sersuhmettilas ; vossa considerars, quan-
p mais que be de vos que dependem os meios
?easrcalsar Tal foi a razo, ""cubores,
lorque usando da facuhladc que me concede.
I ei vos convoque! para esta sCSSao extraor-
dinaria a im de que romniunicando-vos o
po;i per.samciilo possais dar proposta que
os vou faser o pezo que merece c na qual
nnuireis sem duvida, se em vossp espirito
alar asesina convieco que no meu sinlo,
fceica das grandes vanlagens, e utlidade,
-pie a sua rcalisaeo trar comsigo aos destinos
lesla parle do Imperio.
>endo do meu dever pro por e lembrar
? sla Assemblea as medidas que me parecem
jipis acertadas e conducentes ao bem da Pro-
vincia e cumprindo-me pela posicao que oc-
aipo, fallar-vos a lingoagom da verdade .
lespida de quaesquer pievencoes queseja,
o ouso lenibrar-vos Senbores que a trans-
fcrencia da sede do Governo desta Cidade para
I Villa de \ acei milito j considerada de
tilidade Publica atientas as militas rasces
Ue para isso ha e que nao escapa vossa
ilelligeneia hoje se torna de huma necessi-
ade ur;;enle em face dos acontecimentos pi-
namente occorridos.
Vm de vos Senbores nao haver exa-
inando esla queslo pelo lado dos inleresses
ublicos, que nao reconheia que a villa de
acet., pela sua posicao maritima etopo-
ralica he de todos os pontos da Provincia ,
quelle que melhores condi oes rene para
ler a Capital eassento da Administracao.
Collocada no centro da I rovincia, na bor-
la de hura porto vusio capa? de entreler re-
aces de commercio com todas as partes do
nundo ella mesmo servindo hoje de centro ;
odo o commercio do interior e martimo mais
raporlantc, assenio das duas Repai lices mais
Dtereseauies, quefaxem paite da Adminis-
raco, Alfandega e Tbrsouraria a villa
le Macei he June pela Nalureza das cousas ,
I ponto principal da Provincia. Accrescenlai
islo a cele idade com que se pndem despa-
jar os Gorreios maritimos, acbando-se ali o
"overno, a brevdade dos recursos que pode
ler o commercio nos negocios que pendem da
Presidencia e nao desprezeis a rasfio de col-
ocar a Administracao no meio de huma po-
pula .ao maior e mais laboriosa onde os ef-
fetos de sua forga nao se faca sentir com ta-
Jiianha facilidade que sem procurar apoio ao
itiuverno, nao possaSse nao grangear-lhe c-
jdios e desaTeices e vos veris, Senbores,
fluantas vanlagens se rt-iucm em favor dessa
ransftrencia.
prometieran devens ficar impunes por te- [outubrode i83o.
rem de julgar huns aos oulros. Figurai-vos
agora Senbores a Administracao cercada
de huma populacho infiel onde as autborida-
des ora as primeiras em se mostrar hosli's ao
Governo e veris que nova lula se nao vai
estabelecer entre este o Pvo ; lula tanto
mais impoltica quanto o Governo para sus-
tentar oua autboridade e evitar nova surpre-
/a dever conservar-se cercado de huma For-
ca exlranba e permanente superior capa-
cidadeda Provincia.
Tudo porem se remedeia com a transferen-
cia da Capital para aquella Villa : ali (justica
se faca ; Macei tem sido al hoje hum dos
pontos onde o espirito de legalidade se oonser-
vou sempre firme) a Adminstralo, desem-
haracada destes tropecos vae proseguir livre-
mcote sua carreira *fra da leri ivel influen-
cia que infelizmente tem sempre predominado
nesla idade ; e vos aproveitarcis esta or-ca-
sio Senbores, para fazer o servico mais
importante vossa Provincia
Fu sei que contra estas rases se allegar o
lireito ibj posse mas o que be dircito de posse
tos de
eentreieuem seu lugar. Conheceis-me ,
e decidido a restabelecer a revoluco que oi
sufocada no Pago Largo mas que renasce
boje mais poderos porque a defendehum
povo que soffre todas as calamidades de huma
invaso brutal e devastadora. O general Fer-
r foi levado ao poder pelas acclamaces do
povo. O congreso da provincia sanecionou
esta nomeaco como o ver Vmc. pelos do-
cumentos juntos ; e brevemente acbar-me-hei
nocommandode hum exercito poderoso e for-
te com que conquistaremos a liberdade da
repblica Juan Lavalle.
Exercito Libertador.
Quartel general em Curusucuali lade
outubro de '8<_q. *
Na presenca dos legionarios de Martim Gar-
cia na fronte!ra de Mocoret o povo cor-
rentino levantou-se em massa para vingar os
barbaros assassinatos de Pago Largo a inau-
dita devastaco de seu territorio c os ultra-
ges feitos 'sua liberdade e independencia.
No mesmo da, sem previo accordo rom-
peo hum igual movimento na fronteira de
Mocoret e Huyquirar atea capilale o de-
serto do norte O coronel Romero e dos
commandantes urreos (orrentinos que pre-
tendiao sustentar o jugo do tyranno da rep-
blica e a ignominia de sua patria se viro
obrigados a oceulta-se sem serem seguidos
de hum s servo ; eos Correntinos correm s
tornando po.s as coisas ao seu passado vos arnm em massa
nao la/cis Senbores se nao realisar o pen- j q E%m Sp# fienera| j). pejro Ferr foi ele-
s largas | vafj0 pP|0 pOVO libertador primeira magis-
tratura da provincia.
O general em chefe quiz publicar no bole-
Anuncioa Vmc., rheio de satisfacao que I nadad- novo tenho que offerecer-vos quan-
o povocorrentinose ha levantado em massa, do me haveis visto entregue sempre aos cui-
inflammado pelo mais exaltado patriotismo, dados de vossa felicidade.
quando se tem de examinar argumen
(anta valia quesedoem favor dessa inno-
varlo ? E nem esta medida Senliores he
buma verdadeira innovaco, Quando o pri-
meiro Governador dcsta rovincia loi para a
mesma enviado para estabelecer a Adminis-
tracao a Villa de Macei foi o lu do por elle nara asede do Governo apezar
das pretenciies da antiga cubeca de Comarca:
smenlo de lium liomem cujas
podera descubira importancia da bella loca-
idade de Macei vendo como hum curto
examc sobre a historia da nossa povoacao bas-
tar para demonstrar que he ila Costa para
o interior que ella tem feito, e fara a sua der-
rota .
tim que sentio bum vivo movimento de exal-
Soldados huma equivocacao fatal vos fez
abandonar vossas fileiras em Pago Largo.
V istes degolados nossos prisoneiros fugiti-
vas vossas familias roubados vossos bens e
incendiadas vossas babitaces. A mo bar-
bara do vencedor pesou sobre vos de um modo
espantoso. (ompanheiros d'armas hum
grito de liberdade sou em todos os ngulos da
provincia, cuja liberdade edireitos estao re-
cuperados. Correi as armas voz de vossos
cheles ; mas, nao abandonai a subordinaco e
a disciplina. A ellas devereis a victoria que
olferecer voso vosso melbor amigo e compa-
triota. Pedro Ferr.
Corrientes ri outubro
No >acional de i de outubro encon-
tra-se na parle otficial o seguinte decreto
do governo que mostra o terrivel estado de
armros era que se ada o thezouro da rep-
blica :
" Sobrecarregado o thezouro nacional de exi-
gencias que as ditficeis circumslrcias em
que se v a repblica nao podem ser desat-
tendidas sem comprometimiento da sagrada
causa que defende o pais nao ha sido possi-
vel ao governo realsar o pagamento dos juros
e quartas partes das letras reformadas que
se mandou alionar ; porem desojando dimi-
nuir os prejuizos que sofrem os possuidores
desses papis de crdito quanto compativel
seja com os apuros que experimenta o thezou-
ro publico na crise actual decreta :
rt i. Pela thezouraria geral se satisfar ,
aos que osollicitarem as quartas partes das
letras mandadas pagar e os juros vencidos
procedentes das letras reformadas com docu-
hum s Corren tino de todas as condieoes
9exos e idades que nao haja dado seu votoao
.Esta he, Senbores, a lemhranra que te- ^oso e benemrito general Ferr Publi-
nbodeolerecerhoje a vossa considerado a Ca-se a sanecao que o congresso da provincia
qual destinando para vos apresentar na vossa d.i a este acto o decreto da sua execuc^o e a
primeira prxima reuniao ordinaria me veo pr0rlamacSodo novo magistrado,
hojeobngado pela (brea das circunstancias oc- jalRliem 08 poVos da repblica se o poder
corridas a submetter com presteza e ante- fanl;is,co ,\0 tyranno Rosas gigante na ima-
cedenciaa vossa deliberacao, certo como es- gnacSo pelos prodigios do terror, resistir a
tou que pode ella prevenir males futuros e qu;Uro m| |)ravos ? _ue 0 ovo libertador vai
servir de solido garante conservacao da Or- levantar contra elle
dem Publica e nao menos de poderoso ele-: Por ndisposirao doG. de E
ment ao incremento e desenvolvimentodes- ne| j0S({ \i# Villela.
ta bella Provincia. i SANCcX DA H C. PROVINTIAL.
Aiem desta Providencia vital eu vos lem- Viva a federaco argentina !
brare taml em a neces>idade de se au-menla- ^nno 3o da liberdade e i da independencia,
rem os sidos dos Commandantes da Compa- Qs representantes da provincia de Corrien- I
lacoe enthusasmo quando notou que na'o h.i menlos que se denominao bilhetcs de pre-
mio c juntamente o juro que tenha marcado
o decreto de que se derivao.
o coro-
t Comparai e^e com o quadro que vos oTc-
|ece esla Cidade ; legos distante do Porto
jhiarilimo frequenlado ; solada do reslo da
provincia por nao ler commercio algum nao
ubsistmdose nao dos salarios dos Empreados
'ublicos com huma popnlacio dada occio-
dade por isso mesmo que pela ausencia de I iTa Provincial""
pacoes variadas, e uleis ert fra do' ,;V,rnoda ProVi
CCUI
nhia de Polica .
sada.
dessa i.omp.uilna as
que deve prestar ao Scrviro ublico, em quan-
to gratiricacoes suIHcientes nao convidarcm
pessas capazes e da confianza /do Governo
para se empregarem nella.
Nao concluirei este ) tao longo discurso ,
Senbores
restaurar
2. Os bilbetes de premio sero recebidos
pela collecloria geral, em pagamento dos di-
reitos e na mesma proporcao que os demais
documentos desta classe.
3. Logo que as circunstancias o permelti-
rem sero extinctos os bilbetes de premio
que se houver amortisado pelo modo esta-
blecido no artigo anterior durante a inva-
so estrangeira. Pereira. Alexandre Chu-
carro.
Com a data de 31 de outubro apparece
na mesma folha oulro decreto da repartica da
fazenda que aqu transcrevemos em resu-
mo
Art. i. No termo de ao dias contados da
vos recommendo de novo a derogaego da parte competem
da Lei Provincial de ?a de Janeiro do 1 provincia ,
ce
e usando das
saneciona com
{jeireulo daaclivdade dasontras; olerecendo
loucos clemenlos de eslabilidade por nao ler
randes coisas a perder e vos alcaucarcs fa-
Imente a causa | orque todas as aulboridudes
eraes tem at hoje sido aqui ultraiadas e
imadas, porque lautos elementos contra-
Irios tem ellas encontrado com que lutar c
tmpiecom perda de sua dignidade na mior
irle o'.is aulboiidades I caes.
Todos esles inconvenientes Senbores que
?m lempos ordinarios seria baslanles para Ca-
tee pender a concha da baiama em lavor de
pklacei agora sobics.ihem iom mais for a em
Ivista dos acontecimentos que acbt de apare-
|cer. le Diihlico que nesia sedii:o quasi todo
le Municipio tomou paite e como em nossa
egislaco se nao acautellara casos semellmn-
i, be claro que todos aquelles que se com-
queva ser de novo orgam- jes reunidos extraordinariamente na sala das data dcsta oseffeitos que se tirarem dos de-
A experiencia lem mostrado que nao se snas sessoes afim de ouvir a petico do povo psitos da alfandega para consumo e os que
pode esperar dessa Companhia as vanlagens (]PS,a capital ne manifes^ por si e em se descarregarem e despacharen!, de impor-
nome de lodos os seus concidados o vivo taco martima pagar meladc dos dircilos
desejoqueos anima, de que a provincia re- em bilhetes denominados ministeraes de
vendque a propria dignidade e seus dreitos j consignac5es ede premios novamente crea-
sugeilos al aqui forca e violencia de huma dos e igualmente em letras de emprestmo
domina So eslrangeira e de que a admins- | voluntario esemjuroi, e outra metade em
, sem que vos pondere-que nevis jraco dos negocios publicos.se sublrahia s letras de commercianles e treyneze^ de prazo.
aquotasupprmda na Le do Orea- mos do coronel de milicias D os Antonio j a. Os efleitos comprehendidos no art an- '
ment dcsle auno para os ordenados dos Jui- Romero, como quem foi nomcado governador tecedcriteconlinuaro a pagar em lugar dos 8
zes de Pirelo afim deque a administracao ,,or influxo e poder de hum dominador; a- por cento estabelecidos pela lei do subsidio.
da Juslica nao encontr mais o Irnpeco da falla cbando-se esta represenlacao bem persuadida as tercas partes soroenle que eslo adelas ao
de pagamento aos seus primeiros en.pregados de q-je tal be com efJeito a opini.io geral da pagamento dos undos anticipados do the-
com total detrimento do Servco Publico, e nrnvinria usando das altrihuices que lhe !zouro.
forca a lei se-
Decreto relativo ao ( ommercio interior.
Miuislcrio da Fazenda.
Montivedo 9fi de Outubro.
Havendo-se diminuido os molaos que le-
vra o governo a expedir o decrejo datado em
18 do corrente proiiibindo a exportaco dos
producios para fra dos muros desla capital,
decreta o segu ule :
Artigo i. He livre a exporta o dos efleitos
do commercio como o era anteriormente pa- -
ra os depai lamen los de .Montevideo e:\laldo-
nado : excepeo dos artigos de guerra.
Art. a. AexporUio para os demais de-
portamenlos nao poder ser feita sem huma
permisso especial da polcia designando os
artigos que se houverem de levar para o ponto
a que sao destinados.
Art. i. Hum da antes de conceder-se a
sabida dos gneros a que se relere o precedente
artigo ser passada pela polica huma rela-
co circunstanciada das pelicoes pendentes,
que ser dirigida ao ministerio, a lira de au-
lorisar a polica para que conceda as licencas
que nao ojlerecerem inconvenientes.
passado sobN. 3, que d a alribuico ao, y\,t. i Fica destituido c separado do go-
l'resdente da Provincia de nomeiar e remo- ; verno da provincia o coronel de milicias I',
ver os magistrados de primeira instancia, e Jos Antonio Romero e nomeado governador
confirma os nomeados pelo Governo Imperial e capilp general provisorio da provincia o Sr.
a qual, alem de gerar conflictos entr os Po- brgadeiro D. Pedro Ferr, com todas as
rovincial, Geral e Judcario lem facilidades que a le lhe concede.
O governador eleito se apresenlar nes-
j produzido o inconveniente gravsimo da
siqipresso dos ordenados dos Juizes de in.i-
a.
ta sala
as i i horas (leste mesmo da para
lo, alemdcoutros que iro apparecendo se a prestar o juramento da lei e tomar posse do
e perspicacia nao corlarem governo
'i. Communque-se ao poder executivo para
sua inlelligencia e evecuco.
Peos guarde. &<:. Sala das sessoes ?m
Corrientes, (ide outubro de if.-'cjAngelo
Mariano Bedoya presidente Jos Joaquim
de Goylia secretario
VIVA A I E'FRAC\!
O governador e capilo general da provincia
de Corrientes,
vossa moderacao
o mal pela raiz.
Sao estes Senliores da Assemblea Legisla-
os lopicos sobre os quaes o
ncia ciama boje a vossa
alten' o e pede a vossa leal cooperncao po-
dendo affiancar-vos que s desla sorle poder
elle desempenhar a pezada larea e alta nis-
saode que pelo Governo de S. M. O Impera-
dor se acha encarregado.
Fsl aberta a Sesso.
Alagoas 3 de I'ezrmbro de iQ3r.
Agoslinbo da Silva Neves,
Noticias ffstrangciras
I STADO ORIFNTAL.
Montevideo 4 de novembro.
Communicacaodo General I avalle.
Quarlel general em Curusucuati, i5 de
Compratriotas Os diasde angustias ede
luto j lermnro. Rompeo-se a cada rom
que \os hava alado hum brbaro oppressor ,
e elle proprio acha-se entregue vinganca dos
bravos Orientis. Huma columna devHera-
dos da independencia pisoa c territorio de En-
ikIIios e Iriumphou dos inmigos da patria
O grito da liberdade relumbou naquelle ter-
nloiio e vos respondestes a elle e s esperan-
i as de \ossos iimos*
Concidados o liomem que as circunstan-
cias collocaro frente dos pblicos destinos
nao merecia vossa confianca. Foi depois,
Pereira. Alexandre Chucarro.
EXERCITO DA REPBLICA ORIENTAL.
Quartel general em Santa lucia.
Chicho 37 de Outubro.
Os injmigos depois do golpb que Ibes deo
t
MUTILADO


DIARIO
D E
PERNAMBUCO
>
5
o Sr. coronel Nunes concentraras a sua tor-
ca de modo que as suas avancadas nao se se-
para do corpo do exercito.
Hoje fizera hum movimento para mudar
decampo como ver V. Ex. pela parte ori-
ginal do Sr. general Medina que ah vai
junta.
Dos guarde, &c. Fructuoso Rivera
Enrique Martnez. Exm. Snr. ministro da
guerra e marinha, brigadeiro general, U
-Jos Rondeau
PRIMEIRA DIVISAO'.
Campo 27 de Oulubro
Hoje mandei a V. Ex. a parte verbal es-
perando que as avancadas m a dessem com
mais exaelidio. Por ellas consta que o inimi-
go mudou de campo para o Arreio de Men-
donca em direceo a huns serros que se avis-
tad cima do passo da Arena. Suas avancadas
aproximara-se da costa porm creio que
nos outros oceupamos a esquerda de suas 1-
nlias.
Dos guarde, &c. Anacido Medina.
Exm. Sr presidente D. Fructuoso Rivera.
CONTRABANDO.
Montevideo 4 de Novembro1
Assegura-se que ha homens to criminosos,
que atraicoa a confianca do governo e que ,
abusando de huma posico que indignamente
oceupa favorecen! as expedces para Bue-
nos Ayres que preparad certos especuladores.
(El Nacional.)
A DEFECC, AO' DE RENTO MANOEL.
Le-se no Nacional o extracto de huma carta
de Cassapava com data de dezeseis de Oulu-
bro em que se diz ser completamente falsa
'a noticia da defcelo de liento Manoel r qua
elle se aclia na fronleira de Algrete testa
) de dous mil homens.
(Do Despertador.)
Risde Janeiro 18 de Novembro.
Recebemos folhas de Montevideo al 4 de
novembro, Ciros interessantes extractos vem a
cima publicados. Entre elles oceupao sem
duvida o primeiro lagar os docummentos
officiaes relativos rebellio da provincia de
Corrientes feita ou promovida por L.'ival-
le. A cmara dos representantes reunida
no meio de huma insurreico eem presen-
. ca da Torca inimiga, que apparecera qa fron-
teira de Mocorel, sznccioriou a destituido do
presidente Remero, nomeando em sen lugar,
provisoriamente D Pedro Ferr, conforme
os dezejos da faccio oriental. Este successo
sem duvida muito tem de peiorar a posicio
docliefe da Repblica Argentina, dislrahin-
do parle dos suas forcas e recursos para suf-
focaraquelle movimento insurreccional. Mas,
nem porissoa causa argentina se pode reputar
em perigo ,quando se altende ; fraqueza re-
al do sen adversario que, sem a proteceo
eauxilio da Franca desde muilo hornera
suecumbido na hita, e sobretudo ao ardor e
patritica energia da populaco de Buenos-
Ayres
No territorio do Uruguahy nenhum aconte-
* cimento nlavel tinha orcorrido entre os dous
exercilos
Hum dos decretos do ministerio da fazenda
declara solemnemente que o governo de Fru-
ctuoso Rivera nao esta' em estado de satis-
facer os seus empenhns; e as medidas que
nelle se tomao consliluem.por certo huma es-
pecie de bancarrota avista da paraIy sacio
geral ecompleta d todos os ramos de indus-
tria naquella repblica desde o comeco dcs-
ta desastrosa rebelio.
(dem).
. Montevideo t.\ de oulubro.
Recebemos nesta data hum carta de pessoa
fidedigna residente em Montevideo a qual,
entre algumas informa 5es j publicadas, con-
ten outras ainda nao conhecidas sobre a
verdadeira posico daquella repblica e
julgamos que os nossos leitores nao verlo
sem'o menor interesse o extracto queabaixo
copiamos.
' Quatro carros carregados de vinte feriaos
de todas as cores atravessaro lugubre-
menles as ras silenciosas da cidade conster-
nada. Echegue acbava-sea i2 legoas, e asse-
gura-se que Iraz consigo 7,000 homens, Jo,ooo
cavallose 9 pecas de artilberia, Rivera, com
tresaqualro mil beben a o 000 cavallose
5 pecas guardava as margens de rio Santa
Lucia. Diz-se que Echague oferecra o com-
bale mas que Rivera o recusara.
As prochmaces deste tem feito fugir todos
os habitantes do campo ; todos tem desellado
dos seus proprios lares para seguircm o
sen exercilo,de sorte que os acampamentos es-
lo acumulados de mais de 1,000 familias ,
homens, mu Iteres meninos, cavallos. Quan-
to a bois ; foro tomados por Echague que
com elles se regala lendo-os apanbado no
pasto. Assegura-se que, em hum momento
em que Rivera via-se vivamente acossado pe-
lo inimigo, mandou cobardemente collocar
estes desgracados suas mulberes e seus filhos
frente do seu exercito afim de que Echa-
gue nao mandasse carregar com a cavalla-
1 a.
Pensa-se que Rivera nao passou de S. Lu-
cia se nao para lancar-se'na Campanba e tra-
zer Echague em seu seguimento porque nao ti-
nha paslos para seus cavallos nem poda
daliberdade mal aparecida e logo aposen- faz certo a todas as autoridades desta Pro -
lada pelos caramellos de solo inhspito !
Em que fundar o Csar da Russia a razio
de hum semelhante monumento ? Na pro-
pria gloria nao pode ser ; porque se hum
Te-Deum cantado em S Pelersbourg es
lava desmentido nessa mesma capital no fim
de quatro dias e em quinze em toda a Eu-
ropa 5 como boje que por militas pennas, e
em muilas obras est eternisada a verdade do
facto, contra a publica sciepcia, sepertende-
r:, com esse monumento offiscar e delisar
a scienria de todos ?
Pretender'o Imperador fazer iluzo vi-
ctoria alcncada pelos elementos nicos ins-
trumentos da retirada de Napolen, que em
hum sdia lite matarlo trinta mil cavallos ;
se assim he torna-se a columna hum celebre
monumento da impotencia das armas russas,
conservar aquella posr-ao. O almirante Le-j e o maor tropbeo da glaria franceza edame-
blane mandou organisar huma guarda naci-| moria desse Homem raro, modelo solitario na
onal deFiancezes a quem forneceu erpin- Historia.
pardas: mais de*6oo se alistaro ', de sorte O monumento de Borodino, concordemos,
que a cidade be perfeitamente defendida, e heostigma dos Russos levantado pelo pro-
nao pode ser tomada pelos Gauchos
Todava principiarlo j os murmurios ; o ciencia, acobardia e a escravii
Oriental he altivo, e ciumento ; o Krancez em conserva e elles deificao: ma<
seus muros ootlusca ; o partido Oribe faz
numerosas recrutas j o vido mercador lan-
ca altos clamores 5 as lojas esto desertas ,
entulhadas de mercadorias sem sahida ; do
campo-nada vem ; os navios nao podem des-
carregar ; a alfandega nao concede crdito.
prio Governo dispotico insuliando-lhes a pa-
lo em que os
mas sentido ..
os Direitos do homem se as pracas nao po-
dem por hora ser lides, de muito j se estu-
dio nos lares russos, e* terrivel explosio es-
pera esse imperio sustentado pela bruteza e
conservado pela forca e escravidao.
Columna de Borodino eu te sado O
Por orlein do governo os armazens nlo bronze com que me er^uerlo entregue peles
sao aberlos se nlo ao tiro de peca as .0 ho- I mos russas em Austrelits foi vagado nessas
ras da manltl. Desde o nascer do sol al essa mesmas fornalbas em que ferveo esse metal
hora, todo o cdadlo he soldado e so se oceu-
pa do servico militar ; as ras recruto-se
baionetas calada os voluntarios e involun-
tarios ; decreta-se ordena-se canta-se vi-
ctoria, mas a populaco est trisle,ebe positivo
que, se os francezes nlo defendessem Monte-
video ha muilo tempo que hornera sido to-
mado por Echague.
Assegura-se que a guarda de Rivera aca-
ba de ser derrotada De reslo, os dous ex-
ercilos ainda esli da outra parle do rio de S.
Lucia.
(Do Despertador.)
Correspondencia
deque te formou o Irmao de Alexandre, l
nessas regies frias tu atiestas a gloria da
Eranca a essas hordas Iludidas e esrravisa-
das servi-lhes de farol e pendi da liberda-
de que merecem em quanto que eu na ca-
pital do Mundo civilisado sustento a memo-
ria do Grande Napolen a todos os povos da
Ierra, que me contemplo c me visito.
A columna da Praca Vandome.
COMPANHIA DO BEBIR1BE.
Bento Jos l ernandes Barros ,
1. Secrelacio.
Os Srs. Acces.
Goncallo JosAflbnco So
Manoel Ignacio de Carvalho Mendonca 3o
Jos Fernandes Eiras 60
30
90
O Conselhn Deliberativo da Companhia an-
nuncia aos Srs Accionistas que se acha reali-
sadaa quantia de 17:1 iaU rs correspondente
_ i a 4 por cento sobre o alor de 8 5 56 acedes ; e
J convida aos Srs. Subscriptores abaixo nomea-
Rnrs. Redactores. ~ Nada mais nolavel, dos para que hajaS de realisar as suas entradas
nada mais prejudicial ao despotismo do que es- at o dia 9 do correnle em que se devem
se acto publicado no seu Diario numero a 7 1,: reunir os Accionistas, para eleico de novo
extrado do ( ommerce. Conselho Deliberativo e apresentacao do re-
Contemelle o fado de haver o imperador latorio dos trahalhos do actual.
da Russia assistido no dia 8 de Setembro do
torrente anno inaugurado de huma colum-
na de bronze em Borodino para memo-
ria da hatalha qne ali se deu em 181a ,
com a inscripeb Ao exercito Russo de
1811
A batalha de l'orodino dado ao exercito Manoel Pacheco de Queiroga
Russo en 7 de Setembro de i H1 1 por Nai o- Jos da Silva Guimaraes Jnior
len, couservpu entre os Russosesla denomi- Dr. Pedro Autran da Matta e Albuquerque 3o
naci por ser a Aldea de Borodino o centro Manoel da Silva Neves 10
da linba russa ; entretanto, que os France- Jos Ignacio Xavier so
tea sempre a appelidario batalha da Moscona 5 Josa Antunes i.uimaraes 15
huma das maiores. que os Russos tem perdido, Pedro Jos Cardozo o
tanto pela perda de gen le e material como Luiz Francisco de Mello Cavalcante 5o
pelas suas consequencias : mais que quer di- Henriqne Autran da Malta e Albuquerque 10
zer, eem que sentido se poder tomar ae- Jos Mara Cezar do Amaral
recelo de huma columna, perpetuando a per- Joio Haptista de S
da de huma batalha onde aJlussia n'hum Luis Antonio Gonralves
s dia deixou no campo mais de trinta mil Jos Antonio Lonrenco
homens mortos e feridos cinco mil presionei- Joao Ricardo da Silva
ros, neste dous generaes ? Huma batalha Antonio da Silva Guimaraes
que forcou os mesmos Russos a incendiaren! Jos Joaquim da Silva GuimarS
Cidades, villas, aldeas, armazens deposi- Francisco de Paula Rodrigues d'Almeida
tos consideraveis de munices equipamen- Manoel Luis Viries
tose vveres, e a antiquissima e poderosa Antonio Cameiro I eo
v'osrow cuios incendios feitos pelos mesmos Jos Joaquim da Costa
RdM<*(ferio perecer de miseria mais de eem Silvestre Joaquim do Nascimenlo
mil pessoas Batalha que desemharacou a es- Antonio Joaiiuim da Costa l mentel
trada de S Pertersbourg e poz a merct- do ven- Herculano Mara Bessone
cedor a capital do imperio e lio contingente Thomaz Ferreira Ramos
a huma inva/ao franceza que Alexandre em- I Lniz Francisco da Silva Santos
barcou riquezas e arquivos para a Ingla- Marcelino Jos Lopes
erra 1 I elippeCarneiro de 01 inda Campe
Huma columna erecta no aniversario da- Amaro Goncalves dos Santos
quella batalha, perpetuando o roaior desar Hrmianno Jos Rodrigues Ferrara
das armas russas 110 seu proprio territorio e Bento Jos Lamenha Lins
tanto maior quanto era consideravel adisi- Alexandre Tavares de Mello
gualdadeem que se achava hum inimigo me- Manoel Paulo Quinlella
or em forca c distantes do ultimo centro Antonio Gomes Leal
de operaces mais de eem leguas, espaco en- Jos Antonio Pinto
tre Smolenskos e Rloscow Huma colum-
na que atesta as geraces fucturas a superi-
oridade das armas francesas e a gloria do
Grande homem que as conduzia victo-
ria : carregada sim de trofeos, mas daquelles
cedidos pela Russia s Aguias Francezas : mo-
numento que (hoje cauza admravel; o despo-
tismo ergue alera, do Boristhenes em honra
vncia de Pernambuco nem particular ao
respeitavel publico, que do seu poder, e
dominio no dia segunda feira vinle e cinco
de Novembro, e no dia sabbado trinta do
mesmo mez desapparecera dois escravos dos
signaes seguinles o primeiro creoulo de no-
me Mximo de idade dezeseis annos d'es-
tatura ordinaria prlo da cor muito ladino ,
espigado do corpo olhos conformes nariz
nao muito afiUdo beicos trocados e algum
tiuto grossos denles almados cara redonda,
peinas alguma cousa arqueadas ps grandes,
e conduz comsigo chapeo de couro velho du
as carnizas urna ceroula d'algodio um ten
ro encarnado o segundo de nome Raimundo,
naco Mucambique ailo cjrosso de ida-
de quarena annos ao julgar fula da cor,
sem barba todo marcado de sua na ao nk
testa as fontes na barriga e nos hom-
bros pernas a proporcao ps apapagaiados,
no queixo de baixo menos um ou dois den-
tes, carniza d aIgodao ,' calca de brim lizo ,
e jaqueta de xilla roxa xapeo desoa, e al-
guma cousa bucal da lingua ; ro-a por Unto
o abaixo assignado a qualquer dos Srs. cima
citados, que os encontrando 011 lendo noti-
cia os queira pegar 011 mandar pegar e
conduzilos a caza de Caelano Pinto de Veras ,
que este bem recompensara o3o trabalho o
qual mora na ra Direila I). 5:> primeiro an-
dar. Engenbo Varzea Grande primeiro de
Dezembrode *83q.
Jernimo Ferreira de Veras.
eyQuem precisar de um menino porluguer
para caixeiro de huma loja de fazenaas o qual
tem bastante pratica, de dade de lia 14
annos sabe bem 1er e escrever, annuncie
sua moradia por esta lolba para ser procura-
da.
cy Offerece-se hum mo o portuguez, de
18 a vincia para caixeiro de armasem de molda-
dos de que tem pralica ou de cobranzas,
e mesmo para fasendl, dando para esta al-
tempo gratis ; quem o pretender annuncie,
ou dirija-searua da Guia N. 1.
tSS" Quem liver para alugar alguma casa
terrea no Bairro de Santo Antonio, sendo o
seualuguer al loUoooreis; queira annuu-
eiar sua moradia por esta folha para se tralar
do ajuste.
tsr O Sur Jos Joaquim da Silva, queira
annunciar sua moradia para negocio de seu
interesse.
Uf" Precisa-sede seicentos mil reis hypo-
thecando-se urna boa morada de caza terrea ,
da ra do Hozaiio da Roavista; quem quizer
faser dita hypotheca annuncie sua moradia ,
uara ser piocurado,
sayAluga-se em fora depoitas, um so-
bi ado de dous andares e soto terraco para o
lado do mar, com bastantes commodos para
huma familia ; quem operlender dirija-se a
ra nova D. segundo andar para o a-
jusle.
tsy Quem precisar de um minino Brasi-
lero de idade i4 annos, para Caixeiro de
qualquer arrumado que for annuncie.
KS Arrenda-se um bom sobrado na Ci-
dade de Olinda na ra de S Bento para pas-
sr.r a l'esta por precocommodo : quem o qui-
zer dirija-se as 5 Ponas no ultimo sobrado da
viuva do Peixoio.
5^3- Quem precisar de um Padeiro 1 diri-
ja-se a ra dosQuarteis caza de Pasto D. a.
SST Allugueres para osTheatros particu-
lares __O Emprezario aviza a todas as pessoai
que llie prelendao alugar utencilios de Thea-
i tro que elle estar prompto para esse fim em
5 o mesmo Tlteatro as quarlas quintas e sex-
5 tas de lodas as semanas : fora destes dias nlo
5 est na Cidade os alugueres sio os seguin-
(es__cada vista coi.-.posta de dois pannos e seis
5o bastidores dez mil reis : cada vestuario he-
a5 roico quatro mil rcis ; cada vestuario ele meio
20 carcter tres mil res 5 cada vestuario de com-
bo parce dez tusles por cada um l'omingo ou
10 Dia Santo ; pagos adianlados e dando-se pes-,
(io soa eonhecida que se obrigue jestituico
10 dos utencilios alugados : o mesmo se entende
4o cem as Pecas e laicas, cujo valor estade-
ro clarado na tabella impressa.
5o CT Urna Senhora de hons costumes offe-
ao rece-sc para ama de casa de homem solteiro ,
So pois sabe desenvolver-se com aptidao : quem
ao se quiser ulilisar de seo preslimo dirija-se a
ao ra da Roda ultimo sobrado D. 27 que se
4o dir quem pretende
tST A pessoa que annunciou pelo Diario de
doze do correnle querer comprar umpianno,
dirija-se ao atierro da loa vista primeira caza
_ de porta larga no sagundo andar do lado
direilo indo da ponte.
tST U abaixo assignado morador no enge- tST Compra-se um estrado anda que se-
iiho varzea grande as maltas da palmeira ja usado ; quem o t.ver annuncie ou d.r.ja-
fregueaia termo e comarca de Garanbuns se ra do Aragao U. .17.
5o
i5
3oo
a
1 maraes
Leitc
Avisos Diversos.

t
:1


DIARIO DE PE8NAMBCC0

'- TS&" A pessoa que pf rengao ou graca le-
vou de um sobrado da ra do nindio do Noia,
um tmncelim baja de o r restituir, pois
para moslrar que he gracejador o ternpo lie
suficiente, c o sen dono nao I lie convem per-
der do contrario passar pelo desgoslo de
ver osea nome por extenco A. C. A. L. V
XSf I recisa-sede urna ama de leite nao
sendo raptiva; no Recife junto ao arco da Con-
ceico n 31, que se dir.
CT Antonio de Andrade Luna partecipa ;
quem convier qu&mudou a sua rezidencia j
eescriptoriod'advogacia para a ra do Roza-
rio larga i. andar do sobrado D .f.
cy Constando, que no engenho Calende
fora preso pelos moradores do lugar um escra-
vo roga-se ao Snr do dito enenho ou a
da Motriz Decima nove para se tratar nego-
cio de interesse.
t!F Arrenda-se o primeiro e segundo an-
dar do sobrado n. 38 na roa do fogo; na pra-
inha do Livraincnlo sobrado U. ai.
Avisos Martimos.
i'j y !nri ''"c!

travo temos signaes scgiiintes ; representa ter
aoannosdi' idadc tem na testa urna carreta
de calombinbos com os mesmos no jeitos ,
um pedacinlio tirado na orellia esquerda e
em um dos peltos urna marra branca meio
fullo sen barba estatura recular, c bas-
tante bii'iil sendo que seja pede-se enca-
recidamente o obsequio de o remeter a esta
praca na ra estreila do Rozario I). aS no
terceiro andar onde alem de toda a despesa
se promete gratificar ao apreendedor.
tsr Precisa-sede 5oo$'ooo por lempo de 6
mezes com seguranca; quem quiser dar an-
nuncie.
C? Furtaro a 8 dias pouco mais ou me-
nos duas colberes de piata novas, com a
irma EG na primeira letra ; quem as tiver
comprado ou lhe lorem oirerecidas pode as
levar no secundo andar do sobrado D. 7 na
ruadasCriizes, que se gratificar, ou in-
dt-mnisur da quantia porque as liouverem
comprado ; na mesma casa se precisa de uina
ama de leite
try Precisa-se de um sitio perto desta pra-
ca que nao exceda mcia legoa que tenba
bastante irvores de I rucio e boa baixa pira
capi.i com boa casa de vivenda ; quem tiver
annu'icie.
Antonio que nao exceda de 0,000 as seguin-
tes ras; liortas agoas verdes direita, pa-
teo do Carino com perferencia ; quem tiver
annuncie.
C7* Quem precisar de urna ama para ser-
vir a urna casa debomem solteiro, ou de pe-
quena lamilia dirija-se a ra da Gloria De-
PARA LISBOA segu viagem o Brigue
Portuguez S. Domingos nodia vodo correnle
quem quiser car regar ou ir de passagem ,
liia-se ao Capilao na praca do Commercio ,
ou a seu Consignatario Ilerculano Mara Bcs-
sone.
HAR O I ORTO a Barca Bella Pernam-
bucana pretende saliir em Janeiro; quem
quiser carrejar ou ir dn passagem procure o
(.apiao na ;>iuc Cu ao sc-u Ciisigimiario
Tioma z de Aqu no Fonseca.
PABAO RIO DE JANEIRO com toda
brevidade por ter parle de sua carga prom-
pta o bern conbecido e vellciro Brizne Bom
Jess do qnal be Capilao Joao Rodrigues
Amaro; quem quiser carregar ouirdcpps-
sagem para o que len excel entes commodos ,
dirija-sc a Gaudino Agostnho de Barros ,
pracinba do Corpo Santo D. 7, ou ao Capi-
lao a bordo.
Le i la o
CS~ Que fazem Rosas e Braga, por inter-
ven So do Correlor Oliveira de 3 magnficos
piannos iii'lezcs de mui acreditado autlior
S3F- Ni ruado Qoeimano loja D. 7 um
cavallo russo. com todos os andares e de
muito bonita figura.
KT A Sociedade Harmonico'-Theatral ,
vende diversos bjectos proprios para funcSes
tbeatraes; quem os pretender, dirija-se a
ra da alfandega velha a fallar com Jos Tor-
alo Pinna ou rom Sebastio Vieira Coelho
na ra do Crespo D. 3.
*Q> Um pardo indi mogo sem vicio nem
achaque de boa figura e ptimo para pa-
gem ; na ra do sol armazem de capim.
Sy Urna negra de idade de ->o anndi,
rorinheira engommadera e ptima para
todo o ser^igo ; na ra estreita do Rozario
110 primeiro andar por cima da venda de ga-
ra pa.
S2S Urna negrinha de naco rebolo de
idade de 15 annos ptima para mitbanda ,
cozinba bem o diario de urna casa lava de
sabo e engomma liso ; as 5 pontas ao p
do atierro no ultimo sobrado a direita.
55- Charcos pretos de muito boa qualida-
de da forma dos chapeos franceses, pelo pre-
go cada um de fc'ooo no allerro da Boa vista
E3=- Urna preta ladina de bonita figura ,
moca c'no tem vicios, com principio' de
csslitra engomma liso e h boa'qiirtandei-
ra ; em fora de portas casa 11.aH qilasi
fronte ao arsenal de marinha.
feitor e negros com muito arvoredo di
'rulo de todas as qualidades e muilo caf ,
duas baixas para capim e muito terreno pa-
ra plantaeoens Cjo sitio se vende metade a
vista e metade a praso a tratar na ra Di-
reita D. > ou no mesmo sitio.
tsr* Doze 011 16 barricas que forao de fari-1
nhade trigo; na camboa do Carmo D. 21
venda de garapa.
Escravos~Fu:ido
ssr Oabaixo ossignado idga todas as
pessoas e autboridades policiaes que ap-
prehendao um negro creoulo de nome Felis
muito preto bem leito de corpo e bastante'
rereito levou camisa e calsa curta de estopa
e.T.a;sropa r..eiiui com a qual hia dar
seus passeos porbaixo e junto ao hei;o in-
lerior tem frangido quando falla. Jlo Ma-
ria Seve.
iiT Tendo desaparecido dous escravoj bu-
caes na noile do dia t pelas t horas do silio
aonde estavao, que perlencem a Francisco Seve'
rio adrante de. ponle de Uchoa ; otTerece-se
cincoente mil ris a qualquer pessoa que
ellt-s der noticia ou entregar no mesmo silio
na ra das Cruzes nove ou no pateo da
S Cruz., armazem da quina da ra velha D.
con- |l\' f (,liaeS te,n sl""ae8 sef; el boa setatura corpo regular cara com-
prida c com bstanles
O Correlor Oliveira rila encangado f'"" | B "J" ies de beehigas ,
e tem poderes para contratar a venda do ex- ^^m.:^CS[iilur^ C'-P ^6'", ca-
ten o sitio e magnifica casa situada no alto
uwinug iiijiEiw v^- mi tnwnniu strun i i ren o sino emagrunca casa snuauo uu w ro.ing mm r i', 'i a,K,e'e encarn
iguaes a outms que tem importado de Ingla-|,|0 ouleiro no Monleiro que ltimamente ya ^ '^ll1 j^e u,n. lona mi esquer-
lerra, bem condecidos nesta praca pelas suas .)nssn0 0 Coronel Martina eqne hoje per- *# ievaiao vesIld camisa e calsa de algodo
excellenles \0zc8 e pe leito maqumismo in- i ience ao Reverendo Sacerdote nglez prximo
temo, augmentado com pecas de bronze e de a relirar-sedesla praca; o grande augmento
afiuieao ; se- qUe se fe, nesta casa os seus bonS
ferro nata raelhor conservar a
da tena.
SST Constando ao proprietario do engenho
no_ Gindahi de Serinhaem que o escraro Rufino
annuiiciadonodtariode dons de NouembrO ,
Polica
gunda Teira .t do correle ns 10 horas da ma- tlos c r0mpleto asseio bem como de sua bella nnunciaao no uianode
nba, na casa de sua residencia defronte da e encantadora situarao pela magnifica recre- lora preso nesw enlacie
da Igreja do Corpo *anlo. I a,jva c alongada vist:; que ahrange do lindo .esm, "* ,do.'
_-------------------------------,--------------------------paizdeseuscon.omos. atoma-oamaisagra- B.oTFormo*, podendo
\j O III f) l* a S davel habila'.ao para qualquer pessoa d" apu-
rado bom 'oslo ; quem pretender dito silio
c casa diri -se ao mesmo Correlor. **** as Pcssoas Pe, Prese" annunc
CT Cafmoido superior sem mistura al- tem os stgnaes segu.nles : bem leito do corpo,
guma em pequeas e grandes porches por "n]a ore l'a U ambasJ furadas at re-
precocommodo e menor que oulro qual- guiar falla descansada naco cabinda de
27* A Tragedia Morlc de Abel ; na
praca da Independencia n. '>(j.
C3" Carneiros ; no assouguc defronte da
cadeia.
e acau-
;io. a ue
V e ti (I a s
VICIOS
a rua de agoas verdes
tSS" Um pianno inglez., em meio uzo ; na
rua nova loja de lerragens I). itt.
. i). 38. Car 'cve a far'ca d"e chapeas da rua da cadeia
ss*- Taimas de piihode todas as larguras, velha n ;/f quesero recompensado,
e com primen tos e urna porcao de refugo : ^^ Na manh do da 13 do correnle fugio
alraz da casa da opera armazem junto ao so- urna molati de nome Anglica, de idade de
brado. jannos bastante baixa cheia do corpo ,
beicos bastantes grandes denle9acangulados
t^-
Meiasde linho pardas
finas
urna marca na maca do roslo cabello" grande'
gros-
tzr Um faldamento completo para sargen- sas, dilas prelas compradas e curias todas
toda G. N. por preco muito commodo ; no para homem ; na rua do Livramento I). 7. e Prel 'evou vestidoroixocom assento bran-
largo de N. S. do Terco ao p do fuileiro tT Um escravosapateiro oulro alfaiate ,' ^ um panno da costa novo, sapalos de mar-
venda D. 4; e urna negra costureira e quilandeira, todos roquim verde com urnas rosetas as orelhas,
C7- Azeile do ginguba ou medobim, e de bonita figura; na rua do Vigario n. | urna com pedra verde, e oulra sem podra ;
palma, em barris de quinto; na rua do9 ssy Excellenles bichas prelas e grandes fjufcm a pegar leve a rua nova D. ij no segun-
Quarleis no primeiro andar do sobrado de- chegadas prximamente de lora ; na praca da uo andar, que ser recompensado.
preco commodo e menor que ouiro qu_. r
quer vender, clmenle recebe call para idade de 35 annos ; o Sr. Fel.pe I opes Neto
torrar c moer, e caffemgraoa .'000 ano- eslaautor.sado nessa praca para o receber e
ha; na venda de Antonio Vaz de Oliveira, rua Pafar So.oooa os apprehendedores ou a seu
UT Vinhodechampagnhe Ay, de chateau doAmorimn. io<. propnelario no diloengenho
mageauxlaletle, medoc II. Jnlion cham- cy Taes molers de idade de i4 a it an- ^^ iNo da ,ue *? torrente fugio urna ne-
cima5. berlin sautorne u.-n-eaiel nlininlhe de nos. 4 escravosde idadede laa-io annos de gra de naco henguelia, corfulla, idade de
tST A pessoa que annunciou querer 6oo|; r heno chamado Hock xerivs Porto cognac, nacao angola, um molcco de o annos de ida- '4 anuos baixa. e anda com a perna es-
a juros dando urna casa terrea na rua do Ro- conservas de todas as qualidades chegadas ul- de, muile fiel, e duas pretas para toilo o ser- querda coxa sahiu com camisa de linho mar-
zarioda Boa vista, queira annunciar a sua I timamenle musanla j fruclas da europa vico de urna casa todos estes escravos sao de cada com esta letra -H- e saia de chita
inorada. | trufes genel.ra da Hollanda copos para vi- mi lindas figuras e se a fianca nao terem escura, e com umavental azul ; quema pe-
cr o abaixo assignado avisa ao Sr. do en- 1 nho e aparelhos de porcelana branca de mo-
penho S. Jos de Ipojnca qneem Agoslo de lerno goslo tudo por pie o commodo: em
i83i lhe fugio urna escrava com os signaes se- casa de A. Ilosch rua da cadeia velha 1 7
guintes ; Catliarina de na gao cacange bai-
xa cheia do Corpo ; cor meia fulla, tem um
ou dois denles quebrados tenas pontas dos
peitos grossas que parece urna maca tem
uns riscos ou calombos as cosas signaes de
sua naco bebia muita agoa ardente quando
lugio teria de idade i5 annos sendo a dila ,
pode mandar en'regar a rua nova loja de fer-
ragens D. t8 que pagar toda a despeza.
VSt Quem precisar de um hbil cozinhei-
ro francez., perito em sua arte, principal-
mente em massas dirija-se ao forle do ma-
tos rua do Codorniz padaria de Antonio Maia
Cortes.
5^* Em poder de Antonio Jos Gomes do
Correio existe urna caita do Rio Grande do
Norte para o Sr. Miguel Ribeiro de Araujo
Lima.
CS"F.xiste no escriptorio de Gaudino Agos-
tinho de l'arros, pracinba do Corpo Santo
D. 67 unu carta do Rio de Janeiro para o
Sr. Luiz Dias ( orreia tujo Sr. queira pro-
cura-la on auuuncie sua residencia.
K?" llo;e 14 do correnle as 4 horas da larde
na rua do Fagnndes em casa da residencia do
E'r; Juiz do cve! da lerceira vara se u do
arrematar por renda un silio no arraial com
boa casa de vivenda com commodos sufici-
entes para familia, as pessoas que o pretende-
rern comparegaocm dita praca.
%-f Do primeiro andar da casa D. *3 da
rua nova Ibi faltado um par de caslkaes de
prata de uzo moderno com o peso de mais de
ano oitavas, tendo a bate quadrada e em
cada canto urna bolinha de piata servindo de
& ; quem delle tiver noticia ou a quem for
olierecido queira avisar na mesma casa, que
ser recompensado.
try Quem precisar de um moco de bons
(ostumes que tem sido escrevente de carto-
rio Um pralica e muilo boa letra dirja-
lo a rua nova no (erreiro andar por tima donde
mora o advogado Francisco de Panla,
tSF" Roga-seaoSr. BernardinO da Rocha
Foimiga, queira dirigir-se a roa nova todo
fronlc da hospedara do Sr. Brando. Boa visla botica I) 10
CF- Um roquete todo bordado e de muilo ssr O Patacho Americano Susan de 133
gostoi no beco do sarapalel I) 9. toneladas, muito velleira e forrado de co-
cr La de superior qualidade para enchi- bre e pole seguir para qualquer porto sem a
ment de colxoens cal branca muito clara pa- menor despesa ; a tratar na rua do trapiche
racaiar a j-j-ioo alqueirc ; na rua-da roda novo 11. 17
indo para a maro sobrado que tem lampio. tsr Urna casa terrea sita no pateo de S.
X_^- Na loja de livros do paleo de 9 Pe- Pedro lado da vira o ; quem a pretender
dro ; pralica judicial muito til e necessaria dirija-se a loja de fa/endas de Vanoel Joa-
para os que principio os ofFicios de julgar e quim da Silva nos quatro cantos da rua do
advogar e para todos os que solicita calizas Queimado ; na mesma casa se acho a venda prelo de nome Francisco de naco mina
nos auditorios de um e oulro loro; tirado de
varios authores praticos o dos estilos mais
8=25* Anda auzente desde t do correnle urna
escrava de nome Lo iza de naco baca fo
de D. Joanna Francisca da Conceico ,'que
mora va em Olinda com os signaes seguintes;
cabe:a redonda ps pequeos olbos gran-
des estatura laixa parece creoula tem na
espadoa esquerda dois boloens de carne
e as
costas signaes de chicote de poucos dias ; quera
a pegar leve a rua direila D onze.
5
Domingo oilo
do correnle
funjio um
com
pratirados nos auditorios ; autlior Antonio
Vanguerva Cabral com a nova reformaco
ud jusilla.
i^" Um cralorio contendo em si algumas
Imagens por preco commodo ; na rua velha
D. u junto a um sobrado.
.' Urna casa de sobrado na roa da Lapa ,
n. iji$ a fallar na rua do Hospital da Paraso
na quina que volta para S. Francisco casa De
cima 14.
iST Duas escravas urna creonla de idade
de ao annos cose cha engomma liem liso ,
cozinba o diario de urna casa e lava de sabo,
e a oulra de naco de idade ai annos com as
mesmas habelidade ; na rua di re ha D. aodo
lado do Livramento.
CT* Farellos em sacas de superior qualida-
de a Jooo a saca ; na rua da Cruz n. (o.
C7" Urna negrinha de angola de bonita
figura com principios de costura de idadc
de 13 annos na rua do Vigario armazem
n. q,
duas requissimascarteirasde costuras de se- suissas e barba serrada, com de fie i lo em 1
nhora urna de xaro e oulra de sandro olho que nada v chcio do corpo, estatura
ma rebelado de
India.
piala e niarfim ambas da
tSF* Grande soitimento chegado de prximo
da Franca tudo de muito bom goslo cha-
peos de pal ha ditos de seda ditos de palha
de arros armados e por armar de mui fondas
formas chales de seda ditos de merino ,
mantas de fil de linho de seda e de gar-
ca luvas e meiasde todas as qualidades para
senlmra e homem sapatos de marroquim,
duraque selim e de couro de lustro para
senhora ditos de lustro para homem sarja
branca e preta para vestido lensos de gur-
guro para grvala, bicos finos fitas e
Hores para chapeos e outras multas f'azen-
das ludo por preco commodo; na rua nova
lado da Matriz D. 9.
CF" Um silio grande na eslrada da Ponte
de Uchoa com casa muito grande toda en-
vidrassada com tres salas grandes, onze
quartos cozinha fora copiar casa de fari-
nha estribara para t cavattos caa para
corpo
regular ; quem o pegar leve a rua da cacimba
armazem de asnear n. 5 quesera recompen-
sado.
tS5" No da o do correnle fugio um preto
de nome Matheos de naco angico de i da-
de de 4o annos, eslava trabalhando no sitio
igoaziuhaao p de Bebiribe levou vestido
calsa de panno da cosa com listras aziies ca-
misa de algodo desconfianca que tambera
lavou urna japona de baela azul forrada de
dila amarella ; quem o pegar leve ao dito si-
tio ou no Recife a JVIanoel Antonio da Silva
Motla que gratificar.
EF" Cno dia 10 do correnle fugio um cabra
de nome Joao natural de Mocos de 1a an-
nos de idade levou calsa branca -le brim liso,
camisa de ijiadapolo chapeo de palha urna
sicalriz por baixo da barba e tres marcas de'
vacina em cada braco sendo vasinado a dez
dias ; quem o pegar leve a na da Conceico*
do Recife D. 34 quesera recompensado.
ItLClfrE NA TYP. DEM. F7DE Fr^83^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EX5E4FLGV_3K0TR6 INGEST_TIME 2013-03-29T15:24:33Z PACKAGE AA00011611_03972
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES