Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03968


This item is only available as the following downloads:


Full Text
~-
mm
\
Anno de 1839. Ter$a Feiv
, tudo agora depende de nos mesrr.es; da nosea prudencia, modera-
do, e energa : continuemos como principiamos e aeremos a pon lados
tom tadmiracAo entra as fliaedes mas'cultas.
Proclamnco da AssetiibUa Geral do BraxiU
-------------------ni a a a -------------
L
r.'i
Subscreve-se para esta folha a 3fooo por quartel pagos adiantados
torfla Typografia, ru das Crasa* D. 5, enaPrac da Independencia
D. 3? e 38, onde se recebem correspondencias legalizadas, eannucios
nsirindo-se estes ",iatis, sendo dts proprios assignantes, e vindos assig-
taados.
Partidas dos Correios Terrestres
Ci.Tade.la Parahiria e Villas de su pretenco.....,.............
. Dita &6 Hio (brande do Norte, e Villas dem;..................
FDita a Fnrtaltxa e Villas Jdeim.......i.......i........
H Villa Cidade d- Olinda .*--. rodos os das.
Villa deS. ArilSo......."Vi........................Quintas feras.
Dita de Garaiiliuhs e Povoaco do Bonito .... k ... k ;.........I),as lo, e ii de cada mea.
Ditas do Cali. herintieem, llio Formnso, e Porto Calvo ....,...,.. dem i n, e ai dito dito.
Cidade das Alajtoas, e Villa de lUacei.........................dem dem
Villa de Paja de Flores.................................dem 1?>, dito ditok
Todos os Correios parem ao meto da.
10 deDezembro. NmeiiqSTO
CAMBIOS
' mciai oerecla.
Dzcitinio. 9.
Londres...... i Mi i 35 rir tfoo **d.
Lisboa....... So por 0/0 premio, por
Franca.......?g!>reis por franco.
hio de Janeiro ao par.
CURO Medasde 6f4oo rs Velhas i{#oo a i<|6oo
Maco
#54o
#54
ifaa
Ditas
"m*
Nova. U#-
Ditas de ifooa rs., 8#'>oo a
PRATA Pataces Bratiletros----------I#5ao a
Peos Columnarios ------*- l#5ao a
,, Ditos Mexicanos ---------- 1 f5oo a
Premios das Letras, por mes I 1/8 a lippor loo
Moeda de cobre 3 por loo. da disc.J
Dias da Semana.
Segundas e Sextas Fe ras.
9 Segunda S. Leocadia V.M. ------
id Terca.....S. Malaqui s P. M.--------
11 Om'rla--------S. Dam zo P.-------------------
ii Quinta S. Justino M. ------- -
l Serta----------S. Lua V. M. ---------------
4 Sabliado S. Agnell > Ah. --------
13 Domingo 3. do Advento S. Euxebio B. M. -
- Re. e aud. do J. d D. da 1. y. da minbi.
- Relaco e Aud. do J. de da 1. vara da manh.
essao da Thez. Audiencia do J. de D. da a. v. dt
- Re. e aud do J. de D. da a. v.
- Sea. da The., e aud do I. de I). d I. v.
Re. e aud. do J. de D. da 1. v. de a.
Man eheia para o da 1 0 de Deiembrd.
As 8 horas e 30 minutos da manda As 8 horas e 6* minutos da tarde.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 4 do corrent.
Officio Ao Com mandante Jas Armas,
signiCando-lhe que tendo 0 Boticario Joa-
quim Jse finid Guimarcs posto os precos
no Formulario de Receita pertenceatc ao
Hospital I:egimcntal do terceiro Batalhod'
Arlilhcriu, se Ihe remelle o dilo formulario,
ff fin de que o mande proceder nos termos do
artigo ai do Hegulamento de 17 de Feverelro
de nitei.
Dito Ao mesmo respondenda-lhe que
pode mandar demittir os recrutas do Depo-
sito Daniel das Neves e Pedro Joaquim -
xado, que foro ulj'.ados incapazes do serv-.
to VHltnr pela Jimia deSand.
Dilo Ao Inspector da Thezouraria das
Hernias Provinciaes communicando-llie que
convindo queseja arremallado o rendimen- \
lo das Rarreiras estabelecidas naj pnntes dos j
( arvalhos e da a,"dalena Un; ordena que'
mande iiiniinciar a dita arremata ao ficandd
na inlellgencia 1. que a arreedarao por
este meio dever ter lugar do i. de Janei-
ro futuro fin (liante >. de que aos Arrema-
tantes serao dadas as casas que se fizero ao
I <; das 00 tes para a dita cobra rica com a
condieco de as enlregarem no estado em que
as receberem 5 e <. que dever servir de ba-
ze para a arrematacao o termo medio do que
rendero as barreiras no correte anno finan-
ceiro
DitoAo Director do Liceo, communi-
cando-lhe em rea^osta ao seu officio de q
de Sovembro informando o requerimento dos
Ptolessores de primeiras Ledras de Pesque-
ra e da Fregue/ia da Escada que pedido
permular suas respectivas Cadeiras, que a
Presidencia deferio aos ditos Professores coc-
ino requerero.
Portara> Ao Director do Arsenal de
Guerra, para mandar desalmar a salla do
Docel.
Dial,
Officio Ao Inspector da Thezouraria das
Rendas Proviuciaes ordenando-lhe em cum-
primenlo ao Imperial Aviso de 1 de Outubro
dcslc anno sobre o projectode Le para a crea-
cao de urna Provincia que se denomine
Cariri Novo composta de diferentes v'u-
ivicipiosda Provincia do Cear e outras que
\he sao limtrofes,e entre elles o Municipio de
Flore eos comprebendidos no antigo Jul-
gado deCabrob, que informe circunstanci-
adamente qual a renda Geral que produ/
cada um dos ditos municipios pertencentes a
esta Provincia calculada sobre sua produc-
cao c o seo consumo, e que vantagens nesta
fiarle presume resultar d'aquella creaco 1 de-
vendo taes informaces serem remedidas a
Ptesideneia lempo de se ;rcharem na Corte
em o principio da lux-tura sesso da Assem-
Llea t ier.il.
Igual officio foi expedido ao Inspector da
The/.ouraria da Provincia.
1 lo A Cmara Municipal de Flores, or-
denando em ronformidide do officio supra .
<|ue informe que numero de habitantes tem
o Municipio, que llie diz respeilo qual a
exlencao do territorio e que vanla;;ens pre-
sume resultar da creaco da nova Provin-
cia
Igual officio, foi dirigido -Camara Mnnici-
^ai da Boa-viMa.
i)ite-- Ao Inspector Geral das obras Pu-
blicas, para mahdar pagar ao Director do
Arsenal de Guerra, a importancia de - bertores de laa fornecidos a companha de
operarios engajados.
Dilo Ao Director do Arsenal de Gnerra,
communicando-lhea expedieco da ordein s-
pra.
Dilo Ao Inspector do Arsenal de (Vfari-
nlia approVando ascondiccoes do fretarilen-
lo do Brigue *. Joao Bptisia que deve se-
guir para a Provincia das Ala-roas a fijl de
oonduzir as madeiras que se acho ali prontas
para o mesmo Arsenal.
DitoA Administra "o dos Estabelleci-
menlos de Caridade aecusando a recepeo do
seu officio de 1 do correte a que acnmpa-
nbario seis exemplares di conta correte de
Receila e espe/a do Grande Hospital no
trimestre de Junho a Setembro d 'ste anuo
Dito A Cmara Municipal do ReciTe
signi'cando-lhe qtie a Presidencia tem de-
terminado que se execute proviso ament ,
as posturas que mesmn Cmara lbe apre-
senlou com o seu officio de a5 de Novembro
p. p.
roMMANPO DAS ARMAS.
Expediente do dia 5 do corrent.
Officio-Ao Exm. Presidente requisitando-
llte o concert do Caldeiro do rancho do t.
Batalho d'Aitilherla que devia ser nova-
mente eslanhado
Dilo-Ao mesmo Exm. Snr. signifcando-
llie, qlie o destacamento do FotVdo Buraco
hara sido rendido no da <. do correte e se
aditiva incompleto e pedindo-lbe a expedi-
co de suas ordens para que elle fosse Com-
pletado e rendido nos mezes vindouros liao
pela Guarda Nacional de Po->-Amarelio ; mas
pelado 1, Bal dio de Olinda que oHerecia
miiscommodidade aos soldados pela prdximi-
dadede suas residencias.
Dilo-Ad Dr. Joze Kustaqi Gomes pro-
curando saber qUaesosnomes dos soldados
reColbidos ao Hospital R., q' padecendo infla-
macoes crnicas do cerebro devio ttr licen-
ta para .e tralarem fora da Cidade conforme
aronselhara em sua parle semanal de 4 do
corrent a fin de se expedirem as conveni-
entes ordens.
Dilo-Ao Inspector da Thezouraria, de-
volvendo o Lirrodas receitas queenviou com
seo officio de 4 do corrent assim como 0 re-
niiHriminiodo Boticario Jczc da Rocha Para-
nhas, esignificandu-lbc em res posta que
tendo o Commandante do 3. BatalhSo d'Arti-
Iberia legalisado com a sua firma a conla do
receituario, e medicamentos fornecidos ao
Hospital Rgimen tal pelo citado Boticario ,
conla que to bem havia recebido rubrica do
facultativo encarregado do Hospital, desne-
cessario I he pareca a declara i-o exigida do
Commandanied'A'rlilheria acertada legali-
dade de semelhante receituario e que se por
entura entrasse em duvida a vei-dcidaae das
assignaturasde Um, e d'.-utro inslasSe-se
pelo reconhecimento dellas 0)0* anda assim
nuda emportava ad caso attendndo-se qfl
os mais importantes papis de aintnbelidadc
dos (,'or|>os merecia toda a f as I st.icoens
de Fasenda indephdente de reconhecimen-
to das firmas de seos respelivos Cbefes.
Dl-Ao Prefeito da ( omui'ca disendo-lbe
que ao soldado do I teposil Antonio Jos llin-
riques que acompanlioit o seO officio dcsla
data, tinlia dado conveniente destino.
DitO'Ao Director interirto do Arsenal de
Guerra, dsendo-lbeem resposta ao seo offi-
cio desta dala que no officio dirigido ao Co-
ronel Joze Joaquim Coelho a a5 de Outubro
ultimo encoutraria os esclarecimenlos que
pedia^ acerca do pagamento da Compannia
d'Arlifices e lembrando a remessa das re-
lacoens em tal officio exigidas .
Dito-Ao mesmo disendo-lbe que ao Co-
mandante do t Batalbamd Allilberia tinba
ordenado o disconlo das cinco pracas que
oulrora perlencero a Companha d'Artifices,
e que sendo devedoras a caxa do mesmo Ra-
talliam suas dividas loro transferidas a
Thezouraria.
Dlo-Ao Comandante do 3 6 Ralalbam de
Artilharia enviado-lhe a relaco das cinco
pracas notarlas no precedente officio e orde-
nando-lhe que procedesse o dsconto da quan-
tu que ellas se arliavo a dever a,' hezouraria
de fardameritos que recebera a diantados na
irtporlantia de rs 3 o.1 i quantia que a Caxa
do Bdtalham do seo Comando ja havia recobido
da mesnia Thezouraria
litio- o mesmo dando-Ihe varias dispos-
sices sobre a administraco da Caxa em f*lta
dos respectivos embros do Concelho qne
estavo destacados na Provincia das Alagoas.
Dilo-Ao Comandante interinno da Forla-
lesa de Itamarac disendo-lbe em resposta
ao seo officio datado de bou tem, que o Fur-
iiel ( os I;nasio Ovidio condusia os
vencimenlos do Destacamento no presente
mez e queflcavo justas as suas conlas com
a I hezouraria pertencentes ao passado e en-
viando-lbea cautela que setinlia resgatado.
Dilo-Ao Comandante interinno do Forte
Gaib enviando-lbe pelo Cabo Francisco
Jos de Miranda a inportanca dos vencimen-
los do destacamento no presente aez e a
caulella d'js do passado com o que suas con-
las com a Thezouraria se achavo justas at 5
deste mez.
Portara-Ao Major Comandante do Deposito
mandando em vrtude de ordem do Exm.
Sur, Presidente commnnicada em officio
de do corrent dar demico aos soldados
Daniel das Neves e Pedro Joaquim Maxado,
q' tendo sido inspecionadas para Junta de Sau-
de na sesso de 3 desle mez foro reputados
incapasses do servico.
THEZOURARIA PROVINCIAL.
ED1TAL.
O inspector da Thezouraria das Rendas
Piuvinciaes faz publico que perante a mesma
Thezouraria em os dias i 19 e ao do cor-
rent as 1 horas da manha se ha de proceder
impretrivelmente arrematacao dos rendi-
menlos da Taxa das Barreiras estabelecidas as
Ponles da Magdalena e Carvalhos a quem
mais der por ellas*
As pessas que se propozerem a esta arre-
matacao cornpareco nos dias cima indicados ,
munidas de Fiadores dneos. E para cons-
tar se mndou affi.uu- o piezente e publca-
lo pelo Prelo.
Tliezoniaria das Rendas Proviuciaes de
Per'namWo 5 de l'ezemlro de 1HJ9.
Joo Baplista Pereira Lobo Jnior.
DiverwLS Reparlcoens.
AlfAnDega DAS fazeNdAs.
Joo Francisco Carneiro consignado a Atta
tonio Joaquim de Sousa Rheiro.
Mahifeslou o seguinle.
6 Gamelas de cera 641 esteiras a3t
ditas de Dande 3 barris com azeite de palma t
1 dilo com midobi 1 sacca com feijo 1
cartuxo com dito 1 par de brincos com dia-
mantes 1 colxo 1 caixa com ve lias.
A Barca Americana INav.irn viuda d
Philadelphia entrada em 6 do corrent ( a*
pitam James Veacock consignada a L. G.
Ferreira e Mansfield.
Manifest o seguinle.
nf'O l'arricascom farinia ?oo ditas coro,
bolaxa 3 o ditas com bolaxinha 1 i ditas
com cravo 84 ditas cora tardos 8 caixas
com algodozinho 4 ditas com pentes 3to
ditas com cha, 134 ditas com sperm acete ,
aoo ditas com passas 5 fardos com algodo ,
i ditos com senne 99 sat-cas com pitnenta ,
o caixas com sidra b barris com prego* 34
cascos com a?eite de peixe 38 duzias de ca-
deiras voo barricas vasias 3 inditas abati-
das, 16 ditas com lampos, ao ditas com ba-
tatas 15t> garruuxos 1 saeta com taxas para
os mesmos, 1 caixa com urna cadeira, 9
mastros voltime com sapatos a pavoes ,
A Gal iota Hollandeza Hendrck vinda d
Amisterdam entrada em n do corrent Capi-
tam F. H. Pluhker consignada a A. Schra-
nem.
ignada
Manifestou o seguinte.
O Brigue Rrazilem Aracati rindo de
Angola entrado era 5 do corrent Ca pita ni
5o Frasquiras com ginebra, 5 barricas
com alvaiade f 1 caixa cora licor, 5 ditas com
lonas 10 gigos com agoa mineral, aoo cai-
xas com queios i5o gigos com batatas 1
lata com boiaxinha g gigos com ginebra.
Fora do manifest.
loo Paos de piuho.
A Pauta he a mesma do numero a65-*
MEZA DO CONSULADO
Pauta do preco corrent do assuca-r, e algadb
que se despacbaro na Meza do Consulado
de Pernambuco na semana de p a i5 de De-
zembro de 185t).
Assucar branco novo 1. Sorte -. a3oo
1. ... aado
3. aldo
1 i'ooo............ A, io5o
5. ... 1H00
6 1 .. i65o
Dito masca vado novo t. i5oo
1 s'000............ a. ... 1400
Dito branco vdho I. 3000
a. 4 icoo
3. ... 1800
-00.............. 4* ? i65o
5. ... i5oo
6, ... i35o
Ditomascavado velho l. ... boo
.^00.............. a. ... 700
Algodo em pluma i. Sorte ^700
a. ... byoo
3. ... 5700
Antonio Bento Froes.
Joze Mara Cezar do Amaral.
Feitores e Conlerente.
CORREIO.
O Brifue Nacional Delfim deque he Mes-
tre Joaquim Jo/e dos Santos sal para o Rm
Grande do Sol do dia ai do correte


t\ i crac
r- --
~~~
3
DIARIO DE PERNAMBUCO
f
1
CMARA MUNICIPAL DA CIDADE DO
HECIFE.
5. Sesso ordinaria de ai? de Novembro de
it3p.
Presidencia do Snr. Barros.
Comparecer. os Snrs. Souza Figueire-
do, Bastos, e Dr. Pereira ; faltando com
cauza os mais Snrs.
Aberta a Sesso e lida a Acta da antece-
<*5nte foi approvada.
O Secretario dando conta do expediente
menrionou os seguintes officios
din do r.xm. Presidente da Provincia re-
mettendo copia do Decreto de i de Oulu-
bro do correte anuo pelo qual o Regente
em Nome do Imperador Houe por bem De-
terminar ordem numrica das pessoas men-
cionadas pela Assemblea Legislativa Provin-
cial para o Cargo de Vice Presidente : intei-
rada.
Outrodo mesmo Exm. Piesidente convidan-
do t amara para assistir ao Cortejo no Dia >
de Pezembro prximo : inteiruda e que se
olFiciasse nos mais Snrs. Vereadores para no
referido dia compareccrem na casa de suas
Sessoens e assistirem ao Cortejo.
Oulro do Fiscal do Recife remetiendo o ter-
mo de examc feito boje na casa pertencenle ;
Antonio da ( unha Soares Guimaraens, e cxi-
gindo que se mandassesat'.sfaser as despezas ,
que se isero com os dous pintos em quanto
a i. parte que se remetiere o termo ao Pro-
curador para proceder nos termos da Lei e
que se ofticiasse ao F.xm. Presidente da Pro-
vincia remetiendo copia do referido termo :
em quanto a 9, parte que se pacasse mandado
Oulro do Cordiador partecipando que
tendo exigido de Joe Baplista Ribeiro de l'a-
ria o rcjierimento para alterar ; cordiaco .
segundo o que lhe bavia sido determinado por
e la Cmara elle nao quiz. entregar por se
nao conlbrmar com essa ordem : inteirada
O Sur. Vereador l)r. f'ereira fe/, o seguin
te requei ment que foi approvado. Re-
ueifo que em conformidade do art lii da Lei
do '.de Outubrode 18 *8 se mande assignar
na Corte do Imperio o \ eriodico intitulado
Dispertado!1, em que se costuma ali publicar
os tiabalhos dassuas Cmaras legislativas.
A Commissao encarregada de examinar ,
e reconhecer ; Estrada da Capunga que de-
vide com o Municipio de Onda quando
Comarca separada de-la a presen lou seo pa-
recer sendo de opinio que estrada da de-
viso feita pelo Conseibo de Provincia he sem
nenhumaduvida estrada q'divide o sitio
que foi do fallecido Dr. Brito com o sitio do
Dr. Jacobina al o rio como demonstra os to-
cos das arvores da diviso que fico nos la-
dos da mcsma estrada : cujo parecer foi ap-
provado.
Dcsparharo-se alguna requerimentos. E
por ser dada hora levantou-se Sesso ; e
mandaro lazer a pre.-enle em que assignaro.
E eu Fulgencio Infante d'Albuquerque e
Mello Secretario a escrevi. Barros Pro
Presidente. Soma Figueiredo Bastos ,
Pereira.
PREFEITURA.
PARTE DO DIA 8.
Illm. e Exm. Snr.Foro prezos hontem
niinlia ordem e tiverao hoje destino : An-
tonio Joaquim de Lima, preto, pelo Capataz
do Poi lo das Canoas por desobediencia; Hi-
lario tanibem prelo eseravo do Capilam
Joaquim Manoel Carneiroda Cunha, por 'os
Mendes Carneiro da Cunba por estar fgido ,
Luiz Gonzaga pardo e Jos e Joo pretos,
eescravos este do Exm. Mrquez do Recife ,
eaquellede Caetano Jo Preieito d'Olinda o i por suppol-o deser-
tor eosoulros por eslarem fgidos.
- o que consta uas railes buje lecebidas
nesla Secretaria.
da 9.
Illm. Exm. Snr. Foro presos hontem ;i
minha ordem e tiverao boje destino : Ber-
nardo Luiz pardo pelo Sub Prefeito de
Snto Autonio por nao ter dado couta de urna
canoa e varios gneros que lhe foro con-
fiados ; bordo da mesma canoa e desappaie-
cer do lugar ; e Noberio preto, eseravo de
Vicente Jos da Costa pelo Sub-rYefeito da
Boa-vista por ter dado urna bofetada em
urna preta.
"'Nada mais consta das Parles boje por mm.
recebidd.
Noticias Estrangeiras
Sublevaco no alio mar.
Assassinatos comiteUidos pelos negros suble-
vados.
L-se a seguate noticia inlcressante em
um peridico de Nova York.
se acharem em completa tranquillidade. I-
Havercousa de i mezes que se divulgou gualmenle pedem lhes permita levantaren)
nos peridicos que leudo sabido da Havana u- em Vergara no meio da praca um monumento
ma goleta bespanbola com urna carregaco de que transmiltindo a poster.dade o convenio de
fazendas para Nuevitas e alguns \iegros escra- Versara morlalize seu nome e o do valente ex-
vosa bordo estes se tinham sublevado, as- ercitodo seu commando
sassinando todos os blancos e afoderanuo-se
do navio sem se saber que rumo tinham to-
mado. Ja' quasi se ia esquecend este aconle-
cimento quando ha poneos dias se disse ter-
se visto e fallado a urna goleta suspeitosa so-
bre eslas costas tripulad* de negros que nao
fallavaS inglez e quasi ninguem duvidou
que devia ser a mesma que mencio-
namos. Em consequencia tanto dcste por-
to de Nova York como de outros dos Esla-
dos Unidos, sabiram vasos de guerra em seo
alcance porem nenhum teve a sorle de a en-
contrar al que por casualidade o herantim
de guerra Wasbintgon commandanle Grdney,
que estava reconheeendo e sondando a cosa a
l'E. de Lon Irland sem ter anlecedenle al-
gum, avistou nm navio suspeiloso sobre a
praia na ponta Culloden e logo mandn re-
conliecer em urna lancha armada com genle
;s ordens de um ofllcid o qual logo que se
avisinhou viu sobr^ a coberta cerlo numero
de negros bem como onu tomaisnapr.ua.
Entfo appareccram > bomens blancos pedin-
do a protf ceo do ofFicial.
Em summa rcstillou ser a mesma goleta A-
mi/ade eaplo Ramwi lores que tinba
sabido da Havana com destino a Guanaj com
5{ nebros e dois pa>sagciros a bordo Os
hle-
deve collocar a estatua equeslre de Espartero.
Neste dia pelas $ horas e mcia da tarde re-
eebeu S. M. a rainha governadora acompa-
nh.ida da sua corle pea forma do costume o
novo embaixader de branca, marquez de
Roumigny para delle receber as cader.ciaes.
O Sr. embaixador ao apresentar-se a S. M
lhe dirigiu a palavra pelo modo seguinle !
Senhora Ao dignar-se o re ronfiar-me
a misso imporlanle de o representar junto a
V. M. me ordenou que a felecite por sua parte
sincera e a'Terluosamente pelos grandes e faus-
tos acn lecimen tos que arnham de se verificar
Elles, servindo ja de justa recompensa aos ex
for os de V M. ede seus leaes conselheiros ,
faro para sempre glorioso o reinado de "ossa
augusta filha.
O rei meu senbor e toda a Franca ha pou-
co modificados pelos desastres com que a guer-
ra civil desoa va e Hespanha est i boje salis-
fei'os e c'ieios de coofianca pela volla da paz
e com a unio de lodos os hespanhoes de" aixo
da u nica bandeira a que pode fazer revi ver
sua anliga gloria.
Taes senlimenlos senhora sao unnimes na
branca cu os votos pela felicidade da Hespanba
iamais fallaro elles aperlam fortemente os
negros qnart.i noule de sua sabida sesuble- IacoSQJW unem as finas na oes
varam assassinaram o capito e 3 blancos da V W. me permit i r; que me alreva lambem
tripulaco e se apoderaram do navio com a manifeslar-lbe quo vivamente en os expe-
lenco de irem para a cosa d'Africa. Um rmenlo. Gracas aos triumfos do duque da
dos passageiros era amifo nosso f). Joz Roiz Victoria ;s suas sabias providencias. e a seus
sobrinho de I). Saturnino Canias, que era benvolos cuidados por mim eu fui o pri-
dono da ma'or parle dos negros e da car a, c meroa gosar do bemque a paz trouxe s pro-
ooulro D Pedro Vontes que lambem linha vincias desoladas por espaeo de tf minos por u-
alguma carga a bordo e eseravos Como os ma guerra cruel entre os filhos le uma mesma
negros careciam delles para leva rem o navio, patria eu vi quo adorados sao al I i V. M. e
Ibes perdoaram por em lano a vida. O Sr sua augusta filha ouvi os gritos de alegria e
atontes, parece que em outro lempo tinba de espera nca misturados com as do mais vi-
sidocapilao de mar, e lhe confiaram a direc- vo reconhecimpnto pelas primeiras medidas do
cao do navio. Durante o dia^ como elles viam governoa seu favor.
o sol nao os podia engaar lano; porem | O meu coraco senhora se comoveu pro-
pelas 110:1 les muda va de rumo para estas costas fundamente, e amante da Hespanba como
a ver se cncontravam algum vaso de guerra todo o servidor do meu rei e todo o francez ,
que os rrsgntasse de So liorrivcl sita'ao. Em apprendi a estimar asna excelsa soberana dos
algnmas orcasoes perreheram os negros o en- que melhor sahem quanto merece se-lo.
gano pelo que espancaram e fe iram muilo i
o dito Sr. Montes : porem elle firme no seu S. M. sedignou responder-1 he nos termos se-
plano, consegniu por fim o seu ob'eclo hin-
cando o navio sobre esla costa. O valor da
guintes.
Sr. embaixador: As felicilages que V. me
lamanba afluencia. Sabia-se que a familii
real de Hespanba assistiria ; missa cantada.
I 'esde manh sedo as ras por onde devia pas-
sar Carlos V a rainha e os dous principes
eslavam cheias de povo ancioso de admirar a
quella augusta familia : pelas dez horas me-
nos um quarlo o coche do monsenhor Villela
foi buscar as nobres victimas da traico e as
levou a passo para a igreja metropolitana por
entre um povo cheio de simpathias a favor da
familia real.
O rei, a rainha o principe das Austria
e nfanle D. Sebastio foram recebidos na
porta principal da nossa baslica pelo sr. Ar-
cebispo ; o qual Ibes oUbreceu agua benta,
e as couduzio ao sitio que se Ibes tinba prcpa-^QJ
rado no coro defronte da cadeira archiepisco- "j
pal. E' impossivel descrever a impresso que
produzio na numerosa concn enca a devoco '
e recolhimento do rei e d* rainha das Hespa-
nhas le oelhos sobre as fras lages do San-
to templo SS. M.M rogavam ao Todo Podero-
so que se compadecerse de seus perseguido-
res.
A nma missa resada que se celebrou de ma-
nh em sua propria rasa a familia real ti-
nba receido a communho da mo dos seus
eapelees. Ao sabir da missa SS M\l fo-
ram novamenle conduzidos para o hotel Pan-
nette por enlreo novo, que com seu resuel-
to maniestava todo o nleresse que lomava
em lo gran Jes infortunios O rei e a rainha
mostraran) quo salisleilas eslavam pela aco-
Ihida que receherain de povo de Itourges.
As deelamaces do peridico da (lerfeitura
do Ciier contra a familia real, e em parliciilar
conl-aore nenhum cfTeito produ/iram
Inulileadveilir que se nao den ao rei ne-
nbnma escolla de honra e r|ue se contina
a tral.il-o como prisioneiro de estado Nao
pode dar o menor passeo lora da cidade sem
queosigam mulos gendarmes o commissa-
rio ceniral e varios agenles de polica.
' hejou a pouco delicadeza de alogar quasi
defronte de $S. MU* o chefede polica que
mr. Duchatel mandou para a nossa pasifica
cidade.
Fsta tarde os augustos desterrados foram
dar um passeio pelos arredores de l'ourges.
O nosso veneravel srcehispo e a nohre familia
de l'onneval tinham posto seus coches s or-
dens do rei e seu sequilo.
O general principe de Lichnousky que
se linha retirado de Carlos 5 em Bayona aca-
ba de ebegar a Bourges.
(dem de 18 de Oulubro.)
carga e navio dizem que sobem a o mil pezos, apresenta pelos grandes e felizes acontecimen-
no contando os esclavos e estava seguro na tos que acabam de se verificar enchem meu
Havana. Nada menos de 61 dias andarn) cora-.o da mais viva satisfaco ao mesmo
assim no mar. Muilos [lormenores se iro pu-
blicando do que padeceram os dois hespanhoes
tempoque sao recebidas com o mais sincero
reconhecimento. Fiz quanto de mim deptrn-
que eslavam a bordo ; quando tivermos dados deu para conseguir a desejada paz e continua-
fieis vollaremos a este assumpto entretanto; rei a lazer qunto for necessario al ver reu-
temos o maior prazer de ver salvos de tanlos
horrores a(|uelles desgranados
Vai-se afjora suscitar urna questo delicada
porque j. alguns comecavam a indicar, que
uns homens que commelleram estes assassina-
tos e este acto de piratera nao se conside-
radlo como criminosos tendo-o feito para re-
cobrar a sua liberdade. Veremos pois se este
governo estabe'ece o principio de que ao esera-
vo licito assassinar seu seuhor porque en-
to podero impunemente sublevar-se s es-
eravos em Washington e degolar a
todos os seus senhores e a todos os mem-
bros do governo que autorisa h escravido !
ITALIA.
Roma lode^elembro.
A noticia da fuga de D Carlos causou aqui
profunda sensaco. Tem-se j. por perdida a
causa do pretenden te, e tudo sao conjecluras
pelo seu roturo,
A maioria dos cariisias periende que D Car-
los nunca renunciara a seus deveres, e que
breve chegar a Roma. Com tudo uulros du-
vdam d'esta ultima parle porque a sua per-
manencia aqui inlerromperii as retacees do
nosso governo com o de Hespanba.
Segundo noticias recentes de aples a
conciliaco do re com seu irmo o principe
Carlos de (apia se realisar;! bievemenie Ha
negoriacoescntaholadas snhre este ponto das
quaes se espera feliz esullado.
1 -l.-se ne 'oeiando hoje um traclado de
commercio e de navegaco com aPranca de-
haixo das mesmas bases que o celebrado com a
Inglaterra.
HESPANHA.
Madrid t de Outuhro.
As provincias de Biscaia lava, e Gui-
pzcoa fiseram chegar s mos do duque de
\ icloria urna pelico para que fa a que se le-
vante o estado de sitio que pesa sobre ellas por ^ral : ha muilo tempoque se nao ten' visto
nidos em torno do tbrono de minha augusta
filha todos os seas subditos filhos de urna
mesma patria.
Os sentmentos chelos de amisade e de in-
teresse que V. me manifesta sao conformes aos
eficases esforcos que o vosso soberano meu ali-
ado empregou a favor da causa de minha ex-
celsa filha e desla naco toda
Agora e nos tempos vindonros ao lembra-
rem-se os hespanhoes da grande obra da pa-
clicaco reconbecero agradecidos o que a
rainha eaHespanha devem ao seu generoso
aladoe a toda a Franca
Nao era fcil escolher por Interprete de
senlimentos to nobres e generosos pessoa me-
lhor que V. senbor embaixador cujas emi-
nentes qualdades e a bem merecida confian-
ca que deve ao seu soberano o tornam to a
proposito para aperlar os larosque unem am-
bas as naces para o seu bem commum.
Concluido o acto o Sr. embaixador teve a
honra de a presentar a S M. os individuos da
sua embalsada que o acompanharam ,e se re-
tirou do real palacio
(Corixio de Lisboa de 14 de Outubro.)
FRANCA.
Bourges ag de Setemhro.
Eslrahido da Gasela ci Franca : ( para nao
tirar a esla nanaco o sello do fanatismo po-
ltico que a distingue con o proprio da Case-
ta de branca se nao fe/, alteiaeao algum8
nos ttulos com que condecora D. ( arles e
sua familia''.
Apresso-me em vos nnnunciar que a fesla
de S. Vlignel anniversario dobladamente
grato paraos realistas foi aqu celebrado com
pompa : | areca que lodos os habitantes desta
cidade e dos contornos se tinham fallado para
se reunrem na nossa anliga e magnifica ealhe-
Corresponderle a
Snrs. Redactores. A leitura do commu-
nicado, inserto em o numero 2.45 do seu Jor-
nal, cujo programa Convem riqueza
do razil lazer guerra ao commercio Francez
veio despertar-me o ^sejo de dizer a mi-
nha opinio sobre este objeelo alias de tan-
ta importancia as nossas circunstancias.
O ilustre auclor do communicado mostrou
vastos conhecimontos em materias de econo-
ma poltica fez urna grande parada de sua
sabedoria ; mas tocara elle no ponto princi-
pal da questo que tem dado occasio aos
que tem escripto em sentido contrario lauto
pelos jornaes da coi te como pelo seu mesmo
Jornal ? eremos que nao
No primeiro ponto deste*, communicado ,
quer o seu luctor persuadir-nos as regras da
prudencia, e respeilo, que as naces se de-
vem prestar mutuamente e nisto concorda
com a nossa opinio com o que se lem
escripto e( nao sei se serei excessivo em
dizer) com a opinio de todos, os Brasileiros.
Por sua mesma folha; Snrs. Redactores, ja
se disse bem positivamente que nenhuma
cuipa tinho os bous Irance/es que com nos-
co conviven com oserrosdo ministerio das
I uillerias.
No segundo verdade que o auclor do
communicado falln, e fallou ex calhedra, so-
bre a utilidade que provem das trocas di-
zendo que o dinhero nao presta oulra uti-
lidade se nao a de effecluar as trocas ; elle
nao se come, nao se veste nao nos serve em
fim nada produz por si mesmo ; ergo Iro-
f|iicmos (em. duzentos mil res por um 8pa-
rellios de filagr que. nao tem de pezo mais
que4 ou'ioilavas de 011ro que se desfaz
com o vento ele ele. Quando o auclor do
communicado provar-nos que entre as pi- I
nharias fmnceww e o nosso dinhero h. i-
;;ualdade de valor ,' to necessario para geral
utilidade as liocas calar-me-ei e comigo-
lodos quanlos parlilho a minha opinio. Saos
ulilil, poinl de vilcur el sans valeur,
point d cchange. Quando provar-me, quef
os meus duzentos mil reis nao serio mais henr-
i


f '
-r'
DIARIO
DE P ERNA M RUCO
trocados por urna obra de ouro que tivesse
In3s pezo, que feilio calar-me-ei, e comido
todos quanto parlilho a minha opinio
Felices lempos em que os nossos maiores s
compra vo as cadeiras do Porto por se rom
de maior durar o !
A philosophia deve ser o ministro da
verdade di/ Filangieri, e uao um va
creador de systemas. ., Em quanto nos
quisermos aprsenlar por pompa o que
lemos e ludamos sem que a philosophia
nos guie na applicacodos nossos estudos, ne-
nhum proveito poderemos causar aos que nos
lerem. Eu me nao elevo contra o luxo pas-
ivo em geral ; mas necessario, que appli-
quemos as regras s circunstancias particu-
lares em que se acho aquelies para quem
escrevemos circunstancias que as mais das
veses distroem as rejras as mais geraes das
sciencias.
O luxo q objecto do superluo ; mas in-
felizmente vemos que, com rarissimas exce-
pces, nio o 3uperfluo, que se applica p. r i
o luxo, o necessario muitas veses o que
nao he nosso. Fallcm por mim os Snrs
J'.iises de Paz e digo o que ouvem as con-
tinuas e mni interrompidas conciliaces. Eu
nao pertendo que os Pernambucanos para
evitar os tristes elidios do luxo reduzo-se
ao estado de selvagens, ao estado primitivo ;
mas que baja modera o no luxo ecomel-
le s appliquemos o superluo; quero o luxo
decommudidade, o luxo de decencia e que
tcnda sem pie para o u'.il Um luxo tal nao
nos de mor.. I isa r certa mente. ,, O luxo ,
., diz um dos celebres cooperadores da Encv-
,, clupedia cxcessivo sempre que os par-
,, liculures sacrihcao seu fausto sua
,, lanlasia os seus de veres ou os interesses
,, da naco e os particulares nao sao con-
,, duzidos a este excesso se nao por al-
,, guns de eitos na constituico do estado
,, ou por algus faltas na administra.o ,,
O luxo, di/ o aueloi do communicado, ser-
ve deestimulo pan produzir-se ; pori|iie
preciso, que seganlie para se poder sus-
tentar as depe/as E nos dizemos se deva,
se calotee, se lurte
Mas concedamos ao Ilustre auctor do com-
municado que necessario o luxo; que os
Brasileiros nao podem ser hroes sem ser no-
necos mas \ eiido os Francezes em grosso
aos Brasileiros e estes a retalbo de modo
que recaio uestes o excessiroganho, que tem
aquelies tirem os lirasileiros proveito dos er-
los dos mesmos Brasileiros : em fim cum-
pro-sc os tratados. Os Inglezes nos nao
vendem os seus gneros em retalho mas nem
por isto nos lazem menor gasto em o nosso
mercado
O que bavemos dito nao obstracto re-
al ; nao se concebe no cerebro dos polticos,
passa pelos nossos olhos e pelos de todo o
uiasil.
Um Recifense.
M
et
oosta devena realisar da data d este a "o
dias em caza do Thezoureiro Manoel Joo de
Amorim na ra da < ada vellia n ai a
primeira presta cao de 20 por cento sobre as
quantias com que generosa e voluntariamen-
te concorrro para a mencionada construeco.
COLLEGIO-SANT A-CRUZ.
(H0 FOHTE-nO-MATTOS.)
O Collegio Santa-Crui novamente erecto
n'esta Cidade sb os auspicios de muitas pes-
sas benemritas abre-se pela primeira vez
no dia 7 de Janeiro p f. na forma do Pros-
pecto que se arha patente no msmo Collego
os Sis ebefes-de-familia que all quiserem
mandar educar seus filhos.
o admit idos n'este Collegio nao s Pen-
sionistas mas tambem meio-Pensionislas e
Alumnos externos Os Pensionistas residem
elleclivamente no Collegio, e pagam por ca-
sa mesa e ensino a quantia ce 22 000 rs
mensaes. Os meio-Pensionistas residem no
Collegio smente nos dias lectivos e pagam
i. 000 rs. mensaes.
A edade marcada para a nd.niss.io de qual-
queralumno, seja pensionista seja externo,
de ', at >4 anuos.
As disciplinas que s'ensinain no Collegio
sao as que se exigem como Preparatorio nao
s as Academias do Imperio nas anda as
Univeisidades da Europa.
Asproposla* f.nra n matricula de qualquer
alumno sao dirigidos ao Director do Collegio
Santa-Cruz no Forte-do-Mallos defronte d
AssemLla.
h
SOCIEDADE HARMONICO-THEATRAL.
A Commisso Administrativa da Socie-
dade rhirmonico-Thralral avisa aos Senho-
res Socios e Accionistas do empreslimo appro-
vado na sessao da mesma Sociedade de 27 de
'Oulubro p. p. para a edificaco do Tbeatro
de Apollo que na forma do art. 7 da pro-
A visos Diverso*.
tST Quem quiser adiantar os fundos neces-
sarios para ns despezas e concertos da barca In-
gleza 1 ord Cockrane l.ke St Smith Mes-
tre arribada a este porto dirijase ao Con-
sulado de Sua vagestade Britannica para tra-
tar dos particulares.
CT Alugao-se escravos para trabalbarem
na Praca e por boa paga : no armazcm da
na do Vigario N.-jo junto botica do Snr.
Peixoto acharo com dias das o horas at ao meio dia
tsr* Precisa-se para a obra do Forte do bu-
raco dezeseis caibros de quarenta palmos e
deduas soleiras de pedra de cinco palmos de
comprimento e de umem quadro ; quem ti-
ver ditos materiaes pode dirigir-se ao Forte do
Rrum a tractar do ajuste com o Tenenle A-
delo Lopes de Santa Anna.
tZ?" T)eseja-se fallar ao Sr Caetano Puar-
te Pereira na ra do Queimado defronte do
beco da Congrega530 loja D dezeseis.
UF- O cr Capilo de campo de Lelem, ve-
ja se a dita preta lem em um dos peitos a se-
guinle marca feila em urna s letra R. L.
H pois sendo cerloser generosamente re-
compensado.
tiy Precisa-se de oHciaes de carpina e
pedieiro. e de serventes para Iraballiarem na
obra do Forte do Buraco : quem esliver nestas
circunstancias e quizer pode dirigir-se a
Fortaleza do Brum para tratar do ajuste com
o Tenente Anacido Lopes de Santa Anria.
tsy A Caza de Pasto da ra dos Quarteis
D 8 oerece almo;os e jantares a quem qui-
ser se ajustar por mez por precos cmodos ;
a quem convier di rija-s a dita caza de Lasto
a tratar com o dono.
tt^ O Snr. do engenbo S Joze em Ipomea
que annunciou ter urna preta em sen poder ,
bem pode ser que seja urna que fugo ao abai-
xo assignado a um auno com os signaes se-
guintes gento d'angolla representn 1er 4"
nnnos (pouco mais ou menosi boa estatura e
delgada do corpo atrapaIhada da lingua
pernas finas, um tanto fulla da cor, o dedo
mnimo do p direilo torio bastante para parte
oposta ; levou vestido de riscado escuro, tal vez
ja o nao tenha : querendo o referido snr. do
engenho mandal-a entregar ao seu Snr. o
mesmo abaixo assignado, na ra das Flores D.
5 ser bem recompensado a-quem a troucer,
ou mandal-a entregar ao Prefeito desta Co-
marca e no caso porem de a querer comprar,
o mesmo abaixo assignado a vende.
Manoel Alves da Cruz.
S2F" Amanha 11 do corrente Dezembro
pelas qualro horas da tarde na ra do Fagun-
des porta da caza do Sr. I'r Aires Juiz da
terceira Vara do Civel tera lugar a ultima
praca e infallivelmente se arrematar a quem
mais der o terreno do Lorie do Mallos, con-
tiguo prensa do Sr. 'lavares avaliado o pal-
mo a dez mil reis.
tsy Precisa-se de um coutoecem mil reis
a um e meio por cento ao mez dando-se hv-
potinca em predios nesta praca livres e des-
embarceos ; na praca da Independencia loja
N. () se dir quem faz este negocio
S2?" Aluga-se o prmeiro andar de um so-
brado com bastantes cmodos ; quem o per-
tender dirija-se a ra do Rangel, venda l) 1
quasi confronte ao beeo do Lyceo.
S2T Perdeo-se urna manta de pele de onca
pintada, com o nomede quem pertence ; po
rem suspeita-se que um moleque desse para
guardar ou em|ienhasse em alguma venda :
em qtAlquer dos casos pede-se a quem a ti ver,
en souber onde ella existe dirija-se a ra do
Crespo no prmeiro andar do sobrado D. cin-
co que ser recompensado
SSP" Deteja-fe fallar com o Sr Pacfico Au-
reliano da Cosa Barradas para se Ibe entregar
cartas vindas da liba de S Miguel na venda
de Joo Jacinto A oreira na ra das Cruzcs.
tsy Precisa-se saber a moradia do Sr, Joo
Mara Queiroz ; ou annuncie sua morada ou
lirija-se ao beco da Lngoeta N, 4 a negocio
de seu inleresse.
CT Aluga- otovello com bom quintal, cacimba, e no
logar la sombra ; na ra do l abug junio ao
Sr. Bamleira
SST No Recife ra da Cruz Escriptorio de
Jos Antonio Comes Jnior existe urna Cir-
ta para o Sr. Joo Garcia Fialho que velo
para esta no brigue brazileiro Pedro segundo ,!
na viagem que veio prximamente das libas
dos A$ores.
tw Precisa-se d'um rapa que tenia al-
guns prinripios de Pharmacia : a fallar com
Mauoel Joaquim Brando na ra da Cadeia
do l'ecife bolica n. 5.
sgp- Na loja da Iraca da Independencia D#
17 de Jos Tavares da Gama se ncha a
venda por preqo commodo o seguinte sorli-
mento de cal ado e outros ohjeclos da me-
Ihor qualidade e goslo : a saber; calcado de
be/erro francez botins e sapalos de Lisboa
para homem calcado de marrnquim dura-
que cordavao selim couro de lustro e
botinas de duraque para Sen hora ; calcado de
duraque marroquim selim e couro de lus-
tro para meninos e meninas chapeos pre-
tos e brancos para homens e meninos cha-
peos de sol de seda para homens e Senhoras ,
sapatos de lustro echinellas de marroquim
para homem e bengalas de diversas qualida-
de? e de milito bom gosto Adverle-se que
com a pessoa que em d ta loja se afreguezar ,
ha ver toda a contemplacao.
tiy- No Manguinho defronte do sitio do Sr.
Francisco Antonio deOliveira vende-se nm
carro de qualro rodas para duas pessoas, com
assento atraz para criado em bom uzo ; e
urna parelha decavallos com os competentes
arreios
SO" Na ra do Crespo lado do norte l> 6 ,
vende-se urna negra moca de muilo boa con-
ducta eoze. engoma cozinha e boa lava-
deira de salino e varrella
C?" Na ra dos Pires da Boavisla caza D
4 vende se por cmodo proco urna barreti-
na e corrame de lustro para Guarda Nacio-
nal.
SSS~ Na praca da Independencia N. 6.
vende-se sapalos Je homem e de menino ,
chegados prximamente de Lisboa por preco
cmodo ; assim como sapatos de setim a n.oo ,
ditos de duraque a mo, dito de marro uim
a 000 reis chapeos do Chile de aba larga a
"000 reis.
SS?" Na rfla do Vigario D doze, vendem-se
quatro escravos ladinos um negro sapateiro ,
um dito all'aiate um ditocaneiro e trahalha-
dor de ro#,a e urna escrava costureira e bor-
dadeira de bonita figura.
S3S" No armazem de Francisco Dias Fer-
reira defronle da escadinha d'Alfandega ,
vende-se itciic >\r- lowta bu iinalitJHde eui
latas de umalmude proprio para cazas par-
ticulares e por preco cmodo"
d" as. Cinco ponas D. 3 onde tem
um lampeo vende-se urna escrava com lo
das as habilidades necessarias para servir a u-
! ma casa e um negro proprio para um sitio ,
e sabe fazer todo o servido de urna caza de por-
tas fora.
CT Quem precisar de urna parda de idade
para ama de casa de homem solteiro annun-
cie
SSS1" Aluga-se um sitio na estrada dos Al-
elos defronte da ('.apella o qual tem muilo
boa caza de vivenda bastantes arvores de fru-
ta e terreno para planta oes ; quem o .per-
tender diriia-se a Francisco Antonio deOli-
veira & Filho no atierro da Boavisla.
tSf Didier Rohert &C. ra Nova pe-
dem por favor pessoa que levou ha j oilo
dias da sua loja as amostras de bico de lindo
queira mandal-as entregar oulra vez pois que
Ihes faz muilo grande falla.
SX?" Aluga-se urna casa terrea com bastan-
tes commodos para grande familia cita na
ra por detrs da v atril da Boa-vista ;
tratar na mesma ra N i5.
t3~ Aluga-se um grande armazem as 5
pontas, defronte do Viveiro do Snr. Vimis;
quem o perlender dirija-se a ra nova I). 22
segundo andar.
XSf Alluga-se oquartoandar da casa da
ra da Moeda ltimamente Reedificado ; os
nertendentes diriia-se a ra do Vigario D
tzw Aluga-se em fora de portas um so-
biadodedous andaes e sotao terrado para o
lado do mar, com bastantes commodos para
huma familia ; quem o perlender dirija-se a
ra nova I), aa segundo andar para o a-
juste.
C7* Segunda vez.seroga ao Snr. Jos da
Costa de Alququerque e Mello de dirigir-se
a Fora de Portas casa numero lo4, e sendo
nao esteja na praca o seu procurador, pa-
ra nao dar mais encommodo cora a annuncios
Typografia.
tST' Aluga-se urna casa para se passar a
festa na < idade de Olinda defronte de S Pe-
dro novo ,com muitos bous >ommodos ; quem
a perlender dirija-se a ra do Queimado Bo-
lica I). o
C?' A 13 do corrente, peranle o Snr. Dr
Juiz de Cireito da primeira vara do civel ,
se hade arrematar huma casa terrea de pedra
e cal, avahada por JooUooo reis e sita na
estrada da Cruz das Armas no Artaial.
(t^ Quem precisar de hum escravo fiel
pelo lempo que se convencionar pela quantia.
de 00U reis annuncie a moradia por esta
follia.
Xf Quem liver para alugar alguma casa
terrea no Bairro de Santo Antonio, sendo o
seuahjguer al roUooo reis ; queira aunun-
ciar sua moradia por esta lollia para se tralar
do ajuste,
'tSf l)a-se treseritosmil reis a premio de i
por cento com penhores de prata, ou fir-
mas a contento : quem os peitender dirija-se
a ra do Caldeireiro D. a6 casa que faz fredr^
le com a Igreja dos Martirios.
VE.NDE-SE huma escrava com idade de
70 a 33 annos de bonita figura engoma ti-
zo coze chao, cozinha bem o diario de urna
casa he a recolhida, eao portador se dir'o
motivo porque se-vende ; quem a pretender
dirija-se a ra direila D. 20 lado do Livra-
mento.
CT* Aluga-se um prmeiro andar de So-
brado, .com bastantes commondos quem o
perlender dirija-se a ra do Rangel venda D.
a quazi conlronte o beco do Liceo.
SS- Nos dias i. 6r e >o-de Desembro do
corrente anno se hade arremattar em pra-
ca publica do Juiz do l ivel da primeira vi-ra
na ra da Aurora, hum grande citio com
muitas arvores de f ucto excellente trras
para borlas e meles, e sobre ludo boa fren-
te para se edificar casas na estrada de San-
to Amaro perlo do Pombal ; avaliado em
Rs. 6;*"'ooUooo.
C?" Arrenda-se o terceiro andar da casa da
ra da (.adeia, defronte da mesma l). -5 ;
quem o perlender falle no segundo andar da
mesma.
xsr Quem quiser comprar umpreto, mo-
co de bonita figura, canooeiro, camaroeiro
e carniceiro dirija-se ao Latee de S. Pedro
D. 5.
tsy Vende-se umfardamento completo de
Sargento de Guarda Nacional ; quem o per-
tender dirija-se as cinco ponas casa Deci-
ma r>.
X2s~ Quem quizer comprar huma Prenca
de copiar cartas; de.ferro com todos os seus
perteces ; dirija-se a praca da Independencia
n. 4 e5. t
isa- Precisa-se de hum criado que seja
inosso e tenha alguns principios de cozinha,
e boa conducta ; quem esliver nestas circuns-
tancias dirija-se a casa de pasto da ra dos
Quarteis '. 8 a tractar.
cr Aluga-se urna casa para se passar a
Fesla no lugar denominado^Casa Forter
defronle da Igreja : quem a perlender diri-
ja-se a ra dasCruzes na leuda de Tanoeiro
O. 7. .
9^ O Juiz, e Mezarios da Festividade
de N. S. do Monte em Olinda annuncio que
pertendem dar este anno o melhor apparalo
possivel mesma Festividade : para o que
convido os Devottos a concorrerem asse-
gurando-lhes que,para suprir a falta de c-
modo com que possao cora suas familias assis-
tir mesma ; teem levantado huma ellcgan- |
te barraca naquelle arraial visto serem mui-
lo poncas as casas, e deste modo poderao ver
com mais cmodo o bello fogo de artificio a-
companhado por trez bales que se en-
comendadoa Author de crdito, e que pro-
mete entreter os Expecladores. Igualmente
annuncio que perlendem arrematar em Lei- i
loes as ofertas que os Devotos houverem de
fa/er Senhora do Monte cujo producto ser
aplicado as despezas da Festividade
A Muzica \i litar tocar nos intervallos do
costume desde a.vespora al acabar o fogo e
espero que pela decencia em que acharo a
barraca nao se desagraden de aplaudir o dia |
da J-enhorado Monte com as suas assistencias.
C??- Joo Baplisla Djniz Pessoa faz sci-
ente ao publico que pertende abrir aula das
primeiras letras em casa de sua residencia no j
alterro das Cinco Pontas casa contigua a do
Padre Luiz ; que arrancha Sertanejos. Os i
Alumnos q quizerem-se'utilisar do seo pres-
umo ero ensillados com a perfeico que se
relfuer ; assiin a curar a molestia de gotla co-
ral asma e outias que se oferecer.
IST Urna parda.se oqerece a ser ama de
urna casa de porta dentro cuja tem de dar
11 m restante de sua alforria que he cento e
dezeceis mil rs e por islo pede a quem este
negocio queira faser pagar-Ihe este restante
e receber a sua Carta at pagar-lbeo dinheiro
do empreslimo ; noseuservico pelo preco e
lempo que ajustar bavendo descont ao pre-
mio do dinheiro que ocebrrer ; dirija-se nw
Lslalciio de Joo i'homaz ao pe do Armazem
do Sal.
tsr Quem precizar de um padeiro ; dir_ j
ja-se a ra dos Quarteis caza de Pasto D. j
4
i
'I



4
DIARIO DE
PERNAMBUCO
'______' '_______ji I r '
tsr O Snr. Joao da Gama Loho de Anies de dimetro, em perfeito estado, uma porcoJCnha Mallos, Mozona de Ponelle ; n ra
Jnior morador em Onia |>ode procurar le cabos de difieren les hitlas um masa reo do (au l>. .
om einhrulho viudo do norte na run da alian- de 4. ps por 1 3 polcgadas urna hujarrona tsr Na radi cadei do Rclfe loja de
Je a velha 11. 3. de i4 ps por onze polegadas e diversas ca- calungas quina flo lleco largo, dis ricos
A. M. Ferreira chegado'proximamen-l vilhas de cobre, e de ferro, quinta feira 11 I presepios de nova invertclo palacios chine-
deixaodo a canoa na camboa do cajueiro que
vai para os atlogados ; quem o pegar lere a
ra da cadeia nova D. 4 > que sera recom-
pensado.
!Vodi6de Outubro des&pareceo do
iu I
te a esta P concerla toda-a qualidade de rea- do crreme as orne horas da manb ubtrapi- zes espadas tambores e campanhias, "ludo sitio galega junto a eugenho Tabatiiiga um
leijos caixas de msicas faz e concerla pen-
tes travessa de tartaruga faz boles da mes-
ma coiicerta leques e todcs os mais artigos
assimcomo'seotlerece a ir em qualquer cas;:
sobre qualquer destes artigos ; quemo preci-
sar diri a-se a ra da alfandega velba em cas.
doSr. Pina.
che do Vianna na alfandega velha.
c
o ni p ras
ponte
ssr Um casal decoelbos da india-', na ra
estrella do Rozario >. D no primiro andar
por tima la labrica de chapeos
E2f* Um folie lioin para folliar formigas ;
quem ti ver annuncie,
Vendas
tST Perdeo-se da rna Direita at
da Magdalena no dia 8 do corrate pelas 7 ho-
ras da'manh, urna caria feixada com sobscri
plo ; quem a achou querendo restituir pode
diri'ir-se a dita ra sobrado de um andar D
ai lado do poente quesera recompensado.
tST O Padre Jos Joaquim da Silva Guer-
reiroavisa ao respeitavel publico que elle se
prope a ensinar lgica metaphysica e mo-
ral ueste prximo fucturoanno e tambem
dar licoens de fiancez cujas aulas serao I para todo o ser vico : na ra de agoas verdes
berlas a A de Fevereiro, os Srs que se qui- casa terrea D. 3*
proprio para lempo de resta
S3T Urna escrava de naco de idadede i'\
-innos, cozinba bem diario de urna casa
lavadesabo, e ptima engommadira, se a
laen nao ler vicios ; oa ra Direita D. vo
lado do Livramento.
vy Azeie doce de muito boa qualidade ,
em caixas de 1 o garrafas; 'em casa de A. Hos-
ch ra da cadeia velha D. 17 primiro an-
dar.
ET Uni carro de da rod*noVo fi bullo
forle urna parelha de cavallos um dito de
4 rodas, urna capella para missa com todos os
tsr Urna molata de o annos de idade, com
bom leile para criar urna enanca cose en- I seus pertences bastantes ricos urna armaco
um candeiro de
gomma e faz lodo o mais servico do urna
casa duas pretcs mocas urna deltas en-
gomma cose e cozinba um preto ptimo
aerem utilisar de seu prestalo tenho abon-
dade de o procurar na casa de sua residencia .
na ra dos Quartcs n. 7 primiro andar.
cr O Sr. Francisco-Antonio Ramos quei-
Ya por favor ir 011 mandar a fora de portas n
*4 a negocio de seu interesse.
tsr Aluga-se urna boa casa para passar a
festa no lagar da casa forte junto da do fale-
cido Joaquim Bernardo de vendonca ; a tra-
tar na mesma
ST Perdeo-se no dia 6 do correrite urna
cambadinba de chaves desde o pateo de >. P.
at o Recil'e, roga-se a quem as achou de'eritre
ga-las no paleo de S. Pedro por cima da lo,a
de livros
tsr Rap de Lisboa em libras e as oitavas
a quarenta ris edito froo e cartas finas
franceza, na ruado Cabug loja do Sr. Ban-
deira.
tsr Urna molatinha de idade de 8a q an-
nos bastante clara com principio de coslura;
na ra da Florentina velba lado do muro de
S Francisco casa junto a fabrica de papelo
tsr Verdadeira fenebra da Hollanda em
frasqtieiras, agoa ardentede gulrai a ahrin-
tho ede guija ; na ra da ruz <>. 64.
tsr L ma porgan de sacos e barricas razias
repregadas.
toda envidrassada para loja
vidrocom ito lanternas para lzes um ap-
parelbode porcelana muito rico para cha, com
7 casaes de chicaras paos de carns'huba pa-
ra e fazer bicas para lelbadode al;',um litio .
ditos para tipoia urna rede nova para pescar
viveiro bastante grande dous rtioleques, e
duas negrinhas ; no pateo da ribeira sobrado
O, qnato
tsr Urna escrava de naco de idade de ao
a> urna casa lava roupa engotnma liso e
quitandeira ; na ruada Hortas D 17.
cy Chitas ecassas de tintas finas frmcezas
chapeos de palha de arroz e de utras qalida-
desda ultima moda para senhra e meninas,
llores de viludo de muito bom gosto pira cha-
peos e armaco decabeca chapeos de sol de
e promptas a receber assucar ,
e todos os uteocilios para um arma-em de as- sedn para homem e senhora franjas de al-
, ou annuncie, visto nSb semrem sucar quem comprar ludo junto se far abale; godo de todas as cores para toalhas e cortina-
se nao a seu dono de cujo favor se Ihe fica- quem qu.ser annuncie. 3M (|e ram;l ( |en os de se(IB e ,afeU
raobngado, na mesma casa se vende urna | tr Urna venda no bairro da Moa vista ; a e de sarja de cordao para grvalas, urna es-
cy Urna venda no bairro da Moa vista
* I ... ** ** w'!** *- '"'111,111 1.11 11 j 1 iiimu.i 9 'lu" \,J^
por.odebarandoens, evellas de libras por tratar na ra da senzala velba com Joaquim pin!Vda de dois case de espoleta mili boa,
prego commodo. de Soma Pinto. chapaos de castor brancos e pretos para bmem
Cf Arrenda-se o sitio denominado man-j CT Um cavallo alazao bom passeiro ; na c meninos, chapeos de burracha e de maSia
gabe.ra por festa ou por anuo em Olmda ra do Livramento D. .0. para homem e meninos Indo por preco com-
modo ; na ra nova loja de Fiederico Cha-
ves D 5.
tsr
ra do
confronte ao jardim botnico, edm urna gran- | z.-jr
de casa de sobrado de ',0 palmos de frente, figura
e com muito bons commodos ; a tratar na ra
bom passeiro
Livramento D. 10.
Urna preta ladina moca e de bonita
, sem vicios propria para o servico
escravo creoulo de nome Lou renco de idade
de *6 ahnos, alio grosso ps grandes t
com urrta coslura no rosto que parece de fogo ,
queiv fcomprido 'po'uca barba bem preto ,
levo etn sua r'ompaiihia seu pa e mi d
nomes Joaquim e ftozaria ja velhos ede1
cor Illl supe-se estarem cculiados nesl
Cidad por ja terem sido visto o abaixo as-^
signado protesta contra (oda e qualquer peS*
soa qu os lenhooccu liado e roga a toila
as aUlhoridades poluiaes a na tQntKon a
ou a qualquer pessoa que os descobrir e de-
nunciar ser generosamente paga p.irieci-
pand no mesmo sitio ou nesta praqa a Jo-
aquim 'ereira de Mendonca moiadoradi-
ar.te da ribeira do peixe sobrado novo de dois
andares do lado da mac.
Joaquim Pereira de Mendooca.
tST Roga-se a os Srs Sub-Prefeilos e mais
aulhoridades policiaes de>la e mais Comar-
cas epessoasparticulafes, quesuuherem ou
virem Urna negra da costa de nome Calha-
rina ( senao iiiud,iu a nome)ja idosa alta
alguma COIS* secca ,e fulla quando anda
deita os peitos para diante quebrada de am-
bas as venidas ; costuma intitular-so por
forra e pedir esmolas pelas portas stipc-se
andar pela Villa de Goianna, a mandem pren-
dere levar a ruado Arago D. J7 que ser
recompensado.
tST Roga-se a os Srs. encarregados da po-
lica e mais pessoas desta comarca e de outras
que encontrando um preto queiro recoliie-lo
a cadeia e partecipar a Simplicio Xavier da
Fonseca para sua intelligencia que prometa
gratificar o preto chama-se Ignacio h
creoulo bai.xo alguma coisa barbado os
ps apalhelados cor fulla levou com si'o
urna carta para entregar em apipucos ; quem
o pegar leve a ra da Aladre de Leos na pri-
meira loja a direita
*: Desapareci urna negra creoula de no-
me rsula de idade de .4
de casa, ou ra por ser boa quitandeira, eco- ty Um moleque de na o de idade de
larga do Rosario botica D .0. | sesolr.vel em fora de portas casa ,,. a. a annos pr 0 a a.)PPnder ofticio ou ou menos alta do corpo as juntas "dos'nl
tar Arrenda-se o pnme.ro andar da casa quasi confronte aoorcenal de mar.nha. troca.se por uma ne;ra seis Pa(Ieiras um nxados com um taliio na testa do lado L
da ra velba D.vb; a tratar no segundo an- 8> Urna escrava do gento dAngolla, jogo de bancas um sof tudo de Jacaranda quenlo : quem a pegar leve a trempe a
dar do mesmo. $ de bonita figura propria para lodo o servico. Um ^lobo e dous pares de mangas de vidro ; da em baixo do sobrado do Sur Gui
ta^ Aluga-se um primiro andar no balr- seni victos nem achaques ; na ra por iraz na ra do Fapundes' I) 8
ro do Recite, muito proprio para escriptorio dos Marlyrios I). tinte e nove. crOi onelor Oliveira est encarre-ido
CS- Lms.tio com urna grande casa de lijo- e lem poderes para contratar a venda do "ex- .
1 na capunga e do.s escravos j -a tratar na tPn 0 si,0 fe magnifica uu ....,,1 nn .1. m..;." .I.., amiro
annos pouco mais
ven-
maraes j
que ser bem recompensado
tS7' l'esapareceo da fabrica de ran dn ai-
ou pessoa de pOuca lamilla no enlr l|ltlO com urna grande casa de lijo- e lem poderes para contratar a venda do ex- trro (los allegados um preto de nome R
ten o siiio e magnifica casa situada no alto de naco angola, aincla muito bu
do ouleiro no Monleiro que ltimamente pouco ou nada se entende de estatura
possuio o Coronel Martins eque boje per-,'>'a rosto um tanto redondo olbos fu ma-
ldice ao Reverendo Sacerdote Inglez prximo ceios, denles a herios pouca barb*
1
ii
vessa que vai para o porto das canoas ; quem
o pretender dirija-seao segundo andar a en- ra nova D
tender -se com Antonio de Souia Reis das 7 tSf Hezerros e couros de cabra curtidos;
as 8 horas da manb edas 4 da tarde envan- amada senzala velba armazem do finado
te e no intermedio na mesa do Consulado Benlo Jos da Costa.
nosdias uteis. cr
ore-1-
Avisos Martimos.
) josp Q8 1 osla r* ** |- ** i.** \jic*
.' .. P a relirar-se desla praca o grande augmento Ibas pequeas peritas nrossas ns curtos
r l-ous pretos mocos de bonitas figuras, que se fez nesta casa os seus bons eommo- ; com as mos aleijadas % al^nfL" u '
PARA LISBOA o Patacho Pbrtuguez
qUete da Terceira annunciado para a liba
S. Miguel, transiere a sua viagem para Lis- ditos de marroquim para meninos ; no atter- Ia,l0 Lom fi0Sl0 .' quem prete j
boa com a Carga que ja tema bordo, e rece- roda Boa vista D. 9. e casa dirija-se ao mesmo Correlor.
be o restante caixas, e barricas a 95o rs. c?- Uma escrava de naco de idade de 10______
a sacos a aoo ris a arroba e sahe impreteri- annos de bonita figura ; na ra de Hortas
belmente no dia vo do corrente ; trata-se com l>. .- Escravos Fgido?
A. F. dos Sanios Braga, ra da moeda nu- vr Rap princeza muito bom a S/oo ris. ^r No dia 1 para do corrente as 7 horas
mero,*a- prximamente ebegado de Lisboa, e bichas da no le desaparecen um nrein fl^ ..-./s .
PARAOMARANHAO'?hira,odia,6 de lodos os tamanbos ; na ruado Vi,ario ven- PoU dJ^ST^IC pon di o""
do corrente o Bngae Escuna Carolina forrado da de I molbeo P.nlo Leal n tr.nta. do bigardo alle.ro dos alo-ados da casi de
e pregado de cobr; quem no mesmo qu.ser xsr Barricas com batatas chegadas ultima- Jos Morara da Silva com os ', J
carregar. ou ir de passagem parao quejlem mente mermelada muito superior vinho guinles ; estatua regular rosto .nprido"
, seiras beicos grossos levou vestido calsa de estopa i
1 e camisa da mesma com um panno da costa;
excelentes commodos dirija-seaF. M. Ro-
drigues & Irmos na ra dos tanoeiros nu-
mero 1 a.
PAI-AO CEARA' Bergantim Brasileiro
Boaveotura sabe al o dia ao do corrente
quem quiser carregar dirija-se a Manoel Jo-
aquim Pedrada Costa ruada cadera n. i
de fei loria
com ligados caixas com ameixas ditas
JLe| Ja o
tr Puzentas caftas de passas muscateis ,
chegadas agora ede nu i lo superior qualida-
de, as on caes d Alfandega.
tsr CJne tazem Me. Calmont & Compa-
nbia por inlervencp do Correlor Oliveira ,
de una completo sortiniento de Fazeodas io-
glez -s terca ferri o do Corrente, as dez ho-
ras da manb om ponto noseu armazem da na
da Cadeia.
tsr Que faz Me Calmont & Corapanhia ,
por intenemo do Correlor Oliveira em
preseuca do Agente dos seguradores Lloyds ,
eporconta de quem pertencer, os seguintes
objectos uzados da Barca Ingleza Lord Coehra-
ne, arribada a este porto s saber varios
quintaes de cobre velho de forro de navio .
e pregos do mesmo, mcame de oito polegadas.
um lae, um matero grande dar a* polegadas
wr*- TM. _l__......!._/-_ J_ i i .
O
unos, boui
(.'ll)lf(Jl(o t-.
CT Tres moleques de nacao, de idade de | tsr Fugionodial do corrente pelas ,
i a i a annos mu lindos duas molecis de i horas da noile uma prela de nome Florinda
natao de. .tannos de idade, com boas creoula fulla de idade de ao annos boni-
nabelidades 5 escravas mocas que fazem lo- la fi-pi-a fem "v. t \ do o servico de uma casa f e um lindo mole-
cao de idade de vo annos ptimo para palan-
quim : na ra de agoas verdes I) iH.
tST Sapatas desoa e vira ditos de uma
sola e botins tudo de sfiperioi bezerro e sa-
patos de couro de lustro ; na ra da Cruz ar-
mazem de trastes u 5 .
cr Sacas com farinba de superior quali-
dade ditas de medobim de angola ludo por
pre o com modo ; na ra da Cruz n 3i.
tsr Uma porco de pranchc.es de amare-
lo por pre. o com modo ; junto ao theatro
arma/em de assucar por baixo da cusa do Snr
Cimba Machado
tsr Na ra do Queimado loja D. 7 para
vender um cavallo russode bonita figura, lem
lodos os andares.
- Ellemeutus de arilhmelica thegno-
melria e algabra por acroix ; j. tomor
do reportorio da leis militares pelo generil
urna queda lem as costas toda alanbadas ,
qem a pegar leve a ra do Queimado l). .7
loja de i.uizJosdeSouza quesera recom-
pensado.
tsr No dia 97 do p p. fugio um scravo
de na o angola de nome Malinas d ida-
de de o annos vesgo dos olhos, ps grandes;
quem o pegar leve a ra de agoas verdes De-
tima <* no segundo andar que ser recom-
pensado.
tsr No dia ij do p. p fugio um negro de
nome Luiz de naco Meange de idade de
annos, estatura regular, as entradas da
testa (.randas pouca barba queixo pon tudo
cor meia fulla os p* pequeos os dois de-
dos immediatos ao mnimo mais pequeos, le-
ou ferro no pescoco cujo ferro he fino ca-
misa de baela encarnadaja uzada e mangas
curias seroula de algodo curia fugio em
uma canoa indo para o monleiro buscar agoa,
, -~ con-
tra quem o oceultar ; a-sim como rooa-se a
todas as aulhoridades policiaes tomem por favor
a seo cargo o descobrimento do mesmo
t ST-, 4S dop* P' f,,Sio da sa de
JoseAlexandreterreira um preto creoulo,
de nome Marlinho alto, reforcado do corno
bem preto, pouca I a iba. e quando anda tem
um geno em um p por causa de uma l.r-
fhaduia ; quem o pegar leve a ra do Fa-
gundes l). 7 que ser recompensada.
Woviiieuto do Porto
NAVIOS sAhdosko DIA 9.
MACEIO' Brigue Escuna de Guerra Nac.
*yclheroy Commandanle o Capilo T-
ente Antonio Conrado Sabino.
ETfiADOSNO LIA 9
LIVRRPOOL; 38dias. Barca Ingleza Nf-
gbtengalede atj tonel, M Tbomaz H.,
equip 1/, carga fa/endas e outros mo-
ros 1 a Crabtree Hej worlh passageiro
umtnglez. r
OBSERVA^OENS
ro fundiar no lameiro para acabar de carre-
gar o lirigue Hamburgue/ Polidoro
^odia oilonoentronem sahiro embarca-
coens.
nECiFENATYPrDE M. F. DE F. t8.>

1 1
l


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL1WC3OVZ_P7S6PJ INGEST_TIME 2013-03-29T18:07:44Z PACKAGE AA00011611_03968
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES