Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:03934


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno pe 1839. QARTA Fetra
'-.--------i V ^3
Tudo sgora depende de nos mesmos; da nossa prudencia, modera-
cao, e energa : continuemos como principiamos e seremos apontados
com admiraco entre as Maces mas cultas.
Pioclamacao da Assemblea Geral do Braiil.
---------------- n a e -------------'-----
Ri.hscrevc-se para esta folhs a 3!ooo por quartel papos adiantados
nesta 'J'ypograha, ra das Cruzes D, 5, ena Praca da independencia
D. 3? e 38, onde se recebem correspondencias legalisadas, eannuucios;
insirindo-se estes patis, sendo desproprios assignanles, e vindosassig-
Hados.
Partidas dos Correios Terrestres.
Cidade da Parahiha e Villas de sua pretencio...................\
Dita do Rio Grande do Norte, e Villas dem...................fc __ e. ._
Di.a da Fortaleza e Villas Idm..........................Segundas e Sextas Fe.r.s.
Villa r.e Goianna................................../
Cidade d^-.Olinda........,.........................Todos os das.
Villa deS. Anto...................................Quintas feras.
Dita de (iaranhiins e Povoaco do Bonito.....................fjias lo, e -ix de cada mez.
Ditasdo Caito, Serinliaem, llio Formozo, e Porto Calvo............dem 1 11, 91 dito dito.
Cidade das Magnas, e Villa de Macei.........................dem dem
VdU de Paja de Flores.................................dem 1"', dito dito.
Todo os Correios partem ao meio da.
38 Segunda -
29 Terca-------
."10 (;)urta -
31 Quinta -
1. Sexta------
2 S;ilil>ailn -
3 Domingo -
30 de OtjTUmo.1 Kumtro 23
I -- CAMBIOS,
OTrjBBO. 9Q.
, Londres......33 por Ifooo ced.
Lisboa....... So por o;o premio, por metal OTerecido.
Franca.....,. ag!> reis por franco.
hio de Janeiro ao par.
OUR'J Moedas de 64oo rs., Velhas i Ditas ,, ,, Novas 14700 a i4#q.<0
Ditas de l?ooo rs., K|,>oo a H> >o
PliATA Pataces Brazileiros r ifioo a 1 ?/>>>
,, Petos Columnarios -------- i|5no a i#5o
Ailos .Mexicanos--------------------ijjoo 1 ifjii>
Premios das Letras, por mez I 1/8 a 1 i|l por loo
Bloeda de cobre 3 a 4 por 100.de disc.
Dias da Semana.
- iff S. Simo e Judas Tbadeo. -
- S. Feliciano M.------------------Relaco, e Aud. do J. de D. da 1. vara de manln'
-" S. Serapio B. C.-----------------t'esso da Thez. Audiencia do J. de D. da a. v. d
- S. Quintino M.--------------------Re., eaud.doJ. de D. da a. v.
- >ff Fesla de todas os Santos- -
- Com - S. Malaquias t.- -----
I .
d.4
Alare cheia para o da 30 de Outubr.
As t horas e 42 minutos da tarde As II horas e c iinuloi da roanliT.
PERNAMBUCO.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA l!\.
Officio Ao Inspector da Thezouraria ta
Fazenda, para mandar papar a Manoel Fran-
cisco Soldado invalido adddido ao 3 Balalho
de Artilhera os vencimentos que lite compe-
tirem, e que deixou de perceber.
Dito Ao Prefeito da Comarca, para re-
opmmendar ao Sub-Prefeito tle Olinda que
d as necesarias providencias para que nao se-
ia deteriorada a obra que se fez ltimamente-
no arrombo do Atierro dos Arrumbados, para
o que de vera' conservar urna Guarda no dito
lugar.
Dito AoTenente Coronel Commandante
da liba de Fernando para fa?er regressar o
deportado da Provincia da Balda Victoriano
Rodrigues de Souza conforme requesita o
Exm. Presidente daquella Provincia, em con -
sequencia de ter o Regente em Nome do Im-
perador mandado pol-o em liberdade
Dito ~ Ao Inspector Geral da obras
publicas para mandar conslruir de novo aponte
que d entrada para a Fortaleza do Bruta,
visto eslar em completo estado de ruina.
DitoAo Administrador Fiscal das obras
publicas, enviando-lbe dons documentos da
despeza feila com as gralificaces dos Tra-
balbadores engajados em diderentes officios ,
afn de que mande sapllsfascr a}imj ortancia
da mesma despeza
Dito A Cmara Municipal de Santo
Anto approvando a arrematacodos contra-
ctos da alericao dos pesos e medidas por
15 Uooo reis; da batanea do Assucar por
55L'5oo das medidas da (oir porn^L'Soo,
c do Imposto sobre os mascaslcs e boecleiras
por ^qUooo reis
Ditd Ao Presidente da Cmara Munici-
pal do Bonito approvando a nomeacoque
ezdoCidado Candido Jos da Silveira pitra
reger a ladcira de primeiras Letlras daquel-
la Villa em quanto nao. lor lcgalmente pr-
vida.
Dito Ao Inspector da Thezouraria das
4Elidas Provinciaes communicando-llie o co-
udo no officio supra.
Igual communicaco foi feita ao Director do
Liceo
Portara Ao Director interino do Arsenal
de Guerra para fornecer ao Commandante da
Companbia de Operarios engajados, quatro es-
padas e igual numero de cinlurcs ou tala-
bartes.
Officio Ao Commandante da Companbia
de Operarios engajados, communicando-lbe a
expedico da ordem supra.
Portara Nomeando ao Cidadao lose Fei-
j de Mello para o Cargo de Sub refeilo da
Freguezia da Escada termo da Comarca de
Santo Anto.
Officio Ao Prefeito da Comarca de San-
to Anto, communicando-lbe a nomea<;o
supra e enviando-lbe, o Titulo do JNomeado,
afim de fazer entrar logo em exercicio.
Dia a5.
- Officio Ao Inspector da Thezouraria das
Rendas l'rovinciaes ordenando-lbe que man-
de entregar ao Commandante Geral do t orpo
de olicia, o producto dos a5 Ca valle* que
foro arrematados peranle a mesma Thezou-
raria, e pertencentes ao dito Corpo afim de
ser applicado a compra de outros
Dito Ao Commandante Geral do Cor-
po de Polica, communicando-lboa expedieco
da ordem supra.
Dito Ao Coronel Chefe da Legio da
Guarda Nacional de Garanhuns, responden-
do-lbe que brevemente sero nomeados os
Instructores para os Corpos da mesma Legi-
o conforme requesila em seuoffiio de 3 de
Sctembro p.p.
THliZOURARlA PROVINCIAL.
EXPEDF.HTF. DO DIA 10.
Officio-A Samuel & Pliillips de Londres,
enviando-Ibes huma Letra de Ls. 1:000, o, o,
a <(0 d/v para pagamento nao s do saldo da
C|C exlratiida t o fim de Julho como dos
juros accrescidos, exigindo aconta do que se
restar para final liquidaco e agradecendo-
Ihes a promplido com que se houvero na
prestaco das quantias pedidas esperando que
se nao escuzaro de outras incumbencias que
forem de misler.
Officio-Ao Escrivo e Administrador da o 1. por ter ido depois de hieia noile ; pedre-*
Meza de Kcndas Internas Provinciaes trans-
mittindo-lhe por copia para sua intelligencia ,
o officio do Exm. Presidente de 11 do corrente.
em oqu'al partecipa que expedir a convenien-
te ordem para que a Meza do Consulado en-
tregue por intero a importancia das Taxas da
inspec o do assucar c algodo ao Thezoti-
reirode sua Reparlco no fim do mez a
esta Thezouraria a conta das despezas.
Diversas Reparf.icoens.
TRIBUNAL DA RFXLACa.
SESSA DO DIA* 99 DE OirTUBRO.
O Embargos oppostos por a Cmara Muni-
cipal desta t-idade ao Accordo contra ella
' Porlaria-(J Inspector da Thezouraria das profe ida na Cauza de Appellaco Crime em
Rendas Provinciaes respondejio officio do Sur. qe ll,c b parte Antonio Pedro Rodrigues
Colleclor do Municipio de Nazaretb de 4 do (;umaraens ; se nao tomou del les conheci-
correrrte c m o voto Fiscal que por"copTa."inento na forma do nrt 81 do Regulamento
transmute ao mesmo Sur. Col lector para sua das tiellaces ; Escrivo Chaves,
iutelligencia e execuco determinando-ll>e
outro sim que no tempo legal proceda ao lan-
camento da Dcima sob sua stricta responsa-
belidade sem que o escuze qalquer pretex-
to de ignorancia por quauto sobre ser inad-
messivel c illicito semelliante pretexto be de-
sairoso aoEmpregado I ublico allegar a igno-
rancia das funces do seo cargo huma vez
que se encarregue delle e o esta servindo.
da m.
OITicio-Ao I llrc. Inspector da Thezouraria
da Provincia ,*iemettcndo-lhe a oonta dos
vencimentos que competem ao ( idado Jo/e
ALFANDEGA DAS FAZENDAS.
A Pauta be a mesma do n. a3i.
MEZA DO CONSULADO.
A Pauta he a mesma do n. a3a.
PREFEITURA.
parte no da 27.
Illm. e Exm. Sur,Partecpo a V. Exc.
Pedro. Vellozo da .Silveira pelo tempo que qripdas partes boje recebidas nesta Secretaria
servia como Deputado Provincial durante as ^nsta nicamente que fora prezo onlem a mi-
duas ultimas Sess s e commnicando-lhe nha ordem pelo Sub-Prefeito de Santo Anto-
que eslo expedidas as convenientes ordens -fio o pardo, Kpifanio Ferreirada Ressurrei-
paraque ao fbezoureiro da sua Repartico se i;-l0 por se adiar pronunciado pela a. Vara
entregue a importancia dos mesmos vencimeq- \0 Juizo Criminal (Testa ( idade o qual leve
tos em satislacao ao seo officio de a do correnle competente destino; e que no dia 17 do
Porlaria.-ApTbezoureirodas riendas Pro- rr^nle mez no Engenho do Amparo Fre-
vinciaes ordenando que entregue ao Thezou- /ue/ia de Itamarac hrigaro os iiretos Joze
reiro da The/ouraria da Provincia a qui^tia "Cobre esciavo do Dezembargador Macicl
de S.^9|voo rs que como Deputado ProvnV- jlonleiro eCaetano. escravo de Francisco
al venceo o (idado loze Pedro Velloso da iavier Cabral, e feriro-se mutuamente ,
Silveira durante as duas ultimas Sesses, e que, indo este gravemente oflendido de que a-
olfereceo ao lixm Presidente para a amortiza--^rf se nao acha restabelecido ; e que a tudo
cao da divida externa do Imperio tso se proceder nos termos da Lei.
Officio-Ao Commandante Geral do Corpoj da ai.
de Policia exigindo com urgencia a relaco dos]4: lm. e Exm. Snr Foro presos bontem :
2^ Cavallos da Companbia de Cavallaria do ninba ordem etivero boje destino: Ber-
mesmo Corpo que tem de ser arrematados rord0 Braz dos Santos e Braz d Abreo, par-
em basta publica perante a Tbezourarip con- s pelo Commissariode Policia do districto
forme as ordens do Exm Presidente, e com- H Foi'a de l orlas este por ser encon-
municando-lheter fixado o da i'i do corrente tado depois de n.eia noite em um quintal,
pelas horas da tarde para a sua arremata o, enao ser de boa vida, e aquel le por estar
ar a um soldado da Companbia d'Artfices ,
e o a. requerimentodosugeito que o en-
gajara seo serv o : Francisco de Freltas
Gamboa. Kmprezariodo Theatro pelo mes-
mo Sub-Prefeito. d ordem mi-iha, por nao ter
cumplido na representaco de bontem o que
promettera em sen annuncio coniravindo as-
sim oArt 1. do Regulamento que ltima-
mente lbe foi dado por esta Prefeitura ; Ma-
ra prula escrava d'outra Roza da Costa ,
pela 1. patrulha do Carmo por suspeita de
estar fgida e Lourenco pardo, escravo .
de Joo Kaptista pelb Sub-Prefeito da Boa-
vista por lbe ser apprchendido um caivete ,
indo elle pela estrada do Manguind tarde da
noite.
E' o que consta dss partes boje recebida
nesta Secretaria.
Nao tendo comparecido s revistas {eraes
que se fizero dos expostos nos dias 1. de Se-
lembro e Untubro corrente os expostos abaixo
declarados que seacbo entregues a di ver -

a fim de os mandar apresentar 110 nredito dia
e hora defronle da caza de sua residencia, ra
d'Aurora.
DA '.{
Officio-Ao Exm. Presidente da Provincia ,
informando sobre o requerimenlo que devol-
veo do Barbare! Henriquc H elix de Dacin ,
Juiz de Direilo do Civel da Comarca de Gara-
nhuns
Portaria-Ao Collectpr do Municipio de O-
linda remettendo-Ihe por copia o officio dp
F,xm. Presidente de 12 do corrente respei
to da nova dezignacoe demarcaco dos luga-
res do sobredito Municipio em que se deve
Lunar e cobrar a Decima dos predios urbanos
no corrente anno financeiro e ordenando-lbe
que d a devida execuco a predita ordem.
tade da notea dormir na ra ; Marcanno do
hpirito -auto Jnior tambem psrdo pelo
neoOrdenanca por nao querer entregar hum
po com o qual eslava armado ; ^anoe! I e-
do do lNascimeulo, braneo por outro soldado
pp- lbe ser apprebendido um canivele, estando
en desordem com otro ; e Torcato prelo ,
esravode E^tevo Cavalcante pelo Sub-P.
daBoa-vista por desordem.
fe' o que consta das parles boje recebidas
nela Secretaria.
da aq.
Um. e Exm. Snr.Partee po ; V. Exc ,
l i rao hoje destino : Joaquim Manuel do Na-
cinento preto e Cari Christin Isqndui,
Alnio pelo Sub-Prefeito de S. Antonio,
sas |>essoas manda a Admnstraco dos P'sta
belecinieiitos de Caridade pelo presente fazer
a chamada nominal nao s dos mesmos expos-
tos como das pessoas a qnem elles csto en-
tregues afim de comparecerem na respectiva
casa no 1. do futuro mez de Novembro as 9
horas da manba sob pena de uzar dos me-
ios que faculta a Lei.
Antonio entregue a Filcianna Mara do
Carmo.
Alexandrno dito a Delfina Boza do Amor
Divino.
benedicto dito a Joanna Virissima.
Jacob dilo a Leonarda Hoza.
Jorge de Jezus dilo a Anna Francisca de
Araujo Gondm.
Leandro dito a Antonio BodriguesSamico.
Sancho dito a Theresa Perpetua de Jezus.
Joo dito a Manoel do Nascimentoda Cos -
la Monteiro.
Antonio, dito a Antonia Joaquina do Sa-
cramento. *
Gonzaga dilo a Vicente Ferreira de Ara-
ujo.
I'onifucio dito a Joaquim Rodrigues Pi-
nheiro.
Speridio dito a Francisca Joaquina.
Ivo dito a Ignncia Mara do Nascimento
Jovino dito a Joaquina arboza*
Benedicto dito a Alara doO\
Clmjdin dito a Anglica Filea.
Joanna, dito a Candida Roza.
Carlota dito a Manoel Joze da Paz.
Mara dito a Joze Tavares de Souza
Alixandrina dito a Joze Antonio do Repo.
Roza dito a Antonio Fernandez Vellozo.
Senborinba dito a Antonio Jos Ccelho de
Lima.
Joanna dilo a Mara Francisca Ta vares.
Delnquela dito a Francisco Martins de
Lemos
Martha dito a dito.
Romana, dito a Maria Laura d'Araujo
Gondm.
Joaquina, dito a Manoel Francisco Dtiarte.
Joanna dito ao Reverendo Joo Rodrigue
de Araujo.
Mara do Espirito Santo dito aGaspar de
Menezes de Vasconcellos Drumond.
Salla das Sessoesda Adminitrac.io dos Fs-
tabelecmentosde Caridade ai deOutnbrode
18J9.
J. VI. da Cruz.
F.Mipturario.
1
1
s
!"'


**"
2
DIARl
O DE
K
5H
ERNA
5
M B
l)CO
Perantea Administradlo dos Estabelecimon-
tos de Giridade se haJe arrematar a' qiiem
nais der as rendas do sobrado e 8 lojas da
taza que outr'ora Ibi oceupada 'pelos ex pos tos ,
e bem assim as da casa S na ra de S. Jo/.e
< 11 i na do Amorim : as pessoas que as qui-
zcrein arrematar poder comparecer no (ran-
da Hospital desla ( idade no da 3i do crran-
te nuv as .) lioras da larde com seos fiadores.
Saln das Sesscs d'AdministracaS dos Esta-
lle lecimcnlos' de Caridadc 09 de Oulubro de
18^9, J. M. da Cruz.
Escripturario.
ANNNCIO.
O Cotnmandante da Companbia de Opera-
rios ,-deOrdem de S. Ex o Snr. Presidente
da Provincia ; convida aos Srs. Boticarios que
queiro ferneccr de remedios os doenteda
dita Companbia a comparecerem no Arsenal
de Vlarinlia no dia jo docorrente pelas 10
horas da manha prevenindo-se porem, que
ser idmittido aquclle que por menos fi,:er o
dito forneciincnlo.
e atraicoado ; e tal tralamen,lo merece a Cama- contestadlo theolegica sobre os Dogmas, e
ra dos Depulados que to forte apoio tem Mysterios da Religio revelada; que em gaze-
prestado ao Governo inda mesmo qued'eile tas se questione a respeito da Trindade da
faca parte'o Sr. Mu noel Alves Branco f !. .. 'Incarnaco, da Transubslanciaco da Gra-
Corre nos circuios melhor informados,
(Pesia Capital que o Ministerio actual pre-
tende obter maiona por forga por ameacas ,
NOTICIAS PROVINCIAE5.
O palacbo Alonso I, entrado honlem do
Rio Grande donde sahio no dia Jo do passado,
nao lia/, noticia alguma de interesse.
A leilura das noticias que abaixo transere-
vemos de um encontr das forras legan com as
dos rebeldes na provincia de Sania Calhari-
na o bom xito (pie coroou os es forros dos
s.ildados do imperio, confirmio as esperaneas
que temos (le ver denlro de pouco lempo res-
taurada a aiiloridade da lei en) toda aquella
Provincia, c nos asseguro que no dia em que
a< armas do imperio oliliverem melos de at-
ter a Laguna sero repellidos esses que a
ociijiao, -
neiro de Campos sobre o Crdito, e, lndo
sido j disi ulid esta materia 5 ouri das ,
pareca enejada a oeeasiodcscr votada. Noccto
ollcreccr o Presidente xolaco a Proposla do
Governo, levanta-seo Sr. Ministro da Fa-
/ciida e raivuso invente Cmara argiiindo-
a de fa/.er una guerra de eruloscado para
amagar o Ministerio interprelanda asSMfto
silencia de alguna Depilados! '. i. .. At que
ponto tem chegado a ousadia lo Sr. Manoel
Alves que se arroja a insultar to lesco-
n.cdidameule a Camal a dos Depiiados!!
Guerra de
impretervelmente excluidos as
E' com taes amea-
e nao por conviepo de sua acertada poltica-,
e esta a razo a que altrihuem o nao se haver
elle ainda explicado sobre a marcha que pre-
tende segqir E' risivel ouvir-se aos agen-
tes de alguns dos Ministros que os De puta-
dos nao padem negar o seu voto s Propostas
.1*. A dlP,St'\1"(* QOe OS lC u t0,>!' -C ubu.
lancarem ficarao perdidos na opinio do Paiz ,
que sero
Eleices ; que cegueira
cas que se liam-de convencer os actuaes Re-
presentantes da Na o de que devem dar
g 000 cotilos"ao -Governo ? !
Srs. Ministros de Estado o'Instincto'nao
hostilisaa VV. EExcs. em uma'ououlra censu-
ra ; o seu intuito esclarecel-os chamal-os
a senda da razo'e da verdade
de que estam em erro e
porta arripiar carreira. E mui diHicil desa-
creditar um Corpo Legislativo em lula que
o (overno provoca quando reea que nao
obler os 9:000 contos de reis !!! empregando ,
como argumento muis valioso o de que a
Cmara faz guerra de emboscada.' Saibam
VV. EExcs que a concedi de Crditos sup-
plcmentaies na maior parle fundada na
confianca que merecem os Ministros ; mos-
trem-se dignos d'ella e nao menosprezem
um ramo do Poder Legislativo 5 o tempo dos
valenles passado...,
( o Instincto )
, convencel-os
de que muilo im-
Ca rapuce i ro
Sania Catharina, 3o de setembro.
Ao amanhecer do dia as< passou lumia lor-
ia nossa ao mando do lenenlc coronel Fcr-
nandes, para o suido rio Mactamb : 1 llo-
ra Mariatb entrou no rio com os laches pa-
ra proteger a passagem da tropa. Es -, lia-
vendo passado seguio ao centro do campo a
hura lu;;ar denominado Cliapeo de Sol on-
de liuho. os rebeldes o seu acampamento e
dando-lhes desubilo, fugiro lodos dcixando
armamentos munkocs familia, (cijo, a-
guardente, roupa ele Dcpois de haver con-
sentido que os soldados carregassem ludo o (|ue
quisessem inandou o lenle coronel laucar
logo ao reslo. Mariatb lomou no rio vinlo e
tantas lanchas e canoas com alguma porco
de laboado, e ez logo a huma partida que vi-
nha da Vinhelra pela praia.
Hontem auestavo lodos de volta no Morro
dos Cava los.
(.Extracto de carias pai licores).
(To Jornal do Com de l do crrante.)
Criibanlismoou destampalorio do Sr. Minis-
tro da Fazcndw,
Temos assignado como defeilos caraleris-
ticos do actual Ministerio ; prime iro paxo
extremosa pelo Papel Moeda ; se undo ser
muilo caro a ponto de o nao saciar i\ quan-
111 de 9 000 ionios de reis forra arres-
centar inda na is um deleito. Eulendem nos-
sos Ministros ipie devem mandar c a Cma-
ra dos IVputuiIns obedecer ; e ao niais leve
aspecto de exbilacao da parte d'esla ou de
silencio lilho de magodas rellexes sobre
nossas desventuradas cousas um allenlado
que exprobra logo aos Reprsenlantes da Na-
ciy, A (-.amara dos l)cputa'>los est inda es-
tupefacta pela maneira desabrida com que foi
tratada na sesso de Sahhado 28 do me/; p. p
pelo Sr. s inislro actual da Fazenda por
anlenomasia o Law lirasileiro.
Fallara largainenle o Sr. Denutado Car-
Resposta de Sempronio a seu Amigo Papirio
do Diario de Pernambuco N. 129.
Sempre que as nimbas humildes opinies
forem combatidas com a decencia delicadeza,
e urhanidade com que te has portado meu
Papirio, para comigo, nao desamparare! o
campo da polmica em quanto me nao con-
vencerem do erro, falsidade ou absurdo das
minhas ideias. Dest arte he, que devem
questionar os bomens bem educados e nao
por de parte o assumpto, e passar a personali-
dades a doestos &c. com grave ollensa nao
menos das regras da Dialctica que da moral
publica. Nesla nossa disputa so tenho em
vista o amor da verdade: do mesmo senliriien-
lo te concidero jiossuido ; e assim ao menos
por esla vez e da minba parle nao abracare! o
alias mui acertado concelho de J. J. Rousseau
Ne dispute/, jamis car on cclaire parla
disnute ni soi, ni les autres. *
Basta de proemio : passemos materia A
trez pontos cardeaes reduzirei os teus ultimo^
argumenlos, e vem a ser ; i" quo
as gazeral
religiosas 1 ouco ou nada de proveilo podeni
causar a Religio e Moral: > Que a cor-l
no 3 que a Igreja para corrigir c curar 1
corrupeo, e immoralidade do seu Clero sem-
pre cncontrou remedio nos seus Concilios sen
carecer de recorrer aos Poderes polticos.
Creio qilc combalendo meu Papirio, com
o devido respeito eslas las propozii fies leiji
ca, daPredistinaro, &c. &c. ; pois que taes
materias nao lem por jui/. o juizo piivado se
nao a auclordade da Lgreja nossa mi,' e
meslra : mas sao mui proprios os eriodicos ,
e grandemente proveilosos para derramar os
bous principios da Moral Evanglica para
communicar ao povo os gloriosos feitos da Re-
ligio seus immensos beneficios liberalis idos
por todo o genero humano &c. : tal be a ta-
Frsncczcs o
;!a dos bellos Jornaes
::
Relijeux o Cliatholico > &c. & To
convencidos cstava desta verdade os Philoso-
phantcs doseculo passado. que a sui maior
guerra contra a Religio de J. C. foi execulada
por meio de folbetinhos de pequeos conlos ,
de novellas de anecdolas e de jornaes. Tan-
to conhecia esses grandes compeoes da incre-
dulidadc o mal immenso, que podia causar ,
e eHectivamenle causra com essa taclica a
snela Religio de nossos pas E nao ser mui
que sena islo alribubir somente a elle vi-
cios queerao proprios do seu lempo, e que
cabia a todas as classes e profisses. So
por hum prodigio seriad os Padres preser-
vados do contagio universal ; porque se J. C.
prometteo, que as portas do inferno nao pre-
valeceras contra a sua Igreja nao prometteo
igualmente dar-lhe sempre para a dirigir Mi-
nistros Ilustrados e virtuosos Nao he tal',
cqual a minba humilde opinio ?
O sabio e piedoso Fleury na sua Historia
l-'.celesiastica Tom. 12 cap. 8 diz ao mesmo
proppzito Como os'Padres scrio instruidos,
e ejemplares se el les nrtennaS aseculosde
tanta ignorancia e depiavagb ? -- O res-
peilabilissimo liossuet na sua Historia das Va-
riaces Tomo Io Cap. 4 responde d($la sorle
s ncrepagoes de Jurieu Que culpa tem a
IJeligio nuca do Cordeiro immaculado da cor-
rupeo do Clero em os seclos 9', 10, en,
etc tanto mais, quanto tal corrupeo pro-
vinba dos lempos r1 Os Padres sao bomens e
se nascciii no meio da depravaco como pre-
servarem-se do contagio ? rarece-me meu
proveitoso applicar o contra-veneno pelo mes- Papirio que a aiicloridade de Gondillac,
mo tbeor e caminho por onde aqiu-lles pro- 11 kury e Bossuet pode tonlrapr-se 6em es-
pinrao a peconha ? Accaso ignoras, meu Pa- 1 crupulo do Carbal de \ilry ; ftlem de que o
pirio o grande bem ou grande mal, que texto que deste aponas nao dest roe a verda-
podeni produ/.ir e lesa produzidu os Peno- |deda minha proposicao ; porque o Cbsio des-
Scos ? Quem se nao estes abri os olhos ao ses seculos de barbaridade como j era ror-
incaulo Povo a respeito dos especuladores de rompidos dos maos hbitos do seu tempo ser-
palriolismo que-aqu era orculos, e poz viao com os seus maos exemplos para augmen-
eni completo discredilo os to aprogoados pais lar a lelaxacodos leigos. Islo lie huma ver-
da Patria ? O nosso Pernambuco de boje faz dade ; de maneira que a propozico do men-
j alguma diHeren a do Pernambuco de cionado Vitry em nada infirma a verdade da
t%% si &c. : j b. mais amor ordem j minha, tanto que comparei essa reciprocida-
no b lano lianeliinole e badamoco que de, e traiismlsso de corrupao ahuma rodfe
declame e voze'conlra a Religio e seu d'alcatruzes
culto respeitavel ; eludo islo he devido sem Continuo pois a sustentar que a relaxaco
duvida a mais alguma illuslraco do povo e, do nosso lero proom da influencia do seculo,
esla vai-se effeituando milito principalmente edo menos preco a que o tem reduzido a er-
pcla l.ico (|uasi.quolidiana dos bous eriodi- rada poltica dos Goyernos. J de milito,
eos. I ogo a propagaco destes he mui aceita- que estes entre nos dominados das doutrinas
da, e proveitosa. uos Encycloped islas, trabalba por secularizar
Passemos ao a Ponto, que be o principal a Religio oque he fazer-lhe o maior dos
de toda a nossa conleslaco Se teii lido a males Quem ignora as dispensas fcilas pelo
Historia, meu I apirio como creio impos- Poder temporal em mui tos pontos da : iscipli-
sivel he que tua penelra^o baja escapado na Ecclesiaslica ? Ajunla a istb a abo I i cao ro
esla verdade reconhecida por todos os sanos, ajiliquissimo privilegio do Foro e islo quan-
e vem a ser; -Que cada seculo lem b urna do- Quando a-ConstifuicJb acabava (fe dar
doutrina predominante, quo d huma cor este previlegio aos Senadores Dcpulados e
particular a seus u/.os e costumes ; e(|ue do Magullados, a fin de os accumular de con-
espirito ou influencia de seu seculo poucos ciderac.es e respeilos Por via de regra eu
e mui raros bomens conscgueni Iriunlar. A detesto as leis ex- cucionaes ; pinin se m cre-
cuilidade de hum Peridica uo me d ensan- ou huma ein lavor destes ; porque motivo se
cbas para discorrendo (lelas idades nioslrar- revogou a queja exislia em beneficio dj Clera
le em cada seculo csse poderoso prinei lio ijue des de temjio immemorial? E onde me"u
decidi da sua sorle : mas sempre te direi .de 'apio, se tomn tal medida? No Ura/il ,
passagem com o grande tionald com Vi rey onde mui fcil ser ver hum Sarerdole ajou-
Jcffroy La Menais, e outros profundos pen- jado em huma crtenle e trabalbando as o-
sadores que o mundo tem sido feliz ou des- liras publicas de pareeria com aquello mesmo
gracaibi proporco que no animo dos povos que j foi seu escravo *r -lihi frigids
lem calado e predominado as doutrinas d'E- horror membravqualit. > Ora dize-me caro
picuro, ou de Plalo que prevalece osen- Papirio, ser possivcl, que tal disposico nao
sualismo, ou o esplritualismo. faca '. que os Padres entre nos perca O muito ,
E quein duvida que aquello que foi a e muilo da for a moral ?
doutrina mimosa do seculo passado-, infeliz- Os Pa rochas erao da nomeaco dos Bispos ;
menle ainda lio,e he o predominante em o nos- eesla medida fundava-sc em rasao e muilo
rupeo do Clero Brazileiro provem do mes'm ^so Brazil? Ao passo que a liuropa tulla com o convinba a o Governo da Igreja ; porque ri-
Clero e nao da corrupeo do seculo e d 1 seu prudente I-i lelismo tem pGMo em absoluto golosamente o Bispo be o V gario geral da sua
pouco aprego, a que o tem reduzido o Gover desprezo essa Philosophia empyrica e emmi- Diocese nao sendo os Parbchos se nao seus
neiilemenle corruptora; em as nossas escollas Coadjutores, lloje porem por csse pestfero
(proh dolor 1) ainda se doutrina V-ocidadc espirito de secularisar a Religio o Bispo ape-
porLocke, Gondillac, Tracy &c. ainda nas lem a apprcsentaco dos coticutrentes :
se proclama quer cm Moral ipicr cni Politi- qnem taz a escolha do* mais digno Sacerdote
ca o celebre principio de ulilidade, que de E- dos proposlos, nao lie o Cbefe dos Sacerdotes ,
pycuro passou. a Huhbes desle a Helvecio e nao be o Ungido do Snr. nao he o I rincipe
respondido cabalmente a lodo o leu Communi ''Helvecio a o Sr. Jeremas Bcnlham inciil- .ila Igreja be huma auclordade inleiramente
cado. I eco-te alleiiciTo, contando igualmeii- cado como nico e exclusivo niovel das ac- lega ; he o I residenc da Provincia !! Nao
cues humanas sei como se nao ordenou que em paga desla
Se tal be o principio dominante em o nosso anomala coubesse ao Bispo a nomeaco v. ft.
Bra/.il des d'o sculo paseado porque prodigio dos Commandanles das G. N.
Em neiibum paiz j nao digo Catholico
Romano sean meramente Chnst.io os Pa-
seos funestos elleilos si) nao loeariao no Ce-1
Serao os Padres outros tairmn de Rkhi-
te com a sinceridade de las intcnees
Coufesso juca primeira e mais podefofi
das nslruccocs moracs' consiste no bom exerr-
plo Si vis me flere (diz o \1estre HoraH)
dolendum est.primum ipsitbi: tune me tu
infortunia dolent : pelo que a medhor le-lonia que mellidos na fornalha arcesa sahi- diesforn, e sao conciderados .lui/cs (limi-
mais proveitosa licao. que aos fiis pode dar rao Ilesos do meio das chamas i I ora msler naes ; porque taes fnnCCei Ibes sao vedadas
Padre he a regularida le de seus costume: joulro milagre ; e J. C. cerlamcnte os nao pro- pelos Caones da Igreja nem secompadecem
mas este principio nao tira o valer aos be s mcltco desla ordem sua Igreja. Quando a rom o espirito de docura e mansidSo qne
escriplos no sentido Religioso. Assim o pe eorrup o he ;cral como se pode hincara Ibes oidcnou o Divino Mcstre Discile ame
srao esses mesmos Apostlos, de qnem di a culpa smentea os Padres filbs do seculo ,' quia niillis sum el bumilis corde. Ms no-
como Abbade Gondillac que nao era rlieii- nelleeducados e saturados de suas mximas ,! Rrazil lia huma lei que manda ao Padre sol
ricos, nein pbilosoplios. Sm quem nuifca &c. &c. ? Confessa meu Papirio ,' que nesla taes e taes penas senlencear a nrizo a de-
dos U
deo nem dar aos fiis iguaes exemr
virlude como hum S. Pedro hum S
eob hum S. aulo? Mas nao contentes
viveicm 1 icprebensivel c sanctainenle
meio dos seus discpulos e das I;.ica>, rti
lie. parte he insuslentavel a la opinio. E seem
h- materia de lacios lem toda a valia as auclori-
le dades cilar-te-liei algumas das mais respe-r
10 l.neis. O niesiiio Gondillac, que citaste, na
sua Historia moderna Liv. ..* Cap. i# pa;;.
7 tiaelaiido da relaxaco e immoralidade
fundava nao se descuidava de Ihes escrejer
huma c mnitas vezes lonfirmando-os na.dos seculos barbaros Bftsia M exprime Todos
f neotiselbando-os, re)rehendcndo-os c..os povos loiibccidos eslava em huma desol-
l emboscada !!!..% Esta expresso &c. Aqu temos pois, qucheultl, e uli s- dem qU4 ais pesada injuria (.amara Tem- '> simo espalbar escriplos em favor da Reli o j taya a poder ah.iiin cra di-iie/adas as leis ;
luuoeraus esseamdecia l^rea.
que < n- F. logo adiuulc auescenla (He| aia li 111 meu
importa a m
1 la ; inda ouiio Ministro nem o mesmo no pensar dos mesmos Apostlos.
celebrado manijo Trslo Pi dos Sattl Parcce-uie, meu caro Papirio.
ijoii tanto a Bcpii'senlaio Raciona! m- limdis os scriptoa polmicos com lodo e l'apii io) Injuslica lora exprilhrar a o Clero a
da, SUppe eni ijucm a luz animo, qualquer esrriplo religioso. I'u nunca n o- relaxaco, a'coi rupeo dos cos u mes a ig-
u-io O hostil e aieivoso, mas baixo cobarde varei que por meio de Peiiodi'os se abra i:a | uoraucia as rclcnccs e usurpaccs; por
senlencear a pi izo a
gredo e al a mofle a seus proprios fill'os ;
porque lodos os fiis o sao das Sacerdotes em J.
C. e d'abi Ihes vem o nome de Pidres !
Abre, meu I apirio, abrea Lei dasGuar-
dasNacionaes c nella rnioiitrars huma dis-
posico, que bem musir rnenos preio a
que se b reduzido entre nos a Religio o
\em asir; permillir ao Clrigo O alislar-so
nesses CorpOS E como bem pinte baver Padre? I
lao eniincnli menle esgtrrtarello landalbo r tr
sem v(T;;onhir. (|iie queiia prevaled r-se di
permiss'oda lei : ainda podcrcnios veralgmi
( veiendo em thrislo boje no Altar, e a
maiih cufiado na farda armado d espingar-
da lalvcz rebolcando-se e pinOtcando coi-
1




\i
A
D I A fe O
i i.........
D V.
P E B ti A M B V C O
' i i ii
*
mofailfia, ou de canana, e espadago
nnta para maior gloria de Dos e edificacjo
tos fiis Sabes que al nos Pajzes *roies-
tanles guarda-s religiosamente o dia de Do-
mingo por ser consagrado a Snr. por precelo
Divino : mas entre nos esse he o oa marcado
paraosexercicoscorporaes, e afanosos dasG.
Racionaos !
Todas estas ebusas juntas a o abandono, a
que tem reducido os Governosos estudos theo-
kgicos, e Ecclesiastieos e por ourra parte as
duuirinas philosophanles derramadas larga
mb7or tantos livrinhos folhetos e Hvrecs
iia(j*sero sobejos elementos para o desapreco
do Clero BrazileSro e-eftr.scguintcmcnie para
a'tHia relaxa :o ? Peza-me que aeslreite-
za deste Peridico me nao deixe extender co-
mo desejra e o reqner o assumpto : e por
isso pe ,o-te venia meu Papirio para res-
ponder ao i.' Ponto em o Numero segninte.
(Extractos dos Peridicos)
Montevideo, i de serembro.
Despacho official do Bloqtieio,
O general Lavalle desembarcu no dia 5
do corrente em Landa frente do eu exer-
eito. A guarnilo d Landa declarou-se em
seu favor. A diviso Entre Riana que se a-
chava em Gualeguaychu Segulo o exemplo
da de Landa Os patriotas de Entre-Ros po-
yero desposieo do general Lavalle 2,000
eavallos. Os libertadores tem as suasremon-
tas completas e esto em marcha.
(L'Echo).
O Coronel SH\aescreve de S. Carlos ao
ministro da guerra, com data de t)do cor-
rente que se poz em marcha naqnelle mes-
mo dia para se reunir aoexercito a testa de
4oo homens bem armados e fardados.
Escrevem-nos da Colonia o segninte :
6 de setembro de 18J().
No dia a deste mez sabio de Martin Garcia
a legio libertadora em a divisoes. A pri-
meira ao mando do coronel Ola varia, em-
-bareoti-sepela manba em cinco balandras ,
e a segunda sahia de tarde a bordo da Borde-
e nafa duas cmlmrcaoes
ompanbadas da escuna Balan,
luises Vigilante
france/.as
que leva o sen parque
A primeira diviso composta de 27? ho-
mens, desembarcu no dia 3 de manba no
porto de Laudas, onde montou a cavallo, sen-
do o sen objeclo auntar cavallos pura as duas
divisoes*
A segunda diviso, composta de 700 homens,
ao mando de Lavalle desembarcu no dia 5 no
porto de D. Bazilio.
jNo dia 6 chegou a noticia ilha de have-
rem todos montado a cavallo e de terem mar-
chado sobre Gualeguaychu.
Todos os vasos que servirn para aexpedi-
co devio guanecer o Uruguay para impedir
a volla do exercito de Urquiza ;i Entre Ros.
Di/-se que oulros vasos francezes hav5o-se di-
rigido ao Paran para impedir a passagemde
for as de Buenos-Ayres.
A legio libertadora se compoemde 5 es-
quadoes commandada como segu :
O esquadrao Sagrado rommandndo por A
Yt;;a, composto dochefe e ofticiaes : Maz por
Pnirredon, Cullen por Villela. Libertad por
Monloro ; Buenos-Ayres por Baltaz Hornos.
A escolla provisoria, composla de Po homens
de infantera he commandada segundo se
er por. Pedro Jos Dias : Chilabert he che-
lie do estado maior.
Lavalle nao fez nem fara' promocao alguma,
e todos vio com esta condico
O exercito enlre riano invasor se compe ,
conforme as noticias dos seus partidarios de
i,5oo homens Entre-rianos ao mando de Ur-
quiza como general em chefe de joo Guay-
curus ao mando de Rain, e .rinciplmente de
(ioo^Orientaes ao mando de i .avaliza e de Ser-
vando Gomes. A infantera lie commandada
por Garzn. Diz-se que murtos Mitre-rianos
desertaran roubando fazendas.
O nico homem de prestigio que se salvou
da g*nte de Doroteo \elez foi o lente coro-
nel I). Thomaz Gmez, que passon alem do
Rio Negro com oulros subalternos.
A guerrilha deste departamento composta
de 5o homens retiro'u-se pfrra a serra de Mal-
AbiifO, por onde se dirigi Baez com a infan-
tera que mandou o nosso governo para ver
se a pode desalojar
(Constitucional.)
- 17 de setembro.
A mnnha se reimira' a legio argentina, c3-
mandada pelo digno general Rodrigues.
O Paquete ingloz chegou osla manli do
Bio de Janeiro : mas como parti la Europa
anlesdoD'Assas nao Ira! noticia alguma mo-
derna. _
_ Buenos-AviesAnda mais pnsocs 0
novas crneldades. M. Alibert, Americano do
Norte cscapou de srr huma das victimas ;
mas o sen cnsul o reclamou com energa, e
conseguio arrncala ao despota. Este, comtu-
dp, nao largou a sua presa se nao com a clau-
sula de que a crvela americana que trouxc-
ra Mr. Alibert o transportara directamente
para humdosporlos da America do Norte, e
(|iie(!nnte a sua estada a qui nao podera
coramunicar-se, debaxo de qualquer pretex-
to cnra cidade.
Engaado por seus espites, que se tinha
conseguido Iludir Rosas esperava o general
Lvale ao norte da ndade.e .-inha feito comecar
a'.-uns trabalhos de dpfeza no raio da Reco-
Ih'ctta. A noticia do desembarque em l'.ntre-
Riosaterrou-o. Oribe va p r se em marcha,
mas em vez dos promettidos i,ooo horaems,
Rosas so lhe deu 5oo, que a nossa brava ma-
rinha a guarda no arana.
- Algumas tropas se conecntr/ro por S.
Nicolao. Pacheco he o commandante dolas.
(L'Echo.)
18 de setembro.
S. Rx. o general em chefe, em officio de
ifido corrento, diz que no di anterior
fora enformado pelo Sr. coronel Mendon/.a de
que huma Torca as ordens dcLavalleja se di-
riga para o passo do Polaucos do Y. "O in-
dicado coronel passouorio e acha-se situado
entre Castro e a barra do Sarandi. Que bo-
je se tem deixado ver algumas partidas sobre
osoiteiros, defronte do pas^o do Durazno, e
por seus mov ment infere que o resto do ex-
ercito est acampado no arroto da chcara do
Galvo. Que o corpo principal do exercito
vai comecar as surfs manobras e que espera
que ellas terao o resultado de salvar a patria
de hum s golpe.
(Constitucional).
Extracto de huma carta de pessoa de ere-
dito.
Costa do Yi, 16 de setembro de 89
No dia 1. pelas 3 horas da tarde che-
guel ao quartel general no momento em que
o corpo principal eslava formado para are-
vista acomparibai a S. Ex e tive o pra-
zer de ver 9,^00 homens liem armados, far-
dados e montados, possuidos de hnm en-
thusiasmo extraordinario Faltava a divisao
do coronel Vendoma. que eslava em I ejera
com 'oo homens. O
ve ter tambem de 800
((iielraz maisdo 4<"> i i'-lam-o que perseguu o
inimigo nao sei que forca tem e mitras mui-
las partidas destacadas ; de modo que o exer-
cito de certo ser de mais de 4 Por aviso do commandante militar de Can-
ciones. D. Cornelio Cantera, sabe-su que
havia entrado Mi S. Jos o coronel Jar-
cia com aoo l.omens e que estava tranquil-
lo Esta noticia be confirma da por hum pas-
sageiro apresentado hoje na intendencia.
(Constitucional).
Do Jornal c!o Commcercio).
beneficio do Actor Pedro Baptista de Santa; samente : quem esliver neslftS circunstancias
Roza haver o segninte grande Expetaculo-
Dcpois de executada a primeira Overtura
( Eradiavolo ) principiar o divertimento rom
o primero Acto do Drama em 3 actos inteira
mente liberal que se intitula a^Restaura ode
Pern'ambucoA nova compo^ico de 1837.
No fim da Pe5a o Beneficiado com a Actrh
Maria Joaquina cantaran um dosmelhores Du-
elos ; rematando o Expelaculo com a repetico
da muito applaudida I ar.ca representada pe-
la primeira vez nesta emprera em beneficio
de MV. Gonet, a qual se intitula-Gato por
Lebre ou urna por oulra.-
N. B. As pessoas que qnizerem Bilhetes
procure a ultima casa do Snr Pavio no Atier-
ro dns Alfogmlos que tem lampiSono canto do
Sul para tractar do ajuste.
\sr Aluga-se um preto ou moleqne anda,
nao sendo muito ladino mensamente, dan-
do-se de comer at de ve lir por alguns lem-
pos quem o liver procure na ultima casa do
Snr. Pavo mocb po Alterro dos Affogados
com lampio no canto do Sul, ou anniincie
sua morada para se traanlo ajuste.
$2?" Troca-se urna morada de casa na na
do Fogo que o sobrado '. ll com *o>
projirios. por urna dila terrea em boa ru> que
os xos sejo proprios : quem perlendpr diri-
de Platea e Camarotes dirjjao-se ao mesmo | ia-se to mesmo sobrado que achara com quem
Theatro Assim como con>ida a toda e qual tractar,
quer pefcsoa brancos,, e pretos forros que
queirao comparecer na noite do expelaculo pa-
ra compar aria dirijo-se hum dia anles pa-
ra ensaiarem no mesmo Theatro que stro
gratificados com mais generosidade do que cos-
tuma pagar a caza.
Avisos Diversos.
t?- A J. Damas Doutor em Medicina
chegado a poucos dias nesta Provincia tem a
honra de ollereccr os seos servicos aos habitan-
tes desta Cidadc a qualquer hora que for pro-
curado na rua Nova D. 36 primero andar
vollando para a rua das Flores.
cy Quem quizerassentar praca por oulro
DO 3. Batalho d'Artilberia : drija-e a rua
do Nogucira I). i\.
X5F Na loja de cabos defronte do Corpo
Santo existe huma carta vinda do Poeto para
S~7" Offerece-se para caix iro de rua e' o Sr. Joaquim Goncalves Maia que se lirn
para robrancas urna pessoa de prohidade a do t orreio por seT de igual nome.
qual d os fiadores que para isso lhe pfessa ; j ty A crioula que se oUerece no Diario n.
atraz do Corpo Sanio venda do Sr. Lourcnco 35 para ama de caza deportas a dentro,
Jos das Noves. querendo vr para casa de urna viuvacom pou-
t-^- Quem quizer mandar fazer vestidos de ca familia uirija-se a rua doColuvelo casa
todos os moldes e qualidades e por precos D. 7.
mais commodos do que em oulra qualquer! cy Quem precizar de hum homem Por-
parle dirijarse ao primero andar do sobrado tuguez de meia idade chegado a |x>uco lem|H>,
I): 10 da rua do Nogueira que ah achara para feitor de algum sitio que enlende bem de
com quem tratar. planlacoesde orlalices de todas as qualidades
t=y Jos Goncalves de Faria faz sciente que e do mais que se lhe ollerecer e tambem jar-
os dous prelos africanos por elle annunciados dineiro ou para cozinJieiro de alguma caza
peto I ario do dia dons do corrente j fora do quesalie bem, entregues ao Sr. Jos Roberto de \ oraes por quem o perleuder di rija-sea rua da Cruz do
ter mostrado scrcm delle os prelos. Recife n. 1 i.
$3?- Precisa-se de um rapaz porlugu&z che- tsw Preciza-se de alguns rapazes ou lio-
gado de pouco lempo para caixeiro de urna me ns para trabalbarem em chapeos: i\ tratar
venda ; quem esliver as circunstancias an- na Fabrica de chapeos na rua da Cadea \ellia
quem
nunce. D. i4 de J. O Llster.
t;rAlluga-se na estrada de Joao de Barros, %zr ^o dia d bontem 8
do
corrente ,
muito pertoda Soledade huma boa casa no- irazendo um pelo de Behiribe hum bauziiilio
. va com grande sala, e 4 quarlos e cosinha puro maior de dolis palmos e ineio em
O -'eneral Medina quede- fora, loda pintada, e envidracada muito madeira ja velba e poudo-se adormir no lu-
00 para cima: Fortunato fresca, com grande quintal ou pequeo-cilio, gar d'A{,oa-fria o furtaro;dentro vinbo trez
boa-tuciraba d'agoa.e porlo ao lado para o ferros de calalate urna sobrecazaca de panno
servieoda casa ornis urna ca/.inha para es- fino azul nova, um rollete preto de sarja la-
cravos 5 que o pertender dirija-se ao mesmo vradode hranco urna panlalona de briimpar-
Ingar no cilio da Capella da Conceicao, do naneado de listra oulra dita de selineta
OT Na rua do Cotovello, caza ). 27,ha lislrada err. xadrezes e oplras pecas mais :
uem se proponha a tomar algumas crinneas quem tiver nolicia deste furto ou parle delle
j desmamadas para se acabarem de criar com procure na Boa-visla beco do ^ eras caza nuin.
todo o mimo e amor ; tambem se recebem as 9 que achara quem generozamenle gratifique,
que liverem ama para se criarem com leile Precisa-se de um cont e seis tontos
na mesma caza lava-se roupa engoma-se e mil rois a juros por lempo de um anuo com
coze-se toda a qualidade de costuras borda- hypolbeca em um sobradirtho no Rccie na
dos, lavarinlos e tambem se marca ludo rua do Padre Lloriano sobrado novo de dous
com muito asseio, perreiro e preco commodo. andares e Irapeira se dir quem pretend*.
SST Quem precizar de um Caixeiro Por- SST Quem precisar de um caixeno brazi-
Achando-se ja vendida a maior parte dos" l.Bue* paraarma;em, rua^ ou escripia "?f^^32S*2S!nS
bm.etos da Loleia concedida a favor lias obras de que tem bastante pra.ica annunce sua f^J^SlSSX^
lalrrojadeN. S. do Livramento o The-, morada para ser procurado trador de s.l.o po.s de ludo tem alguma p.a-
*'.'' ... *^ ^1 *v. A nmifUYl llm Oll-.m lili
LOTERA DO LIVRAMENTO.
Bollotim Commercial de Pemambuco.
a caza pelo ar.nuncianle prestar fianca a sua conducta,
vestir diri- XSST Na Refinacao da rua Diroila D. 3 con-
tinuarse a vender assucar refinado de superior
pessoa que
li do correnle querer servir em lia
Isipples pagamenlo de comer e
Eslc peridico publica-se todas as segundas ja-se a rua por delras dnsmarlirios a fallar
feiras .e contem os Precos Corren.es dos ge- con Domingos dos l'assos Miranda qualidade e assucarcandeJ'o J toda a
eros de Importado e Exportado ; Freles } lT Preci,a-se de Irezentos. mil rs. apre- perTe^ao tudo P'r preso mi^to."J
Cambios; huma explicacao de todas as dispe- rio por seis meses, e para seguranca hipo.ho- SST A creoula forra de di* n~ ~
obje- ca-se trez esclavos, e mesmo oulra firma, dade que annunciou no Diario dtWMo
sqI di l'rovincia ;
lisia das embarcacoens surtas no porto. He r Preciza-se de hum jardo ou preto, sr Urna mulher parda com nade de ,&
inirs-essantissimoaos Negociantes, e pessoas, qio sejo cazados sem filhos e de maior annos propoem-s* a ser ama de algum Sn..
uneviv^doCoinmorcio; pois com elle id.de. que inlenda de orlalioae de planta oes; Brasileo ou Eslrange.ro queiaetel ti-
poupa-o-sl ao trabalbo de dar infornraces a l>fa hum sitio perto da pra^ a na rua do ro ; po.s sabe engomar (
seus corresponden les. A oxacldo dos pre os Crspo loja D. A: do lado do Norte.
e revista
feila por _.
meada pela Sociedade Commercial sob cu- de Hortas Agoa*-verde .
do ro
quem.de seu preslimo se quizer ulilisar dirija
nao pode ser mais perfeita ; pois ter l'reciza-se de arrendar urna caza no se a rua das llores, sobiado d um anda, da
urna eommissao de Negociantes no- Barro de Sanio Antonio as sofluntes ras parle da mo dueilu que achara com quem
>.,!., s;,,,,;,,,!.,!,. r mntnr.'.,!:,! nK rn- (1, Hulla-. A?r-verde Dircila e das tratar.
jos auspicios se publica. A Belleza do Typo Tfrixeiras, que nao exceda a 8$.rs. quem
bondade do papel eimpressao rivdlizo rom licr annunce : adverle-se que da-se fiador
os de qualquer praca ; o formato augmentar a oul. nlo.
em proporcao das materias. Subscrovo-se a
trez mil reis por quarlcl na Praca da Indopen-
B7" Quera qu/er comprar hum negro bom
caeiro e remador pr cure no beco da I.in-
dencia, loja de, livros N. 37 e 38, e no mes- goia N 4 que l a chara com quem tratar.
mo lugar veiuleni->e os nunigros avulsos a ?o
reis para os subscriptores, e a 240 rs. para os j
que o nao forem.
THEATRO PUBLICO.
A manhaa qninla feira 31 do corrente em
fe?" Roga-se a pessoa que nesta praca esti
enrregado de pagar asdividas do Sr. Anto-
uiide Souza Lima, esiilenle na Baha quei-
rainnuneiar a sua morada pata se lhe fallar
a esjioito.
. y Preciza-so de hum homem forro, ou
ra*c;s do servico de campo pgando- *e nu n-

tratar.
C7" Hua.venda com poucos fundos con-
fronte aos Murtyrios D '. rom cmodos pa-
ra urna piquena familia inorar dentro e os
fundos nao excedem de 100 a i5oLoo mil rs.;
a Calar na mesma ou n pra a da Iifllepen-
dencia D. 1.
SS5- Aluga-se hum sitio para passar a fesla
na Iravessa da eru/. d Almas com .boa caza para
familia-estribara para trez aquatro ia\all s
em baslantcs arvores de fruclo e Ierras pi-
la plantas, e baixa para capiui (|iiom o per-
tender derija-se ao Manguinbo venda que faz
esquina para os AlBlos.


DIARIO DE PERNAMBUCO
lO
II)
ra
<
<
ZC
d(
le
]>
i!
n
d
d
d
h
s<
d
T
n
V
i
i
s
1
t
l
a
t
c
O- amado R ngel no segundo andar
do sobrado que fica defronle dos Diversos re-
ecbimeutos e com a escada defronle da gua-
nta da guardada mesma Repartidlo se en-
gomma toda qualidade de roupa tanto lisa ,
como com pregas com todo asseio e prompti-
do ; assim como tambem se cose toda quali-
dade de costura aimesmode allaiale tu-
do a preco mais barato de que era oulra qual-
quer prle.
XSF" O abaixo assignado tendo comprado a
Joaquim Euzebio de Barros urna loja de mi-
udezas com todos os seus fundos, na ra do
cabug 4 lent contratado com o Sur.
Jos Alves da Silva Guimares, propo-lo de
caixeiro em dita loja, dando-llie por ordena-
do a terca parte dos lucros da mesma, e por
que o mesmo Guimares se .lia em quebra
com o seu primeiro negocio tendo manilesla-
do a os seus credores lodos os seus bens .por
esse motivo faz o annuncianle o presente an-
nuncio para manifestar a lodos que a loja e
fundos della perlence ao abaixo assignado e
que o dito Guimares be somente caixeiro com
o ordenado na terca parte dos lucros.
Jos de Souza Garcia.
Cj" Precisa-se de urna ama capaz, c setn
vicios para casa de pequea familia; na
praca da Independencia loja de encadernador
l). a*i.
SST Da-se cem mil rs a juros sobre pinho-
res de ouro ; na ra Direita loja de couros
D. 18.
fy A crioula forra que annunciou sabba-
do6 do corrente querer servir de ama em
urna casa pelo comer e vestir dirijase a
ru da Aurora na terceira casa terrea envi-
drassada na n.esma precisa alugar urna pre-
ta captiva,
ft=> Aolariadarua da Florentina conti-
nua a fazer material e para semelbante fim
trata-se com Manoel Antonio da Silva cai-
xeiro e administrador da mesma.
*3T A crioula forra que se oerece para ser-
vico de urna casa pelo comer e vestir dirja-
se a ra da Florentina D- 14 onde tem ola-
ria.
zsr- A pessoa que annunciou querer saber
a moradia de Manoel Cypriaiio Ferreira Ra-
bello annuneie sua morada.
XW Os Sis. Antonio Malhoso de Andrade e
Cmara Paulino dos Sanios Carvalbo au-
zente a Senbora D. Elena Mara de Matos
podem mandar a ra do azeite do peixe na
casa em que lem loja de marcmeiro, a fina de
receberem urnas cartas vindas do Rio de Ja-
neiro. CC t\-
jgy A creoula forra que se oflerecc no Di-
ario n 3 5 para ama de casa annuneie sua
morada.
SS?- Qualquer pessoa (|ue se queira propor
atrabalharemumsitio, tanto em ortace .
como iratamenlo deoutras plantas e que seja,
ia entendedor desse trabalbo dirija-se a ra
do Hospicio primeira casa depois do quartel.
' ^sr Precisa-se de um feilor para qualquer
ervco, que se Ihe incumba prefere-se na-
tural do paz J na ra do Vigano D. }*.
xzr Da-se um cont de ris a premio a
dois por cento ao mez com hipotheca em
predios nesta praca como tambem afaga-se
urna casa na ra da Gloria por oito mezes em
quanto se vai passar a fesla pagando achan-
tado o al uguel; quem quiser lazer qualquer
dos negocios dirija-se a praca da Roa visla
botica D. 3 que se dir.
^ Offerece-se urna ama para o servico
de urna casa de horoem sollciro, defronte da
cadeia D. b. _
S23- A crioula forra que se oOerece para
servir a urna casa" pelo sustento e vestuario,
diriia-s? a solidade l). 7.
% Joo Antonio de Souza Bellrao sub-
"^ _.C Uholnnra rtn LlCRO -
stiluto e geo*jii > ----.
p ope-se a Sismar estas ferias as materias ,
Se que be substituto e tambem geometra ;
anessoaquesequiserutilisar do seu presti-
mr d^a-searuadaMadrede Leos casa
T Precisa-se de urna ama prela ou parda,
que compre na ra, cozinhe lave, e en-
Jnmme lr casa de um homem 80,le,ro '
S*aaordetr.adaMatr.deS. Antonio no
primeiro andar de varanda de Ierro.
4 .m. o abaixo assignado vende urna negra
de dadede >y annos, sem vicio algum; quem
j r.rncnre no segundo andar do so-
rdodnetS "a Concedo dos Militares na
Va "^mbem vende um preto que reprsenla
a4 a,:'P !" sa sede um europeo sol.eiro, ou
*~' .more-ai-se no serwco de cam-
casado lS% "" du lioa 'isla
^^""ounoengeiho tozano reguesia de
^1 A GomnV.sso da Sociedade TerpsicJ.o-
re convida a os Srs. socios da mesma a reuni-1 nos de bonita figura, clara
rem-se boje (Ruarla feira 5o do corrente as bem coser com perfeico laca doces ,
lloras do cosliime liara conlinuaco da discu- nao .tenba parido para fora do Impe
par
cao dos novos estatutos.
CJ- Precisa-se de um bomem de meia ida-
de que seja fiel e que saiba escrever pa-
ra caixeiro de umengenbo distante desta pra-
ca 8 legoas ; na ra da praia casa que foi do
Marroquim.
$33* A creoula forra de 16 annos de idade ,
que annunciou querer servir a urna casa di-
rija-se a ilbarga do Carmb D. ")%
\Sf Precisa-se de um Reverendo Sacerdo-
te para dizer missa todo o anuo., em urna c-
pela nesta praca ; na ra da Aurora na ter-
ceira casa de i andares.
C" Aluga-se um grande sitio com bastan-
tes arvoredos e muilo bom pasto para vaccas
de leile em Bebiribe ; a tratar na ra da
Aurora na terceira casa de1) andares.
UP- Precisa-se alugar urna casa terrea ou.
loja prefere-sealgumaquejleiiliaarmagao
a qual nao se duvida comprar nos alfogados
desde a ponte at o largo de N. S da Paz ; na
ra nova D. 16.
tsy Precisa-se fallar com o Sr. Padre Jos
Felis Pereira de Lima a .negocio de seu inle-
resse na ra de Agoas verdes Casa do Escri-
vo Postbumo.
S3?- A Senbora I). Joaquina Mara do Sa-
cramento ou seu marido queira annunciar
sua morada.
Avisos Martimos.
PARA IIVERPOOL o Irrigue Weslnore-
and deve sabir com a maior brevidade por
ter parle de sua carga en;ajada e ser de me-
nor lote de qualquer presentemente destinado
para o dito porto: quem quiser carregar di-
rija-se a os seus consignatarios Harrisons La
tbam & Ilibbert na ra da alfandega velba
n. q.
PARA O MARANHAO o Brigue Mrquez
dePombal sahe empreteri\cimente at odia
lo de Novembro e recebe assucar a fete de
200 rs arroba; quem quiser carregar dirija-se
a ra da Cruz casa de Jos Ramos de Olivei-
ra ou com o Capito Fernando Jos de Al-
meida
PARA O HAVRE a Barca Camelia, sabe
imprelerivelmente no dia K de ^ovembro;
quem quiser canegar ou ir de passa;em ri a-se ao consignatario na ra do Vigaiip nu-
mero i t.
____________________________________
L e I a o
Puprt
trr Que fazem Lenoir Puget & Companliia
por iniervencodo correlor Olivcira em li-
qui.iac.uide todas as fazendas miuile/as, e
movei du txtincla firma de i enoir Px'suilicl c\
mi seu arma/em da ra da Cruz D. 5
vino se;io muilos os ohjcctos venda prin-
cipiar o leilo quarla feira o do crtenle as
dez boras da maulla do seguinle sortimento
de lazendas brelanas luvas para niullier
e bomem camisas de cbila cambraias de
linbo grvalas de seda rendas de seda re-
ta sedas diversas paracoletes diales del fi-
l de seda dilos de l e de seda de lodo os
tamanbos e de cassa adamascadas lencos
de seda e sarja preta para o pescoco (itos
de cassa bordados e outros de garca, cassassor-
tidas vestidos de cassa ditos de fil, cm-
bralas lisas escomilha encarnada, meiisde
seda para mulher e homem tpeles de sala
e &c. -
No dia Quinta feira 31 do corren le _
iminediato as mesmas boras, continuar^
venda dos seguintes arligos espadas e II
tes
facas e garios cabos de bano
faqueiros de i a 4 duzias de facas e
no
a
re-
e de i ar-
ar-
nii
f'os cabo de marfim com trinchanles tesura
fitas
praca da Boa vista l 4'
que saiba
e que
peno na
ara
grandes e pequeas fivelas e
cinto aneis ordinarios pulceiras editas
douradas, penles de chifre de ditiereiles
qualidades leques de seda dilos de pa>el
e de pellica sabonetes espclhos para s la ,
4caixasde agoa Vicbey, missangas cli co-
tes cabecadas e redeas de lustro carlens
de flores arleficiaes bandeijas ; escovas lara
fatoe cabello botins para sen hora v Iros
de cristal e oulras quididades movis di-
versos e patulejas grandes e pequeas e ta-
boleiros de prala fina.
C o m p r s
Vendas
putar cnctdernado as duas vesilas os i cu-
ras e as duas noites vida e os amores de Hc-
loiza Abeilarde ,-o aprediz de ladrap arca,
a escandalosa vida dos Papas, as muas de
D. Miguel, nova l astro com eslampas as
venturas de Felenoe Flora ou os genios de
Sevilha o engenuo ou o selvaflem civilisado,
harpa do renle e outros muitos livrqs e fa-
llidos 5 go caes da alfandega arraazem de-
fronte da escadinha.
^3" Ou troca-se por urna negrinha de \o
annos um negro possante, optime para lo-
do o serrico ou urna negra'de 3o annos e
vende-se facas e garios de cabo de osso para
mesa e sobre mesa chicaras e pires de
louca transparente sapalos branco de dua
patacas ditos preto a dois cruzados para
bomem caixoens com bom doce de goiaba ,
estoupa a aoo rs. a vara algodo da mata a
a3o dita ; na ra nova ao p da ponte arma-
zem de quarlinbas finas
XST Meios Bilheles da Loteira do Livra-
mento a trintaedois
S2^~ Os verdadeiros charutos da Havana em
caixas de duzenlos e cineoenta por nove mil rs ,
e superiores ditos da Caelioeira, ltimamen-
te chegados em caixas de 25o por 4000 ; na
ra do Cabug toja do Sr. Bandeira
Xf Lma cscravade bonita figura de ida-
de de i3 annos com bons principios de cos-
tura e hbil para todo o servido, sem acha-
ques nem vicios ; no secundo andar dasobra-
doda 4- tasa da ra da penha em seguimen-
to do oito da Igreja do Livramenlo
X3" Ou arrenda-se um silio no lugar da
Piranga povoaco dos afTogados com duas
moradas de casas de pedra e cal com cozinha
fora. senzala para pretos, estribaiia para 4
cavados tendo urna das dilas casas soto um
grande viveiro bastantes ps de coqueiros ,
larangeiras e outras Inicias, advertindo que
tein frente para se edificar mais de 90 mora-
la/, doces na ra das Cruzes em 'casa de Jos las de casas i a lralar na rua da ^^ velha
dos Santos Neves. **'
13" Urna bomba de poco ; na casa dos cx-
postos desla Cidade a fallar com o regenle.
8^ Um si'io na entrada d Rozarinho.
chamado ciconda casa de .soKrado com ,, f .No dia ald0 "rente pelas 7 horas do
bastantes, oes de mangaheiras too ditos de da lugio urna negra de norne Lucrecia, de
dei.de/eiros, duas baixas para capim e pas- fientio de loanda altura ecorpo regular, paz
lo para gado 5 a lralar no mesmo ,arS Peilos( peqeuos e calndos p
l^- Um terreno de 3o palmos de I rente e maosseccas bracos- finos a proporco do
.ao de fundo, na rua da palma ; a tratar na *ppo pelas costas um puado de sua trra,
mesma rua primeira casa do lado esnuerdo. em urna das paz urna grande marca de sica-
v3" Meios fiilhetes da Lotera do
Livramenlo a 3'ooo/, nesta Tipo-
grafa.
tSF" Meios bilbetes da Loleria do Livra-
menlo a tres mil reis ; na rua larga do Roza-
rio loja de miude?as D. sete.
IZT Urna escrava da costa sem vicio algum;
no atierro da Boa vista casa do relojoeiro.
13" Urna escrava do gentio de angola, mo-
ca excellente cozinbeira e quitandeira ; na
rua das Cruzes I). 7 no segundo tndar.
iS/ Urna escrava moca cozinha bem, en-
saboa cose cha ; e' engomma ; na rua da
senzala velha padaria n. iQ.
CJ1 Tres molecoles de mui lindas figuras ,
de idade de i3 a i5 annos de idade urna es-
crava de -ii annos de ellegante figura, pro-
pria pata mumbanda, urna dita de o annos ,
com loda| as habelidades* precisas urna mo-
leca de naco com o annos, e urna dita de
o dilos na rua de agoas verdes I). 18.
tsr Urna negra de nac de idade de 3
anuos boacozinheira lava bem de varrela ,
engomma, e cose : na rua das Cruzes J). 16.
Of Pianitos de exeellentes vozes chega-
dos ltimamente ; na rua da Cruz n. fio
C? Um boi manso de carroca. filho do
pasto muito bom e urna carroca quasi nova
porem corn urna roda quasi desconcertada ; no
silio da Conceico na estrada de Joo de Bar-
ros
tf" Agoa raz c oleo de linhaca em poti-
jas de 5 galoens j em casa de Hermano Me-
l.rlens na rua da Cruz I) a3
CV Urna prela creoula de idade de 38 .
annos cose
lionl.t
coz
tinha
4.
Escravos Futidos
esqi
cara redonda nariz chalo
t^- 4 sacas de arroz vennellio de muito boa ,r,z na0 pequea
qualidade; na rua do Queimado loja de fa- e grosso com um vinculo entre meio das so-
zendas IJ. li brancelhas boca regular denles alvos e
IST Ladrilhoquadradoproprioparacalsa- "''"''os < cabellos bastantes crecidos oreBVs
'!Ga j
das
, ouarmazem no caes da alfandefa ; a regulares,
a herios e redondos
na
iudos
e os buracos dos brincos bastante
tratar na rua da Cruz 11. bo abertose redondos e em lurteos levou ves-
SXT Superiores bichas grandes e pequeas 5 tidode metim verde com pafos as mangas e
na Direita padaria 4. s"! > no pescoco urna volla de contas lapida-
OT Um silio grande na estrada da Ponte das prelas faz-se bruta no fallar, peder
dcUcha com casa muito grande toda en- encarecidamente a pessoa que a tiver em stu
vidrassada com lies salas grandes, onze Pder ou saibo onde exista do que prot-
q liarlos, cozinha fora, copiar \ casa de lari- fardar segredo da pessoa que denunc*r
nha, estrujara para o cavallos casa para de elj# seacha, como tambem roga-se as
feilor, e negros com muilo arvoredos de a"lhoridades policiaes capilaes de camp
fruto de todas as qualiqades, e muito caf e commandantes do regislo todo o cuidado ta
duas baixas para capitn e muito terreno pa- PeSJusar dti escrava sendo que dita e&-
ra planlacoens cujo silio se vende melada a crava te,ina procurado algum Sr para a conj-
vista e melade a praso ; a lralar na rua JJi- Prar' duvida alguma nao baver.t de vender-
reila U. a na mesma casa se arrenda oulro se podendo-se proeurar a pessoa que se acta
silio mais pequeo com casa de pedra e cal de posse della na casa abaixo declarada e %e
e algumas fruclas muilo boa Ierra de plantar. Iglesia conlra quem a tiver occulla ; quen'a
capim e mais lavoura. W, leve a rua da roda n, 33a que ser re-
K3- Ou arrenda-se um bilhar em Olinda compensado,
na rua de S. Bento : a lralar ya mesma rua
sobrado n. 5b.
C/" Tres canoas novas, urna de 5a dois
palmos e duas de 40 dilos e urna lancha de
navio em muito bom uzo e por pre:o com-
jMoviiiienfo do Porto
tg- Dois officiaes de pedreiros com tito
que nosejomaus na rua Direita solado
que foi de Ignacio Neri.
O novo e velho testamento com 1 >las
dos Santos Padres a obra da Cidade de eos
por S. Agostinho quem tiver anniiu' ie.
f^> Urna molata de idade de 18 a ao
modo na rua larga do Rpzario D. t.
C?" Urna escrava de naco, a vista do com-
prador se dir as habelidades; na rua do Hos-
picio em urna venda nova.
C7* Urna negra de naco congo de boni-
ta figura boa quitandeira ; na rua de S. Jo-
s 19.
ssy Duas pequeas moradas de casas de
taipa em S. Amaro e a posse do terreno em
que se acbo edificadas que tem ao palmos
de lienta e qoo e tantos de tundo cercado
e com boa agoa; a tratar na praca da Boa vis-
ta D. 23.
ssy Urna morada de casa terrea na rua da
ordem terceira de S. Francisco D. 1 j com
bons comrtodos quintal, cacimba, e por-
to ; a tratar na rua do Livramento D. ao no
primeiro andar.
tsr Os seguintes livroschegados de Lisboa;
historias de metimos para quem nao be man-
ca as ia novellas de Madame de Montcteu
autora de Saint Cler o castelo Grevil o
I ramalhete jornal de instrueco e recreio fcom
in
I estampas finas i. e a. volunx-s archivo pe
NAVIOS SAHDOS NO DA a8.
MARANHAO' com escala para os porlos do
Norte ; Barca de Vapor ]\ac. Pernambuca-
na Commandantc Coble passageiros bra-
seiros o Lepulado Carlos Augusto Peixo-
de Alencar e a criados lr. Andr Bas-
tos de Oliveira e um escravo Dr. Gon-
calo Baptista Vieira e um escravo Do-
tor Candido Mendes de Almeida, Dr.
Caetano Alberto de Valeposto e um scra-
vo D. Josefa Cavalcanti Moura, e dois
escravos Luiz Gonsalves da Justa com
sua familia Francisco Ferreira Borges ,
e Adriano Alves da Silva.
SANTOS com escala para o Assu'; Brigue
Nac. S. Maria Boa Sorte Cap. Jos Joa-
quim Das dos Prazeres carga varios g-
neros ; passageiros brasileiros Andr de
Souza Miranda, Antonio Jos Correia ,
Francisco Xavier Barbosa Jos Francisco
Xavier Pessoa com um criado Manoel Ro-
que de Carvalbo com um filho menor e a
criados Francisca Ferreira da Rocha.
HAVANA ; Escuna Es pe ranea Leo, M. Do-r
mingos Valde carga carne.
..
RECIFENATYP.DEM.F. DEF.^1839


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EW06MHTDX_VRV3TI INGEST_TIME 2013-03-29T16:56:25Z PACKAGE AA00011611_03934
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES