Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03970


This item is only available as the following downloads:


Full Text
4fyu
QtjmxMikL
Tudo ajfora depende de ndViwesmos; fin ossa 'prudencia, modera-
.fo, eenergia: coniingnnos como principiamos" seremos apntadoi
iota admiracio-enini as IWoes mas cultas.
Prclamnco da Asstmblea Geral do Braxil.

a**
t K DP/gKMtlWim-yVMKItff

----- l.iiai ygru'i-------1------------"
Suhscreve-se para esta fo I ha a 3ooo por quartel papos diantdos
Desia 'Ijyiografi! ra das Cru?cs D. 3, e na Iraca da Independencia
T). 37 e'o8, onHe se rrcebem correspondencias le>;!sacias, eannuucios
tosirmdo-se estes fiatis,1 sendo deproprios assighantes, YindOs assl'g-
Vnadas.

Partidas dos Gorreios Terrestres;
'Cidade da Paraliiha e Villas de sna pretenS............... j
Dita do Rio (,,node do Norte e Villas Idinf. .--------............Segundas e Sextas Fcira
lita da hortaliza e Villas Idttn.................:........I
Villaje Goiahna. ......... ........... i ........ /
Cidade dr Oiinda.............. ... .<~ ....... :........Todo* o das.
Villa de S. A lilao t .............................Quintas letras.
Dita ele (arantiiins e Povoabio do Bonito......................Das i o, e li dcada me.
fifias do Cali, Serinltacm. liio Formozo, e Porto Calvo....., *.....lldem !." fcV|-t*''| dito.
Cidade das Alapoas, e Villa de Macelo..................fiJ!UI JJlJaWlfttn" .
Villa de Pa4su.de. Fiares.............'....................dem \\ dito dito.
Todos os (rreios partem ao ineio dia.
----------------------- 1 ------------------ -------,

CAMBIOS.
Dezf.vbro. i i.
Londres...... M i|l 35 po/ ffooo ced. _^ ; -te
Lisboa....... < "rrtcr.......aqb.rcis por (rauco.
hto de Janeiro ao par.
OCHO lAJoada do 6f*oo M VWlfci iJloo' a xifr-n
Pitas Novas UHtoo a- i4A>
Hilas de ^ooor!..
s.
9 Segunda
10 Terca -
Ij Qu-rta r
li Quinta -
1$ Sexta --
ti SlihaHo
15 Domingo
As (0 horas
Dias da Semana.
- S. Leocadia T. M,-------- Re) e and. do J. de da 1. v. de manliJ.
- S. lalj -----S. Dam.uo .P.------r -----------.sao da Tliez. Audiencia do J. de]l). da 1. J.do
-----S. Justino M, ------------------- Re: e atui do J. de I), da 1. y.
- -- S. Lutia V. M. ---------'-- Se, da Tliei. a aud. do J. de D. da 1. r. .
-i -- 8. Anfllo At>. ---------- Re. ed. do J. de D. da 1. v. de tn.
3. dt) Advenid S. Euiebio B. M.-----
......'
Mare chela para o da 1! de JDezembro.
r
e mifrtjlos da manila1 As 10 horas e 30 minutos da tarde.
RIO FE JANEIRO. J
, IX
I\l nisleno do Imperio.
I!!m. eExm Snr Achando-se restaura-
<1a a Nilladu Laguna da provincia de Sania
Cal na r loa, por um ataque com! nado de mar
cierra, que leve o mais glorioso resultado,
escudo o niesmo da n'Xaurada tanibcm
Villa de La;cs pelos seus mesmos habilanlcs,
como consta do oflicio de ao do correte que
se acaba de recelier do prosidenle da referida
provincia Porordem to U'^enlc em Nomo
doIin|icrador. < oiiimunico a \ Ex. aquella a-
firaduwl milicia paia que d a dc\ida jui-
Llicitfadea maiieste triumpliodas Armas Im-
pciia.s.
Dcos Guard a V. x. Palacio do Rio tle
Janeiro em ais de Kovembro do ^3q. Ma-
ikkI Antonio Glibo. Sur. Presidente da
provincia de Peinanibubo.
_-----. _
PERNAM15C0,
COLMANDO DA^ ARMAS.
Expediente do dia 7 do correte,
Officio-Ao Exm. Presidciite., remltendd-
Iheemdupplicado map|ia da i'orca dos CoO
pos de t. Liona existentes na Provincia per-
tenc'Jiite ao mez de Kovcmbro ultimo. ,
Dilo-Ao mesmb Exm. Sur. transmitlindo-
Ibe Compdenlerncnte informando o rcijueri-
jiienlo do recrtita do Deposito Maitoei de ^'o
fc's Sarment qu supplicava demicao al-
legando terj servido como \x)Iuntario na Pro-
viniia das Alagos e nao ser por sso obrigA-
do a servir novament no Exerc(o.
I ilo-Ao Inspector Geral interino das Obras
Publicas tfsendojlbe cm rcsposla ao seo
hScio deslaata que Exm. Sur. Prcsi-
di'iile o auliiorisava para adiniir as obras
do quarlcl daCompauliia d'Arlificcs. oiobrar
ros do Pai que fossem necesarios para a
prev'e conciusatt das mismas obras.
Dito-A o 1 irciclor Interino do Arsenal de
(iucria commiiiiicando-llio ew rcsposla ao
Sed offiejb Se do corrente o exposto no pre-
cedeule'ollicio.
I'orlaria-Ao Major Commantlartle do De-
jiosito mandando erh cumpriment a Lei ,
dar demicao uo Soldatjp Luiz Jse Moreira ,
]>or ter concluido o lempo por que era obriga-
tlo a servir como recrulado c nao querer
continuar no servico Militar.
da 9
OuCiO-Ao FaT Piesiileiit fasrndo-iiie
ver, que a guarda da adeia de.viria ser feita
do dia i2 tm di ante pelo Corno de Polica ,
ao qual cimpelindo a seguran a dos presos ,
Ci.nviulia que tai guarda [he (i> asse sendo pri-
vativa e exC uida ti s da niarnicao.
ilo-Ao VlVor ('.onimandanle do Deposito ,
disendo-lhe que amaulta pefas 6 l.oias do
dia se llif apresenlaria no (Ruarle! do Hospi-
cio o Commandante interino do J Balalltao ,
qual"de conimum acord com eH deveria'o
escolber o rccrulas dos milhores para servi-
icm no mesmo Rala'lb.
Dilo-Ao Commandante interino do 3. Ba-
talbao d'AiliHieija communicando-Ite
xposlo no pr cedcnle cilicio.
TIIEZORAIHA DA FAZENDA.
FjjitAt;.' .
O Ulm Snr. Inspector (la, THzoqraria de
Fa/cnda da Provincia tedb de remtler para
ondres 7. 000 tibras Sterlinas; manda con-
i
vidar aqs Snrs Negociantes que qui/erem
saccar \of esta quanlia sol re aquella Praca
baao de comparecer na Salla das, scsses da
inesma 'I'lic/.ouraria as boras da nianbaa

do dia iq do crlente me/,
Secrejaria da Tbiv.ourana da Fazonda de
Fernamliuco rede De/embro de S09,
Joaquim Fianciscj fastos.
Uicial ?> aior.
f HEZOURARIA IT,0\ L\c IAL.
w ,Ei;lTAL.
O Inspector da, 'h c/.onraria das Rend<1s
Provinciaes (17. publico que |tcraiile a IMBaM
Thezouraria em os dias H, iq e ->o do cor-
rente as horas da manbaa se lia de proceder
impreterix cimente ; arremolaco! dos rendi-
mentos da Taxa das Barreiras eslabeleCidas as
onlesda Mijgdalena e Caivalbos, a quem
m'is der por ellas. ,
As pessas que se proppzerem a esta arre-
matago compareci nos tlias cima indicados",
munidas de. Fiadores idneos. E para cohs-
tar se mandou afiixar o prezeute e publca-
lo pelo P^-elo,
Tbezouraria das Rendas Provinciaes de
Peinambtico *i de PezemJiro de |rt3_Q.
JooBaptista Pereira Lobo iuniot".

<
no lempo do Oneral Lbiz d Mffi corno ja sisiid _com urna espingarda carregada
foi decidido pela Presidencia a requerimn-
I)iversas Rfp;ir(coe
Vicente
ALFAND-Ga HAS FAZEx\DAS
-1 K;ltA!'-r- r
te lliomaz Pires de Figueredo Ca-
marg" Inspector d Alfandega faz saber que
no dia- Sabbado 14 do co.rrenle se hade arre-
malar em basta publica e na porta da mesrra
ao meio dia .cerdo e vi 11 te cadeirajs de pao
fiKeto no valor de 600'.' rs. impugnadas pe-
0 Guarda Augusto Xavier da Fonceca j0
Despacito por Factura de Tbomaz d'Aquino
Fonceca sendo o Arrematante sugeito ao pa-
gamento dos irei'cs .
Alfandega 11 de Dezembrode 187^
Vicente Ihomaz Pires de I-'igueiredo Camargo.
A Pauta he a mesm do numero aG5.
MEZA PO CONSULADO.
A Paula be a mesma do n. -x-ja.
CORRFO.
O Palaxo Paquete da Terceira recebe a 11..1-
la para. Lisboa no dia 14 do corrate as 4
horas un arde
0 Vapor Paraense recebe as malas para Pa
Cabiba, RO '>ande do Norte Ceara Ma-
ranbo e Par' buje 11 ao tn^io dia
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE D
GLkVDA.
6. Se6s?Q.ordinaria de 16 de Sotembro
Presidencia do Snr. Guedes.
Foi abcita a Sessao estando prezenle os
Snrs. Vercadores Maciel Xouteiro Laage
Jnior I r. Rozelles e Albuqncrque ; fal-
lando com cauza os mai% Snrs.
1 id.1 a acia da antecedente Ibi approvada.
O. Secretario dando tonfa do expediente
mencironou os se>uiutes ofticios
Um (lo F.xm. I 1 esideute da Provincia orde-
nando que csla ('.amara faca guardar na 1
: estrada do hozarinbd 6 Afilelos o mesmo a-
J linhaincnto ,e cordiaro, que Ibes Ibi dada
lo ile I). Alirrelina Angela de Catro e
Ag'iiar proprietaria de um sitio na estrema
das mesmas estradas dirigido a esta Cmara
pm dacta de r de Setembro a 1^573 vista da
informncao do Tehent Coronel Inspector Ce-
ra das Obra* Publicas ; vsto, que esta C-
mara compete faser ror anl igo estado as ser-
vidoes e caminhos pblicos de seo municipio
OtiIrb do mesmb Exm. Snr. Cascudo ver
qtic ronslando a Presidencia qiie al^umas
das Cmaras nlunieipaes dt Provincia tein
dado assento a seo- Secretarios na qualidade
do Verador **spndo incompativcl o exercir
ci dcstes dos lugares como expressamente.
declara a Resolu o do (oremo Imperial d
1 '1 de ^ovembro de 8 8 sob ni 1 ->n que es-
ta Cmara ouvPsse de dar pontual execnco
a mencionada esoluco dispensando o dito
Secretario deste c.trcicio salvo se elle fiser
opeo : resolveo a Cmara ao .msmo Exm
Snr. que o Secretario estaba excrcehdo dito
cargo por nelle recahir votds, e para elle
' tomar assento na qualidade de Vreador foi
consultado a Presidencia por officio" de vi de
Feverciro de i**38 que foi dec'do por offi-
cio de 3i de Mnreo do rflesmd anno e que
u o mesmo Secretario fez dezistencia do men-
cionado cargo fcndo lo somenle servindo o
seo Em prego
Onlro da Cmara do Recife ntieixando-se
do Fiscal da Salinas desl Municrpib por
hriver elle ullrapacado os limites de su ju-
risdicao. Resolveo a Cmara que se remet-
tesse aodito Fiscal os aris das Divisoes dos
termos para seo ronheeimento e que se
ofHcfasse a dita CdoHra fasendo ver que o
Fical que primeiramento foi reprehendido
por este mesmo motivo ja deixou d servir dito
Emprego e que o aclual passava a ser sensu-
rado.
Pspcharao-se reqirerlrrientos de partes e
dada a liora o Presidente lotantoia Sesso".
De que fi< n prP7Pnte em que nssignnrao. Eu
Jo/e Joauuim de F'igueiredo Secretario a es-
crevi. (iuedes, '.'residente. Maciel Mon-
Laage Jnior ,' Rozolles, e Alhqur-
que os OfBciaes de Instiga cumprissem em sua
loja um Maildado de pinhora do Jizo da \\
Vara do ( ivel ; e lauripuo dos Santos se-
mi-branc pelovSuh-Prefeito de Olinda ,
por ser vagabundo e suspeito.
E o que consta das partes h,'e recebidas
n'esta Secretaria.
Pernte a Administraco dos Eslabelici-
mnlbs de Caridade se baaearrematar a queni
mais der as rendas da caja n, i3a na rita da.
Gloria d Bairro da Roa-vista : as pessos que
1 -
a quiscrem arrclafnar poderao comparecer no
Crnde Hospital dcsta Cidade no dia \i do
rente rhz s i libras da larde con seos fia-
dores.
Salla das Sessoesda Administraco dos Es-
tabelccimenlos de Cridddc ib de Dezembro
d 18J9.
J M. da Cruz.
Escripturario
teiro ,
que.
Est conforme.
Joze Joaquim de Fijjucrcfdrf.
Secretario,.
PREFEITURA.
pinxa" O IA 11.
Irlas, e hxm Snr.Ferio presos hofitm a
lia ordem e tiverao destino Joze F'ran-
Lo|es braneo Antonio Lou'renco da
Silva semi-branco Vicente Ferreira pre-
"to AntonioGrosso e (ialteano Baptista ,
Gerove/es pelo Sub-I'refei.to da Feguezia
de Sanio Antonio 4 o i. por queixa'de Slano-
el de. S Leiltt de Ihe ler elle extraviado da
sua lo(a urna porco de fazendas1 semfo seo'cai-
xeiro, o a. por ter dado um golpe no bra o erh
Eu;enia V'aria da I aix.io o 1. por estar em-
desordem na Riberra e espanar um mu-
Hier e o. 4. e 5 a reipiisicaodo "especli-
v,o Cnsul por desobediencia a seo Ca'pilao ;
Joze Gon ,alves de (diveii-a Franco e Ang-
lica prcla cscrava de 'ose Nune% por um
soldado do ("orpo Policial esta por agaf &
porla dd morada d'u'm Cidadao um cubo corr
lixo e aquelle po: ter d.lo urnas jucads
em, urna prcU Joa Pereira tle S irarn'.
e Ernesto l ellaz Irancez, pelo Suh-Frefei-
to da Boa-vista por se terem oppostbs Nh
j
. i'i .
NOTICIAS PROVINCIAESV

Recebemos folbai de Minas at i3 de No--
vembro de S. Paulo al 16 de Sergipeat
00 do mesmo mez *s quaes somente nos tra-
zem a salisfalr' noticia de conlinuarem a-
qiellas Provincias a gosar de paz ihalleravel j
porquanto pelo quedizia respeito a seguranca.
das frohleirsde S Pablo cessarao todos os
receios corh achegada do chele de Legiao Sil-
va Machado. Rastou a presenta des'e hmem
para animar a todos os Corilibanos e tiral-os
do estado de indiffeienca em que se achavo ,
para prov do que basta dizer somente ne s
errtre guardas naconaes e policiaes j: anda
va por pertb de dois mil voluntarios al a
I data do artigo que lemos os quaes seoflere-
ccro pira ilefeza da' fronfeira. As follias da
l'aljia rhega \ do correte que nada re-
ferem digno de transmitlir-se aos nossos leito
re9. A Provincia gosava paz e acbava-se
oceupada com a elei^o de um Dcputado para
a Assemblea Geral', por eujo motivo tem ha-
vido encaricada guerra gazeal como he u-
sua!.
Do Rio de Janeiro tambem livemos foihas
ate jfi de Ottuhro que alem do trimpho
rfUe alcanedu a Legalidade em S. Catliarina .
que bontem publicamos nada rnais ros tro
xerafj que mreca publicidade. Po Rio Gran-
de do Sol apenas livemos as noticias qtie aba*
xo transe revemos que rrSo passao de al^.umas
circunstancias acerca das operacoes das Tropas
da Legalidade all. Abi vo na sua integra
como as lemos no Jornal do Commercio. Tam-
bem julgamo do nosso deter aYindnciar que
apparecerao al;uns corsarios os quaes j; ten
feilo algumas presas. Por amor da fidelidade,
e exac o que cumpre ter em s'emelhantes ne-
gocios passamos a tfanscrever ludoqinto le-
mos e se acha escriplo nos Jornaes da Corte
a est respeito Amnb publicaremos o'
que tem passado em Buenos Ayres1 &c,
S. TEDRO DO SUL.
Porto Alegre ?o de otitubro.
Temos estado por bastante lempo privados'
de noticias de algun interes tanto d (am-
panha cmo dos sitimlcs Sabemos somente
com certeza que ha das passa'raif no Trium-
pho'tres pecas oV artifiiana vlrldas de Casspa-
va e com muita pouca genle. O grande Ono_
fre reuni as policia.s do dislriclo de Cahy 0-
l


ir
DIARIO DE
SHSHSSH55BS
i R

NAIIUCI
protegen a artilltaiia alao Passodo Monte- -ca e o hiate, eqtieo hriguccscuna segaio sobre [embarciicoes ; o men'navio ii-o lem hojees- primeiros esludos foi por sua me enviado a
negro, onde a recebeu, o Valeuca. Nesjes o inimigo :'huje-se achlo no porto as ditas re-{caler algum que piusa r ao mar, por se a- Londres pira esludar a jurisprudencia ra
ltimos das Inn-se passado para nos almis presas, asquaes entregue! a S. Ex. o Sor fcharem ambos arrombados pelo foo que te- qual elle Jeo trovas de pouca vntidao ou de
individuos das fileteas rebeldes sendo hum presidente bem como os .prisioneiros ; por nlio soffrido. Approfeito esta occasifo para pouco goto para esta ciencia. Veltando para
o elles sotihequelitilio sbulo da Laguna, fasi- 'levar aocontiecimenlo de V S. que nao lia lluiituigdon .so* impetuosidade natural o en-
i-j'o 15 ou iridias, e que bavia no bloqueic -xpressoes. com que poasa louvar o proced-, tregou a todas as desordens e desregramen-
del!
hum
ueues lente e ootro -srjenlo que foro
lecebidos no Hapoan a bordo da barca de va
por < assiop.-i em que ia o Exm. presidente
da provincia e cuuduzindos pana o Rio tiran-
de. Consta que ha vilo desertado-mais alguns
e que bavendo sahMo partidas em seu segu-
menio foro morios Ins que torio alcaneados
('asanles pessoas lem -entrado na cidade vin-
das de Santo Antonio e Tiamlo e-quasi
as nocsas enibarracoes de guerra as quaes d<
uianhi seguiro sobre huma escuna mercante
a quem o inimigo deo licenca para ir com
carga a Santa Catbarina ; e que pelas A ve-
Vfarias sabido da Laguna as escunas Liber-
tadora e Cassapava e palhabote Seival, que
navegando com proa de E S- 15 se afasia-
todas sao concordes em arBrmor que B. ti 'era irlo da costa e mudando de rumo foro as
nli esperado todos os dias e que era constante
aehar-se Canaba.no no Rio Mtnpitaba de vol-
ita da Laguna Incliuamo-nos a dar^credilo
a dsta noticia porque a sabida das ultimas
embarcaOes de Santa Catbarina para o Rio
Grande j ali se di/ia que os rebeldes estado
la/.endo passagem de alguns ohjeclos para
aquem da Laguna com o II m dse porem em
retirada. Elles tem condecido, que nao eti-
conlraro oapoio que esperavo *a impos-
sibilidadede apoderarem-se da ilha-fin visto
das fon-as i|ne lem acudido em Veza da 'le-
galidade ja \ nwvem Massenmu as boas dis-
posicesem que ella* sr ac\\*o -e por isso o
que Ibes resta be abandonaren! o ponto em
iunnto o piiilem fa/er -e condu/.ir o produelo
do saque da Laguna e fle alguns oiitros mo-
radores mire aquella viMa.e Massambu as-
simeomo alguns malvados e nulros illudidos
que se nggregarlo ao seu batido e i|tie pelo
Seu eomportamento conaulcrao uno poder vi-
ver ti-aiiquillos na qnella provinrh
(Imperialista.)
(Do Jornal do Commercio de a i de Novem -
'bro,i
APPARJC.AO DE ( IJRSVRIOS
Anniincia varias cartas de autos que a
corveta Regenerado entrada naquelle Porto
nodia desta cosa encontrara perto de.Cananea do-
US corsarios aes quaes den caa roa* que.,
a prove lando-se estes de baxins onde nb
ihavia agua baslante para navegar a corveta ,
< onseguiro escapar Dizem as mesmas cartas
que a sumaca Elvira mestre loaqitim Peixolo
de Cu i na raes sabida de Iguape para esta
corle com rarga.de arroz fura apre/.ada |or
bupi desses corsarios
Esta noticia causou lionlem na praca al-
gnma sensado : porem anda que muito
convonlia que o oorpo do -commercio tome as
medidas -de pruna o rccoimnendadas pelas
autuaes ircunslaucias compre notar que a
appariie desee corsario nao nVve ran/ar ma-
-iurrracreio e que por (muro lempo poder/i
infeslar os mares do nosso I i llora I por isso
que desde Santos ale c Rio Grande.cruzado a
roryela Regenerarn os brigue* escunas. An-
dori '
ment dos commandantes omcraes e guarn-
ces dos dous navios- mencionados,'ejuota-
nienle dos ofSciaes e guarnido do navio do
meu cominando.
Junto vai o capillo de presa da sumaca que
j.enviei ediz ser lente.
l)eos guarde a V S. Bordo do, Brigue-es-
cgna Andorinha surto em frente a linbituba.
i* denovembro de i8-tc>. Illm. Sur. I're-
derico Mariatli capito de mar e guerra ,
commandanle de diviso Francisco Roma-
no da Silva, capillo lente commandanle
(Despertador de ai de novembro.)
Co r responde 11 c ia
queimadas de Sanios ; dous dias ali pairarlo,
al que rondando-lhes o vento ao N E ,
virarn no bordo ao sul, e que pela altura de
I i.ianr ponco mais ou menos, encontrarlo
buma crvela que Ihes deo caca e depois Ihe
fez logo e assim os perseguio dous dias, al
que se escaparlo de noite, farer.do presa a
duas sumaras e hifm hiate e se perderlo da
escuna Cassapava ; que navegando com o des-
tino para a Laguna, encontrarlo um peque-
no hiate que tomarlo e que no da t ao Sis. Redactores,
amanhecer virio hum brigue escuna de gner- Como pelo seu Diario em um dos mjBua.des-
r brasileiro que Ibes deo caca e os repres- teanno, foi transcrito nm aconlecimento na
sara, se>;uindn o hri-'iie escuna depois sobre Provincia do Rio-grande do Sul, entre o
os'corsfirios, depois de t-r havido antes fugo: Tmente Coronel J'io Propicio 'e o Mnjor
de parte a parte He por tanto o que parece Jos Xavier i.arcia d'Almeida ; se nao fora eu
evidente pelo que diz hum dos commandan- ser intimo amigo deste Maior e por conse-
les das jiresas, e roiiirmlo os mais prisionei- rpicncia tacliadn tal ves de Juc em causa pro-
ros. I pria exporia mais circunstanciadamente as
Deo* fiarte a V. F.x. muitos annos. Ror- ptima* > vialidades com que quiz a Na tu reza
do do brigue es-'iina Eflo surto em Santa prodigalisar ao referido meu amigo ; bastajilea
Calbarina em ; de novembro d> iBq. motivos para indispor aos perversos e estimu-
Hlm e Exm Sur. Jacinto Roque de Sena lar a quem inveja a virtude e a nlo pode ter
Pereira ministro e secretario de estado. Coutento-me, Srs. Redactores com me-
Frederico Variaih. capillo de mar e guerra e recer-lhes o favor de lamliem lranscreerem
rommaiidnnte da diviso.
Porem apenas, tocou a idade de io an-
uos urna sfilnta converso actom pan hada
d um-omor decidido.pelos estudos mysticos, se
opero no seu moflo de vi ver. Em t o des-
pozo-se com a herdeira d'dma familia assaz
consideravel de seo condado ; depois do que
se retirou para o'cumpo onde vi veo vida sim-
ples e religiosa. Era o lempo-, em que ,
proscripta a -eligio Ciitbolica ria-se a In-
glaterra dividida por urna mullidlo de aceitas.
O Rei Citarlos i., espozo d'uma princesa
franceza e a ortliojica professava a reiigio
anglicana ; mas o povo communhes dissiden-
tes. Pertencia a "dos puritanos Cromwel, por
cujozelo, efervor, com que alie costumava
de nroess rr as doutrinas desta beresia bre-
vemente adquiri urna certa influencia no lu-
gar de sua hahitatfio. Em 6 M fot elle elei-
la inenbrodo terceiro parlamento, que o Rei
bavia reunido.
i Membro d'iun 'comil de religio elle se
distingui pelo vigor de seus ataques contra o
papismo ( assim que secbamava o vathoie-
cismo).
Sendo dissolvido o parlamento porque ba-
via moslaado vrslas hostis contra o Re, Crum-
wel-oltou para sua. casa onde,- pot espato
dedozeanuos, viveo noseio d urna obscura
mediocridade
Armado d'um poder absoluto, Ckarlos I. a-
brio a porta aos abusos A sceilas dissideutes
da religio anglicana forafi victimas de tyran-
nicas perseguicees Um grande numero de
no seu Diario a bem da honra a Ordem do sectarios puritanos pre'erindo um desterro
dia abaixo declarada que vem no 'omal, voluntario a os maos tratamentos que os of-
Illm Snr. -Tendo sabido pela barra do Commercio de a5 de Setembro do anno j endia euV sua propria patria resotvera em-
do Norte, nodia i. do corren te. ao atrjanher que corre e mais se clarifica no Diario do barca r-se todos Untos para i rem formar urna
do dia a avistei a barlavenlo cinco embarca- Rio de 'aneiro de a< de Maio desto auno colonia em logar longicuo da qual Crorawel
oes. sendo duas sumacas, huma escuna e em urna Correspondencia. | devia fazer parle Ora urna bizarra filalida-
dous hirttes : dei-lhes caca eento a escuna Ordem do dia. | de quiz, que Cka4os I tivesse a seu lado um
e hum dos biates puxarlo para barlavento ; Tendo o Sr V'ajor graduado do corno de bomem que algam dia viria a contribuir jx-
e, epubecendo que eroinimifos. pela liandei- engenheiro Jos Xavier Garcia de Almeida derosamenle ao seu trgico fim, e assentir-se ,
ra que ieirlo principiei a balel-os e ten- requerido responder a Conselho de guerra pa- depois delle, sobre o seu ensaaguentado trono,
do-me balido, duas horas com os dous, co- ra juslificar-se de qualquer imputado contra I' om elfeito o Hel informado dfeses projectos
nheri que elles me inlretinho a barlavenlo MI honra e nomeando-se-lbe conselho de de emigraco impedio a sua executo
para dar lempo aos oul ros I res que ero mer- Investigarlo em virtude do a vizo da Repart- I Cromwel que esta va como captivo sobre o
cantes de se evadirem ; e, como coubeces- cao da guerra de 9 de Agoslo ultimo S, Ex olo da Inglaterra depois d ler, sem pro-
se que era de milita vantagem obter algumas o Sr ^'arechal de Campo graduado Com- veilo tentado abrir urna carreira de fortuna
das presas deTles e juntamente fazor esta mandante das armas manda fazer publico a junto ao Hispo de Lincoln, cetirou-se para a
parlicipaco a V. S. assim o fi, para se esta guarniclo o parecer do dito Conselho, ilha d'EIj onde viveo ainda o silencio e
liouver orcasilo de sabir algum navio pelo abaixo transciipto vislo que nem urna baze entregue so a o cuidado de sua familia Em
Norte pois-elles eslo em frente meia i- tem para se proceden ao de guerra. 't> o desgracado Ciarlos C vio-se obrigado
Iba: adame s e eslou tratando dse- Parecer. a convocar um quinto parlamento para ajuda-
glirar as duas presas que pretendo deixar na O Conseibo tendo'escrupulosamente exa- lo a fazer frente s tem veis difculdades que
barra do Sul e perseguir outra nue se minado os documentos que Ihe sao presentes ,; o cercava. Nesla poca encontramos Crom-
vai dirigindoparaoSul. Noto aV S. que e dado o justo valor aodepoimento das teste- Wej repartindo o seu lempo entre a cultura de
convemporora o meu navio ficar na proxi- munlias por elle inqdiilas, nlo se julga s-.ias trras e a controversia religiosa, e go-
csie cruzeiro o 1wigie ib? guerra. Imperial Pe-
dro que larga amanilla para o porto de San-
tos. Chialquer emburrado pie seguir a
inesma denota (uxler i itlilupr-se docomhoi do
referido brigue.
Em lu.iiwi das cartas de Santo* que foicom-
nnuiLcada encontramos a rupia do seguiule a-
viso: ,
A*s autoridades. do.diIferentes districlos
l>oi-los t!o 111,11 dista |>i()viicia faro aviso para
tftie estejo acauteladas, de que coutJta terem
sabido da villa da Laguna alp,uns corsarios
Aquellas a que este for apresentado lite poro
o valo de que (icio inteligenciadas.
' Palacwt do i;eviyjoo de Santa Catluirna .
cm 1 1 de ou (libro de 18 g. Fiancisco oze
de Soiim Soares l* Re',i>lai|o no dislrirto das tianxns a ";
deoulubro 5 em Porto l'ello a 18 em Ilap-
coroiaa 90 ; eirt S, Francjsco a,a j em Pa-
ranagu a -. "
( Uo Joinal do Commercio de 1 a de mitubro
OS IRATAvS EX.AGUNA.
Qffifios enviados ao F\m. Snr. ViuJalro c^t
maiiuba. pelo cnnini.inilaiite da lorca na-
val em Santa Catbarina.
Illm. p E.\nj. Sur Distribuidas as, em-
barcares de guerra no cruzeiro da Costa e
bloqueio como teuho lido a honra de parti-
cipar a V. Ex. foi o Brigue escuna Ando-
rinha que felismeale enconlrou na abura da
ilba de ."anta Cbatarina buma escuna inmiga
r huma pa iba bote e tres presas leilas por
esta embarcaces, sendo dua sumacas e bum
pequeo hiate ; e pela parle que me d o
com manda n la eque iuchua reweUo, conbe-
wra V x. que foi represada bmnamma-
escuna Andorinha
bro d
alh. c
mano
danle.
a vela em de novem- e o ajor graduado Jos Garca de A Imeida. carreira poltica e sua brilhante fortuna Um
e i*5q Illm Snr l'rederico Mari- Quanto porem a nodoa que o mesmo Major de seus contemporneos tem-lhe deixado o re-*
L-hefedas forcas navaes Francisco Ro- julga ter aquel le aconlecimento lan adoem seu ralo seguiule pintado na occasio de sua en-
da Silva, capito lente, ecomman- bro pela manen a porque fora publicado ,! traJa na arena poltica. A prmeira vez que
* I I L I I 1 j v /i.l UBI r* I ^.l_- 1 .. ._ 1 -k i A ^ aVC fe^ _1&______ 1. ^_
Illm Sr Tendo. como j. mandei diser
* VS perseguido nlo s a tercena presa .
mas tanibem os dous navios rebeldes se at a Imbiluba onde encalbou a sumaca.
motivo queomoveo a sollicitar providencias ; 've ocasilo>de conhecel-o dizeste esciiplor^
do goveruo na representado que Ihe diri- fo no principio do parlamento em Novembro
gio e que d; origem : presente investiga 5o, de i >io Vim a salla das sesses e percebi
be o Conselho de parecer que
dm-umenlos a IT. 5 e 6 e ~
teslemunhas, fiea desvanecidos os escrupu-
Naveguei al a I ag-ina, por ter perdido de los que a semelhante respeito exislem no re-
vista os in.migos ; ahi dei fundo notando que ferido V'ajor e nesla parle o considera Justi-
na barra se achavo fondeadas duas escunas, dera justificado.
sendo a Ilaparica e mitra Logo que meca- Rio de Janeiro 14 de Selembro de i3a.
I 100 rebojo, fiz-me de vela, com o filo de a- Jlo Vicente Gomes, oronel presidente -
visar os navios do cruzeiro dos acontecimentos Felicio I orJes da l'uslamante S major in-
qnetinha havido, para os previnir denlgu- terrogante Manoel Estanislao de Gistro e
ma surpreza o que com e'Vilo consef,ui Cruz major auditor. Manoel Antonio da
hoe, ao romper do da, fallando ao pata- Foneeca Costa ajudaute de Orden*
Seu venerador
cho Desterro
O eomrr.JUidsnde mnsse conta do cruzeiro rom o patacho Pa-
tagonia e a essuna Bella Americana Segu
coro elles, tendo me largado o Desierro a
bibituba onde snppunha encnnlraria os
rebeldes com efleito. ah os enconlrei fun-
deados com cebos dados para a trra
Travamos com elles hum combale de 4 ho-
ras e o minutos sem que nos fosse pofsvel
tirar vantagem. pois que alem dos navios
lem na pona do morro buma pera, e em
Ierra lalvez aoo bomens com mosquetera.
F.ulo dei fundo em fenle delles, para ver
se obsto a sabida dos dous piratas, e mando
a escuna para fazer a V S esla parleriiia-
rio 1 epata r-se das ava ras elevar os (len-
les pois que abordo nao ha meios de os cu-
rar, Nlo me he possivel abordar. como de-
via, ao nimigo, porque alem dos i navios
nao twrc guuui.o suficientes, oS tenee*
Um Assignaute
Variedade.
Oliveiros Cromwcll.
Oliv-eiros Cromwel nisceo em Hunlingdon ,
em 5)i. Seu caracltr appresenlou no cur-
so de sua vida muitos contrastes singulares
Quando joven foi ao mesmo lempo visionario ,
melanclico e petulante. Sua fami ia que
era nobre leve grande cuidado de sua edu-
cado. Mas o joven Cromwel mostrou desde
o principio mais (iisposices para os exercicios
corporae* que para os Irabalbos do espirito
Com ludo nelle se descubri logo urna grande
inclinado para controversia e para as med-
lacees religiosas. Apenas Snalyou os *e.us
a vista dos que falla va um genlilliome. cuja maneira me
e ditos das ueixou convencido deque elle nlo esta va ac-
costumado esla qualidade de assembleas ;
pois elle tinba vestido um vestido mal feito ,
que pareca ser obra d algum allaiale do cam-
po : a roupa branca era d Um panno grosso ,
e nlo mu lavada ; tiuba urna ou duas man-
chas de sangue na volta ; seu chapeo nio li-
nda presilhas ; seu tal be ra mediano; sua
espada eslava pecada ao seu lado t seu ar era
obstinado e animado ; sua yoz forle e disso-
iiaute esuas palavras chelas de fervor.
O Rei nao enconlrou no parlamento nem
mais sympalhia nem maior docilidade que
as precedentes., Logo que os debates eulra
Ckarlos e as Commtins se mudaran em ac-
cusaces pessoaes, CrothWel se fez celebre por
sen rancor e pela acerba animosiihde de sclis
Hisi tirsos. Logo a guerra rompen contra O
Rei ; e Cromwel eleto capillo depois coro-
nel appresenloii urna grande capacidade mi-
litar Seu esqnadrao e depois seu regimen-
odelo e a
lo vieran a ser em pouco lempo o me
admirado 3e todo o exercilo Os pfimeif.i
successos por elle alcaneados Ihe adquirirs o
poslo de lenle general. Desde 164 ^ > ' elle foisuccessvamente vencedor em I.incido,
em York em > arsion-Moor em New-bnrr,
e finalmente em Crestn. Estes diversos com-
bates |iarticularmrute f ultimo ilecidira'j
do duelo, que se agita va entre o Re e seu
vassallos insurgentes. Ckarlos (o traziilo
barrado parlamenlo, eeondensuanJo motle.

1 m


DIARIO
P B
PERNAWBDCO
Cromwel, no cursn de sea processo ippre-
sentou urna espantosa aclividade e foi o pri-
lueiro que assignou o decreto de morte
Morto o Kei a suprema ucloridade ficou

morte como chefe d'nma conspiraco em fa- o Teen le Anacido Lopes de Santa Anua,
vor de Ckarlos II, pela vida do qual elle liavia CT Quem tiver para alujar alguma casa
de balde sol I id lado perdi. Cromwel s Ihe terrea no Bairro de Santo Antonio, sendo o
sohreviveo poucos das e morreo aos i de seu aluguer ala oUooo res ; queia anoun-
utre asmaos do parlamento Foi nomeado Selembro de .638 com cincoenla e nove an- ca,r sua moradia por esta folba para se tratar
mronselho detestado composto d'um gran-1 nos de idade. Fizera-se-lhe magnifico* fu- do ajuste.
fe\ queneraes. Seu fi I lio fui eleilo Prolector em seu J33T Aluga-se um sitio na estrada, dos AflK-
logar-, mas poucos anuos se tinha passado a- dos defronte da.Capella oqual tein muito
penas i| liando Ckarlos II subi ,a o tlirono boa caza de vi venda bastantes arvores de fru-
Na efervescencia das paixes que accompa- U e terreno para planta oes ; quem o per-
iiha as reaeeoes desta namreza os restos de tenderdirij-se a Francisco Antonio deOli-
(Tomwel fora arrancados do tmulo de veira & Filho no atierro da Boavista.
Weslminsler onde tinha sido depositados : C*" VE 1 UE-SE urna escrava com idade de
orad arrasladossobre urna grade e pendura- 10 a f> anuos de bonita figura engoma l-
dos na forra de l'yburn e ignominiosamente zo W cbo cozinba bem odiarlo de urna
dispersos casa be a recolbida, e ao portador se dir' o
(Traduzidqdo Magazin Piicresqr.e.) motivo porque se vende j quem a pretender
de numero de membros ,
fazia parte desle conselho, resol veo de reinar
, e de sacudir este jugo odioso do parla-
mento, que nio era mais que um montan
de mediocridades sem for a e sem coragem ,
j tidos como zero pela considera9o geraI. O
verdadeiro poder consista na lona militar, e
Ita ascendencia d'um bomem que era o dolo
das massas, vivamente animadas de preoecu-
paces religiosas Cromwel preenchia mara-
vilhosainente ambas as coudices. Suas re-
centes victorias aicancadas na Irlanda cujo
brbaro heroismo fazia lembrar as guerras do
povo de 1 eus tinha coroado a repuUcio ,
que elle tinha de capito, e oenthusiasmo re-
ligioso, deque elle era o objecio ; pelo que
pouco lempo llie tbi necessario pai a que e.le
poiessealcamar do parlamento tudo, quunto
elle poda esperar de seu poder Lepois
quando alguNs deseus membros preteudera
appresentar alguma resistencia sua invasao.,
Croiuwel por um ataque repentino o ds-
solveo Je sua propria auctoridade leicbando
a salla das sessoes depois de ter expulso lodos
os depulados a (urca d armas.
Logo elle raeamo, por cartas individuaes
coiqjregou um novo parlamento coinposlo de
criatura* suas e le/., com que Ihrdessemos
poderes de Kei com o titulo de Protector e
de alteza.
elo uso que fez de seu poder Cromwel
expiou, se assim podemos di ter os meios li-
diosos que liavia empregadu para obtel-o.
Por toda a parte elle restabeleceo a (usti^a em
logar do abuso a regulai idade em logar da
desodem a loica ea digniuade em logar do
despreao publico. O sold da tropa loi cons-
tantemente pago um mez adiaiilada Os tri-
huoaes loiao compostos dos jurisconsultos os
mais iulegros. Em materias polticas e reli-
giosas elio leo pravas d una grande inlelli-
geufia e sabia tollerancia. Esta disposico-
era lauto mais notavel, i|iianto a pezar de
sua hypoc isia Cromwel era sinceramente
volado a certas doctrinas. Elle coojterou para
que urna lei constitucional determiujsse que
u protestantismo losse a reiigiopublica mas
que cada qual tivesse a hberdade de seguir
particularmente o cutio que em sua consci-
eticia livesse adoptado. JNo lempo em que
gove nou, elevarao-se quasi a un grao iuau-
ik) o poder mariliino, e a prospendade cjm-
niei ca 1 de Inglaterra, lile com lia leo vaula-
josailiente a marinha dos llollande/es que
uaqueile lempo possuiao Tromp ertuyter. As
potencias estrangeiras grandes e pequeas ,
repblicas e moiiarcuias procura rao auciu-
samenle suaslliama A Hespaulia ibi urna
das priuieiras, que curvou-lhe seu orgulbo
altivo e sua zelosa oilhodoxia. A tortuosa
'diplomacia de Ma/arin mesmo nio teraeo hu-
iiuliiar diante da usuipacao Iriuinphaule seus
principios, e a honra da tranca
No-circulo privado a vida de Cromwel ,
geralmenle simples e retirada alternativa-
mente -melanclica e trivial mestura da
raiva e do humor dos lugle/es appreseuta
um carcter dos mais dramticos e ao mesmo
-lempo dos mais bizarros Cerrado d urna bel-
-, e numerosa lamilla elle lazia ctusistir
todo o seu dele te em vi ver no meio de seus ti-
Ihos JNestas lesteiuuiihas perpetuas de sua
'conducta amis particular instas tesleuiu-
wel urna coirliadkco doloiosa e censores ,
tanto mais severos quanlo elles eta a seu
respeito seo malicia e sem odio 1 ady ttrid-
gel sua filha primognita esposa d um re-
publicano austero estoico, segua apaixo-
iiadamente os 411 iiui.pio.-. de seu marido. 1.a-
dy C4v.pole seu Ithio mui querido era ex-
lim d algu-ns anuos de seu reinado viera as-
sallal-o soudji ios presentmentos temores se-,
retos e supersticiosos. Elle trazia debaixo
-de seirs vestidos diz um de seus bisturiado-
tin>a rowaca pistolas epiinhaes nao
COLLEGIO-SANT A-CRUZ.
(ko roKTH-BOrJliTos )
dirija-se a ra direita U. o lado do Livla-
mento
BT O escravo fiel que se offerece para se a-
lugar pelotempo queseconvencionar diri-
ja-se ao Forte do Matto Collegio Santa Cruz
defronte da casa das Scsso-. s da Assemblez pro-
O Collegio Santa-Cniz novamente erecto viucial
n'esta Cidade sb os auspicios de militas pes- tsr Precisa- se de urna uinaque sailia co-
scas benemritas abre-se m*la primeira vez zinbar o diario de urna casa ; a pessoa que es-
no dia 7 de Janeiro p f. na forma 'do Pros- tiw nestas circunstancias dirija-se ao Forte
necio que se arba patente no mesmo Codeso do Mallo a falar com Jos Antonio da Silva
;os Sis chefes-de-familia que all quiserem \ auna a trartur do afuste,
mandar educar seus fillms. %sr Prcisa-sede seicentos mil reis lirpo-
' ao admit idos n'este Colleio nao s Pen- thecando-se urna boa morada de caza terrea,
sionistas', mas tambem dleio-Pensionistas. e da roa do Horario da Boavista ; quem quizer
Alumnos externos Os ensionistas residem faser dita hypotlieca annuncie sua moradia ,
effecl i vamente no Collegio, e pagam por ca- uara ser procurado
sa, mesa e ensino a quantia de 000 rs. I *3T Aluga-se un sobrado de um andar que
mensaes. Os meio-Pensiouistas residem no nio seja em ras exquisitas ou d-se urna
Collegio smenle nos dias lectivos e pagam
lo/000 rs. mensaes.
A edade marcada para a ad.niss.io de qual
quer alumno seja pensionista seja externo,
de at 14 annos.
As disciplinas que s'ensinam no Collegio
sao as que se exigem como Preparatorio nao
s as Academias do Imperio mas ainda as
Universidades da Europa.
As proposlas 1 ara n matricula de qualquer
alumno sao dirigidas ao Pirector do Collegio
Santa-Cruz no 1 01 le-do-Mallos defronte d'
Assembla.
A visos O verso*.
casa terrea muito boa com muito bom quin-
al' n volta-se o resto em dinbeiro conforme
ajustarse
VSW Quem quizer alugar huma sala ou sa-
la ealcova, pars urna pessoa eslran;era, po-
de dirigi-se a caza de Carlos Van Nes na ra
de S. Francisco onde receber a nformaedes
necessaras do pretendenle.
X3T (arlos Van I^e*, Professor da Lingos
Ingle/a do Lyceo desta Cidade, pode receber
tres discipolos, qiie queiitiao apiendcr as lin-
goas Franceza Ingleza e Hespanhola : leo
livre presentemente as horas das 6 as q e das
11 da manli as > da tarde Os Snrs ingle/es
que se quizer dedicar ao esludo da Lingoa
Nacional podem dirigir- se as mismas lioras
na casa de sua residencia na i'ia de S. Fran-
cisco.
NB. Os Snrs Nacionaes ou eslrangeiros
quesetem dedicados aprender as referidas
lingoas e nao saber fallar, pode f>ualmenle
dirigir-se ao mesmo para aprender o mane-
jo das mesmas
sey Precisa-ce de ele centos mil reis a
premio de dous por cento, sobre Hypoteca em
huma morada de casa terrea : quem para es-
se fim os tiver, dirija-se- ao Paleo do Cormo :
falar com Jos Pereira de Alcntara.
res
habita va dous dias suecessivos 110 mesmo quar-
o teaiia seus proprios guardas ; assusUva-
se com a solidao ; saina taras ve/es e ines-
iieadameute, no meio d urna numerosa es-
colta roudava sempre de denota nunca
rendo' caminbo cerlo por onde passasse ; e
tiestas viagenselle eslava sempre inquieto ir-
le^ular co10 e desconcertar um
u ano de couspiracao ou a evitar o bravo
dumassassino fcaUvaja doeute quando
a peda de sua filha que extremosamente a-
mlva veto cooperar anda mais para sua mor-
te. Lad? Cleypole moneo exprubrando a seu
uae a more do doutoi Hewlet, coudcaoadp a
XST Segu viagem para I ishoa com a ma-
ior hrevidade o hrgue |k>i lujue/, Olivetra ,
Capilio Paulo Antonio da Rocha por ter a
maior parle de seo carregamento promplc ;
quem nelle quizer carregar, ou transportar-
se para o que lem ex re lentes com modos ,
dirija-se a .Mendes & Uliveira ra do Viga-
rio D. quinze ou ao referido Capilio.
JS7" Quem precisar de um homem para en-
sinar primeiras letras no mallo em algum
engenho ou Cerlio ; dirija-se ao largo do vQuem precisar de um menino portuguez
Terco que se dir quem precisa- I para caixeiro de huma loja de fazendas o qual
tST Aluga-se esclavos para trabaliiarcn tem bstanle pralica, de idade de lia 4
na Praca e por loa paga : no armazcm da j annos sabe beqi ler e escrever. annuncie
ruado Vigario o junto botica do Sor. sua moradia por esta tulla para ser procura-
Peixoto acharan1 com < uem tractar lodosos da.
dias das p horas at ao meio dia f&r A 13 lo correnle, perante o Snr. Dr
$y Allugueres para os Theatros particu- Juiz de Direilo da primeira vara do civel ,
lares O Emprezario avi/a a todas as pessoa< se hade arrematar huma casa terrea de pedra
que I be pretendan artigar utencilios de Titea- e cal, avallada por J00U000 reis, e sila na
tro que ellesestar. prompto para esse fim em estrada da Cruz das Armas no Arraial.
o mesmo Thealro nat quartas uuiolas esex- -ST 0!lerece-se hum mo o porluguez, de
tas de loilas as semanas lora deslcs dias nio 1v a ->o annos, chegado de prximos esta pro-
esltt na Cidade os alugiieres sio as seguin- vnria para caixeiro de armasem de mulla-
les rada vista composla de dois pannos e seis
bastidores dez mil res ; cada vestuario he-
roico qua tro mil reis -. cada vestuario de meio
carcter tres mil reis ; cada vestuario de com-
parce dez tusioes porcada um omingo ou
iJia Santo ; pagos adanlados e dando-se pe-
dos de que lem pralica ou de cobran as,
e mesmo pa fasendi, dando para esta al-
tempo gratis ; quem o pretender annuncie,
ou dirija-se a ra da Guia N. 1.
t&r Aluga-se urna casa para se passar a
lala na i idade de Olinda defronte de S Pe-
soa mohecida que se obligue ;i restiluicio dro novo ,com mujlos bousommoilos ; quem
dos utencilios a I ligados : o mesmo se entende
cenias Pecas, e Faicas, cujo valor est de-
clarad/) na tabella < impressa.
t2T No da i do correnle viudo o ahaixo
a M-rlt ndei dirija-se a ra do Cheimado B
tic* I)
pT Piwisa-ae de urna mnlher forra para
facer todo o ser vico de'huma casa de portas a
ra
ssignado pelas 3 oras da larde (pouco mais 011 dentro de homem solteiro dirija-se
menos) da ra do Corpo Santo l a do Rangel, do Qucimado loja O. 7, qua se dir quem a
(lerdeo urna esfioni de prata com rorreles va- prensa.
zadas : quem a tiver achadu e quizer entre- 1 %sr Aluga-se em fora de portas um so-
gar ralifiar-se- rom generosidade ; din- biado de dous andares e solao lerraro para o
gindo-se a esta Typographia oude aclifi lado domar, com bastantes commodos (tara
com qtrem tratar.
Ignacio |*ereira Huta.
CT" Arrenda-se um boui sobrado na Ci-
dade de Olinda na ra de S Bento para pas-
vn I esta por precocommodo quem o qui-
zer dirija-se aa .1 Ponas no ultimo sobrado da
viuva do PeixjDto. ,
\gr Piecisa-se de omt-iaes de carpira e
pedreiro, e de serventes para traK-ilharem 11a
obra do Forte do Buraco : quem eslivrr nestas
circuusj*ocias, e quizer pode dirigir-se a
l-oclaleti do Bruaj par trato- do ajuste coa
huma familia^ quem o per tender dirija-se a
ra nova U. aa segundo andar para o a-
juste.
XST O lisixo assignado, fazscienle aores-
peitavfl publico que no da iodo correnle
voncluio lodos os seus negocios com o Sr. Ma-
noel F A. de Moraes como prava o recibo a-
Itaixo declarado leudo someute de receber al-
gumas dividas uesta praca, e mesmo fora ,
que levo em sua coota o mesmo raga a
quem I lie coovier que se falln algu*) tra-
to de annoficiarcm uestes quatro dias Jase
Cazado de Almeida e Olireira F, reir
- i'ecebi do Sor. Jos Carado de Arme id*
eOli veira Freir, a min lia loja por bataneo,
na qual fico deposse das fasenda* e dividas
constantes de letra, e tontas de livro como
no mesmo se v, declaro mais que as vendas
lorio correspondentes os lucros. Picando
justo de cuntascootigoat hoje etile oda
Dezembrade .rtjy. Mauel Florencio Al-
ves de Moraes.
XST I esapareceo huma cabra (bixo) cabo*
Cola, alguma ronza magra e com huma s
cria e esta bem prela julga-se estar por
algn cilio; quem a achar leve-a a Tieropo ,
por cima da aula publica
UT Quem quiser trocar huma casa de So-
brado de dous andares, aova, e ao gosto mo-
derno em 'auto Antonio, por outia de huna
t andar no Bsrro da Boa-visla, annuncie a
moradia.
tsr No dia sexta feir 3 do corrente lera
lugar a ultima prava presidida pelo Sr. Dou-
tor Rocha Bastos na ra da Aurora da
hum glande sitio com muito arvoredo de (ru-
to ; excellente terreno para borla e me loes ;
sobre tudo boa Trente para se edificar cazas na
estrada de Sent Amaro de fronte do i ora-
bal avahado em 6 tioo| rs.
GT Ha ra Direita i). Si existe dims car-
ias urna do Snr. Jo/e Joaqun) de Araujo ,
oulra de Antonio da Silva Santiago,
UT Arrenda-se o sitio denominadoPi-
za-^ no atierro do Varsdou:o de Olinda au-
nualmeme ou para a Fesla : a fular o mes-
mo sitio ou del ron te da Cadera do Recit
, S.
-> Hu Portugus de i/lode annoa
deseja-se arranjar em alguma loja de fazendas
do que tem pralica se alguma pesaos picitar
do mesmo : annuncie
usr Aluga-se una casa para se passar a
Fests no lugar denominadoCasa Forte
delVonte da Igreja quem a pertender diri-
ja-se a ra das Cruze na leuda de Tanoeiro
I. 7.
sr Preciza-se de hum feitor para traU-
Ihar em hum sitio perto desta- praca ; quem
e-sliver nestas circunstancias diriia-sfi ao For-
te do V altos a fallar com Manuel Antonio Ri-
bejro
CT Joio Antonio de Sonsa Bel I rio avisa,
ao publico que mudou a sua aula para a ra
da Peuha defronte da casa do >nr. Quirt--
lella onde o podero procurar a qualquer
hora do dia. 1
Mr Quem precisar de um minio Brasi-
lero de idade 14 anuos, jara Caixeiro de
qualquer aiTiiniacio que for annuncie.
13^- Na ra dos Pires da Koavista caza D.
4 vende se por cmodo proco urna barreti-
na e corrame de lustro para Guarda Racio-
nal
iv Quem quizer superior papel paulado
muito bom para muzrea e tambem huma es-
tanlede Jacaranda tanto para p >r em pcomo
para cima de meza propria para muzica ludo
por preco commodo: dirija-es a ra da
moeda n. *5i
sgy Vende-se urna crionla que sabe co-
zinhar o diario de urna casa cozer cirio
faz renda lava : engoma e faz doce 4 no
1 ateo de S. Pedro U. i. do lado do beco da
\iraio
Sjr Na loja da raca ds Independencia D.
a? de Jos Tavares (bt Gama sr cha a
venda por precocommodo o seg inte sorti-
meiito de cal ado e outros obectos da me
Ihor q 11 a1 idade e gosto : a saber ; calcado de
be/eiro francez botina e si pina de Lisboa
para homem calcado de marrnquim dura-
que corda vio selim cauro de lustro a
botinas de duraque para Sen hora ; calcado de
duraque, marroquim selim ecouro de lus-
tro para meninos e meninas chapeos pre-
tos e hraucos para homens e meninos cha-
peos He sol, de wla pera homerrs e Se::!;sr55 ,
sltalos de lustro e rhioellas de marroquim
pars bomem e bengalas de diversas qualida-
de e de muito bom gosto Adverle-se que
com a pessoa que em d ta loja se afreguezar ,
baver toda a contempla! o
tsy Cuem precisar de urna parda de idade
para ama da casa de bomem solteiro annun-
cie
OT Vende-se urna canoa propria para ti-
rar entulho a qual cu riega selecetitos tijotlos
de alvcm.ria : na na Nova loja de < erreira
I raga ou no armazetn de madeiras de Lo-
mingos Jos de Azevedo na mesma ra
r No Manguinho defrunte do sitio do Sr.
Francisco Antonio de Ol i veira vende-se 11ra
carro de quatro rodas para um ou dois ca val-
lo* de duas pessoas, com assenlo airar para
creado em bom uzo ; e urna parelha da
cava I los com os compelen tes ai reos.
ter Precisa-se de alugar urna rata tarrea
para pequen familia ; aonuncit


mmm^

11' '
*
DIARIO DE ERJJ>l.Qfc?hJ..e
IST" Quem prrcisar de un criado porlunez I toda brevidade o Paticho Nacional Pella Cat--| try Nirdado Qucimano loja D. 7 ui\
fitoe enlende de cozinha para o servico de Iota ; quemnotnesmo quiscr carregar 011 ir j cavado ru'sSd com lodos os andar*, e de
jnia casa
, diriia-se a ra formosa de vira 5o de possanem para o nue lem excedentes curt- milito' hmia figura.
m casa de Emilio de So 117a Hrando.
tsy No dia 14 do crrente as i horas da
tarde na rrta do I-"i^utk-s em risa da residen-
cia do Dr JimdoCirel da tercena varase Ira
de arrematar po'-venda um sitio no arraial ,
com boa casa de vivenda e commodos sufi-
cientes para familia as pessoas pie o pre-
teriterem romparecoem dita praca.
XST Roga-seao Si', Bern irdino Jos da Ro-
cha Formina estndanle da Cidade de lindu
q 11 eir por obsequio dirigir-se a ra nova D
9 para negocio de inleresse.
tf Aoga-se urna casa para se passar a
festa no lugar do ealdcreiro mnio ppi-fo do
rtonteifo com 4 quartos duas sallas, e co-
zinha lora ; na rua de Ma-noel coco i>. 4
XST A pessoa que 110 diario de terca feira
m.nnciou querer sei vir de ama de cas* de
homem solleiro, diria-se a rua direita sobra-
do D 13 no primeiro andar.
tST" Troca-sc por nina preta qne saiba
cozinhar, on vende-se ara preto-, de idade
de ?i anuos com abjuraos habelidades e
por preco commodo ; na rilado Arogo Dci-
ma 9.
tsr Precisa-se de um menino de 10 a 11
annos de idade para o servico'de rua que
saiba ler escrevr e rentar sendo brasi-
leiro para caixeiro ; na rifada Guia sobra-
do n. 7, de manlia at as q Loras
ssy Tendo desnrparecido dous seravoi bu-
caes na noile do dia (i pelas 6 horas do sitio
onde estavao, que perlenccm a Francisco-Setc
modos dirija-se a O
'!arrdi prchjha to Gfr
ao Capilao Francisco Jos
o Brigtic
Portugus S. Domingos nodia sodo correnle
quem quiser carrejar ou ir d pssagem ,
dirija-se ao Capilao na praca do Cbmmercio ,
ou a seu Consignatario Herculano Mria Bcs-
sone.
PARA PARAHIBA Rio Grande do Nor-
te Cear IWaranho, e Pa Sahir lCo(;
pelas 5 horas da larde o Vapor Nacional
Paranhense ; fcixa-se malla no Corrcio a
v.m Itera da tafde ; quina quiscr ir de paSsa-
gem dirija-sc a casa de Me. Caluidnt 6 Corrt-
panbia.
_________________________________________________1---------------------------_1:__________________________
gomma e faz lodo o mais servico do urna
casa duas preUs mocas urna dcllas en-1
gomuia cose, c cozinha u m prelo ptimo
ndino /gdstinho de 1 fer Dm s\\u a estrada dos nfflicios ,' com : para todo, d servico : na rua de agoas verdes1 i
irrJoSlritO >. '' ou boa casa de vi.enda po'fio, cacimba, mui- < isa terrea D. 7. v
da Si Ira a bordo. tos afvorcdnsi de fruto em trras p'ro'pri as cr Tres molecos de naco de idade de i3
de viagem. o Brig.ur j n urna morada de' casa terrea no pateo do Car- 1 19 anuos tres moleq.ues de naco de ida-'
L e i I a o
__________.. __
e rria morada de' c.isa terrea rio' pateo do Car
1110 ) 7 ; a Iralar ua rua da Co'nceicao d
!5oa vista O So.
tsy Filas de garca lisos e lavradas, eslrei-
ta$ 00 rs a vara e largas a 400 j garni-
oes de todas as cores a fjo rs. a vara tinta
pre'la de escrever a rs o boio e encir-
nada a 00 rs' e outras multas miude^is poi
pre'jO cbmmodo ; na' rd do Cabu'g loja De-
cima J.
^ uhii Sr-rava Oo naCau iian;ueiia ae
idade de 5 annos ptima para todo o servi-
co ; em lora de portas casa lif tjQ-,
tST Um preto 1>eW rotiusl e ptimo pa-
ra o servico de campo, e tem praticu de ca-
uoeiro dase praso'c'6rrifirn1a a* contento ;
na rua da moda Cliu ,
Sy Potassa Americana enl barris ;ran Jes e
iipdtienos: em casa de hnston Pater & >_onl-
panl.ia.
a 19 anuos Jres moleq-aes de naco ,
le de 1 a i5 anuos, um escravo de naco de
Jade de o annos proprio para todo o servi-
0 duas esclavas engomino e coznibo o*
linrio de um casa, estes escravos tem mui l'h-
las ligmas e nao lem vicios, noin achaques^
a rua de a^oas verdes D. Jo.
SSvoS Flenlos
. .......iK
i
i_y ;oa-se a 05 ors, ou- reieicos e mar?
autioridades policiaes desla e niais Comar-
cas c pessoas particulares que souberem ou
vireni una negrada co'sla de naM Caiha-
riua ( scno uiudou o nonie ) ja idosa alta
iiljMima cbisa secca e fulla, qu- deita os peilqs para di.'iite ,
lias as verillias ; cosluina
lona, e pedir isniolas pelas portas snpc-se
andar pela Villa di- Guiaunu. a mandein pren-
queiirada de ani-
intilular-se por
1.....
ta?* Gomma laque para rrtassas de charlen? ,'(W'i; e levar a ruado Ara^p D. 17 que serj
vid ros com purgantes dt \ianoel Lopes, la- recompensado
i;.....____ ____ll.iw _____.! .._ .1.. .aii.i.....
t?S- <^nefazem Rosase Braga por nter-
Ven Iodo Correlor Oliveira Je 3 magnficos
pianitos inglfes de mui acreditado aulhor ,
iguaes a outros que temimportado de Ingla-
terra bem conbecidos nesla praca pelas su as
exrtllenles voes perfeito maquiuismo in-
terno, augmentado com.pechs de ti'on/e e le | lilis para cava! lari 1 barretinas de olliciais, l^T Nodia Ode Ouiubro desapareceo do'
ferro para melhor conservar a nfinu-Jo 5 se-' e soldados plumas de todas as (ualidades sitio gale;a junto uq eiijjeiiho Tabalinga imi
ginula leiru >b do correnle as 10 horas da ma-! bandis linas para offi'ias', apparelbos para escravo cieouio de nonie Lourenco de idade
liba, na casa de sua residencia defronte da cavallnria ditos pan invantaria agallo fino de anuos, alto, grosso ps grandes,
da [greja do Corpo auto de ouro dito Cnlrtfino, ludo negado do rom urna costura no rosto rjue parece de fogo y
Jf* Joo Steuart Consignatario da Barca Rio de Janeiro 5 na pruea da indcjiendeicia queixo cumprido pouca barba bem preto,
Ingleza tVJarr-Charlolte-Ui'ber arrilmila a loja n. 11 e-9.. levou em sua companhia seu pai e niai de
este porto tendo dedispor de parte da carga I CJ- DoWs quarl.'os carregadores muitd nonies.JiMKpiim e Ro/aiia ja velhos ede
rio odiante de ponte de UJeboa ; otferece-se da mesma Barca para osen costeio e concer- 11 ovos sendo nm alazo eoutfo russo; na cor lulla sup>"c-se eslarein occullados nesla
cnchenle mil ris a qualquer pessoa. que' to que necesssiriamenle'tem de lazer neste jior- padaria da rua do Peixoto das 5 ponas Cidade pur ja terem siJo visto o abaixo as-
dellpsder notieja ou entregar no mesmo sitio ,' to faz Leilb por inlerveiuao do Corretor ff~ Vinlio do Porto dito de Lisboa dito signado protesta contra toda e qualquer pes
na rua das Cruzes nove, ou 110 pateo da j Oliveira quinta Te ira <* do crrente as o de Selle ngoa ardenle no reino, diladefian- sou ,,que.os leirbo-occultado o roga a todas
>. Cruz armaren! da quina da rua velha D
J os qxiaes tem os sijnaes segnintes ; \lano-
el', boa setatura corpo regular cara com-
prida c com bastantes marcos de bechigas ;
Joaqaim boa estatura corpo regular, ca-
noras da maub em ponto no stu armazcm ca dita d<- aniz ,. qneijos*, cai\as con"! pas- as authoridudes policiaes a sua up|nehen ao ,
da rua da Cruz de muitos artigo* a saber-' sas ditas com1 amenas barricas com bola- ou a qualquer .pessoa que os deseobrir e de-
chapeos de seda para homem ditos de palba, \inlia cliorolate', spalmacCle caixas de bnz iiunci.ar ser giMicrusiiienle paga., parleci'
merino fino cobertores de algod.io finos co- libras de c. isson f perola e todos os mais panojo no mesino sio ou nesla praca a Jo-
1____ .11 ...__ ___ 1 t.. __________1.......1.___..... _i_ _______ ____:_. 11......:_.. ,i_ im.._ 1_____ '___} i-
lares d ouro requisamos, obreias, cassas gneros de vejida por preco cimmodo; na rua aquini l'ereira de ;\]endouca morador adi-
ra bstanle larga eolhos grandes e encarni- lavradas ditas decores cintas lencos para do Livninit'rftovendi do ardial. unle da ribeira do peixe sobrado novo de dois
gados com fulla de um dedo na mao esquer-; Senhora gangas encarnadas, brins de linho tsy* A armaco de um loja na rua Direila andares do lado da ijiai.
da, levarao vestido camisa ecalsa de algodao' escuro palos de porcelana coiva come- Dvvd, que serve pra rfualquef stabeleci- Joaquini Pereira de !\Jeadonca.
da kia. I linas e cabellos para Senhora c muitos ou- inenlo ; a tratar na mesma. S27" Nodia /5 do p. p. desapareceo d*ca-'
CF" Troca-sc a moradia de um sobrado de tros objectos cdmprehendendo,uma p^irco de SS?" Urna poivo de caixis para socar assu- sa de I), lauriana no atierro da Boa vista,
teis andares na rua lireila bastante arcja- laboado de pinho existente na alfantega, on- car, de milito boa niadeira ; na serrarla no- uin prelo de maisde io anuos de nonie o-
dw com bom quintal e \)ovo ede commo- de os Sis. prelendeutes o podem exuminar com va por dLlrazda rua iki Fagamdes. s, de uayocabinda chio do corpo altu-
tra tamben; de dous' anlii'ipagSo. 3
I do alguel por a de outi
andares que tendo bastantes commodos, seja.
cm una das melbores ras do bairro de S. An-
tonio ; a quem convier annuneie.
' tS" Quem precisar de un caixeiro para
loja do que lem bastante pralica annuneie.
"JUy Alugo-se un nioleqtie para o servico
decusa-, quemo pretender dirija-se a prai.i
da Indeiiendcnci 1 n. 1 na mesma vende-se
superior [>apel paulado para msica.
C o ni p 1* a s

figur
S2?- Um escravo paido mo o de bonita ra regular bastante pelo, levou vestido ca-'
sein vicios, e proprio para pagem ; misa de algodao de meias mangas, e seroula
im praeinli.-i do i\ ramelo I) i 5. quem .0 pegar leve a dita casa
Umu propriedad?denominada liba do corojjejisado.
que
1
ser re-
CF* Um pnno el bom uzo ; qtiem tiver Carimo com im-ia legoa de tena quadradn SST abaixo assignado oga a todis as
innuncie. tendo os seguintes quisitos hons para'o dom- pessoas e autboiidades policiaes que ap-
----------------------------------------tu------L. prador o enconlrarem na mesma propYiedu- prchendo um negro creonlo V CU Cf l S de esembnrcaceehs que entra o casa' de' vi- muito prelo, beiueilo de cor, o e bastaql

xzr-
------- venda, todas as qnalidades-de filela-

corj.o, e bastante
devi- releilo, levou camisa e calsa cuna de estopa
O I orretor OliVeira est nCarreg.tdo dida por 4 rios lodos lia vega veis entre!\ cu- e mais roupa nlelhor, com a quil hia dar
Cjuem annuuciou no diario de 10 do e em poderes para contratar a venda do ex-' genbosem que se pode plantar cana, d lu- scus passeius ponbaixo c junio ao beico in-
corrente querer alugar urna casa 110 bairro de j ten .0 sitio, e nragnificti casa simada no alio gar a lazer-se unta grande sena de ago Iciior lem frangido q,uando falla. Joo Vla-
Antonio nue nao exceda o seu aln/Miel de^ l'rt (inieirn tm Mmicn-n .,nn i.liimti*t-.A.ti^. firif*r^0ii/ln m.iu :> mhnini**4*'Ax ..,.-^^- .^w. 1: rm&ivA
*o,ooo queiendo urna no atierro das 3 pon-
tas com bous commodos dirija-se na mes-
ma junto ao Sr. Rabello.
tSJ" QualqHcr Sr. Sacerdote que queira ir
decapelao para um engeuho distante desta
pra<.a M legoas difija-se a rua direita a lal-
iar com iManoel Buarque de Macedo para o
ajuste.
it3T" Quem precisar de um rapaz portu-
jjnwqaracaixeiro de ormozem de assucar ou
Jiiesmo |>ara (ualquer outro serv o, annuii-
ciev.ia morada.
iir Um hrasileiro de idade de trinla e oito
muios se oHerece pun administrar qual puer
obra caes teitorisar u outro qua^jiier serviLO*;
juera opWcisardirija-sea casa do Se. Alono-
cl tiar-doso da I onseca.
W -Precisa-sede urna mulber forra para
oarvi> o de uma cusu 5 na rua de Agoas ver-
des sobrad D
4Sf"(,)uem precisar Cora lilhos, poraleitor, ou oulra qualquer oc-
tapaco annuivie
d outeiro no Monteiro que idlimamenfe ottereeeudo mais a vanlagem de passar pov ali riaSeve.
possuio o Gironcl Marlins eque boje per- loda a qualidade de madeiras \ a tratar n;l rua XW Fugio nodia primeiro de Dezembro ,
tence ao Reverendo Sacerdote Inglez prximo direila em cosa de ftJanoel'Biiarrfue de Macedo Feliciany .creoulo escravo de Izabel Tlie-
a relirar-se desla praca o grande augmento SC71 Um" molaliirho de idmle de onze annoS, resa de Jess moradora na rua do Amorim ,
3 ue sb fez tiesta casa os seus bous summo- e duas canoas de *.i n os e completo asseio bem como de sua bella linaco 5 na rna da .Moeda D. 1{i. mag.ro e bem preto, tem ollios grandes, ros-
de
Avisos iJaritiiHos.
e encantadora siluaSo peh magnifica recre-
aliva e alongada vista que abran ge do lindo'
paiz de seus contornos a loi nao a mais ag a-
davel habitai.o- pura (|ual/|tler pessoa d" apu-
rudo I om goslo ; quem |rrctendr dito sitio
enhsa dirija-se a o mesmo Corretor.
tsr A Sociedade Harmouico-Theatrfrl ,
^ellde diversosobjetlos proprios-para funees mente de I ranga tudode muij bom' goslo,
tbeatraes; (|iiem os pretender, dirija-se a chapeos de Seda ditos-de palba e serta, dilo
rua da lfmdega velba a fallar com Jos Tor- de jvillia de arroz, de.nnii lindas Ibrm.rs r-
calo Pinna ou com Sebaslio Y ieii'8 Coelho mados e desarmados crales de seda de me-
na rua do Crespo D i. lin de murto superior qualidade, rpalos
SW Nove vaeras boas leileiras jn cusli-'deselim ,- murroquim e de couro de lustro
SST Duas eseravas u i:a ereoula de ulule lo coinprii^o c poiua barba y no rosto lem
o annos, cose cha, engoiiima heni iso una siulii/. outra no braco esquerdo, cou-
cofcinha o diario de uma casa e lava de sabao, >l;1 'o nu-io dos dedos de un p, golpe de inu-
e u outra de nato de idade ; anuos com irs cbado (iue no trabalbo deca-nina, anda com-
- -' : i.j...i.,i...i ._.........i-. -. ,. I.__:...... 1. 1
mesinas liabelichide ; na rua direila U. aodo
lado do Jilcramento.
KSf Grande surlimcivto ebegado proxima-
PARA MARAMIAO' sahir ale dia ib
do corrente o hrgue Escuna Carolina forrado
e pircado de cobre ; quem no mesmo ijilistr
caringa* ou ii de passageni pura o que lem
(.trebuntefi cen modos di rija-sea V. M. Ho-
[ dviffug:&jbraioaij na rua dos lanoeiixis nu-
> mero 1 'i.
PARA O CLARA'o Berganlim Brasileiri.
1)'M-enlura abe al odia iO do correnle;
cuemiii*er cnrregar.,i dipija-sea .Manoeljo-
atauim i'cdn da CosU rua da-cadeia 11. 1.
JAA LhSttlAsahcnodia-'iD aln con-ei)-
te o PalachoPoilof,e/. Paquete da iereeira ,
T)oaaacMU- jaeariegado
PARA O RIO DL JANEIRO segu com
madus no-agreste dnas parid is e sette para
pariiem muilo prximo e um garrole gordo-,
em foi a de portas lado do pilar a fallar com
Jos Bernardo de Soaza.
tur Cobertores de algodao a 64o -, nn pra-
cinha do Livramenlo n. -9.
SSF Uma cadeiriuha com muito poueo uzo,
por preco commodo. na rua da praia no ul-
timo sobrado de 3 andares lado da mari
EQ Lina molatiirha bstanle clora e
idade de rt para cj annos com principio de
costura ; na rua da Florentina velba lado
do muro de S1 Francisco primeira casa junto
a I a lrica-de jia peino.
CT" Uma cscrava de naco de idade de
i l annos, boa lavadeira quilundeira co-
zinha o diario de uma-caa e muilo deligen-
e para lodo o servico; na rua do Livramen-
lo sobrado de um andar D. 10.
tsy Pares de brozeguins pai a senhora, obra
le muilo goslo por dois mil e lrezenlos ; na
praca da independencia n 39. 1
XSt" Faretloe em sacas de superior qualida-
U.ieooa.tt ; nareadaCrurn. 6e
|iara senhora botins esapalos de lustro para
homem luvase meias de todas as qualida-
des para homem e senhora mantas e Ln s
de de iiiifu e garra ciiapeos de sol de-
seda para senhora e hoiiim sarja br.iiH.-a e
prela para'vestido leu os de gruvata de rof-
gurao 'brees Hfiti e outras militas lazen-
ilas de superioi' qualidade e por preco com-
modo ; na rua nova lado da Matriz D. 9.
Vf Um escravo ds idade de ii annos, cre-
oulo e ptimo pura todo o servico-, ha rua
do Livramenlo armazem da louea D. 10.
cy Uma escrava com muilo boas bubeli-
dades-, na rua da sanzaia nova D. 4.
t*W ha-fda dos Martirios lercelra casa da
quina que \ui para a 1 na do caldereiro urna
escrava com-muito boas babelidades e oulra
de meia idude
tssr Um escravo d naco- angola com
oHicio-de canOeiro ao com|irador se dir o
.nolivo; em for de portas nas casasdo de .u.-
do Agostinhodos Santos Nevos.
ttr"Uma molata de o annos de idade, com
bom leit para criar uma orinca cose en-
cniisa e e.iki biaiiea., muito ,sujus e sein
chapeo i quemo pegar pode le\a-lo ao dito'
lugar, (jiiescr recompensado. a _,,
i-/' Fugio nodia > do correnle pelas 10-
boias.du imite urna prela de n'anie Florinda ,
ereoula lul.i de idade de >o annos UD-
la^ivia lera um la.Lo na lala procedido d^.
tima q,uedu. lera as costas loda alan hadas ;
quem a |)egar leu- a rua do Cjueimado U. 7
loja de i uu Jos de Souza que ser recom-
peusad.V
tt-vi No da 9 do corrente fugio um prelo
de nome Andi cslalura regular, rosto com-
prido olhos vivos secco do corpo de ida-
de poueo mais ou menos o anuos I alia com
algiimaunug.iiieia e levou \eslido urna cal-
sa de briiu de lilras e camisa de iuadapolao ;
quera o pegar leve a rua do Cjueimado loja de
o.aese Bastos. .
-------------------------------------------------------------------------------------------------------_______________________ '____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
Uoviuieuto do Porto

-------------
NAVIOS 5AI1IB0SN0 DIA u.
H10DE JANFTR; Patacho Nac. Espadarle,
M. Jos dos Santos Braga carga varios g-
neros passageiros .
H i

--------
1U.
-------
*IFE ATTP. DE M. F. DE F. iS3gt
i
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOODNSICH_DU06NR INGEST_TIME 2013-03-29T16:05:29Z PACKAGE AA00011611_03970
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES